Issuu on Google+


Índice

CAPA

14

VERÃO

Alta temperatura movimenta comércio gaúcho no início de 2014

4

PERFIL

CDL São Leopoldo há 48 anos no berço da colonização alemã

7

PELO RS

Lojistas de Campo Bom ganham benefícios junto à CDL

8

GERAL

103ª Retail’s Big Show motiva empresários gaúchos no varejo digital

GESTÃO

18

Como escapar dos riscos da sazonalidade no comércio


Editorial FEDERAÇÃO DAS CÂMARAS DE DIRIGENTES LOJISTAS DO RIO GRANDE DO SUL

Rua Dr. Flores, 240 Cj 21 CEP 90020-120 | Porto Alegre-RS (51) 3213-1777 www.fcdl-rs.com.br fcdl@fcdl-rs.com.br DIRETORIA EXECUTIVA Presidente Vitor Augusto Koch 1° Vice-Presidente Fernando Luis Palaoro Vice-Presidente Flávio Santo Dallasen Vice-Presidente Milton Araujo 1° Diretor Secretário Jorge Claudimir Prestes Lopes 2º Diretor Secretário Remi Carasai 1º Diretor Financeiro Olavo Aloisio Steffen 2º Diretor Financeiro Zenir Gross Kellermann Presidente CDL Jovem RS Marcos Rogério Carbone CONSELHO FISCAL Presidente Daltro Viega da Rocha Titular André Passini Titular Vandenir Antonio Miotti Suplente Walter Roberto Nickhorn Suplente Renato Spultaro Corso CONSELHO DE ÉTICA Presidente Airton Vitalico Giordani Titular Milton Gossler Titular Osmar Anildo Kerschner Suplente Glodomar Guitel EXPEDIENTE Edição PlayPress Assessoria de Imprensa Jornalista Responsável Marcelo Matusiak MTB: 10063 Impressão Ideograf Tiragem 1,3 mil exemplares

Em meio ao crescimento expressivo do e-commerce, da expansão dos smartphones e das redes sociais, o comércio varejista mundial validou, na NRF Big Show 2014, em Nova Iorque, entre os dias 12 e 15 de janeiro, que a loja física segue sendo muito importante na relação com os consumidores. Esta foi a grande conclusão a que chegamos durante a nossa estada na capital mundial do varejo, acompanhando a missão empresarial que o SEBRAE/RS promoveu até a grande feira e convenção anual da National Retail’s Federation americana. O grupo de 60 pessoas, entre lojistas e consultores da institu- Vitor Augusto Koch, ição, teve a oportunidade ímpar de cap- presidente da FCDL-RS tar conhecimento, informações e novas ideias fundamentais para incrementar o comércio varejista gaúcho, especialmente as micro e pequenas empresas (MPEs) do segmento. A maior lição que a NRF deixou para nós, lojistas, é a necessidade de focar em conceitos de hospitalidade. O consumidor, mesmo com as facilidades oferecidas pelo e-commerce, ainda precisa ter a interação com as marcas, o contato físico com os produtos e a experiência de ter feito uma compra convincente. São fatores que preenchem necessidades básicas do ser humano e que seguirão conduzindo as pessoas para as lojas físicas. Portanto, cabe aos empresários gaúchos assimilarem essa ideia e adaptá-la à sua realidade regional. O setor do varejo tem de atentar para promover experiências imersivas no qual o consumidor sinta-se numa extensão da sua casa. Por mais simples que possa parecer, o consumidor precisa se sentir como se estivesse dentro do seu lar. Servi-lo bem é uma obrigação inadiável dos comerciantes. Acompanhando a NRF há 11 anos, observo que em suas três últimas edições a feira discute a qualidade do atendimento no varejo. Verificamos que a busca do conhecimento sobre o que o cliente deseja é a chave do negócio. O lojista que tiver esse conhecimento se antecipará e atenderá com qualidade. Outro tema abordado na NFR foi a boa utilização dos dados sobre os hábitos de consumo do cliente. Várias marcas apresentaram suas parcerias com empresas de tecnologia para captar e, principalmente, fazer a correta leitura dos dados comportamentais de seus consumidores com intuito de buscar a fidelização. O uso correto dessa base de dados pode fazer a diferença para o crescimento das micro e pequenas empresas. A velocidade das transições entre o mercado varejista e o consumidor não permite mais espaço para improvisação. O setor deve tomar decisões levando em conta o desejo e a satisfação do cliente. A presença dos empresários gaúchos em Nova Iorque foi fundamental para a disseminação destes conceitos. Tenho a certeza de que eles irão repassar o que viram aqui e contribuir para o crescimento de suas comunidades e do setor varejista do Rio Grande do Sul, gerando mais emprego e renda.

3


Perfil

CDL São Leopoldo São Leopoldo vive um momento de forte expansão. Em relação ao comércio, vivenciamos o crescimento em todas as áreas da cidade. Novos bairros rapidamente abrigam estabelecimentos comerciais, oferecendo de maneira diversificada produtos aos consumidores. Ao mesmo tempo, se reforça o nosso setor em áreas mais tradicionais, como os bairros Scharlau, Campina, Rio Branco e Feitoria, regiões com cada vez maior oferta de produtos aos seus moradores. Nós, da Câmara de Dirigentes Lojistas de São Leopoldo, estamos trabalhando arduamente para que todo o potencial da cidade seja bem aproveitado. Temos claro que o atendimento hoje é um ponto mais importante do que preço na definição de negócios e por isso há seis anos realizamos o Projeto Cliente Oculto e promovemos permanentemente cursos de capacitação a nossas empresas associadas. O objetivo maior é gerar bem-estar aos leopoldenses, porque a melhora da qualidade de vida da nossa população é fundamental para o comércio.

Fotos: Divulgação CDL São Leopoldo

Movimento Lojista

Presidente da CDL São Leopoldo, Olinto Menegon

Diretoria 2006-2014

Olinto Menegon - Presidente Egydio Zilles - Vice-Presidente Administrativo Gerson Luiz Arnold - Vice-Presidente Financeiro Gerson Luiz Arnold - Diretor de Serviços e Produtos José Derdi Francisco - Diretor de Eventos Alan Ribeiro da Silva - Diretor de Relacionamento com Associados Luiz Rogério Oliveira - Diretor de Relação com a Comunidade Raul Viega Rocha - Diretor de Patrimônio Cândido Inácio Forneck - Diretor para Assuntos Jurídicos Rogério Martins - Diretor de Marketing

História da CDL Economia do município São Leopoldo faz parte da Grande Porto Alegre, situando-se a 34 km da capital gaúcha através da rodovia BR116. A cidade tem 220 mil habitantes e uma forte atividade econômica, contemplando atividade comercial intensa, que a cada dia se intensifica em diferentes bairros da cidade, criando novos polos varejistas importantes. Berço da colonização alemã no Brasil, São Leopoldo guarda esta herança, mas está igualmente sintonizada com o futuro. Isso se confirma pelas 57 empresas que integram o Tecnosinos. O local gera 2,5 mil empregos de alta remuneração e se configura como o melhor polo tecnológico da América Latina, que deverá crescer muito nos próximos anos, resultado de investimentos já confirmados.

A Câmara de Dirigentes Lojistas de São Leopoldo foi fundada em 3 de junho de 1965, com a denominação de Clube de Diretores Lojistas, passando mais tarde para Câmara de Dirigentes Lojistas. A CDL possui sede própria, localizada na rua Marquês do Herval, 643, na qual os associados podem contar com uma ótima estrutura para a realização de reuniões e eventos das suas empresas. A entidade participa de praticamente todos os eventos leopoldenses, como parceira das boas iniciativas, apoiando o comércio local, desenvolvendo campanhas promocionais de vendas e disponibilizando capacitação aos colaboradores as empresas.


QComércio

Magnani Materiais Elétricos Por que adeririam ao QComércio? Porque é importante para uma empresa ter uma visão do a-tendimento e das melhorias nos processos. Nós acreditamos que a qualidade dos serviços prestados pela empresa é o fundamental. O que nos diferencia é maneira como nos comportamos. Município: Caxias do Sul Segmento de atuação: Materiais Elétricos e Iluminação Endereço: R. Pinheiro Machado, 2851, Térreo Desde quando está presente no programa: 2011 Selo de Certificação: Ouro

O que mudou após aderir ao QComércio? A mudança é gradativa. Conforme vamos crescendo dentro do QComércio, principalmente no processo de análise do que acontece, criamos o processo e damos sequência. O profissionalismo também é crescente. Como utilizam o Scopi? Utilizamos todas as ferramentas para agendamento, acompanhamento de processos, reuniões e gráficos.

Ravena Noivas Por que adeririam ao QComércio? Participamos de uma palestra na CDL Novo Hamburgo e achamos interessante a ferramenta Scopi. É importante investir na qualidade para ser reconhecido perante a comunidade. Obrigamo-nos a fazer o que propomos, assim realizamos a proposta no prazo. Nome da empresa: Ravena Noivas Município: Novo Hamburgo Segmento de atuação: Aluguel de roupa Endereço: Rua Bartolomeu de Gusmão, 59 Bairro Canudos Desde quando está presente no programa: 2012 Selo de certificação: Prata

O que mudou após aderir ao Q Comércio? O que realmente mudou é que fazemos tudo que planejamos. Não empurramos as ações previstas, pois a ferramenta (Scopi) vai avisando o prazo e vamos correndo atrás. Como utiliza o Scopi? Utilizamos principalmente para questões financeiras.


Pelo RS

Manifestação cobra cumprimento de promessas para rodovias da Serra Gaúcha O primeiro ato da mobilização promovida pelas entidades ligadas a Associação das Entidades Representativas da Classe Empresarial da Serra Gaúcha (CICS Serra) para cobrar ações efetivas para a melhoria das rodovias da região aconteceu em 17 de janeiro. A ação que integra a campanha “Chega de promessas – sem estradas a Serra para” foi realizada simultaneamente em seis cidades. Os manifestos não chegaram a bloquear o trânsito. Apenas houve diminuição da velocidade dos veículos e a distribuição de panfletos com as reivindicações das entidades empresariais em Garibaldi, Bento Gonçalves, Antônio Prado, Veranópolis, Farroupilha e Dois Lajeados. Os integrantes da ação vestiam camisetas com os símbolos da campanha, além de levarem faixas nos locais. Em Garibaldi, coordenada pela CIC local, a iniciativa reuniu apoio de pessoas de diversas cidades da região no Trevo da Telasul. Nem mesmo o anúncio, realizado na terça-feira, pelo secretário estadual de Infraestrutura e Logística, João Victor Domingues, de que será construído um viaduto na intersecção trouxe alguma mudanças nos ânimos dos presentes. Em torno de 25 mil veículos passam diariamente pelo local, que registra frequentes acidentes, inclusive com mortes. De acordo com o presidente da CIC de Garibaldi, César Ongaratto, a entidade juntamente com a CICS Serra, há anos, tem buscado o diálogo e soluções.

- Quando propomos um viaduto foi anunciado que a obra seria inviável financeiramente para o Estado. Então buscamos soluções alternativas, o que levou a sugestão de uma rótula no local. Mesmo assim, apesar de sempre haver a promessa de uma solução, nada de concreto foi realizado e as pessoas continuaram a morrer neste ponto - destacou. - Nas diversas oportunidades em que nos reunimos com a Seinfra e com o Daer, a informação sempre foi de que a construção de uma elevada estava descartada em razão do valor. Por isso nos comprometemos em fazer um projeto para a construção do novo trevo. Ocorre que não nos comunicaram de que tinham tomado a decisão de fazer a elevada. Nós aprovamos e agradecemos, mas agora vamos passar a exigir o cumprimento dessa nova promessa - completou o presidente da CICS Serra, Ademar Petry. De acordo com informações do Daer, a remodelação do Trevo da Telasul prevê duas elevações: uma no sentido Bento – Farroupilha e outra no sentido Farroupilha – Porto Alegre. A proposta contempla a necessidade de construção de 560 metros de obras especiais (viadutos) e duplicação de pelo menos três quilômetros no entorno. O custo seria de R$ 35 milhões. Placas instaladas nas rodovias também buscam informar os usuários, lembrando da importância de investimentos, contando com o apoio da sociedade na luta por novos projetos para a região.

Demandas das onze entidades de classe que a CICs Serra representa

- Recapeamento e terceira pista na RSC 470, na região do Rio das Antas. - Recapeamento e sinalização horizontal no perímetro urbano da BR 470, na altura de Nova Prata e Veranópolis. - Asfalto na RS 448 e RS 437, ligando Antônio Prado a Nova Roma do Sul e Vila Flores - Melhoria da camada asfáltica da RS 122 entre Antônio Prado e Caxias do Sul. - Melhorias e total asfaltamento na ERS 431, que liga Guaporé a Bento Gonçalves. - Sinalização e recapeamento da RSC 470 entre Carlos Barbosa e Montenegro. - Construção do novo Trevo entre a RSC 470 e a RSC 453 (Trevo da Telasul). - Duplicação das RSC 470 entre Bento e Barbosa e do Trevo da Telasul e da RSC 453 até Farroupilha. - Obras do trevo da RS 453 com a Avenida Santa Rita (acesso à cidade de Farroupilha) - Obras no trevo da RS 453 com a RS 122 (junto ao distrito industrial de Farroupilha). - Duplicação RSC-470 entre os Município de Carlos Barbosa, Garibaldi e Bento Gonçalves.


O 5º Congresso de Executivos das Associações Empresariais do Extremo Sul, realizado pela Câmara de Indústria e Comércio de Garibaldi, associada a FCDL-RS, vai contar com palestras de Luiz Otávio Nascimento e Marcos Piangers no dia 1º de agosto. As inscrições para o evento serão abertas em março.

Marcelo Matusiak

Palestrantes confirmados para o 5º Conexsul

O tema da fala de Nascimento será Gestão Eficaz em Tempo de Transição Política – como gerenciar sua instituição em momentos de incertezas. O palestrante é engenheiro especializado em marketing pela Fundação Getúlio Vargas e mestre em administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Sua formação também inclui cursos em universidades internacionais como University of Virginia, Babson College, de Boston, e École des Hautes Études Commerciales de Paris. Atualmente é professor de mestrados na Business School de São Paulo.

tem 11 anos de experiência em comunicação com o público jovem, em veículos RBS TV, Zero Hora e TVCom. Piangers também já foi roteirista, blogueiro, videomaker, ator, comediante e diretor de vídeos para internet em um canal com mais de 11 milhões de visualizações.

A palestra de Piangers terá como tema Uma Espiada no Futuro – tendências para mídias tradicionais e digitais. O responsável pela área digital da Rádio Atlântida

Jaime Noel Teixeira

Associado da CDL Campo Bom só tem benefícios

O Associado da CDL de Campo Bom recebe descontos na tabela de Planos de Saúde oferecidos pela Unimed Vale dos Sinos. O benefício se estende aos proprietários, colaboradores e dependentes. Basta agendar uma visita para conhecer as opções de plano e escolher aquela que melhor se encaixa com o perfil do seu negócio. Para mais informações, entre em contato com a CDL pelo telefone 3597-1226 ou pelo e-mail cdlcampobom@cdlcampobom.com.br

7


Geral

Turistas com hábitos de consumo parecidos com os dos gaúchos virão para a Copa O comércio gaúcho tem mais motivos para comemorar com as seleções sorteadas para jogar em Porto Alegre durante a Copa do Mundo de 2014. De forma geral, os países que virão a Porto Alegre serão um excelente atrativo para o turismo e comércio do Rio Grande do Sul. Torcedores da Argentina serão os mais numerosos na capital gaúcha, pela proximidade e pela paixão pelo futebol, tão intensa como a brasileira. Isso pode significar milhares de turistas, de acordo com a FCDL-RS. - Acreditamos que o número de visitantes argentinos pode chegar a cerca de 40 mil, especialmente chegando pela via rodoviária, dispostos a torcer pela sua seleção e consumir - ressalta o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch. A temporada de veraneio no Rio Grande do Sul será um termômetro para avaliar o potencial de consumo dos argentinos. - Em princípio, o país está em crise e sua moeda está extremamente desvalorizada, o que fará com que predominem compras de baixo custo. A oportunidade de vendas estará concentrada para os supermercados, restaurantes de baixo custo e bares noturnos - destaca o presidente da FCDL-RS. Um fator que facilita as vendas para o púbico argentino é que alguns de seus principais hábitos de consumo são muito similares aos gaúchos: a erva-mate e a carne bovina fazem parte do dia-a-dia do país vizinho. A Austrália, apesar de muito distante, também tem hábitos semelhantes aos dos moradores do Rio Grande do Sul. Os australianos consomem muita carne, especialmente bovina e de ovelha, e também muita cerveja. O maior país da Oceania concentra sua população, de elevado poder aquisitivo, nas regiões litorâneas. - Isso fará com que maior potencial de consumo seja a moda praia e artigos para esportes marítimos, como

o surf. A tendência é que o turismo de australianos fique limitado a poucos milhares de visitantes, já que o futebol não é dos esportes mais populares naquele continente - explica o presidente da entidade varejista. As seleções europeias, França e Holanda, deverão enviar ao Rio Grande do Sul pelo menos oito mil visitantes somados. Além de alimentação e hotelaria de ticket mais elevado, esse grupo de turistas tenderá a consumir mais artigos de vestuário, calçados e artigos de uso pessoal. O turismo cultural também deverá ser bastante requisitado por esses torcedores. Argélia e Nigéria estão estreitamente ligadas à cultura árabe e tem a tradição de forte religiosidade. Os negócios que conseguirem aliar essa questão ao lazer associado à Copa do Mundo terão boas oportunidades, especialmente na hotelaria e alimentação. - Com esses visitantes, os comerciantes precisam estar atentos às diferenças culturais. É importante, por exemplo, não colocar produtos suínos, que eles não consomem, próximos a outras carnes e lembrar que bebidas alcoólicas são proibidas para a maioria dos islâmicos - conclui Vitor. A única seleção que não foi positiva no sorteio das chaves da Copa do Mundo é a seleção de Honduras. Na avaliação da entidade, este país não deve somar um contingente de turistas relevante para Porto Alegre.

Marcelo Matusiak


Vendas do comércio gaúcho aumentarão entre 7% e 8,5% em 2014 O ano de 2014 será de crescimento para o comércio. Uma análise de diversos fatores leva a FCDL-RS a estimar um aumento de 7% a 8,5% no consumo e alta de 5,5% a 7% no PIB. Entre os principais motivos para o otimismo do setor estão a perspectiva de uma boa safra agrícola e a situação cambial favorável para a exportação. Além disso, o desemprego deve continuar com patamares reduzidos, aumentando a renda do trabalhador. A desvalorização do Real aumenta a competitividade da exportação estadual, o que gera oportunidades, especialmente, para as indústrias calçadista e moveleira. A alta dos preços de produtos importados também é favorável, pois melhora o consumo da produção interna de alimentos, bebidas e vestuário. Além desses fatores, é impossível não con-

siderar os benefícios que Copa do Mundo vai trazer para o comércio. - O fato de Porto Alegre sediar um jogo da Argentina vai fazer com que o Rio Grande do Sul receba um fluxo inédito de turistas. O desafio será manter a visibilidade gaúcha para o mundo no futuro - destaca o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch. Apesar das boas previsões para 2014, alguns pontos podem gerar problemas para o comércio. A substituição tributária e ICMS de fronteira interestadual são impasses ainda não resolvidos e que podem prejudicar o desempenho dos pequenos estabelecimentos comerciais optantes pelo SIMPLES. Marcelo Matusiak


Geral

Empresários gaúchos aprendem mais sobre varejo digital na 103ª Retail’s Big Show Divulgação SEBRAE-RS

A 103ª Convenção da National Retail Federation (NRF), a Retail’s Big Show, aconteceu entre os dias 12 e 15 de janeiro em Nova York. A comitiva gaúcha participou do evento, que é considerado o maior do setor varejista no mundo, e realizou visitas técnicas a empresas. O grupo foi liderado pelo presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, e contou com 50 micros e pequenos empresários do estado. Nos primeiros dias nos Estados Unidos, a comitiva do Rio Grande do Sul conheceu empresas como Macy’s, apontada como a maior loja de departamento do mundo; FAO Schwarz, a loja de brinquedos mais famosa do mundo e Uniqlo, marca de vestuário consagrada no continente asiático. - As visitas foram muito produtivas, pois o grupo pode ter uma noção clara do modelo de gestão de varejistas de grande porte, e em todas as lojas observamos um posicionamento claro de mercado, com estratégias definidas e percebíveis por todos os envolvidos - comenta o presidente Vitor Augusto Koch. O objetivo principal do evento foi a introdução de novos conceitos para o comércio na área de tecnologia.

A abertura do evento contou com a apresentação do fundador e CEO da rede mundial líder em desenvolvimento de shopping centers Caruso Affiliated, Rick Caruso. Ele falou sobre o varejo eletrônico, afirmando que deve ser visto como uma indispensável estratégia de vendas. No segundo dia, o ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush palestrou sobre o espírito de liderança em situações extremas. Ele reforçou a necessidade de ter o controle da situação e tomar decisões firmes, além da importância da escolha das pessoas na montagem de equipes. Os empresários gaúchos também assistiram a uma palestra da vice-presidente e analista principal da Forrester Research, Sucharita Mulpuru. Ela apresentou uma análise da perspectiva do varejo digital para 2014 a partir dos eventos significativos de 2013. No segmento do varejo, 20% das vendas ocorreram através de dispositivos móveis enquanto menos de US$ 1 milhão foram investidos na tecnologia. Para o presidente Vitor, essas informações vão ajudar os comerciantes a pensarem no futuro. - Os lojistas devem observar o crescimento das novas matizes que trazem conforto e satisfação aos clientes, e, na medida do possível, utilizar isso em seus empreendimentos - ressalta. A avaliação da participação gaúcha na convenção foi positiva. Segundo o presidente da FCDL-RS, os empresários devem passar adiante o conhecimento que adquiriram. - A presença dos empresários em missões como essa é muito importante, pois eles irão fortalecer ainda mais o setor ao retornar para suas comunidades, visando o crescimento geral do comércio varejista e de serviços - enfatiza Vitor. O grupo realizou um encontro de avaliação técnica para discutir os pontos que mais chamaram a atenção. Além disso, os lojistas refletiram sobre o que podem aplicar na sua região de atuação.


Espaço Jurídico Participação nos lucros e resultados da empresa

Rodrigo Dorneles, advogado da Lamachia & Advogados Associados

A participação nos lucros e resultados das empresas é tema que, cada vez mais, merece atenção dos empresários e dos trabalhadores.

dos com significativa redução de custos tributários e de forma variável, de acordo com o lucro obtido ou o pelo alcance de metas físicas estipuladas.

O velho conceito da relação capital/trabalho, atualmente, ganha outros contornos, sendo o corpo funcional de qualquer organização fundamental para o seu sucesso e desenvolvimento.

São necessários, contudo, alguns cuidados para que a utilização do instituto não seja declarada ilegal, acarretando a incorporação da parcela ao salário e a incidência da contribuição previdenciária.

Neste contexto de valorização necessária que os empregados passaram a ter para as empresas, a participação nos lucros e resultados ganha destaque como uma moderna e eficiente ferramenta de motivação e remuneração.

Segundo a Lei 10.101/00 o pagamento poderá ocorrer, no máximo, duas vezes ao ano e sua implantação deve se dar por meio de acordo, convenção coletiva ou por comissão escolhida pelas partes e integrada por membro do sindicado da categoria, devendo ser o programa, nesta última hipótese, arquivado junto a entidade sindical laboral. As metas fixadas também devem ser claras e objetivas.

O instituto da participação nos lucros não é novo! Desde a Constituição de 1946 já estava previsto no ordenamento jurídico pátrio, recebendo previsão, também, na Constituição de 1967, sem, contudo, possuir regulamentação. A Constituição Federal de 1988 trouxe, em seu artigo 7º, inciso XI, novamente o tema, acrescentando a importante expressão “resultado”, que, sob a nossa ótica, permitiu a fixação de metas sem relação com o lucro, como, por exemplo, número de atendimentos, vendas, serviços prestados, entre outras atividades realizadas pelos funcionários. O vácuo legislativo que deixou o instituto da participação nos lucros hibernando foi sanado pela edição da Medida Provisória 794/94 que, depois de sucessivas reedições, foi convertida na Lei 10.101/2000, atual marco legal do tema no país. A referida legislação desvincula o pagamento da participação nos lucros e nos resultados da remuneração e afasta a incidência da contribuição previdenciária, permitindo ao empregador remunerar seus emprega-

Tomadas estas cautelas a empresa estará, como já afirmado, utilizando moderna e eficiente ferramenta de gestão que motiva e remunera a equipe de colaboradores, com vantagem tributária, pela isenção da contribuição previdenciária. Devem, pois, as empresas, tomar medidas visando à implantação deste eficaz instrumento de integração entre o capital e o trabalho, colocado à disposição pela legislação, que visa o aumento da produtividade e motivação do corpo funcional das organizações.


Entrevista

Grupo Herval: Diversificação em nome da qualidade As origens estão ligadas a uma pequena madeireira que foi fundada no município de Dois Irmãos. Em mais de 50 anos de história, o que hoje é conhecido como Grupo Herval foi sempre sustentado na valorização de colaboradores e de clientes, com a preocupação máxima na

entrega de produtos ou serviços de qualidade. A revista Vitrine Lojista conversou com o o responsável por esse empreendimento de sucesso, José Agnelo Seger, que revela algumas das receitas para o sucesso da marca no Rio Grande do Sul e no Brasil.

Fotos: João Alves

VITRINE LOJISTA - Quanto tem sido importante a expansão de negócios para o Grupo Herval? JOSÉ AGNELO SEGER - A empresa começou como uma pequena madeireira e um depósito de material de construção e foi agregando móveis e eletros. Partimos para indústria e começamos a fabricar espumas de poliuretano, laminados de látex, solados, peças técnicas, injetados, colchões de mola, colchões de espuma, móveis de madeira, estofados e a linha de planejados. No varejo, atuamos com a Lojas Taqui, que vende material de construção, eletro, máquinas e ferramentas. A linha LF faz a distribuição de insumos, máquinas e ferramentas para indústria. Enfim, fomos diversificando e vimos que precisávamos de uma financeira para nossos negócios e para nossos clientes. VITRINE LOJISTA – Que fatores o senhor considera fundamentais para o sucesso empresarial? JOSÉ AGNELO SEGER - Um dos fatores de sucesso é a diversificação. Atuamos na indústria comércio e serviços. Quando temos uma crise num setor, o outro compensa. Temos uma sinergia muito grande. Somos fornecedores industriais, trabalhamos com o público consumidor final e também em serviços financeiros no varejo. Hoje o varejo não é só uma operação mercantil, vende-mos uma série de serviços e isso vai compondo uma margem. Esse mix somado a muito

12


trabalho e dedicação de toda uma equipe pautada pelo respeito muito grande ao cliente é primordial. Focamos em um produto de qualidade e um bom serviço. VITRINE LOJISTA – Qual a importância da parceria com a FCDL-RS para concessão de crédito ao micro empreen-dedor? JOSÉ AGNELO SEGER - Essa parceria promete bons frutos. Estamos em um estágio inicial e tendo um aprendizado importante. Falamos muito a linguagem do varejo e esperamos que isso seja um facilitador para que a gente tenha sucesso junto aos clientes lojistas por parte da financeira.

Ênfase na Qualidade Com atuação na ênfase de melhorias apontadas pela empresa ou iniciativa de Colaboradores, são desenvolvidos projetos e atendimentos específicos a determinado desafio. Com foco na satisfação dos clientes internos e externos, o Grupo Herval implementou seu Sistema de Gestão da Qualidade na década de 90. Buscando o aperfeiçoamento de seus produtos e serviços, a empresa lançou o ISO Herval e aderiu ao Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP), passando a participar de seus programas e eventos. Desde fevereiro de 98, a empresa também mantém parceria com a Associação Gaúcha para a Qualidade (AGQ), participando de congressos, visitas técnicas e cursos. Para solidificar essa ação na cultura da empresa e manter a busca da excelência, a empresa criou seu Comitê da Qualidade em março de 2000, implantando atividades de Programas de Melhorias (HERVALorizando), Grupo Zero, Sub-comitês da Qualidade, promovendo forças-tarefas e diversas atividades onde houvesse o envolvimento dos colaboradores. Com isso, o Grupo Herval torna-se parte de uma filosofia de administração participativa que ajuda a identificar, analisar e resolver situações, melhorando a segurança e as condições de trabalho e a produtividade. O Programa HERVALorizando, por exemplo, incentiva a participação e envolvimento de todos os funcionários, oportunizando o desenvolvimento da criatividade, iniciativa, inovação e potencial das pessoas que trabalham na empresa. O objetivo é fazer com que os colaboradores participem com sugestões sobre processos, produtos e serviços de qualquer setor para a melhoria geral da empresa.


VerĂŁo de Verdade

Porto Alegre registrou as temperaturas mais altas entre as capitais brasileiras e uma grande greve que prejudicou o varejo. Ainda assim, existem nĂşmeros positivos no comĂŠrcio do Rio Grande do Sul?


O trânsito de veranistas dá fôlego aos varejistas do litoral, enquanto prejudica os rendimentos das grandes cidades gaúchas. O verão atípico movimento a indústria de equipamentos de ar condicionado, mas lojas de Porto Alegre ficaram sem vendedores e fecharam as portas, em virtude da Greve dos Rodoviários. São os prós e contras de um verão fora do comum, com temperaturas que passam dos 40º C, que tornaram-se um empecilho aos consumidores que gostariam de ir às ruas.

tizadores, as temperaturas tem sido severas ao ponto de motivar a troca por equipamentos mais potentes. Além disso, famílias aproveitam a oportunidade para instalar aparelhos em outros cômodos da casa – aponta o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

Na capital dos gaúchos, a parada dos ônibus causou um prejuízo muito maior que o calor. A FCDL-RS estima que os danos chegaram a uma perda diária de 25% do faturamento dos lojistas. Nos dez primeiros dias de paralisação, isso significou aproximadamente R$ 95 milhões em vendas não realizadas.

Nos meses de janeiro e fevereiro o aumento do movimento no comércio gaúcho se concentra em segmentos evidentemente mais acionados em períodos de férias das famílias. Em princípio, parte das férias dos gaúchos é dedicada a pequenas reformas e consertos nas residências. O maior aumento médio de horas trabalhadas no varejo durante o veraneio fica por conta das lojas de material elétrico (29%), vidraçarias (28,8%), peças e acessórios eletroeletrônicos (18%) e lojas de tintas e material de pintura (14%).

Em média, janeiro e fevereiro são responsáveis por 7,4% e 6,9% das vendas do ano, respectivamente. Sendo assim, o faturamento esperado para o primeiro mês de 2014 era de R$ 37.453.760. Já em fevereiro a previsão era de um faturamento de R$ 38.664.860. Somados, os dois meses poderiam arrecadar R$ 380.593.130, mas em função da greve, a estimativa é que eles rendam R$ 285.444.847 para o comércio. Ainda assim, como é tradicional, as lojas de eletrodomésticos comemoram as altas temperaturas desse verão. O clima tem feito muitas pessoas comprarem aparelhos de ar-condicionado e ventiladores. O balanço parcial supera a expectativa inicial da FCDL-RS, que previa um aumento de 20% em relação ao verão do ano passado. - O calor deste verão superou todas as expectativas. Além dos consumidores que não possuíam clima-

Por outro lado, o período de altas temperaturas do verão movimenta não apenas este segmento. Outros setores iniciam 2014 com vendas aquecidas, segundo a FCDL-RS.

Também no verão, o período de folga dos gaúchos é acompanhado por um sensível aumento da leitura e consequente consumo de produtos comercializados em livrarias, que apresenta a alta média de 14,6% das horas trabalhadas. O aumento do movimento nas rodovias do Estado também repercute no emprego dos estabelecimentos que comercializam combustíveis. O aumento das horas trabalhadas neste setor é de 13,7%. Os minimercados tem alta de 13,2%, telefonia e comunicação apresentam 10,3% de aumento e açougues e peixarias também vem registrando alta de 8,7%, especialmente nas praias do Litoral Norte. Marcelo Matusiak


Efetivação Tradicionalmente, os meses de maior concentração de contratações do comércio gaúcho são setembro, outubro e novembro. De acordo com o Departamento de Pesquisa da FCDL-RS, apenas em 2013, os estabelecimentos comerciais abriram 18.115 vagas no estado, representando 58,7% de todos os empregados gerados no RS durante o período em questão. Dessas vagas, cerca de 13 mil devem ser transformadas em permanentes. As demissões entre dezembro de 2012 e fevereiro de 2013 chegaram a 4.073 postos, mas 72,5% das contratações tornaram-se efetivas. Enquanto Porto Alegre, Pelotas e Caxias aceleram demissões entre dezembro e janeiro, nesse mesmo período as cidades do veraneio gaúcho, como Capão da Canoa, Tramandaí, Imbé, Torres, Xangri-lá e Cidreira lideram o ranking estadual de contratações. - Ainda temos dificuldades de se conseguir mão de obra qualificada. As lojas não conseguiram contratar o suficiente. Ainda sobram vagas que não preenchidas no litoral - atesta o 2º diretor financeiro da FCDL-RS, de Terra de Areia, Zenir Gross Kellerman. São estimadas cerca de 7 mil contratações no litoral gaúcho. No final de fevereiro, aproximadamente 4,2 mil desses postos deverão ser eliminados com o final do veraneio. Em contrapartida, o mês de março deve ser marcado por novos empregos que passam a ser oferecidos nos demais municípios do estado.

NÃO IMPORTA QUAL O SEU NEGÓCIO, O CERTO É QUE VOCÊ PRECISA SE COMUNICAR, AFINAL, A CONCORRÊNCIA É GRANDE. Conheça as diversas opções de impressos Ideograf, como folders, catálogos, revistas e livros, e não deixe os seus futuros clientes esperando.

Rua Dr. João Inácio, 75

CEP 90230-180 Porto Alegre/RS

www.ideograf.com.br


Tecnologia

Quatro tendências do marketing digital para 2014 O ano de 2013 reforçou e transformou diversos aspectos importantes para a cultura da internet brasileira: vimos mais pessoas aderindo à internet móvel, maior uso de mídias sociais – com destaque ao Facebook e ao YouTube – e mais compras pela internet. O cenário de 2014 deverá intensificar esse Alan Lupatini – estrategista de cenário e trazer algudados e professor de marketing mas coisas novas para digital o marketing digital, que vai precisar se adaptar para não ficar atrás em 2015. O YouTube foi sucesso no Brasil durante 2013, e com a Copa chegando nesse ano, a expectativa é que esse site de vídeos cresça ainda mais, com mais variedade de conteúdo. Já é realidade a criação de audiências enormes através dessa propriedade da Google, como foi o caso do recente Porta dos Fundos e de outros canais importantes. Canais de moda, maquiagem, humor e games viram forte aumento de audiência durante o ano passado e, em 2014, isso deve aumentar ainda mais, com talvez o surgimento de canais importantes voltados ao esporte. Está na hora também de empresas brasileiras se engajarem com força no YouTube, e conseguirem efetividade em construção de audiência como vários ex-anônimos conseguiram. Em 2013 o e-commerce vendeu mais do que nunca, viu-se um crescimento ainda mais veloz nas compras a partir de smartphones e tablets. Em 2014 as vendas a partir de dispositivos móveis vão se tornar relevantes, e as lojas online terão que se adaptar

com aplicativos ou websites competentes. A palavra de ouro será “usabilidade”, que deverá vir acompanhada de qualificação profissional e mais visão à área de arquitetura da informação, ainda bastante negligenciada. Uma pesquisa realizada pela F/Nazca identificou que a taxa de brasileiros que fez compra online nos últimos 12 meses se manteve tecnicamente estagnada desde o final de 2010, mas a penetração de dispositivos móveis cresceu muito de lá para cá, o que encoraja a melhoria da experiência do usuário para esse tipo de dispositivo. Alguns profetas do marketing digital podem afirmar que o Facebook está com os dias contados no Brasil, mas os números não mentem. A mesma pesquisa referenciada anteriormente indicou que há sim uma parcela de usuários que pensam em sair da mídia social, mas são muito poucos, e a maior fatia é de crianças – que migram para redes sociais menores, como o Instagram. O termo “mídia programática” é novidade ainda para muitos dos profissionais de marketing digital, mas entrará para o cotidiano em 2014. Também conhecido como RTB (Real-Time Bidding), é um processo de compra de mídia em tempo real que beneficia veículos e anunciantes, onde o lance é dado com a finalidade de alcançar os melhores públicos com mais facilidade, permitindo também maior rentabilidade do Publisher através da melhor distribuição do inventário de mídia. Haverá entrada em massa de lojas virtuais brasileiras também ofertando inventário de mídia de maneira mais clara. Mudanças consistentes estão a caminho em redes sociais e nas lojas online. É hora de rever as estratégias.


Gestão

Sazonalidade

Planejamento pode evitar problemas Dúvida na hora de montar um empreendimento, a sazonalidade nas vendas pode atrapalhar um negócio com grande potencial de crescimento por falta de planejamento. Durante o verão, as lojas localizadas em cidades litorâneas aumentam o faturamento graças ao grande contingente da população que compra enquanto veraneia. Porém, esses comerciantes precisam tomar alguns cuidados para sobreviver no restante do ano, de acordo com o gerente da Região Metropolitana do Sebrae-RS, André Martinelli Niemczewski. Inicialmente, o empresário deve realizar um bom planejamento para seu negócio, principalmente para este período de sazonalidade. Este planejamento deve incluir alguns itens fundamentais como: Estudo da demanda do mercado e sua oscilação, estudo dos concorrentes e fornecedores; Análise e definição dos produtos e/ou serviços a serem ofertados, do preço, das estratégias promocionais,

da estrutura de comercialização e da localização do negócio; Análise e definição do layout ou arranjo físico, definição dos processos operacionais (como serão feitas as diversas atividades), verificar a necessidade de pessoal e a capacidade produtiva (indústria, comércio ou serviços) do negócio; Realizar um planejamento financeiro incluindo o investimento inicial (em equipamentos, móveis, obras, estoque e capital de giro), estimativa de faturamento, estimativa dos custos fixos e variáveis e apuração do resultado da operação com indicadores econômicofinanceiros. - Com este planejamento, o empresário conseguirá ter uma visão global de seu negócio e assim tomar decisões que possibilitem a continuidade, crescimento das vendas ou até o fechamento por período determinado - aponta André Niemczewski.


Para não ficar sem dinheiro no inverno, o empreendedor pode organizar algumas ações. Uma delas é planejar-se bem para o período do verão, onde ocorre um crescimento significativo em seu faturamento, cuidando para que o custo do negócio não afete gravemente o seu resultado. Outro conselho é não gastar proporcionalmente ao aumento da receita e realizar uma reserva financeira para manter o negócio aberto no período de poucas vendas ou fechá-lo. Uma alternativa é no período do inverno diversificar ou alterar o mix de produtos e serviços ofertados para manter um funcionamento que mantenha o negócio.

Para conseguir realizar esse planejamento com sucesso, é importante que o empresário tenha os controles financeiros e econômicos: movimento de caixa, controle bancário, controle de vendas, controles de estoque, controle de contas a pagar, controle de contas a receber, controle das despesas, fluxo de caixa e apuração do resultado. Além disso, algumas informações sobre o andamento do negócio são tão importantes quanto os controles, como por exemplo: prazo médio de recebimento, prazo médio de pagamento, prazo médio de estoque e necessidade de capital de giro.

Mas será que vale a pena abrir o estabelecimento nos momentos de baixa nas vendas? O gerente do Sebrae-RS lembra que o empresário deve analisar todos os fatores que acarretam na permanência do negócio aberto. Se nos meses de pouco movimento o negócio obter um lucro mínimo, pode valer a pena. Mas, manter o negócio aberto somente para mostrar que ele existe pode até prejudicar a imagem da empresa. Existem negócios no litoral que permanecem abertos somente no verão. Alguns empresários chegam a locar o espaço para o ano todo, pois com o lucro alcançado no verão, vale pena manter toda estrutura montada no inverno, mesmo sem atividade, pois quando retornar não precisará investir novamente em estrutura.

19


Saúde

Câncer

Preparo de alimentos pode ajudar na prevenção O “Congresso de Alimentação e Câncer do American Institute of Cancer Research”, realizado recentemente em Washington, teve entre seus destaques a abordagem do processamento e preparo de alimentos e sua influência no risco de câncer.

churrasco, propicia a liberação de substâncias cancerígenas, como as aminas heterocíclicas e os hidrocarbonos policíclicos aromáticos. Uma das sugestões apresentadas seria marinar a carne e cozinhar lentamente a baixas temperaturas.

Os médicos discutiram como aproveitar melhor as substâncias benéficas de alguns alimentos, especialmente brócolis, tomate, alimentos com B- caroteno como cenoura e yogurtes, além da relação do câncer de intestino com as carnes vermelhas. O tema ainda traz muita controvérsia, mas uma das maiores estudiosas do tema, Dra Amanda Cross, do Departamento de Epidemiologia do Imperial College London, apresentou os últimos estudos que levam a crer que o problema não seria somente a carne em si. É o método de preparo, que traz mais evidências de liberar substâncias nocivas. O preparo a altas temperaturas, principalmente quando grelhadas ou na forma de

- A recomendação atual é consumir a carne mal passada e variar o tipo de carne intercalando com peixe e frango, mas sem alarme ou proibição para o churrasco do fim de semana - afirma o proctologista Dr. Rafael Castilho Pinto, coordenador da Clínica de Proctologia do Mãe de Deus Center, presente no evento. Segundo Castilho Pinto, este é um assunto muito controverso, principalmente se tratando de Rio Grande do Sul, onde Porto Alegre mantém a maior incidêndia de câncer de intestino entre todas as capitais brasileiras e um alto consumo de carne vermelha e churrasco.

Dicas de preparo dos alimentos - Brócolis: cozimento rápido em baixas temperaturas. Comer com outros vegetais como rúcula, radite, mostarda. Uma das principais substâncias para a proteção de câncer encontradas em estudos em laboratório é o Sulforafano, abundante nos vegetais da familia das Crucíferas (brócolis, couve, repolho, couve-flor). Para melhor ser absorvido na digestão, o Sulforafano necessita de uma enzima que também está presente no Brócolis, a Mirosinase, pórem ela é facilmente destruida em altas temperarturas ou pelo cozimento prolongado. A mirosinase também é encontrada em altas concentrações na rúcula, radite, e mostarda, potencializando a absorção do Sulforafano.

- Tomate: cozimento em forma de molhos ou secos, principalmente quando associado a azeite de oliva para que aumente a absorção de substâncias como o Licopeno. O Licopeno tem sido associado à prevenção de câncer e sua liberação para absorção é potencializada pelo cozimento lento e prolongado como em molhos de tomate. A absorção também é potencializada na presença de azeite de oliva. - Carnes: marinar a carne e cozinhar lentamente a baixas temperaturas. Isto pode diminuir a liberação de substâncias como as aminas heterocíclicas e os hidrocarbonos policíclicos aromáticos considerados potencialmente cancerígenas.


Número de mortes por câncer de mama pode diminuir com realização frequente de exames

Em 2012, 522 mil mulheres morreram vítimas do Câncer de Mama, e cerca de 1,7 milhão foram diagnosticadas com o tumor. As chances de cura para aquelas que têm o diagnóstico precoce são até 90% maiores. Por isso é importante que sejam realizados exames que apontam a presença do tumor com frequência. - É recomendada a realização da mamografia anualmente a partir dos 40 anos de idade. Em pacientes de alto risco, como aquelas com parente de primeiro grau com histórico de câncer de mama antes da menopausa, este rastreamento pode iniciar mais cedo - destaca a médica da Clínica Mamorad, Fernanda Kraemer. A mamografia é o exame para a detecção precoce do câncer de mama. Ela foi avaliada no passado em estudos que envolveram mais de 500 mil mulheres, e demonstraram a redução da mortalidade por causa da doença nas populações que são submetidas ao rastreamento rotineiro. - Além da mamografia, pode ser realizada uma ultrassonografia mamária como exame complementar, pois ela pode auxiliar na detecção e avaliação de lesões, mas não deve ser utilizada como método iso-

lado para o diagnóstico precoce do câncer de mama - explica Fernanda. A ressonância magnética é outro teste que pode auxiliar na detecção da doença mamária. Não é indicada para todas as mulheres, somente em situações específicas, como pacientes com alto risco de desenvolver câncer de mama e também para a avaliação de implantes de silicone. - Não existe maneira de evitar completamente a doença, mas existe uma maneira de minimizar o dano causado por ela. A mamografia é um exame rápido, e que em alguns segundos pode dar anos de vida às pacientes. É fundamental conhecer sua mama, e ao observar qualquer alteração, procurar um médico. Ele vai poder avaliar e indicar o exame diagnóstico adequado a cada caso - recomenda a médica da Mamorad. Para diminuir o risco de desenvolver o Câncer de Mama, deve-se adotar um estilo de vida saudável, com prática de atividade física, alimentação balanceada e manutenção do peso corporal adequado. Marcelo Matusiak

Um relatório divulgado em dezembro pela Agência Internacional para a Pesquisa em Câncer aponta que número de mortes decorrentes do câncer de mama no mundo cresceu 14% entre 2008 e 2012. No Brasil, os índices de incidência e mortalidade da doença são maiores do que os mundiais. Foram 59,5 casos de câncer de mama para cada 100 mil habitantes, contra 43 casos por 100 mil habitantes no mundo. Para diminuir esses índices é necessário ter um estilo de vida saudável e realizar exames periodicamente.


Moda

Moda é líder em anúncios na internet Na internet, os anúncios de roupas e acessórios estão em toda parte. Esses segmentos são os que mais têm investido em publicidade na web. Os produtos relacionados à moda são hoje os mais vendidos nas lojas online brasileiras. De acordo com reportagem do jornal Estadão, duas empresas de roupas e calçados - Dafiti e Netshoes – lideram o ranking de maiores anunciantes da internet, segundo dados da consultoria e-bit e da Comscore.

O investimento nesse tipo de propaganda online reflete um crescimento do e-commerce no setores de vestuário, calçados e acessórios. Em 2010, a moda não fazia parte da lista dos cinco tipos de produtos mais vendidos online. Além disso, até o primeiro semestre de 2013, os eletrodomésticos eram os produtos mais vendidos pela internet, mas os artigos de moda conseguiram superar esse segmento, de acordo com dados do e-bit. A liderança das empresas de moda não se repete em anúncios em outras mídias. Segundo o Ibope, não há

nenhuma varejista ou marca de roupas e calçados no ranking dos 30 maiores anunciantes do país quando se considera a junção de todos os meios. De modo geral, o consumo online cresceu em 2013. Segundo a revista Exame, o faturamento das vendas pela internet no ano passado foi cerca de R$ 28,5 bilhões. O valor é aproximadamente 25% maior do que o de 2012. De acordo com o presidente da consultoria e-bit, Pedro Guasti, em entrevista à Exame, o bom desempenho das vendas se deve aos consumidores entrantes. Ele afirma que em 2013, a internet recebeu cerca de 10 milhões de novos consumidores, 20% a mais do que em 2012. Para 2014, a projeção da e-bit é que além de moda e acessórios, eletrônicos e televisores sejam destaques de venda online. Impulsionados pela Copa do Mundo, materiais esportivos, como camisetas de seleções, também devem incrementar o consumo nas lojas virtuais.


Dúvidas 1. O que é SPC Decisor? O objetivo do SPC Decisor é beneficiar os usuários com a automatização dos processos de liberação do crédito e avaliação do risco. A partir das informações digitadas na entrada, o sistema calcula, compara ou busca outras informações em bases de dados externas, tarifadas ou não, de acordo com o que foi definido na configuração do SPC Decisor. Esta configuração é feita pelo SPC Brasil, bastando para isso que a empresa usuária informe a sua regra de liberação de crédito. O SPC Decisor serve para apoiar e estimular as vendas pelo crediário da loja, porque têm um menor custo em relação às vendas com cartão de crédito. 2. Quais os benefícios do SPC Decisor? O SPC Decisor permite automatizar o processo de decisão de empresas de diversos segmentos, reduzindo tempo e custo. É direcionado às áreas comercial, telemarketing,

recuperação e cobrança, financeira, logística, análise de crédito, entre outras. 3. Qual o prazo de permanência de registro de SPC e Cheque Lojista? O prazo máximo para permanência das informações de débito no SPC ou Cheque Lojista é de cinco anos (60 meses), contados da data de vencimento do registro ou da emissão do cheque. 4. Qual o prazo para disponibilização de registro? O registro após a data de inclusão passa por um processo de 13 dias a qual chamamos de período de hibernação do registro. Neste período o registro fica oculto para visualização na consulta, sendo três dias para o processo de geração de carta e postagem da mesma e dez dias, para que o consumidor regularize sua situação.

Agenda FCDL-RS PROGRAMA

DATA

Lançamento do Fornecer 17 de fevereiro Municipal

LOCAL Porto Alegre

Reunião TOP 20

19 de fevereiro

Porto Alegre

Grupo de Desenvolvimento de Negócios SPC Brasil

21 de fevereiro

São Paulo

45ª Convenção Estadual Lojista

14 e 15 de agosto

Bento Gonçalves


Venha crescer junto com as empresas do seu setor de atuação. Os Projetos Coletivos Setoriais do SEBRAE fomentam a competitividade da sua empresa, ampliando suas chances de acesso a novos mercados. Aproveite esta oportunidade de capacitação e troca de experiências para qualificar ainda mais o seu negócio. Inscreva-se. Para saber mais, acesse www.sebrae-rs.com.br/projetossetoriais Agronegócio | Comércio e Serviços | Indústria


Vitrine Lojista fevereiro 2014