Issuu on Google+

ParAanon18á

DIVULGAÇÃO Curitiba | Julho | 2009 - 1

REV 214.pmd

1

27/7/2009, 10:41


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO 2 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

2

27/7/2009, 10:41


As incertezas rondam o futuro próximo do nosso País. Em todos os quadrantes do amanhã existem questionamentos. O espólio da Era Lula abriga contenciosos explosivos. Não importa quem seja o vencedor nem a sigla partidária. O próximo ocupante do Palácio do Planalto deverá lidar com um quadro fiscal preocupante, um orçamento repleto de gatilhos que projetam fagulhas de alta combustão, comprometendo a futura gestão governamental. A margem de ampliação dos investimentos será mínima e o risco de desordem das contas públicas é potencialmente alto. A descontrolada expansão dos gastos correntes no segundo mandato do presidente lula é objeto de análise de diversos economistas. Um estudo recente mostrou que as despesas já contratadas projetam um déficit fiscal da ordem de R$ 2,1 bilhões em 2010. São muitas as esparrelas no caminho do próximo governante. O que não pode ser negado: “não há como sustentar o aumento dos gastos com a economia desacelerada”. Os especialistas alertam para as inúmeras armadilhas em curso. Nesse itinerário de gastança, muitas das despesas contraídas no cenário da crise

DIVULGAÇÃO

ParAanon18á

FILIADA AO SINDEJOR - PR

Fundada em 21/11/1990 É uma publicação mensal da Cezarini Publicidade S.C. Ltda.ML Presidente Fundador: Alfeu A. Cezarini Diretor Geral: Márcio Trevisan Cezarini

e apresentadas como anticíclicas são permanentes. A professora Margarida Gutierrez, do Instituto Coppead da UFRJ, destaca que política anticíclica “não se faz com gasto obrigatório”. Na sua avaliação, o padrão de gasto do atual governo é “muito ruim e piorou este ano”. O consenso entre muitos economistas especializados em contas públicas é fulminante: é temerária uma política anticíclica calcada em gastos de pessoal e custeio. A irresponsabilidade fiscal não pode ser justificada sob qualquer pretexto. Infelizmente, o governo do presidente Lula se vale de argumentos duvidosos para sustentar sua sanha perdulária. Não há terreno firme para o próximo governante. Se nos fixarmos, por exemplo, no Plano Agrícola e Pecuário para a safra 2009/2010, anunciado de forma apoteótica, no reverso do outdoor há borrão ilegível. As lacunas de um plano eminentemente estratégico para o Brasil são inúmeras. É gritante a ausência de medidas que possibilitem facilitar o acesso dos produtores ao crédito rural. Nem de leve tocou na diminuição dos juros cobrados nos Recursos Obrigatórios (RO), os quais estão em descompasso com a queda da taxa básica

de juros (Selic). É ‘para ontem’ a necessidade de desonerar os produtores. O seguro rural foi outro ponto falho, entre tantas deficiências do Pacote. No tocante ao futuro das agências reguladoras, cresce a onda de ingerência política e asfixia orçamentária. Na sequência do sucateamento imposto às agências reguladoras, causou espécie a recente publicação de portaria que transferiu para a Advocacia Geral da União o poder até então a elas conferido de defender decisões perante tribunais superiores. São demais os perigos dessa sucessão para aqueles que pretendem suceder o presidente Lula. Numa rota nebulosa e de obstáculos previsíveis, só resta reprisar o adágio popular: o futuro a Deus pertence.

Senador Alvaro Dias 1º vice- líder do PSDB

Palácio do Planalto em Brasília: Presidência da República e Secretarias Governo Federal: Todos os Ministérios e Órgãos Públicos Federais Congresso Nacional em Brasília: Senado Federal e Câmara Federal Embaixada e Consulados: Todas as Embaixadas e Consulados estabelecidos no Brasil Governos Estaduais Brasileiros: Todos os 27 Governos Estaduais suas Assembléias Legislativas e todas as Prefeituras de Capitais Brasileiras Governo do Estado do Paraná: Gabinete do Governador Todas as Secretarias de Estado e Autarquias Poder Judiciário no Paraná Assembléia Legislativa: Todos os Gabinetes de Deputados Prefeituras e Câmaras Municipais: Todas as Prefeituras do Paraná e suas Secretarias Câmaras Municipais do Paraná: Todos os Gabinetes de Vereadores Tribunal de Contas do Estado do Paraná

EDITOR: Francisco Lustosa - Reg. MT 1006/07/05 PR - e-mail: lustosa@onda.com.br Redação, Adm. e Circulação: Rua Dep. Mário de Barros, 1700 - Sala 212 - CEP 80530-280 - Curitiba - Paraná Fone: (0xx41) 3253.0368 - Fax: 3254.6771 - e-mail: rev-divulga@onda.com.br / www.revistadivulgacaoparana.com.br COLABORADORES: Antonio Carlos de Souza (Kakau), Nestor Baptista, Clóvis Stadler de Souza, Paulo Gomes, Bira Hathi (fotos), Paulo Gomes Júnior, Sylvio Sebastiani e Pedro Washington IMPRESSÃO: Exklusiva, Fone: 41 3273-6467 - Curitiba/PR - TIRAGEM: 3 mil exemplares EDITORAÇÃO ELETRÔNICA E FOTOLITO: Ponto Final Rua Reinaldo Egon Heidinger, 36 - Ap. 15 - CEP 80035-290 - Curitiba - Paraná Os conceitos emitidos em artigos assinados são de exclusiva responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião desta Revista. A Divulgação Paraná é filiada ao Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas do Estado do Paraná

Curitiba | Julho | 2009 - 3

REV 214.pmd

3

27/7/2009, 10:41

ARTIGO

“Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas... continuarei a escrever” (Clarisse Lispector)

ParAanon18á

CIRCULAÇÃO DIRIGIDA POR MALA DIRETA

DIVULGAÇÃO

O futuro a Deus pertence


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO PESQUISA

O diretório estadual do PSDB divulgou (20), uma pesquisa de intenções de votos, realizada pelo Ibope, apontando que os dois précandidatos do partido, o prefeito de Curitiba Beto Richa (PSDB) e o senador Alvaro Dias, lideram a preferência do eleitor de Curitiba para a disputa ao governo nas eleições do próximo ano.

Pesquisa dá larga vantagem para Beto Richa na Capital

Quando o prefeito Beto Richa é confrontado com os adversários do PMDB, PDT, PT e PV, suas intenções de votos variam entre 63% e 65%, dependendo dos adversários. Os percentuais do senador Alvaro Dias são mais modestos, mas ele também ocupa o primeiro lugar na corrida eleitoral, quando substitui Beto como candidato do partido. Alvaro oscila entre 30% e 39% frente aos mesmos nomes que integram os cenários de Beto. A pesquisa do Ibope é a primeira divulgada após as denúncias de irregularidades na campanha eleitoral do ano passado contra o prefeito de Curitiba. O site do Ibope informou que a pesquisa foi encomendada pela Rádio BandNews e as entrevistas foram feitas entre 16 e 18 deste mês, com 805 pessoas. A margem de erro é de três pontos percentuais. Beto tem o percentual de intenções de votos mais alto quando os adversários são a presidente estadual do PT, Gleisi Hoffmann, e o vice-governador Orlando Pessuti (PMDB). Gleisi nunca foi apontada como candidata ao governo pelo PT, onde o nome indicado é o do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Neste cenário, Beto que foi reeleito com 77% dos votos, está agora com 65% das

intenções de votos, contra 12% obtidos por Gleisi e 5% dados a Pessuti. Único dos pré-candidatos dos pequenos partidos incluídos na pesquisa, o presidente do Instituto Ambiental do Paraná, Vitor Hugo Burko (PV), não pontua. Os votos em branco e nulo somam 13%. Os indefinidos são 6%. No segundo cenário, Beto vai para 63%, quando a disputa se dá com o senador Osmar Dias (PDT), que aparece com 14%. Pessuti alcança 4% e Burko fica com 1%. Os votos brancos e nulos são 11% e os indefinidos permanecem em 6%. Sem ele Quando o prefeito de Curitiba sai da cena eleitoral, o senador Alvaro Dias aparece com 30% das intenções de votos. O segundo colocado é o senador Osmar Dias com 26%, seguido de Pessuti com 8% e Burko com 2%. Na segunda hipótese, quando Osmar não é candidato e a disputa é com Gleisi Hoffmann, Alvaro sobre para 39%. Ela aparece em segundo com 18%. Pessuti e Burko mantêm os mesmos percentuais. Os votos nulos e brancos variam 22% e 23% e os indefinidos entre 10% e 12%. Na pesquisa espontânea, em que não são apresentados nomes de candidatos aos entrevistados, Beto Richa obtém

21%, Alvaro Dias e Osmar Dias obtêm 3% cada e Gleisi Hoffman e Orlando Pessuti aparecem com 1% cada um. Cerca de 55% dos curitibanos não citam espontaneamente um candidato ao governo do Paraná. O Ibope avaliou a gestão de

Veja os resultados: Pergunta:Se a eleição para Governador do Paraná fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o (a) sr(a) votaria? Cenário 1 (estimulada) BETO RICHA - .......................................................... 63% Osmar Dias- ................................................................ 14% Orlando Pessuti - ........................................................ 04% Vitor Hugo - ................................................................ 00% Branco/Nulo - ............................................................. 13% Não sabe/Não respondeu - ......................................... 06% Cenário 2 (estimulada) BETO RICHA - .......................................................... 65% Gleisi Hoffman- 1 .......................................................... 2% Orlando Pessuti - ........................................................ 05% Vitor Hugo - ................................................................ 01% Branco/Nulo - ............................................................. 11% Não sabe/Não respondeu - ......................................... 06% Cenário 3(estimulada) Álvaro Dias - .............................................................. 30% Osmar Dias- ................................................................ 26% Orlando Pessuti - ........................................................ 08% Vitor Hugo - ................................................................ 02% Branco/Nulo - ............................................................. 23% Não sabe/Não respondeu - ......................................... 10% Cenário 4 (estimulada) Álvaro Dias - .............................................................. 39% Gleisi Hoffman - .......................................................... 18% Orlando Pessuti - ........................................................ 08% Vitor Hugo - ................................................................ 02% Branco/Nulo - ............................................................. 22% Não sabe/Não respondeu - ......................................... 14%

4 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

4

Beto na prefeitura. Ótima ou boa foi a classificação escolhida por 73% dos entrevistados. Outros 19% definiram a administração de Beto como regular, enquanto 6% a classificam como ruim ou péssima. A aprovação do tucano é de 81%.

27/7/2009, 10:41


Foto; Carlos Antonio Soares/SECS

O vice-governador Orlando Pessuti entregou (22), uma ambulância do Siate em Piên, na Região Metropolitana de Curitiba. Também três agricultores

ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

Foto; Carlos Antonio Soares/SECS

Pessuti entrega ambulância e tratores em Piên receberam máquinas do programa Trator Solidário. As entregas foram feitas na abertura da 17.ª Festa do Produtor Rural e do Fórum de Agricultura no complexo Patamares. “No município, cerca 70% dos habitantes trabalham na agropecuária”, disse Pessuti. Pessuti anunciou o Governo do Estado vai construir, na cidade, uma Clínica na Mulher e da Criança e uma Biblioteca Cidadã. Ele disse também que serão financiados, a fundo perdido, 70% da nova escola municipal. O prefeito Gilberto Dranka

O deputado Antonio Anibelli, o prefeito de Piên Gilberto Dranka, o vice-Governador Orlando Pessuti e o ex diretor da Cohapar João Arruda

contou que já foram entregues aos produtores do município, desde o início do programa Trator Solidário, 60 tratores e que outros 24 serão entregues em setembro. Segundo Dranka, a festa, que inicia com palestras para produtores, terá entretenimento para toda a família. “Até domingo (26), teremos rodeio, shows, exposição de animais, a sexta etapa do campeonato paranaense de

velocross e demais atrações”, explicou. Também participaram na solenidade o deputado estadual Antônio Anibele, diversas lideranças políticas da região e cerca de 800 agricultores. “Esta região é formada majoritariamente por produtores da agricultura familiar, que cultivam o feijão e o milho, por isso se faz importante a presença do governo e de seus programas”, disse o parlamentar.

“Nascer no Paraná: Direito à Vida” em Curitiba cupação com os índices de mortalidade materna e infantil não é apenas do Estado, mas também dos municípios. “A união entre o Estado e os municípios em um mesmo objetivo reúne todas as ferramentas necessárias para se obter êxito, de forma que cada representante presente neste evento sairá daqui sabendo qual serão os próximos

passos em direção ao sucesso deste projeto”, afirma. Dados preliminares mostram que coeficiente de mortalidade infantil no Estado, em 2008, era de 13 para cada mil nascidos vivos, e que o coeficiente de mortalidade materna no mesmo ano era 56,44 para cada 100 mil nascidos vivos.

O secretário da Saúde, Gilberto Martin, lançou (22) o Programa Nascer no Paraná: Direito à Vida em Curitiba. O lançamento reuniu cerca de 250 representantes da esfera pública e de diversas entidades sociais.

Curitiba | Julho | 2009 - 5

REV 214.pmd

5

27/7/2009, 10:41

GERAL

morte de mães e bebês”, destaca Martin. Martin explica ainda que uma das bases do programa é as Clínicas de Saúde da Mulher e da Criança, já implantadas em vários municípios. “Esse é um projeto voltado especificamente para este público e se torna o principal instrumento para seguirmos no combate a mortalidade materna e infantil. Além das clínicas, contamos com o apoio das Unidades Básicas de Saúde e também dos hospitais públicos e credenciados ao SUS”, completa. Para a diretora da 2ª Regional de Saúde de Curitiba, Marinalva Gonçalves da Silva, “a ação tem um papel fundamental na mobilização e integração dos municípios com a equipe técnica do comitê de mortalidade materno-infantil do Estado, além disso, pretende rever a política de saúde voltada a este público de forma que ela se torne mais prática e resolutiva”, ressalta. Segundo o prefeito de Campo Largo, Edson Basso, a preo-

Foto: SESA

O secretário da Saúde, Gilberto Martin, lançou (22) o Programa Nascer no Paraná: Direito à Vida em Curitiba. O lançamento reuniu cerca de 250 representantes da esfera pública e de diversas entidades sociais. O projeto pretende reduzir os índices de mortalidade materna pela metade e a infantil para menos de 10 a cada mil nascidos vivos, no Paraná. Para garantir o direito à vida de mulheres e crianças, o programa é composto por seis passos que envolvem a implantação de comitês municipais de mortalidade e de um sistema de busca de gestantes; garantia de pré-natal a todas as gestantes e de uma maternidade de referência pré-estabelecida; aumento da vigilância do recémnascido e o acompanhamento do bebê até um ano de vida. “As ações são claras e efetivas e se seguidas por todos os municípios com o suporte do Estado, atingirão ótimos resultados. Dessa forma vamos reduzir significativamente as causas evitáveis responsáveis pela


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

PSDB-PR destaca 21 anos de fundação do partido

Para o presidente da legenda no Paraná, deputado estadual Valdir Rossoni, o partido alcança a sua ‘maioridade’ e tem muitos motivos para se orgulhar. “O PSDB tem uma história de boas realizações e de excelentes projetos pelo país. Nós fomos precursores na criação e aplicação de projetos nas áreas de educação, saúde, social e da transferência de renda”.

Rossoni lembrou ainda que o PSDB tem uma linha de atuação focada na seriedade e na competência da administração pública. “Comandamos o país por oito anos, e se hoje o Brasil apresenta condições de atravessar uma crise mundial é porque nós implantamos bases sólidas de governança”, ressaltou. O presidente paranaense acrescenta ainda que o PSDB reúne em seus quadros grandes lideranças, como os governadores José Serra e Aécio Neves, e o prefeito Beto Richa, entre tantos outros nomes com forte presença nacional e estadual. Entre os fundadores do partido também estiveram nomes de expressão, como Franco Montoro, Fernando Henrique Cardoso, Mario Covas e José Richa. Hoje também vai ao ar, em rede nacional de rádio e televisão, o programa semestral da legenda. PSDB Em 2008 elegeu 786 prefeitos, vencendo a disputa em capitais como Curitiba, Cuiabá e São Luis. Além disso, governa cinco estados, inclusive os dois

com maior peso econômico: Minas Gerais e São Paulo, onde Aécio Neves e José Serra têm ampla aprovação popular e reconhecimento nacional, em gestões marcadas pela responsabilidade fiscal e pela eficiência. No Congresso, são 58 deputados e 13 senadores que atuam na oposição ao governo Lula, mas sempre a favor do Brasil. No Paraná, o partido conta

com a representação do senador Alvaro Dias, dos deputados federais Affonso Camargo, Alfredo Kaefer, Gustavo Fruet e Luiz Carlos Hauly, e dos deputados estaduais Ademar Traiano, José Francisco Bührer, Luiz Fernandes Litro, Luiz Accorsi, Luiz Nishimori, Miltinho Puppio e Valdir Rossoni. O PSDB conta ainda com 43 prefeitos, 42 vice-prefeitos e 450 vereadores.

PDT defende manutenção de aliança para o governo

BOLSA FAMILIA

A manutenção da aliança para as eleições do próximo ano entre os partidos que disputaram a última eleição para o governo do Estado e a prefeitura de Curitiba foi defendida pelo deputado estadual Douglas Fabricio (PPS) durante evento do PDT (11) em Campo Mourão. Na mesa de autoridades liderada pelo senador Osmar Dias, o deputado disse que o PPS tem a missão de evitar uma divisão entre Osmar e Beto Richa. “Nosso grupo político trabalhou para que o senhor fosse governador do Paraná e em Campo Mourão o senhor ganhou disparado a eleição. O PPS tem agora a missão nesse projeto de manter a união pensando no Paraná. A união dos partidos que fizeram o Beto ser prefeito de Curitiba, para que tenhamos o governador já no primeiro turno”, defendeu Douglas.

6 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

6

27/7/2009, 10:41


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

DER admite que ainda pode pagar o tributo embutido, extinto em janeiro de 2008. Prejuízo em contratos assinados pela União é de pelo menos R$ 8,6 milhões Fadel, da AMP: foi pedido levantamento de todas as obras (Marcelo Elias/ Gazeta do Povo)

A Associação dos Municípios do Paraná (AMP) já sugeriu às prefeituras paranaenses que façam uma verificação em todos os contratos para detectar se há ainda o pagamento embutido da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), imposto que foi extinto em janeiro de 2008. A Secretaria Estadual de Administração fará a revisão dos documentos a partir da semana que vem. As iniciativas ocorrem dias após o Tribunal de Contas da União (TCU) e a Controladoria-Geral da União (CGU) apontarem que pelo menos 27 contratos do governo federal com empresas privadas ainda têm embutido o tributo. O prejuízo estimado com o pagamento de CPMF indevida nesses casos é de R$ 8,6 milhões. A Associação dos Municípios do Paraná (AMP) já sugeriu às prefeituras que façam uma verificação em todos os contratos para detectar se ainda há o pagamento embutido da CPMF. O presidente da entidade e prefeito de Castro, Moacyr Elias Fadel, contou que há empresas pressionando algumas prefeituras para manter o pagamento previsto nos contratos assinados antes

da extinção do tributo, em janeiro de 2008. A associação distribuiu um informe orientando as prefeituras a revisarem os contratos e a não pagarem o montante relativo ao tributo. “Pedimos um levantamento de todas as obras assinadas antes do fim da CPMF e que ainda estão em execução para fazermos uma orientação direcionada”, afirmou Fadel. O procurador jurídico da AMP, Júlio César Henrichs, pretende pedir a revisão dos contratos na Justiça, assim que as prefeituras confirmarem a existência de irregularidades. “Nas ações já existentes, pretendemos auxiliar a defesa das prefeituras”, declarou. A associação espera que as cidades do interior comecem a informar sobre possíveis irregularidades a partir da próxima semana. Após a divulgação desses dados, governos estaduais e tribunais de contas começaram a analisar os contratos firmados com a iniciativa privada. No Paraná, no entanto, o Tribunal de Contas do Estado (TC) já descartou a ocorrência desse problema (leia mais abaixo). Essa posição, no entanto, parece ter sido precipitada.

O Departamento de Estradas e Rodagens (DER) admitiu que ao menos um de seus contratos pode ter embutido até hoje a CPMF. Em 2006, quando o imposto estava em vigência, o DER assinou um convênio com o Exército para pavimentar a Estrada do Cerne, que liga as localidades de Campo Magro e Bateias, na região metropolitana de Curitiba. O acordo continua em vigor, já que obra ainda não foi concluída. Segundo a assessoria de imprensa do DER, desde a extinção do tributo, o contrato não foi revisto e, portanto, o pagamento da CPMF pode estar sendo realizado de forma indevida. O órgão revelou que aceitava a inclusão do imposto na lista de despesas dos convênios até o início de 2008, mas não soube afirmar se o Exército realmente incluiu o tributo no contrato em questão. Como o valor do acordo atualmente é de R$ 12,7 milhões, o valor aproximado da CPMF inclusa seria de cerca de R$ 48 mil. Já a secretária de Administração, Maria Marta Lunardon, afirmou que deve pedir uma revisão nos contratos da secretaria “por precaução”.

Ela disse não acreditar que haja esse tipo de problema no governo estadual, mas, por garantia, fará uma verificação. “Cautela nunca é demais”, declarou. O levantamento deve atingir, principalmente, a contratação de prestação de serviços de limpeza e segurança em todo o Paraná. O secretário de Comunicação do Estado, Benedito Pires, consultou outros secretários de governo que lidam com um volume grande de contratos (como os da Fazenda, do Trabalho e do Planejamento) e disse que nenhum deles detectou problemas semelhantes àquele enfrentado pela União. “De qualquer forma, o governo deve empenhar-se em checar a existência de qualquer irregularidade”, afirmou. Entretanto, os órgãos de governo consultados pela reportagem revelaram que ainda não receberam nenhuma orientação de como agir em relação caso. A revisão também foi anunciada pelos estados da Bahia, do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul. O governo gaúcho, inclusive, estuda a possibilida-

Curitiba | Julho | 2009 - 7

REV 214.pmd

7

27/7/2009, 10:41

AMP / TC

Governo e prefeituras caçam contratos com CPMF


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO AMP / TC

de de pedir descontos à iniciativa privada, no caso de detectar contratos em que a CPMF ainda está inclusa como despesa.

Agricultura do Paraná precisa agregar valor aos seus produtos, diz Osmar Dias Fortalecer a agroindústria paranaense e agregar valor aos produtos do campo. Esse é o principal desafio para o desenvolvimento regional do Paraná na visão do senador Osmar Dias.

TC faz análise de amostragem e descarta irregularidades O Tribunal de Contas do Estado (TC), diferentemente dos TCs de outros estados e do Tribunal de Contas da União, decidiu não verificar se a CPMF continua sendo “embutida” nos contratos firmados pelo poder público paranaense com empresas privadas. O TC informou, por meio da assessoria de imprensa, que nesta semana fez um levantamento por amostragem em “centenas” de contratos firmados pelo governo e por prefeituras, mas não encontrou nenhuma irregularidade. Diante disso, o órgão concluiu que não é necessário uma auditoria mais detalhada. O tribunal também decidiu não recomendar aos municípios e ao governo que façam a revisão dos contratos. A reportagem da Gazeta do Povo também procurou o Ministério Público que atua no TC. O procurador-geral do órgão, Elizeu de Moraes Correa, informou que o assunto ainda não foi discutido. Ele confirmou, porém, que desde que a CPMF foi extinta não havia ocorrido, por parte da procuradoria, uma verificação específica sobre o caso. “A CPMF significa tão pouco que não houve preocupação”, afirmou Correa. Ele afirmou que, como boa parte das obras contratadas pelas prefeituras do interior não tem valor elevado, o montante que as empresas poderiam estar embolsando com a cobrança da CPMF não seria significativo. O valor da CPMF era de 0,38% do montante movimentado. Em cada R$ 1.000,00, por exemplo, o custo do tributo era de R$ 3,80. Extraido do Jornal Gazeta do Povo publicado em 24/07/2009

O líder do PDT no Senado Federal esteve (dia 11), em Campo Mourão, para coordenar as reuniões de trabalho do Projeto Paraná, plano de governo a ser apresentado pelo PDT em 2010 com base nas informações da sociedade paranaense organizada. Osmar Dias acredita que a agricultura paranaense precisa dar um passo adiante na questão da industrialização de sua produção. “A experiência das cooperativas já provou que esse é o caminho. Em Campo Mourão, a Coamo já deixou de ser apenas um produtor primário e hoje tem uma linha de produtos beneficiados que aumenta a sua rentabilidade e distribui mais renda aos seus cooperados”, garante. Segundo o senador, “as cooperativas são um bom exemplo de como podemos organizar a sociedade e promover o desenvolvimento econômico e social”. Osmar completou afirmando que a agricultura atualmente responde por 47% de tudo o que foi exportado pelo Paraná. E que agregando valor aos produtos, esse índice deve aumentar consideravelmente. “Para que isso aconteça, será preciso fortalecer a organização do empresário do campo e da cidade em busca da competitividade”, acredita. O senador também afirmou que o desenvolvimento econômico passa por uma política tributária justa e uma infra-estrutura moderna de estradas, portos e aeroportos.

Sobre as dificuldades financeiras das cidades do interior do Paraná, Osmar afirmou que atualmente os municípios experimentam uma perda de receita da ordem de 20%, fruto da centralização dos recursos por parte do Governo Federal. E que no Senado ele fez diversas gestões junto ao presidente Lula para conseguir liberar do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para este ano o mesmo valor liberado no ano passado. MEIO AMBIENTE E ÁGUA Um dos temas mais discutidos numa das reuniões do Projeto Paraná foi a preservação da mata ciliar e dos mananciais. Osmar afirmou que vai propor a criação do Plano de Conservação de Água para premiar com benefícios fiscais os produtores que preservarem suas fontes de água. Mais de 800 pessoas prestigiaram o evento e colaboraram com diagnósticos, identificação de problemas e a sugestão de soluções para a região. “Não adianta fazer marketing, tem que ter projeto para conquistar a confiança da população. E é isto que estamos fazendo. Percorrendo o estado e ouvindo as pessoas para apresentar um plano de metas adequado e realista para o desenvolvimento do Paraná”, afirmou. PROJETO PARANÁ Sede da quinta reunião do Projeto Paraná, Campo Mourão discutiu 12 temas de interesse:

8 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

8

27/7/2009, 10:41

Água e Meio Ambiente; Agricultura e Agroindústria; InfraEstrutura; Habitação e Cidades; Ação Social e Cidadania; Saúde e Bem-Estar; Segurança e Justiça; Esporte, Cultura e Turismo; Desenvolvimento Industrial e Comércio; Educação e Tecnologia; Administração e Finanças; e Mulheres e Juventude. Por onde passa com o Projeto Paraná, Osmar Dias tem percebido que a grande demanda da população é por melhorias na Saúde e Segurança Pública. “O estado precisa investir em recursos humanos nessas áreas, com mais policiais nas ruas e mais médicos nos hospitais”, afirmou. Osmar também sugeriu a criação de uma rede integrada de hospitais universitários para, com investimentos, melhorar o atendimento de saúde, oferecendo serviços especializados à população paranaense. A exemplo do que vem acontecendo em todas as reuniões do Projeto Paraná, Campo Mourão recebeu diversas lideranças políticas das mais variadas siglas. O município anfitrião estava representado pela vice-prefeita, Regina Dubai, do PR. Gleisi Hofmann do PT não pôde estar presente, mas mandou representante: o ex-prefeito de Vera Cruz, Marcos Pescador. Também compareceram os deputados federais Abelardo Lupion, do DEM, e Ricardo Barros, do PP. A deputada estadual do PP, Cida Borghetti, também marcou presença.


Os velhos conterrâneos chegam de todos os cantos do Paraná – gente de Curitiba, Paranaguá, Iguape, Cananéia e Registro para participar da festa em homenagem a São José, uma das poucas coisas que restaram da Vila de Ararapira, município de Guaraqueçaba, na divisa entre Paraná e São Paulo. A Vila que outrora foi até alvo de disputa entre paranaenses e paulistas, hoje está abandonada. A denúncia, feita pelo licenciado em História José Carlos Muniz na edição de julho na revista História da Biblioteca Nacional, comoveu o deputado paranaense Luiz Carlos Hauly (PSDB). Ele encaminhou ofício ao ministro do Meio Ambiente Carlos Minc relatando as causas do abandono – a principal delas a criação do Parque Nacional do Superagui, nos anos 90. Também contribuiu para o esvaziamento da cidade, a abertura do canal do Varadouro, em 1950, a instalação da Companhia Agropastoril na década de 70. “O canal do Varadouro fez o nível do mar subir e destruir parte da Vila; a Cia Agropastoril

destaca o deputado. O parlamentar também ressaltou a importância do trabalho das voluntárias da Rede Feminina de Combate ao Câncer, presidida por Janice Gastaldon: “Elas são um exemplo do quanto serviço de voluntariado pode ajudar os que mais necessitam”, afirma Ney. Hoje, as necessidades mais urgentes do Erasto Gaertner são as reformas para ampliação de suas estruturas – a campanha Erasto³ - Solidariedade na medida certa, criada para viabilizar a construção do novo prédio com três andares. Para ajudar o Hospital Erasto Gaertner acesse o site www.erastogaertner.com.br, ou pelo 08006434888.

soltava búfalos que invadiam os terrenos caiçaras e destruíam as plantações”, relata Muniz. O deputado Hauly cobrou do Ministro ações para proteção da Vila que sofre com saque de imagens, destruição do cemitério e abandono das antigas edificações. Ele reiterou ao Ministro que o Ministério do Meio Ambiente e seus entes descentralizados, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais–IBAMA e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade são responsáveis pela defesa do meio ambiente e dos moradores circunvizinhos às unidades de Conservação Nacional. “Tenho a convicção de que o Ministério do Meio Ambiente, por meio de seu Parque Nacional de Superagui, por seu Plano de Manejo e Plano Diretor, é capaz de mitigar o prejuízo da pequena localidade de Ararapira”, cobrou. Hauly salientou a importância de se auferir responsabilidades na manutenção do povoado e da comunidade caiçara do entorno da unidade de conservação. E tomar providências.

O Ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi participou da aula inaugural do programa Pro Jovem Trabalhador. O lançamento oficial do programa no Paraná foi em Pinhais. Além de Lupi, confirmaram presença no evento, o Ministro Paulo Bernardo, o Governador Roberto Requião, o senador Osmar Dias, deputados, prefeitos e vereadores da região. O programa, que tem como slogan Juventude Cidadã, irá atender a 400 jovens de famílias com renda de até um salário mínimo, com idades entre 18 e 29 anos, em Pinhais. No Brasil, o programa irá atender a 4,5 milhões de jovens e no Paraná a estimativa é a de que 15 mil jovens sejam atendidos. O prefeito Luizão Goulart comemorou a implantação do ProJovem em Pinhais. “Os jovem terão a oportunidade e as condições para aprender e fazer deste conhecimento uma ferramenta determinante para o seu sucesso como profissioPela primeira vez na história, Pinhais contou com a visita de dois Ministros da nal”, comentou. República. Na foto Paulo Bernardo e Carlos Lupi ao lado do presidente Lula

Curitiba | Julho | 2009 - 9

REV 214.pmd

9

27/7/2009, 10:41

ParAanon18á

O Hospital Erasto Gaertner, instituição filantrópica, referência no tratamento de câncer no sul do país, atendeu em 2008, mais de 280 mil pacientes, sendo cerca de 90% do SUS. Como presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Paraná, o deputado Ney Leprevost está sempre acompanhando a situação dos centros de atendimento médico. “Por se tratar de uma instituição filantrópica que cuida especificamente de pacientes com câncer, uma doença crônica e cara, o Hospital Erasto Gaertner precisa de toda ajuda que puder angariar”, alerta o deputado. Em 2009, Leprevost atuou em uma emenda coletiva de dois milhões para equipamentos médicos. Ney também auxiliou na fiscalização de ações da Secretaria Estadual de Saúde, enviando vários ofícios pedindo informações sobre a compra dos equipamentos referidos, solicitando prazo de entrega dos aparelhos. “Para uma instituição filantrópica de referência como a nossa, ter o apoio de homens públicos e comprometidos é fundamental. A parceria com o Deputado Ney Leprevost, presidente da Comissão de Saúde que através da emenda conjunta destinou uma verba significativa para o Hospital Erasto Gaertner em aparelhos médicos, possibilita que a instituição continue crescendo e atendendo cada vez melhor os mais de 280 mil pacientes recebidos anualmente", afirma Angela Zanlorenzi, conselheira Fiscal da Liga Paranaense de Combate ao Câncer e coordenadora do Grupo de Amigos do Erasto. Ney ressalta que os números do hospital são impressionantes: “Em 2008 foram gerados mais de um milhão em procedimentos, entre consultas, exames e cirurgias. Destes pacientes, 75% são da grande Curitiba, 20% de outras cidades do interior do estado e 3% oriundos de outros estados”,

DIVULGAÇÃO

Deputado cobra ação do Ministro para proteger cidade histórica

GERAL

Comissão de Saúde em parceria com o hospital Erasto Gaertner


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO POLITICA

Nova lei ajuda candidatos com problemas na Justiça Projeto aprovado na Câmara para eleições de 2010 suaviza as punições e diminui as restrições para políticos processados. Prestação de contas também fica mais fácil. ANJ reclama de limitações no uso da internet O substitutivo da reforma eleitoral aprovado na semana passada pela Câmara chega ao Senado debaixo de pesadas críticas. Especialistas ouvidos pelo Congresso em Foco condenam a decisão tomada pelos deputados de facilitar a participação a de candidatos com problemas na Justiça. Feita por parlamentares, a lei proposta beneficia os políticos. Elaborado, discutido e aprovado em 40 dias pela Câmara, o texto produzido a partir do projeto de lei 5.498/09 (suaviza punições e diminui restrições à participação nas eleições de candidatos com processos na Justiça. Se for ratificado pelo Senado até 30 de setembro, as novas regras passam a valer já para as disputas de 2010. A opinião de cientistas políticos e especialistas que acompanham de perto a atividade política é que não houve uma reforma de fato. Os deputados fizeram apenas uma atualização da legislação eleitoral. Acrescentaram regras que não existiam e modificaram outras. Para piorar, ao afrouxar as regras existentes, abriram brecha para piorar a representação política nas próximas eleições. Com a redação atual, apro-

vada na última quarta-feira (8), os candidatos só deverão apresentar as contas de campanha, não havendo mais a necessidade de aprovação. O parágrafo 7º do artigo 11 diz que a certidão de quitação eleitoral, documento que autoriza o candidato a concorrer, precisa, entre outros requisitos, da “apresentação de contas de campanha eleitoral”. “Essa medida torna possível a candidatura de pessoas que tiveram contas reprovadas por outras instâncias”, afirmou o juiz Marlon Reis, integrante do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE). Ele aponta também que o texto torna possível a participação de candidatos inelegíveis pelas regras atuais. Hoje funciona assim: o candidato tem uma data limite para fazer seu registro de candidatura, provando que preenche todos os requisitos. Com a mudança aprovada pela Câmara, essa data limite deixa de existir e o candidato tem todo o período de campanha para tentar reverter a sua situação. “É preciso ter um marco regulatório. Uma permissão dessas é perigosa até para os adversários políticos, porque causa uma instabilidade jurídica

muito grande. É muito grave o que eles [deputados] aprovaram”, disse Reis. Contas Além de afrouxarem as exigências, os deputados também diminuíram as punições. O candidato ou partido que não apresentar a prestação de contas de campanha terá uma sanção proporcional ou por meio de desconto do valor considerado irregular. A suspensão também não poderá ser aplicada se as contas não houverem sido julgadas depois de cinco anos de sua apresentação; e, em todas as instâncias, caberá recurso com efeito suspensivo. Antes, a prestação de contas teria a suspensão total do repasse de verbas do fundo partidário. Outra norma que teve seu conteúdo abrandado foi a propaganda antecipada. Os deputados aprovaram a diminuição do valor das multas para os candidatos que não cumprirem os prazos determinados pelo calendário eleitoral. O projeto diminui de R$ 10 mil a R$ 30 mil para R$ 5 mil a R$ 25 mil a multa que pode ser aplicada ao responsável pela divulgação de propaganda antes de 5 de julho do ano das eleições.

10 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

10

27/7/2009, 10:41

“Ao invés de aumentarem o rigor, eles diminuíram”, analisou o diretor-executivo da ONG Transparência Brasil, Cláudio Weber Abramo. Para ele, ficou claro que os deputados “legislaram para eles mesmos” para poder “livrar a cara” de possíveis delitos eleitorais no futuro. “Eles se autoregulam, eles mesmos definem as regras. É muito ruim, mas já era previsível”, lamentou Abramo. Ele aponta ainda outro problema com o projeto aprovado. Pela atual redação, as doações ocultas permanecem. Empresas que não querem ser vinculadas a determinados candidatos fazem doação de verbas aos partidos, que depois repassam aos seus membros. Como a prestação de contas dos partidos só é entregue em maio do ano seguinte ao pleito, os eleitores ficam sem saber, muitas vezes, quem efetivamente pagou a conta pelos gastos de campanha. Para o cientista político e professor da Universidade de Brasília (UnB), David Fleischer, o projeto aprovado é “um monstrengo”. “Em vez de fazer uma reforma de verdade, os deputados permitem que fichas sujas continuem concorrendo”, comentou. Fleischer avalia que, se as novas regras forem ratificadas pelo Senado, as portas da política estarão abertas para “Deus e o mundo”. “Muitos que tiverem problemas na Justiça vão procurar abrigo na imunidade parlamentar”, disse. Alexandre Borges, da consultoria política Early Warning, classificou o texto como um “remendo”. Ele lembrou que, por todo o processo de confecção e aprovação do substitutivo ter durado aproximadamente 40 dias, a população não teve tempo de fazer sugestões e apontar possíveis falhas. “Não perguntaram nada à população”, afirmou.


O juiz da 4.ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, Douglas Marcel Peres, julgou procedente uma ação proposta pelo deputado estadual Antonio Belinati (PP) anulando a resolução do Tribunal de Contas que desaprovou suas contas na prefeitura de Londrina, em 2000. Foi por causa desta pendência no TC que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou a candidatura de Belinati à prefeitura de Londrina, quando ele já havia vencido o primeiro e segundo turno das eleições do ano passado. Apesar de o TC ter, posteriormente, concedido uma medida liminar em favor de Belinati, o TSE entendeu que a decisão era administrativa e não poderia reverter a inelegibilidade do ex-prefeito. Para o deputado, a decisão da 4.ª Vara é mais um argumento para reforçar sua ação que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), tentando rever-

ter a decisão do TSE que impediu sua posse na prefeitura de Londrina. Na sentença, o juiz da 4.ª Vara concluiu que Belinati não teve direito à ampla defesa no Tribunal de Contas. O órgão, mencionou o juiz, não notificou o prefeito sobre o processo de rejeição das contas e nem notificou-o para que pudesse contestar a decisão. No despacho, o juiz determina ao TC que faça um reexame da prestação de contas de Belinati. “Desta feita, agiu o Tribunal de Contas de forma absolutamente negligente, pois expediu resolução sem qualquer motivação, deixando de observar as garantias constitu-

cionais da ampla defesa e do contraditório”, escreveu o juiz. Tentativa Em maio deste ano, o exdeputado federal Barbosa Neto (PDT) foi empossado prefeito após a vitória numa nova eleição que disputou com o deputado federal Luiz Carlos Hauly (PSDB). Em junho deste ano, a ministra Ellen Gracie, do Supremo Tribunal Federal (STF), permitiu a tramitação de um recurso do ex-prefeito de Londrina contra a cassação do seu registro de candidatura nas eleições do ano passado à prefeitura. A possibilidade havia sido negada anteriormente a Belinati pelo TSE. O recurso de Belinati foi remetido à Procuradoria Geral da República, que emitirá seu parecer. Após esta etapa, o recurso extraordinário de Belinati será novamente apreciado pelos ministros que, decidirão se votarão o mérito da matéria. Liberado Belinati disse ontem que não tem mais nenhuma pendência no Tribunal de Contas da União (TCU), que julgou correta aplicação de uma verba de R$ 940 mil destinada a compra de merenda escolar. O uso dos recursos, repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, havia sido considerado irregular em julgamento anterior do TCU.

O secretário de Agricultura de Mariluz (PR), Edson Nogueira, o chefe de Gabinete da prefeitura, Juarez Junior e o vereador Benedito Oscar (PDT) visitaram o gabinete do deputado Alfredo Kaefer (PSDB-PR). A comitiva de Mariluz participou em Brasília da Marcha dos Prefeitos. Ao deixar o gabinete do deputado Kaefer, Edson Nogueira, Juarez Junior e Benedito Oscar conversaram ainda com o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR), cujo gabinete também está localizado no 8º andar do anexo IV da Câmara.

11

27/7/2009, 10:41

POLÍTICA

Comitiva de Mariluz visita deputado Kaefer

Curitiba | Julho | 2009 - 11

REV 214.pmd

ParAanon18á

Belinatti continua na luta pela prefeitura

DIVULGAÇÃO

Crise Após ser aprovado na Câmara, o substitutivo foi encaminhado ao Senado, a Casa Revisora do Congresso. Para valer nas próximas eleições, ele precisa ser aprovado, sem alterações, até 30 de setembro. Entretanto, a crise que a instituição passa, com, por exemplo, várias denúncias caindo sobre o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), pode dificultar a análise da matéria por parte dos senadores. “Será que o Senado vai ter condições de analisar antes do prazo? Por conta da crise, essas modificações podem dar em nada, tudo que os deputados fizeram pode ir pelo ralo”, disse Fleischer. “Se a chapa continuar quente até setembro, eles não aprovam”, apostou Borges. A partir de 18 de julho, o Congresso entra em recesso por duas semanas. O juiz Marlon Reis, entretanto, pretende usar esse tempo para discutir com as 41 entidades que formam o MCCE a estratégia a ser feita para modificar a matéria no Senado. “Todo mundo foi pego de surpresa, ninguém da sociedade teve a oportunidade de conhecer o projeto. Vamos procurar depois os senadores para modificar o projeto”, adiantou. Internet Associação Nacional de Jornais (ANJ) também tem divergências em relação à lei aprovada pelos deputados. Em nota divulgada pela Folha de S. Paulo, a entidade reclama das restrições impostas para o uso de portais, blogs e sites nas campanhas políticas. “Nem bem comemoramos a decisão do STF [Supremo Tribunal Federal], de abril de 2009, derrubando a antiga Lei de Imprensa do regime militar, e já surgem novas tentativas de limitar, numa penada, a liberdade de expressão dos jornais, por meio de um projeto sobre o qual não houve qualquer discussão pela sociedade”, afirma o texto da ANJ. “Jornais —impressos ou em meio on-line— não são concessões públicas, e não podem ser equiparados a rádio e TV. A ANJ estará atenta para contestar arbitrariedades que afetem a liberdade de expressão”, completa a nota. Mário Coelho


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

TRAIANO REFORÇA PREVENÇÃO À GRIPE SUÍNA NO SUDOESTE A nova gripe, Influenza A (H1N1), está cada dia mais próxima dos paranaenses. A Argentina, país vizinho e com alto número de casos da doença, faz fronteira direta com municípios paranaenses, como Santo Antônio do Sudoeste, uma das maiores bases do deputado Ademar Traiano (PSDB). O parlamentar reforça a necessidade de medidas de prevenção na fronteira, além de que a população evite aglomerações, contato direto com pessoas doentes e lave as mãos frequentemente. Traiano informou que no sudoeste, as secretarias de saúde estão distribuindo material educativo que está sendo repassado às escolas e entidades. Malha viária Em pronunciamento no plenário da Assembleia, Traiano reforçou a precariedade das rodovias no sudoeste do Estado. O parlamentar já requereu a duplicação da PR 483, no trecho entre o Trevo da Alvorada até as proximidades do Posto Panorâmico. A rodovia é a principal via de chegada e saída da cidade de Francisco Beltrão. De acordo com o documento, até a presente data, nenhuma providência efetiva e definitiva foi tomada, já que o trecho em questão tem trânsito intenso e não há acostamento.

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

Lideranças de São João tratam do frigorífico da Coasul Em audiência agendada pelo deputado estadual Nereu Moura (PMDB), o governador Roberto Requião e o vice-governador Orlando Pessuti recebem (21), no Palácio das Araucárias, em Curitiba, um grupo de lideranças de São João, entre elas o prefeito Clóvis Cuculotto e o presidente da Cooperativa Agroindustrial Ltda (Coasul), Paulino Capelin Fachin. Na pauta, a construção do frigorífico de frangos da Coasul, obra em fase adiantada, prevista para entrar em funcionamento em junho de 2010. Entre as reivindicações a serem apresentadas ao governo estão a concessão de benefícios tributários junto à Secretaria da Fazenda, a melhoria no acesso rodoviário da sede do município ao frigorífico, numa extensão de três quilômetros, com a construção de uma faixa de pedestres e ciclovia, além de um trevo rodoviário sob a responsabilidade da Secretaria dos Transportes. À Copel cabe a ligação de uma linha de energia elétrica na subestação de Dois Vizinhos até o frigorífico.

O projeto da Coasul prevê a construção de uma fábrica de rações com capacidade final para 17 mil toneladas/mês e do frigorífico que começará abatendo 120 mil frangos/dia na primeira etapa. A segunda fase prevê um acréscimo significativo na capacidade do abatedouro, passando para 360 mil aves diariamente. O funcionamento da fábrica de rações e do frigorífico gera de imediato 500 empregos na área da construção civil. As duas unidades, que receberão investimentos na ordem de 140 milhões, vão gerar 1,2 mil empregos diretos e mais de três mil empregos indiretos. Nereu Moura considera importante a intervenção do Estado nas áreas solicitadas para assegurar a execução destas benfeitorias, uma vez que é o maior empreendimento que está ocorrendo na região nas últimas duas décadas. “Estou orgulhoso em participar diretamente na realização de uma obra que vai gerar renda, empregos e mais qualidade de vida à população do Sudoeste”, disse o parlamentar.

Jocelino Canto participa da Escla de Governo e fala sobre o HR O deputado estadual Jocelito Canto (PTB) participou hoje da Escola de Governo e ressaltou a importância da construção do Hospital Regional, localizado no campus da Universidade Estadual de Ponta Grossa, em Uvaranas, classificando a obra como o maior patrimônio da saúde já implantado no município. O parlamentar também parabenizou o governador Roberto Requião pelos investimentos, relembrando os críticos que o hospital é definitivamente uma realidade. “Esta obra foi um esforço nosso, juntamente com o governador Requião e com o Pessuti. Temos hoje o maior patrimônio da saúde nos Campos Gerais. Outras cidades já tinham um Hospital Regional e Ponta Grossa ain-

Principal avenida de Laranjal será asfaltada Pela atuação política do deputado estadual Nereu Moura (PMDB), um antigo sonho da população de Laranjal será realizado. O governador Roberto Requião autorizou o asfaltamento de dois quilômetros da Avenida Paraná, trecho que liga a sede do município à PR-364. Este foi o principal resultado da audiência (21), em Curitiba, no Palácio das Araucárias, quando Requião recebeu Nereu Moura e o prefeito João Elinton Dutra para tratar de assuntos ligados ao desenvolvimento da cidade. O governador autorizou também a construção de um parque ambiental numa área localizada entre a Escola Modelo e a zona urbana, além do envio da patrulha rodoviária do DER para a readequação das estradas rurais do município. “O resultado foi o melhor possível”, avaliou Dutra, di-

12 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

12

da não havia sido contemplada. Mostramos ao governo que tecnicamente era possível a construção do nosso hospital. Agora ele está lá, vai salvar muitas vidas e silenciar aqueles que criticaram e desqualificaram a obra”, afirmou o parlamentar petebista. Canto ainda acompanhou a visita à Escolinha pelos alunos da primeira turma do curso de Medicina da UEPG, implantado novamente pelo governo do Estado. O reitor da universidade, João Carlos Gomes, também comentou o retorno do curso de Medicina como um momento histórico da UEPG e parabenizou a iniciativa do governo estadual, inclusive com a construção do Hospital Regional, cujo funcionamento deve iniciar até o final ao ano.

27/7/2009, 10:41

zendo que a notícia da pavimentação da Avenida Paraná, a rua do comércio, será motivo de festa junto à população João Elinton Dutra fez questão de enaltecer o carinho que o governador Requião e o deputado Nereu Moura têm por Laranjal, “sentimento que tem revertido em benfeitorias para a nossa cidade”. O prefeito esteve acompanhado pelo presidente da Câmara, vereador João Maria Borges e pelo presidente do PMDB municipal, Valdomiro Mendes.


Presidente da Assembléia Legislativa, deputado Nelson Justus

Líder do governo na Assembleia, Luiz Cláudio Romanelli

A quarta emenda, também de autoria do petebista, propõe que seja criada uma forma de remunerar os proprietários rurais que preservam nascentes e mananciais, mesmo tendo prejuízos e menores lucros em virtude da redução e da limitação da capacidade de produção. A quinta emenda, apoiada por diversos deputados, estipula período para que o novo instituto possa desempenhar determinadas funções previstas na legislação, tais como a de regulação e de fiscalização dos serviços de água e esgotos. De acordo com a justificativa, o desempenho destas funções deve contar com estrutura organizacional especifica e com quadros técnicos especializados, além de prévia autorização do Legislativo. A sexta emenda condiciona que a celebração de consórcios intermunicipais de bacias hidrográficas e associações civis de usuários de recursos hídricos, que tenham maior complexidade, leve em conta o que determina a legislação federal. CEMA A matéria também recebeu diversas emendas da Comissão de Ecologia e Meio Ambiente (CEMA), inclusive a alteração do nome, que pelo projeto original seria Instituto Paranaense de Águas (Ipaguas), mas que deve se chamar Instituto de Águas do Paraná. De acordo com o presi-

dente da Comissão, deputado Luiz Eduardo Cheida (PMDB), o nome teria sido bem aceito entre os funcionários da antiga autarquia, que deverão compor a estrutura funcional do novo órgão gestor hídrico do governo estadual. Outra emenda é a que permite ao Instituto de Águas no Paraná delegar a organizações civis sem fins, por prazo determinado, o exercício de atividades de Secretaria Executiva de Comitê de Bacia Hidrográfica. Cheida explicou que assim pode ser mantida certa simetria entre o Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos e o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. A terceira emenda trata da compensação financeira e royalties da exploração de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica recebidos e aqueles a ser compensados pelo Paraná. O texto original era pertinente apenas aos royalties recebidos. Na quarta emenda foi feito apenas uma mudança gramatical, passando para o plural o termo convênio. Neste trecho, a legislação permitirá que o governo estadual faça convênios de cooperação com os titulares dos serviços de saneamento básico, atribuindo a fiscalização e a regulação dos serviços delegados pelos titulares para o Instituto das Águas do Paraná e

eventualmente a prestação dos serviços à Companhia de Saneamento do Paraná – (SANEPAR), mediante contrato de programa a ser firmado com cada município conveniado. Os termos água, esgoto e resíduos sólidos também foram alterados por uma das emendas, passando respectivamente para abastecimento de água potável, esgotamento sanitário e limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, adequando assim à legislação estadual a federal. Além disso, a emenda esclarece quais os serviços públicos deverão ser regulados e fiscalizados pelo Instituto das Águas do Paraná. Pois, a legislação determina que a prestação do serviço de saneamento básico deve ser efetuada necessariamente de forma integral, ou seja, contemplando os serviços públicos de abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos e drenagem e manejo das águas pluviais urbanas. De acordo com a justificativa do governo estadual, a nova autarquia possibilitará um melhor gerenciamento do recurso hídrico. Além disso, o Executivo busca aprofundar mecanismos para a promoção da gestão pública das águas no Paraná. Segundo o governo, o aperfeiçoamento do sistema vem sendo desenvolvido desde 2003. O governo ainda alega que para a modernização do sistema de gestão de água é necessária a extinção da antiga autarquia e a criação do novo instituto, o que possibilitaria integração da política de recursos hídricos a de saneamento. A partir de então, o recurso passaria a contar com mais comitês para gerenciar. Atualmente são cinco comitês de bacia hidrográfica, mas até o final de 2009 esse número deve dobrar, contemplando assim todas as bacias hidrográficas.

Curitiba | Julho | 2009 - 13

REV 214.pmd

13

27/7/2009, 10:41

ParAanon18á

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

Projeto de lei do governo estadual que pretende extinguir a antiga Suderhsa (Superintendência de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental) e criar o Instituto das Águas do Paraná deve ser votado a partir de agosto. A matéria passou em primeira discussão no plenário, mas quando da segunda votação recebeu emendas, portanto retornou à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O relator é o líder do governo na Assembleia, Luiz Cláudio Romanelli (PMDB). A primeira emenda, apresentada pelo peemedebista Antonio Anibelli, determina que sejam transferidos alguns dos imóveis da Suderhsa para uma outra autarquia do governo estadual, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Assim, as fábricas de tubos de concreto de Arapongas, Paranavaí e Cruzeiro do Oeste passariam a fazer parte do DER, o que segundo Anibelli permitiria que os materiais pudessem ser usados em drenagens urbanas e rurais nos municípios paranaenses. O deputado também apresentou uma outra emenda para que alguns dos equipamentos da antiga autarquia passem a ser usados pela Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná). De acordo com a justificativa de Anibelli, o aparelhamento serviria para a perfuração de poços artesianos e atenderiam o Programa de Saneamento Rural. Já a terceira emenda é do deputado Jocelito Canto (PTB), na qual trata da definição de política de compensação financeira e royalties pela utilização excedente de recursos hídricos, assim como dos incentivos financeiros para os municípios tidos como autosuficientes e, que, portanto, tenham custos reduzidos na captação, utilização e distribuição de recursos hídricos.

DIVULGAÇÃO

CRIAÇÃO DO INSTITUTO DAS ÁGUAS DO PARANÁ RETORNA À PAUTA DE VOTAÇÕES A PARTIR DE AGOSTO


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

KIELSE PRESTIGIA A EXPOJUR 2009

Deputado Strapasson e representantes da Seop visitam colégios estaduais de Colombo contemplados com a benfeitoria para informar início das obras

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

Strapasson e os engenheiros da Seop explicando como será o andamento das obras na Escola Estadual Guaraituba Representantes da Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop) e o deputado estadual Edson Strapasson (PMDB) estiveram na última semana visitando escolas estaduais em Colombo, município da Região Metropolitana de Curitiba (RMC), contempladas com a construção de quadras poliesportivas cobertas. Diretores, professores, membros do Conselho Escolar e da Associação de Pais, Mestres e Funcionários (APMF) dos colégios Alfredo Chaves (Rio Verde), Guaraituba (Grande Guaraituba), Heráclito Sobral Pinto (Jd. Eucaliptos) e Vinícius de Moraes (Monte Castelo) receberam informações sobre o cronograma de obras e também puderam esclarecer dúvidas diretamente com a empresa responsável pela construção das quadras. De acordo com a Seop, os trabalhos serão iniciados ainda neste mês nos colégios Alfredo Chaves e Heráclito S. Pinto. Já para os colégios Guaraituba e Vinicius de Moraes, as obras serão iniciadas em agosto, dada às características especiais para a execução dos trabalhos. A fundação da quadra do colégio Guaraituba utilizará estacas

pré-moldadas e na área disponível para a implantação da quadra do colégio Vinícius de Moraes será necessária à construção de um muro de arrimo. O deputado Strapasson, que apresentou os pedidos para a construção das quadras nos quatro colégios contemplados, destacou o início dos trabalhos. “Ficamos muito satisfeito em poder apresentar o cronograma de obras às escolas. Além dos pedidos de construção aprovados na Assembleia, vínhamos acompanhando junto à Superintendência de Desenvolvimento Educacional (Sude) as liberações para execução dessas quadras tão sonhadas por alunos e educadores”, disse. PROJETO As quadras poliesportivas autorizadas pelo governador Roberto Requião seguem um modelo padrão, estabelecido por técnicos da Superintendência de Desenvolvimento Educacional (Sude) e da Secretaria de Estado da Educação (Seed), com cobertura em aço e estrutura em concreto. Segundo a Seop, o preço total de uma quadra coberta é de R$ 347.964,29. O prazo previsto em contrato para conclusão das quadras é de 150 dias.

O deputado estadual e vice-líder do Governo na Assembleia Legislativa, Cleiton Kielse (PMDB), prestigiou (17), mais uma noite da 4ª edição da Exposição Comercial e Agrícola de Juranda, a Expojur 2009. Recepcionado pela prefeita municipal Leila Amadei e pelo presidente da Câmara Municipal, José Molina Neto, Kielse participou da festa promovida pelo Conselho Municipal de Esportes e pela Associação dos Servidores Municipais, com apoio da Prefeitura e do próprio parlamentar. Kielse comemorou o sucesso da festa e ressaltou o salto de qualidade que o município de Juranda vem atravessando nos últimos anos, com investimentos em educação, saúde, lazer e infra-estrutura. “Juranda é um caso típico da parceria bem sucedida entre Prefeitura e Governo do Estado, com investimentos pesados em pavimentação, construção de casas, escolas e infraestrutura de saúde e lazer. Quanto à Expojur, estão todos de parabéns por esta bela festa que coloca o nome de Juranda cada vez mais forte na região e no Paraná”, destacou o deputado. A prefeita Leila Miotto Amadei agradeceu o parlamentar por todo o trabalho que ele tem realizado em Juranda através do âmbito do Estado, responsável por convênios em diversas áreas públicas. “Kielse é um grande parceiro nosso. Com sua ajuda, foram realizados com sucesso mais de 40 projetos para o município. É um honra para nós recebê-lo em nossa festa”, afirmou a prefeita Leila. Estiveram presentes ainda, além de vereadores, a prefeita municipal de Campina da Lagoa, Célia Cabrera, e outras lideranças locais. Segundo as estimativas do organizador da ExpoJur 2009, Valdir da Costa, o Neguinho, cerca de cinco mil pessoas compareceram no Parque de Exposições, na Prefeita Célia Cabrera, noite de sexta-feira, para prestigiar Kielse, prefeita Leila e o evento, e quase o dobro na noivereador Molina te seguinte. A ExpoJur foi encerrada na noite de domingo, após quatro dias de festa, com a final do rodeio e show com a banda Colorado Country. Apesar de jovem, a Expojur já é considerada uma das maiores festas regionais mais tradicionais do Paraná.

DEPUTADO: CONSTRUÇÃO DE HOSPITAL PARA ATENDER MAIS DE 20 MUNICÍPIOS O deputado estadual, Pastor Edson Praczyk (PRB), enviou expediente ao Secretário de Estado da Saúde, Gilberto Martins, solicitando a viabilidade de construção de um Hospital Regional para atender os municípios que formam a Cantuquiriguaçu.O território da Cidadania Cantuquiriguaçu abrange uma área de 14 mil km, e é composto por 20 municípios: Campo Bonito, Candói, Cantagalo, Catanduvas Diamante do Sul, Espigão Alto do Iguaçu, Foz do Jordão, Goioxim, Guaraniaçu Ibema, Laranjeiras do Sul, Marquinho, Nova Laranjeiras, Pinhão, Porto Barreiro, Quedas do Iguaçu, Reserva do Iguaçu, Rio Bonito do Iguaçu, Três Barras do Paraná e Virmond. Conforme o deputado, a construção deste hospital iria beneficiar uma população de mais de 230 mil pessoas, dos quais 111 mil vivem na área rural, quase a metade do total,

14 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

14

27/7/2009, 10:41

possuindo ainda, mais de 20 mil agricultores familiares, quase 5 mil famílias assentadas, 3 comunidades quilombolas e 2 terras indígenas. Pelas dificuldades enfrentadas hoje por grande parte da população destes municípios que sofrem com o problema na área da saúde, Praczyk acredita que a construção deste hospital iria diminuir em muito, o sofrimento das pessoas que necessitam de atendimento hospitalar nesta região.


to, porque que devemos nos separar?”, indagou. SUCESSÃO ESTADUAL Em relação à sucessão do Governo do Estado em 2010, Pugliesi informou que o PMDB já tirou uma decisão conjunta. “Temos dentro do partido uma decisão para termos candidatura própria disputando as eleições do ano que vem e já colocamos previamente também a disposição do partido e dos eleitores do Paraná um nome, do vice-governador (Orlando Pessuti)”. “Queremos discutir agora a presença do Estado na economia do Paraná. Não queremos voltar atrás”, ressaltou. Pugliesi lembrou que sempre acompanhou e acompanha ainda hoje as agressões que se fazem ao Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, a Petrobrás, a Sanepar, a Copel. “São investidas no sentido de colocar estas empresas todas, estratégicas para o desenvolvimento do Paraná e do Brasil, nas mãos daqueles que só tem o lucro como objetivo maior. Nós queremos impedir isto. O PMDB e o PT, acima de tudo, são dois grandes partidos e tem obrigação de trabalhar neste sentido”, completou. A reunião das executivas estaduais do PMDB e do PT está programada para às 18h30 desta segunda-feira (13), na sede do diretório estadual do PMDB, localizado na Avenida Vicente Machado, 988, no centro de Curitiba.

A deputada Cida Borghetti (PP), autora do projeto de lei que regulamentou as regiões metropolitanas do Paraná, apresentou requerimento na Assembléia Legislativa solicitando a integração das linhas metropolitanas de ônibus da região de Maringá. Na correspondência, que será enviada ao diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Rogério Tizzot, a deputada explica que atualmente as pessoas que precisam se deslocar entre cidades da região, como Paiçandu e Sarandi, precisam pagar passagem para Maringá e depois outra passagem para o município da região metropolitana. A proposta da deputada é que no segundo trecho, o passageiro tenha desconto de cinqüenta por cento no valor da passagem. “A maioria das pessoas que se deslocam nesse percurso, entre Sarandi e Paiçandu e vice-versa, são trabalhadores que utilizam o ônibus para chegarem aos seus locais de trabalho. A integração do transporte é fundamental para que os moradores da região possam trabalhar em cidades vizinhas sem comprometer a sua renda”, explica a deputada. Ainda segundo Cida Borghetti, como as linhas de ônibus são permissões que estão jurisdicionadas ao mesmo órgão, o DER, não haveria dificuldade para promover a integração. “As duas linhas são

operadas pela mesma permissionária, que já utiliza bilhetagem eletrônica em seus serviços, por tanto, não haveria dificuldade para o software do sistema interpretar, pelo cartão magnético, qual a origem e qual o destino pretendido pelo usuário, possibilitando a concessão do desconto no segundo trajeto”, afirma. A deputada diz acreditar que “a medida não causaria desequilíbrio nas contas da permissionária dos serviços de transporte porque o número de passageiros nessa condição não é elevado e, ainda, o desconto traria para o ônibus pessoas que atualmente buscam outras formas de transporte”, finaliza. O requerimento pedindo a integração do transporte metropolitando de Maringá foi protocolado na Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (13/07).

PROJETO DE DOBRANDINO BENEFICIARÁ ACICA DE CÉU AZUL A Assembléia Legislativa do Estado encaminhou ao governador Roberto Requião, para sanção, Projeto de Lei de autoria do Deputado Dobrandino da Silva, que declara de utilidade pública a associação comercial e industrial de Céu Azul. Segundo o Parlamentar, o Projeto ao ser convertido em lei, contribuirá com a instituição que defende a classe empresarial do município, na medida em que a ACICA poderá obter junto ao Poder Público benefícios para contribuir no desenvolvimento de suas atividades.

Curitiba | Julho | 2009 - 15

REV 214.pmd

15

27/7/2009, 10:41

ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

“Vamos para a reunião com esta perspectiva, de caminharmos firmemente na direção de estarmos bem próximos, juntos, na campanha do ano que vem. Acho que isto interessa ao Paraná, interessa ao PT e interessa ao PMDB. Nós queremos a manutenção das políticas públicas que implantamos no Paraná”. A declaração é do presidente estadual e líder do PMDB na Assembleia Legislativa, deputado Waldyr Pugliesi, em entrevista à jornalista Joyce Hasselmann no “Olho no Olho” da rádio Band News de Curitiba. Na avaliação de Pugliesi, os dois partidos precisam lutar juntos pela manutenção de empresas públicas estratégicas sob a gestão do Estado e a continuidade de ações e programas como o Leite das Crianças, Tarifa Social da Água e Saneamento, Luz Fraterna, Trator Solidário e outros voltados à agricultura familiar. O presidente do PMDB informou que o tema será apresentado na reunião das executivas nesta segunda-feira (13) e será colocado como fundamental para uma aliança dos dois partidos em 2010. Na entrevista, Pugliesi recordou a trajetória do PMDB e do PT nas últimas eleições. “Se a gente fizer uma retrospectiva, o que vamos ter? O PMDB caminhando ao lado do PT para eleger o companheiro Lula (presidente). Nós fizemos todas as campanhas do Lula. A gente olha também o pessoal do PT caminhando ao nosso lado, para, em parceria, elegermos o governador (Roberto) Requião. Então nós somos companheiros, somos parceiros”. Pugliesi reforçou que o Paraná tem um governo plural. “Temos componentes de muitos partidos, agora, a presença do PT no governo é forte, é uma presença boa. Nós temos no secretário (Valter) Bianchini, no secretário Ênio Verri e outros companheiros do PT, que que só engrandecem o governo Requião. Se nós ganhamos as eleições fazendo parcerias, colocando o interesse público acima de tudo e se estamos administrando o Paraná em conjun-

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

PMDB e PT precisam estar Cida Borghetti reivindica juntos nas eleições de integração do transporte 2010, diz Waldir Pugliesi coletivo em Maringá


“Do ponto de vista da engenharia, há tempo hábil para fazer a obra do metrô até 2014”, assegurou o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Cléver Ubiratã Teixeira de Almeida, aos vereadores da Comissão de Urbanismo e Obras Públicas da Câmara Municipal, (22). Ele também informou que a previsão da prefeitura é iniciar a contratação de quem executará a obra já em 2010, após submeter o projeto que está em desenvolvimento à população no início do ano que vem, provavelmente em janeiro. Fazem parte da comissão os vereadores Tico Kuzma (PSB), Felipe Braga Côrtes (PSDB), Jonny Stica (PT), Julieta Reis (DEM) e Omar Sabbag Filho (PSDB). Para Sabbag Filho, ex-secretário municipal de Obras, a apresentação feita pelo Ippuc demonstra que o município está caminhando com segurança na implantação do metrô. “A competência técnica do instituto é extraordinária e o projeto que vimos hoje está adequado à realidade, ao futuro da cidade e à integração com a região metropolitana. Com os recursos financeiros assegurados, é possível estar com toda a linha concluída antes do início dos jogos da Copa do Mundo”, afirmou o parlamentar. A previsão é que a primeira linha de metrô da capital tenha 22 km de extensão e atenda mais de 400 mil pessoas, que poderão usufruir de um transporte mais confortável com economia de tempo. Acompanharam o presidente do Ippuc durante a reunião dois funcionários do instituto responsáveis pelo projeto do metrô em Curitiba: Reginaldo Reinert, supervisor de planejamento, e Edemar Meissner, supervisor de implantação. Para esclarecer os aspectos jurídicos, também compareceu ao encontro o assessor de projetos especiais da prefeitura, Maurício Ferrante, que ressaltou os cuidados tomados com a engenharia financeira do projeto, destacando que a tarifa única e o sistema de integração da rede de transporte deverão ser manti-

Foto - Andressa Katriny

ParAanon18á

DIVULGAÇÃO CÂMARA MUNICIPAL

Ippuc confirma o metrô para a Copa de 2014

Maurício Ferrante, assessor da prefeitura, Edemar Meissner, Cléver Almeida, presidente do Ippuc, Reginaldo Reinert, e os vereadores Tico Kuzma, Jonny Stica, Felipe Braga Côrtes e Omar Sabbag Filho

dos. “Pode ser que, com a parceria público-privada que estudamos realizar e o resultado da licitação dos ônibus, a tarifa até seja mais barata no final do processo”, explica. Recursos “É muito importante nessa fase garantir os recursos do governo federal, mostrando que a obra do metrô em Curitiba está acima de disputas partidárias, pois beneficiará várias gerações de curitibanos”, frisou o vereador Felipe Braga Côrtes. Sobre as declarações do ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, que a União só liberaria o investimento se houvesse a certeza do término das obras até 2014, o vereador Jonny Stica definiu como válida a preocupação, pois aspectos jurídicos poderiam atrasar os trabalhos. “Sou um entusiasta do desenvolvimento urbano e trabalhei no Ippuc. Conheço bem a instituição e considero que faz um trabalho sério. A cidade precisa de vereadores envolvidos com essas questões, que entendam como o metrô é importante para Curitiba”, disse Stica. O presidente da comissão, vereador Tico Kuzma, destacou a importância do trabalho de fiscalização que os parlamentares desempenham, visitando órgãos públicos e regiões da cidade para acompanhar as ações da prefeitura e prestar esclarecimentos à população. “As pessoas precisam saber dos

detalhes do projeto do metrô, que significa menos poluição, menos ruídos, redução do tempo de deslocamento e de acidentes. Fiscalizar e informar também é nosso papel e temos

VEREADOR DISCUTE OBRAS COM LÍDERES COMUNITÁRIOS O vereador Omar Sabbag Filho (PSDB) e sua equipe se reuniram com lideranças do Uberaba, o ex-vereador Eugênio Bin e o deputado estadual Osmar Bertoldi (DEM) para discutir melhorias na região, incluindo a revitalização da avenida Senador Salgado Filho. E com o engenheiro Henrique de Melo Balarotti vistoriaram as obras do Residencial Waikiki. Bin é um dos fundadores do bairro e participou da primeira audiência promovida pelo então prefeito Omar Sabbag e que teve a presença do então governador Paulo Pimentel. “Foi em 1969. Em resposta às reivindicações do vereador, a prefeitura instalou as primeiras 600 lâmpadas de iluminação pública do bairro pela Companhia Força e Luz do Paraná, precursora da Copel”, lembra Sabbag Filho. Outra reivindicação daquela época para o Uberaba foi a operação concentrada de manutenção de ruas e um dos primeiros testes com antipó.

Reunião com Omar Sabbag Filho também contou com a presença do deputado estadual Osmar Bertoldi e do ex-vereador Eugênio Bin

16 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

16

trabalhado bastante durante o mês de julho, quando o recesso parlamentar suspende as sessões plenárias e nos dá a oportunidade de realizarmos essas visitas técnicas”, conclui.

27/7/2009, 10:41


pois remete a um retrocesso vivenciado anteriormente à criação das escolas especiais”, ressalta. Prioridade ao deficiente Zé Maria tem dado especial atenção aos portadores de deficiências. São vários os projetos de sua autoria que tramitam na Câmara e que priorizam este público. Um deles dispõe sobre a assistência especial às parturientes cujos filhos recémnascidos sejam pessoas com deficiência, durante o período de internação para o parto. Esta assistência consistiria na prestação de informações por escrito sobre os cuidados a serem tomados com o recém-nascido por conta da sua deficiência e também o fornecimento de listagem das instituições, públicas e privadas, especializadas na assistência a portadores da deficiência ou patologia específica. Outra proposta é que as locadoras de veículos de Curitiba disponibilizem 10% da frota de veículos com câmbio automático, facilitando a utilização pelas pessoas com deficiência. Zé Maria propôs também a criação de uma Comissão Permanente de Acessibilidade – CPA, subordinada à Secretaria Municipal do Urbanismo, para a elaboração de normas e controles que garantam a acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência física, ou com mobilidade reduzida, a edificações, vias e espaços públicos, transportes, mobiliário e equipamentos urbanos e também a meios de divulgação de informações e sinalizações relativas à acessibilidade.

Curitiba | Julho | 2009 - 17

REV 214.pmd

17

27/7/2009, 10:41

ParAanon18á

CÂMARA MUNICIPAL

A diretora do Colégio Estadual Yvone Pimentel, Adriana Coelho, e o vereador Tito Zeglin

“A Secretaria de Educação Especial do Ministério da Educação (MEC) está empenhada em promover uma inclusão escolar a qualquer preço, inclusive à custa da extinção das escolas especiais do País, conforme parecer que encontra-se no gabinete do ministro da Educação, Fernando Haddad, para homologação”, disse o líder do PPS na Câmara, vereador Zé Maria, em repúdio à medida proposta pelo governo federal. O Parecer 13/2009 pretende tornar obrigatória a matrícula de pessoas com deficiência na rede regular de ensino, como condição para a concessão de recursos financeiros do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fundeb). “Não sou contra a inclusão, mas sim contra a forma que o MEC está tentando fazer, pois jamais poderemos ter nas escolas regulares alunos especiais, que necessitam de cuidados diferenciados. As escolas regulares não estão prontas para tal atendimento. Precisamos de apoio da sociedade para a nossa mobilização em defesa das escolas de educação especial. Estamos em estado de alerta”, afirma o parlamentar. Zé Maria argumenta que, caso o Parecer 13/2009 venha a ser homologado, trará significativas e profundas mudanças às escolas de educação especial, que passarão a funcionar como centros de atendimento educacional especializado e atenderão os portadores de deficiência no contraturno escolar. “Esta atitude é arbitrária, ditadora, desrespeitosa e fere os direitos de escolha da pessoa com deficiência e seus familiares, já assegurados na Constituição Federal”, diz. Para o vereador, a inclusão é um processo que deve ser gradual, ético, sistemático, com fundamentação profissional específica à diversidade para atender todo o contingente de alunos com qualquer tipo de deficiência. “A forma impositiva estabelecida neste documento não é a mais adequada,

DIVULGAÇÃO

O primeiro vice-presidente da Câmara Municipal de Curitiba, vereador Tito Zeglin (PDT), participou, (24), de reunião no Colégio Estadual Yvone Pimentel, onde o principal assunto foi a segurança pública no Novo Mundo. Um posto de gasolina abandonado que se tornou ponto de encontro de marginais motivou a reunião, que teve a participação de representantes da comunidade, Polícia Militar e da BR Distribuidora. Segundo a diretora do colégio, Adriana Coelho, “os pais de alunos estão preocupados com a segurança dos filhos e os próprios funcionários do estabelecimento de ensino também relatam casos freqüentes de assaltos.” Moradores da região que participaram do encontro não concordam com a instalação de tapumes no posto abandonado, localizado na rua Pedro Gusso. Neste sentido, solicitam a implantação de telas e melhor iluminação do local para garantir a segurança. O imóvel é de responsabilidade da BR Distribuidora (vinculada à Petrobras). Conforme Paulo Spinelli Pinto, engenheiro de produtos da estatal, medidas emergenciais serão adotadas no local. “Nós vamos instalar alarme monitorado. Enquanto isso não acontece, haverá um vigia durante 24 horas. Quanto aos pedidos da comunidade, vamos levar à direção da empresa e verificar a viabilidade”, garantiu. Casos recentes No último dia 12, a Polícia Militar prendeu José Roberto Barbosa, principal suspeito de pelo menos quatro casos de estupro contra meninas de 14 a 17 anos que aconteceram na região dos bairros Portão e Novo Mundo. O sargento Juruá, do 13º Batalhão da PM, reiterou “o compromisso com a comunidade, no sentido de fazer rondas frequentes, principalmente nos pontos mais críticos.” Para Tito Zeglin, o encontro desta manhã foi satisfatório e oportunizou esclarecimentos por parte da comunidade. O parlamentar lembrou que “a segurança pública é um dever constitucional do Estado, mas que não é possível ficar de mãos atadas diante de situações como esta.” O vereador informou que fez um comunicado à Secretaria Municipal Antidrogas a respeito dos casos recentes de violência na região do Novo Mundo. “Eles já promoveram ações com homens à paisana no sentido de identificar pontos de tráfico de drogas, bem como possíveis traficantes”, complementou.

Vereador protesta contra fechamento de escolas especiais

Foto - Andressa Katriny

Reunião discute falta de segurança no Novo Mundo


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

Ações pela biodiversidade serão acompanhadas Lombada na rua Delegado Naby Paraná, no Capão Raso garantirá mais segurança aos moradores da região

CÂMARA MUNICIPAL

Prefeitura atende pedido de vereador O vereador Tico Kuzma (PSB) anunciou a colocação de lombada na rua Delegado Naby Paraná, entre a Antonio Freitas Barbosa e Rodolfo Senff Júnior, no Capão Raso. “Com a medida, os moradores da região e as crianças da Escola Municipal Ivaiporã terão mais segurança, pois hoje a rua Delegado Naby Paraná é via de ligação ao Binário Brasília e os motoristas não respeitam a velocidade”, comenta. Kuzma conta que, desde 2006, vinha solicitando à Urbs a implantação de redutor de velocidade naquele trecho de rua revitalizado no ano passado, por meio de emenda de sua autoria ao orçamento municipal. “Em maio, estivemos no local juntamente com o gerente de Engenharia de Trânsito da Diretran, José Adir Zen, que reavaliou os nossos pedidos e entendeu a necessidade da lombada”, afirma. O projeto foi elaborado pela Diretran e enviado ao administrador regional do Pinheirinho, Fernando Janz, que coordenou a obra. “Agora, fizemos novo pedido à Urbs, que avalie se esta lombada é suficiente para diminuir a velocidade dos veículos que transitam pela rua Delegado Naby Paraná ou se será necessário outro equipamento entre as ruas Rodolfo Senff Júnior e Bortolo Gusso”, finaliza Kuzma.

Representando a Câmara de Curitiba, o vereador Omar Sabbag Filho (PSDB) participou, recentemente, da cerimônia de lançamento do selo de Certificação Life – Lasting Initiative For Earth (Iniciativa Duradoura Pela Terra) - certificação internacional para reconhecer, medir e qualificar ações de empresas em prol da conservação da biodiversidade. A solenidade aconteceu no Salão de Atos do Parque Barigui e reuniu diversas autoridades do setor público, representantes de empresas e ambientalistas. Entre eles, os ministros Carlos Minc, do Meio Ambiente, e Paulo Bernardo, do Planejamento, Orçamento e Gestão; o vice-prefeito, Luciano Ducci, e o secretário municipal de Meio Ambiente, José Antônio Andreguetto. A certificação Life tem a chancela da CDB – Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica e do governo federal através do Ministério do Meio Ambiente. O lançamento desse selo de certificação em Curitiba é consequência da Conferência COP 8, que ocorreu na capital paranaense em 2006, e coloca a cidade em consonância com a Convenção das Cidades, além de ampliar o conceito de Curitiba como cidade ecológica e preocupada com a biodiversidade. Biodiversidade Nos últimos anos, biodiversidade (todos os ecossistemas e as espécies de seres vivos do mundo, abrangendo de sua riqueza genética até a relação entre esses seres) passou a ser um dos termos científicos mais conhecidos e divulgados em todo o mundo. O Brasil possui a maior diversidade biológica do planeta, contando com pelo menos 20% do número total de espécies. Por outro lado, é também dono de realidade nada positiva, ao apresentar um quadro de degradação constante de áreas naturais – por exemplo, só nas regiões sul e sudeste não

Omar Sabbar e Luciano Ducci no lançamento do selo de Certificação Life

há mais do que 3% de áreas naturais bem conservadas remanescentes. A Certificação Life busca ser instrumento tecnicamente avançado para que o setor produtivo possa ter parâmetros de avaliação e reconhecimento de ações voltadas à conservação da biodiversidade, minimizar os impactos negativos para o seu próprio negócio e, ainda, ganhar em responsabilidade corporativa, competitividade e diferenciação de mercado. Conservação O ministro Carlos Minc concedeu entrevista coletiva e, ao afirmar que a perda da biodiversidade representa redução de 6% a 7% do Produto Interno Bruto mundial ao ano até 2050, ressaltou a importância da Certificação Life. “Uma estratégia de desenvolvimento que permita melhor conciliação da conservação da biodiversidade e do crescimento econômico precisa reconhecer que pressões excessivas ao patrimônio natural muitas vezes implicam na perda de biodiversidade e, por consequência, no comprometimento dos estoques de recursos naturais e seus serviços ambientais, absolutamente fundamentais para a manutenção da vida e de quaisquer empreendimentos. A busca é por um balanço equilibrado entre a

18 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

18

27/7/2009, 10:41

conservação da biodiversidade e a manutenção de processos produtivos. E a iniciativa privada tem papel fundamental para atingir este objetivo. Mas, por outro lado, há situações em que alguns desses serviços são exigidos em excesso, o que pode comprometer a manutenção dos negócios (e de seus processos produtivos) e a conservação da natureza.” O processo de certificação acontece partindo a iniciativa de cada organização, que, interessada, será submetida à avaliação de empresa auditora independente (credenciada pelo Instituto Life). Nessa auditoria a empresa informa seu segmento de atuação, status legal ambiental e existência ou não de um portfólio de certificações e de ações voluntárias em favor do meio ambiente. Impactos Com base nisso, a auditoria classifica a organização em perfil específico, averigua o atendimento de critérios de identificação dos aspectos e gestão de impactos ambientais, bem como o comprometimento de melhorias contínuas. Em seguida, apresenta o que deve ser realizado para implementação de ações para conservação da biodiversidade. Ao cumprir com as ações propostas, a empresa recebe a Certificação Life.


Festa celebra 29 anos da visita do Papa a Curitiba O Bosque do Papa sediou, (5), a festa em comemoração ao 29º aniversário da visita do Papa João Paulo II a Curitiba. Com uma extensa programação cultural, outras datas também foram lembradas, como os 140 anos da imigração polonesa no Brasil, os 50 anos da presença da Congregação Sociedade de Cristo no Brasil, os 20 anos da democratização da Polônia e o Dia Estadual e Municipal do Imigrante Polonês, no Paraná e em Curitiba respectivamente, festejados em 2 de maio. O ponto alto das festividades foi a entrega de duas casas de troncos, restauradas pela prefeitura de Curitiba. O primeiro vice-presidente da Câmara Municipal de Curitiba, vereador Tito Zeglin (PDT), acompanhou a solenidade. “Em 2005, reunimos os representantes da colônia polonesa e da prefeitura de Curitiba, dentre eles o vice-prefeito, Luciano Ducci. Na ocasião, foi determinada a criação de uma comissão formada por membros de diversos órgãos do

Executivo municipal, objetivando o trabalho de restauração destas casas históricas”, lembra o parlamentar. Datadas do século 19, as casas, formadas por troncos encaixados sem pregos, integram a paisagem do bosque e remetem ao modo de vida dos primeiros imigrantes poloneses, que começaram a chegar em Curitiba em 1871. Duas das sete casas do bosque foram tratadas e recuperadas da infestação de cupins. A madeira recebeu aplicações de produtos preventivos para evitar novos ataques das pragas. Alguns troncos muito comprometidos foram substituídos por madeira nova. O telhado de barro também foi trocado. Também participaram da festa no Bosque do Papa o secretário municipal do Meio Ambiente, José Antônio Andreguetto; o arcebispo emérito de Curitiba, Dom Pedro Fedalto; Rizio Wachowicz, presidente da Braspol, e o padre Zbigniew Jósef Minta, provincial da Sociedade de Cristo.

ParAanon18á

O presidente da Câmara Municiapl de Curitiba, João Clúadio Derosso sugere advertência nas academias, centros esportivos e lojas de nutrição esportiva

Derosso aponta riscos do uso de anabolizantes “O uso de anabolizantes causa danos irreversíveis à saúde e dependência química.” Esta é a advertência que deverá estar afixada nas academias, centros esportivos e lojas de nutrição esportiva, de acordo com proposta do vereador João Cláudio Derosso (PSDB), presidente da Câmara de Curitiba. “A busca de corpos esculpidos à base de remédio está levando jovens de aparência saudável a um vício muitas vezes sem volta. O motivo é o uso dos chamados esteróides anabolizantes. Apesar de não haver estatísticas, sabe-se do crescente número de consumidores dessas drogas”, afirma Derosso, que, justificando o projeto, aponta para os diversos distúrbios causados pelo consumo de anabolizantes, como os comportamentais, endócrinos, cardiovasculares, hepáticos, na musculatura e na estrutura óssea. Efeitos Derosso cita no documento estudo realizado pelo mestre em treinamento esportivo Fernando Vitor Lima, da Universidade Federal de Minas Gerais, que dá detalhes sobre as consequências do uso dos esteróides à saúde e destaca como diversos países têm tratado o assunto: “Nos Estados Unidos, os anaboli-

zantes já são considerados droga proibida, que só pode ser vendida com receita médica. Na Suécia, existem serviços que encaminham os usuários para tratamento, como se fossem viciados em droga.” No Brasil, segundo o professor, apesar da proibição de venda, a Vigilância Sanitária é falha e os esteróides continuam consumidos em larga escala. O estudo apresentado por Derosso também esclarece que os anabolizantes, ou “bombas”, como também são chamados, são substâncias sintéticas similares aos hormônios sexuais masculinos, tendo a capacidade de aumentar consideravelmente a massa muscular (efeito anabolizante) e o desenvolvimento de caracteres masculinizantes. A massa corporal aumenta porque aumenta a capacidade do corpo absorver proteína, além de reter líquido, provocando o inchaço dos músculos, mas com o risco de efeitos colaterais que, contabilizados, chegam a 70. Campanha O projeto de lei também prevê a inclusão, em campanhas de combate ao uso de drogas, da divulgação sobre os vários prejuízos à saúde decorrentes do uso desses produtos.

Curitiba | Julho | 2009 - 19

REV 214.pmd

19

DIVULGAÇÃO

locais indicados para receber uma unidade.” As famílias que atualmente são assistidas pelo Ônibus Mercadão concordam que a demanda supera o atendimento da modalidade, exigindo a “melhoria pública”. Quando o sistema do Ônibus Mercadão foi implantado, a população das vilas e dos jardins era bem menor. O crescimento populacional foi rápido e intenso, exigindo mudanças no sistema de abastecimento alimentar. Atendimento As unidades fixas do Armazém da Família fazem parte de programa da atual administração na área da economia doméstica. São instaladas em pontos estratégicos da periferia de Curitiba, onde é feita a comercialização de gêneros alimentícios e produtos de higiene e limpeza. Os armazéns vendem as mercadorias a preços 30% mais baixos, em média, que o mercado formal. E são acessíveis para famílias com renda de até três salários mínimos.

Foto - Andressa Katriny

A região de abrangência da administração regional do Boa Vista tem população superior a 225 mil habitantes. Segundo dados do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), órgão especializado na pesquisa e planejamento da cidade, o crescimento populacional do Abranches, um dos 13 bairros desta região, tem acompanhado a média de densidade habitacional de 36,72% por hectare, o que justifica, conforme o vereador Jairo Marcelino (PDT), proposta para construção de um Armazém da Família. O parlamentar, que pediu a construção de mais este Armazém da Família, considerou o sucesso em que se transformou essa prestação de serviço para milhares de pessoas. O Abranches, por ter grande número de moradores em vilas como a Nossa Senhora de Fátima e nos jardins Camila, Chaparral, Santa Terezinha, Área Verde, Recanto Feliz e dos Imigrantes, “é um dos

27/7/2009, 10:41

CÂMARA MUNICIPAL

(Foto - Irene Roiko)

VEREADOR PEDE MAIS UM ARMAZÉM DA FAMÍLIA


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

Curitiba entre os dez destinos turísticos mais procurados em julho A capital paranaense está entre as dez cidades que mais atraem visitantes nesta época do ano, segundo levantamento do buscador de viagens Mundi (www.mundi. com.br). O site engloba mais de 50 mil destinos e 130 mil hotéis em todo o mundo. Além de Curitiba, a lista do Mundi inclui outras oito cidades brasileiras: Rio de Janeiro (campeã nas buscas), Gramado, São Paulo, Salvador, Fortaleza, Recife, Natal e Porto de Galinhas. Nova York, nos Estados Unidos, é o único destino no exterior listado entre os 10 destinos mais procurados no site, aparecendo em 8º lugar. “Curitiba possui um forte apelo para o turismo nesta época. Os atrativos já consagrados e os revitalizados, que fazem parte da campanha Novo em Curitiba, são especialmente cuidados e mais belos no inverno. Além deles, a cidade oferece boa programação cultu-

ral, uma diversificada rede gastronômica, ótimas opções de compras, feiras de artesanato e de antiguidades”, diz a presidente do Instituto Municipal de Turismo, Juliana Vosnika. Para ela, a preocupação da Prefeitura de Curitiba em manter a qualidade de vida dos moradores faz com que a cidade seja respeitada entre os turistas de todo o Brasil. “É uma realidade a afirmação de que uma cidade só é boa para o visitante se, antes de tudo, for boa para o cidadão. A melhor tática de promoção de um destino é fazer com que seu habitante tenha orgulho do lugar onde vive”, completa Juliana. Movimento: Segundo dados do Instituto Municipal de Turismo, julho é o terceiro mês do ano com maior número de turistas circulando pela cidade, depois de dezembro e janeiro. O movimento na Linha Turismo, na Torre Panorâmica e nas consultas ao Disque-Turismo, serviço da Prefeitura que oferece informações sobre os principais pontos de interesse da cidade, pelo telefone (41) 3352 8000 - chega a dobrar em comparação aos outros meses. A capital tem como principal turista os moradores das cidades do interior e do litoral do Paraná. Eles correspondem a 33% dos visitantes, seguidos por paulistas (26,1%), catarinenses (13,2%), gaúchos (6,4%), fluminenses (5,1%) e de outros estados (11,6%).

CURITIBA

Com suas áreas verdes, monumentos restaurados e soluções urbanísticas criativas, Curitiba é um dos destinos mais procurados pelos brasileiros para as férias de julho.

20 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

20

27/7/2009, 10:41


Foto: Joel Rocha/SMCS

ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

Prefeito em exercício e coordenador operacional das administrações regionais, Luciano Ducci, participa de encontro com funcionários regional CIC

oferta de serviços de assistência social e cursos profissionalizantes. Ducci também conferiu as obras de ampliação do Armazém da Família Sabará, que atende cerca de 2 mil famílias da área e praticamente dobrará de tamanho, e o canteiro de obras do futuro conjunto residencial Moradias Corbélia, no bairro São Miguel. Em implantação na antiga sede campestre do Clube Literário, o conjunto abrigará 550 famílias que serão realocadas de áreas de risco do Barigui,

Portão, São Miguel, Vila Sandra e Vila Rigoni. A previsão é entregar as casas ? totalmente dotadas de infra-estrutura urbana - ainda este ano. Perto delas, em breve, também serão construídos um centro de assistência social, uma escola e um centro de educação infantil. Na Vila Verde ? uma das áreas da cidade que mais receberam investimentos da administração Beto Richa - Ducci acompanhou a implantação de remanso, calçada e ciclovia na praça do bairro e conversou com moradores e comerciantes.

Foto: Joel Rocha/SMCS

Mais duas unidades de saúde serão construídas na Regional CIC nos próximos anos. A informação foi dada nesta quarta-feira (22) pelo prefeito em exercício e coordenador operacional das administrações regionais, Luciano Ducci, durante encontro com os integrantes dos 15 conselhos locais de saúde da região. O evento abriu o terceiro dia de atividades de Ducci na área. Dos dois futuros equipamentos, a Unidade Campo Alegre já tem terreno para ser edificada e entrará na previsão orçamentária de 2010. A outra, que ainda não tem endereço definido, ficará a meio caminho entre as atuais unidades de saúde Tancredo Neves e São Miguel “Isso é uma demonstração da prioridade que essa região significa para a Prefeitura”, disse Ducci. Hoje a região tem 15 unidades básicas e de saúde da família e o Centro de Urgências Médicas CIC, o mini-hospital da área. Depois de conversar com os conselheiros, o prefeito em exercício visitou o novo Centro de Referência em Assistência Social (Cras) Barigui. O equipamento foi inaugurado há quatro meses e já está atendendo cerca de 50 famílias por dia para

“A gente estava mesmo precisando dessas melhorias para valorizar o nosso comércio”, comentou Diego Santos, há cinco anos proprietário de uma loja de materiais de construção situada em frente à praça. Andréia Lima de Sousa, que trabalha numa loja de presentes, também ficou satisfeita. “Uma rua mais bonita, mais organizada, é outra coisa. Dá gosto trabalhar e, com certeza, vir comprar aqui”, comentou. O estudante Kelvin Gonçalves Dias, de 13 anos, apresentou a presença do prefeito em exercício para pedir opções de lazer para as crianças na praça. Ducci encerrou a agenda na CIC com uma visita à unidade de saúde e ao bosque da Vila Verde, implantado na primeira gestão do prefeito Beto Richa. Parte dessa área, vizinha da Escola América da Costa Sabóia, será destinada à construção de um centro de educação infantil. “Nossa região teve muito desenvolvimento nesses últimos anos e, pelo jeito, continuará tendo”, observou a comerciária aposentada e presidente do Conselho Local de Saúde, Maria Livanir dos Santos. Ela mora na vila há vinte anos.

Curitiba | Julho | 2009 - 21

REV 214.pmd

21

27/7/2009, 10:41

CURITIBA

Luciano Ducci anuncia mais duas unidades de saúde na Regional CIC


ParAanon18á

Os vereadores da Comissão de Urbanismo e Obras Públicas da Câmara Municipal de Curitiba assistiram (22), no Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba), a uma apresentação sobre o Metrô Curitibano, que está neste momento em fase de elaboração dos projetos de engenharia. O metrô é a maior obra prevista no pacote de ações proposto à Fifa para a Copa de 2014. Além da construção do Metrô Curitibano, foram encaminhados à FIFA outros projetos para Curitiba e Região Metropolitana, ajustados em conjunto pela Prefeitura de Curitiba e Governo do Estado. Depois de encaminhado à FIFA, o programa de investimento da candidatura da cidade - definido em parceria conforme os objetivos comuns estabelecidos pelo Município e Estado - foi entregue ao Governo Federal. Entre as obras estabelecidas para o PAC da Mobilidade do Governo do Estado estão as de Integração Metropolitana, como o corredor metropolitano que garantirá as ligações entre Colombo e São José dos Pinhais, São José dos Pinhais, Contorno Leste e Fazenda Rio Grande e a ligação entre Fazenda Rio Grande e Araucária. As vias de integração metropolitana incluem as Avenidas Comendador Franco (no trecho depois de Curitiba), Salgado Filho e a rua Francisco Derosso. Também estão entre as vias de integração a ligação Curitiba - Pinhais e Curitiba - Colombo. Também fez parte da proposta do PAC do Governo do Estado, o Sistema Integrado de Monitoramento Metropolitano. Além do Metrô Curitibano,

a proposta do PAC da Mobilidade do Governo Federal apresentada pelo Município prevê obras na Comendador Franco e a construção das trincheiras das ruas Henrique Mehl e Francisco H. dos Santos, as obras do entorno da rodoferroviária, pavimentação de vias como a Theodoro Makiolka, Carmelina Cavassin, dentre outras, o viaduto da rua Carmelina Cavassin com a Rodovia dos Minérios (PR-092) e a ponte da mesma rua no cruzamento com o Rio Belém. A requalificação urbana das avenidas Visconde de Guarapuava e Cândido de Abreu e o Sistema Integrado de Monitoramento também fazem parte do que foi apresentado pela cidade para o PAC da Mobilidade do Governo Federal. Neste momento, Governo do Estado e Prefeitura aguardam uma definição do Governo Federal quanto às obras que terão recursos do PAC da Mobilidade. O pacote de obras vai favorecer a mobilidade e o turismo em Curitiba e nas cidades da região, aspecto que atende as expectativas da FIFA em relação aos jogos da Copa do Mundo de 2014. Metrô - Acompanharam a apresentação feita pelo presi-

Foto: Cesar Brustolin/SMCS

DIVULGAÇÃO CURITIBA

Copa: metrô nos projetos definidos por Prefeitura e Governo do Estado

O presidente do Ippuc, Cléver Almeida, apresenta projeto do Metrô Curitibano, para os vereadores da Comissão de Urbanismo

dente do Ippuc, Cléver Almeida, os vereadores Tico Kuzma, que preside a Comissão de Urbanismo e Obras Públicas da Câmara Municipal, os vereadores Felipe Braga Cortes, Jonny Stica e Omar Sabbag Filho, o supervisor de Implantação do Instituto, Edemar Meissner, e do arquiteto da Supervisão de Planejamento, Reginaldo Reinert. Cléver Almeida apresentou um histórico do sistema até a verificação da necessidade de implantação do metrô na Rede Integrada de Transporte e o que já foi feito até agora; as características do sistema previstas nos estudos preliminares elaborados em parceria com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) - órgão do Ministério das Cidades -, previsões quanto à demanda do metrô e suas vantagens. Os vereadores também conheceram detalhes da visita técnica feita recentemente às obras do metrô de São Paulo. Os vereadores também puderam tirar dúvidas sobre o projeto, dentre elas, o questionamento sobre o risco de a obra não ser concluída até a Copa de 2014. O presidente do Ippuc disse que tecnicamente há con-

22 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

22

27/7/2009, 10:41

dições de a obra ser concluída. Na avaliação do vereador Jonny Stica, a preocupação do governo federal em relação à conclusão do metrô até 2014 é importante. “Mas pelo que vi aqui hoje, acredito que é possível concluir as obras até a Copa. Espero que não haja nenhum impedimento nesta licitação para que o mais breve possível sejam iniciados os trabalhos. O metrô coloca Curitiba como cidade que está pensando no planejamento urbano e na mobilidade. E é importante que os vereadores estejam sintonizados para que Curitiba não perca estes recursos”, afirmou Stica. O vereador Omar Sabbag Filho também manifestou satisfação em relação às informações apresentadas. “Nos mostra que estamos num caminho seguro, estamos avançando com consistência e prevalece o interesse da cidade de Curitiba. O sistema de Curitiba tem uma história e vem evoluindo naturalmente. O conjunto de projetos apresentados e o que está sendo feito agora mostram que está adequado à realidade de hoje, ao futuro da cidade e à Região Metropolitana”, disse.


Inédito no país e, até onde se tem notícia, também no mundo, o projeto será iniciado a partir de agosto com seis ônibus da Linha Verde. A idéia é que, na sequência, todos os 18 ônibus da Linha Verde, que fazem a linha Pinheirinho-Carlos Gomes, passem a operar com o B 100. Com a preocupação ambiental em foco desde a década de 1970, Curitiba se antecipa outra vez, ao usar em caráter pioneiro um combustível 100% verde, não poluente, servindo outra vez como exemplo nacional. Combustíveis limpos poderão, no futuro, ser diretamen-

te responsáveis pela redução de custos com despesas ligadas à Saúde Pública, garantindo a desejada qualidade e vida de todos, disse Ducci. O presidente da Urbs, Marcos Isfer, disse que a entrada em operação, de ônibus com 100% de biocombustível é mais uma prova de que quando uma cidade se preocupa de fato com o meio ambiente e com o transporte coletivo, consegue colocar em prática inovações como esta. Termos ônibus rodando só com biocombustível será mais um momento marcante na história da cidade que é referência mundial em transporte e meio ambiente. Isfer fez questão de parabenizar os técnicos da Urbs que se dedicaram ao projeto e conseguiram reunir, em torno de uma mesma idéia, todos os setores da área.

O secretário municipal do Meio Ambiente, José Antonio Andreguetto, disse que a assinatura do acordo representou uma grande vitória. É a vitória do que tínhamos em estudo, a de ter um eixo de transporte em que se pudesse utilizar integralmente o biocombustível, reduzindo a emissão de poluentes. Este eixo é a Linha Verde, onde também este projeto começa a se viabilizar, afirmou. Elcio Karas, gestor de Vistoria e Cadastro do Transporte Coletivo, lembrou que cidade vem trabalhando de forma contínua para reduzir a emissão de poluentes pela frota de veículos, adotando, por exemplo, misturas do diesel com biocombustíveis em percentuais entre 20% e 50%. Agora não há mistura, é 100% biocombustível e isso só

foi possível com a parceria da Urbs e do município com os fabricantes, os operadores, institutos de pesquisa e fabricante e distribuidor de biodiesel, afirmou. Élcio explicou que o programa do biocombustível na Linha Verde terá acompanhamento permanente de todas as áreas envolvidas com avaliação de consumo, desempenho e emissão de de poluentes. Os ônibus que vão operar com biocombustível têm motores Euro III, uma tecnologia mais avançada do que o Euro I, e que vem sendo adotada na frota de Curitiba. Desde 2005 e até o fim deste ano, 1.120 dos 1.910 ônibus da frota operante de Curitiba são novos, com motores eletrônicos Euro III que fazem a queima quase completa dos combustíveis.

Prefeito em exercício, Luciano Ducci, o presidente da Urbs, Marcos Isfer e o secretário municipal do Meio Ambiente, José Luiz Andreguetto, participam da assinatura de acordo com com empresas de ônibus, fabricantes de motores e chassis, produtores e distribuidores de biodiesel e Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para uso de biocombustível 100% limpo em ônibus do transporte coletivo da cidade

Curitiba | Julho | 2009 - 23

REV 214.pmd

23

27/7/2009, 10:41

ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

O prefeito em exercício, Luciano Ducci, o presidente da Urbs, Urbanização de Curitiba S/A, Marcos Isfer, e o secretário municipal do Meio Ambiente, José Antonio Andreguetto, assinaram (22), com empresas operadoras do transporte coletivo, fabricantes de motores e chassis e produtor e distribuidor de biocombustível, acordo que garante a operação de ônibus da Linha Verde integralmente com biocombustível, B100, sem mistura de diesel convencional.

CURITIBA

Ônibus da Linha Verde vão rodar com combustível à base de soja


Com mais essas unidades, o Estado já totaliza 2.543 novas casas distribuídas em 13 municípios. Deste total 1.277 unidades são direcionadas para famílias com renda mensal de até três salários, de acordo com as regras do Governo Federal. A reunião foi realizada (21), com representantes dos órgãos que compõem o Comitê e das cidades beneficiadas. “Nosso escritório de planejamento urbano, com reuniões realizadas na Companhia, com participação de representantes da Copel, Sanepar, Caixa, Suderhsa, IAP, Sedu, Comec, Mineropar e Cohapar, viabiliza, a cada semana, mais projetos para o ‘Minha Casa, Minha Vida’, inclusive já estendendo o programa para o interior do Estado”, explicou Greca. O “Minha Casa, Minha Vida” prevê a construção de um milhão de moradias em todo o país e 44.172 unidades no Paraná. Destas, 32.173 casas poderão ter seus projetos coordenados pela Cohapar sendo que 12.202 serão construídas na Região Metropolitana de Curitiba e 19.971 em cidades com mais de 100 mil habitantes. NOVOS MUNICÍPIOS As 1.083 unidades, na última reunião do Comitê vão ser distribuídas em seis municípios, sendo cinco da Região Metropolitana de Curitiba (RMC) e um em Cianorte. Em Balsa Nova, foram habilitadas 128 moradias, 28 para quem recebe até três salários. Já em Adrianópolis, são 44 unidades habitacionais, sendo 18 para a mesma faixa salarial; em Tunas, das 60 moradias, 20 também são para famílias de baixa renda; Bocaiúva

Cohapar e Caixa já habilitaram 2.543 unidades do “Minha Casa”

Foto: Pablito Pereira

ParAanon18á

DIVULGAÇÃO BRASIL

O comitê do programa “Minha Casa, Minha Vida”, coordenado pelo presidente da Cohapar, Rafael Greca, aprovou a construção de mais 1.083 moradias, em seis municípios.

Minha Casa Minha Vida, o presidente da Cohapar, Rafael Greca, recebeu em seu gabinete os representantes da Sanepar,Copel, Iap e Mineropar para junto aos prefeitos, aqui o prefeito de Almirante Tamandaré Vilson Goinski, o diretor de projetos da Cohapar, Jorge Guerra as diretrizes do projeto

do Sul, das 65, 25 são para este patamar de renda; Almirante Tamandaré teve 360 casas aprovadas, sendo que 214 também privilegiam famílias de baixa renda. Em Cianorte, no Noroeste do Estado, habilitou 426 áreas sendo 170 para famílias com renda entre até três salários mínimos. “Isso se soma a tudo que vem sendo realizado, as 437 casas de Irati (centro-sul do Estado) onde o contrato de viabilidade para a execução das primeiras casas do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ no Paraná já foi assinado e as 1.023 já estão definidas para Piraquara, Campina Grande do Sul, Araucária, Contenda, Mandirituba e Lapa”, frisou Greca. PRÓXIMAS De acordo com o superintendente da Caixa, Arielson Bittencourt, a etapa mais difícil, que é a da identificação dos terrenos de acordo com as normas estipuladas pelo programa está sendo executada

com sucesso. “Os próximos passos são mais rápidos. O mais difícil era encontrar terrenos com a aprovação de todos os órgãos competentes. Muitos deles já foram encontrados e agora já estamos finalizando os projetos urbanísticos (PU) e vamos partir para as licitações e depois para a contratação”, explicou. O superintende da Caixa esclareceu que o processo de assinatura do contrato de viabilidade de Irati para a execução das primeiras casas do programa no Paraná foi rápido. “Pois o município já tinha o terreno doado para a Cohapar, que já tinha feito o projeto urbanístico e já estavam no registro de imóveis para a individualização das matrículas. O registro de imóveis é um processo em que você pega uma área enorme e tem que fazer a individualização das matrículas, e isso com uma área de 437 casas, demora um pouco, mas isso vai estar ocorrendo junto com o processo de

24 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

24

27/7/2009, 10:41

escolha da construtora”. ANÁLISE Bittencourt ainda explicou que a Caixa deve ter mais cerca de 4 mil unidades em análise na RMC. “Já estamos vendo a possibilidade de trabalhar com os municípios do interior fazendo uma parceria como esse que está sendo desenvolvida aqui.” “Nosso próximo horizonte é ver quantas casas ainda podemos fazer nas cidades restantes da RMC, que ainda não fechamos projetos e dependem dos prefeitos e da documentação estar em ordem e aguardar alguns pareceres da Mineropar e dos órgãos ambientais relativos a alguns municípios já habilitados, como o de algumas áreas de Almirante Tamandaré. Depois vamos estender o programa e oferecer os serviços da Cohapar para as outras regiões do estado, para as cidades de 100 mil e de 50 mil habitantes”, disse o presidente da Cohapar.


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

Ivan Rodrigues visita a sede da Brose do Brasil Empresa possui parceria com a Prefeitura na promoção de atividades sociais

O prefeito Luiz Assunção quer promover o desenvolvimento em Campina Grande do Sul

Prefeito Assunção fala de desafios e riquezas “Estamos vivendo uma nova etapa, uma nova situação na história de São José dos Pinhais. Quero ampliar este tipo de parceria que temos com a Brose, que considero importante e, desta forma, oferecer mais projetos sociais de qualidade à população”, afirmou Ivan Rodrigues. As instalações da Brose em Campo Largo da Roseira possuem uma área coberta de 10 mil metros quadrados, localizadas em um terreno de 95 mil metros quadrados. Atualmente trabalham nesta planta 540 funcionários, dos quais, cerca de 75% deles reside em São José dos Pinhais.

Durante a visita, Ivan destacou o interesse de ampliar parceria similar a existente com a Brose

Sanar as finanças, promover o desenvolvimento econômico e levar melhorias nos bairros Para o prefeito de Campina Grande do Sul, Luiz Assunção, alguns grandes desafios estão sendo enfrentados por sua administração, tais como regularização das finanças do município, pois quando assumiu em janeiro desse ano, o prefeito herdou uma dívida de quase R$ 8 milhões. Promover o desenvolvimento para Campina Grande do Sul, a partir da luta que vem travando com o Estado e com a União, no sentido de tornar mais flexível a lei ambiental. “É preciso adequações na lei ambiental nos municípios de mananciais e outras restrições ambientais”. Fazer implantar o programa municipal de asfalto solidário, com o objetivo de expandir a pavimentação em todos os bairros do município. Ainda nas suas palavras, “é preciso quebrar os interesses pessoais”. Na opinião do prefeito, “antes de tudo isso é preciso consolidar o expurgo de alguns grupos que sempre viveram à custa da prefeitura local e teimam dificultar o trabalho da atual administração, que de forma austera e pro-

movendo um governo de igualdade, vem pondo Campina Grande do Sul nos trilhos da modernidade administrativa”. Quanto ao povo de Campina Grande do Sul, o prefeito define de ordeiro, trabalhador e que entendem as adequações administrativas, visam a melhoria na qualidade de vida da população. Quanto ao orçamento municipal, o prefeito disse que “virou uma colcha de retalhos por causa de tantas emendas (irresponsabilidades) cometidas na gestão anterior”. O orçamento que vem sendo readequado para o exercício de 2010 gira na casa dos R$ 45 milhões. Campina Grande do Sul possui quase cinquenta mil habitantes e tem 950 funcionários públicos. O município tem boa parte do território considerada área de preservação ambiental, por causa da mata atlântica e manancial hídrico, mas está localizado numa região estratégica, distante 25 quilômetros de Curitiba. O município é favorecido pela BR-116, onde está localizado também o Hospital Angelina Caron.

Curitiba | Julho | 2009 - 25

REV 214.pmd

25

27/7/2009, 10:41

RMC

O prefeito de São José dos Pinhais, Ivan Rodrigues, visitou (23) a sede da Brose do Brasil Ltda., situada em Campo Largo da Roseira. A Brose, empresa de origem alemã, fornece componentes para a maioria das montadoras de automóveis instaladas no país. Na oportunidade, o secretário municipal de Promoção Social, Paulo Gomes, acompanhou o prefeito. O presidente da Brose do Brasil, José Bosco, o diretor industrial da empresa, Johedy Kasten e a assistente da diretoria, Lia Elisabete Donini, recepcionaram os visitantes. Bosco apresentou o histórico do grupo Brose ao prefeito e destacou a preocupação da empresa com o meio ambiente e com a área social. A Brose possui parceria com a Prefeitura de São José dos Pinhais, por intermédio da Secretaria Municipal de Promoção Social. Ela apóia o Projeto Guarda Mirim e participa com a oferta de vários cursos de qualificação profissional nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) Cyro Pelizzari I e II.


Foto: Diego Lopes/PMCGS

ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

Formação Continuada prepara educadores para o início do segundo semestre

O prefeito Assunção visitou as palestras acompanhado pelo presidente da câmara, vereador Wilson Waller

A equipe da rede municipal (20/21)de ensino de Campina Grande do Sul participou de um ciclo de palestras, que debateu temas direcionados com o objetivo de preparar os educadores para o retorno do trabalho nas escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIS). Ao todo, mais de 400 pessoas – entre professores, diretores e servidores da secretaria municipal – participaram do evento, que compõe o calendário escolar e faz

parte da formação continuada. As falas foram ministradas por palestrantes renomados e especialistas na área educacional, que vieram voluntariamente a convite da secretaria municipal de Educação, Esporte e Cultura – uma forma de reduzir os gastos com o evento. Entre eles, destaque para a coordenadora do Ensino Especial da secretaria de Educação de Curitiba, Carmen Lúcia Gabardo, que palestrou

para supervisoras e orientadoras das escolas. Outra novidade foi a palestra para os professores da Educação para Jovens e Adultos (EJA). Pela primeira vez, eles tiveram atenção especial, direcionada exclusivamente para essas turmas. A coordenadora do Ensino Fundamental, Adryana Garret, ressalta a importância do evento. “É um momento para os educadores trocarem experiências, esclarecerem dúvidas,

além de complementarem o conhecimento na área em que atuam”. O prefeito Luiz Assunção esteve no evento e aproveitou a ocasião para pedir atenção especial aos professores quanto a gripe A na volta às aulas. “O tema deve ser debatido nas escolas, pois a melhor forma de combater a doença é levando informação à comunidade. Para o esclarecimento de dúvidas, contem com a secretaria de Saúde, que está preparada para auxiliá-los”.

RMC

Rede de proteção à criança e adolescente ameaçados de morte será implantado em Pinhais Um estudo feito pelo Laboratório de Análise da Violência da Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ em parceria com a Unicef aponta Pinhais na lista dos municípios com maior índice de homicídios na adolescência. Entre as 20 primeiras cidades, está Foz do Iguaçu em primeiro e Pinhais em 14º. O índice é calculado proporcionalmente a população. Vale lembrar que a pesquisa foi realizada apenas em municípios que possui mais de 100 mil habitantes. Preocupada com a situação, a prefeitura de Pinhais vem implantando diversos projetos que visam proteger as crianças e adolescentes do crime. Nesta semana, a secretária de Assistên-

Foto: Ricardo Stuckert/PR

Pinhais propõe ações para proteger as crianças e adolescentes do crime

José Arildo e Márcia Ferreira acompanhando as discussões em Brasília cia Social, Márcia Ferreira e o direpara a redução das taxas de mortor de Segurança Pública talidade por homicídios de adoPatrimonial, José Arildo Alves de lescentes e jovens dos centros uroliveira, participaram em Brasília banos brasileiros. do lançamento do Programa NaciSegundo Arildo, a intenção é onal de Redução da Violência Leaproveitar esta experiência de tal na Infância e na Adolescência Brasília para buscar a implantação – PRVL. O programa associa um de um observatório do crime no conjunto de iniciativas que de formunicípio e providenciar ações prema articulada, visam contribuir ventivas voltadas a melhoria da

26 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

26

27/7/2009, 10:41

segurança pública de Pinhais. “Este trabalho consiste em mapear os índices de criminalidade para saber como agir de acordo com a necessidade do caso”, comentou. Para Márcia Ferreira, a formação de uma rede de proteção à criança e adolescente ameaçados de morte em Pinhais deve facilitar o enfrentamento a esta triste realidade. “Desde o inicio do ano estamos promovendo junto com o Conselho Tutelar e Conselho da Criança e do Adolescente diversas discussões voltadas a atenção com as crianças e adolescentes. Através de projetos sociais podemos dar um novo rumo a esta situação”, comentou. O Pronasci articula políticas de segurança com ações sociais, prioriza a prevenção e busca atingir as causas que levam à violência, sem abrir mão da repressão.


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO Palestrante Edgar Guimarães explicou aos presentes os direitos da lei complementar nº 123/2006

Município implanta Lei que favorece micro e pequenos empreendedores Com objetivo de criar uma política pública que atenda aos interesses do micro e pequeno empresário, Araucária promove encontros e palestras para implantar a Lei Geral da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte (Lei Geral Municipal) na cidade. O último deles aconteceu no (21) anfiteatro da Prefeitura. Algumas autoridades do municípío se reuniram com o prefeito Albanor Zezé Gomes e assistiram a palestra “Licitações e o novo estatuto da pequena e micro empresa”, ministrada pelo professor doutor e funcionário do Tribunal de Contas, Edgar Guimarães. Também estiveram presentes no evento, o vice-prefeito e secretário de Obras Públicas e Transporte, Isac José Efraim Fialla os diretores da Companhia de Desenvolvimento de Araucária (Codar), Geraldo Budziak, Paulo Henrique Areias Horácio e Renaldo Rodrigues, secretários municipais, vereadores, além do presidente da Câmara Municipal, Rui Sérgio Alves de Souza, e da presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Araucária, Rosa Tanaka Zelaga. Especialista no tema, Gui-

marães, explicou aos presentes, os direitos e deveres da Lei Complementar nº 123, que estabelece o tratamento diferenciado e favorecido a ser dispensado às microempresas e as empresas de pequeno porte. “Poucos municípios se preocuparam em regulamentar esta Lei. Araucária está no caminho certo. Com isso conquistará enormes benefícios, como arrecadação e o crescimento dos pequenos negócios”, comentou o professor. Guimarães, ainda recomendou ao prefeito Zezé, que faça a implementação da Lei de Licitações Municipais. “Sugiro ao prefeito Zezé que faça as devidas reparações na Lei nº123, finalizando a Lei Geral Municipal e implementando automaticamente a Lei de Licitações Municipais”, falou. Na visão do especialista, as pequenas empresas são as que mais geram emprego no estado do Paraná. “É de suma importância a implantação desta Lei para um crescimento ainda maior do município”, comentou. Para o prefeito Zezé, fazer valer a Lei Geral é compromisso sério. “A lei vai incentivar e fomentar novas iniciativas em-

preendedoras, favorecendo o empresariado local em muitos aspectos. O município está crescendo e tende a ficar mais movimentado. O empresariado deve estar fortalecido e organizado para que outras empresas se instalem com novos negócios, gerando ocupação, renda e benefícios para toda a sociedade”, disse Zezé. Para elaborar a Lei Geral foi criada uma Comissão Especial que conta com a participação de representantes da Codar, Procuradoria Jurídica do Município, Prefeitura, Câmara Municipal, Conselho Regional de Contabilidade, Associação Comercial (ACIAA) e Ordem dos Advogados do Brasil. Vale ressaltar, que o processo de regulamentação da Lei no município tem como principais articuladores a Codar, a Prefeitura e o Sebrae que vai preparar os empresários para se valer dos benefícios da nova legislação. Agora, o próximo passo da Comissão Especial é finalizar a proposta de texto da Lei Municipal e apresentar ao prefeito Zezé. Depois disso, o texto será encaminhado para votação em plenário na Câmara Municipal.

Curitiba | Julho | 2009 - 27

REV 214.pmd

27

27/7/2009, 10:41

RMC

Com o objetivo de agregar renda e verticalizar a produção rural, ou seja, produzir e transformar a matéria-prima local, está em construção, na Capoeira dos Dinos, em Piraquara, a Vila de Processamento Agroecológico. Em uma área de 33 mil m², estão sendo construídas edificações, as quais vão abrigar abatedouros (ovinos e suínos, aves e peixes), sala de embutidos e defumados, casa de extração de mel, laticínios, vinícola e cozinha vegetal (doces, geléias, sucos e compotas), além de um quiosque para vendas e recepção dos visitantes. Segundo o secretário de Meio Ambiente, Agricultura e Turismo, Gilmar Clavisso, a construção é resultado de uma medida compensatória, que os produtores e a comunidade exigiram do governo do Estado, devido à construção da Represa Piraquara II, onde muitos agricultores tiveram que sair de suas propriedades. O investimento é de R$ 4 milhões. Todos os produtos da agroindústria terão o selo de qualidade sanitária e licença ambiental. A primeira fase das obras da agroindústria ficou pronta em maio. Durante os últimos meses já foram concluídas a terraplanagem e a fundação, agora está em andamento a construção das edificações. A área construída deve chegar a 800m², com duas entradas (serviço e recepção), estacionamento e calçamento em paralelepípedo. A intenção é investir no sistema agroecológico, além de promover e desenvolver o agroturismo. Esse é apenas um dos compromissos com os produtores e agricultores locais. Devem ser beneficiadas cerca de 250 famílias de agricultores do município. A segunda fase da obra deve ser concluída até o final deste ano.

Foto: Carlos Poly (ACS)

Agroindústria de Piraquara vai fortalecer os produtores rurais


Para o prefeito Edson Basso, o evento serviu como ponto de partida para uma série de outras ações direcionadas à juventude local. Segundo estimativas, Campo Largo conta hoje com cerca de 25 mil pessoas com idade até 29 anos

28 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

28

27/7/2009, 10:41

bandido. É necessário fazer isto porque é um direito e uma necessidade do jovem e um dever do Estado”, salientou. O ex-secretário da Educação, Maurício Requião, que estava na platéia, ressaltou que as políticas públicas devem ser elaboradas pensando-se na população que sofre as consequências da desigualdade social. “Os órgãos governamentais precisam se questionar quem é que precisa das políticas públicas. Os jovens das camadas mais populares são os que mais precisam das iniciativas políticas”, analisou. Para o prefeito Edson Basso, o evento serviu como ponto de partida para uma série de outras ações direcionadas à juventude local. Segundo estimativas, Campo Largo conta hoje com cerca de 25 mil pessoas com idade até 29 anos. “A realidade aqui na cidade não é muito diferente do que se vê nos outros municípios da Região Metropolitana de Curitiba. Precisamos mudar o foco, definir o espaço que o jovem precisa”, afirmou Basso.

ALMIRANTE TAMANDARÉ

O evento, realizado no auditório da Prefeitura de Campo Largo (23), reuniu mais de cem pessoas e foi o primeiro encontro no município para a criação de uma política municipal para atender ao público infanto-juvenil. Thelma falou sobre as necessidades mais urgentes da população jovem e que precisa de políticas públicas consolidadas para garantir os direitos daqueles que são excluídos socialmente. Ela apresentou dados que mostram que, de cada dois desempregados no Brasil, um deles tem até 29 anos. Além disso, o total de jovens analfabetos chega a 1,3 milhão em todo o País, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do IBGE. “A exclusão social não é não ter dinheiro, mas não ter acesso aos bens culturais”, destacou a secretária. A secretária lembrou ainda que, de cada cinco atos de infração, em um o jovem aparece como autor e nos outros quatro como vítima. “Não adianta criar oportunidades de lazer e esporte como uma alternativa para o jovem não virar

Secretária da Criança e Juventude discute políticas públicas em Campo Largo

Fotos:SECJ

ParAanon18á

DIVULGAÇÃO RMC

O prefeito de Campo Largo, Edson Basso, secretários municipais, educadores e outros profissionais que atuam em áreas ligadas à infância e à juventude assistiram a uma palestra da secretária da Criança e da Juventude, Thelma Alves de Oliveira. As políticas públicas para a juventude foram o tema da palestra.


Edgar cocorreu à eleição pela chapa ABES-PR Participativa e defendeu uma entidade mais próxima dos municípios. “O nosso slogan era Abes na rua, e é exatamente isso que pretendo fazer ao ampliar a nossa linha de ação”, disse. O engenheiro afirmou que quer somar o vasto conhecimento técnico adquirido pela ABESPR desde a sua fundação, em 1966, com o conhecimento dos profissionais dos mais diversos segmentos que fazem parte da nova diretoria. “O resultado vai ser o fortalecimento da entidade. Vamos promover discussões, treinamentos e dar todo o apoio necessário aos nossos filiados e população em geral”, enfatizou. Também tomaram posse como vice Maria Cristina Braga, como 1.º secretário Antonio Carlos Nery, 2.º secretário Hélio Sanfelice, 1.º tesoureiro Sérgio Wippel, 2.º tesoureiro Arlineu Ribas, diretora Selma Aparecida Cubas e como diretores Celso Luis Thomaz e Carlos Mello Garcias. São representantes no Conselho Diretor: Agenor Zarpelom, Pedro Luis Prado Franco e

Engenheiro Francisco Borsari Netto (à esquerda) recebe o prêmio Abes/PR, de Pedro Nelson

Pedro Nelson Costa Franco. No Conselho Consultivo: Francisco Borsari Netto, Luis Carlos Blume, Reinaldo José Rodrigues dos Santos, Miguel Mansur Aisse, Nicolau Leopoldo Obladen e Roberto Massami Arai. No Conselho Fiscal Estadual: Antonio Roberto Sartor, Elenice Camargo Roginski, Gilson Fernando Gomy de Ribeiro, Manoel José Warumby de Oliveira e Marcelo Abrão Perini. PREMIAÇÃO Na mesma solenidade, a entidade entregou, o Prêmio Abes/Paraná – biênio 2007/ 2008 para instituições e profissionais que contribuíram para a

melhoria e da qualidade de vida da população paranaense. Receberam o prêmio nesta edição, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos - Sema - e a Caixa (CEF). Na categoria profissional, o premiado foi o engenheiro Francisco Borsari Netto. O Prêmio Abes Paraná foi instituído em 1996, e tem por objetivo reconhecer o mérito de empresas públicas e privadas e de um profissional que tenham prestado relevantes serviços nas áreas da Engenharia Sanitária e Ambiental, trazendo benefícios para a população paranaense.

O engenheiro da Sanepar Edgard Faust Filho tomou posse na quartafeira (22) da presidência da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), seção Paraná para o biênio 2009/2011. A solenidade foi realizada no auditório do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), em Curitiba

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) reduziu de 10,9 % para 7 % a taxa de juros para empresas que pretendem financiar a compra de caminhões. A redução também beneficia aquisição de chassis, carretas, cavalos-mecânicos, reboques e semi-reboques, incluídos até os pequenos caminhões, tipo dolly. A queda na taxa de juros ainda foi acompanhada pela ampliação em um ano no prazo de financiamento. Agora, as empresas têm 96 meses para quitar os empréstimos. A diminuição das taxas soma-se ao corte realizado pelo BRDE na semana passada para financiamento na compra de equipamentos para micro e pequenas empresas do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Os juros caíram de 11% para 4,5%. O BRDE atende os três estados do Sul e mais o Mato Grosso do Sul e opera com financiamentos a partir de R$ 50 mil. Para ter acesso a linha de crédito, o empresário interessado precisa ter seu cadastro atualizado, situação fiscal e previdenciária em dia, e apresentar projeto viável e enquadrado nas políticas operacionais e de risco de crédito do BRDE. São consideradas microempresas e empresas de pequeno porte (Lei 9.841/99), as empresas que faturam até R$ 1,2 milhão/ ano.Mais informações pelo telefone (41) 3219-8000. BNDES O programa BNDES de Sustentação do Investimento (BNDES PSI) também reduziu de 11% para 4,5% ao ano a taxa de juros na aquisição de máquinas e equipamentos nacionais novos para empresas (exclusivamente do setor industrial) e dobrou o prazo de pagamento para 120 meses. Para investimentos em reforma e construção de instalações, a taxa de juros se mantém em 10,9%, com prazo de até cinco anos.

Curitiba | Julho | 2009 - 29

REV 214.pmd

29

27/7/2009, 10:41

ParAanon18á

MUNICÍPIOS

O engenheiro da Sanepar Edgard Faust Filho tomou posse (22) na presidência da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), seção Paraná para o biênio 2009/2011. A solenidade foi realizada no auditório do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), em Curitiba.

BRDE reduz taxa de juros para o financiamento de caminhões

DIVULGAÇÃO

Novo presidente da Abes-PR quer Associação mais próxima dos municípios


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO

Palanque único nos Estados O lançamento da pré-candidatura do ministro da Justiça, Tarso Genro (PT), a governador no Rio Grande do Sul evidenciou a divisão da base do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Estado e estimulou outros governistas a levarem adiante seus planos de oferecer mais de um palanque regional à ministra Dilma Rousseff. É o caso do ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), na Bahia, e do prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Faria (PT), no Rio de Janeiro. Por outro lado, o comando nacional do PT se prepara para reforçar a estratégia de um palanque único em cada Estado e conta com a interferência direta de Lula para resolver os impasses. “O ideal é o palanque unificado, mas sabemos que há Estados onde é impossível um acordo. Do ponto de vista político, (a disputa entre candidatos próDilma nos Estados) tem o lado positivo de alcançar eleitores de perfis diferentes, com visões an-

tagônicas. Mas o conflito entre aliados, até na disputa pela agenda do candidato à Presidência, não é bom”, diz o presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP). No Rio Grande do Sul, terra de Dilma, o PMDB não aceita aliança com o PT. O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), também trabalha por um candidato forte da oposição em cada Estado, com palanque único para o nome tucano que disputará a Presidência, o governador de São Paulo, José Serra, ou o de Minas, Aécio Neves. “Onde há disputa entre aliados, eles acabam se preocupando mais com as próprias candidaturas do que com o projeto nacional”, diz Guerra. O PSDB tem o trauma das eleições de 2006, quando o então candidato tucano, Geraldo Alckmin, acabou sem palanque forte na Bahia, no Ceará e no Rio de Janeiro por causa de disputas internas do PSDB ou com os aliados DEM e PPS

GERAL

Lula: eleger ‘sucessora’ em 2010 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva retomou com força total a campanha para eleger a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, ao Palácio do Planalto. Em visita a Alagoas, (14) acompanhado da ministra, o presidente disse que vai eleger sua “sucessora”. “Está chegando o ano eleitoral. E eu não posso falar de eleição. Mas eu só vou dizer uma coisa para vocês. Pode escrever. Eu vou fazer, vou ajudar a eleger a minha sucessora”, disse Lula, ao discursar na cerimônia de inauguração de uma adutora em Palmeira dos Índios, no interior do Estado. Após uma longa pausa para aplausos, o presidente emendou: “Ou sucessor”. A obra inaugurada hoje faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), coordenado por Dilma, e teve contrapartida do governo alagoano. Ao iniciar o discurso, ao lado do governador tucano Teotonio Vilela Filho, Lula havia dito justamente que a parceria servia de prova de que o objetivo não era buscar votos.

“O que aconteceu aqui é que nós não estamos pensando em 2010”, disse Lula, que foi exaustivamente elogiado pelo tucano em seu próprio discurso. Ainda assim, ao final da fala, o presidente voltou a citar a disputa eleitoral, dessa vez criticando um discurso semelhante ao que guiou o início de sua vida política. “Na época das eleições, pobre tem um valor incomensurável. A coisa mais habitual em época de eleição é a gente ver candidato xingar banqueiro, xingar grande empresário, xingar usineiro. E o povo é maravilhoso. Passadas as eleições, o povo nunca mais é chamado para nada”, disse Lula. Ao exaltar sua preocupação com o Nordeste, Lula destacou que, em decorrência das dificuldades da região, é justamente ali que está a maioria dos beneficiários da Bolsa-Família. “Muita gente, quando nós criamos o Bolsa-Família, falou que era esmola. Mas quem fala que é esmola normalmente é gente que não precisa do Bolsa-Família”, rebateu.

Tucanos do Paraná terão carta-branca em 2010 O PSDB do Paraná tem total autonomia para decidir sobre suas candidaturas majoritárias às eleições do próximo ano. A garantia é do presidente estadual do partido, Valdir Rossoni que, incomodado com as versões de que os tucanos paranaenses teriam que se submeter à decisão nacional do partido, para definir seus rumos no Paraná, conversou pelo telefone, com o presidente nacional da sigla, Sérgio Guerra. Rossoni disse que obteve de Guerra o compromisso de que o diretório estadual tem liberdade para definir suas candidaturas e alianças e que não virá nenhuma decisão de “cima para baixo” por parte da cúpula nacional do partido. “A decisão do Paraná não será tomada pelo diretório nacional. Ninguém precisa ter dúvidas sobre isso. Todas as nossas movimentações levam em conta o projeto nacional, mas ninguém tirou nossa autonomia”, disse o dirigente tucano. processo de discussão das candidaturas, Rossoni disse que, em nenhum momento, a direção estadual perdeu de vista a necessidade de fazer uma opção que fortaleça a candidatura do PSDB à Presidência da República. “Eu confirmei com o Sérgio Guerra o nosso propósito de escolha de candidaturas ao governo e ao Senado que ajudem o nosso candidato a presidente da República, mas somos nós, no Paraná, que vamos apontar este caminho”, disse. Rossoni disse que o partido continua trabalhando na perspectiva da construção de uma frente de partidos para a sucessão estadual de 2010. “Nunca tivemos dúvida sobre a nossa opção, de construir um novo projeto de desenvolvimento econômico e social para o Estado, reunir um grupo de partidos comprometidos com essa ideia e contribuir decisivamente para que o nosso candidato a presidente da República tenha o maior apoio possível aqui, no Paraná”, afirmou Rossoni. O presidente do partido admitiu que, neste momento, está mantida a tendência de lançamento de uma candidatura própria ao governo. “É claro que trabalhamos com a possibilidade de ter candidatura própria. Não estamos aí para ser barriga de aluguel”, disse o tucano. Mas a definição não será precipitada, disse o presidente estadual do partido, que condena o que chama de “desespero” de alguns setores sobre a escolha do candidato e dos aliados. “Temos fortes candidatos no PSDB, mas é muito cedo para definir esta situação. No momento oportuno, essa decisão virá”, afirmou. A defesa de uma decisão mais rápida e ainda este ano é sustentada pelo aliado PDT, que negocia o apoio dos tucanos à candidatura do senador Osmar Dias ao governo, mas também se faz sentir internamente no PSDB. Pré-candidato ao governo, assim como o prefeito de Curitiba, Beto Richa, o senador Alvaro Dias nunca escondeu que gostaria que o PSDB delimitasse seus rumos o quanto antes. Mas a direção estadual está mais alinhada ao prefeito Beto Richa. Ele quer prolongar as discussões até abril do próximo ano, quando terá que decidir se permanece na prefeitura ou se renuncia ao cargo para concorrer ao governo.

30 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

30

27/7/2009, 10:41


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO Curitiba | Julho | 2009 - 31

REV 214.pmd

31

27/7/2009, 10:41


ParAanon18á

DIVULGAÇÃO 32 - Curitiba | Julho | 2009

REV 214.pmd

32

27/7/2009, 10:41


Revista Divulgação Paraná - edição 214