Page 1


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

5

5

5

16

Ed itora Círios

PUBLICAÇÃO Editora Círios SS LTDA ISSN 1677-7158 CNPJ 03.890.275/0001-36 Rua Timbiras, 1572-A Fone: (91) 3083-0973 Fone/Fax: (91) 3223-0799 Cel: (91) 9985-7000 www.cirios.com.br E-mail: cirios@cirios.com.br CEP: 66033-800 Belém-Pará-Brasil DIRETOR, PRODUTOR E EDITOR Ronaldo Gilberto Hühn COMERCIAL Alberto Rocha Rodrigo B. Hühn DISTRIBUIÇÃO E VENDAS Rodrigo B. Hühn REDAÇÃO Adriana Pinheiro Leal Celso Freire Constante Aparecido de Oliveira Evanildo Barros; Francisco Artur Pinheiro Alves Glória Gama da Silva Paula Machado FOTOGRAFIAS Ana Carolina P. Vaz; Antonio Carlos Sales da Silva ; Artur Alex Loureiro Araújo; Arquimimo de Oliveira Cardoso Junior; Artur Pinheiro; Carlos Moioli; Carlos Sodre/Ag.Pá; Caroline de Lima Pinto; Celestino França Gonçalves; Constante Aparecido de Oliveira; David Alves/Ag.Pá; David Bravo; Deborah Marques Lago; Eliseu Dias/Ag.Pá; Evanildo Barros; Everton Cassiano; Fernando Felipe Gomes de Araújo; Genildo Oliveira Mota; Gil Einsfeld Botelho do Rego; Glauce Rodrigues Andrade; Gustavo de Oliveira; Henry Griffet; Igor Mota Magno; Inácio Beirão; Iracema de Souza Alcantara; Ivete Pinheiro Santo; Jayme R. M. Lavareda; Joanaldo Silva; Jeziel Rodrigues; Jorge Antonio Barbosa Santos; Joyce Almeida; Lorena Wanzeler; Lucio Mauro; Lucivaldo Sena/Ag.Pá; Marcelo Augusto Seabra Amador; Marcio Santos Matos; Marcos Cesar Moura Ribeiro; Marcos Gonçalves; Maria Raquel dos Santos da Cruz; Paula Machado; Paulo Nery Junior; Ray Nonato; Regina Cordeiro; Rodrigo Hühn; Rosa Kamada; Tamara Saré/Ag.pá; Shamara Fragoso. PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Editora Círios S.S LTDA NOSSA CAPA

00

5

5

5

Foto de Fernando Araujo, em montagem com a imagem original de Nossa Senhora de Nazaré no Glória

ANATEC ASSOCIAÇÃO DE PUBLICAÇÕES

Sumário 05 06 07 12 25 26 29 40 45 46 48 60 62 66 71 72 74 76 78 79 80 81 82 84 90

100

95

75

25

A Mensagem e a Benção do Sumo Pontífice 5

Calendário Círio 2009

0

Círio Para Viver! O Círio de Nazaré em Belém Abertura oficial do Círio Romaria Fluvial Trasladação Arraial do Pavulagem homenageia sua Padroeira Recírio Círio das Crianças O VII Concurso Imagens de Círios Visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré ao Rio de Janeiro Círios do Rio de Janeiro: Copacabana/Saquarema/Tijuca Círios de São Paulo: Osasco/Sumaré/Vila Carioca/ Nazaré Paulista/Santos Círio em Brasília - DF Círio em Morro Vermelho - MG Círio em Manaus - AM Círios de Ceará: Capistrano e Fortaleza Círio em Porto Velho - RO Círio em São Luiz - MA 100

Círio em Rio Branco - AC Círio em Macapá -AP

95

75

Em Cayenne - França 25

Nazaré - Portugal 5

Nossa Señora Maria Santíssima de la Sierra

0


00

5

5

5

100

S umo Pontífice AMensagemeaBençãodo

95

75

25

5

0

C

omprazendo-me nos afirmados sentimentos de comunhão eclesial e de entrega sem reservas à causa da nova evangelização, peço aos devotos que, no regresso à própria terra e vida diária, sejam testemunhas de quanto aí viram e ouviram. No fiel desempenho dos seus deveres; de estado, sejam fermento evangélico e luz de Deus na cidade dos homens. O Céu e a terra têm necessidade de novas e corajosas testemunhas de JesusCristo! Pela intercessão de Nossa Senhora de Nazaré, invoco as maiores graças do céu para urna fidelidade sempre renovada à missão que a cada um foi confiada na terra e concedo-lhes minha BênçãoApostólica.”

Benedictus PP XVI

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


Calendário Círio 2009

00

5

DIA

HORA

03/10

08:30

Reunião Colégios/Carros Círio

05/10

20:00

Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais.

Teatro da Paz

06/10

19:00

Abertura Oficial do Círio 2009 *Com a presença da Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais.

Salão de Festa da Basílica Santuário

07/10

14:00

Abertura da Vigília de Oração

07/10

18:00

Apresentação do Manto

Basílica Santuário

08/10

19:30

Transportes dos Carros - CDP

Basílica Santuário / CDP

08/10

20:00

Um Canto para Maria (Concerto Mariano), com a cantora lírica Patrícia Oliveira

Basílica Santuário

09/10

08:30

Encerramento da Vigília de Oração

Auditório D. Zico

09/10

09:00

Traslado Ananindeua / Marituba

Basílica Santuário

10/10

05:30

Romaria Rodoviária

Ananindeua

10/10

09:00

Romaria Fluvial

Icoaraci

10/10

11:30

Romaria dos Motoqueiros

Pça. Pedro Teixeira

10/10

12:30

Descida da Imagem

Basílica Santuário

10/10

16:30

Missa da Trasladação

Colégio Gentil

10/10

18:00

Trasladação

Colégio Gentil

11/10

05:00

Missa do Círio

Catedral da Sé

11/10

07:00

Círio

Catedral da Sé

11 à 25

21:30

Programação Cultural/Círio Musical

Concha Acústica

12 à 24

05:30

Terço da Alvorada

Basílica Santuário

12/10

19:00

Noite dos Eleitos

Salão de Festa da Basílica Santuário

13 à 24

19:00

Noitários

Salão de Festa da Basílica Santuário

17/10

08:00

Romaria dos Ciclistas

Pça Santuário

17/10

17:00

Romaria da Juventude

A definir

18/10

07:30

Romaria das Crianças

Pça. Santuário

25/10

08:00

Procissão da Festa

Pça. Santuário

25/10

20:00

Missa de Encerramento

Pça. Santuário

25/10

21:00

Encerramento do Círio 2009

Salão de Festa da Basílica Santuário

25/10

23:00

Espetáculo Pirotécnico

Pça. Santuário

26/10

05:30

Subida da Imagem

Basílica Santuário

26/10

06:00

Missa do Recírio

Pça. Santuário

26/10

06:00

Incineração Simbólica das Súplicas

Pça. Santuário

26/10

06:00

Recírio

Pça. Santuário/Gentil

EVENTO

5

5

LOCAL

Centro Social Nazaré

100

95

75

25

5

Auditório D. Zico 0

00

5

100

95

5

75

5

25

5

06

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

5

5

5

100

Círio

P

95

75

Para Viver!

ela primeira vez escrevo para a Revista Círios não sendo mais o titular da sede da Arquidiocese de Belém. Mas sinto-me muito responsável pelo Círio e por tudo o que ocorre em Belém sempre, e em especial nestes dias de outubro. Afinal, nós nos tornamos responsáveis para sempre por aqueles que amamos. Tenho certeza de que o novo Arcebispo de Belém receberá esse belo dom e presente, que é o povo de Belém do Pará com sua fé e cultura alicerçadas na vida católica, visibilizada de maneira especial no Círio de Nazaré. Belém muda em outubro: não é o tempo de chuva ou de calor, mas sim o tempo do Círio, é a primavera paraense! São os corações dos filhos que veem na representação da querida mãe um sinal e um chamado para acolher o filho Jesus Cristo que Ela traz nos seus braços. Afinal, foi em Maria que o Verbo, a Palavra se fez carne. Sejam bem-vindos todos os que se tornam peregrinos nestes dias, saindo de diversos cantos do país e do exterior e por diversas formas de transporte! Agora temos a “Casa de Plácido”, que é um local de acolhimento dos romeiros, principalmente daqueles que chegam a Belém a pé. É um local de descanso e acolhida com carinho para esses irmãos de longe. Para recordar um pouco da história, resumidamente podemos dizer: a devoção a Nossa Senhora de Nazaré teve início em Portugal. A imagem da Virgem pertencia ao Mosteiro de Caulina, na Espanha, e teria saído da cidade de Nazaré, em Israel, no ano de 361. Em decorrência de uma batalha, a imagem foi levada para Portugal, onde, por muito tempo, ficou escondida no Pico de São Bartolomeu. Só em 1119, a imagem foi encontrada. A notícia se espalhou e muita gente começou a venerá-la. No Pará, foi o caboclo Plácido José de Souza quem encontrou, em 1700, às margens do igarapé Murutucu (onde hoje se encontra a Basílica Santuário), uma pequena imagem da Senhora de Nazaré.

25

5

0

No local do achado, Plácido construiu uma pequena capela. A Santa Sé Apostólica, em 1792, autorizou a realização de uma procissão em homenagem à Virgem de Nazaré, em Belém do Pará. Organizado pelo presidente da Província do Pará, capitão-mor Dom Francisco de Souza Coutinho, o primeiro Círio foi realizado no dia 8 de setembro de 1793. No início não havia data fixa para o Círio, que poderia ocorrer nos meses de setembro, outubro ou novembro. Mas, a partir de 1901, por determinação de nosso predecessor na Sé de Belém, o Senhor Bispo Dom Francisco do Rêgo Maia, a procissão passou a ser realizada sempre no segundo domingo de outubro. Tradicionalmente, a imagem é levada da Catedral de Belém à Basílica Santuário. E o que é o Círio de Nazaré? A etimologia da palavra "Círio" tem origem na palavra latina “cereus” (de cera), que significa vela grande de cera. O Círio, celebrado em Belém do Pará há mais de dois séculos, é uma das maiores e mais belas procissões católicas do Brasil e do mundo. Reúne, anualmente, sempre no segundo domingo de outubro, mais de dois milhões de romeiros numa caminhada de fé pelas ruas da capital do Estado. É um grandioso espetáculo em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré, a mãe de Jesus. Olhe, sinta, ore, peça, chore, alegre-se e você concluirá que apenas a história não pode explicar o fenômeno do Círio de Nazaré que você, peregrino, verá com os seus olhos: é um sinal de Deus na história de um povo, dizendo o quanto o ama e que através da mãe, Maria, quer conduzir todos para o encontro com Jesus Cristo, nosso Senhor. Você retornará para sua casa diferente e com mais fervor pela experiência que aqui terá. Boas vindas, feliz Círio e uma bênção especial.

D. Orani João Tempesta, O. Cist.

9º Arcebispo de Belém do Pará Arcebispo Diocesano de São Sebastião do Rio de Janeiro

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

07

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

5

5

5

00

5

5

5

Círio de

100

95

Nazaré 2009

N

o mês de outubro, em Belém de Pará, os paraenses se unem em torno da fé e o nosso Estado se enche de energia. Nossas esperanças se renovam e ganhamos forças para seguir em frente, em busca de dias melhores. Neste momento de celebração, nesta grande festa da cultura e da religiosidade popular dos paraenses, eu quero levar a todos os paraenses a minha mensagem de paz e fraternidade. Quero reafirmar meu compromisso com o trabalho e manifestar a minha imensa alegria em devolver

75

25

5

aos paraenses a Catedral Metropolitana de Belém.

0

Depois de um primoroso trabalho de restauração, a nossa Igreja da Sé volta a acolher a Virgem de Nazaré e se torna novamente o ponto de partida da maior romaria religiosa do Brasil. Um feliz Círio a todas as famílias paraenses e aos milhares de visitantes que participam conosco desta festa de fé e comunhão.

Ana Júlia Vasconcelos Carepa Governadora do Estado do Pará

Círio de Nazaré

Q

uando chega outubro nosso coração apresenta um ritmo indescritível, pois, este mês e o mês do Círio de Nossa Senhora de Nazaré. É uma alegria incontida, incomensurável. Tudo se move em torno do grande dia. É uma grande romaria de gente chegando à cidade: sejam bem vindos romeiros à Belém do Pará como os pastores que foram à Belém de Judá para ver o que estava acontecendo por lá. Tudo ao nosso redor muda. A cidade de Belém se transforma. Há um burburinho no ar. Um ambiente que só quem é daqui pode perceber. E quem vem de fora acaba se “contaminando”. Todos só falam do Círio: até quem não é católico se preocupa com o que vai acontecer. Nossa Senhora é tão querida porque revela seu amor e seu carinho de mãe de todos. O filhinho que ela carrega nos braços representa cada um de nós, com todas as nossas dificuldades no viver. Seu colo é uma manjedoura quente e segura, ela é forte e nos sustenta. Maria é a amada de Deus - amada por todos nós. Por isso quando ela passa ninguém fica indiferente, ela é a alma da gente. A alma de um povo, povo do norte, da Amazônia com todo o seu potencial de progresso, mas ainda com tantos sofrimentos para a maioria de nossa gente. Maria, no seu cuidado por todos, olha com carinho especial o povo que mais

sofre, por isso ela é a imagem de um povo que canta as maravilhas de seu Deus e que espera na realização das promessas de um mundo de mudanças e transformações que tragam benefícios e vida melhor para todos. Ao desejar boas vindas aos nossos romeiros e um Círio abençoado para todos, desejo também que este Círio traga um sentimento de responsabilidade comum de todos nós que vivemos nesta metrópole para podermos alcançar a tão desejada paz e tranqüilidade no nosso viver cotidiano. Que todos irmanados pelas expressões de religiosidade e expressões de fé, possamos dedicar toda nossa vida, nossas vontades, forças, a partir do lugar em que vivemos e daquilo que fazemos para construirmos uma cidade mais humana, mais fraterna, pois nesta cidade de Maria todos somos irmãos e irmãs. Feliz Círio para todos. Mons. Raimundo Possidonio Carrera da Mata Administrador Diocesano de Belém

100

95

75

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

09

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5 VIRG

INI A

o Círio de Nazaré

em Belém

5

75

25

5

0

F o t o s : E l c i m a r N e v e s , E u n i c e P i n t o , D av i d A l v e s , L u c i va l d o S e n a , Ta m a r a S a r é / A g . P a r á , M a r c o s G o ç a l v e s , J e z i e l R o d r i g u e s

A

Grande Procissão do Círio começou com a missa campal assistida por uma multidão de fiéis em frente à Catedral, na Cidade Velha. Muitos deles chegaram ainda de madrugada à Praça Frei Caetano Brandão. A missa campal foi celebrada pelo núncio apostólico dom Lorenzo Baldisseri, representante do papa Bento XVI no Brasil, e concelebrada pelo arcebispo metropolitano de Belém, dom Orani João Tempesta e centenas de sacerdotes, em frente à Catedral Metropolitana de Belém. Na homilia o núncio apostólico falou sobre a importância da fé e do amor por Maria: “É impossível amar a Deus, e chegar até Ele, sem amar sua Mãe, Maria”.

00

100

5

95

5

75

5

25

5

12

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

13

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5 VIRG

INI A

A missa campal frente a Catedral na saída da procissão do Círio de Nossa Senhora de Nazaré 2008

A corda ia ser atrelada 75

5

25

5

0

A imagem de Nossa Senhora de nazaré e o núncio apostólico dom Lonrenzo Baldisserie, na missa em frente à catedral de Belém

O início da procissão do Círio de Nossa Senhora de Nazaré 2008

Por onde passava a Santa era saudada pelos fiéis

Pelas ruas de Belém, um grandioso espetáculo de fé

00

100

5

95

5

75

Promesseiros acompanham a procissão puxando a corda atrelada a berlinda

5

25

5

16

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

A Boulevard Castilhos França repleta de fiÊis

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

A imagem de Nossa Senhora de Nazaré na berlinda estava ornada com oito mil flores amazônicas. O amarelo e o branco das celóseas (crista de galo), orquídeas e angélicas tornavam um conjunto harmonioso e de visual muito bonito. Às 7 horas a berlinda chegou frente ao Ver-o-Peso onde foi realizada a primeira queima de fogos de artifício homenagem dos Peixeiros e Feirantes. O Círio de Nossa Senhora de Nazaré reuniu dois milhões de devotos/peregrinos/romeiros, nos 4,5 quilômetros da Catedral Metropolitana, na Cidade Velha, até a Praça do Santuário, no bairro de Nazaré e durou quase sete horas.

5 VIRG

INI A

5

75

25

5

0

Na curva do Ver-o Peso

A governadora ajuda na distribuição de água aos romeiros

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

Promessas

5

75

5

25

5

0

Solidariedade

A parada frente ao Banco do Brasil

A governadora Ana Julia frente ao Banco do Brasil na Av. Presidente Vargas

00

100

5

95

5

75

5

Entrando na Av. Presidente Vargas

O padre Fabio de Melo participou das homenagens a Nossa senhora de NazarĂŠ

25

5

Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2009

19

0


00

100

5

95

5

75 VIRG

INI A

5

25

5

0

Pedaço da corda a recordação do sacrifício

Durante o percurso muitos foram atendidos pela Cruz Vermelha

No Centro Integrado de Governo – CIG, a governadora, o núncio apostólico e o Pe. Ronaldo

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

5

95

José Ventura, diretor do Círio 2008, retirou a imagem da berlinda e a entregou ao arcebispo metropolitano de Belém, dom Orani Tempesta

75

5

00

5

5

25

5

0

a Chegada A berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré chegou à Praça Santuário às 13h30, foi retirada da berlinda e entregue a dom Orani João Tempesta. Ele agradeceu a devoção dos paraenses ao afirmar “este momento é um dos mais importantes da minha vida e dos devotos de Nossa Senhora”. A imagem foi colocada no nicho do altar central da Praça Santuário, dando início à missa de encerramento, celebrada por dom Flávio Giovenale, bispo da diocese de Abaetetuba. Ao final, a benção aos presentes com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Foi a oportunidade que muitos promesseiros aguardavam para se aproximar da Imagem Peregrina, subirem ao altar e prestaram suas reverências à Virgem Santa.

100

95

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

21

0


00

100

5

Cesar Neves conduz com toda emoção a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré

5 VIRG

INI A

A Missa do Mandato foi celebrada pelo monsenhor Raimundo Possidônio, administrador arquidiocesano

95

75

5

25

5

0

Esse ano a previsão é de serem 5 mil imagens e 5 mil Bíblias nas peregrinações

Missa do Mandato F oto s : E l i se u D i a s / A g Pa e M a r c o s G on ç a lv e s

A

celebração da "Missa do Mandato" dá início às peregrinações das imagens/réplicas da Virgem de Nazaré aos lares paraenses. Centenas de devotos também levam suas imagens de Nossa Senhora para serem abençoadas. É a oportunidade da entrega oficial das imagens aos dirigentes de peregrinações e responsáveis por levar a palavra do evangelho aos lares visitados por todos os bairros da capital. ParaJoséVentura, diretor de Evangelização da Diretoria da Festividade, “É um grande mar de orações”. Este ano, a previsão é que pelo menos 100 mil residências e/ou empresas e outras instituições das 57 paróquias da Arquidiocese de Belém, sejam visitadas pelas imagens peregrinas. As visitas devem atingir um público de mais ou

menos, um e meio milhões de pessoas. Esse ano a previsão é de serem 5 mil imagens e 5 mil Bíblias nas peregrinações emmomentos depreparaçãoedeevangelização. A "Missa do Mandato" foi celebrada pelo monsenhor Raimundo Possidônio, administrador arquidiocesano que responde pela Arquidiocese de Belém até a designação do substituto de DomOrani. Durante a celebração, o monsenhor lembrou que o 217° Círio de Nossa Senhora de Nazaré que será realizado este ano traz como tema "A Palavra de Deus". Por isso, "A Bíblia precisa estar no meio do povo de Deus, para ajudar a compreender melhor essa palavra e o seu significado em nossas vidas. Durante as peregrinações “cada fiel será responsável em levar a palavra de Deus, através da Bíblia, para o cotidiano da vida das pessoas”.

00

100

5

95

5

75

5

25

5

30

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

Vigília de Adoração

25

5

0

48 horas de cânticos e orações, em preparação para as 11 romarias Dezenas de grupos, movimentos, serviços e pastorais de várias Paróquias da Arquidiocese de Belém reúnem-se e revezam-se por 48 horas de Adoração ao Santíssimo Sacramento da Eucaristia no Auditório “Dom Vicente Joaquim Zico”, no Centro Social de Nazaré, até antes do inícioTraslado paraAnanindeua. É a Vigília de Adoração, onde, com uma escala de orações, a cada duas horas, um grupo de no mínimo 50 pessoas se reveza em Adoração ao Santíssimo Sacramento. São cerca de 140 grupos que seguem emAdoração e oração, dia e noite por 48 horas. “É um momento muito importante de preparação, louvor e adoração”.

Descida do Glória F o t o s : Ta m a r a S a r é / A g . P a r á

Um coro formado por três mil vozes, entoando o hino "Lírio Mimoso", de Nossa Senhora de Nazaré, marcou a descida da imagem da padroeira dos paraenses, do Glória para um andor no altar do Santuário de Nazaré, onde a imagem de Nossa Senhora de Nazaré ficará durante todos os 15 dias da festividade doCírio. Dom Orani JoãoTempesta, presidiu a cerimônia e recordou

Momento muito importante de preparação, louvor e adoração No início da Vigília

Fiéis se revezam em Adoração ao Santíssimo Sacramento

Dom Orani JoãoTempesta, presidiu a cerimônia e recordou que “há 308 anos o caboclo Plácido colocou a imagem da Santa aqui (Basílica) e é onde hoje celebramos a fé” Após abençoou os presentes com a imagem original, para deleite apaixonado de seus fiéis. Dom Lorenzo Baldisseri, núncio apostólico e representante do Papa Bento XVI no Brasil, foi quem colocou a imagem de Nossa Senhora de Nazaré no andor. “Maria é uma festa da humanidade”, ressaltou. O arcebispo emérito de Belém, domVicente Zico, foi muito aplaudido quando deu a benção final. “Por Nossa Senhora, peço a Jesus que nos dê todas as bênçãos dos céus“, pediu D.Zico. A governadora Ana Júlia Carepa participou do evento (emocionadíssima) ao lado dos que assistiam à cerimônia. Dom Lorenzo Baldisseri com nossa Padroeira

00

100

5

95

5

75

5

Dom Orani João Tempesta com a imagem original de Nossa Senhora de Nazaré

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

23

0


00

100

5

95

5

75 VIRG

INI A

Tinha iniciado o traslado da imagem até Ananindeua

O Traslado

5

25

5

0

11 romarias em homenagem à Virgem de Nazaré F o t o s : Ta m a r a S a r é / A g . P a r á e M a r c o s G o n ç a l v e s

A

Inicia logo após a Vigilia de Adoração. A primeira e mais longa faz o traslado da imagem até Ananindeua, na Região Metropolitana A Magalhães Barata estava repleta de Belém, daí a imagem segue pela Magalhães Barata até à Avenida Almirante Barroso, o principal corredor de entrada e saída da capital, em direção à Igreja matriz de Ananindeua, dedicada a NossaSenhora dasGraças. Nos 55 km da procissão, a imagem é conduzida em carro aberto da Polícia Rodoviária Federal em berlinda decorada com flores multicoloridas. Durante todo o trajeto é saudada com chuvas de papel picado, pétalas de rosas, fogos de artifício, cânticos e orações, entre outras homenagens. Entre elas, a dos servidores da Escola de Governo do Pará (EGPA), uma rápida queima de fogos marcando a passagem da virgem pela frente do prédio histórico onde durante muitos anos funcionou o antigo asilo D. Macedo Costa que foi decorado com flores e balões nas cores brancas e amarelas.Ao longo de todo o trajeto a imagem daVirgem de Nazaré foi acompanhada por romeiros de carro, a pé ou de bicicleta. O percurso iniciado frente à Basílica Santuário, passa pelas avenidas Nazaré, Magalhães Barata, Almirante Barroso e BR-316. Depois, segue pelos bairrosCidade Nova e Paar, em Na Av. Almirante Barroso

Ananindeua. Passando pelo Icuí. Logo após, a imagem segue para Marituba e retorna até chegar a Igreja de Nossa Senhora das Graças, em Ananindeua. Lá, a imagem fica em um palanque armado em frente à Igreja Matriz, onde passa a noite em vigília. Na manhã de sábado, às 5h30 da manhã, após a missa celebrada peloarcebispodeBelém,DomOraniTempestaaimagemfoi levada pelos devotos na RomariaRodoviária para Icoaraci onde ocorreu a celebração da missa pelo arcebispo emérito, domVicenteZico. O núncio apostólico D. Lorenzo Baldisseri, saudou os fiéis e disse que sua presença em Belém representava a participação do Papa noCírio. "O Círio é um momento em que fica clara a igualdade entre todos e o espírito de solidariedade que deve prevalecer. Nossa Senhora Chegando ao Município tem esse poder de revelar de Ananindeua que todos temos direito de sermos felizes", disse a governadora.

Ao longo do trajeto as reverências à Padroeira

00

100

5

95

5

75

5

25

5

24

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Durante a inauguração da revitalização O arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Orani Tempesta, Hildegardo Nunes, diretor-superintendente do SEBRAE – PA, e o vice-governador Odair Santos Corrêa durante a inauguração da Feira no Arraial do Círio de Nazaré

Abertura Oficial do

Círio A

solenidade, dividida em várias etapas, iniciou uma celebração especial presidida pelo arcebispo metropolitano de Belém, Dom Orani João Tempesta, teve a presença do vice-governador Odair Correa, prefeito Dulciomar Costa, autoridades das Forças Armadas, e muitos convidados. Primeiro foi a abertura da Feira do Círio, ao lado do Santuário, na Rua Dom Alberto Ramos, promovida pelo SEBRAE com exposição de trabalhos de mais de 200 artesãos. Em seguida a inauguração e

F oto s : E l i se u D i a s / A g Pa e M a r c o s G on ç a lv e s

iluminação dos Arcos de Nazaré. Concomitante a inauguração das luzes da Basílica Santuário. Tudo isso ao som da Banda de Musica da Marinha e sob fogos de artifício. Daí todos se deslocaram ao salão de festas onde diversas personalidades e patrocinadores receberam diplomas e broches com a imagem estilizada da Santinha. Também foram entregues os prêmios aos vencedores do Concurso de Redação. O Círio estava começando oficialmente. A governadora não compareceu por estar recém operada. A mesa oficial que presidiu a solenidade

O salão de festas estava repleto

00

100

5

95

5

75

5

A celebração especial presidida pelo arcebispo metropolitano de Belém

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

25

0


00

100

5

95

No Garnier Sampaio da Marinha do Brasil

5

75 VIRG

INI A

Romaria Fluvial

5

25

5

0

F o t o s : D av i d A l v e s / A g P a , E q . C í r i o s

É o transporte pelas águas da Baía deGuajará da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, do trapiche de Icoaraci à Belém pelo Navio Hidroceanográfico “Garnier Sampaio”, da Marinha, seguida por cerca de 200 embarcações de diversos portes no percurso de 10 milhas náuticas, corresponde a 18,5 Km, até à Escadinha doCais do Porto.

A emoção de dom Lorenzo Baldisseri “A fé de toda essa multidão e sua devoção à Maria, a Mãe de Deus, são exemplos que emocionam a todos nós. É uma felicidade estar aqui em Belém”, declarou o núncio apostólico. No louvor a bordo doGarnierSampaio, domOrani ressaltou o momento festivo que a cidade de Belém vive. “Precisamos seguir os exemplos de Jesus e de Maria, e levar o amor e a paz não apenas nesse momento festivo, de homenagens, mas emtodasasnossasaçõesjuntoaosnossosirmãos”,disse. Acompanhando a romaria fluvial pela primeira vez no mesmo navio da Santa, a governadora Ana Júlia Carepa disse que a emoção é muito maior do que olhar a imagem à distância. “É outra emoção. Esse ano eu vi a imagem de perto no Círio dos Servidores, mas aqui, no meio das águas, é impossível não se emocionarcomessaproximidade”,afirmou. A Romaria Fluvial chegou às 11,30 horas na escadinha da Estação das Docas.A comitiva que trazia a imagem de Nossa Senhora foi recebida pelo prefeito de Belém, Duciomar Costa, sob chuva de pétalas de rosas. Em seguida ele comandou as honras de Estado, conforme Lei Estadual 4.371, de 15 de dezembro de 1971, por um grupamento de Cadetes daPolíciaMilitar,emhomenagemàVirgemdeNazaré.

Na chegada, honras de Chefe de Estado, conforme Lei Estadual 4.371, de 15 de dezembro de 1971, por um grupamento de Cadetes da Polícia Militar

00

100

5

95

5

75

Dom Orani João Tempesta, arcebispo de Belém, o representante do Papa no Brasil, núncio apostólico Lorenzo Baldisseri, a governadora do Estado Ana Júlia Carepa e o secretário de Estado de Cultura, Edílson Moura, na Romaria Fluvial

5

25

5

26

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

O núncio apostólico Lorenzo Baldisseri lendo a Mensagem do Papa

5 VIRG

75

INI A

Trasladação

5

25

5

0

F o t o s : E l i s e u D i a s , L u c i va l d o S e n a e D av i d A lv e s / A g Pa e J e sie l R od r i g u e s

Começou com uma missa em frente às escadarias do Colégio Gentil Bittencout, celebrada pelo Núncio Apostólico e representante do Papa Bento XVI, no Brasil e concelebrada por vários sacerdotes visitantes e da arquidiocese. No início da missa o arcebispo D. Orani João, leu uma Mensagem e a Benção enviada pelo papa Bento XVI aos participantes doCírio. Na homilia, Dom Lorenzo Baldisseri falou sobre aborto a eutanásia e a possibilidade do Congresso vir a autorizar o aborto e a eutanásia. O núncio recriminou terminologias que escamoteiam a verdade cristã, como interrupção da gravidez ou explicações como a garantia de uma morte serena para quem sofre. Devemos chamar as coisas com

Fiéis durante a missa campal que antecede a romaria da trasladação, em frente ao colégio Gentil

Logo após a saída do colégio Gentil Bittencourt

00

100

5

95

5

75

5

25

5

28

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

5

5

95

seus verdadeiros nomes. Ai dos que, ao mal chamarem bem. Nós devemos continuar defendendo a sociabilidade da vida humana, independente da idade. O núncio disse ser surpreendente que a devoção a Nossa Senhora de Nazaré seja tão antiga no Pará e creditou essa característica aos séculos de evangelização e a uma profecia evangélica de que todas as gerações chamarão Maria de bem aventurada. Cerca de um milhão e cem mil pessoas acompanharam a Trasladação até a Igreja da Sé, na Cidade Velha. É o inverso do percurso do Círio. Milhares de velas brancas, acesas em castiçais de plástico, deram mais brilho à procissão, transformando o percurso sob as mangueiras em um túnel iluminado. A procissão da Trasladação durou quase sete horas...

Berlinda durante a procissão de trasladação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré à Sé Catedral

75

25

5

Fiéis e a estação da corda na trasladação 0

A governadora Ana Júlia Carepa agradece à Santinha

Queima de fogos, em frente ao prédio do Banco Central, na trasladação

A berlinda com a imagem da Padroeira frente ao Seu Santuário

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

29

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

A corda, a Estação e a Guarda da Santa

O sacrifício

Na Presidente Vargas

A Corda 7.400 homens e mulheres em perfeita harmonia e sintonia, demonstram sua devoção e amor a Nossa Senhora de Nazaré, segurando os 400m de sisal retorcido de 2 polegadas de diâmetro e 500 quilos, da corda – um dos principais símbolos do Círio. Une sacrifício, fé e devoção em Nossa Senhora de Nazaré. Em frente ao prédio da Alfândega, no início da Estação das Docas, por volta das 7h20, a corda foi atrelada à berlinda. Este é considerado um dos momentos mais importantes da procissão. Em frente ao Colégio Santa Catarina começou o desatrelamento da corda. Uma a uma das cinco estruturas de alumínio chamadas estações, foram se desatrelando e a corda recortada em pedaços os mais diversos.

A corda na trasladação

00

100

5

95

5

75

No sufoco

5

25

5

30

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

Os Promesseiros

25

5

0

Diante das graças alcançadas pela interseção de Nossa Senhora de Nazaré, o sacrifício nunca é nem será demais – o sonho da casa própria, a cura de uma doença, ingressar na universidade e o emprego conseguido – são alguns dos muitos motivos que fazem os promesseiros agradecerem os milagres da Santa Padroeira da Amazônia. Muitos exageram e extrapolam os limites do corpo para pagarem suas promessas. Tudo vale em nome da fé. Há de se vencer a dor, o calor, o cansaço e o mal estar, para que a promessa possa ser cumprida. De joelhos, carregando cruzes, miniatura de barcos, de outros objetos, objetos de cera, vestidas de anjo, de mortalha, e de outras maneiras inusitadas, os promesseiros pagavam suas promessas e expressavam gratidão pelas graças alcançadas ou por aquelas que ainda esperam alcançar com a ajuda e intercessão de Nossa Senhora de Nazaré.

Expressando gratidão

Carro de Promessas homenageando D. Fuas Roupinho

Carro de Promessas

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

31

0


00

100

5

95

5 VIRG

INI A

Anjos barrocos e o lançamento de mais de meio milhão de pétalas de rosas nas cores branca e amarela, homenagearam Virgem no Banco da Amazônia

5

75

25

5

0

Frente ao Banco da Amazônia

As homenagens

Frente à Caixa

00

5

5

5

Frente ao Ver-o-Peso, seus feirantes e trabalhadores, homenageiam Nossa Senhora de Nazaré com estrondosa queima de fogos. Frente a antiga sede da Folha do Norte, hoje O Liberal, o toque estridente de sirene e chuva de papel picado. O Sindicato dos Arrumadores faz a queima de fogos em louvor a Nossa Senhora, no final da Boulevard Castilhos, início da avenida Presidente Vargas, em frente à Companhia Docas do Pará. O pipocar ensurdecedor dos foguetes é uma homenagem tradicional de todos os funcionários do porto que contribuem desde o início de cada ano para o evento. É um dos momentos mais aguardados pelos romeiros. Já na Presidente Vargas, o Banco do Brasil homenageou a

100

95

75

25

5

32

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

No Clube de Engenharia

Homenagem da ALEPA

5

75

5

25

5

0

No Hilton

Santinha com o belo cantar do padre Fabio de Melo e uma chuva de pétalas de rosas. A governadora Ana Julia estava na frente ao Banco do Brasil prestando sua homenagem a Senhora de Nazaré. No Banco do Estado do Pará (Banpará) ao passar da Berlinda com nossa Padroeira, um coral infantil e a cantora Jeane Darwich interpretando canções religiosas. Houve ainda chuva de papel colorido e picado. A Y.Yamada e uma de suas tradicionais homenagens

No Banco da Amazônia, decorado em estilo barroco, o cantor Elymar Santos, e os paraenses Daniel Araújo, Licinha, Suelene e Edgar Matos empolgaram e comoveram o público juntamente com o lançamento de mais de meio milhão de pétalas de rosas nas cores branca e amarela, homenageando aVirgem. A Caixa Econômica estava decorada com símbolos do Círio em Miriti.

No Crowne

No BB

A homenagem do Curro Velho

Homenagem dos cadeirantes Nossa Governadora em oração

Na AP Nossa Governadora agradecendo à Santinha

Um beijo na filha, um beijo pra Santa

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

33

0


00

100

5

95

5

75 VIRG

INI A

A Cruz Vermelha

5

25

5

0

Eram 11 mil voluntários e 17 postos de atendimento, a disposição dos romeiros durante a procissão do Círio, a maioria deles de jovens entre 15 e 18 anos preparados em aulas práticas e teóricas. A maioria dos atendimentos foram por desmaios provocados pela falta de alimentação adequada e pelo calor excessivo. Foram também registrados casos de edema de glote, parada cardiorrespiratória, fraturas e convulsões. Com o apoio do Juizado da Infância e da Juventude, a Cruz Vermelha, também ajudou 57 crianças perdidas a reencontrarem seus pais. Um helicóptero do Corpo de Bombeiros, uma lancha e uma balsa ficavam de sobreaviso para qualquer emergência. Foram 2.446 atendimentos durante toda a procissão.

Na Praça Santuário Após a chuvarada vesperal os fiéis retornaram à Praça Santuário para a primeira missa noturna, celebrada por domVicenteZico, que começou com uma saudação à Mãe e Rainha da Amazônia Nossa Senhora de Nazaré. Os devotos da padroeira lotaram a PraçaSantuário de Nazaré.

Durante a comunhão

00

100

5

95

5

75

5

Dom Vicente Zico na sua pregação

Os devotos da padroeira lotaram a Praça Santuário de Nazaré

25

5

34

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

Em Santo Alexandre, a Encenação: Os mistérios das rodas de Nazaré

5

5

75

25

5

0

Auto do Círio O Auto do Círio começa no largo do Carmo, com cerca de 600 atores integrando o elenco do espetáculo. O tema era: “PorUma Belém de paz. O Auto é essencialmente um cortejo popular, com diversas performances teatrais, de dança e de música: tipo uma Ópera popular a céu aberto, ou um carnaval devoto Todos querem homenagear e louvar a Virgem de Nazaré de uma maneira diversa, diferenciada, sem caráter religioso, cheia de amor e criatividade – alegre e despretensiosa. O Auto contou com a participação especial de Dominguinhos do Estácio e Cacá Carvalho e dos cantores Walter Bandeira, Gabi Amarantos, Carla Gyz eAndréia Pinheiro. A frente do cortejo, aAnunciação, Saudação àVirgem, Anjo Anunciador e a Comissão de Frente com o Porta Estandarte. Se desenvolvendo em Estações: A 1ª, na Sé, a 2ª, frente a Santo Alexandre, a 3ª, no Solar Barão doGuajará. Em frente ao prédio da Assembléia Legislativa do Estado os atores e bailarinos fizeram performances com tochas de fogo. Ao final, a Apoteose, com a Escola deSambaTradiçãoGuamaense. Fafá de Belém, Andréia Pinheiro e Dominguinhos do Estácio deram um show na Apoteose, o publico em deleite, delirava.

Em frente à Assembléia Legislativa atores e bailarinos fizeram performances com tochas de fogo

Dança Acrobática no Tecido

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

A feira de Miriti

25

5

0

Tradicionais brinquedos encantam romeiros e visitantes

Fotos: Eunice Pinto/Ag Pa, Paramais

A Feira do Miriti é realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE, em parceria com a Associação dos Produtores de Brinquedos e Artesanato em Miriti de Abaetetuba – ASAMAB, nos dias antecedentes ao Círio, na praça Waldemar Henrique, com os tradicionais brinquedos feitos da polpa do miritizeiro, reuniu cerca de 120 artesãos nos seus 86 estandes. Cerca de 50 mil pessoas passaram pelo local e o volume de negócios beirou à casa dos R$ 120 mil. Cerca de 30 mil peças, incluindo os modelos mais tradicionais de brinquedos, artesanatos e inovações, estiveram em exposição de acordo com o artesão Amadeu Barbosa, presidente daASAMAB .

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

Feira do Círio

5

0

F oto s : C a r lo s S od r é / A g Pa , Jeziel R odrigues, M ar cos G on ç a lv e s , Pa r a m a i s

Organizada pelo SEBRAE – Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas no Pará faz parte da programação oficial da Festa de Nazaré. A Feira, na alameda Dom Alberto Ramos, em frente ao IAP, tem como principal objetivo promover e valorizar a produção artesanal local. É preparada principalmente para os turistas que chegam à cidade. São mais de 200 artesãos paraenses dos municípios de Belém, Santa Bárbara,Vigia, Abaetetuba e Icoaraci, a expor seus belos e multicoloridos produtos artesanais durante a Feira doCírio. Os produtos em cerâmica, fibras, moda artesanal e variedades, estão organizados em quatro grandes estandes, é sem dúvida, a melhor oportunidade para os artesãos de todo o Estado comercializarem seus produtos.A entrada é franca.

A Feira do Artesanato do SEBRAE foi bastante frequentada

Fazendo na hora

Neuci Berta, de Novo Progresso, participa da feira com seus produtos artesanais

Manoel Soares, participa da feira comercializando seus produtos de miriti

Dom Orani e Odair gostaram do que viram

00

100

5

95

5

75

5

25

5

38

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


100

100

95

95

75

75

25

25

5

5

0

0

100

100

95

95

75

75

25

25

5

5

0

0


00

100

5

95

5

75

Moto Romaria

5

25

5

0

A moto romaria

A berlinda da Moto romaria

Arraial do Pavulagem homenageia sua padroeira Após a chegada da imagem da padroeira dos paraenses e o início da moto romaria da escadinha da Estação das Docas, cerca de mais de 20 mil pessoas deram início acompanhando o Arraial do Pavulagem, no ritmo das danças e músicas de raiz amazônicas, pelo Boulevard Castilho França em direção ao Ver-o-Peso, pelas ruas da Cidade Velha até a Praça do Carmo, onde o palco estava armado para o show do Arraial. Antecedendo o show, em outro verdadeiro espetáculo – o som de cerca de mil roqueroques davam o tom da animação. Esse ano a grande novidade foi o BoiUrube, formado por 66 crianças e jovens do conjunto Satélite que tiveram oficinas de ritmo, dança e confecção de instrumentos percussivos. A Praça do Carmo tomada por uma multidão de “foliões”, vibrou até o final da tarde com esse espetáculo que agrega a beleza singular marajoara à festa do Círio de Nossa Senhora de Nazaré.

00

5

5

5

Após a Romaria Fluvial os motociclistas prestam suas homenagens a Nossa Senhora de Nazaré, fazendo a guarda de honra do transporte da imagem e sua berlinda, da Praça Pedro Teixeira até o Colégio Gentil Bittencourt. Enfeitadas com miniaturas da No percurso de cerca 2,6 Km, berlinda, réplicas da imagem além dos motociclistas, os fiéis seguem pelas ruas, a pé ou de bicicleta. No trajeto as residências e repartições enfeitadas com miniaturas da berlinda, réplicas da imagem, flores e balões. Na chegada, às 12h40 no Gentil a imagem foi recebida e erguida pelo arcebispo de Belém dom Orani Tempesta e pelo núncio apostólico do Vaticano dom Lorenzo Badisseri em palanque armado a frente do Colégio, em seguida o arcebispo metropolitano Dom Orani deu a já tradicional benção com a Imagem a todos os motociclistas presentes. Em gratidão e muito emocionados eles aceleram suas motocicletas em uníssono e estridente som. Na Praça do Carmo

100

95

75

25

Animação contagiante 5

40

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

A cobra grande, em miriti As alegorias em miriti

5

75

5

25

5

0

Chegando na Basílica Santuário

Terço da Alvorada Fotos: Lúcio Mauro

Experiência impar, repleta de emoções

O Terço da Alvorada acontece de segunda-feira a sábado, sempre às 5h15 da manhã, na Basílica Santuário e reúne cerca de 500 pessoas cada dia, saindo em mini procissão, levando consigo uma réplica da Imagem de Nossa Senhora de Nazaré em um andor, rezando, meditando e cantando pelas ruas próximas a Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, em trajetos distintos, sempre no entorno da Basílica Santuário. As pessoas se revezam, carregando o andor de Nossa Senhora, em experiência impar, repleta de emoções. Segundo a maioria dos participantes é uma oportunidade única de poder mostrar toda a devoção a Nossa Senhora de Nazaré, logo ao raiar do dia.

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

5

25

Romaria da Juventude

5

0

A missa celebrada por Dom Orani João Tempesta, na Paróquia São Pedro e São Paulo

Após o término da missa celebrada pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Orani João Tempesta, na Paróquia São Pedro e São Paulo – bairro do Guamá, às 17hs, começou a Romaria da Juventude, organizada pelos jovens das várias Paróquias e Comunidades da Arquidiocese de Belém, com apoio da Diretoria da Festa de Nazaré. No percurso, pelas avenidas José Bonifácio e Conselheiro Furtado, com os peitoris e sacadas das casas com toalhas

brancas, o cartaz do Círio e réplicas da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, as homenagens eram prestadas pelos moradores e também ao longo das calçadas os devotos aplaudiam a padroeira dos paraenses quando passava o carro com o andor. A procissão foi animada com um trio elétrico. Na chegada na Praça Santuário de Nazaré, houve a já tradicional benção aos participantes com a imagem da padroeira e intercessora.

No início da 7ª Romaria da Juventude

Muitos jovens participaram

Dona Zilda Arns da Pastoral da Criança

A procissão foi animada com um trio elétrico

00

100

5

95

5

75

5

25

5

42

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Ciclistas enfileirados à espera da Santinha Pe. George Miranda abençoa os participantes com a imagem da Santa Padroeira

Romaria dos Ciclistas Na chegada todos queriam tocar no manto de Nossa Senhora

A romaria dos ciclistas saiu às 8 horas da Praça Santuário, com algumas bicicletas enfeitadas com mini berlindas, imagens da Santinha e variações sobre o tema. Eram cerca de 2 mil fiéis ciclistas, homenageando Nossa Senhora Nazaré pelas ruas e avenidas dos bairros de Nazaré, Cremação, Batista Campos, Jurunas, Condor e São Brás, nos quase 10 quilômetros do percurso, até seu retorno ao local de partida, às 10 horas. Em todo o trajeto muitas e efusivas homenagens foram

prestadas à Virgem Santa, principalmente os estouro de fogos nas frentes das igrejas e paróquias por onde a romaria passou – Capuchinhos, São Miguel Arcanjo, São JudasTadeu,SantaTerezinha eSantoAntônio de Lisboa. Ao final, a tradicional benção aos participantes concedida pelo Pe. George Miranda com a imagem da Santa Padroeira e protetora. Logo após, a premiação das bicicletas mais enfeitadas com o tema doCírio.

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

Comunidades da Paróquia de Nazaré

5

5

75

25

5

0

A Procissão da Festa iniciou após a missa celebrada por Dom Orani nas escadarias da Beneficente

Dom Orani João Tempesta, disse que a Procissão da Festa representa a unidade da paróquia

Procissão da Festa

Pelo trajeto as homenagens eram várias

AComunidade paroquial de Nazaré organiza a Procissão da Festa que é a mais antiga de todas as romarias em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré. O percurso muda todos os anos, para fazer com que a berlinda visite duas ou três comunidades paroquiais a cada ano. Este ano saiu de frente do Hospital Beneficente Portuguesa, após a missa celebrada por Dom Orani nas escadarias da Beneficente, é a 2ª menor das romarias, principalmente porque tem a participação sobretudo de pessoas idosas, louvando e homenageando a Padroeira dos Paraenses.

00

100

5

95

5

75

5

25

5

44

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

Recírio

25

5

0

Última das 11 Romarias da Festividade Nazarena Fotos: Eunice Pinto/Ag Pa e Marcos Gonçalves

É o término da quadra Nazarena, marcado pelos lenços brancos e o sentimento de tristeza pelo encerramento de mais umCírio em homenagem e louvor àVirgemSanta. Começou com a Missa Campal – após a subida da imagem original ao Glória e a Incineração das Súplicas, celebrada pelo arcebispo metropolitano de Belém, Dom Orani João Tempesta na Praça Santuário às 6h. Logo após, a procissão fazendo o contorno na Praça Santuário até chegar à Capela do Colégio Gentil Bittencourt, onde os fiéis se aglomeravam garantindo melhor local e visão para receberem a tradicional bênção final, antes de Dom Orani levar a imagem de Nossa Senhora de Nazaré para a capela do Colégio, onde ficará até o início das festividades do próximoCírio. Nas escadarias do Colégio a Guarda da Santa fazia a oração final e pose para a foto tradicional.

Nas escadarias do Colégio a Guarda da Santa

Já na capela do Colégio Gentil Bittencourt Dom Orani João Tempesta na homilia do Recírio

José Ventura Ventura e Cezar Neves, o atual e o futuro coordenador do Círio, no início do Recírio

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

45

0


00

100

5

Mais de 200 mil participantes no 19º Círio das Crianças

Com a imagem no Cibório, ia começar a romaria

95

5

75

5

25

00

5

5

5

5

0

Círio das Crianças Pequenos devotos

Após a missa das 7h, na Praça Santuário de Nazaré, presidida por Dom Orani João Tempesta, ainda arcebispo metropolitano de Belém e concelebrada pelo Padre Sílvio Jaques, pároco de Nazaré, iniciou procissão dos pequeninos devotos e seus familiares, ao som banda mirim da Vigia, pelas Avenidas Nazaré, Alcindo Cacela, Gov. José Malcher e a Tv. Doutor Moraes, voltando pela Nazaré até o ponto de partida. Em quase três horas, foram percorridos os 3,7 Km da procissão, pelos cerca dos 200 mil participantes do 19ºCírio dasCrianças. Crianças, jovens, adultos e idosos acompanharam com bastante alegria, cantando os hinos marianos, rezando, dando seus testemunhos de fé e devoção à Santinha tão querida. Os agradecimentos e pagamentos de promessas, muitas delas eram com as crianças vestidas de anjo, todos agradeciam a intercessão de Nossa Senhora de Nazaré, junto ao seu Filho Jesus, pelas graças alcançadas. Seis carros faziam parte do cortejo: quatro dos Anjos, a Barca Belém em Missão e o Cibório, a berlinda dos pequeruchos. Mais de cem crianças da guarda mirim de Belém e de cidades do interior do Estado faziam o cordão de isolamento do CibóriocomaimagemdeNossaSenhoradeNazaré. Na chegada, um coral e uma banda do projetoVale Música, formada somente por crianças e adolescentes (50 músicos e 50 cantores), aguardavam os fiéis cantando músicas regionais em louvor a Nossa Senhora de Nazaré. Empolgaram o publico presente. Ao término, o Padre Sílvio Jaques deu a benção final com a Santinha, aos pequenos devotos e seus acompanhantes, em mais uma belíssima demonstração de fé e devoção à NossaSenhora de Nazaré.

Crianças da guarda mirim

A satisfação de puxar a Santinha

Anjinhos em profusão

A benção final

Na chegada

100

95

75

25

5

46

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

5

75

Encerramento do Círio

É com uma missa na noite do 4º domingo, na Praça Santuário de Nazaré repleta de fiéis, com a presença de toda a Diretoria da Festa de Nazaré, do Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Orani João Tempesta e do emérito Dom Vicente Zico e muitos sacerdotes,. Em seguida o show pirotécnico em frente à Basílica e o encerramento também, do Círio Musical.

25

5

0

Pe. José Ramos e os casais Cesar Neves, coordenador recém eleito e José Ventura, o atual

Diretores no início da missa do encerramento

D. Zilda Arns, na festa de encerramento

Na missa do encerramento

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


10

O VII Concurso

Imagens de Círios A

comissão julgadora foi composta pelos expert's, conhecedores de Círios e apreciadores de belas imagens: Paulo Araújo e Ubirajara Salgado, ex-coordenadores do Círio de Nazaré, Elias Gorayeb, ex-diretor das Festividades Nazarenas; Jean Carlos Lopes, diretor do Museu do Círio; Ubiratan Aguiar e Adenirson Lage, jornalistas/colunistas, Roberto Pinto da Costa, médico e Fabrizio Guaglianone, Marcelo Loureiro, jovens empresários. Missão dos jurados: Selecionar 43 imagens, sendo 33, as Classificadas e 10 as Vencedoras; dentre 4.326 fotos, em sua maioria do Círio de Belém, mas também de fotos do exterior – Portugal, Espanha e França, além das do Brasil – São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas e Amapá, que concorriam, por estarem conforme e dentro do Regulamento do Concurso. Inicialmente houve uma seleção preliminar, com a preocupação principal voltada ao padrão e à qualidade. Em seguida a seleção das fotos que melhor retratassem a grande Romaria e os ícones dos Círios, pois as fotos premiadas e classificadas, no total de 43 fotos, correm o mundo em várias exposições. Em seguida, a comissão julgadora do 7º Imagens de Círios, classificou em primeiro lugar, a bela foto que mostra a imagem peregrina de Nossa Senhora de

Nazaré, no cibório repleto de flores naturais amarelas e brancas, nas cores do Vaticano. Foto deArturAlex LoureiroAraújo, com o número 477, de inscrição. Abaixo a relação dos Vencedores e Classificados. (Nome e número de inscrição).

Vencedores 1º Artur Alex Loureiro Araújo (477); 2º Iracema de Souza Alcantara (442); 3º Genildo Oliveira Mota (169); 4º Ivete Pinheiro Santo (37); 5º Fernando Felipe

95

75

25

5

0

Gomes de Araújo (2.114); 6º Artur Alex Loureiro Araújo (487); 7º Marcelo Augusto Seabra Amador (206); 8º Glauce Rodrigues Andrade (386); 9º Marcio Santos Matos (340); 10º Celestino França Gonçalves (2.161).

Classificados Igor Mota Magno (160); Jorge Antonio Barbosa Santos (400); Marcio Santos (349), (351) e (346); Marcos Gonçalves (2159), (2165) e (2192); Lorena Wanzeler (510); Fernando Araújo (2123) , (2117), (2122) e (2138); Jorge Antonio Barbosa

10

95

75

25

5

48

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


10

95

75

25

5

0

Rodrigo e Ronaldo Hühn com os componentes do Juri: Elias Gorayeb, Adenirson Lage, Ubirajara Salgado, Fabrizio Guaglianone, Ubiratan Aguiar, Jean Carlos Lopes e Paulo Araújo

Santos (406); Shamara Fragoso (276); Deborah Marques Lago (239); Joanaldo Silva (31); Artur Alex Loureiro Araújo (492); Regina Cordeiro (2189); Maria Raquel dos Santos da Cruz (411); Artur Alex Loureiro Araújo (495); Artur Alex Loureiro Araújo (491); Caroline de Lima Pinto (262); Arquimimo de Oliveira Cardoso Junior (43); Jayme R. M. Lavareda (113); Regina Cordeiro (2196); Joyce Almeida (476); Maria Raquel dos Santos daCruz (409); Rosa Kamada (127); Antonio Carlos Sales da Silva (190); Joyce Almeida (475); Ray Nonato (377); Marcos Cesar Moura Ribeiro (252).

O secretário faz suas considerações

10

95

75

Momento de descontração

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

49

0


10

95

75

25

5

0

Premiação Os Vencedores do VII Concurso Imagens de Círios com seus prêmios

dos Vencedores

Joselito entrega o prêmio da Casa do Fotógrafo a Artur Alex Loureiro Araújo

10

95

75

Artur Alex Loureiro Araújo recebe de Maurício Santos seu prêmio da VIVO

Iracema de Souza Alcantara recebe de Maurício Santos prêmios da VIVO

Genildo Oliveira Mota recebe seu prêmio da VIVO

25

5

50

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

5

5

100

as fotos VencedorAs

5

95

75

25

5

0

1ºLugar Artur Araujo

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

0

51


00

5

5

2ºLugar

100

95

Alcantara Iracema

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

3ºLugar

5

Genildo Oliveira Mota 52

Revista Círios de Nazaré | 2009

25

5

0


00

5

4ºLugar

100

Ivete Pinheiro

95

5

75

5

25

5

0

5ºLugar

Fernando Araujo

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

0

53


00

100

6ºLugar

5

95

Artur Araujo

5

75

5

25

5

0

7ºLugar

Marcelo Seabra

8ºLugar

Glauce R. Andrade

10º Lugar

Celestino França

9ºLugar

Márcio Santos

00

100

5

95

5

75

5

25

5

54

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

5

5

100

as fotos Classificadas

95

75

5

25

Marcos Gonçalves

5

0

Shamara Fragoso

Deborah Marques Lago

Marcio Santos

Marcio Santos Jorge Antonio Barbosa Santos

Igor Mota Magno

00

100

5

95

5

75

5

25

5

56

Revista Círios de Nazaré | 2009

0


00

Joanaldo Silva

Joanaldo Silva

100

5

95

5

75

5

25

5

0

Lorena Wanzeler

Fernando Araújo

Artur Alex Loureiro Araújo

Regina Cordeiro Marcos Gonçalves

Jorge Antonio Barbosa Santos

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Jayme R. M. Lavareda

0


00

5

100

Maria Raquel dos Santos da Cruz

Arquimimo de Oliveira Cardoso Junior

95

5

75

5

25

5

0

Fernando Araújo

Caroline de Lima Pinto

Marcio Santos

Artur Alex Loureiro Araújo

Artur Alex Loureiro Araújo

00

100

5

95

5

75

5

25

Marcos Cesar Moura Ribeiro 58

Revista Círios de Nazaré | 2009

5

0


00

100

5

Marcos Gonçalves

Fernando Araújo

Ray Nonato

95

5

75

5

25

5

0

Joyce Almeida

Antonio Carlos Sales da Silva

Rosa Kamada

Maria Raquel dos Santos da Cruz

Joyce Almeida

Regina Cordeiro

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

0

59


00

5

5

5

100

Visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré ao Rio de Janeiro

A imagem chegando na Catedral Metropolitana de São Sebastião

75

25

5

Fotos: Carlos Moioli, Afrânio, Ilka, Maria de Nazare, Gil Einsfeld Botelho do Rego, Gustavo de Oliveira e Rodrigo Lara

A

imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré chegou, às 6h45, na Base Aérea do Galeão, na manhã do dia 19 de setembro, trazida pelo administrador apostólico da Arquidiocese de Belém do Pará, Monsenhor Raimundo Possidônio, que estava acompanhado pelo reitor da Basílica Santuário de Nazaré e pela diretoria do Círio de Nazaré em Belém, tendo à frente Cesar Neves e sua esposa, Sandra. 13 guardas de Nazaré faziam a escolta da imagem peregrina. A imagem foi entregue ao Arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, que estava acompanhado pelos Bispos Auxiliares Dom Antonio Augusto Dias Duarte, Dom Assis Lopes e Dom Edson de Castro Homem. Cerca de 30 crianças da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, da Ilha do Governador, cantavam músicas marianas. A Banda da Aeronáutica também entoou hinos para homenagear a Mãe de Jesus. Cariocas, moradores da cidade, e paraenses esperavam com emoção a chegada daVirgem Peregrina. A imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré saiu em carreata da Base Aérea do Galeão em direção à Catedral de São Sebastião. Depois de percorrer 12 bairros do Rio, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré chegou ao Centro, na Catedral de São Sebastião, onde foi celebrada a Missa de Investidura de 821 novos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão (MESC) da Arquidiocese do Rio. A Santa Missa foi presidida por Dom Orani JoãoTempesta e concelebrada pelos BisposAuxiliares do DomAntonioAugusto Cezar Neves retira a imagem da Berlinda

00

5

5

5

A inauguração da Exposição Parte da miniatura do Círio

95

0

exposição e proprietária do acervo, Darcilene Batista Costa disse que além de formar o acervo, esse trabalho gera renda para a população ribeirinha que faz parte da associação de artesãos. O acervo ficou exposto no subsolo da Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro . EmCopacabana Todos os 700 lugares da Paróquia estavam lotados. Muitos participaram da Santa Missa do lado de fora da igreja. O Monsenhor Abílio Ferreira da Nova, Pároco da Paróquia Nossa Senhora de Copacabana e Santa Rosa de Lima, presidiu a MissaSolene.

Na igreja de Nossa Senhora de Copacabana

Dias, Dom Edson deCastro Homem e Dom Wilson Tadeu Jönck. O prefeito da cidade, Eduardo Paes, e o senador Fernando Flexa Ribeiro (PSDB-PA) estiveram presentes. A Virgem de Nazaré foi saudada por mais de seis mil fiéis. Em sua homilia, Dom Orani explicou a importância dos MESCs para os trabalhos pastorais. Após a oração da comunhão, a palavra foi franqueada ao administrador apostólico da Arquidiocese de Belém do Pará, Monsenhor Raimundo Possidônio, e ao prefeito da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. Exposição naCatedral A Catedral Metropolitana recebeu a exposição “Círio de Nazaré – Patrimônio i m a t e r i a l d a c u l t u r a b r a s i l e i r a ”. A exposição consistiu numa representação do Círio que acontece em Belém, o chamado Mini-Círio é composto por cerca de 4 mil bonecos que são confeccionados pela Associação dos Artesãos de Abaitetuba-PA e os mantos oficiais usados pela imagem. A curadora executiva da

Procissão Luminosa Ás 19h15, após a oração do Rosário na Catedral de São Sebastião, a imagem de Nossa Senhora de A luz de velas a Nazaré seguiu em procissão noturna Procissão Luminosa até a Igreja de Sant'Ana, na Praça XI, onde permaneceu até 6h do domingo. Tendo à frente o Arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, o Pároco da Catedral,

100

95

75

25

5

60

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

5

5

00

5

5

5

Na procissão noturna, à frente Dom Orani e o Monsenhor Passidônio

Monsenhor Aroldo Ribeiro, o Vigário Episcopal do Vicariato Urbano e Pároco da Igreja de Sant'Ana, Padre José Laudares de Ávila,SSS, e demais Sacerdotes, mais de 3 mil pessoas seguiram pelas ruas do Centro rezando o Rosário e entoando cânticos marianos, animados pela Comunidade Católica Shalom. No trajeto, a procissão só fez uma parada: em frente ao hospital do Instituto Nacional do Câncer (Inca). No local, Dom Orani proferiu uma oração pelos doentes, por seus familiares e pela equipe médica. TV Brasil A tradicional Missa transmitida ao vivo pela TV Brasil às 8h de domingo, foi

A tradicional Missa transmitida ao vivo pela TV Brasil

presidida peloArcebispo do Rio de Janeiro, DomOrani JoãoTempesta, e concelebrada pelo Padre Dionel Amaral, diretor do programa; Padre Nixon Bezerra de Brito, da Paróquia de Santos Mártires Ugandenses e Nossa Senhora de Nazaré; Padre Flávio Demoline, da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, em Anchieta; Padre José Laudares,Vigário Episcopal do Vicariato Urbano; e Monsenhor Raimundo Possidônio, administrador apostólico da Arquidiocese de Belém do Pará. Após a Celebração Eucarística, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré seguiu para o Centro Cultural da Marinha, no Centro, de onde partiu a Procissão Marítima até Niterói. A Santa atravessou a Baía de Guanabara em uma embarcação da Marinha do Brasil que estava acompanhada por uma fragata com fiéis que agitavam bandeiras amarelas do Círio de Belém. Em Niteroi Levada pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom OraniTempesta, ela foi recebida pelo Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Niterói, Dom Roberto Ferreira, e foi marcada por uma intensa demonstração de fé da Seguindo para Niteroi

multidão, presente na Praça Araribóia, no Centro, local onde a Virgem de Nazaré permaneceu por alguns minutos. Com a imagem erguida, Dom Roberto abençoou a Arquidiocese de Niterói. Após alguns minutos de oração pelos 14 Sempre com muito amor

municípios que integram a área de abrangência da Arquidiocese de Niterói, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, que estava em um andor montado em carro aberto do Corpo de Bombeiros, seguiu em carreata para São Gonçalo, onde aproximadamente 2 mil pessoas esperavam pela Santa com orações e cânticos. EmSaquarema A cidade de Saquarema parou para reverenciar aVirgem de Nazaré, Rainha da Amazônia, em sua imagem peregrina. No distrito de Bacaxá, uma grande multidão estava à sua espera. A Virgem foi Subindo a ladeira em Saquarema

conduzida em carro aberto por Dom Orani Tempesta, que a levou até o Centro da cidade, acompanhado de uma grande carreata, onde Dom Orani passou a imagem peregrina para as mãos do Padre José Alves, conhecido como Padre Zito, Pároco deSaquarema. Colocada em seu trono, a Virgem foi coroada por Dom Roberto Francisco, Bispo Auxiliar de Niterói, que também fez a consagração da cidade de Saquarema a Virgem de Nazaré e destacou a intenção da futura construção de um Santuário dedicado a essa devoção emSaquarema Na Lagoa e Feira deSãoCristóvão Centenas de pessoas esperavam ansiosamente a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, que foi conduzida de helicóptero até a Lagoa

95

75

Em visita à Igreja de Santana

Rodrigo de Freitas.. Ao chegar, Dom Orani Tempesta e Monsenhor Manuel Vieira, Vigário Episcopal doVicariatoSul, rezaram com os fiéis a Consagração a Nossa Senhora de Nazaré. Depois de dar a bênção, o Arcebispo seguiu em carreata para a Zona Suburbana. No trajeto, a imagem peregrina passou pela Zona Norte e parou em frente ao Centro Luiz Gonzaga de Tradições Nordestinas, na tradicional Feira de São Cristóvão, onde uma Missa celebrada pelo Padre Flávio Ramos, da Paróquia Nossa Senhora da Consolata. Dom Orani abençoou o local onde será construída uma Capela em honra a Nossa Senhora. EmAcarí A carreata seguiu a Acari, com uma parada em frente ao Complexo da Maré, onde Dom Orani realizou uma oração pelos moradores daquelas comunidades. Já emAcari, naZona Suburbana, a imagem peregrina foi recebida pelo Vigário Episcopal Monsenhor Gilson da Silveira e pelo Padre Nixon Bezerra de Brito, Vigário Paroquial da Igreja dos Santos Mártires Ugandenses e NossaSenhora de Nazaré. De velas acesas e cantando o Hino da Berlinda, mais de 8 mil pessoas seguiram o Círio de Nazaré, emocionados e em paz. O Padre Nixon estava muito feliz, e ressaltou que aquela comunidade, que antes era conhecida pela pobreza e violência, a partir daquele momento se tornava conhecida pela fé. “A partir de hoje, Acari não é mais da violência. Acari, agora, é de NossaSenhora de Nazaré”, frisou. Ao final da Celebração Eucarística, a cantora Elba Ramalho cantou a Ave-Maria de Gounod, e, em seguida, realizou um show para a comunidade de Acari, enquanto a imagem era conduzia para a ZonaOeste.

25

5

0

Pe. Nixon, Dom Orani e a imagem peregrina 100

95

75

A corda no Círio de Acarí 25

5

0


A benção aos pés do Cristo Redentor, com muita chuva

00

5

Elba Ramalho canta pra Nossa Senhora

5

5

00

5

EmAnchieta A imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi recebida pelo Pároco da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, Padre Flávio Demoline,SC. A chegada na igreja de Nossa Senhora de Nazaré em Anchieta

No Santuário Cristo Redentor

NoCristo Redentor Após a Catedral, em carreata a imagem foi conduzida até o Santuário Cristo Redentor, noCorcovado. Na Paróquia Cristo Redentor, em Laranjeiras

Em Anchieta a alegria do pároco Pe. Fávio Demoline

Na praça que fica em frente à igreja Matriz, o Arcebispo Dom Orani João Tempesta, antes de celebrar a Santa Missa, agradeceu a presença de todos e disse que estava muito feliz, pois era a primeira vez que ele visitava aquela comunidade. A imagem peregrina ficou na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré em vigília até as 5 horas da madrugada, quando seguiu em direção à Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro, noCentro da cidade. NaCatedral deSãoSebastião Às 8h30 do dia 21 de setembro, naCatedral de São Sebastião, Dom Orani João Tempesta, presidiu outra Missa Solene em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré. O Arcebispo afirmou que a pequena imagem de 28 centímetros despertou corações adormecidos ao anunciar as ações do Espírito Santo e que acredita que esses sentimentos irão se multiplicar.

Por causa da chuva, a oração do Ângelus, que seria recitada aos pés do Cristo Redentor, foi proferida no Centro Cultural do Trem do Corcovado, às 12h, por Dom Orani João Tempesta. Durante a prece, Dom Orani incentivou os presentes a seguir o exemplo de Maria e a viver intensamente o apostolado de Cristo. Aos pés do monumento do Cristo Redentor abençoou a cidade do Rio de Janeiro. De lá, a imagem peregrina foi à Paróquia São Judas Tadeu, no Cosme Velho, em carro aberto e foi recepcionada pelo Pároco, Padre Henrique Jorge Diegues, e por toda a comunidade, com cânticos, orações, bandeiras, chuva de papel picado e pétalas de rosas.. Em seguida, a pequena imagem saiu em direção à Paróquia Cristo Redentor, em Laranjeiras, e depois em carreata, para a Zona Norte. NaTijuca Na Paróquia de São Sebastião dos Frades Capuchinhos, na Tijuca, a imagem foi

100

recebida pelo Vigário Episcopal do Vicariato Norte, MonsenhorGustavoAuler e pelo Pároco da igreja Padre José William Corrêa deAraújo,OFMCap. A igreja estava lotada de fiéis e nem mesmo as duas horas de atraso na chegada, em virtude da chuva, desanimou-os e eles receberam a imagem com fervor. No Maracanãzinho A imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré se despediu dos cariocas na noite do dia 21 de setembro. Mesmo debaixo de chuva forte, os devotos da Rainha da Amazônia lotaram as arquibancadas do Maracanãzinho para louvar a Virgem Maria e cantar com o Padre Fábio de Melo. Antes do show o grupo Os Abaeteuaras apresentou a dança do Carimbó, tradicional no Pará. Ao final, Dom Orani afirmou que a população do Rio de Janeiro tem uma fé enorme e que a imagem da Virgem Maria estará sempre guardada nos corações dos cariocas. “Temos aqui um povo que reza, que canta e que louva ao Senhor”, disse DomOrani. A pequena imagem de 28 centímetros de Nossa Senhora de Nazaré retornou para Belém na manhã do dia 22 de setembro.

95

75

25

5

0

Padre Fábio de Melo no Maracanãzinho lotado

Ao final, Dom Orani abençoou a todos com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré

100

Em visita à Igreja dos Capuchinhos, de onde sai o Círio da Tijuca

A Catedral Metropolitana de São Sebastião lotada

95

5

75

5

25

A despedida no Galeão

5

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | RIO DE JANEIRO

5

95

5

75

5

25

5

círio em

Copacabana-RJ Na Avenida Atlântica

A

s festividades em louvor a Nossa Senhora de Nazaré em Copacabana começam na 2ª sexta feira de outubro, pois é quando as barraquinhas com as comidas e quitutes típicos paraenses ficam montadas na rua Hilário de Gouveia, frente à igreja Nossa Senhora de

Pelas ruas de Copacabana

Copacabana. E com clima de saudades no ar, no sábado, às 17,00 horas, tem inicio a trasladação da berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré em direção à igreja de São Paulo Apóstolo, dos barnabitas, onde às 18,00 horas é rezada missa solene e a imagem pernoita. No domingo, o 2º de outubro às 10,00 horas tem início o tradicional Círio de Nossa Senhora de Nazaré, percorrendo

0

Em Copacabana o Barco dos Milagres

as ruas: Leopoldo Miguez, indo até a Avenida Atlântica, lado da orla marítima, até a Rua Hilário de Gouveia, em clima de pura alegria e ao mesmo tempo de contrição e fé. A chegada é por volta das 12,00 horas, quando é celebrada missa festiva em honra da Virgem Santa. Logo após a confraternização entre os participantes e a hora de matar as saudades dos sabores paraenses. Nossa Senhora de Copacabana

Início do Círio saindo da igreja de São Paulo Apóstolo

00

100

5

95

5

75

5

25

A berlinda em Copacabana 5

Revista Círios de Nazaré | 2009

63

0


10

CÍRIOS | BRASIL | RIO DE JANEIRO

95

75

25

5

círio em

0

Saquarema-RJ

A

Por Aluizio Almeida, Provedor e David Bravo, acólito e membro da venerável irmandade de Nossa Senhora de Nazareth.

Festa desse ano foi uma bênção. Depois de um feriado nacional com a cidade lotada e um dia quente, pudemos assistir mais uma vez uma demonstração de que a Virgem Maria caminha conosco. Logo nas primeiras horas do dia 8 de Setembro, a alvorada festiva com a banda lira N.S.de Nazareth, anunciava a toda cidade o dia da padroeira. Nem a segunda feira e nem mesmo a chuva, que começou a cair sobre Saquarema e que continuou por boa parte do dia, até mesmo momentos antes da procissão, foi capaz de esfriar o calor e o fervor do coração de todos aqueles que visitaram a Igreja Matriz para render homenagens a Senhora de Nazareth. Estavam à frente da venerável irmandade de Nossa Senhora de Nazareth, o provedor Hailson Ramalho, a juíza Patrícia Coutinho, sob o pastoreio do párocoJoséAlves Filho, Pe.Zito. Desde as 6h da manhã, a Igreja permaneceu lotada de fiéis que piedosamente participaram das Celebrações das Santas Missas. O ponto alto das Celebrações da parte da manhã,

foi a Missa Solene das 12h, celebrada pelo Arcebispo Metropolitano de Niterói, Dom Alano Maria Pena, que este ano coroou a Rica e Milagrosa Imagem da Padroeira de Saquarema ao som do Aleluia de Haendel, executado sob a regência do Maestro Ezequiel, que

Nossa Senhora de Nazareth em seu altar

durante toda a Liturgia executou o que há de mais belo e rico na Música Sacra. Foi um momento marcante e de muita emoção, com muita pompa, lágrimas em meio a vivas e chuva de papel picado. Após a Missa do meio dia, a Veneranda Imagem, que foi encontrada no dia 8 de Setembro de 1630, permaneceu exposta com grande afluência de fiéis na Matriz por toda a tarde para a visitação dos devotos até as 18h, quando foi celebrada a última missa do dia, que seria campal,

mas devido ao mau tempo foi transferida para a Igreja. A Igreja não comportou tanta gente, tinha pessoas por todos os arredores do morro e escadaria que não conseguiram participar da Santa Missa dentro doTemplo. Como já é tradição, muitos sinais e fatos acompanham há séculos a Veneranda Imagem de Nossa Senhora de Nazareth. Nesse ano dois deles puderam ser sentidos pela massa humana que aguardava ansiosamente a descida Solene da Padroeira para o início de sua Procissão. Pudemos constatar mais uma vez que a Senhora de Nazareth demonstrou o seu poder fazendo a chuva e o vento cessarem no momento exato em que o rico e grandioso andor, criado e ornamentado pelo decorador Leandro Oliveira, cruzou a porta central da Matriz. Ao término da procissão aconteceu a tradicional queima de fogos, um verdadeiro espetáculo e a Virgem como todos os anos desde 1630 retorna para seu santuário em seu camarim, pois desde 1630, em Saquarema sendo o Círio mais antigo do Brasil, ela abençoe e protege a todos aqueles que recorrem a este santuário.

Dom Frei Alano Maria Pena fazendo a coroação solene

10

95

75

Pelas ruas de Saquarema

25

O Pároco Pe.José Alves, Provedor Hailson Ramalho e a Juíza Patrícia Coutinho

64

5

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

círio em

Tijuca-RJ Na saída do Círio da Tijuca

T

ambém no 2º domingo de outubro acontece o Círio daTijuca.À frente o Pároco Frei Wiliam Araujo e as abnegadas diretoras da Associação NossaSenhora de Nazaré. Lá a concentração é na igreja de São Sebastião dos Frades Capuchinhos no bairro daTijuca, há mais de 80 anos. Como tradicional, a trasladação, no sábado, saindo em direção ao colégio Maria Ryght. Daí, no domingo sai a procissão pelas ruas Haddock Lobo e Barão de Itapagipe, até a Igreja de São Sebastião. À frente o estandarte de Pelas ruas da Tijuca

O carro das promessas

O estandarte de Nossa Senhora

Nossa Senhora, as tradicionais Bandeiras, o carro das promessas, a corda e a Berlinda, como sempre, com flores multicoloridas e muito bem ornadas. Após a entrada triunfal da imagem em sua berlinda, na igreja, é rezada missa solene. Ao término, Frei Wiliam deu a tradicional benção com a imagem de NossaSenhora, aos presentes. No adro da Igreja o um arraial com barraquinhas com comidas típicas, sorvetes, sucos, artesanato paraense, lembranças como medalhas, fitas, camisetas, santinhos, pequenas imagens,flores etc.

0

Emanoel e as abnegadas diretoras da Associação Nossa Senhora de Nazaré

A entrada triunfal da imagem de Senhora de Nazareth

Frei Wiliam dá a tradicional benção com a imagem de Nossa Senhora

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

65

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

5

95

5

75

5

25

00

5

círio em

Osasco-SP Acima, a imagem já dentro da igreja matriz de Nossa Senhora de Nazaré

0

O povo dando uma salva de palmas a Nossa Senhora de Nazaré

S

ob a coordenação do pároco padre Antonio e do vigário José Aparecido e a colaboração ativa de todas as pastorais da Paróquia foi realizada a novena de Nossa Senhora de Nazaré, no período de 06 a 14 de setembro. No último dia da novena, a procissão saiu da Comunidade São João Batista às 17:00 hs em direção à igreja matriz. O povo segurava a corda, como na tradição paraense e fazia seus pedidos a NossaSenhora enquanto cantava “Maria de Nazaré”. A missa festiva aconteceu às 18:00 hs e foi celebrada por nosso bispo Dom Ercílio e concelebrada pelos padresAntonio e JoséAparecido. Ao final da missa houve uma grande queima de fogos de artifício em honra a NossaSenhora de Nazaré. Abaixo, os padres Antonio e José Aparecido

100

5

95

5

75

5

Crianças vestidas de anjo a companhando a procissão

25

5

0


00

100

5

95

5

75

Devoto de N.Sra. de Nazaré fazendo sua prece de agradecimento

5

00

5

5

5

25

5

0

No centro Frei Ives Terral o Provincial, do seu lado direito Frei França e lado esquerdo Pe. João, ambos paraenses

círio em

Sumaré-SP

U

m Círio no centro de São Paulo concentrado no Santuário de Nossa Senhora de Fátima na Av. Dr. Arnaldo 1831, bairro do Sumaré. É aí que a colônia paraense, fiéis e devotos marianos realizam, com a orientação dos fradesTOR, as festividades do Círio de Nossa Senhora de Nazaré na capital paulista. O início com a Trasladação é no sábado às 19h30, com uma missa celebrada na Capela do Santuário. Em seguida os devotos levam a imagem de Nossa Senhora de Nazaré em carreata até a Creche N.Srª de Fátima, onde pernoita. No domingo, o 2º de outubro, o grande dia do Círio, logo cedinho, após as o enfeite do andor com belas e multicoloridas flores, a imagem da Senhora de Nazaré é colocada Anjos na saída da Creche

na sua berlinda, começando a procissão. O vigário do Santuário, padres, freiras, seminaristas, fiéis, crianças trajadas de anjos, bombachos, marinheiros e os devotos marianos acompanham a procissão, alguns segurando a corda, todos emocionados, rezando e entoando o cântico “Vós Sois o Lírio Mimoso”, lembrando a saudosa Belém do Pará, pelas ruas do bairro doSumaré. Chegando ao Santuário, à Virgem de Nazaré é recebida com muitos fogos. No interior da igreja é dada a bênção das palmas (lírios). A homilia, sempre muito emocionante, toca os corações emocionados dos paraenses, revivendo o Círio de Belém. Foi emocionante ver as pessoas chorando, quando Frei França fez a Homilia, foi lindo ver a emoção... Durante a procissão

Frei Ives levantando a Santa abençoa os presentes Após a Celebração, todos acompanham a Santinha, em direção ao pátio onde é recebida para benção final aos fiéis. Ao final o congraçamento nas barracas de comidas típicas e na barraca da Santa com os fogos de artifícios, o bolo da santa, as barracas com comida típicas do Pará, ao som da música regional da amazônica – o famoso carimbo, o síria e outras tantas. Frei Ives levantando a Santa abençoa os presentes

100

95

Dois Freis Seminaristas da Igreja das Merces, paraenses

75

25

5

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

5

95

5

75

5

25

00

5

5

5

5

0

A imagem de Nossa Senhora de Nazaré em seu andor em Vila Carioca

Durante a procissão do Círio na paróquia Santo Antônio, Vila Carioca

Os anjinhos de Vila Carioca

círio em

Vila Carioca-SP

R

ealizamos no Terceiro domingo de outubro o nosso segundo CIRIO a Nossa Senhora de Nazaré na paróquia Santo Antônio na Vila C a r i o c a - S P. A p a r t i r d e s t e a n o começamos a realizar todo terceiro domingo do mês a devoção a Nossa Senhora de Nazaré. A Imagem daVirgem passa a noite do terceiro sábado do mês numa família da paróquia, onde se reza o terço com a comunidade paroquial. A família que a colhe a imagem da Virgem em sua casa faz a ornamentação do andor e o leva a Igreja no domingo seguinte com muitos fogos e vivas. Em 2008 a participação foi muito mais intensa, apesar da chuva que com certeza nos lembrou muito Belém do Pará. Iniciamos a procissão às 10h saindo da paróquia vizinha: Igreja Nossa Senhora de Aparecida. Incluímos neste ano a CORDA a qual o povo fez um grande

momento de silêncio e oração no inicio da procissão, onde o povo fez seus pedidos e agradecimentos. A procissão tem inicio com a participação de mais de 500 pessoas e uma multidão de anjos. Um dos momentos emocionantes da procissão foi quando atravessamos a Avenida das Juntas Provisórias que liga a Avenida dos Estados em São Paulo. O trânsito parou para que a Mãe do Salvador pudesse passar. Não houve Pe. Renato dá a benção com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré

nenhuma reclamação na grande São Paulo. Pelo contrário, o povo cantou, rezou e louvou à mãe do Menino Deus. Chegamos a Igreja Santo Antonio da Vila Carioca às 11h e realizamos a Santa Eucaristia com a presidência do pároco Pe. Renato. Após a missa tivemos o famoso arraial com comidas típicas do Pará (Pato no Tucupi, maniçoba, pirarucu, açaí.Gurijuba, dourada, vatapá, creme de cupuaçu...) e depois o povo se divertiu com músicas dançantes do Pará. Esses dias ouvimos um belo testemunho de um paroquiano que esteve presente na procissão: Ele estava com um grande tumor no rosto.Os médicos disseram que tinha que fazer uma cirurgia muito delicada. Ele estava muito preocupado, juntamente com sua esposa. Alguns dias após a procissão o tumor estourou e secou. Não foi necessário operar e os médicos não encontram explicação, mas nós encontramos: Milagre de Nossa Senhora de Nazaré.

100

95

75

25

5

68

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

5

25

00

5

5

5

5

0

Aguardando a Romaria das águas

Deslocamento para o início da Romaria das Águas

círio em

Nazaré Paulista-SP Ajustes finais

Pe. Tarcísio Spirândio no início da Romaria à Cavalo e Charrete

Romaria das Águas, rumo à Prainha do Lava Pés

O

Círio de Nazaré Paulista é realizado no dia da padroeira da cidade e do aniversário do município no dia 21 de novembro. No domingo antecedente ao Círio, encerrando as Peregrinações da imagem de Nossa Senhora, às 15 horas é rezada uma santa missa com a presença de toda a Comunidade. Na véspera do Círio, com concentração no pátio da Igreja e após uma Benção especial, inicia-se a Romaria à Cavalo e Charrete, levando a imagem da Senhora de Nazaré pela Estrada do Quatro Canto até o bairro Atibainha, naCapela deSanta Luzia.

Nossa Senhora de Nazaré no seu andor

A benção aos participantes

No domingo às 10 horas, a Santa missa na Capela de Santa Luzia e o deslocamento para o início da Romaria das Águas, rumo à Prainha do Lava Pés. Na chegada a celebração da missa festiva pelo Pe.Tarcísio Spirândio, pároco da Igreja de Nossa Senhora de Nazaré e a Benção dos Barcos. Às 19,30 horas, a abertura da Novena com a Santa missa. A novena ocorre até às vésperas do aniversário do município, quando há o encerramento da Novena, com a Benção doSantíssimoSacramento. Assim os costumes e as tradições se perpetuam junto ao povo nazareano, em torno da fé e diferentes gerações se encontram para agradeceras graças recebidas.

100

95

75

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

69

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

5

95

5

75

5

25

00

5

círio em

Santos-SP

É

na igreja Nossa Senhora do Rosário da Pompéia, em Santos – São Paulo, no 2º domingo de outubro “Dia Nacional de Nossa Senhora de Nazaré” que é realizado o Círio de NossaSenhora de Nazaré. Lá se concentram os dirigentes da Sociedade Amigos da Amazônia de Santos – com 60 anos de fundação – os maiores responsáveis e incentivadores das festividades/homenagens e louvor à Nossa Senhora de Nazaré No primeiro domingo de outubro, a parte religiosa inicia com uma missa festiva, onde a imagem da Senhora de Nazaré é acolhida pelas crianças. Nas seguintes quarta, quinta e sexta-feira é realizado oTríduo/Reza festiva. No 2º domingo de outubro, às 10,30 horas, com a Berlinda lindamente decorada com flores naturais, tem início o Círio, quando a Santinha é conduzida e acompanhada pela banda MusicalCarlosGomes, com os fiéis cantando o “Vós Sois O Lírio Mimoso”, outros cânticos marianos e como não poderia deixar de ser puxando a tradicional Corda. Católicos de todos os quadrantes do Brasil e fiéis devotos residentes ou de passagem por Santos prestam assim suas homenagens àVirgemSanta. Após a parte religiosa, é realizado um almoço festivo com as comidas típicas paraense, venda de lembranças e confraternização entre os amazônidas e simpatizantes.

5

5

5

Nossa Senhora de Nazaré no seu Dia Magno

A chegada na igreja Nossa Senhora do Rosário da Pompéia

A Trasladação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré pelas ruas de Santos

0

100

95

A tradicional Corda em Santos

75

25

5

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | DISTRITO FEDERAL

5

95

5

75

5

25

círio em

5

Brasília-DF

C

om a participação efetiva de mais de 300 membros de pastorais que cuidaram da organização da festa, o Círio da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré em Brasília, foi mais uma vez coroado de êxito. Desde o dia 02 de setembro, a Paróquia estava em festa com o inicio da novena, e do dia 10 ao dia 13 uma extensa programação foi realizada na Paróquia, todas as noites com missas, quermesses e show evangelizadores diariamente. No dia 13 (sempre segundo domingo de setembro) a Paróquia esteve o dia todo em festa, iniciando as 10h30 com a Missa

Cadetes colocando a Berlinda no Presbitério para o inicio da Missa

dominical, oração do Rosário e ofício de Nossa Senhora até as 16h30 quanto foi realizada a Missa em Ação de Graças pelo Círio de Nazaré e logo em seguida a procissão do Círio, que contou com a presença da Banda do Corpo de bombeiros executando Vós sois o Lírio Mimoso e outros cantos Marianos, revezando-se com o Ministério de Música da Paróquia, que acompanhou o Pároco Pe. Rambo, no comando das orações e cantos durante a procissão. A Berlinda, conduzida pelos Cadetes da Po l i c i a M i l i t a r d e B r a s í l i a , f o i ornamentada com margaridinhas, rosas e hortênsias, em tons bem suaves para destacar a beleza do mando em azul dégradé, inspirado no brasão Paroquial e executado pela estilista paraense Ana MartaSouza. Durante os quatro dias de festividades, houve Missas e quermesses com artesanatos paraenses, comidas típicas regionais, shows evangelizadores, tenda de oração e animação infantil, para todas as pessoas que se deslocavam do Plano Piloto, Cidades Satélites de Brasília e do

Saída da Procissão

0

entorno, para o Lago Sul onde fica localizada a Paróquia de Nazaré. A culinária paraense esteve presente na Barraca do Pará, com suas tradicionais comidas como, pato no tucupi, maniçoba, vatapá, caranguejo, tacacá, sucos de cupuaçu, taperebá, e açaí. O Círio de Nazaré de Brasília, que consta no Calendário Oficial da Secretaria de Turismo do Distrito Federal, foi organizado pela comunidade Paroquial e teve apoio do Governo do Estado do Pará, da Representação do Governo do Pará em Brasília, e patrocínio do Governo do Distrito Federal através da Brasiliatur, que ficou responsável pela montagem de toda a estrutura da Festa. Missa

A corda. Ruas largas de Brasília facilitam o cortejo da Procissão

00

100

5

95

5

75

5

25

No início da Saida da Procissão 5

Revista Círios de Nazaré | 2009

71

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | MINAS GERAIS

5

95

5

75

5

25

5

círio em

0

Morro Vermelho-MG

O

Por Adriana Pinheiro Leal

povo de Morro Vermelho festejou de 30 de agosto à 08 de setembro de 2009, os 305 anos de seu maior orgulho: as Festividades de Nossa Senhora de Nazareth, trazida pelos portugueses e jamais interrompida, sendo hoje uma das mais antigas tradições culturais do Brasil. Neste ano no início das festividades ao meio dia de 30 de agosto a imagem de Nossa Senhora de Nazareth e o Santíssimo Sacramento saíram do adro da igreja para abençoar a todos os moradores e seus visitantes. Um grande silêncio aconteceu nesta hora, quando o padre pediu ao Filho e Mãe que protegesse os presentes e que a paz reinasse em nossos corações. À noite começa a novena orquestra e cantada em latim, repetida diariamente até o dia 07 de setembro.

Fotos: Ana Carolina Pereira Vaz Nossa Senhora de Nazareth com o Menino Jesus com o tradicional vestido

As Festividades de Nazareth é marcada, em 06 de setembro, por uma concentração e desfile de mais de 300

cavalos pelas ruas e avenida de Caeté, seguindo em direção de MorroVermelho, a 12 quilômetros da sede, onde é

00

100

O mastro da cavalhada sendo levantado

Às 21horas é realizada a Cavalhada

O andor de Nossa Senhora de Nazareth

5

95

5

75

5

25

5

30

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

A entrada decorada

recebida com uma grande festa. Em 07 de setembro, os moradores e visitantes são acordados às 4h da manhã com a tradicional matina, banda de música, fogos de artifícios e repiques de sino. Ao começo da tarde as pessoas assistem o desfile dos mascarados, personagens que expulsam os males das casas e das ruas para a tradicional Cavalhada à noite. Às 21horas é realizada a Cavalhada, 12 cavaleiros cristãos e 12 de mouros conduzem a Bandeira de Nossa Senhora de Nazareth à praça, onde são recebidos com fogos de artifícios, repiques de sino e banda de música. O imperador mouro saúda com embaixadas a Bandeira, recebida do embaixador cristão, que também a venera. Em seguida, o mastro é erguido pela comunidade, que recebe em seu topo a Bandeira de Nossa Durante a missa, as flores

Início da procissão em Morro Vermelho

Senhora de Nazareth,com 18 metros de comprimento. Para selar a paz entre os povos, Cristãos e Mouros entrelaçam fitas no mastro, amarrando o compromisso de fé aos pés da Virgem Maria. Unidos, os cavaleiros fazem uma série de evoluções. Encenam um 8 (união de dois povos), uma meia lua (início de uma amizade crescente) e assistem a um espetáculo pirotécnico (queima de deuses pagãos). Cristãos e mouros fazem novas evoluções e se despedem da multidão. No dia 08 de setembro, dia da natividade da Virgem Maria, há missa cantada em latim a quatro vozes, orquestra e cantada pela Banda e Coral Santa Cecília de Morro Vermelho, onde também é celebrado o aniversário de Nossa Senhora com bolo e muito docinhos que são distribuídos no final da missa para todos os

A bandeira no altar na festa de Morro Vermelho

participantes. Um grande momento de fé e graça aconteceu nesta missa. A menina Alice foi consagrada a N. S. de Nazareth, por ter conseguido nascer depois de uma gravidez de incerteza A multidão veio as lágrimas quando o padre a ergueu em frente a imagem, nesta hora foi entoado o cântico da consagração à N. Senhora de Nazareth.A partir daí todos começaram a chamarAlice, menina de Nazareth. Para encerrar as festividades, a noite, é realizada procissão pelas ruas enfeitadas e decoradas pela própria comunidade, que prepara os enfeites o ano todo. A chegada da imagem à Matriz é transformada em apoteose e queima de fogos, uma multidão a espera para saudar com grande alegria e fé, sendo a festa encerrada com o Te Deum (em latim), um agradecimento a Deus pelo sucesso da festa.

A coroação da imagem de Nossa Senhora de Nazareth

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

73

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | AMAZONAS

5

95

5

75

5

25

5

círio em

Manaus-AM

O

s preparativos para o Círio começam alguns meses antes de outubro com orações, cânticos e leituras do Evangelho. A preparação espiritual é meticulosa. No segundo sábado do mês de outubro acontece a trasladação da imagem da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré até o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, onde a imagem pernoita com vigília dos fiéis. Na manhã do 2º domingo de outubro, uma multidão acompanha a tradicional procissão do Círio de Nazaré, que leva a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, da Igreja Nossa Senhora de Fátima, na avenida Tarumã, Praça 14, zona Sul de Manaus, para a Igreja Nossa Senhora de Nazaré, bairro Adrianópolis, zona Centro-Sul da cidade. O evento religioso normalmente começa às 6h30, com a celebração de uma missa

0

na Igreja Nossa Senhora de Fátima. Após a celebração, a procissão segue pela avenida Tarumã, rua Duque de Caxias, passa pelo viaduto Josué Cláudio de Souza, entra na avenida Paraíba, depois a rua Recife até chegar à Igreja Nossa Senhora de Nazaré. Durante o trajeto os

DomSebastião esteve presente. Na chegada os católicos lotam a Igreja Nossa Senhora de Nazaré e a praça em frente ao templo quando a imagem da santa em Adrianópolis tem efusiva recepção por parte dos fiéis e da banda da Polícia Militar do Amazonas.Milhares de devotos acompanharam o Círio em A imagem de Nossa Senhora pagamento de promessas e/ou para de Nazaré em sua Berlinda manter a fé à Nossa Senhora de Nazaré. Na tradicional corda, eram uns 500 fiéis. Durante os quinze dias, a festividade envolve todos os paroquianos, movimentos, pastorais e serviços da paróquia. Há comidas típicas, brincadeiras, bingos, rifas, músicas... É o momento de confraternização de os devotos de Nossa Senhora de Nazaré! Quinze dias após o Círio, os devotos fies cantam hinos religiosos e rezam em atitudes fraternas num trajeto de realizam procissão pelas ruas ao redor da aproximadamente cinco quilômetros. Paróquia de Nazaré, fazendo a Festa de Ano passado a missa solene foi celebrada encerramento, também chamada de pelos PadresClaudio Rosini e JairGuiliani. Recírio, comCelebração solene. Pelas ruas de Manaus

00

100

5

95

5

75

5

25

Momento de fé 5

74

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | CEARÁ

5

95

5

75

5

25

5

0

Dom Ângelo Pignoli e Pe. Eudásio

Pelas mãos do povo

círio em

Capistrano-CE Por Francisco Artur Pinheiro Alves, Prof. da UECE

O

Fotos: Everton Cassiano

s católicos do município de Capistrano, que fica a 101 quilômetros de Fortaleza, no Maciço de Baturité, celebraram a padroeira Nossa Senhora de Nazaré neste ano com o lema “As mãos de Maria nos conduzem a Jesus”. A festividade começou dia 29 de agosto, e a culminância da festa doV Círio de Nazaré de Capistrano, ocorreu no dia 8 de setembro.

Os festejos na cidade ocorrem desde 1943 quando foi inaugurada a paróquia. Há três anos, o pároco da cidade, padre Eudásio Nobre da Silveira, incluiu, na programação, oCírio de Nazaré seguindo o exemplo de Belém do Pará. A procissão do Círio, em Capistrano, reúne cerca de cinco mil pessoas que caminham próximo à corda que é ligada ao andor com a imagem daVirgem Maria.Também é conduzido um barco levando os pedidos dos que querem alcançar uma graça.

A multidão pelas ruas da cidade

00

Todas as manhãs são realizadas caminhadas, a partir das 4h30min, pelos bairros da cidade. Ao final, os caminheiros participam de um café da manhã comunitário. No domingo, missas na igreja matriz, caminhadas pelos bairros e novena à noite. De 29 de agosto à 8 de setembro a cidade de Capistrano é a Capital da fé do estado doCeará. Esta festa é uma das maiores da Diocese deQuixadá.

A corda símbolo de fé

100

5

95

5

75

5

25

5

30

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

Paroquianos e devotos de Nossa Senhora de Nazaré no Círio de Fortaleza

5

00

5

5

5

25

5

0

círio em

Fortaleza-CE

E

m Fortaleza o Círio em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré é no terceiro domingo de outubro, no bairro de Montese. A procissão do Círio é noturna, percorrendo as ruas do bairro num belo espetáculo de velas e lenços brancos, a comunidade em festa, unida na fé e no amor, expressa à Virgem de Nazaré toda a sua gratidão. Os preparativos espirituais têm início desde o mês de maio, quando são distribuídas às diversas comunidades

católicas peregrinas reuniões meditação

da capital as imagens da Santa e começam as casa em casa, com do santo rosário, orações

e cânticos nazarenos. Durante as festividades são rezadas diversas missas, sempre muito concorridas.

Pelas ruas do bairro Montese em Fortaleza 100

95

75

25

5

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | RONDÔNIA

5

95

5

75

5

25

00

5

5

5

5

0

Na chegada do Círio, após a missa foi feita a coroação de Nossa Senhora

círio em

Porto Velho-RO

E

m Porto Velho - Rondônia, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré acontece, anualmente, desde 1930, no ano de 2008, antes da peregrinação da imagem da Padroeira de Rondônia ser conduzida por seus fiéis, por todas as comunidades da Paróquia, aconteceu uma vasta programação, desenvolvida no período de 31 de agosto a 7 de setembro, com missas, e quermesse no pátio da Igreja, sob a responsabilidade das diversas Pastorais: Renovação Carismática Católica-RCC , Catequese, Movimento Champagnat da Família Marista, Escola Maria de Nazaré, Apostolado da Oração, Infância e Adolescência

Interior do Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, no Eldorado I

Missionária (IAM) e Pastoral da Juventude. Após esse período, teve início um tríduo, em cada comunidade:Nossa Senhora de Nazaré; Nossa Senhora Auxiliadora; Sagrada Família; Nossa Senhora Aparecida; Santa Clara; São Marcelino

Champagnat; Menino Jesus; Nossa Senhora da Conceição; Bom Jesus; Divino Espírito Santo e Nossa Senhora dasGraças. Após a peregrinação e o tríduo a imagem foi conduzida à Catedral do Sagrado Coração de Jesus, de onde saiu a Transladação para a Igreja de Nossa Senhora das Graças e no 2º domingo de outubro, às 7 horas, o Círio de Nazaré saiu da Igreja de Nossa Senhora das Graças para o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, à Rua Pau Ferro n° 640 – Eldorado I, onde foi celebrada missa, pelo Padre José Boaventura. Na chegada do Círio, após a missa foi feita a coroação de Nossa Senhora e em seguida foi realizado um grande arraial.

100

95

75

25

5

78

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | MARANHÃO

5

95

5

75

5

25

00

5

círio em

0

São Luis-MA

O

Círio de Nazaré 2009, na Comunidade Cohatrac, em São Luis, acontecerá no dia 01 de outubro até o dia 11 de outubro, na paróquia Nossa Senhora de Nazaré, terá como tema: “Nazaré, berço do discipulado e da partilha”, e como lema Senhor, tu nos falas, arde o coração. (cf. Lc 24, 32). A abertura do Círio geralmente é marcada por uma grande alvorada de fogos de artifícios. Nesse dia, ocorre a missa solene de abertura e o encerramento da peregrinação no bairro, A corda no Círio de São Luis

feita durante todo o mês de Setembro, com o retorno das imagens da padroeira à igreja Matriz. Durante todos os dias do festejo, a programação religiosa conta com terços da alvorada, novenas e missas. Cada dia de celebração será voltado a subtemas todos relacionados à Maria, este ano serão: Nazaré, encontro de Deus com a humanidade; Nazaré, morada da palavra, lugar da escuta; Nazaré, o aconchego do lar; Nazaré, lugar do encontro e do diálogo; Nazaré, mística do silêncio; Nazaré, casa e escola de comunhão; Nazaré, um convite à oração e ao serviço; Nazaré, ícone da justiça, fidelidade e generosidade e Nazaré, escola de fé e discipulado. No primeiro sábado do festejo, acontece a Romaria do Círio, considerado o ponto alto da festa. “Saímos da igreja doCarmo, no centro, com destino à nossa paróquia, fazendo paradas em todas as igrejas do caminho e, na chegada, fazemos a missa dos Romeiros”, relatam os moradores do Cohatrac que já estão bastante entusiasmados com o Círio de Nazaré, “é a melhor época do ano no bairro”.

Nossa Senhora de Nazaré, no Círio de Cohatrac

A multidão na procissão do translado em Cohab-Cohatrac

Promessa Fiel O tradicional carro com os anjinhos, em Cohatrac

100

5

95

5

75

5

A multidão no Círio de Nazaré de Cohatrac

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

79

0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | ACRE

5

95

5

75

5

25

5

círio em

Rio Branco-AC

0

No interior da Catedral fiéis participam da grande celebração

Fiés se preparam para dar início à procissão pelo rio Acre

A

qui, na nossa Diocese vamos ter o privilegio de viver esse Ano de Graça do Senhor, a partir do sentido do espaço sagrado. Porque, celebrar o jubileu de uma igreja, significa celebrar o próprio Jesus Cristo que se dignou viver em nosso meio, armou sua tenda para sua moradia. A Catedral de Rio Branco, dedicada a Nossa Senhora de Nazaré foi criada no dia 14 de janeiro de 1958 e instalada no dia 26 de abril de 1959, completa desse ano 50 anos. Para agradecer a Deus por A caminhada do povo no Círio de Nazaré

00

Missa presidida por Dom Joaquín e concelebrada por vários padres e diáconos

tão grande dádiva, o Bispo Dom Joaquín Pertínez, anunciou o ano jubilar Mariano oferecendo-nos , assim, a possibilidade de passar um ano todo vivenciando as graças de Deus, com maior entusiasmo fortalecendo ainda mais nossa dimensão missionária.

Encontro das duas imagens Às margens do Rio Acre, uma multidão acompanhou o encontro das duas imagens, as quais chegaram em barcos. A chegada dos primeiros missionários à nossa terra deu-se através das águas do As margens do rio Acre fiéis aguardam a chegada das duas Imagens - A virgem de Nazaré e do seu Filho Jesus Cristo

Rio Acre. Com eles vinha o anúncio da Boa Nova de Jesus Cristo, com toda cultura religiosa, inclusive as imagens, símbolos da nossa comunicação com Deus Pai. Senhor Jesus, vem proteger nossa cidade com seus maradores e governantes. Novega no rio das nossas vidas. Transforma o nosso coração e nossas consciências para proteger a vida, a natureza e as águas deste rio. Dom Joaquín fez uma acolhida e depois já saímos em procissão pelas principais ruas de Rio Branco. Foi um momento forte da presença de Deus no meio de seu povo. Concentração dos fiéis no Calçadão da Gameleira às margens do Rio Acre 100

5

95

5

75

5

25

5

80

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

CÍRIOS | BRASIL | AMAPÁ

5

95

5

75

5

25

00

5

5

círio em

0

Macapá-AP

O

Círio de Nossa Senhora de Nazaré ocorre em Macapá há mais de 70 anos, uma devoção que cresce cada vez mais, inclusive entre as crianças e jovens. A programação que antecede e prepara a grande procissão do segundo domingo de outubro, este ano foi uma das maiores já realizada pela Diocese de Macapá. Desde meados da década de 90, com o incentivo do bispo Dom João Risatti, a peregrinação da imagem, que simboliza a mãe de Jesus, percorre os mais diversos pontos da cidade. Em 2008, diante de tantos pedidos oficiais e verbais, a coordenação da festa religiosa decidiu realizar a peregrinação nas paróquias, com as tradicionais romarias, visitas, reza do terço e celebração da Santa Missa. Milhares de pessoas, entre as quais muitas crianças e jovens, acompanharam as peregrinações paroquiais, com as imagens de Nossa Senhora de Nazaré visitando muitas escolas, capelas, comunidades, famílias, grupos de enfermos, ruas e avenidas de diversos bairros da capital do meio do mundo. A iniciativa multiplicou os momentos de orações, celebrações, homenagens e A berlinda no meio da multidão de devotos

devoções, assim como a preparação espiritual e comunitária para a participação noCírio. Duas imagens da Virgem de Nazaré, de acordo com o roteiro oficial, visitaram as sedes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, outras instituições, assim como hospitais, abrigo, penitenciária, escolas governamentais e particulares, universidades, faculdades e empresas. Uma das imagens que peregrinou foi a menor e mais antiga, a que mora no Carmelo de Santa Terezinha no decorrer do ano e que até 2005 seguia na berlinda do Círio. A outra imagem maior foi entronizada em 2006 e fica o ano todo ao lado de São José, na nova Catedral. Foram mais de vinte dias de reflexões sobre o tema central do Círio: Maria, mãe da vida! No último dia de visitações, ontem, 10 de outubro, às 10 horas, saindo da praça da Bandeira, o bispo de Macapá Dom Pedro Conti fez um sobrevôo de helicóptero sobre a cidade, dando a benção para toda a população. Às 19 horas, na Nova Catedral, outra solene celebração concluiu o período de peregrinações. Em seguida aconteceu a Noite de Louvor a Maria, com show musical de bandas católicas, do padre e cantor Joãozinho, Promesseiro

na quadra da paróquia de São José, na avenida Presidente Vargas. Durante a celebração e o show musical, Dom Pedro José Conti recebeu homenagens pela passagem de seu aniversário de 59 anos de vida. No sábado, as diversas equipes intensificam os serviços, como a ornamentação da berlinda, ensaios litúrgicos, testes da sonorização. Às 19 horas, após a Missa na NovaCatedral sai a procissão de transladação da imagem, seguindo pela rua General Rondon/ av. Cora de Carvalho/ igreja Nossa Senhora de Fátima. Domingo, dia 12, às 7h30, na praça Nossa Senhora de Fátima, Missa Solene presidida por Dom Pedro José Conti e concelebrada por todos os padres de Macapá. Após a Missa a procissão do Círio, no itinerário: rua Hildemar Maia/ av. Mendonça Furtado/ rua Hamilton Silva/ av. Presidente Vargas/ rua Cândido Mendes/ chegada na praçaVeiga Cabral e a benção final da frente da antiga Catedral. Às 19 horas o novenário que prosseguindo até o dia 17 de outubro, assim como outros programações culturais e litúrgicas. O Círio de Nazaré teve como tema "Maria Mãe daVida". Pagando promessas

100

95

5

75

5

25

5

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | MUNDO | FRANÇA Com Nossa Senhora

5

25

5

0

E m C ay e nne

França

00

5

5

100

95

75

Fotos: Henri Griffit

5

25

5

82

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

É

5

00

5

5

também no segundo domingo de outubro o Círio deCaiena. Como nos anos anteriores, o melhor da preparação foi a realização da Novena, realizada em casas diferentes e bairros diferentes, a ultima noite foi em Kourou. A novena tem permitido , além de reza a reflexão sobre a nossa vida, de se conhecer melhor, de se criar mais amizade e de firmar a comunidade católica brasileira , emCaiena. A divulgação de festa graças aos cartazes vindos de Macapa de Belém e outros feitos em Caiena, foi boa. Radios e TV divulgaram também. No dia do Cirio, o andor da Santa foi muito bem decorados com muitas e bonitas flores. A procissão foi realizada a tarde, saindo da capelaSt.MartindePorres,naMatinhaatéacatedraldeCaiena. Foram cerca de 1000 fiéis , na grande maioria brasileiros, que cantavam e rezavam, manifestando sua fé nas ruas de Caiena, tudo empaz ecommuitadevoção. AfestividadedoCíriofoilideradapelosPadresElieLagrilleeMichel.

25

5

0

Pelas ruas de Caiena

VU À… CAYENNE. Un millier de fidèles

100

L’histoire raconte qu’au début du 18e siècle, un jeune homme trouve une statue de Notre Dame de Nazareth près de la rivière Murucutu. À cet endroit, il entreprend de bâtir une chapelle autour de laquelle se développe bientôt une ville : Belém… Le Cirio de Nazareth a lieu chaque deuxième dimanche d’octobre depuis 1793 dans plusieurs communes du Brésil. Hier, comme depuis plusieurs années maintenant, la procession a aussi été organisée à Cayenne, emmenée par les

95

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

82

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | MUNDO | PORTUGAL

5

25

5

Festividades em Honra de de N. Sra. da

0

Nazaré-Portugal

O

Concelho da Nazaré assinalou, dia 8 de Setembro, o seu feriado municipal, com a celebração do Dia de N. Sra. da Nazaré e centenas de fiéis assistiram as celebrações religiosas em honra de N. Sra. da Nazaré, um dos mais antigos cultos marianos de Portugal. No Sítio, os preparativos começaram cedo, com a colocação de um tapete de flores no Largo do Santuário e nas ruas por onde passaria a procissão, numa iniciativa da Junta de Freguesia da Nazaré que contou com a colaboração de moradores da vila. A eucaristia em honra de N. Sra. da Nazaré, presidida pelo Padre João Sobreiro, pároco do Bombarral, decorreu no exterior do Santuário, para melhor acolher as centenas de pessoas que quiseram participar nas cerimónias. Este ano, um grupo de pessoas procurou recuperar a tradição da

00

5

5

Nossa Senhora da Nazaré em Enxara do Bispo

5

participação dos pescadores, através da consagração à padroeira de símbolos relacionados com a comunidade piscatória local. As celebrações prosseguiram com a simbólica Bênção do Mar e a procissão da imagem de N. Sra. da Nazaré pelas ruas do Sítio, que atraiu muitos visitantes. Seguindo uma tradição de séculos, o Santuário de N. Sra. da Nazaré recebeu os Círios das paróquias de Olhalvo, Cadriceira e Penela, com a realização de uma missa solene pelas 11 horas. As festividades incluíram ainda a inauguração da exposição “Touradas da Nazaré em Cartaz”, no Salão Nobre do Teatro Chaby Pinheiro, promovida pela Confraria de N. Sra. da Nazaré e pelo Museu Dr. Joaquim Manso, e um recital de música sacra no Santuário de N. Sra. da Nazaré, pelo contratenor Luís Peças.

O Grupo Etnográfico Danças e Cantares da Nazaré promoveu, no sábado, 12 de Setembro, o IX Festival Nacional de Folclore em Honra de N. Sra. da Nazaré. A iniciativa teve início pelas 15.30 horas, com a realização de uma missa campal, no Largo do Santuário do Sítio da Nazaré. O espectáculo de folclore decorreu pelas 17 horas, com a participação do Rancho Folclórico da Linhaceira (Região dos Templários); Grupo Folclórico de Faro (Algarve); Rancho Folclórico de Passos de Silgueiros (Beira Alta); e Rancho Folclórico da Casa do Minho em Lisboa (Alto Minho), para além do grupo anfitrião.

100

95

75

25

5

84

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

A fim de se enaltecer o acto solene das comemorações em Honra de Nossa Senhora da Nazaré, a Junta de Freguesia de Nazaré, vem uma vez mais, convidar toda a população a engalanar as suas varandas e janelas com colchas para a passagem dos Círios.

Sobre o tapete de flores no Largo do Santuário

Touradas da Nazaré em Cartaz: Um Percurso pelo Arquivo Histórico Uma colecção de cartazes que documenta a tradição do toureio na Nazaré, do Arquivo Histórico da Confraria de Nossa Senhora da Nazaré. Deste espólio e do Museu Dr. Joaquim Manso saem os exemplares reunidos na exposição “Touradas da Nazaré em Cartaz: Um Percurso pelo Arquivo Histórico”, integrada nas Festas de Nossa Senhora da Nazaré 2009.

FÁBRICA

00

100

5

95

5

75

Saúda a Virgem de Nazaré. Rainha da Amazônia !

5

25

5

Rod. Artur Bernardes, KM 14

Fone: (91) 3248-5651

Belém - Pará

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | MUNDO | PORTUGAL Chegada de Nossa Senhora da Nazaré à Igreja Nova

5

00

5

5

5

25

5

0

Igreja Nova acolheu Nossa Senhora da Nazaré

P

Te xto e fotos de Inácio Beirão

assados dezassete anos o Círio da Prata Grande regressou à freguesia da Igreja Nova (no concelho de Mafra, Portugal), cuja paróquia acolherá durante um ano a imagem de Nossa Senhora da Nazaré, que visita todos os anos uma das dezassete paróquias que integram o seu culto na região, numa autêntica «peregrinação de fé» em que cada acto de fé prepara o seguinte. Os festejos em sua honra decorreram de 12 a 19 de Setembro de 2009, durante os quais o concelho de Mafra em geral e a freguesia da Igreja Nova em particular, viveram um intenso programa religioso e profano com o objectivo tradicional de honrar Nossa Senhora, numa época em que cada vez mais vivemos preocupados com o ter, que constitui um problema, e não com o ser, que é um mistério. No sábado (dedicado pela Igreja a Nossa Senhora), dia 12 de Setembro muitos milhares de pessoas acorreram à

Igreja Nova, uns para se deliciarem com a música das Filarmónicas e com o convívio dos amigos, outros para saborearem a doçura da presença de Nossa Senhora da Nazaré que no final do dia deu entrada na paróquia, após ter demorado muitas horas a percorrer a distância entre Enxara do Bispo e Igreja Nova, sempre com aGuarda de Honra feita pelos militares da Charanga a cavalo da Guarda Nacional Republicana. Como um dos fundamentos desteCírio que se realiza um ano em cada uma das dezassete paróquias que a ele aderiram é o culto à Maternidade divina, origem da plenitude dos dons naturais e da graça com que a SantíssimaTrindade adornou Nossa Senhora, todos os anos se compõem cânticos chamados Loas para louvar Nossa Senhora. A freguesia que entrega a Imagem da Virgem, entoa cânticos de tristeza para se despedir de Nossa Senhora; a freguesia que recebe a Virgem, entoa cânticos de alegria

100

95

75

25

5

86

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

para receber Nossa Senhora da Nazaré. Neste contexto, este ano de 2009, a paróquia da Igreja Nova teve Rui Manuel PadeiroAlves como ensaiador dos anjos e autor das Loas (os tais cânticos de louvor). Domingos Janota, Presidente da Junta de Freguesia da Igreja Nova explicou à nossa revista que, segundo reza a tradição, a Loa parece ser um cântico antiquíssimo, possivelmente com origem nos cânticos bíblicos, nomeadamente nos cânticos de louvor entoados pelos anjos que no Novo Testamento vêm referidos como anunciando aos pastores de Belém o nascimento do Messias. O Círio da Prata Grande chegou à Igreja Nova pouco já pela noite dentro, onde se podia vislumbrar um magnífico e acolhedor cenário, pois as ruas desta pequena aldeia do concelho de Mafra estavam brilhantemente iluminadas num ambiente de calorosa recepção que só se voltará a repetir daqui a dezassete anos.

00

100

5

95

5

75

5

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

87

0


00

100

5

95

5

75

CÍRIOS | MUNDO | PORTUGAL

5

00

5

5

5

25

5

0

Círios da Arrábida em

PortugaL R

eza a história que o primeiro Círio ou Confraria teria estado nos festejos da Senhora da Arrábida, em Alcântara, Lisboa. Composta por saloios – pessoas que trabalhavam no campo e no mar, tal confraria viria do tempo em que o Inglês e mercador Haildebrant teria "arribado"

naArrábida, ou melhor na sua costa. Reza a lenda, que uma forte seca atormentava aqueles saloios, que viam suas terras cada vez mais pobres, as árvores a morrer e os poços e, até mesmo a Ribeira de Alcântara, secos ou com pouca água. O mesmo aconteceu com as terras da Confraria. Até que certo dia os confrades recordaram-se da Senhora e do mercador

Lenda de Nossa Senhora da Arrábida "(...) Há muitos anos, um rico merc ador inglês de nome Haildebrant deixou sua terra e embarcou-se com fazendas para Lisboa, onde julgava obter melhores lucros. Era este mercador muito devoto, possuindo e fazendo-se acompanhar por uma imagem da Nossa Senhora, talhada em Pedra e que segundo se dizia, teria sido a mesma que levaria a Inglaterra os religiosos da Ordem de S. Bento, enviados então por S. Gregório Magno para doutrinarem esse país. Vinham navegando já há dias, estavam quase a chegar á barra de Lisboa quando surge um imenso temporal, durante a noite, e a embarcação é levada pelos ventos

e pelo mar, depois de dobrar o Cabo Espichel esteve em risco de se perder na barra de Setúbal. O mercador e parte da tripulação descem até o porão e ajoelham-se, devotamente aos pés da Senhora. Pouco depois, como um milagre, dissipa-se a tempestade e ao olharem para o céu, viram um luz brilhantíssima, rompendo a escuridão da noite e iluminando a montanha como se fosse dia, tal era a claridade. Voltaram ao Porão para agradecer á imagem da Senhora desse milagre e ficaram admirados a olharem uns para os outros, dado que a imagem havia desaparecido. O dia nasceu claro e tranquilo e logo saltaram para a terra para

procurar a tal luz misteriosa, quando em dada altura descobrem sobre um penedo, a Senhora Talhada em Pedra, que havia desaparecido do barco. O mercador Haildebrant renunciou então á sua fortuna fazendo-se ermitão, distribuindo tudo o que possuía; edifica no local onde encontrou a Senhora, uma ermida que desde logo toma o n o m e d e " M e m ó r i a " . Pa r a comemorar tal milagre, este mercador pede aos seus companheiros que o visitassem sempre que fosse possível, e lhe trouxessem alfaias religiosas, para que pudesse melhor ornamentar sua ermida (...)."

100

95

75

25

5

88

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

5

00

5

5

5

Os Círios

Por Círios eram e são designadas as romarias realizadas aos santuários de culto mariano, de que são exemplo as do Cabo Espichel. Esta designação decorre do fato de os romeiros transportarem ao longo do trajecto até ao Santuário uma vela grossa ou tocha, a qual representava o sentir de toda a comunidade

Inglês, que pelo milagre que recebeu da Senhora a desejou servir mesmo na Arrábida, tornando-se ermitão, desejando ali ficar. Fizeram-lhe então, pedidos e promessas de ali se deslocaram com o seu Círio, na esperança que pudesse alterar a sua triste situação. Segundo esta lenda, chuva de fato caiu e foram colhidos produtos da época posteriormente levados até á Arrábida para pagar a promessa á Senhora. Uns aí se dirigiram por mar, outros por Coina, puxados por carros de bois. O primeiro Círio de Setúbal, á Senhora da Arrábida fora instituído em 1839. Estas festas demoravam, inicialmente três dias: sexta-feira, sábado e domingo com um programa variado; sendo uma das festas mais importantes doSul do país. O Círio da Arrábida realiza-se em Vila Nogueira de Azeitão e na Arrábida, em Julho, com a duração de 2 dias. O Círio de Nossa Senhora da Arrábida saiu na tarde do dia 5 de Julho de 2008, com cerca de 40 cavaleiros a acompanharem a imagem de Nossa senhora na berlinda.

25

5

0

O Senhor Padre José Ferreira, pároco de Azeitão, acompanhou a procissão numa elegantíssima caleche, sendo secundado por mais cerca de uma dezena de atrelagens. Refira-se, a título de curiosidade, que também houve alguns póneis, montados por crianças de muito tenra idade, que se pretende que venham a ser os continuadores desta tradição. Como é costume, a Imagem de Nossa Senhora passou a noite no Convento Novo com alguns romeiros, havendo na manhã, missa no local, celebrada peloSenhor PadreVítor Milícias. Após a missa fez-se o tão esperado e participado almoço do Círio, seguido do costumeiro convívio. Tudo isto, ainda no Convento Novo. Já com a tarde avançada, a procissão saiu do Convento em direcção a Azeitão, sendo aguardada pelos cavaleiros em Aldeia de Irmãos, que a trouxeram de regresso à Igreja Paroquial de São Lourenço, onde centenas de pessoas a aguardavam. Viva oCírio de 2009!

O convento da Arrábida foi construído em 1539-1542 por iniciativa de D. João de Lencastre, 1º Duque de Aveiro e proprietário da serra, que o ofereceu a Frei Martinho de Santa Maria, um religioso castelhano da Ordem de S. Francisco, desejoso de fazer uma vida eremita devotada a Nossa Senhora. Na serra da Arrábida existia já, desde 1250, uma ermida da invocação de Nossa Senhora da Arrábida, erguida pelo inglês Hildebrando, mercador salvo de um naufrágio na costa setubalense; desta ermida pouco se sabe, embora numa visitação da Ordem de Santiago, levada a cabo em 1553, se enumere considerável acervo de alfaias litúrgicas e imaginária diversa, entre a qual estaria a imagem de Nossa Senhora da Arrábida que durante muito tempo atrairia peregrinos ao local. O Convento da Nossa Senhora da Arrábida, fica meio escondido entre as árvores da vertente sul da serra, virada para o mar.

100

95

75

25

5

Revista Círios de Nazaré | 2009

89

0


00

100

5

95

5

75

C Í R I O S | M U N D O | E S PA N H A

5

25

5

Nossa Señora Maria Santísima

0

de la Sierra La Patrona y Alcaldesa Perpetua de Cabra

A

Virgen de la Sierra é a padroeira da cidade de Cabra (Córdoba), Espanha. A imagem é esculpida em madeira policromada, estilo gótico-arcaico, datada do final do século XIII ou no início do décimo quarto. A história remonta aos primórdios do Cristianismo, quando santo Hesiquio, um discípulo do Apóstolo Santiago, entrou em Egabro, atual Cabra,

pregando as doutrinas do Evangelho, sendo recebidos por seus moradores, com grande entusiasmo e mostrandolhes uma das imagens da Santíssima Virgem, esculpidas por São Lucas, na frente D'Ela. No ano 1240, a imagem de Nossa Senhora da Serra foi encontrada por um pastor em uma gruta onde teria sido escondida em séculos anteriores. Nossa Señora Maria Santísima de La Siera, a Virgen de la Sierra é considerada a rainha da província deCórdoba.

Nuestra Virgen de la Sierra

00

100

5

95

5

75

5

25

A descida da Virgem Santa 5

90

Revista Círios de Nazaré | 2009 0


00

100

5

95

5

75

5

25

5

0

00

100

5

95

5

75

5

25

5

0


00

100

95

75

100

95

75

25

5

0

Cirios de Nazare 2009  
Cirios de Nazare 2009  
Advertisement