Page 1

Página 07

O Monalisa Touch método que acaba de chegar no Brasil na Clinica Bali , o laser de CO2 fracionado que combate a atrofia vaginal

Páginas 13 e 14

CURITIBA | PARANÁ Distribuição Dirigida nos bairros: • Batel • Bigorrilho • Ecoville • Seminário • Centro • Março 2019 • Ano 18- R$ 1,00

210

Especial Rua Saldanha Marinho, histórico, reivindicações e depoimento dos empresários da região Páginas 8, 9 e 10

Praça Santos Dumont entre as ruas Saldanha Marinho e Cruz Machado em frente a Secretaria de Cultura


Março | 2019

FOLHA DO BATEL

Página 02

Edit orial 2 10 Editorial 21 Em 2019 o Festival de Teatro de Curitiba completa 28 edições e se tornou referência no cenário teatral brasileiro, com espaço reservado na agenda cultural do país. Hoje o Festival é considerado uma grande vitrine do teatro brasileiro, mais de 5 mil espetáculos já fizeram parte dessa história. Ano a ano companhias de todo Brasil e do mundo, promovem esse encontro de enorme diversidade artística e humana - Desde 1992 o Festival de Teatro de Curitiba é o carro chefe dessa imensa reunião de manifestações culturais, que ainda tem sob seu guarda-chuva eventos consagrados como Risorama, Gastronomix, MishMash e Guritiba - ingrediente especial que faz do evento um grande sucesso. Reunindo diversas formas de arte como dança, circo, stand-up, improviso e gastronomia, mas mantém o pé firme no teatro. Reivindicar corresponde a ação de tentar readquirir algo que está na posse de outrem. Este verbo ainda pode se referir ao ato de solicitar alguma coisa que se deve possuir por direito. Neste sentido, o verbo reivindicar é comumente utilizado quando se deseja transmitir a idéia de algo a ser constantemente solicitado como se fosse uma obrigação a ser seguida ou adquirida. O ato de reivindicar por direitos é um dever cívico de todos os indivíduos que convivem em comunidade. As reivindicações deste cunho têm o propósito de trazer melhorias para a qualidade de vida e trabalho de determinada classe ou grupo social, por exemplo . No caso em questão estamos como enfoque, os comerciantes da Rua Saldanha Marinho lá onde começa o marco zero de Curitiba , solicitações e espera por uma revitalização na rua dos seus estabelecimentos onde ganham seus pães e pagam seus impostos. Desejo a todos os nossos leitores uma Feliz Páscoa! Que a paz e o amor invadam suas casas , suas empresas e seus corações, lembrando sempre que o caminho da realização pessoal é determinado através da retribuição da vida ao mundo e às pessoas. Que a nossa cumplicidade possa permanecer sólida. Que possamos continuar acreditando no amanhã. Até a próxima edição . Boa leitura! Celina Ribello

Frases de Nelson Rodrigues Não se apresse em perdoar. A misericórdia também corrompe. O dinheiro compra até amor verdadeiro. Só o cinismo redime um casamento. É preciso muito cinismo para que um casal chegue às bodas de prata. O jovem tem todos os defeitos do adulto e mais um: o da inexperiência. O pudor é a mais afrodisíaca das virtudes. No Brasil, quem não é canalha na véspera é canalha no dia seguinte. Só o rosto é indecente. Do pescoço para baixo, podia-se andar nu. O brasileiro não está preparado para ser o maior do mundo em coisa nenhuma. Ser o maior do mundo em qualquer coisa, mesmo em cuspe à distância, implica uma grave, pesada e sufocante responsabilidade. As grandes convivências estão a um milímetro do tédio. A liberdade é mais importante do que o pão. O artista tem que ser gênio para alguns e imbecil para outros. Se puder ser imbecil para todos, melhor ainda. Qualquer indivíduo é mais importante do que toda a Via Láctea. A plateia só é respeitosa quando não está a entender nada. Não existe família sem adúltera. O amor entre marido e mulher é uma grossa bandalheira. É degradante que um homem deseje a mãe de seus próprios filhos.

Nelson Rodrigues, o maior dramaturgo brasileiro

Nelson Rodrigues revolucionou o teatro colocando o subúrbio do Rio de Janeiros nos palcos. Polêmico, o autor não tinha pudores para escrever sobre adultério, crime, suicídio, morte e preconceito. Com isso, apesar de ter apoiado o Golpe de 64, teve suas peças censuradas durante o período militar. Além do trabalho como dramaturgo, Rodrigues atuou como jornalista nos principais jornais da capital carioca. Começou com apenas 13 anos no jornal do pai, sendo responsável pelas matérias policiais do periódico. Ficou conhecido também pelas crônicas de futebol. Apaixonado pelo Fluminense, o autor deu mais charme ao clássico Fla x Flu, já que, segundo ele, "O Fla-Flu começou quarenta minutos antes do nada". MOVIMENTO LITERÁRIO Nelson pode ser classificado como um autor do modernismo, geração de 45. Também fizeram parte do movimento literário: Ariano Suassuna, Guimarães Rosa, Clarice Lispector e João Cabral de Melo Neto. Quanto ao estilo, o escritor apostava na linguagem coloquial para escrever suas peças e crônicas. Retratava assim, a realidade de forma clara e sem eufemismos. O erotismo também era muito presente em seus textos, o que causou muita polêmica e censura. Entre as principais obras, estão "Anjo Negro", "Vestido de Noiva", "Álbum de Família" e "O

Beijo no Asfalto". BIOGRAFIA Escritor, dramaturgo e jornalista, Nelson Falcão Rodrigues foi reconhecido pelas três funções. Filho do também jornalista Mário Rodrigues e de Maria Esther Falcão, o escritor nasceu em Recife, Pernambuco. Foi morar no Rio de Janeiro com a família quando ainda era bem novinho, em 1916, o pai fugia de perseguições políticas na época. O escritor morou na Zona Norte da cidade, região que inspirou diferentes histórias. Foi para Copacabana quando a família ganhou mais dinheiro. Começou a carreira no jornal do pai, "A manhã". Era um repórter policial com 13 anos apenas. Os irmãos também trabalhavam no jornal do pai, Mário Filho era responsável pelo esporte e Roberto era o ilustrador. A profissão rendeu boas histórias. O pai perdeu o jornal para o sócio e deu início ao "Crítica" com a ajuda de Fernando de Melo Viana, que bancou o novo empreendimento. Além de trabalhar no novo negócio do pai, Nelsou foi funcionário do jornal "O Globo". Inclusive, foi Roberto Marinho que pagou o tratamento contra tuberculose que Nelson teve que fazer na década de 30. Casou-se com Elza Bretanha em 1940. Cinco anos depois, passa a trabalhar no "O Jornal", do grupo de Assis Cha-

teaubriand. E em 1950, segue para o "Última hora", de Samuel Wainer. Na vida amorosa, relacionou-se também com Lúcia Cruz Lima e com Helena Matia. Em 1977, voltou com a primeira mulher. Nelson era um apaixonado por futebol, em especial pelo time do coração, o Fluminense. Escreve, a partir de 1962, crônicas com temática esportiva. Seus textos sobre o tricolor das laranjeiras eram publicados no "Jornal dos Sports". O escritor adorava o clássico Fla x Flu e chegou a escrever sobre o assunto. TEATRO No teatro, "A Mulher Sem Pecado" foi a primeira peça, mas foi com "Vestido de Noiva" que Nelson obteve sucesso na dramaturgia. Outras peças importantes do autor foram "Anjo Negro" e "Álbum de Família", que chegaram a ser censuradas. Por seus temas polêmicos, Nelson era muito criticado pelos religiosos, em especial o arcebispo Dom Hélder Câmara. O autor apoiava a ditadura militar, regime que chegou a torturar um de seus filhos. Conservador nos ideais políticos, deixou marcas revolucionárias em suas obras, modificando assim a dramaturgia nacional. Não chegou a se candidatar a uma cadeira na Academia Brasileira de Letras, apesar do desejo. Fonte: Funarte

Expediente Razão Social: Celina Susy Pires Ribello ME Jornalista Profissional: Celina S. P. Ribello - CRTE /PR | Habilitação: 8221 Diretora Executiva: Celina S. P. Ribello Rua Paulo Gorski, 181 CNPJ: 07478063/0001-05 Fone: 3274- 0104 - Fax: 3402-3721 www.jornalfolhadobatel.com.br | contato@jornalfolhadobatel.com.br. | Diagramação: Tatiana Carla de Souza Distribuição: Dirigida e Gratuita | Periodicidade: Mensal As matérias assinadas não expressam, necessariamente, a opinião do jornal. CNPJ CONTRATADO: 07478063/0001-05


Março | 2019

COLUNA TIOM KIM

A Miss e atleta Mônica Gulin recebeu em sua residência em Jurerê Internacional (SC) o fotógrafo Matheus de La Palm para ensaio fotográfico exclusivo. Mônica na foto com este colunista e tendo ao fundo obra do artista plástico Luiz de Souza.

Marco Tulio Vargas, Lorena Schwartz, Maria Inês Borges da Silveira, Dra. Mara Cordeiro e Valéria Borges da Silveira na reunião de abertura das ações culturais da Academia de Cultura de Curitiba.

O cineasta Tulio Viaro e a produtora Dani Pie tiveram o longa metragem produzido com bonecos, "O Bem Aventurado" selecionado na mostra Brasil do Festival Internacional de Cinema de Cartagena na Colômbia. O Festival que aconteceu de 6 a 11 de março contou com as presenças do ator Michael Shanon e do diretor Ethan Coen.

Página 03

FOLHA DO BATEL

Mulheres em alta no gerenciamento de grandes redes hoteleiras: Mônica Arns, gerente do Radisson Hotel, Bruna Coelho, do Hotel Go In e Camila Silva, do Four Points by Sheraton.

O artista plástico Marcos Bento recebeu as artistas Uiara Bartira e Katia Velo em sua exposição "Fractal" no Museu Guido Viaro, com curadoria de Edson Busch Machado.

Jovens alunos da PUC/PR do grupo de Teatro Tanahora em cena na peça "Inspetor Geral", de Gogól. Direção e (foto) de Chico Nogueira. A peça faz parte do FRINGE do Festival de Curitiba. Acontece nos dias 30 e 31 de março e dias 06 e 07 de abril na Tribuna PUC (rua Imaculada Conceição,1155). Horário: 19h30 ENTRADA FRANCA (apenas 70 lugares)

Gastronomix recebe premiados chefs da América Latina em dois dias de quermesse da alta gastronomia.Evento do Festival de Curitiba reúne música, sabor e arte nos dias 6 e 7 de abril, no Museu Oscar Niemeyer. Na foto o chef Marcos Sodré, do restaurante Sawasdee, do Leblon, no Rio de Janeiro, vencedor do prêmio Veja Comer & Beber de "Melhor Asiático" por cinco anos seguidos, assim como do prêmio Rio Show como 'Melhor Oriental da Cidade". Valores: R$ 12,00 (não consumível) + taxa administrativa .Ingressos: Antecipadamente pelo site www.festivaldecuritiba.com.br, aplicativo: Festival de Curitiba 2019 e nas bilheterias do Shopping Mueller, ParkShoppingBarigui e durante o evento. Classificação: Livre

Isadora Ribeiro estará com o espetáculo Diário de Bordo no Festival de Curitiba Nos dias 03 e 04 de Abril, às 21h. No Teatro Lala Schneider


Página 04

FOLHA DO BATEL

Março | 2019

Quem possue direito a aposentadoria especial? Diante da votação da Reforma da Previdência, os trabalhadores que possuem direito a aposentadoria especial devem saber que devido ao trabalho em contato com agentes nocivos a saúde, podem aposentar-se com no máximo 25 anos de trabalho, sem a exigência de idade mínima e recebendo 100% de sua aposentadoria, o que é garantido pelo artigo 57 da Lei 8.213/1991. E porque a urgência desse assunto? Pois o texto da reforma da previdência, endurece muito as regras, institui idade mínima e, diminui o valor do benefício. O que muitos trabalhadores não sabem é que por se submeterem a condições especiais,ou profissões especiais com contato com agente nocivo, já possuem direito a aposentar-se após 25 anos de trabalho apenas. Quais são essas condições especiais? As condições especiais, refere-se a qualquer trabalho que exponha o trabalhador a algum dos agentes abaixo: • Agentes Físicos: Ruído acima da tolerância legal, Calor, Radiação Ionizante, Trepidação, etc. • Agentes Químicos: Arsênio, Amianto, Benzeno, Cloro, fosforo, petróleo, gasolina, sílica, hidrocarbonetos em geral, etc. • Agentes Biológicos: Sangue humano, materiais hospitalares ( perfuro cortantes), pacientes, doenças infecto contagiosas, lixo hospitalar,etc. • Agentes Perigosos: Arma de fogo, eletricidade acima de 25 volts, entre outros.

Quais são as profissões especiais? Elencamos algumas profissões quesão reconhecidas como especial até hoje, seja por categoria profissional ou pela apresentação de documentação como o PPP ( Perfil ProfissiograficoPrevidenciário). O que os trabalhadores precisam ter conhecimento é que até hoje há o direito a aposentadoria especial nas profissões abaixo descritas. PROFISSÃO • MÉDICOS, DENTISTAS, ENFERMEIROS • ENFERMEIROS, AUXILIARES, TÉCNICOS DE ENFERMAGEM, TÉCNICOS DE LABORATÓRIO E PES-

SOAL DA LIMPEZA DOS HOSPITAIS. • ELETRICISTAS • ENGENHEIROS • ESTIVADORES, ARRUMADORES E TRABALHADORES PORTUÁRIOS E DE SILOS. • GUARDAS OU VIGILANTES COM USO DE ARMA DE FOGO • FRENTISTAS, LAVADORES E DEMAIS PROFISSIONAIS QUE TRABALHAM EM POSTOS DE COMBUSTÍVEIS. • METALÚRGICOS • MINERADORES • MOTORISTA DE ÔNIBUS E CAMINHÃO • SOLDADORES • TÉCNICOS EM RADIOLOGIA • COBRADORES DE ÔNIBUS Diante disso, por mais que o pedido de aposentadoria seja inicialmente negado pelo INSS, o benefício da aposentadoria especial é concedido judicialmente. Deste modo, o ideal é que aqueles que já possuem 25 anos de comprovado exercício nas condições acima descritas, busquem maiores orientações para verificar se já se encaixam nos requisitos atuais e busquem o melhor benefício . Autora: Dra. Thaissa Taques: advogada, Especialista em Direito Previdenciário, sócia fundadora da Taques e Paiva Advocacia, Escritório de Advocacia especializado em Direito Previdenciário. thaissa@btconsultoria.com OAB/PR 44.398


Março | 2019

FOLHA DO BATEL

Uma das técnicas mais utilizadas na odontologia para reposição de dentes é a carga imediata. Esta técnica consiste na colocação de implantes, que são os pinos em titânio, e a reposição dos dentes em curto prazo de tempo que pode variar de 5 a 7 dias se o paciente possuir uma boa estrutura óssea. Para pacientes que usam as dentaduras móveis, são colocados de 5 a 6 implantes na parte superior (maxila) e de 4 a 5 implantes na parte inferior (mandíbula) e, conseguindo realizar a

O que define sua realização é

Para você que gostaria de se

técnica, são confeccionadas as

a quantidade e qualidade óssea

livrar de sua protese móvel, ligue

próteses completamente fixas, re-

durante o procedimento de anco-

e agende sua avaliação na Den-

pondo todos os dentes e sem o

ragem dos implantes.

talimplantes e restabeleça sua

A carga imediata é uma téc-

função mastigatória, garanta um

Este tratamento pode ser rea-

nica segura que traz inúmeros be-

novo e belo sorriso e sua autoesti-

lizado em pacientes completa-

nefícios aos pacientes. além de

ma renovada.

mente desdentados, portadores

um tempo reduzido de tratamen-

Sorria para vida que ela

de dentaduras móveis, pacientes

to, devolve a capacidade mastiga-

sorrirá pra você.

com falhas parciais ou que per-

tória, a estética, a qualidade de

Na Dentalimplantes você

deram apenas um dente.

vida e autoestima.

"céu da boca" na parte superior.

pode mais.

Página 05


Página 06

#CuritibaSuaLinda

Março | 2019

FOLHA DO BATEL

Curitiba: Capital nacional dos jornais de bairros Na foto os diretores dos principais jornais de bairro de Curitiba

Sete presentes para comemorar os 326 anos da cidade com estilo Curitiba celebra 326 anos no dia 29 de março, mas durante todo o mês a Prefeitura vai oferecer uma programação recheada de eventos, inaugurações e lançamentos. Quem visita a capital também poderá entrar no clima de aniversário e as lojas da rede #CuritibaSuaLinda são o melhor lugar para encontrar produtos artesanais e de design que trazem a identidade curitibana. "O aniversário é de Curitiba, mas quem ganha o presente são os turistas, que podem materializar a experiência de visitar nossa capital e, o próprio curitibano, que pode expressar seu sentimento de pertencimento à cidade, através de um presente adquirido nas lojas", destaca Tatiana Turra, presidente do Instituto Municipal de Turismo. Administrada pela Urbs, a rede #CuritibaSuaLinda conta com três unidades: no Mercado Municipal, na Torre Panorâmica das Mercês e no Palacete Wolf, no Largo da Ordem. O quarto ponto será aberto no dia 19 de março, no Espaço Cultural David Carneiro, no Batel. "Nos próximos meses, também serão abertas as unidades do Parque Tanguá e do Jardim Botânico", antecipa o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto. A partir de R$ 2 Qualidade, bom gosto e variedade de preços são diferenciais dos cerca de 200 suvenires artesanais com temas da capital, entre roupas, acessórios, bijuterias, decoração, utilidades domésticas, livros e papelaria. Os preços variam de R$ 2 (cartões-postais de pontos turísticos) a R$ 1,1 mil (espelho em mosaico que remete aos famosos petit-pavê). Também não faltam, é claro, os sempre curingas chaveiros (R$ 4 a R$ 15), tags de malas (R$ 15) e ímãs de geladeira (R$ 4 a R$ 25), que encantam por imagens clássicas da cidade e divertidos dizeres curitibanos (piá, vina, mimosa...).

Um desfile de moda conceitual com estampas inspiradas em artistas curitibanos e peças de artesãos locais marcou na terçafeira (19/3) a abertura da quarta e maior loja da rede #CuritibaSuaLinda. Inaugurada pelo prefeito Rafael Greca e pela primeira-dama, Margarita Sansone, a nova unidade fica no Espaço Cultural David Carneiro, anexo ao centro de convenções do Hotel Pestana, entre as ruas Brigadeiro Franco e Comendador Araújo, no Centro.

São Paulo e Rio de Janeiro concentram um grande número de jornais de bairros, mas não tanto quanto Curitiba: 53 jornais de bairros circulam na capital dos paranaenses. O número é o maior entre todas as cidades brasileiras, dando a Curitiba o título de "Capital nacional dos jornais de bairros". Isto é, capital nacional da imprensa comunitária. Curitiba é uma cidade onde a mídia escrita não está monopolizada por poderosos grupos econômicos ou famílias poderosas, graças aos jornais de bairros. É difícil precisar com exatidão o surgimento do primeiro jornal de bairro de Curitiba. Nas décadas de 1980 e 1990 teriam surgido os primeiros jornais de bairros. O Jornal Água Verde, cuja primeira edição circulou em abril de 1991, manteve publicação ininterrupta durante quase três décadas - 27 anos, e continua circulando. Hoje a maioria dos jornais de bairros de Curitiba está filiada à Associação dos Jornais de Bairros do Paraná, presidida por Fábio Rocha do jornal Realidade Notícias de Santa Felicidade. Embora o número seja elevado 53 jornais de bairros -, demonstrando resistência em um mercado onde grandes jornais faliram ou fecharam suas portas nos últimos anos, uma grande parte desses jornais trabalha de forma incipiente; mas a maioria produz matérias próprias, defende os interesses das comunidades onde estão inseridos, isto é, não se limitam a - preguiçosamente - copiar ou reproduzir matérias de alguns sites. No ano passado, durante reunião da Associação dos Jornais de Bairros do Paraná com o prefeito Rafael Gre-

ca, o prefeito falou da importância dos jornais de bairros, a mídia escrita que resiste ao tempo enquanto porta-voz das comunidades. Antes do surgimento dos jornais de bairros os grandes jornais de Curitiba só publicavam matérias policiais sobre os bairros. Foram as próprias comunidades organizadas que fortaleceram os jornais de bairros para que suas vozes fossem ouvidas, e os bairros passassem a ser considerados e respeitados na mídia escrita. Defensores das mídias digitais argumentam que o tempo da imprensa escrita passou, que os jornais impressos teriam sido superados pela mídia digital. Mentira. O jornal de bairro não sofre com o surgimento da mídia digital porque é uma mídia concreta, entregue nas mãos do consumidor, onde ele comprova o resultado da sua publicação de forma real. O jornal entregue gratuitamente na vizinhança do comerciante que anuncia é a melhor forma de obter retorno, porque a internet é "terra de ninguém", onde circula muita mentira, muita fake news. Alguns vendedores de mídias digitais apresentam relatórios fantasiosos sobre alcances de anúncios veiculados em sites, mas não dizem que quase um terço dos cliques em propagandas digitais em todo o mundo é feito, na verdade, por robôs. As práticas fraudulentas já equivalem a 29% do tráfego relativo a anúncios digitais na internet, declarou Keith Weed, diretor global de marketing da Unilever, em apresentação no Festival de Cannes Lions, na França. Segundo o executivo, os robôs, chamados de bots, causam perdas de US$ 6 bilhões a US$ 10 bilhões globalmente. Qualquer pessoa pode contratar serviços de um

robô para ficar clicando no seu site ou anúncio - mas isso é fraude. No Rio de Janeiro o Jornal do Brasil abandonou a forma impressa e se arrependeu. Anos depois voltou a circular na forma impressa. Diversos jornais de bairros de Curitiba contam com sites muito bem feitos. Na maioria dos casos, o número de leitores no site do jornal supera em muito o número de leitores da edição impressa, fazendo com que o anunciante ganhe duas vezes: na edição impressa e na edição digital. A maior parte das agências de propaganda, detentoras das grandes contas publicitárias, não anuncia nos jornais de bairros porque os valores dos anúncios são baixos, e, portanto, as comissões das agências são pequenas. Preferem mídias caras porque ganham mais, mesmo considerando que para o anunciante a mídia de bairro seja mais interessante e lucrativa. Grandes empresas nacionais e internacionais escolhem Curitiba para o lançamento de produtos. Dizem que se o produto é aprovado em Curitiba, ele conquistará o país. E o mesmo se aplica aos jornais de bairros. Não é por acaso que os jornais de bairros dão certo em Curitiba. O custo do jornal de bairro é muito pequeno se comparado a outras mídias. Na maioria das vezes o proprietário do jornal de bairro é o fotógrafo, o repórter, o redator e o vendedor do jornal. A mídia comunitária é a verdadeira imprensa democrática, livre, soberana, não atrelada a grupos econômicos ou políticos que dominam e manipulam as comunicações. José Gil, diretor do Jornal Água Verde e Jornal da Rua XV


Março | 2019

Página 07

FOLHA DO BATEL

Chega ao Brasil tratamento a laser que combate atrofia vaginal da menopausa De acordo com publicações científicas, mais de 50% das mulheres do grupo estudado após três anos da menopausa apresentam atrofia vaginal. A novidade trata a condição sem o uso de hormônios ou medidas paliativas A atrofia vaginal causa ressecamento, perda da elasticidade, ardor, aumento de infecções vaginais, disúria (dor ao urinar), noctúria (urgência de urinar à noite), dispareunia (dor no ato sexual), sangramentos em casos acentuados e autoestima prejudicada . Segundo a ginecologista Vera Lucia da Cruz professora da Faculdade de Medicina do ABC, que iniciou o primeiro estudo clínico da técnica no Brasil., em entrevista no portal Terra " Na maioria dos casos, a atrofia vaginal é decorrente da queda hormonal estrogênica passados os anos da menopausa, mas pode-se encontrá-la em alguns casos de tratamentos radioterápicos e medicamentosos, por exemplo. O tratamento até hoje descrito para atrofia vaginal é a terapia hormonal, mas nem todas as mulheres podem fazer

uso do medicamento. Pacientes com riscos de cânceres ginecológicos e doenças sistêmicas crônicas, por exemplo, apresentam contra-indicações para a terapia hormonal . Observa-se que vida sexual ativa e frequente, por estimulação e atrito da parede vaginal, pode retardar a atrofia vaginal, mas isso não vai impedir que, com o avançar da idade, o quadro se instale gradativamente. " "Infelizmente, a atrofia vaginal é uma condição subestimada e um tabu que pode trazer sofrimento. É importante que as

mulheres procurem ajuda médica e saibam das opções de tratamento. informa Dra Vera Um novo tratamento promete combater o problema sem o tradicional uso de hormônios ou medidas paliativas, como gel ou creme. Desenvolvido pela empresa italiana Deka, o Monalisa Touch é realizado por meio de um laser de CO2 fracionado. O laser age na lâmina própria da parede vaginal (corresponde à derme da nossa pele), estimulando por efeito térmico a formação de fibras de coláge-

no, reticulares e elásticas. A resposta clínica esperada superou expectativas nos tratamentos realizados. Há, no entanto, a necessidade de estudos complementares para comprovar a segurança e a eficácia da técnica. Isso acontece para qualquer novo tratamento que entra em nosso País no ramo da medicina. Segundo o fabricante, a aplicação não dura mais que 15 minutos e é indolor, ocorrendo apenas uma leve sensação de calor. É contra-indicada para mulheres grávidas, que tenham

doenças sexualmente transmissíveis ou que apresentem mudanças de citologia no último Papanicolau, inflamações da vulva ou doenças relacionadas à coagulação sanguínea. É uma alternativa segura e viável para mulheres na menopausa, que podem se beneficiar de um tratamento não-hormonal. O custo é de cerca de R$ 1,5 mil por sessão. O que determina a quantidade de sessões são reavaliados os parâmetros do tratamento a cada nova aplicação. Na maioria dos casos, resolve-se

o quadro com duas sessões com intervalos de 45 dias entre elas. As atrofias acentuadas ou paredes vaginais que sofreram atrofia por mais anos seguidos podem necessitar da terceira aplicação. A resposta clínica favorável pode durar um ano ou até mais, se a paciente tem vida sexual ativa. Com o ressurgimento de sintomas será indicado novo tratamento. Conclui a ginecologista Para o coordenador científico da Academia Internacional de Ginecologia Cosmética, o dermatologista italiano Nicola Zerbinati, que fez parte do Comitê Científico de análise do novo projeto, os resultados significam um retardo no relógio biológico da mulher em torno de 15 a 20 anos. Em Curitiba a conceituada Clínica Bali que completa 20 anos de funcionamento possui equipamento próprio sem necessidade de fila de espera . "Eu mesma utilizei o método Monalisa Touch para atrofia e incontinência urinária obtive um resultado excelente!! Além da estima ir lá em cima. " declara Eliane Abreu Camargo consultora da Clinica Bali.


Página 08

FOLHA DO BATEL

Março | 2019

As diversas expressões da rua Saldanha Marinho

"Quase no final da via, trecho sem anti-pó nem parece pertencer à Saldanha Marinho.

"Catedral, ao fundo, marca o início da Rua Saldanha Marinho

Uma das ruas mais antigas da cidade se divide entre trecho menos glamoroso, porém comercial, no Centro, e região da Praça da Espanha, no Batel, um dos pontos mais valorizados da capital. Em Curitiba, Saldanha Marinho dá nome a uma importante rua localizada que liga o bairro Campina do Siqueira ao centro da cidade. A Rua Saldanha Marinho tem cerca de 4,0 km de extensão e corta importantes pontos da cidade como a Praça Espanha, a rua mantém até hoje a presença dos casarios mais antigos da cidade. Início da Rua Saldanha Marinho, no Centro, atrás da Catedral: trecho reúne estabelecimentos e imóveis antigos que contam uma parte da história de Curitiba. Quem percorre cerca de quatro quilômetros da Rua Saldanha A Praça da Espanha fica de fundos para a rua Saldanha Marinho na Bairro Bigorrilho Marinho não tem dúvidas de que o endereço é uma via de muitas faces. Do ponto inicial, no setor histórico da capital, ao final, quando encontra a Rua Major Heitor Guimarães. Seguindo em direção ao oeste da cidade, já na altura do bairro Campina do Siqueira, a via assume de vez o seu lado residencial com uma sucessão de casas térreas e sobrados que, somados à calmaria do trânsito, transformam a Saldanha Marinho em uma verdadeira "rua de bairro"." O logradouro corta áreas marcadas pelas reivindicações dos comerciantes para que se iniciei imediatamente a revitalização da rua da quadra que vai da catedral até a rua Visconde de Nacar . Na outro extremo da rua, afastando do se do centro, onde ela termina no Campina do Siqueira , esquecida se encontra sem asfalto . Na região do trecho do calçamento em petit pave no Bigorrilho próximo a Praça da Espanha, comerciprimeiro trecho da rua proximo a Catedra de antes estão satisfeitos, obrigado! Curitiba : requer revitalização

Vista aérea da região central da cidade: em primeiro plano a rua Vicente Machado, a Praça Osório, o traçado da Rua XV de Novembro, e, ao fundo a Serra do Mar. A foto mostra o espaço entre o Colégio São José e a Saldanha Marinho Data : ano 1953 foto cedida pela Casa da Memória Fundação Cultural de Curitiba A seguir conheça os empresários e lojistas da Rua Saldanha Marinho


Março | 2019

Página 09

FOLHA DO BATEL

Conheça seu vizinho

Washington Uchoa sócio e proprietário da Adega Passione , ele veio para Saldanha Marinho quando ainda no mesmo local pertencia a Adega Brasil, local onde era funcionário, com muita dedicação e competência conseguiu comprar o negócio com um casal de italianos , cuja sócia Patricia Martini foi nascida e criada na Rua Saldanha Marinho . " Aqui temos um bom movimento de clientes , essa rua tem uma simetria boa com o bairro". Completa Uchoa

Madalena Amaral e João Alves Antunes são responsáveis pela tradicional Casa do Fumo , o estabelecimento existe desde 1956. " A prefeitura tem feito um bom trabalho , na região juntamente com a FAS , Guarda Municipal e Policia Militar, houve uma melhora significativa com a vinda do batalhão e a ronda ostensiva . O que estamos na expectativa já algum tempo é a execução do projeto que já está no Ippuc que inclui a revitalização desse trecho da Saldanha Marinho. Comenta João que encabeça o grupo Centro Seguro , ativo em reuniões junto a órgãos públicos . " A União de todos que gera um melhoramento " finaliza João.

Cesar Wisnievski proprietário do Restaurante Bife Sujo tradição de 25 anos em Curitiba com a feijoada e carnes grelhadas "vim pra Saldanha Marinho em 1994 já funcionava antes na Rua Candido Lopes , essa rua precisa melhorias no calçamento e iluminação" comenta Cesar

"O Eco Cão está na Saldanha Marinho há apenas um ano e meio, mas sinto-me muito à vontade, pois essa rua e bairro fazem parte da história da minha família. É muito interessante ver o casamento do antigo com o moderno nas residências e comércios trazendo um grande charme para nossa cidade." Enfatiza Patrícia do Rocio Sprada Barbosa diretora do pet shop Eco Cão localizado próximo da Praça da Espanha

Orestes Jose Pech é alfaiate desde 1962 tem porta aberta no comercio da rua Saldanha Marinho, ele também é morador da proximidade do final da rua no bairro Campina do Siqueira, onde o asfalto ainda nem chegou. " Já fizemos baixo assinado para melhoria dessa via publica , estamos aguardando " comenta Orestes.

Zuleika Malucelli é professora e diretora da escola de Musica Da Capo e da Escola Infantil Aurora, há 29 anos no ramo ela foi pioneira a trazer para Curitiba a musicalização para bebês e mamães. A escola Da Capo está instalada há 18 anos na rua Saldanha Marinho.

Fabrício de Macedo( presidente da Lide Pr , grupo de lideres empresariais ) é cliente e pai do proprietário do Navalha Bier, assim que se intitula , porem esse homem grande já foi menino que brincava nas ruas do Batel , nascido e criado na região da Praça da Espanha , mantém raízes com a barbearia que já virou tradição na Saldanha Marinho.

Armazém Califórnia pai e filho, Maged Khalil El Omairi e Khalil El Omairi Neto se revezam no balcão e cozinha para servir a melhor comida libanesa da cidade. No século passado já foi Panificadora que virou Casa de Frutas e, então, Armazém e restaurante . Desde 2006 estabelecidos na Saldanha Marinho estão prestes a abrir um novo ponto na mesma rua , o Café do Armazem .

A família Savarin Music é a única loja de vinil e CD que se manteve no mercado firme e forte desde 1983 , no ano de 1990 se instalaram na Rua Saldanha Marinho em frente a Praça Santos Dumont, na equipe inclui o pai Vírginio Savarin , os gêmeos Diogo e Thiago Savarin e o primogênito Adriano Savarin.


Página 10

As quatro Tipuanas da Praça Santos Dumont As quatro árvores, pertencentes à família Fabaceae, foram tombadas pelo Estado em 1977 As quatro Tipuanas são símbolos da região central de Curitiba. Localizadas na Praça Santos Dumont entre as Rua Ébano Pereira , Cruz Machado e Saldanha Marinho em frente ao prédio da Secretária da Cultura do Estado do Paraná. A praça com o busto fica a 200 metros do Marco Zero da cidade, que fica na Tiradentes. O busto de Santos Dumont foi inaugurado em 2010, após uma parceria entre a Prefeitura, o Cindacta II e o Instituto Histórico e Geográfico do Paraná. Santos Dumont é considerado o pai da aviação brasileira. Ele construiu o avião 14-Bis e no dia 23 de outubro de 1906 conseguiu percorrer 60 metros de distância, a uma altura de 2 metros, com a sua invenção.

FOLHA DO BATEL

Novo módulo da PM é promessa de reforço na segurança da área central de Curitiba O prédio na Praça Santos Dumont possui mil metros quadrados e além de funcionar como sede do batalhão da PM, também recebeu a Rotam e um cartório para confecção de Termos Circunstanciados de Infração Penal , está completando um ano de funcionamento. O prédio da antiga sinagoga da capital funciona a sede da 1.ª Companhia do 12.º Batalhão da PM, localizado entre as ruas Cruz Machado e Saldanha Marinho, possui mil metros quadrados , gerando aos comerciantes mais alivio e tranqüilidade pois essa era uma das áreas mais problemáticas do Centro de Curitiba, concentrando pontos de prostituição e de compra e venda de drogas Segundo o 1º tenente Rodrigo Cruz, responsável pelo novo módulo, esse cartório atende a Guarda Municipal e outras unidades da Polícia Militar como o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e o Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), aumentando a presença policial na região. "Com certeza, a segurança na região será intensificada ", pontuou. Valmir e Gilson Javorski são irmãos e sócios da Panificadora Fênix , localizada há 35 anos no mesmo endereço na Rua Saldanha Marinho. " Com a vinda do módulo policial pra cá tivemos mais segurança não temos duvida , o que precisamos agora é uma revitalização tanto no asfalto como na iluminação da rua ", comenta Valmir Javorski

Março | 2019

Quem foi Saldanha Marinho? Advogado e político brasileiro Joaquim Saldanha Marinho (Olinda, 4 de maio de 1816 - Rio de Janeiro, 27 de maio de 1895) foi um jornalista, sociólogo e político brasileiro. Como jornalista, usou o pseudônimo Ganganelli. Bacharel da Faculdade de Direito do Recife em 1836. Advogado, foi presidente das províncias de Minas Gerais, de 1865 a 1867, e de São Paulo, de 24 de outubro de 1867 a 24 de abril de 1868, e deputado pela província de Pernambuco. Na sua gestão como Presidente da Província de São Paulo aplacou as lutas políticas entre Liberais e Conservadores. Tal fato foi decisivo para a fundação da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, já que aglutinou as necessidades dos fazendeiros necessitados de transporte para suas mercadorias (que se dividiam naquelas duas correntes) e para levantamento dos capitais necessários à construção do trecho inicial da ferrovia, de Jundiaí a Campinas. Foi também fundamental à fundação da Companhia Paulista sua interpelação aos ingleses da São Paulo Railway, detentores da concessão imperial, que não manifestavam interesse em prolongar a ferrovia além de Jundiaí. Foi signatário do Manifesto Republicano (1870). Eleito senador, não foi escolhido na lista tríplice por D. Pedro II. Durante o império, foi Deputado Geral (equivalente dos atuais deputados federais) por cinco legislaturas (de 1848 a 1849, de 1861 a 1863, de 1864 a 1866, de 1867 a 1868 e de 1878 a 1881). Grão-mestre da maçonaria, teve destacada atuação na Questão Religiosa na década de 1870 quando publicou vários artigos em jornais com o pseudônimo de Ganganelli. Com a Proclamação da República Brasileira, foi um dos autores do anteprojeto da Constituição de 1891 e senador da República pelo Distrito Federal da 21ª a 23ª legislaturas (de 1890 até a sua morte em 1895). Casou-se, em 1837, em Pernambuco, com Paulina de Carvalho (†1876), de cuja união nasceram três filhos, dentre os quais, Joaquim Saldanha Marinho Jr., professor de Matemática. Faleceu aos 79 anos, no Rio de Janeiro, e seu corpo foi sepultado no Cemitério São João Batista.


Março | 2019

FOLHA DO BATEL

Turma da Saldanha A página do facebook da Turma da Saldanha, é uma pequena memória dos meninos que nasceram e se criaram na rua Saldanha Marinho , esquina com a Rua Ermelino de Leão, Turma da Saldanha, uma comunidade dos curitibanos que nasceram e fizeram parte da Turma. Ela nasceu/surgiu em 1944 , com os amigos Azis, Guga, Noslen, Patrice, Ganso,Caio,Menezes,Noguchis, Taio e muitos outros.A partir de 1955, outros nasceram para conservar e aumentar esta turma, Renato, Parisio, Luizinho,Dindo, Gunther, Milton, Renatinho,Paulo Preto,Noel,Amauri, Cézinha e mais uma dezena. Atualmente ainda somos SALDANHA, convivemos juntos após 60 anos de amizade. Legenda PB: Esta é a foto original: da esquerda para a direita: Robertinho, Luizinho,Paulo Preto, Gunther, Rubens e Fidoka...sentado o Natalício Black Power Renato No Gu Chi da segunda geração da turma da Saldanha está criando conteúdo para editar o livro as historias da Turma da Saldanha Crônicas sobre a cidade: Um banho de Rua (Por BRUNO DE FRANCO, arquiteto) Neste primeiro domingo de abril, fui revisitar a Rua Saldanha Marinho. Parti do Seminário, onde hoje moro, cruzei a Mário Tourinho, caminhei pela nova região etílico-gastronômica da cidade e cheguei na Avenida Batel. Dobrei à esquerda e comprei o macarrão do domingo. Pausa na Praça Espanha. - "Aqui foi barra pesada". Em 1965, a Turma da Praça Espanha e a Turma da Saldanha agitavam a cidade. A Saldanha estava vazia. Só o rescaldo da madrugada perambulava por ali. Não tinha carro e não tinha gente. Somente na terceira quadra da trajetória alguém deixava uma Unidade de Interesse de Preservação: um bêbado ou drogado falando sozinho. Mais adiante, um bando de seis ou sete pivetes cheirando cola. Chegando na esquina da Ermelino de Leão, quase perdi meu macarrão para dois casais que, confortavelmente sentados em uma daquelas mesas de ferro dispostas na calçada, provavelmente ainda tomavam a última da noite. Finalizando a caminhada, já no "calçadão" da última quadra, um outro bando de pivetes se preparava para atacar a próxima vítima - no caso, eu. Acreditem - estava em Curitiba, junto da nossa Basílica, que naquele momento anunciava tre-

ze horas, ao lado da maior concentração de pessoas aos domingos da cidade: a Feira do Setor Histórico. Um Pai Nosso e Ave Maria. Voltei correndo de táxi pra casa. Naquela caminhada, percebi que a Saldanha Marinho ainda guarda as características de uma rua alternativa, eclética, secreta e misteriosa. Afinal, é lá que ainda estão alguns antigos açougues, foi lá que a Batavo teve seu primeiro ponto de venda, o melhor pastel da cidade surgiu por ali. Até a Pastelaria Oriental hoje mantém uma loja perto do Kapelle. Onde estará o senhor Paco, do Prosdócimo? A vitrine da Charutaria Liberty? E os pequenos jornaleiros? E os ricos colunáveis que na década de 60 moravam no Edifício

Colombo? Que fim levou o cinema? O Boticário nasceu entre a Muricy e a Ébano, ao lado do antigo Ginásio, hoje a nossa Secretaria da Cultura. Presenciei o prefeito Iberê de Matos inaugurar, junto à Praça Santos Dumont, um poste com uma moderna lâmpada de vapor de mercúrio, com direito a banda de música e tudo. Onde hoje está a Sinagoga era o nosso campinho de futebol. A melhor sapataria da cidade também está lá, com a igreja de São Francisco. Hoje, provavelmente pelo aluguel barato, em função da deterioração central, um interessante mix comercial vem se instalando no local: ervas, livros e discos, sebos e brechós, vestidos de noiva, chapéus, gastronomia, oficinas mecânicas, informática, pensões para "moças e rapazes", galerias de arte, bares e boemia, clubes GLS e muito mais. Uma adorável mistura. Este é um dos segredos para o correto planejamento urbano. O pobre e o rico, o açougue, a peixaria e uma obra de arte precisam conviver e interagir juntos. Vamos salvar a Saldanha Marinho. Ela precisa de um "Banho de Rua". Hoje não apresenta vocação nem para o pedestre, nem para o automóvel. Vamos, na Saldanha, criar restrições para veículos. A Saldanha será exclusiva para pedestres - da Basílica à Praça Espanha. Será a rua alternativa da cidade. Uma ligação entre o Setor Histórico e a Feira de Antigüidades do Batel, criando e consolidando um eixo natural de vocação comercial, residencial, religiosa, boêmia e cultural. Enfim, também com este eixo já estaremos implantando a barreira de controle norte-sul para a futura e inevitável restrição ao acesso de automóveis em toda a área central de Curitiba.

Página 11


Página 12

Gastronomia Isca de peixe com molho 3 queijos

Ingredientes da isca de peixe com molho 3 queijos 800g de filé de pescada em tiras 2 dentes de alho picados Sal e pimenta-do-reino a gosto 1 xícara (chá) de farinha de trigo 2 ovos batidos 1 xícara (chá) de farinha de rosca Óleo para fritar Molho 2 colheres (sopa) de manteiga 1/2 cebola picada 1 xícara (chá) de leite 100g de queijo parmesão ralado 100g de queijo mussarela ralado 100g de queijo provolone ralado 1/2 caixa de creme de leite Orégano a gosto Modo de preparo Tempere o peixe com o alho, sal e pimenta. Passe pela farinha de trigo, pelos ovos batidos e empane na farinha de rosca. Frite, aos poucos, em óleo quente até dourar. Escorra em papel absorvente e reserve. Para o molho, aqueça uma panela com a manteiga e frite a cebola até dourar. Adicione o leite e ferva. Acrescente os queijos, o creme de leite e orégano, misture e desligue o fogo. Sirva em seguida com o peixe

FOLHA DO BATEL

Março | 2019

Com a família reunida no almoço de domingo de Páscoa, é importante encontrar cardápios com receitas fáceis e rápidas que vão desde a entrada até a sobremesa. Por isso, separamos sugestões de cardápios de Páscoa

Salmão com crosta crocante e risoto agridoce

Tempo: 1h20 (+40min de descanso) Rendimento: 4 porções Ingredientes 1 e 1/2 xícara (chá) de vinho branco seco Azeite de oliva para untar e regar 1/3 de xícara (chá) + 6 colheres (sopa) de manteiga amolecida 1 xícara (chá) de amêndoas em lascas 4 colheres (sopa) de farinha de rosca 2 litros de água 2 cubos de caldo de legumes 4 lombos de salmão com 3 dedos de espessura Sal, pimenta-do-reino, alecrim e salsa picada a gosto 1 cebola picada 2 xícaras (chá) de arroz arbóreo 1 xícara (chá) de damasco seco picado 1 xícara (chá) de queijo gorgonzola esmigalhado 1/2 xícara (chá) de queijo parmesão ralado Modo de preparo Tempere o salmão com sal, pimenta, alecrim e 1 xícara (chá) do vinho. Deixe descansar por 40 minutos. Retire do tempero e seque com papel absorvente. Coloque em uma fôrma untada e reserve. Misture 1/3 de xícara (chá) da manteiga com as amêndoas, a farinha, sal, alecrim e espalhe sobre o salmão, pressionando para cobrir. Regue com azeite e leve ao forno médio (180º C), preaquecido, por 30 minutos ou até dourar levemente. Retire e reserve. Aqueça uma panela com a água e o caldo de legumes, e reserve aquecido. Em outra panela, em fogo médio, derreta 4 colheres (sopa) da manteiga e refogue a cebola até amaciar. Junte o arroz e refogue por 2 minutos. Despeje o vinho restante e misture até evaporar. Abaixe o fogo e regue, aos poucos, com o caldo aquecido, adicionando mais conforme for secando, até o arroz amaciar. Misture o damasco, os queijos, a manteiga restante e acerte o sal. Desligue e sirva acompanhando o peixe e polvilhado com salsa. COLABORAÇÃO: Fernando Santos/Ângela Cardoso

Ovo de Páscoa de travessa

Ingredientes Creme escuro 150g de chocolate ao leite picado 100g de chocolate meio amargo picado 1 xícara (chá) de Nutella® 1 lata de creme de leite 100g de chocolate branco para decorar Creme branco 1 lata de leite condensado 1 colher (chá) de manteiga com sal 1/2 xícara (chá) de castanha de caju torrada triturada 1 lata de creme de leite Cobertura 150g de chocolate ao leite picado Modo de preparo Para o creme branco, despeje o leite condensado, a manteiga e a castanha em uma panela e leve ao fogo baixo, mexendo. Cozinhe por 3 minutos após iniciada a fervura. Desligue, deixe esfriar e misture o creme de leite. Para o creme escuro, misture o chocolate ao leite com o chocolate meio amargo e derreta em banhomaria. Junte a Nutella® e o creme de leite, mexendo até homogeneizar. Faça uma camada no fundo de um refratário pequeno com metade deste creme. Espalhe o creme branco e cubra com o restante do creme escuro. Para a cobertura, derreta o chocolate ao leite em banho-maria e espalhe sobre o creme escuro. Leve à geladeira por 2 horas ou até secar e formar uma casquinha. Derreta o chocolate branco em banho-maria e decore formando riscos diagonais. Sirva. COLABORAÇÃO: Mariana Maluf Boszczowski


Março | 2019

Página 13

FOLHA DO BATEL

Festival de Curitiba chega na 28ª edição Com mais de 400 atrações, com preços de 70 reais a apresentações gratuitas e pelo sistema "pague o quanto vale" Em mais de 80 espaços, na capital e na região metropolitana, o Festival de Curitiba volta a reunir grandes nomes das artes cênicas brasileiras em uma programação com mais de 400 atrações, levando arte, cultura e diversão para diferentes públicos de todas as idades. São estréias nacionais, produções internacionais, teatro, música, dança, circo, stand up comedy, performances, oficinas, show de variedades e gastronomia que transformarão Curitiba ao longo de 13 dias, trazendo novas cores e movimentos para a cidade. Entre 26 de março e 07 de abril, a 28.ª edição do Festival de Curitiba fará de teatros, praças e ruas o palco para artistas conhecidos como Regina Casé, Fábio Assunção, Guta Stresser, Claudia Abreu, Leandra Leal, Mel Lisboa, Bianca Byington, Ranieri Gonzalez, Gregório Duvivier, Dani Barros, André Abujamra, Nicole Puzzi e Deborah Colker. Em 13 dias serão mais de 1500 apresentações, em torno de 390 delas gratuitas e 196 no sistema "pague o quanto vale", em que o público escolhe o quanto paga. Entenda o Festival O Festival de Teatro de Curitiba começou em 1992 com 14 espetáculos e a proposta de promover o encontro das artes com o entretenimento. Palco de estréias internacionais e de nomes fortes das artes brasileiras, também é vitrine para quem busca reconhecimento nas artes cênicas, bem como a oportunidade para que os paranaenses desfrutem de produções premiadas no cenário nacional. Ao longo de seus 27 anos, se consolidou como um dos eventos mais importantes do calendário cultural brasileiro, agregando novas programações, se transformando no Festival de Curitiba. Sob este nome passou a atender novos públicos, tomando o cuidado de manter-se como um canal de formação, atualização e reflexão, com a promoção de debates, palestras e oficinas. Atualmente o Festival de Curitiba abriga a Mostra 2019 e o Fringe; e os eventos simultâneos: MishMash, Programa Guritiba, Risorama e Gastronomix. Mostra - espetáculos convidados pela curadoria, formada por profissionais atuantes que acompanham o cenário nacional e internacional para traçar um panorama relevante e diverso do que é produzido. Mostra Convidada: novidade em 2019, a convite do Festival abriga duas mostras de repertório de companhias brasileiras importantes; Interlocuções: compondo a Mostra 2019, a plataforma amplia a experiência da arte, da reflexão e da convivência aproximando público, artistas e aprendizes em debates, oficinas, encontros, lançamento de livros e outras experiências. Programação inteiramente gratuita. Fringe: um espaço aberto, democrático e sem curadoria, recebe a participação voluntária de companhias profissionais que recebem apoio de produção do Festival de Curitiba. Alguns grupos se organizam por afinidades artísticas e criam suas próprias mostras. O Fringe se tornou uma grande vitrine no cenário teatral brasileiro. Programa Guritiba - voltado ao público infantil e juvenil tem atrações teatrais, musicais, brincadeiras e promove ações sociais itinerantes que perduram ao longo do ano; MishMash - com curadoria de Rafael Barreiros, apresenta variadas formas de atrações artísticas em um único palco mesclando teatro, musica, circo e dança, em uma programação familiar que diverte todas as idades; Risorama - sob os cuidados de Diogo Portugal promove a mistura de estilos de up comedy reunindo os melhores humoristas do país; Gastronomix - evento musical e gastronômico oferece um variado cardápio a preços acessíveis, criado por grandes chefs brasileiros sob a curadoria de Celso Freire.

Por dentro da 28ª edição Com 27 espetáculos a Mostra 2019 conta com curadoria de Guilherme Weber e Marcio Abreu que assinam a seleção pela quarta vez. "A extinção das fronteiras entre gêneros artísticos, o olhar para corpos que performam suas existências no mundo de forma atravessadora e uma investigação sobre o Brasil através das criações de seus artistas tem sido o principal recorte de nosso trabalho", afirma a dupla. Abrindo o Festival um espetáculo francês, fascinante e com grande força poética, "Aquele que Cai (Celui qui Tombe)", uma criação do coreógrafo, bailarino e acrobata Yoann Bourgeois, experimenta novos princípios da física, colocando seis corpos sobre uma plataforma giratória e suspensa que desce, sobe, balança e gira em torno do seu eixo principal com apenas uma instrução: tentarem manter-se em pé. Um propósito simples que oferece um espetáculo ágil, arrojado e inspirador. Outros seis são estreias nacionais: "As Comadres" - primeiro espetáculo dirigido por Ariane Mnouchkine no Brasil, diretora do Théâtre du Soleil, "Dezembro", "Do Convento a Sala de Concerto", "Relatos Efêmeros da França Antártica", "Sísifo.gif" - primeira colaboração cênica entre Gregorio Duvivier e Vinicius Calderoni - e "Tráfico", do dramaturgo franco-uruguaio Sergio Blanco. O musical "Elza" homenageia a trajetória da cantora Elza Soares, suas múltiplas facetas e as reviravoltas de sua vida. Canções como "Lama", "O Meu Guri", "A Carne", "Se Acaso Você Chegasse", entre outras, fazem parte do repertório. Os espetáculos "Uma Frase Para Minha Mãe", "Fedra", "Quando Quebra Queima" e "Orquestra Mundana Refugi" são atrações gratuitas. A edição de 2019 conta ainda com duas mostras convidadas pelo Festival: comemorando 30 anos, a companhia Os Satyros retorna ao Festival com "Cabaret TransPeripatético", além das estreias de "Mississipi", "Todos os Sonhos do Mundo" e "O Rei de Sodoma". Já a Companhia de Teatro curitibana Stavis-Damaceno celebra seus 15 anos com quatro espetáculos de repertório: "Homem ao Vento", "Psicose 4h48", "Árvores Abatidas ou Para Luis Melo" e "Artista de Fuga". O Festival de Curitiba também é composto por: Interlocuções - palestras, oficinas, lançamentos de livros; todos com programação gratuita; Fringe - sem curadoria, com participações espontâneas de companhias de 13 estados brasileiros e 7 atrações internacionais, da Argentina, Portugal, Chile e Uruguai; e o MishMash - com shows de variedades que divertem a família inteira. Também fazem parte do evento o Programa Guritiba - com atrações para crianças e adolescentes; o Risorama - destacando o melhor do stand up comedy nacional; e o Gastronomix - com música de primeira, aulas shows e pratos com assinatura de grandes chefes. Ingressos A venda dos ingressos será pelo site www.festivaldecuritiba.com.br, pelo aplicativo "Festival de Curitiba 2019" e nas bilheterias oficiais do evento, no ParkShoppingBarigüi (Piso Superior - Lado Norte), de segunda a sexta, das 11h às 23h, no sábado, das 10h às 22h e, aos domingos, das 14h às 20h; e no Shopping Mueller (Piso L3), de segunda a sábado, das 10h às 22h, domingos e feriados das 14h às 20h. Serviço Data: De 26/03 a 07/04 de 2019. Valores: Os ingressos vão de R$ 0,00 até R$ 70,00.

Com 27 espetáculos a Mostra 2019 conta com curadoria de Guilherme Weber e Marcio Abreu que assinam a seleção pela quarta vez

Musical "Elza", que conquistou o Prêmio Shell de Melhor Música e o Prêmio Reverência nas categorias Melhor Espetáculo, Melhor Direção (Duda Maia), Melhor Autor (Vinícius Calderoni) e Melhor Arranjo (Letieres Leite). Além disso, está indicado no Prêmio APCA em duas categorias: Melhor dramaturgia e melhor atriz - Larissa Luz. Guairão. 5 e 6 de abril.

Dois espetáculos da Mostra 2019 estão lotados em todas as suas apresentações: "Dogville" e "Sísifo". A sessão do dia 5 de abril de "Dezembro" também estão esgotada. Além desses, as sessões do dia 30 de março e 1 de abril, do Risorama, estão lotadas (foram abertas sessões extras nestas noites).


Página 14

ATRAÇÕES DE RUA Estamos nos aproximando da data do maior festival da América Latina, o 28° FESTIVAL DE TEATRO DE CURITIBA, com 400 espetáculos, e entre as atrações destacamos a MOSTRA DE TEATRO DE FORMAS ANIMADAS DE RUA- AnimaRua, de 28 a 31 de março, que trará para as ruas de Curitiba 20 atrações de Teatro de Bonecos, Marionetes, Máscaras, sombras, teatro em miniatura e o Teatro Lambe Lambe, que este ano completa 30 anos. Este estilo de teatro foi criado em 1989 por duas brasileiras Ismine Lima e Denise di Santos, em Salvador, Bahia. Estes espetáculos estarão no Calçadão da XV de novembro e Largo da ordem, pequenas e grandes performances oriundas do Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Argentina e Chile.

Programação: 28/03 Local Calçadão da XV Bondinho/Relógio 14:00 Greg e sua gangCuritiba-PR 16:00 No tanque do quintal tem um mar pra Juvenal - Curitiba-PR 17:00 15 espetáculos de Teatro Lambe Lambe do Brasil, Chile e Argentina. Teatro Lambe Lambe "Baús do Tesouro" com Cia Avenida Lamparina- Santa Catarina

10h - Laia e o vôo da imaginação - São Paulo-SP

"Uma trupe no país das maravilhas" com atores mirins da Nós Cia de Teatro- Curitiba 30/03 Local Calçadão da XV -Bondinho/Relógio 12:00 Greg e sua gangCuritiba-PR 14:00 Callejeros - CHILE 17:00 15 espetáculos de Teatro Lambe Lambe do Brasil, Chile e Argentina. 12:00 Callejeros - CHILE Teatro Lambe Lambe "Bladimir" com Gabriela Cespedes - Mendoza- Argentina Teatro Lambe Lambe "A lavadeira" com Tábatta Lori Ouro Preto- Minas Gerais 31/03 Praça João Cândido/ Ruínas/Largo da Ordem 10:00 15 espetáculos de Teatro Lambe Lambe do Brasil, Chile e Argentina 11:00 Greg e sua gangCuritiba-PR 12:00 Cotidiano UrbanoBelo Horizonte-MG 13:00 Callejeros - CHILE 14:00 Uma trupe no país das maravilhas- Curitiba-PR 15:00 No tanque do quintal tem um mar pra Juvenal - Curitiba-PR

Março | 2019

FOLHA DO BATEL

Ruby Box

Teatro Miniatura "Teatro a la carta" com Ruby Box Theater - Santiago-Chile Alice 2018

Risorama: primeiro festival de shows de comédia do país completa 16 anos de Festival de Curitiba Com a curadoria do humorista curitibano Diogo Portugal, edição preserva formato de bar de stand up comedy e tem nomes de peso na programação. Uma semana com os mais populares humoristas do país apresentando seus shows em um ambiente que reproduz o dos clubes de comédia. Irreverência, dinamismo e descontração na dose certa para uma maratona de "happy hours". Assim é o Risorama: risadas + drinks + humor. Recheado de atrações, o Risorama completa 16 anos nessa edição. "É um adolescente no Festival de Curitiba. Foi pioneiro, inspirou os principais festivais de comédia do Brasil e nunca perdeu a essência de balada de humor", diz o curador Diogo Portugal. Mais uma vez, o palco está no Park Cultural, dentro do Parkshopping Barigui. "Esse vai ser o point da comédia stand up de novo. Ali vão se revelar novos talentos. E ali o público vai se reunir com os amigos para ver grandes nomes da comédia. Não é uma atração isolada e sim uma experiência para curtir com amigos. O Risorama leva até grupos de Whatsa-

Danilo Gentili

pp para o teatro: desde o do futebol ao das mães do colégio", brinca Diogo. A programação tem seis comediantes e um mestre de cerimônias por noite. Entre os nomes confirmados para essa edição estão os experientes Danilo Gentili, Murilo Couto, Rafael Portugal, Sérgio Mallandro e Léo Lins. "São vários nomes importantes do stand up comedy. Essa edição vai trazer o Victor Amhar, que escreveu o programa de Fábio Porchat e o Tirullipa, que vem em uma fase ótima da carreira. Ele está pra estrear o programa 'Os Roni' no Multishow", conta Portugal. O Risorama 2019 tem também algumas novidades que devem surpreender o público com temáticas importantes tratadas de forma hilariante, mas

sem perder a crítica por trás da piada. Entre os destaques estão a comediante chinesa Jing Jing, que aborda a realidade do imigrante que vive no país. Outro exemplo é o humorista Diogo Almeida, que fez sucesso na Internet abordando o lado tragicômico de ser professor no Brasil. A questão LGBTi também entra na "pauta", com o show de Junior Chicó, que, com um estereótipo improvável, arranca risadas do público ao falar com naturalidade sobre o universo gay. "Ele tem pinta de lutador de jiu jitsu, o que deixa a apresentação ainda mais engraçada", conta o curador do Risorama. O Risorama vai do dia 28 de março a 2 de abril, no Park Cultural, anexo ao Parkshopping Barigui.


Março | 2019

FOLHA DO BATEL

Piadas o que é que é? O que é uma maconha enrolada num jornal? Resp: Baseado em fatos reais

R.: A letra "o" das palavras.

O que a Xuxa foi fazer no bar? Resp: Foi beber ca sasha ( cachaça)

O que é que tem costa de ferro, barriga de pau e solta fogo? R.: espingarda.

Quando os americanos comeram carne pela primeira vez? Resp: Quando chegou o Cristovão Com Lombo

O que é que está sempre na nossa frente? R.: o futuro.

Porque o pinheiro não se perde na floresta? Resp: Porque ele tem uma pinha ( um mapinha) Um caipira chega na casa de um amigo que está vendo TV e pergunta: - E ai firme? O outro responde : - Não , futebor Você conhece a piada do Pônei? Resp: Pô nem eu !!kkkk O que é que quanto mais seca, mais molhada fica? R: A toalha. O que é que quanto mais a gente perde, com mais a gente fica? R: O sono. O que está em cima de nós? R.: O acento agudo.

O que é que faz um homem sério virar a cabeça? R.: o pescoço. O que é que quanto mais cresce, mais baixo fica? R.: o buraco. O que é o que é: começa com "C", termina com "U" e às vezes fica escuro? R.: o céu. O que o tomate foi fazer no banco? R.: tirar extrato. Por que a comida foi presa? R.: porque matou a fome. E onde ela foi presa? R.: na cadeia alimentar. Qual a parte do corpo que mais coça? R.: a unha. Como se faz para ganhar um "chokito"? R.: é só colocar o dedito na tomadita.

O que é que nasce grande e morre pequeno? R.: O lápis. Qual é o país que a gente come e a capital que a gente chupa? R.: Peru e Lima. O que é o que é todos tem 2, você tem 1 e eu não tenho nenhum?

Você sabe quando é que o sapato ri? R.: quando vê graxa. Porque a plantinha não fala? Porque ela é muda Porque o Batman coloca o batmovel no seguro? Porque ele tem medo que Robin

Para Colorir

Página 15


Pรกgina 16

FOLHA DO BATEL

Marรงo | 2019

Profile for Celina Ribello

FOLHA DO BATEL MARÇO  

Rua Saldanha Marinho, Método monalisa touch, festival de teatro 2019, Curitiba sua linda, carga imediata odonto , dra thayssa taques, previ...

FOLHA DO BATEL MARÇO  

Rua Saldanha Marinho, Método monalisa touch, festival de teatro 2019, Curitiba sua linda, carga imediata odonto , dra thayssa taques, previ...

Advertisement