Page 1

VITRINNI M AG A ZI NE

2017 Ano 3 | #10

CICLISMO ESPORTE REÚNE PAIXÃO E ADRENALINA

AILTON RIBEIRO OBRAS INSPIRADAS NAS FLORES E NA FORMA HUMANA

ESTILO A FABULOSA ARTE DE MÁRIO TESTINO

O ESTILO

BOMPEAN ARTE, DESIGN E ARQUITETURA


V I T R I N N I

# 1 0

S U M Á R I O 24

30

36

42

54

58

66

108

22

COLABORADORES

24

ENTRETENIMENTO

30

36

SAÚDE: DIABETES

“O”, o fantástico espetáculo aquático do Cirque Du Soleil

42

VITRINNI AUTOMOTIVA Conheça os híbridos e elétricos.

ESPORTE: CICLISMO

54

Ailton Ribeiro: Artista das Rosas.

Equipe Vitrinni Magazine.

Paixão, adrenalina e natureza.

Conheça as causas, tratamento e problemas do Diabetes Mellitus.

VITRINNI ARTE

58

DESIGN MUNDIAL

66

ESPECIAL: ARQUITETURA

108

Designer francês Philippe Starck. Conheça a arte e o estilo do designer Márcio Bompean.

MODA E ESTILO

Fotógrafo peruano Mário Testino.

E MAIS: SAÚDE BUCAL E GESTAÇÃO, PÁG. 40 | ESPECIAL GOURMET, HOSS CAFETERIA, PÁG. 50 | VITRINNI PRODUTO, DE OLHO NA PRINCE, PÁG. 98 VITRINNI FASHION, COM QUE COR EU VOU?, PÁG. 102 | SAÚDE DOS FIOS, PÁG. 116 | VIDA E ARTE, PÁG. 118 | IVITRINNI SOCIAL, PÁG. 120

EXPEDIENTE DIRETORIA | Diretores editoriais: Alexandre Haralampidis e Maria Cristina D’Incao. | REDAÇÃO E ARTE | Coordenador de conteúdo: Alexandre Haralampidis. Redatorchefe: Fábio Barbosa. Projeto gráfico e Edição de arte: Victor Leonardo de Souza Pereira. Designer Assistente: Victor Lira. Conteúdo Web: Tamiris Tinti Volcean. Fotográfos: Alexandre Haralampidis, Ana Célia Berto, Celso Mellani, Eber Moscheto. Colunistas Vitrinni Social: Danny Pagani. | COMERCIAL | Atendimento Vitrinni:Danny Pagani. Anuncie na Vitrinni Magazine. Contatos: contato@revistavitrinni.com.br / dincao@revistavitrinni.com.br / (14) 9912-64424. Maria Cristina D’Incao e Alexandre Haralampidis.

20

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


CARTA AO LEITOR

Simples assim Arte, arquitetura, moda, gastronomia, turismo, saúde, tudo se entrelaça em nossa revista

M

ais uma edição com mais novidades. Ampliamos nosso caderno de saúde apresentando um tema de grande relevância junto à clínica Hormone em que falaremos amplamente sobre diabetes. Para entretê-los levaremos nossos leitores a uma passagem até Las Vegas mostrando-lhes atrações do Cirque du Soleil, “o fantástico espetáculo aquático”. Andaremos juntos pelo ciclismo, que reune muita paixão e adrenalina. Pintaremos um pouco com Ailton Ribeiro, artista que nos encanta com obras inspiradas em flores e na forma humana, alem da arte trazemos nessa edição o renomado Designer de Interiores Marcio Bompean. Em seguida os levaremos para o universo da fotografia, moda e beleza. E assim encerramos mais uma edição repleta de novidades que visam sempre oferecer um conteúdo de muita qualidade para vocês nossos fieis e exigentes leitores. Simplesmente porque vocês merecem.

CRISTINA D’INCAO - DIRE TORA VITRINNI MAGAZINE

EDIÇÃO | 10

VITRINNI

21


C O L A B O R A D O R E S

V

I

T

R

1. Profissional de comunicação, gestão, criação e desenvolvimento de projetos. A Vitrinni hoje se concretiza com grande aceitação, superar a qualidade e surpreender as expectativas não é uma opção. ALEXANDRE HARALAMPIDIS DIRE TOR VITRINNI

I

N

N

I

I

5. Formada em Publicidade e Propaganda pela Faculdades Integradas de Bauru, atua há três anos com Comunicação e Marketing. Iniciou suas atividades na fotografia como hobby na mesma época, profissionalizando-se há cerca de um ano. Fotógrafa da Revista Vitrinni desde outubro de 2014. DA NN Y PAGA NI

2. Profissional das áreas de comunicação, marketing e relacionamento. Preza sempre pelo atendimento e pelo relacionamento para que o comercial aconteça naturalmente. CRISTINA D’INCAO DIRE TORA VITRINNI

M

A

G

A

Z

I

N

E

1

2

3

4

5

6

FOTÓGR A FA

6. Graduanda em Comunicação Social pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), considera a comunicação uma ferramenta de transformação social. Já atuou nas áreas de Marketing, Gestão de Mídias e Comunicação Interna.

3. Victor é designer formado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Além de se dedicar ao design editorial em diversas publicações, possui ampla experiência em design publicitário e fashion. Website: victorleosp.wix.com/victorleonardo

TA M I R I S T I N T I V O L C E A N

VICTOR LEONARDO

VICTOR LIRA

DESIGNER EDITOR DE ARTE

DESIGNER

CONTEÚDO WEB

7. Victor Lira é profissional graduando em design gráfico pela Unesp, com experiência na área de branding, editorial, fotografia e gestão do design.

4. Fábio Barbosa é jornalista formado pela USC (Universidade do Sagrado Coração – Bauru). Foi editor executivo da Record Paulista por 4 anos e também editor do SBT São Paulo por 2 anos. FÁ BIO BA RBO S A J O R N A L I S T A M T B 5 5 . 76 6

22

VITRINNI

7

EDIÇÃO | 10


ENTRETENIMENTO

Cirque du

Soleil

“O”, O FANTÁSTICO ESPETÁCULO AQUÁTICO DO CIRQUE DU SOLEIL EXIBIDO EM LAS VEGAS

“B

em-vindo ao lugar onde o mundo todo é água e o palco é o mundo todo.” São com essas palavras que o roteirista e diretor do espetáculo “O”, Franco Dragone, convida a todos para presenciarem uma das grandes obras do fantástico Cirque du Soleil, apresentado exclusivamente no Hotel Cassino Bella-

24

VITRINNI

gio, na cidade de Las Vegas, Estados Unidos. O nome do espetáculo, “O”, vem do francês “eau”, que significa água, componente principal dessa peça aquática que explora um mundo que vai além da imaginação. O é exibido em um teatro de 1800 lugares dentro do Bellagio, projetado exclusivamente para o espetáculo, que conta com uma piscina de 25 metros de profundidade e um milhão e meio de litros de água. Tudo grandioso e impressionante, como a maioria dos shows do Cirque du Soleil. De acordo com os diretores e produtores da peça, inspirado pelo conceito de infinidade e pela elegância da forma pura da água, “O” presta uma homenagem à beleza do teatro, desde a mais simples performance de rua a mais pródiga das óperas. Em “O” tudo é possível e o drama da vida se desenrola diante dos olhos dos espectadores através de um palco aquático de arte, surrealismo e romance teatral. O espetáculo conta com 70 artistas do mundo todo e 150 assistentes de palco que misturam cenas aéreas, aquáticas e de solo através de malabarismos, acrobacias, saltos ornamentais, nado sincronizado, pirotecnia, contorcionismo e personagens encantadores,

Fotos: divulgação Cirque Du Soleil

Por Fábio Barbosa

EDIÇÃO | 10


CIRQUE DU SOLEIL

com 70 artistas do mundo todo, “O” mistura cenas aéreas, aquáticas e de solo através de malabarismos, acrobacias, saltos ornamentais, nado sincronizado, pirotecnia e contorcionismo.

EDIÇÃO | 10

VITRINNI

25


Foto: reprodução

Foto: reprodução

ENTRETENIMENTO

Trapezistas gêmeos usam só um trapézio junto a água.

como palhaços, que encantam o público, dentro e fora d’água. Aliás, o confronto água e fogo é uma constante em “O”. Mais de 14 milhões de espectadores já embarcaram na fantástica viagem de “O”, desde o início do espetáculo em outubro do ano de 2014. Foram mais oito mil apresentações no teatro do Hotel Cassino Bellagio, na cidade de Las Vegas, palco exclusivo da apresentação. Durante esse período, “O” conquistou muitos prêmios como THEA Awards de show ao vivo, Prêmio Honorário de Design de Entretenimento e foi eleito o melhor show de produção por oito anos seguidos, pelo Las Vegas Review Journal.

Foto: reprodução

O ESPETÁCULO Entre os personagens de “O”, dois merecem destaque: Guifá e Eugen. O primeiro é um jovem siciliano, cuja curiosidade e busca pela aventura o transportam para um reino mágico onde estão as suas esperanças, medos e sonhos. Já Eugen é o velho guardião do teatro, que conduz a

“O” mostra o delicado equilíbrio da água e o ar para a vida.

26

VITRINNI

Mais de 14 milhões de espectadores já assistiram “O” desde o início do espetáculo, que aconteceu em outubro de 2014.

todos para conhecerem o lado obscuro de “O”. Suas orquestrações fantasmagóricas levam a uma viagem atemporal através de diferentes mundos, transformando a escuridão em luz. Durante o espetáculo do circo, 13 cenas conduzem o público ao universo aquático-aéreo de “O’. Atos individuais e também apresentações em grupo tiram o folego e prendem a atenção das 1800 pessoas presentes ao teatro. Conheça algumas delas: Bateau (o Barco) Uma equipe composta por 11 artistas realiza uma bela apresentação aérea mostrando o delicado equilíbrio da água e o ar para a vida. Eles flutuam sobre as águas em um grande navio de hastes de aço realizando acrobacias e demonstrações de força. A origem do Bateau (barco em francês) é a disciplina do circo tradicional aéreo, combinado com barras paralelas pela primeira vez nesta apresentação.

Quadrante Executado pelos mesmos 11 artistas do Bateau, no Quadrante zebras lutam para manter o equilíbrio em um universo tempestuoso, em que buscam se realinhar em um quadro aéreo gigante. Foi criado por especialistas do Cirque du Soleil para facilitar as coreografias e a ginástica em um espaço aéreo entre o céu e a água. Barcaça Oito mulheres acrobatas campeãs mundiais realizam performances de ginástica com o ballet clássico sobre uma balsa flutuante. Mistura de força e leveza, que conta ainda com a participação de nadadores sincronizados e mergulhadores olímpicos. Trapézio Duplo Dois trapezistas gêmeos executam uma dança no ar utilizando apenas um trapézio, projetado para interagir com a água e com o maquinário do teatro. Atos suaves EDIÇÃO | 10


Foto: reprodução

CIRQUE DU SOLEIL

O CIRQUE

DU SOLEIL

O Cirque du Soleil surgiu no início dos anos 1980, em Baie-Saint Paul, pequena cidade próxima a Quebec, no Canadá. Um grupo de personagens coloridos caminhava pelas ruas sobre pernas de pau, fazendo malabarismos, dançando, engolindo fogo e tocando música. Eram chamados de Les Échassiers de Baie-Saint Paul (Os equilibristas de perna de pau de Baie-Saint Paul), grupo teatral fundado por Gilles Ste-Croix. Anos mais tarde, Guy Laliberté, morador de Baie-Saint Paul, se encantou com o grupo e fundou o Cirque du Soleil.

contrastam com Manobras mais arriscadas como pés-a-pés, que passam a beleza e harmonia entre os irmãos trapezistas. Fogo Este ato invoca rituais antigos do folclore e artes marciais de povos pelo mundo como Havaí, Samoa, Nova Zelândia e também Austrália. A fúria do fogo e a purificação da água são reunidas e exibidas durante todo o espetáculo em “O”. Você vai se surpreender ao ver um homem pegando fogo andar calmamente sobre as águas. Balanço Russo Mergulhadores usam conjuntos de balanços russos para fazer manobras dentro e fora da água. O movimento do balanço, que pode chegar a altura de quase 10 metros, proporciona trajetórias complicadas até mesmo para os mergulhadores mais experientes, que saem da gravidade quase nula para fortes acelerações abaixo d’água. EDIÇÃO | 10

Nado Sincronizado Presença constante no espetáculo “O”, a água recebe a beleza do nado sincronizado como ato central da apresentação. Coreografados por Debra Brown e a medalhista olímpica de ouro Sylvie Fréchette, 17 nadadores com qualificação internacional fazem a ligação perfeita entre os elementos do fogo, da terra, da água e do ar. Palhaços Em meio a várias cenas de tirar o folego a metros de altura ou abaixo d’água, duas almas despretensiosas buscam respostas e fornecem a luz necessária para equilibrar a escuridão da humanidade em “O”. Dessa maneira, Leonid e Valery encantam os espectadores com bastante humor em seus gestos simples e poéticos durante o show do circo. A dupla de nacionalidade russa de palhaços atua junta desde os anos 1980, quando iniciaram no notável espetáculo Alegria do Cirque du Soleil.

Local: Bellagio Cassino Hotel, Las Vegas, Estados Unidos Horário: Quartas a Domingo, 19h e 21h30 (horário local) Preços: U$109 a U$180 Ingressos: www.cirquedusoleil. com ou www.bellagio.com Informações sobre o espetáculo: www.cirquedusoleil.com/o Foto: reprodução

“O” presta uma homenagem à beleza do teatro, desde a mais simples performance de rua a mais pródiga das óperas.

Desde então, o Cirque du Soleil já esteve presente em mais de 300 cidades, em 40 países diferentes, e foi assistido por mais de 160 milhões de pessoas. Atualmente conta com 5 mil funcionários, incluindo mais de mil artistas de cerca de 50 países diferentes. São mais de 20 espetáculos apresentados simultaneamente ao redor do mundo.

VITRINNI

27


ESPORTE E LAZER

Ciclismo ESPORTE QUE REÚNE A PAIXÃO PELA BICICLETA, A

ADRENALINA DA VELOCIDADE E O CONTATO COM A NATUREZA. Por Fábio Barbosa

E

la é desejada desde cedo pela maioria das pessoas. Ainda quando crianças, a bicicleta é um dos brinquedos que mais atiçam o imaginário de meninos e meninas. Essa é outra vantagem, ela agrada e se adequa a todos. Com o passar dos anos, vão ficando maiores e mais equipadas. Também vão deixando de ser apenas brinquedo e passam a ser meio de transporte ou instrumento esportivo. O que não diminui a paixão pelas magrelas, pelo contrário, as diferentes modalidades esportivas em que elas se encaixam despertam ainda mais o interesse de jovens e adultos. Seja no asfalto, estradas de terra, montanhas, trilhas, velódromos ou transpondo obstáculos como escadarias ou muros, o ciclismo atrai muitos praticantes no país, que buscam pódios e medalhas, ou apenas um lazer aos finais de semana em contato com a natureza. Mountain Bike, BMX, Estrada, Pista e Trial são as modalidades mais conhecidas e praticadas de ciclismo mundo afora. Veja qual delas chama mais a sua atenção e comece a pedalar.

CICLISMO DE ESTRADA Foi a primeira modalidade disputada em cima de uma bicicleta que se tem história, em 31 de maio de 1868, no Parc de Saint-Cloud, em Paris. O britânico James Moore é considerado o primeiro vencedor de uma competição de ciclismo e também foi o primeiro a vencer uma prova disputada entre cidades, quando percorreu cerca de 123 quilômetros, entre Paris e Rouen, em pouco mais de 10 horas.

30

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


CICLISMO

EDIÇÃO | 10

VITRINNI

31


ESPORTE E LAZER

As provas no ciclismo de velocidade (speedy) ajudam Marcos Paulo na preparação para o duatlhon e triatlhon que ele participa com frequência.

CICLISMO DE PISTA Praticamente irmão do ciclismo de estrada, o ciclismo de pista tem as primeiras competições registradas apenas dois anos após a modalidade precursora, em 1870, quando atletas competiam em ginásios fechados com pista de madeira. Também esteve presente na programação da primeira edição dos Jogos Olímpicos, em Atenas, 1896. De lá pra cá, só esteve ausente em uma edição dos jogos, de Estocolmo, em 1912, quando apenas as provas de estrada foram disputadas. Uma das vantagens que despertou grande interesse por parte dos praticantes era o fato da modalidade não depender de condições climáticas favoráveis, pois é disputado em ambientes fechados. A bicicleta das provas de pista não possuem freios e

32

VITRINNI

Fotos: reproduções

mo. “Sempre gostei de pedalar e, em 2007, comecei a praticar o Mountain Bike, além do pedal urbano, mais para o lazer. Em 2014 comecei a praticar o Speed, que é o ciclismo de estrada, e não parei mais. Hoje pedalo de três a quatro vezes por semana, até como treino também para provas de duatlhon e triatlhon, que são provas que gosto muito de participar. Costumo dizer que o ciclismo me tirou do sedentarismo e me proporcionou conhecer centenas de novos amigos. É um esporte fascinante.”

Foto: divulgação Marcos Paulo Frederico

Considerada a mais tradicional entre as provas do esporte, o ciclismo de estrada fez parte da programação da primeira edição dos Jogos Olímpicos da era moderna, disputados em Atenas, em 1896. Na ocasião, os ciclistas percorreram o mesmo trajeto da maratona, largando em Atenas, indo até Marathon e retornando à capital grega. As mulheres só entraram na disputa em Los Angeles, em 1984, com a prova individual de estrada. As provas do ciclismo de estrada são disputadas de duas formas: corrida tradicional, em que vence o que chegar primeiro, e contra o relógio, em que o vencedor é aquele que completa o percurso em menor tempo. No contrarrelógio, os participantes largam individualmente e percorrem um trajeto em torno de 46 quilômetros, no masculino, e 32 quilômetros, no feminino. Na estrada, vence quem terminar primeiro o percurso de 250 quilômetros para os homens e 140 quilômetros para as mulheres. As bicicletas para as provas de estrada são, em sua maioria, feitas com quadro de carbono e outros materiais leves. O peso não costuma superar os sete quilos. Além disso, o guidão é propositalmente baixo, o que permite ao ciclista uma boa economia de energia, além de uma aerodinâmica mais favorável. O gerente comercial Marcos Paulo Frederico é um apaixonado por bikes, tanto que pratica mais de um estilo de ciclis-

contam com apenas uma marcha, conhecidas como roda fixa. O ciclismo de pista é também conhecido como ciclismo de velocidade, pois esse é o principal fator dessa modalidade. São cinco provas constantes no cronograma oficial e olímpico: Velocidade individual (Sprint): Dois ciclistas precisam percorrer um quilômetro na pista, mas apenas os últimos 200 metros são cronometrados. Vence quem cruza a linha de chegada primeiro. Velocidade por equipe (Team Sprint): Duas equipes competem, se posicionando em lados opostos do velódromo. A prova masculina é disputada em três voltas, com a três atletas, pedalando um atrás do outro. A cada volta, o ciclista que lidera a equipe se retira, deixando o seguinte à frente. No feminino, são duas voltas, com duas atletas. Ganha a equipe com o menor tempo. Perseguição por equipes (Team Pursuit): dois times largam em posições opostas no velódromo, cada um com quatro atletas. Ganha a equipe que fizer o menor tempo ou, no final, a que alcançar a outra. São 16 voltas (4 km). Keirin: Seis ciclistas, de equipes diferentes, pedalam em grupo atrás de uma bicicleta EDIÇÃO | 10


Fotos:reproduções

Foto: reprodução

CICLISMO

MANOBRAS BMX Manual: manobra em que o atleta toca a rampa apenas com a roda de trás e ganha velocidade pela movimentação de pernas e tronco.

motorizada, que controla a velocidade dos atletas, que começa em 25 km/h e vai aumentando até 50 km/h. Nos últimos 700 metros, a moto deixa a pista e vence quem cruza primeiro a linha de chegada. Omnium: A competição é composta por seis provas diferentes, disputadas durante dois dias, que exigem potência e também resistência. Os pontos acumulados pelos competidores nos primeiros cinco eventos são somados. O vencedor é o atleta com maior pontuação ao final da sexta prova. BMX Também conhecido com Bicicross, o BMX surgiu graças à admiração de jovens norte-americanos pelo Motocross entre as décadas de 1960 e 1970. A vontade de imitar as manobras dos ídolos, aliada à falta de equipamentos, fez com que bicicletas fossem usadas em pistas de terra. Assim surgiu o Bicycle Moto Cross, ou BMX. Bem mais barato e fácil de ser praticado que sua modalidade inspiradora, o BMX cresceu rapidamente, especialmente entre os jovens. Na década de 1970, o esporte viu a criação da primeira federação, nos Estados Unidos. Em 1981, surgiu a Federação Internacional de BMX. Um ano depois, foi realizado o primeiro Campeonato Mundial da categoria, disputado em Dayton, EDIÇÃO | 10

nos Estados Unidos. Todos os campeões foram pilotos norte-americanos. Em 1993, a União Ciclística Internacional (UCI) passou a regular o esporte. A primeira aparição olímpica foi nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, com disputas tanto no masculino quanto no feminino. As provas do BMX são disputadas em baterias com oito atletas cada, até se chegar à final. As bicicletas utilizadas pelos competidores possuem rodas com aro 20, além de uma marcha e um freio. A largada é dada de uma plataforma de cerca de 10m de altura e os atletas passam por obstáculos montados na pista até cruzar a linha de chegada. A pista tem 470 metros de extensão para os homens e 430 metros para as mulheres. MOUNTAIN BIKE O estilo Mountain Bike surgiu na década de 1970, na Califórnia, quando ciclistas buscaram experiências fora das estradas e decidiram encarar trilhas e terrenos acidentados com as bikes. A procura pela nova aventura cresceu e competições começaram a surgir, principalmente na região de São Francisco. Nomes como Tom Ritchey e Gary Fisher são referências dessa modalidade, uma das que mais cresce pelo mundo. Após grande crescimento da modalidade nos Estados Unidos, Europa e Austrália, a primeira competição mundial foi

Salto: ultrapassar a rampa sem tocar os obstáculos. Puxar Antes: manobra que busca fazer com que a roda da frente não encoste na rampa para ganhar velocidade. Reta Pro: reta onde os obstáculos são maiores, com maior dificuldade, incluindo as rampas sem possibilidade de serem contornadas e exclusivas das provas masculinas.

disputada em 1990, já com a organização da União Ciclística Internacional (UCI). Berço do estilo, os Estados Unidos também estrearam o Mountain Bike em Olímpiadas, nos jogos de Atlanta, em 1996. A bicicleta utilizada no Mountain Bike tem pneus mais largos do que a de estrada, além de amortecedores traseiros e dianteiros, para diminuir o impacto nos terrenos acidentados do percurso. O material utilizado, também por conta do impacto, é mais resistente. Entretanto, não deixa a bicicleta tão pesada, ficando com cerca de 8kg a 9kg. Por promover um grande contato com a natureza, já que é praticado em trilhas e estradas não pavimentadas, e proporcioVITRINNI

33


ESPORTE E LAZER

Foto: divulgação Wilson Borges

executado com bicicletas do estilo BMX. Pedras, troncos, rios, areia, limo, ladeiras íngremes e escorregadias são alguns dos desafios do Bike Trial natural. Já no artificial, pallets, carretéis, barris, pneus de trator, vigas de madeira e caixotes podem fazer parte do circuito. O objetivo principal é superar um circuito de obstáculos sem tocar o chão. Um pé colocado no chão é chamado “dab” e penaliza o ciclista com um ponto. Se outra parte do corpo toca o obstáculo, mais cinco pontos de penalidade. Vence quem chega ao final com menos penalidades.

Wilson pedala de 40 a 90 quilômetros aos finais de semana em trilhas e estradas de terra na região de Bauru.

nar grande adrenalina ao atravessar esses caminhos, o Mountain Bike é dos estilos de ciclismo que mais conquistou adeptos nos últimos anos, como a enfermeira Vera Lúcia Vieira Concuruto e o gerente de vendas Wilson Borges. Ela, hoje com 44 anos, começou a pedalar ainda na adolescência para emagrecer, e o que era lazer virou competição. “Comecei a pedalar há quase 30 anos e me apaixonei pelo Mountain Bike. Durante bom tempo foi apenas pelo prazer, pelo lazer, mas desde 2013 participo de competições. Fui para uma prova convidada por uma amiga e fiquei com o primeiro lugar. Gostei da brincadeira e não parei mais desde então. Passei a me dedicar mais, contando inclusive com personal training, e hoje pedalo de 30 a 150 quilômetros, de acordo com o treino que faço.” Já Wilson, que tem a mesma idade, encontrou no Mountain Bike uma maneira de aliviar o stress do dia a dia e ter melhor

qualidade de vida. “Comecei a pedalar em 2002, quando me mudei de cidade, e queria praticar atividade física, mas fora do ambiente de academias, que me incomodava muito. A partir daí não parei. Hoje pedalo de 40 a 90 quilômetros, aos finais de semana ou um dia da semana e feriados, com um grupo de ciclistas. Saímos de Bauru e vamos até cidades vizinhas ou, às vezes, vamos de carro até outras cidades da região e de lá saímos pedalar. É muito prazeroso.” Os benefícios do pedal foram semelhantes para os dois. “Conheci novos lugares e fiz novas amizades através do pedal, inclusive o meu marido, sem falar na melhor qualidade de vida por conta da atividade esportiva”, destaca Vera. “Fiz muitas novas amizades e passei a dar valor a pequenas coisas, como parar para ajudar alguém a trocar um pneu ou dar um pouco de água a um companheiro. Sem falar no alívio do stress do dia a dia e a melhora na qualidade de vida”, ressalta Wilson.

Foto: divulgação Vera Lúcia Vieira Concuruto

BIKE TRIAL

Vera durante prova de MTB disputada em Botucatu.

34

VITRINNI

O Bike Trial surgiu na Espanha, na região da Catalunha, e tem como objetivo ultrapassar obstáculos naturais ou artificiais, sem colocar os pés no chão, em uma bike que costuma ser um pouco diferente das tradicionais, a começar pelo fato de não ter bancos, já que a modalidade é praticada quase sempre com o ciclista em pé. Mas também pode ser

MANOBRAS TRIAL Hop / Bob: um pulo. Independente da altura ou distância alcançada.  Back Side Hop: manobra fundamental para a prática do Biketrial, onde o piloto pula com a bicicleta apenas na roda traseira, sem que a dianteira toque o chão.  Front Hop: manobra acima executada só sobre a roda dianteira.  Huge Up: variação do side hope onde o piloto primeiro salta na roda traseira (back side hop) e depois saltar para cima do obstáculo.  Hook Up: manobra onde o piloto apoia primeiro a roda dianteira da bike para depois puxar a traseira. Gap: salto para frente. Usado para vencer um vão entre dois obstáculos, sem tocar o chão entre eles.  3 6 (três meia): giro de 360º  Drop: salto para baixo. Utilizado para descer de obstáculos quadrados (90º). Nas competições oficiais, compostas de alguns obstáculos naturais, os drops são limitados a dois metros de altura.

EDIÇÃO | 10


CLÍNICA HORMONE

Conheça as causas, tratamento e problemas que podem estar associados ao Diabetes Mellitus

S

egundo estimativas da Federação Internacional de Diabetes, existem atualmente cerca de 285 milhões de diabéticos no planeta (6,4% fazem parte da população adulta) e esse número poderá aumentar para 440 milhões até 2030. O aumento do Diabetes Mellitus se deve à maior longevidade de pessoas associadas a uma piora nos hábitos de vida com crescente consumo de gorduras saturadas, sedentarismo e obesidade. O Diabetes Mellitus representa um grupo de doenças metabólicas, com etiologias diversas, caracterizado por aumento da glicose através de uma secreção deficiente de insulina pelas células beta, resistência periférica à ação da insulina ou ambas. Os principais tipos de diabetes são do Diabetes Mellitus tipo 1 e tipo 2, mas também existem outros tipos como o diabetes gestacional, medicamentoso e MODY. “O Dm1 caracteriza-se por deficiência absoluta na produção de insulina, decorrente, na grande maioria dos casos, de uma destruição au-

36

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


DIABETES MELLITUS

Ter uma alimentação adequada associada a prática de exercícios físicos é fundamental para o controle do Diabetes Mellitus.

EDIÇÃO | 10

VITRINNI

37


Fotos: reproduções

toimune das células Beta do pâncreas. Já o Dm2 está relacionado com histórico familiar/predisposição genética associada aos hábitos inadequados, como o aumento do peso e sedentarismo, o que geram uma resistência a insulina produzida pelo organismo, fazendo então surgir a doença’’, descreve o médico endocrinologista, Dr. José Henrique Castro, da Clínica Hormone, em Bauru. Qualquer pessoa que faça parte dos grupos de risco como obesos, sedentários, pessoas com diagnóstico de intolerância a glicose, mulheres com história de Diabetes gestacional, e histórico familiar de diabetes, correm o risco de desenvolverem a doença. “A Dm2 é responsável por 85% a 90% de todos os casos de Diabetes, surgindo habitualmente após os 40 anos de idade e a maioria dos pacientes, cerca de 80%, são obesos. Contudo, o acometimento de adultos mais jovens, até mesmo crianças e adolescentes vem aumentando devido ao aumento da obesidade infantil. Aproximadamente 70% a 90% dos pacientes com Diabetes Mellitus 2 têm também a chamada “Síndrome Metabólica”, caracterizada por obesidade abdominal, resistência insulínica, tolerância alterada à glicose ou Diabetes, dislipidemia e também por hipertensão”, destaca a médica endocrinologista, Dra. Paula Sacuma, da Clínica Hormone. O tratamento do Diabetes evoluiu muito nas últimas décadas com o surgimento de novas insulinas, bombas de insulina, novos medicamentos orais e injetáveis que também auxiliam no ema-

Foto: reprodução

CLÍNICA HORMONE

grecimento, sensores para medir a glicemia sem a necessidade de furar os dedos, conferindo menos efeitos colaterais e proporcionando uma melhor qualidade de vida aos pacientes. “Além dos medicamentos é recomendado que o paciente também realize atividades físicas, siga uma alimentação adequada e faça o acompanhamento periódico com um endocrinologista. Caso o paciente não faça o controle do Diabe-

tes, a doença pode ser fatal, levando ao óbito e também gerando complicações irreversíveis como cegueira, insuficiência renal, amputações, neuropatia e disfunção erétil”, ressalta o endocrinologista, Dr. José Henrique Castro. A endocrinologista, Dra. Paula Sacuma alerta: “A melhor maneira para evitar o surgimento do diabetes é manter um peso corporal saudável, praticar atividade física regularmente e seguir uma dieta saudável controlando o consumo de alimentos que contenham gordura, carboidratos em excesso e também açúcar”. É PRECISO CUIDADO! A atenção com o tratamento do Diabetes precisa ser intensa. Os hábitos alimentares são necessários para que não ocorram problemas derivados da doença. Algumas pessoas não sabem, mas o Diabetes Mellitus pode gerar problemas com a visão e saúde bucal. A retinopatia diabética é uma complicação da Diabetes que afeta os olhos, especialmente a retina, que é uma mem-

38

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


Foto: reprodução

Foto: reprodução

DIABETES MELLITUS

Salvo em caso de emergência, não se submeta a qualquer procedimento dentário se o nível de glicose no sangue não estiver bem controlado”, destaca o Dr. Fausto.

Foto: reprodução

brana localizada na parte trás do olho e tem a função de transformar a luz do mundo em imagens. Na doença, os vasos sanguíneos localizados nesta região sofrem alguns danos. “Exames periódicos semestrais ou anuais como fundo de olho e mapeamento de retina são algumas das formas de prevenção da retinopatia diabética. Para o tratamento, existe o controle de base que é a principal forma. Depois desse

EDIÇÃO | 10

controle, temos a utilização do laser, aplicações de medicamentos que melhoram a absorção das hemorragias e a retinopatia proliferativa cirúrgica”, destaca o médico oftalmologista, Dr. Tomas Sacuma, da Clínica Hormone. Outro problema decorrente do Diabetes não controlado está relacionado com a saúde bucal. Alguns problemas bucais podem surgir, como a doença gengival, candidíase, boca seca que pode causar aftas, úlceras, infecções e cáries. “Se os níveis de glicose no sangue não forem bem controlados, o diabético tem maior chance de desenvolver doença gengival avançada e de perder dentes quando comparado a pessoas que não têm Diabetes”, alerta o cirurgião-dentista, Fausto Sacuma, especialista em Endodontia e Ortodontia da Clínica Hormone. É necessário que o paciente diabético informe sempre ao dentista sobre o controle de sua doença. “Mantenha seu dentista informado sobre qualquer alteração em seu estado de saúde e também sobre os medicamentos que estiver tomando.

PR ÁTICAS ALIMENTARES Pessoas com Diabetes necessitam de cuidados na alimentação. Por conta disso, saber sobre informações nutricionais é importante para a prevenção. É necessário compreender que as práticas alimentares podem interferir na doença. O consumo excessivo de determinados alimentos ou a falta de equilíbrio entre carboidratos e proteínas geram impactos na saúde do paciente. “Um alimento pode ser saudável, mas o excesso já não é. Inserir as gorduras boas, fonte de ômega 3, salmão, sardinha, chia, linhaça, castanhas e nozes são ótima opções para manutenção de saúde e glicemia. Porém, o excesso não é recomendado, pois são calóricos e podem contribuir com o aumento de peso corporal”, explica a nutricionista, Denise Real, da Clínica Hormone. A Clínica Hormone está localizada à Rua Dr. Fuas de Mattos Sabino, 3-70, no Jardim América, em Bauru. O telefone é o (14) 3879-3447. Acompanhe as novidades da clínica pela fanpage www.facebook.com/hormonebauru. A Hormone possui especialistas na área da endocrinologia, dermatologia, alergista, oftalmologia, odontologia e nutrição. VITRINNI

39


SAÚDE E ESTÉTICA BUCAL

SAÚDE BUCAL E GESTAÇÃO

40

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


Fotos: reproduções

CHOCOLATE ODONTOLOGIA

DRA. RÉGIA LUZIA ZANATA CROSP 46962 Graduada em Odontologia pela Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB - USP) Especialista em Destística Doutorado em Odontologia Restauradora (Dentística) Aperfeiçoamento em Periodontia e Odontologia Hospitalar Habilitação em Laserterapia Cirurgiã-dentista da Universidade de São Paulo (USP) Autora de 16 artigos em Revistas Científicas Nacionais e Internacionais Membro da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas

A

gestação é um período de intensas alterações hormonais que podem afetar a saúde bucal. A prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças bucais (cáries, “dor de dente”, gengivites, perdas ósseas e infecções) devem ser executados durante a gestação, sem risco adicional para a mãe e para o bebê. Sendo muito maior o risco de não se proporcionar o atendimento odontológico adequado para a gestante. Alguns receios infundados prejudicam a busca por atendimento odontológico durante a gravidez. Pesquisas mostram que metade das gestantes que apresentam alguma queixa de origem bucal não procuram atendimento por medo. Tal comportamento é equivocado. Idealmente os procedimentos preventivos e educativos devem ocorrer durante toda a gestação. A literatura confirma que há correlação positiva entre atividade de cárie materna e a experiência de cárie dos filhos na primeira infância. Isto ocorre porque na presença de doenças não tratadas, a quantidade de bactérias que provocam estas doenças aumenta de forma significativa, aumentando o risco de transmissibilidade para a criança. Portanto cáries devem ser tratadas e a futura mãe orientada quantos aos hábitos nutricionais e de higiene oral do bebê. A gravidez não causa doenças bucais, mas pode agravar condições pré-existentes como a gengivite (inf lama-

EDIÇÃO | 10

ção e sangramento da gengiva). Devido às alterações hormonais há uma resposta inf lamatória exacerbada dos tecidos moles (gengivas) e sangramento gengival, hiperplasias e mesmo granulomas podem se intensificar durante a gestação. O agravamento das infecções periodontais (envolvendo gengiva e o osso de suporte dos dentes) tem prejuízos sistêmicos podendo interferir com o curso normal da gestação e sendo um fator de risco para o parto prematuro. Quando já há um problema bucal, o tratamento deve ser realizado. O segundo trimestre da gestação é considerado o melhor período para as intervenções, porém, o atendimento emergencial deve ser realizado em qualquer trimestre. Quando necessário, o uso de anestesia local, radiografias com proteção e medicamentos apropriados é seguro e benéfico, superando os riscos e consequências da permanência de uma infecção não tratada. Concluindo, a gestante deve procurar atendimento odontológico para receber orientações nutricionais e de higiene oral e realizar profilaxias, e para que o diagnóstico e tratamento de doenças seja feito de forma precoce e menos invasiva possível. CONTATO Rua Bartolomeu de Gusmão, 7-70, Bauru Telefone: (14) 3208-4846 WhatsApp: (14) 99797-4631 regiazanata.com.br

Tese de Doutorado - “Atendimento odontológico da paciente gestante”, recebendo sete premiações (Nacionais e Internacionais) por suas pesquisas nesta área

FONTES Oral Health During Pregnancy: A National Consensus Statement - Summary of an Expert Workgroup Meeting. 2012 by the National Maternal and Child Oral Health Resource Center. Georgetown University Kurien S. Kattimani V S, Sriram S K, Prabhakar Rao V K, Bhupathi A, Bodduru R, Patil N N. Management of Pregnant in Dentistry. J Int Oral Health 2013; 5(1):88-97 Régia L. ZANATA, Karen Barros Parron FERNANDES, Patrícia Silva Lopes NAVARRO, PRENATAL DENTAL CARE: EVALUTION OF PROFESSIONAL KNOWLEDGE OF OBSTETRICIANS AND DENTISTS IN THE CITIES OF LONDRINA/PR AND BAURU/SP, BRAZIL. J Appl Oral Sci. 2008;16(3):194-200 Oral Health During Pregnancy and Early Childhood: Evidence - based Guideline for health Professionals. California Dental Foundation. guidelines.pdf. http://cdafoundation.org/library/docs/poh_

Dra. Régia Luzia Zanata

VITRINNI

41


VITRINNI AUTOMOTIVA

HÍBRIDOS E

ELÉTRICOS APESAR DE ATRATIVOS COMO MENOR CONSUMO, POLUIÇÃO E ISENÇÃO DE IMPOSTOS, MODELOS VERDES SOFREM COM PREÇOS ELEVADOS Por Fábio Barbosa

J

á faz algum tempo que modelos híbridos, aqueles com motores elétricos que atuam em conjunto com os de combustão, e os elétricos, movidos 100% a eletricidade, deixaram de ser raros pelas ruas das grandes cidades mundiais. No Brasil, apesar da isenção de alguns impostos, que pode ser ainda maior, esses veículos sofrem com os preços elevados e a, praticamente inexistente, rede de recarga elétrica. Dentre as vantagens que os carros elétricos e híbridos possuem, com certeza o menor consumo e a baixa taxa de poluição, que nos elétricos é quase nula, são os diferenciais. Mas os benefícios vão além. Os modelos elétricos e movidos a célula de combustível (com autonomia mínima de 42

VITRINNI

80 km) possuem isenção total do imposto de importação, enquanto os híbridos contam desde o final de 2015 com alíquota reduzida de 35% para de 0 a 7%, variando de acordo com o nível de eficiência energética e o tamanho do propulsor a combustão. Ainda na lista de vantagens, modelos híbridos e elétricos são isentos do rodízio de veículos em São Paulo, tendo os veículos elétricos desconto de 50% no Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). O cenário pode ficar ainda melhor, pois tramita no Senado um projeto de lei (PLS 174/2014) que, se aprovado, concede por 10 anos isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre a fabricação de automóveis elétricos e híbridos movidos a etanol fabricados no país.


MODELOS VERDES Foto: reprodução


VITRINNI AUTOMOTIVA

Modelos “verdes”

Fotos: reproduções

3 2

1

4

O comércio desses modelos cresce ano após ano no Brasil, tanto que o segmento já conta com salão próprio, o Salão Latino-Americano de Veículos Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias, realizado no mês de setembro no Pavilhão Amarelo do Expo Center Norte, em São Paulo. Apesar de tudo isso, o potencial para veículos “verdes” no Brasil ainda é pequeno. Um estudo recente da consultoria Accenture analisou 14 mercados domésticos em relação ao futuro do segmento: Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Japão, Holanda, Noruega, Rússia, Coreia do Sul, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos. Os considerados mais promissores foram China e Estados Unidos, devido ao extenso mercado e potencial para crescimento. Brasil, Índia e Rússia foram classificados como hesitantes pela Accenture devido à pequena dimensão do mercado e baixa taxa de crescimento esperada, além de ausência de infraestruturas públicas de 44

VITRINNI

5

carregamento e baixos preços dos combustíveis, independentemente dos atuais preços baixos do petróleo. Atualmente, os preços praticados com os modelos ecologicamente corretos, que passam facilmente dos R$100 mil, dificultam o sucesso dessas tecnologias no Brasil.

MODELOS VENDIDOS NO BRASIL Toyota Prius

Com nova geração lançada no País em 2016, o Prius exibe visual atualizado, seguindo com o motor 1.8 a gasolina que gera 98 cv de potência e 14,2 kgfm de torque. O motor elétrico sozinho tem 72 cv e 16 kgfm. O câmbio é automático de relações continuamente variáveis (CVT). Com consumo de  18,9 km/l na cidade e 17 km/l na estrada, é atualmente o carro mais econômico à venda no Brasil. Oferecido em versão única, sai por R$ 123.950.

Ford Fusion Hybrid

Sedã da Ford que possui versão híbrida equipada com motor de 2.0 16V a gasolina de 143 cv acoplado a um propulsor elétrico de 88 kW. A potência total é de 190 cv. O motor elétrico pode operar sozinho até a velocidade de 100 km/h. Com câmbio CVT, acelera de 0 a 100 km/h em 9,3 segundos, de acordo com a montadora. O modelo é vendido apenas na configuração Titanium e sai por R$149.900.

BMW I3

Único modelo 100% elétrico vendido no Brasil, possui motor elétrico e outro a gasolina que serve apenas para carregar a bateria. A propulsão é feita pelo motor elétrico de 170 cv de potência e 25,4 kgfm de torque. Segundo a BMW, o carro acelera de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos e atinge a velocidade de 150 km/h.  A  autonomia varia entre 130 km e 160 km rodando apenas com o motor elétrico, chegando a até EDIÇÃO | 10


MODELOS VERDES

7

6

1. Toyota Prius: nova geração exibe visual atualizado. | 2. Ford Fusion Hybrid: sedã da Ford que possui versão híbrida. | 3. BMW I3: único modelo 100% elétrico vendido no Brasil. | 4. Lexus CT 200h: potência combinada. | 5. Mitsubishi Outlander PHEV: dois motores, um para cada eixo. | 6. BMW i8: superesportivo híbrido. | 7. Nissan Leaf: nipônico já circulando no Brasil.

300 km graças ao motor a combustão. É possível recarregar a bateria em tomada residencial: são 8 horas em uma tomada de 220V e 16 horas em uma de 110V. O preço do i3 varia entre R$ 159.950 e R$ 179.950.

Lexus CT 200h

Em duas configurações, o híbrido da Lexus - divisão de luxo da Toyota - tem um propulsor a gasolina 1.8 16V de 99 cv e 14.5 kgfm que funciona em conjunto com motor elétrico de 82 cv e 21 kgfm. Juntos, entregam potência combinada de 136 cv e a energia excedente do motor a combustão, assim como a energia das frenagens, é usada para recarregar as baterias. Segundo a fabricante, o carro vai de 0 a 100 km/h em 10,3 segundos. Versões entre R$ 129.900 e R$ 149.900 no modelo topo de linha.

Mitsubishi Outlander PHEV

A versão híbrida plug-in traz dois motores elétricos de 60 kW (81,6 cv), um para

EDIÇÃO | 10

cada eixo, atuando com um propulsor 2.0 a gasolina, que serve apenas como gerador para alimentar a bateria. O nome, aliás, vem da  sigla  em inglês  para designar um veículo híbrido cuja bateria pode ser carregada também na tomada (Plug-in Hybrid Electric Vehicle).  O carro consegue rodar a até 120 km/h usando apenas os motores elétricos. Sai por R$ 204.990.

BMW i8

NISSAN LEAF O modelo já circula no país em fase experimental, em programas de taxis nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo, e deve começar a ser produzido por aqui este ano, segundo informações da montadora sul-coreana. Nos Estados Unidos, o Leaf custa a partir de US$ 29 mil, ou algo em torno de R$110 mil. Com o IPI zerado, o elétrico nipônico deverá ter redução entre 25% e 30% no preço final. Provavelmente, o modelo a ser feito aqui será a de segunda geração, cujo alcance das baterias será bem maior que os atuais 170 km.

Superesportivo híbrido, é movido por um motor 1.5 turbo a gasolina de três cilindros, que desenvolve 231 cv de potência e 32,6 kgfm, atuando em conjunto com um propulsor elétrico de 131 cv e e 25,5 kgfm - que oferece sozinho autonomia de 35 km.  De acordo com a fabricante, o i8 acelera de 0 a 100 km/h em 4,4 segundos e atinge a velocidade máxima de 250 km/h. Apenas sob encomenda, o i8 se destaca pelas portas futuristas que se abrem para cima. Tudo isso sai por R$ 799.950. VITRINNI

45


L G

A

S

T

D

B

A

U

R

E

A R

S

U

Z O

T

A

N

Q

E

E

U

R Ô

E

R

M

D

E

I

C

O

E

G

I

Ã

O


UMA SELEÇÃO DE ENCHER OS OLHOS! A Vitrinni Magazine selecionou uma cafeteria para você desfrutar de um Lazer Gastronômico como uma verdadeira Experiência Gourmet.

C A F E T E R I A H O S S


s s o H Cafeteria

ESPECIAL GOURMET

P

róxima de completar um ano de atividades e já consolidada no segmento de cafés especiais, a Hoss Cafeteria investe ainda mais no conceito de ser um ambiente totalmente democrático e apresenta um cardápio variado de refeições para atender todos os gostos, mostrando que é muito mais que uma cafeteria. A Hoss inovou o mercado de cafeterias em Bauru e região ao servir 10 diferentes métodos de cafés filtrados, preparados exclusivamente por baristas renomados e consagrados no cenário nacional, além dos tradicionais expressos, cappuccinos, mochas, lattes e machiatos, contando ainda com a extração de café a frio (Cold Brew). Em um espaço extremamente aconchegante e democrático, que recebe re-

uniões de trabalho, famílias, amigos, casais ou quem vai apenas ler um bom livro, a Hoss possui também um cardápio especial de refeições, seja no café da manhã, almoço ou jantar. O café da manhã, por exemplo, conta com opções que variam desde sucos naturais, vitaminas, mix de frutas, pãezinhos na chapa, cereais, até bolinhos e doces matinais, além de combos. O conceito de cozinha da Hoss é diferenciado, totalmente artesanal, com 100% das refeições elaboradas na cafeteria. Tudo é servido fresco, assado e preparado na hora, nada de congelados industrializados. O almoço conta com pratos como Costelinha Barbeque, Filé de Peixe à Milanesa, Filet Mignon à Parmegiana, Risoto de Funghi com

Picanha, Spaghetti de Pupunha, Gnocchi de Batata Doce e as opções veganas Penne e Carne de Soja. Para o jantar, a Hoss tem aperitivos para o Happy Hour como Mini Bolinhas de Queijo e Coxinhas, Bruschetta, Iscas de Frango e Mignon e Mini Hashbrowns. Pratos como Penne de Limone com Parma, Linguine a Carbonara, Risoto de Gruyere com Mignon e de Gorgonzola e Pera, além das opções disponíveis no almoço. Sanduíches especiais como Hambúrguer de Picanha, o tradicional Bauru e o Veggie, ótima opção para os vegetarianos. Há ainda quatro opções de caldos. A Hoss Cafeteria possui várias opções de sobremesas, refrigerantes, sucos, vitaminas, drinks, cervejas premiuns e especiais, vinhos e espumantes.

SERVIÇO: a Hoss Cafeteria fica na Avenida Getúlio Vargas, nº 4-73, Bauru-São Paulo. | Telefone: (14) 3313-9513

52

VITRINNI

EDIÇÃO | 10

Fotos: Gabriel Cabreira

Muito além do café...


Lazer Gastronômico Bauru O mais gostoso filé de peixe de Bauru e região.

Ddeostaque

Cardápio

Dentre as várias opções saborosas do cardápio, o destaque da Hoss Cafeteria fica por conta do Filet de Peixe à Milanesa, que tem como acompanhamentos arroz branco e legumes salteados.

Atendimento: terça-feira a Domingo, das 8h00 às 00h, e segunda-feira, das 15h às 00h | hoss@hoss.cafe | www.facebook.com/hosscafeteria/

EDIÇÃO | 10

VITRINNI

53


VITRINNI ARTE

O

ARTISTA DAS

ROSAS A

O pintor Ailton Ribeiro encanta com suas obras inspiradas nas flores e na forma humana

Foto: divulgação Ailton Ribeiro

Da Redação

54

VITRINNI

ssim que entramos na Casa Amarela, estúdio do artista Ailton Ribeiro, é possível ver que cada canto é uma inspiração. Rosas tomam conta do ambiente. Assim como outros elementos como uma bandeja com bule e xícaras de café, um balde de gelo e uma mesinha de centro, objetos que fazem parte do cotidiano de qualquer pessoa, mas que sob o olhar de um artista compõem um cenário ideal pra inspirar obras de arte. Ailton descobriu o talento com os traços e cores ainda criança. O pintor cresceu em Ourinhos, SP, e inspiração veio do tio que sabia desenhar. Ainda menino, Ailton tentava copiar os desenhos. “Até hoje eu lembro de desenhar um helicóptero, avião, caminhão, ônibus. Já desenhava em perspectiva, de alguma maneira era fácil pra mim enxergar esses efeitos na vida real”, relembra Ailton. Desenhar era mais que um passa tempo pra ele, se tornou a atividade favorita. Sempre teve apoio e incentivo da família. Com algumas tábuas de madeira que o pai trazia pra casa, fez seu primeiro cavalete. As paredes da casa tinham vários desenhos, o lutador e ator Bruce Lee era uma de suas inspirações. Mas foi na escola que uma professora do ensino fundamental enxergou esse talento. “Pra mim era muito simples desenhar, e eu não entendia por que alguns colegas não faziam com a mesma facilidade. Minha professora na época me disse que era uma habilidade que poucos tinham e que eu ia viver disso ainda”. E ela tinha razão.

EDIÇÃO | 10


AILTON RIBEIRO

EDIÇÃO | 10

VITRINNI

55


Fotos: reproduções

VITRINNI ARTE

Obras de Ailton Ribeiro exploram diversas vezes a beleza genuína do corpo e da alma feminina.

56

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


AILTON RIBEIRO

Van Gogh, Monet e Rembrant são alguns dos grandes pintores que inspiram Ailton.

Foto: divulgação Ailton Ribeiro

Já adolescente e consciente do dom que possuía, trabalhou como aprendiz em uma tapeçaria e aprendeu o ofício, pintava à mão todas as peças. Aos 19 anos foi convidado pelos donos da tapeçaria a conhecer a sede da empresa em São Paulo, e passou fazer pinturas em lona para painéis. Na década de 1990 começou a fazer campanhas publicitárias, todos os cartazes eram feitos à mão. Trabalhou com comunicação visual por 12 anos. Em 2000 entrou no curso de artes plásticas da Unesp. “Abriu meus horizontes, me ajudou a definir o que seria meu trabalho. Foi na faculdade que conhecia a história da arte e aprendi diversas técnicas.” Alguns trabalhos foram surgindo e marcaram a vida dele, como a pintura do interior da capela do Centrinho, o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais da USP em Bauru. Van Gogh, Monet, Rembrandt e Eugene Delacroix são alguns dos pintores mais admirados por Ailton. O estúdio e escola de arte chamado de Casa Amarela é uma referência à casa homônima de Van

Ambiente da esposição “Enquanto repousam as rosas”.

EDIÇÃO | 10

Gogh na França. Mas o artista paulistano Arcanjo Ianelli tem um papel especial na vida dele. “Ainda na faculdade fomos até a casa dele em São Paulo, conhecemos alguns trabalhos e pudemos ver de perto um pouco desse artista incrível. Fiquei admirado, foi um dos momentos que mais aprendi sobre arte.” Ailton sempre gostou de desenhar com carvão. “A técnica pra desenhar com carvão e a relação entre o material e a maneira de desenhar traz um resultado um tanto quanto grosseiro, rebelde e mais expressivo.” Também domina a pintura a óleo sobre tela, além de experimentar outras tintas e técnicas. Os elementos que mais aparecem em suas obras são a figura humana, natureza morta em transformação e as rosas, tema de um dos trabalhos que mais marcantes: “O Milagre das Rosas”, feito para a Igreja Santa Rita de Cássia, em Bauru. A flor sempre fez parte de sua vida e remete à infância em Ourinhos. Aliás, Ailton tem uma mão boa para cuidar das rosas, tudo que planta floresce, cuidado e talento que a avó materna, Angelina, percebeu quando ainda era

criança. Ailton não se encaixa em um só estilo, alguns trabalhos podem ser considerados mais impressionistas, outros expressionistas e alguns até românticos, mas talvez o estilo contemporâneo seja o que mais se encaixa nas obras, justamente por permitir mais possibilidades. “A arte contemporânea sempre existiu, é por causa dessa discussão de estilos que existe uma evolução. A arte conta a história da época em que foi feita. Quando um artista se classifica, está vendido. O ideal é chegar a um trabalho que não se pareça com nada, a não ser com ele mesmo. A arte busca ser aquilo que ela quer ser.” Já participou de vários salões de arte e exposições. Suas obras estão presentes no Brasil, Argentina, Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França e México. Ailton dá aulas de pintura e também continua com o sonho, hoje já realidade, de levar a arte para o resto do mundo. “Continuar com a arte e levar meu trabalho pra longe, para que seja visto em outros lugares por outras pessoas, e que elas possam sentir um pouco de paz pra fugir da correria do mundo nem que seja por alguns minutos.” VITRINNI

57


DESIGN E INTERIORES

Philippe

Starck O DESIGNER FRANCÊS QUE REINVENTA OBJETOS E CRIA AMBIENTES ÚNICOS Da Redação

O

design deve ser para todos.” Esta frase é a que melhor resume o trabalho de Philippe Starck. Este criador, designer e arquiteto se tornou uma parte de nossas vidas diárias, criando objetos não convencionais que são bons antes de serem bonitos. Qualquer objeto ou ambiente projetado por Philippe Starck remete a um mundo de imaginação, fantasia e surpresas. É conhecido mundialmente pelo design leve e contemporâneo, tanto pela forma quanto pelos materiais que usa em suas criações. O preço é uma questão primordial para ele, defensor do design democrático e adepto do uso do plástico em suas obras. “O design deve ser para todos, com esse material é possível produzir mais e vender por menos. Na época em que eu estava começando, o design era uma coisa mais elitista. Para mim, isto não fazia sentido nenhum”, relata em sua página pessoal na internet. Starck tem ainda uma vasta obra arquitetônica que se mescla ao design de interior, vista e reco-

58

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


PHILIPPE STARCK

EDIÇÃO | 10

VITRINNI

59


DESIGN E INTERIORES

Masters Chair: uma das célebres contribuições de Philippe Starck para o design de mobiliário.

60


PHILIPPE STARCK

Ghost Chair: mobiliário traz variedade de cores e formas.

Wood style: detalhe do interior de “Cidade Matarazzo”.

EDIÇÃO | 10

Design de interior do hotel “Cidade Matarazzo” em São Paulo é um dos trabalhos mais charmosos de Starck no Brasil.

Philippe Starck é um arquiteto autodidata, conhecido como um fenômeno internacional na área de design de móveis e também de produtos. O designer mais famoso e intrigante ainda vivo com uma obra multidisciplinar, que vai do design de interiores a objetos para o lar. Sua marca principal é desafiar a estética cultural que está vigente. Provocador, mudou a concepção de lâmpadas, maçanetas, talheres, chaleiras, vasos, relógios, motos, mesas, camas, torneiras, escovas de dente, objetos para banheiros, interferindo em toda a maneira contemporânea de viver. A chaleira Hot Bertaa e espremedor Juicy Salif são alguns produtos que exemplificam a característica moderna, desafiadora e provocativa do designer, além da cadeira Masters, inspirada em três clássicos de outros designers (Series 7, de A rne

Jacobsen, Tulipa, de Eero Saarinen, e Eiffel, de Charles e Ray Eames), que foi copiada mundo afora, e a cadeira Louis Ghost com seu estilo barroco revisitado toda feita de policarbonato injetado. Fotos: reproduções

Fotos: reproduções

nhecida em hotéis icônicos espalhados por todo o mundo. O Hotel Península em Hong Kong, o Teatron no México, o Hotel Delano em Miami, Mondrian em Los Angeles, o restaurante Ásia de Cuba em Nova York e o hotel Fasano do Rio de Janeiro são alguns de seus trabalhos espalhados pelo mundo. Seus hotéis se tornaram ícones atemporais e acrescentaram uma nova dimensão à paisagem urbana global. Ele desenvolve cenários que levam as pessoas do cotidiano para um mundo de imaginação e criatividade. Philippe Starck é o responsável pelo design interior do complexo “Cidade Matarazzo”, um hotel de luxo que está sendo construído na cidade de São Paulo no prédio do antigo Hospital Matarazzo, nos arredores da Avenida Paulista. O projeto é assinado pelo arquiteto Jean Nouvel e deve ser inaugurado em 2018.

O design de Philippe Starck para o Hotel Fasano no Rio.

VITRINNI

61


DESIGN E INTERIORES

Juicy Salif: o icônico espremedor de laranjas criado por Starck para empresa italiana Alessi.

62

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


Foto: Gui Paganini

PHILIPPE STARCK

Lago Chair: modernidade e leveza no design de móveis.

A história de Philippe Starck

Fotos: reproduções

Philippe Starck nasceu em Paris em 18 de janeiro de 1949. Trabalhou para várias empresas como Pierre Cardin, Disform, Driade, Baleri, XO e Idée. Em 1979 fundou sua própria empresa, a Starck Productions. Já havia trabalhado como designer de produtos, de mobiliário e de

Detalhe arquitetônico de “Cidade Matarazzo”, São Paulo.

EDIÇÃO | 10

interiores quando em 1982 foi selecionado a desenvolver a renovação completa do apartamento pessoal do então presidente da França, François Mitterrand. Desde então, é conhecido como um fenômeno internacional pela decoração de interiores de hotéis, onde projeta desde os ambientes internos até o layout dos móveis, incluindo roupas de cama, mesa e banho. Todo o desejo de criar e a capacidade de sonhar vieram de seu pai, um inventor e engenheiro aeronáutico. Philippe Starck passou a infância cortando, serrando, desmontando bicicletas, motocicletas e muitos outros objetos. Precursor do conceito de design democrático, que nada mais é do que criar objetos de qualidade a preços mais baixos para que mais pessoas possam desfrutar do melhor, se sentia uma voz solitária num mundo onde o design era voltado exclusivamente para uma elite. Starck acreditava na natureza antes da ecologia virar moda, sempre demonstrou respeito

Fotos: reproduções

Ousadia, cores marcantes e criações autorais: Philippe Starck é referência mundial no design de objetos e de interiores.

e preocupação pelo futuro do planeta. As peças criadas por ele são estilizadas, com aspecto orgânico e linhas finas, elaboradas a partir de ligas de materiais incomuns e que têm como objetivo proporcionar uma experiência de uso. Suas criações se tornaram a imagem do designer que cumpre a função de criar uma nova estética ao mesmo tempo em que sabe trabalhar para a indústria. Starck é conhecido como um designer revivalista, que repensa o habitual e recria objetos do cotidiano, discutindo a funcionalidade como uma experiência de prazer e bem estar como valor estético contemporâneo. As suas obras entram em sintonia com os nossos sonhos, desejos e necessidades, tornando seu trabalho um ato político e cívico que ele realiza com muito amor, poesia e humor.

Série Gun-Lamp: abajur de Starck faz critica a sociedade.

VITRINNI

63


MÁRCIO BOMPEAN

Márcio Bompean Arquitetura & Interiores FOTOS ALEX ANDRE HARAL AMPIDIS ANA CÉLIA BERTO CELSO MELL ANI EBER MOSCHETO

F

ormado em Desenho Industrial pela Unesp, Márcio Bompean iniciou a carreira profissional em 1990, mas bem antes disso já encantava clientes com seus projetos. Os primeiros fo-

ram em 1982. Márcio fundou o escritório que leva o seu nome em 1990 e desde então desenvolve projetos de design de interiores residenciais e comerciais em que tem como princípio sempre ouvir os desejos dos clientes e, assim, poder transformar sonhos em realidade, sem deixar de lado a forma e a função dos projetos. As referências profissionais são buscadas em viagens mundo afora e em feiras e exposições realizadas para os segmentos de design e decoração. O escritório

Foto: Alexandre Haralampidis

Márcio Bompean acredita em uma atuação multidisciplinar e na forte ligação entre arquitetura e design, além da união de habilidades e esforços para se alcançar a excelência nos projetos. Nas próximas páginas da Vitrinni Magazine você pode conhecer alguns dos projetos de Márcio Bompean.

VITRINNI

67


O Escritรณrio


Foto: Alexandre Haralampidis

CONFORTO E SOFISTICAÇÃO O escritório segue uma linha zen oriental, no estilo home office, com a utilização de madeiras, móveis e objetos de coleção. A intenção foi justamente fazer com que o cliente se sentisse numa casa bem aconchegante. Os vários efeitos luminotécnicos foram automatizados permitindo várias ceFoto: Alexandre Haralampidis

nas e controle total da iluminação.


THE ONE

Bar e Restaurante


Foto: Ana Célia Berto

ESPORTE E GASTRONOMIA Neste projeto, a projeção de imagens em tvs led de vários

Foto: Ana Célia Berto

canais de esporte faz com que os clientes se sintam num autêntico bar e restaurante americano.


Apartamento FRANCÊS


Foto: Celso Mellani

BELEZA, CONFORTO E BEM ESTAR A pedidos do cliente, um exímio colecionador de obras de arte, este apartamento deveria ter inspiração na França. Foto: Celso Mellani

Foram usados moveis clássicos mesclados com objetos contemporâneos e papeis de parede com fios de seda.


Foto: Celso Mellani


Foto: Celso Mellani

Foto: Mรกrcio Bompean


Foto: Celso Mellani


Foto: Celso Mellani


Apartamento

CONTEMPORÂNEO


Foto: Alexandre Haralampidis

CLÁSSICO, PRÁTICO E VERSÁTIL O cliente pediu uma decoração contemporânea, leve e que ao mesmo tempo fosse aconchegante. O uso de cores primárias Foto: Celso Mellani

garantiu modernidade e ao mesmo tempo um estilo jovem.


Foto: Alexandre Haralampidis

Foto: Alexandre Haralampidis


Residência BRASILEIRA


Foto: Celso Mellani

ACONCHEGO, CONFORTO E TRANQUILIDADE Foto: Celso Mellani

Uma casa bem espaรงosa onde utilizamos tons neutros em estofados e paredes para contrastar com objetos e detalhes coloridos, o conforto e a funcionalidade foram os itens exigidos pelos cliente.


Foto: Celso Mellani


Foto: Celso Mellani

Foto: Celso Mellani


Projeto CARAMELA


Foto: Alexandre Haralampidis

CORES, OUSADIA E BELEZA Foto: Alexandre Haralampidis

Uma loja de cosméticos inspirada em uma doceria francesa foi a inspiração para a criação deste projeto que usa cores vibrantes e contrastantes e que permite aos clientes viajarem pelo mundo colorido do universo da maquiagem.


Projeto LOJA


Foto: Celso Mellani

ELEGÂNCIA E PRATICIDADE Para esta loja de acabamentos e revestimentos a intenção foi recriar uma decoração industrial, expondo os proFoto: Celso Mellani

dutos em paletes feitos de madeira nobre e assim permitir a perfeita visualização dos produtos.


CLÍNICA E

CONSULTÓRIOS


Foto: Celso Mellani Foto: Alexandre Haralampidis

CORES, LEVEZA E HARMONIA Um consultório médico de um jovem e experiente profissional Foto: Celso Mellani

onde utilizamos móveis em madeira para criar uma atmosfera mais imponente. A clínica odontológica em tons neutros garante a leveza do espaço. Cores vibrantes em tons de azul asseguram delicadeza na conexão deste consultório com o jardim.


Foto: Eber Moscheto

PA R C E I R O S MÁRCIO BOMPEAN

AIMAR ARCHITETTO MANOFATTA MINAS PEDRAS THRAMA VERSATTILE

ENDEREÇO E C O N TAT O S RUA LUSO-BRASILEIRA, 4-44 METROPOLITAN SQUARE, SALA 711 BAURU - SÃO PAULO Fone: (14) 3202-7765 www.bompean.com.br


VITRINNI PRODUTO

DE OLHO NA

PRINCE Com 30 anos de experiência, a Prince conquistou o seu espaço no segmento óptico bauruense. De olho nas principais tendências, a Ótica trabalha com as melhores marcas do mercado, sempre em busca de tecnologia, inovação e harmonia.

Viva sua beleza! A Prince Ótica oferece linhas de óculos escuros e de grau que combinam com cada estilo e personalidade.

98

VITRINNI

1 EDIÇÃO | 10


PRINCE ÓTICA

3

2

5

4

6

BELEZA E BOM GOSTO PARA TODOS OS ESTILOS 1. PRADA PR14SS ORNATE - R$ 1.760,00

2. EVOKE UPPER II A01 - R$ 458,00

3. DOLCE & GABBANA DG 4277 303619- R$ 1.089,00

4. CAROLINA HERRERA

7

VHE092 300Y - R$ 790,00

5. PRADA PR23SS USG5L2 - R$ 1.110,00

6. RAYBAN RX7111 - R$ 445,00

SERVIÇO Rua Azarias Leite, 4-20, Bauru Telefone: (14) 3879-2189

EDIÇÃO | 10

WhatsApp: (14) 98803-9766 @oticaprincebauru @oticaprince_bauru

7. PRADA PR31TV DH0101 - R$ 1.255,00

VITRINNI

99


VITRINNI FASHION

COM QUE

COR EU VOU?

O teste de coloração te ajuda a definir quais cores mais combinam com você Da Redação

S

abe aquela roupa linda na vitrine, mas que na hora de experimentar não fica bem no seu corpo? Ou aquela cor maravilhosa que combina tanto com uma amiga ou amigo, mas que fica apagada em você? Quem nunca passou por isso? Ao contrário do que muitos possam pensar, não é bobagem nem invenção da nossa cabeça, é real e tem um por quê. É pra isso que existe o teste de coloração ou colorimetria, uma ferramenta de consultoria de imagem que pode fazer você economizar muito nas compras e acertar em cheio no que vai pra dentro do seu guarda roupa. O principal objetivo do teste é buscar o autoconhecimento. “Formas e cores são

102

VITRINNI

elementos chaves no trabalho de Assessoria em Imagem e Estilo. A colorimetria representa 80% da identificação da melhor imagem deste processo. Na vitrine, a cor da roupa valoriza o manequim e decora o guarda roupas. Na hora de fazer compras é preciso ser assertivo pra deixar de ser consumista e promover um consumo sustentável”, afirma Renata Padula*, consultora em imagem e estilo. O teste nada mais é do que uma análise da imagem pessoal e o que combina com o visual. “Todos nós transmitimos alguma imagem, é importante saber qual imagem queremos transmitir. A assessoria em imagem e estilo é um processo de autoconhecimento e descobertas, o EDIÇÃO | 10


FOTO: DANNY PAGANI

COLORIMETRIA

EDIÇÃO | 10

VITRINNI

103


VITRINNI FASHION

PANTONE A Pantone Color Institute todos os anos escolhe algumas cores que serão tendência no ano seguinte. Entre dez cores escolhidas para 2017, uma delas foi eleita com a cor do ano. Todos os matizes selecionados lembram cores da natureza que nos cercam, e o greenery foi eleita a cor de 2017. O greenery é um verde amarelado que evoca os primeiros dias da primavera, quando a natureza se renova. Por isso, traz o simbolismo de recomeço e de otimismo. “Greenery traz a segurança e a esperança que precisamos em tempos de um ambiente social e político tumultuado. Satisfazendo o desejo crescente por rejuvenescer e revitalizar, a cor simboliza a reconexão que buscamos com a natureza, com as outras pessoas e com um propósito maior”, explicou Leatrice Eiseman, diretora-executiva da Pantone para a revista VOGUE.

104

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


Fotos: Danny Pagani

COLORIMETRIA

resultado desse processo fortalece uma imagem positiva que respeita as individualidades como estilo de vida, profissão, personalidade, valores e vivências.” Nessa análise são levadas em consideração a temperatura da pele, cor da raiz dos cabelos, cílios e sobrancelhas. “O método sazonal expandido, o que nós usamos, é cientificamente comprovado. Trabalha a temperatura quente e fria, a profundidade, que seria o contraste, através dos elementos naturais como pele, cabelos e intensidade dos olhos, se são claros ou escuros. Este processo é feito em um ambiente com luz natural ou iluminado com luz neutra, a roupa do cliente é isolada com um túnica de tecido neutro e uma faixa nos cabelos, principalmente se houver coloração, partindo da raiz natural. Em relação às sobrancelhas, sempre verificamos a cor dos pelos mesmo com EDIÇÃO | 10

micropigmentaçao”, explica Renata. A análise cromática é fundamental para valorizar a aparência. Uma cor usada de forma errada pode valorizar o aspecto de cansaço, olheiras, manchas, em alguns casos deixam as pessoas com aparência de mais velhas. A finalidade é aprender a usar as cores e como elas podem valorizar e realçar a beleza natural. Os tons errados evidenciam as falhas, manchas e outras características que não valorizam a pessoa. Os tons certos iluminam o rosto e evidenciam os pontos fortes que merecem ser destacados. Claudine Gottardo, arquiteta, passou pelo teste de colorimetria e aprovou o resultado. “Gostei muito, não fazia ideia que as cores podiam modificar o semblante dessa maneira. Já separei o que tenho e sempre que for às compras darei preferência às cores que mais me valorizam.”

A mesma boa surpresa teve Mário Lauris, também arquiteto. “Não conhecia o teste e gostei bastante de tudo, tecidos, cores e coloração da pele. Com certeza vou colocar em prática o que aprendi quando fizer compras.” É tudo muito sútil, e no teste o cliente consegue visualizar a diferença. “As cores compõem o mundo, são tudo na imagem e estilo de uma pessoa. Por isso a importância de saber o que harmoniza com cada um, qual cor realça o rosto e nos deixa com a melhor aparência que podemos ter. As cores que valorizam e favorecem vão iluminar, suavizar marcas, manchas e expressões, além de equilibrar traços trazendo jovialidade. Já as cores que devem ser evitadas são capazes de apagar ou sabotar a aparência.” Ao final do teste, os clientes ficam surpresos com o resultado. “Nunca tinha ouvido falar, achei muito interessante, a gente escolhe as roupas pelo gosto e estilo, nem sempre a cor nos favorece. Agora aprendi quais cores harmonizam comigo”, comenta uma médica que topou participar de uma vivência oferecida pela Vitrinni. A arquiteta Artemis Fontana também fez o teste. Apesar de lidar com linguagem visual e estar familiarizada com o mundo das cores, valeu a pena a experiência. “Eu percebia uma diferença, de algumas cores eu gostava mais e de outras menos. O resultado do teste foi muito bom, a gente tem mania de ficar se culpando por gostar de uma só cor, agora eu entendi o por quê isso acontece. Valeu muito a pena e vou por em prática no meu dia a dia.” Mirela Bittencourt, também arquiteta adorou a consultoria. “A consultoria com a Renata me ensinou a ter um novo olhar sobre as cores que me valorizam.” *Formada em fonoaudiologia  em 2005, Renata Borges Padula sempre se atentou ao poder das várias formas de comunicação, ao equilíbrio  das cores e harmonia nas peças de roupa. Esta nova profissional se encantou com o universo das cores e suas peculiaridades na transformação do outro, investindo em formações e em mentory no Studio Immagine em São Paulo com Luciana Ulrick, Clarice Dewes em Brasília e Claudia Nogaroli em Curitiba. Formação em Visagismo com Jailson Melo.” VITRINNI

105


Ponte Alexandre III - Paris / FR -Alexandre Haralampidis Site: haralampidis.com Contato: alexandre@haralampidis.com.br


MODA E ESTILO

MÁRIO TESTINO FOTÓGRAFO PERUANO, REFERÊNCIA

N O M U N D O FA S H I O N , A PA I X O N A D O P E L O B R A S I L E E S P E C I A L I S TA E M T R A N S F O R M A R Q U A L Q U E R MOMENTO EM UMA OBRA DE ARTE

Foto: Adam Whitehead

Da Redação

Mário Testino ultrapassa os gêneros e valoriza a sensualidade em seus trabalhos.

108

VITRINNI

U

m dos fotógrafos mais famosos e respeitados no mundo da moda. Já fotografou a princesa Diana e é um dos profissionais favoritos e amigo de grandes modelos como Kate Moss e Gisele Bundchen. A carreira de sucesso é resultado de muito esforço e trabalho. Ele foi criado bem longe das capitais da moda. Sua infância e juventude foram na américa latina, nasceu em 1954, em Lima, no Peru, e vem de uma tradicional família católica. Se mudou para Londres em 1976 em busca dos objetivos de muitos jovens da época: aventuras e oportunidades. Foi na Europa que descobriu sua paixão pela fotografia. A carreira começou em grande estilo, com uma sessão de fotos de um corte de cabelo feminino para a VOGUE britânica. Desde então a carreira decolou. Através de sua arte o fotógrafo ultrapassa os gêneros, mistura masculinidade e feminilidade, e dá mais importância à sensualidade do EDIÇÃO | 10


MÁRIO TESTINO

Carmen Kass fotografada por Mario Testino para a Vogue Britânica, 2012.

VITRINNI

109


MODA E ESTILO

Madonna caracterizada de Evita Perรณn para a revista Vanity Fair, 1996.

110

VITRINNI


Fotos: Mário Testino

MÁRIO TESTINO

Testino explora de forma sutil a sensualidade de Kate Moss. Vogue Americana, 2001.

Fotos: Mário Testino

que à sexualidade em seus trabalhos. É um artista que consegue captar a energia do momento como nenhum outro e resgatar a humanidade em cada foto. Aliás, suas fotos traduzem seu estilo de vida: sensual, belo, cheio de vida, escancarado, festivo e muito sociável. As inspirações vêm de qualquer lugar e a qualidade do seu trabalho, seja um registro de bastidor ou uma foto pra capa de revista, fazem de Mario Testino um verdadeiro artista. Mario Testino foi fundamental para o sucesso de Gisele Bundchen. No início da carreira da modelo, quando a rejeitavam por ser muito magra ou ter o nariz grande, ela apostou nela. “Às vezes, quando você encontra alguém especial você apenas sabe. Tem a ver com timing. Quando conheci Gisele, a estética para modelos era a de um meni-

Karlie Kloss, por Mário Testino, em ensaio nas Muralhas da China.

EDIÇÃO | 10

A cultura e trajes típicos peruanos retratados pelas lentes de Testino.

no. E ela estava muito longe disso. Ela não estava na moda naquele momento. Mas a Gisele tem proporções incríveis, é muito sensual e, além de tudo, tem uma personalidade incrivelmente divertida. Ela surgiu naquele momento como uma reação a tudo”, explica em uma entrevista de seu portfólio. Mais do que ser admirado, ele é quem admira o trabalho das beldades do mundo fashion, o que mostra sua humildade. Gisele e Kate Moss são apenas algumas das modelos com quem gosta de trabalhar. “Gisele é perfeita em muitos sentidos. Não é apenas uma mulher linda, com ótimas proporções, pele perfeita, tudo. Gisele sabe que é realmente importante a modelo contribuir para a foto. Se eu peço a ela que faça algo, ela simplesmente vai ficar fazendo aquilo até que dê certo Ela é uma pessoa maravilhosa por dentro, com uma energia para se estar por perto. Kate é similar no sentido de que quando você está perto dela sente que está no centro de tudo o que está acontecendo no mundo. Ela é cheia de vida e também uma mulher trabalhadora, e eu respeito muito isso nela.” Apesar de já ser VITRINNI

111


Carmen Kass fotografada por Mario Testino para a Vogue Britânica, 2012.


MODA E ESTILO

Fotografia de Mário Testino para o livro “Sir”. A publicação da Taschen faz uma análise sobre a identidade masculina nos últimos 30 anos.

114

VITRINNI


Fotos: Mário Testino

MÁRIO TESTINO

A beleza corporal masculina na fotografia de Testino publicada no livro “Sir”, Taschen.

Fotos: Mário Testino

conhecido no mundo fashion, começou a ter fama mundial na década de 1990 quando seu estilo em cada sessão de fotos ficou mais evidente, sempre inspirado pela infância no Peru e pelos verões que passou em terras brasileiras. Aliás, sua linguagem única e pessoal nas fotos têm tudo a ver com o Brasil. “Eu percebi uma evolução no meu trabalho assim que comecei a recriar minha juventude nas fotos”, explica Testino em um depoimento em seu site. O amor pelo Brasil, mais precisamente pelo Rio de Janeiro, é tema do livro “MaRio de Janeiro Testino”. “O Rio e o Brasil sempre foram lugares especiais para mim. Sempre me senti em casa. O Rio chamou a atenção do resto do mundo há tempos, a cidade continua sendo muito importante em minha vida por representar uma certa liberdade com o corpo, que é elemento-chave em meu trabalho.” Os bastidores do mundo fashion também fazem parte do trabalho do artista. A série “In your face” mostra muita diversão, sexo e festas. É uma coleção mais ampla dos trabalhos mais extremos: do superglamour à nudez. Já a “Towel Series” é literalmente

Carmen Kass fotografada para a revista americana Allure, 2009.

EDIÇÃO | 10

Naomi Campbell pelas lentes experientes de Testino para a Vogue.

uma mostra dos bastidores das sessões de foto. “Comecei de maneira muito espontânea, com Kate Moss. Ela estava fazendo cabelo e maquiagem vestida de roupão e toalha para uma sessão de fotos. Eu tinha acabado de entrar no Instagram e naquela hora pensei que seria uma ótima foto. Passei a fazer na maioria das sessões de fotos. Foram momentos bastante espontâneos, são as pessoas de quem eu gosto da maneira mais básica, é uma celebração. Gosto tanto que acabaram virando minha assinatura.” Os principais takes podem ser vistos em seu site mariotestino. com e na sua página no Instagram @mariotestino. Ele mantém uma fundação de arte em Lima chamada MATE, onde o público pode ver trabalhos de fotógrafos de moda e de outros artistas. O objetivo do museu é contribuir para a cultura e apoiar qualquer forma de arte, pra que seja vista num sentido mais amplo e como parte importante do mundo. Este é o único reconhecimento que Testino busca, a valorização da arte. “O que mais me gratifica é ver as pessoas gostando e se divertindo com o meu trabalho, onde quer que elas o vejam, seja nas páginas de uma revista ou na parede de um museu. A decisão sobre o futuro não está nas minhas mãos. Se serei lembrado ou não, não depende de mim. Eu apenas faço o meu melhor.” VITRINNI

115


SAÚDE DOS FIOS

CABELOS SAUDÁVEIS COMO GARANTIR A BELEZA E A SAÚDE DOS FIOS Da Redação

C

Foto: reprodução

abelos ressecados, fios quebradiços, frizz, pontas duplas, cor opaca e sem brilho. Toda mulher já enfrentou pelo menos um desses problemas alguma vez na vida e sabe a importância de ter um cabelo bonito, com brilho, macio e, talvez o mais importante, saudável. Para conseguir esses resultados, às vezes não basta fazer tratamentos em casa, é preciso dar uma passadinha no salão de beleza. “Todos os tipos de cabelo precisam de algum tratamento. Cabelos virgens, sem nenhum tipo de química, também podem ficar danificados por conta da poluição, sol, mar e uso de alguns produtos. Já os cabelos com qualquer tipo de química precisam de um cuidado mais intenso”, explica a cabeleireira Marilene Rodrigues, que está à frente do Studio M e é referência no mercado há mais de 20 anos. Só um bom profissional pode indicar o tratamento mais adequado pra cada tipo de problema, mas existem três objetivos principais de acordo com os danos: reconstrução, nutrição e hidratação. “Muitas vezes as clientes fazem hidratação em casa com bons produtos, mas não veem resultado. Isso porque o cabelo está com as cutículas abertas, cheio de falhas e

116

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


Foto: reprodução

Foto: reprodução Studio M

STUDIO M

Marilene Rodrigues, cabelereira e proprietária do Studio M.

sem nutrientes. É como se fosse uma peneira, não adianta hidratar, que nada mais é do que colocar água no fio, se ele está aberto a água vai embora.” Para o tratamento funcionar, ele precisa repor exatamente aquilo que o cabelo necessita. Para fios com química, como tintura e mechas, que estão com a estrutura danificada, a reconstrução pode ser feita uma vez por semana, durante um mês. Nesta etapa é feita a reposição de queratina, proteína que compõem a maior parte do fio. Depois de reconstruído, o cabelo está pronto para receber os nutrientes que perdeu, como os lipídios, óleos fundamentais e que garantem a nutrição dos fios. Depois, a hidratação serve para manter a água dentro dos fios, deixando-os macios e com brilho. Nesta etapa, a hidratação também pode ser feita em casa. A frequência de cada tipo de tratamento e intensidade deve ser indicada pelo profissional, mas o resultado vale a pena: cabelos fortes, cutículas fechadas, cabelo macio, com volume controlado e brilho. E nada de fazer escova progressiva pra hidratar os cabelos, não passa de ilusão. Até alguns procedimentos como cristalização, realinhamento e plástica capilar que são apresentados como tratamentos, na verdade são progressivas que podem fragilizar os fios. “Qualquer escova progressiva, escova inteligente e até selante possuem formol, mesmo que em menor quantidade. A princípio, podem até dar EDIÇÃO | 10

a impressão que hidratam os fios porque selam as cutículas. Mas quando o efeito vai passando, só o que sobra é o formol, o que deixa o cabelo mais danificado do que estava antes do procedimento.” Alguns fatores naturais também interferem na saúde dos fios. Vento, sol, cloro e água do mar deixam o cabelo mais frágil. Por isso, os tratamentos mais intensos também são indicados pra quem aproveitou o verão. E valem dicas preciosas pra continuar aproveitando: sempre usar um protetor antes de expor os fios ao sol ou ir à praia e à piscina. O uso diário de alguns produtos também pode danificar os cabelos, mesmo os que não possuem nenhum tipo de química. Várias marcas vendidas em farmácias e mercados possuem excesso de

sal, nesse caso “sal” é qualquer substância descrita na embalagem que seja derivada de sódio. Por isso, vale a dica do seu profissional de confiança pra saber qual produto é mais indicado pro seu cabelo.

STUDIO M Endereço: Rua Francisco Ministro Zani, 4-21, Vila Paraíso – Bauru Telefone: (14) 3238 4874 Facebook.com/StudioM Instagram @studiomcabeloepele

VITRINNI

117


VIDA E ARTE

ELAS

SÉRIE

P O R

R E G I N A MOSCHETO

118

VITRINNI

EDIÇÃO | 10


REGINA MOSCHETO

INFORMAÇÕE S PA R A C O N TAT O REGINAMOSCHE TO@UOL.COM.BR W W W. FA C E B O O K .C O M /R E G I N A . M O S C H E T O REGINAMOSCHE TO.COM.BR

EDIÇÃO | 10

VITRINNI

119


Foto: Vinícius Fernandes

1

4

120

VITRINNI Foto: Vinícius Fernandes

Foto: Vinícius Fernandes

2 Foto: Vinícius Fernandes

Foto: Vinícius Fernandes

Foto: Vinícius Fernandes

V I T R I N N I

S O C I A L POR VITRINNI MAGAZINE

3

5

6

EDIÇÃO | 10


Foto: Vinícius Fernandes

Foto: Vinícius Fernandes

INAUGURAÇÃO CLÍNICA HORMONE 1. Diogo Segato Ruiz, Aguinaldo Nardi e Flávio Miano. 2. Keila Peraçoli, Mariana Mondelli, José Henrique Castro, Nara Luchi e Ricardo Ayres Pereira. 3. Rodrigo Bizeli, Daniela Piccolo Bizeli e Juliana Castro.

8 Foto: Danny Pagani

Foto: Vinícius Fernandes

7

4. Mario Lauris Junior e João Pedro Trovagli. 5. Mario Lauris Junior, Paula Ribeiro Sacuma e José Henrique Castro. 6. Denise Borges, José Henrique Castro, Adriana Kono, Tomas Tume, Paula Ribeiro Sacuma, Denise Real e Fausto Sacuma. LANÇAMENTO COLEÇÃO INVERNO AREZZO 7. Rafael Della Barba Amantini e Erica Della Barba Amantini. 8. Renata Handem e Sandra Mattos.

9 Foto: Vinícius Fernandes

9. Erica Della Barba Amantini e Yara Della Barba. INAUGURAÇÃO LOJA ANA HICKMANN 10. Vera Tobias, Ana Hickmann e Carla Muricy Semensato Seravo. CAFÉ DA MANHÃ EM HOMENAGEM AO DIA DAS MULHERES NA OCTANE MOTORS 11. Renan Shayeb Rissato, Bruna Ingracia Valle e Gustavo Valle.

11 9

12

EDIÇÃO | 10

12. Sergio S. de Souza e Kátia Cardoso. Foto: Vinícius Fernandes

Foto: Vinícius Fernandes

10

13

LANÇAMENTO DE COLEÇÃO NA PEDÁGIO 13. Bella Carazzatto, Gustavo Barretto e Paula Nigro Carazzatto.

Contato Vitrinni Social Telefone: (14) 98103-9914 (Danny Pagani) email: revistavitrinni@gmail.com

VITRINNI

121


Profile for VTRNN Publicações

Revista Vitrinni #10  

Arquitetura, Arte, Moda, Turismo, Gastronomia, esporte e muito mais.

Revista Vitrinni #10  

Arquitetura, Arte, Moda, Turismo, Gastronomia, esporte e muito mais.

Advertisement