RBS Revista ED. 48

Page 1

www.revistabrasilsolar.com

Vol. 05 - Nº 48 - SET/OUT 2022

16°FórumGD FÓRUM REGIONAL DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA COM FONTES RENOVÁVEIS

REGIÃO NORTE

QUALIDADE, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

ISSN 2526-7167

Palmas Energia Solar

GRUPO

SINCE 2010

DIGITAL MARKETING



ÍNDICE

04

MMGD Rural no Estado do Tocantins: uma previsão para o futuro da modalidade no estado

08 Amara NZero amplia portfólio de produtos ofertados no Brasil

14 MLPE: entenda como aplicar

microinversores e otimizadores de potência para atingir melhores resultados

36 Como avaliar uma estrutura fotovoltaica de qualidade

EDIÇÃO

FRG Mídia Brasil Ltda.

CHEFE DE EDIÇÃO

Aurélio Souza IEE USP

JORNALISTA RESPONSÁVEL Ingrid Ribeiro Souza

Curitiba - PR – Brasil www.revistabrasilsolar.com

A Revista RBS é uma publicação do

DIREÇÃO COMERCIAL Tiago Fraga

ABGD / TECPAR / WBA - Associação Mundial de Bioenergia Solar / Instituto BESC / CBCN / Portal Brasileiro de Energia Solar / NEEAL - Núcleo de Estudo em Energia Alternativa / ABEAMA

E-MAIL: contato@grupofrg.com.br COLUNISTAS/COLABORADORES Frederico Boschin, Ana C. Werle, Ivan Sarturi, Merivaldo Britto, Ricardo de C. Gomes

DISTRIBUIÇÃO DIRIGIDA

Empresas do setor de energia solar fotovoltaica, geração distribuída e Claudio Fraga, Luan Ignacio energias renováveis, sustentabilidade, câmaras e federações de comércio e Dias e Leonardo Amorim indústria, universidades, assinantes, COMITÊ EDITORIAL centros de pesquisas, além de ser Colaboradores da edição distribuído em grande quantidade nas DISTRIBUIÇÃO principais feiras e eventos do setor Carlos Alberto Castilhos de energia solar, energias renováveis, construção sustentável e meio REDES SOCIAIS ambiente. Nicole Fraga

COMERCIAL

EDIÇÃO DE ARTE Para reprodução parcial ou completa das informações da RBS Magazine - Revista Brasil Solar é obrigatório a citação da fonte.

APOIO

Vórus Design e Web www.vorusdesign.com.br

CAPA

Camila Gruska Skrzyszoski

TIRAGEM: 5.000 exemplares VERSÕES: Impressa / eletrônica PUBLICAÇÃO: Bimestral CONTATO: +55 (41) 3225.6693 +55 (41) 3222.6661

Os artigos e matérias assinados por colunistas e ou colaboradores, não correspondem a opinião da RBS Magazine - Revista Brasil Solar, sendo de inteira responsabilidade do autor.

RBS Magazine

3


MMGD Rural no Estado do Tocantins: uma previsão para o futuro da modalidade no estado Frederico Boschin e Ana Carolina Werle

A

Geração Distribuída no Brasil se caracteriza como uma série de instalações de pequeno porte provenientes de fontes (geralmente incentivadas) como geradores, próximos à carga. Por ser um sistema relativamente pequeno e simples, garante uma segurança maior ao consumidor que optar pela modalidade, já que não necessita de grandes cabeamentos para ligar-se à rede. Além disso, se a UC for cadastrada na SCEE, ela pode optar por dividir seus créditos entre matriz e filial, o que se torna um método interessante para famílias ou até empreendimentos rurais sob o mesmo CPF ou CNPJ. Além disso, no ano de 2022 passou a possuir legislação própria (Lei 14.300), o que contribuiu para uma maior segurança jurídica tanto para distribuidoras, já que garante uma padronização nos formulários necessários para ligar a usina à rede e medidas contra a inadimplência, por exemplo; e para o consumidor-gerador, já que ele possui o direito em lei de ligar qualquer empreendimento à rede e alocação de créditos.

4

RBS Magazine

Com o crescimento dessa modalidade de geração nos últimos 5 anos no país, principalmente no setor rural, o Tocantins acompanha esse índice com um aumento da quantidade de empreendimentos em 125% entre 2020 e 2021. (Figura 1).

Isso se deve principalmente ao cronograma estabelecido pela Aneel acerca da desoneração tarifária (Decreto n° 9642/2018), precisamente no item XV, que estabelece uma extinção gradual dos subsídios tarifá-

Figura 1: Quantidade de empreendimentos em MMGD Rural na Região Norte do país por ano. Elaboração própria com dados retirados do BEN 2021.

"EM QUESTÃO DE ECONOMIA, SE BEM DIMENSIONADA, A

MMGD DE AUTOCONSUMO REMOTO NO SETOR RURAL PODE APRESENTAR UMA ECONOMIA DE QUASE 50%, MESMO COM UMA ATRATIVIDADE INFERIOR A OUTROS ESTADOS MOTIVADA PELA ALTA DEMANDA DE GERAÇÃO (TUSDG)..."


RBS Magazine

5


rios em cinco anos para os setores rural, aquicultura e saneamento. Essa exclusão tem o intuito de retirar essas classes das contribuições da CDE, com redução em sua participação em 20% a.a. até concluir os 100%, que simbolizam a sua eliminação completa em 2024. (Figura 2).

Figura 2: Trajetória de redução de subsídios nas tarifas, chegando uma redução de 2,5% do CDE a.a. Fonte: Agenda de Desoneração Tarifária, Aneel 2019

Além disso, como a região Norte possui uma predominância de quase 85% de Baixa Tensão no setor Rural1, é evidente que seu histograma de potências instaladas por número de UC’s será majoritariamente de capacidades baixas, entre 10 e 50 kW (Figura 3).

Figura 3: Histograma de potências instaladas por quantidade de empreendimentos totais em MMGD Rural na Região Norte do país por ano. Elaboração própria com dados retirados do BEN 2021.

Em questão de economia, se bem dimensionada, a MMGD de autoconsumo remoto no setor rural pode apresentar uma economia de quase 50%, mesmo com uma atratividade inferior a outros estados motivada pela alta demanda de geração (TUSDg). Esse valor varia conforme o investimento inicial (se provir de capital próprio ou de financiamentos bancários), da degradação natural do sistema e da porcentagem de geração na carga. Esses índices somados evidenciam uma migração quase exponencial da classe Rural para a MMGD, influenciada por fatores monetários, como a agenda de desoneração tarifária, econômica, no viés de economia que os projetores proporcionam, e a segurança jurídica estabelecida pela nova Lei 14.300. Devido à isso, é favorável ao mercado interessado aderir a essa normativa, que trará benefícios garantidos para, no mínimo, os dez anos futuros. 1

Anuário Estatístico de Energia Elétrica 2021, EPE 2022. (https://www.epe.gov.br/sites-pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/PublicacoesArquivos/publicacao-160/topico-168/Anu%C3%A1rio_2021.pdf)

6

RBS Magazine


RBS Magazine

7


Amara NZero amplia portfólio de produtos ofertados no Brasil "UM ÓTIMO

DIFERENCIAL DA LINHA DE INVERSORES SOLIS É A PROTEÇÃO CONTRA ARCO ELÉTRICO (AFCI) JÁ INCLUSA NOS INVERSORES A SEREM COMERCIALIZADOS PELA AMARA NZERO..."

8

RBS Magazine

E

m plena expansão do mercado de Geração distribuída e visando sempre oferecer melhores soluções aos seus clientes, a Amara NZero Brasil traz para seu portfólio inversores da fabricante Solis a partir de outubro de 2022. “Os inversores da Solis - marca renomada no setor de energia renováveis, no nosso portfólio permitirá a montagem de novos kits de produtos, reduzindo muitas vezes o número de inversores de um projeto, e a não aquisição de um transformador, permitindo maior competitividade em relação a preços. A personalização cada vez mais fina dos projetos, com a qualidade de produtos tier one que a Amara NZero preza em manter”, enuncia Felipe Cunha, diretor Comercial da empresa. “A Amara NZero sempre prioriza a qualidade técnica dos produtos que traz para seu portfólio, de modo que nossos

integradores parceiros tenham sempre a tranquilidade de que estão recebendo produtos de fabricantes sólidos, com presença mundial no mercado de energia solar, e com alta performance. A ampliação do portfólio é um movimento natural do grupo para sempre estarmos disponibilizando as mais novas tecnologias para os desafios que virão para o setor fotovoltaico no Brasil nos próximos anos”, complementa Vitor Pedreira, superintendente de Compras. ​Esses inversores string são voltados para o mercado de Geração Distribuída (GD), possuem ampla gama de inversores trifásicos com a tensão de 220V, muito demandada para determinadas regiões do Brasil, como o Sul e Sudeste. Um ótimo diferencial da linha de inversores Solis é a proteção contra arco elétrico (AFCI) já inclusa nos inversores a serem comercializados pela Amara NZero, garan-


OS MODELOS DE INVERSORES ADQUIRIDOS PELA AMARA NZERO SÃO DA GERAÇÃO MAIS RECENTE S5 E CONTEMPLAM TODA A LINHA DE EQUIPAMENTOS TRIFÁSICOS DE BAIXA TENSÃO, QUE OPERAM EM 220V CA E EXCLUEM O USO DE TRANSFORMADORES tindo maior segurança para o integrador e cliente final. Os inversores produzidos pela fabricante Solis possuem Certificação ISO 9001 e premiação Selo PROCEL. Empresa de líderes profissionais com experiência pioneira na área de energia solar no Brasil, possui mais de 2 gigawatts instalados em todo o país e seus produtos apresentam tecnologias patenteadas, garantindo mais durabilidade e economia. “É um grande prazer anunciar a parceira Solis-Amara NZero. Um dos princípios da Solis é estabelecer relações de cooperação e colaboração com os Distribuidores, queremos que o cliente final tenha segurança e confiança nos nossos equipamentos e, principalmente, receba qualidade nos serviços oferecidos por nós. A Amara NZero é uma Distribuidora muito consagrada, principalmente na região Nordeste, e esse é um mercado que a Solis deseja expandir, assim como em outras regiões do Brasil. Então, essa parceria vem forte e trará excelentes frutos, tanto para nós como para a Amara NZero”, conta confiante a engenheira de pré-vendas da Solis, Marina Dias. Sobre o diferencial da marca, Marina destaca alguns pontos como o armazém localizado

na cidade de Campinas (SP), composto por diversos inversores exclusivos para troca e utilizados caso a garantia seja acionada e o Distribuidor não tenha o modelo em estoque, afim de fornecer rápido atendimento e substituição para evitar que o cliente perca dinheiro ou geração de energia. Além disso, a garantia dos inversores Solis é de sete anos, com a possibilidade de compra de extensão através da Amara NZero para um total de 10, 15 ou 20 anos de proteção. Os modelos de inversores adquiridos pela Amara NZero são da geração mais recente S5 e contemplam toda a linha de equipamentos trifásicos de baixa tensão, que operam em 220V CA e excluem o uso de transformadores, sendo eles das potências nominais de 15k, 20k, 25k, 30k, 50k e 60kW. Também está disponível no portfolio da Amara Nzero o inversor de 37.5kW fabricado para operar em redes 220V, que suporta até 70% de sobrecarga CC e fornece 75kW de potência de saída ao utilizar duas unidades em paralelo, o limite entre a micro e mini geração. Tanto os modelos trifásicos 380V quanto os 220V adquiridos pela Amara NZero têm nível de sobrecarga elevado, de 50% (exceto pelo inversor de 75kW

380V que comporta 70% de sobrecarga) e possuem corrente de entrada elevada de 16ª, uma das maiores disponíveis no mercado e compatíveis com módulos de alta-potência, de 600/700 watts, por exemplo. Todos os modelos obtidos pela AmaraNZero contam com alta eficiência de conversão de energia e possuem todas as proteções internas necessárias, incluindo DPS CA e CC, portanto o uso de String Box não é exigido; além disso, ao comparar os equipamentos da Solis com os de outros fabricantes, a empresa disponibiliza maior quantidade de MPPTs e mais entradas por inversor e ampla gama de atuação do software de rastreamento de melhor potência. É fornecido gratuitamente a plataforma de monitoramento SolisCloud integrada para visualizar remotamente a instalação. Lembrando que os inversores da Solis estarão no mix de produtos da Amara NZero Brasil a partir de outubro e com entrega em novembro já fazem parte do portfólio da Amara NZero da Espanha e comercializado pela empresa em diversos países da Europa. Os produtos estão aprovado pela nossa matriz e temos certeza que terá sucesso garantido por aqui!

RBS Magazine

9


Muito além da nova marca. Solfácil lança novos produtos e serviços durante a Intersolar. O propósito de empoderar pessoas através do sol está na essência da Solfácil. E, por isso, a importância de se reinventar e buscar soluções que estejam cada vez mais alinhadas com a realidade vivida pelo mercado. Desde a sua criação, a empresa busca solucionar questões práticas para a categoria, sendo o primeiro ecossistema em soluções solares a financiar, exclusivamente, projetos solares. O lançamento da nova marca foi realizado na Intersolar South America, a maior feira da América do Sul para o setor solar. Na feira também foram lançados novos produtos e serviços que passam por toda a experiência do integrador até o seu relacionamento com o cliente final.

SOLFÁCIL MAIS O novo programa de benefícios para integradores parceiros tem o objetivo de valorizar e fidelizar quem escolhe a Solfácil. O objetivo é acelerar o negócio do integrador parceiro por meio de uma gamificação de contagem de pontos na plataforma. O programa possui cinco níveis e todos os integradores parceiros já iniciam no nível um. Para avançar de nível, a contagem de pontos é realizada a cada três meses e, dependendo da quantidade de projetos fechados com a empresa, o integrador está apto para mudar de nível. Os benefícios vão de descontos progressivos na Loja Solfácil a taxas de juros menores para financiamentos.

COMBO FÁCIL Integradores parceiros, a partir do nível um no programa Solfácil Mais, que financiam e compram o kit na Loja Solfácil, têm acesso a parcelas menores. Atualmente, a Loja Solfácil oferece mais de 18 mil kits das melhores e mais conceituadas marcas. E a outra novidade é que, agora, também oferece envio próprio. O Solfácil Envios é o serviço de logística integrada da empresa, que garante maior agilidade na entrega e acompanhamento desde o pedido até a entrega ao consumidor final. Comprando itens com o Selo Solfácil Envios, o pedido estará com a nota fiscal emitida e na rota de entrega em até 24 horas após o pagamento. Com a nova plataforma, a empresa garante mais economia com frete incluso no valor do produto, descarregamento no destino final e consegue acompanhar o status do pedido em tempo real. Além disso, a entrega de outro kit é garantida, em caso de problemas com a primeira entrega.

10

RBS Magazine

AMPERA O dispositivo de IoT (internet das coisas) recebeu um investimento de R$20 milhões e vem sendo desenvolvido há 3 anos pela própria Solfácil. Teve como base as lacunas encontradas na experiência do monitoramento de usinas solares pelos integradores, bem como para melhorar o seu relacionamento com os clientes e aumentar as oportunidades de pós-venda. O hardware marca o pioneirismo da Solfácil em oferecer mais inovação e tecnologia para o setor e abre espaço para muitas possibilidades futuras. Inicialmente, será distribuído gratuitamente aos integradores que realizarem o financiamento com a empresa. Quando instalado, o Ampera é integrado automaticamente ao sistema e dá acesso a informações como gráficos de potência, de corrente e de tensão. Atualmente o Ampera oferece três soluções. Ampera conecta: o dispositivo possui conexão própria. As usinas são monitoradas constantemente sem depender do wi-fi do cliente. Ampera alerta: notificações prévias em caso de quedas de performance e otimização do pós venda do integrador, que poderá oferecer serviços preventivos e de manutenção aos clientes. Ampera explica: receba informações de consumo e geração. Isso ajuda o cliente final a entender melhor a sua conta de energia e, também, a economia gerada mensalmente.

SOLFÁCIL SEGUROS A empresa também investe em mais uma forma de transmitir segurança tanto ao integrador, quanto ao cliente final por meio do lançamento de dois produtos de seguros. O Seguro Proteção Financeira atua no financiamento e cobre até três parcelas de R$1.500, no caso de desemprego do cliente ou quita a dívida em até R$100 mil, no caso de morte ou invalidez, conforme condições gerais definidas pela seguradora. Já o Seguro de Danos nos Equipamentos cobre 100% do valor do equipamento por danos causados por fenômenos da natureza, como incêndio, queda de raio, explosões, granizo, vendaval e alagamento, 50% do valor do equipamento por roubo ou furto e 30% do valor do equipamento por dano elétrico. Além disso, o segurado ainda conta com uma cobertura de despesas extras. Atualmente, os casos de sinistros geram um aumento na conta de energia do cliente, já que o sistema poderá estar desligado ou funcionando parcialmente, o que leva ao aumento de consumo da rede. Com o seguro de cobertura de despesas extras, esse valor será amenizado.


RBS Magazine

11


A energia solar é o futuro que estamos construindo agora. Para colaborar com energiadesta solar matriz é o futuro que estamos construindo Para colaborar com o Aavanço energética limpa, renovávelagora. e sustentável, a Amphenol o avanço desta matriz limpa, renovável e sustentável, a Amphenol acaba de lançar a linhaenergética Amphe-PV H4 Plus™. acaba de lançar a linha Amphe-PV H4 Plus™.

Indicados para aplicações em painéis fotovoltaicos, os novos conectores Indicados para aplicações em painéis fotovoltaicos, os novos conectores oferecem desempenho robusto acima dos requisitos atuais da geração oferecem desempenho robusto acima dos requisitos atuais da geração distribuída. distribuída. ✔✔Três choquetérmico térmico e ciclo térmico de umidade e Trêsvezes vezesmais mais resistência resistência aachoque e ciclo térmico de umidade e congelamento congelamento ✔✔Duas contracalor calorseco seco e úmido Duasvezes vezes mais mais proteção proteção contra e úmido Atuaem emtemperatura temperatura ambiente ˚C˚C e temperatura limite superior de de ✔✔Atua ambientedede- 40 - 40 e temperatura limite superior 120˚C˚C 120 resistente aa produtos produtos químicos baixa absorção de umidade ✔✔É Éresistente químicose etem tem baixa absorção de umidade Fale com a gente e saiba como levar esta solução para o seu projeto. Contato:

Fale com a gente e saiba como levar esta solução para o seu projeto. Contato: YHQGDV#DPSKHQRO FRP EU YHQGDV#DPSKHQRO FRP EU #Amphenol #AmphenolBrasil #ConectarPessoas #ConexãoeInovação #Conector

#Amphenol #AmphenolBrasil#EnergiaSolar #ConectarPessoas #ConexãoeInovação #Conector es #EnergiaSolarFotovoltaica #SolarEnergy #Solar es #EnergiaSolarFotovoltaica #EnergiaSolar #SolarEnergy #Solar 12

RBS Magazine


Compatível com baterias, preparado para o futuro

2.0 vezes potência de saída

DPS Tipo II CC/CA

Monitoramento de autoconsumo 24h

MIN 2500-6000TL-XH

SHENZHEN GROWATT NEW ENERGY CO., LTD. www.ginverter.pt

info@ginverter.com

Centros de Suporte no Brasil Maringá e São Paulo +55 (44) 3122-3636

+55 (44) 3123-3650

br.service@growatt.com

RBS Magazine

13


MLPE: entenda como aplicar microinversores e otimizadores de potência para atingir melhores resultados

S

lação de equipamentos dentro da residência. Esta é uma das grandes vantagens dos microinversores, que agrada clientes que se incomodam visualmente com a presença de inversores na parede, ou até que não possuam espaço para isso.

ombreamento, expansão de sistema, clientes que não querem colocar inversor na parede, são muitos os motivos trazidos pelos integradores para justificar a busca por eles. A alta procura por sistemas fotovoltaicos chegou, inevitavelmente, a clientes especiais. Seja por sombreamento no telhado, intenção de futuras expansões no sistema fotovoltaico ou para locais com diversas inclinações e/ou orientações do telhado. As abordagens tradicionais, feitas com inversores string, podem evoluir para uma linha de produtos mais completa, para que se alcance os resultados desejados. E é justamente para essas situações em que surge a vantagem da aplicação de tecnologias MLPE (module level power eletronics, ou em português, eletrônica de potência a nível modular). De um lado temos a solução dos otimizadores de potência. Entrada em corrente contínua e saída também. Compatibilizado com inversores string, são destinados para situações onde exista sombreamento no telhado, impedindo que a totalidade dos módulos sejam instalados em local ideal para geração. Sem o seu uso, a string poderá perder potência e, portanto, geração – muitas das vezes por conta de poucos ou até mesmo de apenas um dos módulos.

14

RBS Magazine

Figura 1 - Otimizador de potência TS4-A-O TIGO 700 W.

Por outro lado, contando com uma abordagem diferente, mas ainda sendo parte da tecnologia MLPE, os microinversores englobam as características dos otimizadores de potência, com a principal diferença sendo a saída já em corrente alternada. O dispositivo é instalado no próprio perfil onde são fixados os módulos, não sendo assim necessário insta-

Figura 2 - Microinversor HMS-1800-4T Hoymiles 1800W.

Justamente por ser a nível modular, cada painel terá o seu próprio MPPT, viabilizando projetos onde existem diversas orientações e inclinações dos telhados. Projetos com

Figura 3 - Até três microinversores podem ser ligados a um único cabo tronco.


INTEGRADOR DE ENERGIA SOLAR, 2022 É O SEU ANO. PL 14.300 APROVADO!

A SolarView Business agora é:

SUA MELHOR PROPOSTA COMERCIAL PRONTA EM 1 MINUTO. Aponte sua câmera e veja com seus próprios olhos.

Vamos conversar?

21 994210476

www.solarmarket.com.br RBS Magazine

15


microinversores também possuem vantagens para futuras expansões. A exemplo, o microinversor Hoymiles HMS-1800-4T, comercializado pela PHB Solar, possui 4 entradas, cada uma com um MPPT. Como o integrador desconhece qual serão os módulos disponíveis para aquisição no momento em que o cliente resolver aumentar o sistema, vê-se a opção com bons olhos pois não será necessária compatibilidade com os módulos já instalados, bastando que se observe a corrente e a tensão.

Figura 4 - Dados de entrada do inversor Hoymiles HMS-1800-4T.

É possível ainda adicionar até três microinversores por cabo tronco. Dessa maneira, caso tenham sido instalados apenas um ou dois microinversores em um primeiro momento, possa-se reaproveitar parte da instaFigura 5 - Dados módulo Longi LR5-72HPH-545M. lação existente, sem profundas mudanças, no momento de se ampliar o sistema fotovoltaico, atentando-se apenas ao condutor CA que interliga Como podemos ver na figura 4, de apresentação da proposta, ter a os microinversores à rede elétrica do o microinversor possui máxima cor- certeza de que estamos apresentancliente. rente de operação de 13,3 A, compa- do a solução para todas as dores do tível com todos os módulos de célu- cliente. A análise da viabilidade do siste- la 182mm presentes na plataforma As soluções aqui discutidas você ma deve sempre antevir a adoção da PHB, a exemplo do Longi LR5-72HPHencontra na plataforma PHB solar, tecnologia MLPE. Isto é, como distri- -545M. com preços e condições especiais. buidor buscamos entregar sempre o melhor produto para o cliente, assim As situações aqui colocadas aler- Para fazer o cadastro basta ter CREA como nossos clientes, mas deve-se fi- tam para a necessidade de simulação ou CNPJ. car atento a locais demasiadamente através de softwares adequados (PVsombreados, com mata nativa onde Sol, PVsyst, entre outros) da energia https://www.energiasolarphb.com. a remoção é impossível ou onde exis- gerada ao longo da vida do sistema br/plataforma-phb/ tam edificações que podem compro- fotovoltaico. Isso ajudará a se commeter a incidência solar, para não preender os ganhos em se utilizar cometer o erro de promessas impos- MLPE e também a se projetar o custo síveis de se atingir. Projetos onde não nivelado da energia. Sugerimos que, há comprometimento da geração por para todos os casos, independente sombreamento ou diversas inclina- da topologia, se estabeleça um comções e orientações, podem ter um parativo entre o custo e a energia gevalor de investimento mais favorável rada. Autor: IVAN SARTURI à tecnologia dos inversores string do - Engenheiro eletricista de que com MLPE. As questões que precisam ser formação, trabalha na equipe de bem respondidas são: qual o tamaengenharia e suporte da PHB. Como comentamos em artigo nho de sistema preciso utilizar para Possui experiência em projetos e anterior (Compatibilização de in- atender esse cliente, utilizando MLPE pós-venda, gestão de contratos versores e módulos fotovoltaicos), e utilizando inversores string? Qual o e satisfação do cliente na área deve-se atentar em especial para custo de cada? Meu cliente dispõe da de sistemas fotovoltaicos. Além corrente dos módulos, uma vez que área para instalação? As condições disso, atuou em pesquisa na UFSM seja maior que a do inversor, poderá da instalação elétrica atual compor(Universidade Federal de Santa ocorrer clipping e muito da energia a tam qualquer um dos dois? Maria) possuindo publicações ser produzida pode ser perdida pelo na área de mobilidade urbana, deslocamento do ponto de operação Atendendo a todos esses quesveículos elétricos, eficiência do MPPT para compatibilização com tionamentos podemos elaborar um energética e armazenamento de o suportado pelo equipamento ou projeto que melhor atenda às necesenergia elétrica. para manter a potência nominal. sidades do cliente e, em momento 16

RBS Magazine


Leve o sol para casa Conforto e economia com nossos inversores residenciais Quando se trata de soluções residenciais com mais confiabilidade, fácil instalação e com inversores compactos e silenciosos, a GoodWe é a escolha ideal. Uma ampla linha de opções e equipe local especializada para atendimento e suporte técnico.

Melhor Custo-Benefício

Linha XS | DNS | MS

Linha Grey XS | DNS | MS

Linha SDT G2 PLUS

3 - 10kW | Monofásico | 1 a 3 MPPTs

3 - 7kW | Monofásico | 1 a 3 MPPTs

8kW | Trifásico | 2 MPPTs

Até 16A CC por MPPT.

Até 16A CC por MPPT.

Até 15A CC por MPPT.

Tel.: +55 81 4042 1222 Torne-se um instalador certificado

servico.br@goodwe.com

e tenha acesso à um mundo de benefícios.

marketing.br@goodwe.com

br.goodwe.com

RBS Magazine

17


Artigo

Desafios da primeira instalação de um sistema solar fotovoltaico residencial ISOLADO, com uso da bateria de lítio e com Inversores Híbridos no Brasil Por: Merivaldo Britto - Revisão: Ricardo de Castro Gomes Equipamentos foram fornecidos pela Gel Solar.

A

transforSERIA GERARMOS m a ç ã o NOSSA PRÓPRIA energética ENERGIA”, conseguiacontece mos através do sol e de forma avassaoutras fontes renoladora no Brasil, e váveis no mercado, uma das principais Sistema solar instalado no município de Cáceres – MT – Foto: MERIVALDO BRITTO porém agora nosso renovações enermaior desafio e argéticas se dá pelo crescimento das fontes renováveis com armazenamento descrito agora mazenar essa energia. onde o SOLAR FOTOVOLTAICO vem na portaria 140 do INMETRO, com E quando falo em armazenamense consolidando em todo Brasil. Mes- uso das Baterias de LÍTIO. to, uns iram questionar que isso já mo com tanta transformação enerTalvez em meio a tantas situa- é praticado a muito tempo no Bragética, entendemos que mesmo sem nenhuma legislação, ou qualquer ções de discussões sobre cobranças sil e concordo, por isso descrevi no situação que incentivasse o uso da e taxas para consumidores que tenha início, as principais atuações onde energia através do Sol, já desfrutáva- o sistema solar fotovoltaico instalado mais se usa essas soluções isolamos dessa fonte inesgotável com por e conectado na rede de Distribuição, dos fora da rede de distribuição exemplo; uso de energia solar nos passamos alguns anos desapercebi- de energia. satélites, sistemas isolados em torres dos com novas soluções, que já tínhaO que seria de fato essas definide telecomunicações, sistemas isola- mos o uso como por exemplo o uso dos em áreas remotas, onde não che- da fonte solar em sistemas isolados, ções para consumidor final? ga redes de distribuição de energia. em todo Brasil. Esse item do uso dos INVERSORES Após 2012 onde tivemos uma iniciatiA nova Lei 14.300 veio nos trazer HÍBRIDOS, facilita para o consumidor va com a resolução 482 no Brasil que logo passou por uma reformulação uma instabilidade jurídica no setor final, que agora poderá ter o MESem 2016 até chegarmos na lei 14.300 solar fotovoltaico no Brasil, e tam- MO INVERSOR, tanto para sistema em 2022. Certamente essa Lei nos bém abrir novas situações de aplica- solar fotovoltaico conectado à rede trouxe algumas situações para po- ções de novas tecnologias como por (Sistema ON GRID), como também dermos aqui nesse artigo mostrar o exemplo o armazenamento de ener- para uso do Inversor e bateria em que já e realidade tanto perante a lei gia. Agora cada vez mais penso “QUE sistema totalmente isolado (Sistema com uso dos INVERSORES HÍBRIDOS O GRANDE DESAFIO DO SÉCULO OFF GRID), sem trocar ou acrescentar 18

RBS Magazine


A Solução Perfeita em Fixadores para Estruturas Fotovoltaicas

LU D

U FI X

EM FIXADORES PARA ESTRUTURAS FOTOVOLTAICAS

RBS Magazine

19


Artigo

qualquer outro equipamento. A unificação da tecnologia com Inversores HÍBRIDOS, tende a trazer economia e AUTONOMIA AO CONSUMIDOR FINAL. Recentemente tivemos o Primeiro sistema solar fotovoltaico ao cliente final, usando a tecnologia dos inversores híbridos com bateria de lítio, na região do Pantanal próxima a cidade de CÁCERES – MT.

Tabela 1 – Consumo diário residência – Cáceres – MT

O Desafio dessa instalação, começou quando nosso cliente Junior Leite de Cuiabá MT a 200 km da cidade de Cáceres MT, nos solicitou uma solução para poder dar mais conforto Tabela 2 – Lista de equipamentos para o sistema solar residência – Cáceres – MT e qualidade de vida os seus PAIS, que vivem no meio ao Pantanal de Mato Grosso, as margens do rio Paraguai. armazenamento de 5000Wh durante o dia e mais 6.000W do inversor, soCertamente a dificuldade em viver mando 11.000W. (figuras abaixo) sem energia em meio ao PANTANAL, nos motivou a percorrer 200 km de carro até as margens do rio Paraguai em Cáceres MT e depois mais 40 minutos de Barco com os módulos atravessados na embarcação, pois era único meio de levar BOAS ENERGIA AQUELA SENHOR E SENHORA, Pais do nosso cliente Junior leite. Quadro – Configurações simultânea de cada ação com a inteligência do sistema automático.

Percurso realizado no rio Paraguai para instalação do sistema solar no município de Cáceres – MT – Foto: MERIVALDO BRITTO

Nesse caso para atender uma qualidade de vida em meio ao Pantanal com calor escaldante, procuramos um sistema autônomo, que nos daria paz na questão da geração x consumo dos seus equipamentos, como: Para suprir a carga instalado dos equipamentos acima, veja a solução: Com esses equipamentos a produção de energia seria o suficiente de acordo com a carga instalada. Somando um total de geração com essa solução tecnicamente temos 2x a potência instalada, ou seja, 20

RBS Magazine


KITS FOTOVOLTAICOS COMPLETOS

MICRO INVERSOR

BAIXE A REVISTA FOTOVOLTAICA

Informações completas sobre produtos Serrana Solar

ON GRID

CARREGADOR VEICULAR WALLBOX

OFF GRID DRIVER BOMBA SOLAR

Vantagens exclusivas para o Integrador

RBS Magazine

21


Artigo

Assim se finaliza a instalação do primeiro sistema OFF Grid com Inversores híbridos e bateria de lítio com garantia de 7 anos, em meio ao Pantanal de Mato Grosso com seu moderno sistema de operação e manutenção que pode ser acompanhando pela plataforma Fusion Solar que o fabricante Huawei disponibiliza em todos seus equipamentos como mostra a tela abaixo do sistema tanto energizando os eletrodomésticos na casa do cliente como o carregamento da bateria de lítio.

Conclusão, nesse caso iremos usar praticamente 4 Baterias de Chumbo – Acido de 200 Ah, fora outros equipamentos como controlador de carga, cabos de corrente alternada, disjuntores de proteção para corrente alternada, parte de automação de chaveamento das cargas, tudo isso foi simplificado com 1 bateria de lítico, e um modulo de controle, que ligamos apenas na carga do cliente.

O Brasil tem extensões continentais e isso e fato, entendemos que o proposito em levar energia renováveis as áreas mais remotas do Brasil, está além do que podem imaginar sendo apenas uma questão comercial e técnica, mais sim a um propósito de vida.

CUSTO BENÉFICO Todos me perguntam quanto foi o investimento do cliente com uso das baterias de lítio, faço uma comparação entre as tecnologias para todos terem uma ideia, o sistema com bateria de lítio fica em torno 20 % mais elevado, porém com primeiro ano do ciclo da bateria de chumbo que te em alguns casos 2 anos de garantia, o cliente já consegue tirar essa diferença, onde a bateria de lítio nesse caso nos oferece 7 anos de garantia. 22

RBS Magazine

Instalação do sistema solar com bateria de lítio residencial no município de Cáceres – MT Foto: MERIVALDO BRITTO

SISTEMA DE MONITORAMENTO EM TEMPO REAL

“Talvez a grandeza de um projeto não esteja somente em se ter a maior potência instalada, mais sim em levar uma pequena potência com armazenamento a quem nunca teve energia” Merivaldo Britto


RBS Magazine

23


Um ecossistema de soluções completas para o setor fotovoltaico Ecori Energia Solar apresenta um ecossistema de fortalecimento e integração de soluções para integradores, aumentando o leque de oportunidades para levar a energia solar ao alcance de todos

O

mercado de energia solar cresce com consistência ano a ano e, recentemente, ultrapassou a marca dos 18 GW de capacidade instalada – com cerca de 70% em geração distribuída, de acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em 2022, essa velocidade de expansão está ainda mais acelerada. Como fazer com que a energia solar esteja ao alcance de todas as pessoas? O caminho para a expansão da participação da energia solar na matriz energética brasileira passa por facilitar o acesso a financiamentos das usinas fotovoltaicas, especialmente as residenciais, qualificar profissionais que atuam no setor e aprimorar modelos de negócios, entre outros fatores. Por isso, a Ecori Energia Solar, está desenvolvendo um ecossistema de inovação e soluções com o objetivo de fortalecer o mercado e disponibilizar mais opções para os integradores. O ecossistema está no início, mas a ideia é que cresça com o passar do tempo para criar ainda mais oportunidades para os clientes da Ecori e, consequentemente, para os consumidores finais. O ecossistema da Ecori já tem quatro empresas parceiras. A Comparta atua na geração remota com foco em quem não consegue gerar a energia em casa. A Sunnier é uma fintech que financia sistemas fotovoltaicos. A Market Solar é um hub que reúne clientes, empresas de energia solar e distribuidores, fazendo um match entre integradores e consumidores finais. E a Izi Estruturas fabrica peças metálicas para estruturas de módulos fotovoltaicos. 24

RBS Magazine

“Com o ecossistema, uma coisa puxa a outra. Nosso grande objetivo é fazer o mercado crescer junto conosco, ter as pessoas cada vez mais próximas da gente para que também tenham um senso de pertencimento à Ecori”, afirma Leandro Martins, presidente da Ecori Energia Solar. De olho em cada parceira Segundo Leandro, a missão da Ecori de “levar a energia solar ao alcance de todos” funciona como um norte para as ações da empresa. Como levar, por exemplo, a energia solar para quem mora em apartamentos e não tem a possibilidade de instalar sua usina no telhado? “A Comparta atua na geração em uma usina remota, que permite a transferência dos créditos gerados para pessoas que não têm telhado disponível ou para quem paga o aluguel em uma casa.” A Comparta não trabalha com casas ou outras residências com telhado. Assim, a Ecori não tira das revendedoras parceiras seus potenciais clientes diretos. Em casos assim, a Comparta orienta que o consumidor recorra a um financiamento para instalar seu próprio sistema fotovoltaico. “Vamos construir usinas remotas para serem compartilhadas dentro da Comparta, que administra a venda de energia”, afirma Leandro. Segundo ele, a Ecori pode construir usinas próprias junto com parceiros, mantendo essas usinas dentro do ecossistema, compartilhando os créditos dentro da Comparta e levando essa disponibilidade para os clientes.

Outra parceira é a Sunnier, uma fintech especializada no financiamento de usinas fotovoltaicas. A empresa só financia instalações de empresas com a Certificação Profissional Ecori. “É um produto super tecnológico, com aprovação por WhatsApp. A escolha pelas empresas certificadas é porque elas entregam produtos de qualidade, reduzindo automaticamente a inadimplência e reduzindo eventuais problemas jurídicos”, explica Leandro. Fazendo a ponte entre clientes, empresas de energia solar e distribuidores em todo o Brasil está a Market Solar, outra parceira do ecossistema da Ecori. A empresa entende as necessidades do consumidor final e apresenta propostas de várias empresas, realizando uma venda consultiva que ajuda o consumidor a escolher o sistema mais adequados às suas necessidades. Fechando a lista atual de parceiras do ecossistema da Ecori está a Izi Estruturas. Com os desafios enfrentados nos últimos anos na cadeia produtiva fotovoltaica, a Ecori decidiu fechar uma sociedade com uma empresa de estruturas. “O principal objetivo é ter controle nessa cadeia de suprimentos. A cada ano, a demanda aumenta mais que a produção. Não adianta eu ter os módulos, os inversores e não ter o controle dos suprimentos, de onde você coloca tudo, os acessórios, a estrutura”, reforça Leandro.


RBS Magazine

25


O MAIOR CONGRESSO DE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA DA AMÉRICA LATINA O CBGD - Congresso Brasileiro de Geração Distribuída é um evento anual coordenado e organizado pelo Grupo FRG Mídias & Eventos, que conta com o apoio das principais associações e entidades ligadas ao setor da Geração Distribuída no Brasil. estando já em sua 7ª edição! O Congresso tem papel fundamental nesta nova fase da Matriz Energética Brasileira, onde a busca por tecnologias limpas para geração de energia, se faz urgente para garantir o futuro e o crescimento do país.

+ DE 25.000 VISITANTES 7º EDIÇÃO 26

RBS Magazine


RBS Magazine

27


28

RBS Magazine


RBS Magazine

29


30

RBS Magazine


Usinas fotovoltaicas: altos investimentos precisam ser protegidos Toda a proteção disponível no mercado contra acidentes e perdas deve ser contratada. Quando isso for através de Seguros, conte com corretores especializados e que tenham suas próprias apólices contra erros e omissões profissionais. Essa é mais uma garantia de que a sua empresa será indenizada caso ocorra um sinistro.

Seguros para a Etapa de Instalação Transporte

Riscos de Engenharia

Normalmente, o fabricante ou distribuidor assume o transporte e o seguro associado. Mas, se isso não ocorrer, não deixe de contratar essa modalidade antes do início da viagem.

Repõe os equipamentos e a mão de obra de instalação em caso de acidentes com a UFV; A UFV será concluída, mesmo tendo havido acidente; Inclui cobertura para danos ao proprietário da obra e a terceiros.

Seguros para a Etapa de Operação Riscos Diversos para Equipamentos

Empresarial, Riscos Nomeados ou Operacionais

Para sistemas até R$ 20 milhões;

Para sistemas acima de R$ 20 milhões;

Só cobre equipamentos contra acidentes de causa externa;

Cobre obras civis e equipamentos contra acidentes em geral;

Inclui danos elétricos à UFV e outros danos ao proprietário da obra e a terceiros.

Inclui cobertura para Perda de Lucro (ou de Aluguel) e danos a terceiros.

Seguro integrador – Todas as Etapas Vidas/Acidentes Pessoais Morte e/ou acidentes pessoais de sócios e empregados; Cobertura 24h por dia, 7 dias por semana, em todo o mundo; Seguro anual, independentemente do número de UFVs.

Seguro de Responsabilidade Civil Profissional Seguro muito procurado por empresas e também por profissionais liberais, como engenheiros, médicos, contadores e corretores de seguros; Indeniza prejuízos a terceiros decorrentes de erros e omissões profissionais, desde o projeto até a instalação; Seguro contratado por um ano, cobrindo todas as instalações.

Aponte sua câmera para o QR Code e baixe nosso ebook sobre seguros para UFV em operação.

Constituída em 1996, a ALFA REAL Corretora é especializada em produtos e serviços relativos a garantias e seguros corporativos, com forte presença na área de energia. Trabalhamos com seguros customizados para a cadeia de geração distribuída, incluindo usinas fotovoltaicas de todos os portes.

Entre em contato conosco: (11) 5904-7100 | comercial@alfareal.com.br | www.alfareal.com.br

RBS Magazine

31


Entrevista

Entrevista exclusiva com ÍTALO DE PRA NETO, diretor geral da NEXEN

RBS Magazine - Desde 1997 a Nexen tem o objetivo de levar energia limpa a todos no Brasil. Conte sobre a atuação e história da empresa que também faz parte do Grupo Schumann? ÍTALO - Desde 1997 Existe o Grupo Schumann, a Nexen surgiu em 2018.

-de-integradores/#:~:text=As%20 empresas%20Nexen%20e%20Sungrow,t%C3%A9rmino%20para%20 dezembro%20deste%20ano.

personalizadas com atendimento humanizado e ágil, além de todos os kits Nexen contarem com Seguro Instalação.

A proposta do programa é oferecer às empresas integradoras capacitação e qualificação visando o aprimoramento da gestão e melhoria de estratégias comerciais a fim de elevar a competitividade e alavancar vendas, além de promover o acesso de informações e conteúdos chave para o mercado.

“Nossa missão é contribuir com o desenvolvimento do negócio de nossos integradores, e para isso temos uma equipe especializada e produtos com qualidade, além de todas as vantagens que a Nexen oferece”, afirma Ítalo de Pra Neto, Diretor Geral da Nexen.

RBS Magazine - Quais são as principais soluções em energia fotovoltaica que a Nexen possui para residências, estabelecimentos comerciais, indústrias e agronegócio? Ao total, serão 170 horas de aulas no decorrer do ano, com conteúInversor monofásico e trifásico em do presencial e online ministrados diversas potências, painel fotovol- por especialistas da Nexen, da Suntaico em diversas potências, carre- grow, do Sebrae RS e de experts do gador veicular, e uma nova linha de setor. As inscrições podem ser reaprodutos vem aí. lizadas até o dia 11 de março ou até completar o limite de 40 empresas. RBS Magazine - Recentemente a Nexen junto a Sungrow firmaram Mais de 100 integradores estão reaparceria com o SEBRAE RS para o lizando essa capacitação. desenvolvimento do projeto ‘’Programa Energia Mais’’ voltado a As ideias futuras para esse projeto integradores. Como funciona este é que se estenda por todo país, leprograma? Quantos integradores vando conhecimento e capacitação foram capacitados até o momento? aos integradores. Quais são as ideias futuras para a expansão do projeto? O propósito da Nexen é auxiliar cada vez mais os seus parceiros, Este é um programa dedicado a ace- por isso, tem uma plataforma de fáleração e capacitação de integrado- cil acesso, onde o integrador pode res, com ênfase nas principais dores realizar suas compras a qualquer do integrador. https://canalsolar. momento, além de frete grátis para com.br/nexen-sungrow-e-sebrae-se- todo o Brasil, com uma logística -unem-para-projeto-de-aceleracao- facilitada e rápida, e negociações 32

RBS Magazine

A empresa vem crescendo exponencialmente e conquistando cada vez mais parceiros nessa caminhada, somando atualmente mais de 5000 integradores. Além disso, no último ano, a equipe interna da Nexen cresceu mais de 50%, visando ter um time bem estruturado para melhor atender o integrador. Com sua matriz e filial em SC, a Nexen busca neste ano inaugurar seu novo centro de distribuição no Nordeste, para agilizar ainda mais o processo de entrega na região. Para se tornar um integrador Nexen, basta solicitar seu cadastro através do site www. nexen.com.br, clicando na aba Integrador - Quero ser integrador, e em até 24h você terá o retorno da aprovação de seu cadastro e o acesso para a plataforma exclusiva da Nexen.


RBS Magazine

33


Importância da aplicação de string box na proteção de inversores de sistemas fotovoltaicos

A

• Operação de comutações do mas de instalações nacionais e intersistema de distribuição elétri- nacionais; como por exemplo a IEC 60364-7-712 - que demonstra que ca. os elementos de proteção integraÉ importante ressaltar que os in- dos ao inversor não podem ser conversores dos SFV, por estarem expos- siderados dispositivos de proteção tos, devem atender aos requisitos de contra surtos. segurança e de isolação conforme a Ainda sobre esse tema, a NBR norma IEC 62109-1. Dentre esses requisitos está a resistência (suporta- 16690 informa que devem ser selebilidade) aos surtos e sobretensões. cionados componentes de modo que Por esse motivo, normalmente os eles não venham gerar interferêninversores utilizam varistores inte- cias eletromagnéticas, por condução grados, dimensionados para atender ou por propagação no ar. Assim, os requisitos mínimos de resistência aos inversores com DPS incorporados surtos elétricos. A tentativa de au- tornam-se susceptíveis a falhas por mentar a capacidade de resistência indução eletromagnética causada interna do inversor, com intuito de pelos surtos elétricos. Quanto ao trazer maior suportabilidade a am- status de operação do DPS, a norma bientes com maior intensidade de IEC 61643-32, informa que os dissurtos, incorrerá num novo proble- positivos de proteção contra surtos ma. As correntes provenientes dos devem ser instalados de forma que O surto elétrico é o distúrbio mais surtos elétricos com elevada taxa de possam ser facilmente inspecionacomum nas instalações elétricas, variação no tempo (di/dt) provocam dos. Esses requisitos não são atensendo caracterizado pela brusca taxa interferências eletromagnéticas nos didos em sua totalidade na maiode elevação de tensão ou corrente e circuitos internos ao inversor e adja- ria dos inversores com varistores integrados. por sua curta duração, na ordem de centes. microssegundos. Cabe ressaltar ainda que, conA utilização de DPS externo ao Os raios são as fontes mais co- inversor – na string box –, confor- forme NBR 16690, se o sistema fotonhecidas de surtos elétricos, princi- me recomendações contidas na IEC voltaico estiver conectado a outras palmente pelos níveis extremamente 61643-32, fará com que as corren- redes (como serviços de telecomualtos de energia. Eles podem intera- tes provenientes de surtos elétricos nicações e de sinalização), um DPS gir com os SFV, basicamente, das se- sejam tratadas externamente ao específico deve ser utilizado para inversor. A adequada coordenação proteger essas redes. Logo, os surtos guintes maneiras: entre a proteção externa e interna elétricos podem ser conduzidos aos • Descargas diretas no SPDA da ao inversor garante que a maior par- inversores tanto pelos condutores de cela da corrente de surto, cerca de energia – CA e CC – quanto pelos conestrutura dotada do SFV; 90%, seja conduzida externamente dutores responsáveis pelo tráfego de dados – Ethernet, RS485 etc. Os pro• Descargas próximas à estrutu- ao inversor. tetores destinados aos serviços de ra dotada de SFV; Isto posto, usar a alegação de tecnologia da informação devem es• Descargas diretas na rede que a resistência interna é suficiente tar em concordância com os requisipara garantir a segurança e desem- tos de desempenho dotados pela IEC onde se conecta o SFV; penho do inversor contra surtos elé- 61643-21. • Descargas próximas às redes a tricos é equivocada e, além de ferir as boas práticas, contrapõe as norque se conecta o SFV; o longo das últimas décadas, os sistemas fotovoltaicos (SFV) evoluíram e conseguiram atingir satisfatórios níveis de maturidade em termos de confiabilidade e de vida útil quando implantados da forma correta. Um dos itens de destaque, indispensáveis, que corroboram veemente para manter a longevidade dos componentes do sistema fotovoltaico, principalmente a dos inversores e equipamentos mais sensíveis, é a proteção contra surtos elétricos via DPS na string box. Comprovadamente, danos por surtos elétricos reduzem a capacidade de produção do SFV que, além de terem valores expressivos de reparo, interferem diretamente no retorno do dinheiro investido no projeto.

34

RBS Magazine


RBS Magazine

35


Como avaliar uma estrutura fotovoltaica de qualidade Saiba o que é esse tipo de estrutura e como a qualidade influencia na instalação fotovoltaica do seu sistema

A

estrutura fotovoltaica é o ponto chave para uma boa instalação e captação de energia solar, visto que ela quem segurará o painel no ângulo correto paralelo ao telhado e recebendo boa incidência de luz solar.

sistema em risco, e ao optar por uma estrutura de qualidade será uma preocupação a menos, visto que os equipamentos são fabricados para passar por isso.

Mesmo sendo de suma importância, nem sempre essa base é levada com a devida seriedade no ato da aquisição, o que pode acarretar em acidentes graves devido a incidência climática por exemplo, levando todo o investimento em risco..

Todo equipamento de fixação fotovoltaica vem com um manual acessível e prático para a instalação correta e segura do equipamento. Então desconfie das estruturas que não contam com esse tipo de documento.

Para uma boa escolha da estrutura do painel, deve-se levantar algumas questões: 01 – Os produtos são produzidos com materiais de qualidade como aço inoxidável e alumínio de modo a evitar a corrosão. Ao fazer a escolha do seu equipamento precisa averiguar se estes não são fabricados de materiais duvidosos, e que ao passar dos anos, mesmo com a incidência climática como chuva e sol, se terão vida útil alta e sem precisar de manutenção constante. 02 – As bases devem estar aptas a aguentar qualquer ação do clima como tempestades, ventos fortes de até 120 km/h. O seu produto deverá ter passado por todos os processos de fabricação, por procedimentos técnicos e certificações da ABNT atestando sua qualidade perante as ações climáticas sobre os painéis. Ventos e chuvas fortes, granizo, temperaturas muito altas ou muito baixas podem colocar seu

36

RBS Magazine

03 – Manual de instalação de uso prático e garantia de mais de 30 anos.

Além do manual, a estrutura de fixação fotovoltaica também dá ao projetista e consumidor mais de 30 anos de garantia, o que é importante para a própria produção de energia limpa, assim como para assegurar que os equipamentos que serão usados terão todo esse tempo de vida útil. Agora falando um pouco mais dos nossos produtos: Você sabia que na engenharia da SSM Solar do Brasil todas as estruturas comercializadas, ofertadas e disponibilizadas no mercado são dimensionadas e calculadas respeitando todos os limites e condições das ABNT. Podemos destacar as seguintes normas: 1- ABNT NBR 8800 – Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de edifícios.

2- ABNT NBR 14762 – Dimensionamento de estruturas de aço constituídas por perfis formados a frio. 3- ABNT NBR 6123 – Forças devidas ao vento em edificações. 4- ABNT 6122 / 2019 – Projeto e execução de fundações 5- EUROCODE 9: Design of aluminium structures – Part 1-1: General structural rules. No caso das estruturas solo da SSM todas são aprovadas ABNT NBR 8800 e ABNT 6123 – Forças devidas ao vento em edificações e normas anteriormente citadas. As Estruturas SSM Solar do Brasil são as únicas no mercado que proporcionam 30 anos de garantia, acompanhando as garantias ofertadas nos módulos, a engenharia da SSM acompanha todo o processo in loco de montagem da estrutura, prestando todo o suporte necessário para desenvolvimento do processo. Confira na foto abaixo a mais nova estrutura do catálogo o Tracker SSM Solar do Brasil. Faça a diferença no seu projeto fotovoltaico e utilize as estruturas SSM Solar do Brasil. Entre em contato pelo email vendas@ssmdobrasil.com.br e ou pelo telefone 41 99841-8202.


37

RBS Magazine

RBS Magazine

37


Entrevista

Entrevista exclusiva com ALYSSON CAMILO, head da operação no Brasil da SAJ A Guangzhou Sanjing Electric Co.LTD (doravante referida como SAJ) é uma fornecedora líder profissional de tecnologia de conversão de energia renovável CC-CA (inversores fotovoltaicos), controle e acionamento de motores (drives) e soluções de armazenamento por baterias

RBS Magazine - Com atuação no mercado brasileiro desde 2015, a SAJ possui presença internacional e vem se destacando no setor de energia solar fotovoltaica do Brasil. Conte sobre a empresa e seu crescimento durante esses 7 anos? ALLYSON - A empresa vem crescendo muito ao longo dos anos. Além do mercado local Chines, temos também forte presença na: Europa, Asia, Oceania, America Central e América do Sul.

"A SAJ É PIONEIRA EM ENTREGAR

UM EXCELENTE DESIGN NOS SEUS PRODUTOS..."

O Brasil é o principal pais na America do Sul onde a SAJ vem crescendo muito. Temos no Brasil um país estratégico para continuar o nosso plano de crescimento e expansão global da marca.

A ideia do projeto é apresentar as nossas tecnologias atuais e aquilo que esta por vir. Além de apresentar tudo isso, também abordarmos as questões levantadas pelos convidados em relação ao mercado fotovoltaico brasileiro, tiramos duvidas e discutimos sobre o futuro da tecnologia.

RBS Magazine - A SAJ vem realizando capacitação a integradores de todo o país, através de seu "roadshow SAJ’’. Além de mostrar novas tecnologias e lançamentos da marca, quais são os pontos e importância abordados dentro deste projeto?

RBS Magazine - Recentemente as linhas on grid e de armazenamento da empresa ganharam o prêmio IF awards, reconhecido como um selo de excelência em design, que premia os melhores produtos e projetos de todo o mundo. Quais as principais inovações

38

RBS Magazine

e soluções que a SAJ vem desenvolvendo em seus produtos? A SAJ é pioneira em entregar um excelente design nos seus produtos. Nos anos anteriores já havíamos sido premiados com a linha R5, e agora ganhamos novamente com o R6, C6 e as novas baterias B2. Entendemos que além de oferecer um produto robusto, tecnológico e com garantia de 10 anos, também podemos combinar tudo isso a um excelente design. Assim o fizemos, e fomos premiados novamente.

R6 Series


INVERSORES SOLARES E SOLUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DE ENERGIA PARA TODOS OS CENÁRIOS

Novo design e melhor desempenho

RBS Magazine

39


Submissão para trabalhos científicos do VII CBGD já está aberta Artigos poderão abordar temas de qualquer aspecto da geração distribuída de energia, assim como poderão ser submetidos até 10 de outubro segundo comitê de avaliação

O

VII Congresso Brasileiro de Geração Distribuída (CBGD) que acontece entre os dias 09 e 10 de novembro, em Belo Horizonte, Minas Gerais, abriu a submissão para os trabalhos científicos da edição. Os interessados em participar da avaliação terão até o dia 10 de outubro para submeter o resumo simples ou expandido do artigo. Assim como devem seguir a risca as regras do processo de submissão para ter o trabalho avaliado pelo comitê científico do evento. De acordo com o professor e coordenador científico responsável, Marcelo Langer, os trabalhos poderão tratar de temas de qualquer aspecto da geração distribuída de energia. Dessa forma podem envolver desde a produção, industrialização, caracterização, sistema de gestão, mercado, carbono, modelos matemáticos, políticas públicas, leis, aspectos sociais, ambientais e econômicos da GD.

Resumo Expandido. A submissão do trabalho científico será somente efetivada mediante a apresentação do comprovante de pagamento da inscrição de um dos autores do trabalho científico. O autor deverá seguir as normas de formatação do trabalho científico de acordo com o template de trabalho científico. Caso o autor Ainda segundo o professor tam- não tenha atendido a todas as norbém será essencial que o participante mas solicitadas, o trabalho não será siga as regras de submissão para ter o aprovado” afirma o professor. trabalho avaliado. Dentre elas está a Ao todo 30 trabalhos para aprepré-inscrição no evento, a qual está disponível em link disponível no site sentação oral serão selecionados e oficial do congresso. Dessa forma ao levarão em consideração seu carácmenos um autor do trabalho precisa- ter inovador, assim como qualidade rá comprovar a inscrição no evento. do conteúdo e também da boa redação segundo o professor. A submissão também deverá A lista de aprovação, por sua vez, seguir obrigatoriamente o template disponibilizado pelo comitê. O mes- será informada até o dia 20 de outumo está disponível no site do CBGD bro através do e-mail cadastrado no para download. Assim como ser mu- ato da submissão. Em caso de dúvinido de informações como nome das o candidato também poderá endo autor principal, seguido da insti- trar em contato diretamente com o tuição, cidade, estado, país e e-mail comitê através do e-mail cbgd@grucorrespondentes a ele. Langer afir- pofrg.com.br. ma que trabalhos que não estiverem conforme o formato indicado serão desqualificados. to a formatação do template definido, para análise de relevância ao VII CBGD. Excepcionalmente os trabalhos submetidos à avaliação, mas que não apresentarem associação a uma sessão técnica poderão ser alocados em uma sessão geral de pôsteres” explica Langer.

Ainda segundo ele a preferência se dará por trabalho com cunho inovador e também ligados aos temas “A aceitação do trabalho cienapresentados durante o CBGD deste tífico nos formatos Resumo Simples ano. e Resumo Expandido somente serão “Os trabalhos serão do tipo Resu- efetivados no formato dos templates mo Simples e Expandido. Inicialmente disponibilizados no site do VII CBGD e os trabalhos serão avaliados por sua com atendimento a todas as normas aderência aos temas e atendimen- de elaboração do Resumo Simples e 40

RBS Magazine

Faça sua submissão através do link:

www.cbgd.com.br


Precisando de um Video institucional ou Transmissão de um Evento? Fale com nossos especialistas.

Ligue agora (41) 99289-8563

Envie-nos um e-mail contato@g7brasilproducoes.com.br

RBS Magazine

41


Fórum Internacional de Sustentabilidade, Meio ambiente e Energias renováveis da Amazônia A DEFINIR JANEIRO MANAUS - AM

FÓRUM MOVE

FRG DAY

26 E 27 JULHO SALVADOR - BA

SOLAR EXPERIENCE

09 E 10 AGOSTO GOIANIA - GO

FÓRUM GD SUDESTE

29 E 30 AGOSTO CHAPECÓ - SC

A DEFINIR FEVEREIRO CURITIBA - PR

A DEFINIR FEVEREIRO CUIABÁ - MS

01 E 02 MARÇO VITÓRIA - ES

6º CONGRESSO INTERNACIONAL DE BIOMASSA

14 E 15 MARÇO CURITIBA - PR

FÓRUM GD CENTRO-OESTE

SOLAR EXPERIENCE

SINERGIA

12 E 13 SETEMBRO TERESINA - PI

FÓRUM GD NORTE

FÓRUM GC

20 E 21 SETEMBRO BELÉM - PA

4º FÓRUM DE VALORIZAÇÃO ENERGÉTICA DE RESÍDUOS

A DEFINIR OUTUBRO A DEFINIR

23 E 24 MARÇO NATAL - RN

05 E 06 ABRIL BRASÍLIA - DF

FÓRUM GD SUL

26 E 27 ABRIL PORTO ALEGRE - RS

ESG Summit

FÓRUM E FEIRA ENERGY STORAGE

04 E 05 OUTUBRO SÃO PAULO - SP

SEMANA SMART CITIES BRASIL

SEMANA SMART CITIES BRASIL

18 E 19 OUTUBRO MANAUS - AM

FÓRUM HIDROGÊNIO

27 E 28 OUTUBRO FORTALEZA - CE

09 E 10 MAIO SÃO LUIS - MA

17 E 18 MAIO SOROCABA - SP

SOLAR EXPERIENCE

24 E 25 MAIO SÃO PAULO - SP

FÓRUM EÓLICA

06 E 07 JUNHO NATAL - RN

FÓRUM GD NORDESTE 28 E 29 JUNHO NATAL - RN

42

SEMANA SMART CITIES BRASIL

05 E 06 JULHO RIO DE JANEIRO - RJ

RBS Magazine

SOLAR EXPERIENCE

CBGD/EXPOGD

22 E 23 NOVEMBRO BELO HORIZONTE - MG

CYBERSEC 06 E 07 DEZEMBRO A DEFINIR

SEMANA SMART CITIES BRASIL

13 E 14 DEZEMBRO A DEFINIR


Confira algumas de nosssas mídias e eventos

1 CONGRESSO

biogás

Renováveis RBS Magazine

43


DE POTÊNCIA INSTALADA

8 ANOS

+41.000

+2 MILHÕES

8 ANOS DE BRASIL

+41.000 SISTEMAS MONITORADOS NO BRASIL

+2 MILHÕES DE TONELADAS DE CO2 COMPENSADAS NO MUNDO

2.000W

3.600W

MONOFÁSICO

TRIFÁSICO

220V

380V

4 MÓDULOS

8 MÓDULOS

Compatível com módulos de alta potência 670 Wp+

Compatível com módulos de alta potência 670 Wp+ (5,36kWp de entrada)

VISITE O ESTANDE DA ECORI NA INTERSOLAR D1.40 23 a 25 de Agosto, São Paulo, Brazil

Entre em contato com a Ecori e conheça os produtos APsystems! 44

RBS Magazine