Page 1

Foto: Carlos Grevi

CAMPOS DOS GOYTACAZES, RIO DE JANEIRO • 07 A 13 JANEIRO 2018

Nas bancas por R$ 1,50

NÚMERO 67

Nem tudo é show no Farol

Praia campista vai se adaptando à nova realidade de cortes nos grandes eventos Pouso do avião de Temer no aeroporto de Campos custou R$ 50 mil pagos pela Prumo

PÁGINAS 06 e 07

Loja do Espírito Santo especializada em eletrodoméstico fecha filial na 13 de Maio, mas mantém a principal

PÁGINA 04

Baianíssima

O ano que passou foi confuso e pouco produtivo na Câmara de Campos. Marcado pelo entra e sai de acusados de compra de votos, viu um Legislativo de composição instável, que se alterava a cada nova decisão da Justiça Eleitoral.

Kátia, uma campista com Salvador aos seus pés

CAPA

PÁGINA 05

Ficar ansioso diante de uma situação importante é uma atitude normal e que acontece com todas as pessoas. Essa angústia te afasta dos seus compromissos e, inclusive, de familiares e amigos trata-se um sinal de alerta. PÁGINA 07

Luta greco-romana cresce em Campos e a tendência é se tornar mais popular PÁGINA 09

5

TRENDS para arrasar no verão! PÁGINA 03


PÁGINA

02

07 A 13 JANEIRO 2018

Sol e mar são as grandes Verão na única praia campista promete ser de altos e baixos com os efeitos colaterais da crise financeira que vive o país,

Fotos: Silvana Rust

Patrícia Barreto/Marcos Curvello Com a chegada de 2018, a Prefeitura de Campos se concentra na programação de verão no Farol de São Thomé. O balneário que estava acostumado a receber grandes shows nacionais e arrastar multidões atrás dos trios elétricos está se adaptando à nova realidade econômica financeira. O modelo de parceria público-privada empregado no ano passado será repetido agora. E se 2017 teve uma programação majoritariamente esportiva, os shows voltarão a ocupar lugar de destaque no calendário — um edital foi lançado para selecionar os artistas que se apresentarão no litoral campista. Mas, mesmo com a possibilidade de economia para os cofres públicos e com um método mais técnico de escolha das atrações, o esforço é polêmico. Se, por um lado, garante a sobrevivência dos comerciantes locais, que dependem justamente dos ganhos desta época para se manter durante todo os anos, e a diversão dos veranistas; por outro, levanta questionamentos a respeito das prioridades do governo municipal, que ainda não quitou o décimo terceiro salário da maior parte dos servidores. O fato é que, faça chuva ou faça sol, janeiro é sinônimo de praia. E o principal destino dos campistas é Farol de São Thomé. As faltas de uma programação e de estrutura do litoral, dividem a opinião de quem pretende ir à única praia de Campos. Comerciantes locais e a rede hoteleira reclamam da falta de incentivo do governo municipal com o desenvolvimento turístico. Segundo eles, toda a rede terá prejuízos caso o governo não providencie nenhuma atividade atrativa para o balneário. Por outro lado, uma parcela de microempresários não concorda que a ausência, por exemplo, de shows e trios elétricos, traga prejuízos. De acordo com a Associação de Hotéis, Restaurantes e Similares, quem investir no cliente terá boas surpresas. "Existe um grupo que não deixa de vir a Farol, independente da programação. Inúmeras famílias preferem a tranquilidade, aproveitar o mar, a orla, o sol, os quiosques. No lugar da agitação de espetáculos nacionais ou locais, preferem a calmaria. A ocupação na rede hoteleira pode não ser 100%, mas há suas recompensas em outros setores”, afirmou Paulo Siqueira, que gerencia um quiosque na orla há dois anos. A polêmica também divide os moradores. Uns apoiam a continuidade de shows, outros preferem a paz. "A tradição de Farol são os trios elétricos. O mar eu tenho o ano todo. O prefeito tinha que voltar, pelo menos, com os trios (elétricos), para alegrar o povo que já está tão sofrido e massacrado", sugeriu a moradora do Xexé, Cleidi Oliveira. Fabiano Manhães é o gerente da Unidade Pré-Hospitalar (UPH) da praia campista. Há 18 anos trabalhando na unidade, ele também concorda que um verão sem

Crise econômica o balneário que recebia grandes shows nacionais e trios que arrastavam multidões está se adaptando à nova realidade shows suntuosos é bem menos violento. “Em janeiro de 2017 não tivemos registros de atendimentos a vítimas de arma de fogo ou arma branca, por exemplo. A unidade (hospitalar) está preparada para receber, tanto os moradores quanto a todos os turistas. O estoque de insumos – que estava normal – foi reforçado pela Secretaria Municipal de Saúde. Disponibilizamos, ainda, duas ambulâncias para qualquer tipo de ocorrência médica. Para os Bombeiros, a UPH é ponto de apoio. Sem shows ou trios (elétricos), os ânimos ficam menos exaltados. Todos se divertem com paz e tranquilidade”, admite o gerente. Em nota, a Superintendência de Comunicação (SupCom) da Prefeitura de Campos informou que “toda programação vem sendo desenvolvida através de parceria com a iniciativa privada. Por enquanto, não há previsão de trio elétrico. Estamos aguardando algumas respostas para oficializar a programação completa e atender às demais secretarias.

Os agentes aplicam larvicida, cobrem caixas d’água e recolhem tudo que pode se transformar em criadouros de mosquito. “No verão, o cuidado deve ser redobrado. Até uma tampa de refrigerante descartada de forma inadequada pode virar um criadouro”, informa o coordenador do Programa de Controle da Dengue do CCZ, Claudemir Barcelos. Lagamar O Parque Balneário Lagamar situa-se na localidade de Lagamar, em Farol de São Thomé. A comerciante Leda Maria tem 72 anos e há 18 tem um quiosque no local. A área foi inaugurada ainda no governo de Dr. Arnaldo, em 1999. Ela lamenta o abandono do poder público. “O Lagamar sempre foi um lugar muito procurado na alta temporada. No final da tarde, famílias continuavam ainda no local aproveitando a água ‘mansa’. Mas, de uns anos pra cá, o espaço deixou de ter a manutenção adequada pela prefeitura e hoje está completamente deteriorada. Gostaria de saber para onde vai o dinheiro da taxa que

Mutirão os agentes identificam os criadouros Ação do CCZ O Farol de São Thomé também foi incluído no mutirão do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) que a Prefeitura de Campos faz durante todo o ano nos bairros da cidade. Segundo a diretora de Vigilância em Saúde, Andreya Moreira, não há motivos para pânico, uma vez que, a situação está sob controle. "É muito importante que toda população participe desta ação, já que as ações preventivas são tão importantes para evitar focos do mosquito", explica.

Balneabilidade segundo Inea a praia de Farol está apta para banho em toda sua extensão

BOLETIM DE BALNEABILIDADE DE PRAIAS - CAMPOS - Nº15 - 19 de DEZEMBRO de 2017 PRAIAS

Farol de São Tomé

Lagoa Lagamar

PONTO COLETA

LOCALIZAÇÃO (*)

FS0004 FS0000 FS0001 FS0002 FS0005 01FS0000 01FS0001 01FS0002

Em frente a antiga torre de rádio Em frente ao Clube Náutico Em frente a Colônia de Pescadores Em frente ao camping Em frente ao Balneário Lagamar Porto Jet-Ski Em frente ao 2º quiosque Em frente aos coqueiros

CONAMA 274/2000 Própria Própria Própria Própria Própria Própria Própria Própria

Própria Própria Própria Própria Própria Própria Própria Própria

Balneabilidade Imprópria (CONAMA 274/2000) Se o último resultado for superior a 400 (NMP de Enterococos/100mL) ou se nas últimas 5


Especial

atrações do Farol 2018 mas aos poucos veranistas vão se acostumando com uma nova realidade sem os megashows das últimas duas décadas Fotos: Carlos Grevi

Programação de shows Até a última sexta-feira (5) não havia sido informada pela Superintendência de Comunicação da Prefeitura de Campos.

Saúde no litoral campista “Em janeiro de 2017 não tivemos registros de atendimentos a vítimas de tiro ou facadas, por exemplo. A unidade (hospitalar) está preparada para receber, tanto os moradores quanto a todos os turistas.” Fabiano Manhães, gerente do UPH.

“Sou peixeiro há 25 anos aqui em Farol e

posso garantir que uma programação com shows e eventos atraem, inevitavelmente, o público. Estamos apreensivos quanto à vinda dos turistas, portanto, a pesca será feita de acordo com o movimento”. Alex Andrade, peixeiro. UPH Farol - atende todo tipo de emergência 24 horas 2016 Janeiro – 12.577 atendimentos Fevereiro – 11.462 atendimentos 2017 Janeiro – 16.170 Fevereiro – 17.736

“Quando as pessoas ligam para fazer reserva, perguntam qual a programação de shows. Como ainda não sabemos porque a prefeitura não divulgou nada, as reservas não chegaram nem a 40%. É a única época do ano que temos para ganhar dinheiro”. José Barcelos, dono de restaurante e hotel

pagamos à Companhia de Desenvolvimento do Município de Campos (Codemca)?”. A comerciante questiona ainda o reajuste na taxa de utilização do espaço que antes era de R$ 102 e, em janeiro desse ano, foi para R$ 318. “Tudo bem que a prefeitura aplique um aumento na taxa desde que haja retorno. Não temos apoio nenhum do município. Nenhuma autoridade nos procurou para dizer se vai ter alguma show aqui no Lagamar. Parece que só existe a praia de Farol e o seu miolo. Adjacências são esquecidas”, lamenta Leda. Em nota, a SupCom também afirmou que “eventos serão realizados no Lagamar aos domingos. Parcerias estão sendo firmadas para os reparos emergenciais”. O parque, segundo o boletim do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), está próprio para banho. No entanto, Leda Maria mostra as condições da água. “Olha para isso. Olha essa sujeira na beira da lagoa. Quem tem coragem de entrar e se banhar? Quem vem aqui, desiste. E, nós, amargamos o prejuízo e esquecimento do governo”. Segurança Moradores e visitantes do Farol de São Thomé contarão com um esquema de segurança especial da Guarda Civil Municipal (GCM) durante toda a temporada de verão na praia campista. De acordo com o comandante da GCM, Wyllian Bolckau, foi disponibilizado um efetivo de 80 guardas para os fins de semana. “Teremos reforço no efetivo durante toda a temporada às sextas, sábados e domingos, oferecendo segurança aos visitantes e moradores”, completou o comandante. Ainda segundo Bolckau, neste período, o patrulhamento contará com sete viaturas, duas motos e dois quadriciclos que atuarão na areia, evitando o trânsito de veículos devido à ninhos de tartaruga do Projeto Tamar espalhados pela orla. Feira da Roça Durante todo o verão, turistas e moradores terão à disposição grande variedade de frutas, verduras e legumes produzidos sem agrotóxicos por mais de 80 pequenos produtores rurais. A Feira da Roça de verão estará presente em Farol de São Thomé todos os sábados, das 7h às 13h, na Avenida Atlântica. Os feirantes permanentes continuarão no mesmo espaço. Os frequentadores encontram produtos como banana, laranja, limão, maracujá, mamão, alface, couve, aipim, batata doce, abóbora, cenoura, tomate e abobrinha, além de queijos, doces de compotas, biscoitos caseiros, dentre outros.

“Quando esse parque foi inaugurado, isso aqui era uma loucura. Muita gente vinha pra cá, tomar banho e se divertir com tranquilidade. Ainda na gestão de Rosinha o espaço começou a ficar sem atenção do governo municipal. Uma pena porque aqui é tão bonito”. Leda Maria, comerciante no Lagamar

“Nem parece que é verão. Em outros anos, depois do Natal, a praia estava lotada de gente. Agora, olha onde estou? No quiosque de um amigo tomando uma cerveja porque no Xexé está tudo parado. Ao Deus dará. Esse governo me decepcionou”. Cleidi Oliveira, comerciante no Xexé “Meu quiosque funciona o ano todo. E, por esse motivo, tenho clientela fixa e certa no verão, mesmo sem uma programação com shows. O que conta, ao meu ver, é um bom atendimento e higiene do local. Verão é sinônimo de praia, sol e calor, independente de crise financeira”. Paulo Siqueira, gerente de quiosque “Meu comércio não depende da programação que a prefeitura lança. Sorvetes e picolés dependem somente da temperatura da estação. Se faz calor, eu vendo. Em 2017, não tive problema nenhum com a falta de uma agenda de eventos gratuitos.” Augusto Noronha, proprietário de sorveteria

“Moro aqui há 22 anos e, pela primeira vez, estou vendo a praia do Farol abandonada. Pelas ruas, muito lixo e entulho. Tem tanto mosquito que corre o risco de nos carregar, não vejo carro fumacê circulando. Nem a proximidade com o verão fez o prefeito voltar os olhos para a única praia de Campos”. Aldail Ribeiro, trabalhador rural

UBS Lagamar – assistência familiar e marcação de consultas

Transporte

Ônibus das empresas São Salvador e Turisguá – intervalo de 1h30 aproximadamente valor da passagem – R$ 2,75 Transporte alternativo – intervalo de 30 minutos valor da passagem – R$ 5

Camping

Localização – de frente para o mar Estrutura – churrasqueiras, banheiros femininos e masculinos, tanques, funcionários para limpeza e segurança para as famílias acampadas. Diária – R$ 10 por barraca e direito a uma pessoa. Acompanhantes – R$ 10 cada um desconto de 20% para hospedagem acima de 15 dias. Isenção das taxas de permanência – crianças menores de 10 anos e idosos maiores de 60.

Segurança

“Moramos em São Paulo e, nas férias, o destino certo é Farol, independente de programação de shows, pois nossa intenção é descansar. O Pedrinho gosta de ver o trio (elétrico) passar, principalmente quando o cantor grita ‘Alô Farol’. Diante da crise econômica é natural que o prefeito tenha que fazer alguns cortes”. Alessandra, Daniel e Pedro Rodrigues

Farol - efetivo de 80 guardas aos fins de semana Patrulhamento – sete viaturas, duas motos e dois quadriciclos que atuarão na areia.


Foto: Silvana Rust

PÁGINA

Editorial

04

Opinião

07 A 13 JANEIRO 2018

O segundo verão

O batismo de fogo de Rafael Diniz como prefeito de Campos foi o sol, o verão. Sem ter noção do que iria encontrar pela frente, o prefeito que não contou com uma transição no mínimo regular, nem pensou em programação de verão na praia do Farol de São Thomé, acostumada a agitos e ouriços caros, bancados pelo poder público municipal. No mesmo período o prefeito sem dinheiro e com coragem decidiu não realizar o Carnaval oficial, e o sambódromo em Campos mostrou sua cor branca de elefante. Agora, no seu segundo verão a administração Rafael Diniz apresenta uma programação que prestigia artistas locais, e dispensa os cachês milionários de outros tempos. Pois para a maioria da população ele age corretamente. Pode ser que um grupo que gosta de correr atrás de trios elétricos e ouvir músicas baianas de trilhas de novelas ao vivo não esteja nada satisfeito. Fato é, que esse caminho não só é necessário com também interessante dentro da realidade atual do país. Dizer que a cidade do Rio de Janeiro está quebrada e mesmo

Vou para o acervo Durante a visita do Presidente Michel Temer ao Porto do Açu no final do ano passado o seu ministro Moreira Franco, também discursou. Para falar da vanguarda da Região ele citou que Campos foi a primeira cidade da América Latina a ter luz elétrica e que tem a livraria mais antiga do país, Ao Livro Verde. O dono, Ronaldo Sobral adorou.

assim a passagem de ano consumiu milhões em fogos e infraestrutura é um argumento infantil. O evento tradicional de Copacabana se auto-sustentou e reuniu desta vez 2,4 milhões de pessoas, um recorde. A praia do Farol nunca fez uma grande queima de fogos na passagem de ano, mas já torrou dinheiro suficiente nos tempos das vacas gordas para que a lição seja assimilada. O atual governo, mesmo que tivesse com as contas em dia, não deveria seguir o exemplo do passado, pois nem tudo é show. Ao invés de trazer artistas da Rede Globo para jogar futebol na beira-mar pagando uma fortuna, a Fundação de Esportes esse ano decidiu fazer no Farol um campeonato de times do município. Esse é o caminho certo. A população de Campos tem muito mais a cobrar do governo Rafael Diniz do que um verão de programação milionária ou um Carnaval fictício. Antes disso tudo estão perfiladas prioridades como a Saúde e a Educação. É preciso que principalmente, os veranistas do Farol compreendam isso de forma clara.

Imprópria O INEA divulgou um boletim sobre as condições de poluição e risco nas praias de Atafona e Grussaí. Em Grussaí tudo próprio para banho. Em Atafona, além do Pontal a única área imprópria é em frente ao Espaço da Ciência, exatamente no Balneário. Contra O presidente da Associação de Engenheiros da Petrobras, Felipe Coutinho, um feroz combatente da política implantada pela estatal na era de Pedro Parente, considera um erro vender os ativos da companhia e ainda mais, “a preço de banana”. Ele defende a reversão dessas medidas que considera uma espécie de privatização. Mais grana Com o resultado da licitação para manutenção das 28 plataformas de petróleo da Bacia de Campos o dinheiro deve voltar a circular um pouquinho mais em Macaé, assim como a abertura de postos de trabalho. Custou, mas finalmente saiu a licitação que em alguns casos requer uma verdadeira obra. No volante Que o número de mulheres taxistas em Campos cresceu nos últimos anos no horário diurno não chega a ser uma grande novidade. A novidade é que tem pelo menos três mulheres em Campos conduzindo Uber. Como as colegas taxistas circulam à luz do dia.

Pouso caro Para receber o avião Presidencial que trouxe Michel Temer, o aeroporto Bartolomeu Lysandro teve que mudar a sua categoria. Subiu quatro pontos o que custou R$ 60 mil que foram pagos pela Prumo, que administra o Porto do Açu. Mas, foi uma subida momentânea. Já voltou a sua categoria normal.

A ministra No final de semana tomavam vinho em um restaurante da cidade, Heloisa Landim, Superintendente da Terceira Idade, o presidente da Codemca, Vinícius Vieira e o presidente da Fundação do Esporte, Rafael Thuim. O cardápio era a nova ministra do Trabalho Cristiane Brasil, que é amiga de muito tempo de Landim. Ela vai conseguir marcar uma audiência da ministra com o prefeito Rafael Diniz. Filial fechada A rede de lojas capixaba Eletrocenter fechou uma de suas filiais em Campos. A da Rua 13 de Maio já não funciona mais porque as vendas diminuíram. A outra loja, também no Centro permanece firme.

O centésimo macaco e os novos modelos mentais Sileno Martinho - Professor. Quantas vezes nos encontramos em meio a um turbilhão de dúvidas, achando que não existimos para o mundo e o que fazemos não tem importância para ninguém. A partir daí, internalizamos a culpa pelo que acontece, principalmente se negativo. A psicologia nomina isto de processo auto destrutivo, onde nos tornamos vítimas do mundo e deixamos de valorizar nossos dons naturais. Para quem se sente assim neste momento, vou narrar a teoria sobre o centésimo macaco, onde fica cabalmente demonstrado nosso grau de importância no contexto da humanidade. No Japão, por mais de trinta anos, uma colônia de macacos foi minuciosamente estudada em estado selvagem. Pesquisadores jogavam do alto batatas-doces, que caíam na areia. Os símios gostavam do sabor das batatas cruas, mas não se interessavam muito porque achavam desagradável o gosto da areia que envolvia a batata. Entretanto, uma fêmea descobriu que poderia resolver o problema lavando as batatas num riacho próximo. Ela ensinou sua descoberta para seus filhos. As amigas dela também aprenderam e transmitiram para suas proles. Diante dos olhares dos pesquisadores, esta novidade cultural foi sendo gradativamente aprendida por vários macacos através do fenômeno da observação. Em pouco tempo, todos os macacos daquela ilha, aprenderam a lavar batatas sujas de areia para torná-las mais saborosas. Tornou-se um hábito que foi incorporado por todos daquela ilha! Eis que aconteceu algo sensacional: anos mais tarde, certo número de

www.jornalterceiravia.com.br

\ jornalterceiravia

Sistema de Comunicação Terceira Via CNPJ 15.205.202/0001-47

macacos de outra ilha próxima e sem nenhum contato, começaram de forma automática também a lavar as batatas. O que mais surpreendeu os pesquisadores foi o fato do hábito haver espontaneamente cruzado os mares sem nenhuma interferência. Em pouco tempo todas as colônias de macacos das ilhas próximas aprenderam também a lavar suas batatas. Os pesquisados batizaram esta pesquisa como o “centésimo macaco”, número estimado por eles a partir do qual o hipotético e anônimo macaco virou o jogo para uma nova cultura que socializou o conhecimento, antes restrito a um grupo. A pesquisa conclui que quando um determinado conhecimento atinge certo número crítico, este novo saber se expande automaticamente através do elo que formamos de modo inconsciente, quer queiramos ou não. Embora o número exato possa variar, tal fenômeno significa que a partir da formação de uma consciência coletiva, impossível segurar uma nova forma de agir ou pensar, e por ai caminham os avanços da humanidade. Dentro desta realidade, nem tudo está perdido. Neste momento de transição é totalmente viável a adoção de novos modelos mentais, pautados em ética e moralidade, que possam melhorar a autoestima da população e irradiar-se para outros povos. Creio até ser possível começar pela nossa cidade, pois 2018 já chegou e com ele infinitas possibilidades! Fazer o dever de casa nada mais é do que nossa obrigação! Mudar com inteligência, mais que necessário é urgente! Viver mais do mesmo, não suportamos, estamos cansados de repetição!

Aquela velha e repetitiva ressaca de Ano Novo Ocinei Trindade - jornalista

É uma tremenda expectativa. Quando chega dezembro, vem aquele enfado, ar de cansaço e uma vontade de nem ver mais o ano pelas costas. Uns dizem “não aguento mais este ano”, “não vejo a hora de chegar o ano novo”. Até que ele finalmente chega, e o que acontece? Bem, para começar, nem sempre ocorre algo extraordinário como se supunha. Depois dos fogos, de suar e sujar as roupas brancas, dos muitos abraços e felicitações de amor e paz, da comilança e das bebidas extras, é frequente aparecer o vazio, a enxaqueca ou alguma outra queixa. Cá entre nós, o réveillon pode ser um porre. Literalmente. A lucidez necessária para encarar a maioria dos dias nos desperta quase toda manhã . E é verdade que, a sobriedade nos exige bem mais, para enfrentar as dificuldades e as contas cada vez mais altas. Viver tem seu preço, assim como morrer de tédio ou de dor de cotovelo nas festas de fim de ano, além de se aventurar no janeiro escaldante e chuvoso que se inicia. A realidade manda boletos e faturas para nos fazer lembrar que Ano Novo dura bem pouco tempo, poucas horas, no máximo. Há quem diga que a vibração pela chegada do Ano Novo é um fenômeno que atinge todo o Planeta por treze horas em clima de união e esperanças. Desde que o novo dia começa na Oceania, lá pelos cantos da Samoa, Austrália e Nova Zelândia, a cada uma hora, o Ano Novo vai passando por todos os países nos cinco continentes. Cerca de treze horas depois, o Hawai, ilha territorial norte-americana é o último lugar a receber o novo ano. E assim, a confraternização universal começa a se desfazer, a vida retoma sua rotina e os antigos problemas voltam a ser relembrados e enfrentados. E cada povo tem seus desafios merecidos por todos os dias de 2018. No Brasil, reformas trabalhista e da previdência, eleições gerais no executivo e no legislativo, esperança de retomada da economia e crescimento de emprego estão na pauta. Saber quem vai ser candidato à sucessão de Michel Temer; se Lula será condenado pelo TRF-4 em janeiro e se poderá concorrer à presidência; se o país sairá mais ou menos polarizado das eleições são pautas. No Rio de Janeiro, sobreviver ao governo Pezão, à falência do Estado, à violência urbana, ao tráfico de drogas, às milícias, é um baita esforço. Só este ano, dois policiais militares já morreram assassinados, vale dizer. Em 2017, foram 134 policiais mortos. Um assombro. Já em Campos, será como no restante do país: uma incógnita chegar vivo e de pé no dia 31 de dezembro. Quem se arrisca? Todavia, pensar em coisas tão sérias e pesadas não faz assim tão bem ao brasileiro. Em breve, o Carnaval nos fará esquecer de tudo isso só por mais alguns dias, até 2018 começar para valer. E quando chegar dezembro...

Indústrias da cultura (I) Jacqueline Deolindo Muito se tem debatido na mídia em geral, mas principalmente nas redes sociais, por conta do novo-sucesso-da-vez, sobre a qualidade de determinados produtos culturais e sobre a questão do gosto. No entanto, pouco se discute ou se pensa sobre o início da linha, ou seja, sobre as instituições responsáveis pela produção desses bens e produtos por vezes intangíveis. Como essa tem sido minha preocupação de pesquisa nos últimos anos, dedico a próximo sequência de artigos à temática, começando pela busca de resposta às seguintes questões: o que são as indústrias da cultura, como se organizam e o que sabemos, hoje, sobre seu funcionamento? Desde 1947, ano em que os jovens filósofos alemães Theodor Adorno e Max Horkheimer propõem o conceito de indústria cultural no livro "Dialética do esclarecimento", considera-se esse segmento do mercado, pela natureza de sua motivações, como responsável por retirar dos bens culturais a sua força emancipatória e capacidade de iluminação espiritual. Esse pensamento tornou-se uma herença crítica na academia, mas, desde os anos 1980, o francês Bernard Miège lança um novo olhar sobre o que ele nomeia como "indústrias culturais", no plural. Assim o autor propõe relativizar a natureza dessas instituições, considerando suas contradições e reconhecendo-as como indústrias, antes de tudo. Assim, seu projeto de estudo procura explorar as particularidades da organização do segmento através da produção, distribuição e consumo. Hoje, diversas abordagens da temática convivem na academia. Andrew Pratt, professor de Cultura, Mídia e Economia da King's College London, propõe uma muito interessante: a que considera a cultura para além do simbólico e para além da ideia de dom e ornamento, compreensão que muitas vezes se fazem dominantes. Olhar para as indústrias culturais como se fossem quaisquer outras exigiria do pesquisador enfrentar a noção idealista da "criatividade" e da "arte" e explorá-las como atividades comuns, que se realizam sob determinadas condições e a partir de processos que podem ser explorados, identificados, contextualizados e compreendidos. Nas próximas edições, apresentaremos essa linha de estudos sobre as indústrias da cultura.

Expediente: Fundador Herbert Sidney Neves - Direção Executiva Martha Henriques - Diretor Geral Fábio Paes Diretor de Jornalismo Aloysio Balbi Chefes de Reportagem Girlane Rodrigues e Roberta Barcelos - Projeto Gráfico Estúdio Ideia Diagramação Elton Nunes - Departamento Comercial (22) 2738-2700 Rua Gov. Theotonio Ferreira de Araújo, 36 - Centro - Campos dos Goytacazes - RJ


PÁGINA

05

Política

07 A 13 JANEIRO 2018

O ano quase perdido

Um balanço de 2017 na Câmara de Vereadores de Campos, que foi marcada pela apatia e por um rodízio de parlamentares Fotos: Silvana Rust

Marcos Curvello O ano de 2017 foi tumultuado para a Câmara de Campos. Marcado pelo entra e sai de acusados de compra de votos, viu um Legislativo de composição instável, que se alterava a cada nova decisão da Justiça Eleitoral. Dois vereadores — Magal (PSD) e Vinícius Madureira (PRP) — foram afastados dos cargos. Destino do qual deve compartilhar Jorge Rangel (PTB), que teve sua cassação confirmada em segunda instância. Outra baixa foi a de Cecília Ribeiro Gomes (PT do B), que perdeu sua cadeira para Marcos Bacellar (PDT), após retotalização dos votos determinada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Como resultado, 36 pessoas passaram pelas 25 cadeiras da Casa. Em meio ao entra e sai, a Câmara conseguiu manter uma rotina de trabalho consistente, especialmente os 15 vereadores não implicados na Operação Chequinho, da Polícia Federal (PF). E é o resultado deste trabalho que a equipe de reportagem O Jornal Terceira Via foi buscar diretamente nos gabinetes. Após fazer o levantamento do número de projetos de decreto legislativo e de lei avaliados pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara — que mostrou que 13 vereadores não haviam tido um único texto na CCJ até o último dia 26 de outubro —, a equipe de reportagem esteve em cada um dos 25 gabinetes. Foi recebida em 13 (52%) deles — 12 (48%) estavam fechados no momento da visita, que aconteceu no dia 7 de dezembro, entre 10h e 11h. Em nome da reconstrução fidedigna da atuação legislativa da Casa, foi pedido aos assessores encontrados detalhes da produção de cada vereador: número de projetos e indicações de leis propostos e aprovados. O pedido foi reforçado por e-mail, enviado, também, a todos os gabinetes encontrados fechados na ocasião. Foi dado um prazo de uma semana, mas somente seis responderam às cinco perguntas enviadas: Abu (PPS); Cláudio Andrade (PSDC); Enock Amaral (PHS); Jorginho Virgílio (PRP); Marcelo Perfil (PHS) e Thiago Ferrugem (PR). Isso corresponde a 24% do total de 25 vereadores e 46% dos 13 visitados pessoalmente. Dos seis que responderam às perguntas enviadas por O Jornal Terceira Via, todos (100%) cumprem seus primeiros mandatos. Cinco (83%) integram a bancada governista e um (17%), a oposicionista. O único membro da oposição a responder às questões é um dos denunciados por compra de votos investigada nas Operações Vale Voto, Chequinho e Chequinho 2, da Polícia Federal (PF). Todos (100%) os ouvidos propuseram projetos de lei. Cinco (83%) propuseram indicações legislativas, mas dois (33%) não aprovaram nenhuma delas. Os vereadores com maior número de projetos e indicações legislativas propostos foram, respectivamente, Marcelo Perfil, com 10, e Jorginho Virgílio, com quatro. Os com maior número de projetos e indicações legislativas aprovados foram, em ordem, Cláudio Andrade, com seis, e Jorginho Virgílio, com quatro — aproveitamento de 100% em ambos os casos. Entre projetos de lei e de indicações legislativas, Marcelo Perfil foi aquele que mais levou propostas à Casa de Leis. Jorginho Virgílio e Cláudio Andrade empatam como aqueles com maior índice de aprovação geral: somando-se projetos de leis e indicações legislativas, ambos aprovaram seis propostas durante o ano de 2017. Foram propostos por todos os vereadores que responderam a O Jornal Terceira Via um total de 41 projetos de lei e 13 indicações legislativas. Destes, foram aprovadas, respectivamente, 15 (37%) e 6 (46%) sugestões. A bancada governista foi responsável por 33 (80%) propostas de projetos de lei e 11 (85%) indicações legislativas. A bancada oposicionista propôs 8 (20%) projetos de lei e 2 (15%) indicações legislativas. Os dados fazem um retrato apenas parcial da atividade dos vereadores. A amostra é pequena, apesar dos esforços da equipe de reportagem

de O Jornal Terceira em chegar a cada um dos 25 eleitos em 2016 sobre o primado do serviço ao povo — que passa, necessariamente, pela prestação de informação “independentemente de requerimentos” e “mediante procedimentos objetivos e ágeis, de forma transparente” conforme a lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011 e o decreto nº 7.724, de 16 de maio de 2012, que a regulamenta. Por outro lado, a adesão de marinheiros de primeira viagem permite imaginar que sangue novo traz visões novas, independentemente de bancada. Informar é prestar as devidas contas ao eleitor, do qual provém o poder constitucionalmente exercido no plenário. E uma chance de aproximar o gabinete das ruas. Se não pela desejável intenção de servir a quem depositou voto de confiança na urna, pelo menos por marketing de oportunidade. Dados oficiais De acordo com nota oficial publicada no site da Câmara, a Casa tratou, em 2017, "mais de 2.330 matérias", em seis sessões solenes e 93 sessões ordinárias, com 16 audiências públicas. De acordo com o texto, "o plenário aprovou o total de 32 Indicações Legislativas, 806 processos de Requerimentos e 2.152 Indicações Simples". Os vereadores também "discutiram e aprovaram matérias enviadas pelo Executivo, como o Plano Plurianual 2018-2021 (PPA), a Lei de Diretrizes Orçamentárias e a Lei Orçamentária Anual". O volume é qualificado como "expressivo saldo de trabalhos parlamentares". A informação que interessa ao debate levantado por O Jornal Terceira Via, porém, é a seguinte: "os vereadores apresentaram 64 Projetos de Lei e 83 projetos de Decretos Legislativos", garante a nota. O que o texto não diz é quem propôs o que. Há um apanhado geral da produção da Casa, sem discriminar a atuação individual dos vereadores. Não se fala, também, no índice de aproveitamento destas propostas. Quantas foram discutidas em plenário? Destas, quais foram aprovadas? Sem estes dados, é impossível para a população acompanhar os vereadores que elegeram e saber se o voto está sendo honrado ou não. Ainda há três anos de mandato pela frente, mas o fim do primeiro ano de legislatura é simbólico na medida em que funciona como um extrato da postura e dos valores de cada um dos eleitos, e, em seu somatório, da própria Casa.

Abu com quatro projetos de lei aprovados

Claudio Andrade teve todos os projetos aprovados

Enock Amaral de seis projetos, um aprovado

Jorginho Virgílio três aprovações no ano

Marcelo Perfil propôs 10 projetos com um aprovado

Thiago Ferrugem único oposicionista

Vereador

Partido

Bancada

Número de projetos de lei propostos

Número de projetos de lei aprovados

Número de indicações legislativas propostas

Número de indicações legislativas aprovadas

Abu

PPS

Governista

8

4

0

0

Claudio Andrade

PSDC

Governista

6

6

2

0

Enock Amaral

PHS

Governista

6

1

3

1

Jorginho Virgílio

PRP

Governista

3

2

4

4

Marcelo Perfil

PHS

Governista

10

1

2

1

Thiago Ferrugem

PR

Oposicionista

8

1

2

0


PÁGINA

07

Saúde

07 A 13 JANEIRO 2018

Foto: Silvana Rust

Quando a ansiedade se torna uma doença Transtorno já atinge 33% dos brasileiros, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde divulgado no curso de 2017 Letícia Nunes Ficar ansioso diante de uma situação importante é uma atitude normal e que acontece com todas as pessoas. Porém, quando essa angústia te afasta dos seus compromissos pessoais e, inclusive, de familiares e amigos trata-se um sinal de alerta, pois algo não está indo bem com a sua saúde mental. O transtorno de ansiedade afeta 33% da população brasileira, o que coloca o país como o lugar com a maior taxa de pessoas com este problema no mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). É uma doença relacionada ao funcionamento do corpo e às experiências de vida. Para se ter uma ideia, quatro em cada dez brasileiros sofrem com esse problema. Segundo a psicóloga Camila Medina, a ansiedade é algo comum, mas quando essa aflição traz sintomas físicos, sem motivo aparente e de forma constante, ela se torna algo preocupante. “A sensação de ansiedade pode ser tão desconfortável que, para evitá-la, as pessoas deixam de fazer coisas simples. Isso é considerado um dano a saúde. Por exemplo, eu vou fazer uma entrevista de emprego, mas falto a entrevista, pois fiquei nervosa demais e passei mal. São sintomas como dores na cabeça, no estômago, taquicardia, entre outros, que impedem a realização de uma ação comum em nossa rotina. Trata-se de um prejuízo para a vida, pois estamos evitando compromissos por ansiedade, desistindo de tudo que antes fazíamos normalmente. Nesses casos, é importante ter autoconheci-

mento, ouvir o próximo, como um amigo ou um familiar. Se a pessoa tem notado a outra distante já é um primeiro sinal. É bom ficar atento as respostas que o nosso organismo dá diante dessas situações e, principalmente, procurar um auxílio. Um profissional da área vai ouvir, avaliar e se realmente não for nada ele vai dizer, mas acima de tudo vai ajudar essa pessoa”, ressalta. Preocupações, tensões ao ponto de o indivíduo não conseguir relaxar, sensação contínua de que um desastre ou algo muito ruim vai acontecer, preocupações exageradas com saúde, dinheiro, família ou trabalho, medo extremo de algum objeto ou situação em particular, falta de controle sobre os pensamentos, imagens ou atitudes e pavor, podem indicar um transtorno de ansiedade. A especialista também alerta que esse problema pode também desencadear outros, como a depressão e a síndrome do pânico. “Tenho percebido que a ansiedade tem crescido cada vez mais, principalmente, nos jovens. A gente vê que cada vez mais cedo as pessoas estão doentes e a ansiedade é um dos problemas mais graves. Ela aparece de várias formas e normalmente é o primeiro passo para chegar até outros transtornos como a depressão e a síndrome do pânico. A gente vê que a depressão, por exemplo, pode acontecer sem que o paciente tenha tido qualquer sintoma de ansiedade, mas normalmente elas estão juntas. Podemos identificar esse problema quando percebemos que não estamos levando a vida tão feliz”, explica.

A ansiedade tem gestos característicos que denunciam os ansiosos que aumentam cada vez mais

Pacientes conveniados da Petrobras poderão ter atendimento suspenso no Hospital Dr. Beda

Grupo IMNE suspende atendimento a beneficiários do FUSEx em suas unidades

Motivo da possível suspensão é a irregularidade no pagamento da estatal ao Grupo IMNE

Medida foi tomada devido a atrasos nos pagamentos, que chega a quatro meses

Os pacientes conveniados da Petrobras que utilizam os serviços prestados pelo Grupo IMNE (Hospital Dr. Beda e demais unidades associadas) poderão ter o atendimento suspenso a partir do dia 10 de janeiro de 2018. Isso porque há dois meses as faturas de pagamento da Petrobras não estariam sendo processadas em totalidade devido a um suposto erro no sistema da estatal. A Petrobras já teria garantido que o problema seria resolvido, mas o pagamento não estaria sendo feito de modo integral por cada atendimento prestado. A direção do Grupo IMNE garante que, caso a empresa não apresente uma solução definitiva nos próximo quatro dias, o serviço será suspenso por tempo indeterminado. O Hospital Geral Dr. Beda mantém dezenas de pacientes conveniados da Petrobras, inclusive alguns em estado grave. Ainda não há informação sobre a transferência desses pacientes caso o serviço seja, de fato, suspenso.

O Grupo Imne interrompeu nesta sextafeira (5) o atendimento a beneficiários do Fundo de Saúde do Exército (FUSEx). A medida foi tomada em decorrência do atraso no repasse de pagamentos, que chega já chega a quatro meses. Desde que os pagamentos começaram a atrasar, o Grupo Imne tenta regularizar a situação junto ao FUSEx, sem sucesso. Diversos beneficiários do fundo são atendidos atualmente em unidades do grupo, como o Hospital Dr. Beda. Parte deles, inclusive, recebe tratamento na Unidade de Terapia Intensiva e tem quadro delicado de saúde. Como a maioria não possui outro convênio, eles poderão acabar transferidos para unidades públicas de saúde.


PÁGINA

08

Campos

07 A 13 JANEIRO 2018

Fotos: Silvana Rust

Alta temporada de arrombamentos Especialistas dão dicas de prevenção e segurança de imóveis durante o período de verão quando Campos fica vazia Ocinei Trindade Quase sempre, o verão é esperado com as melhores expectativas entre aqueles viajantes que saem de férias ou passam temporada fora de casa nesta estação. Aproveitar os dias de sol e calor nas praias da região é programação garantida para muitas famílias. Várias delas se ausentam de casa por dias, semanas, um mês ou mais. Se por um lado, sair da rotina é algo satisfatório, por outro, acontecem algumas preocupações com a segurança do imóvel vazio. Furtos e roubos à residências podem ocorrer com mais facilidade neste período. Prevenir é bom. Especialistas em segurança costumam indicar medidas que os próprietários de imóveis podem adotar para tentar impedir e combater a entrada nada agradável de ladrões. Gestos simples que podem funcionar, como conferir se portas e janelas estão bem trancadas; deixar alguma luz acesa dentro de casa; avisar aos vizinhos próximos sobre o período de ausência; e se houver ainda mais intimidade, pedir ao vizinho que acenda a luz de fora da casa ao anoitecer e apague-a ao amanhecer. Um cão de guarda também ajuda a alarmar sobre a presença de invasores ou movimentação estranha na vizinhança. Em Campos, os números oficiais de roubos e furtos à residências registrados nas delegacias da cidade podem não corresponder à realidade. É que muitos moradores que são vítimas desses crimes não procuram a polícia para registrar queixas. Isto costuma afetar o patrulhamento dos bairros e localidades onde bandidos agem com mais facilidade. Sem informação, policiais nem sempre intensificam operações em suas rotinas de trabalho. Foi o que aconteceu com Gilian Rodriguez, moradora da rua Francisco Luis Rodrigues, no bairro Julião Nogueira. Ela e o marido trabalham fora e só estão em casa no período noturno. Em outubro último, chegaram à casa com uma ingrata surpresa: uma das janelas estava arrombada. Um ladrão conseguiu levar pertences pessoais. “A casa foi revirada, principalmente gavetas do guarda-roupas onde estavam guardados R$500 em uma delas. Um tablet também foi levado pelo ladrão. Desconfiamos de ser alguém que conhecia nossos horários e rotina. Por não termos cachorro em casa, isto também facilita o acesso. Não registramos queixa na polícia porque não tínhamos tempo para ficarmos muitas horas na delegacia, já que isto costuma ser demorado Sei que é importante, mas eu e meu marido não fizemos boletim de ocorrência”, contou. Outra moradora do Julião Nogueira, a vendedora Joana Fonseca, reside à rua Dionísio Augusto de Oliveira. Em novembro do ano passado, também foi alvo de ladrões que furtaram a casa na ausência dela. “Eles levaram equipamentos de som e fios de eletricidade que estavam guardados em um dos cômodos. Tive sorte de não roubarem mais coisas, pois havia algumas joias de valor em uma das gavetas do quarto. Tomei um susto, pois o bairro costuma ser patrulhado com frequência. É habitual carros de polícia passarem por aqui”. Joana também não apresentou queixa na delegacia sobre o furto ocorrido em sua casa. No gráfico em destaque, podem ser verificados e comparados os registros oficiais do ISP – Insituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, sobre as ocorrências nas delegacias do Centro e de Guarus nos últimos dois anos. Em 2017, por exemplo, houve diminuição de casos de furtos e roubos à residências em relação a 2016, segundo estatísticas oficiais. A Polícia Militar de Campos reforça o pedido para que as pessoas quando se tornam vítimas de furtos, roubos e assaltos, façam as ocorrências nas delegacias da cidade. Em nota, a assessoria de comunicação do 8º BPM informou que as praias da região receberão reforços de patrulhamento durante o verão, como de costume. A PM informou também que o policiamento nas ruas centrais da cidade, além dos bairros da periferia continuará sendo realizado normalmente, sem prejudicar a segurança local. Tem sido crescente o número de pessoas que recorrem à empresas particulares de segurança para cuidarem de suas casas ou estabelecimentos comerciais. Em Campos, já exis-

CONFIRA AS DICAS DE SEGURANÇA l Conferir se portas e janelas estão bem trancadas; l Deixar alguma luz acesa dentro de casa; l Avisar aos vizinhos próximos sobre o período de ausência, e se houver ainda mais intimidade, pedir ao vizinho que acenda a luz de fora da casa ao anoitecer e apague-a ao amanhecer; l Um cão de guarda também ajuda a alarmar sobre a presença de invasores ou movimentação estranha na vizinhança. tem cerca de 20 companhias privadas de monitoramento de segurança que prestam antendimentos a hotéis, supermercados e indústrias, entre outros. De acordo com o chefe de tecnologia da informação e segurança, Paulo Fernando, com R$300 mensais em média, pode-se contratar o serviço do gênero. “Por meio de câmeras conectadas pela Internet, visualisamos o imóvel de qualquer lugar do planeta. Utilizamos sensores de alarmes que são disparados se a casa ou o estabelciemtno forem arrombados. Entramos em contato telefônico com o proprietário por meio de senhas, acionamos um carro-batedor da empresa que pode chegar entre cinco e dez minutos ao local. Neste tempo, informamos também à Polícia Militar sobre o fato”, explica Paulo.

Para quem gosta de viajar despreocupado nas férias de verão, a contratação de serviços particulares de monitoramento eletrônico com câmeras e sensores de alarmes pode ser uma boa opção. Entretanto, quem não dispõe de dinheiro para este tipo de vigilância, é bom contar com a colaboração e a amizade dos bons e velhos vizinhos de sempre, pois estes podem supervisionar a rua esvaziada nos fins de semana, além da acompanhar movimentação externa das casas vazias no período de ausência dos viajantes. Começar o ano novo iluminado é o desejo de muitas pessoas. Sendo assim, iluminar o interior das casas e das relações sociais durante todo o ano também é recomendável, além de promover segurança e mais tranquilidade no convívio coletivo.

OCORRÊNCIAS DE FURTOS OU ROUBOS À RESIDÊNCIAS EM CAMPOS POR DELEGACIA 134 DP – CENTRO Janeiro 1 Fevereiro 2 Março 1 Abril 0 Maio 1 Junho 2 Julho 3 Agosto 4 Setembro 1 Outubro 3 Novembro 1 Dezembro 1 TOTAL 20

2016

146 DP – GUARUS Janeiro 0 Fevereiro 1 Março 2 Abril 0 Maio 0 Junho 2 Julho 0 Agosto 1 Setembro 1 Outubro 6 Novembro 1 Dezembro 1 TOTAL 15

2017

134 DP – CENTRO Janeiro 4 Fevereiro 0 Março 2 Abril 1 Maio 1 Junho 3 Julho 0 Agosto 0 Setembro 0 Outubro 4 Novembro 2 Dezembro - s/ dados TOTAL 17

146 DP – GUARUS Janeiro 0 Fevereiro 0 Março 0 Abril 2 Maio 2 Junho 0 Julho 1 Agosto 0 Setembro 0 Outubro 1 Novembro 0 Dezembro – s/ dados TOTAL 6

Dados ISP ( Instituto de Segurança Pública - RJ)


PÁGINA

09

Esporte

07 A 13 JANEIRO 2018

A mais antiga das lutas olímpicas Pouco difundida no Brasil, a Greco-romana é uma luta que aos poucos vai ganhando corpo e corpos em Campos Fotos: Divulgação

Laila Nunes O esporte ainda não é tão conhecido como o futebol, por exemplo, no Brasil, mas é uma das práticas esportivas mais antigas do mundo. Nessa modalidade, os sentidos mais primitivos dos homens são provocados e os competidores disputam sem nenhum equipamento de proteção, porém com um forte código de conduta. A luta greco-romana foi regulamentada desde 1986 pela Federação Internacional de Lutas Associadas (Fila) e também presente nos jogos olímpicos. A luta proíbe socos e golpes baixos, mas por outro lado se compõe de complicadas táticas de derrubadas e imobilização do adversário. Sua primeira participação nos Jogos Olímpicos foi em Atenas 1896. Em Campos, o esporte começou a ganhar história no ano 2000 quando o lutador Leandro Ribeiro Gomes trouxe para a cidade, o Submissiom Wrestting, um termo que descreve as lutas de artes marciais. Em 2003, Leandro realizou a primeira competição de luta olímpica. No ano de 2004, Márcio Bastos, conhecido como Baiano, que atualmente possui diversas conquistas, chegou a Campos e na época, treinava Jiu-Jitsu. Depois de se ambientalizar e conhecer alguns lutadores e técnicos, Baiano começou a se interessar pela luta olímpica. “Em 2007, o Leandro Ribeiro trouxe para a cidade, o técnico da seleção brasileira, Flávio Cabral para nos treinar. Depois disso, ele contratou dois treinadores cubanos para orientar a sua equipe de luta olímpica que era composta por apenas cinco atletas”, relembrou Baiano. No mesmo ano, o município realizou o campeonato brasileiro de luta olímpica no antigo Cefet. No evento foram reunidos atletas de treze estados e os competidores de Campos se destacaram.

Campos já foi considerada como exemplo de maior projeto voluntário de luta olímpica do país, segundo Baiano

No ano seguinte, com apenas dois lutadores, Baiano e Ricardo Pessanha, que na época não tinham nenhum patrocínio e apoio financeiro, foram convocados para treinar com a Seleção Brasileira, em Brasília. Mesmo com muitas dificuldades, principalmente no setor financeiro e sem nenhum patrocínio. Para Baiano, as dificuldades estavam apenas começando. “Em 2011, fui atropelado e sofri uma fratura exposta de tíbia e fíbula. Com esse acidente, fiquei por cinco anos afastado da luta fazendo cirurgias corretivas na perna. Em 2016, fui liberado pelo médico, mas eu estava gordo e desmotivado e não acreditava mais em mim. Não passava pela minha cabeça lutar de novo, porque eu estava com uma perna menor do que a outra e sabia que isso influencia-

INSTITUTO MUNICIPAL DE TRANSITO E TRANSPORTE - IMTT AVISO DE LEILÃO PTN01/2018 O Instituto Municipal de Transito Transporte (IMTT), sediado na Rua Barão da Lagoa Dourada no 197, Centro – Campos dos Goytacazes, através de seu Presidente, no exercício de suas atribuições legais, a empresa MHA DOS SANTOS PARQUEAMENTO E REMOÇÕES DE VEÍCULOS LTDA – PÁTIO NORTE, tendo seu escritório central localizado na Av. Gilberto Cardozo no 242, Pq. Turf Club (22)27233245, escritório do setor de leilões localizado na Av. 28 de Março no 13 loja 27 (Shopping Turf Centro), Pq. Fazendinha (22)27259602, e pátio centralizado localizado na Rodovia BR-101 Km 78, Ururaí, todos localizados no município de Campos dos Goytacazes; e o Leiloeiro Público Marco Aurélio Cândido, matriculado na JUCERJA sob o no 158, levam ao conhecimento dos interessados que, na forma da Lei no 8.666, de 21 de junho de 1993 e alterações posteriores, da Lei Federal no 9.503, de 23 de setembro de 1997 e suas alterações posteriores, da Resolução CONTRAN no 623, de 06 de setembro de 2016, e da Lei Estadual no 6.657, de 26 de dezembro de 2013, realizarão o LEILÃO DE VEÍCULOS CONSERVADOS (destinados a circulação) E SUCATAS INSERVÍVEIS (destinados a prensa e reciclagem), cuja venda será igual ou superior à avaliação, a ser conduzido pelo referido Leiloeiro, dos veículos automotores listados no EDITAL DE LEILÃO que esta disponível na sede do IMTT e nos escritórios do PÁTIO NORTE, bem como de forma digital no portal da Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes (http://www.campos. rj.gov.br) e site do PÁTIO NORTE (www.pationorte.com.br). O Leilão será realizado, simultaneamente, sob a forma Presencial e Online no dia 25 de janeiro de 2018, a partir das 10 horas, o pregão presencial acontecerá no auditório do CDL- CÂMARA DE DIRIGENTES LOJISTAS DE CAMPOS DOS GOYTACAZES, Av. Sete de Setembro 274/280, Centro – Campos dos Goytacazes/RJ, e o virtual através do sítio eletrônico: www.brbid.com no mesmo horário. RENATO CÉSAR ARÊAS SIQUEIRA PRESIDENTE PUBLICAÇÃO DE EDITAL DE LEILÃO ERRATA Referente ao Edital de Notificação e Leilão publicado no Diário Oficial do Município de Campos dos Goytacazes, nº CXXXIII de 19 de outubro de 2015, onde no item 243 se lê “243-KUR2026, HONDA, 2007/2007...”, leia-se “243-KUR7826, HONDA, 2007/2007...”. RENATO CÉSAR ARÊAS SIQUEIRA PRESIDENTE ERRATA Referente ao Edital de Notificação e Leilão publicado no Diário Oficial do Município de Campos dos Goytacazes, nº XXXV de 25 de maio de 2017, onde no item 319 se lê “319-KTW7199, FORD, 1987/1987, 9BFBXXLBABGP26339, S. INF., FRANCIS AUTOMOVEIS LTDA;", leia-se 319-S.INF., FORD, 1987/1987, 9BFBXXLBABGP26339, S. INF., FRANCIS AUTOMOVEIS LTDA;". RENATO CÉSAR ARÊAS SIQUEIRA PRESIDENTE ERRATA Referente ao Edital de Leilão PTN10/2017 realizado 23/11/2017, publicado no site da Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes no dia 08/11/2017, no LOTE 348; Onde se lê: “SHINERAY/XY50Q/PHOENIX/2011/2012/S.INF./LXYXCDL05CO29 2696/1P39FMBCA126892/VERMELHA/Conservado/R$ 80,00” Leia-se: “SHINERAY/XY50Q/PHOENIX/2011/2012/S.INF./LXYXCBL05C020 9296/1P39FMBCA126892/VERMELHA/Conservado/R$ 80,00” RENATO CÉSAR ARÊAS SIQUEIRA PRESIDENTE

ria e muito na minha base de luta. Tudo isso me deixou muito triste, então resolvi me desafiar a lutar novamente. Se eu perdesse eu abandonaria a luta, mas seu eu fosse campeão nunca mais iria parar de lutar. Foi então, que me preparei para a luta e fui campeão nas duas últimas etapas do campeonato estadual tanto no estilo greco romano como no estilo livre”, contou Márcio Bastos, que atualmente está se recuperando de uma fratura na costela ocasionada durante a competição do campeonato estadual de 2017. O lutador, junto com o parceiro Ricardo Pessanha, já participou de dez campeonatos estaduais e um brasileiro. Mesmo assim, as dificuldades em manter o esporte vivo na cidade ainda são difíceis. “Campos já teve a sua época de ouro na luta. A cidade

se destacava como o maior projeto voluntário de luta olímpica do país. Eu e o Ricardo dávamos aula disputando com os melhores atletas e estávamos sempre no calendário estadual de competições. Existem algumas promessas do poder público de novamente introduzir a luta olímpica no cenário junto à Fundação Municipal de Esportes. Hoje apenas três atletas representam a modalidade no município, eu, Lucas Ribeiro Gomes e o Matheus Tinoco, que mantemos acesa a chama da luta olímpica sem nenhuma ajuda, onde são usados apenas os recursos públicos”, finalizou Baiano, com esperanças deste ano conseguir trazer de volta a luta olímpica para o cenário campista. Entenda um pouco mais da luta greco-romana Nas lutas greco-romana e livre, o objetivo primário é conseguir imobilizar o adversário com os ombros colados ao chão. Para tentar o golpe, os lutadores têm dois rounds de três minutos, com um intervalo de 30 segundos no meio. As lutas em que nenhum dos competidores conseguem o objetivo primário são decididas por pontos, concedidos pelos árbitros de acordo com a eficiência de cada golpe aplicado. Quando um dos lutadores atinge dez pontos, a luta também é encerrada. As lutas ocorrem em um círculo amarelo de 7 m de diâmetro, rodeado por uma faixa vermelha de 1 m de largura, a "zona neutra". O confronto deve ocorrer dentro desse espaço, mas os golpes que acabam fora do círculo também valem, desde que tenham iniciado na área amarela. Quando um lutador se arrasta para fora até seus ombros saírem da faixa vermelha, a luta é interrompida. As categorias do esporte são dividas em lutadores de até 54 kg, 58 kg, 63 kg, 69 kg, 76 kg, 85 kg, 97 kg e 130 kg.


PÁGINA

01

07 A 13 JANEIRO 2018

Fotos: Arquivo Pessoal

Baianíssima

Aloysio Balbi

Kátia, uma campista com Salvador aos seus pés

O que essa baiana tem que difere das outras? Ela é campista. E talvez por isso aos nossos olhos ela é um luxo só. Cursou o científico no Liceu e passou no primeiro vestibular que fez para Comunicação Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Recebeu o canudo e não pensou em guerra. Não se sabe se algum Antônio lhe deu conselhos, mas ela foi para a Bahia, não para o sertão, onde a guerra dos Canudos foi relatada em estilo reportagem por Guimarães Rosa. Ela foi para a cidade da Bahia, ou seja, Salvador onde jogou a âncora. Na verdade ela há três décadas tem âncado o jornalismo da TV Bahia, afiliada do Grupo Globo. Acumula o cargo de Editora e apresentadora dos telejornais. Era a repórter preferida do então dono da emissora, o quando vivo, todo poderoso Antônio Carlos Magalhães. Kátia Guzzo, que veio passar o Natal e o Ano Novo na terrinha, como ela gosta de chamar, conhece personalidades baianas mais interessantes do que Antônio Carlos Guimarães. É intima por exemplo, na nata da música baiana como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, Maria Bethânia, Daniela Mercury, Ivete Sangalo e outros como Tom Zé, que poucos sabem que é baiano. Também foi íntima de alguns que já se foramcomo Dorival Caymmi, a mais completa tradução baiana, e o roqueiro Raul Seixas. Entrevistou atrizes de primeira grandeza, que não abrem a boca para qualquer uma, como foi o caso de Bibi Ferreira, as-

sim como muitos outros. Na literatura poucos entrevistaram Jorge Amado, outro que já se foi. Conhece cada um dos velhos Novos Baianos, mas também os de outras safras como o super ator Wagner Moura e Lázaro Ramos. Na verdade, de tanto entrevistar celebridade, ela acabou virando uma sem perceber. Kátia Guzzo transita pelas ruas de Salvador sem problemas e abre o sorriso perfeito quando é abordada por fãs, o que é uma constante. Conta que com a Bahia foi amor à primeira vista, e que por isso nunca partiu e nem pretende. Nas últimas três décadas Kátia entrevistou pessoas que escolheram Salvador para morar, como por exemplo, Regina Casé, Juca Chaves e reza a lenda que teria entrevistado Vinícius de Moraes, que não só morou em Salvador mais teve um dos seus muitos casamentos por lá. No curso disso tudo ela se empregnou de baianísse – exceto o sotaque e a preguiça no bom sentido. Como toda menina baiana tem um santo, um encanto, tem um jeito que Deus deu. Tem também a primazia que Deus dá. Quem ai já saboreou em primeira mão os quitutes de Dadá? Ela já. Quem já beijou a mão da mãe negra e da mãe branca da Bahia, a mãe Menininha e a irmã Dulce? Ela já. Caetano Veloso compôs “Tigresa” para Sônia Braga, mas a música se encaixa perfeitamente nela. Poucas pessoas viram milagres como ela, que na Bahia não param de brotar, uma coisa que paira muito além da história, e que fala de Ojuobá,

Xangô, Oxum, Lensã-ala e de Iemanjá. Acontece que essa campista é baiana e tem um requebrado pro fado de Nossa Senhora e ela as vezes se pergunta porque veio tão de longe para amar esse lugar, como diria João Gilberto um outro baiano de alta patente. Decifrar Kátia Guzzo, não tente. Ele foi para Bahia cedo, mais de repente, e de forma recorrente dar o ar de sua graça na terrinha. É que lá em Salvador, de vez em quando sente falta daqui. É a dona da tabuleiro tanto do xadrez quanto do acarajé. Morena da cor do pecado, que aos 18 anos se encantou em um casamento em Campos o então presidente da Academia Brasileira de Letras, Austregésilo de Athayde, Kátia é discreta sobre a sua vida pessoal. Não se pergunta a uma mulher dessa quantos anos ela tem, até porque na Bahia se pergunta quantos carnavais a pessoa já viveu. kátia Guzzo perdeu a conta de quantos carnavais já cobriu para a TV Globo em Salvador. Subia em todos os trios e entrava em todos os camarotes, mas hoje confessa estar mais moderada e no carnaval funciona mais como editora do que como apresentadora, ou repórter. De amor novo, o campista Jarbas com quem passou a virada do ano na Região, Kátia já retornou a Bahia, com as pilhas reabastecidas, ouse, eletrizante. Retornar a Campos, só no final do ano que vem, mas no carnaval Jarbas vai atrás porque atrás dessa elétrica moça só não vai quem já morreu.


PÁGINA

02

07 A 13 JANEIRO 2018

@nataliamuniznutri

nataliamuniznutri@gmail.com

Memória: Qual alimento que me ajuda mesmo? Açafrão, seu lindo, incrível, você é tuuuudo na minha vida! Se você tem memória ruim ou está com alguma inflamação os cientistas concordam: Esta especiaria pode dar um grande impulso na sua saúde! “Faça do alimento seu remédio…” Nunca antes essa doutrina foi mais verdadeira. Com inúmeros estudos científicos comprovando tamanha verdade, estamos rodeados de longas listas de nutrientes em pesquisas e notícias do que ajuda a melhorar a nossa saúde… Alho reduz hipertensão, ômega 3 melhora o humor, gengibre alivia náuseas, canela faz bem pra diabéticos… E agora, outro tempero que demonstra inúmeros benefícios pra saúde? Um dos meus favoritos: Açafrão. O QUE VOCÊ TEM QUE SABER é que esta especiaria de coloração laranja é o responsável pelo toque fantástico nos pratos indianos e é também uma terapia promissora para várias doenças! O princípio ativo do açafrão, ou cúrcuma, é a curcumina. Historicamente tem sido utilizada como um tratamento para doenças, tais como alergias, diabetes, úlceras, bem como um agente para o tratamento de problemas menstruais, hemorragia e hematomas.

OS BENEFÍCIOS A curcumina diminui a inflamação aguda, bloqueando a ativação de uma proteína-chave que desencadeia a resposta imune. Ao reduzir a inflamação, a cúrcuma tem o potencial para auxiliar no tratamento de doenças inflamatórias como pancreatite, artrite, doença de Chron e doenças cardiovasculares!

1

2

Mantém sua memória afiada! Há hoje evidências científicas demonstrando a capacidade dela afetar o tecido cerebral, evitando a perda de neurônios. Ainda, melhora a parte do cérebro que controla o planejamento, resolução de problemas e o raciocínio. Além disso, pode ajudar a prevenir a demência e melhorar a doença de Alzheimer.

COMO USAR Adicionar o açafrão na dieta é mais fácil do que você pensa. Tem um sabor ligeiramente picante e é impressionante como combina bem em uma tigela de frutas com fibras (aveia, linhaça, chia, etc) ou no feijão, molhos, arroz, em cima de grelhados… tudo! Deu pra perceber que sou grande fã do Açafrão, não é? Use e abuse dele porque faz muito bem pra você. Use no suco verde, também fica maravilhoso!!!


5

@crisales_

TRENDS para arrasar no verão!

O reinado do chapéu: não é nenhuma novidade o fato de que os acessórios são sempre os responsáveis por transformar um look básico em outro cheio de estilo, né?

Agora que as altas temperaturas parecem ter chegado de vez, tudo o que conseguimos enxergar (e queremos comprar!) são as peças que protagonizarão nossas produções durante o verão, estou certa? E foi buscando os itens must-have para um closet atualizado que me deparei com esse conteúdo completíssimo e muito certeiro disponibilizado pelo Pinterest com as 5 maiores trends para o verão.

CRM:52530660

A rede social tem uma base de dados e de usuários enorme e exatamente por isso confiar nos itens dessa listinha é garantia de acerto.

Vichy: a estampa mais hot da temporada merece sua atenção e um espacinho no closet também.

Cintos em evidência: além de ser incluído em peças com passante, como no look acima, o acessório agora ganha também vestidos, blusas, kimonos e blazers, arrematando-os de maneira inusitada e cheia de estilo.

Maxi decotes: mega profundos e ultra sexy, os decotes extra longos tem tudo a ver com as estações quentes do ano e podem fazer parte tanto de propostas mais sofisticadas, quanto de outras mais descoladas.

Óculos brancos: o modelo consegue ser retrô e atual ao mesmo tempo e dispara em primeiríssimo lugar na lista dos acessórios must-have da estação.

Como são seus cuidados com a pele para retardar os sinais de envelhecimento? Se você tem dúvidas, a primeira dica é se consultar com um dermatologista para contar com informações especializadas e um diagnóstico personalizado. O uso diário de filtros solares adequados ao seu tipo de pele é fundamental, e utilizar medicamentos indicados pelo dermatologista também. Procedimentos na clinica são muito mais no rejuvenescimento do que cremes, que costumam ser melhores quando usados de forma preventiva. No caso dos preenchimentos, o paciente já pode ver resultados significativos no mesmo dia. Mas a quantidade de produto pode variar entre cada caso, e outras sessões poderão ser necessárias para complementações –fazer em etapas pode ser bom. No caso da toxina botulinica, o resultado surge em até 15 dias. No caso

Dra. Ana Maria Pellegrini

dos lasers e da Luz Pulsada, a partir de 1 – 2 meses. Em outros casos, como do Ultrassom Microfocado (Ulthera e Ultraformer), dos bioestimuladores (Sculptra e Radiesse) e da criofrequência, demandam tempo para resultados expressivos (às vezes 3- 4 meses). Por conta disso, deve haver um bom planejamento com seu dermato para você conseguir seus resultados dentro do seu tempo desejado. No caso de ocasiões muito especiais, tipo seu casamento, seu planejamento deve começar uns 3 – 6 meses antes para não haver contratempos. Isso vale para a mãe da noiva também! É importante dizer que seguir uma orientação personalizada é fundamental, sempre buscando saber se suas expectativas poderão ser alcançadas de forma real.

Dra. Ana atende na clínica mais badalada de Campos, no edifício Medical Center, na Rua 13 de Maio nº 286/512 Sala 12 Tel: 2733 4211.


@priscylabezerra

APOSTA CERTA

Ainda não finalizou sua mala para aquela viagem dos sonhos de verão, ou apenas quer dar um up grade nas produções aproveitando as promoções que já começaram a pipocar pela cidade ?! Selecionei 3 tendências imperdiveis pra vc USAR AGORA e fazer lindo por onde passar. Quer saber, né?! Se joga de olhos fechados e depois me conta.

Aposta 1 - Kimonos Eles estão por todos os lados e vai (muito bem) desde a praia sobreposto no biquine ou maiô, como pós praia para o almoço ainda com água de sal (amo!!! acreditem se quiser!!!) ou aquele happy hour com os amigos acompanho de shortinho e uma rasteira bem confortável. Bolsa de praia (grandona tipo sacola) ou bolsa menorzinha de palha bem boho-linda, e pra finalizar um óculos levinho e um chapéu se tiver estilo de sobra nesta garota estilosa. Alguém se identificou ?!

Aposta 2 - Maiôs Se você não é "la muito fã" de um maiô bacana para curtir um dia de praia exalando estilo e elegancia, ou acredita que este hit desde o ultimo verão irá esconder o corpicho que você laídou o ano inteiro.. está muito enganada. Esta peça veio pra ficar e neste verão está mais abusada que nunca! As modelagens estão incríveis com opções de maiô cavado (superrrr cavado), maiô ombro a ombro deixando o colo maravilhoso e todo a mostra (acredito que o mais procurado), o maiô um ombro, o engana mamãe com recortes laterais apenas, frente unica etc.. Muitas opções não é mesmo ?! Sem falar nas estampas florais com milhões de estampas, listras, bolas, listras com bolas, lisos.. Ufa! Se me oferecer, juro que aceito um de cada. Não vou negar nunca ! rs E que saber?!! Acho que você deveria fazer o mesmo.

Como manter os cabelos saudáveis no verão Para curtir a estação do sol com o cabelo mais lindo do que nunca, basta adotar medidas simples e escolher os produtos certos! Mantenha os cabelos e o couro cabeludo sempre limpos (xampu e condicionador com proteção UV). Fios blindados! Vale bonés, chapéus e produtos sem enxágüe com proteção UV (leave-in ). Enxágüe bem os cabelos após sair do mar e da piscina. Evitando os danos causados pela salinidade e por elementos usados para o tratamento da piscina. Evite abusar de máscaras capilares diariamente quando estiver na praia ou piscina, pois facilitam os danos causados por estes, deixando-os mais fracos e suscetíveis às quebras. Evite manter os cabelos úmidos sempre amarrados ou presos. Faça hidratações regulares! Preserve a cor! Saiba que os raios ultravioleta oxidam a melanina, alterando a coloração. Para preservar o tom, invista em produtos que oferecem proteção UV . Frente fria! O secador no verão, em alta temperatura, aumenta o ressecamento dos fios. Uma alternativa é utilizar o aparelho no modo frio. Mais óleo, por favor! Eles estão em alta e podem fazer maravilhas: hidratar, reduzir o frizz, nutrir… Vale a pena adotar o de macadâmia, de argan e o de ojon. Siga o roteiro e arrase na praia ou na piscina! Paula Marsicano Dermatologia Integrada Rua Voluntários da Pátria 500 sala 108 Ed. Platinum Tel: 22 3026-1819 @paulamarsicano

Aposta 3 - Bolsa de Palha Ahhhh, uma bela bolsa de praia tem o seu valor ou melhor: seu lugar ao sol. Este verão as redondas estão com tudo. Porém, não quer investir em mais uma bolsa ?! Personalize a sua com tecidos coloridos, letras em acrílico com as iniciais do seu nome, etc. Use sua criatividade e arrase muito pois o verão 2018 está apenas começando.


Esta colunista e Waltinho Sepulveda Chez Mirza e Wady Kury

PÁGINA

06

herminiasepulveda@yahoo.com.br

07 A 13 JANEIRO 2018

Que a paz, a saúde e o amor estejam presentes em todos os dias deste ano que se inicia. Feliz Ano Novo!

Ana Liz Bittencourt trazendo boas energias

Beleza de Latife Haddad Pessanha

O brinde de Lia Mírian Aquino Cruz

Belo casal: A americana Emilie Rudy e Fabrício Kury

O charme de Carla Paes A bela Floricena Valentim

Vânia Cunha super elegante

Búzios: Mara e Bruno Robaina Renata Machado Livia Barbosa Em Búzios: Orlando Nascimento e Cris com Malu e Bruno

Miss Julia Machado Tavares e sua mãe Elisângela

Rio: Maria Edyr e Maurício Vasconcelos

Iate Tênis Clube: Pollyana e Gustavo Vasconcelos Ribeiro

Rio: Maria Clara Marinho Teixeira Póvoa Ribeiro

Cabo Frio: Walterzinho Sepulveda e sua afilhada Miss Mariana Vergnano

Rodgers William Pacheco e Nathália com Roginho Atafona: Ralff Boeschenstein e Ana Helena com Natália, Pietro e Carol

Santa Clara: Suelen e Rafael Guimarães com Rafaella e Rafael Filho Campos: A panicat Arícia Silva na Noite Mundo Jovem Aninha da Silva e Leila Alves

Atafona: Matilde Aiex Abdu Neme com Toninho e Karla, os netos e Layla Célia Cristina Aquino Gazineu de Barros

Viva o amor: Laurinha Pereira Pinto e Maurício Ferreira Paes

Atafona: Maria Amélia Dumas com Lucas Marina e Auxiliadora Patrão

Nova Friburgo: Verinha Galvão e Cristina Miranda Lima

Ironis Escafura Junior e Ana Karla

Rio: Luís Ricardo Faria e Isabel

Atafona: José Carlos Souza Alves e Tania com Gabriela e Sandro Scopel Saudino, Matheus e Maithe Copacabana: Gabriel Azeredo no camarote da Anita

Erika Nunes e Rafael Lemos com Maria e Ralph

Cicinha Chagas e Luciano Freitas

Carol Alves Rodrigues, Cris Nascimento, Mara Simões Robaina, Maria Fernanda Gebara, Sandra Maria Silvares Rangel, Dione Marinho e Carla Paes

Regi Araújo e Wagner Clemente

Leonardo Henriques, Andrea, Júlia e Mariah

Alexandre Kury Izar e Marlene Nogueira


GENTE BACANA

QUE É SEMPRE BOM ENCONTRAR POR Aí

1

2

4

5

3

6

Foto 1 - Beth Bousquet, vendo a moda da Pelinca acontecer. Foto 2 - Silvinha Granatto e Helo Motta, em tempo de exposição de arte e decoração. Foto 3 - Guilherme Cassiano homenageou a namorada Graziella Aquino Cruz com a mensagem na camisa da virada do ano: "Luz, Amor, Prazer e Grazyella" by Reserva. Foto 4 - Encontro de amigas: Silvinha Soares e Vera Maria Waked Peixoto. Foto 5 - Casal bacana: Maria Lúcia e Marcelo Fernandes, por solos históricos. Foto 6 - Lia miriam Aquino cruz aguardando 2018 chegar em atafona.

S.O.S. Luz A cidade está um breu danado, justo agora que a população troca de endereço por conta da temporada de verão, deixando suas casas entregues a cães de guarda, alarmes, seguranças,... ou apenas aos santos protetores e à sorte. Os larápios andam fazendo a "festa" por ai, com mais facilidade, pois os postes sem manutenção e lâmpadas queimadas, deixam uma escuridão pelas ruas quando a noite cai. A Avenida Nilo Peçanha mesmo, bem na entrada da cidade, é uma delas.

Blonde E essa multidão de meninos loiros que tomou conta da população moderninha do pais? É a turma do bonde blonde, platinados, de cabelos tingidos com a força da descoloração, chegando a um tom quase branco, sem escolher família, fama, raça ou credo. Não adianta tentar conter, o jeito é aceitar e rezar pra não te pegar.

Acredito que um Zé Gordo, que cumpriu 40 anos a missão de encarnar crianças e adultos como Papai Noel por toda a região, só pode estar no céu dos bons de coração. O nosso bacana Zé Gordo se foi, levado pelas renas e trenó para algum outro polo, vivo nas nossas lembranças, tal qual Noel, de inesquecíveis momentos na sua presença.

Magu Aguiar Ribeiro Marinelli começou o ano em solo Argentino, dedicada ao relax de livros, andanças culturais, bons vinhos, música,... Totalmente entregue ao descanso depois de tempos de trabalho intenso no escritório da consagrada arquitetura Marina Linhares, em São Paulo. De lá foi de barco para o Uruguay conhecer Colônia do Sacramento e retorna à Terra do Tango para seus dias de só somente só.

E o casarão de Anamárcia Lysandro Gomes, na beira mar de Atafona, virou Casa Duna, que resgata a memória com um museu de Atafona e também virou espaço cultural para eventos. Tá bacana o negócio por lá, com gente dedicada dentro, gente séria e que ama a praia e valoriza a arte em várias expressões. Tem encenação teatral, cineminha, fotos históricas, trabalhos de artistas expostos, música,... Vale a pena a conferida na programação. Li na rede social da literária Heloisa Crespo que, se "vivo" fosse em letras, expressões e impressões, o extinto jornal O Monitor Campista estaria comemorando 182 anos de redação. Um dos jornais mais antigos e de grande importância histórica, se foi há 9 anos deixando tristeza, revolta, lembranças e a sensação de dever cumprido.

Lia Mírian e Gilberto Monteiro Cruz viram 2018 chegar na casa de Atafona. Uma ceia foi preparada com esmero, que faria parte somente a filha Graziella e o namorado Guilherme Cassiano. Eis que o convite se estende aos amigos vizinhos Dulce e Waltinho Godoy e família, as filhas Beatriz, com marido Joaquim, e Maria Inês, com Roberto e o filho João Pedro, todos reunidos brindando o ano novinho com direito a flutes de espumante e ver o tímido foguetório que a praia realizou. No outro dia, primeiro do ano, Dulcinha e Waltinho Godoy devolveram o carinho aos amigos vizinhos. Receberam todos na area de lazer para uma caranguejada de lamber os dedos, temperado pelo genro Roberto. Os primos Luiz Fernando e Manoelzinho Patrão também foram e bem vindos, digo, idos. E Atafona já conectou a sua estação quente aos veranistas. O fim de semana foi de show pelo Balneário de Mumuzinho e Leandro Sapucahy no palco oficial. Na semana que vem Pique Novo, Promessa do Samba e Tuca Fernandes.

Gente Nossa Duas talentosas artistas, de raízes bem fincadas em Campos, estiveram recentemente juntas num mesmo trabalho de arte cênica, no Rio. Durante a temporada da peça Hamlet, no palco do Centro Cultural Banco do Brasil. Encenando estava a atriz Isabel Pacheco, filha de Olandininha e Ricardo Assis Pacheco, com figurino assinado por Carol Lobato, filha de Stela Lobato, de São João da Barra, e sobrinha do cultural Feú Lobato. A peça concorre ao Prêmio Cesgranrio e adivinha em qual indicação? Melhor Figurino. Êba! Palmas para nós!

Binho Dutra está com trabalho bacana sendo montado. São fotos de grávidas que vão virar uma exposição, com cenários diferenciados, bem montados em seu stúdio. Ana Maria Pellegrini aproveitou o fim de ano e festejou 2018 bem diferente da maioria dos seres amigos. Viu sua face ganhar retoques do Joaozinho Sobral e ficar novinha em folha. Feliz da vida! O que já estava ótimo, ficou melhor ainda. A meio campista e meio baiana Kátia Guzzo esteve passando dias pela cidade junto da família. Daqui seguiu para o Rio e depois de volta a Salvador, onde mora e é aguardada. Kátia é uma querida aqui, lá e acolá, com uma vasta lista de bons amigos e trabalho conceituado na imprensa televisiva. Stela Wigand com a filha Maria Júlia e os pais Regina e Thieres Rodrigues chegados de Miami, onde passaram Natal e Ano Novo com a Ana Carolina Wigand Rodrigues, que lá mora há anos e em breve espera vir curtir a casa deles de Búzios. O campista Daniel Rangel marca mais um gol de placa na sua promissora carreira de

ator. Depois de estrelar na Tv Globo, na novela O Novo Mundo e no cinema no premiado Fala Comigo, agora está no novo elenco da jovem novela Malhação, que estreia em março. Será o jovem estudante Alex, de 15 anos, personagem esse que vem a ser filho da grandiosa Camila Morgado. Samanta e José Geraldo Soares plantaram em terras de sua propriedade, na Estrada do Carvão, uma floresta inteirinha de eucaliptos, a mesma que um dia foram de mudas bem escolhidas e cuidadas. Hoje o lugar da vida a um projeto de moradia ecologicamente correta, por um mundo melhor. Bacana. Suzana Lisboa já se instalou com o pai Flanklin na casa de Atafona. Passa dias de total prazer, com qualidade de vida, indo à praia, respirando ar puro, tomando banhos de sol e saudável alimentação,... uma fonte natural da juventude. Espera ficar por lá, longe do calor da cidade, por um bom tempo. Marielza Horta, que comemorou o seu aniversário com jantar às vésperas do Natal, recebeu por uns dias a amiga argentina Dome, que veio conhecer o Brasil com direito a Campos e arredores. Pelo jeito gostou muito, pois quer voltar breve.


08

07 A 13 JANEIRO 2018

candinhovasconcellos@gmail.com

CANDINHO VASCONCELLOS

PÁGINA

"Mais um ano se passou, muitas mudanças, transformações, alegrias e tristezas. Momento de analisar os avanços, o que podemos aprimorar como pessoas, reorganizar a vida e se inspirar para o recomeço de um novo ciclo. Que nesse ano que se inicia a humanidade possa vivenciar a Paz e menos a desarmonia, mais abundância e menos fome, mais alegrias e menos sofrimento, mais unidade e menos separação e que tudo de melhor se manifeste para o planeta e seus povos. Abençoa Senhor as famílias, amém! Abençoa Senhor a minha também." Maria Lúcia Carneiro Fernandes - Advogada

"A paz não se recebe. A paz se constrói num exercício diário de humildade, tolerância, coerência, solidariedade. Aproveitemos a mensagem de amor ao próximo que Jesus nos endereçou e, assim, façamos de 2018 um ano maravilhoso e promissor." Wilmar Ferreira Rangel Maria Helena e Ricardo Bastos esbanjando alegria rodeados pela família

Fatima e Elias Assed reuniram a família em Angra dos Reis

Regina e Osvaldo Cardoso de Melo, Verinha e Benedito Martins

"2018 é ano de eleições no Brasil, ou seja, de muita emoções, reais e fabricadas. Que todos se comprometam de fazer um país melhor para todos os brasileiros. Amor ao próximo, respeito à vida, à natureza, sejam compromisso de todos em todos os dias do novo ano que se inicia. E que tenhamos consciência que estamos no mesmo barco, ligados uns aos outros, filho que somos do mesmo Pai. Saúde e Luz para todos." Silvia Salgado Rodrigues jornalista

Renata e Paulo César de Freitas em família

Ana Bianca Rocha Miranda curtiu a virada pelos ares nordestinos

"Opção pelo otimismo da vontade contra o pessimismo da razão." "Entre o pessimismo da razão e o otimismo da vontade, eu faço opção pela segunda, no desejo utópico e referencial de que a sociedade seja menos desigual e a solidariedade possa se sobrepor ao individualismo. Depende de nós a superação da nacionalidade com aposta na vontade de que a nossa cidade, o Brasil e o Mundo possam ser amanhã, melhor do que hoje. Lutemos então para transformar a vontade em realidade. Feliz 2018!" Roberto Moraes - professor

Patricia Baracat e Ronaldo Silva Jr.

"2018 batendo à nossa porta! De novo, as expectativas, os planos, os desejos e os sonhos... Reviso o meu avesso e lá encontro um sentimento forte, que encontra eco nas palavras da lutadora social mexicana, Xóchitl Gálvez Ruiz, que dizem: "Ninguém é feliz sozinho. A única maneira de ser feliz é compartilhar o que temos com os outros." Há alguns anos, descobri no trabalho em prol do Hospital Psiquiátrico Espírita Dr. João Viana uma das minhas fontes de renovação e de vivências valiosas, que têm me proporcionado incontáveis aprendizados e me aproximado da máxima espírita que afirma estar na caridade o ideal de vida de todo cristão que almeja conhecer Jesus por experiência própria. Assim, eu espero que em 2018, eu redobre minha coragem, revigore minha Fé e confiança no amparo divino, continue apostando na capacidade de amar e de ser solidária da comunidade campista, seja ouvida pelas autoridades ou por todos aqueles que detém o poder nas mais diversas esferas para que, ao levantar-me a cada alvorecer desse novo ano, meus joelhos não fraquejem, meu ânimo se renove e eu possa unir minhas mãos à tantas outras e lutar bravamente pela manutenção do Hospital Psiquiátrico Dr. João Viana." Maria Cristina Torres Lima

Gilma Barcelos e sua família linda!

Soraya e Leonardo Barroso com Leozinho em Angra

Lu e Julio Boldrini transbordando esperança para o ano que se inicia

Dani Zoboli e Rodrigo Bittencourt reuniram amigos no belíssimo apartamento em Campos

"Que venha 2018, na abençoada mansidão da brisa de um verão gostoso, atraente e promissor. Que nos traga a inquietude do novo e a experiência de longos, mas valiosos aprendizados. Que neutralize amizades fantasiadas de emoções cedendo lugar à parceria entre pessoas do bem. Que a cura alcance as doenças pela estabilidade de razões científicas e haja menos envolvimento com interesse de grupos. Que o AMOR substabeleça endereços coletivos e transforme vidas em verdades diárias. Que o perdão, ainda tão difícil, encontre espaços mais conviventes nos corações dos homens. Que o poder, tão efêmero, evolua na simplicidade de ações e promova o silêncio das vaidades fazendo com que o homem seja tão somente a imagem e semelhança do Mestre." Bete Bussade reuniu a família em Ilhabela Vania Cruz - jornalista

Cristiane e Orlando Nascimento em família

Flavia e Leandro Chalita com Lila e Leandro Filho com as bênçãos para 2018

Vania e Dedé Rodrigues agitaram a virada em Atafona beach

Anê e Cassiano Guitton em Atafona beach


, , E big, E big... Pedro, Pedro!

Papais: Andréa e Guilhe rme Teller , o mano Dav ieo lindo aniversariante Pep é

én s lin do oo Pe pé faz 7! Pa rab

Pedro Teller na sua linda festa do pijama

com seus amiguinhos

la a, Maju Ville Super estilos Elegância em do se dupla, Maria e Rafael Caldas Bicudo Princesa Maria Rangel Villela, aproveitando Cajón Del Maipo – Chile

Cordeiro

A galerinha, Matheus Gomes, Victor Hugo Pin to, Hugo Lyrio, Gabriel Freire e Arthu r Nogueira

Quinteto especial, Marina, S Nina Coe uzana, Ma lho na ca uricinho e sa de pra Geraldinh ia em Gru o Coutinh ssaí o

O príncipe Lucca Ra

ngel Mercante em Bú

zios

Pedro Lucas é 10! Curtindo com os amigos em Grussaí

ias em Santiago Villela, curtinho as fér Gatinho Enzo Rangel

Gostosinha, Ma ria Antonella

Soares

A gatinha, Maria Clara Ma rba

Manhães Eduarda, Nallu e Clara Trio do barulho Maria

O que é que a baiana tem ... Juju Junquilho foi ver

de perto

e


A importância da hidratação no verão

O verão já começou e com ele as altas temperaturas, as praias estão cheias, pessoas praticando esportes ao ar livre, outras trabalhando no calor e com isso a atenção a hidratação deve ser redobrada. Claro que uma optar por alimentos saudáveis é imprescindível para o bom funcionamento do organismo porém a hidratação é de suma importância nos dias de calor intenso, vamos fazer uma pausa no texto para explicar um pouco o que é desidratação.

O que é Desidratação?

A desidratação ocorre quando o corpo usa ou perde mais líquido do que o ingerido. Quando isso acontece, seu corpo ter dificuldades para realizar suas funções normais. Se você não repõe os líquidos que são utilizados ou perdidos, ocorre a desidratação. Não podemos esquecer que perdemos juntamente com a água sais minerais. Além disso, a água é responsável por nutrir as células do nosso corpo e garantir que todas as funções serão devidamente cumpridas. Ao perder muita água, o corpo ficar fora de equilíbrio ou desidratado e não podemos esquecer que desidratação pode levar à morte.

Paula Trindade

Isis e Lis

Sintomas: Renata , Chrysantho e Philippe TDB

Desidratação leve a moderada pode causar: Boca seca Sede Diminuição da produção de urina Pouca ou nenhuma lágrima ao chorar Pele seca Dor de cabeça Tonturas ou vertigens. Batimento cardíaco rápido Respiração rápida

Márcio Andre

Então não esqueça de ingerir a recomendação diária de 2 litros de água( podendo variar de acordo com as características de cada indivíduo. Leve garrafa com água para seu trabalho, faculdade, escola, academia, cuide da sua saúde, você merece e sua saúde agradece.

Matheus Barreto

"Oportunidades não surgem. É você que as cria" – Chris Grosser, fotógrafo

Diego Motta Nutricionista dmottanutricionista@gmail.com 99777-6869

Karen Vieira

Ramires


PÁGINA

11

07 A 13 JANEIRO 2018

INAUGURANDO UM NOVO ANO!

"Que as nossas almas sigam irmanadas na utopia de um mundo cuja a maior loucura seja a dignidade de todos os homens. Cuja alegria de uns não esteja alicerçada na desgraça de inúmeros outros. Cuja esperança sobreviva ao caos. Onde o pão nosso de cada dia esteja à mesa recheado de sonho e poesia." (Eduardo Galeano)

Renata Junquilho

Um chapéu é beleza sem véu! Fica nela como um sonho de verão! Serve para olhar com calma o céu! Não é enfeite em vão!

Tânia Teixeira

Gisela Castelo Branco

Rita Bicudo

Viviane Daher

Gigi Moll Quitete

Marina Rios


PÁGINA

12

07 A 13 JANEIRO 2018

@ju_ribeiros

Sintonia: Caetano Siqueira, Thalita Machado e o pequeno Thor.

Raysa Sampaio curtindo o pacote completo das férias. Ricardo Bueno, chique em Paris.

Fui recebida pelo meu primo, César Viola, em sua cobertura em Guarapari. Melhor vista da queima de fogos!

Sabem ser lindas: Camila, Mírian Lobo e Patrícia Moll.

Marina Torres e Higor Volino, essa dupla sacudiu a Pelinca com sua bike café!

Bacana ver que o cenário da badalação em Atafona e Grussaí está bem aquecido. Opções variadas que transitam desde do happy hour até a balada, prometendo sacudir as praias da região. Tatiana Campos soprou as velinhas e comemorou seus 33 anos em clima bacana entre amigos. Parabéns, Tati! O casal querido Lívia Motta e o chef Paulo Gottgtroy, recém chegados de um super rolê gastronômico com direto à muito descanso. Sabem viver: Mayra Porto e Guilherme Freitas

Felicidade estampada: Héssio Fróes e Fernanda Guimarães babam na princesa Maria Fernanda, que chegou toda perfeitinha!

Paula e Manú Siqueira, as donas do bom gosto.

O triatleta Victor Rocha faz jus ao sobrenome e fala um pouco sobre sua recuperação no Conexão. Conheça um pouco sobre ele também através do perfil no Insta @coach_victor.rocha.

É shape que você quer? Milena Martins e Jhonatan Assis ensinam!

Jornal 3avia edicao 67  
Jornal 3avia edicao 67  
Advertisement