Page 1

BR ASIL R O T Á R I O O

ANOS

EDIÇÃO HISTÓRICA

A revista faz aniversário e comemora com você


ANNO I

DAR DE SI ANTES DE PENSAR EM SI

Endereço Postal: Caixa do Correio Nº 2682 Endereço Telegraphico: ROTARY CLUB-RIO de JANEIRO-BRASIL.

PORQUE . . . Sentindo cada vez mas a necessidade de podermos levar aos nossos socios informações exactas do que é Rotary, e talvez indicar como poderia cada um melhor servir a communidade em que vive, isto é, este nosso caro Rio de Janeiro, nos animamos a fazer publicar este pequeno boletim. Deve este impresso servir, não somente para trazer Educação Rotaria aos nossos sócios, como tambem dar-nos um meio de levarmos aos demais rotarianos das Americas, e quiçá, todos os paizes latinos, os nosso sentimentos de fraternidade, e assim vir a auxiliar a extreitar os laços de amizade que nos devem unir. A’ todos aquelles que fallam e comprehendem o inglez, o “Rotarian”, orgão do Rotary International, permitte essa communhão intellecctual, porém nos paizes latinos onde nem sempre é essa lingua conhecida, torna-se difficil divulgar os ideaes do Rotary e os seus trabalhos. Offereccer, portanto, as nossas columnas a todo rotariano que queira auxiliar o desenvolvimento de Rotary, nada mais é que nossa obrigação. D’ora avante será este boletim publicado a tempo de poder servir para lembrar aos socios as datas de nossos almoços, e tambem informar-lhes sobre o programma de cada reunião. Relatar resumidamente o que se discutir e fazer nessas reuniões será tambem parte do nosso programma. Pedindo a todos os nossos socios a sua critica, esperamos encontrar, o apoio de que carecemos para fazermos deste boletim um vehiculo de propaganda rotaria de indiscutivel valor. A DIRECTORIA. ROTARY NO RIO DE JANEIRO Quando em novembro de 1922, visitava o Sr. Herbert P. Coates a cidade do Rio de Janeiro, representando o Rotary Internacional como Commissario Especial na America do Sul, com o objectivo de aqui fundar um Rotary Club, a idéa já nos era conhecida. Algum tempo antes, duas ou tres pessoas já haviam procurado organizar no Rio de Janeiro um Rotary Club. Por esta ou aquella razão, coube, porém, ao Sr. Coates o prazer de levar a cabo esta empreza. Herbert Coates, negociante em Montevidéo de artigos para escriptorios commerciaes, come-

14 de Novembro de 1924 Sexta-feira

çou a interessar-se pelas idéas de Rotary em 1916, e desde ahi vem dando a Rotary grande parte do seu tempo, e empregando muito esforço para argumentar o numero de clubs na America do Sul. Foi elle o fundador do club de Montevidéo, do qual era secretario por ocasião de sua visita ao Rio em 1922. Depois de duas outres reuniões preliminares, fundou Coates o Rotary Club do Rio de Janeiro no dia 15 de Dezembro de 1922, tendo ao redor de si nesse almoço, dezesseis elementos da vida commercial e profissional desta cidade. A primeira Directoria desse novo Club ficou assim organizada: Presidente, Dr. João Thomé de Saboya e Silva; 1º Vice-presidente, Dr. Fernando de Magalhães; 2º Vice-presidente, Dr. Lewis Wendell Hackett; 1º Secretario, Dr. Roberto J. Shalders; 2º Secretario, Sr. Henry Herman Lichtwardt. Em seu inicio andava o club às apalpadelas, porquanto, si bem que simples os seus principios, era justamente esta simplicidade que difficultava a tarefa dos seus organizadores. Como explicar a homens feitos, homens occupando posição social e commercial elevada, que se organizára um club, cujo fim principal é HONESTIDADE MORALIDADE CARIDADE ? Aos poucos crescia o club em numero de socios e se solidificava em torno de seus principios. Adoptára o Rotary Club do Rio de Janeiro para seus Estatutos e Regulamento Interno, as mesmas leis observadas pela maioria de Rotary Clubs do mundo, e que lhe são indicadas pelo Rotary International. Em obediencia a esses Estatutos, vagaroso tinha que ser o crescimento do novo club, pois em seu primeiro anno de vida apenas tres novos socios por mês podem ser admitidos. Quando em Abril de 1924 acabava o mandato da primeira Directoria contava o club com 28 socios activos não sendo maior esse numero porque durante esse periodo deixaram alguns socios de pertencer ao club. E’ triste registrar o fallecimento de 10 de Junho de 1923, do Dr. José Simão da Costa. Foi causa da

NUMERO 1

Secretario: Dr. Roberto James Shalders Rua da Quitanda Nº 141 Telephones: Norte, 6452.6453,6454

sahida de alguns a mudança de suas residencias, e de outros o terem deixado de comparecer ás reuniões com a frequencia a que eram estatutoriamente obrigados. Nesse primeiro periodo de vida, com a retirada do Dr. Lewis W. Hackett, foi eleito 2º VicePresidente do Club, o Sr. Renato da Rocha Miranda e, durante muitas reuniões, viram-se os 1º e 2º Vice-Presidentes obrigados a dirigir os trabalhos, por estar o Presidente João Thomé ausente do Rio. Por ocasião da fundação do Club, ficára determinado que a primeira Directoria teria mandado até 30 de Abril de 1924. No meio do segundo anno de vida rotaria, mudava o Club de Directoria, e eram eleitos para os diversos cargos os rotarianos: Presidente, Francisco de Oliveira Passos; 1º Vice-Presidente, Octavio da Rocha Miranda; 2º Vice-Presidente, Edmundo de Miranda Jordão; 1º Secretario, Roberto J. Shalders; 2º Secretario, Reginald Gorham. Deve aqui ficar registrado como o maior esforço do Club na primeira parte do seu segundo anno de vida, o ter pensado conseguir para a cidade do Rio de Janeiro a reunião da Convenção Internacional dos Rotary Clubs para 1925, e ter providenciado para que um dos seus socios o representasse na Convenção Internacional de 1924, a realizar-se em Toronto, de 14 a 20 de Junho e ahi lançasse seu convite com referencia a 1925. A’ Europa mais ou menos n’essa epocha, levado por suas obrigações commerciaes, iria o socio Roberto Shalders, e a esse rotariano achou o Club dever mandar á Toronto. No mesmo período de tempo a que vimos nos referindo, nasceu tambem a idéa de organizar-se no Rio de Janeiro uma Feira Internacional de Amostras, idéa levantada pelo rotariano Francisco de Oliveira Passos, a qual merecendo grandes esforços desde então, proporcionou ao Club a opportunidade de a ver apoiada com enthusiasmo por todas as Associações de Classe existentes em nossa Capital. Nossos primeiros mezes muitos foram os rotarianos extrangeiros que visitaram o Rio de Janeiro e de todos estes obtiveram os rotarianos cariocas palavras de


A

revista Brasil Rotário completa, neste mês de novembro de 2009, seu 85º aniversário. Ela teve sua origem em um boletim do Rotary Club do Rio de Janeiro, o mais antigo do Brasil, intitulado Notícias Rotárias, lançado no ano de 1924, isto é, um ano depois da admissão desse clube no Rotary International. Posteriormente, passou a se chamar, já sob a forma de revista, Rotary Brasileiro, e mais tarde, em janeiro de 1951, adotou a denominação atual, Brasil Rotário. Hoje são 54.200 exemplares destinados aos rotarianos do Brasil e de outros países de língua portuguesa e a assinantes voluntários. Durante muitos anos nossa revista foi dirigida de forma amadorística por rotarianos de escol, dotados de muito boa vontade e disposição para o trabalho, mas que não tinham conhecimento específico de jornalismo. Foram eles os saudosos Genebaldo Rosas, Álvaro Borgerth Teixeira, Alberto Pires Amarante, Paulo Kastrup Filho e Luiz Phelippe Saldanha da Gama Murgel. A todos eles, um sincero preito de saudade. Em 1995, a situação mudou radicalmente. O então presidente da Cooperativa Editora Brasil Rotário, Roberto Petis Fernandes, teve a feliz iniciativa de convidar para assumir a editoração da revista o saudoso jornalista e publicitário, o companheiro Lindoval Geraldo Fernandes de Oliveira, responsável por seu grande salto de qualidade. A partir de então, a revista cresceu a ponto de, em 2001, ser considerada por Candy Isaac, coordenadora sênior das revistas rotárias regionais, a melhor de todas elas. Já o grande salto administrativo ocorreu em março de 2007, com a eleição de uma nova diretoria por mim presidida, quando foi implementada uma rigorosa política de corte de despesas, que permitiu a redução do déficit mensal então existente e o controle da inadimplência, que passava de 20% e hoje está em torno de 1%, graças também à eficiente atuação dos governadores dos 38 distritos brasileiros dos períodos 2007-08, 2008-09 e 2009-10. Nossa intenção é aprimorar sempre a revista, para que sua leitura seja mais agradável e proveitosa para todos os seus leitores.

Carlos Henrique de C. Fróes Presidente da Cooperativa Editora Brasil Rotário e editor da revista


 Algumas capas da revista nas últimas nove décadas


Sucessora de “Notícias Rotárias” e “Rotary Brasileiro”. Publicação mensal dedicada à divulgação do Ideal de Servir. Revista regional oficial do Rotary International para os rotarianos do Brasil. Monika Lozinska-Lee/RI

PROJETO VERDE do Rotary: pipas levam água para um ecoparque na Mongólia

Pág.

19 Sérgio Afonso

Sumário 05 Mensagem do presidente John Kenny

10 COLUNA DO DIRETOR DO RI O futuro e as lideranças no Rotary International

NO GETS de Gramado, treinamento dos governadores distritais 2010-11

Pág.

Antonio Hallage

12 Fundação Rotária: garantia de solidariedade Bemvindo Augusto Dias

14 Os dois rounds

Luiz Renato Dantas Coutinho e Renata Coré

26

34 COLUNA DOS COORDENADORES REGIONAIS DA FR Novembro é o mês da Fundação Rotária Altimar Augusto Fernandes e Henrique Vasconcelos

19 GLOBAL OUTLOOK O desafio da água potável

35 COLUNA DO CHAIR DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA Cause impacto doando à Fundação

26 INSTITUTO DE GRAMADO Avaliando o presente para planejar o futuro

38 Regulamentar é preciso

Sérgio Afonso

Glenn Estess Sr.

Sebastião Alvino Colomarte

04 Cartas e recados  Saudades

44 Distritos em revista

06 Curtas Brasil

59 Senhoras em ação

07 Curtas Mundo

60 Novos Companheiros Paul Harris

08 Aconteceu na Brasil Rotário

62 Os 50 mais

36 Cultura

63 Autores rotarianos

40 Interact e Rotaract

64 Relax

43 Quantos somos

Capa: Arte de Armando Santos

SEÇÕES


ROTARY INTERNATIONAL ONE ROTARY CENTER

CONSELHO DIRETOR 2009-10

1560 SHERMAN AVENUE

EVANSTON, ILLINOIS, USA

GOVERNADORES DE DISTRITOS NO BRASIL EM 2009-10 DISTRITO 4310 Emilio Carlos Cassano Rotary Club de Piracicaba-Povoador, SP

DISTRITO 4600 Ettore Dalboni da Cunha Rotary Club de Volta Redonda, RJ

DISTRITO 4390 Elder Silveira Sobral Rotary Club de Itaporanga D’Ajuda, SE

DISTRITO 4610 Reinaldo Aparecido Domingos Rotary Club de São Paulo-Jabaquara, SP

VICE-PRESIDENTE Eric E. Lacoste Adamson

DISTRITO 4410 Almiro Schimidt Rotary Club de Colatina-São Silvano, ES

DISTRITO 4620 Clovis Rodrigues Felipe Rotary Club de Avaré, SP

TESOUREIRO Michael Colasurdo Sr.

DISTRITO 4420 Roberto Luiz Barroso Filho Rotary Club de Santos, SP

DISTRITO 4630 José Claudiney Rocco Rotary Club de Cianorte, PR

DISTRITO 4430 Juvenal Antonio da Silva Rotary Club de Suzano, SP

DISTRITO 4640 César Luis Scherer Rotary Club de Marechal Cândido Rondon-Beira Lago, PR

DISTRITO 4440 Nelson Pereira Lopes Rotary Club de Rondonópolis, MT

DISTRITO 4650 Ernoe Eger Rotary Club de Blumenau-Norte, SC

DISTRITO 4470 Sergio de Araújo Philbois Rotary Club de Corumbá, MS

DISTRITO 4651 Paulo Fernando Branco Rotary Club de Balneário Camboriú-Norte, SC

DISTRITO 4480 Sueli Noronha Kaiser Rotary Club de São José do Rio Preto, SP

DISTRITO 4660 Olandino Roberto Rotary Club de Ijuí, RS

DISTRITO 4490 Pedro Augusto Pedreira Martins Rotary Club de Teresina-Piçarra, PI

DISTRITO 4670 Paulo Meinhardt Rotary Club de Xangri-lá, RS

DISTRITO 4500 Francisco Leandro de Araujo Jr. Rotary Club do Recife, PE

DISTRITO 4680 Carlos Roberto Silveira Borges Rotary Club de Guaíba, RS

DISTRITO 4510 José Uracy Fontana Rotary Club de Cândido Mota, SP

DISTRITO 4700 Evaristo Andreolla Rotary Club de Sananduva, RS

DISTRITO 4520 Itamar Duarte Ferreira Rotary Club de Sete Lagoas, MG

DISTRITO 4710 José Machado Botelho Rotary Club de Londrina-Norte, PR

DISTRITO 4530 Adriano Jorge Souto Rotary Club de Brasília-Centenário, DF

DISTRITO 4720 Antônio Lopes Lourenço Rotary Club de Belém-Norte, PA

DISTRITO 4540 Osvaldo Pontes Rotary Club de Sertãozinho, SP

DISTRITO 4730 Alcino de Andrade Tigrinho Rotary Club de São José dos Pinhais-Afonso Pena, PR

DISTRITO 4550 Luiz Antonio Souza Coelho Rotary Club de Itabuna, BA

DISTRITO 4740 Estanislao Díaz Dávalos Rotary Club de Chapecó-Oeste, SC

DISTRITO 4560 Carlos Alberto Dias Coelho Rotary Club de Itajubá, MG

DISTRITO 4750 Luiz Oscar Spitz Rotary Club de Araruama, RJ

DISTRITO 4570 Alcio Augusto Carpes Athayde Rotary Club do Rio de Janeiro-Galeão, RJ

DISTRITO 4760 Maria Inês Silveira Carlos Rotary Club de Francisco Sá-Norte, MG

DISTRITO 4580 José Antonio Cúgula Guedes Rotary Club de Juiz de Fora-Norte, MG

DISTRITO 4770 Nelson Marra de Oliveira Rotary Club de Ipameri, GO

DISTRITO 4590 Antonio Ademir Bobice Rotary Club de Limeira-Leste, SP

DISTRITO 4780 Lia Silvia Souza Pereira Rotary Club de Caçapava do Sul-Sentinela, RS

PRESIDENTE John Kenny PRESIDENTE-ELEITO Ray Klinginsmith

DIRETORES Antonio Hallage Catherine Noyer-Riveau David Liddiatt Ekkehart Pandel Frederick Hahn Jr. Jackson San-Lien Hsieh John Blount John Lawrence José Alfredo Sepúlveda K. R. Ravindran Kyu Hang Lee Lars-Olof Fredriksson Masahiro Kuroda Philip Silvers Thomas Thorfinnson SECRETÁRIO-GERAL Edwin Futa

CURADORES DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA 2009-10 CHAIR Glenn Estess Sr. CHAIR ELEITO Carl-Wilhelm Stenhammar VICE-CHAIR John Germ CURADORES Ashok Mahajan David Morgan Doh Bae Gustavo Gross C. José Antonio Salazar Cruz Louis Piconi Lynn Hammond Ron Burton Sakuji Tanaka Samuel Okudzeto Wilfrid Wilkinson William Boyd SECRETÁRIO-GERAL Edwin Futa

ÉTICA. Um princípio que não pode ter fim. Campanha em prol de mais elevados padrões de ética. Apoio dos Rotary Clubs do Brasil 2 NOVEMBRO

DE

2009


Ano 85 Novembro, 2009 nº1049 Revista de Propriedade da Cooperativa Editora Brasil Rotário CNPJ 33.266.784/0001-53 I Inscrição Municipal 00.883.425 Av. Rio Branco, 125, 18º andar CEP: 20040-006 – Sede própria Rio de Janeiro – RJ I Tel: (21) 2506-5600 / FAX: (21) 2506-5601 Site: www.brasil-rotario.com.br I E-mail: revista@brasil-rotario.com.br

CONSELHO SUPERIOR (Colégio de Diretores do RI – Zonas 22 e 23 A) Mário de Oliveira Antonino (Recife-PE) EDRI 1985-87 Gerson Gonçalves (Londrina-PR) EDRI 1993-95 José Alfredo Pretoni (São Paulo-SP) EDRI 1995-97 Hipólito Sérgio Ferreira (Belo Horizonte-MG) EDRI 1999-01

Alceu Antimo Vezozzo (Curitiba-PR) EDRI 2001-03 Luiz Coelho de Oliveira (Limeira-SP) EDRI 2003-05 Themístocles A. C. Pinho (Niterói-RJ) EDRI 2007-09 Antonio Hallage (Curitiba-PR) DRI 2009-11

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 2009-11 Diretoria Executiva Presidente Carlos Henrique de Carvalho Fróes Vice-Presidente de Operações Edson Avellar da Silva Vice-Presidente de Administração Waldenir de Bragança Vice-Presidente de Finanças Wilmar Garcia Barbosa Vice-Presidente de Planejamento e Controle Bemvindo Augusto Dias Vice-Presidente de Marketing José Alves Fortes Vice-Presidente de Relações Institucionais Carlos Jerônimo da Silva Gueiros Vice-Presidente Jurídico Jorge Bragança

Joper Padrão do Espírito Santo Taketoshi Higuchi Vicente Herculano da Silva

MEMBROS EFETIVOS Adelia Antonieta Villas Fernando Antonio Quintella Ribeiro Hertz Uderman José Luiz Fonseca José Moutinho Duarte José Ubiracy Silva Nelson Pereira Lopes Ricardo Vieira Lima Magalhães Gondim MEMBROS SUPLENTES Antônio Vilardo Aroldo Mendes de Araújo Herlon Monteiro Fontes GERENTE EXECUTIVO Gilberto Geisselmann ASSESSORES Alberto de Freitas Brandão Bittencourt Dulce Grünewald Lopes de Oliveira Eduardo Alvares de Souza Soares Eduardo de Barros Pimentel Fausto de Oliveira Campos Fernando Teixeira Reis de Souza Flávio Antônio Queiroga Mendlovitz Gedson Junqueira Bersanete Geraldo da Conceição Ivo Arzua Pereira

CONSELHO FISCAL Membros efetivos Nilson Moura Ril Moura Sebastião Porto (coordenador) Suplentes Artur Vieira da Cruz Carmelinda Amália Maria Maliska Cleofas Paes de Santiago CONSELHO CONSULTIVO DE GOVERNADORES Membros natos efetivos Governadores 2009-10 Representante Nelson Pereira Lopes Suplentes Governadores eleitos 2010-11 COMISSÃO EDITORIAL EXECUTIVA Presidente Carlos Henrique de Carvalho Fróes Membros Bemvindo Augusto Dias Edson Avellar da Silva José Alves Fortes Luiz Renato Dantas Coutinho Nuno Virgílio Neto Secretário Gilberto Geisselmann CONSELHO EDITORIAL CONSULTIVO Presidente Carlos Henrique de Carvalho Fróes Membros Bemvindo Augusto Dias Edson Avellar da Silva Fernando Antonio Quintella Ribeiro José Alves Fortes José Ubiracy Silva Mário César de Camargo Secretário Gilberto Geisselmann

EXPEDIENTE EDITOR: Carlos Henrique de Carvalho Fróes JORNALISTA RESPONSÁVEL: Luiz Renato D. Coutinho – Jorn. Prof. 25583RJ REDATOR-CHEFE: Nuno Virgílio Neto REDAÇÃO: Alex Mendes, Armando Santos, Luiz Renato Dantas Coutinho, Maria Cristina Andrade, Maria Lúcia Ribeiro de Sousa, Nuno Virgílio Neto e Renata Coré DIGITALIZAÇÃO: Maurício Teixeira IMPRESSÃO: Log & Print Gráfica e Logística S.A. TIRAGEM DESTA EDIÇÃO: 54.200 exemplares ENDEREÇO: Av. Rio Branco, 125 – 18º andar – Rio de Janeiro – RJ CEP 20040-006 – Tel.: (21) 2506-5600 E-MAIL DA REDAÇÃO: redacao@brasil-rotario.com.br HOMEPAGE: www.brasil-rotario.com.br *As matérias assinadas são de inteira responsabilidade dos seus autores.

Leia

A

quele foi um ano agitado. Em julho, revoltas tenentistas eclodiram no Sul e no Sudeste do Brasil. Estamos falando de 1924. O então presidente, Arthur Bernardes, sem conseguir controlar as pressões políticas, governava o país utilizando o estado de sítio. Enquanto isso, em novembro, no Rio de Janeiro, um grupo de homens que se reunia para pensar o servir, o companheirismo e a harmonia social lançava o primeiro exemplar de uma mídia brasileira do Rotary International. Nascia Notícias Rotárias, posteriormente batizada de Rotary Brasileiro e, finalmente, Brasil Rotário. O exemplar que o leitor tem aqui é o resultado desse longo caminho traçado por muitas pessoas no correr de gerações, e pavimentado por sonhos e projetos. Companheirismo lembra solidariedade, que remete às ênfases da nossa instituição no bemestar da humanidade. O suplemento Global Outlook desta vez tem como tema os recursos hídricos, saneamento e higiene. No mundo, 2,5 bilhões de pessoas não têm acesso a condições mínimas de saneamento. Aqui o leitor saberá como o Rotary tem abordado essa grave questão de saúde pública, transformando comunidades e apontando soluções, muitas delas tão criativas quanto simples. Criatividade tem aparecido juntamente com a garra no combate à pólio pelos rotarianos. Por isso, a segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite no Brasil mereceu nosso destaque. Novembro é dedicado à Fundação Rotária. O EGD Bemvindo Augusto Dias aproveita a oportunidade para apresentar os meandros dessa instituição que já tem 92 anos. Conhecê-la melhor é a chave para a criação de projetos e programas factíveis. Por fim, e não menos importante, nossa edição traz a última parte da cobertura do Instituto de Gramado, com destaque para os Grupos de Discussão de Ideias, o VI Encontro de Rotarianos de Países de Língua Portuguesa, a Assembleia da ABTRF, além de um resumo das atividades que antecederam o grande encontro nacional. Desejando muitos e muitos anos de boa leitura para você, abrimos essa edição de 85 anos.

B RASIL R OTÁRIO 3


Cartas & Recados  No início de outubro, enquanto recuperava-se de uma pneumonia, o presidente do Rotary International, John Kenny, recebeu uma mensagem com votos de melhoras enviada pelo presidente da Cooperativa Editora Brasil Rotário e editor da revista, Carlos Henrique de C. Fróes. Kenny também recebeu um exemplar de outubro da Brasil Rotário, em que ele aparece na capa ao lado do diretor do Rotary International, Antonio Hallage, durante o Instituto Rotary de Gramado. Em resposta, o presidente do RI escreveu a Carlos Fróes: “Prezado Carlos, Obrigado por seus bons votos e também por ter enviado um exemplar da excelente revista Brasil Rotário. Saudações, John”

Seu clube já respondeu ao recadastramento 2009-10? Todos os anos, a Brasil Rotário solicita aos Rotary Clubs que atualizem os dados para recebimento e cobrança da revista. Se o seu clube ainda não preencheu o formulário, agora você tem a opção de fazer isto pela internet, através do nosso site.

Acesse www.brasil-rotario.com.br

e ajude a revista a ficar cada vez mais perto do seu clube. Brasil Rotário: servindo através da comunicação

Saudades Aníbal de Freitas, um dos fundadores do RC de São Paulo-Jaçanã, SP (D. 4430).   

Antônio Coércio Filho, companheiro do RC de Marília, SP (D. 4510).

A Seu Serviço Escritório do RI no Brasil Home page: http://www.rotar y.org.br Endereço Rua Tagipuru, 209 São Paulo – SP – Brasil CEP: 01156-000 Tel: (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575 Horário: 2ª a 6ª, de 8h às 17h Gerente Celso Fontanelli celso.fontanelli@rotar y.org Quadro Social (Assistência aos Governadores de Distrito e aos Clubes) Débora Watanabe <debora.watanabe@rotary.org> Supervisor da Fundação Rotária Edilson M. Gushiken <edilson.gushiken@rotary.org> Supervisor Financeiro Carlos A. Afonso <carlos.afonso@rotar y.org> Encomendas de Publicações, Materiais e Programas Audiovisuais Clarita Urey clarita.urey@rotar y.org Tel.: (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575

  

Victório Cardassi, governador 1974-75 do distrito 4540 e associado do RC de Bebedouro, SP.   

Haroldo Ginther Emmel, um dos fundadores do RC de Santa Cruz do Sul-Oeste, RS (D. 4680).   

Mario Alvisius Assmann, companheiro do RC de Santa Cruz do Sul-Oeste, RS (D. 4680).   

Celso Araújo, associado do RC de Belo Horizonte-Barreiro, MG (D. 4760).   

Jorge Suñe Grillo, governador 1993-94 do distrito 4780 e associado do RC de Bagé, RS.

4 NOVEMBRO

DE

2009

Rotary International Secretaria (Sede Mundial) 1560 Sherman Avenue,Evanston, Il 60201 USA Phone: 00-21-1847 8663000 Fax: 00-21-1847 328-8554 Horário: 8h30 às 16h45 (horário de Washington)


Mensagem do Presidente M EUS

COMPANHEIROS ROTARIANOS ,

dramaturgo George Bernard Shaw certa feita escreveu: “A imaginação é o início da criação. Você imagina o que deseja; quer aquilo que imagina; e, finalmente, você cria o que deseja”. Não haverá neste mundo escassez de pessoas capazes de imaginar um futuro melhor. Entretanto, no Rotary, nós não nos limitamos a imaginar o futuro – nós o desejamos e trabalhamos para criá-lo. Isso é feito por intermédio de nossas duas grandes forças: nossos Rotary Clubs e nossa Fundação Rotária. Ao longo dos anos, tenho tido o privilégio de testemunhar em primeira mão os frutos do trabalho excepcional realizado por rotarianos de todo o mundo, apoiados pelos programas da nossa Fundação. Algo que me impressiona é como esses programas não estão focados na satisfação a curto prazo ou em recompensa para os doadores. Os melhores programas e projetos do Rotary dedicam-se à construção do futuro – e à melhoria das vidas das gerações vindouras. Há duas décadas, nós, rotarianos, fizemos uma promessa: tornar a vida melhor no mundo inteiro, para sempre, com a eliminação da pólio. Este objetivo sempre foi ambicioso, mas realista. E agora, graças à nossa Fundação Rotária, estamos mais próximos do que nunca de atingir a meta. Minha esperança é que, com a ajuda da Fundação Bill & Melinda Gates e o Desafio de 200 Milhões de Dólares do Rotary, logo chegará o dia em que poderemos dizer que deixamos a pólio no passado. Porque se falharmos agora, o teremos feito perante todos os que se foram antes de nós e perante as crianças a quem fizemos a nossa promessa. Se falharmos, estaremos pondo em risco o nosso bom nome e os de todos os rotarianos que nos precederam. Nós não falharemos. Nós podemos e temos de ser bem-sucedidos. Sei que cada um de vocês reconhece que O Futuro do Rotary Está em Suas Mãos – assim como o futuro da nossa Fundação.

O

NA REDE

Leia os pronunciamentos e as notícias do presidente do RI John Kenny acessando o site www.rotary.org/president

JOHN KENNY Presidente do Rotary International

B RASIL R OTÁRIO 5


Curtas Brasil

Ensino da FRSP é comparado a modelo internacional A

Fundação de Rotarianos de São Paulo (FRSP) recebeu a visita de Darrell Fraser, secretário do Departamento de Educação do Estado de Victoria, na Austrália, desde 2004. Durante a temporada no Brasil, Fraser proferiu palestras e esteve nas unidades Higienópolis e Granja Viana da FRSP. Segundo o visitante, o ensino da fundação – mantenedora do Colégio Rio Branco, Faculdades Rio Branco, Escola para Crianças Surdas Rio Branco e Centro Profissionalizante Rio Branco – guarda similaridades com o modelo implementado em escolas australianas e reconhecido internacionalmente pela eficiência alcançada na educação. A importância do modelo em questão já foi ratificada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, órgão intergovernamental que agrupa os países mais industrializados. Na foto, Fraser (quinto a partir da esquerda) aparece acompanhado dos EGDs Carlos Jerônimo da

Fim beneficente para selos Selos usados, porém com as bordas preservadas, podem ter um destino bem mais nobre do que o lixo. Por meio de uma campanha, o Rotary recolhe selos já utilizados e os envia para a instituição de caridade alemã Bodelschwingsche Anstalten Bethel. A entidade aplica a receita obtida com as vendas a filatelistas na assistência a crianças, jovens e adultos que sofrem de epilepsia e problemas psíquicos, entre outros. No Brasil, o coordenador geral da campanha é o EGD do distrito 4430 Iscandar Tayar. Quem quiser colaborar pode entrar em contato com a sede do distrito 4670, que fica na avenida Assis Brasil, 3532 sala 810, bairro Lindoia, em Porto Alegre. Os telefones da sede do distrito são 51-3026-5124 e 3026-5709. O contato também pode ser feito pelo e-mail silviobs@portoweb.com.br do rotariano Sílvio Bittencourt e Silva, do RC de Gravataí, RS.

redesenhado

6 NOVEMBRO

DE

2009

Silva Gueiros e José Antonio Figueiredo Antiório, Judy Petch, Stephen Sullivan, EGD Eduardo de Barros Pimentel e Marco Antonio Rossi, estes dois últimos, respectivamente, presidente e superintendente da FRSP

Velejadores do Rotary conquistam vice-campeonato Os velejadores do Grupo de Companheirismo International Yachting Fellowship of Rotarians (IYFR) Brasil-SP Arno Buchli Jr., do RC de São Paulo-Imigrantes (D. 4610), e Maurício Mirando, do RC de São Bernardo do Campo (D. 4420), sagraram-se vice-campeões na classe Delta 32 durante a Semana Internacional de Vela de Ilhabela 2009. Promovido pelo Yacht Club local e divulgado pelo RC de Ilhabela (D. 4600), o evento contou com a adesão de mais de 200 embarcações veleiros de classe oceano. Além dos vice-campeões, saudados com faixas de boas-vindas pelos companheiros, outros integrantes do Grupo de Companheirismo IYFR Brasil-SP participaram da semana de vela.


Curtas Mundo

Escolha de Banerjee confirmada omo não houve candidaturas opositoras à dele até o dia 1o de outubro, o indiano Kaylan Banerjee é oficialmente o presidente-indicado do Rotary International para o ano 2011-12. Associado do Rotary Club de Vapi, na Índia, desde 1972, ele afirmou que gostaria de ver o Rotary “evoluir da condição de ONG mais respeitada do mundo à condição de ONG mais importante do planeta”. Banerjee enfatiza que as grandes forças do Rotary estão em sua capacidade de atrair líderes de diferentes profissões de todo o mundo e no seu papel como promotor da paz. “O Rotary precisa tornar-se a organização de prestação de serviços preferida da geração atual no que diz respeito a colaborarmos com a construção de um mundo melhor, mais seguro e feliz”, ele disse.

C

Notícias do Conselho Diretor

Rotary comemora seu dia na ONU

C

omo acontece anualmente, no dia 7 deste mês rotarianos de todo o mundo reúnem-se no escritório central das Nações Unidas, em Nova York, para celebrar o Dia do Rotary na ONU. O programa deste ano traz painéis com debates sobre a água, alfabetização, saúde e juventude, entre outros temas. Palestrantes da ONU, do Rotary e de outras organizações não governamentais conduzem os painéis. O relacionamento entre o Rotary e a as Nações Unidas data de 1948, quando 49 rotarianos participaram da reunião de criação da ONU. Saiba mais sobre esta reunião em www.riunday.org

E

m sua reunião de junho, o Conselho Diretor do Rotary International adotou um novo lema para o desenvolvimento do quadro associativo: “Traga Um, Mantenha Um”, slogan que enfatiza a necessidade de focarmos tanto o recrutamento como a retenção. Os rotarianos que apadrinharem e ajudarem a manter novos associados serão contemplados por meio do novo programa de Reconhecimento pelo Apadrinhamento de Novos Associados e Retenção, efetivado em 1º de julho. Há diversas formas de premiação: G Pin de ouro e certificado: para os rotarianos que levarem 25 associados para qualquer Rotary Club – mas é preciso que pelo menos 20 deles permaneçam ativos por um período de seis anos. G Pin de prata e certificado: para os rotarianos que levarem 10 associados para qualquer Rotary Club – mas desde que pelo menos oito deles se mantenham ativos decorridos quatro anos. G Pin de bronze e certificado: para rotarianos que levarem cinco novos companheiros para qualquer Rotary Club – mas é preciso que pelos quatro deles se mantenham ativos depois de dois anos. Mais informações sobre estes e outros prêmios podem ser encontradas no site www.rotary.org. B RASIL R OTÁRIO 7


Aconteceu na Brasil Rotário...

14 de novembro de 1924

Luiz Renato D. Coutinho

rasil: no fim de outubro começava um levante tenentista no Estado do Rio Grande do Sul. Logo a seguir, tinha início a marcha rebelde que entraria para a história como a Coluna Prestes. Eduardo Souto gravava pela Odeon uma música com uma letra picante, “Pai Adão”, e a censura fazia vista grossa. A sociedade dos anos 20 estava se tornando de fato mais liberal. Em geral, além da ópera ou do teatro, ela dispunha do rádio e frequentava os cinematógrafos, que exibiam os filmes de Hollywood estrelados por Rodolfo Valentino e Douglas Fairbanks. Para rir, havia Buster Keaton e O Gordo e O Magro, enquanto a garotada se deleitava com os desenhos do Gato Félix. Em 1923, o charleston se popularizara para se transformar no ritmo dominante da década.

B

Em 14 de novembro de 1924 era lançada Notícias Rotárias, a primeira mídia do Rotary no Brasil. Notícias, de frequência quinzenal, trazia informações sobre o RI e sobre o RC do Rio de Janeiro, o primeiro clube brasileiro, fundado no ano anterior. Em sua primeira edição, o impresso explicava a que veio: “A todos aqueles que fallam e comprehendem o inglez, o “Rotarian”, orgão do Rotary International, permitte essa communhão intelectual, porém nos paizes latinos onde nem sempre é essa lingua conhecida, torna-se difficil divulgar os ideaes do Rotary e os seus trabalhos.” Era um informativo falando a nossa língua, ancorado na realidade do nosso país. Por definição. Tratava-se do embrião da Brasil Rotário. Em julho de 1928, ocorreria uma ampliação de horizontes. O impresso adotaria o nome de Rotary Brasileiro e passaria a divulgar informações sobre todos os clubes brasileiros de então: os RCs de São Paulo (1924), Santos (1927), “Bello Horizonte” (1927), Juiz de Fora (1927) e “Nictheroy” (1928), e os outros que se seguiram (em janeiro de 1929 já eram 11 os clubes contemplados).

I

G

CARTAZ DO filme “O Ladrão de Bagdá”. A superprodução conquistou o público em 1924

A HISTORIA DE ROTARY

A primeira Convenção e a Associação Nacional

“Até o anno de 1910 nenhuma ligação official existia entre os clubs. No começo desse anno nomeou-se uma Reunião Nacional de Comissários, que relatasse as resoluções adotadas pelos clubs então existentes, fizesse os necessários preparativos para a celebração de uma convenção nacional, a primeira convenção de Rotary, assistida por mais de quarenta delegados, estando representados quatorze dos dezesseis clubs existentes. Um dos delegados a esta reunião predisse que dentro de oitenta annos haveria no mundo mais de

8 NOVEMBRO

DE

2009


ROTARY NO RIO DE JANEIRO “Aos poucos vem augmentando o entusiasmo de cada socio, e não está longe o dia em que poderemos contar com todos juntos, cada um individualmente, na execução de qualquer projecto merecedor do club. Actualmente estão em fóco os seguintes assumptos: a) A Convenção Internacional dos Rotary Clubs no Rio de Janeiro em 1926; b) Feira Internacional de Amostras no Rio; c) Natal das Creanças Pobres; d) Bibliothecas nas Escolas Municipaes; e) Campos Publicos de Desportes”.





UM DOS quatro anúncios da primeira edição

mil clubs. Esta predicção passou a ser realidade em menos de doze annos.”

1924 no mundo “O PLANO DE LIMITAR O NUMERO DE SOCIOS POR CLASSIFICAÇÃO” “Cada um dos quatro membros do Club Original em Chicago tinha um negocio differente. Os socios do club original tomaram como base não poder mais que um homem representar um mesmo ramo de negocio ou profissão. Este plano foi obedecido nos primeiros annos da expansão de Rotary e provou o valor dessa idéa fundamental.” “O PORQUE DA CLASSIFICAÇÃO E LIMITE DE SOCIOS” “Os socios de um Rotary Club servem como intermediarios ou agentes nas relações do club com a vida commercial ou profissional de sua communidade. (...) Desde o momento que um sócio deixa de ser o repre-

21 de janeiro – Vladimir Lenin morre e Joseph Stalin começa a eliminar seus rivais para facilitar seu caminho rumo à liderança absoluta na União Soviética. 12 de fevereiro – “Rhapsody in Blue”, a primeira grande obra clássica de George Gershwin, é executada em Nova York. Fevereiro – A IBM é fundada nos EUA. Março – Adolf Hitler resolve ditar um calhamaço: “Minha Luta”. 16 de abril – A Metro Goldwyn Mayer (MGM) é fundada em Los Angeles. 18 de agosto – A França começa a retirada de suas tropas da Alemanha. 4 de novembro – Nellie Tayloe Ross se torna a primeira mulher eleita governadora nos EUA, pelo estado de Wyoming.

sentante do serviço que cobre sua classificação, deixa de ser socio do club.”

BR

B RASIL R OTÁRIO 9


Coluna do Diretor do RRotary otary International Antonio Hallage

O futuro e as lideranças no Rotary International e 20 anos atrás alguém falasse em gerência no Rotary, poderia ser visto como um sacrílego ao tentar comparar nossa organização a um negócio: “O Rotary não tem níveis gerenciais inferiores que necessitem ser reestruturados”, diziam. Ao longo dos últimos anos, foi crescendo a conscientização da necessidade de níveis gerenciais não convencionais no Rotary sem que com isso se estabelecesse uma postura opressora em sua aplicação. É a gestão do consentimento, do convencimento, da motivação. É a gestão que o Rotary vem aplicando há muito tempo, e que hoje é considerada o que há de mais moderno na gestão de empresas transnacionais. Trata-se da administração por responsabilidade subsidiária, na qual as decisões são tomadas no menor nível possível. Essa forma não convencional de gestão tem a finalidade de fazer com que os líderes rotários concentrem-se em sua missão e não neles mesmos. Nos últimos anos houve também uma concentração de ações na formação e no desenvolvimento de lideranças, inicialmente em nível distrital, com o Plano de Liderança Distrital, e mais recentemente, no âmbito dos clubes, com o Plano de Liderança de Clube. Muito além de permitir o planejamento em múltiplos níveis e de forma multianual e integrada, há nestes planos um conteúdo implícito que orienta a formação de lideranças rotárias.

S

1 0 NOVEMBRO

DE

2009

AS ALTERNATIVAS Examinemos as necessidades de lideranças no Rotary. Mesmo levando em conta que alguns presidentes de clube ocuparão a posição de governadores e que alguns ex-governadores ocuparão posições de comando no Rotary International e na Fundação Rotária nos seus diversos comitês, ou como coordenadores regionais ou de áreas, o Rotary necessitará, nos próximos dez anos, capacitar cerca de 330 mil novos líders. E é esperado que eles pavimentem o caminho para os que virão depois deles. O que poderíamos fazer em relação a isso? Dispomos das seguintes alternativas: A primeira é convidar cada presidente de clube e cada governador para que sirva por cinco anos. Alguém está disponível e disposto a isso? A outra alternativa é identificar, o mais cedo possível, entre os rotarianos, aqueles que têm potencial para assumir posições de liderança no Rotary e provê-los com o melhor nível de capacitação e conhecimento. A ênfase na capacitação de no-

vas lideranças deve ser encarada com a objetividade, a competência e a intensidade que a magnitude do tema exige. Liderança é, seguramente, o tópico mais estudado em ciências sociais e também o menos entendido. E no Rotary, o que ocorre? Há alguns obstáculos para a formação continuada de lideranças rotárias: I Uma quantidade crescente de novas ONGs; I A “aposentadoria” precoce de líderes mais antigos; I A alta rotatividade de novos associados. Constatamos uma ausência de lideranças nos clubes, a ponto de, durante a Assembleia Internacional de San Diego, o presidente Bill Boyd ter afirmado a governadores eleitos de todo o mundo: “Novos rotarianos deixam seus clubes devido à falta de liderança, ao custo da afiliação e à falta de oportunidades de serviço”. Nesta mesma assembleia o EGD Steve Wilcox informava: “Uma pesquisa efetuada pela Divisão de Desenvolvi-


mento do Quadro Associativo do RI demonstra que a falta de liderança é o principal motivo de baixa de associados.” CAPACITAÇÃO Como estamos formando os líderes rotários? Podemos estar seguros de que não se forma um presidente de clube num Seminário de Treinamento de Presidentes Eleitos de Clube durante um final de semana. Igualmente não se forma um Conselho Diretor de um clube num final de semana em uma Assembleia Distrital. Temos, sim, que começar mais cedo. Temos que fazer algo a mais para capacitar esses líderes, o mais cedo possível, para quando o momento chegar. Há vários mecanismos em uso para a formação de rotarianos nos clubes e distritos: “escolas” do Rotary, programas de mentores, seminários de liderança e, mais recentemente, o Instituto de Liderança Rotário, já aplicado com sucesso pelo mundo em mais de 200 distritos. E o sucesso e o alcance dessa metodologia se baseiam no fato de que ela utiliza a formação progressiva e sistemática de rotarianos que não tenham ainda ocupado cargos no Conselho Diretor de seus clubes. Eles recebem instrução e motivação sobre vários temas, tais como: administração de um clube; administração distrital; desenvolvimento do quadro associativo; Fundação Rotária; liderança rotária; condução de projetos de prestação de serviço; como falar em público; relações e imagem pública; e diversos outros. Os temas são apresentados de forma sistemática e com complexidade crescente por experientes rotarianos de seu distrito. Esses líderes voltam a seus clubes, aplicam o que viram, e retornam para outras três eta-

pas do Instituto (com defasagem mínima de seis meses entre elas). A ênfase no desenvolvimento de lideranças constitui-se, portanto, num ajuste da visão desses líderes para posturas superiores e desafiadoras. Para o líder em formação, isso implica que sua escolha para ocupar uma posição seja consentida. É preciso que reconheçam nele a condição de contribuir para que pessoas sob sua inspiração se desenvolvam para alcançar metas na vida voluntária. E nós somos uma verdadeira nação de voluntários. ATITUDES NECESSÁRIAS No Rotary desenvolvemos pessoas, e não cargos. Os cargos devem ser úteis para tal desenvolvimento e não o contrário. Um desenvolvimento consiste em adicionar algo de melhor a pessoas que já têm um potencial. Temos a tendência de pôr muita ênfase no alcance de resultados, mas, ao desenvolver pessoas, nosso objetivo deve ser mais elevado. Devemos ter em mente o aumento do potencial de servir daquele líder. Alcançar metas é importante, mas somente o alcance de metas pode tirar o foco da realização do potencial, tanto no indivíduo como na organização. O líder aprimora-se para transformar suas qualidades e pontos fortes em desempenho. Na administração de organizações como o Rotary, as várias posições de liderança requerem da pessoa que ascende, além da postura de comprometimento com a organização, atitudes com diferentes níveis de complexidade, determinados por seu cargo ou função. São atitudes necessárias: I Estar em contato com a realidade e defini-la (em cada nível); I Transmitir a visão de futuro, desenvolvida pela análise da realidade em seu âmbito de ação; I Definir as realizações mensuráveis, necessárias para o alcance do objetivo do Rotary, e entre elas, as prioritárias:

I Descobrir e desenvolver novos talentos; I Arrecadar os fundos necessários para cumprir as metas e alocá-los adequadamente; I Expressar e practicar os valores da organização. Nenhuma posição de destaque é conseguida por casualidade. Nem sem dedicação. O líder deve ter com seus seguidores uma relação que também os permita realizar o potencial deles de prestação de serviços – o propósito de servir à organização. O Rotary existe para fazer a diferença na sociedade e na vida dos indivíduos. Ele existe para cumprir sua missão. Jamais devemos nos esquecer disso. O Rotary teve sucesso em todos estes anos porque seus líderes, dentro da organização, ao lançarem um olhar para fora, desenvolveram a capacidade de captar o necessário, reconhecendo as oportunidades de servir além de si mesmos. E, quando olhando para dentro, esses mesmos líderes conseguiram capacitar e transformar aqueles que, acreditando em princípios, valores e conceitos, procuram dar um sentido útil a suas vidas. Neste contexto, não podemos nos esquecer das futuras gerações, às quais devemos igualmente dar oportunidade de alcançar o estado de equilíbrio entre o passado e o futuro que almejamos venha a ocorrer. A liderança no Rotary, como na vida profissional e pessoal, é uma forma de utilizar com sabedoria a posição que foi consentida ocupar. É a liderança promotora de mudanças. É a liderança de transformação. É, portanto, indispensável reconhecer a importância monumental da formação de lideranças, atribuindo alta prioridade no agir. E O Futuro do Rotary Está Em Suas Mãos. BR

Para fazer comentários e sugestões sobre o tema deste artigo, escreva para a.hallage@hotmail.com.br B RASIL R OTÁRIO 1 1


Tema do mês

Fundação Rotária:

garantia de solidariedade “A trilha do servir enobrece a todos, independente do tempo e do custo da doação.”

Bemvindo Augusto Dias*

R

otarianos, líderes em seus segmentos profissionais e empresariais, são tocados pela força da solidariedade e pelo compromisso de promover a boa vontade, a paz e a compreensão mundiais, e encontram na Fundação Rotária o local certo para empreender os programas e projetos, como pessoas inteligentes que deixam a sua marca para a eternidade. Nesses 92 anos, a Fundação Rotária cresceu exponencialmente em tamanho, visibilidade e credibilidade. Na qualidade de braço financeiro do Rotary International, a Fundação é a instituição que oferece apoio aos rotarianos para implantar ações humanitárias, educacionais e culturais. É uma grande empresa com sólidos investimentos financeiros. O Rotary reserva o mês de novembro para enaltecer a importância da Fundação. Ainda assim entendo que, como voluntários, precisamos conhecer melhor os meandros da instituição para gerar novos projetos e programas. E quais seriam as maneiras de se obter esse conhecimento? Deixo aqui dois conselhos: 1) O governador de distrito deve se comprometer com a Fundação Rotária por meio do chairman da Comissão Distrital. E este, por sua vez, deve se comprometer com os membros da Comissão Distrital, os presidentes de clubes e os governadores assistentes, nomeando um representante em cada clube para divulgar os

1 2 NOVEMBRO

DE

2009

trabalhos e ações da Fundação. Com isso, todos os companheiros são estimulados pelo resultado obtido e são envolvidos na captação de recursos, primordial para o empreendimento. Temos inúmeros exemplos em nossos distritos de alto poder de criatividade e profissionalismo nessa fase de captação. 2) Os líderes no distrito devem convidar os rotarianos para que participem de encontros nos quais sejam apresentadas informações sobre a Fundação. ERRADICAÇÃO DA PÓLIO Em 1985, convidados pela Organização Mundial da Saúde, o Rotary e a Fundação Rotária iniciaram um dos mais ambiciosos programas humanitários jamais realizados por uma entidade particular. Denominado de Polio Plus, o programa supre os fundos para campanha de imunização em massa, bem como para a mobilização social, vigilância e análise laboratorial, componentes da erradicação da poliomielite. Se no primeiro ano do Polio Plus (1985) havia anualmente cerca de 350 mil casos, em 2008 foram registrados menos de 1.000 casos. Nesse trajeto de quase 25 anos, crianças de 210 nações foram imunizadas – permitindo redução de 99% na incidência da doença – e 1,5 milhão de voluntários rotarianos e seus familiares trabalharam na vacinação. Mais de US$ 5 bilhões foram investidos, sendo que a Fundação

Rotária e o Rotary participaram com mais de US$ 1,2 bilhão. Estima-se que mais de 2 bilhões de crianças foram imunizadas contra a pólio. Ainda assim, não podemos nos descuidar. Quatro países permanecem endêmicos – Índia, Paquistão, Afeganistão e Nigéria – e a exportação do vírus da pólio representa um fenômeno ameaçador. CREDIBILIDADE E DESAFIO Através de nossas instituições, a Fundação Bill & Melinda Gates doou mais US$ 255 milhões e a Fundação Google, US$ 3,5 milhões. A essas duas entidades se juntaram os governos do Reino Unido com US$ 150 milhões e a Alemanha com US$ 130 milhões para os próximos cinco anos. Ao aceitar o desafio de equiparar os US$ 200 milhões da Fundação Gates, o então presidente do Conselho de Curadores da Fundação Rotária, Jonathan Majiyagbe, comentou: “Esta parceria irá motivar outras organizações e empresários a aumentar seu apoio”. Então, em 21 de janeiro deste ano, parceiros mundiais se comprometeram com US$ 630 milhões para eliminar a pólio. Belo exemplo! PROGRAMAS Costumo afirmar que os programas educacionais (Intercâmbio de Grupos


Os programas educacionais, além de serem uma rara oportunidade aos jovens, representam o diferencial em relação a outras instituições de mesma natureza de Estudos, Bolsa Rotary pela Paz Mundial, Bolsa Educacional para Países de Baixa Renda, entre outros), além de serem uma rara oportunidade de oferecer aos jovens o aprimoramento de seus estudos, representam o diferencial em relação a outras instituições de mesma natureza. E os projetos de Subsídios Humanitários, que apoiam entidades de todos os portes – mas que necessitam do emparceiramento de clubes, dos distritos e da Fundação Rotária – podem envolver todos os companheiros do clube desde que o presidente tenha sensibilidade para tal e os seus companheiros a oportunidade de fazer a sua parte. De qualquer forma, a iniciativa de um clube rotário deve obedecer à seguinte sequência: visita à instituição pleiteadora para conhecer as demandas, levantamento de orçamentos, comparação de custos, envio do projeto à comissão distrital, implantação (depois de aprovado) e acompanhamento do projeto, e, ao final, junto com as fotos documentais, a conclusão do relatório.

clube, que pode oferecer valor idêntico ao do companheiro e assim dobrar a contribuição. E tudo isso estimula novas contribuições. Portanto, cobrem esse documento.

RELATÓRIO Pouco se fala sobre o Relatório de Contribuições de Clubes à Fundação Rotária, que pode ser fornecido pelo chairman da Comissão Distrital ou pelo Escritório do RI no Brasil, localizado em São Paulo. Tal relatório é o documento de maior relevância para conhecimento dos rotarianos interessados em levantar as contribuições realizadas e o nível de cada companheiro em termos de contribuição e respectivo reconhecimento. Muitos companheiros estão com elevado “saldo disponível” para transferir a outras pessoas e podem decidir, com pouco valor de contribuição, alcançar novo nível e ainda estender o reconhecimento a outras pessoas de sua família. Esse mesmo processo se torna ainda mais fácil quando realizado pelo

ABTRF As empresas, independentemente de seu porte, implantam a responsabilidade social corporativa para demonstrar o comprometimento com os seus consumidores, fornecedores, empregados, concorrentes e com a sociedade brasileira. Munidas desse espírito, elas fazem os seus investimentos sociais à Associação Brasileira da The Rotary Foundation (ABTRF). Se uma empresa funcionar sob o regime fiscal de lucro real terá a dedução de até 2% do seu lucro operacional como despesa operacional. A Porto Seguro Seguros oferecerá, a título de doação à ABTRF, 5% dos prêmios líquidos oriundos dos seguros de automóveis de companheiros. São considerados segurados tanto os rotarianos quanto os seus familiares diretos (cônjuge, filhos, noras, genros, netos, pais e

APOIO E RECONHECIMENTOS Existem três tipos de fundos: Fundo Anual para Programas, Fundo Permanente e Fundo Polio Plus e Parceiros Polio Plus. A Fundação Rotária oferece reconhecimentos a rotarianos ou não rotarianos que contribuíram financeiramente para que ela possa colocar em prática seus programas e projetos. Esses reconhecimentos são os títulos de Companheiro Paul Harris, de Companheiro Paul Harris por Doações Múltiplas (safiras e rubis), o Paul Harris Society (reconhecimento administrado pelo distrito), o Fundo em Honra ao Doador, o título de Benfeitor, a Placa em Honra de Doação com Rendimentos Futuros, o título de Doador Extraordinário nos níveis de um a seis (que é o Major Donors), dentre outras.

sogros). Vamos aproveitar essa oportunidade! PLANO VISÃO DE FUTURO Há alguns anos a Fundação Rotária está implantando um planejamento estratégico denominado Plano Visão de Futuro da Fundação Rotária, que se destina a transformar nossa maneira de pensar e trabalhar, construindo uma Fundação para o futuro. Foram contemplados 100 distritos para participar do projeto piloto durante os anos rotários 2010-11, 2011-12 e 2012-13. No Brasil, oito distritos foram escolhidos: 4390, 4420, 4500, 4570, 4610, 4651, 4770 e 4780. Com certeza, no período 2014-15 todos os distritos rotários se incorporarão às normas dos distritos pilotos e teremos uma Fundação Rotária mais atraente, arrojada, vigorosa e plena para atender aos anseios tanto daqueles que contribuem financeiramente quanto daqueles que usarão os nossos programas e projetos de forma mais justa. A experiência rotária nunca tem fim. Precisamos dar uma nova chance a nós mesmos e renovar as esperanças na vida. O importante é acreditar em você mesmo, conhecendo mais a Fundação Rotária e colocando em prática ações importantes que visam beneficiar pessoas que estão esperando um sorriso seu. E você sabe que tem uma equipe que está aguardando o seu pedido de orientação para colaborar. E entusiasmo, comprometimento, amor ao próximo, partilha de conhecimentos e experiências o levarão a beneficiar o semelhante com a consciência de que O Futuro do Rotary Está em Suas Mãos. BR * O autor é associado do RC do Rio de Janeiro-Tijuca, RJ (D. 4570), EGD 1991-92 do distrito 4540, vicepresidente de Planejamento e Controle da Brasil Rotário e chairman 2006-10 da Comissão Distrital da Fundação Rotária (D. 4570). B RASIL R OTÁRIO 1 3


Em cima do fato

Os dois rounds

2

Saiba como foi a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite deste ano Luiz Renato Dantas Coutinho e Renata Coré*

Foram 115 mil postos de vacinação, 350 mil pessoas trabalhando, 40 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais. Uma operação de guerra que mobilizou todo o país durante duas etapas: 20 de junho e 19 de setembro de 2009. A meta do governo era vacinar, em cada uma dessas datas, 95% das crianças menores de cinco anos de idade. Isso representa um contingente de 14.720.095 meninos e meninas recebendo as famosas gotinhas que salvam da poliomielite. Com o slogan “Não dá para vacilar. Mais uma vez, tem que vacinar”, a campanha do Ministério da Saúde teve investimentos, nas duas etapas, de R$ 47,7 milhões: R$ 21,8 milhões na compra das vacinas; R$ 13,9 milhões nas transferências para as secretarias estaduais e municipais de Saúde e R$ 12 milhões em campanha publicitária.

S

egundo dados oficiais, a primeira etapa da campanha atingiu 95,7% do público alvo. Até o fechamento desta edição, o Ministério da Saúde ainda não havia disponibilizado os números consolidados da segunda etapa, porém uma parcial referente ao período a partir de 19 de setembro (a vacinação permaneceu disponível) registrou uma média nacional de 95,98% de cobertura da população-alvo. ESTRATÉGIAS DE PARTICIPAÇÃO Todos os anos, os obstáculos a serem vencidos em um país grande como o Brasil são muitos. Para se ter uma ideia das estratégias necessárias, em 1992 um termo de cooperação entre o Ministério da Saúde e a Marinha foi assinado. Graças a isso, durante as campanhas nacionais, populações que vivem às margens dos 21 mil quilômetros de rios navegáveis da Amazônia têm sido alcançadas pelos navios de assistência hospitalar. Conscientes da importância de seu trabalho, os rotarianos brasileiros – e também integrantes dos Rotaract e Interact Clubs – encontram diferentes formas de apoiar o combate à pólio. Há clubes que vêm

1 4 NOVEMBRO

DE

2009

divulgando as campanhas de vacinação com os vídeos gravados para o Rotary pelos jornalistas Boris Casoy e Osmar de Oliveira, pelo técnico da seleção masculina de vôlei, Bernardinho, e pelo jogador de futsal Falcão. Outros participam de entrevistas em rádio e TV, distribuem panfletos, promovem palestras e passeatas para alertar quanto aos riscos oferecidos pela doença, distribuem brindes – como ímãs em formato de gotinha, frutas, bexigas, bombons, adesivos e máscaras do Zé Gotinha – para as crianças imunizadas, organizam serviços paralelos à vacinação e sorteiam presentes como bicicletas, entre outras iniciativas. Fernando Quintella, jornalista, EGD e coordenador da Imagem Pública do Rotary para a América Latina em 2006-09, faz um balanço: “Este ano houve maior divulgação da campanha nacional no meio rotário. Não temos como avaliar a participação dos rotarianos em relação às etapas anteriores porque os clubes e distritos pouco ou nada informavam.” Os Dias Nacionais de Vacinação contra a pólio tiveram início em 1980. Precisamente naquele ano, os ca-


G NESTA

E nas próximas páginas, uma pequena amostra do trabalho realizado pelos clubes de todo o Brasil durante a 2ª fase da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Pólio, em setembro último

§

B RASIL R OTÁRIO 1 5


Apesar das médias nacionais de cobertura vacinal serem elevadas, em muitos estados e municípios elas se mostram heterogêneas sos de pólio no Brasil haviam chegado a 1.290. Lá se foram 29 anos de uma história. O Rotary tem estado presente na luta contra a pólio desde 1985, quando o então presidente do RI, Carlos Canseco, lançou o Programa Polio Plus em escala mundial. O último caso de pólio registrado no Brasil ocorreu no município de Souza, na Paraíba, em 1989. Em 1994 o Brasil obteve da Organização Mundial da Saúde (OMS) o certificado internacional de erradicação da transmissão do poliovírus selvagem. A partir de então, o país assumiu o compromisso de manter coberturas vacinais superiores a 90% da população-alvo, que representa todas as crianças menores de cinco anos. Posteriormente, o índice de 95% de cobertura vacinal foi preconizado pela OMS e adotado pelo Brasil em 2001. O governo também se preocupa com uma cobertura homogênea de todos os municípios. O risco de reintrodução dos poliovírus selvagens no nosso país existe e decorre da possibilidade de importação de casos provenientes de países endêmicos. POR ISSO A LUTA CONTINUA Envolver ainda mais os clubes e distritos no trabalho e captação de recursos para o Desafio de US$ 200 Milhões do Rotary é a estratégia defendida por Quintella. “O programa Polio Plus é a mais importante iniciativa de organização privada na área da saúde da história da humanidade. É obrigação de todo rotariano valorizar o esforço do Rotary

1 6 NOVEMBRO

DE

2009

International pelo fim da poliomielite. E valorizar significa participar.” O ÚLTIMO PASSO A iniciativa mundial de erradicação reduziu o número de vítimas da pólio ao redor do mundo em mais de 95% em relação ao panorama de meados dos anos 80. Apesar disso, e como muitos rotarianos têm alertado, o último passo na erradicação total da doença é também o mais difícil. A pólio é endêmica (há transmissão constante da doença) em quatro países: Afeganistão, Índia, Nigéria e Paquistão. Porém, segundo dados da OMS, outros 15 países têm registro de casos importados daqueles quatro: Sudão, Uganda, Quênia, Benin, Angola, Togo, Burkina Fasso, Níger, Mali, República Centro-africana, Chade, Costa do Marfim, Gana, Nepal e República Democrática do Congo. Os números da OMS não deixam dúvidas: ocorreu uma variação crescente no número de casos de poliomielite nessas regiões. Foram 483 ocorrências em 2001 e 1.997 em 2006. Em 2008 foram registrados 1.660 casos de pólio no mundo. Quanto a 2009, nos meses de janeiro a maio houve um aumento no número de casos nos países não endêmicos se comparado ao mesmo período de 2008, elevando-se de 21 para 118 ocorrências. O Brasil serviu de exemplo para outros países ao adotar a estratégia anual de campanhas nacionais em duas etapas para crianças menores de cinco anos de idade, com intervalo de dois meses entre as doses, independentemente do estado vaci-


Cobertura vacinal contra a pólio (população até 4 anos) 2ª etapa (19/09/2009)

95,00% e mais 50,00% a 94,99% 0,00% a 49,99%

nal anterior. Esta estratégia apresentou excelentes resultados, alcançando, já no primeiro ano de campanha, cerca de 18 milhões de crianças nas duas etapas, num esforço de mobilização que se mantém até os dias atuais, possibilitando a erradicação da poliomielite no Brasil. Mas, apesar das médias nacionais de cobertura vacinal serem elevadas, em muitos estados e municípios elas se mostram heterogêneas, mantendo-se, ao longo dos anos, abaixo dos índices recomendados de 95% de coberturas. O fenômeno permite reunir condições favoráveis para o surgimento de bolsões suscetíveis à doença, aumentando o risco de reintrodução da pólio por meio da importação do vírus. Entre 2003 e 2006, as médias de coberturas vacinais, nas duas etapas, variaram entre 100% e 94,4%. Registrou-se uma tendência discreta de queda nestes índices entre 2005 e 2006, ficando abaixo de 95% na média nacional

e também em alguns estados. A partir de 2007, os índices médios nacionais de coberturas vacinais retomaram valores próximos de 100%. Nesse rumo, a queda no resultado da segunda etapa do ano passado foi um fato isolado. Dos 5.564 municípios brasileiros, cerca de 35% ficaram com cobertura abaixo da meta. Para o Ministério da Saúde, a simultaneidade, em cinco estados, com a campanha de vacinação contra rubéola para adultos jovens, incluindo adolescentes, pode ser a explicação para o desempenho inferior. Uma coisa é certa: no ano que vem estarão lá novamente, na linha de frente do combate à ameaça da pólio, em postos de vacinação por todo o país, os voluntários do Rotary. Essa é uma guerra que eles têm travado com entusiasmo e criatividade há quase um quarto de século. BR

* Os autores são jornalistas da Brasil Rotário. B RASIL R OTÁRIO 1 7


Clorinda Palomina, de 8 anos, bebe água de uma torneira recentemente instalada no vilarejo de Santa Rosa de Huacaria, no Peru. O Rotary Club de Vernon, EUA, usou 2.500 dólares de um Subsídio Distrital Simplificado para construir esta pia e três outras, para os residentes locais terem acesso à água potável.

Sua contribuição ajuda a dar às crianças o presente da água potável.

FAÇA SUA DOAÇÃO AINDA HOJE!

www.rotary.org Courtesy of Nancy A. Santullo


SUPLEMENTO DO ROTARY WORLD MAGAZINE PRESS

Foco em recursos hídricos, saneamento e higiene MULHERES E ÁGUA

GLOBAL

TECNOLOGIA HÍDRICA PAINEL DE ESPECIALISTAS

OUTLOOK

O desafio da água potável Uma abordagem integrativa pode solucionar um problema que afeta bilhões Em todo o mundo, milhões de pessoas têm uma rotina parecida que depende da água. Acordamos em casa e vamos a um lugar onde há um vaso sanitário, pia, e chuveiro ou banheira. Usamos o sanitário, tomamos banho e escovamos os dentes. Vamos à cozinha, onde colocamos água para ferver e fazemos café ou chá. Em grande parte do mundo, porém, esta não é a rotina. A vida diária é marcada por falta de acesso à água potável, condições de saneamento e recursos de higiene. Este problema baseado nestes três pontos constitui o desafio principal nas vidas de bilhões em todo o mundo. Em vez de abrirem a torneira em suas casas, 884 milhões de pessoas devem buscar sua água para beber, cozinhar e se banhar em poços desprotegidos ou diretamente de rios, açudes, lagos e canais. As estatísticas de saneamento são ainda mais severas: 2,5 bilhões de pessoas não têm acesso a condições melhoradas de saneamento, tais como descargas ou vasos sanitários orgânicos. Essas pessoas usam baldes, sacolas ou latrinas abertas, ou simplesmente praticam a defecação a céu aberto em arbustos, campos e outras áreas públicas, rurais e urbanas. As consequências são devastadoras à saúde e ao bem-estar de milhões (veja a barra sobre doenças). Das 1,8 milhão de mortes causadas por diarreia ao ano, incluindo doenças mais severas como cólera, febre tifoide e disenteria, 88% são devido à água não

Os rotarianos estão levando água limpa a La Grúa, República Dominicana, onde os moradores usam um rio para beber água e banhar-se. Mais de 200 Rotary Clubs têm ajudado a instalar 19 mil filtros bioareia no país

potável ou condições inadequadas de saneamento ou higiene, e 1,4 milhão são crianças de até cinco anos de idade, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Mortes de crianças até os cinco anos, relacionadas à malnutrição causada por água não potável, e condições de higiene e saneamento inadequadas e insuficientes totalizam 860 mil ao ano. O contato com solo ou alimento contaminado por fezes causa ancilostomíase (amarelão), ascaridíase (lombriga) e outras infecções intestinais que afetam um terço da população mundial.

BRASIL ROTÁRIO 19


As questões de água, saneamento e higiene também influenciam as condições socioeconômicas. As mulheres e meninas que passam horas recolhendo água não podem ir à escola ou ganhar dinheiro. A falta de condições de saneamento desanima as meninas a frequentar a escola,

especialmente ao atingirem a puberdade. Professores não conseguem lecionar e lavradores não conseguem trabalhar quando infectados com doenças transmitidas pela água. Dejetos humanos não tratados afetam os peixes, mamíferos aquáticos e vegetação.

Mulheres e água Na República Dominicana, os rotarianos têm ajudado a levar 19 mil filtros bioareia a cerca de 30 comunidades, servindo 100 mil moradores. Os filtros simples e de baixo custo reduzem a diarreia em até 45%. Mas não é somente a saúde de pessoas que os filtros ajudam, conta Sara Lucena, sócia do Rotary Club de Puerto Plata Isabel de Torres, em Puerto Plata. É a vida de famílias inteiras. Lucena relata que como as crianças não ficam tão doentes hoje em dia, ela vê que as mulheres têm tempo de trabalhar ou ir à escola, o que as ajudará a tirar a si mesmas e suas famílias da pobreza. “É um ciclo, não é apenas a saúde”, diz ela. “O filtro é uma ferramenta que muda suas vidas. Se eu posso controlar a saúde de minha família, eu posso controlar a vida de minha família.” Em seu papel tradicional em muitas partes do mundo, as mulheres usam água para preparar comida, banhar-se e lavar roupa e utensílios. Depende delas encontrar e buscar a água que usam diariamente, mesmo quando há escassez. As mulheres no norte de Gana caminham mais de cinco quilômetros até rios e outras fontes de água, e carregam de 20 a 30 quilos de água na cabeça até suas casas, de acordo com Lamisi Mbillah, que falou na conferência de recursos hídricos, organizada em março pelo Distrito 6290 (Ontário, Canadá; Michigan, EUA). Coletivamente, as mulheres da África Subsaariana passam mais de 40 bilhões de horas por ano coletando água – o equivalente a um ano inteiro de trabalho na França toda, segundo um relatório das Nações Unidas. “Se as mulheres representam metade da população mundial, temos que agir e fazer algo a respeito disso”, afirma Mbillah, que foi Miss Gana em 2005 e recebeu o prêmio Beleza com Propósito, no concurso de Miss Universo, por seu ativismo. “É um direito humano básico.” – Diana Schoberg

A responsabilidade de buscar água para beber em La Grúa é geralmente das mulheres

20 Novembro de 2009

O que pode ser feito Há esperança. Apesar de a questão parecer sem solução – como a pólio era décadas atrás – muito pode ser feito, de acordo com especialistas como John Oldfield, vice-presidente executivo da organização americana sem fins lucrativos Water Advocates. Juntamente com várias organizações públicas e privadas no mundo todo, a Water Advocates dedica-se a resolver a crise global de água potável e saneamento. “Oitenta e três por cento da populaÇão do planeta têm acesso à água potável, e mais de 60% têm acesso a vasos sanitários”, Oldfield afirma. “Resolvemos o problema nos Estados Unidos, Europa Ocidental, Japão e Austrália. Muitos lugares têm cobertura universal de recursos hídricos e têm vasos sanitários. Sabemos qual é a cura. Nós precisamos da vontade popular e política, e quando se tem isso, o dinheiro vem.” Os defensores da causa estão focados particularmente nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio estabelecidos pela ONU. O sétimo objetivo, para garantir a sustentabilidade ambiental, é reduzir pela metade a proporção de pessoas sem acesso à água potável e a condições melhoradas de saneamento até 2015. O mundo está no caminho certo no que se refere à água, mas não ao saneamento. Apesar da prática de defecação a céu aberto estar diminuindo, no atual ritmo que isto acontece, o número de pessoas sem acesso a saneamento melhorado cairá apenas em 100 milhões, para 2,4 bilhões, até o prazo dado. O mais difícil na questão da água está na África Subsaariana, com 42% de sua população com acesso à água de fontes precárias. O problema também prevalece no sul asiático, onde 48% da população pratica defecação a céu aberto. A resposta do Rotary International tem sido imensa (veja “Por trás dos números”). Dois grupos em particular, o Grupo de Apoio


Um menino de La Grúa vai ao rio Bajabonico para pegar água. A coletagem de água priva as crianças de precioso tempo na escola

a Recursos Hídricos e o Grupo Rotarianos em Ação pelos Recursos Hídricos e Saneamento, oferecem orientação, apoio e liderança a clubes interessados em implementar projetos relacionados a recursos hídricos, saneamento e higiene. O ex-governador de distrito Ron Denham, presidente fundador do Grupo Rotarianos em Ação, regularmente se encontra com representantes do Unicef, CARE e de outras organizações para determinar as melhores abordagens à crise de água, saneamento e higiene. “Nós ajudamos os rotarianos a identificar soluções apropriadas, angariar fundos, fazer parcerias com clubes e organizações não governamentais locais. Somos os intermediadores em informação, tecnologia e relacionamentos”, diz Ron.

A educação é um fator importante A abordagem em relação à solução desta crise se tornou holística, diz Ed Cain, vice-presidente de programas de subsídios para a Fundação Conrad N. Hilton, que concentra suas iniciativas em prol de água potável na África Subsaariana. “Não basta simplesmente ter acesso a um copo de água potável, por mais benéfico que seja”, diz ele. “Não é possível melhorar a saúde

da comunidade se não os ensinamos como administrar e manusear a água de uma forma que evite doenças. Se há defecação a céu aberto na comunidade", acrescentou, “não se pode atingir o resultado de comunidades saudáveis, onde as crianças ficam na escola e levam vidas saudáveis e produtivas”. Onde a água é um luxo, as populações precisam ser educadas sobre a importância de se lavar as mãos e as consequências de contaminação fecal por humanos e animais no bem-estar e saúde da comunidade. “Em muitos casos, trazemos água potável a uma casa, mas os usuários colocam suas mãos sujas dentro do recipiente de água porque não fizemos com que mudassem seu comportamento”, diz Denham. Além disso, as soluções devem ser sustentáveis. Cabe às comunidades assumir a responsabilidade por manter os sistemas hídricos no futuro, usando peças de custo acessível e fáceis de encontrar. “Precisamos determinar as atribuições e responsabilidades aos membros da comunidade. É preciso desenvolver e implementar boas práticas”, diz Peter Lochery, diretor da equipe americana de recursos hídricos da CARE. “Nós temos que assegurar que os sistemas sejam vistos como parte da infraestrutura da comu-

Por trás dos números 967  Número de subsídios

da Fundação Rotária em aberto para projetos de água e saneamento

216  Número de projetos

de subsídios em aberto que incluem perfuração de poços e instalação de bombas d'água para água limpa

142  Número de projetos

de subsídios em aberto que incluem construção de latrina para condições melhoradas de saneamento

161  Número de subsídios

em aberto para projetos de recursos hídricos e saneamento na Índia, o país com maior número de subsídios em aberto

561  Número de subsídios

que a Fundação outorgou em 2007-08 para projetos de água e saneamento

US$8,6 milhões  Quantia total que a Fundação outorgou em 2007-08 para projetos de água e saneamento

4.560  Número de subsídios

que a Fundação outorgou de 1989 a maio de 2009 para projetos de água e saneamento

US$59,2 milhões  Quantia

total outorgada pela Fundação durante este período para projetos de água e saneamento Em maio de 2009

Brasil Rotário 21


nidade, não apenas como uma doação bem intencionada”, comenta Clarissa Brocklehurst, chefe do departamento de recursos hídricos, saneamento e higiene para o Unicef.

A resposta do Rotary Rotarianos no mundo todo estão fazendo algo a respeito. Em Gana, se-

gundo o ex-governador de distrito K.O. “Willie” Keteku, menos de 60% das pessoas têm acesso a água limpa, e apenas 30% têm acesso a boas condições de saneamento e higiene. A situação é ainda pior nas áreas rurais, onde vivem 70% da população e onde os 21 Rotary Clubs da nação concentram seus esforços.

Doenças transmissíveis pela água A Organização Mundial da Saúde estima que cerca de 10% das doenças no mundo poderiam ser prevenidas com melhoras no fornecimento de água, saneamento, higiene e gerenciamento de recursos hídricos. Algumas das condições que mais podem ser prevenidas são:

Diarreia • Contraída através de água para beber ou comida contaminada, ou de mãos sujas • Mata 1,8 milhão de pessoas por ano, a maioria delas crianças Vermes intestinais • Causados pelo contato com solo contaminado por fezes, ou ingestão de ovos do verme • Frequentemente leva à anemia ou malnutrição • Afeta dois bilhões de pessoas no mundo todo Esquistossomose • Doença parasitária que pode danificar os órgãos e causar anemia e malnutrição em crianças • Causada pelo contato com água contaminada • Afeta 200 milhões de pessoas no mundo Tracoma • Doença oftálmica contagiosa que pode levar à cegueira • Contagiosa de pessoa a pessoa • Tem incidência de 11 milhões de casos por ano Malnutrição • Condição crescente devido à falta de alimento, tipo errado de alimento ou a inabilidade de absorver os nutrientes por causa de uma doença • Comumente causada por diarreia ou vermes • Direta ou indiretamente causa 860 mil mortes por ano em crianças de até cinco anos de idade – Susie O. Ma

22 Novembro de 2009

Água suja e lixo correm por um bairro de Puerto Plata, onde rotarianos da República Dominicana estão trabalhando para fornecer água limpa

“Ano passado meu clube perfurou o solo e instalou bombas d'água e reservatórios para fornecer água a oito comunidades em áreas rurais, e este ano estamos construindo mais oito”, relata. “Hoje em dia, não conduzimos projetos de recursos hídricos sem saneamento. Muitos clubes trabalham na provisão de água e condições sanitárias para escolas e clínicas, construindo latrinas separadas para meninos e meninas, e locais para se lavar as mãos, em fileiras. Chamamos estes locais de latrinas institucionais, um modelo aprovado pelo Ministério da Saúde.” Keteku está animado com a nova colaboração RI-USAID, que pretende fornecer verbas para construir aproximadamente 200 novas instalações para purificação de água e saneamento em Gana. O dinheiro também financiará educação sobre higiene e organização comunitária. Os moradores – principalmente as mulheres – aprenderão a cobrar uma pequena tarifa dos usuários para apoiar outros locais como este no futuro. As contribuições são tão baixas que quase todos podem pagar; e quando não puderem, isenções serão dadas. Este envolvimento comercial dos membros da comunidade trará um senso de apropriação, promovendo maior integração de longo prazo do projeto. No Quênia, conta o rotariano Edward Kairu, membro do Grupo Rotarianos em Ação pelos Recursos Hídricos e Saneamento e professor de climatologia, os clubes têm o enfoque em fornecer locais de saneamento para moradores das favelas superpopulosas de Nairobi, onde vasos sanitários e água encanada são raridades. Esses locais têm quiosques de água, chuveiros e vasos sanitários para homens e mulheres. Em Kibera, uma favela urbana que serve de lar para aproximadamente 800 mil pessoas, 10 blocos de saneamento foram instalados, servindo 2.000 pessoas por dia. Organizações de desenvolvimento comunitário fazem a manutenção e coletam tarifas dos usuários.


“Nós temos surtos de cólera, muitas doenças, vermes. As crianças brincam do lado de fora e estão expostas a lixo, especialmente quando chove e há empoçamento. Uma das intervenções que fazemos é melhorar o sistema de drenagem para remover o lixo das favelas, porque o escoamento é impossível”, acrescenta Kairu. Os desastres naturais também contribuem para dificultar o acesso à água potável. Quando um terremoto destruiu uma bomba d’água na periferia de Istambul, os moradores não tinham dinheiro para conseguir uma nova. “Como consequência, mulheres e crianças, principalmente, tinham que andar por quilômetros até um vilarejo próximo para buscar água”, explica David Keller, ex-presidente do Rotary Club de Campbell, Califórnia, EUA, que fez parceria com o Rotary Club de IstambulTopkapi para prover acesso à água. Keller também diz que, desde julho de 2007, água limpa de 13 nascentes das montanhas é escoada para um reservatório de 500 toneladas, que serve 1.285 camponeses. O vilarejo estabeleceu taxas de água e as usará para manutenção do novo sistema. “Trabalhamos juntamente com os homens mais velhos do vilarejo, através do Rotary Club local, para conseguir isso. A quantidade de agradecimentos é surpreendente; as pessoas tinham lágrimas nos olhos.” Apesar do desafio de garantir água potável, melhor saneamento e higiene adequada ser desanimador, há respostas e os objetivos são alcançáveis. “Não é correto jogar a toalha e dizer que este é um objetivo impossível”, diz Ed Cain. “Temos que olhar para os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, particularmente para reduzir pela metade a proporção daqueles sem acesso sustentável à água potável. Reduzir este número pela metade seria um passo bem grande, considerando-se o crescimento populacional. O mundo está no caminho certo para atingir este objetivo.”

Tecnologia hídrica As tecnologias usadas em projetos de Rotary Clubs e distritos para melhorar a qualidade da água e de saneamento incluem:

Qualidade da água Desinfecção com cloro: hipocloreto de sódio é adicionado à água para matar vírus e bactérias. (O método com melhor custo-benefício segundo a Organização Mundial da Saúde).* Desinfecção solar: raios Os rotarianos dominicanos Sara Lucena e ultravioleta do sol são usa- Bob Hildreth testam um filtro bioareia em dos para tornar inativas e uma casa em Puerto Plata destruir as patogêneses na água. A água precisa ser exposta ao sol em garrafas de plástico transparente por no mínimo seis horas. (Custo-benefício um pouco menor que o tratamento com cloro). Filtro bioareia: uma caixa de concreto ou plástico que contém camadas de areia é usada para segurar e eliminar sedimentos, patogêneses e outras impurezas na água. Uma camada de microorganismos na parte superior captura bactérias causadoras de doenças conforme a água é jogada no filtro. Partículas maiores são removidas à medida que a água passa pelas camadas de areia. (Maior custo inicial que desinfecção). Filtro de cerâmica: um pote de cerâmica revestido com uma camada coloidal de prata fica dentro de uma caixa de plástico. A água é jogada dentro do pote e as impurezas são retidas nos pequenos furos da cerâmica e o revestimento de prata mata os germes. (Maiores custos que desinfecção e poços, mas traz maiores benefícios à saúde). Bombas d'água: um poço estreito e profundo é perfurado. A água é retirada através de bombas elétricas ou manuais. (Aproximadamente o dobro do custo dos tratamentos com cloro e solar). Saneamento Latrina simples: o tipo mais simples de latrina, que consiste em um buraco no chão protegido por uma estrutura simples de ventilação. Latrina orgânica: este tipo de latrina leva a uma câmara orgânica em forma de redoma no subsolo onde as bactérias dos dejetos humanos causam decomposição e produção de metano, gás inodoro usado para cozinhar e calefação. *As comparações de custo devem levar em consideração o capital inicial e os custos de manutenção, o nível de eficácia e o número de pessoas beneficiadas. Os custos podem variar consideravelmente de uma região a outra. – Susie O. Ma

– Anne E. Stein

Brasil Rotário 23


Especialistas servem de ponte sobre águas turbulentas Nossos painelistas Clarissa Brocklehurst, chefe do departamento de recursos hídricos, saneamento e higiene para o Unicef; Ed Cain, vice-presidente de programas de subsídios Brocklehurst

Cain

para a Fundação Conrad N. Hilton; Ron Denham, ex-governador de distrito e presidente fundador do Grupo Rotarianos em Ação pelos Recursos Hídricos e Saneamento; e Peter Lochery, diretor da equipe de água para o CARE USA, alme-

Lochery

jam um futuro com água limpa.

Todas as pessoas no mundo podem ter acesso à água potável? Clarissa Brocklehurst: Sim, é possível. Se olharmos os dados, tem havido progresso em se atingir o sétimo Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (para assegurar sustentabilidade ambiental), em fornecimento de água. Em 2008, o número de pessoas sem acesso à água potável caiu para menos de um bilhão. Sabemos que o progresso em áreas rurais ainda caminha devagar e que em áreas urbanas há favelas que não são bem servidas. Não significa de forma alguma que o trabalho esteja feito, mas pelo menos podemos dizer que estamos progredindo. Ed Cain: Acho que sim. A população mundial está crescendo e há escassez em certas regiões, mas o pensamento atual é que com gerenciamento adequado, nós podemos atender às necessidades das pessoas em ter acesso à água potável e saneamento. Ron Denham: Temos uma visão, mas sempre encontraremos pessoas sem acesso, e há vilarejos remotos no mundo onde isso será muito difícil. Em alguns lugares, podemos prover água relativamente segura para o consumo, mas que estariam abaixo dos padrões

24 Novembro de 2009

da OMS (Organização Mundial da Saúde). Mas isso teria um grande impacto na redução de doenças. Peter Lochery: Sim, acho possível que todos tenham acesso. Talvez não tenham a quantidade que gostariam, porque a água é escassa em algumas partes do mundo. Mas é possível que o mundo inteiro desfrute de 40 litros de água por pessoa, por dia, o nível que tentamos alcançar. Quais são os maiores obstáculos? Brocklehurst: Sustentabi­lidade. Te­ mos que criar uma capacidade comunitária para que as pessoas continuem a manter os sistemas funcionando, que os administrem, tenham acesso a peÇas para reparos e possam coletar tarifas de usuários para financiar os custos operacionais contínuos. A mudança climática é outro obstáculo. Chove mais em alguns lugares, enquanto em outros há muita seca. Cain: Crescimento populacional. O aquecimento global é outro desafio. No mundo desenvolvido, ainda há falta de conhecimento de que um terço da população não têm acesso à água potável e que cerca de 50% não têm acesso a condições adequadas de saneamento. Eu acredito que se houver maior conscientização e pudermos apresentar

um progresso maior, haverá mais recursos. Denham: A escassez de dinheiro é um desafio nas cidades grandes, mas nós no Rotary também estamos lidando com vilarejos e comunidades pequenas, e os maiores obstáculos estão em dar às pessoas a habilidade de administrar as coisas sozinhas. Muitas vezes os rotarianos implementaram projetos que não foram sustentáveis porque se tratava de "um projeto estrangeiro". Lochery: O obstáculo óbvio é o investimento necessário. Mas há grandes problemas em como os recursos hídricos são administrados. Não é uma questão de apenas construir a infraestrutura física, é uma questão de como a infraestrutura é usada e quem paga por sua manutenção e reparos. É necessário haver fortes sistemas governamentais que apoiem a cobranÇa das tarifas necessárias. O que você aconselharia que rotarianos e outras organizações de serviços fizessem para ajudar a solucionar o problema? Brocklehurst: Temos que reconhecer que os recursos hídricos, saneamento e higiene estão coligados. Se você paga para uma bomba d'água ser instalada, é necessário alinhar

Fotos: cortesia dos painelistas, exceto no alto, à esquerda (Rotary Images/Alyce Henson)

Denham


este fato com políticas governamentais e outras iniciativas no setor de saneamento e fornecimento de água. Todos têm o enfoque na construção, mas tem mais, como ensinar a lavar as mãos com sabão e a importância do uso de vasos sanitários. Se conseguirmos que os rotarianos e outros promovam que toda escola seja construída com banheiros e água encanada, isso seria fenomenal. Cain: Não tente reinventar a roda. Informe-se sobre os planos e mecanismos existentes no país, e veja como você pode se tornar parte deles. Isso não significa que se as coisas não estiverem indo bem, você deva se juntar a um processo deficiente. Mas como já houve tanto progresso, você pode se ver fazendo algo redundante. Denham: Ouça o que as pessoas na comunidade anfitriã têm a dizer. Ajude-os a desenvolver o que desejam e a ter os recursos para manutenção e

operação. Não leve conceitos previamente formados. Eles podem precisar de água ou talvez precisem purificar água contaminada. Então você deve encontrar a melhor solução – uma combinação da tecnologia certa para aquela cultura em particular e o que as pessoas podem pagar a longo prazo. Entenda e adapte à cultura local. Envolva as autoridades locais. Enfoque não apenas em fornecer água, mas no modo de vida das pessoas. Se as meninas não vão à escola, talvez seja necessário abordar a questão do saneamento nas escolas. Use ao máximo a mão de obra local. Lochery: Achamos que podemos atingir mais sucesso, em termos de atender populações com abordagens sustentáveis e replicáveis, se usarmos uma abordagem programática de longo prazo de cinco a 10 anos. É assim que podemos ser mais eficientes. Os rotarianos precisam pensar grande. – Anne E. Stein

Colaboração Internacional H2O Uma colaboração inovadora entre o Rotary International e a USAID dará início a projetos de longo prazo de recursos hídricos, saneamento e higiene em todos os países em desenvolvimento e oferecerá aos rotarianos a chance de se envolverem mais nestas questões vitais. Lançada em março, a Colaboração Internacional H2O terá seu enfoque inicial na República Dominicana, Gana e Filipinas. Um investimento de US$2 milhões por país será feito, com 50% provenientes do Rotary e os outros 50% da USAID. "Queremos que estes projetos sejam exemplos para futuros projetos com parceiros estratégicos e desta forma aumentar nossa contribuição à boa vontade, paz e compreensão mundial", afirmou o ex-presidente do RI William B. Boyd, presidente da comissão consultiva da Colaboração Internacional H2O. Saiba mais em www.rotary.org/go.

Mais on-line Um projeto de Subsídio Equivalente liderado por rotarianos finlandeses está levando água limpa a 12 mil zambianos. Um Rotary Club do México aplica lições aprendidas em um projeto local para ajudar a 5.000 pessoas no Malauí. Leia mais em www.rotary.org/go.

Contribuíram nesta edição Anne E. Stein contribui com a The Rotarian e é escritora freelance em Chicago. Susie O. Ma é uma escritora freelance de Chicago e já contribuiu com o Global Outlook. Diana Schoberg é editora assistante da The Rotarian.

Antes dos rotarianos lhe darem o filtro bioareia, Leonida Burges tinha que comprar água engarrafada de qualidade duvidosa. Agora, ela poderá criar seu bebê com água limpa e proteger sua saúde

Global Outlook: um suplemento do Rotary World Magazine Press, é uma publicação trimestral do Rotary. Copyright © 2009. Chefe de redação: Joseph Derr. Redatora: Barbara Nellis. Desenhista gráfico: Avery Mamon. Coordenadora de produção: Candy Isaac. Fotos de: Rotary Images/Alyce Henson a menos que de outra forma indicado. Painel editorial: Bob Aitken (Rotary Down Under), T.K. Balakrishnan (Rotary News/Rotary Samachar), Carlos Henrique de Carvalho Fróes (Brasil Rotário), Andrea Pernice (Rotary) e Matthias Schütt (Rotary Magazin)

Brasil Rotário 25


Instituto de Gramado

Avaliando o presente para planejar o futuro Saiba o que nossas lideranças debateram sobre o Rotary em Gramado Sérgio Afonso*

esta segunda e última parte da cobertura do Instituto de Gramado, trazemos as conclusões dos Grupos de Discussão de Ideias, o VI Encontro de Rotarianos de Países de Língua Portuguesa, a Assembleia da ABTRF e um resumo das atividades que antecederam o encontro, como o Seminário de Treinamento dos Governadores Eleitos e os Seminários Regionais da Fundação Rotária e do Desenvolvimento do Quadro Associativo. Uma agenda intensa de trabalhos preparada pelo diretor Antonio Hallage, e que reuniu o presidente John Kenny às lideranças rotárias brasileiras em torno da avaliação do que vem sendo feito pelo Rotary no Brasil e no mundo, e dos desafios que temos pela frente.

N

EM GRAMADO, os governadores eleitos 2010-11 com o diretor do RI Antonio Hallage e os instrutores. Na foto da direita, aparecem os cônjuges dos governadores 2010-11, na companhia de Antonio Hallage, Rose Hallage, do coordenador do Gets José Ubiracy Silva e das instrutoras



GRUPOS DE DISCUSSÃO DE IDEIAS – dia 04/09/09 Os expositores foram selecionados de acordo com as ideias enviadas, anteriormente e por consulta, ao Colégio de Governadores do Brasil.

G1 – Ênfases e Citação Presidencial Moderador: EDRI Luiz Coelho de Oliveira Expositores: EGDs Thébis Cury, Ademir Eugênio Novello e José Luiz Toro da Silva Secretário: EGD Arno Horn Foi sugerida a criação de projetos ambientais sustentáveis, utilizando parcerias público-privadas, priorizando as necessidades da Agenda 21 www.mma.gov.br. Foi também sugerido que o Rotary International mantenha um banco de projetos no site para que os rotarianos possam melhorar a imagem pública de nossa organização e concentrar-se nas ênfases e na Citação Presidencial. Estar em consonância com a Menção Presidencial é manter o foco na objetividade.

2 6 NOVEMBRO

DE

2009


G2 – Plano Estratégico no RI Moderador: EDRI Themístocles Américo Caldas Pinho Expositores: EGDs Mário Cesar de Camargo, Raul Casanova Júnior e Márcio Pereira Ribeiro Secretário: EGD Leonel Irio do Nascimento Foi destacada a importância do Planejamento Estratégico e a necessidade dos clubes e distritos de identificar a missão, os valores, a análise ambiental, a linha e as ações estratégicas, e priorizar as Ênfases Presidenciais. Apresentado um trabalho que oferece subsídios para os clubes e distritos implantarem o Planejamento, foi verificado que poucos distritos implantaram e mantêm o Planejamento Estratégico.

G3 – A Campanha Polio Plus Moderador: EDRI Alceu Vezozzo Expositores: EGDs José Firmino de Oliveira, Ernani Augusto Brescianini e Gedson Junqueira Bersanete Secretária: EGD Neli Lúcia Coradini Abascal Foram expostas muitas ideias para a divulgação da Campanha Polio Plus e sugeridas muitas formas para a arrecadação de fundos, tais como: I Em novembro, mês da Fundação Rotária, os clubes podem exibir vídeos em escolas, associações e entidades de classe e comunidades, visando divulgar a Campanha Polio Plus e arrecadar recursos. I A criação de certificados para empresas que ajudarem a imunizar mais de 100 crianças. I Envolver os Interact e Rotaract Clubs nos trabalhos. I Criar um site com os projetos que deram certo.

G4 – Liderança e juventude Moderador: EDRI Mario de Oliveira Antonino Expositores: EGDs Geraldo Eustáquio Alves e Marcus dos Santos Paes Secretário: EGD Mario Cesar Portinho Vianna Foi sugerida a revisão do formato dos programas de Rotaract, Interact e Ryla, de forma a atrair mais a juventude, utilizando este último como um mecanismo de inclusão social para os jovens da periferia – e também nas reuniões dos clubes, tornando-as mais interativas e atrativas para a juventude. Deveriam ser implantadas parcerias com escolas, universidades, igrejas e outras instituições que congregam jovens em atividades de prestação de serviço e formação de líderes, para execução de projetos em conjunto, de forma a atraí-los para o Rotary. Também foi sugerida a implementação do programa de Planejamento Estratégico Pessoal voltado para os jovens, de forma a ratificar a imagem positiva do Rotary junto a eles e, ao mesmo tempo, capacitá-los para a elaboração dos seus projetos de vida pessoal e profissional.

SEMINÁRIO DE TREINAMENTO DOS GOVERNADORES ELEITOS (GETS) – dias 01 e 02/09/09 O Gets faz parte das atividades do Pré-Instituto e foi aberto no dia 01/ 09 pelo convocador do Instituto de Gramado, o diretor do Rotary International Antonio Hallage. O seminário esteve sob a coordenação do EGD José Ubiracy Silva. Os trabalhos foram divididos em nove sessões, que contaram com variados e pertinentes temas: Plano de Liderança Distrital; Revista Brasil Rotário, com a exposição do editor e presidente da Cooperativa Editora Brasil Rotário, EGD Carlos Henrique de Carvalho Fróes; I

JOSÉ UBIRACY Silva, coordenador do Gets



I

 CARLOS FRÓES, presidente e editor da Brasil Rotário

B RASIL R OTÁRIO 2 7

§


Instituto de Gramado Desenvolvimento do Quadro Associativo; I Capacitação de Recursos da Fundação Rotária e Share; I Programas da Fundação Rotária; I Apoio do Rotary International aos governadores de Distrito, com I

Celso Fontanelli, gerente do Rotary International Brazil Office; I “Meu ano como cônjuge do governador de distrito”, com a coordenação de Rose Hallage. O Gets foi encerrado com uma

palestra motivadora do exdiretor do RI Gerson Gonçalves sobre o tema “Um ano inesquecível em suas vidas”.

 GERSON GONÇALVES encerrou o Gets

SEMINÁRIO REGIONAL DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA – 03/09/09 Contou com as presenças do curador da Fundação Rotária, Sakuji Tanaka, e de Luis Vicente Giay, ex-presidente do RI e ex-presidente do Conselho de Curadores da Fundação Rotária, que fez a abertura com a palestra “De onde viemos e até onde iremos?”. Ainda foram expostos os seguintes temas: Associações de Alumni; Associação Brasileira da The Rotary Foundation: informações e projetos bem-sucedidos; I O Polio Plus; I Estatísticas da FR, exposto pelo coordenador regional da Fundação Rotária e coordenador do seminário, EGD Altimar Augusto Fernandes; I Trabalhando com a Equipe Zonal, tema exposto pelo coordenador regional da FR, Henrique Vasconcelos. I I

O curador Sakuji Tanaka encerrou o seminário falando sobre o Plano Visão de Futuro, que teve as áreas de foco aprovadas. Esses serão os pontos-chave da missão da Fundação Rotária por pelo menos nove anos: paz e resolução de conflitos; prevenção e tratamento de doenças; água e saneamento; saúde maternal e infantil; instrução básica e educação; e desenvolvimento econômico e comunitário. Os curadores e o Conselho Diretor do RI estão encorajando os clubes e distritos a focar seus esforços com a Fundação nestas seis áreas, mesmo antes do Plano Visão de Futuro ser imple-

mentado. Tanaka ainda lembrou que, para participar da nova estrutura de subsídios, os  ALTIMAR FERNANDES, Luis Giay, Sakuji Tanaka, distritos e clubes devem Antonio Hallage, José Alfredo Pretoni, Aldair de ser qualificados pela FR. Queiroz Franco e Henrique Vasconcelos Ele enfatizou que a Fundação está em um momento de muum sucesso, concluiu Tanaka. danças sem precedentes e de oportuAo final da sessão, foram feitas prenidades inigualáveis. O apoio, o envolmiações para os dezesseis distritos que vimento, as ideias e o entusiasmo dos doaram acima de US$ 100 mil para a rotarianos ao redor do mundo ajudaFundação Rotária no período 2008rão a tornar o Plano Visão de Futuro 09, e os demais reconhecimentos.

SEMINÁRIO DE DESENVOLVIMENTO DO QUADRO ASSOCIATIVO – 03/09/09 Foi coordenado pelo EGD José Antonio Figueiredo Antiório com a colaboração dos EGDs Alceu Eberhardt e José Ubiracy Silva. Os três são os coordenadores regionais de Desenvolvimento do Quadro Associativo (DQA) para os 38 distritos rotários brasileiros. Com a interatividade da audiência, os temas debatidos procuraram avaliar novas propostas para desenvolver, expandir e reter

2 8 NOVEMBRO

DE

2009

JOSÉ UBIRACY Silva, José Antônio Figueiredo Antiório, Antônio Hallage, o ex-governador distrital Waldemar de Sá (distrito 1970, Portugal), Alceu Eberhardt e o ex-governador Juan Pedro Torroba (distrito 4920, Argentina)



o quadro associativo nos nossos clubes. Ao encerrar o seminário, o diretor Antonio Hallage declarou que o novo associado deve ser informado, em primeiro lugar, dos projetos e realizações do clube. Ele deve ser levado a conhecer de perto as instituições apoiadas pelo clube e falar com as pessoas beneficiadas pelos projetos. É conhecendo ini-


cialmente o lado operacional do clube, vendo, vivendo e aprendendo, que o novo rotariano vai adquirir motivação para permanecer no Rotary, tornar-se atuan-

te, produtivo, militante, um ativista social, disponível e comprometido com o trabalho. Também é importante convidar os rotarianos mais antigos que andam afas-

Terceira Sessão Plenária

tados do clube. Às vezes é preciso sacudir um pouco um companheiro para tirá-lo da apatia, da inércia e da acomodação, finalizou Hallage.

SEMINÁRIO DE CAPACITAÇÃO DE INSTRUTORES DISTRITAIS – 03/09/09 Foi coordenado pelo EGD Paulo Fonseca com a colaboração dos EGDs Francisco Schlabitz, Paulo Zanardi e Kleber Toscano. Foram destacadas as atribuições e responsabilidades dos Instrutores Distritais, cada vez mais importantes no desenvolvimento, treinamento e capacitação dos rotarianos, juntamente com o governador distrital. Além do papel do Instrutor Distrital, foram debatidos temas como o planejamento dos treinamentos, o desenvolvimento e a elaboração da agenda, e as reuniões conjuntas com os governadores eleitos 2010-11 e os coordenadores zonais da Fundação Rotária e do Desenvolvimento do Quadro Associativo.

 HENRIQUE VASCONCELOS, Francisco Schlabitz, Paulo Zanardi, Antonio Hallage, Paulo Fonseca e Kleber Toscano

ALMOÇO PAUL HARRIS – 03/09/09 Este almoço, que já está se tornando tradicional nos Institutos Rotary, foi muito concorrido. Além da grande confraternização, serviu para premiar os novos Majors Donors da Fundação Rotária. As premiações foram entregues pela EGD Aldair de Queiroz Franco, coordenadora regional da Fundação Rotária em 2008-09, pelos atuais co-

ordenadores, Altimar Fernandes e Henrique Vasconcelos.

 O CASAL governador Roberto Luiz Barroso Filho e Eliane, do distrito 4420, novos brasileiros a fazer parte da Sociedade Arch Klumph, sendo homenageados no Almoço Paul Harris

VI ENCONTRO DE ROTARIANOS DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA – 03 e 04/09/09 Simultaneamente ao XXXII Instituto Rotary do Brasil, aconteceu o VI Encontro de Rotarianos de Língua Portuguesa, que marcou uma nova e relevante etapa no desenvolvimento da Comissão Interpaíses Brasil-Portugal & Países de Língua Oficial Portuguesa (CIP_PLOP). Voltado à abordagem dos grandes desafios do Rotary, o encontro abriu espaço para significativas manifestações de autoridades e lideranças. A abertura do evento foi feita pelo diretor Antonio Hallage. A liderança das sessões ficou a cargo do presidente da Comissão, EGD Eduardo de Barros Pimentel, que é pre-

UMA DAS mesas do encontro. Na outra foto, Eduardo de Barros Pimentel fala à plateia



sidente da Fundação de Rotarianos de São Paulo. Segundo as palavras conclusivas do próprio Pimentel, o VI Encontro “foi o de melhor conteúdo e de apresentação de projetos sugeridos e apresentados”. No tocante ao combate à fome, foi apresentado um projeto em execu-

ção no campo da nutrição: o plantio de açaí na Guiné-Bissau. Na área da saúde, foi apresentado um projeto 3H desenvolvido por 13 Rotary Clubes do distrito 2400, da Suécia, em cooperação com um clube de Moçambique, do distrito 9210. Ainda foram expostos os avanços B RASIL R OTÁRIO 2 9

§


Instituto de Gramado na formação de profissionais da área médica voltados ao tratamento de doenças tropicais. No campo da educação, esteve em evidência a questão da alfabetização e da educação de jovens e adultos. O meio ambiente e a educação ambiental tiveram como foco o projeto Salas Verdes.

Além das exposições de EGDs de Angola, Brasil, Cabo Verde, Luanda e Portugal, ilustres personalidades também prestigiaram o evento, como o embaixador de Portugal no Brasil, João Carlos Salgueiro; o diretor geral do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella, Carlos Henrique Nery Costa; o

diretor do Departamento do Ministério do Meio Ambiente, Claudison Vasconcelos; a representante da coordenação da Educação Ambiental do Ministério da Educação e Cultura, Gabriela Michelotti; e o conselheiro do Ministério de Relações Exteriores, Leonardo Lott.

TREINAMENTO DOS REPRESENTANTES TITULARES E SUPLENTES DOS DISTRITOS JUNTO AO CONSELHO DE LEGISLAÇÃO – 04/09/09  GERSON GONÇALVES, Hipólito Ferreira, Antonio Hallage, John Kenny, Paulo Chedid e os delegados durante uma das votações

Considerando a alta responsabilidade dos representantes dos distritos que estarão em Chicago na última semana de abril de 2010 participando do próximo Conselho de Legislação, o Conselho Diretor do RI solicitou que fossem feitas, pelo menos, duas apresentações sobre o assunto no Instituto de Gramado.

A emenda que objetiva alterar o regimento interno do RI e os estatutos prescritos para os Rotary Clubs, para que haja uma nova categoria deles (os e-clubs), serviram de exemplo de caso do treinamento, que foi coordenado pelo EGD Paulo Chedid. Os bons resultados da simulação – que culminou com uma apresentação em plenária de

José Alfredo Petroni servindo de chairman, e incluindo intervenções de Luis Vicente Giay – só foram possíveis pela presença e efetiva participação de 89% dos delegados que irão a Chicago, além dos ex-diretores do RI Hipólito Ferreira e Gerson Gonçalves, e do apoio permanente do convocador Antonio Hallage.

ASSEMBLEIA GERAL DA ABTRF – 05/09/09 A Associação Brasileira da The Rotary Foundation (ABTRF) realizou sua Assembleia Geral num café da manhã. O presidente da ABTRF e ex-diretor do RI José Alfredo Pretoni fez as exposições principais, relatando as novas formas de arrecadação e o financiamento de 20 projetos já realizados pela Associação no Brasil. O evento contou com as presenças do presidente do RI John Kenny, do curador da Fundação

3 0 NOVEMBRO

DE

2009

Rotária Sakuji Tanaka, do expresidente do RI Luis Giay, do diretor Antonio Hallage, dos membros do Colégio Brasileiro de Diretores do RI e de vários rotarianos, conselheiros, consultores e colabora-

 EM PÉ, José Alfredo Pretoni, presidente da Associação Brasileira da The Rotary Foundation


dores da ABTRF. Pretoni enfatizou que a Associação é uma entidade com a missão de facilitar a arrecadação de recursos junto às empresas. Os empresários (não rotarianos) dessas empresas passaram a ter o reconhecimento d0 RI para suas doações. Quando a doação for feita atra-

vés de empresas de rotarianos, esses podem receber as comendas da FR, ou distribui-las entre amigos ou familiares. A Associação já arrecadou US$ 900 mil em quatro anos e meio de existência, e segundo a avaliação de Pretoni, se em cada clube rotário brasileiro tivermos pelo menos duas empresas

parceiras dos rotarianos, teremos, com certeza, uma arrecadação ainda maior. * Texto e fotos de Sérgio Afonso, associado do RC do Rio de JaneiroGrajaú, RJ (D. 4570) e colaborador da revista na cobertura dos Institutos Rotary do Brasil há 13 anos.

Premiações aos distritos feitas durante o Instituto Desenvolvimento do Quadro Associativo: crescimento

HALLAGE, KENNY e Antiório entregando o troféu ao casal governador 200809 do distrito 4410, Celso Alves e Denise, pelo maior crescimento do quadro associativo de toda a Zona 22 no ano rotário passado. Também foram premiados o governador 2008-09 Amilton Medeiros Silva, do distrito 4610, e o ex-governador José Domingos Rabello, do distrito 4620. A foto é completada por José Ubiracy Silva e Alceu Eberhardt 

JOHN KENNY entre o governador do distrito 4680 Carlos Roberto Silveira Borges e o exgovernador Tirone Lemos Michelin, este premiado com o Troféu Paulo Viriato Correa da Costa por ter sido o campeão brasileiro em crescimento e expansão no último ano rotário. Também na foto, José Antiório



§ B RASIL R OTÁRIO 3 1


Instituto de Gramado Fundação Rotária: doações  SERGIO LAZZARINI, governador 2008-09 do distrito 4420, foi premiado pelo presidente John Kenny com o Troféu Paulo Viriato Correa da Costa pelo primeiro lugar em arrecadações para a Fundação no período passado, com US$ 443.787,63. Ainda na foto, Altimar Fernandes, Antonio Hallage, Sakuji Tanaka, Aldair Franco e Henrique Vasconcelos

Compartilhar, reencontrar e aprender Esses são os principais objetivos dos Institutos Rotary do Brasil Denise Vieira*

P

articipar de eventos rotários é sempre um momento de extraordinário aprendizado. Se juntarmos o companheirismo, tudo fica perfeito. Nesse clima adorável, propício ao compartilhamento de conhecimentos e pródigo em experiências, encontramos a inspiração que nos mantém ligados ao Rotary. O XXXII Instituto Rotary do Brasil, realizado em Gramado, manteve esse perfil. No cenário hospitaleiro da charmosa Serra Gaúcha, as lideranças rotárias se reuniram sob a batuta do convocador e diretor do Rotary International Antonio Hallage. Frequento os Institutos há pouco tempo, mas faço questão de ser das primeiras a chegar e das últimas a sair. Institutos são momentos de crescimento rotário e de capacitação para difundirmos nosso aprendizado com os companheiros que não puderam participar. Mas isso não vale como regra. Devemos, sempre, incentivar a participação cada vez maior, principalmente daqueles que nunca foram a um. O segredo é mostrar o duplo prazer proporcionado pelo evento: conhecimentos e lazer. E turismo foi a palavra de ordem em Gramado. Nem adianta falar muito a respeito, sob pena de deixar quem faltou com água na boca. Instituto é tempo para a Família Rotária tecer a preciosa renda da solidariedade, capaz de atrair e irmanar pessoas das mais diferentes origens, credos e profissões. Também é espaço para problematizar nossas metas, analisar quem somos na organização, o que esperamos realizar, e como fazê-lo. O trabalho anima a novos desafios. Saliento esta parte, baseada em frase usada por John Kenny: o futuro do Rotary não está nas mãos do presidente, dos diretores ou dos curadores da Fundação Rotária. Ele será decidido por todos nós. Segundo ele, “é para compartilhar conhecimentos e experiências que temos os Institutos Rotary”. Fica a reflexão. Nos Institutos, comprovamos quantas almas gêmeas nós, rotarianos, formamos ao redor do mundo. Reunimos-nos para servir por uma razão muito simples: servir não é apenas mais agradável quando realizado com amigos, é também mais eficaz.

3 2 NOVEMBRO

DE

2009


Neste Instituto, alguns pontos me chamaram atenção de maneira especial: a coragem do diretor Hallage em realizar o inédito Pré-Gets, apontado como um dos pontos altos do treinamento, e a ênfase dada ao casal rotariano. Quando o trabalho é feito a dois, os resultados são mais duradouros. Ouvir os ex-diretores, ex-governadores e outros palestrantes falar em Planejamento Estratégico, Novas Gerações e Polio Plus, entre outros temas, foi salutar para o aprendizado de quem é rotariano ou não. Presenciar jovens despontando como lideranças rotárias. Ah! Como isso é ótimo. Agora a palavra de ordem é nos prepararmos para o próximo Instituto. Seguramente a experiência de Gramado irá colaborar para a realização do XXXIII Instituto Rotary do Brasil, em Santos. Espero encontrá-los por lá. BR

*A autora é jornalista e coordenadora distrital da Imagem Pública do distrito 4410.

Líderes rotários convocados para San Diego

A

sétima edição do Past Officers Reunion, encontro de ex, atuais e futuras lideranças mundiais do Rotary, vai ocorrer nos dias 17, 18 e 19 de janeiro no Omni San Diego Hotel, em San Diego, na Califórnia. A reunião será realizada na mesma época da Assembleia Internacional de San Diego, e tem o objetivo de atualizar nossos ex-dirigentes sobre os atuais panoramas e o futuro de nossa organização. O programa irá incluir encontros com o presidente John Kenny, com o presidente eleito Ray Klinginsmith, com o presidente indicado Kaylan Banerjee, além de diretores, curadores da Fundação Rotária e o secretário-geral do RI, Ed Futa. O Past Officers Reunion é aberto a atuais, futuros e ex diretores do RI, curadores e coordenadores regionais da Fundação Rotária, governadores distritais, e outras lideranças rotárias. Para obter mais informações sobre o encontro e fazer sua inscrição, escreva para os EGDs Phyllis Nusz e Werner Schwarz, dos EUA, em seus respectivos e-mails: pjnusz@aol.com e wlschw@lvha.net Fotos: Rotary International

LIDERANÇAS REUNIDAS: John Kenny e Ed Futa são alguns dos rotarianos que estarão no Omni San Diego Hotel

B RASIL R OTÁRIO 3 3


Altimar Augusto Fernandes e Henrique VVasconcelos asconcelos Coordenadores Regionais da Fundação Rotária para as Zonas 22A e 23A, e para Zona 22B, respectivamente

Novembro é o mês da Fundação Rotária G

ostaria de aproveitar esse momento tão especial para mostrar alguns dos programas da nossa Fundação Rotária e o que os rotarianos têm feito por meio dela para promover a boa vontade, paz e compreensão mundial ao apoiar iniciativas de melhoria da saúde, da educação e do combate à pobreza.

SUBSÍDIOS EQUIVALENTES Os Subsídios Equivalentes equiparam fundos para projetos de serviços internacionais implementados por Rotary Clubs e distritos. Desde 1965, mais de 30.500 iniciativas em 199 países se beneficiaram de Subsídios Equivalentes que utilizaram mais de US$ 371 milhões. Em 2007-08, foram aprovados 2.424 subsídios para viabilizar ações em 137 países, resultando na outorga de US$ 43,8 milhões. No ano rotário 2008-09, tivemos de reduzir nossos fundos aplicados em Subsídios Equivalentes, mas mesmo assim aprovamos 1.503 projetos, fazendo uso de mais de US$ 16 milhões. Por acaso, companheiro, você conhece todos os projetos de Subsídios Equivalentes que o seu clube já realizou? E quanto àqueles do seu distrito? Do Brasil, então, é até difícil imaginar. Não fique triste, pois posso garantir-lhe que nenhum rotariano conhece todos os projetos que já foram realizados. E tenha a certeza de que a maioria dos rotarianos desconhece mesmo os projetos do seu próprio clube. O que podemos fazer para mudar esse fato? Em primeiro lugar, cada clube, por intermédio do presidente da Comissão da Fundação Rotária, poderia contatar o Escritório do RI em São Paulo pelo telefone 11-3826-2966 e solicitar ao Edilson Gushiken ou à Arlete Fonseca um relatório (activity report) com todos os projetos já realizados pelo seu clube. Em seguida, cada clube poderia formar comissões para visitar as entidades beneficiadas pelos projetos, aproveitando para fotografar, colher depoimentos e se informar mais a fundo sobre benefícios que as iniciativas proporcionaram a todos os envolvidos. Certamente os companheiros se sentirão orgulhosos pelos trabalhos realizados e ficarão

3 4 NOVEMBRO

DE

2009

mais motivados a continuar fazendo o bem. Além disso, os clubes poderiam encaminhar o material coletado – principalmente com as fotos – para os Coordenadores Regionais da Fundação Rotária. Desta maneira, poderíamos ter um banco de dados atualizado com todos os projetos de Subsídios Equivalentes do Brasil. Por esse motivo, peço a gentileza de que cada clube faça um esforço no sentido de que esse levantamento seja feito ainda dentro do atual ano rotário e, com isso, o mais rapidamente possível teremos esse material, que será muito útil para conseguirmos novas parcerias, além de fortalecer e contribuir para o crescimento do nosso quadro associativo. DOCUMENTÁRIO DA ABTRF Já foi produzido e está à disposição dos interessados um DVD com todos os projetos de Subsídios Equivalentes financiados com recursos da Associação Brasileira da The Rotary Foundation (ABTRF). Esse DVD é um sucesso e todos que tiveram a oportunidade de assisti-lo concordam se tratar de uma poderosa ferramenta para motivar os empresários a contribuir com a ABTRF. É mostrando como a Fundação Rotária utiliza a contribuição de cada empresa e, principalmente, dando


visibilidade ao depoimento das pessoas diretamente beneficiadas por esses trabalhos que faremos todos compreenderem a importância de se unirem a uma entidade séria e de muita credibilidade para prestar serviços relevantes e fazer o bem à humanidade. Mais informações sobre o DVD podem ser obtidas pelos e-mails dos companheiros José Luiz Fonseca e Francisco Schilabitz: joselfon@amcham.com.br e chicosch@aeic.br, respectivamente. BOLSAS EDUCACIONAIS Este é um dos maiores programas de bolsas internacionais no mundo. Concede aos beneficiários a oportunidade de estudar no exterior e atuar como embaixadores da boa vontade. Desde o lançamento do programa, em 1947, mais de 39.760 estudantes oriundos de mais de 115 países receberam essas bolsas. Para tanto, o investimento foi superior a US$ 519 milhões. Apenas em 2007-08 foram outorgadas 673 bolsas a jovens de 72 países para estudar em 73 nações, o que totalizou US$ 14,1 milhões. Já no ano rotário 2008-09 foram concedidas 760 bolsas educacionais. INTERCÂMBIO DE GRUPOS DE ESTUDO O Intercâmbio de Grupos de Estudo (IGE) é um programa que financia viagens de equipes integradas por não rotarianos das mais variadas profissões. Rotarianos anfitriões organizam roteiros com duração de quatro a seis semanas para os visitantes internacionais, incluindo pontos de interesse educativo, profissional e cultural. Desde 1965, cerca de 65 mil pessoas, divididas em 14.101 equipes de IGE de mais de 106 países, participaram do programa. O investimento foi superior a US$ 105 milhões. Em 2007-08, US$ 4,4 milhões foram outorgados para que 565 grupos de IGE viajassem ao exterior. E em 2008-09 foram enviadas 560 equipes. VOCÊ SABIA QUE: Acessando http://shop.rotary.org na internet poderá adquirir todas as publicações, audiovisuais e materiais do Catálogo do RI 200910? Se você preferir, pode falar pelo telefone 11-3826-2966 com Clarita Urey, no Escritório do RI no Brasil. No endereço eletrônico www.youtube.com/ rotaryinternational você poderá assistir a vídeos rotários de várias partes do mundo. BR

Coluna do chair da Fundação Rotária

Cause impacto doando à Fundação

M

inha mulher, Mary, e eu temos três filhos e oito netos. Recordando os muitos anos felizes de criação da família, lembro-me quase claramente dos dias que, por algum motivo, se sobressaíram aos outros. Guardo na memória o dia em que meu filho teve as amídalas extraídas – e comeu um cheeseburger na mesma noite! Lembro dos casamentos, das formaturas e do nascimento de cada criança. Mas quando converso com os meus filhos sobre o que eles recordam de suas infâncias, as respostas são muito surpreendentes. Eles lembram de fatos que Mary e eu já havíamos há muito nos esquecido – aqueles momentos simples que ocorreram como parte de uma vida corriqueira criaram recordações profundas. Esses são os momentos que definem quem somos. O que vemos, ouvimos e vivenciamos à medida que crescemos molda a pessoa que nos tornamos. Como pais, tudo o que fazemos tem impacto, mesmo que não percebamos no momento. Como rotarianos, temos uma responsabilidade similar de considerar as consequências de cada uma de nossas ações. Não podemos prever o quão significante nossas palavras e decisões serão. Mas sabemos que tudo o que dizemos e fazemos tem um impacto. Nossa responsabilidade é assegurar a positividade do efeito cumulativo. Quando fazemos uma doação à nossa Fundação Rotária, sabemos que o resultado será positivo. Na época em que fui presidente do RI, constatei esta verdade de muitas maneiras. Nas regiões mais pobres do mundo os clubes locais possuem menos recursos. Ao doar à nossa Fundação, levamos ajuda aos lugares onde o Rotary é mais necessário – e cumprimos a missão da Fundação Rotária de Fazer o Bem ao Mundo. GLENN ESTESS SR. Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Rotária B RASIL R OTÁRIO 3 5


Cultura

Renata Coré

Gramáticas em acordo com a nova ortografia

E

m janeiro próximo, a entrada em vigor no Brasil do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa completa um ano. Ao longo dos últimos meses, as mudanças trazidas pela nova ortografia chegaram paulatinamente ao mercado editorial. Apesar de o período de transição se encerrar apenas em 2012, as editoras já vêm lançando títulos inéditos em consonância com as regras atuais e adaptando obras antigas, com o intuito de atualizá-las. O segmento das gramáticas de língua portuguesa não poderia ficar de fora. Juntos, a editora Publifolha e o Instituto Antônio Houaiss produziram a “Gramática Houaiss da Língua Portuguesa”, redigida pela nova ortografia e com autoria de José Carlos de Azeredo, professor adjunto do Instituto de Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Dividida em oito partes, a obra oferece um extenso trabalho de análise da língua portuguesa, incluindo desde assuntos usualmente tratados nas gramáticas até aspectos conceituais do idioma, como: mudança, variação e unidade; linguagem, discurso e texto; e a língua e seus usos expressivos, entre outros. Já a editora Lexikon lançou a quinta edição – revista e ampliada – da “Nova Gramática do Português Contemporâneo”. Também seguindo a nova ortografia, o livro de Celso Cunha e Lindley Cintra chega com capa renovada e acrescido do capítulo “Do

3 6 NOVEMBRO

DE

2009

Latim ao Português”. Além da função de gramática, o título em questão é visto como uma introdução à estilística do português contemporâneo. Outra obra já adaptada segundo as regras de unificação da ortografia é a “Moderna Gramática Portuguesa”, de Evanildo Bechara, relançada pela editora Nova Fronteira. O professor, imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), é considerado o mais importante gramático brasileiro vivo. Ainda no forno, a “Moderna Gramática Brasileira” e a “Gramática Resumida”, dois trabalhos relevantes de Celso Pedro Luft, estão em processo de adaptação pela editora Globo. Voltada para concursos e vestibulares, há a gramática “É Fácil Aprender Português”, de Dionilce Silva de Faria. Publicada pela editora Muiraquitã, oferece 600 exercícios com respostas. A autora é pesquisadora, revisora, professora licenciada pela Universidade Federal Fluminense e, durante seis anos, lecionou e manteve cursos preparatórios para concursos e vestibulares. Ao lado das gramáticas, as editoras vêm atualizando também os dicionários. Algumas opções são o “Dicionário Escolar da Língua Portuguesa” da ABL, publicado pela Companhia Editora Nacional, o “Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa”, da editora Objetiva, e o “Dicionário Caldas Aulete de Bolso”, das editoras Lexikon e L&PM.


Murillo Tinoco

Nova voz da MPB ao vivo A

jovem cantora Roberta Sá, apontada como uma das novas vozes da MPB, subiu ao palco do Vivo Rio, casa de espetáculos no Parque do Flamengo, no Rio de Janeiro, em abril último. O show tinha um motivo especial: gravar o primeiro trabalho ao vivo da intérprete. Agora o resultado já pode ser conferido no CD e no DVD “Pra Se Ter Alegria”, lançado pela gravadora Universal Music Brasil. Apreciada pela crítica desde que despontou, a potiguar de 28 anos foi apresentada ao público pelo reality show “Fama Bis”, em 2002. Mesmo eliminada na quarta semana da segunda edição do programa de TV, Roberta foi, entre todos os participantes, quem construiu a mais sólida carreira musical. Estreou em 2005, com o álbum “Braseiro”. Em 2007, lançou “Que Belo Estranho Dia Para Se Ter Alegria” e com ele conquistou disco de ouro. Emplacou músicas nas trilhas das novelas “Celebridade”, “Negócio da China” e, mais recentemente, “Viver a Vida”. Este ano, enquanto ensaiava o show de gravação do trabalho ao vivo, Roberta viajava com o espetáculo “Alô... Alô? 100 Anos de Carmen Miranda” pelas unidades do Centro Cultural Banco do Brasil no Rio, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte. A desenvoltura com que demonstrou transitar entre sambas e marchinhas consagrados e as canções de jovens compositores apresentadas em seu próprio repertório foi elogiada pelo escritor Ruy Castro: “Em tempo recorde, cristalizou um estilo a que qualquer canção, por mais nobre ou vadia, se amolda. Cantora canônica é isso aí”, escreveu. O DVD e o CD “Pra Se Ter Alegria” trazem, respectivamente, 21 e 14 faixas. Além das canções ao vivo, há quatro músicas gravadas em estúdio – com a participação de nomes como Chico Buarque – e a inédita “Agora Sim”, parceria da cantora com Carlos Rennó e o marido, o cantor e compositor Pedro Luis.

poeta cai rede na rede O poetaOcai na

E

ste ano, Carlos Drummond de Andrade completa 25 anos no catálogo da editora Record. Para homenageá-lo, a casa editorial colocou no ar o site oficial do poeta, com conteúdo atualizado semanalmente. No endereço www.carlosdrummonddeandrade.com.br o internauta encontra informações sobre a vida e a variada obra de Drummond, que percorreu tanto os caminhos da poesia como da ficção. Textos de Drummond estão disponíveis no site, também abastecido com fotos pessoais e manuscritos oferecidos pelo neto do autor, Pedro Drummond. No canal batizado de Rádio Drummond, é possível ouvir alguns dos principais poemas musicados, entrevistas e declamações do próprio poeta. A página também oferece a lista completa dos livros de Drummond publicados pela editora e, quinzenalmente, são realizadas promoções que oferecem livros do autor como prêmio. Outra escritora que já foi igualmente homenageada por sua editora com a criação de um site é Clarice Lispector. Há alguns anos, a Rocco colocou no ar o www.claricelispector.com.br, página com informações biográficas e sobre a carreira de Clarice, matérias sobre a autora publicadas recentemente na imprensa, fotos, lista de obras, textos que a escritora assinou como jornalista, cartas e depoimentos de e sobre Clarice, manuscritos e artigos. BR B RASIL R OTÁRIO 3 7


Oportunidades

Regulamentar é preciso Você sabe o que é um agente de integração? E quais devem ser as responsabilidades dele? Sebastião Alvino Colomarte*

O

estágio é uma das melhores ferramentas para o profissional alcançar, mais adiante, sucesso no mercado de trabalho. Sempre defendi esse princípio, válido seja para a obtenção do primeiro emprego, com carteira assinada, seja para a atuação como empreendedor, criando o próprio negócio, ou mesmo ingressar, por meio de concurso, no serviço público. O importante é o estudante conquistar um objetivo. Por isso, o estágio, como ato educativo, visa a preparação do educando para o trabalho produtivo. É, portanto, a ponte para o futuro. Em detalhes, quais são as vantagens do estágio? Vejamos: 1) O estudante amplia seus conhecimentos pela prática em situação real. 2) A empresa prepara seu quadro de pessoal com custos menores, enquanto descobre e prepara novos talentos. 3) A escola, por sua vez, traz para a sala de aula as discussões práticas dos conteúdos teóricos.

A LEI DE 1977 O instituto do estágio foi introduzido no Brasil pela Portaria nº 1.002, de 29 de setembro de 1967, do então ministro do Trabalho Jarbas Passarinho. Para a época foi um

38 NOVEMBRO DE 2009

grande avanço; anteriormente a atividade era desenvolvida sem qualquer regra. Em 1977 foi aprovada a Lei 6.494/77, que solidificou o assunto, criando, a partir do decreto 87.497/82, a figura jurídica do agente de integração. Agora, com a Lei 11.788, de 25 de setembro de 2008, essa figura jurídica foi consolidada. Porém, o texto não estabeleceu regras claras quanto ao seu verdadeiro papel, nem critérios de atuação. Por definição, o agente de integração funciona como elemento de facilitação e coparticipação na integração do estudante ao sistema produtivo. Em outras palavras, ele estabelece um procedimento didático-pedagógico na consolidação da formação do aprendiz. Tanto o agente de integração quanto o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) surgiram bem antes da portaria e das leis mencionadas. Em suma, o estágio não era reconhecido pela legislação até o ano de 1977. Ele nasceu em São Paulo, em 1964, diante da dificuldade que empresas e escolas encontravam para estabelecer o elo entre o sistema de formação – a escola – e o sistema de absorção – a empresa – para a prática profissional. MISSÕES DO CIEE O CIEE de Minas Gerais completará 30 anos em 8 de dezembro deste ano. Como uma associação social de interesse público, atua na integração entre as instituições de

ensino e as empresas. Entre suas responsabilidades estão otimizar o futuro profissional do aprendiz e viabilizar as chances para o sucesso no mercado de trabalho. Após a edição da nova lei do estágio, o CIEE de Minas Gerais vem fazendo gestões junto ao Ministério da Educação e ao Congresso Nacional. Essas parcerias têm como objetivo propiciar regras claras quanto ao verdadeiro papel do agente de integração, principalmente no que se refere aos critérios para a sua correta atuação. O CIEE de Minas Gerais defende um decreto regulamentador para a Lei 11.788/2008. Com a reformulação desta lei, uma organização dessa natureza teria que atender alguns pré-requisitos, tais como: Ser reconhecida como de utilidade pública nos âmbitos municipal, estadual e federal; 

Possuir caráter social;

Ser registrada no Conselho Nacional de Assistência Social e/ou no Conselho Estadual de Assistência Social; 

 Atuar nos setores de formação profissional, técnica, cultural e científica, bem como atuar na integração entre as instituições de ensino e empresas particulares ou públicas, sempre com vistas à otimização da absorção do profissional pelo mercado de trabalho;


Manter em sua organização um conselho consultivo a fim de realimentar o processo ensino-aprendizagem, com a edição de publicações informativas – que cobririam a realização de seminários e fóruns de debates, promovendo a formação técnica, cultural e científica dos estudantes. O conselho seria formado por profissionais, voluntários, todos representantes dos diferentes segmentos sociais e econômicos.

n

Definindo-se o verdadeiro papel do agente de integração e sua missão, e entendendo que entidades não qualificadas estariam impedidas de atuar nessa importante atividade, evitaríamos que estudantes, empresas e escolas fossem prejudicados, como ocorre atualmente. Um agente de integração como o CIEE/MG, tendo se exercitado, desde a sua fundação, em harmonizar as diferenças, superar os conflitos e promover os mecanismos de integração, defende a adoção de um enfoque sistêmico que não permita a dissociação entre o mundo do saber e o mundo

do fazer, entre a teoria e a prática. Somente por meio de um equilíbrio dinâmico poder-se-á desenvolver o processo de aprendizagem em equilíbrio com a ação aplicada. A edição do decreto regulamentador, estabelecendo critérios para a atuação das entidades que se dizem agentes de integração, viria desfazer todas as dúvidas. * O autor é professor, superintendente adjunto do CIEE/MG e associado do RC de Belo Horizonte-Serra, MG (D.4520). BR

Definindo-se o papel do agente, evitaríamos que estudantes, empresas e escolas fossem prejudicados, como ocorre atualmente Brasil Rotário 39


Interact & Rotaract Os Rotaract Clubs de Sergipe (D. 4390) deram apoio ao Rotaplast em sua ação no estado. Este projeto permitiu 112 cirurgias no Hospital São José, em Aracaju, beneficiando 80 pessoas de 15 cidades. O Rotaplast começou há 17 anos, encabeçado por médicos voluntários rotarianos com a missão de atender pacientes carentes portadores de fissura labiopalatal. Os voluntários hoje somam 152 profissionais da área de saúde, provenientes de países como EUA, Canadá e Holanda.

Os jovens dos Rotaract Clubs de São Paulo-Vila Carrão e São Paulo-Norte, SP (D. 4430), promoveram festa para os moradores da Associação Beneficente de Amparo ao Idoso Carente, com direito a lanche e entrega de material de higiene pessoal.

A 2ª Costelada do Rotaract Club de Guararapes, SP (D. 4470), reuniu mais de 350 pessoas. Entre as presenças, as senhoras da Casa da Amizade local e os companheiros dos RCs de Guararapes, Araçatuba, Penápolis e Valparaíso. O Interact Club de São Paulo-Norte, SP (D.4430), participou do Dia de Jogos Cooperativos, no Parque da Juventude, na Zona Norte de São Paulo. O evento foi organizado por ex-alunos e professores da Faculdade Unimonte, de Santos, e teve como objetivos promover a paz e a cooperação entre os povos e o respeito à natureza.

Escritório Contábil Nova Visão Ltda. CONTABILIDADE – DESPACHANTES LEGALIZAÇÃO DE FIRMAS

Imp. de renda p/Física e Jurídica Rua Álvaro Alvim, 31 - 16º andar - Centro Fone: (21) 2533-3232 G Fax: (21) 2532-0748 Cep: 20031-010 - Rio de Janeiro - RJ Direção: Dra. Teresa de Jesus

4 0 NOVEMBRO

DE

2009

No Dia Nacional de Combate ao Fumo, em 29 de agosto, o Rotaract Club de Jales-Grandes Lagos, SP (D. 4480), esteve à frente, juntamente com os integrantes do Interact Club de Jales, da 3ª Campanha Antitabagismo. Naquela data, diversos profissionais ministraram palestras de conscientização. No encerramento do evento, houve a abertura oficial de uma campanha de doação de medula óssea. Na foto, a presidente do Interact, Juliana Mansueli Nunes, o promotor de Justiça de São Paulo André Luis de Souza e o presidente do Rotaract, João Paulo Scarin.


I

A Conferência Multidistrital de Rotaract Clubs volta ao Estado do Rio de Janeiro após 10 anos. A Conarc, como é chamada, terá como cenário Miguel Pereira em sua 36ª edição, entre os dias 20 e 24 de janeiro de 2010. O encontro pretende resgatar os princípios que fizeram jovens de 18 a 30 anos ingressarem no Rotaract. O distrito anfitrião, o 4570, havia lançado sua candidatura durante o Treinamento Multidistrial de Representantes Distritais, em maio último. Para mais informações, entre no site da Conarc 2010: www.conarc.com.br

O Rotaract Club de Serra Negra, SP (D. 4590), promoveu festa italiana com o apoio do RC local. A renda será destinada aos projetos do clube. Na foto, Patricia Tafner, presidente do Rotaract, é a quarta pessoa a partir da esquerda.

O Rotaract Club de Indaial, SC (D. 4650), promoveu o Baile dos Anos 60, 70 e 80 em prol do Corpo de Bombeiros Voluntários de Indaial. A festa teve lugar na Sociedade Recreativa da cidade.

O Interact Club de Volta Redonda-Capital, RJ (D. 4600), comemorou sua reativação com uma festiva para os 28 novos sócios.

Ocorreu na cidade de Taubaté, São Paulo, a 10ª Conferência Distrital de Rotaract Clubs do Distrito 4600. Estiveram presentes rotaractianos, interactianos e rotarianos – entre eles, o atual governador, Ettore Dalboni; o governador indicado 2010-11, Moacyr Peireira; e o EGD Orvile Kairalla Riemma, todos do 4600. Reunindo 56 participantes, o evento ainda contou com a presença de convidados dos Rotaract Clubs de Tatuí (D. 4620), São Paulo-Vila Formosa (D. 4630) e Porto Alegre (D. 4670).

Os jovens do Rotaract Club de Soledade, RS (D. 4700), entregaram 100 travesseiros ao Hospital de Caridade Frei Clemente. O clube contou com doações da comunidade para realizar a iniciativa.

Os idosos do asilo do município de Frutal, em Minas Gerais, tiveram uma tarde de lanche e solidariedade proporcionada pelos integrantes do Interact Club de Frutal, MG (D.4770).

B RASIL R OTÁRIO 4 1


Quantos Somos

NO MUNDO Rotarianos: 1.217.582; Clubes: 33.633; Distritos: 534; Países e regiões: 211; Rotaractianos: 180.274; Clubes: 7.838; Países: 164; Interactianos: 281.152; Clubes: 12.224; Países: 132; Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário: 6.725; Voluntários: 154.675; Países: 78; Número de rotarianas: 196.137. NO BRASIL Rotarianos: 52.891; Clubes: 2.329; Distritos: 38; Rotaractianos: 14.927; Clubes: 649; Interactianos: 16.445; Clubes: 715; Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário: 268; Voluntários: 6.164; Número de rotarianas: 10.187.

Fonte: Escritório do Rotary International no Brasil (dados de outubro de 2009)

B RASIL R OTÁRIO 4 3


Distritos

EM

Revista

Realizando o sonho de uma cidade

Fotos: Willian Costatt

Rotarianos ajudam a criar novo ponto turístico no interior de São Paulo D.4510

RC de Tarumã, SP – Até pouco tempo atrás, a nascente do riacho Tarumã, que dá nome à cidade paulista, era um lugar feio e cheio de lixo. A situação mudou em junho deste ano, quando o lugar ganhou a Fonte dos Sonhos, construída por meio de uma parceria do Rotary Club com a prefeitura. No caso do Rotary, parte dos recursos veio do exterior, na forma de um projeto de Subsídios Equivalentes da Fundação Rotária, feito pelo clube brasileiro em conjunto com o RC de Lewiston, dos EUA (D. 5080). Com a recuperação da nascente e a criação da fonte, que fornece água potável aos visitantes, a Fonte dos Sonhos agora é uma área de turismo e de lazer em Tarumã. O projeto foi completado com o plantio de diversas árvores no local.

CRIANÇA AJUDANDO no plantio das árvores

44 NOVEMBRO DE 2009

EM DOIS tempos: as fotos mostram como a nascente do riacho era antes do projeto e como ficou depois das obras. Quem aparece pegando água é o governador distrital José Uracy Fontana 

 ROTARIANOS E representantes do poder público munici-

pal: com a parceria, Tarumã ganhou uma nova área de lazer


D. 4310 RC de São Manuel, SP – Na festa dos 50 anos de fundação do clube, comemorados em agosto, o casal Maria Helena e Adhemar Augusto (à esquerda), ele um dos fundadores, e o casal governador Emilio Cassano e Graziella.

RC de Saltinho, SP – Entregou aproximadamente R$ 1.000 em produtos de higiene pessoal (como sabonetes, escovas de dente e xampu) à Sociedade São Vicente de Paulo, que depois providenciou a distribuição dos kits às famílias carentes que assiste.

D. 4410 RC de Colatina-São Silvano, ES – Está arrecadando fraldas geriátricas entre os moradores e os comerciantes da cidade para atender o banco de fraldas da Associação São Vicente de Paulo, que realiza um importante trabalho social junto às famílias carentes de dois bairros da cidade. Outra entidade assistencial que conta com o apoio do clube é a Associação Comunitária Jeriel, que acolhe, alimenta e presta apoio aos moradores de rua de Colatina. Os rotarianos doam alimentos, roupas, material de higiene pessoal e equipamentos. O clube fez a doação de brinquedos e alimentos à Casa da Passagem de Colatina.

D. 4420

Os RCs de São Paulo-Parque do Ibirapuera e São Paulo-Sudeste, SP, foram alguns dos organizadores da grande festa de 55 anos do Parque do Ibirapuera, na capital paulista. Além de levarem uma orquestra e uma orquestra de sinos para se apresentarem no evento, os rotarianos entregaram uma placa de associado honorário ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

RC de Guarapari, ES – Dando continuidade ao projeto Criança Feliz, feito com as parcerias da Pastoral da Criança da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, da Secretaria Municipal de Saúde e do programa de segurança alimentar Mesa Brasil-Sesc, o clube distribuiu 500 quilos de alimentos, cestas básicas, 60 litros de leite e kits de higiene bucal durante a palestra de uma dentista realizada na Pastoral da Criança do bairro São João.

Com a presença do governador distrital Roberto Luis Barroso Filho, os dez Rotary Clubs da cidade de Santos, no litoral de São Paulo, organizaram a 2a Caminhada Rotary. Aproximadamente 500 pessoas participaram do evento, feito com o apoio da Companhia de Engenharia de Tráfego de Santos, da Polícia Militar, do Exército e do motoclube Pelicanos do Asfalto. Foram arrecadados alimentos para as entidades sociais assistidas pelos rotarianos. BRASIL ROTÁRIO 45


D. 4440

D. 4430 RC de São Paulo-Aclimação, SP – No começo de agosto, abrindo oficialmente a

Semana Mundial de Aleitamento Materno, o clube realizou a 1a Caminhada pelo Aleitamento Materno, que reuniu 2.000 pessoas no Parque da Aclimação, na capital paulista. Patrocinado pela Unimed de São Paulo, o evento contou com o apoio das secretarias municipal e estadual de Saúde, da Sociedade de Pediatria de São Paulo, da Associação Brasileira de Profissionais de Banco de Leite e da Ação de Apoio à Amamentação. Além de atividades de orientação às gestantes e lactantes, de serviços gratuitos de medicina preventiva e de apresentações culturais, foram distribuídas 1.000 camisetas inspiradas na campanha. Entre os participantes da caminhada, estiveram o governador distrital Juvenal Antonio da Silva e a mulher dele, Celina. RC de Mairiporã, SP – Organizou a 13a edição do Festival da Pipa, evento do clube que reuniu muitas crianças e adultos da cidade. Para tudo ficar mais divertido e seguro, o cerol foi o único convidado barrado na festa, que teve distribuição de refrigerante e lanches. Com o patrocínio das Linhas Corrente, os participantes ganharam mais de 1.000 pipas e carretéis de linha.

RC de São Paulo-Pirituba, SP – No McDia Feliz, os alunos, pais, professores e funcionários de uma escola de São Paulo ganharam Big Mac, batata frita e refrigerante, tudo patrocinado pelo clube. Foram distribuídos mais de 600 lanches, e a festa foi animada por mágicos e palhaços. No McDia Feliz, todo o dinheiro arrecadado com a venda de sanduíches Big Mac (exceto alguns impostos), é revertido para instituições de apoio e combate ao câncer infanto-juvenil de todo país.

46 NOVEMBRO DE 2009

RC de Cáceres, MT – Com a parceria de empresas da região, os rotarianos fizeram doações ao Lar dos Velhinhos. Na festa de entrega, os vovôs e vovós também ganharam de presente uma programação especial com música, teatro, prêmios e serviços de cabeleireiro.

D. 4470 RC de Três Lagoas, MS – O clube realizou o 8 Moto Show, evento que o

reuniu mais de 15 mil pessoas e teve o lucro destinado a diversas entidades assistenciais da cidade. Todos os rotarianos e integrantes da Casa da Amizade participaram da organização da festa, que em três dias movimentou aproximadamente R$ 800 mil em hotéis, lojas e restaurantes da cidade.

RC de Caarapó, MS – Na campanha Inverno Solidário, feita pelos rotarianos com a parceria de voluntários, o clube arrecadou mais de duas toneladas de agasalhos, distribuídos entre as famílias de Caarapó e da região.


D. 4470 RC de Naviraí-Integração, MS – O Pinguim Texas Bar recebeu as crianças do Lar do Menor de Naviraí para um passeio promovido pelos rotarianos. Todo mundo brincou na cama elástica e no touro mecânico, e depois aproveitou o lanche com cachorro quente, doces e refrigerante. O clube também visitou as obras do novo Hospital do Câncer de Dourados, que atende diversos municípios da região, e prometeu seu apoio à instituição.

RC de Inocência, MS – Organizou no prédio da Casa da Amizade uma palestra sobre os perigos da gripe A (H1N1). O palestrante foi o médico Robson Fernandes Negri, associado do clube. Participaram do evento moradores da cidade, representantes de escolas e igrejas, além da secretária municipal de Saúde, Maria Claudia Martins Batista.

RC de Aparecida do Taboado, MS – Comemorando a Semana Nacional do Excepcional, no final de agosto, o clube ofereceu um almoço para os alunos e professores da Apae local. A iniciativa foi feita com a parceria da Casa da Amizade.

RC de Guararapes, SP – Doou um computador ao Educandário Nossa Senhora Aparecida. O equipamento vai auxiliar no aprendizado das meninas atendidas pela instituição. A entrega foi feita durante a visita do governador Sérgio de Araújo Philbois, e com a presença do prefeito da cidade, Edenilson de Almeida. Em parceria com a Casa da Amizade, o clube também realizou a 27a edição da Festa do Vinho e Queijo, que reuniu aproximadamente 300 casais. A renda está sendo utilizada em benefício das entidades assistenciais de Guararapes.

D. 4480

Companheiros do Intercâmbio da Amizade do distrito 5080, que cobre parte dos EUA e do Canadá, na chegada ao distrito paulista, visitado por eles no começo de agosto.

RC de Jales-Grandes Lagos, SP – Com o apoio da Casa da Amizade, realizou o Porco Solidário na sede do Clube dos Médicos. Os rotarianos também homenagearam os veneráveis das Lojas Maçônicas de Jales em comemoração ao Dia do Maçom.

BRASIL ROTÁRIO 47


D. 4490 RC de Juazeiro do Norte, CE – Recebeu o capitão Agra Filho, comandante do Ronda do Quarteirão, um projeto pioneiro do Ceará que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida nas comunidades, procurando identificar e resolver problemas como assaltos e tráfico de drogas. Agra Filho fez uma palestra com o tema “A polícia da boa vizinhança”.

D. 4500 RC de Patos, PB – Em parceria com o programa AABB Comunidade, da Fundação Banco do Brasil, o clube vem desenvolvendo um projeto com um grupo de 100 crianças e adolescentes da cidade. Além de melhorar o desempenho deles na escola, a iniciativa é voltada a descobrir talentos artísticos entre a garotada, como esses flautistas, que fizeram uma apresentação musical durante a cerimônia de posse do atual conselho diretor do clube. Numa outra parceria, dessa vez com o Guedes Shopping Center e a prefeitura, o clube inaugurou mais um abrigo para os taxistas de Patos. RC de Carpina, PE – Com o patrocínio do Supermercado Todo Dia, uma empresa varejista do grupo Wal-Mart, e as parcerias do Fórum, da Promotoria, da Metas Assessoria e do Cartório de Registro Civil de Carpina, o clube realizou a segunda edição do Casamento Comunitário, dessa vez para 100 casais e 1.200 convidados. O evento ocorreu no Clube de Lenhadores, com direito a marcha nupcial, tapete verde e decoração com flores, e teve a presença do governador distrital Eduardo Queiroz e de outras autoridades rotárias e do município. O clube carpinense também comemorou o Dia do Estudante nas escolas públicas e privadas da cidade com uma programação especial, composta por mesas redondas que debateram a vida do estudante brasileiro.

48 NOVEMBRO DE 2009

D. 4510

RC de Pederneiras, SP – Numa reunião do clube, duas integrantes do Rotakids, Alana Nozella e Izabela Creado da Silva, foram até a tribuna pedir aos rotarianos que lhes repassassem uma das cadeiras de rodas doadas ao RC por empresários da região. As meninas pretendiam entregar a cadeira ao Asilo São Vicente de Paulo de Pederneiras, no que foram atendidas pelo presidente Luiz Carlos Fávero, que aparece na foto ao lado delas e do companheiro Emil Aparecido Stancari (1o à esquerda), coordenador do Rotakids e do Interact patrocinados pelo clube. RC de BauruParque das Nações, SP – Criou o primeiro Rotary Kids de Bauru. Na foto, a cerimônia de posse, realizada no dia 2 de setembro.

RC de Tupi Paulista, SP – Promoveu um encontro com representantes da comunidade local, principalmente da área de comunicação, para uma palestra sobre a Imagem Pública do Rotary International. O objetivo foi mostrar aos rotarianos a importância de se trabalhar bem a imagem do Rotary e conscientizar os jornalistas e editores da região da relevância de se ter um trabalho especialmente voltado às ações rotárias. Na foto, a partir da esquerda, o coordenador da Comissão Distrital de Imagem Pública, jornalista Márcio Medeiros, que foi um dos palestrantes; o prefeito de Tupi Paulista, João Carlos Ferracini; e o presidente do clube, Jorge Luiz Zanoni.


Getulio Romão

D. 4510 RC de Marília de Dirceu, SP – O clube espalhou 12 outdoors pela cidade

para divulgar um desfile de moda realizado em prol da Fundação Rotária e do Centro de Apoio à Criança e ao Adolescente de Marília. Administrada pelo clube, a instituição atende a 40 crianças e jovens de até 17 anos de idade, vítimas de maus tratos familiares.

D. 4520 RC de Coronel FabricianoNorte, MG – Os companheiros comemoraram o aniversário de 20 anos de fundação do clube e homenagearam com placas alusivas os três associados fundadores: Lécio Araújo, Luiz Roberto Paiva e Bruno Torres.

Tendo o RC de Ipatinga como padrinho, o RC de IpatingaArchimedes Theodoro, MG, é o mais novo clube da comunidade regional do Vale do Aço. Na foto, o governador Itamar Duarte Ferreira está acompanhado dos associados fundadores e da comissão de criação do novo clube.

D. 4530 RC de Taguatinga, DF – O clube homenageou o taguatinguense Gilberto Keiji Ju-

nior, que se sagrou campeão brasileiro pré-mirim de hipismo. Apesar da pouca idade, o menino já é detentor de dezenas de troféus e medalhas. Na ocasião, foi homenageado também o instrutor do jovem, José Cabral Neto, que conquistou o título na categoria sênior.

RC de Porangatu, GO – Mais uma vez, o clube participou da Exposição Agropecuária do Norte Goiano. Em parceria com o Sindicato Rural do município, realizador do evento anual, os companheiros comercializaram os ingressos para os camarotes do rodeio. Os rotarianos também ficaram responsáveis por cuidar do bar que atendeu os camarotes. A verba obtida com a ação é destinada à Creche São Vicente de Paula, administrada pelo clube, que acolhe e cuida de 60 crianças em uma região carente do município.

RC do Gama, DF – Os companheiros homenagearam Sebastiana Maria de Jesus Marques e Maria Lion, que foram alfabetizadas em parceria com a Associação Maria da Conceição.

BRASIL ROTÁRIO 49


D. 4530 RC de Brasília-Lago Sul, DF – Por intermédio de seu Banco de Cadeiras de Rodas, o clube entregou 103 unidades a 70 crianças e 33 adultos. Com essa ação, o RC totalizou 1.824 cadeiras doadas. A cerimônia de entrega das cadeiras teve lugar na sede da Fundação de Rotarianos de Brasília e contou com a presença de companheiros de outros clubes do Distrito Federal. Na oportunidade, foram servidos cachorro quente, refrigerante e guloseimas.

D. 4550

RC de Jaguaquara, BA – Os companheiros, mais uma vez, se dedicaram à Campanha do Cobertor, realizada em prol da população carente do município.

D. 4540

RC de Bebedouro-Solidariedade, SP – Inaugurou mais um marco rotário na cidade, com a presença do casal EGD Antonio Carlos Marchiori e Rita. Instalado na rotatória das avenidas Quito Stamato e Pedro Paschoal, um dos acessos para o município, o marco foi projetado pelo companheiro José Abrão Neto e executado pelos também rotarianos Júlio César Visoná e Nasser Abdallah. A iniciativa recebeu o apoio do ex-presidente Sérgio Luiz Jaquetto e do associado Luiz Antonio Luciano da Silva, que ficou responsável pela marcenaria e acompanhou os trabalhos durante a execução da obra.

RC de MatãoTerra da Saudade, SP – O clube mantém o 1º Núcleo Rotary de Horta Comunitária. As crianças auxiliam no plantio das hortaliças, que abastecem a escola do bairro Jardim Paraíso.

RC da Bahia, BA – Com a participação do Interact e do Rotaract Club locais, os companheiros promoveram uma campanha de arrecadação de alimentos no Hipermercado Bompreço, divulgada por meio de cartazes (foto). Com a ação, os rotarianos conseguiram reunir 1,5 t de gêneros alimentícios para o Núcleo de Combate ao Câncer Infantil.

D. 4560 RC de Divinópolis-Oeste, MG – Os companheiros serviram uma Feijoada Beneficente, na Casa do Rotariano de Divinópolis, e destinaram à Fundação Rotária a renda obtida com o evento.

50 NOVEMBRO DE 2009


D. 4560 RC de Cristais, MG – Com a parceria do Rotary Kids, Rotaract e Interact Club locais, além

de voluntários da cidade, os associados se empenharam em uma campanha de arrecadação de alimentos em prol da Vila Vicentina.

D. 4570 RC do Rio de Janeiro-Tijuca, RJ – Os companheiros receberam a visita da dinamarquesa Sumeta Sorensen, que cumpriu o Programa de Intercâmbio de Jovens, há cerca de oito anos, ocasião em que foi recebida pelo RC do Rio de Janeiro-Méier. Em visita ao Brasil, a jovem proferiu uma palestra no clube para quase 70 pessoas, incluindo associados de outros 11 RCs. Na foto, ela está acompanhada do EGD Joper Padrão do Espírito Santo, do EGD e chairman da Comissão Distrital da Fundação Rotária, Bemvindo Augusto Dias, e do presidente Edgar Francisco das Chagas. Também esteve presente o EGD Hertz Uderman, entre outras autoridades rotárias. RC do Rio de Janeiro, RJ A foto registra o embarque de Marcela Fernandes, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro, rumo aos EUA, onde cumprirá o Programa de Intercâmbio de Jovens, patrocinada pelo clube. Em contrapartida, a família de Marcela hospedará a intercambiada americana Veronica Gallegos, do RC de Whitewater, no distrito 6270.

D. 4580 RC de Juiz de Fora-Norte, MG – O clube recepcionou Remi de Barbuat, primeiro francês

a cumprir o Intercâmbio de Jovens no distrito. Ele presenteou os rotarianos com uma bandeira de seu país. No final de agosto, foi a vez da jovem Marina Lisboa embarcar para passar um ano na França. Na foto, os dois intercambiados estão nas presenças do presidente Manoel Teixeira Lopes, do secretário geral do distrito, Assis Lisbôa, e do EGD José Eduardo de Medeiros.

RC de Juiz de Fora-Distrito Industrial, MG – Os companheiros do clube trabalharam na campanha de vacinação contra a poliomielite.

D. 4590 Os RCs de Jundiaí e Jundiaí-Sul, SP, intermediaram a doação de 500 cestas básicas feita pela empresa de bombas KSB em prol de vítimas das enchentes na cidade de Cocal, no Piauí. A entrega dos alimentos contou com o apoio do RC de Teresina-Sul, PI, no distrito 4490, da própria empresa e da Defesa Civil na cidade. Em outra oportunidade, o RC de Jundiaí fechou uma parceria com a Escola Estadual Adib Miguel Haddad e doou 70 camisetas para os integrantes da fanfarra do colégio. BRASIL ROTÁRIO 51


D. 4600 RC de Volta Redonda-Cidade do Aço, RJ – Promoveu, na sede da Casa da Amizade local, um seminário sobre a Imagem Pública do RI. O evento foi aberto com uma apresentação do rotariano e jornalista Márcio Medeiros, associado do RC de Marília Pioneiro, SP (D. 4510), seguida de debate sobre o assunto.

RC de Campos do Jordão, SP – O clube organizou o 2º Passeio Ciclístico na Montanha e o evento contou com a adesão de rotarianos, interactianos, estudantes, escoteiros e membros da comunidade. Como inscrição, foi cobrado 1 kg de alimento não perecível. A doação arrecadada terá como destino uma instituição do município.

D. 4620 Apadrinhado pelos RCs de Araçoiaba da Serra e Sorocaba-Manchester, foi fundado o RC de Sarapuí, SP, o 47º clube do distrito, inicialmente formado por 12 companheiros e 10 companheiras. O governador Clóvis Rodrigues Felipe e os EGDs Gilberto Carvalho de Oliveira e Valdimir Forti participaram da instalação do novo RC. Os 22 novos rotarianos já se dedicam a sua primeira ação. Com o Projeto Jequitibá, proporcionam atendimento social, médico e odontológico a centenas de moradores da cidade.

52 NOVEMBRO DE 2009

D. 4610 RC de Itapevi, SP – O clube desenvolve um trabalho com 36 crianças da comunidade Betânia pela Vida, oferecendo aulas de capoeira todos os domingos. A ação é acompanhada por uma parceria com a Associação das Famílias Rotarianas de Itapevi (Afroi), que providencia o café da manhã para os alunos. Em outra oportunidade, a Afroi organizou uma palestra no Colégio Estadual de Itapevi. Também com uma palestra, proferida pela advogada Maria da Conceição Martins Ralo, os companheiros comemoraram o dia que marca a criação dos cursos jurídicos no Brasil.

Mais de 60 pessoas prestigiaram o Fórum 2009-10 dos Rotary Clubs de São Paulo-Jabaquara, São Paulo-Imigrantes, São Paulo-Moema e São PauloVila Nova Conceição, SP. O EGD e coordenador distrital de DQA, José Antonio Figueiredo Antiório, fez a palestra de abertura do evento, que foi comandado pelos presidentes dos clubes anfitriões. Companheiros de outros cinco RCs da região também estiveram no fórum, além do EGD José Luiz Fonseca, do distrito 4420, e de convidados da comunidade. Silas Fonseca

RC de São Paulo, SP – Os companheiros receberam a visita do economista Roberto Macedo, vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo e ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda. Ele esteve no clube para proferir a palestra “A Economia em Fim de Recessão.”


D. 4620

D. 4630

RC de AvaréJurumirim, SP – O companheiro José Carlos de Arruda Campos, do RC de Avaré, proferiu palestra na sede do clube sobre a poliomielite. Em outra oportunidade, os companheiros promoveram uma tarde festiva no Abrigo de Idosos Mãe Pedrina, quando foi servido lanche e os internos foram presenteados com cachecóis e meias. Outras ações do clube: homenagem à cabeleireira Vanessa Cristina Ferreira Alves e apoio à campanha Doe Remédios, realizada pelo Libertaguias Moto Clube.

RC de UmuaramaCapital da Amizade, PR – Os companheiros do clube levaram cerca de 30 meninos e meninas do Abrigo Tia Lili para uma sessão especial de cinema no Cine Vip, que não cobrou as entradas das crianças. O programa teve direito a pipocas e refrigerantes, oferecidos pelos rotarianos, e foi a primeira ida ao cinema de alguns dos meninos e meninas. Na foto, o presidente Antonio Silva Pereira toma conta de parte das crianças. Em outra oportunidade, os companheiros entregaram seis cadeiras de rodas ao Lar São Vicente de Paulo, representando o RI e o governador José Claudiney Rocco.

RC de Sorocaba-Granja Olga, SP – O clube recebeu a jovem americana Molly Stevens, que chegou para cumprir o Programa de Intercâmbio de Jovens; e patrocinou a ida do intercambiado brasileiro Augusto Ávila Giannini para Taiwan. Atualmente, o distrito está cuidando de nove jovens estrangeiros e enviou 14 brasileiros para intercâmbio em outros países.

D. 4640 RC de Pato Branco, PR – Doou 180 brinquedos pedagógicos

para a Secretaria Municipal de Educação. Os companheiros entregaram o material ao secretário Alcides Benatto. Na mesma oportunidade, o clube destinou um cheque ao Gama – Grupo de Apoio a Mama – daquele município.

RC de Maringá-Aeroporto, PR – Patrocinada pelo clube, Nathália Santos Cruz cumpriu o Programa de Intercâmbio de Jovens nos EUA. Na foto, ela aparece na companhia de sua família anfitriã naquele país. Ao retornar para o Brasil, a jovem foi homenageada por Dale Winklepleck, seu “pai americano”, com uma carta em que ele se diz orgulhoso e a parabeniza pelas boas notas na escola e pela formatura.

RC de Nova Prata do Iguaçu, PR – O Banco de Cadeiras de Rodas, Muletas e Andadores mantido pelo clube recebeu o reforço de mais cinco cadeiras. Os companheiros também doaram mais uma cadeira de rodas para a Apae da cidade. BRASIL ROTÁRIO 53


D. 4650 RC de Blumenau-Garcia, SC – Reequipou o Grupo Escoteiro Teófilo Bernardo Zadrozny, de Blumenau. Essa unidade de escotismo havia sido duramente atingida pelas enchentes de novembro do ano passado. A ação foi possível graças a um Subsídio Distrital Simplificado e contou com a parceria do RC de Timbó. Para o sucesso da iniciativa também foram importantes as doações ao distrito feitas por rotarianos de todo o Brasil. RC de Trombudo Central, SC – Realizou uma feijoada para beneficiar a Fundação Rotária e o Ancionato Recanto do Sossego, que ampara idosos e portadores de necessidades especiais. Outra ação: graças a um projeto de Subsídio Distrital Simplificado, o clube doou duas cadeiras de rodas ao Hospital Trombudo Central para atender pacientes que se encontravam confinados ao leito.

D. 4651 RC de Itajaí-Porta do Vale, SC – Doou um Renault Minibus zero quilômentro à Associação para o Desenvolvimento Artístico, Cultural e Ocupacional do Portador de Necessidades Especiais, que atende mais de 90 pessoas na cidade de Itajaí. O veículo foi adquirido pelo clube por meio de um projeto de Subsídios Equivalentes e teve a parceria do RC de Green Hills-Nashville, do Tennessee, EUA (D. 6760). A entrega ocorreu durante a 11ª Conferência Distrital, que contou com as presenças do EGD Severo Rudin Canziani Filho, representando o presidente do RI, e da governadora 2008-09, Miriam Marta Caldas. RC de Florianópolis-Amizade, SC – Marcou presença no McDia Feliz, a maior campanha do país no combate ao câncer infanto-juvenil. Na oportunidade, a presidente do clube, Tânia Maria Surmann, e diversas companheiras entregaram santinhos e pulseiras fornecidas pela Associação de Voluntárias do Hospital Joana de Gusmão.

D. 4670 O presidente do RI, John Kenny, prestigiou o Projeto Aguapé plantando uma muda de ipê amarelo no município de Cachoeirinha, no Rio Grande do Sul. O projeto, o maior do estado, busca a recuperação ecológica do rio Gravataí e envolveu os distritos 4670 e 1110, da Inglaterra, em um Subsídio Saúde, Fome e Humanidade (3-H) da Fundação Rotária. A região beneficiada compreende três cidades: Alvorada, Cachoeirinha e Gravataí.

54 NOVEMBRO DE 2009

RC de Canela, RS – Por ocasião da Semana da Pátria, participou do desfile cívico promovido pela prefeitura. Vale ressaltar ainda a presença do intercambiado mexicano Angel Gutiérrez.


D. 4680 RC de Venâncio Aires-Chimarrão, RS – Doou eletrodomésticos e vários móveis para uma pessoa cuja casa sofrera um incêndio. Na foto, a partir da esquerda, junto à moradora beneficiada, Eva da Silva, os companheiros Moacyr Jungblut, Sérgio Batista e Eleno Sterz.

RC de Santa Cruz do Sul-Oeste, RS – Entregou verba para o Departamento de Odontologia da Unisc, responsável por um projeto de assistência odontológica aos alunos da Escola Guilherme Hildebrandt. Na foto, o presidente Paulo Roberto Haussen, o companheiro Milton Lorenz e a chefe do departamento, Renita Moraes, durante a entrega. Com a Gazeta do Sul o clube firmou parceria. O objetivo é conscientizar a comunidade para o recolhimento do óleo de cozinha, evitando o seu descarte na rede de esgoto ou no solo.

D. 4651 RC de Passo Fundo-Planalto Médio, RS – Entregou lanches para as crianças da Creche Municipal do Bairro Valinhos. O clube tem desenvolvido diversas ações sociais, como doação de roupas e alimentos para crianças necessitadas, doação de uma cadeira de rodas, além de auxiliar mensalmente uma família carente da comunidade com cesta básica, fraldas, roupas e calçados.

D. 4710 RC de Cornélio Procópio, PR – Inaugurou marco rotário às margens da

BR-369, no município de Cornélio Procópio. O fato se deu durante a visita do casal governador José Machado Botelho e Luíza. Na foto, além destes, aparecem o presidente do clube, Reinaldo Oliveira Seleti, sua mulher, Danielli Simi Selete, e o filho Lucas.

RC de Caxias do Sul, RS – Participou ativamente do McDia Feliz, cuja renda será destinada à ampliação da Unidade de Oncologia Pediátrica do Hospital Geral de Caxias do Sul. Dos 3.900 tíquetes recebidos pelo hospital, 1.275 foram comercializados pelos rotarianos do clube.

D. 4730 RC de Curitiba-Portão, PR – Está à frente da participação do

jovem Marcos Bertinus Buss no programa de Intercâmbio de Jovens. Acima, o intercambiado com os pais, o rotariano Miguel e Leani Márcia Buss, e o presidente do clube, Otoniel Santos Neto. Marcos estudará um ano nos EUA.

BRASIL ROTÁRIO 55


D. 4730 RC de Guaratuba, PR – Vem desenvolvendo o projeto Cidadania e Civismo, entregando uma bandeira do Brasil para cada turma da 4ª série das escolas da cidade. Em 22 de agosto, o clube comemorou 25 anos. Participaram da festiva companheiros (de municípios vizinhos inclusive), amigos e parceiros do clube. Na foto, o sócio fundador e presidente Aroldo Gomes de Oliveira, sua mulher Maria Lúcia e o casal governador Alcino de Andrade Tigrinho e Luíza Helena. RC de São José dos Pinhais-Colônia Murici, PR – Lançou projeto para levar o ensino de inglês a 40 alunos selecionados dos colégios estaduais de São José dos Pinhais. Eles receberão gratuitamente aulas e material didático para um curso de cinco anos. Na foto, em momento de entrega do material para o curso, a presidente do clube, Leonora Barros de Araújo.

D. 4740 RC de Chapecó-Leste, SC – Arrecadou 104 pacotes de fraldas geriátri-

cas. Na foto, tirada durante festiva no clube, aparecem o casal governador Estanislao Diaz Dávalos e Maria Elizabeth e o presidente do clube, Edir Duz. Na ocasião, os companheiros do RC se dedicaram a iniciativas de ajuda à comunidade carente local.

56 NOVEMBRO DE 2009

D. 4750 RC de Campos dos GoytacazesPlanície, RJ – Recebeu voluntários dos EUA para participarem do projeto Leitura e Contação de História, desenvolvido junto à Casa do Pequeno Jornaleiro e à Casa Lar. Na foto, a partir da esquerda, a presidente do clube, Adriana dos Santos Paes, e os voluntários Anita Sahi e seu filho Nico Sahi. O RC de Rio Rancho, Novo México, EUA (D.5520), é parceiro no projeto e comprou material para a garotada. Outro registro: companheiros estiveram na festa do Santíssimo Salvador, padroeiro do município, arrecadando fundos para a Fundação Rotária.

RC de São Gonçalo-Alcântara, RJ – Marcou presença na 20ª Caminhada da OABRJ. Entre os companheiros, Eliézio Henrique Pereira, presidente da Comissão de Eventos e Lazer da OAB-São Gonçalo, que coordenou a comitiva do clube.

RC de Campos Altos, MG – Durante o Dia do Motorista, promoveu mais uma Campanha de Educação no Trânsito. Além de rotarianos e integrantes da Casa da Amizade local, apoiaram o evento voluntários, estudantes e a Polícia Militar. Os motoristas foram cumprimentados pela data e receberam kit com lixeirinha ecológica e panfleto educativo.


D. 4780

RC de Catalão-Solidariedade, GO – Promoveu palestra sobre a gripe A (H1N1), ministrada por um representante da Secretaria Estadual de Saúde de Catalão. A palestra foi direcionada a toda a comunidade local.

D. 4770

RC de Uruguaiana, RS – Para comemorar os 70 anos de fundação do clube, em 1º de setembro último, foi lançado este selo comemorativo pelos Correios.

RC de Morrinhos, GO – Participou da 1ª Festa do Tomate realizada na cidade.

RC de Bagé-Rainha da Fronteira, RS – Organizou a 16ª edição anual do Café Colonial. A iniciativa, destinada a arrecadar fundos para instituições carentes, reuniu mais de 300 pessoas.

RC de Iturama, MG – Realizou almoço e leilão beneficente com apoio da Casa da Amizade local. Toda a renda arrecadada, R$ 102 mil, foi destinada ao Hospital do Câncer de Fernandópolis, São Paulo.

RC de Herval, RS – Realizou um mocotó em benefício do Lar do Idoso de Herval. O dinheiro arrecadado foi utilizado na compra de fraldas descartáveis.

BRASIL ROTÁRIO 57


D. 4420 RC de Santos-Ponta da Praia, SP – Está à frente do programa Salão Autoestima do Abrigo Provisório, que em sua última ação formou 38 cabeleireiras e nove manicures-pedicures. A entrega do certificado aos novos profissionais ocorreu na sede da Fundação de Rotarianos de Santos e teve a presença de representantes da Prefeitura de Santos e de organizações parceiras.

D. 4470 RC de Rio Brilhante, MS – Realizou, em colaboração com a prefeitura, o IV Viva Mulher, que consistiu de exames preventivos de câncer de colo de útero e de mama em 100 mulheres da comunidade. Todas receberam lanches e brindes como cobertores, kits de higiene bucal, liquidificadores, perfumes, entre outros. 

Registramos o intercâmbio entre este distrito e o 3590, da Coreia do Sul, ocorrido em março último. Liderando a equipe brasileira esteve a rotariana Eliane Grassi.

D. 4510 Os vereadores da Câmara Municipal de Marília homenagearam em sessão solene a comunidade rotária do distrito 4510 (Centro-Oeste do estado de São Paulo). No evento também foram homenageados representantes dos sete clubes da cidade de Marília, os então governadores assistentes e o governador 2008-09, Régis Jorge. Os vereadores e o prefeito de Marília, Mário Bulgareli, além das dezenas de rotarianos presentes, tiveram a oportunidade de assistir a documentários sobre o Rotary e a sua luta pela erradicação da pólio no mundo. Bulgareli lembrou que o trabalho voluntário dos rotarianos é de importância fundamental para o desenvolvimento de Marília. 

Os nove clubes rotários da cidade de Presidente Prudente, no estado de São Paulo, comemoraram o Dia Mundial do Meio Ambiente dando seguimento ao Projeto de Recuperação dos Corrégos Cedro e Cedrinho. A ação tem a parceria da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e de entidades como Uniesp, Fiesp/Ciesp e Sabesp. O projeto contempla a bacia hidrográfica local e fará o plantio de árvores na região pelos próximos três anos e meio. Está previsto ainda um amplo programa de educação ambiental e a criação de um jardim botânico em Presidente Prudente.

D. 4630 RC de São Carlos do Ivaí, PR – Solicitou junto à prefeitura e obteve a criação do Dia Municipal do Rotary Club. A data escolhida, 9 de setembro, e sancionada em lei, refere-se à fundação do clube, há 12 anos.

58 NOVEMBRO DE 2009

Como enviar material para a Brasil Rotário

P

ara que os companheiros de todo o país conheçam os projetos que seu clube vem realizando, é importante que as notícias cheguem à redação contendo as seguintes informações:  o nome completo e o distrito de seu clube  a data e local em que foram realizadas as ações  um breve relato sobre o projeto, explicando sua importância e o alcance dele junto à comunidade  os nomes dos parceiros, no Brasil e no exterior  e os nomes e sobrenomes de todos os que aparecerem nas fotos com até seis pessoas, relacionados a partir da esquerda. FOTOS: as imagens digitais precisam ter pelo menos 300 DPI de resolução e 9 cm de largura. Na dúvida, selecione a opção alta resolução de sua câmera. Se o envio for feito por e-mail, pedimos que o tamanho dos anexos não supere 1 MB. Não cole suas imagens em documentos de Word: anexe-as ao e-mail. A publicação é gratuita. Basta apenas que o assunto se encaixe em nosso perfil editorial e que seu clube esteja em dia com a assinatura da revista. A Brasil Rotário não publica posses ou outros fatos que possam obter o merecido destaque nos boletins de seu clube. MUITO IMPORTANTE: informe também um telefone de contato (com o código de DDD) para que possamos falar com você no caso de qualquer dúvida. Anote os nossos endereços: Avenida Rio Branco, 125 – 18o andar Rio de Janeiro, RJ CEP: 20040-006 e-mail: redacao@brasil-rotario.com.br O telefone da redação é (21) 2506-5600. Estamos esperando para ver seu clube na revista!


Senhoras em Ação

A Casa da Amizade de Itumbiara, GO (D. 4770), comemorou seus 48 anos de fundação com uma festiva. Na ocasião, houve uma homenagem às ex-presidentes e uma retrospectiva do trabalho por elas realizado.

A Casa da Amizade de Colatina-São Silvano, ES (D. 4410), juntamente com o RC local, doou alimentos, colchas e lençóis para a Pastoral da Saúde e a Associação dos Vicentinos.

As integrantes da Casa da Amizade de Morrinhos, GO (D. 4770), têm tido diversas iniciativas comunitárias. Alguns exemplos: visita a idosos carentes, com doação de biscoitos e chás; visita à Escola Municipal Alice Ferreira do Carmo, que atende crianças e jovens com necessidades especiais; e momento cívico na Escola Rotary de Morrinhos, com direito a noções sobre o civismo e o Rotary para os alunos, que ganharam lanche.

Uma solenidade e um jantar festivo marcaram os 50 anos de atividades da Casa da Amizade de Campo Grande, MS (D. 4470).

B RASIL R OTÁRIO 5 9


Novos Companheiros Paul Harris

O que significa essa distinção?

Uma pessoa, rotariana ou não, que contribui com o valor de 1.000 dólares rotários à Fundação

Rotária, ou em cujo nome é feita tal contribuição, recebe como reconhecimento o título de Companheiro Paul Harris, que consiste de certificado e distintivo – com a opção de medalha, ao custo de 15 dólares rotários.

Safiras, rubis e cristais O Companheiro Paul Harris que faz contribuições múltiplas de 1.000 dólares rotários à Fundação Rotária, ou em cujo nome elas são feitas, recebe safiras, rubis ou cristais, de acordo com o valor do aporte acumulado.

Os fundos Tais doações formam diversos fundos. São eles: o Fundo Anual de Programas, o Fundo Polio Plus ou Parceiros Polio Plus e o Fundo Permanente. As contribuições ainda podem servir aos Projetos de Subsídios Humanitários ou, se vierem de empresas, à Associação Brasileira da The Rotary Foundation.

RC de Guararapes, SP

D. 4420 RC de Santos-Ponta da Praia, SP 

Fernando José de Brito Rangel

RC de São Vicente-Antônio Emmerich, SP  

Douglas Pinheiro da Silva Roberto Marcus de Mello Martins, com uma safira

RC de São Vicente-Praia, SP    

Heloisa Helena Alves Marcos Henrique Bento Regina Comitre Rogério Barreto Alves, com uma safira

D. 4430 RC de São Paulo-Brás, SP       

Adnan Salen Nasser Carlos Alberto Souza Silva Hercilia Apparecida Bistolfi Luiz Roberto Oliveira Milton George Thame Suzana Maria de Mello Tavares Suzi Matias Damasceno

D. 4440 Cezar Roberto Schevinski Evandro Santos Silva Guiomar Luis Molossi Mauri Nottar Candatten Nivelson Luiz Tebaldi Pedro Gilmar Silva

RC de Araçatuba-Cidade Amiga, SP Maria Clara Rocha Sacchi Silvério Tavares dos Santos Filho Wilma Aparecida Stella Camargo, com uma safira

6 0 NOVEMBRO

  

João Baptista de Souza Junior, com a terceira safira Marcelo Sampaio Garcia Voely Rodrigues Soares Mendonça, da Casa da Amizade

D. 4540 RC de Ituverava, SP        

Adauto Barbosa de Matos, governador assistente Célio Ribeiro Queiroz Cleber Jacob Silva de Paula Helena Lourenço, da Casa da Amizade Jaqueline de Freitas Oliveira Matos João Henrique Franco Sanitá Lázara Aparecida Macedo Gomes Sérgio Luis Fernandes Coimbra

Rotaract Club de Monte Alto, SP 

Luis Alberto Zumpano

Rotaract Club de Taquaritinga, SP Thaiana Roberta Betti

D. 4550 RC da Bahia-Norte, BA  

Hugo de Oliveira Barreto, EGD, com a primeira safira Luiz Maciel Fernandes

D. 4560 RC de Bambuí, MG

D. 4470   

Antônio Luiz Mazzuco Simões Henrique Domingues, com a segunda safira

RC de Penápolis, SP



RC de Sorriso, MT      

 

DE

2009

 

Dalmo Torres José Souto

RC de Cristais, MG 

Evimar Evangelista Silva

MILHÕES DE CRIANÇAS AGUARDAM SUA DOAÇÃO À FR


RC de Lavras, MG 

Ricardo Augusto Barbosa

RC de Oliveira, MG 

João Bosco Ribeiro Béze, governador assistente

    

Carlos Cargin, com uma safira José Carlos Cauduro Minuzzo Luis Cezar Fernandes, com quatro safiras Paulo Vargas Pedro Lemos, com uma safira

D. 4570

RC de Itajaí-Porta do Vale, SC

RC de Copacabana, RJ



  

D. 4660

Eduardo Mayr Helio Copelman Rubem Lederman

D. 4600 RC de Resende-Agulhas Negras, RJ 

Gutemberg de Castro Freitas

Fernanda Piccolo

RC de Tupanciretã, RS  Antônio Carlos Borsa dos Santos  Geisa Rodrigues Vianna, mulher do

D. 4610

D. 4670

RC de São Paulo, SP

RC de Gravataí-Ulbra, RS

              



Antonio Wadih Haddad, com uma safira Carlos Alberto Pereira Goulart Eduardo Damaa Flávio Barros, com uma safira Floriano Octavio de Godoy, com uma safira Heloisa de Arruda Pereira Andrade, com uma safira João Gilberto Campos, com uma safira Jorge Roberto Corrêa Zantut, com uma safira José Roberto Silva de Arruda Pinto, com uma safira Kenji Oshiro Marcos Roberto Salla, com uma safira Maria Elizabeth Torres, com uma safira Mário Porfírio Rodrigues, com uma safira Rafael Antonio Lambert Haddad Thadeu Teixeira de Freitas, com uma safira

D. 4620 RC de Araçoiaba da Serra, SP  

Nerzon Nogueira de Barros, com a terceira safira Sebastião Nilton Geromel

D. 4640 RC de Pato Branco-Amizade, PR  

Enio Espinello, com uma safira Sandra Maria Capelli Mattia

D. 4650 RC de Penha, SC 

Valdir Celso Fiedler, EGD

Jorge Steyer

D. 4700 RC de Passo Fundo, RS    

Alessandro Foscarini Tagliari, presidente Denaura Giacomelli, com uma safira Menachem Sevi Rudnitzki Osmir Piccinini

RC de São Marcos, RS 

Patrícia Camassola Tomé, presidente

D. 4730

RC de Curitiba-Portão, PR 

Maiara Pilatti Poyer

RC de Piraí do Sul, PR  

Antonio Lins Machado Edson Rodrigues de Quadros, com a primeira safira

D. 4770 RC de Abadia dos Dourados, MG       

Adauto Marques de Oliveira Ramos Elismar Alves Diniz Frederico Teodoro Marra Luiz Antonio Petrucci Nilson Mendonça Ribeiro Pedro Guimarães Chicarino Toribo Rosa

D. 4651

RC de Prata, MG

RC de Capivari de Baixo, SC

  

 

Aprígio Fernandes, com uma safira Armando Bernardo da Silva

EGD Mario Cesar

Portinho Vianna  Leopoldo Pich

João Airton Lemes João Batista Machado de Lima Vangelo Evangelista Souza

FAÇA SUA DOAÇÃO PARA A ERRADIC AÇÃO DA PÓLIO

B RASIL R OTÁRIO 6 1


Os

G

O companheiro Theódulo Bastos de Carvalho Júnior é rotariano desde maio de 1958, ocasião em que ingressou no RC de Feira de Santana, BA (D.

50 Mais 4390). Presidiu o clube no ano rotário 1971-72, foi o primeiro governador do distrito, em 199293, e detém o título de Companheiro Paul Harris.

Se você tem 50 anos de Rotary ou mais, envie para a Brasil Rotário uma foto em que apareça sozinho: E-mail: redacao@brasil-rotario.com.br Endereço postal: Avenida Rio Branco, 125 – 18o andar – Centro – Rio de Janeiro – CEP: 20040-006

6 2 NOVEMBRO

DE

2009


Autores rotarianos Registros ao longo de uma vida Edison Rodrigues de Lima Independente  Escrito num estilo leve, em forma de diário, este livro conta a história de vida do autor, um menino pobre do Recife que perdeu os pais muito cedo, tornando-se o responsável pela criação dos quatro irmãos, mas que soube superar essas dificuldades com muito estudo e trabalho, primeiro como marceneiro, e anos mais tarde como arquiteto e professor universitário, tendo no currículo diversos cursos em universidades do Brasil e do exterior. Hoje aposentado como professor titular da Universidade Federal de Pernambuco e diretor da Editora Universitária, Edison é ex-governador do distrito 4500 e associado do Rotary Club do Recife-Boa Vista, PE.

Só você pode, Jayme Sérgio Mattos Contexto & Arte 

Aos 84 anos de idade, o rotariano Jayme Ramos de Queiroz, ganha esta biografia, escrita a pedido de seus companheiros no Rotary Club da Bahia, BA (D. 4550), pelo jornalista Sérgio Mattos. Engenheiro agrônomo formado aos 22 anos, desde então Jayme trabalhou como administrador da agricultura, indústria e comércio, além de ter sido professor universitário de economia política. “Jayme acredita que em sua vida não tem nada de extraordinário que mereça destaque especial, ainda mais um livro sobre ela, mas pelo menos nisso ele está errado”, apresenta a contracapa. “Sua vida é um exemplo a ser seguido”.

os de comunicação do Brasil, é um e-book gratuito que está sendo distribuído exclusivamente pela internet, com autorização para redistribuição e publicação. Acesse o site www.algbr.hpg.com.br/ quem_ja_publicou.htm e conheça melhor o projeto. Adilson é associado do Rotary Club de SantosPorto, SP (D. 4420).

Memorial descritivo: guia prático para elaboração de documentos técnicos Luiz Testani Grupo Reino 

A capacidade de transmitir uma informação, de se fazer entender, é um grande desafio para a maioria das pessoas. Este livro tem o objetivo de dar um pouco de luz a essa tarefa, organizar as etapas de confecção de um memorial descritivo e, sem esgotar assunto, transformálo em um guia prático para ajudar jovens engenheiros e empresas de engenharia nessa tarefa. Além de engenheiro, Luiz Testani é associado do Rotary Club de Mauá, SP (D. 4420).

Hugo e a escola Susana Fochesato Minuzzo Editora Correa 

Psicopedagoga clínica e alfabetizadora, em seu novo livro, voltado ao público infantil, esta associada do Rotary Club de Vacaria, RS (D. 4700), traz a história de Hugo, um menino de 7 anos de idade que enlouquece os pais porque não quer ir à escola. A família levou seis meses para descobrir a origem dos medos do menino. Baseado em fatos reais, o livro é ilustrado por Ronaldo Cunha Dias. Informações para compra pelo telefone 54-8116-4058.

Dest’Arte Adilson Luiz Gonçalves Independente  A segunda coletânea de crônicas de Adilson Luiz Gonçalves, autor de textos publicados em vários mei-

Para obter a lista internacional completa dos

licenciados do Rotary International, visite www.rotary.org/support/licence ou contate a: Licensing Coordinator [Coordenação de Licenciamento] Rotary Internacional One Rotary Center 1560 Sherman Ave. Evanston, IL 60201-3698 e-mail: rilicensingservices@rotaryintl.org B RASIL R OTÁRIO 6 3


Uma mulher andava na beira de um rio quando viu um

sapo preso num galho, pedindo socorro. Quando ela chegou perto, o sapo disse: – Se você me salvar, realizarei três desejos! Mas tudo que eu der a você, seu marido ganhará dez vezes mais. Ela pensou um pouco, mas topou, soltando o sapo do galho. – Pois bem: qual é o seu primeiro desejo? – perguntou o sapo. – Quero ser muito, muito rica! – disse a mulher. – Ok, mas lembre-se: seu marido será dez vezes mais rico! – Não tem importância – disse a mulher – Tudo que é meu é dele, e tudo que é dele é meu. E então ela se tornou muito rica, e o marido, dez vezes mais. – Qual é o seu segundo desejo? – perguntou o sapo. – Quero ser muito, mas muito bonita! – Está certo, mas lembre-se: a mulherada vai cair em cima do seu marido, porque ele vai ser dez vezes mais bonito que você. – Não tem problema – ela explicou, tornando-se lindíssima, e o marido, dez vezes mais belo. – Muito bem – disse o sapo – Chegou a hora do seu último desejo. Mas lembre-se sempre: aquilo que eu lhe der, seu marido vai receber dez vezes mais! E a mulher respondeu: – Quero ter um enfartezinho bem pequenininho, daqueles de leve, só um susto... Moral da fábula: nunca subestime a capacidade administrativa de uma mulher. Colaboração de Renato de Luca Filho, associado do RC de Diadema-Floreat, SP (D. 4420).

6 4 NOVEMBRO

DE

2009

Relax

No museu do futuro Rodrigo

– Papai, o que é isso? – Eles chamavam de livraria, filha.

O

menino volta da aula de religião e conta pra mãe o que aprendeu: – Então, quando Moisés chegou perto do Mar Vermelho, mandou os filhos de Israel construírem uma enorme ponte e todos atravessaram. Quando os egípcios chegaram e quiseram atravessar, Moisés mandou dinamitar a ponte e eles morreram afogados. – O professor contou isso para vocês, meu filho? – Bom, não foi bem assim. Mas se eu te disser como ele contou, a senhora não vai acreditar! Colaboração do EGD Hertz Uderman (D. 4570).


Parabéns, Brasil A gente correu, suou, torceu e as Olimpíadas de 2016 são nossas. Mas o desafio de verdade está começando agora. stock.xchng

Vamos mostrar ao mundo que podemos realizar a maior festa do esporte de todos os tempos. Se cada um fizer sua parte e trabalhar duro até lá, a distância que nos separa de 2016 será uma oportunidade de superarmos o maior dos adversários: os nossos próprios limites.

1049 - Brasil Rotário - Novembro de 2009  

Edição nº 1049 da revista Brasil Rotário.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you