Page 1

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

5

5

7

5

1

Ed itora Círios

EDIÇÃO 2010 PUBLICAÇÃO Editora Círios SS LTDA ISSN 1677-7158 CNPJ 03.890.275/0001-36 Rua Timbiras, 1572-A Fone: (91) 3083-0973 Fone/Fax: (91) 3223-0799 Cel: (91) 9985-7000 www.cirios.com.br E-mail: cirios@cirios.com.br CEP: 66033-800 Belém-Pará-Brasil DIRETOR, PRODUTOR E EDITOR Ronaldo Gilberto Hühn COMERCIAL Alberto Rocha Rodrigo B. Hühn DISTRIBUIÇÃO E VENDAS Rodrigo B. Hühn REDAÇÃO Adriana Pinheiro, Aluizio Almeida dos Santos Junior Carlos Moioli, Constante Aparecido de Oliveira Evanildo Barros, Geiza Palmeira, Geraldo Lopes, Jammes Araujo, Marcelo Fraga, Paula Machado, Pe. Fernando Gross, Rodrigo Nogarolli FOTOGRAFIAS Carlos Moioli, Elcimar Neves, Emerson Ribeiro, Manuel César Sarmento Costa, Márcio Santos Matos, Maria Raquel dos Santos da Cruz, Marcelo Martins, Fernando Araújo, Henri Griffit, Inaldo F.C. Rego, Suzane Raquel Cruz Farias, Marcus Vinícius Ferreira Matos, Maria de Nazareth Leite da Costa, Iracema de Souza Alcântara Peixoto, Werik Ronan Cruz Farias, Alessandra de Brito Gomes, Aluizio Almeida, Claudia Regina Martins, Jonaldo Silva; Geovanny Varela, Igor Mota Magno, Igino Martins Paolelli, Inaldo F. Costa Rego, Rosa Kamada, Adenor de Jesus Guedes, Maria da Conceição Reis do Amaral, Luiz Octávio dos Anjos Lucas, Yan Henrique Pinto Fernandes, Douglas da Silva Medeiros, Arquimino de Oliveira Cardoso Junior; Dennyson Raphael Martins, Elcimar Neves, Iracema de Souza Alcântara Peixoto, André Tadeu Dias Gaspar, Felipe Musse de Oliveira, Rodrigo Lara e Thiago Amorim PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Editora Círios S.S LTDA NOSSA CAPA

00

5

5

5

Foto de Fernando Felipe Gomes de Araújo, em montagem e superposição artística

ANATEC ASSOCIAÇÃO DE PUBLICAÇÕES

Sumário

05 08 10 32 36 40 50 54 56 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 70 72 73 75 79 80 82

100

95

75

A Mensagem e a Benção de Sua Santidade

25

Círio de Nazaré 2010

5

O Círio de Belém

0

Abertura oficial do Círio A Trasladação O VIII Concurso Imagens de Círios A Imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré no Rio de Janeiro A Imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré em Belo Horizonte Círio em Morro Vermelho-MG Círio na Tijuca-RJ Círio em Copacabana-RJ Círio em Saquarema-RJ Círio em Sumaré-SP Círio em Nazaré Paulista-SP Círio em Santos-SP Círio em Vila Carioca-SP Círio em Osasco-SP Círio em Cachoeira Paulista-SP. O Círio da Canção Nova Círio em Brasília-DF Círio em Juripiranga-PB Círio em Natal-RN Círio em Capistrano-CE Círio em Fortaleza-CE Círio em Manaus-AM

100

95

75

Círio em Cabra-Espanha Círio em Nazaré-Portugal. Festas em Honra de Nossa Senhora da Nazaré

25

5

Círio em Cayenne-França

0


00

100

5

95

5

75

5

25

A Mensagem e a Benção de

5

0

Sua Santidade “

or ocasião da festa do “Círio de Nazaré”, que reúne em torno da Virgem Maria, Mãe de Jesus e Mãe nossa, os amados filhos do Pará e pessoas do Brasil inteiro, uno-me espiritualmente a todos os romeiros e imploro copiosos dons do Céu, para que esta manifestação de piedade mariana possa contribuir decididamente para uma maior união com Cristo e, n'Ele, com todos os homens e mulheres que vivem ao nosso redore contam com o nosso serviço e a nossaoração solidária; e, para que a exemplo de Nossa Senhora de Nazaré e sob a sua proteção, todos se sintam chamados à bondade, à reconciliação, à unidade e ao reencontro com o afeto fraterno. Em penhor de abundantes graças celestiais, que confirme tais propósitos, concedo a todos os romeiros uma propiciadora Bênção Apostólica.”

P

BENEDICTUS PP. XVI

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

5

Círio de

Nazaré2010

75

25

5

0

cidade de Santa Maria de Belém do Grão Pará, a Arquidiocese de Belém e todo o Estado do Pará acolhem com alegria os peregrinos de todo o Brasil para a celebração do Círio de Nazaré de 2010. Não é possível descrever com palavras o que se vive no Círio. Trata-se de um convite irrecusável: venham e vejam o que vivemos e como vivemos. Os frutos se desdobram na história de nosso povo. Se grandes são as graças alcançadas e os milagres, maiores são as raízes de religiosidade plantadas pacientemente pela presença mariana nestas terras. Não assoma em nossos corações o orgulho humano ao falar do Círio, mas transborda o que experimentamos e as marcas que estão em nossa história. Deixem-se todos contagiar pelo que Deus realiza entre nós. Ninguém volte indiferente para sua casa, mas todos transmitam, como missionários, a alegria que aqui encontraram. Rezem de um modo diferente, com maior confiança. Vivam mais a palavra de Deus, a exemplo da Virgem de Nazaré. Sejam homens e mulheres de esperança, ajudando o mundo a ser melhor! Daqui brotem rios de retidão e justiça, de verdade e de confiança!

A

Feliz Círio de 2010!

Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

00

5

5

5

5

0

Missa campal celebrada em frente à Catedral Metropolitana deu início à procissão do Círio 2009

O Círio de

Belém

Fotos: D a v i d A l v e s , E l c i m a r N e v e s , Je s i e l Ro d r i g u e s , L u c i v a l d o S e n a , Marcio Santos, Marcelo Martins, Osmarino Souza, Tamara Saré /Ag Pa

C

om tema "Em Maria, a palavra se fez carne", o Círio começou com uma missa campal às 5 horas da manhã, celebrada pelo arcebispo emérito de Belém, Dom Vicente Zico e concelebrada por vários bispos, pelo então administrador arquidiocesano de Belém, Monsenhor Raimundo Possidônio, e muitos sacerdotes, inclusive vários de outros Estados, no palco em frente à Catedral Metropolitana, com a participação dos 42 integrantes da Escola Cantorum, na Praça Frei Caetano Brandão, bairro da Cidade Velha. Dom Vicente saudou e agradeceu a todos os meios de comunicação da

cidade e de outros pontos do Brasil, pela cobertura jornalística que, segundo ele, permite que tantas pessoas acompanhem o Círio de Nazaré. Após sair da Catedral, a berlinda contornou o Mercado do Ver-oPeso e a corda foi atrelada às margens da Baía do Guajará, no início do Boulevard Castilhos França. Pouco antes das 7 horas, começou a queima de fogos no Ver-oPeso, homenagem da Associação dos Feirantes, anunciando a chegada de Nossa Senhora de Nazaré ao Boulevard Castilhos França. Alguns promesseiros aguardaram a berlinda já na corda; outros preferiram tentar um lugar, no momento em que a corda

100

95

75

25

5

10

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

11

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

12

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


5

5

5

00

5

5

9IMAGENS CONCURSO FOTOGRAFICO

2010

00

CIRIOS

DE

9º Lugar: Werik Ronan Cruz Farias

100

95

75

25

5

0

6º Lugar: Suzane Raquel Cruz Farias

ABERTO PARA AMADORES E PROFISSIONAIS 2º lugar: Márcio Santos Matos

As fotos deverão conter motivos diversos sobre a temática Nossa Senhora de Nazaré, seus Círios, Ecumenismo, VENCEDORES Devoção, Folclore Popular e Artesanato, referentes às Festividades Nazarenas DE 2009 em qualquer dos Círios em homenagem e louvor à Virgem de Nazaré, em 2010.

3º lugar: Márcio Santos Matos

Inscrições e regulamento pelos sites:

www.cirios.com.br www.paramais.com.br ou na EDITORA CÍRIOS: RUA TIMBIRAS, 1572 (ENTRE PE. EUTÍQUIO E APINAGÉS) BATISTA CAMPOS - BELÉM-PA FONES: (91) 3083.0973 / 3223.0799

INSCREVA-SE E CONCORRA Parceiros

100

PREMIAÇÕES 10º Lugar: Marcus Vinicius Matos Ferreira

CÂMERAS DIGITAIS OLYMPUS, E DO 1º AO 10º LUGARES, CELULARES VIVO NOKIA DE ÚLTIMA GERAÇÃO.

INSCRIÇÕES GRATUITAS

95

75

Realização 25

Revista

5

5

0


00

100

5

95

5

5

75

foi atrelada à berlinda, às 7h10, na esquina com a travessa Frutuoso Guimarães. Ainda na Castilhos França, duas das cinco estações da corda foram desligadas. Alguns romeiros continuaram a procissão com a parte da corda desatrelada da berlinda, que também foi dividida

entre promesseiros. Às 8 horas, os estivadores prestaram sua homenagem à Virgem de Nazaré, com uma queima de fogos que durou cerca de 7 minutos. Quinze minutos depois aconteceu a homenagem dos arrumadores, no início da avenida Presidente Vargas, com aproximadamente 36 mil pistolas - uma tradição de 55 anos. A subida da berlinda na avenida Presidente Vargas foi um dos trechos mais problemáticos da procissão. No momento

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

Logo após a saída da procissão do Círio da Catedral Metropolitana de Belém no bairro da Cidade Velha

25

Salve, salve... 5

14

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Grupo Orsa de mãos dadas com o povo paraense na maior festa ecumênica do mundo. O Círio de Nazaré.

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

No Ver-o-Peso

00

100

5

95

5

75

No Ver-o-Peso assistindo e homenageando a Padroeira

5

25

5

16

Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

17

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

18

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

19

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Pelo Boulevard Milhares de fogos são queimados nas tradicionais homenagens à Nossa Senhora de Nazaré feita pelos estivadores e arrumadores do Pará

00

100

5

95

5

75

5

25

5

20

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

FÁBRICA

00

100

5

95

5

´ a Virgem de Nazaré. Rainha da Amazônia ! Sauda

5

75

25

5

Rod. Artur Bernardes, KM 14

Fone: (91) 3227-1010

Belém - Pará

0


00

100

5

95

5

5

75

da curva, com uma velocidade acima do normal, fiéis devotos e promesseiros abalroaram os que estavam assistindo o passar da procissão frente à CDP. Os romeiros tiveram de contar com a ajuda de quem estava no palanque da Companhia Docas do Pará (CDP). A governadora Ana Júlia Carepa e a ministra-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Dilma Roussef, que estavam na área da CDP, ajudaram e acudiram crianças e idosos.

25

5

0

Na curva da CDP

00

100

5

95

5

75

5

25

5

22

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Entrando na Presidente Vargas

Bastos

Na avenida Presidente Vargas, a imagem recebeu muitas homenagens, num trajeto que durou pouco mais de duas horas. Papel picado e balões foram jogados do prédio Banco do Brasil, que teve como atração a cantora Leila Pinheiro. Logo em seguida, o Banco do Estado do Pará homenageou a Virgem de Nazaré com papel picado e canções interpretadas pelos cantores líricos Érico Nery e Márcia Aliverti. Ao invés de papel, o Banco da Amazônia saudou a imagem peregrina com 350 quilos de pétalas de rosas amarelas e brancas, além da participação do cantor Agnaldo Timóteo, que emocionou os romeiros com "Nossa Senhora". Às 10h15, a berlinda chegou ao final da avenida Presidente Vargas, dando início à etapa final da romaria – a subida pela avenida Nazaré até

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

Pará é fundamental para o crescimento brasileiro

5

0

A

ministra-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Dilma Roussef, que representou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na procissão do Círio de Nazaré, disse em Belém que não é possível falar do crescimento do Brasil sem inserir o Pará no centro da conversa. "O Brasil só vai crescer se o Pará se desenvolver", enfatizou a ministra. Ela relacionou algumas áreas em crescimento, como a produção de biodiesel a partir da palma (dendê), a existência de áreas consolidadas que podem ser destinadas à atividade agrícola e uma matriz energética hídrica que representa cerca de 40% do potencial do Brasil. Acompanhada da governadora Ana Júlia Carepa e do ministro-chefe das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, do ministro em exercício de Ciência e Tecnologia, José Elias, do prefeito Duciomar Costa, além de autoridades regionais e locais, Dilma Roussef assistiu a procissão da sede da Companhia Docas do Pará (CDP). A comitiva foi recebida pelo presidente da companhia, Clythio Buggenhout. Durante o cortejo, a ministra, a governadora e Alexandre Padilha, que é médico pediatra, socorreram várias pessoas, algumas delas crianças, que passaram mal ou se perderam de seus pais. A ministra se revelou impressionada com a força da multidão e a comunhão da população em torno da imagem Santa Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, que segundo ela se transforma em uma espécie de onda, uma manifestação que é ao mesmo tempo de fé e dos anseios de cada romeiro. Dilma Roussef ficou tocada com as centenas de miniaturas de casas carregadas pelos romeiros. Ela abordou algumas pessoas e ouviu delas que estavam pagando promessas e outras que esperam pela graça de conseguir sua casa própria. "Fico satisfeita com o programa que fizemos, Minha Casa, Minha Vida, pois a

Dilma Roussef e Ana Júlia Carepa chegando à CDP

casa é o local em que as pessoas se sentem seguras, um espaço para criar os filhos e desfrutar os bons momentos de suavida". A ministra Dilma afirmou que fez alguns pedidos e, em tom de brincadeira, disse que não iria revelar o que pediu: "é segredo de fonte". A ministra viu da sacada do hotel onde se hospedou inclusive a Festa da Chiquita, uma tradicional manifestação profana que integra o calendário do Círio de Nazaré e é realizada no sábado à noite, véspera da procissão do Círio. A governadora Ana Júlia Carepa disse esse Círio está carregado de uma emoção especial, pois além do centenário da Basílica de Nazaré, o seu governo entregou a restauração da Catedral da Sé, ponto de partida da procissão, um patrimônio histórico que pertence a todos os paraenses, independente da identidade religiosa. Segundo a governadora, não dá para descrever a emoção do Círio, só para senti-la. Depois de assistir à passagem da Berlinda da CDP, a governadora viu também a passagem da procissão do Centro Integrado de Governo, na avenida Nazaré, por onde a imagem de Nossa Senhora passou por volta das 11h30. Na rua, ela distribuiu água mineral para os romeiros. "É uma promessa", explicou a governadora, que repete o gesto todos os anos. O ministro de Projetos Estratégicos, Daniel Vargas, o vicegovernador Odair Correa, vários parlamentares e secretários de Estado também assistiram a procissão do CIG. Para o ministro, que participou pela primeira vez da festividade e esteve, no sábado, na romaria fluvial, na cerimônia da Descida do Glória e na Trasladação, se disse emocionado. "Acredito que as pessoas deveriam pelo menos uma vez ter essa experiência de passar pelo Círio, de ver como a sociedade se mobiliza. Eu já tinha lido sobre o Círio, mas nunca tinha estado em Belém. Me surpreendeu muito."

00

5

5

5

Dilma retribui aceno a admiradores

100

95

75

25

5

24

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Entrevista coletiva

com a governadora e ministros de Estado Durante sua passagem por Belém, a ministra Dilma relacionou ainda alguns investimentos do Governo Federal no Pará, a exemplo das obras das eclusas de Tucuruí, que vão possibilitar a navegabilidade no rio Tocantins a partir de Marabá; das obras do Aproveitamento Hidrelétrico Belo Monte, que irá demandar investimentos entre R$ 17 a R$ 20 bilhões; a recuperação das rodovias BR-163 e BR-220, além de investimentos em saneamento e habitação, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). De acordo com a ministra, a implantação da siderúrgica da empresa Vale em Marabá "é uma questão de honra", pois, segundo ela, esse empreendimento vai atender as demandas do pré-sal de todas as regiões do Brasil. "A siderúrgica vai atender toda a cadeia produtiva do setor de petróleo, como os estaleiros".

00

100

5

95

5

75

5

Dilma Roussef, ministra chefe da Casa Civil, a governadora Ana Júlia Carepa e o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha na entrevista coletiva

25

5

25

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

um breve tumulto, mas logo os portões foram abertos. Com suor e lágrimas nos olhos, vários fiéis se ajoelharam, num último gesto de devoção e respeito à Santa padroeira. Antes do meio dia a berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré entrou na Praça Santuário, encerrando uma das procissões mais rápidas dos últimos anos. A imagem foi recebida pelo então administrador da Arquidiocese de Belém, Monsenhor Raimundo Possidônio. Às 12h05 horas começou a

a Praça Santuário. Às 11h30 a terceira estação da berlinda foi desmembrada, depois a quarta também quebrou desvencilhando também a quinta estação, que foi desmontada e guardada em frente à sede social do Clube do Remo. No momento em que a imagem entrou na Praça Santuário houve

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

Ex-votos

A governadora Ana Júlia Carepa entregou água aos fiéis durante a procissão do Círio

25

5

26

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Durante a procissão

Grupo Movida participando do Círio

Carro dos milagres

00

100

5

95

5

75

5

25

5

28

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

00

5

5

0

Suplicando e agradecendo as bênçãos da padroeira

Pedaço da corda, o troféu e a comprovação da participação

Na corda

A chegada da Virgem de Nazaré à Praça Santuário

Imagem de Nossa Senhora de Nazaré é retirada da berlinda, na Praça Santuário Réplica de berlinda

Com o apoio dos voluntários da Cruz Vermelha, promesseiros entraram na Praça Santuário de joelhos, na última etapa da procissão

100

95

5

5

75

A emoção da participação no Círio de Nazaré

25

5

29

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

00

5

5

5

5

0

missa da chegada, celebrada pelo bispo da Arquidiocese de Abaetetuba, D. Flávio Giovanale. O religioso ressaltou a celeridade da procissão e a tradição do almoço do Círio. "A procissão foi muito bem organizada e tranquila. Mostra que estamos no caminho do resgate da nossa fé e da nossa tradição. Hoje, as famílias vão poder celebrar a fé junto de seus familiares no almoço do Círio". O bispo D. Flávio encerrou a missa desejando um bom almoço a todas às famílias. Às 12h30 já haviam ônibus transitando pela avenida Nazaré.

100

95

75

25

5

30

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

00

5

5

5

5

0

CÍRIO ESPETÁCULO, AMOR E FÉ.

100

95

75

25

5

0


00

100

5

95

Inauguração da iluminação da Basílica de Nazaré

5

5

00

5

5

5

75

25

5

0

Abertura oficial do Círio Fotos: E u n i c e P i n t o / A g Pa e M a rc e l o M a rt i n s

A

abertura oficial do Círio 2009 começou no interior da Basílica Santuário com uma bênção do Monsenhor Raimundo Possidônio, o então administrador diocesano e do arcebispo emérito de Belém, Dom Vicente Zico, a autoridades, entidades parceiras e o público presente. "Este é um momento em que as autoridades e nós devemos pedir luzes a Nossa Senhora de Nazaré para essa mais nova caminhada que está começando. Para que ela possa envolver e emocionar muito mais pessoas", disse o Monsenhor Possidônio. Após a benção, a inauguração da iluminação dos dois arcos – o do início, esquina da Avenida Generalíssimo e do final, na travessa 14 de Março pela Av. Nazaré. Segundo a diretoria da festa, as decorações dos arcos remetem ao cartaz do Círio 2009, com uma iluminação em led, que fica mudando de cores. As luzes da Basílica Duciomar Costa, prefeito de Belém, Ana Júlia Carepa, governadora do Santuário foram Pará e Monsenhor Raimundo também inauguradas Possidônio, administrador diocesano em meio a um show

100

95

75

25

5

32

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Dom Vicente Zico abençoou o início das Festividades cirianas

Cesar Neves, presidente da diretoria da Festa de Nazaré, na abertura oficial do Círio

pirotécnico. A governadora do Estado, Ana Júlia Carepa, o prefeito de Belém, Duciomar Costa, o secretário de Cultura Edilson Moura, Dom Vicente Zico, Monsenhor Possidônio, diretores e patrocinadores da Festa participavam das cerimônias. Logo após começou uma apresentação da Banda Sinfônica dos Fuzileiros Navais, interpretando canções católicas e sucessos da música clássica na Concha Acústica da Praça Santuário.

A governadora Ana Júlia Carepa recebeu diploma de reconhecimento da diretoria da Festa de Nazaré

00

100

No interior da Casa de Plácido

5

5

5

95

O Círio começou oficialmente com a benção especial de Dom Vicente Zico, arcebispo emérito de Belém e do Monsenhor Raimundo Possidônio, o administrador diocesano, no interior da Basílica Santuário

75

25

5

33

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

Na C a s a d o P l á c i d o a solenidade continuou com homenagens a personalidades e empresas, com en trega de diplomas de reconhecimento. Os patrocinadores oficiais do Círio receberam broches em ouro com a imagem estilizada de Nossa Senhora de Nazaré. Na oportunidade foram premiados os vencedores do 15° Concurso de Redação do Círio. Luiza Fleury de Figueiredo, aluna da 3ª série do ensino médio do Colégio Gentil Bittencourt, ficou com o 1° lugar, tendo a orientação do professor José Antônio Neto, ambos ganharam um computador.

Banda Sinfônica de Fuzileiros Navais 25

5

0

O público prestigiou a Banda dos Fuzileiros Navais A Praça Santuário estava lotada

00

100

5

95

5

75

5

A Basílica Santuário estava lotada

25

5

34

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

Foto: Fernando Araújo

0

A rende graças e pede bençãos a Nossa Senhora de Nazaré, a

Rainha da Amazônia

00

100

5

95

5

75

5

Leia, assine e anuncie na revista que revela as melhores partes da nossa região. Fones: (91) 3083-0973 / 3223-0799 amazonia@revistaamazonia.com.br www.revistaamazonia.com.br

25

5

0


00

100

5

95

5

D. Orani celebrou a missa da trasladação em frente ao Colégio Gentil: "Para mim é uma alegria muito grande poder estar aqui, revivendo o Círio", declarou

5

00

5

5

5

75

25

5

0

A Trasladação Fotos: Elcimar Neves, Lucivaldo Sena, Tamara Saré /Ag Pa, Marcelo Martins

A

Trasladação é a quinta de um total de 11 romarias do calendário oficial do Círio de Nazaré de Belém. O trajeto da Trasladação é praticamente o mesmo realizado no Círio, porém no sentido inverso, com o percurso de 3,75 Km. Tradicionalmente a Trasladação inicia com uma missa às 16h30, em palco montado em frente ao Colégio Gentil Bittencourt. Essa foi presidida por Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro e ex-arcebispo Metropolitano de Belém. Milhares de pessoas participaram. Durante a missa, Dom Orani ressaltou a importância do Círio na vida dos paraenses “É uma manifestação extraordinária, que chama a atenção do mundo pela participação popular e pela intensidade das celebrações”, afirmou ele, destacando ainda, o sentimento de fraternidade entre as pessoas durante a festividade. Ao final da celebração, o administrador arquidiocesano, Monsenhor Raimundo Possidônio, agradeceu a Dom Orani pelo trabalho realizado no Pará e pediu aos devotos orações para que, em breve, a arquidiocese tenha um novo bispo. Ele ainda

Frente ao Colégio Gentil Bittencourt milhares de fiéis participaram da missa

100

95

75

25

5

36

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

A corda foi atrelada à berlinda para início da Trasladação

deixou uma mensagem aos fiéis em nome da Diretoria do Círio de Nazaré. "Apesar do aspecto cultural da festa, precisamos transformaro Círio em uma grande procissão orante", frisou. Após o encerramento da missa às 17h30, a imagem da Virgem de Nazaré foi transportada até a berlinda – o único carro que sai na Trasladação, para o início da Trasladação até a Catedral. O arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, participou da romaria, a qual chama de "Círio luminoso" e que por ser uma procissão noturna, é ainda mais bonita. O percurso fica todo iluminado por velas levadas pelos fiéis devotos e promesseiros. A Trasladação tem forte participação de jovens, que buscam agradecer pela aprovação no vestibular, e idosos, já que o clima da procissão, realizada à noite, é mais ameno. Ao longo da Avenida Nazaré, várias homenagens foram prestadas. Na sede social do Clube do Remo, a cantora Cleide Moraes interpretou canções religiosas. No Colégio Nazaré, foi montada uma coroa gigante, reproduzindo o adorno da imagem de Nossa Senhora. A cantora Fafá de Belém cantou o hino oficial da festividade, "Vós sois o Lírio Mimoso", na sacada de um hotel. Em outros órgãos públicos e privados, corais se apresentaram. Fogos de artifício e a chuva de papéis picados e coloridos coloriam e extasiavam os devotos durante a passagem da Santa. À 20 horas a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré chegou ao encontro das avenidas Nazaré e Presidente Vargas. Nessa confluência, na Casa da Linguagem, um grupo de alunos da Fundação Curro Velho tocou e cantou sob a regência da cantora Jeane Darwich. A imagem peregrina também foi saudada pelo poeta Antônio Juraci Siqueira, recitando um poema dedicado à padroeira. No começo da Praça da República, na primeira arquibancada, o

00

5

5

5

A berlinda na Trasladação

100

95

75

25

5

37

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Velas iluminam o caminho dos fiéis na Trasladação até a Catedral

A berlinda com a imagem da Virgem Maria fica ainda mais bonita aos olhos dos milhares de fiéis

00

100

5

95

5

75

5

25

5

38

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

5

Frente ao Colégio Nazaré A queima de fogos de artifício já faz parte da saudação tradicional à padroeira dos paraenses

Réplica da imagem peregrina na Trasladação

75

25

5

0

Coral Metropolitano de Belém, composto por 300 pessoas, executou um repertório de 22 músicas religiosas, regidos pelo maestro Anderson Dias. No Banco da Amazônia, o cantor Agnaldo Timóteo emocionou os romeiros. No Banpará, a dupla de cantores Márcia Aliverti e Erico Rocha foi acompanhada por um coral infantil, que ocupou as janelas do prédio completamente iluminado. No Banco do Brasil, a cantora Leila Pinheiro, homenageou Nossa Senhora de Nazaré. Em seguida, já no Boulevard Castilho França, o Sindicato dos Estivadores e dos Arrumadores do Pará fez – uma das mais tradicionais homenagens – a queima de fogos de artifício. A chegada na Catedral Metropolitana de Belém foi às 22h45 , como previsto pela Diretoria da Festa.

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

00

5

5

5

5

0

O VIII Concurso

Imagens de Círios P

aulo Araújo, ex-coordenador do Círio de Nazaré; Elias Gorayeb, ex-diretor das Festividades Nazarenas; Jean Carlos Lopes, diretor do Museu do Círio; Adenirson Lage, jornalista; Ricardo Lopes Barbosa, fotografo; Roberto Pinto da Costa, médico; Neil Henrique, Marcelo Loureiro e Kerley Páscoa, jovens empresários – foram os Julgadores das fotos selecionadas e vencedoras do VIII Concurso Imagens de Círios.

Missão dos julgadores Selecionar 43 imagens, sendo 33, as Classificadas e 10 as Vencedoras; dentre as 3865 fotos inscritas, em sua maioria do Círio de Belém, mas também de fotos do exterior – Portugal, Espanha e França, além das do Brasil – São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas e Amapá, que concorriam, por estarem conforme e dentro do Regulamento do Concurso. Como tradicional, uma seleção

preliminar, com a preocupação principal voltada ao padrão e à qualidade. Em seguida a seleção das fotos que melhor retratassem a grande Romaria e os ícones dos Círios, pois as fotos premiadas e classificadas, no total de 43 fotos, participam várias exposições. Em seguida, a comissão julgadora do 8º Imagens de Círios, classificou em primeiro lugar e pela primeira vez uma foto noturna, da Trasladação. A bela foto de Manuel César Sarmento Costa, com o número 196, de inscrição, mostra a

100

95

75

25

5

40

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

00

5

5

5

5

0

Ronaldo e Rodrigo Hühn com os julgadores e as fotos vencedoras do VIII Concurso Imagens de Círios

Berlinda de Nossa Senhora de Nazaré, no Boulevard Castilhos França, durante o foguetório do Sindicato dos Estivadores. Abaixo a relação dos Vencedores e Classificados (Nome e número de inscrição).

Vencedores 1º Lugar (196) – Manuel César Sarmento Costa; 2º Lugar (338) – Márcio Santos Matos; 3º Lugar (324) – Márcio Santos Matos; 4º Lugar (361) – Maria Raquel dos Santos da Cruz; 5º Lugar (502) – Fernando Araújo; 6º Lugar (327) – Suzane Raquel Cruz Farias; 7º Lugar (315) – Marcus Vinícius Ferreira Matos; 8º

Lugar (181) – Iracema de Souza Alcântara Peixoto; 9º Lugar (360) – Werik Ronan Cruz Farias e 10º Lugar (334) – Marcus Vinicius Matos Ferreira.

Classificados 314 - Alessandra de Brito Gomes; 517 - Claudia Regina Martins; 194 - Manoel César Sarmento Costa; 32 - Jonaldo Silva; 72 - Igor Mota Magno; 495 - Fernando Araujo; 337 - Márcio Santos; 261 - Igino Martins Paolelli; 233 - Rosa Kamada; 498 - Fernando Araujo; 499 - Fernando Araujo; 136 Adenor de Jesus Guedes; 138 Adenor de Jesus Guedes; 323 Márcio Santos; 410 - Maria da Conceição Reis do Amaral; 75 Luiz Octávio dos Anjos Lucas; 167 - Yan Henrique Pinto Fernandes; 483 - Douglas da Silva Medeiros; 342 - Márcio Santos; 20 – Arquimino de Oliveira Cardoso Junior; 245 – Dennyson Raphael Martins; 187 - Iracema de Souza Alcântara Peixoto; 279 - André

Tadeu Dias Gaspar; 199 - Manoel César Sarmento Costa; 372 - Felipe Musse de Oliveira; 186 - Iracema de Souza Alcântara Peixoto; 231 - Rosa Kamada; 340 - Márcio Santos; 335 - Márcio Santos; 67 - Igor Mota Magno; 494 - Fernando Araujo; 480 - Fernando Araujo e 165 - Yan Henrique Pinto Fernandes.

100

95

75

25

5

41

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


OS VENCEDORES

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

1º Lugar Manuel César Sarmento Costa 3º lugar Márcio Santos Matos

00

100

5

95

5

75

5

25

5

42

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

4º Lugar Maria Raquel dos Santos 2º lugar Márcio Santos Matos

5º Lugar Fernando Araújo

00

100

5

95

5

75

5

25

5

43

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

6º Lugar Suzane Raquel Cruz Farias 10º Lugar Marcus Vinicius Matos Ferreira

00

100

5

95

5

8º Lugar Iracema de Souza A Peixoto

75

5

25

5

44

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

7º Lugar Marcus Vinícius Ferreira Matos

5

5

75

25

5

0

9º Lugar Werik Ronan Cruz Farias

00

100

5

95

5

75

5

25

5

45

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


OS CLASSIFICADOS

00

5

100

95

Igor Mota Magno

5

75

5

25

5

0

Igor Mota Magno

Alquimino de Oliveira C. Junior

Jonaldo Silva

Luiz Octávio dos Anjos Lucas

Maria da Conceição Reis

Manoel Cérsar Sarmanto Costa

Yan Henrique Pinto Fernandes

00

100

5

95

5

75

5

25

5

30

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

Adenor Jesus Guedes

5

Iracema de Souza Alcântara Peixoto

5

95

75

25

5

0

Iracema de Souza Alcântara Peixoto Manoel Cézar Sarmento Costa

Adenor Jesus Guedes

Dennyson Rafael Martins

Rosa Kamada

Rosa Kamada

00

100

5

95

5

75

5

25

5

47

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

5

100

95

André Tadeu Dias Gaspar

5

75

5

25

5

0

Igino Martins Paolelli Alessandra de Brito Gomes

Marcío Santos

Marcío Santos

Marcío Santos

00

100

5

95

5

75

5

Felipe Musse de Oliveira

Alessandra de Brito Gomes

25

5

48

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

Marcío Santos

Fernando Araujo

5

75

5

25

5

0

Fernando Araujo

Fernando Araujo

Fernando Araujo

Douglas da Silva Medeiros

Fernando Araujo

00

100

5

95

5

75

5

25

5

49

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

5

5

A Imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré no Rio de Janeiro

100

95

75

Fotos: Carlos Moioli e Inaldo F. Costa Rego

5

00

5

5

5

25

Nós te oferecemos as honras de Marechal do Exército e Comandante de todas as nossas almas, proclamou Padre Lindenberg

O

Rio de Janeiro vivenciou, pela segunda vez, momentos de fé com a presença da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré. O desembarque da imagem foi realizado pela equipe de Relações Públicas do Infraero do Galeão, e a santa foi recepcionada pelo arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta. Das mãos de Dom Orani, a Imagem foi recebida pelo Bispo Auxiliar do Rio, Dom Assis Lopes, o Bispo Auxiliar de Niterói, Dom Roberto Ferrería Paz, Presbíteros de diversos vicariatos e Diretores da Festa de Nazaré de Belém. Para homenagear a chegada da Virgem de Nazaré, o Coral Infantojuvenil da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, da Ilha do Governador, cantou músicas como o tradicional Hino de Nossa Senhora de Nazaré. A Banda da Aeronáutica entoou hinos para homenagear a Mãe de Jesus e a Cidade Maravilhosa. Também estavam presentes 19 Guardas de Nazaré, vindos de Belém do Pará, que farão a escolta à Imagem Peregrina, desde sua chegada ao Rio de Janeiro até suavolta à Belém. Após o recebimento de bênçãos O Corpo de Bombeiros auxiliou pelos fiéis, a imagem peregrina na recepção e nas procissões à seguiu para a catedral de São imagem peregrina de Nossa João Batista, em Niterói, na Senhora, em diversos locais da Região Metropolitana do Rio Região Metropolitana, em carro de Janeiro do Corpo de Bombeiros.

Em Niterói e São Gonçalo A imagem da santa foi recebida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de Niterói, Dom Roberto Francisco Ferreria Paz e foi levada para a Catedral de São João Batista, no Centro de Niterói, onde ficou exposta das 9h às 12h. Durante este período, os devotos rezaram o terço e prestaram homenagens a Nossa Senhora de Nazaré. Ao final, santa A imagem peregrinando

5

0

missa foi presidida por Dom Roberto Francisco. Para o Pároco titular da Catedral Metropolitana de Niterói, Wallace dos Santos, a chegada da imagem da santa estimula a fé dos católicos niteroienses. A carreata para a Catedral de São João no Centro de Niterói

Imagem foi recebida por religiosos e devotos em Niterói

“É com muita alegria que recebemos a imagem de Nossa Senhora de Nazaré. A presença dela nós enche de fé e devoção”, disse o padre. Após a imagem seguiu em carreata carro aberto dos bombeiros, à Matriz de São Gonçalo do Amarante, no Centro de São Gonçalo, onde os fiéis puderam rezare admirara imagem de Nossa Senhora. Após missa celebrada em São Gonçalo, a imagem da santa seguiu para a Paróquia Nossa Senhora de Nazareth, em Bacaxá, no município de Saquarema, onde o arcebispo da Arquidiocese de Niterói Dom Frei Alano Maria Pena celebrou missa.

Em Saquarema Logo depois, a Virgem foi conduzida em carro aberto, até o Centro de Saquarema acompanhado de uma grande carreata na principal avenida da cidade. Ali as pessoas montaram um grande cordão que preencheu cerca de 5 km davia. No centro da cidade, onde está o berço da devoção a Nossa Senhora de Nazaré, a imagem foi passada das mãos de Dom Orani para Padre José Alves (Pe Zito) pároco de Saquarema, que subiu as escadarias da Igreja Matriz Nossa Senhora de Nazareth, cercado de uma grande multidão de devotos. Ela foi conduzida até a porta Em Saquarema na da Igreja, onde houve uma cerimônia Igreja N. Sra de Nazareth política de entrega de honrarias aos Bispos. Ao adentrar na Igreja a imagem foi novamente saudada pelos fieis que, ansiosamente desde as primeiras horas da manhã, já esperavam. Celebrava-se também os 380 anos do Círio de Nazareth de Saquarema, considerado o berço da devoção mariana no Brasil. Houve cerimônia cívica, com hasteamento das bandeiras, execução do hino nacional pelo coral feminino infantil Escola que Canta, que também cantou a Oração de São Francisco. Após as cerimônias a Imagem Peregrina foi entronizada na Igreja Matriz, onde houve Solene Celebração. Colocada em seu trono, a Virgem foi coroada por Dom Roberto

100

95

75

25

5

0


00

5

5

5

00

5

5

5

Francisco Paz, Bispo Auxiliar de Niterói, que também fez a consagração da cidade de Saquarema à Virgem de Nazaré, fazendo a intenção da futura construção de um Santuário dedicado à Nossa Senhora de Nazareth, em Saquarema. Depois de breves palavras ministradas por Cesar Neves, Em Saquarema... diretor da Festa de Nazaré/ Belém-PA; Dom Orani e Dom Roberto deram a solene bênção com a Imagem Peregrina. Todos que estavam ali ficaram maravilhados e emocionados, com D. Roberto, que disse: “Onde está Nossa Senhora está o povo, e é isso que podemos ver. Após o encerramento da Missa, houve exposição do Santíssimo Sacramento. A Adoração seguiu por toda a madrugada de sábado. As orações foram incessantes durante todo o tempo, com um tema especial: A Família. Às 3:30h foi dada a bênção do Santíssimo e às 4:00h foi celebrada a missa de despedida da Imagem Peregrina, que logo depois foi exposta aos fiéis e ao som dos sinos, que despertaram nossa cidade seguiu sua peregrinação indo para o Rio de Janeiro. De Saquarema, a imagem peregrina seguiu de helicóptero para o aeroporto de Jacarepaguá.

Na Barra Tijuca A Imagem foi conduzida pelo Assessor de Comunicação da Arquidiocese de Niterói, Padre Leandro Freire, e pelo Padre Ramos, da diretoria do Círio de Belém. Em seguida, do aeroporto, a Virgem de Nazaré seguiu em carreata até Capela de Santa Rosa de Lima, da Matriz Nossa Senhora da Vitória, na Barra da Tijuca, onde foi recepcionada por centenas de fiéis que aguardavam a sua chegada. Ao chegar, Dom Orani João Tempesta, entregou a Imagem Peregrina nas mãos do Monsenhor Joel Portela. Às 9 horas começou a Santa Missa presidida pelo Arcebispo do Rio. Queremos também chamar todos os que vivem nessa região a serem missionários da Igreja, disse o Bispo na abertura da Missa. Durante a Homilia, Dom Orani falou sobre a tradição do Círio de Nazaré no Norte do país, que está, pela segundavez, no Rio de Janeiro. - O Círio de Nazaré é um sinal para nós.

No decorrer da celebração, foi esticado um grande véu sobre todos os presentes na Igreja, simbolizando a proteção da Virgem de Nazaré aos presentes. Antes do encerramento da missa, os presentes recitaram a consagração à Nossa Senhora de Nazaré. Em seguida, a Imagem foi para o Santuário da Penha.

No Santuário da Penha

Os fieis aguardaram o cortejo vindo da Barra da Tijuca, com bandeirinhas nas mãos e embalados pelas canções marianas tocadas pela Banda do Colégio Nossa Senhora da Penha. O Reitor do Santuário, Padre Serafim, recepcionou o cortejo à Imagem Peregrina na Concha Acústica. O Arcebispo do Rio, Dom Orani João

100

95

75

Chegando ao Santuário Penha

Tempesta, momentos antes da Oração do Ângelus, lembrou a todos sobre a importância da fé para o mundo de hoje. - A fé muda as pessoas. Transforma a vida. O mundo precisa de fé.(...) Os fieis, emocionados pela presença da Imagem Peregrina, iniciaram o momento da Oração do Ângelus cantando. Em seguidda, Dom Orani fez No Santuário da Penha aspersão com água benta, como recordação do batismo e pedindo a Deus a graça de que todos sejam impulsionados aviver, cadavez mais, como cristãos. Em seguida o deslocamento da imagem, em comboio, para o Santuário Bom Jesus da Coluna.

25

5

0

Honras de Marechal do Exército O Capelão do Exército, Padre Lindenberg Freitas Muniz, acolheu a Imagem Peregrina de Nossa de Nazaré expressando que o Santuário Militar Bom Jesus da Coluna, na Ilha do Bom Jesus, na Cidade Universitária, se orgulha por receber a Virgem Mãe de Deus, representada na imagem. Em sua oração de acolhimento, o Sacerdote se dirigiu muito ternamente à Senhora de Nazaré – pediu que a Mãe de Deus cuide do Santuário Militar e que do exercício da missão do Exército Brasileiro possa ecoar uma mensagem de paz e fraternidade para o mundo. Com Honras de Marechal do Exército à Imagem Peregrina

100

95

75

25

5

0


00

5

5

5

00

5

5

5

A Imagem Peregrina da Virgem recebeu a faixa de Marechal pelas mãos do General de Brigada Roberto Severo Ramos

Na Missa, durante a homilia, Dom Orani, lembrou a todos sobre a importância da vida de santidade para um autêntico testemunho de fé aos que ainda não crêem. O Arcebispo comparou a escolha de Nossa Senhora à escolha que Deus faz porcada um. Ao término da Missa, crianças vestidas de anjos homenagearam Nossa Senhora de Nazaré. Em seguida houve Vigília na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré. Após as

100

95

75

25

Na Paróquia N. Sra. Nazaré - Anchieta 5

Na Capela Militar Bom Jesus da Coluna

0

bênçãos,às5h–saídadaimagem,emcomboio,deAnchieta,paraaTVBrasil. honras militares, a Imagem Peregrina da Virgem de Nazaré recebeu a faixa de Marechal pelas mãos do General de Brigada Roberto Severo Ramos. - Nós te oferecemos as honras de Marechal do Exército e Comandante de todas as nossas almas, proclamou Padre Lindenberg. Dom Orani agradeceu pela acolhida e pela condecoração feita à Nossa Senhora de Nazaré, desejando que aquele momento possa reforçar laços importantes para a história do País. Deslocamento da imagem, em comboio, para Santa Cruz.

Em Santa Cruz Cerca de 6 mil pessoas na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Santa Cruz A Virgem foi recebida com muita alegria por cerca de 6 mil pessoas na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Santa Cruz. Momentos antes da Celebração Eucarística, o Vigário Episcopal do Vicariato Oeste, Monsenhor Luiz Artur de Barros Falcão, lembrou aos devotos que a presença de Nossa Senhora de Nazaré é a visita da Mãe que vai ao encontro dos filhos para ensiná-los a fazer a vontade de Jesus. Em seguida, o Sacerdote conduziu a Comunidade a um momento de intercessão, junto à Imagem, pelas famílias do Brasil. Na Paróquia N.Sra. da Conceição em Santa Cruz

Durante a Missa, o Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta chamou a atenção dos fieis para que percebam que Deus atua através de pequenos sinais. De acordo com suas palavras, somente o homem e a mulherde fé é que conseguem notaros sinais de Deus. Após o encerramento da Missa, o cortejo à Imagem Peregrina seguiu em direção à Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, em Anchieta.

Em Anchieta Na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, a Imagem Peregrina foi recebida pelos fieis com muita alegria e emoção.

Na TV Brasil No domingo 22, a Celebração Eucarística transmitida ao vivo pela Emissora, foi celebrada pelo Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, e concelebrada pelo Vigário Episcopal Urbano, Padre José Laudares, e pelo Vigário Paroquial da Igreja dos Santos Mártires Ugandenses e Nossa Na Celebração Eucarística Senhora de Nazaré, em Acari, transmitida ao vivo pela TV Brasil Padre Nixon Bezerra de Brito. Durante a Celebração Eucarística, o Arcebispo agradeceu ao povo carioca a recepção calorosa à Virgem de Nazaré durante a peregrinação do dia de sábado. Ele destacou que, a exemplo de Maria, todos são chamados à santidade. Em seguida, a Imagem foi para a Igreja de São Sebastião dos Frades Capuchinhos.

Na Tijuca A Santa Missa na Igreja de São Sebastião Na Igreja dos dos Frades Capuchinhos, foi presidida Capuchinhos, p e l o V i g á r i o E p i s co p a l No r te , na Tijuca Monsenhor Gustavo Auler. Em nome do Arcebispo do Rio, Monsenhor Gustavo agradeceu a presença de todos e se disse alegre em poder realizar o Círio de Nazaré durante o mês vocacional. - Todos nós, filhos e filhas de Maria, somos chamados a uma vocação em comum, a santidade. Procurando por ela nos unir a Jesus, procurando ser cada vez mais discípulos missionários, para que possa assim alcançar o que nos fala a Palavra de Deus, a salvação, disse. O Monsenhor falou também sobre a necessidade de um coração semelhante ao de Maria. Da Tijuca, a Imagem Peregrina seguiu em cortejo para a Feira de São Cristovão.

100

95

75

No Centro de Tradições Nordestinas 25

Que em seguida, abençoou a maquete da Capela que será construída na Feira de São Cristóvão. Ele desejou celebrar, em breve, uma missa na Capela que será dedicada a Todos os Santos.

5

0


00

100

5

95

5

75

5

00

5

5

5

25

Em Copacabana

No Centro de Tradições Nordestinas

5

0

Às 13h30m, a Imagem seguiu para o Mini-Círio, em Copacabana, mas a festa na Feira de São Cristóvão continuou com orações e missa celebrada pelo Padre Flávio Ramos, da Paróquia Nossa Senhora da Consolata.

O Mini-Círio, em Copacabana 50 mil pessoas unidas na fé por Nossa Senhora participaram do MiniCírio, realizado na orla do bairro mais famoso da cidade do Rio. Nossa Senhora de Nazaré entrou em Copacabana puxada pela tradicional corda do Círio de Nazaré. A exemplo do que ocorre em Belém, no Pará, a procissão emocionou os cariocas. Antes mesmo de chegar à Paróquia da Ressurreição, local de saída da procissão, muitos fieis se emocionavam com a passagem da Imagem, oravam e aclamavam à Nossa Senhora. Na Paróquia, centenas de devotos – A Banda da Igreja, Nova Arte, e o grupo de teatro Ressucitarte se apresentaram homenageando a Virgem de Nazaré. O Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, destacou a importância do testemunho de homens e mulheres de fé. Ele falou da vida de santidade para um autêntico testemunho de fé aos que ainda não crêem. Em seguida, Dom Orani conversou por telefone com o Bispo de Belém do Pará, Dom Alberto Taveira, que desejou que todos experimentassem a fé por Nossa Senhora de Nazaré. Uma multidão puxou a corda que carrega a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré. Em cima do trio elétrico, a Bateria da Liga das Escolas de Samba, junto com Dominguinhos, animava os peregrinos com o famoso samba-enredo da Estácio de Sá, de 1975, que homenageou Nossa Senhora de Nazaré. Dom Orani acompanhou todos os três quilômetros de caminhada junto com o Vigário Episcopal Sul, Monsenhor Manuel Vieira e presbíteros do Vicariato Sul. O Padre Jorge Luis Neves, Jorjão, e o Padre Omar Raposo, ambos da Paróquia Nossa Senhora da Paz, também fizeram a animação do evento. Durante o percurso, muitas homenagens à Virgem de Nazaré. Pessoas nas janelas de suas casas faziam um momento de oração, banhistas foram até o calçadão louvar Nossa Senhora. E, para deixar a festa ainda mais bonita, um helicóptero jogou pétalas de Rosas na Imagem e 5 mil balões de gás com a estampa de Nossa Senhora de Nazaré foram soltos para o céu. Ao chegar em frente à Rua República do Peru, Dom Orani deu a benção final e fez um pedido aos presentes: Demonstrem no dia-a-dia a alegria Em Acari

de serem seguidores de Cristo. Vamos sair comprometidos em transmitire espalhara alegria de estarcom Cristo.

Em Acari Em Acari, a Virgem de Nazaré se despediu dos cariocas, mostrando a fé das pessoas na Virgem Santa. 15 mil pessoas participaram do Mini-Círio e muitos fiéis puxaram a corda que carregava a Imagem. De velas acesas e cantando o Hino da Berlinda, tradicional em Belém do Pará, uma multidão seguia emocionada. O Padre Nixon Bezerra de

Em Acari, Pe. Ramos, Dom Orani e Pe. Nixon

Brito, Vigário Paroquial da Igreja dos Santos Mártires Ugandenses e Nossa Senhora de Nazaré, estava muito feliz por recebera Imagem, pela segunda vez, em sua comunidade. Ele desejou que essa festa seja realizada todo ano, como parte do calendário de eventos da Arquidiocese do Rio. Às 19h30m, o Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, iniciou a celebração da Missa Campal que foi concelebrada pelo Padre Nixon. Durante a missa, Dom Orani lembrou que a devoção à Maria tem ajudado as pessoas a serem fiéis a Deus e a caminharem como Igreja. Ele pediu aos presentes que acreditassem que as coisas podem sempre ser novas, como foi a concepção de Jesus noventre da Virgem Maria. Ao final da missa, a cantora Elba Ramalho cantou Ave-Maria e emocionou todos os presentes. A cantora, devota de Nossa Senhora de Nazaré, ganhou de Dom Orani uma Imagem da Santa. Em seguida, ela realizou um show para toda a comunidade de Acari.

100

95

Elba Ramalho cantou Ave-Maria e emocionou todos os presentes, ganhou de Dom Orani uma Imagem da Santa

75

25

5

0


00

100

5

95

5

5

A imagem peregri na de Nossa Se nhora de Nazaré

em Belo Horizonte (MG)

25

5

0

Fotos: João Paraense/ Diretoria da Festa de Nazaré e Mateus Alves

A

companhada de seis diretores da festa, quatro guardas de Nazaré, do arcebispo emérito de Belém, dom Vicente Zico, e do pároco da Basílica Santuário de Nazaré, padre Sílvio Jaques, a imagem da santa foi recepcionada na cidade mineira pelo pároco de Nossa Senhora de Nazaré, monsenhor Lydio de Miranda Murta.

Início da procissão do Círio BH, na Paróquia Senhor Bom Jesus do Horto

Durante a procissão do Círio BH

00

5

5

5

75

Chegada da Procissão na Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré

Às 8 horas, já na paróquia Senhor Bom Jesus do Horto, houve celebração eucarística presidida pelo arcebispo de Belo Horizonte, Dom Waknor Oliveira de Azevedo, e concelebrada por padres da Arquidiocese, com participação da diretoria do Círio 2010 e autoridades. Em seguida, foi aberta a exposição "Círio de Nazaré Patrimônio imaterial da Cultura Brasileira". À noite, o evento contou com a abertura da novena do Senhor Bom Jesus e com a procissão do Círio de Nazaré. A romaria reuniu multidão de fiéis, saindo da igreja Senhor Bom Jesus do Horto para a igreja Nossa Senhora de Nazaré. Após uma caminhada de 2 kilômetros e meio, inclusive, agarrados à corda, várias centenas de fiéis, acompanhando o carro monumental do Corpo de Bombeiros, trazendo a imagem de Nossa senhora de Nazaré, do Belém do Pará, chegaram à Paróquia de N. Sra. de Nazaré, do Bairro Santa Inês, em Belo Horizonte, às 22:30 h do dia 03/09/2010. O acolhimento à imagem foi marcado com aplausos, emoções, entusiasmo filial e uma expressiva ovação de fogos de artifícios. Em seguida à chegada da imagem, houve uma comovente louvação à Virgem Maria, durante a qual o Pároco Pe. Lydio Murta acolhendo a imagem, as centenas de fiéis, a Diretoria do Círio e seus mais de trinta acompanhantes e auxiliares, deixou claro que, apesar de vários títulos que a piedade cristã atribui à Nossa Senhora, ela nunca se atribuiu a si nenhum título, a não ser o de serva: “Eis aqui a serva do Senhor”, tirando daí aplicações práticas para a vida de seus devotos. A imagem ficou conosco sábado todo, voltando no domingo às 21:00 h, ao seu destino, Belém do Pará. Sábado e domingo todo foram dias de concorridas Celebrações Eucarísticas presididas pelos Srs. Pe. Márcio Antônio de Paiva, Pe. Sílvio, Pe Lydio, Dom

Vicente Zico e pelo Cardeal Dom Serafim Fernandes, Arcebispo Emérito de Belo Horizonte. No inter valo dessas Celebrações ocorridas às 08:00, 12:00 e 19:00 h dos dias 4 e 5, nossa Matriz foi espaço pequeno para acolher centenas de fiéis vindos de vários bairros e cidades vizinhas para a evangelização e louvações à Virgem de Nazaré. Dom Walmor Oliveira de Azevedo Arcebispo de Belo Horizonte

100

95

75

25

5

54

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

A exposição “Círio de Nazaré: Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira” A Paróquia de Senhor Bom Jesus do Horto, em seu Espaço Cultural, sediou a exposição "Círio de Nazaré de Belém do Pará: Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira”. A exposição ofereceu aos visitantes a oportunidade de ver os mantos que já cobriram a imagem da santa durante as procissões, a tradicional corda carregada pelos devotos nas comemorações do Círio, fotos de uma das maiores festas religiosas do Brasil, que é realizada no segundo domingo de outubro, em Belém do Pará, além de ícones, objetos, símbolos expressivos do Círio e uma instalação estética com cinco mil peças de brinquedos de Miriti, palmeira típica da Amazônia, numa representação simbólica de toda riqueza iconográfica do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, que teve como curadora Darcilene Costa. Um dos destaques da exposição foi a reprodução da festa popular feita com cinco mil peças confeccionadas em miriti – tipo de madeira usada no artesanato paraense. O objetivo da exposição foi criar intercâmbio religioso, cultural,

Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira A abertura da exposição foi concorrida

Mais de 5 mil peças em Miriti

00

5

Vista Vista Superior Superior da da Exposição Exposição no no Horto Horto Curadoria Curadoria Executiva Executiva Darcilene Darcilene Costa Costa

5

5

O carimbó alegrou a exposição

Darcilene Costa, a Curadora da exposição, Dom Vicente Zico, Dom Walmor Oliveira de Azevedo e Cesar Neves

econômico, turístico e social de Belém do Pará com Belo Horizonte, sendo realizada graças à parceria firmada entre as arquidioceses das duas capitais. Darcilene Costa, curadora da exposição disse que Belo horizonte foi uma das cidades escolhidas pela fé católica do povo mineiro e por toda sua tradição histórico-religiosa. Além disso, de acordo com a curadora, há outros pontos em comum entre a Igreja do Pará e a de Minas Gerais, como a presença de arcebispos eméritos mineiros na direção da arquidiocese de Belém. A exposição do Círio de Nazaré aconteceu de 03 a 05 de Setembro, onde foi possível acolher pessoas de toda a Arquidiocese que vieram além de visitar todo o acervo da exposição, também viver um forte momento de fé.

DARCILENE COSTA

CURADORA EXECUTIVA DE ARTES VISUAIS

100

95

75

RTISTA PLÁSTICA

luhene@amazon.com.br

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

CÍRIOS | BRASIL | MINAS GERAIS

Círio em Morro Vermelho-MG Texto: Adriana Pinheiro/Geraldo Lopes

M

ais de 10 mil pessoas participaram, de 6 a 8 d e s e t e m b r o, n o distrito de Morro Vermelho, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, da Festa de Nossa Senhora de Nazareth, que tem como ponto alto a encenação do fim da guerra entre mouros e cristãos. Considerada uma das mais antigas tradições culturais do Brasil, ela chegou ao povoado com os colonizadores portugueses há 306 anos, no apogeu do Ciclo do Ouro, e jamais foi interrompida. Por lei municipal, a Cavalhada é considerada bem imaterial e patrimônio da comunidade. A tradiçãocomeçouem Portugal noséculo 18, espalhou-se pelo Brasil e teria chegado a Morro Vermelho em 1704. Durante três séculos, a manifestação folclórica e religiosavem sendorepassadadegeraçãoa geração, em suas características originais. Segundo o presidente da Cavalhada Nossa Senhora de Nazareth, Nildo de Jesus Leal, apesar de enfocar a luta, a encenação representa o final da guerra, culminando com a vitória dos cristãos, a conversão e o pacto de aliança. Ele lembra que no século 6 os mouros ou muçulmanos invadiram a Europa, de onde só foram expulsos 800 anos depois, quando a vitória européia passou a ser encenada para incentivar a fé cristã.

25

5

0

Fotos: Emerton Ribeiro cedidas pela VALE

Iniciada ao meio-dia de 30 de agosto com repiques de sinos e fogos de artifício, novenas e celebrações, a festa contará, nesta segunda-feira (dia 6), a partir das 15h, com desfile de mais de 200

cavaleiros, que conduzirão a Bandeira de Nazareth pelas ruas e avenidas de Caeté, seguindo para Morro Vermelho, onde serão recebidos com grande festa pela comunidade. Nossa Senhora de Nazareth com o Menino Jesus e seu tradicional vestido

00

100

5

95

5

75

5

25

Nos 305 anos das Festividades de Nossa Senhora de Nazareth em Morro Vermelho

5

56

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

5

5

5

100

Na terça-feira (dia 7), moradores e visitantes de Morro Vermelho são acordados às 4h por banda de música, fogos de artifício e repiques de sinos, anunciando as diversas celebrações. Ao meio-dia, começa o desf ile dos Mascarados, que percorrem ruas e casas para expulsar os males e pedir paz para os festejos.

95

Paz entre os Povos

0

Pontualmente às 21h de 7 de setembro, 12 cavaleiros cristãos e 12 mouros conduzem a Bandeira de Nossa Senhora de Nazareth à praça, onde são recebidos por fogos de artifício, repiques de sino, banda de música e aplausos da multidão. O imperador mouro saúda com embaixadas a bandeira, recebida do embaixador cristão, que também a venera. Os mouros hasteiam a bandeira no alto de um mastro de 40 metros na praça, simbolizando a adoção da fé cristã. Para selar a paz entre os povos, os imperadores dão novas embaixadas. Cristãos e mouros entrelaçam fitas no mastro, amarrando o compromisso de fé aos pés da Virgem Maria. Unidos, os cavaleiros fazem uma série de evoluções. Encenam um 8 (união de dois povos), uma meia lua (início de uma amizade crescente) e assistem a um espetáculo pirotécnico (queima de deuses pagãos). Cristãos e mouros fazem novas evoluções e se despedem da multidão. A festa recomeça na quarta-feira, às 8h, com abertura da porta da matriz para recitação dos Ângelus e celebração

75

25

5

Saudações à Bandeira Os cavaleiros e a Bandeira

Ia iniciar a Cavalhada

eucarística. As 11h, há a tradicional missa cantada em latim a quatro vozes, acompanhada de orquestra. Depois de celebração eucarística às 17h, moradores e visitantes percorrem, em procissão luminosa, ruas enfeitadas do povoado. A chegada da imagem à matriz é transformada em apoteose com queima de fogos, sendo a festa encerrada com o Te Deum, um canto de agradecimento a Deus. Os cavaleiros fazem uma série de evoluções

00

100

5

95

5

75

5

25

5

57

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | RIO DE JANEIRO

5

25

Círio na

Tijuca-RJ Na saída do Círio da Tijuca

Pelas ruas da Tijuca, a Berlinda e os devotos

O

Círio de Nossa Senhora de Nazareth no Rio de Janeiro é realizado também no segundo domingo de Outubro, é como uma miniatura do que acontece em Belém. No sábado às 18 horas é realizada a trasladação da imagem de Nossa Senhora de Nazareth do Colégio Maria Ryght para a Igreja dos Capuchinhos. No domingo, logo às 7 horas, a imagem de Nossa Senhora de Nazareth ficou exposta em um altarao lado direito do Cruzeiro. Às 9 horas a Missa Solene, celebrada pelo pároco Frei William Araujo. Às10 horas o

início da procissão saindo da Igreja dos Capuchinhos da Igreja de São Sebastião, na Rua Haddock Lobo-Tijuca. O Círio da Tijuca percorre algumas ruas pelo entorno da igreja, com grande numero de pessoas; retornando após a Igreja, onde é será celebrada a Missa final, com os fiéis agradecendo as graças recebidas e para suas orações à Nossa Senhora.

5

0

No interior da Igreja dos Capuchinhos

No adro da Igreja onde é armado um arraial, as barraquinhas com comidas típicas, sorvetes, sucos, artesanato paraense, lembranças como medalhas, fitas, camisetas, santinhos e pequenas imagens, dãootomdasaudadee éfeitaaconfraternizaçãodospresentes. Frei William Araujo abençoa os devotos de Nossa Senhora

00

100

5

95

5

75

5

Dirigentes da Associação N.S. de Nazareth: Ignácio Leite da Costa, Mayra Silva da Costa, Maria de Nazareth Leite e Ana Burlamaqui Silva

25

5

58

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | RIO DE JANEIRO

5

00

5

5

5

O barco dos milagres

25

5

0

Início do Círio saindo frente à igreja de São Paulo Apóstolo

Chegando na Igreja de Nossa Senhora de Copacabana

Na Avenida Atlântica A corda entrando na Rua Hilário de Gouveia

Ainda no interior da Igreja de São Paulo Apóstolo

À chegada, a santa missa

Círio em

Copacabana-RJ E

m Copacabana, o Círio também é no segundo domingo de outubro e têm início com a santa missa, às 09.00 horas, na Igreja de São Paulo Apóstolo, dos padres barnabitas, situada na Rua Barão de Ipanema. Às 10,00 horas começa a procissão, seguindo pela Rua Leopoldo Miguez, Rua Constante Ramos, Avenida Atlântica, percorrendo 4 quadras pela orla marítima até a Rua Hilário de Gouveia onde se localiza a Igreja de Nossa Senhora de Copacabana.

Fotos: Inaldo F. Costa Rego

O trajeto, como não poderia deixar de ser, é percorrido com muita emoção e alegria, não faltando os ícones tradicionais – a berlinda, a corda e o barco dos milagres. Por onde passa a imagem de Nossa Senhora de Nazaré é reverenciada pelos fiéis. À chegada, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré é colocada no altar e celebrada a Santa Missa. A imagem da Santa permanece fica exposta durante todo o ano na Paróquia de Copacabana para visitação dos devotos paroquianos. Na semana que

antecede o Círio é transportada para a Paróquia de São Paulo Apóstolo.

100

95

75

25

Na Rua Constante Ramos 5

59

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | RIO DE JANEIRO

5

00

5

5

5

25

Círio em

Saquarema–RJ A

festa de Nossa Senhora de Nazareth esse ano teve a frente o Provedor Aluizio Almeida e a Juíza Valéria Romeiro, que juntamente com a Venerável Irmandade de Nossa Senhora de Nazareth se esmeraram i n c a n s ave l m e n te e m f a ze r u m a grandiosa festa, com o retorno de antigas tradições que acabaram se perdendo ao longo dos anos. A Tradicional abertura das festividades, realizada no dia 31 de agosto, contou com Procissão, Missa, Banda de Música, Coral de Búzios e queima de fogos. Durante toda a semana da Festa, uma intensa programação foi cumprida na Igreja Matriz, com a Novena e a celebração da Santa Missa, sempre às 19h, quando em cada dia, uma comunidade do Município entrou com a nova Imagem da Réplica da Padroeira. No Dia 6 de Setembro, o destaque ficou com a Banda do Colégio Plínio Leite, que após a tradicional passeata pela cidade, fez uma retreta na Praça Oscar de Macedo Soares, sob a regência do Maestro Josué. O Dia 7 de Setembro amanheceu com a Alvorada em homenagem ao Dia da Pátria, às 6h. Logo em seguida, foram celebradas Missas na Matriz às 8 e 10h, sendo esta última Solene pela Pátria e com a participação especial dos Corais Rainha Assunta e Cantavento, da cidade de Cabo Frio. Durante toda a tarde a Imagem histórica da Milagrosa Padroeira permaneceu exposta para a visitação dos devotos. Ás 16h, a Banda Lira N.Sra de Nazareth deu um show, com a tradicional passeata pelas ruas do centro histórico da cidade, arrastando um grande número de pessoas que estavam no centro. À noite, houve o último dia da Novena, Missa e Eleição dos Novos Festeiros. O Dia 8 de Setembro foi anunciado nos

Dom Frei Alano Maria Pena O.P, Arcebispo Metropolitano de Niterói, pregando durante a Missa Solene das 12

Nossa Senhora de Nazareth em seu rico andor ornado de gérberas e rosas Coroação Solene da Padroeira com participação dos Arautos do Evangelho

seus primeiros minutos, quando exatamente à meia noite, ouvimos a Salva de Tiros. Ainda na madrugada, às 5h, uma Grande Alvorada com Banda de Música e grandiosa queima de fogos fez as trevas da noite se dissipar e anunciar

que o Grande Dia, o dia da Padroeira de Saquarema, tinha acabado de nascer. A Igreja Matriz permaneceu lotada desde às 6h, quando foi celebrada a primeira Missa, que ao término, teve participação especial do cantor Elymar Santos. Foram celebradas Missas de hora em hora até o meio dia, quando foi celebrada a Missa Solene pelo Arcebispo de Niterói, Dom Frei Alano Maria Pena O.P, quando a Imagem original, encontrada em 1630, foi coroada. À tarde, na praça, ocorreu o leilão de prendas e animais de variadas espécies. Às 18h, foi celebrada a última missa do dia, que pelo segundo ano consecutivo foi transferida para a Matriz, pelo mau tempo. A Matriz ficou superlotada, com fiéis espalhados por todo o Morro. Às 20:30h, uma grandiosa queima de fogos anunciou a saída da Virgem de Nazareth da sua Matriz para os devotos que a aguardavam ansiosamente por todo o centro histórico da cidade. Assinado por Leandro Oliveira, o andor representava a coroação de Nossa Senhora como Rainha do Céu e da Terra. Ornamentado em rosas e gérberas, o andor foi acoplado a um carro também ornamentado; um verdadeiro trono móvel. Muitas homenagens foram feitas durante o tradicional percurso, com direitoachuvadepétalasderosas, depapel picado e queima de fogos. O fim da Procissão e das festividades foi saudado com espetáculo pirotécnico, como há muitos anos não se via, no entorno da Igreja Matriz. Mais uma vez, o Círio de Nazareth, em Saquarema, fez jus à posição de terceira maior manifestação religiosa do Brasil. Em plena terça-feira, quando é feriado somente em Saquarema, vimos uma cidade superlotada de Romeiros e devotos da Senhora de Nazareth, vindos das mais diversas localidades, que mais uma vez vieram prestar homenagens à Mãede Deus.

5

0

100

95

75

25

5

60

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

5

25

5

0

Frei Ives entre Pe Renato, de Vila Carioca e Pe. João, de Uberlandia, padres paraenses que todos os anos participam do Círio de Sumaré

Os tradicionais marinheiros

Círio em

Sumaré–SP O

Círio de Nossa Senhora de Nazaré do Sumaré em São Paulo, teve início no sábado, com uma missa celebrada na Capela do Santuário de Nossa Senhora de Fátima, na Av. Dr. Arnaldo, 1831 Sumaré, seguida da trasladação, com devotos levando a imagem da santinha até a Creche Nossa Senhora de Fátima, onde pernoitou. No domingo, no dia do Círio, a berlinda enfeitada de flores e já com a imagem da Senhora de Nazaré, saiu da creche em procissão, acompanhada do Pároco Frei Ives Terral, padres, freiras, seminaristas, fiéis, crianças de anjinhos, marinheiros e os devotos que acompanham a procissão, segurando a corda, com a banda musical

e carro de som, todos emocionados entoando o cântico “Vós Sois o Lírio Mimoso”, lembrando a saudosa Belém do Pará, pelas ruas do bairro do Sumaré. Ao entrar na igreja (Está imagem peregrina de Nazaré é uma relíquia para os paraenses que vivem em SP, pois a mesma foi abençoada pelas mãos do querido Papa João Paulo II, quando esteve no Brasil em 1980 e entronizada por D. Vicente Zico na época), logo em seguida, foi dada a bênção das palmas (lírios) pelos Frei Ives, Pe Renato e Pe. João. L ogo após, em procissão todos acompanharam a Santinha, em direção ao pátioondefoi dada bençãofinal aos fiéis. Ao final, a confraternização geral.

Imagem da Santa na Berlinda

A corda no Sumaré

00

100

5

95

5

75

5

25

A chegada da Berlinda na Igreja Os devotos em frente da Igreja na chegada da Santa

5

61

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

00

CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

25

A Santa sendo levada para o Bairro de Santa Luzia, onde ela fica e depois ela volta pela represa

Andor da Santa

5

0

Chegada da Santa na cidade. Morro do Lava Pés

Círio em

Nazaré Paulista-SP N

azaré Paulista tem suas origens na construção da p r i m i t iva ca p e l a d e Nossa Senhora de Nazaré, em Atibaia, efetuada em 1676 por Matias Lopes, fundador do povoado. Encravada na Serra da Mantiqueira, a uma altitude de 1.150 Chegada da Santa na Matriz de Nazaré Paulista

Fotos: Moaci de Brito/Studio Lumi@r

metros nos pontos mais elevados, a cidade está inserida na região denominada “Entre Serras e Águas”. Limita-se ao Norte e a Noroeste com Piracaia, ao Sul com Mairiporã, a Leste com Igaratá e Santa Isabel, a Oeste com Bom Jesus dos Perdões, a Sudeste com Guarulhos e a Sudoeste com Atibaia.

A Igreja de Nossa Senhora de Nazaré é de estilo arcaico e barroco, com trabalhos de entalhamento em madeira e imagens antigas originarias de Portugal O Círio de Nazaré Paulista é realizado no dia da padroeira da cidade e do aniversário do município no dia 21 de novembro.

Altar das Graças 100

5

95

5

75

Chegada na Matriz, Nazaré Paulista

5

25

5

62

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

5

25

A saída do Círio de Santos, da igreja Nossa Senhora do Rosário da Pompéia

5

0

O andor chegando na igreja Nossa Senhora do Rosário da Pompéia

Círio em

Santos-SP O

Círio de Santos do ano passado foi especial. No d i a 1 1 d e O u t u b ro, co m e ç a ra m a s comemorações pelos 60 anos da Festa do Círio de Nazaré em Santos – SP. Pelas ruas da cidade de Santos a Sociedade dos Amigos da Amazônia e a Paróquia de Nossa Senhora do Rosário d e Po m p é i a f i z e ra m u m a b e l a Pelas ruas da cidade de Santos

procissão após a missa celebrada pelo pároco Pe. Antonio Baldan Casal. Era o início das celebrações para os 60 anos da devoção a Nossa Senhora de Nazaré, implantada em Santos pela Sociedade dos Amigos da Amazônia. Neste 2010 (10 de Outubro), 2º domingo de outubro, no “Dia Nacional d e No s s a S e n h o ra d e Na z a ré”, renderemos graças pelos 60 anos de

proteção e bênçãos alcançadas de Deus pela intercessão de Nossa Senhora do Círio de Nazaré, Mãe de Deus e nossa Mãe! No primeiro domingo de outubro, a parte religiosa inicia com uma missa festiva, onde a imagem da Senhora de Nazaré é acolhida pelas crianças. Nas seguintes quarta, quinta e sexta-feira é realizado o Tríduo/Reza festiva.

A saída do Círio de Santos, da igreja Nossa Senhora do Rosário da Pompéia

O início das comemorações pelos 60 anos da Festa do Círio de Nazaré em Santos

00

100

5

95

5

75

5

25

5

63

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

5

25

5

A saída do Círio na Escola de Samba Imperador do Ipiranga

Anjinhos em Vila Carioca 0

Círio em

Padre Renato reza missa no interior da Escola de Samba Imperador do Ipiranga

Vila Carioca-SP Fotos: Thiago Amorim

O

Círio de Nossa Senhora de Nazaré da paróquia Santo Antonio da Vila Carioca, em São Paulo, aconteceu no 3º domingo de Outubro, saindo às 10h da Escola de Samba Imperador do Ipiranga. No dia anterior, foi celebrada uma missa no interior da Escola na chegada da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, com a presença do povo da comunidade e de comissão da Escola de Samba. A procissão do Círio foi muito emocionante. O povo segurando na corda, fazendo seus pedidos e agradecimentos à Virgem de Nazaré. Muitas crianças vestidas de anjo

acompanharam a procissão. A missa foi presidida pelo padre Renato Braga de Sousa, paraense, natural de Igarapé Cravo, em Bujaru, no Pará. Na missa houve depoimentodopovo, dentreelesuma líder da Pastoral da Moradia, Suely, falou que seu marido Walter estava desempregado por muito tempo. Ela fez o pedido e dentro de poucos dias ele foi chamado para trabalhar. Após a missa, houve almoço paraense com todas as iguarias preparada pelopróprio Padre Renato.

A saudação...

O Círio chegando na paróquia Santo Antonio da Vila Carioca

00

100

5

95

5

75

5

Iniciando cedo a devoção

25

5

30

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

5

25

A procissão com a Corda 5

0

Dia da Festa: no altar, os padres Antonio e José Aparecido e o bispo D.Ercílio

Círio em

Osasco-SP C

om a colaboração ativa de todas as pastorais da Paróquia a novena de Nossa Senhora de Nazaré iniciou no dia 04 de setembro e terminou no dia 13. Durante esses dias as missas foram celebradas por padres convidados, vindos de outras paróquias da Diocese de Osasco. No último dia da novena a missa solene, presidida por nosso bispo D.

00

100

Entrada da imagem no dia da Festa

5

5

5

Membros do Apostolado da oração

Ercílio Turco e concelebrada pelos padres Antonio (pároco) e José Aparecido (vigário) e foi marcada pela emoção dos fiéis”. Ao final, a procissão saiu da Comunidade

São João Batista às 17:00 hs em direção à igreja matriz. O povo segurava a corda, como na tradição paraense e fazia seus pedidos a Nossa Senhora enquanto cantava “Maria de Nazaré”.

95

75

25

5

65

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

5

00

5

5

5

Ia começar o Círio da Canção Nova

Pe. José Ramos Mercês, abençoou os fieis pela intercessão da Virgem Santíssima

25

5

0

Nossa Senhora em seu andor

Círio em Cachoeira Paulista-SP

A

O Círio da Canção Nova

i m a ge m d e N o s s a Senhora de Nazaré, de Belém do Pará, esteve na sede da Canção Nova em Cachoeira Paulista (SP), durante o 2º Congresso Mariano que aconteceu entre os dias 30 de abril e 2 de maio, com o tema “Filho, eis aí tua Mãe” (Jo 19,27), para esclareceros fieis sobre o papel da Virgem Maria navida dos cristãos. Entre cânticos e a oração do terço mariano, os peregrinos caminharam em procissão da Paróquia Santo Antônio em direção à sede da comunidade católica, que recebeu a imagem com queima de fogos e muita alegria. Em seguida, a ministra de música e missionária da Canção Nova, Karina Maria, cantou o "Ofício da Imaculada Conceição" acolhendo a Virgem de Nazaré. Finalizado o momento, o reitor da Basílica de Nossa Senhora de Nazaré em Belém, padre José Ramos Mercês, responsável por trazer a imagem para o Estado de São Paulo, abençoou os fieis pela intercessão da Virgem Santíssima. Um grupo de 38 fieis da Congregação Mariana de Nossa Senhora da Penha e São Francisco de Assis de Vitória (ES)

visitaram a sede da comunidade e puderam prestigiar a visita de Nossa Senhora de Nazaré. O aposentado Getúlio Rosalvo Oliveira da Silva, responsável pelo grupo, testemunhou que os marianos têm grande devoção a Nossa Senhora e que Maria é o caminho mais curto para chegar a Jesus. “Iniciativas como a de um Congresso Mariano na Canção Nova fortalecem as congregações marianas”, enfatiza. Dentre as várias atividades do evento, que buscou proporcionar aos fieis um encontro profundo e pessoal com Maria, as pessoas puderam prestigiar um show no sábado à noite com os Cantores de Deus, além de terços marianos, palestras, adoração ao Santíssimo Sacramento e Santas Missas. Quem não compareceu na sede da Canção Nova acompanhou toda a cobertura do evento pelo Sistema Canção Nova de Comunicação através da rádio AM e FM, Tv, WebTv e Portal. O e n ce r ra m e n to d o C o n g re s s o Mariano foi no domingo (2), às 15h, com a Santa Missa presidida pelo Bispo de Lorena (SP), Dom Benedito Beni.

Pregação do Albertine

O show com os Cantores de Deus

100

Durante o Círio da Canção Nova

95

75

25

5

66

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

00

5

CÍRIOS | BRASIL | DISTRITO FEDERAL

Círio em

25

Brasília-DF

5

0

Fotos: Geovanny Varela

E

sse ano, no 37º Círio de Brasília, as comemorações se desenvolveram na SHIS QI – Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, como já tradicional. À frente da procissão um carro de som e ao som de cânticos marianos, notadamente o "Vós Sóis o Lírio Mimoso" a imagem de Nossa Senhora de Nazaré percorreu a avenida principal dc bairro do Lago Sul, reunindo aproximadamente duas mil pessoas. Fiéis emocionados disputaram espaço para segurar a corda de 100 metros. No entorno da berlinda, protegidos pela corda, os cadeirantes, crianças vestidas de anjos, a banda da Polícia Militar e os coordenadores do Círio de Brasília.Outros acompanharam a romaria segurando velas formando um mar de luz muito bonito. Na chegada da procissão à igreja, uma queima de fogos de artifícios, que durou cerca dez minutos. Durante quatro dias – uma programação extensa – com celebrações de missas,

A corda e os anjinhos

A berlinda estava ornamentada com rosas e flores de liz nos tons branco e rosa

O manto

A imagem de Nossa Senhora de Nazaré estava coberta por um manto branco, confeccionado pela artesã belenense Ana Marta Souza da Silva, com detalhes em azul e rosa claro e contorno na cor amarelo dourado. O tecido utilizado foi um cetim italiano branco, com cristais swarovisky, vidrilhos e miçangas (jablonex), pedrarias em resina, strass em metro, crucifico de metal decorado.

shows de bandas católicas, música popular brasileira, exposição de artesanatos paraenses e vendas das comidas regionais. O Pará foi representado na quermesse por duas barracas de comidas típicas, com os sabores da maniçoba, pato no tucupi, caranguejo, vatapá, tapioquinhas

e os sucos de cupuaçu, bacuri e o açaí, f i ze ra m a fe st a e a a le gr i a d a confraternização. Cerca de 10 mil pessoas passaram por lá, em sua maioria paraenses que residem no Distrito Federal. Para muitos, a principal forma de matar a saudade da cultura e da fé da terra natal.

Durante o Círio de Brasília

5

100

95

75

5

25

Na Rua Constante Ramos 5

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | PARAIBA

Círio em

5

Juripiranga-PB

25

5

0

O primeiro Círio de Juripiranga

Tom Maroja e sua tia Suzete, no Círio de 2005, já com as blusas do Cirio

O

Círio de Juripiranga começou em 2005, após visita, em setembro, de João José Maroja, ex diretor das Festividades do Círio, em Belém, aos seus familiares na Paraíba, para a posse do Prefeito de Juripiranga, Tom Maroja, seu primo. Maroja tinha levado uma replica da imagem de Nossa Senhora de Nazaré,

A imagem de Nossa Senhora de Nazaré em seu andor, em Juripiranga

que foi conduzida por ele em procissão saindo da casa dos Marojas até a Matriz. Lá o prefeito recebeu a imagem e passou às mãos do diácono Hermano Guerra que na ocasião realizou a cerimônia de entronização da imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Em seguida, no mês de outubro de 2005, o prefeito Tom, a primeira dama Luciene e sua tia Suzete Maroja, foram à cidade de

Saída do Círio frente a Igreja Matriz de Juripiranga

Belém do P a r á participar do Círio, ao retornarem trazendo uma berlinda, foi realizada a 1ª procissão oficial do Círio de Juripiranga. Nos anos seguintes sempre são realizadas procissão e missa no mês de outubro, sendo assim, a cada ano, realizado o Círio na cidade de Juripiranga na Paraiba.. Procissão na Av. Brasil, no Centro de Juripiranga

00

100

5

95

5

75

5

25

5

68

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | RIO G. DO NORTE

5

00

5

5

5

25

5

0

Pelas ruas de Natal, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré

Círio em

Natal-RN A história do Círio de Natal por Maria Madalena de Oliveira Rebelo

E

m 1976 diversas famílias paraenses foram residir em Natal, no Rio Grande do Norte. Nesse ano e em 1977, não houve nenhum movimento para se festejar o Círio. Em 1978, foi organizada uma Comissão para que o Círio fosse celebrado. Esta Comissão esteve com o Bispo de Natal, Dom Nivaldo Monte, e ele oficiou uma Missa na Catedral, porém não nos permitiu que fizéssemos a procissão. Levamos conosco a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré, que foi colocada em um altar lateral da Catedral. A partir de 1979, nós passamos a fazer a Procissão do Círio, sendo a Ia procissão de apenas 1 quarteirão, saindo do Convento de Santo Antônio para a

Catedral, onde foi celebrada a Santa Missa Em 1980, Nossa Senhora de Nazaré ganhou um Círio um pouco maior e sendo celebrada a Santa Missa na Igreja de Santa Terezinha, pelo Pe. Teobaldo. Este trajeto foi efetuado durante os anos de 1980, 1981 e 1982, pelo mesmo sacerdote, que era Pároco da Igreja de São Judas Tadeu. Pe. Teobaldo, recebeu uma imagem de Nossa Senhora, e se comprometeu a fazer as celebrações do Círio durante 3 anos, pois ele já havia morado em Santarém e conhecia a fé dos paraenses em Nossa Senhora de Nazaré. Em 1982, quando fui apanhar a Imagem de Nossa Senhora na Igreja de São Judas Tadeu e lhe sugeri fazermos uma carreata para devolvê-la à Igreja, o Pe. Teobaldo disse-me que não poderia recebê-la de

volta, pois não tinha um lugar certo para colocá-la. Nessa ocasião, eu coloquei a Imagem de Nossa Senhora no banco do carro junto a mim. Eu ia a um supermercado e depois iria levá-la à casa de uma amiga, para que fosse feita uma pequena "Berlinda" para sair nas procissões. Ocorreu-me o seguinte pensamento: "Por que eu não fazia em Natal as Novenas de Nossa Senhora nas residências, como se faziam em Belém?" Eu, então deduzi, que era Nossa Senhora que estava querendo que se fizesse as Novenas. Não perdi tempo. Ao chegar em casa, passei a telefonar para as pessoas que compunham a Colônia Paraense e todas foram unânimes em concordar comigo. Iniciamos as Novenas nesse

100

95

75

25

5

70

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

Diácono Anchieta D. Madalena Rebelo, seu esposo, D. Celestina e sua filha Maria Odete, com a imgem de Nossa Senhora de Nazaré

mesmo dia e, durante uns 10 dias, as novenas foram feitas em casas de paraenses. No 2o ano, as novenas passaram a ser feitas, também, em casas de natalenses. Como o Pe. Teobaldo não iria mais receber a Imagem de Nossa Senhora, comecei a procurar uma Igreja onde Nossa Senhora pudesse ficar e onde pudéssemos orare fazero Círio. Depois de muito procurar e não achar onde colocá-la, eu acordei de madrugada lembrando-me de uma conversa com a nossa costureira, logo que chegamos à Natal em 1976. D. Laura havia me informado que no seu bairro, que se chamava Bairro de Nazaré, em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré, em virtude de uma grande graça alcançada por um natalense, que já havia morado em Belém, e que, prometeu-lhe, caso alcançasse a graça pedida, doar um lugar para que ela fosse venerada em Natal e mandar buscar uma Imagem em Belém. Ao alcançar a graça solicitada, ele cumpriu a sua promessa e o povo do bairro passou avenerá-la. Ao recordar-me desta informação, decidi ir até a Capela de Nossa Senhora de Nazaré e falei com a zeladora D. Celestina e que aceitou de muito boa vontade que nós levássemos a nossa Imagem, embora

no local já houvesse a Imagem doada pelo natalense. Posteriormente, entramos em contato com o Pe. Tarcísio, que tomava conta da Capela, e ele nos recebeu de braços abertos. Passamos a fazer o nosso Círio, a partir de 1983 no Bairro de Nazaré, além de armarmos um arraial, com comidas paraenses, brinquedos, novenas na Capela, além de estender por diversos Recordação do Cirio de 1980

0

paraense. No lugar da Capela, que era uma pequena casa, a Colônia Paraense ergueu uma Igreja em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré. Estas festividades continuam sendo feitas até hoje pelos paraenses e natalenses, irmanados no seu amor a Virgem de Nazaré. A Igreja já passou por reformas e está bem maiordo que a que deixamos em 1986.

O Círio de Natal, hoje

bairros as novenas nas residências. Ao regressarmos à Belém, em 1986, haviam 7 imagens de Nossa Senhora percorrendo as residências. Para as novenas nas residências, eu organizei um livrinho de cânticos; diversas orações; como se rezar o Terço e as principais orações rezadas no Terço, aprovado pelo Pe. Tarcísio. Estes livrinhos e mais os cartazes, que distribuíamos pela cidade, eram feitos pela minha amiga Mara, que possuía uma gráfica e que era casada com um

A coroação de Nossa Senhora, em Natal

A Festa de nossa Senhora de Nazaré iniciou-se no dia 28 de maio com uma novena própria: orações, ladainha e adoração ao Santíssimo Sacramento. No dia 31, dia da Visitação de Nossa Senhora, aconteceu uma pequena procissão saindo da Paróquia do Santuário dos M á r t i r e s a t é a C a p e l a . Fo r a m aproximadamente 300 pessoas. Na chegada aconteceu uma missa solene presidida pelo pároco, o padre Francisco das Chagas de Souza e concelebrada pelo Diácono José de Anchieta de Figueiredo, diácono permanente da paróquia, e ao seu término a coroação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Uma festa simples marcada pela fé do povo de Deus que participa ativamente de todos os eventos da paróquia e vê em Nossa Senhora de Nazaré o sustento e a certeza da eterna intercessão da Mãe de Deus. Após o Círio, dentro da Capela, em Natal

00

100

5

95

5

75

5

25

5

71

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | CEARÁ O início do Círio de Capistrano

5

5

0

Círio em

Capistrano-CE N

ossa Senhora de Nazaré é a padroeira do município de Capistrano, no Ceará. Lá as festividades do Círio é de 30 de agosto a 8 de setembro, quando centenas de pessoas participam, desde 1943, quando foi inaugurada a paróquia. As atividades religiosas acontecem com uma caminhada entre a Igreja e uma comunidade escolhida para cada dia. No final de todas as caminhadas há celebrações e café da manhã partilhado entre os fiéis. O retorno da Imagem de

Nossa Senhora à Igreja Matriz acontece às tardes levando multidões para as missas animadas por zonais (conjunto de quatro a seis comunidades do Interior), sempre celebradas por um sacerdote convidado especialmente para este fim. São 9 dias de atividades: manhã, tarde e noite. Pela manhã a caminhada com café comunitário, à tarde tem o momento da graça, às 15 horas e á noite a missa na matriz ás 7 horas da noite. È a novena. Os católicos locais vão todas as noites. A Igreja é lotada. Na última noite a missa é campal, pois a igreja não

comporta. A festa è encerrada com o Círio de Nazaré. No dia 8 de setembro, às 17 horas tem início o Círio, frente à Igreja Matriz, com uma missa campal celebrada pelo bispo diocesano de Quixadá, dom Ângelo. Em seguida, com a imagem decorada na berlinda, o Pe. Francisco Eudásio os fies devotos e o rolo de corda sendo desenrolado, começa o Círio de Capistrano pelas ruas no entorno da Matriz. Após a procissão mais uma missa campal celebrada pelo bispo diocesano de Quixadá, dom Ângelo.

00

5

25

100

Unidos à corda segue o Círio de Capistrano

Como num imenso Terço, todos participam do Círio segurando a corda

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

CÍRIOS | BRASIL | CEARÁ

Círio em

25

Fortaleza-CE O Círio percorre as ruas André Chaves, Aquiraz, Raul Uchoa e Padre João Piamarta

5

0

No final da Missa de encerramento é feita a consagração da paróquia a Nossa Senhora

Em frente a Igreja de Nossa Senhora de Nazaré, em Fortaleza

E

m Fortaleza quinze equipes ficam responsáveis pela peregrinação das imagens de Nossa Senhora em todos os lares da paróquia. No primeiro sábado do mês de maio, depois da missa paroquial das 19:00 horas, solenemente o pároco envia as imagens nos vários setores da paróquia para consagrar a Nossa Senhora às famílias, as escolas e as repartições percorrendo, por cinco meses, toda a paróquia e preparando assim os paroquianos para o início da novena da Festa da Padroeira. Na primeira quarta-feira do mês de outubro todas as imagens retornam e são recepcionadas por uma grande multidão no ginásio que durante nove noites torna-se pequeno para receber em cada noite os caminheiros e os noitários que se

organizam e se preparam com alegorias próprias da motivação de cada noite. Os noitários são movimentos, pastorais, grupos engajados existentes na paróquia para as apresentações criativas do terço Durante a procissão em Montese

de cada noite. Tudo isso assume ares festivos e no terceiro domingo do mês de outubro a festa é concluída com dois momentos fortes: uma carreada conduzindo a imagem de Nossa Senhora de Nazaré por todas as ruas do bairro. O segundo momento é a solene procissão que arrasta multidões, não só paroquianos como pessoas de outros bairros que têm devoção a Nossa Senhora de Nazaré, percorrendo cada ano, três ou quatro setores, assim, no período de quatro anos a paróquia é todavisitada. No final da Missa de encerramento é feita a consagração da paróquia a Nossa Senhora, com a participação dos fiéis, seguida da benção com a imagem da Virgem de Nazaré. Assim é efetuada a celebração da Festa de Nossa Senhora de Nazaré, em Fortaleza.

Pelas ruas do bairro Montese, a animação é contagiante durante o Círio de Fortaleza

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | MARANHÃO

5

25

Círio em

5

São Luis-MA O

Círio de Nazaré em Cohatrac, da paróquia Nossa Senhora de Na z a ré , S ã o L u i s – Maranhão foi realizado com o tema: Nazaré, berço do discipulado e da partilha, e o lema: “Senhor, Tu nos falas, arde o coração” (Cf. Lc 24.32), no 2º domingo de outubro às 17h. O ponto de partida foi a Igreja de Nossa Senhora do

A berlinda e a multidão de devotos no Círio da Cohatrac

Perpétuo Socorro. A procissão com os fiéis percorreram com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré em sua berlinda, as avenidas dos bairros Cohab e Cohatrac, até chegarem ao retorno próximo à Igreja Nossa Senhora de Nazaré (Cohatrac), onde foi celebrada a missa campal. Após o encerramento, houve a programação cultural, com o show da cantora Rosa Reis, na praça em frente à Igreja. Durante as Festividades do Círio de Nazaré 2009, foram promovidos 11 dias de reflexões, missas, alvoradas, terços, romarias (Mariana, das Comunidades) e batizados, na Igreja Nossa Senhora de Nazaré. Além de programações culturais, co m a p a r t i c i p a ç ã o d e a r t i s t a s maranhenses e manifestações culturais, na praça em frente à Igreja, no Cohatrac. Para o padre Benedito Araújo, pároco da

0

Pelas ruas da Cohatrac o Círio de Nazaré

Igreja de Nossa Senhora de Nazaré: “O Círio é um grande momento de louvor a Deus, em torno da festa da luz. É o reconhecimento de Maria como berço discipulário”, explicou. No Círio da Cohatrac a Corda é tradicional

Milhares de devotos no Círio da Cohatrac

00

100

5

95

5

75

Na Procissão Mirim em Cohatrac, São Luis

5

25

5

74

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | AMAZONAS

5

00

5

5

5

25

Pelas ruas de Manaus, contritos, os devotos acompanham a procissão

5

0

Círio em

Manaus-AM O

Círio em Manaus cresce a cada ano. A procissão começa às 7h30, com a celebração de uma missa na Igreja Nossa Senhora de Fátima, para onde a imagem de Nossa Senhora, foi levada navéspera, em trasladação. Após a celebração, a procissão segue pela avenida Tarumã, rua Duque de Caxias, viaduto Josué Cláudio de Souza, avenida Paraíba, rua Recife, até chegar à Igreja Nossa Senhora de Nazaré, no bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul da cidade. À chegada, a imagem da santa

tem recepção triunfal com a participação da banda da Polícia Militar do Amazonas, tocando músicas e hinos católicos e os fiéis devotos emocionados. Uma multidão acompanha a tradicional procissão do Círio de Nazaré. Ao final, os católicos lotam a Igreja Nossa Senhora de Nazaré e a praça em frente ao templo.

Procissões/Traslado

Tradicionalmente acontecem três procissões durante os festejos. A primeira acontecer é a trasladação da imagem no segundo sábado do mês de outubro, após celebração da santa missa, com saída da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré até o Santuário de Nossa Senhora de Fátima. Na A entrada da berlinda na Igreja de Adrianópolis manhã do domingo, no Círio, a imagem retorna a paróquia de Nazaré com uma multidão num trajeto de aproximadamente cinco quilômetros. Quinze dias após

o Círio, os devotos realizam procissão pelas ruas ao redor da Paróquia de Nazaré, na Festa de encerramento, também chamada de Recírio. Em paralelo às festas religiosas, acontecem por quinze dias, os festejos com o arraial frente à praça. Momento que envolve todos os paroquianos, movimentos, pastorais e serviços da paróquia. Há comidas típicas, brincadeiras, bingos, rifas, músicas... É o momento de confraternização de os devotos de Nossa Senhora de Nazaré!

100

95

75

O Círio em Manaus cresce a cada ano

25

5

75

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | ACRE

5

00

25

Círio em

5

Rio Branco-AC A

festa do Círio 2009 fez p a r te p r i n c i p a l d o jubileu da catedral, pois fazia 50 anos de sua construção. Foi também o primeiro ano que a catedral deixou de ser paróquia e foi instituída como Reitoria. Isso implicou uma nova estratégia de trabalho pastoral: 1. Ser um lugar de acolhida, espiritual, social cultural e turística 2. Ser a Igreja Mãe, acompanhada por

Dom Joaquin abrindo o Círio

todos os padres da cidade, seja nas confissões, seja em várias celebrações semanais. 3. Ser um foco de evangelização e de Missão não tanto nas áreas geográficas, mas nos ambientes de trabalho, sensibilizando mais, marcando presença nas escolas, nos hospitais, nos presídios, nas repartições públicas, nas casas Comerciais, nos hotéis e nos restaurantes do Centro.

4. Valorizar a espiritualidade mariana através da oração do terço ou do Ofício de Nossa Senhora antes de cada Celebração. 5. Aprofundar o conhecimento teológico sobre mariologia através de Cursos periódicos. Com essa nova atribuição a Novena de preparação do Círio teve um destaque especial, com a participação de categorias profissionais a cada noite. Neste ano recebemos de Belém uns cem metros de corda e pela primeira vez começamos esta iniciativa que foi muito interessante No segundo domingo de cada mês destacamos os membros da "Família de Nazaré", pessoas que se apaixonaram pela espiritualidade mariana da nossa catedral dispostas a colaborar com as atividades da reitoria e, sobretudo com a fe s t a d o C í r i o. E l a s re ce b e m semanalmente por e-mail a " Carta da família de Nazaré".

0

Bispo Dom Joaquín Pertínez e o Padre Mássimo Lombardi

Momento da Bênção

Manto de Maria

A Procissão do Círio de Rio Branco

100

5

95

5

75

5

25

5

76

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | BRASIL | AMAPÁ

5

25

Círio em

Macapá-AP O

Círio de Macapá já completou 75 anos de Festa em louvor à Virgem de Nazaré, padroeira dos católicos da Amazônia. A preparação tem início em setembro, com a bênção das 13 imagens de Nossa Senhora de Nazaré, para a peregrinação em cerca de 100 pontos da capital amapaense. Toda a organização do evento envolve 1200 pessoas que atuam nas peregrinações, liturgia, social, comunicação, segurança, sonorização, saúde, transportes, guarda da berlinda e polícia militar, catequese, apostolado, crianças e jovens. A procissão do Círio pelas ruas de Macapá

5

0

O manto com as cores da Bandeira do Estado do Amapá

O tema do Círio foi “Maria, Mãe da Justiça e da Paz” e o lema “É bonita demais a mão que conduz a Bandeira da Paz”. O coordenador do Círio deste ano foi o padre Aldenor Benjamim dos Santos, cura da catedral São José de Macapá No sábado anterior ao Círio, tem a Procissão Fluvial saindo do porto Souza Mar, em Santana, às 7 horas terminando na Rampa do Santa Inês por volta das 9 horas. Em seguida, uma carreata com a imagem da Santa seguindo pelos bairros de Jesus de Nazaré, Laguinho, Pacoval, São Lázaro, Capilândia, Jardim Felicidade I e II e Brasil Novo. Ao final uma missa e o traslado da imagem da igreja Jesus de Nazaré para a de Nossa Senhora de Fátima. Durante a caminhada, a multidão de devotos de Nossa Senhora de Nazaré participa com emoção e louvor de seu Círio, pelas ruas de Macapá – Hildemar Maia, Mendonça Furtado, Hamilton

Silva e Presidente Vargas. Centenas de devotos se espremiam segurando a corda que conduzia a Berlinda da Imagem Peregrina de Nossa Senhora à Catedral de Macapá. O Círio terminou com a benção do Bispo de Macapá, Dom Pedro José Conti. A imagem de Nossa Senhora e sua berlinda no Círio de Macapá

A chegada do Círio à Catedral de Macapá

00

100

5

95

5

75

5

Padre Aldenor abençoa os fiéis com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré

25

5

77

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

00

5

CÍRIOS | BRASIL | RONDÔNIA Dom Moacir Grechi e os sacerdotes durante a Instalação da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré e posse do pároco e o vigário paroquial

O Círio chegando na Igreja N. S. de Nazaré em Porto Velho

5

0

Círio em

Porto Velho-RO E

m P o r t o Ve l h o , a trasladação (na véspera do CIRIO), sai da Catedral do Sagrado Coração de Jesus, à Rua Dom Pedro II, após a missa das 19 horas, para a Igreja de Nossa Senhora das Graças. Daí, no domingo às 7 horas, tem início a procissão do Círio de Nossa Senhora de Nazaré em direção ao Santuário. Nos dias que antecedem o Círio são feitas novenas e peregrinações com a imagem da Santa, por todas as comunidades que formam a Paróquia de Nossa Senhora de

Nazaré e no dia do Círio é feito um grande arraial, com vendas de bebidas e comidas típicas regionais. Recentemente, devido o grande trabalho realizado pela Comunidade, Dom Moacir Grechi instalou a Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, que há vários anos havia sido criada. Os padres dehonianos Leonardo Hellmann e Renato Rohr, assumiram a paróquia Nossa Senhora de Nazaré, em Porto Velho. Nossa Senhora de Nazaré é a Padroeira de Rondônia. A imagem de Nossa Senhora de Nazaré em seu andor, em Porto Velho

5

5

25

100

95

75

Os padres dehonianos Leonardo Hellmann e Renato Rohr, assumiram a paróquia Nossa Senhora de Nazaré, em Porto Velho

25

5

78

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

5

Círio em

CÍRIOS | MUNDO | ESPANHA

Cabra–Espanha Subida de la Virgen de la Sierra-Romería del Costalero

A

cada 04 de setembro a cidade de Cabra – Cordoba, na Espanha, se veste de gala para receber sua Patrona, Nuestra Señora María Santísima de la Sierra. É um espetáculo essencialmente religioso e festivo, iniciando com a Baixa da Imagem no dia 04 de setembro e terminando com O Cartaz de Cabra

25

5

0

a grande Festa da Natividade de Maria e com a Subida da Imagem, no dia 08 de setembro. Em Cabra são várias as Romarias em homenagem e louvor à sua Patrona: Nuestra Señora María Santísima de la Sierra. As principais são da Candelaria, del Costalero, a Baixa e a Subida da Imagem ao seu Santuário. Durante a Baixa da Imagem

Na Subida ao Santuário Em Candelaria, uma das Igrejas visitadas

Durante a procissão de 8 de setembro

Durante uma das Romarias

Em uma das paradas

Durante a Subida da Virgem de la Sierra

00

100

5

95

5

75

Na saída da Virgem do Santuário

5

25

5

79

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | MUNDO | PORTUGAL

5

25

5

Círio em Nazaré

Portugal

0

Festas em Honra de Nossa Senhora da Nazaré

Fotos: Luiz Geraldo de Araújo

Frente ao Bico da Memória, no início da Bênção ao Mar. Vista geral do Largo, e o Santuário de Nossa Senhora da Nazaré

00

100

5

95

5

75

5

25

5

80

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

5

5

5

100

E

ntre os dias 30 de Agosto e 13 de Setembro, a Nazaré homenageou a padroeira da Vila e realizou uma vez mais as Festas em Honra de Nossa Senhora da Nazaré. Este ano, destacaram-se as manifestações religiosas do dia 8 de Setembro, Solenidade de Nossa Senhora da Nazaré, com a habitual Eucaristia Solene, campal, presidida pelo Sr. Padre João Sobreiro, Vigário Paroquial do Bombarral, seguindo-se Procissão e Bênção ao Mar. Ainda neste dia foi inaugurada uma Exposição, intitulada “Touradas da Nazaré em Cartaz: Um Percurso pelo Arquivo Histórico” no Salão do Teatro Chaby Pinheiro, numa organizaçãoconjuntada Confraria de Nossa Senhora da Nazaré e MuseuDr.JoaquimManso.

Dia 12 de Setembro, entrada solene dos Círios das Paróquias de Olhalvo, Cadriceira e Penela. IX Festival Nacional de Folclore em Honra de Nossa Senhora da Nazaré, numa organização do Grupo Etnográfico Danças e Cantares da Nazaré. A par do Programa Religioso, o “Nazaré em Festa”, no Parque Atlântico, espaço

festivo por excelência, apresentou um conjunto de actividades lúdicas, diversões, exposições temáticas, stands de representação institucional, pavilhão de novas tecnologias da informação com acesso gratuito à Internet, ateliers de ocupação de tempos livres e outros espaços de animação. Esteve disponível ainda neste espaço, as áreas de doçaria e restauração. Depois dos espectáculos nocturnos, as noites foram abrilhantadas com espectáculos de fogo de artifício, nos dias 7 e 12 de Setembro. As seculares Festas Taurinas, desde sempre associadas ao culto de N.ª Sr.ª da Nazaré não faltaram, completando assim o programa desta festa.

95

75

25

5

0

Missa Campal do Festival de Folclore em Honra de Nossa Senhora da Nazaré

Membros da Mesa Administrativa da Confraria de Nª Sr.ª da Nazaré levam andor com a Senhora da Nazaré

Final da Missa Campal e início da procissão – 8 de Setembro Frente ao altar-mor do Santuário de Nossa Senhora da Nazaré, o concerto no dia 8 de Setembro, Dia de Nossa Senhora da Nazaré

00

100

5

95

5

75

5

IX Festival de Folclore em Honra de Nossa Senhora da Nazaré

25

5

81

Revista Círios de Nazaré | 2010

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | MUNDO | FRANÇA

5

00

5

25

Pelas ruas de Caiena...

O andor/berlinda da Santa bem decorado com bonitas flores

5

0

Como tradicional a corda também no Círio de Cayenne

Círio em

Cayenne

Dom Emmanuel Lafont, Bispo de Cayenne e Pe. Elie Lagrille

França

A

Fotos: Henri Griffit

celebração do Círio de Nazaré já é tradição da comunidade na Guiana. Como preparação ao Círio de Cayenne foi realizada Novenas, em casas e bairros diferentes, a ultima noite foi em Kourou. No Círio, com o andor da Santa decorado com bonitas flores, centenas de fiéis assistiram e participaram da procissão que saiu da capela de Saint-Martin de Porres, no bairro da Matinha, em Emoção e fervor em Cayenne

direção à catedral de Cayenne, rezando, cantando hinos marianos e fazendo seus pedidos e desejos à Nossa Senhora de Nazaré. Após a missa e a benção final, a reunião foi na igreja de Balata, perto do Joca pai, para compartilhar alguns momentos de felicidade e paz em um lanche. Assim foi comemorado mis um Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Cayenne. Na catedral de Cayenne

100

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Círios de Nazaré 2010  
Círios de Nazaré 2010  
Advertisement