Issuu on Google+

Sábado e Domingo

ões neiro

260 180

25 E 26 DE JANEIRO DE 2014

grama

7 pedras o Pinhal

udica Curiúva

ANO XIX - N0 2556 - R$ 1,00

DIRETOR: BENEDITO FRANCISQUINI

www.tribunadovale.com.br

CORNÉLIO PROCÓPIO

Governo anuncia ações para saúde no Norte e Norte Pioneiro AEN

AÇÃO

Justiça determina penhora de bens da TIM em R$ 25 milhões A Justiça do Maranhão determinou a penhora dos bens da TIM no valor de R$ 25 milhões. A decisão, segundo o Ministério Público do Maranhão, visa garantir o pagamento de indenizações por dano moral coletivo aos consumidores que se dizem lesados por quedas de sinal e interrupção de ligações. A TIM também fica proibida de habilitar novas linhas. Caso descumpra as decisões, a empresa deverá pagar multa diária de R$ 100 mil. A operadora também deverá apresentar, em um prazo de 20 dias, uma listagem completa dos usuários do Plano Infinity, com a data de adesão e de saída a partir de 29 de março de 2009. A lista deverá ser usada para o eventual cumprimento da sentença. f

PÁG. A3

LOCAL

Colisão entre carro e moto deixa uma pessoa ferida f

PÁG. A3

Michele Caputo Neto esteve ontem, 24, em Cornélio Procópio

O secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, esteve em Cornélio Procópio ontem, 24, e anunciou um conjunto de ações para qualificar a rede pública de saúde na região do Norte Pioneiro. São investimentos em hospitais, centros de especialidades e unidades de saúde. O secretário também entregou aos municípios equipamentos para implantação do programa Telessaúde e veículos de apoio à área de vigilância em saúde. Também foram entregues 18 veículos adquiridos com recursos do programa VigiaSUS, de qualificação da vigilância em saúde. Em 2013, os 21 municípios da região receberam R$ 1,3 milhão para custeio das atividades e investimentos. f PÁG. A8

RIB. DO PINHAL

Homem quebra viatura depois de ser preso com drogas

Antônio de Picolli

Ricardo Fernandes Alves, 29, foi preso em flagrante pela Polícia Militar na noite de quinta-feira (23), em Ribeirão do Pinhal, acusado de tráfico de drogas, desacato, ameaça e dano ao patrimônio público. Com o suspeito os policiais encontraram um cigarro de maconha e sete pedras de crack. Ao receber voz de prisão, o acusado começou a desacatar e ameaçar as equipes e tentou resistir à prisão. Depois de ser imobilizado e colocado no camburão, Alves quebrou com um chute um dos vidros e a grade da viatura da Rotam que o conduzia para a delegacia. f

PÁG. A5

Viatura teve o vidro quebrado após resistência e chute de Ricardo Alves


A-2 Atas & Editais

“

TRIBUNA DO VALE SĂĄbado e domingo, 25 e 26 de janeiro de 2014

“

KƋƾĞĆ?Ĺ?Ĺ?ĹśĹ?ÄŽÄ?Ä‚ƋƾĞŜĂĚĂŜŽĆ?ĹŻĹ?Ç€ĆŒÄ‚ĚĂĆŒÄžĆ‰ÄžĆ&#x;ĕĆŽ͕ĞžĆ‰ĆŒÄ‚ÇŒĹ˝Ć?Ä?ĆľĆŒĆšĹ˝Ć?Í•ĚĞĞƉĹ?Ć?ſĚĹ?Ĺ˝Ć?Ĺ?ĚĥŜĆ&#x;Ä?Ĺ˝Ć?ŽƾžĂĹ?Ć?Ĺ?ĆŒÄ‚Ç€ÄžĆ?ƋƾĞĹ˝Ć?ŜŽĆ&#x;Ä?Ĺ?ĂĚŽĆ?ŜŽĆ? ơůĆ&#x;žŽĆ?ÄšĹ?Ä‚Ć?͘Í&#x; Editorial

Ć?ƚĂžŽĆ?ÄžĹśĆšĆŒÄ‚ĹśÄšĹ˝ŜŽsÄžĆŒÄ†Ĺ˝Í•Ć‰ÄžĆŒĹ&#x;ŽĚŽĚŽĂŜŽŜŽƋƾĂůÄ Ć‰ĆŒÄžÇ€Ĺ?Ć?ƚŽĹ˝ ĂƾžĞŜƚŽĚĂĹ?ĹśÄ?Ĺ?ĚĥŜÄ?Ĺ?Ä‚ÄžĚĂĹ?ŜƚĞŜĆ?Ĺ?ĚĂĚĞĚĞÄ?ŚƾǀĂĆ?ĞžÄ‚ĹŻĹ?ƾžĂĆ? ĆŒÄžĹ?Ĺ?Ć ÄžĆ?ŜŽĆŒÄ‚Ć?Ĺ?ĹŻÍ&#x;

A RTIGO

E DITORIAL

Marco AntĂ´nio Villela de Abreu

Terror e horror nas prisĂľes É com horror que o paĂ­s acompanha a situação monstruosa dos presĂ­dios do MaranhĂŁo. As decapitaçþes de detentos vĂ­timas das brigas pelo comando entre as facçþes criminosas que habitam a penitenciĂĄria de Pedrinhas exprimem o caos vigente no sistema prisional da terra da famĂ­lia Sarney, mas, ao mesmo tempo, trazem outra vez Ă  luz que o caos estĂĄ presente tambĂŠm nos demais estados, incluindo o ParanĂĄ. Tido como exemplo de gestĂŁo por ter tirado dos xadrezes das delegacias milhares de detentos e os transferido para penitenciĂĄrias nas quais teriam sido criadas mais vagas, o ParanĂĄ estĂĄ longe de se apresentar como modelo. Que o digam as recentes rebeliĂľes, os guardas feitos de refĂŠns e a comprovação de que nossos presĂ­dios podem nĂŁo ter padrĂľes maranhenses, mas tambĂŠm apresentam sĂŠrios problemas. A distanciar-nos – para pior – do que se vĂŞ em outros lugares ĂŠ que, aqui, quem exerce poderoso e quase incontrolĂĄvel mando nas penitenciĂĄrias sĂŁo os “sindicatosâ€? de criminosos, inclusive os organizados sob o Primeiro Comando da Capital (PCC). Nascido em SĂŁo Paulo apĂłs o massacre do Carandiru, na dĂŠcada de 1990, com o suposto objetivo de proteger os presidiĂĄrios da violĂŞncia policial, o PCC se instalou tambĂŠm no ParanĂĄ, como recorda reportagem de ontem da Gazeta. Atribui-se Ă  facção os frequentes motins e atos de insubordinação Ă  disciplina interna vistos HORĂ RIO DE FECHAMENTO

22:10

nas penitenciĂĄrias do estado. A reação das autoridades diante de cada rebeliĂŁo ou ameaça tem sido a de obediĂŞncia Ă s determinaçþes dos prĂłprios presidiĂĄrios, como agora se viu com a transferĂŞncia de 40 detentos para prisĂľes do interior. Momentaneamente, a “pazâ€? ĂŠ restabelecida, mas nĂŁo hĂĄ mudanças visĂ­veis nos campos estrutural ou das polĂ­ticas prisionais. O que significa que nada nos livra da repetição, em prazos curtos, de episĂłdios idĂŞnticos ou mais graves que os noticiados nos Ăşltimos dias. QuestĂľes de fundo nĂŁo sĂŁo atacadas. HĂĄ o velho discurso inspirado no enciclopedista francĂŞs Jean-Jacques Rousseau, que dizia que “construir escolas ĂŠ fechar prisĂľesâ€?, mas pouco se faz efetivamente para cuidar da questĂŁo atual, real e cotidiana das nossas penitenciĂĄrias. É possĂ­vel que elas estejam superlotadas em razĂŁo da precariedade do sistema educacional – algo sobre o que os acadĂŞmicos podem discorrer com muita propriedade. Entretanto, nem se constroem escolas, nem se melhora a educação, e muito menos se investe na adoção de polĂ­ticas prisionais para superarouabrandarocaosexistente,criandomais vagas e assegurando condiçþes de sobrevivĂŞncia humana nas penitenciĂĄrias. Dentre as muitas distorçþes que levam ao desmando do sistema, com todos os seus horrores, encontram-se a omissĂŁo, a corrupção e a leniĂŞncia das prĂłprias autoridades – desde as

responsĂĄveis institucionais atĂŠ os mais simples carcereiros, alguns dos quais facilitam a entrada nos presĂ­dios de celulares, drogas e atĂŠ armas. Mas, a este conjunto de fatores, que evidencia a total falta de prioridade que o Estado dedica ao sistema prisional, soma-se a “cabeça do brasileiroâ€?, para quem a cadeia ĂŠ lugar onde criminosos devem pagar nĂŁo apenas com a privação da liberdade, mas tambĂŠm com toda sorte de sofrimentos, com maus-tratos e atĂŠ com a morte. EstĂĄ justamente no livro que leva o tĂ­tulo de A cabeça do brasileiro o registro estatĂ­stico sobre como a população encara o crime e os criminosos. Segundo descreve seu autor, o cientista polĂ­tico Alberto Carlos Almeida, quatro em cada dez brasileiros consideram sempre correto, ou correto na maioria das vezes, que condenados por estupro sejam tambĂŠm violentados no interior das cadeias – situação demonstrativa da pouca importância que a população dĂĄ aos horrores e ao desespero imperantes nos presĂ­dios infectos e superlotados. Para muitos, infelizmente, defender que o criminoso condenado tenha nĂ­veis mĂ­nimos de dignidade na cadeia equivale a pedir supostos privilĂŠgios aos presos, o que trava a discussĂŁo. Por isso, convenhamos, investir em prisĂľes nĂŁo rende votos e, consequentemente, os polĂ­ticos pensam tĂŁo pouco neste assunto – a nĂŁo ser quando das emergĂŞncias horrĂ­veis como as que hoje presenciamos.

C HARGE

chargeonline.com.br

NESTA EDIĂ‡ĂƒO TEM

08 PĂ GINAS CADERNO PRINCIPAL - OPINIĂƒO - POLĂ?TICA - GERAL - CIDADES - COTIDIANO - ESPORTES - AGRONEGĂ“CIO

A 01 - 08 A 02 A 03 A 04 A 05 A 06 A 07 A 08

PREVISĂƒO PARA HOJE

260 180

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA

A RTIGO Francisca Paris

Por uma semana pedagógica de fato transformadora Neste início de ano, todo gestor educacional certamente jå estå se preparando para o ano letivo. Fazem parte dessa lista de açþes, provavelmente, uma semana pedagógica, um curso, um evento, que marcarão a volta dos professores e o início do ano letivo. Claro, não hå nada de errado em realizar momentos de formação como esses. Ocorre que muitas vezes tais semanas acontecem de modo inercial, formal, sem muita reflexão, foco e conexão com a realidade da escola. A consequência Ê que se alocam tempo e recursos que poderiam ser mais bem utilizados. Por isso, aqui seguem algumas dicas para quem quer transformaçþes mais efetivas na vida escolar. A primeira questão, que deveria ser óbvia, Ê sobre o contexto em que acontecem as semanas pedagógicas. São eventos isolados ou fazem parte de um plano geral de formação? Se sua escola não tem uma política de formação continuada, com começo, meio e fim, estå na hora de começar a pensar nisso. Não Ê um evento isolado no começo do ano que garantirå qualquer melhoria mais profunda em seu

corpo docente e na instituição de ensino. Pense que a semana pedagógica deve responder a questþes de sua realidade. Quais são os dilemas que sua instituição vive? O que Ê necessårio melhorar? Para que direção você, gestor, gostaria de sinalizar, escolhendo este ou aquele tema, este ou aquele palestrante? Essa intencionalidade deve fazer parte da ação formativa que serå proposta aos professores. Uma vez definidos o tema e a abordagem esperada, não se preocupe em contratar os palestrantes mais renomados. Pense no resultado que espera e procure especialistas que tenham experiência de sala de aula, que saibam conciliar teoria e pråtica. Pense tambÊm no formato do evento. Muitas vezes, uma oficina pode ser mais indicada que uma palestra – se o tema for, por exemplo, ligado à tecnologia. Outras vezes, dinâmicas são indicadas. Isso tambÊm depende do resultado que você espera colher: formação, motivação, trabalho em equipe etc. Lembre-se de que sua escola não Ê composta apenas de docentes. A formação deve

TRIBUNA DO VALE

O DiĂĄrio da nossa regiĂŁo - Fundado em agosto de 1995 Editora Jornal Tribuna do Vale LTDA CNPJ 01.037.108/0001-11 Matriz: Rua Tiradentes 425, Centro Santo AntĂ´nio da Platina, PR Fone/Fax: 43 3534 . 4114

Marco AntĂ´nio Villela de Abreu

Diretor ResponsĂĄvel Benedito Francisquini - MTB 262/PR tribunadovale@tribunadovale.com.br tribunadovale@uol.com.br

ter um olhar específico para o corpo de gestores (como o diretor, o coordenador, os orientadores, enfim, as principais lideranças). É importante pensar em situaçþes de formação focadas nos gestores, que têm um papel insubstituível em qualquer processo de aprimoramento ou mudança. Isso pode requerer ocasiþes reservadas, em outro tempo e espaço que precisam ser previstas. Por fim, lembre-se de que nenhum palestrante substitui a pessoa do gestor. É preciso haver um diålogo franco, olho no olho, entre os gestores e sua equipe. Os educadores esperam uma relação direta com as lideranças, o que certamente se refletirå no vínculo que têm com a instituição. Essas são apenas algumas reflexþes, e cada gestor pode escolher aquelas que se aplicam melhor à sua própria realidade. Mas hå algo que diz respeito a todos: muitas vezes, preocupamo-nos em trazer formadores externos e nos esquecemos de nos certificar se nossa equipe conhece bem, pelo menos, o projeto pedagógico de nossa própria escola. Não conhece? Pois, então, a hora Ê esta.

Representação: MERCONET Representação de Veículos de Comunicação LTDA Rua Dep. Atílio de A. Barbosa, 76 conj. 03 - Boa Vista - Curitiba PR Fone: 41-3079-4666 Œ Fax: 41-3079-3633 Vendas Assinatura Anual R$ 200,00 Semestral R$ 100,00

ImpressĂŁo: GraďŹ Norte FONE: 43 3420-7777

Temporais e a rede elÊtrica Estamos entrando no Verão, período do ano no qual Ê previsto o aumento da incidência e da intensidade de chuvas em algumas regiþes no Brasil. Ao mesmo tempo em que essas chuvas são esperadas para encher rios e reservatórios, trazendo inúmeros benefícios, elas podem provocar danos extremos quando ocorre em forma de temporais acompanhados de descargas atmosfÊricas e rajadas de ventos que por vezes ultrapassam os 100 km/h. As profundas mudanças por qual passa o clima de nosso planeta tem evidenciado tempestades mais fortes, råpidas e devastadoras ao longo dos anos. Um desafio a mais para as empresas que trabalham com o fornecimento de energia elÊtrica nesta Êpoca do ano. Os danos causados pelos temporais podem provocar deslizamentos, inundaçþes e quedas de årvores que atingem a rede elÊtrica. AlÊm disso, as descargas atmosfÊricas e, sobretudo, os vendavais que arremetem toda sorte de materiais no sistema elÊtrico, comprometem o fornecimento de energia, seja no campo ou na årea urbana. No ano de 2012, o furacão Sandy, deixou pelo menos 2,5 milhþes de pessoas do leste dos Estados Unidos sem energia elÊtrica por mais de 15 horas. Em setembro deste ano, temporais atingiram alguns estados norte-americanos por cinco dias. As cidades do estado do Colorado foram as mais afetadas, com deslizamentos de terra, inundação das estradas e falta de energia. E recentemente, o tufão Haiyan, com ventos de 235 km/h, deixou cerca de 7 milhþes de desabrigados nas Filipinas. O Grupo CPFL vem experimentando, nas åreas de concessão de suas distribuidoras, fenômenos naturais similares. Um tornado que atingiu o município de Taquarituba, årea atendida pela CPFL Santa Cruz, em São Paulo, varreu parte da estrutura da rede de distribuição de energia na cidade. Imediatamente, uma força-tarefa foi estruturada pela empresa para que as equipes operacionais enfrentassem o cenårio caótico, que demandou a substituição de 37 postes e de mais de 17 quilômetros de fiação, dentre muitos outros equipamentos e estruturas que precisaram ser recompostos. Trabalho realizado em três dias. É importante salientar o apoio e a atuação fundamentais de instituiçþes como Prefeituras Municipais, Polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e concessionårias de rodovias, durante ocorrências críticas como essa. Para as redes elÊtricas, o efeito das tempestades Ê de grandes proporçþes, uma vez que os sistemas de transmissão e distribuição, no Brasil, em sua maioria, são aÊreos e, portanto, mais vulneråveis às condiçþes climåticas. Em todo o mundo essa solução Ê adotada, principalmente em razão dos altos custos envolvendo a implantação de redes subterrâneas, cerca de dez vezes mais caro. Para que a população sinta menos os reflexos das ocorrências, Ê essencial que as distribuidoras de energia tenham um plano de manutenção consistente, visando tornar o sistema mais robusto para suportar com confiabilidade o período de temporais. Partindo dessa premissa, as concessionårias do grupo CPFL têm implementado novos padrþes de rede elÊtrica e equipamentos menos suscetíveis às intempÊries, alÊm de soluçþes de monitoramento, tecnologia e gestão. Uma das açþes Ê a instalação do cabo multiplexado que, por ser isolado, reduz os desligamentos causados por objetos lançados pela força dos ventos. Outra tecnologia empregada com sucesso Ê o spacer cable, uma rede compacta, mais resistente à interferências externas e melhor convívio com a arborização. TambÊm são realizadas podas preventivas de galhos de årvores que estão próximos à rede elÊtrica, com critÊrios tÊcnicos para evitar agressþes desnecessårias, evitando, assim que o contato ocasione um desligamento ou coloque em risco a segurança da população. AlÊm disso, inovaçþes tecnológicas contribuem para melhorar o desempenho das equipes, reduzir o tempo de desligamentos e atÊ prever a intensidade de uma tempestade, como as chaves automatizadas, que atuam sempre que ocorre uma interrupção, proporcionando, em segundos, manobras na rede sem que seja preciso a intervenção humana. Hå tambÊm a utilização de equipamentos com localizador GPS, que permitem que os operadores visualizem com exatidão a localização dos veículos da equipe de campo. Com isso, identificam a equipe mais bem posicionada para atender determinada ocorrência, e o contato Ê todo feito por dados, em vez de voz, proporcionando mais exatidão, economia de tempo e de combustível nos deslocamentos e, consequentemente, um restabelecimento mais råpido e eficiente do serviço. No que diz respeito ao monitoramento das condiçþes climåticas, alÊm de manter parceria com instituiçþes especializadas, os Centros de Operaçþes das distribuidoras são equipados com sistemas que detectam a chegada de temporais, avaliam a intensidade e a amplitude das chuvas, ventos e regiþes de descargas atmosfÊricas, e apoiam as decisþes relacionadas à logística operacional, bem como possibilitam acionar com antecedência os planos de contingência de operação e atendimento. Tudo em questão de minutos. AlÊm de todo esse investimento, as distribuidoras, preocupadas com a segurança da população, realizam campanhas de preventivas, com orientaçþes como manter distância de janelas e portas metålicas ou se abrigar sob årvores durante tempestades, por exemplo. Com esse conjunto de açþes, esperamos contribuir para reduzir os impactos desses grandes temporais para a população, garantindo a todos um serviço prestado com qualidade, confiabilidade e segurança. Marco Antônio Villela de Abreu Ê diretor de Operaçþes de Distribuição da CPFL Energia Circulação: Abatiå Œ Andirå Œ Arapoti Œ Bandeirantes Œ Barra do JacarÊ ŒCambarå Œ Carlópolis Œ Conselheiro Mairink Œ FigueiraŒGuapirama Œ Ibaiti Œ Itambaracå Œ Jaboti Œ Jacarezinho Jaguariaíva Œ Japira Œ Joaquim Tåvora Œ Jundiaí do Sul Œ Pinhalão Œ Quatiguå Œ Ribeirão Claro Œ Ribeirão do Pinhal Œ Salto do ItararÊ ŒSantana do ItararÊ Œ Santo Antônio da Platina Œ São JosÊ da Boa Vista Œ SengÊs Œ Siqueira Campos ŒTomazina Œ Wenceslau Bråz

Filiado a Associação dos Jornais Diårio do Interior do Paranå

* Os artigos assinados nĂŁo representam necessariamente a opiniĂŁo do jornal, sendo de exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.

2 0XQLFtSLR GH $EDW KRPRORJDomRGRSURFHGLPH Âł5(*,6752'(35(d26

( -$5',1$*(0 $75$9 ('8&$d­2&8/785$( 6$Ò'(3Ò%/,&$6(&5(

352*5$0$'((55$',& $'0,1,675$d­2´SDUDD /7'$ (33 HVWDEHOHFLGD QD &HQWUR&LGDGHGH-DFDUH]LQ Q¾FRP H VHVVHQWD H WUrV UHDLV H 7$5'(/,0(HVWDEHOHFLG $PHULFDQD&LGDGHGH$QGLUi QR&13- YDORUGH5 YLQW &20e5&,2'((48,3$0( QD5XD)ORULDQR3HL[RWRQ¾ FLGDGH GH 6DQWR$QWRQLR G  LQVFULWD QR &13- VRE Q¾FRPYDOR H RLWR UHDLV  %5$= '( 3$ -RVp &DUYDOKR GH 2OLYHLUD 3DUDQi&(3LQV HVWDGXDOQ¾F PLOTXLQKHQWRVHYLQWHHXP $EDWLD±3DUDQiDRVYLQWH

9,$11$ 1266(/7' &13-1ƒ 2%-(726(59,d26' (/,03(=$'(&$,;$6 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0 '$7$'(6(7(0%5

081,&,3,2'(&$0%$

&13-1ƒ 2%-(725(*,6752' 3Ă’%/,&$ 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0 '$7$'('(=(0%5

081,&,3,2'(&$0%$ 3520(5&$'20$7(5 &13-1ƒ 2%-(725(*,6752' 3Ă’%/,&$ 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0 '$7$'('(=(0%5

081,&,3,2'(&$0%$ :$0$7(5,$/(/(75, &13-1ƒ 2%-(725(*,6752' 3Ă’%/,&$ 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0 '$7$'('(=(0%5

081,&,3,2'(&$0%$ &21&5(0$;&21&5 &13-1ƒ 2%-(725HJLVWURGH3 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0 '$7$'('(=(0%5

081,&,3,2'(&$0%$ $1721,$&5,67,1$&2 &13-1ƒ 2%-(725HJLVWURGH3 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0 '$7$'('(=(0%5


A-4 Geral

TRIBUNA DO VALE Sábado e domingo, 25 e 26 de janeiro de 2014

Norte se mobiliza para alterar traçado de ferrovia que corta o Paraná

TRAÇADOPrefeitos e empresários da região reivindicam que Ferrovia Norte Sul corte o Paraná ao meio , passando por Apucarana e Guarapuava Das Agências

Projetada para promover a integração nacional e minimizar os custos do transporte, a Ferrovia Norte Sul, a EF 151, está levando lideranças do Norte do Paraná a se mobilizarem por um traçado que contemple a região e corte o estado ao “meio”. Prefeitos e associações empresariais e do agronegócio querem que o modal passe pelos municípios de Apucarana, Guarapuava e Pato Branco no trecho que deverá ligar Panorama, no in-

terior paulista, a Chapecó, em Santa Catarina. A proposta, segundo eles, segue o traçado original do trecho Sul da EF 151 e contraria o projeto que liga Panorama a Maracaju (MS) e entra no Paraná através de Guaíra e Cascavel. A reivindicação foi pauta de uma reunião recente entre gestores municipais, em Londrina. Eles pretendem expor a senadores e deputados federais os prejuízos que a região poderá ter caso o novo traçado seja mantido. A preocupação, explica o prefeito de Londrina,

Alexandre Kireeff (PSD), é com o risco de tornar o Norte do estado isolado em termos de porto e transporte ferroviário. “Isso vai nos deixar fora da possibilidade de nos interligarmos com a região Central e Norte do Brasil, de maneira eficiente”, diz. O gestor assinala que os prefeitos querem que o traçado reivindicado seja considerado pelo governo como uma prioridade. Ele pontua que, até então, o governo já teria sinalizado que, caso não seja suprimido, o trecho poderá contar com uma “condição

secundária” em relação a outro projeto. “Mas, entre os gestores, há o entendimento de que o traçado original é fundamental para o desenvolvido a médio e a longo prazo da região”, define Kireeff. Competitividade Para o prefeito de Apucarana, Beto Preto (PT), os gestores envolvidos não querem prejudicar o Oeste do estado, incluído no novo traçado, mas melhorar os custos do frete para a região Norte. O mesmo deve ocorrer com as condições de escoamento da produção

agrícola local. “Temos muita dificuldade para obter recursos do Estado e precisamos nos desamarrar disso para crescer, sob pena de vermos indústrias buscarem outras regiões para se instalarem nos próximos anos”, salienta. O presidente da Asso¬ciação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Flávio Balan, também enfatiza que a bandeira encampada beneficiará toda a região Norte, que, segundo ele, enfrenta no transporte pedágios caros, riscos de acidentes e rodovias saturadas.

“As empresas preferem estradas boas e próximas ao porto para se instalarem”, pontua. Atualmente, a maioria dos investimentos privados do Paraná Competitivo está concentrada em Curitiba e região metropolitana e nos Campos Gerais, segundo dados da Secretaria da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul. A distância do Porto de Paranaguá e da capital e as condições de infraestrutura estariam entre os motivos que ainda afastam empresas das demais mesorregiões do Paraná.

Rich vaga

JUSTIÇAS primeiras o conjunto d prisionais a construída no Estado

Da Agência E

ATRASOS

Tribunal de Contas aponta problemas em estádio e outras obras da Copa desde abril de 2012 Da Assessoria

Problemas como atrasos na execução e aumento de custos das obras da Copa – entre elas o Estádio Joaquim Américo Guimarães, a Arena da Baixada – vêm sendo apontados pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) desde abril de 2012. Nesse período, o TCE cobrou das autoridades e órgãos competentes uma série de medidas para corrigir as irregularidades

e falhas encontradas. Embora parte das determinações do Tribunal tenha sido atendida, o Governo do Estado, a Prefeitura de Curitiba e a CAP S/A (sociedade de propósito específico criado pelo Clube Atlético Paranaense para gerir as obras de reforma e ampliação do estádio) não tomaram as providências necessárias para evitar a situação atual, que levou a Fifa, nesta semana, a cogitar a retirada da capital paranaense do calendá-

rio da competição. Além do estádio, a Comissão de Fiscalização do TCE divulgou relatórios periódicos sobre a evolução das obras de mobilidade urbana realizadas em Curitiba e Região Metropolitana para a Copa. As principais são a reforma da Rodoferroviária, melhorias em terminais de ônibus e nas principais vias de acesso ao estádio. Desde abril de 2012, foram produzidos nove relatórios,

que trazem determinações e recomendações aos órgãos envolvidos nas obras – todos eles disponíveis no Portal do TCE na internet, em www. tce.pr.gov.br, “Links rápidos do cidadão”, “Copa 2014”. Em duas ocasiões – abril de 2012 e julho de 2013 – o Tribunal ordenou a suspensão dos repasses de recursos públicos à CAP S/A até que fossem corrigidas irregularidades como discrepâncias entre projetos e orçamento, o que dificultava a fiscalização. Aumento de custos O aumento no custo da reforma do estádio foi apontado pela Comissão da Copa do TCE em vários relatórios. No Relatório nº 7, o Tribunal cobrou a definição do valor exato da obra. No Relatório nº 9, determinou a definição sobre quem bancaria a elevação de R$ 80,62 milhões no valor da obra que, àquela altura, passara dos originais R$ 184,6 milhões para R$ 265,2 milhões. No mesmo relatório, o Tribunal exigiu a regularização do pagamento, pela CAP S/A, de parcelas de juros relativos aos repasses de financiamento público já recebidos e que estavam atrasadas naquele momento.

O at r a s o d a s o br a s e o temor de que elas não ficassem prontas a tempo do início do torneio, em junho deste ano, também foram apontados sistematicamente nos relatórios do Tribunal de Contas. Em relação à Arena, por exemplo, o TCE mostrou que, em 31 de agosto de 2013, o percentual de execução física da obra era 64,3%. “Levando-se em conta que estão pendentes de execução ser viços que correspondem a 35,7% do total, evidencia-se o risco de não cumprimento do prazo de conclusão da obra, previsto para o fim de dezembro”, afirma trecho do Relatório 9, divulgado em outubro. O trabalho fiscalizador do TCE obteve diversos resultados positivos. Entre eles merecem destaque a melhoria dos projetos, a revisão de orçamentos, a suspensão de repasses até a correção de falhas, a permuta de terrenos ao redor do estádio desapropriados em favor do Atlético por outras áreas repassadas ao Município de Curitiba e a instalação de comissões pela Prefeitura e o Estado para a fiscalização das obras. Para

apurar responsabilidades em apontamentos do Tribunal não atendidos, tramitam na Casa dois processos de Comunicação de Irregularidades abertos a pedido da Comissão da Copa. Comissão técnica O TCE fiscaliza os empreendimentos da Copa de 2014 no Paraná desde 2009, assim que Curitiba foi anunciada como uma das sedes do mundial. A atual comissão é composta por uma equipe multidisciplinar de 24 servidores, das mais variadas áreas do Tribunal – Engenharia, Arquitetura, Contabilidade, Direito e Comunicação Social. “O Tribunal de Contas, portanto, vem cumprindo seu papel de órgão fiscalizador do correto uso do dinheiro público”, destaca o presidente, conselheiro Artagão de Mattos Leão. Em relação às obras da Arena, a fiscalização direta do TCE-PR começou em agosto de 2013, em decorrência da aprovação de acórdão (664/2013) pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que delegou à instituição paranaense a competência para acompanhar a aplicação de recursos públicos nas obras do estádio. Divulgação

Além do estádio, TCE divulgou relatórios periódicos sobre a evolução das obras de mobilidade urbana realizadas em Curitiba e Região Metropolitana

RIBEIRÃO D

Homem de ser p

Luiz Guilherme Ban


TRIBUNA DO VALE

Política A-3

Sábado e domingo, 25 e 26 de janeiro de 2014

Justiça determina penhora de bens da TIM em R$ 25 milhões

AÇÃOObjetivo é garantir indenizações por dano moral coletivo aos consumidores lesados por quedas de sinal e interrupção de ligações Das Agências

A Justiça do Maranhão determinou a penhora dos bens da TIM no valor de R$ 25 milhões. A decisão, segundo o Ministério Público do Maranhão, visa garantir o pagamento de indenizações por dano moral coletivo aos consumidores que se dizem lesados por quedas de sinal e interrupção de ligações. A TIM também fica proibida de habilitar novas linhas. Caso descumpra as decisões, a empresa deverá pagar multa diária de R$ 100 mil. A operadora também deverá apresentar, em um prazo de 20 dias, uma listagem completa dos usuários do Plano Infinity, com a data de adesão e de saída a partir de 29 de março de 2009. A lista deverá ser usada para o eventual cumprimento da sentença.

Ligações A ação foi movida em dezembro do ano passado, motivada por denúncias de consumidores sobre a qualidade do serviço prestado pela operadora, constante falta de sinal e queda de ligações. Segundo a promotora Lítia Cavalcanti, em fiscalização feita pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), com base em ligações efeituadas no Brasil no dia 8 de março de 2012, foi constatado que, no Maranhão, 234.272 usuários do plano pré-pago Infinity foram lesados por 502.527 desligamentos. O prejuízo, de acordo com o estudo, foi de R$ 129.869,25 em apenas um dia. “A Anatel também constatou que, entre 12 de agosto de 2012 e 11 de agosto de 2013, na rede da TIM, no Maranhão, as interrupções

Ação foi motivada por denúncias sobre a qualidade do serviço prestado pela operadora

de serviço totalizaram 24.115 horas, o que equivale a, aproximadamente, 1.005 dias de falta de sinal”, disse a promotora. Outro Lado Por meio de sua assessoria

S.A.PLATINA

Um motociclista ficou ferido após uma colisão ocorrida no início da noite de quinta-feira (23), no centro de Santo Antônio da Platina. O acidente foi registrado

de imprensa, a TIM informou que irá recorrer da decisão. Ainda de acordo com a empresa, o dado apresentado no processo foi baseado em metodologias de consolidação

e registros inadequados. “A operadora rejeita com veemência qualquer especulação adicional sobre as alegações de queda proposital de chamadas de clientes do plano

Infinity, que nunca representaram a realidade, uma vez que a própria agência reguladora já emitiu parecer oficial confirmando a inexistência de irregularidades.”

INFORME PUBLICITÁRIO

Colisão entre carro e moto deixa uma pessoa ferida Luiz Guilherme Bannwart

Antônio de Picolli

às 19h30, no cruzamento das ruas Marechal Floriano Peixoto e Treze de Maio, e envolveu uma moto Honda e um Fiat Uno. O condutor da moto, Edi Carlos Correa de Oliveira, 25, sofreu ferimentos graves

Unimed Norte Pioneiro-Pr reestrutura Unidade de Atendimento Divulgação

na batida. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado sem risco de morte ao Pronto Socorro Municipal. A motorista do Uno, Eliane Cristina Batista Silvério, não se feriu.

SISTEMA

Demanda instantânea de energia no país bate trêsrecordes na semana Das Agências

A demanda instantânea por energia no sistema elétrico brasileiro bateu o terceiro recorde seguido nesta semana, ao atingir 83.307 megawatts (MW) de carga às 15h24 da quinta-feira, impulsionada pelas altas temperaturas no país. O recorde anterior tinha

ocorrido no quarta-feira, quando a carga atingiu 82.306 MW às 15h30, informou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) nesta sexta-feira. Na terça-feira, a demanda instantânea de energia no sistema já tinha batido recorde anterior, chegando a 81.591 MW às 15h21. A região Sul, separada-

mente, também registrou três recordes consecutivos de demanda instantânea de energia nesta semana, sendo que na quinta-feira, a carga chegou a 17.315 MW, às 14h19. “As temperaturas altas nessa região e no país, principalmente nas capitais do Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, foram o motivo desse aumento na carga, bem como o reinício da atividade produtiva brasileira”, informou o ONS no Boletim de Carga Especial publicado em seu site. Os recordes de demanda de energia instantânea ocorrem num momento de altas temperaturas na maioria das regiões do país, o que motiva o uso de equipamentos de refrigeração, e enquanto os reservatórios das hidrelétricas ainda estão em níveis baixos e a maioria das térmicas está acionada. O ONS ainda deve divulgar nesta sexta-feira indicações sobre custo marginal de operação do sistema para a próxima semana e previsões de chuva. E a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) deve divulgar até o fim do dia o Preço de Liquidação de Diferenças (PLD) para a próxima semana.

Na busca por oferecer maior conforto e agilidade no atendimento á seus beneficiários, a Unimed Norte Pioneiro-PR, que está presente há 28 anos na região, preza pela satisfação de todos. Depois da inauguração da Unidade de Bandeirantes, há dois anos, é a vez de Santo Antônio da Platina somar em qualidade. A cidade já conta com a unidade desde março de 2005, e, recentemente, passou por uma reestruturação. Tal demanda vêm da conveniência em proporcionar à carteira de clientes um atendimento personalizado, ágil e eficaz, expressando a essência Unimed, deixando-a inda mais tangível. Renovada, a unidade conta com os setores de liberação e relacionamento com o cliente (vendas). Para a

colaboradora Keli Cristina, a reorganização vai contribuir para o desempenho de todos. “Com esta conquista, a unidade da Unimed Norte Pioneiro-PR, em Santo Antônio, ficou ainda mais bonita e elegante. Para nós colaboradores, é com certeza, um fator motivador, pois estamos trabalhando em um espaço bonito e aconchegante, e o melhor de tudo, é poder oferecer este conforto ao beneficiário. Com isso. colaborador e cliente ganharam em qualidade”, ressaltou. Para o diretor presidente da Unimed Norte Pioneiro-PR, Dr. Rogério Veloso de Abreu, adequar as instalações para atender ao público é muito importante.“Visando adequar o atendimento aos nossos clientes de Santo Antônio da Platina, a nossa unida-

de foi amplamente reformada oferecendo mais conforto à aqueles que necessitem de atendimento, não só por nossos recepcionistas do setor de Liberação, como também dos nossos colaboradores do Departamento de Relacionamento com o Cliente onde nossos planos podem ser comercializados. Portanto, acreditamos que, com isso, nossas instalações de Santo Antônio da Platina, irão atender a esta demanda muito aguardada por nossos parceiros, clientes, cooperados e colaboradores”, ressaltou. A unidade de atendimento da Unimed Norte Pioneiro-PR, em Santo Antônio da Platina, localiza-se à rua Frei Guilherme Maria, nº 315, com o telefone (43) 35345114. (Comunicação Unimed Norte Pioneiro-PR)


A-6 Atas & Editais ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 019//13 – ID.202 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 MARCELO HENRIQUE MARCUSSO ME, CNPJ N° 02.373.692/0001-49 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE CARNES BOVINAS, SUÍNAS, AVES E PEIXES VALOR: R$ 181.830,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 18 DE SETEMBRO DE 2013 / PP 42/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 020//13 – ID.206 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 FREDIANI & RODRIGUES FERREIRA LTDA ME, CNPJ N° 81.430.324/0001-61 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE CONTRATAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS VALOR: R$ 1.345.405,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 20 DE SETEMBRO DE 2013 / PP 44/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 021//13 – ID.207 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 LUAM INDUSTRIA E COMERCIO DE ALIMENTOS LTDA, CNPJ N° 05.235.195/0001-72 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS E DESCARTÁVES VALOR: R$ 5.108,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 04 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 43/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 021//13 – ID.208 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 SUPERMERCADO BRUNHARI LTDA, CNPJ N° 04.525.675/0001-05 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS E DESCARTÁVES VALOR: R$ 158.530,56 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 04 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 43/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 021//13 – ID.209 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 KLEBER ARRABACA BARBOSA EPP, CNPJ N° 11.507.711/0001-73 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS E DESCARTÁVES VALOR: R$ 54.367,80 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 04 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 43/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 021//13 – ID.210 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 AS DE SOUZA DE OLIVEIRA LIVRARIA E PAPELARIA ME, CNPJ N° 85.475.523/0001-47 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS E DESCARTÁVES VALOR: R$ 25.389,46 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 04 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 43/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 021//13 – ID.211 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 D MILLE INDUSTRIA E COMERCIO DE PRODUTOS ALIMENTICIOS LTDA EPP, CNPJ N° 12.148.000/0001-12 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS E DESCARTÁVES VALOR: R$ 271.442,64 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 04 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 43/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 022//13 – ID.213 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 BERTINATTI & FERNANDES LTDA ME, CNPJ N° 03.357.629/0001-81 OBJETO: Registro de Preços de Equipamento de Proteção Individual, Extintores, Manutenção e Recargas VALOR: R$ 1.480,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 04 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 47/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 022//13 – ID.214 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 GDC DA SILVA COSTA ARAPONGAS EIRELI - EPP, CNPJ N° 09.721.729/0001-21 OBJETO: Registro de Preços de Equipamento de Proteção Individual, Extintores, Manutenção e Recargas VALOR: R$ 6.794,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 04 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 47/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 022//13 – ID.215 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 S R F OLIVEIRA ME, CNPJ N° 11.730.910/0001-46 OBJETO: Registro de Preços de Equipamento de Proteção Individual, Extintores, Manutenção e Recargas VALOR: R$ 18.040,20 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 04 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 47/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 023//13 – ID.216 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 BERTINATTI & FERNANDES LTDA ME, CNPJ N° 03.357.629/0001-81 OBJETO: Registro de Preços de Tintas VALOR: R$ 239.136,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 10 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 48/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 023//13 – ID.217 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 FUGANHOLI & PEREIRA LTDA, CNPJ N° 82.359.043/0001-22 OBJETO: Registro de Preços de Tintas VALOR: R$ 427.934,40 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 10 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 48/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 023//13 – ID.217 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 J RIBEIRO COMERCIO ATACADISTA LTDA ME, CNPJ N° 84.972.926/0001-39 OBJETO: Registro de Preços de Tintas VALOR: R$ 1.876,20 (cancelado) VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 10 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 48/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 023//13 – ID.252 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 FUGANHOLI & PEREIRA LTDA, CNPJ N° 82.359.043/0001-22 OBJETO: Registro de Preços de Tintas VALOR: R$ 2.102,50 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 10 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 48/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO

ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 024//13 – ID.219 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 BELLA DECOR DE DECORAÇÕES LTDA ME, CNPJ N° 04.861.206/0001-67 OBJETO: Registro de Preços de Cortinas VALOR: R$ 28.619,40 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 23 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 49/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 025//13 – ID.221 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 SCHEID E CASTRO DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS FARMACEUTICOS LTDA, CNPJ N° 05.912.018/0001-83 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE LEITES ESPECIAIS E FRALDAS GERIÁTRICAS VALOR: R$ 36.848,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 17 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 40/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 025//13 – ID.222 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 NUTRIPORT COMERCIAL LTDA, CNPJ N° 03.612.312/0001-44 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE LEITES ESPECIAIS E FRALDAS GERIÁTRICAS VALOR: R$ 57.060,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 17 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 40/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 025//13 – ID.223 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 PROMISSE COMERCIO DE MATERIAIS MEDICO HOSPITALARES LTDA ME, CNPJ N° 09.396.523/0001-73 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE LEITES ESPECIAIS E FRALDAS GERIÁTRICAS VALOR: R$ 9.180,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 17 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 40/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 025//13 – ID.224 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 ONCOLINE COMERCIO DE MEDICAMENTOS LTDA, CNPJ N° 07.909.536/0001-73 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE LEITES ESPECIAIS E FRALDAS GERIÁTRICAS VALOR: R$ 73.272,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 17 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 40/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 025//13 – ID.225 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 PLASMEDIC COMERCIO DE MATERIAIS PARA USO MEDICO E LABORATORIAL LTDA, CNPJ N° 09.200.303/0001-22 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE LEITES ESPECIAIS E FRALDAS GERIÁTRICAS VALOR: R$ 20.792,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 17 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 40/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 025//13 – ID.226 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 NUTRI COMERCIO DE PRODUTOS ALIMENTICIOS LTDA, CNPJ N° 17.976.461/0001-05 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE LEITES ESPECIAIS E FRALDAS GERIÁTRICAS VALOR: R$ 7.680,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 17 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 40/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 025//13 – ID.227 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 NUTROSUL BRASIL IMPORTAÇÃO E LOGISTICA LTDA, CNPJ N° 08.217.225/0001-06 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE LEITES ESPECIAIS E FRALDAS GERIÁTRICAS VALOR: R$ 15.000,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 17 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 40/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 025//13 – ID.228 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 LONDRICIR COMERCIO DE MATERIAL HOSPITALAR LTDA, CNPJ N° 00.339.246/0001-92 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE LEITES ESPECIAIS E FRALDAS GERIÁTRICAS VALOR: R$ 7.400,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 17 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 40/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 025//13 – ID.229 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 A C MATERIAIS MEDICOS LTDA ME, CNPJ N° 11.138.620/0001-08 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE LEITES ESPECIAIS E FRALDAS GERIÁTRICAS VALOR: R$ 8.320,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 17 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 40/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 026//13 – ID.231 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 CENTRO DE DIAGNOSTICOS POR IMAGEM SEGABINAZZI LTDA, CNPJ N° 81.760.159/0001-06 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE EXAMES COMPLEMENTARES VALOR: R$ 575.953,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 30 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 51/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 026//13 – ID.232 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 F & F SEGABINAZZI LTDA, CNPJ N° 18.357.783/0001-20 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE EXAMES COMPLEMENTARES VALOR: R$ 495.694,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 30 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 51/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 027//13 – ID.233 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 SUPERMERCADO BRUNHARI LTDA, CNPJ N° 04.525.675/0001-05 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE HORTIFRUTIGRANJEIROS VALOR: R$ 64.963,88 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 29 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 53/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 027//13 – ID.234 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 E.A. PAVAN SACOLAO, CNPJ N° 10.508.724/0001-02 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE HORTIFRUTIGRANJEIROS VALOR: R$ 67.878,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 29 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 53/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO

TRIBUNA DO VALE Sábado e domingo, 25 e 26 de janeiro de 2014 ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 027//13 – ID.235 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 ASSOCIAÇÃO CAMBARAENSE DE AGRICULTORES FAMILIAR, CNPJ N° 05.103.860/0001-74 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE HORTIFRUTIGRANJEIROS VALOR: R$ 47.842,79 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 29 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 53/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 028//13 – ID.240 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 SANDER ROGERIIO PEREIRA – SUPRIMENTOS DE INFORMATICA EIRELI ME, CNPJ N° 11.025.309/0001-52 OBJETO: Registro de Preços de Produtos e Utensílios de Higiene Pessoal VALOR: R$ 9.490,80 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 25 DE NOVEMBRO DE 2013 / PP 56/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 028//13 – ID.241 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 KURIBAYASHI & CARRAPEIRO LTDA ME, CNPJ N° 05.082.795/0001-48 OBJETO: Registro de Preços de Produtos e Utensílios de Higiene Pessoal VALOR: R$ 9.852,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 25 DE NOVEMBRO DE 2013 / PP 56/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 028//13 – ID.242 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 KLEBER ARRABACA BARBOSA EPP, CNPJ N° 11.507.711/0001-73 OBJETO: Registro de Preços de Produtos e Utensílios de Higiene Pessoal VALOR: R$ 9.768,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 25 DE NOVEMBRO DE 2013 / PP 56/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 028//13 – ID.243 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 D MILLE INDUSTRIA E COMERCIO DE PRODUTOS ALIMENTICIOS LTDA EPP, CNPJ N° 12.148.000/0001-12 OBJETO: Registro de Preços de Produtos e Utensílios de Higiene Pessoal VALOR: R$ 14.938,80 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 25 DE NOVEMBRO DE 2013 / PP 56/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 029//13 – ID.244 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 CBB INDUSTRIA E COM. DE ASFALTOS E ENG. LTDA, CNPJ N° 82.381.815/0001-22 OBJETO: Registro de Preços de Emulsão Asfáltica – 1C e Cimento Asfáltico de petróleo – CAP 50/70 VALOR: R$ 206.010,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 25 DE NOVEMBRO DE 2013 / PP 57/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 029//13 – ID.245 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 ASFALTOS NORDESTE LTDA, CNPJ N° 01.791.741/0002-81 OBJETO: Registro de Preços de Emulsão Asfáltica – 1C e Cimento Asfáltico de petróleo – CAP 50/70 VALOR: R$ 1.053.360,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 25 DE NOVEMBRO DE 2013 / PP 57/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 030//13 – ID.246 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 EXTINORPI – EXTINTORES DO NORTE PIONEIRO LTDA, CNPJ N° 10.950.199/0001-72 OBJETO: Registro de Preços de Extintores, Manutenção e Recargas VALOR: R$ 13.390,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 30 DE OUTUBRO DE 2013 / PP 58/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 031//13 – ID.247 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 WHITE MARTINS GASES INDUSTRIAIS LTDA, CNPJ N° 10.950.199/0001-72 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS DE OXIGÊNIO MEDICINAL E LOCAÇÃO DE CILINDRO VALOR: R$ 40.605,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 14 DE NOVEMBRO DE 2013 / PP 54/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 032//13 – ID.248 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 A. F. COMERCIO DE MATERIAIS DE CONTRUÇÃO LTDA ME, CNPJ N° 81.729.717/0001-70 OBJETO: Registro de Preços de Pó de Pedra, Pedrisco e Areia Fina VALOR: R$ 124.750,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 06 DE DEZEMBRO DE 2013 / PP 60/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 033//13 – ID.249 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 MODELO PNEUS LTDA, CNPJ N° 94.510.682/0001-26 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA A AQUISIÇÃO DE PNEUMÁTICOS PARA A FROTA DE VEÍCULOS PERTENCENTES AO MUNICÍPIO DE CAMBARÁ VALOR: R$ 262.914,80 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 03 DE DEZEMBRO DE 2013 / PP 61/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 034//13 – ID.251 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 ALVES E CHAVES DIAGNOSTICOS MEDICOS LTDA, CNPJ N° 10.422.479/0001-08 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE EXAMES COMPLEMENTARES VALOR: R$ 45.600,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 03 DE DEZEMBRO DE 2013 / PP 64/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 035//13 – ID.255 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 PEDREIRA SANTA CLARA LTDA EPP, CNPJ N° 02.959.313/0001-05 OBJETO: Registro de Preços de Pó de Pedra e Pedrisco VALOR: R$ 245.000,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 06 DE DEZEMBRO DE 2013 / PP 65/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 036//13 – ID.256 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 A. F. COMERCIO DE MATERIAIS DE CONTRUSÇÃO LTDA ME, CNPJ N° 81.729.717/0001-70 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PRODUTOS PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA VALOR: R$ 6.450,00 VIGÊNCIA 12 (DOZE) MESES DATA: 12 DE DEZEMBRO DE 2013 / PP 68/2013 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO

Justi bens

AÇÃOObjet indenizações coletivo aos lesados por q interrupção d

Das Ag

S.A.PLATIN

Colisão deixa u

Luiz Guilherme Ba

SISTEMA

Deman de ener trêsrec

Das Ag


Cotidiano A-5

TRIBUNA DO VALE Sábado e domingo, 25 e 26 de janeiro de 2014

aná

Paraná ao

Richa autoriza obras para ampliar vagas no sistema prisional do PR JUSTIÇASão as seis primeiras obras de um conjunto de 20 unidades prisionais a serem construídas ou ampliadas no Estado Da Agência Estadual

O governador Beto Richa assinou na quinta-feira (23), em Curitiba, contratos com quatro empresas para as obras de construção de novas cadeias públicas em Campo Mourão, Guaíra e Piraquara, de Centros de Integração Social de Piraquara e Foz do Iguaçu I e de ampliação da Penitenciária Estadual de Ponta Grossa. São as s eis pr imeiras obras de um conjunto de 20 unidades prisionais a serem construídas ou ampliadas no Estado. Os contratos para as demais obras serão assinados nos próximos dias. No total serão abertas mais 6.670 vagas no sistema prisional. Serão construídas seis cadeias públicas (2.292 vagas para presos provisórios), seis novos Centros de Integração Social (1.296 vagas para presos de regime semiaberto) e ampliação de oito unidades (3.082 vagas para regime fechado). “Estamos resolvendo um problema que se acumula há décadas no Paraná. Outros governos não fizeram a sua parte, mas agora temos avançado muito”, afirmou Beto Richa, junto com a secretária estadual da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Maria Tereza Uille Gomes, no encontro, realizado no Palácio Iguaçu. Richa afirmou que a meta inicial da sua gestão,

contida no Plano de Governo, era a transferência de 6.000 detentos custodiados de forma irregular em delegacias para o sistema prisional. “Estamos trabalhando além deste compromisso, em três anos já transferimos mais de 7.000 presos para as penitenciárias e, com a execução destas obras, vamos abrir mais 6.670 novas vagas no sistema penitenciário do Paraná”, declarou Richa. Ele ressaltou que a gestão do sistema prisional do Paraná é reconhecido nacionalmente por órgãos como Ministério da Justiça, Supremo Tribunal Federal, Superior Tribunal de Justiça, Conselho Nacional de Justiça, Procuradoria Geral da União e pela Organização das Nações Unidas (ONU). Investimento A secretária de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Maria Tereza Uille Gomes, explicou que o investimento nas 20 novas unidades prisionais estava previsto em R$ 161,8 milhões, mas que durante os processos de licitações houve um deságio de 17% no valor, o que representa uma economia de R$ 27 milhões. No total serão investidos R$ 132 milhões. O investimento é feito em parceria pelo governo estadual e Governo Federal, dentro do Programa de Apoio ao Sistema Prisional do Ministério da Justiça. O Paraná é um dos

Beto Richa: “Estamos trabalhando além deste compromisso”

Estados que está com o cronograma mais adiantado, em razão dos projetos apresentados pelo governo estadual estarem prontos e completos. “Com esse investimento conseguiremos uma melhora significativa no sistema prisional do Estado”, disse a secretária. Ela destacou também que com as melhorias que serão realizadas no complexo penal de Piraquara, com a abertura de mais 2.500 vagas, será possível retirar todos os presos das delegacias de Curitiba, Região Metropolitana de Curitiba e Paranaguá. Maria Tereza afirmou, ainda, que as novas vagas proporcionarão a transferência dos presos provisórios sob responsabilidade da secretaria da Segurança Pública para a secretaria da Justiça, Cida-

RIBEIRÃO DO PINHAL

Homem quebra viatura depois de ser preso com drogas Luiz Guilherme Bannwart

Ricardo Fernandes Alves, 29, foi preso em flagrante pela Polícia Militar na noite de quinta-feira (23), em Ribeirão do Pinhal, acusado de tráfico de drogas, desacato, ameaça e dano ao patrimônio público. Alves foi abordado em um bar no município, depois de uma denúncia anônima informando que no local estaria ocorrendo tráfico de drogas. Com o suspeito os policiais encontraram um cigarro de maconha e sete pedras de crack. Ao receber voz de prisão, o acusado começou a desacatar e ameaçar as equipes (sargento Coutinho e soldados Peroli, Caldi, Fritegotto, Everton e Welington) e tentou resistir à prisão. Depois de ser imobilizado e colocado no camburão, Alves quebrou com um chute um dos vidros e a grade da viatura da Rotam que o conduzia para a delegacia. O acusado permanece preso à disposição da Justiça. Outras pessoas que estavam no local foram liberadas após a abordagem.

Fotos: Antônio de Picolli

Viatura teve o vidro quebrado por homem descontrolado

Ricardo Fernandes Alves: tráfico, ameaça e desacato

dania e Direitos Humanos. Em consequência, a situação carcerária dos presos provisórios e condenados será tratada de maneira uniforme. Ela afirmou que cearca de 80% dos 18 mil presos do sistema prisional paranaense estudam e trabalham. “A maior contribuição do sistema é também a reinserção do preso na sociedade e no mercado de trabalho”, disse Maria Tereza. Semiaberto Dos seis contratos assina-

dos nesta tarde, no Palácio Iguaçu, dois são para a construção de unidades prisionais de regime semiaberto: os centros de Integração Social de Foz do Iguaçu e de Piraquara. Os projetos para este tipo de regime foram realizados em parceria com a Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) e serão empregados ao todo em 11 novas unidades. “É um modelo de habitação social por meio de casas, sem as celas, que permite uma

melhor moradia ao preso do regime semiaberto e a sua reinserção no mercado de trabalho”, disse o presidente da Cohapar, Mounir Chaowiche. O presidente da Cohapar ressaltou que o modelo proposto pela Cohapar foi doado ao Ministério da Justiça para ser implantado em outros Estados. Cerca de 80% dos 18 mil presos do sistema prisional paranaense estudam e trabalham.


TRIBUNA DO VALE Sábado e domingo, 25 e 26 de janeiro de 2014

ĠƉƌĞǀŝƐƚŽŽ ŵĂůŐƵŵĂƐ ƐŶŽƌĂƐŝů͟ de Abreu

de elétrica

ará ¦ Carlópolis ¦ Conselheiro Mairink ¦ riaíva ¦ Japira ¦ Joaquim Távora ¦ Jundiaí ¦ Salto do Itararé ¦Santana do Itararé ¦ a Campos ¦Tomazina ¦ Wenceslau Bráz

tigos assinados não representam ecessariamente a opinião do endo de exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.

VENDO CHÁCARA COM CASA MISTA - 120M2, COM ÁGUA, LUZ, TELEFONE - TODA MURADA. VÁRIAS ÁRVORES FRUTÍFERAS E PALMITO4000 MTS2- VALOR A COMBINAR- ACEITO CARRO. FONES 43- 3564-2769 OU 9658- 2630 (TIM)- FALAR COM IRACI - QUATIGUÁ - PR

VENDE-SE ESTERCO DE GRANJA CONTATO: (043)9606-0708 FALAR: ROMEU Sesi seleciona PROFESSOR(A) DE ENSINO MÉDIO Local de trabalho: Santo Antonio da Platina | cód. 8814 | Licenciatura em Sociologia Necessário: experiência em ensino médio O processo seletivo destina-se à formação de banco de profissionais, tendo validade até 30/06/2014. A contratação ocorrerá de acordo com a disponibilidade de vagas, podendo ser por prazo determinado

Encaminhar currículo até 29/1 para eleandro.lauro@pr.senai.br LICITAÇÃO MODALIDADE “PREGÃO PRESENCIAL SRP Nº 002/2014”. PREFEITURA DO MUNICIPIO DE ABATIÁ – PR RESULTADO DE HOMOLOGAÇÃO 2 0XQLFtSLR GH $EDWLi ± (VWDGR GR 3DUDQi WRUQD S~EOLFR D KRPRORJDomRGRSURFHGLPHQWROLFLWDWyULRHPHSLJUDIHGRREMHWRVHQGR ³5(*,6752'(35(d263$5$)8785$((9(178$/$48,6,d­2 DE MATERIAIS DE LIMPEZA, COPA E COZINHA, CAMA MESA E BANHO, ELETRO ELETRONICOS, UTENSÍLIOS DOMÉSTICOS ( -$5',1$*(0 $75$9e6 '$ 6(&5(7$5,$ 081,&,3$/ '( ('8&$d­2&8/785$((63257(66(&5(7$5,$081,&,3$/'( 6$Ò'(3Ò%/,&$6(&5(7$5,$081,&,3$/'(2%5$69,$d­2( URBANISMO, CENTRO DE REFERENCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, 352*5$0$'((55$',&$d­2'275$%$/+2,1)$17,/3(7,( $'0,1,675$d­2´SDUDDVHPSUHVDV683(50(5&$'2%581+$5, /7'$ (33 HVWDEHOHFLGD QD 5XD 3DGUH 0HOOR Qž  &HS  &HQWUR&LGDGHGH-DFDUH]LQKR(VWDGRGR3DUDQiLQVFULWDQR&13-VRE QžFRPYDORUGH5 QRYHPLOTXDWURFHQWRV H VHVVHQWD H WUrV UHDLV H VHWHQWD FHQWDYRV  2&(/,1$ '( 0(//2 7$5'(/,0(HVWDEHOHFLGDQD5XD$LPRUp;7XSLQDPEiVQž9LOD $PHULFDQD&LGDGHGH$QGLUi(VWDGRGR3DUDQi&HSLQVFULWD QR&13-LQVFULomRHVWDGXDOQžFRP YDORUGH5 YLQWHHGRLVPLOUHDLV /(77(&+,1'Ò675,$( &20e5&,2'((48,3$0(1726'(,1)250È7,&$/7'$FRPVHGH QD5XD)ORULDQR3HL[RWRQž3ODWLQD6KRSSLQJVDODVHFHQWUR FLGDGH GH 6DQWR$QWRQLR GD 3ODWLQD (VWDGR GR 3DUDQi &HS   LQVFULWD QR &13- VRE Qž  ,QVFULomR (VWDGXDO QžFRPYDORUGHU YLQWHHWUHVPLOWUH]HQWRV H RLWR UHDLV  %5$= '( 3$8/$ 3$&+(&2(33 HVWDEHOHFLGD QD 5XD -RVp &DUYDOKR GH 2OLYHLUD  &HQWUR &LGDGH GH$EDWLi (VWDGR GR 3DUDQi&(3LQVFULWDQR&13-LQVFULomR HVWDGXDOQžFRPYDORUGH5 TXDUHQWDHTXDWUR PLOTXLQKHQWRVHYLQWHHXPUHDLVHWULQWDHRLWRFHQWDYRV  $EDWLD±3DUDQiDRVYLQWHHTXDWURGLDVGRPrVGHMDQHLURGRDQRGH MARIA DE LOURDES FERRAZ YAMAGAMI PREFEITA MUNICIPAL ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 001/14 – ID.267 MUNICIPIO DE CAMBARÁ – 75.442.756/0001-90 9,$11$ 1266(/7'$0( &13-1ƒ 2%-(726(59,d26'('(6,16(7,=$d­2'(65$7,=$d­2 (/,03(=$'(&$,;$6'($*8$ 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0(6(6 '$7$'(6(7(0%52'(33 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 036//13 – ID.257 081,&,3,2'(&$0%$5ȱ PAULO CEZAR DOS SANTOS COMERCIO ME, &13-1ƒ 2%-(725(*,6752'(35(d26352'87263$5$,/80,1$d­2 3Ò%/,&$ 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0(6(6 '$7$'('(=(0%52'(33 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 036//13 – ID.258 081,&,3,2'(&$0%$5ȱ 3520(5&$'20$7(5,$,6(/(75,&26(,/80,1$d®(6/7'$ &13-1ƒ 2%-(725(*,6752'(35(d26352'87263$5$,/80,1$d­2 3Ò%/,&$ 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0(6(6 '$7$'('(=(0%52'(33 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 036//13 – ID.259 081,&,3,2'(&$0%$5ȱ :$0$7(5,$/(/(75,&2/7'$ &13-1ƒ 2%-(725(*,6752'(35(d26352'87263$5$,/80,1$d­2 3Ò%/,&$ 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0(6(6 '$7$'('(=(0%52'(33 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 037//13 – ID.261 081,&,3,2'(&$0%$5ȱ &21&5(0$;&21&5(72'(285,1+26/7'$ &13-1ƒ 2%-(725HJLVWURGH3UHoRVGH&RQFUHWR8VLQDGR 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0(6(6 '$7$'('(=(0%52'(33 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO ATA DE REGISTRO DE PREÇO N° 038//13 – ID.265 081,&,3,2'(&$0%$5ȱ $1721,$&5,67,1$&267$±0( &13-1ƒ 2%-(725HJLVWURGH3UHoRVGH0DWHULDOGH/DYDJHPH/XEUL¿FDomR 9$/255 9,*Ç1&,$ '2=( 0(6(6 '$7$'('(=(0%52'(33 JOÃO MATTAR OLIVATO – PREFEITO

Atas & Editais A-7 MUNICÍPIO DE CAMBARÁ – PR PREGÃO PRESENCIAL 72/2013 +RPRORJR SDUD WRGRV RV ¿QV GH GLUHLWR R REMHWR GR SURFHGLPHQWR OLFLWDWyULRVRE3UHJmRQžj V HPSUHVD V $1',3(/3$3(/$5,$ /7'$ 0( FRP R YDORU GH 5  YLQWH H VHLV PLO QRYHFHQWRV H WULQWD H RLWR UHDLV $5$8-2 &20(5&,2 ( ,1)250$7,&$ /7'$ 0( FRPRYDORUGH5 RLWRPLOVHLVFHQWRVHQRYHQWDHRLWRUHDLV  &9%&2167$16.,,1)250$7,&$0(FRPRYDORUGH5 KXP PLOTXLQKHQWRVHWULQWDHRLWRUHLDVHQRYHFHQWDYRV -5'$6,/9(,5$ (/(752'20(67,&26 0( FRP R YDORU GH 5  VHWHQWD PLO TXDWURFHQWRV H VHVVHQWD H WUrV UHDLV H YLQWH FHQWDYRV  129271,  )5,*2 /7'$ 0( FRP R YDORU GH 5  VHVVHQWD H FLQFR PLO VHWHFHQWRV H TXDUHQWD H FLQFR UHDLV  H 6$1'(5 52*(5,2 3(5(,5$ 6835,0(1726'(,1)250$7,&$FRPRYDORUGH5 RLWRPLO TXDWURFHQWRVHGRLVUHDLV  &DPEDUiGHMDQHLURGH JOÃO MATTAR OLIVATO PREFEITO TERMO DE RATIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DO PROCESSO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO 001/2014 +202/2*2 D UHIHULGD GLVSHQVD QRV WHUPRV GR DUWLJR  GD /HL SDUDTXHSURGX]DVHXVMXUtGLFRVHOHJDLVHIHLWRVTXHWHPSRU REMHWRD/2&$d­2'(,0Ï9(/3$5$$,167$/$d­2'$6('('2 CRAS NO MUNICÍPIO DE GUAPIRAMA PELO PERÍODO DE 12 MESES, SHOR YDORU GH 5  XP PLO H FLQTXHQWD UHDLV  SDUD$1721,2 SÉRGIO CHERUBIM. *XDSLUDPDHPGHMDQHLURGH PEDRO DE OLIVEIRA PREFEITO MUNICIPAL PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ - PARANÁ EXTRATO DE CONTRATO Nº. 001/2014  3DUWHV 081,&Ë3,2 '( %$55$ '2 -$&$5e35 ($ (035(6$ 7(&/$%/$%25$7Ï5,26/7'$&13-0)Qž 2EMHWR&ROHWDVGH$PRVWUDVFRP$QiOLVHGH6ROR 1HFUR&KRUXPH  &RQWDV'RWDo}HV    9DORU5 WUrVPLOHGX]HQWRVUHDLV  'XUDomR GRLV PHVHV 'DWDGD$VVLQDWXUD )RUR&RPDUFDGH$QGLUi±35 EDIMAR DE FREITAS ALBONETI Prefeito Municipal PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ – ESTADO DO PARANÁ RATIFICAÇÃO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 001/2014 1ž 3URFHVVR  2EMHWR$QiOLVH GH 6ROR 1HFUR&KRUXPH  QDVLPHGLDo}HVGRFHPLWpULRPXQLFLSDORQGHHVWiVHQGRFRQWUXtGRXP FRQMXQWRKDELWDFLRQDO7RWDOGH,WHQV/LFLWDGRVXQ)XQGDPHQWR/HJDO $UWž,QFLVR;,,,GD/HLQžGH-XVWL¿FDWLYD9DORULQIHULRU D5 TXLQ]HPLOUHDLV TXHpROLPLWHPi[LPRSDUDGLVSHQVD GHOLFLWDomRTXDQGRVHWUDWDGH6HUYLoRVGH(QJHQKDULD5DWL¿FDomRHP (GLPDUGH)UHLWDV$OERQHWL3UHIHLWR0XQLFLSDO9DORU*OREDO 5   &RQWUDWDGD 7(&/$% /$%25$7Ï5,26 /7'$  &13- ±  PREFEITURA MUNICIPAL DE ABATIÁ – PARANÁ AVISO DE LICITAÇÃO 2081,&Ë3,2'($%$7,ȱ(67$'2'23$5$1È7251$3Ò%/,&248()$5È 5($/,=$5/,&,7$d­21$02'$/,'$'(35(*­235(6(1&,$/6531ž 48(7(03252%-(72³5(*,6752'(35(d263$5$)8785$((9(178$/ &2175$7$d­2'((035(6$3$5$35(67$d­2'(6(59,d26)81(5È5,26 3$5$ 48$5(17$ )81(5$,63$5$803(5,2'2'( '2=( 0(6(6 &209$/250È;,02'(5 48$5(17$0,/5($,6 ´$63523267$6 (19(/23(6³$´ ('2&80(17$d­2'(+$%,/,7$d­2 (19(/23(6³%´ 6(5­2 5(&(%,'$63(/235(*2(,52((48,3('($32,2$7e$6 129(  +25$6'2',$ 6(,6 '()(9(5(,52'(>@12(',)Ë&,2 '$35()(,785$081,&,3$/'($%$7,$±3$5$1È6,78$'2¬$9(1,'$-2­2 &$59$/+2'(0(//21ž±$%$7,$±35$$%(5785$'26(19(/23(6³$´ (³%´2&255(5È12',$ 6(,6 '()(9(5(,52'(>@¬6 129( +25$612(',)Ë&,2'$35()(,785$081,&,3$/'($%$7,$±3$5$1È 6,78$'2¬$9(1,'$-2­2&$59$/+2'(0(//21ž±$%$7,$±35$Ë17(*5$ '2(',7$/(2875$6,1)250$d®(632'(5­26(52%7,'$61$35()(,785$ 081,&,3$/'($%$7,È12(1'(5(d2$&,0$0(1&,21$'2(0+25È5,2'( (;3(',(17('$6¬6('$6¬6+25$6(3(/27(/()21(  ±283(/26,7('2081,&Ë3,2:::$%$7,$35*29%5 EDIFÍCIO DA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ABATIÁ, ESTADO DO PARANÁ, EM 24.01.2014. MARIA DE LOURDES FERRAZ YAMAGAMI PREFEITA SÉRGIO HOSOUME PREGOEIRO LEI Nº 380/2014 'LVS}HVREUHR(VWiJLRGH(VWXGDQWHVHPÏUJmRVGD$GPLQLVWUDomR3~EOLFD GR0XQLFtSLRGH*XDSLUDPDHGiRXWUDVSURYLGrQFLDV $&Æ0$5$081,&,3$/'(*8$3,5$0$±(67$'2'23$5$1È$352928 ((835()(,72081,&,3$/6$1&,212$6(*8,17(/(, $UWž0HGLDQWHSUpYLDHH[SUHVVDDXWRUL]DomRGRSUHIHLWRPXQLFLSDOHFRP OLPLWDomR QRV UHFXUVRV GLVSRQtYHLV SRGHUmR RV yUJmRV HRX GHSDUWDPHQWRV GD DGPLQLVWUDomRS~EOLFDPXQLFLSDOTXHWHQKDPFRQGLo}HVGHSURSRUFLRQDUH[SHULrQFLD SUiWLFDQDOLQKDGHVXDIRUPDomRDFHLWDUFRPRHVWDJLiULRVDOXQRVTXHHVWHMDP IUHTHQWDQGRRHQVLQRUHJXODUHPLQVWLWXLo}HVGH ,HGXFDomRVXSHULRU ,,HGXFDomRSUR¿VVLRQDO ,,,HGXFDomRHVSHFLDOQDPRGDOLGDGHSUR¿VVLRQDOGHHGXFDomRGHMRYHQVH DGXOWRV 3DUiJUDIRÒQLFR±2HGLWDOFRQWHUiGHDFRUGRFRPDQHFHVVLGDGHGR0XQLFtSLR RHQVLQRUHJXODUTXHVHIDUiRWHVWHVHOHWLYRFRQIRUPHRVLQFLVRVDQWHULRUHVEHP FRPRRFXUVRHVSHFt¿FRHPIDFHGRyUJmRHRXGHSDUWDPHQWRTXHVH¿FDUiYLQFXODGR RHVWDJLiULR $UWž$VHOHomRGRVHVWDJLiULRVVHUiIHLWDDWUDYpVGHWHVWHVHOHWLYRS~EOLFR PHGLDQWH , 3XEOLFDomRGHHGLWDOSDUDVHOHomRGRVLQWHUHVVDGRVFRQWHQGRQRUPDV UHJXODPHQWDGRUDV SDUD D UHDOL]DomR GR WHVWH VHOHWLYR GH IRUPD D DWHQGHU RV SULQFtSLRVGDOHJDOLGDGHLPSHVVRDOLGDGHPRUDOLGDGHSXEOLFLGDGHHH¿FLrQFLD ,,2WHVWHVHOHWLYRS~EOLFR¿FDDFDUJRGD6HFUHWDULD0XQLFLSDOGH$GPLQLVWUDomR ,,,3RGHUmRSDUWLFLSDUGRWHVWHVHOHWLYRRVDOXQRVFRQWLGRVQR$UWžHLQFLVRV GHVGHTXHVHMDPUHVLGHQWHVQR0XQLFtSLRGH*XDSLUDPD $UWž2Q~PHURPi[LPRGHHVWDJLiULRVREVHUYDUVHmRROLPLWHGHDWp TXLQ]HSRUFHQWR HPUHODomRDRVVHUYLGRUHVDWLYRVGRPXQLFtSLR †ž3DUDHIHLWRVGHVWDOHLFRQVLGHUDVHTXDGURGHSHVVRDORFRQMXQWRGH VHUYLGRUHVHHPSUHJDGRVS~EOLFRVH[LVWHQWHVQDDGPLQLVWUDomRS~EOLFDPXQLFLSDO †ž4XDQGRRFiOFXORGRSRUFHQWXDOGLVSRVWRQRFDSXWGHVWHDUWLJRUHVXOWDU HPIUDomRSRGHUiVHUDUUHGRQGDGRSDUDRQ~PHURLQWHLURLPHGLDWDPHQWHVXSHULRU †ž)LFDDVVHJXUDGRjVSHVVRDVSRUWDGRUDVGHGH¿FLrQFLDRSRUFHQWXDOGH  GH]SRUFHQWR GDVYDJDVRIHUHFLGDVSHODSDUWHFRQFHGHQWHGRHVWiJLR $UWž$DFHLWDomRGRVHVWDJLiULRVVHUiIHLWDFRPREVHUYkQFLDGRGLVSRVWRQD /HL)HGHUDOQƒGHGHVHWHPEURGH $UWž$UHDOL]DomRGRHVWiJLRQmRDFDUUHWDYtQFXORHPSUHJDWtFLRGHTXDOTXHU QDWXUH]DHGDUVHiPHGLDQWHWHUPRGHFRPSURPLVVRFHOHEUDGRHQWUHRHVWXGDQWH HRPXQLFtSLRFRPDLQWHUYHQLrQFLDREULJDWyULDGDLQVWLWXLomRGHHQVLQRQRTXDO GHYHFRQVWDUSHORPHQRV ,±LGHQWL¿FDomRGRHVWDJLiULRGDLQVWLWXLomRGHHQVLQRGRDJHQWHGHLQWHJUDomR HGRFXUVRHVHXQtYHO ,,PHQomRGHTXHRHVWiJLRQmRDFDUUHWDTXDOTXHUYtQFXORHPSUHJDWtFLR ,,,±YDORUGDEROVDPHQVDO ,9±FDUJDKRUiULDVHPDQDOGLVWULEXtGDQRVKRUiULRVGHIXQFLRQDPHQWRGRyUJmR RXHQWLGDGHHFRPSDWtYHOFRPRKRUiULRHVFRODU 9REULJDomRGHFXPSULUDVQRUPDVGLVFLSOLQDUHVGHWUDEDOKRHGHSUHVHUYDUR VLJLORGDVLQIRUPDo}HVDTXHWLYHUDFHVVR 9,±REULJDomRGHDSUHVHQWDUUHODWyULRVVHPHVWUDLVH¿QDLVDRGLULJHQWHGD XQLGDGHRQGHVHUHDOL]DURHVWiJLRVREUHRGHVHQYROYLPHQWRGDVWDUHIDVTXHOKH IRUHPFRPHWLGDV 9,,±DVVLQDWXUDVGRHVWDJLiULRHUHVSRQViYHLVSHORyUJmRRXHQWLGDGHFRQFHGHQWH HSHODLQVWLWXLomRGHHQVLQR 9,,,±FRQGLo}HVGHGHVOLJDPHQWRGRHVWDJLiULR ,;PHQomRGRFRQYrQLRRXFRQWUDWRDTXHVHYLQFXOD ;±PDWUtFXODHIUHTrQFLD $UWƒ2WHUPRGHFRPSURPLVVRFHOHEUDGRVHUiWDPEpP¿UPDGRSHORDJHQWH GHLQWHJUDomRTXDQGRRPXQLFtSLRXWLOL]DUGHVVHDX[LOLDUDRTXDOFRPSHWHYHUL¿FDUVH RDOXQRLQWHUHVVDGRSUHHQFKHDVFRQGLo}HVH[LJLGDVHSURYLGHQFLDUDGRFXPHQWDomR FRPSHWHQWHQHFHVViULDjVXDFRQWUDWDomR †ž4XDQGRRPXQLFtSLRXWLOL]DUVHGHDJHQWHGHLQWHJUDomRGHYHUiKDYHU SUpYLDOLFLWDomRSDUDVXDHVFROKD †ž2DJHQWHGHLQWHJUDomRQmRSRGHUiVHUUHSUHVHQWDQWHOHJDOGHTXDOTXHU GDVSDUWHVSDUD¿UPDURWHUPRGHFRPSURPLVVR †ž6RPHQWHSRGHPVHUDFHLWRVHVWXGDQWHVGHFXUVRVFXMDViUHDVHVWHMDP UHODFLRQDGDV GLUHWDPHQWH FRP DV DWLYLGDGHV SURJUDPDV SODQRV H SURMHWRV GHVHQYROYLGRVSHORyUJmRRXHQWLGDGHQRVTXDLVVHUHDOL]DURHVWiJLR

†ž2VDJHQWHVGHLQWHJUDomRVHUmRUHVSRQVDELOL]DGRVFLYLOPHQWHVHLQGLFDUHP HVWDJLiULRVSDUDDUHDOL]DomRGHDWLYLGDGHVQmRFRPSDWtYHLVFRPDSURJUDPDomR FXUULFXODUHVWDEHOHFLGDSDUDFDGDFXUVRDVVLPFRPRHVWDJLiULRVPDWULFXODGRVHP FXUVRVRXLQVWLWXLo}HVSDUDDVTXDLVQmRKiSUHYLVmRGHHVWiJLRFXUULFXODU †ž2HVWiJLRGHYHVHUDFRPSDQKDGRHIHWLYDPHQWHWDQWRSHORRULHQWDGRUGD LQVWLWXLomRGHHQVLQRFRPRSRUVXSHUYLVRUGRPXQLFtSLRFRPSURYDGRVSRUYLVWRVQRV UHODWyULRVDSUHVHQWDGRV †ž'HYHKDYHUFRPSDWLELOLGDGHHQWUHDVDWLYLGDGHVGHVHQYROYLGDVHDTXHODV SUHYLVWDVQRWHUPRGHFRPSURPLVVR †ž$LQVWLWXLomRGHHQVLQRHRVDJHQWHVGHLQWHJUDomRVmRFRUHVSRQViYHLV HPFDVRGHGHVFXPSULPHQWRGDOHLPXQLFLSDOHGDOHLIHGHUDO †ž$DFHLWDomRGHHVWDJLiULRVVySRGHUiVHUHIHWXDGDVHKRXYHUSUpYLDH VX¿FLHQWHGRWDomRRUoDPHQWiULDFRQVWDQWHGRRUoDPHQWRGDSDUWHFRQFHGHQWHGH HVWiJLR $UWž$MRUQDGDGHDWLYLGDGHHPHVWiJLRVHUiGH¿QLGDHPFRPXPDFRUGRHQWUH DLQVWLWXLomRGHHQVLQRDSDUWHFRQFHGHQWHHRDOXQRHVWDJLiULRRXVHXUHSUHVHQWDQWH OHJDOGHYHQGRFRQVWDUGRWHUPRGHFRPSURPLVVRVHUFRPSDWtYHOFRPDVDWLYLGDGHV HVFRODUHV H QmR XOWUDSDVVDU VHLV KRUDV GLiULDV H WULQWD VHPDQDLV  QR FDVR GH HVWXGDQWHVGHHGXFDomRHVSHFLDOQDPRGDOLGDGHSUR¿VVLRQDOGHHGXFDomRGHMRYHQV HDGXOWRVHQRFDVRGHHVWXGDQWHVGRHQVLQRVXSHULRU 3DUiJUDIRÒQLFR±6HUiFRQVLGHUDGRSDUDHIHLWRGHFiOFXORGDVKRUDVGHHVWiJLR SDUDSDJDPHQWRGDEROVDRFRQWUROHGDFDUJDKRUiULDGRHVWDJLiULR $UWž$MRUQDGDGHDWLYLGDGHVHPHVWiJLRDVHUFXPSULGDSHORHVWXGDQWH GHYHUiVHUFRPSDWtYHOFRPRVHXKRUiULRHVFRODUHFRPRKRUiULRGDSDUWHHPTXH YHQKDRFRUUHURHVWiJLR $UWž6HUmRFRQFHGLGRDRVHVWDJLiULRVGRVyUJmRVGDDGPLQLVWUDomRS~EOLFD PXQLFLSDOPHQFLRQDGRVQRDUWžFDSXWGHVWDOHLRVVHJXLQWHVEHQHItFLRV ,±EROVDDX[tOLRQRYDORUPHQVDOGH D  5 6HLVFHQWRV5HDLV VHHVWXGDQWHVGHHQVLQRVXSHULRUHGXFDomR SUR¿VVLRQDOHGXFDomRHVSHFLDOQDPRGDOLGDGHSUR¿VVLRQDOGHHGXFDomRGHMRYHQV HDGXOWRVFRPDFDUJDKRUiULDGH WULQWD KRUDVVHPDQDLV ,,±UHFHVVRUHPXQHUDGR †ž(PFDVRGHIDOWDVQmRMXVWL¿FDGDVVHUiUHDOL]DGRRGHVFRQWRUHODWLYRjV KRUDVGHDXVrQFLDGDEROVDHGRVDX[tOLRVFRQFHGLGRV †ž&RQVLGHUDPVHIDOWDVQmRMXVWL¿FDGDVDVTXHQmR¿]HUHPUHVSHLWRDPRWLYRV GHVD~GHGRHVWDJLiULRTXHQmRWHQKDPFRPSURYDomRPpGLFD †ž2VYDORUHVGDEROVDDX[tOLRVHUmRFRUULJLGRVGHDFRUGRFRPGLVSRQLELOLGDGH ¿QDQFHLUDGRPXQLFtSLRHRXDFULWpULRGDDGPLQLVWUDomR $UW  ± e DVVHJXUDGR DR HVWDJLiULR VHPSUH TXH R HVWiJLR WHQKD GXUDomR LJXDORXVXSHULRUDXPDQRSHUtRGRGHUHFHVVRGH WULQWD GLDVDVHUJR]DGR SUHIHUHQFLDOPHQWHGXUDQWHVXDVIpULDVHVFRODUHV †ž2UHFHVVRGHTXHWUDWDHVWHDUWLJRGHYHVHUUHPXQHUDGRTXDQGRRHVWDJLiULR UHFHEHUEROVDRXRXWUDIRUPDGHFRQWUDSUHVWDomR †ž2VGLDVGHUHFHVVRSUHYLVWRVQHVWHDUWLJRVHUmRFRQFHGLGRVGHPDQHLUD SURSRUFLRQDOQRVFDVRVGHRHVWiJLRWHUGXUDomRLQIHULRUDXPDQR †ž&DVRRUHFHVVRQmRSRVVDVHUJR]DGRHPYLUWXGHGRWpUPLQRGRHVWiJLRRX SRURXWUDUD]mRRHVWDJLiULRWHUiGLUHLWRDLQGHQL]DomRHPSHF~QLDGRUHVSHFWLYRYDORU $UW±$SOLFDVHDRHVWDJLiULRDOHJLVODomRUHODFLRQDGDjVD~GHHVHJXUDQoD QRWUDEDOKRVHQGRVXDLPSOHPHQWDomRGHUHVSRQVDELOLGDGHGDSDUWHFRQFHGHQWH GRHVWiJLR $UW±2VHJXURFRQWUDDFLGHQWHVSHVVRDLVGHTXHWUDWDRDUWžLQFLVR,9GD OHLQžGHGHVHWHPEURGHVHUiFRQWUDWDGR , ± SHOD DGPLQLVWUDomR S~EOLFD DWUDYpV GH DSyOLFH FRPSDWtYHO FRP YDORUHV GHPHUFDGRTXDQGRRFRPSURPLVVRGHHVWiJLRIRUFHOHEUDGRGLUHWDPHQWHFRPD LQVWLWXLomRGHHQVLQR ,,±SHORDJHQWHGHLQWHJUDomRTXDQGRRFRQWUDWRGHHVWiJLRIRULQWHUPHGLDGR SRUHVVHDX[LOLDU $UW±2FRUUHUiRWpUPLQRGRHVWiJLR ,±DXWRPDWLFDPHQWHDRWpUPLQRGHVHXSUD]R ,, ± D TXDOTXHU WHPSR GH DFRUGR FRP D FRQYHQLrQFLD H LQWHUHVVH GD SDUWH FRQFHGHQWHGRHVWiJLR ,,,±DSHGLGRGRHVWDJLiULR ,9±SHODLQWHUUXSomRRXWpUPLQRGRFXUVRUHDOL]DGRQDLQVWLWXLomRGHHQVLQRD TXHSHUWHQoDRHVWDJLiULR †ž±$LQWHUUXSomRYROXQWiULDGRFXUVRSHORDOXQREHPFRPRVXDFRQFOXVmR GHYH VHU LQIRUPDGD LPHGLDWDPHQWH SHOD LQVWLWXLomR GH HQVLQR H SHOR DJHQWH GH LQWHJUDomRDRyUJmRGDDGPLQLVWUDomRS~EOLFDPXQLFLSDODRTXDORHVWDJLiULRHVWLYHU YLQFXODGRVRESHQDGHFRUHVSRQVDELOLGDGHHPHYHQWXDODomRMXGLFLDO †ž$GXUDomRGRHVWiJLRQDPHVPDSDUWHFRQFHGHQWHQmRSRGHUiH[FHGHU  GRLV DQRVH[FHWRTXDQGRVHWUDWDUGHHVWDJLiULRSRUWDGRUGHGH¿FLrQFLD $UW  ±$V GHVSHVDV GHFRUUHQWHV GHVWD OHL FRUUHUmR D FRQWD GH GRWDo}HV RUoDPHQWiULDVSUHYLVWDVHPFDGDDQRQDUHVSHFWLYDOHLGHRUoDPHQWR $UW±2VFDVRVRPLVVRVDHVWDOHJLVODomRREHVHUYDUVHmRRVGLVSRVLWLYRVGD /HLQžGHGHVHWHPEURGHQRTXHIRUHPDSOLFiYHLV $UW(VWD/HLHQWUDHPYLJRUQDGDWDGHVXDSXEOLFDomR $UW)LFDUHYRJDGDD/HL0XQLFLSDOQžGHGH-DQHLURGH (GLItFLRGD3UHIHLWXUD0XQLFLSDOGH*XDSLUDPDDRVGLDVGRPrVGH-DQHLUR GRDQRGH Pedro de Oliveira Prefeito Municipal LICITAÇÃO MODALIDADE “PREGÃO PRESENCIAL Nº 001/2014”. PREFEITURA DO MUNICIPIO DE ABATIÁ – PR RESULTADO DE HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO 20XQLFtSLRGH$EDWLi±(VWDGRGR3DUDQiWRUQDS~EOLFRDKRPRORJDomRGR SURFHGLPHQWROLFLWDWyULRHPHSLJUDIHHDGMXGLFDomRGRREMHWRVHQGR³$48,6,d­2 DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, ATRAVÉS DA SECRETARIA MUNICIPAL DE ('8&$d­2 &8/785$ ( (63257(6 352*5$0$ '( (55$',&$d­2 '2 75$%$/+2,1)$17,/±3(7,352*5$0$'(3527(d­262&,$/%È6,&$'2 *29(512)('(5$/'(3$57$0(172'($'0,1,675$d­26(&5(7$5,$ 081,&,3$/'(6$Ò'(3Ò%/,&$('(3$57$0(172'(2%5$63Ò%/,&$6 9,$d­2(85%$1,6023$5$2(;(5&Ë&,2'(´WHQGRFRPRYHQFHGRUDV DVHPSUHVDV'0,//(,1'Ò675,$(&20e5&,2'(352'8726$/,0(17Ë&,26 /7'$5XD/XL]&DUORV=DQQLQž3DUTXH,QGXVWULDO9&HS&LGDGH GH,ELSRUm(VWDGRGR3DUDQiLQVFULWDQR&13-VREQžFRP YDORUGH5 TXLQ]HPLOTXDWURFHQWRVHQRYHUHDLVHVHVVHQWDFHQWDYRV  683(50(5&$'2%581+$5,/7'$(33HVWDEHOHFLGDQD5XD3DGUH0HOORQž &HS&HQWUR&LGDGHGH-DFDUH]LQKR(VWDGRGR3DUDQiLQVFULWDQR&13- VREQžFRPYDORUGH5 WULQWDHQRYHPLOVHVVHQWDH GRLVUHDLVHRLWHQWDHGRLVFHQWDYRV 2&(/,1$'(0(//27$5'(/,0(HVWDEHOHFLGD QD5XD$LPRUp;7XSLQDPEiVQž9LOD$PHULFDQD&LGDGHGH$QGLUi(VWDGRGR 3DUDQi&HSLQVFULWDQR&13-LQVFULomRHVWDGXDO QžFRPYDORUGH5 GH]HQRYHPLOGX]HQWRVHWULQWDUHDLVH QRYHQWDHGRLVFHQWDYRV /(77(&+,1'Ò675,$(&20e5&,2'((48,3$0(1726 '(,1)250È7,&$/7'$FRPVHGHQD5XD)ORULDQR3HL[RWRQž3ODWLQD6KRSSLQJ VDODVHFHQWURFLGDGHGH6DQWR$QWRQLRGD3ODWLQD(VWDGRGR3DUDQi&HS LQVFULWDQR&13-VREQž,QVFULomR(VWDGXDOQž FRPYDORUGH5 TXDWRU]HPLOQRYHFHQWRVHTXDUHQWDHGRLVUHDLVHVHVVHQWD HQRYHFHQWDYRV H%5$='(3$8/$3$&+(&2(33HVWDEHOHFLGDQD5XD-RVp &DUYDOKRGH2OLYHLUD&HQWUR&LGDGHGH$EDWLi(VWDGRGR3DUDQi&(3 LQVFULWDQR&13-LQVFULomRHVWDGXDOQžFRPYDORUGH 5 FLQTXHQWDHRLWRPLOTXLQKHQWRVHTXLQ]HUHDLVHWULQWDHVHLVFHQWDYRV  $EDWLD±3DUDQiDRVYLQWHHTXDWURGLDVGRPrVGHMDQHLURGRDQRGH MARIA DE LOURDES FERRAZ YAMAGAMI PREFEITA MUNICIPAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA DECRETO Nº 012/14 23UHIHLWR0XQLFLSDOGH6DQWR$QW{QLRGD3ODWLQD(VWDGRGR3DUDQi QRXVRGDVDWULEXLo}HVTXHOKHVmRFRQIHULGDVSRU/HLHGHDFRUGRFRP 5HTXHULPHQWRQƒGHGHFUHWD $UWž)LFD(;21(5$'2DSDUWLUGHGHMDQHLURGHRVHUYLGRU 1(/6212=Ï5,2'266$1726RFXSDQWHGRFDUJRGH9LJLD5HJLPH (VWDWXWiULRGHVWH0XQLFtSLRHPYLUWXGHGHDSRVHQWDGRULDMXQWRDR,166 ±%HQHItFLRQƒ $UWž5HYRJDPVHDVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR GABINETE DO PREFEITO MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA 3/$7,1$(67$'2'23$5$1È3$d2081,&,3$/'5$/Ë&,2',$6 '265(,6HPGHMDQHLURGH PEDRO CLARO DE OLIVEIRA NETO Prefeito Municipal PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBARÁ PORTARIA No 020/2014 2([FHOHQWtVVLPR6HQKRU-RmR0DWWDU2OLYDWR3UHIHLWR0XQLFLSDOGH &DPEDUi(VWDGRGR3DUDQiXVDQGRGHVXDVDWULEXLo}HVOHJDLVTXHOKH VmRFRQIHULGDVSRUOHL 5(62/9( 1RPHDU 9(5*,/,2 0(5/2 ),/+2 SRUWDGRU GR 5* Qž  66335SDUDRFDUJRHP&RPLVVmRGH'LUHWRUGR'HSDUWDPHQWRGH &RPSUDVVtPEROR&&$QRVWHUPRVGD/HL0XQLFLSDOQžHGD /HL&RPSOHPHQWDUQž $SUHVHQWH3RUWDULDHQWUDHPYLJRUQDGDWDGHVXDSXEOLFDomR    3XEOLTXHVH    1RWL¿TXHVH    &XPSUDVH *DELQHWHGR3UHIHLWR0XQLFLSDOGH&DPEDUi(VWDGRGR3DUDQiHP GHMDQHLURGH JOÃO MATTAR OLIVATO PREFEITO MUNICIPAL DE CAMBARÁ


A-8 Cidades

Sábado e domingo, 25 e 26 de janeiro de 2014

TRIBUNA DO VALE

Governo anuncia conjunto de ações para melhorar saúde no Norte Pioneiro

INVESTIMENTOS Secretário também entregou equipamentos para implantação do programa Telessaúde e veículos de apoio à área de vigilância em saúdevizinhança Da Agência Estadual

O s e cret ár io est adu a l da Saúde, Michele Caputo Ne to, e ste ve e m C or né lio Procópio ontem, 24, e anunciou um conjunto de ações para qualificar a rede pública de saúde na região do Norte Pioneiro. São investimentos em hospitais, centros de especialidades e unidades de saúde. O secretário também entregou a o s mu n i c ípi o s e q u ip a mentos para implantação do programa Telessaúde e veículos de apoio à área de vigilância em saúde. “Por muito tempo esta região foi negligenciada na área da saúde e esses novos investimentos vêm suprir uma demanda importante de leitos de UTI, consultas e exames especializados e atendimento básico de saúde”, destacou o secretário. Caputo Neto informou que a obra dos dez leitos d e U T I a du lto d a S ant a Casa de Bandeirantes está em fase final de conclusão. A previsão é que a nova ala seja inaugurada ainda neste primeiro trimestre. O Governo do Estado investiu cerca de R$ 500 mil na obra e ainda garantiu os equipamentos da unidade. ESPECIALIDADES Na área de consultas e exames especializados, a

região também contará com novos serviços. O Centro de Especialidades do Paraná da região de Cornélio Procópio está sendo ampliado e ganhará um novo setor de imagem. O Estado repassará R$ 500 mil para aquisição dos equipamentos. “Oferecemos consultas e exames em mais de 20 especialidades, atendendo à demanda de 21 municípios da região. Com o novo espaço, teremos estruturas e equipamentos mais modernos, levando ser viços cada vez melhores a nossa população”, afirmou o prefeito de Congonhinhas e presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Norte do Paraná, José Olegário Ribeiro Lopes. APOIO O atendimento básico na região de Cornélio Procópio também está sendo reforçado. O governo estadual investe na construção de 10 novas unidades de saúde e na reforma de mais uma. As unidades s erão e nt re g u e s c om to d o s o s equipamentos necessários para começar a funcionar. O nt e m , e m e n c o nt r o com prefeitos e autoridades regionais, o secretár i o d a S aú d e re a f i r m ou o compromisso de apoio aos municípios. Ele entregou equipamentos para a

AEN

Gov saúd

AÇÃO

Justiça determ penhora de bens da TIM R$ 25 milhõe

Michele Caputo Neto esteve ontem, 24, em Cornélio Procópio

implantação do programa Telessaúde em 20 dos 21 municípios que compõem a 18ª Regional de Saúde. O programa oferece serviço de consultoria técnica ou s e g u n d a opi n i ã o a o s prof iss i onais qu e atu am nas unid ades b ásic as de saúde. Com isso, médicos, dent ist as, enfer meiros e outros profissionais podem

discutir casos clínicos com especialistas da Universidade Estadual de Londrina. Caputo Neto aproveitou a visita à sede da 18ª Regional de Saúde e recepcionou os sete novos servidores que começaram a trabalhar na regional no início deste ano. “Nossa força de trabalho é uma das melhores do País e é

sempre muito importante haver renovação”. VIGIASUS Também foram entreg u e s 1 8 ve í c u l os adqu iridos com recursos do p r o g r a m a Vi g i a SU S , d e qualificação da vigilância e m s aú d e . E m 2 0 1 3 , o s 21 municípios da região receberam R$ 1,3 milhão para custeio das atividades

e investimentos. Participaram da solenidade, o secretário estadual do Trabalho, Emprego e Economia Solidária e deputado estadual, Luiz Cláudio Romanelli, o deputado estadual Pedro Lupion, prefeitos, vereadores e demais autoridades da região de Cornélio Procópio.

TRÁFICO

Homem é preso com 17 pedras de crack em Ribeirão do Pinhal Divulgação PM

Luiz Guilherme Bannwart

Luiz Patrocínio dos Santos foi preso em flagrante pela Polícia Militar na tarde de quinta-feira, 23, acusado tráfico de drogas, em Ribeirão do Pinhal. A prisão ocorreu por volta das 14 horas, na vila Hermínia, após uma denúncia anônima. Com o suspeito foram apreendidas 17 pedras de crack que estava sendo comercializadas no local. O homem disse não ser usuário e que estaria apenas vendendo o entorpecente. Segundo contou aos policiais, ele receberia o valor correspondente ao preço de quatro porções da droga (cerca de R$ 40) pela venda do entorpecente adquirido. Santos recebeu voz de prisão e foi encaminhado para Delegacia de Polícia Civil.

f

LOCAL

Colisão entre carro e moto deixa uma pessoa ferida f Santos contou que ganharia R$ 40 pela venda da droga

ABASTECIMENTO

Queda de energia prejudica distribuição de água em Curiúva Assessoria

A Sanepar confirmou ontem, 24, que, em função da queda de energia que afetou a Estação de Tratamento de Água, na quinta-feira, 23, das 11h30 às 16h30, houve prejuízo no abastecimento na cidade de Curiúva, na sexta-feira, 24, com possibilidade de reflexos no final de semana. Em função das elevadas temperaturas e da demanda de água estar próxima da capacidade máxima de

PÁG. A3

atendimento do sistema, a previsão é que a normalização da distribuição de água só ocorra na noite de domingo (26). A Sanepar pede a colaboração de todos e orienta para que a população utilize a água com racionalidade, evitando desperdícios. Clientes que não possuem caixa-d’água domiciliar podem ficar desabastecidos temporariamente. A Sanepar lembra que, de acordo com norma da Associação Brasileira de Nor-

mas Técnicas (ABNT), cada imóvel deve ter caixa-d’água com capacidade para atender as necessidades dos moradores por, no mínimo, 24 horas. O reservatório domiciliar deve armazenar pelo menos 500 litros. O Serviço de Atendimento ao Cliente Sanepar, em Bom Sucesso, é feito pelo telefone 43-3545-1345. Ao ligar, tenha em mãos a conta de água ou o número de sua matrícula. Acompanhe mais informações pelo Twitter e Facebook.

PÁG. A3


Pdf2556