Issuu on Google+


Palavras por

dizer


FICHA TÉCNICA Edição: José Manuel Boinho Guerra Título: Palavras por dizer Autor: José Guerra Capa e Paginação: Paulo Silva Resende Imagem da capa: José Guerra 1.ª edição LISBOA, Janeiro 2012 Impressão e Acabamento: Publidisa ISBN: 978-989-97707-0-6 Depósito Legal: 338775/12 © JOSÉ GUERRA Publicação e Comercialização Sítio do Livro, Lda. Lg. Machado de Assis, lote 2, porta C — 1700-116 Lisboa www.sitiodolivro.pt


““Nega-me o pão, o ar, a luz, a primavera, mas nunca o teu sorriso, porque então morreria” Pablo Neruda


Palavras por dizer

Perguntei à Madrugada Perguntei à madrugada onde estavam os teus cabelos que no meu olhar tocavam e a madrugada disse-me no coração de quem tu amas

Sou a brisa... Sou a brisa que passa incólume nos cabelos que tu afagas sou apenas um leve perfume deixado pelo teu suspiro

7


8

José Guerra

Andei por ai... Andei por ai a deambular em pensamentos à espera que a noite aconteça sem rumo, nem estrada que me leve apanho a boleia do tempo para o nada e esqueço-me de voltar

Faltam-me as palavras... Faltam-me as palavras que ficaram no tempo perco-me no som da prosa ouço a noite que cai na madrugada por dizer são apenas ecos nas letras por ouvir...


Palavras por dizer

Apenas miragens... Afastei um punhado de nuvens para o sol ver eram apenas miragens ocas que no meu pensamento se esbatiam

Abrigo da alma... Poesia que se faz nas letras nos sons e nas palavras que se cheiram e se bebem refugio intemporal abrigo da alma de poeta que cresce nas palavras e voa na prosa

9


10

José Guerra

Ser poeta... Ser poeta é ter no dom tristemente belo o sentir que não se sente, de voar sem ter asas, de estar ausente no presente, de ser sem estar, de estar sem ser, de ver na antítese o prazer de escrever e na metáfora a forma de ser..

Disse-me o destino... Um dia disse-me o destino o que as letras me dariam, inspiração na prosa e versos de dor, melodia nas palavras e lágrimas de amor...


Palavras por dizer

Se um dia... Se um dia o mar me chamasse pintava-o de saudade da cor dos teus olhos que abraçam o amor e da cor da paz que me acalma a dor

Palavras sentidas... Escrevo-te palavras sentidas que já não sentes são letras vãs que ecoam no teu silêncio de quem um dia amou uma aventura que o pôr do sol levou

11


12

José Guerra

Um poema que se faz... Um poema que se faz no deslumbre do teu ser, olho-te sem te ver na distância de uma nuvem, lágrima solta num suspiro que o pôr do sol viu cair...

Respiro numa frase Respiro numa frase o que a emoção me diz, palavras soltas ao vento que o amor me traz, um beijo em forma de prosa que o meu coração não esquece...


Palavras por dizer

Em verso Sonho em verso, escrevo em prosa, chora-me a alma, amo-te nos sonhos, beijo-te nas letras, grito nas estrelas e abraço-te no silêncio...

No olhar... Sinto-te no olhar o que a boca não me disse são versos de amor por dizer que os teus lábios me sabem

13


14

José Guerra

Pétalas que se soltam... Pétalas que se soltam de um beijo que a tua boca me disse palavras por dizer que o nosso amor sentiu

Palavra amor... A palavra amor só tem sabor se nos teus lábios tocar e pelo teu olhar me apaixonar


Palavras por dizer

Nada mais importa... Nada mais importa, que apenas o desejo da minha m達o pelos teus anos passar e a felicidade no teu rosto encontrar

Cartas por ler... Cartas por abrir de um amor por dizer letras que se perdem nas l叩grimas n達o lidas manh達 submersa que a inquietude me trouxe

15


16

José Guerra

Chove... Chove, chovem trovões, aluviões chovem mágoas de tempestade e muitas desilusões chove por chover sem se querer chove assim copiosamente na mais bela forma de ser

Que o mar me leve... Que o mar me leve sem as ondas me dizerem parto no verde e trago-me no azul do teu céu


Palavras por dizer

A tua lágrima..... Dá-me a tua lágrima para contigo chorar sente o calor de um abraço por te dar apaga o vento que te trouxe para não mais te levar

Saem-me palavras.... Saem-me palavras do nada sem sabor choram-me as letras na espera de um beijo teu que não chega

17


18

José Guerra

Que me ouças no silêncio… Que me ouças no silêncio nas palavras por dizer, digo-te sem dizer no toque que me sentes por prazer

Numa frase... Sonho-te numa frase com o teu sabor amo-te no teu nome sem tempo deixo-me ir no teu suspiro que se escapa nos teus lábios num suave murmúrio que se deixou dizer


Palavras por dizer

No rosto, o sonho de um beijo.... Tinhas no rosto o sonho de um beijo por te dar no teu corpo os segredos por me contar no silêncio uma vida por me dizeres no ouvido a mais bela história de amor para te contar

Lágrimas de silêncio... Suámos lágrimas de silêncio que o vento beijou eram apenas o sal do nosso amor que o mar levou

19


20

Jos茅 Guerra

Vi a lua... Vi a lua por ti corar, ficar sem palavras porque no teu olhar assim ficou ofuscada por tal beleza que o mar deixou espelhar no seu infinito

S贸 tu sabes.... S贸 tu sabes o profundo onde navego Toco-te sem te ver Sinto-te sem querer Amo-te sem te ter Beijo-te no teu ser Morro para te viver


Palavras por dizer

Sou parte de um poema que não se quis dizer..... Sou parte de um poema que não se quis dizer sou uma viagem por acabar sou amor por amar num abraço por te dar sou noite sem dia, sou um poema que te dizia, sou nada por dizer que espera o meu amor ver

Nas palavras estóicas.... Sinto-me nas palavras estóicas a força de um tornado e a leveza de uma lágrima choram-me as letras por te ver num poema sofro-te no gritante silêncio da tua ausência

21


22

José Guerra

A chuva... A chuva, esse dilúvio abençoado pela tristeza que comove os céus e chora nos corações

Talvez um dia... Talvez um dia se calem as trovas as tormentas e os trovões as simples emoções que não passaram de recordações saudades e paixões que um dia tiveram mil perdões


Palavras por dizer

Quero partir... Quero partir ontem na vaga do medo quero no teu mar amar, remar e estar quero por ai navegar a bom porto chegar soltar a vela e por ti chorar...

Vi o pôr do sol... Vi o pôr do sol da cor da saudade, olhava-me sereno e calmo, tolhido no horizonte despido pelo mar, triste por um abraço que não chega, vi-lhe numa lágrima o etéreo sal por derramar...

23


24

José Guerra

..que em mim chama.... Existe um poeta diletante, que por mim chama, com muita chama que se consome, porque sente, porque dói, porque ama

Olhos lindos.... Olhos lindos se que beijam em soneto Suaves, qual metáfora em rima que se deixa deslizar em tinta de aparo molhada nos teus lábios


Palavras por dizer

O amor.... O amor, essa palavra aquém do sentimento que se sente, que alimenta e não se vê, que trespassa não sei porquê nas reticências quando se olha, se bebe e se lê

..Estou por aqui... A insónia, essa amiga da saudade estou por aqui a deambular, não me durmo e se me embalo no teu sorriso talvez possa nunca acordar

25


26

José Guerra

Se não estás.... De que vale sonhar se não estás sonho ou realidade apenas realidade porque do sonho se acorda

Esses lábios.... Esses lábios de jasmim beijo de cetim boca que mora em mim sinto-te em mim na saudade sem fim encontro-te por fim


Palavras por dizer

Pintor de sonhos.... Sou um pintor de sonhos, um cantor de prosa, uma alma do mundo.... sei que nada sou, sou tudo sem o ser, sou quem sou sem nada querer ser, sou apenas uma lágrima que se soltou sem me apetecer.....

Choro-te... Choro-te sem que percebas que definhei naquela sombra lânguida que se morreu para lá dos ciprestes oca sem o teu sussurro ter

27


28

José Guerra

Esculpir no teu corpo.... Quero esculpir o teu corpo no meu, Debruado de amor, Lágrimas e suor, Empedernido de dor Rimas e ardor

No coração me ficas... Da cabeça não me sais, no coração me ficas, amo-te nos vendavais, sem que nada me digas, são apenas sinais, de uma paixão que me petrificas


Palavras por dizer

Que se beba.... Que se beba a vida na seiva que o nada nos tr谩s

Na intimidade... Na intimidade de um poema escrevo-te no corpo a palavra amor dispo-te no olhar, no teu intimo me sabe percorro-te sem pudor, s贸 assim te sei amar

29


30

José Guerra

Desejo-te... Desejo-te como da água se bebe e do ar que me respira mais do que te quero, desejo-te desejo-te em mim, suada, sofrida aluada, quero-te assim, que não saias de mim porque sim, porque não te amaria sem ser assim

Se a palavra.... Se a palavra sangra no verso o escárnio a mata a saudade consome-a e o amor liberta-a


Palavras por dizer

Vejo os teu passos.... Sinto-te no perfume dos teus passos que não ouço, amo-te em surdina nos poemas que te respiro nas noites de ébano, canto-te uma flor debruada de amor e adormecemo-nos naquele abraço suado....

As mais íntimas lágrimas... De tão fundo me tocaste que até as mais íntimas lágrimas me levaste

31


32

José Guerra

Andei por ai.... Andei por ai no degredo das almas, apático, anónimo sem que o respirar me desse conta, tudo não passara de uma quimera que um dia o meu sonho se lembrou.....

Não te vi apenas.... Não te vi apenas sem que te olhasse para os teus sonhos que me disseste no teu corpo eram palavras de amor que os teus dedos me diziam e a tua pele me sentia


Palavras por dizer

Ver-te assim.... Ver-te assim cheirar-te por entre o preto cetim Os teus låbios carmim desnudo-te no olhar percorro-te no vermelho de uma rosa por entre o respirar de um beijo abraço-te sem demora caímo-nos no acordar para nos voltarmos a amar

33


34

José Guerra

..esculpida para mim.... Foste para mim esculpida no pôr de sol de um dia de Inverno que não me lembro trouxe-te o amor que em chão sagrado fizemos para não mais de mim saíres

Primavera de cetim... A tua saliva lembra-me jasmim em primavera de cetim, o teu beijo um calafrio de harpejo a tua boca um soneto por dizer e no teu corpo um desejo por viver


Palavras por dizer

Iça-me do nada..... Fala-me da cor do teu passado pinta-me os sonhos de desejo iça-me do nada, bebe-me na tua fonte, afago-te nas pétalas que cheiram aos teus segredos abraça-me, não digas nada

Se um dia... Se um dia as palavras se calarem, é porque os ecos que as ouvem não se murmuraram por não se deixarem dizer

35


36

José Guerra

Caminho-te..... Caminho-te sem destino pelos vales que só tu conheces afago-te no íntimo tocando ao de leve sem te dizer, mas que me pedes sem pedires, para te sentir no que sentes onde se acaba num beijo suado que o fôlego nos tirou

O mar..... O mar não se acordou por lá ficou na névoa que se perdeu que se ouvia, mas não falava


Palavras por dizer

...na alma a elegância perdura.... O feio se torna belo se na alma a elegância perdura a autenticidade é sublime e a beleza não tem rosto apenas cor e magia basta um sorriso

Amei-te no branco dos lençóis..... Amei-te no branco dos lençóis que te dormiram, chama que ardeu no silêncio das palavras não ditas, mas sentidas na penumbra dos nossos corpos que a madrugada deixou ver

37


38

José Guerra

…estradas de amor….. Fui por ai pintar estradas de amor e o céu de outra cor, talvez de saudade talvez de dor, porque o que queria mesmo era estar ao pé do meu amor

Cala-se o silêncio… Cala-se o silêncio, murmuram-se as ondas beijam-se as nuvens que se navegam morre-se o dia nas gentes que se quebram choro a dor do amor que me leva


Palavras por dizer

Passei por ai.... Passei por ai sem me dar conta que o bater das asas era verão, que as flores se beijavam por paixão que o amor torturava o pobre do coração

No teu ventre… Deixei-te de mim núpcias de paixão que amei pelo fruto deixado no teu ventre bebi-te na fonte o amor etéreo, levei-te nas odes cantadas em harpas que por ti tocaram e por amor choraram…

39


40

JosĂŠ Guerra

Por ti nasci‌ Por ti nasci, porque tu existes Serei gente, porque assim me fazes certamente De me amares tu persistes, Um beijo te dou levemente


Palavras por dizer

Uma nesga de Luz.... É apenas uma nesga de luz que de mim se esconde persisto... ela me foge afago-a, ela me cora beijo-a, ela me chora abraço-a, ela me adora, amo-a, ela me devora, choro-me, entrego-me na hora sucumbe-me e vai embora morro-me e parto agora....

41


42

JosĂŠ Guerra

As Naus... As naus consumidas pelo tempo deixaram-se dizer pelas sombras de ontem memĂłrias esquecidas nos ventos soprados livros fechados, mar crispado, sal derramado nas lĂĄgrimas sem pecado sim, por te ter amado


Palavras por dizer

Os loucos... Os loucos navegam insanos, partindo sem saberem, sem volta que os carregue, sem estrela que os proteja mas partem assim mesmo sem nada dizer talvez por se saber que jamais voltam a ser

43


44

José Guerra

Hoje provei a tarde... Hoje provei a tarde, de sol e mar sabia a sal, num verão qualquer bom para te amar porque te conheci apenas com o olhar em ti me perdi, onde quis navegar apenas me naufrago se o teu coração deixar


Palavras por dizer

Um dia acordei-me.... Um dia acordei-me num poema que não escrevera e vi que já não estavas a tua palavra que na rima me faltava, era amava que um dia me deste a provar na tua boca de lava mas hoje eras tu que me faltavas se agora me morresse pouco me importava...

45


46

José Guerra

Plantei-te um sonho... Plantei-te um sonho na palavra amor selado num beijo que me disseste por entre murmúrios de paixão que o silêncio devorava oh! saudade que o teu suor me sabia e na boca te sentia

Não me existo sem ti... Não me existo sem ti, assim da vela que do vento se precisa, do sal que do mar se sabe, da criança que no seio se cresce, do teu amor que em mim se floresce, que por ti o meu coração padece


Palavras por dizer

Beijo-te...... Afago-te o cabelo assim, do nada Solto as amarras, desfraldo o vento pinto-te um beijo de saudade levo-te o olhar sem te dizer beijo-te no corpo a palavra desejo amo-te assim num cerrar de olhos que apenas os teus lábios vejo

Sou louco…. Sou louco de me dizer que em ti me perdi Que até de mim me esqueci Um grande amor vivi, do qual não saí Imberbe, respiro-te por ai À espera do que não vivi Sinto-me assim, por estares em mim

47


48

José Guerra

Amor já viste a lua hoje? Amor já viste a lua hoje? Ela brilha porque o nosso amor existe Porque assim eu lhe disse Para que o céu deixasse de ser triste


Palavras por dizer

Versos soltos... Deixa-me fazer-te um verso em alecrim na tua boca de cetim deixa-me fazê-lo só para ti ainda que me esqueça de mim Que só te veja a ti, não me olhes assim indefeso eu fico, por estar sem ti apenas te queria amar assim sonho, mas não estás aqui Segreda-me o teu íntimo liberta a tua tormenta conta-me ao teu ritmo aquilo que te atormenta

49


50

José Guerra

Brancos são os meus cabelos, maduros ao vento quero-te amar por estar sem tempo choro-te assim no desalento amor, corre para os meus braços enquanto é tempo Dispo-te do preto cetim que te beija o corpo Toco-te a medo aspergindo rosa perfume Sentes o desejo que te invade o corpo Entro em ti como labaredas de lume Sou louco por te viver assim Por ti fiquei insano nos teus olhos de mar És perfume e flor que se plantou em mim A vida te daria de tanto te amar


Palavras por Dizer