Page 1

VITRINNI 2016 Ano 2 | #7

VIAGEM AS BELEZAS DA AUSTRÁLIA

ESTILO REINALDO LOURENÇO

ESPORTE TODO O CHARME DA ESGRIMA

EDWARD

ALBIERO COSTA E MAURÍCIO

ARQUITETURA

M AG A ZI NE


FOTO: CELSO MELLANI


V I T R I N N I

# 0 7

S U M Á R I O 22

30

34

40

54

64

70

126

20

COLABORADORES

22

A BELA AUSTRÁLIA

30

34

ESPORTE: ESGRIMA

Gastronomia, cultura e muitas belezas naturais.

40

CIRURGIA PLÁSTICA Cuidados e procedimentos.

VITRINNI AUTOMOTIVA

54

A fina gastronomia de Bauru.

Equipe Vitrinni Magazine.

O estilo e o conforto Honda.

Das batalhas para os jogos olímpicos da modernidade.

ESPECIAL GOURMET

64 70 126

ÉRICK JACQUIN O Chef que conquistou o Brasil.

ESPECIAL: ARQUITETURA Os projetos de Edward Albiero e Maurício Costa.

REINALDO LOURENÇO

O Poeta das Passarelas.

E MAIS: ASSOCIAÇÃO BAURUENSE DE DESPORTOS AQUÁTICOS, PÁG. 46 | COACHING, PÁG. 50 | VINHOS: VAI UMA TAÇA AÍ, PÁG. 60 VITRINNI PRODUTO - SCHUSTER DESIGN, PÁG. 110 | VITRINNI PRODUTO - AIMAR MÓVEIS, PÁG. 112 | CONTAINERS: IMÓVEIS DE AÇO, PÁG. 116 VITRINNI PRODUTO - H.STERN, PÁG. 122 | OLHOS E LENTES, PÁG. 134 | VIDA E ARTE, PÁG. 138 | VITRINNI SOCIAL, PÁG. 140 | VITRINNI ONLINE, PÁG. 144

EXPEDIENTE DIR ETORIA VITRINNI | Diretores editoriais: Alexandre Haralampidis e Maria Cristina D’Incao. | R EDAÇÃO E ARTE | Coordenador de conteúdo: Alexandre Haralampidis. Redator-chefe: Fábio Barbosa. Projeto gráfico e diagramação: Victor Leonardo de Souza Pereira. Fotográfos: Celso Mellani, Eber Moscheto. Colunistas Vitrinni Social: Danny Pagani e Mayara Petersen | COMERCIAL | Anuncie na Vitrinni Magazine. Contatos: contato@revistavitrinni.com.br / dincao@revistavitrinni.com.br / (14) 9912-64424. Maria Cristina D’Incao e Alexandre Haralampidis | VITRINNI MAGAZINE, EDIÇÃO 07, ANO 02, Especial Edward Albiero e Maurício Costa.

16

VITRINNI

EDIÇÃO | 7


CARTA AO LEITOR

DÉJÀ VU T

a lvez poucos conheçam Maurits Cornelis Escher, mas falarei a respeito dele de forma bem sucinta. Artista gráfico holandês tornou-se mundialmente conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints), que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes. Também era famoso pela execução de transformações geométricas (isometrias) em suas obras. Bem, alguns leitores devem estar se perguntando sobre a razão pela qual estou escrevendo sobre Escher. Mais tarde vocês compreenderão. No momento vale minha breve resposta: esta edição foi desenvolvida, tal como as demais, explorando assuntos e novidades capazes de gerar compreensão e prazer ao ato de se informar ... ao contrário do conteúdo aparentemente nebuloso ora exposto sobre o genial artista citado acima! Ao lerem esta nova edição perceberão a presença de um vasto conteúdo. O turismo, aqui sempre presente , explora desta feita a encantadora Austrália com suas atraentes peculiaridades e singular beleza. Adiante mostraremos toda a versatilidade, estilo e conforto do carros da Honda. São realmente admiráveis e causarão um agradável impacto. Estaremos , em seguida, conduzindo os leitores para um outro universo, a fim de que conheçam um esporte que, outrora desenvolvido para batalhas e guerras, destaca-se hoje como um dos esportes mais charmosos dos jogos olímpicos da era moderna. E, falando em charme, trouxemos um conteúdo que, sem dúvida, desperta um enorme fascínio e curiosidade entre o público feminino e que nada mais é do que...a cirugia plástica e seus poderosos recursos que tanto atraem as mulheres e, podemos afirmar, vêm conquistando grande interesse por parte da ala masculina. Mais adiante trouxemos em nosso especial Experiência Gourmet dois restaurantes que se destacam pela sua excelente culinária . E, paralelamente, colocamos em destaque o brilhante e renomado chef francês Erik Jackin.

EDIÇÃO | 7

Páginas sedutoras farão homenagem ao deus Baco, deus do vinho que, em suas andanças pelo mundo ensinou aos homens a cultura da vinha e a arte de fabricar vinho. Há séculos a humanidade reverencia essa figura mítica e sua criação. O artigo a seu respeito nos brinda com uma apresentação cuidadosa e detalhista a respeito desse precioso líquido. Adentramos, a seguir, num outro universo de maravilhas que, desta vez, encantará todos os olhares para a criação envolvente e irresistível de Reinaldo Lourenço, autêntico poeta icônico das passarelas. Os elogios que sua criatividade despertará não serão poucos, certamente. Por fim, explico a presença de Escher na introdução dessa carta. Deveu-se à sensação de dejá vu que tomou conta de mim quando visitei o escritório desses dois expoentes magníficos da arquitetura que são Edward Albiero e Maurício Costa, cuja arte será exposta nessa edição. Retomando Escher, em muitos de seus trabalhos ele explora escadas de forma tão genial provocando, sim, estranheza e encantamento. Ao conhecer o ambiente de criação desses arquitetos, lembrei-me imediatamente de Escher. Lá havia também as escadas, os caminhos diversos os quais levam para singulares espaços. Conversando com ambos sobre essa associação, eles expuseram suas reflexões e conceitos profundos sobre como entendem a essência e pureza da arquitetura. O fruto desse rico repertório veremos refletido nos trabalhos maravilhosos que apresentam com tanto domínio e sensibilidade. Confirmem o espetáculo que eles nos oferecem na página de Arquitetura. E assim, amigos, encerramos mais uma edição da Vitrinni Magazine, sempre com aquela sensação de superação e, claro, melhorando cada vez mais nossa revista por vocês, para vocês, nossos estimados leitores. Com o carinho de sempre, desejo a todos uma excelente leitura.

CRISTINA D’INCAO - DIRE TORA VITRINNI MAGAZINE

VITRINNI

17


CĂ´ncavo e Convexo, litografia, 1955 Maurits Cornelis Escher


COLABORADORES

E Q U I P E 3. Victor é designer formado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Além de se dedicar ao design editorial em diversas publicações, possui ampla experiência em design publicitário e fashion. Website: victorleosp.wix.com/victorleonardo

1

2

VICTOR LEONARDO DESIGNER

4. Fábio Barbosa é jornalista formado pela USC (Universidade do Sagrado Coração – Bauru). Foi editor executivo da Record Paulista por 4 anos e também editor do SBT São Paulo por 2 anos. FÁ BIO BA RBO S A J O R N A L I S T A M T B 5 5 . 76 6

3

4 1. Profissional de comunicação, gestão, criação e desenvolvimento de projetos. A Vitrinni hoje se concretiza com grande aceitação, superar a qualidade e surpreender as expectativas não é uma opção.

5. Formada em Publicidade e Propaganda pela Faculdades Integradas de Bauru, atua há três anos com Comunicação e Marketing. Iniciou suas atividades na fotografia como hobby na mesma época, profissionalizando-se há cerca de um ano. Fotógrafa da Revista Vitrinni desde outubro de 2014. DA NN Y PAGA NI FOTÓGR A FA

ALEXANDRE HARALAMPIDIS

5

DIRE TOR VITRINNI

2. Profissional das áreas de comunicação, marketing e relacionamento. Preza sempre pelo atendimento e pelo relacionamento para que o comercial aconteça naturalmente. CRISTINA D’INCAO DIRE TORA VITRINNI

20

VITRINNI

EDIÇÃO | 5


VIAGEM

AUSTRÁLIA HÁ MUITO MAIS QUE CANGURUS PARA SE CONHECER NESSE PAÍS DE DIMENSÕES CONTINENTAIS Por Fábio Barbosa

T

ão longe, mas ao mesmo tempo tão próximo do Brasil, assim pode ser classificado esse país localizado no menor continente do planeta, a Oceania. Distante, por estar a mais de 24 horas de viagem de avião. Perto, por ter um clima tropical, semelhante ao brasileiro, e por possuir praias, florestas e outras maravilhas naturais como o gigante da América do Sul possui. Sexto maior país do mundo, com uma população de quase 23 milhões de habi-

tantes, a Austrália possui destinos que vão encantar os mais variados tipos de turistas. Os cosmopolitas vão se deslumbrar com as atrações gastronômicas e culturais de cidades como Sidney, Melbourne e Brisbane. Os aventureiros podem curtir praias paradisíacas na Gold Coast ou mergulhar na Grande Barreira de Corais. Há também roteiros mais tranquilos, mas não menos surpreendentes, como explorar a região desértica do Outback e conhecer a cultura aborígene, desfrutar dos vinhedos nos arredores de


Opera House, principal ponto turístico de Sydney,cidade considerada porta de entrada dos turistas na Austrália.

Foto: reprodução

AUSTRÁLIA


VIAGEM

pai de seu idealizador, o dinamarquês Jorn Ultzon. Visitas guiadas também podem ser realizadas no local. Quem quer conhecer mais a história de Sydney deve visitar o The Rocks, bairro central que abrigou os primeiros ingleses que chegaram à cidade, em 1788. Importante ponto turístico, a região possui mansões coloniais, museus, galerias de arte, cafés, pubs e restaurantes à beira-mar. Outra atração interessante é o Taronga Zoo, considerado o principal zoológico da Austrália, que possui animais nativos do país como cangurus, wallabies, coalas, ornitorrincos e demônios da tasmânia. Os passeios noturnos costumam atrair muitos turistas. Vista aérea da Baia de Sydney com os dois principais cartões postais da cidade: Opera House e a Harbour Bridge.

SYDNEY Sede dos Jogos Olímpicos de 2000, Sydney é para a grande maioria dos turistas a porta de entrada para a Austrália. Com mais de cinco milhões de habitantes, é considerada uma das cidades mais modernas e agradáveis do planeta. Situada na costa leste do país e banhada pelo Mar da Tasmânia, que pertence ao Oceano Pacífico Sul, Sydney possui praias belíssimas e famosas como Manly Beach, muito conhecida dos brasileiros, Balmoral, Coogee, Bronti e Bondi, famosa pelas várias competições de surfe que abriga. É na baía de Sidney que estão dois dos principais pontos turísticos da metrópole, a Harbour Bridge e o Opera House. Construída em 1932, a Harbour Bridge liga as

regiões norte e sul e corta todo o porto da cidade. O visitante pode caminhar pela ponte e observar a paisagem no Circular Quay, movimentado cais central da estrutura, ou encarar os mais de 1.300 degraus e chegar ao topo, que está a 134 metros do nível do mar, e ter uma visão ainda mais fantástica de toda região. Esse passeio já foi visitado por mais de 2,5 milhões de turistas, entre eles alguns famosos como o ator Robert de Niro, a atriz Nicole Kidman e a apresentadora Oprah Winfrey. Principal, e mais fotografado cartão postal de Sydney, o Opera House foi eleito um dos projetos arquitetônicos mais inovadores do século 20. Se por fora a beleza estrutural impressiona, é em seu interior que são realizadas as principais apresentações musicais, artísticas e performáticas da cidade, com shows e peças mundialmente famosas. A arquitetura do Opera House foi inspirada em templos Maias e no iate do

MELBOURNE Segunda maior cidade australiana, com cerca de quatro milhões de habitantes, Melbourne é considerada a mais europeia das cidades do país. Cortada pelo belo rio Yarra, Melbourne possui extensas áreas verdes, parques e praias, que contrastam com enormes prédios modernos e outros que ainda conservam fachadas de estilo vitoriano do período da colonização. O turista que visita Melbourne não pode deixar de conhecer a Federation Square, principal ponto de encontro da cidade que reúne em uma área de aproximadamente cinco quarteirões centro de convenções, museus, galerias, restaurantes, bares e cafés, além de permitir uma bela vista panorâmica no alto de sua estrutura. Os mais corajosos podem subir no topo da Torre Eureka Skydeck, edifício mais alto da cidade com 91 andares e 297 metros. Fugir das largas e movimentadas ruas de Melbourne e se aventurar pelos becos e vielas da cidade é outra ótima opção de

The Rocks foi o bairro de Sydney que abrigou os primeiros imigrantes ingleses, em 1788.

Girafas no Taronga Zoo, principal zoológico da Austrália que fica em Sydney.

A Federation Square é o principal ponto de encontro de Melbourne e conta com museus e galerias.

Fotos: reproduções

Adelaide ou visitar ilhas como a Tasmânia, conhecida por seu “demônio”, e a Kangaroo, paraíso do principal mascote do país.

24

VITRINNI

EDIÇÃO | 7


Foto: reprodução

AUSTRÁLIA

Melbourne possui extensas áreas verdes e parques, que contrastam com prédios modernos e outros que ainda conservam fachadas de estilo vitoriano do período da colonização.

Foto: reprodução

passeio. Neles é possível encontrar boas variedades de restaurantes e bares, butiques e exposições de arte. Essas vielas eram utilizadas por carros de boi, que transportavam mercadorias no século 19. As pequenas vias também servem de galeria para os expressivos artistas locais. Atrações esportivas também se destacam em Melbourne. A cidade é palco do Australian Open, um dos quatro principais torneios de tênis do mundo ao lado do US Open (Estados Unidos), Roland Garros (França) e Wimbledon (Inglaterra). Também é realizada por lá a etapa australiana do mundial de Fórmula 1, além de receber jogos da Seleção Australiana de Rugby, conhecidos como “Wallabies”. Empresário do segmento de turismo, Ricardo Vitório foi a Austrália em 2014 e

Ricardo Vitório em meio a bela paisagem do Blue Mountain Park, nas proximidades de Sydney

EDIÇÃO | 7

ficou encantado com tudo que viu. “A Austrália encanta qualquer visitante, ainda mais se este vier de países em desenvolvimento, como o Brasil. É um país muito organizado, com renda bem distribuída, de ruas limpas, bem cuidadas, seguras e com qualidade de vida acima da média, quando falamos da relação trabalho, lazer, segurança, saúde e educação. Possui grandes parques que permitem às famílias ter locais saudáveis para passear e curtir a natureza, sem precisar sair dessas grandes cidades”, destaca.

Great Ocean Road

Nos arredores de Melbourne está a Great Ocean Road, rodovia de mais de 600 quilômetros de extensão que margeia o Oceano Pacífico até a cidade de Adelaide. É considerada a estrada mais bonita do país pelas belas paisagens que proporciona e os diversos pontos turísticos que possui. Ao longo do extenso trajeto, o visitante pode curtir praias maravilhosas como Bells Beach, frequentada por surfistas devido às grandes ondas que possui, ou mais calmas como Lorne e Apollo Bay, que também são ótimas opções para mergulho. Um dos pontos altos do passeio pela Great Ocean Road são os Doze Apóstolos, um conjunto de formações rochosas de até 70 metros de altura que se afastam do continente e adormecem em uma praia de um parque nacional.

TURISTA,

FIQUE SABENDO IDIOMA O inglês é o idioma mais falado na Austrália. MOEDA A moeda oficial é o Dólar Australiano.

VISTO Brasileiros precisam de visto eletrônico para viajar pelo país por até três meses. A retirada leva de dois a três dias. AUSTRÁLIA NO BRASIL Embaixada oficial no Brasil: SES Quadra 801, Conjunto L, Lote 7, Brasília (DF) Telefone (61) 3226-3111 Site: www.brazil.embassy.gov.au

VITRINNI

25


As formações rochosas dos Doze Apóstolos possuem até 70 metros de altura e podem ser observadas da Great Ocean Road.


Foto: reprodução

AUSTRÁLIA


Florestas tropicais, rios e até vulcões adormecidos também podem ser observados ao longo da estrada. Parques como o Great Otway National Park e a região de Cape Bridgewater são opções para quem busca passeios por cachoeiras e cavernas rochosas. Baleias podem ser vistas em Warmambool, durante a migração anual. Já mais próximo de Adelaide, são as vinícolas o grande atrativo da estrada costeira. Regiões como Coonawarra, que é a terra do cabernet sauvignon, e Maclaren Vale, reino do Shiraz, oferecem a bebida direto aos visitantes sem cerimônias, em ambientes simples e descontraídos. “A impressão que tive é de que os australianos são felizes e satisfeitos com tudo o que o país proporciona. Todos pagam impostos, mas de forma proporcional aos ganhos anuais. A grande diferença é que lá tudo funciona, todos moram bem, recebem educação de qualidade e usufruem de uma infraestrutura com muita qualidade”, ressalta Vitório.

Foto: reprodução

GRANDE BARREIRA DE CORAIS Se você já assistiu a animação Procurando Nemo (Disney-Pixar, 2003) deve se lembrar dessa obra-prima da natureza. Com cerca de dois mil quilômetros de extensão ao longo do litoral do estado de Queensland, e mais 150 quilômetros mar adentro, a Grande Barreira de Corais pode ser vista do espaço e é considerada Patrimônio da Humanidade. Opções para contemplar toda a beleza dessa maravilha da natureza não faltam aos turistas, que pode nadar, mergulhar (de snorkel ou cilindro), velejar, passear de barco ou até mesmo sobrevoar a imensa área. São

A Grande Barreira de Corais é Patrimônio da Humanidade.

28

VITRINNI

Foto: reprodução

VIAGEM

Localizado no deserto do Outback, o monólito Uluru possui enorme significado cultural e espiritual para os Aborígenes.

aproximadamente 900 ilhas que podem ser visitadas através de passeios que saem de cidades como Cairns e Port Douglas. Também há opções de cruzeiros de mergulho. A temperatura da água, na casa dos 27 graus, e a boa visibilidade, que pode chegar a 20 metros, favorecem a observação da vida aquática da região. Várias espécies de tubarões, tartarugas e arraias gigantes, e centenas de peixes podem ser apreciados facilmente da superfície. DESERTO DO OUTBACK Deixando o belíssimo litoral australiano para trás, o turista pode se aventurar nas terras vermelhas do Outback. Ocupando uma área de mais de cinco milhões de quilômetros quadrados, o deserto atinge temperaturas bem acima dos 40 graus no verão. Terra sagrada para os Aborígenes, esse grande platô árido de terras avermelhadas, montanhas baixas, vegetação seca e com muitos animais peçonhentos é um dos principais destinos dos turistas que visitam a Austrália e querem fugir da agitação das grandes cidades litorâneas. É no Parque Nacional Uluru-Kata Tjuta que está localizado um dos principais pontos turísticos do Outback, o monólito Uluru, rebatizado pelos europeus de Ayers Rock. Assim como a Grande Barreira de Corais, Uluru é Patrimônio da Humanidade e possui enorme significado cultural e espiritual para os Aborígenes, que habitam essa enorme região há mais de 40 mil anos. Essa grande formação rochosa

possui em seu interior cisternas e cavernas pouco exploradas e sua paredes externas são rabiscadas por pinturas rupestres. A principal cidade do deserto do Outback é Alice Springs, em que o turista pode se hospedar e contratar diversos passeios para as terras vermelhas, que variam de camelos a motos Harley Davidson. TASMÂNIA Mundialmente conhecida através do personagem de desenho animado Taz, a Ilha-estado da Tasmânia é na verdade um grande paraíso. Sua topografia a torna um parque natural para praticantes de esportes de aventura como trekking, rafting e caiaque. Praias praticamente desertas, trilhas pelas montanhas e lagos em um dos 17 parques nacionais são outras ótimas atrações da Ilha. Cidades como Hobart e Launceston possuem roteiros gastronômicos com o que há de melhor da culinária local. Cangurus, albatrozes e golfinhos convivem harmoniosamente com os famosos demônios da Tasmânia. Demônio que na verdade é um marsupial carnívoro, com a aparência de um pequeno cachorro, de pescoço largo, cauda espessa e pelo preto. Recebeu esse nome dos antigos colonizadores europeus, que ficavam assustados durante a noite com os ruídos que os pequenos animais emitiam. É o maior marsupial carnívoro existente, desde a extinção do tigre da Tasmânia, em 1936. Podem ser observados em parques naturais como o Taranna, na península de Tasman. EDIÇÃO | 7


AUTOMOTIVO

HONDA ESTILO, CONFORTO E CONFIABILIDADE SÃO OS DESTAQUES DA MARCA JAPONESA Por Fábio Barbosa

30

VITRINNI

EDIÇÃO | 7


Foto: reprodução

HONDA

T

he Power of Dreams. Traduzindo para o português, a crença no poder dos sonhos. Esse é o slogan mundial da montadora japonesa e reflete um dos principais legados deixado pelo fundador da marca, Soichiro Honda, que criou a empresa em 1946, na cidade de Hamamatsu, no Japão. A Honda sempre teve o foco na combinação responsável e eficiente de tecnologia e respeito ao meio ambiente, por meio de sua diversificada linha de modelos e produtos, que fazem da montadora a maior fabricante de motores a combustão interna do planeta. Atualmente, as operações globais da empresa estão divididas em sete blocos administrativos: Japão, América do Norte e Central, América do Sul, Europa, Oriente Médio e África, Ásia e Oceania, além da China. Ao todo, são 474 subsidiárias e afiliadas em todas as regiões do planeta, com 72 unidades de produção e mais 35 centros de pesquisa e desenvolvimento. São cerca de 190 mil colaboradores trabalhando em unidades Honda pelo mundo. O slogan da marca The Power of Dreams traduz os ideias de Soichiro, que sempre acreditou que o sonho é a força criativa capaz de produzir ideias inovadoras. Por isso a empresa procura despertar o sonho das pessoas ao vivenciarem uma emoção única e especial através dos seus mais variados produtos.

A Honda procura despertar o sonho das pessoas ao vivenciarem uma emoção única e especial através dos seus modelos.

EDIÇÃO | 7

EVOLUÇÃO DA MARCA Três anos após Soichiro Honda fundar o Honda Technical Research Institute, e logo na sequência a Honda Motor Co., em agosto de 1949 foi fabricado a primeira motoneta da marca, o modelo Dream D, com 98 cilindradas e motor de dois tempos. No ano seguinte, a empresa lançou a F-Type, de 50 cilindradas, que em pouco tempo chegou a marca de 6.500 unidades vendidas por mês. O maior sucesso de vendas da marca até hoje, a Super Cub, surgiu na década de 60 e, em 2008, bateu a marca de 60 milhões de unidades vendidas em 160 países. Com o crescente sucesso das motocicletas, em 1953 a Honda iniciou a produção de produtos de força tipo H, de uso geral, que são motobombas, roçadeiras, geradores e motores estacionários. No final da mesma década, em 1959, a marca cruzou o Oceano Pacífico e instalou a primeira unidade fora do Japão, a American Honda Motor Co., nos Estados Unidos. A unidade foi fundamental para popularizar o uso da motocicleta em terras americanas. O primeiro automóvel da montadora veio em 1963, com o lançamento do esporte S500, primeiro VITRINNI

31


Fotos: reproduções

AUTOMOTIVO

1

3

2 4

MODELOS VENDIDOS NO BRASIL 1. Honda Accord 2016: é a combinação perfeita de três atributos exigidos pelo consumidor moderno: elegância, luxo e alto desempenho. 2. Novo Honda Civic Si: o Honda Civic Si chegou ainda mais esportivo. Do design à performance, tudo nele é surpreendente. | 3. Honda Civic 2016: além do conforto, qualidade e durabilidade superiores já reconhecidos no modelo, a nova grade e o design inovador nas rodas realçam ainda mais a sua esportividade. | 4. Honda City 2016: o City evoluiu. Ficou muito mais moderno e esportivo. Ganhou design único e está mais tecnológico do que nunca.

modelo esporte do Japão. No mesmo ano, a Honda lançou o caminhão leve T360. Em 1966, estreou no mercado o pequeno N360. A década de 70 foi de grandes transformações para a Honda. Em 1972 a marca agitou o mercado automobilístico com o lançamento do Honda Civic, que se tornou um dos maiores sucessos de venda da montadora japonesa. No mesmo ano, a empresa iniciou a produção dos motores CVCC (Compound Vortex Controlled Combustion), de baixo índice de poluição, algo muito inovador para a época. Os anos 80 marcam a chegada da Honda a importantes mercados como Índia, China e Indonésia, e também o lançamento de outro grande sucesso da empresa, o Honda Accord. A partir dessa década a montadora passa a investir mais em tecnologia, com a entrada na Fórmula 1, através da equipe inglesa Maclaren. Nos 32

VITRINNI

últimos anos esses investimentos foram intensificados, resultando em grandes novidades como motocicletas com airbag, automóveis híbridos, motores para jatos executivos e até robôs. HONDA NO BRASIL A Honda Motor do Brasil foi criada em 1971, em São Paulo, para trazer ao país os primeiros modelos de motocicletas da marca. Em 1976 já funcionava a primeira fábrica da Honda em território brasileiro, no Polo Industrial de Manaus. O primeiro modelo lançado no país foi a CG 125. A unidade de Manaus é a maior fábrica de motocicletas Honda em todo o mundo e em suas instalações são desenvolvidas também ferramentas e dispositivos necessários para a fabricação das motocicletas. A planta de Manaus abriga, além da fábrica de motos, a Honda Tecnologia da

Amazônia Indústria e Comércio, responsável pela fabricação e pela manutenção de moldes e ferramentas de produção, e a Honda Componentes da Amazônia, que responde pela fabricação de componentes e subconjuntos (escapamento, rodas, guidões e peças para chassis, entre outros). Lá ainda são produzidos quadriciclos e motores estacionários. Em 1992, a marca japonesa começou a importação de veículos para o Brasil e, cinco anos mais tarde, a Honda Automóveis do Brasil inaugurou a primeira fábrica na cidade de Sumaré, no interior de São Paulo. A unidade iniciou com 400 funcionários e produzia 20 unidades diárias do modelo Honda Civic. Atualmente é responsável por produzir 620 carros por dia, entre os modelos Civic, City e Fit, e possui cerca de 3,5 mil colaboradores. Além de atender o mercado nacional, exporta EDIÇÃO | 7


Fotos: reproduções

HONDA

5

7

SERVIÇOS FINANCEIROS 6

5. Novo Honda Fit: o Honda Fit une conforto, versatilidade, segurança e tecnologia para superar todas as expectativas. | 6. Novo Honda CR-V: um SUV ainda mais imponente, robusto e sofisticado, com toda a versatilidade, segurança e conforto que você espera. Surpreendente no estilo, o Honda CR-V traz novas tecnologias a bordo para você querer sempre estar ao volante. | 7. Honda HR-V 2016: o HR-V veio para revolucionar o seu prazer de dirigir: um SUV com design inconfundível, performance com baixo consumo, tecnologias intuitivas, espaço interno versátil e muita segurança e conforto.

para todos os países da América do Sul. A segunda unidade de automóveis da montadora japonesa, construída em Itirapina, também no interior paulista, deveria começar a operar no final de 2015, mas teve a entrega adiada pela diretoria da companhia no Brasil. A expectativa é de que a fábrica produza 120 mil veículos por ano e ajude a ampliar a produção do HR-V ao absorver a linha do Fit, que atualmente divide espaço com o SUV na unidade da empresa em Sumaré. Em 2015, ano em que a marca completou 18 anos de produção nacional de automóveis, a Honda vendeu 153.395 veículos no país, 11% a mais que no ano anterior e superior a 2013, até então melhor ano da montadora no Brasil. O modelo mais comercializado no período foi o Honda HR-V, com 51.159 unidades, se tornando o SUV mais vendido no país. EDIÇÃO | 7

Para o vice-presidente Comercial da Honda Automóveis, Roberto Akiyama, o crescimento da empresa em 2015 reflete não só a sua estratégia acertada de renovação dos produtos, mas também a percepção do consumidor. “Em períodos de instabilidade econômica, o cliente busca um produto de qualidade aliado a um conjunto de serviços e diferenciais que proporcionem mais segurança e custo-benefício no momento da compra. Uma rede de serviços pós-venda consolidada, estrutura eficiente de distribuição de peças, eficiência no consumo de combustível e bom valor de revenda são alguns atributos que diferenciam os nossos produtos e serviços e contribuem para a preferência do consumidor pela nossa marca.” A expectativa da Honda para 2016 é um cenário de vendas estáveis, mantendo o mesmo patamar do ano anterior.

CONSÓRCIO NACIONAL HONDA Presente no mercado desde 1981, é a maior administradora de consórcio do país. Com forte tradição e reputação no segmento, já comercializou mais 12,5 milhões de cotas e entregou mais de 5 milhões de motocicletas Honda 0km. Possui prazos flexíveis e uma das taxas de administração mais competitivas do mercado. BANCO HONDA Fundado em julho de 2000, surgiu para reafirmar o compromisso e a confiança da Honda no potencial do mercado brasileiro. Tem a missão de tornar-se a melhor opção de financiamento, oferecendo suporte e condições competitivas às operações das concessionárias. Por meio do Crédito Direto ao Consumidor (CDC), a obtenção de um veículo Honda é feita de maneira rápida e prática. SEGUROS HONDA Desde do ano de 1987, é responsável por oferecer seguros perfeitamente adequados às necessidades dos consumidores brasileiros, com as melhores condições de cobertura e custo. É precursora no mercado de motocicletas e tem como desafio criar e expandir a cultura de seguros para o segmento de duas rodas.

VITRINNI

33


ESPORTE


Foto: reprodução

ESGRIMA

ESGRIMA INVENTADO PARA BATALHAS E GUERRAS, ESPORTE SE TORNOU UM DOS MAIS CHARMOSOS DOS JOGOS OLÍMPICOS DA ERA MODERNA Por Fábio Barbosa

A

esgrima é um dos poucos esportes há estar presente em todas as edições dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, desde 1896, em Atenas. Mas a prática só se tornou esporte no século 15. Antes eram apenas combates de espada entre povos rivais, com duelos sangrentos e, em alguns casos, fatais. Os primeiros registros da esgrima remontam ao período pré-histórico, em que relatos de documentos egípcios apresentam a esgrima de impacto, utilizada em armas de percussão. A evolução do homem, de suas ba-


ESPORTE

Foto: reproduções

TIPOS DE ARMAS DA ESGRIMA Três armas são utilizadas nas competições de esgrima: espada, florete e sabre. Saiba quais são as diferenças entre elas:

1.

1. Florete 2.

Mede 90cm e pesa 500g. Lâmina leve. Marca pontos quando a ponta atinge o tronco ou a virilha do adversário.

3.

Florete, espada e sabre são as armas utilizadas na esgrima, variando nas competições masculinas e femininas.

Fotos: reproduções

talhas e poder bélico, fizeram a esgrima perder as características de combate e ficar restrita ao campo esportivo. No início do século 19, os confrontos ainda eram decididos por meio de feridas abertas nos oponentes. Tal prática foi extinta com a inclusão de árbitros, que observavam os toques com bastante nitidez e clareza de movimentos. Em 1913, foram implantadas as regras internacionais do esporte com o objetivo de alcançar os propósitos atuais da modalidade: educação física e mental de seus praticantes. Nos Jogos

Equipamentos utilizados nas disputas com espada.

36

VITRINNI

Olímpicos de Berlim, em 1936, foi implantado o primeiro aparelho elétrico de esgrima para as espadas, eliminando a votação dos juízes sobre os toques e deixando o esporte mais dinâmico, com golpes velozes e fulminantes. Foi o interesse de Dom Pedro II que trouxe a esgrima para o Brasil, empregando o sabre no corpo das tropas do período imperial brasileiro. O primeiro curso de esgrima do país foi criado no ano de 1858, para a Infantaria e Cavalaria da Escola Militar de Realengo, no Rio de Janeiro, e na sequência para a escola de esgrima do Batalhão de Caçadores na cidade de São Paulo. A União Brasileira de Esgrima foi criada em 1927, após união das federações paulista e também carioca da modalidade, e contou com apoio da Liga de Desportos do Exército e da Marinha. A primeira participação da esgrima brasileira em Olímpiadas foi no ano de 1936, nos Jogos de Berlim. A partir de então, a presença do país em eventos internacionais se tornaram frequentes. Em 1937, o Exército criou o primeiro, e até hoje único, curso de Mestre D’Armas do Brasil. Mestre D’Armas é o profissional que ensina a prática de esgrima.

Utiliza-se colete metálico, para distinguir a zona válida de pontuação e mascara de proteção.

2. Espada Mede 110cm e pesa 770g. Mais rígida e pesada. Marca pontos quando a ponta atinge qualquer parte do corpo do adversário. O equipamento utilizado é o traje branco completo, tênis, mascara e espada. O colete não é utilizado nessa modalidade da esgrima.

3. Sabre Mede 88cm e pesa 500g. Tem lâmina mais curta e flexível, permitindo movimentos muito rápidos. Marca pontos quando a arma toca o adversário acima da linha de sua cintura com a ponta e as partes da lâmina. Utiliza-se casaco de mangas longas e mascara de proteção.

EDIÇÃO | 7


A esgrima olímpica é o único esporte em que duas pessoas de diferente peso, força, altura ou idade, se enfrentam diretamente utilizando uma arma, com iguais chances de vitória.


Fotos: reproduções

ESPORTE

REGRAS DA ESGRIMA A esgrima olímpica é o único esporte em que duas pessoas de diferente peso, força, altura ou idade, se enfrentam diretamente utilizando uma arma, com iguais chances de vitória. Disputada em uma pista metálica de 14 metros de comprimento, com 1,5 a 2 metros de largura, o objetivo é tocar o corpo do adversário com uma das três armas disponíveis no esporte. As disputas individuais tem duração de três rounds, de três minutos, ou até um competidor marcar 15 pontos. Os duelos por equipes têm nove rounds, de até três minutos, ou até uma equipe atingir os 45 pontos. Um sistema eletrônico conectado a arma de cada esgrimista determina quando o adversário foi atingido, registrando assim o ponto

Sistema eletrônico na arma de cada esgrimista determina quando o adversário foi atingido, registrando cada ponto.

conquistado. Assim que há o contato, um sensor se acende na ponta da arma determinando qual competidor levou a melhor no duelo. Se as duas armas tem o sensor aceso, fica a cargo do árbitro decidir quem leva o ponto. Nos Jogos Olímpicos, os confrontos da esgrima são individuais e também por equipe, com disputas no masculino e no feminino. No masculino individual tem espada, florete e sabre, mais espada e florete por equipes. No feminino, as disputas individuais são as mesmas que no caso masculino, mas por equipes é substituído

CURIOSIDADES DA ESGRIMA A esgrima foi um dos esportes praticados pelo Barão Pierre de Coubertin, fundador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. Antes de se começar um combate de esgrima, os atletas devem se cumprimentar. Caso contrário, podem ser desclassificados da competição.

38

VITRINNI

Antes da implantação do sistema eletrônico de pontuação, os uniformes predominantemente brancos, que são utilizados até hoje na esgrima, facilitavam a confirmação dos pontos, até então assinalados pelas marcas deixadas nos uniformes.

o florete pelo sabre, mantendo-se a espada. BENEFÍCIOS

Assim como toda atividade esportiva, a esgrima também traz muitos benefícios aos seus praticantes. As benfeitorias proporcionadas por essa prática podem ser divididas em três áreas: inteligência e rapidez de raciocínio, desenvolvimento psíquico e emocional e preparo físico. No primeiro item pode se destacar a rapidez de decisão, destreza mental, criatividade e concentração. Elegância, cordialidade, paciência, disciplina e resistência em situação de estresse são os pontos positivos do segundo ponto. Para finalizar, o praticante ainda desenvolve resistência muscular e respiratória, velocidade, reflexos rápidos, coordenação, flexibilidade, rapidez de deslocamento e coordenação perfeita dos movimentos. Por ser um esporte em que os atletas necessitam criar suas estratégias de ação e também movimentos durante o combate, muitas vezes antecipando a jogada do adversário, a esgrima é também chamada de “xadrez com músculos” por seus praticantes.

EDIÇÃO | 7


ESTÉTICA E SAÚDE

40

VITRINNI

EDIÇÃO | 7


PLÁSTICA

CIRURGIA PLÁSTICA Brasil é campeão mundial em cirurgias plásticas. Cuidados e acompanhamento profissional são essenciais para quem busca melhorar a imagem

Da Redação

S

e olhar no espelho e gostar da imagem que vê. Estar e se sentir bem são buscas constantes do ser humano. Para isso, a autoestima é fundamental e, algumas vezes, é preciso mudar o que incomoda. Quem nunca pensou em fazer uma cirurgia plástica, mudar alguma coisinha aqui ou alí? Os primeiros registros de cirurgias plásticas que se tem notícia são do século VI, na Índia. Um dos primeiros procedimentos realizados foi o uso de pele retirada da testa para reconstrução nasal. A cirurgia plástica moderna surgiu na Primeira Guerra Mundial, para restaurar traumas de feridos nos combates. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o Brasil já é o país com maior número de cirurgias do tipo, são mais de um milhão e meio de procedimentos feitos por ano, deixando

EDIÇÃO | 7

VITRINNI

41


Fotos: reproduções

ESTÉTICA E SAÚDE

os Estados Unidos com a segunda posição. Uma pesquisa feita pelo Instituto Datafolha a pedido da SBCP, aponta que 86% dos procedimentos estéticos são cirurgias plásticas e apenas 14% não são cirúrgicos. Das cirurgias realizadas, 73% são estéticas e 27% reconstrutoras ou reparadoras, sendo a reconstrução mamária, depois de uma mastectomia por conta do câncer de mama, e a correção do lábio leporino as mais realizadas. Os procedimentos estéticos mais procurados são as cirurgias de contorno corporal, de acordo com a SBCP. O órgão ressalta que as cirurgias nunca devem ser feitas com o intuito de emagrecer, mas podem ser indicadas quando há muita perda de peso, como depois de uma cirurgia bariátrica, de redução do estômago, quando o paciente perde muito peso e nem sempre a pele acompanha a mudança. A rinoplastia, cirurgia no nariz, também é uma das mais realizadas. Este procedimento ainda melhora a questão funcional, ajudando na respiração do paciente. A otoplastia, procedimento realizado nas orelhas, é mais comum em crianças e jovens. As cirurgias da face também são muito procuradas e realizadas, em sua maioria, por pacientes mais velhos que 42

VITRINNI

tem uma boa qualidade de vida, mas se sentem incomodados com os sinais da idade que não combinam com a aparência. O lifting dos contornos faciais, pequenos procedimentos no queixo, pálpebras e canto dos olhos são imperceptíveis quando feitos adequadamente. Já em relação aos procedimentos estéticos minimamente invasivos, a aplicação da toxina botulínica, o peeling químico, preenchimento da pele e aplicação de ácido hialurônico são os mais procurados.

A SBCP ainda aponta que os homens correspondem a 20% dos pacientes. E para os que não concordam com o ditado popular “é dos carecas que elas gostam mais”, o implante capilar tem sido uma excelente alternativa. A perda de cabelo ocorre principalmente entre os 20 e 40 anos e o procedimento é recomendado em 90% dos casos. O cabelo é retirado de uma área onde não há perda capilar, como na nuca, e depois é reimplantado. A cirurgia do implante EDIÇÃO | 7


Fotos: reproduções

PLÁSTICA

capilar é efetiva e tem o resultado comprovado sem o aspecto de operado.

Fotos: divulgação

SEGUR ANÇA E RISCOS Com a evolução das tecnologias usadas, os procedimentos são realizados com mais segurança. Riscos sempre existem, mas a escolha do profissional é sempre o primeiro passo para garantir o sucesso do procedimento. A formação adequada e o registro em órgãos competentes são os primeiros itens a serem pesquisados. Escolha um cirurgião que seja licenciado pelo conselho de medicina local (no Brasil, a SBCP), com experiência no procedimento pelo qual você vai passar e que possua excelente histórico médico de segurança. Entre outros cuidados básicos, é sempre bom conhecer pessoas que fizeram aquela cirurgia procurada com aquele profissional, além de se informar sobre o procedimento antes de fazê-lo e não se deixar levar pela empolgação.

EDIÇÃO | 7

A intérprete Talita Oliveira passou por dois procedimentos em uma mesma cirurgia, a rinoplastia e a lipoescultura. Ela já havia colocado silicone há cerca de 10 anos e garante que desta vez os cuidados foram diferentes, o que contribuiu muito para a recuperação. Para ela, o sucesso da cirurgia começou com a escolha do profissional. “Perguntei pra pessoas que já tinham sido atendidas pelo médico que escolhi. Consultei referências e histórico e gostei dos resultados nos procedimentos que eu queria fazer”, conta. Paciente e médico devem escolher juntos o procedimento ideal para alcançar o resultado esperado. É essencial também que o cirurgião tenha um histórico médico completo do paciente, além de uma avaliação preliminar para determinar os riscos de complicações ou se o paciente é um bom candidato à cirurgia estética. Como acontece com qualquer operação, existem riscos envolvidos. O cirurgião e a equipe devem apresentar ao paciente as consequências do procedi-

mento, esclarecer todas as dúvidas e fornecer instruções detalhadas sobre o que esperar durante a recuperação. Preste atenção aos conselhos de seu cirurgião plástico, várias recomendações devem ser seguidas pelos pacientes no pós-operatório, mas elas dependem do tipo de procedimento realizado. Se a cirurgia será realizada em um hospital, tenha certeza de que o local é credenciado pelos órgãos responsáveis. A pesquisa do Datafolha aponta que 58% dos procedimentos são realizados em hospitais particulares, 14% em hospitais públicos e 28% em clínicas. Cada procedimento pode ser feito em um espaço diferente, mas todos precisam ser adequados e com a retaguarda necessária, equipe e equipamentos especializados. PRÉ E PÓS-OPER ATÓRIOS Antes de qualquer intervenção, alguns cuidados precisam ser seguidos pelo paciente. Álcool e cigarro devem ser evitados. Dependendo do tipo de VITRINNI

43


ESTÉTICA E SAÚDE

Fotos: divulgação

Foto: reprodução

cirurgia, o uso da pílula anticoncepcional também é interrompido. O paciente precisa estar bem clinicamente, saudável e com indicação cirúrgica. Os cuidados tomados nas semanas seguintes ao procedimento são fundamentais para garantir a saúde e os resultados esperados. Segundo a SBCP, o inverno é a época mais procurada para os procedimentos, sendo 86% das cirurgias realizadas no mês de julho. De acordo com os médicos, as temperaturas mais amenas facilitam a recuperação, o desconforto é menor e as pessoas passam mais tempo dentro de casa. Além de dar tempo de se recuperar totalmente para o verão. Mas qualquer que seja a época escolhida, cicatrizes, hematomas, inchaços e outros incômodos fazem parte do pós-operatório. Com o acompanhamento médico ideal e as informações necessárias, o período de recuperação será tranquilo. Talita conta que os cuidados que ela teve que tomar começaram bem antes da cirurgia. “Segui muitos cuidados, diferente da primeira cirurgia que realizei há 10 anos. Tomei um suplemento nutricional, ferro, vitaminas, colágeno, spirulina e gelatina. Parei de tomar pílula, pelo risco de trombose, e passei a usar um hidratante específico. Depois da cirurgia continuei com mesmas as recomendações, além de tomar remédios como antibióticos, usar protetor solar e soro no nariz. Tive algumas restrições como levantar peso e fazer exercícios físicos. Usei cinta elástica e meia compressora por alguns dias e também tive que fazer movimentos leves e pequenas caminhadas. Minhas recuperação foi excelente, super tranquila e sem nenhuma intercorrência, até tive menos hematomas do que o procedimento anterior.” LIMITE A busca excessiva pela beleza nunca é saudável. Cabe ao bom profissional orientar a escolha dos pacientes. Qualquer procedimento estético deve ser feito para melhorar a aparência dentro das características pessoais e de acordo 44

VITRINNI

com o biotipo de cada um. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica ressalta a importância de conversar e saber orientar o paciente sobre até onde a cirurgia pode trazer algum benefício. A intervenção proporciona uma melhora para o indivíduo em função de características pessoais. É preciso ter cuidado com o transtorno dismorfóbico ou dismorfia corporal, ou seja, a pessoa não enxerga beleza nela mesma, e nesses casos a plástica não resolve. É preciso ter cuidado com a busca excessiva por algo inalcançável, até porque o conceito de beleza é relativo. O médico tem que entender o que o paciente pretende com a cirurgia e deixar claro que a felicidade não vai ser alcançada com o procedimento. EDIÇÃO | 7


ESPORTE E COMUNIDADE

O FUTURO DO

Associação Bauruense de Desportos Aquáticos terá arena modelo no país voltada para formação de atletas e inclusão social Por Fábio Barbosa

U

m sonho que começou pequeno e que não para de crescer. Assim é o Projeto Futuro, da Associação Bauruense de Desportos Aquáticos (ABDA). No início, em 2010, eram cerca de 30 crianças. Hoje, são aproximadamente três mil jovens que praticam natação, polo aquático e atletismo em cinco piscinas e duas pistas. Além da inclusão no esporte, os alunos que alcançam o alto rendimento recebem auxílio para alimentação, transporte e bolsa de estudos. Quando a iniciativa é boa, a procura é grande. Atualmente, o Projeto Futuro tem uma fila de espera com mais de 500 crianças e adolescentes que querem praticar alguns dos esportes oferecidos pela associação. A grande estrutura que hoje possuem ficou pequena. “Nós começamos através de uma parceria com a Multicobra, instalada na antiga sede do Bauru Tênis Clube, para utilizar as piscinas daquela estrutura. O projeto cresceu, conseguimos outras piscinas da cidade por meio de novas parcerias, incluímos o atletismo como mais

46

VITRINNI

Croquis: Artemis Fontana, Arquitetura e Interiores

ESPORTE uma modalidade oferecida, e a estrutura que tínhamos ficou pequena. Assim surgiu a ideia do projeto da Arena ABDA, da necessidade de termos uma estrutura maior e com isso conseguirmos expandir ainda mais o raio de alcance do Projeto Futuro”, explica Cláudio Zopone, presidente e idealizador da ABDA. A Arena ABDA está sendo construída em uma área de 10 mil metros quadrados, em terreno próprio, localizado ao lado da Sociedade Hípica de Bauru, que também é parceira do Projeto Futuro. A estrutura contará com duas piscinas padrão olímpico, com 50 por 25 metros, sendo uma delas coberta e com arquibancadas na lateral, academia completa, cozinha e refeitório, banheiros e vestiários, sala de troféus e salas de aula para o estudo teórico das modalidades esportivas. “Esse projeto vai tornar realidade o ideal da ABDA de transformar Bauru em um centro de referência em esportes aquáticos no Brasil, com condições de sediar eventos nacionais e internacionais de natação e polo aquático. Com isso, EDIÇÃO | 7


ABDA

EDIÇÃO | 7

VITRINNI

47


Croquis: Artemis Fontana, Arquitetura e Interiores

ESPORTE E COMUNIDADE

ESPORTE E INCLUSÃO SOCIAL “Inclusão social de crianças de baixo poder aquisitivo, distanciando-as da criminalidade e marginalidade através do esporte. Formação de conceitos básicos de cidadania, de equipe, de aspectos afeti-

vos, sociais, cognitivos e culturais.” Esses são os objetivos do Projeto Futuro daAssociação Bauruense de Desportos Aquáticos (ABDA), transmitidos diariamente a cerca de três mil alunos atendidos nas modalidades esportivas oferecidas: polo aquático, natação e atletismo. As aulas de natação e polo aquático são realizadas em cinco piscinas da cidade de Bauru: Empresa Multicobra, sede de campo do Bauru Tênis Clube, Sociedade Hípica de Bauru, Associação Luso Brasileira de Bauru e Associação Desportiva da Polícia Militar. No polo aquático, a ABDA possui equipes masculina e feminina, nas categorias sub-11, sub-12, sub-13, sub-15, sub17, sub-19 e adulta. Entre as conquistas dessa modalidade, destacam-se os títulos da Copa do Brasil, do Brasileiro e do Paulista sub-15 masculino e feminino em 2015. No mesmo ano, o sub-13 masculino faturou a Copa do Brasil, o Campeonato Brasileiro e o Paulista, enquanto o sub-12 também conquistou o título brasileiro. A equipe sub-11 ficou entre as 32 melhores no Torneio Mundial Habawaba, disputado por 120 equipes na Itália. Os bons resultados com as equipes da ABDA renderam convocações para seleção brasileira de base entre os anos de 2013 e 2015 ao jovem Leonardo Fernandes da Silva, o Gelão, de 19 anos. Há quase cinco anos no Projeto Futuro, ele conta que o esporte lhe deu outra perspectiva de vida. “Antes de entrar para a ABDA eu ia pra escola e depois passava o resto do dia em casa, cuidando dos meus irmãos e fazendo faxina. Hoje eu tenho uma rotina de atleta, com treinos e alimentação correta. Sem falar que foi através do Projeto Foto: divulgação ABDA

aumentamos a visibilidade do projeto e atraímos novos parceiros para seguirmos expandindo a inclusão social por meio do esporte na cidade”, ressalta Zopone. O projeto arquitetônico da Arena ABDA é da arquiteta Artemis Fontana e foi desenvolvido para ser construído em três fases, sendo a primeira delas, que vai contemplar as piscinas e os vestiários, com previsão de entrega para o final deste ano. A inspiração para elaborar a futura casa do esporte aquático bauruense veio do objeto de estudo de Artemis no doutorado e que tem tudo a ver com esporte e educação, as estruturas do Sistema S, do qual fazem parte o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Serviço Social do Comércio (SESC), Serviço Social da Indústria (SESI) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac). “A funcionalidade existente nos prédios do Sistema S, sejam os de 50 anos atrás

como os mais atuais, serviram de inspiração para tornar o projeto da Arena ABDA muito versátil e ao mesmo tempo atrativo. A construção por etapas permite atender uma demanda que pode crescer durante a execução, pois você pode aumentar as estruturas conforme vai construindo. Mesmo critério utilizado para as salas de aula, que possuem paredes móveis e total visibilidade para as piscinas, para que os alunos vejam na prática o que aprendem na teoria. Os espaços são amplos para favorecer a entrada de luz natural e a circulação de ar, provocando assim a economia de energia. Tudo voltado para as piscinas, que são o coração do projeto”, destaca Artemis. Além de funcional e arrojada, a Arena ABDA foi concebida para ser atrativa a quem está do lado de fora. “A estética e a linguagem arquitetônica também querem passar alguma coisa para quem está do lado de fora. A ideia é para que quem esteja passando em frente ao projeto se sinta atraído a entrar e conhecer. Essa ligação da arquitetura com a cidade reflete a concepção do Projeto Futuro, que é incluir socialmente os jovens carentes através do esporte.”

Polo aquático da ABDA tem títulos estaduais e nacionais.

48

VITRINNI

EDIÇÃO | 7


Croquis: Artemis Fontana, Arquitetura e Interiores

ABDA

Foto: divulgação ABDA

Futuro que fui convocado para a seleção brasileira e hoje curso uma faculdade. Minha vida mudou totalmente.” A natação da ABDA conta com equipes masculina e feminina nas categorias do pré-mirim ao sênior convencional, além da equipe para Pessoas com Deficiência (PCD). Em 2015, os nadadores da ABDA obtiveram bons resultados nas principais competições do país, como o Troféu Maria Lenk e o Troféu José Finkel, além da terceira colocação nos 100 metros costas no Brasileiro Juvenil. Todas as modalidades oferecidas pela ABDA contam com a supervisão e orientação de profissionais como professores, técnicos, preparador físico, nutricionista, psicólogos, assistentes sociais e funcionários administrativos. Vinicius Marques está no Projeto Futuro desde o início de 2011, quando era professor de iniciação de Polo Aquático. Hoje é coordenador da modalidade e sabe da importância que é trabalhar com jovens. “Explicar o que é trabalhar em um projeto como este é algo bem difícil, pois ele deve ser sentido, vivido, o projeto tem alma.É algo único ensinar um esporte e muito mais para crianças carentes e que não

Equipe de atletismo da ABDA na pista do Jardim Petrópolis.

EDIÇÃO | 7

A atleta Evellin Passos em uma das provas que disputou em 2015 exemplo de sucesso do Projeto Futuro.

teriam nenhuma oportunidade na vida.” Os cerca de 400 atletas do Projeto Futuro de Atletismo treinam em duas pistas: a do Jardim Petrópolis e a do Jardim Prudência. A equipe já participou de importantes competições pelo país, como a Copa Brasil e Copa Pan-Americana de Cross Country, Campeonato Paulista de Atletismo, Estadual Juvenil, Brasileiro Juvenil Interclubes e Jogos Abertos da Juventude. Um dos destaques da equipe ABDA de atletismo é a atleta Evellin Passos, de 19 anos, que foi vice-campeã brasileira e campeã paulista nos 3 mil metros com obstáculos e 4ª colocada na Copa do Brasil de Cross Country, que lhe rendeu a convocação para defender a seleção brasileira na Copa Pan-Americana da modalidade, ficando com 13ª posição. O Projeto Futuro só trouxe benefícios para Evellin. “O esporte me deu a oportunidade de conhecer novas pessoas, novos lugares, melhorou minha saúde e me tornou uma pessoa mais disciplinada. O destaque

nas competições e na escola me garantiram uma bolsa de estudos e hoje curso a faculdade de Educação Física graças ao Projeto.” Além da Evellin e do Leonardo, a ABDA proporciona estudo universitário para mais oito atletas e bolsa de estudos no ensino fundamental e médio para outros 59 jovens nas melhores escolas de Bauru. Transporte e alimentação também são oferecidos aos alunos do Projeto Futuro que alcançam o alto rendimento e necessitam deste beneficio. “Para fazer parte do Projeto Futuro é obrigatório estar matriculado e frequentar regularmente a escola. Mas para se manter no Projeto, o aluno tem que melhorar as notas. Nós temos três assistentes sociais que acompanham essa evolução escolar de cada aluno. Nós utilizamos o esporte como uma ferramenta para que eles tenham uma boa educação, tenham sonhos, elevem a alto estima e consigam enfrentar as dificuldades da vida de uma maneira mais positiva”, enfatiza Cláudio Zopone. VITRINNI

49


VIDA E CARREIRA

COACHING PROCESSO BUSCA O SUCESSO PESSOAL E PROFISSIONAL ATRAVÉS DO ESTÍMULO AO AUTOCONHECIMENTO

50

VITRINNI

Foto: reproduções

V

ocê já deve ter ouvido falar que respostas certas são dadas se as perguntas estiverem corretas. Não há como negar que quando sabemos o que queremos e buscamos compreender melhor o meio em que vivemos as coisas se tornam mais claras, leves, de certa forma fica mais fácil traçar objetivos e manter o foco. Quando estamos bem, conseguimos direcionar nossos projetos por um caminho mais seguro no dia a dia e isso envolve os relacionamentos sociais de todas as áreas de sua vida. O que você busca ou espera de você mesmo? Onde você está? Aonde quer chegar? Sua família, seus amigos, seu trabalho, como seu tempo e seu foco estão direcionados para eles? Acredite, são algumas das perguntas certas sobre as quais vamos falar um pouco nas próximas linhas desta matéria a fim de mostrar que as respostas certas estão dentro de você e nesse caminho de aprendizagem individual é necessário que os passos sejam dados com equilíbrio, força, serenidade, amor e disciplina. Vamos falar do Coaching e a importância desse trabalho na vida de qualquer pessoa.

EDIÇÃO | 7


COACHING

EDIÇÃO | 7

VITRINNI

51


Foto: reprodução

Realizar sonhos, buscar o melhor para si e para sua família, ser feliz, sentir-se bem e fazer a diferença por onde passamos são anseios de qualquer pessoa e para que isso realmente tenha a possibilidade real de acontecer, o mais importante é se manter em um ciclo de renovação constante na vida. O conceito chave é “TRABALHAR A SI MESMO” e fazer isso com ímpeto, coragem, quebrando paradigmas, buscando o autoconhecimento através de estudos conceituais, exercícios mentais, verbalização correta e eficaz para qualquer situação, postura equilibrada, serenidade em todas as decisões e o mais importante: dedicação, entrega e paixão pela vida. Bem vindo ao Universo da HUMANOS COACHING. O trabalho na área de Coaching deve ser entendido como um pilar de sustentação, uma base sólida em que podemos fincar nossos pés com segurança e de maneira prática atingir resultados promissores em todas as áreas. Tudo é direcionado para a compreensão do ser como um todo, não apenas em áreas específicas em que a própria pessoa acredita muitas vezes estar o problema. O que ocorre com frequência é que quanto menos buscamos a si mesmos com discernimento e raciocínio correto mais achamos que nossos problemas vêm de fatores externos, quando na verdade nossas percepções, atitudes e comportamentos diários refletem em tudo que é externo. Mudar as coisas ao seu redor depen-

52

VITRINNI

Foto: reprodução

VIDA E CARREIRA

de da sua atitude e da sua visão. Pense nisso. Pare por alguns momentos no seu dia, dentro da sua rotina e perceba o mundo ao seu redor, use seus instintos naturais de observação e analise seus sentimentos sobre o que se passa ao seu lado e como isso influencia seu comportamento, suas idéias, suas ações, enfim, como o externo transforma você. Pois bem, é hora de aprender a inverter a chave. Metas, objetivos profissionais, pessoais , aperfeiçoamento nos relacionamentos, enfim , o Coaching é uma ferramenta imprescindível para harmonizar essas esferas, tornando nossos pensamentos mais flexíveis e aumentando a capaci-

dade de entendimento mais profundo de tudo que acontece ao nosso redor. Aprender a aprender é um dos maiores desafios que temos na vida, nossas idéias e padrões preestabelecidos sobre tudo que nos cerca muitas vezes limita nossa capacidade de crescer. Um bom Coach consegue dar o apoio necessário para que você encontre as respostas, mas encontre-as sozinho, de uma maneira enriquecedora e definitiva para sua vida. Trabalhando os conceitos do Coaching no campo executivo por exemplo, a tendência é a percepção instantânea da necessidade de organização e equilíbrio em todas as áreas físicas da empresa bem como na vida pessoal de seus colaboradores. Do diretor ao último funcionário contratado, um Coach irá fazer uma análise de perfil criteriosa e eficaz coletando dados que, quando bem interpretado por um profissional da área, fazem toda a diferença

EDIÇÃO | 7


Foto: Éber Moscheto

no resultado final de aplicação do trabalho. O Universo a ser explorado é micro e macro. A dinâmica conceitual no campo executivo passa por um estudo do estado atual de uma empresa, o estado desejado da mesma e a definição de quais serão os trabalhos adequados para a construção de um caminho seguro afim atingir o objetivos estabelecidos na análise. É um trabalho sério e detalhado que exige determinação e entrega absoluta de todos os envolvidos no processo. Por isso sempre que ouvir falar em Coaching, treinamentos, cursos motivacionais, entre outros, é importante saber separar o joio do trigo. Procure conhecer a empresa e o profissional que estará com você nesse processo de auto conhecimento e crescimento tão especial, afirma Adilson Leonel - Coaching Master Trainer da Humanos Coaching com vasta experiência no mercado ministrando ao longo dos anos inúmeros treinamentos para os mais variados segmentos. Para Adilson, o aperfeiçoamento na área deve ser constante, não há um cessar nem uma zona de conforto na busca de conhecimento. Não existe sequer algum tipo de formação ou título que te deixe pronto para qualquer desafio. Para ser um dos pilares de sustentação no desenvolvimento humano é extremamente importante verificar sempre como está nossa própria estrutura e nossa base, nos reciclando diariamente para poder ajudar cada vez mais pessoas. Ainda falando sobre o conceito universal de organização, é importante ressaltar que tudo está conectado. Sua vida pessoal, sua família, seus amigos, suas idéias, seu trabalho; de alguma forma tudo vai caminhar, porém, depende de nós melhorar esse trajeto. O que se deve

Adilson Leonel, Diretor da Coaching Master Trainer.

EDIÇÃO | 7

Foto: reprodução

COACHING

ter em mente é a necessidade de equilibrar as coisas e não gastar energia demais em algo que não é necessário, deixando outros pontos de sua vida fora de sintonia criando um ciclo vicioso que nos dá a nítida sensação de que o tempo que temos nunca é o suficiente, ou pior, de que o tempo quase nunca é um tempo de qualidade. Esse tipo de problema da “Era Moderna”, como podemos chamar, atinge pessoas no mundo inteiro e uma das maneiras de sairmos dessa espécie de piloto automático é reconhecer que precisamos de ajuda, de orientação, é necessário parar, fazer uma autoavaliação, deixar-se avaliar e procurar entender os resultados, absorver a interpretação com a mente aberta. Na Humanos Coaching o foco é direcionado para uma leitura minuciosa de cada pessoa através de análises sérias e detalhadas que apresentem o perfil do indivíduo de maneira clara e transparente. A partir daí o trabalho de correção e a organização interna e externa e aperfeiçoamento é feito de acordo com a personalidade da cada um moldando conceitos, construindo idéias, quebrando o que precisa ser quebrado para moldar um novo ser mais preparado para os desafios do dia a dia. As mudanças que ocorrem no processo são nítidas e dependem da vontade e da dedicação de cada um. Oratória positiva, desenvoltura, postura física e emocional equilibrada, a melhor vivência nos relacio-

namentos , comportamento social íntegro, foco correto , energia bem direcionada, enfim, poderíamos listar uma série imensa de ganhos para o ser humano que busca o autoconhecimento de maneira séria e com a ajuda dos profissionais certos. Conheça a Humanos Coaching. Todos os cursos e formações são oferecidos de uma maneira única no país. Sua vida, sua empresa, seus dias podem e devem mudar pra melhor. O tempo não para e não há nada que possamos fazer para evitar que isso aconteça, sendo assim, faça cada segundo de sua vida valer mais. Existem as ferramentas certas pra isso, existem caminhos seguros, você só precisa querer pra começar a trilhar seus novos sonhos.

HUMANOS COACHING Rua Luso Brasileira, 4-44, Sala 1008, Edifício Metropolitan Business, Altos da Cidade. Bauru-SP Telefones: (14) 3021-2804 / (14) 99758-7029 / (14) 99779-4099 contato@humanoscoaching.com.br

VITRINNI

53


L G

A

S

D

T

E

A R

S

B

T

Z O

A

A

E N

Q

U

U

E

R

R Ô

M

S

D

U

I

E

C

O


UMA SELEÇÃO DE ENCHER OS OLHOS! A Vitrinni Magazine selecionou dois restaurantes para você desfrutar de um Lazer Gastronômico como uma verdadeira Experiência Gourmet.

R E S T A U R A N T E S L O K M A

C A F É

M A R C H A N T E

D I N N E R


é f a C a m k Lo Fotos: Eber Moscheto

ESPECIAL GOURMET

e u q a t s e Ddo

o i p á d r a C 56

VITRINNI

FESTIVAL ÁRABE O grande destaque do cardápio do Lokma Café é o Festival Árabe, que tem os tradicionais homos, coalhada, babaganouche, tabule,

esfirras, kibes, entre outros, acompanhados de charutos e arroz especial, variando de acordo com o dia escolhido.

EDIÇÃO | 7


Lazer Gastronômico Bauru Festival Árabe possui muitas opções de pratos.

LOKMA CAFÉ

R

eferência bauruense da culinária árabe, o Lokma Café traz em seu próprio nome a proposta de hospitalidade e satisfação em receber amigos e familiares com a mesa farta. Entre os libaneses é comum dizer “venha a minha casa comer um lokma”, que nada mais é que uma porção ou bocado de comida. Gesto milenar cheio de símbolos e tradições dessa cultura. A decoração do Lokma Café tem como principal objetivo fazer com que o cliente se sinta à vontade. As inspirações e objetos de decoração foram todos trazidos de países árabes, incluindo lustres e uma máquina de café libanesa. O cardápio do Lokma Café é uma verdadeira viagem pela gastronomia árabe. Um dos destaques é o Festival Árabe, servido de segunda a sábado, das 12h às 15h, que tem os tradicionais homos, coalhada, babaganouche, tabule, esfirras, kibes, entre outros, acompanhados de charutos e arroz especial, variando de acordo com o dia escolhido. Pratos especiais como Samak (peixe linguado à moda árabe com molho de tainha e arroz com aletria), kibe na coalhada, charuto de repolho, salmão ao molho de maracujá, alcachofra no molho de coalhada e carré de cordeiro também são diferenciais do Lokma. Saladas, quiches, tortas, bruschetas, crepes, sanduiches e deliciosas opções de sobremesas, além de bebidas quentes e frias, completam o recheado cardápio do tradicional café árabe.

Lokma Café O Lokma Café fica na Alameda Octávio Pinheiro Brisolla, 19-48, Bauru-SP. Horário de funcionamento Segunda a quar ta, funciona das 10h às 23h Quinta a s ábado, funciona das 10h às 00h.

Telefone: (14) 3243-3553

EDIÇÃO | 7

VITRINNI

57


e t n a h c r a M ner ESPECIAL GOURMET VIAGEM

Fotos: Food in pix

n i D

e u q a t s e Ddo

o i p á d r a C 58

VITRINNI

Bife Ancho ao Poivre O maior destaque do cardápio do restaurante Marchante Dinner, assinado pelo chef de cozinha Moacir Santana,

é o Bife Ancho ao Poivre. O prato ainda conta com risoto de açafrão da terra, alho poró e batata doce crocante.

EDIÇÃO | 7


Lazer Gastronômico Bauru O mais gostoso Bife Ancho ao Poivre da região!

MARCHANTE DINNER

J

á tradicional em Bauru por oferecer os melhores cortes de Angus, com o acompanhamento de grande variedade de cervejas artesanais nas refeições do almoço, o Marchante Butcher e Grill inova mais uma vez e agora apresenta o Marchante Dinner, com cardápio exclusivo para o jantar. Atendendo de terça-feira a sábado, das 19h às 23h30, o cardápio do Marchante Dinner é assinado pelo renomado chef Moacir Santana e conta com opções de risotos, massas, carnes especiais como Magret e Confit de Pato, Carré de Cordeiro e os cortes de carne Angus, já tradicionais no Marchante Grill. De fácil acesso e com estacionamento próprio, no Marchante Dinner o cliente encontra um ambiente agradável, reservado, acompanhado de música de ótima qualidade e uma gastronomia que busca agradar todos os paladares. “Expandimos o horário de atendimento do Marchante, através do Marchante Dinner, com o objetivo de oferecer à noite bauruense o que existe de melhor da carne Angus e outros pratos especiais, harmonizado com mais de 60 rótulos de cervejas artesanais que fazem parte da nossa carta. Tudo sob a chancela do renomado chef Moacir Santana”, explica André Anastásio, proprietário do Marchante. Além da novidade do atendimento no jantar, o Marchante Butcher e Grill segue oferecendo o tradicional cardápio no almoço, as variedades de cortes Angus do açougue e outros produtos no empório e café. Em breve, será inaugurado o Mini Mercado Marchante, ao lado do restaurante, com padaria, frios, cervejas e hortifrúti.

Marchante Butcher e Grill O Marchante Dinner está localizado na Rua Rio Branco, 36-39, Estoril V, Bauru-SP. Horário de funcionamento Terça a s ábado, das 19h às 23h30 (Marchante Dinner) Terça a domingo, das 12h às 16h (Marchante Butcher e Grill).

Telefone: (14) 3223-3620

EDIÇÃO | 7

VITRINNI

59


SOMMELIER

VAI UMA TAÇA AÍ? CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE VINHOS É MAIS FÁCIL DO QUE PARECE, BASTA GOSTAR E QUERER SABOREAR A BEBIDA DOS DEUSES Da Redação

U

ma das bebidas mais antigas e apreciadas, a história do vinho acompanha a evolução da humanidade. O primeiro registro de produção de vinho de que se tem notícia é de 8.000 a.C. Na Grécia, era a favorita do deus grego Dionísio e ganhou fama de bebida dos deuses, além de ser mencionada com frequência nas histórias de Ésopo e Homero. Os romanos espalharam as videiras por toda a Europa. Desde essa época já se sabia que o vinho tem propriedades medicinais. Na Idade Média, enquanto outras bebidas eram consideradas pagãs, a Igreja Católica incentivava o consumo do vinho. O primeiro passo para entender e conhecer um pouco mais sobre a bebida é querer apreciá-la. O especialista em vinhos Jeff Previero explica que é preciso ter interesse em desenvolver o sabor e fazer com que os sentidos do olfato e paladar descubram os prazeres do vinho. E só existe uma maneira pra isso: bebendo. “É normal algumas

60

VITRINNI

EDIÇÃO | 7


VINHOS

EDIÇÃO | 7

VITRINNI

61


Fotos: reproduções

SOMMELIER

pessoas terem certa resistência ao vinho seco no início. Por isso é importante começar com o tipo de vinho que mais gosta. Sempre digo que o melhor vinho é o que mais agrada ao paladar. O conhecimento vem com o tempo. Para quem está começando a beber, indico um demi-sec europeu ou um chileno carmenere, de boa procedência. Apesar de seco, a sensação final é de doçura e agrada quem está começando. Depois disso, é só continuar apreciando.” Vinho tinto, como o nome já diz, é feito a partir de uvas tintas e o ideal é que seja servido a temperaturas entre 18ºC e 20ºC. As uvas cabernet sauvignon, pinot noir, malbec, merlot e outras da espécie vitis vinífera são as mais comuns. Os vinhos brancos tem mais acidez e podem ser feitos a partir de uvas brancas ou uvas tintas sem a casca. O ideal é consumir a temperaturas mais baixas. Os que são feitos com uvas jovens podem ser servidos com temperaturas entre 10ºC e 12ºC e um vinho mais encorpado pode ser servido a 15ºC. Os tipos de uvas mais comuns são a chardoney, sauvignon blanc, pinot grigio e moscatel. Já os espumantes, são vinhos que passam por dupla fermentação, ou na garrafa ou em grandes toneis. A harmonização atende vários fatores, mas funciona a partir de regras básicas. Um vinho mais encorpado, com mais estrutura e sabor que se prolonga na boca, pode ser harmonizado com ali62

VITRINNI

mentos mais pesados. Por isso, vinhos tintos remetem a carnes vermelhas, por exemplo. Já alimentos mais leves, como peixe, ficam melhor com um vinho branco, que é mais ácido. Um vinho de sobremesa, naturalmente mais doce, deve acompanhar sempre pratos doces. Mas todas as regras possuem exceções. Um mito que deve cair por terra é do que os melhores vinhos são os mais caros. “Muitas vezes o consumidor paga os investimentos feitos desde o plantio da semente da uva até a bebida ser engarrafa-

Vinhos chilenos e argentinos agradam mais o paladar do brasileiro.

da, o que pode levar até alguns anos. Mas é possível comprar excelentes vinhos por preços muito acessíveis”, afirma Jeff. Vinhos chilenos e argentinos agradam o paladar do brasileiro, que foi desenvolvido com base na variedade das uvas. A enófila (nome dado aos apreciadores de vinho) Marilete Previero explica a diferença do que é produzido na Europa e no continente americano. “Por aqui, a procura pelo vinho varietal, ou seja, pelo tipo de uva é mais comum. Em países da Europa o vinho assemblage é o mais consumido. É aquele vinho feito a partir de várias uvas.” Para que a uva se torne vinho, algumas etapas são seguidas na fabricação, como fermentação, filtragem e envelhecimento. Mas, segundo Jeff, muito da qualidade do vinho é resultado da qualidade da uva e vários fatores são determinantes para isso. A qualidade e a posição do solo, a drenagem, se recebe sol da manhã ou da tarde, o vento etc. “É muito comum encontrar microclimas em determinadas regiões. Dentro de um mesmo parreiral é possível produzir diferentes uvas, com diferentes amadurecimentos. Vinhos da mesma uva nunca vão ser iguais, nem no mesmo ano nem no produtor vizinho.” Mesmo já engarrafado e pronto pra consumo, o vinho também pode ter a qualidade afetada. Se for transportado por um longo período, é melhor guardar a garrafa por algum tempo antes de abrir. A inversão térmica e o armazenamento incorreto também podem interferir. Se a garrafa for de rolha, deve ser guardada deitada para o vinho ficar em contato com a tampa, e não com oxigênio. Se for garrafa de rosca ou rolha sintética, pode ser armazenado em pé. Segundo a Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), a França é o país que mais produz e consome a bebida. Enquanto os franceses produziram mais de cinco milhões de litros em 2011, o Brasil produziu menos de meio milhão, sendo a maior parte produzida no Rio Grande do Sul. Na França cada habitante bebe em média 45 litros de vinho consumidos anualmente, enquanto no Brasil a média de consumo não passa de dois litros. O consumo geral no país europeu EDIÇÃO | 7


VINHOS

EMBALAGENS

TIPOS DE UVAS

VINHO BRANCO

ACOMPANHAMENTOS

Garrafa de rolha: guardar deitada para o vinho ficar em contato com a tampa. Garrafa de rosca ou rolha sintética: armazenar em pé.

As uvas cabernet sauvignon, pinot noir, malbec, merlot e outras da espécie vitis vinífera são as mais comuns para a produção de vinho tinto.

Vinho branco é mais leve e mais ácido. Os vinhos brancos podem ser feitos a partir de uvas brancas ou uvas tintas sem a casca.

Carnes vermelhas harmonizam melhor com vinho tinto, peixes e alimentos mais leves com o vinho branco e as sobremesas combinam com vinhos doces.

Fotos: reproduções

é de quase três milhões de litros, já por aqui são consumidos quinhentos mil. De acordo com os dados, o Brasil consome mais vinho do que produz, e a qualidade do que é produzido evoluiu muito nas últimas décadas. A procura do consumidor brasileiro pelo vinho produzido no país aumentou nos últimos anos graças a investimentos em divulgação por parte dos produtores. O Ibravin, Instituto Brasileiro do Vinho, realizou uma pesquisa sobre o enotu-

EDIÇÃO | 7

rismo, segmento que gira em torno da bebida. Os resultados mostram que a atividade fortalece a imagem do vinho brasileiro perante o consumidor. De certa maneira, no Brasil o vinho ainda é novidade e sinônimo de status. Aqui existe uma grande variedade de marcas mundiais disponíveis no mercado, mas ainda nem 10% da população consome vinho, sendo que 90% do consumo é de vinhos de mesa. Entender sobre vinhos se tornou um atrativo, ainda mais se for

pra ver de perto cada passo da fabricação. A pesquisa defende que o contato com o campo e a compra do produto direto do fabricante nas vinícolas fazem parte de uma experiência única. Nestas ocasiões, a qualidade da bebida não é o mais importante, mas sim provocar sensações que superem o sabor do produto. Assim, o consumidor se interessa mais e desenvolve o paladar. “O turismo do vinho é uma das mais eficazes ferramentas de transformação da imagem da bebida produzida no Brasil. O visitante vem, conhece, degusta, pergunta. Interage com o produto, vê paisagem, o cuidado, entende como é elaborado. Se sente orgulhoso de ser brasileiro e se surpreende. É tocado para sempre”, comenta Adriano Miolo, enólogo participante da pesquisa e membro da Ibravin. Seja em uma linda vinícola ou em casa, na companhia da família e amigos, o vinho é a melhor opção e bebida ideal para momentos de alegria, em que cada garrafa é uma história. “A gente consome o vinho pra confraternizar, unir, é uma bebida para momentos agradáveis em grupo ou para apreciar a própria companhia. Mas é sempre uma experiência prazerosa que traz boas lembranças”, define Marilete. VITRINNI

63


ÉRICK

JACQUIN Da Redação

64

VITRINNI

EDIÇÃO | 7

FOTO: CHICO CANINDÉ ASSESSORIA

EXPERIÊNCIA GOURMETT


ÉRICK JACQUIN

O jurado carrasco do MasterChef que conquistou o Brasil

U

Foto: Carol Gherardi/Band

m chef francês que escolheu o Brasil para viver. Com mais de 360 mil seguidores no Instagram, Erick Jacquin ficou conhecido como jurado do Masterchef Brasil, reality show exibido pela Band, mas possui uma longa carreia na gastronomia e uma história cheia de altos e baixos que não faz questão nenhuma de esconder. Jacquin é especializado em culinária francesa com sabor e visual elaborados, e se considera o pioneiro do petit gâteau no país. Érick Jacquin nasceu em 1964, em Dun Sur Auron, uma pequena e tradicional cidade do departamento de Cher, no centro da França, perto do Vale do Loire, região das vinícolas e dos castelos onde moravam os reis franceses. Ainda jovem se mudou para Paris, capital mundial da gastronomia, onde se encontram grandes restaurantes e os maiores chefs de cozinha do planeta. Teve a oportunidade de trabalhar em cozinhas que fazem parte dos melhores guias gastronômicos, com chefs renomados como Alain Morel, Gerard Faucher, Philippe Groult e Roland Magne. Mas a oportunidade de ouro surgiu com Henri Charvet, que passou a ele o comando do Le Comte de Gascogne, restaurante especializado em foie gras (fígado inchado de pato). Depois de seis anos de trabalho, ganhou sua primeira estrela no guia Michelin, em 1995. Deixar a França não fazia parte dos planos, até que uma proposta irrecusável o trouxe para São

EDIÇÃO | 7

Paulo para comandar a cozinha do restaurante Le Coq Hardy, onde ficou por 4 anos e conquistou o respeito do público e da crítica especializada. Já no comando da cozinha do Café Antiqüe, consagrou-se como um grande chef. O temperamento explosivo e a exigência com os funcionários lhe deram fama de mau. “Não é só fama, eu sou mau. Não tenho duas caras. Eu sempre fui assim. Eu sou uma pessoa que reage no momento, na hora. Eu não penso. Às vezes eu me arrependo. Mas, bem ou mal, nunca mudei minha personalidade”, explica Jacquin. Hoje, tem mais senso de humor e não se irrita como antes, o que ele atribui à maturidade, mas isso não significa que tenha deixado de lado a personalidade que o tornou famoso no Brasil. Também é conhecido por ser um bom mentor e pela capacidade de formar mão de obra, ainda de que de uma maneira um pouco controversa. Assim como a grosseria de momentos impulsivos, a ternura com que trata os funcionários também faz parte da personalidade do chef. Mesmo sendo reconhecido no meio e colecionador de prêmios, foi sem o dólmã, aquele uniforme branco usado na cozinha, que ganhou fama. Jacquin é, para muitos, o mais polêmico e querido jurado do reality culinário MasterChef Brasil, onde julga os VITRINNI

65


Foto: Carol Gherardi/Band

participantes ao lado de Paola Carosella e Henrique Fogaça. O papel de carrasco por conta dos comentários ácidos durou pouco tempo, logo Jacquin conquistou o público com seu sotaque e simpatia. Ele ressalta o papel positivo que programas de culinária exercem ao popularizar a gastronomia. “Acredito que o grande mérito do MasterChef e de outros programas não é transformar chefs em celebridades, mas mostrar que qualquer um pode cozinhar. A gastronomia, seja brasileira, francesa, o que for, é um patrimônio cultural de um país. Educação gastronômica deve fazer parte da educação das crianças. E esse patrimônio não pertence aos chefs de cozinha, mas sim às donas de casa.” O programa, que está em sua terceira temporada, fez com que o chef recuperasse a autoestima. Assim como os participantes do reality passam por momentos amargos na competição, Jacquin também teve que se reinventar em um período da carreira. Depois de muitos problemas, precisou fechar o restaurante que tinha em São Paulo, o La Brasserie, que havia ganhado seis vezes o prêmio “Comer e Beber” da revista Veja São Paulo. O principal motivo foram as dívidas de cerca de R$1 milhão. A dura decisão veio após a situação ficar insustentável, inclusive com a impossibilidade de atender aos pedidos dos clientes por falta de ingredientes.  “O MasterChef foi uma oportunidade de consolidar a minha carreira. Antes, só os clientes do meu antigo restaurante me conheciam. Hoje, todo mundo sabe quem eu sou, graças ao programa. Quando eu aceitei participar eu

66

VITRINNI

Foto: divulgação MasterChef/Band

EXPERIÊNCIA GOURMET

estava numa fase muito difícil da minha vida, tinha fechado o La Brasserie. Ser jurado foi uma forma de continuar no mercado. Já consegui saldar parte das minhas dívidas. Não sei se vou conseguir pagar tudo. Mas tudo se negocia. Eu sou honesto. Poderia ter fugido, voltado para a França. Mas não fiz isso”, se orgulha Jacquin. Depois do encerramento das atividades do restaurante paulistano, Jacquin começou trabalhar como consultor gastronômico em estabelecimentos de São Paulo, Belo Horizonte, Manaus e Recife. Hoje acredita ser muito difícil comandar um bom restaurante. O acesso à informação e a exigência dos clientes dificultam ainda mais o trabalho. “Hoje é difícil consertar as coisas. O mercado mudou, todo mundo é crítico. No fundo, é bom ter público exigente, pois isso permite que a gen-

te cresça, faça coisas diferentes. Para isso, é preciso produto bom, equipe boa e cliente que gosta de coisa boa”, resume. Recentemente teve que encarar duras críticas ao restaurante Le Bife, do qual o é consultor. “Mas eu agradeço as críticas. Toda crítica é positiva. E, para falar a verdade, eu nem ligo. Eu sei o que estou fazendo. Podem me criticar, mas, por favor, falem de mim.” Mas admite que o reconhecimento também é muito melhor. “Hoje as pessoas se interessam pela proposta do chef. Antes, iam ao restaurante para comer o que queriam. O brasileiro quer experimentar.” Erick é casado com uma brasileira, Rosângela Menezes. O relacionamento já dura 12 anos. O casal se conheceu na festa de aniversário de um amigo em comum, o fotógrafo Luiz Tripolli, e já se mudou pro mesmo apartamento dois meses depois do início do namoro. Na época, Rosângela era hostess de casas do Grupo Fasano. Hoje é a maîtresse do La Cocotte, restaurante que tem Jacquin como consultor. A relação foi oficializada em outubro do ano passado. Cheio de hábitos, Jacquin adora um bom vinho e confessa que não tem uma alimentação regulada. “Como mais à noite, faço tudo errado. Odeio comer de manhã, não tomo café. Só como de manhã se minha mulher deixa pronto e, às vezes, almoço às 17h.” Sempre que pode, visita o país de origem, mas confessa que a alma já é brasileira. “Quando estou lá, tenho vontade de voltar para cá. Minha casa é aqui, me naturalizei brasileiro e sou corintiano.” EDIÇÃO | 7


FOTO: CELSO MELLANI


E

mpresa dedicada a elaboração de projetos de arquitetura, planejamento, desenho urbano, design e arquitetura de interiores, bem como a execução, direção técnica, gerenciamento ou administração das obras para os projetos que desenvolve. Fundada em 1988, vem prestando continuados serviços na sua área, atendendo a clientes da iniciativa privada e administração pública, no Brasil e principalmente no estado de São Paulo. Possui vários projetos executados como: fábricas, condomínios, prédios, casas unifamiliares, lojas comerciais, bares, boates, hotéis, restaurantes, clubes, escolas, teatros, etc. Têm trabalhos publicados em livros e em diversas revistas, alguns prêmios e concursos conquistados ao longo da carreira. A atuação da empresa baseia-se na experiência profissional dos seus diretores e também na colaboração permanente de um corpo técnico especializado composto por arquitetos, engenheiros e técnicos.


Edward Albiero Júnior Arquiteto formado em 1981 pela Faculdade Farias Brito, Guarulhos. Maurício Queiroz Costa Arquiteto formado em 1986 pela Faculdade de Belas Artes, São Paulo.


R E S I D Ê N C I A S


Foto: Eber Moscheto

Foto: Eber Moscheto


I N T E R I O R E S


C O N D O M Í N I O S


Foto: Eber Moscheto

Foto: Eber Moscheto


C O M E R C I A I S


Foto: Eber Moscheto

Foto: Eber Moscheto


A L B I E R O E C O S TA A R Q U I T E T U R A

F O R N E C E D O R E S ALUMINIUS A LTA D U E A N A PA U L A D E C O R A Ç Õ E S AT E L I Ê R E V E S T I M E N TO S BAURU PISOS CANAN VIDROS DECORCRIL DN INTERIORES GRANIPEDRAS K I TC H E N S L E G N O – B A LC Õ E S R E F R I G E R A D O S LUMIARTE MADEART PA U X P O R TO B E L LO S H O P P R O D U TO A – C O R I A N PROMAD SERRALHERIA QUERUBIM THRAMA T R A N S PA R Ê N C I A V I D R O S

F O T Ó G R A F O CELSO MELLANI

R U A B A N D E I R A N T E S , N ° 1 0 - 6 8 , B A U R U , S Ã O PA U LO FONE/FAX: (14) 3224-2511 . W W W. A L B I E R O E C O S TA . C O M . B R

|

A R Q U I T E TO S @ A L B I E R O E C O S TA . C O M . B R


VITRINNI PRODUTO

Poltrona Milhazes Bernardo Figueiredo

Cadeira Sinhá Estudio Schuster

Mesa lateral Nest Lattoog

Schuster design

A história da Schuster permeia pe-

los mais variados elementos da cultura nacional e internacional, materializados em suas coleções, todas assinadas pelos designers mais conceituados do Brasil. Nas últimas linhas, a empresa de

O desafio que se apresenta a cada novo produto Schuster está em aliar a inovação, o uso da tecnologia, a contemporaneidade e as tendências ao padrão e à característica genuína do desenho moveleiro brasileiro. 110

VITRINNI

móveis gaúcha teve como premissa reforçar suas raízes e sua filosofia, já que em 2017 ela completa 50 anos de existência e pretende alçar novos desafios. Esta ponte foi fundamental para que se chegasse ao tema da coleção deste ano, “Memória e Imaginário”, onde

EDIÇÃO | 7


SCHUSTER

Mesa Hall Cruzadas Carlos Alexandre Alves

Luminária Sol (de mesa) Rejane Carvalho

Mesa Lateral Bulbo P Lattoog

A Schuster acaba de lançar a coleção 2016, Memória e Imaginário. Com mais de 50 peças criadas por 16 escritórios, a linha apresenta móveis e acessórios que fazem uma reverência aos mestres do design nacional sem deixar de respeirar as tendências mundiais.

o resgate das raízes da própria em-

te: mais de 50 peças desenhadas com

nacional dão continuidade à tradição

presa e da origem do design nacional

maestria por diversos escritórios de

de desenvolverem móveis, luminárias

resulta em peças criativas e autorais.

design e executadas com primor pela

e outros diversos acessórios com per-

Arquitetos como Oscar Niemeyer

Schuster, que, como em todas as cole-

sonalidade e coerência temática, um

e Gregori Warchavchik, John Graz, os

ções, utiliza técnicas da mais alta mar-

feito que trouxe grande destaque à

designers Joaquim Tenreiro e Jorge

cenaria, fazendo valer a tecnologia em

marca entre o segmento de mobiliá-

Zalzsupin, o icônico Sergio Rodrigues,

técnicas inovadoras junto com a tessi-

rio assinado. Além de designers como

a visionária Lina Bo Bardi, o saudoso

tura da cultura artesã no acabamento

Zanine de Zanini, Lattoog, Fernanda

Bernardo Figueiredo (lembrado em

e no cuidado com cada produto.

Brunoro, Rejane Carvalho Leite, no-

três peças desta coleção), são algumas

A já conhecida parceria da Schus-

vos escritórios fazem parte do sele-

das muitas inspirações para a coleção

ter com os versáteis e renomados es-

to time de criativos. Salvi e Giorgi e

da Schuster Memória e Imaginário.

critórios de design se repete nesta

Henrique Schreiber criaram peças ex-

O resultado não poderia ser diferen-

coleção. Jovens talentos do desenho

clusivas para a nova coleção.

EDIÇÃO | 7

VITRINNI

111


VITRINNI PRODUTO

Poltrona E2 Designer Latoog

RE-VIVE QUILTED Natuzzi

Aimar Móveis

A loja Aimar Móveis está no cenário moveleiro há 33 anos na cidade de Araçatuba e também presente em Bauru há sete anos. Destaca-se com uma proposta diversificada e amplo design em seus produtos. Caminhando em paralelo com as melhores marcas do Brasil, busca tendências para construir uma marca firme e sólida no segmento de móveis.

112

VITRINNI

Poltrona Fofa Designer Fabricio Roncca

POLTRONA E2 - DESIGNER LATTOOG A estrutura de madeira maciça desta cadeira define duas formas elípticas iguais que correspondem ao assento e encosto. Acreditamos ter atingido uma geometria simples e iconográfica combinada com ótima ergonomia. RE-VIVE QUILTED - NATUZZI O corpo humano é concebido para se mover. Poltronas reclináveis tradicionais são operadas com mecanismos de alavanca. Propusemo-nos a mudar isto e projetar uma cadeira que responda de forma intuitiva ao movimento do seu corpo. Re-Vive se movimenta e acordo com o movimento de seu corpo, se flexiona conforme você se ajusta, proporcionando uma transição suave entre as posições do corpo. A poltrona Re-vive Quilted da Natuzzi oferece suavidade visual imediata acentuada pela presença

EDIÇÃO | 7


AIMAR

Poltrona Pilão Designer Bruno Faucz

Sofá Lençóis Maranhenses Designer Léo Apter

de um debrum decorativo muito elegan-

POLTRONA PILÃO

te. Este pequeno detalhe estético exalta

DESIGNER BRUNO FAUCZ

SOFÁ LENÇÓIS MARANHENSES Lençóis Maranhenses, por Léo Ap-

as suas formas e a alta qualidade do fa-

Peça desenhada após algumas

ter. No único deserto do mundo com

brico. A camada de enchimento, presen-

pesquisas com o objetivo de estudar

milhares de lagoas, os Lençóis Mara-

te também no apoio para os pés, supor-

objetos que já fizeram parte da his-

nhenses são simplesmente deslum-

ta de forma suave o peso do corpo para

tória da cultura brasileira. O café aca-

brantes. A água de suas lagoas é doce

tornar o relax ainda mais confortável.

bou sendo alvo do estudo, faz parte

e cristalina e as dunas se movem com o

da mesa de todo e qualquer brasileiro

vento como uma verdadeira dança má-

POLTRONA FOFA

desde do ano de 1727 quando foi intro-

gica. Inspirado no movimento das du-

DESIGNER FABRICIO RONCCA

duzido no país pelos franceses. O pilão

nas, o designer Léo Apter criou o sofá

Design despojado, lúdico e refinado.

era uma ferramenta usada para moer

Lençóis Maranhenses. Com assentos

A poltrona Fofa é a pura inspiração do

muitas grãos e está relacionado ao

em blocos e encostos móveis, é possí-

design nacional, resultado do trabalho

trabalho manual de um café de quali-

vel montar milhares de composições

e da lapidação de referências estéticas

dade feito artesanalmente. Este obje-

diferentes com apenas algumas peças.

únicas da arte e da cultura. As almofadas

to serviu de inspiração para o desenho

O sofá possui bordados elegantes nos

soltas e confortáveis repousam em uma

da Poltrona Pilão, que pode ser clara-

assentos, nos detalhes de costura dos

base ergonômica de madeira e fazem

mente percebido no desenho dos pés

encostos e almofadas e está disponível

da peça um exemplar único do design.

da peça, sobretudo nos pés frontais.

nas versões com capa e revestido.

Loja 1 - Avenida Brasília n.1400 – Araçatuba (18) 3623-5970 Loja 2 - Avenida Getúlio Vargas n. 15-80 – Bauru (14) 3202-8150

EDIÇÃO | 7

Horários: Segunda a Sexta-feira 08:30 ás 18:30, Sábados 09:00 ás 13:00 | www.aimarmoveis.com.br

VITRINNI

113


Horรกrios: Segunda a Sexta-feira 08:30 รกs 18:30, Sรกbados 09:00 รกs 13:00 | www.aimarmoveis.com.br


ARQUITETURA SUSTENTÁVEL

IMÓVEL DE AÇO

116

VITRINNI

EDIÇÃO | 7


CONTAINERS

ARROJADOS E SUSTENTÁVEIS, CONTAINERS SÃO ÓTIMA OPÇÃO PARA PROJETOS RESIDENCIAIS, COMERCIAIS E INDUSTRIAIS Por Fábio Barbosa

Projeto: Container Guest House Escritório: Poteet Architects Fotografia: Chris Cooper

EDIÇÃO | 7

VITRINNI

117


ARQUITETURA SUSTENTÁVEL

Projeto: Container Guest House Escritório: Poteet Architects Fotografia: Chris Cooper

118

VITRINNI

EDIÇÃO | 7


CONTAINERS

Foto: Mito Covarrubias

Projeto: Casa Huiini Escritório: S+ diseño Fotografia: Mito Covarrubias

EDIÇÃO | 7

Foto: Mito Covarrubias

Foto: Mito Covarrubias

V

ocê já se imaginou morando ou trabalhando em um container? O que para muitos pode parecer estranho, para outros pode ser uma ótima oportunidade de otimizar custos e minimizar impactos ambientais. A primeira imagem que vem a cabeça de alguém que pensa em um container, na maioria das vezes, é de uma grande caixa de aço utilizada para transporte de cargas ou até mesmo como banheiro portátil de grandes eventos. Mas esse conceito tem mudado nos últimos anos. Cada vez mais arquitetos, e seus clientes, tem buscado nesse tipo de estrutura uma alternativa arrojada e sustentável de imóvel residencial ou comercial. No Brasil ainda são pouco aproveitados para essa finalidade. É mais comum vê-los como depósitos em obras da construção civil. Mas em países da Europa, Estados Unidos e Austrália já são utilizados em projetos grandiosos, com vários andares e metragens variadas, que não deixam nada a desejar a luxuosas mansões. Vários podem ser os benefícios da utilização desse tipo de estrutura, como explica o arquiteto Paulo Renato Lemes. De acordo com Paulo, a sustentabilidade é premissa básica dos bons projetos arquitetônicos e o uso dos containers vai totalmente de encontro com essa finalidade. “A produção de arquitetura com containers se insere neste contexto como alternativa para substituir construções convencionais, como a alvenaria, por exemplo, que ainda produz uma grande quantidade de entulhos e desperdícios em seus processos. Por se tratar de um material industrializado, o container apresenta como principal vantagem a propriedade reciclável do aço, o que o torna um sistema construtivo passível de adaptações para diversos tipos de demandas de implan-

tação, como moradias fixas ou móveis por exemplo.” Outro impacto ambiental positivo da utilização dos containers é o não descarte inapropriado do material após o uso convencional, que é o transporte de mercadorias. Essas questões ambientais tem chamado a atenção de compradores preocupados com a sustentabilidade, mas que também buscam um imóvel diferenciado e arrojado. A versatilidade é mais uma grande vantagem desse tipo de arquitetura. Os containers podem ser utilizados não apenas na construção de casas convencionais, com sala, cozinha, banheiros e quartos, mas como boa opção para quem pretende implantar apenas um cômodo no imóvel que já possui, como uma sala de ginástica, de jogos ou uma cozinha na área externa. “É possível encontrar projetos e edificações em containers de usos diversos, como blocos VITRINNI

119


ARQUITETURA SUSTENTÁVEL

Projeto: Casa Huiini Escritório: S+ diseño Fotografia: Mito Covarrubias

120

VITRINNI

EDIÇÃO | 7


CONTAINERS

de apartamentos, escritórios e residências. O método pode ser aplicado também como estrutura mista, em conjunto com outros tipos de sistemas construtivos, o que aumenta a gama de possibilidades de projetos”, salienta Paulo. No caso de utilização para fins comerciais ou industriais, a praticidade e facilidade de locomoção dos containers podem ser fundamentais para o sucesso e longevidade do negócio. Se o local escolhido pelo empresário não apresenta o retorno esperado, ele pode leva-lo para outro ponto através de caminhões ou carretas. Claro que essa flexibilização depende muito do projeto escolhido. Custo e prazo menores para conclusão da obra também contam a favor do processo. “O uso deste sistema pode gerar uma economia de até 25% em relação aos sistemas convencionais. Mas, é necessário ter o controle de todas as etapas, desde a compra do container até sua adaptação para que se tenha um resultado satisfatório e viável”, explica Paulo. O tempo de conclusão de uma obra com container também é inferior aos padrões utilizados na alvenaria, variando de acordo com a metragem escolhida. A escolha de um imóvel, seja residencial ou comercial, com a utilização de containers exige mão de obra especializada e muitos cuidados em sua execução. Tudo começa com a escolha correta do modelo de container a ser utilizado na obra, já que há mais de um tipo disponível no mercado. O projeto arquitetônico deve ser detalhado e prever todos os sistemas que serão implantados na estrutura. O revestimento externo pode ser executado com pintura em tinta reflexiva, para promover maior reflexão de raios solares e melhorar o conforto térEDIÇÃO | 7

Projeto: Casa Container Arquiteto: Paulo Renato Lemes Mockup: Paulo Renato Lemes

mico. Na cobertura o ideal é realizar o controle da temperatura interna com jardins ou mantas reflexivas. As instalações elétricas e hidráulicas podem ser feitas aparentes ou embutidas em forro. Os revestimentos internos devem ser previstos com materiais que promovam o isolamento térmico e acústico, como drywall, wood frame e painel de MDF. Os pisos podem ser os mesmos utilizados em construções convencionais, como porcelanatos, cerâmicos, laminados ou vinílicos. Paulo ressalta ainda a flexibilidade social que esse tipo de moradia pode ter. “O container pode ser aplicado em projetos de diferentes tipologias e classes, devido a sua inerente flexibilidade e praticidade de uso. Pode ser utilizado em habitações de interesse social, por seu custo e caráter de padronização industrial, bem como em residências de médio e alto padrão. Sua aparência de acabamentos industriais garante visual contemporâneo à arquitetura proposta, o que o torna esteticamente democrático dentro das tendências atuais. O sistema pode ser utilizado também em alguns ambientes e edificações corporativas, institucionais e fabris, quando adaptado corretamente as necessidades específicas de cada tipo de uso.”missa básica dos bons projetos arquitetônicos VITRINNI

121


VITRINNI PRODUTO - H.STERN

H.Stern

ECLIPSE Pendente de ouro amarelo e Ouro Nobre com diamantes cognac

Joalheria que tem estrela no nome, resgata Seu maior ícone para celebrar seus 70 anos Uma odisseia no tempo e no espaço deu origem a GENESIS H.STERN, nova coleção de joias que retrata estrelas e outros mistérios do Céu Para celebrar seus 70 anos de história (1945-2015), a H.Stern retorna à sua genesis e resgata a estrela, sinônimo de Stern em alemão e ícone da marca, além de outros astros para criar uma coleção memorável, que representa graficamente os mais fascinantes fenômenos celestes. Uma viagem no tempo levou a equipe de criação da joalheria a desvendar a relação milenar de sedução entre o homem e as belezas do céu. Uma história de mais de 30.000 anos envolvida em mistério, curiosidade e descobertas incríveis. O resultado desta profunda imersão nas principais representações gráficas do que foi observado no céu ao longo da história foi transformado pela H.Stern em joias de ouro e diamantes. Além da estrela e suas variadas composições e agrupamentos, constelações, cometas e eclipses ganharam forma em diferentes linhas de joias, que combinam o eterno

H.STERN HALLEY Brincos de Ouro Nobre com diamantes cognac

charme do estilo vitoriano com o approach arrojado do design contemporâneo H.Stern. O primoroso acabamento, tanto na superfície quanto na parte interna das joias, é a assinatura indelével da H.Stern. Preciosos detalhes conduzidos pelas mãos dos habilidosos

SERVIÇO

artesãos na cravação dos diamantes conferem à coleção H.Stern um inequívoco caráter de celebração pelos 70 anos da marca, que segue surpreendendo ao equilibrar a ousadia do design à sua tradição de décadas de expertise joalheira.

122

VITRINNI

SIRIUS Anel de Ouro Nobre com diamantes cognac

www.hstern.com.br SAC: 0800.022.7442

EDIÇÃO | 7


FOTO: CELSO MELLANI


MODA BRASILEIRA

REINALDO LOURENÇO O P O E TA D A S PA S S A R E L A S Da Redação

HISTÓRIA Filho de professores, Reinaldo Lourenço nasceu em 1960, em Presidente Prudente, interior de São Paulo. O gosto pela moda surgiu quando ainda era criança. Sempre teve admiração pela mãe, que costurava, e pela costureira da família. Aos 10 anos 126

VITRINNI

de idade começou a vender lenços de confecção própria na escola. Com 15, passou a fazer roupas para os amigos e tinha um pequeno estoque em casa. A atitude rock’n roll, e astros como James Dean e David Bowie, sempre serviram como inspiração, tanto nas peças quanto no estilo pessoal. Só vestia roupas pretas, sapatos de bico fino e topete. Aos 18 anos se mudou para a capital paulista, onde mergulhou de vez no mundo da moda. Reinaldo iniciou a carreira como assistente da estilista Glória Coelho, com quem viria a se casar anos mais tarde. Também trabalhou como produtor da consultora de moda Constanza Pascolato, uma referência no assunto. A formação profissional foi na França, onde estudou no Studio Berçot, um dos mais renomados quando o assunto é moda. Já em 1984 lançou a própria marca e criou uma linha de camisetas para a Hering, além de desenvolver uma coleção de joias. Hoje possui lojas que levam seu nome no bairro dos Jardins, em São Paulo, além de vender suas criações em mais de 120 lojas multimarcas e butiques brasileiras e de países como Estados Unidos, França, Itália, Inglaterra e Japão. A marca é uma das favoritas de celebridades como Débora Bloch, Alinne Moraes, Carolina Ferraz e Malu Mader.

Foto: Bob Wolfenson

C

lássico e moderno. Versátil e único. Elegante e casual. Vários adjetivos podem descrever as peças criadas por Reinaldo Lourenço, um dos mais criativos e conceituados estilistas brasileiros. Mas uma coisa é fato, as roupas criadas por ele são feitas para mulheres contemporâneas que gostam de moda e têm prazer em se vestir, usando as palavras do próprio estilista. A versatilidade e elegância das peças, que valorizam qualquer produção, são verdadeiramente sua marca registrada. Reinaldo ainda acredita que o conforto das roupas é essencial. “Há um novo tipo de elegância, mais despojada e descontraída. A mulher não tem de se preocupar tanto em ficar perfeita, com a roupa perfeita, o cabelo e a maquiagem perfeitos. Ela pode sair do trabalho e ir a uma festa ou ao teatro com a mesma roupa. A elegância está muito mais na alma da pessoa do que em qualquer outra coisa.”

EDIÇÃO | 7


REINALDO LOURENÇO

VITRINNI

127


Foto: Gustavo Scatena/Agência Fotosite

Fotos desfile Reinaldo Lourenço: Agência Fotosite

MODA BRASILEIRA

As roupas criadas por Reinaldo Lourenço são feitas para mulheres contemporâneas que gostam de moda e têm prazer em se vestir, de acordo com o próprio estilista.

CRIAÇÃO As inspirações e o processo criativo não se limitam. Tudo que o inspira, vai para um bloco de anotações. “Rabisco tudo neste caderno. Tem minha vida aqui”, explica Reinaldo. O estilista busca referências no dia a dia, como quando criou uma coleção baseada em carros dos anos 60 depois de bater o próprio automóvel. Na internet vê tudo o que é postado no Instagram, e o que já foi moda também é inspiração, como a coleção de trajes de outras décadas e séculos que mantém em casa. Perfeccionista assumido, Reinaldo também é defensor do desenvolvimento da economia criativa no país. Os produtos são totalmente feitos no Brasil com tecidos e materiais de qualidade, que passam pelas mãos de quem entende do assunto. “Só depois de muitas provas, quando a peça está com caimento perfeito, que aprovamos. As mulheres que vestem a minha marca sabem que minha roupa tem história e um cuidado com a modelagem, costura e acabamento.” Depois de décadas de dedicação exclusiva ao universo feminino, o estilista criou peças masculinas para a Daslu em 2013 e hoje também assina uma coleção de calçados. Reinaldo ainda participou de todas as edições da São Paulo Fashion Week. A qualidade e o profissionalismo já lhe renderam prêmios como o Prêmio Phytoervas Fashion de Melhor Coleção, o Prêmio Abit Fashion Brasil de Melhor Coleção Feminina e o Prêmio Abit Fashion Brasil de Melhor Campanha Publicitária. FAMÍLIA A relação com Glória Coelho começou em 1982, quando se conheceram em um réveillon em Presidente Prudente. Glória ainda era casada, mas três anos depois os dois se uniram e viveram juntos por 21 anos. 128

VITRINNI

As tradições e o folclore das cidades portuguesas inspiraram a coleção inverno 2016 do estilista.”

EDIÇÃO | 7


REINALDO LOURENÇO

A reinterpretação das rendas e dos azulejos portugueses é de encher os olhos. O azul e o vermelho realçam o grafismo das estampas, explorado pelo efeito de ilusão de óptica.

EDIÇÃO | 7

VITRINNI

129


Fotos: divulgação

Fotos desfile Reinaldo Lourenço: Agência Fotosite

MODA BRASILEIRA

“Perfeccionista assumido, Reinaldo também é defensor do desenvolvimento da economia criativa no país. Os produtos são totalmente feitos no Brasil com tecidos e materiais de qualidade, que passam pelas mãos de quem entende do assunto.

Depois da separação, Reinaldo teve que reaprender a ficar sozinho. Mudou de casa e reorganizou a carreira e vida pessoal. “Cheguei a um momento em que precisava me conhecer, estar comigo mesmo e me encontrar.” O estilista é apaixonado por arquitetura. Essa com certeza seria sua profissão se não tivesse seguido o caminho da moda. Canceriano, outro interesse que possui é a astrologia, que surgiu com o nascimento do filho Pedro. Aliás, Pedro segue os caminhos dos pais. “Ele quis ser estilista e isso aconteceu de forma natural. O primeiro desfile que fez, quando tinha só 12 anos, recebeu muitas críticas. Disse para ele se acalmar e ir em frente. Ele conseguiu.” INVERNO 2016 A beleza e o charme de Portugal transformados em moda pelas mãos e criatividade de um dos estilistas mais admirados do Brasil. Reinaldo Lourenço passou algumas semanas em terras lusitanas, onde visitou lugares como Lisboa, Porto, Sintra e Alentejo. A estadia resultou em mais de duas mil fotos e inúmeras inspirações. As tradições e o folclore do país serviram de base para elementos modernos e contemporâneos nas peças apresentadas nas passarelas e que, nas próximas semanas, poderão ser vistas nas ruas. A coleção foi uma das mais aplaudidas na SPFW. A reinterpretação das rendas e dos azulejos é de encher os olhos. O azul e o vermelho realçam o grafismo das estampas, explorado pelo efeito de ilusão de óptica. As saias pregueadas com tiras revelam estampas diferentes e cores complementares. A marca registrada do estilista, a cor preta, pode ser vista em delicados vestidos com bordados de paetês. A silhueta slim, calças retas, saias midi, uma bela camisaria e paletós com cortes impecáveis fecham a última coleção apresentada nas passarelas. 130

VITRINNI

A marca do estilista, a cor preta, pode ser vista em delicados vestidos com bordados de paetês. A silhueta slim, calças retas, saias midi, camisaria e paletós com cortes impecáveis fecham a última coleção apresentada nas passarelas.

EDIÇÃO | 7


OLHOS E LENTES

Fotos: Eber Moscheto

URUGUAI

A grandeza de um país não pode ser medi-

da e o consumo da cannabis; o segundo a conce-

da apenas pelas suas extensões territoriais ou

der direito de voto às mulheres, além de muitas

tamanho de sua população. O Uruguai é exem-

outras iniciativas que fizeram a revista britânica

plo em pioneirismo para America Latina, como:

The Econimist classifica-lo como - O país do ano

primeiro país a legalizar o divórcio, a união civil

em 2013 - “com suas reformas inovadoras, que,

entre pessoas do mesmo sexo, o cultivo, a ven-

se imitadas, poderiam beneficiar o mundo”; assim


Fotos: Celso Mellani

podemos encontrar outros exemplos na arte, arquitetura e economia. Nos detalhes destas imagens, um passeio por alguns lugares onde perce-

CELSO MELLANI

bemos essas ousadias, como a Ponte ondulada,

FOTÓGRAFO

Casapueblo, Aeroporto Internacional de Carrasco e a tradição sendo refletida na modernidade.

MELL ANI.COM.BR


OLHOS E LENTES

PAVLOVIC

Francisco Pavlovic, nasceu no ano de 1892 na pequena

havia emigrado. Entre os anos de 1923 e 1966, Pavlovic

cidade Postojna, na Eslovênia, vindo a cursar a Escola Su-

atuou principalmente como pintor-decorador de igrejas,

perior de Artes Aplicadas, na cidade de Viena, na Áustria.

sendo o responsável pela decoração interna de 13 Igrejas

Chegou a ser prisioneiro em um campo de concentração por dois anos, após ser capturado pelo exército

brasileiras, 12 delas estão no interior do estado de São Paulo e uma na cidade de Rolândia, no Paraná.

russo durante a Primeira Guerra Mundial, mas após ser

A partir de 1966, quando já contava 74 anos de idade,

libertado mudou-se para o Brasil no ano de 1923, in-

Pavlovic passa a se dedicar à pintura de quadros, utilizan-

fluenciado pelas cartas que recebia de seu irmão que já

do as técnicas de óleo sobre tela e óleo sobre madeira, re-


Fotos: Eber Moscheto

tratando frequentemente temas como flores e paisagens

A S F O T O S A P R E S E N TA D A S R E T R ATA M O

naturais. Faleceu no dia 21 de setembro de 1981, já com 88

I N T E R I O R D A I G R E J A M AT R I Z D E “ N O S S A S E N H O R A D A S D O R E S ” D E AVA R É .

anos de idade, na cidade de Oriente. Foi sepultado, contudo, no Cemitério Municipal da cidade de Cafelândia. Seus trabalhos no interior de São Paulo podem ser conferidos nas cidades de Aparecida de São Manuel, Araras, Avaré, Birigui, Cafelândia, Descalvado, Dourado, Guarantã, Marília, Matão, Pirajuí e também em Pirassununga.

EBER MOSCHE TO FOTÓGRAFO


VIDA E ARTE

Fotos: Eber Moscheto

EXÓTICOS

A natureza intrigante do reino animal, a

iguanas, corujas, araras, camaleões entre outros

excentricidade de cada espécie com suas cores,

animais em uma conjunção de traços minuciosos

formas e comportamentos distintos fazem de al-

e cores vibrantes que trazem para suas obras um

guns deles EXÓTICOS e cheios de curiosidades.

visual sempre alegre e muito instigante.

Foi assim que nasceu a inspiração da mais recente série da artista plástica Regina Moscheto, são

”É impossível contemplar a exuberância desses animais sem ser preso pela sua magia!”


Imagem: Regina Moscheto

I N F O R M A Ç Õ E S D E C O N TAT O

REGINA MOSCHE TO A R T I S TA P L Á S T I C A

REGINAMOSCHE TO@UOL.COM.BR W W W. FA C E B O O K .C O M /R E G I N A . M O S C H E T O REGINAMOSCHE TO.COM.BR


V I T R I N N I

S O C I A L

Fotos desta página: Danny Pagani

POR DANNY PAGANI & MAYARA PE TERSEN

1

4

140

2

3

5

6

7

VITRINNI

EDIÇÃO | 6


Fotos desta página: Danny Pagani

ACOMPANHE QUEM É DESTAQUE NOS EVENTOS LANÇAMENTO VIVAZ HOME RESORT 1. Izabel Alvares, Lucas Furtado e Cristiano Oliveira. 2. Jeff Previero , Izabel Alvares e Marilete Cândido de Mattos.

9

OPEN OFFICE ARTEMIS FONTANA 3. Marcia, Doumit e Artemis Fontana. 4. Artemis Fontana, e Edson Mortari. 5. Casal Celia e Salvador Cronka e Artemis Fontana. 6. Fabiane Buzalaf Zopone, Claudio Zopone e Artemis Fontana. 7. da esquerda para a direita Raissa Brega, Roger Asano, Suzana Pompei, Marcio Malva Laiza Carrilho e Artemis Fontana e Marina Terciotti. LANÇAMENTO COLEÇÃO OUTONO / INVERNO 2016 DRESS TO

10

8

8. Maria Helena Maro nezi e Danielle Augusto Zacaib de Oliveira. LANÇAMENTO COLEÇÃO OUTONO / INVERNO 2016 AREZZO BAURU SHOPPING 9. Cristiane Garmes, Sandra Mattos, Luciene Galbiatti Martins e Gisele Pires. 10. Patricia Mello Fornazari, Erica Della Barba Amantini, Lidia Maria Maltino e Luciana Camargo de Oliveira.

11

11. Sandra Mattos, Ana Claudia Lorenzetti Teixeira Mattos e Erica Della Barba Amantini.

12

12. Erica Della Barba Amanatini e Yara Della Barba. 13. Andréa Simonetti e Sandra Mattos. LANÇAMENTO COLEÇÃO OUTONO / INVERNO 2016 JORGE BISCHOFF 14. Pericles e Chris Sória Vaz Silva e seus filhos. 15. Aline Azenha, Sandra Azenha e Chris Sória Vaz Silva. INAUGURAÇÃO L’BEL COSMÉTICOS 16. Eduardo e Yumi Horikawa.

13

14

17. Inês ALmeida e Yumi Horikawa.

DANNY PAGANI 15

EDIÇÃO | 6

16

17

facebook.com/dannypaganifotografia Telefone: (14) 99108-3672 Email: danny.pagani@gmail.com

VITRINNI

141


Fotos desta página: Danny Pagani

18

19

21

22

23

24

25

26

142

VITRINNI

20

EDIÇÃO | 7


Fotos desta página: Mayra Petersen

ACOMPANHE QUEM É DESTAQUE NOS EVENTOS LANÇAMENTO DE COLEÇÃO INVERNO 2016 DA CAMILA KLEIN NA JADE

28

18. Camila klein e Cynthia Garrido. 19. Ana Claudia Conti , Radisllene Baessa Bastos, Cynthia Garrido e Carmen Lucia Alvarez. 20. Mara Algodoal, Cynthia Garrido, Maria Neiva Nunes e Cassiana Garms. 21. Maria Ines Sander, Cynthia Garrido e Isabel Algodoal. 22. Júlia Sacchi, Cynthia Garrido, Rosane Sacchi, Camila Klein e Vi Ohki.

29

27

LANÇAMENTO COLEÇÃO NATURAL, CLÁSSICO E URBANO PORTINARI 23. Joice Pretel e Marcia Piotto. 24. Alexandre Haralampidis, Joice Pretel, Fagner Mendes Gava, Marcos Caracho e Artemis Fontana. NATAL SOLIDÁRIO PORTOBELLO SHOP 25. Ricardo Macegoza e Dionizio Ferraz

31

32

LANÇAMENTO DE COLEÇÃO OUTONO / INVERNO 2016 SANTA LOLLA 26. Maria Elisa Galicia e equipe. LANÇAMENTO SW4 2016 DA TOYOTA MORI MOTORS 27. Equipe Mori Motors Toyota. 28. SW4 - 2016. PRIMEIRA PREMIAÇÃO QUADRIMESTRAL ARQUITETO DE OURO - POLO BAURU

30

29. Evandro Pullini e Mario Lauris. 30. Giovanna Horta. 31. Ricardo Macegoza e Heloisa Losi. 32. José Valério Neto , Marcia Valerio e Claudia Siscar. 33. Ana Paula e Heloisa Losi. 34. Evandro Pullini, Ana Paula Antoniazzi, Marister Moraes e Eliel Barros.

33

LANÇAMENTO COLEÇÃO 2016 VILLA NOVIA

35

35. Wanessa Gonçalves e Gustavo Barretto. 36. Larissa Luz Cordeiro. 37. Alessandra Quinaglia e Wanessa Gonçalves.

MAYARA PETERSEN 34

EDIÇÃO | 7

36

37

facebook.com/fotografamayarapetersen Telefone: (14) 99793-3554 Email: mayarapetersen@live.com

VITRINNI

143


VITRINNI NA WEB

VITRINNI

LANÇAMENTOS EM CASA: PRIMA CINEMA Aqueles que não gostam de ir ao cinema e enfrentar filas podem assistir aos principais lançamentos de Hollywood direto de casa. Isso, é claro, se o usuário tiver US$ 35 mil sobrando. O Prima Cinema é uma espécie de Netflix que permite ter em casa um filme no mesmo dia em que ele estreia nos cinemas.

ON

LINE

ARQUITETURA, ARTE, DESIGN, CULTURA, ESPORTE, CULINÁRIA, MODA E MUITO MAIS

A CIDADE QUIE INSPIROU OS BEATLES Faça um tour por Liverpool, cidade britânica onde surgiram os Beatles. Muitos pontos da cidade natal do quarteto estão ligados ao grupo, principalmente ao início de sua carreira. É legal fazer o passeio com a discografia completa no mp3 ou até no celular, para ouvir as canções inspiradas nos locais da cidade.

REVISTAVITRINNI.COM.BR

PRÊMIO PRITZKER: ARQUITETURA JAPONESA O Japão pode reivindicar seis vencedores do Prêmio Pritzker, mais do que qualquer outro país, exceto os EUA. A influência que dois deles, Toyo Ito e SANAA, exercem sobre a próxima geração de arquitetos japoneses será explorada no MoMA em “A Japanese Constellation: Toyo Ito, SANAA, and Beyond”.

144

VITRINNI

PRÊMIO LOEWE CRAFT: PREMIAÇÃO PARA ARTESÃOS MODERNOS POP-UP HOUSE: MORADIA CONSTRUÍDA EM APENAS QUATRO DIAS Quatro dias e uma chave de fenda sem fio são tudo que você precisa para construir a estrutura de um Pop-Up House. A casa, compilado de isolar blocos e painéis de madeira, proporciona um isolamento

térmico acessível como você nunca acreditaria. O Pop-Up House é um conceito inovador que pretende desafiar a casa da construção passiva e tem todas as qualidades desejadas para as construções do futuro.

A marca de luxo Loewe anunciou o Prêmio Loewe Craft, uma iniciativa para mostrar obras de artesãos que reinterpretam o artesanato tradicional com toques contemporâneos. A premiação reconhecerá uma peça que não é apenas esteticamente agradável e funcional. O projeto vencedor também deve ser relevante para o contexto contemporâneo.

EDIÇÃO | 6


Revista Vitrinni #7  

Estilo de vida, arquitetura, Escritório Albiero e Costa, turismo, moda e muitos outros assuntos!

Revista Vitrinni #7  

Estilo de vida, arquitetura, Escritório Albiero e Costa, turismo, moda e muitos outros assuntos!

Advertisement