Page 1

VIAGENS Casas Brancas Boutique: beleza e elegância em Búzios

TIRADENTES

REVISTA TRIMESTRAL - DISTRIBUIÇÃO CONTROLADA

ano05. #17 » out.nov.dez|2017

REFÚGIO NA CIDADE Localizada em um condomínio de Lavras, essa casa esbanja aconchego e requinte

Confira as nossas dicas de restaurantes e pousadas


6 | REVISTA IPÊ


REVISTA IPÊ | 7


| EDITORIAL

VIAGENS Casas Brancas Boutique: beleza e elegância em Búzios

TIRADENTES Confira as nossas dicas de restaurantes e pousadas

REVISTA TRIMESTRAL - DISTRIBUIÇÃO CONTROLADA

ano05. #17 » out.nov.dez|2017

REFÚGIO NA CIDADE Localizada em um condomínio de Lavras, essa casa esbanja aconchego e requinte.

Nossa Capa Arquiteta Juliana Melo Cidade: Lavras/MG Foto: Daniel Rocha

—8—

UMA EDIÇÃO DE NOVIDADES

O

s primeiros anos de uma empresa são essenciais para criar raízes. A Revista Ipê se orgulha por todo o conteúdo criado e todas as parcerias que foram realizadas até agora. Sempre de maneira autêntica, original e responsável. Neste ano, completamos cinco anos de história. Uma revista jovem, com uma equipe moderna, que busca sempre criar conteúdo de qualidade para vocês, nossos leitores. Para celebrar essa etapa, a Revista decidiu inovar mais uma vez: atualizar o visual. Por isso, desenvolvemos uma nova marca, com uma tipografia moderna, serifada. Agregamos a flor do Ipê como nosso ícone, um dos símbolos mais fortes de Lavras. Assim, nosso novo visual transmite a energia do Ipê, algo novo e de fácil reconhecimento para o nosso público e parceiros. Nossas cores também mudaram, agora usamos três cores características do Ipê (amarelo, rosa e roxo), criando uma marca forte e impactante para o nosso público. Nosso objetivo é proporcionar uma revista de alta qualidade, a fim de continuar evoluindo e crescendo com Lavras e região. Esperamos que vocês apreciem o nosso novo visual, e todas as nossas matérias feitas com muita dedicação por toda a equipe. Édison Marques Júnior Diretor da Revista Ipê

PROJETO EDITORIAL Édison Marques Júnior DESIGN E PROJETO GRÁFICO Édison Marques Júnior JORNALISTA RESPONSÁVEL Camila Caetano JURÍDICO Édison Marques FOTÓGRAFOS Daniel Rocha Fotografias José Henrique (Cia da Foto) REVISÃO Pauline Freire Pimenta REDAÇÃO Ana Carolina Siqueira Abe-Sáber Boris Feldman Camila Caetano Ennemont Theyson Morel Flávia Ferreira Camila Corrêa P. Santa Cecília COMERCIAL Édison Marques Júnior Contato: (35) 99143.4125 contato@revistaipe.com.br www.revistaipe.com.br EDIÇÕES AVULSAS E ESPECIAIS contato@revistaipe.com.br Edição nº 17. Distribuição controlada Impressão: Editora Rona Tiragem: 3.000 exemplares

SIGA A REVISTA IPÊ @REVISTAIPÊ Artigos assinados são de responsabilidade dos respectivos autores. Autoriza-se a reprodução, desde que citada a fonte.

REVISTA IPÊ


Out.Nov.Dez/2017 SUMÁRIO CAPA Casa projetada pela arquiteta Juliana Melo, em Lavras, esbanja aconchego e requinte. Uma das referências dos proprietários foram os casarões da Toscana, lugar pelo qual são apaixonados.

40

— 9—

VIAGEM Casas Brancas Boutique Hotel & SPA, um refúgio de beleza e elegância, na pequena vila de Búzios, com vista panorâmica para a Orla Bardot.

BELEZA A cabelereira Rosane Carvalho, consagrada em Lavras, explica o que deve ser feito para preservar os fios no verão.

14 SEÇÕES

COMEMORAÇÃO São João Del-Rei completa 304 anos em dezembro. Saiba mais sobre a história dessa cidade mineira.

84

COMÉRCIO

50

Da lavoura ao comércio, Zé Custódio, 86 anos, construiu uma história de dedicação e sucesso. A primeira loja foi criada em Perdões, com o nome Fonte dos Calçados.

38

TIRADENTES Primeira edição da Semana Criativa em Tiradentes contou com mais de 4 mil pessoas. A nova rota do design brasileiro.

78

BOM SUCESSO

22

ESPORTE

24

SAÚDE

30

NUTRIÇÃO

32

ARTESANATO

34

COMEMORAÇÃO SANT’ANA

48

POLÍTICA

52

JURÍDICO

54

CINEMA

56

VERDE CAMPO

64

GASTRONOMIA

72

DICAS DE VIAGENS

80

SOCIAL

88

REVISTA IPÊ


| CARTAS

EDIÇÃO 16

— 10 —

Envie comentários, sugestões e opiniões para serem publicados nesta seção Revista Ipê contato@revistaipe.com.br www.revistaipe.com.br

Amo ler, faz parte da minha rotina e da minha vida. Por isso, falar da Revista Ipê é uma honra. Quando vou a algum lugar a primeira coisa que reparo é onde ficam as revistas e quando vejo que lá está a minha queridinha tudo fica bem melhor, afinal uma boa leitura não tem hora e nem lugar. Tenho uma edição em especial que eu adoro, que contou com uma matéria sobre as histórias das mulheres de Lavras. Nessa edição conheci um pouco sobre seus desafios e realizações. Às vezes focamos somente na figura e deixamos de lado a história e a essência de cada um. A Revista também me proporciona conhecer cada lugar incrível, sem precisar sair do sofá. Como leitora assídua eu preciso sentir emoções quando leio, e a Ipê me proporciona tudo isso. Parece que eu estou lá quando o primeiro flash é disparado, isso para mim é essencial. Quero registrar aqui o meu carinho e a minha admiração pela equipe da Revista Ipê. Consigo sentir o amor e carinho que vocês têm em levar a informação até nós leitores. E como conhecimento não ocupa espaço, aprendo muito em casa edição.

Jackeline Nilfa A revista Ipê se tornou uma referência indispensável para Lavras e região. Com excelentes matérias e um trabalho gráfico de alta qualidade, conquistou muitos leitores e hoje faz parte da identidade cultural lavrense. Obrigado à revista Ipê por representar a nossa querida cidade. Felicitações à equipe!

Maria Cristina Mattioli REVISTA IPÊ

A Revista Ipê é um importante veículo de comunicação da nossa cidade, que atende a nossa região há cinco anos. Uma revista jovem que se fortalece a cada edição. E sempre como parceira ímpar da Universidade Federal de Lavras (UFLA), com divulgação de notícias da Instituição para toda a comunidade, permitindo, assim, uma maior aproximação entre as partes. Para nós da UFLA, contar com esse apoio é de extrema importância para que possamos estar sempre em contato com a sociedade. É uma imensa satisfação ter a parceria de um veículo de comunicação que contribui de forma decisiva para que a informação de qualidade seja levada aos mais diferentes públicos da nossa região. Aprecio cada edição e cada leitura que a Revista Ipê me proporciona. Um texto agradável, com matérias de muita credibilidade, fotografias de extrema qualidade e um design moderno, formando um conjunto exemplar. Como reitor da UFLA, professor, e um fiel leitor da revista, parabenizo a toda a equipe por esse trabalho excepcional, com um jornalismo de alto nível, lastreado na verdade e no compromisso de informar de maneira justa e imparcial a população.

José Roberto Soares Scolforo Reitor da UFLA

Olá! A cada edição da Revista Ipê, reforço minha percepção de que esta é a melhor revista de Lavras! Conteúdo diversificado e sempre interessante (aventura, esportes, artes, turismo, culinária, etc.), além da qualidade gráfica, que aumenta ainda mais o prazer de ler. Na última edição, chamou-me a atenção, especialmente, a matéria “Aventuras de moto”. A maneira como foi escrita e ilustrada, com tantos detalhes e belíssimas fotografias, me fez sentir como um quinto integrante desse grupo de lavrenses que percorreu 10.000 km pela América do Sul em 21 dias. Cumprimento-os pela qualidade do trabalho!

José Marcio Faria Professor da UFLA

Estou encantado com a diagramação, organização e com a seriedade das reportagens, muito boas! Espero que divulgue a revista para mais públicos em Lavras, para que ela seja prestigiada de melhor maneira e seja percebida na sua seriedade. Que Deus continue abençoando a todos da organização da revista!

Reverendo Elenildo Menezes do Nascimento


| COLABORADORES

RAÍZES PIVOTANTES

— 12 —

Os colunistas da Revista são como as raízes pivotantes dos ipês, imprescindíveis para o florescimento da nossa estrutura. Nutrem os leitores com conteúdos e informações de qualidade, constroem pontes e estabelecem novas conexões, permitindo a disseminação de mentes férteis e brilhantes.

58 ENNEMONT THEYSON MOREL Empresário, Consultor e Coach Formado em Comunicação Social, com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Marketing, mais MBA em Gestão Estratégica de Negócios e mestrado em Gestão Empresarial e Auditoria. Fundador da Amplliare: Coaching, Consultoria e Treinamentos sob medida. Membro da Sociedade Brasileira de Coaching, possui ainda quatro certificações internacionais. Atualmente é professor de Negociação e Gestão de Vendas na pós Graduação FAE/ Ipecont – Itajubá e diretor na FRVendas, maior franqueadora em solução de vendas do Brasil.

REVISTA IPÊ

FLÁVIA FERREIRA Maquiadora

BORIS FELDMAN Jornalista e Engenheiro

CAMILA CORRÊA P. SANTA CECÍLIA Fashion Image

ANA CAROLINA S. ABE-SÁBER Chef de Cozinha

Flávia Ferreira é maquiadora visagista, com ênfase em maquiagem social. Com formação nas grandes escolas de maquiagem e por grandes maquiadores, trabalha no seu Studio em Lavras com maquiagens airbrush e convencional. Ministra cursos profissionalizantes no Senac Lavras e no seu Studio. Também ajuda as mulheres a realçarem a sua beleza através dos cursos de automaquiagem.

Formado em Engenharia e com pós-graduação em Comunicação. Editor e colunista em cadernos de automóveis de diversos jornais. Produz o programa Auto Papo e integra 38 rádios. Criou e apresentou o programa Vrum. Foi piloto de competições em rallys e corridas e vice-presidente da Confederação Brasileira de Automobilismo. É diretor do Veteran Car Club de Minas Gerais. Produz o Blog do Boris no portal R7. Jurado do concurso “International Engine of the Year” e do “Carro do Ano” da revista AutoEsporte.

Formada em Fashion Image pelo Instituto Marangoni de Paris. Sócia no blog www.euphoriadeestilo.com.br Sócia e proprietária da loja Closet Lavras.

Nasceu em Lavras, formou-se em Turismo pela Newton Paiva em Belo Horizonte. Fez o curso de Cozinheiro Profissional do SENAC BH e Gastronomia Internacional pela escola de culinária Mausi Sebess de Buenos Aires. Foi chef da confeitaria do restaurante francês Alice Braserrie de Brasília, onde abriu seu restaurante.


— 14 —

| BELEZA

Cuidados com o cabelo no verão Rosane Carvalho explica o que deve ser feito para preservar os fios.

REVISTA IPÊ

Por Camila Caetano Fotos: Daniel Rocha


— 15 —

O

verão chegou e a primeira coisa que todos pensam é em reforçar os cuidados com a pele, e em nenhuma hipótese esquecer-se de passar o protetor solar. Mas, você sabia que é fundamental ter essa mesma preocupação com o cabelo? A conceituada cabeleireira Rosane Carvalho, premiada por dois anos consecutivos na Pesquisa Sales Botega, explica que os cabelos também são prejudicados com os raios ultravioleta, por isso, necessitam de produtos com proteção UV e ativos especiais. Além disso, no verão, o cabelo fica mais exposto ao cloro da piscina, ao mar, o que pode deixá-lo sem vida e quebradiço. “Antes de ir à piscina ou ao mar, é imprescindível passar um leave-in com proteção solar. E para aqueles que fazem luzes no cabelo, o ideal é prendê-lo antes de entrar na piscina, e evitar molhar os fios, principalmente se o cabelo estiver danificado”. Cabelos ressecados, quebradiços, precisam de um cuidado ainda mais especial. Por isso, é importante verificar com um profissional o que o fio necessita. “Fazer uma hidratação em casa é sempre bom. Mas, somente hi-

dratação não é suficiente. É preciso ver o que o seu cabelo precisa. Hoje em dia, muitas pessoas compram produtos por conta própria e aplicam, mas o efeito pode ser totalmente o contrário ao esperado. Um exemplo disso é a queratina, pode ser que seu fio não precise de queratina e ao aplicá-la você estará prejudicando-o”. Com 18 anos de profissão, Rosane destaca mais um ponto que serve como alerta às mulheres que descolorem os fios. “A moda agora é a matização. A maioria compra uma máscara violeta e utiliza no cabelo com luzes, com a intenção de deixá-lo mais platinado. Isso pode ressacá-lo e gerar um excesso de pigmento. A matização não deve ser feita dessa maneira. Se o cabelo está amarelado é necessário procurar um bom profissional para resolver o problema”.

PERFIL Rosane Carvalho, premiada por dois anos consecutivos na Pesquisa Sales Botega como melhor cabeleireira de Lavras, executa a profissão há 18 anos. Seu salão trabalha com cortes,

tinturas, mechas, penteados, maquiagem, e os mais variados serviços de estética. Rosane é muito procurada por noivas. Dentre os produtos utilizados por ela, estão: Loreal, Wella, Joico, Lowell, Ecosmetics, Contém 1g, Eudora, etc. Pelo menos duas vezes ao ano Rosane realiza e promove cursos na área, a fim de ter um aprendizado constante.

Rosane Carvalho Cabelo e Estética Funcionamento:

Terça a sábado, de 8h às 19h

Endereço:

Rua João Modesto, 202, sala 03 Centro Lavras

Contato: (35) 4104-0044 (35) 99200-1315 /rosanecarvalhohair @rosanecarvalho rosanehair@yahoo.com.br REVISTA IPÊ


— 16 —

| BELEZA

Dicas de produtos de maquiagem para o verão O verão está aí e o que eu mais ouço das adeptas da maquiagem é: “Minha make não dura neste calor”. Como fazer para que a maquiagem resista a esse calorão, ao suor excessivo e à pele que fica mais oleosa?

REVISTA IPÊ

A

s dicas desta edição são sobre produtos e make para o verão. Para que a maquiagem dure mais tempo – seja em qualquer estação do ano – é indispensável o preparo correto da pele, seja ela seca, normal ou oleosa. Limpeza, tonificação e hidratação são os cuidados necessários antes de começar qualquer maquiagem. E todos os produtos que você usar devem ser específicos para seu tipo de pele. Depois desses cuidados básicos, podemos dar início à maquiagem. E a primeira dica é aplicar uma fina camada de spray fixador de maquiagem sobre a pele do rosto, a uma distância de 20 cm, antes e depois da maquiagem. Esse spray pode ser da marca de sua preferência.

Fotos: Daniel Rocha


Outro produto indispensável à maquiagem no verão é o lenço antibrilho. Prático de ser usado. Ele deve ser encostado na pele, nos pontos de maior oleosidade (brilho). Não é necessário esfregar, basta encostá-lo na pele. O lenço “puxa” a oleosidade sem remover a sua maquiagem.

Foto: Fabiano Nunes

A segunda dica é: menos é mais! Uma pele mais leve, com menos camadas, também pode ajudar na durabilidade da sua maquiagem. Opte por bases e corretivos líquidos, mais fluidos. Para quem não dispensa um filtro solar, aposte nas bases com FPS. Recentemente a marca “Quem disse, Berenice?”, lançou uma base líquida em conta gotas com FPS 50 e acabamento semi matte, que vai bem em peles mistas, normais e secas. Excelente para o verão! Para as peles muito oleosas, uma base de acabamento matte é a melhor opção. Nesse caso, as bases com média ou leve cobertura também são mais apropriadas. As bases que prometem longa duração também devem entrar nessa lista de opções.

— 17 —

Os pós compactos ou soltos, com cor ou translúcido, também devem entrar na sua penteadeira. Uma fina camada aplicada com um pincel de pó por todo o rosto é o suficiente para ajudar a “selar” a pele. Verão pede brilho, pede cor e descontração! Deixe a cor preta um pouco de lado nesta época do ano. Os blushes com cintilância, bem como as sombras e batons casam perfeitamente com a leveza da estação. Portanto, se joguem nas cores e na alegria da estação!

Flávia Ferreira Make Up Av. Dr. Sílvio Menicuci (perimetral), 863, loja 02 - Bairro Belo Horizonte. Lavras/MG

Contato: (35) 98802-1593 Flávia Ferreira @flaviaferreiramakeup REVISTA IPÊ


— 20 —

| MODA

20 | REVISTAIPÊ IPÊ REVISTA


O verão chegou!!! A estação mais esperada pelos fashionistas.

Fotos: Daniel Rocha

F

Camila Corrêa Pereira Santa Cecília • Formada em Fashion Image pelo Instituto Marangoni de Paris. • Sócia no blog: euphoriadeestilo.com.br • Sócia e proprietária da loja Closet Lavras

@camilasantacecilia

@closet_lavras

@euphoriadeestilo REVISTA IPÊ

— 21 —

inalmente chegou uma das estações mais esperada do ano, principalmente pelos fashionistas que adoram usar e abusar de combinações inusitadas, cores vibrantes e luminosas que realçam o corpo bronzeado do verão. As possibilidades são infinitas e acabamos ficando perdidas sem saber o que usar e o que será tendência. Uma peça que representa a mulher melhor que qualquer ícone quando o assunto é moda é o vestido. Eles aparecem todos os anos com novos detalhes, recortes, babados, ombros estruturados, amarrações, algo que os tornam a peça desejo da estação. Os vestidos camisa ou chemise são a grande sensação dessa vez. Clássicos, democráticos e versáteis se encaixam em todos os estilos, são fáceis de combinar, além de ir do trabalho ao passeio informal, de maneira elegante. Os midis ainda encontram um pouco de resistência entre as brasileiras, mas, é válido ressaltar que o comprimento dele une estilo e conforto, trazendo uma pegada vintage e muito feminina. Já os curtos, destacam as pernas e requerem certo cuidado para não cair na vulgaridade. Combinar com acessórios descontraídos e pouca make pode favorecer. Os longos transitam entre o sofisticado e despojado. As transparências que também são forte tendência vieram com tudo com detalhes nas barras, adicionando um toque de sensualidade ao look. Mas, independente do que está na moda, o importante é usá-la a seu favor. Não tem erro maior do que usar algo que está na moda e não combina com seu estilo. Vou ficando por aqui e até a próxima!


| BOM SUCESSO

Aqua Center Fisio: Diversos serviços de bem-estar e saúde em um só lugar. Há 10 anos levando novidades a Bom Sucesso e região

A

Aqua Center Fisio, em Bom Sucesso, iniciou suas atividades em 2007 com a fisioterapeuta Maria Juliane Ribeiro Braga. “Somos a única academia do município e região que oferece atividades de hidroginástica, natação e hidroterapia em piscina aquecida. Também somos pioneiros na cidade com a academia feminina e aulas de zumba. Nesse período, diversos profissionais contribuíram para o crescimento da academia, em especial a professora de educação física Ana Flávia Oliveira Santos, responsável técnica pela academia e professora de zumba, e nossas secretárias Vanessa e Elessandra que estão há 10 anos conosco demonstrando compromisso e dedicação”, comenta a proprietária Maria Juliane. A academia oferece os seguintes serviços: hidroginástica, natação, hidroterapia, zumba, academia feminina, treinamento funcional, pilates, yoga, fisioterapia, serviços de estética e ainda nutrição, psicologia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, ortopedia, nutrologia e psiquiatria. Tudo isso em um só lugar. Com toda a correria do cotidiano, a Aqua Center Fisio centralizou todas essas atividades no seu amplo espaço, pensando sempre no bem-estar dos seus clientes. A academia feminina conta com um novo espaço recentemente inaugurado, trabalha com grupos reduzidos de mulheres de todas as idades, REVISTA IPÊ

Foto: Aqua Fisio Center

— 22 —

Por Camila Caetano Fotos: Daniel Rocha

Equipe Aqua Center Fisio

que gostam de certa privacidade ao malhar, associando musculação, ginástica localizada e treinamento funcional, o que torna o treino bem dinâmico e divertido. A clínica é pioneira no trabalho em grupo de crianças e idosos, onde fisioterapeuta e educador físico associam na mesma aula treinamento funcional e pilates. De forma lúdica, trabalha-se equilíbrio, respiração, concentração, postura, coordenação motora, condicionamento físico e cardiopulmonar. Há ainda uma nova e aconchegante sala de pilates, coordenada pela fisioterapeuta Flaviane Faleiro. O gran-

de diferencial desse serviço é o pilates clínico e o trabalho de solo com um repertório variado de acessórios, além dos aparelhos. A área de fisioterapia é coordenada pela própria proprietária, Maria Juliane, que relata: “A fisioterapia é a minha paixão, ficando a maior parte sob meus cuidados. Atuo nas mais diversas áreas como RPG, hidroterapia, isostretching, fisioterapia geral e domiciliar. Estou iniciando uma nova técnica, a microfisioterapia, que utiliza técnicas específicas de micropalpação no tratamento de sintomas físicos e emocionais. Os atendimentos


Marcelo Wagner Viana Psiquiatria

Aline Teixeira Psicóloga

Maria Juliane Ribeiro Braga Fisioterapeuta

Dr. Rodrigo Reis Nogueira Ortopedista

Layla Milani Fisioterapeuta Dermato Funcional

Vanessa e Elessandra Secretárias

— 23 —

de fisioterapia são individualizados e personalizados. Também sou professora de hatha yoga integral, aula que oferecemos e que amo ministrar”. Na área de dermato funcional, a academia conta com a fisioterapeuta Layla Milani, que realiza massagens com pedras quentes, relaxante, bambuterapia, modeladora e drenagem linfática. Além desses serviços, a fisioterapeuta Amanda Sousa traz também a novidade em drenagem linfática e modeladora: o método Renata França, que virou febre entre os famosos devidos aos seus ótimos e imediatos resultados. Na área de nutrição, a nutricionista Thays Moraes realiza bioimpedância e acompanhamento nutricional. Em saúde mental, as psicólogas Cláudia Castanheira e Aline Teixeira realizam atendimentos para crianças e adultos, além de terapias holísticas como reike, meditação orientada, shiatisu e reflexologia podal. Os serviços de terapia ocupacional são realizados por Miriam Reis e os de fonoaudiologia por Kilma Cristiane. E vocês acham que acabou? O espaço recentemente passou a oferecer especialidades médicas, com intuito de fazer com que a Aqua Center Fisio seja um grande centro de referên-cia e tratamento das patologias que acometem os indivíduos nos aspectos motores, nutricionais, psicológicos e emocionais, trazendo dessa forma para a população bom-sucessense e região maior comodidade. Para esse fim, integram a equipe os médicos Rodrigo Nogueira na ortopedia; Fernanda Viana na nutrologia médica, e Marcelo Viana na psiquiatria e psicoterapia, sendo pioneiro na cidade e região com a terapia EMDR, que consiste na dessensibilização e reprocessamento através de movimentos oculares para o tratamento de traumas, fobias, pânico, ansiedades e outras doenças em geral. De acordo com a proprietária, a Aqua Center Fisio é uma empresa que não visa somente o lucro, além de planos especiais e descontos, está sempre envolvida em projetos sociais e de ajuda ao próximo. Um dos programas solidários que oferece é o programa de empréstimo de cadeiras de banho para pessoas carentes e necessitadas do município. Nos planos para 2018 há um grande desafio que será encarado por toda a equipe: cuidar de forma global de uma voluntária, carente, portadora de obe-

sidade mórbida e de outros problemas de saúde, buscando recuperar a sua forma física e emocional, reintegrando-a ao mercado de trabalho. “Buscamos sempre cuidar verdadeiramente de nossos clientes, temos uma equipe qualificada e trabalhamos de forma integrativa, sempre em busca de novos parceiros que compartilhem da mesma ideia”, destaca Maria Juliane.

Aqua Center Fisio R. Laurentino T de Avelar, 56, Bom Sucesso - Centro

Contato: (35) 3841-1204 @AquaCenterFisio REVISTA IPÊ


— 24 —

| ESPORTE

Copa Uai-Cross Country Amador em Lavras Cidade tem sido palco de grandes eventos esportivos

REVISTA IPÊ


Por Camila Caetano Fotos: Marcus Ribeiro

Lavras tem sido o palco de grandes eventos esportivos. A UFLA também sediou neste ano o 1º Encontro Sul Mineiro de Automodelismo, na nova pista on-road do câmpus, localizada ao lado do Centro de Eventos. A prática refere-se ao desenvolvimento e aprimoramento de modelos de automóveis

em escala reduzida, que podem ser de controle remoto ou estáticos, elétricos ou movidos à combustão. O projeto de Automodelismo tem como idealizadores e apoiadores o pró-reitor de Infraestrutura e Logística (Proinfra), professor Jackson Antonio Barbosa, e o diretor de Logística Acadêmica, José Maurício de Resende. A competição é uma das vertentes de um projeto de ação comunitária, coordenado por Jackson. A pista da UFLA possui traçado exclusivo e permite a prática do Automodelismo em alta velocidade. Aberta ao público em geral, ela será utilizada por diversas escalas de automodelo, trazendo a Lavras uma grande oportunidade para todos que se interessam pela atividade. Outro evento que chamou atenção neste ano foi o 1º GP de Rolimã, também realizado na UFLA. Estiveram

presentes equipes de São Paulo, Belo Horizonte, Divinópolis, Poços de Caldas, Campo Belo, até mesmo Paraná. Cerca de cem pessoas participaram da competição. O evento foi realizado pela equipe Zeus Fórmula SAE, coordenada pelo professor Jackson. Velocidade e emoção predominaram na Avenida Principal da UFLA, com uma significativa torcida. Jackson e Maurício pretendem promover outros eventos nos próximos meses. A expectativa é que em breve seja realizado um campeonato de canoagem nas lagoas da UFLA.

REVISTA IPÊ

— 25 —

MAIS EVENTOS ESPORTIVOS EM LAVRAS

Foto: Fernando Lima

L

avras sediou a Copa Uai-Cross Country Amador, em uma pista bem traçada, com diversos obstáculos e circuitos na UFLA. O campeonato, realizado no dia 8 de outubro, foi promovido pela Duex Entretenimento Esportivo e Eventos, com o apoio da Pró-Reitoria de Infraestrutura e Logística (Proinfra) e a Diretoria de Logística da UFLA, além de outros parceiros. Para o organizador do evento, Márcio Kennedy Ribeiro, o evento superou as expectativas, tanto por parte dos participantes quanto pelo envolvimento do público. “Para mim, que faço esse campeonato apoiado pela força dos parceiros, foi uma honra realizar um evento dentro da famosa Universidade Federal de Lavras. A prova que realizamos em Lavras não deixou a desejar. Foi em um circuito que exigiu muito preparo dos participantes. Organizar esse evento foi muito honroso por ser dentro da Universidade, um cartão de visita. Também devo destacar o público presente, uma torcida animada. Durante o tempo todo, ouvíamos os gritos de acelera, acelera”. Os grandes destaques nas categorias nacionais foram os pilotos Gabriel Cabral (Lavras), que venceu duas baterias, e Elvis Lucas (São Tomé das Letras), que com muita competência, também levou duas conquistas. Na categoria Kids, esteve no pódio Gabriel Saito (Três Corações), que fez história no campeonato. Já na categoria Junior, outro lavrense se destacou: Túlio Silva.


| ESPORTE

— 28 —

Cria Lavras Projeto insere crianças e jovens no ambiente acadêmico por meio do esporte

C

onhecer novos horizontes e descobrir um mundo de possibilidades: é essa a realidade dos integrantes do Centro Regional de Iniciação ao Atletismo (Cria Lavras). Desde 2007, crianças e jovens são treinados pelo professor, do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Lavras (DEF/UFLA), Fernando de Oliveira, para que possam dar o melhor de si, no esporte e na vida. O projeto Cria Lavras é uma atividade de extensão da UFLA em parceria com a Prefeitura Municipal. Tem como objetivo, por meio do atletismo, colocar crianças e jovens da cidade e região em contato com a universidade, para que, dessa forma, se sintam incentivados a ingressar nesse ambiente. De segunda a sexta, das 15h às 18h, e aos sábados, das 9h às 11h, os atletas treinam na Pista de Atletismo de Alto Rendimento ou no Ginásio Poliesportivo da UFLA. Os participantes são divididos em quatro grupos, sendo o primeiro composto por crianças de 7 a 10 anos, o segundo grupo, REVISTA IPÊ

Por Panmela Oliveira e Samara Avelar Fotos: Mateus Lima também chamado de iniciantes, de 10 a 14 anos, o grupo intermediário, compreendido por adolescentes de 15 a 17 anos, e os avançados, acima de 17 anos. Os atletas que se superam em seus grupos, mesmo que não tenham alcançado a próxima faixa etária, são transferidos de equipe. O grupo dos “pequerruchos” (de 7 a 10 anos), como são chamados pelo professor Fernando, também possuem atividades de judô, taekwondo e dança. Podem participar do projeto alunos de escolas públicas e particulares. Atualmente, estudantes de 16 diferentes escolas de Lavras são atendidos na UFLA, totalizando cerca de 110 participantes. A Prefeitura cede o transporte para os treinos e viagens para campeonatos, quando necessário. Estudantes do curso de graduação em Educação Física da Universidade também participam e colaboram com a causa. A iniciativa não se restringe somente à Universidade. Duas vezes por semana, estudantes da disciplina de Esportes Individuais 2, do DEF, con-

duzem atividades nas próprias escolas públicas de Lavras. Dessa forma, o projeto alcança mais 480 crianças, aproximadamente. Para o professor Fernando, a força de vontade não tem limites: além do município de Lavras, 1500 crianças são atendidas na região. Cidades como Ibituruna, Ijaci, Perdões, Bom Sucesso, Itumirim, Coqueiral e Itutinga são beneficiadas com o projeto por meio de parcerias com órgãos municipais, onde professores e estudantes de Educação Física da UFLA acompanham as atividades. A iniciativa despertou interesse também em outra universidade: a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) inseriu o programa com o apoio da equipe de Lavras. DE OLHO NO FUTURO A contribuição do projeto Cria Lavras na formação das crianças e jovens vai além do esporte. “No projeto, incentivamos os participantes a darem o melhor de si e cobramos resultados


nacional do Desporto Escolar (ISF)-e ficou em 7º lugar na categoria 100 metros com barreira. Em 2015 participou do Sul Americano Equador ficando no 3º lugar geral na categoria Heptatlo (100 metros com barreiras, salto em altura, arremesso do peso, 200 metros, salto em distância, lançamento do dardo e 800 metros).

MAIS CONQUISTAS

nalismo: já fomos campeões brasileiros, temos atletas rankiados entre os melhores do país, da América Latina e até do mundo, e podemos treinar em uma pista de nível internacional aqui na UFLA”, conta. Ingrid Ellen da Silva Moreira também é um exemplo disso: integrante do Cria há seis anos, a jovem é natural de Machado (MG) e veio para Lavras para participar do projeto. No início, se hospedou na Residência dos Atletas, casa mantida pelo Cria, até que, graças ao seu esforço e dedicação, ingressou na UFLA como estudante de Educação Física. Atualmente, está no 4º período do curso e reside no Alojamento Estudantil da Universidade, conhecido como Brejão. A atleta já participou de vários campeonatos nacionais e até mesmo mundiais. Em 2013, foi vice-campeã mundial de Atletismo em evento realizado na República Tcheca. Ainda no mesmo ano, participou da Gymnasíade, em Brasília – evento multiesportivo organizado pela Federação Inter-

FICHA TÉCNICA Os interessados em participar do projeto podem procurar a secretaria do Departamento de Educação Física, de segunda à sexta-feira. Mais informações pelo telefone: (35) 3829 1293.

REVISTA IPÊ

— 29 —

também nos estudos: as crianças precisam mostrar o rendimento que têm na escola e, se for preciso, podem fazer as atividades escolares dentro do ginásio”, afirma Fernando. Com esse incentivo e com a determinação que veem nos colegas, muitos conseguiram entrar em universidades federais e concretizaram, dessa forma, o objetivo do projeto. “Somos parceiros dos pais”, conclui o professor. Alguns dos atletas participam da iniciativa desde a infância, e são hoje estudantes da UFLA, como o graduando em Educação Física, Pedro Oliveira, que se interessou pelo esporte aos 11 anos e inspirou o pai, Fernando, a idealizar o projeto. “Lembro de estar assistindo à final dos 100 metros do atletismo nas Olimpíadas de 2008 e descobrir que era isso o que queria fazer, ser atleta de verdade. E o Cria Lavras nasceu, com mais três crianças participantes. Fazíamos outros esportes, mas o atletismo foi ganhando força, agregando mais pessoas, até alcançarmos um estado de profissio-

A equipe do Cria Lavras alcançou o pódio, pela primeira vez, nos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs). O torneio foi disputado em outubro, no Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia (GO). No resultado final, com o somatório de pontos por equipe, a UFLA alcançou, respectivamente, 2º e 3º lugares nas disputas feminina e masculina. Além disso, os atletas do projeto conquistaram o ouro na prova masculina 4 x 400 metros e nas provas femininas de 5000 metros (Hellen Cristina Trindade Ferreira), 100 metros com barreiras (Camila Paulino Paiva), Triplo (Pamela Aparecida André) e Heptatlo (Ingrid Ellen). Para o treinador Fernando de Oliveira, o resultado superou expectativas. “Tínhamos a previsão de ficar entre as cinco melhores equipes. Fomos além. Somos a única universidade pública a alcançar esse êxito, de subir ao pódio nos dois gêneros em uma competição universitária desse nível”, explica. O reitor da UFLA, professor José Roberto Soares Scolforo, destaca o desempenho dos atletas. “O Cria Lavras é um projeto que tem dado excelentes resultados ao longo desses dez anos. Isso se deve à dedicação de toda a equipe, tanto de coordenação e treinamento, quanto dos próprios atletas, que encontraram no esporte uma motivação profissional e de vida. Temos muito orgulho de vê-los alcançando sucesso nas competições e também na vida universitária”, ressalta o reitor.


Divulgação

| SAÚDE

— 30 —

Entendendo o Autismo Infantil Os estudos sobre o autismo são relativamente recentes. Para se ter noção disso, basta saber que neste ano de 2017 ainda vive a primeira pessoa que recebeu este diagnóstico.

T

udo começou quando o eminente Psiquiatra Leo Kanner descreveu no ano de 1943 algumas crianças que apresentavam comportamento diferente do habitual. A começar pelo jovem Donald, filho de um advogado da cidade de Triplett no estado do Mississippi, o qual descrevia que seu filho “não demonstrava alegria quando vê o pai ou a mãe, e parecia fechado em sua concha e vivendo dentro de si”. Donald completou 84 anos e vive em uma pequena cidade no interior dos Estados Unidos.

O QUE É AUTISMO? O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um transtorno do desenvolvimento em que há déficits persistentes na comunicação e interação social em múltiplos contextos bem como a presença de padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesse ou atividades, sendo estas alterações REVISTA IPÊ

presentes desde o início do período de neurodesenvolvimento (embora possam não se tornar plenamente manifestos até que as demandas sociais excedam as capacidades do indivíduo). Tais características podem se manifestar de forma e intensidade diferentes em cada indivíduo, por isso a utilização do termo ‘espectro’.

QUAL A PREVALÊNCIA? É mais frequente em meninos, na proporção de 4:1, e tem-se observado aumento da prevalência. Na década de 1980 eram descritos 5 casos para cada 10.000 nascidos, enquanto as atuais estatísticas apontam para cerca de 147 casos para cada 10.000 (1 para cada 68). Para explicar esse aumento, temos que pensar os seguintes fatores: critérios diagnósticos se modificaram ao longo desse período, tornando-se mais abrangentes, o conhecimento do público faz com que mais pais procurem o diagnóstico. Contudo, várias

pesquisas científicas estão sendo realizadas para esclarecer outros possíveis fatores envolvidos no aumento da prevalência.

O QUE CAUSA O AUTISMO? A causa exata do TEA ainda não foi definida, sendo objeto de intensa pesquisa. Sabe-se que há uma influência genética importante. Há diversas alterações genéticas que tem como parte de sua expressão os sintomas do autismo, como a Síndrome de Rett, Síndrome do X Frágil, Fenilcetonúria e Esclerose Tuberosa. O modo pelo qual a predisposição genética interage com os fatores ambientais é o grande questionamento que tem sido feito.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO? O diagnóstico é clínico, utilizando-se como base os critérios do DSM5. Não existe um exame complementar que “comprove o autismo”.


OS SINAIS DE ALERTA Outros exames como exames laboratoriais, exames de imagem, eletroencefalograma ou mesmo avaliação genética são realizados analisando-se cada caso, na tentativa de identificação de outras doenças.

COMO É FEITO O TRATAMENTO?

1

Seu filho tem pouco ou nenhum interesse por outras crianças da mesma faixa etária?

SIM

2

3

SIM

8

SIM

9

NÃO

Seu filho com frequência fica aéreo, “olhando para o nada” ou caminhando sem direção definida?

SIM

5

Dr. Natanael L. Mota

Neurologia Infantil - CRM/MG 55.964 • Residência Médica em Pediatria pelo Hospital Regional João Penido - FHEMIG - Juiz de Fora.

6

• Membro da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil ABENEPI.

NÃO

NÃO

Seu filho sempre fica bastante estressado com mudanças de rotina ou ao ter de lidar com algo inesperado ou desconhecido?

SIM

• Residência Médica em Neurologia Infantil pelo Hospital Infantil João Paulo II - FHEMIG - BH.

Rua Professor Azarias Ribeiro, 382, edificio JK - centro - Lavras / MG

NÃO

NÃO

Seu filho parece muito sensível ou muito resistente a estímulos sensoriais? Por exemplo: tapa os ouvidos quando ouve uma bexiga estourando ou incomoda-se bastante com determinadas roupas?

Seu filho tem grande interesse em objetos ou assuntos específicos, muitas vezes peculiares? Por exemplo: tem fixação por aviões e só brinca com isso?

SIM

NÃO

Seu filho frequentemente repete ações como movimentos de mãos ou olhos, pulos, ou assiste a trechos específicos de um vídeo infinitas vezes, e apresenta muita dificuldade de trocar de atividade?

SIM

4

NÃO

Seu filho raramente ou nunca responde ou olha quando chamam pelo nome?

NÃO

Seu filho brinca de modo diferente com os brinquedos, por exemplo, girando de maneira repetitiva as rodas de um carrinho.

SIM

Seu filho não fixa o olho em você por mais de um ou dois segundos?

NÃO

Seu filho não costuma brincar de faz de conta, por exemplo, fingindo que está falando ao telefone ou cuidando da boneca?

SIM

7

SIM

NÃO

GABARITO Se você assinalou uma ou mais vezes a opção SIM, recomenda-se responder ao questionário completo do M-CHAT, disponível em português no http://autismo.institutopensi. org.br/ferramentas-de-apoio/ escalas-m-chat/, ou procurar avaliação neurológica para o seu filho.

(35) 3826-2691

(35) 9 8810-7351

REVISTA IPÊ

— 31 —

O tratamento é multidisciplinar, com prioridade nos tratamentos de reabilitação. Envolve profissionais como Médico (Pediatra, Neurologista Infantil, Psiquiatra infantil), Fonoaudiólogo, Fisioterapeuta, Terapeuta Ocupacional, Psicólogo, Psicopedagogo, Professores, etc. Considerando que cada caso é único, as terapias mais prioritárias devem ser definidas de acordo com cada necessidade. O uso de medicamentos deve ser individualizado para cada tipo de paciente.

As questões abaixo foram adaptadas do M-CHAT (Modified Checklist for Austism in Toddlers - Lista de Verificação Modificada do Autismo em Crianças Pequenas), método de rastreamento para a detecção precoce do autismo. Ele deve ser utilizado por pais de criaças com idade entre 1 ano e 4 meses e 2 anos e meio


| NUTRIÇÃO

O verão é uma estação que exige uma atenção dobrada na hidratação e na alimentação.

— 32 —

O

Stefânia Cavanelas Pereira Nutricionista Clínica- CRN9: 13729 • Formada em Nutrição pela Unilavras/2011 • Pós-graduada em Materno Infantil/2017 • Pós graduanda em Prescrição de Fitoterápicos e suplementação Nutricional na Nutrição Clínica e Esportiva/2019

Atendimentos: • Praça Leonardo Venerando, 206, 7 andar, sala 704. • Avenida Dr. Sílvio Menicucci, 1479 A, Academia KVE6 Fitness. Contato: (35) 99961.0468 @stecavanelas Convênio: Particular/ Unimed/ Academia KVE6 Fitness/ Academia Garota Fitness

Verão, Saúde e Alimentação

verão é a estação mais quente do ano, com temperaturas elevadas e ocorrência de chuvas. A falta de hidratação pode trazer consequências indesejáveis como fadiga, dor de cabeça, tontura, fraqueza, entre outros. Sentir sede já pode ser um pequeno sinal de desidratação. Cuidados especiais devem ser tomados em relação à higiene e refrigeração dos alimentos, evitando assim o risco de infecções e suas consequências devido à contaminação de alimentos. A alimentação pode influenciar bastante na coloração da nossa pele. Alimentos ricos em betacaroteno, ou os alimentos alaranjados, como cenoura, mamão, acerola, abóbora e a laranja contribuem na produção e na manutenção de melanina, por isso ajudam a manter o bronzeado em dia, mas tem um detalhe, o organismo demora certo tempo para absorver todos os nutrientes necessários para que o efeito seja notado na nossa pele. Isso acontece com no mínimo 48 horas depois da ingestão. O ponto chave de todo o verão é a hidratação, por ser uma estação em que o organismo perde muita água pelo suor excessivo, deve-se estar repondo esta perda constantemente. Devemos beber aproximadamente 35 ml de água por quilo de peso e estar sempre observando a cor da urina, quanto mais clara é sinal de boa hidratação. Evitando sobrecarregar o organismo, o melhor é investir em cinco a seis refeições pequenas ao longo do dia, dando prioridade a alimentos leves de fácil digestão e ricos em água, como saladas, frutas, sucos naturais, legumes, verduras e também peixes, carnes magras, dentre outros. Os alimentos ricos em Vitamina C como limão, caju, laranja e acerola são alimentos que protegem contra a radiação e tem efeito antioxidante, assim como as folhas verde escuras, espinafre, brócolis, escarola, agrião, almeirão, dentre outros. Cuidado extremo com o uso de bebida alcoólica, pois elas inibem o ADH (hormônio antidiurético) e desidratam facilmente, além de fornecerem muitas calorias. O uso de nutricosméticos ou cosméticos em cápsulas específicas podem ser usados sobre orientação de especialistas, para prolongar o bronzeamento. Eles já contêm a quantidade necessária de betacarotenos, antioxidantes e vitaminas para maximizar o bronzeado da pele. Eles também auxiliam na fotoproteção da pele. No clube, na praia, na piscina, fuja dos salgadinhos e guloseimas: prefira frutas ao natural, em forma de suco ou salada, mix de frutas e castanhas sem sal, barra de castanhas, água de coco, sorvete, picolé de frutas ou sorbet. Alimentos que ajudam a hidratar, bronzear e manter pele e cabelo saudáveis no verão: abacate, abacaxi, açaí, damasco, acerola, couve, cenoura, pepino, salsinha, abóbora, beterraba, peixes de água salgada, castanhas em geral e cereais integrais, principalmente a aveia e a quinoa. Cuide-se, pois o verão é para ser curtido com saúde e beleza!

REVISTA IPÊ


| ARTESANATO

— 34 —

Três mentes criativas e seis mãos habilidosas

Flávia Soares, Daniel Romeiro e Luiza Soares

Família mineira investe na criação de peças artesanais em cerâmica desde 2002; objetos são produzidos no Ateliê de Cerâmica, localizado no centro de Contagem Por Fábio Gomides e Laura Maria Fotos: Daniel Romeiro

A

relação que Flávia Soares e os filhos Daniel Romeiro e Luiza Soares possuem com a cerâmica é muito singular e ao mesmo tempo visceral. Enquanto o designer utiliza-se muito do torno para dar forma às suas peças, Flávia e Luiza optaram por seguir uma linha mais livre em suas criações, mas com habilidades bastante distintas: a primeira produz objetos baseados em técnicas mais clássicas, e a segunda preza pela elaboração de esculturas e peças que complementam seu trabalho como paisagista. Assim, quando a família se reúne para produzir artefatos, cada item criado em conjunto carrega harmoniosamente o estilo de cada um dos artistas. Essa forma de trabalhar, aliás, é que dá a tônica d´ O Ateliê de Cerâmica. Localizado no centro de Contagem, cidade industrial que integra a Região Metropolitana de Belo Horizonte, o espaço, fundado por Flávia Soares em 2002, já passou por várias ampliações e adaptações nesse períREVISTA IPÊ

odo. Todos se envolvem ativamente em todos os processos de construção artística. A criação de uma simples xícara (que na verdade nem é tão simples assim) geralmente envolve a participação dos três: entre o desenho, modelagem, esmaltação e queima, as peças passam por várias mãos. Dessa forma, cada produto produzido pelo trio é único. Dentro d’O Ateliê de Cerâmica não existe produção em série. Trabalhar de forma artesanal é a força-motriz destes artistas. Cada artista possui uma linha de trabalho completamente diferente do outro, mas que se complementam justamente pelas possibilidades que o material oferece: “A cerâmica é muito versátil. É um material encontrado tanto na arqueologia, vestígios de culturas antigas, quanto na tecnologia avançada. Ela está pulverizada em tudo. Podemos transformar a argila no que a gente quiser”, argumenta Daniel. O Ateliê de Cerâmica garante processos sustentáveis de produção, pre-

zando por uma escala reduzida. Todos os materiais manipulados são de qualidade atestada, 100% atóxicos e reutilizáveis, gerando peças utilitárias resistentes ao uso cotidiano, adequadas para fornos de cozinha tradicionais, microondas e até máquinas de lavar louça.

CRIAÇÃO AUTORAL Na produção, a família preza pelas peças autorais, verdadeiras obras de arte. Tanto que precisaram construir uma galeria dentro do ateliê, projetada pelo arquiteto Gabriel Castro em parceria com Luiza Soares, para abrigar exposições de trabalhos do trio ao longo do ano ou de artistas convidados a ocupar o espaço. A criatividade e as referências de cada um é que dão forma aos objetos. Por isso, o trio comercializa apenas as suas criações: “Os objetos têm particularidades de nossa personalidade. Gostamos de ter liberdade para criar


— 35 —

e não produziríamos peças em série com o único objetivo de vender”, argumenta Luiza.

ESPAÇO ACESSÍVEL E ACONCHEGANTE Com uma fachada super-charmosa, os visitantes encontram, ao passar pelo jardim de entrada, uma pequena loja onde os objetos são comercializados. Há desde xícaras de café até grandes esculturas criadas com técnicas e acabamentos diversos. O espaço foi inteiramente pensado de forma a acolher e receber bem o visitante. Até o mobiliário foi desenhado dentro do próprio ateliê, garantindo que a cerâmica seja a protagonista dos ambientes. Além da loja, o ateliê ainda conta com uma sala de exposições, que também abriga diversas outras atividades culturais e vivências, além de um café, circundado por um vasto e aconchegante jardim, pensando nos mínimos

detalhes, que mistura diversas espécies de plantas como folhagens, suculentas, bromélias e uma coleção de orquídeas - uma das paixões da fundadora do ateliê. O lugar é tão agradável que é possível ficar um dia inteiro lá sem se dar conta do tempo exato destinado a explorar cada cantinho do espaço. Os três, aliás, estão na maioria das vezes disponíveis para um bom papo, acompanhado de uma xícara de chá ou café e de um delicioso bolinho, assado diretamente no pote de cerâmica. Umas das opções mais procuradas é o bolinho de cacau com laranja e especiarias, uma receita vegana - que já é uma das marcas do ateliê. A iguaria vem acompanhada de uma calda de cacau, que é servida à parte. O espaço ainda conta com uma programação que inclui exposições de arte, aulas de yoga, oficinas, workshops e eventos gastronômicos, sempre usando a cerâmica como elemento principal para qualquer atividade.

A PAIXÃO PELA CERÂMICA Tudo teve início quando Flávia Soares ingressou para o curso de Design de Ambientes, oferecido pela Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), antiga Fundação Mineira de Arte (FUMA), na década de 90. Lá, ela teve seus primeiros contatos com a cerâmica e especializou-se na produção de peças feitas a partir da argila. Luiza Soares, que sempre acompanhou de perto os trabalhos da mãe, interessou-se desde jovem pela arte de produzir peças em cerâmica. É formada em Arquitetura e Urbanismo pela PUC Minas, com especialização em paisagismo. Daniel Romeiro iniciou seu contato com as técnicas de torno de maneira autodidata durante um período ocioso, em função de uma greve na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde estudou Literatura. REVISTA IPÊ


| ARTESANATO

Mais tarde, encontrou novas aplicações para as habilidades com a cerâmica no curso de Design de Produto, na UEMG. Desde então, nunca mais parou de produzir.

— 36 —

MUDANÇA DE NOME Inicialmente batizado de Ateliê de Cerâmica Flávia Soares, o espaço agora é chamado de “O Ateliê de Cerâmica”. A mudança veio com o objetivo de não associar o local a uma única artista, mas priorizar o trabalho conjunto, da forma como vem sendo desenvolvido nos últimos quatro anos de atividades. A nova identidade, desenvolvida pelo designer Thomaz Lanna, propõe a introdução do artigo ‘O’ para dar força ao novo nome e evidenciar sua particularidade, atendendo a necessidade de comunicar um espaço que abrigue o trabalho dos três ceramistas, além de todos os eventos e atividades que são realizados ali. Além disso, tipografia e assinatura foram atualizadas a fim de manter o aspecto simples, limpo e despretensioso da maneira de comunicar do ateliê, e ao mesmo tempo reforçar um ar mais contemporâneo. Por fim, todas as peças agora trarão uma marca na forma de ‘V’, retirada do acento da palavra “ateliê” grafada em português, configurando uma assinatura-símbolo do recipiente, arquétipo da cerâmica utilitária.

Ateliê de Cerâmica Funcionamento:

segunda à sábado, de 9h às 18h

Endereço:

Avenida Prefeito Gil Diniz, 580, Centro, Contagem

Preços das peças: a partir de R$ 20

Contato: (31) 98527-1497 ateliedeceramica.com /atelieflaviasoares @ateliedeceramica contato@ateliedeceramica.com REVISTA IPÊ


| COMÉRCIO

— 38 —

Senhor José Custódio, fotografado na fazenda Parnaso, dos seus pais, onde seus 6 filhos passaram a infância. Da lavoura ao comércio, o Seu Zé construiu uma história de dedicação e sucesso!

A

Caminhando é que se faz o caminho Por Fernanda Carvalho Fotos: Daniel Rocha

REVISTA IPÊ

os 86 anos de vida, ver seu próprio crescimento se misturar ao crescimento de toda uma cidade, construir sua história em meio a tantas outras e repassar o legado de dedicação e trabalho para duas outras gerações que, passo após passo, vem alimentando essa herança. Sem dúvida, esta é a maior riqueza do senhor José Custódio de Carvalho, comerciante e fundador da loja Fonte dos Calçados, atualmente conhecida em Lavras como Sapato e Companhia. A primeira loja foi criada em Perdões e se chama Fonte dos Calçados até hoje, o nome é uma homenagem a um grande amigo do seu Zé, Edmundo de Campos Altos. “Foi um grande desafio no início, eu trabalhava na lavoura e queria mudar de ramo. Era tudo muito diferente. Eu contei, então, com a ajuda de Edmundo que me sugeriu montar uma loja de calçados e me orientou no trabalho de comerciante. A loja dele chamava-se Fonte dos Calçados, por isso coloquei esse nome também.” Explica o senhor


A Sapato e Cia conta hoje com uma equipe de 14 funcionárias

época em que ele implantou o crediário, mudando sua forma de vender e influenciando outros comerciantes. Quando questionado sobre como se sente ao ver o que sua empresa se tornou na mão dos filhos, ele é categórico. “Sempre acreditei que as lojas alcançariam essa proporção. Sempre sonhei com isso. Minhas gerações ficaram firmes no negócio e eu me sinto muito orgulhoso disso”.

Desenvolvimento econômico, geração de empregos e modernização. Tudo isso faz parte da história das lojas e também do desenvolvimento da cidade de Lavras, cujos caminhos se cruzam diversas vezes nos últimos 50 anos. A vida do seu Zé Custódio é uma história de sucesso, não porque suas empresas prosperaram, mas por sua paixão pelo trabalho, seu desejo de deixar aos filhos um legado e de criar pessoas que valorizam o capital humano e acreditam no potencial da região, isto foi alcançado. Para os filhos é unanimidade: “Papai é nosso herói, sempre foi nosso esteio, nosso porto seguro, tudo que aprendemos e construímos para nós e para nossas famílias, nós devemos a ele. É o nosso grande exemplo de vida”, reconhece Graziela.

— 39 —

José, ou seu Zé Custódio como é conhecido até hoje em Perdões. A loja realmente deu certo, o negócio foi prosperando e possibilitou a abertura de mais uma na cidade de Lavras. Com duas lojas, o trabalho era dobrado: negociar com fornecedores, viajar para escolher os produtos, administrar dois caixas, cuidar dos estoques e gerenciar funcionários, mas todas essas atividades eram realizadas com amor e determinação. Afinal, o sonho do seu Zé Custódio era deixar o negócio para os filhos. Então, desde cedo começou a inseri-los no comércio para conhecer os processos, aprender a trabalhar e dar valor a cada conquista. Conversando com Graziela Marques, sua filha caçula, que hoje é responsável pela Sapato e Companhia, ele relembra aqueles tempos: “Naquela época não havia tanta variedade quanto hoje, era mais fácil escolher os produtos; já existia concorrência, mas era bem menor. Mesmo assim era meu maior desafio. Usávamos muita propaganda, um aparelho de som era colocado na Kombi e panfletávamos em Lavras, Perdões e nas cidades vizinhas.” “E funcionava, não era, papai?”, Graziela comenta, divertindo-se com a lembrança. Debaixo de dezenas de pés de jabuticabeiras na Fazenda Parnaso, propriedade do pai do seu Zé Custódio, foi fácil render a prosa. Pai e filha relembraram as transições, contaram casos sobre o famoso “fiado” e a

Graziela com o seu pai José Custódio de Carvalho

Sapato e Cia R. Dr. Francisco Sales, 58 - Centro Lavras /MG

Contato: (35) 3821-5020 @sapatoecia REVISTA IPÊ


— 40 —

| ARQUITETURA

Refúgio na cidade REVISTA IPÊ

Localizada em um condomínio de Lavras, essa casa esbanja aconchego e requinte


Odair José Nestor Mestre de Obras foi responsável por todos os serviços de mão de obra da casa. Acima do corpo central da fachada estão localizadas as placas responsáveis pela energia solar fotovoltaica executada pela Equinox Inovações e Soluções.

Os ferros da varanda e da porta de entrada foram executados pela Elegancy Metais e o vidro foi instalado pela Vidraçaria e Decorações Cleninho com uma película jateada para garantir privacidade no interior da casa.

— 41 —

Juliana Melo Arquiteta

Por Camila Caetano Fotos: Daniel Rocha

U

ma das primeiras referências que os proprietários trouxeram antes da concepção do projeto foram casarões da Toscana, lugar pelo qual são apaixonados. A partir dessa ideia principal, o projeto foi tomando forma para que cada detalhe fosse pensado com cuidado, atendendo às necessidades e expectativas do casal. Foram diversas reuniões para que tudo saísse como sonhado. O proces-

so de criação dessa casa foi um grande desafio, conta a arquiteta Juliana Melo, autora do projeto, mas a finalização foi de uma satisfação sem tamanho. “Acompanhar a obra em todas as fases e visualizar o projeto tomando forma foi um trabalho árduo, mas que compensou todo o esforço com a execução dos últimos detalhes”, comenta a arquiteta. Aconchego, conforto e requinte são palavras chave para definir essa casa. A fachada é de tirar o fôlego, com o corpo principal e a divisa lateral revestidos de pedra madeira, a porta de entrada de 4m de altura mistura madeira maciça de demolição, ferros tor-

cidos com desenhos que remetem às casas coloniais antigas e vidro. Entrar nessa casa é um cenário de se admirar, a sala de estar possui pé direito duplo, o que promove amplitude para o ambiente, com teto aparente inclinado e forro de madeira, além de grandes pendentes de ferro fundido, produzidos sob medida para esse espaço. Na escada que acessa o segundo pavimento, a madeira está presente em conjunto com a parede revestida da mesma pedra da fachada. O charme especial vai para o guarda corpo de ferro da escada que, assim como no restante da casa, traz elementos que REVISTA IPÊ


| ARQUITETURA

— 42 —

Alguns itens de decoração presentes na casa são da JP Móveis Store e os ferros do guarda corpo da escada foram executados pela Elegancy Metais.

REVISTA IPÊ


remetem a antiguidade. “A arquiteta Juliana destaca que a decoração não poderia ser diferente, os móveis principais também seguem as mesmas referências, nos fazendo transportar para outro momento da história com nostalgia e encanto”. O ambiente da cozinha conta com elementos mais modernos e se destaca sendo o coração da casa. A bancada com a pedra de quartzo cinza puro, traços retos e os armários com algumas portas em vidro bronze são sofisticados e compõem de forma elegante esse espaço de intenso convívio. A mesa de jantar provençal é o coringa desse ambiente integrado, juntamente com as cadeiras estilo Luís XV e os jogos de iluminação, criando uma atmosfera de se apaixonar. A área gourmet anexa à cozinha também mantém a mesma linguagem

do restante da casa, o tijolo que reveste a parede da churrasqueira e o teto aparente com forro de madeira produz uma sensação de aconchego para esse espaço tão especial e acolhedor. Além disso, os azulejos portugueses dão um toque de estilo e personalidade para o espaço. A arquiteta conta que a adega, tão sonhada pelos proprietários amantes de um bom vinho, foi pensada a partir de referências de adegas antigas medievais que se escondiam no subsolo. “Totalmente revestida com tijolinhos aparentes e o teto de madeira abaulado cria esse ar medieval tão desejado. Por não possuir abertura, o clima da adega ficou perfeito para armazenar os vinhos e proporcionar momentos únicos de lazer”, explica Juliana. O quarto do casal foi concebido com uma proposta simples e român-

— 43 — REVISTA IPÊ


— 44 —

| ARQUITETURA

Os revestimentos de piso e parede de todos os ambientes foram fornecidos pela Design Acabamentos. Todos os móveis planejados da casa foram executados pela Planejart Móveis Planejados e todas as bancadas em pedra executadas pela Marmoraria Soter.

REVISTA IPÊ

tica, possui uma cama, de ferro torcido, encantadora, feita sob medida, e móveis provençais que também foram feitos especialmente para esse projeto. “Como a TV ficaria muito distante da cama na parede oposta, colocamos um suporte de teto motorizado facilitando o uso para os proprietários, sendo um convite especial para uma boa noite de sono. Esse clima acolhedor e aconchegante permeia todos os ambientes da casa, tanto internos


— 45 —

como externos”, observa a arquiteta. O jardim foi executado em parceria com Sônia Vilela, representante da MSV Design e Paisagismo, que conta com engenheiro agrônomo, designer de interiores e engenheiro civil. “Seguindo o partido inicial do projeto, o jardim também faz referência aos jardins da Toscana, com uma releitura mais moderna, ao escolhermos espécies que promovem esse clima para o jardim. A opção por gardênias, juníperos, azaleias e buxinhos na fachada compõem com exuberância essa ideia”, conta Juliana. No corredor lateral, o acesso para a área gourmet possui um toque especial pelo colorido das dracenas cordyline e marantas. Juliana explica que no jardim de inverno central, próximo à adega, foram escolhidos arbustos como leea, pitosporum, marantas e trepadeiras jasmim que irão trazer um charme para o pergolado que cobre a entrada da adega quando estiverem adultas. Já no jardim do quarto de um dos filhos, os proprietários pediram para não plantar grama, a fim de facilitar a manutenção, com isso a composição foi feita através de vasos com buxinhos, suculentas, pitosporum e uma

Os ferros da estrutura da cama foram executados pela Elegancy Metais, o revestimento de piso foi fornecido pela Design Acabamentos. A bancada e o chão do banheiro em mármore branco foram executados pela Marmoraria Soter e todos os vidros e espelhos foram instalados pela Vidraçaria e Decorações Cleninho.

REVISTA IPÊ


| ARQUITETURA

— 46 —

linda jabuticabeira. Na área externa o charme foi para o gradil da parede, que seguiu o desenho das ferragens da fachada com contornos românticos, por onde trepadeiras clerodedrum fecharão um jardim vertical nas tramas do gradil. Na parte inferior, podocarpus e gardênias fazem o contorno, dando acabamento para o espaço do deck com o SPA, fechando com chave de ouro o espaço de lazer da casa. Um dos pedidos da proprietária era que pudesse ter um pé de limão siciliano, e este aparece no fundo dessa área, juntamente com um pé de tangerina que serão um deleite à parte quando estiverem prontas para o consumo. A casa, além de todos esses ambientes encantadores, atende alguns padrões de sustentabilidade já que possui sistema de coleta e reuso de água da chuva, sistema integrado de irrigação em todo o jardim, placas solares para aquecimento de água além de ser auto-sustentável em energia elétrica através de um sistema de energia fotovoltaica.

DADOS DO PROJETO Área 388m² Início da construção Fevereiro de 2016 Fim da construção Agosto de 2017

FORNECEDORES Sônia Vilela (35) 99898-9595 Planejart Móveis Planejados (35) 3822-1188 Elegancy Metais (35) 3821-7288 Marmoraria Soter (35) 3821-8423 Design Acabamentos (35) 3821-5523 JP Móveis Store (35) 3826-2907 Vidraçaria e Decorações Cleninho (35) 3821-1003 Equinox Inovações e Soluções (35) 99990-2133 Odair José Nestor Mestre de Obras (35) 99159-0548

Juliana Melo Contato: (35) 99194-2454 julianamelo.arq.br @jumelo_arq

REVISTA IPÊ


| COMEMORAÇÃO

O centenário da Igreja Matriz de Sant’Ana Conheça sua história e curiosidades

— 48 —

Por Camila Caetano Foto: Daniel Rocha

F

oram 13 anos de muitas quermesses, doações familiares e muito suor da população para concluir a construção da Paróquia Sant’Ana de Lavras, que celebra seus 100 anos de fundação. Corria o ano de 1904 e a população já clamava por um templo maior que atendesse o grande número de fiéis. Na ocasião, o pároco era o empreendedor Severo Malaquias, que tinha adquirido um terreno que oferecia todas as condições necessárias para a execução da planta da nova igreja. No dia 29 de junho de 1904, exatamente no dia de São Pedro, foi colocada a primeira pedra que servia de base para a construção. Essa grande obra passou por alguns problemas durante os primeiros anos, chegando a ser interrompida por um determinado tempo, mas contou com o esforço de todos para sua conclusão. Até que no dia 9 de setembro de 1917 aconteceu a primeira missa de inauguração. Para celebrar os 100 anos da obra, o templo foi todo iluminado. A árvore de luzes tem 50 metros de altura e pode ser vista de várias partes da cidade. “O nosso intuito é celebrar com alegria e fé esta festa e motivar a comunidade católica a assumir um novo jeito de ser igreja, anunciando Jesus Cristo com muito ardor missionário, visando uma renovação paroquial, onde a palavra de Deus seja o principal caminho para a verdadeira conversão pessoal e pastoral”, comenta o padre Cristiano F. de Assis.

Curiosidades da Igreja Matriz de Sant’Ana • Mais de 130 mil missas já foram celebradas na Igreja Matriz de Sant’Ana. • Há três sinos em sua torre, sendo dois festivos e um fúnebre. Um deles veio dos Estados Unidos. • A Igreja Matriz de Sant’Ana é toda feita de tijolos. Como na época o cimento era algo de luxo, para a base da construção foram utilizados trilhos de trem, de barras maciças de ferro, e enormes pedras. • O altar principal foi adquirido na Itália, em 1928. Na época, o padre deu um valor de entrada ao escultor italiano e retornou a Lavras. Posteriormente chegou uma carta do artista dizendo que não era preciso pagar o restante, pois gostaria de contribuir com a nova Igreja.

REVISTA IPÊ


| COMEMORAÇÃO

São João Del-Rei, 304 anos de história

— 50 —

Em 8 de dezembro de 1713, o arraial alcançou foros de vila com o nome de São João del-Rei

REVISTA IPÊ


Igreja de Nossa Senhora das Mercês

Por Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de São João Del Rei Fotos: Alberto Lopes

bairro de Matosinhos. Ao longo do vale deste rio, surgiram áreas de mineração e arraiais, sendo importante zona de povoação do interior mineiro. As abundantes descobertas auríferas de 1704 levaram muitos aventureiros à região, na ambição da riqueza, e fez surgir no ano seguinte outro arraial, cognominado “Novo”, sob o padroado de Nossa Senhora do Pilar, já sob a guarda-moria de Antônio Garcia da Cunha, genro de Tomé Portes, que, por sua morte, assumiu o cargo. Os forasteiros, intitulados pejorativamente de emboabas, se opunham aos paulistas descobridores das minas, o que redundou num conflito armado conhecido por “Guerra dos Emboabas” (1707-1709). O arraial novo foi destruído na contenda. Esfriada a peleja, o arraial se recompôs e cresceu vertiginosamente. Em 1713, o Arraial do Rio das Mortes passou a vila com o nome de São João del-Rei e, no ano seguinte, a sede de comarca, com jurisdição agigantada sobre o centro-sul, sul, sudoeste e oeste do atual estado de Minas Gerais. A elevação à categoria de cidade se deu em 1838. São João del-Rei experimentou um franco crescimento e se tornou um polo comercial na sua região. O

Rua da Cachaça

REVISTA IPÊ

— 51 —

S

ão João del-Rei surgiu do movimento do bandeirismo paulista, sendo esta região rota de passagem de uma das estradas mais importantes e antigas de todas para acesso às regiões mineradoras, o Caminho Geral do Sertão, celebrizado pela passagem de muitos bandeirantes no final do século XVII, a partir da famosa Bandeira das Esmeraldas, expedição chefiada por Fernão Dias Paes. Vários outros aventureiros seguiram com sua gente em sucessivas expedições pelos anos consecutivos, na atividade de prear índios e investigar riquezas minerais. Em data incerta dos últimos anos dos seiscentos, estabeleceu-se em São João o bandeirante paulista Tomé Portes del-Rei, com sua família, agregados e escravos, nas imediações do Rio das Mortes, próximo ao local de travessia, que ficou conhecido como Porto Real da Passagem. Tomé Portes afazendou-se e fez riqueza do comércio fornecendo mantimentos e víveres para os viandantes; pousada e canoas de travessia fluvial. No ano de 1701 foi nomeado guarda-mor distrital, sendo a primeira autoridade da região e fundador do núcleo habitacional que deu origem a São João del-Rei, então conhecido por Arraial do Rio das Mortes, na área do atual

desenvolvimento que alcançou no século XIX levou a Câmara a investir na urbanização. A evolução da vila e depois cidade impressionou aos viajantes oitocentistas que consignaram em seus relatos de viagem elevados elogios à urbe, como uma das localidades mais destacadas da província. Também chamou a atenção de artistas, que em aquarelas e litogravuras, registraram sua visão do lugar, ressaltando sua civilidade. Os dados históricos refletem que do fim dos setecentos a meados dos oitocentos a presença administrativa se acentuou com ações do poder público produzindo obras tais como alinhamento de vias, edificação de pontes, instalação de chafarizes. O ponto culminante dos oitocentos é a inauguração da Estação Ferroviária Oeste de Minas. O crescimento se acelera no século XX, com múltiplos esforços de urbanização. Destaca-se o papel da indústria, notadamente a têxtil, seguida da metalúrgica, impulsionando a economia. Já no início do século XXI, São João del-Rei se desponta como cidade universitária, sem dispensar o crescente papel do turismo na economia.


| POLÍTICA

Retrospectiva e Perspectivas

— 52 —

Fiquei pensando no que dissertar nessas poucas linhas que me são concedidas e, veio-me à mente, nesse clima contagiante de final de ano e de um novo ano que está por chegar, uma pergunta: “Tenho feito o meu melhor?” Esse ano foi de grandes mudanças na minha vida. Ingressei no Poder Legislativo, um sonho pessoal que tinha, uma vez que sempre quis poder contribuir com meus conhecimentos profissionais para a melhoria da população. Por isso, a minha pergunta do “meu melhor”. Sou um grande admirador do Filósofo Mario Sergio Cortella e, parafraseando uma de suas citações, deixo aqui uma reflexão. “Não é o melhor do mundo. É o teu melhor na condição que você tem enquanto não tem condições melhores para fazer melhor ainda. Porque se você ou eu podendo fazer o nosso melhor, nos contentamos com apenas o possível, caímos num lugar perigoso chamado mediocridade. Uma pessoa medíocre é aquela que é morna. Que está na média. Que não é quente e nem fria. Mediocridade é falta de capricho. Capricho é você fazer o teu melhor na condição que você tem. Tem gente que é medíocre e sua obra é medíocre: ‘ah, mas do jeito que me pagam; mas eu não tenho condição…’. Há pessoas que em nome da condição, degradam a ação. Há outras, que lutam incessantemente para melhorar as condições e vão fazendo com aquela que tem até que as condições se modifiquem de tanto elas lutarem”. Bem, eu tenho dado o meu melhor para ser um desses lutadores, mesmos com tantas dificuldades e obstáculos que encontro no caminho, não vou degradar a ação, não farei apenas o meu possível, mas sim o meu melhor, na condição que eu tenho enquanto não tenho condições melhores para fazer melhor ainda. Me despeço, e mais uma vez agradeço a cada um de vocês que tem depositado sua confiança em mim. Estamos juntos em 2018 por uma Lavras melhor e, claro, com as melhores expectativas possíveis, já que 2018 é ano de possibilidades, dentre elas a de escolhermos nosso Líder máximo a nível federal e estadual, bem como de escolhermos os nossos novos representantes na Assembleia e no Congresso. Abraço afetuoso de toda nossa família.

• Carlos Lindomar de Sousa (Advogado OAB/MG 80.520; Professor de Direito; Vereador em Lavras)

• Anna Soares • Luca Soares Sousa (5 anos)

REVISTA IPÊ


— 53 — REVISTA IPÊ


— 54 —

Foto: José Henrique

| JURÍDICO

Inadimplência: Quando esgotar a cobrança amigável e partir para o judicial?

A

pesar de, aparentemente, a crise econômica instaurada em nosso país nos últimos anos parecer estar sendo superada, é evidente que a inadimplência se mantém em todos os setores. Essa inadimplência tem o efeito cascata, pois, na medida em que o consumidor final deixa de adimplir suas obrigações no prazo correto, causa um grande abalo no fluxo de caixa da empresa vendedora a qual, por sua vez, não consegue cumprir com suas obrigações perante seus fornecedores, fazendo então surgir uma cadeia de dívidas. Deste modo, surgem as seguintes questões: Qual a melhor forma de agir perante um cliente inadimplente? Ser tolerante, tentar novos acordos extrajudiciais ou partir para as brigas judiciais? Sem sombra de dúvida, pode-se dizer que essas perguntas passam ou já passaram pelo cotidiano dos empresários brasileiros, que se veem na situação entre perder um cliente ou figurar REVISTA IPÊ

como réu em uma ação de cobrança. Assim, a melhor solução é fazer essas cobranças por etapas, onde, num primeiro momento, poderá ser feita através de ligações para os clientes, ou envio de cartas e e-mail. Caso não seja eficiente essa “primeira fase”, o segundo passo é contratar um advogado, para que sejam feitos acordos extrajudiciais eficientes, com confissões de dívidas, novos prazos e garantias, etc. Ainda assim, não sendo suficiente as duas etapas anteriores, a medida que se impõe é que, imediatamente após o insucesso das tentativas, recorra-se ao Poder Judiciário, através de ações de cobrança, monitoria, execução, etc. Vale ressaltar que as duas primeiras fases devem ser feitas o mais rápido possível, sob pena de ter seu direito prescrito. Diante do exposto, podemos concluir que, nos dias atuais, é indispensável a toda empresa fazer valer e discutir contratos, executar títulos ou se

defender de ações de cobrança e afins, podendo propor ações, reaver, revisar, proteger e assegurar seus direitos, sendo pró-ativa buscando soluções ao caso concreto, e não ficar esperando a crise passar ou jogar a toalha achando que uma dívida é irrecuperável. Para tanto, é necessário a presença de um bom profissional na área de advocacia.

Vital Advocacia • Henrique N. Torres OAB/MG 173.526 • Paulo Vitor M. Souza OAB/MG 174.192 • Pedro Henrique A. Pereira OAB/MG 175.204

@ vitaladvocacia /vitaladvocacia vitaladvocacialavras@gmail.com


Foto: José Henrique

— 55 —

A Reforma Trabalhista Aspectos práticos e os impactos na vida do trabalhador

E

ntrou em vigor no dia 11 de novembro de 2017 a reforma trabalhista, que, apesar das duras críticas sofridas por juristas, entidades de classe e por trabalhadores, promete ser um marco regulatório para a legislação brasileira trazendo benefícios, ao longo do tempo, aos trabalhadores e empregadores. Insta destacar que logo após a sua entrada em vigor foi editada uma Medida Provisória que alterou e adequou pontos polêmicos da Reforma. Mas, o maior questionamento existente em torno da Reforma é quanto aos seus impactos na vida do trabalhador. Por isso destacamos três pontos para ilustrar como será a prática a partir da Reforma. FÉRIAS: Antes da reforma trabalhista, a CLT autorizava que, em casos excepcionais, as férias fossem parceladas em dois períodos. Agora, a reforma alterou essa regra e passou a permitir o parcelamento das férias em até três períodos, sem a necessidade de uma situação excepcional, desde que haja a concordância do empre-

gado. Atenção: no caso de concessão de férias em três períodos, um deles não poderá ser inferior a quatorze dias corridos e os outros dois deverão ter ao menos cinco dias corridos cada um. GRÁVIDAS E LACTANTES: Um dos trechos mais polêmicos da Reforma Trabalhista foi o que permitia que grávidas e lactantes trabalhassem em ambientes insalubres. Porém, com a publicação da Medida Provisória esse item foi alterado, passando a vigorar as regras de que ‘a empregada gestante será afastada, enquanto durar a gestação, de quaisquer atividades, operações ou locais insalubres e exercerá suas atividades em local salubre, excluído, nesse caso, o pagamento de adicional de insalubridade’. A exceção é quando a empregada, voluntariamente, apresentar atestado de saúde, emitido por médico de sua confiança, do sistema privado ou público de saúde, que autorize a sua permanência no exercício de suas atividades. HOME OFFICE: A reforma regulamentou a atividade como Teletrabalho. Trata-se de uma prestação de

serviços preponderantemente fora das dependências do empregador, e conta com um contrato de trabalho individual que especificará todas as atividades relacionadas ao trabalho, inclusive a responsabilidade pela aquisição, manutenção ou fornecimento dos equipamentos tecnológicos e da infraestrutura necessária e adequada à prestação do trabalho remoto, bem como ao reembolso de despesas arcadas pelo empregado, como luz, internet, dentre outros. Fique atento aos seus direitos!

Bento Rosa e Evaristo Santos Advocacia • Patrícia de Lourdes Santos OAB/MG 155.196 • Angelina Bento Rosa da Silva OAB/MG 46.755 •Luciane Rogeria Silva Nepomuceno OAB/MG 179.991 escritorioav@outlook.com.br REVISTA IPÊ


| CINEMA

Das telas para a vida real: O escândalo de House of Cards Diego Nascimento jornalista e palestrante www.diegonascimento.com.br

— 56 —

Q

uando os irmãos Auguste e Louis Lumiere abriram portas para o futuro do entretenimento, ainda no século XIX, mal sabiam que a indústria cinematográfica teria efeitos colaterais na moral de um povo. Por meio de cenas de tirar o fôlego, telespectadores mundo afora testemunhariam ficção e realidade de forma incomparável. O que seria uma série de sucesso no portfólio da Netflix se tornou um caso de polícia nos bastidores. Mas antes de entendermos a razão, é importante que façamos uma pequena viagem pelo tempo. House of Cards é uma produção baseada na trama escrita por Michael Dobbs e Andrew Davies na década de 1990. Adaptada pelo roteirista Beau Wilimon, esse fenômeno

REVISTA IPÊ

televisivo conta a história do congressista Frank Underwood, estrelada por Kevin Spacey. Durante sua carreira política na capital norte-americana, Underwood constrói uma teia de manipulação capaz de derrubar o próprio presidente. Mesmo assumindo a cadeira principal da Casa Branca, Frank Underwood continua a surpreender a cada episódio com demonstrações sagazes e repletas de mentiras, chantagem e ameaças. A quinta temporada fecharia mais um ciclo de louvor se não fossem as revelações feitas sobre Underwood, ou melhor, Kevin Spacey. O premiado ator foi acusado de assédio sexual por colegas de profissão. Os também atores Anthony Rapp, Roberto Cavazos e até membros da produção de House

of Cards declararam ter recebido comentários inapropriados e contatos não consensuais de Spacey. Rapidamente as denúncias se espalharam pela mídia e, ao que parece, nem mesmo as artimanhas estreladas por seu personagem serão úteis na vida real. Devido ao turbilhão de escândalos, a Netflix decidiu por suspender a sexta temporada, prevista para 2018, e avaliar qual será o futuro da trama que tem Kevin Spacey como protagonista. “Uma das possibilidades é a morte do personagem Frank Underwood”, contou um dos membros da direção em entrevista exclusiva à Revista Variety. A queda do presidente dos Estados Unidos em House of Cards abriria espaço para Clair Underwood, interpretada pela atriz Robin Wright, dando assim um novo rumo para o encerramento desse engenhoso roteiro. E não é de hoje que Hollywood é fragilizada com escândalos sexuais, sendo que o mais recente atingiu a alta cúpula dos estúdios de cinema. O produtor Harvey Weinstein tem recebido uma enxurrada de acusações que culminaram na maior crise moral envolvendo comportamentos sórdidos e inimagináveis. Enquanto isso, no Brasil, a corrupta vida de Frank e Claire Underwood é exibida pelo Netflix e Paramount Pictures. Fãs e curiosos da série ainda podem especular sobre qual será o desfecho dessa jornada tão obscura para quem está atrás ou diante das telas.


POLO LAVRAS 35 3694-2139

Unopar - Polo Lavras REVISTA IPÊ | 57


| AUTO PAPO

Pé na estrada?

— 58 —

Não tem cena pior do que carro enguiçado numa viagem de férias. Só porque não foi levado para uma revisão básica …

Além destes itens óbvios, tem mais alguns especiais e pouco lembrados:

ALERTA Sabe a passagem de nível, quando o asfalto é interrompido pelos trilhos do trem? Não deixe para engatar uma marcha mais forte logo antes dos trilhos (com o trem chegando…) que ele resolve apagar e te desesperar!

REVISTA IPÊ

Sabe qual é o truque para atravessar de dia um túnel de estrada não iluminado? Algumas centenas de metros antes de atingi-lo, FECHE UM DOS OLHOS. Quando entrar nele, feche o que estava aberto, abra o que estava fechado. A vista se acostuma com mais facilidade e rapidez a um ambiente pouco iluminado quando se abre o olho.

CHAVE RESERVA Leve no bolso uma CHAVE RESERVA, pois hoje não dá para ir em qualquer “chaveco” da esquina e pedir para copiar ou refazer a chave de ignição. Com a eletrônica, ela tem hoje um chip interno que complica e encarece sua vida.

V

ai sair de férias de carro com a família? Então, nem precisa lembrar de levar o possante para uma revisão e verificar pelo menos os componentes que interferem na segurança: freios, direção, suspensão e transmissão. E os pneus: o sulco é suficiente para ida e volta? Sem falar, claro, dos habituais como nível de óleo, radiador, caixa, direção hidraúlica, etc.

DE OLHO FECHADO?

CARRO É OUTRO! Você conhece bem seu carro, mas pode ter uma surpresa na estrada, com quatro passageiros e porta-malas carregado até a boca. Lembre-se de que 500 kg adicionais sobrecarregam freios, suspensão e motor. Vai demorar mais para parar, não terá a mesma estabilidade e seu consumo de combustível será consideravelmente maior.

REPARADOR Por falar em pneu furado: tem à venda em postos e lojas de peças um tubinho chamado “REPARADOR INSTANTÂNEO DE PNEUS” (ou outro nome comercial), capaz de inflar minimamente o pneu, o necessário para rodar (devagar) até o posto. E ainda injeta um líquido viscoso que “procura” o furo e o tampa. Genial, não?


0800

FLEX? GASOLINA! SEGURO Seu carro tem seguro com assistência 24 HORAS? Lembre-se de deixar o 0800 registrado no celular!

TRAVAS

Se você só usa etanol no seu carro flex, dê preferência à GASOLINA ao viajar. Pois seu consumo é menor (cerca de 30%) e você vai parar menos vezes para abastecer. Além disso, cada vez que você deixa de encher o tanque num posto desconhecido na estrada, uma chance menos de ser ludibriado com combustível adulterado.

Carro pronto, carregado e abastecido. Mas, antes de pegar o asfalto, você se lembrou de travar as portas? Se não o fez, fez bem! Só se travam as portas no trânsito urbano, mas nunca na estrada pois, travadas, vão complicar o resgate do motorista e passageiros no caso de o carro se envolver num acidente.

LEMBRAR Carregar um frasco com UM LITRO DE ÓLEO DO MOTOR NO PORTA-MALAS. Ou você vai contar com a sorte de achar na estrada exatamente aquele que já está no cárter? E também uma lanterna de mão. Quem disse que o pneu vai furar durante o dia? Além disso, não custa nada levar fusíveis e correias de reserva.

— 59 —

CALIBRAGEM Recomendação para calibrar os pneus é o que não falta. Mas muitos se esquecem de só verificar a pressão com eles ainda frios, perto de casa, antes de chegar na estrada. E também de colocar umas duas ou três libras mais, pois o carro estará carregado e vai rodar em velocidades maiores.

Boris Feldman Jornalista e Engenheiro Matérias, áudios e vídeos meus podem ser acessados no autopapo.com.br

REVISTA IPÊ


— 60 —

| MÚSICA

Young Lights Banda idealizada por um mineiro alcança nível nacional Por Young Lights

REVISTA IPÊ

A

banda Young Lights foi criada por Jairo “Jay” Horsth Paes, nascido em Sabará/MG e criado em Massachusetts, EUA. Sob influência dos pais, ele cresceu em meio a música gospel das igrejas evangélicas americanas, onde aprendeu a tocar violão, bateria e a cantar. Já adolescente e definitivamente envolvido com a música, conheceu o punk, hardcore e também o folk americano, uma de suas principais influências e talvez a principal marca do Young Lights. Bob Dylan, Radiohead, Bon Iver, Kings of Leon e

Coldplay são algumas das referências ainda bastante reconhecidas na sonoridade do compositor. Após 16 anos imerso nessas referências musicais, Jay voltou ao Brasil em 2010 e deu início ao Young Lights. Em 2013, lançou o primeiro EP, An Early Winter, que logo ganhou destaque na imprensa local, além de um público fiel aos diversos shows que fazem na capital mineira. Após esse período, lançou seu primeiro disco cheio “Cities” (2014). É importante ressaltar que essa fase é marcada pela carreira solo


Foto: Antônio Andrade (Cake Magazine)

Discografia

An Early Winter - 2013

Cities - 2014

— 61 —

Molotov” (Recife/PE), Transborda 2017 (Belo Horizonte/MG), Casa do Mancha (São Paulo/SP), Martim Cererê (Goiânia/GO), Music Hall (Belo Horizonte/ MG), Festival Breve (Belo Horizonte), além de várias passagens por diversas cidades de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. Em 2017, o Young Lights lança seu segundo disco Young Lights - (Self Titled) e assinado pelo selo independente mineiro QUENTE. Segundo Lúcio Ribeiro (Popload), o disco novo do Young Lights “é um dos mais esperados do ano no indie brasileiro”. Gravado no estúdio Ilha do Corvo (Belo Horizonte) sob o comando de Leonardo Marques, o disco homônimo possui oito faixas que incluem a participação do próprio Leonardo Marques, Gustavo Bertoni (Scalene) e Matheus Fleming (Câmera). Em 2018, o Young Lights espera divulgar ao máximo seu novo disco, bem como gravar um DVD ao vivo e selar o trabalho com a participação em festivais independentes pelo Brasil. Em paralelo, iniciam-se conversas sobre novas gravações de singles e fusões criativas com demais bandas brasileiras.

Young Lights - 2017

Foto: Breno Galtier

de Jairo, que compôs os trabalhos em parcerias com músicos e amigos. Em 2015, Vitor ”Boss” Ávila (guitarra), João Paulo Pesce (baixo) e Gentil Nascimento (bateria), todos de Belo Horizonte, completaram a banda de forma definitiva. A experiência de cada um se soma à pegada folk de Jay e o resultado é um indie/folk com detalhismo, sentimento e muita energia ao vivo. A partir daí o Young Lights colecionou passagens por importantes palcos em diversas cidades do Brasil incluindo o festival “No Ar Coquetel REVISTA IPÊ


| ESTRATÉGIA E VENDAS

— 62 —

O

Ennemont Theyson Morel Empresário, Consultor, Coach, Especialista em Vendas e Alta Performance atendimento@amplliare.com.br (35) 99163-6030

Na medida certa? Não gerencia o que não se mede, e não se mede o que não se define? REVISTA IPÊ

s indicadores de desempenho são de suma importância para avaliar o desenvolvimento de equipes comerciais. Como o mercado é bastante exigente, quem trabalha com vendas sabe a cobrança e a pressão sofrida durante o mês para bater a meta, sem perder o sorriso no rosto e a excelência no atendimento ao cliente. Ao longo do mês não é difícil cair na rotina e deixar de acompanhar seus indicadores. As semanas vão passando e os indicadores são apresentados no fechamento do mês para mostrar o motivo pelo qual você não conquistou o propósito estabelecido. Sabemos que não atingir os objetivos traçados, além de gerar perdas financeiras para a empresa e perda daquela renda extra que alivia as contas no final do mês, no fundo, também acaba nos trazendo uma grande desmotivação. Acompanhar os indicadores de desempenho é de extrema importância para você alcançar seus objetivos, dessa forma, você possui o controle sobre onde está e em que precisa trabalhar mais para chegar onde deseja. É importante que você possua e esteja atento às informações certas sobre o seu ticket médio, itens por cupom, quantidade de atendimentos, participação por categoria de produto, venda líquida, entre outros indicadores, conforme a estratégia adotada pela sua empresa. Os colaboradores possuem um papel essencial na aceleração das vendas, portanto, é preciso que esteja determinado em perseguir a sua meta e que compreenda a importância do acompanhamento dos indicadores de desempenho para alcançá-la. Quanto você tem vendido em cada mês e qual o seu ticket médio diário de vendas? Consegue informar esses valores ou mesmo tem acompanhado os mesmos? Talvez o erro esteja em achar que acompanhar indicadores seja função apenas dos altos cargos da sua rede. Será? Você não está em busca de melhores resultados? O acompanhamento dos indicadores serve para você ter conhecimento sobre o que precisa mudar em seu modo de atendimento, como oferecer produtos adicionais ou produtos com maior valor agregado, isso tudo será essencial para aumentar o seu ticket médio e fazer com que você alcance a meta durante o mês. Como todos sabemos, os clientes estão se tornando cada vez mais informados e exigentes. Esse fato destaca ainda mais a importância do seu papel e entrega durante a venda, você precisa realizar um atendimento com excelência para o cliente, proporcionando a melhor experiência de compra de modo a fidelizá-lo. Portanto, crie o hábito de acompanhar os seus indicadores e os monitore constantemente até chegar ao nível onde fique tão natural como respirar.

ALGUNS INDICADORES BÁSICOS QUE PODEM SER USADOS SÃO: Conversão de clientes, ticket médio, produtos por cupon, mix de produtos, taxa de retorno de cliente entre outros, e lembre-se: não se gerencia o que não se mede e não se mede o que não se define. Então comece hoje mesmo a definir seus indicadores e venda na medida certa.


Foto: Gil Botelho

| VERDE CAMPO

Verde Campo: De Lavras para o Brasil e para o mundo Por Ideia Comunicação

— 64 —

H

á 18 anos, a Verde Campo começava as suas atividades em Lavras (MG). Sempre pioneira, a marca não parou de lançar novidades. Nos últimos anos, a Verde Campo expandiu não só o seu portfólio de iogurtes e queijos, como também a sua infraestrutura. Neste ano, de 2017, a empresa iniciou mais uma obra para expansão e modernização da fábrica em Lavras e a criação de um escritório comercial em São Paulo. A previsão de término das obras da expansão da fábrica é para junho de 2018, quando toda a automação e ampliação de sua capacidade de produção estarão concluídas. Com esse projeto, a Verde Campo vai ampliar a capacidade mensal de industrialização e processamento de leite de quatro milhões para nove milhões de litros. A Verde Campo tem sempre algo diferente e inovador em matéria de alimentação saudável e de alta qualidade. O presidente da empresa, Alessandro Rios, pontua a importância do ano de 2017 para a consolidação da marca e do pioneirismo na produção de laticínios no Brasil. “Estamos conseguindo manter e alcançar todos os objetivos de crescimento estabelecidos, mesmo no cenário de grandes desafios para todas as empresas no Brasil. A Verde Campo não parou um minuto. Lançamos novos produtos, entramos na categoria de produtos UHT em 2017 e com todo esse trabalho estamos crescendo 34% em relação ao ano anterior”, conta. REVISTA IPÊ

Alessandro Rios Diretor da Verde Campo

GRANDE EXPECTATIVA PARA 2018 A Verde Campo está se preparando para crescer em ritmo ainda mais forte a partir de 2018. A empresa está ampliando e modernizando suas unidades de produção de iogurtes e queijos, que continuam localizadas na própria unidade industrial de Lavras. “Na área de iogurtes estaremos utilizando a tecnologia mais moderna que existe no mundo atualmente. Isso vai permitir à Verde Campo lançar produtos ainda mais inovadores. Temos certeza de que isso será um grande marco para a indústria de laticínios no Brasil e que irá trazer grandes benefícios para todos os clientes”, explica Alessandro Rios. Além de expandir a capacidade de produção da fábrica em Lavras, os principais objetivos dos novos investimentos são ampliar a segurança dos processos e dos alimentos e também

permitir o lançamento de novos produtos ainda mais inovadores. Para isso, o time da Verde Campo segue coerente com o pioneirismo que caracteriza o DNA da empresa e segue trabalhando em um grande projeto de pesquisa e desenvolvimento para oferecer produtos ainda mais avançados e saudáveis para os consumidores. Atualmente, a Verde Campo está presente em todos os estados do Brasil, focada principalmente nos grandes centros. O projeto de expansão vai levar a marca para novas cidades e mercados para atender à solicitação de novos consumidores e levar a saudabilidade a cada vez mais pontos do Brasil. “Continuaremos focados em produtos saudáveis e especiais e atentos aos ingredientes e processos para que tudo continue sempre muito bem cuidado e que nossos consumidores possam continuar cuidando da sua saúde com os produtos da Verde Campo”, finaliza Alessandro Rios.


— 65 — REVISTA IPÊ


— 66 —

| NATUREZA

Melhor do que estar perto da natureza, é ela estar perto de você Elementos que podem mudar a sua vida

Por Assessoria Natural Lagos Fotos: Natural Lagos

REVISTA IPÊ

I

magine você chegar em casa e atravessar uma passarela sobre um lindo lago que integra e interage com uma jardinagem harmônica. O encanto das águas em sintonia com o nado dos peixes e a combinação das cores exercendo um efeito fabuloso. Um verdadeiro espetáculo em casa. Andar descalço na grama, sentar no deck e colocar os pés na água, alimentar os peixes, sentir a brisa tocar nossos rostos e ficar por ali até que o sol se ponha, ou até mesmo um pouco mais; sem pressa, poder permitir que somente a vontade seja a responsável pelo limite de tempo. A Natural Lagos tem uma história que continua a ser escrita a cada novo projeto. Uma história composta por serviços diferenciados, projetos que buscam sustentabilidade e sofisticação em tecnologia, e que resultam em estabilidade na qualidade de água e na qualidade de vida dos animais, tudo isso combinado com a estética, harmonia e sutileza, proporcionadas

por linhas orgânicas e simétricas, que valorizam o ambiente e alavancam o bem estar de todos no espaço. Através da prestação de serviços para construção de ambientes de contato ambiental, como um lago ornamental, piscina natural, cascata, jardim japonês, paisagismo, ambientes educativos de contato com a natureza, aquários e outros projetos especiais que visam um contato íntimo e diário com o meio ambiente e sua biodiversidade, a Natural Lagos te faz natural por natureza. O propósito é trazer o máximo de bem estar, atendendo todas as verdadeiras necessidades do cliente da forma mais automatizada possível e com as tecnologias mais avançadas do mercado, deixando seu ambiente totalmente equilibrado e perfeito, com uma fácil manutenção e, em alguns casos, mínima. A Natural Lagos utiliza materiais naturais, certificados e legalizados, que promovem a aparência ideal para


— 67 —

o grande novo cenário, tornando-o único e exclusivo. Com a presença contratual em todas as execuções, oferece máxima segurança no desenvolvimento do projeto. A assistência técnica, logicamente, é especializada e treinada para assegurar a você todo o suporte necessário, incluindo treinamento inicial, dúvidas, assessoria, equipamentos, produtos, peixes, plantas e alimentos para os seus novos amigos. Um estilo de vida Natural, acordar pela manhã com o barulho das águas calmas, um almoço em meio à natureza, poder ter dentro de casa um ambiente com água cristalina, peixes dóceis que comem na mão, ou porque não um mergulho em uma piscina natural junto à biodiversidade de um lugar só seu. “Sabemos que a vida atribulada limita nosso tempo, mas o pouco que podemos ficar já nos parece o suficiente para nosso bem estar. Saímos de lá revigorados, diferentes de como chegamos e isso é o que importa. Espalham-se aos quatro ventos que o contato com a natureza nos traz diversos benefícios e, com certeza, constatamos isso com muita facilidade quando temos uma real interação com ela, e o melhor: sem sair de casa”, destacam. Ficou encantado com esse novo conceito? Então, tire todas as suas dúvidas com a Natural Lagos:

Quais são os mais procurados? Na hora do desenvolvimento do orçamento e do projeto, antes de questionar sobre medidas e questões técnicas, perguntamos qual é a verdadeira história do cliente, o que ele tem pra contar, quais os motivos dele querer o lago. Desta forma, não apenas humanizamos o processo, como podemos identificar detalhes importantes e necessidades muitas vezes esquecidas na maioria de outras empresas. Trabalhamos com vários estilos de lagos que possuem suas características e possibilidades de construção, o mais versátil é o de pedra sobreposta, que utilizamos pedras roladas de até 40 centímetros de diâmetro, facilitando a mão de obra, inclusive em lugares de difícil acesso, onde não podemos entrar com um caminhão guindaste, por exemplo. Existe também o lago de manta nua, utilizado em grandes áreas, esse é o

único que não possui pedras, apesar do nome, a manta não aparece nas bordas, fazendo com que o lago pareça o mais natural possível. E também temos o mais charmoso, de pedra sedimentar, somos umas das únicas empresas a oferecer esse tipo de pedra, são pedras que possuem um visual totalmente diferenciado e único, valoriza infinitamente qualquer ambiente.

E os peixes mais criados nos lagos ornamentais? Praticamente, podemos construir um lago para qualquer espécie de peixe, porém com maiores investimentos ou dificuldades dependendo da espécie. Um item que interfere bastante na escolha é a questão de temperatura e estabilidade da água, pelo volume e

exposição ao ambiente externo, geralmente é difícil se manter alguns parâmetros sem margem de oscilação, sendo assim, em 90% dos casos é preferível utilizar carpas koi e kinguios em lagos, pois são mais “resistentes” a estas questões e também pelo efeito visual que oferecem sendo vistos “por cima”. Alguns clientes nossos possuem peixes de outras espécies que vivem bem no mesmo ambiente das carpas, como arraias, que dão um visual incrível ao lago.

Quais são as últimas tendências? Sem dúvidas, são as piscinas naturais, que não são nada mais do que lagos com um pouco mais de profundidade e com um desenvolvimento REVISTA IPÊ


| NATUREZA

especial, para que ofereça segurança e conforto a quem for se refrescar nele. Assim como os lagos “normais”, podem ser construídas de diversas formas, desde alvenaria mesclado com plantio de plantas aquáticas, até mesmo modelos com pedras sedimentar onde podemos criar até mesmo uma praia particular com areia branca. Uma coisa que sempre nos perguntam é se pode ter peixe e piscinas naturais, e nossa resposta é “com certeza”, pois como garantimos água cristalina em todos os nossos projetos, não há problema algum. A construção de uma piscina natural possui um sistema de filtragem que previne qualquer tipo de problema e também exclui diversas “manutenções” que teriam que ser realizadas em uma piscina normal de fibra ou azulejo, por exemplo. Temos um case de um cliente que quis construir um lago em volta da piscina, resultado: ele e sua família mergulham

de máscara no lago e a piscina fica de lado, rs. Realmente são projetos que encantam a qualquer um.

E as principais novidades no mercado de lagos ornamentais? Assim como em todas as áreas, os avanços tecnológicos em nosso mercado são constantes, o que era novidade há alguns anos, como a aplicação de ozônio para degradação de matéria orgânica ou então filtros U.V. que também realizam este processo, de uma forma diferente, hoje são comuns. As empresas estão aperfeiçoando cada vez mais esses processos e desenvolvendo novos, inclusive, sistemas cada vez mais automáticos, que dispensam manutenção, e que em breve serão apresentados ao mercado.

Compartilhe dois cases de sucesso da empresa: Dentre os mais de 200 projetos incríveis que realizamos anualmente, alguns projetos se tornam realmente especiais, devido ao tempo de desenvolvimento ou então pela criatividade que buscamos na solução de dificuldades de realização do projeto. • Posto Rede Graal Uberaba: o diferencial deste projeto é que tínhamos um tempo curto para construir um lago de 35 mil litros de água. Nos mobilizamos, aumentamos ainda mais a equipe e da primeira marcação até a entrega do ambiente pronto, foram cinco dias, sendo que o lago em si ficou pronto em apenas três. Temos um vídeo que mostra o making off desse grande projeto, basta pesquisar no Youtube “Natural Lagos Posto Graal”, vale a pena conferir.

— 68 —

• Lago Residencial Pedra Sedimentar: este case foi especial, pois, o cliente queria um ambiente totalmente renovado, um espaço com vida, natureza e que permitisse interação. A grande dificuldade era chegar com as pedras sedimentares que pesam toneladas, sendo que ele morava em um condomínio e o lago ficava do lado de dentro da residência. Analisamos cada detalhe e rapidamente verificamos a viabilidade do projeto, que já no 3D de visualização encantava todos que viam. Também temos um vídeo case desta construção, confira no nosso canal ou em nosso Facebook.

Natural Lagos Endereço:

R. Pedro Arroyo, 800 - Chácara Flora Araraquara - SP 14805-325

Contato: (16) 3331-5228 natuerallagos.com.br /natural.lagos @ateliedeceramica querofalar@naturallagos.com.br REVISTA IPÊ


REVISTA IPÊ | 69


| ARTE

Famosas facas artesanais de Sete Lagoas A ORK cria produtos que aliam qualidade, tradição e modernidade, quebrando paradigmas da cutelaria brasileira

Temperatura em forno de precisão Retenção de Fio + Tenacidade

Ergonomia Conforto + Destreza

Por Camila Caetano e Assessoria ORK

— 70 —

A

A ORK (Organic Knives), a aproximadamente uma hora de Sete Lagoas, é uma empresa brasileira que produz facas artesanais. Aplicando design ao processo milenar de confecção, as peças são trabalhadas pelo designer/ cuteleiro Daniel Gontijo, que herdou de seu pai a técnica e a paixão pela cutelaria. O resultado é apresentado através de produtos com forte carga tradicional e olhar contemporâneo. A empresa dialoga com as necessidades do mundo atual, utilizando madeiras oriundas de poda, demolição ou árvores tombadas por tempestades. Além disso, resina orgânica atóxica derivada da mamona e retalhos de couro de selarias são usados para colagem e acabamento. As lâminas são de aço de alto carbono, temperadas em forno de temperatura controlada, em um tratamento de três etapas, o que proporciona excelente retenção de fio. Também é explorado o aspecto orgânico nas formas e texturas do aço bruto. A ergonomia é extremamente utilizada nos projetos, para maior conforto e eficiência no uso.

Fotos: Taís Rodrigues

REVISTA IPÊ

Texturas espontâneas Peças únicas Rústico / Moderno

Resina orgânica Impermeabilidade + Higiene Atóxico

Suporte de madeira Proteção + Exposição

Madeira ecológica Podas / Demolição / Móveis antigos Cabo integral

Afiação impecável Extrema + Durável

Cabo Integral Distribuição de peso e resistência


Madeiras brasileiras nobres Demolição / Podas / Móveis antigos Aço Inox de alto carbono

Pino de inox e bambu

Aço bruto - textura expontânea formada pelo processo. Impressão digital da faca.

Suporte protetor do fio

A HISTÓRIA

No Brasil, surgiram grandes nomes na cutelaria com fama internacional, como o Rodrigo Sfreddo, e a cutelaria Burdza (em Tiradentes). Tem ainda o brasileiro Gustavo Colodetti Vilar, que foi contratado para ser o cuteleiro oficial da família real de Abu Dhabi, produzindo facas, espadas e adagas para serem presenteadas a chefes de estado que visitam o país.

— 71 —

Daniel Gontijo começou a trabalhar com cutelaria em meados de 2012. Formado em Design de Produto em 2010, Daniel iniciou na área por curiosidade. “Trabalhei em um escritório de Design em 2011 e 2012, nesse meio tempo comecei a aprender a cutelaria com meu pai por curiosidade. A atividade me fisgou completamente e assim que o escritório fechou, em 2012, resolvi empreender minhas próprias facas, aplicando o design em todo o seu processo”, comenta. Toda a família tem habilidades manuais, um talento passado de geração a geração. “Na verdade meu pai sempre foi uma espécie de professor Pardal. Minha família tem muita facilidade com trabalhos manuais e são extremamente engenhosos. Alguns anos antes ele se interessou pela produção de facas e aprofundou bastante na teoria e técnica, mas apenas como hobby. Foi realmente um grande privilégio ter um professor em tempo integral. Após algum tempo ele se envolveu em outras atividades e eu segui evoluindo na cutelaria, adquiri meus próprios conhecimentos e técnicas. A parte de transformar a atividade em negócio foi iniciativa minha, afinal de contas ele já está aposentado e pode experimentar qualquer atividade”, conta Daniel. Ao criar a ORK, Daniel relata que pensou em todos os aspectos com bastante cuidado, entre eles o desenvolvimento completo dos produtos com base no design, aplicação de design gráfico na marca e identidade visual, apresentação dos produtos, embalagem, etc. A divulgação do trabalho começou pelo facebook, posteriormente site e instagram. “As mídias sociais foram uma peça chave do negócio, creio que a divulgação ‘boca a boca’ também foi de grande ajuda”, destaca. Daniel conta que acabou focando no universo da gastronomia, já que seus clientes geralmente são cozinheiros entusiastas ou profissionais. “Tenho alguns clientes que ficam ansiosos por novos modelos e completam toda a coleção”, comenta. O atrativo dessas facas, além da eficiência de corte (característica das facas artesanais bem feitas) é o design próprio. Geralmente na cutelaria artesanal, principalmente no Brasil, é seguido o padrão das facas clássicas, por exemplo, a faca bowie e a tradicional faca gaúcha. “Minhas facas aliam o fazer tradicional com o visual contemporâneo. O contraste entre rústico e moderno é bem visível nos materiais, texturas e linhas da faca. A ergonomia também é muito explorada para maior conforto e melhor usabilidade”, ressalta.

GRANDES NOMES

REVISTA IPÊ


| GASTRONOMIA

DICAS GASTRONÔMICAS CONFIRA NOSSAS DICAS GASTRONÔMICAS DE LAVRAS

Filé Mignon Prime ao Gorgonzola + Fritas (800g)

King’s Pub O King´s Pub é um bar versátil, e mescla características dos pubs ingleses - ambiente mais reservado e acolhedor - à proposta de prestar atendimento de qualidade, e ao mesmo tempo descontraído, para que todos possam se sentir muito à vontade. Variedade de cervejas e drinks, chopp artesanal, vinhos importados...e para harmonizar, deliciosas porções com carnes nobres e temperos customizados. #VemReinarNoKings Rua Santana, 65 - Centro (35) 99277-1987 @KingsPubLavras

— 72 —

Clube do Sushi O Clube do Sushi vem ganhando espaço e reconhecimento em toda região devido à qualidade dos alimentos produzidos. O alto padrão da matéria-prima aliado ao profissionalismo da equipe garante ao consumidor uma experiência marcante que conquista os paladares mais exigentes! Vem pro Clube!!

Av. Jucelino Kubitscheck, 713. Centro (35) 3826-6322 e 99186-2878 (whatsapp) @clubedosushioficial

Arroz de polvo

Lavras Apart Hotel Restaurante aberto ao público todos os dias da semana para café da manhã e jantar. Cardápio variado, culinária local e internacional (na foto: arroz de polvo, um clássico português). É Bom reservar mesa antes de ir.

Rua. Misseno de Pádua, 151 - Centro (35) 3821-1413 @lavrasapart REVISTA IPÊ


Pizzaria do Paizinho A pizzaria Paizinho, além da tradição, mais de 35 anos no mercado, é pautada nos valores da ética e amor naquilo que se faz. Com respeito e, sobretudo, carinho, sua meta sempre foi de cuidar da qualidade do produto e ambiente para que o cliente possa ter a garantia que fez a melhor opção. A pizzaria conta com uma equipe sempre preocupada com os detalhes para que o cliente fique satisfeito e feliz. Rua Comandante Soares Junior, 284 Artur Bernardes (35) 3821-8129 @pizzariapaizinho

Bece Gourmet

Rua Santana, 179 - Centro (35) 98876-6314 @becegourmet

Crocante Saborosos cortes de frango e porco, super crocantes, empanados em uma mistura de temperos especiais, acompanhada de molhos cremosos, suculentos e de sabores marcantes. Servidos no balde no legítimo estilo americano. Atendimento quarta, quinta e domingo das 19h às 23h, sexta e sábado das 19h às 00h

Rua Dr. Álvaro Botelho, 40 - Centro (35) 3822-2913 e (35) 98809-2913 @crocantelavras REVISTA IPÊ

— 73 —

A Bece trouxe para Lavras o que há de melhor em churros e batatas no cone, transformando produtos tradicionais em consumo Premium. Churros e batata no cone são produtos especiais que sempre fizeram parte de momentos felizes de nossas vidas, dignos de serem lembrados. Por isso, carrega consigo um convite à felicidade.


Foto: Daniel Rocha

| ESPAÇO GOURMET

Ingredientes • 200g de bifum • 5 bastões de kani • 2 pepinos japonês • 2 ovos • 100g de presunto • Cebolinha • Gergelim preto • Azeite • Vinagre • Sal

Modo de Preparo

— 74 —

Cozinhar o bifum de acordo com as instruções da embalagem e reservar. Desfiar os bastões de kani. Fatiar os pepinos em rodelas finas. Colocar em um escorredor e misturar 1 colher (sopa) cheia de sal. O pepino irá desidratar. Após 20 minutos, lavar com muita água corrente e espremer para retirar todo o excesso de água. Com os ovos, fazer uma omelete temperada com sal e açúcar. Ela deve ficar bem fina e com sabor levemente adocicado. Depois de frio cortar em tiras finas. Cortar o presunto em tiras finas.

Misturar todos os ingredientes: Bifum, kani desfiado, pepino desidratado, omelete em tiras, presunto em tiras, gergelim torrado. Temperar com sal, azeite e vinagre. Finalizar com cebolinha picada.

Salada de bifum REVISTA IPÊ

Ana Carolina Abe-Saber Cozinha Gourmet (35) 99168.5895


Roupas masculinas com estilo e personalidade.

Estilo é tudo.

— 75 —

R. Dr. Francisco Sales, 410 | Centro | Lavras MG | Tel.: 3826 1475

innonimato REVISTA IPÊ


| ESPAÇO GOURMET

Foto: Mauro Holanda

Eine Art spezieller Gin Um tipo de Gin feito inicialmente na Alemanha

— 76 —

O

Steinhaeger teve seu início no século XV, na região da Vestfalia, em uma aldeia chamada de Steinhaeger, que significa “Aldeia de Pedra”. Uma saborosa bebida, destilada duas vezes, com uma predominância de bagas de Zimbro ( Wacholder), além de outros ingredientes típicos dessa região. O Steinhaeger levou a pequena aldeia a ser conhecida mundialmente, e reconhecida como o berço dessa bebida amada pelos alemães e muito apreciada pelo restante do mundo. Esta finíssima bebida, sem aditivos químicos, feita apenas com ingredientes naturais, não permite a adição de qualquer componente que não seja o álcool de cereais, zimbro, coentro, cominho, outros botânicos e ervas naturais. Sua produção é controlada e regida por severa legislação, para que não haja qualquer interferência em sua produção. Sua apresentação é feita em garrafas de louças, e comemorativas. O Steinhaeger pode ser bebido puro, bem gelado, ou ser utilizado na coquetelaria internacional fazendo parte de variações como a Caipirinha com Steinhaeger, que participa de vários cardápios de bares e choperias no Brasil. O mais importante produtor no Brasil é o Doble W. A Doble W foi fundada em 1960 pelo alemão Wenzel Rulf e seu filho Gunher Wolfran. A fábrica foi construída em Porto União/SC, inicialmente produzindo bebidas típicas da Europa como o Enzi Bitter, Rum, Captown e Koen, Aquavit. A produção de Steinhaeger iniciou em 1962. No Brasil, a empresa se consolidou como líder de mercado no segmento Steinhaeger e adquiriu sucesso de críREVISTA IPÊ

tica nacional e internacional. Em 2001, a destilaria recebeu o certificado Beverage Testing Istitute em Chicago –Ilinois-Usa , considerando o Steinhaeger um produto altamente recomendado, com 89 pontos em uma escala de 0 a 100. Dentre vários Cocktails que podem ser feitos com o Steinhaeger Doble W, eu recomendo o Doble Negroni:

DOBLE NEGRONI Ingredientes • 30 ml de Doble W • 30 ml de MezzAmaro • 30 ml de Vermute Rosso

Modo de Preparo Preparado em um copo Bola, servido com um Ice Bowl, finalizar com uma fatia de laranja.

Derivan Ferreira de Souza Barman


Foto: Daniel Rocha

Muito além da Caipirinha

Jamile Botrel Massahud Chef de cozinha Lavras Apart Hotel

Modo de Preparo Da horta • 1 dose (50ml) de cachaça Bocaina Jequitibá • 1 dose (50ml) de licor de mel • ½ colher de açúcar • Uvaia • Alecrim fresco • Gelo

Modo de Preparo Na coqueteleira, macerar as uvaias com o açúcar, o licor de mel e meio ramo de alecrim debulhado. Colocar o gelo e a cachaça por cima. Fechar a coqueteleira e chacoalhar bem. Coar, colocar numa taça bonita, mais gelo e a ponta do ramo do alecrim para decorar.

Cecececerecê

Ingredientes • 1 dose de cachaça Bocaina Jequitibá • 1 colher rasa de açúcar • 1 laranja (metade espremida, metade em rodelas) • Acerolas • Gelo

O restaurante do Lavras Apart Hotel oferece para este verão nova carta de drinks. Confiram as novidades em @lavrasapart (criados pela @chefjaja.)

Na coqueteleira, macerar as acerolas com o açúcar e o suco de 1/2 laranja espremida. Acrescentar o gel e por cima a cachaça. Chacoalhar bem, depois coar e colocar numa taça de vinho tinto fina. Colocar gelo na taça, rodelas da 1/2 laranja nas paredes da taça e despejar o coquetel coado.

— 77 —

Ingredientes

Branquinha perfumada

Ingredientes • 3 doses de cachaça Bocaina Jequitibá • 2 latinhas de Sprite • 2 paus de canela • 4 cravinhos • 1 laranja em rodelas • Abacaxi (duas fatias grossas cortadas em oito triângulos cada) • Hortelã • Manjericão • Gelo

Com quase 25 anos de mercado, a Cachaça Bocaina, com sede em Lavras, conquistou apreciadores de todo o país e até de outros lugares do mundo. Estamos com muitas novidades para 2018, das quais destacamos os Licores Bocaina e a nova cachaça, armazenada em tonéis de Jequitibá, indicada para drinques e caipirinha.

Modo de Preparo Numa jarra de vidro macerar o abacaxi com hortelã, a canela em pau e os cravinhos. Colocar bastante gelo na jarra, passando da metade. Nas paredes da jarra posicionar as laranjas em rodelas. Despejar sobre o gelo a cachaça e a sprite. Decorar com folhas de hortelã e manjericão. Esperar um pouco antes de servir para pegar mais gosto das ervas e especiarias.

Luciane Reis Sales Engenheira Agrônoma Cachaça Bocaina REVISTA IPÊ


— 78 —

| TIRADENTES

Nova rota do design brasileiro Tiradentes recebeu a primeira Semana Criativa da cidade

A

primeira edição da Semana Criativa em Tiradentes foi realizada entre 26 e 29 de outubro. O festival contou com 4 mil pessoas entre designers, arquitetos, artesãos, estudantes, jornalistas e amantes do design, arte e artesanato. Os participantes desfrutaram de 11 palestras, quatro exposições e 14 eventos paralelos entre workshops e oficinas. A Semana terminou com 200 pessoas reunidas na praça principal de Tiradentes, o Largo das Forras, em um grande Agulhaço. O encontro de tricoteiros, crocheteiros e bordadeiros REVISTA IPÊ

aconteceu ao som do grupo Trio Curió. Tiradentes, assim como todo o estado de Minas, tem uma grande vocação para o design e artesanato. Concentra artesãos habilidosos, que pintam, tecem, bordam, esculpem em pedras, talham madeira, trabalham com o ferro, renovam materiais de demolição e dão novos usos e significados para outros tantos. É neste ambiente criativo e genuíno que nasceu a Semana Criativa de Tiradentes, um evento que reuniu talentos de todo o país para trocar conhecimento, discutir, produzir, fomentar a economia criativa e

Por Assessoria Fotos: João Bertholini estimular o empreendedorismo. As vielas históricas e restaurantes da charmosa cidade foram palco de encontros e vai e vem de grandes nomes do design, arquitetura, fotografia e arte. Passaram por lá Paulo Alves, Heloísa Crocco, Daniela Karam, Mauricio Arruda, André Bastos e Guilherme Leite Ribeiro (Nada se Leva), Maria Fernanda Paes de Barros (Yankatu), Alfio Lisi, Fernando Jaeger, Zanini de Zanine, Lufe Gomes, Aécio Sarti, José Alberto Nemer, Alvaro Guillermo, entre outros. “Estamos surpresos com o resul-


— 79 —

tado do evento. Não tínhamos ideia ou referência de público. Mas, foi surpreendente, tivemos o auditório lotado nas 11 palestras e bate-papos. Era uma plateia interessada, formada, basicamente, por designers de interiores e de produtos e estudantes do segmento. O conteúdo era relevante, afetivo, emocionante. As pessoas também se surpreenderam com as peças produzidas pelos artesãos, que tiveram praticamente todos os trabalhos vendidos. Para uma primeira edição, não poderia ser melhor. Agora é manter, ou melhor, aumentar o padrão para 2018, que já tem data marcada: de 25 a 28 de outubro”, explica Simone Quintas, idealizadora da Semana Criativa de Tiradentes. O festival tem uma importante missão: promover o intercâmbio de conhecimento entre o contemporâneo e o tradicional para levar renovação e frescor para o artesanato local. E principalmente, resgatar tradições e valorizar o design de raiz. Por isso, seis renomados designers brasileiros cocriaram ao lado de cinco artesãos locais

antes da realização da Semana Criativa. Esse coletivo fez duas imersões, com duração de uma semana cada, com a proposta de trocar conhecimento e produzir objetos que foram apresentados na exposição Design à Mão. Agora a expectativa é que os artesãos multipliquem os conhecimentos que adquiriram durante o processo em suas comunidades, engajando mais pessoas para as próximas edições. Os designers convidados foram Daniela Karam; Maria Fernanda Paes de Barros (Yankatu); Paulo Alves; e a dupla André Bastos e Guilherme Leite Ribeiro (do estúdio Nada se leva). Já os artesãos que participaram foram: a bordadeira dona Maria; dona Lilia, que produz as cruzes de Tiradentes; o marceneiro e serralheiro Wagner Trindade; o escultor de arte sacra Rondinelly Santos; e o escultor em pedra-sabão Expedito Jonas de Jesus. O grande legado dessas imersões foi a parceria e intercâmbio entre os próprios artesãos e materiais: peças criadas mostram isso, como as caixas com base de madeira, tampo de pedra

sabão com delicado bordado, ou ainda lustres que misturavam latão, madeira e pedra sabão, só para citar alguns. “A pedra-sabão encontrou a madeira talhada. Ou melhor, Expedito Jonas de Jesus enxergou em Rodinelly Santos um parceiro para a criação de produtos inéditos. Na união de esforços e talentos, abre-se caminho para novas conquistas e possibilidades”, define a jornalista Regina Galvão que participou da primeira edição. Outro momento importante foi a homenagem, através da exposição Emendas e Remendos, de móveis e objetos, que marcaram a história da Oficina de Agosto, projeto criado por Antonio Carlos Bech, o Toti, no início dos anos 1990, com artesãos de Bichinho, vilarejo próximo de Tiradentes, no município de Prados. Toti criou um estilo, formou artesãos, gerou nova fonte de renda para as famílias locais e deu novo significado ao artesanato da região. Até hoje, a Oficina de Agosto é uma referência importante do artesanato mineiro para o país.

REVISTA IPÊ


| DICAS DE VIAGEM

Tiradentes

— 80 —

Uma das cidades mais visitadas de Minas Gerais

Por Camila Caetano Foto: Alberto Lopes

A

charmosa Tiradentes é considerada um dos principais destinos históricos de Minas Gerais. Uma cidade que atrai diversos turistas por conta de suas igrejas e construções coloniais, cultura, gastronomia e ótima hospitalidade. Além de promover diversos festivais, como a Mostra de Cinema e o Festival de Cultura e Gastronomia. Se você está planejando uma visita a Tiradentes, confira as dicas da Revista Ipê de restaurantes e pousadas!

REVISTA IPÊ


Pacco e Bacco

Tragaluz Restaurante Casa

Uaithai

Um ambiente cheio de charme, que une as memórias do velho casarão colonial com toques contemporâneos. Mais de 150 rótulos de vinho de todo o mundo, perfeitamente harmonizados com o cardápio, pelos dois sommeliers exclusivos da casa, a Lionara e o Francisco Rodriguez, ou Pacco. Rua Direita, 166 - Tiradentes/MG (32) 3355 1136 e (32) 99920 1216

O Tragaluz oferece uma comida artesanal e acolhedora, com o requinte da culinária cosmopolita e internacional aplicada aos ingredientes das Minas. Todos os pratos, de alguma forma, têm ligação com Tiradentes e a região do Campo das Vertentes, unindo tradição e inventividade. R. Direita, 52 - Tiradentes/MG (32) 99968-4837 e (32) 3355-1424

O chef Ricardo Martins apresenta uma cozinha única e autoral, ao misturar elementos frescos e leves da culinária tailandesa com o carinho da tradicional comida mineira. Sabores marcantes que proporcionam uma experiência gastronômica inesquecível. R. Padre Toledo, 157, Centro Histórico Tiradentes/MG (32) 3355-1716, (32) 99174-8890 e (32) 99174-8890

@tragaluztiradentes

— 81 —

@paccoebacco

@uaithaitiradentes

Foto: Emmanuel Pinheiro

Solar da Serra

Armazem 26

Alma Serra

Mais do que uma pousada, o Solar da Serra é um refúgio de descanso e bem viver, especialmente preparado para receber hóspedes em férias ou abrigar eventos exclusivos, como casamentos e aniversários. R. Alvarenga Peixoto, 1553 - Capote, Tiradentes/MG - (32) 3355-1769

Para quem busca tranquilidade e requinte. O casarão em estilo colonial abriga 26 apartamentos com aconchego e sofisticação. A decoração se destaca pelos móveis antigos e obras de arte. O café da manhã é preparado especialmente pelos proprietários, com receitas caseiras. Av. Governador Israel Pinheiro, 26 Várzea de Baixo – Tiradentes/MG (32) 3355-1207 | (32) 99198-2626

Um casarão de arquitetura colonial, com móveis de época, quartos amplos e arejados, com toda privacidade do mundo e o conforto de roupas de cama 100% algodão com 300 fios, a apenas alguns metros do Centro Histórico, na parte mais charmosa de Tiradentes. E ainda um jardim dos sonhos, emoldurado pela exuberante Serra de São José. R. Santíssima Trindades, 420 - Santíssima Trindade/MG (32) 3355-1521

@solardaserra

@pousadaarmazem26

@almaserravila REVISTA IPÊ


| VIAGENS

São Tomé das Letras — 82 —

Conheça a lenda que envolve a cidade e os principais pontos turísticos

Por Francisco Josiane Cardoso Félix Fotos: Veldeci de Andrade

D

iz a lenda que as terras onde se localiza a cidade de São Tomé das Letras pertenciam ao pai do barão de Alfenas, o capitão João Francisco Junqueira. Um dos escravos, conhecido por João Antão, teria se apaixonado pela irmã do capitão. Quando ele ficou sabendo do romance, ordenou que matassem o escravo. Sua irmã descobriu e correu para avisar o amante, que fugiu e se escondeu por vários dias dentro de uma gruta. Certo dia, já com fome e sem água, um senhor, de vestes brancas, apareceu na gruta e pediu para se alojar naquele local. Em troca, ensinaria a cultivar as plantas, disponíveis na gruta, e a conseguir água. João Antão aceitou e ali o senhor ficou por vários dias, conversando e conhecendo a sua história. Com o passar dos dias, o senhor escreveu uma carta e pediu que João Antão levasse ao capitão, afirmando que assim ele conseguiria sua carta de alforria e viveria seu romance. João, a princípio, ficou com medo, pois se voltasse à fazenda sabia que seria morto. Como não havia alternativa, resolveu tentar. REVISTA IPÊ

Quando João chegou à fazenda, foi pego pelos guardas do capitão. Assustado, disse que tinha uma carta para ser entregue. Os guardas chamaram o capitão, que ao lê-la ficou incrédulo (já que o escravo não sabia ler e escrever). O capitão queria ir ao responsável pela carta. Quando chegaram à gruta, não havia ninguém, apenas uma imagem do apóstolo Tomé. O capitão crendo que a imagem era milagrosa a levou para sua fazenda e fez um pequeno altar. No dia seguinte, o capitão não encontrou a imagem no altar. Pediu que seus guardas a procurassem. Para o espanto de todos, a imagem havia retornado para a gruta. O capitão então decidiu fazer uma capela ao lado da gruta. Em 1785, quando a capela já estava pronta o capitão veio a falecer, seu filho Gabriel Francisco Junqueira, o barão de Alfenas, decidiu ampliar a capela, fazendo uma Igreja em devoção ao Santo, e sepultando seu pai debaixo do altar. GUIA - Valdeci de Andrade (35) 99126-4019 (whatsApp)

LOCALIZAÇÃO: São Tomé das Letras está localizada no Sul de Minas Gerais, aproximadamente 100 km de Lavras, 311 km de Belo Horizonte, 348 km de São Paulo e 405 km do Rio de Janeiro.

INFORMAÇÕES E DICAS: São Tomé das Letras está localizada em uma montanha de aproximadamente 1440m de altura, por esse motivo os verões são bem quentes durante o dia, e à noite o clima é ameno. O frio se estende de junho a final de agosto, nessa época do ano chega a ter temperaturas negativas.

TELEFONES ÚTEIS: • Receptivo Turístico João Antão: (35) 3237-1276 • Prefeitura Municipal: (35) 3237-1223 • Polícia Militar: (35) 3237-1179 • Unidade Mista de Saúde: (35) 3237-1580


ARTE E CULTURA = MÚSICOS / TEATRO

Cachoeira Antares 30m de altura

• Ventania • Tibilk • Grupo Candeia • Grupo Avalloon • Lucinha Luz • Rao • Billy das Letras • Alisson e Igor • Nei e Alan • Tupac • Companhia Teatral Voz da Terra

PONTOS TURÍSTICOS: DENTRO DA CIDADE • Parque Antônio Rosa • Casa da Pirâmide • Cruzeiro • Pedra da Bruxa • Mirante • Igreja Matriz • Igreja do Rosário • Gruta de São Tomé

AOS ARREDORES

— 83 —

• Vale das Borboletas • Garganta do Diabo • Ladeira do Amendoim • Shangrilá • Cachoeira Eubiose • Cachoeira do Flávio • Cachoeira Véu de Noiva • Cachoeira Paraíso • Cachoeira da Conquista • Cachoeira da Lua • Cachoeira do Sobradinho • Gruta do Sobradinho • Gruta do Labirinto • Poço Verde.

Gruta do Sobradinho

Cachoeira Vale das Borboletas

EVENTOS: • Encontro de Folias de Reis: 4º final de semana de janeiro. • Carnavais antecipados: Sobradinho: duas semanas antes do oficial. São Tomé das Letras: uma semana antes do oficial. • Festa do Peão de Sobradinho: 3º final de semana de maio. • Dia do Padroeiro: 3 de julho. • Festival da Canção: Julho. • Tradicional Festa de Agosto: Penúltimo fim de semana de agosto. • Concurso da Eubiose de Contos e Poesia: Setembro. • Dia do Extrator de Pedra: 2º domingo de setembro. • Halloween: último fim de semana de outubro. • Reveillon: 31 de dezembro.

Véu De Noiva

REVISTA IPÊ


— 84 —

| VIAGENS

REVISTA IPÊ


Casas Brancas — 85 —

Aninhado sobre a Baía da Armação, na pequena vila de Búzios, existe um refúgio de beleza e elegância.

REVISTA IPÊ


| VIAGENS

— 86 —

Junior Suit

Por Camila Caetano e Assessoria Fotos: Casas Brancas

U

m pequeno refúgio em Búzios, com vista panorâmica da Orla Bardot -um dos pontos turísticos mais bonitos e procurados da cidade- que encanta brasileiros e estrangeiros. Terraço ao estilo mediterrâneo, vista panorâmica sobre o mar e toques de estilo e sofisticação fazem toda a diferença no Casas Brancas Boutique Hotel & Spa. Búzios é um local muito procurado por lavrenses. Pouco mais de 500 km de distância, aproximadamente 7 horas de carro. A vista é paradisíaca, com um magnífico pôr do sol bem à frente do hotel. Uma singularidade incrível, de arrebatar suspiros. Com uma localização privilegiada, o hotel fica próximo ao centro e também aos melhores restaurantes e praias da cidade. Aninhado sobre a Baía da Armação, o hotel oferece conforto e atenção nos detalhes, assim como cuidado e profissionalismo de sua equipe multilíngue. Os ambientes propiciam tranquilidade e transformam a estadia em uma experiência única.

HISTÓRIA Sinônimo de harmonia e simplicidade, o Casas Brancas Boutique Hotel & Spa é um autêntico convite ao descanso e bem-estar. Toda a sua história teve início na década de 70, quando Búzios era então apenas uma remota vila de pescadores. Seu nome foi dado pelos pescadores locais que usavam ‘a casa branca’ como ponto de referência ao jogarem suas redes para a pesca. REVISTA IPÊ


Amalia de la Maria e Affonso Carlos Bebianno Montenegro iniciaram juntos o projeto de criar uma pequena pousada para turistas aventureiros, que se interessassem por lugares remotos e poéticos. Somente um telefone nesta vila permitia que reservas fossem efetuadas, as ruas eram de terra e a viagem do Rio de Janeiro era uma demorada expedição. Aos poucos, o casal desenvolveu no espaço um estilo único, incorporando objetos da cultura local. Com o passar dos anos, novos conceitos e costumes se estabeleceram e Casas Brancas acompanhou esse crescimento, continuamente se modernizando, sem perder a identidade e sem abrir mão de seu comprometimento com a qualidade e o estilo. Atualmente, o hotel é referência de luxo, simplicidade, minimalismo e elegância. Menos certamente é mais. Sua decoração e estilo se divide em 32 quartos e 8 categorias, minuciosamente decorados com objetos locais e elementos trazidos de viagens pela família. Quase todos com vista para o mar, com o máximo de contato com a natureza. No café da manhã, alimentos frescos e saudáveis, produzidos pela própria padaria do hotel. Oito variados tipos de pães, incluindo sem glúten, gomas de tapioca (com chia ou a goma rosa, hidratada na beterraba), geleias, iogurtes naturais, barra de cereais, granola, etc. No Casas Brancas, o artesanal é valorizado e o café da manhã é uma ótima forma de demonstrar isso.

Classic

Master Suit

SPA

— 87 —

Salas específicas de massagens para casais, salas individuais e vários tipos de tratamentos, que contribuem para o bem-estar do hóspede. A sensação de estar em um lugar diferenciado. Poder relaxar ao extremo, recarregar as energias em uma experiência única.

GASTRONOMIA O Casas Brancas Boutique Hotel & Spa conta com três restaurantes da mais alta gastronomia:

74 RESTAURANT Aberto diariamente para almoço e jantar, o 74 Restaurant, inaugurado no final de 2015, representa com elegância a culinária local. Localizado em um dos terraços do hotel, que já é conhecido pela deslumbrante vista, o restaurante reúne o que há de melhor e mais sofisticado na gastronomia.

74 Restaurant localizado em um dos terraços do hotel

DECK Localizado na Orla Bardot com vista absoluta do mar, o Bar e Restaurante Deck oferece dentro de seu cardápio uma excelente seleção da cozinha italiana e pratos típicos locais. Saboreie os drinks contemplando um fascinante pôr do sol.

ROCKA Exclusivo lounge-restaurante de Casas Brancas, localizado na Praia Brava, é um dos locais mais espetaculares em Búzios. A apenas cinco minutos de carro do hotel, este é o lugar ideal para aproveitar um dia de praia, em um cenário incrível que mistura a música relaxante à beira-mar. REVISTA IPÊ


| SOCIAL

Desfile Primavera verão Loja Matinê Fotos: Daniel Oliveira A loja Matinê realizou, no dia 20 de outubro, no Clube de Lavras, um glamouroso desfile onde seus clientes abrilhantaram a passarela com muito charme, beleza e alegria. A atriz Fernanda Concon ( Alice da novela Carrossel) desfilou e participou da animada balada que seguiu o desfile. Parceiros do evento: DJ Rafael Pacheco, Glaucia Terra, Ilumifast, Boute

— 88 —

Cerimonial e Eventos, Lavras Apart Hotel, Fazendo Festa e Estação Alegria, Kumon, Doçura Gelada, Ótica Maeli e Academia da Água.

REVISTA IPÊ


| SOCIAL

Lançamento Hotel Bristol Lavras Fotos: Daniel Rocha

— 90 —

Mais de 300 convidados participaram do evento de lançamento do Hotel Bristol Lavras, realizado no dia 6 de dezembro, no Espaço Camuá. Estiveram presentes importantes empresários e autoridades de Lavras e região. O Hotel Bristol é um moderno projeto, que traz para Lavras serviços de hotelaria com padrão internacional de qualidade. Serão 110 apartamentos, além de espaços para convenções e eventos, restaurante e estacionamento totalizando mais de 4.000m² de área construída. O que torna ainda mais viável a idealização deste empreendimento é a somatória de duas grandes construtoras F2 CONSTRUTORA E INCORPORADORA E O GRUPO PEMI, aliando, assim, expertise, know How, credibilidade e experiência em mais um Projeto arrojado e inovador, que trará a Lavras grandes benefícios de crescimento e desenvolvimento. O início das obras está previsto já para meados de fevereiro de 2018.

REVISTA IPÊ


— 91 — REVISTA IPÊ


Revista ipê 17 edição  
Revista ipê 17 edição  
Advertisement