Page 1

7.SET.2012

1


2


7.SET.2012 31.ago.2012

3


As regras para a propaganda eleitoral

Bullying, uma lição de casa

8

6

Bem-vindos à Capital do Xis

Benefícios dos orgânicos antes da mesa

9

13 Clubinho Disney para salvar os animais

11

5 meses de tensão para a torcida alviverde

Juventude confiante na segunda vitória contra o Cianorte

Playing Video Game: a orquestra passou de fase

17

29

MODA E BELEZA O mercado jovem e produtos para não envelhecer

Fotos: 9: Maicon Damasceno, Arquivo/O Caxiense | 10, 11: Paulo Pasa/O Caxiense | 17: Douglas Trancoso, Divulgação/O Caxiense

4

10

30


DIGA!

Rua Os 18 do Forte, 422\1, bairro Lourdes, Caxias do Sul (RS) |

O melhor xis é daqui | Tradição caxiense | Qual o seu preferido?

95020-471 | Fone: (54) 3027-5538 Reprodução: Paulo Pasa/O Caxiense

ocaxiense@ocaxiense.com.br

www.ocaxiense.com.br

Diretor Executivo - Publisher

Felipe Boff Paula Sperb Diretor Administrativo

Luiz Antônio Boff

Editor-chefe | revista

Marcelo Aramis Editora-chefe | site

Carol De Barba

Se tem uma coisa da qual temos orgulho é de ser um veículo de comunicação que, em todas plataformas (impresso, site, mobile, tablet e redes sociais), tem uma identificação plena com Caxias do Sul. Basta folhear esta edição que você tem em mãos. Página após página, mesmo com tantos assuntos diferentes, o elo entre todas pautas é a nossa cidade. Escrevemos em Caxias e para Caxias, mas não aquela Caxias do imaginário construído, onde só tem trabalho e uva. Uma Caxias do Sul urbana, rica em diferentes culturas, moderna, com a cabeça aberta e jovem – basta olhar os últimos dados do IBGE. E um leitor jovem (não só no documento, mas na mentalidade inovadora) precisa de um veículo de comunicação que atenda suas expectativas, que são muitas, e esteja em sintonia com as tendências digitais. O CAXIENSE tem tudo isso somado à missão de também ser um espelho que reflete nossa realidade. E, convenhamos, nossa realidade tem muita coisa boa, basta olhar para os lados. Ou para o prato. Neste número 145, nossa reportagem principal mostra a relação estreita entre os caxienses e o xis (aqui se escreve assim mesmo: xis. Não é cheese nem hambúrguer). Levantamos a bandeira de que temos o melhor xis do mundo, quem prova o contrário? Com tamanhos e sabores para todos os gostos, o xis já é uma tradição, como tantas outras que já temos, e merece ser tratado assim. Temos quantidade e qualidade suficiente para ter um festival dedicado ao lanche,

por que não? Tanto que a ilustração da nossa capa, feita pelo editor-chefe Marcelo Aramis faz uma brincadeira (bom humor é um ótimo tempero para a vida) com a “nossa festa maior”, a Festa da Uva. O conceito foi desenvolvido primeiramente no rascunho (acima) e finalizado no computador. No nosso site e nas redes sociais o espaço está aberto para quem quiser contar qual é o seu xis preferido. O CAXIENSE também fala de coisa séria. No último sábado (1º), transmitimos em vídeo no nosso site o debate entre os candidatos à prefeitura promovido pelo Sindiserv, em parceria com a São Francisco AM.

Andrei Andrade Daniela Bittencourt Rafael Machado

Gesiele Lordes Leonardo Portella Paulo Pasa Designer

Luciana Lain COMERCIAL Executivas de contas

Quero parabenizar a Rádio São Francisco e o O CAXIENSE pelo excelente trabalho neste debate. É muito importante para nós, eleitores, acompanharmos as promessas e depois fiscalizar. Rosalina F. Rossi

Pita Loss Suani Campagnollo ASSINATURAS Atendimento

Tatyany R. de Oliveira Assinatura trimestral: R$ 30 Assinatura semestral: R$ 60 Assinatura anual: R$ 120 capa Arte de Marcelo Aramis/O Caxiense TIRAGEM

Boa leitura! Paula Sperb, diretora de Redação

5.000 exemplares

7.SET.2012

5


BASTIDORES

Bullying, um tema cada vez menos calado | Orgânicos fazem bem ao meio ambiente | O passo a passo da virada alviverde

Santinhos, mas nem tanto Antes de esbravejar aquele jingle de candidato que interrompe o sono às 8:00 do sábado ou aceitar um brinde inocente, conheça o que pode ou não na propaganda eleitoral, segundo a resolução n° 23.370 do Tribunal Superior Eleitoral. Em caso de irregularidade, qualquer cidadão pode fazer denúncias pelo e-mail propagandacaxias@tre-rs. jus.br ou pelo site www.tre-rs.jus.br, no link Denúncias sobre Infrações à Legislação Eleitoral. Os contatos são recebidos e avaliados pela Zona 169 do Cartório Eleitoral, que notifica o candidato. Situações que não estiverem previstas na resolução são avaliadas pelo promotor de Justiça Eleitoral. As denúncias também podem ser feitas pessoalmente no Ministério Público (Avenida Independência, 2372). Para agilizar o processo, é importante se identificar com nome completo, que será mantido em sigilo, explicar detalhes sobre a denúncia e anexar fotos ou outras provas. BOM PORTUGUÊS As propagandas devem ser feitas em português e devem mencionar a legenda partidária. Nas propagandas dos candidatos à prefeitura, o nome do candidato a vice-prefeito também deve aparecer. SOBE SOM Alto-falantes, amplificadores e carros de som são permitidos até a véspera da eleição, das 8:00 às 22:00. Em comícios, a barulheira é liberada das 8:00 às 24:00.

6

CANDIDATO NO PEITO E BOCA FECHADA O eleitor pode manifestar individualmente sua preferência por partido ou candidato, usando bandeiras, broches e adesivos. Manifestações coletivas não são permitidas durante o dia de votação, até as 17:00.

BRINDE A regra é que qualquer propaganda distribuída não tenha serventia alguma para o eleitor, além da informação. Camisetas, chaveiros, bonés, canetas e outros brindes são vetados. Broches estão liberados – furar a camiseta não é considerada uma vantagem para o cidadão.

QUANTO VALE O SHOW No palanque, só o candidato pode mostrar seus talentos ( e somente políticos). Showmícios são proibidos, assim como apresentações, remuneradas ou não, de cantores, apresentadores e atores em reuniões eleitorais.

ATÉ QUANDO? A propaganda eleitoral pode ser feita até 48 horas antes das eleições e pode ser retomada 24 horas depois, em rádio, televisão, comícios ou reuniões públicas. Já passeatas, carreatas, carros de som e distribuição de material gráfico são permitidos até as 22:00 do dia anterior à votação. Na internet, a propaganda pode ser feita sem interrupções, mas não pode ser paga. PAREDE SIM, POSTE NÃO Postes, passarelas, muros, cercas, paradas de ônibus e fachadas de estabelecimentos comerciais não podem ter nenhum tipo de propaganda eleitoral. Pinturas e fixação de faixas, placas ou cartazes podem ser feitas em bens de uso particular, como a parede de uma casa, por exemplo, desde que não tenham mais de 4 m² e que o espaço seja cedido gratuitamente pelo proprietário do imóvel. Nas fachadas de suas sedes, candidatos, coligações e partidos podem fazer qualquer tipo de propaganda. Já nos comitês, a propaganda deve obedecer os 4 m². É permitida a colocação de cavaletes, bonecos, cartazes, mesas para distribuição de material de campanha e bandeiras ao longo das vias públicas, desde que sejam móveis e não atrapalhem o trânsito de pessoas e veículos. Os materiais têm que ser retirados até as 22:00.


CAM

PUS

Biologia na prática

Vinte e duas palestras, além de oficinas e minicursos, integram a programação da Semana Acadêmica da Biologia – Biologia no Centro da Vida, na Universidade de Caxias do Sul (UCS), que ocorre de segunda (10) a sexta (14), no auditório do Bloco 57. A palestra de abertura, Sensoriamento remoto e geoprocessamento em estudos ambientais, será às 9:15, com o técnico do projeto Lagoas Costeiras, Cassiano Marchett. Na quarta (12), a professora Juçara Bordin, da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), compartilha experiências sobre seu projeto, intitulado de Briófitas do Centro Urbano de Caxias do Sul. Na pesquisa, foram encontradas 29 famílias, 56 gêneros e 93 espécies de briófitas, que são plantas pequenas que vivem em locais úmidos e sombreados. O encontro será às 10:15.

Descubra sua vocação

Escolas públicas e privadas de Caxias do Sul já podem inscrever as turmas de 2º e 3º anos em mais uma edição da Feira de Profissões da UCS. O prazo para inscrição segue até 20 de setembro. As turmas inscritas serão recepcionadas de 2 a 5 de outubro. Os visitantes também conhecerão outros programas da UCS, como o Programa de Línguas Estrangeiras e programas de intercâmbio. No final do passeio, o Lounge UCS fará a interação com música no espaço UCS FM. Informações pelo telefone 3218-2017, com Jaqueline.

Intercâmbio sem fronteiras

+ PALESTRAS Faculdade da Serra Gaúcha

A FSG realiza na próxima segunda (10), às 19:30, a palestra Doação de Órgãos: multiplique esta ideia com o enfermeiro do Banco de Olhos e membro da Comissão IntraHospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do Hospital Pompeia, Hugo Castilhos. A entrada é franca.

Faculdade América Latina

Para explicar a criação da Aliança Renovadora Nacional (Arena) e de outros movimentos durante a Ditadura Militar no Brasil, o professor André Gerardi conversa com estudantes e visitantes do curso de Ciência Política, na palestra O Bipartidarismo do Regime Militar e os seus Reflexos no Atual Sistema Político Brasileiro. O encontro será realizado na terça (11), às 19:30, no auditório da instituição.

Faculdade Inovação

Para estimular a leitura, tão importante para o aprendizado e o raciocínio, a Faculdade Inovação (FAI) realiza na terça (11), quarta (12) e quinta (13), das 19:00 às 21:30, a Feira do Conhecimento. Representantes de editoras e livrarias oferecerão livros com valores especiais para toda a comunidade.

A partir deste mês, os alunos da Faculdade América Latina poderão concorrer a bolsas de estudo pelo Ciência Sem Fronteiras, do Governo Federal. O programa federal prevê a oferta de 101 mil bolsas em 4 anos para promover intercâmbio e estágios de alunos de graduação e pós-graduação no Exterior.

Universidade de Caxias do Sul

Para curtir o Enem

Anglo Americano

Se você for prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste ano, reserve suas segundas e quartas-feiras para o Facebook. No mês de setembro e outubro, a Faculdade Anhanguera transmitirá aulas online, das 16:00 às 16:45 em sua página oficial na rede social: 30 minutos de conteúdo e 15 minutos para perguntas. O Enem 2012 será aplicado nos dias 3 e 4 de novembro. WWW.ANGLOAMERICANO.EDU.BR. 3536-4404 | WWW.UCS.BR. 3218-2800 | WWW.FSG.BR. 2101-6000 | WWW.FACULDADEMURIALDO.COM.BR. 3039.0245 | WWW.AMERICALATINA.EDU.BR. 3022-8600 | WWW.ANHANGUERA.COM. 3223-3910 | WWW.PORTALFAI.COM.BR. 3028-7007 |

Direito Penal Econômico Internacional. Início: 29 de setembro. R$ 183 ou duas parcelas de R$ 93. Estratégias de Comunicação Escrita. Início: 6 de outubro. R$ 90 ou duas parcelas de R$ 45. Administração dos Conflitos nas Organizações. Início: 15 de setembro. R$ 25 Gestão de Compras Módulo II. Início: 15 de setembro. R$ 25 Introdução a publicidade e propaganda. Início: 15 de setembro. R$ 25.

Faculdade Murialdo

Personal Training. Início: 28 de setembro. R$ 495.

Faculdade América Latina

Técnicas Criativas em Projetos de Design. Início: 15 de setembro. R$ 140

7.SET.2012

7


“Hoje as crianças estão mais vulneráveis porque as escolas estão mais multiculturais”, diz pesquisador sobre bullying

Carlos Ferreira Neto |

Janaína Silva, Divulgação/O Caxiense

“Eu ainda entendo que nós temos que ajudar, tanto as vítimas do bullying, quanto os agressores. Os agressores também merecem a nossa atenção. São crianças e se tornarão adultos...”

8

Para o professor português Carlos Ferreira Neto, a diversidade cultural das escolas é um dos fatores que agravaram o bullying entre crianças e adolescentes. Ainda assim, as novas tecnologias tornaram a prática ainda mais sigilosa e com o mesmo propósito: intimidar vítimas por razões que vão desde a aparência física até a condição social. Carlos, que é coordenador do Mestrado em Desenvolvimento da Criança da Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa, esteve em Caxias na semana passada e foi um dos palestrantes do IV Congresso Internacional de Motricidade, promovido pela FSG.

crianças e se tornarão adultos...

Bullying é a principal preocupação dos educadores? É um dos maiores problemas do contexto escolar e que deve ser motivo de preocupação não somente dos educadores, mas dos pais. Porque o bullying é um comportamento agressivo, que acontece ao longo do tempo e de forma repetida. Hoje nós temos crianças mais vulneráveis. E, como consequência, essas crianças sofrem, muitas vezes em silêncio, pelos maus tratos feitos por terceiros. E é por isso que todos temos que nos preocupar.

Como os pais podem identificar se o filho está sofrendo bullying? Diálogo e atenção a sinais como a criança não querer ir para a escola; aparecer com ferimentos; a falta de objetos escolares; criança sempre doente, com dores de cabeça; diminuição da interatividade com outras crianças. Os pais deveriam manter diálogo sempre com os filhos sobre a vida na escola e indagar também os professores. Saber como o filho é na escola.

O cyberbullying é mais violento? É mais complexo. A dificuldade é grande em encontrar os agressores. Em um e-mail, em um site, através de uma filmagem de celular, posso fazer muito mal a outra pessoa. Os pais e os educadores devem ter muita atenção na forma como essas crianças, principalmente a partir dos 3 anos, lidam com as novas tecnologias. Devem cuidar para que elas não utilizem para o mal. Qual o perfil dos agressores? Um agressor pode ter muitas facetas. Muitas vezes, são oriundos de famílias desestruturadas, onde há violência doméstica. Perseguem as vítimas porque tentam reproduzir modelos que observam e fazem sem qualquer pudor. Eu ainda entendo que nós temos que ajudar, tanto as vítimas do bullying, quanto os agressores. Os agressores também merecem a nossa atenção. São

E um perfil das vítimas? São crianças inteligentes e, muitas vezes, tímidas. Por isso atraem agressores. A prática da educação física continua sendo mais suscetível ao bullying? A aula de educação física é a melhor forma de se trabalhar. Porque a prática e a forma como se pratica permitem que as crianças assimilem um conjunto de regras, que são fundamentais, como o fair play, que é o jogo limpo, o espírito esportivo. É também saber ganhar e perder. Acaba sendo uma forma de educar agressores e de cuidar das vítimas.

Bullying sempre existiu? Hoje as crianças estão mais vulneráveis porque as escolas estão mais multiculturais. As escolas deram acesso a todas as crianças. Nós temos hoje crianças que são originárias de classes sociais muito diferenciadas e de origens étnicas muito diferentes. Nós temos hoje também essa multiculturalidade no contexto escolar e isso, obviamente, permite provocar mais problemas e maior nível de conflitos entre as partes. A escola também tem culpa? A escola falha quando o projeto não está bem estruturado de valores e de regras que são fundamentais para que todos se sintam bem e felizes. Quando vira caso de polícia? Eu não estou de acordo que a polícia entre na escola. Mas nos casos em que existe violência extrema, do ponto de vista de utilização de armas, a polícia pode ajudar a resolver o conflito.


Paulo Pasa/O Caxiense

BOA

Maicon Damasceno, Arquivo/O Caxiense

GENTE

Um empresário cultural “Uma empresa não pode somente gerar emprego e renda. Tem que ser ativista cultural na cidade também”, diz Gilberto Dal Zotto, de 52 anos, diretorgeral da empresa caxiense Luna ALG. Desde a fundação, em 2007, investir na cultura local é uma das políticas adotadas por Gilberto para incentivar novos artistas na cidade. “Cumprimos um papel social em cada apoio. É bom para a empresa e ótimo para o artista também”, destaca. Um dos projetos beneficiados pela Luna – fabricante de guindastes – foi o 1º Interior Graff, que fez a ambientação artística da empresa com o trabalho de mais de 20 grafiteiros do Rio Grande do Sul. Pintaram caixas d’água, telhados e paredes no parque fabril. Coloriram

a rotina de 190 funcionários. “Grafite é uma exposição da realidade. Consegue destacar traços e cores, deixando muros e paredes mais bonitos e culturais”, conta ele, que também é professor de Economia e Marketing na UCS. O apoio só é concedido após análise de Gilberto e da equipe de marketing da empresa, que incentivaram nos últimos anos ações esportivas, musicais e literárias. A Luna ALG e outras 38 empresas caxienses foram agraciadas com o troféu Empresa Amiga da Cultura, uma iniciativa da prefeitura e da Câmara de Indústria, Comércio e Serviço (CIC). Para Gilberto, o troféu é um combustível para que novas empresas contribuam com a cultura em Caxias.

TOP5

Agricultura orgânica Mais saudáveis e ecologicamente corretos, os alimentos orgânicos vêm ganhando espaço não só na alimentação dos consumidores. No dia 21 de agosto, a presidente Dilma instituiu a Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica, a fim de incentivar o cultivo e ampliar a oferta. Na última semana, o IV Encontro Caxiense para Desenvolvimento da Agricultura Orgânica Sustentável debateu sobre o tema na UCS. A professora e pesquisadora na área de agricultura orgânica da universidade, Valdirene Camatti Sartori, destaca os principais benefícios do cultivo orgânico. Respeito ao meio ambiente Para ser considerado orgânico, o alimento tem que ser produzido sem nenhum resíduo de agrotóxico, postura

Baixo custo Boa parte dos fertilizantes utilizados neste tipo de cultivo pode ser produzida pelo próprio agricultor, reduzindo os custos de manejo. Segundo Valdirene, o consumidor também é beneficiado, pois compra um alimento mais Nutrição saudável sem gastar mais. “As Devido ao tipo de grandes redes de supermercado lucram em cima destes alimentos, manejo, os alimentos orgânicos têm maior valor mas se for comprar na feirinha de nutricional, sendo mais ricos em orgânicos, vai ver que é o mesmo uma série de minerais. “Estamos preço”, diz. adquirindo alimentos que não Agricultura familiar têm agroquímico, são alimentos de fato, e não produtos”, defende Segundo a professora, a Valdirene. valorização da agricultura orgânica está ligada Saúde do produtor à manutenção da agricultura O uso de biofertilizantes familiar, aquela em espaços entre também é mais saudável 3 a 7 hectares, pois incentiva a para o agricultor, que não permanência do jovem no campo precisa lidar com químicos. e possibilita a geração de renda. que já demanda conscientização ambiental por parte do agricultor. Isso representa o uso de fertilizantes naturais, como compostagem, extratos botânicos, óleos essenciais e produtos biológicos, além da preservação de nascentes, áreas verdes e matas.

7.SET.2012

9


5 meses na vida de ... um clube em busca da recuperação

Paulo Pasa/O Caxiense

O Juventude aposta todas as suas fichas de 2012 no Campeonato Brasileiro da Série D. No ano passado, a chance de chegar à Série C e subir pelo menos um dos degraus que o clube almeja, depois de ter figurado por 13 anos entre os maiores do país, escapou na última partida. Este ano, a caminhada na quarta divisão nacional começou com muitas dificuldades. Em alguns momentos, muitos davam como certa a eliminação precoce da competição, ainda na primeira fase. Mas, com a chegada do técnico Lisca, o clube conseguiu uma recuperação espetacular, garantiu vaga nas oitavas de final e segue em busca do acesso à Série C de 2013. Até agora, o planejamento visando a competição nacional rendeu muitos momentos marcantes.

na Série A. Em comparação com a maioria das contratações indicadas por Martins, Marcel tinha um diferencial que mais tarde seria muito cobrado pela torcida: identificação com o Juventude.

30 de abril Luiz Carlos Martins, vindo do futebol paulista, é apresentado como treinador do Juventude para a Série D do Brasileiro. Com vários acessos em diferentes times no currículo, ele chegou como grande esperança para o clube subir à Série C. Indicou vários reforços do futebol de São Paulo, como Julio Cesar, João Henrique, Diogo, Raul, Marcio Garcia, Juliano e Diogo Oliveira. Fez 3 amistosos antes do campeonato nacional, com uma vitória, um empate e uma derrota.

23 de julho Luiz Carlos Martins deixa o comando. A baixa pontuação alcançada no primeiro turno da fase classificatória pesou e a diretoria optou pela mudança. Inicialmente, o então auxiliar técnico Carlos Moraes assumiu como técnico interino. Ele comandou o time na vitória por 2 a 0 em um amistoso diante do Novo Hamburgo, então treinado por Lisca, escalando uma equipe com muitos jogadores formados nas categorias de base do clube. Posteriormente, veio à tona a informação de que, naquela partida, Lisca já tinha acertado sua vinda para o clube.

11 de maio O meia Marcel é apresentado como reforço para a disputa da Série D. Ele já havia atuado pelo clube em 2006,

10

24 de junho Depois de quase um mês de atraso, começa a Série D para o clube alviverde. Na primeira partida, derrota para o Metropolitano, em Blumenau, por 2 a 1. Sob o comando de Martins, no primeiro turno, o time venceu o Brasil de Pelotas e empatou com Mirassol e Arapongas, terminando a primeira fase com 5 pontos. Martins mantinha uma postura tranquila, dizendo que o clube precisava de tempo para atingir o rendimento ideal.

30 de julho Lisca é apresentado como novo

treinador, com a missão de recuperar a autoestima e o rendimento do time em campo. Já no primeiro dia, teve uma longa conversa com os atletas, que afirmaram que, a partir dali, a realidade do clube seria outra. Na primeira partida de Lisca no comando do clube, derrota por 2 a 0 para o Arapongas fora de casa. Porém, nas partidas seguintes, veio a mudança esperada. Com muitos jogadores formados no clube, o time conquistou vitórias por 4 a 0 sobre o Mirassol e 1 a 0 sobre o Brasil de Pelotas. “A partir do jogo diante do Mirassol, nossa atitude foi outra, e foi fundamental para nossa recuperação”, diz o lateral esquerdo Alex Telles. 26 de agosto As duas vitórias nas rodadas anteriores deixaram o Juventude em situação mais tranquila para o último jogo da primeira fase. Com um empate em 0 a 0 diante do Metropolitano (SC), o time garantiu a classificação que, semanas antes, era quase impossível. Com o feito, o clube se credenciou a enfrentar o Cianorte (PR) nas oitavas de final da Série D. Se chegar à semifinal, o clube conquista o acesso à série C de 2013. Para Lisca, a rotina de disputar jogos decisivos ainda na fase classificatória pode beneficiar o Juventude nas etapas eliminatórias. Mas, desde o início, faz questão de garantir que não há favoritismo. “É um novo campeonato, onde todos começam do zero e têm as mesmas condições de classificação”, diz.


Maria Alice, Luísa e cartaz do projeto |

Fotos: Paulo pasa/O Caxiense

Animais, maus-tratos e boicote: assuntos de criança por Daniela Bittencourt Maria Alice Tergolina e Luísa Ordovás Bolzan têm 10 anos e um objetivo: mudar o mundo, começando por Caxias. Motivadas pela Amigos Transformando o Mundo, uma ação da Disney que premia iniciativas sociais e ambientais de crianças e jovens, as alunas do Colégio Mutirão Objetivo deram vida ao projeto Kids Protecting Pets. A ideia vem crescendo e conquistando espaço entre ativistas e pessoas engajadas na proteção de animais. “No começo do ano, a Maria me ligou pra saber sobre um tema da escola e tinha na Disney este projeto, que era para mudar o mundo...”, explica Luísa, tímida. Interessadas no prêmio de mil dólares, as meninas tinham a intenção de doálo para uma instituição de proteção aos animais de Caxias, caso fossem contempladas, mas não venceram o prazo para as inscrições. Só que a vontade de transformar algo já tinha sido atiçada e, desde que adultos não sejam empecilho, as crianças dificilmente identificam obstáculos. Foram buscar a ajuda de quem já tinha experiência em contribuir com a causa. “As meninas me ligaram e disseram que queriam fazer um projeto de apoio aos animais na escola”, conta Fernanda Catusso, criadora da empresa Felicia Pet Lover, uma loja virtual que comercializa produtos de bazar e reverte o lucro para o acolhimento e castração de animais abandonados. Munidas de

informações, as gurias partiram para a prática. Entre o surgimento e o amadurecimento da ideia passaram-se quase 6 meses. A primeira apresentação do Kids Protecting Pets aconteceu na sala de aula do 5° ano do colégio Mutirão Objetivo, para um grupo de alunos atentos e desconfortáveis. “Eles acharam legal, mas ninguém gostou muito das fotos”, contou Luísa. Alice acha que as imagens podem ter chocado: “Alguns colegas acharam pesado”, lembra. A intenção era mesmo provocar alguma reação. Os slides mostravam animais deformados e machucados, enquanto as meninas iam explicando os efeitos de testes realizados em animais. Durante os quase 50 slides da apresentação, elencaram marcas que, segundo elas, realizam este tipo de teste. Com a premissa da conscientização, o projeto tem duas frentes: atua contra os maus-tratos e defende o boicote às marcas que realizam testes em animais. “É para conscientizar as pessoas a não usarem esses produtos testados em animais e não tratarem eles como brinquedos, como se fossem bonecos”, explica Luísa. “Que nem aquelas madames que colocam sainha de frufru nos animais”, exemplifica Maria Alice, antes de dar um sorriso contido, mas sincero. Depois da apresentação na escola, as meninas criaram uma página do projeto no Facebook e levaram a ideia para o curso de inglês que frequentam. Vários colegas também se dispuseram a colaborar com Luísa e Maria Alice.

“A gente pediu para alguns colegas que fazem inglês em outros lugares e balé, para colocarem lá também”. Os locais recebem cartazes e caixas de coleta para doações de ração, materiais de limpeza, cobertores, casinhas de animais, entre outros. As doações são destinadas aos animais mantidos por Fernanda e também serão distribuídas entre outras entidades protetoras. “O que achei muito legal da parte delas é o enfoque que elas fizeram sobre um assunto delicado, é um enfoque muito avançado para a idade delas”, orgulha-se Fernanda, que deu as primeiras orientações, mas garante que toda construção e sucesso do projeto é mérito das meninas. “Se, com 10 anos eu tivesse essa consciência, talvez estivesse muito à frente. Só alguém da idade delas pode falar para a mesma idade. Eu não conseguiria falar para uma turma de alunos de 10 anos”, defende. Ela tem 27 anos e criou a Felicia Pet Lover há 2. Sob orientação da mãe de Luísa, Rachel Ordovás, o projeto está sendo registrado no Escritório de Direitos Autorais, na Fundação Biblioteca Nacional. A intenção, segundo Rachel, é proteger a autoria. Por sugestão da coordenadora pedagógica do Mutirão Objetivo, em breve elas devem começar a apresentá-lo para escolas da rede estadual. “O que vocês esperam do projeto?”, perguntou a repórter. Sem pensar muito, Luísa respondeu, convicta: “Que ele cresça bastante e que as pessoas levem a sério”. 7.SET.2012

11


Rafael Moschen, Div./O Caxiense

ple

na rio

Política para a educação

A Ftec recebeu os 5 candidatos a prefeito para um painel, na última segunda-feira (3). “Foi um momento muito bom de cidadania para nossos alunos”, destacou o diretor geral Claudio Meneguzzi Jr.. O diretor entregou aos políticos uma carta com sugestões, incluindo o exemplo do Unipoa, uma espécie de Prouni de Porto Alegre, para indicar a possibilidade de a prefeitura conceder bolsas

para estudantes carentes em cursos de “alta empregabilidade”. Na Capital, a Ftec já tem 50 alunos bolsistas nesse sistema. Em Caxias, a faculdade concede anualmente 2 bolsas de graduação e 2 bolsas de cursos técnicos aos 4 primeiros colocados, respectivamente, no curso gratuito de 6 meses oferecido pela instituição. “Mesmo sendo ensino privado, temos um fim social”, disse Claudio.

Candidatos inadimplentes Para evitar os transtornos de uma ficha suja, pelo menos 3 candidatos a vereador procuraram o SPC para consultar seu crédito e quitar dívidas. Segundo o diretor financeiro da CDL Caxias, Valtuir Rizzo, foram pagos cerca de R$ 1 mil.

Feijão com arroz e doença holandesa Ministro da Fazenda no governo Sarney, Maílson da Nóbrega palestrará em Caxias do Sul na próxima semana. No final dos anos 80, em um período econômico de inflação altíssima, déficit público e sem acesso a crédito internacional, o então ministro foi reconhecido pela chamada “política do feijão com arroz”, que procurou não congelar preços e salários para procurar o equilíbrio. Na próxima quarta-feira (12), às 19:30, na CIC, Maílson da Nóbrega falará sobre A variação cambial e a desindustrialização brasileira. O ex-ministro tem usado a tese da “doença holandesa” para contextualizar a desindustrialização, tema que preocupa as indústrias de Caxias. O evento é promovido pela Martinelli Advocacia Empresarial, que comemora 15 anos. Os ingressos de R$ 100 serão revertidos a entidades assistenciais. As inscrições podem ser feitas pelos telefones 3218-8061 e 3218-8042.

12

Assédio moral

No termo de compromisso entregue pelo Sindiserv aos 5 candidatos após o debate realizado na Câmara de Vereadores no último sábado (1º), consta a “criação de lei de combate ao assédio moral”. Apenas Marcos Daneluz (PT) e Luis Fernando Possamai (PSOL) assinaram o documento. Alceu Barbosa Velho (PDT) disse que não assinaria compromissos que são obrigação do prefeito, Assis Melo (PCdoB) alegou que as causas estão contempladas no seu programa de governo e Milton Corlatti (DEM), após um tempo para análise, concordou nesta semana com alguns termos e sugeriu modificações. Quando vereador, em 2001, Alceu criou um projeto com punições para quem praticasse assédio moral. Aprovado por unanimidade, foi vetado em 2003 pelo então prefeito Pepe Vargas (PT). Em 2010, a vereadora Denise Pessôa ingressou com projeto parecido. A proposta recebeu parecer de inconstitucionalidade, pelo mesmo motivo do veto de Pepe: só o Executivo poderia legislar a respeito do tema.

10 empresas caxienses na Alemanha

Neste domingo (9), 28 integrantes de 10 empresas embarcam para Frankfurt para participar da Feira Automechanika, onde terão uma área de 240m² para expor seus negócios. A missão é promovida pelo Simecs. De acordo com o presidente da entidade, Getulio Fonseca, as empresas Voges, Fábrica Nacional de Amortecedores, Tomé S/A, Duroline, Resfriar Climatizações, Metalúrgica Coser, Perfilline Componentes Metálicos, Borghetti Turbos, Imatron Indústria Eletrônica e Inova Sistemas Eletrônicos estarão representadas.

anos é o marco que a Agrale celebra em 2012. Depois de ser homenageada na Assembleia Legislativa em junho, agora a empresa recebe as honrarias na cidade natal. Na próxima quinta-feira (13), a partir das 17:00, a Câmara de Vereadores promove sessão ordinária para comemorar o meio século de vida da montadora.


por Andrei Andrade

7.SET.2012

13


Se é exagero ou não, pouco importa. Em Caxias se come o melhor xis do mundo. Esta é a frase que o proprietário de uma das hamburguerias mais populares da cidade, que leva o nome do dono, Jaime Rocha, sonha em ver estampada em um outdoor na entrada da cidade. E que reflete, há pelo menos 40 anos, um consenso entre moradores e turistas: não se tem notícias de outro xis tão bom. Sim, até os caxienses que só reclamam concordam: o melhor é daqui. Vamos aos números. Caxias do Sul concentra 97 hamburguerias filiadas ao Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares. Elas empregam 459 pessoas. A cada mês, as 4 principais padarias responsáveis por abastecer estes estabelecimentos distribuem cerca de 450 mil pães de xis. Considerando esse dado, é possível estimar que Caxias consome pelo menos 15 mil xis por dia. Com o preço médio de R$ 10 cada lanche, são pelo menos R$ 150 mil diários que este mercado movimenta (sem contar a bebida e outros lanches menos ou mais cotados, é claro). Por mês, são R$ 4,5 milhões. Mas nem são os números que traduzem melhor a importância do xis para a cidade. É a relação afetuosa do caxiense com o seu lanche preferido que ilustra essa paixão que pega pelo estômago. Sem constrangimentos, a família caxiense substitui o rodízio de pizzas no aniversário do filho pela rodada de xis na hamburgueria mais distante, desde que seja a preferida. E não há namorado que se envergonhe por levar a amada ao xis em qualquer data comemorativa, especialmente as que caem no fim do mês. Não é por acaso que uma hamburgueria como a Juventus, por exemplo, é maior do que qualquer churrascaria da

14

cidade, ou que a Hamburgueria Jaime Rocha é muito mais pop do que qualquer restaurante badalado da região. O xis é rápido e barato. Para o pai de família, é muito menos dispendioso levar esposa e filhos à hamburgueria do que a qualquer outro restaurtante. E, geralmente, mais divertido. O menino que cresce frequentando determinada hamburgueria, muito provavelmente levará seus filhos à mesma mesa um dia. Pois em Caxias xis também é tradição. “É muito mais do que fazer um lanche. As pessoas vêm almoçar, jantar, comemorar aniversário, noivado. Já sugeri a vereadores que fosse incluída no roteiro gastronômico da cidade”, observa Jaime Rocha. Uma série de peculiaridades ajuda a tornar único o xis feito aqui. A começar pelo pão. Diferente do pão d’água convencional, é feito com uma massa de gosto adocicado, que também absorve mais a gordura, sendo mais resistente e não rachando tão facilmente. “É uma receita especial. Se tu fores a Flores da Cunha, que é aqui do lado, o pão lá já é bem diferente”, comenta William Perin, gerente da padaria Doche Itália, uma das principais fornecedoras de pão de xis da cidade. Também é raro o xis de Caxias ser prensado, como em muitos outros lugares. Ser aberto ajuda a manter o sabor de cada ingrediente. E é quase regra de etiqueta ser servido no

saquinho, para segurar com as mãos. Servir no prato, com garfo e faca, é até constrangedor. Também é típico do xis da cidade ser bastante generoso. Mas tem um limite. “O xis ideal é aquele que satisfaz o cliente, mas deixa com um pouco de vontade. Um xis muito grande o cara come e no dia seguinte não quer nem pensar em xis. Aí não dá”, comenta João Antonio Leidens, sócioproprietário do Baita-Kão. À receita que torna inigualável o produto daqui, Jaime Rocha acrescenta alguns itens. “Nosso clima frio é favorável ao lanche quente, assim como o capricho do italiano em relação à culinária também contribui. Além disso, nosso xis é todo adaptado, desde o tamanho até as iguarias, especialmente a maionese temperada, que impressiona turistas até do Exterior”, destaca. Segundo Leidens, só há uma outra cidade onde é possível comer xis igual ao de Caxias. Trata-se de Sorocaba, no interior de São Paulo, que copiou a receita caxiense quando um sorocabano esteve por aqui décadas atrás. Sem problemas. Sabemos conviver com a cópia. O Baita-Kão, que em 2012 completou 40 anos, é uma das mais antigas hamburguerias da cidade, provavelmente a mais velha ainda em atividade. A primeira de que se tem notícia foi a ZipDog. Pertencia a um americano que trouxe para a cidade o típico hambúrguer do seu país. Ficava na Avenida Jú-


Caxias tem 97 hamburguerias cadastradas no Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares | Fotos: Paulo Pasa/O Caxiense

lio de Castilhos, próximo à atual hamburgueria Bom Gosto. Era uma época em que os comerciantes de Caxias serviam cachorro-quente em pequenos e apertados trailers, que depois evoluíram para o modelo drive-in. Conforme a fórmula do americano se mostrava um sucesso, os chapistas da rede BaitaKão atentaram para a novidade e trataram de copiá-la, porém adicionando um toque tipicamente caxiense: a fartura. Logo os padeiros entraram na jogada fabricando o pão no tamanho e com o sabor que se conhece atualmente. Também aumentou o tamanho do bife e foi acrescentado um ou outro ingrediente. E muitos dos proprietários de hamburguerias famosas na cidade – Moreira, Wolly, Mini (da Juventus), Tonico, o próprio Jaime Rocha, entre outros – começaram suas carreiras atrás das chapas da rede Baita-Kão. Diferentemente do cardápio extravagante de hoje em dia, que inclui de xis lombo a xis de chocolate, nos primórdios do xis de Caxias não havia mais do que 5 variedades. Os ingredientes eram

A verdadeira maionese A hamburgueria talvez seja o único estabelecimento gastronômico em que a maionese também é protagonista, a ponto de atrair e afastar fregueses. A ideia da maionese temperada, que já virou tradição no xis caxiense, teria sido trazida por um catarinense que gerenciou a rede Baita-Kão nos anos 80. Segundo Jaime Rocha, a fórmula utilizada em cada hamburgueria é a mesma, contendo alho, salsa e cebolinha. Mas por algum detalhe – a forma de bater ou a quantidade de cada tempero – a maionese nunca é igual. 7.SET.2012

15


R$ 4,5

milhoes Que deselegante Pulemos a parte da posição dos talheres da etiqueta tradicional. Eles não serão necessários. Na hamburgueria vale sujar o rosto de maionese, encher uma lixeira de guardanapo, comer a metade do lanche do acompanhante que não deu conta, tirar o excesso de alface com as mãos... Mas pedir para prensar ou comer com prato, garfo e faca é uma gafe.

Não resta dúvidas de que o caxiense é um apaixonado por xis. O lanche é um patrimônio do qual o caxiense enche a boca para falar. E não seria nenhum absurdo se tamanho orgulho fosse festejado. Um ano a Festa da Uva, no outro a Festa do Xis. Ninguém que tenha experimentado o xis caxiense se atreve a dizer “na minha cidade é melhor” (tampouco é um caxiense este que vos escreve). Quanto à uva, há controvérsias.

CONTRATA-SE A Agência Top People está contratando Promotores (as) de vendas para representar conceituada empresa que atua com produtos portáteis e eletroeletrônico. Ter experiência na área será o diferencial. Segue abaixo a descrição das vagas: - Para roteiro em Caxias do Sul - Remuneração: R$ 802,00 + VT + VR (R$ 12,00); - Horário de trabalho: 3ª a sábado das 9h às 18:48. Vaga com registro (CLT) Interessados enviem-nos seu currículo para o email: neusiane.rh@toppeople.com.br com assunto “Vaga Promotora Sul”. Agência Top People

Tel: (11) 3256-1352

16

é o que o mercado das hamburguerias movimenta mensalmente, excluindo as bebidas, torradas e porções de fritas. Por dia, os caxienses desembolsam R$ 150 mil em xis. E esse é um dos programas mais baratos.

Ilustrações: Luciana Lain/O Caxiense

basicamente bife, presunto, queijo, alface, tomate e ovo. E como a novidade vinha dos Estados Unidos, não podia deixar de ter o bacon como opção. De lá para cá, algumas coisas se aperfeiçoaram. Por imposição social, o xis se tornou (um pouco) mais saudável, a carne mais leve, sem o hoje inimaginável toucinho que era misturado na receita original. Mas a maionese ficou mais gostosa, e com o tempo foram acrescidos o milho, a ervilha, a batata palha. Recentemente, o site Destemperados, alimentado por blogueiros que relatam experiências gastronômicas do Brasil inteiro, dedicou algumas postagens ao xis de Caxias, classificando a cidade como a “Capital do Xis”. É verdade que a responsável pelo texto é uma caxiense radicada em Porto Alegre, mas que também por isso se torna autoridade maior no assunto. “Muita gente que comenta no blog não é de Caxias, mas lembra com carinho que esteve na cidade e que algum amigo levou para comer xis. É uma espécie de cartão de visitas da cidade. Assim como comer galeto e polenta ou visitar a estação férrea, comer um xis é um programa de Caxias”, comenta a blogueira Lela Zaniol, que tem como xis preferido na cidade o do Komilão.

15 mil

é a quantidade de xis que Caxias consome diariamente. Conforme o Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares, 97 estabelecimentos servem o lanche preferido dos caxienses.

X da questao Chamar o hambúrguer de xis e escrever X-I-S é uma peculiaridade do Sul. Em São Paulo, por exemplo, o que se chama de X-burguer, ou simplesmente hambúrguer, é um sanduíche bem diferente, com pão francês, alguma carne e queijo. Não por acaso, quando surge um estabelecimento em outro estado levando o nome Xis, geralmente faz referência ao Sul (algo como “o autêntico xis gaúcho”). Cheeseburger é só uma frescura. Inclusive fora daqui.

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PODER JUDICIÁRIO

Edital de Citação - Cível

3ª Vara Cível Comarca de Caxias do Sul.

Prazo de: 20 (vinte) dias. Natureza: Declaratória. Processo: 010/1.11.0004499-0. (Cnj:.0009496-81.2011.8.21.0010). Autor: Nelson Varisco. Réu: Supertrunfonet Ltda e outros. Objeto: Citação de Supertrunfonet Ltda, atualmente em lugar incerto e não sabido, para, no prazo de quinze (15) dias, a contar do término do presente edital (art. 232, IV, CPC), contestar, querendo, e, não o fazendo, serão tidos como verdadeiros os fatos articulados pelo autor na inicial. Caxias do Sul, 11 de junho de 2012. Servidor: Kátia Maria Riboli Dal Ponte - Escrivã Judicial. Juiz: Clóvis Moacyr Mattana Ramos.


Em 3 sessões, o concerto Playing Video Game atraiu mais de mil pessoas |

Douglas Trancoso, Divulgação/O Caxiense

Super Mario in concert

O pop e o erudito se reúnem para uma partida de video game no palco da Orquestra Municipal

por Andrei Andrade O apagar das luzes indica que faltam poucos minutos para a orquestra adentrar o palco. Na segunda fila da plateia lotada do Teatro Pedro Parenti, um acalorado debate entre 3 pessoas impede o silêncio que se espera no ambiente. “Meu preferido é Street Fighter, mas também gosto de Medal of Honor”, comenta o garoto que está no meio. “Eu jogo mais o Sonic”, diz a jovem que está à esquerda. “Ahh... Sonic é jogo de menina”, rebate o jovem. Uma rápida olhada no programa e a menina que está à direita observa, contente: “olha, vai ter Super Mario!”. Os 3 vibram. Poucos minutos depois, os músicos tomam seus lugares no palco e a garotada silencia, pois sem cerimônias a orquestra começa a tocar os primeiros acordes do tema principal do jogo Altered Beast, clássico do console Mega Drive. Os meninos da segunda fila, aparentando ter entre 10 e

14 anos, não esboçam reação. Mas nos lugares atrás deles, uma turma de maníacos por video game um pouco mais velhos vão ao delírio nostálgico. Seria apenas o primeiro da noite. Em dois dias e 3 sessões, 1.050 pessoas de todas as idades – porque criança não vai ao teatro sozinha – e aparências que ajudavam a entender a abrangência do universo gamer, assistiram a uma celebração dos diversos mundos que fascinam gamemaníacos há mais de 3 décadas. Dos clássicos dos anos 80 Street Fighter e Fatal Fury, até os modernos Halo e World of Warcraft, o concerto Playing Video Game, apresentado pela Orquestra Municipal de Sopros de Caxias do Sul foi sucesso absoluto, que surpreendeu até os idealizadores. Resultado de uma parceria da Orquestra de Sopros com o Coral Municipal de Caxias do Sul, o concerto foi dirigido

por Gilberto Salvagni. O regente conta que ficou mais de um ano trabalhando no projeto, que começou com uma pesquisa feita por Ricardo Gottardo, resultando em uma lista de mil músicas. Uma pré-seleção reduziu para 80, até finalmente chegar às 11 canções e mais um medley de 7 outras que compõem o concerto. “A relevância cultural e histórica é importante, mas o critério técnico foi o que mais levamos em conta. Não teria sentido fazer o concerto se as músicas não fossem de muita qualidade”, comenta Gilberto. E algumas trilhas possuem tanta carga dramática que pertencer a um jogo é detalhe. Cada música executada era precedida de algumas informações projetadas em um telão que ocupava toda a largura do palco. Nome da música, compositor, gênero, número de cópias vendidas. Mas era o nome do game que indica 7.SET.2012

17


va as preferências do público, que veio abaixo especialmente quando foram anunciadas as trilhas de The Legend of Zelda, Final Fantasy e Metal Gear Solid. Em algumas trilhas, como Battlefield e Civilization, vídeos com cenas do jogo surgiam na tela, tornando ainda mais intensa a experiência vivida pelo público, que reagia não apenas com aplausos, mas com expressões entusiasmadas, como a de quem ouve o solo de guitarra preferido de um roqueiro ou a mais incrível sessão improvisada de um combo de jazz. “AEEEE!!”, “WOOOWW!”, “UHUUUU!”. Reações que também chamaram a atenção de Gilberto Salvagni. “É um público diferente do habitual, é muito espontâneo, que se manifesta imediatamente. Acho muito importante que esse público possa ter contato com a orquestra, porque certamente eles também vão gostar de outras apresentações, pois a música não é tão diferente das que apresentamos normalmente”, observa. De todo o repertório que encantou os maníacos por video game, nenhum momento foi tão divertido quanto a execução da trilha de Super Mario Bros. O famoso encanador com seu macacão azul e boné vermelho criado pela Nintendo chegou a viver uma aventura em tempo real, enquanto a orquestra executava a clássica trilha sonora que faz sucesso até como ringtone de celular. Talvez a melhor sacada de todo o espetáculo, um joystick passava de mãos em mãos pela plateia, que tentava ajudar Mario a passar pela primeira fase do jogo. Quem “morresse”, passava adian-

te. Cada inimigo que Mario eliminava pulando em cima era comemorado, e cada morte lamentada, como não se vê nem na mais interativa sessão de cinema. Como não poderia deixar de ser, graças aos gritos de “Mario, Mario, Mario”, o número teve bis. Terminado o show, uma exposição com consoles de diferentes épocas aguardava o público na saída. Tirando fotos de quase todos, o engenheiro civil Fernando Sartor, de 31 anos, destacou a nostalgia que o concerto despertou. “Hoje só jogo quando vou à casa dos amigos, mas já fui muito fã de jogos como Sonic, Zelda, Street Fighter. Quando o show começou, eu já identifiquei de cara que música era”, conta Fernando, que musicalmente gostou mais da trilha de Civilization IV, com participação do solista Eduardo Alves (outros 4 solistas, Aline Giacomet, Francieli Zimmer, Juliano Brito e Tita Sachet, também participaram). Graças ao sucesso da iniciativa e aos inúmeros pedidos por músicas que ficaram de fora, Gilberto Salvagni revela que a direção da orquestra planeja uma nova edição do Playing Video Game, talvez para o ano que vem. Confirmada mesmo, porém ainda sem data, está a nova temporada, que deve repetir o repertório para contemplar quem ficou de fora desta vez. Mas é necessário dizer que nem tudo deu certo, pelo menos na última sessão do fim de semana. Um fato triste precisa ser registrado: apesar de toda a torcida favorável, os gamers não conseguiram levar Super Mario até a segunda fase.

“É um público espontâneo, que se manifesta imediatamente. Acho importante o contato com a orquestra, porque certamente eles também vão gostar de outras apresentações, pois a música não é tão diferente das que apresentamos normalmente”, observa o maestro

Projeção de vídeos reforça a carga dramática que compõe as trilhas dos games | Douglas Trancoso, Divulgação/O Caxiense

18


PLATEIA

Iolanda Gollo Mazzotti, Div/O Caxiense Neuza Zini, Div/O Caxiense

Rita Brugger, Div/O Caxiense

Mara De Carli, Div/O Caxiense

Antonio Giacomin, Div/O Caxiense

Beatriza Balen Susin, Div/O Caxiense

Ana Vergamini, Div/O Caxiense

Nos anos 60, quando os memes não existiam e ninguém cutucava ninguém no Facebook, artistas de todo o mundo trocavam mensagens criativas por correspondência, um hábito que originou uma nova forma de expressão artística. Para resgatar o hábito, o Núcleo de Artes Visuais de Caxias do Sul (Navi) criou o projeto Navi Arte Postal, apoiado pela Randon via Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Em julho, o Navi enviou 1.800 correspondências. Em cada envelope, os inscritos no projeto – pessoas de diversas idades, da região e até do Exterior, artistas ou não – receberam um cartão postal com uma obra exclusiva iniciada por um artista do Navi (34 participaram da primeira etapa do projeto). A carta também fazia um convite: realizar interferências e devolvêla, por correio, em um prazo de 30 dias. “Esperávamos receber até 30% de volta. Trabalhamos com esse número, que é a média quando se pede para devolver uma correspondência. Mas passamos dos 50%”, comemora a diretora do Núcleo, Mara De Carli, que também trabalhava com a hipótese impovável, mas matematicamente possível, de não receber nenhum. “Cada correspondência que abrimos foi uma grande surpresa”, conta Mara. Quem não devolveu o cartão postal deve ter seus motivos. Embora o projeto procure libertar a criatividade e popularizar o acesso à produção artística, não é uma tarefa simples interferir em obras de artistas renomados como a própria Mara, Bea Balen Susin, Rita Brugger, Antonio Giacomin... Na quinta-feira (13), os cartões de quem se atreveu serão expostos em uma longa vernissage. Das 15:30 às 21:00, a comunidade é convidada a apreciar as obras coletivas e refletir sobre o intercâmbio da arte postal.

Vivi Pasqual, Div/O Caxiense

O selo da democracia

Andreia Anghinoni, Div/O Caxiense

Um garoto que fala com fantasmas, zumbis e afins | Pata de Elefante em sexteto | Começa o Caxias em Cena | Tríade artística

Arte Postal Coletiva. SEG.-SEX. 9:00-19:00. SÁB. 15:00-19:00. Ordovás 7.SET.2012

19


CINE

De Chris

Butler e Sam Fell.

ParaNorman Norman é um garoto incompreendido, que sofre bullying no colégio e não tem amigos. Na verdade, ele até tem, só que eles são bem mais bizarros que o garoto: fantasmas, assombrações, zumbis... Com a ajuda dessas criaturas (e dos adultos), Norman vai salvar a sua cidade de uma maldição centenária. O bonecos do stop motion (da Laika, mesmo estúdio de Coraline) são feitos quase que artesanalmente, e o resultado final tem uma qualidade impressionante. O site oficial mostra alguns vídeos de making of. Vale a pena conferir. Estreia. * Qualquer alteração nos horários e filmes em cartaz é de responsabilidade dos cinemas.

GNC 3D 13:40-15:40-17:40 CINÉPOLIS 3D 13:10-15:20-17:30-19:40

L

31 MINUTOS Juanín é mais do que o produtor do famoso noticiário de TV 31 Minutos. Ele é o último de uma espécie em extinção, os juanines. A malvada Cachirula, uma colecionadora de animais exóticos, fará de tudo para aprisioná-lo. O filme nacional mistura fantoches, bonecos, animação e cenários reais. CINÉPOLIS 13:50-16:00

L

1:28

O LEGADO BOURNE Como os 3 primeiros da franquia, o filme ainda é inspirado nos livros de Robert Ludlum, porém, traz uma história totalmente original. Agora, a trama gira em torno do agente Aaron Cross (Jeremy Renner), que passou pelo mesmo tipo de recrutamento que Jason Bourne (Matt Damon) teve no misterioso programa Treadstone. Com Rachel Weisz, Edward Norton, Stacy Keach e Oscar Isaac (novatos na série), e Albert Finney, Joan Allen, David Strathairn e Scott Glenn (veteranos da franquia). Estreia. GNC 13:50-16:30-19:20-21:50 CINÉPOLIS 15:00-18:00-21:00

20

14

2:15

1:33

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros Presidente de dia, Abraham Licoln tinha uma vida secreta à noite. Protagonizava uma história não contada que definiu a nação dos Estados Unidos da América: a caça aos vampiros sedentos por sangue. O combate começa quando as criaturas sobrenaturais assassinam sua mãe. O ponto de vista ainda mais fantástico para o folclore dos sanguessugas é dos cineastas Tim Burton (A Noiva Cadáver, Edward Mãos de Tesoura) e Timur Bekmambetov (Wanted). Com Benjamin Walker, Rufus Sewell e Dominic Cooper. Estreia. GNC 3D 14:15-19:10 | 3D 16:40-21:20 CINÉPOLIS 3D 14:0016:30-19:00-21:30 |

14

2:00


À BEIRA DO CAMINHO

OS MERCENÁRIOS 2

Um menino pega carona com um caminhoneiro para procurar o pai. O roO filme de ação liderou as bilheterias nacionais no final de teiro é baseado em canções de Roberto Carlos. 5ª semana. Com João Miguel, semana. Levou 704,9 mil espectadores aos cinemas e arrecadou Vinicius Nascimento, Ângelo Antonio, Dira Paes. De Breno Silveira. R$ 8,4 milhões. Mr. Church (Sylvester Stallone, que também é roteirista da parada) reúne os companheiros fortões para o que GNC 13:20 deveria ser uma missão mamão com açúcar. Porém, um deles 12 CINÉPOLIS 14:50-17:10-19:30-22:00 1:45 é assassinado e, na busca por vingança, o grupo se depara com uma grande ameaça. Estreia. Com Mickey Rourke, Jean-Claude Van Damme, Chuck Norris, Jason Statham, Bruce Willis, Jet Li, Dolph Lundgren e Arnold Schwarzenegger. GNC 14:00-16:15-19:00-21:10 | 19:50-22:00 16 CINÉPOLIS 14:30-17:00-20:00-22:20

1:42

O DITADOR A heróica história de um ditador que, sabotado por seus conselheiros e atirado à plebe, tenta retornar ao poder e garantir Com Francisca Gavilán, Thomas Durand. De Andrés Wood que a democracia nunca o estrague o país que ele tão amavelmente oprime. Além de interpretar o General Aladeen, chefe VIOLETA FOI PARA O CÉU supremo de Wadiya, Sacha Baron Cohen também é roteirista Vencedor do Prêmio do Grande Júri no Festival de Sundance em do longa. De Larry Charles. Com Ben Kingsley e Megan Fox. 2011, e representante oficial do Chile para concorrer ao Oscar (Esta- 3ª semana.

dos Unidos), Goya (Espanha) e Ariel (México), a cinebiografia trata de vida e obra da cantora, folclorista e artista plástica Violeta Parra. GNC 19:40-21:40

ORDOVÁS SEX. (7) 19:30, SÁB. (8) e DOM. (9) 20:00

CINÉPOLIS 18:30-20:45

12

1:50

14

1:34

BATMAN: O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE

Apesar dos problemas físicos decorrentes de suas atividades como super-herói ao longo dos anos, Bruce Wayne volta a ser E o público não cansa de ver Scrat estragar com a Pangeia e deixar Manny, Batman para salvar Gotham City do terrorista brutamontes Diego e Sid à deriva continental, separados de seus familiares. 11ª semana. Bane (Tom Hardy). Com Christian Bale, Tom Hardy, Gary Oldman. De Christopher Nolan. De Steve Martino.

A ERA DO GELO 4

★★★★★ GNC 13:30-15:30-17:30-19:30

L

1:40

GNC 16:00-21:30 CINÉPOLIS 21:50

★★★★★ 12

2:44

7.SET.2012

21


Eduardo Tavares, Divulgação/O Caxiense

MUSICA + SHOWS SEXTA-feira (7) Mr. Breeze – Tributo a Lynyrd Skynyrd

00:30. R$ 15 e R$ 12. Vagão

Seresteiros do Luar

23:00 R$ 5. Cachaçaria Sarau

Jaimar e Alexandre

22:00. R$ 8 e R$ 6. Paiol

Vem Ki Tem

23:30. R$ 20 e R$ 10. Portal Bowling

Rafa Gubert e Tita Sachet

22:00 R$ 18 e R$ 15. Mississippi

Pop Clube

23:00. R$ 10. Level

Los Infernales

22:00. R$ 10. Bier Haus

SÁBADO (8) Viceverso e Display

22:00. R$ 20 e R$ 15. Buku’s Anexo

Acústico 2203

23:00. R$ 5. Cachaçaria Sarau

Lee Batista e Ander Oliveira 23:00. R$ 40 e R$ 25. Havana

Grupo Paiol

21:00. R$ 8 e R$ 6. Paiol

Blackbirds

22:30. R$ 18 e R$ 15. Mississippi

Além de Camila

Uma das mais bem-sucedidas bandas gaúchas, a Nenhum de Nós, traz a Caxias sucessos dos 25 anos de carreira. Além de hits como Camila, Camila, Astronauta de Mármore e Você Vai Lembrar de Mim, os porto-alegrenses deverão tocar músicas do disco mais recente, Contos de Água e Fogo, lançado em 2011. Além do show, a noite terá discotecagem de Jaime Rocha. A banda é formada por Thedy Corrêa (vocal e baixo), Veco Marques (violão), Carlos Stein (guitarra), Sady Homrich (bateria) e João Vicenti (teclado, acordeom e vocal).

Banda A4 e Pitty

SÁB (8). 23:00. R$ 35 (pista), R$ 50 (mezanino), R$ 70 (camarote). All Need Master Hall

23:30. R$ 20 e R$ 10. Portal Bowling

Maike e Rodrigo e Sem Razão

23:00 R$ 40 e R$ 20. Place des Sens

Banda Opera Lizz

22:00. R$ 10. Bier Haus

Regra 3

23:30. R$ 20 e R$ 10. Boteco 13

Vegas Trio e DJ Marcelo Bacca Festa God Save The Queen 23:00 R$ 10. Level

Enquanto Paul não volta

Tocando pela primeira vez no Vagão, a banda Dr. Macca presta tributo a um dos maiores nomes da música do século XX, Sir Paul McCartney. Com um repertório que abrange as várias fases da trajetória do ex-beatle, a banda não irá deixar de fora sucessos dos Wings e da carreira solo do baixista. Um bom aperitivo para aqueles que sonham com o retorno de Paul ao Rio Grande do Sul.

Pá Virada

SÁB (8) 00:30. R$ 15 e R$ 12. Vagão

20:00. Entrada Franca. Zarabatana

Boca fechada

É isso mesmo. Para diminuir o preconceito com a música instrumental, a banda No Vox quer solos de guitarra virtuosos, que não precisam ter mil notas por segundo. Para isso, o repertório passeia por músicas de Red Hot Chili Peppers, Gary Moore e Beatles, bem leve, e culmina em um rock and roll mais pegado. É o que prometem Juliano Boz (guitarra), Mateus Bicca Sabbi (bateria), Joce Cristovão (baixo) e Ezequiel Duarte (guitarra). SEX (7) 20:00. Entrada franca. Zarabatana

22


Carol Corso, Divulgação/O Caxiense

+ SHOWS DOMINGO (9) Sextaneja

21:00. R$ 10 e R$ 20. Portal Bowling

TERÇA-FEIRA (11) Flávio Ozelame Trio

22:00. R$ 15 e R$ 10. Mississippi

QUARTA-FEIRA (12) Jhonatan e Carlos

22:00. Gratuito. Paiol

The Cotton Pickers

22:00. R$ 15 e R$ 10. Mississippi

QUINTA-FEIRA (13) 22:00. R$ 15 e R$ 5. Paiol

Ópera Lizz Trio

22:00. R$ 10. Bier Haus

Vivi Seixas

22:00. R$ 20 e R$ 15 (free até às 22:00). Havana

O instrumental dos instrumentais

Considerada uma das mais importantes bandas de rock instrumental do país, a Pata de Elefante desembarca no Mississippi apresentando o terceiro álbum do grupo, Na Cidade. O trio consagrado, que virou sexteto em sua turnê mais recente, conta com a participação do trombonista caxiense Júlio Rizzo (músico da Ospa e integrante do Quartchêto), interpretando músicas dos 3 álbuns já lançados, além de músicas novas, que o público ouvirá em primeira mão. QUI (13). 22:00. R$ 25 e R$ 15. Mississippi

Noite punk

Uma noite inteira dedica ao punk rock, com Aknator (cover de Tequila Baby), Dashville (Os Replicantes), Os Mequetrefes (Sex Pistols) e Planeta Punk (The Ramones). Para finalizar, DJ Felipe Porto, com mais clássicos do gênero, óbvio. Vai faltar punk para tanta roda. SEX. (7) R$ 15 (antecipado) e R$ 20 (na hora). Taha’a

Red Hot Chili Peppers Clone

Divulgação/O Caxiense

Grupo Macuco

Desde a sua fundação, em 2003, a Organi’c faz de tudo para ser o melhor tributo a Red Hot Chilli Peppers do Brasil. Até no visual – o vocalista Luiz Fernando Oliveira é quase um clone de Antony Kieds. Hoje eles são conhecidos internacionalmente e orgulham-se em dizer que foram a primeira banda cover do Brasil a fazer uma turnê na Europa. SÁB. (8) 23:30. R$ 20 (1°lote). Aristos

7.SET.2012

23


PALCO

Mistura carioca à italiana

Pelo título, Polenta com Radite poderia se passar por espetáculo caxiense. Mas logo se percebe que não. Na peça da Cia. Entreato, do Rio de Janeiro, Polenta é um imigrante italiano amargurado e Radite é uma jovem brasileira sonhadora e apaixonada. Gêneros invertidos, sabores também. No encontro do casal, ele está voltando para a Itália e ela saindo do interior para tentar a vida de artista na cidade grande. A peça que abre a programação do 14° Caxias em Cena é inspirada no cinema mudo e no teatro sem palavras. Menos texto, mais ação. TER. (11). 9:30, 14:30 e 20:00. QUA. (12). 9:30-14:30. R$ 15 e R$ 7. 6 Teatro São Carlos 0:45

Shakespeare vai ao bairro

A história mais triste do mundo mostra o seu outro lado no espetáculo Romeu e Julieta – Jamais vós vereis algo semelhante. Raulino Prezzi e Ana Fuchs se revesam para representar os 10 personagens da trama. Dois freis criminosamente envolvidos na tragédia – não perca Raulino comendo hóstias compulsivamente – contam a história e convidam a plateia para participar. O romance que todos conhecem é secundário. O mais importante é o luxo que a dupla de veteranos se dá ao interpretar o jovem casal da maneira que lhes convém. A peça foi contemplada com o Prêmio de Incentivo à Montagem Teatral 2009. 16

1:20

Adilson Machado, Divulgação/O Caxiense

QUA. (12). 20:00. R$ 7. Centro Comunitário Bairro Jardim Eldorado

O outro lado do machismo caipira

Uma mulher tenta fugir com o homem por quem se apaixonou e é mandada de volta para a casa do pai; outra é roubada da família; e uma terceira, acusada de traição, é assassinada em favor da honra do homem. No espetáculo Um dia ouvi a Lua, as mulheres das letras de Tonico e Tinoco invertem os papeis machistas e recriam as histórias dos seus pontos de vista. Escrita por Luís Alberto de Abreu, responsável pelo roteiro adaptado da minissérie Hoje é Dia de Maria, a peça da Cia. de Teatro da Cidade, de São José dos Campos, conquistou o respeitado prêmio Myriam Muniz de Circulação 2012/Funarte. QUA. (12). 20:30. R$ 15 e R$ 7. Teatro Municipal

24

12

1:10


Folclore infantil

Quatro crianças transformam o tédio em uma brincadeira cultural. Munidos de um lençol branco, que se transforma em diversos objetos, eles criam uma aventura onde têm que enfrentar inimigos conhecidos das histórias infantis para salvar os filhos de Dona Sancha do gigante Jó. Escravos de Jó, da Tem Gente Teatrando, foi contemplado com o Prêmio Montagem 2011. QUI. (13). 9:30, 14:30 e 20:00. R$ 15 e R$ 7. Teatro São Carlos

Luciana Corso Galiotto, Divulgação/O Caxiense

PALCO

L

0:50

Antes do Paraíso

Uma ponte é cenário e metáfora para o encontro de Apolônio (Roberto Ribeiro) e Marcelo (Márcio Ramos), um filosófico artesão e um jovem à beira do suicídio. Enquanto esperam as águas subirem – o melhor momento para o salto – eles refletem sobre suas existências e sobre a morte. Com fragmentos de 4 textos do jornalista e dramaturgo paulista Sérgio Róveri – O Encontro das Águas (texto-base), A Coleira de Bóris, Ensaio Para um Adeus Inesperado e A Noite do Aquário – o espetáculo In Heaven recebeu o Prêmio Montagem 2010. QUI. (13). 20:00. R$ 7. Escola Municipal Prefeito 14 Luciano Corsetti 1:00

Tempo é ouro

No reino de Calamaço / Não existe passatempo / O tempo que aqui se passa / É todo pra investimento / Cada segundo é dinheiro / Não há outro procedimento. O espetáculo No Reino de Calamaço, da Cia Bruta de Teatro, de Itapiranga (MG), lembra muito a nossa cidade. A diferença é que por lá nasce um garoto, uma espécie de messias, que parece ser a salvação do lugar. A história, contada em versos e rimas musicais, segue o gênero do Teatro de Cordel. QUI. (13). 21:30. R$ 15 e R$ 7. Teatro Municipal L

7.SET.2012

0:50

25


Divulgação/O Caxiense

ARTE

Trio artístico

São 3 jovens artistas que compartilham da mesma concepção: A arte pode se instalar em todo o lugar e a todo o momento, bastando uma ressignificação, nova abordagem ou um olhar mais atento ao cotidiano. Partindo dessa ideia, Cristina Morassutti, Heloisa Marques e Lívia dos Santos apresentam 3 séries de fotografias. Enquanto Cristina encena o contexto da fotografia, Heloisa joga com o presente e Lívia relaciona imagens, gestos, vestígios, apagamentos e adições. Percepções sobre o cotidiano, experiências pessoais e coisas ordinárias também marcam o trabalho coletivo. Camadas Temporais

Cristina Morassutti, Heloisa Marques e Lívia dos Santos. Até QUI. (13). 8:00-22:30. Campus 8

Cartas de Amor

Sérgio Lopes. SEG.-SEX. 8:30-18:00. SÁB. 10:00-16:00. Galeria Municipal

A cor da luz no Olhar de Mauro de Blanco Mauro de Blanco. TER.-SÁB. 9:0017:00. Museu Municipal

Atelier de Costura Lola Salles

SEG-SEX. 9:00-18:00. Campus 8 (Documenta)

Monumentos de uma trajetória

Bruno Segalla. SEG.-SEX. 9:00-12:00 14:00-17:30. Instituto Bruno Segalla

O homem, a terra e os usos e costumes da Província do Rio Grande de São Pedro do Sul

Jean Baptiste Debret. (Reproduções). SEG.-SEX. 9:00-19:00. SÁB. 9:00-12:00. Farmácia do Ipam.

26


os

cinemas: CINÉPOLIS. AV. RIO BRANCO,425, SÃO PELEGRINO. 3022-6700. SEG.QUA.QUI. R$ 12 (MATINE), R$ 14 (NOITE), R$ 22 (3D). TER. R$ 7, R$ 11 (3D). SEX.SÁB.DOM. R$ 16 (MATINE E NOITE), R$ 22 (3D). MEIA-ENTRADA: CRIANÇAS ATÉ 12 ANOS, IDOSOS (ACIMA DE 60) E ESTUDANTES, MEDIANTE APRESENTAÇÃO DE CARTEIRINHA. | GNC. rsc 453 - km 3,5 - Shopping Iguatemi. 3289-9292. Seg. qua. qui.: R$ 14 (inteira), R$ 11 (Movie Club) R$ 7 (meia). Ter: R$ 6,50. Sex. Sab. Dom. Fer. R$ 16 (inteira). R$ 13 (Movie Club) R$ 8 (meia). Sala 3D: R$ 22 (inteira). R$ 11 (meia) R$ 19 (Movie Club) | ORDOVÁS. Luiz Antunes, 312. Panazzolo. 3901-1316. R$ 5 (inteira). R$ 2 (meia) | MÚSICA: arena. bruno segalla, 11366, são leopoldo. 3021-3145. | Aristos. Av. Júlio de Castilhos, 1677, Centro 3221-2679 | Bier HauS. Tronca, 3.068. Rio Branco. 3221-6769 | BOTECO 13. Dr. Augusto Pestana, s/n°, Largo da Estação Férrea, São PelegrinO. 3221-4513 | bukus anexo. Rua Osmar Meletti, 275. Cinquentenário. 3215-3987 | COND. Rua Angelo Muratore, 54, Bairro De Lazzer. 3021-1056 | HAVANA. DR. AUGUSTO PESTANA, 145. mOINHO DA ESTAÇÃO. 3215-6619 | LEVEL CULT. CORONEL FLORES, 789. 3536-3499. | Mississippi. Coronel Flores, 810, São Pelegrino. Moinho da Estação. 3028-6149 | NOX VERSUS. Darcy Zaparoli, 111. vilaggio Iguatemi. 84015673 | PAIOL. FLORA MAGNABOSCO, 306. 3213-1774 | Place des sens. 13 DE MAIO, 1006. LOURDES. 3025-2620 | Portal Bowling. RST 453, Km 02, 4.140. Desvio Rizzo. 3220-5758 | SARAU. Coronel Flores, 749. Estação Férrea. 3419-4348 | teatro municipal. Doutor Montaury, 1333. Centro. 3221-3697 | TEATRO DO SESC. MOREIRA CÉSAR, 2462. PIO X. 3221-5233 | VAGÃO CLASSIC. JÚLIO DE CASTILHOS, 1343. CENTRO. 3223-0616 |

CA

MA RIM

Marcelo Aramis

A montanha vai a Maomé O 14° Caxias em Cena criou uma programação especial para atingir plateias mais difíceis. Na primeira semana do festival, Romeu e Julieta - Jamais vós vereis algo semelhante e In Heaven terão sessões no Jardim Eldorado e no bairro Kayser (veja programação de Palco). Uma comédia digestiva e um complexo épico dramático: vale o teste aos novos públicos. Até o final do festival, outros 4 espetáculos caxienses irão aos bairros com valor especial de ingresso: R$ 7. Divulgação/O Caxiense

Endere

TEATROS: Centro Comunitário Bairro Jardim Eldorado. Armando Claudino Canalli, 957. 3283-3087 | Escola Municipal Prefeito Luciano Corsetti. Travessa Vacaria, 248. Kayser. 3901-1301 | teatro municipal. Doutor Montaury, 1333. Centro. 3221-3697 | galerias: campus 8. Rod. RS 122, Km 69 s/nº. 3289-9000 | CATNA CAFÉ. Júlio de Castilhos, 2854. 3021-7348 | GALERIA MUNICIPAL. DR. MONTAURY, 1333, CENTRO, 3221-3697 | FARMÁCIA DO IPAM. DOM JOSÉ BAREA, 2202, EXPOSIÇÃO. 4009.3150 | Instituto Bruno Segalla. R. Andrade Neves, 603. Centro. 3027 6243 | museu municipal. VISCONDE DE PELOTAS, 586. CENTRO. 3221-2423 | ORDOVÁS. Luiz Antunes, 312. Panaz­zolo. 3901-1316 |

Legenda Duração

Avaliação ★ 5★

Classificação

Cinema e Teatro Dublado/Original em português Legendado Ação Animação Artes Circenses Aventura Bonecos Comédia Documentário Drama Fantasia Ficção Científica Infantil Musical Policial Romance Suspense Terror

Música Blues Coral Eletrônica Erudita Funk Hip hop Indie Jazz Metal MPB Pagode Pop Reggae Rock Samba Sertanejo Tradicionalista Folclórica

Dança Clássico Folclore Hip hop

Contemporânea Forró Jazz Salão

Flamenco Dança do Ventre

Artes Acervo Escultura Pintura

Artesanato Fotografia Vídeo

Desenho Grafite

Diversas Gravura

20 de Setembro

Os Festejos Farroupilhas, que cresceram até perder a palavra “semana” do nome, terão 14 dias de programação nos Pavilhões da Festa da Uva, de 7 a 20 de setembro. O ingresso é um quilo de alimento e o estacionamento custa R$ 8. No site www.ocaxiense.com.br, veja a programação completa dos shows e provas campeiras. Confira os destaques artísticos da primeira semana. Mano Lima (foto). SEX. (7). 22:30 Walther Morais. SÁB. (8) 21:00 César Oliveira e Rogério Melo. DOM. (9). 20:00 Jairo Lambari. SEG. (10). 22:30 Leonel Gomes. TER. (11). 22:30 Shana Müller. QUA. (12). 22:30 Joca Martins. QUI. (13). 22:30 7.SET.2012

27


ARQUIBANCADA Caxias quer voltar ao G4 | Ju quer administrar vantagem | Aberto de Tênis no RJ + ESPORTE Tênis Torneio Aberto de Caxias do Sul SEX (7). 10:00. SÁB (8) e DOM (9). 9:00. Recreio da Juventude

Na estreia do técnico Picoli, diante do Macaé (RJ), fora de casa, o Caxias foi goleado por 4 a 1, totalizando 4 derrotas consecutivas na Série C do Brasileiro. O time grená está a dois pontos da zona de rebaixamento e também a dois pontos do grupo que se classifica à próxima fase da competição. Por isso, a equipe tem na partida diante do Oeste, em casa, um jogo-chave para a recuperação e para a busca de uma vaga na etapa seguinte da competição. DOM (9). 15:30. R$ 10. Estádio Centenário Paulo Pasa/O Caxiense

ESTÁDIO CENTENÁRIO: THOMÁS BELTRÃO DE QUEIROZ, 898 | ESTÁDIO OLÍMPICO ALBINO TURBAY: OYAPOC, 25, CIANORTE (PR) | RECREIO DA JUVENTUDE: ATÍLIO ANDREAZZA, 3525 |

Caxias quer se recuperar em casa

Ju joga pela classificação Depois de uma grande vitória por 3 a 1 sobre o Cianorte (PR) no Jaconi, na primeira partida das oitavas de final da Série D, o Ju joga na casa do adversário. O alviverde pode até perder por 1 gol de diferença que garante a classificação à próxima fase. Lisca poderá contar com o zagueiro Rafael Pereira, que retorna após cumprir suspensão, mas perde a opção de Alan no ataque, ausente por ter levado o terceiro cartão amarelo. DOM (9). 16:00. R$ 20. Estádio Olímpico Albino Turbay Acompanhe ao vivo em www.ocaxiense.com.br

Votorantim Cimentos/Engemix contrata: ● Auxiliar

Administrativo Operacional

Ensino Médio Completo, Curso Técnico Logística/Construção Civil Oferecemos: Salário+benefícios CV para: caroline.burigo@engemix.com.br Ou End.: Rua Dr. Calixto Maximiliano Rasia, 1500 - parte B Caxias do Sul. CEP: 95112-120 Fone: 54 3227-1464 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PODER JUDICIÁRIO

Edital de Citação - Cível 5ª Vara Cível - Comarca de Caxias do Sul Prazo de: 30 dias. Natureza: Declaratória Processo: 010/1.12.0007389-4 (CNJ:.0012201-18.2012.8.21.0010). Autor: Flor do Arroz - Ray - Alimentos Naturais Ltda. Réu: Tradição Global Ltda. Objeto: CITAÇÃO de Tradição Global Ltda, atualmente em lugar incerto e não sabido, para, no PRAZO de QUINZE (15) dias, a contar do término do presente edital (art. 232, IV, CPC), contestar, querendo, e, não o fazendo, serão tidos como verdadeiros os fatos articulados pelo autor na inicial. Caxias do Sul, 17 de julho de 2012. SERVIDOR: Rosane Zatera Freitas. JUIZ: Zenaide Pozenato Menegat.

28

PACO Indústria Metalúrgica S/A NIRE 43 3 0001968 3 CNPJ/MF N°. 89.562.748/0001-91 ATA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA A Assembléia Geral Extraordinária foi realizada no dia 29 de junho de 2012, às 10 horas, na sede social da Companhia, em Caxias do Sul (RS), na RST 453, km 01, com a presença de acionistas representando a totalidade do capital social, todos com direito a voto. Sob a presidência e secretaria, respectivamente, dos acionistas Gustavo Miotti e Luiz Antônio Boff, consoante ordem do dia de todos previamente conhecida, por unanimidade de voto, com a abstenção dos legalmente impedidos, foi deliberado: (1) Aprovar a incorporação da sociedade Global Eletrometalúrgica Ltda. por sua controlada Soprano Eletrometalúrgica e Hidráulica Ltda., nos termos do protocolo firmado pela diretoria da sociedade em 15 de junho de 2.012; e (2) Autorizar a diretoria da sociedade a praticar todos os atos necessários para concluir a incorporação autorizada. Nada mais havendo, a Assembléia foi encerrada e lavrada a ata que foi lida e tida conforme em todos os seus termos, sendo assinada pelos acionistas. Gustavo Miotti, Presidente da Assembléia, Luiz Antônio Boff, Secretário da Assembléia; Acionistas presentes: Gustavo Miotti, Janaína Miotti, Rodrigo Miotti, Leonardo Miotti, Lourdes Maria Vanin Miotti, Luiz Antônio Boff, Silvino Gildo Agnesi Filho, Nivaldo Della Giustina, Claiton Gaieski Pires, Walter Romeu Vanin, Gustavo Luís Boff, Felipe Boff e Mateus Boff. Na qualidade de Presidente e Secretário da Assembléia, declaramos que esta ata é cópia da ata lavrada no livro próprio e autênticas as assinaturas. Caxias do Sul (RS), 29 de junho de 2012. Gustavo Miotti - Presidente da Assembléia. Luiz Antônio Boff - Secretário da Assembléia. Paulo Roberto Sachett - OAB/RS 61.071. Junta comercial do Estado do Rio Grande do Sul. Certifico o registro em: 30/08/2012 sob nº: 3684684. Protocolo: 12/248771-0, de 14/09/2012. Empresa: 43 3 0001968 3. Paco Indústria Metalúrgica S/A. José Tadeu Jacoby - Secretário-Geral.


Stefano Ditadi, Divulgação/O Caxiense

a

re

na O Ministério do Esporte confirmou nesta quarta-feira (5) o nome de Caxias do Sul como Centro de Treinamento de Seleções (CTS) para a Copa das Confederações 2013 e para a Copa do Mundo de 2014.

Depois de tantas derrotas, o Caxias atingiu a marca de pior defesa do grupo B da Série C do Brasileiro, com 17 gols sofridos. Só do Macaé (RJ) foram 8.

Deu liga

Claro que não foi uma atuação perfeita, mas empolgou. A primeira partida do Juventude diante do Cianorte (PR) mostrou um time aguerrido, como o atacante João Henrique havia profetizado alguns dias antes. Não tinha bola perdida, as saídas para o ataque foram rápidas e a

dobradinha João Henrique/ Zulu infernizou a zaga paranaense. Alex Telles (foto) fez uma pintura de gol, mostrando o talento do jovem lateral esquerdo. Definitivamente, o time de Lisca “deu liga”, chegando a um padrão de jogo que era esperado desde o início da Série D.

Depois do jogo no Alfredo Jaconi, Paulo Turra, técnico do Cianorte (PR), se disse envergonhado pela atuação que classificou como a pior do time sob seu comando. Durante a semana, cobrou muito dos atletas que a postura seja outra no jogo da volta.

Faltando pernas

Fica a expectativa para ver novamente o Caxias em campo, o que não aconteceu nas últimas 4 partidas. É estranho porque, ao mesmo tempo que parece que os atletas não estão se esforçando, eles deixam transparecer inconformidade com a situação e desejo de mudar desde a primeira das 4 derrotas. Questionados sobre a influência do atraso no pagamento dos

A consciência de que a vantagem é boa, mas não irreversível é unanimidade no Alfredo Jaconi. Isso porque todos lembram dos vários lances de perigo criados pelo Cianorte na primeira partida. O cuidado maior será com as duas principais armas do time paranaense: as bolas paradas e as jogadas aéreas. Bressan, atleta do Juventude, destaca que o adversário tem zagueiros e atacantes altos. E isso exige cuidados redobrados nessas situações de jogo.

Cabeça no lugar

Geremias Orlandi, Divulgação/O Caxiense

Rafael Machado

Olho vivo

Tenho convicção de que o Juventude volta do Paraná com a classificação. O aspecto psicológico já não é mais preocupação. Os atletas destacam que Lisca está dando prioridade ao assunto, empenhado em motivar o grupo e imprimir em cada um a consciência de que são capazes de chegar na casa do adversário e não só garantir a classificação, mas vencer a partida, o que pode ser fundamental para decidir a próxima fase em casa.

Incentivo ao esporte direitos de imagem no mau desempenho, os jogadores sempre negaram. Mas uma coisa é certa: o preparo físico do time caiu muito. O grupo estava embalado com o preparador Alexandre Andreis, demitido junto com Mauro Ovelha. Fica a Rodrigo Squinalli, que assumiu a função, a missão de colocar o pessoal para correr e recuperar o fôlego. O mais rápido possível.

Ótima a ideia das Miniolimpíadas Escolares, organizadas pela Secretaria do Esporte e Lazer (SMEL). Na quarta edição do evento, são centenas de alunos de 21 escolas de Caxias do Sul participando das provas de xadrez, vôlei, basquete, atletismo, handebol e futsal. Os jogos começaram na segundafeira (2) e se estendem até o dia 17 de setembro. 7.SET.2012

29


MODA E BELEZA

Fotos: Paulo Pasa/O Caxiense

por Carol De Barba

Os jovens compram.E os pais aprovam mais prático, digamos assim, é o dinheiro. Se considerarmos que jovem é quem está numa faixa etária de 14 a 25 anos, por exemplo, teremos aí pelo menos 3 tipos diferentes de consumidores – e a minoria deles disposta a investir pesado em artigos de vestuário –: os que ainda são sustentados pela família (grande maioria), os que estão começando a conquistar uma independência financeira (ou seja, mal de grana) e aqueles que já possuem uma estabilidade maior (uns poucos gatos pingados). Assim, também acaba sendo imprescindível para a Hip conquistar a confiança dos pais. “A gente tem essa preocupação de a loja estar pronta para receber os pais. Desde a questão de convênio com estacionamento até o atendimento. A linguagem falada, a corporal, não pode ser a mesma com o pai e com a gurizada”, avalia. A loja também oferece crediário que,

Divulgação/O Caxiense

Nas pesquisas de desenvolvimento de coleções das marcas, o item faixa etária é cada vez menos importante. Para o comércio, no entanto, ele ainda é fundamental. Especialmente em se tratando de moda jovem. “É totalmente diferente dos outros públicos”, diz Rodrigo Schiavenin, um dos sócios-proprietários da Hip. Para ele, essa geração é fugaz ao extremo. Tudo, para eles, passa rápido. O empresário atribui à internet a culpa da transitoriedade dos gostos e dos estilos dos jovens, mas também vê nela uma oportunidade de se aproximar do seu público, por meio das redes sociais. “A gente acredita em identidade. A imagem da loja, a publicidade, os eventos que apoiamos, sempre estão ligados a esse público. Isso faz com que quando eles pensem em roupa e calçado a Hip venha na mente deles”, conta. Outro senhor obstáculo, este bem

30

recomenda o empresário, deve ser usado com parcimônia por quem está lutando para pagar as contas mas é uma clientela promissora. Na Regentag, loja onde a especialidade são as camisetas – justamente o produto-símbolo da juventude e da democracia na moda –, o ambiente é um dos pontos fortes para atrair tanto os jovens quanto os pais. “Ela é voltada para esse público, de 14 a 23 anos, mas tem clientes dos 8 aos 80”, brinca Sandra Santos, a proprietária. O design de interiores cool da Regentag tem peças coladas à vitrine por ventosas, objetos adorados pela cultura nerd que dividem espaço com itens vintage e ultramodernos. “Muita gente quer comprar a decoração, mas eu não vendo, porque tudo tem valor sentimental. As pessoas se sentem tão em casa que alguns clientes se tornaram amigos, aparecem nem que seja só para tomar um café”, conta.

Jeans fresquinho Foi em tangerine tango – um laranja lindíssimo, eleito pela Pantone a cor mais-mais deste verão –, para animar o dia, que o material de divulgação da Damyller chegou à Redação. Clima tropical, aroma de praia, batuque e bossa nova são as palavras-chaves que definem a inspiração das peças, cuja referência principal é o Rio de Janeiro (tava fácil adivinhar, né?). A coleção mistura retrô e contemporâneo, com muitas referências dos anos 50, e é leve e fresca – textura bem difícil de atingir, em se tratando de jeans. As novidades já estão nas lojas da marca. Em Caxias, a Damyller fica na Júlio de Castilhos, 1637, loja 02.


Ben Hur Ribeiro, Divulgação/O Caxiense

VITRINE

JOVIAL

ADEUS, RUGAS

Este antirrugas tem efeito lifting imediato e intenso, graças às células-tronco vegetais. À longo prazo, reduz a profundidade média das rugas.

Feito à base de pó de diamante, o creme estimula a renovação celular e restabelece o aspecto jovem e saudável da pele. Para todas as idades. Pegoretinol Créme Précieuse de Nuit | 40ml | Anna Pegova | R$ 213

TEXTURA DE PÊSSEGO

Com efeito alisador, a espuma de limpeza facial tem Chá Verde e Verbena na composição. A combinação dá limpeza e maciez à pele.

Lift Exppress | 12ml | Anna Pegova | R$ 147

SEM CRAVOS

Mousse Nettoyante Au Thé Vert Et À La Verveine | 175ml | Anna Pegova | R$ 75

A limpeza de pele é aplicada com hidrossucção, ou seja, não cutuca a pele e consegue retirar mais impurezas que o método tradicional. Além disso, deixa a pele mais lisa e sem sinais de cravos.

Deixa a pele livre dos sinais do envelhecimento, penetra na epiderme e estimula a pele, deixandoa lisa, firme e com mais viço. A indicação também vale para os homens, que elimina o vermelhidão da pele, irritações e pelos encravados.

Limpeza de Pele | 75 minutos de sessão | Anna Pegova | R$ 135

Máscara de Colágeno | 60 minutos de sessão | Anna Pegova | R$ 170

UNISSEX

Cabelos de verão

O verão está chegando e, para a brasileira que adora um cabelão, penteados práticos e superestilosos são a estratégia perfeita para driblar o calor. O tradicional coque não precisa ser sisudo. Para o dia a dia, os formatos mais fofos e desalinhados são os reis da temporada, adornados por tiaras, flores e faixas (tipo pin up). Para a noite, a parceria é com topetes e volumes. Se você é adepta do básico rabo-de-cavalo, tire a chapinha da gaveta e aposte nos fios bem lisos e esticado, tanto para o dia a dia quanto para eventos sofisticados. Vale lembrar, também, que os hits da temporada são os cortes bem curtinhos ou as madeixas bem longas. As mechas ombré (cores em degradê), com a raiz mais escura e as pontas mais claras, seguem em alta. Para os homens destaca-se a rebeldia dos topetes rockabilly. As dicas são da hair stylist Iza Martins da Luz, do salão Iza Cabeleireira.

Pequenos marinheiros Navy Vintage, Cup Cake e Aventura Urbana são os temas que norteiam a coleção de Primavera/Verão 2013 da Pinoti Baby, grife caxiense comandada pela estilista Alessandra Bulla Marques. O primeiro tema tem macações, conjuntinhos, vestidos e camisetas inspirados no estilo náutico dos anos 60. O segundo, só para meninas, com bordados e aplicações feitos à mão, lembra a doçura e as cores dos sabores dos bolinhos. O último, leva os meninos a uma fuga da turbulenta cidade para entrar em contato com a natureza. Em Caxias, tem Pinoti na Mini&Modas (Visconde de Pelotas, 909).

Camisa azul “Quando não sei o que usar, coloco uma camisa. Azul porque é uma cor neutra, um básico no guarda-roupa masculino, que a agrada tanto a mim quanto ao olhar do outro também.”

Terno ajustado preto com calça mais curta e sapatos coloridos, de preferência amarelo. “Vi essa silhueta no desfile da Vivienne Westwood e me chamou muito a atenção, pois mistura uma cor séria a uma forma mais elegante e ajustada com uma cor atual e luminosa.” por Jorge Alexandre Amaro, acadêmico de Design de Moda e 2º lugar no concurso Brasil Fashion Designers Sul 2012 7.SET.2012

31


32

Edição 145  

Como Caxias italianizou o cheeseburger e criou uma receita que, além de agradar turistas e orgulhar caxienses, movimenta R$ 4,5 milhões por...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you