Motocatálogo 2021

Page 1

especial Motocatálogo 2022

www.motociclismoonline.com.br

BMW G 310 GS

Ducati Streetfighter V4 S

Yamaha Tracer 900 GT

Dafra Cruisym 150

Honda CBR 1000RR-R

Triumph Trident 660

Husqvarna Svartpilen

Kawasaki ZX-10R

184 motos! ✚ seleção de testes

KTM 890

Royal Enfield Meteor 350

da MOTOCICLISMO

Voltz EVS

1á8gin8as!

p

Motocatálogo 2022 ISSN ISSN2236-5613 2236-5613

9 772236 561006

R$ 29,00 00020

Harley-Davidson Fat Boy




sumario ´

ESPECIAL Nº 20 • 2022

5 Introdução

116 Kawasaki 650 e Z650

20 BMW R 1250 GS

128 KTM Duke

10 BMW F850 GS

27 BMW Guia das motos 32 Dafra Cruisym

36 Dafra Guia das motos 40 Ducati X-Diavel

47 Ducati Guia das motos

56 Harley-Davidson Road King

61 Harley-Davidson Guia das motos 72 Honda CB 500 F

121 Kawasaki Guia das motos 136 KTM Guia das motos 144 Triumph Trident

152 Triumph Guia das motos 164 Yamaha Fazer 168 Yamaha FZ25

172 Yamaha Guia das motos

177 Guia das motos - mais marcas

76 Honda Brand

78 Honda CBR 650 R

86 Honda Guia das motos

98 Husqvarna Guia das motos 110 Kawasaki Versys

Acesse nosso site também pelo celular ou tablet usando o QR code ao lado


~

´

Introducao Motivos para comemorar

O

ano de 2021 tem que ser comemorado, afinal, depois de um ano em que quase tudo parou por conta da pandemia, a recuperação do setor de motocicletas é um claro sinal de que as coisas melhoraram. Mesmo com o problema global que as fábricas de motos enfrentam de falta de componentes para a montagem das motocicletas, muitos lançamentos importantes aconteceram no país e no mundo, além da atualização das motos das linhas 2021/2022, que já estavam por aqui. Bom para todos nós, apaixonados por elas. Esse é um dos motivos para comemorar! Este Motocatálogo, um especial da Revista MO­­­­­­­TO­CICLISMO, que você tem em mãos, mostra 184 motos, separadas por marca. A grande maioria das motocicletas está à venda no Brasil, além de alguns modelos que as marcas já definiram e que estarão por aqui em breve, e esse é outro motivo para comemorar. Além disso, neste Motocatálogo você vai curtir algumas das pautas de 2021 que fizeram sucesso entre os leitores.

Nós da equipe MOTOCICLISMO esperamos que você goste. Boa leitura! Equipe Motociclismo

www.motociclismoonline.com.br /motociclismomagazine /motociclismo_br motociclismoonline @motociclismo_br ❙ diretora ❙ Isabel Reis ❙ Redação ❙ Ismael Baubeta Guilherme Derrico Willian Teixeira redacao@motociclismoteam.com.br ❙ colaboradora ❙ Andréa Guimarães (arte) ❙ comercial ❙ Marcelo Cervantes marcelo.cervantes@motormidiateam.com.br ❙ marketing ❙ Thomas Bento thomas@helloweventos.com.br ❙ assinaturas ❙ assinaturas@motociclismoteam.com.br ❙ gráfica ❙ Bartira Gráfica e Editora R. Caetés, 457 Diadema, SP bartiragrafica.com.br ❙ distribuição ❙ AR Distribuidora Avenida Nova São Paulo, 270 Nova Itapevi – São Paulo, SP ❙ Revisão ❙ Ok Linguística atendimento@oklinguistica.com.br ❙ jornalista responsável ❙ Isabel Reis - MTB 17311 Motociclismo Magazine ISSN 1415-1863. Pu­bli­ca­ção men­­­­­­­sal da Motor Mídia © Direitos reservados. ❙ Motor mídia ❙ Empresa de conteúdos, soluções digitais e eventos


bmw Make Life A Ride É assim que a BMW Motorrad expressa o estilo de vida de quem tem paixão em pilotar. O ronco do motor, o espírito aventureiro, a experiência de acelerar nas ruas ou nas pistas: tudo está conectado nessa mensagem. Os números mostram que o público também se identifica com a abordagem, afinal, o BMW Group (composto pelas marcas BMW, MINI, Rolls-Royce e BMW Motorrad) se firmou como o fabricante líder mundial de automóveis e motocicletas, vendendo acima de 2,4 milhões de veículos em 2020 em mais de 140 países. O Brasil tem espaço de destaque nessa estrutura. A fábrica de Manaus é a única fora da Alemanha 100% dedicada às motocicletas e,

6

anuário 2022

após cinco anos de atividades, já entregou mais de 80 mil motos em todo o país. Atualmente, são feitos oito modelos: G 310 GS, G 310 R, F 750 GS, F 850 GS, F 850 GS Adventure, R 1250 GS, R 1250 GS Adventure e S 1000 RR. Cada um foi criado para atender as diferentes formas de pilotar em duas rodas, mas todos carregam o legado da BMW. O resultado? Motocicletas que são referências globais para quem busca aventura, versatilidade, potência e, sobretudo, experiências únicas. Explorar novos caminhos e superar desafios está no DNA da BMW Motorrad. Esse é o convite que a marca faz para o futuro de todos os apaixonados por motocicletas.


G 310 GS Robusta, versátil e com design que encarna o famoso espírito GS, a BMW G 310 GS não passa despercebida, seja qual for o trajeto. Disponível em três cores novas (Rallye, Branco e 40 Anos GS), o modelo chama atenção por proporcionar conforto e uma excelente experiência de pilotagem. Além disso, a arquitetura do motor garante bom desempenho e consumo reduzido, com capacidade de 313 cm³ e potência de 34 cv (25 kW) em 9.250 rpm. O resultado? Puro prazer na pilotagem para todo e qualquer tipo de motociclista.

• Garfo telescópico invertido anodizado dourado • Faróis em LED com luz diurna de série • Manetes da embreagem e do freio reguláveis

G 310 R Leve, robusta e ágil, a G 310 R é uma roadster com personalidade forte que oferece facilidade de condução e espírito esportivo. Com design marcado pelas dimensões típicas de uma naked, carenagem do farol esportiva, friso dinâmico do tanque de combustível, frente agressiva, traseira minimalista e itens que reforçam o acabamento de alta qualidade. O modelo surpreende com a potência do seu motor de 313 cm³. Tudo isso entrega uma experiência única para pilotar dentro ou fora das cidades!

• Garfo telescópico invertido anodizado dourado • Pinça de freio dourada • Novo acelerador ride by wire e novos manetes reguláveis

anuário 2022

7


bmw F 750 GS Melhor maneira de entrar na classe GS de média cilindrada, a F 750 GS proporciona prazer de pilotagem para qualquer pessoa de um jeito descomplicado. Ela combina tudo o que caracteriza um modelo de entrada na gama e um modelo all-rounder entre as motos de viagem: motor com bom torque em baixas rotações, o flyline típico da GS, grande adequação para viagens, assento baixo com acesso fácil e manobrabilidade excelente.

• Motor com 77 cv (57 kW) a 7.500 rpm • 853 cm³

F 850 GS A F 850 GS é a mais esportiva na grande família GS, combinando o melhor de dois mundos: as melhores qualidades on-road são expandidas com uma excelente adequação para o off-road, isso é GS! Motor com muito torque em baixa rotação, chassi totalmente redesenhado, com longo curso de suspensões, que oferecem ainda mais possibilidades (tanto em estrada quanto em viagens off-road).

• Motor com 80 cv (59 kW) a 6.250 rpm • 853 cm³

F 850 GS Adventure Seja em nível de equipamento, seja em design, ou seja em características, a F 850 GS Adventure combina conforto e segurança com alto desempenho e capacidade off-road. Disponíveis nas cores Rallye e 40 anos GS, as versões carregam, de um jeito único, o espírito aventureiro da moto. Não existem fronteiras para quem pilota uma GS Adventure.

• Motor com 80 cv (57 kW) a 6.250 rpm • 853 cm³ 8

anuário 2022


R 1250 GS Eleita a melhor motocicleta aventureira do Brasil na premiação Moto do Ano 2020, a nova BMW R 1250 GS chega com diversas novidades, como o motor boxer de última geração, aumento de cilindrada para 1.254 cm³ e à presença do sistema ShiftCam, que melhora a entrega de potência do motor em todas as faixas de rotação. A potência e o torque também aumentaram. A R 1250 GS agora tem 136 cv de potência máxima a 7.750 rpm, e torque de 14,5 kgf.m a 6.250 rpm. A versatilidade e o ótimo desempenho em qualquer terreno são os mesmos.

• Cores: Branca, Triple Black, Rallye e 40 Anos GS • Controle de Tração Dinâmico (DTC)

R 1250 GS Adventure A rainha das maxitrails de viagem nasceu para andar sobre os terrenos mais difíceis. Graças ao aumento de cilindrada para 1.254 cc e à presença do sistema ShiftCam, que melhora a entrega do motor em todas as faixas de rotação, a nova BMW R 1250 GS Adventure atua de forma mais eficiente e oferece a resistência necessária para os destinos mais aventureiros. Além do desempenho surpreendente, o modelo vem com uma extensa gama de acessórios que a tornam perfeita para explorar o mundo.

• Cores: Triple Black, Rallye e 40 Anos GS • Motor com 136 cv (100 kW) a 7.750 rpm • Faróis auxiliares de LED

anuário 2022

9


teste BMW F 850 GS ADVENTURE

Herança de tradição e aventura

A F 850 GS Adventure 40 anos mostra por que a marca alemã mantém a liderança do segmento Texto alexandre nogueira Fotos Renato Durães

10

anuário 2022


anuário 2022

11


teste BMW F 850 GS ADVENTURE

A

BMW orgulha-se do DNA da família GS, dotado de fortes aptidões para o fora de estrada. O legado GS teve início com a R 800 GS e o tradicional motor de dois cilindros opostos, pilotada por Hubert Auriol e vencedora do Rali Paris-Dakar de 1981. A F 850 GS Adventure promete alta capacidade de transpor obstáculos por quaisquer caminhos e está pronta para atender aos aventureiros mais exigentes que procuram territórios desconhecidos e inóspitos. A família GS está preparada para devorar longas distâncias no asfalto e ainda proporcionar uma fácil tocada com conforto quando a estrada termina. A família F são as motos intermediárias da marca e são equipadas com o motor de dois cilindros paralelos e refrigeração líquida. A F 850 GS é uma evolução da consagrada F 800 GS que já tinha provado suas virtudes de durabilidade, confiabilidade e resistência quando submetida a um tratamento mais severo no fora de estrada, mostrando muita agilidade e facilidade na condução, mas com o quesito conforto um pouco aquém no ambiente asfáltico, se comparada às concorrentes.

Edição comemorativa de 40 anos

Para comemorar os 40 anos da família GS, a BMW apresentou uma edição comemorativa dos modelos F 750 GS, R 1250 GS e esta F 850 GS que pudemos testar durante cinco dias, com a exclusiva pintura preta com detalhes em amarelo 12

anuário 2022

alta tecnologia O painel supercompleto é um espetáculo à parte, e todo O aparato eletrônico é facilmente acessado pela roldana do punho esquerdo


topa tudo A facilidade na tocada permite incursões em qualquer terreno

imponente O visual total adventure mostra suas verdadeiras intensões

anuário 2022

13


teste BMW F 850 GS ADVENTURE empolgante A BMW F 850 GS Adventure é uma estradeira com vocação off road

que homenageia as GS dos anos 1980. Ela vem recheada de eletrônica, que a deixou ainda melhor. Já participei de uma etapa do BMW Motorrad GS Trophy em 2019 com uma F 850 GS Adventure, então pude comprovar tudo que o modelo aventureiro da marca alemã pode oferecer. A BMW F 850 GS Adventure tem uma ergonomia excelente para a condução de pé sobre as pedaleiras no fora de estrada, com encaixe dos joelhos no tanque de combustível bem natural para pilotos de diversas estaturas. No fora de estrada, a BMW F 850 GS Adventure inspira confiança, com a frente bem firme no chão.

1

Motor

O motor de dois cilindros paralelos de 853 cm³ entrega 80 cv de potência e 9 kgf.m de torque, e o fato mais interessante é que o pico máximo de torque e de potência aparecem nas 6.250 rpm. Esse motor bicilíndrico paralelo é projetado pela BMW, mas é produzido pela Rotax, e tem como diferença em relação à versão anterior o funcionamento dos pistões, que na primeira versão subiam e desciam simultaneamente, mas com tempos de explosão diferentes. Agora os pistões têm um deslocamento de 180°, o que melhorou a distribuição de torque e potência em um arco mais amplo de rotações. Porém este novo motor é mais áspero e ruidoso, apesar dos dois balanceiros para diminuir as vibrações, e pode causar estranheza no primeiro contato, principalmente no quesito ruído.

Muita eletrônica

Os recursos eletrônicos são abundantes e refinados. Com eles é possível deixar a entrega, o controle de potência e o torque do jeito que o piloto preferir. Basta selecionar o modo de acordo 14 anuário 2022

1

A grande ponteira de escapamento tem um ronco grave e excitante 2 Os discos dianteiros vão bem na terra, mas padecem no asfalto 3 O freio traseiro conta com ABS comutável confiabilidade nas estradas esburacadas

2 3


R 1250 RT

O DIA PERFEITO COMEÇA COM UMA ÚNICA PERGUNTA: QUAL É O DESTINO? Touring com tecnologia e pacote de equipamentos de série que surpreendem. Uma referência global de conforto, potência e design.

MAKE LIFE A RIDE

NO TRÂNSITO, SUA RESPONSABILIDADE SALVA VIDAS.

anuário 2022

15


teste BMW F 850 GS ADVENTURE com a situação ou as preferências do piloto. Rain, Road, Dynamic, Enduro e Enduro Pro são as opções disponíveis de série. A F 850 GS Adventure tem o modo Enduro Pro, com ajustes automáticos sobre aceleração, controle de tração e ABS para pilotagem off-road mais agressiva. Isso permite derrapagens insanas tanto nas acelerações como nas frenagens. Todos os ajustes eletrônicos são facilmente acessados pelos comandos dos punhos, e a interface é muito simples e intuitiva para se chegar aos ajustes possíveis. A embreagem assistida e deslizante garante maciez no acionamento do manete e maior estabilidade nas reduções de marchas mais bruscas, evitando o bloqueio da roda traseira nessa situação. Um detalhe interessante a ser considerado é o peso da F 850 GS Adventure, que tem um tanque maior, de 23 litros, que, totalmente abastecido a faz pesar 244 quilos, coincidentemente, o mesmo peso da R 1200 GS. Outra surpresa é que a F 850 GS Adventure é 15 quilos mais pesada que a versão normal e por isso a carga máxima permitida cai de 216 quilos para 211 quilos. A velocidade final também é ligeiramente menor na Adventure, ficando em 195 km/h, contra 205 km/h da F 850 GS, segundo a fábrica, afinal ela é mais pesada e a área frontal da carenagem é maior e mais ampla. O computador de bordo registra médias de consumo entre 18 e 20 quilômetros por litro, tanto na cidade como na estrada até 100 km/h. Em alguns momentos, a 160 km/h ele chegou a marcar 11 km/l.

Ciclística

O chassi é em dupla trave superior que utiliza o motor como parte da estrutura, uma boa e velha receita que garante boa rigidez torcional, melhorando a precisão no ambiente asfáltico ou fora dele. O ótimo desempenho da ciclística da BMW F 850 GS Adventure se deve ao poderoso conjunto de suspensões, com um garfo invertido de 43 mm na dianteira que proporciona 230 mm de curso para a roda com aro de 21 polegadas, atrás, o monoamortecedor tem ajuste da pré-carga da mola eletrônico de acordo com o modo selecionado ou customizado ao uso e peso de carga, ele permite curso de 230 mm para a roda de aro de 17 polegadas. As rodas raiadas com aros de alumínio dourados montam pneus sem câmara. O sistema de freios com três discos dá conta do recado, tem boa pegada inicial para as estradas de terra, mas carece de um pouco de potência para frenagens em alta velocidade no asfalto. Na dianteira, os dois discos de 305 mm são mordidos por pinças deslizantes de dois pistões, e na traseira o disco único de 265 mm é casado com uma pinça de pistão simples, tudo gerenciado pelo sistema eletrônico antitravamento ABS Pro que pode ser desligado para uso no off-road. 16

anuário 2022

alma dakariana O conjunto permite encarar qualquer terreno, mas é preciso escolher pneus adequados facilitam o off-road proteção extra A carenagem frontal da Adventure é maior e protege melhor contra vento e chuva, e os suportes para malas garantem proteção extra em caso de quedas


companheira A F 850 GS Adventure é a companheira ideal

Mais equipamentos

O acelerador eletrônico fly-by-wire tem os modos de pilotagem Rain, Road, Dynamic, Enduro e Enduro Pro selecionáveis pelo piloto, e o modo Enduro Pro permite derrapagens e acelerações com deslizamento da roda para uma tocada mais técnica no fora de estrada. O pacote eletrônico inclui controle de estabilidade, controle de tração, computador de bordo, partida e abertura do bocal do tanque de combustível sem chave, monitoramento de pressão dos pneus, piloto automático e quickshifter bidirecional para o câmbio de seis marchas. A BMW F 850 GS Adventure vem equipada com um sofisticado painel TFT com película antirreflexo. Também são equipamentos de série as manoplas aquecidas, os protetores de mãos, os manetes ajustáveis e a iluminação full LED. A BMW F 850 GS Adventure é uma máquina com excelente qualidade de construção, mas a BMW cobra caro por isso, principalmente pela tradição e o legado da marca, mas a verdade é que ela vai muito bem no asfalto ou na terra, porém você precisa ter habilidades maciças e bíceps muito poderosos para extrair todo o seu potencial no fora de estrada.

Diante da concorrência

Suas grandes concorrentes são a Honda Africa Twin e a Triumph Tiger 900, ambas com motores de funcionamento mais liso e, consequentemente, mais confortável, mas todas cumprem com maestria o que prometem. Enquanto a BMW F 850 GS Adventure custa R$ 79.900, a Honda Africa Twin parte de R$ 73.520, na versão básica, e a Triumph Tiger 900 Rally sai de R$ 66.490, uma briga boa que pode confundir você. Por isso o melhor é fazer um test ride em todas para que a escolha seja fundamentada no casamento da ergonomia com a sensação de segurança sobre a moto, caso a paixão por uma das marcas não seja o fator determinante. A concorrência entre elas é forte, e nós, motociclistas, agradecemos por ter tantas opções.

1

1 A combinação de preto e amarelo chama a atenção 2 A edição comemorativa tem chancela no assento

2

3

alta tecnologia O painel tem película antirreflexo e é um show de tecnologia, conta com computador de bordo e mostra qualquer anomalia na máquina

anuário 2022

17


teste BMW F 850 GS ADVENTURE Ficha técnica Dados de fábrica

Nossa avaliação

MOTOR Tipo Bicilíndrico paralelo OHC Arrefecimento A líquido Válvulas 8 Alimentação Injeção eletrônica Cilindrada 853 cm³ Diâmetro x curso do pistão 84 x 77 mm Taxa de compressão 12,7:1 Potência máxima 80 cv a 6.250 rpm Torque máximo 9 kgf.m a 6.250 rpm transmissão Embreagem Câmbio Secundária

Multidisco banhada a óleo 6 marchas Corrente

chassi Tipo Balança Cáster/trail

Dupla trave em aço Bilateral em alumínio 62°/126 mm

suspensão Dianteira Curso Regulagens Traseira Curso Regulagens

Garfo invertido de 43 mm 230 mm Sem regulagem Monoamortecedor 215 mm Pré-carga da mola

freios Dianteiro Discos de 305 mm Pinça Deslizante de 2 pistões e ABS Traseiro Disco de 265 mm Pinça 1 pistão e ABS comutável pneus Modelo Dianteiro Traseiro

Metzeler Tourance Next 90/90-R21 150/70-R17

medidas Comprimento Largura Entre-eixos Altura do assento Distância mínima do solo Capacidade do tanque Peso aprox. (em ordem de marcha) Capacidade máxima de carga

2.305 mm 939 mm 1.593 mm 860 mm 170 mm 23 litros 248 kg 207 kg

Dados de fábrica Potência específica Relação peso-potência Relação peso-torque Consumo/autonomia média

93,78 cv/l 3,1 kg/cv 27,5 kg/kgf.m 18 km/l/400 km

MOTOR rendimento

10%

Velocidade máxima Aceleração Retomada

8,0 8,0 8,0

Motor

15%

Entrega de potência Resposta ao acelerador Nível de vibração Aspereza

9,0 9,0 8,0 8,0

transmissão

5%

Tato e precisão do câmbio 9,0 Relação de marchas 9,0

chassi Comportamento

20%

Estabilidade em retas Estabilidade em curvas Precisão da direção Agilidade Suspensões Suspensões com garupa Distância livre do solo Comportamento frenagem

9,0 9,0 9,0 8,5 9,0 9,0 9,0 8,5

18

anuário 2022

Conclusão

freios 10%

8,0 8,5

Potência Dosagem

usuário uso diário

20%

Facilidade para manobrar Posição de pilotagem Conforto do piloto Conforto do garupa Sensação de qualidade Prazer ao pilotar Autonomia Equipamentos Acabamento Economia

20%

Preço de aquisição Garantia Consumo médio

Média final técnica

8,0 9,0 8,5 8,5 9,0 8,5 8,5 9,0 9,0 7,5 8,5 8,5

8,49

CORes

Preço

!

A nova geração de motores bicilíndricos da marca bávara é poderoso, tem baixo índice de manutenção e alta confiabilidade, mas causa estranheza pelo funcionamento ruidoso e áspero.

R$ 79.900

por ismael baubeta

A

BMW F 850 GS Adventure é daquelas motos que você olha e já tem certeza que pode enfrentar qualquer parada. Já participei de uma etapa do GS Trophy que selecionou o pessoal para a competição na Nova Zelândia e posso garantir que me dei muito bem com ela, apesar de conhecê-la muito pouco a ponto de participar de uma competição. A agilidade é um ponto forte da máquina, e a força do motor em baixas rotações facilita a vida para transpor quaisquer obstáculos, seja o terreno ruim e esburacado, seja numa ladeira íngreme, a confiança que a máquina transmite é um grande atrativo. Não há situação em que a F 850 GS Adventure não enfrente, e na verdade as capacidades do piloto é que podem interferir no passeio, caso o bom asfalto acabe. Mas toda a eletrônica está ali para ajudar e facilitar a vida do piloto, então é só se familiarizar com a máquina, que você vai saber exatamente quais são os seus limites, porque a F 850 GS Adventure tem coragem de sobra para garantir sua chegada ao seu destino.


S 1000 RR A REVOLUÇÃO DAS PISTAS UM ÍCONE DA PERFORMANCE PREPARADA PARA ESTAR SEMPRE À FRENTE. NAS PISTAS OU NA SUA GARAGEM.

MAKE LIFE A RIDE NO TRÂNSITO, SUA RESPONSABILIDADE SALVA VIDAS.

2022 19 Outubro 2021anuário motociclismo 19


teste BMW R 1250 GS Adventure

Comemoração do grande legado A BMW Motorrad celebra os 40 anos da linha GS e aprimora seu ícone aventureiro com um pacote de recursos que aumentam o conforto, o desempenho e a segurança Texto alexandre nogueira Fotos gustavo epifânio

20 anuário 2022


respeito A versão Adventure da R 1250 GS impõe respeito pelo porte, ela é grande

anuário 2022

21


teste BMW R 1250 GS Adventure

A

família BMW GS está comemorando seu 40º aniversário, e a BMW Motorrad está apresentando as novas edições R 1250 GS e GS Adventure para celebrar o legado iniciado em 1980. Como tal, a marca bávara está impulsionando os equipamentos de ambas as motos com recursos-padrão expandidos e ainda novos equipamentos opcionais. Não há mudanças radicais no design nem na ciclística. Os dois modelos também recebem um novo grafismo, incluindo a “Edição de Aniversário”. Nós avaliamos a BMW R 1250 GS Adventure comemorativa desses 40 anos na estrada e fora delas. Ela é alta, e bem larga, por conta do enorme tanque de 30 litros, chega a ser intimidadora, mas ao rodar é fácil de pilotar e a agilidade é o grande destaque, apesar das dimensões avantajadas, com entrega de torque bem progressiva e linear, sem sobressaltos. O conjunto de suspensões é confortável e eficiente, mantém os pneus colados no piso, mesmo nas estradinhas de terra esburacadas, absorvendo impactos com firmeza. Os pequenos ajustes técnicos realizados focam principalmente nos novos padrões de emissões Euro5 para o motor twin boxer Shiftcam de 1.254 cm³, já desenvolvido em 2019 para atender o Euro5, por isso não sofreu grandes mudanças. O Shiftcam da BMW é praticamente indetectável ao rodar, e, ao contrário dos sistemas desenvolvidos pela Ducati, Kawasaki, Honda e Suzuki, o comando de válvulas variável da BMW também varia a elevação das válvulas, em vez de simplesmente alterar seu tempo de abertura. Os comandos de válvulas têm dois cames diferentes, com perfis distintos, para cada válvula de admissão. Um deles proporciona funcionamento mais suave com menos elevação e menor duração para rotações até 5.000 rpm ou abertura parcial do acelerador, e o outro tem um came mais irregular com mais elevação e maior duração de abertura da válvula para alta performance, com acelerador totalmente aberto e acima de 5.000 rpm. A ideia é otimizar o tempo de abertura e levantamento da válvula para corresponder à carga do motor em uma faixa maior do que um comando de válvulas convencional. A potência não foi alterada, permanece com 136 cv a 7.750 rpm, mas ela está mais poderosa do que nunca, e o motor ganhou adequações para detectar mal funcionamento e permitir o uso de combustível de baixa qualidade com classificações de octanagem abaixo de 95 octanas. Essa é uma ótima ajuda para aventureiros que não encontram combustível de alta octanagem nos lugares mais remotos e inóspitos do mundo.

ELETRÔNICA AVANÇADA

Os modelos R 1250 GS 2021 contam com o Dynamic Traction Control (DTC) como equipamento22 anuário 2022

conforto extra A postura de pilotagem é perfeita

1 O painel TFT é bem completo com a navegação pelo joystick do punho esquerdo 2 O acesso ao botão de aquecimento dos assentos é fácil e prático 3 O punho esquerdo tem a roldana para navegar pelo menu do painel

1

2

3


-padrão, oferecendo um alto nível de segurança na condução, permitindo a melhor tração possível com uma aceleração segura. Chega também o novo modo de pilotagem Eco que incentiva o piloto a dirigir da forma mais eficiente possível com uma curva de aceleração suave e limitação de torque moderada. Como opcional, ambas podem ser equipadas com o modo de pilotagem Pro, que foi recalibrado e conta com o controle dinâmico do freio do motor. Os novos modelos também apresentam uma nova pré-seleção dos modos de pilotagem que permite ao piloto ter uma triagem individual de seus modos de pilotagem favoritos. A nova família R 1250 GS vem equipada com o BMW Integral ABS Pro de série, um sistema de freio que proporciona mais segurança ao frear, mesmo em posições inclinadas, o ABS cornering. A expansão dos modos de pilotagem com novas funções faz a adaptação avançada das características de controle do ABS com o respectivo modo de pilotagem. O assistente de subidas Hill Start Control é padrão em ambos os modelos e permite parar e avançar convenientemente ao pilotar numa subida. O Hill Start Control Pro vai além do sistema já conhecido e melhora consideravelmente o desempenho inicial em todas as condições. O pacote eletrônico de auxílio ao piloto faz da R 1250 GS uma motocicleta muito segura e fácil de pilotar, salvo pelo tamanho avantajado e o peso, principalmente na versão Adventure que tem um tanque de combustível de 30 litros. Mas a agilidade e o alto desempenho do conjunto compensam, até porque, ao rodar, a sensação de domínio e segurança ampliam a confiabilidade do piloto com qualquer nível de experiência com motos de alta cilindrada. O maior problema é nas manobras de baixa velocidade, e, dependendo da estatura do piloto, subir e descer da GS exige bastante atenção, os tombos com a moto parada são corriqueiros, principalmente no off-road.

aerodinâmica A frente é imponente, e o para-brisa regulável ajuda na proteção do corpo contra o vento

REFINAMENTO

As suspensões fazem um ótimo trabalho com o sistema semiativo proporcionando a melhor condição de amortecimento em quaisquer condições de piso. Seus ajustes acontecem de acordo com o modo de pilotagem selecionado e têm ainda as opções de carga de acordo com o gosto do piloto. No asfalto a performance é digna de motos esportivas, e a R 1250 GS encara uma estrada cheia de curvas com competência de arregalar os olhos, a ponto de mexer com os “superbikers”. Ela contorna as curvas pregada ao chão, com uma estabilidade incrível, ainda mais considerando sua altura, peso e pneus de uso misto. A grande diferença, positiva, em relação às suanuário 2022

23


teste BMW R 1250 GS Adventure sedutora Motor e chassi excelentes, muito conforto e visual moderno: conjunto dos sonhos de qualquer viajante

edição memorável Esta edição comemorativa tem acessórios diferenciados

24 anuário 2022


1 2

peresportivas é que na GS o piloto vai sentado numa posição ereta e relaxada, e com muito mais facilidade de conduzir esportivamente do que qualquer superbike, com uma performance excelente. O sistema de freios mantém a boa e velha receita de dois discos dianteiros e um disco traseiro, e proporciona freadas bem potentes no asfalto e um ótimo tato e pegada também para enfrentar o fora de estrada. Como de praxe nas motos maxitrail, os pneus originais são de uso mais voltado ao bom asfalto, ou em estradas de terra seca. Mas há ótimas opções no mercado de pneus de uso misto focados mais no off-road pesado, caso você seja um aventureiro ousado e queira continuar rodando por caminhos mais radicais depois que o asfalto acabar.

extras e gadgets

3

4

5

1 Conjunto sofisticado para enfrentar longas jornadas em quaisquer situações com muita comodidade e segurança 2 O assento aquecido como opcional garante conforto no inverno 3 O monobraço e o cardã são longa tradição da marca alemã 4 Os novos faróis em LED são adaptativos para curvas 5 As setas traseiras agora incorporam também a lanterna e a luz de freio

O painel de 6,5” TFT, Thin Film Transistor, é colorido e multiprogramável, e tem ajuste à luz ambiente. Permite conexão com o smartphone e informa tudo, incluindo temperatura externa, relógio, marcha, consumo instantâneo, pressão dos pneus etc. O sistema de navegação por GPS é através de setas indicativas, e não de um mapa completo. Nos países em que é permitido, é possível telefonar e ouvir as próprias músicas através do intercomunicador Bluetooth opcional da marca. Chega também como opcional um farol adaptativo em LED recém-desenvolvido com função giratória que aumenta as funções de iluminação em curvas, e, dependendo da inclinação da moto, as curvas são muito mais iluminadas, ampliando a segurança durante a noite, porque a luz é direcionada para onde a motocicleta está virando. As setas traseiras agora são multifuncionais, com os indicadores em LED que podem emitir luz amarela para a função de seta, luz vermelha de freio ou luz traseira, simultaneamente. O aquecimento do assento para o piloto e o garupa é equipamento opcional e proporciona um aumento significativo no conforto, com cinco configurações de aquecimento em um novo esquema de operação que facilita o manuseio. Além dos diferentes bancos e pedaleiras disponíveis como equipamento opcional, a altura do guidão agora também pode ser ajustada 30 mm mais alta com o riser de guidão também disponível como acessório opcional. As novas R 1250 GS e R 1250 GS Adventure chegam em suas respectivas versões básicas nas cores sólidas branca ou cinza gelo. As variantes Triple Black e Rallye também são disponíveis como opcional, além da edição especial em preto e amarelo para comemorar o 40º aniversário dos modelos BMW GS, baseados em um marco na história da GS, a lendária R 100 GS. anuário 2022

25


teste BMW R 1250 GS Adventure Ficha técnica Dados de fábrica

Nossa avaliação

MOTOR Tipo Bicilíndrico Boxer Arrefecimento A líquido Válvulas 8 DOHC ShiftCam Alimentação Injeção eletrônica Cilindrada 1.254 cm³ Diâmetro x curso do pistão 102,5 x 76,0 mm Taxa de compressão 12,5:1 Potência máxima 136 cv a 7,750 rpm Torque máximo 14,5 kgf.m a 6.250 rpm transmissão Embreagem Câmbio Secundária

Multidisco banhada a óleo 6 marchas Cardã

chassi Tipo Balança Cáster/trail

Bipartido com motor autoportante Monobraço em alumínio 65,1° / 95,4 mm

suspensão Dianteira Curso Regulagens Traseira Curso Regulagens

Telelever BMW Motorrad 210 mm Multiajustável Monobraço Paralever 220 mm Multiajustável

freios Dianteiro Duplo Disco de 305 mm Pinça Radial de 4 pistões e ABS Traseiro Disco de 276 mm Pinça 2 pistões e ABS pneus Modelo Dianteiro Traseiro

Michelin Anakee 120/70 R19 170/60 R17

medidas Comprimento Largura Entre-eixos Altura do assento Distância mínima do solo Capacidade do tanque Peso aprox. (em ordem de marcha) Capacidade máxima de carga

Dados de fábrica Potência específica 108,8 cv/l Relação peso-potência 1,97 kg/cv Relação peso-torque 18,48 kg/kgf.m Consumo/autonomia média 18 km/l/540 km

2.270 mm 980 mm 1.504 mm 890 mm 150 mm 30 litros 268 kg 217 kg

MOTOR rendimento

10%

9 9 9

Velocidade máxima Aceleração Retomada Motor

15%

Entrega de potência Resposta ao acelerador Nível de vibração Aspereza

9 9 8,5 8,5

transmissão

5%

9 9

Tato e precisão do câmbio Relação de marchas

chassi Comportamento

20%

Estabilidade em retas 9 Estabilidade em curvas 9 Precisão da direção 8,5 Agilidade 8,5 Suspensões 9 Suspensões com garupa 9 Distância livre do solo 9 Comportamento frenagem 9 freios 10%

9 9

Potência Dosagem

usuário uso diário

20%

8 9 9 9 9 9 9 9 9

Facilidade para manobrar Posição de pilotagem Conforto do piloto Conforto do garupa Sensação de qualidade Prazer ao pilotar Autonomia Equipamentos Acabamento Economia

20%

Preço de aquisição Garantia Consumo médio

Média final técnica

8,78

CORes

Preço

26 anuário 2022

R$ 122.500

8 9 8

Esta não seria uma moto BMW sem as opções abundantes disponíveis como opcionais, que incluem o Ride Mode Pro, com controle dinâmico de tração e juste eletrônico de suspensão ESA.

!

Conclusão por alexandre nogueira

A

BMW R1 250 GS Adventure é uma motocicleta muito grande, que requer equilíbrio e concentração para andar corretamente, especialmente em terreno off-road e baixa velocidade Pesando 268 quilos com o tanque de 30 litros cheio, está bem no topo da categoria de motocicletas de aventura. Eu acredito que a GS Adventure está no seu máximo em termos de aparatos eletrônicos. Apesar de parecer complicado entender cada modo através do painel TFT, agora a GS não tem a natureza simplista que a tornou tão boa e prática. Mas a GS ainda é das melhores máquinas que você pode comprar para ir aonde quiser.


bmw BMW • F 750 GS SPORT Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

853 cm³ 77 cv a 7.500 rpm 8,3 kgf.m a 6.000 rpm Dupla trave Bengalas Convencionais Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS

BMW • F 850 GS Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

853 cm³ 77 cv a 7.500 rpm 8,3 kgf.m a 6.000 rpm Dupla trave Bengalas Convencionais Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS

BMW • F 750 GS PREMIUM 40 anos Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

853 cm³ 77 cv a 7.500 rpm 8,3 kgf.m a 6.000 rpm Dupla trave Bengalas Convencionais Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS

BMW • F 850 GS PREMIUM PLUS Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

853 cm³ 95 cv a 8.250 rpm 9,5 kgf.m a 6.250 rpm Dupla trave Bengalas Convencionais Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS anuário 2022

27


bmw BMW • F 850 GS ADVENTURE Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

853 cm³ 95 cv a 8.250 rpm 9,5 kgf.m a 6.250 rpm Dupla trave Bengalas Convencionais Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS

BMW • R 1250 GS PREMIUM Bicilíndrico Boxer I 4T I arrefecimento a ar e líquido I DOHC 8 v 6 marchas, transmissão por eixo-cardã I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.254 cm³ 136 cv a 7.750 rpm 14,6 kgf.m a 6.250 rpm Treliça em aço BMW Telelever BMW Paralever Duplo disco ABS Pro Disco ABS Pro

BMW • R 1250 GS ADVENTURE Bicilíndrico Boxer I 4T I arrefecimento a ar e líquido I DOHC 8 v 6 marchas, transmissão por eixo-cardã I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.254 cm³ 136 cv a 7.750 rpm 14,6 kgf.m a 6.250 rpm Treliça em aço BMW Telelever BMW Paralever Duplo disco ABS Pro Disco ABS Pro

BMW • G 310 GS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 28 anuário 2022

313 cm³ 34 cv a 9.500 rpm 2,8 kgf.m a 7.500 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco ABS Disco ABS


BMW • G 310 R Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

313 cm³ 34 cv a 9.500 rpm 2,8 kgf.m a 7.500 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco ABS Disco ABS

BMW • K 1600 BAGGER Seis cilindros paralelos I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 24 v 6 marchas, transmissão por eixo-cardã I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.649 cm³ 160 cv a 6.750 rpm 18,3 kgf.m a 5.250 rpm Dupla trave em alumínio BMW Duolever BMW Paralever Duplo disco ABS Disco ABS

BMW • K 1600 GTL Seis cilindros paralelos I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 24 v 6 marchas, transmissão por eixo-cardã I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.649 cm³ 160 cv a 6.750 rpm 18,3 kgf.m a 5.250 rpm Dupla trave em alumínio BMW Duolever BMW Paralever Duplo disco ABS Disco ABS

BMW • R 1250 GS PREMIUM PLUS Bicilíndrico Boxer I 4T I arrefecimento a ar e líquido I DOHC 8 v 6 marchas, transmissão por eixo-cardã I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.254 cm³ 136 cv a 7.750 rpm 14,6 kgf.m a 6.250 rpm Treliça em aço BMW Telelever BMW Paralever Duplo disco ABS Pro Disco ABS Pro anuário 2022

29


bmw BMW • R 1250 GS Adventure Bicilíndrico Boxer I 4T I arrefecimento a ar e líquido I DOHC 8 v 6 marchas, transmissão por eixo-cardã I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.254 cm³ 136 cv a 7.750 rpm 14,6 kgf.m a 6.250 rpm Treliça em aço BMW Telelever BMW Paralever Duplo disco ABS Pro Disco ABS Pro

BMW • R 1250 RT Bicilíndrico Boxer I 4T I arrefecimento a ar e líquido I DOHC 8 v 6 marchas, transmissão por eixo-cardã I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.254 cm³ 6 cv a 7.750 rpm 14,6 kgf.m a 6.250 rpm Treliça em aço BMW Telelever BMW Paralever Duplo disco ABS Pro Disco ABS Pro

BMW • S 1000 R Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a íquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

999 cm³ 165 cv a 11.000 rpm 11,6 kgf.m a 9.250 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Duplo disco ABS Pro Disco ABS Pro

BMW • S 1000 RR Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a íquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 30 anuário 2022

999 cm³ 207 cv a 13.500 rpm 11,5 kgf.m a 11.000 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Duplo disco Race ABS Disco Race ABS



Apresentação Dafra Cruisym 150

Marcando a forte concorrência O Cruisym 150 chega com a difícil missão de concorrer com os peso-pesados Honda PCX e Yamaha NMAX Texto ismael baubeta

Fotos renato durães

A

Dafra vem ampliando sua parceria com a Sym e diversificando seu line-up com o firme propósito de crescer, e lógico, de olho em segmentos promissores como o dos scooter. A briga vai ser dura, afinal seu novo scooter, o Cruisym, vai competir com as Honda PCX, SH 150 e Yamaha NMax, um páreo duro! De qualquer forma, isso é bom para o consumidor que tem mais uma boa opção de escolha. A taiwanesa Sym é uma das grandes fábricas de motos do mundo que produz motonetas, motos e scooters de baixa cilindrada. Suas motos vêm melhorando ano a ano, e a Dafra mantém firme a parceria com a marca. A Cruisym é mais uma das apostas da Dafra para o Brasil.

Como é o Cruisym

O design é arrojado e bastante moderno, vincos e ângulos estão por toda a sua carenagem e compõem um layout agradável. As lentes do bloco óptico duplo e dos piscas ocupam praticamente toda a área frontal da moto, as carenagens têm encaixes bem cuidados, e seu porte sugere que se trata de um scooter de maior cilindrada. Sob o banco há espaço suficiente para guardar um capacete fechado. No escudo frontal interno, um pequeno porta-objetos tem uma tomada USB para carregar dispositivos. No meio do escudo ainda há um gancho retrátil que pode ser útil para voltar do mercado com alguma sacola pendurada. Apesar das formas modernas dos faróis, exceto a pequena luz de posição em LED, as demais são todas tradicionais, provavelmente por questão de custo. 32 anuário 2021



Apresentação Dafra Cruisym 150 moderno O Cruisym 150 tem design atual e atrativo

Ergonomia

A posição de pilotagem é bem relaxada e há bastante espaço para as pernas, eu, com meu 1,8 metro, não fiquei com as pernas batendo no escudo frontal. O banco é bastante confortável, e os 771 mm de altura permitem colocar os pés no chão com facilidade, os mais baixos talvez tenham que ficar um pouco de lado para isso, mas definitivamente isso não é um problema. Eu tenho 1,8 metro de altura e sentado no banco fiquei com as pernas bem posicionadas, praticamente a 90° e com algum espaço livre até o escudo, permitindo movimentá-las na pilotagem sem bater nele. A distância até o guidão e a sua largura completam a boa ergonomia da Cruisym 150. Condição importante para a pilotagem mais segura.

4 1

5

Acelerando na prática

A primeira impressão ao pilotar o Cruisym é de que ele foi bem concebido. Tudo justinho, as suspensões são bem calibradas, têm funcionamento progressivo e bom nível de rigidez, permitindo uma pilotagem tranquila e bastante confortável, mas, caso você se empolgue, elas respondem bem para contornar curvas um pouco mais embalado. Na dianteira, as bengalas têm 100 mm de curso, e atrás os dois amortecedores (com ajuste de pré-carga da mola) percorrem 70 mm no curso. A ressalva vai para o cavalete, que raspa com frequência nas curvas para a esquerda. Outro detalhe importante é o baixo nível de vibração e pancadas sentidas no guidão, característica que a grande maioria dos scooter apresenta, isso torna a pilotagem mais suave. 34 anuário 2021

2 3

1 O painel é digital e tem as informações básicas 2 O banco em dois níveis é confortável 3 Sob o banco há espaço para um capacete fechado 4 No escudo há um porta-luvas com tomada USB e um gancho retrátil 5 A tampa do tanque também é estilosa


Firme O Cruisym 150 é rígido na medida certa, o guidão vibra pouco 4 41 2

5 6

3

O motor monocilíndrico tem arrefecimento líquido e 149,6 cm³ de capacidade volumétrica. É capaz de render 12,5 cv a 8 mil rpm e 1,22 kgf.m a 6 mil rotações, de potência e torque máximos respectivamente. As respostas ao giro do acelerador são rápidas, e o Cruisym 150 acelera com ímpeto nas arrancadas até os 60 quilômetros por hora, daí em diante segue crescendo com mais pudor. Ele foi capaz de chegar aos 104 quilômetros por hora de velocidade máxima, marcados no painel. O motor é um pouco barulhento, é verdade, mas não chega a ser incômodo, as boas respostas ao girar o punho suplantam essa característica. O sistema de freios tem funcionamento combinado, ou seja, ao acionar o freio traseiro, parte da força aplicada aciona a pinça dianteira também. O item é obrigatório e ajuda bastante nas frenagens. É possível sentir a frente do scooter dar uma abaixada quando se aciona o freio com mais força, se você exagerar pode sentir a roda traseira travar, mas o sistema é bem calibrado. O Cruisym 150 causou boa sensação e mostrou que nasceu de um bom projeto, é eficiente e oferece boa pilotagem, mas a Dafra vai lutar com as gigantes que dominam o segmento e têm uma rede de concessionárias infinitamente maior, um desafio e tanto. Bom para o consumidor que tem mais uma boa opção de compra na mesma faixa de preço. Esse é um dos benefícios da concorrência

1 O escape tem acabamento em preto brilhante 2 O disco de freio é do tipo wave 3 O motor também é preto 4 As pedaleiras do garupa são retráteis 5 O porta-luvas tem tomada USB 6 A frente tem design elegante

POSITIVO Ergonomia • Motor PODERIA SER MELHOR • Iluminação (não é de LED) •

Dados de fábrica Monocilíndrico I arrefecido a líquido 2 válvulas I câmbio CVT Cilindrada 149,6 cm³ Potência máxima (etanol) 12,5 cv a 8.000 rpm Torque máximo (etanol) 1,22 kgf.m a 6.000 rpm Diâmetro x curso do pistão n.d. Taxa de compressão n.d. Quadro Tubular em aço Cáster n.d. Trail n.d. Suspensão dianteira Garfo telescópico com 100 mm de curso Suspensão traseira Biamortecida com 75 mm de curso, ajuste de pré-carga da mola Freio dianteiro Disco de 310 mm, pinças radiais de 4 pistões e ABS cornering Freio traseiro Disco de 256 mm, pinça de 1 pistão Modelo do pneu Pirelli Diablo Scooter Roda dianteira 90/90-14 Roda traseira 100/90-14 Medidas Comprimento • 1.990 mm Entre-eixos • 1.350 mm Altura do assento • 771 mm Largura • 730 mm Tanque • 6 litros Peso (seco) • 130 kg

Preço: R$ 14.490 anuário 2021

35


dafra Dafra • Apache RTR 200 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

197,7 cm³ 21 cv a 8.500 rpm 1,85 kgf.m a 6.500 rpm Berço duplo dividido Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco combinado Disco

Dafra • Citycom 300 CBS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 4 válvulas transmissão tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

278,3 cm³ 27,8 cv a 7.750 rpm 2,8 kgf.m a 6.500 rpm Tipo underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco combinado Disco

Dafra • Citycom HD 300 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 4 válvulas transmissão tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

278,3 cm³ 27,6 cv a 8.000 rpm 2,6 kgf.m a 6.000 rpm Tipo underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco ABS Disco

Dafra • Cruisym 150 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 2 válvulas transmissão tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 36 anuário 2022

149,6 cm³ 12,5 cv a 8.000 rpm 1,22 kgf.m a 6.000 rpm Tipo underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco combinado Disco


Dafra • Horizon 150 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar e óleo I OHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 12,8 cv a 6.000 rpm 1,4 kgf.m a 5.500 rpm Berço semiduplo Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco combinado Disco

Dafra • Maxsym 400i Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 4 válvulas transmissão tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

399,3 cm³ 33,3 cv a 7.500 rpm 3,2 kgf.m a 5.500 rpm Tipo underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Duplo disco ABS Disco ABS

Dafra • NH 190 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

183 cm³ 18 cv a 8.500 rpm 1,6 kgf.m a 7.500 rpm Tipo Diamond Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco combinado Disco


A Ducati fortalece sua presença no Brasil A paixão pelo desenvolvimento de produtos icônicos, dotados de alta tecnologia embarcada, o lançamento de modelos exclusivos com motorização V4 e a forte dedicação pelo mundo duas rodas estão presentes na história da Ducati do Brasil. Atualmente com 15 concessionários pelo Brasil e congregando mais de 2 mil associados vinculados aos 15 clubes da marca no país (DOC). Com resultados surpreendentes, a Ducati também vem se destacando na comercialização de acessórios, linha boutique e peças. Sob os pilares design, performance, sofisticação e confiança, a marca fortalece cada vez mais a sua presença em território nacional e se solidifica como um dos mais

38 anuário 2022

promissores negócios em duas rodas no país. Às vésperas de comemorar 10 anos no Brasil (em 2022), a Ducati se diferencia não só na linha de produtos, mas também em serviços ao consumidor. Em crescimento, o Programa Ever Red, de garantia estendida exclusiva de fábrica, é um bom exemplo. Lançado em 2020, o programa permite ampliar a garantia original de fábrica das motos Ducati por até cinco anos. São planos de 12, 24 ou 36 meses, à escolha do cliente, que se somam aos dois anos já fornecidos pela garantia de fábrica. A grande novidade está na inclusão dos modelos Ducati Panigale V4S e Ducati Streetfighter V4S no programa já a partir do mês de dezembro.


Ducati Streetfighter V4 S A recém-lançada Ducati Streetfighter V4 S repete no Brasil \o sucesso comercial registrado mundo afora, tendo as 60 primeiras unidades esgotadas rapidamente. A Streetfighter ganhou fama como a mais potente e tecnológica ultranaked da marca italiana. O motor Desmosedici Stradale, dotado de 208 cv de potência, 1.103 cm3, tem a mesma tecnologia da MotoGP. O design é agressivo, e a performance imbatível, o design minimalista do farol full-LED identifica-se com a Panigale V4. A Ducati Streetfighter V4 S está disponível na cor Ducati Red com preço público sugerido de R$ 146.990.

• Motor 1.103 cm³ • Potência 208 cv a 13.000 rpm • Torque 12,6 kgf.m a 9.500 rpm

Ducati Panigale V4 S A Panigale V4 S é a primeira motocicleta produzida em série da Ducati a ser equipada com um motor de quatro cilindros, derivado da Desmosedici, da MotoGP. O motor, de 1.103 cm3, gera 217 cv com impressionante relação peso-potência de 1,1 cv/kg. O seu desenvolvimento, com a colaboração da Ducati Corse, utilizou o know-how e a tecnologia italiana em competição para torná-la a moto de estrada mais próxima da MotoGP. A Panigale V4 S inaugurou uma nova era da Ducati. Ela tem preço público sugerido de R$ 159.990

• Motor 1.103 cm³ • Potência 215 cv a 13.000 rpm • Torque 12,4 kgf.m a 10.000 rpm

Ducati Multistrada 950S A 950S proporciona a emoção da linha Multistrada num conjunto mais acessível e versátil de se pilotar. O motor bicilíndrico Testastretta 11º de 937 cm3 oferece 113 cv e 9,6 kgf.m de potência e torque máximos, e a nova Unidade de Medição Inercial Bosch de seis eixos (6D IMU) proporciona uma interface piloto-moto (HMI) mais evoluída, mais fácil e intuitiva de usar. O longo curso das suspensões e a roda raiada de aro 19” na dianteira asseguram conforto e diversão em qualquer tipo de piso. A Multistrada 950 S tem preço público sugerido de R$ 102.990 e ampla opção de acessórios.

• Motor 937 cm³ • Potência 113 cv a 9.000 rpm • Torque 9,8 kgf.m a 7.750 rpm anuário 2022

39


teste DUCATI XDIAVEL S

40 anuário 2022


Uma custom visceralmente italiana Exuberante em tudo, esta Ducati é capaz de seduzir pelo design e emocionar pelo desempenho digno de moto de competição Texto ismael baubeta Fotos Renato Durães

O

s conceitos mudam cada vez mais rápido e sucessivamente, e, assim como as peruas no mundo dos carros foram dando lugar aos SUV, que, por sua vez, foram ganhando versões cada vez mais esportivas e poderosas, nas motos não seria diferente. Marcas tradicionais em determinados segmentos também dão guinadas radicais em suas motos para se aventurar em novos terrenos. A Harley-Davidson, por exemplo, recentemente lançou uma maxitrail com motor em V, depois de entrar no segmento de motos elétricas, com a Live Wire. A Ducati, é uma marca reconhecidamente passional e de DNA puro-sangue esportivo, por sua vez, em 2011 levou seus genes para um segmento antagônico ao que costumou frequentar com o lançamento da Diavel, uma moto que mistura os estilos naked, custom e, como eles denominaram, cruiser, mas pode ser considerada também uma musclebike. A XDiavel segue o legado iniciado pela Diavel, mantém a identidade, mas os engenheiros italianos fizeram um exercício de design mais arrojado e chamativo. Hoje, com a mesma estrutura, há duas versões, a Diavel e a XDiavel S. Todas elas equipadas com o motor Testastretta DVT 1262, mas as XDiavel têm um pouco menos de potência, são 152 cv a 9.500 rpm, contra 158 cv na Diavel.

anuário 2022

41


teste DUCATI XDIAVEL S Notável beleza

postura A posição de pilotagem da XDiavel é um pouco cansativa

Se a Diavel é, digamos, mais discreta na composição visual, com menos peças metálicas brilhantes e muito preto distribuído pelo corpo, a XDiavel é muito mais atrevida, eu diria até animal, embora mantenha uma boa porção de preto em seu layout, ela recebeu alguns detalhes que lhe renderam mais agressividade, como nas belas ponteiras de escape laterais mais curtas e cromadas, no detalhe usinado nos raios das rodas, que têm desenho diferenciado, e nas laterais dos cilindros e cabeçote, detalhe que minha mão, ao tocá-los sentiu que pareciam duas tesouras de cirurgia, tive que concordar. O tanque, o banco e a rabeta seguem a silhueta que sugere velocidade, e na traseira o que se destaca é a enorme roda com pneus de 240 mm de largura, uma pata e tanto, que está totalmente exposta do lado direito, já que a balança é do tipo monobraço. A traseira termina em um pequeno banco de garupa, que na versão avaliada recebe um sissy-bar, igualmente minúsculo. A iluminação também tem um papel importante no design, o farol em LED tem luz de posição DRL (Daytime Running Light) que faz lembrar o formato do escudo da marca. Sob o banco as duas luzes das lanternas separadas também já são marca registrada do modelo, os piscas foram posicionados no suporte de placa, que é também onde o para-lama está fixado na balança.

Ergonomia

A XDiavel é baixinha, o banco está a 755 mm do chão, portanto subir e apoiar os pés no chão é tarefa fácil. Uma vez sentado, você vai perceber como ela é longa, é preciso se inclinar para a frente para agarrar o guidão, assim como para posicionar os pés sobre as pedaleiras você tem que estendê-las bastante. Uma posição que, com a passagem dos quilômetros, você percebe que não é das mais relaxadas, afinal, as pernas avançadas e guidão afastado do corpo, obrigando você a se sustentar firme à medida que a velocidade aumenta, acaba sendo cansativo. Outro desabono da posição são as pancadas que sobem pela espinha ao rodar pela cidade, principalmente se você for pego de surpresa, mas a emoção de acelerar seu coração italiano se sobrepõe a tudo isso.

Desempenho e emoção

A XDiavel S é uma custom de personalidade diferenciada, não só pelo design moderno e chamativo, mas também pela capacidade de aceleração, digna de uma musclebike. Os quase 250 quilos da moto totalmente abastecida parecem ser menos. A eletrônica embarcada é das mais completas, desde a chave de presença do sistema keyless, para dar a partida, aos comandos do acelerador eletrônico responsivo aos modos de pilotagem com parâmetros autoajustáveis de ABS cornering, controle de tração e de largada e o antiwhelie, todos com o propósito de deixar a pilotagem mais segura e ao mesmo tempo permitir uma tocada esportiva mais arrojada. O motor da XDiavel S é de dois cilindros em L a 90°, chamado de Testastretta, tem 1260 cm³, oito válvulas, comando variável do tipo desmodrômico e refrigeração líquida. Essa configuração é capaz de gerar 152 cv a 9.500 e 12,5 kgf.m a 5.000 rpm de potência e torque máximos respectivamente, números respeitáveis. A simples vista pode não parecer ser muito, se você pensar nos 217 cv de uma Panigale V4, por exemplo, mas, nas primeiras aceleradas com afinco, você vai confirmar que são capazes de oferecer sensação de vertigem, tal a rapidez com que ela ganha velocidade, basta piscar os olhos, e você está a 100 km/h. 42 anuário 2022

1

O painel em TFT é compacto e bem completo 2 O punho esquerdo aloja acesso aos ajustes eletrônicos e piloto automático 3 No punho direito o botão de desbloqueio e liga-desliga

1

2

3


Exuberante A XDiavel S não passa despercebida em lugar nenhum

opção A Ducati optou pela relação final por correia dentada, menor manutenção

anuário 2022

43


teste DUCATI XDIAVEL S

1 2

Imagine sair de um semáforo, e antes de chegar à próxima esquina, já ter entrado nos três dígitos na velocidade. É preciso moderação, porque se você se deixar levar pela emoção, a cada arrancada vai se pegar fazendo um 0 a 100 km/h. Os três modos de condução (Sport, Touring e Urban) ajudam nos diferentes temperamentos que o motor pode incorporar, o primeiro é mais arisco nas respostas e fica meio incômodo para rodar no trânsito urbano, naquele anda e para, o mínimo movimento no punho direito significa uma guinada para frente, ideal para quando você quer deixar a “uruca” para trás comendo poeira. O modo Touring, apesar de dispor de toda a cavalaria, é mais amigável ao giro do acelerador, tem respostas mais suaves sem ficar sonolento, e o modo Urban, limita a potência a 100 cv macios como seda, este seria o modo Rain de outros modelos, nele, tanto o controle de tração como o ABS estão em posição de intervenção máxima em nome da segurança. O modo Sport é o mais permissivo, e o Touring, o intermediário. Uma moto que conta com controle de largada é porque, no mínimo, merece atenção se você está pensando em acelerar para valer, é o tipo da emoção que os italianos da Ducati gostam de deixar marcada em suas motos, eu particularmente adoro motos intensas como esta.

Ciclística e freios

3 4

5

A Ducati quando desenvolve suas motos não economiza na quantidade e qualidade de seus componentes, prova disso são as enormes bengalas de 50 mm de diâmetro Marzocchi e o amortecedor totalmente reguláveis e as potentes pinças radiais monobloco de quatro pistões, dignas de motos de pista. A XDiavel S não tem como esconder seu DNA “ítalo-esportivo” marcado a ferro e fogo, embora, no motor, seja possível deixá-la mais amigável e suave na condução com a eletrônica, no projeto com distância entre-eixos de 1.615 mm, ângulo de cáster de 30° e trail de 130 mm é de se esperar que tenha certa dificuldade para engolir as buraqueiras das cidades, some a isto a posição de pilotagem com as pernas avançadas, e o resultado é sentir na coluna as pancadas vindas da roda traseira. No entanto, leve-a para rodar na estrada e sinta a mudança drástica, seu comportamento é preciso, as mudanças de direção são feitas de forma rápida e, mesmo com o pneuzão de 240 mm na traseira, ela responde sempre pedindo mais, até chegar ao limite de inclinação com naturalidade. Se você descer uma serra, ao final, vai querer dar meia-volta e subir só por diversão.

Mordida poderosa

1 2

A pata de 240 mm na roda traseira impressiona O assento é confortável só para o piloto 3 A linda roda fica exposta do lado direito 4 A balança monobraço recebeu relação por correia dentada 5 O sistema de freio tem poderosas pinças radiais monobloco de quatro pistões Brembo 44 anuário 2022

O sistema de freio segue a mesma receita radical, é potente, tem funcionamento preciso, os dois discos de 320 mm na dianteira, mordidos pelas pinças radiais de quatro pistões são mais que suficientes para fazê-la parar com rapidez, e o ABS (com três modos selecionáveis: Expert, Esportivo e Safe & Stable) tem funcionamento combinado e pouco se faz notar. O disco de 265 mm com pinça de dois pistões atrás também é eficiente a auxilia muito nas frenagens. A Ducati XDiavel S é uma moto ímpar, pela beleza e ousadia de suas linhas, componentes, mas também pelo excelente desempenho. Ele seduz e convida para uma diversão sem pudor, mas se você não é deste tipo, tem os R$ 124.990 da etiqueta e acha esta moto demais, também pode comprar um exemplar para colocar na sala como obra de arte, não seria exagero.


Sinta tudo. Não segure nada. A máquina da Ducati chegou pronta para o desafio.

Reserve a sua!

anuário 2022 45 www.ducati.com/br/pt


teste DUCATI XDIAVEL S Ficha técnica Dados de fábrica

Nossa avaliação

MOTOR Tipo Bicilíndrico em L a 90° Arrefecimento A líquido Válvulas 8 comandos desmodrômicos Alimentação Injeção eletrônica Cilindrada 1.262 cm³ Diâmetro x curso do pistão 106 x 71,5 mm Taxa de compressão 13:1 Potência máxima 152 cv a 9.500 rpm Torque máximo 12,5 kgf.m a 5.000 rpm transmissão Embreagem Câmbio Secundária

Multidisco banhada a óleo 6 marchas Correia dentada

chassi Tipo Balança Cáster/trail

Treliça em aço Monobraço em alumínio 30° / 130 mm

suspensão Dianteira Curso Regulagens Traseira Curso Regulagens

Garfo telescópico invertido 120 mm Totalmente regulável Monoamortecida 110 mm Totalmente regulável

freios Dianteiro Discos 320 mm Pinça Brembo radiais de 4 pistões e ABS Traseiro Disco de 265 mm Pinça 2 pistões e ABS pneus Modelo Dianteiro Traseiro

Pirelli Diablo Rosso ll 120/70 R17 240/45 R17

medidas Comprimento Largura Entre-eixos Altura do assento Distância mínima do solo Capacidade do tanque Peso aprox. (em ordem de marcha) Capacidade máxima de carga

2.273 mm 849 mm 1.615 mm 755 mm 121 mm 17 litros 247 kg 180 kg

Dados de fábrica Potência específica Relação peso-potência Relação peso-torque Consumo/autonomia média

120,44 cv/l 1,62 kg/cv 19,76 kg/kgf.m 17 km/l/289 km

MOTOR rendimento

10%

Velocidade máxima Aceleração Retomada

9 10 9,5

Motor

15%

Entrega de potência Resposta ao acelerador Nível de vibração Aspereza

9 9 8,5 8,5

transmissão

5%

9 9

Tato e precisão do câmbio Relação de marchas

chassi Comportamento

20%

Estabilidade em retas 9,5 Estabilidade em curvas 9 Precisão da direção 9 Agilidade 8,5 Suspensões 9 Suspensões com garupa 8 Distância livre do solo 8 Comportamento frenagem 9 freios 10%

9,5 9,5

Potência Dosagem

usuário uso diário

20%

Facilidade para manobrar 8,5 Posição de pilotagem 8 Conforto do piloto 8 Conforto do garupa 8 Sensação de qualidade 10 Prazer ao pilotar 9 Autonomia 8,5 Equipamentos 8,5 Acabamento 10 Economia

20%

Preço de aquisição Garantia Consumo médio

Média final técnica

8,5 8 8,5

8,85

CORes

Preço

46 anuário 2022

Classe A XDiavel S é robusta e chamativa, mas tem classe

R$ 124.990

A eletrônica de última geração da XDiavel S não só ajuda na segurança como também na suavidade da condução se o proprietário assim desejar.

!

Conclusão por ismael baubeta

A

XDiavel é digna de ter a sala de estar de sua casa como garagem, você não vai se cansar de ficar admirando-a, vale a reforma para fazê-lo. Se você gosta de pilotar motos com temperamento explosivo e não abre mão de design, ela pode ser sua moto. Os R$ 124.990 do preço sugerido não é pouca grana e abre um bom leque de possibilidades dentro deste orçamento. Mas esta Ducati faz valer seu preço pela quantidade de substâncias relacionadas ao bem estar que pode produzir em seu corpo, basta você se identificar com as acelerações brutais e curtir botar para deitar nas curvas, acho que você me entende, não é?


Ducati • Diavel 1260 S Bicilíndrico em L I 4T I arrefecimento a líquido I Desmodrômico, 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.262 cm³ 158 cv a 9.500 rpm 12,9 kgf.m a 7.500 rpm Tipo treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS

Ducati • Monster 1200 S Bicilíndrico em L I 4T I arrefecimento a líquido I Desmodrômico, 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.198 cm³ 147 cv a 9.250 rpm 12,4 kgf.m a 7.750 rpm Tipo treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS

Ducati • Multistrada 950 S Bicilíndrico em L I 4T I arrefecimento a líquido I Desmodrômico, 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

937 cm³ 113 cv a 9.000 rpm 9,8 kgf.m a 7.750 rpm Tipo treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS

Ducati • Multistrada 1260 S Bicilíndrico em L I 4T I arrefecimento a líquido I Desmodrômico, 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.262 cm³ 158 cv a 9.500 rpm 12,8 kgf.m a 7.500 rpm Tipo treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS anuário 2022

47


Ducati • Scrambler Icon Bicilíndrico em L I 4T I arrefecimento a líquido I Desmodrômico, 4 válvulas I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

803 cm³ 73 cv a 8.250 rpm 6,7 kgf.m a 5.750 rpm Tipo treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco ABS Disco ABS

Ducati • XDiavel S Bicilíndrico em L I 4T I arrefecimento a líquido I Desmodrômico, 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.262 cm³ 152 cv a 9.500 rpm 12,8 kgf.m a 5.000 rpm Tipo treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Duplo disco ABS Disco ABS

Ducati • Panigale V4 S Tetracilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I Desmodrômico, 16 válvulas I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.103 cm³ 217 cv a 13.000 rpm 12,4 kgf.m a 10.000 rpm Monocoque em alumínio Bengalas invertidas Monobraço monoamortecido Duplo disco ABS EVO Disco ABS EVO

Ducati • Streetfighter V4 S Tetracilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I Desmodrômico, 16 válvulas I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 48 anuário 2022

1.103 cm³ 208 cv a 13.000 rpm 12,6 kgf.m a 9.500 rpm Monocoque em alumínio Bengalas invertidas Monobraço monoamortecido Duplo disco ABS EVO Disco ABS EVO



Harley-Davidson Para quem tem paixão pela aventura e pela liberdade Em 1903, em um pequeno galpão em Milwaukee, Wisconsin, quatro jovens acenderam a chama de um incêndio cultural que cresceria e se alastraria por várias regiões geográficas e gerações. A inovação e a imaginação desses jovens em torno do que era possível fazer em duas rodas criaram uma revolução nos transportes e um estilo de vida que transformaria a Harley-Davidson em uma das marcas de motocicleta mais desejáveis do mundo. Hoje, continuamos a definir a cultura e o estilo de vida associados ao motociclismo, evocando uma emoção que agita a alma refletida

50 anuário 2022

em cada produto e experiência que proporcionamos, como temos feito por bem mais de um século e continuaremos fazendo por muitas gerações. Mais do que apenas construir máquinas, nossa bandeira é a eterna busca por aventura. Liberdade para a alma.Construindo nossa lenda e liderando nossa indústria por meio da inovação, evolução e emoção. Desde 1903, a Harley-Davidson tem definido a cultura da motocicleta com uma gama em expansão de motocicletas de ponta, distintas e personalizáveis, além de experiências de


pilotagem e acessórios, equipamentos e roupas de pilotagem excepcionais. Harley-Davidson Financial Services fornece financiamento, seguros e outros programas para ajudar a colocar os motociclistas da Harley-Davidson na estrada. Harley-Davidson, Inc. é a empresa controladora da Harley-Davidson Motor Company e da HarleyDavidson Financial Services. Nossa visão: construindo nossa lenda e liderando nossa indústria por meio da inovação, evolução e emoção. Nossa missão: mais do que construir máquinas, defendemos a busca atemporal por

aventura. Liberdade para a alma. Desde 1903, a Harley-Davidson tem definido a cultura da motocicleta com uma gama em expansão de motocicletas de ponta, distintas e personalizáveis, além de experiências de pilotagem e acessórios, equipamentos e roupas de pilotagem excepcionais. A Harley-Davidson Financial Services fornece financiamento, seguros e outros programas para ajudar a colocar os motociclistas da Harley-Davidson na estrada. Saiba mais sobre como a Harley-Davidson está construindo a próxima geração de motociclistas em www.harley-davidson.com/br/pt/.


Harley-Davidson harley-davidson FAT BOY 114 (FLFBS)

novo estilo em cromado brilhante Com a sua postura majestosa, a Fat Boy® continua a ser uma das motos mais imponentes no portfólio da Harley-Davidson®. O estilo renovado para 2021 ilumina o seu visual, já que o cromado brilhante substitui o acabamento cromado acetinado no motor e no escape, na extremidade dianteira, nos suportes do para-lama traseiro e no console. Características da Fat Boy® 114: • Motor Milwaukee-Eight® 114: a maior potência oferecida de fábrica num chassi Softail®: torque de 16,11 kgf.m/ 3.000 rpm. Escape 2-into-2 offset shotgun. Filtro de ar free-flowing com emblema 114; • NOVO Estilo Bright Chrome; • Covers do motor: covers do motor e rocker covers cromadas ou polidas; • Escape: silenciadores cromados 2-into-2 com escudos cromados; • Dianteira: nacelle do farol cromada, covers do garfo e o riser destacam a massiva dianteira; • Detalhes cromados: os suportes do para-lama traseiro, console do tanque e a tampa do filtro de ar apresentam acabamento cromado brilhante; • Rodas Lakester: rodas Lakester sólidas de alumínio (dianteira e traseira de 18 polegadas) com enormes pneus 52 anuário 2022


Michelin® Scorcher® 11, 160 mm dianteiro e 240 mm

Ficha técnica

traseiro. O conjunto de pneus mais largo oferecido num

• Motor

modelo Harley-Davidson® dá ao modelo Fat Boy® a sua

Tipo: Milwaukee-Eight®114, refrigerado a ar

postura de rolo compressor;

Válvulas: 4 válvulas/cilindro

• Para-lamas Trimmed: os para-lamas dianteiro e traseiro

Cilindrada: 1.868 cm3

aumentam o tamanho do pneu para maior presença;

Torque: 16,11 kgf.m/ 3.000 rpm

• Tanque de combustível de 18,9 litros com console “bullet

Transmissão: 6 marchas

hole” para se obter mais detalhes custom;

• Capacidade

• High-Performance Air Cleaner: ventilator air cleaner com

Tanque de combustível: 18,9 litros

elemento de filtro exposto que ajuda a aumentar o fluxo

• Dimensões

de ar para o motor;

Comprimento: 2.370 mm

• Farol Signature LED: o farol LED brilhante apresenta um

Largura: 985 mm

contorno de elementos signature LED. O farol é montado

Entre-eixos: 1.665 mm

numa nacelle específica para o modelo Fat Boy;

Altura do assento: 675 mm

• Tecnologia: ignição sem chave e sistema de segurança

Peso (em ordem de marcha): 317 kg

são equipamentos standard, porta de carregamento USB;

• Chassi

• Suspensão traseira: o ajuste remoto hidráulico da

Tipo: berço duplo, aço tubular

pré-carga da suspensão traseira monoshock é realizado

Balança: aço com rolamentos esféricos

simplesmente rodando um botão localizado abaixo do

Suspensão dianteira: Showa® SDBV® telescópica (49 mm)

assento, tornando mais fácil ajustar para o peso do passageiro e do condutor; • Suspensão dianteira: a suspensão dianteira dual bending valve responde rapidamente aos inputs e mantém a roda dianteira na estrada para uma performance de frenagem e manuseio impressionantes; • Frenagem: os freios a disco dianteiro e traseiro fornecem

Curso: 130 mm Suspensão: traseira monoamortecida Curso: 86 mm Freio Dianteiro: disco simples de 300 mm, pinça com 4 pistões, sistema ABS Freio Traseiro: disco simples de 292 mm, pinça com 2 pistões, sistema ABS

uma força de frenagem excelente. O Sistema de Freio

Pneu dianteiro: Michelin Scorcher “11” - 160/60R18 70V

Antitravamento (ABS) é um equipamento de série.

Pneu traseiro: Michelin Scorcher “11” - 240/40R18 79V anuário 2022

53




Apresentação Harley-Davidson Road King Special

O ícone rejuvenesce A Harley-Davidson Road King é um ícone da marca americana, e esta versão Snake Venon chega com a mesma pegada, mas o visual é difícil de adjetivar de tão bacana Texto Alexandre Nogueira Fotos gustAVO EPIFÂNIO

56 anuário 2022


arrojada Quase nada de cromados, e os detalhes em tons de preto a tornam sóbria e elegante

anuário 2022

57


Apresentação Harley-Davidson Kawasaki Z900 Road King Special

A

Harley-Davidson Road King foi lançada em 1994 e tornou-se um ícone rapidamente, mas em 2006, com o lançamento da Street Glide construída por Willie G. Davidson, as coisas mudaram, e a queridinha dos baggers americanos perdeu o trono para a Street. Esta nova versão da Harley-Davidson Road King Special alterna elementos preto brilhante com preto fosco que valorizam ainda mais sua personalidade marcante. O cromado de alto brilho está apenas em algumas peças do motor, como as caixas dos balancins e as capas dos tuchos, para fortalecer a identidade do glorioso motor V-Twin. A requintada pintura Snake Venon e o acabamento primoroso e impecável tornam esta Road King Special uma obra de arte contemporânea digna de exposição como peça de decoração. A linha Touring, das maiores motocicletas da Harley-Davidson, recebeu melhorias bastante significativas, que a tornaram melhor mecânica e ciclisticamente, e trouxeram modernidade para a forte essência deste ícone americano.

1 2

Torque impressionante

Para empurrar a máquina, o motor escolhido é o novo Milwaukee-Eight 114, com 1.868 cm³, refrigerado a ar, com cabeçotes de quatro válvulas, e um balanceiro para diminuir as vibrações, e entrega um fabuloso torque de 16,1 kgf.m em baixas 3.250 rpm. Os escapamentos proporcionam um ronco forte e muito agradável entre as 3 mil e as 5 mil rpm quando se abusa do acelerador. Nos passeios sossegados é possível rodar a 3 mil giros com o torque sempre abundante, mesmo em marchas altas, o que não era possível em versões mais antigas. Consegui rodar numa serrinha sinuosa em quarta marcha entre 60 e 70 quilômetros por hora, e o motor teve funcionamento perfeito com pouca vibração, a suavidade impressiona.

Menos vibração

O motor é montado no chassi com coxins de borracha que reduzem significativamente as vibrações. A Harley garante que em marcha as vibrações foram reduzidas em 75%. O novo chassi é o grande responsável pelas notáveis mudanças de comportamento da nova linha Touring, com sua geometria ajustada. Apesar de quatro quilos mais pesada em relação à Road King de 2016, esta nova versão transmite a sensação de mais leveza. As novas suspensões melhoraram a agilidade do conjunto em baixa velocidade e ampliaram o conforto para encarar as longas jornadas. Ela tem garfos com tubos de 49 mm de diâmetro com tecnologia SDBV, de Showa Dual Bending Valve, na dianteira, e na traseira dois novos amortecedores com fácil regulagem manual da carga da mola através de um registro na lateral da moto, facilitando o ajuste fino da suspensão traseira conforme o uso e a carga. Neste teste não tive a 58 anuário 2022

3 1 O belo painel analógico conta com visor LCD com conta-giros e hodômetros 2 No punho esquerdo, os botões do controle de tração e do piloto automático 3 A chave de ignição é no tanque

4 5

4 O assento do piloto é amplo, mas o do garupa é sofrível 5 A roda dianteira grande dá imponência ao conjunto


oportunidade de levar minha testadora de garupa, mas posso garantir que a experiência do passageiro não é das mais agradáveis por conta do formato do assento, que, acompanhando a curva do para-lama traseiro é bem inclinado, o que empurra o garupa para trás nas acelerações, exigindo força e atenção para se manter sentada.

respeitável O visual sombrio acentua a esportividade e impõe respeito

Pilotando a Road King

Serpenteando as serrinhas à beira-mar na rodovia Rio-Santos, percebi que a agilidade ficou nitidamente melhor, e o esforço para esterçar o guidão ao rodar é menor, também o mesmo para estacionar. As rodas Prodigy em liga de alumínio pintadas de preto brilhante têm atitude e arrasam no estilo. A roda dianteira de 19 polegadas deixa a frente mais leve e responsiva nas mudanças de direção, e a roda traseira de 18 polegadas me deu a impressão de que a moto parece mais grudada no chão, também devido às novas configurações do chassi, mas principalmente em altas velocidades, percebi que diminuíram aqueles balanços desconfortáveis. As inclinações em curvas são limitadas e, caso você se empolgue demais nas inclinações, os protetores das malas vão protegê-las. O painel com um único mostrador sobre o tanque de 18 litros é bem completo, mas exige um bom movimento da cabeça para sua leitura. O sistema de freios vinculado Reflex Brembo tem os dois discos dianteiros e o disco traseiro com 320 mm de diâmetro, e as três pinças de quatro pistões são auxiliadas pelo sistema antibloqueio ABS, e ainda são combinados eletronicamente. As frenagens são potentes e garantem espaços curtos, com pouco esforço na alavanca. O sistema tem bom tato, com pegada inicial suave e é bem modulável. Transmite segurança para circular na cidade, e tem autoridade nas frenagens em alta velocidade.

desempenho Ao rodar, a Road King não parece tão pesada, está mais firme nas curvas e em alta velocidade. O motor “torcudo” permite passeios em baixa velocidade com marcha alta e pouca vibração


Apresentação Harley-Davidson Kawasaki Z900 Road King Special 1

proteções O protetor de motor evita problemas em pequenas quedas

Ergonomia e peso

A posição de pilotagem é bem confortável, com assento amplo e macio, e o guidão de 23 cm de altura deixa a postura de pilotar com os cotovelos levemente elevados, com o piloto bem engajado com a motocicleta. Conforto para viagens e a possibilidade da tocada esportiva confiante. A baixa altura do assento em relação ao solo facilita a vida do condutor para as manobras de estacionamento e para colocar os dois pés no chão, afinal os mais de 360 quilos podem ser um pesadelo para estacionar. É bom ressaltar que, apesar de todo conforto ao rodar, o alto peso cansa bastante se você encarar uma jornada numa estrada cheia de curvas, pois o piloto tem que usar bastante o corpo e a força para colocá-la no trilho. Para ampliar o conforto nas estradas, o piloto automático é um aliado que vem bem a calhar.

Sensação de volume

Esta Road King Special tem poucos itens cromados, por isso não não parece tão grande, porque motor, rodas, bengalas, guidão, escapamentos, farol e setas são em preto brilhante e escondem bastante o volume da motocicleta. A estonteante pintura Snake Venon a faz parecer um camaleão galáctico, tal o brilho e capacidade de mudar de cor conforme a luz incide sobre a pintura, pode ser verde, roxo, preto e, com certeza, mais alguma tonalidade que eu não vi nos dias que fiquei com ela. A parte traseira desta legítima bagger americana é a mesma da Street Glide, com a lanterna e o suporte da placa na ponta do para-lama. O para-lama dianteiro não usa os adornos cromados para garantir um ar mais sombrio, afinal ela foi pensada para uma nova geração de motociclistas, mais jovems e menos conservadores. A nova H-D Road King Special tem como proposta a versatilidade de uso com muito estilo. Os preços partem de R$ 115.956, o que é uma boa grana, mas o pacote técnico, a beleza e a diversão que ela carrega justificam o investimento. 60 anuário 2022

2

1

O alforge precisa ser retirado para acessar a válvula 2 A regulagem da pré-carga dos amortecedores traseiros é fácil 3 Os alforges são impermeáveis e com trava manual

3

Dados de fábrica POSITIVO • Design • Torque PODERIA SER MELHOR • Preço • Banco do garupa

Bicilíndrico em “V” I arrefecido a ar e óleo 8 válvulas I câmbio 6 marchas Cilindrada 1.868 cm³ Potência máxima n.d. Torque máximo 16,1 kgf.m a 3.250 rpm Diâmetro x curso do pistão 102 x 114 mm Taxa de compressão 10,5:1 Quadro Berço duplo em aço Cáster 26° Trail 175 mm Suspensão dianteira Garfo telescópico SDBV tubos de 49 mm com 117 mm de curso Suspensão traseira Duplo amortecedor com 76 mm de curso Freio dianteiro Discos de 300 mm, pinça de 4 pistões e ABS Freio traseiro Disco de 300 mm com pinça de 4 pistões e ABS Modelo do pneu Michelin Scorcher Roda dianteira 130/60 - 19 Roda traseira 180/55 - 18 Medidas

Comprimento • 2.420 mm Altura do assento • 695 mm Tanque • 22,7 litros

Entre-eixos • 1.625 mm Largura • 735 mm Peso (seco) • 351 kg

Preço: R$ 115.956


Harley-Davidson H-D • Breakout Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16,1 kgf.m a 3.000 rpm Berço duplo em aço Bengalas Convencionais Monoamortecida Disco e ABS Disco e ABS

H-D • CVO Limited Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16,1 kgf.m a 3.000 rpm Berço duplo em aço Bengalas Convencionais Biamortecida Dois discos e ABS Disco ABS

H-D • Fat Bob Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16 kgf.m a 3.250 rpm Berço duplo em aço Bengalas invertidas Monoamortecida Dois discos e ABS Disco e ABS

H-D • Fat Boy Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16 kgf.m a 3.250 rpm Berço duplo em aço Bengalas convencionais Monoamortecida Disco e ABS Disco e ABS

anuário 2022

61


Harley-Davidson H-D • Heritage Classic Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16 kgf.m a 3.000 rpm Berço duplo em aço Bengalas convencionais Monoamortecida Disco e ABS Disco e ABS

H-D • Low Rider S Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a ar e óleo I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16 kgf.m a 3.000 rpm Berço duplo em aço Bengalas invertidas Monoamortecida Dois discos e ABS Disco e ABS

H-D • Road Glide Limited Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16 kgf.m a 3.000 rpm Berço duplo em aço Bengalas convencionais Biamortecida Dois discos e ABS Disco e ABS

H-D • Road Glide Special Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

62 anuário 2022

1.868 cm³ 16 kgf.m a 3.000 rpm Berço duplo em aço Bengalas convencionais Biamortecida Dois discos e ABS Disco e ABS


H-D • Road King Special Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16 kgf.m a 3.250 rpm Berço duplo em aço Bengalas convencionais Monoamortecida Dois discos e ABS Disco e ABS

H-D • Sport Glide Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a ar e óleo I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.746 cm³ 14,9 kgf.m a 3.250 rpm Berço duplo em aço Bengalas invertidas Monoamortecida Disco e ABS Disco e ABS

H-D • Street Glide Special Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16 kgf.m a 3.250 rpm Berço duplo em aço Bengalas convencionais Biamortecida Dois discos e ABS Disco e ABS

H-D • Ultra Limited Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas I 6 marchas, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.868 cm³ 16 kgf.m a 3.000 rpm Berço duplo em aço Bengalas convencionais Monoamortecida Dois discos e ABS Disco e ABS

anuário 2022

63


honda A Honda coloca inovação e paixão em cada peça Para os amantes de motocicletas, a Honda dispensa apresentações. Afinal, ela é a criadora de alguns dos modelos mais queridos e celebrados das ruas. É impossível não cruzar com uma Honda no seu caminho, afinal seu line-up oferece motos para todos os gostos e estilos, sempre com a beleza, segurança, desempenho e inovação que são próprias da marca e que conquistam cada vez mais consumidores e admiradores. Desde modelos simples e eficientes para quem pretende usar o veículo para trabalhar, até máquinas poderosas e altamente tecnológicas, que servem aos que amam viajar em duas rodas,

64 anuário 2022

aos que procuram velocidade e aventura e até para quem não vive sem a adrenalina da velocidade, incluindo pilotos profissionais. Para a Honda, o consumidor está sempre no centro de tudo, e é por isso que seu desafio é fabricar as motos desejadas por cada perfil de piloto de hoje e dos que ainda virão. Acreditar no poder dos sonhos, como fazia o criador da empresa, Soichiro Honda, é o combustível para perseguir a criatividade e o futuro da mobilidade. É assim que a empresa produz ideias inovadoras. Ideias em que você pode montar e pilotar. Ideias que levam você cada vez mais longe.


CRF 1100L Africa Twin Adventure Sports ES Conforto e tecnologia sem abrir mão do espírito estradeiro. A Africa Twin Adventure Sports ES é uma motocicleta touring que vai com você até o fim, pelas viagens mais longas que você sonhar. Afinal, ela tem seis modos de pilotagem que se adaptam a tudo que você encontrar pelo caminho. É uma das big trail mais leves da categoria, o que, junto com o aumento de potência do motor bicilíndrico de 99,3cv, vai fazer você sentir que está voando pelas estradas. E para ir cada vez mais longe, agora conta com o tanque de combustível com capacidade ainda maior, com os pneus sem câmara que garantem mais conforto no asfalto e a suspensão invertida eletrônica SHOWA EERA™ que analisa e entrega automaticamente o amortecimento adequado com base na sua velocidade, além de ter quatro configurações. Assim você terá estabilidade seja qual for o seu destino. A tecnologia também vai fazer parte da sua jornada, com a transmissão DCT, um sistema exclusivo da Honda que apresenta troca de marchas super-rápidas, intensificando o prazer de pilotar, e o painel TFT touchscreen colorido com integração com Apple CarPlay® e Android Auto® para você conectar seu smartphone sempre que quiser.

Ficha técnica • Motor Tipo: OHC, 2 cilindros, 4 tempos, arrefecimento líquido Cilindrada: 1.084 cm3 Potência máxima: 99,3 cv a 7.500 rpm Torque máximo: 10,5 kgf.m a 6.000 rpm Transmissão: 6 velocidades • Sistema elétrico Farol: LED • Capacidade Tanque de combustível: 24,8 litros Óleo do motor: 4,8 litros • Dimensões Comprimento x largura x altura: 2.328 x 963 x 1.563 mm Distância entre eixos: 1.574 mm Distância mínima do solo: 250 mm Altura do assento: 870 mm, ajustável para 850 mm na posição baixa Peso seco: 215 kg (transmissão manual) / 225 kg (transmissão de dupla embreagem) • Chassi Tipo: berço semiduplo Suspensão dianteira/curso: garfo telescópico / 230 mm Suspensão traseira/curso: Pro-Link / 220 mm Freio dianteiro/diâmetro: a disco / 310 mm Freio traseiro/diâmetro: a disco / 256 mm Pneu dianteiro: 90/90-21 Pneu traseiro: 150/70-18


honda

CBR 1000RR-R FIREBLADE SP Performance e controle sem precedentes para quem quer se superar. Criada com foco total nas pistas de corrida, a CBR 1000RR-R Fireblade SP é uma moto superesportiva, construída com a mesma tecnologia das motocicletas de competição da marca. É a primeira moto triplo R da história, em referência ao R que demarca as motocicletas mais esportivas da Honda. A fonte dessa potência é o motor quatro tempos DOHC de 1.000 cm3 e quatro cilindros desenhado pela Honda, em conjunto com aHonda Racing Corporation (HRC). A nova versão do motor tem torque máximo de 11,5 kgf.m a 12.500 rpm e uma potência de impressionantes 216,2 cv a 14.500 rpm. Para estabilizar esse poder, a moto vem com componentes que geram uma força de sustentação altamente eficiente, como a entrada de ar frontal, as três inéditas asas para garantir a melhor aerodinâmica em alta velocidade, os freios Brembo® e muitas outras tecnologias.

66 anuário 2022

Ficha técnica • Motor Tipo: DOHC, 4 cilindros, 4 tempos, arrefecimento líquido Cilindrada: 1.000 cm3 Potência máxima: 216,2 cv a 14.500 rpm Torque máximo: 11,5 kgf.m a 12.500 rpm Transmissão: 6 velocidades com quickshifter • Sistema elétrico Farol: Full LED • Capacidade Tanque de combustível: 16,1 litros • Dimensões Comprimento x largura x altura: 2.100 x 745 x 1.140 mm Distância entre eixos: 1.455 mm Distância mínima do solo: 115 mm Altura do assento: 830 mm Peso Seco: 189 kg • Chassi Tipo: Diamond Frame Suspensão dianteira/curso: garfo Telescópico Ohlins NPX S-EC 125 / 114mm Suspensão traseira/curso: Pro-Link Ohlins TTX36 S-EC swingarm 66 / 143mm Freio dianteiro/diâmetro: disco duplo flutuante radial (Brembo) / 330 mm (ABS) Freio traseiro/diâmetro: disco simples / 220 mm (ABS) Pneu dianteiro: 120/70 – ZR17M/C (58W) Pneu traseiro: 200/55 – ZR17M/C (73W)


CRF 1100L Africa Twin

GL 1800 Gold Wing Tour

Nascida para o deserto e pronta para qualquer desafio, a

Feita para ganhar o mundo. A GL 1800 Gold Wing Tour rein-

CRF 1100L Africa Twin chegou com mais potência e

venta o conceito das motocicletas touring, numa versão ainda

conforto, com assento ajustável que garante ainda mais

mais versátil e de performance insuperável. Adaptada para

confiança para o piloto.

oferecer o máximo de conforto em viagens longas, ela possui

Projetada para a máxima performance em qualquer

câmbio DCT de sete velocidades, com trocas de marcha rápi-

terreno, esta moto tem essência off-road e é equipada com

das e suaves, além de dois porta-malas laterais e um top box

novas rodas raiadas de aro 21” na dianteira e 18” na

que abriga até dois capacetes. São vários os diferenciais que

traseira, além dos novos pneus on-off para maior

elevam a experiência de pilotar a outro nível, aquecimento

capacidade dentro e fora da estrada.

dos bancos e manoplas, inédito sistema de airbags, marcha a ré e sistema de som de alta definição via bluetooth, com integração com Apple CarPlay® e Android Auto®.

Ficha técnica • Motor Tipo: OHC, 2 cilindros, 4 tempos, arrefecimento líquido Cilindrada: 1.084 cm3 Potência máxima: 99,3 cv a 7.500 rpm Torque máximo: 10,5 kgf.m a 6.000 rpm Transmissão: 6 velocidades • Capacidade Tanque de combustível: 18,8 litros • Dimensões Comprimento x largura x altura: 2.328 x 958 x 1.396 mm Distância entre eixos: 1.574 mm Distância mínima do solo: 250 mm • Chassi Tipo: berço semiduplo Suspensão dianteira/curso: garfo telescópico / 230 mm Suspensão traseira/curso: Pro-Link / 220 mm Freio dianteiro/diâmetro: A disco / 310 mm Freio traseiro/diâmetro: A disco / 256 mm Pneu dianteiro: 90/90-21 Pneu traseiro: 150/70-18

Ficha técnica • Motor Tipo: OHC, 6 cilindros, 4 tempos, arrefecimento líquido Cilindrada: 1.833 cm3 Potência máxima: 126 cv a 5.500 rpm Torque máximo: 17,3 kgf.m a 4.500 rpm Transmissão: 7 velocidades (câmbio DCT) • Capacidade Tanque de combustível: 21 litros • Dimensões Comprimento x largura x altura: 2.575 x 905 x 1.430 mm Distância entre eixos: 1.695 mm Distância mínima do solo: 130 mm • Chassi Tipo: Diamond Twin Tube Type Suspensão dianteira/curso: Duplo braço oscilante / 110 mm Suspensão traseira/curso: Pro-Link / 105 mm Freio dianteiro/diâmetro: A disco / 320 mm Freio traseiro/diâmetro: A disco / 316 mm Pneu dianteiro: 130/70-18 Pneu traseiro: 200/55-16 anuário 2022

67


honda

CG 160 Titan Você e a CG 160 Titan serão uma parceria que vai longe. A linha CG, a mais vendida do país, agora ganhou um modelo mais esportivo e ousado do que nunca, inspirado nas motos esportivas de alta performance. A CG160 Titan tem um custo-benefício impressionante, que alia o alto rendimento do motor de 162,7 cm3 e 15,1 cv com baixo consumo de combustível. Seu design marcante e inovador vai surpreender por onde você passar, a começar pelas rodas de liga leve que proporcionam leveza e personalidade. E a segurança não fica para trás. Para você encarar o trânsito da cidade com total confiança, ela inclui o sistema de freios Combined Brake System (CBS), que distribui a frenagem entre as rodas de maneira inteligente.

68 anuário 2022

Ficha técnica • Motor Tipo: OHC, Monocilíndrico 4 tempos, arrefecido a ar. Cilindrada: 162,7 cm3 Potência máxima: 14,9 cv a 8.000 rpm (Gasolina) / 15,1 cv a 8.000 rpm (Etanol) Torque máximo: 1,4 kgf.m a 7.000 rpm (Gasolina) / 1,54 kgf.m a 7.000 rpm (Etanol) Transmissão: 5 velocidades • Sistema elétrico Farol: 35/35W • Capacidade Tanque de combustível: 16,1 litros Óleo do motor: 1,2 litro • Dimensões Comprimento x largura x altura: 2.032 x 745 x 1.087 mm Distância entre eixos: 1.315 mm Distância mínima do solo: 170 mm Altura do assento: 790 mm Peso seco: 117 kg • Chassi Tipo: Diamond Frame Suspensão dianteira/curso: Garfo telescópico / 135 mm Suspensão traseira/curso: dois amortecedores / 106 mm Freio dianteiro/diâmetro: a disco / 240 mm Freio traseiro/diâmetro: a tambor / 130 mm Pneu dianteiro: 80/100-18 Pneu traseiro: 100/80-18


Honda ADV

NXR 160 Bros ESDD

Procurando uma scooter para acompanhar você no modo

Uma moto que acompanha você em todos os caminhos da

dia a dia ou no modo aventura? A Honda ADV está pronta

vida. Com um novo design, ainda mais arrojado, a Bros 160

para as duas situações. Ela é moderna, robusta e cheia de

2022 combina força e modernidade em um modelo único.

personalidade, com um design que atrai olhares por onde

O visual ficou mais robusto, com protetor de suspensão e

passa. A primeira scooter da categoria com suspensão

para-lama que destaca seu lado aventureiro. O clássico motor

Showa de longo curso tem também amortecedor com

de 160 cm3 dará o máximo de liberdade para você pilotar

duplo reservatório externo e garante conforto e melhor

dentro ou fora da cidade por horas, entregando aceleração

desempenho mesmo em vias irregulares. Seu painel 100%

suave, menos vibração e economia de combustível, garantindo

digital traz todas as informações de que você precisa, como

excelente performance em qualquer terreno.

nível de gasolina e da carga da bateria. Conte com ela em qualquer tipo de terreno. Ficha técnica • Motor Tipo: OHC, Monocilíndrico 4 tempos, arrefecimento líquido Cilindrada: 149,3 cm3 Potência máxima: 13,2 CV a 8.500 rpm Torque máximo: 1,38 kgf.m a 6.500 rpm Transmissão: Tipo V-MATIC • Capacidade Tanque de combustível: 8 litros • Dimensões Comprimento x largura x altura: 1.950 x 763 x 1.153 mm Distância entre eixos: 1.324 mm Distância mínima do solo: 165 mm • Chassi Tipo: berço duplo Suspensão dianteira/curso: garfo telescópico / 130 mm Suspensão tras./curso: bi-amortecida Showa / 120mm Freio dianteiro/diâmetro: A disco / 240 mm Freio traseiro/diâmetro: A disco / 220 mm Pneu dianteiro: 110/80-14 Pneu traseiro: 130/70-13

Ficha técnica • Motor Tipo: OHC, Monocilíndrico 4 tempos, arrefecido a ar. Cilindrada: 162,7 cm3 Potência máx.: 14,5 cv a 8.500 rpm (Gasolina) / 14,7 cv a 8.500 rpm (Etanol) Torque máx.: 1,46 kgf.m a 5.500 rpm (Gasolina) / 1,6 kgf.m a 5.500 rpm (Etanol) Transmissão: 5 velocidades • Capacidade Tanque de combustível: 12 litros • Dimensões Comprimento x largura x altura: 2.067 x 810 x 1.158 mm Distância entre eixos: 1.356 mm Distância mínima do solo: 247 mm • Chassi Tipo: berço semiduplo Suspensão dianteira/curso: garfo telescópico / 180 Suspensão Traseira/Curso: monoshock / 150 mm Freio dianteiro/diâmetro: a disco / 240 mm Freio traseiro/diâmetro: a disco / 220 mm Pneu dianteiro: 90/90-19M/C Pneu traseiro: 110/90-17M/C anuário 2022

69




Apresentação Honda CB 500F DESCOMPLICADA A CB 500F é fácil e prazerosa de pilotar

72 anuário 2022


Simples e perfeita A Honda CB 500F é uma ótima opção para quem busca uma moto bonita, moderna e com dotes que equilibram perfeitamente o uso na cidade e nas viagens Texto Alexandre Nogueira

Fotos Fotos Divulgação Honda

D

esde que a nova família CB 500 da Honda foi introduzida em 2013, a marca da asa preencheu a lacuna entre as máquinas de baixa cilindrada (250 e 300 cm³) e as de média cilindrada. A família CB caiu no gosto dos motociclistas mundo afora e serve como degrau para quem quer sair das pequenas e ainda não tem cacife para encarar uma moto de alta capacidade, bem mais cara. Em 2020 a superamigável família CB 500 ganhou novidades que deixaram as motos ainda melhores. Para quem não sabe, até porque é difícil vê-la pelas ruas, a CBR 500R saiu de linha exatamente porque não tinha números expressivos de vendas, sendo assim, apenas a CB 500F e a CB 500X continuam na linha de produção.

Dois cilindros melhorados

O motor é o bicilíndrico em linha de 471 cm³ que, na passagem em nosso dinamômetro, rendeu 43,6 cv de potência máxima e 4 kgf.m de torque na roda. Bons números para andar com folga na cidade, e com bom desempenho e nível de conforto em qualquer estrada. A curva de torque em baixa rotação ficou mais linear, o que melhorou as respostas do motor em baixas rotações. O ganho veio com novo comando de válvulas e um novo sistema de escapamento, que criaram 4% a mais de potência e torque na faixa entre 3 mil e 7 mil rpm. Mesmo assim, nas ultrapassagens na estrada, se o motor estiver em baixa rotação, será preciso uma redução de marcha e torção total do acelerador para acordá-lo.

anuário 2022

73


Apresentação Honda CB 500F moderna Esta CB tem design muito atual

Na cidade, sobra moto, com o excelente desempenho e entrega do motor, mas o escalonamento do câmbio de seis marchas é longo, e ela não gosta de rodar em marchas altas em baixa velocidade, por isso é preciso encontrar a marcha certa para deixar o motor esperto o suficiente para mantê-la comportada e dentro da lei, na casa dos 60 km/h, limite na maioria das vias urbanas nas capitais. Na estrada, rodando a 120 km/h, o painel digital em LCD do tipo blackout, rico em informações (como consumo instantâneo, consumo médio e indicador de marcha, hora, nível de combustível), marcava 5.500 rpm no conta-giros e 25 km/l no consumo instantâneo. Durante o meu percurso mesclando cidade e estrada, as medições de consumo ficaram na casa de 24 km/l, o que, multiplicado aos 17 litros do tanque, confere uma autonomia de mais de 400 km.

Posição de pilotagem neutra

A posição de pilotagem é bem confortável. As pedaleiras e o guidão estão em posição neutra, levemente inclinada à frente. As rodas de liga leve de 17 polegadas vestem pneus de perfil esportivo e garantem bom desempenho no asfalto, fazendo dela uma boa pedida para curtir estradas sinuosas como a Rio-Santos, e, por que não, até um track day em pista fechada. Quanto mais curvas, mais é gostoso aproveitar o bom fôlego do motor, que precisa de giro para entusiasmar mais e ter boas retomadas. O bom acerto das suspensões, que têm ajuste de pré-carga da mola na dianteira e também na traseira, permite confiar e abusar, sempre com a moto bem assentada no chão. A moto empolga, e, se não estivermos atentos, além do grande sorriso dentro do capacete, também estaremos acima do limite de velocidade. Na hora de parar, os freios com ABS traba74 anuário 2022

lham bem casados com os pneus, proporcionando frenagens fortes com total estabilidade e em curtas distâncias. A Honda CB 500F tem 176 kg a seco, quase 200 kg totalmente abastecida, o que ajuda aos iniciantes que sobem de categoria, pois não é necessário muito esforço nem técnicas de pilotagem muito avançadas para dominá-la e andar bem. Nas longas retas do meu percurso noturno, o belíssimo farol de LED mostrou também muita funcionalidade. A iluminação é ótima, e o farol alto funciona bem com o facho bem focado à frente. A CB 500F é vendida apenas na versão com freios ABS, e tem preço público sugerido de R$ 32.990 mais frete, que varia conforme a região do país. Produzida em Manaus, a CB 500F tem três anos de garantia, sem limite de quilometragem. Os proprietários contam ainda com o serviço de assistência Honda Assistance 24h durante o período de vigência da garantia em todo o território nacional e em países do Mercosul.

Conclusão

A CB 500F é uma média bem acertada, com desempenho bem honesto, empolga bastante na estrada, com muita segurança para atacar e proporcionar diversão nas curvas, além do conforto na medida certa para piloto e garupa. O alvo dela é o cara que quer desempenho e agilidade, mas quer discrição e conforto também. Ela passa mais despercebida junto às chamativas Yamaha MT-03, Kawasaki Z400 e KTM 390 Duke, que entram na briga na mesma faixa de preço e também com excelente desempenho. Mas a CB 500F está um nível acima, roda melhor na estrada e cansa menos, apesar de ser mais pesada.


2

1

3 4

6 7

5

esportividade A CB 500F está disponível em três cores, com visual discreto

bom acerto As suspensões reguláveis permitem um ajuste mais fino

1 Os punhos são simples mas bem acabados 2 O painel é LCD do tipo blackout 3 Os freios são assistidos por ABS 4 Disco único na dianteira 5 A iluminação é total LED 6 O banco do piloto é confortável 7 A CB 500 F é impecável nos detalhes

POSITIVO Agilidade • Ergonomia PODERIA SER MELHOR • O preço •

Dados de fábrica Bicilíndrico I arrefecido a água DOHC I 8 válvulas I câmbio 6 marchas Cilindrada 471 cm³ Potência máxima 50,4 cv a 8.500 rpm Torque máximo 4,55 kgf.m a 6.500 rpm Diâmetro x curso 67 mm x 66,8 mm Taxa de compressão 10,7:1 Chassi Tipo Diamond em aço Cáster 25°30’ Trail 101 mm Suspensão dianteira Garfo telescópico com 120 mm de curso, ajuste da pré-carga da mola Suspensão traseira Monoamortecida Pro-Link com 119 mm de curso, ajuste da pré-carga Freio dianteiro Disco de 320 mm, pinça de 2 pistões e ABS Freio traseiro Disco de 240 mm, pinça de 1 pistão e ABS Modelo do pneu Dunlop Sportmax Pneu dianteiro 120/70-17 Pneu traseiro 160/60-17 Medidas Comprimento • 2.081 mm Entre-eixos • 1.409 mm Altura do assento • 789 mm Largura • 792 mm Tanque • 17,1 litros Peso (seco) • 176 kg

Preço: R$ 32.990

anuário 2022

75


brand

publieditorial

Questão de confiança

G

eralmente nós motociclistas temos um sentimento pela nossa motocicleta que transcende o aspecto material: é como se elas fossem parte de nós, assim como os filhos são. Para quem é pai é fácil fazer um paralelo entre essas duas paixões. Cuidar de nossa motocicleta, além de prazeroso, é uma obrigação para poder rodar seguro sem se preocupar com seu bom funcionamento e assim evitar empecilhos técnicos, independentemente do uso da motocicleta. A trabalho, lazer ou em longas viagens, nenhum motociclista quer ficar parado ou passar perrengue por problema mecânico, por isso as revisões previstas no manual Honda e a manutenção preventiva são tão importantes.

Facilidade

Através do site www.honda.com.br/ pos-venda você pode comprar, agendar e saber tudo sobre as revisões de sua Honda

76 anuário 2022

De pai para filho

Tal qual um pai busca os melhores meios para educar e manter a boa saúde de seu filho, o motociclista deve sempre buscar os melhores profissionais e componentes para realizar a manutenção preventiva e corretiva de sua motocicleta. Afinal é com ela que os apaixonados pelas motos vivem seus melhores momentos. Para vestir e educar os filhos os pais sempre procuram oferecer o melhor em qualidade e confiabilidade dos produtos e profissionais que fazem parte da vida de seus rebentos, e é com esse zelo que a Honda recebe seus clientes nas concessionárias.


Os técnicos das oficinas da marca são altamente qualificados e todos treinados pela própria fábrica para cuidar de sua motocicleta e deixá-la tinindo, assim você pode rodar preocupado apenas com seu destino.

Peças genuínas Honda

Ao realizar sua revisão ou serviço nas concessionárias Honda, você tem a tranqualidade de saber que todas as peças de reposição necessárias para a manutenção de sua moto têm a qualidade genuína Honda, garantindo maior vida útil. O lubrificante e os fluidos de sua moto também têm papel fundamental para o bom funcionamento da máquina e a segurança do piloto, por isso a Honda desenvolveu e utiliza a linha Pro Honda em todos os serviços realizados em suas concessionárias.

Facilidade e conveniência

Tudo de melhor para sua Honda

MOTHON0010FINAL001_AFDC_Peças Genuínas Revista Motociclismo_404x266.indd 1

A Honda também pensou na facilidade e na transparência para seu cliente e disponibiliza no site https://www.honda.com.br/pos-venda/motos/revisao-periodica todas as informações sobre os componentes que são trocados a cada revisão e o preço dos itens substituídos. Assim seus clientes podem planejar o agendamento dos serviços e não têm surpresas na hora de retirar sua moto.

Os técnicos treinados pela fábrica e as peças genuínas Honda utilizadas nos serviços garantem a sua segurança

Para mais informações acesse: www.honda.com.br/pos-venda/motos/

01/02/21 22:48


teste HONDA CBR 650R

Traje esporte fino

A CBR 650R é a porta de entrada para o universo esportivo, com uma receita racional em um conjunto simples e amigável Texto alexandre nogueira Fotos Renato Durães

78 anuário 2022


equilibrada A carenagem permite maior velocidade final e amplia o conforto nas viagens

anuário 2022

79


teste HONDA CBR 650R

A

Honda CBR 650R é a porta de entrada para o universo dos motores de quatro cilindros em linha da marca da asa. Estes motores são sinônimo de paixão desde o lançamento da motocicleta que virou referência mundial, a CB 750 Four, em 1968, apresentada no Salão de Tóquio daquele ano e, por aqui, mais conhecida como Sete Galo. No Brasil ela chegou em 1969 e teve seu auge contemporâneo em 1986, com a famosa versão importada do Japão que utilizava uma roda dianteira com aro de 16 polegadas, até 1994, e com a CBX 750F, nacionalizada a partir de 1987 com a versão mais famosa, conhecida como Hollywood. As novas CB 650 seguem uma receita racional, com um motor forte e amigável, de funcionamento liso e sem engasgos para aumentar o conforto e o prazer de pilotar, aliado a um simples e eficiente conjunto ciclístico, tendo a leveza como um de seus principais atributos e o excelente nível de acabamento, digno da marca.

ponto alto Perfil de superesportiva em um conjunto racional

Parece, mas não é

Esta CBR 650R vermelha se parece muito com a superesportiva CBR 1000RR, mas é só você reparar no assento em peça única na 650R que já mata a charada e reconhece a irmã menor. As superesportivas têm banco bipartido que podem virar monoposto. Produzida em Manaus, a CBR 650R tem preço sugerido na etiqueta de R$ 45.760 e está disponível nas cores vermelha ou cinza metálica. A Honda oferece aos novos proprietários três anos de garantia e o Honda Assistence 24 horas, um serviço gratuito em caso de acidente, furto, roubo ou pane, que tem cobertura em Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia.

Pacote racional

Ainda ouço alguns entusiastas desinformados insistindo em chamar esta 650 de Hornet carenada, mas a linha CB 650 é uma motocicleta que não tem nada a ver com a antiga Hornet, a Honda criou uma receita totalmente nova na família CB atual. O motor tem vários cavalos a menos, é mais manso e racional, com mais torque em rotações mais baixas, também foi otimizado para ter maior eficiência no funcionamento, gerando maior economia de combustível e, consequentemente, menores índices de poluição. A CBR 650R usa o motor de quatro cilindros com 649 cilindradas que entrega “apenas” 88,4 cv a 11.500 rpm, frente aos pouco mais de 100 cv da Hornet que utilizava o motor da CBR 600RR F3. O torque de 6,13 kgf.m é quase o mesmo da Hornet, mas surge a 8.000 rpm, 2.500 rpm antes, então você pode perceber que o motor da CB 650R acorda mais cedo e empurra mais bem-disposto em baixa rotação. 80 anuário 2022

1 O painel em LCD, tipo blackout, garante ótima visualização 2 O punho esquerdo traz o padrão Honda com a chave de seta no lugar do botão da buzina 3 O punho direito só tem strat-stop

1

2

3


conforto A ergonomia é bem relaxada e também permite uma tocada esportiva

no trilho A facilidade na tocada garante confiança e segurança extra

anuário 2022

81


teste HONDA CBR 650R dia adia O visual esportivo engana. Ela é boa para o uso diário

mesmo conjunto O conjunto mecânico é exatamente o mesmo da irmã naked

82 anuário 2022


1 2

A injeção eletrônica PGM-FI está muito bem acertada, e o mapeamento gerencia perfeitamente todo o arco de rotações para o melhor aproveitamento na entrega do torque. Geralmente os motores de quatro cilindros em linha têm menos força em baixas rotações do que outras configurações de propulsores de mesma cilindrada, como os de dois cilindros em V, por exemplo. No caso da CB 650R, conforme a proposta mais urbana da motocicleta, ela vai muito bem em meio ao trânsito e com uma economia fora do comum para um motor de quatro cilindros, imagine, cheguei a ver 30 quilômetros por litro no computador de bordo, em alguns momentos de contemplação, juro que notei 45 quilômetros por litro quando rodei na estrada, em constantes 60 quilômetros por hora, acredite. Também fiz o teste de sair praticamente sem acelerar, trocando marchas, e foi incrível notar a CBR 650R rodar em sexta e última marcha a 30 quilômetros por hora, lisinha, sem o menor tranco ou engasgo, o que facilita a vida dos menos experientes com as máquinas de alta cilindrada. Na cidade consegui uma média de 20 quilômetros por litro com a CBR 650R, boa marca para uma bancada de quatro cilindros em linha.

Ergonomia e tocada

3

1

A iluminação é total LED 2 O assento traseiro esconde as alças para a garupa 3 A ponteira de escapamento curta emite um som quase imperceptível em baixa, mas urra forte nas altas rotações

A CBR 650R é muito fácil de pilotar, a posição de pilotagem é bastante relaxada, mas não é tão ereta como numa naked, porém não obriga o piloto a estar sobre o tanque como nas esportivas. As pernas ficam levemente recuadas, e a menos que você seja muito alto, vai bem encaixado. Ela é leve, precisa e muito ágil, mesmo no tráfego apertado, andar entre os carros não exige muito exercício, apenas atenção com corredores mais estreitos, nesse caso às vezes é recomendável fechar os espelhos retrovisores, que coincidem com os dos carros. A força do motor de quatro cilindros, entre as 4.000 e as 6.000 rpm, colabora para uma tocada ágil e esperta sem exigir muitas trocas de marcha, pois é só engatar e sexta e sair rodando confortavelmente dentro da lei, mesmo nos percursos que mandam 50 quilômetros por hora. O câmbio, como de costume nas motos da Honda, tem excelente escalonamento, e as trocas são suaves no pedal e precisas no encaixe entre as marchas. Se a intenção é uma tocada agressiva na estrada ou em track day, a CBR 650R atende de prontidão a qualquer solicitação esportiva, e o motor pode ser explorado até seu limite pouco acima das 11.000 rpm, é divertida e, a menos que você tente ultrapassar seu próprio limite, não causa o estresse que as motos de 1.000 cm³ são capazes de causar. anuário 2022

83


teste HONDA CBR 650R Ciclística e freios

O chassi utiliza o motor como parte integrante da estrutura, é construído com dupla viga de aço e foi projetado e elaborado para a melhor distribuição das massas. A CB tem agregada uma suspensão dianteira invertida do tipo Separate Function Front Fork (SFF), com 120 mm de curso, que tem um funcionamento bastante progressivo e têm muito equilíbrio entre conforto e performance, mesmo quando solicitada mais severamente, garantindo precisão e conforto na utilização tanto nas ruas como na estrada. A traseira utiliza uma balança assimétrica em alumínio com monoamortecedor com regulagem na pré-carga da mola e que proporciona 128 mm de curso para a roda traseira. As rodas são de 17 polegadas e calçam pneus Dunlop Sportmax D214F de perfil esportivo que apresentaram excelente grip, gerando bastange confiança na tocada, mesmo na pista. Os freios se mostraram competentes e com ótima sensibilidade no acionamento, os dois discos de 310 mm da dianteira são mordidos por pinças radiais de quatro pistões e têm potência de sobra para segurar a CB. O disco de 240 mm e a pinça de pistão único ajudam na tarefa, e ambos são auxiliados pelo ABS de série que funciona suavemente e sem trancos nas alavancas. Eles se mostraram bem adequados, principalmente por não apresentarem fadiga mesmo após fortes freadas na pista. Se você quiser uma pegada ainda mais forte, basta trocar as pastilhas originais por uma de composto mais macio, geralmente utilizadas em pista, mas, cuidado, há modelos que só trabalham bem a alta temperatura, condição que na rua é difícil de conseguir.

1 1 A carenagem é inspirada na CBR 1000RR 2 O amortecedor traseiro só tem regulagem na pré--carga 3 O duplo disco dianteiro é poderoso 4 A balança assimétrica é de alumínio

Capricho

O acabamento é impecável, a carenagem tem linhas mais agressivas e esportivas, e o conjunto óptico com duplo farol e lanterna traseira em LED acentua a modernidade. A posição da garupa é confortável e permite passeios mais demorados sem muita reclamação. As curvas do escapamento são o grande charme da motocicleta, e uma nova ponteira ampliou com um toque de agressividade o inconfundível ronco do motor de quatro cilindros em linha para excitar ainda mais na tocada esportiva. Definitivamente, a CBR 650R é uma excelente motocicleta que figura muito bem no mercado e é muito desejada por diferentes tribos pela dose de equilíbrio entre esportividade e conforto que oferece, além da facilidade de pilotar nos deslocamentos diários pela cidade. Se você está buscando uma sport touring de entrada e tem obsessão pelos motores de quatro cilindros, os R$ 45.760 pedidos por ela são justos pelo que a moto entrega. 84 anuário 2022

3 4

2


Ficha técnica Dados de fábrica

Nossa avaliação

MOTOR Tipo Tetracilíndrico Arrefecimento A líquido Válvulas 16 DOHC Alimentação Injeção eletrônica Cilindrada 649 cm³ Diâmetro x curso do pistão 67 x 46 mm Taxa de compressão 11,6:1 Potência máxima 88,4 cv a 11.500 rpm Torque máximo 6,13 kgf.m a 8.000 rpm transmissão Embreagem Câmbio Secundária

Multidisco banhada a óleo 6 marchas Corrente

chassi Tipo Balança Cáster/trail

Diamond em aço Em alumínio 25°30’ / 101 mm

suspensão Dianteira Curso Regulagens Traseira Curso Regulagens

Garfo telescópico 120 mm Sem regulagens Monoamortecida 128 mm Pré-carga da mola

freios Dianteiro Discos 310 mm Pinça Radial Nissin de 4 pistões e ABS Traseiro Disco de 240 mm Pinça Nissin de 1 pistão e ABS pneus Modelo Dianteiro Traseiro

Dunlop Sportmax D214F 120/70 R17 180/55 R17

medidas Comprimento Largura Entre-eixos Altura do assento Distância mínima do solo Capacidade do tanque Peso aprox. (em ordem de marcha) Capacidade máxima de carga

2.135 mm 749 mm 1.449 mm 810 mm 132 15,4 litros 215 kg 180 kg

Dados de fábrica Potência específica Relação peso-potência Relação peso-torque Consumo/autonomia média

136 cv/l 2,21 kg/cv 31,97 kg/kgf.m 18 km/l/277 km

MOTOR rendimento

10%

Velocidade máxima Aceleração Retomada

8,5 8,5 8,5

Motor

15%

Entrega de potência Resposta ao acelerador Nível de vibração Aspereza

9,0 9,0 8,5 8,5

transmissão

5%

Tato e precisão do câmbio 9,0 Relação de marchas 9,0

chassi Comportamento

20%

Estabilidade em retas Estabilidade em curvas Precisão da direção Agilidade Suspensões Suspensões com garupa Distância livre do solo Comportamento frenagem

9,0 8,5 9,0 9,0 8,0 8,0 8,0 8,5

freios 10%

8,5 8,5

Potência Dosagem

usuário uso diário

20%

Facilidade para manobrar Posição de pilotagem Conforto do piloto Conforto do garupa Sensação de qualidade Prazer ao pilotar Autonomia Equipamentos Acabamento Economia

20%

Preço de aquisição Garantia Consumo médio

Média final técnica

9,0 9,0 9,0 9,0 8,5 9,0 8,5 8,0 9,5 8,0 9,0 8

8,47

CORes

Preço

confiança A precisão e aconfiança que a CBR 650R transmite são a sua alma

R$ 45.760

O funcionamento e a suavidade do motor encantam, a entrega de torque é vigorosa e proporciona muita diversão, por isso ela desenvolve bem no trânsito sem muitas trocas de marcha.

!

Conclusão por alexandre nogueira

P

ara quem gosta de esportividade, a CBR 650R já encanta logo ao primeiro olhar com sua carenagem inspirada na CBR 1000RR. A facilidade na tocada e o funcionamento liso do motor tornam o passeio muito prazeroso em qualquer situação, desde os deslocamentos no trânsito caótico até as viagens na estrada. O mais legal é que ela também permite uma tocada esportiva na pista, e garanto que a adrenalina e a diversão serão a tônica, mas com muita segurança, porque o destaque desta motocicleta é a confiança que ela transmite ao piloto. A CBR 650R é um bom passo para quem quer subir de categoria e desenvolver a pilotagem.

anuário 2022

85


honda Honda • ADV Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 2 válvulas transmissão tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149,3 cm³ 13,2 cv a 8.500 rpm 1,38 kgf.m a 6.500 rpm Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco ABS Disco

Honda • X-ADV Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 8 válvulas 6 marchas, câmbio DCT, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

745 cm³ 54,8 cv a 6.250 rpm 6,93 kgf.m a 4.750 rpm Tipo diamond Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Honda • Biz 110i Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar, I OHC 2 válvulas 4 marchas, transmissão corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

109,1 cm³ 8,33 cv a 7.250 rpm 0,89 kgf.m a 5.500 rpm Monobloco Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Tambor CBS Tambor CBS

Honda • Biz 125 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar, OHC I 2 válvulas 4 marchas, transmissão corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 86 anuário 2022

124,9 cm³ 9,2 cv a 7.500 rpm 1,04 kgf.m a 3.500 rpm Monobloco Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco CBS Tambor CBS


Honda • NXR 160 Bros ESDD Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 2 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeçao eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

162,7 cm³ 14,7 cv a 8.500 rpm 1,6 kgf.m a 5.500 rpm Berço semiduplo Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco CBS Disco CBS

Honda • CB 650R Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

649 cm³ 88,4 cv a 11.500 rpm 6,13 kgf.m a 8.000 rpm Tipo diamond Bengalas invertidas Monoamortecedor Discos e ABS Disco e ABS

Honda • CB 1000R Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

998,4 cm³ 141,4 cv a 10.500 rpm 10,2 kgf.m a 8.000 rpm Tipo diamond Bengalas invertidas Monoamortecedor Discos e ABS Disco e ABS

Honda • CB 250F Twister Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 2 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249,5 cm³ 22,6 cv a 7.500 rpm 2,28 kgf.m a 6.000 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco CBS ou ABS Disco CBS ou ABS


honda Honda • CB 500F Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

471 cm³ 50,4 cv a 8.500 rpm 4,55 kgf.m a 6.500 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Honda • CB 500X Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

471 cm³ 50,4 cv a 8.500 rpm 4,55 kgf.m a 6.500 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Honda • CBR 650R Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

649 cm³ 88,4 cv a 11.500 rpm 6,13 kgf.m a 8.000 rpm Tipo diamond Bengalas invertidas Monoamortecedor Discos e ABS Disco e ABS

Honda • CBR 1000RR-R Fireblade SP Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 88 anuário 2022

1.000 cm³ 216,2 cv a 14.500 rpm 11,5 kgf.m a 12.500 rpm Tipo diamond Bengalas Invertidas Monoamortecedor Discos e ABS Disco e ABS


Honda • CG 160 Fan Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

162,7 cm³ 15,1 cv a 8.000 rpm 1,54 kgf.m a 7.000 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco CBS Tambor CBS

Honda • CG 160 Start Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

162,7 cm³ 14,9 cv a 8.000 rpm 1,4 kgf.m a 7.000 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Tambor CBS Tambor CBS

Honda • CG 160 Titan Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

162,7 cm³ 15,1 cv a 8.000 rpm 1,54 kgf.m a 7.000 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco CBS Tambor CBS

Honda • CRF 250F Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249,6 cm³ 22,2 cv a 7.500 rpm 2,28 kgf.m a 6.000 rpm Twin tube Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco Disco anuário 2022

89


honda Honda • CRF 1100L Africa Twin Adv.Sports Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.084 cm³ 99,3 cv a 7.500 rpm 10,5 kgf.m a 6.000 rpm Berço semiduplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Discos e ABS Disco e ABS

Honda • CRF 1100L Africa Twin DCT Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 8 válvulas 6 marchas, câmbio DCT, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.084 cm³ 99,3 cv a 7.500 rpm 10,5 kgf.m a 6.000 rpm Berço semiduplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Discos e ABS Disco e ABS

Honda • Elite 125 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 2 válvulas transmissão tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

124,9 cm³ 9,34 cv a 7.500 rpm 1,05 kgf.m a 6.000 rpm Underbone Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco CBS Tambor CBS

Honda • GL 1800 Gold Wing Tour Hexacilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 24 válvulas 7 marchas, câmbio DCT transmissão por eixo cardã I Inj. eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 90 anuário 2022

1.833 cm³ 126 cv a 5.500 rpm 17,3 kgf.m a 4.500 rpm Tipo diamond (Twin Tube) Duplo braço oscilante Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS


Honda • NC 750X Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

745 cm³ 54,5 cv a 6.250 rpm 6,94 kgf.m a 4.750 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Honda • PCX DLX / Sport / ABS / CBS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 2 válvulas transmissão tipo CVT I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149,3 cm³ 13,2 cv a 8.500 rpm 1,38 kgf.m a 5.000 rpm Berço duplo Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco CBS ou ABS Disco CBS ou ABS

Honda • Pop 110i Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 2 válvulas 4 marchas, transmissãop por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

109,1 cm³ 7,9 cv a 7.250 rpm 0,9 kgf.m a 5.000 rpm Monobloco Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Tambor e CBS Tambor e CBS

Honda • SH 150i Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 2 válvulas transmissão tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149,3 cm³ 14,7 cv a 7.750 rpm 1,4 kgf.m a 6.250 rpm Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS anuário 2022

91


honda Honda • SH 300i Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I OHC 2 válvulas transmissão tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

279,1 cm³ 25,9 cv a 7.500 rpm 2,7 kgf.m a 5.000 rpm Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Honda • XRE 190 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 4 válvulas 4 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

184,4 cm³ 16,4 cv a 8.500 rpm 1,66 kgf.m a 6.000 rpm Berço semiduplo Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco

Honda • XRE 190 Adventure Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 4 válvulas 4 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

184,4 cm³ 16,4 cv a 8.500 rpm 1,66 kgf.m a 6.000 rpm Berço semiduplo Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco

Honda • XRE 300 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I OHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 92 anuário 2022

291,6 cm³ 25,6 cv a 7.500 rpm 2,8 kgf.m a 6.000 rpm Berço semiduplo Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS


www.helloweventos.com.br helloweventos

hello@helloweventos.com.br (11) 3798-9711

anuário 2022

93


Husqvarna Alta tecnologia e líder de classe Como pioneira no desenvolvimento de motocicletas desde 1903, a Husqvarna Motorcycles tornou-se uma das marcas de motocicletas mais reverenciadas da Europa nos tempos modernos. No entanto, a história agitada da empresa também foi marcada por muitos sucessos e contratempos ao longo do caminho. Um desses eventos decisivos foi a separação da Husaberg, em 1988. Mas o que lhe pertencia, a ela se juntou novamente em março de 2013, quando a Husqvarna Motorcycles e a Husaberg se reuniram sob a bandeira do KTM Group – agora conhecida como Pierer Mobility. Hoje, a Husqvarna Motorcycles é uma marca que se inspira na era de ouro da cultura motociclística, conhecida por muitas conquistas inovadoras e etapas revolucionárias únicas que mudaram o

94 anuário 2022

motociclismo para sempre. Nosso objetivo é retomar partindo daqueles dias lendários. Pretendemos defender as virtudes do passado, porque o futuro desta marca está atrelado à sua história – uma história de descoberta de novas fronteiras no motociclismo esportivo. A Husqvarna Motorcycles continua essa trajetória com uma impressionante variedade de modelos e liderança técnica. Mais de uma dúzia de motocicletas de alta tecnologia e líderes de classe não estão apenas enfrentando os segmentos de produção de enduro, motocross, supermoto e esportes competitivos, mas também repensando os segmentos de rua e de viagens. A crescente oferta de produção é apoiada pela concorrência de alto nível nas principais séries globais de motocross, supercross, enduro, supermoto e rali.


HUSQVARNA TE 300i 2022 A partir de 2022, todas as motocicletas Enduro virão acompanhadas da mais alta inovação de tecnologia e performance do mercado, com o motor de injeção eletrônica dois tempos, e sem a necessidade de misturar óleo dois tempos na gasolina. A TE 300i promete proporcionar mais autonomia na motorização 2T.

• Motor 293 cm³ • Peso: 105,4 kg • Curso de suspensões: D. 300 mm, T. 300 mm

HUSQVARNA FC 250 2022 Husqvarna FC 250, a motocicleta mais aclamada dentro do seu segmento, foi projetada para se manter à frente no off-road. Com um motor leve e compacto, bem como uma caixa de câmbio PANKL, eletrônica e ergonomia avançadas, a FC 250 mantém a posição de liderança dentro da categoria de 250 cm³ quatro tempos. Para 2022, atualizamos a embreagem hidráulica para um novo sistema Brembo de alto desempenho, para uma modulação perfeita em todos os momentos. Nas carenagens, novos grafismos em azul-escuro e branco adornam com estilo o design de inspiração sueca.

• Motor 249 cm³ • Peso: 99,5 kg • Curso de suspensões: D. 310 mm, T. 300 mm

NORDEN 901 A Norden 901 é uma motocicleta de turismo de aventura excepcional. Com dois cilindros paralelos de 899 cm3 potentes e suaves, com potência de 105 cv e alojados em um quadro leve de treliça de aço, a Norden 901 é o pacote completo para viagens de longa distância. A suspensão preparada para off-road, com longo curso, levará você pelos terrenos que deseja atravessar, enquanto a ergonomia confortável transformará todas as jornadas em aventuras, não provas. Explore o mundo do seu jeito com a nova Norden 901.

• Motor 899 cm³ • Potência 105 cv a 8.000 rpm • Torque 10,2 kgf.m a 6.500 rpm anuário 2022

95


Por favor, não tente imitar as cenas de condução das imagens, sempre use as roupas de proteção e observe as disposições aplicáveis dos regulamentos de trânsito rodoviário! Os veículos das imagens podem variar em detalhes selecionados dos modelos de produção e algumas ilustrações apresentam equipamentos opcionais disponíveis a um custo adicional.

Photo: R. Schedl, R. Steinke, KISKA GmbH

https://www.powerhusky.com.br/

Enquanto você estiver no planeta Terra, você não está perdido. Confie no norte

N o r d e n

9 01

O globo inteiro é um playground esperando para ser explorado por você. Inspirado no norte e construído para o mundo, a Norden 901 é uma máquina de viagens robusta pronta para enfrentar o desconhecido.

@husqvarna_motorcycles_br /husqvarnamotorcyclesbr contato@powerhusky.com.br


Motocicleta de motor 2 tempos com injeção eletrônica não necessita misturar óleo 2 tempos na gasolina. Melhor performance do mercado

Faça a sua reserva!

T E

300i

Preparada para qualquer desafio. Os caminhos do enduro e onde estão localizados, são os mais difíceis e imprevisíveis. por natureza, a te 300i reina sobre eles de forma invicta. faça a sua reserva na power husky!

F C

IMPORTADOR OFICIAL www.2wmotors.com.br

250

WWW.POWERHUSKY.COM.BR Av. Indianópolis, 564, São Paulo (11) 5051-1644 I (11) 9 8108-1152


Husqvarna Husqvarna • Svartpilen 250 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

248,8 cm³ 31,2 cv n.d. Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Husqvarna • 701 Supermoto Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

692,7 cm³ 74 cv a 8.000 rpm 7,5 kgf.m a 6.500 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Husqvarna • 701 Enduro Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

692,7 cm³ 74 cv a 8.000 rpm 7,5 kgf.m a 6.500 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Husqvarna • TC 50 Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I automática transmissão por corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 98 anuário 2022

49 cm³ n.d. n.d. Berço semiduplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco


Husqvarna • TC 65 Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transmissão por corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

64,9 cm³ n.d. n.d. Berço semiduplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • TC 85 Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transmissão por corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

84,9 cm³ n.d. n.d. Berço semiduplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • TC 125 Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transmissão por corrente I carburador Cilindrada 124,8 cm³ Potência máxima n.d. Torque máximo n.d. Quadro Berço duplo Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco Freio traseiro Disco

Husqvarna • TE 150i Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

143,99 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco anuário 2022

99


Husqvarna Husqvarna • TC 250 Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transmissão por corrente I carburador Cilindrada 249 cm³ Potência máxima n.d. Torque máximo n.d. Quadro Berço duplo Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco Freio traseiro Disco

Husqvarna • FC 250 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249,9 cm³ 46,6 cv n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • FC 350 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

349,7 cm³ 58,8 cv n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • FC 450 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 100 anuário 2022

449,9 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco


Husqvarna • FC 450 Rockstar Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

449,9 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • FE 250 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249,9 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • FE 350 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

349,7 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • FE 350 Rockstar Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

349,7 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco anuário 2022 101


Husqvarna Husqvarna • FE 450 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

449,9 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • FE 501 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

510,9 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • TX 300i Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

293,2 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • TE 250i Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 102 anuário 2022

249 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco


Husqvarna • TE 300i Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

293,2 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Husqvarna • TE 300i Rockstar Monocilíndrico I 2T I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

293,2 cm³ n.d. n.d. Berço duplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

anuário 2022 103


Kawasaki Let the good times roll Desde que construímos nossa primeira motocicleta em 1953, nunca deixamos de levar a tecnologia que os motociclistas precisam para dominar as ruas. Engenharia avançada, testes exaustivos e paixão incansável estão presentes em todas as motocicletas sempre que o pneu toca a estrada. Dos primeiros recursos do setor até aqueles que evoluíram durante nossa longa história, as inovações da Kawasaki nunca deixaram de alimentar o apetite insaciável dos motociclistas. Nossa habilidade exclusiva de criar produtos com

104 anuário 2022

performance incomparável foi construída através da vasta rede de expertise tecnológica que é fruto da força coletiva do Grupo Kawasaki. Nossa filosofia de desenvolvimento está no autodesafio constante em entregar a experiência de pilotagem mais atual e sensações que nutrem a alma e enriquecem o espírito. Nós trazemos desempenho extremo à vida cotidiana das pessoas, e nossas motos possuem potência e suavidade, são divertidas e prazerosas e excedem todas as possibilidades.


Ninja ZX-10R Você pode derrotar todos os oponentes, mas sempre terá um desafio a encarar: aquele dentro de você. Para aqueles que, como você, enfrentam qualquer desafio, desenvolvemos a motocicleta que um campeão merece. A nova Ninja ZX-10R tem o que é preciso para vencer: carenagem aerodinâmica com asas integradas, faról em LED, painel em TFT colorido, conectividade com smartphones e mais atualizações derivadas da expertise da Kawasaki Racing Team no World Superbike. Agora que você possui a Ninja feita para as corridas, encare-se.

• Motor: 998 cm3 • Potência: 213 cv a 13.200 rpm • Torque: 11,7 kgf.m a 11.400 rpm

Versys 1000 Grand Tourer As melhores aventuras e desafios da sua vida serão com esta moto. Estradas desconhecidas serão mais fáceis e lugares distantes ficarão mais próximos com a Versys 1000. Quando a aventura chamar você, qualquer caminho será melhor e mais confortável com a Versys 1000. Em qualquer estrada, a qualquer momento.

• Motor: 1.043 cm3 • Potência: 120 cv a 9.000 rpm • Torque 10,4 kgf.m a 7.500 rpm

Z650 O impressionante estilo Sugomi, de pilotagem fácil e potência que invocam o espírito Kawasaki Z. Luzes de LED e um display TFT oferecem a tecnologia mais recente. A Z650 vai energizar seus sentidos e inspirar todas as suas viagens.

• Motor: 649 cm3 • Potência: 68 cv a 8.000 rpm • Torque: 6,7 kgf.m a 6.500 rpm anuário 2022 105


Kawasaki Ninja ZX-6R Representando as superesportivas de médio porte, a recente Ninja ZX-6R possui um potente motor de 636 cm3, tecnologia avançada e um chassi com novo design. O “636” foi otimizado para estradas e pistas, oferecendo uma emocionante experiência em diversas situações de pilotagem.

• Motor: 636cm3 • Potência: 130 cv a 13.500 rpm • Torque: 7,2 kgf.m a 11.000 rpm

Ninja 400 A Ninja 400 oferece a maior cilindrada da categoría, 399 cm3, com a sofisticação da potência do motor bicilíndrico. Potência acessível, ergonomia excelente e desempenho líder na categoria proporcionam uma experiência suave, ideal para novos e experientes pilotos. Seu assento baixo, seu estilo agressivo e seus faróis em LED fazem da Ninja 400 a escolha ideal para aqueles que procuram entrar no cenário das motocicletas esportivas.

• Motor: 399 cm3 • Potência: 48 cv a 10.000 rpm • Torque: 3,9 kgf.m a 8.000 rpm

Z900 O espírito Z encontra sua expressão mais recente na Z900 com estilo Sugomi. Potência ao máximo, manuseio instintivo e controle de tração redefinem a experiência supernaked. Luzes LED e um display TFT trazem a mais recente tecnologia. Ultrapasse os limites e domine as ruas.

• Motor: 948 cm3 • Potência: 125 cv a 9.500 rpm • Torque: 10,1 kgf.m a 7.700 rpm 106 anuário 2022


Z900RS Relembrando o estilo clássico da Z1 original, a Kawasaki Z900RS traz elementos de design atemporais com carroceria mínima e sem carenagem, com um visual de puro estilo retrô. A Z900RS possui motor de 948 cm3 e tecnologia avançada para um passeio clássico e moderno.

• Motor: 948 cm3 • Potência: 109 cv a 8.500 rpm • Torque: 9,7 kgf.m a 6.500 rpm

Z400 Criada para ser uma verdadeira supernaked, a Kawasaki Z400 traz elementos compartilhados com a Ninja 400 e que reforçam aspectos característicos dos modelos de maior cilindrada da Linha Z, como leveza, agilidade e, claro, esportividade

• Motor: 399 cm3 • Potência: 48 cv a 10.000 rpm • Torque: 3,9 kgf.m a 8.000 rpm

anuário 2022 107


No trânsito, dê sentido a vida. • EMERALD BLAZED GREEN

LBXBTBLJCSBTJM0'*$*"XXX DPOTPSDJPLBXBTBLJCSBTJM DPN

!LBXBTBLJCSBTJMPmDJBM


GRAND TOURER 2021 A AVENTURA PELAS ESTRADAS TE ESPERA QUANDO VOCÊ PILOTA A NOVA VERSYS 1000 GRAND TOURER 2021. COM A NOVA SUSPENSÃO SHOWA SKYHOOK, COMPONENTES ELETRÔNICOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO E OS NÍVEIS DE CONFORTO MAIS ALTOS DA CATEGORIA, QUALQUER DESAFIO É FACILMENTE SUPERADO A BORDO DA VERSYS 1000 GRAND TOURER.

CONSULTE UMA CONCESSIONÁRIA AUTORIZADA

XXX LBXBTBLJCSBTJM DPN "UFOEJNFOUP /BDJPOBM


Apresentação KAWASAKI VERSYS-X 300

Uma pequena aventureira para o mundo aventureiro A Kawasaki Versys-X 300 é uma crossover de entrada, repleta de dotes para encarar longas jornadas com muito conforto e versatilidade Texto alexandre nogueira Fotos renato durães

110 anuário 2022


dual purpose O fora de estrada é o ambiente perfeito para esta aventureira peso leve

anuário 2022 111


Apresentação KAWASAKI Kawasaki Z900 VERSYS-X 300

A

Kawasaki, aproveitando o embalo das motos aventureiras que têm atraído cada vez mais entusiastas e feito o segmento crescer promissoramente, oferece a Versys-X 300 para quem gosta de aventura e quer entrar para este mundo que pode ser recheado de emoção. Dentro do segmento das motos todo terreno de baixa cilindrada, a Kawasaki Versys-X 300, embora possa ser considerada concorrente direta de Honda XRE 300, Royal Enfield Himalayan e Yamaha XTZ 250 Lander, com seu motor de dois cilindros paralelos e seu preço, mesmo da versão de entrada (R$ 33.190), se afasta dessas motos, principalmente pelo valor, que está acima da média de R$ 20.400 das demais. Ela fica parelha somente com a BMW G 310 GS, que tem o valor de R$ 36.900 em sua etiqueta, mas é equipada com motor monocilíndrico.

Versão mais equipada

Ainda assim é uma máquina de respeito, e esta versão, a Tourer (TR), que vem equipada com topcase e alforges laterais rígidos, protetor de aço tubular nas laterais, protetor de cárter, de mãos e faróis de neblina, é diferente de todas as concorrentes. A Kawasaki Versys-X 300 utiliza o motor bicilíndrico das antigas irmãs de 300 cilindradas da marca, a Z 300 e a Ninja 300. Os dois cilindros têm exatos 296 cm³, duplo comando no cabeçote, oito válvulas e refrigeração líquida. O motor tem como característica maior desempenho em altos giros, é acima das 8.000 rpm que fala mais grosso, e, de fato, os 40 cv de potência máxima surgem a 11.500 rpm, e o pico de torque de 2,6 kgf.m surge nas 10.000 rpm. Alguns pequenos ajustes, como a embreagem assistida e deslizante e uma relação final mais curta, adequaram o motor à nova proposta da motocicleta, que exige respostas mais sinceras quando o acelerador é solicitado. E a Versys-X 300 responde sem vacilos, o motor responde num arco de rotações bem amplo, ela mantém velocidades de cruzeiro que as concorrentes sofrem para acompanhar. Já o conforto da ergonomia bem acertada só não é melhor pela dureza do banco, se fosse mais macio, ajudaria sobremaneira nas viagens mais longas e não castigaria o traseiro.

Ciclística acertada

O chassi de aço, tipo Backbone, é reforçado para suportar garupa e suas bagagens e tem agregadas suspensões convencionais, sem regulagens, mas com curso respeitável (130 mm na dianteira e 148 mm atrás), elas apresentaram um comportamento bem satisfatório e com muito equilíbrio para atender à proposta aventureira. Muita estabilidade no asfalto, seja nas retas em alta velocidade, onde ela se manteve bem pregada ao chão, seja em curvas de baixa ou de alta, onde ela se comportou de forma precisa e sem balanços indesejados. 112 anuário 2022

1 2

1 O painel com conta-giros analógico e display LCD tem computador de bordo 2 As malas comportam três quilos e são muito úteis 3 A iluminação ainda utiliza lâmpadas convencionais 4 Faróis auxiliares em LED ampliam a iluminação durante a noite 5 6 Freios com ABS nas duas rodas

3 4


5

6

ergonomia A postura é ótima, mas o banco é muito duro

anuário 2022 113


Apresentação KAWASAKI VERSYS-X 300 Na terra, o aro dianteiro de 19 polegadas ajuda a transpor obstáculos e buracos maiores, e o trabalho da suspensão dianteira agradou bastante, transmitindo confiança quando a tocada mais agressiva é exigida no fora de estrada, bem como o nível de conforto ao rodar, graças à boa eficiência e progressividade no funcionamento. A suspensão traseira monoamortecida com sistema de links Uni-track alia boa estabilidade e conforto em qualquer condição. As rodas raiadas de 19 polegadas na dianteira e 17 polegadas na traseira são equipadas com pneus com câmara de uso misto e melhoram a capacidade off-road da Versys-X 300 TR.

Entre prós e contras

A Versys-X 300 é imponente e parece uma motocicleta maior por conta das suas carenagens volumosas e do grande para-brisa que garante uma boa proteção contra o vento, o que é muito bom para percorrer grandes distâncias sem o incômodo do vento no peito. O seu maior pecado é o belo e amplo assento que, por ser bem estreito no encaixe com o tanque de combustível de 17 litros, facilita a vida na hora de apoiar os pés no chão, mas é duro, o que complica as longas jornadas com o objetivo de sair de tanque cheio e rodar até acender a luz no painel. Como o assento é baixo e bem amplo, é possível sentar próximo ao tanque para atacar mais agressivamente uma estrada de terra, e você também pode encontrar conforto extra para viajar sentando mais para trás, apoiando a lombar e esticando um pouco os braços. A ergonomia é bem natural, com a posição de pilotagem ereta graças ao largo e alto guidão e as pedaleiras bem posicionadas, deixando os pés alinhados com os joelhos, pouco flexionados. Os freios são convencionais, com a boa e velha receita de disco simples tipo margarida nas duas rodas, mordidos por pinças deslizantes de duplo pistão auxiliadas pelo ABS. O belo painel mescla um conta-giros analógico central com indicador de marchas e um visor LCD multifuncional à direita com muita informação, inclusive um indicador de pilotagem econômica (ECO), que indica a melhor faixa de utilização para alcançar médias de consumo acima dos 30 km/l. A iluminação da Versys ainda é por lâmpada halógena no farol e convencionais nos piscas e lanterna. O bagageiro de alumínio na mesma altura do assento facilita a amarração de bagagens ou a instalação de um topcase. De fábrica ela sai com as malas laterais de plástico rígido com capacidade de até três quilos de carga, mas são bastante estreitos, o que de fato pode limitar o espaço para sua bagagem. A Versys-X 300 ainda tem uma tomada 12V no painel para a carga de seus gadgets eletrônicos. Todos os acessórios encontrados na versão TR são vendidos à parte, caso o comprador da versão mais simples queira instalar algum deles. A Versys-X 300 não é uma moto barata e, apesar de ser boa, o preço pode fazer pensar em outras possibilidades de compra. 114 anuário 2022

elegante O acabamento é esmerado, e o visual é de moto maior

Dados de fábrica Bicilíndrico I arrefecido a líquido DOHC I 8 válvulas I câmbio 6 marchas Cilindrada 296 cm³ Potência máxima 40 cv a 11.500 rpm Torque máximo 2,6 kgf.m a 10.000 rpm Diâmetro x curso do pistão 62,0 x 49,0 mm Taxa de compressão 10,6:1 Quadro Tipo backbone em aço Cáster 24,3° Trail 108 mm Suspensão dianteira Garfo telescópico de 41 mm e 130 mm de curso Suspensão traseira Uni-Track a gás com ajuste da pré- -carga da mola com 148 mm de curso Freio dianteiro Disco de 290 mm, pinça de 2 pistões e ABS Freio traseiro Disco de 220 mm, pinça de 2 pistões e ABS Modelo do pneu Pirelli MT 60 Roda dianteira 100/90 - 19 M/C Roda traseira 130/80 - 17 M/C

estabilidade O conjunto é superior ao das rivais da categoria

POSITIVO Design • Acabamento • Conforto PODERIA SER MELHOR • Assento • Preço •

Medidas

Comprimento • 2.170 mm Altura do assento • 845 mm Tanque • 17 litros

Entre-eixos • 1.450 mm Largura • 940 mm Peso (seco) • 164 kg

Preço: R$ 33.190


Anúncio Parceiros.indd 2

02/09/21 08:45


teste Kawasaki Ninja 650 e Z650

Irmãs (quase) gêmeas

As novas Kawasaki Ninja 650 e Z650 estão renovadas no visual e têm aptidões de agilidade, esportividade e economia que as credenciam para encarar ruas ou pistas, com competência Texto alexandre nogueira Fotos renato durães

116 anuário 2022


anuário 2022 117


teste Kawasaki Ninja 650 e Z650

A

Kawasaki apresentou as novas Ninja 650 e Z 650 no Salão de Milão, EICMA, em 2019 e as reestilizações de ambos os modelos chegam ao Brasil em versão 2021. A Z650 ganha um visual mais agressivo com um novo grupo ótico frontal em LED que dá toda personalidade a esta naked de proporções esguias e temperamento enfurecido. A Ninja 650 utiliza o mesmo conjunto mecânico da Z, mas chega com uma nova carenagem com entrada de ar frontal, acima dos faróis, ao mais puro estilo da superbike da marca. O segmento das naked de peso médio é o mercado mais disputado globalmente, e no Brasil as opções também são bem variadas entre todos os fabricantes, com versões de dois, três e quatro cilindros. Há modelos clássicos, como as Royal Enfield Interceptor e as Triumph Bonneville, que se aproximam desse gênero, mas quando um piloto quer uma moto rápida, ágil e moderna de média cilindrada, a Kawasaki Z650 cumpre com louvor esses requisitos. O segmento das esportivas tem mostrado queda acentuada em todos os mercados do mundo, mas a oferta de modelos ainda continua, com as montadoras aproveitando o conjunto esportivo para construir as naked, apenas subtraindo a carenagem integral para compor um visual puramente streetfighter, afinal uma enorme legião de fãs curte a motovelocidade e os principais campeonatos, como a MotoGP e o WSBK, e a identidade com eles é forte. As novas normas de emissões mais rigorosas trouxeram muito mais mudanças no motor bicilíndrico da família 650 da Casa de Akashi do que apenas um motor mais limpo, ostentando um design diferente, mais recursos e um hardware revisado foram utilizados para enquadrá-lo. Mas a grande questão é que as novas Kawasaki Z650 e Ninja 650 ainda têm o mesmo pacote amigável e emocionante, para ser a primeira grande moto de média cilindrada de quem sobe de categoria, e por isso apresento as novas máquinas em versão 2021 para responder todas as questões sobre a usabilidade na cidade e na estrada, nos deslocamentos diários ou nos passeios de fim de semana.

naked esportiva O visual “Sugomi” acentua a esportividade e o caráter streetfighter

3

1

4

Visual

A Kawasaki sempre concebeu suas motocicletas com um design profundamente agressivo e afiado, seguindo o estilo definido pela marca como Sugomi, mas agora, com as novas Z650 e Ninja 650, a Casa de Akashi elevou o nível de seu design a um novo patamar. Olhando para as novas 650, elas parecem estar em modo de ataque o tempo todo, graças à obra do corpo dominada por linhas afiladas e vincos profundos, desde o farol em posição mais baixa até a seção da traseira com a rabeta mais elevada.

Pacote

As novas Z650 e Ninja 650 continuam equipadas com o motor bicilíndrico paralelo de 649 cm³, que produz 68 cv de potência a 8.000 rpm e 6,7 kgf.m de torque a 6.500 rpm, muito bem aproveitados pelo perfeito escalonamento do câmbio de seis velocidades, com embreagem deslizante, para evitar que a roda traseira trave nas reduções mais bruscas, e assistida, para suavizar o esforço no acionamento da alavanca. 118 anuário 2022

2 1 Os punhos, apesar de espartanos, têm boa qualidade 2 O assento é amplo para o piloto, mas dispensa garupas 3 O painel tem conectividade Bluetooth com o telefone 4 A lanterna traseira, quando acesa, lembra a letra Z


supermáquina As rodas de liga leve e os pneus de perfil esportivo reforçam o aguçado dote estradeiro

estilos diferentes A posição de pilotagem é quase igual

5

6 7

5 A rabeta é a mesma nas duas motos 6 Ambas compartilham o mesmo tipo de painel, onde o menu é acessado no próprio painel 7 A alavanca de freio dianteiro regulável em altura permite um ajuste fino da ergonomia

anuário 2022 119


teste Kawasaki Z 650 e Ninja 650 As rodas de liga leve de 17 polegadas agora vêm com pneus Dunlop Sportmax Roadsport 2, que me transmitiram muita segurança para atacar curvas na serrinha litorânea sinuosa bem aqui na porta de casa. Reparei que, nas frenagens fortes eles chegam a travar as rodas, e por isso o ABS entra em ação com certa facilidade. O sistema de frenagem conta com duplo disco de 300 mm na frente e disco de 240 mm atrás. Embora a configuração de suspensão ainda seja a mesma da versão anterior, com garfo telescópico e um monochoque, a Kawasaki fez um ajuste fino para melhorar sua capacidade e estabilidade. Nos passeios na cidade esburacada, o conforto se apresenta satisfatório, e mesmo numa tocada mais agressiva, tanto a Z650 como a Ninja 650 mostram seus dotes esportivos e contornam curvas de todos os tipos com muita competência, sem balanços ou desvios da trajetória, um conjunto realmente preciso. Quanto aos recursos, a fabricante japonesa finalmente acabou com seu painel LCD e incorporou um display TFT com conectividade Bluetooth para emparelhar com o smartphone do piloto. No entanto, você não tem acesso à navegação no próprio display, em vez disso, você pode visualizar algumas informações em seu smartphone pelo aplicativo móvel Rideology, da Kawasaki. Único problema desse display é que você tem que usar os dois botões no próprio painel para navegar pelo menu, o que é um pouco complicado, mas, tratando-se de segurança, é sempre melhor manipular o painel com a motocicleta parada. Agora ambas as máquinas recebem um farol full-LED, que não só parece agradável e moderno, mas também faz um bom trabalho de iluminar a estrada à noite, junto com a lanterna traseira e as setas também em LED.

Passeando

Embarcar na Z650 e na Ninja 650 é uma tarefa simples, sem esforço, principalmente por causa da baixa altura do assento, 790 mm. Uma vez montado, você vai perceber que a Z650 é uma máquina compacta, prender-se ao tanque de combustível com as pernas é fácil, pois o assento encaixa corretamente. Além disso, o guidão está posicionado para lhe dar uma postura inclinada e envolvente, mas não há indícios de desconforto. A diferença de altura entre o guidão da Z650 e da Ninja é praticamente imperceptível, portanto a tocada de ambas permite pêndulos bem radicais para atacar curvas de todo tipo, inclusive num track day em autódromo. A experiência é ainda mais intensificada pelo urrar do escape nas altas rotações. O motor não é altamente potente, mas é muito esperto desde baixas rotações, proporcionando arrancadas muito vigorosas, com rápida subida de giro até a faixa de corte. Até os 160 km/h elas desenvolvem rápido, a partir daí o ritmo diminui, mas ultrapassam os 200 km/h. O fácil manuseio é uma das facetas fortes destas Kawa, pois elas mudam de direção com a mínima solicitação do piloto. Sempre mantendo a trajetória com precisão. Os guidões, apesar de diferentes, permitem ótima ergonomia com boa alavanca para inspirar confiança. A posição delas é tão natural que, mesmo na cidade, permite muita agilidade. 120 anuário 2022

freios potentes O sistema de freios proporciona frenagens bem fortes na tocada esportiva e boa mordida inicial para andar na cidade sem sustos

personalidade A frente das motos mostra sua personalidade, a esportividade está presente nos dois modelos, o gosto pelo design pode definir a escolha

discreta O sistema de escapamento 2x1 embutido centraliza as massas


kawasaki Kawasaki • Z400 Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a alíquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

399 cm³ 48 cv a 10.000 rpm 3,9 kgf.m a 8.000 rpm Treliça em aço Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Z900RS Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

948 cm³ 109 cv a 8.500 rpm 9,7 kgf.m a 6.500 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Z1000 Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.043 cm³ 142 cv a 10.000 rpm 11,3 kgf.m a 7.300 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Z 1000 R Edition Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.043 cm³ 142 cv a 10.000 rpm 11,3 kgf.m a 7.300 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS anuário 2022 121


kawasaki Kawasaki • Versys 1000 Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.043 cm³ 120 cv a 9.000 rpm 10,4 kgf.m a 7.500 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Versys-X 300 Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a alíquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

296 cm³ 40 cv a 11.500 rpm 2,6 kgf.m a 10.000 rpm Backbone em aço Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Versys-X 300 Tourer Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a alíquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

296 cm³ 40 cv a 11.500 rpm 2,6 kgf.m a 10.000 rpm Backbone em aço Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Versys 650 Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 122 anuário 2022

649 cm³ 69 cv a 8.500 rpm 6,5 kgf.m a 7.000 rpm Diamond em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS


Kawasaki • Versys 650 Tourer Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

649 cm³ 69 cv a 8.500 rpm 6,5 kgf.m a 7.000 rpm Diamond em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Versys 1000 GT Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.043 cm³ 120 cv a 9.000 rpm 10,4 kgf.m a 7.500 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Ninja 400 Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a alíquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

399 cm³ 48 cv a 10.000 rpm 3,9 kgf.m a 8.000 rpm Treliça em aço Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Ninja 650 KRT Edition Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

649 cm³ 68 cv a 8.000 rpm 6,7 kgf.m a 6.500 rpm Treliça em aço Bengalas Convencionais Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS anuário 2022 123


kawasaki Kawasaki • KX250 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249 cm³ n.d. n.d. Perimetral em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Kawasaki • KX250X Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249 cm³ n.d. n.d. Perimetral em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Kawasaki • KX450 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

449 cm³ n.d. n.d. Perimetral em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Kawasaki • KX450X Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 124 anuário 2022

449 cm³ n.d. n.d. Perimetral em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco


Kawasaki • KLX450R Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

449 cm³ n.d. n.d. Berço semiduplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco Disco

Kawasaki • KLX 110 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 4 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

112 cm³ 7,3 cv a 7.500 rpm 0,82 kgf.m a 4.000 rpm Backbone e aço Bengalas Convencionais Monoamortecedor Tambor Tambor

Kawasaki • ZX-6R Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I injeção eletrônca Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

636 cm³ 130 cv a 13.500 rpm 7,2 kgf.m a 11.000 rpm Perimetral em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Kawasaki • ZX-10R Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I injeção eletrônca Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

998 cm³ 203 cv a 13.200 rpm 11,7 kgf.m a 11.400 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS anuário 2022 125


kawasaki Kawasaki • Vulcan S Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

649 cm³ 61 cv a 7.500 rpm 6,4 kgf.m a 6.600 rpm Perimetral em aço Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Vulcan S Café Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

649 cm³ 61 cv a 7.500 rpm 6,4 kgf.m a 6.600 rpm Perimetral em aço Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Z650 Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

649 cm³ 68 cv a 8.000 rpm 6,7 kgf.m a 6.500 rpm Treliça em aço Bengalas Convencionais Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Kawasaki • Z900 Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 126 anuário 2022

948 cm³ 125 cv a 9.500 rpm 10,1 kgf.m a 7.700 rpm Treliça e aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS



teste KTM 890 Duke R ainda melhor A nova 890 Duke eleva o nível da categoria com o amplo gerenciamento de sua alta performance

128 anuário 2022


O PRÓXIMO NÍVEL

A nova KTM 890 deu um salto respeitável em relação à 790, escalando degraus no desempenho e comportamento sem perder as virtudes de máquina prática e divertida, como uma naked deve ser. Texto Sergio Fernández Edição alexandre nogueira Fotos Jaime Olivares

Q

uando se vê uma motocicleta com um chassi laranja, embora existam alguns modelos da marca que não têm essa cor, certas impressões vêm à nossa mente, condicionadas ou por sua experiência, ou pela imagem esportiva da KTM. A marca austríaca tem sido capaz de manter sua filosofia e seu lema “ready to race” nas disciplinas em que atua e também nos diferentes modelos que lançou. Uma gama que foi se expandindo para praticamente todos os segmentos, desde que suas aventuras começaram na estrada com a primeira Duke, lançada décadas atrás. Sempre que eu testei uma Duke, e tenho feito isso também por várias décadas, tenho a sensação de que a essência off-road da marca chega de alguma maneira, embora a evolução das motos da KTM já seja notada em praticamente todos os aspectos. A 890 Duke R deu um salto importante na evolução, embora sua base, a 790 Duke, já fosse uma motocicleta de concepção muito moderna, a 890 chegou a outro nível. A KTM fez isso em basicamente todos os aspectos, é mais leve, poderosa e mais moderna em relação à tecnologia, mas mantém as qualidades e a versatilidade necessárias a uma motocicleta polivalente.

Sob controle

Estamos acostumados a ler ou a testar motocicletas muito poderosas, nas quais a barreira de 200 cv de potência parece algo normal, então, se você lê 121 cv em uma ficha técnica, pode pen-

sar que não é um número tão alto. Há pouco tempo essa barreira eram os 100 cv, superados apenas por motos superesportivas, some a isto o peso desta Duke 890 de apenas 166 kg a seco, em um conjunto que pode se tornar difícil de dominar ou muito radical para o usuário comum. É verdade que a eletrônica chegou para domar muitas motos que, sem ela, seriam difíceis de pilotar, mas também é verdade que se começa uma moto pela parte mecânica, respostas do motor e o comportamento do chassi, para depois afiná-la com os microchips, virtudes bem logradas na 890. Quando você a conhece pessoalmente você vê uma motocicleta de design moderno, que marca seu corpo conciso e estilizado, e um farol que, embora seja atual, já é padrão na KTM. Parece uma moto pequena, devido às suas dimensões e você não tem ideia da besta que pode encontrar se acessar os botões corretos. Você também não fica impressionado quando está sobre ela, pois o encaixe é excelente, a primeira coisa que nota é sua leveza, algo que transmite muita confiança. O assento é mais alto que na 790, mas, por ser estreito, facilita o apoio dos pés no chão, porém o mais marcante é o guidão, que é muito largo, plano e localizado mais para baixo do que estamos acostumados nos modelos de média cilindrada da marca. Segundo a KTM, dessa forma se tem mais controle da roda dianteira e a postura não é forçada, tudo em busca de maior interação entre corpo e motocicleta, mesmo com a pedaleiras mais altas do que na 790.

anuário 2022 129


teste KTM 890 Duke R conjunto amigável A eletrônica permite amansar ou endiabrar a potência da máquina

Ao ataque

Antes de começar a rodar, você escolhe o modo de pilotagem adequado ao seu uso. Ao retirar a moto na concessionária, depois de sentir o controle de tração em linha reta, passei ao modo chuva, nele o motor suaviza muito e a eletrônica torna-se mais intrusiva. Agora as motocicletas se adaptam ao que você vai fazer, dar uma volta na cidade (modo Street), na estrada (Sport) ou na pista (Track), além do modo chuva (Rain), então você tem muitas motocicletas em uma. O acelerador eletrônico é bastante rápido e sensível, mas a resposta motora varia com os modos mencionados, assim, logo acima das 2.000 rpm, ele responde suave e progressivamente. É muito poderoso, em comparação com outros da categoria, mas também muito suave. Em aberturas normais do acelerador em baixas e médias rotações é uma motocicleta muito boa no dia a dia. Não parece ser uma máquina de devorar curvas como se vê nos anúncios, muito radical, digo de forma positiva, porque uma moto muito esportiva pode tanto agradar como desagradar e diminuir sua versatilidade no uso. A vida sobre esta Duke é fácil, ela se mexe com soltura e tem boa pegada do torque, mesmo em marchas altas. O trabalho do eixo balanceiro é notado quando você vai a 120 km/h, sem nenhuma sensação desagradável de vibração do motor, só senti falta da proteção aerodinâmica, é o preço da estética. Em contrapartida, o preço a pagar pelo consumo é baixo, já que você pode conseguir médias de quase 25 km/l. Também há uma besta incorporada à Duke 890, basta você selecionar o modo Sport, navegando pelo menu com os práticos botões do punho esquerdo. Quando você acelera em primeira marcha com vontade, a roda dianteira vai teimar em olhar para o céu, enquanto, no painel TFT, a luz de atuação do controle de tração avisa que está tentando de tudo para fazê-la baixar, fazendo-a parecer mais brava, enquanto você se segura mais forte ao largo guidão, até que involuntariamente (por distração) atinja o corte de ignição a 10.000 rpm. Só senti falta de um quickshifter bidirecional para as trocas de marchas.

Supermoto

A ciclística é marcada por um chassi monoviga de aço e um conjunto muito leve, que poderia ser definido como uma naked esportiva e com toque de supermotard, uma vez que não é tão rígido e aprumado como as derivadas de superesportivas. As suspensões WP também evoluíram e são 130 anuário 2022


inconfundível A estética é marcada por laranja, branco e preto, e a agilidade é seu ponto forte

1

1 2

3

O painel TFT muda a iluminação conforme a luz do dia 2 As suspensões WP Apex e os freios Brembo formam um ótimo conjunto 3 O aumento da cilindrada veio com pistões e curso maiores 4 A traseira estilizada segue a forma de monoposto

Rivais Ducati Hypermotard 950 937 cm³ | 114 CV | 178 kg | 13.890€

Triumph Street Triple RS 765 cm³ | 123 CV | 163 kg | 12.550€ 4

Yamaha MT-09 SP 899 cm³ | 119 CV | 189 kg | 9.899 € anuário 2022 131


teste KTM 890 Duke R versátil A alta performance proporciona muita diversão e adrenalina

suspensão Fácil acesso para regulagens

compacta Sob o assento, a bateria e a caixa de fusíveis 132 anuário 2022

capazes de dar um bom equilíbrio para esta motocicleta, que poderia ser nervosa não fosse por elas, especialmente pelo garfo multiajustável invertido de 43 mm que permite aproveitar as frenagens ao máximo e com progressividade. O sistema de freios é Brembo Stylema, com o cilindro mestre Brembo MCS, com o qual você pode escolher entre três posições da alavanca na bomba e encontrar um grande equilíbrio entre a pressão do freio e o toque da alavanca, que também pode ser ajustada em altura, assim como no da embreagem. Os freios têm auxílio eletrônico ABS com função de inclinação e modo supermoto, deixando a traseira livre para derrapar, se você curtir acelerar numa pista, podendo atuar na dianteira com a moto inclinada, e sua gestão é simplesmente excelente. Considerando o seu peso e a alavanca que você faz com o guidão, a KTM 890 Duke R se move de um lado para o outro com a facilidade de uma caneta deslizando sobre o papel. Algo notável, considerando que as suspensões e o alto centro de gravidade fazem com que haja transferência de peso em frenagem e aceleração. Então, de acordo com sua experiência, configure as suspensões para o seu peso, e ela responderá perfeitamente a quaisquer solicitações.

visual inconfundível O visual ameaçador mostra suas verdadeiras virtudes


anuário 2022 133


teste KTM 890 Duke R Ficha técnica Dados de fábrica MOTOR Tipo Bicilíndrico em Linha DOHC Arrefecimento A líquido Válvulas 8 Alimentação Injeção eletrônica Cilindrada 890 cm³ Diâmetro x curso do pistão 90,7 x 68,8 mm Taxa de compressão 13,5:1 Potência máxima 121 cv a 9.250 rpm Torque máximo 11,2 kgf.m a 7.750 rpm transmissão Embreagem Câmbio Secundária chassi Tipo Balança Cáster/trail suspensão Dianteira Curso Regulagens Traseira Curso Regulagens

CV Banco de potência cv 130 130

Resultados obtidos no dinamômetro de MotorPress Ibérica MOTOCICLISMO

Nm

kgf.m

135

120 120 110 110

125

100 100

9090

115

8080

12

Multidisco banhada a óleo 6 marchas Corrente

7070

105 11

6060

10

Monoviga tubular em aço Bilateral em alumínio 24,3°/100 mm

5050

9

Garfo telescópico invertido 43 mm 140 mm Multiajustável Monoamortecedor 150 mm Multiajustável

freios Dianteiro Disco duplo 320 mm Pinça Radial Brembo 4 pistões ABS de curva Traseiro Disco 240 mm Pinça Brembo 1 pistão ABS de curva pneus Modelo Dianteiro Traseiro

95

4040

8

85

121 cv a 9.250 rpm 10,3 kgf.m a 7.750 rpm

3030 2020 3 3

!

assinatura o farol bipartido é marca registrada

4

4

5

5

6

6

7

7

8

8

9

9

7 10

10

11

75

11

rpm x 1000

O motor ganhou cilindrada nesta versão graças rpmpistões, x 1.000 ao maior diâmetro e curso dos novos mais compressão e novo cabeçote

Michelin Power Cup 120/70 R17 180/55 R17

medidas Comprimento Largura Entre-eixos Altura do assento Distância mínima do solo Capacidade do tanque Peso (em ordem de marcha) Capacidade máxima de carga

n.d. n.d. 1.482 mm 834 mm mm 14 litros 186 kg n.d.

Dados de fábrica Potência específica Relação peso-potência Relação peso-torque Consumo/autonomia média

135,95 cv/l 1,53 kg/cv 16,60 kg/kgf.m 21 km/l/295 km

134 anuário 2022

A

KTM vem aprimorando a Duke para vestir seu inconfundível DNA na categoria naked de média e alta cilindrada, o resultado é refletido nesta 890 Duke R. Fiquei impressionado com sua dualidade, já que pode ser uma motocicleta dócil, de baixo consumo e pouca vibração, proporcionando muita agilidade em meio ao trânsito da cidade, embora sua sede seja por pistas bem asfaltadas, onde ela mostra suas virtudes com o poderoso motor de 121 cv. As suspensões são ao mesmo tempo eficientes na tocada forte e confortáveis para passeios despretenciosos. Um conjunto campeão.

CORes

Preço

Conclusão

12.549 euros



KTM • 390 Duke Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

375 cm³ 44 cv 9.000 rpm 3,8 kgf.m 7.000 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e ABS Disco ABS

KTM • 890 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar, OHC I 2 válvulas 4 marchas, transmissão corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

899 cm³ 105 cv 8.000 rpm 10,2 kgf.m 6.600 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco ABS

KTM • 890 R Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar, OHC I 2 válvulas 4 marchas, transmissão corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

136 anuário 2022

899 cm³ 105 cv 8.000 rpm 10,2 kgf.m 6.600 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco ABS



Triumph Criada para mudar referências A nova Tiger 1200 foi criada para ser a melhor e a mais ágil motocicleta aventureira do mundo. Para isso os engenheiros ingleses se debruçaram sobre o projeto e melhoraram a moto em todos os aspectos. O motor, como não poderia deixar de ser, é o tradicional três cilindros paralelos que ganhou muito fôlego com a adoção do sistema T-Plane, que lhe rende uma entrega brutal de torque desde baixas rotações, sem perder o brilho em alta rotação. A ciclística da nova Tiger 1200 também foi aprimorada e seu peso, reduzido. A ergonomia foi revista para melhorar a pilotagem e aumentar o nível de conforto. Mais estreita, mais leve e muito mais fácil de ser pilotada,

138 anuário 2022

estas são as armas que a Triumph implementou na nova TIger. Ela sobe de nível e oferece ao motociclista uma pilotagem fácil e fluida, tanto no asfalto quanto no off-road, independentemente do grau de dificuldade da trilha e da aptidão do piloto. Você também pode esperar muita tecnologia embarcada para ajudar na pilotagem e aumentar o nível de segurrança da moto. O gerenciamento eletrônico pela IMU de seis eixos oferece uma série de ajustes na entrega de potência e de outros parêmetros para melhorar a segurança em condições críticas ou adaptar a moto ao gosto do piloto. A Triumph criou a nova Tiger 1200 para ser a nova referência entre as motos aventureiras de alta cilindrada.


Quer saber mais? Leia o QR Code e cadastre-se para mais informações

Triumph Tiger 1200 A nova Tiger 1200 foi estrategicamente mostrada durante seu desenvolvimento para aguçar a curiosidade dos motociclistas e dos apaixonados por aventura mundo afora. A Tiger 1200 é o carro-chefe da Triumph e vai dar o que falar. Mesmo sem detalhar os recursos tecnológicos durante as aparições, a movimentação nas redes sociais e o barulho causado pela nova Tiger 1200 foram grandes. Ela deve se transformar em mais um sucesso de vendas inglês. Parece que o esforço em torná-la a melhor e mais fácil maxitrail do mercado vai ser reconhecido.

• Motor 1.200 cm³ anuário 2022 139


Triumph Faça parte do mundo Triumph A Trident 660 é um marco histórico da Trimph. Agora a marca inglesa entra no segmento das roadster de média cilindrada para dominar uma das categorias mais dinâmicas e emocionentes do mercado mundial. O cuidado com os detalhes foi total, o design é minimalista e funcional, as formas compactas oferecem um encaixe perfeito do piloto na moto para uma condução segura e confortável, mas sem descuidar da esportividade para quem procura mais diversão. Para isso, os engenheiros britânicos desenharam mais um tradiconal motor de três cilindros capaz de empolgar pela pegada e pelo inigualável som que emana do escape minimalista. O caráter do motor é ímpar, tem

140 anuário 2022

pegada forte em baixos giros com torque linear e abundante com 90% dos 6,5 kgf.m de torque máximo disponíveis na maior parte da faixa de rotação. Também se destacam na Trident 660 a agilidade e a facilidade na condução, quesitos que a tornam líder na categoria. Com ela os novos motociclistas vão se sentir confiantes para se divertir, já que os recursos eletrônicos de segurança foram incorporados para melhorar a experiência de pilotagem. O banco baixo e estreito oferece ao piloto mais mobilidade e segurança na hora da parada. A Trident 660 é, sem dúvida, a moto para quem quer entrar no mundo da Triumph pela porta das roadster de média cilindrada.


trident 660 A Trident 660 nasceu cheia de virtudes para seduzir novos motociclistas que admiram a marca e que buscam uma motocicleta compacta, ágil, de tocada simples, mas também não abrem mão de tecnologia e desempenho. Os engenheiros da Triumph se empenharam e criaram uma motocicleta que cativa sensorialmente. Começando pelo design, passando pelo pequeno volume e finalmente pelo entusiasmante som de seu motor de três cilindros e 81 cv de potência máxima. Um convite para você entrar no mundo Triumph.

• Motor 660 cm³ • Potência 81 cv a 10.250 rpm • Torque 6,5 kgfm a 6.250 rpm anuário 2022 141


No trânsito, sua responsabilidade salva vidas.

NOVA TIGER 1200 MAIS LEVE E PODEROSA A palavra “transformação” simplesmente não é suficiente. Projetada para entregar a aventura definitiva em pilotagem de grande capacidade, a incrível Tiger 1200 traz o que há de melhor em uma família de motocicletas totalmente nova. Agora significativamente mais leve do que sua concorrente mais próxima, com uma transformação surpreendente em peso, a nova 1200 combinará a vantagem do motor triplo com uma agilidade, controle e pilotagem líderes na sua categoria.

Quer saber mais? Leia o QR Code e cadastre-se para mais informações.

Saiba mais em: triumphmotorcycles.com.br @triumphbr

@TriumphMotorcyclesBrasil

triumphmotorcyclesbr



teste Triumph Trident 660

144 anuário 2022


A nova porta de entrada inglesa para as naked A Triumph lança uma moto de filosofia básica e simplificada para lutar com os modelos mais vendidos, como Kawasaki Z 650 e Yamaha MT-07. Em breve devemos tê-la por aqui Texto pepe burgaleta Fotos jaime olivares Edição Alexandre Nogueira

anuário 2022 145


teste Triumph Trident 660

A

Triumph se lança para conquistar um novo segmento com a Trident, mas mantendo a filosofia básica da marca. Uma moto simplificada para lutar diretamente com os modelos mais vendidos, como a Kawasaki Z 650 ou a Yamaha MT07, as rainhas do segmento médio e, certamente, ela também deve chegar por aqui. A Triumph tem um motor realmente notável, o tricilíndrico que foi lançado com a Street Triple e a Daytona 675 foi bastante bem-sucedido e, desde seu lançamento, capaz de impulsionar todos os tipos de motocicletas esportivas, e até mesmo dar o pulo para a MotoGP, para se tornar o motor da categoria Moto2, substituindo o venerável motor de quatro cilindros em linha da Honda CBR 600RR, e ainda ser capaz de melhorar os tempos ano após ano, inclusive quebrando recordes. Sua versatilidade é evidente pelo fato de que os motores da Moto2 são mais potentes e chegam a 123 cv, enquanto o motor desta Trident declara 81 cv a 10.300 rpm. Com este cartão de visita, a nova Triumph já promete.

crossover A Trident é realmente simples e tem intervalos de revisão mais longos que as rivais, o que reduz o custo de manutenção. As suspensões são básicas, e não há eletrônica para trabalhar. A Triumph oferece um amplo catálogo de acessórios para equipá-la como melhor lhe convier, com muitas opções para estética e para aumento de desempenho

Concorrência madura

No entanto, o terreno em que a Trident pretende entrar já está bastante maduro, pois os modelos de maior sucesso foram evoluindo e alcançando o equilíbrio exato entre preço, desempenho e nível de equipamentos que seus clientes exigem. Para chegar lá e ter sucesso era preciso um produto perfeitamente adaptado, e a Triumph conseguiu fazer isso, obrigada a lutar com uma arma diferente, seu motor. Enquanto suas principais rivais equipam as máquinas da categoria com motores de dois cilindros com as mais variadas configurações, a Triumph oferece mais um, com suas vantagens e desvantagens. É claro que não há uniformidade, porque encontramos o bicilíndrico paralelo tradicional com defasagem de 180° entre as bielas, como o da Kawasaki Z 650, o Crossplane de 270°, na Yamaha MT-07, e o V-Twin a 90°, da Suzuki SV, que não está mais por aqui, então o tricilíndrico aumenta a lacuna com sua particularidade no funcionamento.

Tecnicamente

O chassi de alumínio de suas irmãs tornou-se de aço, com uma estrutura simples, mas eficaz, e as suspensões e os freios são mais simplórios. No entanto, foi alcançado um conjunto homogêneo e atraente, porque seu design é totalmente particular, um sucesso dos artistas da marca britânica. Os 81 cv de potência que a Triumph declara são mais do que os de suas rivais, mas o melhor desse três cilindros, do qual poderia ter sido extraído ainda mais, é seu modo de operação. Para a reduzir a potência, os engenheiros buscaram se concentrar em alcançar uma 146 anuário 2022

O painel de instrumentos da Trident é um exemplo de como projetar um sistema claro e conciso em um espaço confinado, tem todas as informações que você precisa com fácil visualização e um navegador na parte inferior


compacta O comportamento dinâmico segue a filosofia da Triumph

anuário 2022 147


teste Triumph Trident 660 O painel digital simula perfeitamente o analógico, as informações são acessadas pelo punho esquerdo

Garfos invertidos não têm regulagens, e as pinças são axiais de dois pistões

equilibrada O motor é o mais potente da categoria, e o chassi permite uma tocada esportiva

148 anuário 2022

O chassi de aço tem o motor como parte da estrutura e é bem estreito, isso facilita o apoio das pernas no chão

O motor deriva da Street Triple, mas foi profundamente remodelado para a nova proposta

A traseira curta e as setas junto ao suporte de placa instalado na balança realçam a simplicidade

A balança bilateral é de aço, e o amortecedor só tem regulagem na pré-carga da mola


1 2

3 4

5

1 A iluminação é total LED, e o farol integra uma luz de posição diurna 2 O motor de 660 cm³ tem características exclusivas para a proposta 3 Os garfos invertidos Showa se complementam com duas pinças de duplo pistão 4 O amortecedor traseiro só se ajusta na pré-carga da mola 5 No punho esquerdo se encontra o joystick que maneja as opções do painel que inclui um navegador

curva de torque muito plana, que mantém valores próximos ao máximo na maior parte de sua faixa de operação. Uma peculiaridade é que o desempenho cresce de repente, para que você encontre um motor de caráter mais animado precisamente em velocidades mais baixas, para estabilizar depois. Este torque tão plano permite que você esqueça a mudança de marchas. Outra característica desta motocicleta é o seu tamanho compacto. Já parece pequena aos olhos, impressão confirmada quando você monta nela. Mãos, pés e assento são suportados ao longo de um comprimento menor que o de costume, e você se sente bem encaixado. A posição é confortável, e o assento é baixo, o que vai abrir a motocicleta para o segmento feminino, algo que contribui para a boa sensação do motor e a suavidade dos controles, para que, na cidade, comporte-se maravilhosamente. A simplicidade do chassi não é transportada ao comportamento, algo que acaba sendo comum na categoria. Pode não haver tanto alumínio quanto na Street Triple, nem ajustes nas suspensões ou uma balança monobraço semelhante às de corrida, mas a Trident é estável e ágil, tem suspensões firmes e freios conforme o necessário. As virtudes são mais do que corretas, com velocidade máxima próxima dos 200 km/h, arrancadas e retomadas notáveis. Além disso, como o motor não titubeia em nenhum regime de rotação, ele parece realmente fácil de manusear, entende-se perfeição imediatamente auxiliada pelo toque no acelerador eletrônico, que tem uma atuação muito suave. As formas compactas da Trident têm suas vantagens em seu comportamento dinâmico, mas também algumas desvantagens, principalmente rodando por estradas, onde o vento lhe açoita quando você decide ir rápido, e no caso de você decidir estar acompanhado, porque, embora o passageiro tenha certo espaço, tem pouco apoio. Não há muito espaço para carregar bagagem, a parte traseira é curta, e o tanque de combustível relativamente alto. Na verdade a Trident, como o resto do segmento a que pertence, é uma motocicleta para uso diário com muita praticidade, e com possibilidade de demonstração do seu valor também na tocada esportiva, sem que você pretenda alcançar sucesso na pista. É claro que ela não perdeu seu caráter esportivo, primeiro porque o motor permite que você tenha saídas de curvas impressionantes graças à sua ampla curva de torque e, em segundo lugar, o chassi se adapta às mudanças que a condução esportiva provoca. Os garfos não são multiajustáveis, mas equilibram muito bem conforto com resistência à flexão durante a frenagem. anuário 2022 149


teste Triumph Trident 660

tradição O enorme emblema no tanque chancela a tradição da marca britânica

Rivais Kawasaki Z 650 649 cm³ | 68 CV | 187 kg | 7.399 €

Suzuki SV 650 645 cm³ | 77 CV | 195 kg | 7.195 €

Yamaha MT-07 689 cm³ | 74 CV | 184 kg | 6.999 € 150 anuário 2022

O guidão não é excessivamente largo, e você pode se apoiar nele em todas as fases da condução, mesmo quando você ataca curvas. A geometria é suficientemente rápida para você pendular decisivamente, sem causar instabilidade. Os pneus Michelin Pilot Road 5.3 não são especialmente rápidos, mas têm boa aderência e toque, especialmente em climas tão frios como o que tínhamos na ocasião deste teste. A traseira da moto é algo mais crítico, o que é normal quando o custo é um fator fundamental. A configuração de ajuste de pré-carga é válida para regular a altura, mas, nas saídas de curvas a todo gás, a parte traseira acaba cedendo irremediavelmente. O sistema de ajuda eletrônica começa com controle de tração, e se você acelera decisivamente, verá como ele cumpre sua função. A Trident é divertida porque se move bem de um lado para o outro, que, sem dúvida, é o centro nervoso desta motocicleta, e sua grande vantagem, com respeito às suas rivais mais próximas equipadas com motores de dois cilindros. Não tem o comportamento de um quatro cilindros com tudo concentrado na segunda metade do regime de rotações, mas, acima de tudo, é a distinção da motocicleta britânica contra as japonesas, no que diz respeito ao seu estilo. A Triumph deixa isso claro em sua decoração com o enorme Union Jack em um dos grafismos. Outro aspecto em que a empresa inglesa teve cuidado foi no preço, apesar desse cilindro extra estar na mesma ordem de magnitude do que suas principais rivais. A Triumph Tridente custa 7.999 euros na Europa, um pouco mais do que suas rivais, a Yamaha MT-07 é a mais barata, custa 7 mil euros e tem a melhor relação custo-benefício. A Z 650 custa 7.399 ou 7.499 euros, e a Suzuki SV 650 é vendida por 7.158. A verdade é que a Triumph mais do que amortizou o desenvolvimento desta moto, mas o mesmo pode ser dito de suas rivais, que, em alguns casos, começam com melhor equipamento.


Ficha técnica Banco de potência

Dados de fábrica MOTOR Tipo Tricilíndrico em linha DOHC Arrefecimento A líquido Válvulas 12 Alimentação Injeção eletrônica Cilindrada 660 cm³ Diâmetro x curso do pistão 740 x 51,1 mm Taxa de compressão 12,0:1 Potência máxima 81 cv a 10.250 rpm Torque máximo 6,5 kgf.m a 6.250 rpm transmissão Embreagem Câmbio Secundária

Multidisco banhada a óleo 6 marchas Corrente

chassi Tipo Balança Cáster/trail

Tubular em aço Bilateral em aço 24,6°/107,3 mm

suspensão Dianteira Curso Regulagens Traseira Curso Regulagens

Garfo telescópico invertido 41 mm 120 mm Sem regulagem Monoamortecedor 134 mm Pré-carga da mola

freios Dianteiro Disco duplo 310 mm Pinça Nissin de 2 pistões com ABS Traseiro Disco 255 mm Pinça 1 Nissin de 1 pistão com ABS pneus Modelo Dianteiro Traseiro

Resultados obtidos no dinamômetro de MotorPress Ibérica MOTOCICLISMO

CV 80

Nm 100

70

90

81 cv a 10.250 rpm

60

80

50 40

70

30

60

20

6,5 kgf.m a 6.250 rpm

10

50

0

40 1

!

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

O motor tem uma excelente curva de torque, e a eletrônicarpm alcançou uma eficiênx 1.000 cia impensável. O torque sobe como uma bala até as 3.500 rpm, mas vai muito estável até a faixa de corte

Michelin Pilot Road 5.3 120/70 R17 180/55 R17

medidas Comprimento Largura Entre-eixos Altura do assento Distância mínima do solo Capacidade do tanque Peso (em ordem de marcha) Capacidade máxima de carga

n.d. 795 mm 1.401 mm 805 mm n.d. 14 litros 189 kg n.d.

Dados de fábrica Potência específica Relação peso-potência Relação peso-torque Consumo/autonomia média

122,72 cv/l 2,33 kg/cv 29,07 kg/kgf.m 21 km/l/295 km

CORes

Preço

7.995 euros

Conclusão

A

Triumph decidiu entrar em um segmento que é tudo, menos um nicho. É um dos grandes pedaços de bolo do mercado, e nele você tem que jogar com as mesmas armas que o resto. A exclusividade, o nome e o sentimento podem desempenhar certo papel, mas o valor pelo dinheiro é mais. Argumentos não faltam, a diferença é escassa, e ela tem mais poder do que as outras, um motor de três cilindros de funcionamento suave, sem vibrações e de respostas francas a qualquer regime. A estética também é um diferencial da marca inglesa. A Triumph conseguiu um conjunto perfeitamente integrado, mais compacta que as rivais, mas divertida, estável e espetacular pelo seu motor.

anuário 2022 151


triumph Triumph • Bonneville T100 Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 8 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

900 cm³ 65 cv a 7.400 rpm 8,1 kgf.m a 3.750 rpm Berço duplo Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Triumph • Street Scrambler Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 8 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

900 cm³ 65 cv a 7.400 rpm 8,1 kgf.m a 3.750 rpm Berço duplo Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Triumph • Speed Twin Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.200 cm³ 97 cv a 6.750 rpm 11,4 kgf.m a 4.950 rpm Berço duplo Bengalas invertidas Duplo amortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Triumph • Street Twin Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 8 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 152 anuário 2022

900 cm³ 65 cv a 7.500 rpm 8,1 kgf.m a 3.800 rpm Berço duplo Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS


Triumph • Scrambler 1200 Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.200 cm³ 90 cv a 7.250 rpm 11,2 kgf.m a 4.500 rpm Berço duplo Bengalas invertidas Duplo amortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Triumph • Bonneville T120 Black Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.200 cm³ 80 cv a 6.550 rpm 10,7 kgf.m a 3.500 rpm Berço duplo Bengalas convencionais Duplo amortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Triumph • Bonneville Bobber Black Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar, OHC I 2 válvulas 4 marchas, transmissão corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.200 cm³ 77 cv a 6.100 rpm 10,8 kgf.m a 4.000 rpm Berço duplo Bengalas convencionais Duplo amortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Triumph • Trident 660 Tricilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeçõ eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

660 cm³ 81 cv a 10.250 rpm 6,5 kgf.m a 6.250 rpm Perimetral em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS anuário 2022 153


triumph Triumph • Rocket 3 Tricilíndrico longitudinal I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas, 6 marchas, transmissão por eixo cardã I Injeção eletrõnica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

2.458 cm³ 167cv a 6.000 rpm 22,5 kgf.m a 4.000 rpm Tipo diamond em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Triumph • Street Triple RS Tricilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeçõ eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

765 cm³ 123 cv a 11.750 rpm 8 kgf.m a 9.350 rpm Dupla viga em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Triumph • Tiger 900 Rally Pro Tricilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeçõ eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

900 cm³ 95,2 cv a 8.750 rpm 8,9 kgf.m a 7.250 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Doiso discos e ABS Disco e ABS

Triumph • Tiger 900 Rally Tricilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeçõ eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 154 anuário 2022

900 cm³ 95,2 cv a 8.750 rpm 8,9 kgf.m a 7.250 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Doiso discos e ABS Disco e ABS


Triumph • Tiger 900 Tricilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeçõ eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

900 cm³ 95,2 cv a 8.750 rpm 8,9 kgf.m a 7.250 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Doiso discos e ABS Disco e ABS

Triumph • Tiger Sport 660 Tricilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeçõ eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

660 cm³ 81 cv a 10.250 rpm 6,5 kgf.m a 6.250 rpm Perimetral em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Triumph • Tiger 900 GT Pro Tricilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeçõ eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

900 cm³ 95,2 cv a 8.750 rpm 8,9 kgf.m a 7.250 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Doiso discos e ABS Disco e ABS

anuário 2022 155


yamaha Yamaha Motor do Brasil A marca dos três diapasões – menção ao conhecido escudo com três diapasões sobrepostos – se estabeleceu no Brasil em 1970 com a Yamaha Motor do Brasil Ltda. Foi a primeira subsidiária da Yamaha fora do Japão e também a

WaveRunner (veículos aquáticos), 26 modelos de motores de popa e uma Rede com 446 concessionárias e pontos de venda autorizados e capacitados no atendimento e serviços com qualidade. Tudo para que, quando usarem seus

primeira fabricante de motocicletas a se instalar efetivamente no País. Já em outubro de 1974, passou a produzir em Guarulhos, São Paulo, o primeiro modelo nacional, a Yamaha RD 50. Em 1985 se estabelece em Manaus, Amazonas, com uma segunda unidade fabril, a Yamaha Motor da Amazônia Ltda. Hoje são 16 modelos de motocicletas fabricados no Brasil, 10 modelos

produtos, os clientes da marca sintam o mais puro e genuíno Kando*.

YAMAHA MT-03 HOMEM DE FERRO Em novembro de 2019, a Yamaha Motor do Brasil anunciou a inédita colaboração com a Marvel, associando o universo duas rodas ao do entretenimento Marvel, onde pessoas reais se tornam extraordinárias. Depois dos modelos Fazer 250 Capitã Marvel, Fazer 250 Pantera Negra e Lander 250 Capitão América, a Yamaha chegou ao quarto modelo Yamaha | Marvel, a MT-03 Homem de Ferro, com carenagem inspirada na armadura do Homem de Ferro,

* Em japonês, kando descreve os sentimentos simultâneos de profunda satisfação e intenso entusiasmo que experimentamos quando encontramos algo de valor excepcional. A associação da Yamaha MT-03 com o super-herói é perfeita e fica evidente no design agressivo do farol com projetor de LED, marca inconfundível da MT-03, que remete ao icônico reator presente nas armaduras do Homem de Ferro. O conjunto óptico dá sensação de velocidade, agilidade e leveza, características que ajudam qualquer herói a vencer seus desafios e ir além. Para ter uma MT-03 Homem de Ferro, é preciso ser rápido, já que apenas 480 unidades do modelo foram produzidas.

trazendo a cor vermelha como base e grafismos em dourado. É a combinação perfeita entre a ousadia e o design Master of Torque e a genialidade do Homem de Ferro - grande herói do universo Marvel. A nova edição especial da MT-03 Homem de Ferro é moderna, potente, ágil e incrivelmente divertida de ser pilotada, por isso se enquadra no contexto de que a mobilidade vai além de chegar a um destino, está relacionada a como se vive cada dia, a desafiar-se a apreciar cada pequeno momento da jornada. Avançar, repensar e transformar (ART for Human Possibilities), observando o entorno com atitudes positivas e infinitas possibilidades, assumindo o protagonismo de sua história.

• Motor 321 cm³ • Potência 42 cv a 10.750 rpm • Torque 3 kgf.m a 9.000 rpm 156 anuário 2022


YAMAHA NMAX HOMEM-ARANHA O novíssimo NMax Homem-Aranha é mais uma das novidades da inédita colaboração Yamaha | Marvel de 2021, fortalecendo o propósito da Yamaha de deixar a mobilidade cada vez mais prazerosa e divertida. O modelo exclusivo é limitado a 520 unidades e tem cores e grafismos inspirados no traje do herói da Marvel. O vermelho é predominante e os detalhes remetem ao icônico símbolo da aranha e às teias, que dão agilidade ao Homem-Aranha.

O NMAX Homem-Aranha tem ainda um prático câmbio automático, sistema Smart Key, que por aproximação permite ligar a moto, e tomada 12V – ideal para carregar o celular ou até mesmo conectar um GPS. O assento é confortável para quem pilota e para o garupa, além de contar com grande espaço de armazenagem sob o assento e porta-objetos com tampa. Outra vantagem do NMax é o amplo apoio dos pés, que permite ao condutor escolher a posição de pilotagem que mais o agrada. Tudo isso prova que o Homen-Aranha não podia ter feito melhor escolha.

No quesito força e agilidade o NMAX Homem-Aranha surpreende por ser o mais potente da categoria, com 15,4 cv e 160 cm3, e repleto de tecnologia e facilidades para acompanhar o ritmo de quem o comanda. Ele é fácil de pilotar, o que o torna uma ótima opção para iniciantes, é estável e incrivelmente ágil. Possui freios ABS nas duas rodas, painel 100% digital, farol e lanterna em LED, além do mais avançado sistema Stop & Start, que desliga o motor quando se para o scooter, religando-o automaticamente ao acelerar. O comando de válvulas variável (VVA) permite conciliar o maior desempenho com economia de combustível.

• Motor 160 cm³ • Potência 15,4 cv a 8.000 rpm • Torque 1,4 kgf.m a 6.500 rpm

anuário 2022 157


yamaha YAMAHA FAZER FZ25 ABS A Fazer FZ25 ABS chegou recentemente de cara nova e representa todo o pioneirismo e avanço que a Yamaha traz ao segmento de motocicletas urbanas de média cilindrada, sempre antecipando tecnologias. Presente no mercado brasileiro há 16 anos, com mais de 400 mil unidades comercializadas, o modelo foi o primeiro da categoria a ter injeção eletrônica, a trazer a tecnologia flex de combustível, a contar com freio a disco na roda traseira e a ser equipado com sistema de freios ABS de série nas duas rodas. Atualmente, é a motocicleta com freios ABS mais vendida do Brasil! Na sua versão anterior, a Fazer FZ25 já havia sido a primeira no segmento com farol de LED, e agora nessa versão 2022 o conjunto óptico está ainda mais avançado, com o novo farol com projetor de LED de última geração que ilumina de maneira muito mais eficiente. Integrado ao conjunto, temos também a inclusão do DRL (Daytime Running Light - Luz de rodagem diurna), também em LED. O design da Fazer FZ25 ABS está ainda mais surpreendente. A remodelação da carenagem frontal, os

As qualidades que conquistaram o respeito e a

novos grafismos e as novas cores reforçam seu visual

admiração de milhares de motociclistas permanecem,

agressivo e esportivo. Além disso, o lampejador de farol

como a notável agilidade, a pilotagem confortável e com

ganhou um novo posicionamento, garantindo mais

toque de esportividade e, sobretudo, a durabilidade do

conforto e segurança para o condutor, facilitando o

motor 250 cm3 da Yamaha já consagrado pelo

acesso durante a pilotagem.

motociclista brasileiro.

• Motor 249 cm³ • Potência 21,3 cv a 8.000 rpm • Torque 2,1 kgf.m a 6.500 rpm

YAMAHA LANDER 250 ABS Impossível não se render ao visual da Lander ABS. Imponente e moderno, ele foi inspirado no conceito de movimento dinâmico, que traz agilidade e leveza. É robusto e agressivo, com dianteira marcante e tanque imponente, remetendo à XT660R. Essa inspiração na icônica big trail fica evidente em detalhes como o conjunto formado pelo para-lama dianteiro, carenagem que envolve o farol e os protetores dos amortecedores, e também as abas do tanque. A Lander ABS traz em seu DNA, desde o lançamento em

158 anuário 2022


Yamaha R3 O motociclista que se identifica com as motos carenadas de competição da Yamaha vai querer ser reconhecido quando estiver pilotando a R3. A Yamaha R3 é a esportiva capaz de acompanhar o motociclista todos os dias com desempenho e agilidade empolgantes. Totalmente remodelada, a nova R3 ganhou carenagens de menor arrasto aerodinâmico, com design inspirado na “família R” das icônicas YZF-R6 e YZF-R1, as quais além de deixá-la ainda mais bonita, trazem um ganho na velocidade final de 8 km/h em relação à versão anterior. A ergonomia está mais neutra e há mais espaço para o piloto se movimentar, graças ao novo desenho do tanque e à altura do guidão. A ciclística da R3 também foi aprimorada e sua capacidade de proporcionar uma pilotagem esportiva e segura melhorou com as novas

Essas são algumas das virtudes que tornam a R3 uma

bengalas invertidas e o novo amortecedor com sete

exelente opção para quem quer emoção e identificação

ajustes na pré-carga da mola. O melhor é que a R3 não

com o mundo das competições da Yamaha.

perdeu o bom nível de conforto, seja para rodar no trânsito urbano, seja em viagens por estradas sinuosas. O motor de dois cilindros paralelos, oito válvulas e refrigeração líquida também é importante protagonista no excelente desempenho da R3. Os números de potência e torque máximos, de 42 cv e 3 kgf.m, respectivamente, oferecem uma pegada excitante com respostas rápidas ao acelerador, com força em baixa e média rotações e capacidade de empolgar nos giros mais altos.

• Motor 321 cm³ • Potência 42 cv a 10.750 rpm • Torque 3 kgf.m a 9.000 rpm 2007, agilidade, economia e durabilidade, qualidades que

monocilídrico de 250 cm3, cuja robustez tem origem não

lhe garantiram o respeito e a admiração do consumidor

só no projeto consolidado, mas também na tecnologia

brasileiro.

empregada em sua construção, que utiliza componentes

Ela se destaca por garantir conforto em qualquer

nobres como pistão em alumínio forjado e cilindro

situação, seja no ir e vir do uso diário, seja nas viagens e

revestido de cerâmica. Este material é similar ao de

aventuras por caminhos ruins, graças às suspensões de

motos de competição, e com ele o atrito é reduzido,

longo curso e à ótima ergonomia que oferece um

dispersando o calor com mais eficiência.

agradável posicionamento de pilotagem, promovendo

A Lander tem ainda um tanque com capacidade para 13,6

um melhor encaixe do condutor à motocicleta.

litros de combustível, garantindo uma ótima autonomia,

A confiabilidade é outra marca registrada da Lander em

e painel digital completo que traz até indicadores de

seus quase 15 anos de mercado. Mérito do motor

consumo instantâneo e média de consumo.

• Motor 249 cm³ • Potência 20,7 cv a 8.000 rpm • Torque 2,1 kgf.m a 6.500 rpm anuário 2022 159


yamaha

YAMAHA XMAX ABS O XMAX ABS encanta logo à primeira vista. Seu design é

tomada 12V, pelo surpreendente espaço sob o assento –

premiado, uma verdadeira obra de arte. Em 2018, o sport

que comporta dois capacetes e mais –, sistema Smart

premium scooter da Yamaha faturou dois dos mais

Key, que por aproximação permite ligar a moto, e o painel

importantes prêmios de design do mundo. O Red Dot

multifuncional incrivelmente completo. Nele o

Design Awards, na categoria Design de Produto, e o iF

velocímetro e o conta-giros são analógicos, garantindo

Design Award, atribuído pela iF International Forum

maior apelo esportivo. Entre eles, um display digital em

Design, a mais antiga organização de design

LCD mostra uma lista enorme de funções, como marcador

independente do planeta.

de combustível, temperatura do motor, hodômetro total e

Sofisticado, harmonioso e ao mesmo tempo arrojado, o

parcial, consumo instantâneo e autonomia. Neste display

visual do XMAX ABS deixa claro o DNA típico da linha Max

são indicados o nível de carga da bateria, velocidade

de scooter.

média, temperatura ambiente, relógio, tempo de viagem

Repleto de qualidades que o colocaram em posição de

e até a troca da correia do CVT e do óleo do motor.

destaque na Europa, o XMAX ABS chegou ao Brasil para

O XMAX ABS impressiona não só pela estética e

atender ao público que busca um produto premium com

capricho em cada detalhe, mas também pela

requinte nos acabamentos, componentes e

esportividade, potência, conforto e segurança do ABS

funcionalidades.

nas duas rodas. Conta até com revisão preço fixo e

Ele se destaca pela proteção aerodinâmica do para-brisa,

quatro anos de garantia.

• Motor 250 cm³ • Potência 22,8 cv a 7.000 rpm • Torque 2,5 kgf.m a 5.500 rpm 160 anuário 2022


YAMAHA TRACER 900 GT A Yamaha Tracer 900 GT é perfeita para quem busca por

automático, bolha com regulagem de altura, tomada 12V,

uma motocicleta potente, moderna, confortável e muito

suspensões de fácil ajuste, controle de tração, quick shift

divertida. Graças à sua versatilidade, ela encara o uso

para trocas rápidas de marcha e um painel incrível que

diário, para ir e vir do trabalho, ao seu verdadeiro

traz tudo de que se precisa saber. Inspirado nas

território: as estradas e as grandes viagens.

superesportivas Yamaha, a tela colorida do painel é do

Verdade seja dita: além de competente, a Tracer

tipo TFT de alta definição e apresenta uma gama

900 GT também é dona de um design irresistível, com

completa de informações que podem ser customizadas de

linhas arrojadas que evidenciam a esportividade do

acordo com a preferência do piloto, inclusive a cor. São

modelo, facilmente notado no desenho do conjunto

elas os indicadores de marcha, combustível, posição do

formado por tanque de combustível, abas do radiador,

D-Mode (que são os 3 modos de potência do motor),

faróis e carenagem.

conta-giros, hodômetro total e parcial, média de

Outra prova de toda essa esportividade e também de

consumo, consumo de combustível instantâneo,

fôlego para encarar viagens de qualquer distância é o

contagem regressiva de quilômetros em “reserva”,

motor CP3 – Cross Plane 3 –, um tricilíndrico de 847cm3

temperatura do motor e ambiente. Além disso, ele conta

repleto de torque capaz de acelerações dignas de uma

com funções como luzes de funcionamento do sistema

superesportiva. Tudo isso com um ronco incrível que soa

quick shift e do controle de tração, piloto automático e o

como música.

mostrador digital que indica em qual modo o controle de

A Tracer 900 GT traz um enorme pacote de facilidades e

tração está selecionado ou se está desativado.

tecnologias que tornam a pilotagem mais confortável e

Com tudo isso, viajar com Tracer 900 GT é fácil. Difícil

segura. Ela é equipada com manoplas aquecidas, piloto

mesmo é só escolher qual cor comprar.

• Motor 847 cm³ • Potência 115 cv a 10.000 rpm • Torque 8,9 kgf.m a 8.500 rpm


CURTA LONGAS DISTÂNCIAS

As motocicletas Yamaha estão em conformidade com o Promot (Programa de Controle de Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares). SAC Yamaha: (11) 2431-6500 - sac@yamaha-motor.com.br - Central de Relacionamento com o Cliente: (11) 2431-6000 I Ouvidoria: 0800-774-9000 - ouvidoria@yamaha-motor.com.br. PRESERVE O MEIO AMBIENTE. PRODUZIDO NO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS. CONHEÇA A AMAZÔNIA. NO TRÂNSITO, SUA RESPONSABILIDADE SALVA VIDAS.


SE A JORNADA FOR TÃO OU MAIS PRAZEROSA QUE O DESTINO, VOCÊ ESTÁ NO CAMINHO CERTO

MOTOR YAMAHA CROSSPLANE

PAINEL DIGITAL DE TFT COLORIDO

ASSENTO AMPLO E BIPARTIDO

O CROSSOVER MAIS PREMIADO DESDE 2016

YAMAHA- MOTOR.COM.BR /YAMAHAMOTORBRASIL /YAMAHABRASIL


Apresentação Yamaha Fazer 150 UBS consagrada O conjunto preza pela confiabilidade mecânica aliada ao baixo consumo

164 anuário 2022


A boa receita continua A Yamaha Fazer 150 UBS une ótimo conjunto mecânico, baixo consumo de combustível e baixo custo de manutenção. Essas virtudes fazem dela uma ótima opção para o dia a dia Texto Alexandre Nogueira Fotos Renato Durães

A

Yamaha Fazer 150 foi a primeira motocicleta de 150 cilindradas comercializada pela marca dos diapasões no Brasil. Lançada em 2013, o modelo chegou para brigar com a consagrada Honda CG 150 Titan e passou a figurar como mais uma opção da Yamaha no segmento, pois à época ela tinha apenas a Factor 125 como representante na categoria. O visual da Fazer 150 é inspirado na irmã maior Fazer 250, com as abas laterais do tanque mais volumosas do que as da Factor 125 (inclusive com aletas para a passagem do ar), rodas de liga leve, painel digital com conta-giros analógico e design que remete à esportividade.

Versões e motorização

A Fazer 150 estava disponível na versão ED, mais despojada e sem o cavalete central, e a SED, mais sofisticada, com lentes das setas cristal, cavalete central e amortecedores traseiros com molas pintadas em amarelo. O modelo de entrada então passava a ser a Factor 125, uma versão básica com preço mais barato, de rodas raiadas e freio a tambor na dianteira. O motor da Fazer 150 é o mesmo monocilíndrico que conhecíamos. Refrigerado a ar, com 149,3 cm³, alimentado por injeção eletrônica, com tecnologia Blueflex, que entrega 12,4 cv a 7.500 rpm e 1,295 kgf.m de torque a 5.500 rpm quando abastecido com etanol, e 12,2 cv e 1,285 kgf.m, abastecido com gasolina. Os números são bem próximos aos da Factor 125 e seus 10,2 cv e 1,13 kgf.m, mas a Fazer proporciona uma pilotagem mais segura e confortável, com a diferença de potência bastante perceptível quando você vai encarar rodovias, enfrentar subidas, fazer ultrapassagens ou arrancar nos semáforos. Ela tem aquele pouquinho a mais que você precisa também para a tocada mais atrevida.

anuário 2022 165


Apresentação Yamaha KawasakiFazer Z900150 UBS Bem acertado, seu conjunto conseguiu aliar maior potência a bons números de consumo. No nosso teste, as médias foram acima dos 35 km/l com gasolina, com velocidade final de 119 km/h reais na estrada – chegando aos 136 km/h no painel digital, quando entra o corte do limitador de rotações

Componentes e tecnologia

O painel de instrumentos é completo, com bom contraste e um grande conta-giros analógico, é bem completo de informações, inclusive com indicação de pilotagem econômica e indicador de marcha, além das informações usuais de hodômetro com parcial. A qualidade dos componentes plásticos também salta aos olhos. A família de 150 cilindradas da Yamaha ganhou freios combinados em 2016. Na prática, o UBS, de Unified Brake System, funciona do mesmo modo do “combi-brake” da Honda e demais sistemas combinados, acionando o freio da roda dianteira quando o piloto pisa no pedal de freio traseiro, só que neste caso o acionamento é mecânico. Assim, a frenagem se torna mais eficiente e corrige o erro de frear apenas com a roda traseira, hábito comum especialmente dos motociclistas menos experientes. Atualmente, a Fazer é oferecida em versão única, que substitui a melhor equipada ESD. Sua versão simplificada é vendida como Factor 150. A Fazer preserva o nome como parte de seu maior requinte. Na prática são basicamente a mesma moto, compartilhando chassi, motor, freios e até rodas, guardando as diferenças para itens como acabamentos, painel, banco e guidão, por exemplo.

Virtudes e preço

O modelo de entrada das motos do segmento street da Yamaha é a Factor 125i UBS, com injeção eletrônica e rodas de liga leve. Seu preço é de R$ 11.790, já o da Factor 150 ED UBS é de R$ 12.590 e a Fazer 150 UBS é de R$ 13.690. Os principais pontos positivos da Yamaha Fazer 150 UBS são a facilidade de manutenção e a possibilidade de usar dois combustíveis, com muita economia e desempenho. Além disso, ela se destaca de algumas concorrentes da categoria pelo melhor nível de acabamento. Também ganha pontos pelo conforto, graças ao perfeito equilíbrio entre suspensões, banco e ergonomia bem natural. A Fazer 150 UBS é uma ótima opção entre as street no mercado nacional, com bom nível de equipamentos, robustez, economia e suporte da marca japonesa no Brasil. Qualidades que fazem dela uma das melhores opções dentre as motos de mesma cilindrada, especialmente para quem busca uma parceira fiel e confiável para enfrentar o dia a dia, aceitando qualquer solicitação sem reclamar. 166 anuário 2022

1

2 1 O painel com contagiros analógico é muito bonito e completo 2 A ponteira de escapamento tem uma proteção plástica 3 O freio traseiro a tambor é combinado com o disco dianteiro 4 O freio a disco dianteiro tem boa pegada para a proposta da moto

3 4


esportividade O visual é para quem não abre mão da esportividade, e o acabamento é impecável

Dados de fábrica

5

Monocilíndrico I arrefecido a ar SOHC I 2 válvulas I câmbio 5 marchas

5 6

A versão 2022 da Fazer 150 UBS está mais sóbria O assento é bem confortável para piloto e garupa 6

POSITIVO Design • Conforto • Economia PODERIA SER MELHOR • Preço de peça original •

Cilindrada 149 cm³ Potência máxima 12,2/12,4 cv a 7.500 rpm Torque máximo 1,3 kgf.m a 5.500 rpm Diâmetro x curso do pistão 57,3 x 57,9 mm Taxa de compressão 9,6:1 Quadro Diamond em aço Cáster 25°24’ Trail 86 mm Suspensão dianteira Garfo telescópico com 120 mm de curso Suspensão traseira Duplo amortecedor com 92 mm de curso Freio dianteiro Disco de 245 mm, pinça de 1 pistão Freio traseiro Tambor de 130 mm com UBS Modelo do pneu Metzeler ME Street Roda dianteira 2,75 - 18 Roda traseira 100/80 - 18 Medidas

Comprimento • 2.015 mm Altura do assento • 785 mm Tanque • 15,2 litros

Entre-eixos • 1.330 mm Largura • 735 mm Peso (seco) • 114 kg

Preço: R$ 13.690

anuário 2022 167


Apresentação Yamaha Fazer FZ25 ABS arrojada O design da FZ25 ficou mais moderno, e o novo farol é “invocado”

168 anuário 2022


Mudanças além do design

Quem olha para a nova Fazer FZ25 ABS pode se enganar e pensar que as mudanças são só visuais, mas elas foram além disso Texto Alexandre Nogueira Fotos Yamaha

A

Yamaha Fazer FZ25 ABS chega de cara nova para 2022. Após receber uma completa reestilização no final de 2017, a Fazer chega renovada para representar o pioneirismo que a Yamaha traz ao segmento de motocicletas urbanas e, assim, continuar seu caminho de sucesso no mercado brasileiro, visando expandir sua participação de mercado. O maior apelo da Fazer 250 quando foi lançada, em 2005, foi o inédito sistema de injeção eletrônica de combustível para uma moto equipada com motor de 250 cm³. Nos 16 anos de história, ela já vendeu quase 390 mil unidades. Ela foi a primeira da categoria a receber injeção eletrônica e a tecnologia Flex de combustível. A Fazer 250 ABS também foi a primeira moto da categoria a ser equipada com sistema de freios ABS de série nas duas rodas e é a motocicleta com esse sistema mais vendida do Brasil!

Acelerando

Já pudemos experimentar a novidade, e as qualidades que conquistaram a admiração dos motociclistas ficam ainda mais evidentes, como a notável agilidade, com uma pitada de esportividade, a ergonomia e pilotagem confortável, e sobretudo a confiabilidade mecânica do consagrado motor.

Nova assinatura

As mudanças estéticas na nova Fazer 250 são apenas a remodelação da carenagem frontal, os novos grafismos e as novas cores, que reforçam o visual agressivo dando à moto uma silhueta mais arrojada e futurista. O novo conjunto óptico total LED impressiona pela beleza e autenticidade, e principalmente pela eficiência. Ele conta com o DRL (Daytime Running Light), em português luz de rodagem diurna. Vale lembrar que a Lei do Farol Baixo (Lei nº 13.290/2016), que exige que todos os veículos transitem em rodovias estaduais e federais com o farol baixo ligado durante o dia e à noite, considera que o DRL substitui o uso do farol baixo.

anuário 2022 169


Apresentação Yamaha KawasakiFazer Z900FZ25 ABS O farol é de última geração, bifuncional, com luz baixa e luz alta projetadas num único projetor de LED de alta performance, e logo ao primeiro contato no passeio durante a noite o novo farol se mostra mais eficiente, oferecendo maior amplitude de luminosidade, com fachos de luz do farol baixo e alto mais homogêneos e abrangentes, iluminando uma área bem maior na frente da motocicleta. A lanterna traseira também é inteiramente em LED, mas as setas ainda usam lâmpadas convencionais. O painel é totalmente digital, e o destaque fica por conta dos novos indicadores de consumo instantâneo e médio.

Mudança mais profunda

O novo chassi mudou completamente e é o maior responsável pelos quatro quilos a menos no peso total da FZ25. Antes era do tipo berço duplo, agora passou a ser tipo diamond, com o motor fazendo parte da estrutura. Fabricado em tubos de aço, as mudanças no chassi procuraram melhorar a resistência e a rigidez do conjunto, bem como maior precisão na tocada. As suspensões aprimoraram o conforto. Na dianteira o garfo telescópico com tubos de 41 mm de diâmetro (na geração anterior eram de 37 mm) agora tem 130 mm de curso (antes com 120 mm) e na traseira o amortecedor único tem sete posições de ajuste para a pré-carga da mola. As rodas, de liga leve, agora têm dez raios e estão mais largas, passando de 2,15 para 2,5 polegadas na dianteira, e de 3 para 4 polegadas na traseira. Os pneus são os Pirelli Sport Demon nas medidas 100/80-17 na dianteira, e 140/70-17 atrás. O sistema de freios é composto por um disco de 282 mm e uma pinça de duplo pistão na frente, e disco de 220 mm com pinça de duplo pistão na traseira. O sistema garante frenagens potentes e seguras em curtos espaços. Destaque é o sistema de freios ABS nas duas rodas como item de série. O motor que equipa a Fazer 250 é o consagrado monocilíndrico de arrefecimento misto (ar e óleo) com 249,5 cm³ e com duas válvulas acionadas por comando simples no cabeçote SOHC (Single Over Head Camshaft). Esse motor gera 21,3 cv abastecido com gasolina e 21,5 cv abastecido com etanol, ambos atingidos a 8.000 rpm. O torque de 2,1 kgf.m a 6.500 rpm é o mesmo para os dois combustíveis. Outro detalhe que ajuda nesse desempenho positivo do motor é o sistema de injeção que segue o padrão de motos de alta cilindrada, com injetor de dez furos. Ela segue como o preciso e bem escalonado câmbio de cinco marchas. O consumo médio na cidade é de 30 quilômetros por litro, e o tanque de combustível comporta 14 litros, sendo 3,2 litros de reserva. A Fazer FZ25 ABS chega com três opções de cores, o azul metálico Racing Blue, o vermelho metálico Magma Red e o preto fosco Matt Black, e estará disponível nas Concessionárias Yamaha a partir da segunda quinzena de agosto, com preço sugerido de R$19.490 mais frete (exceto no estado de São Paulo). 170 anuário 2022

1

1 O painel digital é completo 2 O banco bipartido ganhou novas alças para o garupa

2

quase tudo em led Só os piscas mantiveram as lâmpadas tradicionais, farol e lanterna são de LED


chassi Agora o chassi é do tipo Diamond

Dados de fábrica Monocilíndrico I arrefecido a ar e óleo SOHC I 2 válvulas I câmbio 5 marchas Cilindrada 249,5 cm³ Potência máxima 21,3/21,5 cv a 8.000 rpm Torque máximo 2,1 kgf.m a 6.500 rpm Diâmetro x curso do pistão n.d. Taxa de compressão n.d. Quadro Diamond em aço Cáster 24,5° Trail 98 mm Suspensão dianteira Garfo telescópico com 130 mm de curso Suspensão traseira Monoamortecedor com 120 mm de curso Freio dianteiro Disco de 282 mm, pinça de 2 pistões ABS Freio traseiro Disco de 220 mm com ABS Modelo do pneu Pirelli Sport Demon Roda dianteira 100/80 - 17 Roda traseira 140/70 - 17 POSITIVO Design • Conforto • Economia PODERIA SER MELHOR • Tato do freio dianteiro •

dinâmica O bom acerto ciclístico da Fazer oferece dose de esportividade

Medidas

Comprimento • 2.015 mm Altura do assento • 790 mm Tanque • 14 litros

Entre-eixos • 1.360 mm Largura • 770 mm Peso (seco) • 140 kg

Preço: R$ 19.490

anuário 2022 171


yamaha Yamaha • Crosser 150 S ABS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 12,2 cv a 7.500 rpm 1,3 kgf.m a 6.000 rpm Berço semiduplo Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco

Yamaha • Crosser 150 Z ABS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 12,2 cv a 7.500 rpm 1,3 kgf.m a 6.000 rpm Berço semiduplo Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco

Yamaha • Lander 250 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249 cm³ 20,7 cv a 8.000 rpm 2,1 kgf.m a 6.500 rpm Berço duplo Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco

Yamaha • Neo 125 UBS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas câmbio tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 172 anuário 2022

125 cm³ 9,8 cv a 8.000 rpm 1 kgf.m a 5.500 rpm Underbone Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco UBS Tambor UBS


Yamaha • NMAX 160 ABS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 4 válvulas câmbio tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

155 cm³ 15,4 cv a 8.000 rpm 1,4 kgf.m a 6.500 rpm Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco ABS Disco ABS

Yamaha • Factor 125i UBS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

125 cm³ 11 cv a 7.500 rpm 1,2 kgf.m a 6.000 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco UBS Tambor UBS

Yamaha • Factor 150 ED UBS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 12,2 cv a 7.500 rpm 1,3 kgf.m a 5.500 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco UBS Tambor UBS

Yamaha • Fazer 150 UBS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 12,2 cv a 7.500 rpm 1,3 kgf.m a 5.500 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco UBS Tambor UBS


yamaha Yamaha • Fazer FZ25 ABS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249 cm³ 21,3 cv a 8.000 rpm 2,1 kgf.m a 6.500 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Yamaha • MT-03 ABS (Homem de ferro) Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

321 cm³ 42 cv a 10.750 rpm 3 kgf.m a 9.000 rpm Tipo diamond Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Yamaha • MT-03 ABS Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

321 cm³ 42 cv a 10.750 rpm 3 kgf.m a 9.000 rpm Tipo diamond Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Yamaha • MT-07 ABS Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 174 anuário 2022

689 cm³ 74,8 cv a 9.000 rpm 6,9 kgf.m a 6.500 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS


Yamaha • MT-09 ABS Tricilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

847 cm³ 115 cv a 10.000 rpm 8,9 kgf.m a 8.500 rpm Tipo diamond em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Yamaha • R3 ABS Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

321 cm³ 42 cv a 10.750 rpm 3 kgf.m a 9.000 rpm Tipo diamond Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Yamaha • Tracer 900 GT ABS Tricilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 12 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

847 cm³ 115 cv a 10.000 rpm 8,9 kgf.m a 8.500 rpm Tipo diamond em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Yamaha • TT-R 230 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

223 cm³ n.d. n.d. Berço semiduplo Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco Tambor anuário 2022 175


yamaha Yamaha • XMAX ABS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I SOHC 4 válvulas câmbio tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

176 anuário 2022

250 cm³ 22,8 cv a 7.000 rpm 2,5 kgf.m a 5.500 rpm Underbnoe Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS


+ marcas

anuário 2022 177


Haojue Haojue • DK 150 S FI Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 12,1 cv a 8.000 rpm 1,24 kgf.m a 6.000 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Tambor e CBS

Haojue • DR 160 FI Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

162 cm³ 15 cv a 8.000 rpm 1,43 kgf.m a 6.500 rpm Tipo diamond Bengalas invertidas Monoamortecedor DIsco e CBS Disco CBS

Haojue • Nex 115 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 4 marchas, transmissão por corrente I Injeção eeltrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

113 cm³ 9 cv a 7.500 rpm 0,92 kgf.m a 4.500 rpm Monobloco Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Tambor e CBS

Haojue • NK 150 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 178 anuário 2022

149 cm³ 12,1 cv a 8.000 rpm 1,24 kgf.m a 6.000 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Tambor


Haojue • Chopper Road 150 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 11,27 cv a 8.000 rpm 1,16 kgf.m a 6.000 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Disco e CBS

Haojue • Lindy 125 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 2 válvulas câmbio tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

124 cm³ 8,4 cv a 8.500 rpm 0,92 kgf.m a 7.000 rpm Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco Tambor

Haojue • Master Ride Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 8,9 cv 1,16 kgf.m Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Tambor e CBS

Haojue • DK 150 CBS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 12,1 cv a 8.000 rpm 1,24 kgf.m a 6.000 rpm Tipo diamond Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Tambor e CBS anuário 2022 179


Haojue Haojue • VR 150 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I DOHC 2 válvulas câmbio tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

180 anuário 2022

150 cm³ 10,8 cv a 7.000 rpm 1,17 kgf.m a 5.000 rpm Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Tambor e CBS


Kymco Kymco • Agility 16+ 200I ABS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas câmbio tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

163 cm³ 12,5 cv a 7.500 rpm 1,3 kgf.m a 5.500 rpm Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Kymco • AK 550i Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas câmbio tipo CVT, transmissão por correia I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

550 cm³ 51 cv a 7.500 rpm 5,2 kgf.m a 5.500 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Kymco • Downtown 300i ABS Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas câmbio tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

298 cm³ 32 cv a 8.000 rpm 3,07 kgf.m a 6.250 rpm Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Kymco • People GTi 300 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 4 válvulas câmbio tipo CVT I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

298 cm³ 28,6 cv a 7.500 rpm 3,07 kgf.m a 6.250 rpm Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS anuário 2022 181


Royal Enfield Royal Enfield • Continental GT 650 Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a ar e óleo I SOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

648 cm³ 47,6 cv a 7.250 rpm 5,3 kgf.m a 5.250 rpm Berço duplo Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Royal Enfield • Himalayan Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

411 cm³ 24,5 cv a 6.500 rpm 3,27 kgf.m a 4.250 rpm Berço duplo Bengalas Convencionais Monoamortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Royal Enfield • Interceptor 650 Bicilíndrico I 4T I arrefecimento a ar e óleo I SOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

648 cm³ 47,6 cv a 7.250 rpm 5,3 kgf.m a 5.250 rpm Berço duplo Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS

Royal Enfield • Meteor 350 Monocilíndrico I 4T I arrefecimento a ar I SOHC 2 válvulas 5 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro 182 anuário 2022

349 cm³ 20,2 cv a 6.100 rpm 2,5 kgf.m a 4.000 rpm Berço duplo Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e ABS Disco e ABS


Super Soco Super Soco • CPX Motor elétrico Bosch na roda I 4.000 W Potência máxima Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio Traseiro peso (1 / 2 baterias)

4.900 W Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Disco e CBS 115 / 135 kg

Super Soco • CUX Motor elétrico Bosch na roda I 1.300 W Potência máxima Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio Traseiro peso (1 / 2 baterias)

2.788 W Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Disco e CBS 68 kg

Super Soco • CU Motor elétrico Bosch na roda I 900 W Potência máxima Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio Traseiro peso (1 / 2 baterias)

1.200 W Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Disco e CBS 62 kg

Super Soco • TSX Motor elétrico Bosch na roda I 1.500 W Potência máxima Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio Traseiro peso

3.000 W Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e CBS Disco e CBS 65 kg

anuário 2022 183


Super Soco Super Soco • TC Max Motor elétrico Bosch na roda I 3.500 W Potência máxima Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio Traseiro peso

4.500 W Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e CBS Disco e CBS 105 kg

Super Soco • TC Motor elétrico Bosch na roda I 1.500 W Potência máxima Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio Traseiro peso

3.000 W Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e CBS Disco e CBS 70 kg

Super Soco • RU lll Motor elétrico Bosch na roda I 350 W Potência máxima Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio Traseiro peso (1 / 2 baterias)

184 anuário 2022

650 W Underbone Bengalas Convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Tambor e CBS 40 kg


Suzuki Suzuki • GSX-R 1000R Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

999,8 cm³ 202 cv a 500 rpm 12 kgf.m a 10.800 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Suzuki • GSX-S750A Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

749 cm³ 114 cv a 10.500 rpm 8,26 kgf.m a 9.000 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Suzuki • GSX-S1000A Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

999 cm³ 150 cv a 10.000 rpm 11,01 kgf.m a 9.500 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS

Suzuki • Hayabusa 3a Geração Tetracilíndrico I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 16 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.340 cm³ 190 cv a 9.700 rpm 15,3 kgf.m a 7.000 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Dois discos e ABS Disco e ABS anuário 2022 185


Suzuki

Suzuki • V-Strom 1050 XT Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1.037 cm³ 107 cv 10,5 kgf.m Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Discos e ABS Disco e ABS

Suzuki • V-Strom 650 XT ABS Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento a líquido I DOHC 8 válvulas 6 marchas, transmissão por corrente I Injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

Voltz

645 cm³ 71 cv a 8.800 rpm 6,32 kgf.m a 6.500 rpm Dupla trave em alumínio Bengalas invertidas Monoamortecedor Discos e ABS Disco e ABS

Voltz • EV1 Sport Motor elétrico Bosch na roda I 3.000 W Potência máxima Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio Traseiro peso (1 / 2 baterias)

4.500 W Underbone Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco e CBS Disco e CBS 120 / 133 kg

Voltz • EVS Motor elétrico Bosch na roda I 3.000 W Potência máxima Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio Traseiro peso (1 / 2 baterias)

186 anuário 2022

7.000 W Dupla viga Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco e CBS Disco e CBS 132 / 147 kg


mercado A caminho do milhão Em outubro houve queda nos emplacamentos em relação à setembro, mas tudo indica que o ano fechará com mais de um milhão de motos emplacadas O último levantamento dos emplacamentos divulgado pela Fenabrave até o fechamento deste catálogo foi o de outubro, no qual foram contabilizadas 97.023 lacrações, uma queda de 10,86% em relação a setembro. Embora o ano de 2020 tenha sido altamente prejudicado pela pandemia, em relação a ele o crescimento é mais

expressivo, de 29,05%. Isso significa que foram emplacadas 938.489 unidades neste ano, contra 727.224 motos em 2021. As projeções indicam que o setor de motocicletas deve fechar este ano com mais de um milhão de unidades emplacadas, mesmo com a crise no abastecimento de componentes. Ismael Baubeta

licenciamentos por moto

licenciamentos por marca

Variação Acum. Acum. Pos. Modelo Outubro/21 Setembro/21 % 2021 2020

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Honda CG 160 Fan / Start

18.530

20.354

- 8,9

138.684

191.287

Honda NXR 160 Bros

11.795

12.314

- 4,2

82.915

100.375

Honda Biz 125i

10.486

10.738

- 2,4

71.087

92.143

Honda Pop / 110i

9.081

9.524

- 4,6

67.518

82.878

Honda CG 160 Titan

8.313

7.767

7

54.810

63.477

Honda XRE 300

3.816

2.825

35,1

21.381

10.986

Honda CB 250F Twister

3.853

4.116

- 6,4

26.851

28.538

Honda Biz 110i

3.688

3.575

3,2

28.985

46.511

Honda Elite 125

2.436

2.638

- 7,6

14.327

14.024

Honda PCX

2.262

1.734

30,4

16.967

13.163

Yamaha YBR 150 Factor

2.203

3.336

- 34

20.848

22.518

Yamaha XTZ 150 Crosser

2.183

2.415

- 9,6

19.727

21.585

Yamaha YBR 125 Factor

1.294

1.604 - 19,3

8.545

16.864

Honda XRE 190

1.161

1.841 - 36,9

13.421

13.711

Yamaha Fazer FZ25

1.145

3.159 - 63,7

18.793

23.618

Yamaha XTZ 250 Lander

1.135

2.189 - 48,1

12.483

15.371

Yamaha Fazer 150

1.056

1.582 - 33,2

10.398

10.845

Yamaha NMax

838

1.647 - 49,1

10.609

12.488

Honda ADV

669

823 - 18,7

7.327

10.986

Yamaha Neo 125

621

911 - 31,8

7.587

10.845

Pos.

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Marca

Outubro Fecham. 2021 2021

2020

Honda

78.509 713.253

Yamaha Shineray BMW Kawasaki Royal Enfield Haojue Dafra Triumph Avelloz Harley-DaviDon Suzuki Ducati Voltz Bull Souza Kymco KTM Traxx Atman

12.057 164.786 141.922 1.416 11.046 7.613 924 9.994 10.453 791 7.570 8.378 652 5.310 2.404 629 6.514 9.112 400 4.301 3.281 383 3.922 4.895 311 2.306 1.698 215 1.906 3.737 119 1.480 2.293 89 838 1.072 77 645 62 495 523 36 514 549 35 448 526 33 316 515 31 301 534 18 325 368

total geral

96.787 936.270 911.366

711.493



FORJADA PELO VENTO ESCOLHIDA POR VOCÊ

. GARANTIA DE 4 ANOS DA LÍDER DA CATEGORIA . SUSPENSÃO INVERTIDA . PAINEL DIGITAL COM SHIFT LIGHT

A SUPERSPORT PARA TODOS OS DIAS

As motocicletas Yamaha estão em conformidade com o Promot (Programa de Controle de Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares). SAC Yamaha: (11) 2431-6500 sac@yamaha-motor.com.br - Central de Relacionamento com o Cliente: (11) 2431-6000 I Ouvidoria: 0800-774-9000 - ouvidoria@yamaha-motor.com.br. PRESERVE O MEIO AMBIENTE. PRODUZIDO NO POLO INDUSTRIAL DE MANAUS. CONHEÇA A AMAZÔNIA. NO TRÂNSITO, SUA RESPONSABILIDADE SALVA VIDAS.

YAMAHA- MOTOR.COM.BR /YAMAHAMOTORBRASIL /YAMAHABRASIL