Issuu on Google+

13.JAN.2012

1


22


Portas fechadas para o turista

5 Prós e contras do Marrecas

“Não queremos parecer piegas”, diz o autor de Ai, se eu te grudo

7

6

O cerco aos motoristas embriagados

A vida à espera de um transplante

8

12 Problemas de Paese com a polícia continuam

A conta dos prejuízos com a estiagem

10 Como não arruinar suas fotos neste verão

9

Tranquilidade perigosa nas represas

18

Fotos: 8, 12 e 18: Maurício Concatto/O Caxiense

11 Rodeio leva um festival de música nativista aos Pavilhões

24 O que une as espécies

30 13.JAN.2012

3


DIGA!

Rua Os 18 do Forte, 422\1, bairro Lourdes, Caxias do Sul (RS) |

Turismo debatido | Turismo investigado | Crack, problema social | Mais um reparo condições de conservação de pontos que deveriam ser referência para os turistas. Não se trata, porém, de fazer terra arrasada. Se Caxias quer de fato fisgar uma parte dos visitantes da Copa do Mundo de futebol, a nossa “Copa do Mundo”, em termos de turismo, está prestes a acontecer. É a Festa da Uva. Uma oportunidade para identificar falhas e corrigi-las. A Secretaria Municipal de Turismo Quiosque da Semtur na Av. São Leopoldo | (Semtur) também foi notícia esta semana Reprodução/O Caxiense por estar sendo investigada pelo Ministério Público. Os promotores abriram É inevitável: a um mês da Festa da inquérito para apurar se foram legais Uva, o turismo entra em pauta. E, como ou não as contratações da mulher e sempre, longe de criar um consenso. A da cunhada de Saulo Velasco, assessor maior polêmica da semana no site foi a técnico (CC) da Semtur, para prestar serdivulgação da lista de 184 cidades indiviços terceirizados ao órgão. O caso foi cadas pelo Ministério do Turismo como revelado com exclusividade pela revista destinos de passeio para o público que se O CAXIENSE na edição 107. espera na Copa do Mundo de 2014. No entorno da sede Porto Alegre, recomenO crack, assunto espinhoso da última dou Bento Gonçalves, Cambará do Sul e capa, sensibilizou os leitores, que elogia4 municípios da Região das Hortênsias. ram a abordagem dada pela revista. O Caxias ficou de fora. A prefeitura reagiu: assinante Patrick Mezzomo comentou no pediu a inclusão da cidade na lista, que Twitter: será priorizada na divulgação com verMuito boa bas federais, e ouviu a promessa de que a solicitação será analisada até o fim do (como sempre) ano. a matéria Os leitores lamentaram a notícia, mas a maioria assegurou: não foi surpresa. do @ocaxiense Amanda Palma de Azevedo escreveu à sobre o crack. revista para analisar o caso. “Não podeProblema social ria ter sido mais previsível. O próprio site da Secretaria Municipal de Turismo que adentra (Semtur) de Caxias mostra o quão desos lares caxienses preparado está o nosso setor turístico. Lá não se encontra o mínimo de informação relevante para visitantes. Ao contrário do Correção da correção: na última site da Semtur de Bento, onde se pode edição, corrigimos aqui a inclusão conferir os hotéis, atrações, notícias e a equivocada do jogo de despedida de agenda completa de eventos da cidade Lauro entre os fatos relacionados na em 2012 – detalhe: o campo ‘agenda’ do retrospectiva de 2011 – na verdade, a site caxiense é uma página em branco, partida ocorreu em 2010. Mas ainda asisto em pleno ano de Festa da Uva”. sim fomos imprecisos. Faltou esclarecer que a despedida foi do Juventude, e não Pré-requisito dos mais básicos para do futebol. Depois disso, Lauro seguiu atrair visitantes, a informação turística nos gramados, disputando a Segundona que Caxias fornece anda mesmo defigaúcha pelo Esportivo. E, oficialmente, ciente. A matéria da página 5 mostra ainda não pendurou as chuteiras. bem isso: quiosques fechados, despreparo para tirar dúvidas, sem falar nas Felipe Boff, editor-chefe

4

95020-471 | Fone: (54) 3027-5538

www.ocaxiense.com.br Diretor administrativo

Luiz Antônio Boff

Editores-chefes

Felipe Boff Paula Sperb Editores

Marcelo Aramis Jaisson Valim Colunistas

Renato Henrichs Roberto Hunoff

Carol De Barba Robin Siteneski

Gesiele Lordes Caroline Dall’Agnol Elisa Rossi Kemmer Dimas Dal Rosso

Maurício Concatto Designer

Luciana Lain COMERCIAL Executivos de contas

Pita Loss Suani Campagnollo Gustavo Fabião ASSINATURAS Atendimento

Tatyany R. de Oliveira Assinatura trimestral: R$ 30 Assinatura semestral: R$ 60 Assinatura anual: R$ 120 Redes sociais Twitter: @ocaxiense Facebook: O Caxiense Revista Foto de capa Maurício Concatto/O Caxiense


BASTIDORES

Uma barragem opõe prefeitura e ambientalistas | A versão caxiense para o sucesso de Michel Teló |Dicas para fotografar

Informação é tudo. Ou nada A praticamente um mês da maior festa de Caxias, a revista O CAXIENSE foi conferir como está o atendimento aos visitantes nos 5 quiosques de informações turísticas mantidos pela prefeitura na cidade. O objetivo: verificar se a Festa da Uva está na ponta da língua. O resultado: ainda há muito trabalho e treinamento pela frente. Será que dá tempo? Dos 5 pontos visitados pela reportagem na manhã de terça-feira (10), 2 estavam fechados (apesar de estarem no horário de funcionamento), em um a atendente pareceu ter caído de paraquedas ali naquele exato momento (não soube nem dar informações que estão no folder) e em 2 os recepcionistas conseguiram ajudar o turista, conferindo tudo no material de divulgação. O aproveitamento final: 40%. Ruim, especialmente tão perto do evento.

fez propaganda de outras atrações dos Pavilhões – como o Cristo Terceiro Milênio – e avisou que neste fim de semana eles sediam o Rodeio Crioulo. Quiosque junto à loja de souvenirs da Igreja de São Pelegrino, 10:40 10 minutos esperando e nada de alguém aparecer para passar as informações desejadas. Até que uma pessoa que trabalha ali perto avisou: a ausência de atendente no ponto é comum. Desistimos. Quiosque da Praça Dante Alighieri, 10:55 Mais 10 minutos esperando. Desta vez, além de não haver atendente, a porta do quiosque estava fechada.

Quiosque da Rodoviária, 11:10 As visitas começaram bem, mas não poderiam terminar pior. O que a atendente tinha em simpatia tinha Quiosque no Aeroporto, junto ao também em desinformação. A única saguão, 10:15 pergunta que respondeu corretaA primeira visita começou bem. A mente foi o dia de início da Festa da atendente passou as informações so- Uva, 16 de fevereiro. Mesmo com o licitadas com um sorriso no rosto e folder na mão, se atrapalhou. Disse ainda comentou sobre outros pontos que a entrada nos Pavilhões é gratuiturísticos da cidade. Explicou sobre ta (R$ 7 de segunda a quinta e R$ 10 a programação de shows e a venda de sexta a domingo) e que as arquidos ingressos pela internet. Falou bancadas para o desfile custam R$ 7 sobre o local dos desfiles e informou (o correto é R$ 25) e não soube dizer que pela primeira vez todos serão qual o valor e se já estão à venda os noturnos. Respondeu aos questioingressos para os shows (estão, e já namentos sempre com um folder na incluídos no preço da entrada dos mão. Pavilhões, exceto para camarotes e ala vip). Ela acrescentou que este Pipa na rótula da Av. São Leopolano vai haver espetáculo Som & Luz do, 10:25 (se Deus quiser...), mas não soube Um rapaz, também sorrindo, informar o valor do ingresso (R$ enumerou as atrações principais 10). Depois de 10 minutos de conda grande festa. Recorreu sempre a versa, achou melhor recomendar: uma pasta, que mantinha ao lado, acesse o site da Festa da Uva! Para para prestar todas as informações finalizar – e talvez tentar compensar –, tentou citar outros roteiros turísNa São Leopoldo, informação correta; solicitadas, preocupando-se em ser na rodoviária, desinformação; na praça, correto nas respostas. Também falou ticos, mas errou de novo. Segundo quiosque fechado (e precisando de reparos) | da degustação de uvas, da venda de ela, Criúva é um município que faz Fotos: Maurício Concatto/O Caxiense ingresso e dos shows. Para finalizar, divisa com Caxias. 13.JAN.2012

5


5 prós e contras do Marrecas

Barragem no Arroio das Marrecas | Luiz Chaves, Divulgação/O Caxiense

A construção da barragem do arroio Marrecas ainda causa muita polêmica, principalmente entre a prefeitura de Caxias e os ambientalistas de 3 ONGs – para não falar dos bastidores do meio político. Mas pode estar perto do fim. Nesta terça-feira (17), a Justiça Federal deve decidir se é válida ou não a permissão para o desmatamento da área. Caso não permita a supressão vegetal, necessária para alagar a represa, a obra engata marcha lenta para se tornar um elefante branco. As ONG União Pela Vida, o Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais (Igam) e o Instituto Orbis de Proteção e Conservação da Natureza são expressamente contra a construção da barragem. Um dos fundadores e biólogo do Instituto Orbis, Otávio Valente Ruivo a classifica como um crime contra a natureza. “O impacto ambiental da construção será gigantesco.” O Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto (Samae) e a prefeitura afirmam que sem a nova represa Caxias poderá ter que enfrentar racionamento de água nos próximos anos. O diretor-presidente do Samae, Marcus Vinicius Caberlon, explica que o Sistema Marrecas é uma das maiores barragens do Brasil e minimiza o impacto ambiental. “É a maior obra para o abastecimento humano. O único dano para a natureza será a supressão vegetal.” Para colocar o tema em discussão, a revista O CAXIENSE convidou Ruivo e Caberlon a apresentar 5 argumentos de suas posições sobre a obra.

6

5 motivos para barrar Estima-se que 100 mil árvores, de

1 espécies características da Mata

Atlântica, sejam cortadas. Mesmo que outras sejam plantadas, isso não compensará o ecossistema que foi destruído. uma área alternativa, que foi 2 Há citada nos relatórios do estudo da UCS, para a construção do Marrecas. Ela sofreria menor impacto ambiental. de 40% da água são perdidos 3 Cerca pela má conservação dos canos.

Isso não pode acontecer em uma cidade com o porte e o PIB de Caxias. O reparo dessas tubulações poderia acabar com o problema.

barragem modificará o micro4 A clima da região. Isso acarretará no aumento da umidade e na aparição de fungos, fato que prejudicará a agricultura e a pecuária da área. obra criará uma barreira física 5 A para a fauna, que impedirá a socialização dos animais. O isolamento fará, por exemplo, com que os animais não encontrem seus parceiros ideais para procriação.

5 motivos para liberar A barragem abastecerá 250

1 mil pessoas da cidade por

aproximadamente 20 anos. UCS fez um estudo 2 A de impacto ambiental e

constatou que o local é o mais apropriado para a construção da barragem. a área desmatada será 3 Toda compensada em outra lo-

calidade. Projeta-se que, para cada araucária derrubada, 15 novas serão plantadas. A prefeitura e o Samae já compraram 2 áreas para o plantio. feito um convênio 4 Foi com a UCS e um hospital

veterinário para ajudar na ressocialização da fauna local nas novas áreas arborizadas.

feitos pelo Samae 5 Estudos mostram que, com a pro-

jeção de crescimento populacional de Caxias no próximos anos, é necessária a construção de uma fonte alternativa para o abastecimento de água.


Relincha, relincha, só não me larga as pata

Rodrigo Silveira |

Maurício Concatto/O Caxiense

O sucesso de Michel Teló é indiscutível. O cantor já é conhecido no mundo todo e, no Brasil, Ai, se eu te pego tornou-se trilha sonora onipresente. Foi nessa onda que o vocalista e baterista dos grupos Macuco (banda da casa do Paiol) e Estância, Rodrigo Silveira, de 34 anos, criou Ai, se eu te grudo, versão gaudéria do grudento hit. Cantada em bom gauchês, a música já é um sucesso regional – e já a apresentação gravada no Paiol já passou das 200 mil visualizações no Youtube. Em entrevista à revista O CAXIENSE, Rodrigo assegura: sua versão passa longe do machismo e não tem duplo sentido algum.

na TV ou Michel Teló toca toda hora nas rádios e na TV porque as pessoas gostam? As pessoas gostam muito da figura dele como artista, porque Teló é carismático, um baita de um músico. A música se transmite pela imagem do cantor. Se o cara não tem algo para cativar o público, não irá a lugar algum. Um exemplo disso é que muitos cantores ou bandas foram colocados na mídia e não fizeram sucesso.

Quanto tempo você levou para “adaptar” a letra de Ai, se eu te pego ao gauchês? Não demorou muito, a letra é bem Por que Ai, se eu te pego faz tanto simples. Bastou incluir algumas palasucesso? vras do vocabulário gaudério e estava O sucesso da música foi uma mistura pronta, tentei incluir a vivência dos rode sorte e criatividade e ainda teve uma deios, o gaúcho gosta disso. Daria mais ajudinha da mídia. O Teló foi feliz na trabalho se fizéssemos uma música a escolha da música e da melodia, ela é sério. Brincar é muito mais fácil. bem fácil de decorar. E, além do mais, ele já tem vivência de palcos, é um cara É impressão ou os versos da letra, antenado. que fala de uma égua em vez de uma mulher – com versos como “Relincha, As pessoas gostam de Michel Teló relincha, só não me larga as pata” e porque toca a toda hora nas rádios e “Ai, se eu te grudo pelas crina” –, são

meio machistas? Nunca quis falar de mulher na música. A letra fala apenas de um gaudério que participa e gosta de rodeios e da sua égua, o equino mesmo. Não coloquei nada de machismo ou sexismo na música. Se alguém entendeu isso, foi errado. Quanto tempo você acha que Ai, se eu te grudo vai levar para desgrudar do repertório de vocês? Por enquanto o pessoal que vai em nossas apresentações pede a música com bastante frequência, alguns até acham que deveríamos tocá-la a noite toda. Acredito que Ai, se eu te grudo só sairá do repertório quando Ai, se eu te pego sair das paradas. Tudo depende do Michel Teló, uma coisa puxa a outra. Você pretende adaptar outra música famosa para o gauchês? Acho que vai ficar meio forçado. A minha primeira (adaptação) foi espontânea, partiu de uma brincadeira. Os fãs da banda nos pedem adaptações de outros hits, mas agora não vai rolar. Não queremos parecer piegas. 13.JAN.2012

7


CAM Fórum na Capital

1 SEMANA NA VIDA DE... …uma paciente renal

PUS

Rosângela Pereira |

Maurício Concatto/O Caxiense

Um problema renal que Rosângela Pereira, de 37 anos, tem desde que nasceu a faz passar 12 horas por semana no hospital para poder sobreviver. São 3 sessões de hemodiálise por semana para purificar o seu sangue. Até quando? Rosângela não sabe. Aguarda desde os 21 anos por um transplante de rim. Quinta-feira, 5 de janeiro Na parte da manhã eu tenho sessão de hemodiálise no Hospital Pompéia. O processo todo dura umas 4 horas. Comecei a fazer o tratamento em 1996, quando colocaram uma fístula no meu braço. Hoje o pessoal do hospital já deixa eu colocar a agulha no meu próprio braço. Em alguns dias a sessão me deixa bastante cansada, mas hoje não foi assim. Sexta-feira, 6 de janeiro O dia foi bem normal. Faço trabalho voluntário na ONG Rim Viver. Basicamente, digitação de notas. Às vezes o pessoal faz palestras nas escolas sobre doação de órgãos e me chama para falar sobre minha vida. Sábado, 7 de janeiro É a minha última sessão de hemodiálise da semana. As máquinas que fazem o tratamento são grandes, já me assustaram. Tem dias que eu e umas amigas

8

fazemos bagunça lá. É bom tentar tornar isso mais agradável. Domingo, 8 de janeiro Saí para almoçar com a família. Gosto de passear, mas só nas casas dos parentes e amigos. Prefiro passar o tempo livre no Facebook. Segunda-feira, 9 de janeiro Toda manhã eu tomo 7 tipos de remédios diferentes: 4 para a pressão, 2 para os ossos e um para a tireoide. Também ajudo os meus pais e irmãos com o trabalho de casa. Ser aposentada não é ser inútil. Terça-feira, 10 de janeiro Vi algo que me deixou emocionada: uma mãe levar uma criança pequena para fazer sessão de hemodiálise. É algo bastante triste. Não dá para saber se é pior para a filha ou para a mãe. Quarta-feira, 11 de janeiro É o dia que eu passo em todos os mercados do Centro para pegar as notinhas deles. Isso é para ajudar a ONG a receber verba, já que ela participa do programa de notas do governo estadual. Meus dias são bem simples. Eu só espero que um dia as pessoas tenham mais conscientização sobre a doação de órgãos. Basta conversar com a sua família.

Um dos maiores eventos da pluralidade étnica está chegando: Fórum Social Temático 2012, de 24 a 29 de janeiro. O evento ocorre em Porto Alegre e nas cidades metropolitanas - Gravataí, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo. Para que os estudantes de Caxias não fiquem de fora dessa, o Diretório Acadêmico Central dos Estudantes (DCE) da UCS organiza durante seu acampamento no fórum. Para participar é necessário se inscrever no site do evento: www.fstematico2012.org.br. Os interessados na excursão devem se inscrever no site do DCE: www.dceus.com.br. Haverá 2 horários de saída em frente à Casa da Cultura, nos dias 24, às 8:00, e 27, às 20:00, com retorno no dia 29, às 17:00. As inscrições custam R$ 20 (aluno da UCS) e R$ 30.

+ Vestibulares Anhanguera

Administração, Ciências Contábeis, Engenharia de Produção, Letras e Pedagogia são alguns dos 15 cursos oferecidos pela instituição, que faz vestibular no dia 29 de janeiro. As provas, no entanto, também podem ser agendas, pelo telefone 3223-3910. A taxa de inscrições custa R$ 25.

Faculdade dos Imigrantes

Ciências Econômicas com ênfase em Mercado Internacional e Meio Ambiente é um dos 4 cursos oferecidos pela FAI. O vestibulando pode escolher a semana que deseja fazer a prova, aplicada todas as quintas-feiras, das 9:00 às 20:00. A inscrição custa R$ 20. O agendamento pode ser feito pelo telefone 3028-7007 ou diretamente na instituição.

Faculdade América Latina

Novidades para o vestibular deste ano. Para a prova do dia 9 de fevereiro, a Faculdade da América Latina oferece, além de Jornalismo, mais um curso novo: Publicidade e Propaganda. Agora são 6 opções de graduação para o estudante. As inscrições podem ser feitas até o dia 7 de fevereiro pelo site www. americalatina.edu.br ou na própria instituição até o dia 8. Taxa de inscrição: R$ 30. ANHAGUERA: SINIMBU, 2.590, 3223-3910. FACULDADE AMÉRICA LATINA: MARECHAL FLORIANO, 889, 3022-8600. FAI: SINIMBU, 1.670, CENTRO, 3028-7007. UCS: FRANCISCO GETÚLIO VARGAS, 1.130, PETRÓPOLIS, 3218-2800.


Dicas para não arruinar suas fotos neste verão

BOA

Maurício Concatto/O Caxiense

TOP5

gENTE

O fotógrafo da revista O CAXIENSE, Maurício Concatto, deve passar a maior parte do verão longe da praia, mas resolveu dar uma mão para você, leitor, se dar bem atrás da câmera. Antes de sair clicando, leia as 5 dicas dele para que suas fotos de verão não precisem de legenda para revelar quem ou o que aparece nelas. Não tente enfrentar o sol O sol não queima só a pele. Pode queimar o seu filme se você for o fotógrafo da turma e decidir encará-lo de frente. Sabe aquelas fotos em que a paisagem atrás está linda mas as pessoas na frente parecem os vultos do filme Ghost? Na praia, a culpa geralmente é do sol. A regra é simples: se você quiser que as pessoas também apareçam, não fotografe contra o sol. Não é vídeo, tá? O sujeito reúne todo mundo, pede um passinho para trás, outro para frente, junta mais, agora se abracem, sorriam, e a foto não sai... Dá uma conferida: é possível que ele tenha selecionado a função “vídeo” da câmera digital. Acontece. Agora, se ele demora assim mesmo, a explicação tem que ser mais direta: foto não é vídeo, tá? #nãofilmanóis Aprenda a ligar/desligar o flash Você está lá, vendo os fogos de artifício, ou um show cheio de luzes coloridas, e quer registrar a beleza do momento. Clica e, quando vai ver o resultado, só se enxerga a nuca torrada do cidadão que está na sua frente. É porque você não desligou o flash! O contrário também acontece, principalmente no fim da tarde. Aí é só ligar o flash. Em resumo: não dá para confiar sempre na leitura que a câmera digital faz sozinha. Liga/desliga. O botãozinho não estraga, foi feito pra isso mesmo. Controle suas pálpebras A turma toda animada, sorrindo, aquela cena bonita, sai a foto e... repete que o Válte piscou! Sim, é só juntar mais de 2 pessoas numa pose que alguém certamente vai piscar. A Lei de Murphy também se aplica à fotografia. Só não dá pra ficar repetindo muito, senão estraga o clima. Então, o melhor é controlar suas pálpebras. Principalmente se a foto for à noite e o fotógrafo estiver usando a função que elimina os olhos vermelhos. Ela faz a câmera disparar um ou mais flashes prévios para que seus olhos se ajustem à luz. O que fazer: espere a última luz do flash, que é a que vale. Depois disso pode piscar à vontade. Para ler na praia: manual de instruções Esta seria a dica número 1, mas se a gente a tivesse colocado lá em cima você nem teria lido até aqui, né? Se está na praia, de férias, não tem desculpa: tem tempo pra ler até manual de instruções. É chato, mas vai melhorar um monte as suas fotos – ensinando-o, por exemplo, a ligar e desligar o flash. Daí para o ajuste de foco é um pulo. E pode salvar o seu verão, pelo menos nas fotos.

O administrador das bombachas A paixão tradicionalista vem do avô materno, Adão, que deixou valores para os netos seguirem. Nascido em São José do Ouro, cidadezinha próxima de Lagoa Vermelha, o administrador Jó Arse, de 42 anos, começou cedo na rotina dos CTGs. Aos 7 anos aprendeu a laçar, ao lado do irmão mais velho, Milton. Daí para frente, se envolveu cada vez mais na cultura tradicionalista. Foi bailarino nas 4 categorias – mirim, juvenil, adulto e veterano –, acumulando prêmios nas provas artísticas. Mudou-se para a cidade grande, Caxias, mas não abandonou a paixão. Lembrava-se com carinho dos agricultores dos campos de São José do Ouro, que trabalhavam sempre de bombacha. Passou por 7 CTGs caxienses, de secretário até patrono. Chegou a fundar um CTG, em 1999, o CTG da Universidade de Caxias do Sul Herança Gaudéria. Com mais de 200 troféus e 3 décadas de vida gaúcha levadas a sério, só faltava no currículo ser coordenador da 25ª Região Tradicionalista. E ele chegou lá, assumindo pela primeira vez em 2005. Agora, indo para o 8º ano de mandato e às vésperas de mais um Rodeio Crioulo, Jó só tem um objetivo: continuar auxiliando as 87 entidades gaúchas que asseguram a Caxias o título de capital mundial dos CTGs. 13.JAN.2012

9


Luiz Chaves, Divulgação/O Caxiense

ple

na rio

Renato Henrichs

Contagem regressiva Dois meses para cortar as árvores, mais 2 para limpar o local e outros 6 meses para o enchimento do futuro lago: o Sistema Marrecas poderá entrar em funcionamento daqui a 10 meses – se a Vara Ambiental, Agrária e Residual da Justiça Federal liberar o corte da mata nos 215 hectares que serão

alagados. A decisão contra ação que impede o desmatamento deverá ser anunciada na próxima terça (17). De qualquer forma, os que se opõem à obra estão mais tranquilos: ela não será inaugurada antes da eleição municipal de outubro. Mas ainda há chance de ela ser entregue no governo Sartori.

Defesa relativa Além de 2 ONGs porto-alegrenses, a ação judicial que conseguiu desautorizar o Ibama a liberar o corte de árvores no Sistema Marrecas tem assinatura do Instituto Orbis, sediado aqui. Seus integrantes

entidade têm todo o direito de defender o patrimônio natural, mas não podem impedir que o abastecimento da cidade esteja garantido por 3 décadas. Ou pretendem instalar poços artesianos em casa?

Custo adicional Em novo cálculo, representantes do Samae e da prefeitura admitem que o custo total do Sistema Marrecas atingiu R$ 240 milhões – o dobro do inicialmente previsto. “Quanto mais demorar, maior será o custo”, alega Sartori. O diretor-

presidente do Samae, Marcus Vinicius Caberlon, diz que o reajuste é normal: “Um grupo de pessoas gerencia e controla todo o processo. Não existe segredo. As coisas são às claras. Vamos investir agora para ter tranquilidade no futuro”.

Bafo na nuca Chega à Câmara na próxima semana um projeto polêmico desde a origem: o que trata da regularização do pagamento de bônus aos médicos da rede pública municipal e também de nova carga horária de profissionais que atuam nas UBSs

10

e no Postão. O Sindiserv não aceita os termos do acordo feito com a entidade sindical dos médicos para o encerramento da greve da categoria – e promete pressionar os vereadores, sempre tão sensíveis ao bafo na nuca do funcionalismo.

Aumento do pedágio Liminar do Tribunal Regional Federal autorizou aumento do valor do pedágio no Polo Metropolitano. O consórcio Univias aguarda resposta também para ação idêntica à da Metrovias a ser feita pela concessionária Convias, que explora o Polo Rodoviário de Caxias do Sul. Os pedágios rodoviários da Região Metropolitana tiveram aumento de 11,6%. A tarifa passa nesta sextafeira de R$ 6 para R$ 6,70.

Conta política O governo Tarso Genro negou esse reajuste pedido pelas concessionárias. Elas estavam há 4 anos sem revisão no valor cobrado aos motoristas que trafegam pelas rodovias pedagiadas do Rio Grande do Sul. Tudo vai depois para a conta do suposto desequilíbrio econômico-financeiro da atividade.

No varejo O ex-vereador Harty Moisés Paese (PDT) desistiu da vereança, mas ainda não conseguiu largar o vício que o levou a abandonar a carreira política. No final da tarde de quarta-feira (11), Paese foi detido pela Brigada Militar, no bairro Primeiro de Maio, pela posse de 16 trouxas de cocaína (2,65 gramas), segundo o boletim de ocorrências do CRPO-Serra. O bairro já havia sido cenário de detenção anterior do ex-parlamentar. Talvez seja o caso de a BM buscar agora os fornecedores dele.


Luiz Chaves, Divulgação/O Caxiense

Estiagem

Roberto Hunoff

Novo superintendente O Banco do Brasil tem novo superintendente regional de varejo. Moacir Antônio Feiten, no cargo desde o início do mês, confirmou que a instituição passa a ser agente financeiro do Programa Minha Casa Minha Vida. Quanto mais concorrência no segmento, melhores as oportunidades para os compradores.

Varejo de móveis

Mesmo que ainda sem estimativas sobre o volume de perdas em função da estiagem, o setor agropecuário de Caxias já faz contas sobre os prejuízos. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Raimundo Bampi, os problemas atingem todas as culturas, mas com maior gravidade as frutas e hortaliças. Ela também atenta para a questão das pastagens, que não evoluem e comprometerão a alimentação dos animais no inverno. O sindi-

calista cobra mais investimentos do governo na abertura de poços artesianos e açudes para irrigação, embora reconheça que a legislação ambiental inviabiliza a maioria dos projetos nesta área. “A visão radical ambientalista está prejudicando toda a população, pois com a escassez de alimentos é certo que os preços se elevarão.” É preciso recordar que em novembro o meio rural foi castigado por chuvas de granizo, que destruíram plantações inteiras.

Meio ambiente A Cemar Legrand obteve a norma ISO 14001, que certifica a empresa como cumpridora de exigências ambientais. Para alcançar esta condição, foi preciso fazer adaptações na estrutura da companhia e um estudo detalhado para a implantação do conceito de controle ambiental envolvendo colaboradores, fornecedores

e clientes. O diretor da fábrica, Odacyr Bortolozzo, lembra que agora todos os colaboradores e terceiros desenvolverão atividades pensando na redução de geração de resíduos, no combate ao desperdício da água e energia elétrica e na separação correta dos materiais, sabendo os impactos que cada ação gera ao meio ambiente.

Moda infantil A Pinoti Baby é uma expositoras da 38ª Feira Internacional do Setor Infanto-Juvenil/Teen/Bebê, de 15 a 18 de janeiro, em São Paulo. Com presença em 17 estados brasileiros, a empresa caxiense apresentará as coleções outono/

inverno 2012, formada por mais de 80 peças, e tropical de inverno, com 50 itens destinados ao mercado do Norte e Nordeste. A expectativa de crescimento para 2012 é de 12% e a capacidade de produção é de 12 mil peças/mês.

O consumidor tem mais uma opção no varejo moveleiro. A Finger Móveis Planejados, de Sarandi, abriu loja na Sinimbu, onde comercializará cozinhas, dormitórios, home theaters, home offices e ambientes corporativos. Com 34 anos de existência, a empresa tem 60 lojas espalhadas pelo Brasil.

Mudanças na ARH A nova diretoria da Associação Serrana de Recursos Humanos (ARH Serrana), gestão 2012/2013, continuará sendo presidida por Francisco Batista. As mudanças ocorrerão nas vice-presidências. Fernando Guerra é o vice-presidente; Glenio Luiz da Rosa e Silva, o vice de marketing; Márcia Martini é a vice técnica científica; e Luís Augusto Perocchin permanece na área administrativa financeira.

Transporte noturno

A Milletour Viagens tem feito média mensal de 120 transfers de pessoas desde que se intensificaram as blitze para flagrar motoristas embriagados. Para o diretor Milton Corlatti, este movimento tende a ser comum, com perspectiva de crescimento. 13.JAN.2012

11


Uma barreira contra a embriaguez no trânsito

Três anos após a Lei Seca ter dado instrumentos para a fiscalização coibir a associação álcool-volante, a Secretaria Municipal de Trânsito finalmente decidiu agir. As blitze quase diárias coincidiram com a queda em 78% nas mortes por acidentes. O CAXIENSE acompanhou os bastidores das operações e mostra por que elas começam a levar paz às ruas e estradas de Caxias

por Elisa Rossi Kemmer 12


13.JAN.2012

13


São 4:00 de sábado (7). Na 2ª Delegacia de Pronto Atendimento, na Marquês do Herval, só há policiais e um casal, não muito simpático. Mas a situação muda em minutos. A sala de espera começa a lotar. Chegam ali pessoas de bermuda e chinelo, crianças, famílias inteiras – gente que nem sabe para onde ir. Precisaram sair a cama de madrugada, vestir-se às pressas e se dirigir até aquele local pouco familiar depois de um telefonema preocupante: um parente acabara de ser detido. Ele não havia provocado confusão, nem assaltado ninguém, mas exagerado na bebida e dirigido – um crime também. Essa cena se tornou comum nas últimas semanas. Assustada com o aumento na violência de trânsito, a Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade se uniu à Brigada Militar e à Polícia Rodoviária Federal e decidiu atacar uma das principais causas da chacina nas ruas e estradas brasileiras: a combinação álcool e volante. Desde 17 de novembro, mobiliza seus fiscais para blitze quase diárias. O resultado se percebe na movimentação da DP nos fins de semana. O local lota com universitários, profissionais liberais e trabalhadores de uma série de outros ofícios que jamais haviam pisado em um ambiente policial – e agora estão sob o risco de ir para a cadeia caso a família não pague a fiança. Com os olhos vermelhos, um loiro de calça jeans e camiseta foi um dos jovens que acabaram na delegacia na madrugada de sábado. Ele resolveu sair com a namorada para “comer um lanche”, segundo relatou aos agentes. Caiu na barreira na BR-116. Soprou o bafômetro, que marcou 0,47 mg/l por litro de ar expelido pelo pulmão – 4 vezes mais do que o limite mínimo para ser multado. “Tomei só um copo de vinho”, alegou ao policial. A mãe foi chamada para ajudar o filho. Enquanto esperava para conversar com a delegada plantonista Daniela Duarte, a mulher não escondia a indignação. “Meu filho deveria ficar um

14

mês preso. Ficou toda a semana em casa e hoje resolveu sair com a namorada. Disse para ele não sair. Sabia que isso ia acabar mal”, afirmou. O coração de mãe amoleceu. A família pagou a fiança, a exemplo dos outros 5 condutores que acabaram detidos por excesso de álcool naquela madrugada. O custo para escapar da prisão variou entre R$ 700 e R$ 1,1 mil. Eles só não conseguiram se livrar da multa de R$ 957,70, da suspensão da carteira nacional de habilitação (CNH) e da necessidade de se submeter a uma prova depois de 30 horas de aulas teóricas em um Centro de Formação de Condutores (CFC) – medidas a que todos os motoristas bêbados estão sujeitos, mesmo que não sejam detidos.

trava uma média mensal de 6,5 mortes. Em dezembro, quando as operações já haviam se intensificado, acidentes mataram 2 pessoas. Outra comparação ajuda a mensurar o benefício com o rigor na fiscalização. O número do último mês de 2011 significa uma queda de 78% nas mortes em relação aos mesmos períodos de 2010 e 2009. A redução coincide com o salto nas autuações pela Lei Seca. Entre 1º de janeiro e 16 de novembro, os fiscais municipais haviam flagrado apenas 5 casos de embriaguez ao volante. Entre 17 de novembro e 31 de dezembro, esse número explodiu: foram 189 autuações. “Tivemos que recorrer a essa conscientização forçada, pois as medidas educativas não vinham fazendo efeito”, justifica o diretor-executivo de Trânsito, Jorge Durante 2 madrugadas na semana Catusso. passada, a revista O CAXIENSE acompanhou o constrangimento de mães, As barreiras se tornaram tão comuns as desculpas esfarrapadas dos filhos e que os motoristas já têm consciência: o esforço de policiais e fiscais para dar uma hora ou outra, a fiscalização irá fim à chaga do trânsito. Nas 2 blitze, na abordá-los. “Hoje, quem bebe, já bebe BR-116 e na Visconde de Pelotas, 607 sabendo”, afirma um motorista de 30 motoristas passaram pelo bafômetro e anos, multado por apresentar 0,22 mg/l 27 apresentaram pelo menos 0,12 mg/l por litro de ar expelido. por litro de ar expelido – um terço deA resposta do condutor contentaria les acabou na delegacia por ultrapassar Catusso. Ele explica que a Secretaria de o limite de 0,33, o que configura crime Trânsito busca fazer com que o motode trânsito. Só os testes nas 2 barreiras rista que bebe tema ser o próximo a cair representaram um gasto de R$ 910. na barreira, o que o fará pensar 2 vezes “Mesmo gastando esse valor, e jun- antes de pegar a chave depois de encher tando a ele os trabalhadores envolvidos a cara. “Nunca vi ninguém ser pego por e as viaturas, o benefício será sempre tomar 3 long necks. O que não dá para maior”, explica o fiscal Érico Oliveira, fazer é querer tomar a capa da gaita e um dos coordenadores das blitze. o gaiteiro”, afirma. O diretor já observa As estatísticas confirmam o que Érico uma redução no número de autuações diz. Até novembro, o município regis- em cada blitz. Mas as estatísticas ainda


Entre 17 de novembro e 31 de dezembro, agentes flagraram 189 motoristas embriagados – 37 vezes a mais do que em todo o restante de 2011

estão longe de atender às suas aspirações. “O dia mais feliz será aquele que não autuarmos ninguém.” A decoradora Carla Camargo, de 38 anos, contribui para que o desejo de Catusso se torne realidade. O início das blitze levou ela e as amigas a se revezarem no volante. “Saímos em grupo, cada dia uma fica responsável por dirigir e esta não bebe”, afirma a mulher, que jamais levou multa por misturar bebida e direção. Depois de receber a autuação na semana passada, um instalador de alarmes de 23 anos promete seguir o exemplo de Carla. Diz que não vai parar de beber. Mas, quando isso ocorrer, voltará para casa de carona. “Não sei falar sobre limite, pois depende da pessoa. Tem gente que bebe e causa acidente, outros não”, observa. Nem sempre os autuados têm comportamento tranquilo como ele. Durante as ações da fiscalização, há momentos tensos. Na primeira noite acompanhada pela reportagem, na quinta-feira da se-

mana passada, dia 5, um jovem se negou ao teste e se trancou no carro. Um policial militar aproveitou uma fresta do vidro para tentar abrir a porta. O condutor fechou a janela e prendeu o braço do PM. Para que ele fosse contido, os agentes usaram a arma Taser, que imobiliza por meio de choque elétrico. A discussão continuou e o rapaz foi levado ao plantão da Polícia Civil por desacato. Os condutores usam das mais diferentes artimanhas para escapar da fiscalização. Na madrugada de sábado, a Brigada Militar precisou intervir porque um motociclista avisava, na Rua Sinimbu, os motoristas sobre a operação na BR-116. Não bastasse o incentivo à impunidade, a ação também representou riscos. Para fugir, os condutores andavam na contramão. Horas antes, um casal estacionou a poucos metros da barreira e o homem assumiu o volante. Um policial rodoviário federal flagrou a troca, o que levou os fiscais a tentarem submeter as 2 pes

Em 2 dias, 607 motoristas passaram pelo bafômetro | Maurício Concatto/O Caxiense

13.JAN.2012

15


soas ao teste do bafômetro. A mulher se negou – quando isso acontece, o motorista se livra de prestar esclarecimento na delegacia, mas leva todas as outras sanções como se tivesse bebido. O desrespeito também torna as operações delicadas. Entre sexta-feira e sábado, um condutor de cerca de 60 anos foi pego pelo bafômetro e precisou ligar para o filho ir buscá-lo. Enquanto aguardava, xingava o policial que aplicou o teste. “Eu estou lúcido. Se estivesse andando assim, fazendo ziguezague com as mãos, mas estou bem. Estava em uma festinha. Não se pode mais nem ir a um churrasco e tomar um traguinho? Não estou bêbado de cair. Hoje, a gente paga para os bandidos. Há 30 anos que eu dirijo e isso nunca aconteceu”, bradava. O policial respondeu à altura, fazendo-o recuar: “Isso mesmo, o senhor está certo. Prendo 20 bandidos por semana, mas isso não aparece. Só é ruim quando arde no seu”. O agente de trânsito Johny Ariotti, de 27 anos, conta que reações ásperas dos autuados costumam ser comuns. Diferentemente dos PMs e policiais rodoviários, servidores como ele não têm poder para prender. “Apenas fiscalizamos o trânsito e as pessoas multadas ficam falando que deveríamos estar prendendo bandidos, mas não são só essas coisas grandes que contam. O que fazemos é um serviço de atuar nos crimes menores”, relata. Se os agentes ouvem críticas dos moO motorista recebe multa quando toristas bêbados, recebem o aplauso de equipamento marca acima de 12 mg/l. especialistas. O professor de trânsito e Fiscalização achou garrafas em carro transportes João Hermes Junqueira, da Fotos: Maurício Concatto/O Caxiense Unisinos, elogia ações como essa. “O

poder público está fazendo a sua parte em fiscalizar o uso inadequado dos veículos. As pessoas têm que se conscientizar que, se estão dirigindo, não podem ter bebido, pois elas acabam não assumindo o risco”, explica. Mas ele pondera: só fiscalização não basta. Os poderes públicos também precisam investir em ações permanentes de educação. Ele defende campanhas com imagens fortes, que mostrem o perigo do álcool no trânsito. “As campanhas devem ser diárias, tem que estar todo mundo falando nisso”, diz o professor. Também cobra melhorias no transporte público, que estimulariam os bêbados a trocar os carros por ônibus. Os aumentos nas blitze não são exclusividade de Caxias do Sul. Apoiado pela Lei Seca, em vigor desde 2008, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) lançou, em parceria com outros órgãos, iniciativas como o Balada Segura em Porto Alegre. “Não é admissível que as pessoas usem o espaço público sem condições de dirigir”, observa o presidente em exercício do órgão, Ildo Mário Szinvelski. Satisfeito com os resultados, o Detran estuda estender a área de atuação – e inclui Caxias entre as possíveis áreas que seriam beneficiadas com a ação estadual. Enquanto o reforço na fiscalização proporcionado pelo Detran não chega, Caxias do Sul trata de planejar melhorias nas atuais blitze. A Secretaria de Trânsito promete operações em ritmo intenso, com foco em novas áreas, como os acessos a balneários no interior do município. A prefeitura também prevê a compra de mais 4 camionetes, 2 motos e um radar fotográfico. Tudo com um único objetivo: salvar vidas.

O perfil dos motoristas flagrados Idade

Sexo

18 - 25

96,2%

Três em cada 10 condutores que receberam multa nas blitze têm menos de 25 anos:

26 - 30 31 - 40 Acima de 41

16

30,2% 20,1%

A combinação bebida e direção está associada aos motoristas do sexo masculino:

Homens

3,7%

Mortes

Como as blitze só começaram no fim do ano, acidentes fatais tiveram alta em 2011:

71

67

73

Mulheres

26,4% 23,1%

2009

2010

2011


Por passar dos limites, os condutores acabam na delegacia, onde precisam pagar fiança para sair da cadeia | Maurício Concatto/O Caxiense

Tire suas dúvidas Qual é o limite para que o motorista receba multa por embriaguez ao volante? Em Caxias do Sul, a fiscalização autua os condutores que apresentarem pelo menos 0,12 mg/l por litro de ar expelido nos pulmões. Acima de 0,33 mg/l, o condutor acaba detido e vai para a delegacia.

O que acontece com quem dirige embriagado? Acima de 0,12 mg/l, o condutor é multado em R$ 957,70, tem a carteira recolhida e suspensa por 1 ano, além de ter o carro guinchado caso não tenha outro motorista habilitado para dirigilo. Também precisa cursar 30 horas de aula teórica em um Centro de Formação de Condutores (CFC) antes de se Quanto ele precisa beber para che- submeter a uma prova. gar ao limite mínimo? Quem estiver acima de 0,33 mg/l A Polícia Rodoviária Federal alerta sofre todas essas consequências e ainda que a medida varia de pessoa para responderá por crime de trânsito. Só é pessoa, mas costuma corresponder a libertado com o pagamento de fiança, uma lata de cerveja, um cálice de vinho cujo valor é determinado pelo delegado ou uma dose de uísque. Para eliminar plantonista. essa quantidade, o corpo demora pelo Todos são submetidos ao teste ou só menos uma hora.

quem apresenta indícios? Na medida do possível todos são submetidos ao teste, mesmo quem não parece estar embriagado. E se o condutor se recusa ao bafômetro? Ele sofre todas as consequências de um embriagado, mas se livra de ir para a delegacia. E se um condutor com a carteira suspensa for pego novamente? O que ocorre com ele? O motorista é multado e tem a habilitação suspensa por mais 1 ano. Após esse prazo, ele precisará recomeçar do zero, cursando todas as aulas para ter um novo documento. 13.JAN.2012

17


O RIsCO DO ReFResCO Moradores desprezam placas de alerta e cercas de proteção e entram na água em represas, sem ser contidos pela Operação Verão, criada para prevenir afogamentos

por Caroline Dall’Agnol 18


O calor está, mais uma vez, arrastando a imprudência para a beira da água. Por falta de dinheiro para se associar a um clube com piscina ou ir à praia ou apenas por ter uma represa na vizinhança, moradores de Caxias seguem se arriscando a nadar em locais impróprios. Uma prática perigosa, agravada no caso de migrantes que chegaram há pouco na cidade e desconhecem mais ainda os lugares onde mergulham. A Operação Verão Seguro, criada para prevenir afogamentos em Caxias, não consegue evitar que, em pleno verão, uma parcela da população busque refresco onde não deve. O CAXIENSE comprovou isso ao visitar, no último domingo (8) à tarde, 3 pontos em que o banho, apesar de proibido, é comum. Em 2 deles - nas represas São Miguel, no Fátima, e Maestra, no Santa Fé -, encontrou gente nadando. Apenas no lago do Jardim Botânico, incluído no roteiro, não havia banhistas. Liderada pelo Corpo de Bombeiros, a operação dá sinais de desarticulação. A Guarda Municipal, que deveria estar participando das ações de fiscalização e prevenção desde a véspera do Natal, ainda não se fez presente. A ausência se estende ao Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), responsável pelas represas. O CAXIENSE também verificou problemas na sinalização de alerta. Na Maestra, há uma placa deteriorada e outra jogada ao chão. Os bombeiros asseguram que estão retirando pessoas da água e apresentam números da operação. Entretanto, nas 3 horas em que a reportagem esteve visitando as represas, nenhuma viatura ou ação de fiscalização foi avistada.

cos de afogamento. “O pessoal não dá bola. Morre um hoje, amanhã é como se nada tivesse acontecido, e eles continuam usando o lugar. É mais um no meio da multidão. É triste, mas infelizmente é assim!”, concorda João André Berny, de 34 anos, amigo de Pablo. Ele, porém, não vai à represa para nadar. “Venho para pescar, mas quase não pesco nada!” O Complexo Dal Bó – que, além da São Miguel, tem outras 2 represas, a São Pedro e a São Paulo – e as represas do Faxinal, Maestra e Samuara são as 4 localidades fiscalizadas pela Operação Verão Seguro, realizada desde 2007 nos finais de semana de verão. Além das barragens, lagos e balneários também são monitorados. “Nosso papel é orientar as pessoas e solicitar que saiam da água para que não haja acidentes. As represas são municipais, cabe aos órgãos específicos colocar guardas monitorando em tempo integral”, afirma o capitão Márcio Leandro da Silva, comandante operacional dos bombeiros em Caxias. Segundo ele, esses lugares são atrativos e acolhedores e, como a cidade não tem lugar público para banho, acabam se transformando naturalmente em alternativas. O diretor da Guarda Municipal de Caxias, Sebastião Freitas da Silva, repassa a maior responsabilidade pela fiscalização das bacias de captação ao Samae. Admite, porém, que neste verão a Guarda ainda não acompanhou os bombeiros nas visitas às represas. Sebastião promete que isso será feito a partir deste fim de semana. “Vamos realizar ações educativas e preventivas. As pessoas que entram nas barragens sabem que ali não é um local seguro. Pedimos que se retirem, mas, se houver “Vamos ir pra onde? Não é todo resistência, acionamos a Brigada Militar mundo que tem dinheiro para se refres- ou o Conselho Tutelar, cada um responcar em um clube ou em uma praia. A dendo pela sua competência.” gente tem medo, mas eu tento me cuidar o máximo, ainda mais que a água Consciência de que o local é perigodaqui é tri ‘pesada’, é fácil de ir para o so é o que não falta a Eliane Rodrigues fundo!”, relatou no domingo Pablo Sil- Araújo, 29 anos. Moradora há 9 anos do veira, de 21 anos, enquanto se banhava Fátima Alto, ela é mãe de Jaderson, 12 na represa São Miguel, do Complexo anos, que perdeu um amiguinho há 3 Dal Bó, Fátima Alto. anos na barragem. Bruno, que na époPablo, que há 6 meses veio de Santana ca tinha 13 anos, morreu afogado na do Livramento, mora perto da represa. represa São Miguel. Na beira do lago, Repete o comportamento que observa Eliane passeia com o filho, o marido e na vizinhança, acostumada a procurar o o sobrinho para tomar seu chimarrão, local para nadar, mesmo ciente dos ris- mas não tira os olhos das crianças. “Não Represa São Miguel, no último domingo (8) | Maurício Concatto/O Caxiense

13.JAN.2012

19


dá para deixá-las sozinhas. Elas fogem e, quando tu vê, já estão lá dentro da água”, alerta Eliane – que, por sinal, trabalha como auxiliar de vigilância. O marido dela, Jeferson Peres, de 39 anos, completa: “Qual a criança que vai ver a água e não vai querer entrar? É muita criança para controlar e tem muitos pais que deixam os filhos saírem e nem sabe para onde eles vão. Deveria ter um guarda ou um salva-vidas cuidando, para evitar acidentes”. Segundo ele, a cerca que impede a passagem do bairro para a barragem já foi destruída 4 vezes. O Corpo de Bombeiros encontrou 25 crianças nadando nas barragens no último sábado (7). No domingo, esse número caiu para 9. Além de retirá-las da água, os bombeiros entregaram folders de conscientização. Os jovens também são presença certa nas represas. O casal Dianifer Arboitte e Pablo Garcia, de 21 e 22 anos, frequenta há 2 anos a barragem da Maestra, próximo ao Santa Fé, e conta que nunca foi abordado por bombeiros ou guardas municipais. “A gente sabe que é perigoso e que toda barragem é proibida para banho, mas a gente se cuida e nunca vai para o fundão!”, ameniza Pablo. Diante disso, o capitão Márcio reconhece que o monitoramento deveria ser mais intenso. “Quando as pessoas nos enxergam, saem correndo da água. Mas é só nós sairmos dali que o pessoal retorna. Não podemos ficar 24 horas nos locais”, justifica. A diretora de Recursos Hídricos do Samae, Sônia Susin, lembra que as barragens estão protegidas por cercas, mas diz que elas não são suficientes para impedir que as pessoas entrem sem autorização. “Esse é um trabalho difícil. Mesmo com as mortes por afogamento, as pessoas continuam utilizando as barragens. O objetivo da represa não é natação, é o abastecimento de água”, enfatiza Sônia, entendendo que ampliar o controle nas represas é da Secretaria da Segurança Pública – que comanda a Guarda Municipal – e de outros órgãos do Município. Enquanto a Operação Verão Seguro faz água, a Operação Banho Proibido segue levando centenas de caxienses às represas. Na Maestra, Pablo e Dianifer (D) e placa derrubada. No Dal Bó, banho liberado

20

Fotos: Maurício Concatto/O Caxiense


PLATEIA

As aventuras de um detetive, um jornalista e um picareta | Nativismo enche os Pavilhões | Willmutt vem passar trote em Caxias

A graça das rugas sem graça

por Jaisson Valim Os melhores dramas talvez sejam aqueles que provocam risadas em vez de lágrimas. Dono de uma encantadora sutileza, Late Bloomers – O Amor Não Tem Fim tem essa proeza: faz graça com um assunto triste. Mesmo que, envolvido com as gargalhadas, não se dê conta, o espectador acaba estimulado a refletir sobre a velhice. A ex-professora Maria percebe sua própria finitude enquanto acompanha o marido, Adam, em um prêmio pela bem-sucedida vida como arquiteto. Aquela cerimônia soa para a mulher como o sepultamento de uma carreira e o ingresso na 3ª idade. Uma amnésia temporária em meio à comemoração pela distinção irá agravar o medo. Esse temor transforma a relação do casal, que vive uma confortável união há 3 décadas. Ela compra kit de primeiros socorros, instala telefone com teclas gigantes e coloca corrimãos no banheiro para tornar o inevitável menos doloroso. Ele se recusa a aceitar as mudanças: rejuvenesce o guarda-roupas, assume novos projetos profissionais e

flerta com arquitetas iniciantes. Segundo filme de Julie Gavras, o longa tem uma estrutura amarrada, personagens que beiram o esteriótipo e um final previsível. É uma comédia sem a mesma qualidade da obra anterior da cineasta: A Culpa é de Fidel. Mas, convenhamos, era um desafio imenso superar a estreia, que se aproxima do excepcional. Sustentado pela ótima interpretação dos protagonistas Isabela Rosselini e William Hurt, Late Bloomers tem o mérito de apresentar a discussão central com profundidade e charme. Numa sociedade onde envelhecer se tornou pecado, os filhos se parecem cínicos e virou regra a teimosia de idosos em ignorar a 3ª idade. Julie mostra que, mesmo sem abdicar das rugas, é possível envelhecer com graça – assim como é possível fazer um filme divertido com um tema dramático.

Late Bloomers é uma comédia sem a mesma qualidade de A culpa é do Fidel, mas consegue divertir mesmo tratando de um assunto dramático: a velhice

ORDOVÁS. SEX 19:30. SÁB-DOM 20:00. QUI (19) 19:30

12

1:34

13.JAN.2012

21


CINE

Anne

Hathaway. Jim Sturgess. De Lone Scherfig

Um Dia Um filme baseado em um best-seller elogiado pelos críticos, dirigido pela cineasta do bom Educação e com os encantos de Anne Hathaway tem tudo para ser ótimo, certo? Há controvérsias. Inspirado em livro homônimo de David Nicholls, o longa acompanha durante 20 anos o dia 15 de julho na vida dos ora amigos, ora namorados Emma e Dexter. O filme deu sono em muito espectador. Se ficar entediado, embarque na viagem pela cultura pop das últimas 2 décadas, desde as malfadadas ombreiras. Estreia. 12

CINÉPOLIS 14:10-16:30-18:50-21:10

* Qualquer alteração nos horários e filmes em cartaz é de responsabilidade dos cinemas.

22

1:51

As Aventuras de Agamenon – O Repórter

Missão Impossível – Protocolo Fantasma

Não adiantou os cassetas recorrerem ao mais engraçado comediante brasileiro da atualidade. Nem Marcelo Adnet salva o filme. O humorista interpreta, quando jovem, o jornalista picareta que viu o naufrágio de Titanic, entrevistou Albert Einstein e ajudou a demolir o Muro de Berlim. Repleto de piadas de duplo sentido, o longa lembra o ocaso sem graça do Casseta & Planeta. Ainda bem que a agonia só dura 1:14.

Para escapar das suspeitas do governo russo, o agente Ethan tem a obrigação de encontrar o verdadeiro terrorista. É uma missão mais impossível do que nunca. Para cumpri-la, o personagem tem até mesmo que escalar o edifício mais alto do mundo – por minutos, sem o uso de qualquer equipamento. A cena é tão bem filmada e editada que o longa deveria ser censurado também para quem tem medo de altura.

CINÉPOLIS 13:50-15:35-17:20 GNC 15:00-17:00-19:10-21:10

14

★★★★★

CINÉPOLIS 19:05-21:50 21:20 | 19:20 1:14 GNC

14

2:12

Os Imortais

O Gato de Botas

O mortal Teseu recebe a missão de Zeus de enfrentar o rei Hyperion, que – sem mais nada para fazer depois de conquistar riqueza e as mulheres que desejava – resolve acabar com a humanidade. É um 300 que se passa na Grécia Antiga – e tem tudo para desagradar gregos e troianos.

Pretensioso este Gato de Botas. Além de querer atacar a Gansa dos Ovos de Ouro, começa a mostrar interesse em roubar o recorde local de outra animação. Já está há 8 semanas em cartaz em Caxias. Se continuar assim, logo, logo vai ameaçar o reinado dos Smurfs, que ficaram 20 semanas nas telas.

GNC 3D

GNC 13:10 (3D). 13:00-14:50

17:20.

22:00

16

1:50

L

1:30


Alvin e os Esquilos 3 Filme de férias combina com as férias. Alvin, Theodore, Simon e as esquiletes se acidentam de asa-delta durante um cruzeiro e param em uma ilha deserta. Os esquilos caíram no gosto da gurizada de folga da escola – a animação teve 776 mil espectadores no Brasil só no fim de semana. De quebra, também contenta o adulto menos resistente. Quem não abre um sorriso com a versão “animal” para a música de Lady Gaga?

CINÉPOLIS 11:20 (SÓ SÁB-DOM) | 13:20-14:40-15:4016:40-17:40-19:40-21:40 L GNC 13:30-15:30-17:30-19:30 1:27

A Hora da Escuridão Da série filme-com-grupo-de-bonitões-que-tenta-escapar-dealienígenas. É uma correria sem fim por Moscou capaz de dar fadiRobert Downey Jr. Jude Law. De Guy Ritchie. ga até em quem assiste. Os caras tentam escapar de seres invisíveis que devoram toda a energia e querem transformar os seres vivos Sherlock Holmes – O Jogo das Sombras em cinza. É bem provável que os mocinhos sobrevivam no fim do Se está na expectativa para conferir uma adaptação fiel à filme – mas a inteligência com certeza ficou pelo meio do caminho. obra de Arthur Conan Doyle, é melhor que o fã fique em Nossos pêsames! Estreia.

casa. Em comparação com o primeiro filme da franquia, Sherlock Holmes está ainda mais parecido a um personagem CINÉPOLIS (3D) 13:00-15:00-17:00-19:00-21:00 de videogame nesta caça contra o supervilão Professor Mo- GNC 16:30-18:50-21:00 riarty. Na tentativa de torná-lo mais atual, o diretor abusa dos efeitos especiais e de outras pirotecnias visuais. É menos dedução e mais ação. A discussão pós-filme pode se tornar mais interessante do que a própria sessão: qual o melhor longa da franquia, o primeiro ou o segundo? Estreia.

CINÉPOLIS 14:00-16:40-19:20-22:00 GNC 13:40-16:20-19:00-21:30

14

12

1:31

2:09

Cavalo de Guerra Filmes de 2ª Guerra deram os Oscar a Steven Spielberg. Agora, o cineasta tenta o prêmio pela 3ª vez, voltando ainda mais no tempo – desta vez, a galope. É tempo de 1ª Guerra Mundial. Para ir atrás do cavalo de estimação recrutado pela Cavalaria Inglesa, um jovem decide se alistar. Drama clássico do diretor, que se verte em lágrimas, muitas lágrimas. CINÉPOLIS 18:50-22:10 GNC 16:40-21:45

12

2:26

De Steven

Spielberg.

As Aventuras de Tintim Compramos um Zoológico Este é daqueles filmes difíveis de avaliar se é bom ou não. Em luto pela morte da mulher, Benjamin Mee compra uma nova casa para viver com os 2 filhos: um zoológico. É ali, em meio aos animais, que buscará a redenção. Nada é surpreendente em uma comédia dramática repleta de clichês. Mas embalado por ótima trilha sonora e uma visão inocente de mundo, Cameron Crowe consegue dar charme a uma história meia boca.

★★★★★ GNC 13:50

L

2:04

O filme se chama As Aventuras de Tintim, mas ninguém iria estranhar se fosse algo do tipo: Os Caçadores da Arca Perdida. Qualquer semelhança com o filme de 1981 não é coincidência: Spielberg dirige as peripécias do personagem – uma versão jovem de Indiana Jones – em uma animação 3D elogiada até pelos francês. Os fãs da HQ (e dos desenhos animados exibidos nos anos 90 pela TV Cultura) respiram aliviados. O cineasta manteve na adaptação o espírito de Hergé, o criador do herói. Pré-estreia. CINÉPOLIS 3D SÁB-DOM. GNC 3D 15:10. 19:40

12:20

10

13.JAN.2012

1:48

23


MUSICA

Festival nativista nos Pavilhões

César Oliveira e Rogério Melo. Juliana Spanevello | Fotos: Divulgação/O Caxiense

Não bastasse a extensa (e intensa) programação de provas artísticas e campeiras, o 24º Rodeio Crioulo Nacional de Caxias do Sul tem um repertório ainda maior de motivos para arrastar os tradicionalistas aos Pavilhões. É, na prática, um baita festival de música nativista. Desta sexta até o dia 22, quando Mano Lima encerra a série de shows, a gauchada pode curtir seus ídolos musicais de graça, de segunda a quinta, ou por apenas 4 pila, de sexta a domingo. Veja abaixo quem vai subir no palco até o dia 19. Xiruzinho. SEX. 20:00 É do advogado João Darlan Bettanin a voz que canta “já fui centauro para defender meu país”, mas você não irá vê-lo falar isso de terno e gravata. Pode ouvi-lo no rádio, onde comanda um programa tradicionalista, ou no palco, a caráter, onde Xiruzinho defende com paixão o repertório bagual. Walther Morais. SEX. 21:30 O álbum mais recente é Chamarrona de Campanha, mas certamente não irá faltar no show de Walther Morais e banda a clássica Criado em Galpão. Os Mateadores. SEX. 23:30 O DVD e CD de bodas de prata, lançado em dezembro, esgotou em 30 dias. Enquanto os fãs que ficaram sem esperam para poder comprá-lo, nada melhor que curtir o grupo no baile. Jairo Lambari. SÁB. 19:00 Gaúcho nato, que trabalhava como peão, Lambari retrata em suas músicas

24

o romantismo da vida rural. Cena de da nos programas de TV em época de Campo é o último CD do músico. Semana Farroupilha, segue arrancando aplausos pela virtuose precoce. Cristiano Quevedo. SÁB. 22:30 Com 11 discos lançados, Cristiano Robison Boeira. TER. 21:30 Quevedo, segundo Nico Fagundes, O prata da casa Robison Boeira, desnasceu para cantar os destinos campei- tacado em indicações ao prêmio Açoros. rianos, passa adiante o talento ensinando novos acordeonistas em Caxias. João Luiz Corrêa & Grupo Campeirismo. SÁB. 23:30 Jari Terres. TER. 22:30 Autoestima é com ele mesmo. A Ex-integrante do Grupo Querência, nova música de João Luiz Corrêa é “Eu Jari já leva 12 anos de carreira solo, tô grandão”. Em outra, ele diz que “é empilhando milongas e chamamés. E bonito e é gaiteiro”. Certo é que vai fa- continua “um humilde peão a serviço zer muita prenda dançar. do Rio Grande”, como diz no Twitter. César Oliveira e Rogério Melo. Daniel Barros. QUA. 19:30 DOM. 20:00 O tradicionalista explica Como é boA dupla vem fazer festa em Caxias, nito ser feio, um “intermediário entre o comemorando 10 anos de carreira. O homem e o bicho”. último álbum, Rio-Grandenses, teve participação do instrumentista e comErnesto Nunes. QUA. 20:30 positor Luiz Carlos Borges. Longe do litoral, Ernesto canta Casa de Praia para consolar o Peão EstressaXiru Pereira. SEG. 21:30 do. Maragatos e Chimangos, Eu sou o Gino e O Ronco do Bugio devem estar Juliana Spanevello. QUA. 22:00 no repertório do pajador. Prenda no palco, cantando, ainda é minoria. Mas Juliana representa bem a Os Campeiros. TER. 19:30 ala feminina do tradicionalismo. ColeNa discografia, o último álbum co- ciona 2 indicações ao Açorianos com o memorou os 18 anos de história do disco Pampa e Flor. grupo, em 2010. Este ano, portanto, vai ter festa. De brinde, os gaudérios ofereJoca Martins. QUI. 22:30 ceram aos fãs para download a música Com 25 anos de estrada, Joca MarEterno Campeiro. tins mereceu o seguinte elogio do mestre pajador Jayme Caetano Braun, Maiquinho do Acordeon. TER. conforme se orgulha em seu site: “um 20:30 intérprete que possui o indispensável O Piazito Gaiteiro, presença garanti- ao cantor crioulo: autenticidade”.


SEXTA-FEIRA

SEGUNDA-FEIRA

Evânio e Anderson

All Jazzeira*

22:00. R$ 6 e R$ 8. Paiol

Explosão

22:00. R$ 10 e R$ 15. Mississippi

23:30. R$ 20 e R$ 30. Arena

TERÇA-FEIRA

Disco

Rodrigo Campagnolo e Graziano Anzolin

R$ 10. Bier Haus

HardRockers*

22:30. R$ 12 e R$ 18. Mississippi

Barbarah e Banda

23:30. R$ 10 e R$ 20. Portal Bowling

Noite dos Mortos Vivos

00:30. De R$ 10 a R$ 15. Vagão Classic

Chuvarada e Garoinha

23:30. R$ 20 e R$ 30. Xerife

SÁBADO Barbaquá

22:00. R$ 6 e R$ 8. Paiol

ToolBox

R$ 10. Bier Haus

Chrigor

23:30. R$ 10 e R$ 20. Boteco 13

Extilo Swing

23:30. De R$ 10 a R$ 20. ConD Music Bar

Blues Beers*

22:30. R$ 12 e R$ 18. Mississippi

Dinamite Joe

23:30. R$ 10 e R$ 20. Portal Bowling

Divulgação/O Caxiense

+ SHOWS

R$ 8. Bier Haus

The Blugs*

22:30. R$ 10 e R$ 15. Mississippi

QUARTA-FEIRA Maurício e Daniel

21:00. Livre. Paiol

Robledo Rock e Domenico Ranzolin R$ 8. Bier Haus

Blackbirds*

22:30. R$ 10 e R$ 15. Mississippi

QUINTA-FEIRA Fabricio Beck e Trio

Só podia ser numa sexta-feira 13 Os afilhados de Sandra de Sá irão fazer o público sambar no ritmo de Maré Mansa, seu novo single – gravado com a regueira Chimarruts –, no Boteco 13, comemorando os 2 anos do bar. Não podia ser em dia mais adequado que uma sexta-feira 13. Os requisitados pagodeiros do Puracazuah! estão voltando de férias – um luxo que se deram depois de 3 anos fazendo shows direto –, para alegria das “puracazetes”. SEX. 19:00. R$ 10 e R$ 20. Boteco 13

R$ 10. Bier Haus

Blackbirds*

22:30. R$ 10 e R$ 15. Mississippi

Sandro e Santoro

22:00. R$ 10 e R$ 20. Portal Bowling * Até o fechamento desta edição, a programação estava sujeita a alterações, conforme o bar.

Noite da Tequila

00:30. R$ 12 e R$ 15. Vagão Classic

DOMINGO Magnitude

22:00. R$ 10 e R$ 20. Portal Bowling

Dia de beijar O Constelação também está de single novo, Dia de Beijar, e começando o ano de agenda cheia. Mudou-se para Porto Alegre, mas não esquece os fãs caxienses. No repertório também não pode faltar Enrosca, regravação de Fábio Jr.. SEX. 23:00. De R$ 15 a R$ 25. Havana 13.JAN.2012

25


PALCO De bombacha no litoral

Completando 30 anos em abril deste ano, o CTG Porteira Gaúcha leva a arte nativista para o litoral. Além da apresentação dos 24 dançarinos do grupo adulto, declamadores mirins entoam o Rio Grande à beira-mar. QUA. 19:30. Gratuito. Praça XV de Novembro, Torres. 0:40

Alô, é da casa do Willmutt? Direto de Marechal Cândido Rondon, no oeste do Paraná, Willmutt Tas Tores Tos Praceres sobe ao palco do Teatro São Carlos para 2 apresentações na abertura do Festival de Férias 2012. Com mais de 200 trotes e 358 mil acessos no Youtube, o colorado de carteirinha apresenta um stand up com brincadeiras, piadas e, claro, interação com as vítimas, ou melhor, o público. Sucesso aqui no Sul, Willmutt também já se arrisca além fronteiras, contabilizando apresentações no... Paraguai. QUA-QUI. 21:00. R$ 30. Teatro São Carlos.

1:20

Um foguete diferente na praia Manja física quântica? Ele manja. Ou, pelo menos, promete. Entrando em cena com seu triciclo, O Lançador de Foguetes ensina física (será?) para a plateia riscando de giz o chão da praça. Mas a lição mesmo vem na prática. Com técnicas de clown e malabares, desafia as leis da física para divertir os veranistas de Torres. 1:00

Divulgação/O Caxiense

SEX. 19:00. Gratuito. Praça Pinheiro Machado, Torres.

Graça para os pequenos Não, não é Carnaval de Olinda. Os 5 bonecos gigantes, com mais de 3 metros de altura, são inspirados no artista catalão Joan Miró. O espetáculo Mira, do grupo De pernas pro ar, mira nas crianças, colocando os grandalhões para encantar os pequenos com música e brincadeiras. SÁB. 19:00. Gratuito. Praça Pinheiro Machado, Torres.

26

1:00


ARTE

Clássicos nas ruas cariocas Obra do pintor holandês Johannes Vermeer, a Moça com Brinco de Pérola ganha vida, cores e novos rostos nos traços do gaúcho Lielzo Azambuja. A moça de olhos brilhantes vai à feira na Cidade Maravilhosa, que recebe um tour das belas artes guiado pelas talentosas mãos do artista: a Mona Lisa conhece o Leblon e a Liberdade de Delacroix apaixona-se pelo Flamengo. Em 36 telas, o encanto do Rio de Janeiro seduz personagens encantadores (ou nem tanto) das belas-artes na inventividade do vacariense Lielzo. Clássicos da pintura visitam o Rio de Janeiro Lielzo Azambuja. SEG-SEX. 8:30-18:00. SÁB. 10:00-16:00. Galeria Municipal.

Café e Bons Sentimentos

Pinto e não bordo

Harmonia das Flores

Primavera Verão 2011

Imagens Ordinárias – Uma Noite no Museu

VII Feira do Artesão de Torres

Natureza

A arte de sentar

Rodrigo Toitiño. SEG-SEX. 9:00-19:00.SÁB. 15:00-19:00. Ordovás. Até SÁB. (14) Iva Spenelli. SEG-SEX. 8:30-18:30. SÁB. 8:30-12:30. Farmácia do Ipam

* Os colunistas Marcelo Aramis (Camarim) e Carol De Barba (1ª Fila) estão em férias.

Liliane Giordano e Myra Gonçalves. TER-SÁB. 9:00-17:00. Museu Municipal Fábio Balen. SEG-DOM. 10:00-22:00. San Pelegrino

Coletiva, com Vivi Pasqual. SEG-SEX. 10:00-19:30. DOM. 16:00-19:00. Catna Café Coletiva. SEG – SEX 9:00-19:00. SÁB. 9:00-15:00. Arte Quadros Coletiva. Praça Pinheiro Machado, Praia Grande, Torres. 15:00- 23:00 Mostra de cadeiras customizadas. SÁB e DOM (14 e 15). 18:00-23:00. Praça XV Novembro. Torres 13.JAN.2012

27


Enderecos cinemas: CINÉPOLIS: AV. RIO BRANCO,425, SÃO PELEGRINO. 3022-6700. SEG.QUA.QUI. R$ 12 (MATINE), R$ 15 (NOITE), R$ 23 (3D). TER. R$ 8, R$ 12 (3D). SEX.SÁB.DOM. R$ 17 (MATINE E NOITE), R$ 23 (3D). MEIA-ENTRADA: CRIANÇAS ATÉ 12 ANOS, IDOSOS (ACIMA DE 60) E ESTUDANTES, MEDIANTE APRESENTAÇÃO DE CARTEIRINHA. GNC. rsc 453 - km 3,5 - Shopping Iguatemi. 3289-9292. Seg. qua. qui.: R$ 14 (inteira), R$ 11 (Movie Club) R$ 7 (meia). Ter: R$ 6,50. Sex. Sab. Dom. Fer.R$ 16 (inteira). R$ 13 (Movie Club) R$ 8 (meia). Sala3D: R$ 22 (inteira). R$ 11 (meia) R$ 19 (Movie Club) | ORDOVÁS. Luiz Antunes, 312. Panazzolo. 3901-1316. R$ 5 (inteira). R$ 2 (meia) MÚSICA: Arena. Perimetral Bruno Segalla, 11.366. São Leopoldo. 3021-3145. | Bier HauS. Tronca, 3.068. Rio Branco. 3221-6769 | Boteco 13. Augusto Pestana. Moinho da Estação. 3221-4513 | COND BAR. ÂNGELO MURATORE, 54. DE LAZZER. 3229-5377 | HAVANA. Rua Dr. Augusto Pestana, 145. Moinho da Estação. 3215-6619. | Mississippi. Coronel Flores, 810, São Pelegrino. Moinho da Estação. 3028-6149 | Paiol. Flora Magnabosco, 306. São Leopoldo. 3213-1774 | PAVILHÕES DA FESTA DA UVA: LUDOVICO CAVINATTO, 1.431 | Portal Bowling. RST 453, Km 02, 4.140. Desvio Rizzo. 3220-5758 | Praça XV de Novembro. s/nº, Centro, Torres | Vagão Classic. Júlio de Castilhos, 1.343. Centro. 3223-0616 | Xerife. Hilário Pasquali, 34. Universitário. 3025-4971 teatro: praça pinheiro machado (torres): josé antônio picoral, s/nº, centro | Praça XV de Novembro. s/nº, Centro, Torres | TEATRO SÃO CARLOS: feijó júnior, 778, são pelegrino galerias: ARTE QUADROS. FEIJÓ JÚNIOR, 975, SALA 1.007, SÃO PELEGRINO | CATNA CAFÉ. Júlio de Castilhos, 2546. Centro. 3221-5059 | FARMÁCIA DO IPAM. DOM JOSÉ BAREA, 2202, EXPOSIÇÃO. 4009.3150 | museu municipal. VISCONDE DE PELOTAS, 586. CENTRO. 3221.2423 | ORDOVÁS. Luiz Antunes, 312. Panazzolo. 3228-9046 | San Pelegrino. Rio Branco, 425. São Pelegrino. 3022-6700

Legenda Duração

Classificação

Avaliação ★ 5★

Cinema e Teatro Dublado/Original em português Legendado Animação Ação Aventura Comédia Drama Documentário Infantil Romance Suspense Terror Ficção Científica Guerra

Música Blues Coral Eletrônica Pagode Pop Rock Samba Tradicionalista Jazz

Funk MPB Sertanejo

Dança Contemporânea Flamenco Folclórica Dança de Rua Dança do Ventre Clássico

Jazz Tango

Artes Desenho Fotografia

28

Diversas Escultura Pintura Grafite

Artesanato


ARQUIBANCADA Caxias repete adversário para treinar | Juventude vai para festa em Lajeado | No litoral, bocha, golfe e futebol

Rodrigo Fatturi, Div./O Caxiense

+ ESPORTE BOCHA: Torneio na Areia

SÁB. 08:00. Quiosque do Zezinho. Areias Brancas (Arroio do Sal)

FUTEBOL: Campeonato Praiano

DOM. 14:00. Arena da Praia Grande (Torres)

GOLFE: Torneio Presidente

SÁB. 08:00. São Domingos Torres Golf Club

SEGUNDA DOSE tadas. Com vitória no último jogo contra o Avenida, o Caxias enfrenta o adversário novamente, desta vez fora de casa, em Santa Cruz do Sul. O amistoso será o aquecimento para a estreia em casa no Gauchão, contra o Ypiranga, no dia 22. SÁB. 17:00 Estádio dos Eucaliptos Divulgação/O Caxiense

Enquanto a torcida grená descansa, o time trabalha duro para buscar boas colocações durante o ano, começando pelo desafio do Campeonato Gaúcho – em seguida, virá a Série C, renovando o sonho de passar do “quase”. Por enquanto, as mudanças no elenco do Caxias vão sendo ajus-

SÃO DOMINGOS TORRES GOLF CLUB: ESTRADA SALINAS, 1.000, PRAIA GRANDE – TORRES | ESTÁDIO DOS EUCALIPTOS: SÃO JOSÉ, 487 - SANTA CRUZ DO SUL | ESTÁDIO ALVIAZUL: RS 130, 9700 - LAJEADO

UM QUASE PENETRA O Juventude é o convidado especial para a inauguração do Alviazul, o novo estádio do adversário Lajeadense, que não guarda boas lembranças do último confronto, quando o Ju surrupiou o título da Copinha em Lajeado. A partir das 17:00, os portões já estarão abertos para os torcedores que quiserem curtir o show da banda Studio, que pretende embalar a arquibancada com uma mistura de sertanejo universitário e pop rock. Para entrar no ritmo de festa, o Juventude quer vencer o Lajeadense e manter o pique para a estreia no Gauchão, contra o Cerâmica, em Gravataí, no dia 21. DOM. 18:00. R$ 25. Estádio Alviazul 13.JAN.2012

29


30


13.JAN.2012

31


32


Edição 111