Issuu on Google+

Sexta -feira

nsão iguá

260 120

DIRETOR: BENEDITO FRANCISQUINI

08 DE NOVEMBRO DE 2013

ANO XIX - N0 2513 - R$ 1,00

www.tribunadovale.com.br

INQUÉRITO

MP deve apurar terraplanagem feita em terreno de Nilmar Luiz Guilherme Bannwart

NATAL

A promotora de Justiça Virgínia Gracia Prado Domingues p o d e i ns t au r ar i n qu é r ito ai nd a hoj e para apurar supostas irregularidades cometidas pela prefeitura de Bandeirantes na realização da terraplanagem no terreno d o j og a d or Ni l mar Honorato da Si lva. Segundo a assessoria do Ministério Público de Bandeirantes, a promotora analisa uma série de documentos que p odem sugerir um suposto ato de improbidade administrativa.

Acesap divulga calendário de final de ano do comércio A Associação Comercial e Empresarial de Santo Antônio da Platina já elaborou o calendário de funcionamento do comércio em dezembro. A abertura à noite acontecerá no dia 12 e segue até o dia 23, das 8h às 22 horas. Nos sábados 7, 14 e 21, as lojas permanecerão abertas das 7h às 17 horas. No dia 24, das 8h às 16 horas. A Campanha de Natal deste ano vai sortear um carro modelo UNO VIVACE 2014 - duas portas. f

Prefeitura estava fazendo terraplanagem em terreno particular

f

PÁG. A8

ECONOMIA

Fábrica de gaiolas criará mais emprego em Quatiguá AEN

A pequena Quatiguá, com apenas 7 mil habitantes fica g i g a nt e q u a n d o s e trata do mercado de pro dutos p ara ani mais. Lá funciona a Gaiolas Quatiguá, segunda maior fábrica de gaiolas do país. A empresa disputa uma parcela do mercado pet, que tem faturamento estimado de R$ 15,4 bilhõ es no Brasi l em 2013, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet). f

TRADIÇÃO

Abatiá prepara 15ª Festa do Peão Boiadeiro f

PÁG. A8

S.A.PLATINA

Carro é furtado no centro enquanto família faz compras

Uma família teve o carro arrobando e pertences furtados na tarde ontem ,7, enquanto fazia compras em um supermercado no centro de Santo Antônio da Platina. De acordo com o proprietário do veículo, João Roberto de Souza, 53, morador do bairro rural Três Vendas, em Guapirama, ele a esposa e um filho teriam estacionado o carro ao lado do supermercado e quando retornaram encontraram a porta do veículo, do lado do motorista, arrombada. f

PÁG. A5

PÁG. A5

Erramos

PÁG. A3

Por um problema de edição e diagramação, a edição número 2512, do dia 7 de novembro de 2013, saiu com erro de data nas páginas 2, 3, 4, 5, 6 e 7. A capa e a página 8 estão corretas. Pedimos desculpas pelo transtorno.


A-2 OpiniĂŁo

“

TRIBUNA DO VALE Sexta-feira, 08 de novembro de 2013

A primeira razão para a necessidade de crescer Ê que a população vem aumentando a taxas ainda bastante altas..� Editorial

“

Pela nota publicada trĂŞs dias apĂłs as suas declaraçþes, Moreira Franco tenta “desdizerâ€? o que disse aos jornalistas e desvia o foco, Ă s “pequenas e mĂŠdias empresas de projetosâ€?. Ulisses Kaniak

E DITORIAL

Um bom corpo de leis Embora o PT tenha, em seu histórico, posiçþes anticapitalistas e antiempresariais – ainda que seus líderes tenham mostrado isso mais no discurso que na pråtica –, o governo da presidente Dilma aparentemente entendeu que o motor do crescimento econômico Ê o setor privado e não o Estado, apesar de surtos estatistas como as exigências de participação governamental em leilþes como os dos aeroportos e do prÊ-sal. O governo Ê uma entidade que não produz e depende dos tributos para pagar suas atividades; porÊm, seu papel de indutor do crescimento Ê relevante, sobretudo quando usa os recursos da tributação para dotar o país de uma eficiente infraestrutura física. Segundo estudos internacionais, tambÊm um bom corpo de HORà RIO DE FECHAMENTO

22:10

leis, uma Justiça eficaz e boas regras de estímulo ao empreendedorismo são importantes indutores do investimento privado e das iniciativas empresariais. Embora a mola que gera crescimento econômico seja o setor privado, o governo pode colaborar para que o crescimento se faça ou, conforme sua atuação, pode tornar-se um fator de atraso. E o Brasil precisa aumentar seu Produto Interno Bruto (PIB) rapidamente. A primeira razão para a necessidade de crescer Ê que a população vem aumentando a taxas ainda bastante altas. Segundo o IBGE, somente de 2010 atÊ hoje a população aumentou em 10,8 milhþes de habitantes. Atender toda essa gente em suas necessidades båsicas exige o crescimento do PIB superior ao dos países onde a população Ê eståvel. A segunda razão Ê que o

produto brasileiro por habitante ainda Ê baixo – US$ 11 mil/ano. Se comparado com os países desenvolvidos – alguns deles perto dos US$ 60 mil/ano –, um bom padrão mÊdio de bem-estar social Ê uma meta distante. Considerando a carga tributåria brasileira na faixa dos 38% da renda nacional, e um setor público que desperdiça grande parte da arrecadação por meio da ineficiência e da corrupção, a erradicação da pobreza não ocorrerå antes de a renda por habitante chegar perto dos US$ 30 mil/ano. Esse desafio não Ê fåcil, nem possível de ser atingido no curto prazo, pois hå vårios inibidores do crescimento que, se não forem removidos, poderão impedir o Brasil de atingir tal nível nas próximas três dÊcadas, antes do envelhecimento acelerado da população.

C HARGE

Entre os fatores que atrasam o crescimento econômico – e eles são muitos –, destacam-se a jå conhecida precåria infraestrutura física, a carga tributåria alta e complexa, a excessiva intervenção estatal na economia, o excessivo tamanho do governo, o deficiente funcionamento da Justiça, a falta de confiança nas instituiçþes, a corrupção, o desperdício e o precårio sistema educacional. A esses elementos soma-se o ambiente institucional ruim para os negócios. Nos estudos internacionais, o Brasil estå sempre entre os piores lugares do mundo para fazer negócios: a burocracia para abrir ou fechar uma empresa Ê torturante, o tempo gasto para registrar uma pessoa jurídica pode chegar a quatro meses (na Austrålia, isso Ê feito em chargeonline.com.br

trĂŞs dias) e a legislação trabalhista ĂŠ sufocante e confusa, fazendo do ato de contratar um empregado um verdadeiro martĂ­rio. Praticamente todos os governantes sempre reconheceram esses entraves, mas pouco fizeram para mudar de vez essa situação. O ex-presidente Lula costumava repetir que era preciso “destravar a economiaâ€?, reconhecendo que o governo dificulta a criação de negĂłcios, afugenta investimentos e nĂŁo contribui para fomentar o empreendedorismo e o espĂ­rito de iniciativa. Mas ele tambĂŠm nĂŁo fez muito para modificar as coisas. O governo da presidente Dilma, que ĂŠ do mesmo partido, poderia finalmente colocar em prĂĄtica o discurso de Lula e iniciar a instituição de medidas desregulamentadoras e simplificadoras, pois

a necessidade de destravar a economia continua presente. FrĂŠdĂŠric Bastiat disse, em 1850, que “depois de tĂŁo inutilmente terem infligido tantos sistemas sobre a sociedade, bem que os legisladores e os bem-intencionados poderiam terminar por onde deveriam ter começado: rejeitando todos os sistemas e tentando a liberdadeâ€?. NĂŁo se trata de implantar uma terra de ninguĂŠm, sem ordem e sem lei, mas de fazer leis boas, simples e fĂĄceis de entender, ao lado de um sistema burocrĂĄtico ĂĄgil e barato, com funcionĂĄrios pĂşblicos que sejam verdadeiros “servidoresâ€? pĂşblicos. O governo, os polĂ­ticos e os burocratas trabalham bem para si mesmos e trabalham muito mal para a sociedade e para o desenvolvimento econĂ´mico e social do paĂ­s.

A RTIGO

NESTA EDIĂ‡ĂƒO TEM

A 01 - 08

- OPINIĂƒO

A 02

- POLĂ?TICA

A 03

- GERAL

A 04

- CIDADES

A 05

- COTIDIANO

A 06

- ESPORTES

A 07

- AGRONEGĂ“CIO

A 08

Francamente, Moreira Franco!

PREVISĂƒO PARA HOJE

290 100

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA

A RTIGO Edson Campagnolo

O papel das empresas no combate à corrupção A melhora da competitividade da economia brasileira no cenårio global passa, obrigatoriamente, pelo combate à corrupção. Estudos de organismos internacionais deixam clara a relação direta entre esses dois fatores. Quanto menos corrupto Ê um país, mais atrativo Ê seu ambiente para negócios. Entre as economias mais competitivas do planeta sempre estão países com baixos níveis de corrupção. É o caso de Cingapura, que nas últimas dÊcadas adotou mecanismos eficientes de combate à corrupção. Hoje, o país asiåtico Ê o quinto menos corrupto do planeta, segundo o �ndice de Percepção da Corrupção, da Transparência Internacional. E Ê o segundo com melhor ambiente para negócios, de acordo com o Relatório Global de Competitividade, do Fórum Econômico Mundial. No caso do Brasil, ocupamos apenas a 69.ª

posição no �ndice de Percepção da Corrupção. Ao mesmo tempo, em 2013 o país caiu para a 56.ª posição no Relatório Global de Competitividade. Outra pesquisa, do Banco Mundial, revela que o Brasil Ê apenas o 116.º colocado em um ranking que mede a facilidade para que pequenas empresas façam negócios em 185 naçþes. É fåcil entender os danos que a corrupção causa para o desenvolvimento de um país. A corrupção eleva em atÊ 10% os custos dos negócios globalmente, de acordo com outra pesquisa do Banco Mundial. Apesar da dificuldade de se mensurar o montante exato que essa pråtica movimenta no Brasil, alguns estudos mostram que ela tira dos cofres públicos e da economia algo em torno de R$ 85 bilhþes a cada ano. Valor significativo para um país que sofre, por exemplo, com sÊrias deficiências de infraestrutura, que elevam o custo do produto nacional.

TRIBUNA DO VALE

O DiĂĄrio da nossa regiĂŁo - Fundado em agosto de 1995 Editora Jornal Tribuna do Vale LTDA CNPJ 01.037.108/0001-11 Matriz: Rua Tiradentes 425, Centro Santo AntĂ´nio da Platina, PR Fone/Fax: 43 3534 . 4114

WRUQDS~EOLFRTXH,5Ăˆ5(48( DYLFXOWXUDGHFRUWHDVHULPSOD GH5LEHLUmRGR3LQKDO

Ulisses Kaniak

8 PĂ GINAS CADERNO PRINCIPAL

Diretor ResponsĂĄvel Benedito Francisquini - MTB 262/PR tribunadovale@tribunadovale.com.br tribunadovale@uol.com.br

Os motivos que levam a esse cenårio são muitos. A burocracia Ê um deles, graças ao excesso de trâmites e meandros que obriga o empreendedor a encarar um verdadeiro desafio para formalizar seu negócio. Outro Ê a carga tributåria elevada, somada ao seu elemento causador – a sustentação de um aparato estatal gigantesco e, por vezes, ineficiente. Segundo dados recentes do Ipea, os tributos jå respondem por 35,5% do PIB brasileiro. Como pano de fundo, um sistema político e partidårio que coloca a troca de favores quase como norma e då fôlego para a corrupção. Neste assunto, porÊm, não se pode ser hipócrita e tratar o problema como exclusividade da esfera pública. Não existe corrupto sem que haja um corruptor. A mudança de postura, portanto, deve envolver toda a sociedade. E Ê fundamental que principal-

mente as empresas reflitam com seriedade sobre seu papel na prevenção e no combate a essa pråtica. Essas e outras questþes serão debatidas por especialistas nacionais e internacionais e por empresårios durante o Fórum Transparência e Competitividade, que o Sistema Fiep promove em Curitiba, em parceria com o Instituto das Naçþes Unidas para Treinamento e Pesquisa (Unitar), e que termina hoje. O objetivo Ê oferecer uma anålise qualificada em relação ao impacto da corrupção sobre a competitividade da economia brasileira. Mais que refletir sobre o tema, Ê hora de a iniciativa privada tomar a frente nas açþes contra a corrupção no Brasil. Não apenas cobrando medidas sÊrias do poder público para combater essa pråtica, mas tambÊm adotando como regra båsica a gestão Êtica e correta dos negócios.

Representação: MERCONET Representação de Veículos de Comunicação LTDA Rua Dep. Atílio de A. Barbosa, 76 conj. 03 - Boa Vista - Curitiba PR Fone: 41-3079-4666 Œ Fax: 41-3079-3633 Vendas Assinatura Anual R$ 200,00 Semestral R$ 100,00

ImpressĂŁo: GraďŹ Norte FONE: 43 3420-7777

Depois de difamar publicamente os engenheiros brasileiros, em palestra proferida na Ăşltima quinta-feira, em BrasĂ­lia, o ministro Moreira Franco “esclareceuâ€?o seu ponto de vista em nota publicada no site da Secretaria de Aviação Civil da PresidĂŞncia da RepĂşblica. Como tal esclarecimento nĂŁo ĂŠ uma retratação, nos parece que o ministro - apesar de, por nota virtual, ter amenizado o discurso feito Ă s vĂŠsperas de Finados no Encontro Nacional de Editores da Coluna Esplanada, evento que reuniu chefes de redação de veĂ­culos de comunicação de 21 capitais -, continua com a ideia de que “o Brasil tem engenheiros ruins e sĂŁo eles os responsĂĄveis pelos atrasos em obras dos aeroportosâ€?. Pela nota publicada trĂŞs dias apĂłs as suas declaraçþes, Moreira Franco tenta “desdizerâ€? o que disse aos jornalistas e desvia o foco, Ă s “pequenas e mĂŠdias empresas de projetosâ€?. É normal que o hoje secretĂĄrio da Aviação Civil pense assim, afinal ele foi governador de estado no tempo em que tudo se acertava com as grandes empreiteiras e nĂŁo sobrava espaço para mais ninguĂŠm. O que nĂŁo ĂŠ normal, nem aceitĂĄvel, num momento de inflexĂŁo para cima da curva de desenvolvimento do paĂ­s, ĂŠ que os profissionais responsĂĄveis por fazer acontecer este processo virtuoso sejam taxados de incompetentes. É certo que dezenas de milhares de engenheiros, desde fins da dĂŠcada de 70 atĂŠ o inĂ­cio dos anos 2000, migraram para outras ĂĄreas de atuação, em busca de melhores oportunidades. Mas aqueles que se mantiveram na ocupação de engenharia nĂŁo se acomodaram nem emburreceram, ideia que parece intrĂ­nseca nas palavras do ministro. A tarefa de buscar o avanço tecnolĂłgico da Nação continuou, apesar dos equĂ­vocos de governos sucessivos que jogaram contra isso na onda da economia neoliberal. Agora, com a retomada de crescimento em que vivemos, ĂŠ muito importante ter mais profissionais qualificados para planejar, executar e fiscalizar as obras em execução e vindouras. Mas a palavra certa pra trazer de volta a engenharia ao topo das profissĂľes desejadas ĂŠ Valorização. Valorização dos que jĂĄ estĂŁo disponĂ­veis aqui, e nĂŁo dos que agora nĂŁo tĂŞm emprego nos paĂ­ses europeus em crise, como bem disse o presidente do Crea-PR, Joel Kruger, em artigo publicado recentemente.Toda pessoa que assume um cargo pĂşblico deve estar ciente de suas responsabilidades. E um administrador pĂşblico que nĂŁo as reconhece, ou que as transfere para terceiros, estĂĄ no lugar errado.NĂłs, engenheiros, nĂŁo seriamos levianos a ponto de generalizar, dizendo que o PaĂ­s tem ministros ruins. A autoridade que deve avaliar a competĂŞncia dos ministros ĂŠ a Presidente da RepĂşblica, que aliĂĄs jĂĄ trocou vĂĄrios deles nestes 2 anos e 10 meses de gestĂŁo. O que podemos fazer ĂŠ sugerir a Dilma Roussef, que recentemente elogiou nossa produtividade em evento em Nova Iorque, o seguinte: se o seu ministro nĂŁo dĂĄ conta do recado, chame um engenheiro! Ulisses Kaniak ĂŠ engenheiro Eletricista e presidente do Sindicato dos Engenheiros no Estado do ParanĂĄ Circulação: AbatiĂĄ ÂŚ AndirĂĄ ÂŚ Arapoti ÂŚ Bandeirantes ÂŚ Barra do JacarĂŠ ÂŚCambarĂĄ ÂŚ CarlĂłpolis ÂŚ Conselheiro Mairink ÂŚ FigueiraÂŚGuapirama ÂŚ Ibaiti ÂŚ ItambaracĂĄ ÂŚ Jaboti ÂŚ Jacarezinho JaguariaĂ­va ÂŚ Japira ÂŚ Joaquim TĂĄvora ÂŚ JundiaĂ­ do Sul ÂŚ PinhalĂŁo ÂŚ QuatiguĂĄ ÂŚ RibeirĂŁo Claro ÂŚ RibeirĂŁo do Pinhal ÂŚ Salto do ItararĂŠ ÂŚSantana do ItararĂŠ ÂŚ Santo AntĂ´nio da Platina ÂŚ SĂŁo JosĂŠ da Boa Vista ÂŚ SengĂŠs ÂŚ Siqueira Campos ÂŚTomazina ÂŚ Wenceslau BrĂĄz

Filiado a Associação dos Jornais Diårio do Interior do Paranå

* Os artigos assinados nĂŁo representam necessariamente a opiniĂŁo do jornal, sendo de exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.

5(48(5(5 DR ,$3 D OLFH FRUWH D VHU LPSODQWDGD QR PXQLFtSLRGH$EDWLi

6Ò08/$$OWHUDRVDQH[R, RXWUDVSURYLGrQFLDV $&Æ0$5$081,&,3$/'( ((835()(,72081,&,3$/6 $UWž)LFDDOWHUDGRR$QH[ ,,¹5(&(,7$6'(7$/+$'$6G †ž$DOWHUDomRFLWDGDQRDUW QR3URJUDPD¹&$0,1+26' Q~PHUR¿UPDGRHQWUH GH'HVHQYROYLPHQWR8UEDQR3$ HFRQVHUYDomRGHYLDVWHQGRFR $UWž)LFDDOWHUDGRR$QH[ GH'LUHWUL]HV2UoDPHQWiULDVSDUD †ž$DOWHUDomRFLWDGDQRD QR3URJUDPD¹&$0,1+2 GHQ~PHUR¿UPDGRHQ GH'HVHQYROYLPHQWR8UEDQR3$ FRQVHUYDomRGHYLDVWHQGRFRP $UW ž  (VWD OHL HQWUDUi H GLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR *DELQHWHGR3UHIHLWR0XQLFL

6Ă’08/$$XWRUL]DR3RGHU QDLPSRUWkQFLDGH5 $&Æ0$5$081,&,3$/'( ((835()(,72081,&,3$/6 $UWž)LFDDXWRUL]DGRDDE FRUUHQWHH[HUFtFLRXP&UpGLWR$G 0LO5HDLV FRQIRUPHGHWDOKDPHQW  Âą'(3$57$0(17 Âą'LYLVmRGH6HUYLoRV5R Âą3ODQRG Âą(TXLSDPHQW )5¹¹5HFXUVRVGR3$0 $UWž3DUDFREHUWXUDGR& RH[FHVVRGHDUUHFDGDomRFRPR WHPFRPRREMHWRDÂłDTXLVLomRGH FRPSUHYLVmRGHUHSDVVHGH5 $UWž(VWDOHLHQWUDUiHPYLJ HPFRQWUiULR *DELQHWHGR3UHIHLWR0XQLFLS


6

TRIBUNA DO VALE

PolĂ­tica A-3

Sexta-feira, 08 de novembro de 2013

  

 

   

MP analisa irregularidade em terraplanagem no terreno de Nilmar MaurĂ­cio Reale

   

R

FXMRREMHWRpD&RQWUDWDomR 8%6ÂąSRUWH,QRPXQLFtSLR URQRJUDPDItVLFRÂżQDQFHLUR

PLQQDVHGHGD3UHIHLWXUD QDtQWHJUDHVWDUiGLVSRQtYHO WRUGHOLFLWDo}HVGHVHJXQGD 

RGRV6LQGLFDWRVGRV6HUYLGRUHV

DFRUGRQR3URFHVVR-XGLFLDOQž SHOD)HGHUDomRGRV6LQGLFDWRV

HDSURPRYHURGHVFRQWR HGHVHXVVHUYLGRUHVHP

WmRFRQWLGRVQDSHWLomRGLULJLGD

GRDFRUGR HPFRQWUiULR H

&DVDGH/HLVRLQFOXVR3URMHWR UDU DFRUGR QRV DXWRV Qž 

GRUHFROKLPHQWRGDFRQWULEXLomR mRHVWDWXWiULRV FLDS~EOLFDQR1~FOHR5HJLRQDO GHMXOKRGH GRMXGLFLDOSRUpPRPXQLFtSLR  VLQWHUHVVDGRVSUHYHQLUHPRX

/XL]*XLOKHUPH%DQQZDUW

DENÚNCIA�InquÊrito pode ser instaurado hoje para investigar o serviço realizado em årea pertencente ao jogador A assessoria do MinistÊrio Público (MP) de Bandeirantes informou, na tarde de ontem, que a promotora de Justiça Virgínia Gracia Prado Domingues pode instaurar inquÊrito hoje para apurar supostas irregularidades cometidas pela prefeitura na realização da terraplanagem no terreno do jogador Nilmar Honorato da Silva. Segundo a assessoria, a promotora analisa uma sÊrie de documentos que podem sugerir um suposto ato de improbidade administrativa. A denúncia foi feita anonimamente e a reportagem documentou, na sexta-feira, 1, a movimentação de måquinas da prefeitura que realizavam a terraplanagem numa årea de 2,4 hectares que fica no fica no entroncamento das rodovias PR 436 e BR 369. De acordo com o denunciante, o serviço

era realizado desde o início da semana passada. Na ocasião o prefeito Celso Silva ( PDT ) afirmou que não havia nada de irregular no serviço que teria sido autorizado pela Câmara de Vereadores, porÊm, as måquinas deixaram o local no mesmo dia em que a reportagem flagrou o serviço que continua interrompido. No local serå construído um complexo hoteleiro esportivo avaliado em mais de R$ 10 milhþes pertencente à empresa NHS Sports Eventos Esportivos LTDA do jogador que atualmente defende as cores do Al Rayyan, time do Qatar. De acordo com o prefeito, o terreno foi doado pela prefeitura com autorização da Câmara com o propósito de trazer investimentos para o município jå que, depois de concluído, o complexo deve gerar 90 empregos diretos e terå capacidade para receber atÊ 700 hóspedes por mês.

Depois da denĂşncia terraplanagem foi interrompida

Silva afirmou que o jogador – que jå defendeu grandes equipes como o Corinthians e

Â?CAMBARĂ

Orçamento da Saúde para 2014 serå de R$10 milhþes

&5)UDQFLVTXLQL

o Internacional e tambÊm jå jogou pela Seleção Brasileira – pretende investir no muni-

cípio onde nasceu. O prefeito tambÊm ressaltou a importância de incentivar inves-

timentos para proporcionar crescimento econômico por meio de geração de empregos.

Â?SAĂšDE

Dr. SĂŠrgio assina recursos para Santa Casa de Jacarezinho

'LYXOJDomR

EOLFD HVWD VXMHLWD D XP UHJLPH RUHJLPHMXUtGLFRDGPLQLVWUDWLYR VVRDRVGLWDPHVOHJDLVHQmR Do}HV RX LPSRU YHGDo}HV DRV

RGHGLUHLWRRVDJHQWHVS~EOLFRV SDVVDUSHORFULYRGDOHJDOLGDGH GHHIHWXDURGHVFRQWRHPIROKD DDQiOLVHRUoDPHQWiULDSRLVR

QWDJHQVDEUDQJHQGRDUHQXQFLD HUtRGRDQWHULRUDRH[HUFtFLRGH

D$GPLQLVWUDomR3~EOLFDHRV iWLFDGHWDODWRFRPRVHUHTXHU

VGHHOHYDGDHVWLPDHGLVWLQWD

RGR3DUDQiQRXVRGHVXDV

 D VHUYLGRUD /(,/$ 0$5,$ &736QžVpULH

DWULEXLo}HVOHJDLV

(/02026&21RFXSDQWHGR D XEURGRDQRGHGRLVPLOHWUH]H

XHGHDFRUGRFRPR&yGLJR SURSULHWiULRVRXPRUDGRUHV pGLRVHWHUUHQRVEHPFRPR QH PyYHLVHPVLWXDomRLUUHJXODU DEtYHLV

(VWDGRGR3DUDQiXVDQGR

*8(6'$6,/9$SRUWDGRUD FLRQDO,,SRUXPSHUtRGRGH GHHPFRQIRUPLGDGH

HPEURGH

Em BrasĂ­lia, Dr SĂŠrgio se reĂşne com autoridades e assina recebimento de verba AudiĂŞncia pĂşblica foi coordenada pela equipe de SaĂşde da cidade CirculandoAqui

A Secretaria Municipal de Saúde realizou audiência pública no dia 30, na Câmara de Vereadores, para apresentar Plano Plurianual (PPA) do município para o período de 2014/2017. O PPA prevê recursos da ordem de R$ 10,1 milhþes para o setor. O PPA Ê peça fundamental na

composição do orçamento público. Ele traça as metas, diretrizes e objetivos a serem cumpridos no período fixado. Segundo o secretårio municipal de Saúde, João Luccas Thabet, com 50% dos recursos sendo usados para a folha de pagamentos, hå boas chances de investir na saúde. Em Cambarå, o PPA vem sendo elaborado com a partici-

MARMITA E MARMITEX E TAMBÉM PRATO FEITO NO LOCAL Tudo em um ambiente familiar.

3534-5542 9648-0311 9131-3627 Trabalhamos de Segunda Ă  Domingo Rua Coronel Capucho, 879 (Esquina do Rio Branco)

pação popular em todas as fases. De acordo com o prefeito, JoĂŁo Mattar Olivato, a audiĂŞncia pĂşblica ĂŠ uma reuniĂŁo que trata de assuntos do interesse do povo e de sua localidade. “O PPA estabelece os projetos e programas de longa duração definindo objetivos e metas das açþes pĂşblicas de nosso municĂ­pio, por isso, a participação da população ĂŠ de suma importância para que possamos elaborĂĄ-lo. As pessoas puderam participar diretamente trazendo suas propostasâ€?, comentou Mattar. O planejamento foi detalhado pelo SecretĂĄrio de SaĂşde, JoĂŁo Luccas Thabet Venturini, Carolina Bittencourt, coordenadora da Atenção BĂĄsica, e MĂĄrcio de Oliveira, contador da prefeitura. Entre as propostas estĂĄ a implantação do CAPS 1, do PSE (Programa de SaĂşde Escolar), que vem para promover campanhas de incentivo nas escolas do municĂ­pio, melhorias no acesso e qualidade no atendimento aos pacientes das Unidades BĂĄsicas, capacitação de profissionais, entre outros projetos.

Da Assessoria

O prefeito de Jacarezinho SĂŠrgio Eduardo de Faria, o Dr. SĂŠrgio (Democratas), assinou na tarde de terça-feira, 5, em BrasĂ­lia, o documento que autoriza o MinistĂŠrio da SaĂşde a repassar R$ 738.783,36 para a Santa Casa de MisericĂłrdia. A medida visa o fortalecimento das atuaçþes da unidade hospitalar. â€œĂ‰ uma ação que irĂĄ auxiliar nossa Santa Casa, que ĂŠ referĂŞncia de atendimento em todo o Norte Pioneiroâ€?, comentou o prefeito. Ele tambĂŠm representou o presidente da entidade de saĂşde, Ken Tokumoto. Entre as medidas estĂĄ a concessĂŁo de uma moratĂłria de quinze anos para dĂ­vidas tributĂĄrias e previdenciĂĄrias; a criação de uma linha de financiamento para dĂ­vidas bancĂĄrias; e ainda um maior incentivo financeiro em procedimentos complexos. Os hospitais filantrĂłpicos e Santas Casas do Norte do ParanĂĄ receberĂŁo incentivos financeiros do Governo Federal que atenderĂŁo num primeiro

momento 97 municípios contemplando uma população de mais de 1,9 milhþes de paranaenses. A Santa Casa de Misericórdia de Jacarezinho tem uma parceria com a Prefeitura de Jacarezinho, onde Ê mantido

o Pronto Socorro. AlĂŠm disto, outros procedimentos que eram feitos em apenas grandes centros jĂĄ sĂŁo realizados na cidade. “JĂĄ temos uma tomografia computadorizada e um raio x de alta qualidadeâ€?, finaliza o prefeito.


A-4 Região

TRIBUNA DO VALE Sexta-feira, 08 de novembro de 2013

Norte Pioneiro propõe formalização de conselhos de segurança alimentar OFICINAAssunto foi debatido durante realização da 2ª Oficina Regional de Segurança Alimentar e Nutricional Da Assessoria

Representantes dos 23 municípios do Norte Pioneiro propuseram a formalização dos Conselhos Municipais de Segurança Alimentar e Nutricional (Comsea) em todos os municípios da região de Jacarezinho. Este foi um dos principais assuntos debatidos durante a realização da 2ª Oficina Regional de Segurança Alimentar e Nutricional, coordenada pela Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Economia Solidária (SETS), com apoio da equipe profis-

sional do Escritório Regional de Jacarezinho. Cerca de 90 pessoas participaram da Oficina, que contou com a participação do secretário do Trabalho e deputado estadual, Luiz Claudio Romanelli, que fez questão de participar da oficina dada a importância da discussão com as lideranças regionais. “Implantar e fortalecer o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional nos municípios do Norte Pioneiro é um grande desafio. O Governo no Paraná tem incentivado a implantação do

Sisan em todos os municípios paranaenses, porque todos nós, agentes públicos, estamos empenhados em garantir a produtividade, distribuição e melhoria da qualidade dos alimentos consumidos em todo o Estado”, enfatiza Romanelli. O agente técnico profissional Valdenir Batista Veloso “Neto”, da SETS/Curitiba apresentou aos participantes as principais características do Sisan e orientou os participantes quanto à implementação do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional nos municípios.

A jornalista Cintia Bruno Ferreira Garcia também falou sobre questões relacionadas ao atendimento ao cidadão em suas necessidades básicas, sobretudo na oferta de alimentação de qualidade. Cintia é servidora municipal lotada na Secretaria Municipal de Assistência Social de Jacarezinho. Atualmente, dos 23 municípios da região, apenas cinco contam com os trabalhos voluntários do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. O Comsea é formado por representantes

da sociedade e do governo, e um dos passos importantes para a construção do Sisan nos municípios. Segundo Romanelli, todo mundo tem direito a uma alimentação saudável, acessível, de qualidade, em quantidade suficiente e de modo permanente. “Isso é o que chamamos de segurança alimentar e nutricional. Ela deve ser baseada em práticas alimentares promotoras da saúde, que não comprometam o acesso a outras necessidades essenciais”, explica o secretário do Trabalho. Outro detalhe

importante é que a segurança alimentar deve ser realizada em bases sustentáveis. COMSEA De acordo com a proposta apresentada durante a Oficina do Sisan, as prefeituras deverão apoiar a criação dos conselhos municipais. O Comsea deve congregar três setores da sociedade: representantes do poder público, representantes de entidades ou de instituições que já atuam em segurança alimentar (igrejas, sindicatos, cooperativas, ONGs, etc.) e representantes da sociedade civil organizada.

UENP

Projeto apresenta peças teatrais com alunos da rede pública Da Assesoria

O projeto Memória, História e Cultura Popular: Teatro como Ferramenta de Ensino da História Local da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP/PROEC), realizado em parceria com Programa de Extensão Universitária (ProExt), apresenta, amanhã (08) e sábado (09/11), dois espetáculos teatrais destinados ao público infantil em Jacarezinho. As peças “Não Somos ET´s” e “O Águia de Haia” serão encenadas pelos alunos da Escola Imaculada Conceição e do Colégio Rui Barbosa, respectivamente. Prevista para começar às 20h, os espetáculos acontecem no Conjunto de Amadores de Teatro (CAT), com entrada franca. A peça “Não Somos Et´s” homenageia Jacarezinho e recupera, através de uma fábula divertida, diversos momentos e personagens históricos da cidade, como Dr. Xandô (primeiro promotor público da cidade), além de confrontar a memória coletiva dos pioneiros com as novidades de um futuro não tão distante. Já o espetáculo “O Águia de Haia” é um teatro de fantoches que faz homenagem ao Colégio Rui Barbosa, recuperando não apenas a história do personagem Rui Barbosa como também a história do colégio que leva seu nome. A peça, com o apoio de tecnologia, tem os

alunos do Colégio jacarezinhense como manipuladores dos bonecos. “Apesar de os textos serem escritos para crianças, tenho certeza de que o público adulto também vai se divertir. Além de imagens e dados importantes, em “O Águia de Haia” e “Não somos Et´s” há também muita coisa do mundo adulto. Como as duas peças serão encenadas em sequência, tenho certeza de que a diversão está garantida”, comenta o autor dos textos, Nelson Mascaro Junior. Projeto O projeto de extensão universitária, que possibilitou aos acadêmicos de História do Centro de Ciências Humanas e da Educação (CCHE), do campus Jacarezinho, o desenvolvimento de atividades com alunos da rede pública foi coordenado pelos professores Marcus Selonk e Luciana Brito. Segundo eles, esta foi uma oportunidade ímpar para os alunos da UENP e das escolas participantes. “É indispensável que o acadêmico tenha a oportunidade de exercitar sua capacidade de criação, colocando em prática os conhecimentos que adquire durante o seu curso. Este projeto de extensão proporcionou aos acadêmicos da UENP vivenciar a realidade das escolas, seus contrastes, dificuldades e, principalmente, extrair o melhor dos alunos. O resultado foi fantástico. Estou satisfeito

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA ---------------- ESTADO DO PARANÁ ----------------Praça

Nossa Senhora Aparecida, s/nº - Fone (43) 3534-8700 76.968.627/0001-00 prefeitura@santoantoniodaplatina.pr.gov.br site: ww.santoantoniodaplatina.pr.gov.br

NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL O Município de Santo Antônio Da Platina, pessoa jurídica de direito público interno, inscrita no CNPJ/MF 76.968.627/0001-00, na pessoa do Prefeito em exercício Dr. Jorge Cendon Garrido, brasileiro, casado, inscrito no CPF/MF sob nº 034.245.612-15 e portador da Carteira de Identidade RG nº 823070-6 SSP/PR, residente e domiciliado nesta cidade, na Avenida Oliveira Motta, nº 1.139, Centro, tendo acolhido o relatório final apresentado pela Comissão Especial nomeada por meio da Portaria nº 362/2013, em 29 de maio de 2013, para efetuar o levantamento das condições e documentações relativas à doação dos imóveis do Programa Minha Casa Minha Vida no Jardim Bela Manhã; Considerando que o relatório demonstra que os NOTIFICADOS/BENEFICIÁRIOS dos lotes 492, 520, 525 e 533, realizaram a transferência dos imóveis, violando o disposto no art. 6-A, § 5º, III e § 6º da Lei 11.977/2009, que dispõe sobre o Programa Minha Casa Minha Vida; É a presente para NOTIFICAR os beneficiários abaixo relacionados para que ocupem os imóveis recebidos, sob pena de medida judicial cabível, a ser ajuizada pelo Município de Santo Antônio da Platina, para reintegração de posse. LOTE

NÚMERO

MATRÍCULA

12.916.779-3

14.375

BENEFICIÁRIO Sheila Ferreira Bento Maria das Graças dos Santos

492

76

17.939

520

101

525

s/ nº

RG

14.380

Márcia Simara da Silva

9.051.018-5

9.721.259-7

Viviane de Moura 533 32 17.963 7.611.746-8 Fica concedido o prazo de 15 (quinze) dias, para ocupação dos imóveis, a contar da publicação dessa notificação. No mesmo prazo devem os beneficiários/notificados comparecerem na Secretaria Municipal de Assistência Social, sito na Avenida Palma Rennó, 393, nesta cidade, com vistas a assinar Termo de Compromisso de ocupação do imóvel. Certo de que seremos atendidos, estamos à disposição para eventuais esclarecimentos. Santo Antônio da Platina, 24 de outubro de 2013. Atenciosamente. JORGE CENDON GARRIDO Prefeito Municipal em exercício

Exam das u

ENSINO SUP instituições

TRADIÇÃO

Abatiá Festa d

Da R

Cartazes promocionais das três peças teatrais do projeto de estensão da UENP

e muito orgulhoso do trabalho de todos”, enaltece Selonk. Os trabalhos realizados pelos acadêmicos da UENP foram orientados por Suzana Bett Bagio, que dirigiu os alunos junto com os acadêmicos Elisa Theodoro de Souza, Rodney Ricardo Bueno Rodrigues e Verônica Rodrigues de Moraes. O grupo acentua que a experiência desse trabalho conjunto modificou as relações entre os alunos dos

colégios, bem como a relação deles com o processo de aprendizagem. “Não basta ensinar, esclarecer sobre a importância do conhecimento. É preciso fazer com que a criança goste cada vez mais da escola e do processo de aprendizagem. E isso ocorreu durante o tempo que passamos com elas. Mais confiantes e mais capazes de se expressar, críticas em relação à forma como cada

coisa deve ser apresentada, e com vínculos de amizade e companheirismo fortalecidos. Este é o principal trabalho realizado pelo teatro, frisa a oficineira Suzana. Ela partilha que a história local encantou as crianças. “Agora (as crianças) desejam realmente saber mais sobre sua cidade, não como obrigação de domínio de conteúdo, mas sim porque gostam de saber e aprenderam a importância desse conheci-

NATAL

mento. Além disso são grandes atores e vão surpreender o público nas apresentações”, declara orgulhosa Suzana. Serviço Espetáculos: Não Somos Et´s e O Águia de Haia Público: Infantil Local CAT - Conjunto de Amadores de Teatro - Jacarezinho Data: 08 e 09 de novembro Horário: 20h

S.A.PLATINA

Comércio abre a noite a partir do dia 12 de dezembro Da Redação

A Associação Comercial e Empresarial de Santo Antônio da Platina já elaborou o calendário de funcionamento do comércio em dezembro. A abertura à noite acontecerá no dia 12 e segue até o dia 23, das 8h às 22 horas. Nos sábados 7, 14 e 21, as lojas permanecerão abertas das 7h às 17 horas. No dia 24, das 8h às 16 horas. A Campanha de Natal deste ano vai sortear um carro modelo UNO VIVACE 2014 - duas portas –através de uma parceria com a Cooperativa SICREDI, que doará o seguro completo do veículo ao contemplado. Os cupons para participar da cam-

panha começarão a ser distribuídos no comércio a partir de 25 de novembro A iluminação do centro da cidade ficará a cargo da prefeitura.A Igreja Católica, através do grupo de coral Sementinha, e com a apoio de patrocinadores, também já se prepara para asapresentações durante a semana do Natal. Segundo a diretora da Associação, Andrea Vaz, a previsão de

vendas do comércio é positiva. “Esperamos um aumento nas vendas em torno de 6 a 8%. Isso porque o governo tem mantido apolítica de juros baixos”, explicou. Para Andrea, os setores ligados a decoração, eletrodomésticos, móveis e materiais de construção serão os primeiros a sentir o impacto positivo das vendas em função dos preparativos que precedem a data.

Esperamos um aumento nas vendas em torno de 6 a 8%. Isso porque o governo tem mantido apolítica de juros baixos”

Equipe da Saúde vai atender população no sábado Da Redação

A Equipe da Secretaria Municipal da Saúde de Santo Antônio da Platina e alunos do curso de Enfermagem das Faculdades Integradas de Ourinhos(FIO) estarão no sábado, das 8h às 17 horas, em frente à igreja matriz atendendo a população com aferição de pressão arterial, teste de glicemia, índice de Massa Corporal (IMC), além de orientações para uma vida saudável. As pessoas que apresentarem alguma alteração em qualquer um desses exames serão orientadas para procurarem a Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência.


Cotidiano A-5

TRIBUNA DO VALE Sexta-feira, 08 de novembro de 2013

ação entar

e Nutricional

Exame da OAB revela qualidade das universidades estaduais ENSINO SUPERIORO curso de Direito da UENP em Jacarezinho também ficou entre as dez instituições de ensino superior do Brasil com maior percentual de aprovados no exame da OAB AEN

O curso de Direito da Universidade Estadual do O este do Paraná (Unioeste), em Francisco B eltrão, obte ve, em âmbito estadual, o segundo maior percentual de alunos aprovados no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Foram aprovados 18 dos 23 estudantes que chegaram à segunda fase, totalizando percentual de 78,26% de aprovação. O maior percentual de

pública

aprovação no Estado foi da Universidade Federal d o Pa r a n á ( U F P R ) , q u e chegou a 80,29%. A Un i o e s t e f i c o u e m quinto lugar entre as universidades públicas do País. No geral, as universidades estaduais conseguiram média de aprovação de 64,28%, bem acima da média nacional de 28,7%. No Paraná, 7.995 pessoas se inscreveram para fazer o exame e 2.629 passaram da segunda fase. Isso corresponde à aprovação de

32,88% dos paranaens es inscritos. O curso de Direito da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) em Jac are zin ho t amb ém ficou entre as dez instituições de ensino superior do Brasil com maior percentual de aprovados no exame da OAB. O resultado de 78,13% de aprovação na segunda fase do processo destacou o curso da UENP em sexto lugar do Brasil em número de aprovações e terceiro no Paraná.

TRADIÇÃO

Abatiá prepara 15ª Festa do Peão Boiadeiro Da Redação

A prefeitura de Abatiá já está organizando a 15ª Festa do Peão Boiadeiro da cidade, que será realizada entre 14 a 17 deste mês. Além de parque de diversão, praça de alimentação, cobertura com iluminação colorida, também haverá shows para animar os visitantes e rodeios de touros e cavalos. A abertura está marcada para às 20h30, do dia 14, e as 21 horas, começam os rodeios. Às 23h, show com Marcos e

Mancini. Os ingressos antecipados custam R$ 15,00. Na portaria R$ 20. No dia 15, os rodeios começam às 21 horas, e às 23h30, show com Jad e Jeferson. Os ingressos custam R$ 15 e R$ 20 antecipados e na portaria. No dia 16, além dos rodeios de touro e cavalos haverá show com Evandro e Agnaldo. Ingressos antecipados custam R$ 20 e na portaria R$ 25. No dia 17, às 9 horas está prevista uma cavalgada. O evento ainda depende de autorização da Adapar.

À noite, a partir das 21 horas, será a semifinal e final dos rodeios. Os locutores são Gleydson Rodrigues, Renato Quadreli e Hélio Bento. A premiação para os cinco primeiros lugares do rodeio de cavalos é: 1º lugar: R$ 5 mil, 2º , R$ 2.5 mil, 3º , 2 mil; 4ª , R$ 1.5 mil e 5º R$ 1 mil. O rodeio de touro vai pagar R$ 5 mil para o primeiro lugar, R$ 2,5 mil para o segundo lugar, R$ 2 mil para o terceiro, R$ 1,5 mil para o quarto, R$ 1 mil para o quinto e R$ 500 para o sexto lugar.

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAPIRAMA – PARANÁ EXTRATO DE CONTRATO DATA DE ASSINATURA DO CONTATO: 24 de outubro 2013 CONTRATANTE: MUNICÍPIO DE GUAPIRAMA CONTRATADA: CALL ECG SERVIÇOS DE TELEMEDICINA S/C LTDA LOTE ÚNICO: R$ 7.200,00 (sete mil e duzentos reais) sendo R$ 600,00 mensais por 12 meses OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ELETROCARDIOGRAMA ATRAVEZ DA INTERNET, COM LAUDOS ASSINADOS E TRANSMITIDOS PARA O SOLICITANTE. SINDICATO RURAL PATRONAL DE RIBEIRÃO DO PINHAL Órgão Sindical de 1ºGrau Reconhecido em 13/10/67 Rua São Paulo, 658 - Fone/Fax: (43)3551-1410 ± CEP 86490-000 Ribeirão do Pinhal ± Paraná ± e-mail: sindipatronalrp@hotmail.com EDITAL DE CONVOCAÇÃO O Presidente do Sindicato Rural Patronal de Ribeirão do Pinhal, no uso de suas Atribuições, art. 31 do estatuto, convoca os associados para a realização de Assembléia Geral Ordinária no dia 13 de novembro de 2013 às 17:00 horas, em primeira convocação, o Plenário será considerado instalado se estiver presente e, em segunda convocação, às 18:00 horas, em sua sede, à Rua São Paulo, n° 658, centro, Ribeirão do Pinhal – PR. Pauta do dia:

A.PLATINA

uipe da Saúde atender pulação sábado Da Redação

-

Aprovação da Ata da reunião anterior;

-

Exame e aprovação da Proposta Orçamentária do Exercício 2014;

-

Assuntos Gerais.

QUALIFICAÇÃO – A coordenadora do curso de D ire ito de Fr anc is c o Beltrão, Silvia de Freitas Me n d e s , e n f at i z a q u e o excelente desempenho, que vem se repetindo anualmente, se deve ao empenho conjunto de professores e alunos. “Nosso corpo docente está sempre buscando qualificação”, diz ela, acrescentando que todos os professores efetivos têm m e s t r a d o, a l é m d e d oi s doutores e cinco professores cursando o doutorado.

Em Jacarezinho, foram aprovados 25 dos 32 classificados na primeira fase. O reitor em exercício da UENP Rinaldo Bernardelli Junior afirma que o resultado confirma a excelência do ensino do curso na instituição. “A conquista é mais um motivo de orgulho para todos nós”. Na lista das estaduais, estão a Universidade Estadual de Maringá (UEL), com 75,76%; Universidade Estadual de Londrina ((UEL), com 58,51%; e

Universidade Estadual de Pont a Gro ss a ( U E P G ) , com 52%. Apenas os campi de Marechal Cândido R ond on , d a Un i o e ste, e Santo Antônio da Plat i n a , d a U E N P, f i c a r a m com médias menores por contarem com poucos insc r itos e c om c a l e nd ár i o a c a d ê m i c o d i fe re n c i a d o que não coincide com a data do exame. Estes campi conseguiram a aprovação, respectivamente, de cinco dos 18 inscritos e um dos 11 candidatos.

S.A.PLATINA

Família tem carro arrombado e furtado enquanto fazia compras Luiz Guilherme Bannwart

Luiz Guilherme Bannwart

Uma família teve o carro arrobando e pertences furtados na tarde ontem ,7, enquanto fazia compras em um supermercado no centro de Santo Antônio da Platina. O furto ocorreu por volta das 13h30, na rua Arthur Franco, próximo ao cruzamento com a rua Rui Barbosa. De acordo com o proprietário do veículo, João Roberto de Souza, 53, morador do bairro rural Três Vendas, em Guapirama, ele a esposa e um filho teriam estacionado o carro ao lado do supermercado onde fizeram compras e quando retornaram encontraram a porta do veículo, do lado do motorista, arrombada. O motorista relatou à Polícia Militar (PM) a falta da bolsa da esposa, Marilza Aparecida de Souza, 48, que estava em cima de um dos bancos do carro. Dentro da bolsa, além de documentos pessoais também havia R$ 300. Segundo a PM, mesmo não havendo câmeras de seguranças no local foi possível identificar a identidade de

Homem forçou a porta para arrombar o veículo

um suspeito através de testemunhas. O homem - que já possui

várias passagens pela polícia por furto - está sendo procurado.

CONSELHEIRO MAIRINCK

PM apreende dinheiro falso e prende suspeitos

Divulgação

Ribeirão do Pinhal, 04 de novembro de 2013.

__________________ Ciro Tadeu Alcântara

MUNICIPIO DE SANTO ATONIO DA PLATINA – ESTADO DO PARANÁ

PREGÃO PRESENCIAL Nº 089/2013 - PROCESSOPresidente nº 829/2013 - AVISO DE ADJUDICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO O Prefeito do Município de Santo Antônio da Platina, Estado do Paraná, torna publico a Adjudicação e Homologação do Procedimento Licitatório Modalidade Pregão Presencial sob o nº 089/2013 que tem como objeto a Registro de Preço para Aquisição de Peças de 1ª Linha e Serviços Mecânicos Especializados para reparos em Veículos da Frota Municipal, Linha Porte leve, tipo de Combustível Álcool, Gasolina e Flex e Aquisição de Peças e Serviços Mecânicos Especializados para reparos em Veículo da Frota Municipal, Linha Porte Médio tipo similar a Van a Diesel e Veículos movidos a Gasolina, a serem adquiridos conforme a necessidade, por um período de 12 (doze) meses, conforme Tabela AUDATEX; à(s) proponente (s): FORNECEDOR CNPJ/CPF VALOR CENTRO AUTOMOTIVO BEIRA RIO LTDA ME 01.037.105/0001-88 29.700,00 AUTO PEÇAS E MECÂNICA BEIRA RIO- FADRI AUTO PEÇAS LTDA 81.750.382/0001-72 81.000,00 Santo Antonio da Platina - PR, 07 de novembro de 2013. PEDRO CLARO DE OLIVEIRA NETO - Prefeito Municipal

MUNICIPIO DE SANTO ATONIO DA PLATINA – ESTADO DO PARANÁ TOMADA DE PREÇOS Nº 04/2013 - PROCESSO Nº 811/2013 - AVISO DE ADJUDICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO Torna publica a Homologação e Adjudicação do Procedimento Licitatório Modalidade Tomada de Preços sob o nº 04/2013 que tem como objeto a Contratação de Empresa Especializada para Prestação de Serviços Técnicos, relativos a Elaboração e Implantação do novo Plano de Classificação de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores do Municipio de Santo Antonio da Platina, Estado do Paraná; à(s) empresa(s): Nome do Fornecedor CNPJ Valor DRZ GEOTECNOLOGIA E CONSULTORIA S/S LTDA 04.915.134/0001-93 36.850,00 Santo Antônio da Platina, 07 de novembro de 2013. PEDRO CLARO DE OLIVEIRA NETO - Prefeito Municipal

Notas falsas e equipamentos apreendidos pela PM Luiz Guilherme Bannwart

Um homem de 25 anos foi detido na tarde de quarta-feira, 6, por policiais militares da Agência Local de Inteligência e da Rádio Patrulha do Pelotão de Conselheiro Mairinck, pertencente à 3ª Companhia, em Ibaiti, acusado de falsificação de moeda.

O suspeito foi detido por volta das 14h30, em uma casa em Conselheiro Mairinck, e ainda tentou fugir. Com ele foram encontradas várias cédulas falsas de R$ 50. Dentro da residência, em um dos cômodos, os policiais encontraram uma impressora com uma folha impressa pela metade com notas de R$ 50 e

um computador com arquivos gráficos de cédula de real. O proprietário do imóvel informou que desconhecia a prática do suspeito no local. Ele, o suspeito e o material apreendido foram encaminhados para a Delegacia, conforme orientação da Polícia Federal e poderão responder por falsificação de moeda e estelionato.


TRIBUNA DO VALE

A-6 Atas & Editais

Sexta-feira, 08 de novembro de 2013

PREFEITURA MUNICIPAL DE ABATIÁ Projeto de Lei nº 20/13, de 30/08/13. LEI Nº. 587/2013, DE 07 DE NOVEMBRO DE 2013. “ESTIMAARECEITAE FIXAADESPESADO MUNICÍPIO DEABATIÁ, ESTADO DO PARANÁ, PARAO EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2014”. A Câmara Municipal de Abatiá, Estado do Paraná aprovou, e eu Maria de Lourdes Ferraz Yamagami, Prefeita Municipal, sanciono a seguinte LEI: TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES COMUNS $UWƒ(VWD/HLHVWLPDD5HFHLWDH¿[DD'HVSHVDGR0XQLFtSLRGH$EDWLi(VWDGRGR3DUDQiSDUDRH[HUFtFLR¿QDQFHLURGH compreendendo: ,±R2UoDPHQWR)LVFDOUHIHUHQWHDRV3RGHUHV/HJLVODWLYRH([HFXWLYRGR0XQLFtSLRGH$EDWLD3DUDQiUHODWLYR$GPLQLVWUDomR Pública Municipal Direta; ,,±R2UoDPHQWR)LVFDOUHIHUHQWHDRVyUJmRVHHQWLGDGHVGD$GPLQLVWUDomR3~EOLFD0XQLFLSDO,QGLUHWD TÍTULO II DOS ORÇAMENTOS FISCAIS CAPÍTULO I DA ESTIMATIVA DA RECEITA DA RECEITA TOTAL  $UWƒ$5HFHLWD2UoDPHQWiULDGD$GPLQLVWUDomRGLUHWDGR0XQLFtSLRHPPRHGDFRUUHQWHQDFLRQDOHFRQIRUPHDOHJLVODomR WULEXWiULDYLJHQWH¿FDHVWLPDGDHP5 WUH]HPLOK}HVGX]HQWRVHYLQWHHQRYHPLOFHQWRHRLWHQWDHVHWHUHDLVHFLQTXHQWD centavos), desdobradas nos seguintes agregados:  ,±2UoDPHQWR)LVFDOGR0XQLFtSLRFRPSUHHQGHQGRR3RGHU([HFXWLYRQRYDORUHVWLPDGRHP5 GR]H PLOK}HVTXDWURFHQWRVHTXDUHQWDHFLQFRPLOVHWHFHQWRVHWULQWDHGRLVUHDLVHRLWHQWDHVHWHFHQWDYRV HR/HJLVODWLYR0XQLFLSDOHVWLPDGR HP5 VHWHFHQWRVHRLWHQWDHWUrVPLOTXDWURFHQWRVHFLQTXHQWDHTXDWURUHDLVHVHVVHQWDHWUrVFHQWDYRV  ,,±2UoDPHQWR)LVFDOGD$GPLQLVWUDomR3~EOLFD0XQLFLSDO,QGLUHWDHVWLPDGRHP5 QRYHFHQWRVHVHWHQWDHGRLVPLOUHDLV  $UWƒ$V5HFHLWDVVmRHVWLPDGDVSRU&DWHJRULDV(FRQ{PLFDVVHJXQGRDRULJHPGRVUHFXUVRVFRQIRUPHRGLVSRVWRQR$QH[R, TXHID]SDUWHLQWHJUDQWHGDSUHVHQWH/HL2UoDPHQWiULD $UWƒ$5HFHLWDVHUiUHDOL]DGDFRPEDVHQRSURGXWRGRTXHIRUDUUHFDGDGRQDIRUPDGDOHJLVODomRHPYLJRUGHDFRUGRFRPR GHVGREUDPHQWRFRQVWDQWHDR$QH[R,,TXHID]SDUWHLQWHJUDQWHGDSUHVHQWH/HL2UoDPHQWiULD CAPÍTULO II DA FIXAÇÃO DA DESPESA DA DESPESA TOTAL $UWƒ$'HVSHVD2UoDPHQWiULD*HUDOGD$GPLQLVWUDomR'LUHWDGR0XQLFtSLRQRPHVPRYDORUGD5HFHLWD2UoDPHQWiULD*HUDOGR 0XQLFtSLRp¿[DGDHP5 WUH]HPLOK}HVGX]HQWRVHYLQWHHQRYHPLOFHQWRHRLWHQWDHVHWHUHDLVHFLQTXHQWDFHQWDYRV   ,±2UoDPHQWR)LVFDOGD$GPLQLVWUDomR'LUHWDGR0XQLFtSLRFRPSUHHQGHQGRR3RGHU([HFXWLYRQRYDORU¿[DGRHP5  GR]HPLOK}HVTXDWURFHQWRVHTXDUHQWDHFLQFRPLOVHWHFHQWRVHWULQWDHGRLVUHDLVHRLWHQWDHVHWHFHQWDYRV HR/HJLVODWLYR 0XQLFLSDO¿[DGRHP5 VHWHFHQWRVHRLWHQWDHWUrVPLOTXDWURFHQWRVHFLQTXHQWDHTXDWURUHDLVHVHVVHQWDHWUrVFHQWDYRV  FRQIRUPH5HVROXomR/HJLVODWLYDQž ,,±2UoDPHQWR)LVFDOGRVÏUJmRVHHQWLGDGHVGD$GPLQLVWUDomR3~EOLFD0XQLFLSDO,QGLUHWD¿[DGRHP5 QRYHFHQWRV e setenta e dois mil reais). CAPÍTULO III  '$',675,%8,d­2'$'(63(6$325Ï5*­2 $UWƒ$'HVSHVD7RWDO¿[DGDSRU)XQomR3RGHUHVHÏUJmRVGD$GPLQLVWUDomR'LUHWDHVWiGH¿QLGDQR$QH[R9GHVWD/HL CAPÍTULO IV DA AUTORIZAÇÃO PARA ABERTURA DE CRÉDITO $UWƒ)LFDR3RGHU([HFXWLYR/HJLVODWLYRH(QWLGDGHVGD$GPLQLVWUDomR3~EOLFD,QGLUHWDUHVSHLWDGDVDVGHPDLVSUHVFULo}HV FRQVWLWXFLRQDLVHQRVWHUPRVGD/HLQƒDXWRUL]DGRDDEULUFUpGLWRVDGLFLRQDLVVXSOHPHQWDUHVDWpRYDORUFRUUHVSRQGHQWHD TXLQ]HSRUFHQWR GRV2UoDPHQWRV)LVFDOFRPD¿QDOLGDGHGHLQFRUSRUDUYDORUHVTXHH[FHGDPDVSUHYLV}HVFRQVWDQWHVGHVWD/HL PHGLDQWHDXWLOL]DomRGHUHFXUVRVSURYHQLHQWHVGH  ,±DQXODomRSDUFLDORXWRWDOGHGRWDo}HV  ,,±LQFRUSRUDomRGHVXSHUiYLWHRX¿QDQFHLURGLVSRQtYHOGRH[HUFtFLRDQWHULRUHIHWLYDPHQWHDSXUDGRVHPEDODQoR  ,,,±H[FHVVRGHDUUHFDGDomRHPEDVHVFRQVWDQWHV  $UWƒ2OLPLWHDXWRUL]DGRQRDUWLJRDQWHULRUQmRVHUiRQHUDGRTXDQGRRFUpGLWRVHGHVWLQDUD ,±DWHQGHUDRSDJDPHQWRGHGHVSHVDVGHFRUUHQWHVGHSUHFDWyULRVMXGLFLDLVDPRUWL]DomRHMXURVGDGtYLGDPHGLDQWHXWLOL]DomRGH UHFXUVRVSURYHQLHQWHVGHDQXODomRGHGRWDo}HV ,,±DWHQGHULQVX¿FLrQFLDVGHRXWUDVGHVSHVDVGHFXVWHLRHGHFDSLWDOFRQVLJQDGDVHP3URJUDPDVGH7UDEDOKRGDVIXQo}HV6D~GH $VVLVWrQFLD6RFLDOHHP3URJUDPDVGH7UDEDOKRUHODFLRQDGRVj0DQXWHQomRH'HVHQYROYLPHQWRGR(QVLQRPHGLDQWHRFDQFHODPHQWR GHGRWDo}HVGDVUHVSHFWLYDVIXQo}HV $UWƒ)LFDDXWRUL]DGRHQmRVHUiFRPSXWDGRSDUDHIHLWRGRGLVSRVWRQR$UWžHVHXVLQFLVRV ,2V&UpGLWRV(VSHFLDLV6XSOHPHQWDUHVDEHUWRVFRPUHFXUVRGRH[FHVVRGRH[FHVVRGHDUUHFDGDomRQDIRUPDGR$UW†ƒ ,QFLVR,,GD/HL)HGHUDOQž ,,±2VFUpGLWRVDGLFLRQDLVDEHUWRVSDUDVXVWHQWDUGHVSHVDVGHFRQYrQLRVFRPÏUJmRV)HGHUDLVH(VWDGXDLVQmRSUHYLVWRVQD receita orçamentária. $UW2([HFXWLYR0XQLFLSDOIXQGDPHQWDGRQD&RQVWLWXLomR)HGHUDOQD&RQVWLWXLomRGR(VWDGRGR3DUDQiQD/HL)HGHUDOQž GHD/HL&RPSOHPHQWDUQžHQD/HL2UJkQLFDGR0XQLFtSLR¿FDDXWRUL]DGRj ,±ID]HUDFRQWHQomRGDGHVSHVDQDIRUPDGRGLVSRVWRQR$UWLJRžGD/HL&RPSOHPHQWDUQžSURPRYHQGRDOLPLWDomR GDGHVSHVDGHLQYHVWLPHQWRVHRXFXVWHLRH[FHWRQDiUHDGHHGXFDomRHVD~GHHGRSDJDPHQWRGDGtYLGDS~EOLFD ,,XWLOL]DURYDORUGH5 FHQWRHWULQWDHXPPLOUHDLV GH5HVHUYDGH&RQWLQJrQFLDYLVDQGRRDWHQGLPHQWRGHSDVVLYRV FRQWLQJHQWHVHRXWURVULVFRV¿VFDLVLPSUHYLVWRVEHPFRPRSDUDVHUYLUGHUHFXUVRSDUDFUpGLWRVRUoDPHQWiULRVDGLFLRQDLV ,,,XWLOL]DURFRQWUROHGDGHVSHVDSRUFXVWRGH6HUYLoRRX2EUDTXHQmRVHHQFRQWUHPHVSHFL¿FDGRHPSURMHWRVHDWLYLGDGHV TÍTULO III  '$6',6326,d®(6*(5$,6 $UW$VGRWDo}HVSDUDSDJDPHQWRGHSHVVRDOHHQFDUJRVVRFLDLVGDDGPLQLVWUDomRGLUHWDEHPFRPRDVUHIHUHQWHVDVHUYLGRUHV FRORFDGRVjGLVSRVLomRGHRXWURVyUJmRVHHQWLGDGHVVHUmRPRYLPHQWDGDVSHORVVHWRUHVFRPSHWHQWHVGD$GPLQLVWUDomR*HUDO $UW±$XWLOL]DomRGHGRWDomRFRPRULJHPGHUHFXUVRVGHFRQYrQLRVHGHRSHUDo}HVGHFUpGLWR¿FDFRQGLFLRQDGDjFHOHEUDomR dos instrumentos. $UW)LFDPDSURYDGRVRV2UoDPHQWRVTXHHVWLPDPDV5HFHLWDVH)L[DPDV'HVSHVDVGD$GPLQLVWUDomR,QGLUHWD ,±6HUYLoR$XW{QRPR0XQLFLSDOGHÈJXDH(VJRWR 6$0$( FRP5HFHLWD(VWLPDGDHP5 QRYHFHQWRVHVHWHQWDH GRLVPLOUHDLV H'HVSHVD)L[DGDHP5 QRYHFHQWRVHVHWHQWDHGRLVPLOUHDLV  TÍTULO IV DAS DISPOSIÇÕES FINAIS CAPÍTULO ÚNICO $UW±)LFDR3RGHU([HFXWLYRDXWRUL]DGRDFRQWUDWDUHRIHUHFHUJDUDQWLDVDHPSUpVWLPRVYROWDGRVSDUDRVDQHDPHQWRHKDELWDomR HPiUHDVGHEDL[DUHQGD $UW±23UHIHLWRQRkPELWRGR3RGHU([HFXWLYRSRGHUiDGRWDUSDUkPHWURVSDUDXWLOL]DomRGDVGRWDo}HVGHIRUPDDFRPSDWLELOL]DU DVGHVSHVDVjHIHWLYDUHDOL]DomRGDVUHFHLWDVSDUDJDUDQWLUDVPHWDV  $UW±(VWD/HLpFRPSRVWDGRVVHJXLQWHV$QH[RV ,±'HPRQVWUDWLYRGD5HFHLWDVHJXQGRDVFDWHJRULDVHFRQ{PLFDV ,,±'HPRQVWUDWLYRGD5HFHLWDVHJXQGRDVFDWHJRULDVHFRQ{PLFDV±&RQVROLGDomRJHUDO ,,,±'HPRQVWUDomRGD5HFHLWDH'HVSHVDVHJXQGRDVFDWHJRULDVHFRQ{PLFDV±&RQVROLGDomR*HUDO ,9±6XPiULR*HUDOGD5HFHLWDSRUIRQWHVH'HVSHVDSRUIXQo}HVGR*RYHUQR±&RQVROLGDomR*HUDO 9±'HPRQVWUDWLYRGD'HVSHVDSRUÏUJmR8QLGDGH3URMHWRRX$WLYLGDGH&RQWDVGH'HVSHVDH'HVWLQDomRGH5HFXUVR VI – Demonstrativo da Origem dos Recursos 9,,±&RPSRUWDPHQWRGD$UUHFDGDomRQRV~OWLPRVGRLVDQRVSUHYLVWDSDUDHSURMHWDGDSDUD 9,,,±'HPRQVWUDWLYRGDGHVSHVDSRU)XQomR ,;±'HPRQVWUDWLYRGDSDUWLFLSDomRGDGHVSHVDSRU8QLGDGH2UoDPHQWiULD X – Demonstrativo da despesa por Elemento e Natureza; XI – Demonstrativo dos Projetos e Atividades: ;,,±'HPRQVWUDWLYRGDHYROXomRGDVGHVSHVDVSRUHOHPHQWRHQDWXUH]DH[HFXWDGDVQRVWUrV~OWLPRVDQRVHSUHYLVWDVSDUD e 2014; e o 'HPRQVWUDWLYRGH'HVSHVDH5HFHLWDGD$GPLQLVWUDomR,QGLUHWD 6$0$(  $UW±(VWD/HLHQWUDHPYLJRUQDGDWDGHVXDSXEOLFDomRUHYRJDGDVDVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULRVXUWLQGRVHXVHIHLWRVDSDUWLU de 1° de janeiro de 2014. *DELQHWHGD3UHIHLWD0XQLFLSDOGH$EDWLi±(VWDGRGR3DUDQiDRVVHWHGLDVGRPrVGHQRYHPEURGRDQRGHGRLVPLOHWUH]H Maria de Lourdes Ferraz Yamagami - Prefeita Municipal SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO Fone/Fax: (43) 3556-1400

Caixa Postal Nº 15

Rua XV de Novembro, Nº 477 - CEP-86.460-000

-

e-mail: samaeabt@uol.com.br

Abatiá-PR

- CNPJ - 80.505.431/0001-49

ORÇAMENTO PARA O EXERCÍCIO DE 2014

6HUYLoR$XW{QRPR0XQLFLSDOGHÈJXDGH(VJRWR

Órgão: Unidade:

SAMAE

CONTA 01.001

DESCRIÇÃO 17

PREVISÃO

SANEAMENTO

122 ADMINISTRAÇÃO GERAL

400.000,00

0001 Coordenação Serviços Administrativos 17.122.00012-001 Manutenção dos Serviços Administrativos 01.002

17

SANEAMENTO

512 SANEAMENTO BÁSICO URBANO

510.000,00

0002 Coordenação do Sistema de Água 17.512.00022-002 Operação e Manutenção do Sistema de Água 01.003

28

ENCARGOS ESPECIAIS

846 OUTROS ENCARGOS ESPECIAIS

9.720,00

0003 Formação do Patrimônio Servidor Público 28.846.00032-003 Programa Formação Patrimônio Servidor Público 01.004

17

SANEAMENTO

512 SANEAMENTO BÁSICO URBANO

42.560,00

0004 Coordenação do Sistema de Esgoto 17.512.00042-004 Operação e Manutenção do Sistema de Esgoto 90 RESERVA DE CONTINGÊNCIA 999 RESERVA DE CONTINGÊNCIA

9.720,00

0099 Reserva de Contingência 90.999.00999-009 Reserva de Contingência TOTAL GERAL DA DESPESA

972.000,00

DEMONSTRATIVO DA RECEITA EXERCÍCIO DE 2014

6HUYLoR$XW{QRPR0XQLFLSDOGHÈJXDGH(VJRWR

Órgão: Unidade:

SAMAE

CONTA 1000.00.00.00.00

DESCRIÇÃO

PREVISÃO

RECEITAS CORRENTES



RECEITA PATRIMONIAL

8.000,00



RECEITA DE SERVIÇOS

936.000,00



OUTRAS RECEITAS CORRENTES



RESTITUIÇÕES TOTAL GERAL DA RECEITA

25.000,00 3.000,00 972.000,00

'LOVRQ(YDQJHOLVWDGR1DVFLPHQWR5DIDHO3HL[RWR0DUWLQV 'LUHWRU&RQWDGRU&5&352

DEMONSTRAÇÃO DA RECEITA E DESPESA SEGUNDO AS CATEGORIAS ECONÔMICAS CONSOLIDAÇÃO GERAL EXERCÍCIO DE 2014

TÍTULOS RECEITAS CORRENTES RECEITA TRIBUTÁRIA RECEITAS DE CONTRIBUIÇÕES RECEITA PATRIMONIAL RECEITA DE SERVIÇOS 75$16)(5Ç1&,$6&255(17(6 OLTXLGD

OUTRAS RECEITAS CORRENTES SOMA SUPERÁVIT DO ORÇAMENTO CORRENTE RECEITAS DE CAPITAL OPERAÇÕES DE CRÉDITO ALIENAÇÃO DE BENS

VALOR      

0,00 

TOTAL

TÍTULOS DESPESAS CORRENTES 3(662$/((1&$5*2662&,$,6 -8526((1&$5*26'$',9Ë'$ OUTRAS DESPESAS CORRENTES

VALOR

 

SOMA

DESPESAS DE CAPITAL INVESTIMENTOS INVERSÕES FINANCEIRAS AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA  SOMA 5(6(59$'(&217,1*Ç1&,$

  120.000,00  



RESUMO DESPESAS CORRENTES DESPESAS DE CAPITAL 5(6(59$'(&217,1*Ç1&,$

   

TOTAL

VALOR

 2.000,00  

SUPERÁVIT  

SOMA

RESUMO RECEITAS CORRENTES RECEITAS DE CAPITAL DEDUÇÕES DA RECEITA

VALOR

MP a terra

DENÚNCIA instaurado h o serviço rea pertencente

Mauríci    

Maria de Lourdes Ferraz Yamagami Almir Soares T. de Oliveira Dirceu Luiz 3UHIHLWD0XQLFLSDO&RQWDGRU'LUHWRUGR'HSWR$GPLQLVWUDomR

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO DO PINHAL – PR AVISO DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇOS 002/2013 Tendo em vista o abandono da obra pela empresa DINÂMICA PROJETOS E SERVIÇOS AMBIENTAIS LTDA, encontra-se aberto na PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO DO PINHAL – ESTADODO PARANÁ, SURFHVVROLFLWDWyULRQDPRGDOLGDGH7RPDGDGH3UHoRVGRWLSRPHQRUSUHoRJOREDOFXMRREMHWRpD&RQWUDWDomR GHHPSUHVDHVSHFLDOL]DGDSDUDFRQVWUXomRGHXPD8QLGDGH%iVLFDGH6D~GH±8%6±SRUWH,QRPXQLFtSLR FRPIRUQHFLPHQWRGHPDWHULDOHPmRGHREUDGHDFRUGRFRP0HPRULDO'HVFULWLYR&URQRJUDPDItVLFR¿QDQFHLUR H3URMHWRVGH(QJHQKDULDDQH[RVDRHGLWDO $UHDOL]DomRGD7RPDGDGH3UHoRVVHUiQRGLDDSDUWLUGDVKPLQQDVHGHGD3UHIHLWXUD 0XQLFLSDOORFDOL]DGDj5XD3DUDQiQž±&HQWURHPQRVVR0XQLFtSLR2HGLWDOQDtQWHJUDHVWDUiGLVSRQtYHO SDUDFRQVXOWDHUHWLUDGDPHGLDQWHSDJDPHQWRGHWD[DQRHQGHUHoRVXSUDMXQWRDR6HWRUGHOLFLWDo}HVGHVHJXQGD DVH[WDIHLUDQRKRUiULRGDVKPLQjVKPLQHGDVKPLQjVKPLQ 5LEHLUmRGR3LQKDOGHQRYHPEURGH Adriana Cristina de Matos Presidenta Comissão Permanente de Licitações PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBARÁ LEI No 1548 DE 25 DE OUTUBRO DE 2013. 6Ò08/$$XWRUL]DR&KHIHGR3RGHU([HFXWLYRDFHOHEUDUDFRUGRMXGLFLDOFRPD)HGHUDomRGRV6LQGLFDWRVGRV6HUYLGRUHV 3~EOLFRV0XQLFLSDLVH(VWDGXDLVGR3DUDQi)(60(3$5HGiRXWUDVSURYLGrQFLDV A Câmara Municipal de Cambará, Estado do Paraná aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: $UWž)LFDR&KHIHGR3RGHU([HFXWLYR0XQLFLSDOGH&DPEDUiDXWRUL]DGRDFHOHEUDUDFRUGRQR3URFHVVR-XGLFLDOQž TXHWUDPLWDSHUDQWHR-Xt]RGD9DUD&tYHOGHVWD&RPDUFDPRYLGDSHOD)HGHUDomRGRV6LQGLFDWRV de Servidores Públicos Municipais e Estaduais do Paraná – FESMEPAR. $UWž2$FRUGRGHTXHWUDWDRDUWLJRDQWHULRUREULJDR0XQLFtSLRGH&DPEDUiQRDQRGHDSURPRYHURGHVFRQWR GDFRQWULEXLomRVLQGLFDOQDIROKDGHSDJDPHQWRUHODWLYDDRPrVGHPDUoRGHHPDUoRGHGHVHXVVHUYLGRUHVHP FRQVRQkQFLDFRPDVGLUHWUL]HVH[SHGLGDVSHOR0LQLVWpULRGR7UDEDOKR †ž2VWHUPRVHHVSHFL¿FDo}HVGRDFRUGRMXGLFLDOGHTXHWUDWDR³FDSXW´GHVWHDUWLJRHVWmRFRQWLGRVQDSHWLomRGLULJLGD DRMXt]RGDFDXVDTXHIDUiSDUWHLQWHJUDQWHGDSUHVHQWH/HL †ž6HJXHWDPEpPDQH[RDSUHVHQWHOHLDFySLDGDSHWLomRHVSHFL¿FDQGRRVWHUPRVGRDFRUGR $UWž(VWDOHLHQWUDUiHPYLJRUQDGDWDGHVXDSXEOLFDomRUHYRJDGDVDVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR *DELQHWHGR3UHIHLWRGR0XQLFtSLRGH&DPEDUi(VWDGRGR3DUDQiHPGHRXWXEURGH JOÃO MATTAR OLIVATO - Prefeito de Cambará JUSTIFICATIVA 7HQKRDVDWLVIDomRGHVXEPHWHUjDSUHFLDomRGRVQREUHV9HUHDGRUHVGHVVDUHVSHLWiYHO&DVDGH/HLVRLQFOXVR3URMHWR GH /HL TXH GLVS}H VREUH D DXWRUL]DomR GR &KHIH GR 3RGHU ([HFXWLYR 0XQLFLSDO D FHOHEUDU DFRUGR QRV DXWRV Qž  HPWUkPLWHQDž9DUD&tYHOGD&RPDUFDGH&DPEDUi $UHIHULGDDomRMXGLFLDOPRYLGDSHOD)(60(3$5YHUVDVREUHDREULJDWRULHGDGHRXQmRGRUHFROKLPHQWRGDFRQWULEXLomR VLQGLFDOSHOR0XQLFtSLRGH&DPEDUiKDMDYLVWDTXHRVVHUYLGRUHVS~EOLFRVGHVHXTXDGURVmRHVWDWXWiULRV 3RVWHULRUPHQWHR6LQGLFDWRGRV6HUYLGRUHV3~EOLFRVGH&DPEDUiVROLFLWRXXPDDXGLrQFLDS~EOLFDQR1~FOHR5HJLRQDO GH7UDEDOKRGH3URWHomRDR3DWULP{QLR3~EOLFRGR1RUWH3LRQHLURTXHRFRUUHXQDGDWDGHGHMXOKRGH $SyVFLWDGDUHXQLmRKRXYHLQWHUHVVHGHDPEDVDVSDUWHVQDIRUPDOL]DomRGHXPDFRUGRMXGLFLDOSRUpPRPXQLFtSLR VRPHQWHSRGHUiWUDQVDFLRQDUDSyVSUpYLDDXWRUL]DomROHJLVODWLYDFRPRVHSDVVDUiDH[SRU eVDELGRTXHRDUWLJRGR&yGLJR&LYLO%UDVLOHLURH[SUHVVDPHQWHSUHYreOtFLWRDRVLQWHUHVVDGRVSUHYHQLUHPRX WHUPLQDUHPROLWtJLRPHGLDQWHFRQFHVV}HVP~WXDV 0XLWR HPERUD H[LVWD HVWD SUHYLVmR OHJDO p SUHFtSXR OHPEUDU TXH D DGPLQLVWUDomR S~EOLFD HVWD VXMHLWD D XP UHJLPH MXUtGLFRSUySULRLQIRUPDGRSRUQRUPDVHSULQFtSLRVTXHRGLIHUHPGRGLUHLWRSULYDGRRXVHMDRUHJLPHMXUtGLFRDGPLQLVWUDWLYR 'HVWDFDVHQHVWDVHDUDRSULQFtSLRGDOHJDOLGDGHRQGHRDJHQGHS~EOLFRHVWDVXEPLVVRDRVGLWDPHVOHJDLVHQmR SRGH SRU VLPSOHV DWR DGPLQLVWUDWLYR FRQFHGHU GLUHLWRV GH TXDLVTXHU HVSpFLHV FULDU REULJDo}HV RX LPSRU YHGDo}HV DRV administrados sem estar embasado na lei. )ULVDVHWDPEpPDDSOLFDomRGRSULQFtSLRGDLQGLVSRQLELOLGDGHSRLVQR(VWDGR'HPRFUiWLFRGHGLUHLWRRVDJHQWHVS~EOLFRV QmRVmRGRQRVGRSDWULP{QLRS~EOLFRHSRUFRQVHTrQFLDQmRWHPSRGHUVREUHHOHGHYHQGRSDVVDUSHORFULYRGDOHJDOLGDGH $REULJDomRDVVXPLGDSHOR0XQLFtSLRQHVWDOHLDEUDQJHWmRVRPHQWHDUHVSRQVDELOLGDGHGHHIHWXDURGHVFRQWRHPIROKD GHSDJDPHQWRHSRVWHULRUUHSDVVHDR6LQGLFDWRQmRYLVOXPEUDQGRDQHFHVVLGDGHGHSUpYLDDQiOLVHRUoDPHQWiULDSRLVR DFRUGRMXGLFLDOQmRRQHUD¿QDQFHLUDPHQWHD$GPLQLVWUDomR3~EOLFD ËPSHWRUHVVDOWDUTXHHPGHFRUUrQFLDGDDVVLQDWXUDGRDFRUGRRVVHUYLGRUHVREWHUmRYDQWDJHQVDEUDQJHQGRDUHQXQFLD GD)(60(3$5HPH[LJLUGDDGPLQLVWUDomRS~EOLFDRGHVFRQWRGDFRQWULEXLomRVLQGLFDOGRSHUtRGRDQWHULRUDRH[HUFtFLRGH H[LJLQGRVHWmRVRPHQWHDREULJDomRFRQFHUQHQWHDRVSHUtRGRVGHH $QWHRH[SRVWRGLDQWHGRFRQWH~GRGRVSULQFtSLRVGDOHJDOLGDGHHGDLQGLVSRQLELOLGDGHD$GPLQLVWUDomR3~EOLFDHRV DJHQWHVS~EOLFRVQmRSRGHPWUDQVLJLUDPHQRVTXHH[LVWDOHLH[SUHVVDPHQWHDXWRUL]DQGRDSUiWLFDGHWDODWRFRPRVHUHTXHU DWUDYpVGDDSUHVHQWDomRGHVWHSURMHWRGHOHL 6HQGRRTXHVHDSUHVHQWDSDUDRPRPHQWRDSURYHLWRRHQVHMRSDUDUHQRYDUSURWHVWRVGHHOHYDGDHVWLPDHGLVWLQWD FRQVLGHUDomR &DPEDUi3UGHVHWHPEURGH JOÃO MATTAR OLIVATO - Prefeito de Cambará

PREFEITURA MUNICIPAL DE TOMAZINA PORTARIA N.º 122/2013 2VHQKRU*XLOKHUPH&XU\6DOLED&RVWD3UHIHLWR0XQLFLSDOGH7RPD]LQD(VWDGRGR3DUDQiQRXVRGHVXDV DWULEXLo}HVOHJDLV R E S O L V E: (;21(5$5 D SDUWLU GHVWD GDWD SRU RFDVLmR GH$SRVHQWDGRULD SRU ,QYDOLGH] D VHUYLGRUD /(,/$ 0$5,$ 52'5,*8(6SRUWDGRUDGR5*Qž35GR&3)QžHGD&736QžVpULH PR, do cargo de “Professora”. &8035$6(5(*,675(6(38%/,48(6( *DELQHWHGR3UHIHLWR0XQLFLSDOGH7RPD]LQDHP GHRXWXEURGH GUILHERME CURY SALIBA COSTA - Prefeito Municipal CÂMARA MUNICIPAL DE GUAPIRAMA PORTARIA nº 005/2013, de 29 de outubro de 2013. 23UHVLGHQWHGD&kPDUD0XQLFLSDOGH*XDSLUDPD(VWDGRGR3DUDQiQRXVRGHVXDVDWULEXLo}HVOHJDLV RESOLVE: &RQFHGHUDSDUWLUGHGHQRYHPEURGH WULQWD GLDVGHIpULDVDRVHUYLGRU(/02026&21RFXSDQWHGR FDUJRGH$GYRJDGRSRUWDGRUGR&3)QžUHIHUHQWHDRSHUtRGRDTXLVLWLYRGHD &kPDUD0XQLFLSDOGH*XDSLUDPD(VWDGRGR3DUDQiDRVYLQWHHQRYHGLDVGRPrVGHRXWXEURGRDQRGHGRLVPLOHWUH]H Jusandro Bubna - Presidente

Informativo nº. 001/2013 23UHIHLWR0XQLFLSDOGH&DPEDUiQRXVRGHVXDVDWULEXLo}HVOHJDLVLQIRUPDTXHGHDFRUGRFRPR&yGLJR GH3RVWXUDVGR0XQLFtSLRGH&DPEDUi /HL&RPSOHPHQWDUGH$UW RVSURSULHWiULRVRXPRUDGRUHV VmRREULJDGRVDFRQVHUYDUHPSHUIHLWRHVWDGRGHDVVHLRRVVHXVTXLQWDLVSiWLRVSUpGLRVHWHUUHQRVEHPFRPR VmRUHVSRQViYHLVSHODPDQXWHQomRGDHGL¿FDomRHPSHUIHLWDVFRQGLo}HVGHKLJLHQH 'HVWDIHLWDFLHQWL¿FRDWRGRVRVSURSULHWiULRVTXHSRUYHQWXUDHVWmRFRPVHXVLPyYHLVHPVLWXDomRLUUHJXODU SURYLGHQFLHPDLPHGLDWDUHJXODUL]DomRVRESHQDGDDGRomRGDVPHGLGDVOHJDLVFDEtYHLV &DPEDUiGHQRYHPEURGH _________________________________ JOÃO MATTAR OLIVATO Prefeito Municipal PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBARÁ PORTARIA No 406/2013 2([FHOHQWtVVLPR6HQKRU-RmR0DWWDU2OLYDWR3UHIHLWR0XQLFLSDOGH&DPEDUi(VWDGRGR3DUDQiXVDQGR GHVXDVDWULEXLo}HVTXHOKHVmRFRQIHULGDVSRUOHL RESOLVE $UWž&RQFHGHU/LFHQoD3UrPLRSRUDVVLGXLGDGHDVHUYLGRUD'(*0$552'5,*8(6'$6,/9$SRUWDGRUD GR&3)Qž5*RFXSDQWHGRFDUJRGH$JHQWH2SHUDFLRQDO,,SRUXPSHUtRGRGH  WUHV PHVHVDFRQWDUGHGHQRYHPEURGHHWHUPLQRHPGHIHYHUHLURGHHPFRQIRUPLGDGH FRPD/HLQž$UW $UWž$SUHVHQWH3RUWDULDHQWUDHPYLJRUQDGDWDGHVXDSXEOLFDomR 3XEOLTXHVH 1RWL¿TXHVH Cumpra-se. *DELQHWHGR3UHIHLWR0XQLFLSDOGH&DPEDUi(VWDGRGR3DUDQiHPGHQRYHPEURGH JOÃO MATTAR OLIVATO PREFEITO MUNICIPAL DE CAMBARÁ

CAMBARÁ

Orçame 2014 se

Circulan


Atas & Editais A-7

TRIBUNA DO VALE Sexta-feira, 08 de novembro de 2013

aniak

SĂšMULA DE REQUERIMENTO DE LICENÇA PRÉVIA RESOLUĂ‡ĂƒO CONAMA 06/1986 JULIO RICARDO APARECIDO DE MELO ROSA&3) WRUQDS~EOLFRTXH,5Ăˆ5(48(5(5DR,$3DOLFHQoDSUpYLDSDUDDWLYLGDGHGH DYLFXOWXUDGHFRUWHDVHULPSODQWDGDQR6tWLR-5%DLUUR0DFDULEHQRPXQLFtSLR GH5LEHLUmRGR3LQKDO

Moreira

SĂšMULA DE REQUERIMENTO DE LICENÇA PRÉVIA RESOLUĂ‡ĂƒO CONAMA 06/1986 ANTONIO CARLOS ALMEIDA FRAIZ,  WRUQD S~EOLFR TXH  ,5Ăˆ 5(48(5(5 DR ,$3 D OLFHQoD SUpYLD SDUD DWLYLGDGH GH DYLFXOWXUD GH FRUWH D VHU LPSODQWDGD QR 6tWLR 6DQWD 0DULDQD %DLUUR 3DX 'Â?$OKR QR PXQLFtSLRGH$EDWLi LEI NÂş 363/2013 6Ă’08/$$OWHUDRVDQH[R,H,,GR33$HRDQH[R,GD/'2HGi RXWUDVSURYLGrQFLDV $&Æ0$5$081,&,3$/'(*8$3,5$0$Âą(67$'2'23$5$1Ăˆ$352928 ((835()(,72081,&,3$/6$1&,212$6(*8,17(/(, $UWž)LFDDOWHUDGRR$QH[R,Âą33$&203/(720HWDVH3ULRULGDGHVHR$QH[R ,,Âą5(&(,7$6'(7$/+$'$6GR3ODQR3OXULDQXDOSDUDRSHUtRGRGHD †ž$DOWHUDomRFLWDGDQRDUWLJRžWUDWDVHGD,QFOXVmRQR33$SDUDRH[HUFtFLR QR3URJUDPDÂą&$0,1+26'2352*5(662GHPHWDVHPUD]mRGRFRQYrQLRGH Q~PHURÂżUPDGRHQWUHR0XQLFtSLRGH*XDSLUDPDHD6HFUHWDULDGH(VWDGR GH'HVHQYROYLPHQWR8UEDQR3$0FXMRREMHWRpDGTXLULUHTXLSDPHQWRVSDUDOLPSH]D HFRQVHUYDomRGHYLDVWHQGRFRPRYDORU5 $UWž)LFDDOWHUDGRR$QH[R,Âą/'26,03/,),&$'20HWDVH3ULRULGDGHVQD/HL GH'LUHWUL]HV2UoDPHQWiULDVSDUDRH[HUFtFLRGH †ž$DOWHUDomRFLWDGDQRDUWLJRžWUDWDVHGD,QFOXVmRQD/'2SDUDRH[HUFtFLR QR3URJUDPDÂą&$0,1+26'2352*5(662GHPHWDVHPUD]mRGRFRQYrQLR GHQ~PHURÂżUPDGRHQWUHR0XQLFtSLRGH*XDSLUDPDHD6HFUHWDULDGH(VWDGR GH'HVHQYROYLPHQWR8UEDQR3$0FXMRREMHWRpDGTXLULUHTXLSDPHQWRVSDUDOLPSH]DH FRQVHUYDomRGHYLDVWHQGRFRPRYDORU5 $UW ž  (VWD OHL HQWUDUi HP YLJRU QD GDWD GH VXD SXEOLFDomR UHYRJDGDV DV GLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR *DELQHWHGR3UHIHLWR0XQLFLSDOGH*XDSLUDPDGH1RYHPEURGH Pedro de Oliveira - Prefeito Municipal

LEI NÂş 364/2013 6Ă’08/$$XWRUL]DR3RGHU([HFXWLYRDDEHUWXUDGH&UpGLWR$GLFLRQDO(VSHFLDO QDLPSRUWkQFLDGH5 7UH]HQWRV0LO5HDLV  $&Æ0$5$081,&,3$/'(*8$3,5$0$Âą(67$'2'23$5$1Ăˆ$352928 ((835()(,72081,&,3$/6$1&,212$6(*8,17(/(, $UWž)LFDDXWRUL]DGRDDEHUWXUDQR2UoDPHQWR*HUDOGR0XQLFtSLRSDUDR FRUUHQWHH[HUFtFLRXP&UpGLWR$GLFLRQDO(VSHFLDOQRYDORUDWp5 7UH]HQWRV 0LO5HDLV FRQIRUPHGHWDOKDPHQWRDEDL[R  Âą'(3$57$0(172'(2%5$6(6(59,d2638%/,&26 Âą'LYLVmRGH6HUYLoRV5RGRYLiULRV Âą3ODQRGH$SRLRDR'HVHQYROYLPHQWRGR0XQLFtSLR Âą(TXLSDPHQWRVH0DWHULDO3HUPDQHQWH5 )5¹¹5HFXUVRVGR3$0 $UWž3DUDFREHUWXUDGR&UpGLWRFLWDGRQRDUWLJRDQWHULRUVHUYLUiGHUHFXUVR RH[FHVVRGHDUUHFDGDomRFRPRULJHPQRFRQYHQLRÂą6('83$0TXH WHPFRPRREMHWRDÂłDTXLVLomRGHHTXLSDPHQWRVGHOLPSH]DHFRQVHUYDomRGDVYLDV´ FRPSUHYLVmRGHUHSDVVHGH5 $UWž(VWDOHLHQWUDUiHPYLJRUQDGDWDGHVXDSXEOLFDomRUHYRJDGDVDVGLVSRVLo}HV HPFRQWUiULR *DELQHWHGR3UHIHLWR0XQLFLSDOGH*XDSLUDPDGH1RYHPEURGH Pedro de Oliveira - Prefeito Municipal

presidente do Sindicato

arĂĄ ÂŚ CarlĂłpolis ÂŚ Conselheiro Mairink ÂŚ riaĂ­va ÂŚ Japira ÂŚ Joaquim TĂĄvora ÂŚ JundiaĂ­ ÂŚ Salto do ItararĂŠ ÂŚSantana do ItararĂŠ ÂŚ a Campos ÂŚTomazina ÂŚ Wenceslau BrĂĄz

tigos assinados nĂŁo representam ecessariamente a opiniĂŁo do endo de exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.

LAUDO DE VISTORIA Informamos que foram realizadas vistorias no Loteamento denominado 5HVLGHQFLDO3RUWR6HJXURYHULÂżFDQGRDVREUDVGHUHGHGHiJXDHUHGHGH HVJRWDPHQWRVDQLWiULR GHYLGDPHQWHDSURYDGRVSHOD6$1(3$5 UHGHGH HQHUJLDHOpWULFDHLOXPLQDomRS~EOLFD GHYLGDPHQWHDSURYDGRSHOD&23(/  SDYLPHQWDomRDVIiOWLFDUHGHGHiJXDVSOXYLDLVGHPDUFDomRGHORWHVH TXDGUDVJXLDVHVDUMHWDVQHVWH0XQLFtSLRGH6DQWR$QWRQLRGD3ODWLQD (VWDGRGR3DUDQiFRQVWDQGRVHTXHRVVHUYLoRVUHDOL]DGRVSHORORWHDGRU HVWmR GH DFRUGR FRP DV HVSHFLÂżFDo}HV ÂżUPDGDV HP DWRV FRQWUDWRV H SURMHWRV VHQGR DVVLP DSWR D HGLÂżFDo}HV GH UHVLGrQFLDV UHVSHLWDQGR DVQRUPDVH[LJLGDVSHODOHJLVODomR0XQLFLSDOHPVXDVOHLVFRQWLGDVQR 3ODQR 'LUHWRU D GDWD GH LQLFLR GR SUD]R GR WHUPR GH FRPSURPLVVR GH UHVSRQVDELOLGDGHFRPDLQIUDHVWUXWXUDEHPFRPRVXDVPDQXWHQo}HVDFLPD GHQRPLQDGDVHQWUDUiHPYLJRUDSDUWLUGDGDWDGHUHJLVWURQRFDUWyULRGH WtWXORVHGRFXPHQWRVOHPEUDQGRTXHRORWHDPHQWRFRPRVORWHVFRPD IUHQWH SDUD D$YHQLGD 0DUJLQDO HVWDUmR HP  =&6  =RQD &RPHUFLDO H 6HUYLoRVHRVGHPDLVHVWmRLQVHULGRVHPXP=5 =RQD5HVLGHQFLDO  FRQIRUPHGLVS}HDOHLQžHPVHXDQH[R, 3DUDYDOLGDGHGDWRHDVVLQRRSUHVHQWH 6DQWR$QWRQLRGD3ODWLQDGHQRYHPEURGH ________________________ Diego Casagrande Arquiteto Urbanista – CAU PR A66290-9 Diretor do DeptÂş de Arq. Urbanismo _________________________ Daniel Yasbick Engenheiro Civil – CREA-PR 133645/D Diretor do Departamento de Engenharia PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTĂ”NIO DA PLATINA DECRETO NÂş 444/13 23UHIHLWR0XQLFLSDOGH6DQWR$QW{QLRGD3ODWLQD(VWDGRGR3DUDQi QRXVRGDVDWULEXLo}HVTXHOKHVmRFRQIHULGDVSRU/HLFRQVLGHUDQGRD UHDOL]DomRGRFRQFXUVR3~EOLFRGH3URYDVH3URYDVH7tWXORVUHDOL]DGR HPGHPDUoRGHUHJXODPHQWDGRSHOR(GLWDOQž306$3 DXWRUL]DGRSHOD/HLQžGHGHQRYHPEURGH &216,'(5$1'2RGLVSRVWRQD/HLQžGHTXHGLVS}H VREUHR5HJLPH-XUtGLFRGRV6HUYLGRUHV3~EOLFRVGHVWH0XQLFtSLRH/HL Qž  GH  GH PDUoR GH  TXH GLVS}H VREUH D (VWUXWXUD GR 3ODQRGH&DUJRVHR6LVWHPDGH&DUUHLUDQR6HUYLoR3~EOLFRH'HFUHWR GH &216,'(5$1'2RGLVSRVWRQRV,QFLVRV,D;,9DUWLJRGR(GLWDO Qž306$3  &216,'(5$1'2 ÂżQDOPHQWH R WHRU GR 'HFUHWR Qž  '( TXH+RPRORJDR5HVXOWDGRGR&RQFXUVR3~EOLFR'HFUHWD $UWž)LFD120($'2HPFDUiWHUHIHWLYRGHDFRUGRFRPD/HLQž  DUWLJR  , D SDUWLU GH  GH QRYHPEUR GH  SDUD H[HUFHU FDUJRS~EOLFRFULDGRSHOD/HLQžGHGHQRYHPEURGHQHVWH 0XQLFtSLRDSHVVRDDEDL[RUHODFLRQDGDFRPYHQFLPHQWRFRUUHVSRQGHQWH DRYDORULQLFLDOGDUHVSHFWLYDUHIHUrQFLDWDEHODGHFDUJRVHYDORUHVÂą$QH[R $GDUHIHULGD/HLFRPRVHJXH &$5*2$X[LOLDUGH6HUYLoRV3~EOLFRVÂą5HIHUrQFLDÂą*UDXÂł3LVR´ 9HQFLPHQWR 5  HTXLSDUDGR DR VDOiULR PtQLPR FRQIRUPH 'HFUHWRQƒ

1RPH &ODVVLÂżFDomR  :HOOLQJWRQ-RVp2OLYHLUDGD6LOYD  $UWž$3HVVRDQRPHDGDQRDUWžGHVWHGHFUHWRGHYHUiREHGHFHU DRHVWDEHOHFLGRQRDUWLJRGD/HLQž $UWž5HYRJDPVHDVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULRÂą *$%,1(7( '2 35()(,72 081,&,3$/ '( 6$172$17Ă?1,2 '$ 3/$7,1$(67$'2'23$5$1Ăˆ3$d2081,&,3$/'5$/Ă‹&,2',$6 '265(,6DRVGHQRYHPEURGHÂą PEDRO CLARO DE OLIVEIRA NETO Prefeito Municipal PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTĂ”NIO DA PLATINA DECRETO NÂş 445/13 2 3UHIHLWR 0XQLFLSDO GH 6DQWR$QW{QLR GD 3ODWLQD (VWDGR GR 3DUDQi QR XVR GDV DWULEXLo}HV TXH OKH VmR FRQIHULGDV SRU /HL FRQVLGHUDQGR D UHDOL]DomRGRFRQFXUVR3~EOLFRGH3URYDVUHDOL]DGRHPGHMDQHLURGH UHJXODPHQWDGRSHOR(GLWDOGR&RQFXUVRQž306$3DXWRUL]DGRSHOD /HLQžGHGHQRYHPEURGH &RQVLGHUDQGRRGLVSRVWRQD/HLQžGHTXHGLVS}HVREUH R5HJLPH-XUtGLFRGRV6HUYLGRUHV3~EOLFRVGHVWH0XQLFtSLRH/HLQž GHTXHGLVS}HVREUHD(VWUXWXUDGR3ODQRGHFDUUHLUDFDUJRVH UHPXQHUDomRGRPDJLVWpULRH'HFUHWRQƒGH &RQVLGHUDQGRRGLVSRVWRQRV,WHQVHGR(GLWDOGR&RQFXUVRQž 306$3 &RQVLGHUDQGRÂżQDOPHQWHRWHRUGR'HFUHWRQžGHTXH +RPRORJDR5HVXOWDGRGR&RQFXUVR3~EOLFR 'HFUHWD $UWž)LFDP120($'$6HPFDUiWHUHIHWLYRGHDFRUGRFRPD/HLQž DUWLJR,H/HLQžGHDUWLJRDSDUWLUGHGH QRYHPEURGHSDUDH[HUFHUFDUJRS~EOLFRQHVWH0XQLFtSLRDVSHVVRDV DEDL[RUHODFLRQDGDVFRPYHQFLPHQWRFRUUHVSRQGHQWHDRYDORULQLFLDOGDWDEHOD GHYHQFLPHQWRVFDUJRGHSURYLPHQWRHIHWLYRGRPDJLVWpULR$QH[R,,GD/HL QžFRPRVHJXH &DUJR3URIHVVRUÂą1tYHO31,Âą&ODVVHÂł´ 9HQFLPHQWR5 120( &/$66,),&$d­2 )HUQDQGR1RJXHLUDGRV6DQWRV ž /XFLQpLD4XDGUL&DUGRVR ž /XFLPDUDGRV5HLV1DEDUUR ž $UWž$VQRPHDo}HVFRQVWDQWHVGR$UWžGHVWHGHFUHWRHQFRQWUDPVH GHDFRUGRFRPRHVWDEHOHFLGRQR$UWGD/HL $UWž5HYRJDPVHDVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR *$%,1(7('235()(,72081,&,3$/'(6$172$17Ă?1,2'$3/$7,1$ (67$'2'23$5$1Ăˆ3$d2081,&,3$/'5$/Ă‹&,2',$6'265(,6 DRVGHQRYHPEURGH PEDRO CLARO DE OLIVEIRA NETO PREFEITO MUNICIPAL PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO JACARÉ – PARANĂ Extrato de Contrato nÂş. 141/2013, referente a Licitação Carta Convite nÂş. 03/2013. 2%-(72&HVWDVGH1DWDO &2175$7$'$ D HPSUHVD 0(5&$'2 6­2 -25*( &13- Qž  H &2175$7$17( D 35()(,785$ 081,&,3$/ '( %$55$'2-$&$5e&13-Qž '27$d­225d$0(17Ăˆ5,$$VGHVSHVDVGHFRUUHQWHVjH[HFXomRGHVWH FRQWUDWRRFRUUHUiSRUFRQWDGDVVHJXLQWHVGRWDo}HV H 9$/255 6HWH0LO7UH]HQWRVH2LWR5HDLV  35$=2'LDV %DUUDGR-DFDUpHPGH1RYHPEURGH Edimar de Freitas Alboneti - Prefeito Municipal

PODER JUDICIĂ RIO DO ESTADO DO PARANĂ COMARCA DE CAMBARĂ VARA CĂ?VEL DE CAMBARà – PROJUDI Avenida Brasil, 1229 - Centro - CambarĂĄ/PR - CEP: 86.390-000 - Fone: (43) 3532-1717 __________________________________________________________________________________ O Doutor RENATO GARCIA, MM. Juiz de Direito da Comarca de CambarĂĄ, Estado do ParanĂĄ, que pelo mesmo CITA o requerido ANTONIO FERREIRA DE CAMARGO ANDRADE E SUA MULHER, TEREZA POMPEU DE CAMARGO domiciliado em lugar incerto e nĂŁo sabido, bem como os possĂ­veis interessados, ausentes, incertos e desconhecidos, da propositura perante este JuĂ­zo, dos autos de USUCAPIĂƒO sob nÂş. 228608.2013.8.16.0055, proposto por VIRGĂ?LIO DUARTE PEREIRA CARRAPEIRO, e outros, tratando de: “ Iniciando-se a descrição deste perĂ­metro no marco 14, de coordenadas N 7.464.766,951 m.; situado no limite com a margem do RibeirĂŁo JaĂş e a propriedade de Antonio Tinonin, deste, segue com azimute de 218Âş22’45â€? e distância de coordenadas n 7.464.552,830 m. e E 597.749,490m.; que estĂĄ cravado a margem da Estrada Municipal que liga o Bairro do JaĂş a CambarĂĄ com azimute de 218Âş22’45â€? e distância de 1.459,517m., atĂŠ o marco 4 de coordenadas N 7.463.408,687 m. e E 596.843,329m.; desde, tambĂŠm segue pela margem da Estrada Municipal que liga o Bairro do JaĂş a CambarĂĄ com azimute de 7Âş53’45â€? e distância de 144,078m., atĂŠ o marco 35 de coordenadas N 7.463.551,399m. e E 596.863,121m.; desde, segue com azimute de 39Âş20’33â€? e distância de 1.364,841m., confrontado com a propriedade de AntĂ´nio Pereira Carrapeiro Junior, atĂŠ o marco 10, de coordenadas N 7.464.606,926 m. e E 597.728,369 m.; que esta cravado a margem de uma Estrada Municipal que liga o Bairro do JaĂş a CambarĂĄ desde, segue com azimute de 39Âş20’33â€? e distância de 253,458m.; confrontando com a propriedade de Antonio Pereira Carrapeiro Junior, atĂŠ p marco 18, de coordenadas N 7.464.802,942 m. e E 597.889,050 m.; que estĂĄ cravado a margem de RibeirĂŁo do JaĂş desde, segue margeando o referido RibeirĂŁo JaĂş com os seguintes azimutes e distância atĂŠ o marco inicial 18; segue com azimute de 124Âş51’34â€? e distância de 28,603m.; atĂŠ o marco 20, de coordenadas N 464.786,594m. e E 597.912,520m.; desde, segue com azimute de 161Âş33’00â€? e distância de 20,708 m., atĂŠ o marco 14, de coordenadas N 7.464.766,951 m. e E 597.919,074 m.; marco inicial da descrição deste perĂ­metro. Todas as coordenadas aqui descritas estĂŁo georreferenciadas ao Sistema GeodĂŠsico Brasileiro, com uma estação de BASE materializada no Local com GPS – nÂş 02035038 transportada as coordenadas a partir da estação ativa da RBMC de UNESP DE OURINHOS, de coordenadas E=613.334,283 e N=7.461.724,689, e encontram-se representadas no Sistema UTM, referenciadas ao Meridiano Central 51Âş WGr, tendo como o Datum o S IRGA-2000. Para que, querendo, no prazo de 15 dias, contados da data do vencimento do prazo acima estipulado, apresentem contestaçþes ao presente feito, por intermĂŠdio de advogado. ADVERTĂŠNCIA. NĂŁo sendo contestada a ação, presumir-se-ĂŁo aceitos pelo rĂŠu, como verdadeiros os fatos articulados pelo autor (arts. 285 e 319 do CPC). E para que chegue ao conhecimento de todos, mandou expedir o presente edital que serĂĄ afixado no lugar de costume e publicado na forma da lei. Dado e passado nesta cidade e Comarca de CambarĂĄ/PR, aos quinze de outubro do ano dois mil e treze(15/10/2013). Eu ________ (Arnaldo Cia ), EscrivĂŁo, que digitei e subscrevi. ARNALDO CIA EscrivĂŁo

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTĂ”NIO DA PLATINA DECRETO NÂş 446/13 23UHIHLWR0XQLFLSDOGH6DQWR$QW{QLRGD3ODWLQD(VWDGRGR3DUDQi QRXVRGDVDWULEXLo}HVTXHOKHVmRFRQIHULGDVSRU/HLFRQVLGHUDQGRD UHDOL]DomR7HVWH6HOHWLYRUHDOL]DGRHPGHDEULOGHUHJXODPHQWDGR SHOR(GLWDO7HVWH6HOHWLYR6LPSOLÂżFDGRQž &216,'(5$1'2RGLVSRVWRQR'HFUHWRQžGHGHPDUoR GH &216,'(5$1'2RDUW,;GD&RQVWLWXLomR)HGHUDOTXHGLVS}H VREUHFRQWUDWDomRSRUWHPSRGHWHUPLQDGRSDUDDWHQGHUDQHFHVVLGDGH WHPSRUiULDGHH[FHSFLRQDOLQWHUHVVHS~EOLFR &216,'(5$1'2D/HLGHGHRXWXEURGHTXH UHJH DV DWLYLGDGHV GRV DJHQWHV GH HQGHPLDV H DJHQWHV FRPXQLWiULRV GHVD~GHHTXHVHXDUWUHVJXDUGDDSRVVLELOLGDGHGHFRQWUDWDomR WHPSRUiULDHPFDVRGHVXUWRHQGrPLFR &216,'(5$1'2TXHD/HL0XQLFLSDOGHGHIHYHUHLURGH WUDWDGD$GPLVVmR7HPSRUiULDGH([FHSFLRQDO,QWHUHVVH3~EOLFR QRkPELWRGD$GPLQLVWUDomR3~EOLFDGR0XQLFtSLRGH6DQWR$QW{QLRGD 3ODWLQDHD/HL0XQLFLSDO &216,'(5$1'2D&ODVVLÂżFDomR)LQDO+RPRORJDGDSHOR(GLWDOGH 7HVWH6HOHWLYR6LPSOLÂżFDGRHPGHDEULOGH   '(&5(7$ $UWž)LFD&2175$7$'$HPFDUiWHUWHPSRUiULRGHDFRUGRFRP D /HL Qž  D SDUWLU GH  GH QRYHPEUR GH  D SHVVRD DEDL[R UHODFLRQDGDFRPYHQFLPHQWRFRUUHVSRQGHQWHDRYDORULQLFLDOGDUHVSHFWLYD UHIHUrQFLDWDEHODGHFDUJRVHYDORUHVÂą$QH[R$GDUHIHULGD/HLFRPR VHJXH $*(17(&2081,7Ăˆ5,2*UDX3LVR 9DORU5  0$5,$/8,=$0$57,16 $UWž5HYRJDPVHDVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR *$%,1(7( '2 35()(,72 081,&,3$/ '( 6$172$17Ă?1,2 '$ 3/$7,1$(67$'2'23$5$1Ăˆ3$d2081,&,3$/'5$/Ă‹&,2',$6 '265(,6DRVGHQRYHPEURGH PEDRO CLARO DE OLIVEIRA NETO Prefeito Municipal PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTĂ”NIO DA PLARINA DECRETO NÂş 447/13 23UHIHLWR0XQLFLSDOGH6DQWR$QW{QLRGD3ODWLQD(VWDGRGR3DUDQi QRXVRGDVDWULEXLo}HVTXHOKHVmRFRQIHULGDVSRU/HLHGHDFRUGRFRP UHTXHULPHQWRGHGHFUHWD $UWž)LFD(;21(5$'$DSHGLGRDSDUWLUGHžGHQRYHPEURGH DVHUYLGRUD3$75Ă‹&,$%$5%26$'21$6&,0(172RFXSDQWHGR FDUJRGH$X[LOLDUGH6HUYLoRV3~EOLFRV5HJLPH(VWDWXWiULRGHVWH0XQLFtSLR QRPHDGDHPGHRXWXEURGH $UWž5HYRJDPVHDVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR *$%,1(7( '2 35()(,72 081,&,3$/ '( 6$172$17Ă?1,2 '$ 3/$7,1$(67$'2'23$5$1Ăˆ3$d2081,&,3$/'5$/Ă‹&,2',$6 '265(,6DRVGHQRYHPEURGH PEDRO CLARO DE OLIVEIRA NETO Prefeito Municipal PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTĂ”NIO DA PLATINA DECRETO NÂş 448/13 23UHIHLWR0XQLFLSDOGH6DQWR$QW{QLRGD3ODWLQD(VWDGRGR3DUDQi QRXVRGDVDWULEXLo}HVTXHOKHVmRFRQIHULGDVSHOD/HLHGHDFRUGRFRP RItFLRGDWDGRGHGHRXWXEURGHGHFUHWD $UWž  )LFD (;21(5$'$ D SDUWLU GH  GH QRYHPEUR GH  D VHUYLGRUD (52Ă‹1$ *8$/%(572 7(2'252 RFXSDQWH GR FDUJR GH $X[LOLDU GH 6HUYLoRV 3~EOLFRV 5HJLPH (VWDWXWiULR GHVWH 0XQLFtSLR HP YLUWXGHGHDSRVHQWDGRULDMXQWRDR,166Âą%HQHItFLRQƒ $UWž5HYRJDPVHDVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR *$%,1(7( '2 35()(,72 081,&,3$/ '( 6$172$17Ă?1,2 '$ 3/$7,1$(67$'2'23$5$1Ăˆ3$d2081,&,3$/'5$/Ă‹&,2',$6 '265(,6DRVGHQRYHPEURGH PEDRO CLARO DE OLIVEIRA NETO Prefeito Municipal PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAPIRAMA LEI NÂş 361/2013 6Ă’08/$$OWHUDRVDQH[RV,H,,GR33$HR$QH[R,GD/'2 HGiRXWUDVSURYLGHQFLDV $ &Æ0$5$ 081,&,3$/ '( *8$3,5$0$ Âą (67$'2 '2 3$5$1Ăˆ $352928((835()(,72081,&,3$/6$1&,212$6(*8,17(/(, $UWž)LFDDOWHUDGRR$QH[R,Âą33$&203/(720HWDVH3ULRULGDGHV R$QH[R,,Âą5(&(,7$6'(7$/+$'$6GR3ODQR3OXULDQXDOSDUDRSHUtRGR GHD †ž$DOWHUDomRFLWDGDQRDUWLJRžWUDWDVHGD,QFOXVmRGRDXPHQWRGH PHWDVSDUD3URJUDPDÂą$'0,1,675$d­2'(2%5$6(6(59,d26 DWUDYpV GR SURMHWR  Âą QR YDORU GH 5  TXH YLVD DWHQGHU D GHYROXomRGHVDOGRUHPDQHVFHQWHGHFRQYHQLRGHFDOoDGDV3URJUDPD Âą6$Ă’'(e9,'$DWUDYpVGRSURMHWRÂąQRYDORUGH5TXH visa atender a devolução de saldo remanescente de convenio de reforma do 3UpGLRGR+RVSLWDOHGRSURMHWRÂąQRYDORUGH5TXHYLVD DWHQGHUDDTXLVLomRGHYHLFXORSDUDR'HSDUWDPHQWRGH6D~GHXWLOL]DQGR UHFXUVRVGHDOLHQDomRVHQGRDSOLFiYHLVDR33$([HUFtFLR $UWž)LFDDOWHUDGRR$QH[R,Âą/'26,03/,),&$'20HWDVH3ULRULGDGHV QD/HLGH'LUHWUL]HV2UoDPHQWiULDVSDUDRH[HUFtFLRGH †ž$DOWHUDomRFLWDGDQRDUWLJRžWUDWDVHGD,QFOXVmRGRDXPHQWRGH PHWDVSDUD3URJUDPDÂą$'0,1,675$d­2'(2%5$6(6(59,d26 DWUDYpV GR SURMHWR  Âą QR YDORU GH 5  TXH YLVD DWHQGHU D GHYROXomRGHVDOGRUHPDQHVFHQWHGHFRQYHQLRGHFDOoDGDV3URJUDPD Âą6$Ă’'(e9,'$DWUDYpVGRSURMHWRÂąQRYDORUGH5TXH visa atender a devolução de saldo remanescente de convenio de reforma do 3UpGLRGR+RVSLWDOHGRSURMHWRÂąQRYDORUGH5TXHYLVD DWHQGHUDDTXLVLomRGHYHLFXORSDUDR'HSDUWDPHQWRGH6D~GHXWLOL]DQGR UHFXUVRVGHDOLHQDomRVHQGRDSOLFiYHLVi/'2([HUFtFLR $UWž(VWDOHLHQWUDUiHPYLJRUQDGDWDGHVXDSXEOLFDomRUHYRJDGDV DVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR *DELQHWHGR3UHIHLWR0XQLFLSDOGH*XDSLUDPDGH1RYHPEURGH Pedro de Oliveira Prefeito Municipal MUNICĂ?PIO DE SANTO ANTĂ”NIO DA PLATINA – PARANĂ ERRATA 1D7ULEXQDGR9DOHGRGLDGH$JRVWRGHQDSiJLQD%QD SXEOLFDomRUHIHUHQWHj$WDGH5HJLVWURGH3UHoRVQƒUHIHUHQWHDR 3UHJmR(OHWU{QLFRQƒFHOHEUDGRHQWUHR081,&Ă‹3,2'(6$172 $17Ă?1,2'$3/$7,1$HD&2175$7$'$(&2)$50$6&20e5&,2 '(0(',&$0(1726/7'$RQGHVHOrÂł/RWH,WHP3DQHODGH 3UHVVmRHP$OXPtQLR5HVLVWHQWH/LWURV5RFKHGR´OHLDVHÂł/RWH ,WHP3DQHODGH3UHVVmRHP$OXPtQLR5HVLVWHQWH/LWURV3DQHOX[´ 6DQWR$QW{QLRGD3ODWLQDGH1RYHPEURGH

PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAPIRAMA LEI NÂş 362/2013 6Ă’08/$$XWRUL]DR3RGHU([HFXWLYRDDEHUWXUDGH&UpGLWR$GLFLRQDO(VSHFLDOQDLPSRUWkQFLDGH5 6HVVHQWDH8P0LOH4XLQKHQWRV5HDLV  $&Æ0$5$081,&,3$/'(*8$3,5$0$Âą(67$'2'23$5$1Ăˆ$352928((835()(,72081,&,3$/ 6$1&,212$6(*8,17(/(, $UWž)LFDDXWRUL]DGRDDEHUWXUDQR2UoDPHQWR*HUDOGR0XQLFtSLRSDUDRFRUUHQWHH[HUFtFLRXP&UpGLWR $GLFLRQDO(VSHFLDOQRYDORUGH5 6HVVHQWDH8P0LOH4XLQKHQWRV5HDLV FRQIRUPHGHWDOKDPHQWRDEDL[R  Âą'(3$57$0(172'(2%5$6(6(59,d2638%/,&26  Âą'LYLVmRGH2EUDV Âą'HYROXomRGH6DOGR5HPDQHVFHQWHGH&RQYHQLRÂą&DOoDGDV)5 Âą,QGHQL]DomR5HVWLWXLomR     5 )5¹¹3DYLPHQWDomRGHFDOoDGDS~EOLFD Âą'(3$57$0(172'(6$8'( Âą'LYLVmRGR)XQGR0XQLFLSDOGH6D~GH 'HYROXomRGH6DOGR5HPDQHVFHQWHGH&RQYHQLRÂą5HIRUPDGR+RVSLWDOÂą)5 Âą,QGHQL]DomR5HVWLWXLomR     5 )5¹¹5HIRUPDHDPSOLDomRGRKRVSLWDO Âą'(3$57$0(172'(6$8'( Âą'LYLVmRGR)XQGR0XQLFLSDOGH6D~GH Âą$TXLVLomRGHYHLFXORÂą5HFXUVR$OLHQDomR (TXLSDPHQWRH0DWHULDOSHUPDQHQWH    5 )5¹¹$OLHQDomR%HQVGD6D~GH $UWž3DUDFREHUWXUDGRFUpGLWRFLWDGRQRDUWLJRDQWHULRUVHUYLUmRSDUDR3URMHWRRVXSHUiYLWDSXUDGR GH5DFUHVFLGRGHSURYiYHOH[FHVVRGHDUUHFDGDomRQRYDORUGH5WRWDOL]DQGR5SDUD R3URMHWRÂąRVXSHUiYLWDSXUDGRGH5DFUHVFLGRGHSURYiYHOH[FHVVRGHDUUHFDGDomRQRYDORUGH 5WRWDOL]DQGR5HSDUDRSURMHWRRVXSHUiYLWGH5DFUHVFLGRGHSURYiYHO H[FHVVRGHDUUHFDGDomRQRYDORUGH5WRWDOL]DQGR5 $UWž(VWDOHLHQWUDUiHPYLJRUQDGDWDGHVXDSXEOLFDomRUHYRJDGDVDVGLVSRVLo}HVHPFRQWUiULR *DELQHWHGR3UHIHLWR0XQLFLSDOGH*XDSLUDPDGH1RYHPEURGH Pedro de Oliveira - Prefeito Municipal


A-8 Geral

Sexta-feira, 08 de novembro de 2013

TRIBUNA DO VALE

Fábrica de gaiolas financia expansão e criará mais emprego em Quatiguá

Fotos: AEN

ECONOMIA Empresa disputa uma parcela do mercado pet, que tem faturamento estimados de R$ 15,4 bilhões no Brasil Da Agência Estadual

A pequena Quatiguá, a 330 quilômetros de Curitiba, no Norte Pioneiro, tem apenas 7.000 habitantes. Mas a cidade fica gigante quando se trata do mercado de produtos para animais. Lá funciona a Gaiolas Quatiguá, segunda maior fábrica de gaiolas do país. A empresa disputa uma parcela do mercado pet, que tem faturamento estimados de R$ 15,4 bilhões no Brasil em 2013, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet). Criada em 1988, a empresa familiar, que começou com cinco colaboradores, hoje é o maior empregador privado do município, com 230 empregos diretos. A linha de produção possui 880 tipos de 380 modelos entre gaiolas para pássaros e p equenos animais, em madeira e arame ou arame e plástico, vendidos em pet shops de todo o país. Boa parte é destinada a pássaros exóticos importados, como calopsitas, cacatuas e periquitos, além de papagaios e canários de criadouros registrados. “As famílias estão diminuindo, tendo menos filhos. Nas grandes cidades, onde há um nível elevado de estresse, as pessoas criam animais de estimação, que viram entes da família e são bem cuidados”, explica Alber to da C osta, de 33 anos, principal executivo da empresa. “Veja o aumento do número de lojas de pet shop e serviços de banho e tosa, que é um fenômeno recente e ocorre em todo o país.” Crescer Nos próximos meses, a produção de gaiolas deve aumentar em pelo menos 25% e

novos colaboradores devem ser contratados. A empresa fez um financiamento de R$ 1,9 milhão pela linha de crédito Banco do Empreendedor Médias Empresas, da Fomento Paraná. Com isso, está ampliando a área de estoque em 2 mil metros quadrados, com dois novos barracões, e adquirindo uma injetora de plástico, uma estufa para pintura automatizada e outros equipamentos. “Estamos nos preparando para crescer com organização, sem gerar desperdício, para ter qualidade para encarar a concorrência e ganhar mais espaço no mercado”, afirma Alberto da Costa. “Com a injetora de plástico vamos poder entrar na linha de cães e gatos, que ainda não atendemos. Temos conhecimento do mercado e estrutura para isso”, diz o empresário. O objetivo se justifica pelo tamanho do mercado. O Brasil é a 4ª maior nação do mundo em população total de animais de estimação e a segunda em cães e gatos. Existem aproximadamente 37,1 milhões de cães e 21,3 milhões de gatos no país, segundo a Abinpet. Considerando que esse segmento vai mov i me nt ar U$ 100 bilhões no mundo em 2013, a Gaiolas Quatiguá poderá, inclusive, exportar. Segundo Costa, com as instalações e equipamentos para automatizar processos, diversificar e aumentar a produção, a Gaiolas Quatiguá espera crescer em um ano o que demoraria entre 5 e 10 anos, se fosse usar apenas recursos próprios. Política pública Para o prefeito de Quatigá, Luiz Fernando Dolenz, uma política pública como a proporcionada pelo Governo do Paraná, ao disponibilizar

MP d feita NATAL

Acesap divul calendário d final de ano do comércio

Gaiolas Quatiguá espera crescer em um ano o que demoraria entre 5 e 10 anos

f

ECONOMIA

Fábrica mais em Linha de produção possui 880 tipos de 380 modelos entre gaiolas para pássaros e pequenos animais

crédito de baixo custo para os empreendedores, é de fundamental importância. “O governador Beto Richa tem procurado incentivar desde o microempreendedor até a empresa de médio porte. As empresas precisam

Banco com empreendedor De janeiro a setembro de 2013 a Fomento Paraná contratou R$ 34,5 milhões em operações de crédito pelo programa Banco do Empreendedor, que beneficiam cerca de 1.900 empreendedores privados em todo o estado. As linhas de crédito da instituição apresentam as menores taxas de juros do mercado, variando entre 0,51% a 1,07% ao mês para investimento fixo e capital de giro associado ao investimento. E os valores disponíveis vão de R$ 300,00 até R$ 3 milhões em recursos próprios e até R$ 10 milhões com repasses de recursos de linhas do BNDES. O presidente da Fomento Paraná, Juraci Barbosa, explica que o crédito direto e de baixo custo para o empreendedor é uma política pú-

PÁG. A8

blica fundamental para os pequenos municípios, onde é difícil atrair investimentos de grandes empresas, por conta da infraestrutura e da mão de obra especializada. “Cada real em investimento que entra na economia da cidade gira até sete vezes. Esse movimento ajuda a garantir empregos e renda e possibilita a melhora na oferta de produtos e serviços na comunidade”, afirma Juraci Barbosa. “Essa é a missão que recebemos do governador Beto Richa. Estamos trabalhando em parceria com associações comerciais, cooperativas de crédito e com as prefeituras, para levar o crédito aos empreendedores de todos os portes nos 399 municípios paranaenses.”

desse auxílio para crescer”, afirma Dolenz. “Em especial na fábrica de gaiolas, esse incentivo vem em boa hora, para que possam crescer e gerar mais empregos em nosso município, que é muito carente.”

Quatiguá ainda não conta com um agente de crédito da Fomento Paraná, mas uma parceria entre a prefeitura e a Associação Comercial do Município deve corrigir essa situação em breve. Até lá, empreendedores in-

teressados podem buscar informações e suporte para fazer operações de crédito diretamente com a Fomento Paraná, pelo portal institucional (www.fomento.pr.gov. br) ou pelo telefone (41) 3883-7000.

Empresária vai modernizar a academia de ginástica na cidade Em cidade pequena, a notícia corre rápido. Dona de uma pequena academia em Quatigá, há cinco anos, a professora de educação Valéria Ribeiro, 35 anos, que tem entre seus clientes o empresário Alberto Costa, logo soube do financiamento a juros baixos da Fomento Paraná. Valéria também fez um financiamento, de R$ 12 mil, e está comprando novos equipamentos de uma linha moderna de produtos articulados para musculação, para aumentar o atendimento da clientela e a renda do empreendimento. “Meu foco, a partir desse fim de ano

e no próximo, é trabalhar como personal trainer. Está tendo muita procura e tendo um resultado muito positivo”, diz ela. “A musculação vem crescendo muito, pelo fator dos benefícios e pelo resultado da estética. Tem procura inclusive de pessoas de cidades da região.” Valéria gostou da linha de financiamento da Fomento Paraná. “Já trabalhei com outros financiamentos de banco e o valor ficou muito bom, principalmente na questão dos juros. Porque quem está começando tem um valor pra investir, mas se o juro é menor, fica melhor para o empreendedor”, comenta.

f

PÁG. A8

S.A.PLATINA

Carro é f enquant


Pdf2513