Page 1

CapaJornalAnoXIVN5.ai

1

20/12/11

15:37

Desenvolvido com dermatologistas brasileiros para a pele brasileira Ano XV z Número 5 z Publicação oficial da Sociedade Brasileira de Dermatologia z setembro-outubro z 2011

ACQUASENSIVE® KIT PÓS-PROCEDIMENTO

Único kit de tratamento completo para pele sensibilizada por procedimento dermatológico. 1 ÁGUA EM GEL Minimiza sensação de ardor e hidrata a pele

2

1

3

2 CREME HIDRATANTE

C

Alta hidratação, auxilia na recuperação da pele

M

Congresso Brasileiro dá ênfase à dermatologia clínica Programação científica é elogiada pelos mais de 4.500 médicos inscritos

TECNOLOGIA/ATIVOS: Skinansensyl + Fucogel + Phytosoothe Phytosoothe: fitoesterol que possui uma estrutura similar ao colesterol da barreira cutânea, atua fortalecendo a função barreira da pele.

Y

CM

MY

CY

CMY

TECNOLOGIA/ATIVOS: Skinansensyl: ativo neuromodulador que reduz a sensação de dor e desconforto. Fucogel: polissacarídeo biotecnológico que forma um “filme” sobre a superfície da pele, diminuindo a perda de água transepidermal (TEWL).

3 CREME BLOQUEADOR FPS 30

-

Com filtros 100% minerais, que protegem contra a radiação UVA e UVB sem agredir a pele

K

TECNOLOGIA/ATIVOS: Filtro UVB: dióxido de titânio. Filtro UVA: óxido de zinco + Skinansensyl.

Estudos clínicos comprovaram a melhora da sensação de desconforto nos primeiros 7 dias em

89%

dos pacientes.

CONHEÇA TODA NOSSA LINHA DE CUIDADO PARA PELE SENSÍVEL, ACQUASENSIVE® Sem adição de conservantes, corantes e fragrâncias

Visite nosso estande no Congresso Brasileiro de Dermatologia

Não comedogênicos Hipoalergênicos Cosmética diferenciada Desenvolvidos com água mineral

SAC PuraInova:

0800 777-2482 www.facebook.com/purainova

www.purainova.com.br

13a CNPCP

Dermatologistas se mobilizam para a campanha nacional do dia 26 de novembro

Audiência

SBD fortalece parceria técnica com Ministério da Saúde em encontro na capital federal


Sociedade Brasileira de Dermatologia Afiliada à Associação Médica Brasileira

www.sbd.org.br

Editorial

Diretoria 2011/2012 Presidente - Bogdana Victória Kadunc Vice-presidente - Sarita Maria F. Martins C. Bezerra Secretária-geral - Leandra D’Orsi Metsavaht Primeira secretária - Eliandre Costa Palermo Segunda secretária - Luciana Silveira Rabello de Oliveira Tesoureiro - Carlos Baptista Barcaui

Jornal da SBD Esta é uma publicação da Sociedade Brasileira de Dermatologia, dirigida a seus associados e órgãos de imprensa. Publicação bimestral - Ano XV - n. 5 - setembro-outubro - 2011 Coordenador médico - Paulo R. Cunha Conselho Editorial - Bogdana Victória Kadunc, Sarita Maria F. Martins C. Bezerra, Leandra D’Orsi Metsavaht, Eliandre Costa Palermo, Luciana Silveira Rabello de Oliveira e Carlos Baptista Barcaui Jornalista responsável - Erika Drumond - Reg. MT no 31.383 Redação - Erika Drumond Editoração eletrônica - Nazareno N. de Souza e Maurício Pacheco Versão Online - Samuel Peixoto e Victor Gimenes Contato publicitário - Priscila Rudge Simões A equipe editorial do Jornal da SBD e a Sociedade Brasileira de Dermatologia não garantem nem endossam os produtos ou serviços anunciados, sendo as propagandas de responsabilidade única e exclusiva dos anunciantes. As matérias e textos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores. Correspondência para a redação do Jornal da SBD Av. Rio Branco, 39/17o andar - Centro - Rio de Janeiro – RJ CEP: 20090-003 E-mail: imprensa@sbd.org.br

E

m A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) iniciará, em fevereiro de 2012, seu segundo século de vida vivendo momentos de glória e de esplendor. Caminham juntas as histórias e as conquistas da SBD e do Brasil nesses 100 anos. Desde sua fundação, a entidade reúne grandes professores e profissionais competentes que juntos fizeram e fazem a dermatologia brasileira respeitável e com nível científico igual ao dos grandes centros dermatológicos do mundo. O enorme sucesso do 66o Congresso Brasileiro de Dermatologia, em Florianópolis, demonstra a atual excelência de nossa especialidade. Com mais de 30 anos de participação ativa nesses congressos, é impossível não perceber os progressos alcançados quanto à organização, o número de participantes (quase 5.000), o conteúdo científico, a participação internacional, as atividades sociais, enfim, tudo em contínua evolução. Motivo de orgulho para todos nós. Veja a reportagem da página 18. Atualmente, as redes sociais são as ferramentas mais práticas e modernas de interação entre pessoas e instituições. Acompanhando os avanços nas formas de comunicação, a boa notícia é a criação da página do perfil médico e a Fan Page da SBD no Facebook. Sabemos que a comunicação de forma “capilarizada” com os associados é o melhor caminho para uma Sociedade mais democrática e participativa, e esse é o nosso objetivo. Participem! A seção “História – Você sabia”, viaja até a década de 1990 para lembrar fatos marcantes vividos pela Sociedade, como o lançamento do Jornal da SBD, em 1997, na então gestão do Dr. Iphis Campbell. De 11 anos para cá, tive a honra de ser o coordenador dessa publicação oficial da entidade por três gestões. Estamos próximos da realização de mais uma Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele (CNPCP), e nem todos sabem que a ação começou a ser efetivada em 1999. Uma das novidades do programa deste ano é a criação do site Pró-albino, dirigido pelo dermatologista Marcus Maia. O projeto envolverá ações de prevenção e tratamento das possíveis doenças dermatológicas do paciente albino, e será implementado em todos os Serviços Credenciados da SBD. Sobre o assunto, lembro-me da incursão feita há alguns meses por mim e pelo Dr. Vidal Haddad até a Ilha dos Lençóis, no Maranhão, como parte do projeto de assistência dermatológica voltado para a população local e desenvolvido pela atual diretoria. Frisamos a necessidade de um programa específico para os albinos daquela ilha. Aproveito para compartilhar a alegria pela crescente participação das Regionais e dos Serviços Credenciados em cada edição do jornal. Todos têm procurado enviar suas notícias, e isso é motivo de orgulho para nós. Faço um agradecimento especial em nome de toda a equipe. Continuem sendo participativos, a Sociedade só tem a ganhar!

Boa leitura! Paulo R. Cunha Coordenador médico do Jornal da SBD

Assinatura anual: R$ 120,00 Número avulso: R$ 20,00 Tiragem: 7.000 exemplares Impressão: Sol Gráfica

Sumário

W

2 3 5 7 9 11 13 15 25 26 28 29 31

Palavra da Presidente Notas curtas e atuais Dermatologistas se organizam para a 13a CNPCP Morre Antonio Gonçalves Pinheiro, um dos profissionais mais importantes na medicina brasileira Ouvidoria Laços de família: etnias do Brasil SBD promove em outubro sua campanha de esclarecimento sobre a psoríase Epidemiologia da hanseníase no Brasil Selos em embalagens de produtos são proibidos pelo CFM Ética em pauta Departamentos Regionais Serviços credenciados

Capa: Congresso Brasileiro de Dermatologia busca disseminação do conhecimento dermatológico - p. 18

Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 1


Palavra da Presidente A valorização da dermatologia é uma das principais metas da diretoria 2011/2012

V

árias ações estão sendo realizadas nessa direção. A SBD tem sido crescente e constantemente abordada na mídia leiga como fonte para inúmeras matérias jornalísticas nos mais diversos veículos de comunicação de todo o país. Isso se deve não só à contratação de uma assessoria de imprensa competente e confiável, a Approach, mas principalmente a um trabalho paciente, intenso, constante e disciplinado de nossa primeira secretária, Dra. Eliandre Palermo, responsável pela condução desse assunto em nossa gestão, e à colaboração dos colegas que se dispõem a serem nossos porta-vozes. A nova revista Sensatez, capitaneada por nossa segunda secretária, Dra. Luciana Rabello, é dedica-

Notas curtas e atuais

da à comunicação direta com o público leigo que frequenta nossos ambientes de trabalho. Temos preparado conteúdo de alto nível e que se destina a divulgar de modo ético e interessante nossas verdadeiras competências. Ficou definido que a revista será quadrimestral e que cada sócio quite receberá três exemplares pelos Correios. O desenvolvimento do programa de divulgação da dermatologia na graduação médica, organizado pela vice-presidente, Dra. Sarita Martins, por meio de simpósios e aulas, já em andamento, tem como objetivo tornar nossa especialidade e todas as suas áreas de interesse devidamente conhecidas pelos acadêmicos de medicina. Nossas campanhas para a população vêm-se

ampliando. Além da que divulga a psoríase, em outubro, e da que visa prevenir o câncer, que neste mês de novembro tem sua 13a edição, a SBD, por intermédio do Departamento de Hanseníase, programa para abril de 2012 sua Campanha Nacional de Hanseníase que, além de beneficiar os pacientes e contribuir para a aceleração do processo de eliminação da doença no Brasil, pretende atrair mais uma vez o olhar da população e da mídia para os dermatologistas. Bogdana Victória Kadunc Presidente da SBD

W

Dermatologistas devem

XX Congresso Argentino de Dermatologia

Publicado mensalmente, o Boletim Eletrônico da SBD tem sido importante ferramenta de atualização para os associados. A cada edição, a newsletter traz notícias da área médica e da entidade, artigos científicos de destaque, e outras sessões, como a que contempla oportunidades profissionais e negócios em dermatologia. “Temos atingido o objetivo de difundir informações relacionadas à nossa especialidade com objetividade e bom conteúdo. Espero que todos leiam e opinem sobre esse novo canal de comunicação que veio para ficar”, opina a presidente da SBD, Bogdana Victória Kadunc. O boletim foi lançado pela diretoria da entidade em agosto deste ano.

Dermatologistas devem se recadastrar no site da SBD até início de dezembro Dia 10 de dezembro é o prazo final para o recadastramento do dermatologista que optar pela alteração da condição de associado eletrônico, que dá direito apenas a leitura online das publicações da entidade (ABD, Surgical & Cosmetic Dermatology e Jornal da SBD) com 10% de desconto na anuidade de 2012 em sua categoria, ou de associado padrão, em que o médico recebe pelos Correios as publicações impressas. A tesouraria alerta

2 ● Jornal da SBD ● Ano XV n.5

A presidente da SBD, Bogdana Victória Kadunc, e o ex-presidente da SBD, Omar Lupi, foram convidados como palestrantes no XX Congresso Argentino de Dermatologia, ocorrido de 11 a 14 de agosto, na cidade de Córdoba. A diretoria do Cilad, representada por Fernando Gatti, junto com Roberto Arenas, ex-presidente do Cilad, e Conejo-Mir, futuro presidente do Congresso do Cilad, em Sevilha (2012), receberam os dermatologistas da SBD.


Notas curtas e atuais W Posse na AMeB

32o Congresso da ISDS Uma comissão da SBD participou do 32o Congresso da Sociedade Internacional de Cirurgia Dermatológica (ISDS, na sigla em inglês) realizado em setembro, em Heidelberg, Alemanha. Os médicos dermatologistas Samuel Mandelbaum (SP), Davi de Lacerda (SP), Doris Hexsel (RS), a presidente da SBD, Bogdana Victória Kadunc, a vice-presidente da SBD, Sarita Martins, e a editora científica dos Anais, Izelda Costa, deram aulas como palestrantes convidados. No encontro, a vice-presidente da SBD, Sarita Martins, e Doris Hexsel foram eleitas para ocupar duas das 12 cadeiras do board of directors da ISDS. Outra boa notícia para a dermatologia brasileira é a realização do Congresso Anual da ISDS, no Rio de Janeiro, em 2013.

Perfil médico e Fan Page da SBD no Facebook A SBD acaba de criar o perfil médico para uso exclusivo de seus associados no Facebook. Nele, serão aceitos como amigos apenas os dermatologistas sócios da SBD. “A página vai facilitar a interação entre os associados e agilizar a divulgação de temas de nosso interesse”, afirmou o coordenador de Mídia Eletrônica da SBD, Aldo Toschi, em matéria publicada no site da entidade. Além disso, a SBD inaugurou uma Fan Page, página que só pode ser criada por empresas e organizações em geral, e novo canal de comunicação com o público leigo na rede social. A Fan Page substituirá o perfil utilizado atualmente, possibilitará que as pessoas recebam em suas próprias páginas as notícias geradas pela instituição e também que mais delas curtam a SBD.

No dia 27 de setembro, a editora científica dos Anais Brasileiros de Dermatologia, Izelda Costa (à esq.), tomou posse na Academia de Medicina de Brasília (AMeB) e se tornou a terceira dermatologista a integrar os quadros da instituição este ano. Em junho, Iphis Campbell e Cleire Paniago também foram acolhidos como membros da AMeB.

Construindo o futuro SBD participa de reunião da Câmara Técnica da CBHPM

Comunicado da CNA A Comissão Nacional de Acreditação (CNA) divulgou em meados de setembro um comunicado relatando que a Associação Médica Brasileira (AMB) comprovou, por meio de anúncios e peças publicitárias, a existência de eventos divulgados com promessa de créditos visando à obtenção do Certificado de Atualização Profissional (CAP) que não foram inscritos na CNA, conforme determina a resolução n. 1772/2005 do Conselho Federal de Medicina (CFM). A CNA enfatizou a importância de confirmar, por meio de pesquisa no site da AMB, a efetiva inscrição do evento de seu interesse e o número de pontos correspondentes. Dúvidas podem ser elucidadas, e informações obtidas com a CNA pelo e-mail cna@cna-cap.org.br.

A Câmara Técnica da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) convocou reunião para avaliar as solicitações apresentadas pelas sociedades de especialidades sobre as modificações na CBHPM. Coordenado pelo presidente da CT, Amilca Giron, o encontro contou com a participação da SBD, que abordou o procedimento cirurgia micrográfica de Mohs, solicitando sua reinclusão na CBHPM. Após o encontro, ficou definido que a Sociedade deverá elaborar diretriz sobre o tema para que haja embasamento técnico nacional. Depois da publicação do material, a SBD deverá reapresentar a proposta de inclusão à Câmara Técnica.

A Universidade de São Paulo (USP) preparou grande celebração pelos seus 100 mil títulos de pós-graduação, em nível de mestrado e doutorado. Variada agenda de comemorações e debates foi apresentada nos dias 7, 9, 10 e 11 de outubro. Segundo o professor e coordenador Carlos Gilberto Carlotti Jr., o evento é um convite para a reflexão tendo como perspectiva a formação de profissionais que atendam aos anseios da sociedade e às necessidades acadêmicas do futuro. A iniciativa faz parte da busca constante de níveis mais altos de qualidade, além de visar ao fortalecimento da USP como centro de referência mundial em pesquisa, ensino e extensão. Autoridades da universidade, dos governos estadual e federal compareceram na abertura, no dia 9, quando também foi feita homenagem às agências que têm relação direta com a pós-graduação: Capes, CNPq e Fapesp, com a premiação de nove teses de destaque da USP em grandes áreas de conhecimento da pós-graduação. No dia 10, reitores da Europa, Ásia e Estados Unidos trocaram suas experiências internacionais. Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 3


Dermatologistas se organizam para a 13a CNPCP Atendimento será realizado em novembro, em todo o país. Caminhão do Tour da Prevenção, ação que integra a campanha nacional, já deu a partida em setembro, no Congresso Brasileiro

N

o dia 26 de novembro, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) vai realizar a 13a edição da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele (CNPCP) em 151 postos de atendimento em todo o Brasil. Ampla equipe formada pelos Serviços Credenciados da SBD, além dos licenciados em campanhas anteriores, vai orientar a população sobre os riscos da exposição solar excessiva, proteção contra os raios UV e reiterar a importância da função do dermatologista, o único especialista capaz de fazer diagnóstico das doenças da pele e tratá-las adequadamente. “O caráter educativo e assistencial da campanha é nossa maior marca. Vamos continuar divulgando a dermatologia e a importância do atendimento pelo dermatologista, o único profissional abalizado para tratar de pele, unhas e cabelos”, salienta a presidente da SBD, Bogdana Victória Kadunc. A intensa divulgação realizada pela assessoria de imprensa da SBD leva o coordenador geral, Marcus Maia, a estimar cerca de 40 mil atendimentos este ano. O dermatologista ressalta que as campanhas de prevenção ao câncer da pele da SBD costumam ser bem desenvolvidas pelos médicos brasileiros. “Todos sabem o que fazer. Em alguns serviços e hospitais, uma semana antes do início da ação, folhetos com informações sobre a campanha serão distribuídos dentro dos ambulatórios.”

Caminhão da saúde As ações da campanha tiveram início com o lançamento do Tour de Prevenção durante o Congresso Brasileiro de Dermatologia, em Florianópolis. De setembro a novembro, um caminhão com dois consultórios percorrerá 10 mil quilômetros oferecendo consultas gratuitas à população de 11 cidades do país e alertando-a sobre a importância

do diagnóstico precoce. Os primeiros atendimentos foram realizados em Campinas, no dia 10 de setembro. Passaram pelo consultório móvel 276 pacientes, sendo 62 deles encaminhados para a rede municipal de saúde da região com lesões suspeitas (pré-malignas e malignas). “A fórmula de Campinas é perfeita, porque o caminhão esteve muito bem

Fotos: Celina Germer

Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 5


Dermatologistas se organizam para a 13a CNPCP Atendimento será realizado em novembro, em todo o país. Caminhão do Tour da Prevenção, ação que integra a campanha nacional, já deu a partida em setembro, no Congresso Brasileiro

N

o dia 26 de novembro, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) vai realizar a 13a edição da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele (CNPCP) em 151 postos de atendimento em todo o Brasil. Ampla equipe formada pelos Serviços Credenciados da SBD, além dos licenciados em campanhas anteriores, vai orientar a população sobre os riscos da exposição solar excessiva, proteção contra os raios UV e reiterar a importância da função do dermatologista, o único especialista capaz de fazer diagnóstico das doenças da pele e tratá-las adequadamente. “O caráter educativo e assistencial da campanha é nossa maior marca. Vamos continuar divulgando a dermatologia e a importância do atendimento pelo dermatologista, o único profissional abalizado para tratar de pele, unhas e cabelos”, salienta a presidente da SBD, Bogdana Victória Kadunc. A intensa divulgação realizada pela assessoria de imprensa da SBD leva o coordenador geral, Marcus Maia, a estimar cerca de 40 mil atendimentos este ano. O dermatologista ressalta que as campanhas de prevenção ao câncer da pele da SBD costumam ser bem desenvolvidas pelos médicos brasileiros. “Todos sabem o que fazer. Em alguns serviços e hospitais, uma semana antes do início da ação, folhetos com informações sobre a campanha serão distribuídos dentro dos ambulatórios.”

Caminhão da saúde As ações da campanha tiveram início com o lançamento do Tour de Prevenção durante o Congresso Brasileiro de Dermatologia, em Florianópolis. De setembro a novembro, um caminhão com dois consultórios percorrerá 10 mil quilômetros oferecendo consultas gratuitas à população de 11 cidades do país e alertando-a sobre a importância

do diagnóstico precoce. Os primeiros atendimentos foram realizados em Campinas, no dia 10 de setembro. Passaram pelo consultório móvel 276 pacientes, sendo 62 deles encaminhados para a rede municipal de saúde da região com lesões suspeitas (pré-malignas e malignas). “A fórmula de Campinas é perfeita, porque o caminhão esteve muito bem

Fotos: Celina Germer

Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 5


localizado, em um lugar popular, movimentado, e a equipe que atuou no dia foi firme, competente”, compartilha Marcus Maia. Segundo a médica dermatologista e presidente do 5o Distrito da Regional do Estado de São Paulo, Sylvia Ypiranga, que coordenou a ação ao lado do vice-presidente da SBD-Resp, Hamilton Stolf, participaram da ação 20 voluntários, entre médicos da região, residentes e alunos da Unicamp e da Unesp, além de profissionais da Sociedade Brasileira de Enfermagem em Dermatologia (Sobende). “O trabalho educativo é importante, e salientamos, junto à população atendida, a necessidade de estado constante de vigilância na prevenção de neoplasias cutâneas e de seu diagnóstico precoce. Reforçamos ainda a CNPCP, programada para novembro.” No fim de semana seguinte, Palmas (TO), terceiro ponto de parada do caminhão, registrou 324 atendimentos dermatológicos. Pela primeira vez a cidade recebeu o projeto, e o sucesso da ação foi comemorada pelo coordenador e presidente da Regional TO, José Tarciso da Silva: “No primeiro

Campinas

Palmas

dia, tivemos uma procura pequena. Mas após repercussão maciça na mídia local, o atendimento no domingo superou as expectativas, não sendo possível atender toda a demanda. Durante três dias a campanha repercutiu nos principais veículos de comunicação da cidade, e o resultado ganhou manchete de primeira página no jornal de maior circulação estadual”, celebra Tarciso. Participaram do atendimento oito dermatologistas da SBD, quatro estudantes de medicina da Universidade Federal de Tocantins (UFT) e dez técnicos de enfermagem. Como ocorrido na primeira edição, em 2009, o Tour de Prevenção passou pela Região Nordeste, e a população de São Luís, no Maranhão, se beneficiou com o atendimento ocorrido nos dias 24 e 25 de setembro. Assim como Tocantins, esse foi o primeiro ano que a cidade entrou na rota. Trezentos e trinta e oito pessoas estiveram na Praça do Pescador, na Praia de São Marcos, para ser examinados: “Foi muito bom para os pacientes, e a Sociedade se mobilizou plenamente para o evento. Estamos com grande expectativa para a CNPCP e aproveitamos o Tour para iniciar essa divulgação. Esperamos contar novamente com o apoio e a participação da Nacional na divulgação com a mídia”, disse o dermatologista e presidente da Regional MA, Eduardo Lago. Em outubro, o caminhão esteve em Teresina, sexta cidade no roteiro. Cento e quarenta e uma pessoas foram assistidas. “Elas ficaram satisfeitas com o atendimento prestado e as orientações recebidas”, conta a coordenadora, Ana Lúcia França da Costa. Do total, 17 casos (12,14%) tiveram diagnóstico clínico de CBC ou de CEC, sendo encaminhados para a clínica dermatológica do Hospital Escola Getúlio Vargas, de Teresina. No mesmo mês, o caminhão seguiu viagem para Fortaleza (8 e 9), Natal (15 e 16), João Pessoa (22 e 23) e Recife (29 e 30). Em novembro, o Tour passará por Salvador (5 e 6) e encerrará a maratona nos dias 26 e 27 de novembro, no Rio de Janeiro.

Ampliação da divulgação

São Luis

6 ● Jornal da SBD ● Ano XV n.5

Este ano os associados vão poder acompanhar a repercussão da ação em seus estados por revista elaborada pela La Roche-Posay que vai trazer compilação da mídia publicada sobre o Tour de Prevenção. A divulgação, porém, não se restringirá ao dermatologista. Com o objetivo de espalhar a informação para a população brasileira, a revista Sensatez, da SBD, também estampa em suas páginas matéria e anúncio sobre o Tour, que poderá ser lido pelos pacientes. Além disso, as farmácias vão exibir poster com o roteiro do Tour de Prevenção e haverá exposição de fôlder com informações sobre o site do projeto (www.previnaocancerdapele.com. br) e o número de telefone 0800 para as pessoas tirarem suas dúvidas.

Campanha de 2012

N

o contexto do Programa Nacional de Controle do Câncer da Pele (PNCCP) já estão sendo planejadas várias ações: a campanha de atendimento anual, que se realiza desde 1999, em novembro, o Tour de Prevenção, que completará quatro anos em 2012, além do projeto Pró-albino, que visa elaborar estratégias que minimizem os efeitos físicos dermatológicos em pacientes portadores de albinismo oculocutâneo (AOC). A ação, desenvolvida pelo dermatologista e coordenador do PNCCP, Marcus Maia, será amparada por um site (a ser lançado em breve) e que terá em seu conteúdo informações completas sobre albinismo. “Uma das funções do Programa Pró-albino é ser um registro hospitalar do paciente albino com intuito de dimensionar a extensão do problema: a prevalência aproximada do albinismo no Brasil, o grau de alteração solar, a frequência do câncer da pele no albino e o que os dermatologistas estão fazendo por este paciente.” Segundo Maia, o projeto será instituído nos 73 Serviços Credenciados da SBD e contará com ações de prevenção, detecção precoce e tratamento das possíveis doenças dermatológicas do paciente albino por meio de ações específicas, como atendimento periódico e orientação para proteção solar. Recentemente, a SBD apoiou a ida dos dermatologistas Vidal Haddad Jr. e Paulo Cunha até a Ilha dos Lençóis, no Maranhão, para detectar e tratar possíveis casos de câncer da pele encontrados ou danos causados pelo sol na pele da comunidade albina, além de orientá-la para que tenha melhor condição de vida.


Foto: CFM

Morre Antônio Gonçalves Pinheiro, um dos profissionais mais importantes na medicina brasileira

A

medicina brasileira está em luto. O cirurgião plástico paraense e coordenador da Comissão Mista de Especialidades e das câmaras técnicas de queimaduras, de cirurgia plástica e de produtos e técnicas em procedimentos estéticos, Antônio Pinheiro, faleceu na manhã de sábado, dia 8 de outubro, aos 61 anos, vítima de aneurisma de artéria pulmonar, em Brasília. O corpo do médico foi velado na sede do Conselho Regional de Medicina do Pará (CRM-PA) e cremado dias depois no Cemitério Maxi Domini, em Belém. Familiares lançaram as cinzas no encontro dos rios Itacaiúnas e Tocantins, no dia 14, como era seu desejo. A presidente da SBD, Bogdana Kadunc, lamentou a perda do médico e destacou a atuação de Pinheiro na luta pelo exercício profissional de qualidade: “Estamos profundamente tristes pela perda de um dos médicos mais éticos e responsáveis que

o Brasil já teve. O Dr. Pinheiro sempre foi nosso anjo protetor dentro do Conselho Federal de Medicina (CFM) contra a medicina estética. Se hoje temos um lugar ao sol dentro do CFM devemos muito a ele. Registramos nossa gratidão pelo apoio e respeito sempre dispensados a nossa especialidade e por suas contribuições em questões importantes para a saúde do país”, assinala. Homem atuante, discreto, de grande aplicação profissional e incansável defensor da medicina brasileira e de todas as sociedades de especialidades, Pinheiro também participava da Comissão Nacional de Acreditação, do CFM, e da Associação Médica Brasileira, desde sua criação, em 2005, e foi ex-presidente do CRM Pará.

Apoio à SBD

Em 5 de fevereiro de 2009, Antônio Pinheiro

participou como convidado especial do ciclo de palestras promovido na sede da SBD por ocasião do Dia do Dermatologista. O médico ressaltou, entre outros assuntos, as áreas de atuação não reconhecidas pelo CFM e AMB. O encontro reuniu os presidentes das Regionais da SBD e foi conduzido pelo ex-presidente Omar Lupi e por Bogdana Kadunc, na época vice-presidente da entidade (foto).


Protesto médico ganha força em todo o país

A

Associação Médica Brasileira (AMB) estima que 70% dos médicos que fazem consultas por planos de saúde aderiram à greve de 24 horas no dia 21 de setembro para reivindicar reajuste nos honorários pagos pelas operadoras. Foi realizado rodízio de cronograma de paralisação por especialidade como forma de protestar contra os impasses. Médicos requerem reajuste no valor da consulta para R$ 60 – atualmente, a média é de R$ 40 –, o fim da intervenção dos planos no atendimento e periodicidade para reajuste. O movimento, organizado pela Comissão Nacional de Saúde Suplementar (Comsu), composta pelos representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Associação Médica Brasileira (AMB) e da Federação Nacional dos Médicos (Fenam), teve adesão de médicos de 24 estados. Segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), pelo menos 10 mil médicos do Rio de Janeiro aderiram à greve. O número representa 90% dos profissionais credenciados por planos de saúde no estado, de acordo com cálculos do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj). Em São Paulo a adesão à paralisação no atendimento aos usuários de planos de saúde ficou entre 70% e 90%. No Rio Grande do Sul, as entidades médicas calculam que a adesão foi de 90%. Oitenta por cento dos 27 mil profissionais que atendem por planos e seguros de saúde de Minas Gerais paralisaram os atendimentos. Já em 25 de outubro, médicos do SUS realizaram mobilização para protestar contra as más condições de assistência e baixa remuneração dos profissionais de saúde na rede pública.

Encontro debate melanoma Entre os dias 18 e 20 de agosto foi realizada a 9a Conferência Brasileira sobre Melanoma, no Centro de Convenções do Hotel Intercontinental, no Rio de Janeiro. Estiveram presentes aproximadamente 700 médicos de diversas especialidades, como oncologia clínico-cirúrgica, oftalmologia, patologia e, com a maioria de participantes, dermatologia. Entre os diversos temas multidisciplinares debatidos, mereceu destaque o bloco sobre melanoma ao redor do mundo, no qual houve a participação de experts internacionais, como o oncologista clínico Vernon Sondak (Estados Unidos), o patologista Richard Scolyer (Austrália), o dermatologista Axel Hauschild (Alemanha) e o presidente do Grupo Brasileiro de Melanoma, Ivan Dunshee. O tesoureiro da SBD, Carlos Barcaui, que presidiu o congresso, disse que “a conferência ocorreu em época muito propícia, dados os avanços terapêuticos do primeiro semestre deste ano”. Durante o evento, o atual presidente da Academia Nacional de Medicina, Marcos Moraes, recebeu homenagem do GBM.

Ouvidoria

W

Andréa Machado C. Ramos Ouvidora da SBD

N

ossos associados continuam enviando contribuições e questionamentos, e dois assuntos chamaram a atenção no último mês. Um deles veio de colega relatando seu descontentamento com a política atual de controle de pagamento das anuidades da SBD. Não tendo recebido o boleto de pagamento e não se tendo lembrado da data, ficou inadimplente e se sentiu muito constrangida quando descobriu o fato ao ser negada sua participação em atividades da nossa Sociedade, poucos dias após a data-limite para efetuar o pagamento. Poderíamos rever a rotina do setor financeiro da SBD e, para evitar que associados quites durante anos não passem por essa situação desconfortável, seria bastante adequado o envio de mensagem avisando que o pagamento da anuidade ainda não foi realizado. O segundo tema muito mencionado nesse período foi o grande número de inscritos no 66o Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Alguns colegas relataram que não conseguiram inscrever-se, e outros questionaram a inscrição de médicos não associados da SBD. A estes últimos, o número de inscrições foi limitado a algumas vagas e com valores diferenciados; a prioridade era para as inscrições dos associados. Nossa Sociedade cresceu, o número de associados interessados e que frequentam nossos congressos também aumentou, e em breve as diretorias da SBD deverão discutir a possibilidade de escolher algumas cidades com centros de convenção maiores e entre elas fazer o rodízio anual dos congressos, como já acontece em outros países. Atualmente, a escolha da sede do Congresso é feita por rotatividade nas cinco regiões geográficas do Brasil, seguindo o Estatuto da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Para a modificação da forma de escolha das cidades que sediarão os congressos é necessário alterar o estatuto da SBD. Gostaria de incentivar todos os associados a se manifestar, quando forem solicitados, nas discussões e a dar sugestões sobre as mudanças do Estatuto da SBD. Aguardo comentários, sugestões, críticas e indagações sobre nossa especialidade e sobre nossa Sociedade, que podem ser enviados para endereço ouvidoria@sbd.org.br. Recebam meu cordial abraço.

Da esq. para a dir.: Carlos Barcaui, Vernon Sondak, Axel Hauschild, Richard Scolyer, Ivan Dunshee, Marcos Moraes e Gilles Landman

Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 9


1 Patrícia Gouvêa e Marcio Scavone, dois dos cinco fotógrafos que trabalham no projeto “Laços de Família, etnias do Brasil”, iniciaram seus percursos em setembro, em uma viagem pelo Sul do Brasil. Ambos captaram imagens que farão parte do projeto cultural que engloba, entre outras ações, uma mostra fotográfica sobre nossa pluralidade étnica a ser inaugurada em fevereiro de 2012, e integrarão o livro em comemoração aos 100 anos da SBD. Em mescla de técnica e descontração, eles relatam as experiências de conhecer as cidades e a grande diversidade étnica, religiosa e cultural encontrada. Patrícia clicou a beleza de uma das mais tradicionais celebrações de Santo Antônio de Lisboa, em Florianópolis, a Festa do Divino Espírito Santo, tradição desde 1754 e até hoje permanece como marco expressivo da religiosidade trazida pelos açorianos. Marcio Scavore buscou um pouco mais de suas raízes nos retratos da colônia italiana situada em Garibaldi, na serra gaúcha. A seguir, o depoimento de ambos: “A Festa do Divino é o ponto alto do encontro dos descendentes de açorianos e também dos que enxergam nesse legado uma forma de resistir à avassaladora transformação pela qual a Ilha de Florianópolis vem passando, em que a especulação imobiliária tem destruído a arquitetura colonial luso-brasileira e transformado alguns redutos antes paradisíacos, como Jurerê, em verdadeiras ‘Miamis’ de gosto duvidoso. Esse foi um dos pontos realçados na entrevista com João Otávio Neves Filho, conhecido como Janga, fundador da galeria de arte Casa Açoriana de Artes e Tramoias, que ocupa casarão original da época em que os açorianos chegaram em Florianópolis. Celebrar o Divino Espírito Santo é, para essa comunidade, celebrar os ideais de igualdade, solidariedade e paz entre os homens. Dessa forma, tive não só a oportunidade de registrar momentos importantes que compõem essa semana de celebração − como a Divina Farinhada, o Cozido do Divino (servido gratuitamente para 450 pessoas), as procissões do Cortejo Imperial −, como também de entrevistar pessoas que de certa forma são protagonistas dessa revalorização do legado português em Santa Catarina − movimento que tem apenas 20 anos −, como

fotógrafos viajam até o Sul do país e registram diversas etnias

3

que formam o povo brasileiro os irmãos Andrade (Neri, Claudio e Felipe), todos artistas, Joi Cletison Alves, coordenador do Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC, Sergio Luiz Ferreira, doutor em história cultural pela UFSC, e integrante da irmandade responsável pela festa em Santo Antonio, além de colher depoimentos emocionantes das rendeiras do Casarão de Sambaqui e do Forte de Ponta Grossa.” (fotos 1 e 2). Patricia Gouvêa (www.patriciagouvea.com) nasceu em 1973 no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha. Cursou a ECO/UFRJ, por onde também é mestre em tecnologias da comunicação e estéticas da imagem. Seu trabalho artístico prioriza a fotografia, a imagem em movimento e suas possíveis interfaces, a noção de tempo constituindo um de seus principais eixos de pesquisa. É fundadora e diretora artística do Ateliê da Imagem, centro de referência da fotografia e imagem no Rio de Janeiro. “Acredito que por meio dos retratos das pessoas se faz o retrato de um lugar. Ficamos hospedados em um mosteiro, na cidade de Garibaldi. A escolha não

poderia ter sido mais propícia, e de certa maneira premonitória do que iríamos ver. Chegamos com chuva e saímos com chuva. Entre as águas, oito dias de sol e de luz magnífica se encarregaram de tecer o pano de fundo de um projeto verdadeiramente iluminado pelas pessoas daquele lugar. Cada retrato compreendia cinco etapas, os dedos da mão que o italiano usa para falar. Foram elas: levantamento de fundos para as fotos (as casas centenárias, as portas e as janelas, na maioria); localização do personagem e convite para posar; hora certa com o personagem no lugar certo; sessão de fotos e autorização formal exigida pelo projeto (por escrito), um mistério na cabeça da maioria deles, visto que, por lá, a palavra e a autorização moral ainda valem, graças a Deus!” (fotos 3 e 4). Marcio Scavone (www.marcioscavone.com. br), 57 anos, paulistano. Começou a fotografar aos 12 anos de idade com a Rolleiflex de seu pai. Sua paixão está nos retratos, e por suas lentes já passaram Oscar Niemeyer, Burle Marx, Gisele Bünchen, Pelé, Paulo Autran, Fernanda Montenegro, entre outros. Já publicou oito livros. Baseado em seu estúdio em São Paulo, dedica-se à fotografia de publicidade, editorial, projetos pessoais. Acredita que cada retrato que faz é um autorretrato. Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 11


SBD realiza em outubro sua campanha de esclarecimento sobre a psoríase

C

om o slogan “Um beijo, um abraço, um aperto de mão”,* a SBD promoveu em 29 de outubro, Dia Mundial da Psoríase, sua campanha nacional de conscientização sobre a doença. Na mesma data, em sete capitais brasileiras – Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Salvador, Porto Alegre, Brasília e Manaus – dermatologistas fizeram caminhada aberta à população e distribuíram material impresso com informações, visando eliminar o preconceito. Coordenada pelas dermatologistas Cláudia Maia e Luna Azulay, a ação da SBD contou com o apoio das Associações de Portadores de Psoríase. “Espero que a participação dos médicos seja intensa e abrangente. É muito importante mostrarmos aos pacientes que existe tratamento para a psoríase e que todos podem ter vida normal, como qualquer pessoa”, explica Cláudia Maia. As médicas estimam que aproximadamente 100 mil pessoas recebam informações sobre a doença que, por desconhecimento das suas causas, ainda gera bastante preconceito. “Tenho certeza de que os nossos dermatologistas vão abraçar a campanha que este ano vem ainda com mais força. A conscientização é de suma importância para eliminar o preconceito”, frisa Luna Azulay. Setenta postos de orientações espalhados em 20 estados brasileiros participaram da ação. Um vídeo institucional, com a participação do ator Marcos Oliveira (O Beiçola, de A Grande Família) e do radialista Roberto Canázio, da Rádio Globo, será divulgado nas mídias sociais e nas emissoras de TV aberta. Ambos têm a doença e cederam suas imagens em prol da campanha. Versão mais longa do vídeo será repassada para as Regionais e os Serviços da

SBD a fim de que divulguem junto a seus pacientes. O site www.diamundialdapsoriase.com.br foi criado para a ação deste ano. No endereço, as pessoas podem saber mais sobre o diagnóstico e o tratamento da psoríase, bem como os vídeos produzidos para a conscientização da população. * O slogan da campanha, “Um beijo, um abraço, um aperto de mão”, é também título de peça do dramaturgo Naum Alves de Sousa, que o cedeu como contribuição à campanha da SBD.

Simpósio Online e Nacional Mais de 100 pessoas acessaram o site da SBD e viram as aulas do Simpósio Online realizadas nos dias 3 e 10 de outubro. A primeira foi ministrada pelos doutores André Vicente Esteves de Carvalho e Jane Marcy Neffá Pinto; a do dia 10, por Paulo Oldani e Maria de Fátima Paim. Quem não pôde acompanhar terá chance de vê-las na videoteca do site da SBD. A entidade também prepara seu III Simpósio Nacional para o dia 19 de novembro, no Windsor, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Cláudia Maia revelou que o programa científico, que terá coordenação de Paulo Oldani, incluirá todas as atualizações sobre a doença, e estarão presentes os maiores especialistas em psoríase do Brasil. Até o fechamento desta edição, representantes da Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro confirmaram a presença no evento.

Natal, 29 de setembro, 28 inscritos

Teresina, 1o de outubro, 21 inscritos

Goiânia, 12 de agosto, 70 inscritos Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 13


Joel Carlos Lastória* Marilda Aparecida Milanez Morgado de Abreu**

A

coordenação do Programa Nacional de Controle da Hanseníase (PNCH) adota para fins epidemiológicos o coeficiente de detecção de casos novos em relação a 100 mil habitantes e volta a atenção, especialmente, para os clusters, onde se encontra a maioria dos casos de hanseníase. Os clusters foram identificados nos dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), entre 2005 e 2007, e incluem 1.173 municípios e 17,5% da população brasileira. Neles, concentravam-se, naquele período, 53,5% dos casos novos, a maioria na região da Amazônia Legal. Dados do Sinan divulgados em 2010 pelo Ministério da Saúde mostram que, em 2009, havia 38.179 casos no registro ativo (coeficiente de prevalência 1,99/10 mil habitantes), sendo 37.610 casos novos. O valor médio do coeficiente de detecção entre 1994 e 2009 foi 25,08/100 mil habitantes, atingindo o ápice em 2003 (29,37/100 mil), e caindo progressivamente até 19,64/100 mil habitantes em 2009, com tendência à estabilização. Nas regiões Norte, Centro-Oeste e Nordeste, entretanto, os índices eram maiores, com valores médios de 49,94/100 mil, 44,28/100 mil e

28,80/100 mil, respectivamente, com o Estado de Mato Grosso apresentando o índice mais elevado (89,48/100 mil habitantes), e a Região Sul, o mais baixo (5,54/100 mil habitantes). Dos casos novos detectados em 2009, 55,2% eram do gênero masculino, e 44,8% do feminino, sendo a maioria formada por pardos (52,8%) e brancos (31,4%). A faixa etária predominante foi a de 30 a 59 anos, abrangendo 52,4% dos casos. A distribuição dos casos segundo a forma clínica mostrou 22,3% da indeterminada, 23,2% da tuberculoide, 36,5% da dimorfa, e 18,1% da virchowiana, sendo pela classificação operacional, 56,9% multibacilares e 43,1% paucibacilares. Observou-se que o percentual dos casos novos paucibacilares era maior entre as mulheres (57,1%), e dos multibacilares entre os homens (64,4%). Segundo a escolaridade, 67,5% possuíam o ensino fundamental, mas 11,7% eram analfabetos. A maioria dos casos novos residia na zona urbana (82,7%).

O coeficiente de detecção em menores de 15 anos é prioridade do PNCH, pois indica transmissão recente e foco ativo de infecção. Ele apresentou tendência à queda, a partir de 2003, com índice de 5,43/100 mil habitantes e 2.669 (7,1%) casos novos em 2009. Verificaram-se coeficientes de detecção mais elevados na Região Norte (15,23/100 mil), seguida das regiões Nordeste (8,25/100 mil) e Centro-Oeste (7,36/100 mil). A Região Sul apresentou o coeficiente mais baixo (0,31/100 mil). A avaliação do grau de incapacidade no momento do diagnóstico, que se relaciona ao tempo de doença, mostrou percentuais maiores de deformidades nas regiões menos endêmicas, Sul (12,1%) e Sudeste (9,2%), em 2009. Os percentuais de grau I e de grau II de incapacidade foram 23,8% e 7,2%, respectivamente. Enquanto de 2006 a 2008 observou-se aumento do grau II de incapacidade, de 2008 para 2009 houve declínio em todas as regiões do país, demonstrando melhora na agilidade diagnóstica. As metas a serem alcançadas em 2011 incluem a redução do coeficiente de detecção de casos novos, especialmente em menores de 15 anos, a cura pela multidrogaterapia, a vigilância dos contatos, e a avaliação e o monitoramento das incapacidades físicas. Fonte: Ministério da Saúde. Distribuição da hanseníase no Brasil. Brasil; 2010 [acesso em 16 jun 2011]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/area.cfm?id_area=1466

*Livre-docente, professor adjunto do Departamento de Dermatologia e Radioterapia da Faculdade de Medicina de Botucatu – Universidade Estadual Paulista (Unesp) – Botucatu (SP) **Doutora, professora titular de dermatologia da Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) e chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital Regional de Presidente Prudente – Presidente Prudente (SP)

SBD se prepara para a chegada dos biossimilares

A

Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) participou do I Fórum Latinoamericano de Biossimilares e o II Fórum Brasileiro de Biossimilares, nos dias 30 de setembro e 1o de outubro, no Paraná. A diretora de ações institucionais da SBD, Cláudia Maia, representou a entidade no encontro, que reuniu membros de diversas sociedades médicas, universidades, profissionais de saúde, associações de pacientes de diversas doenças do Brasil e de países da América Latina, além de representantes da Anvisa, do FDA americano, entre outros. O objetivo foi discutir aspectos relacionados à introdução no mercado mundial de medicamentos biossimilares, propostos como substitutos dos biológicos originais ou inovadores (anticorpos monoclonais, insulinas, hormônios, eritropoetinas etc.), cujas patentes estão com o prazo de vencimento próximo. O assunto tem ganhado força em todo o mundo

– apesar de ser um tema ainda desconhecido para muitos profissionais de saúde –, e novas regras e leis estão sendo elaboradas, especificamente para os biossimilares. “A questão envolve a sociedade médica, civil, governamental e industrial, e esbarra em aspectos regulatórios, de segurança e eficácia dos novos produtos, além de redução de custos, aumentando o acesso de pacientes a terapias mais avançadas e eficazes. É um assunto delicado: se por um lado a entrada dos produtos biossimilares no mercado traz esperança na diminuição dos custos com o aumento do acesso da população a tratamentos mais complexos, por outro, também causa temor quanto a sua eficácia e segurança”, destaca Cláudia Maia. A diretoria da SBD ressalta que a entidade estará atenta às questões que envolvam a chegada dos biossimilares ao mercado brasileiro – o que deverá acontecer a partir de 2012.

Da esq. para a dir.: Cláudio Galvão, da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Marcelo Mário Matos Moreira, da Anvisa, o coordenador do evento e médico reumatologista Valderilio Feijó Azevedo, Gurkinpahl Singh, da FDA/Stanford University School of Medicine, Cláudia Maia, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Geraldo Castelar, da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) e Roberto Pecoits, da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN)

Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 15


Congresso Brasileiro de Dermatologia busca disseminação do conhecimento dermatológico 66a edição do encontro leva 4.530 médicos a Florianópolis em setembro

E

ram oito horas de uma fria manhã de sábado em Florianópolis. Muitos médicos assistiam, em uma das salas do CentroSul, ao primeiro dos 60 simpósios que compunham a programação do 66o Congresso Brasileiro de Dermatologia. A jornada teve início no dia 3 de setembro e se estendeu por mais três dias levando conhecimento via diversas atividades científicas. Dermatologistas associados puderam assistir a dois painéis de procedimentos ao vivo e à sessão “Tire suas dúvidas” com os Departamentos da SBD, no primeiro dia. Vinte fóruns de debates, 16 conferências com palestrantes internacionais e 17 cursos teóricos complementavam o programa. O maior evento científico da dermatologia brasileira contabilizou 4.530 médicos inscritos, 600 acompanhantes, 56 estandes da indústria e 1.680 expositores. A expressiva adesão de participantes das mais diversas regiões do país é decorrente do nível de excelência do programa científico, mas também do fato de a cidade não sediar o congresso há 26 anos: “Procuramos compensar esse longo tempo preparando uma programação de alto nível que se destacou pela ênfase na dermatologia clínica, que compreendeu cerca de dois terços do conjunto de atividades e obteve alta receptividade, com a presença dos associados nas aulas até os últimos

18 ● Jornal da SBD ● Ano XV n.5

horários de cada dia de congresso. Eles validaram as escolhas que a Comissão Científica fez tão caprichosamente”, realça o presidente do 66o Congresso de Dermatologia da SBD, Roberto Amorim. Afinado com Amorim, o presidente da Comissão Científica, Vicente Pacheco Oliveira, afirmou que recebeu diversos comentários elogiosos: “Ainda no último dia do congresso, às 17h30, tínhamos salas de palestras cheias. Parabéns aos coordenadores e palestrantes!” Uma das inovações deste ano e que fez grande sucesso foi a criação de um aplicativo desenvolvido para dispositivos móveis, celulares e tablets. O coordenador de Comunicação do 66o Congresso, Maurício Conti, comemorou: “Ultrapassamos 1.054 downloads até o encerramento do congresso, o que nos mostra aceitação acima de 25% do número de congressistas inscritos, já no primeiro ano de implantação dessa ideia. Percebemos também, pelos números, que em nosso meio dermatológico a versão para dispositivos iPhone e iPad foi a que mais teve downloads, de modo que nas próximas oportunidades que a SBD optar pelo desenvolvimento de aplicativos, sugerimos manter o foco nesse nicho, o preferido de nossos associados”, compartilha Conti, responsável pelo aplicativo.

Bailarinos encantaram os médicos na abertura do Congresso Brasileiro

Programação social A apresentação do Ballet Bolshoi abrilhantou a abertura. “Com um auditório lotado, o grupo emocionou todos tanto pela arte quanto pela função social, por meio da exibição de vídeo sobre sua história antes da apresentação”, conta o presidente Roberto Amorim. Na segunda-feira, os médicos confraternizaram em belo jantar e assistiram a um eletrizante show do Jota Quest. Amorim informou que a parceria com o Instituto Guga Kuerten (IGK), associação que promove atividades educacionais, esportivas e sociais para alunos das escolas públicas e que assiste


Reunião do Conselho Deliberativo Foram eleitos quatro novos membros das Comissões Permanentes da SBD, que exercerão seus cargos até setembro do próximo ano. São eles os médicos Octávio Moraes Júnior, de São Paulo (Ética e Defesa Profissional); Nilton Di Chiacchio, de São Paulo (Título de Especialista); Cacilda da Silva Souza, de São Paulo (Ensino); e Nilton Nasser, de Santa Catarina (Científica). O Conselho Fiscal é composto por Abdiel Figueira Lima, do Rio de Janeiro, Dilhermando Augusto Calil, de São Paulo, e Heitor de Sá Gonçalves, do Ceará.

Representantes do IGK ao lado da presidente da SBD-SC, Sílvia Maria Schmidt

crianças portadoras de necessidades especiais, mereceu menção especial: “Recebemos dentro do pavilhão do congresso o veículo transformado em biblioteca itinerante do instituto, a partir de doação feita pelo 66o Congresso, permitindo ao congressista ter contato com o bem doado. Também recebemos para uma apresentação das atividades do IGK sua presidente, Sra. Alice Kuerten. A Ilha de Santa Catarina estará presente por muito tempo na memória dos congressistas, que puderam deixar sua marca positiva em nosso estado”, finaliza.

Em 2012, o Congresso Brasileiro de Dermatologia ocorrerá na cidade em que a entidade foi fundada, o Rio de Janeiro. A presidente do evento e membro da Comissão Científica da SBD, Márcia Ramos-e-Silva, se mostra otimista com a realização da 67a edição do evento, um marco na história da SBD, ela planeja. “Aniversário marca sempre uma data que merece grande comemoração. Para isso não faltam motivos. Foram 100 anos muito férteis e bem vividos: acréscimos de várias origens, cores e credos, todos voltados para o estudo e a ciência. Mas para comemorar um século de ensino e excelência, contamos com a sua presença, absolutamente indispensável. Sentimo-nos honrados em fazer parte deste momento sublime, desejando à SBD que seu prestigio se torne cada vez maior.” As inscrições já estão abertas no site http://www. dermato2012.com.br.

Também houve a definição das chapas concorrentes para a próxima eleição da SBD gestão 2013/2014: uma liderada por Luna Azulay (RJ), tendo como vice, Arthur Duarte (SP); e outra conduzida pela atual diretora da Biblioteca da SBD, Denise Steiner, com Gabriel Gontijo como vice-presidente. As eleições ocorrerão em abril de 2012 por meio de Assembleia Geral Ordinária. Ainda se processou a eleição para o cargo de presidente do Congresso Brasileiro de 2013, em Brasília. O dermatologista Gilvan Alves foi aprovado para exercer a função, e Recife foi a cidade eleita para sediar o Congresso de 2014.

Sensatez Após grande expectativa, a diretoria da SBD lançou no dia 4 de setembro a revista Sensatez, publicação pioneira da entidade cujo foco é o paciente. Vários associados presenciaram a cerimônia e levaram seu exemplar para casa. “Tivemos uma receptividade maravilhosa, desde os dermatologistas, até os parceiros da SBD. Os elogios foram voltados principalmente para a qualidade da revista e o caráter inédito da publicação”, assinala a segunda secretária da SBD e coordenadora da revista, Luciana Rabello. A presidente da SBD, Bogdana Kadunc, declarou considerar Sensatez um grande instrumento de ligação com o público, possibilitando fortalecimento dos reais valores da SBD e valorização do dermatologista. Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 19


Treinamento Rima Cerca de 400 médicos dermatologistas passaram por dois treinamentos do Campus Rima nos dias 4 e 5 de setembro. Durante as palestras, eles tiraram dúvidas e ficaram a par dos benefícios da ferramenta. Muitos médicos também visitaram o estande da SBD em busca de informações. “Fiquei bastante feliz com o resultado. A participação dos associados foi excelente, e as perguntas bastante pertinentes”, afirma a coordenadora da Biblioteca da SBD, Denise Steiner. Segundo a analista de marketing do Campus Rima e responsável pelas palestras, Rita de Cássia Perez, os dermatologistas se surpreenderam com a facilidade e praticidade da ferramenta, que está disponível 24 horas por dia, todos os dias do ano. As instruções de como se registrar no portal, passando pela função de cada uma das 12 ferramentas – denominadas institutos e que au-

xiliam o médico na pesquisa de trabalhos científicos –, até como é armazenado cada estudo solicitado dentro do Rima, ganharam explicação detalhada: “Mostramos aos médicos todos os benefícios que eles têm disponíveis a partir de agora, graças ao esforço da SBD em parceria com a Procter & Gamble na preocupação de disponibilizar uma ferramenta com a melhor informação científica internacional”. O Campus Rima reúne todos os institutos e serviços que a Fundação Biblioteca Central de Medicina coloca à disposição dos profissionais de saúde. Os associados receberam por e-mail um convite com senha individual para registro e acesso gratuito no portal Rima. “A adesão do dermatologista está sendo muito boa, e isso representa o anseio de nossa classe em aprofundar seus conhecimentos”, destaca Denise Steiner.

Palestras em São Paulo A equipe de médicos residentes do Hospital das Clínicas, coordenada pela dermatologista Cláudia Santi, também passou por treinamento. Os corpos docente e discente da Santa Casa de São Paulo foram beneficiados com a palestra do dia 6 de outubro. “Verificamos alto interesse sobre o modo de realizar pesquisas e a quantidade de trabalhos que cada pesquisa pode oferecer”, frisa Denise, completando: “As ferramentas são importantes no dia a dia do dermatologista, tanto para embasar o estudo de um caso mais difícil como para ajudá-lo na confecção de um poster para congresso.”

Olhar de um estrangeiro que tem história no Brasil Com texto leve e vasto conhecimento científico, o dermatologista americano Robert Schwartz faz nuançada análise dos principais destaques do evento e realça sua estreita relação com os médicos brasileiros

“O

Congresso reuniu expoentes da dermatologia brasileira e estrangeira, incluindo Gastón Galimberti e Fernando Carlos Gatti, da Argentina, Juan Carlos Diez de Medina e Martín Sangueza, da Bolívia, Anthony Benedetto, Arash Kimyai-Asadi, Diane Baker, James Baker, Jon M. Hanifin e Ronald P. Rapini, todos dos Estados Unidos, Lluís Puig, da Espanha, e Ricardo Pérez Alfonso, da Venezuela. Como ponto alto, ressalto as apresentações soberbas de Juan Carlos Diez de Medina (rosácea), Paulo R. Cunha (úlceras cutâneas), Jon Hanifin (dermatite atópica), Luiz Guilherme Martins Castro (mecanismos patológicos da imunossupressão), Tania Ferreira Cesari (síndrome de Gianotti-Crosti), Lluís Puig (opções de tratamento sistêmico para psoríase moderada a grave), Ricardo Romiti (metotrexato para doença de pele), Jesus Rodriguez Santamaria (síndrome de Sweet), Luna Azulay Abulafia (hipomelanose macular progressiva), Ronald P. Rappini (abordagem de senso comum para excisão de tumor), Diane Baker (urticária e angioedema) e Martín Sangueza (úlceras vulvares em crianças). Tive o prazer de conhecer de perto as contribuições de Raymundo Martins Castro, um gigante brasileiro na dermatologia e mestre de renome internacional por seus trabalhos sobre fogo selvagem. Ele foi meu orientador por um mês em 1976.

20 ● Jornal da SBD ● Ano XV n.5

Schwartz passa a integrar o conselho editorial dos ABD

Foi incrível participar com seu erudito filho, Luiz Guilherme Martins Castro, do simpósio “Imunossupressão e malignidade”. Ressalto minha admiração pelo trabalho de Simão Pecher, de Manaus, que foi o primeiro professor visitante que tive na escola de medicina, em Nova York, em 1984. Também tive o privilégio de estar com o amigo Ney Romiti, que assinou meu diploma da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), na reunião de julho de 1976. Destaque especial foi a maravilhosa notícia que recebi da editora científica dos Anais Brasileiros de

Dermatologia, Izelda Maria Costa, e do coordenador médico do Jornal da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Paulo R. Cunha, informando-me de que fui nomeado para o conselho editorial dessa revista de prestígio!” Schwartz ministrou quatro aulas: “Dermatite atópica e alergia alimentar”, “Pitiríase rósea de Gibert”, “HIV, infecções virais e câncer” e “Marcadores cutâneos de malignidade interna.”


Palavra de especialista

W

O que destacaram os dermatologistas sobre palestras ministradas no Congresso Brasileiro Necrobiose lipoídica (NL) e diabetes Lucio Bakos O diabete melito (DM) é doença de alta prevalência – atualmente, há cerca de 151 milhões de casos no mundo, e estima-se que em 2025 esse número suba para 324 milhões –, sendo 80-90% do tipo 2 (DMNID) e 5-10% do tipo 1 (DMID). Cerca de 30% dos pacientes apresentam alguma dermatose (não infecciosas ou autoimunes, mais frequentes no tipo 1, e infecciosas, mais frequentes no tipo 2) no decurso da doença, que acompanha ou precede DM (marcadores). A NL é degeneração do tecido conjuntivo, de etiologia desconhecida, com granuloma em paliçada na histologia, sendo mais frequente em MM II e em mulheres jovens (3:1). Calcula-se que 75% de seus portadores apresentem ou venham a desenvolver diabete melito. É afecção presente em cerca de 0,3% dos diabéticos. A dermatoscopia ajuda no diagnóstico, ao se observarem áreas homogêneas amareladas, circundadas por vasos irregulares amplamente arboriformes, “grampos de cabelos” ou em sacarrolhas irregulares. O tratamento pode ser feito com corticoesteroides (tópicos e intralesionais), antiagregantes plaquetários (aspirina, ticlopidina, dipiridamol), redutores da viscosidade sanguínea (pentoxifilina, tretinoína), micofenolato mofetil, ciclosporina, antiTNF-α, talidomida, Puva, tacrolimus tópico, terapia fotodinâmica etc. O tratamento do diabete não melhora as lesões. Acne X dieta alimentar: mitos e realidades Divino Rassi Esse tema é muito atual e será motivo ainda de muitas discussões durante algum tempo. A prescrição de dieta alimentar foi importante na acne no período de 1930 a 1960, quando passou a ser desacreditada. Após a introdução da isotretinoína oral no tratamento dessa moléstia, com apresentação de resultados realmente satisfatórios, surgiram dezenas de trabalhos científicos sobre vários mecanismos etiopatogênicos que envolvem a doença e também sobre o papel da dieta alimentar interferindo na manutenção ou exacerbando a acne. Dentre os vários trabalhos apresentados, destaquei na palestra os realizados pelo Prof. Bodo C. Melnik e colaboradores, da Escola Germânica. Suas conclusões foram: as proteínas do soro do leite estimulam a produção dos polipeptídeos insulinotrópicos dependentes de glicose e, junto com esses, são potentes estimuladores da secre-

ção de insulina pelo pâncreas. Aumentos de fatores de crescimentos insulínicos (IGF-1 e IGF-2) ativam as enzimas fosfotidilinositol-3 quinase (PI3K) e AKT por mecanismo de fosforilização, deslocando o fator nuclear FOX 01 de dentro do núcleo para o citoplasma. Esse deslocamento permite liberar os genes e receptores nucleares indutores da acne, provocando aumento da sensibilidade dos receptores andrógenos e promovendo aumento da proliferação celular no infundíbulo glandular. Induz também à lipogênese, bem como aumenta a sensibilidade às citocinas inflamatórias. Portanto, o fator nuclear FOX 01 é um bloqueador gênico dos fatores que induzem a acne. Vulvodínia Aldejane Gurgel Condição que se caracteriza pela presença de dor, desconforto ou queimação vulvar, na ausência de qualquer achado clínico ou laboratorial objetivo que justifique a existência desses sintomas, a vulvodínia ainda não teve sua etiopatogenia completamente elucidada. Ela afeta entre quatro e 18% da população feminina, seu diagnóstico é clínico, e repercute de forma negativa na qualidade de vida das pacientes. É frequente a associação com depressão (46%), síndrome do intestino irritável (24%), fibromialgia (14%) e fadiga crônica (13%). É essencial no manejo da paciente com vulvodínia assegurar-lhe o reconhecimento de sua doença. Muitos casos permanecem não diagnosticados e não tratados por muitos anos. O uso de cremes anestésicos, corticoides e estrógeno tópicos tem-se mostrado de pouco benefício. Entre as modalidades terapêuticas descritas os antidepressivos são os medicamentos mais empregados. Amitriptilina (25-50mg/dia) e fluoxetina (20-40mg/dia) promovem na maioria dos casos melhora dos sintomas, embora possam ocorrer recidivas. Gabapentina (300-600mg) e carbamazepina (200-400mg/d), anticonvulsivantes com ação antiálgica, são drogas de segunda escolha. Embora seu mecanismo de ação não seja conhecido, elas se têm mostrado eficazes no tratamento de dores neuropáticas. Como tratamento coadjuvante a fisioterapia pode ser empregada, com o objetivo de reabilitar a musculatura do assoalho pélvico através de exercícios específicos, eletroestimulação e técnicas manuais, visando diminuir a hipertonicidade,

melhorar o relaxamento e aumentar a elasticidade. A toxina botulínica produz bloqueio sináptico na placa neuromuscular e tem sido empregada no tratamento de dores refratárias e diversas condições associadas à hipertonicidade da musculatura esquelética. A aplicação de dois pontos na musculatura do períneo é seguida de relaxamento muscular e tem-se mostrado mais uma opção terapêutica no controle de condição de difícil tratamento, cuja história natural parece ser de recidivas após períodos de remissão. Tratamento da mulher madura/mitos e verdades Ivonise Follador O climatério é período de transição em que a mulher começa a apresentar declínio da função ovariana com hipoestrogenismo e todo um “rosário” de sintomas que acontece antes e depois da menopausa, que é a ocasião em que a mulher deixa de menstruar. A menopausa geralmente ocorre entre 46 e 52 anos. Abaixo de 46 anos trata-se de menopausa precoce; e acima dos 55 anos também não é desejável, pois significa mais tempo de exposição ao estrógeno, o que aumenta riscos, o de câncer incluído. O tratamento atual em termos de medicina baseada em evidência é indicado logo nos primeiros anos do climatério e se a mulher apresentar sintomas. Está indicada terapia de reposição hormonal (TRH) nos casos de ondas de calores, insônia e ressecamento vaginal. Esses são os sintomas que comprovadamente podem melhorar. A TRH deverá durar de dois a cinco anos. É mito que todas as mulheres devem fazer TRH, é mito que melhora tudo; é verdade que aumenta riscos de câncer de mama, doenças tromboembólicas e cardiovasculares, principalmente nas mulheres mais velhas; é absurdo o que se vê de uso inadequado de TRH, sobretudo em mulheres acima de 60 anos; é verdade que a TRH previne osteoporose, porém a indicação maior para prevenção é dos bifosfonatos. Não há nenhuma comprovação de que previna a demência senil. A libido na mulher não tem relação direta com níveis de andrógenos, e o uso de testosterona e derivados pode ser feito com critérios, cada caso avaliado individualmente. São necessários estudos com doses baixas e com os chamados bioidênticos. Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 21


Selos em embalagens de produtos são proibidos pelo Conselho Federal de Medicina A medida integra resolução da entidade sobre publicidade médica e deve entrar em vigor em 180 dias

O

Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou em agosto resolução que proíbe selos de garantia de sociedades médicas em rótulos de produtos. O veto foi bem-recebido pela SBD que tinha seu selo de qualidade estampado em sabonete, xampu, filtro solar e hidratante. Em matéria publicada uma semana depois no jornal O Estado de S. Paulo, a presidente da SBD, Bogdana Kadunc, disse que o selo da associação estampado em rótulos de produtos não estava agradando a muitos dermatologistas: “Um grupo condenava essa prática e pedia para que nós retirássemos o selo. A decisão do CFM veio em boa hora, acaba a polêmica e o mal-estar entre os profissionais,” salientou. A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC),

no entanto, vai pedir a revisão da resolução. Cerca de 100 itens têm seu selo de garantia. O pedido de revisão será encaminhado à comissão que preparou a resolução e a seguir ao plenário do CFM para votação. A SBC, que deu início à concessão de selos de garantia em 1991, argumenta que o selo é ferramenta útil para orientar a população a escolher produtos com baixos teores de gordura e sódio. Segundo a entidade, ele só é concedido após os produtos passarem por rígidos testes e serem submetidos à avaliação de cardiologistas e nutricionistas independentes. Risco à saúde – Por outro lado, além do risco de interesse comercial, médicos contrários

à concessão do selo apontam que nem sempre ele orienta o consumidor na escolha de melhores produtos. Um exemplo é a garantia dada pela SBC a biscoitos e a um tipo de hambúrguer, produtos não recomendados para consumo por pessoas com problemas cardíacos ou de pressão. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) também concede selos, mas de forma mais restrita, com três produtos estampando em seus rótulos a recomendação da entidade. Segundo a entidade, a decisão do CFM será acatada. As sociedades terão até 180 dias para retirá-los. A resolução traz ainda várias normas para a propaganda de médicos e associações, que entram em vigor no mesmo período (matéria abaixo).

Conselho restringe publicidade médica em redes sociais O uso das redes sociais, a propaganda e as entrevistas de médicos e instituições médicas terão novas regras a partir de fevereiro de 2012. A nova resolução foi divulgada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), no dia 18 de agosto e também inclui, como destacado no texto acima, a proibição do uso de selos de sociedades médicas em produtos. Nas redes sociais, uma série de restrições pode inviabilizar sua utilização na propaganda médica. Nelas o médico não poderá, em seus perfis no Facebook ou no Twitter, divulgar o endereço e o

Painel do leitor

telefone do consultório nem garantir bons resultados de tratamentos ou divulgar anúncios com seu nome sem o número do CRM. Isso também vale para blogs. Segundo o Conselho, a aparição de médicos nesses meios deve ter caráter educativo, não de autopromoção. O que pode e o que não pode – Sites institucionais ou propagandas de ruas podem continuar divulgando endereços e contatos dos médicos. A norma também estabelece que os médicos

declarem se têm conflito de interesses. Fica ainda proibido aos médicos anunciar ter pós-graduação em área diferente daquela em que fizeram sua especialização acadêmica. A propaganda em jornal, rádio, TV e internet, os papéis timbrados e os banners de propaganda estão sujeitos a regras específicas, que incluem a divulgação do nome do médico e de seu CRM, tamanhos mínimos em que esses dados devem aparecer e até a fonte da letra que deve ser usada.

W

Queremos saber sua opinião sobre o Jornal da SBD. Envie suas opiniões, sugestões e críticas para o e-mail comunicacao@sbd.org.br e ajude-nos a fazê-lo cada vez melhor. O e-mail cartas@sbd.org.br foi desativado. Gostaria de parabenizar a SBD por esse contato direto conosco, associados. É muito importante para nós poder tirar dúvidas e discutir casos e procedimentos com experts como a doutora Alice Alchorne. Obtive meu título de especialista em 2003 e, de lá para cá, noto o crescimento e as melhorias em nossa Sociedade a cada ano. Parabéns a todos vocês por esse trabalho.

Andrezza Camarinha Napolitano Barcelos São Paulo (A médica entrou em contato com a coordenadora do Departamento de Alergia e Dermatoses Ocupacionais da SBD, Alice Alchorne, com dúvidas sobre a realização de procedimentos.)

Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 25


Ética em pauta

José Ramon Varela Blanco*

W

Trajetória recente do Movimento de Convênios e Defesa Profissional

O

movimento médico pela recuperação dos valores praticados pelas operadoras no sistema de saúde suplementar tem ganhado densidade e conquistado expressivas vitórias. Outrora isolado nos diferentes estados do país, unificou-se, em passado recente (7 de abril), e ampliou sua coesão na etapa deflagrada a 21 de setembro. A unidade do movimento entendeu e colocou em prática que as ações deveriam atender às particularidades regionais que são diferentes, e, portanto, as manifestações levadas a cabo seguiram essa diretriz. Aspecto conceitual que sempre calou fundo na categoria era o pagamento diferenciado entre planos individuais, aqueles adquiridos por iniciativa do usuário, e os planos coletivos, aqueles que eram contratados pelas empresas onde o usuário trabalhava e que era um adicional oferecido pelas empresas aos seus funcionários. No Rio de Janeiro, as operadoras que utilizavam tal prática compreenderam o alcance ético desse pleito, e a partir de agora os valores foram unificados. Os patamares mínimos negociados são os de

R$ 50,00, e é aconselhado ao colega que se livre da operadora que pior o remunera. Isso tem funcionado, até porque abre espaço na congestionada agenda médica para clientes de planos que mantenham conosco um melhor relacionamento. Outra questão é a da contratualização, prevista na Resolução Normativa ANS – no 108 de 10 de agosto de 2005, quanto aos reajustes anuais, e que, apesar disso, nem sempre é cumprida; devemos acompanhar a tramitação do PL 6964/10 que tem como relator o deputado Arnaldo Faria de Sá (SP) e que nos garantirá, agora por meio de lei, o reajuste anual com a respectiva periodicidade. Manobras para dividir a categoria são tentadas há anos, como a de interrogar se o médico recém-formado deverá receber o mesmo valor que outro com mais tempo de exercício. Do mesmo modo interrogam se o mais titulado deverá receber valor maior. Até mesmo o parâmetro de precocidade de alta ou de infecção pós-operatória poderia ser usado para parâmetro remuneratório. Nesse momento, o que é visto como uma questão de mercado passa

a deixar de sê-lo. É próprio de uma atividade liberal que seja regulada pela percepção de qualidade e da avaliação do próprio paciente, que é o maior interessado e o alvo do atendimento. Acrescente-se, ao fim, que essas interferências e tentativas de determinar prazos de intervalo para as marcações de consultas na agenda de um profissional liberal não têm amparo legal e há consenso dos órgãos que regulam essa forma de trabalho de que, não havendo vínculo empregatício entre o médico e as operadoras e vínculo algum com a Agência Nacional de Saúde (ANS), é descabida qualquer ação nesse sentido. É importante estarmos atentos nos diferentes pontos da federação para esses aspectos e que em caso de pressão ou violação sejam acionados os Conselhos Regionais de Medicina.

* Coordenador da Comissão de Ética e Defesa Profissional da SBD

História W

Você sabia?

Por Paulo Cunha

Relembrar as grandes conquistas da dermatologia brasileira nunca é demais. Vamos continuar com nossa retrospectiva recordando os acontecimentos mais importantes ocorridos da década de 1990 até 2005. Viaje conosco: 1993 – Durante a presidência de Jesus Rodriguez Santamaria, a SBD adquire sua atual sede, em andar inteiro, situada na Avenida Rio Branco, n. 39, 18o andar, Centro, Rio de Janeiro.

1997 – Lançamento do Jornal da SBD (JSBD), que contaria, sucessivamente, com os coordenadores Iphis Campbell, Cyro Festa Neto, Alexandre Sittart, Jackson Machado, Alberto Cardoso e, atualmente, Paulo Cunha. No mesmo ano, tem início o programa de Educação Médica Continuada em Dermatologia (EMC-D), antigo sonho da SBD e, até hoje, um dos principais serviços prestados ao associado.

26 ● Jornal da SBD ● Ano XV n.5

1999 – Lançamento institucional do Programa Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele (PNPCP), estendendo a todo o Brasil a bela ação iniciada em 1987 pela Regional Rio de Janeiro.

2003 – A edição julho/agosto do jornal publicou pesquisa com o perfil do dermatologista. Foram entrevistados 4.414 médicos, sendo 63,3% deles habitantes das principais capitais do país. A pesquisa foi realizada durante a gestão de Márcio Rutowitsch.

2002 – Sob a presidência de Fernando Almeida, a SBD comemora 90 anos de existência congregando, na época, 4.751 associados. Lançou também o livro História da dermatologia no Brasil, organizado pelo coordenador médico do JSBD, Paulo Cunha, e escrito pelo jornalista Glauco Carneiro.

2004 – Sob a presidência de Sinésio Talhari, a Biblioteca da SBD disponibilizou aos associados 29 periódicos online. Na época, a coordenação da biblioteca estava a cargo de Paulo Cunha.


Laureados com o Nobel de Medicina revolucionaram a forma de compreender o sistema imunológico

O

s cientistas Bruce Beutler (Estados Unidos), Jules Hoffmann (França) e o canadense Ralph Steinman foram os ganhadores do prêmio Nobel de Medicina de 2011. Steinman, que chefiava o Centro de Imunologia e Doenças Imunes da Universidade Rockefeller, em Nova York, morreu três dias antes do anúncio da premiação, vítima de câncer no pâncreas. As regras não permitem que o prêmio seja concedido de forma póstuma, mas diante do imprevisto, ele foi mantido como um dos vencedores do Nobel, e a família recebeu metade do prêmio total de 10 milhões de coroas suecas (cerca de US$ 1,5 milhão). O restante foi dividido entre os outros dois cientistas que o ajudaram a decifrar as minúcias do sistema imune do organismo, no qual as moléculas de sinalização liberam anticorpos e células assassinas para responder à invasão dos micróbios. As pesquisas realizadas ganharam o Nobel por ter fornecido as bases para o entendimento moderno da defesa do corpo humano e estimular a produção de medicamentos e vacinas mais eficazes para combater infecções, tumores e doenças autoimunes. Graças aos três pesquisadores, uma nova geração de vacinas e de tratamentos foi criada contra doenças que vão desde a gripe comum ao câncer. “A contribuição do professor Steinman quanto às células dendríticas (descobertas por

ele em 1973) foi um marco em imunologia e teve impacto direto em nossa especialidade. Os três cientistas são pessoas que, entre outras contribuições históricas para a medicina, abriram nova área terapêutica”, destaca o ex-presidente da SBD, Omar Lupi.

Dermatologia brasileira

Pesquisadores brasileiros, alguns deles do Rio de Janeiro, foram parceiros importantes durante o percurso de Steinman: “A professora Euzenir Nunes Sarno e outros brasileiros foram colaboradores e coautores de artigos com essa equipe agora famosa. Como exemplo, cito o artigo ‘The cutaneous infiltrates of leprosy: cellular characteristics and the predominant T-cell phenotypes’, sobre imunologia na hanseníase, publicado em 1982, de sua autoria com o professor Steinman”, lembra Lupi. Radicada há alguns anos na Fiocruz, Euzenir produz atualmente muitos trabalhos sobre imunologia da hanseníase e tem ajudado na orientação de teses e publicações. O Brasil ainda está distante de ter um pesquisador agraciado com o título. O prêmio dos cientistas, porém, também deve ser comemorado pelos nossos dermatologistas. “Ainda não foi dessa vez que um brasileiro ganhou o Nobel, mas demos nossa pequena contribuição para o prêmio de 2011 por-

que brasileiros, em determinada época, já trabalharam com algum dos pesquisadores. A dermatologia e a hanseníase ajudaram a construir um pouco dessa história”, completa Lupi. O coordenador médico do JSBD, Paulo Cunha, destaca que o fato de brasileiros já terem publicado trabalhos científicos com essa elite intelectual da medicina mundial é motivo de orgulho para o nosso país. “Avanços recentes das pesquisas do Brasil indicam que um dia, não muito longe, teremos um Prêmio Nobel em alguma área do conhecimento. Não podemos nos esquecer de que, segundo o ranking da Times Higher Education (THE), já temos a Universidade de São Paulo (USP) figurando entre as 200 primeiras do mundo, ocupando hoje a posição 178”, frisa. Segundo Paulo Cunha, em 2002 a USP publicou 2.531 artigos científicos indexados na Web of Science. Em 2009, o número passou para 6.577, um salto de 160%. “Penso que quando as publicações brasileiras atingirem um grande número com expressiva citação por artigo (fator de impacto) será sinal de que o Nobel estará próximo de chegar no Brasil.” Lupi acha mais provável um Nobel brasileiro sair em área que conte mais a individualidade, como no prêmio de literatura, do que numa área que pressuponha grandes investimentos públicos ou trabalho em equipe.

SBD reforça parceria técnica com o Ministério da Saúde

N

o dia 6 de outubro, a SBD esteve em Brasília para uma audiência com o secretário de Atenção à Saúde (SAS), do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães. A entidade foi representada pelos dermatologistas Cláudia Maia e Jackson Machado Pinto, que reforçaram a parceria técnica com o ministério no gerenciamento de doenças dermatológicas crônicas. Durante o encontro, foram levantados aspectos que a SBD aponta como “lacunas terapêuticas” na especialidade e que não são contempladas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A SBD solicitou aumento no número de sessões de fototerapia, além de medicamentos para o tratamento da psoríase moderada a grave, pênfigos e penfigoide, dermatite atópica e urticária crônica. “Com ações como essa, a SBD espera

contribuir ativamente com o Ministério da Saúde na elaboração das políticas públicas em dermatologia em todos os níveis de atendimento e gravidade”, destaca Cláudia Maia. Câmaras técnicas em breve Cláudia disse que o secretário mostrou interesse na elaboração de câmaras técnicas em dermatologia para a avaliação dos casos com indicação de liberação dos medicamentos excepcionais pelo Ministério da Saúde. “A SBD aguarda ser contactada para a discussão de como será formada a câmara técnica. Caso isso venha a ocorrer, a dermatologia vai comemorar, pois poderá passar a decidir a liberação de medicamentos excepcionais para os casos de doenças dermatológicas crônicas graves.”

Dermatologistas reforçam a importância da elaboração de políticas públicas dentro da especialidade

Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 27


Departamentos

W

Dermatoses Infectoparasitárias na Infância O Simpósio Nacional de Dermatoses Infectoparasitárias na Infância e a campanha assistencial e educacional serão realizados nos dias 18 e 19 de novembro, respectivamente, em Fortaleza. As atividades serão implementadas pelos departamentos de Doenças Infectoparasitárias, Dermatologia Pediátrica e Hanseníase. Os dermatologistas da SBD Bernardo Gontijo (BH), Claudia Márcia (MG), Paulo Machado (BA), Silmara Cestari (SP), René Diógenes (CE) e Heitor Gonçalves (CE), além de pediatras e médicos do Programa Saúde Família (PSF), vão participar do simpósio, que abordará as dermatoses infectoparasitárias mais prevalentes na infância e de maior interesse sanitário no Brasil, bem como a atualização no diagnóstico, no controle e prevenção e no

tratamento de tais enfermidades. Com relação à campanha de atendimento, o dermatologista Heitor Gonçalves ressalta que terá como alvo a população acometida (crianças) e seus pais, no sentido de os esclarecer sobre incidência, prevenção e tratamento das doenças. Professores especialistas nas respectivas áreas abordarão os seguintes tópicos: “Como tratar verrugas múltiplas labiais”; “Como tratar molusco contagioso nas pálpebras”; “Condiloma acuminado região anogenital: investigação de abuso sexual”; “Síndrome da pele escaldada: a internação é obrigatória?”; “Impetigo: tratamento tópico x sistêmico”; “Gengivoestomatite herpética; indicação de antiviral oral?” e “Herpes-zóster na infância: indicação de antiviral oral? Corticoterapia?”

Oncologia

Dermatopatologia e Cirurgia Micrográfica

O Departamento de Oncologia da SBD comunica aos associados que um questionário sobre oncologia estará disponível em breve no site da entidade. “Este material servirá de base para a diretoria traçar políticas de educação continuada nesse tema. A participação do maior número possível de colegas é fundamental”, afirma o coordenador, Otávio Lopes que também informa estarem disponíveis para consulta no site da SBD sugestões de artigos em oncologia cutânea.

Os departamentos de Dermatopatologia e Cirurgia Micrográfica vão realizar em conjunto o curso de histopatologia dos tumores de pele, no dia 3 de novembro, na sede da SBD-Resp. As aulas focarão temas como câncer basocelular, espinocelular, dermatofibrossarcoma protuberante e tumores anexiais. Haverá ainda apresentação de casos. Os médicos Nílceo Michalany, Gilles Landmann, Mirian Sotto e Milvia Enokihara serão os palestrantes.

Laser O Departamento de Laser realizou pesquisa no primeiro semestre do ano com os dermatologistas sócios por meio do site da instituição. Ao todo, 860 respostas foram enviadas, sendo 65% do Sudeste, 15% do Sul, 11% da Região Nordeste, 7% da Centro-Oeste e 2% do Norte do Brasil. O coordenador do departamento, Roberto Mattos, informou que a finalidade da enquete foi fazer um mapeamento do uso dos lasers e tecnologias similares, que tecnologia é mais utilizada, além do local de realização dos procedimentos, entre outras questões. Posteriormente, os dados serão publicados. “Aproveito para lembrar que são crescentes os problemas de colegas com o CRM devido à utilização de vários aparelhos por não médicos nas grandes clínicas. Espero que todos reflitam a esse respeito para evitar complicações em suas vidas profissionais”, alerta. Segundo Mattos, durante o Congresso Brasileiro, Gabriel Gontijo lembrou que a entrega de drogas (trans-epidermal delivery), tema muito exposto no evento, deve ser feita com cautela e que ainda há necessidade de melhores estudos a respeito, dada a penetração muito maior dessas substâncias aplicadas.

Psicodermatologia A dermatologista Luciana Conrado fez um resumo das atividades desenvolvidas pelo departamento durante o Congresso Brasileiro de Dermatologia da SBD: A temática desenvolvida foi direcionada no sentido de buscar reavaliação dos caminhos que a medicina percorre nestes primeiros anos do novo milênio, de tentar aproximar aspectos da filosofia médica com nossa prática clínica e de obter instrumentos que possam nos auxiliar no diagnóstico de nossos pacientes “psicodermatológicos” e na conduta com eles. Na aula “Medicina contemporânea: para onde vamos? (Quo vadis?)”, o Dr. Roberto Azambuja, do Distrito Federal, falou sobre a importância de se estabelecer o pensamento médico com base em modelo biopsicossocial e que amplie a prática médica. Essa clínica deve ser orientada primordialmente para a busca e a manutenção da saúde, ao contrário da cura de doenças, foco principal da medicina no último século. No simpósio também

28 ● Jornal da SBD ● Ano XV n.5

foram mencionados os diagnósticos psiquiátricos em dermatologia pela Dra. Luciana Conrado, de São Paulo; e a Dra. Andréa Fetter, de Mato Grosso abordou o difícil diferencial das dermatoses autoinflingidas, utilizando o excelente recurso de filmes para caracterizar e exemplificar casos clínicos. Aspecto muito importante do atendimento em psicodermatologia é que o médico tenha conhecimento de como seus pacientes com dermatoses crônicas, tais como psoríase, dermatite atópica e vitiligo, vivenciam essas enfermidades em seu dia a dia. Quais as dificuldades e limitações que esses pacientes encontram para confrontar o “mundo” interno e externo quando têm esses diagnósticos e como lidam com essas questões? Sob esse ponto de vista, o médico tem reais condições de auxiliar seu paciente não apenas com a prescrição de medicamentos. Esse tema foi apresentado de forma brilhante pela Dra. Tania Rocha, de Minas Gerais. Ainda tivemos a honra de receber o Prof. Dr. Jorge Ulnik, psiquiatra e psicanalista residente em Buenos Aires e que atua na área da psicodermatolo-

gia em universidades na Argentina e na Espanha. Sua conferência destacou os diversos fatores envolvidos na consulta médica e o que pode nos auxiliar na identificação de aspectos subjetivos dessa consulta. Ressaltou a importância da avaliação pelo médico de suas impressões gerais (psicológicas e sociais, principalmente) sobre o paciente e de como encontrar caminhos que irão favorecer o estabelecimento de vínculo com ele, o que será fundamental para o tratamento dermatológico. Na sessão “Tire suas dúvidas com o Departamento” foram apresentados casos clínicos em psicodermatologia e também o uso da homeopatia. Encerrada a sessão, palestrantes e demais interessados foram convidados para um encontro com o Dr. Jorge, para a discussão das possíveis formas de encaminhamento desses casos pelo dermatologista, psiquiatra e psicólogos, além dos meios que podem ser estabelecidos para abordagem interdisciplinar. Houve tempo para um interessante debate e proveitosa discussão. Agradecemos sua participação e contribuições à psicodermatologia!


Regionais Amazonas

Da esq. para a dir.: Paula Rebello, Rossilene Cruz, Nadya Picanço, Artur Duarte, Cecília Bortoletto, Gladys Martins, Cláudio Dias, Maria de Fátima Paim, Célia Correia, Silmara Pennini e Valeska Francesconi

A Regional Amazonas teve a satisfação de apoiar o I Simpósio Amazonense de Psoríase promovido pela Fundação Alfredo da Matta, no final de setembro. Coordenado por Rossilene Cruz, da Fundação Alfredo da Matta (Fuam), o evento contou com a presença de palestrantes experts no assunto, como Gladys Martins (DF), Maria de Fátima Paim (BA), Cecília Bortoletto (SP) e Artur Duarte (SP), que abordaram as últimas novidades e os avanços na terapêutica da psoríase, e participaram da mesa-redonda que discutiu temas eminentemente práticos. De acordo com a presidente da SBD-AM, Valeska Francesconi, o simpósio deu início às atividades que ocorrerão durante todo o mês de outubro, em virtude de Campanha Nacional de Psoríase. “E, dando seguimento ao programa de Educação Médica Continuada, recebemos em nossa reunião científica mensal de setembro o Dr. Lauro Lourival (PI), que proferiu, no período da manhã, duas palestras abordando temas cirúrgicos e, à tarde, ministrou curso prático de cirurgia dermatológica para consultório dirigido aos sócios e residentes”.

Pernambuco

Os médicos palestrantes Lenise Mara Ribas, Arthur Tykocinski (SP), Gustavo Braz Thá, Christine de Campos Graf Guimarães e Airton dos Santos Médicos comparecem em bom número no Fórum de Cosmiatria organizado pela diretoria da Regional Pernambuco

O excelente auditório do JCPM, em Recife, foi palco do Fórum de Cosmiatria da SBD-PE, ocorrido no dia 27 de agosto. Cerca de 120 especialistas participaram do evento, entre eles dermatologistas de regionais vizinhas, com proveitosas discussões sobre os assuntos. A programação teve a participação de especialistas experientes, que abordaram desafios rotineiros, temas atuais e recentes avanços das técnicas utilizadas na nossa prática diária em consultório. O presidente da Regional Pernambuco, Sérgio Palma, frisou a importância do profundo conhecimento e domínio das técnicas disponíveis na abordagem cosmiátrica dos pacientes. As novidades apresentadas durante a Jornada Pernambucana, que ocorreu de 12 a 15 de outubro, em Porto de Galinhas, em Pernambuco, estará disponível para leitura na próxima edição do Jornal da SBD.

Pará Da esq. para a dir.: Renata Silva Barros (membro da Comissão Científica), Clivia Maria Moraes de Oliveira Carneiro (vice-presidente), Fernando Augusto Carneiro (membro da Comissão Científica), Francisca Regina Carneiro (tesoureira), Elisa Fontenelle (RJ), Alena M. Darwich Mendes (PA), Deborah Aben-Athar Unger (presidente), Francisca Rosa Guerreiro Miléo (secretária-geral da SBD-PA) e Andréa Miranda de Azevedo Ferreira (secretária de sessão e divulgação )

Promovido no dia 20 de agosto, o Curso de Dermatologia Pediátrica da SBD-PA abordou os temas “Conduta nos hemangiomas e imunossupressores em dermatologia pediátrica” (Elisa Fontenelle, RJ),

Paraná

“Conduta nos nevos melanocíticos” (Alena Darwich Mendes, PA) e “Piodermites” (Francisca Regina O. Carneiro, PA). Quarenta e cinco sócios assistiram às aulas.

No começo de agosto, a Regional Paraná promoveu a 54a Jornada Paranaense de Dermatologia, em Curitiba. O evento contou com a participação 115 médicos, entre residentes, veteranos e palestrantes renomados, como as dermatologistas Ida Alzira Gomes Duarte e Denise Steiner, ambas de São Paulo. Assuntos como oncologia cutânea, tratamento a laser, dermatite de contato por cosméticos, espectro de luz e doenças fotossensíveis estiveram em evidência, além da discussão de casos clínicos trazidos pelos serviços das universidades. Em julho, o destaque foi o ciclo de palestras sobre doenças das unhas, que faz parte do evento de Educação Médica Continuada (EMC) promovido pela SBD-PR. Segundo o vice-presidente da Regional, José Roberto Shibue, o evento teve grande importância pela atualização científica: “Foram abordadas diversas doenças de unhas, incluídas as relacionadas à cosmética e a tratamentos terapêuticos”, relatou. Também foram apresentadas as novidades na terapêutica ungueal e tratamentos que respondem melhor às doenças ligadas às unhas. Segundo o presidente da SBD-PR, Airton Gon, o objetivo desses eventos é oferecer oportunidade de atualização e obtenção de pontuação junto ao CNA, necessária para revalidar o título de especialista. “Nosso foco é ter a chance de somar pontos e atualizar os conhecimentos na área, sem a necessidade de se deslocar para outros estados do país”, explicou.

Mato Grosso

No dia 15 de setembro a SBD-MT inaugurou sua galeria de ex-presidentes. Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 29


Santa Catarina A diretoria 2011/2012 da Regional Santa Catarina acaba de realizar reforma em sua estrutura física. A modernização das instalações previu a criação de sala destinada à realização de eventos científicos, como aulas, palestras e treinamentos práticos. Segundo a diretoria da Regional, essas atividades poderão ser transmitidas ao vivo para sócios do interior de Santa Catarina, que não têm condições de participar dos encontros que ocorrem semanalmente em Florianópolis. Nomeada Centro de Estudos de Dermatologia Dr. Jorge José de Souza Filho – um dos idealizadores da Regional na década de 1970 e presidente entre os anos de 1974 e 1992 –, a sala foi inaugurada no dia 4 de setembro, durante o Congresso Brasileiro de Dermatologia, e teve o dermatologista como patrono do evento. “Para a atual diretoria da SBD-SC e grande parte das pessoas que conhecem o Dr. Jorge, ele representa o dermatologista catarinense, um exemplo de profissional que serve de inspiração e dá orgulho à classe médica”, afirmou a presidente, Sílvia Maria Schmidt.

Da esq. para a dir:. Maurício Amboni Conti (coordenador de comunicação), Daniel Holthausen Nunes (delegado), Roberto Moreira Amorim Filho (delegado), Luis Fernando Figueiredo Kopke (tesoureiro), Sílvia Maria Schmidt (presidente), Tatiana Basso Biasi (coordenadora de eventos), Gisele Gruber Bernstein (tesoureira), Marcelo Rigatti (secretário) e André Luiz Rossetto (vice-presidente)

Da esq. para a dir.: Sílvia Maria Schmidt (atual presidente), Maria Carmen de Souza Santos Berber (primeira presidente da SC), os ex-presidentes Roberto Moreira Amorim Filho (2005-2008), Jorge José de Souza Filho (1974 -1992), Nilson Octávio Campos Lobo e Silva (2009-2010), Heloisa Helena Ramos Fonseca (1997-1998), e André Luiz Rossetto (atual vice-presidente)

São Paulo

A SBD-Resp promoverá dois importantes eventos de seu calendário científico no final do ano: os simpósios de dermatoscopia e de oncologia cutânea, nos dias 4 e 5 de novembro, em São Paulo e a 16a Radesp, de 1o a 3 de dezembro, em Campos de Jordão. De acordo com o coordenador de promoções científicas da Regional e responsável pela organização dos eventos, serão discutidos em profundidade tópicos do dia a dia visando trazer ao debate os fundamentos que embasam o ‘como’ e o ‘porquê’ das decisões terapêuticas e dos procedimentos.” Uma das solicitações mais frequentes dos médicos é a complementação do painel de procedimentos ao vivo. A lacuna será preenchida com as apresentações em vídeos de procedimentos realizados ao vivo em eventos anteriores. “O acompanhamento completará o ciclo do conhecimento e do aprendizado”, disse o coordenador científico da Resp. Nos cursos práticos, que serão conduzidos no Hospital Sanatorinhos, em Campos do Jordão, os vídeos permitirão englobar todo o universo do caso em foco com a apresentação do pré, do procedimento realizado e do pós, que serão discutidos pelos participantes. Os destaques internacionais da edição deste ano são o ex-presidente da Sociedade Internacional de Cirurgia Dermatológica (ISDS, na sigla em inglês) e atual membro do Departamento de Dermatologia do Inselspital, Hospital Universitário de Berna, na Suíça, Eckart Haneke, autor de vários trabalhos em cirurgia dermatológica e oncologia cutânea, entre outras áreas, e o dermatopatologista da Mayo Clinic, da Flórida, Estados Unidos, Mark A. Cappel, que tem como áreas de interesse o diagnóstico de tumores cutâneos e doenças inflamatórias.

30 ● Jornal da SBD ● Ano XV n.5

Nota de falecimento

É com pesar que a SBD comunica o falecimento do médico dermatologista e associado titular da SBD, Akel Nicolau Akel, no dia 1o de setembro, em Vitória, Espírito Santo. Nascido em 31 de maio de 1923, Akel se formou em medicina em Salvador, Bahia, em 1949. Foi médico oficial da Marinha do Brasil até 1975. Casado com Maria do Carmo Zamagna Akel em 1959, teve quatro filhos, sendo dois médicos dermatologistas, um médico ortopedista e uma juíza do trabalho.


Serviços Credenciados W Hospital Universitário de Santa Maria

Da esq. para a dir.: André Avelino Costa Beber, Rosemari Mazzuco, Shirley Mirna Wayhs Matte, Raquel Fontoura Heidrich, Francine Batista Costa, Lizete Mariza Möller Meinhardt, Célia Luiza Petersen Vitello Kalil e Walter Neumaier.

A cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, recebeu em 20 de agosto a XIII Jornada Interiorana de Dermatologia, a IX Jornada Dermatológica de Santa Maria e a I Jornada de Dermatologia do Hospital Universitário de Santa Maria (RS). Participaram dos encontros mais de 80 inscritos, entre dermatologistas e acadêmicos de medicina de várias cidades gaúchas. Foram debatidos diversos temas, como a aplicabilidade clínica do FAN, hanseníase, tratamento de hemangiomas com propranolol, isotretinoína e doença inflamatória intestinal, alterações dermatológicas em pacientes geriátricos, opções terapêuticas para melasma, análise crítica dos tratamentos para estrias, fotoproteção e rejuvenescimento periorbitário. O Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário de Santa Maria (UFSM), que oferece desde 2010 duas vagas anuais para residência médica na área de dermatologia, também apresentou casos clínicos.

Hospital Regional de Presidente Prudente/ Unoeste O Serviço de Dermatologia do Hospital Regional de Presidente Prudente/Unoeste, juntamente com o IX Distrito da SBD-Resp, realizará curso de dermatoscopia nos dias 28 e 29 de outubro, ministrado por médicos do Departamento de Oncologia Cutânea do Hospital AC Camargo. De acordo com a chefe do Serviço e presidente do IX Distrito da SBD-Resp, Marilda Milanez Morgado de Abreu, a programação contemplará os temas “Métodos diagnósticos utilizados na dermatoscopia”, “Método de Menzies e regra dos sete pontos”, “Análise de padrões – Lesões melanocíticas benignas”, “Análise de Padrões – Nevo atípico e melanoma”, “Dermatoscopia das mucosas da região palmoplantar e da face”, entre outros. No dia 20 de agosto, ocorreu o primeiro encontro no Hospital Regional de Presidente Prudente do Grupo Uniseis (antes Unicinco). A programação científica contou com a discussão de casos clínicos e com palestras sobre úlceras e curativos, proferidas pelos médicos Eduardo Mendes Roncada, de Presidente Prudente, e José Roberto Pegas, do Hospital Padre Bento de Guarulhos, respectivamente.

VII Bauru-Botucatu − Instituto Lauro de Souza Lima A médica residente do terceiro ano Leandra Oliveira Teixeira ficou com o primeiro lugar do concurso Projeto Residentes 2011. O dermatologista e médico preceptor do Instituto, Jaison Antonio Barredo, coordenou o trabalho da estudante, intitulado “Perfil epidemiológico clínico e laboratorial dos pacientes com pênfigo foliáceo atendidos em Instituição de Dermatologia do Estado de São Paulo, no período entre 2000 Hospital da Polícia Militar de Minas Gerais O chefe de Serviço, André Costa Cruz Piancastelli, informa que foi inaugurada no dia 16 de A doutora Ana Rosa Magaldi e a residente junho a seção Maria Cecilia Lages de cirurgia micrográfica de Mohs, sob a coordenação da cirurgiã dermatológica Ana Rosa Magaldi. A importante modalidade terapêutica passa a ser ensinada como parte da grade do terceiro ano de residência. Universidade de Taubaté As atividades científicas promovidas pelo Serviço prosseguem com sucesso. No dia 29 de setembro o coordenador dos departamentos da SBD, Paulo Criado, falou sobre “Dermatologia hospitalar”. Em outubro, o Prof. Nelson Proença deu palestra sobre “Doenças dermatológicas com participação do demodex” e o chefe do Serviço da Faculdade de Medicina do ABC, Carlos Machado, ministrou curso teórico-prático sobre “Radioeletrocirurgia”. “Lembramos que as atividades de responsabilidade social vão ocorrer de 11 a 15 de novembro com a realização do acampamento Dermacamp em seu décimo ano. As inscrições gratuitas se encerraram em outubro por meio do site www.dermacamp.org.br. Também estão abertas as inscrições para estágio de aperfeiçoamento em dermatologia, com duração de três anos e acesso direto. Informações pelo número (12) 3625-7533”, informa o chefe do Serviço, Samuel Mandelbaum.

e 2010”. Como prêmio, Leandra fará estágio de dois meses em Munique, na Alemanha. Esse é o terceiro ano consecutivo que o ILSL assegura a primeira colocação nesse concurso. O Instituto informa ainda que quatro médicos residentes ganharam becas, inscrições e hospedagens para o III Encontro Internacional de Médicos Residentes em Dermatologia/Cilad, que será realizado de 3 a 5 de novembro em Cádiz, na Espanha. Foram sorteadas 61 becas em todo o mundo, sendo 18 no Brasil. Os jovens contemplados são: Carlos Maximiliano Gaspar Silva, Ana Luiza Grizzo Peres Martins, Lívia Ariane Lopes Barroso e Paula Yoshiko Masuda. Orientada por Antonio Carlos Ceribelli Martelli, Paula também obteve o quarto lugar do Prêmio Galderma, divulgado no Congresso Brasileiro de Dermatologia de 2011. Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto O Serviço de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (USP) consolida as atividades de cirurgia micrográfica de Mohs, implementada há cerca de um ano sob a responsabilidade do dermatologista Bruno de Carvalho Fantini. Após a realização da residência médica no Hospital das Clínicas de São Paulo e do treinamento na Faculdade de Medicina do ABC, Bruno Fantini foi integrado à equipe de dermatologia oncológica, coordenada por Cacilda da Silva Souza. A médica comunica que, atualmente, já se encontra em treinamento da técnica Roberto Bueno Filho. Ambos dividem suas atividades cirúrgicas com as do doutorado no programa de pós-graduação da Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP. Universidade Federal do Amazonas

As residentes Ana Maria Carreño e Isy Lima Peixoto (foto), do Serviço de Residência Médica em Dermatologia do Hospital Universitário Getúlio Vargas/Universidade Federal do Amazonas (Ufam), tiveram seus trabalhos selecionados pelo becário do III Encontro Internacional de Médicos Residentes em Dermatologia/Cilad, a ser realizado em Cádiz (Espanha), em novembro. Os artigos foram “Lobomicose recalcitrante da Amazônia brasileira” e “Leishmaniose tegumentar americana: uma apresentação clínica exuberante”, respectivamente. Jornal da SBD ● Ano XV n.5 ● 31


Serviços Credenciados W Mogi das Cruzes

A ação comunitária “Avalie a saúde de sua pele”, realizada por alunos e professores da área de dermatologia do curso de medicina da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC), contabilizou cerca de 250 atendimentos em sua Policlínica no dia 20 de setembro. Os pacientes

receberam orientação de tratamentos adequados e, dependendo do caso, foram agendados para nova verificação. “Mais do que uma iniciativa de atendimento e consulta, o evento teve o objetivo de começar um projeto de educação e de conscientização junto aos membros da comunidade”, explicou a chefe do Serviço de Dermatologia da UMC, Denise Steiner. Durante o encontro, houve apresentação de palestra sobre os cuidados básicos e prevenção de doenças da pele, abordando os vários tipos de câncer da pele, suas características e cuidados necessários para evitá-los e tratá-los. Denise Steiner informou que os pacientes que tiveram problemas detectados serão tratados, gratuitamente, na própria Policlínica.

Hospital Universitário Julio Muller Imip

Da esq. para a dir.: Eryka Silveira (R2), Graciela Araújo (professora voluntária), Denise Borges (R2), Natasha Crepaldi (professora voluntária), Edson Martins (professor de cirurgia dermatológica), Elizabeth Moreno (chefe do Serviço), Paulo Pacola (professor voluntário), Tassia Poit (R1), Cláudia Parente (professora voluntária de dermatologia pediátrica)

No dia 25 de agosto, foi realizada no Hospital Universitário Julio Muller (HUJM) palestra sobre cirurgia micrográfica, sob o comando do médico Paulo Pacola, que atualmente é professor voluntário do Serviço de Dermatologia do HUJM. No mês de setembro, o Serviço realizou duas palestras: no dia 14, a enfermeira Idevânia Costa falou sobre feridas crônicas, sua especialidade; e, no dia 21, células inflamatórias foi tema da aula ministrada pela médica Ivana Menezes.

O livro Dermatologia: do nascer ao envelhecer, do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), será lançado ainda este ano pela editora Medbook. A publicação aborda as dermatoses mais frequentes distribuídas por faixa etária e por situações especiais, como as alterações fisiológicas e dermatoses na gravidez. Alguns procedimentos avançados em dermatologia também foram contemplados; são eles laser, terapia fotodinâmica, eletrocirurgia e criocirurgia. “Além da equipe do Imip, a obra tem a colaboração de dermatologistas de outros serviços credenciados de Recife, do Distrito Federal e dos estados da Paraíba, de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. Foram agregados também médicos de outras especialidades afins, como reumatologistas, clínicos, pediatras, oncologistas, infectologistas e patologistas para uma abordagem integrada das dermatoses em doenças sistêmicas”, explica a organizadora do livro e chefe do Serviço, Mecciene Mendes Rodrigues.

Ceder No dia 22 de agosto, o Centro de Estudos Dermatológicos do Recife (Ceder) promoveu curso de capacitação para seus especializandos sobre o uso cosmético da toxina botulínica, pontos básicos e avançados. O coordenador do ambulatório de cosmiatria, Emerson de Andrade Lima, proferiu aula teórica de anatomia da face, características dos produtos, indicações e formas de utilização. A chefe de Serviço, Silvia Carvalho, afirmou que a prática em sessão hands on possibilitou aos alunos a oportunidade de treinar os conhecimentos obtidos. Ela lembra que no Ceder funcionam ambulatórios especializados de unhas e cicatrizes, sob a orientação da vice-presidente da SBD, Sarita Martins, recentemente eleita para o board of directors da Sociedade Internacional de Cirurgia Dermatológica (ISDS, na sigla em inglês). “A eleição da Dra. Sarita para integrar seleto grupo é motivo de satisfação e de orgulho para a dermatologia brasileira e em especial a do Nordeste.” Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre

O Serviço de Dermatologia da Santa Casa participou do I Simpósio Internacional de Psoríase, realizado em São Paulo, por intermédio do responsável pelo ambulatório de psoríase, André V. E. de Carvalho (à esq.), palestrante no evento. O encontro também contou com as presenças dos doutores Ricardo Romiti (à dir.), do ambulatório de Psoríase do HC (SP) e de Marc Bourcier, de Edmonton, Canadá (no centro), que deu aula sobre os comunicados e apresentações realizados no último Congresso Mundial de Psoríase, assim como relatos preliminares sobre estudos de fase III com novos anticorpos monoclonais e pequenas moléculas, como o apremilast e os inibidores da Janus kinase (JAK).

Hospital Universitário Clementino Filho O Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário Clementino Filho (HUCFF/UFRJ) teve a honra de receber, no final do mês de julho, a professora-associada de dermatologia da Harvard University e chefe do serviço de dermatologia da Lahey Clinic, em Boston, Estados Unidos, Suzanne Olbricht. Durante uma semana, a professora ministrou aulas teóricas e demonstrações práticas de cirurgia de Mohs para os residentes alunos de especialização, staffs e convidados, além de proferir a palestra da reunião mensal da SBD-RJ.

32 ● Jornal da SBD ● Ano XV n.5

As professoras Suzanne Olbricht, de azul, e Cleide Ishida, de verde, demonstrando a cirurgia de Mohs, cercadas de residentes e staffs do Serviço

Professores Cleide Ishida, Suzanne Olbricht, Marcia Ramos e Silva, Flavio Luz, Inácio Faver e Pedro Briggs, com residentes e especializandos do Serviço

Jornal da SBD - Nº 5 Setembro / Outubro 2011  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you