Page 1

BR ASIL R O T Á R I O

Junho 2009

ANO 84

Nº1044

Áreas de interesse comum reforçam a amizade entre os rotarianos


Ele é dentista, é pai, e está engajado na luta contra a pólio. O Rotary é formado por um milhão e duzentos mil homens e mulheres que prestam serviços humanitários. Graças a eles mais de dois bilhões de crianças foram imunizadas. Em breve, o mundo estará livre da pólio. Saiba mais em www.rotary.org

Adapte este anúncio para promover o seu clube. Faça o download em www.rotary.org/humanityinmotion

Rotary. Humanidade em Ação


Sucessora de “Notícias Rotárias” e “Rotary Brasileiro”. Publicação mensal dedicada à divulgação do Ideal de Servir. Revista regional oficial do Rotary International para os rotarianos do Brasil.

Sumário 06 Mensagem do Presidente Dong Kurn Lee

10 COLUNA DO DIRETOR DO RI Um momento muito especial Themístocles A. C. Pinho

12 Resistindo Brad Webber

15 20 de junho Rotary na Campanha do Dia Nacional de Vacinação 18 XXXII INSTITUTO ROTARY DO BRASIL A Europa é aqui 20 Vencer não é tudo Alfredo Castro Neto

Na cidade de Aparecida, em São Paulo, Pág. brasileiros que participam do Grupo de Companheirismo dedicado ao motociclismo

29

Antonio Cruz/Agência Brasil

21 A solução de cada um Cláudio Nasajon

22 O distrito 4490 pede ajuda Luiz Renato Dantas Coutinho

24 Um futuro melhor para nossas crianças Alberto Bittencourt

26 O Desafio de 200 Milhões de Dólares Júlio Jorge D’Albuquerque Lóssio

29 GRUPOS DE COMPANHEIRISMO Ideias que surgem de um ideal

22

Pág. Casa atingida pela enchente do rio Mearim, no interior do Maranhão

Luiz Renato Dantas Coutinho e Nuno Virgílio Neto

12

Pág. Coesão e fórmulas são o remédio para enfrentar a recessão dentro dos clubes

34 COLUNA DA ABTRF A ABTRF e sua natural maturação Themístocles A. C. Pinho

36 Cortesia profissional Mindy Charski

SEÇÕES 38 COLUNA DOS COORDENADORES REGIONAIS DA FR Está chegando a hora de encerrarmos o balanço Aldair de Queiroz Franco e Altimar Augusto Fernandes

39 COLUNA DO CHAIR DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA Novas oportunidades para a Fundação Jonathan Majiyagbe

Capa: Arte de Armando Santos

04 07 08 16 40 42 44 46 59 60 62 63 64

Cartas e recados  Saudades Curtas Brasil Curtas Mundo Rotarianos que são notícia Interact e Rotaract Cultura Autores rotarianos Distritos em revista Senhoras em ação Novos Companheiros Paul Harris Os 50 mais Aconteceu na Brasil Rotário... Relax


ROTARY INTERNATIONAL ONE ROTARY CENTER

CONSELHO DIRETOR 2008-09

1560 SHERMAN AVENUE

EVANSTON, ILLINOIS, USA

GOVERNADORES DE DISTRITOS NO BRASIL EM 2008-09 DISTRITO 4310 Paulo Firmino de Oliveira Rotary Club de Botucatu, SP

DISTRITO 4600 Antonio Sergio Ferri da Silva Rotary Club de Santa Branca, SP

PRESIDENTE-ELEITO John Kenny

DISTRITO 4390 Geraldo Pimentel de Lima Rotary Club de Maceió-Leste, AL

DISTRITO 4610 Amilton Medeiros Silva Rotary Club de São Paulo-Lapa, SP

VICE-PRESIDENTE Monty J. Audenart

DISTRITO 4410 Celso Gonçalves Alves Rotary Club de Cachoeiro de Itapemirim, ES

DISTRITO 4620 Valdimir Forti Rotary Club de São Roque, SP

TESOUREIRO Bernard L. Rosen

DISTRITO 4420 Sérgio Lazzarini Rotary Club de Santo André, SP

DISTRITO 4630 Nivaldo Barbosa de Lima Rotary Club de Maringá-Horto, PR

DIRETORES Themístocles A. C. Pinho Ashok M. Mahajan Catherine Noyer-Riveau Eric E.L. Adamson Jackson San-Lien Hsieh John M. Lawrence José A. Sepúlveda Kauhiko Ozawa Lars-Olof Frederiksson Michael Colasurdo Sr. Michael J. Johns Paul A. Netzel Philip J. Silvers R. Gordon R. McInally Thomas A. Branum Sr.

DISTRITO 4430 João Freire d’Avila Neto Rotary Club de São Paulo-Alto da Mooca, SP

DISTRITO 4640 Stael Terezinha Sdroiewski Uba Rotary Club de Toledo-Integração, PR

DISTRITO 4440 Domingos Aparecido Marques Rotary Club de Mirassol D’Oeste, MT

DISTRITO 4650 Valdir Celso Fiedler Rotary Club de Penha, SC

DISTRITO 4470 Manoel Carlos Menezes Zaffalon Rotary Club de Araçatuba-Leste, SP

DISTRITO 4651 Miriam Marta Wojcikiewicz Caldas Rotary Club de Florianópolis-Leste, SC

DISTRITO 4480 Jair Pinto da Silva Rotary Club de São José do Rio Preto-Alvorada, SP

DISTRITO 4660 Mario César Portinho Vianna Rotary Club de Tupanciretã, RS

DISTRITO 4490 Eulália das Neves Ferreira Rotary Club de São Luís-João Paulo, MA

DISTRITO 4670 Eliseu Gonçalves da Silva Rotary Club de Cachoeirinha, RS

SECRETÁRIO-GERAL Edwin H. Futa

DISTRITO 4500 Eduardo Jorge Marinho de Queiroz Rotary Club de Recife-Brum, PE

DISTRITO 4680 Tirone Lemos Michelin Rotary Club de Porto Alegre-Beira Rio, RS

DISTRITO 4510 Régis Jorge Rotary Club de Presidente Venceslau, SP

DISTRITO 4700 Jaime Antonio Camassola Rotary Club de São Marcos, RS

DISTRITO 4520 Eduardo Luis de Souza Rotary Club de Acesita, MG

DISTRITO 4710 Pilar Álvares Gonzaga Rotary Club de Londrina, PR

DISTRITO 4530 Ronaldo Campos Carneiro Rotary Club de Brasília-Sudoeste, DF

DISTRITO 4720 João Petrolitano Gonçalves Rotary Club de Rio Branco, AC

DISTRITO 4540 Antônio Carlos Marchiori Rotary Club de Jaboticabal, SP

DISTRITO 4730 Evaldo Artur Hasselmann Rotary Club de Ponta Grossa-Sul, PR

DISTRITO 4550 Paulo Roberto Dacach Rotary Club da Bahia, BA

DISTRITO 4740 Ulmerindo Fernandes de Rotary Club de Curitibanos, SC

PRESIDENTE Dong Kurn Lee

CURADORES DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA 2008-09 CHAIR Jonathan B. Majiyagbe CHAIR-ELEITO Glenn E. Estess Sr. VICE-CHAIR Ron D. Burton CURADORES Carl-Wilhelm Stenhammar Carolyn E. Jones David D. Morgan Doh Bae John F. Germ José Antonio Salazar Cruz K. R. Ravindran Louis Piconi Peter Bundgaard Sakuji Tanaka Samuel A. Okudzeto William B. Boyd SECRETÁRIO-GERAL Edwin H. Futa

Leite

Vieira

de

Assis

Oliveira

DISTRITO 4560 Murillo Affonso Ferreira Rotary Club de Bom Sucesso, MG

DISTRITO 4750 Marcio Pereira Ribeiro Rotary Club de Niterói-Norte, RJ

DISTRITO 4570 José Roberto Lebeis Pires Rotary Club de Campo Grande, RJ

DISTRITO 4760 Javert Vivian Silva Rotary Club de Contagem-Cidade Industrial, MG

DISTRITO 4580 Juan Alejandro Tumba-Noe Rotary Club de Ponte Nova-Piranga, MG

DISTRITO 4770 Antonio José Oliveira Rotary Club de Uberaba-Norte, MG

DISTRITO 4590 Jesus Aldo Bellão Rotary Club de Santa Cruz das Palmeiras, SP

DISTRITO 4780 Dóris Sá de Moraes Vaz Rotary Club de Bagé-Pampa, RS

ÉTICA. Um princípio que não pode ter fim. Campanha em prol de mais elevados padrões de ética. Apoio dos Rotary Clubs do Brasil 2 JUNHO DE 2009


Ano 84 Junho, 2009 nº1044 Revista de Propriedade da Cooperativa Editora Brasil Rotário CNPJ 33.266.784/0001-53 I Inscrição Municipal 00.883.425 Av. Rio Branco, 125, 18º andar CEP: 20040-006 – Sede própria Rio de Janeiro – RJ I Tel: (21) 2506-5600 / FAX: (21) 2506-5601 Site: www.brasil-rotario.com.br ■ E-mail: revista@brasil-rotario.com.br

CONSELHO SUPERIOR (Colégio de Diretores do RI – Zonas 19 A e 20 ) Mário de Oliveira Antonino (Recife-PE) EDRI 1985-87 Gerson Gonçalves (Londrina-PR) EDRI 1993-95 José Alfredo Pretoni (São Paulo-SP) EDRI 1995-97

Hipólito Sérgio Ferreira (Belo Horizonte-MG) EDRI 1999-01 Alceu Antimo Vezozzo (Curitiba-PR) EDRI 2001-03

Luiz Coelho de Oliveira (Limeira-SP) EDRI 2003-05 Themístocles A.C. Pinho (Niterói-RJ) DRI 2007-09

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 2009-11 Diretoria Executiva Presidente Carlos Henrique de Carvalho Fróes Vice-Presidente de Operações Edson Avellar da Silva Vice-Presidente de Administração Waldenir de Bragança Vice-Presidente de Finanças Wilmar Garcia Barbosa Vice-Presidente de Planejamento e Controle Bemvindo Augusto Dias Vice-Presidente de Marketing José Alves Fortes Vice-Presidente de Relações Institucionais Carlos Jerônimo da Silva Gueiros Vice-Presidente Jurídico Jorge Bragança MEMBROS EFETIVOS Adelia Antonieta Villas Fernando Antonio Quintella Ribeiro Hertz Uderman José Luiz Fonseca José Moutinho Duarte José Roberto Lebeis Pires José Ubiracy Silva Ricardo Vieira Lima Magalhães Gondim MEMBROS SUPLENTES Antônio Vilardo Aroldo Mendes de Araújo Herlon Monteiro Fontes GERENTE EXECUTIVO Gilberto Geisselmann ASSESSORES Alberto de Freitas Brandão Bittencourt Ary Pinto Dâmaso (Publicidade) Dulce Grünewald Lopes de Oliveira Eduardo Alvares de Souza Soares Eduardo de Barros Pimentel Fausto de Oliveira Campos Fernando Teixeira Reis de Souza Flávio Antônio Queiroga Mendlovitz Gedson Junqueira Bersanete Geraldo da Conceição

Ivo Arzua Pereira Joper Padrão do Espírito Santo Taketoshi Higuchi Vicente Herculano da Silva CONSELHO FISCAL Membros efetivos Nilson Moura Ril Moura Sebastião Porto (coordenador) Suplentes Artur Vieira da Cruz Carmelinda Amália Maria Maliska Cleofas Paes de Santiago CONSELHO CONSULTIVO DE GOVERNADORES Membros natos efetivos Governadores 2008-09 Representante José Roberto Lebeis Pires Suplentes Governadores eleitos 2009-10 COMISSÃO EDITORIAL EXECUTIVA Presidente Carlos Henrique de Carvalho Fróes Membros Bemvindo Augusto Dias Edson Avellar da Silva José Alves Fortes Luiz Renato Dantas Coutinho Nuno Virgílio Neto Secretário Gilberto Geisselmann CONSELHO EDITORIAL CONSULTIVO Presidente Carlos Henrique de Carvalho Fróes Membros Bemvindo Augusto Dias Edson Avellar da Silva Fernando Antonio Quintella Ribeiro José Alves Fortes José Ubiracy Silva Mário César de Camargo Secretário Gilberto Geisselmann

EXPEDIENTE EDITOR: Carlos Henrique de Carvalho Fróes JORNALISTA RESPONSÁVEL: Luiz Renato D. Coutinho – Jorn. Prof. JP25583RJ REDATOR-CHEFE: Nuno Virgílio Neto REDAÇÃO: Alex Mendes, Armando Santos, Luiz Renato Dantas Coutinho, Maria Cristina Andrade, Maria Lúcia Ribeiro de Sousa, Nuno Virgílio Neto e Renata Coré. DIGITALIZAÇÃO: Maurício Teixeira IMPRESSÃO: Log & Print Gráfica e Logística S.A. ENDEREÇO: Av. Rio Branco, 125 – 18º andar – Rio de Janeiro – RJ CEP 20040-006 – Tel.: (21) 2506-5600 E-MAIL DA REDAÇÃO: redacao@brasil-rotario.com.br HOMEPAGE: www.brasil-rotario.com.br *As matérias assinadas são de inteira responsabilidade dos seus autores.

Leia T

radicionais em muitos países, os Grupos de Companheirismo do Rotary ainda são pequenos no Brasil. Mas parece que isso é uma questão de tempo, pelo menos se depender do entusiasmo dos rotarianos brasileiros que estão ajudando a consolidar essa ideia por aqui. Na reportagem de capa desta edição, além de conhecer um pouco mais sobre a história dos Grupos de Companheirismo ao redor do mundo, você vai ver como funcionam três deles aqui no Brasil. São rotarianos que dividem sua paixão pelo Rotary com o motociclismo, o mergulho e o iatismo, e que vêm descobrindo nos Grupos de Companheirismo oportunidades interessantes de se divertir servindo à comunidade. Em outra reportagem, vamos mostrar os estragos provocados pelas chuvas nos estados da região Nordeste e o que os rotarianos do distrito 4490 estão fazendo para ajudar na recuperação das comunidades atingidas. Até o fechamento desta edição, os prejuízos já passavam de R$ 1 bilhão. A crise econômica volta a ser assunto na revista, dessa vez numa reportagem produzida pela The Rotarian. A matéria foi feita na cidade de Stockton, nos EUA, epicentro da crise de hipotecas que detonou a quebradeira mundial, e conta como os Rotary Clubs da região vêm trabalhando para ajudar os desempregados e proteger seus próprios associados do vendaval econômico. Mas é preciso perceber que esses tempos de crise também trazem oportunidades, pelo menos para os espíritos corajosos e empreendedores. É o que nos diz o empresário e professor de planejamento e negócios Cláudio Nasajon em seu artigo “A solução de cada um”, publicado na página 21. Cláudio é associado do Rotary Club do Rio de Janeiro. A edição deste mês, última do ano rotário 200809, traz também a despedida de nosso diretor do Rotary International Themístocles Américo Caldas Pinho. Em sua Coluna do diretor, ele faz um balanço de seus dois anos no cargo, relembrando importantes decisões do Conselho Diretor nesse período e agradecendo todos os que o ajudaram a desempenhar essa importante função. Pinho também assina a Coluna da ABTRF deste mês. O Rotary está planejando uma grande mobilização em todo o país para 20 de junho, um sábado, Dia Nacional de Vacinação. Com a participação de atletas e outras personalidades que vêm se juntando ao Rotary em sua luta contra a pólio, clubes e distritos estão sendo convocados a aproveitar a data para conscientizar a população sobre a importância da erradicação mundial da poliomielite e, claro, mostrar o quanto os rotarianos já fizeram até aqui. Outros detalhes sobre a campanha podem ser encontrados na página 15. Leia, convoque seu clube e participe!

B RASIL R OTÁRIO 3


Cartas & Recados SEÇÃO REFORMULADA edição de maio chegou, mas não localizei em suas páginas as sete fotos de novos Companheiros Paul Harris que eu havia enviado para a revista. Acho importante destacar que conheço inúmeros companheiros que guardam com muito carinho as fotos que eram publicadas na seção Novos Companheiros Paul Harris, e que a nova forma de inserção me causou estranheza, pois entendo que uma doação de US$ 1.000 à Fundação Rotária e os benefícios que dela advêm têm um significado tão importante quan-

A

O PORQUÊ DA MUDANÇA Agradecendo o e-mail enviado pelo companheiro Antonio Lacourt, explicamos que a popularização das câmeras fotográficas digitais e a expansão do acesso à internet de banda larga facilitaram o processo de envio de fotos e notícias dos clubes e distritos brasileiros à redação da Brasil Rotário. Por conta disso, e também por acreditarmos que atendemos adequadamente à demanda de publicação dos nossos leitores, temos recebido uma quantidade de material cada vez maior, e de uns tempos para cá muito superior à nossa capacidade de publicação. Destacamos, no entanto, que o espaço dedicado pela revista aos rotarianos e aos Rotary Clubs brasileiros não é pouco: atualmente, pelo menos 1/3 das páginas da Brasil Rotário é preenchido diretamente por fotos que nos chegam dos clubes. Ou seja: hoje em dia, pelo menos 1/3 da revista é literalmente pautado pelos leitores. Caso que, vale a pena afirmar, é raro (para não dizer único) no universo das revistas rotárias regionais, considerando-se que também precisamos publicar conteúdo sobre o Rotary International, as matérias e colunas obrigatórias enviadas por Evanston, além de artigos e reportagens. No caso da seção Novos Companheiros Paul Harris, como explicamos na página 3 da edição de maio, a quantidade de material recebido aumentou especialmente

4 JUNHO DE 2009

to outras ações cujas fotos são destaque na revista. É necessário destacar que no momento em que o RI investe em imagem pública, e até cria metas para os clubes, a gente percebe que, sendo incapazes de divulgar algumas ações em nossa própria revista, como ficam nossas ações junto aos demais órgãos de impressa escrita, falada e televisada? Só nos resta o envio de e-mails que, mesmo se não lidos, pelo menos são enviados. Antonio Fernando Santos Lacourt, associado do RC de Vitória-Praia Comprida, ES (D.4410).

nos últimos dois anos, graças ao aumento das contribuições dos rotarianos brasileiros à Fundação Rotária. Esse aumento de contribuições é, sem dúvida, uma ótima notícia, mas criou uma situação em que não há mais espaço para publicarmos todas as fotos que recebemos de novos agraciados. Para que se tenha uma ideia, somente em 2007-08 o Brasil ganhou, segundo o Escritório do RI no Brasil, mais 3.600 Companheiros Paul Harris. Se todos eles nos enviassem as fotos de sua premiação, e se publicássemos a média de oito fotos de novos Companheiros Paul Harris por página como vínhamos fazendo, seriam necessárias 450 páginas da revista para incluirmos tudo isso – o equivalente a 7 edições inteiras das 12 que a Brasil Rotário publica por ano. Por todos esses motivos, e depois de muita avaliação, a Comissão Editorial Executiva da Brasil Rotário decidiu publicar apenas os nomes dos novos Companheiros Paul Harris que chegarem à redação. Com isso, continuamos reconhecendo algo tão importante para o Rotary, como é o caso das doações à Fundação Rotária, mas apenas mudando a forma como isso é feito. Aproveitamos para lembrar que outras importantes revistas regionais, como a Rotary Magazin, da Alemanha, fazem o mesmo, publicando somente o nome dos agraciados. Outras revistas nem mesmo trazem uma seção especialmente dedicada aos novos Companheiros Paul Harris.

AGILIDADE E ESPAÇO Esta mudança tem o objetivo de dinamizar a publicação dos novos Companheiros Paul Harris, já que agora poderemos divulgar mensalmente uma relação muito maior de nomes, reduzindo a demora nessa divulgação, que no último ano chegou a registrar uma espera de quatro meses entre a data em que as fotos chegavam à redação e a data em que eram publicadas. E permitir que a revista dedique mais páginas à seção Distritos em revista (que em maio já foi expandida) e à recém-criada seção Novos Clubes, Novos Amigos, onde estamos dando as boas-vindas aos novos Rotary Clubs brasileiros. Entendemos que essa mudança na seção Novos Companheiros Paul Harris pode estar causando surpresa em muitos leitores, mas também acreditamos que, ao explicar o porquê dessas decisões, como estamos fazendo agora, contaremos com sua compreensão. Na Brasil Rotário, trabalhamos conscientes da responsabilidade e da missão da revista, e estamos fazendo tudo isso para que ela seja cada vez mais a revista do rotariano brasileiro: uma publicação dinâmica, capaz de se atualizar sem comprometer a essência de suas tradições, e que se guie por sua vocação nacional, democrática e plural, como é o Rotary. Saudações, Comissão Editorial Executiva


Na edição de fevereiro, nº1040, a

Brasil Rotário publicou uma matéria sobre a International Fellowship of Motorcycling Rotarians – South America Chapter (IFMR-SA; Associação Internacional dos Rotarianos Motociclistas, seção América do Sul). Foi um grande sucesso e somos muito gratos. Graças à divulgação já atingimos 150 associados e continuamos a crescer. Recentemente, escrevi uma mensagem, onde relato a contribuição real dos Grupos de Companheirismo para o Desenvolvimento do Quadro Associativo, assunto tão importante para o Rotary. José Adilson Bonatto, associado do RC de Araras, SP (D.4590) e coordenador 2007-10 da IFMR-SA.

 “Considerando que em nossa cidade existem quatro Rotary Clubs, quais sejam: Rotary Club de Catanduva, Rotary Club de CatanduvaNorte, Rotary Club de CatanduvaSul e Rotary Club 14 de abril, requeiro à Mesa, ouvido o douto plenário, na forma regimental, para que seja consignado na ata dos nossos trabalhos voto de congratulações ao rotariano Carlos Henrique de Carvalho Fróes pelo incessante trabalho comunitário desenvolvido, dando-lhe ciência desta nossa deliberação.” Requerimento do vereador Nelson Lopes Martins, da Câmara Municipal de Catanduva, do estado de São Paulo, aprovado por unanimidade em sessão legislativa.

 Seriedade, profissionalismo, criatividade e competência são elementos indispensáveis ao nos referirmos à nossa revista. Parabéns à equipe da Brasil Rotário. Emerson Nonato Silva, presidente do RC de Lavras, MG (D.4560). Gostaria de agradecer pelo interesse na publicação da matéria Solidariedade sem fronteiras [edição de abril, nº1042]. Parabéns a todos. Agradeço em nome do autor, meu pai, Waldir Francisco de Andrade, e também de todos os companheiros voluntários nessa missão no Quênia. Patrícia de Oliveira Andrade, presidente do RC de Americana-Carioba, SP (D.4310). Artur Lopes Cardoso, editor de Portugal Rotário, escreve lembrando que a revista em questão não se destina a Ruanda, como saiu na nossa edição de abril, nº1042. Este país não tem entre os seus idiomas oficiais o português. Portugal Rotário atende, por definição, todos os associados dos Rotary Clubs de língua oficial portuguesa (com exceção dos brasileiros). Os países contemplados, além de Portugal, são Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Princípe, Timor-Leste e, dentro da China, Macau.

A Seu Serviço Escritório do RI no Brasil Home page: http://www.rotar y.org.br Endereço Rua Tagipuru, 209 São Paulo SP – Brasil – CEP 01156-000 Tel: (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575 Horário: 2ª a 6ª, de 8h às 17h Gerente Celso Fontanelli celso.fontanelli@rotar y.org Quadro Social (Assistência aos Governadores de Distrito e aos Clubes) Débora Watanabe <debora.watanabe@rotar y.org> Supervisor da Fundação Rotária Edilson M. Gushiken <edilson.gushiken@rotar y.org> Supervisor Financeiro Carlos A. Afonso <carlos.afonso@rotar y.org> Encomendas de Publicações, Materiais e Programas Audiovisuais Clarita Urey clarita.urey@rotar y.org Tel.: (11) 3826-2966 Fax: (11) 3667-6575 Rotary International Secretaria (Sede Mundial) 1560 Sherman Avenue,Evanston, Il 60201 USA Phone: 00-21-1847 866-3000 Fax: 00-21-1847 328-8554 Horário: 8h30 às 16h45 (horário de Washington)

Saudades Adalcino Pereira Rosa, ex-presidente do RC de Goiânia-Campinas, GO (D.4530), em 1977-78 e 2007-08. 





Ailda de Oliveira Couto, presidente 2002-03 do RC de Jequitinhonha, MG (D.4520). 





Antonio Baliego, companheiro do RC de Bernardino de Campos, SP (D.4620).







Eduardo Salim Haddad, associado do RC de Santos, SP (D.4420), por 52 anos. 





João Altamiro da Silva, companheiro do RC de Passo Fundo-Planalto Médio, RS (D.4700). 





Lauro Magnusson, do RC de Indaiatuba, SP (D.4310). Magnusson foi presidente 1965-66 do clube,

tendo sido um de seus fundadores, em 1955. 





Norberto Sartori, companheiro do RC de Rondonópolis-Rondon, MT (D.4440). 





Raffaello Fantelli, um dos fundadores do RC de Indaiatuba, SP (D.4310), tendo sido presidente do clube em 1957-58 e 2004-05, e governador 1980-81 do então distrito 462. B RASIL R OTÁRIO 5


C AROS

Mensagem do Presidente

NA REDE

Leia os pronunciamentos e as notícias do presidente do RI D. K. Lee acessando o site <www.rotary.org/jump/lee>

COMPANHEIROS ,

N

o final da década de 1990, viajei a negócios a um país africano onde jamais estivera. Lá conheci um rotariano que se ofereceu para me ciceronear pelo interior, o que aceitei, com prazer. A cerca de uma hora da capital, paramos numa pequena aldeia, com cabanas feitas de tijolos de barro, teto de palha e piso de terra. Ao passar defronte a uma das cabanas, escutei um som que me fez parar – o fraco choramingar de uma criança. Perscrutando através da escuridão, pude divisar um vulto no chão. Ao acomodar a visão ao ambiente, percebi que olhava para uma mulher, deitada em um colchão com uma criança. A criancinha tentava mamar, mas a mãe estava exausta e doente, e não tinha leite. Estavam ambas obviamente famintas. A minha primeira reação foi colocar a mão no bolso e dar-lhes algum dinheiro, para ajudar, de alguma forma. Como eu poderia ir embora, deixando aquela mãe e seu filho morrerem sozinhos, imersos na escuridão? Naquele momento, constatei que tamanho horror não era exclusividade do local onde eu estava. Por toda a África, em todos os países em desenvolvimento no mundo, crianças estão morrendo – de fome, de doença, de pobreza. Ao voltar para casa, comecei a me informar melhor sobre a mortalidade infantil. Tornou-se claro para mim que esta é uma área em que os rotarianos podem causar grande impacto. Por este motivo, ao me tornar presidente do Rotary International, escolhi o lema Realizemos os Sonhos e pedi aos rotarianos que trabalhassem nas nossas ênfases de recursos hídricos, saúde e fome, e alfabetização, para reduzir a mortalidade infantil no mundo. Ao final do meu ano presidencial, sinto-me inexprimivelmente orgulhoso do trabalho dos rotarianos. Na primeira vez em que ouvi falar sobre a mortalidade infantil, a estatística apontava para a morte diária de 30 mil crianças por causas de possível prevenção. O Unicef informa que hoje tal número é de 25 mil mortes diárias – índice inegavelmente alto, mas que significa um grande avanço. Não tenho dúvida de que o serviço do Rotary contribuiu para este sucesso, e temos de prosseguir neste trabalho até que nenhuma criança morra vitimada por fome ou pobreza. Por este motivo, peço a todos vocês que, de forma contínua, Realizemos os Sonhos no próximo ano rotário. O Futuro do Rotary Está em Suas Mãos – assim como o futuro das crianças do mundo.

DONG KURN (D. K.) LEE Presidente do Rotary International

6 JUNHO DE 2009


Curtas

Brasil

Silvio Santos é homenageado pelo Rotary S e você perdeu quando foi ao ar na TV, fica aqui a dica da reprise: já está disponível no YouTube o vídeo que mostra o casal governador do distrito 4610, Amilton Medeiros Silva e Helenice, entregando um título Companheiro Paul Harris a Silvio Santos. A homenagem, feita em comemoração aos 50 anos de fundação do Grupo Silvio Santos, foi exibida durante o “Programa Silvio Santos” do dia 27 de março. Durante a entrega, Amilton explicou que outras personalidades importantes da comunicação em nosso tempo, como o empresário Ted Turner, dono da rede norteamericana CNN, e Silvio Berlusconi, primeiro-ministro da Itália, também já receberam esta homenagem do Rotary. Para assistir, acesse o site

www.youtube.com e digite Silvio Santos recebe Título Paul Harris na barra de pesquisa.

Qual será o desafio do seu clube em 2009-10?

A

poucas semanas da chegada do novo ano rotário, o Rotary International está sugerindo aos clubes algumas estratégias para cumprirmos o Desafio de US$ 200 Milhões para a erradicação mundial da pólio. Além de pedir aos clubes que trabalhem junto com os governadores eleitos para garantir que rotarianos dedicados e entusiasmados sejam nomeados para atuar como coordenadores distritais do Polio Plus em 2009-10, o RI também pede aos clubes que estabeleçam uma meta especialmente voltada ao Desafio neste novo ano – e uma meta que seja de fato desafiadora, mas alcançável. O prazo para que os rotarianos arrecadem os US$ 200 milhões prometidos à Fundação Bill & Melinda Gates como contrapartida aos US$ 555 milhões doados à Iniciativa Global pela Erradicação da Pólio termina no dia 30 de junho de 2012. Mas quanto antes essa meta for atingida, melhor: a campanha de erradicação mundial da pólio, principal foco de ação dos rotarianos há mais de duas décadas, está na reta final, e nunca esses recursos foram tão importantes para que esse ambicioso objetivo seja cumprido. Por quê? O ex-governador distrital Julio Lóssio explica os motivos em artigo que começa na página 26 desta edição.

A grande aventura dos rotarianos A

inda sobre o combate à pólio, continua disponível no site da Brasil Rotário a história em quadrinhos que conta a aventura dos rotarianos para acabar com essa terrível doença. Acesse www.brasil-rotario.com.br, baixe as 16 páginas em formato PDF e imprima. Esta é uma excelente ferramenta para divulgar o trabalho do Rotary, principalmente junto às crianças de sua cidade.

B RASIL R OTÁRIO 7


Curtas

Mundo

Empreendimento monumental I Marcos monumentais como o Coliseu transformaram-se em anteparo para a projeção da logomarca Eliminemos a Pólio Já durante a última semana de fevereiro deste ano, que comemorou o 104º aniversário do Rotary. Um mês antes, o Rotary recebeu US$ 255 milhões da Fundação Bill e Melinda Gates. “Esperamos que pessoas em toda parte vejam essas palavras e se juntem a nós e a nossos parceiros no esforço histórico para libertar definitivamente o mundo da poliomielite”, declarou Jonathan Majiyagbe, chairman da Fundação Rotária. A Ópera de Sidney, na Austrália, o prédio do Parlamento inglês, o Castelo de Eilean Donan, na Escócia, as Cataratas em Rochester, nos EUA, foram outros marcos também iluminados.

Três maneiras de recrutar C

ada ex-bolsista do Rotary é um rotariano em potencial. O presidente eleito do RI, John Kenny, quer que cada clube estenda a mão a este grupo em 2009-10. Uma pesquisa feita em 2006 apurou que aproximadamente 3% de todos os rotarianos foram integrantes de Interact, Rotaract, de Intercâmbio de Jovens, Intercâmbio de Grupos de Estudos, ou bolsistas do Rotary. No seminário de treinamento dos coordenadores regionais de desenvolvimento do quadro associativo do RI (RRIMCs, em inglês), em fevereiro, em Chicago, eles se depararam com um painel de ex-bolsistas que mostrava como os clubes podem melhor

8 JUNHO DE 2009

se conectar com associados em potencial. Eis algumas das dicas lançadas: I Reúna uma lista de ex-bolsistas da sua região. Dom Garner, ex-bolsista da Fundação Rotária, disse que enquanto ele foi o presidente do RC de Chicago, em 2006-07, 64 novos membros se associaram, 10 dos quais foram ex-bolsistas. I Priorize a ligação em rede. Muitos ex-alunos estão na fase inicial das suas carreiras, portanto mostre-lhes como o Rotary pode ajudá-los a se desenvolver profissionalmente. I Comece um grupo de antigos alunos de Intercâmbio de Grupos de Estudos. Esta estratégia pode manter os jovens interessados e unidos e facilitar a transição do Rotaract para o Rotary.


Filme selecionado para o Oscar traz a luta contra a poliomielite rene Taylor Brodsky levou o Rotary com ela para a cerimônia de prêmiação da Academia de Cinema norte-americana neste ano. Ela se sentou algumas fileiras atrás das estrelas do filme “Quem Quer Ser Um Milionário?”, grande sucesso no mundo todo. Somente nos EUA, mais de 36 milhões de espectadores prestaram atenção quando a relação de obras da categoria de curta documental foi lida em voz alta, mas Brodsky não ficou deslumbrada pelas luzes ofuscantes nem pelas celebridades à sua volta. Ela estava lá para dizer quão árduo é o trabalho voluntário para erradicar a poliomielite. Para os 38 minutos de seu filme, The Final Inch [O Passo Final, em tradução livre], a diretora-produtora passou sete semanas na Índia documentando a campanha de combate à doença. Brodsky e a sua equipe seguiram voluntários por uma favela populosa de Mumbai, pela cidade empobrecida de Meerut, e pela bacia do rio Ganges, em Bihar, para registrar a arrancada final. “Como o filme revela, este momento é o mais difícil,” diz Brodsky. “Os financiamentos estão secando porque aqueles que não estão familiarizados com a saúde pública não entendem por que a luta toma tanto tempo. Mas não me encontro desanimada de forma alguma.” O documentário concentra-se nos procedimentos que rotarianos e outros voluntários utilizam para assegurar que cada criança tenha sido imunizada. M.S. Jain, ex-governador do distrito indiano 3100, e a sua equipe tiveram que convencer pais e avôs para suprimir temores de que a vacina poderia deixar suas crianças estéreis. BR

I

 O documentário revela o trabalho de voluntários como Munzareen Fatima (acima), uma líder comunitária da Índia.



A diretora Irene Brodsky (aqui, ao lado do epidemiologista Larry Brilliant) trouxe a história da luta contra a pólio para milhões de espectadores

B RASIL R OTÁRIO 9


Coluna do Diretor do RRotary otary International Themístocles A. C. Pinho

Um momento muito especial migos e amigas, companheiros e companheiras de nossa Família Rotária: mais um ciclo administrativo está prestes a se consumar no Rotary International. Dentro de nossa estrutura, junho é o mês em que, através de um tranquilo e sadio movimento, toda a liderança rotária se substitui, permitindo que novas esperanças possam concretizar-se. Uma demonstração do quão sábia é a nossa centenária organização de prestação de serviços voluntários. Nesta época, todos, sem exceção, preparam-se para uma nova fase, onde o “sangue novo” dos que entram vem, verdadeiramente, oxigenar o corpo sadio e atuante do Rotary, sem que tal substituição represente uma ruptura ou uma descontinuação dos ideais oferecidos por Paul Harris à humanidade desde fevereiro de 1905 – e que a cada dia solidificam-se mais, a par dos naturais ajustes, próprios de um mundo em constante evolução. Estas palavras iniciais desta minha última coluna mensal não representam o encerramento de nossa atividade rotária, mas sim uma natural e necessária troca de posições. Por isso, queremos dedicá-la a todo o rotarismo latino-americano, como fizemos ao longo destes dois anos, em que oferecemos ideias e sugestões a partir de conceitos, e mais que isto, procurando mostrar-nos de forma honesta e sem preconceitos. Du-

A

1 0 JUNHO DE 2009

rante esse período, a Coluna do diretor foi traduzida e transmitida pelas revistas rotárias regionais de toda a América Latina, chegando a todos os companheiros latino-americanos, que nos honraram com sua atenção e leitura. AGRADECIMENTOS Amigos, este é um momento muito especial. Ao longo desses dois anos, se em cada clube, através de cada rotariano, Compartilhamos Rotary e Realizamos os Sonhos, eu, Gilda e toda

Muitos amigos vieram compartir o trabalho conosco de forma silenciosa, mas atuante e extremamente importante a nossa pequena família estamos plenamente recompensados das horas melhores que vocês nos dedicaram, e que serão inesquecíveis. A alegria de servir ao Rotary International como uma instituição líder em seu segmento de atuação – e de poder de alguma forma ter colaborado para minorar a dor e as carências dos mais necessitados, sem perder de vista o ideal que nos une – é e será sempre a nossa maior recompensa. Apesar de corrermos o erro de acabar não citando alguns nomes, seria injusto da nossa parte não destacar algumas pessoas que, mais diretamente, entenderam a missão que

assumimos no dia 1o de julho de 2007 e que, por certo, amealharam maiores encargos, tiveram maiores dissabores e suportaram a insuperável ausência. Referimo-nos, em primeiro lugar, à Gilda esposa, amiga e companheira de quase 50 anos, alguém que – como sabem aqueles que mais de perto conviveram conosco nestes últimos dois anos – assumiu sacrifícios para si, mas que não nos faltou até o último momento, quando passaremos em Dublin, na Irlanda, a responsabilidade de manter a liderança rotária brasileira no mesmo nível em que recebemos de tantos grandes companheiros, tendo a encimá-los Ernesto Imbassahy de Mello e Paulo Viriato Corrêa da Costa. Outros tantos amigos vieram compartir o trabalho conosco de forma silenciosa, mas atuante e extremamente importante. Cito o ex-governador distrital Flávio de Mattos, que com seu apoio, mesmo em momentos difíceis provocados por seu estado de saúde, esteve sempre pronto a nos oferecer sua colaboração e assistência, permitindo que, entre um compromisso e outro, uma viagem e tantas outras, estas colunas mensais estivessem a tempo e à hora prontas e atuais em nossa Brasil Rotário. Cito também a direção dessa revista, que mensalmente manteve o espaço necessário para esta publicação e, mais que isto, promoveu sua tradução e distribuição para todas as demais


A. Santos

revistas regionais da América Latina. Falo também de companheiros e amizades novas que entenderam o que nos propusemos a fazer e vieram juntarse a nós, especialmente no campo da divulgação do Rotary, caso do ex-governador José Luiz Fonseca, que assumiu toda a responsabilidade pela coordenação da segunda edição do programa de TV “Rotary Brasil”, repetindo e ampliando o sucesso que nos permitiu receber o reconhecimento internacional de Melhor Projeto de Divulgação do Rotary International em todo o mundo no ano de 200708. Um projeto que nasceu, como tudo que procuramos estimular, da vontade de tornar a imagem pública do Rotary conhecida, e não apenas de nós mesmos, mas de toda a população brasileira, em suas mais variadas camadas sociais. INSTITUTOS DE SUCESSO Muitos outros mais, certamente, mereceriam ser nominados, mas não podemos deixar de destacar os operosos, incansáveis e compreensivos amigos Octávio Augusto Britto Gomes de Souza e José Edélcio Drumond Alves, dois ex-governadores que, ao lado de suas equipes, construíram o sucesso do XXX e do XXXI Institutos Rotary do Brasil, realizados respectivamente em Belém e Belo Horizonte. Dois verdadeiros líderes aglutinadores que, sempre norteados pelos objetivos de nossa organização, nos deram a oportunidade de mostrar ao Rotary de todo o mundo como e o quanto se pode fazer onde há liderança, boa vontade e espírito de verdadeiro companheirismo, sem medo de desafios. Aos nomes de Octávio Augusto e José Edélcio, devemos acrescentar o do governador Juan

Scander, que em parceria com sua equipe permitiu que fosse realizado com igual brilho o Instituto Rotary do Peru, na cidade de Chiclayo. Agradecemos também aos governadores brasileiros da “Turma de Atibaia” e aos “Governadores dos Sonhos”, assim como aos seus operosos cônjuges, pelo trabalho e total dedicação à causa rotária, procuran-

Nestes dois anos, o Conselho Diretor aprovou medidas importantes, como o Plano Estratégico, o Rezoneamento Mundial e o Plano de Visão Futura da Fundação Rotária do em seus distritos e clubes não apenas estimular e difundir os ideais rotários, mas assumindo e superando os desafios que lhes foram postos, verdadeiros guardiões das mensagens e objetivos, por vezes aparentemente intransponíveis. Trabalhando unidos, eles fizeram esses desafios parecer simples obstáculos de areia que se desfaziam ao seu toque e persistente ação. Mas somente agradecimentos não seriam o bastante para este momento. Também devemos lembrar que ao

longo desses últimos dois anos o Rotary International, através de seu Conselho Diretor, tomou várias e importantes decisões que influirão, efetivamente, não apenas no seu próximo século de prestação de serviços, mas no rotarismo brasileiro. Dentre essas medidas, destacamos, no âmbito dos países de língua portuguesa, a decisão que determina a obrigatoriedade da utilização do nosso idioma em todos os eventos rotários internacionais. Importantes também foram a aprovação do nosso Plano Estratégico, em implementação e execução no período de 2007 a 2010; o Rezoneamento Mundial, com vigência a partir do próximo dia 1o de julho, e que manteve íntegro o Rotary no nosso país e em toda a América Latina; a aprovação do Plano de Visão Futura da Fundação Rotária, que iniciará sua fase piloto em 1 o de julho de 2010, passando a ter um caráter definitivo em 1o de julho de 2013; e, finalmente, a aprovação da candidatura do Brasil, através da cidade de São Paulo, para sediarmos a Convenção Internacional de 2015. Estamos certos de que estas e muitas outras decisões permitirão um futuro promissor e de continuado sucesso para nossa organização. Finalizando estas palavras, quero por último deixar bastante marcada a atuação do Colégio Brasileiro de Diretores do Rotary International, que por sua posição e responsabilidade demonstrou unidade e alto espírito rotário nos momentos em que isso se fez necessário, sem deixar de manter uma posição firme e ao mesmo tempo serena, atuante e representativa do rotarismo brasileiro. A todos, meu muito obrigado. BR

B RASIL R OTÁRIO 1 1


Economia

Resistindo RCs de duas cidades norte-americanas duramente atingidas pela crise se unem para enfrentar a recessão de cabeça erguida Brad Webber*

A

s vizinhanças de Stockton, Califónia, EUA, estão repletas de placas anunciando vendas e os gramados marrons e crescidos das propriedades hipotecadas totalizam quase 10% das casas da localidade, a mais alta incidência em todo o país. Epicentro da crise habitacional, Stockton foi denominada a cidade mais miserável da América pela revista Forbes. A cerca de 3.800 quilômetros a leste, a cidade de Wilmington, Ohio, sofre com os efeitos da crise do mercado em Stockton e em outras cidades em apuros, devido a esquemas exóticos de hipotecas. Cerca de 6.000 operários da região perderam seus empregos quando a DHL suspendeu seus serviços de entrega doméstica e mais de 2.000 encontram-se em perigo. A ABX Air, maior empregador de Wilmington, operava o terminal de fretes para a DHL. O fechamento do aeroclube de Wilmington “é um evento econômico catastrófico”, afirma David L. Raizk, prefeito da cidade de 12 mil habitantes. “Um em cada cinco negócios poderá falir se o desemprego não for revertido.” Stockton, cidade com 290 mil habitantes, sede do maior porto interno da Califórnia, é uma cidade histórica, nascida na Corrida do Ouro. As atrações locais incluem a linha costeira remodelada e festivais celebrando o pianista de jazz Dave Brubeck, vinho e aspargos. Embora muito menor, Wilmington possui cota igual de orgulho cívico, refletido nas lojas restauradas da rua principal e no cinema, que apareceu no filme

1 2 JUNHO DE 2009

Lost in Yonkers (NT: “Proibido amar”, com Richard Dreyfuss, de 1993). Hoje em dia, as famílias de ambas as cidades temem por seus futuros. Empregos e moradias estão ameaçados. Mas os rotarianos de lá – e de áreas semelhantes em todo o país – não desistem. Eles se oferecem como voluntários em bancos de empregos, prestam consultoria profissional e auxiliam no refinamento de currículos. Eles abastecem despensas e trabalham em turnos nos abrigos para os sem lar. Eles mantêm a força de seus clubes ajudando os rotarianos em dificuldades, seja emprestando um ombro amigo, pagando mensalidades de companheiros, ou reduzindo os custos de se integrar o quadro social, por meio da negociação de jantares em restaurantes mais em conta. O Rotary Club de Wilmington volta-se para as raízes do Rotary, restabelecendo um concurso então inativo sobre a Prova Quádrupla. Tanto os rotarianos de Stockton como os de Wilmington não economizam quando se trata de reforçar o engajamento cívico que definiu suas cidades, em especial as festas típicas.

Epicentro da crise habitacional, Stockton foi denominada a cidade mais miserável da América pela revista Forbes

INICIATIVAS LOCAIS Em Stockton, o Festival do Aspargo, que dura três dias, atrai mais de 100 mil visitantes a cada mês de abril. Rotarianos de cinco clubes da região servem os talos fritos, em sopa, e polvilhado sobre sorvete. O Rotary Club de Stockton vende os ingressos, enquanto o Rotary Club de Stockton Delta serve os aspargos fritos (mais de 12 toneladas por ano), que os aficionados mergulham em vinagre, Tabasco e queijo parmesão. O estande arrecada mais de US$ 100 mil por ano, para fins caritativos. Wilmington orgulha-se do seu Festival de Banana Split anual, em homenagem aos realizados nos anos 1950, pelos Rotary Clubs de Wilmington e Wilmington A.M. A lenda local conta que Ernest Hazard, um proprietário de restaurante, criou a festa para atrair fregueses durante uma tempestade de inverno. O anúncio da DHL, em 2008, de que estava abandonando o aeroclube, jogou água na fervura, em relação ao evento, mas os rotarianos perseveraram, relembra Monica Wehr, secretária do festival e gerente experiente da DHL. “Não se encerra nenhuma reunião sem antes orar”, observa Wehr, sócia do clube de Wilmington, acerca do destino do aeroclube e de seus funcionários. “O clube tem oferecido grande apoio.” Sua madrinha no clube e contraparte na ABX Air, Beth Huber age como uma moderna Rosie the Rivetter (NT: ícone cultural dos EUA, representando os seis milhões de mulheres que trabalharam na fabricação de munição e outros materiais, durante a 2ª Guerra Mundial), em-


Eles mantêm a força de seus clubes ajudando os rotarianos em dificuldades, seja emprestando um ombro amigo, pagando mensalidades de companheiros, ou reduzindo os custos de se integrar o quadro social bora também tema pelo seu emprego. “Esta não é a época de rolar e fingir de morto”, afirma Huber, presidente eleita do Rotary Club de Wilmington. “O momento é de arregaçar as mangas e realizar.” COMBATE AOS BOATOS A uma semana do anúncio da DHL, Huber vinha se encontrando com rotarianos para conter rumores e transmitir informação sobre a transição do centro de trabalho, suspensão de pagamentos e outros assuntos. “Quando você tem uma situação como essa, os boatos se tornam incontroláveis, porque as pessoas estão assustadas. Nós podemos desmistificar a história. Não há nada nessa comunidade que não esteja influenciado pelo que está acontecendo”, diz Huber. “O Rotary desempenha um papel vital na comunicação e na estrutura de apoio comunitário”, garante Raizk. “Não é apenas uma questão governamental, mas a forma como as pessoas se importam umas com as outras. Temos uma tradição rotária muito forte e dois clubes. A minha tarefa é bastante difícil, mas o Rotary a torna mais leve. Não consigo imaginar Wilmington sem o Rotary.” Os rotarianos participam de uma força-tarefa destinada a atrair novas empresas para o aeroclube e, além disso, vêm progredindo nas doações a um abrigo para sem-teto e a uma despensa de alimentos. Eles atuam em perfeita sintonia e com apoio mútuo. “Temos a consciência de que estamos todos no mesmo barco e que o companheirismo do nosso clube impera”, conta Gary Kersey, presi-

dente do Rotary Club de Wilmington. “Sabemos, ainda, que representamos um exemplo do que acontece em cada comunidade.” GRAÇAS AO ROTARY Mesmo antes de a crise se abater sobre a cidade, Kerry Steed, associado do clube de Wilmington e proprietário da Generations Pizzeria, já experimentava uma alta nos custos da mão de obra e dos suprimentos. Ele credita aos palestrantes e contatos do seu clube o sucesso do seu negócio. “As parcerias e ideias que adquiri, sendo um rotariano, foram decisivas para amparar o meu negócio”, afirma Steed. “Os membros do Rotary são empresários experientes e nos brindam com apresentações sobre o que funciona ou não – e nos escutam. Esta é a grande vantagem de ser um rotariano.” Kersey acrescenta que os sócios apreciam a estabilidade oferecida por seus clubes. “Eles gostam daquela rotina – já passaram por muitas mudanças nas suas vidas. A qualidade dos programas assume cada vez maior importância.” Ele cita uma recente palestra: “Um jardineiro local discorreu sobre a primavera, como manter os nossos quintais preparados, como aparar os arbustos, como preparar o solo. Aquilo nada tinha a ver com economia, e foi uma grande alívio descansar um pouco daquelas horríveis notícias. Temos tentado estabelecer programações que levantem nosso espírito. Queremos oferecer algo que mantenha a frequência, seja nos bons tempos ou nos maus.” Recentemente, com o objetivo de B RASIL R OTÁRIO 1 3


Economia levantar o moral da população, Steed lançou a campanha Compre uma e Leve Outra de Graça, destinada às firmas locais. A maior cliente foi a ABK Air, no último dia de trabalho de muitos empregados. A demanda foi de tal monta que Steed doou US$ 35 mil em pizzas. Richard Bracht, presidente eleito do Rotary Club de Wilmington A.M., afirma que a imobilidade não é uma opção para os 18 associados do seu clube, que, entre outros projetos, ajudam a fornecer água purificada ao Quênia. “Indagamos aos nossos sócios se deveríamos nos envolver em projetos internacionais, quando poderíamos usar nossos recursos domesticamente. A resposta foi: ‘Temos de fazer as duas coisas. Somos responsáveis por ambas.’” PARTICIPAR É IMPORTANTE Kersey e Bracht estão bem a par do que se conhece como “a grandeza de ajudar”, o impulso altruístico que provoca a melhoria da saúde, segundo o psicólogo e especialista em neurociência John T. Cacioppo. A participação é um remédio, garante o professor da Universidade de Chicago e coautor da obra “Loneliness: Human Nature and the Need for Social Connection”. Existem três maneiras principais de combater a solidão, afirma Cacioppo: o contato face a face, proporcionado pelo Rotary; o contato íntimo, como o conjugal; e a conectividade coletiva. “Após o 11 de Setembro, por exemplo, experimentamos um sentimento comum de boa vontade em relação aos americanos”, explica ele. “Os rotarianos não oferecem tão somente a interação pessoal, mas também a de grupo, o que pode ajudar na superação do isolamento em momentos difíceis. O rotariano é um ser coletivo. Durante os tempos difíceis é que aquele grupo pequeno, coerente e coeso ganha importância”, diz Cacioppo. Rotarianos poderiam pensar que economizariam dinheiro, caso se esquivassem. “Mas para grande parte deles, dinheiro não

1 4 JUNHO DE 2009

“Os rotarianos não oferecem tão somente a interação pessoal, mas também a de grupo, o que pode ajudar na superação do isolamento em momentos difíceis. O rotariano é um ser coletivo”, diz o psicólogo John T. Cacioppo traz felicidade, e o que importa é se manter conectado.” Susan Drake, associada do Rotary Club de Stockton e governadora entrante do distrito 5220, concorda que a participação propicia altos dividendos. Como atrativo à conquista de novos companheiros, ela acena com a qualidade dos palestrantes e dos programas, e induz um sentimento de orgulho, devido à missão humanitária do Rotary. A recessão atingiu vários dos clubes com 200 associados ou mais, conta Drake. “Tais associados revelam que não podem manter a frequência com regularidade. Eles foram obrigados a dispensar funcionários, portan-

to não podem sair do escritório para comparecer à reunião do clube. Estamos sendo muito lenientes, se alguém precisa se afastar por um período para cuidar do seu negócio, nós dizemos: ‘Vamos abonar sua falta, mas esperamos que você compareça ao maior número possível de reuniões.’” O marido de Drake, Dudley Drake Jr., presidente do Rotary Club de Stockton Delta, relata que também o seu clube, formado por 28 sócios, foi atingido pela crise. “Estamos tentando reduzir o custo de ser rotariano”, diz ele. “Em vez de um jantar mais elaborado, cortamos o custo pela metade, de forma que mais pessoas possam estar presentes. Ainda queremos realizar, mas estamos adaptando os orçamentos, de forma a otimizar os recursos.” Tal estratégia permitiu que o clube duplicasse o número de refeições doadas aos necessitados e ajudou a financiar uniformes escolares para alunos de baixa renda. Mark von Hoetzendorff, EGD do distrito 5160, no Norte da Califórnia, enxerga uma vantagem nesta crise. “Estamos nos tornando mais criativos”, afirma. “Estamos vendo mais campanhas de levantamento de fundos em pequena escala, para contrabalançar o declínio das contribuições individuais, e tenho observado que os clubes estão em busca de doadores corporativos como nunca. Este contexto nos leva a atuar de forma diferente, o que é muito bom.” Alana Bergh, EGD do distrito 5010, que abrange partes do Canadá, Rússia e Estados Unidos, observa que diversos RCs russos foram criados nos anos 1990, em plena crise do rublo. “Eram pessoas que acordavam na manhã seguinte, e o seu dinheiro tinha-se ido”, conta Bergh. “Mas eles puderam enxergar o valor do Rotary e foram capazes não só de ajudar a si próprios como à comunidade global.” BR *O autor é escritor freelancer, baseado em Chicago. Tradução de Eliseu Visconti Neto.


Campanha Alexandre Cassiano/Agência O Globo

 OS CAMPEÕES Falcão e Mari, juntos com o Rotary neste jogo /A Ivo Gonzalez

obo gência O Gl

20 de junho:

Dia Nacional de Vacinação Rotary entra firme com parcerias na luta contra a pólio

A

inda no clima do desafio feito pelo empresário Bill Gates em janeiro passado, durante a Assembleia Internacional de San Diego, nos EUA, os rotarianos brasileiros conseguiram importantes parcerias para o trabalho de combate à poliomielite no país. A jogadora de vôlei Mari, cuja mãe, dona Gisela, é vítima da pólio, e Falcão, eleito pela Fifa como o melhor jogador do mundo no futebol de salão por dois anos seguidos, confirmaram o apoio ao trabalho do Rotary. Se eles estiverem no Brasil em 20 de junho, quando acontecerá o Dia Nacional de Imunização promovido pelo governo, participarão da vacinação nas cidades onde se encontrarem presentes. Também gravarão mensagens de alerta para a necessidade de as crianças brasileiras serem vacinadas contra a doença. Outras personalidades estarão com os rotarianos no esforço final de erradicação da pólio do planeta. Os enten-

dimentos estão em fase bastante adiantada. O apelo motivará pais ou responsáveis pelas crianças na faixa etária de zero a cinco anos a levá-las aos postos de vacinação, onde tomarão as duas gotinhas protetoras contra a doença. GARANTINDO A PROTEÇÃO O último caso de pólio no Brasil foi registrado no município de Souza, na Paraíba, em 1989. Cinco anos depois, sem outro registro da doença nas Américas, a Organização Mundial de Saúde considerou a pólio erradicada no continente. Mesmo assim, manter a vacinação garante a proteção das crianças. Ainda temos quatro países onde o vírus existe. Com a globalização, há possibilidade de alguma criança infectada vir para o Brasil e contaminar quem deixou de tomar a vacina. Longe de ser alarmismo, a ideia é manter os níveis de segurança da população infantil bastante elevados. BR

Mobilize seu clube

A campanha envolverá os meios de comunicação disponíveis, inclusive a internet. O site da revista Brasil Rotário (www.brasil-rotario.com.br) conterá informações importantes sobre o andamento do trabalho. Envie informações a respeito das ações de seu clube na campanha de vacinação. Para quaisquer esclarecimentos, você pode entrar em contato com a redação através do e-mail <redacao@brasil-rotario.com.br>. BR Na edição de julho, a revista vai publicar uma entrevista com Mari e dona Gisela. Você vai conhecer a história da mãe da atleta, exemplo de otimismo nos dias de hoje, realizada com o sucesso da filha, campeã olímpica de vôlei em Pequim. B RASIL R OTÁRIO 1 5


Rotarianos que são notícia Nesta seção abrimos espaço para os rotarianos que receberam homenagem ou assumiram função em organizações da sociedade civil, ou que foram nomeados e eleitos para cargos do governo nas esferas federal (1º, 2º e 3º escalões), estadual (1º e 2º escalões) e municipal (1º escalão), da administração direta ou indireta.

O EGD 2000-01 do distrito 4310, Roberto Sogayar, recebeu das mãos da professora Maria de Lourdes Paulino (foto) o título de professor emérito do Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista. A homenagem é conferida a docentes aposentados que se destacaram em sua trajetória acadêmica. Os companheiros do RC de Mimoso do Sul, ES (D.4410), Ângelo Guarçoni Junior e Fabiano Viana Guarçoni tomaram posse, respectivamente, como prefeito e vereador da cidade.

Vanderlei Antonio Retondo, presidente do RC de Santo André-Norte, SP (D.4420), foi nomeado secretário de Desenvolvimento e Ação Regional da prefeitura de Santo André. Na foto, ele está ladeado pelos associados do clube Álvaro Juvenal Ferreira, nomeado secretário adjunto da mesma secretaria, e Ailton José de Lima, eleito vereador. Associado do RC de Teresina-Jóquei, PI (D.4490), Joaquim Dias de Santana Filho assumiu o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí. Mais recentemente, ele foi homenageado com a Comenda da Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí, no grau de comendador.

1 6 JUNHO DE 2009

Hélio Consolaro, associado do RC de Araçatuba-Cruzeiro do Sul, SP (D.4470), tomou posse como secretário de Cultura de Araçatuba.

José Cavalcanti Alves Júnior, do RC de Arcoverde, PE (D.4500), foi reeleito prefeito dessa cidade.

Lee Jeferson Vilas Boas, associado do RC de Parapuã, SP (D.4510), do qual já foi presidente, elegeu-se vereador no município.

Odilon Iannetta, companheiro presidente 200506 do RC de Ribeirão PretoOeste, SP (D.4540), recebeu o título de cidadão ribeirãopretano.

Antônio Tiago de Rezende foi homenageado com dois prêmios. O primeiro é o Troféu Gente que Brilha em Minas Gerais, e o segundo, Empresário do Ano de 2008, outorgado pela Federação das Associações Comerciais do Estado de Minas Gerais. Associado do RC de Congonhas, MG (D.4580), Rezende é presidente do Sindicato do Comércio de Congonhas e vice-presidente da Federação do Comércio do Estado de Minas Gerais.


O companheiro Geraldo Lopes de Oliveira – presidente 1997-98 do RC do Rio de Janeiro-Ipanema, RJ (D.4570), e um dos fundadores da Associação Patrulha Jovem do Rio – foi homenageado pela Academia Brasileira de Medalhística Militar. Ele recebeu a medalha Ordem do Mérito no Grau Oficial, concedida em reconhecimento às personalidades cujas ações tenham contribuído para a integração entre civis e militares.

Fernando de Souza Costa, associado do RC de Carangola, MG (D.4580), foi reeleito prefeito da cidade, e Maria Freitas de Castro Monteiro, do mesmo clube, permanece como secretária de Cultura e Patrimônio Histórico.

O rotariano Amilton Medeiros Silva, governador do distrito 4610, recebeu o prêmio Toprubber 2008, conferido pela revista Borracha Atual. Essa distinção foi resultado da escolha do governador Medeiros como Personalidade do Ano de 2008 pelas indústrias de borracha do Brasil Ronaldo de Souza Rúbio, associado do RC de Espera Feliz, MG (D.4580), foi agraciado com o Diploma do Mérito Empresarial 2008 – representando a cidade de Espera Feliz – pela Federação das Associações Comerciais de Minas Gerais.

José Nelson Cabral, do RC de Alto Piquiri, PR (D.4630), foi eleito vereador na cidade.

O companheiro Reinaldo da Rosa Borges de Oliveira, governador 1994-95 do distrito 4500, foi eleito por unanimidade para compor o quadro de sócios da Academia Pernambucana de Medicina. O trabalho através do qual se habilitou foi chamado de “Pelos Palcos da Vida”, onde consta sua trajetória de médico cirurgião, entremeada de suas participações no teatro, no Rotary, na literatura e na música.

Rogério Ristow, presidente do RC de Brusque, SC (D.4651), tomou posse como Secretário Municipal de Administração da cidade.

Em sessão solene comemorativa ao Dia do Rotary, na Câmara Municipal de São Paulo, Sérgio de Castro foi agraciado com diploma de honra ao mérito. Na foto, ele aparece à esquerda, ao lado do vereador Gilson Barreto, autor da proposição de homenagem. Sérgio tem 55 anos de vida rotária e é atualmente associado do RC de São Paulo-Jardim das Bandeiras, SP (D.4610). Durante muitos anos ele se dedicou à Fundação de Rotarianos de São Paulo.

Ricardo Lúcio de Alvarenga foi empossado vereador de Bom Despacho, em Minas Gerais. Ricardo é secretário do RC de Bom Despacho-Arraial, MG (D.4760).

Maria Aparecida Rocha Nascimento foi agraciada pela Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais (em inglês, BPW), seção de Uberaba, com o título de Mulher Destaque 2008 pela sua atuação na área social. Maria Aparecida, casada com o EGD 2002-03 Carlos Alberto do Nascimento, é associada do RC de Uberaba, MG (D.4770), e presidente 2008-09 da Casa da Amizade de Uberaba.

B RASIL R OTÁRIO 1 7


Convocação

A Europa é aqui O XXXII Instituto Rotary do Brasil, em setembro, levará líderes rotários a um cenário europeu hocolate caseiro, festival de cinema, cultura europeia. Esses aspectos são sempre lembrados quando se pensa em Gramado. Ainda assim, intui-se que há mais do que isso para se apreciar nessa cidade. E os líderes rotários que se dirigirão ao Instituto Rotary do Brasil deste ano, que ocorrerá de 03 a 06 de setembro, poderão comprovar essa máxima. Hoje, Gramado é o quarto destino turístico mais procurado do Brasil. Localizada na Serra Gaúcha, na chamada Região das Hortensias, a cidade tem uma população estimada em 31.655 habitantes, mas recebe anualmente cerca de 2,5

C

milhões de turistas. Para se ter uma ideia, 90% de sua receita é proveniente da atividade turística. Sendo o maior pólo turístico do Rio Grande do Sul, Gramado se destaca pelos grandes eventos, como congressos e seminários. Porém, de todos eles, o mais famoso é o Festival Brasileiro e Latino de Cinema de Gramado, realizado desde 1973, e que premia a sétima arte com o troféu Kikito. DIVERSOS ROTEIROS O centro de Gramado concentra muitas opções de compras: artigos de couro, de decoração, confecções, malhas, sapatos, artesanatos, chocolates caseiros. O horário comercial em geral vai das 9h às 19h, e a rota das compras permite que se conheça a princi-

pal avenida da cidade, a Borges de Medeiros. Mas Gramado não é feita só de construções modernas no centro da cidade. Há uma face mais retirada que movimenta sua economia: a zona rural. As propriedades do interior do município se transformaram em um roteiro que beneficia tanto os agricultores quanto os turistas, que podem descobrir como é viver no campo. Como se nada disso bastasse, Gramado é envolvida pela exuberância natural da Serra Gaúcha. Vales, montanhas e corredeiras atraem pessoas de todo o Brasil que curtem aventuras. Em meio a paisagens de tirar o fôlego, pode-se escolher das trilhas a pé ou à cavalo às atividades radicais, como rapel e canoagem. BR



NÃO FALTAM motivos para fotos nesta cidade de pouco menos de 32 mil habitantes

1 8 JUNHO DE 2009


Fotos Leonid/Cortesia Secretaria de Turismo de Gramado

G O LAGO Negro, um dos cartões postais da cidade, tem uma curiosa história: ele foi construído sobre uma área atingida por um misterioso incêndio ocorrido na década de 40

Festival de gastronomia O Instituto Rotary coincidirá com uma importante data no calendário de Gramado. Trata-se do Festival Internacional de Gastronomia, Vinhos e Espumantes, idealizado em 2007, e que veio se somar a um já rico roteiro turístico e gastronômico. De 3 a 13 de setembro, profissionais da área demonstrarão o talento e a criatividade por meio de eventos variados, como oficinas e exposições. E os vinhos e espumantes formam um capítulo à parte no Festival, que reúne o melhor da produção vinícola do Rio Grande do Sul e de renomadas marcas mundiais. Na programação também estão incluídos um tour gastronômico, concurso de melhor chef, degustações, além da apresentação de peças teatrais e shows musicais.

I

I A inscrição para o XXXII Instituto Rotary pode ser feita pelo seguinte endereço:

http://www.institutorotarygramado.com.br/ inscricoes.php

Mensagem do Convocador Lideranças Rotárias:

Estamos convocando-os, líderes e administradores anteriores, atuais e futuros do Rotary International, bem como seus cônjuges, a participar do XXXII Instituto Rotary do Brasil. Foi escolhida a encantadora cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul, como sede. A data é de 3 a 6 de setembro de 2009. Com um final de semana prolongado, será possível aos participantes não só atualizar seus conhecimentos sobre o Rotary e a Fundação Rotária e apresentar suas ideias sobre os temas que serão debatidos, como também usufruir das belezas e encantos da hospitalidade gaúcha, que têm nas cidades serranas sua mais expressiva manifestação. O casal presidente 2009-10 do Rotary International, John Kenny e June, assim como eu e Rose e os casais anfitriões, estaremos recepcionando-os com todo carinho neste que é o maior evento do rotarismo brasileiro. Inscrevam-se e venham participar do evento. Venham reencontrar e cultivar antigas amizades e construir novas. Gramado os espera. Um forte abraço, Antonio Hallage, Diretor eleito do RI e convocador do XXXII Instituto Rotary do Brasil

B RASIL R OTÁRIO 1 9


Comportamento stock.xchng

Vencer não é tudo A maneira como se joga é mais importante que perder ou ganhar Alfredo Castro Neto*

V

ivemos numa sociedade em que premiamos os vitoriosos e fugimos dos perdedores. Com raras exceções, não ensinamos nossos filhos a amar a aprendizagem: nós os ensinamos a conquistar um diploma. Acho que o importante não é perder ou ganhar, mas sim a maneira como se joga. Manifestamos uma titubeante obsessão cultural pala vitória. O que assusta em relação à aceitação dessa filosofia é que ela implica em uma coisa: que o objetivo da vitória justifica qualquer meio empregado para conquistá-la. É certamente verdade que no início da história da evolução do homem a grande dose de comportamento agressivo era adaptável. Mas quando vemos um mundo cheio de conflitos, de ódio, desconfiança, preconceitos e violências, nos sentimos justificados por questionar o valor da sobrevivência desse comportamento – pois existem pessoas cuja filosofia de vida é a de que vencer não é tudo: é a única coisa.

2 0 JUNHO DE 2009

Pensando bem, podemos ter uma vida de contínua frustração se fixarmos objetivos irrealistas para nós. Não é verdade que as nossas possibilidades sejam ilimitadas. Por exemplo: não é possível que algum dia todo mundo seja presidente do país em que vive. Talvez haja sempre lugar no topo, mas não há lugar aí para todos nós. Portanto, é muito importante recusar-se a desperdiçar a vida em lamúrias ou investindo contra os próprios limites – e aceitando trabalhar com esses limites como materiais com os quais construímos uma vida real, imperfeita, mas excitante e satisfatória. Os fatos da psicologia moderna nada mais podem fazer senão reforçar essa sabedoria: comece onde está; use o que tem; faça com isso o que puder. Na verdade, viver dentro de limites é ser humano. O modo como respondemos a esses limites determinará a espécie de ser humano que seremos. BR

* O autor é psiquiatra infantil, professor e membro do Conselho Consultivo da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil/RJ.


Negócios e estratégias

A solução de cada um Os tempos mudaram e as oportunidades estão à nossa volta Cláudio Nasajon*

S

mentos com juros reduzidos, há fundos de investimento com capital de risco que colocam dinheiro no negócio em troca de participação na sociedade, além de agentes governamentais, como o Sebrae, que ensinam os primeiros passos na carreira empreendedora, e ações, como o Prime, que oferecem apoio para a criação da primeira empresa. Logo, se você foi demitido, passe a monitorar o ambiente à sua volta em busca de problemas, faltas, serviços malfeitos ou até exemplos de sucesso que não conseguem atender à demanda. Identifique uma área onde você se sinta confortável, elabore um projeto, e busque fontes de financiamento. Isso é mais fácil do que conseguir emprego em tempos difíceis. O importante é saber que os tempos mudaram e, a meu ver, para melhor. Agora, em vez de buscar empregos, as pessoas têm a oportunidade de criá-los. BR

PLANEJAMENTO PRÉVIO Existem cursos que ensinam a planejar um negócio e, com isso, você tem mais condições de decolar. O planejamento prévio é fundamental para o sucesso dos empreendimentos. Assim como há financia-

* O autor é empresário do setor de tecnologia da informação, professor de planejamento de negócios na PUC do Rio de Janeiro, e associado do RC do Rio de Janeiro, RJ (D.4570). Ele também é autor do blog www.claudionasajon.com.br.

Ninja

e camelôs e outros empreendedores por necessidade conseguem movimentar quase 40% do Produto Interno Bruto nacional, por que não haveria oportunidades para técnicos habilitados, profissionais experientes e executivos com perfil de liderança? Pare de buscar emprego e passe a procurar negócios! Nosso país é um dos mais empreendedores do mundo. A razão é: sem mecanismos adequados para garantir a subsistência dos desempregados, as legiões brasileiras de sem-emprego não têm outra alternativa a não ser partir para a iniciativa privada. Pipoqueiros, vendedores, artesãos e inúmeras outras ocupações “por conta própria” transformam o Brasil num dos países mais empreendedores do mundo, segundo o Global Entrepreneurship Monitor. Negócios estão sempre à nossa volta. Quando ouvimos alguém reclamar de algo que falta ou que foi malfeito, estamos diante de uma oportunidade. Afinal, isto significa que há espaço para suprir a demanda. Não é preciso inventar nada nem ter doutorado em ciências, basta perceber a oportunidade onde outros apenas se queixam.

Dica de gestão Conquiste prêmios e divulgue  Uma forma de divulgar a sua empresa é participar de prêmios e concursos na sua área e comunicar cada conquista. Para isso, o primeiro passo é a análise de prêmios com inscrições disponíveis. Procure na Internet, em associações, sindicatos e em revistas especializadas. Alguns meios são gratuitos e outros pagos. Mas em todos eles é preciso ficar atento para o regulamento. Uma vez conquistado o prêmio, divulgue-o!

Veja na web Saber negociar é uma arte. Seja camaleão na negociação. Principalmente se você negocia com as mesmas pessoas, é preciso sempre mudar de estilo para melhorar os resultados. Assista ao trecho do filme “A Casa Monstro” – http:\tinyurl.com\casa01filme – e veja um divertido exemplo de negociação. Nele, os interlocutores chegam a um consenso adaptando-se à realidade do outro.



BBRASIL RASIL RROTÁRIO OTÁRIO 2 1


Em cima do fato

O distrito 4490 pede ajuda Rotarianos se unem para enfrentar novo ciclo de enchentes, agora no Nordeste Luiz Renato Dantas Coutinho*

A

governadora do distrito 4490, Eulália das Neves Ferreira, não pôde visitar o recém-fundado Rotary Club de Itapecuru Mirim, no Maranhão. É que as fortes chuvas que caíram naquela cidade causaram a interdição da BR-222 no início da noite de 5 de maio. O nível do rio subiu e invadiu a rodovia; a única opção para atravessá-la era um trator. Dezenas de pessoas, incluindo mulheres, crianças, idosos – e até uma família que se dirigia a um velório – tiveram de passar a noite na beira da estrada. As ameaças de chuvas na região se mantinham até o fechamento desta edição. A partir de São Luís, onde mora, a governadora tomou conhecimento dos estragos e visitou os locais mais críticos da cidade, justamente os bairros pobres da periferia. E a situação abarcou todo o distrito, que compreende os estados do Maranhão, Piauí e Ceará (embora estes não sejam os únicos atingidos). A elevação dos rios – que em alguns casos foi de mais de seis metros –, o desabamento de barrancos e a destruição de casas e estradas acarretaram quadros de calamidade pública, principalmente no interior.

PREJUÍZO DE R$ 1 BILHÃO “Nunca presenciei algo assim. Além do caso de Itapecuru Mirim, Pedreira é outra cidade a que não pude ir; o acesso está interditado. Milhares de famílias estão desabrigadas no Maranhão, sem condições mínimas de sobrevivência e higiene. Essas pessoas perderam quase tudo: roupas, móveis, casas, a certeza de um amanhã. Nesse momento, temos de nos mobilizar. São 72 municípios em situação de emergência. O distrito está agregando esforços à Defesa Civil e arrecadando donativos e enviando a essas famílias”, ela explicou. Segundo informou o Ministério da Integração Nacional na primeira semana de maio, as chuvas que estavam caindo sobre a região Nordeste já haviam causado prejuízo de R$ 1 bilhão. No Maranhão, 196.173 pessoas foram atingidas, sendo mais de 39

2 2 JUNHO DE 2009

 AS CHUVAS desalojaram e desabrigaram cerca de 65 mil pessoas no Maranhão, principalmente as localizadas em margens de rios e em encostas. Abaixo, local que sofreu desmoronamento

mil desalojadas e 26 mil desabrigadas. Outros estados que sofreram os efeitos das chuvas iniciadas em março foram Rio Grande do Norte, Paraíba e Bahia. No total, 207 cidades em situação de emergência e, no mínimo, 35 mortos. “Só aqui na capital, são 250 famílias desabrigadas. Um casal morreu, levado pelas águas. Há várias casas em situação de risco, apresentando rachaduras, localizadas em encostas. A prefeitura pede a evacuação dessas áreas, mas muitos não atendem aos apelos”, testemunhou a companheira Eulália. Ela assinalou que muitos desabrigados de São Luís, antes espalhados por associações e creches, haviam sido deslocados para imóveis alugados pelo poder público municipal.


Fotos: cortesia do distrito 4490

PIAUÍ E CEARÁ Para a governadora, o Piauí enfrentou situação ainda pior. Foram 71.860 pessoas afetadas, mais de 10 mil famílias desalojadas e 4.311 desabrigadas. As cidades mais afetadas: Esperantina, Barras, Campo Maior e Teresina. Na capital do estado, as atenções estavam voltadas para o rio Parnaíba, que contorna a cidade. Enquanto isso, o rio Poti, que banha os estados do Ceará e do Piauí, transbordara. Na cidade de Esperantina, no norte piauiense, 60% da safra agrícola fora perdida e as principais avenidas foram cobertas pelas águas. Só se passava por elas de barco. No Ceará, quatro municípios haviam decretado estado de calamidade pública. O rio Acaraú, que corta o município de Sobral, chegou a subir mais de seis metros. No município de Granja, a 100 km de Sobral, o tráfego ficou bloqueado. O quadro era de estradas destruídas e várias áreas isoladas pelas inundações, cujos acessos estavam sendo possíveis apenas por helicóptero. O outro rio que banha o município, o Coreaú, avançara sobre casas, prédios públicos e praças. Parte do fórum veio abaixo. No estado todo, pelo menos 165 mil pessoas foram afetadas. No dia em que entrevistei a governadora Eulália, ela me confessou: “Nos três dias passados, não choveu. Voltou a chover hoje. São momentos de apreensão para mim”. Esse episódio de enchentes no Nordeste, seis meses depois dos estragos em Santa Catarina, traz apenas um aspecto bom: a oportunidade de, mais uma vez, companheiros de todo o país demonstrarem a força da solidariedade. Como ressalta Eulália Ferreira, rotarianos do Nordeste vêm se mobilizando e arrecadando alimentos, filtros de água e roupas para as vítimas.

Quantos Somos 

NO MUNDO

Rotarianos: 1.227.880; Clubes: 33.450; Distritos: 534; Países e regiões: 210; Rotaractianos: 169.855; Clubes: 7.385; Países: 164; Interactianos: 269.985; Clubes: 11.695; Países: 131; Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário: 6.436; Voluntários: 148.028; Países: 77; Número de rotarianas: 195.669.

 A GOVERNADORA Eulália das Neves Ferreira em visita a moradores em área de risco em São Luís A Campanha de Apoio aos Desabrigados das Chuvas, uma iniciativa do distrito 4490, disponibilizou uma conta para contribuições: Caixa Econômica Federal Associação do Distrito 4490 Agência 1739 Operação 013 Conta nº 11.051-8 * O autor é jornalista da Brasil Rotário.

BR

 NO BRASIL Rotarianos: 52.337; Clubes: 2.301; Distritos: 38; Rotaractianos: 14.030; Clubes: 610; Interactianos: 15.893; Clubes: 691; Núcleos Rotary de Desenvolvimento Comunitário: 256; Voluntários: 5.888; Número de rotarianas: 9.900.

Fonte: Escritório do Rotary International no Brasil (dados de abril de 2009)

B RASIL R OTÁRIO 2 3


Mortalidade infantil

Um futuro melhor

para nossas crianças RI trabalha para alcançar Objetivo do Projeto do Milênio das Nações Unidas e reduzir índices de mortalidade infantil Alberto Bittencourt*

E

ra abril de 1964. Recémformado pela Academia Militar das Agulhas Negras, ainda no posto de aspirante a oficial, comandante de pelotão, fui designado para dar segurança à Fábrica Nacional de Motores, situada no distrito de Xerém, município de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, no sopé da serra de Petrópolis, limite da Baixada Fluminense. Ali se fabricava o famoso caminhão FNM, mais conhecido como Fenemê. Naquele tempo, a quase totalidade do transporte rodoviário de carga era feita por esses veículos. Valentes, robustos, possantes, os Fenemês varavam o Brasil de ponta a ponta, dominavam absolutos as estradas de terra e lama, levavam o progresso aos quatro cantos do país. Ainda não existiam os Mercedes, Volvos, Scanias, Fords, Chevrolets e Volks. Tudo era feito pelos Fenemês, genuinamente brasileiros, produzidos, para nosso orgulho, pela estatal Fábrica Nacional de Motores. Originariamente, muito antes de a Embraer existir, a Fábrica Nacional de Motores fora construída para fabricar motores de avião,

2 4 JUNHO DE 2009

com o fim de garantir mercado de trabalho para os engenheiros aeronáuticos do ITA. Em seguida, foi transformada em fábrica de caminhões. Anos mais tarde, foi comprada pela Alfa Romeu que, por sua vez, a vendeu para a Fiat, tendo essa última a fechado posteriormente. Às duas da madrugada, numa noite fria, eu rondava de jipe os postos de sentinelas, acompanhado apenas do motorista. Ao contornar a fábrica pelo lado de fora, notei uma sombra fugidia a se esgueirar pelos cantos dos muros. A figura de pronto despertou-me suspeita. Aproximei-me com cautela. Uma mulher, envolta em panos dos pés à cabeça, transportava nos braços um volume sem forma definida. A

S

egundo o Unicef, 26 mil crianças abaixo de cinco anos de idade morrem diariamente no mundo, vítimas de causas perfeitamente evitáveis

cada passo, seu corpo estremecia. Ela chorava copiosamente. “O que houve?”, perguntei. “Do que precisa, o que quer, aonde vai?” “Estou indo para casa”, respondeu entre soluços. Fixei o olhar com atenção. Envolto nos trapos, havia um bebê de no máximo dois meses de idade. Uma chuva fria e fina ameaçava. Ofereci-lhe carona. “O que você está fazendo a esta hora, sozinha, chorando, por essas ruas escuras e desertas?” “O hospital não quis receber meu bebê!” “Por quê?” “Meu bebê morreu dormindo, sufocado.” Só então verifiquei que o corpo franzino, pequenino, jazia inerte nos braços da mãe. Certamente essa fora a razão pela qual o hospital não a quis receber. A criança já estava sem vida. Chegamos até a casa dela. No pequeno barraco de apenas um vão moravam a mulher e outros três filhos. O mais velho tinha cerca de cinco anos. Chão de terra batida, paredes e teto de restos de tábuas, pedaços de telhas misturados com taipa, plástico e papelão. Para se chegar ao pequeno fogão sobre uma mesa tosca, era preciso passar por cima


Rotary International

P

ara alcançar o quarto

Objetivo do Projeto do Milênio das Nações Unidas e reduzir os índices de mortalidade infantil, o RI mobiliza recursos humanos e materiais em programas para erradicar a paralisia infantil e acabar com doenças infecciosas da infância

da cama. O bebê morrera asfixiado, porque todos dormiam embolados num pequeno estrado, arremedo de cama. Tal fato se deu em 1964. O Brasil tinha uma população de apenas 80 milhões de habitantes. Os jornais da época já noticiavam constantemente que crianças eram vítimas de deslizamentos de barreiras, pois moravam em lugares perigosos; bebês eram roídos por ratos, porque viviam em ambientes infectos; crianças morriam de disenteria por falta de água potável; esgotos serpenteavam a céu aberto, nas chamadas valas negras; padrastos estupravam enteadas, habitantes de um só vão; adolescentes eram abusadas por irmãos mais velhos, porque dormiam todos na mesma cama...

Quarenta e cinco anos são passados. Nossa população pulou de 80 milhões para quase 200 milhões, e o que mais aumentou foi justamente a camada mais pobre, excluída, despojada, desprovida de tudo. Um terço do povo brasileiro vive abaixo da linha da pobreza, em plena miséria. São mais de 60 milhões de habitantes à margem da vida. Segundo o Unicef, 26 mil crianças abaixo de cinco anos de idade morrem diariamente no mundo, vítimas de causas perfeitamente evitáveis, como desnutrição, doenças endêmicas, falta de higiene, de água potável, de saneamento. Nas guerras e calamidades, elas são sempre as primeiras e maiores vítimas. Para alcançar o quarto Objetivo do Projeto do Milênio das Nações Unidas e reduzir os índices de mortalidade infantil, o Rotary International, por

meio de seus mais de 33 mil Rotary Clubs, espalhados por 208 países e regiões geográficas, mobiliza recursos humanos e materiais em programas para erradicar da face da Terra a paralisia infantil; acabar com doenças infecciosas da infância, como difteria, tuberculose, coqueluche e caxumba; eliminar a fome, a miséria, a violência, a exploração, e socorrer as crianças onde quer que haja ameaças, guerras ou cataclismos. Se você quer ajudar, não fique só. Junte-se a nós, venha, participe, faça a sua parte. Nós precisamos de você. As crianças do mundo agradecem. BR

*O autor é EGD do distrito 4500 e ex-presidente do RC do Recife-Boa Viagem, PE. B RASIL R OTÁRIO 2 5


Combate à pólio A. Santos

O Desafio de

200 Milhões de Dólares Por que também devemos nos comprometer com ele e até tentar superá-lo Júlio Jorge D’Albuquerque Lóssio *

A

poliomielite ainda preocupa a humanidade mesmo só existindo quatro países endêmicos – Índia, Afeganistão, Paquistão e Nigéria. Nesses países, apesar dos avanços científicos, o que se observou é que a diminuição da incidência de um tipo de vírus da paralisia infantil acompanhou o recrudescimento de outro tipo – falamos dos tipos 1 e 3. Por outro lado, a migração humana provoca a reinfecção nos países vizinhos. Esta se dá, muitas vezes, por conta de uma baixa cobertura vacinal na região,

2 6 JUNHO DE 2009

alimentada pelo déficit financeiro anual, que prejudica a estrutura de imunização. O Rotary lançou o programa Polio Plus em 1985 objetivando vacinar os 100 milhões de crianças então existentes no mundo. Para tal, lançou um desafio aos rotarianos: eles precisavam doar US$ 120 milhões, valor necessário para a compra das vacinas. Em 1988, foi ultrapassada a meta de arrecadação. Alcançou-se US$ 247 milhões. Parece que esse fato animou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a aprovar, na assembleia anual, o programa Iniciativa Global para a Erradicação da Pólio (GPEI, em inglês), que


tinha como parceiros o Unicef, o Centro de Controle de Doenças dos EUA (CDC) e o Rotary. A meta era varrer a doença do planeta até 2005. Dados da OMS mostram que naquele ano 350 mil crianças eram vitimadas pela poliomielite, endêmica em 125 países. Daquelas crianças, 30% morriam ou ficavam paralíticas. No ano de 2001, foram notificados 480 casos em dez países endêmicos. Com euforia divulgou-se a redução em 99% da incidência de poliomielite. O PARADIGMA E OS NÚMEROS Em relação às doações, entre 1985 e 2001 foram arrecadados US$ 1,87 bilhão, tendo sido o Rotary o maior doador, com cerca de US$ 550 milhões. Em 2001, dois bilhões de crianças foram vacinadas, criando-se um paradigma, mantido erroneamente até os dias atuais. Já se atingiu cerca de sete bilhões. A comprovação disso é que, a partir de 2002, 500 milhões de crianças, em média, são vacinadas anualmente. Dados recentes revelam que entre 2005 e 2008 foram imunizadas cerca de 4,5 bilhões de crianças em 30 países com as vacinas monovalentes tipos 1 e 3. Os dados de 2001 foram tão animadores que a coordenação do GPEI lançou o Plano Estratégico 20012005, que objetivava, entre outros itens, a erradicação total da pólio até 2005. Mas, como essa sonhada erradicação não foi obtida, planos estratégicos estão sendo lançados quadrienalmente. A poliomielite já ganhou uma sobrevida de oito anos (2005-2013), prolongando essa guerra. Do ponto de vista epidemiológico, em 2008 havia quatro países endêmicos, e o número dos casos de pólio atingiu a ordem de 1.643, superior aos 1.315 de 2007. A MEDIAÇÃO DO ROTARY Tem sido de importância fundamental a mediação feita pelo Rotary na sociedade, entre grupos religiosos e entre governos beligerantes. Essa mediação permitiu que a cobertura vacinal aumentasse, atingindo níveis quase ideais. Na realidade, para vencer a pólio é imperativa a superação de alguns problemas. A cobertura vacinal é o aspecto mais importante. Para a OMS, a cobertura ideal deve atingir 95% da população alvo. Lamentavelmente, em 2006 somente 79% da população mundial, em média, foi vacinada. Outro fato a se destacar é que os dois tipos de vírus (1 e 3) proliferam com muita rapidez. Como o homem é o transmissor (por meio das fezes), sua migração faz com que o vírus se propague rapidamente, infectando

Do ponto de vista epidemiológico, em 2008 havia quatro países endêmicos, e o número dos casos de pólio atingiu a ordem de 1.643, superior aos 1.315 de 2007

áreas geográficas vizinhas e, principalmente, países onde o vírus já havia sido extinto. Um exemplo foi a diminuição significativa do vírus tipo 1 na Nigéria e na Índia em 2007, enquanto em 2008 houve um aumento alarmante do vírus tipo 1 na mesma Nigéria, infectando dez outros países africanos. Naquele país, a vacinação cobriu somente 50% das crianças até cinco anos, o que pode explicar a propagação viral. Em 2008, 14 países sofreram reinfecção; em 2007 foram seis. A Índia, mesmo controlando a prevalência do vírus tipo 1 em 2008, reinfectou dois países: Nepal e Mianmar. Em relação ao vírus tipo 3, em 2007, na Índia, aconteceu algo preocupante: sua prevalência aumentou em 30 vezes. Em 2008, mesmo havendo uma diminuição desse agente, a prevalência continuou alta. Tais exemplos mostram uma questão estratégica séria. Se for usada somente uma das vacinas monovalentes – para o tipo 1 ou 3 –, haverá uma proliferação incontrolável do outro tipo viral. Por isso, estão sendo desenvolvidas vacinas bivalentes. Outro obstáculo enfrentado é a falta de recursos financeiros. A estratégia para erradicação da pólio sofre anualmente sérias soluções de continuidade, as quais vão desde a falta de vacinas, passando pela fraca divulgação do Dia Nacional de Vacinação, até a precariedade de uma vigilância sanitária. Sob essa ótica, a OMS estima que em 2009 o déficit deverá ser de US$ 265 milhões e o de 2010, US$ 690 milhões. A falta de recursos tem retardado a erradicação nos países endêmicos e, o que é pior, tem reinfectado cada vez mais países onde o vírus estava extinto. COMO SOLUCIONAR O PROBLEMA? A solução passa por várias ações. Uma delas é o diagnóstico laboratorial imediato, pois o isolamento B RASIL R OTÁRIO 2 7


Combate à pólio do paciente dificulta a propagação do vírus. Uma divulgação massiva do dia de vacinação e da necessidade de combate à pólio aumentaria gradativamente a cobertura vacinal até atingir os 95% recomendados pela OMS. Outro ponto a se considerar é que a vacina oral monovalente deve ser rapidamente substituída pela bivalente, ou associada à trivalente. A mudança de estratégia talvez evite o que ocorreu na Nigéria e na Índia. Os clubes rotários devem acompanhar, na sua área de abrangência, as ações de vigilância sanitária e participar ativamente do Dia Nacional de Vacinação. Quanto aos líderes rotários, eles devem ser treinados para dialogar com a sociedade e as lideranças políticas. Como foi mostrado aqui, o déficit financeiro é um sério fator que posterga a erradicação. É preciso angariar fundos. QUESTIONAMENTO NOS CLUBES Uma das barreiras dentro dos clubes é o questionamento. Por que continuarmos a doar para o programa Polio Plus se a paralisia infantil está extinta no Brasil desde 1994? A pergunta talvez tenha sido amplamente ventilada quando foram apresentados dados históricos, infectológicos, epidemiológicos, estratégicos e de financiamento do Polio Plus. Atualmente, todos os rotarianos têm de direcionar suas potencialidades para cumprir o Desafio de 200 Milhões de Dólares do Rotary. Tudo começou em novembro de 2007, quando a Fundação Bill e Melinda Gates doou US$ 100 milhões para o programa Polio Plus, definindo que até 2010 os rotarianos aportariam o mesmo valor. Gerou-se então o Desafio de 100 Milhões. Entusiasmada em ser novamente parceira do Rotary, aquela fundação doou mais US$ 255 milhões durante a Assembleia Internacional de San Diego, nos EUA, em 21 de janeiro de 2009. Em contrapartida, o Rotary foi convocado a doar US$ 200 milhões até 30 de junho de 2012. Nascia aí outro desafio: o dos 200 Milhões de Dólares. NOVA SUPERAÇÃO Articulados, os rotarianos entraram em ação na Convenção de Los Angeles, em 2008. Arregaçaram as mangas, atendendo aos apelos motivadores feitos por muitos líderes rotários. Por isso, entre julho e novembro de 2008, as doações chegaram a US$ 33,1 milhões e, em janeiro de 2009, aproximaram-se dos US$ 60 milhões. Tais números mostram que, se continuarem

2 8 JUNHO DE 2009

É preciso superar rapidamente o Desafio de 200 Milhões de Dólares do Rotary. Para erradicar a pólio até 2012 será necessário US$ 1,8 bilhão, ou seja, o mesmo que foi gasto entre 1988 e 2001 a motivação e o envolvimento atual, os US$ 100 milhões serão alcançados antes de 2010 e os US$ 200 milhões antes de 2012. Os rotarianos têm sido guerreiros imbatíveis quando desafiados. Foi assim diante do desafio de 1985, quando, em lugar de US$ 120 milhões, eles conseguiram arrecadar US$ 247 milhões até 1988. O mesmo aconteceu no período 2002-03, quando a tarefa era arrecadar US$ 80 milhões e no fim do ano rotário, contabilizaram-se US$ 119 milhões. Em 2005 os valores somavam mais de US$ 140 milhões. É preciso superar rapidamente, e com valores maiores, o Desafio dos 200 Milhões de Dólares. Segundo a OMS, para erradicar a pólio do planeta até 2012 será necessário US$ 1,8 bilhão, ou seja, o mesmo que foi gasto entre 1988 e 2001. Um lembrete aos rotarianos: a cada US$ 1.000 doados ao programa Polio Plus, a Fundação Rotária faz um reconhecimento com um título Companheiro Paul Harris. A erradicação total da pólio não se realizará, isoladamente, por ações ou financiamento de países e instituições. Para banir a doença é preciso conscientizar os cidadãos em todo o mundo sobre a necessidade da vacinação. A sociedade precisa perceber a necessidade de participação em todos os aspectos relacionados ao combate à pólio. Instituições como o Rotary devem cooperar com os governos em divulgação, vigilância sanitária, vacinação e captação de recursos. Nessa guerra não se pode perder mais nenhuma batalha, pois só assim o mundo se livrará em breve do vírus. BR

* O autor é professor da Universidade Federal do Ceará, ex-professor da Universidade de São Paulo e EGD do distrito 4490.


Capa A. Santos

Ideias que surgem de um ideal Luiz Renato Dantas Coutinho e Nuno Virgílio Neto*

Ninguém saberá dizer ao certo o que moveu os homens até aqui. Os interesses políticos? Os interesses econômicos? A necessidade de impressionar as pessoas que amamos? Pode-se, no entanto, chegar a um consenso: entre os caminhos mais felizes traçados pela humanidade, a noção de companheirismo, em seu sentido universal, esteve sempre presente. Tanto assim que grandes autores, de Homero a Sêneca, de Cervantes a Thomas Mann e Guimarães Rosa, escreveram sobre esse valor. Em 1905, o Rotary surgiu do mesmo sentimento, do mesmo conceito. Em pouco mais de 20 anos de sua fundação, contudo, a instituição se expandiu tanto que acabou dando ensejo ao surgimento de grupos dedicados ao companheirismo, justamente a partir daquele companheirismo essencial. Hoje em dia, com o Rotary já centenário, o mês de junho é dedicado a esses grupos e à sua história. Nada mais justo do que o assunto ser também a matéria de capa desta edição. B RASIL R OTÁRIO 2 9


Capa

Como tudo começou Necessidade de comunicação foi o ponto de partida

H

oje eles são 64 e os objetos de interesse que justificam sua formação vão dos mais comuns aos mais curiosos. Estamos falando de brinquedos, de vinhos, livros raros, mergulho, pesca, civilização pré-colombiana, enxadrismo, iatismo, trailer e camping, advocacia, egiptologia, carros antigos, radioamadorismo e muitos outros. Tudo começou em 1928, com o primeiro grupo, dedicado ao esperanto. O Rotary estava se tornando uma organização verdadeiramente internacional e os problemas de idioma mostravam-se relevantes. Naquele momento, a principal expansão do Rotary ocorria fora das fronteiras norte-americanas e britânicas, e envolvia muitos homens de negócios com um parco conhecimento da língua inglesa. Foi pensado nessas pessoas que se verificou a necessidade de algum tipo de idioma universal que fosse simples como auxílio. Chegou mesmo a ser dito que se os clubes se mobilizassem em favor do ensino de uma língua comum nas escolas, o mundo poderia ter uma geração crescida com um discurso comum. A língua universal recomendada foi o esperanto, criada em 1887 pelo médico e filólogo Ludwig Zamenhof (1859-1917). Vários rotarianos se aliaram para fundar, na Inglaterra, o Grupo de Companheirismo de Esperanto. Seu primeiro presidente foi J. J. Boutwood, do RC de Hastings. A The Rotary Wheel – na época, a revista dirigida para os clubes da Grã-Bretanha – não só publicou artigos sobre o idioma criado por Zamenhof, como também editou artigos em esperanto ao lado das respectivas traduções em inglês. A promoção daquela língua não durou muito, embora o grupo exista até hoje. UM NOVO IMPULSO Em 1947, o rotariano John G. Barrett, em Brixton, na GrãBretanha, teve a ideia de içar uma bandeira do Rotary em seu barco. Gradualmente, a moda se propagou entre seus colegas de clube e de clubes vizinhos. Depois de algum tempo, o fato conduziu à formação de um Grupo de Companheirismo de Iatismo. Por causa da abreviatura em inglês (na época, YFOR), seus membros passaram a se intitular yforians, um trocadilho com rotarians. A ideia chegou aos EUA, e em 1954 a The Rotarian

3 0 JUNHO DE 2009

publicou um artigo sobre o novo grupo. Um pouco depois dos colegas ficarem internacionalmente conhecidos (e a abreviatura ser modificada para IYFR), golfistas e aviadores associados também se organizaram, assim como uma parcela dos apaixonados por radioamadorismo. Na sequência, vieram os fotógrafos rotarianos, os rotarianos apaixonados por gravações de aúdio e até os solteiros rotarianos. Alguns grupos acabaram desaparecendo, enquanto muitos outros foram criados com o passar do tempo. VISIBILIDADE OFICIAL Mas só em 1968 o Rotary International deu atenção a esse universo, e um comitê de atividades recreativas foi formado. Em 1971, o fundador do Grupo de Companheirismo de Aviadores, E. Edison Kennel, de Seattle, nos EUA, declarou que muitos dos seus colegas utilizavam seus aviões em viagens de negócio e não só para lazer. Isto acarretou o banimento do termo “recreativo” pelo RI e a adoção da seguinte chancela: Atividades Mundiais de Companheirismo (WFA, em inglês). Já naquele tempo, os grupos faziam suas reuniões anuais durante as convenções do Rotary. Na Convenção Internacional de Atlanta, nos EUA, em 1970, 35 rotarianos compareceram ao espaço dedicado aos grupos de companheirismo. Na Convenção de 1976, eram mais de 500 companheiros ali reunidos. O ano de 1989 foi um marco. O então presidente do RI, Hugh Archer, com o seu lema Desfrute Rotary, era um entusiasta do movimento. A título de exemplo, naquela época, o Grupo de Iatismo tinha quase 2.000 membros em 31 países. O radioamadorismo, mais de 660 membros em 43 países.


Aventura em alta Com pouca tradição no Brasil, os Grupos de Companheirismo parecem estar começando a se popularizar por aqui. Pelo menos é o que demonstra a empolgação dos rotarianos que fazem parte de três grupos em atividade no país.

Uma combinação que dá certo 

Adilson Bonatto já era motociclista antes de ser rotariano. Mas as duas coisas se completam, ele acredita: “Um motociclista e um rotariano têm muito em comum. Para começar, ambos são capazes de fazer amizades rapidamente.” Assim que ingressou no Rotary Club de Araras, no interior de São Paulo, Adilson ganhou de seu padrinho um Plano de Ação do clube. Foi no livrinho que ele tomou conhecimento dos Grupos de Companheirismo, e não por acaso seus olhos pararam justamente no International Fellowship of Motorcycling Rotarians, ou simplesmente IFMR, sigla pela qual é conhecido o Grupo de Companheirismo dos Rotarianos Motociclistas. Criado em 1991 na Austrália e nos EUA, atualmente o IFMR está espalhado por todo o mundo, reunindo perto de 1.600 participantes, ou rotacyclists, como são apelidados seus membros. Os primeiros rotacyclists brasileiros (e também da América do Sul) apareceram três anos depois, coordenados pelo então rotariano Paulo Brisolla Tavares Filho, da cidade de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina. Hoje, 175 rotarianos brasileiros fazem parte do grupo, que vem crescendo bastante nos últimos meses. Desde 2007, Adilson Bonatto coordena o grupo de rotacyclists da América Latina. Até o ano que vem,

quando irá passar o cargo para outro rotariano, a intenção dele é aproveitar o potencial do grupo para ajudar no desenvolvimento do quadro associativo na região. “Os Grupos de Companheirismo podem colaborar muito com isso, pois seus  REUNIÃO DO grupo na cidade de Piraju, em São Paulo integrantes desenvolvem relacionamentos duraDiferente do que alguns podedouros e se mantêm ativos no Rota- riam imaginar, os Grupos de Comry. A dedicação a um assunto de in- panheirismo não desviam o foco teresse comum, como é o caso do de seus integrantes do serviço romotociclismo, no nosso grupo, in- tário e da responsabilidade social centiva o comprometimento com do rotariano. Muito ao contrário: a organização, e essa afinidade aca- eles aproveitam sua união para deba promovendo o companheiris- senvolver projetos de serviço mo”, diz. voltados à comunidade local e Ele dá como exemplo o mais mundial como aconteceria em novo associado do Rotary Club de qualquer clube. Com o lema SerAraras (e afilhado de Adilson), Fa- vir se Divertindo, os rotacyclists brizio Galvani Bella. Depois de par- brasileiros não se limitam a orgaticipar de vários passeios promo- nizar passeios e encontros pelo vidos pelos rotarianos motociclis- país. Atualmente, eles vêm setas de Araras, Bella, como é conhe- guindo as recomendações do Rocido, foi se interessando pelo Rota- tary International e mobilizandory e passou a frequentar as reuni- se para arrecadar fundos voltados ões, até ser convidado e entrar para ao Desafio de US$ 200 Milhões do o clube, em março deste ano. Rotary. B RASIL R OTÁRIO 3 1


Capa “Apesar do grupo reunir quase 200 pessoas no Brasil, estamos distantes uns dos outros a maior parte do tempo, o que dificulta a realização de projetos específicos”, explica Adilson Bonatto. “Então geralmente realizamos projetos regionais, como arrecadação de livros e roupas.” O alto índice de acidentes nas ruas e estradas brasileiras também chama a atenção do grupo: “Estamos desenvolvendo um projeto de orientação no trânsito, com foco nas motocicletas, que deverá ser distribuído em todos os Rotary Clubs do país.” A lição eles aprenderam com o Rotary: o poder da união é capaz de superar qualquer distância ou desafio. “Os motociclistas já são na-

 NA

ESTRADA: os rotacyclists organizam passeios por todo o país

turalmente muito unidos, e mesmo não se conhecendo trocam muitas informações quando se encontram”, Adilson explica. “Imagina então o que acontece quando são também rotarianos!”

Para saber mais sobre os rotarianos motociclistas aqui no Brasil, passeie pelo site www.ifmr-sa.org

Amigos até debaixo d’água  O International Fellowship of Rotarian Scuba Divers (Grupo de Companheirismo de Mergulhadores Rotarianos), cuja sigla é IFRSD, foi fundado em 1991 por Gordon Stevenson, associado do RC de Birkenhead, da Nova Zelândia. Desde sua fundação, seus membros fizeram expedições por todo o globo, de ilhas no oceano Pacífico a regiões do Golfo do México. Associado do Rotary Club de São Paulo-Imigrantes e mergulhador autônomo há alguns anos, Wilson de Oliveira Júnior é o presidente da seção latino-americana do IFRSD, do qual fazem parte 15 rotarianos. “Esperamos que com essa matéria o número aumente”, ele deseja. “Acredito que existam muitos rotarianos mergulhadores.” Wilson explica que o grupo ainda não tem viajado porque está em fase de oficialização. Mas há planos para que elas aconteçam em breve no litoral paulista, onde há duas ótimas opções: o Parque Estadual Ma-

3 2 JUNHO DE 2009

rinho Laje de Santos e a Ilha da Queimada Grande. Por enquanto, a comunicação entre os membros é feita por fóruns de discussão na internet. Na opinião de Wilson de Oliveira Júnior, os Grupos de Companheirismo oferecem uma nova perspectiva de convívio para os rotarianos. “É fato que os Rotary Clubs proporcionam uma rede de contatos fabulosa. Temos a oportunidade de conhecer excelentes pessoas, que acabam se tornando amigas. Dentro de um clube, porém, nem sempre é possível estender a amizade a outros planos em função das responsabilidades profissionais e rotárias”, ele diz. “Os Grupos de Companheirismo proporcionam um ambiente onde companheiros com interesses afins podem se juntar em momentos de descontração.” O site da seção latino-americana do Grupo de Companheirismo de Mergulhadores Rotarianos é www.ifrsd.com.br

O

PARQUE Estadual Marinho Laje e a Ilha da Queimada Grande, no litoral de São Paulo, fazem parte dos planos de viagem do grupo


Em mar de almirante 

O caçula dos Grupos de Companheirismo brasileiros é, por coincidência, ligado a um dos mais antigos Grupos de Companheirismo do mundo. Fundada no último dia 7 de maio, a Flotilha-IYFR BrasilSão Paulo, aberta aos rotarianos brasileiros apaixonados pelo iatismo, é filiada ao International Yachting Fellowship of Rotarians, criado na Inglaterra em 1947, e que hoje é o maior Grupo de Companheirismo do Rotary, reunindo mais de 2.400 membros, distribuídos em 80 frotas e 20 países. A representação brasileira embarca com 42 membros, mas o coordenador do grupo, Kevin Hector Smith, associado do Rotary Club de São Paulo-Itaim, acredita que esse número chegará a 100 até o final deste ano. O que seria suficiente para fazer da nossa flotilha a maior do mundo (em tempo: flotilha é o nome que se dá uma pequena frota). O grupo está aberto a rotarianos, seus cônjuges e também aos rotaractianos. É necessário que os participantes tenham interesse em náutica, como se deveria esperar, mas não é preciso ter embarcação. “No Rotary, estamos todos no mesmo barco!”, Kevin brinca. O programa da Flotilha-IYFR Brasil-São Paulo ainda está sendo preparado. Reuniões mensais, em terra ou nas águas, estão previstas, além de encontros no exterior – os deste ano vão acontecer na Escócia e na Itália. Kevin Smith diz que as maiores metas do grupo são mesmo o lazer e o companheirismo, o que não vai impedir a realização de projetos de serviço relacionados ao Rotary. “Os rotarianos trabalham muito, por isso nosso grupo pretende ter a diversão

como nosso principal objetivo”, diz. “Mas com certeza vamos ter oportunidades para nos envolver também com projetos do Rotary.” E aí, marujo? Ficou com vontade de embarcar?



NO MUNDO inteiro, o grupo possui mais de 2.400 membros

Conheça melhor a Flotilha-IYFR Brasil-São Paulo participando de seu grupo de discussões na internet (inscrições pelo endereço eletrônico iyfrbrasil@googlegroups.com) ou enviando um fax para (11) 3259-7513

BR

*Os autores são jornalistas da Brasil Rotário

Grupos de Rotarianos em Ação: uma nova categoria entra em cena Em junho de 2005, no centenário do Rotary, o Conselho Diretor do Rotary International estabeleceu um Plano Estratégico para inspirar o novo século rotário que surgia. A intenção era desenhar um futuro ainda mais promissor para a organização. Com isso, foram definidas duas categorias para os grupos rotários. Os que possuíam enfoque recreativo e vocacional continuaram a ser chamados de Grupos de Companheirismo. Outros que apareceram com o objetivo de conduzir projetos mais específicos na área de saúde e de cidadania receberam a denominação de Grupos de Rotarianos em Ação. E ambos foram reunidos em uma Rede Global de Grupos de Rotarianos. Atuando em 18 áreas, os Grupos de Rotarianos em Ação dedicam-se a temas bastante complexos, como o combate à Aids e à malária, projetos de regeneração auditiva, conscientização sobre a esclerose múltipla, e população e desenvolvimento. Eles possuem independência, mas devem estar em harmonia com a política do Rotary International, inclusive no uso das logomarcas, não podendo ser veículos de promoção religiosa ou política. 

B RASIL R OTÁRIO 3 3


ABTRF – Associação Brasileira da The Rotary Foundation Themístocles A. C. Pinho*

A ABTRF e sua natural maturação A Associação Brasileira da The Rotary Foundation, a nossa Fundação Rotária Brasileira, que começou a operar em 2004, na verdade é uma adolescente neste campo tão difícil e disputado de atuação. Faço esta afirmação, como minhas primeiras palavras, para lembrar aos amigos e rotarianos mais afoitos que a nossa tão querida e decantada Fundação Rotária, idealizada por Arch Klumph, levou vários anos para se tornar adulta e se solidificar, tornandose uma das mais importantes fundações do mundo, no gênero. Assim, não concordo com aqueles que acham que a Associação está estagnada, que as doações que vem recebendo sejam de pouca valia, tampouco que os rotarianos ainda não a abraçaram de forma reconhecida e carinhosa, como há muito fazemos com a Fundação Rotária. Tudo tem seu tempo, e já se disse “que há tempo de semear – e há tempo de colher”. Estou certo de que o nosso momento em relação à ABTRF ainda é o da semeadura, porém, já obtendo a dádiva dos primeiros frutos. Entretanto, acima de tudo, é o momento da sua consolidação como uma organização que veio para ficar e somar seus esforços e objetivos em prol da paz e da compreensão mundial, eis que seus fins, a forma como foi concebida e os objetivos que se dispõe a atingir são os melhores. O tempo dirá quão oportuna e benfazeja foi sua criação. Dirão alguns que meu otimis-

3 4 JUNHO DE 2009

mo é exagerado, mas, amigos, afirmo conscientemente que não. Ele é o resultado da observação diária que faço. Especialmente nestes dois últimos anos, como um dos diretores da ABTRF, onde a cada dia, pelo trabalho incansável de alguns companheiros, sob o ti-

Estou certo de que o nosso momento em relação à ABTRF ainda é o da semeadura, porém, já obtendo a dádiva dos primeiros frutos mão corajoso do seu idealizador, um dos fundadores e atual presidente, o EDRI José Alfredo Pretoni, vejo os horizontes da Associação se abrirem. É verdade que, em alguns momentos, de forma tímida, mas sempre positivamente. O que importa é a consciência que todos passam a ter da relevância e do significado da ABTRF para o rotarismo brasileiro. Neste momento sensível para as estruturas econômico-financeiras

sxc.hu

mundiais, certamente a ABTRF, como jovem debutante neste contexto, há de sentir seus efeitos. Porém, estou confiante de que, pela forma como foi conceituada e estruturada, em breve, muito breve, dará ao mundo rotário mais um dos tantos exemplos de que o Brasil tem sido mestre e protagonista neste vasto mundo do Rotary. Mas não posso perder esta oportunidade, deixando-me encantar com estes ideais e esquecendo que o futuro da ABTRF começa agora. Temos de ter os pés no chão e as mãos prontas para o trabalho diuturno da sua divulgação e obtenção de entidades que nela creiam e passem a aportar seus recursos por meio de doações. Estamos prontos e estruturados: temos uma legislação que nos dá suporte, possuímos cerca de 53 mil propagadores e a importância da Associação. Nada nos falta. Em verdade o que queremos não são apenas doações, mas a formação de verdadeiras parcerias sociais, mediante as quais o quanto for


doado reverterá em muito no atendimento àqueles que precisam de tudo e de todos. Em vários momentos, muitos foram os que tiveram a oportunidade de prestar seu depoimento, sua sugestão, enfim, seu apoio por meio da nossa revista regional. A todos pude ler e sentir de cada um o entusiasmo, sob as mais variadas formas, em relação a nossa ABTRF. Não seria agora, especialmente em momento de tanta perplexidade e incerteza, a hora de darmos o exemplo, deixando a teoria e nos lançando à prática sadia e necessária? Tornando o próximo ano rotário a hora certa para, junto aos mais variados segmentos da economia de nosso país, mostrar que com pouco, muito pouco, poderemos atingir resultados incalculáveis? Quem sabe suplementando ou até mesmo, em certos casos, suprindo as necessidades do apoio social devido pelas empresas, em paralelo ao seu trabalho da busca do bom produto, fatos irremediavelmente unidos neste novo mundo. A simples tecnologia não mais é o bastante para atender os anseios e exigências do consumidor, cada vez mais atento e voltado para o social. Amigos todos, estas são algumas reflexões que me achei no dever de oferecer-lhes nesta oportunidade, esperando que em breve a nossa Associação Brasileira da The Rotary Foundation possa se tornar paradigma no fornecimento do atendimento e na prestação de serviço social voluntário. BR

* O autor é diretor do RI e da ABTRF e associado do RC de Niterói-Norte, RJ (D.4750). B RASIL R OTÁRIO 3 5


Mundo dos negócios

Cortesia profissional Observar a etiqueta no ambiente de trabalho é mais do que mera formalidade Mindy Charski*

V

ocê já adiou por vários dias as respostas aos seus e-mails profissionais? Vestiu-se demasiadamente à vontade para reuniões importantes? Chegou-se mais aos seus colegas de empresa quando de oportunidades profissionais? Você não é o único – mas isso não significa que tais transgressões tenham passado despercebidas. “No mundo competitivo dos negócios, esteja você à procura de uma promoção, negociando um assunto importante, interagindo com seus companheiros, ou batendo à porta de clientes em potencial, será julgado por sua conduta”, afirma Pamela Barc, associada do Rotary Club de Lake Orion, Michigan, EUA. A empresa de Barc, Etiquettes Edge [Os Limites da Etiqueta, em tradução livre], fornece treinamento nesse tipo de assunto. Para Sara Torrence, do Rotary Club de Potomac, Maryland, o mau comportamento no local de trabalho acarreta consequências diretas. Consultora de programadores de eventos e fornecedores, Torrence espera que o ambiente responda de imediato às suas indagações; se elas não chegam, ela logo se põe em alerta. “Se eles agem como se não estivessem interessados no meu negócio, eu logo me pergunto se eles terão capacidade para agir sozinhos”, diz Torrence. “Faz-se negócios com pessoas responsáveis, que cuidam das suas necessidades.” Má conduta no trabalho consiste, muitas vezes, antes em atos de omissão do que comprometimento. VESTINDO-SE ADEQUADAMENTE Ann Marie Sabath, fundadora da firma de treinamento corporativo em etiqueta At Ease Inc., associada do Rotary Club de Cincinnati, EUA, afirma que os empregados chegam muitas vezes despreparados às reuniões simplesmente por deixar de indagar: “O que eu posso fazer para me preparar para a reunião?”, ou “Que papel se espera de mim durante a reunião?” Ela acredita, ainda, que muitas pessoas sofrem de “fobia AIO DE DE2009 2009 3 6 JMUNHO

de se misturar” durante recepções a clientes e em outros encontros não organizados. “A nossa recomendação é que as pessoas cheguem sozinhas ao local e tenham o objetivo de se aproximar de pessoas desconhecidas”, conta Sabath. Existe uma percepção pública de que as boas maneiras estão em declínio. Isso é claramente visível no local de trabalho: “Há pessoas que se ofendem mutuamente, não se importam como estão vestidas, não ligam para as pessoas com quem cruzam no trabalho, e fazem uma série de comentários inapropriados”, revela a consultora de etiqueta Cynthia Lett, diretora e executiva-chefe do Grupo Lett. Vestir-se adequadamente é parte importante da etiqueta no trabalho, garante Lett. Ela relembra que uma vez, enquanto aguardava uma entrevista com o diretor de vendas de um hotel


de alto nível, reparou em outra mulher de negócios que chegava. “Ela se vestia com um jeans, uma blusa e sandálias bastante esportivas”, conta Lett. “Quando seu contato de vendas – trajando terno e gravata – veio saudá-la, ela disse: ‘Perdão pelo meu traje espor-

tanciar-se do competidor de forma positiva”, afirma ela. “Isso ocorrerá por meio do uso da etiqueta apropriada ao mundo dos negócios, mas a maioria das pessoas não a usa.” Janet Mc Peek, presidente da Crossroads for Youth, em Oxford, Michigan, notou uma diferença na sua organização desde que ela fez da etiqueta um “foco intencional” há cerca de cinco ou seis anos. O tópico foi incluído no treinamento de novos empregados e discutido em base contínua na organização sem fins lucrativos, que ajuda jovens em situação de risco. O resultado, Mc Peek conta, foi que a equipe se tornou mais à vontaExiste uma de e confiante nas relações mútuas e com o público externo. percepção pública “Está em curso o entendimento de que a etiqueta está longe de ser asfixiante”, afirde que as boas ma Mc Peek, que, a exemplo de Barc, tammaneiras estão em bém é associada do clube de Lake Orion. aplicação da boa etiqueta nos negócios declínio. Isso é “A é legítima, autêntica. Se você souber como claramente visível se comportar, adquirirá confiança numa série de situações, o que pode traduzir-se no local de trabalho em bons resultados.”

tivo, mas no nosso escritório é o dia de se vestir esportivamente’. Eu simplesmente não acreditei que ela adotasse aquele procedimento em detrimento de uma reunião de negócios.” EQUIPE MAIS CONFIANTE Lett, casada com Gerald, companheiro do Rotary Club de North Bethesda, Maryland, EUA, credita algumas das nossas más condutas às tecnologias recentes, que nos separam uns dos outros. “Não temos de telefonar para falar com alguém”, observa ela. “Basta enviar um e-mail.” Embora não espere que a situação das boas maneiras se reverta em breve, ela acredita que isto possa oferecer uma boa oportunidade: as empresas podem ganhar em competitividade se praticarem a boa etiqueta. “Bem, no mundo dos negócios é necessário dis-

SABER TRATAR BEM Os administradores que se cuidem: a boa etiqueta no local de trabalho deve começar com eles. “Se eles não transmitem empatia e polidez ao telefone, não têm o direito de exigi-las dos seus empregados”, diz Barc. “Eles o estão observando.” Existe uma gama de livros sobre o assunto, como The Etiquette Edge: “The Unspoken Rules for Business Success” [As Fronteiras da Etiqueta: Regras Não Ditas para Negócios Bem-sucedidos, não editado no Brasil], de Beverly Langdorf; e “Business Class: Etiquette Essentials for Success at Work” [A Classe nos Negócios: Etiqueta Essencial para o Sucesso no Trabalho; não editado no Brasil], de Jacqueline Whitmore. Uma alternativa é contratar um especialista em boas maneiras, ou um curso de liderança que inclua etiqueta. A etiqueta nos negócios consiste, resumidamente, em tratar bem as pessoas, atitude natural quando se fala de rotarianos. Normas como a Prova Quádrupla e o que Sabath classifica como a regra de platina – trate os outros como eles gostariam de ser tratados – são “o segredo para conduzir com sucesso uma organização. E isto significa”, diz ela, “Dar de Si Antes de Pensar em Si.” BR

* A autora é uma escritora freelancer especializada em negócios, e vive em Dallas, EUA. Tradução de Eliseu Visconti Neto. B RASIL R OTÁRIO 3 7


Aldair de Queiroz FFranco ranco e Altimar Augusto Fernandes Coordenadores Regionais da Fundação Rotária para as Zonas 20 (Norte), e 19A e 20 (Sul), respectivamente

Está chegando a hora de encerrarmos o balanço N

este último mês do ano rotário 2008-09, re- cessado na internet pelo link: www.rotary.org/ conhecemos e agradecemos os esforços de cada ridocuments/pt_pdf/ia09gates_speech_pt.pdf rotariano, de seus cônjuges, dos filhos, dos Lembrando sempre que, durante esse discurso, rotaractianos, interactianos, dos pequenos inte- Bill Gates informou que estava fazendo uma doagrantes dos Rotary Kids, enfim: de toda a Família ção de US$ 255 milhões ao Rotary para ser empreRotária. Sem a união que forma essa corrente de gada na campanha da erraamor, tenho a certeza de que milhares de pessoas dicação da pólio, completandas nossas comunidades não teriam recebido do assim uma doação total de nosso apoio, energia e vibração – além, é claro, US$ 355 milhões. de bens materiais para atenuar seu sofrimento. E é exatamente neste moGraças a esse trabalho, pudemos realizar várimento, caríssimos compaos projetos de Subsídios Equivalentes através da nheiros, que eu peço a todos Associação Brasileira da The Rotary Foundation, vocês que, na medida do posdentre os quais os 20 projetos abaixo, com um sível, façam também suas valor total de mais de US$ 450 mil. contribuições financeiras à Por isso é tão importante que todo rotariano braFundação Rotária. Se consesileiro se motive e guirmos atingir a continue buscan- ROTARY CLUB meta do prograDISTRITO PROJETO VALOR do recursos para ma Todos os RoBelo Horizonte-Pampulha, MG 4760 MG0761169 16.850,00 a Associação Bratarianos, Todos Vitória da Conquista, BA 4550 MG0761407 33.275,00 sileira da The Roos Anos (US$ Lajeado, RS 4700 MG0758296 10.000,00 tary Foundation 100 per capita aSantos, SP 4420 MG0763185 13.900,00 junto às pessoas nuais), teremos Rio de Janeiro-Guanabara, RJ 4570 MG0658050 5.000,00 jurídicas. um total de mais Garça-Azul, SP 4510 MG0763750 19.728,00 de US$ 5,2 miNaviraí, MS 4470 MG0763182 11.350,00 Credibilidade lhões no Brasil e Joinville-Colon, SC 4650 MG0763711 42.000,00 Se encontrar alde mais de US$ Rio de Janeiro-Guanabara, RJ 4570 MG0763384 25.650,00 guém que duvide 120 milhões em Santo André-Norte, SP 4420 MG0762626 34.110,00 da credibilidade todo o mundo. Rio Claro, SP 4590 MG0864667 18.098,00 do Rotary, mostre Com isso, o RoMaringá-Parque do Ingá, PR 4630 MG0864289 17.160,00 a essa pessoa o tary poderia doJandira, SP 4610 MG0865769 24.520,00 discurso feito por brar sua ajuda a Guarulhos-Vila Galvão, SP 4430 MG0865633 33.990,00 Bill Gates na últipessoas carentes José Bonifácio, SP 4480 MG0865355 13.150,00 ma Assembleia e ampliar ainda Bauru, SP 4510 MG0867476 21.000,00 Internacional. O mais seus proPouso Alegre-Das Geraes, MG 4560 MG0866961 17.586,00 texto pode ser agramas. Curitiba-Leste, PR 4730 MG0867001 18.000,00 Montes Claros-Norte, MG 4760 MG0866379 30.000,00 Montes Claros-Norte, MG 4760 MG0866628 45.894,00

Reconhecimentos para quem faz doações à Fundação Rotária Contribuinte Especial G Qualquer pessoa que contribua com US$ 100 por ano ou mais para o Fundo Anual para Programas é automaticamente reconhecida como Contribuinte Especial da Fundação Rotária. Benfeitor G Alguém se torna Benfeitor da Fundação Rotária ao

3 8 JUNHO DE 2009

incluir um dispositivo em seu testamento em benefício do Fundo Permanente ou ao efetuar uma contribuição monetária de US$ 1.000 (ou mais) a este fundo. Sociedade de Doadores Testamentários G Casais ou indivíduos que façam promessas de doação de US$ 1.000 ou mais em testamento ou seguro de vida podem tornar-se membros da Sociedade de


Coluna do chair da Fundação Rotária Doadores Testamentários e, como tal, ser reconhecidos pelos curadores da Fundação Rotária. Companheiro Paul Harris G Os indivíduos que contribuírem com US$ 1.000 ou mais para o Fundo Anual para Programas, para o Polio Plus ou para o programa de Subsídios Humanitários, ou tiverem valor equivalente doado em seu nome, poderão tornar-se Companheiros Paul Harris. Doador Extraordinário G A Fundação Rotária reconhece casais ou indivíduos cujas contribuições únicas ou cumulativas atinjam o valor de US$ 10.000. Todas as contribuições feitas à Fundação são incluídas nesse total, não importando sua designação: I I I I I I

Nível seis Nível cinco Nível quatro Nível três Nível dois Nível um

– US$ 1 milhão ou mais – US$ 500 mil – US$ 100 mil – US$ 50 mil – US$ 25 mil – US$ 10 mil

Sociedade Arch C. Klumph Doadores cujas contribuições acumuladas alcancem um total de US$ 250 mil ou mais tornamse membros da Sociedade Arch C. Klumph e têm suas fotos expostas permanentemente na Galeria Arch C. Klumph, situada na sede mundial do Rotary International.

G

Contribua você também. Sua alma agradecerá!

Tem alguma coisa o incomodando? Se você acordou hoje com saúde... bendiga a Deus, porque a princípio você não está entre os milhões que não sobreviverão no decorrer desta semana. Se você tem comida na geladeira, veste roupa limpa, tem um teto seguro para dormir... você é mais rico que 75% de seus semelhantes. Se você nunca conheceu os horrores da guerra... você está muito à frente de alguns milhões de pessoas em todo o mundo. Se você tem dinheiro no banco, na carteira ou até mesmo umas poucas moedas num cofrinho em casa... você faz parte dos 10% da população mundial que são prósperas. Se você pode ir à igreja, a um templo e seguir o seu credo particular sem sofrer nenhuma perseguição... você é mais feliz do que milhões de pessoas neste planeta. Se os seus pais ainda estão vivos e casados... o seu caso é pouco comum. Se você foi capaz de ler esta mensagem... você teve mais sorte do que os 2 bilhões de pessoas que não sabem ler. Se você leva um sorriso no rosto e está agradecido por tudo... você é um iluminado, porque muitas outras pessoas que poderiam fazer a mesma coisa não a fazem. Autor desconhecido BR

Novas oportunidades para a Fundação

A

pesar dos desafios enfrentados pela Fundação Rotária durante o ano 2008-09, fico otimista por conta de muitos fatos positivos ocorridos nos últimos meses. Em janeiro, iniciamos o processo de inscrições para o projeto piloto do Plano de Visão Futura da Fundação Rotária. Os curadores estão examinando os projetos e anunciarão os distritos escolhidos ainda este mês. Constatamos, com alegria, que muitos distritos rotários estão ansiosos para nos ajudar a testar este método simples e objetivo de conceder subsídios. Ainda no mês de janeiro, Bill Gates compareceu à nossa Assembleia Internacional para anunciar que a Fundação Bill & Melinda Gates havia feito outra doação à campanha pela erradicação da pólio. Desta vez foram US$ 255 milhões, que se somaram aos US$ 100 milhões que já haviam sido doados pela Fundação Gates em 2007. No mesmo dia, soubemos que os governos da Alemanha e do Reino Unido comprometeram-se com doações para a erradicação da pólio de US$ 130 milhões e US$ 150 milhões, respectivamente. Os rotarianos estão certamente fazendo a sua parte para atender ao que agora está sendo chamado de Desafio de US$ 200 Milhões do Rotary. Até agora, já conseguimos arrecadar aproximadamente um terço daquele total, e estou certo de que superaremos a meta antes do prazo final, em 30 de junho de 2012. Podemos eliminar a pólio já. Em março, anunciamos uma interessante aliança com a Agência Norte-Americana para o Desenvolvimento Internacional (Usaid, sigla em inglês). Através da nossa Colaboração Internacional H2O, desenvolveremos um projeto de larga escala voltado ao tratamento de água e ao saneamento básico em países onde haja uma forte presença do Rotary e da Usaid. Esta parceria irá nos servir de modelo para os projetos de Subsídios Globais da Fundação Rotária que serão desenvolvidos no âmbito do Plano de Visão Futura. A Fundação Rotária permanece forte, mesmo diante dos desafios econômicos atuais. Contando com o apoio dos rotarianos e das organizações que nos escolheram como parceiros, a nossa Fundação Rotária continuará representando uma força vital para a realização do bem neste mundo tão conturbado. JONATHAN MAJIYAGBE Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Rotária B RASIL R OTÁRIO 3 9


Interact & Rotaract O Interact Club de Pereira Barreto, SP (D.4480), presenteou 54 crianças carentes da cidade. Para atender o desejo de cada um, os jovens, com a ajuda da população do município, entregaram bicicletas, carrinhos a pilha, bolas, roupas, calçados ou bonecas. A distribuição dos presentes ocorreu na sede do RC local, onde os interactianos também serviram cachorro-quente, refrigerante, sorvete e balas.

O Rotaract Club de São PauloVila Carrão, SP (D.4430), promoveu a palestra Pronto Socorrismo e Biossegurança, proferida por Humberto Sales, membro do Corpo de Bombeiros de São Paulo. Além de rotaractianos, estiveram presentes rotarianos, interactianos e rotakidianos. Todos receberam certificados de participação em palestra teórica e prática.

Os integrantes do Interact Club de Ferraz de Vasconcelos, SP (D.4430), trabalharam no Sabadania, projeto que realiza ações de cidadania durante um dia inteiro. Os interactianos colaboraram cadastrando mais de 350 pessoas, que se consultaram com oftalmologista e pediatra. Entre os que passaram por exame oftalmológico, dez ganharam lugar na fila para operar catarata.

Diante de supermercados da cidade, os integrantes do Rotaract Club de Ouroeste, SP (D.4480), arrecadaram cerca de 600 kg de alimentos para o Hospital do Câncer Pio 12, localizado no município.

■ ■ ■

Durante a 35ª Conferência Multidistrital de Rotaract Clubs, realizada na cidade de Guarulhos, em São Paulo, teve lugar também o 6º Fórum de Integração Rotary-Rotaract e Interact. A iniciativa visa a construir um diálogo mais aberto entre os clubes de jovens e seus padrinhos.

4 0 JUNHO DE 2009

Os jovens do Rotaract Club de Presidente Prudente-Sul, SP (D.4510), percorreram bairros da cidade para realizar um projeto de coleta de alimentos. Em um primeiro momento, os rotaractianos distribuíram panfletos explicativos a respeito da iniciativa e informando o que é o Rotaract. Posteriormente, arrecadaram um total de 231 kg de alimentos não perecíveis para o Hospital Allan Kardec, um estabelecimento psiquiátrico.


Os integrantes do Interact Club de São José do Rio Pardo, SP (D.4590), participaram de uma oficina ecológica do Projeto Crescer. Além de produzir tijolos ecológicos, os jovens colaboraram com o assentamento dos mesmos na Casa Ecológica/Casa de Apoio. Em ocasiões diversas, os interactianos também doaram 550 livros para a Biblioteca Comunitária Poeta José Carlis Gumiere, participaram da Corrida Tocha Simbólica da Pátria e distribuíram cerca de 700 mudas de cedrinho na região central da cidade.

Com a ajuda dos comerciantes da cidade, doadores de todos os ingredientes, o Rotaract Club de Tatuí, SP (D.4620), promoveu a 1ª Festa do Pastel. Os jovens venderam mais de 600 unidades e utilizaram a verba obtida na compra de brinquedos, lanche e doces para as crianças atendidas pelo projeto Lar Espaço Feliz. Em outra ocasião, o Rotaract, junto com seu clube padrinho, participou da 4ª Semana Municipal da Água, evento realizado pela secretaria municipal do Meio Ambiente.

O Interact Club de Andirá, PR (D.4710), promoveu uma semana de alegria para as crianças do município. Durante o período, os jovens distribuíram doces e fizeram brincadeiras por todo o centro da cidade.

Os Rotaract Clubs do distrito 4610 promoveram um evento sobre planejamento familiar, na Câmara Municipal de Vereadores de São Paulo. A programação foi composta de palestras com especialistas sobre temas diversos: métodos contraceptivos, inconvenientes de uma gravidez indesejada, riscos da gravidez na adolescência, mortalidade infantil e materna, e doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Na ocasião, foram distribuídos folders sobre planejamento familiar e folhetos com a localização dos postos de saúde pública que realizam exames de DSTs e promovem planejamento familiar. O evento fez parte das comemorações dos 41 anos do programa Rotaract. A data também foi lembrada com um jantar. Outra realização da Representação Distrital de Rotaract Clubs do 4610 foi o Fórum Distrital de Projetos, workshop com a participação de cerca de 50 rotaractianos.

Os jovens do Rotaract Club de Soledade, RS (D.4700), realizaram o projeto Conscientização no Trânsito, entregando panfletos com dicas para uma viagem mais segura e fotos de acidentes nos sinais luminosos da cidade. O material também foi distribuído por cobradores do pedágio em um ponto próximo ao município.

O Rotaract Club de Cachoeira do SulColiseu, RS (D.4780), realizou o Primeiro Baile de Debutantes Comunitário – Noite dos Sonhos. Para se candidatar, as moças deveriam escrever em uma redação por que seriam merecedoras de uma noite dos sonhos. Os rotaractianos escolheram quatro jovens para debutar no baile.

B RASIL R OTÁRIO 4 1


Cultura

Renata Coré

Casa e cara novas para a obra de Lygia premiada escritora Lygia Fagundes Telles tem uma longa história de vida entremeada pela literatura. Aos 15 anos de idade, publicou seu primeiro livro de contos, “Porão e Sobrado”. Não gostou do resultado dessa investida, que julgou prematura. Para a imortal da Academia Brasileira de Letras, o marco inicial de suas obras completas é o romance “Ciranda de Pedra”, de 1954, duas vezes adaptado para a TV. Além dele, escreveu outros três romances, mais de uma dezena de livros de contos e obras memorialísticas. Este ano, boa parte da produção de Lygia começou a ser relançada pela Companhia das Letras, editora para onde a escritora migrou recentemente. Os títulos “Antes do Baile Verde”, “As Meninas” e “Invenção e Memória” são os primeiros disponibilizados pela nova editora de Lygia. Aos 86 anos de idade, a autora participa ativamente de todo o processo, tendo revisado pessoalmente as três obras. O contrato de Lygia com a Companhia das Letras prevê o lançamento de 12 títulos. Em outubro chegam às

A

livrarias as novas edições de “Ciranda de Pedra”, “A Noite Escura e Mais Eu” e “Seminário dos Ratos”. As obras de escritora agora trazem na capa telas da renomada artista plástica Beatriz Milhazes. Outra novidade diz respeito aos posfácios inéditos assinados por importantes escritores e intelectuais brasileiros. Para a trinca já relançada foram convocados Antonio Dimas, Cristovão Tezza e Ana Maria Machado.   

ANTES DO BAILE VERDE AS MENINAS INVENÇÃO E MEMÓRIA

Lygia Fagundes Telles Companhia das Letras

Homenagem a Villa-Lobos I

No ano passado, o pianista e maestro brasileiro radicado em Londres Marcelo Bratke e a Camerata Vale Música, criada por ele no ano anterior, saíram em turnê para celebrar os 120 anos de Heitor VillaLobos. Juntos, os músicos se apresentaram em prestigiadas salas de nove cidades brasileiras e levaram o concerto até a praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, onde dividiram o palco com a Orquestra Sinfônica Brasileira e o maestro Kurt Masur. A turnê passou também pelo Japão, marcando a estreia internacional da camerata, formada por jovens músi-

4 2 JUNHO DE 2009

cos eruditos e populares vindos de áreas desprivilegiadas da sociedade brasileira. O DVD “Alma Brasileira”, lançado pela gravadora Biscoito Fino (selo Biscoito Clássico), registra o encerramento da turnê nacional, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, e traz ainda um pequeno documentário contando a história da formação da camerata.


Álbum triplo no jubileu da Motown

A

gravadora norte-americana Motown Records possui inegável relevância na indústria fonográfica dos EUA. Na década de 1960, recém-fundada, alcançou sucesso com o que se tornou conhecido como O Som da Motown, estilo característico de soul, com uso de pandeiros, baterias e instrumentos do rhythm and blues, além de uma marca de “canto-e-resposta”, originária da música gospel. A Motown foi também, até o surgimento do hip hop, a mais importante lançadora de artistas negros e a primeira a apostar em músicas que mergulhavam em temas sociopolíticos. Outra criação da gravadora foram os girl groups, como The Supremes e Martha & the Vandellas. Este ano, a Motown completou meio século e para comemorar a data a gravadora Universal Music lançou o CD triplo “Top 50 Motown Track”. Entre as faixas há sucessos de artistas como Jackson 5 (foto), Marvin Gaye, The Supremes, Stevie Wonder, Lionel Ritchie, Diana Ross e The Temptations. As 50 músicas da compilação foram escolhidas por voto popular nos EUA.

Dicas de turismo para pessoas com deficiência I

Cerca de 30 milhões de brasileiros possuem deficiência e mobilidade reduzida, segundo dados do IBGE. Pensando neles, o Guia Brasil Para Todos nasceu com uma proposta inédita no país: oferecer informações indispensáveis para que pessoas com deficiência possam planejar suas viagens. Disponível no endereço www.brasilparatodos.com.br, o site foi criado pela fonoaudióloga Andrea Schwarz – ela mesma cadeirante e há dez anos atuando na área de responsabilidade social – e pelo publicitário Jaques Haber, idealizador da empresa i.Social, que atua na inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Esta primeira edição do guia cobre dez capitais

brasileiras que estão entre os destinos mais procurados por turistas brasileiros e estrangeiros – Manaus, Fortaleza, Recife, Salvador, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Florianópolis. Para edições futuras, os idealizadores pretendem aumentar o número de destinos pesquisados. Com a ajuda de repórteres especializados, o guia comenta 139 passeios acessíveis a pessoas com deficiência. Também avalia 106 restaurantes, 92 hotéis adaptados e fornece 377 dicas para viajantes. B RASIL R OTÁRIO 4 3


Autores rotarianos Dicas para viver e sobreviver na empresa Bruno G. T. Hollnagel Jaboticaba Ex-executivo de uma empresa multinacional e associado do RC de São Paulo-Chácara Flora, SP (D.4420), o autor destaca a importância das relações humanas no trabalho, mostrando que administrar é obter resultados com as pessoas – um enfoque que traduz uma nova atitude, redefinindo o processo administrativo e valorizando o indivíduo. Outras informações no site www.editorajaboticaba.com.br.

A evolução da mulher no interior da história humana Susana Fochesato Minuzzo Lorigraf Em seu novo livro, a companheira do RC de Vacaria dos Pinhais, RS (D.4700), conta a história das mulheres desde a Idade da Pedra até os dias atuais com a ajuda do cartunista Ronaldo Cunha Dias, em desenhos bem humorados. Susana é professora, psicopedagoga clínica e comentarista de um programa de rádio voltado ao público feminino. Para comprar o livro, ligue (54) 3231-3453.

Rotary A a Z Gilberto Scandiuzzi Independente Um apaixonado pelo Rotary há 51 anos, o ex-governador do distrito 4480 lança a segunda edição deste verdadeiro manual sobre nossa or-

4 4 JUNHO DE 2009

ganização, fruto de sua longa experiência como coordenador da Comissão Distrital de Informação Rotária. Os pedidos de compra podem ser feitos pelo e-mail <g.scandiuzzi @terra.com.br>. A receita líquida das vendas será destinada à Fundação Rotária.

A vida em versos Nelson Gandur Dacach Independente Dividido em duas partes, o livro traz 80 poemas dedicados a temas como o amor, os sonhos, a infância e às experiências de vida do autor, associado do RC da Bahia-Leste, BA (D.4550). Os exemplares estão sendo oferecidos gratuitamente aos Rotary Clubs, até para que sejam vendidos, gerando receita para seus projetos. Mais informações pelo telefone (71) 32377053.

Recrutamento e solução: contratando o futuro de sua empresa Claudio Schiavinatto Neto Midiograf II Consultor empresarial e associado do RC de Londrina-Higienópolis, PR (D.4710), Claudio apresenta às empresas um processo interno de recrutamento e seleção que acaba com a terceirização desses serviços e a contratação sem critérios. A ferramenta é constituída por dois produtos: o livro e um sistema

online. Entenda melhor acessando www.recrutamentoesolucao.com.br.

Italianos no Novo Mundo Antonio Sérgio Palú Filho e Susete Moletta Independente Em 400 páginas, este lançamento faz um resgate histórico da imigração italiana no Brasil com a ajuda de muitas fotografias, ilustrações, documentos e depoimentos. Saiba mais visitando o site www.palu.com.br/genealogia. Antonio Sérgio Palú Filho é companheiro do RC de São José dos Pinhais, PR (D.4730).

Karate-do: história geral e no Brasil Paulo Bartolo Realejo A história do karate-do e dos principais responsáveis por difundir esse esporte no Brasil e no mundo são o assunto do segundo livro do professor Paulo Bartolo, associado do RC de SantosVila Belmiro, SP (D.4420). Para comprar, envie um e-mail para <contato@paulobartolo.com.br> ou visite a homepage <www.paulobartolo.com.br> Para adquirir o livro “Archimedes Memória: o último dos ecléticos”, apresentado na coluna na edição de abril, e que conta a história de um dos pioneiros do Rotary no Brasil, escreva para <editorabrasil@ibrasil.org.br>


Prestigie os anunciantes desta revista. Você os conhece:

são companheiros rotarianos

Para anunciar, ligue: (21) 2506-5611 Ou escreva para: publicidade@brasil-rotario.com.br

B RASIL R OTÁRIO 4 5


Educação e saúde para a população Em duas ações, clube paulistano oferece serviços a 1.300 pessoas RC de São Paulo, SP – No final de março, o clube realizou no Colégio Rio Branco, da Fundação de Rotarianos de São Paulo, mais uma edição do Projeto Rumo Profissões Técnicas, programa de orientação profissional voltado a jovens estudantes carentes. A iniciativa contou com a participação de mais de 500 alunos da Associação de Ensino Social Profissionalizante, ONG fundada e dirigida por Rotary Clubs paulistanos. No período da manhã, após o café, os jovens assistiram a uma série de palestras sobre escolha profissional e empreendedorismo. À tarde, em salas destinadas a cursos específicos, eles puderam aprender mais sobre dez profissões com representantes do Senac, do Senai e das Faculdades e Colégio Módulo. Além das entidades citadas, o Projeto Rumo Profissões Técnicas contou com o apoio de rotarianos e interactianos. Mas os serviços oferecidos pelo RC de São Paulo à comunidade não pararam por aí: no mês de abril, os associados organizaram um mutirão com exames gratuitos destinados à prevenção dos tumores de próstata. Após a coleta de sangue para a dosagem do PSA, os cerca de 800 pacientes atendidos responderam a um questionário e passaram por uma série de exames clínicos. Os resultados dos exames foram enviados por correio a todos os atendidos 15 dias depois. Coordenado pela equipe de urologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, tendo à frente o professor Geraldo de Campos Freire, o Mutirão de Próstata foi feito com a participação de associados do clube em parceria com integrantes do Interact Espro e do Rotaract Mackenzie.

D . 4610

G

MESA DIRETORA dos trabalhos e público presente ao Projeto Rumo Profissões Técnicas, no Colégio Rio Branco

G

PACIENTE SENDO atendido durante o mutirão

G

4 6 JUNHO DE 2009

EQUIPE QUE ajudou a organizar a iniciativa


D . 4310

RC de Itu-Terras de São José, SP – Doou lençóis, fronhas, colchas, toalhas de banho, de rosto e produtos de higiene pessoal à Vila Vicentina, entidade que cuida de 49 idosos.

Uma parceria envolveu os RCs de Sumaré, SumaréAção e SumaréNorte, SP, a Associação Comercial de Sumaré e o Lions Clube de Sumaré e permitiu a doação de um cheque de R$ 11.000,00 à Sociedade Pestalozzi. O dinheiro está sendo investido na adequação das instalações desta entidade, para que elas possam abrigar equipamentos mais modernos.

RC de Nossa Senhora da Glória, SE – Com a ajuda de empresários do comércio local, o clube encabeçou uma campanha que reconstruiu a residência de uma família pobre da cidade (foto). Em outra iniciativa que se tornou permanente, os rotarianos vêm doando cadeiras de rodas mensalmente a pessoas necessitadas.

D . 4410

RC de Aracruz, ES – Com a presença do governador Celso Gonçalves, o clube inaugurou em março seu Marco Rotário.

D . 4420 RC de Guarujá, SP – Uma festa temática promovida pelo clube contou com a participação de diversas personalidades, entre elas o rei Pelé, que aparece na foto ao lado do presidente Luiz Carlos Bevilaqcua e da presidente da Associação das Famílias de Rotarianos de Guarujá, Késia de Abreu Cavalcante. O dinheiro arrecadado com a venda de ingressos, somado às doações de alguns convidados e ao resultado do leilão de uma camisa do Santos autografada por Pelé, foi aplicado na reforma integral de uma creche da cidade administrada pelo clube e onde são assistidas mais de 100 crianças.

D . 4390

RC de São Paulo-Novas Gerações, SP – Caminhão com as 1.200 sacolas de alimentos que foram distribuídas pelo clube numa comunidade carente da região do Valo Velho, na periferia da Grande São Paulo.

B RASIL R OTÁRIO 4 7


D . 4430

RC de São Vicente-Antônio Emmerich, SP – Com os recursos de um Subsídio Distrital Simplificado, fez a entrega de um fogão industrial e uma panela de pressão à Creche Colônia Nosso Lar, que atende 45 crianças na periferia da cidade e ainda recebeu kits de pintura e ovos de Páscoa, entregues pelas crianças do Rotarykids. O clube também promoveu um curso de capacitação para a inclusão social e educacional dos deficientes visuais em duas lan houses da cidade, doou cestas básicas à comunidade e patrocinou o intercâmbio do jovem brasileiro Henrique Marques Fernandes no México.

D . 4420

RC de Santos-Vila Belmiro, SP – Na Páscoa, o clube entregou mais de 140 ovos de chocolate às crianças carentes de um bairro da cidade (foto). Os rotarianos também apoiaram a realização da primeira edição do Santos Karate Festival, que teve participação dos meninos e meninas inscritos no Rumo ao Esporte, um dos projetos sociais do clube.

D . 4440 RC de Sinop, MT – Os companheiros colocaram faixas nos principais pontos da cidade alertando para os perigos da dengue.

4 8 JUNHO DE 2009

RC de São Paulo-Tremembé, SP – Em parceria com o Lions, os rotarianos realizaram uma feira de saúde numa escola pública da região, oferecendo exames gratuitos à população para a detecção de problemas oftalmológicos, auditivos, diabetes e hipertensão. Além disso, foram diagnosticados 24 casos de hanseníase, devidamente encaminhados para o Hospital das Clínicas de São Paulo.

RC de São Paulo-Artur Alvim, SP – Realizou um bazar e uma macarronada beneficentes no Caminho da Vida, uma instituição que cuida de idosos carentes. Os rotarianos doaram roupas e cobertores.

RC de São Paulo-Liberdade, SP – Doou um aparelho de ultrassonografia no valor de US$ 5.000 ao Hospital Nipobrasileiro. Os recursos foram obtidos com a realização de um projeto de Subsídios Equivalentes da Fundação Rotária feito em parceria com o RC de Soka, do Japão (D.2770). O clube também reinaugurou seu Marco Rotário, localizado na praça da Liberdade.


D . 4490

D . 4470

RC de Naviraí-Integração, MS – Companheiros durante a doação de um aparelho de DVD e alguns filmes à brinquedoteca instalada e mantida pelo clube no Hospital Municipal de Naviraí. Na Páscoa, os rotarianos levaram ovos de chocolate a uma instituição da cidade que cuida de menores e idosos.

RC de Jardim-Guia Lopes da Laguna, MS – Em seu primeiro evento, uma carneirada para aproximadamente 200 pessoas, o clube obteve recursos para a compra de material destinado à confecção de fraldas descartáveis. Todos os meses, o clube faz a doação de 800 fraldas na região.

D . 4480

Momento da chegada à cidade paulista de São José do Rio Preto dos integrantes do Intercâmbio da Amizade vindos do distrito 1070 (Inglaterra).

RC de FortalezaAlagadiço, CE – Uma iniciativa conjunta do Rotary e da Associação Brasileira de Odontologia no Ceará (ABOCE), e que contou com o apoio do governo do estado e das prefeituras, resultou em mais de 2.000 atendimentos a pessoas carentes do interior do estado nas áreas social, de saúde e cidadania. A ABO-CE ficou à frente dos serviços de saúde, mobilizando cirurgiões dentistas e profissionais nas áreas de clínica geral, oftalmologia, traumatologia e prevenção ginecológica, o que possibilitou a realização de extrações dentárias e atendimento médico a centenas de pessoas. As crianças também receberam orientações sobre a correta escovação dos dentes (foto). O evento ainda promoveu o cadastro de jovens no Programa Primeiro Emprego e o Bazar da Cidadania, onde foram vendidos diversos produtos a preços simbólicos.

D . 4500

RC de Esperança, PB – Realizou um baile à fantasia em parceria com a prefeitura. O evento arrecadou fundos para apoiar obras sociais.

RC de Patos, PB – Preocupado com o meio ambiente e com a temperatura local, que chega a 40o C, o clube fez uma parceria com a Souza Cruz e a Associação Atlética Banco do Brasil para arborizar a cidade.

B RASIL R OTÁRIO 4 9


D . 4510

RC de Marília-Pioneiro , SP – Graças ao Programa Nascimento da Vida, promove mensalmente o plantio de árvores na comunidade. Recentemente, 50 mudas foram plantadas na sede campestre da OAB em Marília. Outras iniciativas: promoção anual de concurso entre escolas da rede estadual, tendo como tema projetos sobre a paz e a compreensão mundial; doação à Câmara Municipal de um busto do fundador do RI, Paul Harris; e entrega da Medalha do Pioneiro ao médico ortopedista Hilário Maldonado. Esta homenagem faz parte das comemorações de aniversário do clube, que completa 13 anos.

D . 4520 RC de Lagoa Santa, MG – Construiu uma sede para o Clube de Terceira Idade da cidade (foto), fundado pelos companheiros em 1994, e que vem crescendo em número de sócios desde então. O espaço é utilizado para reuniões, festas, aulas de ginástica, e foi erguido graças, também, ao auxílio de empresas, órgãos municipais e do RC de Homburg-Saarpfalz, da Alemanha (D.1860).

RC de Ipatinga, MG – Registra resultados muito positivos na implantação do projeto Lighthouse na região do Vale do Aço, em Minas Gerais. O método de alfabetização foi aplicado em 2.361 crianças e teve a parceria da Prefeitura de Ipatinga. Neste município, em dezembro do ano passado, 178 professores concluíram o curso de treinamento para a metodologia (foto).

5 0 JUNHO DE 2009

D . 4530

RC de Porangatu, GO – Em parceria com a Escola Paroquial Nossa Senhora da Piedade, realizou caminhada pela paz nas principais ruas da cidade. Os companheiros entregaram panfletos de conscientização e no final soltaram balões – feitos de material reciclável, estes balões levavam mensagens no interior. O clube também realizou dia de recreação para o Lar dos Idosos Paulo VI e doou uma televisão para a entidade. RC de BrasíliaPenínsula Norte, DF – Promoveu aferição de pressão arterial e de batimentos cardíacos no Lago Norte, bairro de Brasília. Contando com o apoio da Academia de Ginástica PraViver, esse serviço comunitário objetivava a orientação para os perigos da hipertensão arterial. Na foto, a presidente da Casa da Amizade local, Heloisa Queiroz, e um dos professores da academia. Além disso, os companheiros do clube e as senhoras da Casa da Amizade ministram aulas no Centro de Ensino para Deficientes Visuais, numa iniciativa de inclusão social dos portadores de necessidades especiais.

D . 4540 RC de Matão-Terra da Saudade, SP – Arrecadou mais de 3 mil brinquedos na 2ª Campanha Municipal de Doação de Brinquedos para distribuição em entidades assistenciais. Destaque também para a parceria firmada com o poder público local e a iniciativa privada, resultando na implantação do Núcleo de Horta Comunitária (foto). A colheita teve a presença de alunos do projeto Pequeno Cidadão, além de companheiros, entre eles o presidente do RC, Claudemar Andrioli. Outras iniciativas: participação da campanha de vacinação animal contra a raiva; realização do 2º Porco Paraguaio, que contou com a adesão de cerca de 400 convidados; e doação de estantes de aço para a Biblioteca Comunitária do bairro Jardim Paraíso, por meio de um projeto de Subsídio Distrital Simplificado. Na entrega estiveram presentes o governador do distrito, Antonio Carlos Marchiori, e o governador assistente, Wagner Capatto.


RC de Guaxupé, MG – Inaugurou prédio (foto) para sediar o programa Adolescente Cidadão, que oferece cursos de corte e costura, panificação e informática para alunos a partir de 14 anos. Esse programa veio complementar um outro, Criança Cidadã, que atende a garotada até 14 anos. A construção do prédio foi possível graças a um projeto de Subsídio Equivalente e contou com a parceria do RC de Ann Arbor, Michigan, EUA (D.6380).

D . 4560

de Ribeirão PretoD . 4540 RC Entre Rios, SP – Trouxe para a cidade o projeto Investir Vale a Pena, cujo objetivo é proporcionar educação financeira para jovens carentes. A primeira turma (foto) foi formada em dezembro do ano passado e o fato recebeu divulgação da EPTV (afiliada da Rede Globo) e da Globo News. Desenvolvido pela Merril Lynch Foundation, esse projeto tem tido êxito em diversos países.

D . 4550 RC de Salvador-Nazaré, BA – Doou 10.000 fraldas e 100 toalhas para o Hospital Martagão Gesteira.

RC da Bahia-Norte, BA – Na foto, o presidente do clube, Hugo de Oliveira Barreto, entrega livros e material escolar, doados por companheiros, a Letícia Lima Leão, coordenadora da Biblioteca Casulo, no Bairro da Paz, em Salvador.

D . 4570

RC do Rio de Janeiro, RJ – Prestou homenagem à Brasil Rotário durante reunião em abril, mês dedicado às revistas regionais do Rotary International. Vale ressaltar que dentro desse clube, o primeiro do Brasil, surgiu a revista Notícias Rotárias – antecessora da Brasil Rotário – em 14 de novembro de 1924. Na foto, de pé, a partir da esquerda, os companheiros que fazem parte da editora: Gilberto Geisselmann, gerente executivo; o EGD Edson Avellar, vice-presidente de Operações; o EGD Waldenir de Bragança, vicepresidente de Administração; Fausto de Oliveira Campos, assessor; o EGD Wilmar Garcia Barbosa, vice-presidente de Finanças; o EGD José Alves Fortes, vice-presidente de Marketing; o EGD Jorge Bragança, vice-presidente Jurídico; e o EGD Carlos Gerônimo da Silva Gueiros, vice-presidente de Relações Institucionais. Sentados, a partir da esquerda, o EGD Carlos Henrique de Carvalho Fróes, presidente e editor da Brasil Rotário; Milton Ferreira Tito, presidente do clube; e o EGD Mauro Ribeiro Viegas. RC da Barra da Tijuca, RJ – Em uma ação com a governadoria do distrito 4570 e o Grêmio de Rotarianos Éticos e Etílicos, realizou churrasco beneficente. O valor arrecadado foi revertido para a Fundação Rotária e para dois bancos de cadeiras de rodas: o desse clube e o do RC do Rio de Janeiro-Penha. Na foto, o governador José Roberto Lebeis Pires (à esquerda) e o cheque destinado à Fundação Rotária.

B RASIL R OTÁRIO 5 1


D . 4580 RC de Bicas, MG – Recebeu do poder executivo local um imóvel para utilização como sede social. Na foto, os rotarianos Honório de Oliveira e Wolney Sarto, respectivamente prefeito e viceprefeito, na reunião festiva em que foi assinada a entrega do imóvel.

D . 4600

RC de Pindamonhangaba-Princesa do Norte, SP – Inaugurou telecentro durante a visita do governador Antônio Sérgio Ferri. A implantação do telecentro, que atenderá cerca de 250 crianças, foi possível graças a um projeto de Subsídio Equivalente, no qual houve a parceria do RC de Revelstoke, do Canadá (D.5060). Na foto, os companheiros de Pindamonhangaba e o casal governador Antônio Sérgio e Magda.

D . 4610

RC de Além Paraíba-Portal de Minas, MG – Comemorou os Dias da Escola, do Carpinteiro, do Consertador e do Artesão. Cada profissão teve um representante homenageado. Na foto, à direita, o presidente do clube, Rubens Roberto Mendonça Ferreira, e os profissionais lembrados.

D . 4590 RC de São José do Rio Pardo, SP – Doou pacotes de papel higiênico e de fralda geriátrica para o Asilo Lar de Jesus, que mantém 80 idosos. Em outra ocasião, o clube presenteou as crianças da cidade com 10 mil bolas.

5 2 JUNHO DE 2009

RC de São PauloJabaquara, SP – Em reconhecimento por sua atuação no serviço público, o companheiro Heitor Sertão, à frente da subprefeitura de Jabaquara, recebeu diploma de honra ao mérito das mãos do presidente do clube, José Jesus Pereira.

RC de São Paulo-Sumaré, SP – Organizou apresentação da escola de samba Camisa Verde e Branca para os jovens do Programa de Intercâmbio do Rotary. Todos os anos o clube promove uma atração da cultura brasileira para os intercambiados. Na foto – tirada durante a reunião em que houve a apresentação – aparecem a presidente do clube, Maria Lúcia Strazzeri (casada com o EGD Salvador Strazzeri); o chairman do Intercâmbio para o distrito 4430, Nadir Kisere; o companheiro Luiz Carlos Lenza; e os seguintes EGDs do distrito: Willy Gross, Nelson Weingrill e Raul Casanova (chairman do Intercâmbio para o distrito 4610).


D . 4620

D . 4610

RC de São Paulo-Memorial da América Latina, SP – Pelo quarto ano consecutivo participou do Dia Especial do Playcenter, quando este abre as portas para crianças portadoras de necessidades especiais. O clube levou ao Playcenter, além de 19 voluntários, 350 crianças das nove entidades por ele apoiadas.

D . 4630

RC de Avaré-Jurumirim, SP – Entregou brinquedos na pediatria da Santa Casa de Misericórdia de Avaré. Essa ala recebe atenção especial do clube. Mais recentemente, os companheiros têm prestigiado o plantio de duas mil mudas de ipês pela prefeitura. O clube esteve à frente de diversas outras ações, como a entrega de aparelhos de monitoramento de glicose para três casas de recuperação de dependentes químicos e para a Secretaria Municipal de Saúde, dando prosseguimento ao projeto Doce Vida Sem Diabete. Entre os motoristas, realizou pedágio para distribuir informativos sobre transplante de medula (foto). Aliás, o clube dedica-se à questão da doação de órgãos há um ano, seja apoiando ação social da prefeitura, seja promovendo debates entre profissionais, visando sempre a conscientização sobre o tema.

RC de MaringáCatedral, PR – Semeou duas toneladas de palmito jussara na encosta da Serra do Mar, na altura da cidade de Morretes, no Paraná. O trabalho foi realizado com o RC de CuritibaParque Barigui e teve o apoio do governo estadual.

RC de Santa Cruz do Rio Pardo, SP – Deu apoio à festa promovida pela Casa de Apoio ao Menor Carente Adelina Aloe, e que contou com barracas de lanches e de chocolate quente.

RC de Maringá, PR – Há 20 anos vem premiando os melhores leitores da Biblioteca Pública da cidade com o intuito de estimular o hábito de leitura. Na foto, os premiados desse que é o 20º Prêmio de Leitura Rotary Club de Maringá; o coordenador do concurso, o EGD Antônio Mestriner; e o companheiro e editor da revista Tradição, Jorge Fregadolli.

D . 4640 RC de Salto do Lontra, PR – Doou mochilas e material escolar aos alunos carentes da Escola Estudante Luis José Penso Bágio, do bairro Olaria, em Salto de Lontra. A ação faz parte do programa Criança na Escola, patrocinado pelo clube e pela Associação de Senhoras de Rotarianos da cidade. O programa atende também a Escola Carmelo Scotton, do bairro Itaipú.

B RASIL R OTÁRIO 5 3


D . 4651

D . 4650

RC de Itapoá, SC – O clube presenteou o Corpo de Bombeiros da cidade com um oxímetro de pulso (aparelho utilizado para verificar a oxigenação no organismo e a frequência cardíaca).

D . 4660 RC de Santa RosaAmizade, RS – Os companheiros distribuíram 750 brinquedos e 1.000 pirulitos para crianças atendidas por instituições assistenciais da cidade. Além disso, instalaram uma biblioteca no Centro de Assistência Social Cruzeiro do Sul. A verba para as ações foi adquirida com a realização do 1º Carreteiro de Charque na Praça.

RC de Catuípe, RS – Entregou uma brinquedoteca, composta por 70 jogos educativos, para a Escola Municipal Ulisses Salazar.

5 4 JUNHO DE 2009

RC de FlorianópolisAtlântico, SC – Patrocinada pelo clube, a jovem Tatianna Machado Souza cumpre intercâmbio de jovens na Austrália. A estudante falou para os companheiros do RC de Gisborne, no distrito 9800, e presenteou o presidente Barry Wills com a Bandeira Nacional e três livros sobre o Brasil.

RC de Balneário Camboriú-Atlântico, SC – Com a ajuda de amigos, os companheiros adquiriram mais uma cadeira para o Banco de Cadeiras de Rodas mantido pelo clube e já a destinaram a um morador do município.

RC de São JoséKobrasol, SC – Os integrantes do Rotary Kids local entregaram roupas, brinquedos e material escolar para o Centro de Educação e Treinamento Esperança, instituição que atende a mais de 80 crianças carentes. Na ocasião, eles estiveram acompanhados do presidente do RC local, Gilson Mendes, e do casal coordenador do Rotary Kids do clube, José Rosnei de Oliveira Rosa e Simone Cristina.


D . 4660 RC de Santa Rosa, RS – Entregou os primeiros kits do projeto Leia para Mim, na pediatria do Hospital Vida e Saúde. Essa primeira fase do trabalho contemplou 60 crianças até três anos de idade. Na oportunidade, também foi proferida palestra sobre os cuidados básicos com a criança e a importância da educação na infância. O projeto é custeado pelos quatro clubes da cidade. Em outra ocasião, os companheiros homenagearam com o Diploma de Reconhecimento Rotário o tenente coronel Alexandre Gouvêa Mosca, pelo apoio e parceria na manutenção do Complexo Desportivo Comunitário. Por fim, junto com a Pastoral do bairro Cruzeiro, o clube distribuiu brinquedos para 350 crianças daquela comunidade e serviu lanche.

D . 4670 RC de Porto Alegre-Lindóia Passo D’Areia, RS – Depois de remodelado, o marco rotário do clube foi reinaugurado no início do ano.

RC de Canela, RS – Com um Subsídio Equivalente da Fundação Rotária – e em parceria com o RC de Bentonville/Bella Vista Daybreak, EUA (D.6110) –, os companheiros entregaram US$ 50.750 (aproximadamente R$ 110.790) em equipamentos médicos para o Hospital de Caridade do município.

D . 4680 O distrito 4680 realizou o 1º Seminário Distrital sobre Família e Drogas nas dependências do LeChef do Clube União. O EGD João Moacir Ferreira discorreu sobre o tema família (foto) e, em seguida, o psicólogo da Unidade de Tratamento Intensivo do Vale do Rio Pardo, Antonio João Weber, abordou o assunto das drogas. No total, 52 pessoas, oriundas até de cidades vizinhas, assistiram ao seminário.

RC de Santa Cruz do Sul-Oeste, RS – Entregou uma máquina de costura para o clube de mães da Escola Municipal de Ensino Fundamental Guilherme Hildebrand. A verba para a doação foi obtida com a realização do Baile dos Destaques, evento que o clube promove em parceria com a Gazeta Grupo de Comunicações.

A Bierchoppfest, tradicional evento do distrito 4680, chegou à 15ª edição. Durante quatro dias de festa, mais de 40 mil pessoas se reuniram no Pavilhão de Eventos São Sebastião Mártir, onde consumiram 12 mil litros de chope e 2.500 pratos de galinhada. Dezessete bandas de música animaram o variado público da festa, que incluiu de crianças a representantes da terceira idade. Para completar, mais de 2.000 meninos e meninas carentes foram presenteados com brinquedos e também ganharam picolés, refrigerantes e passeios no parque de diversões.

B RASIL R OTÁRIO 5 5


D . 4700 RC de Passo Fundo-Planalto Médio, RS – Companheiras do clube entregaram uma bota ortopédica para o menino João Vitor. O calçado foi adquirido com recursos provenientes do Café Colonial Beneficente.

D . 4720 RC de Boa VistaCaçari, RR – Em parceria com a prefeitura municipal e o 8º Grupo de Escoteiros Frei Orlando, o clube promoveu uma campanha contra a poliomielite na Praça do Centro Cívico. Os companheiros distribuíram panfletos e pintaram mensagens nos vidros dos carros, alertando para o perigo de a doença voltar ao Brasil caso as crianças não sejam vacinadas. No Relógio do Milênio, ao lado do palácio Senador Hélio Campos, foram penduradas faixas com a mensagem da campanha: “Eliminemos a pólio já!”.

D . 4710

RC de Cornélio Procópio, PR – O clube doou os móveis para uma casa em Blumenau, atingida pelas enchentes que castigaram Santa Catarina. Em outras oportunidades, os companheiros realizaram um evento para entregar os certificados aos 15 alunos que completaram o programa Lighthouse e também premiar 49 jovens de diferentes escolas da cidade. Outra ação do RC foi a doação ao Projeto Menina Moça, à Apae e à escola Visiáudio da verba obtida com a Festa do Porco no Rolete.

RC de Ibiporã, PR – Os companheiros doaram nove aparelhos inaladores para a Pastoral da Criança local, que cuida de 390 meninos e meninas na cidade. A cerimônia de entrega ocorreu nas dependências da Casa da Amizade do município.

5 6 JUNHO DE 2009

D . 4730

RC de Curitiba-Portão, PR – Patrocinada pelo clube, Veridiana Giffhorn Mayer cumpre o Programa de Intercâmbio de Jovens no RC de Taipei Chungshan, Taiwan (D.3520). Na foto, a estudante está acompanhada de sua primeira família anfitriã.

D . 4740 RC de Chapecó-Norte, SC – O clube doou 400 kits de material escolar para a Escola Parque Cidadã Leonel de Moura Brizola.


D . 4750 RC de Campos dos GoytacazesPlanície, RJ – Firmou parceria com a Vital Engenharia para desenvolver o projeto Alfabetização de Adultos, em benefício de funcionários da empresa. Companheiros do clube se qualificaram junto à secretaria de Educação do município e se revezam nas aulas para 14 alunos. A empresa, por sua vez, disponibilizou o material didático e a sala de aula, equipada com carteiras e lousa. Para incentivar os funcionários a aderir ao curso de alfabetização, a Vital Engenharia doa mensalmente cestas de alimentos aos alunos que não faltam às aulas.

D . 4770 RC de PatrocínioBrumado dos Pavões, MG – Pelo segundo ano consecutivo, o clube executou seu projeto ambiental. Durante uma manhã, os companheiros distribuíram cerca de 2.100 mudas de árvores ornamentais e frutíferas: ipês, oitis, flamboyants, mangueiras, abacateiros e goiabeiras. O projeto recebeu o apoio do Departamento de Água e Esgoto de Patrocínio, do Conselho Municipal de Conservação e Defesa do Meio Ambiente, da secretaria municipal de Agricultura, do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e da Polícia Ambiental locais.

D . 4760 RC de ParacatuUniversitário, MG – Em parceria com a Polícia Militar local, os companheiros promoveram uma campanha e encaminharam mais de três toneladas de doações – entre alimentos, água, medicamentos, roupas e calçados – para as vítimas das enchentes em Santa Catarina.

RC de Campos Altos, MG – Patrocinada pelo clube, Bárbara Lohana cumpre o Intercâmbio de Jovens na Tailândia, onde atuou na campanha de vacinação contra a pólio. Em outra oportunidade, o clube homenageou o estudante João Paulo de Oliveira, um dos 39 finalistas da Olimpíada Brasileira de Língua Portuguesa, e a professora Edna Carvalho Marques, que o orientou.

RC de Araguari-Café do Cerrado, MG – Por suas doações à Fundação Rotária (FR), o clube recebeu do RI o reconhecimento de clube número um no distrito. No ano rotário 200708, o RC foi um dos três clubes, em um universo de 1.656, com maior contribuição anual per capita. Foi ainda um dos 496 a alcançar o status de clube com 100% de contribuintes especiais da FR, e um dos 719 a se tornar clube Todos os Rotarianos, Todos os Anos.

D . 4780

RC de Bagé, RS – Os companheiros doaram 396 litros de leite para o asilo Vila Vicentina. B RASIL R OTÁRIO 5 7


Como enviar material para a Brasil Rotário ara que os companheiros de todo o país conheçam os projetos que seu clube vem realizando, é importante que as notícias cheguem à redação contendo as seguintes informações: ● o nome completo e o distrito de seu clube ● a data e local em que foram realizadas as ações ● um breve relato sobre o projeto, explicando sua importância e o alcance dele junto à comunidade ● os nomes dos parceiros, no Brasil e no exterior ● e os nomes e sobrenomes de todos os que aparecerem nas fotos com até seis pessoas, relacionados a partir da esquerda.

P

D . 4780 RC de Bagé-Sul, RS – Doou cestas básicas, brinquedos e kits de higiene pessoal e limpeza para 56 famílias da Vila Damé.

D . 4490

RC de Parnaíba-Igaraçu, PI – Promoveu um dia de cidadania no Assentamento José Estevão. Na ocasião, os companheiros disponibilizaram para os moradores atendimentos médico e odontológico, vacinação, e expedição de registro civil, além de distribuição de cestas básicas, roupas de brechó, enxoval para bebê, medicamentos e lanche, entre outros serviços.

D . 4570

A Associação Patrulha Jovem do Rio de Janeiro, que já funciona no Colégio Sonja Kill, com a parceria do RC do Rio de Janeiro-Saúde, RJ, ganhou mais dois postos avançados: um junto ao RC do Rio de Janeiro-São Conrado e outro junto ao RC de São João de Meriti. Ao longo de seus 22 anos de atividades, a instituição já encaminhou cerca de 11 mil adolescentes ao mercado de trabalho. RC de Amparo, SP – Com o Subsídio Simplificado da Fundação Rotária, o clube doou ao Programa Ação ConVidAtiva equipamentos fundamentais para a avaliação física dos cerca de 30 deficientes assistidos. O material recebido permitirá aos responsáveis pelo programa obter dados concretos da evolução físico-motora dos participantes.

D . 4590

RC de Hermann Blumenau, SC – Entregou 750 cestas de alimentos para entidades assistenciais e famílias carentes da cidade. Em outra oportunidade, os companheiros organizaram uma noite de homenagens a entidades e empresas que atuaram no combate às tragédias provoca-

D . 4650

5 8 JUNHO DE 2009

FOTOS: as imagens digitais precisam ter pelo menos 300 DPI de resolução e 9 cm de largura. Na dúvida, selecione a opção alta resolução de sua câmera. Se o envio for feito por e-mail, pedimos que o tamanho dos anexos não supere 1 MB. A publicação é gratuita. Basta apenas que o assunto se encaixe em nosso perfil editorial e que seu clube esteja em dia com a assinatura da revista. A Brasil Rotário não publica posses ou outros fatos que possam obter o merecido destaque nos boletins de seu clube. MUITO IMPORTANTE: informe também um telefone de contato (com o código de DDD) para que possamos falar com você no caso de qualquer dúvida. Anote os nossos endereços Avenida Rio Branco, 125 – 18o andar Rio de Janeiro, RJ CEP: 20040-006 e-mail: redacao@brasil-rotario.com.br O telefone da redação é (21) 2506-5600. Estamos esperando para ver seu clube na revista! RC de Vera Cruz, RS – Promoveu a 20ª Festa do Refrigerante, evento destinado às crianças da cidade. No Parque de Eventos do município, foram sorteados prêmios como computador com impressora, bicicleta aro 12, bonecas, jogos, canetas, réguas e bolas. Para completar a festa, palhaços animaram o evento e divertiram as crianças.

D . 4680

das pelas enchentes. Na ocasião, foram entregues troféus à prefeitura municipal, ao Corpo de Bombeiros e à Polícia Militar locais, 23º Batalhão de Infantaria, Jeep Club, TV Galega, Rivage Danceteria, e Força da Rádio – grupo de comunicação formado pelas rádios Nereu Ramos, Clube AM e 90 FM Lite Hits.


Senhoras em Ação

Em abril, a Casa da Amizade de Nova Alvorada do Sul, MS (D.4470), organizou uma festa de Páscoa na Apae da cidade. O evento teve o apoio da diretoria da Apae e do Rotary Club.

Mensalmente, a Casa da Amizade de Olinda, PE (D.4500), realiza a campanha Realizemos os Sonhos, que recebe doações de material de limpeza e alimentos, distribuídas entre sete instituições beneficentes da cidade.

A Casa da Amizade de Uberlândia-Sul, MG (D.4770), realizou um festival de tortas para 500 pessoas no Cajubá Country Club. Os pratos e os brindes distribuídos durante o evento, que chegou à sétima edição, foram doados pelos moradores da cidade. A renda do projeto, feito com a parceria do Rotary Club, foi destinada ao programa Polio Plus, através do qual os rotarianos participam da campanha mundial de combate à poliomielite. Com a parceria do Rotary Club local, a Casa da Amizade de Herval D’Oeste, SC (D.4740), doou uma cadeira de rodas e um computador a um menino morador da cidade.

B RASIL R OTÁRIO 5 9


Novos Companheiros Paul Harris

O que significa essa distinção? Uma pessoa, rotariana ou não, que contribui com o valor de US$ 1.000 à Fundação Rotária, ou em cujo nome é feita tal contribuição, recebe um título de Companheiro Paul Harris (com certificado, medalha e distintivo). Outras contribuições que qualificam ao reconhecimento são as feitas ao Fundo Anual para Programas, aos programa Polio Plus e Parceiros Polio Plus, à Associação Brasileira da The Rotary Foundation, além de contribuição a um Subsídio Humanitário.

Safiras, rubis e cristais O Companheiro Paul Harris que faz contribuições adicionais de US$ 1.000 à Fundação Rotária, ou em cujo nome elas são feitas, recebe safiras, rubis e cristais, de acordo com o nível da doação.

D . 4410

André Luis Magustero Américo Armando Spironelli Filho  Arri Alexandro Gologossidis  Carlos Roberto de Oliveira  César Roberto Menqui  Elcio Luiz Nobre Cruz, com a quinta safira  João Luiz Pereira  Joaribes Torquato  José Geraldo Fernandes  José Humberto de Oliveira  José Pilon  Lenira Sonia Borgeth  Marcos Campos Salles  Maria Pereira Marias  Rodney Loureiro dos Santos  Rodolfo Nunez  Sirlei Fátima Santos  

RC de Vitória-Praia Comprida, ES Antonio Fernando Santos Lacourt Antonio Friggi  Cesar Bressan, presidente do clube  Giuliano Rogério de Castro  Heloísa Helena Sudré  Henrique Tommasi Neto, com a terceira safira  Regina Del Puppo Luz, presidente da Casa da Amizade  Tharcicio Pedro Botti  

D . 4440 RC de Sorriso, MT Antônio Dalsóquio Carlos Damo  Claudir Bussolaro  Délcio Antônio de Oliveira  Edmar Telles  Itamar Perondi  João Carlos Both  José Élcio Antonow  Nery Cerutti  Sebastião Ferreira de Andrade Filho  Sérgio Adão Steves  

D . 4480 Interact Club de Santa Fé do Sul, SP  

Itamar Borges, prefeito da cidade Moacyr Miguel de Oliveira

RC de Votuporanga-Novas Gerações, SP Albaíza Nicolleti Otterço Janete Soares de Lima, com uma safira  Marcos Antonio Valério  Nei Armstrong Araldi, com uma safira 

RC de Mirassol D’Oeste, MT  

Enivaldo Pires Pietro Silvio Luiz Anzolin

D . 4470 RC de Araçatuba-Alvorada, SP  

Adefrásio de Oliveira Aguinaldo Mendes

6 0 JUNHO DE 2009



D . 4500 RC do Recife-Largo da Paz, PE 

Paulo Roberto Jurema de Dutra

MILHÕES DE CRIANÇAS AGUARDAM SUA DOAÇÃO À FR


D . 4510

D . 4600

RC de Cândido Mota, SP



Antonio Marcos Marroni



RC de Mirante do Paranapanema, SP Heribaldo Nunes de Carvalho  José Furlanetti 

D . 4520 RC de Coronel Fabriciano-Norte, MG 

Gláucio Satlher Júnior

Jacy de Oliveira Andrade (in memoriam) Maria Victória Andrade Beruto  Pedro Enrique Beruto

D . 4620 RC de São Roque, SP Adenilda Maria Aparecida Boccato Edson Alonso Carneiro, com a primeira safira  Renato Lovisolo  Vera Lúcia Barrella, com a primeira safira  

D . 4530

D . 4651

RC de Brasília-21 de Abril, DF

RC de Florianópolis-Estreito, SC



Cleber Santana



Aujor Antônio Alves

D . 4540

D . 4660

RC de Ribeirão Preto-Sul, SP

RC de Dona Francisca, RS

Fabiola Lopes  Jefferson Carlos Alckmin Araujo





D . 4550 RC da Bahia-Norte, BA 

Luiz Ovídio Fisher

Alan Daniel Gassen Vargas, presidente do clube

RC de Santa Bárbara do Sul, RS 

Luiz Vitório Cerutti

D . 4700

RC de Simões Filho-Aratu, BA

RC de Passo Fundo-Planalto Médio, RS

Heinrich Becker, com o terceiro rubi  Rolf Häberli-Brauen





D . 4570 RC do Rio de Janeiro, RJ

Sônia Mara Bitanti Costa

D . 4730 RC de Curitiba-Portão, PR 

Priscila Ramos de Melo

Ricardo Teixeira, com a primeira safira  Jorge de Barros Franco, com a terceira safira

D . 4760

RC do Rio de Janeiro-Rocha Miranda, RJ

RC de João Pinheiro-Participação, MG

Carmen Verônica Martins de Andrade  Sidney Chalfun de Matos







D . 4590 RC de Pirassununga, SP 

Amador Mistieri

D . 4600 RC de Jacareí-Oeste, SP 

Edson de Oliveira Andrade, ex-governador do distrito, com o título de Major Donor

João Alves

D . 4780 RC de Bagé-Rainha da Fronteira, RS  

Eduardo Oliveira Everton Trindade

RC de Paraíso do Sul, RS 

João Antonio Pires Santos

RC de Uruguaiana-Leste, RS 

Antonio Manoel da Costa

FAÇA SUA DOAÇÃO PARA A ERRADIC AÇÃO DA PÓLIO

B RASIL R OTÁRIO 6 1


Dois companheiros do RC de Gramado, RS (D.4670), estão completando meio século de Rotary. Nelson Dalri (à esquerda na foto) foi um dos fundadores do clube. Já Helmut Mayer, que entrou para o Rotary através do RC de Porto Alegre-Nordeste, está no clube gramadense desde 1992.

6 2 JUNHO DE 2009

Associado do RC de Lins, SP (D.4480), o exgovernador distrital Ary Gama Villela está no Rotary há 51 anos.

S G

e você tem 50 anos de Rotary ou mais, envie sua foto sozinho para a Brasil Rotário: E-mail: redacao@brasil-rotario.com.br Endereço postal: Avenida Rio Branco, 125 – 18o andar – Centro – Rio de Janeiro – CEP: 20040-006


Aconteceu na Brasil Rotário...

...em junho de 1929

Luiz Renato D. Coutinho

Esse mês foi um dos últimos capítulos de uma época de euforia. O mundo, sem saber, encontrava-se às portas da Grande Depressão, a se iniciar em 24 de outubro. E a crise econômica enterraria de vez os anos 20, caracterizados pela leveza, agitação, modernidade. O período havia trazido mais liberdade para as mulheres – que abandonaram o espartilho e vestiram roupas leves – e para os jovens. Estes dançaram o charleston, um ritmo que irritou as gerações mais velhas, e ainda é um emblema lembrado da década. Falando em modernidade, no dia 27, em Washington, EUA, o cientista Herbert E. Ives fez uma demonstração pública de seu sistema de

televisão em cores com 50 linhas de definição. Aqui no Brasil, o presidente Washington Luís concluía uma fase de negociações – que havia levado meses e depois malograria – para estabelecer seu sucessor: Júlio Prestes de Albuquerque, então presidente do Estado de São Paulo. Enquanto isso, o diretor, produtor e roteirista Luiz de Barros lançava “Acabaram-se os Otários”, o primeiro filme sonoro brasileiro. Desde julho de 1928 a nossa organização dispunha da revista Rotary Brasileiro (sucessora da Notícias Rotárias), que em janeiro de 1951 ganharia o nome de Brasil Rotário. A edição era dividida em seções, cada uma delas destinada a um dos 11 clubes existentes.

Rectificação do Tietê...

I Há exatos 80 anos foi publicada a palestra A Reforma da Educação em Pernambuco, proferida pelo dr. Carneiro Leão no Hotel Glória, no Rio de Janeiro. Após enaltecer longamente a reforma implementada pelo governador de Pernambuco, Estácio Coimbra, ele adverte: “O interior, porem, salvo excepções edificantes, em certos pontos, do sul, vegeta ha trinta, há cincoenta annos e mais do dia em que vivemos.” E ele se mostra muito preocupado com o banditismo que grassa longe das capitais.

Campanha contra a Febre Amarella “Além de promover vários almoços em que se tratou da campanha contra a febre amarella e a prophylaxia do terrível mal, o Rotary Club do Rio de Janeiro adheriu á Cruzada de Cooperação na Extincção da Febre Amarella.” O RC do Rio de Janeiro então dispunha de 94 sócios. I Na seção dedicada ao Rotary Club de Santos, ficou registrada a curiosa palestra do companheiro Agenor Guerra Corrêa, da “Comissão de Interesse Publico” daquele clube: “O orador pediu a attenção dos seus companheiros para o sensualismo e para a falta de moral que se observa nos films que se exhibem commumente nas matinées, chamadas infantis, dos cinemas desta cidade, suggerindo que o Club podia procurar as empresas cinematographicas, ou o Sr. Juiz de Menores, caso ellas se recusassem a entrar em accôrdo.”

...Explicada pelo dr. Ulhôa Cintra, “rotaryano do Rotary Club de São Paulo e alto funccionario da Prefeitura”: “Outra vantagem e, enorme, que advirá dessas obras será a navegabilidade do mesmo, pois que sua profundidade média passará a ser de 5 e ½ metros, com o que muito lucrará todo o município. (...) Essa obra é das de maior vulto até hoje emprehendidas na América do Sul.” “Outro embellezamento constitue a Avenida Fluvial, que acompanhará o rio, desde o alto da Penha até o alto da Lapa. Adquirida esta via publica, S. Paulo poderá gabar-se, talvez, de possuir uma das mais modernas e mais elegantes arterias da America, quiça de todo o mundo.” I O Rotary Club de Juiz de Fora debateu a questão do tráfego de automóveis no “districto” federal provenientes de outros estados. É que havia uma lei exigindo do turista ao volante licença para o veículo, a ser obtida em uma agência da prefeitura ou na “Policia Central”, no prazo de 24 horas a contar da chegada ao Rio de Janeiro. O clube sugeria o estabelecimento de postos fiscais nas vias de acesso à cidade em substituição à burocracia incômoda. BR

Juiz de Fora em foto dessa edição de 1929

B RASIL R OTÁRIO 6 3


Relax Rodrigo

Procurando o doutor O sujeito sobe oito andares de escada, bate na porta e pede para falar com o doutor. Dali a algum tempo ele é chamado dentro da sala, onde entra ainda esbaforido e vai logo falando: – Por favor, doutor: o que eu devo fazer para me sentir melhor? – Bem, trate de comer menos e faça exercícios para perder uns trinta quilos. Largue hoje o cigarro e a bebida. Depois, sugiro procurar um bom oftalmologista. – Um oftalmologista? Mas por que eu devo procurar um bom oftalmologista, doutor? – Para conseguir ler direito a placa da porta. Eu sou advogado, meu senhor. O médico é na sala ao lado!



Observador Uma mulher foi ao supermercado e pegou duas caixas de leite integral, uma dúzia de ovos, um litro de suco de laranja, uma alface americana, um quilo de café e um pacote de bacon fatiado. Um bêbado a observava passando as compras do carrinho para a esteira do caixa. Enquanto o caixa registrava as compras, o bêbado falou: – Você deve ser solteira. A mulher ficou um pouco espantada com a declaração e intrigada com a intuição do bêbado, já que, de fato, era solteira. Ela olhou os seis itens sobre a esteira e nada viu de particular em suas compras que pudesse sugerir ao bêbado seu estado civil. Com a curiosidade mais aguçada ainda, ela disse: – O senhor está absolutamente correto. Mas como diabos conseguiu descobrir que eu sou solteira? E o bêbado, muito tran-

6 4 JUNHO DE 2009

Seu perfil dizia que você era um cara de 30 e poucos anos, corpo atlético, inteligente, bem intencionado, apreciador de bons vinhos e acima de tudo sincero!

quilo, respondeu: – É porque você é feia pra caramba! * Colaborações de Edson Caetano da Costa, associado do RC de Campos do Jordão, SP (D.4600).

 Rico vovô – O vovô já vai dormir? – Ainda não, meu netinho querido. Mas por que você quer saber? – Porque o papai disse que quando o senhor fechar os olhos nós vamos ficar ricos. * Colaboração de Eris Jerola, associado do RC de Ponta Grossa, PR (D.4730).

 Definição livre Calorias são pequenos animais que vivem nos guarda-roupas e que, durante a noite, apertam as roupas das pessoas. * Colaboração de Paulo César Branquinho, associado do RC de Dourados, MS (D.4470).

 Sogras & sogras Dizem que toda mulher tem a sogra que merece. Vamos mostrar alguns tipos que encontramos por aí:

Benzinho, você acredita em tudo que lê na internet?

Sogra tranquila Nome científico: Sogronis nadelas Uma espécie bem resolvida. Deixa o filhote livre para namorar sem fazer perguntas. E ainda serve chá com biscoito quando conhece a nova namorada dele. Migra várias vezes por ano, deixando a casa liberada.

Sogra jararaca Nome científico: Sogronis peçonhentus Essa é um perigo. Sua língua venenosa acaba com as tentativas de namoro do filhote. O tipo mais comum. Sogra querida Nome científico: Sogronis simpaticcus Espécie amorosa, que adota as namoradas, escuta os problemas delas e torce pelo namoro. Rara e em extinção, quem a captura não solta. Sogra intrometida Nome científico: Sogronis enxeridis Se mete em tudo e também adora elogiar as ex-namoradas dele. Vence sua presa pelo cansaço. Costuma ir morar com o filhote quando ele se casa. *Extraída da internet.


1044 - Brasil Rotário - Junho de 2009  

Edição nº 1044 da revista Brasil Rotário.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you