Issuu on Google+

Ano VIII No 6 Novembro / Dezembro 2004

Publicação oficial da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Uso de polifenóis de alcachofra é proibido

Tratamento sem comprovação científica era questionado Pág. 9 pela SBD

SBD recebe Prêmio Aberje 2004

Excelência em comunicação da Campanha Nacional de Prevenção ao Pág. 3 Câncer da Pele

Fotos: Paulo Marcos

Biblioteca da SBD disponibiliza periódicos online

Associados têm acesso aos principais veículos da especialidade Pág. 9

Mercado de Trabalho

Pesquisa aponta caminhos para dermatologistas

Andréa Fantoni

Mobilização nacional Pág. 10

Anvisa anuncia alerta sobre o uso da flutamida Agência preparou estudo sobre a substância

Pág. 13

Sociedade Brasileira de Dermatologia realiza a sexta edição da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele em todo o Brasil. A estimativa da SBD prevê mais de 38.000 atendimentos nos 165 postos cadastrados. A ação contou com o apoio de artistas e do Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, que destacou Pág.7 salva-vidas para divulgar a ação na orla carioca.


2a Capa Com Bianca


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII no 6 1

E

X P E D I E N T E

Sociedade Brasileira de Dermatologia Afiliada à Associação Médica Brasileir a

DIRETORIA 2003 - 2004 Presidente Márcio Santos Rutowitsch (RJ) Vice-Presidente Sérgio Talarico Filho (SP) Secretário-Geral José Ramon Varela Blanco (RJ) Tesoureiro Celso Tavares Sodré (RJ) 1o Secretário Samuel Henrique Mandelbaum (SP) 2a Secretária Lúcia Helena F. Arruda (SP) Diretora de Biblioteca Ivonise Follador (BA) Diretor Geral e Operacional Marco Antônio S. Abreu Rocha

SBD Esta é uma publicação da Sociedade Brasileira de Dermatologia, dirigida aos seus associados e órgãos de imprensa. Publicação bimestral - Ano VIII – nº 6 Novembro / Dezembro - 2004 Coordenador Médico: Jackson Machado-Pinto (MG) Jornalista responsável: Tatiana Gentil- Reg. no 22.375 Redação: Tatiana Gentil, Andréa Fantoni e Renata Porto Conselho editorial: Márcio Santos Rutowitsch (RJ), Sérgio Talarico Filho (SP), José Ramon Varela Blanco (RJ), Celso Tavares Sodré (RJ), Samuel Henrique Mandelbaum (SP), Lúcia Helena F. Arruda (SP), Ivonise Follador (BA) Editoração eletrônica: Nazareno Nogueira de Souza e Tatiana Gentil Contatos Publicitários: Marco Antônio S. Abreu Rocha e Tatiana Gentil A equipe editorial do Jornal da SBD e a Sociedade Brasileira de Dermatologia não garantem nem endossam os produtos ou serviços anunciados, sendo as propagandas de r esponsabilidade única e exclusiva dos anunciantes. As matérias e textos assinados são de inteira r esponsabilidade de seus autor es. Correspondência para a redação do Jornal da SBD Av. Rio Branco, 39/18º andar Rio de Janeiro – RJ - CEP: 20090-003 E-mail: comunicacao@sbd.org.br Assinatura anual: R$ 100,00 Número avulso: R$ 20,00 Tiragem: 5000 exemplares

Editorial

N

os últimos dois anos, o seu JSBD soube renovar-se a cada edição para trazer sempre novidades para você. Esta edição não é diferente. Você vai poder manter-se informado sobre as coisas que interessam profissional e institucionalmente ao dermatologista, como, por exemplo, mais uma impecável Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele. Outros assuntos importantes são abordados: o presidente da SBD, Prof. Dr. Márcio Rutowitsch, faz uma avaliação de sua gestão; o Prof. Lúcio Bakos, do Rio Grande do Sul, é o nosso entrevistado. Além disso, trazemos as últimas infomações sobre a contestação da SBD frente aos órgãos competentes sobre uma campanha publicitária do laboratório Allergan. A SBD mostrou que não alardeia seu propósito de defender sempre o dermatologista. Ela o cumpre! O mercado de trabalho para o dermatologista no Brasil também merece destaque especial; enfim, mais uma renovação com estilo e uma boa dose de informações para o seu proveito. É chegado o momento dos agradecimentos: à atual diretoria da SBD pela oportunidade de ficar à frente do seu JSBD durante a gestão que se finda; ao Marco Antonio, diretor geral e operacional da SBD, pelo apoio; a toda a equipe do jornal, em especial à Tatiana Gentil, à Andréa Fantoni, nossas jornalistas, e ao Nazareno de Souza, pela competência em produzir cada número e pela convivência, com o que muito aprendi. Obrigado a você, colega e leitor, pelo prestígio ao ler o seu Jornal da SBD! É também chegado o momento de desejar à nova Diretoria uma gestão de muitas realizações, trabalho e alegria. É época de Festas. Queremos festejar com você, oferecendo esta edição do seu JSBD, com a alegria da certeza de que temos, em nossas páginas, motivos de sobra para comemorar. Boa leitura! Boas Festas!

Jackson Machado-Pinto

Sumário 2 4Calendário

4Coluna da Ombudswoman 4Protetores solares têm isenção

11

460º Congresso da SBD

12

4Simpósio Internacional de

do IPI

3 4Coluna da Diretoria

Cabelos e Unhas

13

uso de flutamida

4 4Comunicado da Diretoria 6 4Painel 7 4Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele

4Coluna Ética em Questão 14

4Coluna Literatura 4IX Radesp

15

4Projeto garante vagas para residência médica

9 4Anvisa proíbe polifenóis de alcachofra

4Biblioteca Disponibiliza textos online

10 4SBD elabora pesquisa sobre mercado de trabalho

4Anvisa divulga alerta sobre

4Regionais 17

4Serviços Credenciados

18

4Clube de Revistas 4Departamentos

20

4Coluna Expressões da Dermatologia: Lúcio Bakos


2

SBD

JSBD l Ano VIII no 6

Coluna da Ombudswoman 12 27 31

Quarta Quinta Segunda

02 02 05

Quarta Quarta Sábado Sábado

05 Sábado 18 à 22 Sexta à Terça 23 Quarta 24 26

Quinta Sábado

28

Segunda

Janeiro - 2005

Reunião Científica - SBD Reunião de C. Clínicos - SBD Reunião Administrativa - SBD

Fevereiro - 2005

Reunião Mensal - SBD Reunião Científica - SBD DIA DO DERMATOLOGISTA Café da Manhã – Novotel Dia do Dermatologista SBD Posse da nova Diretoria da SBD Annual Meeting USA New Orleans - Los Ângeles Atualização: vacina para herpesvírus - SBD Reunião de C. Clínicos - SBD Reunião Cientifica Mensal HUCAM - SBD Reunião Administrativa - SBD

Reg. SE Reg. MA Reg. SE Reg. MG Reg. SE SBD Reg. ES Reg. SE

Reg. PE Reg. MA Reg. ES Reg. SE

Protetores solares terão isenção do IPI

O

s dermatologistas receberam bem a notícia de que o governo isentou os fabricantes de protetores solares do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). O Decreto-Lei nº 5.282 foi publicado no Diário Oficial no dia 24 de novembro. A medida atende à solicitação dos empresários do setor de higiene pessoal ao ministro do Desenvolvimento, Luiz Fer nando Furlan. A redução se deve pelo fato de o produto ser considerado fundamental no combate ao câncer de pele. A expectativa é que os fabricantes repassem a queda para os consumidores. “Foi uma boa notícia. Com os preços dos protetores mais baixos, esperamos que uma maior camada da população utilize esse recurso e, por conseqüência, que essa medida reflita na redução das estatísticas assustadoras de novos casos de câncer de pele, o mais incidente no país”, afirma o presidente da SBD, Dr. Márcio Rutowitsch. A idéia da isenção de IPI para bloqueadores solares já tinha sido defendida pela Deputada Telma de Souza, que elaborou o Projeto de Lei nº6.005, de 2001, cuja proposta era alterar o conceito de medicamento da atual legislação brasileira. Porém, uma nota técnica da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) esclarecia que a sugestão não configuraria uma mudança na classificação do produto. A nota indicava ainda que o objetivo de redução da alíquota deveria ser buscado por meio de legislação tributária e não sanitária, o que acaba de ser feito pelo governo. - Alegra-me saber que o meu Projeto de Lei também tenha servido de inspiração para o Decreto. Considero importante que população, desde trabalhadores que se expõem ao sol involuntariamente até os freqüentadores das praias, tenham melhores condições de se proteger com um ´remédio´ contra o câncer da pele”, diz a Deputada.

Luna Azulay

C

hegamos ao final de mais um ano: alguns se preparam para o merecido descanso, para a comemoração das festas e outros estão preocupados com o futuro (não tão futuro assim), sua prova para o tão desejado Título de Especialista em Dermatologia (TED). Nesse ano foram 356 inscritos. São 205 os médicos em formação nos serviços credenciados. Dos candidatos oriundos destes serviços, 50.19% foram aprovados. Assim, apesar da origem da maioria dos aprovados, ainda temos um grande contingente que não conseguiu alcançar a meta. A discussão prossegue em torno do tema: “O dermatologista que queremos formar.” No próximo ano a prova será em São Paulo. O modelo da prova incluirá três partes: uma prova teórica, uma teórico-prática de clínica e uma terceira de propedêutica laboratorial, incluindo dermatopatologia, micologia e demais recursos auxiliares necessários para o diagnóstico dermatológico. Será aprovado o candidato que obtiver 60% de acerto em cada uma das três provas. O presidente da Comissão de Título de Especialista é o Prof. Paulo Cunha, que estará coordenando esta árdua tarefa. Acredito ainda que deveríamos ter um programa para reciclar os colegas que já estão desempenhando-se profissionalmente e que ainda desejam realizar essas provas. Acho que está próximo o dia em que o curriculum vitae do candidato será levado em conta, permitindo a correção de algumas distorções. Da ata da Comissão de Título, lida no Conselho Deliberativo, ocorrido em Natal, consta que na discussão dessa comissão foram estudadas as sugestões da Força Tarefa, sugestões de Serviços Credenciados, as do colega Humberto Ponzio, a minha. Pessoas interessadas podem enviar suas sugestões, encaminhando diretamente à Diretoria da SBD ou aos representantes das Comissões ou finalmente a quem estiver encabeçando essa coluna. Aliás, essa é a última que escrevo como ombudswoman. Espero ter cumprido com a minha tarefa, pelo menos parcialmente. Respondi cartas (e-mails), tentei resolver situações pendentes, até respostas de cunho científico feitas por pessoas que consultavam a SBD por assuntos os mais variados. Estarei sempre procurando o fortalecimento dos canais de comunicação para o exercício sempre construtivo do diálogo. Aprendi nesse período que mesmo não resolvendo problemas, a manifestação de solidariedade preenche lacunas. Desejo a todos um Natal Feliz e um Novo Ano com muita energia, paz , saúde e amor entre os Homens.


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII n o 6 3

Coluna da Dir e t o r i a

Márcio Rutowitsch

T

ermina agora em dezembro nossa gestão à frente da SBD. A partir de janeiro, assume a nova diretoria, para o biênio 2005-2006, sob a presidência do Dr. Sinésio Talhari. Desejamos que tenha uma gestão profícua para os associados, e continue abrindo caminhos para a especialidade. Para encerrar esta edição sob a nossa gestão, preparamos um resumo do que fizemos à frente da instutuição nos últimos dois anos. Atuação na AMB, CFM e Ministério da Saúde – a SBD teve participação ativa no Conselho Científico da AMB, nas Câmaras Técnicas do CFM e na CBHPM- Classificação Brasileira Hierarquizada dos Procedimentos Médicos, que funciona nos moldes de uma tabela de serviços, com os respectivos portes para todas as especialidades. Conseguimos a inserção de dois dermatologistas na Câmara Técnica de Procedimentos Estéticos, e investimos politicamente junto a essas entidades para consolidar as áreas de atuação dos dermatologistas, e combater a “medicina estética”. Selo de Certificação – Um dos maiores projetos da SBD, iniciado em administrações passadas e consolidado nesta gestão, através de nossa Diretoria Geral e Operacional, será uma das principais fontes de receita da SBD. Servirá de parâmetro e orientação para a população na escolha de seus produtos dermatológicos. Ação dos departamentos – Ativamos os departamentos científicos, que se encontravam mais como espectadores do que como partícipes das iniciativas científicas que visassem ao associado. Sob a coordenação da Dr.ª Ivonise Follador, foram produzidos folderes para o público leigo, que tiveram excelente aceitação por parte do associado. Foram executados chats no site da SBD, sob a

orientação dos departamentos, e com a participação de grandes nomes da dermatologia. Além disso, produzimos o primeiro Manual de Conduta da SBD. Cursos de Departamentos – Foram efetuados 3 cursos sob a orientação de departamentos científicos: Cosmiatria, Alergia e Dermatite de Contato, e Cabelos e Unhas. Todos foram cursos de grande aceitação, com participação internacional, e que devem se repetir na próxima gestão, com a participação de mais departamentos. Força Tarefa – Essa foi uma das principais iniciativas dessa gestão. Sob a coordenação do Prof. Sérgio Talarico, foram reunidos membros da Diretoria, das Comissões Científica, Ensino e Título de Especialista, e discutidas e produzidas propostas para construção de currículo padrão para os serviços credenciados, para uma melhor avaliação dos serviços, e para análise e proposição do conteúdo do exame do Título de Especialista. Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele – Este ano ocorreu a 6.ª Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele, com dia de atendimento gratuito à população, em todo o país. A campanha cresce a cada ano, e mostra a necessidade de se ativar o Programa Nacional de Combate ao Câncer da Pele. Contamos com o apoio e parceria da Rede Globo de Televisão, do INCA e da indústria far macêutica. Nosso departamento de comunicação estendeu nacionalmen te nossa assessoria de imprensa e esperamos atender à

demanda cada vez maior da população. Isso levou a SBD a ser a vencedora do Prêmio Aberje 2004, na categoria Relacionamento com a Imprensa. Estatuto, Regimentos e Convênio entre SBD e regionais – Foi promovida a adequação do nosso estatuto ao novo Código Civil, elaborados novos regimentos para a Educação Médica Continuada, Conselho Fiscal e Congresso da SBD. Os convênios, que regularão as atividades entre as regionais e a SBD, já previstos no Estatuto, começarão a ser assinados agora. Já começaram a ser elaborados os novos estatutos das regionais, e todas assarão a ter um CNPJ independente. Perfil do dermatologista e estudo estatístico sobre o mercado de trabalho – Foi produzido um vídeo, exibido no congresso da SBD, sobre o perfil dos dermatologistas, baseado em pesquisa feita pela Fiocruz. Também foi feito estudo sobre a distribuição demográfica, as oportunidades de trabalho e a inserção do especialista no mercado, por estatístico contratado, e apresentado em Natal pelo Dr. Celso Sodré. Restauração do acervo da biblioteca - Foi efetuada a higienização de todo o acervo dos livros "raros" da nossa biblioteca, com a total restauração dos dois livros mais antigos datados de 1750. Foram disponibilizados online nossos periódicos, que podem ser acessados desde novembro deste ano. Anais Brasileiros de Dermatologia - Foram promovidas inúmeras modificações editoriais na revista, como a revisão de normas e modificação na avaliação e nos trâmites dos artigos, e conseguido um apoio inicial do CNPQ, no valor de R$ 24 mil, que deve ser aumentado no próximo ano. Para finalizar, gostaríamos de desejar Boas Festas e agradecer o apoio de todos os associados. q


4

SBD

JSBD l Ano VIII n o 6

Comunicado da Diretoria Face à publicação da matéria “SBD questiona anúncio do laboratório farmacêutico” e à carta enviada a todos os associados pelo laboratório Allergan, a Diretoria da Sociedade Brasileira de Dermatologia vem apresentar um esclarecimentos aos associados desta instituição. Caros colegas, Enquanto representantes dos dermatologistas brasileiros nos sentimos na obrigação de uma vez mais levar a todos esclarecimentos sobre os fatos que, primeiramente apresentados no nosso Jornal no artigo supracitado para nossa surpresa foram motivo de carta apócrifa enviada a nossos associados pelo laboratório Allergan. Acreditamos ter sido muito claros quando comunicamos que enviamos nossos questionamentos sobre o comportamento adotado por tal laboratório em sua campanha publicitária ao Conselho Federal de Medicina. Assim é que nos mantemos no aguardo da manifestação desta instância sobre a suposta correção ou não da mesma. Quando a referida empresa diz em sua carta que tomará medidas para se defender perante o CFM parece estar assumindo “culpa”, pois, caso contrário não haveria do que se defender. O laboratório tem realmente participado com investimentos em nossa Sociedade, principalmente junto às edições de nossos Congressos. Não podemos, entretanto, con-

fundir o que é investimento em ações institucionais com o patrocínio oferecido em caráter pessoal a membros de nossa Sociedade que formam “delegações” que participam de Congressos e tampouco o apoio oferecido à elaboração de livros, entre outros exemplos. Nos tempos atuais muitas casas farmacêuticas parecem já ter clareza nesta diferenciação. Existe ainda outro ponto confuso, pois, se de um lado o laboratório alega ter ouvido membros de nossa Sociedade antes da veiculação da campanha, não pertencentes à Diretoria da mesma, manifesta estranheza que estes não os tenham procurado para discutir seu posicionamento! Não há a mínima clareza de quais critérios estariam sendo seguidos na indicação do “profissional competente” para execução do procedimento médico e de que forma muitos profissionais absolutamente capacitados estariam provavelmente sendo excluídos destas indicações por puros motivos comerciais. O envio de uma consulta não caracteriza de forma alguma uma postura parcial ou unilateral de nossa Sociedade, e a manutenção dos investimentos já acor-

dados nada mais representa senão uma obrigação em honrar compromissos e desta forma uma manifestação de respeito não aos nossos associados mas sim à própria empresa em questão. Ficamos ainda felizes em esclarecer que existe a mais plena harmonia entre a Diretoria atual e os colegas membros da próxima gestão. Os fatos aqui apresentados foram discutidos em reunião conjunta de ambas as Diretorias, e ao contrário do que a carta apócrifa poderia sugerir, ainda não existem compromissos já firmados para o ano novo que se aproxima e no qual esperamos com toda sinceridade seja repleto de felicidade e realizações para todos nossos colegas associados. Atenciosamente, Márcio S. Rutowitsch Presidente Sérgio Talarico Filho Vice-presidente José Ramon Varela Blanco Secretário Geral Celso Tavares Sodré Tesoureiro Samuel H. Mandelbaum 1º Secretário Lúcia Helena F. Arruda 2ª Secretária Ivonise Follador Oliveira Diretora de Biblioteca


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII n o 6 5

No dia 8 de dezembro de 2004, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) comunicou à Sociedade Brasileira de Dermatologia a autuação do laboratório Allergan pelas irregularidades apresentadas na campanha publicitária “Tá na cara que ela fez a escolha certa”. O Jornal da SBD reproduz na íntegra o documento: Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Ofício n°1396/2004/GADIP/ANVISA - Brasília, 8 de dezembro de 2004. Ao Senhor Dr. MARCIO RUTOWITSCH Presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia-SBD Avenida Rio Branco, 39 - 18° andar - Centro- 20090-003 - Rio de Janeiro - RJ Assunto: Ct. 0707/SEC/SBD/2004 - Publicidade da empresa Allergan - Botex

Senhor Presidente, Tendo em vista a correspondência em referencia, datada de 10/09/2004 pp., a qual encaminhou denúncia acerca da propaganda da empresa ALLERGAN PRODUTOS FARMACEUTICOS LTDA, intitulada "Tá na cara que ela fez a escolha certa (BOTOX)", informo a Vossa Senhoria que foi procedida a autuação da mesma pela Gerencia de Monitoramento e Fiscalização de Propaganda, Publicidade, Promoção e Informação de Produtos Sujeitos a Vigilância Sanitária - GPROP, desta Agência, Auto de Infração - AIS n°. 1298/2004 - GPROP/DIFRA/ANVISA, de 27/10/2004, em razão da peça publicitária apresentar as seguintes irregularidades: 1) fazer propaganda institucional da empresa, voltada para o público leigo, relacionando seu logotipo, sua marca e seu nome a um medicamento de venda sob prescrição, específico para a prevenção e o combate as rugas de expressão; 2) exaltar a experiência do fabricante e a eficácia comprovada do medicamento ao apresentar a frase "Escolher quem tem 15 anos de experiência, eficácia comprovada e já virou sinônimo de tratamento", veiculando, desta forma, mensagem semelhante a "aprovado", "recomendado por especialista" ou "comprovado em estudos clínicos", o que é vedado pela legislação sanitária, além de sugerir diminuição de risco e ausência de efeitos colaterais; causar erro e confissão ao público alvo da propaganda, na medida em que dá a entender que o medicamento representa um avanço frente aos demais produtos disponíveis no mercado, para a mesma indicação, ou que possui qualidade superior a estes; ainda, por meio da mesma frase, realizar comparações de forma indireta entre o medicamento anunciado e os demais utilizados para a mesma indicação; 3) contrariar a Política Nacional de Medicamentos, constante da Portaria n°. 3.916, de 30/10/1998, na medida em que sugere e estimula a prescrição e o uso indiscriminado do medicamento, por meio das frases "Tá na cara que ela fez a escolha certa", "Existe uma ~ diferença muito grande entre fazer uma aposta e fazer z~ma escolha", "Quando o assunto é prevenção e com bate as rugas de expressão, é preciso parar, pensar e escolher" e "Fale com o seu dermatologista, cirurgião plástico ou médico especialista em medicina estética sobre a melhor escolha." Tais irregularidades afrontam aos seguintes dispositivos legais: a) artigo 4°, incisos II, VI, VII e X;

artigo 13, caput, ambos da RDC 10212000; b) artigo 58, § 1° e artigo 59, ambos da Lei 6 360/76; c) artigo 93, § 1° do Decreto 79.094177. A citada campanha foi veiculada nos seguintes veículos: a) Revista Caras - Editora Caras - edição 564, ano 11, n°. 35, de 27108/2004, páginas 164 e 165 e edição 569, ano 11, n°. 40, de 01/10/2004, páginas 26 e 27; b) Revista Veja - Editora Abril edição 1869, ano 37, n°. 35, de 01/09/2004, página 17 e edição 1871, ano 37, n°. 37, de 15/09/2004, página 105; c) Revista Marie Claire - Editora Globo n°. 162, de set/2004, página 75; d) Revista Cláudia Editora Abril - ano 43, n°. 9, de set/2004, página 43; e) Revista Nova - Editora Abril - ano 32, n°. 10, de out./2004, página 99; f) Revista Viva Saúde - Editora Símbolo Comunicações - ano 1, n°.5, contracapa; g) Revista RSVP - Editora Caras, ano 1, n°. 1, edição de 01/10/2004; h) Revista Atualitá - Souza Pinheiro Editora e Publicidade Ltda. - edição 67/2004, ano XV, página 23; i) Outdoors - 74 na cidade de São Paulo, 40 na cidade do Rio de Janeiro, 20 na cidade de Recife e 20 na cidade de Porto Alegre. Vale lembrar que, com esta conduta, a empresa expôs a população a risco sanitário, já que, como todo medicamento, o Botox apresenta efeitos adversos, os quais não constaram, conforme preconiza a legislação vigente, dos anúncios publicados nos veículos anteriormente mencionados, todos de grande circulação e destinados a público leigo, o qual não é capaz de discernir sobre as características farmacológicas do produto. Atenciosamente, Cláudio Maierovitch P. Henriques Diretor-Presidente 433 4/JAC


6

SBD

JSBD l Ano VIII n o 6

Pa i n e l 4 Divulgação de Campanha da SBD recebe prêmio no Rio de Janeiro O trabalho de divulgação da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele de 2003 foi o vencedor do Prêmio Aberje Rio 2004, na categoria Relacionamento com a Imprensa. O prêmio reconhece a excelência da comunicação organizacional e das relações públicas no Brasil por meio do incentivo e da difusão das melhores práticas do setor. “É a grande vitrine da comunicação empresarial e representa a excelência da comunicação no relacionamento das empresas com seus públicos estratégicos”, disse Paulo Nassar, presidente executivo da Aberje. A comissão organizadora do evento selecionou 785 cases, que foram analisados e julgados pela Trevisan Auditores Independentes. A SBD concorreu na etapa final com a Coca-Cola e a Xerox do Brasil.

4 Prêmio Jairo Ramos O Departamento Científico da Associação Paulista de Medicina abriu inscrições para o Prêmio Jairo Ramos - Jovem Cientista Médico 2005. Podem concorrer médicos recém-formados que desenvolveram pesquisas em instituições do país nas áreas de laboratório, clínica ou epidemiologia. Os prêmios, de R$20 mil e R$ 10 mil, serão entregues em solenidade prevista para o dia 23 de abril de 2005, na sede da Associação Paulista de Medicina. O regulamento e outras infor mações podem ser obtidas no site w w w . a p m . o rg . b r / p re m i o j a i roramos.

4 Manual de Conduta no site Já está disponível no site w w w . s b d . o rg . b r o Manual de Conduta da Sociedade Brasi-

leira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM): orientar as sociedades de especialidades para entrar com ações jurídicas individuais, por meio de suas re g i onais/estaduais, contra as prestadoras operadoras/seguradoras de saúde. A Dra. Selma Schuartz Cernea representou a SBD no encontro. Segundo a diretoria da AMB, a sugestão é que se adote como meio processual a Ação Ordinária de Cumprimento de Obrigação de Fazer, cumulada com Pedido de Tutela Antecipada, instrumento único que permite a concessão de liminar obrigando as operadoras/seguradoras a aplicar os critérios de pagamentos constantes da CBHPM, dispensando assim o ajuizamento de ação cautelar seguido de ação ordinária. Para agilizar o processo, uma minuta padrão do documento judicial está à disposição das Sociedades.

leira de Dermatologia. Para acessá-lo, basta clicar em “O associado” e entrar na área restrita utilizando o CRM e a senha. Coordenado pela Dra. Ivonise Follador, diretora de Biblioteca, o projeto teve a contribuição de todos os chefes de departamento da SBD. O objetivo do manual é oferecer aos dermatologistas referências nos tratamentos de doenças e na realização de pr ocedimentos em suas atividades clínicas. São 17 temas abordados, entre eles: acne, biópsia, fotossensibilidade, laser, infecção genital pelo HPV, manejo das reações hansênicas, rosácea, toxina botulínica e unha encravada.

O Dr. José Ramon Va re l l a Blanco, re p resentante da SBD, esteve em reunião com m e m b ros da AMB, no dia 1º de dezembro, em São Paulo. Eles trataram sobre a re v i s ã o dos valores estipulados pela CBHPM para pro c e d i m e n t o s d e rmatológicos. Na ocasião, foi solicitada a retirada da tabela da micro c i r u rgia de Mohs, face os baixos valor e s atribuídos ao pro c e d i m e n t o .

4 Associação Médica

4 Obituário

Em reunião na sede da Associação Médica Brasileira, no dia 30 de novembro, em São Paulo, ficou decidida uma nova estratégia para a implantação da Classificação Brasi-

É com grande pesar que a SBD comunica o falecimento do ilustríssimo professor Diltor Vladimir Opromolla, no dia 15/12/2004. A dermatologia brasileira está de luto.

Brasileira I

4 Associação Médica Brasileira II


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII n o 6 7

Capa

Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele melhora a cada ano

A

Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, promovida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, está a cada ano melhor estruturada. Além de ampliar a sua ação - foram 165 postos de atendimento, 8% a mais que no ano anterior – a divulgação ainda contou com o apoio de diversos artistas, a participação do Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro e a veiculação de 36 outdoors nas principais capitais do País. A sexta edição foi realizada no dia 4 de dezembro, quando dermatologistas voluntários orientaram a população sobre cuidados com a exposição solar, prevenção e detecção precoce da doença. No posto de atendimento que funcionou na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, o movimento foi intenso. A dona de casa Rute Sterenfeld, 69, não

RJ: posto em Ipanema (acima) e grupo da SBD em Copacabana (ao lado)

conhecia o trabalho da SBD antes de ser atendida. “Ouvi falar pelos jornais e resolvi vir até aqui. Acho que valeu a pena porque é bem interessante a pessoa saber o que tem no corpo, se tem alguma pinta para tirar”, comenta. Outro assistido no mesmo lugar foi Manuel Monteiro Nara, 72. Ele vive em Nova York e costuma vir ao Brasil para fazer seus exames

de rotina. Até o dia do evento não tinha conseguido marcar um dermatologista e aproveitou a oportunidade para a consulta. 4

Felipe Dylon, Nalbert, Bernardinho, Fernanda Venturini e Zezé di Camargo e Luciano foram algumas das celebridades que apoiaram a ação da SBD.


8

SBD

JSBD l Ano VIII n o 5

“Estava com dificuldades de marcar um médico particular. Aqui, de graça, fui atendido numa rapidez incrível, em dez minutos. Achei excelente, inclusive porque tenho um sinal e terei que fazer biópsia”, conta. Para o evento dar certo, a SBD iniciou e vem cumprindo um planejamento que teve início em agosto e só será concluído no fim de dezembro. Desde as primeiras comunicações e as inscrições dos postos até o recebimento dos relatórios e das planilhas de atendimento, todos os coordenadores regionais foram mobilizados para atender às expectativas da Campanha. Todas as informações foram checadas, tais como endereço dos postos, pontos de referência, postos com poder resolutivo etc. A partir disso, foi instalado um serviço de telemarketing para informar gratuitamente à população sobre os locais de atendimento. Ao todo, 21.156 pessoas consultaram o serviço. Foram distribuídas para as regionais 27.860 camisetas, 165 banners, 175 faixas, 9.980 cartazes, 165 CDs com a aula sobre cuidados com o sol e ainda 165 blocos de atendimento. O critério

Cascavel - PR: Os dermatologistas de e os alunos do curso de medicina da UNIOESTE participam como voluntários da Campanha da SBD.

para a divisão do material obedeceu a uma relação entre a expectativa de atendimento informada pelos coordenadores e os dados do evento no ano anterior. Além disso, o Departamento de Comunicação da SBD enviou para cada coordenador regional o “Manual de orientação sobre relacionamento com a imprensa” com explicações desde como atender os jornalistas até a importância de ter um discurso uniforme. Afinal, uma das principais aliadas para o sucesso da Campanha é a divulgação na imprensa, quando o público toma conhecimento da iniciativa. Além da ação pontual, a SBD realizou uma parceria com o Grupamento Marítimo do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro para uma ação nas praias da cidade. No dia 27 de novembro, o presidente Marcio Rutowitsch contou com o apoio de uma equipe de dermatologisDivulgação

Espírito Santo: campanha para trabalhadores rurais

tas para realizar os exames nos guarda-vidas da corporação. Além disso, ele ministrou uma aula sobre cuidados com o sol, o que foi muito bem recebido pelo grupo. Após a orientação, eles distribuíram pela orla de Copacabana a Barra da Tijuca os 500 mil folders produzidos pela SBD para divulgar o atendimento do sábado seguinte. “Foi um momento importante para a nossa Campanha, afinal agregamos pessoas que trabalham sob o sol, além de lidar diretamente com o público praiano, para divulgar a nossa ação de prevenção solar”, afirma Dr. Márcio Rutowitsch. Além dos guarda-vidas, a SBD conseguiu o apoio de diversas personalidades que levaram a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele à imprensa. Vestindo a camisa do evento, Rodrigo Santoro, Maitê Proença, Mário Frias, Nívea Stelmann, Adriana Garambone, Juan Alba, Graziela Moretto, a dupla Zezé de Camargo e Luciano, Ber nardinho, Fer nanda Venturini, Gustavo Borges e os jogadores de vôlei Nalbert e Sandra Pires apareceram em jornais de todo o País. Fernanda Venturini acha que a Campanha deveria se estender durante todo o ano por causa do clima quente do país. “Aqui faz sol o ano inteiro. A minha filha de três anos é muito branquinha e tenho que redobrar os cuidados. Nunca deixo de passar o filtro solar. Estou participando do evento para estimular as pessoas a fazer o mesmo: proteger a pele contra o sol”, diz. Convidada pelo presidente da


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII n o 5 9

curso de medicina panha da SBD.

SBD-Regional Distrito Federal, Dr. Gilvan Alves, a primeiradama Marisa Letícia Lula da Silva lamentou não poder participar do evento por estar com compromissos pré-agendados. Mas através de um telegrama ela desejou sucesso à SBD: “A senhora Marisa Letícia Lula da Silva agradece amável convite e parabeniza a Sociedade Brasileira de Dermatologia e os promotores da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele. Devido a compromissos previamente assumidos lamenta não poder comparecer, mas deseja sucesso na sua realização”. A Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele realizada na Esplanada dos Ministérios conseguiu dobrar o número de pessoas atendidas em relação ao ano anterior. A equipe no local era composta por 34 dermatologistas, distribuídos por 28 consultórios. Foram realizados 1.371 atendimentos e 11,88% dos pacientes apresentaram câncer de pele. A SBD-DF ainda contou com outros 28 dermatologistas no centro cirúrgico do Hospital Universitário de Brasília. No próprio sábado, foram realizadas 64 cirurgias. Os pacientes que não puderam ser operados

C

no dia da campanha foram agendados para os próximos meses. Em São Paulo, a Dra. Selma Cernea acredita que tenham sido atendidas 2.000 pessoas a mais que no ano anterior. Foram montados 42 postos, inclusive em parques e áreas de favelas. “A idéia foi procurar descentralizar o atendimento dos hospitais centrais, e para isso contamos com a adesão de um razoável número de colegas voluntários”, finalizou a coordenadora do evento no estado.

SBD participa de ação na Petrobrás

A Assistência Multidisciplinar de Saúde (AMS) da Petrobrás realizou no dia 26 de novembro, em Macaé, atividades voltadas para a conscientização sobre o câncer da pele. O presidente da Regional Rio de Janeiro, Dr. Abdiel Figueira Lima, representou a SBD. Ele proferiu palestra sobre prevenção solar no auditório da empresa. “Encontrei um grupo empenhado em realizar uma política séria de prevenção”, diz. A AMS elaborou um folder educativo baseado nas informações cedidas pela SBD, além de banners que foram distribuídos em vários pontos da empresa. q

Polifenóis de alcachofra é proibido

A

Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu a importação, fabricação, manipulação, distribuição, comércio e uso do extrato de polifenol de alcachofra e Cryssanthellium na forma injetável para fins estéticos. Segundo a Resolução nº 1.873, publicada no D.O. da União em 29 de novembro, não há comprovação científica que garanta a qualidade, segurança e eficácia das substâncias em tratamentos estéticos. No dia 24 de novembro, a Anvisa já havia determinado a suspensão das propagandas dos polifenóis de alcachofra sob a alegação de que as campanhas publicitárias não esclarecem o consumidor sobre os riscos à saúde provocados pelo uso dessas substâncias injetáveis. De acordo com a Agência, empresas, distribuidores e estabelecimentos que desrespeitarem a determinação poderão ser notificados e receber multas que variam de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão. A Resolução pode ser consultada pelo site www.anvisa.gov.br.

Biblioteca disponibiliza textos na Internet

om a difusão da internet, o acesso às informações ficou muito mais fácil e veloz. Se antes era preciso aguardar mais de um mês para que as revistas científicas chegassem aos assinantes estrangeiros, hoje é possível consultalas imediatamente após a sua publicação. E a Biblioteca da Sociedade Brasileira de Dermatologia está atenta a essa necessidade: desde novembro, está disponibilizando gratuitamente no site da SBD os principais periódicos da especialidade. “Com isso, o leitor ganha a facilidade de alcançar, seja de casa

ou do consultório, uma vasta gama de artigos, como por exemplo, os 13 títulos da editora Blackwell que assinamos”, explica a Diretora da Biblioteca, Dra. Ivonise Follador. - Muitos associados já nos procuraram para esclarecer dúvidas ou mesmo elogiar, conta a bibliotecária Rosalynn Leite. O projeto está em fase de adaptação, portanto, ela pede a quem tiver dúvidas ou sugestões que entre em contato com o setor. “Para nós isso é muito importante, pois direcionaremos os eventuais problemas para os técnicos buscarem soluções. Pretendemos oferecer um

serviço ainda mais prático e ágil”. É simples acessar aos artigos. Basta entrar na área restrita aos associados no site da SBD e clicar na seção “Periódicos online”. É possível acessar as revistas do Free Medicals Journals, Scielo e Blackwell. Nesse último, basta fazer pequenas configurações no computador, seguindo as explicações disponíveis na página. O projeto prevê no futuro que todas as assinaturas da biblioteca estejam disponíveis. “Nossa meta é ter uma biblioteca virtual no próximo ano”, finaliza a Dra. Ivonise Follador.


SBD

10 JSBD l Ano VIII n o 5

SBD elabora pesquisa sobre mercado de trab alho brasi

C

om o boom da dermatologia, muitos associados questionam se o mercado irá comportar nos próximos anos a demanda de médicos interessados na especialidade. E mais: com exceção do eixo Rio - São Paulo, que concentra quase a metade dos dermatologistas, onde estariam as oportunidades para os novos especialistas? Para analisar essa tendência, a Sociedade Brasileira de Dermatologia realizou um estudo baseado no seu cadastro de associados, no último Censo Demográfico do IBGE e em dados do SNIU (Sistema Nacional de Indicadores Urbanos). O resultado pode ser animador para aqueles que têm disponibilidade para mudanças: ainda há carência de dermatologistas em municípios com alta renda familiar. O relatório foi apresentado pelo Dr. Celso Sodré no 59º Congresso da SBD, em Natal. A pesquisa analisou a relação entre o número de der matologistas e a população dos municípios com mais de 100 mil habitantes, considerando o seu perfil socioeconômico. “Assim podemos ter uma noção de como está o mercado de trabalho da classe”, explica o tesour e i ro da SBD. Com essas informações, ele pretende criar um canal de comunicação com as secretarias de saúde que poderiam contratar os especialistas, e ainda criar um banco de oportunidades no site da SBD. Considerando que no Brasil há 2,7 dermatologistas para cada 100 mil habitantes, a cidade que possui a maior proporção de especialistas para a população é Vitória, capital do

Municípios com maior concentração de dermatologistas a cada 100.000 hab. Brasil, 2004. Município Vitória Niterói Botucatu Porto Alegre Florianópolis Rio de Janeiro Campinas Ribeirão Preto Recife São Paulo Belo Horizonte Santos Taubaté Teresópolis Goiânia São J. do R. Preto Vila Velha Jundiaí Bauru

UF ES RJ SP RS SC RJ SP SP PE SP MG SP SP RJ GO SP ES SP SP

Dermat. Pop./2004 Dermat./100mil hab. Posição 92 305.898 30,1 1a. 116 468.897 24,7 2a. 23 115.418 19,9 3a. 187 1.404.670 13,3 4a. 44 377.552 11,7 5a. 689 6.010.814 11,5 6a. 113 1.018.781 11,1 7a. 57 534.944 10,7 8a. 142 1.473.461 9,6 9a. 890 10.753.768 8,3 10a. 189 2.327.049 8,1 11a. 33 418.199 7,9 12a. 20 259.247 7,7 13a. 11 145.123 7,6 15a. 88 1.162.897 7,6 16a. 29 389.781 7,4 17a. 27 378.553 7,1 18a. 24 337.233 7,1 19a. 24 338.344 7,1 20a.

Municípios com renda média superior a R$500,00 e sem dermatologistas. Brasil, 2004. Município Monte Belo do Sul Nova Pádua Águas de S. Pedro Fernando de Noronha Paulínia Ilha Solteira Flores da Cunha Alumínio Cosmópolis Iracemápolis Nova Odessa Ribeirão Pires Saltinho Campo L. Paulista Cordeirópolis Taboão da Serra Carlos Barbosa Pradópolis Caieiras Nova Bassano

UF Dermat /100mil hab Pop./2004 Renda Média %Alfab RS 0,0 2.869 1000 98,8 RS 0,0 2.436 1000 98,0 SP 0,0 1.956 800 98,5 PE 0,0 2.201 740 95,6 SP 0,0 57.253 700 97,3 SP 0,0 24.923 630 98,1 RS 0,0 26.156 604 98,0 SP 0,0 15.856 601 96,6 SP 0,0 47.741 600 96,4 SP 0,0 17.095 600 97,2 SP 0,0 45.316 600 97,9 SP 0,0 112.382 600 97,5 SP 0,0 6.091 600 98,5 SP 0,0 71.157 570 96,4 SP 0,0 19.313 550 96,8 SP 0,0 212.870 550 96,5 RS 0,0 22.215 550 98,7 SP 0,0 14.145 530 93,8 SP 0,0 84.254 525 96,7 RS 0,0 8.269 507 99,0


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII n o 5 11

do de trab alho brasileiro Espírito Santo. São 92 dermatologistas para atender a 305.898 pessoas. Ou seja: 30,1 para cada 100 mil. Excetuando Recife, no Nordeste, as regiões Sudeste e Sul concentram os municípios considerados com alto índice de dermatologistas. São eles: Niterói (RJ), Botucatu (SP), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Rio de Janeiro (RJ), Campinas (SP) e Ribeirão Preto (SP). No entanto, o Sudeste apresentou uma curiosidade: enquanto há cidades com muitos dermatologistas, alguns municípios da região com grande densidade demográfica estão na lista dos que são carentes de especialistas. É o caso de Duque de Caxias, São Gonçalo, Serra, Cariacica, Bauru, Guarujá e Contagem. Há ainda Feira de Santana, na Bahia, e Ananindeua, no Pará. Esses locais apresentam uma taxa de menos de um dermatologista para cada 100 mil habitantes. Para aqueles que podem transferir a sua residência para outras cidades, as oportunidades parecem melhores no interior do Rio Grande do Sul e São Paulo, em municípios considerados com alta renda familiar e nenhum especialista disponível. São cidades como Monte Belo do Sul, Nova Pádua e Flores da Cunha, no Rio Grande do Sul, e Águas de São Pedro Paulínia e Ilha Solteira, em São Paulo. Há ainda Fernando de Noronha, em Pernambuco. No paradisíaco arquipélago brasileiro são 2.201 habitantes com renda média de R$740, que precisam deslocar-se até o continente para consultar um dermatologista. Alguém se habilita? q

Brasília se prepara para o 60o Congresso da SBD

A

o rganização do 60º C o n g resso da Sociedade Brasileira de D e rmatologia, que acontecerá entre os dias 10 e 14 de setembro de 2005, promete inovar. A comissão org anizadora lançou o evento para re p resentantes da indústria f a rmacêutica nos dias 10 e 11 de novembro, durante um café da manhã no Hotel Maksoud Plaza, em São Paulo. Estiveram presentes cerca de 80 empresas. “A idéia foi fazer um lançamento oficial e único para todas as empresas”, afirma o Dr. Gerson Penna, pre s idente do Congre s s o . No mesmo dia, foram atendidos individualmente os principais parceiros da SBD para negociar as suas participações. Para a secretária-geral do evento, Dra. Ana Maria Pinheiro, os participantes receberam com simpatia a apresentação do 60º Congresso da SBD. "A ordem de recebimento das empresas foi feita a partir de um ranking com a média de investimento feito por cada uma delas na Sociedade Brasileira de Dermatologia e nos congressos da SBD nos últimos três anos", afirma Dr. Gerson. O evento será no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, no eixo monumental de Brasília. O prédio, que passa por r e f o rmas e será ampliado, contará com auditório de 3500 lugares, 13 salas com

150 lugares e ampla área climatizada para exposições. O D r. Gerson Penna esteve no local em novembro, acompanhado do gover n a d o r Joaquim Roriz, para verificar o andamento das obras. Na ocasião, o governador garantiu que o centro de convenções será inaugurado em abril de 2005. A programação científica do evento terá sessões coordenadas pelos Departamentos da SBD. “Pretendemos que o sócio tenha mais contato com esses departamentos. Estamos pensando em um espaço em que os dermatologistas possam tirar dúvidas, trazer casos clínicos para discussão etc”, explica a Dra. Ana Maria


SBD

12 JSBD l Ano VIII no 6

Pinheiro. Os simpósios, cursos e fóruns irão abranger toda a dermatologia e seus principais temas. “T eremos ainda sessões interativas e de apresentação de casos clínicos”, diz a secretária–geral. Uma novidade será a manhã destinada à “Dermatologia Comunitária”, em que serão feitos atendimentos e esclarecimentos à população sobre as principais doenças e as áreas de atuação da Dermatologia.

De acordo com a comissão organizadora do Congresso, a capital federal conta com excelente estrutura para a realização de cursos práticos e teóricos. Está programado pelo menos um curso com transmissão ao vivo e realização de procedimentos cosmiátricos, como aplicação de toxina botulínica, peelings e preenchimentos cutâneos. “Estamos planejando realizar um grande número de cursos no sábado, primeiro dia do evento”, diz Dra. Ana Maria. Além dos mais renomados profissionais brasileiros, já estão confirmados os seguintes conferencistas estrangeiros: Alan Menter (EUA),

Ana Kaminsky (AR), Anton Stuetz (Áustria), Gérad Lorette (França), Jeffrey Travers (EUA), John Mcgrath (Inglaterra), Lawrence Schachner (EUA), Percy Lehman (Alemanha) e Thomas Ruzicka (Alemanha). São esperados 3 mil participantes para o evento. As inscrições para o 60º Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia podem ser feitas on-line, através do portal da SBD (www.sbd.org.br). Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (11) 3865.5354 ou 3864.4673 (fax) ou pelo endereço eletrônico secretaria@malulosso.com.br.

Simpósio Internacional de Cabelos e Unhas

A

Sociedade Brasileira de Dermatologia encerrou o ciclo de eventos promovidos pelos departamentos especializados em 2004 com o Simpósio Internacional de Cabelos e Unhas, realizado nos dias 22 e 23 de outubro, no Hotel Sofitel, em São Paulo. Os 250 participantes puderam se inteirar de vários aspectos clínicos e cirúrgicos relacionados ao assunto. A coordenação ficou a cargo do chefe do Departamento de Cabelos e Unhas, Dr. Francisco Le Voci, e do Dr. Nilton Di Chiacchio. “Tivemos a honra de receber os principais colegas brasileir os estudiosos no assunto”, conta o Dr. Le Voci. Dos participantes, 89% aprovaram o evento em termos gerais, considerando-o ´ótimo` (30%) e `bom´(59%), segundo pesquisa feita pela SBD. O coordenador do curso destaca também a participação dos professores Eckart Haneckee e Alex Ginzburg, da Alemanha e de Israel, respectivamente.

Foto: Tatiana Gentil

Da esq. p/ dir.: os doutores Francisco Le Voci, Alex Ginzdurg, Eckart Haneckee, Márcio Rutowitsch e Nilton Di Chiacchio

“Gostaríamos de pedir desculpas pela ausência de última hora da Profa. Antonella Tosti. Ela estava na Colômbia e não pôde embarcar para o Brasil por problemas relacionados às exigências de documentação”, justifica. Dr. Le Voci expressou ainda seus agradecimentos à Diretoria da SBD: “Em especial ao nosso presidente Dr.

Márcio Rutowitsch e ao Dr. Celso Sodré, pelo apoio incondicional que nos deram”, comentou. “Acreditamos que o evento tenha sido um sucesso. E tenham certeza que se não foi feito mais, não foi por falta de empenho”, conclui. O c o o rdenador elaborou um resumo em tópicos das aulas, que será disponibilizado no site da SBD.


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII n o 6 13

Anvisa divulga alerta sobre uso da flutamida

A

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou um Alerta Técnico contra o uso da flutamida para fins dermatológicos. Isso porque foram notificados cinco casos de hepatite fulminante – quatro deles com óbito - em mulheres entre 21 e 35 anos, que faziam uso da substância no tratamento de acne, alopecia e hisurtismo. A flutamida é um antiandrogênio utilizado em casos de câncer de próstata e o registro de produtos à base da substância no Brasil, França e Estados unidos não prevê seu uso em pacientes do sexo feminino. A Anvisa solicita aos médicos que notifiquem a suspeita de qualquer reação adversa ao medicamento através do formulário disponível no site www.anvisa.gov.br.

Estudo da Anvisa revela riscos De acordo com estudo da Unidade de Farmacovigilância (UFARM) da Anvisa, realizado em 2002 e 2003, os óbitos ocorridos em mulheres jovens e notificados à Agência nestes dois anos, ainda que como uma sub-estimativa, mostram uma relação benefício/risco “desfavorável e inaceitável para o tratamento de condições meramente estéticas”. O trabalho, iniciado em dezembro de 2002, foi elaborado pela Dra. Patrícia Mandali de Figueiredo, coordenadora do Centro Nacional de Monitorização de Medicamentos, e teve com uma das estratégias a elaboração e disponibilização de um questionário aos dermatologistas brasileiros, a fim de avaliar a utilização da flutamida, sua informação a respeito da substância, o risco que atribuem ao seu uso e as medidas que consideram necessárias. A Sociedade Brasileira de Dermatologia foi consultada, num primeiro momento através da Dra. Denise Steiner, então coordenadora do Departamento de Cosmiatria, a fim de que fossem obtidos dados sobre a substância e seu uso em mulheres. Em 2003, um novo contato, agora com o presidente, Dr. Márcio Rutowitsch, permitiu a complementação das informações e a divulgação, entre os associados da SBD, do endereço eletrônico onde foi disponibilizado o questionário. O trabalho conclui que os riscos do uso da flutamida, que até então pareciam pouco fre q ü e n t e s , mostraram-se evidentes através das notificações enviadas à UFARM, apesar de sua eficácia para as condições em que vinha sendo empregada. O estudo completo será apresentado à nova Diretoria da SBD em 2005.

Ética em questão

A CBHPM e a Ética Luis Fernando Figueiredo Kopke* De um total de 145 artigos, o Código de Ética Médica destaca apenas nove deles que resumem os nossos direitos, entre os quais está o de não exercer a atividade profissional quando a remuneração por ela não é justa. Acredito que todos os artigos do código de ética são igualmente importantes, ou os que falam de nossos direitos são menos importantes que aqueles que determinam nossas obrigações? Atualmente vivemos a batalha pela CBHPM. Desta vez, a classe médica tomou todas as providências, em todos os níveis, para evitar que fôssemos tomados por uma classe procurando proteger apenas os nossos interesses. Os financiadores da saúde já não têm argumentos para nos acusar de corporativistas. Porém, apenas para citar o ato médico mais fundamental que é a consulta médica, pergunto invocando apenas um dos nossos direitos: quando é que a justa remuneração vai contemplar os verdadeiros anseios da nossa classe? Os nossos direitos não têm sido respeitados pelas propostas que tenho lido e seguido a respeito da plena implantação da CBHPM (sem as infames “bandas” - que sempre tendem para as bandas do lado de lá), teremos que ter ainda muita paciência, pois os financiadores dos recursos destinados à saúde estarão “absorvendo o impacto em suas contas”. Por mais que como médicos tenhamos que defender e apoiar o justo movimento em prol da implantação plena e o mais imediatamente possível da CBHPM, também perguntamos, invocando o aspecto da defesa profissional e da justa remuneração, como ficará o problema do enquadramento da cirurgia micrográfica de Mohs remunerada por menos de 200 reais? A exemplo do que ocorreu com a pronta intervenção da SBD em defesa do direito do dermatologista exercer a lipoaspiração, temos que contar também com as nossas entidades representativas, para unidos buscarmos uma solução de consenso mais ética para esta questão. * Membro da Comissão de Ética e Defesa Profissional da SBD


SBD

14 JSBD l Ano VIII n o 5

Coluna Literatura

IX Radesp: conhecimentos científicos para os associados

A

É com satisfação que recebemos o livro “Dermatoscopia - Aplicação clínica e correlação histopatológica”, publicação nacional imprescindível ao aprendizado do tema para os profissionais interessados. Foi com curiosidade e prazer que percorri as páginas da obra apresentada, onde está estampada nossa realidade dermatoscópica. Não há dúvida que aqueles que se iniciarem no assunto devem buscálo para o seu aprimoramento. O único senão, sem tirar o brilho da obra, são as fotos histopatológicas que podem ter uma melhor impressão em edição posterior. Congratulações aos autores. Antônio Carlos M. Guedes

divulgação

SBD - Regional São Paulo realizou a IX Radesp (Reunião Anual dos Dermatologistas do Estado) nos dias 26 e 27 de novembro no The Royal Palm Plaza, em Campinas. No encontro foram abordada esq. p/ dir.: Os Drs. Bogdana Kadunc, dos temas como melaDilhermando Calil, Hamilton Stolf, Jackeline noma, queda de cabe- Juang, Denise Steiner, Paulo Criado e Joel Lastória lo, controvérsias cirúrcontaram pontos para a Edugicas em dermatologia, psoríacação Médica Continuada da se, procedimentos cosméticos SBD. Todos os pacientes atenna dermatologia e manifestadidos foram encaminhados ções na pele de doenças interpelos próprios serviços credennas e doenças de pele na terceiciados da Sociedade. ra idade. Além disso, trabalhos A Dras. Edileia Bagatin e científicos foram apresentados e Valéria Pereira Leite Santos coorpremiados. “Esse é o evento denaram o curso “Peelings: mais importante do calendário superficiais, combinados, faciais para a comunidade dermatolóe corporais”, no Hospital da PUC gica do estado”, afirma a Dra. de Campinas. Em palestra, a Bogdana Victoria Kadunc, preDra. Edileia Bagatin defendeu o sidente da Regional. Aproxiuso de peeling químico como um madamente mil inscritos partiimportante recurso, até por ser o ciparam das conferências. mais comum nos hospitais públiUm dia antes de começar a cos. "É uma terapêutica médica IX Radesp aconteceram cursos extraordinária e muito usada teórico-práticos nos hospitais como coadjuvante no tratamento da Unicamp de Campinas, PUC de lesões pré-cancerosas. Além de Campinas e Faculdade de disso, apesar de ser uma descoMedicina de Jundiaí. Foram berta antiga, ainda é muito eficaz abordadas técnicas, entre oupara a melhora de sinais extertras, de preenchimento, eletronos como rugas", afirma. cirurgia, cirurgia de unhas que


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII n o 6 15

Projeto obriga mínimo de vagas para residência médica

F

oi aprovado pela Comissão de Seguridade Social e Família o Projeto de Lei nº 5.182 de 2001, do Deputado Antônio Cambraia, que busca tornar obrigatória a oferta anual de vagas de residência médica nas instituições de ensino em pelo menos 50% do total de formandos dos cursos em medicina. Segundo o documento, deverá ser obrigatório que as insti-

tuições de ensino superior firmem convênios com a rede hospitalar. Esse projeto foi apensado ao PL de nº 5.193, de 2001, do Deputado Carlos Masconi, que obriga as escolas médicas a disponibilizar programas de residência nas áreas básicas de clínica, cirurgia, pediatria, obstetrícia e medicina generalista, além de serem credenciados à Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

Regionais Rio Grande do Sul Para a nova diretoria da Regional RS, a norma mais importante é disponibilizar condições aos seus associados para uma criteriosa formação Dra. Miriam Janz Gutierrez, científica e ética. O preFlávia Rossato, Berenice Capra Valentini, sidente, Dr. Sérgio DorSérgio I. Torres Dornelles nelles, salienta que é dever acompanhar, informar e motivar todos com os fatos que envolvem os movimentos das entidades médicas no que se refe re ao Ato Médico e às negociações com operadoras de convênios. A nova gestão pretende dar continuidade ao trabalho desenvolvido pela Dra. Inês Alencar de Castro sobre maiores exigências às atividades com punctura “e conseqüentemente, garantir maior segurança à população e aos profissionais que a ela se dedicam”, comenta Dornelles. São integrantes do novo grupo diretivo da Regional Rio Grande do Sul os especialistas: Sérgio I. Torres Dornelles (presidente), Berenice Capra Valentini (vice-presidente), Flávia Rossato (secretária-geral), Ângela Maria Ferreira Gonçalves (primeiro-secretário), Miriam Janz Gutierrez (secretária-científica) e Gustavo Gonçalves Pinto Corrêa (tesoureiro).

Caso a lei seja aprovada pelo Congresso, as escolas irão dispor de dois anos da data da publicação para submeter em suas propostas à CNRM, quando aprovadas, de mais dois anos para sua implementação. O voto favorável do relator Dr. Rafael Guerra é baseado, entre outros motivos, no consenso de que a residência é um complemento fundamental para a formação médica.

Espírito Santo Os membros da regional Espírito Santo comemoram a compra da sua nova sede, situada à Rua José Farias, 134, sala 102, no bairro de Santa Luiza, em Vitória. Os números de telefones também mudaram para (27) 32150945 e (27) 32150949. Além disso, a diretoria já convida para a XIX Jornada Capixaba de Dermatologia nos dias 19 e 20 de maio de 2005, no Centro de Convenções de Vitória. Estão confirmados os seguintes professores palestrantes: Dra. Lúcia Arruda, (SP), Dr. Antônio Carlos Martins Guedes (MG) Dr. David Rubem Azulay (RJ), Dr. Paulo Sérgio Emerich Nogueira (ES) e Dr. Omar Lupi (RJ). Para maiores informações, deve-se entrar em contato com a secretaria.

Sergipe Nos dias 12 e 13 de novembro foi ministrado pelo Prof. Ricardo Fakhouri, o Curso de Dermatopatologia, no auditório do Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (SINDIMED). O curso foi programado para atender à formação dos especializandos do serviço do Hospital Universitário da Federal de Sergipe. “Participaram 12 colegas, sendo que a nossa Regional tem 16 sócios”, ressalta o presidente Dr. Emmerson Ferreira da Costa.

No dia 20 de novembro aconteceu a reunião mensal com exposições de casos clínicos ao vivo. Na foto estão a Dra. Lúcia Diniz (Delegada), Dra. Maria Helena Lesqueves Sandoval (Presidente) e o Dr. Denis Ottoni (Delegado Suplente)


SBD

16 JSBD l Ano VIII n o 6

Brasília O Dr. Iphis Campbell foi o homenageado na última reunião anual da Regional Brasília. O encontro ocorreu nos dias 11 e 12 de dezembro, no teatro Ulisses Guimarães da Universidade Paulista. No dia 11, à noite, ainda aconteceu uma festa de confraternização no Hotel Mercure. “A homenagem ao Iphis foi um modo carinhoso de citar alguém que é a personificação do corpo de dermatologistas de Brasília. Assim, a homenagem, os agradecimentos e os votos de sucesso estendem-se a todos. Aliás, já sentimos presságios de um 2005 grandioso”, diz o presidente da Regional, Dr. Gilvan Ferreira Alves.

São Paulo Campanha pela ética na estética A Regional São Paulo desenvolve atualmente uma forte campanha de conscientização sobre o uso adequado de tratamentos médicos estéticos. Nos consultórios, em rádios, na televisão, em jornais e revistas os dermatologistas filiados à SBDResp esclarecem à população sobre a importância do uso de tratamentos que tenham eficácia comprovada cientificamente, metodologia de uso regulamentada e que sejam aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Outdoors com o slogan “Médico Dermatologista: você sente na pele quando precisa dele” também fazem parte da campanha de valorização da especialidade. No último dia 09 de novembro foi publicado um artigo sobre o tema da Dra. Bogdana Victoria Kadunc, presidente da SBD-Resp, no jornal Folha de S.Paulo, na seção Tendências e Debates.

Minas Gerais O Dr. Richard Odom, professor da Universidade da Califórnia de São Francisco e editor do livro Andrews Diseases of the Skin, participou da Jornada Mineira de Dermatologia, nos dias 19 e 20 de novembro, em Ouro Preto. Também esteve no evento o Dr. Loren Golitz, renomado der matopatologista americano.

Bahia Temas como Dermatologia tropical e AIDS, Câncer da pele no Brasil - a importância da prevenção, a Situação da hanseníase no Brasil e na Bahia, Dermatoses infecciosas na gravidez, entre outros, foram discutidos durante a II Jornada Brasileira de Dermatologia Sanitária. O evento aconteceu em paralelo à XII Jornada Baiana de Dermatologia, de 5 a 7 de novembro, em Salvador, no Pestana Bahia Hotel. A palestra do presidente da SBD, Dr. Márcio Rutowitsch, abriu o encontro que teve a participação de convidados de vários lugares do Brasil. Já na programação da Jornada Baiana foram abordados assuntos como álcool e pele, fotoproteção, cosmiatria, oncologia cutânea, dermatoses na infância e aspectos cutâneos não usuais do Lúpus Eritematoso. Promovida pela Regional Bahia, a jornada teve a participação de vários conferencistas convidados como os professores Arthur Antônio Duarte (SP), Gerson Oliveira Penna (DF), Fernando Augusto de Almeida (SP), Bogdana Victoria Kadunc (SP) e Sérgio Talarico Filho (SP).

Rio de Janeiro Foi lançado, no dia 15 de dezembro, o livro “A Pele do Rio”, do jornalista Pedro Tinoco, com concepção editorial da diretoria da Regional Rio de Janeiro. Segundo o presidente da Regional, Dr. Abdiel Figueira Lima, o volume pretende resgatar um pouco da história da dermatologia carioca. “Ele foi desenvolvido com imagens fotográficas da Cidade Maravilhosa, justificando assim o seu título”, comemora. Os membros da Regional acabam de aprovar também o novo Estatuto para atender às exigências do Código Civil. “Além de concretizar os compromissos firmados com a SBD Nacional”, conclui.


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII n o 6 17

Serviços Credenciados Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás

O Serviço de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás funciona desde 1977, por iniciativa dos professores Divino Miguel Rassi, Paulo Cezar Borges, Rodovalho Mendes Domenici e Aiçar Chaul. Segundo o atual chefe, Dr. Aiçar Chaul, recentemente foram iniciadas as obras de construção da sede prevista para conclusão em 2006. A preceptora do Serviço é a Dra Lia de Castro, e ainda fazem parte da equipe os médicos Hugo Junqueira, Jackeline Gomes Guerra, Marilene Chaves Silvestre e Alessandra Vidal e Junqueira. Dr. Chaul conta que, em 2004, o serviço credenciou quatro residentes para o primeiro ano e mais quatro para o segundo. São os residentes do primeiro ano: Adriano José Curado Santos, Larissa Calixto Gomes Prado, Ludmila Paiva Queiroz e Vanessa Guimarães de Freitas Lima. Já do segundo Beatriz Alves Justino, Mayra Ianhez e Nayana Chaves Aveiro.

Santa Casa do Rio de Janeiro

O Instituto de Dermatologia Prof. Azulay da Santa Casa realizou as seguintes atividades de extensão: workshop com Luz Pulsada com o Photosilk (equipamento da Deca); cursos de radiofreqüência e cirurgia da unha. Segundo o chefe, Prof. David Azulay, todos os membros do setor de dermatologia sanitária participaram do curso “Atualização em DST - Treinamento em Abordagem Sindrômica”, promovido pela Secretária Estadual de Saúde. Os responsáveis pelo ambu-

Hospital Central do IASERJ Desde 1970, cerca de 80 especialistas já se formaram no Serviço de Dermatologia do Iasej fundado pelo Professor Glyne Leite Rocha. Atualmente o núcleo oferece duas vagas por ano para residentes. De acordo com o chefe, Prof. Sérgio Soares Quinete, no dia 14 de outubro aconteceu uma reunião do GBM (Grupo Brasileiro de Melanoma), com a palestra "PET-CT: Aplicações Clínicas no Melanoma Maligno" proferida pelo Dr. Michel Pontes Carneiro. Além disso, nos dias 23, 24, 25 e 26 de novembro, ocorreu o Seminário Científico Anual do Hospital. Na ocasião, os residentes apresentaram temas clínicos, além do ex-chefe do Serviço, Professor Manoel Sternick, proferir uma palestra sobre "Ceratoses Actínicas". latório de lesões melanocíticas promoveram ainda a palestra “Melanoma Ocular – um Modelo Experimental”, conferida pelo Prof. Miguel Burnier, chefe da Patologia, entre outros títulos, da McGill University de Montreal. Além disso, o setor de Alergia/Imunologia promoveu uma jornada com temas variados que contou com a participação do Prof. Mário César Pires. As atividades promovidas pelos médicos da Santa Casa não terminam. Foi lançado o livro “Neurofibromatose”, dos Profs. Mauro Geller e Aquinaldo Bonalumi Filho, com colaboração dos Profs. David Azulay e Bernard Kac. Dr. David Azulay informa ainda que estão abertas as inscrições para a prova de acesso ao Serviço que será realizada no dia 21 de abril de 2005. Maiores informações estão disponíveis no site www.dermatosantacasa.com.br.

Santa Casa de Misericórdia de Vitória

No dia 11 de novembro foi inaugurado o auditório do Serviço de Dermatologia da

Santa Casa de Misericórdia de Vitória. Além dos professores da casa, participaram da cerimônia autoridades do Estado do Espírito Santo. No dia 20 de novembro, no mesmo auditório, aconteceu a reunião mensal da Regional Espírito. Além disso, no dia 10 de dezembro, o XIII Encontro de Hanseníase do Estado do Espírito Santo.

Universidade Federal do Rio de Janeiro

A Profa. Marcia Ramos-eSilva informa que a Dra. Ana Libia Cardozo Pereiro foi a ganhadora do prêmio "2004 Young Dermatologist Travel Award" da International Society of Dermatology. Em novembro, a Dra Ana Pereio apresentou o trabalho premiado " Ti s s u l a r Distribution of Dermal Dendro cytes in Oral Lichen Planus" no 10th Prague Dermatology Symposium, em Praga, na República Tcheca. Essa foi sua tese de mestrado defendida no curso de Pós-Graduação em Dermatologia da UFRJ, que teve a orientação das Profas. Marcia Ramos-e-Silva e Tullia Cuzzi.


SBD

18 JSBD l Ano VIII n o 5

Clube de Revista Waknine Y. Transplantation of Autologous Melanocytes Effective in Vitiligo. Arch Dermatol 2004;140:1203-8

Foi avaliada a eficácia do transplante autólogo de melanócitos na repigmentação através do uso de suspensões de células epidérmicas não-cultivadas em 28 pacientes (14 homens, idade média 35,2 anos) portadores de vitiligo que não responderam à fototerapia. Foram identificados 33 pares de lesões leucodérmicas simétricas. As lesões foram submetidas a laserabrasão seguida por randomização para receber um enxerto celular enriquecido com ácido hialurônico ou placebo. Após três semanas, as lesões receberam fototerapia duas vezes por semana, por dois meses. Os pacientes foram reavaliados em 3, 6 e 12 meses, usando um sistema de análise de imagens digitais. Os resultados mostraram que o transplante foi mais eficaz em induzir pigmentação que o placebo (P < .001, P = .002, P = .002 a 3, 6, e 12 meses, respectivamente). As porcentagens médias das areas repigmentadas no braço experimental foram 60%, 62%, and 71% para os tempos correspondentes, comparadas com a porcentagem de 0% no grupo placebo. Após uma seleção pré-operatória rigorosa de pacientes estáveis, o transplante resultou em repigmentação de pelo menos 70% na maioria das lesões de vitiligo

Departamentos Na última edição do ano, alguns coordenadores deixaram registradas suas mensagens aos colegas que fizeram ou que irão fazer parte dos departamentos especializados da SBD. Dermatologia Integrativa Para o Dr. Roberto Azambuja, coordenador do Departamento de Dermatologia Integrativa, desde sua criação, em 1998, há uma soma de esforços para divulgar a nova realidade científica: o ser humano é um conjunto integrado composto de diversos níveis energéticos, chamados corpo físico, mental, emocional e espiritual, que se interpenetram e inter -relacionam permanentemente, não havendo separação entre as partes. “Gradativamente essa verdade vem se impondo”, conta. Segundo ele, inevitavelmente, a medicina praticada no ocidente tende a tornar-se integrativa, como sempre foi a medicina oriental. “O trabalho do Departamento tem recebido apoio e adesão de um número crescente de colegas, o que aumentou a busca por conhecimentos de recursos até pouco tempo atrás tido como estranhos à prática da medicina oficial, como técnicas que envolvem psicoterapias, hipnose, acupuntura, homeopatia, nutrologia e outros”, analisa o especialista. Azambuja informa que a continuação desse trabalho em 2005/2006 será feita pela Dra.

Márcia dos Santos Senra, a próxima coordenadora do Departamento. Ela é pós-graduada em Psicoterapia Psicodinâmica Breve Integrada pelo Serviço de Psiquiatria do Dr. Jorge Alberto Costa e Silva, da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro. Ela é co-autora do “Uso de Psicofármacos em Dermatologia”, um dos capítulos do Manual de Conduta recentemente publicado pela SBD.

Imagem O Dr. Guilherme Olsen de Almeida destaca o trabalho sobre dermatoscopia desenvolvido em conjunto com o Dr. Sergio Hirata para o Manual de Conduta da SBD. Ele aproveita a oportunidade para desejar sucesso ao Dr. Francisco Macedo Paschoal, que será o novo coordenador do Departamento de Imagem.

Dermatologia Pediátrica “Gostaria de registrar meus agradecimentos à diretoria pela confiança depositada em mim e em meus colegas de coordenação, Dra. Alena Mendes, Dr. Roberto Takaoka e Dra. Elisa Fontenele. Desejamos à nossa


Novembro / Dezembro - 2004 JSBD l Ano VIII n o 5 19

sucessora, Dra. Tânia Cestari, todo o sucesso e felicidade”, declara a Dra. Regina Carneiro. Ela também é grata à Dra. Ivonsie Follador por sua colaboração como coordenadora geral dos departamentos. “Ela foi de fundamental importância para o trabalho que desenvolvemos nesses dois anos”, completa.

Laser O Dr. Alexandre Filippo, coordenador do Departamento de Laser, destaca como um avanço a realização do cadastro nacional dos dermatologistas usuários de laser, o que possibilitou a divulgação dos profissionais da SBD à população leiga. “Fomos consultados via Internet, por exemplo, para dar dicas de como resolver problemas”. Ele considera a utilização do laser uma das terapias mais emergentes da dermatologia. Dr. Filippo também ressalta a coordenação da EMC em Laser. “Um grande sucesso de público, com 450 participantes e uma ampla abordagem do tema”, conta. Ele fez ainda um intercâmbio entre usuários, fir mas e técnicos que atuam na área de manutenção dos aparelhos, visando a melhores preços e qualidade nos serviços. “Agradeço a todos que ajudaram direta ou indiretamente no engrandecimento e na consolida-

ção do uso dessa ferramenta”, enfatiza. Para ele tudo não seria possível sem o apoio da atual diretoria e, em especial, do Departamento de Comunicação. “Sendo assim, termino o meu mandato com a sensação do dever cumprido e desejando toda a sorte ao Dr. Jackson MachadoPinto, futuro coordenador desse Departamento”, finaliza.

Cosmiatria Representante da área de atuação da Dermatologia em maior evidência nos dias de hoje, o Departamento de Cosmiatria cumpriu bem a sua função: realizou o I Curso de Cosmiatria da SBD, elaborou os folders para o público leigo sobre toxina botulínica e rosácea, e desenvolveu os capítulos sobre acne, toxina botulínica e rosácea do Manual de Condutas da SBD, além de colaborar com a versão online do Manual com os temas: alopecia e reações adversas a cosméticos. - Queremos agradecer pelo apoio que recebemos de todos os colegas da SBD. O envolvimento dos associados nos ajudou muito a expandir a cosmiatria, uma importante área de atuação do dermatologista, que está sendo cada vez mais valorizada e sempre com embasamento científico – disse a Dra. Dóris Hexsel, coordenadora do departamento.

A expansão a qual a coordenadora se refere pode ser notada através do espaço ocupado pela cosmiatria na imprensa. De acordo com um levantamento da SBD, nos dois últimos anos os membros do departamento contribuíram em 197 entrevistas para revistas, jornais e tvs até o fechamento desta edição. Isso demonstra que a mídia também está atenta às orientações da SBD, pois na grande maioria das vezes a instituição é ouvida sobre os tratamentos, produtos e novidades na área. A Dra. Dóris lamenta apenas não ter produzido consentimentos informados para realização de procedimentos, pois não foram recomendados pelos Conselhos Regionais de Medicina consultados pela SBD. “Acreditamos que essa posição deva ser revista, pois quando bem elaborados, os consentimentos informados servem para estreitar a relação médico-paciente, bem como responsabilizar também o paciente pelo procedimento ao qual estará se submetendo e não para minimizar eventuais culpas que o médico possa ter por falhas no atendimento”, completou. Em conjunto com a Dra. Taciana Dal´ Forno Dini, secretária do departamento, a Dra. Dóris agradeceu a confiança e o apoio da atual diretoria durante esses dois anos.


SBD

20 20 JSBD l Ano VIII n o 51

Expressões da

Dermatologia

Dr. Lúcio Bakos O Dr. Lúcio Bakos formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 1966. Em 1968 ingressou como Auxiliar de Ensino na UFRGS. Foi estagiário Postgraduate Student - da Cambridge University, em 1972, no serviço do Dr. Arthur Rook. “O do livro” - ilustra, com quem realizou a sua primeira pesquisa sobre melanoma. Obteve o Título de Especialista pela SBD em 1973, em São Paulo. Fez Mestrado e Doutorado em Dermatologia na Universidade JSBD – Fale sobre sua participação na SBD? Dr. Bakos - Minha participação na SBD iniciou-se logo após completar a residência médica, em 1968, na Regional Rio Grande do Sul, tendo ocupado todos os cargos diretivos, até o de Presidente. Na SBD Nacional, além de diversos anos como Delegado, fui membro da Comissão de Ética e da Comissão do Título de Especialista. Como vice-presidente da SBD, tive a oportunidade de colaborar com a presidência segura e dinâmica do Prof. Luiz Henrique Paschoal, cuja gestão em muito solidificou os alicerces da Sociedade. Como sempre tive mais pendores para as atividades científicas do que para as administrativas, creio que meu momento mais gratificante dentro da SBD foi ter sido Presidente do 57º Congresso Brasileiro. Nesse, contando com uma Comissão Organizadora diligente e precisa, foi possível produzir um evento científico memorável, evidenciando todo o empenho que se tem feito para que a SBD se torne cada vez mais qualificada e moderna, ombreando em qualidade com suas congêneres internacionais. JSBD – Qual a sua opinião sobre o ensino da medicina no Brasil? Dr. Bakos - Creio que o ensino da Medicina em nosso país está bom, até ótimo em alguns lugares. Entretanto, considerando o grande número de faculdades existentes nesse país de dimensões continentais, enten-

Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em 1986 e 1990, respectivamente. Para a tese de Doutorado, realizou a pesquisa em hanseníase na London School of Hygiene and Tropical Medicine, como visiting research fellow. “Meu contato com a hansenologia inglesa é de longa data, tendo traduzido para o português o livro do Dr. William Jopling”, conta. Atualmente é Professor Titular de Dermatologia da UFRS e chefe do serviço do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Leia a entrevista a seguir:

de-se que possa haver em algumas delas defasagens em termos de qualificação docente, e até certa inadequação dos currículos às necessidades dos profissionais em formação. No tocante à Dermatologia, sucessivas reformas de ensino e mudanças curriculares de algumas escolas trouxeram uma sensível redução da carga horária no curso de graduação. Além disso, uma diminuição de número de docentes e uma maior precocidade dos estágios torna inadequável o ensino da Dermatologia, que está sofrendo nesses lugares uma lamentável redução em importância dentro dos currículos. JSBD – O que acha da polêmica sobre o uso da flutamida no tratamento da acne? Dr. Bakos - Como é bem sabido a flutamida é um potente antiandrógeno não-hormonal, utilizado no tratamento do câncer prostático, não tendo indicação específica de seu uso em mulheres portadoras de manifestações de hiperandrogenismo cutâneo (SAHA). Entretanto, diversos trabalhos com voluntárias, principalmente no exterior, mas também no Brasil, demonstraram sua eficácia nessas situações. O problema maior se refere à hepatotoxicidade da droga, bastante conhecida, em pacientes com câncer de próstata. Essa droga certamente não deve fazer parte da primeira linha de tratamento da SAHA mas, caso venha a ser utilizada "off label", em algumas pacientes que tenham contra-indicações formais para o uso de outros antiandrógenos, deve ser acompa-

nhada de acurada avaliação clínico-laboratorial, com conhecimento do risco eventual de sua utilização, seguimento clínico constante, principalmente com monitoração da função hepática. JSBD – Como conjugar bem saúde e beleza, qual o papel do médico? Dr. Bakos - O uso indiscriminado e exagerado de cosméticos e procedimentos estéticos para a beleza deve ser controlado pois, como todo o excesso, geralmente reflete um desvio comportamental. Certamente, qualquer pessoa deve cuidar de sua pele para mantê-la o mais saudável e atraente possível, mas dentro de padrões de bom senso e com produtos de eficácia e segurança comprovadas. Até alguns anos atrás, não havia tanto estímulo ao uso de cosméticos e de alguns procedi mentos. Hoje em dia, é praticamente uma obrigação da mulher utilizá-los; a que não os utiliza se sente defasada. Isto tem muito a ver com a busca infindável e, por vezes, excessiva e angustiante de perfeição, de juventude e de beleza, importantes valores estimulados na modernidade. Para que não se caia no exagero de uma cultura de beleza narcisística, obrigatória e, por vezes, frustrante, cabe ao médico a orientação sensata das atitudes a serem tomadas. Ele deve ser o conselheiro dos seus pacientes, para eles obtenham um equilíbrio estético e emocional, utilizando a ciência e o bom senso a serviço das fragilidades humanas. q


Usar Filme, com Bianca


Boas Festas Enquanto houver um sorriso de simpatia, uma palavra de carinho, um pequeno gesto de amor, sempre existirá o Natal A diretoria da SBD - 2003/2004 deseja a todos um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo Presidente: Márcio S. Rutowitsch (RJ) Vice-presidente: Sérgio Talarico Filho (SP) Secretário Geral: José Ramon Varela Blanco (RJ) Tesoureiro: Celso Tavares Sodré (RJ)

1º Secretário: Samuel Henrique Mandelbaum (SP 2ª Secretária: Lúcia Helena Fávaro Arruda (SP) Diretora de Biblioteca: Ivonise Follador Oliveira (BA)

Sociedade Brasileira de Dermatologia - www.sbd.org.br


Jornal da SBD - Nº 6 Novembro / Dezembro 2004