Page 1

GANHE CONVITES: LATADA E ACADÉMICA VS SC BRAGA

VEJA COMO NO INTERIOR

ESPECIAL 24 PÁGS

Castelo Branco CRISE NÃO PARA OBRAS Câmara está preparada, segundo o presidente Joaquim Morão, para prosseguir modernização da cidade

SOCIEDADE

SWING Apimenta a relação e, nalguns casos, termina com a infidelidade. Não salva casamentos, mas garante "vida nova" a muitos. A sul de Coimbra há um clube especial onde se brinca em segredo

O FORMIDÁVEL

RELIGIÃO

DOCUMENTÁRIO

O HOMEM QUE METEU A MÁQUINA NO CORAÇÃO

SOMOS BAPTIZADOS CADA VEZ MAIS TARDE

LANIFÍCIOS.DOC EXPLICA A DECADÊNCIA DO SETOR

RE VI STA O

1,50€

REVISTA SEMANAL

27 OUTUBRO 2011

Nº 39

Coimbra entrou na moda do

FI

CIAL


C196


C168

T1 D 210x297P.pdf

1

7/11/11

11:13 AM


editorial

Grupo

Caça ao gordo SOARES REBELO Diretor

CNotícias

Diretor:

Soares Rebelo (soares.rebelo@cnoticias.net) Chefe de Redação:

Os americanos "decretaram" que o "eixo do mal" está no colesterol e no tabaco. Não se vendem menos caixões...

O PROGRAMA "Peso Pesado", da SIC, não

tem sido consensual no seio da opinião pública. As audiências de que usufrui, comprovam haver muita gente a segui-lo, mas há simultaneamente quem não lhe poupe críticas violentas, sobretudo os nutricionistas. Mero reality show ou um bom programa pedagógico? As apreciações, é claro, divergem. Uns veem-no na perspetiva de "receita" a seguir, outros como sádicos voyeurs de um espetáculo divertido. NÃO HÁ quem não experimente praticamente de tudo, até vinagre em vez de água, para se livrar dos quilos a mais. O mundo das soluções mágicas de emagrecimemto não tem fim. Simplesmente, os obesos nada adiantarão se não decidirem tratar-se. Os "pesados", esses, continuarão pesados enquanto não cuidarem devidamente da dieta. A EUROPA pensava, até há bem pouco

tempo, que a obesidade era um problema, sobretudo, americano. Acabou, no entanto, por deixar-se "engordar" bastante, também ela, nas últimas décadas. Em Portugal, segundo a Sociedade de Ciências da Nutrição e Alimentação, 53 por cento dos cidadãos ultrapassa os limites considerados razoáveis, um terço das mulheres tem também uns quilos a mais e até uma em cada três crianças já sofre de excesso de peso para a respetiva idade. OS MÉDICOS não têm dúvidas: a obesidade é um problema de saúde pública que tem de ser eficazmente combatido. A Organização Mundial da Saúde já a considerou mesmo como a epidemia do século XXI, apontando como principais fatores de agravamento a inatividade física e o fácil acesso à chamada

4

Propriedade/ Editora: MEDINFORMA, LDA; NIPC: 509711537; Capital Social: 50.000€; Rua Combatentes da Grande Guerra, 109; 3045-469 - Taveiro - Coimbra; email: geral@cnoticias.net Tel.: 239981303; Fax.: 239981304;Tlm.: 916987300 Gerência: António Gomes Abrantes; Maria Eugénia C. Figueiredo Abrantes; Inês Micaela Figueiredo Abrantes Capital Social da Entidade Proprietária: Beirastexto, SA – 87%; Outros – 13%

"comida de plástico" em detrimento dos hábitos alimentares tradicionais, baseados na sopa, produtos hortofrutícolas, peixe e cereais completos. A COMISSÃO da União Europeia para a Saúde e Protecção dos Consumidores já ameaçou, até, vir a recorrer a legislação específica, como aconteceu com o tabaco, se a indústria alimentar não se empenhar na "repressão", deixando, nomeadamente, de fazer publicidade dirigida às crianças e acabando com a rotulagem apenas entendível por quem for formado em química…

Mário Nicolau (mario.nicolau@cnoticias.net) Redação:

Bruno Vicente (bruno.vicente@cnoticias.net) Marco Roque (marco.roque@cnoticias.net), Marta Varandas (marta.varandas@cnoticias.net) Sílvia Diogo (silvia.diogo@cnoticias.net) Vasco Garcia (vasco.garcia@cnoticias.net) Colunistas:

Alexandra Dinis, António Alegre, António Pedro Pita, Carlos Fiolhais, Helena Albuquerque, Hélio Loureiro, Joana Benzinho, Jorge Bento, José Carlos Neves, Luís Lavrador, Luís de Matos, Luís Pirré, Manuel Rebanda, Margarida Regêncio, Mário Ruivo, Mira Lagoa Sobral, Paulo Leitão Colaboradores: José Lorena, Márcia de Oliveira; José Manuel Alves Fotografia:

Pedro Ramos (pedro.ramos@cnoticias.net) Direção de Arte:

Inês Abrantes e Jorge Caninhas Relações Públicas- Diretora:

Eugénia Abrantes Produção:

André Navega e Tiago Carvalho Serviços Comerciais Diretor Comercial:

Luís Figueiredo (luis.figueiredo@cnoticias.net) Técnicos de Vendas:

VIVEMOS tempos ricos em acontecimen-

tos, em novidades, em progressos. Os avanços científicos e tecnológicos não param de surpreender-nos. Porém, cada época, como cada filme, tem os "seus" maus da fita. A nossa elegeu o colesterol e o tabaco como os piores. Os Estados Unidos, país de gordos e produtor de tabaco, decidiu há anos refundar-se para reforçar a sua imagem de "pai do mundo". Ou seja: a obesidade está agora ali "proibida", por lá, em público, só fumam os marginais. O DESEMPREGO, os alimentos adulterados, o stress laboral, o CO2 dos escapes dos carros e os fumos das fábricas, é claro, também matam, ou, pelo menos, deixam mais de metade da população agarrada ao prozac e outros ansiolíticos ou soníferos, mas isso pouco importa. Os americanos "decretaram", à semelhança, de resto, do que fizeram para o Iraque, que o "eixo do mal" está no colesterol e no tabaco - e zás, aí estava o resto do mundo a seguir-lhes a iniciativa e a denunciar, como se faz na SIC: "olhó gordo"! Não se vendem menos caixões…

Fernando Gomes (fernando.gomes@cnoticias.net) José Alberto (jose.alberto@cnoticias.net) PUBLICIDADE E ASSINATURAS

CNotícias Rua Combatentes da Grande Guerra, 109; 3045-469 Taveiro - Coimbra Tel.: 239 981 303 - Fax: 239 981 304 Tlm: 916 987 300 Email: publicidade@cnoticias.net

assinaturas@cnoticias.net Diretor Marketing:

Bruno Vale (bruno.vale@cnoticias.net) Diretor de Sistemas de Informação:

Rolando Rocha (rolando.rocha@cnoticias.net) Projeto Gráfico: Pedro Góis / Góis Design e Bruno Vale

IMPRESSÃO: LISGRÁFICA

Impressão e Artes Gráficas SA Queluz de Baixo (Oeiras)

DISTRIBUIÇÃO:

VASP – MLP, MediaLogistics Park Quinta do Granjal – Venda Seca Tiragem Média: 10.000 ex. Registo na ERC com o n.º 126017, de 12/01/2011. Depósito Legal n.º 322204/2011. Periodicidade: Semanal, à quinta-feira Interdita a reprodução de todos os conteúdos editoriais, fotográficos, ilustrações para qualquer meio ou fim, mesmo comerciais.

Assine e divulgue a Assinatura anual 55€ Email: assinaturas@cnoticias.net Telm.: 916 355 014

27 OUTUBRO 2011


índice

SOCIAL

ESPECIAL

58

Criatividade em alta no Portugal Fashion

Castelo Branco: a excelência do interior A apresenta uma caderno especial, dedicado à cidade albicastrense. São 24 páginas para conhecer a riqueza histórica, os polos económicos, os equipamentos desportivos e o que o futuro reserva à região.

Os melhores estilistas nacionais apresentaram as tendências primavera verão 2012. A esteve no Portugal Fashion para acompanhar o que de mais fervilhante acontece no domínio da criatividade.

CAPA

AO MICROSCÓPIO

6 12 20

Batismo em idade adulta Maiores de 18 anos recorrem cada vez mais a este sacramento Saúde Medipédia lança marcação de consultas inovadora Vidas Isaltina Marques não vive sem as pessoas da escola José Falcão

SOCIEDADE 24 Um fotógrafo "Formidável" Fernando Marques levou Coimbra ao mundo 42 Interior despovoado Em dez anos a região perdeu quase um por cento da população 44 Entrevista com Luís Silva O cineasta fala do seu último trabalho, "Lanifícios.doc"

CÉREBROS 34 Bioenergia em Oliveira do Hospital Biorefina-Ter converte resíduos agroflorestais em bioprodutos DESPORTO 46 Entrevista AAC: Peiser Guardião mostra-se confiante antes do embate com o Sp. Braga

DINHEIRO 49 Azucar é sinónimo de "fiesta" Rui Costa e João Gouveia gerem este restaurante mexicano 50 Topo de Gama Terceira geração do Opel Zafira em destaque

VIVER 58 63

38

Restaurante Paladar da Alma aposta na cozinha tracidional portuguesa Figura Pedro Costa tem o desafio de tornar o Theatrix uma referência

Cortes não estragam Latada Uma "Festa das Latas melhorada" regressa para ajudar a receber os caloiros da cidade.

28

Swing em Coimbra

OPINIÃO

Não é a cura a infidelidade, mas pode ajudar a salvar relações. A sul de Coimbra, um clube destes "jogos de intimidade" faz as delícias de alguns casais da região.

MAIS 48 FREGUESIA S. Silvestre em análise 62 VIDA NOVA Coloração digna de uma guerreira 64 CULTURA Exposição "I Could do That" na Sala Arte à Parte

22 Mário Ruivo

36 Carlos Fiolhais

Um Metro de preocupação

Coimbra e Brasil 5


atual

ao microscópio

MARTA VARANDAS

RITA SILVA tem 34 anos. Foi batizada apenas este ano, pela altura da Páscoa. Explica que só agora o fez porque foram os pais que decidiram não a batizar em bebé ou em criança, para que fosse Rita a tomar a decisão, por tratar-se de "uma opção pessoal e poder tomá-la quando fosse mais crescida". Este é um caso que começa a verificar-se cada vez com mais frequência em Portugal. Apesar da maioria dos batizados na Igreja Católica continuar a realizar-se antes do primeiro ano de vida dos bebés (cerca de 90 mil), o número de batismos na idade adulta está a aumentar. Os últimos dados oficiais da Conferência Episcopal Portuguesa, de 2008, referem que são cerca de seis mil aqueles que anualmente se tornam católicos depois dos sete anos (seis por cento do total), idade que a tradição da igreja associa aos que "atingiram a idade da razão". Natural de Coimbra, Rita Silva, estudante de doutoramento em Direito, completou mais alguns anos até "chegar o momento". Mas não fez "a caminhada" sozinha. "Tenho uma irmã, com 31 anos, que foi batizada no mesmo dia, comigo. Foi uma decisão pensada, consciente e tomada de forma assumida. Entendemos que tinha chegado a altura", explica, confidenciando que "com esta idade, é mais fácil fazê-lo em conjunto do que individualmente".

Refere que o número daqueles que se batizam depois dos 18 anos não é muito elevado mas tem crescido, embora lentamente, atribuindo esta decisão a pessoas "adultas que se questionam sobre o sentido da vida e querem tentar 'descobrir' o que há para além das aparências. A razão é que ficamos mais pobres quando perdemos o sentido. Vale a pena ir à procura de 'algo mais' do que o dinheiro, a roupa, os carros, as férias", refere. A "caminhada" feita no IUJP não se trata já de uma catequese, explica o padre Nuno, mas de uma formação em diálogo com uma entrada progressiva na comunidade cristã. "É pensar a vida na relação fé/razão e aprender a encontrar-se com Deus. O objetivo é que cada um se encontre pessoalmente com Deus", afirma. Em Coimbra esta "caminhada" até ao batismo também pode ser feita no Centro Universitário Manuel da Nóbrega ou nas paróquias. Independentemente do local da formação, o batismo na idade adulta é feito

na noite de Páscoa (Vigília Pascal), pelo bispo e, em Coimbra, realiza-se na Sé Nova. AUMENTO VERIFICA-SE NO PAÍS. O padre

Jorge Guarda, da Diocese de Leiria, sublinha que o aumento dos batismos em idade adulta ocorre por todo o país, sendo "maior ainda o aumento dos batismos das crianças já em idade de catequese, isto é, depois dos seis anos". O facto de haver pais que decidiram não batizar os filhos quando bebés pode ser um dos motivos, diz o vigário da Diocese de Leiria. "Outras pessoas não batizadas, quando chegam à juventude ou à idade adulta, sentem o desejo da fé e de ter uma relação pessoal com Jesus Cristo e com Deus. É um bom sinal para a igreja e para as pessoas que fazem essa experiência. São sinais de vitalidade da igreja", diz. Em Portugal há mais de nove milhões de católicos batizados. Rita Silva classifica o seu batismo como um momento "feliz, muito importante e significativo. Sentimos alegria. A vida ganhou mais sentido".

IGREJA CATÓLICA

Batismo é cada vez menos uma coisa para bebés NÚMERO DE BATIZADOS NA IDADE ADULTA ESTÁ A CRESCER NO PAÍS. DIOCESES ACREDITAM QUE ESTE É UM SINAL DE "VITALIDADE" DA IGREJA

FAZER A PREPARAÇÃO. Rita Silva e a ir-

mã fizeram a preparação até ao batismo, durante cerca de um ano, no Instituto Universitário Justiça e Paz (IUJP). Confessa que nesta fase as dúvidas eram "muitas" e que os encontros foram servindo para fazer reflexões sobre o significado de ser cristão. O padre Nuno Miguel dos Santos, diretor do IUJP e coordenador da Pastoral do Ensino Superior em Coimbra foi quem acompanhou as duas irmãs. Conta que o batismo de adultos, na sua realidade, tem a ver com "mais de 18 anos, tratando-se de alunos, investigadores ou professores, que estão ligados ao Ensino Superior".

6

Diocese de Aveiro vê aumento com bons olhos DE ACORDO COM o bispo de Aveiro, António Francisco dos Santos, há na Diocese de Aveiro um aumento do número de batismos em adulto e há sobretudo um aumento de crianças inscritas na catequese, sem batismo, que preparam o batismo durante os três primeiros anos de catequese e são batizadas no decorrer do terceiro ano de catequese. "No

ano passado tínhamos na nossa diocese 780 crianças inscritas na catequese sem batismo e a prepará-lo. É certo que são muitos milhares as crianças da catequese mas este número é significativo", adianta o bispo de Aveiro, referindo que as razões para este aumento são várias. "Por um lado, cada vez mais a vivência da fé não é uma simples herança que vem da

27 OUTUBRO 2011


+ DE 7 ANOS ATÉ 1 ANO – 1449 DE 1 A 7 ANOS – 634

ATÉ 1 ANO – 1551 DE 1 A 7 ANOS – 660

+ DE 7 ANOS

ATÉ 1 ANO – 3000 DE 1 A 7 ANOS – 700

ATÉ 1 ANO – 1263 DE 1 A 7 ANOS – 870

+ DE 7 ANOS

ATÉ 1 ANO – 1154 DE 1 A 7 ANOS – 774

família ou da tradição sociocultural, mas é um dom de Deus que se acolhe e desenvolve". Por outro, muitos pais "crescem na fé e descobrem o significado e o valor do batismo dos filhos e dos sacramentos da igreja quando se colocam diante do futuro e da educação que querem dar aos seus filhos". "Creio que cada vez serão mais os adultos a pedir o batismo e cada vez será mais

importante a igreja investir na formação cristã dos adultos já batizados e na preparação de adultos para o batismo. Há muita gente que procura Deus, mesmo que seja de modo discreto e às vezes aparentemente tímido, porque sabem que 'onde há Deus aí há futuro', como lembrava o Santo Padre Bento XVI, na viagem à sua terra natal, na Alemanha", concluiu.

7


ao microscópio

sete sóis, sete luas

CASTELO BRANCO

PT aumenta postos de trabalho na Covilhã

direito

direto

A PORTUGAL Telecom (P T ) elevou para 1400 a previsão de postos de trabalho que deverão ser criados com a abertura de centros de dados e gestão de redes na Covilhã. Segundo o presidente, Zeinal Bava, o número de postos de trabalho previstos aumentou, dado que, para além de um centro de dados já anunciado, a PT "vai também criar na Covilhã um centro de gestão de redes de nova geração". No recrutamento foram analisadas mais de 300 candidaturas.

MARGARIDA PORTO Advogada

Código do Trabalho FOI PUBLICADA em Diário da Re-

pública, no passado dia 14 de outubro, a Lei n.º 53/2011, que altera o Código do Trabalho. A partir do próximo dia 1 de novembro, a compensação devida ao trabalhador em consequência de, embora não só, despedimento coletivo, despedimento por extinção do posto de trabalho, despedimento por inadaptação ou caducidade de contrato a termo certo ou incerto corresponde a 20 dias de retribuição base e diuturnidades por cada ano completo de antiguidade (contrariamente ao anterior um mês, no caso dos despedimentos), ou ao proporcional em caso de fração do ano. Outra novidade deste diploma é a determinação, para os novos contratos, de um limite máximo à compensação final de contrato, não podendo esta ser superior a 12 vezes a retribuição base mensal e diuturnidades do trabalhador, o que na prática significa não haver diferença na compensação a partir dos 18 anos de antiguidade. Para retribuições base mensais e diuturnidades superiores a 20 vezes a retribuição mínima mensal garantida estabelece o legislador um limite e uma fórmula de cálculo diferente. • (MANUEL REBANDA, PEREIRA MONTEIRO & ASSOCIADOS)

8

Olga Preto não perdeu a esperança, mas está preocupada

Adiada a mudança da ETEPA SEGUNDO Olga Preto, diretora da Escola Tecnológica e Profissional Albicastrense (ETEPA), devido à crise financeira que o país atravessa, a mudança de instalações para outro local de Castelo Branco está numa situação de indefinição. A responsável da ETEPA não "perdeu a esperança", mas confessa que a difícil situação económica está a estender-se às famílias dos 145 alunos da instituição, que comemorou o 19.º aniversário a 12 deste mês. "Sentimos que a maior parte das famílias dos alunos estão a viver momentos difíceis, chegando a reter o subsídio dos seus educandos para o orçamento familiar, quando anteriormente esse dinheiro era reservado para qualquer eventualidade", lamenta.

Barbosa de Melo apoia regionalização O PRESIDENTE da Câmara de Coimbra, Barbosa de Melo, defendeu num colóquio, em Oliveira do Hospital, ser necessário aproveitar a crise para fazer a regionalização. Na iniciativa do Movimento Pensar e Agir pela Nossa Terra o autarca garantiu que o país "é mais bem governado" segundo esse modelo. "Temos vilas e cidades demasiado estúpidas e temos de melhorar a imagem das nossas terras", disse o presidente da Câmara Municipal de Coimbra.

TAVEIRO

Terreno para o grupo folclórico A CEDÊNCIA do terreno para a

construção da nova sede do Grupo Folclórico de Taveiro , em Coimbra, deverá ser formalizada a 9 de dezembro. José Maria Barroca, presidente da Junta de Freguesia de Taveiro, anunciou a possibilidade no almoço do 36.º aniversário do grupo, na resposta à intervenção do presidente da direção Valdemar Pereira que elege a construção da nova sede como uma necessidade. O Grupo Folclórico de Taveiro foi fundado a 18 de outubro de 1975.

Brinde ao sucesso do Grupo Folclórico de Taveiro

27 OUTUBRO 2011

Auchan promove voluntariado A COMEMORAÇÃO dos 50 anos da Auchan incluiu, em julho, o lançamento do programa Voluntariado Auchan – PARTE DE NÓS, que pretende sensibilizar a comunidade local para o valor e importância do voluntariado. A Feira Nacional de Voluntariado, que decorre amanhã e sábado na praça principal do Dolce Vita Coimbra enquadra-se na iniciativa. O evento tem o apoio do Ano Europeu do Voluntariado e contará com a presidente da comissão, Fernanda Freitas.


Membros da acampada de Coimbra protestam a 3 de novembro na AR

Imigrantes voltam a comprar casas

NOVA LEI

Cartão concelhio da FMB é projeto ambicioso A FUNDAÇÃO Mata do Buçaco apresenta amanhã o "Cartão Concelhio", destinado às populações dos concelhos de Mealhada, Mortágua e Penacova. O cartão oferece condições especiais aos utilizadores habituais da mata, nomeadamente entrada livre, quer para quem tem a mata como ponto de passagem obrigatória, quer para quem pretende desfrutar em pleno dos espaços de lazer e descontração que a mesma oferece. A receita obtida com a participação dos munícipes dos concelhos aderentes, através da aquisição do "Cartão Concelhio", reverterá para a preservação dos valores ambientais e patrimoniais que se combinam de forma diversificada na Mata Nacional do Buçaco.

FUNDAÇÃO da Mata do Buçaco cria instrumento de promoção

Pirré Advogados debateu alterações ao Regime de Insolvência

PEDRO RAMOS

MEALHADA

A LUÍS FILIPE PIRRÉ Advogados

promoveu uma sessão de esclarecimento sobre a alteração do Código de Insolvência e Regeneração de Empresas. O economista João Cruz foi o orador. O Governo, nos termos do memorando assinado com a troika, pretende reduzir o prazo dentro do qual o devedor se deve apresentar à insolvência dos atuais 60 dias após o conhecimento da situação de insolvência para apenas 30. Propõe, por outro lado, atribuir caráter facultativo à tentativa de reconciliação, atualmente impe-

rativa, deixando à livre apreciação do juíz aferir da pertinência deste ato em cada caso concreto, dispensando-o caso assim o entenda. É ainda intenção do Governo reforçar os poderes de gestão processual em matéria de suspensão da assembleia de credores; outorgar ao Ministério Público o dever expresso de intentar o processo de insolvência de todos quanto, não tendo bens penhoráveis, estejam inscritos na referida lista;w e declarar de vital importância o procedimento extrajudicial de conciliação.

CONTINENTE OFERECE MELHOR PREÇO O Continente apresenta o preço mais barato no cabaz de compras escolhido pela para esta semana. A diferença entre o valor mais baixo e o mais alto é de apenas 54 cêntimos. Preços verificados a 23.10.11, das 11H00 às 13H00.

:)

mais barato

PREÇOS/KG/L

PINGO DOCE CONTINENTE

JUMBO SUPERCOR

Nestum Mel Clássico (300g)

1,49 €

1,49 €

1,48 €

1,49 €

Coca-cola (1L)

1,39€

1,25 €

1,38€

1,49 €

Nesquik Cereais (375g)

2,39 €

2,39 €

2,59 €

2,69 €

Leite Mimosa M/G (1L)

0,59 €

0,59€

0,59 €

0,59 €

Manteiga Mimosa c/sal (250g) 1,39 €

1,39€

1,39 €

1,39€

TOTAL

7,11€

7,43€

7,65€

7,25€

OS IMIGRANTES estão a aliviar

:(

a pressão no setor imobiliário, já que voltaram a comprar casas em Portugal. Segundo o presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), Luís Lima, "o aumento do número de transações registado em agosto foi particularmente significativo no Interior Norte, fruto do efeito sazonal do regresso dos emigrantes". O dirigente considera a atitude dos imigrantes um sinal positivo e inclusivamente suscetível de ser corroborado pelos dados do Banco de Portugal sobre as origens do investimento direto estrangeiro no imobiliário nacional, que apontam a França e a Suíça como dois dos principais pólos investidores em Portugal. Os distritos de Viseu, Guarda e Bragança foram os que registaram maiores incrementos do dinamismo imobiliário em agosto (com ta xas de crescimento mensais de 58,6% , 82,3% e 72,9%, respetivamente) e os de Lisboa, Portalegre e a Região Autónoma da Madeira, os que sofreram maiores contrações, todas elas superiores a 25%. De acordo com estimativas da APEMIP, ao longo dos oito primeiros meses de 2011 foram transacionados entre 130.000 a 135.000 imóveis (tanto urbanos, como rústicos e mistos).

mais caro

9


ao microscópio

consultório de

urbanismo

MAGALHÃES CARDOSO * Coimbra tem uma escola arquitetónica específica? EM PRIMEIRO lugar, importa

assinalar que Coimbra é um território difícil para os arquitetos e para os urbanistas, devido às condicionantes existentes ao nível patrimonial (edifícios classificados, bens do domínio público, zonas de proteção...) e biofísico (terrenos difíceis, oscilando entre os que são declivosos e instáveis e aqueles que são inundáveis, protegidos por reservas, domínio hídrico ou outras servidões ou restrições....). É ainda difícil por, em muitas circunstâncias, ser necessário requalificar mais do que inovar... devido a erros do passado (más soluções, degradação dos imóveis existentes...). Estas dificuldades constituem porém um estímulo, um desafio! Mas seria presunçoso acharmos que as especificidades de Coimbra exigem uma específica forma de arquitetar soluções. Exigem, isso sim, uma específica atenção ao lugar, uma específica competência para intervir, um específico talento para acertar na relação social integrada que é Coimbra enquanto objeto de atuação. É IMPORTANTE recordar que em Coimbra não havia, até há pouco tempo, escolas de arquitetura. Os arquitetos que têm intervindo na cidade, ainda que

sete sóis, sete luas

sendo ligados por diversos laços mais ou menos estreitos à nossa urbe, eram provenientes de escolas de arquitetura de Lisboa e do Porto, ou de outras paragens! Este não é um mal em si mesmo, pois por essa mesma razão foi possível trazer mundo a Coimbra... E, assim, há nomes que para sempre ficarão ligados ao urbanismo e à arquitetura de Coimbra das últimas décadas: Almeida Garrett, Costa Lobo, Fernando Távora, Gonçalo Byrne, Alexandre Alves Costa, Vasco Cunha, Camilo Cortesão, Pedro Karst Guimarães, João Mendes Ribeiro e tantos outros que me desculparão (ou talvez não...) por não serem referidos! Felizmente, muitos destes vultos maiores deixaram escola na cidade. TODOS ELES, mesmo os que, "estrangeirados", são de Coimbra, foram buscar mundo e arte fora da cidade. Tinha de ser assim! Todos eles, mesmo os "forasteiros", amam hoje Coimbra, pela marca dedicada e indelével que deixaram, deixam e/ou deixarão. Mas hoje, em especial pela força exercida pelo Núcleo de Arquitetos de Coimbra, aprende-se arquitetura em três escolas na cidade e faz-se escola!

Jovens e competentes profissionais destas áreas residem e trabalham na cidade. Ou seja, há uma escola arquitetónica para Coimbra. HÁ TAMBÉM esperança no fu-

turo: quer pelo elevado nível dos melhores projetos desenvolvidos na cidade, quer pelo desafio que é projetar para Coimbra, quer pela competência instalada, quer ainda por aqui haver ensino arquitetónico de qualidade, parece-me seguro afirmar que, se ainda não havia uma escola arquitetónica de Coimbra, vai passar a haver!

* Magalhães Cardoso é o diretor Municipal da Administração do Território na Câmara Municipal de Coimbra. Envie as suas questões para redacao@cnoticias.net, que serão respondidas neste espaço

10

LOUSÃ

Apresentação do festival decorreu no restaurante Casa Velha

Castanha e mel são sabores de Outono O FESTIVAL Gastronómico

Sabores de Outono, que conta com a participação de 13 restaurantes, começa amanhã e termina a 13 de novembro. Entre os dias 11 e 13 de novembro decorre em simultâneo a 23.ª feira do Mel e da Castanha 2011, no Parque Municipal de Exposições, na Lousã. Segundo Fernando Carvalho, presidente da Câmara da Lousã, eventos como o Festival

Gastronómico e a Feira do Mel e da Castanha ajudam "a atenuar a crise" e são factores de atratividade para o concelho, beneficiando produtores, comércio tradicional, hotelaria e restauração. Dar a provar aos visitantes produtos endógenos da região como o Mel Serra da Lousã DOP e a castanha já faz parte da tradição de duas iniciativas que a região e o país não dispensam.

COIMBRA

Concerto no Museu da Água O CONCERTO com o Grupo de

Câmara da Orquestra Clássica do Centro começa às 17H00 de domingo, no Museu da Água. Considerada de superior interesse cultural pelo Ministério da Cultura, a OCC está abrangida pela Lei do Mecenato Cultural (atual Estatuto dos Benefícios Fiscais). Em 2002, a orquestra passou a ser composta por 32 elementos, sendo esta a sua atual constituição. A OCC tem realizado o seu trabalho ininterruptamente, levando a música erudita/ clássica a toda a região Centro.

27 OUTUBRO 2011

O concerto do Grupo de Câmara da OCC é às 17H00


FIGUEIRA DA FOZ

Mês da arquitetura no Casino Figueira inclui exposições A EXPOSIÇÃO "a ORIENTE",

com fotografia de Manuel Magalhães, resulta do enamoramento pelo Oriente, fonte de todos os exotismos, a que a fotografia soube responder da melhor forma; faz parte do imaginário do mundo ocidental. Arquiteto e fotógrafo, natural do Porto, não é um viajante com uma câmara fotográfica. É, pois, um arquiteto que sintetiza, geometricamente, o que o mundo lhe oferece com maior exuberância. Com imagens captadas entre 1993 e 2005 no Camboja, China, Tailândia, Índia, Japão e Macau, a fotografia de Manuel Magalhães tanto dá como recebe... Já a exposição "Um Projecto de 1900" apresenta, entre outros, projetos arquitectónicos do Palácio Sotto Maior, da Torre e das Cocheiras (atual Multicenter). O "Mês da Arquitetura" decorre até 19 de novembro.

O CASINO recebe duas exposições de rara qualidade

Pratos negros e giz branco. O Movimento de Moradores de Rua de Coimbra e a Associação Hemisférios Solidários colocaram a Instalação de Arte Participativa "Labirinto: Faz Xeque Mate à Pobreza", que sinalizou o Dia Mundial para a Erradicação da Pobreza, à porta do Banco de Portugal, em Coimbra. A escolha do local não foi um acaso...

C120

PEDRO RAMOS

foto legenda


ao microscópio

sete sóis, sete luas

COIMBRA

JOSÉ CARLOS NEVES Médico

Blefaroplastia (cirurgia das pálpebras) A BLEFAROPLASTIA é a cirurgia

das pálpebras superiores e inferiores. O objetivo desta cirurgia é remover o excesso de pele e o excesso de gordura, rejuvenescendo a expressão do olhar. Na pálpebra superior vai-se obser vando um excesso de pele que acompanha a queda da sobrancelha. Esse excesso pode ser removido sob anestesia local ou geral, deixando-se uma linha cicatricial que fica escondida no sulco criado na pálpebra superior pela abertura dos olhos. Geralmente a blefaroplastia superior é acompanhada pela frontoplastia endoscópica (reposicionamento das sobrencelhas). A blefaroplastia inferior trata as bolsas de gordura e as rugas sob os olhos, que conferem um ar cansado e pesado ao olhar. A incisão é realizada imediatamente abaixo das pestanas, sendo a cicatrização quase impercetível. Este procedimento pode ser acompanhado pelo reposicionamento de volume das regiões malares e dos sulcos naso-jugais, conferindo-se um aspeto bastante rejuvenescido. A cirurgia pode ser realizada em regime de ambulatório. Por vezes são observados alguns hematomas, sendo por isso a recuperação de cerca de uma semana. • CIRURGIA DA FACE WWW.MYFACE.PT

12

Medipédia lança marcação de consultas A MEDIPÉDIA lança amanhã um novo serviço: "oferecemos às pessoas a possibilidade de marcarem de um modo quase instantâneo uma consulta, localizando o médico da especialidade que pretendem", explicou, em primeira mão à , João Maria Montezuma. Na prática, os utilizadores do serviço, que funciona a nível nacional, terão maior proximidade com o médico, já que têm acesso à agenda eletrónica do especialista. "Só aparecem as horas disponíveis e, após a marcação, a hora escolhida pelo utilizador fica bloqueada", acrescenta. Enviar mensagens, reagendar ou anular a consulta, em caso de um imprevisto, são outras das funcionalidades do sistema. "É simples e gratuito. Pedimos muito poucos dados para validar a consulta, mas se o utilizador pretender pode criar um perfil para cada membro do agregado familiar", afirma João Maria Montezuma. O valor estimado de cada consulta, segundo o responsável da Medipédia, constará da informação a disponibilizar ao utilizador que tem à disposição em www.medipedia.pt a maio-

O novo serviço da Medipédia é muito prático e eficaz

ria das especialidades. "Neste momento já temos ativas mais de 300 agendas e mais de 2000 registos, pelo que o número de médicos aderentes aumentará em breve", afirma Montezuma. A estrutura do novo sítio inclui, ainda, os dias, consultórios e horários de cada um dos médicos, de modo a que o utilizador escolha o que mais lhe convém. No caso de pretender garantir o acesso a um médico que conhece, o médico de família, por exemplo, o utilizador tem à disposição "a procura por nome", pelo que os 16 mil visitantes di-

COIMBRA destaca-se na região Centro, no registo das sociedades constituídas no 1.º semestre deste ano, por ter contabilizado 238 novas empresas.

ários da Medipédia têm a vida facilitada. O número de visitas, confia João Maria Montezuma, tenderá a aumentar a partir de amanhã com a ativação do novo serviço, que está, também, "a ser pensado para o Brasil", concretamente para a região de S. Paulo. A Medipédia fornece soluções, serviços e tecnologias de informação e comunicação para a promoção da saúde e prevenção da doença e integra a incubadora de ideias e empresas do Instituto Pedro Nunes, em Coimbra. | MN

A AGÊNCIA alemã de supervisão financeira receia que a crise dos bancos contagie as seguradoras, e pediu-lhes que indiquem o valor dos investimentos nos bancos. 27 OUTUBRO 2011

má notícia

médico

boa notícia

visita de


C59


via do leitor

ao microscópio

cartas

À espera de uma solução

A vida continua como dantes

ENVIE A SUA OPINIÃO CARTA: Rua 25 de Abril, n.º 7 Taveiro 3406 - 962 Coimbra EMAIL : redacao@cnoticias.net

Será que é possível fazer alguma coisa perante a incompetência dos nossos governantes? Há quem diga que não há soluções possíveis e que os nossos problemas financeiros só se resolvem com ajuda externa. Este cenário não é novo e o país, mais cedo ou mais tarde, encontrou solução. É verdade que o Governo

A vida continua como dantes, nada mudou e nada mudará. Vamos apertar o cinto até ser possível. Os sacrifícios recaem nos mesmos, mas a culpa também é nossa. Sacudimos a água do capote e esperamos que a trovoada passe ao lado. Desta vez, não será assim. Os poucos euros que restam vão terminar em breve. Está na hora de questionarmos as derrapagens nas obras, as frotas automóveis compradas à medida dos desejos dos administradores e afins, o BPN, o Buraco da Madeira, enfim. Por tudo o que foi mal gasto. É tempo, também, de questionar a produtividade laboral e principalmente o que não fizemos em todos os anos que já passaram. É tempo.

As cartas deverão ser datilografadas com morada e número de telefone. A reserva-se o direito de selecionar as partes que considera mais importantes. Os originais não solicitados não serão devolvidos.

Temos de estar atentos Estou atento às notícias e vou ouvindo os sacrifícios que estão ser pedidos ao povo português. O Ministro das Finanças apresentou uma série de medidas, que tendo em conta o que se está a passar na Grécia, leva-nos a uma estrada sem saída. São impostos e mais impostos. Muitos. Não escapam os trabalhadores e muito menos as empresas, que já passavam por dificuldades e que têm feito grandes sacrifício para honrar os compromissos. Os colaboradores temem pelo futuro e o cenário é muito negro. É necessário entender de uma vez por todas que sem empresas e sem trabalhadores não há riqueza. Estou numa situação curiosa: trabalhei toda a vida, fiz sacrifícios para pagar os empréstimos à banca para comprar casa e o automóvel. Agora, estou a ficar numa situação limite. Já chega. Quem colocou o país na atual situação é que deve pagar a fatura. Não sei onde estão os responsáveis, mas sei que o "acumulado" que temos à vista é obra de vários anos. Ou seja, a procura dos responsáveis tem pano para mangas e exige horas extraordinárias. Não é fácil, mas começando por uma ponta haveríamos de chegar a algum lado...

nem sempre decidiu de um modo acertado, já que a atual situação financeira não é obra do acaso. Através do seu trabalho cada português está obrigado a cobrir os erros de um grupo que, ao longo dos anos, colocou o país no que se conhece. Assim, terão de ser, mais uma vez, os portugueses a mostrarem do que são feitos, dando a volta a uma situação muito complicada. A nação dos descobridores não é obra do acaso...

Estou farto de ouvir falar em subsídios para o futebol profissional e dos ordenados dos jogadores. Os rendimentos da imagem de Cristiano Ronaldo, Danny ou Pepe, por exemplo, revertem a favor dos próprios. Tornam o país conhecido? Tornam. Mas, além dos próprios, quem beneficia da "faturação" são os empresários e os clubes que neles investem para, depois, obterem o tão desejado retorno. É sabido que muitas famílias dependem dos clubes, mas este facto não desculpa tudo. Os impostos por pagar, por exemplo. Os políticos aparecem na fotografia sempre que precisam, mas não podem fechar os olhos. O país assim o exige.

CARLOS LOPES, Coimbra

LUÍS NUNES, Viseu

PEDRO CUNHA, Condeixa-a-Nova

LURDES SILVA, Coimbra

Será que tenho de trabalhar mais 30 minutos para dar de comer ao Governo?

O dinheiro gasto no futebol

JOÃO SANTOS, Lousã

www.cnoticias.net | conteúdos multimédia

www.facebook.com/Cnoticias

www.twitter.com/cnoticiasnet

inquérito

14

COIMBRA

COIMBRA

LOUSÃ

"Vamos limpar as ruas da Alta"

Marcelo Nuno no Rotary Club

João Ramos deu show ao volante

Concorda com o aumento da idade da reforma? Participe com a sua opinião em www.cnoticias.net

27 OUTUBRO 2011


cartas

texto elaborado pelo gabinete de ficção da revista

Caro Pedro eiro salvatemos em Belém o único, o verdad que ece par até ra, Ago . ndo ibu Estou fur me empenho sas meritórias em que diariamente dor da pátria. Se não fossem as cau Estado foi, não urso contra o nosso Orçamento de vem ele chicotearvoltava para as feiras. Aquele disc damente evitar a bancarrota, aí era esp des os am cur pro to uan receio dizê-lo, hediondo. Enq cia com incomparável clariviproclamar-se um modelo de eficiên lia, bíb a s -no itar rec o, rism nta uro para o poder - como lhe -nos o volu borracha. Quer "ressuscitar" o Seg sem ar enh des é ar ern gov que e dência. Não sab ue retê-lo. a vaca não dá leite; só não conseg recomenda a troika. Ignora que de ovos, elas frangas saltitantes que, virgens aqu com do, retu sob s, ma – ele Precisamos de tomar cuidado com atejanos, ignorando a espécie pensar com luxúria nos touros rib a ácio pal do s ore red cor s pelo de tapar as narinas. A se pavoneiam bastou fechar os olhos; tive também me não s, dia s mo últi Nos . cem animal a que perten É só olhar em volta… mula-sem-cabeça, afinal, existe. cá para mim – que terá levado bém, é claro, desconfiado. Pensei tam E . oso tici ers sup ito mu es, ei a saber que a presidênSou, como sab ei à minha fonte na secreta – e fiqu efon Tel ? nte me lica pub nos arPortugal. Esgadaaquele diabo a desanc guntas ao bruxo sobre o futuro de per as um er faz e, Faf a o geir nsa romância? cia tinha enviado um me e às sondagens, agora impera a que a-s rri reco tes, Dan im? ass está nhei-me de raiva. Então isto já ículo atroz, mas pode explicar a er o conteúdo da sina. É de um rid sab a ei fiqu lá e – ião esp o uei Não mais larg ncial. Toma nota. intempestiva intervenção preside ar a sua óra lento, que leva 30 anos a complet net pla o, urn Sat a o rad sag con dia , “Este ano entrou a um sábado, na mitologia grega, ao titã Cronos e melancólica. Saturno equivalia, fria ta, zen cin e, é luz fom , a o, ição mb tru chu bita. Ali, há tura 1: Saturno traz des para não lhe roubarem o poder. Lei que devorava os filhos à nascença, tristeza”. carestia, inquietação, angústia, to grande e feio, olhos assimétrintos nasçam neste ano, terão ros qua dos “To . nta Apo is. ma e diss s, dentes encalavitados. As Mas o bruxo rancelhas juntas, cabelos áspero sob , ssos gro ios láb o, tad dila e do gar-se por aí fora”. cos, nariz compri ticos. Leitura 2: a crise vai prolon uelé esq pos cor e sos mo volu os mulheres terão ainda peit que é que o motorista da frente deu-me uma pista. Realmente, por or dut con u me o s ma o, plex per o – e dá-me o teu parecer. Ainda estou mais depressa? Pensa também niss pre sem s trá de o e nós que do r guia mais devaga Um forte abraço do Paulo os, 27 de outubro de 2011 Ministério dos Negócios Estrangeir

15


ex(sic)tações

ao microscópio

frases desfeitas

NÃO SE PÕE UM PAÍS A PÃO E ÁGUA POR PRECAUÇÃO.

OU O MINISTRO DA ECONOMIA GANHA PESO POLÍTICO RAPIDAMENTE OU ESTE GOVERNO TEM UM PROBLEMA.

FERNANDO SERRASQUEIRO, deputado do PS por Castelo Branco Poderá não ser, para a crise, um bom exemplo da parte de um governante do antigo regime, mas, vá lá, é um aviso.

ANTÓNIO PIRES DE LIMA, presidente do Conselho Nacional do CDS

VITAL MOREIRA, eurodeputado e professor da Faculdade de Direito de Coimbra

HÁ UNIVERSIDADES A MAIS EM PORTUGAL.

Não será cedo de mais para uma remodelação governamental?

É inacreditável que os ricos não sejam chamados a contribuir para este enorme sacrifício coletivo.

JOÃO GABRIEL SILVA, reitor da Universidade de Coimbra

Como reputado constitucionalista devia saber que os pobres ficam sempre com as dívidas, os abastados com os dividendos…

A troika já deve ter tomado conta da ocorrência.

Cortes no Serviço Nacional de Saúde estão a ir longe demais. JOSÉ MANUEL SILVA, bastonário da Ordem dos Médicos O costume é uma lei. E vice-versa

"MÃE, AINDA ESTÁS AÍ? OUVE! LUTA! LUTA POR NÓS E EU LUTO POR TI. ADEUS ATÉ AO MEU REGRESSO". PORTUGAL 2011 FRANCISCO QUEIRÓS, vereador da câmara de Coimbra Nunca se viu um filho tão igualzinho à mãe!

OS MELHORES ALIA- A MANTER-SE DOS DAS MANOA ATUAL SITUABRAS DILATÓRIAS ÇÃO, AS FORÇAS SÃO OS JUÍZES PRE- ARMADAS ESTÃO GUIÇOSOS. A CAMINHO DA PARALISIA. ANTÓNIO MARINHO, bastonário da Ordem dos Advogados Há realmente quem trabalhe arduamente a vida inteira para deixar a sua marca na história e quem lute estoicamente para não deixar impressões digitais…

CORONEL PEREIRA CRACEL, presidente da Associação dos Oficiais das Forças Armadas Um mal necessário não é necessariamente um mal. Muito menos quando há armas por aí…

ALGO VAI MAL QUANDO O NOSSO DINHEIRO SERVE PARA TRANSFUSÕES QUE MAIS NÃO SÃO DO QUE JORRADAS DE SANGUE DRENADO DO DOENTE PARA O DADOR. GOMES CANOTILHO, professor jubilado da Faculdade de Direito de Coimbra Ora aí está o resultado de se ministrarem lições de medicina aos nossos economistas. Saem da universidade ainda mais baralhados do que os anjos da guarda de Lady Di.

toma lá dá cá A austeridade orçamental, só por si, não garante que, no futuro, o país se encontrará numa trajetória de crescimento económico. CAVACO SILVA

O Orçamento do Estado traduz um esforço o mais equilibrado possível na distribuição dos sacrifícios que tod0s temos de fazer. PASSOS COELHO

FONTES: FACEBOOK, AS BEIRAS, DIÁRIO DE COIMBRA E LUSA. SELEÇÃO DE FRASES E COMENTÁRIOS: REDAÇÃO C

16

27 OUTUBRO 2011


retrato falado

elevador do mercado

figura da semana

GOMES CANOTILHO

CONCEITUADO jurista, professor catedrático da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e professor visitante da Faculdade de Direito da Universidade de Macau, Gomes Canotilho encerrou, aos 70 anos, um dos capítulos de uma vida cheia.

ANA ALCOFORADO foi reconduzida na direção do Museu Machado de Castro. O aumento de visitantes prova que está no rumo certo.

FOI igual a si próprio na hora da despedida e não escondeu a apreensão pelo atual estado na Nação. "Uma das minhas causas de insónias é a geração à rasca. Já há muito tempo que tinha alertado a classe política para os milhares de pessoas com cursos que não têm emprego. O modelo social-democrata pensa no Estado e não há emprego no Estado", disse. O NOVO livro de Direito Constitucional está muito avançado, mas Gomes Canotilho "tropeçou" num problema: "Reescrever o princípio da socialidade e do Estado Social, está a ser muito difícil".

MARGARIDA LOURENÇO ganhou o concurso lançado pelo Crédito Agrícola, AD Elo e Biocant. A equipa da Vetdiagnos está de parabéns.

se eu mandasse

Criava o Tribunal Mundial

vivemos, seria implementada globalmente (só através dos Estados-Nação não seria eficaz). CRIAVA a Autoridade Mundial de Regulação e Supervisão Económica e Financeira e proibia as agências de rating.

INSTITUÍA com plenos poderes a Organização Mundial do Trabalho.

OLGA RORIZ realizou uma residência artística em Coimbra, na qual apresentou três coreografias de elevada qualidade.

CRIAVA o Tribunal Mundial (para todos os assuntos relacionados com os direitos e deveres da humanidade, atentados e crimes ambientais, etc).

a subir

DE ACORDO com a conjuntura histórica que

em Recursos, criava um sistema fiscal gradual e progressivo sobre os rendimentos, sobre os lucros e sobre o enriquecimento extraordinário.

TERMINAVA com os paraísos fiscais, os "short selling" e os "credit default swap", entre outros produtos destrutivos. PEDRO SARAIVA distribuiu IMPLEMENTAVA uma Economia Baseada

230 post it pelos deputados na Assembleia da República, citou Pessoa e as fábulas de La Fontaine. A ideia não foi bem recebida e ouviu das boas...

a descer

A MINHA ação política basear-se-ia, como é evidente (ou devia ser!), na ideologia, nos princípios e valores que defendo (humanistas, solidários, ecológicos).

Hélder Bruno Martins Investigador

17


ao microscópio

Pornografia só com seios grandes A AUSTR ÁLIA proibiu a por-

nografia. Se a frase terminasse aqui, seria perfeitamente normal. Mas a frase completa (e correta) diz que a Austrália proibiu a pornografia… com seios pequenos. Ou seja, se as atrizes que entram nos filmes para adultos não tiverem um peito avantajado, a película nunca poderá ver a luz do dia. A medida parece estranha, mas tem um significado. Os responsáveis do Conselho de Classificação australiano consideram que os seios pequenos das atrizes fazem-nas parecer menores de 18 anos. Enquanto a lei não proíbe totalmente atrizes com seios pequenos, existe o direito de proibir todos os filmes que retratam a mulher como sendo menor.

Pesquisam no Google como matar o avô

O MOTOR de busca Google é

uma das ferramentas mais utilizadas pelos internautas para procurar todo o tipo de informação. No entanto, em vez de procurar bilhetes para o futebol ou notícias sobre o Orçamento de Estado, uma família de Winchester (Reino Unido) realizou outro tipo de consultas, como "possibilidades de envenenar uma pessoa de 89 anos". Mãe, de 49 anos, filhos, de 16 e 19, e a namorada de um deles, de 17, acabaram por ser presos devido às diversas pesquisas para encontrar formas de acabar com a vida do patriarca da família e,

18

acredite se quiser

desta forma, ficarem com a sua milionária herança. O histórico do Google serviu como prova na acusação. Antes de recorrerem ao motor de busca, já tinham tentado assassinar o homem de várias formas. Sempre sem sucesso.

Batata com um quilo e 200 no Café Castelo FOI RETIRADA de um terreno localizado na aldeia do Cardeal, concelho de Sabugal. "Quando vi a batata deu-me a impressão que seria um boneco, dado que tem cabeça, olhos e braços, deixando-me estupefacto com tal achado", disse Joaquim António Antunes, proprietário do Café Castelo,

no Bairro da Boa Esperança, em Castelo Branco, local onde se encontra exposto este fenómeno da natureza. A forma e o tamanho da batata correram de boca em boca em Castelo Branco e, segundo consta, inúmeras pessoas já foram ao Café Castelo admirar o "troféu" de Joaquim Antunes.

Homens estacionam melhor que as mulheres É TIDO quase como uma verdade

universal e está, agora, comprovado cientificamente: os homens estacionam mesmo melhor que as mulheres. Investigadores da Ruhr-Universität Bochum (Alemanha) fizeram um estudo experimental para testar a habilidade de ambos os sexos atrás do volante. E comprovaram que os homens realmente superam as mulheres nessa tarefa. Sessenta e cinco participantes (30 mulheres, 35 homens) tiveram de estacionar um carro de frente e de marcha atrás. Em ambas as manobras, os homens foram 2,4 por cento mais precisos e 35 por cento mais rápidos. Especialistas consideram que o estereótipo enerva as mulheres e contribui para este resultado.

Katie Price aplica Botox no rosto mas não precisa A MODELO norte-americana Katie Price, de 33 anos, revelou numa entrevista que aplica Botox no rosto três a quatro vezes por ano, não porque precise, mas porque todos os fazem. "Não estou enrugada, talvez nem precisasse, só o faço porque todos fazem. Não é grande coisa. É como ir às compras", afirmou.


lente de contacto PRESIDENTE MAROTO O presidente de uma câmara municipal da região Centro foi alertado por um munícipe para os devaneios noturnos de uma brigada de recolha de lixo. Os funcionários efetuavam uma paragem estratégica numa tasca do concelho e deixavam o camião às moscas quando iam molhar o bico. O motor ficava a trabalhar, tirando o sono ao munícipe queixoso. O presidente decidiu dar uma lição aos três funcionários e uma bela noite fez-se acompanhar por um motorista de pesados na espera que realizou à boca... da tasca. Enquanto a brigada atestava o estômago "o pesado" desapareceu sem deixar rasto... A PSP foi avisada e quando o motorista ligou para a esquadra a dar conta do "roubo" foi informado que deveria ligar ao "gatuno"; perdão, ao presidente...

BURACOS É COM ELE... O presidente falava para o diretor do Gabinete do Centro Histórico a propósito da neces-

sidade de limpeza da Alta e, ao mesmo tempo, dos "retoques" – nalguns casos, edifícios inteiros... – que tornariam uma das zonas mais visitadas da cidade num "mimo" para turistas e conimbricenses. Só que é necessário dinheiro e o que há não chega para tudo. Além disso, o presidente não vai em bailinhos e garante à boca cheia que "qualquer buraco, em Coimbra, é mais complicado que na Madeira". Ele lá saberá porquê...

O RUCA MORA EM COIMBRA A alcunha foi aplicada sem dó e com reduzida piedade. E aplica-se na perfeição ao personagem. Não falta nada; está lá tudo... E até as funções ajudam "à causa". O boneco caiu no goto dos mais pequenos e os adultos, por força , são obrigados a "levar com ele". No caso em apreço, o cenário é idêntico: alguns apreciam o que faz e o que diz, enquanto outros, são obrigados "a levar com ele". Foi assim que nasceu a alcunha que circula nos corredores...

Investigação in loco O repórter arregaçou as mangas e começou a mexer na palha (leia-se, no tema). Ao fim de meia dúzia de contactos conseguiu falar com quem de direito; ou melhor, que leva a vida (e não só...) num plano firme e hirto. Algumas duplas são conhecidas, mas devido ao acordo de cavalheiros os ficheiros ficam bem guardados nos arquivos da "sexão". A pasta tem conteúdos nos dois sexos porque no caso do "troca, troca" (ou será, truca, truca?!) ele e ela atuam à vista desarmada. Ou, como diria o Luís de Matos, sem nada na manga (ou será na tanga?)...

praça de

táxis Os tabuleiros da Ponte-Açude são perigosos para os condutores?

JOHN MENDES

Nunca tive nenhum problema lá. Mas tenho colegas e amigos que já tiveram situações problemáticas na Ponte-Açude, acidentes ou valentes sustos. É preciso muita atenção a conduzir naquela zona da cidade.

CARLOS FERNANDES

Não se pode estar distraído na Ponte-Açude, principalmente porque, com aquelas obras todas, as faixas passaram de quatro para apenas duas. Mas penso que, normalmente, aquela zona de Coimbra até está bem sinalizada.

espelho meu

19


ao microscópio

vidas

ISALTINA DA CRUZ MARQUES

"Não sei viver sem as pessoas da escola José Falcão" TODOS OS DIAS TEM MAIS UMA HISTÓRIA PARA CONTAR. DEDICA A SUA VIDA À PAPELARIA ONDE TRABALHA E NÃO SABE VIVER A FAZER OUTRA COISA

SÍLVIA DIOGO

VIVE em Coimbra junto à Escola Secundária José Falcão. Nessa mesma rua – Avenida D. Afonso Henriques – instala-se a papelaria onde trabalha há mais de 50 anos. Tinha apenas 26 anos quando entrou pela primeira vez naquela loja. Na altura, não sabia sequer o que era uma "chiclete". Era tudo novo e não percebia nada do trabalho que h0je domina. Com grande esforço, conseguiu ultrapassar as várias dificuldades que teve nesse tempo. Todas as pessoas do liceu a receberam muito bem e apoiaram-na desde sempre. "Até o reitor da altura veio falar comigo. Lembro-me dele me ter dito que era muito habitual, em Coimbra, a venda de revistas em segunda mão", recorda Isaltina. Há cinco décadas, Isaltina vendia muito o "Record" e "A Bola", mas não só. "Gratuitamente, também consultavam o Pato Donald e o Mickey. Os alunos

20

vinham cá ler um pouco no intervalo. Não tinham intervalos de leitura", afirma. Durante todo este tempo, conheceu pessoas que são hoje figuras públicas. "O Rui Lopes da Silva e o Paulo Rolão andaram a estudar aqui. O Rui Lopes da Silva até colocou uma mensagem no Facebook a dizer que gostava muito dos caramelos de limão que eu tinha cá. Hoje

e as prateleiras cheias, tive de aprender a lidar com tudo", confessa. ISALTINA explica à as grandes

diferenças que existem entre a escola de hoje e o liceu de há 50 anos. "Na altura, eram 3.500 alunos. Não havia um bar e existiam piscinas cheias de cadeiras velhas. O convívio era todo aqui. Hoje, a escola tem outras

O Rui Lopes da Silva até colocou uma mensagem no Facebook a dizer que gostava muito dos caramelos de limão que eu tinha

já não os tenho, estavam ali à entrada", aponta. Perdeu o marido com apenas 29 anos. Os anos foram passando e aprendeu a viver apenas para a filha. "Fiquei numa luta sozinha. Com livros de estudo

condições", observa. Houve uma altura na vida em que voltou a estudar, mas foi por pouco tempo. "Optei por deixar os estudos e acompanhar a minha filha. Ficar sem pai e mãe é que não. Havia professores que

27 OUTUBRO 2011

diziam que eu tinha de ser, pelo menos, professora primária, mas não fui por aí", revela. Um dia destes entrou-lhe pela loja "um doutor de Coimbra" para saber se ainda trabalhava no mesmo sítio. "Apareceu e disse-me: hoje os miúdos são muito mal-educados. Eu respondi que não, que eram iguais aos do tempo do doutor. Pelo menos comigo continuam a ser os mesmos. Têm as mesmas parvoíces e alegrias", conta. "Há muitos anos, houve um rapaz que era muito violento, mas comigo era impecável. Num dia de muita chuva, pediu-me para eu lhe guardar o guarda-chuva porque sabia que se o levasse para a escola era roubado. Guardei-o e a verdade é que quando eu estava distraída entraram na loja e roubaram o chapéu. Eu vi quem tinha sido e no dia a seguir fiz com que ele o devolvesse ao rapaz. A verdade é que ao final da tarde devolvi o chapéu ao rapaz e ele ficou muito admirado", lembra.

C235

PUB


O aperto no peito em cada mês de agosto recorda todos os momentos que passou na papelaria. Criou muitas amizades e deu muitas horas da sua vida à profissão que tanto adora. "No final de agosto sinto sempre um aperto forte no peito. Quando os alunos regressam às aulas, essa dor alivia. Não sei viver sem este trabalho e sem as pessoas da escola José Falcão", confessa.

FOTOS PEDRO RAMOS

ISALTINA DA CRUZ MARQUES

C235

C230

PUB

21


opinião

ao microscópio

Um Metro de preocupação MÁRIO RUIVO

PASSOS COELHO GARANTIU QUE O NOVO GOVERNO IRIA PROCEDER À RÁPIDA CONCLUSÃO DA OBRA

HÁ CERCA de um ano, o Governo de José Sócrates, consciente das dificuldades que o país já então atravessava, exigiu que se fizesse uma reavaliação dos custos previstos para a execução da obra do Metro Mondego, reclamando a necessidade de redução ao essencial daquele projeto de mobilidade.

Socialista eleitos por Coimbra, na Assembleia da República, um requerimento dirigido ao Ministro da Economia e Emprego questionando-o do interesse na continuidade do projeto de mobilidade, da garantia na manutenção dos transportes alternativos e do apuramento das fontes de financiamento.

EM CONSEQUÊNCIA , temos bem presente, gerou-se uma onda de contestação e protesto pela suspensão dos trabalhos, organizaram-se manifestações, emitiram-se comunicados e criaram-se os múltiplos movimentos em defesa das populações e do projeto de mobilidade. Recordo até as declarações do então líder parlamentar do PSD, Miguel Macedo, criticando a suspensão dos trabalhos e reclamando urgência da comissão criada para a reavaliação do projeto, dada a necessidade de se honrar os compromissos assumidos e a obrigação do Estado em "repor, no mínimo, a situação que existia", ou seja, a ligação ferroviária Coimbra a Serpins.

O MINISTRO da Economia e Emprego veio responder referindo que o Governo estava a "recolher informações sobre o referido projeto, nomeadamente índices de procura de serviços, por forma a tomar uma decisão", o que não deixou de ser uma preocupante e surpreendente resposta para as expetativas dos utentes daquela linha ferroviária.

NÃO posso esquecer a visita que o agora primeiro-ministro efetuou a Miranda de Corvo, no dia 25 de maio, em campanha para as legislativas, onde perante a população, Passos Coelho garantiu que o novo Governo por ele liderado iria "proceder à rápida continuação e conclusão das obras projetadas com a colocação de um sistema de mobilidade de passageiros sobre carris, nomeadamente entre Serpins e Coimbra". A COMISSÃO criada para a reavaliação dos custos com o Projecto de Mobilidade entregou, em finais de junho de 2011, o relatório final que apontava para uma poupança de mais de 60 milhões de euros. PERANTE tudo que se disse, e passou, esperava-se do novo

Governo uma decisão rápida e urgente. Mas, tal não ocorreu. E por isso, decorridos quase dois meses sem que alguma decisão fosse tomada, apresentaram os deputados do Partido

PREOCUPAÇÃO que se agravou quando fomos confrontados com o Plano Estratégico de Transportes deste Governo, onde se conclui que, perante um estudo sobrestimado de procura do transporte e da concentração do investimento na REFER e na CP se tornava necessário rever os pressupostos que estiveram na base das decisões sobre este projeto de mobilidade, adequando o seu âmbito às possibilidades do país decorrentes da realidade económica e financeira atuais e na definição clara das responsabilidades dos acionistas da Metro Mondego. PERANTE tudo isto, não deixa de ser surpreendente que autarcas e movimentos criados em defesa do projeto de mobilidade tenham perdido a sua capacidade de protestar e reagir perante uma intenção tão clara de extinguir o projeto Metro Mondego. ACREDITO que não deixaremos de defender o projeto com a determinação de sempre. Mas gostaria muito de ver na primeira linha os que durante meses e em condições não tão gravosas fizeram do Metro Mondego a sua bandeira. Só para não ter maus pensamentos…

| Mário Ruivo é deputado pelo PS na Assembleia da República e assina regularmente este espaço de opinião |

22

27 OUTUBRO 2011


desde desde

€ 24.140**

INSIGNIA

ADMIRADO EM FRANÇA. IMITADO NA COREIA. FABRICADO NA ALEMANHA. O O melhor melhor automóvel automóvel que que já já construímos. construímos. Gama Gama Insignia Insignia desde desde €24.140, €24.140, na na troca troca do do seu seu carro carro antigo. antigo. www.opel.pt www.opel.pt

Consumo 115 -- 169 169 g/km. g/km. Consumo Combinado: Combinado: 4,3 4,3 -- 7,2 7,2 ll // 100 100 km, km, Emissões Emissões de de CO CO2:: 115

AUTO-INDUSTRIAL, SA (COIMBRA) Identificação de Identificação de Concessionário Concessionário Av. Fernão de Magalhães, 333

Morada 3000-176 Coimbra Morada crm.coimbra@auto-industrial.pt Contactos Contactos Tlf 239 003 050 Site Site

C213

2 * Preço promocional referente à versão Insignia 4p Edition 1.4 Turbo (140cv) calculado sobre o PRVP deduzido do valor da Campanha de Retoma Opel, em vigor para veículos com mais * Preço promocional referente à versão Insignia 4p Edition 1.4 Turbo (140cv) calculado sobre o PRVP deduzido do valor da Campanha de Retoma Opel, em vigor para veículos com mais de 13 anos. Não inclui despesas de preparação, averbamento e transporte. Campanha válida de 01.09.2011 a 31.12.2011 nos Distribuidores Opel aderentes. O equipamento apresentado de 13 anos. Não inclui despesas de preparação, averbamento e transporte. Campanha válida de 01.09.2011 a 31.12.2011 nos Distribuidores Opel aderentes. O equipamento apresentado na imagem pode não corresponder à versão anunciada. na imagem pode não corresponder à versão anunciada.


sociedade

memória

FERNANDO MARQUES, "O FORMIDÁVEL"

O FOTÓGRAFO QUE DEU A SORTE GRANDE A COIMBRA SE FOSSE VIVO, FERNANDO MARQUES, "O FORMIDÁVEL" TERIA CEM ANOS. A RECORDA A VIDA DO HOMEM QUE "METEU O CORAÇÃO DENTRO DA MÁQUINA" E LEVOU COIMBRA AO MUNDO.

VASCO GARCIA

CHAMAVA-SE Fernando Marques, mas ficou

para a História como "O Formidável". Se fosse vivo, teria completado recentemente um século de vida. A morte encarregou-se de levá-lo há 15 anos (a 17 de dezembro de 1996), quando tinha 85. Mas as suas fotografias, aquelas que lhe valeram a alcunha, continuam a correr o mundo, como ele correu, "mesmo não sabendo outra língua que o português", como lembra o jornalista Mário Martins. "O Formidável" nasceu em Coimbra a 20 de setembro de 1911. "Subiu a vida pulso, tal como subia a íngreme ladeira onde morava e as escadas serpenteantes de casa que conduziam ao seu sótão-estúdio", descreve Sansão Coelho. A fotografia não era a sua profissão – era vendedor de lotaria – era a sua arte. Nesse aspeto, "ofereceu a 'sorte grande' a Coimbra",

afirma Jorge Castilho. Coimbra era sua. "Há uma cidade que só ele vê", chegou a escrever Manuel Alegre. Não havia acontecimento importante na cidade que a sua objetiva não captasse. Desde o quente abril de 1969 a um outro abril – o de 1974 – passando por visitas reais, tudo está registado. Fotografias de Queimas das Fitas, Latadas ou Festas da Rainha Santa são mais que muitas. Como bom repórter, também retratou incêndios e tudo o que marcava a atualidade ou alterava o dia-a-dia da comunidade. E, claro, a Académica, pela qual "era louco", disse um dia o filho. Mas Coimbra era muito pequena para alguém tão formidável. Atrás da bola – o futebol era uma das suas grandes paixões – correu os quatros cantos do mundo. Metia "o coração dentro da máquina" e lá ia ele. No Mundial de 1966 "foi visto em Wembley a consolar Eu-

27 OUTUBRO 2011


"Oferecia-me revistas da UEFA e da FIFA"

FOTOS: IMAGOTECA - BIBLIOTECA MUNICIPAL DE COIMBRA

MÁRIO MARTINS, Jornalista

"O Formidável" correu mundo mesmo não sabendo outra língua que o português. A UEFA e a FIFA enviavam-lhe mensalmente as suas publicações, em francês e inglês. Quando surgiu o "Jornal de Coimbra" convidei-o a publicar uma foto semanalmente, à semelhança do que acontecia em "A Bola" com as imagens de Nuno Ferrari. O Formidável passou a entregar-me quatro/ cinco fotos. E começou a oferecer-me as revistas da UEFA e da FIFA. Guardo a última, que nunca saiu do plástico, com a etiqueta "Fernando Marques 'Formidável' – Diário de Coimbra – Rua da Sofia, 179 – Coimbra".

"Entregava sempre a melhor fotografia" SANSÃO COELHO, Jornalista

À medida que o fui conhecendo, fiquei a saber que o Sr. Fernando ouvia mal. A esposa corroborava a ideia lançando, cá de baixo, a serpentear escadas acima, um tonitruante e prolongado: "Oh Fernandooooooo, está aqui o Sansão que vem à procura das fotografias". O que acontecia, para surpresa minha, era que ele aparecia sempre com a foto pretendida, como se tivesse escutado tudo tim-tim-por-tim-tim. É esta não é? Se não fosse, o nosso ponto de vista não contava, porque ele tinha o talento imenso de nos entregar sempre a melhor fotografia.

"Futre ofereceu-lhe a camisola" ALTINO MAURÍCIO, Casa da Sorte Foi visto em Wembley a consolar Eusébio. Também a nós muitas vezes nos consolou Viu-nos nascer viu-nos partir viu-nos voltar Muitas vezes até nos viu morrer Marcou connosco os nossos golos Chorou connosco as nossas lágrimas Meteu o coração dentro da máquina

Trabalha sem rolo. Quem sabe o que retrata? Há uma cidade que só ele vê E é mais certo que só ele capta O insondável. Fotógrafo de Coimbra ele é O Formidável. Manuel Alegre in Coimbra Nunca Vista

Quando o FC Porto foi campeão europeu, o Formidável foi fazer a reportagem fotográfica. No final, o Futre ofereceu-lhe a camisola. Quando regressou a Coimbra, andava sempre com ela, para mostrá-la aos amigos. Na altura, chegaram a oferecer-lhe 50 contos, mas ele não aceitou. Não sei o que será feito, agora, dessa camisola.


sociedade

memória

"Estivemos cercados pelas chamas" JORGE CASTILHO, Jornalista

Juntos vivemos momentos difíceis. Recordo a reportagem de um grande incêndio florestal, em que ficámos cercados pelas chamas. Mas também partilhámos muitas horas agradáveis. Evoco o entusiasmo com que "O Formidável" colaborou comigo quando fundei o semanário "Jornal de Coimbra", em 1987. Para além das muitas fotografias que fazia para o jornal, todas as madrugadas de quarta-feira fazia questão de ajudar na expedição, não raro quase até de manhã, sem aceitar que eu lhe pagasse o seu trabalho.

"Tentava ajudar a resolver os problemas" MÁRIO NUNES, Historiador

"Perdeu o sapato a caminho de Lisboa" CARLOS JORGE MONTEIRO, Repórter fotográfico

Recordo duas situações. Uma ocorreu em Lisboa, no 1.º de Maio de 1975, quando eu estava num jipe da Polícia Militar. "O Formidável" viu-me e começou logo a "disparar". Os militares e os meus colegas não percebiam o que se estava a passar. Eu expliquei: "é um fotógrafo de Coimbra". Outra foi numa das várias vezes que fomos à entrega dos prémios do CNID, a Lisboa. Fomos de comboio. Ele foi deitado no banco e, quando chegámos, faltava-lhe um sapato. Lá conseguimos encontrá-lo e ir para a cerimónia.

26

sébio", ilustrou Manuel Alegre. "Mais do que repórter fotográfico, era o homem, o amigo, quem consolava o rei", recorda a bisneta. A imagem ficou para a história. Mas muitas outras aventuras houve. Em 1982, sambou com Zico e Sócrates no Mundial de Espanha. No

"O Formidável" foi um buscador de sonhos. Viajante nato, correu todo o mundo. Na pátria, a família vivia preocupada, mas "O Formidável" sempre arranjava uma solução Euro 84 aplaudiu Chalana, vibrou com Jordão e abraçou Bento. Em 86, no México, captou a contestação de Saltillo e o grito de protesto de Carlos Manuel e companhia. Em 1988,

viu Madjer dar, de calcanhar, a primeira Taça dos Campeões Europeus ao FC Porto. Futre ofereceu-lhe a camisola. Não se resumia ao futebol o mundo d'"O Formidável". Enquanto acompanhava o Coro dos Antigos Orfeonistas de Coimbra, entrou na África do Sul sem passaporte. Sempre arranjava solução. "O Formidável" publicou fotografias em vários jornais desportivos e nacionais, desde "A Bola" ao "Record", mas também no "Diário de Notícias" e no "Jornal de Notícias". Era membro da Associação Internacional de Imprensa Desportiva e o sócio número 2 do Clube Nacional de Imprensa Desportiva. O seu espólio – cerca de 70 mil instantâneos – está hoje na Imagoteca de Coimbra. Mas parte dele, "quiçá a mais rica, fica guardada na lembrança dos seus familiares e de todos aqueles que tiveram o privilégio de o encontrar ao longo da vida".

27 OUTUBRO 2011

C241

Destaco a forma como ele sempre tentava ajudar todos a resolver os problemas. Uma vez, precisei de uma fotografia de Coimbra e havia em lado nenhum. Nem na Imagoteca, nem o Varela Pècurto tinham... Por acaso, encontrei "O Formidável" na Baixa e perguntei-lhe se tinha. Disse-me: "não tenho mas vou arranjar". Deu volta a tudo e, passados uns dias, apareceu-me com a foto. Deu-ma e nem sequer me levou nada. Essa fotografia acabou por ser publicada no meu livro.


O FORMIDÁVEL registou todos os momentos importantes para a vida do país e da cidade, como 0 25 de Abril de 1974 ou o 17 de Abril de 1969. Fotos de Queimas das Fitas e Latadas são mais que muitas. O futebol, uma das suas paixões, levou-o a correr o mundo.

PUB

GUARDA

COIMBRA

C241

LISBOA


sociedade

investigação

COMPORTAMENTO

SWING

REMÉDIO PARA A INFIDELIDADE CHEGA A COIMBRA O AMOR PASSA À HISTÓRIA E O SEXO DITA LEIS. A TROCA DE CASAIS ESTÁ NA MODA. EM COIMBRA HÁ MUITOS PRATICANTES. MAS EM SEGREDO...

MÁRIO NICOLAU

A VIVENDA FICA A SUL de Coimbra, mas os promotores só aceitaram o desafio do jornalista após garantia de que os nomes e a localização do "clube", como lhe chamam, ficaria no "segredo dos deuses". À primeira vista, nada de invulgar. Uma moradia isolada, com vários quartos e piscina. Os clientes têm à disposição bar, música ambiente, pequenos aperitivos e, acima de tudo "bom ambiente, e alguns quar-

O swing faz parte da vida de muitos casais portugueses. Na maioria dos casos da classe média/alta, explicam dois promotores de festas privadas tos privados". A decoração é inspirada nas "mil e uma noites" com vermelhos e dourados presentes e iluminação "à medida" da imaginação dos utilizadores... Para os casais que pretendem um dia mais descontraído, o programa, geralmente ao fim-de-semana, pode incluir "refeições prolongadas". Na maioria dos casos, os casais agendam a presença para as noites de fim-de-semana, aproveitando as festas temáticas. Dependendo da ocupação, a pernoita na vivenda não tem acréscimo no valor pago, mas, neste caso, o número de casais que ocupam a

28

vivenda é reduzido - "tudo, a bem do conforto e do êxito dos jogos de sedução", explica Carlos F., um dos promotores. A reserva é obrigatória, acrescenta, já que só os casais inscritos na guest list têm acesso às festas e à localização exata da vivenda. Aliás, o primeiro contacto é efetuado por email (foi o nosso caso para o pedido da entrevista) e aos novos swingers são colocadas, pela mesma via, uma série de questões em que "são avaliadas as intenções". O swing não é uma atividade ilegal, pois tudo "acontece com mútuo consentimento, mas, segundo Luísa T., companheira de Carlos F. "a privacidade dos casais nunca é colocada em causa". O ÊXITO DAS FESTAS, cujos temas vão desde o verão ao Halloween, depende de vários fatores. Luísa T. praticou swing, pela primeira vez, no estrangeiro e classifica "a experiência como inesquecível". Tudo depende, conta, do casal encontrar os parceiros certos e um local que tenha tanto de aprazível como de discreto. Em tempo de férias, muitos casais portugueses, acrescenta, Carlos F., marcam presença em clubes de swing espanhóis, mas esta prática tem vindo a alargar-se ao resto do ano, já que as pessoas aproveitam o facto "de estarem longe de casa". Os melhores clubes de swing funcionam em Madrid e em Barcelona, mas em território francês também "existem boas práticas". No caso português, o swing, conta Luísa T.

27 OUTUBRO 2011

está a chegar "a algumas discotecas do país", pois alguns empresários da noite tentam contrariar a crise com uma decisão que a promotora considera "acertada": transformam uma vez por mês - nalguns casos mais - a discoteca num clube swing. Os convites são personalizados e a entrada de casais funciona de acordo com "critérios apertados". NA VIVENDA A SUL DE COIMBRA , "as paredes não têm ouvidos e muito menos olhos". A regra do " mútuo consentimento" é respeitada em todo os encontros, mas para prevenir qualquer problema, a casa tem ao serviço dois elementos de apoio. "Não são seguranças e não têm sequer a aparência habitual de quem trabalha, por exemplo, nas discotecas", explica Carlos F. Educação e, acima de tudo, discrição são normas que os colaboradores da casa respeitam integralmente. "Aliás, só são chamados a intervir em caso de necessidade", acrescenta,

ESPANHA os melhores clubes de swing funcionam em Madrid e Barcelona


SWING, ou troca de casais, é um relacionamento sexual entre dois casais estáveis que praticam sexo grupal. Existem correntes que consideram o swing quando um casal adiciona um ou mais elementos numa relação sexual

o que acontece quando um dos membros do casal "não acha piada nenhuma ao facto de ver o outro elemento do casal envolvido com uma pessoa que se acaba de conhecer". Segundo Carlos F. muitos casais escolhem o swing como um "meio de apimentar o relacionamento e... estragam tudo devido aos ciúmes". ANTES DE AVANÇAR para um clube de swing

os casais devem "preparar-se e conversar sobre o que poderá acontecer", aconselha Luísa T., já que, por vezes, após uma ou duas bebidas e o início do contacto entre casais "é que surgem problemas". As cenas de ciúme "são complicadas nestas situações" e as consequências imprevisíveis; ou seja, aconselha Carlos F, o casal "deve ter a certeza que pode suportar situações extremas". ALGUNS DOS CASAIS que frequentam a ca-

sa consideram o swing "o exercício máximo do amor". A "satisfação livre de posse" é uma mais-valia , mas, acima de tudo, segundo Luísa T., "o swing é como o início de alguns truques de ilusionismo: nada na manga!" E, para os dois, o que "não acontece, por vezes, no dia-a-dia de alguns casais em que os relacionamentos paralelos são mantidos em segredo". Segundo Carlos F., os casais que procuram a vivenda a sul de Coimbra fazem-no "após conversas com amigos e procuram uma forma de quebrar a rotina".


sociedade

A busca "por algo mais", mas mantendo "a estabilidade do relacionamento estável nem sempre é fácil, pelo que o swing só "deve ser opção para casais que sabe perfeitamente o que querem". Na maioria dos casos, garante, os swingers são pessoas cujo "relacionamento está consolidado, ainda que seja morno". Swinger que se preze, explica, "só precisa do olhar para reconhece os limites quer do outro elemento do casal, quer dos parceiros". LUÍSA T. recomenda que os casais que inciam

a prática do swing optem por clubes em que "a receção seja discreta" e que permitam a participação em grupos ou o contacto com casais mais experientes naquilo que apelida "de jogo de sedução". O ambiente é também importante, pelo que a maioria dos clubes têm bar e um poste de pole dance. As "danças sensuais podem incluir, ou não, strip-tease e não é raro os strippers interagirem com a assistência. Nos últimos tempos, conta Luísa T., o swing tornou-se um "fator

De modo a preservarem a identidade, alguns casais iniciam a prática em clubes e, depois, passam a promover encontros em apartamentos previamente alugados de diversão" para casais de universitários ou de ex-universitários. Numa festa a que assistiu, num outro clube, a norte, três jovens casais "recordaram bons velhos" tempos numa noite "cheia de brincadeiras" que durou até às tantas. O CASAL CARLOS F. E LUÍSA T. separa os

membros do clube pelos tipos de atitude, ou seja, a troca de parceiros com carícias, beijos e sexo oral e a troca de parceiros com penetração. Na vivenda a sul da cidade de Coimbra, as preferências sexuais dos elementos envolvidos vão mais para o primeiro tipo, ainda que nalgumas ocasiões, e principalmente entre casais que se conhecem há mais tempo, ocorra o segundo tipo de relacionamento. O swing abrange todo o tipo de pessoas e os casais, afirma Luísa T, "têm alguns critérios na hora de escolher os parceiros nomeadamente, e como acontece com boa parte dos utilizadores deste clube, o grau de educação, as mesmas opções sexuais, idade e condição social". Por vezes, conta, "e para se sentirem mais à vontade, os swingers promovem festas na pró-

investigação

quer ser swinger? PROCURE NA NET partilhe fotos e gostos para aferir perfis compatíveis CAUTELAS o primeiro contato é feito por email e terá de responder a questões para avaliar intenções GUEST LIST o convite para as festas é feito por email e só por essa via se sabe a localização exata das festas

pria habitação, o que aumenta a cumplicidade entre dois casais ou os membros de um determinado grupo de casais". Em Coimbra, as duas práticas, segundo Carlos F. são vulgares, pelo que os casais combinam a ida ao clube com as chamadas festas "no domicílio", que têm lugar em apartamentos previamente alugados. AS INSTALAÇÕES DOS CLUBES não são to-

das iguais e têm várias curiosidades. O modelo, segundo Luísa T, é importado e o mercado brasileiro do swing influencia "claramente" a escolha do layout das instalações. Assim, existe o labirinto que, segundo Carlos F. , "tem divisórias pintadas de preto" e promove "encontros imediatos" entre os casais. Os corredores estreitos fazem parte da infraestrutura, que inclui "pequenos quartos muito confortáveis onde podem ocorrer os relacionamentos". A entrada no labirinto é reservada a casais, pelo que este tipo de infraestrutura pode ser utilizado numa vulgar discoteca. Quando existe pista de dança, "a mesma tem a particularidade de contar com um poste de pole dance e tem como função principal o estímulo dos casais presentes na sala", refere Carlos F. Em Portugal ou no estrangeiro são, também, vulgares, clubes que funcionam com cabinas. "São pequenas divisões com porta onde os casais praticam swing. Por vezes, têm vidros escuros e espaço para que os casais que ficaram de fora assistam à ação", descreve Luísa T. Permitem, ainda, que quem está no interior defina o grau de participação dos "espetadores", pelo que "têm muitos adeptos entre os praticantes de swing".

A sala de casais é um dos "expoentes" do swing devido à participação de vários casais. "Como a contagem é feita por casal dificilmente alguém fica sozinho e a diversão é total", assegura Luísa T. OS CLUBES DE SWING despertam a curiosi-

dade e a imaginação de muitos casais. Alguns "participam ativamente" nas festas, enquanto outros optam por uma atitude mais recatada. Carlos F. guarda na memória as atitudes e as diferenças entre eles. "Alguns são observadores, vão só para olhar e, depois, quando chegam a casa, é que conversam...", afirma. Aqui, o swing, numa primeira fase, "fica no tinteiro", mas através da participação nas festas, muitos acabam por alterar o comportamento tornando-se "elementos muito vividos". Há, também, os exibicionistas que encaram o swing como uma "atividade física". Na prática, "só lhes interessa o sexo" e "divertem-se à brava com as brincadeiras dos outros casais". Porém, acrescenta Luísa T. é necessário explicar que existem singles masculinos que devido à fama ou à beleza têm lugar assegurado nestas comunidades de busca de prazer. Quando tentam a sorte, pela primeira vez, não são bem aceites nos clubes, mas alguns casais preferem


O ÊXITO das festas, cujos temas vão desde o verão ao Halloween, depende de vários fatores. Tudo depende do casal encontrar os parceiros certos e um local que tenha tanto de aprazível como de discreto.

das alugadas no Algarve entram na agenda de alguns dos casais que, em Coimbra, arriscam participar em jogos de sedução, que "são um tratamento definitivo para o ciúme". Mas não é complicado perceber que o parceiro gosta de sexo com uma pessoa que conheceu à meia dúzia de minutos? Carlos F. enfrenta a questão "sem problemas" e responde com uma espécie de teoria: "por gostar de estar alguém, isso não quer dizer que me troque por outra pessoa. No nosso caso, e como acontece com outros casais, ela sabe que desde a primeira festa swing em que participamos cada um de nós aproveita até ao limite cada relacionamento."Ou seja, trocando as voltas ao ditado popular, swing com swing se paga". O divertimento, sublinha Luísa T., "é comum aos dois, pelo que nenhum de nós fica zangado com a satisfação do outro", recordando que "tudo acontece com mútuo consentimento". OPÇÃO para "pessoas perfeitamente nor-

a modalidade em que só participa um homem ou uma mulher alternadamente. "Primeiro, entra um homem no quarto e depois dele sair, é a vez de uma mulher se juntar ao casal", avança Luísa T. Na vivenda a sul de Coimbra, esta modalidade ocorre por vezes e na sequência dos contactos através da internet. Primeiro, refere

Na maioria dos casos, quando o relacionamento "está no limite", o swing "só" tem uma utilidade: "acelerar o fim do casamento" Luísa T., partilham fotos e "gostos", de modo a definirem um perfil. "Acima de tudo, tentam perceber o modo como encaram o sexo e se, num possível encontro, haverá restrições nos comportamentos", disse. Carlos F. recupera o tema das "precauções" para lançar um aviso à navegação: "quem pensa que o swing salva casamentos está redondamente enganado". Na maioria dos casos, quando o relacionamento "está no limite", o swing "só" tem uma utilidade: "acelerar o fim do casamento", garante.

ENCARAR O SEXO como uma "atividade

livre e que proporciona felicidade" é o mote de muitos swingers. A questão da confiança é "considerada importante por muitos casais" que um dia, explica Luísa T, resolvem colocar as cartas na mesa: "os dois elementos do casal questionam as saídas à noite, as noites de trabalho extra no escritório ou as reuniões até altas horas, o que é prática entre os homens", considera. Segundo Carlos F., o swing "termina com as desculpas, coloca as necessidades do casal em primeiro lugar e principalmente altera profundamente a vida sexual do casal". Por não ser necessário recorrer à traição, a troca de casais, como também é conhecido, confessa Luísa T. não é para todos "os estômagos". Os preconceitos influenciam comportamentos e alguns casais acabam por desistir "porque não gostam da primeira experiência" ou "receiam ser descobertos por amigos ou familiares". Por isso, acrescenta Carlos F., "não admira que o swing, em Portugal, funcione quase como uma sociedade secreta quando noutros países é plenamente aceite pela sociedade". Por estas e "por outras", avança Luísa T., as viagens aos estrangeiro e o recurso a viven-

mais", o swing "mexe" com valores tradicionais e "não é considerado um comportamento correto em sociedade". Carlos F. e Luísa T. não estão arrependidos da escolha que fizeram há quase cinco anos. Na altura, ele tinha 39 anos e ela 37 anos. Tudo começou com uma ida ao estrangeiro, a Amesterdão. O período de férias prometia ser igual a tantos outros, mas 15 dias antes da partida deslocaram-se a casa de amigos para o jantar "de despedida". A conversa incluiu vários temas e, a meio do serão, o casal amigo deu-lhes a conhecer "o jogo de sedução" e o primeiro mandamento da bem portuguesa troca de casais: "o ciúme limita, o swing liberta". E assim foi.

atenção "quem pensa que o swing salva casamentos está redondamente enganado". Na maioria dos casos, quando o relacionamento "está no limite", o swing "só" tem uma utilidade: "acelerar o fim do casamento"


opinião

MIRA LAGOA SOBRAL

Sinais dos tempos TODOS sabem e falam da conhecida como "economia paralela". Que de paralela nada tem. De informal ainda menos. Apenas não paga impostos. Há anos e anos que o Estado pretende reduzir, tendencialmente até ao zero, esta modalidade de economia tão real quanto a real. Mas não consegue. Há anos o Governo tentou dar estímulos à procura para que esta contribuísse no seu dia a dia. Porque se não respeita a inteligência da comunidade. Perante sucessivos fracassos (e a informática dá uma enorme ajuda a tal fracasso como os espertos na matéria bem o sabem) não é que agora o Governo persiste, insiste no erro de desconsiderar e desrespeitar os portugueses, e cuida que com uma promessa de recompensa inalcançável de cinco por cento construído grão a grão (grão de calibre muito inferior ao da farinha de trigo bem moída) vai sair de onde está? Respeitar a inteligência das pessoas é necessário. E se se não respeitam nem pessoas nem necessário, espera-se o quê? Milagres? Em economia não os há! Tal como o confirmam os beneficiários do Rendimento

AS ÁREAS DE SERVIÇO, EM MATÉRIA DE PREÇOS, SÃO UMA OUTRA FORMA DE DESRESPEITO Mínimo. Se para nada fazerem recebem, para fazerem devem receber quanto? Aliás se assim não fosse o princípio universal da racionalidade económica não seria … universal. A FALTA de respeito na aplicação de conceitos fiscais. Que dura há muitos anos. Inquestionavelmente que há bens de consumo de primeira necessidade: os da saúde, educação, habitação, etc., etc. E se os de saúde e educação sempre foram considerados como relevantes em sede de IRS (ou na no seu antecessor Imposto Profissional), ora mais ora cada vez mais menos, porque é que os de habitação (que sempre foram considerados apenas parcial e parcelarmente) não o são na íntegra? As rendas nunca foram aceites como abatimentos nos inquilinos, mas servem para os senhorios as considerarem como proveitos. Agora também não serão aceites as rendas das habitações de renda

resolúvel, que de facto são na prática as mensalidades pagas por quem contrata um financiamento com a Banca para aquisição de habitação própria permanente. Mas a energia elétrica, serve para a quase monopolista ter como proveitos, mas nunca serviu para os particulares abaterem em sede de IRS. O Estado sempre é brilhante na técnica da dupla tributação! E como está munido do "jus imperii"… não desarma! A FORMA como as petrolíferas lidam com os consumidores, empresariais (sociedades unipessoais e equivalentes e equiparados) e individuais, é consabidamente uma outra falta de respeito. E o diferencial de preços, mais elevados claro, praticados nas auto-estradas é uma forma elegantemente legal de assalto, com conhecimento do assaltado. Que falta de respeito. ALIÁS nas auto-estradas, as Áreas de Serviço, em matéria de preços, são uma outra forma de desrespeito, que é como quem diz, de "assalto à carteira" do utente. Mas reconheça-se a verdade dos factos: porque será que os utentes gostam de ser assaltados? Masoquismo? Ou apenas treino suave de conformismo? E QUE tal ir a um Banco, Companhia de Seguros, Operador de Telecomunicações e tentar aprender sobre o que se pergunta que em princípio é o que não se sabe - ? E QUE tal a Via Verde para pagamento das portagens por cada utilização de um troço da rede de auto-estradas? Paga-se ao contratar a modalidade de pagamento. O aparelho vem equipado com elementos de duração máxima (cerca de três anos). Atingida essa duração, nas saídas passa a acender o semáforo amarelo. Dá para pagar na mesma. Mas o semáforo, com a sua mudança de cor, avisa que o aparelho está nas últimas. Se não reagir ao aviso luminoso, recebe uma chamada e é convidado a ir a um dos postos de atendimento (bem escassos e muito mal localizados, diga-se em abono da verdade) que o funcionário lá presente lhe resolve o problema. E resolve. Só que tem que assinar um documento em que autoriza que na próxima fatura da VIA VERDE seja incluída um débito superior a 7 (sete) euros que é quanto custa a pilha ir-se abaixo. Isto é uma falta de respeito. Está escrito nas tais letras pequeninas … que ninguém lê … ninguém esclarece … e todos os utentes assinam… O concessionário a faltar ao respeito ao utente. Muitos mais exemplos podem ser escritos. O que confirma que em matéria de respeito … não há respeito nenhum.

| Mira Lagoa Sobral assina todas as semanas este espaço de opinião |

32

27 OUTUBRO 2011


revista

1.º PASSEIO TT

PELOS TRILHOS

DA REGIÃO CENTRO

FOTO: M.CRESPO

A REVISTA C CONVIDA TODOS OS AMANTES DO TODO O TERRENO PARA UM PASSEIO PELAS BELAS PAISAGENS DA REGIÃO CENTRO. DIA 26 DE NOVEMBRO JUNTE-SE À CARAVANA DA REVISTA C E VENHA PASSAR UM DIA DIFERENTE AO VOLANTE DO SEU TT!

PROGRAMA MADRINHA

08H00 - CONCENTRAÇÃO DOS PARTICIPANTES NO LOCAL DE SAÍDAE VERIFICAÇÕES 13H00 CHEGADA A GÓIS 18H00 - CHEGADA A COIMBRA 20H30 - JANTAR PELA NOITE CONVÍVIO NO THEATRIX

PREÇOS

80 € POR VIATURA COM 2 OCUPANTES 40 € POR ACOMPANHANTE INCLUI SEGURO DE PASSEIO, ROAD BOOK, ALMOÇO, JANTAR

MAYA FICHA DE INSCRIÇÃO (DADOS DO CONDUTOR)

NOME MORADA CÓD. POSTAL

TELEMÓVEL

EMAIL

DATA DE NASCIMENTO:

N.º CONTRIBUINTE

MARCA VIATURA

MATRÍCULA

N.º PESSOAS

FORMAS DE PAGAMENTO NUMERÁRIO

CHEQUE À ORDEM DE MEDINFORMA, LDA

TRANSF. MEDINFORMA, LDA - NIB 004530304024148321279

RECORTE E ENVIE PARA REVISTAC RUA COMBATENTES DA GRANDE GUERRA, 109 – 3045-469 – TAVEIRO – COIMBRA, POR FAX PARA O N.º 239 981 304, OU PREENCHA A FICHA ON-LINE EM www.cnoticias.net

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES - passeiott@cnoticias.net | TELM: 916 355 014

LOGÍSTICA

APOIO C231

ORGANIZAÇÃO revista


biocombustíveis

cérebros

OLIVEIRA DO HOSPITAL À DA NOVA INDÚSTRIA DO S

BIOREFINA-TER, CONSIDERADO UM DOS MELHORES PROJETOS NACIONAIS E INTERNACION MATOS E INCULTOS E RESÍDUOS AGROFLORESTAIS DA REGIÃO EM BIOPRODUTOS

MARTA VARANDAS

ALGUMA VEZ imaginou que seria possível

transformar matos, terrenos incultos e resíduos agroflorestais em biocombustíveis? E que essa tecnologia avançada vai diminuir a elevada carga combustível e consequentemente reduzir os incêndios? "São só vantagens", afirma João Nunes, investigador responsável pelo projeto "multidisciplinar e inovador" bioREFINA-TER que está a ser desenvolvido em Oliveira do Hospital. A BLC 3 - Plataforma para o Desenvolvimento da Região Interior Centro é a primeira entidade criada em Portugal para o desenvolvimento de biorrefinarias de 2.ª e 3.ª geração (com tecnologias associadas a matérias-primas não concorrentes com o setor alimentar) para a criação de regiões com autonomia energética, da qual João Nunes é presidente do Conselho de Administração, sendo a entidade promotora do bioREFINA-TER. Da equipa fazem parte Helena Freitas e António Campos, duas figuras associadas à gestão da BLC 3 e 17 entidades de investigação e desenvolvimento, algumas delas europeias, estando também associadas empresas a nível nacional. A recente apresentação de uma pré-candidatura em Bruxelas veio sublinhar a importância do projeto, tanto a nível "nacional como internacional, na área dos biocombustíveis", colocando em causa 118 milhões de euros que podem chegar a Oliveira do Hospital, onde deverá nascer esta biorrefinaria de de-

34

monstração de 2.ª geração. Na corrida estão projetos da Finlândia, Holanda, Inglaterra, Alemanha e Suécia. Mas João Nunes está otimista: "temos boas indicações de sucesso". Após serem divulgados os resultados em dezembro, a fase seguinte da candidatura acontece para o ano. Ao ser aprovada, o período do projeto vai decorrer entre 2014 e 2019, sendo que na fase final estará em funcionamento a primeira central industrial demonstrativa do país que vai abranger quatro concelhos da Beira Serra - Oliveira do Hospital, Tábua, Arganil e Góis -, estando garantida, após estudos, a "total autonomia, em termos de biocombustíveis, de todo este território", diz. RELEVÂNCIA A NÍVEL MUNDIAL. O investigador explica à que o bioREFINA-TER passa muito pela realidade do país: "Portugal tem uma área vasta com matos incultos (sem ser floresta). A nossa matéria-prima provém assim de um território sem atividade económica, acabando por verificar-se uma valorização acrescentada que pode ser dada aos resíduos e ao território". O IMPACTO ECONÓMICO no país "é grande". O projeto, pioneiro e completamente inovador, ao funcionar com aquilo que se pode chamar "desperdícios", vai trazer um contributo "fundamental relativamente a um território como é a Beira Serra, flagelado pelos fogos florestais, visto que os métodos existentes para diminuir incêndios "não resultam". Mas este projeto permite "combater" os fogos,

27 OUTUBRO 2011


especial

Castelo Branco

A excelĂŞncia

do interior


o concelho head

especial

POLÍTICA DE PROXIMIDADE

TERRA DE BOM VIVER A CIDADE USUFRUI DOS MELHORES ÍNDICES DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO E ESTÁ A RERFORÇAR A SUA COMPETITIVIDADE A NÍVEL NACIONAL

CASTELO BRANCO é, hoje, uma cidade privilegiada na qualidade de vida que proporciona a quem lá reside e trabalha. Com equipamentos urbanos de excelência, um parque industrial de sucesso e dotada de boas acessibilidades (com a autoestrada A23, inaugurada há oito anos, estreitou significativamente distâncias a Lisboa e ao Porto e está a cerca de hora e meia das cidades espanholas de Cáceres ou Salamanca), tornou-se não só competitiva a nível nacional como deveras apetecível para a fixação de jovens. O enriquecimento do domínio público tem sido uma aposta constante do executivo municipal, que continua igualmente a investir na requalificação das zonas degradadas. Aos edifícios, largos, ruas, passeios, jardins tem sido garantida intervenção adequada. Algumas "manchas" urbanas

O enriquecimento do domínio público tem sido uma aposta constante do executivo municipal, que continua a investir fortemente na requalificação das zonas degradadas primam inclusivamente por uma estética assinalável. A estratégia da autarquia, elaborada com base no programa Castelo Branco 2020, tem dado prioridade à recuperação da funcionalidade, da imagem e do ambiente urbano, tendo em vista conferir maior competitividade a Castelo Branco nos domínios em que interessa projetar a cidade e que devem ter como metas a atingir, essencialmente,

especial castelo branco | II

a robustez e o bom nível de remuneração, quer seja na indústria, no comércio ou nos serviços, tanto no setor público como no privado. A cidade ocupa já, inclusivamente, com Viseu e Évora, as posições de maior relevância na hierarquia do Arco Urbano do Centro Interior (AUCI). Com uma ótima rede escolar (dos infantários ao ensino superior, no Instituto Politécnico), piscinas, ginásios, pavilhões poli-

desportivos, piscina-praia, lagoa, campos de futebol, ciclovia, Castelo Branco tem registado não só acréscimo populacional, como uma dinâmica consistente nos domínios económico e demográfico. Os números falam por si: usufrui dos melhores índices de desenvolvimento da região, designadamente em termos de rendimento per capita e oferta de postos de trabalho.

"Cabeça de comarca notável" Castelo Branco, que recebeu, em 1510, foral de D. Manuel, adquiriu, em 1642, o estatuto de "cabeça de comarca notável e das melhores da Beira Baixa". Elevada a cidade, em 1771, por D. José I, conheceu, sobretudo a partir de 1858, com a inauguração da iluminação pública, grande surto de progresso. Em 1959 foi declarada capital do distrito da Beira Baixa e com a instalação de elementos abastados da burguesia nacional e, até, alguma nobreza, enriqueceu-se arquitetonicamente com vários palácios e solares, muitos dos quais ainda hoje ostentam a magnificência de outrora e de que o Paço Episcopal é exemplo paradigmático. Construído entre 1596 e 1598, alberga, desde 1971, o Museu Tavares Proença Júnior, onde se arrolam muitas peças identificativas da cidade e da região, como achados arqueológicos, tapeçarias do século XVI e arte primitiva portuguesa.

27 OUTUBRO 2011


ficha do concelho

LOCALIZAÇÃO NUT II Centro e NUT III Beira Interior Sul ÁREA 1.436 km 2 POPULAÇÃO RESIDENTE 56.033 habitantes FAMÍLIAS 23.292 ALOJAMENTOS 38.463 EDIFÍCIOS 24.698 DISTÂNCIAS 250 km de Lisboa, 260 km do Porto e 150 km de Coimbra ACESSIBILIDADES A A23 faz a ligação à A25, que por seu turno liga ao Porto e à fronteira de Vilar Formoso. Ainda através da A23 faz-se a ligação à auto-estrada do Norte, por Abrantes. A ligação aos concelhos vizinhos e ao IC8 e IC6 é feito através das estradas regionais 112, 233 e 240 e estrada nacional 233. Está ainda ligado a Espanha pela ER240 e IC31. O concelho está também ligado por ferrovia, à linha do Norte

FUNCIONALIDADE A autarquia tem dado prioridade à recuperação da funcionalidade, da imagem e do ambiente urbano

FREGUESIAS Das 25 freguesias que constituem o Concelho, uma é predominantemente urbana (Castelo Branco), duas são medianamente urbanas (Alcains e Cebolais de Cima) e as restantes são freguesias predominantemente rurais


head a cidade

especial

Revolução u no centro cí restituiu "al

A CÂMARA REIVENTOU, COM BASE NUM PL PRIORIDADE É AGORA PROPORCIONAR QU

A REQUALIFICAÇÃO urbana de Castelo Branco foi preocupação prioritária da Câmara Municipal. A erosão do tempo e o crescimento desordenado tinham tomado conta da cidade, descaraterizando-a e roubando-lhe "alma". Escasseavam os espaços verdes e de lazer, enquanto se edificavam torres de betão e nasciam bairros clandestinos. Só havia uma coisa a fazer e a autarquia não hesitou na decisão – "reinventar" a urbe, seguindo, agora, uma estratégia de planeamento urbanístico devidamente dimensionado para dar resposta aos problemas que se agudizavam. Castelo Branco precisava de reunir energias para garantir o futuro. Conseguiu.

A prolongada presença na Devesa do Regimento de Cavalaria 8 deixara marcas preocupantes, com destaque para a degradação dos espaços públicos e a sua desertificação humana. Hoje, o local orgulha a população. Sendo no Centro Histórico que mergulham as raízes da identidade albicastrense, também não poderia ignorar-se a requalificação da envolvente do Castelo e do Miradoiro de S. Gens. Foi feita. Tornava-se igualmente imprescindível dotar a cidade de uma zona de lazer – e ela aí está, entre o centro urbano e a zona industrial. O espaço de circulação viária pedonal sofreu, por seu turno, alterações profundas, tendo em

especial castelo branco | IV

O espaço de circulação viária e pedonal sofreu alterações profundas. Tendo em vista o conforto humano e a praça central da cidade, dispõe agora de significativo conjunto de equipamentos para fruição da população vista o conforto humano, valorizou-se o património histórico e cultural, minimizaram-se os impactos visuais e ambientais negativos, potenciou-se o comércio, fomentaram-se as ati-

27 OUTUBRO 2011

vidades turísticas. Os peões dispõem , hoje, de amplos espaços exclusivos, que vão até à colina do castelo. O arranjo da praça central da cidade incluiu também um conjunto de equipamentos para fruição da população. Jardins, espelhos de água, restaurantes, cafés e esplanadas fazem agora as delícias de quem por lá passa. A velha infraestrutura militar foi substituída por equipamentos para atividades lúdicas, culturais e espaços comerciais e o vizinho Cine-Teatro Avenida, recuperado e reaberto. Para levar a cabo tão ambicioso projeto de "cirurgia" urbana, a Câmara contou com significativos apoios financeiros co-


Docas animam Devesa Os bares e esplanadas que, durante o dia, servem, em pleno coração de Castelo Branco, refeições "fast-food", enchem-se à noite de uma multidão em que predominam, naturalmente, os jovens, mas famílias inteiras, com gente de todas as idades, usufruem igualmente dos prazeres da noite. A grande praça, estrategicamente recuperada pela câmara para usu-

ão urbanística o cívico "alma" à cidade

E NUM PLANO ESTRATÉGICO A MÉDIO PRAZO, UMA NOVA URBE, ONDE A ONAR QUALIDADE DE VIDA A QUEM LÁ VIVE E TRABALHA

munitários, mas teve de fazer, também ela, enormes esforços orçamentais. A intervenção Polis abrangeu uma área de aproximadamente 33 hectares, com particular incidência na Zona Histórica, Centro Cívico/Devesa, Parque da Cidade e Jardim do Paço. A requalificação do Centro Cívico/Devesa foi a ação de maior impacto. Na Praça Postiguinho de Valadares, a demolição da Torre da Portugal Telecom possibilitou a criação de um espaço de convívio e encontro e o surgimento de uma nova praça servida por um parque de estacionamento subterrâneo. O Jardim do Paço passará a contar com um Centro de Interpre-

tação, enquanto no Parque da Cidade renasceu o conceito de horta ajardinada que esteve na base da sua criação, agora reinterpretada e integrada num espaço de lazer. No coração da zona histórica, a Praça Camões ou Praça Velha, como é vulgarmente conhecida, foi beneficiada com importantes intervenções levadas a cabo nas imediações. A Praça Académica, com parque de estacionamento subterrâneo, nasceu no antigo jardim do Arquivo Distrital. Foi ainda requalificado o Largo de S. João, onde foi construído outro parque de estacionamento subterrâneo, e reabilitado o designado Eixo Beirão, entre o Largo da Sé e a Praça D. José I.

fruto social dos albicastrenses, tem realmente nas suas "docas secas" uma nova centralidade, onde a animação atrai diariamente autênticas multidões, nalguns casos madrugada adentro. A afluência tem superado todas as expetativas naquele espaço outrora degradado, mas que, no âmbito do programa Polis, foi recuperado à lama e ao lixo.


património

especial

REGENERAR travou desertificação do centro histórico

AS HABITAÇÕES DEGRADAS NO CENTRO HISTÓRICO SÃO RECUPERADAS E COLOCADAS NO MERCADO A PREÇOS CONTROLADOS O CENTRO Histórico de Castelo Branco foi completamente transformado graças ao REGENERAR – Programa de Regeneração Urbana de Castelo Branco. O projeto é ambicioso. Além de novas redes de distribuição de água, de saneamento e de escoamento de águas pluviais, foram retiradas as antenas (que criavam “ruído” na paisagem), instalada televisão por cabo e gás natural. Mas o REGENERAR tem uma importante particularidade: a criação de uma bolsa habitacio-

especial castelo branco | VI

nal, possível graças à recuperação de casas degradadas. Essas habitações são colocadas pela autarquia no mercado a preços controlados. A candidatura REGENERAR, que a câmara municipal apresentou ao Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), foi contemplada com cerca de seis milhões de euros, para um investimento total de quase 11,5 milhões. O Centro Histórico de Castelo Branco é um dos mais ricos do país. No cimo do castelo,

edificado pelos templários, o Miradouro de S. Gens continua a ser um ponto de encontro e um local de convívio para os albicastrenses. A paisagem estende-se até Espanha, permitindo ver a Serra da Estrela e a aldeia histórica de Monsanto. A zona medieval é conhecida pelos 300 portados, muitos deles já de traça manuelina, e pela Casa do Arco do Bispo, junto à Praça Velha. Outra praça, a Académica, "abre as portas" do Museu Cargaleiro.

27 OUTUBRO 2011


"Marca" templária

DO CASTELO, mandado construir pelos

Templários, entre 1214 e 1230, "para defesa da fé e independência da Pátria", restam apenas algumas ruínas. A cidadela chegou todavia a ocupar todo o planalto que dominava a povoação e o recinto da alcáçova era, segundo rezam as crónicas, de elegante construção. A MURALHA , de que também só restam

uns pequenos troços, tinha várias portas: a de Santiago, a norte, ao cimo da Calçada da Alegria; a da Vila, também ao norte, dando acesso à Rua dos Ferreiros; a do Espírito Santo, a sul, dando entrada para a Rua de Santa Maria, que esteve próxima do local onde, no séc. XVI, foi edificada a Capela de S. Brás; a de Santarém, a poente, em frente da Igreja de Santa Maria; a da Traição, em frente do sítio onde esteve a Capela de S. Gens; e a do Esteval, entre as porta s da Traição e de Santiago.

Piscina-praia, gaivotas e lago com barcos a remos SÃO 3.950 METROS quadrados de água, 80 hectares para estender a toalha, 150 cadeiras e toldos para o descanso exigido. A piscina-praia de Castelo Branco, com capacidade para um milhar de utentes e 750 lugares de estacionamento na periferia, tornou diferentes os verões na cidade. A câmara tem ainda a funcionar na chamada Zona de Lazer (Parque Urbano), uma lagoa com serviço de barcos a remos e de gaivotas. O novo serviço é aberto a toda a população e funciona, sempre que as condições climatéricas o permitam, entre as

10H00 e as 19H00 (no inverno, o horário será reduzido na parte da tarde). Os utilizadores daquele serviço pagam, por cada meia hora, 50 cêntimos. Para este serviço, que implicou um investimento de 325 mil euros, a autarquia adquiriu 15 gaivotas e cinco barcos a remos. O lago, com um metro de profundidade, permite a prática de alguns desportos, como a canoagem e o remo. A estrutura dispõe de dois ancoradouros para barcos, uma ponte pedonal e um edifício de apoio. O investimento rondou 1,5 milhões de euros.

PARA FACILITAR a entrada e a saída da

população, sempre crescente, foram mais tarde abertas, na muralha, mais três portas: a do Relógio, dando entrada para a rua do mesmo nome; a do Postigo, dando acesso à Rua do Poço das Covas; e o Postiguinho de Valadares, cuja designação se mantém numa travessa que liga o Largo da Sé com a Rua dos Peleteiros. NA GUERRA PENINSULAR , os habi-

tantes empreenderam a demolição do majestoso baluarte medieval, com o objetivo de utilizar a pedra nas construções particulares. No recinto ergue-se a Igreja de Santa Maria do Castelo, em cujo adro se reuniam a Assembleia dos Homens-Bons e as autoridades monástico-militares, até ao século XIV.


especial

artesanato

QUEM ENTRA na Oficina-Escola do Bordado de Castelo Branco só pode esperar uma coisa: ser recebido com simpatia. As seis bordadeiras, a trabalhar numa colcha, vão mantendo a grande sala branca animada com conversas entrecruzadas e risos. "Começámos este bordado há pouco tempo", revela Manuela Serra, responsável por reunir este grupo, acrescentando que "é também a primeira vez que estou a trabalhar com estas senhoras". O pano da colcha é de linho e os fios que vão dando cor às formas desenhadas são de seda natural. Os desenhos são os motivos típicos desta arte que se confunde com a história de Castelo Branco. As flores, lírios, representam a virtude; cravos e rosas simbolizam marido e mulher e, o que à primeira vista pode parecer um pássaro com duas cabeças, são duas aves juntas, os desposados. Muitos dos desenhos são de influência oriental. Porquê a presença dos desposados e a insistência na dualidade do masculino e no feminino? Porque, tradicionalmente, as colchas eram usadas para enfeitar a cama de um casal recém-casado. Os bordados eram, assim, presença obrigatória em qualquer enxoval das famílias albicastrenses. "JÁ TINHA estes desenhos, mas também va-

mos tirando das revistas", explica Manuela Serra, acrescentando que "os motivos são os mesmos, pegamos neles e dá para fazer muita coisa, com muita variedade". A linha de seda oferece uma vitalidade e uma força única à cor dos bordados. "Isto é uma riqueza, até dá gosto ficar a olhar para ela", sorri Manuela Serra.

A oportunidade que esta oficina-escola oferece a estas bordadeiras ajuda tanto o bordado tradicional, um ex-libris de Castelo Branco, como toda a região Em cima de uma mesa estão alguns bordados mais pequenos, já terminados e, até, um relógio cuja base é um bordado. "São da minha antiga loja", conta a responsável, indicando que "sempre vivi nos bordados". É uma história de vida que sempre girou em torno do linho. "Aprendi a bordar logo aos meus dez anos", conta Manuela Serra, hoje com 63. "Olhe,

especial castelo branco | VIII

BORDADO

Quando a seda encontra o linho COM UMA TRADIÇÃO CENTENÁRIA, OS BORDADOS APRESENTAM-SE COMO PARTE DA IDENTIDADE CULTURAL DA CIDADE E REGIÃO

aprendi tão bem que comecei logo a ensinar", ri. E hoje continua. Para além da loja, Manuela desenvolveu o hábito de bordar em casa e agora está na oficina-escola, com "estas caras lindas" que conheceu num curso na Escola Agrária. De momento, aFreguesia de Escalos de Cima surge como a mais representada nas bordadeiras, com três das seis, às quais se juntam duas de Castelo Branco e uma de Benquerenças. Mas há planos "para meter mais pessoas da cidade", no futuro. COMO É um grupo que está a trabalhar pela

primeira vez, é complicado avançar uma data para a conclusão do trabalho. "Entre três a quatro meses, possivelmente", indica Manuela Serra. Depende tudo da complexidade

do desenho e este é um modelo "mais leve". O preço, esse, é que já é mais pesado. "Uma colcha deste tipo pode ser vendida por 25 mil euros, embora esta ainda não tenha preço", refere Manuela, lembrando que, quando tinha uma loja, "só fazia este tipo de trabalho por encomenda". A colcha que é alvo da atenção do grupo é o primeiro trabalho que está a ser realizado nesta oficina-escola, inaugurada a 26 de setembro de 2011, mesmo em frente à Sé de Castelo Branco. Este projeto vem substituir uma oficina-escola similar, que funcionava no Museu Tavares Proença, mas que já só tem duas bordadeiras a trabalhar, depois de cortes no financiamento nos últimos anos. O objetivo é trazer um vigor renovado ao bordado de Castelo Branco, formando novas

27 OUTUBRO 2011


A ATENÇÃO ao detalhe é uma marca característica das bordadeiras de Castelo Branco. Uma colcha pode render 25 mil euros

COLCHAS COM HISTÓRIA TAMBÉM CONHECIDO como "Bordado a Frouxo", o bordado de

Castelo Branco ganhou particular destaque a partir dos séculos XVI e XVII, época em que se começam a seguir as tendências das colchas orientais, de influência indo-portuguesa. A sua base foi sempre o pano de linho e as cores fortes. OS ELEMENTOS e os motivos que são bordados têm significados

bordadeiras, e ajudar à criação de mecanismos de comercialização deste produto típico. A OPORTUNIDADE que esta oficina-escola oferece a estas bordadeiras ajuda tanto o bordado tradicional, um ex-libris de Castelo Branco, como toda a região. "Se não fosse este trabalho, estas senhoras estavam todas em casa, sem emprego", confidencia Manuela Serra, garantido que o projeto "se vai manter quando formos todas embora, é algo com futuro". A responsável acredita que "virão mais jovens, que vão aprender e vão continuar com a tradição do bordado", algo que seria impossível sem a oficina-escola. Até porque, sublinha, "como as coisas estão, esta é mais uma opção, um local para onde as pessoas se podem virar para enfrentar as dificuldades".

diversos. Os mais comuns são a árvore da vida, símbolo do lar e os pássaros que representam os desposados. Para além destes elementos, as flores também surgem muitas vezes: cravo e rosa representam homem e mulher e os lírios, por exemplo, demonstram a "virtude". AS COLCHAS bordadas são um ex-líbris da cidade, representando uma arte intimamente ligada à cultura da região. No passado eram indespensáveis em qualquer enxoval de casamento, decorando a cama dos noivos.


economia head

especial

ZONA INDUSTRIAL

Qualidade para competir A ÁREA DE LOCALIZAÇÃO EMPRESARIAL ALBERGA CERCA DE DUAS CENTENAS DE EMPRESAS E GARANTE MAIS DE CINCO MIL POSTOS DE TRABALHO

O DESENVOLVIMENTO económico é um elemento essencial da estratégia de desenvolvimento protagonizada pela Câmara Municipal de Castelo Branco, Concelho que dispõe, ao nível económico, na Área de Localização Empresarial situada, desde 1980, na periferia da cidade, um empreendimento com sucesso consolidado. A sua implantação numa "posição de charneira" entre Portugal e Espanha garante-lhe a indispensável proximidade aos fluxos comerciais e económicos da Europa, facto que não deixa de ser indiferente aos potenciais

A criação da zona industrial teve como principal objetivo atrair investimento e incentivar a fixação de unidades produtivas no concelho investidores, tendo em vista a sua captação e fixação. Gerida pela autarquia, é uma zona industrial polivalente, onde pequenas, médias e grandes empresas desenvolvem uma signifivativa diversidade de atividades económicas. Não foi, por isso, também ela, esquecida no plano de requalificação ambiental desenvolvido nos últimos anos em Castelo Branco. A sua criação teve, na altura, como principal objetivo, atrair investimento e incentivar a

especial castelo branco | X

fixação de unidades industriais no Concelho. A Câmara colocou, para o efeito, terrenos infraestruturados à disposição dos investidores, no âmbito de uma política de venda de lotes ao preço simbólico, então, de um escudo por metro quadrado. A área, de 158 hectares, ficou rapidamente esgotada. O Centro de Formação Profissional, promovido pelo então Fundo do Desenvolvimento da Mão-de-Obra, e a fábrica da PROGURTES, constituíram as primeiras âncoras deste território. No final da década de 80, surgiriam novos importantes empreendimentos indus-

NERCAB APOSTA NA FORMAÇÃO EMPRESARIAL A ASSOCIAÇÃO Empresarial da Região de Castelo Branco (NERCAB), criada em 1987 para acelerar a criação e o desenvolvimento de empresas no distrito, tem pautado a sua atividade, sobretudo, nas áreas da formação, organização de feiras intersetoriais e criação de massa crítica empresarial. Tem assumido ainda papel privilegiado de interlocutor junto dos organismos públicos locais e nacionais. Dispõe de dois centros de documentação.

triais de empresas estrangeiras – a CABLESA (atual Delphi), a BITZER, a AROX, a HMR. A autarquia adquiriu, posteriormente, mais 122 hectares de terreno, tendo em vista a indispensável expansão daquela relevante área de localização empresarial – e também não faltaram os interessados. Alguns ficaram mesmo em lista de espera. A autoestrada da Beira Interior (A23), a rede de gás natural e a eletrificação da linha da Beira Baixa reforçaram significativamente a competitividade e a capacidade de atração da zona industrial, que hoje se pode considerar como uma área de excelência na paisagem socioeconómica da região Centro. Os empreendimentos âncora situam-se, designadamente, nos setores das indústrias transformadoras, refrigeração, agro-alimentar, equipamentos elétricos e eletrónicos, vestuário e confeção, estruturas e construções

27 OUTUBRO 2011


Empresas de sucesso Danone Portugal lidera mercado CONSTITUÍDA em 1981 pelos

irmãos Gomes Filipe, a empresa começou como produtora de iogurtes Iofil, até que em 1989 foi convidada pela Danone SA a representar a marca em Portugal. Mantém, desde 1994, a liderança no mercado português dos lácteos frescos e, desde 2000, está certificada pela ISO 9001, o que atesta a qualidade do seu processo de fabrico e dos seus produtos.

Delphi aumentou produção em 30% O AUMENTO de produção da

ordem dos 30% de cablagens para a indústria automóvel obrigou a multinacional norte-americana a aumentar no ano passado o número de trabalhadores, de cerca de 800 para 1050, e a ocupar a totalidade do pavilhão da fábrica de equipamento de frio Hormigo, propriedade da Câmara. A Land Rover e a John Deer são os principais clientes. metálicas, mobiliário e colchões, máquinas e tratores para a agricultura, pecuária e silvicultura, madeira, transformação de vidro e pedras ornamentais e distribuição (retalho e grossistas). As mais de duas centenas de empresas comerciais e de equipamentos sediados naqueles 280 hectares devidamente infraestruturados vão desde as pequenas e médias às grandes estruturas produtivas, garantindo mais de cinco mil postos de trabalho. O setor automóvel, com os seus stands e oficinas de reparação, a cablagem, a área alimentar, as confeções, os elementos de frio e o comércio têm ali representação

condigna. Não faltam, sequer, investidores estrangeiros, alguns dos quais já se fixaram, inclusivamente, na cidade. Além de concentrar a atividade industrial numa zona organizada, bem dimensionada e servida das infraestruturas necessárias, visou ainda libertar os espaços industriais mal localizados na cidade e sem qualquer hipótese de expansão. As excelentes relações que a Câmara de Castelo Branco mantém com os municípios espanhóis vizinhos, designadamente Cáceres e Plasencia, potenciam, de resto, o intercâmbio comercial entre os dois lados da fronteira.

InovCluster promove projetos agro-alimentares A EMPRESA tem como missão gerir candidaturas agro-industriais aprovadas no âmbito do QREN. Integra as câmaras de Castelo Branco, Guarda e Cantanhede, a Universidade da Beira Interior, os institutos politécnicos da Guarda e Castelo Branco, o IPN, o Biocant, o Instituto de Soldadura e Qualidade, a Escola Agrária de Coimbra e mais 40 unidades agro-industriais da região Centro.


head entrevista

especial

J

oaquim Morão é um autarca com um projeto firme para Castelo Branco. A reabilitação urbana é central na estratégia de tornar uma cidade do Interior numa referência ao nível da qualidade de vida, tentando combater os problemas que afligem os munícipes do Concelho. Como é que o município está a lidar com a crise? Todos sabemos que o País atravessa muitas dificuldades, às quais as câmaras não são imunes. No entanto, nós temos a câmara municipal preparada para cumprir todos os compromissos que assumimos com a população albicastrense. Temos condições para realizar e concretizar todos os investimentos que temos programados para terminar até ao final do mandato. Temos assegurado o financiamento necessário para cumprir, integralmente, com toda a gente.

Quais são esses investimentos? Estamos a falar do Aeródromo, o Centro de Artes ou a recuperação da Zona Antiga. São obras emblemáticas que queremos concretizar até ao final do mandato. Também já fizemos um conjunto de obras de reabilitação urbana, que iremos continuar na parte antiga e na zona da estação. Depois temos também o parque urbano, que é uma grande zona de lazer e a zona industrial, de 350 hectares que tem sofrido obras de vulto. O que já foi feito ao nível da reabilitação urbana? Temos vindo a recuperar todos os bairros da cidade. Estamos a recuperar toda a zona antiga, com particular destaque para um conjunto de imóveis que a câmara adquiriu, de modo a repovoar essa zona. Neste momento temos 50 casas na zona antiga, já estamos a recuperar algumas e vamos recuperar o resto, para repovoar uma área que não só se degradou, mas também ficou sem pessoas. Para além disso, o plano de recuperação da Zona da Estação, que nos falta recuperar, já está pronto. Vamos resolver este problema. Não basta criar as infraestruturas, é preciso que elas sejam frequentadas… E são frequentadas. Todo o parque desportivo é frequentado por muitas centenas de jovens. Creio que teremos cerca de 1.200 jovens, que frequentam na área da formação. A piscina-praia recebe cerca de 80.000 pessoas por ano, as de água quente estão superlotadas. Castelo Branco tem 50.000 residentes, sem os estu-

especial castelo branco | XII

JOAQUIM MORÃO

Câmara está preparada para a crise O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO BRANCO ESTÁ NO SEU QUARTO MANDATO À FRENTE DO MUNICÍPIO. A CIDADE E AS FREGUESIAS, GARANTE, ESTÃO BEM PREPARADAS PARA ENFRENTAR AS DIFICULDADES DA CRISE

dantes. Nos últimos dez anos mantivemos a população, crescemos 1,5 por cento. Não perder gente já é bom. Temos 5.000 alunos no ensino superior e 5.000 trabalhadores na Zona Industrial.

fizemo-lo. É uma forma de estímulo, embora eu saiba que ninguém vem para Castelo Branco por ter o IMI mais baixo, mas auxiliamos as pessoas que vivem cá. Nós baixamos o IMI para minorar as dificuldades que as pessoas têm.

Estas políticas ajudam a aumentar a auto-estima do município? Os albicastrenses revêem-se na posição da Câmara Municipal e, portanto, estão mobilizados para este projeto. Não tenho dúvida nenhuma que os albicastrenses têm orgulho no trabalho que se tem vindo a fazer. Temos requalificado a cidade, captado investimento para a cidade, temos mobilizado as pessoas, temos-lhe dado qualidade de vida e as pessoas revêem-se nisso.

Os albicastrenses revêem-se na posição da Câmara Municipal e, portanto, estão mobilizados para este projeto

Para além disso, a Câmara optou por baixar o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), em setembro... Nós reduzimos, contra a corrente, em cerca de 20 por cento o IMI para 2012. Achámos que era o momento próprio para a Câmara dar um auxílio aos albicastrenses, reduzindo os impostos. Tínhamos margem para isso e

27 OUTUBRO 2011


ficha BIOGRAFIA POLíTICA Nascido a 22 de julho de 1945, Joaquim Morão Lopes Dias tem uma extensa carreira na política. Foi vereador na Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, entre 1976 e 1982, tendo sido presidente da autarquia de 1982 a 1997. É edil de Castelo Branco desde 1997. VITÓRIA ESMAGADORA Joaquim Morão foi reeleito, para este quarto mandato, presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco em 2009. Candidato pelo Partido Socialista, venceu com 72,88 por cento dos votos, elegendo oito dos nove vereadores. FORMAÇÃO Com o Curso Geral de Comércio, é bancário de profissão. Foi distinguido com a Comenda da Ordem de Mérito, a 10 de junho de 2010. OUTROS CARGOS É presidente do Conselho de Administração dos SMAS; presidente do Conselho de Administração da Albigec, Empresa Municipal e vice-presidente da ANMP.

Para além da requalificação de edifícios e a descida do IMI, também existem outros apoios para a população? Damos um forte apoio às pessoas. Em termos sociais temos tudo coberto, através da rede de instituições de solidariedade social, apoiamo-nos nelas para resolver os problemas às pessoas. Para isso, damos meios às instituições para que elas possam desempenhar a sua função. Costumo dizer que, em Castelo Branco, não há fome. Se alguém aparecer com algum sintoma desses há condições para de imediato ser resolvido. Temos essas instituições mobilizadas para esse apoio. O que nos diria de modo a irmos viver para Castelo Branco? A Câmara não cria emprego, portanto não lhe podia oferecer um emprego aqui. Perguntava-lhe a área em que pretende intervir e via de que modo é que nós podemos complementar a sua intervenção. Mas lembrava que temos uma cidade atrativa, porque está requalificada. Temos criado um conjunto de equipamentos, temos espaços verdes, saúde, património, uma agenda cultural interessante. Para além disso, temos os maiores índices de desenvolvimento da região. A competitividade hoje é grande, sem emprego nada pode andar. Nós estamos nessa luta, tentamos ir a tudo para criar possibilidades de emprego e desenvolvimento.


ensino

especial

Instituto Politécnico é um dos "pilares do desenvolvimento da região" A CIDADE DISPÕE DE BOA VARIEDADE DE CURSOS, ACOLHENDO CERCA DE 5.000 ALUNOS NAS SEIS ESCOLAS DO POLITÉCNICO. O TRABALHO DO CONSERVATÓRIO TAMBÉM É IMPORTANTE PARA DINAMIZAR A REGIÃO DESDE 28 de outubro de 1980, com a inauguração do Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB), o ensino na cidade tem conhecido uma grande evolução. O politécnico acolhe cerca de 5.000 alunos divididos por seis escolas: Escola Superior Agrária, Escola Superior de Artes Aplicadas, Escola Superior de Educação, Escola Superior de Gestão, Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias e a Escola Superior de Tecnologia. "A SAÚDE, as artes e as tecnologias têm níveis bastante bons em termos de empregabilidade, havendo, no entanto, outras áreas mais problemáticas. Mas, genericamente, os níveis de empregabilidade são bastante razoáveis", refere Carlos Maia, presidente do IPCB, acrescentando que "algumas áreas não têm procura e, como no caso da agronomia, somos obrigados a deixar cair essa oferta formativa. No entanto, vamos retomá-la brevemente, dado que os nossos licenciados estão inseridos no mercado de trabalho".

A INSTITUIÇÃO, para além do

"forte investimento público que representou para a região", garante o presidente, "teve um papel fundamental ao permitir o acesso à qualificação superior de muitos jovens, que de outra forma teriam acesso a essa formação". A nível económico, "os últimos dados de que dispomos, só em valores diretos tem um valor de 45 a 50 milhões de euros, sem falarmos da economia paralela, como por exemplo os quartos que os alunos alugam, movimento nos restaurantes e bares, pelo que a instituição é um dos pilares do desenvolvimento da região, e estou convencido que tal se vai manter", conclui. UM MÚSICO no Youtube. Os alunos do IPCB começam a ganhar destaque também no estrangeiro. Vasken Fermanian, 20 anos, estudante da Escola Superior de Artes Aplicadas (Esart) fez parte da Orquestra Sinfónica do Youtube que atuou, no mês de Março, em Sidney, na Austrália. Esta orquestra reúne 101 músicos de todo o mundo, selecionados via Internet.

Conservatório Regional de Castelo Branco CORRIA O ano de 1974 quando o Conservatório Regional de Castelo Branco foi fundado, assumindo-se desde logo como um importante centro educativo e cultural da cidade. Este ano, o conservatório está a trabalhar com 393 alunos, divididos por 16 cursos de instrumentos e um de formação musical. Os mais concorridos são o piano, a guitarra e o violino. Os pontos altos do ano do Conservatório são o concerto de Natal, de Páscoa e de Fim de Ano. Alguns dos jovens alunos participaram também no evento 1001 Músicos no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

especial castelo branco | XIV

27 OUTUBRO 2011


saúde

Hospital Amato Lusitano garante cuidados de saúde a 166 mil pessoas A UNIDADE, COM 1.400 COLABORADORES E DOTADA COM SERVIÇOS CLÍNICOS EM TODAS AS VALÊNCIAS BÁSICAS, INTERMÉDIAS E NA MAIORIA DAS VALÊNCIAS DIFERENCIADAS, APOSTA TAMBÉM NA INVESTIGAÇÃO A POPULAÇÃO de Castelo Bran-

co tem garantida a prestação de cuidados médicos diferenciados no Hospital Amato Lusitano, que substituiu, a partir de 1977, o então chamado Hospital da Santa Casa da Misericórdia. A unidade está dotada com serviços clínicos em todas as valências básicas, intermédias e na maioria das valências diferenciadas. Integrado na Unidade Local de Saúde de Castelo Branco, com os agrupamentos dos 85 centros de saúde da Beira Interior Sul e Pinhal Interior Sul e atualmente com cerca de 1.400 profissionais e 297 camas disponíveis, oferece serviços de qualidade, quer ao nível das tecnologias praticadas, quer dos seus recursos humanos, a cerca de 116 mil residentes na região. O Amato Lusitano não se circunscreve, todavia, à prestação de cuidados de saúde. A organização e coordenação de atividades de investigação é outra das suass funções, tal como o ensino pré e pós graduado. A modernização da unidade de saúde tem conhecido significativos avanços nos últimos tempos, designadamente ao nível do serviço de gastrenterologia, que usufrui hoje dos mais sofisticados equipamentos de ecografia e ecoendoscopia existentes no mercado. O investimento, de cerca de 200 mil euros, permite utilizar as mais modernas modalidades da ultra-sonografia da atualidade. Futuramente, com a diferenciação nestas novas abordagens, poderão realizar-se terapias oncológicas dirigidas por ultra-sonografia. A maternidade também tem man-

tido um bom desempenho em todos os parâmetros, nalguns casos superior à média nacional. O Hospital tem, por outro lado, a única resposta à diabetes do Interior, onde persiste a falta de estruturas de apoio a estes doentes, que necessariamente têm de ser acompanhados. Funciona desde 2004 e as consultas já são quase três mil por ano. Com mais de duas dezenas de especialidades e oito serviços de apoio técnico, o Amato Lusitano garante cerca de 75 mil admissões de urgência, mais de 50 mil consultas externas e uns 530 mil exames médicos por ano. Para fazer face à escassez de médicos na região, seguiu o exempolo de muitos outros, recrutando estrangeiros. Atualmente, são 23 dos 64 recrutados pelo conjunto de unidades de saúde do Distrito.

MÉDICO JUDEU EXPULSO PELA INQUISIÇÃO JOÃO RODRIGUES, mais conhe-

cido como Amato Lusitano, que dá nome ao hospital, foi um renomado médico português do século XVI. Nascido, em 1511, em Castelo Branco, estudou medicina na Universidade de Salamanca, mas, por ser judeu, foi impedido, pela Inquisição, de instalar-se no nosso país. Foi para Antuérpia, percorreu depois a Europa, até se fixar em Itália, onde foi médico do Papa Júlio III. Morreu em 1569, na Grécia, vitimado pela peste, que tanto tentou combater.


cultura head

especial

ARTE O MUSEU Cargaleiro é o espaço de mostra de arte mais recente da cidade. Abriu as suas portas, originalmente, em 2005 e apresentou um novo edifício a 10 de junho de 2011. Quem visita o local, fica a conhecer o acervo da Fundação Manuel Cargaleiro. A obra deste artista plástico, uma das grandes figuras da região, surge em destaque sob a forma de pintura, cerâmica, escultura, azulejaria, tapeçaria. Para além disso, podem admirar-se peças de arte recolhidas pelo artista ao longo dos anos. O museu divide-se por dois edifícios: o Solar dos Cavaleiros, um palacete do século XVIII, e o edifício contemporâneo. Pelos três andares deste edifício vão-se conhecendo as diferentes fases do trabalho de Cargaleiro, bem como o uso vibrante da cor a que habituou os seus apreciadores. A ampliação do museu permitiu, também, trazer uma nova vitalidade ao centro histórico da cidade. Assim, este é um espaço único para conhecer a obra deste mestre, reconhecido internacionalmente. Está aberto de terça-feira a domingo, entre as 10H00 e as 13H00 e as 14H00 e as 18H00. NO MUSEU do Canteiro, em Alcains, a pedra é quem impera. O espaço, que funciona num antigo solar, tem como objetivo relembrar a importância do trabalho do canteiro, o profissional que trabalha a pedra, para a região. Em meados do século XX, havia cerca de 500 canteiros na zona, o que liga esta profissão aos habitantes da vila albicastrense. No Museu é possível ver a exposição permanente, dedicada ao labor do canteiro, bem como várias exposições temporárias. A mais recente, intitulada "Os Bichos", foi uma mostra fotográfica dos animais da região. Abre de terça a sexta-feira entre as 09H30 e as 12H30 e as 14H00 e as 17H30. Ao fim de semana abre entre as 14H30 e as 18H30. FRANCISCO TAVARES Proença Júnior foi um albicastrense com vários interesses no mundo das ciências e das artes, mas que acabou por se destacar na arqueologia. Nascido em 1883, usou o seu espólio arqueológico para fundar, em 1910, este Museu, que tem o seu nome. Originalmente sediado no Convento dos Capuchos foi transferido para o Paço Episcopal. Foi recebendo, como complemento à coleção original, peças de arte antiga do recheio do Paço e incorporações sucessivas de espólios arqueológicos, paramentaria e colchas bordadas, estas últimas provenientes da coleção Vilhena. Recebeu, também, durante os anos

especial castelo branco | XVI

De Cargaleiro ao Museu do Canteiro

CASTELO BRANCO NÃO ESQUECE A SUA HISTÓRIA E APOSTA NOS MUSEUS. PARA ALÉM DISSO, O CINE-TEATRO É CENTRAL NA VIDA CULTURAL DA CIDADE

oitenta diversas obras de arte contemporânea. Abre de terça-feira a domingo, entre 10H00 e as 12H30 e as 14H00 e as 17H30. BIBLIOTECA E CYBERCENTRO. ABiblioteca Municipal oferece aos cidadãos 130.000 registos bibliográficos, bem como a oportunidade de ver filmes ou ouvir música. Há também livros em Braille. O Cybercentro é outro espaço importante para os albicastrenses.

ABiblioteca Municipal oferece aos cidadãos 130.000 registos bibliográficos

27 OUTUBRO 2011


Teatro, cinema e dança: um cine-teatro para todos O CINE-TEATRO Avenida, em estilo moderno e com capacidade para 700 espetadores, é um exemplar da evolução da arquitetura portuguesa no século XX. Além do salão principal, balcão e camarins possui, nos seus três pisos, outros salões, bares e todas as dependências de uma moderna casa de espetáculos. Carlos Semedo, programador e coordenador de produção do Cine-Teatro, considera que a programação assenta "na diversidade de oferta de áreas artísticas e a ideia de teatro enquanto espaço de reflexão sobre os dilemas contemporâneos, sem esquecer o património imaterial secular. Todo o serviço do cine-teatro deve ter como base a prestação de um serviço de qualidade", destaca. PARA O responsável, "conhecer

o nosso público é o caminho que temos percorrido ao longo destes dois anos de Cultura Vibra. Este conhecimento e o aprofun-

dar do mesmo tem-se mostrado elemento essencial para o crescimento e adesão do público. Por exemplo, no caso do cinema, temos um crescimento de cerca de 200 %, com sessões com mais de cem pessoas. Também as nossas propostas musicais têm cativado cada vez mais público", lembra. A dança e o teatro são objeto de programação regular tanto nas suas expressões mais clássicas,

como nas abordagens contemporâneas. "Temos sentido algum crescimento do interesse do público. Cada vez há mais pessoas que frequentam o Cine-Teatro Avenida semanalmente. A regularidade da oferta é uma condição para que o público crie uma relação de confiança. Pessoas que vão só a determinados espetáculos existirão sempre e não é drama nenhum, mas verificamos que há cada vez mais pessoas que encaram o teatro como seu e frequentam-no, muitas vezes, em mais do que uma atividade por semana". O CINE-TEATRO foi inaugurado

AS CORES DO MUSEU

Cargaleiro (em cima e ao lado). O Museu do Canteiro (à direita) tem a pedra como elemento central.

a 2 de outubro de 1954. Em 2000, teve de ser recuperado, após violento incêndio, surgindo a partir daí com diversas alterações, mantendo embora a traça original. Para além dos espetáculos e cinema, a programação da sala de espetáculos albicastrense, apresenta atividades de formação, oficinas e apresentações denominadas Conversa de Palco. Os foyers do teatro e a galeria municipal Sala da Nora recebem regularmente exposições, que motivam a visita de milhares de pessoas, ao longo do ano.


head turismo

especial

EXISTEM LOCAIS onde vale a pena uma pessoa perder-se e o Jardim do Paço Episcopal de Castelo Branco é, sem dúvida, um deles. De influência barroca, quem se passeia por entre os buxos tem a companhia de uma profusão de estátuas, que representam alegorias, signos, reis e apóstolos. Os pormenores não foram descurados e os reis da ocupação espanhola, os três Filipes, surgem em escala mais pequena que os reis portugueses. E a Escadaria dos Apóstolos tem 33 degraus, os anos que Cristo tinha quando morreu. É uma experiência única, pois não é todos os dias que se passa ao lado de D. José, da Europa, de São João Baptista ou de uma representação da Justiça. Para além do verde, há outra constante no jardim: o som da água. Na verdade, o patamar superior do jardim apresenta estátuas alusivas ao Antigo Testamento e à simbologia da água como elemento purificador. Os lagos espalhados por entre as

A Câmara Municipal oferece um conjunto de itinerários, que permitem conhecer os diferentes monumentos da cidade árvores e arbustos ajudam a tornar mais fresca a viagem dentro deste ex-líbris da cidade.

PATRIMÓNIO

Passear pelo verde, disfrutar da história CASTELO BRANCO É RICA EM MONUMENTOS HISTÓRICOS, TEM UM JARDIM ÚNICO E APRESENTA INFRAESTRUTURAS COM FUTURO

PASSADO E FUTURO. A cidade tem vários

monumentos da Idade Média que merecem uma visita. O primeiro a saltar à vista é o castelo que, do alto, domina a cidade. Embora já só tenha uma muralha, tem um miradouro que oferece uma vista abrangente de Castelo Branco. A Câmara Municipal oferece um conjunto de itinerários, que permitem conhecer os diferentes monumentos da cidade, de forma temática. A este nível, destaque para o Cruzeiro de S. João, de influência Manuelina, a Torre do Relógio, construída no século XVI, ou a Igreja de S. Miguel Arcanjo, mais conhecida como Sé Catedral, que apresenta características arquitetónicas renascentistas. Além disso, os portados quinhentistas da cidade representam um património importante. A estátua de Amato Lusitano, a Praça Velha e a casa do Arco do Bispo são também bastante conhecidas. Obras mais recentes como a escultura "Cidade" ou a Rotunda da Europa, bem como

especial castelo branco | XVIII

UM CAIS PARA ATRAIR TURISTAS ESPANHÓIS CASTELO BRANCO já recebe um

barco que navega o Tejo, de Espanha até à barragem do Cedilho. Em setembro foi anunciada uma medida que promete alargar o raio de ação da embarcação. "Vamos construir um cais", conta Joaquim Morão, presidente da Câmara, acrescentandoque "vamos trazer o barco para dez quilómetros de Castelo Branco, subindo o rio Ponsul". Espera-se que o cais esteja a funcionar no início de 2012.

o Centro Cívico e o Parque da Cidade, também já se tornaram locais que merecem uma visita. NATUREZA E NATURTEJO. Castelo Bran-

co está incorporado na rede Naturtejo, destacando-se pela riqueza natural da Serra da Gardunha, um local importante para a conservação de espécies como o lagarto-de-água. PRAIA E NOITE. Se o calor estiver a apertar,

aproveite para disfrutar da piscina-praia da cidade, no parque urbano. Com 750 lugares de estacionamento disponíveis e 3.950 metros2 de água, a piscina-praia faz as delícias de miúdos e graúdos. Pela noite, aproveite para conhecer os espaços de diversão noturna de Castelo Branco. A zona das Docas, na Devesa, tem sempre animação garantida.

27 OUTUBRO 2011


A Conhecer

JARDIM DO PAÇO EPISCOPAL.

Um exemplo único do barroco em Portugal, tem um conjunto de estátuas muito especial. SÉ CATEDRAL. A Igreja de S. Miguel foi reedificada no século XVII, em estilo Renascentista. CASTELO. De origem templária,

o castelo tem uma vista privilegiada sobre a cidade. ERMIDA DA Nossa Senhora de

Mércoles. Situada nos arredores da cidade, no seu interior existem belíssimos azulejos e vestígios de frescos. CELEIRO DA ORDEM de Cristo.

Foi construído e utilizado como celeiro público, propriedade da Ordem de Cristo. ZONA HISTÓRICA. Para além dos edifícios medievais, está repleta de portados quinhentistas e um tecido urbano que pouco se alterou. MUSEUS. Museu do Canteiro,

Museu Cargaleiro, Museu Tavares Proença e Núcleo Museológico de Lousa. De que está à espera? FESTAS E ROMARIAS. Durante

todo o ano, as freguesias do Concelho são palco de inúmeras festas e feiras de produtos típicos.


freguesias

especial

EMBORA SEJA um concelho do interior do país, não se pense que Castelo Branco se resume à ruralidade. As duas freguesias mais urbanas, Castelo Branco e Alcains, são polos de grande dinamismo económico, que se pode comprovar pelas dezenas de empresas que se dividem por entre uma e outra localidade. É lá que se concentra a maioria da população e dos serviços. Foram também estas freguesias que registaram aumentos populacionais de acordo com os últimos censos. No entanto, a maioria das povoações são marcadamente rurais. A sul, Malpica do Tejo e Monforte da Beira, por exemplo, são muito extensas e desertificadas em termos populacionais. Apresentam semelhanças ao Alentejo, com predominância de montado de sobreiro e azinho e muitos olivais, daí a existência de feiras ligadas à azeitona. NO CHAMADO "Campo Albicastrense", que engloba Salgueiro do Campo, Juncal do Campo, Cafede, Freixial do Campo, Sobral do Campo, Tinalhas, Póvoa de Rio de Moinhos e Ninho do Açor, a agricultura ainda se consegue impor. Para além disso, aos olivais juntam-se as vinhas. Bom vinho encontra-se também em Cebolais e Retaxo, que até já têm uma marca própria. Juntamente com Benquerenças, são freguesias que, no passado, surgiam muito ligadas à indústria dos lanifícios, cujos equipamentos já não são utilizados. Por outro lado, Escalos de Baixo, Escalos de Cima, Mata e Lousa são o reino da pastorícia e do queijo.

25 f "tem c

O MUNICÍPIO DE CASTELO BR FREGUESIAS DIVERSO, ONDE O

NA LARDOSA surge a pastorícia em destaque,

bem como o feijão-frade. Na verdade, avança Arnaldo Brás, vereador com o pelouro das freguesias, "a Feira do Feijão-Frade contribui muito para a animação económica da zona". A caminho da Serra da Gardunha, São Vicente da Beira, Almaceda e Sobral são áreas onde a floresta e o pinhal já predomina, ao lado das oliveiras. São zonas viradas para o turismo da natureza com percursos pedestres e praias fluviais. A estas freguesias juntam-se Serzedas e Santo André, onde "existe o pinhal mais puro e duro". Representam uma área muito grande, que aposta também no turismo da natureza. ENTRE AS FEIRAS e as festas religiosas. Os

principais produtos da região são o mel, o azeite e o queijo (ver página ao lado). Uma das formas encontradas para rentabilizar estes produtos foi a criação de feiras temáticas. Castelo Branco recebe a Bienal do Azeite e a Sabores de Perdição, Alcains a Feira do Queijo

especial castelo branco | XX

(no fim de semana do Domingo de Ramos), a Lardosa a Feira do Feijão-Frade (setembro), Malpica do Tejo a Feira da Azeitona (outubro), Monforte da Beira a Feira da Bica de Azeite (setembro) e Salgueiro do Campo a Feira do Pão e do Vinho (abril). Para além disso, garante Arnaldo Brás, as festividades religiosas servem também de chamariz para atrair pessoas. "Muita gente que está fora aproveita e vem à terra, ficam uns dias, passam o fim de semana, divertem-se e dinamizam a região", refere o vereador. Destaque para as festas em honra de Nossa Senhora da Saúde, em Almacede, a Senhora da Guia, no Retaxo, a Senhora das Neves, em Malpica. Mas há muito mais a descobrir, até porque são uma boa oportunidade de conhecer a gastronomia da região.

Um azeite gourmet com direito a bienal NOS ÚLTIMOS ANOS a área de olival do Concelho foi aumentando, embora alguns lagares tenham vindo a fechar. "É importante apostar na modernização", refere Arnaldo Brás, revelando que, apesar das dificuldades, "as cooperativas de Monforte e Malpica conseguiram colocar azeite na conceituada loja gourmet do El Corte Inglés". Castelo Branco recebe também a Bienal do Azeite - uma feira nacional da iguaria. Na última, que decorreu em 2009, estiveram presentes 100 expositores e 48 milhões de litros de azeite.

27 OUTUBRO 2011


ALCAINS (ao lado) é uma das freguesias urbanas. (Em baixo) Grande parte das queijarias da região trabalha de forma artesanal.

PRODUTOS ENDÓGENOS

25 freguesias temperadas" com azeite

ASTELO BRANCO APRESENTA UM CONJUNTO DE O, ONDE OS OLIVAIS SÃO A GRANDE CONSTANTE

Queijo para todos os gostos A MAIORIA do queijo da zona é artesanal, tendo Denominação de Origem Protegida. Existe queijo amarelo, de ovelha - de sabor mais acentuado - e o queijo picante branco. Em Alcains pode encontrar também o famoso "Caganitas", já uma referência nacional. Siga o que diz a sabedoria popular: "uma fatia de queijo, uma garrafa de vinho e uma fatia de pão" são o ideal para um lanche perfeito.

Segredos gastronómicos

UM MEL de comer e chorar por mais. O mel típico da região é dos melhores do país e a Câmara Municipal deu um forte apoio à sua produção, com a construção de uma melaria, que tem prevista a produção de mais de mil toneladas de mel. BUCHO DE OSSOS. Um enchi-

do feito a partir das cartilagens do porco, dentro da bexiga do animal. É um enchido característico da região, que apresenta uma oferta variada ao nível do fumeiro, particularmente nas regiões de Malpica e Monforte. MIGAS DE PEIXE. O tradicional sabor das migas, aliado à qualidade do peixe dos cursos de água da região. BORRACHÕES. Um doce em forma de ferradura, com um característico sabor a canela. TIGELADAS. Considerada a mais tradicional sobremesa beirã, vai a cozer ao forno em tachos de barro vidrado. CABRITO. Não pense que a

pastorícia serve apenas para produzir leite para o queijo. O cabrito no forno é um prato apetitoso. O SEGREDO. A região mostra

cada vez mais a sua riqueza em... cogumelos. Não perca a oportunidade de os experimentar num dos restaurantes da região.


head desporto

especial

Tradição no futebol condições e infraes para muito mais

OS ADEPTOS DIVIDEM-SE ENTRE O BENFICA DE CASTELO BRANCO E O D CO. NO ENTANTO, OS NOVOS EQUIPAMENTOS PERMITEM IR PARA ALÉM

JÁ COM com 84 anos de existência, o Sport Benfica e Castelo Branco é o clube mais representativo do Concelho. Milita na III Divisão Nacional, mas o seu principal foco é a formação. Para esse efeito, foi criada, em 2008, a CHUTALBI, escola para jovens dos três aos 12 anos. Os treinos regulares são ministrados, durante o período escolar normal, de setembro a junho, com início às 18H00 durante a semana e, aos sábados, a partir da 09H00. Os alunos são ainda chamados a participar em campeonatos distritais, encontros, convívios e torneios com outros clubes/escolas de futebol. A ESCOLA conta atualmente

com cerca de 150 alunos, para os quais existe uma estrutura técnica de dez elementos e, nos treinos, mais dois professores/ treinadores para cada grupo de 20 elementos. Existem protocolos com instituições escolares da cidade, no âmbito dos quais a escola recebe estagiários da área do desporto e da educação física.

Ao longo dos últimos anos, as obras realizadas permitiram a construção de infraestruturas que convidam à prática de outros desportos em Castelo Branco

NO FINAL de cada período es-

do futebol. A época encerra com o CHUTALBI Foot, um torneio de futebol de sete. Na temporada de 2011/2012 já foi possível ao departamento de formação do Sport Benfica de Castelo Branco, fruto do trabalho realizado pela CHUTALBI nos anos anteriores, avançar com uma equipa de Iniciados.

colar, os melhores alunos de cada grupo são premiados com a oportunidade de passarem um dia de jogo com a equipa sénior e, anualmente, tem lugar um seminário destinado a todos os agentes desportivos (pais, treinadores, dirigentes) que participam na área do treino e ensino

especial castelo branco | XXII

27 OUTUBRO 2011

OUTRO CLUBE emblemático da cidade é o Desportivo de Castelo Branco (DCB). Fundado em 1967, aposta também na formação. Luis Caiola, presidente do clube, realça "o papel que o DCB teve na preparação da época junto da Associação de Futebol de Castelo Branco (AFCB), onde foram apresentadas várias propostas de adaptação para os quadros competitivos dos escalões de formação". Para além disso, sublinha que "iniciámos a época desportiva com valores muito próximos dos 200 atletas, até porque não estamos a contabilizar os atletas que no final dos respetivos campeonatos começaram a treinar em diversos escalões no DCB, e no trabalho


Equipamentos desportivos PISCINAS

Piscina Praia e Piscina Coberta Aquecida Piscina de Alcains (ao ar livre e aquecida) Piscina de Almaceda Piscina das Sarzedas Piscina de Salgueiro do Campo PARQUE URBANO

Ciclovias Lagoa Percursos pedonais Campos de Futebol Complexo de Piscinas (piscina praia e piscina coberta aquecida)

bol, com aestruturas

ESTÁDIOS RELVADOS

Estádio Municipal Vale do Romeiro: campo de futebol de 11 Estádio da Associação R. C. Valongo: campo de futebol de 11 Estádio da Escola Superior Agrária: campo de futebol de 11 ESTÁDIOS RELVADOS SINTÉTICOS

Campo N.º 1 do Parque Urbano: campo de futebol de 11 Campo N.º 2 do Parque Urbano: campo de futebol de 11

NCO E O DESPORTIVO DE CASTELO BRANRA ALÉM DO FUTEBOL

CAMPO N.º 3

que está a ser feito junto das escolas". OS RESULTADOS estão à vista. O facto de terem sido "campeões distritais de Iniciados e de Infantis 'A' e, terem vencido a Taça da AFCB, em Iniciados, terem ficado em 2.º lugar no campeonato de Juvenis a um ponto do C.A. Fundão, tendo sido terceiro com os mesmos pontos que o CAF em Infantis 'B'" é digno de nota, garante Caiola. "Se juntarmos a participação nos Encontros e em Torneios representados pelos nossos Benjamins 'A' e 'B', Traquinas e Petizes, temos um 'quadro de honra' que muito nos orgulha", conta. No entanto, "o maior resultado é a alegria com

que todos os atletas terminaram a época, essa sim é a nossa maior satisfação", conclui. MAS HÁ vida para além do futebol. Ao longo dos últimos anos, as obras realizadas permitiram a construção de infraestruturas que convidam à prática de outros desportos. Por exemplo, para além dos campos de futebol, o Parque Urbano da cidade está preparado com ciclovias, uma lagoa e percursos pedestres, bem como um complexo de piscinas, uma delas aquecida. Para além disso está em construção um skate parque e a política da Câmara levou à construção de vários polidesportivos por todo o Concelho.

Campos de Ténis do Albi Sport Clube (6 Sintéticos) Campo de Ténis da Quinta Dr. Beirão (1 Sintético) Campo de Ténis do Albi Sport Clube (3 de terra batida) PISTA DE ATLETISMO

Estádio da Associação R. C. Valongo (400m / tartan) Estádio da Escola Superior Agrária (400m / tartan) Campo N.º 3 do Parque Urbano (400m / terra) DESPORTOS MOTORIZADOS

Eurocircuito de Autocross - Reta do Lanço Grande Pista de Ralicross - Reta do Lanço Grande Pista de Kartcross - Cruz do Montalvão


COORDENAÇÃO SOARES REBELO

TEXTOS MARCO ROQUE JOSÉ MANUEL ALVES FOTOGRAFIA PEDRO RAMOS PRODUÇÃO TIAGO CARVALHO

FREGUESIAS EM PORTA ORIGINAL PINTADA POR CARGALEIRO

FICHA TÉCNICA


ciência & tecnologia

L À CONQUISTA O SÉCULO XXI

Portal sobre doença de Alzheimer nasce na UA

ERNACIONAIS NA ÁREA DAS BIOENERGIAS, VAI CONVERTER

O PORTAL para Familiares e Cuitendo em conta a elevada carga combustível que existe no país, porque "30 por cento do território é composto por matos incultos, principais causadores dos incêndios de grandes dimensões". Além de garantias de eficácia há, também, "um impacto social e económico e de valorização do território significativo", assume João Nunes. O investigador salvaguarda que o bioREFINA-TER "não compete com nenhuma outra atividade industrial associada à transformação de madeira". REPLICAR MODELO NO PAÍS. Numa fa-

se posterior, com o projeto testado, João Nunes entende que é possível "replicar o modelo em todo o território nacional", afigurando-se um impacto de "elevadas proporções". Alargado à escala nacional, pelos estudos feitos, o bioREFINA-TER pode alcançar autonomia energética ao nível dos transportes, de 32 por cento, o que se traduz anualmente na diminuição de "1 bilião e 500 milhões de euros" (valor que representa as importações de petróleo para o setor dos transportes). Um "peso pesado" na balança de transações correntes, que diminui de forma muito expressiva a dependência da importação de crude. João Nunes não termina sem antes lembrar que apesar do projeto ser para transportes terrestres, estão já na mira os aviões, que também precisam de combustível e "até 2020, segundo diretivas europeias, serão obrigados a incorporar uma parte de biocombustível".

à lupa NOME

dadores de Doentes de Alzheimer (http://cuidadores-alzheimer.web. ua.pt) é o projeto vencedor da segunda edição do prémio Angelini University Award 2010/2011. Projeto inovador em Portugal, concebido e realizado por cinco alunos da Universidade de Aveiro do Mestrado em Biomedicina Molecular na Secção Autónoma de Ciências da Saúde, teve em atenção as dificuldades com que se deparam os cuidadores das pessoas afetadas.

João Nunes DATA DE NASCIMENTO

09 de agosto de 1982

FCTUC comemora centenário

NATURALIDADE

A EXPOSIÇÃO multidisciplinar

Oliveira do Hospital RESIDÊNCIA

Coimbra MÚSICA

Adele, Clássica e The Cranberries UM FILME

"300"

"Da Cartografia do Poder aos Itinerários do Saber", inaugurada ontem e comemorativa do centenário da FCTUC, vai estar patente até 31 de dezembro no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra. Hoje será exibido o filme "Arca do Éden", às 21H30, com apresentação do realizador, Marcelo Felix.

UM LIVRO

"A Arte da Guerra", de Sun Tzu UM VÍCIO

Jogar futebol HÓBIS

Numismática e filatelia, xadrez, futebol

Cientistas fotografam jovem planeta UMA EQUIPA de astrónomos da Universidade do Havai captou a primeira fotografia direta de um planeta durante a sua formação. Denominado LkCA 15 b, o planeta está rodeado de pó e gás perto da sua estrela. Os investigadores defendem que se trata do planeta mais jovem encontrado até agora.

35


opinião

ao microscópio

Coimbra e o Brasil CARLOS FIOLHAIS

QUEM pense que o mundo inteiro está em crise faria bem, se pudesse, em ir dar uma volta ao Brasil. Aí encontrará crescimento económico, com muita gente a passar da classe média a rica e, ainda mais, a sair da pobreza. Concluirá que a crise está, de facto, acantonada na Europa, incluindo este cantinho à beira mar plantado. POR isso, nesta altura em que as universidades de cá têm de apertar o cinto, é justo reconhecer a visão do ex-Reitor da Universidade de Coimbra, Fernando Seabra Santos, que alargou o intercâmbio académico com o Brasil. Atualmente, estão a estudar em Coimbra muitas centenas de

É JUSTO RECONHECER A VISÃO DO EX-REITOR SEABRA SANTOS, QUE ALARGOU O INTERCÂMBIO COM O BRASIL

estudantes brasileiros. E, para ajudar neste processo de internacionalização da mais antiga Universidade Portuguesa, ele próprio está agora no Brasil, como professor visitante da Universidade de Brasília. SÃO, porém, remotas as ligações de Coimbra com o Brasil. No tempo em que apenas existia uma Universidade, precisamente a de Coimbra, em todo o vasto império português, os mais talentosos estudantes das terras de Vera Cruz demandavam a Lusa Atenas. No final do século XVIII, a época da Reforma Pombalina da Universidade, o Reitor-Reformador, D. Francisco de Lemos, tinha nascido no Rio de Janeiro, um notável professor de Química, Vicente Seabra, tinha nascido em Minas Gerais, e o que é talvez o mais famoso cientista luso-brasileiro, José Bonifácio de Andrada e Silva, que ensinou metalurgia em Coimbra antes de se

tornar um dos grandes responsáveis pela independência brasileira, tinha nascido em Santos, São Paulo. QUEM entrar no Museu da Ciência de Coimbra encontra na parede uma frase de José Bonifácio, mandada colocar pelo Reitor Seabra Santos. A ciência brasileira começou, como se vê, unida à ciência portuguesa. E, se remontássemos mais atrás, encontraríamos o estudante de Coimbra Bartolomeu de Gusmão, o célebre inventor da Passarola, que nasceu em Santos, tal como José Bonifácio. PARA promover os estudos de história da ciência, reúne-se em Coimbra de 26 a 29 de outubro o Congresso Luso Brasileiro de História da Ciência. Mais de 200 congressistas, cerca de metade vindos do outro lado do Atlântico, apresentam cerca de outras tantas comunicações, que, no seu conjunto, oferecem um amplo panorama do que foi a ciência em Portugal e no Brasil. Um dos locais privilegiados do encontro será, como não podia deixar de ser, o Museu da Ciência, no Laboratório Chimico, de cujo largo Vicente Seabra lançou um balão e em cujos fornos José Bonifácio realizou as suas experiências metalúrgicas. A ligação entre Portugal e o Brasil sairá, decerto, reforçada. Mais jovens brasileiros procurarão Coimbra, transformando a velha Universidade numa escola cada vez mais nova e cosmopolita, como devem ser as grandes universidades do mundo. A crise diminuirá. POR ocasião do Congresso, abrirá na Biblioteca Joanina a exposição "Amato Lusitano e a Renascença Médica", que assinala os 500 anos do nascimento do médico de origem judaica que, nascido em Castelo Branco, percorreu a Europa. Ele viveu numa época em que o estudo de novas espécies vindas do Brasil e da Índia ajudou ao renascimento da medicina no Velho Continente. Vale a pena ver a mostra!

| Carlos Fiolhais é professor universitário e assina regularmente este espaço de opinião |

36

27 OUTUBRO 2011


C229


sociedade

festa das latas

GOSTA DE SONORIDADES DISTINTAS? ENTÃO VAI GOSTAR DA FESTA DAS LATAS DESTE ANO. É QUE AS SETE NOITES DA PRAÇA DA CANÇÃO OFERECEM AOS VISITANTES MUITO ROCK, HIP HOP, SOUL, POP, R&B, SKA, REGGAE, RAP, MÚSICA PIMBA E ELETRÓNICA

Música diversificada vai a BRUNO VICENTE

QUANDO SE FALA em Festa das Latas de Coimbra 2011 o primeiro nome do cartaz musical que nos vem à cabeça é o dos britânicos Kaiser Chiefs, as grandes estrelas deste ano e um grupo internacional de

inquestionável valor. Mas a verdade é que os noctívagos - que vão ocupar a Praça da Canção durante uma semana inteira - têm um leque alargado de opções sonoras, uma vez que o cartaz reúne bandas para todos os gostos. A festa começa hoje, com o Sa-

C239

PUB

rau Académico, a tradicional "noite da casa", que reúne tunas e grupos da Universidade de Coimbra e da Associação Académica de Coimbra. Como os estudantes conhecem a maioria dos colegas que vão pisar o palco, esta noite acaba por ser uma boa oportunidade para ganhar "ritmo competitivo" e avançar-se com uma familiarização ao recinto, que todos os anos apresenta novidades. As coisas começam a aquecer na sexta-feira, com os portugueses Expensive Soul e Souls of Fire a subirem ao palco. Significa, pois, que esta é uma noite ideal para os amantes do hip hop, soul, rap, reggae, R&B e ska. A noite mais esperada chega no sábado, com o tão característico rock dos britânicos Kaiser Chiefs. Os estudantes de Coimbra – e centenas de visitantes que vão chegar à cidade especificamente para este concerto – vão saltar ao ritmo de músicas como "Everyday I Love You Less and Less", "Ruby", "I Predict a Riot" ou "Oh My God". Os temas do novo álbum, "The Future is Medieval", também vão estar, naturalmente, em destaque. Antes dos Kaiser Chiefs há We Trust para ouvir com atenção, uma banda

portuguesa que está em franca ascensão. No domingo, Os A z eiton a s , com pop/rock para dar e vender, vão ser os reis do palco. A inda não conhece as músicas "Quem És Tu Miúda?", "Anda Comigo Ver os Aviões" e "Café Hollywood"? Não perca a oportunidade de as conhecer. A noite de segunda-feira traz-nos Gabriel O Pensador, um dos maiores nomes do rap brasileiro. Pode contar com letras recheadas de sentido de humor e com muita crítica social. Destaque ainda para o primeiro concerto da noite, protagonizado pelos Tiguana Bibles. É quase pecado não conhecer o rock desta banda de Coimbra. As duas últimas noites da Festa das Latas e Imposição de Insígnias trazem-nos dois nomes sobejamente conhecidos pelos estudantes: Quim Barreiros (terça-feira) e José Cid (quarta-feira). Os FAX fazem o "aquecimento" para o rei da música pimba, enquanto que Zé Perdigão promete muita animação antes da "mãe do rock português" subir ao palco.

JO

S


Quim Barreiros volta a participar na festa académica de Coimbra

programa 27 de outubro, quinta-feira Sarau Académico

i animar a Latada KA

28 de outubro, sexta-feira Expensive Soul; Souls of Fire; DJ Mayna; Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra; Phartuna

IS

ER

CH

IE

FS

29 de outubro, sábado Kaiser Chiefs; We Trust; DJ Mister S; Estudantina Universitária de Coimbra; Imperial TAFFUC

UL

E SO

IV ENS

EXP

30 de outubro, domingo Os Azeitonas; Break Hit Up; Funk You 2; Mondeguinas; Coral Quecofónico do Cifrão 31 de outubro, segunda-feira Gabriel O Pensador; Tiguana Bibles; Dj Kura; Fan-Farra Académica de Coimbra; Tuna Feminina de Medicina da Universidade de Coimbra

JO

S

CI

O D

A

ZE

GABRIEL

DOR

O PENSA

ILUSTRAÇÃO ANDRÉ NAVEGA

S

NA

O IT

1 de novembro, terça-feira Quim Barreiros; FAX; DJ Pedro Simões; Orquestra Típica e Rancho; Orxestra Pitagórica 2 de novembro, quarta-feira José Cid & Big Band; Zé Perdigão; DJ Surprise Party; Grupo de Cordas; As Fans

QUERES GANHAR CONVITES PARA A LATADA E PARA O AAC vs SC BRAGA? VIRA A PÁGINA!


festa das latas

sociedade

Autarquia vê festa como marca cultural da cidade A VICE-PRESIDENTE da Câmara Municipal de Coimbra defendeu, em declarações à , que a Festa das Latas e Imposição de Insígnias resulta de uma "intensa aliança e trabalho de cooperação entre a Universidade e a cidade", que tem sido aprofundado e melhorado nos últimos anos. A autarca elogiou a importância estratégica que a Academia tem na vida de Coimbra. "A Latada é sobretudo uma festa académica, mas que, todavia, se projeta na cidade e em todo o país. É apenas um dos muitos bons exemplos da Universidade de Coimbra", referiu. Para Maria José Azevedo Santos, a Festa das Latas e Imposição de Insígnias é mesmo "uma marca cultural da cidade", que deve ser preservada e valorizada. "Tenho a certeza que este evento vai encher mais

uma vez Coimbra de vida, de grande alegria", acrescentou. EVITAR OS EXCESSOS. A responsável da Câmara Municipal de Coimbra quer que os estudantes "se divirtam imenso e, ao mesmo tempo, mostrem aos outros colegas do país que o convívio em Coimbra é realmente diferente". Contudo, a vice-presidente recordou que é vital que se "evitem os excessos", associados maioritariamente ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas. "A presença dos nossos estudantes é uma marca que a cidade já não dispensa, mas é preciso alguma responsabilidade. São séculos e séculos de presença que orgulham a cidade e que a têm projetado a nível nacional e internacional", concluiu Maria José Azevedo Santos.

João Luís Jesus "Latada tem um significado importante" O DUX veteranorum da Univer-

sidade de Coimbra afirma que a Festa das Latas "tem um significado muito importante". "Significa a introdução dos caloiros à Academia e à cidade e, em simultâneo, os alunos que cá estão há mais tempo passam pela cerimónia de imposição de insígnias, símbolo do término de uma etapa dos estudos", explicou.

João Pereira "Vai ser uma festa inesquecível" O VICE-PRESIDENTE da Direção

Geral da Associação Académica de Coimbra garante que quem se deslocar ao recinto da Praça da Canção não vai sair de lá desiludido. "Tentámos organizar uma Festa das Latas inesquecível, que fique para sempre na memória daqueles que pela primeira vez estão em Coimbra", defendeu.

PUB

•PRAÇA DA REPÚBLICA, N.º 38 •ESTÁDIO CIDADE DE COIMBRA

C189

C228

Uma selecção de petiscos com ingredientes de primeira qualidade para degustar a qualquer hora!

a revista c tem convites para

LATADA 2011

convites gerais Temos para oferecer CONVITES GERAIS para a Festa das Latas 2011 Envia um email para marketing@cnoticias.net e faz a tua pré-reserva obrigatória! (Aguarda pela confirmação) Depois, basta entregar 10 EXEMPLARES DA REVISTA C de hoje, quinta-feira, dia 27 de Outubro, na sede da revista para receberes um convite geral. CUIDADO! O stock é limitado!

C240

AAC vs SC Braga INSTALAÇÕES DE RÁDIO, TELEVISÃO E ELECTRICIDADE, LDA MATERIAL ELÉTRICO, EMPREITADAS ELECTRICIDADE E ÁGUAS 40

R. DR. MANUEL RODRIGUES, 33 - AP. 258 | 3001-903 COIMBRA TELS 239 827 632 - 239 825 479 | FAX: 239 834 011 | Email: irtel@irtel.pt

convites pontuais Temos para oferecer CONVITES PONTUAIS para o jogo de futebol AAC vs SC BRAGA Basta entregar 2 EXEMPLARES DA REVISTA C de hoje, quinta-feira, dia 27 de Outubro, na sede da revista para receberes um convite geral. CUIDADO! O stock é limitado!


"MELHORÁMOS A LATADA" "REDUÇÃO ACENTUADA NO ORÇAMENTO" DESTE ANO NÃO VAI ESTRAGAR A FESTA, QUE VAI APRESENTAR ATÉ "MAIS QUALIDADE", GARANTE EDUARDO MELO, PRESIDENTE DA DIREÇÃO GERAL DA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DE COIMBRA

As noites no recinto da Praça da Canção também vão conseguir ser diferentes? Este ano tivemos o cuidado de não fazer um cartaz de bandas tão comercial como tem sido habitual nos últimos anos. Por isso penso que, também no recinto, esta Festa das Latas vai ser diferente das anteriores. Apostámos sobretudo num cartaz diversificado, que pudesse satisfazer muita gente e a verdade é que a recetividade tem sido muito boa. Acho que vamos conseguir atrair ao recinto muitos estudantes de Coimbra e pessoas de outras cidades. Os britânicos Kaiser Chiefs são o grande nome do cartaz deste ano. Que outros destaques é que podem ser feitos? Desde logo Gabriel o Pensador, que é um nome interessante, com bastante peso na história mais recente da música brasileira. Destaco também a última noite, com Zé Perdigão, que tem muita qualidade musical, e José Cid, que ainda consegue ser uma referência da música portugue-

sa. E fizemos ainda uma aposta diferente ao nível de bandas do nosso país. Para além dos conhecidos Expensive Soul, vamos ter os Tiguana Bibles e os We Trust, que já têm muito talento, apesar de estarem a dar os primeiros passos. Que novidades é que o recinto deste ano vai conseguir apresentar? Para além de uma zona aventura, as grandes inovações vão estar nas tendas. A tenda do palco principal vai ter uma entrada cortada, mais aberta, permitindo que as pessoas que estejam do lado de fora consigam ver os concertos com maior facilidade. A Tenda dos Núcleos também vai surpreender: foi originalmente criada para guardar aviões, é uma espécie de hangar. O DJ estará no centro, como no ano passado, mas como a tenda é maior haverá menos dificuldade de circulação. Também vamos ter um espetáculo visual muito engraçado, que vai ser uma das imagens de marca desta Latada. Este ano houve uma redução no orçamento para a Festa das Latas. Até que ponto é que esse facto se fez sentir na programação da festa?

É lógico que quanto mais dinheiro se tem, melhor se pode fazer. Houve uma redução acentuada no orçamento, porque os tempos não estão fáceis, mas creio que as pessoas não vão sentir isso na festa. Tínhamos o claro objetivo de manter - ou até mesmo de melhorar - a qualidade da Latada e penso que, em muitos aspetos, conseguimos mesmo fazê-lo. Que importância estratégica é que esta festa pode ter na relação da Academia com a cidade? Esta é uma festa de integração dos novos alunos da Universidade de Coimbra. Como grande parte deles são deslocados, não são de Coimbra, acabam por ter aqui uma oportunidade de ouro para conhecer a cidade, para se envolverem com ela. Por outro lado, este é um evento com grande projeção, que exige o contacto entre a Associação Académica de Coimbra e um sem número de entidades, contribuindo para o estreitar de relações entre a Academia e a cidade. Aí penso que a Latada tem, realmente, uma importância estratégica para os estudantes.

É p o s s í ve l p e n s a r n u m a Festa das Latas completamente "desnudada" de uma vertente política? É difícil. A verdade é que a Latada acaba também por ter uma grande importância política. É um evento que, a nível dos estudantes da Universidade de Coimbra, costuma ter um caráter bastante politizado. Pela projeção que a Festa das Latas tem é também uma boa oportunidade, se calhar até melhor que em outras ocasiões, para a própria cidade entender as causas estudantis e abraçar estas causas connosco, ajudando-nos a chegar a um bom porto. | BV

A projeção que a festa tem é uma boa oportunidade para a própria cidade entender as causas estudantis e abraçar estas causas connosco PR

A Festa das Latas tem este ano potencial para ser realmente diferente ou será apenas mais uma animada festa dos estudantes? Fizemos um investimento muito grande para prepararmos um conjunto de atividades culturais e despor tivas, bem como no âmbito da política educativa e das saídas profissionais, que enriqueceram esta festa. Logo aí, à partida, houve um aumento da qualidade do que se oferece aos estudantes na Latada.

41


entrevista

sociedade

O que pretende com este trabalho? A indústria dos lanifícios é de grandes tradições na nossa região, não só porque é uma região onde abunda a água, mas também porque cá existem rebanhos em grande número, dos quais através da tosquia se obtém a lã para a produção destes produtos. Além de querer dar a conhecer estes aspetos acima referidos, pretendo, ao mesmo tempo, tentar saber as razões, os motivos, que estiveram na base do declínio destas empresas, que chegaram a empregar mais de 20 mil pessoas nos concelhos de Manteigas, Gouveia e Seia e que hoje é um setor que não ocupa sequer mil pessoas nestes três concelhos. Que orientações seguiu na escolha dos entrevistados? Para obter uma diversidade de respostas, decidi seguir uma linha de recolha de depoimentos que passassem por ex-operários, ex e atuais empresários deste setor, sindicalistas e políticos. Dessa forma, foi possível cruzar informações dos variados pontos de vista que permitam ao espetador, no final do filme, ficar com uma noção mais exata do que aconteceu.

LUÍS SILVA levou dois anos a realizar documentário

SERRA DA ESTRELA

O porquê do fim dos lanifícios EM "LANIFÍCIOS.DOC", LUÍS SILVA RETRATA A DECADÊNCIA DO SETOR. A ESTREIA DO DOCUMENTÁRIO ESTÁ MARCADA PARA DIA 19 DE NOVEMBRO, EM SEIA. 42

Quanto tempo demorou a fazer e quais os passos? Ao fim de quase dois anos de filmagens e recolha de depoimentos e testemunhos de pessoas que sempre trabalharam neste ramo na nossa região da Serra da Estrela terminou no passado mês de julho a edição e pós-produção do filme "Lanifícios.doc". Após um trabalho inicial de investigação, que passou pela leitura de livros publicados sobre esta matéria, consulta de fotografias e jornais da época e recolha de depoimentos, passámos para o terreno. Quais as expectativas? Relativamente aos festivais onde vou inscrever o filme, espero que seja selecionado na maior parte deles, pois é essa a intenção de um realizador quando faz um filme: poder mostrá-lo ao maior número de pessoas e públicos diferentes. Mas, ao mesmo tempo, poder divulgar a nossa região da Serra da Estrela e as nossas gentes. Próximos projetos? Para já, quero divulgar o máximo possível este documentário, pois, à imagem do meu último, realizado em 2009, "Os Últimos Moinhos", estes projetos têm os seus custos e, quando estes são suportados por mim próprio, torna-se difícil por muitas ideias que tenha de fazer mais, com mais regularidade mas, com certeza, irão aparecer mais. | VG

27 OUTUBRO 2011


C22

assinaturas@cnoticias.net


sociedade

território

CENSOS 2011 VASCO GARCIA

OS DADOS são ainda preliminares, mas permitem retirar, desde já, algumas conclusões. Os Censos 2011 revelam uma acentuada tendência de despovoamento do interior na última década. A análise feita pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), publicada no boletim trimestral referente ao segundo trimestre de 2011 constata que nove das 12 NUT III da região sofreram perdas populacionais, mas foram as do interior aquelas onde as reduções de população foram mais significativas: a Serra da Estrela perdeu 12,4 por cento da sua população nos últimos 10 anos, a Beira Interior Norte tem hoje menos 9,5 por cento do que tinha em 2001 e o Pinhal Interior Sul regista uma diminuição de 9,1 por cento na sua população. As três regiões que aumentaram a população localizam-se, naturalmente, no litoral. O destaque vai para o Oeste que, com um crescimento de 6,6 por cento passou a concentrar 15,5 por cento da população da região e tornou-se a segunda NUT III mais populosa (posicionando-se depois do Baixo Vouga), tendo ultrapassado o Baixo Mondego. ANALISANDO o padrão concelhio da variação populacional, verifica-se que 69 dos 100 municípios do Centro perderam população na última década. Mais uma vez, os decréscimos mais acentuados ocorreram nos concelhos do interior e, designadamente, em todos os muni-

O Oeste concentra agora 15,5 por cento da população do Centro. Ultrapassou o Baixo Mondego e tornou-se a segunda região mais populosa, atrás do Baixo Vouga cípios da fronteira, agravando-se o fenómeno de despovoamento nestes territórios. Idanha-a-Nova registou o pior desempenho, tendo perdido praticamente 18 por cento da sua população. Meda, Figueiró dos Vinhos, Vila Nova de Paiva, Sabugal, Manteigas e Penamacor tiveram diminuições superiores a 15 por cento. Apesar de menos acentuadas, também ocorreram perdas populacionais em vários municípios do litoral, como Mira (-4 por cento) ou Pombal (-2 por cento), bem como em importantes centros urbanos e capitais de distrito, como Coimbra

44

O interior está cada vez mais despovoado

OS CENSOS 2011 REVELAM DINÂMICAS QUE ACENTUAM A TENDÊNCIA DE DESPOVOAMENTO DO INTERIOR. A REGIÃO PERDEU QUASE UM POR CENTO DA POPULAÇÃO NA ÚLTIMA DÉCADA

Região perde peso no país A região Centro tem hoje mais população residente do que tinha há 30 anos. No entanto, tem vindo a perder peso no contexto nacional 2011 2001 1991 1981

Portugal

Região Centro

Peso da região no país

10.555.853 10.356.117 9.867.147 9.833.014

2.327.026 2.348.397 2.258.768 2.301.514

22,0 % 22,7 % 22,9 % 23,4 %

* População residente à data dos Censos

(-3,6 por cento) e Guarda, que tinha registado um crescimento populacional de cerca de 14 por cento entre 1991 e 2001 e, nesta década, perdeu 3,1 por cento dos seus residentes. O crescimento limita-se sobretudo a alguns municípios do litoral, a capitais de distrito do interior, como Viseu e Castelo Branco, e a concelhos localizados na área de influência de Lisboa. Os municípios mais populosos da região são Coimbra, Leiria, Viseu, Torres Vedras e Aveiro, concentrando cerca de 23 por cento da população regional.

ALARGANDO a análise a toda a região, constata-se que a população residente no Centro em 21 de março de 2011 era de 2.327.026 indivíduos, o que representa uma diminuição de 0,9 por cento na última década e inflete a trajetória de crescimento que se vinha delineando na década de 1990. Uma vez que o saldo natural foi negativo, existindo um considerável desequilíbrio entre os nascimentos e as mortes (-2,6 por cento), foi a componente migratória positiva (1,7 por cento) que atenuou o decréscimo populacional. Além

27 OUTUBRO 27 OUTUBRO 2011 2011

PUB


MUNICÍPIOS do interior registam maior quebra populacional, mas Coimbra também perdeu residentes

do Centro, apenas o Alentejo perdeu população nos últimos 10 anos. A região e o país continuam a ter mais mulheres que homens. Em ambos os casos, 52 por cento da população da população é do sexo feminino, não tendo a estrutura por sexos sofrido alterações na última década.

C69

PUB

OS CENSOS 2011 revelam ainda que a região Centro tem mais famílias do que tinha em 2001. No entanto, essas famílias são cada vez mais pequenas. São 914.716 as famílias residentes na região, o que se traduz num aumento de 7,8 por cento (ainda assim abaixo do crescimento nacional, que foi de 11,6 por cento). Este aumento das famílias, conjugado com a diminuição da população, permite concluir que as famílias são menos populosas. Assim, de 2,8 indivíduos em 2001, passou-se para 2,5 em 2011. Por outro lado, e apesar de haver menos população, os Censos revelam que o parque habitacional da região Centro conheceu um crescimento considerável nos últimos 10 anos. Os edifícios aumentaram 12,2 por cento, atingindo 1.113.420, e os alojamentos 15,6, cifrando-se em 1.450.268. O número médio de alojamentos por edifício também aumentou, significando que a construção se faz cada vez mais em altura. Estes dados revelam que o ritmo de crescimento dos alojamentos foi superior ao das famílias, o que permite concluir que os alojamentos secundários ou de uso sazonal e os alojamentos vagos (disponíveis para arrendamento e venda ou para demolição) terão aumentado na última década.

TAXA DE DESEMPREGO MAIS BAIXA DESDE 2009 DE ACORDO com informação do

Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), no segundo trimestre de 2011, existiam na região Centro 95,5 milhares de desempregados. Este valor traduz um decréscimo dos desempregados inscritos nos centros de emprego, os quais evidenciaram a maior redução homóloga dos últimos três anos. Em consequência, também a taxa de desemprego registado apresentou uma diminuição para 6,1 por cento, o valor mais baixo desde o terceiro trimestre de 2009. A diminuição da taxa de desemprego registado, face ao segundo trimestre de 2010, foi igualmente visível em 88 dos 100 municípios da região. As taxas de desemprego registado mais elevadas da região continuaram a ser observadas na Cova da Beira e na Serra da Estrela.


futebol

desporto

Romuald Peiser PEDRO RAMOS

O GUARDA-REDES PEISER DIZ QUE A ACADÉMICA NÃO É FAVORITA MAS TEM UMA PALAVRA A DIZER NO JOGO CONTRA O SP. BRAGA

Contra o Sp. Braga, as redes vão ficar invioláveis? Sim, claro. Esse é sempre o objetivo da equipa. Se não sofrermos golos estamos sempre mais perto de ganhar o jogo. O Sp. Braga será um adversário difícil… Sim. O Sp. Braga faz quase parte dos três grandes. Aliás, acho que agora até devíamos falar dos quatro grandes. Há dois ou três anos que o Sp. Braga faz parte desse lote. É um clube que tem uma ambição muito grande, até na Europa. Vai ser um jogo muito complicado, porque o Sp. Braga tem um plantel muito equilibrado e muito forte. Na época passada conseguimos fazer um 0-0, lá em Braga, e este ano esperamos ganhar. A equipa tem sofrido alguns golos de bola parada. Como evitar isso? Acho que não somos a única equipa com esse problema. No futebol moderno, 30 por cento dos golos são de bola parada. Só podemos trabalhar e estar concentrados. Mas, de qualquer maneira, todas as equipas vão sofrer golos de bola parada, até o Real Madrid ou o Barcelona... O mais importante é não cometer erros de marcação e não facilitar a vida ao adversário. A Académica perdeu com dois dos grandes – Benfica e FC Porto. Com o Sp. Braga, será diferente? É complicado. Nós não somos os favoritos,

46

mas temos uma palavra a dizer, porque jogamos em casa e queremos ganhar. Em plena Latada, espera-se um estádio bem composto. O apoio dos adeptos será importante? Claro. Para nós, é uma grande diferença jogar fora ou em casa. Nos últimos tempos, os adeptos têm-nos apoiado muito. Desde que cheguei ao clube, só posso dizer bem dos sócios e dos adeptos. Acha que a Académica pode vir a ser um Sp. Braga? O clube trabalha para isso. A Académica faz parte das poucas equipas que não desceram de divisão nos últimos 10 anos, o que é muito importante para a estabilidade, construiu uma

à lupa NOME

Romuald Désiré Peiser DATA DE NASCIMENTO

3 de agosto de 1979 TERRA NATAL

Phalsbourg (França) POSIÇÃO

Guarda-redes

academia… acho que o clube está a crescer, mas faz falta uma grande época, para entrar muito dinheiro e chegarmos à parte de cima da tabela. A Académica é muito diferente da Naval? Sim. É uma cidade muito diferente e a pressão é maior do que na Naval. O clube tem um historial que não se pode comparar. Na Naval tinha vários companheiros franceses, aqui não. Isso dificultou a adaptação? Não. Já falava português quando vim para a Académica e há vários jogadores que falam francês: o Adrien, o Sissoko, o Abdoulaye, o Habib… o Berger e o Cedric falam alemão e eu também falo, então a língua nunca é um problema. No futuro, gostaria de regressar a França ou de ficar por Portugal? Para já, tenho mais dois anos e meio de contrato e, no futebol, é difícil de pensar muito mais longe do que isso. Mas talvez vá terminar a carreira na Suíça. Gostaria de deixar alguma mensagem aos adeptos? Espero que o jogo com o Sp. Braga seja uma festa no estádio e nós gostamos sempre quando o estádio está cheio. Tentamos dar um bom espetáculo e gostamos de ser apoiados. Por isso, venham ao estádio. | VG

27 OUTUBRO 2011


C81

CONCESSIONĂ RIO PEUGEOT / Grupo MCoutinho

Coimbra - Rua Manuel Madeira - Pedrulha - Tel.: 239 433 500 www.mcoutinhocentro.pt

47


obra feita

S. SILVESTRE freguesia do concelho de Coimbra com 12,26 km2 de área

S. SILVESTRE, Palácio de S. Marcos, Igreja Matriz e a paisagem do Vale do Mondego são alguns dos "postais" da freguesia de S. Silvestre

O AUTARCA continua a defender a ligação de S. Silvestre a Taveiro JOSÉ CORTESÃO

Junta exemplar em rapidez e economia

A

criatividade dos autarcas, afirma José Cortesão, fica comprometida com as limitações no capítulo do financiamento, pelo que "só é possível fazer alguma coisa". As grandes obras, acrescenta o presidente da Junta de Freguesia de S. Silvestre, não passam de miragens e a atual situação só poderia alterar-se se os planos de atividades das câmaras e os protocolos fossem dissociados. Até hoje, segundo José Cortesão, o apoio atribuído às freguesias na cedência de máquinas ou de outro tipo de viaturas, por exemplo, não está bem definido, já que quando solicitam a utilização deste tipo de equi-

48

pamentos "as freguesias estão a desenvolver uma ação que cabe à câmara e que deveria ocorrer sem a intervenção da junta de freguesia". Ora, explica,"até isso é imputado à junta de freguesia não através de apoio direto, mas surgindo no valor do investimento total realizado".

252,2 Habitantes por km2

Valor da densidade populacional na freguesia de S. Silvestre

No caso dos protocolos, José Cortesão considera que foram criados para "resolver as pequenas coisas a que a câmara não chega e que a junta de freguesia faz com maior rapidez e por menos dinheiro". Com o evoluir da situação económica, as câmaras "começaram a cortar no plano de atividades e reduziram a intervenção", o que obrigou as juntas de freguesia, através dos protocolos, "a assumirem as obras maiores e que vão além daquilo que é exigível às juntas". Cortesão recusa "dar um passo maior do que a

3.092

1.021 Famílias

Valor da população residente (homens e mulheres) segundo o Censos 2001

Número de famílias clássicas a viver na freguesia segundo o Censos 2001

População residente

clássicas

27 OUTUBRO 2011

perna" e é rigoroso na gestão dos dinheiros. "A recuperação da capela do cemitério absorve praticamente todo o dinheiro dos protocolos, pelo que não é possível pensar em concretizar ou apoiar um conjunto de outras obras", disse. Apesar da junta de freguesia não ter ação direta no projeto, a travessia do Mondego "não sai da cabeça" de José Cortesão que a considera "decisiva para o desenvolvimento da margem direita do Rio Mondego". A ligação à zona industrial de Taveiro e aos pólos agrícolas do Vale do Mondego afigura-se como fundamental para o crescimento quer de S. Silvestre, quer das localidades que seriam servidas pela nova travessia do Mondego. "Não é muito cara e tem uma relação custo/benefício muito favorável", conclui. |MN


sucesso

Comida de qualidade e muita "fiesta" são ingredientes do êxito EM EMAMBIENTE AMBIENTEDESCONTRAÍDO DESCONTRAÍDOEEAO AOSOM SOMDOS DOSMARIACHIS, MARIACHIS,AAÚNICA ÚNICACASA CASADE DE COIMBRA ONDE A COZINHA MEXICANA É RAINHA É UM EXEMPLO A SEGUIR COIMBRA ONDE A COZINHA MEXICANA É RAINHA É UM EXEMPLO A SEGUIR

N

a cidade de Coimbra há um espaço que vem no topo da lista de escolhas sempre que o motivo seja comemorar. Aniversários, despedidas de solteiros ou jantares em grupo, o "Azucar - Restaurante Mexicano", é "o local indicado". Quem o garante são os proprietários do estabelecimento, Rui Costa e João Gouveia, que dizem que a diversão e a "fiesta", além de imagem de marca da casa são também "ingredientes do êxito". Foi Rui Costa que trouxe o conceito para Coimbra, sendo ainda hoje o "Azucar" a única oferta de cozinha mexicana disponível na cidade. Foi ele quem fundou, em 1997, o "Azucar e Chocolate", primeiro mexicano que nasceu junto à Fucoli. Após fechar, para passar para um espaço maior, juntou-se à equipa João Gouveia, da área da produção de eventos, que acabaria por aceitar o convite de Rui Costa para entrar na aventura. Em 2009 abria portas o novo "Azucar", na Rua de Angola, onde hoje permanece.

MUITO TRABALHO. A dupla não mais parou. Ao herdar um espaço onde esteve um restaurante com comida de origem castelhana, tudo fizeram para aproveitar os clientes e

captar outros. Tarefa que não viria a revelar-se difícil, dado que o restaurante é um êxito. Rui Costa aponta o "espírito descontraído, pautado pela informalidade e diversão onde reina a 'fiesta', sempre com um serviço cuidado", como algumas razões para o "Azucar" ser o local escolhido para celebrar.

"Azucar - Restaurante Mexicano" proporciona um ambiente informal, com comida da máxima qualidade e muita "fiesta" COZINHA CUIDADA. Outro dos segredos do

"Azucar" está na comida, que de acordo com Rui Costa é de base mexicana, mas adaptada ao gosto português, "sempre orientada nutricionalmente e recorrendo a tudo o que for mais caseiro", com personalização em alguns pratos e sem excessos de picante. "Evitamos os fritos. Não temos batatas fritas nem ovos estrelados", sublinha João Gouveia, que garante que quem experimenta a primeira vez "repete". Não só pela forma

PEDRO RAMOS

AZUCAR - RESTAURANTE MEXICANO

como os clientes são recebidos, mas também pela comida confecionada. TRATAMENTO PERSONALIZADO. São os dois sócios, Rui e João, que fazem questão de vir à mesa atender os clientes. A partir daí a animação é garantida. Logo a começar pelo ambiente, cheio do colorido dos chapéus e das mantas mexicanas e sempre ao som de música Mariachi, obrigatória. Para fazer a refeição são recomendadas as fajitas no forno e os chilis (com carne e quatro feijões ou com pimentos, sendo este último mais picante), pratos que devem ser convenientemente regados com tequila, Margarita ou Mojito, bebidas diferentes e que tornam a refeição ainda mais apetitosa. Rui e João dizem que a degustação termina sempre com uma bebida surpresa, "oferta da casa". João Gouveia lembra que o "Azucar" é um dos 40 associados na rubrica "Sabores do Mundo" da "Smart Box" e explica que o sucesso da casa tem acontecido também porque outros restaurantes, que por vezes preparam noites temáticas, "convidam-nos para realizar essas noites nos seus espaços". Recomenda-se a visita. |MV

49


dinheiro

topo de gama

Audi Q5 com tração dianteira

Suzuki Swift Van já está ao serviço

O MOTOR 1.3 DDiS é um dos ar-

gumentos deste Swift pronto para trabalhar. O volume total de carga é de 641 litros e o piso da caixa é forrado a alcatifa. Conta com tampa integral ao nível da chapeleira e equipamento completo.

Mégane com série especial Bose O COUPÉ Renault possui equipa-

mento de requinte e o motor 1.5dCi FAP Champion CO2 , com 110cv. O GPS TomTom Carminat, jantes específicas, estofos em couro, volante desportivo, sistema de som Bose e ar condicionado bi-zone são algumas das novidades.

Sistema Ford aumenta segurança

A OPEL lançou o Zafira em

1999 pelo que reclama naturalmente o pioneirismo no segmento dos monovolumes compactos de sete lugares. A terceira geração do Zafira já é conhecida e a marca alemã acrescenta mais virtudes ao conceito Flex7 de modularidade do habitáculo; ou seja, aumenta a funcionalidade. COM UMA distância entre ei-

O SISTEMA da Ford permite que

os veículos comuniquem e partilhem informação entre si e com as infraestruturas da estrada, em tempo real, alertando para os riscos aos outros utentes da via. Melhora o fluxo do trânsito, agrega serviços e aumenta a segurança.

50

xos de 2.760 mm (mais 57 mm que antecessor), o novo Zafira oferece mais espaço no interior e 710 litros de espaço na bagageira, na configuração simples de cinco lugares (mais 65 litros que geração que substitui), apresentando funcionalidade melhorada graças à evolução do conceito Flex7 de sete bancos no interior. A terceira fila mantém o rebatimento até ao nível do piso do

compartimento de carga e a segunda fila foi completamente redesenhada, deixando de ser constituída por um banco único – existem três bancos individuais, que também podem ser rebatidos e deslocados longitudinalmente sobre calhas (21 cm). A Opel estreia o conceito Lounge Seating, que permite o rebatimento solidário do assento e do encosto do banco central de segunda fila, de modo a garantir ótimo conforto apenas duas pessoas. AS COSTAS do banco central recolhem com um simples toque de um botão convertendo-se em confortáveis apoios de braços. Os bancos laterais recuam, depois, ligeiramente de modo a serem a serem deslocados diagonalmente para o centro e mais longe das portas.

27 OUTUBRO 2011

EM MATÉRIA de equipamentos, o Za f ira Tou rer é u m compêndio de tecnologia, destacando-se o programador adaptativo da velocidade, com um sistema anticolisão que monitoriza a distância para o veículo que segue à frente. É capaz de travar a marcha na possibilidade de acidente. O alerta de saída de faixa e de ângulo morto ou o sistema de reconhecimento de sinais de trânsito são outros dos dispositivos presentes no Zafira e que o modelo herda do topo de gama Insignia. Aliás, as transferências de equipamento não se ficam por aqui, já que o Zafira Tourer partilha, ainda, o esquema de suspensão dianteiro. No caso do trem traseiro, o caso muda de figura, já que os engenheiros da Opel optaram pelo eixo de torção com ligação Watt, importado do Astra.


Volvo DRIVe towards zero torna marca sueca referência na redução de CO2

MÁRIO NICOLAU Chefe de redação

Receios confirmados A ANULAÇÃO do Salão

Opel Zafira Tourer TERCEIRA GERAÇÃO REFORÇA FUNCIONALIDADE EM PORTUGAL , o Zafira Tourer contará com gama de motorizações diversificada: unidades a gasolina 1.4 Turbo, nas variantes de 120 e 140 cv, e o diesel 2.0 CDTi em três patamares de potência: 110, 130 e 165 cv. A versão Zafira Tourer ecoFLEX, com motor 2.0 CDTI de 130 cv, integra tecnologias que aumentam a eficiência. Além do sistema Start/Stop, o monovolume compacto da Opel está equipado com sistema de gestão do motor optimizado, novo turbocompressor de geometria variável, defletor de ar activo

quinta a fundo

na grelha do radiador e pneus de baixa resistência ao rolamento. O CONSUMO de 4,5 l/100 km e emissões de apenas 119 g/km de CO2, tornam o Zafira Tourer 2.0 CDTI ecoFLEX referencial na classe, sem compromisso para as performances. O motor de dois litros de cilindrada e injecção common-rail desenvolve 130 cv de potência e binário máximo de 320 Nm. Segundo a marca, alguns meses após o lançamento, o modelo contará motores de elevada performance.

HYUNDAY I40 JÁ TEM PREÇOS A carrinha do i40 já está disponível no mercado português, a partir de 23.990 euros. Uma proposta em conta no segmento.

ficha Motor 2.0 CDTI Potência 130 cv Binário 320 Nm Emissões CO2 119 g/km. CONCESSIONÁRIO Auto-Industrial (Coimbra) Av. Fernão de Magalhães, 333 3000-176 Coimbra Telefone 239 003 050

CITROËN DS5 NO INÍCIO DE 2012 É uma nova etapa da linha DS e promete prazer de condução assumido num automóvel de exceção.

Automóvel de Lisboa foi um sinal. Os alarmes já dispararam: o Governo perde na receita fiscal com a venda de automóveis e o setor já lançou avisos "à navegação", em matéria de manutenção de postos de trabalho, devido à diminuição na compra de veículos.Nos primeiros oito meses do ano, a compra de automóveis regista uma quebra de cerca de 600 milhões de euros. Segundo dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP), o mercado ligeiro de passageiros caiu 22,5 por cento até agosto, em comparação com o mesmo período de 2010. Na prática, venderam-se menos 33.171 carros novos. Se tivermos em conta este número, é fácil perceber que o Estado deixou de arrecadar 138 milhões... Muitos dos empresários do setor receia que venha a ser ainda pior devido ao conteúdo do memorando da troika em matéria de impostos especiais sobre o consumo. As principais marcas em Portugal estão à espera de uma "dura" retração do consumo das famílias devido à crise e ao anunciado corte no subsídio de Natal. Ou seja, este ano, "o avô das barbas brancas" viaja com o saco vazio. Milagres só no presépio...

51


TA ENTREVIS

SOCIAL

"DEVO A UMA GRANDE PARTE DO PÚBLICO TER CHEGADO ONDE CHEGUEI"

Paul e Ca

O que representa o "Só Nós 3"? O "Só Nós 3" foi feito pela primeira vez há 22 anos. Nós juntámo-nos para fazer um conjunto das nossas canções e um espetáculo que tenho a certeza que foi dos espetáculos musicais mais importantes em Portugal. Primeiro, porque foi muito bom ao nível da qualidade musical, mas principalmente porque estamos a falar de três pessoas que têm uma importância enorme na música ligeira portuguesa. O "Só Nós 3" resulta das diferenças que existem entre nós, mas que são possíveis de juntar. Nós completamo-nos. Depois do êxito do "Só Nós 3", tem em mente mais algum projeto? O "Só Nós 3" vai durar até dia 31 de dezembro deste ano. Há uma série de coisas para fazer, sobretudo o festejar dos meus 50 anos de carreira, que, de certo modo, já está a ser comemorado com um DVD e um disco que saiu intitulado "Vivo". Vou continuar a fazer espetáculos com orquestra e vou atuar nos coliseus de Lisboa e Porto. Como se sente ao fazer 50 anos de carreirra? Não é conversa de velho, mas nem tinha dado por isso. Os meus interesses ultrapassam o tempo de carreira. São voltados para o futuro e para a música que quero fazer. Neste momento, tenho dois discos preparados para sair um dia destes, não sei as datas exatas. Hoje está tudo diferente. O mercado é diferente e as editoras discográficas também são outras. Como caracteriza a sua carreira depois de todos estes anos? Foi uma carreira muito feliz. Foi passando pelo tempo sem que eu desse conta. Teve os seus altos e baixos, logicamente. Hoje, não pretendo ter fama. Pretendo ter o respeito das pessoas. Devo a uma grande parte do público ter chegado onde cheguei, mas também ao que fiz. Ao meu trabalho. |SD 52

"O 'SÓ NÓS 3' RESULTA DAS DIFERENÇAS QUE EXISTEM ENTRE NÓS, MAS QUE SÃO POSSÍVEIS DE JUNTAR"

O espetáculo "Só Nós 3" realizou-se no casino da Figueira da Foz no passado dia 21 de outubro. Muitas caras conhecidas ouviram três grandes vozes e assistiram a um espetáculo que marcou uma geração. Paulo de Carva-

lho, Carlos Mendes e Fernando Tordo cantaram os clássicos do seu tempo e muito mais. O "Só Nós 3" surgiu em 1998 sob a direção de Pedro Osório e termina este ano no dia 31 de dezembro. 27 OUTUBRO 2011


C76

FOTOS : SĂ?LVIA DIOGO

Paulo de Carvalho, Fernando Tordo e Carlos Mendes juntos de novo


social

MARCELO NUNO NA PALESTRA DO ROTARY CLUB COIMBRA Os membros do Rotary Club de Coimbra reuniram-se no Hotel D.Inês para a palestra "Profissão: Político", integrada no mês da homenagem ao profissional. O convidado de honra foi o presidente da Comissão Política Distrital de Coimbra do PSD, Marcelo Nuno, que falou da sua experiência enquanto político e das circunstâncias atuais do país. "Temos a conceção que existem dois tipos de político. Uns que veem na política uma forma de contruibuir para a construção de uma sociedade melhor e outros que veem na política uma oportunidade de poder", afirmou. "Se nós tivermos maus dirigentes políticos, vamos ter maus dirigentes na nossa nação e, assim, teremos maus resultados da governação. O esforço que temos de fazer é o da requalificação dos partidos", adiantou.

Marcelo Nuno, Carlos Costa de Almeida e José Moriz

PUB

MARCELO NUNO José Ribeiro Ferreira e Amorim da Costa

Cândido Carvalho e Marcelo Nuno

FOTOS: SÍLVIA DIOGO

C193

"NÓS TEMOS DE VOLTAR A ESTIMULAR UMA PARTICIPAÇÃO CÍVICA E CONSCIENTE"

Eduardo Martins , José Moriz, Carlos Peixoto e Sílvia Stoffel

Bernardino Silva e Brásio Gomes


O NB Club Coimbra esteve cheio no sábado passado, dia 22 de outubro. Os jovens saíram numa noite de outono para se divertirem na festa "Blackout Party". O NB Club Coimbra continua a proporcionar noites mágicas e com grandes emoções. A animação durou a noite toda e a boa disposição esteve sempre presente.

MAIS UM FIM-DE-SEMANA DE BELEZA E OUSADIA

C193

PUB

FOTOS PEDRO RAMOS

NB CLUB COIMBRA ESTEVE AO RUBRO


social

CAFÉ MAIS OFERECE O MELHOR CAFÉ E O MELHOR BOLO DE CHOCOLATE DO MUNDO

O

Café Mais foi inaugurado no passado dia 21 de outubro no CoimbraShopping. Segundo Luís Pais, proprietário do espaço, o objetivo é oferecer cafés de várias origens. "Temos cafés da Colômbia, do Brasil e da Índia. Neste momento temos seis tipos de cafés diferentes mas vamos trazendo sempre mais. Oferecemos os melhores ca fés que se podem toma r. A qualidade está acima de tudo". A qualidade não está apenas no café. Está também nos vários tipo de chá e no bolo de chocolate que é considerado o "melhor bolo de chocolate do mundo". "Temos mais de cinquenta chás diferentes em folhas. Temos chá preto, verde, aromatizado e de frutos vermelhos. O bolo de chocolate só tem chocolate e suspiro. É difícil de copiar porque é difícil de fazer", acrescentou.

Joana Pais, Carlos Braz Lopes e Luís Pais

FESTIVAL GASTRONÓMICO SABORES DE OUTONO APRESENTADO NA LOUSÃ

O

restaurante "Casa Velha", na Lousã, foi o local escolhido para a apresentação do Festival Gastronómico Sabores de Outono, que começa amanhã e termina a 13 de novembro. Entre os dias 11 e 13 de novembro realizar-se-á em simultâneo a 23.ª Feira do Mel e da Castanha 2011, no Parque Municipal de Exposições, na Lousã. Fernando Carvalho, presidente da Câmara Municipal da Lousã, salientou a participação da maioria das freguesias numa inciativa que aposta, mais uma vez, na genuinidade e na qualidade. Os dois eventos, sublinha, o autarca cativam todo os anos milhares de pessoas, pelo que são, sem dúvida, uma aposta ganha.

56

José Redondo, Ana Paula Sançana, Fernando Carvalho ( em cima ) Luís Antunes, Ricardo Emanuel e Ana Araújo ( em baixo ).

27 OUTUBRO 2011

C220

PUB


ANTENA 3 DANCE COMEMOROU ANIVERSÁRIO NO THEATRIX Ainda com o aroma do perfume "It’s me" by Jacomo a pairar no ar, fazendo recordar a noite de dia 15 de outubro, o Theatrix abriu as portas para mais uma semana de sons vibrantes. Na sexta-feira passada, a Antena 3 Dance comemorou o seu primeiro aniversário e a Party Zone foi no Theatrix. A festa foi transmitida em direto para todo o país.

Miguel Domingues e Maya

FOTOS: THEATRIX

CHARME E ELEGÂNCIA MARCARAM MAIS UMA NOITE

Huguinho Simões e Andreia Moreira

Vânia Silva, DJ The Fox, Miguel e Patrícia

C126

C220

PUB


social

Storytailors

Miguel Vieira

“Shape / Flesh / Bone / Heart / Layers Under my Skin.” As peças desta coleção revelam parte do ADN Storytailors no seu corte e construção. Em organza de seda, cetim ou renda de algodão, estes estilistas conseguem sempre transportar-nos para um conto de fadas, onde a personagem principal é uma bela e confiante mulher.

Peças estruturadas e cortes de alfaiataria para o homem. Para mulher, silhueta de ampulheta e peças alternadas entre o longo e o curto para um look elegante. A mulher, intensa e delicada, celebra a liberdade, a sensualidade e a sua própria beleza natural. Luxuosa e confiante, assim se assumem as propostas de Miguel Vieira para o Verão de 2012 .

Carlos Gil Preto, branco, laranja ou azul, vestidos de seda, curtos e longos, fluídos com cortes assimétricos. Tops elaborados e calças pantalonas que ondulam ao caminhar, mostrando sublimemente o lado feminino. Se as estampas tinham cheiro a mar... nos seus corpos brilhavam também a estrelas-do-mar. Mulheres femininas, sofisticadas e atraentes. Apenas mulheres na sua verdadeira essência.

! p u t r a St PORTUGAL FASHION

H

á que provocar o sobressalto, despertar a mudança, fugir ao previsível. Há que questionar o passado (sem o rasurar), agitar o presente (sem o condicionar) e acelerar o futuro (sem o comprometer). O Portugal Fashion é este START UP, este pro-

58

TEXTOS: DANIEL CASTELEIRA FOTOGRAFIAS: M. CRESPO

cesso de reinvenção, com um percurso de 15 anos, sempre com a vontade de libertar a auto-renovação, desde sempre impulsionando aquele que é um dos mais importantes eventos da moda da Península Ibérica. Um desfile de excelência, para milhares de visitantes,

com uma firme intenção: dar a conhecer o talento dos estilistas portugueses. A esteve no Portugal Fashion para acompanhar o que de mais fervilhante acontece no domínio da criatividade. É altura de começar de novo, de começar com mais força, de começar melhor.

27 OUTUBRO 2011


Felipe Oliveira Baptista “Sky Dive” Peças de vestuário evolutivas, que se revelam e libertam, de silhueta em silhueta, a fluidez impõem-se, ao mesmo tempo que a linha se define e adquire cor. Os vestidos pára-quedas revelam subtilmente a inspiração original num macacão. Os volumes animam-se ao contacto com os corpos. Uma feminilidade calmamente assumida, imbuída de uma energia sexual indissimulada.

TM Collection by Teresa Martins

Diogo Miranda

“Sempre me expressei melhor por imagens do que por palavras. Nos últimos anos, a transmutação dos têxteis em roupa tem sido a minha linguagem para comunicar emoções e pensamentos. A minha coleção fala-nos da Luz de uma manhã de primavera, da doçura da brisa de verão, da intemporalidade do que é, já foi e será... Assim, Teresa Martins.”

Colecção inspirada no mundo do fotógrafo Helmut Newton, que ficou mundialmente conhecido por retratar mulheres em poses provocantes e por vezes pornográficas. As suas imagens representam o erotismo e a sensualidade do corpo humano feminino. Continuação da colecção anterior, Erótica, mas agora num estado de loucura.

Luís Onofre “Simbiose” As cores interligam-se, criando uma elegante harmonia entre todas as criações. Tons neutros e carregados, como o caqui, vermelho ou laranja, assumem protagonismo na paleta do criador. As carteiras voltam a ser mais pequenas e assumidamente retro. Poderosa e sempre confortável! 59


social

I ENCONTRO INTERNACIONAL DE ARBITRAGEM

JANTAR NA QUINTA DAS LÁGRIMAS O jantar dos Encontros de Arbitragem na Quinta das Lágrimas Relais & Chateaux realizou-se no passado dia 21 de outubro, a par de uma conferência de Rui Moura Ramos, presidente do Tribunal Constitucional. O I Encontro Internacional de Arbitragem de Coimbra foi organizado por José Miguel Júdice e António Pinto Leite que decidiram promover a arbitragem. O evento decorreu na Faculdade Direito da Universidade de Coimbra nos dias 20 e 21 de outubro. O encontro contou com a participação de oradores nacionais e estrangeiros com conhecimentos comprovados na área da arbitragem.

Tito Fontes, Agostinho Miranda e Miguel Júdice, António Pinto Leite e Margarida Pinto Leite (em cima) João Paulo Barbosa de Melo e Cristina Castelo Branco, Gonçalo Gama Lobo e Manuel Rebanda (ao centro) Elvira e José Carlos Magalhães, Dário Moura Vicente e Manuel Porto, Miguel Galvão Telles e João Calvão da Silva (em baixo). 60

27 OUTUBRO 2011


restaurante

ANTIGO DONA XEPA

Paladar da Alma LOCALIZAÇÃO: Distrito: Coimbra Morada: Rua António Pinho Brojo Lote 56- A - 3030-784 Coimbra Contatos: 918 819 403

INFORMAÇÕES: DIA DE ENCERRAMENTO: Domingo todo o dia e segunda-feira ao almoço Estacionamento: Sim Pagamento: Multibanco, cartões crédito Reserva: aconselhável Preço médio: 14 euros Área fumadores: Sim

INSTALADO na Quinta da Romeira, em Coimbra, a dois passos da circular externa e junto à residência do Montepio Geral, o novo Paladar da Alma, ex-Dona Xepa, conjugou os sabores da cozinha brasileira com a cozinha tradicional portuguesa. Qualidade e principalmente a diferença no tempero são dois dos argumentos do novo restaurante, que além do ambiente tranquilo que proporciona aos clientes é, também, exemplar no requinte. O Paladar da Alma é o local ideal para um almoço ou jantar de negócios, ou ainda para o convívio entre amigos ou de famílias. A esplanada coberta proporciona todo o conforto aos fumadores. Os gerentes Hugo Maurício e Teresa Ribeiro preparam uma ementa de acordo com os objetivos do novo restaurante, a começar pela cozinha tradicional portuguesa: filetes de polvo com migas, povo salteado com gambas, bacalhau à Paladar com presunto ou o surpreendente arroz de tamboril com gambas. Neste capítulo, existe ainda uma saborosa dourada escalada grelhada. Já nas carnes a festa à mesa faz-se com as plumas de porco preto grelhadas, o cabrito

grelhado, o churrasco à Paladar (naco de vitela grelhado) ou o arroz de vinha de alhos. No caso de optar pelos sabores do Brasil saiba que tem muito por onde escolher: moquecas de peixe e camarão, bobó de camarão, camarão "à Xepa", camarão no abacaxi e duas caras. Nas carnes, recomenda-se o rabo de boi, o

INSTALADO NA QUINTA DA ROMEIRA, O PALADAR DA ALMA, ANTIGO DONA XEPA, LEVA À MESA O MELHOR DA COZINHA TRADICIONAL PORTUGUESA E DA COZINHA BRASILEIRA

escondidinho de carne seca, a costela gaucheira, a picanha e a feijoada. Por esta altura, já muito boa gente estará com água na boca. Mas a solução não está em Roma... O Paladar da Alma está à sua espera na Quinta da Romeira e a viagem vale bem a pena...

61


viver

vida nova POR CARLOS GAGO ILÍDIO DESIGN, EMBAIXADOR L'OREAL

PRODUÇÃO GLOBAL: CABELEIREIRO ILIDIO DESIGN BY CARLOS GAGO MANEQUIM: PARIS FASHION MODELS | FOTOGRAFIA: PEDRO RAMOS | MAQUILHAGEM: KÁTIA ROUPAS E ADEREÇOS: B&A RICARDO COLAÇO - HELENA COLAÇO

a nt e s

"A nova coleção faz-me sentir muito poderosa!" RITA VALELOBO

S, 16 ANOS

HAIRSTYLIST Belinha

Ela é Yin, ela é Yang! O templo da fusão mística, as raízes do mundo! A colecção coloração Outono/Inverno 2011-2012 já está à sua disposição. Esta colecção celebra a BELEZA ORIGINAL da mulher. A herança de uma beleza pura e selvagem, de uma força vital que se revela em todos os momentos do seu esplendor.

COLORAÇÃO INOA coleção outono-inverno Guerreia Lendária STYLE Playball

Se deseja mudar o seu visual, envie um e-mail, com o seu nome, idade e foto para vidanova@cnoticias.net

Na semana passada revelámos o look Guardiã da Luz.

oi s

p de

INOA

COLORAÇÕES 3 NOVAS MUITO MÍSTICAS GUARDIÃ DA LUZ: cabelo liso e curto, tons castanho escuro com reflexos vermelhos e violeta MESTRE DO TEMPO: Base Média, caracóis, tons castanhos, reflexos quentes GUERREIRA LENDÁRIA: Base clara, liso e longo, tons louros e reflexos dourados e acobreados 62


figura

Pedro Costa

H

abituado a "vender" um texto e uma representação, Pedro Costa, tem agora um novo desafio, o de fazer do Theatrix um local diferente e preparado para todos os públicos. Já alcançou tudo o que pretendia no capítulo profisssional? É claro que não. Eu não consigo estar muito tempo no mesmo sítio. Há uma certa inquietação de ter sempre novos desafios. Portanto, da mesma forma que em agosto estive envolvido na produção de um grande evento do Manta Beach, no Algarve, passado um mês, já estava a abrir o Theatrix. Depois de ter trazido os 39 Degraus, está a preparar um novo espetáculo? Sim. Estou a preparar uma nova peça, intitulada "Toda a gente sabe que toda a gente sabe". É uma peça escrita por Miguel Falabella e tem no elenco Teresa Guilherme, Lurdes Norberto, Rodrigo Saraiva e a Sofia de Portugal. São cinco atores que fazem uma comédia magnífica. Vamos estrear já na última semana de novembro. Está agendado vir a Coimbra na primeira semana de janeiro. Considera a vida privada um bem essencial? Completamente. Neste momento estou a viver mais de metade da semana em Coimbra e a minha família está a viver em Lisboa. Falo com eles duas ou três vezes por dia. Falo pelo Skype todos os dias com os meus filhos antes deles se irem deitar. Quando estou com eles temos tempo de qualidade. O que gosta de fazer quando tem tempo livre? Passatempos? Eu confesso que o único passatempo que tenho é ver séries de televisão. É algo que eu adoro fazer. Não há dia nenhum em que não veja pelo menos dois ou três episódios. Gosto muito de consumir esta nova onda de séries americanas. São muitíssimo bem feitas e inspiro-me muito nelas. Como está a correr esta experiência no Theatrix? Esta é uma experiência que requer algum tempo. A casa em si tem uma história que é mais ou menos incontornável. Eu não sou propriamente um experiente do negócio da animação nocturna. A minha área sempre foi mais ligada à comunicação, ao entretenimento. Vejo o Theatrix como um projeto de entretenimento.

"Não consigo estar muito tempo no mesmo sítio. Há uma certa inquietação de ter sempre novos desafios!"

O LADO "B" Pedro Costa é o homem da comunicação e da produção. Está habituado a realizar espetáculos onde as preocupações se concentram na luz, no som, e no cenário. O seu novo desafio obriga-o a ter as mesmas preocupações de forma a que o público tenha noites de qualidade no Theatrix.

FOTOGRAFIA: M. CRESPO AGRADECIMENTOS: INEDITOUCH | THEATRIX PEDRO COSTA MAQUILHADO POR MAKEITUP PENTEADO POR SALÃO BELISSIMU’S

63


POR BRUNO VICENTE bruno.vicente@cnoticias.net

CULTURA

agenda da semana qui.27 Exibição do filme "Le Dernier des Fous", de Laurent Achard - Fnac Coimbra - 18H00

sex.28 Xícara ao vivo - Cine-teatro Estarreja - 23H00

sáb.29 Apresentação de "Quem Chama Pela Fada do Galo Preto?", livro de Helena Osório - Fnac Coimbra - 21H00

dom.30 "A Viagem do Director", um filme de Eran Riklis - Teatro Miguel Franco/ Leiria - 15H30

seg.31 Filarmónica de Abrunheira apresenta o espetáculo "Uma Noite na Ópera" - CAE/Figueira da Foz - 21H30

ter.1 Inauguração da exposição "Presépio – A Arte de um Povo" - Museu do Canteiro/ Alcains - 09H30

qua.2 Exibição do filme "Poupoupidou", do realizador Gérald Hustache-Mathieu - TAGV/Coimbra - 21H00

64

A jovem artista Mariana Roque recorre à técnica do desenho a pastel para criar novas camadas de significado, "brincando" com a comunicação

Imagens de revistas e jornais manipuladas para criar arte SALA ARTE À PARTE/COIMBRA | ATÉ 19 DE NOVEMBRO | ENTRADA GRATUITA JORNAIS, REVISTAS E PASTEL são os materiais utilizados por Mariana Roque para criar uma mostra de artes plásticas peculiar, que pode ser visitada na Sala Arte à Parte, localizada na Rua Fernandes Tomás, em Coimbra. A exposição "I Could Do That" é formada por duas dezenas de trabalhos. Em todos, a artista manipula imagens que encontrou em revistas e jornais, recorrendo à técnica do desenho a pastel. Desta forma, consegue criar novas camadas de significado, muitas vezes carregadas de humor. A mostra inclui fotografias de moda, onde mulheres aparecem vestidas com peles, sendo depois destacados (desenhados) os respetivos animais no corpo feminino; asiáticos sorridentes cuja rua onde estão fica subitamente recheada de cor; notícias dramáticas de jornais em que as fotografias são enfatizadas com uma explosão de novos tons e imagens; ou mulheres encantadoras que, pela mão de Mariana Roque, vêem a natureza que as rodeia ser ampliada, com o acrescento de novas flores e frutos. A artista até podia ter o objetivo de criticar os órgãos de comunicação social, mas na verdade não é isso que acontece. Tudo começou quando Mariana Roque encontrou em casa um monte de revistas e decidiu começar a manipular as imagens, mas "por brincadeira". O passatempo, "para queimar as horas mortas", tornou-se numa atividade diária. Para conhecer melhor o trabalho da jovem, pode dar uma espreitadela em http://vaicomasoutras.tumblr.com ou visitar a Sala Arte à Parte até 19 de novembro. Mariana Roque, que alia a paixão pela música ao fascínio pela arte, vive na "cidade dos estudantes" e passa longas horas na Rádio Universidade de Coimbra. A pintura, a arquitetura, a fotografia e o design gráfico são cruciais na sua vida.


nota da

semana

"Dentro das Palavras" Teatro Municipal da Guarda. 28 de outubro. 21H30. 5€ Peça de Rui Catalão que é um retrato psicológico na primeira pessoa (quem sou), enquanto denuncia algo fictício (o que represento).

Julietta CRISTINA DE OLIVEIRA Diretora Regional de Educação

Educar para a cidadania digital

"Correr o Fado" Teatro Aveirense. 29 de outubro. 21H30. 8€ a 12€ O Quorum Ballet desmistifica, com este trabalho, a conotação saudosista e melancólica que o Fado carrega consigo. Numa multiplicidade de movimentos, sons, sensações e sentimentos, os bailarinos transmitem-nos com a sua arte, beleza e sensibilidade, tudo o que os nossos sentidos percebem e o nosso coração apreende. A direção artística e a coreografia são da responsabilidade de Daniel Cardoso.

O FORTE investimento de Portugal nos últimos anos em tecnologias de informação e comunicação trouxe consigo, se não novas, redimensionadas preocupações relativamente aos riscos associados. Embora nos situemos entre os países europeus considerados de "elevada utilização, algum risco" e os nossos jovens demonstrem elevadas competências nesta matéria, não é demais promover comportamentos seguros na utilização da internet. As estatísticas obrigam-nos ao alerta: 80% dos jovens portugueses, entre 13 e 16 anos e 40%, entre os 9 e os 12 anos, têm perfil no Facebook. Apesar de sensibilizados para os perigos do uso da internet por diversas campanhas, muitos pais, por ausência de competências digitais, ainda não promovem condutas de segurança nos seus filhos. Na verdade, 70% dos jovens acedem à internet nos seus quartos. Espaços e momentos comuns de acesso à internet constituem não só importantes momentos de convivência familiar, como permitem aos pais acompanhar os filhos na utilização da internet. Em Portugal, os professores assumem a liderança das estatísticas no acompanhamento aos jovens, mas a responsabilidade é de toda uma sociedade que se deseja digitalmente competente e consciente.

Cine-Teatro Avenida/Castelo Branco. 28 de outubro. 21H30. 5€ Diálogo intimista entre a personagem (Julietta) e a atriz que a interpreta. Um trapézio, um piano e um pano vermelho compõem a cena.

"Nothing’s ever yours to keep" Teatro Viriato/Viseu. 28 de outubro. 21H30. 5€ a 10€ Na performance, Sofia Dinger reflete sobre o processo de perda e construção de cada pessoa. Como a despedida de um pai.

Orquestra Filarmonia das Beiras Centro Cultural de Ílhavo. 29 de outubro. 21H30. 5€ O concerto é o culminar do trabalho realizado pelo grupo durante a sua primeira residência artística da história.

João Pedro Pais Teatro José Lúcio da Silva/Leiria. 5 de novembro. 21H30. 15€ O músico vai presentear o público com um formato acústico e mais intimista. "Ninguém (é de ninguém)", "Lembra-te de Mim", "Mentira", "Nada de Nada" são exemplos de temas que integram o alinhamento do espetáculo, que dará destaque natural ao último disco de originais, "A Palma e a Mão".

65


ideias dos outros

Ilusão que cura LUÍS DE MATOS

JÁ A MINHA AVÓ DIZIA… A BOA FÉ NOS SALVE!

TODOS CONHECEMOS a técnica dos comprimidos de farinha que, nas circunstâncias corretas, fazem milagres. Placebo é o nome dado a um fármaco ou procedimento cujos efeitos terapêuticos se devem aos efeitos fisiológicos da convicção do paciente que acredita estar a ser tratado. É um truque absolutamente extraordinário que leva o nosso cérebro a fazer com que algo cujo valor terapêutico é zero nos faça, de facto, sentir melhor. Basicamente, o placebo reduz a ansiedade do paciente, invertendo assim uma série de respostas orgânicas que dificultam a cura espontânea.

OS RESULTADOS do estudo foram surpreendentes, tendo os pesquisadores sido capazes de reduzir para metade a dor sentida por oitenta e cinco por cento dos doentes que testaram. A equipa de investigação da Universidade de Nottingham acredita que esta experiência pode abrir novos caminhos na redução da dor que determinados pacientes sentem ao submeter-se a fisioterapia.

NA PRÁTICA, não há dúvida que nos sentiremos melhor se verdadeiramente acreditarmos que essa é a função específica de um tratamento. O poder associado pelo paciente a determinado placebo pode até chegar a criar dependência do mesmo. O efeito placebo pode ser tão forte e eficaz que há mesmo uma corrente de opinião que defende a sua erradicação do desporto de alta competição.

JÁ TODOS experimentámos a forma como o cérebro processa determinado tipo de informação e como esta se relaciona com a dor que sentimos. Quantas vezes nos cortámos e só sentimos o quanto dói depois de ver o sangue à flor da pele. Num mundo onde o desenvolvimento tecnológico é tão veloz, continua a ser surpreendente verificar como a nossa condição pode ser tão suscetícel a uma simples ilusão.

e sem dor, o seu dedo a ser esticado e encolhido. Algo que, na sua condição, nunca suspeitaria ser sequer possível.

ACADÉMICOS da Universidade de Nottingham descobriram, acidentalmente, que uma determinada ilusão podia reduzir significativamente, ou mesmo erradicar de forma temporária, a dor da artrite na mão. A ilusão consiste no doente ver os seus dedos a serem esticados ou encolhidos sem que sinta qualquer tipo de dor. A MÁQUINA desenvolvida, e utilizada nesta pesquisa, filma a imagem da mão do doente, processa-a no sentido de parecer que algo está a acontecer, por exemplo, a um dedo e reenvia simultaneamente esse sinal de vídeo para aquilo que parece apenas ser um vidro que separa o olhar do paciente da sua respetiva mão. Na verdade, o aparente vidro integra um complexo sistema de espelhos que faz com que a ilusão seja perfeita e o "truque" indetetável. O doente vê, de facto,

| Luís de Matos, mágico, assina semanalmente este espaço de partilha e opinião | Com a ajuda de um leitor de QR Code (a imagem pontilhada impressa nesta página) utilize o seu telemóvel ou webcam para descobrir o caminho apontado por Luís de Matos

66

27 OUTUBRO 2011


C78


C02


C_39_27102011  

RELIGIÃO LANIFÍCIOS.DOC EXPLICA A DECADÊNCIA DO SETOR CRISE NÃO PARA OBRAS Apimenta a relação e, nalguns casos, termina com a infidelidade....

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you