Issuu on Google+

Pesquisadores desenvolvem reator que converte luz solar em combustível líquido Último Segundo (http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/pesquisadores+desenvolvem+reator+qu e+converte+luz+solar+em+combustivel+liquido/n1237894576352.html) BBC Brasil | 24/12/2010 12:34 Anna Victória Fetsis nº4

2ºA

Renata Proença nº24

Novo reator produz combustível líquido A notícia divulgada pela BBC e retirada do site Último Segundo no dia 24 de dezembro de 2010, explica o funcionamento do protótipo de um reator desenvolvido por pesquisadores dos Estados Unidos e da Suíça que obteve grande sucesso, mesmo tendo alguns problemas. A notícia nos permite entender perfeitamente o funcionamento do reator e sua capacidade, porém não nos informa como os pesquisadores irão solucionar os problemas. O reator está sendo desenvolvido com o objetivo de gerar energia que possa ser armazenada e transportada, além de ser mais ecológica e econômica. O funcionamento da máquina se baseia em um processo parecido com o da fotossíntese, utilizando raios solares e o metal Cério para quebrar as moléculas de dióxido de carbono e água e transformar em combustível líquido.

Molécula de dióxido de carbono (CO 2)

Molécula de água (H 2O)


Esse reator é bem diferente dos painéis fotovoltaicos comuns, que são aqueles que utilizam a luz solar para transformar em energia, porque estes painéis só podem usar a eletricidade gerada no local onde estão instalados, não podendo ser armazenada, e esta só é produzida quando o calor do Sol é intenso. Já o novo reator pode armazenar e transportar o combustível, além de poder gerá-lo com pouco Sol.

Painéis Fotovoltaicos Comuns

Em cima, o reator possui uma janela de quartzo que concentra a radiação solar. O calor da luz do sol é direcionado para um cilindro revestido com óxido de cério. Quando o cério é aquecido ele libera naturalmente oxigênio, e quando ele esfria, ele absorve. Depois que o metal é aquecido, é bombeado por entradas laterais, dióxido de carbono e água. Estes elementos ficam dentro do cilindro até que o óxido de cério esfrie, absorvendo todo o oxigênio presente, resultando em monóxido de carbono e hidrogênio, que são os produtos da reação (CO + H2). A combinação de monóxido de carbono e hidrogênio pode ser usada para criar uma espécie de “gasolina sintética”.

H2O + CO2 → CO + H2 + O2 (Reação que ocorre dentro do cilindro)


A gasolina sintética é usada desde a 2ª Guerra Mundial na fabricação de bombas. Ela é composta por hidrocarbonetos, podendo substituir o petróleo. Além de ser mais ecológica, ela é mais econômica, custando menos de um real o litro. A fabricação do reator é bem barata e viável, já que o Cério é um metal bem abundante na terra.

Óxido de Cério

O protótipo ainda é ineficiente, já que o combustível criado aproveita somente entre 0,7% e 0,8% da energia solar que entra no recipiente, ou seja, a maior parte da energia é perdida. Essa perda pode ser causada pela própria parede do reator que não é adiabática, ocorrendo a transmissão de energia térmica, e pela janela de quartzo devido ao grande índice de reflexão do material. Segundo a professora Sossina Haile do Instituto de Tecnologia da Califórnia, quando a máquina atingir pelo menos 19% de eficiência,ela poderá ser produzida comercialmente, pois a química do material é perfeita para o processo. Ela afirmou também que um reator no telhado poderia produzir até 14L de combustível por dia. Daniel Davis, o chefe da tecnologia da companhia fotovoltaica britânica Solar Century, envolvida financeiramente na pesquisa, diz que a pergunta é onde colocá-lo, ou seja, não se sabe se é melhor colocar um reator em cada telhado de cada casa ou se seria melhor mantê-lo como uma grande indústria no deserto do Saara e transportar o combustível por navios. Apesar do rápido avanço do dispositivo de energia solar, a eficiência e o armazenamento destes dispositivos ainda são problemas. Estes problemas estão sendo consertados ao longo do tempo por países como a Espanha e os Estados Unidos. A expectativa é que estes reatores se desenvolvam rapidamente, melhorando sua eficiência, e se tornem mais do que apenas um protótipo. O projeto realizado é muito importante para o futuro do meio ambiente e consequentemente para o futuro da sociedade, já que este reator, além de tirar o CO2 de circulação, gera energia a partir do Sol. Sem o CO 2, o ar se torna


mais puro, causando menos danos para o meio ambiente e para nós. A energia gerada a partir do Sol é um ótimo caminho, já que a energia elétrica que nós utilizamos irá acabar um dia. Estas características tornam o reator muito vantajoso, já que este além de ser mais ecológico, é mais econômico.

Referência Bibliográfica: Último Segundo. IG, São Paulo, 24 de dezembro de 2010. Disponível em <http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia> Acesso em: 05 de maio de 2011. Info Escola. São Paulo, 01 de fevereiro de 2010. Disponível <www.infoescola.com/quimica> Acesso em: 20 de maio de 2011.

em

Escola Secundária Madeira Torres. São Paulo, 29 de novembro de 2010. Disponível em <http://moodle.madeiratorres.com> Acesso em: 20 de maio de 2011. A Vida é Bela. São Paulo, 21 de novembro de 2009. Disponível em <http://silva-neutel.blogspot.com> Acesso em: 20 de maio de 2011. Técnico Instalador Fotovoltaico. São Paulo, 05 de agosto de 2010. Disponível em <http://tissfoto.blogspot.com> Acesso em: 20 de maio de 2011. Força Jovem Mato Grosso do Sul. São Paulo, 06 de janeiro de 2011. Disponível em <http://juventudeonline.com.br> Acesso em: 20 de maio de 2011. Mercado Livre. São Paulo, sem data disponível. Disponível em <http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-181937668-1kg-oxido-de-cerio-parapolimento-de-vidros-oxido-de-cerio-_JM> Acesso em: 20 de maio de 2011.


resumocriticoannavictoriaerenata-vfinal