Page 1

REVISTASOBED ISSN 2179-7285

Publicado pela Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva Edição no 17 Abril-Junho 2012

ESPECIAL

Aspectos culturais e turísticos da cidade de Belo Horizonte

IN LOCO

Projeto ‘Ambassador’: Intercâmbio médico e social da ASGE

DNA

Entrevista com o Presidente da SOBED-MG, Paulo Bittencourt

Triângulo

MINEIRO 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva da SOBED reúne na capital mineira interessados em atualização científica, defesa profissional e integração com especialistas nacionais e internacionais


2

revista SOBED

abril/junho 2012


índice

Revista Sobed

Edição 17

abril-junho 2012 5

Radar SOBED Acompanhe os programas, ações e eventos realizados pela Sociedade. Ainda, a agenda de eventos das unidades estaduais e o edital para as eleições da SOBED

12

Comissões

16

IN LOCO

20

DNA

24

Em ação

30

especial

36

Hobby

40

amb

42

ética

44

por dentro

50

teste seus conhecimentos

12

Comissão de Admissão e Sindicância da SOBED

Programa Ambassador da ASGE

Paulo Bittencourt, presidente da SOBED-MG

Programação do 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva

16

24

Belo Horizonte e os aspectos da receptividade mineira

Cavaleiro na endoscopia

Formação profissional

Movimento médico na mídia

Destaque para notícias sobre o aparelho digestivo. Agenda de eventos nacionais e internacionais de endoscopia digestiva e gastroenterologia. Composição da diretoria nacional, comissões e estaduais da SOBED

Verdadeiro ou Falso sobre questões técnicas e assuntos relacionados à especialidade

abril/junho 2012

30 REVISTA SOBED

3


editorial

Palavra do Presidente

Simpósio de alto nível ISSN 2179-7285 Revista SOBED é uma publicação trimestral da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva distribuída gratuitamente para médicos. O conteúdo dos artigos é de inteira responsabilidade de seus autores e não representa necessariamente a opinião da SOBED.

Jornalista responsável Roberto Souza (Mtb 11.408)

Provavelmente enquanto você folheia esta edição da revista SOBED, mais de 350 endoscopistas – e isso deve incluí-lo também – estarão em Belo Horizonte (MG) assistindo às palestras sobre os mais atuais e importantes aspectos diagnósticos e terapêuticos relacionados ao exercício de nossas atividades. O 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva da SOBED traz convidados nacionais e internacionais de primeira grandeza. Fator este que só reforça a relevância do encontro no calendário anual de eventos da especialidade e o crescente interesse dos médicos em função da oportunidade de integração e troca de experiências. Portanto, esta edição ofecece um resumo dos principais aspectos do encontro, desde a

Editor-chefe Fábio Berklian

organização, a participação dos convidados e, principalmente, a parte científica. Isso sem contar

Editor de texto Faoze Chibli

o Curso Avançado de Vida em Endoscopia, a Prova de Título de Especialista em Endoscopia e/ou

Editor-assistente Rodrigo Moraes Reportagem Jayme Borges Marina Panham Rosangela Silva Tatiana Piva Projeto Editorial Fábio Berklian Projeto Gráfico Luiz Fernando Almeida

Área de Atuação em Endoscopia Digestiva e o 2º Fórum de Honorários Médicos da SOBED, que também acontecem durante o encontro. Importante lembrar que este ano, em caráter inédito, o simpósio acontece em paralelo ao 10º Workshop Internacional de Endoscopia Digestiva, organizado pelo Instituto Alfa de Gastroenterologia (IAG) e que apresenta ao vivo os procedimentos realizados no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC-UFMG). Veja também a entrevista com o presidente da SOBED-MG, Paulo Bittencourt, importante parceiro e anfitrião dos endoscopistas participantes do simpósio na cidade de Belo Horizonte

Designers Leonardo Fial Luiz Fernando Almeida Felipe Santiago

(MG). A capital mineira também é tema de reportagem sobre os seus aspectos culturais, históri-

Foto de Capa Dreamstime

Conheça ainda o Programa ‘Ambassador’, da American Society for Gastrointestinal Endos-

Tiragem 3.000 exemplares Impressão Companygraf

cos e, claro, para os que apreciam uma boa culinária tradicional, cheia de sabores e surpresas.

copy (ASGE) que, com o apoio da SOBED, será realizado este ano no Brasil - em Manaus (AM), e leia mais sobre a Comissão de Admissão e Sindicância da SOBED e as principais notícias e informações da SOBED e suas estaduais na seção Radar. Por fim, fique atento à carta aos associados lembrando sobre as eleições para a diretoria nacional da SOBED (biênio 2014/2016) e a repercussão sobre o movimento médico por me-

Rua Cayowaá, 228, Perdizes São Paulo - SP CEP: 05018-000 11 3875-6296 rspress@rspress.com.br www.rspress.com.br

lhores condições de trabalho e atendimento aos pacientes. Tenham todos uma boa leitura e um ótimo simpósio.

Sérgio Bizinelli Presidente Nacional da SOBED

4

revista SOBED

abril/junho 2012


sobed.org.br

notícias

|

cursos

|

oficinas

|

atualização

|

cna

Rede SOBED Com mais de 700 profissionais cadastrados em aproximadamente 240 cidades no Brasil, a Rede SOBED é um serviço gratuito de educação continuada à distância, para Associados. Os vídeos são atualizados

mensalmente e cada módulo permanece disponível por dois meses, contados a partir da data de publicação. Os procedimentos apresentados na Rede SOBED 2012 foram gravados durante o V Curso Internacional Interativo Ao Vivo de Endoscopia Digestiva Diagnóstica e Terapêutica, realizado em Porto Alegre (RS), na X Semana Brasileira do Aparelho Digestivo (SBAD). Entre as novidades deste ano está a possibilidade de assistir às aulas em dispositivos móveis e tablets. Já está disponível o módulo 3, que engloba os temas Ressecção Endoscópica e Drenagem Ecoguiada. Para a emissão do certificado será necessário completar, no mínimo, 70% da carga horária de cada módulo. Depois, os participantes poderão imprimir online seu certificado de participação. Para se cadastrar, basta preencher a ficha de inscrição no site da SOBED.

As aulas e a programação com as principais palestras da X SBAD, realizada em Porto Alegre (RS), estão disponíveis no site da SOBED. Os cadastrados no ‘SOBED em casa 2012’ já podem assistir ao módulo 3, que engloba o câncer colorretal, o emprego da ECO nas lesões subepiteliais e pólipos colorretais. O módulo 4 também está disponível, com o tema coledocolitíase. O módulo 5 abrange endoscopia na DRGE e estado atual do tratamento endoscópico do esôfago de Barrett. A cada mês um novo painel será acrescentado. Para participar, é necessário efetuar o cadastro no site da SOBED e o pagamento da respectiva taxa. Após dois meses da publicação de cada aula, a senha expira. Para a emissão do certificado será necessário completar, no mínimo, 70% da carga horária de cada módulo. Depois disso, os participantes podem imprimir online seu certificado. Assista a uma aula gratuita sobre lesões pré-malígnas do TGI e conheça mais sobre o programa.

Foto: © Reprodução

Anuidade 2012

SOBED digital 2012

Diploma de Titular

Selo de qualidade

É um programa de atualização médica à distância em que os eventos de maior destaque no cenário nacional são gravados em CD e/ou DVD. São nove DVDs no total, com dezenas de palestras nacionais e internacionais. Para adquirir o programa, acesse o site da SOBED. O interessado recebe em casa o material para estudo. Associados possuem desconto.

A SOBED desenvolveu um diploma em pergaminho que confere, de acordo com as normas em vigor, o título de Membro Titular a todo Associado que tenha Título de Especialista em Endoscopia ou Certificado de Área de Atuação em em Endoscopia Digestiva. O custo é de R$195,00 e pode ser pago por boleto bancário. O prazo para confecção e entrega é de 60 dias.

Como forma de reconhecimento ao médico especialista em endoscopia digestiva ou em endoscopia associado à SOBED, a Sociedade criou os Selos de Especialista e para Certificação, com intuito de referendar os laudos emitidos pelos especialistas – ambos concedidos aos Associados adimplentes com as anuidades. Confira no site da Sociedade como solicitá-los.

abril/junho 2012

Desde 2007 as anuidades da SOBED não passam por reajuste. Por isso, a Sociedade informa aos seus Associados que em 2012 o valor será de R$ 405,00 e o vencimento, em 30 de junho. O reajuste foi definido em reunião do Conselho Deliberativo e aprovado em Assembleia Geral Ordinária, realizada em Porto Alegre (RS) durante a X SBAD. Os Associados podem gerar o boleto pelo site da SOBED. Segundo o artigo 22 do estatuto da Sociedade, os Associados com mais de 70 anos são isentos da taxa de anuidade.

REVISTA SOBED

5


RADAR sobed

Notas

Lançamentos

Em16 de junho, também no Simpósio, o lançamento será o do livro “Prótese Endoscópica no Sistema Digestório (com vídeo)”. A obra é de autoria de Everson Luiz Artifon, Eduardo Moura e Paulo Sakai. Entre os temas estão a aplicação das próteses endoscópicas em afecções benignas e malignas do sistema digestório, bem como a nova técnica de drenagem biliar e pancreática guiada por ultrassonografia endoscópica.

6

revista SOBED

Suporte de Vida em Alagoas Aspectos teóricos e práticos sobre sedação, reanimação cardiorrespiratória, vias aéreas e situações clínicas foram os temas centrais do curso Suporte Avançado de Vida em Endoscopia Digestiva, realizado pela SOBED-AL, no dia 17 de março, em Maceió (AL). O encontro, que teve o apoio da SOBED Nacional, con-

tou com a participação de 30 pessoas e aconteceu na sede da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL). O curso tem a coordenação dos médicos endoscopistas Carlos Alberto Cappellanes e Ricardo Anuar Dib e foi ministrado pelos anestesistas Samir Rizak e Leonardo Vanzato.

Atualização científica de especialistas O III Congresso Catarinense de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva (CCGED), que aconteceu entre os dias 22 e 24 de março, em Florianópolis (SC), discutiu temas como a qualidade da endoscopia digestiva e o mercado de trabalho. Também foram abordados o diagnóstico precoce do câncer colorretal, as atitudes para prevenção de complicações nos procedimentos endoscópicos, o tratamento das complicações dos procedimentos endoscópi-

cos e o padrão de conduta atual da hemorragia digestiva com varizes de esôfago. O encontro, organizado pela SOBED-SC em parceira com a Sociedade Catarinense de Gastroenterologia (SCG), contou com 200 participantes. O Fundo de Aperfeiçoamento e Pesquisa em Gastroenterologia (FAPEGE), órgão da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), ofereceu, no primeiro dia do encontro, um curso para atualização dos médicos.

abril/junho 2012

Foto: © Divulgação SOBED

No dia 15 de junho, durante o 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva da SOBED, em Belo Horizonte (MG), será lançado o livro “Ecoendoscopia - Núcleo de Ecoendoscopia da SOBED”. A obra aborda desde princípios básicos da ultrassonografia em Medicina até a elastografia 3D e aplicações da ecoendoscopia por minissondas em gastroenterologia. Além do coordenador do Núcleo, Walton Albuquerque,tem a participação de: Fauze Maluf-Filho, José Celso Ardengh, Lucio Rossini, Marco Aurélio D´Assunção, Simone Guaraldi e Vitor Arantes, além de convidados e de centros de referência do Brasil e do exterior.


sobed no facebook

Gastrão 2012 O Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Coloproctologia, Transplante de órgãos do Aparelho Digestivo e Endoscopia é um dos mais tradicionais encontros sobre esses procedimentos no País. O Gastrão 2012 está em sua 39ª edição e será realizado no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo (SP), entre os dias 2 e 6 de julho. Organizadores e colaboradores do Departamen-

to de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo prepararam uma programação científica abrangente e atualizada. A expectativa de público é de 1,5 mil profissionais de todo o Brasil e da América do Sul. Para mais informações acesse o site: www.gastrao.org.br.

Agora você possui mais um meio para interagir com a SOBED e se manter atualizado sobre eventos e notícias da área, pelo Facebook. Por meio de mais este canal www. facebook.com/SobedNacional você pode “curtir” a página e se comunicar com a SOBED, além de receber atualizações sobre temas ligados à especialidade. Participe de nossa rede social.

Semana Paulista do Aparelho Digestivo Com a proposta de integrar endoscopistas, cirurgiões digestivos e gastroenterologistas para o tratamento e prevenção das doenças digestivas, a primeira edição da Semana Paulista do Aparelho Digestivo (SPAD), que aconteceu de 20 a 22 de abril, em Campos do Jordão (SP), reuniu público estimado de 300 participantes. Dividida entre mesas-redondas, conferências, vídeo-fóruns e discussão de casos clínicos, a programação científica contemplou ao longo dos três dias os avanços e desafios diagnósticos e terapêuticos de doenças como esôfago de Barrett; refluxo; obesidade; câncer gástrico; pancreatite crônica e aguda; enteroscopia; cápsula endoscópica, entre outros assuntos que englobam o conhecimento de cada especialidade. Confira a lista dos trabalhos premiados, mais informações e fotos do encontro no site da SOBED: www.sobed.org.br.

abril/junho 2012

Campos do Jordão Convention Center recebeu mais de 300 participantes na I SPAD

REVISTA SOBED

7


RADAR sobed

Notas

Evento sobre endoscopia no sul do País A SOBED-RS e a Sociedade Gaúcha de Gastroenterologia (SGG) realizaram, entre os dias 31 de maio e 2 de junho, o VI Simpósio Sul-Americano do Aparelho Digestivo e o XVI Congresso Gaúcho de Gastroenterologia e Endoscopia, com o apoio da SOBED Nacional. Aproximadamente 400 endoscopistas tiveram a oportunidade de atualização profissional no encontro, que os colocou em contato com novas técnicas por meio do curso ao vivo e das oficinas de endoscopia. Houve também discussão de casos clínicos, além de mesas redondas e palestras nos temas: DRGE, DII, Cirrose, Hepatite C, Neoplasias Digestivas e Complicações da Cirurgia de Obesidade. Nos dias 30 e 31 de março, a SOBED-RS realizou no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS), o “Simpósio sobre Efeitos do Álcool fora do fígado”, que reuniu aproximadamente 40 profissionais, entre eles o futuro presidente da SOBED para o biênio 2012-2014, João Carlos Andreoli. Para o presidente da SOBED-RS, Júlio Pereira Lima, o encontro serviu essencialmente para a troca de experiências entre os especialistas regionais e os professores da capital. No dia 17 de agosto será realizado outro encontro no molde “Churrasco e Endoscopia”, na cidade de Passo Fundo (RS).

Oficina de cápsula endoscópica A SOBED promoveu, em parceria com a Given Imaging do Brasil, no dia 5 de maio, a primeira Oficina SOBED de Cápsula Endoscópica. O encontro realizado no Hospital Ipiranga, em São Paulo (SP), foi ministrado pelo 1º Tesoureiro da SOBED, Thiago Secchi, um dos pioneiros da técnica introduzida no Brasil em 2001, além de Itamar Carrijo, gerente de produto da

Given, e da especialista Paula Bechara Polletti. Ao todo, 40 profissionais entre médicos e especialistas ligados à área participaram da oficina, que apresentou um histórico da PillCam no mundo e detalhes sobre o procedimento, como leitura das imagens e patologias, além do funcionamento do software utilizado pela cápsula.

Preparativos para a SBAD 2013 Endoscopistas de Goiânia (GO) se reuniram no dia 17 de março com o futuro presidente da SOBED Nacional, João Carlos Andreoli, e com o 1º secretário Jairo Silva Alves, ambos da gestão

2013-2014, a fim de iniciar o projeto de preparação para a Semana Brasileira do Aparelho Digestivo (SBAD) 2013, a ser realizada nessa capital. Essa será a décima primeira edição da SBAD.

Endoscopistas se reúnem em Goiânia (GO) para iniciar projeto da SBAD 2013

8

revista SOBED

abril/junho 2012


Grupo de Estudos de Residentes Ao longo deste ano, a unidade estadual SOBED-SP promove na capital paulista oito reuniões do Grupo de Estudo de Residentes com os coordenadores dos Serviços de Endoscopia do Estado de São Paulo e com todos os sócios aspirantes e titulares da Sociedade. Fazem parte da comissão de organização das atividades os endoscopistas Dalton Marques Chaves, Jimi Scarparo, José Celso Ardengh, Ricardo Anuar Dib e Thiago Secchi. Os encontros acontecem no Anfiteatro do Hospital

abril/junho 2012

Oswaldo Cruz e têm duração de duas horas, das 20h às 22h. As próximas reuniões do Grupo de Estudo acontecem respectivamente nos dias 27 de agosto; 24 de setembro; 22 de outubro e 19 de novembro.

Errata Diferentemente do que foi publicado na edição 16 da revista SOBED, na matéria ‘Fato e Ficção’ (Seção Info), o procedimento realizado com a cápsula endoscópica foi inserido na edição de 2010 da CBHPM. A Câmara Técnica de Avaliação de Tecnologias aprovou sua utilização “Enteroscopia do intestino delgado com cápsula endoscópica”, para exame do intestino delgado. Neste sentido, a luta da Comissão de Ética e Defesa Profissional da SOBED teve início em 2006.

REVISTA SOBED

9


RADAR sobed

Notas

Contexto oriental Estados Unidos e Japão são, sem dúvida, os países que mais contribuem para os avanços e para novas descobertas em endoscopia digestiva. No Japão isso ocorre principalmente porque o país possui alta incidência de câncer de estômago. E foi para aprender o que há de mais avançado nessa área de atuação que o endoscopista e presidente nacional da SOBED, Sérgio Bizinelli, foi convidado para passar 20 dias no país oriental em fevereiro deste ano. Apesar dos 30 anos de experiência que possui em endoscopia digestiva, Bizinelli comenta ter tido uma grande oportunidade nessa viagem. “Nós sempre temos o que aprender”, diz. Ele visitou três hospitais em di-

10

revista SOBED

ferentes cidades e acompanhou vários métodos endoscópicos. “Estivemos com médicos importantes, por exemplo, o endoscopista Hironori Yamamoto, que descobriu o método da enteroscopia. Eu o vi fazendo procedimentos avançados como a dissecção endoscópica de submucosas, que é a mais atual hoje, e a própria enteroscopia, criada por ele.” O presidente nacional da SOBED também pôde acompanhar exames complexos de endoscopia digestiva alta, de colonoscopia, de colangiopancreatografia, e de enteroscopia, cada um com suas devidas particularidades. “Os japoneses são muito avançados nessa especialidade”, reitera Bizinelli. Ele

ressalta ainda a quantidade e a frequência das novidades descobertas no país do Sol nascente nessa área de especialidade. Além da visita aos hospitais, Bizinelli também esteve na fábrica da Fujinon, um dos principais fornecedores de equipamentos endoscópicos do mundo. “Fomos conhecer o laboratório deles, tivemos acesso aos novos aparelhos que estão para chegar ao Brasil, equipamentos que ainda não são comercializados aqui”, conta. Apesar de ter tido acesso a todas essas informações avançadas, ele explica que alguns procedimentos e técnicas são difíceis de serem implantados no Brasil. “Existem muitas coisas que podemos melhorar e aprender com eles, mas algumas são inviáveis de serem consolidadas na nossa prática do dia a dia no País”. Bizinelli aponta ainda algumas questões culturais nesse contexto. “Existem procedimentos que têm sedações diferentes no Brasil. E lá o médico trabalha em apenas uma instituição durante todo o dia. Aqui, não, cada médico trabalha em dois, três lugares. No Japão a Medicina não é privada, todos são tratados pelo governo, então são vários aspectos envolvidos.” Ele relata ainda que acompanhou Yamamoto fazendo um só exame com duração de quatro horas. Para Bizinelli, aspectos culturais, econômicos e estruturais dificultam tais implantações.

abril/junho 2012


abril/junho 2012

REVISTA SOBED

11


RADAR sobed

Comissões

Mais representatividade SOBED busca aumentar adesão de profissionais não filiados, aproximadamente 400 deles com Título de Especialista em Endoscopia Por Marina Panham

Coquetel promovido durante a X SBAD para parabenizar os 75 aprovados na prova prática de Título de Especialista em Endoscopia (TEE) e/ou área de atuação em endoscopia digestiva

12

revista SOBED

“O trabalho da Comissão de Admissão e Sindicância só estará completo no dia em que todo endoscopista deste País for sócio da SOBED”, enfatiza o presidente da Comissão de Admissão e Sindicância, Admar Borges da Costa Junior. Segundo o artigo 64º do Estatuto Social da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), essa Comissão deve “apreciar e emitir parecer sobre pedidos de admissão ao quadro social da SOBED”. Atualmente, de acordo com Costa, a Comissão tem se voltado para o trabalho de captar

novos sócios. “Entendemos que uma entidade maior é mais forte e representativa”, declara. O endoscopista pernambucano, que é responsável pelo Centro de Treinamento da SOBED no Hospital da Restauração de Recife (PE), explica que a estimativa atual é que para cada endoscopista filiado à SOBED exista um não filiado. E esta proporção pode variar de acordo com as regiões. Em certas áreas mais distantes dos grandes centros, pode até chegar a uma relação de um sócio para dois não sócios, conforme

abril/junho 2012


Fotos: © Jackson Santos / RS Press

estima o presidente da Comissão de Admissão e Sindicância. Existem dois potenciais grupos de endoscopistas não sócios, continua ele. O primeiro é integrado por médicos que realizaram concurso para Título de Especialista em Endoscopia (TEE) e, ao obtê-lo, optaram por não se filiar à SOBED. O segundo grupo é composto por médicos não sócios que realizam exames endoscópicos, porém não possuem o TEE. Estes poderiam se associar na categoria de aspirantes. Segundo o presidente da Comissão de Admissão e Sindicância, aproximadamente 400 endoscopistas estariam na primeira condição, com a possibilidade de se tornarem sócios titulares. “A dificuldade é localizar os endoscopistas nesta condição, pois como não são sócios, apenas possuem o TEE, a SOBED não sabe onde estão,

abril/junho 2012

não dispondo de nenhum contato como e-mail, telefone ou endereço.” Costa narra como iniciou a empreitada de contatar esses especialistas. A Comissão enviou e-mails aos mais de 1,7 mil sócios titulares da Sociedade, pedindo informações para tentar localizar os endoscopistas especialistas não sócios. “Recebemos e analisamos centenas de respostas que informavam e-mails ou telefones, e assim construímos um pequeno banco de dados”, descreve. Assim, já foram localizados mais de 100 especialistas não sócios. O endoscopista lamenta que se tenha descoberto, com essa pesquisa, o falecimento de 10% dos integrantes desse grupo. Por fim, a Comissão enviou e-mails a uma centena de especialistas, convidando-os a fazer parte da SOBED. O saldo foi positivo, comemora o presidente da Comissão,

pois muitos atenderam ao chamado. “O trabalho demandou disponibilidade de tempo, pois redigi, enviei e respondi todos os e-mails”, revela ainda. A Comissão já está na etapa seguinte do plano de ação, que consiste em estabelecer contato via telefone com os especialistas que não responderam ao convite por e-mail. “Eu me identifico e peço alguns minutos do tempo do colega para explicar as vantagens de se associar à SOBED.” Costa relata que, no final da ligação, os especialistas ficam agradecidos por terem sido procurados pela entidade. Ele ensina, ainda, que os melhores horários para falar com endoscopistas são às 7h ou às 19h. “Fora destes horários o médico está quase sempre apressado, podendo atender ao celular com a enfermeira segurando o aparelho no seu ouvido.”

REVISTA SOBED

13


RADAR sobed

Comissões

A SOBED é a segunda sociedade da especialidade em quantitativo de sócios no mundo, só perdendo para sua congênere norte-americana

Universo ampliado A Comissão pretende em breve dar início a um trabalho de maior espectro com o segundo grupo de endoscopistas, que realiza exames endoscópicos mas não possui TEE. “Este é um grupo muito mais numeroso do que os 400 especialistas não sócios que possuem TEE procurados na primeira etapa.” Como a SOBED possui aproximadamente 2,5 mil sócios, considerando-se o número estimado dos não sócios, Costa calcula um número de 5 mil médicos para serem convidados a integrar a Sociedade, incluindo especialistas e não especialistas. Distribuir fichas de filiação nas pastas dos eventos apoiados pela SOBED, como fazem algumas sociedades estrangeiras, “é prático, sobretudo para aqueles endoscopistas que exercem a profissão em cidades menores e mais afastadas”, ressaltou Costa. O especialista acredita, ainda, que se o site da SOBED tiver a opção de versão em língua espanhola, isso levará a uma integração maior com a América Latina, e consequente interesse dos endoscopistas de países

vizinhos em pertencer ao quadro social da entidade. “A SOBED é a segunda sociedade da especialidade em quantitativo de sócios no mundo, só perdendo para sua congênere norte-americana”, comemora o presidente da Comissão.

Como se associar Para se tornar membro da SOBED é necessário preencher e enviar o cadastro no endereço eletrônico www. sobed.org.br/web/medico/associa. aspx. Candidatos a sócios aspirantes devem apresentar à SOBED Estadual correspondente, para análise e respectiva aprovação, fotocópias simples de comprovante recente do pagamento de filiação à Associação Médica de seu estado, território ou distrito federal; carteira do Conselho Regional de Medicina (CRM); declaração atual do exercício de atividade em endoscopia digestiva; e, caso possua, Certificado em Área de Atuação em Endoscopia Digestiva. Para candidatos a sócios titulares, além dos documentos acima, é preciso entregar fotocópia do Título de Especialista em Endoscopia (TEE).

Fotos: © Arquivo pessoal

Admar Borges da Costa Junior, presidente da Comissão de Admissão e Sindicância e responsável pelo Centro de Treinamento da SOBED no Hospital da Restauração de Recife (PE)

14

revista SOBED

abril/junho 2012


abril/junho 2012

REVISTA SOBED

15


in loco

Programa Ambassador

Programa Ambassador nas Ilhas Salomão: médicos locais aprendem técnicas endoscópicas

Intercâmbio médico e social A oportunidade de educar equipes de saúde em áreas carentes tem impacto global significativo na especialidade Por Rosangela Silva Colaboração Faoze Chibli

Foto: © Divulgação ASGE

C

onhecer a realidade da endoscopia em países onde a especialidade é praticada sob condições adversas. Ter a oportunidade de compartilhar o conhecimento com profissionais em regiões de difícil acesso. Oferecer atendimento de qualidade a populações carentes. Essas são apenas algumas características do programa internacional “Ambassador”, da American Society for Gastrointestinal Endoscopy (ASGE). A iniciativa reúne médicos voluntários em prol do avanço no cuidado ao paciente e à saúde digestiva. Durante um período entre 10 e 14 dias, especialistas internacionais promovem treinamento e capacitação de médicos locais em regiões desprovidas de recursos financeiros e equipes de saúde, com vistas a excelência e à inovação em endoscopia. Experiência, iniciada em 2010, já é considerada bem sucedida em países como Egito, Equador, Ilhas Salomão, Taiwan e Vietnã. No site da instituição é possível encontrar depoimentos de médicos que participaram do pro-

16

revista SOBED

grama. Um dos especialistas voluntários, Raj J. Shah, da Universidade do Colorado, que teve a chance de trabalhar no Vietnã, conta que era notável o entusiasmo dos médicos vietnamitas ao receberem treinamento nas mais avançadas técnicas endoscópicas, considerando uma exposição limitada durante sua formação e na prática diária. De acordo com o documento de apresentação do projeto no site da ASGE, os voluntários “abraçaram” a oportunidade de ensino, orientação e ajuda aos menos afortunados, de forma a impactar uma geração de profissionais em muitos aspectos da endoscopia terapêutica. Agora eles serão capazes de educar os colegas em suas instituições de origem com base no que aprenderam. “Após o programa, é feito um follow-up para asseverar que o que foi ensinado foi implantado pelo país. A ASGE pretende, com isso, descobrir se houve continuidade ou não do programa”, afirma o primeiro tesoureiro da diretoria nacional da SOBED, Thiago Festa Secchi.

abril/junho 2012


abril/junho 2012

REVISTA SOBED

17


in loco

Programa Ambassador

A seleção

Expectativa brasileira

O comitê de assuntos internacionais da associação norte-americana avalia alguns critérios do país em desenvolvimento candidato ao programa “Ambassador”, ainda de acordo com Secchi. “Um deles é a carência de especialistas aptos a realizarem procedimentos endoscópicos de médio porte.” Entre esses estão: ligadura elástica de varizes esofágicas, dilatação de estenoses, gastrostomia endoscópica percutânea (GEP), hemostasia endoscópica na hemorragia digestiva, abordagem de corpo estranho, e manuseio de acessórios terapêuticos. A ASGE fornece os equipamentos, provê os recursos financeiros e disponibiliza sua expertise no projeto social onde o acesso à endoscopia praticamente inexiste. Uma das metas é prover esse treinamento aos médicos locais, enfermeiros e técnicos, em procedimentos endoscópicos para diagnóstico e gestão dos distúrbios gastrointestinais mais comuns. A oportunidade de educar equipes de saúde em áreas carentes tem impacto global significativo na especialidade, como o avanço e o legado dos cuidados médicos de qualidade. Outras exigências feitas à sociedade local de endoscopia incluem requisitos técnicos, de logística e acesso à região e até mesmo da rede hoteleira. “Como são áreas carentes e com dificuldade de acesso, pede-se que haja um aeroporto próximo, para deslocamento da equipe”, explica o tesoureiro da SOBED.

A SOBED foi procurada pela ASGE para se candidatar ao programa.. “A partir do convite, a entidade desenvolveu o projeto com base nas necessidades brasileiras e o submeteu ao comitê responsável. Nele o país deve sugerir uma cidade que vai abrigar o programa, a população a ser abrangida, a equipe profissional a ser direcionada e a infraestrutura local disponível”, relata Secchi. Com uma equipe coordenada por Ricardo Dib e Thiago Secchi e a colaboração de Paulo Sakai, Everson Artifon e Carlos Alberto Cappellanes, foram realizadas visitas em algumas capitais do norte do País, até que se definiu pela cidade de Manaus (AM), com a ajuda da presidente da unidade estadual da SOBED Amazonas, Alinne Maia. Após o envio da proposta, a SOBED foi informada pelo Comitê Internacional da ASGE a aprovação do projeto e convocando uma reunião para o DDW 2012 (Digestive Disease Week), em San Diego (EUA). Na oportunidade, a SOBED foi representada por Sérgio Bizinelli, Flavio Ejima, Thiago Secchi, Jimi Scarparo, Carlos Alberto Cappellanes, Fabio Segal e Ricardo Dib, e pelos representantes internacionais da ASGE no Brasil, Paulo Sakai e Fauze Maluf-Filho, além dos representantes do Comitê Internacional da ASGE, Holly Becker e Ian Gralnek. A data escolhida para realização do Programa foi de 3 a 8 de dezembro de 2012. Também na reunião, com a presença de Dalton Chaves, representando a Diretoria que tomará posse em 2013, ficou estabelecida a participação da ASGE na XII SBAD, em Goiânia (GO), com a realização de um curso de Pós-Graduação. Secchi declara que “com essa resposta positiva, esperamos que os procedimentos básicos do dia a dia de grandes centros brasileiros sejam aplicados também em regiões onde há precário acesso à tecnologia e com profissionais que, apesar de terem informações técnicas, ainda não possuem experiência para realizar os métodos endoscópicos padrão”.

Interdisciplinaridade Outra meta do programa é a promoção de uma abordagem de equipe interdisciplinar para o atendimento médico e a prática endoscópica de qualidade. “O ensino será de ordem teórica e prática. Inicialmente em animais (hands-on) e depois com a aplicação do conhecimento em pacientes”, continua Secchi. O “Ambassador” foi lançado na cidade do Cairo, Egito, em fevereiro de 2010. Na sequência vieram as cidades de Hue City e Nha Trang, ambas no Vietnã, em novembro de 2010 (leia mais no quadro).

18

revista SOBED

Saiba mais sobre os desdobramentos do projeto e sobre a decisão da ASGE no site e nos outros veículos informativos da SOBED

abril/junho 2012


Embaixadores pelo mundo

Conheça algumas das ações do Programa Ambassador

1

2 5

3

4

1

2

3

4

5

EGITO: Em fevereiro de 2010, a ASGE, em parceria com a Organização Mundial de Gastroenterologia (OMGE) realizou o “piloto” do “Ambassador” na capital egípcia, Cairo. Médicos da Nigéria, Quênia e Sudão também participaram das aulas de treinamento.

VIETNÃ: Voluntários viajaram, em novembro de 2010, para Hue City e Nha Trang para treinar médicos das regiões norte, central e sul do país. O programa se concentrou na gastronomia endoscópica percutânea (GEP) para pacientes com traumatismo craninano - lesão comum naquele país.

EQUADOR: Em novembro de 2011, o projeto esteve em Cuenca, a fim de treinar médicos de todo o país. O programa concentrouse no treinamento e em palestras sobre neoplasias do trato gastrointestinal ou hemorragia gastrointestinal (varizes gastroesofágicas).

Ilhas Salomão: Em dezembro de 2011, as Ilhas Salomão foram contempladas. O treinamento incluiu desde a instrução básica em endoscopia digestiva alta e baixa aos cuidados e gestão dos equipamentos, no Hospital de Referência Nacional, em Guadalcanal.

Taiwan: Em fevereiro de 2012, na cidade de Taipei, o programa foi realizado em colaboração com a Sociedade de Endoscopia Digestiva de Taiwan. Entre os temas estavam o tratamento endoscópico da pancreatite aguda biliar e o tratamento do câncer pancreático.

abril/junho 2012

REVISTA SOBED

19


DNA

Paulo Fernando Souto Bittencourt

Endoscopia

mineira Presidente da SOBED-MG fala sobre panorama da especialidade no estado e sobre a organização do 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva Por Tatiana Piva

D

epois de quase 20 anos sem receber um evento de grande porte na área de endoscopia digestiva, a cidade de Belo Horizonte (MG) será sede do 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva da SOBED, entre 15 e 16 de junho (leia mais na editoria ‘Em Ação’, à página 24). Um dia antes do início do congresso, 14 de junho, ocorrerá o 10º Workshop Internacional de Endoscopia Digestiva, um evento organizado pelo Instituto Alfa de Gastroenterologia (IAG), uma Unidade Funcional do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A parceria entre a SOBED e a unidade estadual de Minas Gerais foi de extrema importância para viabilizar a realização de um evento com este porte – já são seis convidados internacionais com presença confirmada. Paulo Fernando Souto Bittencourt, presidente da SOBED–MG, fala sobre o atual panorama da endoscopia digestiva no estado, as ações promovidas para colaborar com o crescimento da especialidade na região e no Brasil e, ainda, sobre como foi a colaboração dos mineiros na organização do evento.

20

revista SOBED

abril/junho 2012


Foto: © Arquivo pessoal

Qual é o atual panorama da endoscopia digestiva no estado de Minas Gerais? A distribuição da SOBED-MG no estado é dividida em quatro subestaduais. A do sul de Minas, Triângulo Mineiro, Zona da Mata e leste de Minas. Agora está faltando formar a do norte do estado, para a qual temos o projeto para que seja na cidade de Montes Claros. A grande maioria dos endoscopistas está concentrada na capital do estado, Belo Horizonte. E uma das metas da nossa diretoria foi justamente interiorizar a Sociedade. No ano passado fundamos a subestadual do leste de Minas Gerais e este ano pretendemos criar a da região norte. Com isso contemplaremos representações em toda a cobertura de Minas Gerais. A região leste envolve Governador Valadares, Teófilo Otoni, Caratinga e Ipatinga, e é uma localização que também possui um número significativo de especialistas. Da mesma forma, a região do Triângulo Mineiro que contempla Uberlândia e Uberaba, duas grandes cidades. A do sul de Minas tem Itajubá, Pouso

abril/junho 2012

Alegre, Alfenas, cidades com faculdades de Medicina e especialidades de gastroenterologia e endoscopia, o que tem feito crescer o número de médicos na região. A subestadual da Zona da Mata hoje está representada por Juiz de Fora e Tiradentes. Segundo dados do mês de março, hoje já contamos com 263 associados.

Paulo Bittencourt, endoscopista e presidente da SOBED-MG

Qual é a importância da interiorização das Sociedades em um País como o nosso? É importante porque toda estadual passa a ter uma composição, um estatuto, uma diretoria e metas a serem seguidas. A principal é a parte científica, afinal elas realizam atividades científicas mensais para que contemplem os endoscopistas que moram no entorno. Além disso, uma vez por ano fazemos um evento grande com duração de dois dias, com a presença de convidados internacionais e, claro, especialistas do próprio estado. Dentro da comissão temos desenvolvido a defesa profissional aqui em ‘BH’. Através dela, passamos as informações para as subestaduais e elas trabalham nas

REVISTA SOBED

21


DNA

Paulo Fernando Souto Bittencourt

negociações com prefeituras e instituições de saúde que atendem sua cidade. Quando há necessidade, enviamos representantes para ministrar palestras, propiciando a abertura para discussões, uma outra faceta que tem se desenvolvido nessa gestão.

Estado de Minas Gerais recebe pacientes de outros estados para fazerem tratamentos

Que ações promovidas pela SOBED-MG têm colaborado com a especialidade na região e até no Brasil? Em março deste ano foi realizado um evento na subestadual de Caratinga, no leste do estado e que contou com 200 participantes, entre especialistas da endoscopia, gastroenterologistas, gastrocirurgiões e

estudantes de Medicina. Já está marcada a próxima Jornada de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva, que ocorrerá na cidade de Tiradentes, região da Zona da Mata. Está agendada para setembro outra Jornada, na cidade de Araxá, organizada pela subestadual do Triângulo Mineiro. Estamos inovando neste ano com as oficinas realizadas no sul de Minas. Elas tratam de assuntos não só do ponto de vista teórico, mas prático também, para que haja uma abordagem com ensinamento para os colegas do interior do estado. Eles têm a oportunidade de conhecer e praticar procedimentos mais avançados que não fazem parte do dia a dia deles. Em Itajubá, Pouso Alegre e Alfenas serão realizadas oficinas de Traqueostomia Endoscópica, Hemorragia Digestiva e Polipectomias de Cólon. Nelas, haverá um dia de parte teórica, no qual se passa informações preciosas aos especialistas. E a parte prática, ou seja, a realização de procedimentos que serão executados em estômagos de suínos, para que o próprio aluno possa fazer a execução. Como o senhor classifica o nível da especialidade em Minas Gerais? Nos últimos anos a endoscopia em Minas Gerais avançou muito. Em termos de procedimentos, equipamentos e, principalmente, com o nosso centro do Instituto Alfa. O maior centro de formação que temos no estado, o qual também se tornou um dos principais centros do Brasil. Ele contempla os procedimentos de maior complexidade. Somos pioneiros em alguns deles, como a ecoendoscopia e a dissecção de submucosa. O Instituto Alfa é inovador nessas especialidades por meio das figuras do Dr. Walton Albuquerque e do Dr. Vitor Arantes, que tiveram treinamento na França e no Japão, começaram a desenvolver essas técnicas e as trouxeram para Belo Horizonte. Muitas delas são novas para muitos centros do País e hoje coloca nossa cidade como uma referência nacional. Recebemos muitos pacientes de outros estados e que vêm fazer seus tratamentos aqui. Para levar essas in-

22

revista SOBED

abril/junho 2012


Foto: © Arquivo Pessoal

formações um pouco mais avançadas para o interior, fazemos dois grandes eventos no estado, o Gastrominas e o Seminário Mineiro de Gastroenterologia e Endoscopia. Em um ano o evento é em ‘BH’ e no outro ano no interior do estado. Em 2010, foi na cidade de Uberaba, no ano passado aconteceu o Gastrominas que obteve participação média de 500 congressistas, e contou com três convidados internacionais, entre eles Cláudio Navarrete, do Chile, que tepresença já confirmada para o 6º Simpósio. Este ano teremos o Seminário Mineiro, que ocorrerá em Juiz de Fora, no mês de agosto, e contará com uma representatividade grande de profissionais. Nos nossos eventos costumam comparecer colegas do exterior, convidados de outros estados e cidades do Brasil. Mas é claro que o evento contempla mais os colegas da própria região. É importante salientar que eles são fruto da união de sociedades de Minas Gerais: a Sociedade Mineira de Gastroenterologia e Sociedade Mineira de Coloproctologia, que são nossas entidades irmãs. Temos muitas coisas em comum, então colocamos nossos principais objetivos na organização de eventos mais robustos. Como está sendo a participação da estadual Minas Gerais na organização do 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva? A ideia do evento partiu da diretoria da SOBED, porque há vários anos não se fazia um evento grande no estado. O último foi o XXIV Congresso Panamericano de Gastroenterologia, em 1995. Então a SOBED nos procurou para viabilizarmos a organização, mas vimos que a data estava muito próxima do Workshop feito pelo Instituto Alfa. Procurei o Dr. Sérgio Bizinelli na tentativa de estabelecer parceria para fazer um evento único com foco em expandir e, assim, despertar um maior interesse para os congressistas. Então, associamos nosso evento, ao 6º Simpósio Internacional. Achamos importante a SOBED fazer um congresso neste formato, em parceria com uma universidade. Garantimos que o

abril/junho 2012

evento vai levar as informações mais atuais e avançadas aos seus congressistas.

Nos últimos anos a endoscopia em Minas Gerais avançou muito. Em termos de procedimentos, equipamentos e principalmente, com o nosso Instituto Alfa

E como será o 10º Workshop Internacional de Endoscopia Digestiva? Procuramos selecionar estes convidados de acordo com o que de melhor cada um deles faz e tentando considerar como seus conhecimentos poderiam contribuir em ensino para os congressistas. Por exemplo, o Kenneth Binmoeller (EUA) vai falar sobre ecoendoscopia e realizar procedimentos específicos nessa área. O Cláudio Navarrete (Chile) tem foco na parte de vias biliares. Portanto vai trabalhar com pacientes que têm alguma alteração na via biliar e fazer demonstrações em procedimentos. O presidente da Sociedade Venezuelana de Endoscopia, Leonardo Sosa Valencia, também trabalha com ecoendocospia e vai explorar sua experiência. E o convidado japonês Shinya Kodashima tem foco na parte de dissecção de submucosas. São procedimentos muito específicos e estes especialistas tornaramse referências mundiais no assunto. No Workshop, todos os procedimentos serão realizados pelos endoscopistas internacionais e os convidados brasileiros irão debater, organizados no auditório do Ouro Minas Palace Hotel. Os procedimentos vão ser transmitidos via satélite até o hotel. Quais são as suas expectativas em relação ao 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva? A expectativa é de trazer o maior número de colegas de outros estados e os próprios endocopistas de Minas Gerais para participarem do evento na capital, Belo Horizonte. É um presente que nós queremos oferecer para os nossos associados. Desejamos que todos aproveitem a cidade, essa receptividade, calor humano que o mineiro tem. Gostamos de receber as pessoas, de conversar de uma forma simples, mas muito próxima. São particularidades do mineiro e todos gostam. Estamos convidando todo o Brasil para que venha passar esses dias aqui, pois vamos recebê-los com todo o carinho e atenção.

REVISTA SOBED

23


em ação

6o Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva

Simpósio internacional em Minas Gerais é o primeiro grande evento da área no estado em duas décadas, e a programação compensa essa espera Por Tatiana Piva

Foto: © Ouro Minas Palace Hotel / Divulgação

A

segunda semana do mês de junho será repleta de acontecimentos especiais para os médicos endoscopistas brasileiros. Belo Horizonte (MG) receberá o 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva, evento bastante consolidado na agenda dos especialistas da área. Há quase 20 anos não ocorria um evento deste porte no estado. O Curso Hands On dará início ao evento, no dia 13 de junho (quarta-feira), no Setor Digestiva do Instituto Alfa de Gastroenterologia (IAG), uma Unidade Funcional do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Abordará quatro diferentes modalidades: Endoscopia Digestiva Alta, Colonoscopia, Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica e Ecoendoscopia. No dia seguinte, haverá um evento que é fruto de parceria entre a SOBED Nacional e sua unidade estadual de Minas Gerais, presidida pelo endoscopista Paulo Bittencourt (leia entrevista completa na seção ‘DNA’, à página 20).

24

revista SOBED

abril/junho 2012


PALCO MINEIRO abril/junho 2012

REVISTA SOBED

25


em ação

6o Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva

O 10º Workshop Internacional de Endoscopia Digestiva, também organizado pelo IAG, acontece tradicionalmente todos os anos em Belo Horizonte e costuma contar com a participação de especialistas da região e até de outros países. Coincidentemente, este ano o workshop estava marcado para uma data próxima à realização do 6º Simpósio, o que possibilitou unir forças em prol da endoscopia digestiva. “Ficou claro que a parceria seria racional e salutar”, comenta Walton Albuquerque, endoscopista mineiro que participa da organização desses workshops há mais de 10 anos. Na sede do Instituto Alfa de Gastroenterologia, localizado no bairro de Santa Efigênia, seis palestrantes internacionais executarão procedimentos avançados de suas áreas de maior atuação: Cláudio Navarrete (Chile), Jelle Harinsgsma (Holanda), Kenneth Binmoeller (EUA), Leonardo Sosa Valencia (Venezuela), Shinya Kodashima (Japão) e Thierry Ponchon (França). Os congressistas

Fotos: © Carla Bononi / Arquivo SOBED

Ouro minas hotel O Simpósio acontece em dois locais do Ouro Minas Palace Hotel: o salão Ouro Preto e o Centenário. O hotel tem capacidade para acolher até 2 mil pessoas e costuma receber quase mil eventos por ano. Entre eles, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Encontro do Mercosul. Reconhecido pela estrutura e experiência dos funcionários, o hotel possui tecnologia e boa estrutura disponível. Nos coffee-breaks oferecidos durante os intervalos de cada evento, destaca-se a culinária mineira, paulista, italiana e francesa.

poderão assistir tudo via satélite, do próprio auditório do Ouro Minas Palace Hotel, local onde acontece todo o conteúdo programático do 6º Simpósio (leia mais sobre o hotel no quadro acima). “Dos questionários que distribuímos no final de cada workshop durante todos os anos, observamos que vários colegas solicitam um número maior e mais variado de procedimentos endoscópicos”, revela Albuquerque. “Portanto, este ano todos eles ficarão concen-

26

revista SOBED

trados em um só dia, ocasião em que teremos maior dinâmica para abordarmos diversos tratamentos diferentes.” O americano Kenneth Binmoeller, por exemplo, falará sobre ecoendoscopia, o chileno Cláudio Navarrete irá trabalhar com pacientes que possuem alguma alteração nas vias biliares, o presidente da Sociedade Venezuelana de Endoscopia, Leonardo Sosa Valencia, que também trabalha com ecoendocospia, irá explorar sua experiência no tema.

Walton Albuquerque, endoscopista mineiro e um dos colaboradores na organização do evento

abril/junho 2012


Destaques da Programação 15/06

16/06

10h30: Tratamento endoscópico dos tumores gastrointestinais (conferência internacional)

9h: Indicação da enteroscopia e acesso às vias biliares (Endoscopia Bariátrica)

14h00: Cateterismo difícil das vias biliares: o que fazer?

10h30: Ecoendoscopia terapêutica: novas fronteiras (conferências internacionais)

15h30: Punções biópsias do pâncreas por ecoendoscopia

13h30: A nova RDC da endoscopia 16h15: Tratamento endoscópico dos tumores avançados de esôfago

de Liguory, referência em endoscopia biliopancretática), este ano são seis. A presença desses importantes especialistas estrangeiros vai abrilhantar ainda mais o Simpósio”. Para o endoscopista digestivo Vitor Arantes, que também integra equipe do Setor de Endoscopia Digestiva do IAG, “será um evento de alto nível científico, no qual se terá a oportunidade de promover intercâmbio com experts internacionais e nacionais, dentro de uma atmosfera de hospitalidade e amizade, tradicional da cultura mineira”.

Início oficial

Sérgio Bizinelli, presidente nacional da SOBED destaca presença de seis convidados internacionais

abril/junho 2012

E o convidado japonês Shinya Kodashima apresentará procedimentos relacionados à dissecção endoscópica submucosa. A discussão teórica mais aprofundada dos procedimentos executados acontecerá no dia seguinte, durante o 6º Simpósio, quando todos os convidados internacionais do Workshop irão participar do evento. Sérgio Bizinelli, presidente nacional da SOBED, comemora que “no ano passado tivemos um palestrante internacional (o francês Clau-

Nos dias 15 e 16 de junho, começa oficialmente a programação do 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva, que tratará de temas diversos, como fígado, vias biliares e pâncreas (veja os destaques da programação). E incluirá os principais assuntos da especialidade hoje, a dissecção endoscópica submucosa, tumores na fase inicial de estômago, de esôfago, cólon, coqueluche, enteroscopia, e ecoendoscopia. Também serão abordados os problemas mais presentes no dia a dia dos endoscopistas, como colonoscopia, polipocolorretais, esôfago de Barrett e esofagites. Aproximadamente 50% dos pacientes que chegam aos consultórios têm essas patologias, segundo relatam os especialistas da área. “Sabemos que dois dias não são suficientes para abordar todos os temas importantes para compor uma boa

REVISTA SOBED

27


6o Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva

Expectativa é de que o evento receba mais de 300 participantes

grade científica, mas estamos tentando ser o mais abrangente possível neste evento”, diz Bizinelli. No ano passado, a 5ª edição do Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva aconteceu na cidade de Goiânia (GO) e contou com aproximadamente 300 participantes. A expectativa da organização do evento é que este ano os números sejam superados. Paulo Bittencourt, presidente da SOBED- MG, diz que os mineiros estão felizes em receber um evento desse porte e que esperam trazer muitos colegas de outros estados e os próprios endocopistas de Minas Gerais para participarem. “É um presente que nós queremos oferecer para os nossos associados.”

Simultaneamente Em paralelo a toda a programação do 6º Simpósio também acontece no dia 15 de junho a Prova de Título de Especialista em Endoscopia e Certificado de Área de Atuação em Endoscopia Digestiva. E no último

28

revista SOBED

dia (16 de junho), médicos endoscopistas poderão participar do curso Suporte Avançado de Vida em Endoscopia Digestiva. Criado há oito anos no Brasil, oferece aos médicos treinamentos teóricos e práticos com bonecos de simulação, para aprenderem a lidar com complicações que podem surgir durante alguns procedimentos endoscópicos mais avançados, por exemplo, paradas cardiorrespiratórias e arritmias. Marco Aurélio D’Assunção, um dos coordenadores do curso, explica que nos últimos anos a endoscopia digestiva se tornou muito mais terapêutica e as sedações utilizadas anteriormente foram sendo substituídas. “Aos poucos as intervenções necessitaram de sedações mais aprimoradas. Hoje em dia os procedimentos são mais prolongados e invasivos, portanto foi necessário que os médicos aprendessem a lidar com essas novas drogas e a tratar as possíveis complicações advindas delas.” Segundo D’Assunção, em algumas localidades do País, nem sempre os endoscopistas têm outros profissionais para acompanhar

abril/junho 2012

Foto: © Ouro Minas Palace Hotel / Divulgação

em ação


essas intervenções. E foi justamente para oferecer um suporte a esses especialistas que a SOBED passou a oferecer este curso, que inclui noções legais dos procedimentos. “Este ano teremos dois anestesistas com grande experiência. Um deles trabalha em resgate, portanto possui treinamentos em traumas e emergências. Vamos simular problemas variados e colocar os endoscopistas em situações de estresse, de complicações bastante próximas da realidade”, continua D’Assunção. Isso oferecerá uma boa noção para que o médico se sinta seguro e transmita confiança aos pacientes. Para ele, este curso demonstra a capacidade da SOBED em oferecer um bom atendimento aos seus sócios.

Luta pela endoscopia Realizado pela primeira vez em 2011, no dia 12 de junho, acontece a segunda edição do Fórum de Honorários Médicos e Cooperativismo em Endoscopia, um evento com plateia restrita, que conta com os presidentes das estaduais da SOBED e suas comissões. Nele são discutidos temas como remuneração médica, qualidade do trabalho e atendimento ao paciente, além das melhores formas de negociar com planos de saúde. “Estávamos chegando a um ponto no qual os planos de saúde estavam querendo oferecer cada vez mais aos pacientes pagando menos para os médicos”, explica Sérgio Bizinelli. Ele relata que foi ideia da atual diretoria criar este fórum de discussão, que já tem gerado mobilizações pelo País. “Em Curitiba, por exemplo, várias unidades já desenvolveram essas negociações para que o trabalho médico do endoscopista seja mais bem remunerado. O médico não quer ganhar mais, ele quer ganhar para oferecer qualidade aos seus pacientes. Já tivemos alguns avanços.” Outro objetivo deste fórum é criar cooperativas médicas nos estados brasileiros, a exemplo do Mato Grosso do Sul e do Ceará, que utilizam este formato há 15 anos. No ano passado, o encontro teve presença de mais de 50 participantes e 21 representantes de Unidades Estaduais ligadas à SOBED.

abril/junho 2012

Convidado Internacional: Leonardo Sosa Valencia Em que ocasiões você já esteve no Brasil? Em 2009 estive em Brasília e em 2010 em Salvador. As duas vezes foi para participar de eventos e congressos organizados pela própria SOBED. Quais são as suas percepções sobre a endoscopia digestiva em nosso País? É muito avançada. Estou surpreso com o alto nível dos grandes congressos que vocês têm promovido. Inclusive, acho que vocês deveriam estabelecer um maior contato com outros países de língua espanhola. Afinal, hoje, na América Latina, vocês estão em primeiro lugar nessa área de atuação. Qual é o atual panorama da sua área de atuação em endoscopia digestiva na Venezuela, em comparação com o Brasil? Temos mais de 20 centros de ultrassom endoscópico (USE ) ou ecoendoscopia na Venezuela e este número tem crescido mais a cada dia. Mas, ainda assim, o Brasil continua sendo o primeiro país na América Latina nestes procedimentos. Qual é a importância de abordar e ensinar este procedimento por aqui? A ecoendoscopia é uma técnica muito difícil e eu posso mostrar truques e coisas novas sobre este procedimento em diversos órgãos, especialmente no pâncreas. Quais são suas expectativas em relação ao 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva e o 10º Workshop Internacional de Endoscopia Digestiva? Minhas expectativas são muito grandes e acredito que vou aprender diversas descobertas novas. E eu tenho certeza que a partilha de experiências vai ser muito importante para todos os profissionais da área.

REVISTA SOBED

29


especial

30

revista SOBED

Belo Horizonte

abril/junho 2012


capital receptiva Palco para discussões sobre a especialidade, Belo Horizonte cativa por seus espaços de convivência, sua gastronomia e sua arquitetura

Foto: © Leo Drummond / Acervo BHCVB

p abril/junho 2012

Por Jayme Borges

articipar de congressos e simpósios é essencial para profissionais de qualquer área. São horas de imersão em um tema, com palestras, troca de aprendizados, conhecendo pessoas, reencontrando colegas e, muitas vezes, retornando para um hotel no final do dia. Este pode ser exatamente o momento ideal para conjugar um pouco de turismo à atividade de atualização científica. E a 6ª edição do Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva, de 14 a 16 de junho, traz a chance de os especialistas aproveitarem um pouco da cidade de Belo Horizonte (MG), capital que recepcionará o evento. Cenário apropriado a um encontro desse porte, Belo Horizonte aparece como uma das 10 melhores cidades para fazer negócios na América Latina, em classificação da revista América Economía, de 2009. Na verdade, trata-se da segunda do Brasil neste ranking, à frente de cidades como Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF) e Curitiba (PR), ficando atrás somente de São Paulo (SP) entre as cidades brasileiras presentes nessa lista.

REVISTA SOBED

31


Belo Horizonte

Outro ponto notável de “BH”, como é chamada, foi ter sido indicada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como a metrópole com melhor qualidade de vida na América Latina, e a 45ª entre as 100 melhores cidades do mundo. Apesar das oscilações climáticas nos últimos anos, essa capital ainda apresenta temperaturas médias de 18 °C, no mês mais frio, e de 22 °C, no mês mais quente. Diz-se por lá que os efeitos da urbanização influenciam o clima de Belo Horizonte, mas mesmo assim os visitantes conseguem apreciar uma atmosfera bastante agradável, com sensação de década de 1940, em pleno centro da cidade. Estamos falando da “Vila Werneck”, composta por 12 casas, que preserva sua arquitetura e diversos detalhes de 1943, quando foi construída. Tombado como Patrimônio Histórico de Belo Horizonte, o conjunto de residências, criado pelas famílias Souza Lima e Werneck, preserva charmosas jardineiras e janelas com características coloniais. Na casa número 9, localiza-se o restaurante Fonte de Minas, que serve comida macrobiótica e tem cardápio repleto de pratos preparados à base de tofu, raízes, folhas, cereais e algas, tudo isso em um local cinquentenário. Em contraste com esse panorama está a modernidade e as curvas de Oscar Niemeyer. Com a

Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, Belo Horizonte ganhou um centro comercial e mais um ponto turístico por sua beleza e imponência. Também são assinados pelo famoso arquiteto o Conjunto Arquitetônico da Lagoa da Pampulha, composto por três obras: o Museu de Arte da Pampulha; a Casa do Baile; e a Igreja de São Francisco de Assis, principal cartão postal da cidade. Ornamentada com 14 painéis de azulejo de autoria de Cândido Portinari retratando a Via Sacra, ganha ainda contorno formado pelos jardins de Roberto Burle Marx. Aliás, o que não falta em “BH” são opções de lazer em áreas verdes. São 69 parques e centenas de praças que propiciam agradáveis passeios ao ar livre. Para os participantes do Simpósio que viajarem acompanhados, a sugestão é o tradicional passeio de pedalinho no Parque Municipal e os piqueniques que moradores e turistas fazem nas manhãs de domingo. No Parque das Mangabeiras, um dos maiores parques urbanos da América Latina, é possível aproveitar a melhor visão da Serra do Curral, limite leste de Belo Horizonte. Já na Praça da Liberdade, um símbolo do poder no século XIX, a natureza se funde com a beleza arquitetônica. No entanto, se quiser matar a saudade da famí-

Foto: © Gabriel Araujo / Acervo BHCVB

especial

Igreja São Francisco de Assis, também conhecida como Igreja da Pampulha, localizada às margens da lagoa

32

revista SOBED

abril/junho 2012


abril/junho 2012

REVISTA SOBED

33


especial

Belo Horizonte

Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem foi inaugurada no ano de 1932

Praça da Liberdade

Concebida para ser o centro do poder executivo de Minas Gerais, foi construída a partir de 1895 para abrigar os prédios do Palácio do Governo e Secretarias do Estado, em estilo eclético com influência neoclássica. Ao longo de sua história, a Praça incorporou novos edifícios com estilos arquitetônicos variados, como o Edifício Niemeyer e a Biblioteca Pública, em estilo moderno, desenhados pelo próprio Niemeyer.

Museu Mineiro

O prédio do museu é o retrato da arquitetura que deu início à cidade de Belo Horizonte e é um exemplo de estilo eclético com elementos neoclássicos.

Igreja Nossa Senhora de Lourdes

Com estilo neogótico, teve sua construção concluída em 1923. Por ato do Papa Pio XII, foi considerada Basílica em 1958.

Edifício Acaiaca

Considerado símbolo da ousadia na arquitetura belo-horizontina, por causa das efígies de índios na fachada. O Acaiaca foi inaugurado em 1947 e possui estilo art-déco.

Catedral da Boa Viagem

Em estilo neogótico, a Catedral da Boa Viagem abriga vitrais de grande beleza e seu altar-mor é todo trabalhado em mármore de carrara. Sua construção terminou em 1932.

Viaduto de Santa Teresa

Uma das primeiras construções do Brasil a utilizar concreto armado. Liga o centro ao bairro Santa Teresa.

Torre Alta Vila

Com um estilo futurista, a mais alta torre do Brasil com acesso ao público possui 101 metros de altura e 432 metros acima do centro de BH.

Centro Cultural Laces

Considerado uma das referências arquitetônicas da capital, é localizado no centro da cidade e oferece atrações diversas.

34

revista SOBED

6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva 14 a 16 de junho | Belo Horizonte (MG) Ouro Minas Palace Hotel www.ourominas.com.br (O 10o Workshop Internacional de Endoscopia Digestiva fará parte do evento)

abril/junho 2012

Foto: © GRGM / Reprodução

Conheça algumas referências arquitetônicas na cidade de Belo Horizonte (MG)

lia, a melhor opção é a Praça do Papa. Lá, o visitante estará entre crianças soltando pipa, cães correndo de um lado para o outro, rodas de violão, pipoca e água de côco natural. Para quem gosta de caminhar e, eventualmente, fazer compras, feiras trazem boas surpresas e opções alternativas de lazer. A Feira de Flores e Plantas Naturais, na Avenida Bernardo Monteiro, por exemplo, é programa tradicional nas sextas-feiras. A Feira de Artesanato, na Avenida Afonso Pena, com quase 3 mil expositores divididos em 17 setores, tem um colorido especial, com artesanato diversificado. São objetos de decoração, artes plásticas, bijuterias, artesanato infantil, móveis, tapeçaria, vestuário e comidas típicas a preços acessíveis. Como toda boa capital, não poderia faltar a indicação da visita ao Mercado Central, inaugurado em 1929 e, atualmente, com mais de 400 lojas, que vendem desde hortifrutigranjeiros, produtos típicos como os queijos e doces mineiros, até artesanato, ervas e raízes. Mas se sua preferência é conversar provando boa comida e boa bebida, a cidade conta com mais de 12 mil estabelecimentos, que oferecem desde alta gastronomia a famosos botecos, prontos para oferecer o sabor tradicional da cozinha mineira. Entre eles, o restaurante Celeiro de Minas possui uma estrutura de casarão, no qual as pessoas podem apreciar pratos feitos de forma artesanal em um clima nostálgico; o Maria das Tranças, fundado há 60 anos, tem como prato principal o frango ao molho pardo e o Restaurante Dona Lucinha, preserva a cultura dos tempos coloniais de Minas Gerais.


abril/junho 2012

REVISTA SOBED

35


você

Hobby

Cavaleiro na endoscopia Médico revela sua paixão pelo hipismo e narra como conciliou o esporte com o exercício da profissão Por Marina Panham

36

revista SOBED

Inicialmente, Peçanha praticava hipismo Clássico, ganhando provas de até 1,20 metro de altura. “Mas, como a modalidade exige muito treinamento e concentração para que se atinjam bons resultados, estava sendo difícil conciliar o esporte hípico com o exercício da Medicina.” Aos 56 anos, o endoscopista participa de provas de Enduro com distâncias entre 40 quilômetros (velocidade limitada) e 100 quilômetros (velocidade livre). “É uma vitória terminar uma prova dessa modalidade.”

Enduro Nessa categoria, as competições são longas e a velocidade deve se adequar à resistência. A trilha, que impõe percursos de 35 a 160 quilômetros, proporciona interação maior entre o homem e o cavalo e de ambos com a natureza. “Existe muita colaboração, união e ajuda mútua no Enduro.” Além disso, observa Peçanha, os cavaleiros têm oportunidade de conhecer belas regiões, onde são realizadas as provas.

Foto: © Alexandre Vidal / Reprodução

T

rajado com capacete e culote, o endoscopista Manoel Ernesto Peçanha Gonçalves torna-se cavaleiro de duas a três vezes por semana e pratica hipismo em um haras localizado no município de Piracaia (SP). Nos outros dias, quando atua como endoscopista do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e do Hospital Israelita Albert Einstein, seus 20 cavalos, todos Puro Sangue Árabe, recebem cuidados e treinamento. O interesse começou ainda na infância, na fazenda de seu avô. Mas o hipismo, exercido de maneira quase profissional, foi iniciado na fase adulta, no Clube Hípico Santo Amaro, há aproximadamente 30 anos. A influência do esporte em sua vida é tão forte que contagia até os amigos mais próximos. Pedro, filho do colega endoscopista e presidente da SOBEDMG, Paulo Bittencourt, foi apresentado ao esporte por intermédio de Peçanha. Acabou se tornando campeão mineiro na modalidade hípica de Enduro.

abril/junho 2012


Segundo a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), o Enduro é considerado o esporte equestre que mais cresce no mundo, presente em aproximadamente 60 países e praticado por mais de 40 mil competidores. Existe unanimidade mundial com relação ao uso de cavalos árabes nas provas, observa o endoscopista, devido à resistência e à velocidade do animal. “O cavalo árabe é considerado completo, apto para todas as atividades esportivas hípicas e o precursor de todas as outras raças do animal.”

abril/junho 2012

Outro endoscopista que pratica o enduro equestre é o diretor de Sede da SOBED, Ricardo Dib. Ele é campeão Paulista e Brasileiro de Enduro Equestre e representou o País nos Jogos Mundiais da Natureza, realizados em Foz do Iguaçú, em 1997. Além do Enduro, a Federação Equestre Internacional (FEI) reconhece outras sete modalidades hípicas: Adestramento, Atrelagem, Concurso Completo de Equitação (CCE), Equitação Especial (Paraequestre), Rédeas, Volteio e Salto. E, segundo a CBH, as mais popula-

Rodrigo Pessoa durante competição de Salto

REVISTA SOBED

37


você

Hobby

res são: Salto, com aproximadamente 2,1 mil atletas; CCE, com 280; e Adestramento, também com 280. Utilizado em terapias equestres, o hipismo proporciona equilíbrio, concentração e coordenação motora ao cavaleiro. Para Peçanha, “o enduro acaba se tornando a terapia necessária para combater o estresse diário”. Como é um esporte que não exige muito do homem e, sim, do animal, não existe uma idade ideal para a prática, observa a CBH. Cavaleiros com idade avançada, como o japonês Hiroshi Hoketsu (70 anos), ainda disputam olimpíadas. Hoketsu conquistou uma vaga para os Jogos Olímpicos de Londres 2012 e deve ser o atleta mais velho da competição. O hipismo atrai 10 mil cavaleiros em todo o País, de acordo com levantamento da CBH e, desse total, 3,5 mil são atletas ativos.

Atualmente, Rodrigo Pessoa, Doda Miranda, Bernardo Alves, Camila Mazza, Karina Johannpeter, Pedro Veniss, Francisco Musa e César Almeida são os principais nomes em atuação no Salto; Luiza Almeida e Rogério Clementino, no Adestramento; e Guega Fofanoff, no CCE. Para iniciantes, a CBH não indica uma raça específica de cavalo. Porém, observa que o ditado ‘cavaleiro novo, cavalo velho’ significa que o ‘professor’ do novo cavaleiro deve ser um animal com mais experiência.

Horsemanship O bom relacionamento entre o homem e o cavalo é essencial para a prática de esportes equestres. Diante disso, a Universidade do Cavalo (UC), localizada entre os municípios de Sorocaba (SP) e Salto de Pirapora (SP), a 100 quilômetros da cidade de São

Esportes Hípicos

Adestramento Conhecido internacionalmente como Dressage, o Adestramento busca desenvolver o cavalo por meio de educação harmoniosa. Durante a apresentação, o cavalo deve passar a imagem de um animal confiante, atento e impulsionado, demonstrando perfeito entendimento com seu dono. Paraequestre Única disciplina do hipismo do Programa Paraolímpico, o Adestramento Paraequestre é praticado por pessoas portadoras de necessidades especiais (PPNE) como forma de reabilitação física e social. CCE Também conhecido como “triatlon” equestre, o Concurso Completo de Equitação (CCE) é dividido em três provas – Adestramento, Cross Country e Salto – que são realizadas em dias consecutivos.

38

revista SOBED

Rédeas Durante a prova, o cavaleiro cumpre um percurso preestabelecido e o cavalo deve ser voluntariamente guiado com pouca ou nenhuma resistência, sendo julgado nos seus movimentos, cumprimento do percurso e atitude. A modalidade é um conjunto de manobras: círculos, spins (giros de 360º executados sobre o posterior interno fixo no solo), troca de mão, esbarro, recuos (manobra em que o cavalo se move ao reverso, em linha reta), rollback (giro de 180º sobre os posteriores após o Esbarro), rundowns (corridas ao galope em linha reta) e pausa (cavalo deve demonstrar a habilidade de permanecer parado de forma relaxada). Atrelagem Esporte equestre mais antigo. São carruagens puxadas por até quatro cavalos (quadra) nas categorias Adestramento, Maratona e Maneabilidade com cones. Volteio Consiste no volteador fazer acrobacia sobre o lombo do cavalo enquanto mantido no galope.

abril/junho 2012

© Ney Messi / Reprodução

Salto Modalidade em que cavalo e cavaleiro percorrem um trajeto com 8 a 12 obstáculos com graus de dificuldade variados – de 0,80 até 1,60 metro. No Brasil, é a modalidade do Hipismo Clássico com maior número de praticantes.

Enduro Competição longa na qual a velocidade deve se adequar à resistência. O percurso da trilha pode variar de 35 a 160 quilômetros. Enduro é o esporte que mais cresce no mundo, presente em aproximadamente 60 países e praticado por mais de 40 mil competidores.

Foto: © Arquivo Pessoal

Confira a seguir a descrição das oito modalidades reconhecidas pela Federação Equestre Internacional (FEI) de acordo com a CBH.


Paulo (SP), oferece cursos para aperfeiçoar o “horsemanship”. A UC é o primeiro centro da América Latina especializado na formação, no desenvolvimento e no fornecimento de informações para equinocultura. Com profissionais e material didático próprio, oferece experiência teórica, prática e recebe anualmente mais de 1,2 mil alunos do Brasil e de países como Portugal, Argentina, Chile, Uruguai e México. A parceria ancestral entre o cavalo e o homem é abordada no livro “O que é hipismo”, de Silvia Vieira e Armando Freitas. Os povos asiáticos, de acordo com a obra, foram os precursores do contato e uso regular do animal entre 3,5 e 4 mil anos a.C. Utilizado inicialmente para locomoção, trabalho e força militar, os cavalos adentraram na cena esportiva em 648 a.C., nos Jogos Olímpicos da Antiguidade.

abril/junho 2012

Ao lado, o endoscopista e cavaleiro Manoel Ernesto Peçanha Gonçalves; e abaixo Luiza Almeida durante competição de Adestramento

REVISTA SOBED

39


amb

Associação Médica Brasileira

Causas coletivas

Q

uero pedir a ajuda de todos para que tenhamos sucesso no Projeto de Lei de Iniciativa Popular que trará mais recursos para a saúde. Não ficamos satisfeitos com o resultado da aprovação no final de 2011 da regulamentação da EC 29 (Lei 141/12), nem com a sanção com 15 vetos da Presidência da República. A saúde pública carece de boa gestão em muitas situações, além de rigoroso controle para que evitemos os desvios, mas é impreterível mais recursos. Não podemos aceitar que a sexta economia do mundo, com elevada carga tributária, apresente baixo retorno nos serviços públicos, como saúde, educação, segurança, infraestrutura, e tenha o atual investimento do governo federal na saúde pública (cerca de 3,5% do PIB). Um dos principais artigos da Lei que defendemos é que a União aporte 10% da RCB (Receita Corrente Bruta) na saúde pública, como já fazem os estados (12%) e os municípios (15%). Vamos ver se será feita a vontade do povo. Vamos nos unir e colher milhões de assinaturas para pressionar o Congresso Nacional, mostrando respeito à iniciativa da população, respeito ao que o povo clama. Lançamos o projeto na sede da AMB no dia 3 de fevereiro,

40

revista SOBED

com o importante apoio de várias outras entidades médicas, não médicas e da sociedade civil. Para participar, acesse www.amb.org.br, imprima o formulário de assinaturas e divulgue essa iniciativa. De quantos médicos o Brasil precisa hoje e daqui a 10, 20 anos? Quantos precisamos formar a cada ano? Qual o perfil do médico que precisamos? Com a palavra, o Governo Federal. O Brasil precisa formar médicos com qualidade. Não é interessante que pensemos somente em quantidade. Temos cidades com número excessivo de médicos e a população ainda peregrina em filas de espera para consultas, exames e cirurgias. O que acham de, antes, que se abram novas escolas médicas, que se feche ou se adeque as que não formam satisfatoriamente? Os formados no exterior, brasileiros ou não, queiram trabalhar no Brasil, são muito bem-vindos. Porém, o diploma médico deve ser revalidado de maneira igual para todos e seguindo critérios que contemplem e respeitem as necessidades do nosso povo querido. Nesse momento defendemos o REVALIDA. Não podemos aceitar vieses que colocam em risco a saúde, nem que beneficiem quem quer que seja.

abril/junho 2012


A residência médica tem sido a melhor maneira de termos médicos mais qualificados na assistência à população. Portanto deve ser fortemente valorizada. As vagas devem ser respeitadas de acordo com as necessidades do País, distribuídas por áreas do conhecimento e locais onde se necessita. O processo seletivo deve priorizar o mérito. A Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) deve ser respeitada e valorizada. Não nos parece lógica a recente criação da câmara recursal, com três membros, sendo dois do Governo. Não concordamos com o bônus criado pelo governo de 10% e 20% dos pontos no concurso para residência médica, quando o médico passa 1 e 2 anos, respectivamente, nos PSF (programas de saúde da família) ou na atenção básica das cidades que o Governo escolheu. Queremos a estratégia saúde da família valorizada e isso passa, no mínimo, por profissionais qualificados. Não podemos deixar nossa população pobre

abril/junho 2012

De quantos médicos o Brasil precisa hoje e daqui a 10, 20 anos? Quantos precisamos formar a cada ano? Qual o perfil do médico que precisamos? e carente dessas cidades à mercê de recémformados, muitos em escolas de qualidade questionável. Vamos adiante, pois temos muito trabalho pela frente. Participemos e estejamos unidos pelas causas coletivas.

Florentino Cardoso, presidente da Associação Médica Brasileira (AMB)

REVISTA SOBED

41


ética

Movimento médico

Honorários defasados em destaque Movimento médico repercute na mídia nacional

P

rezados colegas endoscopistas, leiam a seguir a reportagem publicada no Jornal Folha de S. Paulo, de 27 de abril de 2012. Trata-se um assunto de grande interesse, dado o momento histórico de movimento médico contra as interferências e honorários defasados impostos pelos planos de saúde. Para ANS, valor que planos pagam para médicos é defasado Profissionais do setor já pararam 3 vezes em 1 ano; órgão diz que norma pode amenizar conflito com as empresas. Para diretor-presidente da agência reguladora, redução da defasagem não deve onerar quem paga o plano de saúde

42

revista SOBED

O valor pago ao médico pelos planos de saúde, em geral, está defasado, diz Mauricio Ceschin, diretor-presidente da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Ceschin, porém, em entrevista à Folha, disse que uma instrução normativa que será publicada nos próximos dez dias pode amenizar o conflito entre médicos e planos. Isso porque um dos objetivos da norma é detalhar como os reajustes, previstos em uma resolução de 2004, devem ser inseridos nos contratos firmados entre as partes. Anteontem os médicos conveniados a planos suspenderam os atendimentos pela terceira vez em um ano. “A resolução define que tem de ter contratos, respeitar cláusulas de periodicidade

abril/junho 2012


[de reajustes], mas não detalha de que forma, por exemplo, deve constar do contrato. A instrução normativa tem essa finalidade, de detalhar quais são as alternativas para caracterizar o reajuste, como ele pode ser feito”, disse Ceschin. Os médicos cobram da ANS nova resolução que garanta nos contratos reajustes anuais, entre outros. Eles consideram a de 2004 “letra morta”. “A resolução de 2004 não é cumprida pelas operadoras, ela veio num momento em que não havia mobilização maior dos médicos e as operadoras simplesmente desconheceram a regra. Estamos propondo nova normativa”, disse Aloísio Tibiriçá, segundo vice-presidente do CFM (Conselho Federal de Medicina).

Clientes Para o diretor-presidente da ANS, a defasagem nos honorários existe, mas essa diferença não deve cair no colo de quem paga o

abril/junho 2012

plano. “Há, sim, defasagem do ganho médico com relação à evolução de custos na saúde suplementar. (...) Mas o mecanismo pelo qual a gente pode corrigir isso é de entendimento, que não faça de uma vez só a recomposição disso, em que quem vai pagar a conta é o consumidor”, disse Ceschin. As negociações, continua, são feitas pelo menos desde 2010. Assim, a instrução a ser publicada em breve não se deve diretamente à mobilização recente dos médicos, afirmou. E a discussão não deve se encerrar no curto prazo. “Vai continuar o pleito dos médicos de um lado e o entendimento das operadoras de outro. Aí vamos construindo essas novas resoluções.” Reportagem publicada no Jornal Folha de S. Paulo, no dia 27 de abril de 2012 Vera Mello, coordenadora da Comissão de Ética e Defesa Profissional da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva – SOBED Nacional

REVISTA SOBED

43


Aparelho digestivo e saúde em destaque

Intestino em um chip Pesquisadores da Universidade de Harvard, nos EUA, desenvolveram um pequeno dispositivo capaz de imitar a estrutura e a fisiologia do intestino humano, incluindo a flora intestinal e os movimentos naturais ritmados do órgão. Trata-se de um biochip, com dois canais microscópicos, separados por uma membrana flexível. Essa membrana é recoberta com uma camada de células epiteliais do intestino humano, suficiente para criar uma cultura da bactéria Lactobacillus rhamnosus. Os pesquisadores podem, assim, simular as contrações do intestino aplicando uma pequena sucção, alternadamente, entre os dois canais, causando desdobramento do tecido intestinal, as chamadas vilosidades. O aparelho já está pronto para ser utilizado em testes de toxicidade e avaliação de moléculas para desenvolvimento de novos medicamentos.

44

revista SOBED

Nova unidade de endoscopia no RS O Hospital Moinhos de Vento de Porto Alegre (RS) inaugurou nova Unidade de Endoscopia no dia 27 de março. Maior e com atendimento específico para realização de procedimentos diagnósticos e terapêuticos das doenças relacionadas ao trato gastrointestinal e respiratórias, segue padrões internacionais de prevenção e segurança. A área ocupa todo o andar, com 968 metros quadrados distribuídos em oito salas de procedimentos, consultórios médicos e 18 leitos de recuperação. No local serão realizados exames como endoscopia digestiva alta, colonoscopia, broncoscopia e ecoendoscopia. A implantação de dispositivos gástricos será realizada com os novos equipamentos, tornando o serviço mais qualificado.

CFM revoga atualização de títulos de especialista O Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou no dia 14 de março a Resolução nº 1984/2012, que revoga a obrigatoriedade de revalidação dos títulos de especialista e certificados de atuação a cada cinco anos. Em comunicado oficial, a Associação Médica Brasileira (AMB) informou que defende a importância da atualização profissional mesmo que a validade dos títulos e certificados não expirem, conforme a nova decisão. A Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), por meio de seu site, também se pronunciou a favor da revalidação, como “uma forma de valorização do especialista, mesmo sem a existência da regra”.

Aspirina reduziria risco de morte por câncer de intestino Estudo desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Leiden, na Holanda, e publicado no British Journal of Cancer, revelou que ingerir aspirina por qualquer período após o diagnóstico de câncer de intestino pode reduzir em 23% o risco de morte pela doença. Os pacientes que tomaram doses diárias do medicamento por pelo menos nove meses após o diagnóstico, tiveram o risco de morte reduzido em 30%. Já nos pacientes que ingeriram a aspirina antes e após o diagnóstico, a redução do risco foi de apenas 12%. Porém, o câncer de intestino ocor-

re geralmente em pessoas mais idosas, o que pode dificultar a extensão dos resultados para outras faixas etárias. Para o líder do estudo, Gerrit-Jan Liefers, “a aspirina não deve ser vista como alternativa a outros tratamentos como a quimioterapia, mas poderia ser útil como tratamento adicional”.

abril/junho 2012

Fotos: © Dreamstime

Por dentro


Alho combate bactérias alimentares Composto encontrado no alho é 100 vezes mais eficaz do que antibióticos populares contra a bactéria Campylobacter jejuni, revelou estudo desenvolvido por pesquisadores da Washington State University (EUA). Eles examinaram a capacidade do composto derivado do alho – o sulfureto de dialilo – para matar bactérias que estão protegidas por um biofilme viscoso que as tornam mil vezes mais resistentes a antibióticos como eritromicina e ciprofloxacina. Ainda de acordo com o estudo, o composto pode facilmente penetrar o biofilme protetor e matar as células

abril/junho 2012

bacterianas por meio da combinação com uma enzima contendo enxofre, consequentemente mudando a função da enzima e alterando o metabolismo celular. Para o autor da pesquisa, Xiaonan Lu, o trabalho mostra que o composto tem potencial para reduzir o número de bactérias causadoras de doenças no ambiente e em nossa alimentação. A expectativa da equipe de pesquisadores é que no futuro o sulfureto de dialilo seja útil na redução dos níveis da Campylobacter jejuni no meio ambiente e para limpar equipamentos de processamento industrial.

REVISTA SOBED

45


Por dentro

Aparelho digestivo e saúde em destaque

Relação entre inflamação e perda de peso

46

revista SOBED

MS anuncia investimento em pesquisas O Ministério da Saúde (MS) pretende investir R$ 165 milhões em estudos que visem encontrar soluções para minimizar a falta de acesso a profissionais de saúde, apontando estratégias para a fixação de médicos, enfermeiros e dentistas em locais carentes. O anúncio do repasse foi

realizado durante o Encontro com a Comunidade Científica 2012, realizado em Brasília (DF), entre 16 e 18 de abril. Segundo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o intuito é incentivar pesquisadores a encontrar soluções inovadoras para serem aplicadas no Sistema Único de Saúde (SUS).

European Diabetes Leadership Forum Em parceria com a Associação Dinamarquesa de Diabetes (DDA, sigla em inglês), a Organization of Economic Co-operation and Development (OECD) promoveu o European Diabetes Leadership Forum em Copenhagen, na Dinamarca, entre os dias 25 e 26 de abril. O encontro reuniu as principais autoridades em saúde dos países europeus para discutir políticas de ação em prevenção e excelência no tratamento do diabetes. Os principais temas abordados foram ações em políticas de prevenção do DM2, com destaque para a determinação do governo da Dinamarca

de sobretaxar alimentos contendo gorduras saturadas e refrigerantes. E também o estímulo para profissionais de saúde seguirem guidelines validados e o desenvolvimento de um programa de pay for performance, em que médicos são remunerados por seu desempenho no sucesso do controle glicêmico.

abril/junho 2012

Fotos: © Dreamstime

A American Association for Cancer Research divulgou estudo que aponta que mulheres na pós-menopausa com sobrepeso ou obesas, que perderam 5% de seu peso corporal, no mínimo, tiveram uma redução mensurável em marcadores de inflamação no organismo. Para a pesquisadora Anne McTiernan, do Fred Hutchinson Cancer Research Center, nos EUA, tanto a obesidade quanto a inflamação estão relacionadas a vários tipos de câncer. O estudo sugere que a redução de peso também pode reduzir a inflamação. Durante a pesquisa, 439 voluntárias foram designadas para uma intervenção de perda de peso com meta de 10% de redução durante um ano, com dieta combinada ou não com exercícios. Os pesquisadores mediram os níveis de proteína C-reativa, amiloide A sérica, interleucina-6, leucócitos e neutrófilos. Após um ano, a proteína Creativa reduziu-se em 36,1% no grupo que fez apenas dieta e 41,7% no grupo que fez dieta e praticou exercícios. Já a interleucina-6 diminuiu 23,1% no grupo da dieta e 24,3% no grupo que praticou dieta e fez exercícios.


Por dentro

Agenda

Confira na relação abaixo os principais eventos ligados à gastroenterologia e à endoscopia digestiva dos próximos meses

junho 14 a 16 de junho 6º Simpósio Internacional de Endoscopia Digestiva 10º Workshop Internacional de Endoscopia Digestiva Ouro Minas Palace Hotel Belo Horizonte (MG) www.sobed.org.br

22 a 23 de junho Oficina de Ligadura Elástica da SOBED Hospital Ipiranga São Paulo (SP) www.sobed.org.brr

julho 3 a 6 de julho 39º Gastrão Centro de Convenções Rebouças São Paulo (SP) www.gastrao.com.br

13 a 14 de julho Oficina Dilatação Endoscópica Irmandade da Santa Casa de Misericórdia São Paulo (SP) www.sobed.org.br

novembro 7 a 10 de novembro X Semana Panamericana de las Enfermidades – Panama 2012 Cidade do Panamá, Panamá Associación Panameña de Gastroenterología

24 a 28 de novembro XI Semana Brasileira do Aparelho Digestivo (SBAD) Fortaleza, CE Centro de Eventos Ceará www.sbad.org.br

www.gastro.org.pa

janeiro/março 2012

REVISTA SOBED

47


Por dentro

Diretorias nacionais

Afonso Celso da Silva Paredes (RJ) Ricardo Rangel de Paula Pessoa (CE) Geraldo Ferreira Lima Junior (MG) Paulo Moacir de Oliveira Campoli (GO) Fábio Marioni (SP) Geronimo Franco de Almeida (PB)

diretoria nacional

Maria Cristina Sartor (PR) Fernando Herz Wolff (RS)

Presidente: Sérgio Luiz Bizinelli (PR) Vice-Presidente: Flávio Hayato Ejima (DF) 1º secretário: Jimi Izaques Bifi Scarparo (SP) 2º sesoureiro: Afonso Celso S. Paredes (RJ) 1º tesoureiro: Thiago Festa Secchi (SP) 2º tesoureiro: Ramiro Robson F. Mascarenhas (BA)

Sede SOBED Diretor: Ricardo Anuar Dib (SP)

comissões estatutárias

comissões não-estatutárias

Comissões Eleitoral, de Estatutos, Regimentos e Regulamentos Presidente: Carlos Marcelo Dotti (MS) Antonio Gentil Neto (MS) Nilza Maria Lopes Marques Luz (AL) Gerônimo Franco de Almeida (PB) Eli Kahan Foigel (SP) Geraldo Vinicius Ferreira Hemerly Elias (MS)

Comissão de Acreditação de Serviços de Endoscopia Presidente: Renato Luz Carvalho (SP) Ricardo Orígenes B. Vandermaás Contão (ES) Ricardo Teles Schulz (SC) Lincoln E. Vilela V. de Castro Ferreira (MG) Rodrigo José Felipe (BA) Luis Masuo Maruta (SP)

Representante nas revistas GED e Arquivos Brasileiros de Gastroenterologia Paulo Roberto Arruda Alves (SP)

Comissão de Centro de Treinamento em Técnicas Endoscópicas – Centro de Treinamento Coordenador: Ricardo Anuar Dib (SP) Lucio Giovanni Battista Rossini (SP) Admar Borges da Costa Jr. (PE) Ciro Garcia Montes (SP)

Conselho Federal de Medicina e Comissão Nacional de Residência Médica Coordenador: Flávio H. Ejima (DF) Zuleika Barrio Bortoli (DF)

Comissão de Admissão e Sindicância Presidente: Admar B. Costa Junior (PE) Fábio Segal (RS) Aloisio Fernando Soares (DF) Cláudio Lyoiti Hashimoto (SP) Huang Ling Fang (RJ) José Olympio Meirelles dos Santos (SP) Paulo Anselmo Andrade Paternostro (BA) Vitor Nunes Arantes (MG) Comissão Científica e Editorial Presidente: Carlos Alberto Cappellanes (SP) Adriana Vaz Safatle Ribeiro (SP) Flavio Hayato Egima (DF) Huang Ling Fang (RJ) Jairo Silva Alves (MG) José Celso Ardengh (SP) Josemberg Marins Campos (PE) Julio Cesar Pisani (PR) Marcelo Averbach (SP) Marco Aurélio D’Assunção (SP) Marcos Bastos da Silva (ES) Ricardo Anuar Dib (SP) Comissão de Ética e Defesa Profissional Presidente: Vera Helena A. F. de Mello (SP) Luis Fernando Tullio (PR) Francisco José Medina Pereira Caldas (RJ) Wagner Colaiacovo (SP) Ricardo de Sordi Sobreira (SP) José Narciso de Carvalho Neto (RJ) Lincoln Eduardo V. V. C. Ferreira (MG) Comissão de Avaliação e Credenciamentos de Centros de Ensino e Treinamento Presidente: Edivaldo Fraga Moreira (MG) Giovani Antonio Bemvenuti (RS) Daniel Moribe (SP) Luiz Cláudio Miranda da Rocha (MG) Erivaldo de Araujo Maués (PA) Edson Ide (SP) Afonso Celso da Silva Paredes (RJ) Flávio Heuta Ivano (PR) Ramiro R. F. Mascarenhas (BA) José Eduardo Brunaldi (SP) Comissão de Título de Especialista e sua Atualização Presidente: Fabio Segal (RS) Secretário/Imagens: Jimi Scarparo (SP) Secretário/Logística: Ricardo Anuar Dib (SP) Secretário/Avaliadores: Flávio H. Ejima (DF) Helenice Pankowski Breyer (RS) Júlio César Souza Lobo (PR) Dalton Marques Chaves (SP) Marcos Clarêncio Batista Silva (BA) Vitor Nunes Arantes (MG) Antônio Carlos Coelho Conrado (PE) Silvana D’Agostin (SC)

48

revista SOBED

Comissão de Relações Internacionais Coordenação Geral Paulo Sakai (SP) Glaciomar Machado (RJ) Comissão de Resgate da Especialidade de Endoscopia Digestiva Sérgio Bizinelli (PR) Carlos Alberto Cappellanes (SP) Artur Adolfo Parada (SP) Flávio Quilici (SP) João Carlos Andreoli (SP) Paulo R. Alves de Pinho (RJ) Flávio H. Ejima (DF) Maria das Graças Pimenta Sanna (MG)

Trabalhos Multicêntricos Paulo Alberto Falco Pires Correa (SP) Walnei Fernandes Barbosa (SP) Revista SOBED /SOBED em Casa Thiago Festa Secchi (SP) Horus Antony Brasil (SP) Gustavo Andrade de Paulo (SP)

representantes em instituições

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Coordenadora: Vera Helena de A. F. de Mello (SP) Flávio H. Ejima (DF) Francisco José Medina Pereira Caldas (RJ) Tadayoshi Akiba (SP) Associação Médica Brasileira Coordenador: Maria das Graças P. Sanna (MG) Carlos Alberto Cappellanes (SP) Rodrigo José Felipe (BA) Wagner Colaiacovo (SP) - Órteses e Próteses Comissão Nacional de Acreditação (CNA) Coordenador: Renato Baracat (SP) Carlos Alberto da Silva Barros (MG) Ricardo Schmitt de Bem (PR)

Comissão de Implantação de Honorários Médicos das Unidades Estaduais Coordenador: Luiz Fernando Tullio (PR) Lincoln Eduardo V. V. C. Ferreira (MG) Vera Helena de Aguiar Freire de Mello (SP) Julio Carlos Pereira Lima (RS) Paulo Fernando Souto Bittencourt (MG) Antônio Carlos Coêlho Conrado (PE) Viriato João Leal da Cunha (SC) Sandra Teixeira (PR) José Edmilson Ferreira da Silva (RJ)

núcleos

Comissão para Implantação da Cooperativa dos Endoscopistas das Unidades Estaduais Coordenador: Marcus V. Saboia Rattacaso (CE) Vice-coordenador: Julio César Souza Lobo (PR) Francisco das Chagas Gonçalves de Oliveira (CE) Francisco Paulo Ponte Prado Júnior (CE) Sandra Teixeira (PR) Edson Luiz Doncatto (RS) Julio Carlos Pereira Lima (RS) Viriato João Leal da Cunha (SC) José Edmilson Ferreira da Silva (RJ) Antônio Carlos Coelho Conrado (PE) Paulo Fernando Souto Bittencourt (MG)

Núcleo de Pediatria Coordenadora: Cristina Helena T. Ferreira (RS) Coordenadora: Eloá M. Morsoletto Machado (PR) Paulo Fernando Souto Bittencourt (MG) Silvia Regina Cardoso (SP) Paula Bechara Poletti(SP)

Site

Núcleo de Tabagismo Everton Ricardo de Abreu Netto (AM)

Flavio Braguim (SP) José Luiz Paccos (SP) Gustavo Andrade de Paulo (SP) Ricardo Leite Ganc (SP) Horus Antony Brasil (SP) Diretrizes e Protocolos Eduardo Guimarães Hourneaux de Moura (SP) Fabio Segal (RS)

Núcleo de Ecoendoscopia Walton Albuquerque (MG) Lucio Giovanni Batista Rossini (SP) José Celso Ardengh (SP) Marco Aurélio D’Assunção (SP) Simone Guaraldi da Silva (RJ) Vitor Nunes Arantes (MG) Fauze Maluf Filho (SP)

Núcleo de Desenvolvimento do NOTES Kiyoshi Hashiba (SP) Ângelo Paulo Ferrari Junior (SP) Pablo Rodrigo de Siqueira (SP) Paulo Sakai (SP) Marco Aurélio D’Assunção (SP)

Marketing João Carlos Andreoli (SP) Conselho Editorial (livros) Artur A. Parada (SP) - fascículos Marcelo Averbach (SP) – livro Sérgio L. Bizinelli (PR)

abril/junho 2012


Por dentro

Diretorias estaduais

alagoas

mato grosso

rio de janeiro

Presidente: Henrique José Menezes Malta Vice-presidente: Carlos Henrique Barros Amaral 1º Secretário: Hunaldo Lima de Menezes 2º Secretário: José Wenceslau da Costa Neto 1º Tesoureiro: Laercio Tenório Ribeiro 2º Tesoureiro: Herbeth José Toledo Silva

Presidente: Roberto Carlos Fraife Barreto Vice-presidente: Ubirajarbas Miranda Vinagres 1º Secretário: José Geraldo Favalesso 2º Secretário: José Carlos Comar 1º Tesoureiro: Elton Hugo Maia Teixeira 2º Tesoureiro: Carlos Eduardo Miranda de Barros

Presidente: José Edmilson Ferreira da Silva Vice-presidente: Marcius Batista da Silveira 1º Secretário: Vladimir Molina de Oliveira 2º Secretário: José Narciso de Carvalho Netos 1º Tesoureiro: Carlos Eduardo F. de Mesquita 2º Tesoureiro: Luiz Armando Rodrigues Velloso

amazonas

mato grosso do sul

Av. Silvio Viana, 1751 - Ponta Verde – Maceió CEP: 57035-160 | (82) 3327-4500 / (82) 8846-0006 henriquemalta@uol.com.br

R. Rio Jutaí, 15, Quadra 35 - Conj. Vieira Alves – Manaus CEP: 69053-020 | (92) 3584-2495 / 9132-4904 alinne.bessa@uol.com.br

Rua Barão de Melgaço, 2777 – Cuiabá CEP: 78000-000 | (65) 3634-4610 / 9983-1701 ronama@terra.com.br

R. Maracaju, 1148, Jd. dos Estados – Campo Grande CEP: 79002-212 | (67)8136-3363 / 3325-6040 geralu@uol.com.br

Presidente: Alinne Lais Bessa Maia Vice-presidente: Jeanne Monique Guimarães Pimentel 1º Secretário: Deborah Nadir Cruz Ferreira 2º Secretário: Lourenço Candido Neves 1º Tesoureiro: Jorge Luis Bastos Arana

Presidente: Geraldo Vinícius F. Hemerly Elias Vice-presidente: Adriano Fernandes da Silva 1º Secretário: Rogério Nascimento Martins 2º Secretário: Thiago Alonso Domingos 1º Tesoureiro: Eduarda Nassar Tebet Ajeje 2º Tesoureiro: Marcelo de Souza Cury

bahia

minas gerais

R. Baependi, 162, sala 3 - Ondina – Salvador CEP: 40170-070 | (71) 9161-0201 alicecairo@tricenter.com.br

Av. João Pinheiro, 161 – Belo Horizonte CEP: 30130-180 | (31) 3247-1647 / 9974-7714 pauloendoscopia@uol.com.br | selmira@ammgmail.org.br

Presidente: Alice Mendes de Souza Cairo Vice-presidente: Sylon Ribeiro de Britto Junior 1º Secretário: Luiz Eduardo da Silva Góes 2º Secretário: Rubem Oliveira Castro 1º Tesoureiro: Luciana Rodrigues Leal da Silva 2º Tesoureiro: Alcione Prates Leite

Presidente: Paulo Fernando Souto Bittencourt Vice-presidente: Atanagildo Cortes Junior 1º Secretário: Rodrigo Roda Rodrigues da Silva 1º Tesoureiro: José Celso Cunha Guerra Pinto Coelho 2º Tesoureiro: Roberta Nogueira de Sá

ceará

R. Cônego Jerônimo Pimentel, 900 / 1702 – Belém CEP: 66055-000 | (91)8112-9085 / 3223-8464 marcosmd@uol.com.br

Av. Santos Dumont, 5554 - Sala 301 - Centro – Fortaleza (CE) CEP: 60150-160 | (85) 3231-1520 pauloponteprado@gmail.com Presidente: Francisco Paulo Ponte Prado Junior 1º Secretário: Ricardo Augusto Rocha Pinto 1º Tesoureiro: Adriano Cesar Costa Cunha

distrito federal

SGAS 910 - Cj. B - bloco A - sala 224 CEP: 70390-100 | (61) 3242-9203 / 9216-9055 framachado@gmail.com Presidente: Francisco Machado da Silva Vice-presidente: Zuleica Bario Bortoli 1º Secretário: Cláudia Maria Ferreira de Macedo 2º Secretário: Luciana Machado Nonino 1º Tesoureiro: Columbano Junqueira Neto 2º Tesoureiro: Raimundo Nonato Miranda Lopes

espírito santo

R. Francisco Rubim, 395 – Vitória CEP: 29050-680 | (27) 3324-1333 / 9932-8181 jjoaquim.figueiredo@gmail.com | sobedestadual.es@gmail.com Presidente: José Joaquim de Almeida Figueiredo Vice-presidente: Bruno de Souza Ribeiro 1º Secretário: Roseane Valério Bicalho F. Assis 2º Secretário: Giovana Pereira Nogueira Gama 1º Tesoureiro: Esteban Sadovsky 2º Tesoureiro: Marcio Demoner Brandão

goiás

Av. Mutirão, 2.653, Goiânia CEP: 74115-914 | (62) 3251-7208 / (62) 9977-6126 goyaniagastro@brturbo.com.br | sobedgoias@hotmail.com Presidente: Marcus Vinicius Silva Ney Vice-presidente: Marcelo Barbosa Silva 1º Secretário: Fernando Henrique Porto Barbosa Ramos 2º Secretário: Daniela Medeiros Milhomem Cardoso 1º Tesoureiro: Rennel Pires de Paivas 2º Tesoureiro: Luiz Lázaro Rodrigues Alves

pará

Presidente: Marcos Moreno Domingues Vice-presidente: Erivaldo Maués 1º Secretário: Aida Sirotheau 2º Secretário: Cássio Caldato 1º Tesoureiro: Laércio Silveira 2º Tesoureiro: Ermínio Pessoa

paraíba

Av. Epitacio Pessoa, 3360 - Tambauzinho – João Pessoa CEP: 58045-000 | (83) 2106-0900 / 9981-7146 fd.delgado@uol.com.br Presidente: Fábio da Silva Delgado Vice-presidente: Pedro Duques de Amorim 1º Secretário: Jeferson Queiroz Carneiro 2º Secretário: Carlos Sérgio Garcia 1º Tesoureiro: Francisco Sales Pinto 2º Tesoureiro: Daniel Chaves Mendes

paraná

R. Candido Xavier, 575, – Curitiba CEP: 80240-280 | (41) 3342-3282 / 9997-5120 sandragastro@uol.com.br | sobed@onda.com.br Presidente: Sandra Teixeira Vice-presidente: Maria Cristina Sartor 1º Secretário: Flávio Heuta Ivano 2º Secretário: Paula Beatriz Moreira Salles 1º Tesoureiro: Silvia Maria da Rosa 2º Tesoureiro: Wanderlei da Rocha Carneiro Jr.

pernambuco

R. Sen. José Henrique, 141, 1º andar, Ilha do Leite – Recife CEP: 52050-020 | (81) 3221-6959 / 9152-0703 coelhoconrado@terra.com.br Presidente: Antônio Carlos Coêlho Conrado Vice-presidente: Admar Borges da Costa Junior 1º Secretário: Carlos Eugênio Gantois 2º Secretário: Eduardo Carvalho Gonçalves de Azevedo 1º Tesoureiro: Júlia Corrêa de Araújo 2º Tesoureiro: José Julio Viana

R. da Lapa, 120 – sl. 309 – Rio de Janeiro CEP: 20021-180 | (21) 2507-1243 / 3852-7711 jedmilsonsilva@uol.com.br | sobedrj@infolink.com.br

rio grande do norte

R. Maria Auxiliadora, 807, Tirol – Natal CEP: 59014-500 | (84) 3211-1313 / 9982-1859 liciavbmoura@uol.com.br Presidente: Veronica de Souza Vale Vice-presidente: João Batista Caldas 1º Tesoureiro: Licia Villas-Boas Moura

rio grande do sul

Av. Ipiranga, 5.311, sl. 207 – Porto Alegre CEP: 90610-001 | (51) 3352-4951 / 9994-0641 sobed_rs@terra.com.br | jpereiralima@terra.com.br Presidente: Julio Carlos Pereira Lima Vice-presidente: Carlos Eduardo Oliveira dos Santos 1º Secretário: Everton Hadlich 1º Tesoureiro: Cesar Vivian Lopes

rondônia

Rua Campos Salles, 2245 – Porto Velho CEP: 76801-081 | (69)3221-5833 / 9981-2687 igeron1@uol.com.br Presidente: Adriana Silva Assis 1º Secretário: Douglas Alexandre de M Rodrigues 2º Secretário: Victor Hugo Pereira Marques 1º Tesoureiro: Edson Aleotti 2º Tesoureiro: Volmir Dionisio Rodigueri

santa catarina

Rodovia SC 401 - Km 04, 3854 – Florianópolis CEP: 88032-005 | (48) 3231-0324 / 9983-1547 viriato@matrix.com.br | sobedsc@acm.org.br Presidente: Viriato João Leal da Cunha Vice-presidente: Luiz Carlos Bianchi 1º Secretário: Emir Dacoregio 1º Tesoureiro: Eduardo Nobuyuki Usuy Junior 2º Tesoureiro: Manoel Tiago Vidal Ramos Junior

são paulo

R. Itapeva, 202 - sl. 98 – São Paulo CEP: 01332-000 | Fone: (11) 3288-6883 / 9674-4902 adrisafatleribeiro@terra.com.br |sobedsp@uol.com.br Presidente: Adriana Vaz Safatle Ribeiro Vice-presidente: Thiago Festa Secchi 1º Secretário: Dalton Marques Chaves 2º Secretário: Eduardo Curvello Tolentino 1º Tesoureiro: José Olympio Meirelles dos Santos 2º Tesoureiro: Luiza M. F. Romanello

sergipe

R. Guilhermino Rezende, 462, São José – Aracaju CEP: 49020-270 | (79) 3246-2763 / 9987-8081 miranascimento@uol.com.br | sobedse@yahoo.com Presidente: Miraldo Nascimento da Silva Filho Vice-presidente: Patricia Santos Rodrigues Costa 1º Secretário: Simone Déda Lima Barreto 2º Secretário: Jilvan Pinto Monteiro 1º Tesoureiro: Kelly Menezio Jardim Oliveira 2º Tesoureiro: Raul Andrade Mendonça Filho

maranhão

piauí

tocantins

Presidente: Clelma Pires Batista Vice-presidente: Milko A. de Oliveira 1º Secretário: Selma Santos Maluf 2º Secretário: Nailton J. F. Lyra 1º Tesoureiro: Djalma dos Santos 2º Tesoureiro: Elian O. Barros

Presidente: Antonio Moreira Mendes Filho Vice-presidente: Conceição Maria Sá e Rego Vasconcelos 1º Secretário: Carlos Dimas Carvalho Sousa 2º Secretário: Adelmar Neiva de Sousa Sobrinho 1º Tesoureiro: Wilson Ferreira Almino 2º Tesoureiro: Teresinha Quirino Vieira da Assunção

Presidente: José Augusto M. F. Campos Vice-presidente: Zoroastro Henrique Santana 1º Secretário: Mery Tossa Nakamura 2º Secretário: Marcos Rossi Moreira 1º Tesoureiro: Jorge Luiz de Mattos Zeve 2º Tesoureiro: Rone Antonio Alves de Abreu

R. Carutapera 2, Quadra 37b - Jd. Renascença – São Luís CEP: 65075-690 | (98)9971-4689 clelmapires@uol.com.br

abril/junho 2012

Rua 1º de Maio, 575 – Teresina CEP: 64001-450 | (86) 3221 5968 / 9981-6078 moreira-filho@uol.com.br

306 Sul, Alameda 14, nº 3 e 5 – Palmas CEP: 77021-036 | (63) 3215-5383 / (63) 9978-1046 jmscampos@uol.com.br | jac.to@uol.com.br

REVISTA SOBED

49


teste

Verdadeiro ou Falso

O “Teste seus conhecimentos” desta edição inova e traz uma série de afirmativas para que você escolha entre Verdadeiro ou Falso. Confira as respostas no site da SOBED. Boa leitura e boa diversão! por Jimi Scarparo e Fabio Segal

(

(

) 1. Em relação a desinfecção e limpeza dos aparelhos endoscópicos, considerados semicríticos, com o advento das lavadoras automáticas de aparelhos, o tempo de reprocessamento e desinfecção diminuiu, agilizando a rotina endoscópica. ) 2. Em relação a ingestão de produtos químicos, os produtos ácidos causam necrose por coagulação e por isso tendem a comprometer mais em extensão do que em profundidade, tendo, portanto, melhor prognóstico em relação a estenoses.

(

) 3. Em relação a ingestão de produtos químicos, os produtos álcalis causam necrose por liquefação. Por isso, tardiamente levam a estenoses esofágicas mais que os ácidos.

(

) 4. É considerado câncer esofágico precoce aquela lesão que atinge mucosa e no máximo a submucosa, independentemente da presença de metástases linfonodais.

(

) 5. Os tumores estromais do trato gastrointestinal (GIST) são considerados de baixo risco quando apresentam tamanho menor que 5 cm de diâmetro, baixo índice mitótico e ausência de necrose na lesão.

(

) 6. Na retocolite ulcerativa inespecífica a ocorrência de megacólon tóxico é de 3 a 5 % dos casos e tem alta taxa de mortalidade.

(

) 7. A colangite esclerosante primária, como complicação da retocolite ulcerativa inespecífica, regride após a colectomia total.

(

) 8. Em relação a melanosi coli, é causada pelo uso crônico de compostos antracênicos, o pigmento depositado é a melanina e não necessita de acompanhamento endoscópico por não apresentar risco de malignização.

(

) 9. A ecoendoscopia é um método diagnóstico que é indicado para o diagnóstico diferencial entre lesão submucosa e compressão extrínseca, como também para estadiar o câncer espinocelular do esôfago, mas não para fazer diagnóstico diferencial entre úlcera péptica e neoplasia gástrica ulcerada.

(

) 10. A metahemoglobulinemia aguda é uma complicação do uso de lidocaína como prémedicação nas endoscopias digestivas altas. O tratamento correto proposto para essa complicação é a infusão de azul de metileno intravenoso.

(

) 11. A lidocaína, anestésico local pertencente ao grupo químico das amidas, tem como principais efeitos adversos da superdosagem, as crises convulsivas e as arritmias cardíacas. A superdosagem é considerada quando são injetados acima de 500 mg do fármaco.

Confira as respostas no site da SOBED

50

revista SOBED

abril/junho 2012


SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA Departamento de Endoscopia da Associação Médica Brasileira Filiada à Organização Mundial de Endoscopia Digestiva Filiada à Sociedade Interamericana de Endoscopia Digestiva Sérgio Luiz Bizinelli – Presidente Flávio Hayato Ejima – Vice-Presidente Thiago Festa Secchi – 1o Tesoureiro Ramiro R. F. Mascarenhas – 2o Tesoureiro Jimi Scarparo – 1o Secretário Afonso Celso da S. Paredes – 2o Secretário

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÕES Gestão 2014-2016 O Coordenador da Comissão Eleitoral, de Estatuto, Regimentos e Regulamentos da SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA (SOBED), no uso de suas atribuições, convoca os associados para as eleições ao cargo da Diretoria da SOBED Nacional, composta por Presidente, Vice-Presidente, 1o e 2o Secretários e 1o e 2o Tesoureiros eleitos, em mesma chapa, para um mandato de 02 (dois) anos (Gestão 2014-2016), e para os candidatos ao Conselho Fiscal (Biênio 2012-2014), com 06 (seis) vagas. As inscrições das chapas para a Diretoria da SOBED Nacional serão aceitas até o dia 28/09/2012 às 18 horas, na secretaria da SOBED Nacional, mediante requerimento encaminhado ao Presidente da Comissão, formulado pelos componentes de cada chapa, com a expressa referência aos cargos a que concorrem incluindo, no caso das chapas para a Diretoria, seu programa de gestão societária. (art. 7o). As eleições terão lugar no Centro de Convenções Ceará - Avenida Washington Soares, 1141, Fortaleza, CE, no dia 27 de novembro de 2012, durante a XI SBAD em Fortaleza - Ceará, com início às 08:00 horas e com encerramento às 15:00 horas e divulgação dos resultados ao final da Assembleia Geral. Ficam os Associados Titulares informados que só terão direito a votar e serem votados os que estiverem quites com suas obrigações estatutárias, até o dia 26/11/2012, sendo certo que não será admitido voto por procuração. Para conhecimentos de todos, faz-se publicação deste Edital. São Paulo, 01 de junho de 2012 Carlos Marcelo Dotti Presidente Comissão Eleitoral, de Estatuto, Regimentos e Regulamentos da SOBED

Rua Peixoto Gomide, 515 - 4o andar, conj. 44 01409-001 - São Paulo - SP | 11 3148-8200 | 11 3148-8200 www.sobed.org.br abril/junho 2012

REVISTA SOBED


revista SOBED

abril/junho 2012

Revista SOBED 2011 - Edição nº 17  

Revista SOBED 2011 - Edição nº 17

Advertisement