Page 1

Estilo e comportamento para Bad Girls e Bad Boys no Second Life Edição 09 - Abril 2008

Abra o olho!

A ética no metaverso em questão


índice Para ver/saber mais sobre Alyne Dagger e Lucrecia Slade visite os nossos sites: • Flickr - Share Your Photos! www.flickr.com Search: A Lucrecia that is not Borgia Alyne Dagger • O Blog! Bad Girls 4 Evah! bg4e.blogspot.com O que não cabe na revista está lá! • Quer assinar a BG? br.groups.yahoo.com/group/ badgirlsmagazine/ Junte-se ao grupo e receba a revista em PDF, antes de todo mundo!

Editorial Entrevista — Qee Nishi Se correr o bcho pega, se ficar, o bicho come Alyne Dagger recomenda Galeria Agenda Good Guy Bad Girl O quarto Poder Cool & Brazilian Estilos Imbatíveis aMIgos da Alyne Triste história de Teresa Linden Lag

Textos, edição, editoração, projeto gráfico e tudo mais: Uma parceria das amigas Lucrecia Slade e Alyne Dagger (Lu & Ly para os íntimos).

Contato: Quem quiser colaborar com dicas, espernear, aparecer ou simplesmente dizer “olá”, basta mandar MI para nós.

As opiniões de gente deselegante e mal educada serão investigadas, Fotos: fotografadas sem alarde e zoadas com Lucrecia Slade e Alyne Dagger (depois enorme prazer na próxima edição. :-) do Windlight, ela tomou vergonha e fotografa tb!!!!) ^^ Para anunciar: MI para Alyne Dagger/Lucrecia Slade. Edição 09 - Abril 2008

6 8 16 34 40 44 48 50 52 66 72 78 80 86 88

A BG Magazine é independente e não publica opiniões conflitantes com o ideal da revista nem por todos os Lindens do mundo. Quando falamos bem, somos ótimas. Quando falamos mal, somos muito melhores!


Editorial

Responda rápido: Qual dos três não é uma bad girl? Resposta no fim da matéria de capa...


A Canção Pirata do SL Treze Piratas sobre uma skin Yo-ho-ho-ho-ho Dez lindens pra cada um No fim da partilha saiu confusão You-ho-ho-ho-ho E não sobrou nenhum Treze piratas e um copy bot Yo-ho-ho-ho-ho Clonando e tomando um rum Alguém deu report e o bicho pegou Yo-ho-ho-ho-ho e não sobrou nenhum Treze Piratas e mil ghost bots Yo-ho-ho-ho-ho Na land onde só tinha um A linden pegou expulsou um por um Yo-ho-ho-ho-ho E não sobrou nenhum!

Você aceitaria uma falsa bad Girl?

Leia a matéria de capa para saber o que são Copy bots e Ghost Bots, já que pirataria, infelizmente todo mundo sabe o que é. E não perca minha nova sessão, “Alyne Dagger Recomenda” Uma Lucrécia falsificada, uma Alyne pirateada? lugares imperdíveis + o melhor dos Flickrites e Se cada um é original, para que aceitar cópias? Blogerites. Aproveite a sua Bad Girls magazine, única, E como diz o capitão, “Hoooray!”

Alyne Dagger Editora de conteúdo

original de fábrica! Lucrecia Slade editora de estilo


Bad Girls entrevistam

Djane

QEEEEEEE!!!

Nishi

A Diva do psytrance da ilha de Happy Clam fala sobre avatar, segunda vida, música e tudo que faz a sua cabeça no SL. Um papo delicioso e informal com uma das maiores personalidades da música eletrônica do Second Life. Confira!


Quando você começou no Second Life e como chegou ao metaverso? Alyne Dagger:

Qee: No

verão de 2006 eu baixei o SL pela primeira vez, porque ouvira sobre o programa e estava curiosa, mas quando li todas as perguntas pessoais necessárias para a inscrição, perdi a vontade de experimentar. Um ano depois, o SL apareceu de novo por causa de um amigo que sugeriu experimentar. Aí eu realmente gostei e estou aqui até hoje.

Alyne Dagger: Você

criou um personagem ou é a mesma pessoa da vida real aqui? Qual a diferença entre a pessoa da RL e a Qee do SL?

Qee: Sou

exatamente a mesma pessoa na RL e no SL. Não há diferença no personagem.

Você é uma conhecida DJ de Psytrance, trabalha com música na vida real? Alyne Dagger:

Qee: Ooooh,

obrigada! Isso é ótimo de se ouvir, mas infelizmente não, embora eu seja louca por música. Amo música, especialmente uma boa batida eletrônica.

Alyne Dagger: E

sobre Happy Clam? Como você se tornou uma das principais DJs da ilha?

Qee: Cheguei

no Organica (principal praça de eventos da ilha de Happy Clam) a princípio para ouvir meu tipo preferido de música. Um dia

comentei com Thom (Thomtrance, um dos fundadores de Happy Clam e DJ) que se faltasse alguém, eu ficaria muito feliz em tocar algumas músicas da minha coleção. Um tempo depois, numa quarta à noite, ele me deu a oportunidade de tocar durante o evento normal. O pessoal pareceu gostar, e pediram para que eu tocasse mais. Naquela época eu nem era conhecida como sou hoje. Um tempinho depois me convidaram para fazer parte do time que tocava no evento de quinta feira, o “Eletro Power Show”, e depois disso, no evento de domingo, chamado “Cellular Sounds”. Lucrecia Slade: O

seu trabalho aqui é com música, e muitas pessoas ligadas à música tem usado o SL para divulgar seu talento. Você acha que esse é um novo mercado profissional para músicos e DJs? Qee: Acho

que é um campo de experiência fantástico, ótimo para testar novas criações e entrar em contato com outras pessoas. As reações são as mesmas, acredito, que as pessoas teriam na vida real. A diferença e o legal daqui é que o custo disso é zero para o artista e você pode mostrar imediatamente sua música Por enquanto, encaro como um pequeno mercado, mas creio no grande potencial do metaverso no futuro próximo.


Lucrecia Slade: Ouvi

o som de pessoas como o Parsec, um grupo que trabalha com música e vídeo voltado para projetos artísticos no metaverso. Música e arte: Você acompanha esse tipo de projeto ou está apenas levando a vida de um jeito legal no sl?

Qee: Eu

tento comparecer a eventos do tipo quando consigo saber deles, mas normalmente sou muito ocupada e fica difícil.

No último mês nós falamos sobre a beleza e o sl. Como você concebeu seu avatar – e aqui devemos confessar que somos fãs do seu estilo! Alyne Dagger:

Lucrecia Slade:

Sim! ^^

Qee: Obrigada,

muito obrigada! Não sabia disso! Acho que meu avatar tem que refletir minha personalidade e gosto musical. A cor, a roupa, o cabelo! No fim eu só escolho roupas e e itens


que eu realmente gosto, linhas simples, futuristas, sexy. E adoro cores primárias! Lucrecia Slade: E o que te inspirou na hora de criar

esse visual exótico e genial? As pessoas ficam intrigadas ou te aceitam instantaneamente? Qee: Bem,

tirei tudo mais da minha imaginação mesmo, mas creio que fui inspirada por filmes como Aeon Flux, o Quinto Elemento e quetais. Não sigo muitas tendências, procuro mais meu próprio estilo, acho. As pessoas aceitam numa boa, assim como meu som, minha batida, minhas vibrações positivas!

Lucrecia Slade: Você acompanha moda na vida real? Qee: Não

sou muito chegada no assunto, já que quero mais ter um estilo único, então, não leio muito sobre o assunto. Particularmente porque o próprio Sl ocupa bastante tempo na minha vida.

Alyne Dagger: O

que é um avatar bonito para você e o que você considera belo, não só falando de avatares? Beleza é algo que vai além do que os olhos vêem?

Qee: Esqueça

o conceito normal de beleza, mais importante para mim é expressão do individuo nos eu avatar, isso o faz belo. Na vida real, ser belo envolve bem mais do que os olhos vêem. Uma presença radiante, um bom coração, pensamento positivo, astral.


Lucrecia Slade: Você

gosta de comprar roupas

para seu avatar? Qee: Claro,

mas é difícil achar alguma coisa que eu realmente goste e que tenha a ver comigo, e nem tenho tempo para procurar muito. Ainda uso uma skin de newbie porque ainda não achei uma que me agradasse ainda. Tenho mais de 200 skins demo mas não disse “uau” para nada ainda. Então segui experimentando até achar alguma que realmente fique legal em mim. Talvez seja pura insegurança mesmo. (risos) Lucrecia Slade:

E suas lojas favoritas, quais são?

Qee: Normalmente pego umas landmarks para

olhar quando tenho tempo para achar o que eu quero, o que é raro. Ravenation é um ótimo lugar para curtir as festas, a Gurl tem um incrível sortimento de cabelos e a Insolence tem lingerie e moda feminina que realmente me agradam, além de lindos bikinis. Alyne Dagger: O Sl está ficando mais e mais real

com o windlight. Qual sua preferência? Avatar realista ou mais com cara de cartoon? Qee: Realismo é tudo. Pequenas imperfeições fazem

o avatar mais legal, quanto mais realista, melhor. Lucrecia Slade: E os efeitos visuais do WL, como

interferem no que você oferece aos seus fãs do sl? (podemos chamá-lo de fãs, certo?)


Qee: Sim, claro, acho que tenho alguns fãs (eu

acho!) . Acho que os efeitos não interferem na

mas ele teve um tempinho limitado no outono daqui (ela mora nos EUA).

música, mas tornam a experiência criativa mais

Alyne Dagger: Sua vida aqui é planejada ou você

interessante e vibrante. O visual completa o som

se deixa levar pelo vento?

e vice-versa. E quando as pessoas trazem seus

Qee: Nada do que me aconteceu desde que eu

próprios efeitos visuais, incrementam mais ainda

entrei no Sl foi planejado, e eu sigo dessa forma.

a diversão!

Creio que aqui tudo tem que ser divertido, não

Alyne Dagger: E sua vida privada no SL? Você tem

corrido, então não estabeleço metas a cumprir.

algum relacionamento aqui?

Pelo menos para mim, é assim que funciona. E

Qee: Não tenho exatamente uma “vida provada”

se assim continuar, como foram meus últimos seis meses, eu vou seguir sendo uma residente

no SL, mas fiz bons amigos aqui! Alyne Dagger: O que você faz quando não está

feliz do sl. Lucrecia Slade & Alyne Dagger: Alguma palavrinha

tocando? Qee: Ajudo e animo meus amigos, procuro animá-

los. Também algumas compras e alguma coisa de construção. Mas quando estou logada nor-

para os Brasileiros que queiram ver a DJ Qee em ação? Qee:

Venham para Happy Clam às quintas e

malmente estou também procurando por aí o que

domingos e confiram as quartas feiras no Piranha

vou tocar no próximo evento, tento não me repetir

Club.

muito!

Sou doida pelo ritmo do samba e acho que a lín-

Lucrecia Slade: Você gosta de viagens no SL? Re-

comenda algum lugar fora Happy Clam? Qee: Inspire Beach e Inspire Space

Park são

realmente inspiradores, gosto do Lost Gardens

gua de vocês soa tão gostosa nos ouvidos! Um dia pretendo conhecer o famoso carnaval do Rio, quem sabe até num futuro próximo! Alyne Dagger: Qee, foi um prazer ter você conosco

of Apolo para relaxar. Também curto lands de surf

e vê-la em ação no Organica. Como você sabe,

como o Wave labs. Durante um bom tempo meu

voltaremos sempre!

lugar favorito era um SIM chamado “Burning Life”,

Lucrecia Slade: Yay!


Jeans Fever Lanรงamento exclusivo

Breve: Megaloja e Feira Hippie: Sled (146, 74, 89)

Happy Clam Island (188, 174, 30)


Capa

Se correr,

o bicho pega


, se ficar, o

bicho come ética é.ti.ca


Capa Nos últimos meses o Second Life teve uma explosão de denúncias de trapaças, roubos, assédios e outras condutas que assustaram as pessoas que observam valores éticos no seu dia a dia, em alguns casos fazendo com que alguns residentes abandonassem assustados o metaverso. A grande pergunta é: o universo virtual é realmente um ambiente que favorece a picaretagem ou quem se comporta de forma antiética aproveita brechas que os criadores do grid jamais imaginaram existir para aplicar golpes? Um pouco de cada coisa é verdade. Quando o Second Life foi idealizado, não se imaginava que sua economia teria a explosão que aconteceu depois que as pessoas começaram a usar os lindens e criar conteúdo no second life, movimentando o que chamamos de economia virtual. Lógico que quando o metaverso passou a ter uma economia, quem o criou e nele investiu planejava ter lucro, mas até mesmo a linden labs admite que desde 2006, quando completou seis anos, os números vem superando progressivamente as expectativas iniciais e não só seus criadores como muitos residentes têm conseguido obter lucros com negócios no metaverso. E é logico que toda essa “corrida do ouro” atraiu não só investidores sérios como também muita gente cuja pretensão é, na verdade, ganhar

dinheiro fácil burlando a ética e, muitas vezes, cruzando a linha da conduta criminosa. É muito provável que você já tenha ouvido falar de alguém que abriu uma caixa, aceitou um presente e teve todos os seus lindens roubados, ou em alguém que teve a conta bloqueada porque comprou uma skin incrível por um preço de banana – só para citar alguns dos exemplos mais comuns de pessoas que inocentemente foram prejudicadas por golpistas virtuais. Mas há muitos casos por aí, alguns alarmantes, e é preciso realmente tomar conta da sua vida no metaverso para se proteger deles – e reportá-los quando for o caso. Há rumores sobre um script malicioso que, inserido em determinados camps, copiaria todos os itens do inventário do camper desavisado, inclusive itens “no copy” e “no transfer”. O golpe sequer pode ser percebido pelas vítimas, porque nada é retirado, apenas copiado. O desenvolvedor desse código teria conseguido anexar um eficiente mecanismo de quebra de código que não retira itens do inventário, mas consegue copiá-los minimamente. Assim, por um pequeno investimento em linden, ao final de um dia o golpista poderia abrir o copybot e ver o saldo do butim: muitas vezes muitos freebies e nada de bom, mas vários itens de primeira, construídos a


custa de muito suor virtual, com texturas exclusivas e que custaram muitos lindes de quem os comprou. Não conseguimos apurar a veracidade dessa história, mas dá para desconfiar por causa da quantidade de itens feitos com prims copiados nos mínimos detalhes. Mas você não precisa, por causa disso, fugir de camp que nem o diabo foge da cruz: se vive de camp, dê uma inspecionada antes de mais nada: clique com o botão direito do mouse, e mande editar o objeto. Abra a aba de conteúdo e veja se além dos scripts de dar dinheiro, pose e animação. Há algum script que não seja muito bem explicado, esse pode escon-

der o código de cópia. A nossa fonte garantiu que os camps “turbinados” por copy bots seriam também camps muito atraentes, que oferecem pelo menos 5 lindens a cada 10 minutos. É importante, portanto saber que no second life nada é baratinho sem que alguém esteja ganhando – e muito – com isso. Se você se sentir lesado, denuncie mesmo. Mas a investigação da Linden depende muitas vezes da denúncia dos lesados: como a criação e geração de conteúdo não é controlada, é impossível controlar os scripts que os residentes colocam nos seus objetos. Se um camper denuncia, trata-se de um usuário não premium e sua denúncia acaba entrando numa fila longa, atrás de casos que o second life julga “mais


importantes”. Se a denúncia vem, de um criador, é necessário que ele consiga provar que aquele item copiado era exclusivo e foi pirateado através de script, mas no caso de pessoas que geram conteúdo o prejuízo é ainda maior, porque envolve o roubo da sua propriedade intelectual. O pior é que a propriedade intelectual pode ser desrespeitada de diversas formas, mas a principal é mesmo o roubo de texturas. Há notícias (essas confirmadas) de que há um programa que captura todo o cachê temporário e todas as texturas do ambiente. Munidos desse programa, golpitas, como o já expulso Bonnie Arado, roubaram e copiaram texturas das mmarcas famosas. Bonie inclusive chegou a anunciar as marcas das skins que pirateou, alardeando que estava vendendo por um terço do preço. Por causa dessa falta de noção de UM avatar brasileiro, ficamos com a má fama de pirateadores de conteúdo. Foi algo tão sério que chegou a rolar um movimento anti-brazuca, capitaneado por alguns donos de lojas. O recado é bem claro, não acham? Se queremos ser respeitados como país, não podemos e nem devemos ter, como indivíduos, comportamentos anti-éticos, que envolvam roubo de texturas. Se você tem uma loja, crie seu próprio conteúdo ou certifique-se de que seus estilistas e criadores trabalham com material próprio. Chega da fama das lojas brasileiras só venderem freebies

reciclados e conteúdo pirateado. O que será do nosso país se nem no ambiente virtual conseguirmos o devido respeito? Voltando ao tópico principal, o que não faltam são recursos para obter lucros de forma, se não ilegal, totalmente anti-ética. Como os ghostbots: avatares que não têm um dono e destinam-se apenas a aumentar o tráfego de ilhas e lotes, para aumentar seu valor comercial. Tráfego é moeda forte no ramo imobiliário do SL, tirando as lands residenciais, lojas e lotes aumentam de valor quando em ilhas de muita circulação. Mas fazer uma ilha ser populosa dá trabalho: é preciso manter programações, festas, camps e tudo que mantêm as pessoas na land circulando e consumindo. Mas alguns donos de ilha não querem ter todo esse trabalho. Fazem diversos, às vezes dúzias, de avatares fantasmas e conseguem, através de programas externos, abrir várias instâncias do Second Life e coloca-los todos online ao mesmo tempo. Você já deve, alguma vez, ter visto um noobie mudo, que, quando você olha o perfil é um avatar antigo. A reportagem da BG topou com alguns deles até mesmo numa ilha de arte internacional super badalada, que já saiu até nos principais blogs do sl internacional e em ilhas famosas do Brasil, que andaram incrementando tanto sua visitação que chegaram, sem mérito algum, a ser top 20 do SL. A última moda para


disfarçar os ghostbots é colocá-los numa altura estratosférica, sem prims atachados e até mesmo sem roupa, aos montes. Você pode até achar que não tem nada a ver com isso, mas esse aumento artificial de circulação aumenta o lag da land e aumenta também o lag do grid, tornando todo o SL mais lento. Sem falar que prejudica os lojistas que acreditam estar pagando um aluguel justo por uma land que, na verdade, não tem circulação real alguma. São comuns os desabafos de bons lojistas que pagaram aluguéis em lojas caras qu absolutamente NADA, por tinha a oferecer e o tráfego proveniente desses bots d Ainda falando de como um pode ser antiético, um peq um residente americano q não ser identificado: “Um pagar via paypal (ou seja, minha tyer referente ao mê o dono da ilha onde eu tin land apareceu no meu MI assunto sobre várias coisa regras que ele gostaria de à land, coisas que, franca soaram-me absurdas. Eu dei e ele iniciou uma discu que acabou com o meu b

mento da land e devolução de todos os meus objetos. Quando perguntei pela tyer do restante do mês, ele me colocou em mute e ainda me reportou a Linden como se eu o estivesse assediando. Eu o reportei de volta e espero a solução do caso, mas fui informado que eu não sou o primeiro com quem ele fez isso. Acredito que é uma forma que ele achou para conseguir dobrar seu faturamento sobre as lands que possui”.


Claro que esse é um caso ext mas a liberdade que os dono têm para usufruir de sua prop pode realmente gerar conflitos veis com os inquilinos e subp tários – quando você paga um taxa alta para comprar a land não paga aluguel, mas uma t mensal, torna-se proprietário de uma parcela proveniente d grupo e tem direitos de propri tário sim, mas não há nenhuma garantia para os membros de um grupo de condomínio que o proprietário não vá, usando de má fé, expulsar as pessoas do grupo e tomar pa si as tyers pagas antecipadam Se o dono de uma land fizer is reporte-o imediatamente à lind labs, porque roubo de tyer é p sível de expulsão e você tem o direito de receber o que pago de volta. Para evitar esse tipo de perigo, muitas pessoas optam por comprar uma land direto Linden – que hoje são raras e gem que o usuário seja Prem O risco que se corre numa m

mprar um terreno cheio de lag indesejáveis como clubes, adas e outras coisas que and de Lag. E uma das princido lag ainda é o lixo prim. , ainda há pessoas que não ência que a caixa de um epois de aberta, continua a onsabilidade dela. Outras as ainda não podem ver a land aberta e sem limite de ação de objetos para cavuar nas profundezas de seu ventário tudo que ele não abe exatamente o que é e sair ropando – e lotando de prims terreno alheio. Numa das sas que tive, fui obrigada a ortar um vizinho sem saber o foguete que soltava uma a chata e fazia um ruído invel era, na verdade, lixo prim ém largou no terreno e que ário, residindo numa skybox e metros acima, sequer r em seu terreno. Para abrir opar objetos existem dezenas es, que ao final de um perím para seu inventário tudo gou ou esqueceu para trás.


E todo esse papo é apenas perfumaria se falarmos do pior desvio ético que acontece no second life: o roubo de lindens em si. Com a palavra, Ayslan Carfagno: “abri uma caixa que supostamente continha um smoking e tive todos os meus lindens roubados na mesma hora”. Ayslan foi só uma, dentre as muitas vítimas, dos ladrões do SL. Gente inescrupulosa e sem caráter que insere scripts em objetos que retiram dinheiro da vítima e jogam na conta do ladrão. Felizmente, esses ladrões podem ser pegos porque entregam a você a prova do crime. Nunca delete o objeto roubado sem antes reportar à linden o ladrão, se você pegou a caixa em um campo de freebies, mande editar ou inspecionar o objeto e veja o nome do proprietário: nortmalmente ele é o ladrão. Copie ainda o chat aberto, que costuma trazer toda informação do processo e se não conseguir ainda assim ver o nome de quem o roubou, vá para a página do second life e procure nos links “my account” o “transactions history” (histórico de transações). Lá certamente estará registrado o pagamento ao avatar que lucrou com sua inocência. Dê print screen, reporte, defenda-se. Finalmente, não menos sério, o problema dos relacionamentos no SL. Falamos disso na BG 3 e nunca é demais lembrar: cuidado com quem você se relaciona. Não ofereça parceria só porque acha legal casar no sl para alguém que você acabou de conhecer. Não seja irresponsável sentimentalmen-

te só porque é um universo virtual. Cuidado com as pessoas que pedem presentes, que contam histórias muito tristes e logo se enfiam na sua casa virtual, deitam na sua cama e usufruem dos seus lindens. Carência pode cegar e levar a atitudes impensadas: não é só infidelidade que caracteriza uma pessoa que tem uma segunda vida amorosa calcada na falta de ética: você pode estar se ligando sem querer em alguém leviano mesmo, que não está nem aí para seus sentimentos. A melhor solução para não cair em armadilhas do coração no SL é não mergulhar de cara e manter os pés no chão, separando a vida real da segunda vida, até que você possa sentir que pisa em terreno seguro. Para encontros na RL vale a mesma regra da internet de um modo geral: sempre em lugares públicos, preferencialmente em grupo. Não é paranóia, é simplesmente precaução. Roubo é roubo, trapaça é trapaça, não importa como e nem quando. Não existe meia ética, meia honestidade. Se você é correto na primeira vida e está passando os outros para trás no SL, repense sua segunda vida. Todo mundo tem direito a ter um lado sombrio, mas não é porque o mundo é virtual que estamos imunes de sairmos lesados até mesmo na vida real. Nota: Não, não, não queremos associar esse simpático avatar do Capitão Jack Sparrow comprado na lojinha de October Country. com os Piratas do SL. Foi só uma brincadeira para tornar mais leve e divertido um assunto tão espinhoso. E a resposta da pergunta do editorial... os três eram bad girls! Lucrecia vestiu o avatar do Jack só para essa matéria!


Capa

E os residentes? Fizemos aos amigos da revista as seguintes perguntas pertinentes à ética em todas as instâncias do SL: • Você considera-se uma pessoa que leva a segunda vida de forma honesta e transparente? • Já comprou algum produto pirata/clonado sabendo disso? O que acha da pirataria/cópia no sl? • Além da ética comercial, você acha que as pessoas podem acabar sendo anti-éticas na segunda vida pessoal? A amizade na segunda vida pode ser levada a sério? • Você já se sentiu injustiçado no Second life? Por quê? • E a ética nos relacionamentos? Você já percebeu que estava sendo enganado(a) por seu parceiro(a) ou namorado(a) virtual? O que acha da infidelidade no second life? As respostas foram surpreendentes e geniais, como você confere a seguir.


Archanjo Arcadia “Sem dúvida alguma, procuro ser íntegro e nesto na minha primeira vida. Não tolero pirataria, e se souber, denuncio hora para o ip rights! Não gosto de quem faz pirataria e qualque de trapaça: estamos lidando com pequeno lores, profissionais de vanguarda que coloc preços muito acessíveis e não cartéis de ca lhas miseráveis, como diria o mr. Hyde. O ser humano, que está por trás do avatar, capaz de fazer o que for, e se o seu caráte algum tipo de falha, o sujeito passa mesmo cima da ética! Sobre amizade, tenho poucos amigos aqu não estão tb na rl, mas estes casos têm sid muito satisfatórios! Já me senti injustiçado no sl: quando comp meu terreno na brasil nordeste, havia uma mensal pré-fixada pelo arrendador junto ao prietário. Quando este se retirou do sl, o p prietário aumentou a taxa desconsiderando acordos e pagamentos anteriores. Infelizm não tive a quem recorrer, mas a trapaça es anotada no meu caderninho preto. E sobre relacionamentos homem/mulher, e vivo este tipo de experiência aqui, logo não as consequências.”


Bersot Balut Levo minha vida honestamente no SL, nunca compro nada porque construo meus próprios objetos e faço as minhas roupas (que na verdade não passam de camisetas). Mas este assunto é realmente polêmico e interessante, porque já construí um R2D2 e não paguei direitos ao George Lucas, já construí um B-9 e não paguei nada para os criadores de Perdidos no Espaço, tenho uma roupa de Homem-de-lata e não pedi permissão para o diretor Victor Felming, de O Mágico de Oz... Será que sou um criminoso ou um cara que gosta de fazer grandes homenagens? As pessoas aqui dentro ser muito aproveitadoras, sim. Logo depois de contratar minha promoter, que é excelente profissional e minha amiga no SL, de total confiança,resolvi contratar uma pessoa para fazer publicidade do Cine Alexandria. Ela pegou 50L e sumiu! Nunca mais vi seu nome na indefectível tela azul! Também acho que há um pouco de fofocas e invejinhas, mas não em um nível que chegue a ser anti-ético... Também conheci pessoas que me ofereceram flores e na verdade eram scripts de detonar... sofri muito este tipo de assédio nos meus primeiros meses de vida no SL. Estou fazendo grande amizades aqui no SL e posso citar nomes (em ordem de aparecimento!): Isis Roelofs, Soll Zehetbauer, Lucrecia Slade, Alyne Dagger, Eneas Varriale, Almari Torok e Cris Blachere. Avatares da mais alta confiança, sérios em seus empreendimentos, bem humorados nos chats e voices!

Nunca me senti injustiçado ambiente não, meus problemas são com a Kaizen do lado de fora. Não tenho nem nunca tive nenhuma namorada no SL, tô meio que amarradão numa gata chamada Alexandria (rs). Mas já me relataram experiências de infidelidade que chegou ao ponto de um avatar não passar na mesma “calçada” do outro. Mas o pior foi que o sofrimento e o choro foram reais. Aí eu pergunto: até que ponto as pessoas estão sabendo separar RL de SL?


Thereaver Barrymore Pelo menos desde que comecei o Second Life há mais de 1 ano, tento ser o mais transparente possível. Acaba sendo um reflexo da sua RL. Acho impossível sustentar por muito tempo uma “mentira” ou uma opinião contrária daquela que você tem na Real Life. Não tenho nada a esconder no Second Life, até porque muitas pessoas de lá, já trouxe para a minha primeira vida, uso o “jogo” como ponte para descobrir, conhecer novas pessoas. Não teria motivo para eu ser aquilo que não sou. Bato no peito quando digo que eu sou eu mesma hehehe. Quanto a honestidade dá no mesmo. Caráter não se muda independente da vida que se leva. É de berço, não tem como ir contra seus princípios da primeira vida. Sou honesta sim, e passo mal quando meu caráter é posto em dúvida. Nunca comprei nenhum produto pirata com consciência. Se comprei foi por engano mesmo, algo digamos assim, camuflado. Sempre segui a linha de pensamento que: ou tenho dinheiro ou não tenho pra comprar certo produto. Não sou compulsiva por compras, mas a partir do momento que compro algo, sempre é em sua loja principal, digamos que na original. Quem mantém o tráfico é o viciado. O mesmo acontece com quem copia e quem compra. Quem mantém os copiadores é quem compra e geralmente quem compra são brasileiros. Achava chato tudo isso sobre a pirataria. Achava chata essa história, até o momento que abri minha loja e comecei a fazer minhas

próprias peças !! É meio que aquela história, você começa a se importar quando o filho é SEU. Não é nada justo. Enfim … enquanto puder lutar, protestar contra isso, estarei lá. Acho não, tenho certeza que quem é mau caráter RL será na SL também. Pessoas anti-éticas, malandras, existem em todos os lugares; porque lá seria diferente? São tantas pessoas traindo a confiança de parceiros, namorados, amigos ... Costumo dizer que na primeira vida todos conseguimos distinguir mais facilmente pessoas de má indole, más e afins. Algumas vezes somos enganadas, mas ainda assim é mais fácil de perceber. No Second Life, a impressão que tenho é que todos usam máscaras e que as pessoas se escondem atrás de


belos personagens; a beleza ofusca um pouco a personalidade real. Por isso que os vilões dos filmes geralmente são lindos hehehehehe. Quando levamos a rasteira lá, é porque deixamos a pessoa se aproximar demais, só tinhamos nos interessado pelo externo, fomos enganados. A amizade na segunda vida pode ser levada a sério sim, claro. Algumas das pessoas mais importantes pra mim na primeira vida, vieram do Second Life. Acho primeiro que os envolvidos têm que estar pré-dispostas a se conhecerem melhor, se abrirem um pouco. Assim, afinidades são encontradas, e facilmente fazemos as tão sonhadas belas amizades. Mas no meu caso, uso como ponte do universo Virtual, para o Real. Enquanto eu puder fazer isso, pra mim está ótimo. Preciso conviver com as pessoas, saber com quem eu converso, trazer as pessoas para o meu dia a dia. O Second Life para mim deixou de ser um jogo; portanto preciso confiar em algumas pessoas para continuar la. Sei lá, eu me dôo demais, talvez eu seja a única a pensar desse jeito. Vai de cada um. Não sei bem se chega a ser injustiça, mas já fui alvo de boataria, onde as pessoas que duvidaram do meu caráter (mesmo conhecendo a Thereaver real), esqueceram de que estão tratando de sentimentos e uma pessoa de carne e osso. Não digo só em relacionamento homem x mulher. Tive 3 namorados no SL. Nenhum deles terminou bem. Desde o começo de qualquer um dos meus relacionamentos, peço total sinceridade, gosto de jogo aberto. Quando

eu namorava, ainda achava que isso existia, que podiam haver relacionamentos lindos e duradouros, coisa de filme, amor, cumplicidade; mas se a pessoa não presta na primeira vida, sinto muito, ela não vai agir diferente na segunda. Por eu exigir sinceridade sempre, o segundo namorado me contou que me traiu. Tentei levar na boa, mas a confiança foi abalada. Acabou dias depois com uma briga absurda, onde soube que ele sempre desde o começo havia me traído. O terceiro namorado era mente aberta, nunca percebi se ele me traía. Eu insegura sempre tive medo. Depois que terminou, ele ficou com uma pessoa que eu sempre desconfiei que houvesse algo. Traição está relacionado a caráter. Quem tem caráter não faz, simples. Tenho um pensamento muito fechado quanto a relacionamentos lá dentro. Depois que esse namoro terminou decidi não me envolver com ninguém mais (a não ser que a pessoa migrasse para a primeira vida -- a ponte). Não acho justo depender de um computador para sentir alegria em estar com alguém que não se pode tocar. Muitos casais no Second Life, são pessoas casadas na vida real, não acho justo isso, mas cada um é cada um. Comigo não funcionaria, já que não consigo desligar o computador e o amor juntos. Os casamentos no Second Life foram banalizados. Hoje casa-se num dia, separa-se no outro, casase porque as amigas casaram, é questão de status, tudo pra fazer pose e tirar foto. Sei lá. Banalizaram os sentimentos, talvez por isso as pessoas traiam tanto. Enfim, eu não estou aberta a relacionamentos. Hahahahahahaha.


AlexandreSouza Beck Eu sempre fui honesto e transparente perante à todos. Não podemos considerar os bonecos apenas um objeto, pois existem pessoas que estão atrás deles. Jamais faço dos outros aquilo que não gostariam que fizessem comigo. Jamais compraria produtos piratas de qualquer tipo. Eu comparo a pirataria/cópia como camelódromo, onde há porções de produtos piratas de baixo custo. A pirataria é toda violação aos direitos de criação e é uma atividade ilegal que causa prejuízos crescentes à economia, para lojistas, criadores e, principalmente, aos consumidores.

Nem todo mundo leva o SL a sério, pois creio que uma boa tem problemas na RL e acaba cometendo série de injustiça para o jogo. E quanto à amizade, sim, apesar que eu penso que SL abrange rótulo de falsidade e futilidade, há sempre almas boas perambulando por aí. Eu nunca me senti injustiçado no SL, por exemplo. A gente só acaba conhecendo melhor a pessoa que saiu de nosso relacionamento depois de acabar. Aí é que as máscara caem também. Confesso que muitas mulheres e homens não conseguem ficar com uma pessoa só. Não é verdade?!?


Alyne Dagger Recomenda Desde o primeiro número, eu sempre procurei mostrar para vocês os lugares imperdíveis do Second Life, diretamente relacionados ao tema da revista: nesse número, uma seleção de sandboxes para construir, abrir caixas e criar, sem precisar lotar a land de ninguém com lixo prim. Mas, como o metaverso traz infinitas possibilidades além de suas fronteiras, a partir desse mês confira também a minha Galeria, com o trabalho de residentes que são artistas, fotógrafos, blogueiros e estão levando sua arte além do Second Life. Esse mês, o Flickr de Hio Taringa e o Blog de Strawberry Singh .


AD recomenda - Lugares Imperdíveis

Sandboxes

Lugares para mexer no inventário sem poluir a land alheia! Lixo prim é todo prim não utilizado que só serve para lotar o grid, incrementar o lag e ocupar espaço inutilmente. Quando você abre uma caixa de objeto e larga a sobra por aí, está tornando o second life mais lento e lagado, já pensou nisso, cabeção? Chega de invadir a land dos outros para abir caixa! Com essa lista preciosa, você vai poder construir, desempacotar, experimentar e fazer tudo que quiser sem se preocupar: todas as sandboxes que apresentamos retornam em algumas horas o objeto para o seu inventário, tornando sua vida mais fácil e o Second Life mais feliz!


AD recomenda - Lugares Imperdíveis

France 3d giant sandbox Essa sandfbox de devolução em 24 horas fica ao lado de um mega resort na famosa ilha francesa Denis, um dos maiores Sims europeus do SL. Dá para curtir a stream do resort, abrir suas caixas ou construir o que quiser e depois cair na farra no resort super bem construído ao lado.

http://slurl.com/secondlife/FRANCE3D%20Saint%20Denis/203/114/22


Turbo sandbox A turbo sandbox faz parte da estrutura da turbo company, que tem também clubes e resorts. É bem tranqüila, praticamente não tem lag e devolve seus objetos em 12 horas.

http://slurl.com/secondlife/Turbo/188/110/27


AD recomenda - Lugares Imperdíveis

Maldo Quem disse que sandbox tem que ser um lugar bagunçado e horrendo?O sim maldo é uma sandbox de 24horas com uma paisagem LINDA com direito a uma floresta européia e duas construções permanentes: a torre (que fica praticamente fora da sandbox) e a sede da Immortal creations, que vende scripts e outros gadgets do sl, dona da ilha.

http://slurl.com/secondlife/Maldo/179/99/30/


The Public Sandbox A mais famosa sandbox do SL é composta na verdade de 4 ilhas, a principal e três “extensões”, lá você está liberado para tudo, até cometer a insanidade de dirigir como eu dirijo. Mas se for construir, vá linkando e seja rápido: a devolução é em 5 horas.

http://slurl.com/secondlife/Sandbox%20Island%20Extension/128/128/0


AD recomenda - Galeria

Hio Taringa http://www.flickr.com/photos/hiotaringa/ “Não acho que eu faça ARTE, apenas AMO fotografia no SL. Eu gosto de imaginá-las, gosto e APROVEITO quando as executo... só isso. É muito mais um HOBBY, e agora um vício, quase uma droga: TENHO que fotografar. O mais ddivertido é criar imagens impossíveis na vida real, achei um jeito de expressar-me aqui. “


AD recomenda - Galeria

Strawberry Singh http://blog.strawberryholiday.com http://www.flickr.com/photos/strawberrysingh “Estou há mais ou menos um ano no SL e nesse tempo tive várias ocupações e aventuras. Mas meu trabalho recente como fotógrafa realmente me inspira e dá oportunidade de realmente aproveitar toda a beleza aqui. Não me entitulo artista, porque estou aprendendo diariamente e acredito que tenho ainda um longo caminho a percorrer antes de atingir esse nível. Mas foi uma boa jornada até aqui tentando atingir a minha meta!”


Agenda

más bons amigos!

Garotas

têm

Confira a agenda dos locais e sites que apóiam a BG Mag.

Quer ter a sua agenda divulgada gratuitamente? Torne-se um amigo das Bad Girls: MI para Alyne Dagger ou Lucrecia Slade. De domingo a 5a, de 22h à 1h da manhã, e 6as e sábados, até onde render a balada.


caos comunicação

cineclube alexandria MLBR Copacabana 2 (52, 29, 22)

A Caos Comunicação e a Alt Mídia Alternativa anunciam o lançamento do projeto Ilha Serra Gaúcha Brasil para o final de abril. O empreendimento já tem definidas suas plantas com relevo, pontos turísticos e belezas naturais que serão representadas no universo virtual, exibindo a cultura e as atrações turísticas da região serrana do Rio Grande do Sul para todo o mundo por meio do Second Life, além de projetos especiais para o público do metaverso que incluem cultura, informação e entretenimento.

Entre para o grupo das pessoas descoladas que assistem ao melhor da animação mundial. AGENDA DE FILMES: DIA 20 | EU SOU COMO O POLVO, de Sávio Leite DIA 27 | LINE TOP e WORLD WITH WORD, de Rachelmauricio Castro Em maio vai rolar uma temporada só com clipes musicais que têm animação. Queen, Lodger, Cordel do Fogo Encantado, Iron Maiden, Los Hermanos, Gorillaz e muito, muito mais!!


universidade brasil virtual

rádio web salvador ao vivo

Ilha Vestibular Brasil W (223, 210, 22)

http://www.radiowebsalvador.blogspot.com/

Espaços de arte, cultura, RPG, games, design e muito mais. Foi inaugurado o espaço dedicado ao Design, numa skybox temática com o início dos primeiros cursos.

DJ Vynny e equipe transmitindo hip-hop, dance, romântico e o que mais a galera pedir!

Em breve, será inaugurado um espaço para a música: os amantes do jazz e de boa música poderão curtir uma bela jam session num local muito agradável.

Agora com o novo site, mais moderno, está contratando novos DJs. Aguarde mais novidades em breve!


saint paul pub Sao Paulo Itaim (131, 84, 22) Aberto 24/7 este local ĂŠ aconchegante, descolado e tem muito, mas muito show pra mostrar. Tem palco, salĂŁo de bilhar e dardos, alĂŠm do bar agitado e mesas reservadas para aquele papo a dois.


E aĂ­, gato?


Quem: LPviper Watanabe O que faz: DJ Namorada: ngm sabe, ngm viu, mas ele diz que tem um anexo pra cada dia da semana. XD


Fofoborg!!!!


Quem: Sarahh Siemens O que faz: neko-chan!!! Namorado: independente, mas ngm resiste Ă sua risada


Perfil

o quarto


Nas democracias, a imprensa tem uma função além de informar: fiscalizar os poderes públicos e privados e assegurar a transparência das relações políticas, econômicas e sociais. Por isso, a imprensa e a mídia também são denominadas o Quarto Poder — em seguida aos poderes constitucionalmente estabelecidos: Executivo, Legislativo e Judiciário. E no Second Life, isto procede?

Pudemos observar neste tempo de Brasil no SL que não é bem assim. Enquanto nas ilhas internacionais o debate Hillary x Obama pega fogo, com ilhas temáticas apoiando os candidatos e mesmo direcionando para sites de contribuição dos eleitores, o TSE brasileiro proíbe o uso da Internet (incluído o Second Life) no debate político — e em plenas eleições municipais. A imprensa internacional RL é bem representada por duas agências de notícias pra lá de premiadas e aclamadas: Reuters e CNN. Ambas, com suas ilhas próprias, incentivam os Residentes a mandarem suas reportagens na RL (Reuters) e/ou virtuais (CNN). Todas as reportagens serão conferidas e, se confirmada a importância e veracidade, veiculadas pelas agências. Vale notar que as contribuições serão voluntárias (no payment) e o Residente levará apenas o crédito das mesmas. Quanto às atividades dos mundos virtuais, elas “de certa forma seriam mais policiáveis e a lei seria melhor cumprida dentro destes metaversos”, declarou Phillip Rosedale, CEO da

o poder


Linden Lab, frente ao Congresso americano. O governo dos EUA se preocupa com atividades terroristas dentro dos metaversos, dada a facilidade de interação e possível alistamento de terroristas/simpatizantes por organizações maiores, como Al Qaeda, Hezbollah, Farc e congêneres. Além disso, aventou-se a suspeita de que os escândalos financeiros noticiados no metaverso supostamente estariam ligados, ou ajudariam a encobrir, a lavagem de dinheiro, importante para a logística de atividades terroristas em diversos países. No Brasil, a imprensa e representada pelo portal G1 e pelo blog Mundo Linden. De um modo geral, as reportagens são traduções de informações advindas do Official Blog da Linden Lab e de blogs e sites internacionais, funcionando mais como um repasse de informações do que propriamente apuração de fatos e editorial de opinião. Temas mais apreciados são arte, moda e cultura, e ainda existe uma certa carência na participação da comunidade econômica, política e acadêmica. Até o fechamento desta edição, conseguimos entrevistar alguns dos repórteres residentes mais em evidência no metaverso Brasil. Alguns, infelizmente, por problemas de maquinário, não conseguiram colocar seus textos à disposição. Mas estes serão publicados em nosso blog, no endereço http://bg4e.blogspot.com. Alguns deles escolheram desenvolver textos e outros, responder às perguntas. Vamos a eles e ao que pensam / esperam / acreditam.


GeorgeI Writer

Comecei no Second Life, com o nome de , no dia 06/05/2007, para conhecer melhor esse universo que tanto chamou a atenção da mídia em 2007. Esperava encontrar aqui algo totalmente diferente, que reproduzisse o mundo real. Encontrei um universo extremamente publicitário que estava vivendo um boom de divulgação. Iniciei como investidor, em pequenos lojas, e ao cobrir o escândalo da falência e roubo de lindens por bancos brasileiros, passei a me interessar pelo jornalismo, mesmo não sendo repórter na vida real. Em 2007, surgiram ondas de boatos sobre roubos, golpes e escândalos mal esclarecidos. Isso abriu um grande mercado para o jornalismo inworld, com maior aceitação e espaço na ‘vida’ dos avatares. Na Rede GW, procuro explorar e divulgar novidades, valorizando o realismo, a economia movimentada pelo jogo e tentando sempre manter a imparcialidade. Entretanto, no jornalismo que encontramos no SL, a ética, muitas vezes, acaba ficando em segundo plano, com os patrocinadores sendo privilegiados. Além disso, meios de informação transformam-se em meios de propaganda fácil. Outro notável problema que encontramos, é a falsificação de produtos anunciados (e vendidos) por preços inferiores. Por veicular informações por meio de um grupo, muitas vezes vejo-me obrigado a expulsar membros que anunciam esses produtos. Procuramos posicionar-mos corretamente sobre os diversos escândalos virtuais, pois a falta de respeito à propriedade intelectual não é apenas um problema dos construtores: nós, jornalistas, temos de tomar cuidado para evitar a divulgação de informações errôneas em nosso nome. A imprensa ainda não conta com a influência necessária para poder fazer um trabalho melhor, sendo, muitas vezes, atrapalhada por falta de apoio, por pressão dos envolvidos em determinado caso, ou, freqüentemente, para evitar divulgar escândalos, prejudicando os jornalistas pessoalmente. Pretendo continuar mantendo a informação presente no dia-a-dia dos membros da GW e aproveitar esse momento em que cada vez mais os avatares conscientizam-se da sua importância, mesmo nessa outra realidade. Nesse ano eleitoral, que concerteza vai agitar o SL, a imprensa espera ganhar mais reconhecimento, à medida que torna-se fundamental na 2ª vida de cada um. A Rede GW, ao mesmo tempo, deve trazer muitas novidades e lançamentos de projetos que sigam o ideal da empresa, de proporcionar mais realismo na convivência dos avatares.


1) O basicão: nome, rezzday, por que entrou, entrou por que, e expectativas.

Anna Avalanche nasceu em 9/11/2006. Atualmente sou diretora, editora e jornalista de arte e cultura da revista Déjà Vu. Entrei por curiosidade e me surpreendi. Desde o primeiro dia achei que o SL seria algo importante e um modelo para o futuro da internet. Já havia lido algumas reportagens sobre o SL. E isso me deixou curiosa. 2) O que o levou a escolher a profissão repórter? Já é repórter na RL? Entrou como jornalista para alguma publicação real life ou amadureceu a idéia in-world? Aconteceu ao acaso. Conheci o dono da revista que achou meu avatar muito fotogênico e convidoume para algumas fotos. Depois disso, fiz um segundo artigo e a partir daí comecei a escrever meus próprios artigos. Como eu tive a sorte de estar presente desde a primeira edição ainda em 2007 fui crescendo juntamente com a revista. A revista Déjà Vu é a primeira revista nascida no SL impressa (http://dejavu-intl-portuguese.blogspot.com/2008/03/dej-v-internacionalprimeira-revista-do.html) então acho que hoje ela é uma revista RL e SL, ao menos é isso que queremos. 3) Qual sua especialidade de reportagem? Comecei escrevendo sobre lugares interessantes... Atualmente meus artigos são sobre pessoas, moda, arte e cultura. 4) Objetividade, imparcialidade, confidencialidade — vc acha que a ética jornalística é seguida nas publicações que vc trabalha/conhece? Acredito que sim, mesmo por que é um mercado novo e muito restrito ainda. Além disso, não se trata de assuntos políticos e a maioria dos avatares não é identificada na vida real. 5) Vc já lidou com jabá ou matéria plantada (matéria paga)? Não nunca. Acho que isso diminui a profissão. Sei que isso é cada vez mais comum na vida real principalmente quando se trata de política brasileira e quando se deseja prejudicar alguém. Acho que é o nível mais baixo que um profissional pode chegar. Devido ao malefício que causa, vender à alma a inteligência e o caráter é muito pior que prostituição quando o jornalista é influente. É crime quando a matéria plantada é caluniosa e mentirosa. 6) Assessorias de imprensa — qual sua relação com elas? Trabalha em/para alguma? Sei que existe, mas são ainda raros os assessores de imprensa no SL. Eu mesma só conheço uma que tem essa função. Na maioria das vezes é o próprio proprietário, como tudo no SL, que desempenha esse papel. De qualquer forma é uma relação normal e profissional. 7) Como é o seu método de trabalho? Vc trabalha com informações exclusivamente do metaverso ou também da RL? O ponto de partida é o metaverso, mas conectado com a RL. Por exemplo, matéria sobre o museu Van Gogh ou artigo sobre a exposição de artes do famoso fotografo Helmut Newton que eu já fiz, tiveram como principio realizações dentro do metaverso, mas que são representações da RL.


8) Jornalistas “open source” já são reconhecidos no mundo online, através de blogs e sites próprios, desenvolvendo um jornalismo um pouco mais opinativo do que simplesmente factual. Vc, inserido num veículo inédito como é a web 3D, como encara os desafios de ser jornalista, redator, revisor, editor, num “tudo-aqui-ao-mesmo-tempo-agora”? Como lidam com um dia a dia jornalístico diferente de uma redação tradicional? Como eu não sou jornalista na RL, tudo é muito novo e um grande aprendizado o que torna essa atividade mais divertida. Adoro um desafio. Não é a toa que meu nome é Avalanche (risos). Mas desde o primeiro dia trabalhei como uma “faz-tudo” e não vejo maiores dificuldades. O maior desafio é ser jornalista no SL sem ser jornalista na RL. 9) Diante de escândalos como dos bots, roubo de propriedade intelectual, superfaturamento de lands/tyers (citando alguns exemplos recentes), como se posiciona a sua publicação? A revista é contra o roubo de propriedade intelectual. Mas somos uma revista que trata de assuntos mais relacionados à cultura, artes e viagens. Ainda não abordamos esses assuntos mais polêmicos. 10) Já existiu algum tipo de anúncio na sua publicação apoiando a inviolabilidade/respeito à propriedade intelectual? (Tomo como referência a mais que vista campanha da I.P. Rights, sobre roubo de skins e que tais.) Não, até o momento não. 11) O Big Six (os “seis mandamentos” Linden Lab para socialização no Second Life) prevê punições para injúria, difamação, exposição da pessoa real por trás do avatar. Sempre solicitamos permissão dos avatares para serem fotografados/entrevistados. Conhecem algum caso em que essa regra foi quebrada? Não. Desconheço qualquer caso assim. 12) Blogs, Twitter, My Space, chats, Orkut, sites, jornais, revistas, etc. — vc faz uso de informações oriundas desses canais on/offline? Ou mesmo alguma matéria surgiu desses locais? Evidente que estou sempre conectada e atenta a matérias de outros veículos. Mas as minhas matérias surgem mais de um desejo particular em realizar um artigo sobre determinado assunto. Não sou obrigada a tratar de assuntos pré-definidos e isso de certa forma faz o meu trabalho mais divertido.

13) Prosseguindo em cima da pergunta anterior: o TSE praticamente proibiu a campanha política dentro do Second Life. O DEM (que tem representação in-world) está questionando o parecer do Tribunal, por achar que o TSE regulamentou um assunto no qual tem pouca familiaridade. Acha que o famoso “jeitinho” vai ser usado nessas eleições municipais e teremos campanha eleitoral in-world? Acredito que sim. Não só in-world, mas na RL também. É impossível ao TSE impedir que os cidadãos se expressem a favor de seus candidatos por meio da internet quer seja no SL ou na RL web. De qualquer forma adoraria cobrir essa próxima campanha política dentro do SL. 14) O que sua publicação espera daqui pra diante no metaverso? Esperamos crescer e atingir um público maior. Melhorar ainda mais a qualidade dos artigos publicados e relacioná-los a RL cada vez mais. Mesmo por que atrás de um avartar existe alguém com sentimentos e desejos reais. 15) E as suas expectativas particulares? A minha expectativa é seguir meu trabalho como jornalista sempre aprimorando e aprendendo mais, fazendo novos amigos e contribuindo para melhorar a RL e o SL. Escrevendo artigos, no SL que sejam transplantados para a realidade de cada um. Sempre procuro deixar alguma mensagem positiva para meus leitores. Também sou uma mulher de negócios e estou trabalhando e desenvolvendo um catalogo semelhante ao da Avon, que vai se chamar AA catalog. Ah! AA não significa Anna Avalanche, mas Avatar to Avatar. Mas isso ainda é segredo, e será para breve se Deus quiser. 16) O jornalismo no SL pode ser considerado também um “Quarto Poder”? Ainda não é um quarto poder por não existe atuação política no SL. Ao menos relacionado ao SL. Gostaria de imaginar a possibilidade dos residentes realmente influenciarem diretamente a escolha de representantes junto à empresa Linden Lab para executar as tarefas do executivo, legislativo e judiciário dentro do SL. Seria muito interessante. Contudo, não sei até que ponto seria legal do ponto de vista jurídico. Uma vez que o SL está sujeito as legislações da RL. Mas evidente que pode desempenhar papel de quarto poder quando noticia assuntos da RL. Contudo certamente tem uma importância muito menor nesse caso. A grande maioria das pessoas está no SL para se divertir e como estamos atrás de um avatar à confiança nas informações será sempre menor que da imprensa real.


1) O basicão: nome, rezzday, por que entrou, entrou por que, e expectativas.

Patou Dumont, 06/10/2006. No inicio achei o SL tosco demais, o AV feio,os gráficos capengas. Quando consegui sair da ilha de chegada foi que descobri coisas interessantes. Minha 1º visita foi a um palácio japones e fiquei encantada. 2) O que o levou a escolher a profissão repórter? Já é repórter na RL? Entrou como jornalista para alguma publicação real life ou amadureceu a idéia in-world? Quando eu comecei a descobrir coisas interessantes no SL, decidi dividir minhas descobertas com o público. Como eu tive certa dificuldade, imaginei que se pudesse mostrar o caminho das pedras aos novatos, estaria prestando um serviço genial. Com o passar do tempo decidi formar um time de colaboradores e seguir na linha do próprio SL, onde os usuários criam seu próprio conteúdo e ganham lindens com isso. Comecei a oferecer 250L$ por matéria publicada no blog, e por causa disso, muita gente bacana contribuiu. Ao que me consta, o Second News! Brasil foi o 1º blog brasileiro sobre o SL e o 1º a promover matérias onde os colaboradores ganhavam lindens. Na RL, eu sou web designer e escritora. Tenho um dos blogs mais antigos da blogosfera brasileira e gosto desta maneira informal de noticiar. 3) Qual sua especialidade de reportagem? A minha favorita são lugares que visito no SL. Como sou designer, gostodo que agrada meus olhos. Mas no blog eu tenho de tudo, desde tutoriais,dicas, a coluninha “ Você sabia?”, mensagem do LL, moda, RPG, comportamento,eventos, etc. O bom em ter colaboradores é que cada um contribui com o que lhe é mais agradável e assim o blog fica diversificado. 4) Objetividade, imparcialidade, confidencialidade — vc acha que a ética jornalística é seguida nas publicações que vc trabalha/conhece? Objetividade sim, imparcialidade nem sempre, eu gosto de dar minha opinião e recentemente comecei a fazê-lo numa coluna semanal, já que não preciso dar pitaco em TUDO que escrevo. Confidencialidade? Estamos quase todos - eu, por exemplo, não, já que todo mundo conhece minha identidade real - por trás de um avatar, o que de certa maneira protege muita gente. Eu acho que o mais importante é o bom senso. Eu decidi no início do SN!B que não escreveria notas para pixar locais ou pessoas, nem ia promover algo que eu não acredito ser correto na RL. 5) Vc já lidou com jabá ou matéria plantada (matéria paga)? Não, como disse acima, se eu acho interessante, quero dividir com os outros. Se eu acho ruim, ignoro. 6) Assessorias de imprensa — qual sua relação com elas? Trabalha em/para alguma? Não trabalho com nenhuma, mas recebo de tempos me tempos releases e se tenho tempo de colocar no ar, o faço sem problema algum. Eu prefiro os eventos culturais, claro.


7) Como é o seu método de trabalho? Vc trabalha com informações exclusivamente do metaverso ou também da RL? Eu visito centenas de ilhas semanalmente, a caça de coisas legais ou locais que acho que valem a pena entrar no blog. Depois de escolhido, tiro as fotos, edito e escrevo o texto. Não lido com textos relacionados a empresas entrando no SL, a não ser que eles estejam oferecendo algo interessante ao residente. Mas comunico sobre as mudanças que o LL faz e como isso afeta todos nós. 8) Jornalistas “open source” já são reconhecidos no mundo online, através de blogs e sites próprios, desenvolvendo um jornalismo um pouco mais opinativo do que simplesmente factual. Vc, inserido num veículo inédito como é a web 3D, como encara os desafios de ser jornalista, redator, revisor, editor, num “tudo-aqui-ao-mesmo-tempo-agora”? Como lidam com um dia a dia jornalístico diferente de uma redação tradicional? É estressante, cansativo, não ganho nada, tenho despesas pois pago meus colaboradores do meu bolso e na maioria das vezes não recebo nem um obrigada, mas adoro. Estou criando e dividindo coisas que eu gosto e acho interessante com um grupo de pessoas que esta interessado no que eu escrevo.Tem coisa melhor do que isso? Recentemente, além do blog, tenho feito ”rapidinhas” que mando via grupo diretamente no SL. São dicas, freebies, eventos que estão acontecendo agora!, etc. A repercussão está sendo ótima e eu estou adorando ter criado mais esse canal de informação entre o blog e os leitores. 9) Diante de escândalos como dos bots, roubo de propriedade intelectual, superfaturamento de lands/tyers (citando alguns exemplos recentes), como se posiciona a sua publicação? Fui eu quem denunciei os bots... Eu sou contra as sacanagem praticadas no SL e claro que falo e vou continuar falando sobre o assunto. 10) Já existiu algum tipo de anúncio na sua publicação apoiando a inviolabilidade/respeito à propriedade intelectual? (Tomo como referência a mais que vista campanha da I.P. Rights, sobre roubo de skins e que tais.) Anúncio não, mas já falei em diversas ocasiões sobre o assunto, e sempre que fico sabendo de um protesto, convoco todas as pessoas via blog, IM e pelo grupo. Eu acredito que nós podemos fazer a diferença. Educando os outros para que não compre coisas roubada, por exemplo.

11) O Big Six (os “seis mandamentos” Linden Lab para socialização no Second Life) prevê punições para injúria, difamação, exposição da pessoa real por trás do avatar. Sempre solicitamos permissão dos avatares para serem fotografados/entrevistados. Conhecem algum caso em que essa regra foi quebrada? Ihh menina, se vc correr as vistas pelo orkut vai ver que essa regra foi quebrada tantas vezes que já não é nem novidade. 12) Blogs, Twitter, My Space, chats, Orkut, sites, jornais, revistas, etc. — vc faz uso de informações oriundas desses canais on/offline? Ou mesmo alguma matéria surgiu desses locais? Eu acompanho os blogs que estão no meu blogroll porque preciso me manter informada e em alguns caso descobri coisas interessantes ou relevantes através destes veículos. Mas não sou curto o copy/paste. 13) Prosseguindo em cima da pergunta anterior: o TSE praticamente proibiu a campanha política dentro do Second Life. O DEM (que tem representação in-world) está questionando o parecer do Tribunal, por achar que o TSE regulamentou um assunto no qual tem pouca familiaridade. Acha que o famoso “jeitinho” vai ser usado nessas eleições municipais e teremos campanha eleitoral in-world? Prefiro não opinar. 14) O que sua publicação espera daqui pra diante no metaverso? Espero mais clareza, bom senso, generosidade não só das pessoas que se dispoem a “reportar” sobre o SL, mas todos os residentes. É claro que quando as pessoas começarem a entender que toda ação tem reação, até mesmo no universo virtual as coisas vão mudar. Mas eu espero que esse despertar aconteça antes. 15) E as suas expectativas particulares? Espero continuar prestando o serviço que já faço já mais de 1 ano e que as novidades que pipocam dia-sim-dia-também no SL não me desanimem a ponto d’eu um dia querer me desligar do SL definitivamente como já aconteceu com uma porção de gente que conheço. 16) O jornalismo no SL pode ser considerado também um “Quarto Poder”? Well. A mídia tem o poder de ditar o comportamento das pessoas, não tem? Por que isso seria diferente no mundo virtual? ;-)


1) O basicão: nome, rezzday, por que entrou, entrou por que, e expectativas.

Archanjo Arcadia

Meu nome é e nasci no Second Life no dia 27/11/2006. Meu objetivo primário era estudar o metaverso para desenvolver um objeto de pesquisa para a minha tese de doutorado em realidade virtual. 2) O que o levou a escolher a profissão repórter? Já é repórter na RL? Entrou como jornalista para alguma publicação real life ou amadureceu a idéia in-world? Fiz essa escolha por uma necessidade identificada de formar e informar. No primeiro caso, criar a cultura do SL para as pessoas que ainda não frequentam o metaverso, enquanto que o segundo tem por finalidade transmitir notícias e conhecimentos importantes sobre o ambiente virtual. 3) Qual sua especialidade de reportagem? A pauta da minha revista, “Avatar Mundos Virtuais”, é variada, abordando moda, tecnologia, comportamento digital e jornalismo investigativo. 4) Objetividade, imparcialidade, confidencialidade — vc acha que a ética jornalística é seguida nas publicações que vc trabalha/conhece? Existem exceções, mas não é como eu percebo a mídia de um modo geral. 5) Vc já lidou com jabá ou matéria plantada (matéria paga)? Não. 6) Assessorias de imprensa — qual sua relação com elas? Trabalha em/para alguma? Não trabalho, mas estou firmando parcerias neste sentido. 7) Como é o seu método de trabalho? Vc trabalha com informações exclusivamente do metaverso ou também da RL? Trabalho com informações das “duas realidades” para melhor compor a publicação, focando, sempre que possível, nesta dobradinha.


8) Jornalistas “open source” já são reconhecidos no mundo online, através de blogs e sites próprios, desenvolvendo um jornalismo um pouco mais opinativo do que simplesmente factual. Vc, inserido num veículo inédito como é a web 3D, como encara os desafios de ser jornalista, redator, revisor, editor, num “tudo-aqui-ao-mesmo-tempo-agora”? Como lidam com um dia a dia jornalístico diferente de uma redação tradicional? Não sou jornalista por formação (embora o seja de coração) e tampouco trabalho em uma redação RL. No Second Life tenho a liberdade de lidar com as pautas da maneira que considero mais adequada e lido com os desafios multiprofissionais com tranquilidade, uma vez que sou o “chefe”... rss. Quanto à inovação do ambiente, para mim é uma relação muito tranquila pois tenho o hábito de me vincular com propostas e projetos de vanguarda há quase vinte anos. 9) Diante de escândalos como dos bots, roubo de propriedade intelectual, superfaturamento de lands/tyers (citando alguns exemplos recentes), como se posiciona a sua publicação? Declaro que estes fatos devem ser publicados com todas as informações possíveis de serem levantadas, na íntegra, sem proteções a terceiros. Se alguém ficar insatisfeito, que procure os meios legais para efetuar sua reclamação. 10) Já existiu algum tipo de anúncio na sua publicação apoiando a inviolabilidade/respeito à propriedade intelectual? (Tomo como referência a mais que vista campanha da I.P. Rights, sobre roubo de skins e que tais.) Sim, esta edição da AMV vem com dois anúncios da IP Rights justamente para posicionar o veículo em relação ao que vem ocorrendo no Second Life. E fazemos uma chamada sobre o assunto na seção de jornalismo investigativo (O Covil de Mr. Hyde). 11) O Big Six (os “seis mandamentos” Linden Lab para socialização no Second Life) prevê punições para injúria, difamação, exposição da pessoa real por trás do avatar. Sempre solicitamos permissão dos avatares para serem fotografados/entrevistados. Conhecem algum caso em que essa regra foi quebrada? Não.

12) Blogs, Twitter, My Space, chats, Orkut, sites, jornais, revistas, etc. — vc faz uso de informações oriundas desses canais on/offline? Ou mesmo alguma matéria surgiu desses locais? Sim, faço algumas vezes, para complementar alguma matéria. 13) Prosseguindo em cima da pergunta anterior: o TSE praticamente proibiu a campanha política dentro do Second Life. O DEM (que tem representação in-world) está questionando o parecer do Tribunal, por achar que o TSE regulamentou um assunto no qual tem pouca familiaridade. Acha que o famoso “jeitinho” vai ser usado nessas eleições municipais e teremos campanha eleitoral in-world? Como considero a política brasileira um viveiro de imundícies e articulações espúrias, tenho certeza de que algum meio será encontrado para projetar certos candidatos no mundo virtual. Não será nada vultoso, pois o SL ainda não tem um poder de penetração significativo junto a parcela que mais interessa à classe política populista: os pobres e miseráveis. Mas talvez os candidatos que desejam falar a um público mais elitizado venham a fazer algumas ações no metaverso. 14) O que sua publicação espera daqui pra diante no metaverso? Seu crescimento, integração com outros mundos virtuais e transformação dos “guetos” atuais em um ambiente amplo e livre, como é a Internet atual. 15) E as suas expectativas particulares? Desenvolver aplicações educacionais e comunicacionais de vanguarda que sejam capazes de atender a uma parcela significativa da população de língua portuguesa. 16) O jornalismo no SL pode ser considerado também um “Quarto Poder”? Percebo este segmento como um “quarto poder em construção”, mas é inegável que está caminhando para ocupar o espaço que a mídia tradicional ocupa no mundo físico.


Ananda Valeeva

Meu nome é e nasci em 25/11/2006. Minha segunda vida tem dois momentos distintos. Sou uma das primeiras brasileiras no SL, pois entrei no metaverso em 2005. Fiquei fascinada com as possibilidades e criei um avatar. Muitas coisas eram bastante diferentes da SL de hoje, a começar pela qualidade gráfica dos ambientes, criações e construções e dos shapes e skins. Nunca encontrei um brasileiro. Eu era uma estranha no ninho. Entrava pouco para praticar idiomas, observar o comportamento e apreciar arte e eventos culturais em geral. Depois de um tempo, resolvi criar outro avatar definitivo, a Ananda e fazer uma imersão para sentir como um mundo virtual pode interagir com o real, ver tudo sob um enfoque psicológico, sociológico e experimental e escrever sobre essa comunidade virtual, analisar a influência desses mundos na RL e oferecer meu know how na área de comunicações e psicologia. Na RL eu sou extremamente eclética em minha formação acadêmica. Tenho formação em Adm. de Empresas e segui para a área de comunicação social, onde obtive graduação em Jornalismo, Publicidade e pós-graduação em Marketing. Também sou psicoterapeuta, o que auxilia no entendimento das sutilezas comportamentais. Na RL eu atuo na área de Marketing Financeiro e Institucional. Tenho paixão por aprender e como o comportamento humano e a tecnologia em informática e internet me fascinam, achei natural fazer uma imersão nessa segunda vida. Essa paixão por abranger diversas áreas reflete também em meu estilo e SL, pois não limitei minha atuação a uma especialidade. Meus textos e fotos são de abordagem ampla e eclética, como eu, passando por comportamento, arte em todas as suas manifestações, eventos culturais, denúncias e teor investigativo. Sou uma pessoa extremamente criativa, que “passeia” pelas palavras e imagens com prazer e paixão e por isso adoro desafios, busco novos rumos com segurança e ética em tudo o que faço, respeitando informações e mantendo sigilo e só divulgo o que considero importante e tenha qualidade. Participo de diversos projetos in-world como repórter, colunista, fotógrafa, marketing advisor, assessora de

imprensa, tradutora e intérprete em alguns idiomas, sou locutor e faço gravações de voz para eventos ou anúncios de produtos. Criei a Word Digital Solutions, uma empresa que oferece serviços dos mais variados na área de comunicação. Escrevo para Blogs, em especial o Second News Brasil, revistas nacionais e internacionais (adoro desafios), preparo release institucionais para grupos como o Meta Mídia Digital, Second Island, The Crown para o qual também escrevi em seu blog. Estou nas publicações do Grupo SexyLife desde a primeira edição há um ano, com lançamentos inovadores. Enquanto a editora Abril RL esteve com sua revista VIP SL no metaverso eu fui sua colunista e repórter, escrevendo inclusive contos eróticos, sempre em meu estilo criativo, mas com abordagem elegante e despojada. Até o momento, meu maior desafio tem sido editar revistas em parceria com seus responsáveis e ter sido contratada também pela The Best of SL, uma revista americana de estilo e comportamento e que tem mostrado que eu posso ir além, pois minhas matérias têm sido não somente escritas e fotografadas por mim, mas eu também crio o layout e design de tudo e mando o trabalho pronto para ser publicado. Estou muito feliz com os resultados. Em todas as publicações e grupos para os quais trabalho há uma postura ética e de objetividade, confidencialidade e respeito à informação, ou eu não aliaria meu nome a esses projetos. Por mais que muitas pessoas digam que não misturam RL e SL, é inegável que trazemos para a vida virtual o que somos na RL. Portanto, aqueles que são antiéticos, têm objetivos escusos e sequer demonstram educação, são excluídos de minhas parcerias e se eu descobrir alguma atividade ilegal ou que vá contra as minhas convicções, eu certamente denunciarei. Escrevo predominantemente sobre o metaverso, mas gosto de mesclar fatos reais de relevância, os quais sejam levados para a SL, como uma nova ilha, uma réplica de algo real, um evento, workshop simultâneo RL/SL e falar sobre as influências que o metaverso causa em nossa RL. É o que torna tudo mais interessante. Gostei muito de escrever sobre o Bope no blog Second News, por exemplo. Mas, eu evito ler muitos blogs e comunidades e sites que falem sobre a SL, para que eu seja sempre autêntica e


criativa. Não admito copiar nada de ninguém, pois tenho preparo e empenho para criar, mas infelizmente sofro muito por atitude de pessoas que não respeitam direitos autorais e fazem plágio ou copiam literalmente meus textos sem mencionar a autoria. Realmente eu brinco às vezes, dizendo que sou Bombril por ter “1001 utilidades” rsrsrs. Os desafios de ser jornalista, redatora, revisora, editora, fotógrafa, designer, tradutora, cuidar de departamento comercial e um pouco mais, estimula ainda mais esse meu jeito workaholic e perfeccionista de ser e essa “adrenalina” é muito mais intensa do que acontece em uma redação tradicional da RL. Dou total apoio às campanhas pelos direitos à propriedade intelectual, através de denúncias, protestos e estamos criando peças de publicidade em outdoors de impacto para as revistas e blogs. A Patou Dumont criou até placas de protesto, que eu entreguei para muitas pessoas já e ela mesma já as divulgou durante protestos. Quanto aos inúmeros recursos de divulgação de marcas, serviços e produtos oferecidos pelo metaverso, eu acho fantástico e muito vantajoso sob o ponto de vista econômico também, dado o alcance e rapidez da informação. As campanhas políticas podem passar por essa renovação e acho que ainda que o TSE esteja obstruindo essas campanhas dentro do Second Life, acredito que seja apenas uma questão de tempo para que entendam o grande potencial de uma ferramenta 3D. Como trabalho em várias vertentes no SL, procuro expressar minhas expectativas em sugestões claras, embasadas em pesquisas e experiência real, para que possamos fazer dos blogs, revistas e assessorias algo sempre melhor, na busca pela excelência em criar algo surpreendente, e isso reflete nas expectativas dos donos dos grupos e publicações. Sou uma mina de idéias e adoro partilhá-las. rsrsrs Quero a cada dia trazer mais cultura e entretenimento ao SL, sempre mostrando que isso é possível, com responsabilidade, ética e respeito. Os mundos Virtuais são MUITO mais impactantes e incríveis ferramentas de trabalho e interação, do que alguns conseguem perceber. Definitivamente, a minha SL não existe apenas por diletantismo!


Lojas para comprar

cool& brazilian Em meio a acusações de roubo, copybots, pirataria e etc., seria bom que, ao invés de discussões, os brasileiros se unissem. A situação é grave e o nome do Brasil é sempre lembrado quando crimes acontecem. Aqui no SL também temos os empresários da moda com seriedade e talento. Bati perna e localizei alguns dos melhores designers para vocês visitarem.


Hanakin Saiman é velha conhecida das BGs. Fotógrafa, furrie, criativa, independente, é uma das pessoas mais fofas que conhecemos. Sua loja é de tattoos, com desenhos modernos, delicados e você não precisa falar inglês para entender o que é bom gosto. Vai lá e depois me conta como foi seu desfile para o sucesso e os Mis pulando na sua telinha....

hanakin saiman creations *** LENDAS URB, Ilha Brasil (157, 81, 26)


Lojas para comprar Iarita Beck faz shapes personalizados e abriu sua mega store na Brasil amazonia. Com body parts e roupas super bacanas, é a loja para quem quer diversidade e qualidade.

unique shapes Brasil amazonia (76, 102, 23)

A moda urbana, dinâmica, prática, mas com romantismo e um olho atento à moda internacional, é de autoria de RahzinhaA Pera. A Rahz é chique, clean e com a vibração que só brasileiro tem.

rahz moda, design e estilo Brasil Rio (224, 144, 21)


Edde Edman já faz skins, olhos e body parts há muito tempo, e é conhecido lá fora pela extrema qualidade e talento. Os sapatos também são geniais, dando glamour a qualquer produção.

eddesign Santorini Island (122, 36, 22)

Não posso deixar de falar sobre a loja do designer mais badalado do momento, CheerNo Destiny, e suas duas lojas, com o que há de mais moderno e antenado com moda. Vá, que não vai se arrepender. Até porque está saindo a Spring Collection...

a. c. store | gl.ox Brasil amazonia (101, 239, 601)


Lojas para comprar Crochet é a cara do Brasil artesanal, e é lá que você vai achar aquele biquini lindinho ou o conjuntinho de top e saia delicado e sexy. Com várias filiais, prefiro visitar a loja da Curitiba, ao lado do simpaticíssimo Freebie Shop, com a proposta de ajudar a produzir o newbie que aqui chega.

crochet original beachwear Brasil Curitiba (172, 173, 23)

Também na Curitiba, a Magnolia tem um estilo muito mais habillé, com vestidos delicados e com texturas realistas e belas. Românticas em geral vão se identificar com esta moda de alta qualidade.

magnolia boutique Brasil Curitiba (115, 174, 23)


Estilos Imbatíveis

Back to style again! Mês passado as pessoas estavam de férias, recomeçando o ano RL, dando um tempo, sei lá. Mas o que tinha de gente sem estilo solta por aí era de gritar. Mas, ainda bem! Tudo voltou ao normal e as pessoas imbatíveis estão novamente chamando a atenção pelas festas e eventos...

Quem: Gil Gibbs Onde: Tutty Night Club Categoria: über dai-neko

de noite nem


Quem: Sint Nagy Onde: Tutty Night Club Categoria: Dark DJ

Quem: poly Barbosa Onde: Tutty Night Club Categoria: Cyber punk sugary girl

todos os gatos

s達o pardos


Quem: Beth2008 Slade Onde: Sexy Life Estilo: É uma Slade! Precisa explicar mais????? Quem: BetoBH Vita Onde: Sexy Life Estilo: Modelo de rosto com personalidade

vida sexy Quem: Marccia Barbosa Onde: Sexy Life Estilo: cyber Barbie beautiful girl Quem: Bee Handrick + Alquimista Burt Onde: Sexy Life Estilo: NĂŁo adianta estilo sem humor, alegria e atitude


Quem: Juninho Forzane Onde: RJ City Estilo: O casual que se destaca na multidรฃo

Quem: Gualter Woodget Onde: Small Shopping Estilo: Casual geek

new style Quem: Alyne Dagger Onde: Tutty Night Club Estilo: Totalmente Bollywood!!!!!!!!!!!!!!!

Quem: RodrigoBR Palmer Onde: Tutty Night Club Estilo: Street wear clรกssica


Who: Deko Vought Where: AC Store fashion show Style: Daring dandy!

Who: MarJacobs Sadofsky Where: AC Store fashion show Style: The classic style has no need of explanations....

Who: RahzinhaA Pera Where: AC Store fashion show Style: Modern, original and Brazilian


Who: Jewell Munro - Owner of JM Models Agency & Fashion House Sally Yachvili CheerNo Destiny KandieKain Laval - President Of JM Models Agency & Fashion House Where: AC Store fashion show Style: Dressed to sucess!!!

fashion show


Mi com conteúdo II aMIgos da Alyne

Promoter sofre... Markk Back: Alyne, sabe o que acabaram de me pedir pelo IM? Alyne Dagger? O quê? Markk Back: Um Penis! Alyne Dagger: o.O?

Mi com conteúdo I Mariazinha Silvera: “Há momentos na vida que você sente uma imensa vontade de recomeçar e deseja ter ao seu lado uma pessoa que saia de seus sonhos para apertá-la fortemente em seus braços. E dizer novamente: Eu Te Amo!” Alyne Dagger: mariazéééénha! Mariazinha Silvera: ALYNE SAUDADONAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA Alyne Dagger: como tu tá, muié sumida? Mariazinha Silvera: TO BEM, SUMIDINHA DE LEVE SÓ, UHAUHAUHAUHAUHA Alyne Dagger: volta, viu??? A gente te ama Bruxinha Gazov: vem ca q eu te abraço, vem Mariazinha Silvera: AMO TB Bruxinha Gazov: saindo da conferencia.......Mari te amo!!!!!! Axel Ball: E EU? EU LEMBRO QUE DEI UM BICHINHO PRA ALYNE...ANOS ATRAS ASHAUHSUAHS

eternoapaixonado Ferraris: A tranqüilidade em meio a uma tempestade poupa teu ser do desnecessário e acopla-o ao que é inteiramente preciso para continuar seguindo a viagem com coragem, discernimento e determinação. Acredita e dá mais um passo. Pois, a cada passo que confiares a este caminho te será dado um chão firme para que estejas sempre protegido. Trilhar por ti mesmo é seguro. Tu já conheces este caminho, só não te lembras mais dele... louisecs Cortes: uiaaaaaaaaa Alyne Dagger: eterninhoooo Sharana Watanabe: Xau xau...boa noite e até amanhã.....bjs Alyne Dagger: beijo sharrrr Walterpqp Jewell: poxa, isso e lindo. entao vem dançar na boite com show de strippers e entrevista com o piriquito maluquinhu. Festa à fantasia! louisecs Cortes: gente ta showwwwwww eternoapaixonado Ferraris: ninguem merece louisecs Cortes: vem vem ..to esperando vcs eternoapaixonado Ferraris: show de striper no sl louisecs Cortes: eterno vem Mystica Heberle: RS Walterpqp Jewell: aham, ainda estao pra chegar, mas o piriquito maluquinhu entra toda hora no ar e eu q to entrevistando ele Rihana Dagostino: kkk louisecs Cortes: lol Cacau Roussel: TEM EVA? eternoapaixonado Ferraris: prefiros as ervas Cacau Roussel: ET EU FUMEI A FOLHA DO ADAO


Aventuras de Viper e os Noobies Procurando Nemo LPviper Watanabe: [18:55] Xanddy Carter: OLHA [18:55] Xanddy Carter: O XANDDY CARTER [18:55] Xanddy Carter: CHEGOU [18:55] Xanddy Carter: PRA ABALAR [18:55] Xanddy Carter: MENINAS LPviper Watanabe: do chat Alyne Dagger: meu deus do céu Alyne Dagger: quem é o noobie? LPviper Watanabe: vem pra ca q c ta perdendo LPviper Watanabe: asuhuhasuhasasuhsuha LPviper Watanabe: vo te manda foto do infeliz LPviper Watanabe: sauhauhasuhasuh Alyne Dagger: tá carregando aqui LPviper Watanabe: [18:59] Marcia Drechsler: alguem tem a dança do creu para mindar Alyne Dagger: HUAHEUAHEUAH

Assédio Sexual (enviado por Sarah Siemens) (nome omitido) Camel: adcionei voce no msn rl (nome omitido) Camel: xxx@hotmail.com Sarahh Siemens: nem perde tempo (o cara mostrou uma foto dele pelado no msn imediatamente) (nome omitido)Camel: aff eu fiz uma piada Sarahh Siemens: mas nao gostei dessa abordagem (nome omitido) Camel: é, acho que vc nao achou legal Sarahh Siemens: pois eh (nome omitido)Camel: mas vc pode me procurar no orkut sou um ser humano integro, honesto, e serio aqui no sl eu acho que é o meu lado maluco Sarahh Siemens: ahham, to sabendo

rsantos Rhode: ai onde tem sexo grupal? Ninna Camel: kkk SoRaIa Jameson: kkkkkkk Alyne Dagger: meu deus Aradya Fayray: huahuahauhau Luanara Breda: cada um que me aprece! Alyne Dagger: procura na busca, sem noção! Minato Owatatsumi: oq???? SoRaIa Jameson: kakakaka Luanara Breda: mas bota assim ó SoRaIa Jameson: essa agora... Diavolo Matova: hauhauahua Alô? Alyne? Porque você não publicou meu Mi? Como? Sem noção?


Triste his Separar aquele casal seria o triunfo de Teresa. Ela tinha amado (ou amava) o avatar de Amado, não só o avatar, mas o homem, e agora não se conformava porque o ele namorava a Amante, e ela não entendia se aquela relação era avatar-avatar ou homem-mulher. Porque para ela ele não se dera como se dava para a Amante, talvez um pouco na primeira vida, mas nada na segunda. “Tagline em cima da cabeça declarando amor para a Vagabunda” - ela pensava - “eu nem nunca fui chamada de namorada, e ele dizia que nosso amor era na real... no Second Life eu era quase um segredo escondido”. E o ódio que inflamava Teresa era direcionado não apenas a Amado, porque afinal ela no fundo ainda tinha uma esperança, mas para a Amante. Todo mundo sabia do caso dos dois, que era coisa antiga, eles tinham se envolvido antes, quando Teresa não o conhecia ainda... mas sempre achara que Amante


Alyne Dagger comenta

stória de Teresa nada mais era que um avatar bonito – entre tantos avatares bonitos – e que seu lugar de namorada era intocável e permanceria inatingível. E quando começou a exigir o que mais tarde a

Aqui eu tenho trabalho, não fica bem dizer que te amo!

Amante teve sem pedir, perdeu o Amado.

E de desespero em desespero, ela tanto amou que

– Nosso namoro não entra no Second Life – ele

acabou largada, jogada para trás.

dizia – deixa as coisas ficarem na real!.

Chega Teresa. Eu não agüento mais seus escânda-

Ela já tinha a real, mas queria demais o virtual – todo

los! Vamos terminar no virtual e ficar só no Real? Eu

mundo tinha, todo mundo queria... por que só ela não

diminuo meu tempo aqui para ficar mais contigo!

podia? Só ela tinha que se contentar em viver a real

O escândalo foi então para a real. Toda vez que se

e esquecer que estava ali, do lado dele, no mundo

encontravam, ela queria saber por que ele não a

virtual. Nunca uma cama de sexo, no máximo uma

queria no virtual. Por que ela estava relegada àquele

“resolution”, raramente uma “soul intentions”. Quando

contato tão simples e tão pouco envolvente. Porque

subiam na bolinha de beijo, ele parecia constrangido:

ele queria amá-la e não amava o seu avatar?

– Fala no aberto que me ama, Amado! - ela pedia

E foi tanta questão, tanto horror, tamanho o desespe-

desesperada – Lá em casa você sempre diz!

ro, que até o namoro real acabou.

– Lá em casa é vida real! Dá pra deixar isso de lado?

Luto, ódio, negação. Não podia ter acabado, não


devia ter acabado. Teresa ficou irada, e fez de tudo para chamar atenção de Amado: na vida real ele nem era tão gostoso quanto aquele avatar. Porque

Amigo. E de Amiga, a Amante virou Melhor Amiga e disso para viver dançando colada no Amado foi um pulo.

tinha que ser tão metido e tão difícil na vida virtual?

No fundo, Teresa sabia que tinha perdido Amado

Ela queria dar a virada, e fazer de tudo para cha-

antes da Amante entrar em cena. Mas ela tinha que

mar sua atenção.

odiar alguém. Ela tinha que culpar alguém pelo

Teresa arrumou outros namorados, e disse em alto e bom som, na frente do mundo todo, que ia para todas as bolinhas com eles. Experimentou todo sexo virtual que existia, toda bolinha rosa e até as bolinhas azuis, mas nada disso trouxe Amado de volta.

fracasso de algo que podia ser tão lindo, tão belo, e acabara em poeira de pixels. A sua versão da história era mais simples: ela tinha certeza de que a cretina da Amante tinha aparecido e começado a dar em cima – com aquele maldito avatar moreno de pernas roliças – em cima do Amado, sem sossegar enquanto não o havia seduzido. Ela sabia contar

E foi aí que Amante entrou em cena. Amante podia

essa história de forma muito convincente. Ela sabia

ter sido chamada antes de Ameaça. Todos ama-

colocar-se no papel de vítima que lhe caía tão bem:

vam amante. Amante era tão doce, Amante era tão simpática, Amante era musa de todos...

– Ele trocou uma relação real por um maldito namoro virtual – dizia, para quem quisesse ouvir. me usou,

- Uma falsa! É isso que ela é de verdade! - gritava

me jogou fora, e pergunta se ela é mulher de verda-

Teresa, inconformada.

de? Eu estava com ele ali, na real, do lado dele! Meu

Porque sabia que Amante estivera aquele tempo

avatar pode não ser tão lindo quanto o dela MAS EU

todo “esperando”. Amante esperara sua hora de

SOU DE VERDADE!

entrar em cena quietinha nos bastidores. E entrou

Mentira ou verdade? Ela sabia que não importava,

com ares de triunfo, fingindo que nem lembrava

contanto que fosse convincente. E de tanto atacar o

mais que um dia amara o Amado.

namoro nunca assumido, acabou vendo Amado e

Desesperada, Teresa foi vendo a tática desin-

Amante assumindo tudo publicamente, e, pior, pare-

teressada da Amante dando certo. Primeiro,

cendo felizes com isso. Como podia isso? A Amante

Amado foi se chegando e dizia a todos que era

tinha tudo que ela desejara e nunca tivera. Como ela


pedira isso? Como conseguira? Agregar pessoas contra os dois não foi tão difícil. Convencê-los de que ela tinha sido a grande sacaneada, ela, sempre tão discreta, sempre tão na sombra do Amado... todo mundo acreditava que a cobra era a amante que tinha seduzido o amado. Chegou o momento que mesmo ela acreditava que tudo começara antes, ou mesmo jamais terminara,

do lado do Amado, porque

e que ela tinha sido a grande palhaça, que no meio

não precisava deles para nada.

tempo em que ele namorara ela e pelas costas, tinha

Os amigos, os verdadeiros ami-

uma amante virtual, ninguém menos que a maldita, a

gos, eram aqueles que se juntavam

Amante.

a ela para mandar MIs para a Vaga-

E quanto mais infernizava Amado e Amante, mais

bunda, para estudar uma nova história

gente acreditava nela, mais gente dizia: “coitada da

para aprontar, para ridicularizar os dois,

Teresa”. Seu triunfo foi quando finalmente rachou a

criar novos constrangimentos, e fazer

turma, quando colocou tanta gente contra Amado

tudo para destruir a paz e o sossego

que podia dizer que seu império havia sido destruí-

que eles com toda certeza não mere-

do.

ciam.

Vitória. Triunfo. Inferno astral para Amante e Amado.

Mas se ela estava tão certa, se aquilo

Pessoas hostilizando o casal. Gente que mal sabia

era tão justo, porque não conseguia ter

da história chamando Amante de amásia, de pros-

paz? Como podia ouvir de todos que

tituta, de vagabunda. Todos os defeitos do Amado

Amado não prestava e querer tão deses-

expostos, porque ele os tinha e ela conhecia cada

peradamente que ele admitisse isso, que

um deles. Claro que tinha gente que chegava para

pedisse perdão e voltasse para ela? Por-

ela e dizia: “Teresa, por favor, me deixe fora disso” e

que chamava tanto a Amante de vagabunda

outros: “Teresa, não é bem assim” e outros ainda

se o que quisera sempre era estar no lugar

simplesmente a ignoravam. E eles que ficassem

dela, com a tag “Amante do amado” flutuando


impávida acima do seu nome?

contra eles. A vingança de Teresa moveu céus e

Quanto mais Teresa avançou nessa guerra, tanto

terras virtuais mas não a trouxe um pingo de paz,

mais perdeu. Quanto mais atingiu Amado e Aman-

paz que se fora quando perdera o Amado. A

te, mais juntos eles ficaram, até que, acuados,

paz deixara há muito tempo seu espírito, e então

passaram a ter apenas um ao outro e todo o resto

ela quis a guerra e foi à guerra até que Amado e Amante, dando o metaverso como perdido, abandonaram definitivamente o SL. O irônico é que talvez, na sua ânsia de destruí-los, Teresa acabou por uní-los fora da vida virtual. Na ânsia de impedir que Amante do Amado tivesse o que ela nunca havia tido, ela acabou perdendo até sua última peça naquele jogo de damas. No final, ela, Teresa, fez o círculo se completar descobrindo que, de Amante, desaparecida do Second Life, a inimiga foi transformada em Namorada, aquilo que ela fora e desprezara. . E que, da triste história de Teresa, caros, fique para todos uma lição: na segunda como na primeira vida, nos assuntos do coração, nada somos se não soubermos cuidar de nós mesmos. Antes de amar alguém, ama sobretudo a ti mesmo. Porque teu coração é teu maior carrasco e amar demais pode ser teu maior castigo. Texto e Ilustrações: Alyne Dagger


Alyne Dagger

Linden - yay! Nesse mês uma inédita e oportuna homenagem aos casais que eu adoro no second life! Linden ainda para o casal que é praticamente um shoping center! Lu, minha sócia e irmazinha e o maridão Markk Back. Já viram casal casado que trabalha junto se dar bem? Eles estão aí para comprovar que é possível

Pra abrir o especial de casais... os INOXIDÁVEIS DJBexigaBunkerPub Benazzi e Giuly Dayafter, meus manos, amados, queridos... pessoas ESTROGONOFICAMENTE SENSÍVEIS, como diria o famoso Rei do Elogio! Quem conhece os dois sabe que isso é a cara deles, rsrsrs. Bex, só a Giu pra tirar você da página do Lag!


Para o chefe Aloprado Beck e sua amada Yasmin nurmi todos os lindens possíveis e imagináveis. O casal que enfrenta tormentas e segue ainda mais unido e impávido. Parabéns pelo amor de verdade que os une, amigos!

Lindenzinho meigo para o DJ Thundera Rau e para a lindinha namorada, Nikavet Mayo, agora agitando todas e mais algumas direto do Shoping Afrodite, na Ponta da Praia!

Linden internacional para a Dj canadense Jhunzen Ketsugo e seu querido Draco Tatsu, que completaram em março UM ANO de parceria no SL. Love you, guys!

E o casal ao lado completou recentemente seis meses juntos no SL. Fast, dear, thanks for all. You rock my second life. Ik hou van jou!


Alyne Dagger

LAG - yargh! Olha o novo rico! Alguém tem que avisar para esse moço que esse dinheiro fake não vale um tostão na segunda vida. Só rindo. Ou chorando muito...

Elvis não morreu! Mas se morreu, deve estar se revirando no túmulo. Pobre Rei do Rock, quem diria que o Second Life o transformaria num avatar cafona! Tá, nos piores momentos o Rei foi cafona... mas o cintinho bling...

A moça aí tá realmente crente que é gostosa. Mas olha o relatório do desastre: chapéu de pistoleira, cabelo do predador, roupa de teia de aranha e calça de lycra. Não vamos mencionar a pulseira do pittbicha e as pistolas megabrilhantes. Tudo isso, fofa, estragam qualquer shape e skin - e olha que os dela são lindos!

Pergunta que não quer calar: a moça aí do lado, assim, por um acaso, quer bater algum record mundial de breguice?? Só isso explica a combinação dessa roupa com textura de pneu com o short rasgado e... todo resto. E sempre são essas criaturas que te mandam um chamado de TP para dançar a dança do créu!


Happy Clam tem muitos residentes com visual irado, mas esse homem árvbore aqui tá meio escola de samba. E o carnaval acabou já tem um tempinho...

Será que a medonhosidade desse avatar o fez entrar em combustão espontânea? Ou ela passou muito óleo e chegou perto de um script de fogo? Detalhe: isso é uma PROMOTER!!!

Da série “coisas que acontecem quando seu sl ainda está carregando”: dançar a dança do tamanduá africano na frente de um outro marmanjo!

Galera... por favor... como eu digo... VÃO PROCURAR UM QUARTO! Loja de pose não é motel!

ACOMPANHE A SEQÜÊNCIA...

Infelizmente, a motorista dessa kombi tresloucada é essa que vos escreve, tentando dar uma carona para os meus manos Lu e Alê... é, eu tenho que admitir quando eu mereço um lag. A L0u tem razão, para ser ruim como motorista no SL eu tenho que MELHORAR MUITO!!!


BG Magazine #09 - Brasil  

A ética no Second Life