Issuu on Google+

de ra

meiro o

Terça-feira 180 110

27 DE AGOSTO DE 2013

DIRETOR: BENEDITO FRANCISQUINI Antônio de Picolli

Um dos bairros mais antigos de Santo Antônio da Platina, a Vila Santa Terezinha receberá calçamento

JAPIRA

Audiência pública reúne mais de 400 jovens A Assessoria Especial de Juventude do Governo do Estado (AEJ) em parceria com a prefeitura de Japira reuniu, sábado (24), mais de 450 jovens do Norte Pioneiro, com representantes de 18 municípios, para terceira audiência pública estadual da juventude. Os jovens têm a oportunidade de participar e reivindicar direitos na elaboração e discussão de políticas públicas a fim de contribuir para a construção de consciência e a prática cívica. „

PÁG. A8

MEMÓRIA

Diocese inaugura primeiro museu de Jacarezinho „

PÁG. A8

TRABALHO

Policiais Federais no Paraná param por 48 horas „

PÁG. A5

ANO XVIII - N0 2461 - R$ 1,00

www.tribunadovale.com.br

ADMINISTRAÇÃO

Projetos em execução ou autorizados chegam a R$ 10 milhões Os projetos em andamento ou já autorizados para obras e serviços em Santo Antônio da Platina somam R$ 10 milhões e abrangem várias áreas da administração municipal. A informação é do prefeito Pedro Claro de Oliveira Neto e o deputado estadual Pedro Lupion. Um dos mais importantes, segundo o deputado, é o recape asfáltico no valor de R$ 550 mil, verba do Programa de Apoio aos Municípios, que utiliza recursos a fundo perdido. Também está destinado a Santo Antonio da Platina, pelo Instituto das Águas, R$ 150 mil para construção de mil metros de galerias pluviais. „ PÁG. A4

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA

Servidores públicos podem entrar em greve em setembro

CASA CIVIL

Assessor de Gleisi já é considerado foragido

O ex-prefeito de Realeza e assessor da Casa Civil, Eduardo André Gaievski, tomou conhecimento do mandado de prisão expedido contra si e pediu seu afastamento do ministério, mas não se apresentou à justiça nem foi localizado. Gaievski é oficialmente considerado foragido pela polícia. Na sexta-feira (23), a Justiça expediu um mandado de prisão preventiva contra o petista que é investigado por estupro de vulnerável enquanto ainda era prefeito. „ PÁG. A5

ECONOMIA

Ministro descarta aumento do preço do combustível „

PÁG. A3

SEGURANÇA

PM intensifica fiscalização em Wenceslau Braz „

PÁG. A5

COMÉRCIO

Molini s quase pronto para inaugurar

Um grupo formado por cerca de 20 servidores municipais de Santo Antônio da Platina marcou uma assembleia para decidir se a categoria entra em greve ou espera a entrada em vigor do Plano de Cargos e Salários (PCS) que será elaborado pela prefeitura. A assembleia foi marcada para o dia 10 de setembro durante uma reunião realizada na tarde de sexta-feira, 23, na Câmara dos Vereadores. „ PÁG. A3

TRAGÉDIA

Vítimas de acidente com carro da Saúde continuam internadas

As duas vítimas que sobreviveram ao grave acidente envolvendo o carro da Secretaria de Saúde de Santo Antônio da Platina, na madrugada de sexta-feira (23), na PR-151 permanecem internadas em hospitais de Castro e Santo Antônio da Platina. A aposentada Maria Ferreira da Silva, 63, deixou a UTI do hospital Anna Fiorillo Menarim, em Castro, na tarde de ontem (26), mas permanece internada em um quarto da casa de saúde. A artesã Evanize Terezinha de Oliveira Zimmermann, 52, foi encaminhada ao mesmo hospital. Ela foi medicada e transferida de ambulância para o hospital Nossa Senhora da Saúde. Na manhã de domingo Evanize passou por uma tomografia. Que apontou fraturas nas costelas e lesão em uma das vértebras. A paciente aguarda condições de vôo para poder ser transportada de helicóptero até a Santa Casa de Misericórdia em Curitiba, onde passará por cirurgia. Página A5

Funcionários ultimam preparativos para inauguração do Supermercado Molini’s

Nas vésperas de abrir as portas à comunidade, o supermercado Molini’s Super Center, que vai funcionar no antigo prédio do Clube Platinense, na avenida Oliveira Motta, em Santo Antônio da Platina, terá 10 mil itens à disposição dos consumidores e oferecerá 50 empregos diretos. A data exata da abertura ainda depende da chegada de algumas mercadorias, mas o proprietário José Carlos Molini acredita que a inauguração aconteça nos próximos dias. „ PÁG. B1


A-2 Opinião

TRIBUNA DO VALE Terça-feira, 20 de agosto de 2013

O índice exibiu evolução de 47,5% no país entre 1991 e 2010, saindo de um patamar considerado “muito baixo” em 1991 (0,493) para “médio” (0,612) em 2000 e “alto” em 2010 (0,727).” Editorial

Hoje, é possível afirmar que em todos os municípios brasileiros existe ao menos um conselho gestor composto por representantes sociais e governamentais.” Gilberto Carvalho

E DITORIAL

Desenvolvimento humano O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgou, em agosto, em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro (FJP), o cálculo do Índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios (IDHM) para as 5.565 cidades brasileiras, realizado com base nos dados e informações contidos nos Censos Demográficos de 1991, 2000 e 2010, levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O IDHM é considerado uma espécie de parâmetro-síntese da qualidade de vida da população das nações, regiões, estados e municípios, mensurado com base na combinação geométrica de estatísticas de rendimento, escolaridade e longevidade. O total e as médias parciais podem variar entre zero e a unidade, e permitem a categorização das diferentes instâncias geográficas em escalas de desenvolvimento social, considerado “muito alto” (entre 0,8 e 1), “alto” (0,7 a 0,799), “médio” (0,6 a 0,699), “baixo” (0,5 a 0,599) e “muito baixo” (0 a 0,499). O índice exibiu evolução de 47,5% no país entre 1991 e 2010, saindo de um patamar considerado “muito baixo” em 1991 (0,493) para “médio” (0,612) em 2000 e “alto” em 2010 (0,727). Os resultados também evidenciam expressiva HORÁRIO DE FECHAMENTO

22:10

diminuição da desigualdade entre os municípios do país e impulsão na qualidade de vida das pessoas que habitam os mesmos, no intervalo em pauta. A distância entre o maior e o menor IDHM diminuiu de 0,577 para 0,444 em dois decênios, e os locais com IDHM muito baixo recuaram de 85,8% para 0,6% do total, em igual intervalo. Essencialmente, a contabilidade social positiva pode ser creditada ao efeito-renda da desinflação, provocada pelo Plano Real, a partir de julho de 1994; à impulsão dos proventos oriundos do trabalho (com o aumento da formalização do emprego e a valorização do salário mínimo); e aos componentes sociais plantados na Constituição de 1988, que ensejaram a criação e o alargamento das iniciativas oficiais de transferência de renda. Em 2000, a renda dos 10% mais ricos era 26 vezes maior que a dos 20% mais pobres da pirâmide social; em 2010, a relação caiu para 18 vezes. As incursões sociais de deslocamento de renda repousaram no programa Bolsa Família, na aposentadoria rural e nos benefícios de prestação continuada, amparadas na exponencial elevação da carga tributária (que passou de 24,4% do PIB em 1991 para 36% em 2012) e respectivo aumento de concentração na esfera da União, sem a obrigatoriedade de

C HARGE

chargeonline.com.br

partilha com estados e municípios. Enquanto a longevidade do brasileiro atingiu nível “muito alto” (0,816), explicado pela queda das taxas de fecundidade e de mortalidade infantil, e a renda situou-se em posição “alta” (0,739), a educação figurou na condição “média” (0,637), mesmo tendo experimentado a expansão mais acentuada entre 1991 e 2010 – 128,3%, contra 14,2% da renda e 23,3% da longevidade, deixando para trás a situação de “muito baixo” exposta em 1991 e 2000. Nesse particular é oportuno observar que, apesar do empenho no sentido da universalização do ensino fundamental, atestado pelo salto da frequên¬cia à escola de crianças de 5 a 6 anos de 37,3% para 91,1%, a maioria dos jovens não completou o ensino médio e somente cinco municípios ostentam o índice “muito alto” nesse quesito. Ademais, a população brasileira com mais de 25 anos possui apenas 7,2 anos de estudo, o menor patamar da América do Sul (que tem na dianteira o Chile, a Argentina e a Bolívia, com 9,7, 9,3 e 9,2 anos, respectivamente), ao lado do Suriname. Em outros termos, o país ainda tem um longo e tortuoso caminho a trilhar na direção da lapidação da matéria-prima mais nobre para a construção de uma verdadeira nação.

Palm por c

INAUGURAÇ Diretoria pretende convidar tim europeu de grande porte para inaugur nova casa

A RTIGO

NESTA EDIÇÃO TEM

12 PÁGINAS CADERNO PRINCIPAL - OPINIÃO - POLÍTICA - GERAL - CIDADES - COTIDIANO - ESPORTES - AGRONEGÓCIO

A 01 - 08 A 02 A 03 A 04 A 05 A 06 A 07 A 08

2ª CADERNO - ATAS & EDITAIS - ATAS & EDITAIS

B 01 - 04 B 01 B 02 - 04

Gilberto Carvalho*

Brasil, uma democracia que se democratiza

PREVISÃO PARA HOJE

180 110

SANTO ANTÔNIO DA PLATINA

A RTIGO Pedro Félix Vital Jr.*

Como acontece naturalmente em todo processo de crescimento e desenvolvimento, o indivíduo tende a mudar seus traços, carregando consigo algumas marcas do tempo relacionadas ao amadurecimento. Entretanto, características determinantes em sua gênese podem necessitar de elementos concretos e tangíveis para justificar mudanças de estilo e comportamento. Dados recentemente publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam, surpreendentemente, o País num sentido de desenvolvimento humano que, apesar de não acompanhar literalmente semelhanças com outras nações de iguais características, nos dá um espírito otimista numa perspectiva de aproximação nas diferenças regionais, favorecendo o reconhecimento e inclusão de um grupo populacional marginalizado ao longo da história. O Brasil conseguiu, ao longo dos últimos 20 anos, melhorar 11,24% sua expectativa de vida. A região Nordeste saiu dos piores indicadores (58,25 anos em 1980) chegando à margem de 71,2 anos em 2010. Em termos gerais, houve um ganho de 12,95 anos. Apesar de convivermos com a moléstia da dificuldade de acesso nos mais diversos níveis de complexidade da assistência, gerados pela longa história de poucos investimentos e mau gerenciamento, compartilhamos hoje um cenário de carências de recursos humanos e estruturais na saúde que impactam qualquer tentativa de melhora a curto e médio prazos, principalmente quando falamos da

O Brasil muda de fisionomia

maioria dos estados das regiões Norte e Nordeste, assim como das periferias das grandes metrópoles. Ainda assim, tivemos melhoras consideráveis no que diz respeito a taxa de óbito infantil até um ano de idade, passando o Brasil dos seus 75,8 óbitos para cada mil crianças em 1980 para 16,7 óbitos nesse mesmo grupo em 2010. Nesse quesito, a região Sudeste apresentou a maior taxa de redução percentual, enquanto a Nordeste a maior taxa em valores absolutos. Alagoas mantém-se com valores aproximados de 30,2 óbitos por mil habitantes entre 0 e 1 ano, enquanto Santa Catarina apresenta 9,2 (IBGE – 2010). Quanto à expectativa de vida até cinco anos de idade, saímos do patamar de 84 mortes para cada mil habitantes para 19,4, representando uma redução de 76,9%. Na região Nordeste migramos de uma zona sombria de 120,2 mortes para 26 óbitos, apresentando queda de 78,3%. Fatores como melhora na escolaridade, saneamento básico adequado, menor desnutrição infantojuvenil, maior acesso ao sistema de saúde e acompanhamento pré-natal favoreceram significantemente o quadro atual. Indicadores relacionados à renda per capita também mostram tendências regionais distintas, sendo a da Região Sul duas vezes em média maior que a do Norte e Nordeste. Convivemos com mais de dois milhões de brasileiros em situação de miséria plena. Programas governamentais como Brasil sem Miséria e

TRIBUNA DO VALE

O Diário da nossa região - Fundado em agosto de 1995 Editora Jornal Tribuna do Vale LTDA CNPJ 01.037.108/0001-11 Matriz: Rua Tiradentes 425, Centro Santo Antônio da Platina, PR Fone/Fax: 43 3534 . 4114

Diretor Responsável Benedito Francisquini - MTB 262/PR tribunadovale@tribunadovale.com.br tribunadovale@uol.com.br

Bolsa Família, independentemente do quanto possam gerar críticas relacionadas ao planejamento, execução e perenidade, têm sua importância no sentido de dar condições mínimas de subsistência a um grupo populacional, retirando-os de uma linha crítica de pobreza, favorecendo mesmo que de forma singular sua inclusão social. Essa nova face do Brasil traz consigo uma intensificação das marcas de senilidade. E um país com aumento da taxa de sobrevida. Logo, com um número de idosos que atinge valores médios de 20 milhões de habitantes. Dados do IBGE de 2010 reconheceram 449.129 indivíduos com idade superior ou igual a 90 anos. Apresentamos uma taxa média de longevidade de 73,4 anos, mas ainda inferior a países latinos, como Argentina (75,8 anos) e México (76,89 anos), assim como países desenvolvidos, como Reino Unido, Canadá e Japão, com 80,75, 80,93 e 82,59 anos, respectivamente. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 1980 tínhamos uma esperança de vida aos 60 anos de mais 16 anos, 4 meses e 6 dias. Já em 2010, nessa mesma idade a esperança de vida aumentou para 21 anos e 6 meses. Também com base nesses dados apresentamos divergências regionais, com menor expectativa no Maranhão (68 anos) e maior no estado de Santa Catarina (75 anos). A ampliação da esperança de vida verdadeiramente representa um grande progresso para a sociedade,

entretanto como nos preparamos para esse envelhecimento? Como nos preparamos para receber esse novo fenômeno brasileiro? Já temos estratégias de políticas públicas e de iniciativas privadas que equilibrem suas consequências? Países desenvolvidos, que já viveram ou ainda convivem com esse contingente populacional reconhecem a grande vitória representada pela melhora dos indicadores de qualidade de vida. Contudo, percebem outros fenômenos intrínsecos dessa faixa etária, como a queda da renda familiar ou individual, o isolamento, maior necessidade de assistência à saúde, maior inatividade e dependência de terceiros. Consequências econômicas são facilmente percebidas pelo aumento das demandas dos gastos públicos com aposentadorias, redução da força de trabalho e crescimento econômico, mudanças nos perfis das doenças prevalecendo às enfermidades crônicas e demenciais, com aumento dos custos do financiamento à saúde. Apesar dos inúmeros contrastes comuns ao Brasil e aos brasileiros, temos que comemorar as etapas conquistadas e nos debruçarmos em busca de novas ações que proporcionem que jovens e velhos, dependentes ou independentes, que vivam com dignidade no exercício pleno da cidadania. *Pedro Félix Vital Jr é coordenador do curso de Medicina da Faculdade Santa Marcelina - FASM

Representação: MERCONET Representação de Veículos de Comunicação LTDA Rua Dep. Atílio de A. Barbosa, 76 conj. 03 - Boa Vista - Curitiba PR Fone: 41-3079-4666 ¦ Fax: 41-3079-3633 Vendas Assinatura Anual R$ 200,00 Semestral R$ 100,00

Impressão: GrafiNorte FONE: 43 3420-7777

Na última década, a participação social na gestão pública deixou de ser apenas um elemento no repertório da ação dos movimentos sociais, passando a ser incorporada pelos gestores como método de governo. Essa forma de atuação fortalece a democracia, que se reinventa com as instâncias participativas. No entanto, a profusão dessas experiências também revela desafios. O governo federal, atento a esses desafios e disposto a contribuir para dar mais organicidade às iniciativas de gestão pública participativa, vem implementando ações – por meio da Secretaria-Geral da Presidência da República – para a construção de uma Política e de um Compromisso Nacional pela Participação Social. As propostas estarão em debate na internet até o dia 6 de setembro. Basta acessar o link www.psocial.sg.gov. br, cadastrar-se e ser parceiro na construção de um Brasil cada vez mais democrático e participativo. A proposta de uma Política Nacional de Participação Social visa consolidar e estender a todas as áreas e instituições do governo federal um conjunto de diretrizes, mecanismos e instâncias de participação social, incorporando a crescente relevância das novas tecnologias da informação e o uso de metodologias e tecnologias livres capazes de dar voz aos novos atores coletivos e cidadãos que têm emergido no espaço público. Com a construção do Compromisso Nacional pela Participação Social, pretendemos fortalecer e qualificar as iniciativas que já vêm sendo implementadas nos diferentes níveis da federação, de forma a estimular e valorizar práticas que consolidem a participação social como política de Estado e método de governo. Hoje, é possível afirmar que em todos os municípios brasileiros existe ao menos um conselho gestor composto por representantes sociais e governamentais. Também se multiplicam experiências de orçamentos e planos diretores participativos. Além disso, audiências, conferências, consultas públicas, mesas de negociação e ouvidorias compõem o quadro de intensa inovação institucional vivida nas últimas décadas tanto em nível municipal quanto estadual e federal. São alterações que fortalecem a ideia processual da democracia, pois forçam novos arranjos das instituições públicas para o atendimento das demandas expressas nesses espaços participativos. No Brasil, podemos observar um processo histórico, não linear e repleto de avanços e contradições inerentes ao nosso contexto sociopolítico e institucional. Se direcionarmos o olhar para a redemocratização vivida na década de 80, certamente veremos inúmeras conquistas sociais, muitas delas expressas na Constituição Federal. O direito à participação social nas políticas públicas está consagrado em diversos dos seus artigos. A melhor forma de compreender o fenômeno democrático é reconhecer sua natureza processual, que se modifica e segue sempre em transformação. Buscar uma democracia acabada seria um despropósito, tendo em vista a sucessão de mudanças que a constitui. As recentes manifestações nas ruas mostram, entre diversas demandas de melhor qualidade dos serviços públicos, o clamor por maior participação social e reinvenção das formas de exercício da democracia. Assim, sempre será necessário perceber e empreender formas para ampliar, aprofundar ou mesmo democratizar a democracia, seja ela entendida como modo de vida ou forma de governo. * Gilberto Carvalho é ministro da Secretaria-Geral da Presidência

da República.

Circulação: Abatiá ¦ Andirá ¦ Arapoti ¦ Bandeirantes ¦ Barra do Jacaré ¦Cambará ¦ Carlópolis ¦ Conselheiro Mairink ¦ Figueira¦Guapirama ¦ Ibaiti ¦ Itambaracá ¦ Jaboti ¦ Jacarezinho Jaguariaíva ¦ Japira ¦ Joaquim Távora ¦ Jundiaí do Sul ¦ Pinhalão ¦ Quatiguá ¦ Ribeirão Claro ¦ Ribeirão do Pinhal ¦ Salto do Itararé ¦Santana do Itararé ¦ Santo Antônio da Platina ¦ São José da Boa Vista ¦ Sengés ¦ Siqueira Campos ¦Tomazina ¦ Wenceslau Bráz

Filiado a Associação dos Jornais Diário do Interior do Paraná

* Os artigos assinados não representam necessariamente a opinião do jornal, sendo de exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.

F1

Horner neg


TRIBUNA DO VALE

Política A-3

Terça-feira, 27 de agosto de 2013

tos, asco

Servidores podem entrar em greve em setembro IMPASSE »Categoria espera por elaboração do Plano de Cargos e Salários, mas prefeitura não informa prazo para a apresentação da proposta

Maurício Reale

Um grupo formado por cerca de 20 servidores municipais de Santo Antônio d a P l at i n a m arc ou u m a assembleia para decidir se a categoria entra em greve ou e sp e r a a e nt r a d a e m

vigor do Plano de Cargos e Salários (PCS) que será elaborado pela prefeitura. A assembleia foi marcada para o dia 10 de setembro durante uma reunião realizada na tarde de sexta-feira, 23, na Câmara dos Vereadores. O grupo se mostrou dividido com parte a favor da paralisação e parte optando pela espera da elaboração do PSC. A servidora

Somos marionetes na mão da prefeitura, eles mentem o tempo todo”

Har i a d ne d e L i ma Mel o aconselhou aos colegas a e sp e r ar p e l a e l ab or a ç ã o do Plano, mas a servidora Maria Madalena Militão exige que até que o PCS en-

tre em vigor os servidores que trabalham nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) passem a ter a carga horária reduzida de oito para seis horas diárias. Os servidores disseram que o prefeito Pedro Claro de Oliveira Neto (DEM) até concorda com a sugestão, mas a iniciativa foi barrada pelo departamento jurídico da prefeitura. “S o m o s m a r i o n e t e s n a mão da prefeitura, eles mentem o tempo todo”, disse revoltada a ser vidora Maria Madalena. Ela quer uma solução imediata, pois alega que a elaboração do PCS pode demorar até três anos. Já a colega, Hariadne, teme que os ser vidores sejam prejudicados caso a greve seja considerada ilegal. A re p or t a g e m t e nt ou entrar em contato com o chefe de gabinete da prefeitura, José Antônio da Silva

»ECONOMIA

Antônio de Picolli

Em pé, Hariadne (de branco) e Madalena divergem quanto a paralisação

e com a diretora municipal de Gestão, Silvana Domingues de Almeida Chagas, para saber se o PCS já foi elaborado e qual a previsão para que seja enviado para a votação na Câmara, mas a informação é que o chefe de gabinete estava viajando e a diretora não se encontrava na sua sala. Aproximadamente 300 ser vidores cruzaram os braços por um dia em julho como forma de protesto contra a retirada das gratificações que foi anunciada pela prefeitura alegando se tratar de uma orientação do Ministério Público (MP) para que os servido-

res tenham seus vencimentos pagos de acordo com o PCS que estipularia o valor referente à função desempenhada por eles. O prefeito e os vereadores pediram ao MP que as gratificações fossem retiradas aos poucos até que o PCS fosse elaborado. A intenção é contratar uma empresa para elaborar o Plano de forma sustentável indicando como aumentar a arrecadação para garantir o pagamento de todos os funcionários. A remuneração dos servidores obedece a uma tabela que compreende níveis de 1 a 25. Ocorre que

a tabela não é reajustada há anos e as gratificações foram concedidas com o objetivo de repassar parte do reajuste relativo a este período, no entanto, nem todos os ser vidores p ossuem g rat if ic açõ es e como a folha de pagamento da prefeitura já superou 52% da arrecadação não há mais como aument ar salários nem contratar servidores já que o limite prudencial recomendado p e l o Tr i b u n a l d e C o n tas do Estado (TCE) é de 51,30% e o limite máximo estabelecido por lei para gasto com folha salarial é de 54%.

»PARANÁ

Ministro descarta aumento Crea retoma fiscalização do preço do combustível das propriedades rurais Da Assessoria

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea), por intermédio do seu Departamento de Fiscalização (Defis), começa a efetuar um novo procedimento de fiscalização na área da Agronomia, conforme Termo de Ajuste de Conduta firmado com o Ministério Público Federal neste ano. A ação acontecerá em três partes distintas, sendo a primeira referente à identificação do proprietário, endereço da obra, cultura, safra, área cultivada e responsável técnico, entre outros. A segunda, por sua vez, engloba informações sobre o uso de linhas de crédito (PRONAF/DAP), o tipo de mão de obra usada na propriedade, se a mesma é arrendada ou não, se faz parte de cooperativas e se possui construções rurais. Por fim, a terceira parte da fiscalização consiste em distribuir material orientativo para propriedades regulares, e arrolar o profissional de propriedades com irregularidade, falta de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) ou onde seja

constatado o exercício ilegal da profissão. Pelo Termo, o Crea, no exercício de seu poder de polícia e das atribuições legais constantes da Lei n˚ 5.194/66 e nas Resoluções do CONFEA, assume o compromisso de não autuar os agricultores familiares do Paraná, assim considerados aqueles que

Não há alta prevista para os preços dos combustíveis, garante Guido Mantega Agência Brasil

droga

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou ontem (26) que haja previsão de aumento dos combustíveis vendidos pela Petrobras. Segundo ele, não há alta prevista e a inflação está sob controle. “A dona de casa pode ficar tranquila que [a inflação] está sob controle. Não permitiremos que haja grandes repasses [de preços] ou que haja contágio da questão cambial na inflação. Não é certo que

a Petrobras tenha aumento. Não sei quem falou isso, não há decisão nenhuma a esse respeito, portanto, não há aumento previsto”, disse o ministro, após encontro com líderes empresariais. Quanto ao preço do dólar, Mantega ressaltou que, diferentemente do que ocorreu no ano passado, quando o governo tomou medidas para elevar o valor da moeda estrangeira, no momento, o mercado é que está sendo responsável pela desvalori-

zação do real. No entanto, destacou Mantega, caso o momento de alta do dólar perdure por muito tempo, o governo poderá agir nas tarifas de importação. “Temos de ver primeiro a duração [da alta do dólar]. Pode durar um tempo curto e acabar. Se durar um tempo mais longo, veremos o que tem de ser feito. Por exemplo, redução de tarifa de importação de produtos, de modo a contrabalançar a elevação. Isso será feito”, afirmou.

O agricultor que não se enquadrar na categoria ‘agricultura familiar’ será tratado como agricultor de mercado, sofrendo a ação fiscalizatória do Conselho” possuem DAP (Declaração de Aptidão) para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar e ou se enquadrarem no que dispõe a Lei Federal n˚

11.326/2006. “Em relação aos pequenos agricultores familiares, a ação do Crea se dará em caráter orientativo e cooperativo, através de visitas técnicas diferenciadas, não gerando quaisquer autuações por falta de responsável técnico ou exercício ilegal da profissão que digam respeito ao mero cultivo do solo”, explica a gerente do Defis do Crea, Vanessa Moura. Se nas visitas orientativas for constatado que o agricultor familiar não possui a DAP, ele será notificado e contará com o prazo de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias, para providenciar a DAP e apresentá-la ao conselhor. Se a DAP não for apresentada no período estabelecido, o Crea elaborará um relatório apontando tecnicamente a situação específica do agricultor visitado, sem prejuízo da possibilidade de apresentação da DAP a qualquer momento. “O agricultor que não se enquadrar na categoria ‘agricultura familiar’ será tratado como agricultor de mercado, sofrendo a ação fiscalizatória do Conselho”, acrescenta Vanessa.

»TRIBUNAL DE CONTAS

Certidão liberatória tem validade prorrogada por um mês Da Assessoria

As certidões liberatórias do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) com va lid ade até a próxima sexta-feira (30 de agosto) serão prorrogadas por um mês, até 30 de setembro. A certidão liberatória é um documen-

to essencial para que os órgãos fiscalizados possam obter recursos de fontes externas, por meio de financiamentos, convênios, auxílios e subvenções. Para obtê-la, os municípios precisam cumprir a Agenda de Obrigações perante o TCE. Autorizada pelo presidente, conselheiro Artagão

de Mattos Leão, a prorrogação atende a pedido da Associação dos Municípios do Paraná (AMP). Em ofício enviado a Artagão, o presidente da entidade, Luiz Lázaro Sor vos (pref e i t o d e No v a O l í mp i a , no Noroeste do Estado), argumenta que os municípios paranaenses estão

enfrentando dificuldades para c umprir suas obrigações contábeis junto ao Tribunal. Segundo ele, o at e n d i m e nt o a o p e d i d o contribui para que “recursos preciosos de interesse da noss a p opulação não deixem de chegar às prefeituras”. No o f í c i o 7 7 / 2 0 1 3 , a

AMP solicitou a prorrogação por 60 dias. O presidente do TCE aut or i z ou m e t a d e d e s s e período. Segundo o diretor de Contas Municipais, Akichide Walter Ogasawara, a partir desta segunda (26), com a perda de validade da certidão liberatória, os jurisdicionados

de vem acess ar o site do Tribunal (www.tce.pr.gov. br) para a emissão de um novo documento, que terá validade até 30 de setembro. “Os pedidos de certidão feitos a partir de 1º de setembro deverão atender a Agenda de Obrigações em sua plenitude”, alerta o diretor.


TRIBUNA DO VALE

A-4 Geral

Terça-feira, 27 de agosto de 2013

Projetos da prefeitura em execução ou autorizados chegam R$ 10 milhões

Asse é já é

ESTUPRO Ed é investigado vulnerável en era prefeito d

Das A

Pedro Claro e Pedro Lupion apontam principais projetos para a cidade

Um dos bairros mais antigos, o Santa Terezinha será calçado

S.A. PLATINA»Ruas dos bairros Santa Terezinha, Gralha Azul, e Monte das Oliveiras receberão calçamento; nova UBS será inaugurada em setembro Gladys Santoro

Em reunião ocorrida na tarde de sexta-feira, 24, no gabinete do prefeito Pedro Claro de Oliveira (Democratas), o deputado estadual Pedro Lupion (Democratas) divulgou um relatório dos principais projetos em andamento para Santo Antônio da Platina, que somam R$ 10 milhões distribuídos em todas as áreas administrativas. Um dos mais importantes, segundo o deputado, é o recape asfáltico no valor de R$ 550 mil, verba do Programa de Apoio aos Municípios, que utiliza recursos a fundo perdido. Também está destinado a Santo Antonio da Platina, pelo Instituto das Águas, R$ 150 mil para confecção de mil metros de galerias pluviais. “As ruas são antigas e muitas não têm galerias. Sem elas, o asfalto não

tem durabilidade. Por isso, o prefeito está verificando os locais onde elas devem ser feitas”, explicou o deputado Os bairros rurais Conselheiro Zacarias, Pedra Branca e Ribeirão Bonito ganharão poços artesianos. Cada um custará R$ 123 mil, e a obra só depende de licitação. Ainda na área da infraestrutura, Conselheiro Zacarias terá, inicialmente, seis quilômetros de calçamento com pedras irregulares. O projeto total prevê 22 quilômetros, mas será executado por etapas. Os bairros Santa Terezinha, Gralha Azul e Monte de Oliveiras também receberão calçamento com bloquetes. A obra já está autorizada pelo programa Paranacidde, e o projeto em fase de elaboração. O valor total é de R$ 3.180 milhões incluindo um rolo

compactador. A obra é uma das mais aguardadas pelos moradores, já que os bairros em questão são antigos e não contam com infraestrutura. O prefeito Pedro Claro também está esperando a entrega de dois caminhões que comporão a frota do município. Saúde Outra boa notícia anunciada na sexta-feira foi a inauguração da Unidade Básica de Saúde da Vila Ribeiro. A entrega está marcada para o dia 5 de setembro. O governo do Estado deu todo imobiliário, e uma ambulância já foi entregue à secretaria municipal da Saúde. “Há ainda, o pedido de um aparelho de raio X e de um kit de equipamentos hospitalares. Também já cumprimos o compromisso de instalar a UTI (Unidade de Terapia In-

ACIDENTE

Vítimas da Saúd

»NORTE PIONEIRO

Governo anuncia interesse de grupo israelense investir na produção de peixes

AEN

Da Agência Estadual

A região Norte Pioneiro poderá receber um projeto de piscicultura, com tecnologia israelense, que promete uma revolução nos padrões de criação de peixes, em especial a tilápia. A iniciativa é do Ministério da Pesca e Aquicultura. O representante da empresa israelense Mitrelli Israel, Eliezer Levin, apresentou ontem (26) na Secretaria da Agricultura e do Abastecimento o projeto, que pode ser executado nas cinco represas localizadas ao longo do Rio Paranapanema, que vai desde o município de Ribeirão Claro até Alvorada do Sul, na divisa entre os estados do Paraná e São Paulo. A empresa israelense trabalha com sistema de produção integrado à indústria, repassando tecnologia desde o cultivo e engorda do peixe, até o processo de filetagem e a comercialização dos produtos. Ao governo do Paraná o projeto prevê a parceria para a organização, capacitação e treinamento dos produtores. Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o Paraná tem interesse em se associar a

Pedro e Abelardo Lupion participaram de reunião ontem na sede da Seab, em Curitiba

projetos que preveem a aplicação de recursos em bases consistentes e que beneficiam os pequenos agricultores. “Temos interesse em discutir o projeto e ver como podemos compatibilizar esse momento favorável a investimentos com o clamor de produtores e prefeitos do Norte Pioneiro que querem encontrar alternativas que forneçam outra renda para os agricultores”, afirmou. Segundo Ortigara, o Paraná já possui boas experiências no setor, principalmente na Costa Oeste, na região do Rio Paranapanema, e ainda com unidades industriais na região de Pinhalão. “O pescado é uma importante fonte de renda para os agricultores familiares. Queremos desenvolver novas ações para incrementar ainda mais

a nossa produção e fazer do peixe uma proteína barata para o consumo, assim como foi feito com a cadeia produtiva do frango”, comparou o secretário. Ortigara disse ainda que as represas do Rio Paranapanema oferecem um grande potencial para instalação de gaiolas para produção de peixe e a região do entorno também conta com tanques escavados e que podem ser utilizados no projeto. Segundo o deputado Abelardo Lupion, que acompanhou os empresários israelenses na audiência na Secretaria, o Ministério da Pesca tem um orçamento em torno de R$ 2 bilhões e está disposto a aplicar parte desses recursos em projeto de piscicultura no Paraná. A vinda do grupo israelense ao Estado foi orientação do ministro

Luiz Guilherme Ba

UBS da Vila Ribeiro está pronta e equipada

tensiva) neonatal no Hospital Regional do Norte Pioneiro, e agora estamos viabilizando a UTI adulto através do programa ViaSus. Há ainda ações no sentido de credenciar o HR na escala de alta complexidade, o que desafogará a Santa Casa de Jacarezinho em vários tipos de atendimentos”, disse o

Marcelo Crivella que já esteve no Norte Pioneiro conhecendo o potencial da região para o desenvolvimento da piscicultura. Tecnologia Uma das características da tecnologia empregada pelo grupo israelense é melhorar os índices de conversão alimentar para aumentar a produtividade, sem recorrer ao uso de hormônios, que é proibido em Israel, disse Eliezer Levin. Eles desenvolvem métodos especiais de alimentação para sistemas de produção de peixes em larga escala em represas e lagoas. O projeto deverá incluir também outras parcerias com entidades como o Sebrae para levar os agricultores a participar de seminários e cursos de capacitação.

deputado Pedro Lupion. Para ele, a sugestão de estadualizar o HR é praticamente inviável. “O Estado já tem sob sua responsabilidade 24 hospitais e acredito que não vai aceitar mais um, porque isso é o mesmo que transferir o problema. Temos que trabalhar bem a sua gestão para que ele venha

a atender os municípios da região com qualidade”, disse. O prefeito Pedro Claro também anunciou uma nova Unidade de Saúde Básica no Jardim Santa Cruz, no valor de R$ 470 mil. Outros R$ 347 mil foram destinados a uma reforma ampla no Centro Social Urbano.

400 casas para a cidade e 50 para o campo Outra novidade que a população aguardava ansiosa era a construção de casas populares. Prefeito e deputado anunciaram 400 casas urbanas e 50 rurais através da Cohapar em parceria com o governo federal. Pedro Claro disse que o terreno já existe e que as obras devem ser iniciadas nos próximos meses. Santo Antônio ainda integrou ao grupo de municípios para partilhar equipamentos da Patrulha Rural voltados à readequação das estradas rurais. O óleo diesel será de responsabilidade da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento no valor de R$ 42 mil. Santo Antônio também receberá calcário para melhorar a qualidade da terra e aderiu ao projeto Leite, por meio da Agricultura familiar. “Também receberemos incentivos à cafeicultura”, complementou o prefeito. Na área urbana, foi firmado um convênio com o Detran para sinalização horizontal e vertical das ruas, no valor de R$ 250 mil. Na Educação, há um projeto de reforma ampla do Colégio Rio Branco. Conforme o deputado, esses são os principais projetos em andamento, que somados chegam à R$ 7 milhões, isso sem contar com o que já foi entregue, como as viaturas policiais, ambulância, mobiliário para UBS, ônibus escolar adaptado para cadeirantes. “Ainda temos algumas ações que estão sendo avaliadas nas devidas secretarias. Estou lutando para conseguir a ponte de acesso ao Hospital Regional e a pavimentação da avenida Moyses Lupion, que também é caminho ao hospital. O prefeito ainda quer dar continuidade à dualização de algumas escolas para que não haja problemas de vagas aos alunos até que sejam construídas novas unidades”, disse. “Pedro Claro é um dos prefeitos mais presentes em Curitiba. Ele está sempre visitando as secretarias e apresentado solicitações aos secretários. Há muitos projetos, mas que ainda têm que enfrentar os trâmites legais, que são demorados porque passam por várias etapas de aprovação”, explicou.


ção hões

Cotidiano A-5

TRIBUNA DO VALE Terça-feira, 27 de agosto de 2013

Assessor de Gleisi não é encontrado é já é considerado foragido da Justiça ESTUPRO»Eduardo Gaieviski é investigado por estupro de vulnerável enquanto ainda era prefeito de Realeza Das Agências

O ex-prefeito de Realeza e assessor da Casa Civil, Eduardo André Gaievski, tomou conhecimento do mandado de prisão expedido contra si e pediu seu afastamento do ministério, mas não se apresentou à justiça nem foi localizado. Gaievski é oficilamente considerado foragido pela polícia. Na sexta-feira (23), a Justiça expediu um mandado de prisão preventiva contra o petista que é investigado por estupro de vulnerável enquanto ainda era prefeito. Gaieviski é o principal assessor político de Gleisi Hoffmann, encarregado de arregimentar prefeitos para a candidatura da ministra, que deve disputar o governo do estado pelo PT em 2014. Ele também foi prefeito de Realeza, no Oeste do Paraná,

entre 2005 e 2012. O político foi afastado de duas funções na Casa Civil na sexta-feira, 24. Gaievski responde por inquérito que tramita no fórum de Realeza. A investigação do Gaeco começou em 2009 e reuniu depoimentos de mais de 20 vítimas e segundo os relatos, o então prefeito oferecia dinheiro a meninas pobres em troca de sexo. A prisão de Gaievski foi pedida pelo Ministério Público e acatada pela Justiça devido às “ameaças do ex-prefeito às vítimas”, diz o advogado das famílias das menores molestadas, Natalício Farias. “E para que não haja mais interferência no curso do processo e das investigações”, completou. Segundo ele, são mais de 20 vítimas, 30 fatos consecutivos e 17 crimes praticados. A Justiça também determi-

Arquivo

Eduardo Gaievski é acusado de estuprar adolescentes em situação de risco

nou a quebra de sigilo dos telefones do ex-prefeito. “São crimes que podem dar

»ACIDENTE

mais de 250 anos de cadeia”, adianta Farias. O mandado de prisão não foi cumprido

porque Gaievski ainda não foi encontrado. Passadas 72 horas, ele será considerado

foragido. Ontem o Partido dos Trabalhadores (PT) do Paraná excluiu do seu quadro de filiados o político. A informação da exclusão do partido foi divulgada em nota pelo PT durante a manhã desta segunda. O partido relata que “a decisão ocorre para que sejam devidamente esclarecidas as circunstâncias e veracidade das acusações contra o ex-prefeito.” A determinação é de “suspensão imediata (...) dos quadros do partido”. Conforme o documento, a medida foi registrada no próprio estatuto do PT. Perseguição e armação O assessor nega todas as acusações. Segundo ele, as denúncias foram armadas por adversários políticos que teriam interess e em prejudicar a ministra Gleisi. “Nego tudo isso e sei que vou provar minha inocência”, disse ele á revista Veja. Gaievski alega que o processo é retaliação de integrantes do Ministério Público do Paraná que teriam sido denunciados por ele quando era prefeito de Realeza.

»SEGURANÇA

Vítimas de acidente com carro PM intensifica fiscalização de da Saúde seguem internadas trânsito em Wenceslau Braz Luiz Guilherme Bannwart

As duas vítimas que sobreviveram ao grave acidente envolvendo o carro da Secretaria de Saúde de Santo Antônio da Platina, na madrugada de sexta-feira (23), na PR-151, entre Castro e Piraí do Sul, nos Campos Gerais, permanecem internadas em hospitais de Castro e Santo Antônio da Platina. A aposentada Maria Ferreira da Silva, 63, deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Anna Fiorillo Menarim, em Castro, na tarde de ontem (26), mas permanece internada em um quarto da casa de saúde. De acordo com o filho da vítima, Valdir Ferreira, a aposentada fraturou três costelas e pas-

sou por uma cirurgia para a retirada do baço. Segundo o que os médicos informaram à família, a paciente não corre risco de morte, mas ainda não tem previsão de alta. A artesã Evanize Terezinha de Oliveira Zimmermann, 52, que estava no banco do passageiro ao lado do motorista, também foi encaminhada ao hospital Anna Fiorillo Menarim após o acidente. Ela foi medicada e recebeu alta ainda na noite de sábado, quando foi transferida de ambulância para o hospital Nossa Senhora da Saúde, em Santo Antônio da Platina. Na manhã de domingo Evanize passou por uma tomografia. O exame apontou fraturas nas costelas e lesão em uma das vértebras

(L4). A paciente aguarda condições de vôo para poder ser transportada de helicóptero até a Santa Casa de Misericórdia em Curitiba, onde passará por cirurgia. Os outros dois ocupantes do carro da Secretaria de Saúde que morreram no acidente, o motorista Milton José de Melo, 60, e a paciente Márcia Cristina da Silva, 40, foram sepultados na manhã de sábado em Santo Antônio da Platina. O motorista da Toyota Hilux, Junior César Souza, 36, que segundo a Polícia Rodoviária Estadual provocou o acidente ao dirigir embriagado o veículo pela contra-mão na PR-151, entre Castro e Piraí do Sul, continua preso na cadeia de Castro.

Luiz Guilherme Bannwart com Assessoria

A Polícia Militar intensificou a fiscalização de trânsito durante o final de semana em Wenceslau Braz. As blitzes ocorreram no sábado (24) e no domingo (25) e vários veículos foram notificados. Infrações como deixar de usar cinto de segurança e dirigir falando ao celular estão entre as mais cometidas. Além das notificações, vários veículos também foram apreendidos. No entanto, os números das apreensões e das notificações não foram divulgados pela comando do 2º Batalhão, com sede em Jacarezinho. De acordo com a PM, uma motocicleta Honda Titan 125 com chassi adulterado e com a placa de outro veículo foi apreendida depois que o condutor

tentou fugir ao notar a aproximação dos policiais. A motocicleta e o condutor – com passagens pela polícia - foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil local, onde foi autuado em flagrante. O nome do condutor também não foi divulgado. Uma Honda Bros conduzida por uma pessoa não habilitada e uma Honda CBX250, a qual o condutor fazia manobras e ultrapassagens de forma perigosa e possuía irregularidades também foram recolhidas. Um VW Voyage, de cor branca, que tentou fugir ao visualizar a viatura também

foi apreendido. O carro foi encontrado abandonado no centro da cidade. Outros veículos também foram apreendidos pela Polícia Militar por diversas infrações. “Serviços desta natureza estão sendo intensificados, a fim de assegurar aos pedestres e condutores mais segurança no trânsito, coibindo os abusos cometidos por condutores que insistem em desrespeitar a legislação, expondo a vida das pessoas”, disse o comandante da 2ª Companhia de Polícia Militar, com sede em Wenceslau Braz, capitão Donizeti Lemes da Silva.

»TRABALHO

Policiais Federais no Paraná param por 48 horas Da Redação com Assessoria

Os policiais federais que atuam no estado do Paraná, incluindo as delegacias do interior do Estado, irão paralisar suas atividades por 48 horas. A paralisação começou ontem e prossegue hoje. A categoria pede reestruturação da carreira com regras e atribuições claras, eficientes e que privilegiem o mérito dentro do órgão, além do fim do assédio moral na PF e uma gestão democrática e profissional da instituição. A paralisação no Paraná acompanha a ação nacional que começou na semana passada, coordenada pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), em busca da reestruturação da carreira policial federal. Entre outras reivindicações estão o reconhecimento das atribuições de nível superior, fim do assédio moral, igualdade de oportunidades dentro do órgão, leis que garantam a gestão meritocrática na PF, soluções que resolvam a degradação da

instituição e que evitem o êxodo de policiais para outras carreiras que apresentam melhores condições de trabalho e possibilidade de futuro profissional mais promissor que na PF. A sociedade brasileira clama por uma atuação contundente contra a corrupção e o crime organizado, o que contrasta com o sub aproveitamento dos policiais, a desmotivação dos policiais que atuam na linha de frente contra o crime (recentemente demonstrada em pesquisa interna), o assédio moral e a gestão ineficiente e amadora do órgão, além de privilégios arcaicos à classe dirigente. É inadmissível a situação em que a PF se encontra hoje à mercê de uma gestão sem compromisso com a Instituição e que tem levado o órgão a uma ineficiência generalizada, além da forma antidemocrática com que os Recursos Humanos da instituição (leia-se, seus policiais e servidores administrativos), são tratados.


TRIBUNA DO VALE

A-6 Variedades

Terça-feira, 27 de agosto de 2013

Com ameaça de boicote e protestos, novo Batman pode ser outro fiasco CINEMA »Ben Affleck é um ator que vai muito além do círculo de geeks que geralmente se preocupam com um filme com tanta antecedência UOL

Os fãs não gostaram nem um pouco da escolha do novo Batman. Além da ameaça de boicote ao filme, uma petição foi encaminhada ao estúdio exigindo a troca do ator. Nada como um pouco de drama para adicionar emoção à turbulenta produção neste fim dos anos 80, não? Peraí, anos 80? Pois é, se você acha que o bafafá em torno da escolha de Ben Affleck para viver o Cavaleiro das Trevas no cinema é novidade, é bom lembrar que Michael Keaton se viu no centro de uma polêmica até maior quando Tim Burton filmou Batman, lançado em 1989. Não que tenha feito diferença então: a aventura se tornou um fenômeno, liderando as bilheterias mundiais daquele ano e recomeçando a busca dos estúdios pelo próximo herói dos gibis que se tornaria sucesso nos cinemas. Quanto a Keaton, ele hoje é lembrado como um dos grandes intérpretes do Homem-Morcego. Não que Ben Affleck de cara seja o ator ideal para viver o Batman – e, honestamente, isso não existe. Mas para a série, para o estúdio e para o astro, Affleck foi uma escolha genial! Não lembro da última vez que um filme do gênero tenha polarizado os noticiários, e é provável que isso continue até o dia que Batman Vs. Superman (ou qualquer que seja o nome que o estúdio escolha) chegar aos cinemas. Para um ano que já caminha para entrar na história pela quantidade absurda de megaproduções agendadas, a aventura que continua o universo iniciado em O Homem de Aço ganha destaque imediato. E não apenas para os fãs. Ben Affle-

ck é um ator que vai muito além do círculo de geeks que geralmente se preocupam com um filme com tanta antecedência. É roteirista e diretor premiadíssimo, e certamente não vai ficar sentado esperando sua hora de entrar em cena: já pensaram o que um crédito “escrito por David Goyer e Ben Affleck” faria com o filme? A birra dos fãs com Ben Affleck certamente veio com Demolidor, adaptação do herói da Marvel para o cinema que sofreu interferência aguda do estúdio – a versão do diretor, hoje considerada a oficial, é infinitamente melhor que o filme lançado nos cinemas. Na época, Affleck estava firme no curso de se tornar “astro de cinema”, ao contrário de seu parceiro de Gênio Indomável, Matt Damon, este apostando no rótulo de “ator sério”. Ambos levaram um Oscar de melhor roteiro para casa com o drama que Gus Van Sant fez em 1997, mas Affleck optou por um caminho mais, digamos, estrelado. Depois de Armageddon, logo ele estava emendando filmão atrás de filmão, mais de olho em popularizar seu nome do que em desenvolver seu talento. E tome Forças da Natureza, Jogo Duro, Mais Que o Acaso, Pearl Harbor, A Soma de Todos os Medos, Demolidor, O Pagamento. Nem todos ruins, todos esquecíveis. Nesse período, Fora de Controle foi o único filme em que o ator se sobressaiu à celebridade. Contato de Risco e Menina dos Olhos, porém, foram a gota d’água, filmes de quinta que rendiam mais manchetes em tablóides (por conta do romance de Affleck com Jennifer Lopez) do que ajudavam sua reputação. Quando a péssima comédia Sobrevivendo ao Natal estreou em 2004, ninguém mais dava a mínima para Ben Affleck. Provavelmente nem o próprio Ben Affleck. Então, em 2005 ele casou com Jennifer Garner, sua Elektra em Demolidor. E começou a escolher papéis pequenos em filmes pequenos, reavaliando sua carreira como ator. No ano seguinte, a crítica voltou a prestar atenção quando Affleck interpretou George Reeves, o ator que teve uma carreira melancólica e um fim trágico depois de passar a vida estigmatizado como o Superman da série de TV dos anos 50. Hollywoodland –

O ator Ben Affleck terá 43 anos quando o filme for lançado

Bastidores da Fama teve uma boa repercussão, e o ator já se sentia mais à vontade como parte de um elenco, e não como o centro das atenções. 2007 marcou a segunda virada quando ele estreou como diretor no drama Medo da Verdade. Seu relacionamento com a Warner, porém, começou em 2010, quando ele dirigiu e protagonizou Atração Perigosa, um filmaço sobre um ladrão tentando recomeçar a vida, obrigado a fazer um último trabalho. O filme custou cerca de 40 milhões de dólares e rendeu mais que o triplo, além de centenas de prêmios e uma indicação ao Oscar para Jeremy Renner. Dois anos depois, Affleck mais uma vez trabalhou dobrado (na frente e atrás das câmeras) com o eletrizante Argo, também para a Warner. 240 milhões de dólares em caixa e um Oscar de melhor filme nas mãos foi o suficiente para provar que Ben Affleck deixara a fase ruim, definitivamente, para trás. Sua escolha para interpretar Bruce Wayne, então, pode até ser uma surpresa, mas não é nem um pouco inesperada. Não foi uma negociação inconsequente e nem uma decisão leviana. Batman é o produto mais lucrativo da Warner, Ben Affleck, atualmente é seu astro mais confiável. Com ele à bordo de Batman Vs. Superman, o estúdio adiciona peso ao filme (além de toda publicidade grátis), colocando no jogo um ator/ diretor com respeito global do público e também dos

críticos. Henry Cavill, o Superman, é um astros em ascenção, mas a continuação de O Homem de Aço perdeu Russell Crowe e Kevin Costner, gente que lhe dava mais credibilidade, porque seus personagens (e aqui vai um spoiler bem gordo para quem não viu o filme) estão mortos. O ator mais velho a assumir o manto do morcego, Affleck terá 43 anos quando o filme for lançado – o que é totalmente coerente com o plot do filme, que assume o Batman como um combatente do crime já calejado, uma lenda urbana em Gotham City, que vai reagir ao surgimento de um superhumano na Terra. As negociações com Ben Affleck, segundo apuração do Hollywood Reporter, começaram ainda no primeiro semestre deste ano, quando Zack Snyder terminou seu trabalho em O Homem de Aço. Embora outros atores tenham sido considerados pelo estúdio, como Josh Brolin e Ryan Gosling, foi com Affleck que o diretor – e o produtor Christopher Nolan – traçaram um plano para a trama e o personagem. Apesar disso, a boataria dava certo que o estúdio estava disposto a colocar mais de 50 milhões de dólares nas mãos de Christian Bale para ele reprisar o papel. Pode até fazer sentido do ponto de vista comercial (a trilogia O Cavaleiro das Trevas rendeu cerca de 2.5 bilhões de dólares), mas seria um desastre narrativo. O último filme da série, Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge, colocou

uma pedra nesta visão particular do personagem quando (e aqui seguem spoilers para quem não viu o filme) ele foi dado como morto e se mandou para a Europa com Selina Kyle, a Mulher-Gato (Anne Hathaway). A sugestão de que o policial interpretado por Joseph Gordon-Levitt herdaria o manto do morcego só serviu para mostrar que o Batman é eterno, um símbolo, como o próprio Nolan textualizou em Batman Begins, de 2005. Mas isso só funciona nessa tese em particular: o Batman é Bruce Wayne, ponto final. E Bruce Wayne é a força motriz da graphic novel Batman – O Cavaleiro das Trevas, que Frank Miller criou em 1986 e que Zack Snyder revelou como maior inspiração para seu filme. Ben Affleck certamente não precisava voltar ao jogo dos blockbusters. Tendo passado por ele antes, e conseguido se reinventar em uma indústria voraz, ele poderia seguir sua carreira como um dos únicos sujeitos a conseguir fazer dramas para adultos em uma época em que todo filme parece mirar no entretenimento de consumo rápido. Mas ao dizer sim à Warner, ele praticamente comprou sua liberdade artística para toda a vida, podendo tocar o projeto que bem entender, encaixando mais uma aventura do Cavaleiro das Trevas entre eles (é provável que seu acordo preveja mais de um filme). Assim ganha o estúdio, que garante um talento verda-

deiro sob suas asas pelo futuro (Clint Eastwood não é eterno, sabe…), e ganha o ator/diretor, que pode fazer entretenimento global – como fã de quadrinhos, certamente interpretar um Batman diferente de todos os outros teve peso em sua decisão – e manter sua integridade artística. Tudo bem que Affleck teve de deixar a direção de A Dança da Morte, adaptação do romance de Stephen King, agora sob o comando de Scott Cooper (Coração Louco). Ele ainda será ator sob a batuta de David Fincher em Gone Girl, e dirige a adaptação de Live by Night, de Dannis Lehane, antes de encarar o mundo cinematográfico da DC. Ainda assim, os fãs chiaram. Fizeram petições. Mandaram um pedido ao presidente Barak Obama! É surpreendente como um grupo pequeno consegue fazer tanto barulho – à toa, claro. E a reclamação não faz o menor sentido. Vejamos. Fisicamente, por exemplo, Val Kilmer e George Clooney eram perfeitos para o papel do herói, e a gente sabe como Batman Eternamente e Batman & Robin terminaram. O chororô foi o mesmo quando Jon Favreau foi escolhido para dirigir Homem de Ferro (era um “diretor de comédias”, afinal), e mais ainda quando ele apontou Robert Downey Jr. como Tony Stark (“Ele está acabado”, muitos gritaram). Sem falar na chuva de impropérios que seguiu Heath Ledger ao ser escolhido para viver o Coringa em Batman – O Cavaleiro das Trevas – e Ledger terminou criando o que é a visão definitiva do personagem. Todo mundo tem sua opinião, mas é bizarro ver tanto ódio em cima de um ator que já provou a que veio, para um filme que ninguém faz ideia como será, qual a trama, o tom, o texto. Julgar Ben Affleck como Batman é algo que só pode ser feito depois de 17 de julho de 2015. Antes disso, ficamos com um universo de especulações e de muita má vontade. Pelos elementos envolvidos, eu fico com o lado que enxerga o copo meio cheio. E será no mínimo fascinante ver como a Warner, a DC, David Goyer, Zack Snyder, Christopher Nolan e Ben Affleck reinventarão, mais uma vez, o Cavaleiro das Trevas no cinema.

Servi entra em s

IMPASSE Categoria espera por elaboração d Plano de Carg e Salários, ma prefeitura não informa prazo para a apresentação da proposta

Maurício

ECONOMIA

Ministr do preç

Agênci

»NOVELA

Amor à Vida : Alejandra inocenta Paloma e morre após ingerir droga TERRA

S egundo informações d a c o l u n a T V e L a z e r, Alejandra (Maria Maya) morrerá nos próximos capítulos de Amor à Vida, apór engolir saquinhos de drogas e um deles estourar em seu estômago. Antes disso, porém, a boliviana, hospitalizada no San Magno, decide gravar um vídeo isentando Paloma (Paolla Oliveira) da acusação de tráfico e assumindo a autoria do crime. Internada, com más-

c ar a d e ox i gê n i o e fortes contrações, Alejandra i n i c i a s e u d e p oi m e nt o : “eu era muito amiga da Pa l o m a K h o u r y. M a s a gente teve uma briga feia, numa viagem recente para o Peru. Para me vingar, eu botei um pacote com drogas na bolsa dela”, conta a vilã, sendo assistida atentamente por Paloma, Bruno (Malvino Salvador) e César (Antonio Fagundes). “Fiz isso porque t i n h a r a i v a d a Pa l om a . Tinha raiva dela porque o Ninho (Juliano Cazarré),

Alejandra diz que queria se vingar de Paloma porque a odiava

o h o m e m q u e e u a m o, sempre amou a Paloma”, continua a traficante, confessando também que ela fez a denúncia contra a médica. Ao ser questionada, Alejandra admite que foi induzida a agir contra Paloma, mas, mesmo pressionada, não revela a participação de Félix (Mateus Solano) na jogada. “ No t r á f i c o, a g e n t e aprende a ficar de boca fechada. Até um dia. Quem sabe onde, Paloma? Quem sabe o que espera a gente além das estrelas?

TRIBUNAL

Certidão

Da Ass


valho

mocracia cratiza

aria-Geral da Presidência

ará ¦ Carlópolis ¦ Conselheiro Mairink ¦ riaíva ¦ Japira ¦ Joaquim Távora ¦ Jundiaí ¦ Salto do Itararé ¦Santana do Itararé ¦ a Campos ¦Tomazina ¦ Wenceslau Bráz

tigos assinados não representam ecessariamente a opinião do endo de exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.

Esporte A-7

TRIBUNA DO VALE Terça-feira, 20 de agosto de 2013

Palmeiras inicia contagem por centenário e volta à Arena INAUGURAÇÃO »Diretoria pretende convidar time europeu de grande porte para inaugurar nova casa

Gazeta Esportiva

Faltam 365 dias para o 100º aniversário da Sociedade Esportiva Palmeiras. Com o time relegado à Série B do Campeonato Brasileiro, a data cabalística ficou em segundo plano, mas deve ganhar força a partir desta segunda-feira, quando o clube inicia a contagem regressiva para o centenário ao completar 99 anos. Enquanto enfrentam rivais como Boa Esporte e Icasa, os torcedores, ansiosos, sonham não apenas com o retorno à elite do futebol nacional, mas também com a reabertura do Palestra Itália. O Palmeiras está afastado de sua casa desde 9 de julho de 2010, quando disputou amistoso com o Boca Juniors. A simples possibilidade de inaugurar a remodelada arena durante a Série B do Campeonato Brasileiro preocupou o clube, interessado em receber um time europeu de grande porte para o primeiro jogo e abrigar a seleção

Divulgação

italiana em 2014. Oficialmente rebatizado de Allianz Parque, o estádio de 45 mil lugares, orçado em aproximadamente de R$ 500 milhões, será finalizado pela WTorre no primeiro trimestre de 2014. Dias antes do aniversário de 99 anos do Palmeiras, a Gazeta Esportiva visitou as obras do antigo Palestra Itália. De acordo com a construtora, o empreendimento está 67% concluído, mas alguns pedaços da estrutura original ainda são visíveis, como os tijolos que sustentavam o antigo Jardim, hoje ocupado pelo maquinário pesado, e parte da arquibancada vizinha à Avenida Francisco Matarazzo. Jota Christianini, diretor do departamento de Acervo Histórico e Memória do clube, ficou emocionado ao ver o local ao lado da reportagem. “Embora esteja acompanhando a construção por fotos constantemente, não esperava encontrá-la nesse estágio. É a primeira vez que tenho a noção de como vamos assistir futebol daqui para frente”, disse Christianini, comodamente instalado no camarote decorado pela construtora – os braços das poltronas, de cor preta, devem ser trocados. “Senti a mesma emoção da primeira vez que entrei aqui, há muitos anos, ainda com o campo baixo, e de quando estive na inauguração do Jardim Suspenso”, completou o diretor. Acostumado a mandar

N OTAS

Atrasados Atrasado Após passar no teste da Fifa com os seis estádios da Copa das Confederações, o Brasil têm se apressado para entregar a tempo os outros seis palcos que sediarão a Copa do Mundo, a partir de junho do ano que vem. As cidades de Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), São Paulo (SP), Cuiabá (MT), Natal (RN) e Manaus (AM) devem apresentar os suas arenas prontas à entidade que regula o futebol mundial até dezembro. Dentre os casos que mais preocupam o COL (Comitê Organizador Local) estão os estádios da Arena da Baixada e Arena Amazônia.

Empreendimento está 67% concluído

jogos em casa própria – o Palestra Itália comprou o Parque Antárctica em 1920 -, o Palmeiras realizou a maioria de suas partidas durante os últimos três anos no Pacaembu. O campo municipal costuma ser associado ao Corinthians, mas testemunhou muitos títulos alviverdes, entre eles o paulista de 1942, conquistado sobre o São Paulo na chamada “Arrancada Heróica”. Ainda assim, o ar de provisório do estádio é inevitável para os torcedores – os fundamentalistas sentem falta de estacionar no mesmo local e de apertar asmesmas mãos no caminho para o mesmo lugar da arquibancada.

“O Pacaembu é nosso recreio. Ninguém foi campeão tantas vezes naquele estádio como a gente. Vencemos como Palestra e como Palmeiras. Mas aqui é nossa casa, feita com nosso dinheiro, nosso suor. Nunca precisamos de ninguém para comprar ou aumentar. Esse será praticamente o terceiro ou quarto estádio que estamos fazendo no mesmo lugar. O sentimento de casa, ninguém tira. Você viaja o mundo inteiro, mas sempre tem o desejo de voltar para sua própria casa. A saudade só aumenta e não vejo e hora de retornar”, disse Christianini.

»F1

O Palestra Itália mandou seus primeiros jogos no Parque Antárctica em 1917, ainda na condição de locatário. Três anos depois, com apoio da família Matarazzo, comprou o campo de futebol e grande parte do terreno da cervejaria por 500 contos de réis, uma fortuna à época. No começo, as arquibancadas eram de madeira. Em 1933, o clube inaugurou o “Stadium Palestra Itália”, com assentos de concreto. Em 1939, instalou a iluminação. No final da década de 1950, já como Palmeiras, a agremiação iniciou uma profunda reforma e, em 1964, terminou o Jardim Suspenso, com os vestiários no subsolo.

»CARREIRA

Horner nega que Red Bull já tenha contratado Ricciardo Meia Deco tiu que ainda não há acordo mas nada está assinado ainda. disse: “A decisão já foi tomada, anuncia firmado com nenhum piloto. A situação é mesma que disse todos nós sabemos quem é que Os boatos sobre o compaWebber se aposentará da antes da corrida, temos tempo eu estou feliz com isso. É bom aposentadoria nheiro do alemão Sebastian Fórmula 1 ao fim da tempora- pra pensar quem colocaremos para ele e para a Austrália”. Gazeta Esportiva

Vettel no próximo Mundial de Fórmula 1 continuam. Depois de o australiano Mark Webber indicar que seu substituto na equipe Red Bull em 2014 será seu compatriota Daniel Ricciardo, atualmente correndo pela Toro Rosso, o chefe do time, Christian Horner, garan-

da 2013, deixando um cobiçado espaço vago na equipe Red Bull. Ricciardo, integrante do programa de jovens talentos da escuderia, e o finlandês Kimi Raikkonen, campeão do Mundial de 2007, são os mais cotados para integrar o time. “Há muita especulação,

no outro carro e com certeza não haverá anúncios antes da corrida em Monza [8 de setembro]”, afirmou Horner. A declaração do chefe da Red Bull veio pouco depois de Mark Webber indicar que seu substituto será Daniel Ricciardo. Ao Channel 10, o veterano

Horner, no entanto, acredita que as palavras de Webber podem ter sido tiradas de contexto e afirmou que o veterano não está ciente de todas as negociações entre pilotos e equipes. “Mas quando houver algo, nós com certeza anunciaremos”, garantiu.

Gazeta Esportiva

O meia Deco, do Fluminense, anunciou na manhã desta segunda-feira o fim de sua carreira como atleta profissional. Os motivos foram os problemas físicos pelos quais ele passou recentemente. Nesta terça-feira, ele completará 36 anos. O anúncio foi feito por meio da assessoria de imprensa do atleta. Só nesta temporada, o meio-campista sofreu quatro lesões. No jogo da última quarta-feira, contra o Goiás, Deco sofreu um estiramento na coxa esquerda e teve que ser substituído por Felipe. Natural de São Bernardo do Campo (SP), Deco começou a carreira no Corinthians, mas foi se firmar apenas quando atuou pelo Porto, no começo da última década. Com a equipe portuguesa, ele foi comandado por José Mourinho e conquistou diversos títulos, entre eles a Liga dos Campeões da Europa de 2003/04. As boas atuações na Europa fizeram com que ele se naturalizasse português, disputando pela equipe as Copas do Mundo de 2006 e de 2010, conquistando também o vice-campeonato da Eurocopa de 2004. O meio-campista ainda passou por Barcelona, onde voltou a vencer a Liga dos Campões (2005/06), e Chelsea. Em 2010, retornou ao Brasil para atuar pelo Fluminense. Mesmo convivendo com diversas lesões nesse período, Deco foi um dos protagonistas da conquista de dois Campeonato Brasileiros. Ao todo, foram 686 jogos disputados, 116 gols marcados e 23 títulos conquistados em 17 anos de carreira.

Lá atrás O estádio do Atlético-PR é o mais atrasado até agora. Com 72% das obras concluídas, a Arena da Baixada vem sofrendo com desentendimentos entre a direção do Furacão e o BNDES. Segundo a CAP S/A, sociedade que gerencia as obras, os atrasos se devem a não liberação da última parcela de financiamento do BNDES, que foi suspensa pelo Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR) por apresentar valores diferentes. As entidades precisam entrar logo em um acordo, para que a sede paranaense do Mundial seja entregue dentro do prazo. No limite Em Manaus (AM), os atrasos foram justificados pelo fracasso nas obras de mobilidade urbana na capital amazonense. As mudanças de planos acabaram afetando as obras no local, projetado por uma empresa alemã para ser um dos estádios mais belos da história das Copas. A Arena Amazônia está com 76% das obras concluídas e terá de acelerar muito os trabalhos para não estourar o limite imposto pelo FIFA. Elefante branco Outra obra que preocupa é a Arena Pantanal, em Cuiabá. Grande candidato ao posto de “elefante branco”, pelo baixo apelo do futebol local e pela falta de tradição na realização de grandes eventos, o estádio teve de pisar fundo no acelerador nos últimos meses, para compensar o atraso que ameaçava a inclusão do Mato Grosso entre as cidades-sede. Sem problemas A Arena Corinthians e o Beira-Rio seguem com suas obras a todo vapor e não devem ter problemas. O estádio do Corinthians, que irá receber a abertura da competição e uma das semifinais, está com 82% das obras concluídas. A direção do Timão pensa até em mandar jogos no local a partir de fevereiro. Quase pronto Por fim, a Arena das Dunas, em Natal, chegou a 83% das obras concluídas após um reforço considerável no número de trabalhadores. Cerca de 1,8 mil operários estão trabalhando na obra, em três turnos, e atualmente se dedicam a finalizar a cobertura do estádio. O gramado já foi plantado e deve estar pronto em 90 dias. Prontos As outras seis sedes da Copa de 2014 já receberam os jogos da Copa das Confederações: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), Mineirão, em Belo Horizonte (MG), Estádio Nacional, em Brasília (DF), Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), Arena Pernambuco, em Recife (PE) e Arena Castelão, em Fortaleza (CE).


A-8 Cidades

TRIBUNA DO VALE Terça-feira, 27 de agosto de 2013

Audiência pública reúne mais de 400 jovens da região em Japira JUVENTUDE »Principal preocupação dos jovens que participaram da audiência está nas áreas de educação e segurança

Da Agência Estadual

A Assessoria Especial de Juventude do Governo do Estado (AEJ) em parceria com a prefeitura de Japira reuniu, sábado (24), mais de 450 jovens do Norte Pioneiro, com representantes de 18 municí-

pios, para terceira audiência pública estadual da juventude. Os jovens têm a oportunidade de participar e reivindicar direitos na elaboração e discussão de políticas públicas a fim de contribuir para a construção de consciência e a prática cívica. O assessor especial de Juventude, Edson Lau Filho, explicou a importância desse canal aberto pelo Governo do Estado aos jovens, incentivando o protagonismo juvenil. A principal preocupação dos convidados dessa audiência está nas áreas de educação e segurança. O prefeito de Japira, Rony Santos, falou sobre a importância da parceria entre Estado e municípios para tratar de temas importantes, como a juventude. Também esteve presente o prefeito de Ibaiti, Roberto Regazzo, represen-

Cerca de 400 pessoas, a maioria jovens, participaram da 3ª Audiência Pública Estadual da Juventude

Audiência discutiu políticas públicas de apoio a juventude

»RIB. CLARO

»MEMÓRIA

tando a Associação dos Municípios do Norte Pioneiro (Amunorpi). A Assessoria Especial da

Apaixonados pela Leitura quer formar novos leitores

Divulgação

Das Agências

sobre a realidade que vemos na escola, nas ruas e nas instituições”, disse o rapaz. Para Gabriela Araujo Martins, de Figueira, a audiência pública “traz a oportunidade de nós estudantes participarmos da sociedade, mostrando nossa opinião”. O jovem Bilquem Diogo, de Curiuva, acredita que a audiência foi bem conclusiva. “Como presidente do grêmio estudantil, vou levar as informações aqui debatidas para escola. Tenho certeza que vai nos ajudar a falar sobre o projeto de prevenção as drogas”. Durante a audiência os jovens assistiram a apresentações artísticas dos grupos de Street Dance, Grupo de Capoeira e a peça Lendas do

Colégio Estadual Joaquim Pedro de Oliveira do município de Japira; Banda Musical Municipal de Wenceslau Braz; Banda do Colégio Estadual Carolina Lupion de Carlópolis e a Banda News. Também participaram da audiência vereadores e representantes de secretarias estaduais e municipais do Norte Pioneiro. A AEJ vai promover outras audiências públicas este ano. A próxima será em Irati em 12 de setembro. Os jovens têm vários canais de comunicação diretos com a AEJ para tirar dúvidas e dar sugestões como o Território da Juventude (www. juventude.pr.gov.br) e nas redes sociais através do Facebook (facebook.com/aejpr) e do twitter (twitter.com/aejpr).

Diocese inaugura primeiro museu de Jacarezinho

Jivago França

Da Redação com assessoria

Representante da Laticínios Carolina (c) fez a entrega dos livros

sores, como a base essencial para a construção de seres humanos empreendedores que sejam capazes de transformar a sociedade. “E por esse motivo investem tanto nas ações educacionais do município,só temos que agradecer”, declarou. Para a chefe do Departamento de Educação, Tatiana Paschoal Chagas, os resultados dos projetos de leitura das escolas foram positivos e lembrou que no final do segundo semestre a premiação acontecerá novamente.“É possível perceber que mudanças estão acontecendo, surgindo nas

JAPIRA

Audiência pública reún mais de 400 jovens

Juventude (AEJ), criada em fevereiro de 2013 para trabalhar com jovens de 15 a 29 anos, tem o objetivo de elaborar e propor a Política Estadual da Juventude, articulada com outras secretarias e órgãos do Estado. “Trabalhamos para levar aos jovens a proposta do governador Beto Richa de atender todos os municípios do Paraná. Quando investimos em municípios pequenos, também reduzimos a pressão sobre os maiores” , afirmou Edson Lau Filho. Wellington Brandão, de Carlópolis, avaliou que a audiência abriu portas para que os jovens falem o que realmente sentem a respeito da escola, país e principalmente sobre o Paraná. “As pessoas falam

O projeto “Apaixonados pela Leitura”, desenvolvido pela Secretaria de Educação da prefeitura de Ribeirão Claro, em parceria com a empresa Laticínios Carolina quer formar novos leitores entre os alunos e a comunidade escolar. A ação faz parte do convênio estabelecido entre as duas entidades para o fortalecimento da educação no município. Durante o primeiro semestre do ano letivo todas as escolas desenvolveram projetos de leitura para valorizar o leitor e estimular alunos, professores, funcionários e familiares a adquirirem o hábito considerado fundamental pelos educadores. Paralelamente a esses projetos, cada professora escolheu um aluno por turma que mais se destacou na leitura pela fluência, retirada de livros da biblioteca da escola, utilização de materiais de leitura e participação ativa nos projetos. Como prêmio, os alunos receberam livros escolhidos pela equipe da Secretaria de Educação, com conteúdos adequados à faixa etária dos ganhadores.Os livros foram comprados e doados pela empresa Laticínios Carolina, que não tem medido esforços para apoiar os projetos da Secretaria de Educação. Segundo a secretária de Educação, Cleuza Molini Ormeneze, a empresa Laticínios Carolina vê a educação da mesma forma que nós profes-

AEN

escolas e ganhando espaço nas famílias”, avaliou. “Foi muito bom poder contar com o apoio da empresa Laticínios Carolina numa premiação tão especial, premiar práticas de leituras com livros foi uma ótima iniciativa”, disse. A coordenadora da Educação Infantil do município, Marina Golinelli Vian Pioli, ressaltou que as prática de leitura na educação infantil estão sendo incansáveis e que o objetivo é despertar desde muito cedo o hábito da leitura, especialmente com a participação da família.

O bispo diocesano de Jacarezinho dom Antônio Braz inaugurou no sábado o Museu Dom Ernesto de Paula, o primeiro espaço do gênerona cidade. A solenidade de abertura do museu foi prestigiada pelo prefeito da cidade Sérgio Eduardo de Faria, o Doutor Sérgio, assim como o reitor da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Eduardo Rando. O Museu da Diocese está instalada na antiga residência do bispo dom Ernesto de Paula, que comandou a Igreja em Jacarezinho entre 1942 a 1945. “É apenas o início, onde as pessoas poderão conhecer a história de nossa cidade”, disse dom Antônio Braz. O religioso ainda ressaltou que o museu inicialmente é um resgate não só da história da diocese, mas também de Jacarezinho e que o espaço está

Dom Antônio Braz mostra ao prefeito Dr. Sérgio objetos do Museu

aberto para contribuição da comunidade para enriquecer o museu. O local terá como primeiro responsável o seminarista Jéferson da Luz, aluno do primeiro ano de Teologia da Diocese de Jacarezinho. Para o prefeito de Jacarezinho é de extrema importância um espaço como este. “Iremos entrar em contato

Visão óptica e relojoaria. a. As melhores marcas, atendimento de qualidade e profissionais de primeira!

(43) 3534-6233 Santo Antônio da Platina-PR -PR

com todas as secretarias e colocar à disposição o que tivermos de objetos históricos para enriquecer ainda mais o acervo deste belo local”, enfatiza Dr. Sérgio. Além disso, ele já solicitou à Secretária de Educação, Magda Cristina de Souza que agende com as escolas municipais uma visita ao novo local histórico da cidade.

PÁG. A8

MEMÓRIA

Diocese inaugu primeiro muse de Jacarezinho PÁG. A8

TRABALHO

Policiais Federa no Paraná para por 48 horas PÁG. A5

SANTO ANTÔ

Servido podem greve e

TRAGÉDIA

Vítimas com car continu


Pdf2461