Page 1

m

GRUPO

LEILOMEIRELES, S.A. 1,5 € (IVA 6%) // Diretor: José Ferreira // Ano I // Edição Nº 2 // 5 de abril de 2018 • Semanário • www.yeslparedes..pt

Paredes

ARMAZÉM: TRAVESSA LOTEAMENTO DA IGREJA, 4620-214 LODARES LSD LOJA: C.C. PENINSULAR IBÉRIA, AV. MIGUEL DANTAS, 4930-678 VALENÇA CONTACTOS:

913 314 178 - 913 153 735 - 912 355 046

globalgeracao@gmail.com •

facebook.com/Leiloeira-Global-Geração

Pág. 6

TRIBUNAL DE CONTAS

“CHUMBA”

Grande Entrevista Nuno Serra

Presidente da concelhia do PSD Paredes Pág.(s) 7 a 9

COMPRA DO COMPLEXO DAS LARANJEIRAS EQUIPA EM DESTAQUE: USC PAREDES FUTSAL

Sociedade

Paredes já tem um novo jornal semanal Pág. 2


2|

Edição N.º 2| 5 de abril, 2018

Paredes

Paredes já tem um novo jornal

F

oi apresentado na Casa da Cultura de Paredes o novo jornal em formato papel YES Paredes. Foi com uma sala cheia de ilustres paredenses, desde representantes de associações desportivas e culturais, a personalidades políticas, entre outros cidadãos que quiseram associar-se ao evento, que foi apresentada a primeira edição, cuja imagem de capa  evoca José Guilherme, um ilustre paredense, com uma atividade muito diversificada, também impulsionador da imprensa em Portugal, tendo sido um dos fundadores do Jornal de Notícias.

mento do jornal YES PAREDES, onde marcaram presença mais de uma centena de pessoas, que tiveram o privilégio de ler em primeira mão o primeiro exemplar deste Jornal. O YES Paredes junta-se assim ao Jornal local do concelho de Lousada, YES Lousada, sendo ambos os jornais pertencentes ao projeto global YES Notícias.

O diretor do Yes Paredes, José Ferreira, leu, no seu discurso, o primeiro editorial do YES Paredes, que realça a importância da comunicação social na democracia e assegura que nova publicação respeitará o estatuto editorial, valorizará a imparcialidade e a pluralidade de opiniões,tendo como principal objetivo a valorização do concelho de Paredes e das suas gentes.

com bom gosto, com uma boa qualidade de papel, e pelo que vi um bom trabalho jornalístico” é fazer “história nos tempos que correm”. O YES Paredes recebeu palavras de incentivo por parte do vereador: “Continuem com força. Por parte da Câmara é importante ver nascer projetos destes”. Ao diretor do jornal, José Ferreira, deixou também algumas palavras: “Já nos conhecemos há um bom par de anos. É um regresso com um projeto de jornalismo de âmbito local, ao qual sempre esteve ligado. E terminou, referindo-se ao YES como um jornal “livre”, desejando que o mesmo continue por muitos e muitos anos.

Para o diretor, este novo desafio profissional é um “regresso a casa”, pois José Ferreira nasceu em Paredes e aqui viveu até aos 24 anos. Esta nova etapa é, por isso, o relembrar das pessoas e das suas histórias. Animado pelo propósito de procurar fazer o melhor para o desenvolvimento da terra que o viu nascer, evocou a foto de capa, “em memória de José Guilherme”, figura distinta que considera uma referência.  José Ferreira  terminou o seu discurso, convidando todos os paredenses a tomarem parte neste projeto: “Este Jornal também é vosso! Estimem-no”. O vereador da Câmara Municipal de Paredes Paulo Silva começou por parabenizar o projeto e o seu arrojo, numa altura em que a imprensa escrita passa por dificuldades: “Ousam investir num jornal em papel no dias de hoje”, disse, acrescentando que “fazer um jornal com a qualidade que este demonstra,

Esta cerimónia teve um verde de honra, com o apoio dos vinhos da Quinta de Lourosa, do concelho de Lousada.

Apartamento T2 LODARES Cozinha Mobilada e Equipada; Excelentes áreas; Bons Acessos;

Preço: Sob Consulta

Apartamento T3 Caíde de Rei Cozinha Equipada e Mobilada; Roupeiros embutidos; Pré Instalação de RC; 2 Lugares de Garagem; Excelente Exposição Solar; Bons acessos

Preço: Sob Consulta

No final, realizou-se no bar Piso de Baixo a after party do lança-

FICHA TÉCNICA Diretor: José Ferreira diretor@yesnoticias.pt Redação: Carlos Mota, Alana Rodrigues, Cristina Borges

Departamento Gráfico: InstantEstrela, Lda Paginação : InstantEstrela, Lda

Tiragem: 1500 exemplares por edição Periodicidade: Semanário (sai à quinta-feira)

Propriedade: InstantEstrela, Lda Contribuinte Nº 514 139 170; Registo da ERC n.º 127 057

Contactos: Avenida Combatentes da Grande Guerra, 55 C 4620 Lousada redacao@yesparedes.pt assinaturas@yesparedes.pt www.yesparedes.pt

Paredes


Paredes

Opinião

Rui Silva Líder da Bancada Assembleia Municipal PS Paredes

Edição N.º 2 | 5 de Abril, 2018

|3

Vilela- Causas e Consequências Neste primeiro artigo, transcrevo a minha intervenção na ultima Assembleia Municipal de Paredes, onde tive a oportunidade de alertar sobre a situação que se vive na Freguesia de Vilela, que ainda não possui novo Executivo da Junta de Freguesia, e sobre as consequências que estão a acontecer e as que podem ocorrer de futuro. “Nas últimas eleições Autárquicas de Outubro passado foi eleito um novo Presidente de Junta para Freguesia de Vilela, o qual, até aos dias de hoje, ainda não conseguiu completar o novo executivo, a quem caberá, ou caberia, governar os destinos desta freguesia neste mandato de 4 anos. Nas Juntas de Freguesia o único elemento eleito directamente é aquele que encabeçou a lista mais votada, ou seja, o seu Presidente, o qual tem a responsabilidade de formar o executivo, com a escolha de mais 2 elementos, a serem escolhidos pela Assembleia de Freguesia, de entre os seus membros. Os resultados eleitorais ditaram que em Vilela nenhuma das listas concorrentes obtives-

se maioria absoluta, tendo sido eleitos 4 elementos do PSD, 3 do PS e 2 do CDS. Passados quase 5 meses, com várias Assembleias realizadas, ainda não foi possível completar o Executivo, que neste momento, para além do seu Presidente, só viu ser eleito 1 vogal dos 2 que, obrigatoriamente, o compõe. A falta de entendimento para a eleição de um 2º vogal resulta da intransigência de quem tem que formar o executivo, ou seja, o Presidente eleito, o qual não abdica que esse 2º vogal seja um membro da Assembleia eleito na lista do seu Partido. Esta é uma situação que tem preocupado não só os cidadãos de Vilela mas também a nova gestão camarária, que vê com muita angustia este impasse, o qual só está prejudicar os habitantes desta Freguesia. Neste momento Vilela tem um Presidente de Junta limitado no exercício de funções, cujos poderes ficam confinados a meros actos de gestão, actos correntes e inadiáveis, à execução de deliberações anteriores e que não envolvam a disposição do património ou a definição de novas politicas ou estratégias. Deste

modo, limita-se ao cumprimento dos planos já aprovados e que transitaram do Executivo anterior, sem lhe ser possível executar nada que seja novo. Isto é o que resulta, sinteticamente, do parecer da CCDRN de 19 de Dezembro último, solicitado pela Câmara Municipal de Paredes face ao impasse que vigorava nessa data, e que ainda vigora. Como forma de ultrapassar esta situação, os Autarcas e Dirigentes do Partido Socialista reuniram com alguns dos elementos eleitos para a Assembleia de Freguesia de Vilela, os quais estão na disposição de votar favoravelmente um membro do PSD como 2º vogal da Junta de Freguesia, colocando apenas como condição que esse elemento não seja nenhum dos que fizeram parte do anterior Executivo. Só com o entendimento dos diversos partidos em quem os eleitores confiaram a sua representação na Assembleia de Freguesia de Vilela é possível ultrapassar este impasse. Quem não tem a maioria tem que negociar os apoios necessários para que o órgão em causa possa cumprir integral-

mente as funções que justificam a sua existência. Aquilo que o Partido Socialista exige está dentro dos limites do aceitável, do normal em Democracia. O que o actual Presidente da Junta pretende, se persistir irredutível na sua posição, é impor um nome como se tivesse uma maioria, o que não corresponde ao mandato que o Povo de Vilela lhe atribuiu. Esta é uma oportunidade que o Partido Socialista dá para que a Junta de Freguesia de Vilela recupere a plenitude dos seus poderes e o seu normal funcionamento. É uma oportunidade e um apelo ao bom-senso e à maturidade política. Cumprimos a nossa obrigação, fomos até para além do que nos poderia ser exigido. Não teremos qualquer responsabilidade se esta situação se mantiver, agravando-se os prejuízos que Vilela já está a sofrer. Ao Povo de Vilela caberá julgar quem, sem qualquer razão válida, fizer da intransigência a sua única política”.

Todos os santos não chegaram

GRUPO

BIBROPEDRA

Jorge Ribeiro da Silva CDS/PP Paredes

A IRMANDADE SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE PAREDES e a CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES celebraram um contrato que previa a doação do Edifício da antiga escola secundária de Baltar para ali reabilitar aquele espaço abandonado, para ali ser construído um lar para idosos preferencialmente com doenças degenerativas. De traje de gala, e com sorriso largo, logo cuidou a antiga presidente de junta de se apressar a aparecer perante as “câmaras” como a “mãe” da criança, trazendo consigo para o retrato Rui Moutinho, para lhe assumir a paternidade com a bênção de Celso Ferreira. Não faltava quem sorrisse do camarote, fosse ele chefe do gabinete, Luciano Gomes do abençoador ou o líder da oposição ao tempo, Alexandre Al-

meida, era o momento do “corta-fitas” virtual, letra morta de contrato assinado com “pena de omo” … lava mais branco. Com ” a procissão no adro” os sinos já tocavam a rebate, o que parecia ter sido concebido com amor, já cheirava a nado morto. Alguém se “esqueceu” de dizer ao Povo que os termos da doação do tal terreno foram alterados, duas vezes, de tal forma que inviabilizava a construção do lar por ter sido vendido a uma sociedade imobiliária para a revenda para outros fins, violando o PDM, pois trata-se de zona destinada a equipamentos, e não a construção Do lapso (das costas largas) dos serviços, disse o “magnânimo” doador, se fez “pirueta” a uma deliberação unânime do executivo camarário e da Assembleia Municipal, e por trás

da cortina a 9 de Maio se vendeu o que antes se havia dado. Lapso, de 201 mil vinténs e meio, em tempo de Páscoa, pareceu preço de Judas. Baltar sempre foi uma freguesia de referência do Concelho de Paredes reconhecida tanto a nível nacional como internacional, até 1993, estava na vanguarda do concelho, PSD e PS de “braço-dado”, foram os rostos que levaram a freguesia a estado comatoso pelo calvário do esquecimento, enquanto a Junta de Freguesia foge pelos pingos da chuva porque não pode, nem tem o que dizer, ou sabe o que fazer. Tudo adjectivado por “celeuma”, num momento em que Almeida pareceu rimar com Ferreira. Celeuma, Senhor Presidente?

E o prejuízo que sofrerá a freguesia e para o concelho a inviabilização do projecto? E o número de postos de trabalho diretos e indiretos que geraria? E o exponencial crescimento do comércio, indústria e serviços na freguesia e no concelho? O reconhecimento e visibilidade que o mesmo ofereceria a Baltar e ao Concelho de Paredes? Podem ter a certeza que haverá sempre quem irá lutar para reverter a situação e não deixar esquecer estes silêncios “cúmplices” que visam chegar ao “facto consumado” esquecendo o interesse geral a favor de outros interesses (particulares). Quem faz de Pilatos?

MADEITECH c a r p i n t a r i a

TRANSPORT SOLUTIONS

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO Rua de São Luis, 63 | 4580-589 Bitarães Paredes

Rua 25 de Abril, S/N | 4580-091 Mouriz Paredes

T +351 220 998 872 | F +351 220 998 872 www.pemi.com.pt | info@pemi.com.pt

T +351 223 203 029 | M +351 914 249 578 piecesconcept@gmail.com

Rua do Regato, 38 | 4580-299 Bitarães Paredes T +351 255 784 266 | M +351 914 213 321 info.madeitech@gmail.com

T +351 255 784 266 | M +351 913 206 718 transportes.bibropedra@gmail.com


4|

Edição N.º 2| 5 de abril, 2018

Cultura

Jornal YES PAREDES

S

im - disse eu ao jornalista que me olhava curioso naquele primeiro dia de encontro.

páveis que têm corpo e alma lhes são essenciais à vida.

Foi um sim de olhar, de aceitação, de colaboração, de alma.

No dia 29 de março, foi a sua primeira apresentação em Paredes e eu tive a felicidade de estar presente. E, para surpresa minha, tive honras de primeira página, de referência no editorial e direito a uma página inteira!!! Obrigada Jornal YES PAREDES.

O sim físico veio depois quando do lado de lá ouvi a voz do José Ferreira: Donzília Martins

Paredes

“Na reportagem do Yes Paredes, há dados menos concretos que precisava de acertar consigo”… “Sim, venha cá que no livro tenho toda a minha vida aberta”. Ele veio e levou-me consigo, satisfazendo a curiosidade e tendo a certeza de que fui sua professora de história! Como o tempo passa e voa e deixa as marcas do tempo!

Parabéns YES PAREDES, estarei, como eles, sempre contigo.

Obrigada José Ferreira, meu querido ex-aluno, que reconheci pelo olhar azul e profundo que ainda mantém. Obrigada Sr. Diretor José Ferreira por esse caminhar em prol da cultura e do bem das comunidades e dos leitores, ávidos como eu de saber, de

conhecer, de estar com, quando, como, o porquê e onde as coisas acontecem. Foi divinal esse assento da primeira pedra na apresentação. Que a calçada prossiga na senda do progresso e sucesso, com granitos bem aparelhados, e até brutos, que nós estaremos aqui para polir as pedras, permitindo a todos os paredenses o bem caminhar através desses caminhos por vós traçados no direito à informação isenta, séria e verdadeira. Nesse primeiro encontro, tive ainda o privilégio de encontrar outros “velhos” alunos. O José Carlos Barbosa, do PS, que lembrou o rigor e o grau de exigência no ensi-

Aqui estou hoje com ele e convosco, leitores do YES Paredes, a dar os PARABÉNS por mais este Excelente órgão de comunicação. O papel, o cheiro, o toque nos dedos, o apertar ao peito, o olhar, o ler e reler, o arquivo na estante ao alcance de uma segunda mão… Não há maior maravilha! Não me venham falar da maior valência dos novos meios de comunicação tecnológicos. Para que servem a quem os não sabe manejar? Hoje, em que felizmente o tempo de vida se prolonga, creio que há mais leitores para lá dos cinquenta para os quais estes jornais pal-

Desejo receber comodamente, no endereço que assinalo, o semanário YES PAREDES

255 718 559 // assinaturas@yesparedes.pt

no daquele tempo. Era assim José. Eu fazia aos meus alunos o que gostava que os professores fizessem aos meus filhos. Sei que não fui compreendida por muitos. Se alguma vez a minha unha polegar picou demais a vossa orelha, peço publicamente desculpa, porque, creiam, foi um castigo de amor e do tempo… Hoje não o faria. Obrigada a todo o corpo editorial deste jornal por me permitirdes participar, deixar a minha opinião e vincada a minha voz. Pode ser um pequenino grão de areia na praia branca mas servirá para aquecer um pouco mais o sol dos que nela se sentarem. Sim… YES PAREDES.


Edição N.º 2 | 5 de Abril, 2018

Paredes

|5

Sociedade

Município de Paredes apoia diversas iniciativas para a “Consciencialização do Autismo”

N

este Dia Mundial da Consciencialização do Autismo, 2 de abril, o Município de Paredes associou-se a vária iniciativas que este mês e no próximo vão ter lugar no concelho, nomeadamente uma caminhada de angariação de fundos para as duas unidades de Autismo do Agrupamento de Escolas de Vilela, uma palestra que decorrerá na Escola Secundária de Paredes e um workshop de dois dias previsto para o auditório do CTIMM, em Lordelo. Recorde-se que a Câmara Municipal de Paredes, através de acordo de cooperação estabelecido com a Junta de Freguesia de Rebordosa, atribuiu, em fevereiro deste ano, o apoio financeiro no valor de 600 euros mensais para o transporte dos 17 alunos com necessidades educativas especiais da Escola Básica nº 1, e da Escola Básica e Secundária de Rebordosa para a prática de aulas de hipoterapia. O Município de Paredes, em parceria com o Agrupamento de Escolas de Vilela, o Instituto de Desenvolvimento e a Cespu, promove no próximo domingo, 8 de abril, pelas 09h30, uma caminhada alusiva à “Consciencialização do

Autismo”. A caminhada insere-se na programação da Feira da Saúde e Bem-Estar, com início e término no Pavilhão Municipal de Paredes e percorrerá as principais ruas da cidade. O valor da inscrição reverte para as duas unidades de Autismo do Agrupamento de Escolas de Vilela, sendo 3 euros, valor individual, ou 2 euros por pessoa para grupos de 3 ou mais elementos. As inscrições poderão ser realizadas na Câmara Municipal, nas Piscinas Municipais, no Pavilhão Rota dos Móveis e no Agrupamento de Escolas de Vilela. Também são aceites inscrições no próprio dia da caminhada. Para o próximo dia 10 de abril, pelas 18 horas, no Auditório da Escola Secundária de Paredes, está prevista a palestra “Entender Autismo”, no âmbito do projeto “Autismo Rocks!” da Associação Vencer Autismo e que conta com o apoio da autarquia. A sessão é gratuita e aberta ao público. Nos dias 11 e 12 de maio, também em parceria com a Associação Vencer Autismo e a Câmara de Paredes, decorrerá um Workshop gratuito, no auditório do CTIMM, em Lordelo, com acesso a mentoria até julho de 2020 para as pessoas

que acompanham crianças/ jovens com Perturbações do Espetro do Autismo. Refira-se que o projeto “Autismo Rocks!” foi lançado pela Associação Vencer Autismo e é apoiado pela Portugal Inovação Social. O projeto será para implementar nos 17 municípios da Área Metropolitana do Porto, com o objetivo de capacitar a comunidade em geral para a compreensão e aceitação das características próprias do autismo. Através de eventos como palestras e workshops, que promovem a partilha de técnicas e estratégias específicas entre todos aqueles que contactam direta e indiretamente com crianças com Perturbações do Espetro do Autismo, espera-se que os participantes apreendam as ferramentas que lhes permitam contribuir para o máximo desenvolvimento do potencial da criança/jovem com este diagnóstico. O projeto, desenvolvido nos 17 municípios da Área Metropolitana do Porto, tem como objetivo levar pelo menos uma palestra, um workshop de dois dias, e mentoria durante 3 anos aos habitantes de cada um dos municípios. As inscrições na palestra e nos workshops poderão ser

efetuadas em https://goo.gl/ baBDEp Facebook: https:// www.facebook.com/ events/1544015879043007

site: http://vencerautismo. org/evento/ar-paredes

Sabores tradicionais de Paredes nos “fins de semana gastronómicos” de 6 a 8 de abril

“Sabores e Saberes” reúne talentos de duas gerações na Casa da Cultura de 7 a 9 de abril

A autarquia de Paredes associou-se à iniciativa do Turismo Porto e Norte de Portugal, promovendo os “Fins de Semana Gastronómicos”, entre 6 e 8 de abril, um evento dedicado à gastronomia tradicional que terá para degustação o típico cabrito assado no forno a lenha e a sopa seca. Uma aposta de referência que visa promover e divulgar a riqueza dos sabores tradicionais da gastronomia de Paredes. Trata-se de uma oportunidade para os visitantes desfrutarem igualmente da beleza das paisagens e da riqueza do património concelhio. Prevista para o fim de semana de 6,7 e 8 de abril, esta edição terá como imagem de marca o cabrito assado no forno a lenha, acompanhado de arroz e a sopa seca, como iguarias selecionadas nas refeições servidas pelos cinco estabelecimentos de restauração aderentes: “O Rei”, “Casa dos Frangos”, “Cozinha da Terra”, “Os Frades” e “Casa do Baixinho”. Os empreendimentos turísticos Casa de

O pelouro de Ação Social do Município de Paredes, consciente da importância de criar momentos de promoção do envelhecimento ativo da população sénior, vai promover de 7 a 9 de abril, na Casa da Cultura, o evento “Sabores e Saberes”, uma iniciativa que visa juntar duas gerações, como forma de partilha de saberes e sabores e fomentar as relações intergeracionais. O “Sabores e Saberes” vai unir jovens e seniores para, em conjunto, apresentarem algo que os identifique e funcione como uma oportunidade de terem um objetivo comum. Neste caso, a ação inclui um concurso onde o saber de uma tradição e o sabor de um bom doce feito pelos avós são postos à prova. Refira-se que cada Junta de Freguesia designou um par sénior (mais de 60 anos) e jovem (mais de 12 e menos de 25) para participar no concurso Sabores e Saberes – Mostra Municipal Intergeracional. Este concurso passa pela apresentação e confeção de uma receita doce, que deverá ser antecipadamente preparada pelo par e apresentada ao público e ao júri no dia da realização do evento. Deverá trazer o doce da receita can-

Estrebuela e Casa de Louredo, associaram-se, de igual modo, aos fins de semana gastronómicos, de modo a acolher quem por lá queira pernoitar. Paralelamente a esta iniciativa, está previsto um programa de animação, que inclui visitas guiadas às Minas de Ouro de Castromil, ao Centro de Interpretação da Sr.ª do Salto em Aguiar de Sousa e ao Circuito de Arte Pública de Paredes. Refira-se que as visitas guiadas devem ser previamente agendadas.

didata previamente feito e preparar uma outra no local, a fim de ser observada a sua elaboração e interação do par candidato. Haverá lugar a um júri que apreciará o trabalho do par candidato e elegerá o vencedor, que vai representar o concelho de Paredes no Concurso Metropolitano Intergeracional, que se realizará a 9 de abril, em Paredes, sendo que serão, igualmente, escolhidos o 2º e 3º classificados. Dia 7 de abril - 14h às 19h - Mostra Municipal Intergeracional - Sabores - Concurso Culinário – Receitas Doces (Freguesias de A a L inclusive); Dia 8 de abril - 14h às 19h - Mostra Municipal Intergeracional - Sabores - Concurso Culinário – Receitas Doces (Freguesias de P a V) + 6 localidades da Freguesia de Paredes; Dia 9 de abril - 10h às 18h – Concurso Metropolitano Intergeracional, no qual participam os 17 municípios da Área Metropolitana do Porto.


6|

Edição N.º 2| 5 de abril, 2018

Paredes

Sociedade

Tribunal de contas “chumba” compra do Complexo das Laranjeiras

Cristina Borges

redacao@yeslousada.pt

Na entrevista dada ao Yes Paredes aquando da primeira edição do jornal, Alexandre Almeida já tinha assumido o interesse da Câmara na aqui-

sição do Complexo das Laranjeiras. Uma semana depois, tudo se complicou, já que o Tribunal de Contas vetou a compra do Complexo pelo mu-

nicípio. Segundo o Presidente da Câmara Municipal de Paredes, o município não podia ter

avançado com o sinal de 300 mil euros para a compra, sem o visto prévio do Tribunal de Contas. A instituição considera que foi assim violada a Lei dos Compromissos. Alexandre Almeida garante que a câmara não vai desistir da edificação, avaliada em 1,58 milhões de euros, e pensa já em alternativas, nomeadamente, através de uma associação ou instituição pública. O Presidente do município paredense considera que o complexo representa extrema importância para a cidade e lembra que a prioridade “é não perder os 300 mil euros de sinal, dados pelo anterior executivo.” Na reunião de câmara, Alexandre Almeida anunciou aos presentes a decisão do Tribunal de Contas e culpou os

representantes do anterior mandato. O autarca acusou os vereadores do PSD presentes de “má gestão” e da “má herança deixada”. Alexandre Almeida dsse mesmo: “Isto é o corolário da má gestão. Sempre que se faz uma aquisição superior a 350 mil euros pode-se dar um sinal mas é necessário visto antes da aquisição e quando é superior a 900 mil euros nem sequer se pode dar um sinal antes do visto. E essa foi uma das razões de recusa do visto para além da lei dos compromissos estar violada.” Alexandre Almeida expressou o desejo de resolver rapidamente o problema, uma vez que pretende submeter a candidatura ainda este ano.

Paredes espera receber cerca de 400 atletas de crossfit no torneio a realizar de 14 a 15 de julho

Durante dois dias Paredes vai ser o destino de cerca de 400 atletas que irão participar na primeira edição do torneio FITTEST GAMES PAREDES - CROSSFIT IK que será organizado, em conjunto, pelo pelouro do Desporto da autarquia e pelo ginásio Ideal Korpus. O torneio promete desafios constantes e será realizado nos dias 14 e 15 de julho em vários locais, onde juntará os melhores praticantes nacionais de crossfit masculinos e femininos. As provas irão decorrer em espaço fechado (pavilhão),

ao ar livre e piscina. Apenas serão apurados os 5 melhores atletas de cada categoria para disputarem a prova final. Este evento constitui um grande desafio e inclui provas de cardio, resistência, força e ginástica. A aventura constante e o treino funcional são as atrações desta modalidade com cada vez mais praticantes. As inscrições abrem brevemente online em: https://www.facebook.com/ events/963026123873303/

ENVIE AS NOTÍCIAS DA SUA TERRA PARA REDACAO@YESPAREDES.PT

Paredes

FACA PARTE DESTE PROJETO

PARTICIPE


Edição N.º 2 | 5 de Abril, 2018

Paredes

|7

Grande entrevista: Nuno Serra - PSD Paredes

“O ciclo do PS não passará dos 4 anos” Nuno Serra Nuno Serra, de 44 anos, presidente da Junta de Freguesia de Lordelo, é o atual presidente da Comissão Política do PSD Paredes. Após alguns meses da saída do anterior líder, Rui Moutinho, quisemos conhecer, pela voz deste autarca e militante, o atual momento do partido a nível local.

YES: Após 24 anos no poder, o PSD perdeu a Câmara Municipal de Paredes para o PS. Como está a ser digerida esta derrota?

encontrado uma Câmara à deriva. Encontraram uma Câmara muito organizada, uma câmara que, como disse há pouco, esticou os níveis de endividamento até ao limite, por necessidade, porque os investimentos que Celso Ferreira tinha em mente e que pôs em prática provocaram essa situação. Mas não me parece que tenha deixado a Câmara da maneira que eles apresentam, de tal forma que é só perceber o tipo de despesas que este executivo também está cá a assumir. Porque na verdade é in-

Nuno Serra (NS): Após 24 anos, foi pesada e estamos a senti-la. Muita gente disse que era previsível, mas sinceramente eu achava que poderíamos ganhar. Fizemos um

que não se conseguem compreender.

compreensível estar a dizer que encontrou uma Câmara super endividada e a seguir faz investimentos e gastos supérfluos e desnecessários,

trabalho bem feito, para que pudéssemos ganhar as eleições, mas o povo assim não entendeu e a beleza da democracia é isto.

YES: A que gastos se refere? Quais os mais relevantes? NS: Acho que há aqui uma sede, no caso do novo executivo, de procurar dominar a comunicação. E há um despesismo exacerbado relativamente àquilo que é a vontade de mostrar e eu acho que não há necessidade, pois, se a câmara estava assim tão mal, não é por aí que devemos começar. Vemos que há de facto despesas, a meu ver, desnecessárias, que são muito superiores àquilo, por exemplo, que são as transferências para as juntas de freguesia. Dizer, por exem-

YES: O que aconteceu ao longo desses 24 anos que fez o povo dar um cartão vermelho ao PSD? NS: Eu julgo que nesta altura as pessoas ainda não perceberam o que foi a política do PSD no concelho. Relativamente ao Celso Ferreira, mudou de facto o paradigma.

Ele transformou o concelho de Paredes num concelho atrativo, um concelho que deixou de ser um concelho típico de interior, num distrito tão próximo do litoral. A verdade é que a proximidade nos permitia tirar aqui algumas vantagens. Soube captar investimentos necessários para isso, soube realizar as infraestruturas e fez um trabalho notável. Mas acho que só a história irá valorizar isso, uma história a curto prazo. Já escuto algumas vozes a dizer “ Afinal...”. Porque ele dividiu

o investimento por todo o concelho de Paredes, e acho que o conseguiu, fazendo uma distribuição por todas as freguesias. Todas tiveram investimento, foram criadas infraestruturas em todas elas, notáveis a nível de espaços verdes.

E aquilo que me parece que foi a cereja do topo do bolo: a

sua leitura e a visão que teve na área da educação. Foi sem dúvida nenhuma um visionário, porque olhou muito para fora da caixa e viu aquilo que se vai passar nos próximos anos, preparando o concelho para essa realidade. E aquilo que era um concelho em que o abandono escolar era elevadíssimo, transformou-se num

plo, que aumentou as transferências de um dos protocolos em 10%, é certo, mas 10% para algumas freguesias não corresponde, se calhar, nem a 100 euros. E isso é algo que

concelho onde os níveis e os resultados são muito satisfatórios, muito bons até. Isso foi feito em 12 anos. Estou convicto de que os verdadeiros resultados positivos ainda vão aparecer nos próximos anos, portanto, o resultado do tra-

balho de Celso Ferreira e da equipa dele vai ficar na história. YES: Será que o líder prejudicou o partido com a sua visão?

NS: Somos capazes de estar a pagar o preço de uma falta de proximidade para com as pessoas, daquela política cara a cara, que caracteriza os presidentes de junta, porque há o contacto com as pessoas e aí, a nível de juntas de freguesia, mostramos a diferença. Continuamos com a maioria das juntas, mas a nível de governação autárquica é capaz de ter sido uma das principais razões

que levou o PSD a sofrer esta derrota. A verdade é que algumas medidas tiveram que ser duras. Eu recordo, por exemplo, que Passos Coelho tomou medidas duríssimas para o nosso país, necessárias, umas mais, outras menos. É discutível a forma de como o fez, mas a verdade é que o país saiu da bancarrota, e os resultados que agora são de crescimento no país, obviamente, que muito se deve ao trabalho dele no governo PSD. Julgo que transportamos isso para a nossa realidade. Celso Ferreira viu isso dessa forma. Houve medidas

que tiveram de ser tomadas, fizeram doer, mas teve que ser. Endividar, fazer o investimento e, se calhar, criar depois dificuldades a nível de um investimento mais pequeno, de proximidade, custou esta eleição, mas a verdade é que o concelho ficou preparado para

o futuro e isso é incontornável. Com isso nós vamos viver no futuro muito bem e brevemente as pessoas vão perceber que o PSD é o único partido preparado para governar o concelho, porque tem projetos, tem ideias, tem visão de futuro, não está aqui apenas com projetos do dia a dia.

YES: O que sente que mudou com a governação socialista? Como reage às palavras de que Paredes tinha uma câmara à deriva? NS: Por um lado, temos que pôr aqui um parênteses e perceber que o PS chegou à Câmara e teve que se adaptar. É um novo executivo, uma nova equipa e, de facto, temos que dar tempo para que se adapte. Temos que perceber isso, é normal. Mas não creio que tenham

na campanha me parecia que iria ter uma visão mais aproximada das juntas de freguesia. Mas, na verdade, o que está a acontecer é um desprezo total pelas juntas, nomeadamente aquelas que não são da sua cor partidária. Isso não é fazer política, não é saber administrar uma autarquia.

YES: O Presidente da Câmara disse exatamente o contrário, que vai tratar as juntas de freguesia de forma igual… NS: Eu não sinto. Sinto que, no que diz respeito à minha Junta de Freguesia, há aqui um desprezo que eu não estava à espera. Como disse, há aqui um tempo que tem que ser dado para que as pessoas se adaptem, mas na verdade, perguntando a esta distância e relativamente a esses últimos meses, não esperava isto. Sin-

to um desprezo que até me deixa indignado, mas que espero que venha a mudar, sinceramente.


8|

Edição N.º 2| 5 de abril, 2018

Paredes

Grande entrevista: Nuno Serra - PSD Paredes

YES: Consegue traduzir em factos esse desprezo? NS: Por exemplo, relativamente aos presidentes de junta, apesar de me dizerem que todos têm o mesmo tratamento, antes, nunca tive problemas, até mesmo antes de ser presidente de junta, tinha uma

na sede do concelho tem sido o foco dos primeiros meses da governação PS. Como vê esta situação? NS: Sobre as opções políticas deste executivo, ele - melhor do que eu - consegue explicá-las. Eu acho que havia má informação, pois dizia-se

como o cidadão de Paredes, Rebordosa, Recarei e Astromil... E se uma rua tem que estar bem pavimentada aqui, eles merecem ter lá também. Se eles lá terão uma piscina, nós também temos direito de a ter aqui. E muito contribuímos para que tivéssemos esses equipamentos. Obviamente há alguns investimentos que só se

deu a conhecer. É óbvio que nos apanhou um pouco de surpresa, mas, como disse, nós estamos preparados para isso. O partido não se resume

a um homem só. Felizmente, tem ótimos quadros e o que vamos fazer é seguir o caminho que temos para o futuro, que é ganhar as próximas eleições autárquicas. Aliás, antes disso, é ganhar as legislativas de 2019.

YES: Que responsabilidade é que sente nesse momento? NS: Eu tenho que confessar que não foi a melhor altura para assumir as funções de presidente da Comissão Política do PSD. Tenho a minha freguesia, sou presidente de junta e, enquanto for presidente da Junta de Freguesia de Lordelo, os interesses que eu tenho que defender são os de Lordelo. Com certeza que nós cá estaremos também para perceber isso nos atos eleitorais. Mas, de facto, ser presidente de junta de freguesia e ser presidente de Comissão Política não me parecem funções muito compatíveis. Daí eu achar que

devemos convocar eleições, preparar um ato eleitoral, dar a palavra aos militantes e eles dirão quem assumirá os destinos do Partido.

YES: O facto de ainda não terem existido outras soluções deve-se a quê? porta aberta na Câmara Municipal. Neste momento, fui

bloqueado à entrada da Câmara Municipal.

Relativamente àquilo que se passa nos trabalhos da Assembleia Municipal, acho desprezível, abominável. Temos um

presidente da Assembleia Municipal que me parece que não está sequer minimamente preparado para as funções. Rapidamente se esqueceu daquilo que é a democracia e eu estou indignado com o que se passa na Assembleia Municipal.

Portanto - e agora estou a falar como autarca e como Presidente da Junta - Lordelo está a sentir uma indiferença enorme por parte da Câmara Municipal, e o povo está atento. E terei sempre esta população ao meu lado, porque a população escolheu-me para representar esta terra e eu espero que o Presidente da Câmara e o seu executivo consigam perceber quais foram as opções que esta terra tomou e que as respeite, porque a democracia é isto, tal como a gente também respeita o novo executivo.

YES: Um maior investimento

que a cidade de Paredes havia sido abandonada, o que não é verdade. Teve grande investimento nesses últimos anos, tornou-se uma cidade muito mais atrativa. E percebe-se claramente pelo crescimento da população, ao contrário da realidade do país. Vejo por exemplo isso aqui em Lordelo: entre um senso e outro, cresceu, e não foi assim tão desprezível o crescimento que teve. E, no meio disto tudo, ainda teve o problema da crise, que levou a um surto de emigração muito grande. Mas a verdade é que a freguesia cresce em termos de população e o concelho também. O investimento captado para o concelho de Paredes tem sido significativo. Julgo

que é o concelho do distrito do Porto que está a melhor saber aproveitar essa onda de crescimento e investimentos. Nós olhamos para os concelhos vizinhos e percebemos que estamos muito à frente. Espero que ele saiba aproveitar isso também, que não despreze esta oportunidade. Relativamente aos investimentos, que os faça de forma equilibrada, porque o cidadão de Lordelo é tão importante

fazem no centro do concelho, e eu compreendo, mas que até ao momento foram bem distribuídos.

YES: Rui Moutinho... Mesmo com a derrota, poderia ter continuado? NS: O Rui Moutinho fez um trabalho muito bom. Acho que daria um ótimo presidente de Câmara. Tudo fez

para mostrar isso às pessoas. Elas não entenderam e, como disse, a democracia é isso mesmo. Entretanto, a vida dele, obviamente, deu uma volta, teve que se adaptar. Há toda uma realidade que nós temos que compreender. Desde a vida profissional à vida familiar, ele teve que se adaptar. E o que ele sentiu era que não conseguia dar o melhor de si ao PSD. Neste sentido, percebeu que era melhor abandonar, demitiu-se e nós temos que respeitar.

YES: Consta que foi uma demissão para os jornais... NS: A demissão dele foi apresentada em reunião de Comissão Política alargada. Foi aí que ele, em primeira mão, a

NS: Eu não diria que não existem soluções. Nós não marcamos eleições, portanto acho que o partido tem imensas soluções. Aquilo que nós pretendemos foi, dentro do partido, fazer a gestão calma, pacífica, para que haja aqui uma transição o mais pacífica possível e, tendo em conta que durante esse mês acaba a legitimidade do plenário, para nós é muito mais confortável marcar um ato eleitoral único, do que estar aqui a dividir. É só isso.

YES: Na sua opinião, como militante, quem acha que poderia dar um novo rumo ao Partido Social Democrata aqui em Paredes? NS: Não faço ideia. Eu acho que o PSD, felizmente, sempre teve boas soluções. Nós tivemos soluções inclusive para o PS, cujo executivo é

quase todo ele ex-militantes do PSD. Portanto, nós sempre tivemos soluções e boas soluções. Eu creio que, mais uma vez, há pessoas com as capacidades necessárias e obviamente com a disponibilidade necessária. Nesse contexto, apresentar-se-ão a eleições e disponibilizar-se-ão para dar

uma resposta àquilo que o partido precisa, que é reorganizar-se e preparar-se para o futuro.

YES: O vereador Manuel Fernando Rocha seria uma opção mais consensual? NS: O Manuel Fernando Rocha é uma pessoa muito consensual dentro do partido. É muito querido no meio dos militantes, mas é apenas um militante com a capacidade de poder ser um candidato, como muitos outros, que estarão nas mesmas condições que ele.

YES: Mas não há um vazio? NS: Não acredito. O PSD está muito bem preparado para dar respostas a todas essas situações. Embora essa seja nova para nós, não tenho dúvidas nenhumas de que haverá vários militantes que estarão disponíveis para integrar o partido.

YES: Este concelho já foi CDS bastantes anos… Depois o Granja e depois o Celso Ferreira... Sente que há um novo ciclo, neste caso do PS? NS: É natural que as pessoas tenham feito esta escolha e é natural que haja agora aqui um ciclo do PS. A meu ver,

será um ciclo muito curto. Estou convencido de que, desta forma, será um ciclo que não irá passar dos 4 anos, mas de qualquer forma as pessoas estão a dar esta oportunidade que o PS terá que a aproveitar, se assim o entender.

YES: Qual a sua opinião sobre antigos militantes que fizeram parte de executivos do PSD, mas que se afastaram nestas últimas eleições? Refiro-me a Joaquim Neves e Pedro Mendes. NS: Todos eles foram importantes. Referiu Pedro Mendes e Joaquim Neves, muito importantes para o partido em determinada altura. São igualmente importantes como qualquer outro militante e serão obviamente muito importantes para o futuro. Foram as escolhas que o partido entendeu na devida altura e serão as escolhas que o partido entender nas próximas eleições. Não sei se estão disponíveis ou não, mas é preciso perceber os momentos. No entanto, não quero dizer com isto que sejam militantes menores, são militantes extremamente importantes que deram um contributo fortíssimo ao partido e ao concelho. Ambos foram vereadores, excelentes vereadores, e neste sentido são mais dois bons quadros deste


Edição N.º 2 | 5 de Abril, 2018

Paredes

|9

Grande entrevista: Nuno Serra - PSD Paredes partido e podem ser boas soluções para o futuro.

YES: São consensuais dentro do Partido? NS: São pessoas que estiveram em contextos diferentes, entraram em realidades diferentes. O Dr. Pedro Mendes já foi presidente da Comissão Política e foi importante, em determinada altura. Assim, entendemos optar por outras so-

NS: Construiram aquilo que hoje existe no concelho de Paredes. Duas personalidades completamente diferentes uma da outra, mas ambas importantíssimas. Nem Granja da

Fonseca, nem Celso Ferreira estão ligados ao passado, são mais dois militantes que eu espero que estejam no futuro do partido e tenho-o dito muitas vezes. Continuo a achar que Celso Ferreira será um quadro importantíssimo

um senador do partido, um conselheiro e uma pessoa que ainda terá muito que dar ao nosso partido e ao nosso concelho.

YES: Não existe já um grande desgaste da governação de Celso Ferreira? NS: Celso Ferreira governou três mandatos, limitado pelas opções legais. Nunca saberí-

mos que há um ciclo, um desgaste natural, e na política os desgastes são muito rápidos.

consigam liderar os destinos dessas terras. Foi isso que o povo escolheu e parece-me que é incontornável.

YES: Preocupa-se neste momento com o CDS Paredes, que se está a estruturar?

Aquilo que aconteceu em Vilela foi exatamente a mesma coisa, mas as outras forças políticas assim não o entenderam. Parece-me baixa a forma como o fizeram. Acho que estão a ser completamente injustos e muito pouco democráticos até, comparativamente com as outras realidades. Aquilo que eu sinto é que a Mariana ganhou as eleições, legitimamente, o povo escolheu a Mariana e ela deve governar com as pessoas que quiser, a equipa deve ser feita por ela. Obviamente respeitando também os resultados das outras forças políticas, mas parece-me com-

NS: Não. Acho que em democracia as várias forças partidárias fazem um todo, dentro daquilo que é uma realidade, neste caso municipal. O CDS esteve, de facto, arredado desta realidade em determinada altura, mas faz falta ao concelho e o contributo que o CDS tem para dar ao concelho não será uma sombra para o PS ou para o PSD, mas sim apenas mais um partido que está a dar um contributo para as políticas e que a mim não me faz qualquer tipo de espécie, pelo contrário. Fica muito bem haver mais forças partidárias a fazer esse trabalho. Eu acho que será mais perigoso se continuarmos numa realidade bipolar. Parece que isso se torna perigoso, até a nível nacional. Sempre que haja aqui outras forças partidárias, a dar esse contributo, não me faz confusão nenhuma, pelo contrário. Acho que podemos tirar o lado positivo disso tudo e ver isso com bons olhos. Crescem na medida em que as pessoas as vão deixar crescer e desaparecem da mesma forma. Tudo depende do trabalho que têm para fazer dentro do concelho de Paredes.

YES: Sobre o impasse na freguesia de Vilela, qual é a posição do PSD?

luções e agora estamos cá para assumir os resultados disso tudo e as responsabilidades que isso acarreta.

YES: Celso Ferreira e Granja da Fonseca estarão ligados ao futuro do PSD ou fazem parte do passado?

para o partido a nível nacional. Acho que seria um desperdício muito grande o partido não aproveitar este valor. Falo de Celso Ferreira, que de facto tem uma carreira ainda pela frente, que parece auspiciosa. Granja da Fonseca, embora seja de um quadro mais antigo do Partido, não deixa de ser

amos se iria ganhar o quarto mandato ou não. A lei não o permite, mas ganhou com três maiorias, o que é significativo. Eu acho que isso dá para perceber o tipo de liderança que tivemos enquanto presidente e as capacidades que ele tem. Mas obviamente que percebe-

NS: Não foi inédito o que aconteceu. Aguiar Sousa também não teve maioria e Parada de Todeia também não teve maioria. Aquilo que entendemos foi que quem ganha deve governar, é esse nosso entendimento e foi isso que fizemos quando aceitamos acordos, tanto em Aguiar Sousa como em Parada de Todeia. Legitimamos aquilo que o povo escolheu. Ganhou o PS em Aguiar Sousa e a CDU em Parada de Todeia. Nós não ganhamos,

temos que tentar tudo para conseguirmos um acordo, que permita que essas forças

pletamente desnecessário e desajustado levar agora o povo de Vilela a um novo ato eleitoral. Acho que está a fazer muito bem o trabalho dela, foi uma ótima escolha do povo de Vilela e ela vai saber levar a bom porto o trabalho dela, com ou sem o apoio da oposição. Está a fazer um trabalho que deve ser feito, embora condicionado, obviamente, mas muito por culpa da oposição, que está a dificultar, coisa que nós não fizemos nas outras freguesias.

YES: Como vê a situação se houver novas eleições? NS: Estou confortável, se tiver que ir a novas eleições. É um desafio, como da primeira vez que tivemos que levar a mesma equipa, da mesma forma. Acho que o povo de Vile-

la saberá perfeitamente, se calhar, reforçar claramente o resultado da Mariana e isso dava-nos um outro conforto.

Não me parece que seja essa solução adequada. Houve um ato eleitoral, o PSD ganhou, a Mariana tem toda a legitimidade para ser a presidente de junta, escolhendo uma equipa e respeitando as outras forças políticas, que foi exatamente aquilo que fizemos nas outras freguesias deste concelho. Portanto, logo por aí se percebe a visão do PSD relativamente à de outros partidos. José Ferreira diretor@yeslousada.pt


10 |

Edição N.º 2| 5 de abril, 2018

Paredes

Festa em honra de Nossa Senhora da Esperança

Gondalães surpreende com três dias de Festa Festa em honra de Nossa Senhora da Esperança Armando Mendes Neto, de 60 anos, é o pároco da freguesia de Gondalães. Além desta freguesia, tem mais duas, Bitarães e Louredo. Está no concelho de Paredes desde que foi ordenado em 1983, há 34 anos. O Padre Armando caracteriza a freguesia como pequena, rural, com muitas quintas, onde a área de construção é diminuta. A população também é reduzida. O pároco avança com o número de 10 nascimentos por ano para

mostrar que a tendência não é de crescimento. A nível religioso, trata-se de uma população devota, que gosta das suas raízes.

Senhora de Esperança traz mensagem de renovação Sobre a festa de Nossa Senhora da Esperança, o religioso explica a sua mensagem: “Tem a ver com a vinda da primavera e do tempo pascal. Com isso vem a esperança de uma vida melhor, a todos os níveis. Tudo isso acontece com a própria natureza e tudo isso acontece com a Páscoa, com a ressurreição de Cristo. Juntando estas peças todas, temos então tempos melhores, tempos de esperança, o tempo real, da natureza, ligado ao tempo litúrgico. Uma coisa está ligada à outra. Podemos associar a Páscoa de Cristo e a primavera a uma nova esperança. O cristão renova essa esperança. E a nossa senhora é a sua mensageira e a medianeira do filho para esta graça

que ele nos deixou, uma vida nova, uma vida eterna, que é a esperança por excelência”, explica desta forma o Padre Armando Neto a razão de esta festa ser a maior da freguesia. O calendário da festa varia com o assinalar da ressurreição de Cristo, realizando-se sempre uma semana depois da Páscoa. Em simultâneo, celebra-se a Primeira Comunhão. Por ser a primeira festa após a Ressurreição de Cristo, para o pároco, tem mais importância e capta o interesse das pessoas: “Por isso, vem muita gente de fora, de todo o lado. É a primeira. Os habitantes

da freguesia sentem isso, são os primeiros a ter uma festa”. Festa esta que ao longo dos anos passou por algumas dificuldades para ser realizada, perdendo-se com o tempo o voluntarismo das pessoas, que assumiam a sua realização. Armando Neto teve de chamar a si a resolução deste problema: “A solução foi dar essa responsabilidade aos pais dos meninos da catequese para que a festa se faça. Acaba por ser uma festa mais genuína, pois envolve as pessoas por outros motivos. Se não houver noitada, não há problema, pois valoriza-se o religioso e o sagrado. Há o compromisso para que não não falhe, e parece que não se podia fazer mas faz-se, e isso é muito positivo”. Este ano a festa faz-se no feminino, como explica o pároco: “São três mulheres e uma delas catequista. Foi o possível. Eu falei com uma das catequistas e disse: “vamos em frente, a aposta é o sagrado e a procissão. Vamos lá! Eu sei

que vai correr bem”. O trio feminino traz assim, mais uma vez, a esperança à Festa de Gondalães.

Trio feminino organiza a festa Marisa Ribeiro, de 31 anos , Eugénia Bessa, de 41, e Joana Nessa, de 26, são as responsáveis pela edição deste ano da festa em Honra de Nossa Senhora da Esperança da freguesia de Gondalães. Segundo elas, “foram empurradas para a fazer”. Sorrindo, explicam: “Não podemos fazer nada diferente, a festa sempre existiu. Antigamente, havia festeiros voluntários, até que isso se perdeu um bocadinho, e o padre, para não terminar com a festa, pede aos pais dos meninos da Primeira Comunhão para a fazerem, e tem sido sempre assim”. Foi assim que Eugénia e Joana disseram ‘presente’, pois os seus filhos vão fazer a Comunhão. Depois, convenceram Marisa Ribeiro, a catequista, que se juntou a esta aventura e assim nasceu este trio. “Começamos em dezembro só”, diz Marisa, que confessa que tudo foi uma aprendizagem, com poucas expectativas no início, que foram aumentando. E, de ape-

nas um dia de festa, passaram a ter três: “Nós arriscamos, quisemos marcar pela diferença. Há muito tempo que já não se fazia na sexta-feira. Assim, como a população da freguesia gosta muito de música popular, escolhemos o grupo Verde Canto”. “Trabalhamos muito”, refere Joana, que na venda de calendários e nos peditórios investiram muito do seu tempo, até fora da freguesia, procurando receita para fazer esta festa, que “vai valer a pena, se não chover”, sorri Joana. Marisa explica que a comunidade quer a festa mas que “havia mais poder económico no passado, agora é mais difícil. Toda a gente quer a festa mas nem todos contribuem”, explica, salientando que gostariam de ter um nome mais

sonante a atuar. Apesar de tudo, o programa até é arrojado, dentro das possibilidades. Descrevem também a importância de esta ser uma data festiva para as crianças, pois coincide com a Primeira Comunhão. Marisa caracteriza a população como devota e unida: “Gondalães nunca foi muito valorizada. Agora, com as marchas de S.Pedro, as pessoas vêm muito de fora e vêm propositadamente. A festa traz muita gente, que vem por devoção. Somos pequenos, mas importantes, na nossa simplicidade e autenticidade. Tanto nas marchas como nesta festa marcamos a diferença”, termina, com orgulho, Marisa Ribeiro.


Edição N.º 2 | 5 de Abril, 2018

Paredes

| 11

Festa em honra de Nossa Senhora da Esperança

Gondalães: terra pequena com alma grande

I

ntegrada na freguesia de Paredes pela reorganização administrativa de 2013, Gondalães possui apenas 2,03 km² de área. De origem germânica, o topónimo “Gondalães” refere-se a

José Ferreira diretor@yesparedes.pt

algum governante local, suevo ou visigodo, que por aí terá vivido, tomando posse da terra e dando-lhe o seu nome. Artur Pereira da Silva, de 63 anos, natural de Cinfães, é o

atual presidente da freguesia de Paredes. Nesta curta entrevista, caracterizou-nos Gondalães, falou-nos das principais necessidades, das suas potencialidades e dos projetos futuros. Conheça esta terra pequena, mas aprazível.

YES: Conhece bem esta freguesia. Como a caracteriza? Quais as maiores necessidades da freguesia neste momento? Artur Silva (AS): A extinta freguesia de Gondalães, agora anexada e fazendo parte da freguesia de Paredes, é um território aprazível, essencialmente agrícola e com pequeno comércio. É habitada por pessoas afáveis, empreendedoras, dinâmicas, muito bairristas e cooperantes, servida por uma rede viária aceitável, mas com falta de redes de águas residuais e de abastecimento, sendo estas as principais carências imediatas.

AS: A educação é assegurada pelo Centro Escolar de Bitarães e Jardim de Infância de Gondalães, na primeira fase de preparação da nossa juventude, e estamos atentos e cooperantes por forma a proporcionar as melhores condições aos nossos jovens. Apoiaremos as associações locais de âmbito social e iremos conseguir uma boa articulação com outras associações da Freguesia de Paredes, por forma a criar condições para uma integração adequada de todos os que necessitem de apoio.

A nível associativo e cultural, tem algumas dinâmicas interessantes, que importa apoiar e desenvolver.

O emprego e a saúde estão diretamente ligados ao desenvolvimento económico e cultural do país e consequentemente do Concelho e Freguesia. Este executivo tem por objetivo promover a cultura, realizando eventos, apoiando as associações culturais e a construção e conservação de infraestruturas públicas de apoio às atividades culturais e ao desenvolvimento económico, com o objetivo de melhorar também o emprego e os cuidados de saúde da população.

YES: Caracterize os objetivos para o seu mandato, destacando as seguintes áreas: educação, ação Social, emprego, saúde, desenvolvimento económico e cultura.

Será também uma preocupação deste executivo ir ao encontro das necessidades básicas da população, pugnando pela concretização de redes de saneamento, abastecimento de água e uma melhoria constante da rede viária e iluminação pública.

YES: Caracterize a freguesia a nível associativo. De que forma a Junta de Freguesia apoia essas associações? AS: São várias as associações e de áreas diversas: o escutismo, Grupo de Bombos, ação social e cultura e desporto. Embora o universo populacional não seja grande, todas têm uma boa dinâmica e são apoiadas por este executivo, dentro das possibilidades. YES: A reforma administrativa não foi pacífica. Qual a sua opinião sobre a união das freguesias que deu origem à freguesia de Paredes? AS: Inicialmente, fui contra por entender que se perdia a identidade local e as dinâmicas próprias de cada freguesia. Com o avançar do tempo e agora que me candidatei e ganhei as eleições à Freguesia de Paredes, tenho uma perspetiva diferente e sou da opinião, sem radicalismos de objeção a eventuais interesses de separação, que esta dimensão traz uma possibilidade de se conseguir realizar objetivos de outra dimensão. Este é um desafio que me foi lançado e no qual estou empenhado e convicto do êxito do engrandecimento da Freguesia como um todo e na qual todos se revejam.

Programa Dias 04,05 e 06 de abril 21h00 – Triduo de Preparação Dia 06 20h30 – Alvorada com Salva de Morteiros 22h00 – Atuação do Grupo Verde Canto 24h00 – Fogo de Artificio Dia 07 08h00 – Alvorada com salva de Morteiros Entrada do Grupo de

Bombos de Gondalães OS RUFIAS, que percorrerão todas as ruas da Freguesia. 20h00 – Missa Vespertina 22h00 – Atuação do Grupo “ KAPITAL ” Dia 08 08h00 - Alvorada com salva de Morteiros 09h00 – Entrada da Banda de Musica de Cete

11h00 – Missa de Festa e Primeira Comunhão 18h00 – Procissão Solene em Honra de Nossa Senhora da Esperança 19h00 – Despedida da Banda de Musica de Cete e Grupo de Bombos de Gonçalos “OS RUFIAS” 20h00 – Encerramento das Festas com Grandiosa Salva de Morteiros


12 |

Edição N.º 2| 5 de abril, 2018

Paredes

Campeonato Portugal

Campeonato Portugal (série B)

Gandra ainda acredita na manutenção

27.ª JORNADA (31 Mar) Sp. Espinho 3-3 Cesarense Canelas 2010 3-1 Camacha Cinfães 0-1 FC Felgueiras 1932 SC Coimbrões 1-0 Freamunde FC Pedras Rubras 0-0 Trofense Amarante FC 2-2 Gondomar AD Sanjoanense 3-1 Sousense Aliança de Gandra 0-0 SC Salgueiros

Classificação

1 2 3 4 5 6 7 8

28.ª JORNADA (8 P Abr)J Classificação

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

V

E

49 Salgueiros FC Felgueiras 1932 16:00 SC 27 14 7 Gondomar 47 27 FC Sp. Espinho 13 8 Sousense 16:00 Amarante 46 Sanjoanense GondomarTrofense 16:00 AD 27 12 10 44 27de 10 Cesarense Cinfães 16:00 Aliança 14 Gandra 42 27 2010 Cinfães 12 6 FC Felgueiras 1932 16:00 Canelas 41(série Cesarense 16:00 SC Coimbrões Amarante FC 27B) 11 8 Campeonato Portugal 38 Espinho FC PedrasCamacha Rubras 16:00 Sp. 27 10 8 37Mar) Freamunde 16:00(31FC Pedras SC Coimbrões 27 Rubras 10 7 27.ª JORNADA 35 27 9 Espinho 3-3 Cesarense CanelasSp.2010 8 Canelas 2010 3-1 Camacha 35 27 8 11 AD Sanjoanense Trofense Cinfães 0-1 FC35Felgueiras 27 1019325 SC Coimbrões 1-0 Freamunde 34 27 10 4 Camacha Pedras Rubras 0-0 Trofense 29 27 5 14 SCFCSalgueiros Amarante FC 2-2 Gondomar 29 27 8 Aliança de Gandra 5 AD Sanjoanense 3-1 Sousense 26 27 6 Freamunde 8 Aliança de Gandra 0-0 SC18Salgueiros Sousense 27 5 3

D

9

6 6 5 3 9 8 9 10 10 8 12 13 8 14 13 19

10

28.ª JORNADA (8 Abr) Gondomar 16:00 SC Salgueiros Sousense 16:00 Amarante FC Trofense 16:00 AD Sanjoanense Cinfães 16:00 Aliança de Gandra FC Felgueiras 1932 16:00 Canelas 2010 Cesarense 16:00 SC Coimbrões Camacha 16:00 Sp. Espinho Freamunde 16:00 FC Pedras Rubras

26.ª JORNADA (25 Mar) FC Vilarinho 0-2 CD Sobrado Rebordosa AC 3-1 Folgosa da Maia Aliados Lordelo 1-0 Paços Ferreira B Barrosas 5-3 S. Pedro da Cova Vila Meã 3-0 Baião Ermesinde 1936 1-3 Lixa SC Nun´Álvares 0-2 Paredes Tirsense 3-0 Penafiel B

2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Classificação 27.ª JORNADA (8P Abr)J V E 26 19 2 S.Aliados PedroLordelo da Cova 16:00 FC59Vilarinho 56 26 AC Paredes 18 2 CD Sobrado 16:00 Rebordosa 55 26 Rebordosa 18 1 Folgosa da AC Maia 16:00 Aliados Lordelo 50 26 15 5 Barrosas Baião 16:00 Barrosas 47 26 13 8 Tirsense Paredes 16:00 Vila Meã 44 (série VilaAFMeã 26 122) 8 Porto Elite Pro-Nacional Penafiel B 16:00 Ermesinde 1936 39 26 11 6 Paços Ferreira B Lixa 16:00 SC Nun´Álvares 36 CD Sobrado 26 10 6 26.ª JORNADA (25 Mar) Paços Ferreira B 16:00 Tirsense 35 26 9 Lixa 8 FC Vilarinho 0-2 CD Sobrado 27 26 7 FC Vilarinho 6 Rebordosa AC 3-1 Folgosa da Maia 27 26 6 S. Pedro da Cova 9 Aliados Lordelo 1-0 Paços Ferreira B 27 26 7 Ermesinde 1936 6 Barrosas 5-3 S. Pedro da Cova 26 26 6 SC Nun´Álvares 8 Vila Meã 3-0 Baião 21 26 5 Baião 6 Ermesinde 1936 1-3 Lixa 16 26 4 Folgosa da Maia 4 SC Nun´Álvares 0-2 Paredes 16 26 5 Penafiel B 1 Tirsense 3-0 Penafiel B 27.ª JORNADA (8 Abr) S. Pedro da Cova 16:00 FC Vilarinho CD Sobrado 16:00 Rebordosa AC Folgosa da Maia 16:00 Aliados Lordelo Baião 16:00 Barrosas Paredes 16:00 Vila Meã Penafiel B 16:00 Ermesinde 1936 Lixa 16:00 SC Nun´Álvares Paços Ferreira B 16:00 Tirsense

12 13 14 15 16

Classificação

P

J

V

E

D

49

27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27 27

14 13 12 10 12 11 10 10 9 8 10 10 5 8 6 5

7 8 10 14 6 8 8 7 8 11 5 4 14 5 8 3

6 6 5 3 9 8 9 10 10 8 12 13 8 14 13 19

V

E

D

47 46 44 42 41 38 37 35 35 35 34 29 29 26 18 P

J

49 27 14 7 6 FC Felgueiras 1932 2 Sp. Espinho 47 27 13 8 6 3 Gondomar 46 27 12 10 5 4 Cesarense 44 27 10 14 3 5 Cinfães 42 27 12 6 9 6 Amarante FC 41 27 11 8 8 7 FC Pedras Rubras 38 27 10 8 9 8 SC Coimbrões 37 27 10 7 10 Quando faltam apenas três jogos para terminar o Campeonato de Portugal, 9 Canelas 2010 35 27 9 8 10 a equipa paredense Aliança de Gandra empata em casa a zero golos com o 10 AD Sanjoanense 35 27 8 11 8 Salgueiros. 11Ambas as equipa têm agora 29 pontos e estão a 6 pontos dos 35 Trofense 27 10 5 12 lugares que12ditam a descida de 34 divisão. Camacha 27 10 4 13 13 SC Salgueiros 29 27 5 14 8 Foi um jogo14 de parte a parte com alguns de golo, onde ambas as 29 27 Aliança de Gandra 8 5 lances 14 equipas queriam ganhar. Ambas26 precisavam 15 Freamunde 27 6 8 13da vitória e fizeram por isso. 18 27duvidoso Sousensehouve um lance 5 3 19 na grande área, referente a Na primeira16 parte, 1

uma possível falta sobre o jogador paredense Marco André. Num jogo repartido, e onde existiram oportunidades de parte a parte, ficam na retina os últimos segundos da partida: André Luís isolado perante o guarda-redes não conseguiu chutar, falhando assim de forma incrível o golo que daria a tão desejada vitória à equipa da casa.

AF Porto Elite Pro-Nacional (série 2)

1

11

FC Felgueiras 1932 Sp. Espinho Gondomar Cesarense Cinfães Amarante FC FC Pedras Rubras SC Coimbrões Canelas 2010 AD Sanjoanense Trofense Camacha SC Salgueiros Aliança de Gandra Freamunde Sousense

Classificação

P

J

V

E

D

59 26 19 Aliados Lordelo declarações 2 5 Regadas, treinador do O Yes não conseguiu de Jorge 2 Paredes 56 26 18 2 6 Aliança de Gandra. Já o presidente do clube, Rui Pinto, acredita que é pos3 Rebordosa AC 55 26 18 1 7 sível a manutenção do Aliança de Gandra nesta divisão: “Matematicamen4 Barrosas 50 26 15 5 6 te, ainda não 5descemos, estão ainda nove pontos em disputa. Vamos ver, 47 26 13 8 5 Tirsense eu acredito que 6 vamos Vila Meã dar a volta a44isto, 26 12 8 6 temos de acreditar ao Bfim. A possí7 Paçosaté 39 26 11 6 9 Ferreira vel alteração 8nos campeonatos devido 36 26 10 6 10 CD Sobrado 9 Lixacampeonatos para 35 as à criação do novo 26 9 8 9 10 27 26 7 FC Vilarinho 6 13 equipas B’s poderá ser uma hipótese, 11 27 S. Pedro da Cova 26 6 9 11 por isso temos de acreditar até ao fim. 12 27 Ermesinde 1936 26 7 6 13 Temos de encarar estes últimos três jo13 26 SC Nun´Álvares 26 6 8 12 gos que faltam como se nada estivesse 14 21 Baião 26 5 6 15 perdido. Tudo ainda pode acontecer, é 15 16 Folgosa da Maia 26 4 4 18 para isso que aqui estamos, vamos lutar 16 16 Penafiel B 26 5 1 20 até ao último jogo. O campeonato só

Paredes1

D

5 6 7 6 5 6 9 10 9 13 11 13 12 15 18 20

acaba no dia emClassificação 22 de abril”. Para P o Jlí- V der do clube 1esta é a Lordelo divisão certa59para26o 19 Aliados Aliança de Gandra: “É importante56conti2 Paredes 26 18 nuar neste campeonato, 3 Rebordosa AC tendo em 55 con26 18 4 Barrosas para chegar 50 aqui. ta o que trabalhamos 26 15 5 Tirsense 47 uns 26 13 Era importante mantermo-nos mais 6 44 Vila Meã 26 12 anitos nesta divisão. Se conseguíssemos 7 39 Paços Ferreira B 26 11 isso este ano, e sei que está difícil, se8 CD Sobrado 36 26 10 ria uma rampa de lançamento para este 9 Lixa 35 26 9 clube se estabilizar”, conclui. 27 26 FC Vilarinho 27 26 S. Pedro da Cova O Aliança de Gandra tem apenas três 12 Ermesinde 1936 27 26 jogos, estando em disputa 9 pontos. Vai 13 SC Nun´Álvares 26 26 na próxima jornada jogar em casa do 14 Baião 21 26 Cinfães e, de seguida, em casa do Gon15 Folgosa da Maia 16 26 domar, recebendo no último jogo o Ca16 Penafiel B 16 26 10 11

nelas 2010.

7 6 7 6 5 4 5

E

D

2 2 1 5 8 8 6 6 8 6 9 6 8 6 4 1

5 6 7 6 5 6 9 10 9 13 11 13 12 15 18 20

0 A. Gandra

0 Salgueiros SC

Complexo Desportivo Cidade de Gandra Árbitro: Pedro Campos A. GANDRA: Rica, Bruninho, Pepe, Marcelo Santos, Celso Sousa, Marco André (Diogo Torres), Princebe Addico, Rui Teixeira (Rui Herculano), Vítor Hugo, Jorginho, João Moreira (André Luiz). Treinador: Jorge Regadas SALGUEIROS SC: Yeerzati Yeerjieti, Ricardo Bouças, Danielson, Edwin Banguera, Ian Silva, Miguel Pedro, Filipe Vieirinha, Daniel Denot, Patrick Andrade, Stanly Santos, Zé Domingos Treinador: Manuel Monteiro


Edição N.º 2 | 5 de Abril, 2018

Paredes

Futebol - Elite - Pró Nacional AFP

AF Porto 1ª Divisão (série 2)

USC BALTAR, subida à vista No final do encontro Joel Oliveira admitiu: “Não estávamos a contar de ter uma vantagem tão expressiva, dado o que aconteceu no jogo da primeira volta, em Vandoma. Pensávamos que íamos ter mais dificuldades, mas acabámos por fazer um bom jogo e tornar as coisas fáceis, a partir do primeiro golo.” Quanto à expressividade do resultado, o treinador do Baltar, dá a explicação: “Tivemos numa tarde inspirada, mas acho que o Vandoma veio com excesso de confiança. Eles vieram a pensar no resultado da primeira volta, onde nos criaram algumas dificuldades, e pensaram que ia ser um jogo parecido. Apesar de ser um dérbi, acho que o Vandoma facilitou e que a estratégia utilizada não foi a correta. O adversário abordou o jogo de uma forma muito ofensiva e essa foi a causa da dilatação do resultado.” Antes da partida, Joel Oliveira não esperava um resultado tão expressivo, mas admite que estava confiante na vitória: “Não fui para o jogo a pensar que ia vencer por 9-1, mas estava convicto que íamos fazer um bom jogo. Há sempre uma certa ansiedade de chegar à hora destes jogos, por serem dérbis, mas nós preparámos o jogo da mesma forma.” A vitória moraliza a equipa que ganha agora mais confiança para os últimos oito jogos que faltam até ao final do campeonato. Quanto ao futuro, Joel Oliveira garante: “Vamos continuar a trabalhar como temos vindo a fazer até agora, porque o nosso percurso tem sido muito positivo. A vitória nos próximos dois jogos garante-nos, praticamente, a subida, mas ainda há muito trabalho pela frente. No início do campeonato preparámos a equipa para nos posicionarmos nos lugares cimeiros da tabela, mas ao fim de dez vitórias consecutivas começamos a acreditar que a subida seria possível e hoje es-

25.ª JORNADA (25 Mar) AD Várzea FC 1-1 UD Torrados AJM Lamoso 2-2 ASS Nevogilde FC Parada 2-0 SC Salvadorense Caíde Rei 2-0 Raimonda Livração 0-2 Lousada B ADC Frazão 0-3 AD Marco 09 S. Lourenço Douro 7-1 CCD Sobrosa FC Lagares 4-2 UDS Roriz

Cristina Borges redacao@yeslousada.pt

tamos prestes a garanti-la.” Já, o treinador do Vandoma estava de acordo com a má exibição da AF Porto 1ª Divisão (série 2) sua equipa: “Foi um jogo muito mau da nossa parte, tudo nos correu mal, 25.ª JORNADA (25 Mar) e uma equipa que oferece cinco goAD Várzea FC 1-1 UD Torrados los ao adversário só tem é de perder. AJM Lamoso 2-2 ASS Nevogilde Foi ainda pior porque tínhamos feito FC Parada 2-0 SC Salvadorense um bom jogo anteriormente com o Caíde Rei 2-0 Raimonda Ramaldense, em que tivemos com Livração 0-2 Lousada B menos um quase todo o encontro, ADC Frazão 0-3 AD Marco 09 e na partida com o Baltar, passámos S. Lourenço Douro 7-1 CCD Sobrosa dos oito para o oitenta. Neste caso, FC Lagares 4-2 UDS Roriz passámos do oitenta para o oito.” As diferenças pontuais das duas 26.ª JORNADA (8 Abr) equipas foram evidentes ao longo Raimonda vs Livração da partida, mas Vítor Rodrigues SC Salvadorense vs Caíde Rei acredita que: “Isto foi percalço, diria FC Parada vs AD Várzea FC mesmo que foi o pior jogo que nós fizemos, desLousada B vs AJM Lamoso de que estou a comandar a equipa. ASS Nevogilde vs S. Lourenço Douro Este foi um reinício para o Vandoma, já que o 09 vs FC Lagares AD Marco clube não tinha equipa sénior há alguns CCD anos.SobrosaUSC CF VANDOMA vs BALTAR ADC Frazão O treinador do Vandoma considera que: “InfelizUDS Roriz vs UD Torrados mente, dentro do meu ponto de vista, não está a Cidade Desportiva de Paredes correr muito bem. No entanto, vamos continuar U.S.C.Baltar. a trabalhar para terminar a época com exibições mais agradáveis. Se as exibições forem melho- Nelo, Dúdú, Marco (cap), Rocha (Miguel), Carlos (Paiga), Emanuel, Santos (Sabiá), res, os resultados também o serão.” No próximo domingo, 8 de abril, o Vandoma Paredes, Barbosa, Serginho (Paulinho), volta a defrontar uma das equipas cimeiras da Alex tabela classificativa. Neste caso, o Milheirós, CF Vandoma mas Vítor Rodrigues promete que a equipa “vai Cavadas, André (Iury), Santos (Marcos),Lutentar dar uma outra imagem e uma melhor res- ís, Futre, Barbosa (Moura), Sérgio, Dúdú, posta. É preciso tirar ilações deste jogo, mas é Telmo, Vilas (Coelho), Quim (Chico) importante olhar em frente.” Intervalo 4-0 Quanto à próxima época, Vítor Rodrigues não Marcadores confirma a continuidade da equipa sénior do Rocha- 7’; Barbosa 23’; Santos 30’; Sábia Vandoma. 55-66-74’ Miguel-82’ Iury 92’

6

1

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Equipa Sénior Masculina SSCMP x CNPO, Recarei 24/03/18 18h30 Estamos a caminhar a passos largos para o final da fase regular do Campeonato Nacional de Pólo Aquático Seniores Masculinos, mas à entrada para a penúltima jornada ainda muito havia por definir na classificação. A piscina Rota dos Móveis recebeu um emocionante Paredes x Povoense. A equipa da casa persegue nestes dois últimos jogos os 3 pontos que lhes garante o desejado terceiro posto, já a equipa da Póvoa de Varzim não pode perder pontos se ainda quer ver intactas as suas esperanças de chegar ao primeiro lugar, na derradeira jornada. A jun-

tar a este enredo competitivo havia ainda a “pimenta” emocional entre estas duas formações, decorrente de factos da época transacta. Quem se deslocou a Recarei não viu as suas expectativas defraudadas, pois teve oportunidade de assistir a um jogo de pólo aquático de qualidade e com emoção e incerteza no vencedor até aos instantes finais. Ambas as equipas foram protagonistas de momentos de elevado recorte técnico e táctico, fazendo jus ao lugar que ocupam na tabela classificativa. Não será difícil aceitar que se todos os jogos do nosso campeonato se assemelhassem a este, as bancadas estariam semanalmente bem

D

1 4 7 8 6 8 10 10 9 10 12 9 14 16 12 16

AF Porto 2ª Divisão Série 1 25.ª JORNADA (30 Mar) Inter Milheirós 6-0 Escola Futebol 115 USC Baltar 9-1 Vandoma Ramaldense 5-2 Zebreirense ISC Sobreirense 5-2 SC Nun´Álvares B AC Gervide 3-1 Melres DC Bougadense B 5-0 Leões Seroa Aliados Lordelo B 2-0 Aliança de Gandra B Sp. Cruz 3-1 M.Gomes da Costa Monte Córdova 3-1 GDC Ferreira

AF Porto 2ª Divisão Série 1 25.ª JORNADA (30 Mar)

mais preenchidasInter e, o Milheirós interesse geral quebra de eficácia ofensiva e vêm a 6-0 Escola Futebol 115 pela modalidade seriaUSC Baltar 9-1 Vandoma equipa visitante passar para a frente muito superior. De destacar ainda no marcador, ainda que por apenas Ramaldense 5-2 Zebreirense que, pese embora os dois cartões golo. No período final, numa fase ISC Sobreirense 5-2 SC 1Nun´Álvares B vermelhos assinalados, tendo 3-1 em Melres em que AC Gervide DC ambas as equipas estavam conta a disputa intensa, também no Leões já no limite das suas capacidades Bougadense B 5-0 Seroa capítulo do fair-play, uma partida físicasdee,Gandra por isso Aliadosfoi Lordelo B 2-0 Aliança B mesmo, vão acuexemplar. mulando Sp. Cruz 3-1 M.Gomes da erros, Costa o jogo “parte-se” e Monte Córdova 3-1 GDC No que ao jogo jogado diz respeio Ferreira resultado oscila repetidamente to: o Paredes tem um entrada em entre o empate e a vantagem de 1 jogo fulminante, dominando por golo para o Povoense. Apenas nos JORNADA 8 Abr) finais, os forasteiros concompleto um primeiro26.ª período ab- (7 einstantes M.GomesForam Costa 16:00 Lordelo solutamente anormal. mar- Aliados seguem umaB vantagem de 2 golos, SC Nun´Álvares B 16:00 AC Gervide cados 11 golos, com vantagem de 3 terminando com a incerteza no desRamaldense 16:00 Monte para a equipa da casa. No segundo fechoCórdova da partida (7-4, 1-2, 1-4, 3-4: Zebreirense Baltar período, o Povoense equilibra16:00 as USC12-14). Vandoma acções e consegue vencer por 16:00 uma Inter Milheirós O Paredes apresentou a seguinte Aliança de Gandra B 16:00 B Silva, Ruben Barbosa margem mínima. No terceiro perí- Bougadense equipa: João DC 16:00 CruzTiago Pacheco, João Alves, Arodo os paredenses Melres observam uma Sp.(1), Escola Futebol 115 16:00 ISCmando Sobreirense Rodrigues (1), Eduardo RoLeões Seroa 16:00 GDC Ferreira cha, Diogo Ferraz (3), Tiago Pinto (2), Hugo Barbosa (3), Cristiano Santos, João Sousa, Ricardo Teixeira (2) e Rafael Sousa. Na última jornada, a 7 de Abril, o Paredes recebe em casa o Algés e o Povoense vai ao Porto defrontar o Fluvial.

Classificação 26.ª JORNADA (8P Abr)J V E 60 25 18 6 AD Marco 09 Raimonda vs Livração 49 25 14 7 Caíde Rei SC Salvadorense vs Caíde Rei 46 25 14 4 Livração FC Parada vs AD Várzea FC 43 25 13 4 S. Lourenço Douro Lousada B vs AJM Lamoso UD Torrados 25 11 8 ASS Nevogilde vs S.41Lourenço Douro Porto09 1ª Divisão 41(série FC Parada 252) 12 5 ADAFMarco vs FC Lagares 35 Frazão CCD Sobrosa 25 10 5 CCD Sobrosa vs ADC 25.ªRoriz JORNADA (25 Mar) 35 UDS RorizUDS 25 10 5 vs UD Torrados AD Várzea FC 1-1 UD 34 Torrados AJM Lamoso 25 9 7 AJMB Lamoso 2-2 ASS 33 Nevogilde Lousada 25 9 6 FC FC Parada 2-0 SC 29 Salvadorense AD Várzea 25 8 5 Caíde Rei 2-0 Raimonda 26 25 5 11 FC Lagares Livração 0-2 Lousada 23 25 B 6 ADC Frazão 5 ADC Frazão 0-3 AD Marco 09 4 19 25 5 SC Salvadorense S. Lourenço Douro 7-1 CCD Sobrosa 19 25 3 10 ASS Nevogilde FC Lagares 4-2 UDS Roriz 19 25 5 Raimonda 4 26.ª JORNADA (8 Abr) Raimonda vs Livração SC Salvadorense vs Caíde Rei FC Parada vs AD Várzea FC Lousada B vs AJM Lamoso ASS Nevogilde vs S. Lourenço Douro AD Marco 09 vs FC Lagares CCD Sobrosa vs ADC Frazão UDS Roriz vs UD Torrados

Polo Aquático

CRÓNICA - 17ª JORNADA

| 13

Classificação

P

J

V

E

D

Inter Milheirós 25 22 2 1 26.ª JORNADA (768 e 8 Abr) 2 USC Baltar 63 25 20 3 2 M.Gomes Costa 16:00 Aliados Lordelo B 3 Ramaldense 54 25 17 3 5 SC Nun´Álvares B 16:00 AC Gervide 4 Aliados Lordelo B 52 25 16 4 5 Ramaldense 16:00 Monte Córdova 5 GDC Ferreira 46 25 14 4 7 AF Porto 2ª Divisão Zebreirense 16:00 USCSérie Baltar1 6 AC Gervide 44 25 13 5 7 Vandoma 16:00 Inter Milheirós 7 Melres DC 39 25 12 3 10 25.ª JORNADA (30 Mar) Aliança de Gandra B 16:00 Bougadense B 8 Monte Córdova 38 25 12 2 11 InterMelres Milheirós 6-0 Sp. Escola Futebol 115 DC 16:00 9 Sp. Cruz 35Cruz25 10 5 10 USC Baltar 9-1 ISC Vandoma Futebol 115 16:00 10Escola 34Sobreirense Aliança de Gandra B 25 9 7 9 Ramaldense 5-2 GDC Zebreirense Leões Seroa 16:00 11 ISC Sobreirense 33 Ferreira 25 9 6 10 ISC Sobreirense 5-2 SC Nun´Álvares B 12 Bougadense B 32 25 9 5 11 AC Gervide 3-1 Melres DC 13 SC Nun´Álvares B 30 25 9 3 13 Marechal GomesB da5-0 Leões Seroa Bougadense 14 25 25 7 4 14 Costa Lordelo B 2-0 Aliança de Gandra B Aliados 15 Vandoma 21 25 6 3 16 Sp. Cruz 3-1 M.Gomes da Costa 16 Zebreirense 12 25 2 6 17 Monte Córdova 3-1 GDC Ferreira 17 Leões Seroa 10 25 2 4 19 18 Escola Futebol 115 4 25 1 1 23 1

26.ª JORNADA (7 e 8 Abr) M.Gomes Costa 16:00 Aliados Lordelo B SC Nun´Álvares B 16:00 AC Gervide Ramaldense 16:00 Monte Córdova Zebreirense 16:00 USC Baltar Vandoma 16:00 Inter Milheirós Aliança de Gandra B 16:00 Bougadense B Melres DC 16:00 Sp. Cruz Escola Futebol 115 16:00 ISC Sobreirense Leões Seroa 16:00 GDC Ferreira


14 |

Edição N.º 2| 5 de abril, 2018

Paredes

Desporto- FUTSAL

EQUIPA EM DESTAQUE: USC PAREDES FUTSAL

O

União Sport Club de Paredes tem já uma história relevante na modalidade futsal. Está nesta altura na liderança da Série B da Fase de Manutenção,  na II Divisão Nacional de Futsal, com 26 pontos. O empresário Carlos  Nogueira, de 40 anos, é o dirigente responsável pela secção de futsal deste clube. O Yes Paredes foi conhecer mais de perto  a realidade desta equipa no concelho. YES: Descreva o percurso histórico desta equipa, que é a única nos campeonatos nacionais. Carlos Nogueira (CN): Este clube sempre foi uma referência do futsal na região. A nossa equipa já esteve  no topo do futsal nacional, na primeira divisão há já alguns anos. Foi até a primeira equipa inscrita pela AF Porto, que agora é a maior associação do país. Quando entrei para dirigente, estava no campeonato Paulo Sousa é o técnico principal da equipa sénior de futsal do USC Paredes. Natural de Paredes, tem já um rico currículo como treinador de futsal, sendo uma referência no concelho de Paredes. Começou no clube Esperança Viva, passou pelo Madalena, Gondomar Futsal, conseguindo levar esta última equipa dos distritais à segunda nacional.

distrital, e conseguimos, ano após ano, subir até onde estamos hoje, que é segunda divisão nacional. Destaco em 2008/2009 a subida da terceira para a segunda divisão.   YES: Caracterize o atual momento da equipa de futsal do USC Paredes. CN: Temos uma equipa coesa, que se vem mantendo há já alguns anos. Procuramos melhorar a equipa, com a entrada de um ou outro jogador, mas apostamos também na formação. Além disso, temos formação. Três jogadores do plantel são oriundos da formação.      YES: Estão no primeiro lugar nesta fase de manutenção. Sente que esta equipa poderia ter ido mais longe? CN: Pela realidade do clube e pelas condições que temos, acho Depois passou pelo CCDR Ordem, pelo Arsenal e regressou ao Paredes em 2009, competindo nessa altura na terceira divisão nacional, subindo em 2010 à segunda divisão nacional, onde se  mantém na atualidade. Fomos conhecer melhor como decorreu esta época desportiva e as suas expectativas para o futuro.   YES: Descreva-nos a prestação do USC Paredes nesta época? Paulo Sousa (PS): Nos quadros competitivos que a federação nos apresentou, havia algumas séries desequilibradas e a nossa foi uma delas, uma série difícil, a série B, com equipas muito bem reforçadas. Difícil mesmo a nível de deslocações, entre outros aspetos. Tivemos que fazer um trabalho de base para tentar aproveitar bem o plantel que nós temos, para as dificuldades que

que dificilmente conseguiríamos ir mais longe, sem nunca deixar de o tentar. YES: Quais são os principais ambições que esta secção tem para o futuro? CN: Tentar chegar à primeira liga, mas para isso estamos a fazer uma força para angariar massa adepta que, neste momento, mesmo não sendo a pretendida, tem vindo a crescer.          YES: Neste momento, treinam e jogam num pavilhão da Escola. É intenção da autarquia voltar a ter a posse do Pavilhão Gimnodesportivo das Laranjeiras. Considera que seria uma oportunidade para o futsal e outras modalidades terem mais relevo e visibilidade? CN: Pelo meu conhecimento, iriam aparecer ao longo do campeonato. Tivemos uma fase inicial boa, mas depois, muito fruto das lesões e castigos, acabamos por ficar sem um a dois jogadores, importantes na estrutura da equipa. Caímos redondamente e os níveis anímicos baixaram um bocado. Mas depois, com  o trabalho que se fez e o voltar a acreditar, conseguimos dar a volta e ter uma segunda fase do campeonato muito boa, com 5 a 6 vitórias seguidas, o que nos fez subir na tabela classificativa. Neste momento, estamos nesta fase de manutenção, mas estamos já no décimo jogo sem perder. YES: Pelo que depreendo, poderia ter sido uma época mais positiva? PS: Nós somos um pouco limitados na escolha de jogadores. Temos de ter uma base bem sustentada e não perder a cabeça com “loucuras”. O presidente também dita a sua lei,

a autarquia tem essa intenção. Estamos mesmo a contar já lá jogar na época 2019/2020. Acho que mesmo as outras modalidades teriam mais visibilidade.       YES: Quais são os principais apoios para a realização do vosso trabalho? E as principais dificuldades? CN: Os nosso principais apoios são duas empresas, a Bitshop Lda, uma empresa sediada em Paredes com ligações à informática, e a Gofrey Lda., sendo esta uma empresa do Porto  ligada à joalheria.  As dificuldades passam principalmente pela falta de apoios e pavilhão próprio. Sobre este, agradecemos desde já à Câmara Municipal de Paredes pela cedência do pavilhão atual.

tem cada vez mais adeptos. Qual é a sua opinião sobre a evolução desta modalidade, neste caso, no concelho de Paredes? CN: Estamos a fazer por isso. Acho que a evolução está a ser natural.   

YES: A modalidade do futsal

YES: Deixe uma mensagem aos adeptos e simpatizantes do USC Paredes. CN: A mensagem que poderemos deixar para os adeptos é um muito obrigado por todo o apoio que nos têm dado. Agradecer aos jogadores, diretores e equipa técnica, a toda a secção de futsal todo o apoio que dão  ao USC Paredes. Da minha parte, podem contar que vou fazer sempre o melhor possível por toda a secção de futsal do USC Paredes.         

e sabemos que se fosse de outra forma estaríamos cá mais um ou dois anos e acabaríamos. Os princípios são os que o presidente escolhe, e é com esses que temos de trabalhar. O plantel sabe disso. YES: Quais são as principais características do plantel? PS: O Plantel é muito coeso, unido e, quando as coisas estão difíceis, ergue-se e, um a um, no balneário ou no campo, todos têm uma função importante e sabem disso. Isso tem-nos trazido resultados muito positivos. Aproveito para referir a importância do meu técnico adjunto, Carlos Esteves, que para mim e para o clube é mais um treinador. Tem desenvolvido um trabalho extraordinário neste grupo. O nosso trabalho é muito importante. As nossas escolhas, o que planeamos, aquilo que decidimos é sempre em conjunto e tem funcionado muito bem.

YES: Esta é a divisão certa para este clube? PS: Temos de ser realistas. Uma subida é uma festa grande, mas esta é a divisão certa para o USC Paredes. Todos almejamos uma subida de divisão, mas, se o conseguíssemos, seria muito mais difícil… Temos de ser realistas: não é possível estar neste momento na primeira divisão, como já lá estivemos. YES: Como veria a possibilidade de regressar o futsal ao  pavilhão gimnodesportivo das Laranjeiras? PS:Aquele pavilhão diz-nos alguma coisa. Pena o que aconteceu, com a sua venda. Esperamos voltar lá pois ele diz-nos muito, é um equipamento que tem todas as condições para a boa prática de futsal, como para outras modalidades. Efetivamente, é o pavilhão ideal para a nossa equipa.


Edição N.º 2 | 5 de Abril, 2018

Paredes

| 15

Cultura

Casal de pintores envolvem a sua arte na Casa da Cultura de Paredes Encontra-se aberta ao público a Exposição de Pintura e Escultura de Jorge Nascimento e Ana Maria Barbosa Os interessados poderão admirar as obras destes artistas na Casa da Cultura de Paredes e na Loja Interativa de Turismo até dia 8 de abril. Natural do Porto, Jorge Nascimento encontra-se representado na Câmara Municipal de Póvoa de Lanhoso, Santa Casa da Misericórdia, Câmaras Municipais de Amares e Fafe e em várias coleções particulares. Artista premiado, destacam-se no seu currículo o prémio Placa de Bronze de Oliveira de Azeméis e o primeiro Prémio de Pintura de Esposende. Ana Maria Barbosa é natural de Castromil, Sobreira, concelho de Paredes. Licenciada pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, está representada na Casa da Cultura de Fafe, Turismo de Póvoa de Lanhoso e em várias coleções particulares. Para além disso, também pudemos ver a sua obra no Turismo de Braga, durante o Euro 2004, altura em que expôs painéis pintados sobre linho, com temas regionais minhotos, abordando o tema da

céis e pela cor ainda em crianças. Leia a curta entrevista e deixe-se cativar pelo seu talento.

YES: Como se deu o primeiro contacto com as artes? AMB: Desde pequenina… Mas, como profissional, foi nas Belas

a tampa e depois ia buscar flores, misturava álcool e esmagava-as até criar umas cores fantásticas. Comecei a pintar assim, isso com 8, 9 anos.

YES: A vossa obra manifesta influências artísticas?

aprendi muito, embora seja autodidata. Investi muito dinheiro em livros de grandes pintores a nível mundial: Picasso, Bonne, impressionistas, realistas, o Silva Porto, que é um grande pintor, um fantástico português e, portanto, observava e observo muito pintura para aprender. Por

duzir obras como trabalho artístico? AMB/JN: Já faz 30 anos que começamos a vender e a fazer exposições.

YES: Conheceram-se através da arte? JN: O nosso grande amor começou na parte espiritual e na parte artística, porque para mim o amor só resulta quando há consenso entre as pessoas. Se gostar muito de teatro e o seu namorado(a) não quiser ir, já está a contrariar, mas se gostar há uma plenitude. Entre nós havia uma sintonia porque gostávamos das mesmas coisas. Por exemplo, ela ia pintar e eu ia com ela, ela ia fotografar e eu também ia atrás dela, pois ela também é uma excelente fotógrafa…

YES: O que representa a arte para vocês?

exemplo, eu olho para uma pintura de Picasso, quando aparece o azul e o rosa, sei pela pintura do mestre que essas cores combinam bem.

YES: Onde se inspiram para realizar os vossos trabalhos?

filigrana em ouro. O Yes Paredes quis conhecer melhor este casal que tem como paixão a pintura. Unidos pela arte e pelo amor, os dois artistas deixaram-se seduzir pelos pin-

José Ferreira diretor@yesparedes.pt

Artes, já com 20 anos. JN: No meu caso, é engraçado. Eu andava na terceira classe e ia para as lixeiras procurar aquelas frascos de penicilina. Tirava-lhe

AMB: Temos influências de muitas coisas, mas na pintura tenho várias.. como o Silva Porto, pintores nossos. Gosto mais de experimentar, sou mais criativa. JN: Já eu sou diferente. Eu

AMB: Eu gosto muito de pessoas, de caras de pessoas e paisagens. Os meus temas preferidos são esses. JN: No meu caso, a inspiração é diversificada. Quem olha para as minhas pinturas, sabe que eu não pinto engravatados, nem tenho talento para tal, nem me interessa. O que me interesse é o agricultor e o camponês, que vivem no campo, que fazem um esforço tremendo e têm a beleza do campo. Portanto, essa tradição da nossa cultura, do nosso povo, é lindíssima. Vejo a paisagem na contemplação, ou na revolta, como é o caso do “Mineiro”. Depende do estado emocional, comigo é assim.

YES: Quando é que efetivamente começaram a pro-

AMB: Para mim, é deixar transparecer o que vem de dentro, mas que foi absorvido de fora para dentro É uma continuidade sem fim, entra e sai. JN: Para mim, é um estado de espírito, de concentração, de contemplação… Tudo isso é arte. Ao contemplarmos um rio, uma queda de água, estamos a ver beleza, estamos a ver uma paz de espírito… Lavrar o campo é uma arte… Portanto, existe arte por todo o lado.

YES: Têm alguma obra favorita? AMB: Gosto muito das minhas obras do mar. Gosto de pintar o mar e projetei-me ali emocionalmente. É uma pintura rápida mas que agarrei logo. É um tipo de expressão diferente. JN: O quadro de que eu mais gosto é o do “Mineiro”, primeiro porque foi extremamente difícil pintar, pois o meu estado emocional era de revolta. Depois, nós temos a obrigação de contestar as injustiças. O mineiro foi extremamente explorado por uma multinacional e morreu de uma maneira cruel, com falta de ar, para dar de comer aos filhos, com uma reforma de 27.500 escudos. É uma pintura de revolta de que eu gosto muito.


Espaço Animal

Os cães das associações

Os cães que vivem ou passam por associações ou canis chegam ali entregues pelas pessoas com quem viviam porque “já são velhos”, “estão doentes”, “ladram”, “largam pelo”, “fazem asneiras”, ou outros motivos que estão diretamente ligados ao facto de serem cães que foram levados para uma casa e deixados sem qualquer ensino porque as pessoas que os levaram entendiam que o cão é “uma coisa” que se põe ali e já sabe o que pode ou não fazer... Há os que se perderam ou fugiram, os que foram abandonados, muitas vezes na porta da associação, ou nasceram na rua ou no monte... Muitos deles vivem na associação toda a sua vida, são aqueles que ninguém quer. Outros, por terem

algum problema físico ou incapacidade, ficam para segundo plano. Depois há os de uma determinada cor e que, por isso, “não são bonitos” e há ainda os que não se parecem com raça nenhuma e a pessoa procura um cão de uma determinada raça. Estão lá também aqueles cães que tiveram algum problema de comportamento e foram descartados porque resolver esse problema requer dedicação e muitos humanos não estão para isso. Não tenho nada contra cães de raça nem contra pessoas que preferem um cão de raça. Acredito que, quando se procura um cão de uma determinada raça, é por se saber qual o seu aspeto quando crescer e também por se acreditar que aquela raça vai ter de-

Soluções

Sudoku

Palavras Cruzadas

YES Tempo

Guia Passatempos Palavras Cruzadas

terminadas características. No entanto, mais do que a raça, as experiências que o cão tem e a aprendizagem formam aquilo que o cão será. Infelizmente, a ideia “o cão da raça X vai ser assim e ter esta personalidade” ainda está demasiado enraizada e, depois, aparecem as desilusões porque não se ensinou nada ao cão e apenas se esperou o tempo passar até o cachorro se transformar naquele “produto de supermercado” que estávamos à espera... Os cães são indivíduos e por isso únicos e nascem de uma cadela, não de uma linha de montagem! Há quem acredite que estes cães têm vários problemas e não se vão adaptar a uma vida em sociedade, mas isso não corresponde à realidade. Podem ter tido problemas no passado, mas isso não os torna cães que nunca mais poderão viver numa casa ou relacionar-se com outros cães, animais e pessoas, tenham eles a sorte de encontrar ou a possibilidade de escolher o humano que os vai ajudar.

Sudoku

Os cães das associações não têm problemas, têm falta de oportunidades. João Pedro Mania dos Cães – Educação e Treino Canino www.maniadoscaes.com

Sopa de Letras

Edição n.º2 - Jornal Yes Paredes - 05-04-2018  

Edição n.º2 - Jornal Yes Paredes - Compra do complexo das laranjeiras

Edição n.º2 - Jornal Yes Paredes - 05-04-2018  

Edição n.º2 - Jornal Yes Paredes - Compra do complexo das laranjeiras

Advertisement