Issuu on Google+

Estilo e comportamento para Bad Girls e Bad Boys no Second Life Edição 20 - Setembro/Outubro 2009

Coletivo, plural e sustentável

Por um novo Second Life!


Estilo e comportamento para Bad Girls e Bad Boys no Second Life Edição 20 - Setembro/Outubro 2009

2 anos!

Trocamos de lugar no especial de aniversário!


8 12 19 28 50 58 60 62 65 82 102 104 128 130

índice

Editorial Entrevista — Grupo Ajuda SL Brasil AD Comenta — Festa estranha com gente esquisita... A Segunda sustentabilidade LS Recomenda — Lugares Imperdíveis Bad Girl Good Guy Perfil — Roslyn Darwin Moda — Sacode a cabeleira! Moda — Todas as mulheres do mundo aMigos da Alyne Os avatares também choram Linden o Lag

82

104


28 Edição 20 - Out./Nov. 2009

Editora Chefe: Alyne Dagger Editora de Estilo: Lucrecia Slade Projeto Gráfico: Alyne Dagger e Lucrecia Slade Fotos: Alyne Dagger e Lucrecia Slade (exceto onde creditado)

65

Comercial: Marcello Winston Equipe de apoio: Design Gráfico: Alessa Glas Tradução: Roddrigo Rossi A BG Magazine é independente e não publica opiniões conflitantes com o ideal da revista nem por todos os Lindens do mundo. Quando falamos bem, somos ótimas. Quando falamos mal, somos muito melhores! Site: www.bgmagazine.com.br Grupo: Bad girls go everywhere Flickr: A Lucrecia that is not Borgia

http://www.flickr.com/photos/16115209@N06/

Alyne Dagger

http://www.flickr.com/photos/alynedagger/

Blog: BG4E! -- http://bg4e.blogspot.com/


Editorial Que uma coisa fique muito clara no tema deste mês: o objetivo não é fazer você se sentir culpado. Tem gente que adora dividir a humanidade entre os bons e os maus e ainda acha que isso protege o planeta. Eu protejo a natureza e você, leitor, é um irresponsável. So sorry, mas não é assim que funciona aqui. Aqui as pessoas são convidadas a se in-formar. Passou da hora de entender e assumir que, enquanto esse estado de coisas não muda, somos um estorvo para o Planeta Terra e que temos de repensar alguns hábitos que podem estar trazendo (ou sendo) problemas e tentar resolvê-los. Isso não se faz tacando a culpa nos outros. Óbvio que nem todos os meus hábitos são sustentáveis. Mas acho mais produtivo focar minha atenção no que eu quero e posso fazer para melhorar, do que apontar meu dedo na sua cara. Portanto, convido o nobre leitor a reciclar suas idéias lendo uma revista que por dois anos nunca precisou abater uma única árvore para que as informações, humor e insights, que obtemos em nossas andanças por aí, pudessem ser repassados a você. Sem culpa. Que venham mais anos de vida para a BG! =^.^= Lucrecia Slade Editora de Conteúdo (interina) e Motorista do caminhão da firma


Enquanto metia a cara para tirar o típico atraso da revista, ouvia direto “Breaking all the Rules” do Peter Framptom, pensando em tudo que fizemos de certo e errado nesses dois anos. A revista é boa? fazemos de tudo para que seja. Atrasa? Sim, mas porque ninguém está aqui pra provar que pode fazer nada, apenas para se divertir. Rindo de nós mesmas e quebrando várias regras, chegamos aos dois anos felizes como nunca, curtindo o que o SL tem de bom e passando por cima das chatices, rindo da cara dos chatos de plantão. E sabe Deus o quanto rimos fotografando esse editorial de identidade trocada: Lucrecia não fica a própria Maria Bethania vestida de Alyne? Alyne com essa roupa não está boa para dançar num peep show? Trocando de papéis também no miolo da revista, usei meus parcos conhecimentos de moda para meu manifesto pró-identidade feminina única: nada de ser barbie ou modelete vazia no SL, por favor! E que lojas a maníaca aqui pode recomendar que não sejam as de cabelo? De resto, os nossos cabelos trocaram, mas nosso humor... ah, esse continua o mesmo, até porque eu não abri mão de fazer meus comentários... e a nossa novelinha continua zoando os dramalhões mexicanos que assolam o SL de cabo a rabo (e quanto rabo!). Sem drama e nem crise esse mês, Lucrecia vira Alyne e Alyne vira Lucrecia... ou quase isso. Tire a prova dos nove e veja se deu certo.

Aline Dagger Editora de moda (interina) e moça do cafezinho (humilde, humilde)


Bad Girls Entrevistam/ Grupo Ajuda SL Brasil


A força do trabalho voluntário Num momento em que o Brasil e o povo brasileiro, de acordo com recentes pesquisas, desfrutam de uma imagem extremamente simpática e positiva para resto do mundo, o Second Life, infelizmente tem sido um ambiente de exceção, por conta de usuários inconscientes que violam direitos autorais e de outros, que só sabem falar mal do país, como se não fizessem parte dele. Porém, de forma organizada e eficiente, um grupo vem trabalhando, sem qualquer remuneração, para melhorar a imagem dos brasileiros diante da comunidade e diante de si mesmos através de um projeto com o objetivo de educar os avatares desde que eles são noobies. Com um corpo voluntário que cresce a cada dia, O GRUPO AJUDA SL BRASIL tem agido de forma sistemática com objetivo de tornar a experiência nos novatos no SL menos traumática, ensinando fundamentos e conscientizando novos avatares da importância de agir para melhorar a comunidade SL Brasil, conforme eles explicaram, respondendo como coletivo e não como indivíduos, nessa entrevista à Bad Girls Magazine.


Bad Girls Entrevistam/ Grupo Ajuda SL Brasil

BG Magazine: Quem

são vocês e qual a proposta do Grupo?

Ajuda SL Brasil: Somos um grupo de voluntários

inspirados e influenciados por outros grupos como os mentores e os lanternas verdes. Nossa proposta é ajudar o residente brasileiro que chega no Second Life, muitas vezes sem saber falar inglês e se depara com montes de informações e gente que não sabe sua língua, além de informações erradas e má influências. Queremos ajudar esses novos (e os nem tão novos assim), para que conheçam o correto funcionamento e as regras do Second Life. E, não menos importante, mostrar que aqui se vive em comunidade e é primordial a autenticidade e o caráter da pessoa humana, por trás do avatar.

vítimas de preconceito, temos muitos usuários de copybot, menores que entram e querem fazer o que bem entendem no Grid. Faz parte do nosso trabalho orientá-los de que o Second Life possui regras que precisam ser seguidas. Desta forma contribuímos para um ambiente melhor não só para os brasileiros como também para toda a Comunidade. BG Magazine: Como

vocês começaram a abordar os avatares?:

BG Magazine: Por que ajudar avatares Brasileiros?

dia, houve um pedido de ajuda em massa para socorrer brasileiros que tentavam nascer lá na MLBR Orientação. Havia um caos instalado. Cada um de nós já possuía este sentimento de ajuda e houve um encontro natural. Formar o Grupo e organizar sua estrutura foi apenas conseqüência.

Ajuda SL Brasil: Porque

BG Magazine: Vocês

notamos uma carência de informações corretas e grupos de voluntários voltados especificamente para ajudar os residentes brasileiros. Ha muita ilha que ajuda e oferece pacotes de boas vindas, mas nem sempre ha a preocupação em transmitir os valores e regras corretas. Somos

Ajuda SL Brasil: Um

acreditam que exista um resistência a avatares brasileiros? Por quê? Ajuda SL Brasil: Sim, existe. O preconceito,

a má fama de usuários de copybot existe e alguns lojistas dizem que por conta disso alguns consumidores evitam lojas brasileiras, acreditando que possam ser produtos ilegais.


Parte do grupo, após uma reunião

Ha ainda o outro lado, onde residentes brasileiros, muitos menores, utilizam o copybot porque eles mesmos não têm condições de comprar os itens. Queremos evitar que essa idéia errônea se espalhe e que entendam quem cria têm sim o direito de comercializar aquilo que criou, e que o SL infelizmente não é para menor. Já houve também ocorrência de banidos em parcelas simplesmente por serem brasileiros, lamentavelmente.

BG Magazine: O

que os novatos normalmente perguntam para vocês? Ajuda SL Brasil: Além

de como se proteger, como reportar, como inspecionar os próprios itens pq recebeu muitos presentes e não quer correr o riscos por uso de item copiado: “Onde Estou?”, “O que tenho de fazer agora?”, ...Qual objetivo do “Jogo”?, Como consigo dinheiro/emprego; ...e Sexo!.


BG Magazine: Vocês

flagram pessoas mal intencionadas tentando usar o seu espaço? Qual o procedimento se isso acontece? Ajuda SL Brasil: Abordamos

e orientamos. Mas se insistem em desrespeitar as regras e continuam a abusar, não temos alternativa senão reportar. Normalmente, alertamos via IM, falamos sobre as regras e pedimos educadamente que não o façam, explicando as conseqüências de violar o TOS. A tolerância é a base. Orientamos para as regras e as utilizamos para manter a ordem.

BG Magazine: O

que vocês notam mais: o avatar que age de má fé propositalmente ou o que não sabe que está cometendo uma infração? Ajuda SL Brasil: Dividem-se

em igual proporção. Muita gente age de forma errada por falta de informação. E alguns pensam que o SL é um ambiente sem regras. Quase sempre é fácil distinguir a intenção do residente e pensamos que ambos precisam de orientação.

BG Magazine: Vocês

acreditam que dá para fazer um Second Life melhor através da educação dos avatares? Ajuda SL Brasil: Exatamente.

Se há informação, há acesso e conseqüente integração à Comunidade.


BG Magazine: Acreditam que dá para aprender

Nosso futuro é como o nosso presente, sempre a buscar um mundo mais sustentável e com ajudar a quem precisa, esclarecer duvidas e políticas econômicas mais justas usando a força apoiar novos e antigos. Mas queremos amplificar dos metaversos? nossa boa vontade. E, se possível, atingir um numero cada vez maior de residentes. No Ajuda SL Brasil: O SL tem um potencial enorme momento, estamos empenhado em para troca de informação e formar um grupo sólido, permitindo Educação. Somos pessoas atrás “Com informação, que eles também possuam de avatares e também podemos reflexão e boa autonomia para orientar e formar usar este espaço para construir vontade, podemos novos voluntários, dentro e fora idéias reais de sustentabilidade. melhorar imagem do grupo. Estamos buscando Porque não? também a possibilidade de usar que o Brasil tem BG Magazine: As pessoas são material de fóruns, YouTube e no Second Life. atraídas para serem orientadores comunidades como material de também? apoio e tutorial. Ajuda SL Brasil: Alguns de nossos voluntários

BG Magazine: O que gostariam de falar para

não têm 4 meses de vida e já estão totalmente engajados e tecnicamente prontos. Eles possuem o suporte dos mais experientes e aprendem rápido. São exemplos mais palpáveis para os recém-chegados. Há mentores brasileiros que estão se juntando ao grupo para contribuir e isso é muito bom. Penso que essas pessoas querem na verdade ver um mundo melhor sem tanta “malandragem”.

nossos leitores? “Com informação, reflexão e boa vontade, podemos melhorar imagem que o Brasil tem no Second Life.” “Seja um brasileiro original, não use cópias!!”” “Não economizem informação, não se neguem a ajudar ao novos”

BG Magazine: Quais os planos para o futuro

“Utilizem as ferramentas que o Second Life oferece, conheçam o TOS e o BIG SIX”.

imediato? Há ações planejadas para médio e longo prazo?

“Sejam Tolerantes, conheçam e respeitem regras e pessoas. Façam o certo e sejam felizes.”


Alyne Dagger comenta Onde encontrar os avatares mais bizarros do Second Life? EM FESTAS! Podem ser legais, cheias de gente descolada, ou do tipo “dedinho no TP”, o fato que a maior concentração de figuraças por metro quadrado ainda é nas lands onde você ouve muitos wohooos e yeaahs no chat. Homenageando portanto o verso imortal de Renato Russo apresentamos...

Ou “eu não deveria ter aceitado aquele TP”


Da série “Eu faço tudo por uma graninha...”

Como você queria que eu viesse no concurso “melhor vagabunda”, vestida de freira?

Me disseram que se a minha roupa fosse bem sexy eu ganharia o concurso da noite de hoje!

Ridículo, eu? Não: eu estava num concurso de “melhor punk”, aí me chamaram para outro de “melhor avatar de terror” e eu acabei no de “melhor bicho de estimação”. Não é fofa, a Griselda, minha cobrinha?


Programas de índio para pessoas de fino trato...

E aí, gostou do ambiente familiar? Festinha boa, eu, você e as baratinhas...

Você está cinza para mim!

E eu, infelizmente, consigo ver perfeitamente o seu vestido horroroso!

Não faça um casamento indiano e convide Alyne Dagger. Ela fatalmente vai sentar onde não deve (sem conotação de duplo sentido) Posso ficar com a vaca?? É para a minha coleção! Você sabe que o programa não vai ser bom quando chega e dá de cara com a batbunda!


Heróis e Seres sobrenaturais

O cão chupando manga ou “Toco Cru Pegando Fogo”* ou ainda “Que diabo é isso??”

Wolverine chaminé

Kid Pescoção

*Acredite: existe um forró com esse nome!


O fantasma da mulher de branco

A famosa “loura do banheiro”, assombração que aparece se chamada três vezes diante do espelho Quem te disse que eu sou mulher, meu amor?

Que mané banheiro! Eu vim foi no terceiro TP! Assombração é sua avó, vai procurar o Belchior e me deixa em paz!

Supergêmeos, ativar!!!** Casal “Yang e Yin”

** Acredite 2: um amigo disse que conheceu namorados que usam isso como grito de guerra...

Correção: essa é a “loura mau humorada do banheiro”, aquela que todo dia lamenta a horrível RL que tem...


Equação geradora de avatares:

+ Donatella Versace

= Rosana anos 80

Rosanella esquisitona

(ou é Suzana Vieira??)

+ Maradona num dia ruim

=

Amy Winehouse num dia MUITO ruim

Marafona Winehouse num dia péssimo


=

+ Xuxa

Cicciolina

=

+ Capit達o Nascimento

Xuxulina

Brad Pitt

Bofe de Elite


GODart — The first artistic showroom


m about concept of God and Religion

ModaSL - Freak Show, lafee style (82, 196, 603)


Capa

A Segu Sustentab por Lucrecia Slade


O mundo mudou. A lógica da nossa sociedade mudou (e pra sempre). A internet mudou tudo. O aquecimento global mudou tudo. A crise mundial mudou tudo. Cada um desses fatores, por si, já seria suficiente para ‘desinventar’ boa parte do que sabemos.

nda ilidade

Vivemos num mundo em que a GM pediu falência, os usineiros brasileiros são heróis ambientais, os jornais americanos estão acabando, porcos e galinhas transmitem gripe, os liberais defendem estatização dos bancos, a China é paladina do livre comércio, o presidente dos EUA se chama Hussein. Espetamos nossas tomadas no focinho do porco e ninguém está achando estranho. São tempos aterrorizantes para várias profissões. São também tempos fascinantes: de novidades, de inovação, de possibilidades. De gente jovem se reunindo para tomar o espaço dos gigantes. Muita gente está sofrendo — sempre há sofrimento quando há mudanças. Estamos no meio de uma revolução.


O Second Life nasceu num estado rico e com vocação para a vanguarda, a Califórnia, mais especificamente São Francisco. São Francisco é a mais adorável cidade “esquisita” do mundo: capital mundial da contra-cultura, centro do movimento hippie nos anos 70, pioneira ao desfraldar a bandeira arco-íris e da luta pelos direitos civis da comunidade LGBT. Lá também foi o berço de movimentos como o Critical Mass, de bicicletas pela cidade na última sexta-feira do mês (e que aqui no Brasil chamamos de “bicicletada”). Ela enriqueceu pela proximidade geográfica das empresas dot-com, criadoras da tecnologia que virou nossas vidas de pernas pro ar ao final do século XX — computadores, softwares, games e etc. — e situadas logo ali no Vale do Silício. E está geograficamente próxima também de um evento anual de arte, fogo e comunidade da maior importância, o Burning Man, também nascido em uma praia de São Francisco. Não é à tôa que o Burning Life, a transposição do Burning Man para o metaverso, tenha tanta importância. Um cara sonhador de São Francisco foi num Burning Man, em 1999, e voltou fervendo com idéias para um metaverso que estava

Critical Mass em São Francisco: há 17 anos os ciclistas tomam o trânsito e fazem a cidade parar para reorganizar e repensar a arquitetura de trânsito, consumo de combustíveis e socialização. Virou rotina e inspirou ciclovias e bicicletadas pelo mundo inteiro.


tentando criar, onde a premissa principal era a de que os residentes pudessem criar um mundo novo, com colaboração, com interação, com inovação. Onde a imaginação de cada um construísse o mundo que esses residentes habitariam e que se mantivesse sustentável, da mesma forma como acontece no Burning Man. Sim, agora você sabe que faz parte desta história. Vamos conversar sobre o que, afinal, muita gente tem feito por aqui para fazer valer esses valores sustentáveis? Não me venha com frescuras O Second Life tem a premissa de ser um mundo virtual construído por seus residentes, e isso traz embutida outra premissa: este mundo é construído em função das experiências prévias desses residentes. Suas vocações são baseadas em coisas pré-existentes na realidade, em hábitos, em costumes culturais, em histórias, em economias, em sistemas políticos, em préconceitos. Isso obviamente se repete no comportamento relativo à sustentabilidade — trazemos da RL nossos hábitos e, mais ainda, nossos vícios.

Após 6 anos de existência, o Second Life possui cerca de 500 mil residentes ativos, entre criadores e consumidores de arte, cultura, educação, entretenimento, produtos e serviços. Espelhamos muito do comportamento moderno de produção e consumo, criando e consumindo como se não houvesse amanhã. Muitos comentaristas, críticos e pensadores do SL bradam contra o acúmulo de objetos e vestimentas nos servidores, altamente geradores de lag, e de como esses produtos nem sempre podem ser reciclados ou transferidos — a quantidade de itens no trans é enorme, em virtude da proteção de conteúdo. Por mais que a gente delete o que não faz mais sentido no inventário, para nos liberar para mais e melhores oportunidades no SL, isso não é o suficiente. Quem nunca foi à Mainland e não viu a poluição visual de determinados locais, que atire o primeiro prim. E o nome é esse mesmo: poluição. Gente, parem pra pensar: nós trouxemos o conceito de poluição também pro metaverso!!! Muita gente diz que a Mainland é feia e estão certos, poluição é feio, é desequilibrado, é insustentável. Mas simplesmente dizer que é feio e fim de papo, não resolve.


Espelhamos no SL nosso hábito da vida real, muitas vezes impensado, de acumular exageradamente, jogar o lixo fora e olhar pro outro lado, sem pensar muito no assunto, de construir sem planejamento, de muitas vezes realizar coisas sem pensar na comunidade ao redor. Justamente este tipo de pensamento e comportamento se choca com uma idéia do SL nos seus primórdios — dar aos residentes a possibilidade de sustentabilidade própria. Como, se estamos viciados em

comportamentos insustentáveis, que se repetem na segunda vida? Outro tipo de poluição (e desta vez emocional) são os dramas dentro do SL. Aliás, com a Internet, a exposição dos dramas atualmente já nem é mais exposição, é escancaramento barato. O fato é que nada disso ajuda a construir um mundo mais sustentável. Ficamos parecendo babuínos babentos e banais, confortavelmente anônimos atrás de nossos avatares, comandados


pelos nossos vícios emocionais de RL, enquanto podíamos realizar coisas mais construtivas. Como, por exemplo, discutir o que queremos para a preservação do nosso planeta, de nossa vida, de melhorar o que temos, tanto na primeira como na segunda vida. Ou você nunca quis um metaverso com menos lag, mais velocidade de conexão, mais tecnologia verde, com menor consumo de energia, com uma economia in-world mais justa, com gráficos mais bonitos, com avatares interessantes e interessados? Não podemos mais perder tempo com picuinhas, com discussões velhas, com resmungos e patrulhamentos fora de hora. O relógio está correndo e o planeta não tem mais como esperar. É hora de olhar para a frente, de buscar soluções, de ouvirmos uns aos outros, de trocarmos idéias com quem é diferente de nós, de encarar o mundo com o peito aberto, de nos encontrarmos ao vivo, se possível, e olharmos nos olhos uns dos outros, em vez de ficar mandando mensagenzinhas iradas pela internet. E pior, ficar discutindo sobre abobrinhas, exibindo comportamentos iguais aos de gente que morreu antes da internet existir. Enfim, é hora de deixar de frescuras.

Você tem consciência verde? Parabéns. Mas ninguém vai saber disso, a não ser você mesmo. Ninguém sabe de verdade o quanto você recicla, o quanto você economiza, o quanto não desperdiça, o quanto você ajuda. Ninguém sabe se as bitucas de cigarro que você já jogou na rua ao longo da vida dariam para encher o piscinão do Pacaembu. Ninguém sabe o quanto de lixo você produz, e menos ainda o quanto poderia produzir. É assunto seu, privado, para você resolver à noite, na cama, com a sua consciência. Bons sonhos. (Denis Russo, jornalista)


Annie Leonard explicando como funcionamos...

... e oferecendo sugestões sobre como reorganizar o modo como os produtos fluem em nossa vida.

Informações online Um vídeo que circula pela Internet e que mostra de forma muito boa como funciona o círculo produtivo incoerente e insustentável do qual fazemos parte é o The Story of Stuff, de Annie Leonard, especialista em sustentabilidade e em questões ambientais e de saúde. O curta de 20 minutos mostra de um modo simples, direto, o que tem de equivocado no nosso jeito de produzir e consumir coisas e, conseqüentemente, na lógica da nossa sociedade. E faz isso deixando claro que o inimigo a ser combatido não é “o capitalismo”, nem mesmo “o consumo”. É um pensamento até bastante recente, nascido no pós Segunda Guerra, e que as pessoas aprenderam a acreditar ser a única opção.

Aliás, abrindo um parêntesis: esse pensamento de esquerda e direita não faz mais sentido no quesito sustentabilidade, ainda mais nos dias de hoje. Por necessitarmos de formas radicalmente novas de pensamento, de novas idéias, ficar batendo nessa tecla demodê vai me fazer dizer o mandamento número zero de novo: não me venha com frescuras. Para mim, Las Vegas e Pyongyang são o mesmo lugar. Fidel e Pinochet são a mesma pessoa. Esquerda e direita são dois braços do mesmo burocrata chato que quer mandar em mim e esvaziar minha vida de sentido e graça – seja ele


um gerente de corporação ou um oficial do politburo. Fecha parêntesis. Um exemplo de pensar fora da caixa? A própria internet, oras. Revolucionou nossas vidas em menos de 20 anos, conectando numa velocidade acachapante pessoas de ‘n’ partes do mundo que possuem um pensamento alinhado em termos de sustentabilidade, sem precisar de grandes investimentos em dinheiro e de viagens — mesmo dentro do Second Life grandes instituições se utilizam em suas reuniões virtuais desta forma de comunicação eficiente de baixo custo, como a IBM e a NASA. Hoje em dia, os cidadãos e consumidores dizem aos governos e indústrias o que querem, porque querem e como querem que políticas, produtos e serviços sejam feitos. Comunidades open source, Wikis, YouTube, Vimeo, Twitter, blogs, podcasts, redes sociais, Orkut são capazes de glorificar ou esculachar com uma marca, uma pessoa. Vide Susan Boyle e Xuxa. Yes, now we can. O sistema Wiki de informações, utilizado pela Wikipédia, pela Linden Lab e agora pela Casa Branca, é de caráter colaborativo. O mesmo se dá com o The Better Project, um wiki de idéias para o futuro da Terra e da humanidade. Muitos

A NASA e seus auditórios de palestras e reuniões — economizando dinheiro em viagens fazendo netmeetings dentro do Second Life.

IBM e seu centro de Comunicação providenciam palestras, treinamento e conferências para seus empregados e público em geral.


pensadores dizem que essa forma de colaboração está inserida num novo movimento mundial, o “socialismo digital” — fundado sobre os pilares do compartilhamento, da cooperação, da colaboração e do coletivismo. E que esse novo socialismo (prepare-se) segue fielmente as regras do mercado.

futuro do planeta, que têm ilhas onde a sustentabilidade e o posicionamento atuante são fundamentais. Muito disso pudemos ver nas ilhas que apoiaram o Presidente Obama, quando ele era ainda candidato. Muitas delas, se não todas, têm o tema sustentabilidade em suas construções.

Por esta gama interminável de ligações quase que imediatas que o “estar online” possibilita, o Second Life faz todo o sentido como uma experiência de comunicação sem fronteiras, altamente pró-sustentabilidade. Criou uma massa crítica de pessoas preocupadas com o

Um grupo de ilhas que é muito conhecido é o da Commonwealth. É impossível falar sobre sustentabilidade e estudos sobre ambiente, aquecimento global, direitos civis, políticas ambientais, química verde, reciclagem, lixo zero, energia renovável, produção em ciclo fechado, economias locais vivas, sem falar nestes SIMs.

Edição da Wired, de junho de 2009, sobre a nova “nova” economia mundial — um ensaio sobre o socialismo digital e onde ele pode nos levar.

Commonwealth é formada por quatro ilhas e é vizinha a ilhas de caráter acadêmico e de pesquisa. O projeto conta com a presença de mais de 15 organizações de direitos humanos, sustentabilidade e estudos sobre aquecimento global, dentre outras. Também há uma skybox com construções de uma usina nuclear, uma hidrelétrica, energia eólica e de biomassa, além de energia solar. Mostram seus prós e contras e como funcionam. Além disso, é em Commonwealth onde está a representação de uma das mais conhecidas entidades relacionadas ao assunto, o Greenpeace.


The Dove — o nome do barco é inspirado na vitória do Greenpeace sobre a Dove, que diminuiu o uso de óleo de palma (que para ser extraído destrói a árvore).

Os grandes caras estão aqui O Greenpeace é uma organização global com representação em mais de 40 países e se destaca como líder na atuação para mudar atitudes e comportamentos, para proteger e conservar o meio ambiente e promover a paz, desde 1977. Sua atuação no SL se dá desde 2008, através da representação de seu barco, o The Dove Commonwealth, uma réplica simplificada do mais famoso barco da organização, o Rainbow Warrior. Lá, vários vídeos de informação e atuação do Greenpeace estão à disposição de quem quiser assistir e se informar. Uma organização que utiliza as mais modernas formas de comunicação

O kiosk da Anistia Internacional e seus links no Twitter e seu site.

e mídia para informar às pessoas sobre atrasos e vitórias na preservação do meio ambiente do planeta, não poderia estar de fora do SL, sendo apoiada por dois voluntários ativos do Greenpeace UK, HippyJim Starbrook, de Manchester, e AniseDollopof Mayo, de Londres. A Anistia Internacional está representada em um painel na ilha vizinha, Virtually Speaking, onde se discutem vários temas, desde lançamento de livros a direitos humanos. Os direitos humanos são um tema caro aos defensores da sustentabilidade, pois consolidar justiça social e econômica não significa lutar contra o capitalismo, mas trabalhar dentro


dele para que ele se torne justo, equilibrado e possibilite às pessoas serem também elas sustentáveis e tornem seus governos atentos e atuantes nessas questões.

Virtually Speaking: a ilha, o programa e seu auditório.

Falando nessa ilha, não se pode deixar de mencionar o programa Virtually Speaking with Jimbo Hoye, que apresenta conversas inteligentes em profundidade, com formadores de opinião internacionais perante uma audiência de estúdio virtual, sempre sobre um tema da atualidade. Os programas são simulcast no Blog Talk Radio e muitas vezes são precedidos por uma hora de música ao vivo. A WWF é uma das mais conhecidas ONGs ambientalistas do planeta, e também tem uma ilha, a Conservation Island, construída em modo colaborativo por várias pessoas, com lojas com produtos ambientalmente corretos e com várias informações espalhadas pela ilha sobre mudança climática, defesa das florestas e animais, e tecnologia verde. No metaverso desde 2007, a mesma ainda se encontra em construção, e quem quiser colaborar pode entrar em contato com WWF Takaaki, responsável pelo local.

WWF e sua ilha pela metade. Mesmo informativa, falta participação e charme aos recantos da mesma.

A preocupação ambiental não se restringe às organizações de proteção ao meio


ambiente. Empresas que querem investir em uma boa imagem junto ao público e conscientes da proteção ambiental também estão no Second Life, como a IBM e seu Green Data Center, onde uma réplica de um data center mostra a tecnologia que a empresa possui de menor consumo de energia e menor geração de calor, sem prejudicar a capacidade de processamento. No segundo andar, uma exposição e um vídeo complementam a visita. Outra empresa que tem servidores verdes é a própria Linden Lab. Embora muitos residentes achem que o paper divulgado no blog oficial da LL sobre o assunto seja jogada de marketing para ter uma boa imagem de mercado (e eles não deixam de ter razão), o fato é que a Linden é uma empresa que começou o Second Life com 16 ilhas e hoje tem mais de 22 mil, segundo o site da ObiJan Technologies. Isso significa cerca de 7 mil servidores gerando muito calor e dispêndio de energia. Da mesma forma que mais capacidade de processamento, menos lag e melhor qualidade gráfica têm de ser estudados e implementados, os servidores que possibilitarão isto não podem e nem devem onerar o meio ambiente real.

Acusações de greenwashing pesam sobre a LL após o paper da Silicon Mechanics. Abaixo: o Green Data Center da IBM.


Os caras nem tão grandes assim também estão aqui Informação é tudo na estrada da sustentabilidade. Bibliotecas, jornais e revistas são importantes, mas hoje em dia a preocupação com desmatamento e o desenvolvimento de novas tecnologias a fim de termos o e-book, em papel digital, envolve um monte de gente que, óbvio, gosta de um bom livro e de um bom jornal ou revista. Mas, se pensarmos bem, a idéia de derrubar árvores para imprimir maços de folhas que são entregues nas casas das pessoas com notícias de economia, mesmo que o sujeito só queira saber de futebol, não faz mesmo muito sentido. Uma segunda questão é como arrumar um substituto para isso que não enfraqueça a democracia... Para ajudar bibliotecas e organizações interessadas em serem “verdes”, a Alliance Library System, a Biblioteca Pública Mancos no sudoeste do Colorado, a TAP Information Services e outras bibliotecas e organizações relacionadas, fizeram uma parceria para criar a iniciativa Emerald City. Emerald City é um projeto que prevê uma ilha no SL e um site onde as bibliotecas podem acessar os recursos e programas informativos sobre green tech. Maxito

O terraform de Emerald City.


Ricardo e outros avatares do Second Life já estão trabalhando projeto in-world, que está no estágio de terraform. Infelizmente, até o fechamento desta edição não conseguimos mais informações sobre o andamento do projeto. Pessoas também começam a se tocar que a mobilização faz outras pessoas pensarem e criarem um grupo de opinião forte, com atuações que podem ser notadas também na RL. Tivemos o NOH8 (que em inglês se pronuncia No Hate -- Ódio Não) há pouco tempo; temos anualmente o Relay for Life, temos ilhas de Universidades e centros de pesquisa, e também pessoas comuns, como eu e você, com ilhas onde distribuem informações sobre direitos civis, saúde, tecnologia e ações políticas verdes.

AIRE - Ecovillage divulga eventos RL como o ÉcoloGeek, onde se demonstra que tecnologia e sustentabilidade falam a mesma língua.

É o caso da AIRE - Ecovillage, organizada por pessoas ligadas aos movimentos verdes da França, e que tem diversas sinalizações de palestras e notícias sobre o Partido Verde francês e de eventos onde os partidos verdes da Europa se reúnem para debater meio ambiente, energia renovável e políticas ambientais. Também tem exemplos de projetos de casas ecológicas e auto-sustentáveis e espaços de palestras in-world.


Mas o relógio está correndo. O que podemos fazer? Em dezembro de 2009, os países membros do Acordo Climático da ONU vão se encontrar em Copenhagen, na Dinamarca. Este encontro é anual, mas desta vez temos algumas diferenças em relação aos anos anteriores, pós Eco-92, pós Protocolo de Kyoto. Uma delas é a presença dos EUA e da China.

The Economist e sua matéria sobre os victory gardens americanos e o seu “jardineiro-em-chefe”.

Copenhagen 2009: a reunião da ONU promete ser o maior evento ambiental do ano.

Em primeiro lugar, os EUA têm um novo presidente, com idéias novas, com um discurso ambiental totalmente diferente de seu antecessor — a ponto de plantar uma horta caseira nos jardins da Casa Branca, cuja produção será sempre doada para os pobres de Washington. Pra quem não sabe, as hortas caseiras são muito comuns nos EUA, especialmente depois da Segunda Guerra. Desde que o presidente Obama fez isso, o número de hortas caseiras americanas cresceu enormemente (estima-se que pulou de 36 para 43 milhões) e a “primeira horta” já produziu, de abril pra cá, 40 quilos de vegetais. Isso não é mais conversa de hippie, é matéria da sisudérrima The Economist.


Para além deste fato, existe uma comoção mundial dos ambientalistas em torno do evento, pois até Kofi Annan, ex-secretário geral da ONU e CEO do Global Humanitarian Forum, se juntou à causa tck tck tck (tic-tac em português). Não, isso não tem nada a ver com o sucesso da Madonna, 4 Minutes. Trata-se de uma coalizão de organizações ambientais, religiosas, de direitos civis, nacionais e internacionais, tais como Anistia Internacional, Greenpeace, WWF, Christian Aid, Consumers International, e com o apoio de nomes de peso, como o Dalai Lama, Al Gore e Bono. O lema desta campanha é The World is Ready, e pergunta ativamente se você cidadão, empresa, organização também está pronto para mudar e cobrar de seus líderes mudanças — para melhor. Trata-se de um movimento para pressionar os 187 chefes de Estado presentes na reunião para que consolidem um acordo neste evento, prevendo ações firmes de reversão do aquecimento global, incentivo de economias pobres, políticas ambientais e econômicas


justas, metas de emissão de gases não só para países desenvolvidos, mas para todos, e isso tudo não só prevendo 2012, mas 2013, quando será substituído o Protocolo de Kyoto. O próprio Kofi Annan apresentou a campanha aos publicitários no Festival Internacional de Publicidade, em Cannes, com a contundente palestra Advertising for Climate Justice, causando um forte impacto com as informações sobre a atual situação de emergência ambiental, sobre a urgência de tomarmos ações imediatas, com a conscientização e ajuda dos publicitários do mundo, para que esta pressão seja feita também por eles. Um comercial foi lançado, com cantores e celebridades ao estilo Live Aid, cantando Beds Are Burning, do grupo australiano Midnight Oil, conhecido pelo seu forte ativismo verde. Tomando uma atitude Até lá, temos muito o que reciclar de idéias, conceitos e atitudes. Muita coisa está acontecendo no mundo e não podemos perder o bonde. Sei que você certamente está na sua RL fazendo por onde, a crise mundial está aí, você precisa ganhar seu dinheiro, precisa se sustentar. Mas porque

Kofi Annan

No YouTube estão disponíveis todos os vídeos de divulgação do movimento tck tck tck


quando perguntam se você está bem, você responde “sim, estamos crescendo” e suspira desanimado, com um ar meio assim-assim? E o seu amigo, também com ar cansado, sorri meio assim-assim? Encaremos os fatos: fomos convencidos pelas corporações de que tudo na nossa vida se resume a transações financeiras. Eu pelo menos, sinto assim. E isso lotou nossas vidas de trabalho, metas e resultados e as esvaziou de senso de comunidade, de colaboração, de generosidade. Preferimos contratar alguém para um serviço, em vez de pedir um favor para a vizinha – porque tememos a obrigação social que acompanha um favor, que é retribuir um dia. E não queremos ter que convidar a vizinha para um churrasco em casa.

Cooperativas, comércio local de produtos agrícolas, reciclagem — partes de um novo mundo com tecnologia e consciência ambiental.

Agora, se isso ainda é demais pra você, então comece devagar, pra você não pagar a mensalidade da academia, desanimar e só freqüentar uma semana. Veja o que fazer com o lixo do seu prédio ou do seu trabalho, evite o desperdício nas suas compras, feche direito a torneira da pia da cozinha, tire aquele saco plástico cretino do bueiro antes que a chuva caia, apóie o comércio local, faça xixi e escove os dentes na hora do banho. :-D


Dê uma pensada e considere se você pode substituir os produtos de limpeza por outros com química mais verde, que não te deixam pipocando de alergia toda vez que vai limpar o banheiro. Veja se em algumas ocasiões é uma boa ir de bicicleta. Olhe o ranking do Greenpeace sobre os eletrônicos mais verdes e saiba que o seu próximo monitor poderá ser um Samsung, o segundo lugar em correção ambiental e consumo de energia. O primeiro lugar é da Nokia, a marca do meu celular, verde, mas que ainda precisa melhorar. Confortos modernos e novas formas de energia — ser verde e melhorar ainda mais nosso estilo de vida.

Se você gostar da brincadeira, continue. O planeta e você mesmo agradecerão. Consciência ambiental não se ensina a força. É difundida aos poucos, através de conversas, de educação, de informação, de formação de hábitos, e isso tudo sem abrir mão dos confortos modernos de nossas casas. Vai demorar para o mundo todo chegar a esse ponto? Pode ser, mas vai chegar. Pergunte aos seus filhos. Eles não vão ter frescura nenhuma em lhe dizer isso.


Meninas más têm bons amigos! GLOOM!

GLOOM (172,34,23)

caos comunicação Caos Village, Tsering (187, 34, 94)

happy clam

Happy Clam Island (127, 127, 32)

hippie market Sled (182, 73, 93)

samba brazil RJ City (105, 67, 35)

universidade brasil virtual Fortes Perez Cultural (212, 125, 31)


Lucrecia Slade

recomenda Este mês, como trocamos de lugar, foi minha vez de colocar a mochila e sair atrás dos locais bacanas de se visitar pelo SL. Alguns são ligados diretamente a iniciativas ecológicas, outros são lindos de se visitar mesmo.


LS Recomenda — Lugares Imperdíveis

Os 4 elementos Água, terra, fogo e ar — os elementos primordiais foram escolhidos para ilustrar as escolhas deste mês.


COCOS ISLAND é uma das ilhas do complexo de Costa Rica, que falamos na edição passada. É a réplica de uma reserva marítima RL que concorreu à votação das 7 Maravilhas do Mundo, com locais para mergulho e, como toda ilha latina que se preze, recantos para romance...

Cocos Island - Costa Rica Cocos Island (128, 217, 1001)


COMMONWEALTH é enorme e cheia de atrações: veleiros no mar, trilhas na montanha, passeios a cavalo, instrumentos musicais para fazer festa com os amigos, fogueiras e muitos locais para belíssimas fotos.

Commonwealth Island 4 - Progress Commonwealth 4 (256, 170, 21)


Fogo lembra vulcão, que lembra ilhas do Pacífico. Em TROPICAL ISLAND PARADISE você acha um vulcão ativo e mais dúzias de coisas pra se divertir, desde um passeio de baleia até um portal do filme Stargate.

TROPICAL ISLAND PARADISE Mills (42, 159, 45)


Estar na companhia daquela pessoa especial é totalmente sustentável.... =^.^= Em ROMANTIC SUNSET BALLROOM você dança com seu amor flutuando no ar, ao som das músicas deliciosas da rádio Martini in the Morning.

ROMANTIC SUNSET BALLROOM / Roma Space (38, 113, 28)


LOADING... NEW MAINSTORE NEW COSTUMES | SHOES | ACCESSORIES COMING SOON


NOVA MAINSTORE TAJ MAHAL (211, 82, 21) LOJA RJ CITY (105, 67, 35)


Bad Girl do mĂŞs

Musa

Ahimsa Balut Skin maker da Skinderella Primeira Dama de Happy Clam


Good Guy do mês


Relaxadão... AndreDF Beck Desocupado profissional e Genro da Alyne nas horas vagas


Perfil/ Roslyn Darwin Rezzday:

11/24/2007 Como veio parar no SL?

Sempre joguei jogos online,e quando eu estava procurando algo novo, meu filho, que sabe que adoro jogar TheSims me mostrou o SL. No começo ainda não tinha a versão brasileira e não me entusiasmei muito, mas depois de 1 mês comecei a trabalhar e ai não parei mais. Fale sobre seu projeto atual no SL e como a idéia surgiu?

Quando estava procurando um emprego conheci um empresario aqui dentro e ele fez um casamento numa land estrangeira e um dia ele me perguntou o que eu achava de ajudá-lo montar um cerimonial brasileiro, na época não havia ainda ninguém que fizesse isso, aí ele montou os cenarios e começamos o negócio. Passados alguns meses eu saí do cerimonial dele, e, a pedidos de várias pessoas que me procuravam eu montei meu proprio cerimonial, mas eu quis fazer algo diferente e passei a fazer casamentos personalizados. Os noivos me procuram, me falam como gostariam de ter seu casamento e eu monto conforme eles pediram e tenho cenarios ja prontos,mas msm assim os noivos escolhem

tudo da maneira que querem,desde a decoração ate o bolo. Assim o cenário fica do jeito que eles sonharam. E, após quase 3 anos fazendo isso, eu continuo adorando fazer o cenário do jeitinho que os noivos gostam,é meu prazer no meu projeto. Hoje em dia eu realizo qualquer evento e tenho uma loja, mas o meu trabalho preferido ainda são os casamentos. Participei de uma feira estrangeira onde fui a única brasileira a participar, assim consegui entrar para o mercado estrangeiro e hoje em dia realizo casamentos em inglês,espanhol e italiano. Acredita em novas idéias no Second Life que façam um mundo real melhor?

Acredito sim,existem muitas pessoas que colaboram para o SL ser uma extensão da nossa RL, tenho visto lands com trabalhos que as pessoas não podem ver na RL porque ficam em outro país ou estado, e além do fato de acreditar que podemos melhorar nossa interação com o mundo assim. Aqui você pode usar sua criatividade e assim sua RL pode tomar novos rumos. Quanto a ideias novas, eu sei que com o passar do tempo as pessoas se acostumarão


a sair para fazer compras para a RL usando os avatares,acredito como já vi em algumas noticias que chegaríamos a isso. Mas por enquanto, no SL, acho que qdo saimos fora da nossa RL muitas vezes conturbada,conseguimos extravasar o que sentimos e assim melhorar as nossas atitudes na nossa RL. O que mais gosta no Second Life?

Fazer amigos e criar é o que mais gosto de fazer. Num trabalho normal RL você nem aguenta ficar as 8 horas diárias,mas aqui eu consigo trabalhar muitas vezes mais de 12 horas e não me canso, além do que me divirto muito. O que no SL é pior que Lag e Crash?

O lag eu ja me acostumei a ele,porque em qualquer jogo online você convive com ele, o crash eu só n gosto qdo estou no meio de uma cerimônia. O que me irrita muito é quando você esta construindo e coloca um objeto num lugar e ele vai parar em outro,ou quando você está colocando a textura e ela muda sozinha, esse tipo de bug é o que me deixa mais irritada. Lands favoritas:

Infelizmente muitas lands que eu gostava não existem mais. Mas existe uma land na qual eu gosto muito de ir para relaxar, chamada The Cloud Chateau,

que fica numa ilha chamada Hina, é uma land onde alem de uma otima musica tem um show de partículas incríveis,nesses anos no SL todas as vezes que fui lá viajei com esse show, na verdade sou apaixonada por ele. Um recado para os residentes:

Ahh eu acho que as pessoas não podem esquecer que atras de um avatar existe uma pessoa que pensa, sofre, ri, chora, ama, enfim; somos pessoas com sentimentos que acabamos colocando aqui. Eu aprendi muitas lições aqui dentro nesses anos e hoje tomo muito cuidado para não magoar ninguém. Espero que as pessoas quando entrarem para jogar aprendam a fazer alguma coisa,coloquem sua criatividade no jogo e o principal façam amigos e não inimigos. O SL é uma escola e qualquer pessoa pode aprender algo, inclusive algo para se levar para a RL. Agora o que não se deve fazer é entrar no jogo achando que vai ficar rico da noite para o dia, esse tem sido o maior erro que tenho visto aquii dentro, você pode ganhar lidens sim,pode levar lidens para sua RL mas isso é feito com muito trabalho e muita dedicação. E usem a criatividade mas não copiem o que os outros tiveram tanto trabalho para construir.


Lojas

Quando decidimos trocar de lugar esse mês, minha escolha para lojas foi a mais vergonhosamente óbvia possível!! Para quem me conhece e sabe da minha mania (e de outras sei lá quantas mil mulheres no SL) não fica difícil entender porque eu resolvi avaliar dez lojas de cabelos do Second Life. Sem me preocupar em fazer um “ranking” escolhi “as minhas dez mais”, aquelas que “fazem minha cabeça” quando o assunto é a mais que necessária juba de prims. Não faltou avaliar nem o Lag de cada loja!


Lag da loja

Bishwear BishWear Island (222,152, 27)

Especialidade: Cabelos longos cacheados. Penteados exóticos num estilo que lembra as divas mestiças americanas como Beyoncée. Ponto Fraco: Alguns conflitos de alfa na textura em alguns cabelos. A arrumação da loja é um tanto quanto confusa e algumas fotos dos vendors são diferentes do produto final. Ponto Forte: O realismo e a variedade de texturas. Preços: Razoáveis. Variam conforme a “idade” do produto. Os mais recentes são mais caros. Melhores produtos: Na minha modesta opinião, o cabelo Yesenia (na foto) e o lindíssimo Flame Hair. Avaliação final: Os cabelos da Bish são inconfundíveis e inimitáveis. Você pode comprar os penteados armados sem se preocupar: não parecem bolos de noiva e apesar de terem fomato complicado, raramente são sculpts sem flex. Mas vale levar pra casa o demo e testar, porque nem todas as texturas funcionam bem como na foto.


Especialidade: Longos, lisos e penteados presos; Ponto Fraco: Muitos penteados presos da Maitreya tem a mesma base sculpt, e acabam ficando muito parecidos. Os cabelos cacheados precisam melhorar muito. Ponto forte: Os lisos da Maiitreya tem um caimento flex muito bonito e são elegantérrimos. Os cabelos presos tem um design muito único, mesmo quando totalmente sem flex. Preços: Interessantes. O fato de oferecer sempre packs é bom para quem gosta de variedade. Melhores produtos: A linda coleção “for Zaara” que tem formato especial para usar com as jóias indianas da loja Zaara e os penteados como o Nahla (na foto). Avaliação final: Esta é uma loja famosa e chiquetésima, montade em ilha própria, com uma super estrutura. Mas podia investir mais em variedade de texturas e hair design. E a loja tem mais lag que o desejável.

Maitreya Maitreya Isle (201, 188, 33) Lag da loja


Lag da loja

Sweet Hair Faces (5, 2, 271)

Especialidade: Megalongos superflex. Ponto Fraco: O principal problema da Sweet Hair com certeza é a sua loja, super confusa e com um sistema de organização e exposição que torna muito difícil achar o modelo de cabelo que você quer na cor exata. Ponto Forte: Sem dúvida a qualidade do flex. Os cabelos dessa loja tem um movimento incrível. O hud de ajuste também é uma excelente idéia Preços: Médios. Para quem oferece um cabelo único por compra não são preços exatamente baratos. Melhores produtos: Os modelos Ivanka, Baroness e Claire (na foto). Avaliação final: Os produtos são impecáveis, e fáceis de ajustar, mas a forma que são expostos dificulta a escolha. Está na hora dessa loja investir também em modelos diferentes.


Especialidade: Cabelos scriptados com mudanças de estado físico e styling. Ponto Fraco: Os cacheados são muito pouco realistas, e para uma loja que se propõe a vender cabelos masculinos, ela apresenta produtos realmente ruins. E as texturas ainda remetem ao que o SL era em 2007, vale uma atualização. Ponto Forte: Os scripts já citados e os cabelos em cores exóticas: para quem quer fazer fantasias e cosplay, por exemplo, a Sirena é perfeita com seus cabelos azuis e rosas. Preços: Muito bons. Os preços são baratos se levarmos em consideração que ela só vende packs. Melhores produtos: O recém-lançado Drip wet hair (foto) e vários dos scriptados. Avaliação final: A Sirena só entra mesmo nessa lista por causa da criatividade e inventividade dos seus scripts. É o único lugar onde você pode comprar um cabelo molhado que parece molhado, por exemplo. E os que tem a possibilidade de prender e soltar são bem divertidos. Vale destacar que os freebies que ela oferece também são de alta qualidade.

Sirena Hair West Sunset (159, 50, 21) Lag da loja


Calico

Lag da loja

Calico Kitty (124, 70, 35)

Especialidade: Cabelos estilosos que fazem a cabeça de cerca de 70% das moças que jogam RPG. Consegue fazer cabelos para homem que não são ruins. Ponto Fraco: A Calico merecia uma arejada nas texturas e modelos. Ano passado mudou algumas cores, mas é fato que pelo menos 20% da loja podia ser descartado ou distribuído como freebie. Ponto Forte: A variedade e a versatilidade. Conseguem mandar bem em vários comprimentos e tanto nos lisos como nos cacheados. A texturinha dos cachos, mesmo não sendo realista ao extremo é inconfundível. Preços: Bons. Melhores produtos: Sou apaixonhada pelo Emily hair(na foto), mas devemos destacar o genial Ember, que é uma família de cabelos em vários comprimentos, que está inclusive na gift chair da loja. Avaliação final: A Calico, goste-se de suas texturas ou não, ainda é um nome de grande peso quando se fala em SL. De certa forma, foi revolucionária ao criar um tipo de Flex que muita gente imitou e uma estrutura de modelagem que é perfeita.


Especialidade: Realismo. E cabelos com look “Farrah Fawcett anos 80”, o que, acredite, é elogio. Consegue ter os melhores cabelos masculinos que eu já vi em uma loja que não seja só masculina. Ponto Fraco: Lag insuportável na loja. Outra loja com vendors confusos, para achar o demo é dif[icil, principalmente em momentos de pique no lag. Ponto Forte: Como disse, realismo e flex, muito flex. Preços: Bem interesantes. Melhores produtos: Difícil escolher. Avaliação final: Quando você consegue levar os demos para casa e experimentar, os cabelos da Damselfly são apaixonantes. As texturas, o flex, tudo é nota dez. Mas poderia haver uma redução de modelos sem prejuízo para a loja, e talvez uma reavaliação na quantidade de prims de alguns modelos, inclusive dos prims internos.

Lag da loja

DamselFly Damselfly Hair Salon (145, 237, 25)


Lag da loja

Bewitched Bewitched (195, 161, 21)

Especialidade: A Bewitched começou na verdade como loja de fantasias. Só que seus cabelos temáticos começaram a fazer sucesso e ela virou loja de cabelos, com grande ênfase nos cabelos, digamos assim, “de fantasia” Ponto Fraco: O excesso de opções e modelos parecidos entre si acaba contando contra a loja. Ponto Forte: Cabelos que você não encontra com facilidade em outras lojas, como moicanos e enroladinhos em bobs. Preços: Bons. Os pacotes tem várias opções de cores por um preço justo. O mais legal é que vira e mexe rolam ótimas promoções e liquidações. Melhores produtos: Há hits da Bewitched que nunca saem de moda, como Wild Angel, o Wiccan, o Joy (com bobs) e desfiados como o Wet T-Shirt (na foto) Avaliação final: As texturas da Bewitched e a forma como a loja trabalha prims torcidos fazem os cabelos de lá inconfundíveis. Os Freebies e dollarbies da loja também tornam a loja atraente.


Especialidade: Por que falar da House of Heart se ela é praticamente uma “irmã” da Bewitched? A resposta é o fato dessa marca ser praticamente o pret-à-porter da Sheltered Heart, designer das duas marcas. Se na Bewitched ela cria, na House of Heart ela simplesmente pira na batatinha. Ponto Fraco: Muitas vezes as pirações não dão muito certo. Uma época ficou super na moda um cabelo esculpido de lá bem feioso: parecia uma medusa e enquanto carregava parecia arame farpado. Ponto Forte: Quando a piração é “para o bem” ela é irresistível! Preços: Como a Bewitched, a loja vende pacotes, mas eles são organizados de forma diferente, por tons. Assim, você encontra pacotes com 5 tons de preto, 5 tons de vermelho... por aí vai. Melhores produtos: Meu favorito EVER é o Zaara, da foto. Adoro a textura desfiada dele. Avaliação final: Eu sempre preferi a Bewitched à HoH, talvez por causa das opções de cores. Mas a loja é recomendável também, principalmente para quem quer coisas diferentes. Engraçado que mesmo sendo praticamente do lado da Bewitched, a loja da HoH consegue ter mais lag!

Lag da loja

House of Heart Bewitched (72, 87, 21)


Magika Hair Magika Land (58, 79, 23) Lag da loja

Especialidade: Penteados com acessorios, tranças, rabos de cavalo, orientais e Tai-look. Ponto Fraco: Sem dúvida nenhuma, os demos. Por algum motivo obscuro, eles não tem textura aplicada, mas uma “marca d”água” que torna muito difícil a avaliação do produto. Ponto Forte: A forma como os penteados de rabo de cavalo, tranças e marias-chiquinhas cai bem e não deformam quando você precisa aumentar ou encolher para adaptar ao seu avatar. Preços: Razoáveis. Melhores produtos: Earth (foto) e todos os penteados de rabo de cavalo e tranças. Avaliação final: A Mágika é outra boa loja que poderia dar uma reformulada em texturas e em alguns modelos. Os curtos da loja são pouco trabalhados e a maioria deles não tem flex algum. Os freebies que a loja oferece na verdade são cabelos que não deram certo, essa não parece uma boa política para conquistar simpatia.


Especialidade: Texturas LINDAS em todos os cabelos. Styling de “comercial de shampoo”, com aquele brilho magnífico de cabelo bem tratado. Ponto Fraco: Exageros. Muitos cabelos tem excesso de prims para obter um efeito ultra flex, é lindo, mas pouco prático. E a ilha que abriga a loja parece que ficou incompleta e é mal organizada e mal sinalizada. Ponto Forte: A beleza dos cabelos e o realismo dos afros, que são alguns dos mais bonitos do SL, imitados por muita gente. Preços: Variados. Os cabelos mais antigos, apesar de muito bons, vão caindo de preço e é possível comprar cabelos PERFETOS por até 10 lindens. Os packs mais novos compensam pela novidade. Melhores produtos: Os favoritos ever são o Lola, o Lua (foto) e o super lindo (e barato) Sasha, o melhor chanel do SL! Avaliação final: Queue Marlowe é uma diva e fez sua loja pensando em divas, com muitos acertos. Vale catar a bolota cheia de freebies que é propositalmente escondida.

Analog Dog Analog Dog Hair (101, 188, 21) Lag da loja


Moda Antes de pedir minha internação ou prisão por uso de drogas por começar o ensaio de moda com meu avatar “grávido” saibam que essa é apenas uma homenagem à inspiradora da frase que dá nome a esse editorial, Leila Diniz, famosa atriz conhecida por sua postura libertária e por ter sido a primeira (muito, muito antes de Demi Moore) a posar grávida, expondo seu lindo barrigão. E Leila Diniz está aqui porque se gostava do jeito que era, sem dar bola demais para modas ou convenções. Esse ensaio de moda é antes de tudo um convite a esquecer um pouco as fotos posadinhas com avatares magricelos e procurar seu verdadeiro “eu” no seu avatar. Por isso, em todas as fotos usei meu shape, apenas com modificações e adaptações. Um convite ser diferente, um grito contra o mais-do-mesmo. Essa é minha homenagem a...

...todas as mulheres do mundo Styling, modelo e fotos: Alyne Dagger (como diria a concorrência: que mulher insuportável!)


“Toda mulher é meio Leila Diniz” (Rita Lee)

Nossa Leila tem skin freebie da Belleza. Cabelos Maitreya, olhos Starfucker, biquini e chapéu de confecção própria. Pose(AO) da AnaMations


Lady Marmelade

Inspirada no filme que mais influenciou o imaginário feminino na primeira década do milênio, uma dama do Moulin Rouge. Skin by Alyne Dagger, olhos by Eddesign, cílios Arsnova, traje completo Barerose, cabelos ETD. Pose(AO) da AnaMations Fotografado no Moulin Rouge do SL.


Like a “vurugin” Uma Madonna Japonesa? Por que não?Afinal, o Japão tem o maior fã clube dela fora dos EUA, e se orgulham de amá-la mais na fase “anos 80”. Skin IC Skins, olhos Eddesign, lingerie Blacklace, saia freebie, botas da Blaze Creations, bracelete Cross, crucifixo AM designs, véu da Victoria Brides e bouquet da Lapoint & Bastchild Couture. Poses: CNS e LAP.


Bollywood Blonde

Não é preciso ser morena que nem a Juliana Paes para ficar linda num belo sari. Skin Lelutka, Saree Mashooka Designs. Colar, brincos e jóia de cabeça também da MD Designs (dica: estão na gift chair da loja!). Pulseiras freebie da Yak & Yeti. Fotografado no jardim suspenso do White Taj com poses de lá e da LAP.


Fetiche

O mundo do BDSM, tão forte no Second Life, inspira nosso look fatal. Skin by Alyne Dagger, tatuagens da Garden of Ku. Outfit Elys, máscara da Illusions e botas XTC. Poses: LAP e Diesel Works.


Afro Gheisha Um encontro de dois mundos numa cortesã oriental de pele negra. Skin by Alyne Dagger, olhos by Eddesign, outfit (com AO incluído) da Barerose. Fotografado Oriental Garden na Ilha Bahia Zen usando poses do próprio AO.


Pirate’s Life A princesa dos corsários representa a mulher que triunfa em ambiente predominantemente masculino e desafia convenções. Skin by Alyne Dagger, Cabelo Maitreya, Outfit da Barerose, botas e luvas Illusions. Fotografado na Pirate’s Booty Bay da bahia Zen com poses locais e da CNS.


blade runner A Cyberculture chegou com força total nos anos 80 e nunca mais saiu de moda. Skin freebie da Barerose; cabelos Bewitched Hair; olhos Fierce e outďŹ t da Mimi a Gogo. Fotografado sobre um hover da loja Mimi a Gogo usando poses da CNS e da 5th Order.


Vitoriana Steampunk é o estilo, baseado sobretudo na obra de Julio Verne, que se caracteriza por misturar elementos de ficção científica com visual da era vitoriana. No SL é um dos estilos mais populares. A skin e o outfit completo, inclusive acessórios, são da Grim Bros, olhos da Eddesign, cabelos da Analog Dog e cílios Arsnova. Fotografado em Darkness Fall, usando poses de AO da AnaMations.


Let the sunshine in! Todo mundo sabe que eu sou mais que fã dos anos 60 e 70, mas resolvi criar um look dessa época sem nenhum elemento da minha loja! Skin da Body Madness, biquini freebie da Nick Ree e saia group gift da Amerie’s Naught, Grinalda da Rusty e cabelos da Bish Hair.


Leu absurdos no chat, recebeu MI sem noção? Mande um MI para a Ly!

aMIgos da aLYne

Família, família... cachorro gato galinha Alyne Dagger: vc ainda quer ser minha filha? licadelerue Barbosa: eu quero sim lyne Dagger: vou te adotar licadelerue Barbosa: rs Alyne Dagger: então agora vc é minha filha licadelerue Barbosa: vai ter q aturar o andre de genro, ta ferrada Alyne Dagger: pois é licadelerue Barbosa: ele é chato demais Alyne Dagger: eu sei ** Andredf Back: oi tia Alyne Dagger: tia não Alyne Dagger: agora é sogra! Alyne Dagger: XD Alyne Dagger: pode me chamar de sogrinha Andredf Back: eu não Andredf Back: vou chamar de tia Alyne Dagger: olha só! arrumei um genro revoltado! **

Andredf Back: oi sogrinha Alyne Dagger: oi traste Andredf Back: po sogrinha, q é isso Alyne Dagger: vc é meu genro, se eu não te chamar de traste não tem graça! ** Andredf Back: sogrinha.. posso levar sua filha pro motel? Alyne Dagger: adianta dizer que não? só usa caminsinha, sou muito nova pra ser avó de um monte de pentelho *** Alyne Dagger: ô mad, agora todo mundo acha que tu é pai da minha filha! Alyne Dagger: isso não é justo MadRico Roux: quem? Alyne Dagger: da lica MadRico Roux: é nossa filha? Alyne Dagger: não é MadRico Roux: vamos assumir MadRico Roux: nós transamos uma vez no carro e ela nasceu: estavamos bebados MadRico Roux: nem lembramos Alyne Dagger: eu não lembro MESMO disso MadRico Roux: pois é! essa é a historia q vamos contar Alyne Dagger: eu vou pedir pensão alimenticia então! MadRico Roux: Não faça isso!!!!


Hã?

Zorro, senhor do castelo

moranguinho Fride: Vem ka ? Alyne Dagger: Quem exatamente é você? moranguinho Fride: Não sei. Alyne Dagger: Ah, tá.

Zorro Amat: linda noite pro ce !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Alyne Dagger: obrigada zorro!!! Alyne Dagger: e os castelos? Zorro Amat: tão lindos, esperando vc para vir morar to precisando de mais gente legal aki Alyne Dagger: pô: eu tô num lugar de onde não quero sair, mas vou ver se indico gente legall (Quer morar num castelo? Procure o Zorro).

Weber fuxicando minha vida... Weber Yiyuan: se ta bugadaca em Alyne Dagger: eu estou experimentando danças para um amigo e vc podia manter sua câmera restrita à sua casa Weber Yiyuan: eu ia falar pra vc fazer essa parada do gorro aqui maior pq ta pequeno Alyne Dagger: nem todo mundo é cabeçudo Alyne Dagger: eu fiz na minha cabeça Weber Yiyuan: so tive que almenta um cadinho Alyne Dagger: é que meu avatar tem um cabeção! que nem eu Alyne Dagger: XD Weber Yiyuan: ah Weber Yiyuan: eu so chato neh? Alyne Dagger: É. Alyne Dagger: Mas eu também sou. empatamos Weber Yiyuan: ^^ Alyne Dagger: ^^ Weber Yiyuan: ^^ Alyne Dagger: Chega. Weber Yiyuan: ta.

Campanha do bem Thundera Rau:vamos lançar a campanha “ Seja um Brasileiro Original ‘ não use produtos copiados e eu queria a sua revista nela Alyne Dagger: se quiser apoio da revista eu garanto Thundera Rau: vamos distribuir varios end. de freebie Thundera Rau: vai ter varios desingner dado produtos originais Alyne Dagger: que maneiro Thundera Rau: vamos fazer uma feira de uma semana de freebie (aguardem)

E dessa vez... Juro que não li nada escabroso no chat nos últimos dois meses! Será que o nível tá melhorando?


Especial Voltando à nossa novela, apesar dos protestos veementes dos 8 fãs do Oswaldo Montenegro que alugaram uma kombi para fazer um protesto em frente ao nosso Lounge. No capítulo anterior... Uma pobre noobie chamada ThaliaMercedes Valeska era obrigada por sua malvada madrasta a fazer camp para pagar uma ilha, mas rebelou-se ao conhecer o DJ Rodolfo Antônio, que por sua vez era escravo da noiva sem coração. Os pombinhos foram ajudados pela magnífica Translumbrante Oh a realizar esse amor, mas a sombra da inveja irá ameaçar este romance em mais um capítulo de...

Novela de Alyne Dagger e Lucrecia Slade com apoio (na verdade, ele ajuda para não apanhar) de Xhentai Kurka.


Novos personagens nesse capítulo: Mariska “a iluminada”Writer – Terapeuta, astróloga, taróloga, especialista em relações humanas, analista da percepção e outras super especialidades. Cuida da saúde mental da madrasta e da outra vilã, o que de forma nenhuma parece ser boa referência profissional... Rien Negulesco: Marido de Mariska Writer e nulidade absoluta. Está na história só para segurar as sacolas de compras da terapeuta consumista.

CiganoIgor Unplugged – Fazendeiro Goiano endinheirado que sem saber exatamente porque comprou uma ilha no Second Life e transformou num latifúndio para criar vacas virtuais. Muito idiota, mas cheio da grana, portanto, o marido que MariaEugenia sempre sonhou para Thalia.

Bactéria Barbosa – O pior e mais terrível pirata o Second Life. Uma espécie de ser inferior cujo caráter pode ser transportado confortavelmente nas costas de uma formiga manca.


Depois de um show com o repertório daquele artista cujo nome não pronunciaremos, na casa de RodolfoAntônio...

Por favor, Rodolfo, tenha cuidado comigo, é a minha primeira vez!

Não se preocupe, meu anjo, eu farei tudo para tornar essa experiência inesquecível!! Algumas bolinhas mais tarde...

Eu tinha esquecido que podia ser assim!

Oh, Rodolfo, como foi maravilhoso!


Você é a mulher da minha segunda vida!

Oh! Rodolfo! Eu te amo!

Pois é. Felicidade de uns, ódio de outros. Enquanto nossos pombinhos arrulham no quarto...

Na mesma land, só que atrás de uma ban line (grita) Rodolfo! Eu exijo que você me admita no orb agora mesmo! Eu quero pegar minhas coisas! Você tem que lembrar que metade dos objetos dessa casa me pertence!

Mensagem do Second Life: Seus 247 objetos foram devolvidos

QUE ÓDIO! EU VOU DESTRUIR VOCÊ RODOLFO ANTÔNIO!


E pelo jeito, não é só Striknina que tem motivos para reclamar...

Como assim, advogada?

Que história é essa? Thalia é minha enteada, me deve obediência! Não é uma advogada vestida de libélula que vai me convencer do contrário! Não é bem assim, querida. Você mantinha a pobrezinha vinculada a você por meio de um acordo na RL dizendo que ela tinha que apresentar um relatório sobre investimentos para o SL... e eu descobri que você está mentindo!


Como todos nós sabemos depois da falência da operadora da Kaizen no Brasil todos os investimentos foram cancelados e apenas usuários adictos e curiosos ficaram por aqui.

Eu quero minha enteada de volta, aqui! Ou ela vai se ver comigo...

O que você vai fazer? Dizer para o chefe que está gastando a verba da empresa no projeto falido da sua própria ilha no SL? SUMA DAQUI, SUA BICHA! UÊPA! BICHA NÃO! VEJA LÁ COMO FALA COMIGO, SUA PERUA TAMANHO SUPERLITRO! Translumbrante está alem dos rótulos! Só criaturas como você ainda usam essas definições do século passado! Vou embora. Mas saiba que Thalia não vai voltar. Ela agora tem quem a defenda!

É o que veremos!


Enquanto isso, na Land NIRVANA

Mozinho... sai do busy que duas clientes estão pedindo para serem atendidas com urgência.

Ooommmmmm!

Mas mozinho... sem clientes você não vai poder ganhar dinheiro para seu projeto pessoal, você é tão empenhada nisso.

Ai Momô... detesto quando eu estou em harmonia com a consciência cósmica e me interrompem...

Tem razão, mozinho... mas vou atender uma de cada vez.

Mal sabe a pobre Mariska que sua hamonia cósmica vai ser interrompida por dois tratores desgovernados...


(MI): Mozinho, eu disse uma de cada vez...

Iluminada, Eu estou MORRENDO de ansiedade... eu preciso da sua... ajuda...

Estou possessa, Mariska, sabe o que é POSSESSA?? (MI): Eu se atrapalhei, mozinho... (MI): O que você quer que eu faço?

(suspiro por MI): E agora?

(MI): O jeito é improvisar, Momô...

Amadas... Mariska, cujo nome quer dizer estrela do mar, cheia de luz e harmonia das esferas superiores deseja saber seus problemas para prover a solução...


Foi uma punhalada nas costas. Estavamos noivos... e ele me trocou...

praticamente noobie... não sabe nada de Second Life... está se vestindo...

Você não tem idéia do que é criar uma pessoa desde noobie. Pensar em tudo que ela precisa... fazer tudo para ajudá-la... e

... freebies! Você acredita? Ela se veste com freebies e é amiga daquela...


... tocar Oswaldo Montenegro! ...bicha insuportável, ela disse que é advogada dela! E que agora ela está de caso com um ex DJ que só quer...

de quem você está falando?

Da cretina da minha enteada, que fugiu com um ex-dj louco! Que é cretino do meu ex-noivo, que fugiu com essa mocréia freebie! Então... você também quer desruir esses dois? Com toda minha alma!


(MI) Momo, tá na hora da facada... manda ver! (MI) Deixa comigo, Mozinho, profissionalismo total

Queridassss. Vejo que vocês se entenderam... Não é lindo quando a consciência cósmica junta as pessoas?

Sim, Graças a você vamos unir forças!

Nossa, demais! Eu não sei o que seria de mim sem você Mariska! Só você para dar uma solução tão óbvia para nossos problemas...


(MI) Capricha no Glow, Mozinho...

Sim, a consciência cósmica cuida de tudo amadas! Só cumpro minha missão de ajudá-la a fluir! Por favor, depositem o valorzinho da consulta direto na tipjar. Vai ser só 5K lindens de cada, pra amigo tem desconto

Ai Ai.. Lá se vai meu cartão de crédito...


Enquanto isso...

Are Baba! Tik Tik!

Rodolfo! Eu te amo!

Peraí... será que estamos na novela certa? A Índia ainda está na moda?

Você é a hemácia do meu plasma! Rodolfo! Eu te amo!


Arigatô, meu amor! Rodolfo! Eu te amo!

Ah, já sabemos. Eles viraram mais um daqueles casais insuportáveis que fazem 500 fotos cafonas e postam no Orkut. Isso não dá ibope. Voltemos às nossas vilãs.


De volta a elas...

E daria certo? O Rodolfo não conhece seus alts?

Temos que bolar um plano...

Eu posso usar um dos meus 357 alts para vigiar os dois...

Só os doze principais. Mas acho que isso não iria funcionar.

Você disse MARIDO RICO? Hum... isso me deu uma grande idéia! Eu já sei quem eu posso apresentar para ela...

O pior é que eu queria que ela arrumasse um marido rico que me ajudasse a ter uma ilha...

Enquanto as duas catraias tramam sua derrota, nossos pombinhos continuam inocentemente...


Rodolfo! Eu te amo!

Vou cantar outra música do Oswaldo Montenegro para você, meu amor!

Chega desses dois por esse capítulo, né? Ninguém merece! Vamos logo pular para o otário que Striknina arrumou para apresentar à maligna e ambiciosa madrasta. O povo quer é personagem novo para agitar a trama!

Errê, trem bão, sô!


(por MI) Que HORROR essa ilha, Strik! (MI) Também acho. Mas esse é o sujeito mais podre de absurdamente rico do SL. Ele tem essa ilha toda só para criar essas porcarias dessas vacas virtuais (no aberto) TARDE, IGOR!

Ara! Se não é a dona Squisitina!! Tava mesmo procurando ocê. Minhas vaca tão dano tudo cria e eu quero fotografá us bizzerro, sô! Tu que é boa pra mais da conta nisso!

(por MI) Ai, detesto quando ele me pede serviço! Fotografar avatar cafona é horrível! (No aberto) Mal posso esperar, Igor! Mas eu vim aqui apresentar minha amiga Maria Eugenia!


(por MI) Deus que me livre! Que sujeito grosso! (no aberto) Ai, obrigada... você é tão charmoso...

Prazer, dona! Tu é grande, hein? Tem as anca mais larga que as minhas vaca!

Quê isso, dona! Cuidado aí pra não pisar na bosta da vaca. Essas vaca tão cum script que tão sujando a ilha toda, uai. Uma Lagueirada danada depois, sô! Mas o que a dona qué cum eu? Eu? Ah... é que Striknina me disse que você ta procurando namorada e...


Ó, ta eu até que to... Mas num me leva a már, eu num gosto de avatar maió que o meu não! A senhora é quase um fusca de grande!

Não, não... não sou eu não que a gente quer te apresentar não, é minha enteada e ela é assim, pequenininha...

Mas tem assim, meio bunda grande? Eu gosto assim, sabe? Isso a gente ajeita... Óia, dona, quer ver minhas ilha? Tem umas aí... eu alugo uns negócio. Disseram que esse negócio de sécondláif dava dinheiro aí eu vim... mas ta difícir... acho que eu preciso de alguém pra diministrá minhas ilha, sabe?

Vou matar esse caipira desgraçado!


A sinhora intende disso? Vamos passear pela ilha e... ué, cadê a dona Squisitina?

Sumiu mesmo! O que será que ela vai aprontar? Ela deve ter ido fazer alguma coisa importante...mas, me conta: de onde surgiu esse apelido?

Ara... todo mundo pergunta, dona... tem uns ano que passou uma novela que tinha um cigano e todo mundo dizia que era a minha cara... daí quando eu entrei eu queria me chamar Solimões, por causa do rio, num sabe, mas aí...

Vamos deixar MariaEugenia sendo castigada com uma narrativa “super interessante” e vamos ver o que a “squisitna” está aprontando...


Eu dei carinho, atenção... investi nele com tudo, transformei um Zé ninguém em DJ de sucesso... agora ele vai ver só o que é bom... vai ser reportado e não vai poder fazer nada..

Mal afamado é mais o termo... porque, vai me reportar também, coisa bonitinha?

Eu quero saber se você é o famoso Bactéria Barbosa!

Não... eu tenho uma missão para você. É sério.


Tá. Mas eu não me importo se depois do serviço você quiser sexo, ok? Não se preocupe, não misturo as coisas e...

Hum... agora eu entendi porque você não quer o sexo depois... Não estou interessado em simplesmente detonar alguém, moça. Eu faço produto pirata porque o ideal da pirataria é desafiar o sistema e não ajudar garotinhas mimadas a...

Quieto... eu te pago muito bem para passar produto pirata para um otário... eu quero que ele seja reportado e expulso...

Eu pago dez mil lindens se você conseguir!

Ok, você venceu. Eu topo!

Continua na próxima edição Mas antes, cenas dos próximos capítulos...


Sentiram minha falta, darlings? Não se preocupe“, no próximo capítulo, quando eu transformar Thalia na Miss Metaverso e ela virar modelo de sucesso vocês vão me ver DIRETO! Beijosmeliga!

Não percam o próximo emocionante capítulo da fotonovela mais comentada – cacete, como falaram mal e reclamaram! – do Second Life!


Visite o nosso lounge em GLOOM!

Espaço para exposições de arte e nosso escritório comercial GLOOM (219, 80, 23)


Alyne Dagger

Linden

Polaróides do SL - Este mês cedi a sessão para meus amigos falarem de quem quisessem e darem seus próprios lindens!

Se eu sair mandando linden aí para todo mundo vai acabar dando briga... Marcello Winston

Briga comigo não, mãe... mas meu linden vai pro Dé! Licadelerue Barbosa (ok. mas como eu selecionei a foto, botei ele de velho. - Alyne)


Queria mandar um linden para o DJ azu, que teve a maior paciência com tantas perguntas que fiz para ele sobre ser DJ no SL. valeu, Azu! Eduardo Schiavo Meu linden é, LÓGICO, para meu marido thomtrance O’tole – o meu companheiro de sempre no Second Life. <3 - Ahimsa Balut

Mando um linden para minhas amadas Pepitinha Magic, Shayara Carter e Ana Julia Baxton - MadRico Roux

Vou mandar o linden para vocês duas mesmo - só pra puxar o saco das chefinhas! Xhentai Kurka (puxa saco!!! XD)


Alyne Dagger

LAG

Pra quem já está meio de saco cheio de top lists,fizemos uma “Bottom list” com os dez piores sapatos do SL. Pior que nem sempre a culpa é do sapato!

A bota já é feia por natureza, com essas fivelas de Itu e esse salto carretel horroroso, e a criatura ainda me escolhe uma versão na magnífica cor vermelhohemorragia. E essa meia-arrastão completa o desastre. No ano de 2007 era comum fazer uma bota usando um sapato + uma meia do SL pretos, pela falta de oferta. Fazer isso em 2009, quando tem bota sculpt até freebie é deprimente, moça. Pelo amor de San Dior, aposente essa heresia estética!

E a amiguinha da moça da bota vermelha parece que foi no mesmo cafonódromo se calçar e vestir. O mix de coturno +salto tem que ser muito bem feito pra ficar bom, o que não foi o caso, ainda mais evidente com essas estranhas ligas de patinhas de gato. Depois a criatura enche a boca pra dizer “sou neko!” pra mim tpa mais pra zé-maneco. Taí outro caso de revival desnecessário. O festival de blings dos primeiros sapatos de prim do sl, pelo jeito, eram para esconder os defeitos da coisa. Agora já tem sapatinho mais honesto, mais bem ajambradinho... não tem porque andar por aí soltando faísca, né?


Sim, ela não usa a base!

Meu São Jesus Cristinho, que diabo é isso! Salto de coluna espacial e polaina derretendo sobre as pernas. HORRÍVEEEL.

De vez em quando revivem uma cafonice dos anos 80. No SL, a bola da vez é a polaina. E tome perna de taturana!

A “pergunta do milhão “ desta edição é: Por que dar uma nota preta nesse sapato com dedinho sculpt se você não sabe editar a cor pra combinar com sua pele? Acha sexy o visual “Fui à praia usando meia soquete”?

Falando em taturana... lembram dessa bota, que era o fino em 2006? Só noobie para usar isso, ainda mais sem a base!

Tudo vai mal, muito mal, quando você paga uma grana numa gladiadora dessas e não sabe editar o troço pra entrar na sua perna batatuda e, ainda por cima, não sabe combinar a cor do dedinho sculpt. E depois diz que A SANDÁLIA que é ruim.



BG Magazine #20 Brasil