Jornal Terceira Via 269

Page 1

CAMPOS DOS GOYTACAZES, RIO DE JANEIRO • 09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Nas bancas por R$ 1,50

NÚMERO 269 Foto: Silvana Rust

Wladimir anuncia novos projetos Caminho de e analisa os que não avançaram Santo Amaro Prefeito de Campos fala sobre falhas no transporte público, obras Fé e devoção em quase 40 km de caminhada

No dia 15 de janeiro acontece a 289ª edição da Festa mais tradicional da Baixada Campista, com missas e cavalhada CAPA

paradas e previstas para 2022, Educação Conectada, Mercado Municipal, Cartão Goitacá, Restaurante Popular em Guarus e um PÁGINA 03 novo parque ecológico urbano na cidade ENTREVISTA

ALOYSIO BALBI

Nova usina da Coagro na Baixada Secretário Municipal de Serviços Públicos Campista tem investimento de Frederico Rangel R$ 40 milhões Eleito vereador pelo Partido Social PÁGINA 04

GUILHERME BELIDO ESCREVE

Cancelar carnaval de rua e manter shows é medida inócua e de risco para a população

PÁGINA 05

Democrático (PSD) na última eleição, em Campos, Frederico ocupa hoje o cargo de secretário municipal de Serviços Públicos, que abrange outras quatro subsecretarias: a de Iluminação Pública, a de Posturas, a de Meio Ambiente e a de Limpeza, Parques e Jardins. PÁGINA 09

Edvar Jr. assume a presidência da Câmara de Dirigentes Lojistas Empresário tem como meta a união e fortalecimento do comércio Campista Com a posse oficializada nesta segunda-feira (10), o novo presidente da instituição tem como objetivo de seu mandato lutar em defesa do comércio, promovendo crescimento e qualificação para o setor. O empresário substitui José Francisco Rodrigues, que ficou dois anos no cargo e aposta no sucesso de Edvar Chagas. O pai de Edvar Jr., Edvar de Chagas Freitas, foi presidente da CDL por quatro vezes e foi o responsável pelo envolvimento do filho no setor do PÁGINA 08 comércio. SILVIA BRAZ NA COLUNA DE

PRISCYLA BEZERRA PÁGINA 03

Os famosinhos e estrelinhas mais fofas do pedaço TABLOIDE

O peso das contas de 2022 Janeiro Branco alerta para a já atinge o bolso das famílias importância da saúde mental Economista dá orientações para organizar as finanças e não ter dor de cabeça com impostos e despesas escolares PÁGINA 07

Desde o início da pandemia, grande parte da população vem sofrendo várias questões que podem causar depressão. PÁGINA 11



PÁGINA

03

Especial

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Foto: Silvana Rust

Clícia Cruz Problemas com transporte público, servidores com salários atrasados, hospitais à beira do colapso, ruas e estradas rurais esburacadas, Educação sem nota no IDEB e previsão de arrecadação abaixo do suficiente para 2020. Isso sem falar na pandemia de Covid-19. O cenário não era nada animador quando Wladimir Garotinho (PSD) assumiu a Prefeitura de Campos. Passado o primeiro ano de governo, o prefeito faz um balanço dos 365 dias iniciais do seu mandato, analisa os pontos fortes, cita dificuldades e faz uma previsão otimista para o futuro próximo. Vamos começar falando da área que mais tem gerado reclamações nas últimas semanas, o transporte. Qual é o planejamento para melhoria no serviço de transporte público? O transporte público no Brasil faliu. Quando eu era deputado, nós aprovamos na Câmara um socorro emergencial de R$ 4 ou 5 bilhões para o transporte no Brasil, mas Bolsonaro vetou. Os custos também aumentaram muito. Subiu 70% o preço do óleo diesel esse ano. As despesas são todas dolarizadas, pneus, peças. É uma conta difícil de fechar e Campos tem um agravante, que é a extensão territorial. Não tem solução fácil. Nós estamos cumprindo uma decisão judicial que manda retirar vans de circulação, mas as empresas de ônibus precisam cobrir as linhas e algumas empresas não estão cumprindo, principalmente a Rogil. A Câmara Municipal tomou uma decisão inédita, convocando as empresas de ônibus a prestar contas da qualidade dos serviços nos últimos cinco anos. Se não prestarem contas, ou se a prestação não for satisfatória, a Câmara me recomenda a cassação da concessão deles e aí eu tenho que fazer um novo processo de concessão, o que talvez seja o ideal. Duas obras pedidas pela população são a abertura de uma rua atrás do Shopping Boulevard, e a duplicação do trecho final da Avenida Presidente Kennedy. O senhor chegou a falar publicamente sobre elas, mas ainda não estão concluídas. Tem algum planejamento para essas obras? A Presidente Kennedy é parte da BR-356. Já pedi ao DNIT que faça a duplicação do trecho final da rodovia. É uma obra que eu não posso fazer, por ser uma BR, mas já fiz a solicitação. O acesso atrás do Shopping já foi feito. Já abri uma rua ali atrás, só falta asfaltar. Mas o caminho existe e já está sendo utilizado. Com relação às parcerias com o Governo do Estado e com o Governo Federal, esta segunda por meio de deputados. Como seria, hoje, governar sem essas parcerias? Impossível! Por exemplo: existia uma determinação do Tribunal de Contas que impedia o pagamento de salários de servidor com recursos dos royalties. Isso já a partir de janeiro de 2021. Se não entro em um acordo com o Tribunal, de fazer isso escalonado, não pagaria a folha, porque hoje a receita própria do Município não cobre. Só consegui pagar aos servidores durante os oito meses anteriores ao acordo porque o governador me aju-

Wladimir entre prós e contras

Prefeito pôs obras emperradas para andar, mas transporte público ainda é motivo de reclamação para a maioria dos campistas dou. Hoje, que eu fiz acordo, estou em paz. Não vou ter problema durante os quatro anos. Outra parceria importante foi a reabertura das vilas olímpicas. Elas estão funcionando sem R$ 1 do governo municipal, só com recursos federais. Nossa articulação com ministros que conheci enquanto estava em Brasília, e a articulação de vários deputados, mas principalmente, da minha irmã, Clarissa, que vem lutando por nós em Brasília, vão garantir, por exemplo, R$ 10 milhões para reforma do Hospital Ferreira Machado. Vamos ter um pronto socorro novo e moderno. Outra novidade é a abertura, ainda este ano, de um condomínio industrial próximo à localidade de Travessão. O Estado havia solicitado uma área que possa abrigar empresas que vêm para a cidade por causa da proximidade com o Porto do Açu. Aí, primeiro procuramos uma área na Baixada Campista, mas lá precisaria desapropriar e no momento a Prefeitura não tem condições para isso. Então, encontramos uma área apropriada próximo à BR-101, perto de Travessão. O programa de transferência de renda Cartão Goitacá foi aprovado pela Câmara. Como ele vai funcionar? O cadastramento já começou, está sendo feito exclusivamente por assistentes sociais concursados e o primeiro pagamento já deve acontecer no final de janeiro. O trabalho está ocorrendo de forma tranquila, porque todos os usuários que têm direito ao programa são inscritos no CAD Único do Governo Federal. Quando a gente inclui R$ 200 na renda familiar, automaticamente a gente tira a pessoa da linha da extrema pobreza e hoje Campos tem 25 mil famílias vivendo na extrema pobreza. A gente vai começar com cinco mil famílias, mas a intenção é aumentar ao longo dos anos. Outra boa notícia é a abertura do Restaurante do Povo, em Guarus, a Prefeitura já disponibilizou o galpão, vai arcar com

Restauração | Prefeito quer deixar Mercado Municipal como legado

Transporte público | Constantes problemas e queixas

HGG | Com apoio de Cláudio Castro, obras foram retomadas

os prestadores de serviço e o Estado entra com a alimentação. Vão ser oferecidas 1,5 mil refeições por dia. Mais um programa social que terá início em janeiro é o Mãe Coruja, que vai atender gestantes em situação de vulnerabilidade social com enxoval de bebê, mochila térmica e banheira. O primeiro grupo, com mais de 200 mães, já vai receber os kits no fim do mês. E a Educação? Após praticamente dois anos sem aulas presenciais, os pais de alunos da rede municipal podem ficar tranquilos com relação à qualidade do ensino? Não podemos esquecer que Campos nem nota no IDEB tem, o que foi um fator que dificultou para que nós pudéssemos nortear o trabalho, porque, sem conhecer suas deficiências é mais complicado evoluir. Mas nós escolhemos um secretário que é uma pessoa extremamente competente. Marcelo Feres é professor do IFF, já foi secretário nacional de Educação, foi o responsável por implantar o Pronatec no Brasil inteiro. O projeto educacional que ele já começou a desenvolver vai dar bons frutos. Nós teremos aulas 100% presenciais a partir de fevereiro. Nós já começamos a manutenção das 240 escolas, porque, sem isso, é impossível. E nós vamos equipar toda a rede. A inovação é o sistema de Educação Conectada. Estamos contratando laboratório de robótica, comprando Chromebook para todos os profissionais da

Educação, porque a Educação está cada vez mais conectada. Esse projeto vai ser apresentado ainda no início do ano. As obras do programa Bairro Legal enfrentaram dificuldades no Tribunal de Contas. Como está o andamento desse processo? Das cinco obras cujos termos de compromisso com o Estado já assinei, uma está em licitação, que é o Parque Saraiva. Três licitações o Tribunal de Contas impugnou e pediu explicações. A gente já respondeu e estamos aguardando agora o Tribunal dizer pra gente qual vai ser a data da licitação. A quinta obra é a da Vila dos Pescadores, no Farol. A licitação será em agora em janeiro. Essas são as primeiras cinco acordadas, mas tem outras que eu já encaminhei. No total, a Prefeitura de Campos encaminhou R$ 700 milhões em obras para o Estado. Isso sem falar em obras que o próprio Estado vai fazer, como o acesso ao Porto do Açu. O município é carente em áreas verdes e parques públicos.

O senhor tem algum projeto nessa área? Sim, nós temos o projeto de um parque ecológico urbano, desenvolvido pelo IseCensa, que vai ficar em uma área na Arthur Bernardes, desapropriada ainda por Arnaldo Vianna, em um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) que previa a obrigatoriedade de criação de um parque ali, já que uma grande área estava sendo desmatada. O parque tem que ter 100 mil metros de mata atlântica. Já solicitei as mudas ao Porto do Açu, que eles têm na reserva Caruara, e eles ficaram de dar uma resposta no início do ano. O que o senhor considera até agora a grande realização do seu governo? O HGG! Acabar com a lotação dos corredores do hospital e realizar essa obra de reestruturação. As obras estão acontecendo até as 22h e a primeira etapa deve inclusive ser entregue antes do prazo. Já no Ferreira Machado, havia varandas muito extensas. Derrubamos as paredes e ampliamos as enfermarias, que passaram a comportar mais pessoas. O responsável por esse trabalho foi o meu vice, Frederico Paes, junto com o Dr. Arthur Borges, diretor da unidade. Tanto as intervenções no HGG quanto no HFM eram promessas feitas na nossa campanha. Falando um pouco da questão política. Você estava no meio de um mandato de deputado federal. Pensou em não ser candidato a prefeito em 2020? Eu não queria ser candidato porque eu estava num bom momento político, num bom momento pessoal e quase ninguém queria que eu fosse. As pessoas falavam que eu ia me queimar, que eu ia acabar com a minha carreira, que a cidade estava falida. O único que apoiou a candidatura foi o meu pai. Ele falava para mim que para tudo tem uma saída, que tudo tem jeito, que eu podia me candidatar, que trabalhando, as soluções iam aparecer.

Parque Ecológico | Área já está desapropriada na Arthur Bernardes

Na pré-campanha, o senhor chegou a procurar adversários políticos para tentar uma composição? Eu procurei o deputado Rodrigo Bacellar e também procurei Caio Viana pensando em fazer uma composição. Minha ideia era indicar o candidato a prefeito e que eles indicassem o candidato a vice. Mas com Rodrigo, ele ficou de dar uma resposta e logo em seguida lançou Dr. Bruno Calil. Já com Caio, a conversa não evoluiu, porque, além dele não morar em Campos, o tipo de conversa que ele tinha comigo não era o tipo de conversa que eu gostaria para a cidade. Ainda com relação ao deputado Rodrigo, posteriormente à eleição, tentei manter uma relação política com ele porque nós somos adversários eleitorais, mas para o município seria importante o prefeito e o secretário de governo terem entendimento político. Mas após o ataque pessoal dele à minha esposa, quando ele, em uma fala machista, disse que eu temia que minha esposa fosse deputada porque em Brasília ela poderia me trair, rompi qualquer relação com ele e informei ao governador que se a relação da Prefeitura de Campos com o Estado dependesse de passar pelo deputado, que então não haveria relação. E o governador entendeu que o que aconteceu ultrapassava os limites. Minha relação é direto com o governador. Ontem nos falamos três vezes por telefone e eu sou muito grato a ele por cumprir tudo o que promete a Campos. O senhor começou o ano com 24 vereadores na base governista, hoje tem 15. A que o senhor atribui essa debandada? Eu disse aos vereadores que dentro do possível eles teriam um executivo parceiro, dentro do impossível a gente vai ter que ir pra um embate. Quem quiser ficar com a cidade, fica, porque eu não vim aqui para passear. Tinha vereador que tinha 400 RPAs na Prefeitura. Isso acabou. Tem indicação de vereador no governo? Óbvio, mas ninguém tem essa quantidade absurda e também não deixo ninguém não trabalhar. Quem entender que o momento é de apertar o cinto, vai ficar. Tenho na minha base dois vereadores que apoiam Rodrigo Bacelar, mas que entenderam o momento e decidiram ficar. O que o senhor considera hoje o ponto vulnerável do governo? Transporte público, pelos motivos que falamos antes. Quando o senhor tomou posse, acreditava que, um ano depois, estaria fazendo um balanço positivo? Vou te confessar. No dia 31 de dezembro de 2020 eu estava em casa chorando, com medo de não dar conta. Mas eu tinha fé. Qual o legado que o governo Wladimir vai deixar para Campos? O primeiro legado que eu quero deixar é o trabalho, mas de obras palpáveis. Quero deixar o Parque Ecológico Urbano e a restauração do Mercado Municipal. No Mercado há entraves com o Patrimônio Histórico e com o Ministério Público, que diz pra gente que para fazer a restauração precisa retirar dali a Feira Livre. Não é uma situação simples de se resolver, até porque, jamais vou fazer nada contra o trabalhador que está ali. Então, a gente precisa chegar em um meio-termo. No momento adequado vou chamar todos à mesa, inclusive representantes dos feirantes, para que a gente consiga encontrar uma maneira de reestruturar esse símbolo da cidade, que é lindo, transformando em um ponto turístico.


PÁGINA

04

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

AloysioBalbi Com Girlane Rodrigues - Interina

Fazenda em Campos que pertencia a rico empresário carioca dono na Toulon é comprada por R$ 10 milhões

Lugar onde foi o São Thomé Praia Clube, no Farol, poderá virar polo gastronômico no verão de 2023

Uma das propriedades rurais mais cobiçadas de Campos, a Fazenda Barra Seca, de 88 alqueires, que pertencia a um empresário carioca, dono da grife Toulon, voltou para as mãos de um campista. Trata-se de uma fazenda de pecuária modelo com sede luxuosa e galpões. O proprietário campista pagou R$ 10 milhões pelo imóvel rural. Ele tem outras fazendas em Campos, São Francisco de Itabapoana e Macaé.

Nova usina da Coagro na Baixada Campista tem investimento de R$ 40 milhões

O terreno no qual foi construído o São Thomé Praia Clube, na praia do Farol, e por décadas foi um dos lugares mais concorridos do balneário campista, poderá se transformar no verão de 2023 em uma espécie de polo gastronômico ou em um mini-shopping. O atual dono da área colocou à venda e tem gente interessada exatamente para fazer o que foi dito acima.

As obras de construção da nova usina Paraíso já começaram, em um investimento de R$ 40 milhões. Será a usina mais moderna do Estado, sendo um braço da Coagro para moer a cana-de-açúcar da Baixada Campista. A primeira safra desta nova usina está prevista para 2023.

Um balanço do Porto do Açu no ano de 2021 como plataforma de negócios

Com o fracasso no ar, existem mil e uma chances de Sede do Aeroclube de Bom Jesus é colocada à a Viação Itapemirim mudar as cores de seus ônibus venda e transação passa por Campos A Itapemirim, que ensaiou voos de galinha montando um arremedo de empresa de aviação, que teve as asas cortadas pela ANAC, agora enfrenta problemas também em terra, ou seja, com os ônibus. Passarinhos daqueles que voam alto contaram que os ônibus amarelinhos poderão se tornar em breve azuis ou prata. Existem 1001 chances de isso vir a acontecer. As conversações já começaram.

Empresário campista vai construir condomínio de luxo na praia da Foca, em Búzios

Um forte empresário de Campos estava negociando no final de semana a compra de uma área de 22 mil metros quadrados na praia da Foca, no balneário de Armação dos Búzios. O objetivo é lançar um luxuoso condomínio classe A.

Dono da Canabrava diz que usina vai bem e participa do Rali Dakar, na Arábia, com o patrocínio da Minuano

Esta coluna já tinha publicado que existem ruídos e rumores de que a Usina Nova Canabrava terá dificuldades para moer na safra deste ano por pendências diversas. Na semana passada lançaram a notícia de que a falência da usina foi pedida. Mas isso não significa que faliu. Segundo o proprietário Rodrigo Luppi Oliveira, está tudo bem com a usina. Rodrigo, no momento, está em Jeddah participando com seu parceiro Maykel Justo da 44ª edição do Rali Dakar. O carro da dupla tem o patrocínio da Minuano.

Papo de campistas pelo telefone

- Alô. E aí, rapaz, como foi a virada do ano? - Passei em Cabo Frio... -E foi bom? - Nada demais. Aquela resenha na praia do Forte, essas coisas. Fui a uma lotérica, fiz um joguinho. Essas coisas. - Mas você já voltou? Está em Atafona? - Não, não. Estou nas Maldivas... abraços.

Opinião Wladimir e o ano que passou Ao admitir que o transporte público é uma pedra no sapato do seu governo, o prefeito Wladimir Garotinho mostra sua disposição em encarar os problemas e tentar resolvê-los. Como ex-deputado federal, ele sabe que o transporte público no Brasil, como bem disse, “faliu”, mas faltou dizer que em Campos, além de falido, está quase morto. Mostra disposição em jogar duro e ameaçar a cassação de concessões de empresas de transportes que não cumprem a sua parte, abrindo novas licitações. Admite, também, que Campos tem pelo menos 25 mil famílias vivendo na extrema miséria. Afirma que vai intensificar a rede de proteção social do município com o Cartão Goitacá que pagará a cada uma dessas famílias R$ 200/mês. Sabe que a Saúde é outro problema e diz que Guarus terá um novo HGG e o Ferreira Machado vai dobrar o tamanho do seu Prontosocorro. Ele afirma que as 250 escolas da rede municipal estão se preparando para o futuro com o uso da tecnologia. O prefeito parece ter trocado em seu dicionário a palavra “promessa” por “compromisso”. Em seu favor ele tem, neste primeiro ano de gestão, o fato de ter colocado o salário do servidor em dia, ter enfrentado a pandemia e mostrado maturidade ao fazer um acordo com o governador Cláudio Castro pelo bem público, superando problemas políticos menores e paroquiais, até porque Campos é um município grande. Se fosse um aluno, teria passado de ano com uma nota acima do regular.

www.jornalterceiravia.com.br

\ jornalterceiravia

Sistema de Comunicação Terceira Via CNPJ 15.205.202/0001-47

A sede do Aeroclube de Bom Jesus do Itabapoana, no Noroeste Fluminense, está sendo negociada. Um empresário de Santo Antônio de Pádua cresceu o olho para investimentos futuros. Essa sede fica no centro de Bom Jesus e toda a transação passa por Campos. A confirmar.

O ano de 2021 foi de grandes marcos e recordes para o Porto do Açu. O início da operação da GNA I, térmica com capacidade para abastecer 6 milhões de residências, se juntou a expressivos anúncios. Os mais relevantes vão ao encontro do ambicioso projeto de transformar o Açu em uma plataforma para negócios sustentáveis.

Poderosos do Jockey Club do Rio nos bastidores da batalha judicial do Jockey de Campos

Importantes acordos foram assinados, como com a gigante Equinor para a instalação de uma planta de energia solar e também o início dos estudos de viabilidade para a instalação de uma planta de hidrogênio verde. Outro projeto com foco neste cluster sustentável em andamento é o início do licenciamento do Complexo Eólico Ventos do Açu – linhas de transmissão que serão instaladas no mar, neste ponto que é considerado um dos mais propícios do país para este tipo de geração de energia.

Os sete grandes empresários campistas que arremataram em um leilão tecnicamente anulado, estão enfrentando advogados de três sobrenomes. Quem estaria por trás, ou seja, do outro lado desta batalha judicial? A coluna apurou que é gente graúda do Jockey Club do Rio de Janeiro, na Gávea. A batalha judicial vai ser intensificada neste início de ano.

Complexo ganhará hotel em 2023 e obras já começaram

Edvar Júnior assume a presidência da CDL, substituindo José Francisco Rodrigues

O empresário e arquiteto Edvar de Freitas Chagas Júnior toma posse esta semana como presidente da Câmara de Dirigentes de Campos (CDL), no salão que leva o nome do seu pai, na sede da entidade. Júnior vai substituir José Francisco Rodrigues, que fez uma gestão surpreendente no pico da pandemia.

Outra novidade é a construção de um hotel dentro do Distrito Industrial, que estará em operação até 2023. A Inter Rio é a responsável pela instalação do empreendimento, que ocupa uma área de 10.649 m² e contará com 200 quartos. Este semestre marcará ainda a inauguração da Sede da Reserva Caruara. Construído de forma voluntária pelo Açu e com acesso gratuito, o novo polo de lazer e sustentabilidade está sendo construído às margens da Lagoa de Iquipari e promete ser o destino de muitas famílias em finais de semana e feriados.

IFF de Campos tem três grandes projetos para desenvolver neste ano

O Instituto Federal Fluminense (IFF), com sede em Campos, tem três grandes projetos a desenvolver este ano: o da implantação da primeira escola superior de Enfermagem da Região, em Guarus; a ampliação do campus de São João da Barra para preparar mão-de-obra para o Açu; e a implantação do campus de Itaboraí, com foco na formação de profissionais especializados em petróleo e gás.

A atuação do Açu na pandemia

Até o momento, foram aportados cerca de R$5 milhões em ações que incluíram a doação de mais de 500.000 equipamentos de proteção ao setor de saúde e à comunidade. Ao todo, 16 toneladas de alimentos adquiridos de produtores rurais locais foram ofertadas à população em situação de vulnerabilidade.

Propaganda partidária x fundo especial de financiamento de campanha Pryscila Marins - Advogada especialista em Direito Público e Eleitoral

Essa semana foi promulgada a Lei n° 14.291/2022 que traz de volta a propaganda partidária para o cenário da propaganda política. Trata-se daquela realizada pelos partidos políticos para angariar filiados e divulgar os seus objetivos. Na essência, ela é um forte instrumento de fortalecimento democrático por buscar divulgar o idealismo partidário e arregimentar participantes da política. Entretanto, quando em vigor, não raras vezes, a propaganda partidária era constantemente desvirtuada para a promoção de políticos de mandato, além de descambar em várias ocasiões para a propaganda extemporânea (aquela realizada antes do período permitido).

o que fazia com que os cofres públicos não recolhessem o imposto referente a essa transmissão. Dessa maneira, a fim de criar o FEFEC, alegou-se que o valor dessa compensação, que então passaria a ser recolhido aos cofres públicos, seria o valor destinado ao novo fundo de financiamento. Com a nova lei, em pleno ano eleitoral, a propaganda partidária volta a ser obrigatória e deve ser veiculada ainda este ano. Contudo, o presidente vetou a compensação por parte das emissoras com essa veiculação, por entender tratar-se de medida inconstitucional.

Ainda assim, o fim da propaganda partida não ocorreu por nenhum desses motivos, mas como forma de viabilizar a criação do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFEC), isso porque, embora a propaganda seja gratuita, a verdade é que as emissoras tinham compensação fiscal para a veiculação de tal propaganda,

Agora restará ao Congresso o desgaste de analisar o veto e decidir pela concessão ou não de tal compensação fiscal e viabilizar a propaganda contra o discurso usado à época para a criação do fundo especial de financiamento de campanha. Vamos aguardar! Voltaremos a esse assunto em breve!

Expediente: Fundador Herbert Sidney Neves - Diretor Geral Fábio Paes Chefes de Reportagem Thiago Gomes e Marcos Curvello - Projeto Gráfico Estúdio Ideia Diagramação Elton Nunes - Departamento Comercial (22) 2738-2700 Rua Gov. Theotonio Ferreira de Araújo, 36 - Centro - Campos dos Goytacazes - RJ Impressão: Parque Gráfico do Jornal O Globo.


PÁGINA

05

09AA15 15DE DEJANEIRO JANEIRO 2022 09 DEDE 2022

Vacinação no Brasil empacou. De novo Depois de um início lento e tumultuado, assim que o percentual de vacinados alcançou a casa dos 30%, o Brasil engrenou e não tardou a chegar aos 60%, com alguns dias registrando aplicação de mais de 2 milhões de doses. Contudo, estranhamente a imunização emperrou e contadas várias semanas não chega à marca dos 70%. Até o dia 06 de janeiro o País ainda registrava apenas 67,48% da população totalmente imunizada com as duas doses; 75,74% tomaram ao menos a primeira dose; e 13,35% receberam a dose-reforço. Não se sabe o porquê de tamanha lentidão, o que atrasa perigosamente que a população alcance os 80% (ou mesmo 90%), considerado pelos médicos como percentual necessário para que a imunização se complete. A situação mostra-se ainda mais grave ao se constatar a aceleração no número de casos de Covid com o avanço da variante Ômicron.

CABO FRIO | O Malibu Palace Hotel, na área mais movimentada da Praia do Forte é, provavelmente, o mais conhecido e tradicional entre todos da Região dos Lagos e Espírito Santo.

CUSTO VERÃO

Preços de alguns hotéis num raio de 200 km de Campos

SOS BURACOS

A despeito dos avanços que o governo municipal alcançou em 2021, já é hora de focar em alguns cuidados com a cidade, em particular na correção de ruas que apresentam buracos – crateras – que não apenas danificam os carros como podem causar acidentes. Reparos nas ruas dos Goytacazes e Alberto Lamego, entre outras, são urgentes. Na rua Carlos Lacerda, entre a 28 de Março e Princesa Isabel, moradores colocaram galhos de árvores como advertência ao enorme buraco.

Fora da região, preferência do campista é por Cabo Frio e praias do Espírito Santo Chuva, surto de gripe e variante Ômicron não são uma boa combinação para a alta temporada de verão. Mas as férias de janeiro estão aí e, pelo que se viu no réveillon, depois de tanto tempo enclausuradas as pessoas – ou boa parte delas – querem aproveitar a estação mais alegre do ano. Assim, mesmo sendo difícil ou praticamente impossível manter as restrições de distanciamento fí-

GUARAPARI Hotel Atlântico Apartamento c/ vista parcial para o mar: R$ 419 Plus: R$ 380 Standard: R$ 361

Frente p/ piscina: R$ 550,

Hotel Coronado Frente para a praia: R$ 550 Lateral: R$ 430,00 Standard: R$ 330,00

Portal da Lua Todos de frente para o mar: R$ 495

MEAIPE Hotel Meaipe: R$ 400,00 IRIRI Espadarte Frente para o mar: R$ 850,

Talvez, quem sabe, a Prefeitura de São João da Barra possa fazer uma parceria com o governo do estado e ‘conseguir’ um tratorzinho para retirar o que for possível da areia que invade o asfalto da Beira-Mar, em Atafona, causando enorme transtorno aos motoristas e pedestres. Moradores e veranistas estão torcendo.

de CF e Búzios – os mais conhecidos e tradicionais – para que o veranista possa ter uma breve referência. Ressalve-se que os valores foram fornecidos pelos próprios estabelecimentos hoteleiros, podendo haver grande variação quando buscados em sites de viagens. Observe-se, ainda, que os preços ‘de balcão’ são passíveis de serem negociados, dependendo da taxa de ocupação daquele período.

PREÇOS DE DIÁRIAS P/ CASAL COM CAFÉ DA MANHÃ

Porto do Sol Master: R$ 1.190, Luxo: R$ 636, Standar: R$ 476,

O Brasil volta a viver um momento crítico para a saúde da população. Depois da primeira morte pela variante Ômicron, em Goiás, casos cruzados de Covid e do vírus influenza (gripe) assustam. Na falta de informações concretas, o que se recomenda é o máximo de cuidado. Afinal, o que não se conhece é sempre perigoso.

sico, depois dos balneários aqui da região – os de SJB e Farol – numa distância não maior que 200 quilômetros, a preferência disparada do campista está nas praias de Cabo Frio e Búzios, na Região dos Lagos, e do Espírito Santo, com predominância para Guarapari. Entre milhares de opções, apenas para dar uma noção dos preços das diárias, listamos alguns poucos hotéis do litoral capixaba, bem como

Pontal das Rochas Frente para o mar: R$ 798 Frente para a rua: R$ 664

CABO FRIO Malibu Palace Hotel (*Café da manha e almoço) Frente p/ o mar: R$ 830 Frente p/ piscina: R$ 720 Fundos: R$ 615, Pousada do Leandro Preço único: R$ 450 BÚZIOS (PRAIA JOÃO FERNANDES) Hotel Pousada Experience (*Preços somente p/ 2 diárias) Preço único: R$ 1.001,

Cancelar carnaval e manter shows? A Prefeitura de Campos anunciou que vai cancelar o carnaval de rua, mas que os shows programados para o Farol e Lagoa de Cima estão mantidos. A decisão tomada na quinta-feira (06), caso seja mantida, afigura-se inócua tendo em vista que uma coisa praticamente anula a outra. Se a pandemia não está zerada, a Ômicron avança e se

mantém como incógnita e atravessamos um surto de gripe (influenza), não haveria que se falar em shows. As pessoas que forem ao Farol ou Lagoa de Cima e participarem das inevitáveis aglomerações, estarão expostas e poderão disseminar o vírus. De mais a mais, cancelar o carnaval de rua não seria nenhuma novidade. Há muito a festa de

Momo de Campos deixou de ter a importância de outrora. Há alguns anos, o carnaval fora de época realizado pela gestão passada só serviu para desperdiçar dinheiro público. A questão é simples: se ainda enfrentamos uma pandemia, não é sensato correr o risco de aguardar para ver se o número de internações aumenta, para depois rever a decisão.


Campos Pandemia muda perfil do verão e campistas trocam praia pela cidade PÁGINA

06

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

População mais reclusa em Campos resulta em menos movimento nos balneários da região Foto: Silvana Rust

Girlane Rodrigues Não é novidade que o cenário pandêmico alterou o comportamento humano no mundo inteiro. Em Campos, uma das mudanças foi a perda da característica tradicional da cidade de ser esvaziada durante o verão, quando os campistas viajavam. As determinações de distanciamento social para evitar o contágio da Covid-19 fez com que a população ficasse mais em casa, em 2020 e 2021. O consumo aumentou e, apesar dos restaurantes terem fechado, os estabelecimentos continuaram funcionando pelo modo delivery. Agora, em 2022, a expectativa de empresários é que o verão não seja empecilho para o aumento no consumo e circulação de pessoas. O presidente da Liga Gastronômica de Campos, Breno Romano, avaliou que o campista não tem mais o hábito de passar dois ou três meses direto na praia durante o verão, como antigamente. “Como proprietário de restaurante em Campos, posso afirmar que os estabelecimentos têm ficado movimentados nos finais de semana, principal-

Centro da Cidade | Aos poucos, Campos vai mudando de hábitos

mente domingo à noite, quando quem foi à praia no fim de semana, já retornou à cidade”, conta. Segundo Breno, parte do público que frequenta seu restaurante na sexta e sábado, por exemplo, é a população flutuante do município. “Ou seja, gente de fora que está na cidade para trabalhar. Nossa população hoje está miscigenada e quem vem de fora assim não costuma deixar a cidade”, afirma. No primeiro fim de semana de 2022, o restaurante dele ficou fechado

por causa da festa de Réveillon. A expectativa é de que neste e nos próximos fins de semana haja aumento no movimento. Para isso, Romano tem preparado uma série de atrativos. “Está calor e isso é um fato. Ninguém gosta de ficar em casa em dias quentes. Por isso, estou fazendo happy hours e lançando promoção de chope e de entradas diferentes para atrair cada vez mais gente para nosso restaurante”. Quem visitou as praias da região no Réveillon constatou pouco

movimento. “Costumo ir a São João da Barra todos os anos. Passo o verão em Grussaí, indo somente aos finais de semana e notei que a cidade estava praticamente vazia para um fim de semana de feriado como foi o dia primeiro de janeiro. Acredito que muita gente ficou em casa, em Campos”, disse o aposentado Fernando Lopes, de 58 anos. Para a Prefeitura de São João da Barra, o movimento do último feriado foi dentro do esperado. “Obviamente, levando-se em consideração o período de pandemia, quando existe a diminuição natural do fluxo de pessoas. Ressaltando que não foram realizados eventos no Réveillon e o decreto municipal de prevenção à Covid-19 em vigência mantém restrições, como a limitação da lotação em 50% de bares, restaurantes, lanchonetes e afins”, informou a Prefeitura por meio de nota. Já a Prefeitura de Campos foi questionada se faz algum acompanhamento para identificar a permanência de pessoas na cidade ou o fluxo de saída durante os finais de semana, mas até o fechamento desta edição, o órgão não havia se posicionado.

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Breno Romano | Aposta no verão

Livia Enes | Abriu filial em Atafona

Campos x São João da Barra Independente da pandemia do coronavírus e da mudança comportamental do campista, é tradição a migração de pessoas de Campos para São João da Barra aos finais de semana. Por isso, muitos estabelecimentos comerciais também migram durante o verão para as praias vizinhas. Em 2022 três empresários de Campos se uniram para lançar um restaurante em Atafona, dois deles têm restaurantes em Campos. “Durante a semana o movimento em Campos se mantém bom, e estou percebendo a cidade mais cheia. A partir de sexta diminui o movimento em relação

ao resto do ano, mas não sinto mais que Campos é uma ‘cidade fantasma’, como acontecia em anos anteriores. Eu e mais dois sócios abrimos um restaurante em Atafona para suprir essa queda no movimento em Campos aos fins de semana, pois interfere no nosso faturamento”, disse a empresária Lívia Enes. Para atrair clientes em Campos, Lívia afirma que segue com os menus e festivais já planejados. “A gente, inclusive, muda o horário de funcionamento durante o verão em Campos. Normalmente funcionamos de terça a sábado à noite. E em Atafona o restaurante funciona quinta, sexta e sábado à noite”, conta.

Sorriso no rosto e samba no pé conquistam público de São João da Barra

Fotos: Divulgação

Músico de Japeri, Manoel Ricardo Monteiro estreou no Fescan com a canção “Separou por quê?”, samba que foi o mais votado pelo júri popular

Manoel Ricardo Monteiro |

Millena Soares Morador de Japeri, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Manoel Ricardo Monteiro foi um dos ganhadores da 33ª edição do Festival Sanjoanense da Canção (Fescan), realizado em São João da Barra, em dezembro de 2021. O samba “Separou por quê?”, além de marcar o início da carreira do professor de Filosofia como compositor, foi a música mais votada pelo júri popular. Para participar do concurso, foram quase 12 horas de estrada, somando ida e volta. “A mobilização até o concurso foi uma aventura, o tempo estava muito feio, a estrada, a condução, tudo bem desafiador, mas, no final, valeu a pena porque fui premiado e não esperava”, diz. Hoje, Manoel se divide em lecionar Filosofia, pastorear uma igreja e a música. Mas ele começou a compor em 2019, apesar de considerar o festival de São João da Barra como o impulso oficial em sua nova carreira. “A minha vida é

Teve a canção mais votada pelo júri popular

Banda | Davi Neves, Ramon Santos, Jeferson Monteiro e Aixa Monteiro

Premiação | Músicos e compositores que se destacaram no Fescan 2021

marcada por inúmeros desafios, no ano de 2019 comecei a compor algumas canções, mas foi no Fescan que oficialmente a minha carreira profissional na música começou”, destaca. O músico acredita que foi a direção de Deus que o fez chegar

até o Fescan. “Foi até de uma forma inusitada que descobri o concurso. Estava navegando na Internet, quando vi uma propaganda do evento, logo eu fiquei interessado e falei que ia me inscrever. O tempo passou e me esqueci de fazer a inscrição. No

último dia, eu fui fazer uma tarefa no computador, quando me dei conta de que aquele era o prazo final para realizar a inscrição. Olhei no relógio e mesmo já tendo passado do horário descrito no edital, eu insisti e concluí meu cadastro, achando que não ia dar em nada”, comenta.

ritmo de samba. O tema ficou bacana porque a ideia é trazer uma reflexão para as pessoas através da música”, acrescenta. Além disso, o público presente no festival se encantou com a simpatia do sambista, que esbanjou bom humor e talento em sua apresentação.

Canção autoral A música premiada por meio do voto popular foi a “Separou por quê?”, que nasceu da experiência de Manoel com casais em fase de divórcio. “Comecei a desenvolver um projeto em 2018 para ajudar casais a reatarem o relacionamento. Logo entendi que a música seria uma ferramenta para auxiliar essas pessoas, afinal, todo mundo gosta de escutar uma boa canção. Isso faz bem para a alma. Juntei alguns amigos, Davi, Ramom, e meus sobrinhos, Jeferson e Aixa e decidi, com apoio do produtor Fabinho Moreira, produzir a canção ‘Separou por quê?’, em

Carreira O reconhecimento do público no festival deu ânimo para o professor de Filosofia seguir seu sonho, que é viver de música. “Eu fiquei muito feliz com o reconhecimento das pessoas e espero daqui para frente ser ainda mais reconhecido. A minha história musical começou no Fescan e receber o carinho e aprovação das pessoas me deu um gás a mais para continuar a compor e seguir meu sonho de viver da música.” Manoel destaca que o carinho das pessoas faz a diferença na sua caminhada. “Eu tenho muitas pessoas para agradecer, minha

esposa Sheila Maria, que esteve sempre ao meu lado, a escritora e cabeleireira do bairro do Açu Vera Alves e todos os moradores da minha cidade. Os professores, alunos e diretores da escola CEAT onde leciono. Reconheço a importância e o valor de cada um que contribuiu para que eu conseguisse acreditar na minha arte e ir me apresentar no festival. Quando criança eu tentei participar de um concurso na escola, mas desisti por vergonha de subir no palco, então receber o apoio e ver meu trabalho sendo reconhecido hoje me dá esperança”, finaliza. Contato Quem quiser conhecer um pouco mais do trabalho do Manoel, basta entrar em contato com o artista por meio de suas redes sociais: Instagram @mricardomonteirooficial , WhatsApp (21) 98415-7265 ou e-mail: mricardomonteiro@ yahoo.com.br


PÁGINA

07

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Ano novo, boletos novos 2022 chegou e com ele vem uma série de gastos, como IPVA, IPTU, material escolar, que podem desequilibrar o orçamento Gabriela Lessa Todo início de ano é a mesma coisa: há um aumento significativo nas despesas domésticas, já que algumas contas são geradas nesta época, como o IPTU, IPVA, matrícula e materiais escolares, por exemplo. Em análise feita pelo economista Alexandre Delvaux, as famílias continuarão enfrentando dificuldades em 2022, devido à falta de emprego e à alta da inflação, que resulta na diminuição da renda real do brasileiro, deixando o orçamento familiar mais apertado do que já está. Segundo o economista, o controle das finanças familiares neste período é ainda mais importante. Em primeiro lugar, Alexandre Delvaux cita a necessidade de se planejar, pois muitas contas ficam concentradas neste início de ano. Além disso, as festas de fim de ano e as férias também pressionam as finanças. “Aí vem a pergunta: O que fazer? A resposta depende das condições da família. Ou seja, como elas tratam as suas finanças. Se houve prudência e parte do 13° salário foi aplicado ou se foi criado, ao longo de 2021, um fundo para pagar as despesas do início de 2022, as coisas vão ficar mais fáceis”, pontua. Planejar as finanças acaba sendo uma necessidade, principalmen-

Família Paixão | “Nunca sabemos como será o próximo mês”

te para famílias grandes com a da servidora pública, Fabrinne Paixão, que é casada e tem três filhos, sendo uma menina de 10 anos e os gêmeos de 5. “Eu e meu marido dividimos as despesas. Buscamos não fazer gastos desnecessários muitas vezes ao mês. Para a nossa família, ficou mais complicado no ano passado, pois a nossa vida financeira ficou voltada para o tratamento de saúde dos nossos filhos. E ainda sofremos com os índices inflacionários. Então, 2021 foi um ano de muita renúncia e disciplina”, desabafa. Visualizar as despesas O economista chama a atenção para a redução de gastos para não ficar no “vermelho”. “Se houver a

Família Paes | “As despesas são organizadas”

possibilidade de poupar dinheiro, a regra é ‘apertar o cinto’, reduzir os gastos para pagar os boletos e evitar problemas como a negativação ou endividamento”, diz. Paralelo ao planejamento financeiro está a “visualização” das despesas. Segundo Alexandre Delvaux, torna-se necessário colocar no papel todas as receitas e todos os gastos, permitindo a identificação dos principais itens e o que é possível fazer para manter o orçamento sob controle. “A regra de ouro é gastar menos do que recebe e guardar a diferença para imprevistos. Quando isso não é possível, a consequência mais comum é o endividamento. O planejamento e o controle evitam exatamente

que ocorram déficits que levam ao acúmulo de dívidas”. O gerente administrativo Diego Paes, casado e com um bebê de 6 meses, busca fazer esse planejamento ao longo do ano, para que não haja aperto diante de alguma necessidade. “Minhas despesas são organizadas em planilhas de contas fixas, contas variáveis, contas imprevisíveis e urgentes. Com essa organização, eu consigo saber o que gastei nos meses anteriores, presente e o que posso gastar ou investir no futuro. Com o nascimento do meu filho, a minha rotina financeira mudou completamente, pois muito do que tinha poupado ou investido eu precisei retirar para cobrir as

Economia

Foto: Silvana Rust

Dicas pontuais para economizar

Alguns tópicos citados para o economista Alexandre Delvaux, que podem auxiliar no controle financeiro e economia da renda são: cortar gastos desnecessários, evitar desperdícios, planejar as compras, não parcelar no cartão, não usar o cheque especial, pagar em parcela única, negociar com credores e, se for necessário fazer algum empréstimo, buscar as menores taxas. Ele ainda explica que o ideal é sempre tentar guardar uma parte da renda mensal. “Quanto maior o valor poupado, maior a tranquilidade da família, pois ela passa a ter uma reserva para imprevistos e não precisa recorrer a empréstimos ou parcelamentos que custam caro”, afirma. Esses são hábitos de Diego Paes, que não abre mão de organizar a sua renda e fazer projeções de gastos. “Sabendo o que tenho de despensas, consigo organizar meu salário. Ele é dividido em 60% para todas as despesas, 20% para investimento financeiro e pessoal, 10% para bem-estar e 10% para reserva de emergência”, fala. despesas do bebê, contudo, já estava planejado dentro das necessidades reais”, explica. Renda x necessidade de gastos Para Alexandre Delvaux, as famílias têm precisado se organizar ainda mais, pois os gastos aumentaram e a renda não acompanhou, resultando na perda de poder aquisitivo. “Os brasileiros estão pagando caro pela gasolina e energia elétrica, produtos de higiene pessoal, gêneros alimentícios, impostos etc. Por outro lado, os rendimentos não acompanham os preços. Isso

exige um controle mais rigoroso e muita austeridade de todos os membros da família”, analisa. Tanto o gerente administrativo quanto a servidora pública precisaram fazer muitas adaptações nas suas despesas, já que o custo de vida tem dificultado gastar além do necessário. “A alta da inflação tira a dignidade do cidadão. Os gastos elevados com a gasolina, energia e alimentação nos fizeram reduzir os passeios, cinemas, supérfluo etc. Nunca sabemos como será o próximo mês. É preciso fazer escolhas”, finaliza Fabrinne Paixão.


PÁGINA

08

Destaque

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Nova presidência da CDL empenhada em fortalecer o comércio campista

Edvar Chagas Júnior substitui José Francisco Rodrigues no comando na entidade a partir desta segunda Gabriela Lessa

O empresário e arquiteto Edvar de Freitas Chagas Júnior é o novo nome à frente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Campos (CDL). Com a posse oficializada nesta segunda-feira (10), o presidente tem como objetivo de seu mandato lutar em defesa do comércio, promovendo crescimento e qualificação para o setor. O empresário substitui José Francisco Rodrigues, que ficou dois anos no cargo e aposta no sucesso de Edvar Chagas. O pai de Edvar Jr., Edvar de Chagas Freitas, foi presidente da CDL por quatro vezes e foi o responsável pelo envolvimento do filho no setor do comércio. Apesar de amar a Arquitetura, Edvar Jr. disse que sempre se viu dividido entre os dois segmentos. “Nasci arquiteto, desde cedo não tinha dúvida de que profissão iria seguir. Sempre desenhando um paralelo entre a vida comercial do meu pai

9 9 4

Edvar Jr. | Arquiteto assume cargo que foi de seu pai por quatro vezes

e o curso de Arquitetura. Edvar de Freitas Chagas é sinônimo de CDL, ele foi presidente da entidade pela primeira vez em 1977, depois em 1995, 2000 e 2002. Quatro vezes presidente. Eu sempre observava nos bastidores aquele duelo na vida dele, entre a Freira das Máquinas, que hoje é Femac, e Clube de Diretores Lojistas, que hoje é Câmara”, conta. Agora, à frente da entidade, junto ao vice-presidente Ralph Pereira, Edvar explica que ainda não há muito para planejar, devido à atual realidade da Covid-19. De acordo com o arquiteto, o cenário ainda é imprevisível. “Mas posso garantir que iremos lutar, com todas as forças, na defesa do comér-

cio, promover seu crescimento e qualificação”, pontua. O antecessor de Edvar acredita que o novo presidente levará inovação à entidade. “Tenho certeza que sua gestão na CDL será muito inovadora. Ele deixará sua marca. Seu pai foi um dos grandes amigos que tive e desejo a ele sabedoria e equilíbrio em seu mandato”, diz José Francisco. Mudanças na CDL Segundo Edvar, a CDL já passou por mudanças estruturais recentes, que foram iniciadas ainda na gestão anterior. “O presidente José Francisco fez uma excelente reforma administrativa. Hoje, nosso quadro de diretores se

0 0 ,

Construa a casa dos seus sonhos em um loteamento à beira mar do Farol, com pagamento super facilitado.

VENDAS:

CORRETORES NO LOCAL

mostra renovado, não só pela idade, mas, principalmente, pelo engajamento e comprometimento com nossa Casa. O meu vice-presidente, Ralph Pereira, é remanescente da CDL jovem. O atual presidente da CDL Jovem, Arthur Sá, integra nossa diretoria na pasta de Produtos e Serviços. As mudanças estruturais já começaram”, fala Edvar. O empresário disse, ainda, que está em busca de uma nova etapa na entidade, com o objetivo de aperfeiçoar sempre mais. “Queremos uma CDL apoiada no aprendizado de todos os presidentes e diretores que passaram pela entidade; e desenhar uma CDL Nova, qualificada para novos desafios. Vamos estar atentos a esses novos tempos que rapidamente viram instantes, onde tudo é mutante. Um comércio com corpo físico e virtual, mantendo suas virtudes. Continuaremos a ser uma Casa de atitudes”, destaca. De acordo com Edvar, as causas apoiadas pela entidade são o principal norte em sua caminhada, além de contar com o incentivo de toda a diretoria e parceiros. “Não tenham dúvida de que caminharemos de mãos dadas com as entidades irmãs, com o Sebrae, o Sesc, com o poder público municipal, estadual e federal; também outros pares que virão, pois sozinhos não iremos a lugar algum. Minha cabeça de arquiteto me faz pensar em mil projetos, mas essa gestão não será obra de um só”, afirma.

Sobre Edvar Com 55 anos, casado com Sid Machado, pai de Gabriel, o arquiteto Edvar Chagas cursou a Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro, e teve vários projetos premiados. “Fui um dos vencedores do concurso de âmbito nacional para decoração da Marquês de Sapucaí, em 1988, único ano que a Sapucaí foi decorada”, lembra. Ainda recém-formado, ele foi trabalhar em um dos maiores escritórios de arquitetura do Rio, com obras pelo mundo afora. No entanto, precisou retornar para Campos, sua origem e onde sua família residia. “A vida nos desenha vários caminhos. Em 1989, meu irmão Alexandre Magno, braço direito do meu pai, faleceu devido a um acidente de carro e eu retornei para Campos. Busquei por meu espaço na empresa Femac Móveis e, junto ao meu pai, crescemos e fortalecemos nossa marca”, diz. Anos antes, Edvar conta que já foi diretor da Associação Comercial e Industrial de Campos dos Goytacazes, durante a transição da adolescência para a fase adulta. “Antes, quando a CDL era Clube de Diretores Lojistas, eu, com apenas 18 anos, fui diretor da Acic, gestão de Amaro Gimenes. E depois fui diretor na gestão Adailton Rangel. Lembro que fiz parte das comemorações do centenário da Acic. A minha primeira incursão na CDL, já como Câmara de Dirigentes Lojistas, foi na gestão Murilo Dieguez. Depois me afastei e retornei nas duas últimas gestões de Edvar Chagas como presidente. E recentemente fui convidado a retornar para assumir a cadeira do meu pai na diretoria da CDL, após seu falecimento em 2018”, finaliza.


PÁGINA

09

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Secretário Municipal de Serviços Públicos

Frederico Rangel

Campos mais limpa

Avesso a entrevistas, secretário falou ao Jornal terceira Via sobre planos para a pasta em 2022 Girlane Rodrigues Eleito vereador pelo Partido Social Democrático (PSD) na última eleição, em Campos, Frederico de Mattos Rangel ocupa, hoje, o cargo de secretário municipal de Serviços Públicos, um órgão majoritário que abrange outras quatro subsecretarias: a de Iluminação Pública, a de Posturas, a de Meio Ambiente e a de Limpeza, Parques e Jardins no maior município do interior do Estado do Rio de Janeiro. Tamanha responsabilidade lhe foi conferida pelo prefeito de Campos, Wladimir Garotinho, ao também assumir seu primeiro mandato em janeiro de 2021. Neste primeiro mês do segundo ano de trabalho, Frederico Rangel conversou com a equipe do Jornal Terceira Via e detalhou a execução dos projetos ao longo de 2021, a continuidade dos trabalhos em 2022 e os desafios futuros.

Filho do ex-vereador e ex-secretário municipal de Serviços Públicos, o veterano Jorge Rangel, Frederico acumula a referência, experiência e o prestígio do pai na cidade. Foram estes atributos que, segundo Frederico, o ajudaram a ser eleito para a Câmara Municipal de Campos. “Sou avesso a entrevistas e esta é a segunda que concedo em todo este tempo. Mas acredito ser algo útil para informar à população do trabalho que estamos executando”, disse Frederico. A entrevista foi acompanhada pelo pai dele, autor de uma lei municipal sobre políticas de resíduos sólidos implementada no município na década passada, seguindo uma lei nacional. A conversa foi norteada pela execução do trabalho de Frederico em recuperar e criar novos entulhódromos em Campos, espaços destinados a entrega de entulhos e galhadas pela população gerando, assim, uma cidade mais limpa e organizada. Foto: Silvana Rust

Como aconteceu sua nomeação à secretaria de Serviços Públicos depois de ter sido eleito vereador? Foi um convite do prefeito de Campos, Wladimir Garotinho, ainda na transição de governo com a gestão anterior. Eu disputei a eleição para vereador pelo PSD, mesmo partido do prefeito e, a convite dele, recebi apoio de colaboradores capitaneados pelo meu pai, o ex-vereador Jorge Rangel. Desta forma fui eleito, conquistando o mandato. Ainda na transição de governo, Wladimir me fez o convite para assumir esta pasta tão importante que une toda a manutenção da cidade: limpeza, iluminação, poda de árvores e posturas. Tudo isto para ajudar a controlar e a inibir ações indesejadas da população em pontos considerados críticos da cidade. Resolvi assumir este desafio. Fale um pouco sobre a divisão organizacional nesta pasta tão abrangente que resulta em trabalhos essenciais para a comunidade. São três subsecretarias encampadas, vamos dizer assim, na secretaria mãe, que é a de Serviços Públicos, que possui determinação direta na iluminação pública da cidade, na limpeza, na poda de árvores. Ou seja, em toda manutenção da cidade. A Subsecretaria de Posturas também é nossa atribuição cuidar, mas ela caminha bastante sozinha porque possui outras ações que quase não nos dizem respeito, como a fiscalização de ambulantes, por exemplo. Posturas é muito bem gerida pelo subtenente Jackson da gigante contratual. Não se deu para Polícia Militar e tudo caminha per- manter um padrão e isso nos caufeitamente harmônico, assim como sou impacto ao assumir a secretaria. as outras subsecretarias gerencia- Encontramos, também, uma equipe das por nós. Estamos encarando única com cerca de 30 homens para este desafio porque juntar ilumina- capina e varrição, quantidade que ção e limpeza púmal dava para blica não é tarefa cuidar da área fácil. Temos um central. Na colemunicípio extenso ta de lixo nunca com mais de 4 mil houve problequilômetros quasenão teríaMuita gente não sabe que ma, drados de área e mos encontrado cerca de 130 quia partir da lei nacional um caos muito lômetros de extenmaior. Percebesão se considerar- para políticas de resíduos mos que o gomos um extremo a passado sólidos que foi trazida, verno outro de Campos. focou na coleta de lixo e reduziu torna-se obrigatório Como o Sr. encona limpeza geral trou a secretaria na cidade, como àquele que produz e ao assumir em jaa capina e a varneiro de 2021. gera o lixo dar a rição, que foram Resumidamente muito reduzidas. destinação final falando, quero destacar o contraE como está hoje to com a concessionária Vital. Esta a secretaria e o seu principal contraempresa atua no município desde to, com a Vital? 2005, mas em um novo formato Logo no primeiro momento aumendesde 2008. Encontramos a Vital, tamos para cerca de 70 homens, que atende na limpeza da cidade, formatando três equipes de 20 a 22 totalmente sucateada no seu con- pessoas e conseguimos consolidar trato, que é flexível e pode ser re- a área central. Isto, sem aditivos, só duzido ou ampliado, dependendo numa conversa inicial com a empresa dos serviços que agrega. De acor- e com os trabalhadores. Também foi do com a execução dos trabalhos, preciso dobrar os equipamentos que paga-se determinado valor. Na são fundamentais para a realização gestão passada, infelizmente, por dos serviços. O prefeito, então, teve conta de vários motivos, foram fei- a ideia de focar na revitalização dos tos sete aditivos, seja para aumen- P.E.V.Es que é uma sigla que significa tar ou diminuir o valor nos últimos Pontos de Entrega Voluntária de En18 meses, uma verdadeira roda tulhos.

mo é o local de descarte provisório, para abreviar a ida da população ou do carroceiro à Codin. Os espaços são padronizados com 1.500 metros quadrados e, assim, a gente consegue fazer a disciplina do ponto crítico. Funciona assim: vamos ao ponto crítico, fazemos a limpeza, colocamos placadas educativas informando sobre a proibição de jogar lixo e instalamos outras placas informando o local correto para o descarte. Estamos também organizando uma campanha para distribuição de panfletos informativos sobre o assunto. Os entulhódromos funcionam de segunda a segunda, das 7h às 19h, que acreditamos ser suficiente para atender a demanda. Como surgem os pontos críticos? A partir de uma falta de condições das pessoas fazerem o descarte correto. Muita gente não sabe que a partir da lei nacional para políticas de resíduos sólidos que foi trazida, municipalizada e adaptada para Campos pelo ex-vereador Jorge Rangel, torna-se obrigatório àquele que produz e gera o lixo dar a destinação final. Como a nossa destinação final é no aterro controlado da Codin, não podemos, em tese, exigir que a população faça esse trajeto. O entulhódromo vem para abreviar este caminho. E o ponto crítico surge dessa situação associada ao crescimento da população. Hoje, Campos tem cerca de 600 mil habitantes, entre população fixa e flutuante.

Como está, hoje, o funcionamento dos P.E.V.Es? A população está aderindo à destinação correta dos entulhos? Primeiro fizemos uma campanha para popularizar este nome e o traduzimos para entulhódromos. Saímos do nome técnico para o nome popular e isto facilitou o entendimento da população. Depois nós revitalizamos e inauguramos duas unidades. A primeira foi no bairro Santa Rita, atrás do Hospital Geral de Guarus (HGG) e a segunda foi na Avenida Nossa Senhora do Carmo, no Parque Aurora, que acabou virando o símbolo dos P.E.V.Es revitalizados. Essa unidade foi alvo de polêmica, que gerou uma ação civil pública de iniciativa do Ministério Público. Depois entregamos a da Avenida Zuza Mota, em Guarus, e uma no prolongamento da Avenida Saldanha Marinho, no Flamboyant. As unidades abrangem um conglomerado de bairros e atende cerca de 40 mil pessoas. Graças ao trabalho de limpeza e conscientização sobre os pontos críticos, que são locais em que as pessoas costumavam jogar os entulhos por conta própria, além da campanha dos entulhódromos, estamos, sim, tendo uma grande adesão por parte da população e dos carroceiros. É importante frisar que esses entulhódromos são para descartes de pequenos resíduos e não para grandes volumes como, por exemplo, costumam descartar as construtoras. Neste caso, o descarte correto é no aterro controlado da Codin. Do que se trata esta ação civil pública instaurada pelo Ministério Públi-

Quais são os desafios que o Sr. tem para o decorrer do mandato? Implantar mais cinco entulhódroco que o Sr. citou há pouco? mos. Uma nova unidade está sendo Trata-se de um inquérito instaura- organizada no Parque Julião Nodo na gestão passada para apurar a gueira para atender também aos responsabilidade do Município de moradores de Nova Brasília, PecuáCampos sobre a gerência do entulhó- ria, Parque Corrientes. O espaço foi dromo do Parque Aurora porque ele cercado, falta fazer a terraplanagem ficou abandonado e construir um e, com isso, a popequeno espaço pulação continuou para abrigar o descartando lixo. material recicláComo não havia vel que também manutenção e ore Graças ao trabalho de recebemos dem, imperava a destinamos às presença de ani- limpeza e conscientização cooperativas. A mais, mau cheiro obra do Julião e outros incômo- sobre os pontos críticos, Nogueira está de dos à população. 50% a 60% conAssim que a nova que são locais em que as cluída. Os ougestão assumiu, fo- pessoas costumavam jogar tros desafios são mos comunicados construir três sobre a ação, nos os entulhos, temos adesão novos P.E.V.Es, comprometemos em Ururaí, Goyda população e com o Ministério tacazes e TravesPúblico em resolsão. dos carroceiros ver a questão. Resolvemos de fato O Sr. acredita e, hoje, a ação encontra-se arquivada. que a criação destes entulhódroFoi arquivada, inclusive, pelo saudoso mos resolve o problema estrutural promotor Marcelo Lessa. da sujeira da cidade? Ameniza o problema. Resolver, só O Sr. Pode detalhar mais o funciona- quando conseguirmos a consciênmento dos entulhódromos? cia plena da população de que o Sim. Quando falamos em entulhódro- lixo precisa ser descartado corremos falamos em disciplinar o ponto tamente. Às vezes, temos uma pocrítico, só que não temos como fazer pulação que quer fazer o descarte entulhódromo em todo ponto crítico, correto, mas, muitas vezes, dentro pois, para ter entulhódromo, temos da própria casa não tem condições que dar suporte, inclusive para fazer a mínimas de limpeza e higiene... retirada do material entregue pela po- imagina dar o destino correto aos pulação e destinar para o aterro con- entulhos? Vamos em busca desta trolado da Codin. Ou seja, é necessária transformação, mas não é tarefa uma rotatividade, pois o entulhódro- para curto prazo.



PÁGINA

11

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Nunca foi tão urgente cuidar da saúde mental

Saúde

Fotos: Carlos Grevi

O Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas depressivas, de acordo com a Organização Mundial de Saúde Cíntia Barreto Desde 2014, acontece em todo início de ano a campanha Janeiro Branco, que visa trazer à luz a necessidade dos cuidados com a saúde mental. Ela foi criada por um grupo de psicólogos de Uberlândia (MG) e acontece neste período por as pessoas entenderem que um novo ciclo se abre. “No início de ano, a gente tende a criar metas, refletir, analisar a nossa vida, então a campanha é feita nessa época porque as pessoas normalmente sentem uma sensação de novidade, de esperança. O nome é justamente Janeiro Branco por considerar que o primeiro mês do ano é como uma ‘página em branco’, onde a pessoa pode recomeçar, recriar, escrever uma nova história”, explicou o psicólogo João Luís Bóvio. Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), desde o início da pandemia do novo coronavírus, grande parte da população vem sofrendo várias questões que afetaram e ainda atingem a saúde da mente. E hoje, mesmo a vida voltando ao normal, ainda é preciso aprender a lidar com

Psicólogo | João Luís Bóvio diz que terapia é importante para equilíbrio

Isolamento | Pandemia trouxe à tona problemas emocionais que afetaram a saúde mental dos brasileiros

tais questões. “A pandemia fez eclodir tudo aquilo que estava escondido. E, como passamos a conviver mais com os nossos familiares e, principalmente, com nós mesmos, lidar com tudo isso se tornou ainda mais difícil. Com isso, alguns conflitos surgiram, casais se separaram, e muitas pessoas precisaram procu-

rar apoio de um profissional. Percebi que a partir disso aumentou significativamente a procura por ajuda psicológica”, avaliou o psicólogo. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmam que o Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas depressivas. Além disso, o país possui ainda

maior prevalência de ansiedade no mundo. “Eu percebo no consultório que um dos principais problemas que atingem as pessoas é a dificuldade em lidar com o erro. E parece que estão sempre em busca por uma perfeição que não existe. Em geral, querem ser perfeitos na escola, no trabalho, na vida amorosa,

na vida profissional, enfim, na prática é humanamente impossível. Por isso é tão importante um acompanhamento com um profissional, para que o indivíduo possa se escutar, se conhecer e se entender”, afirmou João Bóvio. Outro fator que preocupa, segundo o especialista, e que pode estar contribuindo para o adoecimento emocional de muitas pessoas, é o mundo paralelo das redes sociais, onde a vida do outro parece ser perfeita. Nesse universo superficial parece que não há problemas, nem dificuldades no dia a dia e que todos estão sempre felizes. “Eu não vou demonizar as redes sociais, mas existe, sim, uma comparação com o outro a partir delas. As pessoas olham a vida do colega ou de

algum artista e se comparam. A vida na Internet é aparentemente perfeita. Nas fotos, os corpos são sarados, as pessoas estão viajando, o relacionamento delas parece feliz e, enfim, a partir disso surgem vários questionamentos do tipo: por que minha vida está assim? A vida do outro é melhor!”, reflete o psicólogo. Para especialistas no assunto, nunca foi tão urgente cuidar da saúde mental por esses fatores citados acima e entre outros. Mas eles destacam que ter uma mente saudável também está ligado ao bem-estar físico, emocional, psicológico e social de um indivíduo. E esse equilíbrio pode ser adquirido principalmente através do autocuidado: fazendo terapia, praticando atividade física, mantendo hábitos saudáveis.


12

PÁGINA

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

@graudistribuidora

@aeroviastur

Trem da vida!

Wanessa e Rafael Corrêa

Joice Bonfá

Géssica Motta e Robertinha Pedra

Fotos: Arquivo do colunista

Atenção senhores passageiros! Está na hora de renovar o passaporte! Estaremos dentro de pouco tempo, começando mais uma viagem, com um tempo previsto em todo o trajeto de 365 dias. Carimbem o passaporte, definam o destino e embarquem na plataforma 2022. Quem tiver mágoas, ressentimentos, pendências e tristezas antigas na bagagem, favor descarregá-las no Balcão 2021, ao lado dos banheiros. Recomendamos o uso dos sapatos da boa vontade e as camisas do otimismo, evitando, durante a viagem, as saias justas da competitividade insana e os nós da gravata da ambição desenfreada. Os passageiros que portarem sorriso nos lábios, coração aberto e mãos prontas a construir terão assento preferencial ao lado da janela da felicidade. Solicitamos a todos que apertem o cinto da esperança e recomendamos que ninguém, em hipótese alguma, utilize a saída de emergência durante a viagem. Caso haja períodos de turbulência, mantenham a calma e a confiança no piloto desta aeronave, o Grande Comandante Universal, o nosso Pai. Em qualquer situação de medo ou desespero, contem também com nosso atendimento de bordo realizado permanentemente por nossos anjos do espaço que estarão ao lado de cada passageiro. Recomendamos duran- Narcisia Cordeiro te todo o trajeto, atitudes de solidariedade, de atenção e carinho, principalmente, com as crianças e idosos, o que garante a participação em nosso programa de milhagem. A todos, uma excelente viagem! Coluna especial de hoje mostrando onde essa galera querida curtiu a chegada de 2022. Abração, turma. Paz de Cristo e até domingo que vem. Fui!!!

Toninho, Alexandre e Rita Bicudo

Heitorzinho e Fernanda Passos

Lucas Ranfer

Karlinha Ferreira

Ronaldo Paixão e sua mãe Vera

Marcinha e Claudinho Duarte

Luis Artur Viana e Camila Quitete

Rick Paes

Viviane Amaral, Mariana e Maurício Nani

Camila Muniz e Pedrinho Bernardez (Paparazzi), na Guilherme Cassiano e Chris Laterça, Digão e a Rayssa Peixoto vibe do Antara, em Guarapa Graziela Aquino Cruz gatinha Sophia

Binho Dutra e Linda Mara Silva Giselle Kury

Joana Abreu e Diego Tavares

Rodrigo Barbosa e Milena Dodde

Ana Lila e Marcelo Garcia

Ramon Zapata

Renatinha Passos

Flavinha e Rodrigo Bittencourt

Ana Aguiar e Romeo Casarsa

Irene Lannes, Juninho Oliveira e Antonela linda!

Guto Barreto

Ana Moll, Tiago Abud com Théo Afonso Oliveira e e Yan Larissa Magalhães

Luiza Godoy, Igor Pitta e espera Marina Bechara e da pequena Estela Felipe Garcia

Geraldo Rangel e Monique Barcelos

Joana Cabral

Rogério Venâncio e Bárbara Caroline

Renatinha Jorge e Filipe Liana Menezes Bousquet Francisco Navega Paula e Emanuel Oliveira Estefan

Suellen, Rafael, Rafinha e Rafaelzinho Guimarães

Rildo Ribeiro Jr.

Maurício Puppe e Fernanda Vilaça


Chegada | Devotos participam da

primeira missa à meia noite

Caminho de Santo Amaro Fé e devoção em quase 40 km de caminhada

No dia 15 de janeiro acontece a 289ª edição da Festa, com missas e cavalhada Gabriela Lessa A Festa de Santo Amaro reúne tradição e fé, sendo um misto de devoção, história e espetáculo. Marcada pela data 15 de janeiro, o evento mobiliza muitos campistas a peregrinarem pelo percurso de cerca de 40 km, partindo da Praça do Santíssimo Salvador, no Centro de Campos dos Goytacazes, até Santo Amaro, 3º distrito do município. A programação para a 289ª edição teve início no último dia 6 e vai até a data oficial, com novenário, missas e a tradicional cavalhada. Segundo o assessor da Diocese de Campos, Ricardo Gomes, a tradição da festa e da devoção ao Santo Amaro teve início em 1648, com a chegada dos monges beneditinos, vindos de Roma, na Itália. “Frei Fernando trouxe da Bahia a imagem para Campos, que iniciou a devoção, mas em 1733 a festa começa, com a construção da capela primitiva no local onde está a igreja hoje, que passou por ampliação de 1854 a 1857. Aos poucos, essa devoção se expandiu por toda a cidade de Campos e Estado do Rio e se tornou uma das grandes festas religiosas, recebendo devotos de todo o Brasil”,

Na estrada | Romeiros no trajeto de Campos a Santo Amaro

Festa | Serão onze missas, sendo a das 11h presidida por Dom Roberto Francisco explica. Um desses devotos é o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Campos (CDL), Edvar Chagas, que faz a caminhada até Santo Amaro há três anos. “Além do sentimento de fé, o percurso nos passa muita emoção com a participação da comunidade, além dos pontos históricos, que mereciam maior destaque. A fé nos dá força para realizar essa jornada de devoção. Percorro o caminho até a igreja e uso um cajado, que favorece a circulação de sangue nos braços”, compartilha. Os peregrinos fazem o trajeto para agradecer pelos milagres vividos e pela intercessão de Santo Amaro. O empresário Joilson Barcelos, de 58 anos, já fez a caminhada por oito vezes e desabafa dizendo que só conse-

gue pela fé, pois é um caminho muito longo. “A caminhada é feita por uma conquista recebida, que veio através da fé. Por mais que a gente canse no meio do caminho, vem a esperança ao coração, em decorrência do milagre alcançado, que parecia impossível, mas, diante de Deus e intercessão de Santo Amaro, houve a conquista. Então eu persisto!”, fala. Apoio aos romeiros Segundo a Prefeitura de Campos, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo está terminando de montar o esquema da Caminhada de Santo Amaro, mas adianta que o Município estará presente na celebração, como em todos os anos. Um mutirão de limpeza foi iniciado no distrito, para receber os romeiros e devotos.

Joilson Barcelos | Vai para a 9ª caminhada

Edvar Jr. | Emoção e fé no caminho

O Grupamento de Resgate Voluntário (GRV) também disponibilizará apoio, em colaboração com a Prefeitura e o sistema de emergência municipal, o qual é integrante. Segundo Emílio Martins, coordenador do GRV, eles participarão com a equipe e ambulância, como fazem desde 2017. “O apoio é iniciado ao entardecer do dia 14, seguindo pela madrugada afora, havendo troca de equipes no dia seguinte e continuando até final da tarde do dia 15”, informa. Emílio Martins explica que as emergências que mais acontecem envolvem crises hipertensivas, desidratação, bolhas nos pés, cãibras, mal súbito, atropelamentos, quedas de bicicletas, cortes, entre outros. Então, ele deixa algumas orientações: “É importante usar calçados confortáveis

para caminhar, alimentação leve, roupas leves, se hidratar, programar seu tempo de saída; se possível, utilizar roupa ou algum objeto refletivo; se utilizar moto, carro, bicicleta ou veículos de tração animal, redobrar o cuidado, obedecer a circulação, respeitar principalmente os romeiros que caminham a pé. É um momento de fé, não é uma prova de resistência, velocidade”, pontua. Programação • Dia 15 de Janeiro (sábado): - Missas: 00h, 1h30, 3h, 5h, 7h, 9h, 13h, 15h, 17h e 19h, na igreja de Santo Amaro. A missa das 11h será presidida pelo Bispo de Campos, Dom Roberto Francisco. - Às 15h: cavalhada

Cavalhada Uma das características da Festa é a tradicional Cavalhada, que é uma manifestação cultural e retrata a pacificação entre os povos. De acordo com a escritora e pesquisadora de cultura popular Gisele Gonçalves, a cavalhada em Campos é a única em atividade no Estado do Rio de Janeiro. “É, sem dúvidas, extremamente relevante para a nossa cultura local e regional, já que sua encenação atravessa os séculos e persiste. A apresentação ocorre na tarde do dia 15 de janeiro e conta com 24 cavaleiros (12 mouros e 12 cristãos), sendo as vestes vermelhas para os mouros e azuis para os cristãos. Ela representa o povo da Baixada Campista, a memória coletiva, a cultura que se expressa nos detalhes, desde as vestes até o adestramento dos animais. É um legado passado de pai para filho, que se manifesta no dia a dia dos cavaleiros, das artesãs e famílias envolvidas”, conta Gisele. Essa tradição faz parte da história da família de Wanderson da Silva, que tem 24 anos e participa da cavalhada desde os nove. “A tradição da família começou pelo meu avô, passou para o meu pai e agora está em mim. Durante 30 anos meu pai correu como capitão da cavalhada. Se Deus quiser, a tradição será mantida nas próximas gerações da nossa família”, diz.



PÁGINA

03

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

@priscylabezerra

CURTO, TRANSPARÊNCIA E METAIS.

RECORTES, CROCHÊ E LONGOS

@lumacostaa

@ingridcoutinhor

OS MELHORES DA

VIRADA

@thassianaves

A Bahia tem seus encantos (isso eu tenho certeza) e começar 2022 com pé na areia pelas praia do nordeste é sem dúvida inesquecível! Selecionei meus preferidos desta virada e tenho certeza que vocês irão amar! Seguraaaaa essas deusas ousadas! Feliz 2022!!!

RECORTES, FENDAS E BRANCO.

@silviabraz

INSTAGRAM

Virada com meus Amores.

@leturano

@nativozza

BRILHO NO PRATA.

@lelesadi

@anaclaudiasachetti

MEU DIÁRIO DE FÉRIAS | @PRISCYLABEZERRA

Pedal com vista | Marataizes

BT dia sim dia também | o melhor das férias. Leitura e descanso.

Diversão em família = uma comilança sem fim !



PÁGINA

05

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

@miisoares_

HELLO A

CORTININHA O modelo cortininha já é um clássico dos verões brasileiros, mas no Hemisfério Norte, o beachwear só ganhou força esse ano, nos looks das maiores fashionistas da atualidade. Além de ser um item indispensável nos dias mais quentes do ano, ele é o melhor modelo para tomar sol.

Verão

chegada da estação mais quente de todas serve como uma virada de chave poderosa em nosso estilo, mood e até comportamento, fazendo tudo mais colorido, divertido e experimental. Mas, ao que tudo indica, neste ano os clássicos irão dominar. Apesar do verão já carregar todo um espírito mais leve e divertido, os modelos de biquíni tendência do verão 2022 possuem modelagens mais clássicas, com uma pegada democrática e coringa, que funcionam para todos os estilos e tipos de corpo. Você acreditaria se dissermos que o cortininha foi o modelo mais usado no verão do Hemisfério Norte? Pois é. Para te provar que o mood desse verão é nos clássicos indispensáveis, separei seis modelos de biquíni que todo mundo vai desejar nos próximos meses. A cantora Anitta aposta no tradicional cortininha tomara que caia

MEIA TAÇA Um dos modelos de biquíni que mais veremos a partir de agora é o meia taça. Com modelagem vintage e alta sustentação, o biquíni é perfeito para quem tem seios grandes. Seja estampado ou liso, o modelo promete ser uma grande tendência da estação.

NECK TIE O neck tie é a junção do cortininha com o tomara que caia e é outro dos modelos de biquíni que mais veremos no verão 2022. Ele une o melhor dos dois mundos, com o estilo do tomara que caia e a sustentação do cortininha.

Alessandra ambrosio apostou no classico tomara que caia

AMARRAÇÃO A cortininha com amarração corporal já fez parte de algumas produções durante o verão passado, mas ao que tudo indica é um dos modelos de biquíni que mais estarão presentes nos looks veranis das fashionistas nesse final de ano. Apesar de não ser o mais recomendado para tomar sol, não dá pra negar que ele é mega descolado.

TOP O biquíni que se assemelha quase a um top de academia é outro dos modelos de que todo mundo vai usar no verão. O top é super confortável, democrático e coringa, podendo ser usado também como cropped.

ONE - PIECE O beachwear one-piece também é uma das grandes tendências das próximas estações. O maiô é definitivamente o item mais sofisticado possível para ir à praia ou piscina, além de ser mega versátil, podendo ser usado com shorts, saias ou calças.


PÁGINA

06

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Especial Terceira Via fala sobre as consequências da pandemia da Covid-19 Entre os setores mais afetados com a Covid-19, a Cultura e a Educação foram os mais prejudicados. Com a pandemia mais controlada, esses segmentos aguardam um 2022 mais ameno. No programa desta semana convidamos o secretário de Educação, Ciência e Tecnologia Marcelo Feres, a atriz Katiana Rodrigues e o músico Chico Puret. Eles fizeram um balanço dos últimos anos e falaram sobre as expectativas neste novo ano. O Especial Terceira Via inédito vai ao ar nesta segunda-feira, às 21h30.

Programa Cuida-se Bem aborda a campanha do Janeiro Branco

Nesta semana, o Cuide-se bem traz uma pauta importante a ser discutida neste período de início de ano: a campanha Janeiro Branco, que tem como objetivo alertar a sociedade sobre a importância de cuidar da saúde mental. Segundo a Organização Mundial da Saúde, o Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas depressivas. Além disso, o país possui ainda maior prevalência de ansiedade no mundo. Para falar sobre este assunto, a apresentadora Cíntia Barreto conversou com o psicólogo, João Luís Bóvio. O Cuide-se Bem vai ao ar às 09h desta quinta-feira, mas você pode assistir em outros horários também. Basta acessar o site tvterceiravia.com.br.

Ainda bem que temos Ano Novo

Início de um novo ano. Trezentos e sessenta e cinco dias para escrevermos história. Ou seria para continuarmos a que começamos lá atrás? Acredito na segunda hipótese. O tempo, esse grande mestre, finge em se dividir em segundos, minutos, horas, dias, meses e anos para nos lembrar de que podemos recomeçar de onde paramos ou continuar o percurso em outras bases, com outras cores. É uma possibilidade e tanto que ele nos dá, pois fica a sensação de novidade, de poder fazer diferente. Porém, na verdade, lá está nosso velho eu com suas inquietações e teimosias antigas. Isso sim precisa ser trabalhado incansavelmente a cada renascer do sol. Não importam ano e dia. Contudo estão valendo todos os votos de “Feliz Ano Novo!”, “Boas Festas!”, “Feliz ano todo!” e mais. Valem na medida em que, de certa forma, nos induzem a uma parada na estação ESPERANÇA. “Esperançando” dias melhores, sem pandemia, sem carestia como diria meu pai. Se não fosse essa desvairada e bem aventurada esperança, não suportaríamos o peso da existência. Não é leve, sabemos. Mas como guardamos não sei se em algum lugar do passado ou nas dobras da nossa alma, a certeza de que há uma segunda chance, um outro lugar, um momento ruim que vai embora, um remédio, uma vacina eum abraço, tudo passa e o sorriso vem largo. Tudo se ilumina e a gente se ilumina junto. São os momentos felizes. É bem como nos diz o grande poeta Mário Quintana na poesia Esperança cujo trecho transcrevo: Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano Vive uma louca chamada Esperança E ela pensa que quando todas as sirenas Todas as buzinas Todos os reco-recos tocarem Atira-se E _ ó delicioso voo! Ela será encontrada miraculosamente Incólume na calçada, outra vez criança... (...)( Mário Quintana – Poesias – Ed. Globo)


PÁGINA

07

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

oliviaassed_dermato

Dra. Ângela Vieira, Dr. Sérgio Queiroz em Brasília visitando a filha, a médica Dra. Marcela Vieira e o marido Dr. Márcio Andrade - ambos campistas que estão brilhando no Hospital Sarah Kubitschek com a filha Manuela, à espera de Matheus. Foram também o Dr. Vítor Mudesto, e a Dra. Fabiola Vieira, com os filhos Guilherme, Alice e Maria Eduarda.

A competente dermatologista Dra. Fernanda Sobral com o maridão Dr. Murilo Munaldi na virada de ano em Guarapari.

O cirurgião Dr. Bruno Carvalho e a médica pediatra Dra. Bruna Carvalho com os filhos Pedro e Henrique em Marataízes na casa da família.

Feliz

Mais uma competente colega dermatologista Dra. Laura Terra e AbduNeme com os filhos Maria e Abdu comemorando a virada na Aldeia da Praia em Guarapari.

2022 A endocrinologista Dra. Fernanda Rodrigues Bernardi e Saule Bernardi com os filhos Helena, Vicente e Isadora aproveitando a o réveillon em Búzios.

Dr. Delier Rodrigues Júnior e a angiologista Dra. Paloma Miguel com sua filha Beatriz em ares cariocas.

A pediatra Dra. Laura Machado e o promotor Dr. Bráulio Gregório com a linda recém-chegada Beatriz.

A também competente dermatologista Dra. Nathália Bastos com o marido Dr. Guilherme Falcão e as filhas Sofia e Isabela curtindo a virada de ano em família.

Bem-sucedido casal de médicos oftalmologistas, que recém inauguraram mais um novo serviço de excelência em oftalmologia na cidade. Dr. Pedro Moraes e Dra. Luiza Assed no condomínio Porto Bello em Mangaratiba.

Dra. Luiza Beliene e Guilherme Quitete com a filha Helena na virada de ano em Atafona.

O nefrologista Dr. Luiz Otavio Motta e sua esposa Mariana Lontra Costa com os filhos Maria Eduarda e Pedro Otavio na Aldeia da Praia em Guarapari.

Os Drs. Rodrigo Lira e Marusa Silva comemorando os 15 anos de casados em Guarapari.

O cirurgião Dr. Rogério e Dra. Luana Bicalho com as filhas Manuela e Paloma em Guarapari.

O anestesista Dr. Rafael Abud e sua esposa Natália Assed com os filhos Rafael e Mariana na virada no Porto Bello em Mangaratiba



PÁGINA

09

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Animadíssima a virada de Laura Terra e Abinho Neme em Guarapari

A chegada de 2022: Verinha e Paulo Assed Estefan e família

Feliz 2022

O término de um ano e o começo de um novo sempre trazem reflexões acerca das decisões e trajetórias profissionais e pessoais vividas nos últimos meses e, nesse momento, muitos profissionais almejam um equilíbrio maior entre esses dois âmbitos da vida. Com a recessão da economia, aumento do desemprego e a insegurança devido à pandemia do covid-19, as pessoas estão muito mais preocupadas em economizar dinheiro para que consigam ter um planejamento financeiro mais flexível em 2022. O cenário cada vez mais tecnológico, globalizado e rápido exige que estejamos sempre atualizados. Isso faz diferença na hora de realizar os sonhos. Preocupar-se com a saúde passou a ser prioridade depois do surgimento da pandemia do coronavírus, por isso esse tema estará em evidência. Consumir algo novo é um desejo, mas precisamos de cautela para não ocorrerem excessos ou prejuízos financeiros. Relaxar e divertir-se em um lugar diferente não deixou de ser um dos objetivos dos brasileiros para 2022. Depois de tanto tempo de isolamento, e com o avanço da vacinação, surgem oportunidades para realizar.

Michelle e Obama esbanjando boas vibrações para 2022

Betina e Rogério de Carvalho Brito vibrantes com a chegada de 2022 no condomínio da Moringa, em Cabo Frio

Graziella e Guilherme Cassiano curtindo a virada em família com toda energia de Atafona

O mercado empreendedor vem se aquecendo e tem chamado a atenção. Muitos empreendimentos chegam para atender demandas. Vamos ficar atentos. O espaço deseja aos fiéis leitores que os sonhos se realizem e que caminhem com fé e esperança em mais um novo ciclo que Maria Amelia e Carlinhos Boynard com se inicia.

filhas e netos na casa em Atafona

Thaís é Pedro Assed com a filha Maria Sofia cheios de energia para 2022

Réveillon animadíssimo promovido por Carla e Aurélio Lopes, em Búzios

Tetê e Eraldinho Bacelar recebendo na virada os amigos fiéis: Tetê e Guilherme Aguiar, Silvinha Salgado e Luiz Fernando Tinoco, Mirian e Betinho Moll, Neila e Miguelzinho Ramalho, Gugu Ramalho

O badalado Réveillon de Neymar Jr.

Tassiana e Wladimir Garotinho com os filhos Gabi e Anthony Neto. “2022 será o ano da virada”

A animadíssima família Assed em Angra, chez Fátima e Elias Assed

Silvia Braz em badalada festa em Trancoso

Beth Aguiar Corrêa com as filhas Olguinha, Raquel e Isabel

Paulinha e Antônio Simões com os filhos Theo e João curtindo Manguinhos, em Búzios


PÁGINA

10

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022


PÁGINA

11

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Na primeira edição de 2022 do O Jornal Terceira Via, a nossa coluna social traz energia positiva. Feliz Ano Novo! Que a Paz, o Amor e a Saúde estejam presentes em todos os dias do ano.

Carla e Frederico Paes com a bela família

Ana Márcia Alves

Guilherme Cassiano e Graziella Aquino Cruz

Lúcia Alves com suas filhas princesas Príscila, Juliana e Michelle Laila Aragão e David Gonzales

Foto: Alex Siqueira

Pedro Assed e Thaís com a linda Maria Sofia Luciano Freitas e Fernando Mesquita com Alex Siqueira Karine Marinho

Renata Vilaça Batista

Leila Terra

O aniversariante do dia 1º, Arthur Marinho com Sandra Rangel e as filhas Sophia e Victória

Martha Hisse

Foto: Alex Siqueira

Manu Paravidino

Cicinha Chagas e Isabela Mayerhofer

Paola Ribeiro Santos

Rodrigo de Souza Campos e Christiana Suelen e Rafael Guimarães Mitsi Laterça Kathia e Rogério Quitete

Patrícia Daldegan

Foto: Alex Siqueira

Elys Siqueira Trindade

Carolina Paes

Sheila Bragança Pereira

Laura Neves

Noélia Cristina Alves

Foto: Alex Siqueira

Renata Passos e Maxmiliano Cordeiro

Ariuza Kury Izar

Júlia Santos Neves

Foto: Alex Siqueira

Arlinda Miranda

Rodrigo Barbosa e Solange Rogélio Santos e Ketelly Velasco Lamônica na doce espera



PÁGINA

13

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

GENTE BACANA QUE É SEMPRE BOM VER POR AÍ EM FAMÍLIA

Foi entre família e poucos amigos o réveillon de Lia Mirian Aquino Cruz na casa de Atafona, onde a filha Graziella festejava o primeiro réveillon casada com o seu príncipe consorte Guilherme Cassiano. Eles amam aquele lugar que guarda histórias e muitas lembranças significativas para a família Aquino. A meia noite teve brinde com desejos de um feliz ano novo e uma ceia caprichada com menu tradicional a base de pernil assado e arroz com lentilhas, salada tropical, purê de banana da terra,... João Pedro, filha de Grazi, também se uniu ao grupo, assim como os íntimos Suzana Ferreira Paes, Anny Gomes, Allana e Pedro Antônio Crespo Lima, Thais Yano,... Lia Miriam Aquino Cruz

Graziella e Guilherme Cassiano, ano novo, vida nova

CHAPÉU DE SOL

Bianca e Assis Inojosa botaram pra quebrar. Agitaram a casa de Chapéu de Sol com réveillon animado ao som de Nagela Ferreira e banda e tudo mais. Um open bar foi erguido para atender aos convidados com drinks criados com frutas da estação e uma pista de dança preparada para a diversão total, mesas e ambientes decorados, imperando o azul. Coquetel dos melhores. O casal era ajudado nas atenções pelas filhas Gabi e Bruna e pelo genro Arthur. Do Rio veio a irmã Claudinha Gonçalves Leal com os filhos Chris e Gabriel. Júlia Santos Neves em noite de festa

LOGO ALÍ

A vinda da atriz Larissa Manoela e do ator Rafael Vitti até Quissamã, foi gravar cenas da nova novela da Rede Globo. Usaram muitos cenários do lugar para contar pontos positivos com os telespectadores. Toda a equipe foi super bem recebida pela secretaria de turismo da cidade.

LUTO

Muito triste a notícia do falecimento de Edmundo Waked, engenheiro, empresário e marido de Rosana Venâncio Waked, querido da nossa tradicional sociedade, que deixará saudades na família e entre os amigos. A coluna se une à dor da família.

CHEGA PRA CÁ

O estilista Silvio Cruz chega no próximo dia 18 para uns dias entre nós. Ele vem para cumprir agenda de trabalho em Campos e para se reunir com alguns amigos que o aguardam para um brinde de novo ano. A temporada de calor e praia vai levá-lo a conhecer nossos balneários, onde já está sendo esperado por gente da moda local.

BELEZA NEGRA

Acontece nesta terça-feira, dia 11 de janeiro, às 18h, no Museu Histórico de Campos, a eleição da Beleza Negra 2022, feminino e masculino, promovida pela Prefeitura de Campos dos Goytacazes, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Social, Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima e coordenado por Ruan Barros, Nelcimar Pires e este colunista. O vencedor receberá o prêmio de 1.000 reais e brindes de patrocinadores.

Claudinha Nogueira Leal com a irmã Bianca e Assis Inojosa com a filha Bruna e o genro Arthur Bianca Inojosa

Izabel Aguiar, no réveillon dia Inojosa em Chapéu de Sol

CENA

O espetáculo A.Sal.Ariados será reapresentado em março depois do sucesso que foi na sua temporada em dezembro no Teatro de Bolso. Desta vez o cenário será em frente ao Museu Histórico de Campos, com os alunos do curso de capacitação teatral Letras e Movimentos, que é coordenado pelo assessor de comemorações artísticas, Guilherme Freitas. Desta vez homenagearão ao final do espetáculo a cultura do Boi Pintadinho.

SANTO AMARO

Toma conta do salão de exposição do Museu Histórico de Campos a exposição de Santo Amaro, para contribuir com os estudiosos e curiosos que buscam informações sobre a festa do padroeiro da baixada e sua tradição, que se comemora no dia 15 de janeiro. Fotos, quadros, roupas antigas das cavalhadas, imagens do santo,... riqueza em detalhes inseridas na exposição cultural e religiosa.

O BACANA

O promoter campista, Junior Cabral, que escolheu o Rio para morar e construir trabalhos bacanas e novos amigos que vai levar para a vida toda, tem vindo a Campos para matar saudades dos familiares e amigos que aqui deixou. Vem também prestigiar eventos como fez com Sandro Moura e Wesley Safadão. Junior surgiu por aqui na companhia do policial e vereador carioca Gabriel Monteiro, aquele que faz sucesso nas redes sociais com suas imagens e vídeos de denúncias de vários segmentos e que usa sua voz e força digital para ajudar os que clamam por socorro e justiça. Lá estavam eles no camarote vip do evento com direito a serem recebidos pelo Safadão e Sandro, da forma mais bacana possível. Júnior comanda várias festas e casas noturnas na Terra do Corcovado, tem amizade com um bando de gente famosa e sabe receber como Júnior Cabral com Wesley Safadão, Sandro Moura e poucos. Vamos ouvir falar muiGabriel Monteiro to nele ainda. É só aguardar.

Chics! Karla Assed Barbosa, com os filhos Raphael e Anna Luiza. Elas de Emílio Pucci e ele de Ricardo Almeida

PRATO FEITO

Querido Cláudio Campos reuniu amigos do peito para um almoço em sua casa em dias de final de ano. Ana Helena Gomes veio do Rio e Kátia Aguiar Bath confirmou na hora. Chico Aguiar não falta nunca porque é um dos mais esperados também. Cláudio preparou muitíssimo bem um fettuccine com camarão que é um dos pratos mais pedidos por todos. A conversa que rolava era da melhor qualidade, que combinava com o grupo reunido, bacana e alto astral.

O aniversariante da semana Gustavo Câmara, top dos tops


PÁGINA

14

09 A 15 DE JANEIRO DE 2022

Começamos!!!

E

nfim e para nossa alegria, começamos os trabalhos de 2022, e seguimos com pensamentos positivos e esperança. Na estação mais quente do ano, vamos destacar os campistas e é claro os seus destinos escolhidos. A temporada começou com eventos em toda região, mas Guarapari/Es tem sido o principal destino para quem curte bons eventos. Na última semana alguns artistas que se apresentariam no litoral capixaba, testaram positivo para a covid-19, e isso afetou completamente a programação da casa neste final de semana, um deles é o cantor Gustavo Lima que se apresentaria hoje no Café De Lá Music e cancelou toda sua agenda de shows. O Café em nota disse que a apresentação do cantor irá acontecer ainda nesta temporada. Bora com tudo, com respeito e principalmente pensando na nossa saúde e na saúde do nosso próximo e se você ainda não se vacinou, vale lembrar que a pandemia ainda não acabou. Vacine-se!

Depois de três confinamentos seguidos, Bil Araújo curte o seu litoral capixaba

Cultura

In Bacutia Lola, Maria Júlia Castelli, Walterzinho Sepulveda, Desire Ribeira e Irene Lane

Origens

Helio com seu primo Carlito de 91 anos e seu neto Gabriel de 03, a família continua viva e crescendo.

Luanna Pacheco

Janeiro chegou, e o Edital “EXPOMIS – Cultura, Educação e Memória” está com as inscrições abertas até o dia 17 de janeiro. Serão 7 projetos premiados, 3 no valor de R$ 100 mil reais e 4 de R$ 50 mil reais, totalizando R$ 500 mil reais. É hora de mobilizar parcerias e deixar a criatividade fluir. Fique ligado nas duas temáticas do Edital Cultural: Centenário da Rádio Transmissão no Brasil e Exposição Internacional do Centenário da Independência (1922), e participe do processo seletivo. Todas as informações sobre o Edital Cultural estão disponíveis no site do MIS RJ, www.mis.rj.gov.br e no site da SECEC, www.cultura.rj.gov.br

O ator e humorista Helio de La Peña um dos Cassetas e figura presente na teledramaturgia brasileira, esteve em Campos na última sexta, 07. O ator ficou hospedado em um hotel na Pelinca, mas a sua agenda contemplou mesmo o Quilombo de Macabu, no distrito de Dores de Macabu, região Sul de Campos. Após mais de 40 anos, Helio veio rever a família que ainda mora em quilombo. Em suas redes sociais, o ator escreveu em um stories; “A caminho de Dores de Macabu, vou reencontrar primos que não vejo há mais de 40 anos”.

Um viva para Lana Moreira!

Nubia Pourbaix aproveitando bem o seu cenário “Fazenda Santa Maria”


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.