Issuu on Google+

1


dezembro 2016


FICHA TECNICA Organização Câmara Municipal da Amadora Colaboração Fábio Bernardino Maria Paes de Vasconcelos Design Gráfico e paginação eletrónica CMA/GIRP/GDC/Paulo Caldeira Fotografia CMA/GIRP/ Gabinete de Fotografia Fábio Bernardino Inês Fernandes Iolanda Bernardino Pedro Bernardino Impressão e acabamentos 4 Barra 4 Cores, Artes Gráficas Dezembro 2016 Agradecimentos Afzaal Butt Adriana Perdigão Alunos dos Cursos de Técnico/a de Mesa/ Bar e Técnico/a de Cozinha e Pastelaria (Amadora Inova) Bonita Nanque Celeste Martins Nogueira Dina Cabral Georgina do Espírito Santo


indice 1. Nota Introdutória............................................................................................................8 Saberes...........................................................................................................................11 2. Considerações...............................................................................................................16 3. 4. Sabores...........................................................................................................................17 4.1 ANGOLA........................................................................................................................19 4.1.1 Moamba de galinha......................................................................................................20 4.1.2 Pão de quiabos...............................................................................................................21 4.1.3 Caldeirada de peixe seco.............................................................................................22 4.2 BRASIL..........................................................................................................................23 4.2.1 Acarajé............................................................................................................................24 4.2.2 Caipipão.........................................................................................................................25 4.2.3 Azevia de coco...............................................................................................................26 4.3. CABO VERDE................................................................................................................27 4.3.1 Cachupa..........................................................................................................................28 4.3.2 Pão de banana...............................................................................................................29 4.3.3 Pastel de banana...........................................................................................................30 4.4 CHINA...........................................................................................................................31 4.4.1 Zongzi.............................................................................................................................32 4.4.2 Dim sun de portobello..................................................................................................33 4.4.3 Ramen.............................................................................................................................34 4.5 ESPANHA......................................................................................................................35 4.5.1 Salmorejo.......................................................................................................................36 4.5.2 Pão de puchero..............................................................................................................37 4.5.3 Creme catalã com moscatel........................................................................................38 4.6 GUINÉ BISSAU..............................................................................................................39 4.6.1 Mancarra com citi.........................................................................................................40 4.6.2 Pão de amendoim.........................................................................................................41 4.6.3 Brigadeiro de amendoim.............................................................................................42 4.7 ÍNDIA............................................................................................................................43 4.7.1 Tandoori Chicken..........................................................................................................44 4.7.2 Pão pita e açafrão..........................................................................................................45 4.7.3 Caril de bacalhau..........................................................................................................46 4.8 PAQUISTÃO...................................................................................................................47 4.8.1 Kebabs............................................................................................................................48 4.8.2 Pão de tâmara e papoila...............................................................................................49 4.8.3 Tentúgal de Jalfrezi.......................................................................................................50 4.9 ROMÉNIA......................................................................................................................51 4.9.1 Fritos de baunilha.........................................................................................................52 4.9.2 Pão de batata.................................................................................................................53 4.9.3 Patanisca de cereja e cerveja.......................................................................................54 4.10 SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE...............................................................................................55 4.10.1 Calulu de peixe..............................................................................................................56 4.10.2 Pão de cacau..................................................................................................................57 4.10.3 Pastel de nata de chocolate.........................................................................................58

5


Mandioca


A cozinha é uma arte de circunstância e, no tempo presente, a cozinha tradicional é horizonte de muitas procuras e desejados encontros. Alfredo Saramago (1998)

N

um município que acolhe cerca de 40 nacionalidades e com mais de 10% da população residente de nacionalidade estrangeira, dar visibilidade e valorizar a diversidade gastronómica contribui para contrariar estereótipos, rumores e atitudes negativas em relação aos imigrantes e à Amadora. Este é o objetivo da Campanha Não Alimente o Rumor!, implementada no município da Amadora desde 2014, na qual se integra a edição da presente publicação que pretende dar a conhecer os hábitos alimentares e as receitas tradicionais de 10 países que se destacam pelo seu maior número de habitantes. AMADORA, PALADARES DO MUNDO reúne os contributos da nutricionista Maria Paes de Vasconcelos, transmitindo os saberes de munícipes que gentilmente cederam o seu tempo e disponibilidade, de parceiros locais e serviços municipais que, pela sua curiosidade e entusiasmo, ensaiaram mostras de “Saberes e Sabores” e do Chef Fábio Bernardino, um jovem que é já uma referência no seu meio profissional. Carla Tavares Presidente da Câmara Municipal da Amadora


a n g o l a

nota introdutoria A

alimentação não pode, nem deve, ser encarada unicamente numa perspectiva de satisfação das necessidades primárias, mas sim como um factor total que envolve dimensões nutricionais, sociais, geográficas, económicas, psicológicas e, entre outras, a dimensão cultural. A cultura alimentar depende de factores que consideramos como únicos e como pertencentes a um determinado povo ou região, que podem cruzar-se com os ingredientes ou matérias primas características; o tipo de utensílios e materiais que são utilizados nas confecções; a forma de aquecimento; as técnicas de prépreparação; as técnicas de confecção; a estrutura da refeição e o tipo de empratamento; a forma como e com quem comemos; as festividades e a simbologia associadas a cada alimento.

No que se refere aos ingredientes ou às matérias primas, estas estão intrinsecamente relacionadas pela geografia, pela fauna e pela flora, mas também com a humanização e com a forma como o homem ocupa o território, como o explora e retira proveito do mesmo. Certos produtos produzem-se mais abundantemente em determinadas regiões, daí o seu uso frequente no quotidiano da gastronomia tornar-se uma evidência, incorporando-se no património alimentar. No que diz respeito aos utensílios e tipos de materiais, estes caracterizam muito a forma como uma população utiliza as matérias primas e, por sua vez, a cultura de um povo. São exemplos: o pilão e o almofariz para esmagar cereais e especiarias, o tipo de colheres de pau ou ferro, as panelas de barro, ferro fundido, inox 8


a n g o l a

quer de frutas, legumes (massa de alho ou massa de pimentão e outras macerações) ou caldos de leguminosas (molho de soja asiático), peixe ou carne. No que diz respeito às confecções estas são muito variadas. Desde os estufados, guisados, cozidos em água ou a vapor, fritos, salteados, braseados, corados, escalfados, clarificados, assados, grelhados ou carbonizados, até às técnicas de cozinha contemporânea que podem cruzar os granizados, confitados, esferificações, esparguetes e gelados doces ou salgados moleculares e até pós, espumas, ares e cozeduras a baixa temperatura. Consoante as diferentes técnicas de confecção utilizadas assim podemos manter, modificar ou inovar uma receita tradicional e até fundir num toque de autor com outras culturas. Relativamente à estrutura da refeição também é algo que é variável de cultura para cultura, se a refeição tem somente um prato principal robusto, ou se é composta por vários pratos ligeiros. Como exemplo de estrutura de refeição: entrada, prato principal e sobremesa, podendo, em inúmeras culturas, as entradas e os pratos principais desdobrarem-se em sopa e salada, prato de peixe e prato de carne.

ou de bambu para cozeduras a vapor, bem com o tipo de facas ou lâminas que nós utilizamos e o respectivo desenvolvimento de outros utensílios de cozinha. No que concerne às formas de aquecimento estas podem ser variadas e conferirem sabor único e tipicidade às iguarias. Por exemplo, se os alimentos são cozinhados na fogueira, num fogão de chapa, a gás, na placa de indução, em robôs multifunções ou debaixo da terra (alguns cozidos em zonas vulcânicas ou glaciares). Relativamente às pré-preparações, ou seja a forma como nós trabalhamos as matérias primas antes de as cozinharmos, se as descascamos ou não, o tipo de corte que é dado e os condimentos/conservas tradicionais produzidos, muitas vezes relacionados com a escassez alimentar em determinadas estações do ano ou do isolamento de certas regiões, levou à criação de diferentes formas de conservar os ingredientes. São exemplos: a produção de doces e compotas para conservar frutas; a produção de peixe seco ou salgado para conservar o pescado retirandolhe a humidade; a produção de carne seca ou salgada, ou, ainda, enchidos, como forma de conservar a carne; a criação de molhos ou condimentos 9


a n g o l a

Por vezes o que consideramos nosso culturalmente e como património alimentar único, também provém de outras regiões do mundo e de outras culturas e enraizou-se na nossa gastronomia por inúmeros fatores - patrimonialização da gastronomia e alimentação. Ao desenvolver-se este livro, olhouse para o território da Amadora, Município que acolhe mais de 40 nacionalidades e onde residem 175.136 habitantes, dos quais cerca de 10,8% têm nacionalidade estrangeira e com mais de 40 nacionalidades presentes. Esta diversidade cultural tem reflexo nos hábitos alimentares e na gastronomia tradicional dos diferentes países de origem. Procurou-se abordar os saberes e sabores que distinguem a sua cultura gastronómica. Saberes transmitidos oralmente e receitas tradicionais às quais se associou um pão de autor (cruzando com uma técnica, iguaria ou ingrediente do pais de origem) e um prato de fusão, evidenciando semelhanças e diferenças que se equilibram em harmonia e contrastes.

Em algumas festividades e em tendências culinárias contemporâneas todos estes pontos ainda podem ter limpa palatos, pré-sobremesas, entre outros pontos estruturantes, originando menus de degustação não quotidianos mas ligados a festividades. No que diz respeito aos empratamentos, desde colocar a comida numa panela à mesa ou colocá-la em doses individuais num prato ou em travessa, com ou sem molhos e ervas aromáticas a decorar, também são questões culturais, em grande parte enraizadas de acordo com o estilo de vida, disponibilidade, crenças e vontade das populações. Por último, no que diz respeito à forma como comemos e com quem comemos existe um forte simbolismo e uma estrutura social, bem como um conjunto de crenças e valores. A forma como comemos os alimentos, com talheres, com paus ou à mão também não é sempre comum e homogénea dentro de uma só cultura, existindo momentos que de acordo com a situação se cria o socialmente aceite. Como exemplo, na alimentação portuguesa ou espanhola comemos comida com as mãos no caso dos petiscos e das tapas.

Chef Fábio Bernardino 10


saberes... C

ABO VERDE - Dina Cabral O mata-bicho é feito com pão com manteiga ou com um ovo e café com leite, mas também com um prato de cachupa, preparada na véspera. As refeições variam conforme a disponibilidade de alimentos, pois é bastante diferente entre a época da chuva e da seca. Em geral, ao almoço e ao jantar, existe um prato que pode ter carne ou peixe. A cachupa é o prato tradicional, com milho e feijão, podendo ser com carne de porco (cachupa rica) ou com peixe ou toucinho (cachupa pobre). O caldo de peixe é um prato tipo caldeirada, muito comum dada a variedade e abundância do pescado (atum, goraz, garoupa, cavalinha, etc.). O peixe também é preparado frito, panado, grelhado ou estufado com legumes. O frango ou galinha são fritos ou grelhados na brasa, mas também servidos em canja, estufado

com arroz ou com legumes. Os fritos são muito apreciados, principalmente pastéis, rissóis, torresmos, peixe frito, etc. As leguminosas são frequentes, em muita variedade e acompanhadas de arroz branco. O milho é outro ingrediente basilar, seja cozido, assado ou em farinha, (xerém, cuscuz, papas de milho, pastéis, pastéis de milho, etc.), assim como a mandioca e a batata-doce. Na época das chuvas há uma grande abundância de vegetais de folha e outros hortícolas. Durante todo o ano é usada batata, cebola, cenoura, abóbora ou tomate. As frutas mais comuns são a banana, a papaia e a manga, mas também a tambarina, a azedinha e a calabaceira. Relativamente às bebidas, a cerveja é muito apreciada, sendo o grogue, uma aguardente feita de cana, a bebida típica do país. Os refrigerantes são muito habituais. 11


BRASIL - Adriana Perdigão Caracterizada por uma grande flexibilidade de horários de refeições. Há uma grande panóplia de alimentos apropriados para cada momento do dia, não havendo muita rigidez na oferta. São presentadas muitas opções de cada vez, tanto ao almoço como ao jantar. O pequeno-almoço é geralmente constituído por pão com manteiga, queijo (por exemplo, o curado de Minas Gerais ou o requeijão cremoso de Poços de Caldas) ou fiambre. Na Baía usam um biscoito de tapioca. Para beber, café de saco pingado, leite simples ou com fruta (só as casa mais fartas servem fruta nesta refeição). Ao longo do dia são feitas muitas pequenas refeições que são com frequência peças de fruta em natureza ou “vitamina” (batidos de leite com fruta). Também são ingeridos salgadinhos fritos, como as coxinhas ou quibe, com recheio de carne. O almoço e o jantar têm estruturas semelhantes, podendo, no entanto, o jantar ser mais leve. Os pratos mais comuns têm como base o feijão (de vários tipos) com arroz, batata frita, couve (lombarda, couve mineira, almeirão…) em juliana refogada com alho e óleo de soja e salada (mistura de alface, tomate, cebola, almeirão, rúcula, sirralha, etc.). Para acompanhar a refeição são preferidos sumos de fruta ou refrigerantes. O pão não é habitual à mesa. Para sobremesa, a refeição termina com uma peça de fruta ou doce (doce de milho como a canjica, a pamonha ou

mingau de milho ou Maizena). À ceia pode ser ingerido um iogurte ou um pouco de leite. GUINÉ-BISSAU - Bonita Nanque O mata-bicho é feito pelas 8h ou 9h e inclui pão com manteiga e leite em pó reconstituído, banana e normalmente um prato do guisado que sobrou da véspera. O almoço é em família, por volta das 12h. As fontes proteicas são em pequena quantidade, sendo o peixe mais abundante, essencialmente fresco mas também fumado; as carnes são de cabra, carneiro, galinha ou porco. Como fornecedor de hidratos de carbono encontra-se o feijão e o arroz, sendo o primeiro mais abundante A gordura usada é o óleo de palma. Os pratos mais comuns são a calamancera (carne estufada com pimento, tomates, beringela e quiabo) e o calaxabé que leva o óleo de palma vermelho. São acompanhados com arroz branco e o molho é servido à parte. As frutas que descreve são a banana, laranja, manga, caju, fruta-pão e melancia. Os hortícolas mais comuns são: pepino, tomate, alface, milho, cebola, quiabo, piripiri, beringela e pimento. Para beber são usados refrigerantes em pó reconstituídos, água, vinho e cerveja. ANGOLA - Celeste Martins Nogueira A primeira refeição do dia é o matabicho, seguida de um almoço e de um jantar, podendo haver refeições. As refeições são feitas à mesa, com a 12


junta manteiga de amendoim. A muamba é servida com arroz branco ou com papas de farinha cozidas: o pirão (de milho) ou a fuba (ou funjo de mandioca) são os pratos mais consumidos em Angola. O calulu também é muito apreciado, sendo um prato tipo caldeirada, com legumes que se levam a refogar (cebola tomate, folhas verdes variadas, quiabo, beringela e óleo de palma) e aos quais se junta caldo e peixe seco demolhado. O molho é engrossado com farinha de mandioca. Serve-se acompanhado com pirão ou milengueleca (tipo de esparregado feito com folha de abóbora, tomate, bastante quiabo e cebola). A fruta é muita e variada, podendo ser ingerida nos lanches da manhã

família. O almoço e o jantar podem começar com uma sopa de hortícolas em pedaços e carne ou chouriço. É servido pão a todas as refeições. O mata-bicho inclui pão com manteiga e café com leite, café ou chá, e também um prato quente, com uma fonte proteica (bacalhau, carne, ovo...) acompanhada de batata-doce assada ou cozida, ou farinha de mandioca seca e tostada, além de iogurte caseiro. As refeições principais são variadas, em geral com sopa, prato e fruta. O prato tem muitos hortícolas cozidos e depois salteados com alho. Como pratos tradicionais temos a muamba de galinha, um estufado com quiabos, gindungo, cebola, abóbora, alho e óleo de palma. Também é servida muamba de amendoim, a que se 13


e é servido um prato de comida quente que sobrou do jantar. Até ao almoço não é habitual comer, com exceção ocasional de peças de fruta (banana madura, goiaba, mamão ou safu cozido), o pequenoalmoço tende a ser uma refeição com maior quantidade de energia. O almoço decorre entre as 12h ou 13h e é muito leve, à base de pão, com alguns ingredientes como, por exemplo, ovos estrelados. O jantar é feito à mesa, em conjunto com a restante família. O pescado é mais abundante e variado que a carne e é usado fresco ou seco. O peixe grelhado ou cozido (peixe voador, peixe vermelho, pargo...) é servido com banana cozida, frita ou assada e legumes. Os pratos tipo

e tarde, bem como ao final das três refeições principais: mamão, limão, ananás, fruta-pinha, maracujá, laranja, tangerina, etc. As bebidas mais abundantes são os refrigerantes, que são muito variados. As bebidas alcoólicas tradicionais são a garapa (de milho), o macau (da massambala), o maruvo (da seiva da palmeira) e o vinho. SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Georgina Amaral do Espírito Santo Fazem-se três refeições por dia, ao acordar, o almoço e o jantar. O mata-bicho é feito em família, à volta da mesa, e é constituído por pão com manteiga ou fiambre, acompanhado de café com leite em pó reconstituído. O iogurte caseiro pode estar disponível 14


uma mistura de especiarias, feita em geral com açafrão, sementes de coentro, mostarda, cardamomo, e/ ou funcho, gengibre, cominho, nozmoscada, cravinho, alho, pimenta e canela. Os pratos são ricos em hortícolas e acompanhados com os típicos naan, pão de trigo levedado e cozido no forno, que se usam como colher e fruta. Há quem seja vegetariano, há quem se abstenha de carne de porco e vaca, sendo as carnes preferidas o frango ou borrego. O pescado, principalmente marisco, também está presente, embora menos frequente. A sopa / estufado de lentilhas quebradas, daal, é um prato muito tradicional, estando as leguminosas muito presentes nos pratos (grão, feijão, lentilhas e ervilhas), sempre acompanhadas de arroz. Como bebida, o chá é muito comum a todas as horas. O café também está presente. O consumo de iogurte é muito abundante e frequente, visto que há uma importante faixa da população que é ovo-lactovegetariana, principalmente na forma de lassa, bebida feita com iogurte, água ou leite e especiarias. O sharbat é um refresco de água aromatizada com fruta ou flores. A cerveja está presente, com um consumo em crescimento, bem como os licores tradicionais goeses, a tradicional cerveja de arroz e o vinho / néctar de palmeira.

caldeirada são comuns, em que se cozinha o hortícola e a fonte de proteína (peixe ou carne) em água aromatizada e óleo de palma, como o calulu, um caldo com peixe seco ou carne e bastantes legumes (quiabo, maqueque, beringela e legumes de folhas verdes variados) que se servem acompanhados de puré de banana ou arroz cozido. Pratos mais substanciais como a cachupa, com peixe, feijão e milho, ou o rancho com feijão e arroz, chouriço ou atum também são apreciados, mas muito demorados de fazer, tal como o blablá ou o djogo, e, por isso, menos comuns. As fontes de hidratos de carbono são em geral o milho, feijão, arroz, a fruta-pão, mandioca, a batata-doce e bananas variadas, sendo comum a salada de agrião. O óleo de palma é a gordura usada. Para beber, preferem-se os refrigerantes com gás, de variados sabores, cerveja ou vinho de palma. ÍNDIA E PAQUISTÃO - Afzaal Butt São feitas três refeições por dia: pequeno-almoço, perto das 8h-9h; almoço, cerca das 13h30-14h; jantar tardio, depois das 21h. O jantar e o almoço são semelhantes, embora o jantar seja maior. As refeições são feitas em família, num momento de partilha. O pequeno-almoço inclui chá com leite e chapati ou roti, pão de trigo duro (trigo usado nas massas) não levedado, cozinhado em chapa quente, com açúcar, doce ou fruta. O almoço e o jantar baseiam-se em pratos aromatizados com caril, 15


consideracoes H

pode extrair destas entrevistas, mas não menos importante, será desincentivar o consumo de refrigerantes (transversal a todas as entrevistas feitas às comunidades lusófonas). Um dos primeiros passos poderá ser procurar a razão da não inclusão de água em exclusivo como bebida, de forma a perceber se há alguma conotação negativa. Por outro lado, também se pode estudar se a insegurança sobre a salubridade da água disponível nos locais de origem criou o hábito de preferir os refrigerantes, que são engarrafados e por isso mais seguros. Se este for o caso, as campanhas poderão centrar-se na segurança da água fornecida atualmente pela rede pública do Município, com um enfoque no seu interesse nutricional e no baixo custo económico. Ao procurar a razão subjacente a este problema, poderemos afinar melhor as estratégias de comunicação, essencial para a redução do consumo de açúcares simples e da adição ao sabor doce.

á um hábito alimentar, referido por todos os entrevistados, muito benéfico para a saúde e prevenção de doença: a variedade e abundância dos hortofrutícolas, frutas e leguminosas. Será um ponto de partida importante para as ações de sensibilização e informação à população, de qualquer faixa etária. Esta caraterística também é muito marcada nos portugueses que chegaram à Amadora em meados do século passado, tipicamente alentejanos e beirões. Assim, a promoção do consumo de hortofrutícolas, frutas e leguminosas a nível global no Município está de acordo com as recomendações em vigor, nacionais e internacionais, e, mais ainda, como se pode ver pelo levantamento dos consumos alimentares tradicionais dos imigrantes residentes no Município, vai ao encontro das tradições dos países de origem. Desta forma, ao mesmo tempo que se integram as populações, valorizando as suas tradições, mobiliza-se a sua atenção para a melhoria da qualidade nutricional. Um segundo objetivo que se

Maria Paes de Vasconcelos Nutricionista 16


SABORES

17


angola

INGREDIENTES: 6 unid. de postas de Maruca, 6 unid. de postas de Cherne, 2 unid. de tomates 100 g de Pimento Verde (cortado em rodelas finas), 100 g de Pimento Vermelho País fronteiriço a Q.B República do Congo, com(dos a Namíbia e agZambia (cortado em rodelascom finas), de Sal, 240 g de Cebola quais 120 cortadoseem banhado2pelo Atlântico, gastronomia angolana influenciada pela rodelas), unid.Oceano de Dentes de Alho,a 40 ml de Azeite, 400 g deéTomate em pedaços (de lata), 1000 de Batata (parapor fritar, cortada às os rodelas), 2 unid. de cubos de Calportuguesa e gmoçambicana, esse motivo ingredientes mais utilizados dos Q.B tais de Piripíri, ml deoVinho Branco, 50 mlalém de Água sãodeosPeixe, cereais, como 200 o sorgo, painço e o milho, de outros como 1 unid. de folha de as louro o feijão frade, lentilhas, o inhame e o quiabo. Quanto a pratos mais populares, em Angola é muito apreciada a muamba em geral de carne ou MÉTODO DE PREPARAÇÃO: peixe, o funge que consiste numa massa cozida de farinha de milho ou Coloque na “Q live” as postas de peixe, o tomate e os pimentos verde e vermelho, mandioca e ainda o feijão com óleo de palma. salpique com sal e reserve. Coloque no copo 120 g de cebola, o alho, o azeite e pique 5 segundos, na velocidade 5. Adicione 120 g de cebola cortada em rodelas, o tomate e programe 5 minutos, temperatura varoma, na velocidade de colher inversa. Insira a borboleta, adicione as batatas, o caldo de peixe, o piripíri, o vinho, a água, a folha de louro, a varoma e programe 20 minutos, temperatura varoma, na velocidade de colher inversa. Sirva de seguida.

19


a n g o l a

Muamba de Galinha INGREDIENTES:

1 galinha (1,5 kg), 400 g quiabos, 200 g de cebola, 200 ml de óleo de palma, 30 g de alho 400 g de abóbora cortada em pequenos cubos, 5 g de piripiri, 2 g de sal

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Corte a galinha em pedaços e, depois de limpa, tempere com o sal, os alhos e o piripiri esmagados. Leve a galinha ao lume, com a cebola picada e o óleo de palma, e deixe alourar uniformemente. Acrescente um pouco de água e deixe cozinhar até a carne estar quase cozida. Junte a abóbora e os quiabos descascados e cortados. Deixe cozer a carne e o molho espessar.

20


a n g o l a

Pão de Quiabos INGREDIENTES:

400 g de farinha de trigo tipo 55, 200 g farinha de mandioca, 200 g de farelo 600 ml de água, 14 g de sal, 20 g de levedura, 100 g de quiabos

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque as farinhas e os quiabos em rodelas numa tigela e junte o sal. À parte, num pouco de água hidrate a levedura e reserve. Junte a restante água à massa e envolva bem. Adicione a levedura e amasse. Após a levedação de 30 minutos, divida e dê-lhe o formato pretendido. Leve ao forno a 300°C. durante 20 minutos.

21


a n g o l a

Caldeirada de Peixe Seco INGREDIENTES:

6 postas de maruca, 6 postas de cherne, 160 g de tomate, 100 g de pimento verde (cortado em rodelas finas), 100 g de pimento vermelho (cortado em rodelas finas) 2 g de Sal, 240 g de cebola (dos quais 120 g cortados em rodelas), 20 g de alho 40 ml de azeite, 400 g de tomate em pedaços (de lata), 1 kg de batata (para fritar, cortada às rodelas), 100 ml de caldo de peixe, 1 g de piripíri, 200 ml de vinho branco 50 ml de água, 1 folha de louro

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque numa panela ao lume as postas de peixe, o tomate e os pimentos verde e vermelho, a cebola cortada às rodelas, e tempere com sal. Coloque na picadora 120 g de cebola, o alho, o azeite e pique 5 segundos. Adicione à panela, coloque as batatas, o caldo de peixe, o piripíri, o vinho, a água, a folha de louro e deixe apurar. Sirva de seguida.

22


brasil

Terra da feijoada à brasileira, mokeca de camarão, caldinho ele e ela e muitas outras receitas de abrir o apetite. O feijão preto, a carne vermelha, limas, e muitos outros ingredientes estão na base desta cozinha. Com abundância nos estufados, mas também nos assados e grelhados. O Brasil, recebeu forte influência portuguesa na cozinha, mas também de outros povos que interagiam com o território recreando e inovando progressivamente a gastronomia local.

23


b r a s i l

Acarajé INGREDIENTES: Vatapá: 500g de feijão frade, 250 g de cebola ralada, 40 g de óleo de palma, 200 g de camarão seco sem sal, 100 g de tomate picado, 20 g de coentros picados, 20 g de azeite, 2 carcaças, 500 ml de leite de coco, 200 g de farinha de trigo, 25 g de amendoim torrado sem casca, 15 g de gengibre ralado, 3 g de pimenta, 3 g de sal Acarajés: 150 g de amendoim torrado e sem casca, 100 g de castanha de caju torrada 1 colher (sopa) de gengibre em lascas, 150 g cebola picada, 10 g dentes de alho, 500g de camarão seco dessalgado, 2 g de sal, 1 g de pimenta, 2 g de coentro moído, 3 g de malagueta, 10 g de molho de pimenta vermelha, 150 g de farinha de trigo, 50 ml de azeite de dendê

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Demolhe o feijão na véspera e pele-o. Bata no processador até ficar uma pasta. Adicione a cebola, o sal e volte a homogeneizar. Transfira para uma tigela grande e bata com umas varas de arame até dobrar de volume. Frite colheradas do preparado anterior no azeite de dendê bem quente. Deixe escorrer o excesso de óleo em papel absorvente e reserve. Misture os ingredientes do vinagrete numa tigela. Reserve. Para o vatapá coloque o pão de molho em metade do leite de coco e deixe descansar durante 2 horas. No liquidificador, triture os pães com os restantes ingredientes, com exceção da farinha e do azeite de dendê. Leve ao lume e adicione, aos poucos, o restante do leite de coco, a farinha e o azeite de dendê. Tempere com sal e cozinhe durante 20 minutos ou até apresentar uma consistência firme. Corte os acarajés ao meio e recheie com o vatapá, o vinagrete e decore com o camarão e como desejar.

24


b r a s i l

Caipipão INGREDIENTES:

700 g de farinha de trigo tipo 55, 300 g de farinha de trigo integral, 600 ml de água 10 ml de cachaça, 14 g de sal, 20 g de levedura, 1 lima (raspa e sumo)

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque as farinhas numa tigela e adicione o sal. À parte, num pouco de água hidrate a levedura e reserve. Junte a restante água, a cachaça e a raspa e sumo de lima à massa e envolva bem. Adicione a levedura e amasse. Deixe levedar cerca de 30 minutos. Molde e leve ao forno a 300°C., cerca de 20 minutos

25


b r a s i l

Azevia de Coco INGREDIENTES:

Para a Massa: 800 g de farinha, 80 g de banha, 60 g de margarina, 1 laranja, 75 ml de aguardente, 300 ml de água, 2 g de sal de sal Para o Recheio: 600g de coco, 550 g de açúcar, 1 limão, 8 gemas, 50 g de amêndoa pelada e moída, 2 g de canela em pó Óleo para fritar Q.B de açúcar (polvilhar), Q.B de canela (polvilhar)

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Numa tigela amasse a farinha com o sal, a banha, a margarina, a raspa de laranja, a aguardente e o sumo de laranja. Acrescente aos poucos a água morna. Amasse até que a massa fique macia e elástica. Deixe repousar cerca de 30 minutos. Leve um tacho ao lume com um pouco de água, o açúcar, a raspa de limão e mexa bem. Ferva durante dois minutos. Acrescente o coco e a canela. Envolva muito bem e junte a amêndoa e as gemas (anteriormente mexidas). Ferva, mexendo sempre, até fazer ponto estrada. De seguida, retire do lume e deixe arrefecer. Polvilhe a massa com farinha e estenda-a com o rolo da massa finamente, e coloque uma colher de recheio. Dobre a massa em formato de meia-lua e corte apertando os bordos. Frite de ambos os lados em óleo bem quente. Polvilhe a gosto com açúcar e canela.

26


cabo verde

Conjunto de ilhas no atlântico com pratos como cachupa, caldo de pexe seco e peixe grelhado. As leguminosas, cereais secos, peixe seco e fresco entre outros ingredientes estão na base desta gastromia.

27


c a b o

v e r d e

Cachupa INGREDIENTES:

500 g de cenouras, 1 kg de inhame, 1 kg de banana verde, 1 kg de mandioca, 500 g de couve lombarda, 200 g de tomate maduro, 200 g de chouriço fumado 600 g de pernil fumado, 300 g de peito de frango, 300 g de feijão encarnado 100 g de feijão ervilha seco, 500 g de milho para cachupa, 250 g de cebolas grandes 30 g de alho, 20 ml de azeite, 1500 ml de vinho branco, 2 g de sal

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Comece por demolhar o milho e o feijão seco no dia anterior. Leve ao lume um tacho com água e coza o milho e o feijão durante cerca de 2:30h, adicione as cascas da cebola, do alho e das cenouras, até criar um caldo aromático. Quando o milho e o feijão estiverem praticamente cozidos, adicione a couve, a mandioca, a banana, o inhame e a cenoura, deixando cozer totalmente. À parte, num tacho, refogue a cebola e o alho no azeite. Adicione o tomate, as carnes e os enchidos. Refresque o refogado com vinho branco, de forma a parar a fritura do refogado. Adicione o milho, o feijão e restantes vegetais e frutas já cozidos. Tempere com o sal e deixe apurar mais 30 minutos em lume brando. Sirva decorando a gosto.

28


c a b o

v e r d e

Pão de Banana INGREDIENTES:

600 g de farinha de espelta, 400 g de farinha de banana, 600 ml de água, 14 g de sal 20 g de levedura, 1 banana

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque as farinhas numa tigela e adicione o sal. À parte, num pouco de água hidrate a levedura e reserve. Junte a restante água à massa e envolva bem. Adicione a levedura e amasse. Deixe levedar cerca de 30 minutos. Molde e coloque a banana cortada em rodelas por cima para decorar. Leve ao forno a 300 °C., durante 20 minutos.

29


c a b o

v e r d e

Pastel de Banana INGREDIENTES:

2 embalagens de massa quebrada, 400 g de açúcar, 10 g de manteiga, 100 g de amêndoa ralada, 150 g de banana bem madura, 2 ovos, 10 gemas, Q.B. de água

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Unte as formas dos pastéis e cubra com a massa quebrada, moldando cuidadosamente. Junte a banana com a amêndoa, os ovos e as gemas. À parte, leve o açúcar ao lume com a água até obter o ponto fio. Deixe arrefecer ligeiramente e junte aos restantes ingredientes. Encha as formas e leve ao forno a 220°C., cerca de 25 minutos. .

30


a n g o l a

CHINA

A República Popular da China tem por base uma gastronomia muito rica, devido à sua extensão. Por todo o país existem variadíssimos lagos e rios, além de ser banhada pelo mar da China e de ter um clima ameno, pelo qual vai otimizar as condições do plantio, da pesca e da criação de gado. Os pratos mais conhecidos deste país são os rolinhos primavera e o pato à Pequim.

31


c h i n a

Zongzi INGREDIENTES:

4 folhas de bambu, 400 g de arroz carolino, 50 g de vinagre de arroz, 10 ml de molho de soja, 5 ml de óleo de sésamo, 200 g de barriga de porco

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coza as folhas de bambu em água. Aproveite essa água e coza o arroz até que este se desfaça ficando gelatinoso. Adicione vinagre de arroz e mexa até obter um preparado homogéneo. Numa frigideira coloque o óleo de sésamo e frite a barriga de porco. Corte em pedaços e adicione ao arroz. Embrulhe o preparado na folha de bambu com formatos a gosto Coza a vapor durante 20 minutos.

32


c h i n a

Dim Sun de Portobello INGREDIENTES:

200 g de cogumelos portobello, 20 g de alho, 20 g de alho francês, 40 g de cebola 20 g de azeite, 200 g de farinha de trigo, 50 g de farinha de arroz, 150 g de clara de ovo 3 g de sal, 20 g de óleo de sésamo, 30 g de molho de soja, 20 g de sumo de limão

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Numa frigideira salteie o alho picado, a cebola, o alho francês e o Portobello em pedaços. Tempere a gosto. Faça uma massa misturando a farinha de trigo com a farinha de arroz, o sal e a clara de ovo. Deixe repousar 2 horas. Estique a massa e corte em círculos. Recheie e dê formatos a gosto. Deixe a massa repousar cerca de 15 minutos. Coza os dim sun ao vapor. Regue com uma mistura de molho de soja e sumo de limão e sirva.

33


c h i n a

Ramen INGREDIENTES:

1 l de água, 1 alga kombo, 1 folha de bambu, 200 g de barriga de porco, 200 g de cogumelos shitaki, 60 g de massa de arroz, 4 folhas de alga noori 200 g de courgette ou nabo, 1 limão (sumo), 10 ml de óleo de sésamo, 3 g de sementes de sésamo pretas e brancas

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Numa panela coloque a água com a alga combo e a folha de bambu. Ferva até obter um caldo. Escorra e coloque o caldo límpido novamente na panela. Coza no caldo a massa de arroz, os cogumelos shitaki. Numa frigideira coloque o óleo de sésamo e brasear a barriga de porco. Regue com o molho de soja e deixar apurar. Corte em tiras e coloque a carne numa taça. Corte a alga em tiras e espirule a courgette. Coloque na taça com a carne. Verta o caldo com a massa na taça, polvilhe com as sementes e servir.

34


ESPANHA

Situada na Europa Ocidental, faz fronteira com Portugal e França, e a sua gastronomia faz parte da mediterrânica, embora cozinha espanhola utilize mais batata e especiarias do que a mediterrânea. Os pratos mais conhecidos de Espanha são a tradicional Paella, um prato com base de arroz, peixe, carne, enchidos e frutos do mar. As gambas com alho e a tarte de Santiago são outros pratos típicos da gastronomia espanhola, sendo os os sabores destes pratos, o alho e a amêndoa.

35


e s p a n h a

Salmorejo INGREDIENTES:

1 kg de tomate maduro sem pele e sem sementes, 60 g de côdea de pão de trigo 20 g de alho picado, 10 ml de vinagre de jeréz, 5 g de sal, 150 ml de azeite Para decorar 1 ovo cozido picado, 100 g de presunto picado

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Pique o ovo cozido muito finamente e junte ao presunto também já picado e reserve. Triture o tomate e o alho no liquidificador. Junte ao preparado a côdea do pão, o vinagre de jeréz e o sal. Triture até ficar uma mistura homogénea. Acrescente o azeite em fio até ficar homogéneo. Coloque num recipiente para servir e reserve no frigorífico. Decore com o ovo e o presunto picados

36


e s p a n h a

Pão de Puchero INGREDIENTES:

600 g de farinha espelta, 200 g de farinha de araruta, 100 g de puchero (incluir o caldo) 500 ml de água, 20 g de levedura

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque as farinhas e o puchero numa tigela. À parte, num pouco de água hidrate a levedura e reserve. Junte a restante água à massa e envolva bem. Adicione a levedura e amasse. Deixe levedar cerca de 30 minutos. Molde e leve ao forno a 300°C., cerca de 20 minutos

37


e s p a n h a

Creme Catalã com Moscatel INGREDIENTES:

1 l de leite , 100 g de amido de milho, 1 pau de canela, 1 casca de laranja, 1 dl vinho moscatel, 200 g de açúcar branco, 20 g de açúcar mascavado

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Numa panela aqueça 0,8 l leite com a casca de laranja e o pau de canela, despeje o preparado sobre uma taça com uma mistura de açúcar branco, amido de milho e o leite frio. Leve ao lume ate levantar fervura tendo o cuidado de mexer sempre com a ajuda de umas varas. Incorpore o vinho moscatel e mexa bem até obter um preparado homogéneo. Coloque o preparado em taças de forno e cubra com o açúcar mascavado. Leve ao forno a 220ºC até queimar ou se preferir queime o açúcar com um maçarico.

38


GUINE BISSAU

Situado na África Ocidental, faz fronteira com o Senegal e com a Guiné. A Oeste encontra-se o Oceano Atlântico, pelo que os produtos do mar são parte da gastronomia do país. Sendo a Guiné-Bissau tão diversa a nível étnico, a sua gastronomia representa esse facto: grande consumidor de arroz, de cereais em geral, de fruta e legumes. Exemplos dessa mesma diversidade são a mancarra com citi, o sigá ou o pitche-patche de ostras, entre outros.

39


G U I N E

B I S S A U

Mancarra com Citi INGREDIENTES:

300 g de amendoim (mancarra), 100 ml de citi (óleo-de-palma), 100 g de tomate maduro 125 g de cebola, 1 frango (cerca de 1,200 kg), 1 g de sal, 1 g de piripiri, 500 ml de água

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Corte o frango em pedaços e tempere com sal e piri-piri. Leve ao lume uma panela com o citi (óleo-de-palma) e a cebola picada. Deixe refogar. Junte o frango e sele de ambos os lados. Ao mesmo tempo, esmague o amendoim num almofariz, misture o tomate limpo e sem pele, e esmague. Envolva bem. Adicione ao preparado um pouco de água, cerca de 500 ml, volte a mexer bem e passe num passador. Deite sobre o frango, tape a panela e deixe cozer lentamente cerca de 30 minutos. Sirva acompanhado de arroz.

40


G U I N E

B I S S A U

Pão de Amendoim INGREDIENTES:

600 g de farinha de centeio, 400 g de farinha de amendoim, 600 ml de água 14 g de sal, 20 g de levedura, 60 g de amendoim picado

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque as farinhas e o amendoim picado numa tigela e junte o sal. À parte, num pouco de água hidrate a levedura e reserve. Junte a restante água à massa e envolva bem. Adicione a levedura e amasse. Deixe levedar cerca de 30 minutos. Leve ao forno a 300°C., por volta de 20 minutos.

41


G U I N E

B I S S A U

Brigadeiro de Amendoim INGREDIENTES:

1 lata de leite condensado, 20 g de manteiga, 40 g de chocolate em pó Q.B de amendoim triturado

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Numa panela, junte o leite condensado, a manteiga e o chocolate, mexendo até deixar de agarrar ao fundo da panela. Misture o amendoim com o lume desligado e mexa até que se fundam. Molde e está pronto para servir..

42


india

O que mais caracteriza a culinária indiana é a fragrância e o sabor das especiarias utilizadas, sendo que a grande maioria dos pratos apresentam na sua composição cerca de 15 a 25 especiarias. A cada combinação para molhos dá-se a designação de massala. Além do caril, existem outros pratos típicos indianos como por exemplo as Gushtaba, que basicamente são almondegas com especiarias em iogurte, e ainda as Jalebi, que consistem em fritar lentilhas banhadas em caramelo ou ainda o Kulfi, o sorvete indiano.

43


i n d i a

Tandoori Chicken INGREDIENTES:

1 kg de coxas de frango sem pele e sem osso, 20 g de sumo de limão, 10 g de gengibre ralado, 20 g de alho, 1 g de pimenta, 125 g de iogurte natural, 40 g de tandoori massala 100 g de cebola, 2 g de sal

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Faça cortes diagonais de aproximadamente 2 cm em cada pedaço de frango para que a marinada penetre bem. Misture o sumo de limão com o alho, o gengibre e a pimenta vermelha, passe a mistura no frango e deixe descansar por meia hora. Triture no liquidificador o iogurte com o tandoori massala, a cebola e o sal. Misture a marinada no frango e deixe no frigorífico por pelo menos 4 horas ou de um dia para o outro. Grelhe o frango na churrasqueira ou leve ao forno bem quente até que fique macio.

44


i n d i a

Pão Pita e Açafrão INGREDIENTES:

200g de farinha de milho amarelo, 400 g de farinha de espelta, 600 ml de água morna 10 g de azeite, 14 g de sal, 20 g de levedura, 2 g de açafrão, 5 g de açúcar

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque as farinhas e o açafrão numa tigela e junte o sal e o açúcar. À parte, num pouco de água hidrate a levedura e reserve. Junte a restante água à massa e envolva bem. Adicione a levedura e amasse. Deixe levedar cerca de 30 minutos. Molde em bolinhas e volte a deixar levedar. Corte a massa em discos bem fininhos Leve ao forno a 300°C., durante 2 minutos.

45


i n d i a

Caril de Bacalhau INGREDIENTES:

2 malaguetas vermelhas secas, 40 g de sementes de coentros, 20 g de sementes de cominhos, 2 sementes de cardamomo, 10 g de fenacho, 2 g de pimenta preta, 2 g de açafrão da India, 2 g de sal, 1 kg de bacalhau demolhado (lombos), 20 ml de óleo de amendoim, 150 g de cebola (picada), 20 g de alho (esmagado), 2 g de gengibre ralado 400 ml de leite de coco, 400 g de tomate picado, 20 g de erva-príncipe fresca, 4 folhas de lima kaffir, 20 g de coentros picados

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Misture as malaguetas, as sementes de coentros, de cominhos e de cardamomo, o fenacho e pimenta preta e deixe-os aquecer de forma a libertar os seus óleos. Esmague as especiarias, utilizando um almofariz. Esfregue metade desta mistura no bacalhau e deixe repousar. Num tacho, aqueça metade o óleo de amendoim e frite a cebola até amolecer e alourar, posto isto, adicione o alho e o gengibre e as restantes especiarias, e salteie durante 1 minuto. Adicione o leite de coco e o tomate, tape e deixe apurar durante 15 minutos. Adicione o bacalhau e coza durante 5 a 10 minutos, sirva este caril acompanhado de arroz branco.

46


paquistao

O Paquistão é um país do sul da Ásia, com uma extensão litoral ao longo do mar da Arábia e do Golfo de Omã. É fronteiriço com a Índia, o Irão, o Afeganistão e ainda com a República Popular da China. Apresenta pratos como Biryani, Chamuças e Chana Massala, que tem um fator em comum: uma base vegetariana.

47


p a q u i s t a o

Kebabs INGREDIENTES:

4 pães pita, 200 g de alface iceberg/ couve coração, 200 g de peito de frango, 1 malagueta, 1 iogurte natural, 5 g de sementes de sésamo ou outras, 10 g de óleo de sésamo, 50 g de manga, 1 folha de louro, 10 g de alho, 2 g de sal , 2 g de pimenta

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

De véspera tempere o peito de frango cortado em tiras com o iogurte natural, alho, folha de louro, malagueta, sal e pimenta. Escorra o peito de frango da marinada e salteie em óleo de sésamo. Verta o peito de frango sobre o pão pita em porções. Adicione o molho da marinada na frigideira e deixe apurar. Após o molho arrefecer envolva a alface iceberg cortada em tiras e verta tudo sobre o pão pita. Adicione a manga polvilhe com sementes. Enrole e sirva.

48


p a q u i s t a o

Pão de Tâmara e Papoila INGREDIENTES:

800 g de farinha de centeio, 100 g de farinha trigo integral, 600 ml de água, 14 g de sal 20 g de levedura, 20 g de sementes de papoila, 60 g de tâmara

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque as farinhas, as sementes e as tâmaras em cubos numa tigela e junte o sal. À parte, num pouco de água hidrate a levedura e reserve. Junte a restante água à massa e envolva bem. Adicione a levedura e amasse. Deixe levedar cerca de 30 minutos. Molde e coloque mais tâmaras e sementes por cima para decorar. Leve ao forno a 300°C., de 15 a 20 minutos.

49


p a q u i s t a o

Tentúgal de Jalfrezi INGREDIENTES:

Massa: 500 g de marinha, 200 ml de água, 200 g de manteiga (pincelar) Recheio: 200 g de peitos de frango, 125 g de cebola, 20 g de alho, 50 g de pimento vermelho 80 g de tomate bem maduro, 3 g de sementes de coentros, 10 g de garam massala 10 dl de vinho branco, 2 g de açafrão, 2 g de pimenta, 20 g de coentros, 10 g de azeite 2 g de sal

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Para o preparado de Jalfrezi, comece por marinar o frango na garam massala, com o vinho branco, as sementes de coentros, o açafrão, a pimenta e o alho picado. Leve uma panela ao lume e prepare o refogado com azeite e cebola. Junte os pimentos e o tomate em cubos bem pequenos. Adicione o frango com a marinada e deixe apurar. Polvilhe com os coentros picados e reserve. Peneire a farinha várias vezes para dentro de um recipiente (taça) e adicione a água morna. Amasse na batedeira até despegar da cuba e de forma a não agarrar às mãos. Deixe descansar. Sobre uma mesa, coloque a massa e puxe aos poucos o bordo da massa formando um véu contínuo. De seguida, deixe secar. Corte a massa em rectângulos com 14x10 cm. Sobreponha quatro folhas de massa e rechear com preparado de frango de Jalfrezi. Enrole os pastéis, pincele com manteiga derretida e dobre as pontas para cima. Leve a cozer no forno a uma temperatura de 220° C.

50


romenia

Situada na Europa Oriental, o país é limitado por países como a Ucrânia, a República da Moldávia, Bulgária, Sérvia, Hungria e ainda pelo mar Negro. A sua gastronomia está ligada a outros países da região, o que deu origem a uma grande variedade. Desde os turcos aos gregos, passando pelos búlgaros todos influenciaram a gastronomia romena, sendo poucos os pratos tradicionalmente romenos conhecidos, mas um exemplar é a tocanita que consiste num refogado de carne com batatas e por norma é acompanhada por mamaliga, muito semelhante à polenta.

51


r o m e n i a

Fritos de baunilha INGREDIENTES:

150 ml de água, 100 g de manteiga, 20 g de açúcar, 20 g de baunilha em pó, 200 g de farinha, 4 ovos, 1 g de sal

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Ferva a água com a manteiga, o açúcar e o sal numa panela. Retire do lume e adicione a farinha. Mexa bem com uma colher. Coloque de novo a panela em lume brando e continue a mexer até que a pasta se descole das paredes da panela. Retire novamente do lume e adicione um ovo de cada vez envolvendo bem entre cada adição. Aqueça um pouco de óleo numa frigideira e deite uma colher do preparado anterior. Logo que o frito esteja dourado, vire-o e deixe fritar do outro lado. Repita o processo até acabar a massa. Antes de servir os fritos, polvilhe-os com um pouco de baunilha.

52


r o m e n i a

Pão de Batata INGREDIENTES:

700 g de farinha de espelta, 100 g de fécula de batata, 100 g de batata doce assada 600 ml de água, 14 g de sal, 20 g de levedura

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque a farinha, a fécula de batata e a batata-doce assada e esmagada numa tigela e junte o sal. À parte, num pouco de água hidrate a levedura e reserve. Junte a restante água à massa e envolva bem. Adicione a levedura e amasse. Deixe levedar cerca de 30 minutos. Leve ao forno a 300°C., de 15 a 20 minutos.

53


r o m e n i a

Patanisca de cereja e cerveja INGREDIENTES:

400 g de cerejas, 10 pés de salsa, 150 g de cebola, 1 cerveja pequena, 4 ovos 350 g de farinha, 2 g de sal, Q.B de azeite

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Comece por cortar as cerejas ao meio, retirando o caroço. Bata os ovos com a cebola picada, a salsa, a farinha e a cerveja. Tempere a gosto e adicione as cerejas. Frite em azeite bem quente e abundante. Sirva.

54


Sao tome e Principe

Devido à grande área marítima que possui a ilha de São Tomé e Príncipe, a gastronomia local tem por bases os derivados do mar, mas por outro lado os seus solos são tão férteis que também os legumes possuem um papel muito importante nesta gastronomia. Exemplos desses pratos são o calulu, que se assemelha muito a uma sopa de peixe acompanhado com puré de banana ou de arroz cozido, o arroz-doce feito com óleo de coco, leite e açúcar. A cachupa, outro prático típico desta cultura e que é muito semelhante ao seu homónimo originário de Cabo Verde, tem por base peixe, milho e feijão.

55


s a o

t o m e

E

P r i n c i p e

Calulu de Peixe INGREDIENTES:

500 g de camarão descascado, 100 ml de óleo-de-palma, 1 kg de garoupa, 120 g de quiabos, 100 g de tomates maduros, 150 g de beringelas, 10 g de manjerona, 125 g de cebola, 20 g de farinha, 2 g de sal, 2 g de pimenta, 1 folha de louro, 2 g de piripiri

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Arranje e lave o peixe. Corte em postas não muito finas. Leve um tacho ao lume com a cebola picada, a beringela descascada e cortada às rodelas, o tomate sem peles nem sementes e picado, os quiabos cortados ao meio, piripiri esmagado, a manjerona, o louro, o peixe e os camarões. Tape o tacho e deixe ferver. De seguida adicione água até cobrir e deixe cozer. Quase no fim da cozedura, misture a farinha desfeita num pouco de água, junte esta mistura ao preparado, agite o tacho para misturar e deixe engrossar o molho. Sirva.

56


s a o

t o m e

E

P r i n c i p e

Pão de Cacau INGREDIENTES:

700 g de farinha de trigo tipo 55, 200 g de farinha de alfarroba, 100 g de cacau 600 ml de água, 14 g de sal, 20 g de levedura, 50 g de nibs (pepitas de cacau)

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Coloque as farinhas, o cacau e os nibs (pepitas de cacau) numa tigela e junte o sal. À parte, num pouco de água hidrate a levedura e reserve. Junte a restante água à massa e amasse bem. Adicione a levedura e amasse. Deixe levedar cerca de 30 minutos. De seguida divida e dê formas à massa, de seguida leve ao forno a 300°C. durante 20 minutos.

57


s a o

t o m e

E

P r i n c i p e

Pastel de Nata de Chocolate INGREDIENTES:

250 g de massa folhada, 500 g de açúcar, 25 ml de água, 1 l de leite, 75 g de farinha 5 gemas, 1 ovo, 1 limão, 1 vagem de baunilha, 2 paus de canela, 70 g de chocolate

MÉTODO DE PREPARAÇÃO:

Num recipiente com a água ao lume, adicione o açúcar e deixar ferver 3 minutos, para fazer calda de açúcar. Envolva a farinha em 200 ml de leite frio. De seguida, Leve a ferver os restantes 800 ml de leite com a zeste de limão, a vagem de baunilha e a canela. Adicione ao leite fervido o preparado anterior e coloque novamente ao lume durante, mais 1 minuto. Adicione a calda de açúcar ao aparelho e mexa energicamente. Adicione as gemas. Divida o preparado em dois vertendo uma dessas partes sobre o chocolate negro obtendo um aveludado de chocolate, e um aveludado de pastel de nata. Deixe arrefecer até à temperatura de 35°C. No momento, adicione as gemas e o ovo e encha as formas. Leve ao forno a 250ºC.

58



Amadora, Paladares do Mundo