Page 1

Customização de motos Páginas 12 e 13

Conheça os vários estilos de Tattoo Entrevista com o tatuador Michel Dal Pizzol Na foto: Luiz Felipe de Araújo Almeida (Moto Dax).

Página 04

CURITIBA | PARANÁ Distribuição Gratuita nos bairros: • Batel • Bigorrilho • Ecoville • Seminário • Centro • Ano 15 Agosto | 2017

193

Especial Jóias:

Entrevista com joalheiros e designers da área Páginas 08 e 09

Hilda Dias Machado dá dicas sobre o mercado das pedras preciosas Página 07

Receita do Caldo Tucupi Com os Chefs Juliane Mercer e Cristiano Moretini do Restaurante O Amazônico Página 11

Na capa Joalheira e Designer de Jóias: Hilda Dias Machado Fotógrafa: Carolina Pessoa


FOLHA DO BATEL

Página 02

O verdadeiro significado de uma Jóia

Editorial O Universo do Design e a expressão da Arte O fenômeno internamente deflagrado, durante o ato de desenhar, é algo percebido como se os raciocínios e pensamentos por nós desenvolvidos fossem aos poucos traduzidos e decodificados pelas linhas traçadas. De certa maneira, discutimos com nossas idéias no papel. Debatemos, riscamos, traçamos novamente, confrontamos, rasuramos, apagamos, sobrepomos traços, refletimos, configuramos, conhecemos, visualizamos, damos forma física ao nosso pensamento. Enfim, aprendemos e apreendemos através dos nossos traços. Há uma ligação direta - e muito especial entre o pensamento e a mão que executa o desenho, além das evidentes conexões de nossos neurônios com os atos que nosso corpo realiza. Enquanto desenhamos, sentimos que algo mágico, quase divino, está acontecendo lá no fundo da nossa alma. Por meio desses traços, é possível tornar visíveis nossas idéias e criações. O desenho deveria fazer parte da educação geral de todo indivíduo, não só daqueles ligados profissionalmente às diversas modalidades do projeto ou do design. O estudo e a prática do desenho aumentam a capacidade de expressão e comunicação das pessoas e, acima de tudo, desenvolve a capacidade perceptiva. Enquanto riscar com um lápis sobre o papel é, para muitos de nós, o mesmo que dar à nossa imaginação criadora a capacidade de se expressar, transcrever estes riscos para o computador, usando os programas de desenho técnico, de desenho de apresentação ou de ilustração, é o mesmo que torná-los públicos, documentá-los e viabilizá-los tecnicamente no mundo da produção. Tanto o computador quanto o lápis parecem continuar sendo boas ferramentas nas mãos do designer. Representamos na jóia a arte e poesia que renova e motiva suas ligações, traz o que é leve... contemplação. A jóia é o produto que eterniza suas significações, utilizamos metais eternos, que não são descartáveis, e se originam de seu próprio renovo e reciclagem do que já foi extraído de forma correta. Dentro desta idéia, buscamos também dar novo uso ao que foi jogado fora, tanto em produtos

dentro de uma oficina, como pelo que é visto por você. Uma jóia é baseada em inspirações que trazem conceitos interligados, cada peça traz significação que leva a outra, visa formas e estruturas que instigam o olhar, e instiga cada um se dar e receber de forma singular conforme se interpreta a idéia contida no contemporâneo. Buscamos aplicar todo conhecimento que a natureza nos traz, juntamente com metodologias do design, como também formas de gerar sensações e mais amor no social entre as pessoas importando com cada história, cada jeito, e trazendo todo o processo para mais perto de todos . Há motociclistas que não se contentam em ter o veículo apenas como meio de transporte e lazer. É preciso que ele seja também a personificação do seu estilo de vida. E aí buscam na customização uma maneira de traduzir seus sentimentos e desejos num desenho autêntico no seu próprio estilo de ser. A arte milenar das tatuagens vai muito além da estética. Seja para representar um momento marcante da vida, eternizar memórias ou homenagear uma pessoa querida, elas fazem parte da vida de muita gente. Tatuar o próprio corpo tornou-se uma moda enraizada no nosso país. Fruto do culto de uma geração, ou apenas uma questão de gosto, o recurso à arte das tatuagens no corpo é cada vez mais evidente. Nessa edição viajamos na arte do design das jóias , na customização de motos e na arte da tatuagem . Confira Boa Leitura! Celina Ribello

Jóia Rara É porque estabelecem relações com as pessoas ,que as jóias existem. E a relação não se limita ao usuário, pois a jóia tem a finalidade de fazer-se notar, e ao ser notada estabelece um dialogo com terceiros. Uma jóia é muito mais que um enfeite, é a ostentação legitimada. É um detalhe capaz de dizer mais que o conjunto . É um recado. Se é de família,conta da antiguidade e do brilho dessa família. Se foi recém comprada fala de enriquecimento. Se é falsa, revela um desejo e uma impossibilidade. Se é excessiva,entrega o exibicionismo. Quando um homem dá uma jóia de presente a uma mulher , diz que seu amor é superior ao seu apego ao dinheiro . E através da jóia ganha, a mulher anuncia seu poder de sedução. Mas a jóia dada por um homem tem poder de ricochete : Ao brilhar na mulher, faz brilhar o homem que a comprou. Quando uma mulher se dá uma jóia de presente, escancara o seu amor por si mesma. Ao contráriio do que se diz, a jóia é tudo , menos fútil. Comprar uma jóia não é o mesmo que comprar uma roupa,ainda que custe uma fábula. Não é o mesmo que comprar um carro. O carro envelhece e tem de ser trocado. A jóia ao contrario é eterna, o tempo só lhe acrescenta beleza e valor. Uma jóia se transmite, se passa aos descendentes. A jóia é antecipação de festa, um bem, no sentido mais amplo da palavra. Nem se olha para as jóias como se olha para qualquer outra coisa . A jóia é um trabalho de arte realizado com matérias preciosas e se tiver pedras contém um milagre da natureza. Uma jóia com perola não é o mar ,mas o mar está ali ,na gota irisada. O que foi mesmo que Ali Babá encontrou na gruta depois de dizer : Abre-te Sésamo ? Adaptado de Crônica de Marina Colasanti

Expediente Jornalista Profissional: Celina S. P. Ribello - CRTE /PR | Habilitação: 8221 Diretora Executiva: Celina S. P. Ribello Rua Paulo Gorski, 181 CNPJ: 07478063/0001-05 Fone: 3274- 0104 - Fax: 3402-3721 www.jornalfolhadobatel.com.br | contato@jornalfolhadobatel.com.br. | Diagramação: Tatiana Carla de Souza Distribuição: Dirigida e Gratuita | Periodicidade: Mensal As matérias assinadas não expressam, necessariamente, a opinião do jornal.

Agosto | 2017

"Jesus, Tu és a nossa Jóia mais rara, fonte de vida que nunca se acaba..." Desde que esta canção nasceu em meu coração, tenho meditado muito a respeito da grande verdade. Jesus tem que ser a jóia mais rara em nossas vidas. Muito alem de bens materiais , da música, das apresentações, shows, Jesus tem que ser o centro de nossas vidas. Muitas vezes nos vemos em situações em que podemos enxergar que Jesus não está sendo a grande e única jóia rara, vemos que temos colocado outras riquezas em nosso coração (porque "onde está o teu tesouro, lá está teu coração'' Mt 6, 21) e estas riquezas muitas vezes tem nos afastado de Deus e não tem deixado que Ele reine em nossas vidas como único e soberano. Cada dia que canto esta canção ''Jóia Rara'' reafirmo com Deus meu compromisso de fidelidade, de busca e de sinceridade para com Ele. Ele tem sido fiel a mim! E tudo o que faço tem que ser para a sua glória, pois foi para isso que eu fui criado, foi para elevar e anunciar o nome de Jesus, que Deus me tirou de onde eu vivia, em um mundo onde era cego e sem vida ("outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor" Efe 5, 8). Por esta causa tenho que me desgastar, me consumir por Ele, para Ele e proclamar que Jesus é a minha única e verdadeira jóia rara, que é o meu bem mais precioso, minha esperança e meu refúgio. Muitas vezes não acontece assim, não é? Muitas vezes colocar Jesus como única jóia de nossas vidas significa deixar muitas coisas para trás, significa mudança de vida, significa lágrimas e muito suor, mas Jesus mesmo disse: ''no mundo tereis muitas aflições, coragem eu venci o mundo''. (Jo 16 33) e diz a você e a mim agora: "Vai filho, CORAGEM, eu venci o mundo e sei que você também o vencerá. Olha... Eu estou te dando forças, confia em mim, derramo sobre você a força do alto, o Espírito Santo". Você e eu já somos a jóia mais rara do coração de Deus, basta que nós também o tenhamos como nossa única jóia, que Ele seja o nosso maior tesouro. E assim, com certeza, viveremos com toda a inteireza de coração proclamando e anunciando: "Jesus, tu és a jóia mais rara, fonte de vida que não se acaba. Te entrego todo meu ser em gratidão. Permanece em mim com teu amor, Teu amor infinito. Seja em mim a tua salvação". Por Felipe Souza Banda Vida Reluz


Agosto | 2017

COLUNA TIOM KIM

FOLHA DO BATEL

Página 03

O fotógrafo Guto Andrade registra o making of do ensaio "Rocco e Seus Irmãos" com os modelos Adri Grott e Marcello Lombardi. O trabalho foi realizado na Hamm Stramandinoli Arquitetura e Consultoria.

A vice pres. da ACCUR, Mara Cordeiro, a pres. Maria Ines Borges da Silveira e a nova acadêmica Rosangela Rosa Lorenzi que foi empossada em concorrida cerimonia no Circulo de Estudos Bandeirantes. Lente de Matheus de La Palm.

O ator Leonel Pizani e a editora Susan Rocha no escritório Hamm Stramandinoli Arquitetura e Consultoria. Ao fundo uma obra exclusiva do artista visual Eleutherio Netto.Lente de Guto Andrade

Abertura da mostra de obras do artista visual Eleutherio Netto na Hamm Stramandinoli Arquitetura e Consultoria. . Na foto Ricardo Stramandinoli, Eleutherio Netto, Anderson Lago, Tatiana Nasser, Maicon Hamm e Pedro Lupion.

Vitoria Ciruelos, Rita Cooper Mylla e Scheyla Ciruelos no Evento R.COOPER JÓIAS

Pasion Cabeleireiros há 10 anos no mercado sobre a direção das irmãs Eloísa Miczevski, Angelita Torres e de Sidney Dutra. São 25 profissionais ao todo num excelente atendimento ao público

Foto : Mara Amaral Ribeiro

Equipe do Restaurante Gran Victoria comemorando 3 anos


FOLHA DO BATEL

Página 04

Agosto | 2017

Entrevista com o tatuador Michel Dal Pizzol, 32 anos, há dez anos praticando a arte em tatuagem FB - Qual seu estilo preferido, e porquê ? MDP - Realismo Preto e branco. Esse estilo permite versatilidade na hora da aplicação, a composição pode ser bem complexa e os trabalhos geralmente são feitos em tamanhos grandes, além disso é um estilo que permite sempre estar aprendendo e evoluindo, tanto em como criar a composição, como também nas técnicas de aplicação e o resultado é bem interpretado e reconhecido pelo público em geral adeptos da tatuagem. FB - Como iniciou na profissão tatuador? Sua especialidade na arte de desenhos . Conte nos como foi a primeira vez que tatuou: MDP - Sempre gostei de desenhar, desde criança praticava o desenho como uma distração, diversão e buscava sempre me aprimorar. Conheci a Tatuagem com 19 anos, quando levei um desenho meu para o estúdio e fiz minha primeira tatuagem. A partir disso fiquei fascinado pelo processo de aplicação dessa arte, que na época era algo totalmente novo para mim, um ano depois de procurar ajuda profissional para iniciar já estava tatuando amigos e pessoas próximas e não parei mais. Sou muito grato ao meu mestre da Dragon Black tattoo de Foz do Iguaçu, que foi quem sempre me apoiou e me incentivou a acreditar no meu

talento e naquilo que a tattoo poderia me proporcionar. Minhas especializações sempre foram focadas no desenho para tattoo, através de estudos e workshops com profissionais da área. Sou totalmente dedicado a aplicação na pele. A primeira vez que tatuei costumo dizer que não queria que alguém se sentisse tão "cobaia", então fiz a primeira tattoo em mim mesmo, após vários testes em materiais que simulavam a pele. Foi uma experiência interessante, que acabei repetindo outras vezes depois, e o suficiente para partir para peles de outras pessoas com segurança é muito entusiasmo. FB - Qual foi a tatuagem mais complexa que você já fez em uma pessoa? MDP - Costumo dizer que não devemos subestimar nenhum tipo de desenho, na hora de passar para pele, um processo puramente artesanal e que exige muito compromisso e dedicação. Desde uma escrita pequena e simples até um fechamento de costas ou o desenho mais complexo, devemos estar seguros da nossa capacidade e saber respeitar nossos limites. O desafio está presente em todos os trabalhos, quando estamos dispostos a apresentar algo inovador e o melhor para cada desenho. Atualmente sou apto a tatuar em vários estilos, e aplico cada um com uma técnica e

preparação diferentes, sempre procurando aprender mais sempre, sem dúvida fechamentos que exigem 30, 40, 50 horas dedicadas a um único trabalho são as tattoos que mais me desafiam e me atraem, desde o projeto até a última etapa da aplicação esses trabalhos conseguem me manter focado e me desafia o tempo todo. A expectativa de vê-lo pronto, sabendo que podemos estar melhores a cada etapa, é algo que me instiga demais. Destes, ainda poderia citar vários especiais, mas teve um fechamento que envolveu viagens e sessões muito longas, um trabalho do estilo oriental moderno nas costas de um cliente que morava em outro Estado. Uma de nossas sessões durou 10horas, algo que realmente me levou ao limite me trazendo grande experiência. E a satisfação é ainda maior quando tem o reconhecimento do cliente e carinho pelo nosso trabalho, afinal é quem nos proporciona toda oportunidade e tudo é pensado por ele! FB - Descreva o conceito do seu ateliê ou estúdio de tatuagem: MDP - No conceito procuramos ser simplistas mas com muito conteúdo. A idéia é ter um espaço onde possamos agregar artistas de diferentes especialidades, proporcionar muita liberdade de criação e artística

tanto nas criações como no trato com os clientes. A idéia geral é sempre proporcionar um profissional capacitado e capaz de apresentar um projeto exclusivo e único para cada cliente, com ética e profissionalismo. FB - Quantos profissionais atuam no estúdio , nomes e estilos que cada um tem em tatuar ou especialidade ? MDP - Atuam no estúdio 7 profissionais, cada um com um estilo diferente. São eles: Na Grilo Gringo : Michel Dal Pizzol @mdptattoo - Tattoo Tribal, New Oriental e Realismo preto e branco Emily Wurster @emilytattoo -Tattoo Neo tradicional , Black work e Aquarela Wagner Muniz @wagnermuniztattoo -Ilustração, Neo tradicional, Black work e realismo Junior Bastos @j13_tattoo -Neo tradicional, Lettering e Preto e cinza Na Barbearia Saint Germain Rafael Zaia @drawingofdoom- Black work e Sketch style Rafaela Martins @rafamartinstattoo_- Fine line, Mandalas FB - Quais são as recomendações para aqueles que querem fazer uma tatuagem pela primeira vez? Pré e pós tattoo : MDP - A escolha do primeiro desenho a se passar para a pele é sempre bem com-

plicada, é preciso ter paciência pois o processo de dúvida é natural. Seja buscando um significado mais complexo para sua tattoo, ou por pura estética e adornação, o mais importante é que cada um tem seu tempo e deve estar seguro e confiante para fazer sua tattoo. Uma dica, talvez, seria buscar fazer em um lugar mais discreto, e se for algo realmente que a pessoa goste aí sim partir para desenhos maiores e mais esposos sem medo de ser feliz! Sempre procurar um profissional capacitado, com espaço adequado e conhecer e respeitar sua proposta artística. O pós tattoo não deve ser levado com desleixo, pois todo processo anterior depende dos cuidados para se estabelecer um bom resultado. É muito simples cuidar de uma tattoo, mas as orientações do profissional deve ser seguida a risca. O Skin Kustom Tattoo Stúdio é um projeto que sempre caminhou junto comigo, pela primeira vez alcançamos espaço adequado e parceiros que confiam e impulsionam nossos objetivos. Atendemos em dois locais com artistas especializados em estilos diferentes, Na Gringo Custom House - Rua Fernando Amaro, 801 - alto da Xv e na Barbearia Saint Germain -rua Augusto Severo, 820 - Alto da Glória. MDP Tattoo Stúdio Fone: (41) 3044-0474


Agosto | 2017

Old-school

Página 05

FOLHA DO BATEL

New School

Lettering

Aquarela

Estilos de Tatuagem

Scar Branding

Psicodelica - Surrealismo

Tribal

Oriental

Muitas culturas já criaram uma variedade de métodos para tatuar. Nas tribos da América do Norte e do Sul, as tatuagens eram aplicadas simplesmente por meio da punção. Em outras tribos esfregavam a cor, geralmente feita de cinzas, e as colocavam na pele arranhando-a. Depois de milênios, a tatuagem foi ganhando novos tons, novas linhas, novas espessuras e novos métodos de pigmentação, a única variável é que agora os instrumentos são esterilizados. Vamos listar alguns estilos de tattoo segundo pesquisa realizada: O Old School ou a "velha escola", representa a tatuagem mais tradicional, com muito temas ligados ao porto e aos marinheiros, como facas, cordas, âncoras e rosas. Essa escola nasceu nos Estados Unidos entre as décadas de 20 e 30, como forma clássica de tatuagem entre soldados da marinha e piratas. O estilo costuma ter por característica formas simples e desenhos coloridos, porém com cores não tão vibrantes, geralmente não se usa muito brilho, só a sombra e a cor. O estilo de música rockabilly, inspirado nos anos 50, com o visual pin up e tudo mais também costuma ter muitas tatuagens no estilo. New School A tatuagem New School como o próprio nome sugere, é mais recente. Após a 2ª Grande Guerra, a tatuagem começou a ser relacionada com gangsters e um surto de hepatite nos Estados Unidos em 1961 fez com que o país adotasse uma nova legislação e regras sanitárias para a tatuagem. Essa segurança despertou maior interesse pelos jovens da época na tatuagem, e foram desenvolvidos novos conceitos para as tattoos. O New Skool é mais urbano, tem a ver com a grafitti e arte de rua. Os traços são mais grossos ainda, e os desenhos podem lembrar cartoons, além das cores vibrantes e desenhos em três dimensões. Tribal Até hoje, tribos indígenas em todo o mundo marcam suas peles para diferenciar suas tribos e até hierarquia.As tatuagens tribais têm uma história milenar, já foram utiliza-

das em diversos períodos da história e por várias civilizações. Para se ter uma idéiia, já foram encontradas múmias com mais de 5.000 anos com tatuagens tribais pelo corpo. As tribos que mais fizeram uso desse tipo de desenho no corpo foram as tribos: Borneo, Maori, Celtas, Hawaii, Haida e Timucua, dentre muitas outras. Maori Os Maoris antigos usavam antigas técnicas de tatuagem que realmente cortavam a pele. Eles usavam ossos e outras ferramentas para gravar os desenhos na pele. Essas tatuagens eram esculpidas ao invés de puncionadas. A cultura da tatuagem maori remonta milhares de anos. É um dos estilos mais antigos de tatuagem no mundo. Essas tatuagens também representavam a posição que cada um tinha na tribo. Elas também eram feitas para representar atos de bravura na guerra e outros feitos importantes. Eles também poderiam representar a sua família e a árvore genealógica. Os jovens maoris recebiam sua primeira tatuagem quando atingiam a idade adulta. Oriental O Oriente engloba uma série de países, e em uma análise menos restrita englobaria todos que se localizam à leste do sol nascente. No entanto, a acepção mais comum do termo inclui apenas países do continente asiático, excluindo por exemplo o Oriente Médio. Entre os que entram China e Japão se destacam. As tatuagens orientais englobariam então a simbologia desses países acima de todas as outras.Fazem parte desse estilo, as carpas, dragões, samurais, gueixas, cerejeiras, flores de lótus, e até as tattoos indianas (Ganesh, Gigamesh e outros). Realismo Realista: Os desenhos imitam o mundo real. Não há limite para o que as tatuagens realistas podem representar;Com o avanço técnico pelo qual a tatuagem passou - e segue passando - as possibilidades de desenhos aumentaram muito. Entre elas destaca-se o extremo realismo que tatuadores conseguem alcançar, o que possibilita por exemplo a transposição

fiel de uma foto para a pele. Aquarela Tattoos nesse estilo chamam a atenção por sua coloração, com destaque para a forma como essas cores são dispostas, como que lançadas em pinceladas sobre a pele. O que num primeiro momento pode parecer uma mancha é na verdade um procedimento precioso para obtenção do efeito incrível da aquarela. Por conta desse despojamento com os traços, o contorno comumente acaba ficando em segundo plano. Lettering O Lettering é uma arte dentro da arte, pois mistura tipografia, caligrafia, desenho e tatuagem. Em um só trabalho.Tatuagens escritas à mão são extremamente pessoais. Frequentemente pessoas vão fazer tattoos com a assinatura de crianças, cônjuge , parente falecido ou autografo de celebridade. Como em qualquer tattoo, tenha certeza que seu artista tem uma mão firme e traços definidos Scar / Branding Basicamente, a pele é dissecada formando desenhos. É feita a partir da cicatrização de feridas produzidas a base de ferro e fogo.Pra quem não sabe, tem origem africana.E no branding,é mais ou menos o esquema usado para marcar o gado, só que mais higiênico e sofisticado. Celta São aquelas tattoos que lembram o tribal. A característica são as formas entrelaçadas e ricas em detalhes.Celta: Pretos ou coloridos, são figuras de origem celtas, como o próprio nome indica de origem celta, com motivos entrelaçados; Bold Line São aquelas que retratam as histórias em quadrinhos, geralmente trazendo traços mais grossos em vilões e super heróis. Psicodélica / Surrealismo São tatuagens criativas, que trazem cores vivas e vibrantes. Os desenhos podem ser abstratos ou reais, em situações surreais. Desenhos supercoloridos e que remetem a um mundo onírico; Fonte: Mundo da Tatuagem

Realista

Bold-line

Maori

Celta


FOLHA DO BATEL

Página 06

Agosto | 2017

Entenda como funciona o modelo do distritão e o voto distrital misto

Gestão participativa Artigo de Marcello Richa No mês de agosto iniciei na Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude de Curitiba o projeto Gabinete Descentralizado, em que levamos durante todo o dia as atividades do gabinete para dentro dos bairros. A ideia é descentralizar o atendimento e facilitar o acesso da população para apresentarem projetos, parcerias e demandas. A proposta desta ação é fortalecer a promoção de uma gestão pública cada vez mais participativa e que permita a todos a oportunidade de contribuir para o desenvolvimento estrutural e social de sua comunidade. Em um período que o Brasil luta para se recuperar de sua pior crise financeira, estimular o relacionamento cooperativo torna-se cada vez mais importante para gerar economia, trazer benefícios para a população e evitar desperdícios. Um dos exemplos mais práticos de gestão participativa foi realizado pelo governador Beto Richa quando era prefeito de Curitiba. Na época, implantou as audiências públicas nos bairros, que permitiu aos cidadãos, sem dúvidas os maiores conhecedores das demandas de suas comunidades, espaço para orientarem a Prefeitura em relação às prioridades da cidade. Foi um projeto inovador, mas como tudo, precisa estar em constante evolução. Dessa forma é necessário que o poder público, especialmente nos municípios, amplie e facilite o acesso das pessoas para o debate e construção das políticas públicas. Essa iniciativa deve partir tanto do prefeito quanto dos secretários municipais e incluir audiências, consultas, reuniões, conferências, administrações regionalizadas, gabinetes descentralizados, redes sociais e qualquer outro projeto que atue como uma ferramenta de comunicação que dê espaço e voz para população. Vale destacar que este modelo de gestão não pode se resumir apenas ao diálogo com a comunidade, mas também entre as esferas públicas. Reconhecer o valor de boas práticas promovidas por servidores multiplica a criação de novos projetos e permite diferentes abordagens que podem ser adaptadas em outras localidades, por vezes com programas que ainda não foram desenvolvidos ou que podem aprimorar o que já existe. Estimular a gestão participativa é um passo importante para o poder público recuperar sua credibilidade e fazer com que a população se torne parte integral da administração, promovendo a interação, engajamento e diversificação de idéias que irão resultar em ações eficazes que caminham junto com as demandas da sociedade. Marcello Richa é presidente do Instituto Teotônio Vilela do Paraná (ITV-PR)

Por Daniela Frabasile Uma das principais pautas da reforma política que está sendo debatida no Congresso Nacional é a forma de eleger deputados federais, estaduais e vereadores. Como um modelo de transição, e que pode valer para as eleições de 2018 e 2020, a proposta é instituir o modelo do distritão. Depois disso, o sistema passaria a ser o distrital misto. "No mundo todo, existem dois princípios básicos. As regras obviamente vão mudar de país para país, mas princípios só existem dois: o proporcional, usado hoje no Brasil e na Argentina, e o majoritário, que é o voto distrital, usado nos Estados Unidos e Inglaterra", explica Nuno Coimbra Mesquita, professor de ciência política da USP. Mas afinal, como funciona cada um deles?. Em primeiro lugar, vale entender exatamente como funciona a eleição destes cargos legislativos atualmente. No Brasil, é o chamado sistema proporcional em lista aberta. Esse sistema visa distribuir as cadeiras do Legislativo aos grupos e partidos em determinados territórios, da forma mais proporcional possível. Mas como isso funciona na prática? O eleitor vota em um candidato ou um partido (o chamado voto na sigla). O número de votos válidos é dividido pelo número de cadeiras - o que resulta no quociente eleitoral. Se o quociente eleitoral for de 200 mil votos, a cada 200 mil votos, o partido vai eleger um deputado (isso somando todos os votos nos candidatos do partido e os votos na legenda). Se o partido teve um milhão de votos, vai ter direito a cinco cadeiras. "O estado de São Paulo, por exemplo, tem 70 deputados. Pelo princípio proporcional, você divide essas 70 cadeiras proporcionalmente aos votos que os partidos tiveram", explica Nuno Mesquita. Assim, se um partido tem 10% dos votos, terá 7 cadeiras. "Nesse sistema, pouco importa se o candidato mais votado teve muitos votos e

o sétimo teve muito menos", explica Pedro Fassoni Arruda, professor da PUC-SP. O voto proporcional, porém, traz algumas distorções. "Se um partido teve muitos votos na legenda ou tem um candidato que teve muitos votos, ele leva com ele candidatos que tiveram uma votação muito pouco expressiva", afirma Carlos Melo, do Insper. "A vantagem desse sistema é que ele privilegia os diversos interesses da sociedade. Por exemplo, a defesa dos direitos das minorias, direitos das mulheres, questões ambientais são interesses que não estão localizados em uma região específica", diz Nuno Mesquita. Se 5% da população tem interesse na defesa do meio ambiente, isso será representado no Congresso. Sistema distrital - princípio majoritário Nesse sistema, o território é dividido em distritos pequenos, a depender do número de eleitores em cada um deles. "É como se você tivesse micro eleições em que só tem uma cadeira em disputa", resume Nuno Mesquita. Usando São Paulo como exemplo, o território do estado seria dividido em 70 (número de deputados federais) distritos. "Uma das vantagens desse sistema é que você tem uma ligação maior do representante com o representado, porque mesmo que eu não tenha votado no candidato que foi eleito, eu sei exatamente quem ele é", diz Nuno Mesquita. Além disso, este modelo tende a reduzir o número de partidos políticos. Outra vantagem seria baratear a campanha - o que é extremamente importante considerando que não é mais permitido o financiamento empresarial de campanhas -, já que os candi-

datos não precisariam viajar tanto pelo território. Uma desvantagem, porém, é que esse sistema pode dificultar a representatividade de interesses que não são locais. Se um tema interessa a 10% da população, mas se os eleitores estiverem espalhados em todo o país, talvez não haja sequer um deputado eleito que lute por esse tema. O problema desse sistema? Ele não é muito bom em representar minorias. "Digamos que você tem 10 distritos, e em todos eles o partido X teve 51% dos votos e o partido Y teve 49%. O partido X leva todas as cadeiras, ainda que o partido Y seja bastante representativo", explica Carlos Melo, do Insper. Sistema distrital misto Nesse sistema, é como se acontecessem duas votações simultâneas: uma pelo sistema majoritário e outra pelo sistema proporcional. Inclusive, os eleitores precisam votar duas vezes: uma em um candidato de seu distrito e outra em uma lista fechada. Assim, metade das cadeiras na Câmara dos Deputados seria eleita por um sistema e metade por outro. Um dos países que usa esse modelo é a Alemanha. "De certo modo, o distrital misto mitiga os problemas que tem nos dois", diz Melo. "Você tem o respeito ao voto da maioria, como no distrital, mas mantém a representatividade das minorias do modelo proporcional". Distritão Os políticos que defendem o distritão afirmam que este é o sistema mais fácil para a população entender. Basicamente, são eleitos os candidatos mais votados de cada estado. Em São Paulo, por exemplo, você

tem 70 cadeiras e são eleitos os 70 mais votados. Segundo Melo e Arruda, o sistema é usado em poucos países do mundo - entre eles, no Afeganistão. Assim, os candidatos precisarão fazer campanha em todo o estado, os partidos políticos perdem força e os políticos de um mesmo partido competem entre si pelos votos. Esse sistema, afirma Nuno Mesquita, não resolve nenhum dos problemas da política no Brasil. "Com o distritão, a campanha continua sendo cara, o número de partidos vai se manter ou até aumentar, e cria-se um problema novo, que é o voto jogado fora". No sistema proporcional, mesmo que o candidato em que você votou não tenha sido eleito, o seu voto ajudou a eleger um candidato do mesmo partido, e que teoricamente tem a mesma plataforma política. "No sistema do distritão, tirando os eleitos, todos os outros votos não ajudaram a eleger ninguém. Então, você vai ter menos representatividade ainda". Por enfraquecer os partidos, lembra Arruda, esse sistema pode levar à redução do grau de coesão e indisciplina partidária. Além disso, esse sistema favorece a personalização da política. "Cada candidato acaba fazendo sua própria campanha, sem levar em consideração partido a qual está filiado", diz Arruda. Os críticos afirmam que nesse sistema os candidatos mais conhecidos têm mais chance de se eleger, enquanto os novos terão mais dificuldade. E quem são os candidatos mais conhecidos? "Aqueles que já têm o mandato estabelecido, ou que são celebridades, ou que são muito ricos e podem espalhar cabos eleitorais em todo o estado", diz Melo. "Se você é iniciante e não é conhecido, por mais que seja bem intencionado e tenha idéias inovadores, por mais que represente uma renovação, não vai conseguir ser eleito, porque te faltam os instrumentos de campanha". Fonte: Época negocios


Agosto | 2017

Página 07

FOLHA DO BATEL

Brasil no mercado de jóias Referência internacional no mercado de jóias, com 1/3 do volume de produção de pedras no mundo, o país está entre os principais produtores de esmeraldas. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM), são 22 toneladas de peças criadas e comercializadas. Grande parte desse sucesso é dada devido à criatividade de designers e fabricantes na mistura dos materiais, além dos investimentos em desenvolvimento de novas tecnologias de produção, que possibilitaram ao mercado a oferta de produtos com diferencial em termos de estilo e com preços mais competitivos. Desde a antiguidade as pedras preciosas fascinam o homem pela sua beleza e valor. Mas além de serem objetos de cobiça, são também fontes naturais de energização, muito mais poderosas que a beleza que emanam. O discípulo do psicólogo Freud, Carl Gustav Jung possui um trabalho sobre a ligação e conexão existentes entre as pedras e o campo espiritual humano. Ele afirmava que elas eram capazes de equilibrar nossos campos energéticos, além de funcionarem como armazenadoras e captadoras naturais, já que recebem, transmitem e transmutam energia. No livro O Poder das Pedras Preciosas e dos Cristais a autora alemã Soozi Holbeche revela os fascinantes segredos e mistérios associados às pedras preciosas e aos cristais e explica como eles podem ser usados para enriquecer a nossa vida. Segue alguns exemplos: Dolomita: Ajuda a eliminar sentimentos de tristeza e solidão. Traz um maior estado de confiança interna que se traduz em eventos positivos em nossas vidas. Onix: Grande estabilizador de energia. Promove a harmonia entre o corpo e a alma, entre Yin/Yang, dando mais estabilidade e alegria de viver. Rubelita: Possui uma variação de cores que vai do rosa intenso ao vermelho intenso. Traz alegria, entusiasmo, sabedoria, criatividade e fertilidade. A rubelita é associada às terapias das doenças de sistema digestivo, do coração, dos pulmões e pâncreas. Opala: É uma gema que possui as cores do arco-íris. Indica proteção astral, sensitividade, beleza e dinheiro. Acreditase que esta pedra possui um grande valor espiritual, traz energia positiva no dia a dia, aumenta a fidelidade, conduz ao sucesso e favorece a vida matrimonial. Esmeralda: Uma das grandes pedras de poder. Revitaliza o corpo físico. Um agente de equilíbrio universal para o coração. É a pedra do amor incondicional, da confiabilidade e da fidelidade. Para o tratamento físico tem efeito rejuvenescedor sobre a pele. Tanzanita: pode variar até uma tonalidade azul-violeta. A Tanzanita é muito indicada para os "workaholics" e para aqueles que estão sobrecarregados, pois acalma a mente hiperativa e tem efeito relaxante. Além de ser utilizada em meditações, esta gema melhora as atividades psíquicas, abre o coração aumentando o humor e traz sentimentos de paz. A seguir entrevista com Hilda Dias Machado joalheira e designer de jóias. FB- Quando e como entrou no ramo Joalheiro? Hilda Machado- Sempre fui apaixonada por arte. E a criação de uma jóia é puramente arte,mesmo muito jovem, lá estava eu, procurando algo que me levasse a isso.Sabe aquela procura dos jovens, você sabe o que quer mas ainda não sabe como chegar lá? Comigo também foi assim. Antes de entrar para o ramo joalheiro, eu já tinha minhas revendedoras de acessórios, creio que isso me impulsionou para este mercado de luxo. Isso foi por volta de 1992. FB -Comente sobre sua trajetória e experiência no mundo das jóias, entre prêmios conquistados e participações em eventos.

Quanto a escolha de uma Gema, é muito pessoal, e isso impacta com vários fatores. Ex: a energia, o ano de nascimento. Cada gema tem sua energia própria, é um dos motivo para eu afirmar: A Jóia alimenta a sua alma. Ninguém compra uma jóia pelo simples fato de ser ouro, ela compra algo significativo pois sabe que ira durar para sempre. Quanto as gemas que estão em alta no momento, e que sao muito valiosas, além do nosso insubstituível Diamante , temos a Turmalina Paraíba que tem um valor de mercado alto pela sua preciosidade e a Tanzanita que é uma gema linda e está entrando muito forte no mercado brasileiro.Enfim é uma terapia aprofundarse no mundo das pedras preciosas, pois a energia é única. Hilda Machado- Quando iniciei minha trajetória estava meio anônima, iniciei na joalheria como auditora interna, passei pela área financeira, e assim fui conhecendo primeiro a parte interna. Isso foi muito bom, pois me impulsionou a fazer faculdade de Administração de Empresas, o que me deu um embasamento forte para administrar minha própria empresa. Nunca parei de estudar, participei de algumas feiras internacionais e as nacionais que são riquíssimas em exposições de metal e gemas. Nesta trajetória de trabalho, conquistei muitos prêmios. Para fortalecer meu caminho empreendedor, atuei como Vice coordenadora das Mulheres Executivas da Associação Comercial do Paraná. Tive o prazer de fazer a primeira capa da Revista BPW (Business Professional Women) de Curitiba, onde atuei como Vice -coordenadora. Recebi alguns prêmios em Santa Catarina, onde estive com o querido Marcos Fontes, primeiro brasileiro a viajar para o espaço. Faço parte do grupo Internacional das Mulheres Joalheiras ( Mujeres Brillantes) onde temos informações mundial e atualizadas sobre jóias. Inclusive aqui no Jornal Folha do Batel recebi vários prêmios sobre empreendedorismo. Enfim sou uma Workaholic assumida. FB- Explique o processo desde a produção ao design das jóias. Quais são os materiais que trabalha com maior freqüência e estilos utilizados atualmente. Hilda Machado- Sou uma pessoa curiosa, gosto de aprender sobre tudo. E isso acompanha muito os meus clientes. O ser humano , de uma forma bastante significativa, avaliam um produto por ser caro ou barato e não por seus reais valores. E uma jóia não tem preço, tem valor. A criação de uma jóia começa em descobrir o que o cliente prefere e qual é a ocasião. Este é o primeiro passo, se é para impactar ou se uma jóia de sucessão familiar. Para este preparo fiz vários cursos de designer de jóias e de moda e me especializei em saber o que intrisecamente o meu cliente quer mostrar.Tenho uma grande facilidade para isso. Após esta descoberta começo a criação. Classificação dos metais e das gemas que por sua vez é de grande importância, nas gemas acompanham a energia da alma de quem a está adquirindo. Na Joalheria utilizamos os clássicos: ouro branco e diamantes. Um pouco arrojado: Uma combinação de ouro branco e amarelo torna se menos formal. Para as mulheres ousadas, geralmente as que saem de manhã de casa, levam filho para escola, enfrentam trânsito, administram seus funcionários, se estressam, levam comidinha de casa (que elas mesmas preparam) que precisam manter a forma. E depois de tudo isso, precisam estar lindas para os compromissos sociais. Temos as jóias ousadas. Peças grandes, gemas coloridas e ousamos no metal leve, de valor acessível que podem variar o uso com freqüência. FB- Sobre as pedras preciosas: qual a variedade em pedras? Defina cores e nomes. Quais as cores e nomes das pedras preciosas que estão mais na moda? a mais valorizada no momento? Hilda Machado: Acho importante primeiro explicar o que chamamos de pedras e de gemas. Pedra: antes da lapidação . Gemas: toda a pedra após a lapidação Diamante ou Brilhante? Diamante: pedra bruta. Brilhante: após a lapidação ( que são muitos estilos)

FB- Quem compra mais jóias, o homem para dar de presente , ou a mulher? Quais os valores agregados a uma jóia ao adquiri-la pela maioria de seus clientes? Hilda Machado- Com certeza são as mulheres, posso até dar uma estatística 90% de quem compra mais jóias são elas. Posso falar com a experiência por trás do balcão e também como mulher. Não existe presente mais satisfatório para uma mulher que uma jóia, ela eterniza este momento, porque jóias duram para sempre.Um exemplo muito forte. Como a maioria sabe, fui casada com o patriarca do Ramo Joalheiro, em nossas datas especiais eu era presenteada com jóias, não tinha necessidade pois tínhamos lojas.Hoje eu sei que por mais este motivo ele( in memorian) está eternizado em nossa filha, pois as jóias serão herdadas por ela e assim sucessivamente.Então jóias são adquiridas para eternizar momentos e criar uma herança familiar. FB- Quais os planos para sua empresa? Está trabalhando em alguma nova coleção? Fale sobre o lançamento. Hilda Machado- Quanto a empresa, reformulei muito a forma de trabalhar, e estou muito confiante, por mais que tivemos esta turbulência na economia, consegui alcançar meus objetivos. Neste momento estou trabalhando uma nova coleção, depois de muita pesquisa de mercado resolvi trazer algo de fácil acesso para todas as classes sociais. Tenho o conhecimento, então vou fazer, sou movida a desafios. Nesta coleção trarei muitas cores e gemas onde me inspirei na natureza, nessa criação estarei homenageando uma pessoa muito especial em minha vida. Aguardem! Será lançada ainda este ano. Hilda Dias Machado Diretora e Designer na empresa Hilda Machado Joias/ Aristides Class Para maiores informações sobre Gemas e Metais Whats: 41 999820632 Instagran: @hildamachadojoias Fan Page: Hilda Machado Joias


Página 08

Preço do Ouro Hoje A cotação do grama do ouro hoje é de R$ 130,00. O valor do grama do ouro está sempre se atualizando O preço do ouro no Brasil é vinculado às cotações de Nova York e Londres sofrendo influência direta das perspectivas do mercado interno e da cotação do dólar. O valor do ouro é de caráter informativo. O ouro é uma das opções de investimento disponíveis no mercado. É usado em diversos segmentos, mas principalmente na confecção de moedas, jóias e outros acessórios. Se estiver interessado em investir no ouro, habitue-se a acessar todo dia o DolarHoje.com/ouro para estar sempre bem informado sobre o preço do ouro do dia . Quando se quer vender ouro usado, há sempre a dúvida de quanto vale o ouro velho, e qual o preço do ouro usado justo a pedir pelas suas peças de ouro usado. Para vender o ouro é necessário ter alguns procedimentos e cuidados e verificar se a sua jóia vale o seu peso em ouro. Fazer um teste do ouro para saber a liga do ouro é importante para avaliar uma jóia de ouro e saber o preço do ouro usado. Preço do ouro usado, como CALCULAR? (avaliar ouro) Em primeiro lugar é necessário qual o grau de pureza do ouro usado, se é de 10kt, 14kt, 18kt, 19,2kt (ouro português) ou 24kt (o mais puro). Para determinar o preço do ouro usado (necessário para avaliar o ouro) é também necessário que a peça seja examinada, cada peça de ouro usado para vender tem de ser analisada pelas marcas do ouro, ou se não estiver devidamente marcada e identificada com marcas, deve ser analisada por um técnico especializado. É preciso, saber que quando se testa o ouro há um pequeno desgaste do ouro para que possa ser analisado. Se for uma peça banhada a ouro, nem vale a pena tentar vender.

FOLHA DO BATEL

Agosto | 2017

O valor agregado de uma jóia tanto financeiro como emocional

Jóias de herança: Reluzindo de geração em geração As jóias são eternas. Com certeza esta não é a primeira vez que você escuta esta frase ou algo semelhante. Com o poder de mostrar o que há de mais belo nas gerações passadas, presentes e futuras, as jóias sempre acompanharam as famílias mais tradicionais da História. Porém, não se engane: o costume de repassar estas pequenas preciosidades entre os entes mais queridos não é exclusividade dos aristocratas. Todos aqueles que possuem hoje uma peça de valor sentimental e financeiro não ousam deixar este mundo sem antes encontrar um substituto à altura para guardar e honrar a sua jóia de valor inestimável. “É bem comum atendermos solicitações de restauração de jóias por existir um valor sentimental da família , são brincos que perderam o par, anéis, correntes” explica Célia Cruz uma das proprietárias da Joiart. A empresas Artesanal e Joiart se uniram há 3 anos. "Atuamos juntas desde então no desenvolvimento de peças exclusivas, anéis de formatura, alianças entre outros relacionados a jóias em ouro amarelo, branco e rose, platina e pedras preciosas, todas projetadas

Marcos Macioski, Alex Borges, Celia Cruz e Luciano Cruz

com a mais alta tecnologia e sob as mãos de profissionais de grande experiência e conhecimento no ramo. Atender da melhor forma e com carinho especial a todos os clientes buscando sempre modernizar, porém mantendo sempre a forma artesanal das peças, buscando sempre fomentar o círculo de amigos clientes. Estamos sempre em busca de novas tendências e na criação de coleções e peças exclusivas”, comenta Luciano Cruz sócio da Joiart. Hoje, portanto, muito mais do que representarem apenas o dinheiro, as jóias são fortes símbolos emocionais e, por isso, são itens bastante comuns nas heranças. Além do mais, diferentemente do mercado imobiliário ou da própria moeda corrente, estas peças dificilmen-

te tem seu valor alterado drasticamente. Portanto, é comum afirmar: algumas jóias são eternas, sim! Pureza, cor e tamanho da pedra preciosa são critérios que definem o valor de mercado da jóia. “O processo de uma jóia é feito pelo desenvolvido de um desenho da peça em computação gráfica calculando todas as medidas, peso e pedras se necessário for, após esse processo é impresso o molde onde será utilizado para a fundição do metal e por fim e não menos importante cravação das pedras e acabamento final”, afirma Marcos Macioski sócio da Artesanal. Os critérios que precificam uma jóia - ou seja, definem o quanto ela vale - são diferentes nos mercados de penhor e nas

joalherias. Nos primeiros, contam mais o peso da peça e a composição do metal. No segundo, há um valor de mercado mínimo e máximo, que varia conforme uma série de parâmetros. "Uma pedra preciosa nunca perde valor, ao contrário do que se imagina", afirma a designer e especialista em jóias Alex Borges proprietário da Artesanal . "Se a joia possui certificado internacional de qualidade, for peça única e atender aos quesitos de pureza, cor e tamanho, é impossível que se desvalorize, reitera a especialista.” Esses critérios devem ser considerados principalmente se o objetivo da compra for investir. “Tudo é analisado na avaliação de uma peça, teor do ouro, trabalho nela desenvolvido e pedras, o valor de uma peça vem da exclusividade, o design o acabamento, a textura,fechos e tarraxas seguros, articulações e movimentos que dão um charme especial e fazem aquela jóia se adaptar perfeitamente a anatomia, com caimento impecável. O emprego do ouro nas cores amarelo, branco, negro, rose e pedras preciosas, ou a aplicação do banho de ródio, são também atributos que aumentam o valor agregado de uma jóia", esclarece Alex.


Agosto | 2017

Jóia é história, amor e valor no mais amplo sentido da palavra Em todas as culturas, as jóias sempre tiverem diferentes significados, e tem sido desenhada para diversos fins: como objetos decorativos, para perpetuar um simbolismo; também, para satisfazer a necessidade de homens e mulheres para se adornarem com elas, para ressaltar sua imagem e personalidade. Algumas civilizações consideram que as jóias são a riqueza mais apreciada, mística e fascinante que já mais poderiam ter. Assim mesmo, tem-se inclinado a valorizar o adorno ou emblema que complementam algumas jóias, outorgando um valor especial. Desta maneira, para os monarcas, um símbolo de poder e riqueza encontram se em tiaras, diademas e cintas frontais dos reis babilônios e assírios, eram metálicas e adornadas com pedras preciosas. No antigo Egito, os faraós portavam na cabeça diferentes tipos de coroas, para indicar o território governado; o conteúdo emblemático variava segundo seus adornos e tamanho, em comparação com o poder pessoal. Igualmente, para os Maias, um dos elementos mais representativos eram os colares de jade ou concha. Podiam ter diversas formas, mais as formas mais comuns eram de esfera ou tubulares, igualmente lhe conferiam um distinguido valor. Sobre a Prata A prata foi descoberta logo após o ouro e o cobre. É um metal de alto valor agregado e muita beleza. A prata é apaixonante por ter excelente capacidade de reflexão e cor "branca", que dá suavidade e requinte à muitas peças de joalheria. Além de um belo metal, não oxida, porém, pode ficar com aspecto escurecido conforme o uso. Nada que uma boa polida não resolva! Em joalheria, usa-se geralmente a prata 925 (92,5% de prata pura) ou 950 (95% de prata pura), o que tem como resultado peças extremamente duráveis. As peças com estes números são as chamadas "pratas de lei".

Página 09

FOLHA DO BATEL

Jóias autorais e a sustentabilidade Dupla de designer cria jóias em prata e madeiras de lei uma idéia criativa e sustentável O mercado de jóias autorais tem apresentado modificações nos últimos anos e atualmente a diversidade de estilos que o compõem está bastante ampla, saindo do lugar comum onde somente se diferenciava a proposta de peças pela escolha dos metais e pedras preciosas. O design, passa a trazer um grande diferencial para esse negócio com o seu background no estudo de proporção, harmonia e materiais, além de sua versatilidade na apropriação de conceitos e processos para a aplicação em novas áreas, utilizando novas tecnologias e gerando constante inovação. E é nesse ambiente a Wooden Design, marca de jóias autorais idealizada pelos designers Renato Porfirio e Ticiane Harasim Bizinelli vem mostrando seu trabalho com a possibilidade de agregar valor as jóias, através da apropriação de conhecimentos do manuseio da madeira juntamente com a aplicação de inovações tecnológicas do mundo da ourivesaria. "A Wooden Design nasceu de um projeto de faculdade. Nos conhecemos durante o curso de Design - Projeto de Produto e a idéia de criar jóias com

metais nobres e madeira surgiu graças ao histórico em ourivesaria da família do Renato e o meu apreço em trabalhar com madeiras. A idéia acabou virando nosso projeto de conclusão de curso e desde o ano de 2014 , a empresa se formalizou e vem crescendo com participação em eventos nacionais de jóias e design. Hoje temos um ateliê para atendimento com hora marcada na Al. Augusto Stellfeld e também possuímos uma loja virtual, para que nossos clientes possam conhecer e comprar as jóias da comodidade de suas casas." Comenta Ticiane Bizinelli FB - Como iniciaram no ramo da joalheria e da arte? W D- Somos Designers por formação e além disso, o Renato vive na rotina de ourivesaria desde pequeno, já que a profissão vem passando por gerações desde o tempos de seu avô. FB- Como surgiu a idéia da marca e o interesse em criá-las? WD- A idéia surgiu porque tínhamos amigos luthiers que possuíam aparas de madeiras nobres que eram desperdiçadas. Vendo isso, resolvemos criar um novo uso para essas madeiras,

criando assim nossa linha de jóias com metais e madeiras nobres. FB- Sobre o processo de produção . Quais são os materiais que trabalha com frequência? WD- Graças a nossa formação, trazemos todo nosso conhecimenRenato Porfirio to de design para a criae Ticiane Harasim Bizinelli ção de nossas jóias. Nosso processo envolve pes- gerar jóias com conteúdo sequisas do que existe internacio- mântico. Além disso, sempre nalmente no mundo de jóias e trabalhamos com estudo de também no que há de novo em proporção e ergonomia, assim design de produtos e arquitetu- nossas jóias são feitas para ra. Trazemos esses novos vestir confortavelmente. FB- Quais os planos para conceitos para criar jóias com uma proposta diferenciada e a sua empresa ? Vocês esmoderna, aplicando no proces- tão trabalhando em alguma so produtivo inovações tecno- nova coleção? WD- Atualmente estamos lógicas como a modelagem e trabalhando em uma nova coimpressão 3D de protótipos. FB- Suas peças são bem leção que deve ser lançada no originais e com bastante ca- final do ano. Também estamos ráter, de onde vem inspiração ampliando nossa presença para também atender o mercapara criá-las? WD- Sempre fazemos do internacional. A nova coleuma pesquisa do que está ro- ção ainda está guardada em lando mundialmente, pesquisa- segredo. Mas posso adiantar mos similares diretos e indire- que teremos novidades princitos e também buscamos con- palmente para o público masceitos diferenciados para nos- culino, com anéis de muita persa criação, o que nos permite sonalidade.


Página 10

FOLHA DO BATEL

Abril/Maio Agosto | 2017 2017

Beleza Nutrólogo de Kim Kardashian revela dicas para emagrecer com mais saúde e energia Dr. Philip Goglia é responsável por ajudar várias famosas a manter a forma, pelos corpos esculturais de Khloé Kardashian, Kate Upton e Cara Delevingne. Entre os tópicos? Evite laticínios e glúten . "O principal objetivo é reduzir a inflamação para que você possa ficar o mais magro possível, com bastante energia". Ele ainda entregou à publicação uma lista de dicas para quem quer perder peso. Tome nota: 1.Nada de laticínios "Eles afetam negativamente a digestão. Provocam inchaço e gases, que promovem a

Kate Upton também é paciente do Dr. Philip Goglia

inflamação e afetam a utilização de oxigênio", o médico explica. Kim Kardashian já disse em entrevistas que, ao eliminar os laticínos de sua alimentação, ficou com a pele mais limpa, ganhou energia e sua congestão nasal melhorou bastante. 2.Nada de fermento ou glúten "Isso significa, basicamente, nada de pão. Você deve manter distância de muffins, bagels, etc. Eles são amidos com vários ingredientes . Eles são associados a leveduras, fungos e glúten. Os amidos que você deve escolher são os de um ingrediente só como batata, arroz , aveia, flocos de aveia...", diz. 3.A refeição com mais protéica do dia deve ser consumida à noite Essa é a hora que o seu corpo consegue descansar e reparar o tecido muscular e você precisa de energia para que esse processo ocorra. "Depois do jantar você não vai correr uma maratona, ou seja, não precisa da energia que uma batata te daria. O que acabaria acontecendo é que seu corpo armazenaria a gordura dessa batata, causando inflamação", explica Goglia.

Kim Kardashian enxugou medidas graças a dieta

4.Beba muita água "A água faz duas coisas: primeiro, ela é responsável por mover os nutrientes e as toxinas pelo seu corpo, e segundo - e mais importante - ela regula a temperatura corporal. Se você consome pouca água, o organismo não consegue regular seus padrões de temperatura, fazendo com que seu corpo passe a armazenar gordura em baixo da pele para atuar como isolamento e controlar a sua temperatura", Goglia revela. E ele é específico quanto ao tipo de líquido. Não é água com gás, nem suco, nem café, apenas água. Fonte: Vogue/globo

O segredo do corpo de Juliana Paes O corpo esculpido de Juliana Paes não é só fruto da genética privilegiada da atriz. Tem muito suor e educação alimentar por trás das belas curvas A atriz tem roubado a cena nos últimos dias por conta do seu corpo em boa forma. Com 38 anos e mãe de dois filhos, a estrela global é conhecida por manter uma silhueta de dar inveja, com músculos desenhados e barriguinha chapada. 7 bons hábitos para copiar de Juliana Paes 1. Trocar o whey protein em pó pela barra de proteína. "Se tomo whey protein com lactose, sinto que bateu um tijolo de cimento no estômago e fico conversando com ele um tempão. As barrinhas me salvam quando saio da ioga com muita fome." 2. Temperar bem a salada. "Uso azeite com gergelim torrado para um toque exótico, uma mistura de mostarda com azeite e gengibre para um sabor mais picante, mel e limão para um paladar agri-

doce, um toque de shoyu para um gostinho oriental e assim por diante. A gente tem de comer salada porque faz bem, então precisa torná-la atraente para não enjoar." 3. Trocar o sal refinado pela flor de sal. "É uma fonte natural de minerais, como ferro, zinco, magnésio, iodo, flúor e muitos outros. Fica caro usá-la para cozinhar, mas vale a pena por ser mais saudável." 4. Eliminar o refrigerante. "Não tomo nunca, nem do tipo zero. Prefiro água e sucos de frutas naturais." 5. Reduzir o glúten. "Compro só macarrão de arroz, do tipo japonês, que não tem glúten. Deixo as massas tradicionais para o fim de semana." 6. Dizer não ao couvert.

"Quando vou a um restaurante, recuso a entrada sem pensar e não deixo nem colocarem à mesa para não cair em tentação e comer todos aqueles pãezinhos, molhos e pastas." 7. Consumir chocolate sem lactose. "Existem várias marcas nas casas de produtos naturais e quebram o galho quando bate aquela vontade de comer doce." Dica de make Para destacar os olhos, Juliana tem um truque: passa uma primeira camada de máscara para cílios e seca os fios com secador na temperatura fria. Depois, reaplica o cosmético. "Os cílios ficam enormes, como os da Kim Kardashian", fala. Fios incríveis Para deixar o cabelo bonito, Ju adotou a dica da atriz e amiga Cleo Pires. "Uma vez por semana, uso no último enxágue soro fisiológico. No dia seguinte, os fios amanhecem com balanço." Fonte: Boa Forma


Agosto | 2017

Página 11

FOLHA DO BATEL

Os jornais de bairros resistem porque são as vozes das comunidades Os jornais de bairros seguem na contramão da mídia tradicional, mas superam, com heroísmo, a dura batalha na conquista dos leitores e do mercado editorial. Em Curitiba, nas últimas décadas, tivemos três tentativas de acabar com os jornais de bairros, seguindo o exemplo de um grande jornal no Rio de Janeiro que criou jornais de bairros, derrubou preços e fez com que diversos jornais de bairros fechassem as portas. Em Curitiba aconteceu o contrário: um grande jornal que existia até algum tempo atrás montou jornais de bairros, embora sustentado por um único anúncio de um órgão público. A tentativa fracassou e os jornais de bairros se fortaleceram e se uniram, se profissionalizaram e houve uma sensível melhora na qualidade e conteúdo da maioria dos jornais de bairros de Curitiba. Os grandes jornais estão em queda livre no mercado editorial brasileiro e internacional. A crise econômica que assola o país nos últimos anos atingiu em cheio os grandes jornais, cujo custos com funcionalismo são estratosféricos. Não por acaso a maioria dos grandes jornais do país pertencem a famílias milionárias, influentes. Nos EUA, o grande termômetro da imprensa comunitária é o bairro do Harlem, em Nova Iorque, onde os jornais de bairros dominam a imprensa regional com muita rebeldia e coragem. Na conservadora Inglaterra o fenômeno se repete: grandes jornais fecham as portas e os jornais de bairros crescem diariamente. Vários são os motivos dessa realidade. Os jornais de bairros tem custo baixíssimo em relação aos grandes jornais: trabalham com reduzido número de pessoal, terceirizam a impressão e a distribuição. Os jornais de bairros são entregues gratuitamente nas residências e estabelecimentos comerciais dos bairros, sendo lidos por milhares de pessoas. Mas o maior segredo dos jornais de bairros que atingiram o sucesso é a estreita ligação com a comunidade onde estão inseridos. No passado os bairros não tinham voz nos grandes jornais, mas a partir dos jornais de bairros os grandes jornais voltaram os olhos para o que acontecia nos bairros, mas já era tarde. Os jornais de bairros já haviam consolidado posição e os moradores compreendiam o papel da imprensa comunitária, a força de um jornal que defende os interesses do bairro e dos moradores. E através das plataformas digitais, os jornais de bairros passaram a utilizar a internet como ferramenta de fortalecimento de suas atividades. Parabéns a todos aqueles que fazem jornais de bairros em nossa capital. É uma luta de guerrilha, e vocês estão vencendo. A imprensa comunitária é imbatível. Por Carla Regina

Dia da Amazônia e o tradicional caldo Tucupi O Dia da Amazônia é celebrado anualmente na data: 5 de setembro Esta data foi criada com o intuito de conscientizar as pessoas sobre a importância da maior floresta tropical do mundo e da sua biodiversidade para o planeta. Com uma área de aproximadamente 5,5 milhões de quilômetros apenas de floresta, a Amazônia está presente em 8 estados brasileiros: Acre, Amapá, Pará, Amazonas, Roraima, Rondônia, Tocantins e parte do Maranhão e Mato Grosso. Chef Juliane Mercer A floresta amazônica atualmente está ameaçada pelos constantes desmatamentos ilegais, afetando diretamente a fauna e a flora da região, causando desequilíbrios e crises ambientais a nível global, é um momento para reflexão e comemoração ao mesmo tempo por essa nossa riqueza natural da biodiversidade. Pensando nisso trouxemos uma receita criada pelos verdadeiros índios da Amazônia e incorporada pelo casal de Chefs Juliane Mercer e Cristiano Moretini do Restaurante O Amazônico instalado no bairro Batel . No preparo do caldo Tucupi você aproveita a mandioca em toda a sua essência em vários pratos da nossa culinária: RECEITA DO TUCUPI PIRATA Como fazer quando precisamos do Tucupi Amazônico, e estamos no Sul do País? Passo a passo para o Caldo de Tucupi O Tucupi é um caldo típico da culinária amazônica, preparado com a raiz da mandioca . É simples preparar caldo de Tucupi, mas você terá que cumprir vários passos e esperar, no mínimo, um dia para obter o resultado final. Ingredientes: Água Mandioca ou Aipim vinagre Modo de Preparo Para 1 kg de mandioca amarela , aipim ou macaxeira , serão produzidos 200 ml de Tucupi. Retirar a casca, cortar , ferver por 10 minutos ( para neutralizar o acido cianídrico no caso da espécie "brava" ) e deixar de molho na água por 1 hora. Bater no liquidificador a mandioca amolecida, filtrar ou coar em um pano de prato bem limpo. O caldo que formar, deixe descansar por 10 horas para separar a goma (sólida) do caldo (liquido amarelo). Colocar o caldo em uma garrafa com uma colher de sopa de vinagre, tampar e aguardar 24horas em temperatura ambiente. Ocorrerá um processo de fermentação. Se preferir mais azedo o Tucupi, pode deixar fermentando por até 3 dias. Pronto, seu Tucupi está pronto, mas se preferir temperá-lo faça a gosto (alho, pimenta etc...). Este caldo é um coringa na culinária amazônica e nordestina, podendo ser utilizado em receitas de peixe, frutos do mar, frango e pato. Bom apetite! Lembre-se que da massa formada durante a filtragem do caldo, essa, quando seca e peneirada torna se a farinha de mandioca. E a goma decantada do caldo amarelo vira a tapioca fresca pronta para abri lá na frigideira e servi-la com o recheio de sua preferência. Recomenda se que para utilizar como tapioca sua validade seja de 2 dias refrigerada , passando disso a massa torna se um polvilho azedo para preparar pão de queijo. Enfim, a mandioca é um produto nacional de inúmeras possibilidades, do Tucupi produzido, várias receitas podem ser feitas, entre elas: o famoso Tacaca com Camarão , o pato no Tucupi, ou o Pirarucu no Tucupi comercializado no Restaurante O Amazônico.

Tacaca

Pão de Queijo

Tapioca

Caldo de Tucupi


Página 12

Agosto | 2017

FOLHA DO BATEL

Customização: a antiga mania de customizar motos atrai vários adeptos de 2 rodas

CUSTOMIZAÇÃO A arte de mudar, adaptar, modificar Conheça os 10 diferentes estilos de customização em motos. Veja a origem e as características de cada estilo.

Luiz Felipe de Araújo Almeida

A "mania" de customizar motos não é nova. Há indícios de que os motociclistas já mexiam em suas motos na década de 1920, ou seja, logo depois de os veículos motorizados de duas rodas começarem a se popularizar em todo o mundo. Da mesma forma que outras tendências, a customização ou personalização de motos vai e volta e atrai muitos motociclistas. Na Europa, Estados Unidos e até mesmo no Brasil, diversas oficinas estão transformando as motos fabricadas em série em verdadeiras obras-dearte, belas e exclusivas. Essa onda de customização que se espalha por todo o planeta "contaminou" - no bom sentido, é claro - até mesmo os fabricantes, que lançam motos que podem ser facilmente customizadas, caso da BMW R nineT, da Ducati Scrambler ou ainda da recém-lançada linha Bonneville da Triumph. Luiz Felipe de Araújo Almeida 40 anos, proprietário da Moto Dax oficina especializada em customização de motos , desde os 25 acompanha a evolução no mercado de custom " iniciei quando percebi a necessidade em se ter oficinas espe-

cializadas que atendessem às necessidades com as minhas motos e a pedido de um cliente que trouxe a idéia dos EUA. A customização é uma tendência mundial e vem crescendo no Brasil desde 2012 em nosso segmento . Especializei me no estilo Cafe Racer que é um estilo retrô com motos clássicas." Comenta Luizinho como é conhecido pelos amigos . CUSTOS: "Customizar uma moto pode ser uma brincadeira cara, ou não. Depende do que você quer como resultado final. O investimento pode variar de R$ 3.000,00 a R$ 60.000,00. Mas isso depende do dono. A customização é acessível a todo tipo de orçamento. O tempo médio de uma customização pode demorar de 3 a 6 meses ".informa Luiz Felipe LEGISLAÇÃO E SEGURANÇA O importante, é a segurança da moto e a adequação aos padrões exigidos pelo DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito). A instalação de acessórios, por exemplo, deve ser feita com consulta prévia ao regulamento do órgão. As autorizações serão liberadas, então pelo DETRAN (Departamento

Estadual de Trânsito) e as alterações feitas e Oficinas Credenciadas pelo mesmo órgão. COMO PROCEDER? Comparecer a uma das Unidades de Atendimento do DETRAN/PR, realizar a Vistoria do Veículo, estando este ainda SEM ALTERAÇÕES; OBS.: Caso o Veículo JÁ ESTEJA MODIFICADO o cidadão deverá seguir os passos normalmente, mas será agregada penalidade de multa (consultar valor em uma Unidade de Atendimento) junto as taxas a serem pagas para a finalização do processo de regularização devido a alteração de característica sem permissão; Solicitar a "Autorização Prévia para Alteração de Características" e a autorização para o "Certificado de Segurança Veicular (CSV)". O cidadão deverá estar em posse dos documentos exigidos pelo DETRAN . Então, antes de sair por aí customizando, é importante ficar atento à legislação para evitar acidentes e dores de cabeças. Aí sim, sua moto estará pronta para desfilar pelos asfaltos e esbanjar estilo e beleza!

As inspirações para os projetos têm diversas origens, mas sempre bebendo na mesma fonte do vintage, do clássico do antigo. Nessa lista dos estilos mais "populares", vale lembrar que customização é imaginação, portanto não se trata de uma regra fixa, ou de uma receita fechada para cada tipo de moto customizada. A idéia é mostrar as principais vertentes e contar um pouco de suas origens. Conheça: Cafe Racer - As motos usadas pelos jovens ingleses nas décadas de 1950 e 60 tinham como característica a redução do peso para disputar "rachas" nos arredores de Londres. Além de retirar diversas peças, as Café Racers tinham guidão curvado para baixo, pedaleira recuada e banco solo com uma pequena carenagem no lugar que era reservado à garupa. O nome veio do hábito dos motociclistas daquela época de se encontrar nos cafés dos anéis viários de Londres.

Bobber - Outro antigo estilo de customização que nasceu nos Estados Unidos pós-Segunda Guerra Mundial. Contam que os soldados que retornavam das batalhas na Europa, queriam motos leves e mais ágeis do que as Harley e Indian disponíveis na "Terra do Tio Sam" e "arrancavam" as carenagens e peças supérfluas. Além disso, adotavam rodas do mesmo diâmetro na dianteira e na traseira para melhorar a ciclística. Reza a lenda que o termo tem origem nas corridas de cavalos, onde os treinadores "encurtam" (to bob) os rabos dos cavalos.

Scrambler - Outro estilo que tem atraído muitos adeptos atualmente são as scramblers. O estilo scrambler, cuja tradução remete a mistura ou mexida, data de 1949 quando foi lançada a Triumph TR5 Trophy, baseada na Speed Twin dos anos 1930. Além do motor bicilíndrico, a moto tinha inédita ciclística off-road: trazia pneus com cravos, posição de guiar e banco mais altos, guidão elevado, além de suspensão de maior curso e os icônicos escapamentos "correndo" pela lateral. A Trophy foi um divisor de águas por oferecer para o público o que até então era feito somente em garagens. Hoje em dia, os customizadores fazem o caminho inverso: transformam nakeds fabricadas em série em exclusivas e estilosas scramblers.

Criadas na Inglaterra dos anos de 1950 e 60, as Cafe Racers eram feitas para rachas nas estradas

As Bobbers tinham todas as peças supérfluas arrancadas para ficarem mais leves

As scramblers foram as antepassadas das offf-road, pneu de cravo, guidão alto e escape lateral


Agosto | 2017

Página 13

Foto: Deus Ex-Machina

Tracker - Em paralelo com as Scramblers, havia as Trackers, normalmente Harley, Indian e Triumph usadas nos circuitos ovais de terra batida. Este "esporte" e vertente ainda tem seus adeptos, Inspiradas nas motos que que investem altas somas correm em circuitos ovais de terra, as Trackers também para tornar as Harley comestão na moda petitivas nas pistas de terra; com pneus biscoito, guidões relaxados e outros detalhes como suspensão traseira a gás. Com a recente onda custom retrô, até a esportiva Ducati lançou uma versão tracker de seu modelo Scrambler. Também há as board trackers, que corriam em pistas de madeira, e mais recentemente, surgiram as street trackers, feitas para acelerar no asfalto.

Brat Style - O estilo criado por uma singular customizadora japonesa tem dado o que falar. No Japão, motos acessíveis como a Yamaha XS 650 ou Harley Sportster são largamente usadas para tais transformações, as quais incluem assentos baixos e retilíneos, além de lanternas pequenas e charmosas junto de para-lamas bem curtos. Bastante limpo e urbano, o estilo é reinventado mundo afora em diversas motos, com ou

sem alterações nos chassis. Muitas das customizações atuais têm influência da escola "brat": usam guidões retos vindos das trackers, suspensões rebaixadas e pintura escura e livre de cro- Motos japonesas, como as Honda dos anos de 1970, mados - no máximo partes servem de base para mecânicas polidas. transformações no estilo Brat

Rat Bike - Estilo mais raro de ser ver, o Rat Style funciona como nos carros "ratos": veículos antigos, com tanques e peças enferrujados que dão um visual largado, junto de mecânicas reluzentes e poderosas, ornando com toques de croCom peças enferrujadas e mados e detalhes minimalistas. visual apocalíptico, as Rat Motos em estado putrefato, ruins Bikes parecem saídas dos filmes de Mad Max para restaurar, costumam render bons exemplares para montar uma "ratona". A moto pilotada pelo personagem Daryl Dixon, na série de TV "The Walking Dead", é um bom exemplo de uma rat bike.

Streetfighters - Essa vertente da customização surgiu em meados dos anos 1990 na Europa: trata-se basicamente de "depenar" motos esportivas japonesas para aproveitar a cavalaria de seu motor, mas com uma ergonomia mais Esportivas de 4 cilindros e amigável, como nas nakeds. Ou- muitos cavalos de potência tro exemplo que surgiu nas gara- sem carenagem: assim são as streetfighters gens e ganhou a linha de montagem das fábricas, caso da Triumph Speed Triple que era a Daytona 955i sem carenagem.

Baggers - O termo "bagger" pode ser explicado como uma moto HarleyDavidson com saddlebags, as malas laterais em geral rígidas. Originárias dos Estados Unidos, as baggers Com malas rígidas e roda aro também ganham pinturas 21 na frente, essa Indian é um chamativas, rodas maiores legítima bagger americana. (algumas até aro 19 ou 21 na dianteira) em geral cromadas e reluzentes. O estilo faz tanto sucesso por lá que a americana Victory até criou uma bagger de fábrica, a Magnum. Foto: Felix Romero/Divulgação

Chopper - Para ser classificada como uma chopper, uma moto precisa ter sofrido uma mudança fundamental: o garfo dianteiro deve ter sido alongado e o ângulo de cáster aumentado. O meGarfo alongado, guidão lhor exemplo de chopper é a alto e sissy bar marcam as choppers, como a famosa "Capitão América", pilotada por Capitão América Peter Fonda no filme "Easy Rider". Aliás, foi nessa época - os loucos anos 1960 - que elas surgiram com cores psicodélicas e seus guidões altos. Tom Fugle do El Forastero, um dos primeiros motoclubes norte-americanos, é considerado um dos pioneiros no estilo chopper.

Foto: John de Koning/Divulgação

FOLHA DO BATEL

Art bikes - Mais raras e exclusivas, as "Art bikes", ou "motos arte" são o resultado da visão singular de alguns customizadores inspirados. Essas motos são mais um exercício de escultura cinética do que um meio de trans- As Art Bikes, como essa do americano Maxwell Hazan, são porte. Bons exemplos no ce- feitas mais para admirar do nário internacional são as que para rodar motos do americano Maxwell Hazan ou do japonês Shinya Kimura, radicado nos Estados Unidos. São verdadeiras obras de arte, lindas de se olhar, mas sem a preocupação com o conforto e nem com a maneabilidade. Fonte: Agência Bestriders e INFOMOTO e Detran

ANUNCIE AQUI! www.jornalfolhadobatel.com.br

3274.0104 | 3402-3721


Página 14

FOLHA DO BATEL

Agosto | 2017

Saúde

Estado repassou mais de R$ 522 milhões para fortalecer sistema de saúde da capital Obras em unidades de saúde (US), melhorias em hospitais estratégicos, incentivos de custeio para ações e serviços de referência, ambulâncias, equipamentos, medicamentos para a rede básica e recursos para mutirões de consultas, exames e cirurgias especializadas. Tudo isso faz parte de um amplo conjunto de investimentos do Governo do Estado para resgatar o sistema de saúde de Curitiba. Desde 2011, o volume de recursos repassados já ultrapassa a marca de R$ 522 milhões, segundo o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto. "Trata-se de um grande esforço que temos feito para reestruturar a rede pública de saúde da nossa capital. Queremos transformar Curitiba novamente em uma cidade modelo na área da saúde, oferecendo o que há de melhor à população", comenta o secretário. ATENÇÃO PRIMÁRIA Somente para obras na rede básica foram destinados cerca de R$ 8,2 milhões. Quatro unidades de saúde, previstas para serem construídas no início da gestão do governador Beto Richa, já estão prontas e beneficiam moradores de Campo Alegre (CIC), Vila Sabará (CIC), Coqueiros (Sítio Cercado) e Xa-

xim (Sítio Cercado). Há ainda a construção da US do Jardim Aliança (Santa Cândida), que está em fase final de conclusão. De acordo com Caputo Neto, também estão garantidos recursos para a reforma de outras 13 unidades de saúde. Nesta primeira etapa serão contempladas: US Vista Alegre, US Tingüi, US Fernando de Noronha, US Nossa Senhora da Luz, US Moradias da Ordem, US Abaeté, US Caximba, US Palmeiras, US Caiuá, US Parque Industrial, US Ipiranga, US Pompéia e US Dom Bosco. O investimento será de até R$ 150 mil em cada obra. "A saúde começa pela base e é nesta lógica que estamos trabalhando. Ao fortalecer a retaguarda de atendimento nos bairros, levamos assistência de qualidade para mais perto das pessoas", detalha o secretário. A expectativa é que todas as obras sejam finalizadas até o ano que vem. MEDICAMENTOS No início deste ano, o Governo do Estado teve que repassar, em regime de urgência, R$ 4 milhões à prefeitura para a compra de medicamentos. O motivo foi o desabastecimento de unidades de saúde, unidades de pronto atendimento (UPA) e hospitais, que ne-

cessitavam desde analgésicos e antitérmicos até antibióticos. Com esta ação, foi possível normalizar os estoques das farmácias municipais. O Governo mantém ainda, no centro de Curitiba, uma das maiores farmácias públicas do país. O local atende 28.700 pessoas, sendo mais de 20 mil usuários da capital e o restante dos 28 municípios da região metropolitana. São fornecidos gratuitamente 232 tipos de medicamentos para o tratamento de pelo menos 80 doenças. Nesta semana, a unidade curitibana do Programa Farmácia do Paraná alcançou a marca de 200 mil atendimentos em 2017. "Um volume expressivo que demonstra a importância desta estrutura para toda a co-

munidade. Aqui, atendemos pessoas que dependem destes medicamentos para sobreviver e ter melhor qualidade de vida", explicou o diretor da 2ª Regional de Saúde Metropolitana, Guilherme Graziani. URGÊNCIA E EMERGÊNCIA O apoio do governo estadual à rede de saúde da capital se estende também à retaguarda de urgência e emergência. São incentivos a hospitais de referência, através do programa HospSUS (de apoio aos hospitais públicos e filantrópicos); recursos para o custeio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) e do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate 193); sem contar

o apoio destinado à manutenção do Serviço de Transporte Aeromédico, com um avião UTI e um helicóptero de resgate à disposição. Nos últimos anos, o Estado foi responsável também pela renovação da frota do Siate, além de auxiliar na reposição de ambulâncias do Samu. "Tudo isso tem impacto direto na agilidade e eficiência do atendimento à população. Em situações de urgência e emergência, cada minuto é importante e pode ser decisivo para salvar uma vida", declara o coordenador da Rede Paraná Urgência, Vinícius Filipak. Recentemente, o Estado e a prefeitura inauguraram dois novos helipontos para ampliar as opções de pouso do helicóptero de resgate na capital. Além do Hospital do Trabalhador, que já detinha a estrutura, agora o Hospital Cajuru e a UPA do Tatuquara também mantém helipontos em operação 24 horas por dia. FUTURO E as ações do Governo do Paraná com o objetivo de melhorar o atendimento de saúde dos curitibanos não param por aí. Duas novas obras financiadas pelo Estado devem trazer ganhos importantes a todo o sistema de saúde. Uma delas é a

construção do "Anexo da Mulher" do Hospital do Trabalhador, no bairro Novo Mundo. Segundo o diretor-geral do HT, Geci Labres de Souza Júnior, a unidade deve ser inaugurada no primeiro semestre do ano que vem. "Esta é a maior obra de ampliação de toda a história do nosso hospital. O projeto só saiu do papel graças ao investimento de R$ 7,5 milhões do Estado", enfatizou. O Anexo da Mulher, com mais de 4 mil metros quadrados, vai abrigar os serviços da maternidade; atendimento de ginecologia e obstetrícia; UTIs, leitos de internação e uma série de outros setores voltados exclusivamente ao atendimento feminino e materno-infantil. A outra obra é do "Erastinho", a unidade infantil do Hospital Erasto Gaertner, especializado em oncologia. Entre 2017 e 2018, o Estado deve investir R$ 12 milhões na construção do prédio, que vai melhorar as condições de tratamento do câncer em crianças. A expectativa é ampliar de 20 para 39 o número de leitos infanto-juvenis, permitindo o atendimento de 300 novos casos por ano. Poderão ser feitas, no local, até 17 mil consultas, 500 cirurgias e mais de 85 mil procedimentos anualmente.


Agosto | 2017

O Motociclista Machão Vinha pela estrada uma caravana de motociclistas fortes, bigodudos em suas poderosas motos, quando de repente eles vêem uma garota a ponto de saltar de uma ponte a um rio. Eles param e o líder deles particularmente corpulento e de aspecto rude, salta, se dirige a ela e pergunta: - Que diabos você está fazendo?? - Vou me suicidar - Responde suavemente a delicada garota com a voz cadenciada e ameaçando pular. O motociclista pensa por alguns segundos e finalmente diz: - Bom, antes de saltar por que não me dá um beijo? Ela acena com a cabeça, bota de lado os cabelos compridos encaracolados e dá um beijo longo e apaixonado na boca do motociclista parrudão. Depois desta intensa experiência, a gangue de motoqueiros aplaude, o líder recupera o fôlego, alisa a barba e admite: - Este foi o melhor beijo que me deram na vida. É um talento que se perderá caso você se suicide. Por que quer morrer? - Meus pais não gostam que eu me vista de mulher!!!… A Pulga Friorenta Duas pulgas (ou melhor, pulgos, porque eles eram muito machos) conversavam: - Essa noite quase morri de frio, cara! - diz o primeiro. - Você dormiu aonde? - perguntou o amigo. - Dormi no bigode de um motoqueiro! - Você é doido, cara? Os motoqueiros vivem zanzando por aí e quem sofre é você que fica com o vento batendo na cara! - Pois é! Nem me fala...

FOLHA DO BATEL

- Quer um lugar legal pra você dormir? Procura uma mulher de saia, sobe na perna dela e vai reto toda vida! Você vai chegar numa floresta quentinha, aí é só se esconder e dormir, sossegado! Empolgadíssimo, o pulgo logo encontrou uma mulher de saia e seguiu as recomendações do amigo. Uma semana depois eles se reencontram: - E aí, cara? Fez o que eu te falei? - Você tava me sacaneando, né? - esbravejou o pulgo friorento, partindo pra cima do amigo. - Calma, cara! O que aconteceu? Não achou a floresta quentinha? - Achar eu achei! Mas eu tava dormindo sossegado e começou uma confusão danada! Fui tão chacoalhado que fiquei tonto e, quando dei por mim, tava de novo no bigode do motoqueiro! O velhinho e os motoqueiros Um velhinho está comendo no balcão de um restaurante de estrada, quando entram três motoqueiros "Hell's Angels" (aqueles caras que vestem roupas de couro preto e que gostam de mostrar sua força quando estão em bando). O primeiro, vai até o velhinho, apaga o cigarro em cima do bife dele e vai sentar na ponta do balcão. O segundo, vai até o velhinho, cospe no copo dele, e vai sentar na outra ponta do balcão. O terceiro, vira o prato do velhinho, e também vai sentar na outra ponta do balcão. Sem uma palavra de protesto, o velhinho levanta e vai embora. Depois disso , um dos motoqueiros diz ao garçom: - Esse sujeito não era homem! O garçom responde: - E nem bom motorista. Acabou de passar com o SCANIA dele em cima de três motos…

Página 15


Pรกgina 16

FOLHA DO BATEL

Agosto | 2017

Folha do batel 193  

Folha do Batel ed. 193, Especial jóias, customização de motos, tatuagem, entrevista Hilda Machado, Wooden Design, Joiart, Artesanal Jóia, D...