Page 1

MOTO CATÁLOGO

ANUÁRIO 2018

www.motociclismoonline.com.br

O

O

116

Trail

páginas!

Cub

O

O

205

City

MOTOS

O

Scooter

Naked | Clássicas

DO BRASIL

O

Maxitrail

O

Esportiva

OS PRINCIPAIS LANÇAMENTOS MUNDIAIS E ALGUNS DOS MELHORES TESTES DA MOTOCICLISMO EM 2017

O

Custom

O

Touring

Anuário 2018

ISSN 2236-5613 R$ 16,50 00018

9 772236 561006


SUMÁRIO ESPECIAL Nº 18 Q 2018

ARTIGOS

Honda NXR 160 Bros

Apresentação da trail de 160 cm³ da Honda..... 12

Honda XRE 190

Um mês com a Honda XRE 190 ....................... 15

Honda SH 150i

Em detalhes, o scooter de 150 cm³ ................. 16

Honda CBR 1000 RR

Pneus - Vipal

A líder em reforma lança linha de pneu ......... 54

Equipamentos - Givi

Compromisso, segurança e satisfação ............. 56

CATÁLOGO

Cub .................................................................. 58 City .................................................................. 61

Impressões da superbike japonesa ...................20

Trail ................................................................. 68

Yamaha MT-03

Scooter .......................................................... 72

Supercity com a city de 300 cm³ ...................... 28

Yamaha MT-07 vs. XJ6

Acesse nosso site também pelo celular ou tablet usando o QR code abaixo

Naked | Clássica........................................ 78

Veja mais conteúdo exclusivo:

motociclismoonline.com.br Com atualização diária de notícias, tem sempre a motocicleta como tema, além de matérias de serviços e mercado. Acesse a galeria de imagens para ver mais fotos da edição impressa MOTOCICLISMO no Facebook

Comparativo entre as naked da Yamaha.......... 38

Maxitrail | Crossover ............................. 90

MOTOCICLISMO no Instagram

Yamaha Factor 150

Esportiva ...................................................... 97

MOTOCICLISMO no Twitter

Apresentação da utilitária da marca ................ 46

Yamaha YZ 450F

A nova cross 450, em detalhes .........................50 m 4 motociclismo

ANUÁRIO 2018

Touring ....................................................... 102 Custom ....................................................... 108

/motociclismomagazine motociclismo_br @motociclismo_br MOTOCICLISMO no Youtube

motociclismoonline


P L AY W I T H CO N T R O L . Novo Pirelli Diablo Rosso 3. Você está pronto para o próximo nível? Inédito controle na pilotagem desenvolvido no Campeonato Mundial de Superbikes. Pneu traseiro bi-composto com largas faixas laterais.


pirelli.com

Máxima precisão em cada curva e altíssimo nível de segurança em qualquer condição climática. Novo Diablo Rosso 3: transforma até a estrada mais difícil em pura diversão.


INTRODUÇÃO

ANUÁRIO 2018

www.motociclismoonline.com.br /motociclismomagazine /motociclismo_br motociclismoonline @motociclismo_br

2018, o ano da virada

C

hegamos à 20ª edição do Motocatálogo, o especial que preparamos todos os anos e no qual apresentamos praticamente todos os modelos à venda no Brasil e também as principais novidades internacionais. No total, nesta edição trazemos fotos e detalhes técnicos de 205 modelos divididos em nove categorias. Além disso, como você já está acostumado, reunimos algumas das principais avaliações de motocicletas publicadas na revista MOTOCICLISMO em 2017 e a apresentação de algumas das principais marcas de equipamentos, motopeças e acessórios do mercado. Começamos o ano com grande otimismo, e o entusiasmo só aumentou com a divulgação dos primeiros números de emplacamentos de motos novas em 2018. Tudo leva a crer que, depois de seis anos seguidos de retração, o mercado nacional de motocicletas voltará a crescer. Por aqui, seguimos acelerando! Equipe Motociclismo

\DIRETORIA \ Dudu Ribeiro dos Santos \dudu@autoshow.com.br Eduardo Ribeiro dos Santos \eduardo@matel.com.br Isabel Reis \isabel.reis@motormidiateam.com.br \REDAÇÃO \ gabriel.berardi@motociclismoteam.com.br marcelo.barros@motociclismoteam.com.br carlos.bazela@motociclismoteam.com.br andrea.guimaraes@motociclismoteam.com.br \COMERCIAL \ renato.vieira@motociclismoteam.com.br \MARKETING \ thomas.bento@crjbrasil.com.br \ASSINATURAS \ assinaturas@motociclismoteam.com.br \GRÁFICA \ Log&Print Gráfica e Logística Rua Joana Foresto Storani, 676 Distrito Industrial - Vinhedo, SP www.logprint.com.br \DISTRIBUIÇÃO \ Dinap Rua Kenkiti Shinomoto, 1678, CEP 06045-390 Osasco, SP \JORNALISTA RESPONSÁVEL \ Isabel Reis - MTB 17311 Motociclismo Especial ISSN 2236-5613. Publicação da Motor Mídia © Direitos reservados. \MOTOR MÍDIA \ Empresa de conteúdos, soluções digitais e eventos Rua Plínio de Morais, 394, Sumaré, São Paulo CEP: 01252-030 Fone: (11) 2888-5300

\PRODUTOS MOTOR MÍDIA \

Moto de Ouro 2018


HELIAR

Exceto linha PowerSports Dry Charged.

A bateria original de 9 em cada 10 motos.

A Heliar é líder absoluta nas montadoras. Com tecnologia AGM, é totalmente selada e vem pronta para uso. Instalou, ligou. Tudo isso para você ir muito além da partida.

*

MAIS CONFIANÇA

www.heliar.com.br / bateriasheliar MAIOR QUALIDADE

100% NACIONAL*

MELHOR TECNOLOGIA

MUITO ALÉM DA PARTIDA PARTIDA.

CAPACETE É A PROTEÇÃO DO MOTOCICLISTA.


APRESENTAÇÃO Honda NXR 160 Bros CBS

Bros mais segura

Depois da linha CG 160 2018, a Honda revelou a nova Bros 160, que ganhou freio combinado por R$ 230 Texto

Marcelo Barros Fotos

Caio Mattos

REFORÇO Visualmente é praticamente a mesma moto, mas na roda dianteira o sinal da evolução no freio com a nova pinça de três pistões da Nissin m 12 motociclismo

ANUÁRIO 2018

E

m agosto de 2014 estávamos em Indaiatuba, interior de São Paulo, no evento de lançamento da CG 150 Titan, modelo 2015, que ganhava o então inédito sistema de freio combinado, o CBS, ou Combined Braking System. O sistema de freio combinado difere do ABS, ou Anti-lock Braking System, o sistema de freio antitravamento. Enquanto o ABS atua para impedir o travamento das rodas na frenagem, o CBS trabalha distribuindo a força da frenagem entre o freio traseiro e o dianteiro quando o motociclista só aciona o pedal do freio. O sistema tem a função de corrigir o mau hábito dos motociclistas, que é sobrecarregar o freio traseiro, realizando frenagens pouco eficientes. Ao acionar o pedal traseiro em todo seu curso, o sistema aplica 100% da força do freio traseiro e mais 30% do freio dianteiro, o que já garante uma frenagem com estabilidade — lembrando que a ideal é


PADRÃO HONDA A Bros 160 é uma trail muito equilibrada. Boa para o ir e vir nas cidades com conforto e segurança

com os dois freios. No sistema da Honda o manete do freio dianteiro é totalmente independente do freio traseiro, ou seja, acionou só o dianteiro, freamos só a roda da frente. Naquela ocasião, aprovamos a eficiência do novo sistema, todo hidráulico, e perguntamos sobre a aplicação dele na trail Bros. Na época, afirmaram que para frenagem na terra o CBS não funcionava com a mesma eficiência, por isso não iriam aplicar. Não iriam, pois três anos depois voltamos ao mesmo local para testar a Bros 160 2018, que ganhou o CBS. Mas o que mudou de 2014 para cá? A diferença é que nesses três anos os engenheiros e pilotos de teste da marca conseguiram calibrar o sistema para que ele proporcionasse uma frenagem segura e estável também na terra. Mas, afinal, como ficou? Antes da nova, co-

meçamos andando na Bros 2017, realizando frenagens na terra e no asfalto e subimos em seguida na 2018, com CBS, para sentir a diferença. É como mágica! O ganho em estabilidade, principalmente em frenagens fora do asfalto — lembrando que as vias não asfaltadas ainda são maioria no Brasil — é nítido. Para não ter dúvidas, realizamos uma frenagem comparativa: a 60 km/h, com as duas versões (2017 e 2018) juntas, pilotos com peso equivalente e acionando apenas o freio traseiro com 100% de carga no pedal, onde atua o CBS na Bros 2018. O resultado impressiona. Se tivessemos motos alinhadas paralelamente às motos do teste, a Bros 2018 pararia seis motos antes da Bros 2017! Um modulador de pressão que não atua na traseira, só na dianteira, é a chave da fre-

O PAINEL manteve formato e disposição das informações, mas ganhou iluminação blackout, para melhor visualização OS FLEXÍVEIS do freio traseiro e dianteiro são totalmente independentes no sistema combinado

POSITIVO Ciclística t Conforto t Robustez NEGATIVO t Chave antiquada t Preço t

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 13


APRESENTAÇÃO Honda NXR 160 Bros CBS

SEGURANÇA Realizamos teste de frenagem comparando a Bros 2017 com a 2018 na terra e o ganho em eficiência é imenso!

Dados de fábrica Motor monocilíndrico, flex, arrefecido a ar OHC I 2 válvulas I câmbio de 5 velocidades Cilindrada Potência (gasolina/etanol) Torque (gasolina/etanol) Diâmetro x curso do pistão Taxa de compressão Quadro Cáster Trail Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro Modelo do pneu Roda dianteira Roda traseira MEDIDAS

Comprimento t 2067 mm Altura do assento t 842 mm Tanque t 12 litros

162,7 cm³ 14,5/14,7 cv a 8 500 rpm 1,46/1,6 kgf.m a 5 500 rpm 57,3 mm x 63 mm 9,5:1 Berço semiduplo de aço 27° 102 mm Garfo telescópico com 180 mm de curso, sem ajustes Monoamortecedor com curso de 150,3 mm, sem ajustes Disco de 240 mm Pinça de 3 pistões (CBS) Disco de 220 mm Pinça de 1 pistão Pirelli MT60 90/90 - 19" 110/90 - 17" Largura t 810 mm Entre-eixos t 1356 mm Peso seco t 121 kg

Preço R$ 11 990 (sem frete e sem seguro)

m 14 motociclismo

ANUÁRIO 2018

FREIO A Bros já tinha disco no freio traseiro e ganhou ainda mais eficiência com a ação combinada TORQUE O motor 160 tem menos potência e mais torque que na CG VERSÁTIL Mais alta que a CG e com mais conforto pelas suspensões longas, quem troca a CG 160 pela Bros não volta atrás... Trail é trail!

nagem combinada todo-terreno na Bros. Além do novo sistema, a moto ganhou novas cores e grafismo, e agora a balança traseira é pintada em preto. O painel manteve a disposição dos dados, mas ganhou o visual “blackout”, que melhora a leitura durante o dia. A Bros 160 pode ser a sua primeira (ou uma segunda) moto para o dia a dia, com baixo custo para manter e muita funcionalidade, principalmente se for um motociclista alto. A altura do assento é de 842 mm, contra 790 mm da CG. A posição é bem confortável e o conjunto trabalha com eficiência, movido pelos quase 15 cv de potência do motor monocilíndrico de 162,7 cm³. Na medida para o uso urbano. A Bros 2018 terá além da versão CBS uma versão com freio a tambor nas duas rodas, sem a ação combinada, como na CG 160 Start 2018 e sem o sistema flex. Sinal de que ainda existe em algumas regiões dificuldade do concessionário Honda em vender as versões mais completas e seguras — problema que a Yamaha também sofre. A Bros “pelada” manteve o preço de R$ 10 190 e a com CBS custa R$ 11 990, um acréscimo de R$ 230 sobre a versão ESDD 2017. Pela melhoria na frenagem (e segurança), saiu bem barato.


TESTE DO MÊS HHonda XRE 190

Texto

Marcelo de Barros Fotos

Rafael Munhoz

Deciframos a polêmica XRE 190 Lançada para ser o meio-termo entre Bros 160 e XRE 300, a nova trail da Honda é a medida certa para andar à vontade na cidade

ABS NA MEDIDA Muita gente não entendeu porque o ABS da XRE 190 é apenas na roda dianteira. A resposta é simples: ele é suficiente!

N

os primeiros meses da trail Honda XRE 190 no mercado, uma palavra muito associada a ela foi... Polêmica! Por isso, fizemos um teste do mês para dar o nosso veredito! Mesmo com uma estratégia coerente (e honesta) de ser o meio-termo entre Bros 160 e XRE 300, muita gente reclamou do preço. A crítica é justa? Temos uma realidade econômica no Brasil em que é difícil encontrar uma moto que todos digam que tem bom preço, e, dentro dos valores praticados no nosso mercado, podemos dizer que a XRE 190 tem um ótimo custo-benefício. Por quê? Porque além do belo conjunto,

mais encorpado, tem freio ABS que melhora muito a segurança nas frenagens. Mesmo sendo só na roda dianteira, é alternativa para motos de baixa cilindrada com eficiência comprovada — e que reduz o preço final. Se analisar a diferença de preço entre a Bros 160 ESDD e a XRE 190 (exatos R$ 1 500) , é difícil não optar pela XRE. Não viajamos com ela — porque a XRE 300 é a correta para isso —, mas na cidade (e na terra), ela foi tão bem quanto a 160, sem a sensação de forçar o motor — lembrando que, acelerando menos, se consome menos combustível —, com mais conforto, prazer pela boa posição de pilotagem, agilidade e mais segurança extra do ABS nas frenagens. O consumo com gasolina foi de 34 km/l e, mesmo com garupa, o desempenho é satisfatório e a moto não fica limitada no uso diário. A única ressalva é que a suspensão traseira poderia ser um pouco mais rígida, ou ter ajuste de pré-carga disponível para ficar 100% boa mesmo com passageiro. Em resumo, a Honda caprichou nesse projeto — faça um test ride — e ousou ao aplicar o ABS, aumentando a segurança, mas... O brasileiro ainda não entendeu sua real importância em uma moto. A tendência é que outras trail surjam com esse ABS apenas na roda dianteira e a XRE 190 será lembrada como a pioneira. Pode anotar! ANUÁRIO 2018

motociclismoo 15


APRESENTAÇÃO Honda SH 150i

m 16 motociclismo

ANUÁRIO MAIO 20172018


Um grande scooter em embalagem 150 Ele traz tudo que você buscava para deixar o carro em casa e ganhar agilidade e economia no dia a dia Texto Fotos

Gabriel Berardi Honda

FREIOS Com disco nas duas rodas e ABS, o sistema de freios do SH é forte e com ótimo tato MAIS CURSO A suspensão traseira tem bons 95 mm de curso e ajuste na pré-carga da mola. Faz diferença!

O

primeiro SH, ainda com um pequeno motor de 50 cm³, nasceu em 1984 e, desde então, são mais de 30 anos de sucesso. Fiel ao conceito de rodas grandes e assoalho plano desde essa primeira versão da década de 1980, a família SH é um sucesso na Europa, onde a atual versão de 125 cm³ figura há anos como um dos modelos mais vendidos entre todas as categorias de motocicletas. Agora, depois do SH 300i desembarcar por aqui em março de 2016, é hora de darmos as boas-vindas ao SH 150i, um modelo que, como destacamos na apresentação publicada na edição de abril da MOTOCICLISMO, resumidamente traz os mesmos conceitos de segurança, dirigibilidade e equipamentos do irmão maior, mas com mais economia: tanto na aquisição (tem preço sugerido de R$ 12 450, contra R$ 20 990 da versão de 300 cm³) quanto no consumo de combustível e manutenção, já que compartilha o mesmo propulsor de 149,3 cm³ do PCX, ainda que com algumas mudanças técnicas. Além do motor do SH 150i vir da Indónesia — o do PCX vêm da Tailândia — o sistema de escape e todo o gerenciamento eletrônico do SH são diferentes, o que explica a sua potência de 14,7 cv 7 750 rpm, contra 13,1 cv a 8 500 rpm do PCX. A forma como essa potência é entregue também muda, sendo mais imediata no SH, o que, na prática, nota-se nas arrancadas, sensivelmente mais rápidas. O moderno motor de 150 cm³ arrefecido a líquido com balancins roletados é definitivamente um propulsor suave, de baixíssima vibração e econômico. Na cidade do Rio de Janeiro, onde foi realizado o lançamento do SH 150i no último dia 18 de abril, a nossa média de consumo (pelo computador de bordo) em uma situação tipicamente urbana foram ótimos 41,2 km/l, o que com um tanque de 7,5 litros nos confere mais de 300 km de autonomia com gasolina. O modelo não é flex. ANUÁRIO 2018

motociclismoo 17


APRESENTAÇÃO Honda SH 150i

ESTILO ORIGINAL As rodas grandes e o assoalho plano são uma identidade da família SH desde 1984

m 18 motociclismo

ANUÁRIO 2018

Com o fim da comercialização do Lead 110, o PCX assume a missão de ser a porta de entrada dos consumidores para a linha scooter da marca, enquanto o novo SH chega para atender outro perfil de consumidor: mais maduro, mais exigente com equipamentos e acabamento e que já tem um automóvel, mas que também está cansado de perder horas e mais horas parado em engarrafamentos. Para conquistar esse público, o lançamento da Honda chega com bons argumentos. A primeira coisa que chama a atenção no SH são as linhas, o acabamento e a oferta de equipamentos. A forração e costura do assento é muito caprichada, assim como a pintura perolizada. Os faróis e lanterna de LED (que formam uma bela identidade visual quando vemos o scooter de frente), o bem desenhado bagageiro com alças para o garupa embutidas, o compartimento com tomada 12 V, o sistema de partida smart-key , as bonitas rodas de liga leve e outros detalhes ajudam a formar

um conjunto de visual muito moderno e que transmite qualidade e até certa sofisticação. Contudo, apesar de seus atrativos “visuais”, é rodando que o SH mostra o seu grande diferencial, e isso se deve a basicamente três fatores: o conjunto de rodas e pneus, as suspensões e os freios. Com rodas de 16” em ambos os eixos — calçadas em excelentes pneus Pirelli Diablo Scooter de medidas 100/80 na frente e 120/80 atrás —, ganha-se muito em estabilidade direcional e na capacidade para superar irregularidades no asfalto — o que é o “calcanhar de Aquiles” dos modelos de rodas pequenas. As suspensões contam com bom curso (para a média dos scooter), e ainda que não possam ser classificadas

PARA DOIS O assento é grande e ergonômico. O grande bagageiro traz encaixes para baú


1

POSIÇÃO DE PILOTAGEM Pilotando, vamos em uma posição ereta e elevada. As rodas de 16” fazem a diferença na dinâmica e pisos irregulares

2

3

4

1

como macias, há uma diferença considerável no conforto. Mas, como em tudo, para ganhar de um lado perde-se de outro e, com rodas maiores, perdemos um pouco da rapidez das respostas nas mudanças de direção. É mais ou menos como comparar uma crossover de aro 17” com uma maxitrail com roda de 21”. Entretanto, nada desabonador, pelo contrário. Entre o muito que se ganha e o pouquíssimo que se perde, as rodas 16” são uma opção mais vantajosa. Em matéria de freios o SH 150i é espetacular. Com disco nos dois eixos e ABS de série, tanto a potência de frenagem quanto o tato do sistema percebido pelo piloto são irrepreensíveis — um dos pontos mais fortes deste novo modelo da Honda. Se a dinâmica e a dirigibilidade são diferentes, a posição de pilotagem também é. No SH adotamos uma posição mais alta, ereta e próxima ao guidão e painel. O assoalho plano, outro grande diferencial, permite levar até uma mochila entre as pernas, mas não conta com muito espaço para os nossos pés. Não dá para alterar a posição, colocando-os mais para a frente ou para trás. Um ponto positivo é que mesmo pilotando sentado mais reto, alto e próximo ao guidão, ele não bate nos nossos joelhos em nenhum momento, mesmo esterçando tudo. Hoje com pouco mais de seis meses no mercado, o SH 150i já conquistou o seu lugar nas ruas — especialmente nas grandes metrópoles. O scooter 150 mais requintado da Honda fechou 2017 com 2 458 unidades emplacadas.

Sob o assento há espaço para um capacete integral 2 Sistema de partida sem chave. Conveniência 3 No portaobjetos lateral há uma tomada 12 V, mas não tem entrada USB. É preciso usar um adaptador para carregar o celular 4 O painel é simples, mas conta com dois hodômetros parciais e indicador de consumo médio e instantâneo

Dados de fábrica Motor monocilíndrico, arrefecido a líquido OHC I 2 válvulas I câmbio CVT Cilindrada Potência máxima Torque máximo Diâmetro x curso do pistão Taxa de compressão Quadro Cáster Trail Suspensão dianteira

Suspensão traseira

Freio dianteiro Freio traseiro Modelo do pneu Roda dianteira Roda traseira

149,3 cm³ 14,7 cv a 7 750 rpm 1,40 kgf.m a 6 250 rpm 57,3 mm x 57,9 mm 10,6:1 Underbone de aço 26° 85 mm Garfo telescópico com 100 mm de curso, sem ajustes Duplo amortecedor com curso de 95 mm, com ajuste de pré-carga da mola Disco de 240 mm, pinça de 2 pistões (ABS) Disco de 240 mm, pinça de 1 pistão (ABS) Pirelli Diablo Scooter 100/80 - 16" 120/80 - 16"

MEDIDAS Comprimento t 2 026 mm Altura do assento t 799 mm Tanque t 7,5 litros

Largura t 740 mm Entre-eixos t 1 340 mm Peso seco t 129 kg

Preço R$ 12 450

Magro e alto, o SH passa pelos corredores mais estreitos numa boa. Companhia perfeita para as grandes metrópoles

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 19


APRESENTAÇÃO Honda CBR 1000 RR Fireblade

FINALMENTE! Aceleramos em Portugal a nova Honda CBR 1000 RR, que está superpotente e recheada de eletrônica. Enfim, uma Fireblade pronta para competir Texto Fotos

Edu Zampieri Honda

m 20 motociclismo

ANUÁRIO 2018


ANUĂ RIO 2018

motociclismoo 21


APRESENTAÇÃO Honda CBR 1000 RR Fireblade

FAMÍLIA Ao menos na Europa, as cores disponíveis são essas. Veremos se no Brasil também será assim

DIANTEIRA Pinças Brembo e suspensões Öhlins somente na versão SP EVOLUÇÃO Repare o que mudou em 25 anos de Fireblade m 22 motociclismo

ANUÁRIO 2018

M

OTOCICLISMO foi convidada para ir até Portugal, exatamente no circuito de Portimão, para o lançamento internacional da nova Honda CBR 1000 RR Fireblade, moto que havíamos visto no Salão de Colônia, na Alemanha, e havia nos deixado com uma interrogação na cabeça: será que dessa vez a Honda fez uma Fireblade realmente pronta pra competir? Na ocasião, encontramos uma moto linda, porém, mesmo com o release de imprensa indicando nova potência, torque e alterações em relação à anterior, ainda faltava acelerá-la para assinar embaixo e poder afirmar que, finalmente, a 1000RR estava cabeça a cabeça com as superbikes mais modernas do mercado. Era a hora de acelerar a novidade e verificar o que a Honda havia feito com a sua rainha superesportiva.

A crise de 2008 na Europa e o reflexo dela posteriormente em outras regiões do mundo fizeram com que os fabricantes privilegiassem projetos de motos econômicas, versáteis e se possível que intercambiassem peças com outros modelos para baixar os custos de produção. Digamos que os projetos das superesportivas ficaram meio engavetados pela Honda, e assim, a CBR 600 RR e a CBR 1000 RR apenas sofreram pequenos ajustes desde então. A Honda tardou, mas não falhou, e a nova CBR 1000 RR Fireblade está bem mais potente (192 cv a 13 000 rpm), bem mais leve e recheada de recursos eletrônicos. São exatamente 14% de melhoria na relação peso/potência, graças a um regime de 15 kg e um incremento de 11 cv. São duas versões, a Standard e a SP. Resumidamente a ver-


são básica vem equipada com suspensões Showa, manualmente reguláveis, pinças de freios Tokico na dianteira e rodas negras. A versão SP vem com rodas douradas, suspensões Öhlins reguláveis eletronicamente, sistema de freios Brembo e quick-shifter bidirecional de série. Todavia, a mágica da Honda para essas duas versões não está no visual, e sim na balança. Diferentemente da Yamaha YZF R1M, que é mais pesada que a R1 standard — basicamente pela diferença de peso da suspensão eletrônica —, na CBR 1000 RR SP o tanque é de titânio e a bateria é de íons de lítio, assim, quando verificamos os pesos, as duas indicam exatamente a mesma coisa. No autódromo de Portimão havia uma balança, e então fizemos o teste; com o tanque cheio, as duas motos pesaram exatamente 194 kg.

E onde foi o regime de 15 kg em relação à Fireblade anterior? Em quase tudo. Só o sub-chassi é 800 gramas mais leve, o quadro 500 g e o escape, todo em titânio, pesa menos 2,5 kg. Peças do motor, tampas, LEDS e rodas são mais leves. Porém, por incrível que pareça, na apresentação técnica da moto tudo isso de que já falei tomou somente 15 minutos, mas quando entraram no “capítulo painel”, e o que podemos configurar através dele, o “curso” durou mais de 1 hora. O gerenciamento eletrônico da nova CBR 1000 RR nasceu na RC 213V de MotoGP, e os engenheiros (presentes na apresentação) tiveram um imenso trabalho para adaptar e deixar tudo fácil de acertar para um usuário comum, que vai utilizar a moto na estrada. As duas motos contam com os mesmos recursos de acertos para os ma-

COMPACTA Uma mil com corpinho de 600 e, mesmo assim, confortável

DE GRIFE Apesar dos belos detalhes plásticos, o verdadeiro tanque está por baixo e é de titânio na SP RODAS Na SP elas são douradas, e não negras como na standard. Somente a versão SP2, destinada às pistas, vem com rodas mais leves ANUÁRIO 2018

motociclismoo 23


APRESENTAÇÃO Honda CBR 1000 RR Fireblade

ESCAPE O sistema de escapamento é igual para as duas versões. De titânio, pesa 2,8 kg a menos que o anterior

PAINEL Todo digital e colorido, ele é um verdadeiro computador capaz de gerenciar centenas de parâmetros COMANDOS Dois botões novos no punho de luz esquerdo são suficientes para alterar mapas, controle de tração, freio-motor, potência e suspensões

m 24 motociclismo

ANUÁRIO 2018

pas de injeção, para o controle de tração e para o freio motor, porém na SP ainda temos uma infinidade de parâmetros para acertar as suspensões. Segundo um técnico da Öhlins, que tentou ser o mais didático possível para explicar como ajustar as suspensões, a genética das bengalas da Honda não é diferente da que é utilizada na Yamaha R1M, mas a da Honda é mais evoluída, especialmente na maneira de ajustar, como se fosse uma versão 2.0. Amanheceu em Portimão, e o clima prometia sol e uma temperatura de 15°C durante o dia. Na parte da manhã havia diversas Fireblade 2017 Standard equipadas com pneus originais Bridgestone S21 a nossa disposição. E a cerejinha em cima do bolo era poder entrar na pista com ninguém menos que o americano tricampeão mundial de motovelocidade na década de 1980, Fredy Spencer, o espanhol Tito Rabat, campeão mundial de Moto2, ou o português Miguel Praia,

que conhece o circuito como a palma da mão. Era só escolher qual desses profissionais seria o seu guia. Demais! No primeiro turno da manhã entrei na pista utilizando o mapa 2, em que a potência fica em 2, o controle de tração em 5 e o freio motor em 3. São cinco níveis para potência, 9 para controle de tração e 3 para freio-motor. Com pneus originais novinhos e frios foi muito prudente escolher o mapa 2. Dessa maneira faríamos um reconhecimento de pista mais seguro, sem sustos e poderíamos aprimorar o traçado com os profissionais. Já foi emocionante ao máximo, porém, somente um estúpido conseguiria cair, pois o ABS é formidável, trabalha mesmo nas curvas, o controle de tração garante que a roda traseira não desgarre e nem que a moto empine nas saídas de curva. Um verdadeiro autorama. Incrível como a moto é leve em inversões de curvas, como o freio é poderoso e como você consegue ir bem rápido sem esfor-


ÁGILColocar a nova CBR 1000 RR exatamente onde desejamos é extremamente fácil

ço algum. Ficou evidente que se tratava de uma Honda, pois a dirigibilidade se mostrou extremamente fácil e leve. Na próxima entrada em pista passei para o mapa 1 e a brincadeira ficou séria. A própria Honda recomenda que o mapa 1 seja utilizado somente em pista. Não é para menos, pois nas saídas de curva com os pneus já meio desgastados (era a mesma moto da primeira sessão e eu a intercalava com um outro jornalista), quando a potência entrava, era impossível não deixar marcas de pneu no asfalto. Nesse mapa ela empina mais e, em Portimão, isso vai acontecer involuntariamente diversas vezes. Não bastaram mais de 20 minutos para os pneus serem destruídos, mas mesmo assim não houve sustos, principalmente com a dianteira, que é sempre o eixo que exige mais atenção. Impressionante a leveza e a velocidade de reação do quick shifter! Para esse lançamento equiparam até as motos standard com o sistema, ou seja, utilizamos a embreagem apenas para sair dos boxes em primeira marcha, depois bastava pensar em mudar de marcha, relar o pé no pedal de câmbio e, como faca quente em manteiga, a marcha entrava.

DIANTEIRA A versão standard vem com pinças de freios Tokico e bengalas Showa BPF

Vinte minutos para descansar e conversar com Miguel Praia e chegava a hora de encarar a versão SP com pneus slick. A suspensão Öhlins eletrônica estava no modo A1, que é o que vem de fábrica para pista e no qual a dureza, o mergulho da dianteira, o comportamento em curvas e o movimento para baixo da traseira nas acelerações estão posicionados em 0. Você anda e depois ajusta para +5 ou -5 cada um desses itens. Por isso a Honda ainANUÁRIO 2018

motociclismoo 25


APRESENTAÇÃO Honda CBR 1000 RR

Dados de fábrica Motor tetracilíndrico, arrefecido a líquido DOHC I 16 válvulas I câmbio de 6 velocidades Cilindrada Potência Torque Diâmetro x curso do pistão Taxa de compressão Quadro Cáster Trail Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro Modelo do pneu Roda dianteira Roda traseira MEDIDAS

999,8 cm³ 192 cv a 13 000 rpm 11,8 kgf.m a 11 000 rpm 76 mm x 55,1 mm 13,0:1 Dupla viga de alumínio 23,30° 96 mm Öhlins invertida de 43 mm, com 120 mm de curso regulagem eletrônica Monoamortecedor Öhlins com 60 mm de curso regulagem eletrônica Dois discos de 320 mm, pinças de 4 pistões opostos, ABS Disco de 220 mm, 1 pistão, ABS Bridgestone RS 21 120/70 - 17". 3,5" 190/50 - 17". 6,0"

Comprimento t 2 065 mm Altura do assento t 820 mm Tanque t 16 litros

Largura t 715 mm Entre-eixo t 1 404 mm Peso cheia t 194 kg

Amortecedor A Öhlins Ö TTX36 T T com rregulagem e eletrônica e le na ttraseira ras da versão v ers SP m 26 motociclismo

ANUÁRIO 2018

ESTILO Totalmente renovada esteticamente, ainda existe uma terceira versão, a SP2, mas essa será apenas por encomenda

LISA A Honda também disponibiliza a versão toda preta

da nos disponibilizou mais 45 minutos de pista livre, à tarde, para que pudéssemos ajustar as suspensões de acordo com peso e estilo de pilotagem. Essas suspensões são semiativas, portanto, no modo automático, a compressão é autoajustada em tempo real. Há o modo manual, mas desde já recomendamos que só utilize essa opção se você for um expert. É fundamental. O próprio Miguel Praia, por exemplo, declarou que sempre preferiu usar muito freio-motor, fazer algumas curvas em primeira marcha, pois dessa maneira ele freava menos e assim desequilibrava menos a moto, mas, nessa nova moto, frear muito não desequilibra nada. Fredy Spencer também declarou que não é mais preciso soltar o manete de freio para conseguir deitar rápido a moto. Agora, graças à tecnologia desse novo ABS cornering que atua levando em consideração diversos parâmetros do trabalho das suspensões, é possível entrar freando até o APEX da curva. De fato, agora a Honda CBR 1000 RR Fireblade está pronta para competir. Apresentada no Brasil no último Salão Duas Rodas, ela já está nas concessionárias por R$ 69 900 (na versão std) e R$ 79 900 na exclusiva versão SP.


SUPERTESTE Yamaha MT-03

m 28 motociclismo

ANUÁRIO 2018


CONSTATADO Em nosso Superteste de 1 000 km confirmamos porque a Yamaha MT-03 está fazendo tanto sucesso. Ela é uma delícia Texto Fotos

Edu Zampieri Gustavo Epifanio

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 29


SUPERTESTE Yamaha MT-03

CURVAS Com praticamente o mesmo chassi da YZF-R3 e a mesma distância entre-eixos de uma R1, a MT-03 adora curvas

A

1 O espaço do piloto é bom, o do garupa nem tanto 2 As rodas com dez pontas na cor “azul Yamaha” 3

O disco de freio dianteiro com 298 mm de diâmetro é bem dimensionado 1

m 30 motociclismo

Yamaha MT-03 é linda, moderna, econômica, tem ótimo desempenho e o número de vendas (cerca de 400 unidades por mês) vem comprovando seu sucesso. Mas como ela se comportaria viajando em nosso eclético roteiro de 1 000 km? Será que uma moto que é praticamente monoposto, com 300 cm³, seria capaz de nos oferecer também conforto e diversão? É possível viajar longas distâncias com uma moto naked de baixa cilindrada? Essas eram perguntas que nos assombravam antes de encarar os primeiros quilômetros de estrada, mas não foram precisos muitos deles para chegarmos à conclusão de que a MT-03 é uma delícia até mesmo para viajar. Estamos acostumados a fazer esse roteiro sempre com motos grandes, algumas até imensas e com direito a muitos equipamentos de luxo, porém foi muito bom sentir que conforto e diversão estão diretamente ligados a agilidade e leveza. A MT-03 pode não ter punhos calafetados, sistema de som, bolha para-bri2

ANUÁRIO 2018

sa e sofisticado sistema de gerenciamento eletrônico com controle de tração e mapas diferentes de injeção, mas ela tem o essencial, tem alma de moto. Com apenas 166 kg (na versão testada, sem ABS), ela se sobressai pela facilidade de pilotagem, é incrivelmente equilibrada e neutra quanto à dirigibilidade geral. De fato, seu motor bicilíndrico de exatos 321 cm³ e arrefecido à água mostra a sua força somente acima dos 7 000 rpm e isso na cidade não é o ideal. Quando arrancamos no farol, antes dos 60 km/h já estamos em quinta marcha. Na verdade é possível esticar a primeira, a segunda, a terceira e a quarta

A lanterna ttraseira r segue s e a llinha in da ffamília am YZF. Y ZF Bem esportiva e sp

3


ANUĂ RIO 2018

motociclismoo 31


SUPERTESTE Yamaha MT-03

DESIGN Sem sombra de dúvidas audacioso. Motor negro, quadro azul e rodas azuis caíram muito bem com a MT-03

m 32 motociclismo

ANUÁRIO 2018

para sentir a “pegada” que desejamos, mas é difícil e arriscado fazer isso no meio do trânsito. Uma YS Fazer 250, por exemplo, tem melhor resposta em baixos giros que a MT-03. Em contrapartida, na estrada, nos surpreendemos o quanto esse motor pode girar. Podemos esticar as marchas até 11 000 rpm. A 120 km/h o motor está com 7 000 rpm e mesmo assim ela não é beberrona. Em nossa viagem não consumiu mais do que 22 km/l, mesmo quando elevávamos as rotações e nos divertíamos com muitas frenagens e muitas trocas de marcha. Em velocidade constante, a 120 km/h, ela marcou 27 km/litro. Acredite, a MT-03 pode atingir mais de 170 km/h. Todavia, o mais divertido da MT-03 é frear e contornar curvas. Com o mesmo chassi da esportiva R3, ela tem freios e suspensões de sobra para inclinar muito sem raspar nada no chão, percorrer curvas com muita estabilidade e, se for preciso, jogá-la de um lado para o outro em inversões de curvas rápidas com muita leveza e precisão. O quadro é tubular de aço, mas sem berço, com o motor fazendo parte da estrutura. O guidão de peça única, em cima da mesa, mostra-se muito mais confortável que os semiguidões da R3

e também auxiliam para trocar de direção rapidamente. As bengalas dianteiras não possuem regulagem e o amortecedor traseiro conta com sete cliques para regular a compressão da mola. A bonita balança traseira parece ser de alumínio, mas é de aço. Originalmente ela se mostra muito macia, mais apropriada aos milhares de buracos da cidade. Se você for um piloto mais pesado e quiser pilotar esportivamente em um asfalto perfeito, recomendamos endurecer a mola traseira. Os pneus são os excelentes Metzeler Sportec M5 Interact, com medidas 120/70-17 na dianteira e 140/70-17 na traseira, os quais, em nossa viagem, se mostraram extremamente eficientes também no molhado. Aliás, choveu muito no primeiro dia da viagem e nessa condição foi muito bom

Há duas linhas H de de LED que servem se como luz lu diurna, mas a lâ lâmpada d do o ffarol é h alóg halógena


1

2

3

4

perceber que os bons pneus, junto ao eficiente sistema de freio, lhe transmitem ótima confiança. Esse sistema de freio é o mesmo da R3, com um discão de 298 mm de diâmetro na dianteira, mordido por pinça de pistão duplo e um disco de 220 mm na traseira mordido por apenas um pistão, porém maior. A versão testada não estava equipada com sistema ABS, por isso a atenção teve de ser redobrada nas serras molhadas. Contudo, percebemos que a pobre bomba de freio junto ao manete deixa a sensibilidade deste um pouco retardada, “borrachuda” como costumamos dizer, mas esse comportamento, no molhado, até que foi bom. É evidente que recomendamos a você optar pela versão com ABS, que não é preciso pensar nos momentos mais críticos. Basta apertar o manete com toda a força que o sistema antiblocante trabalha por você. No começo desse texto afirmamos que a MT-03 é praticamente monoposto Isso de deve à grande diferença de altura entre o banco do piloto e o banco do garupa. Como a MT-03 é praticamente uma R3 que apenas ficou sem carenagem e ganhou um guidão de peça única, a traseira não sofreu transformação, deixando o visu-

al geral com apelo bem esportivo, o que significa que ela vai melhor apenas com o piloto, e não sobrecarregada. Além da dificuldade que é passar a perna por cima da rabeta, o acompanhante não vai se sentir muito bem sentado ali atrás, apesar das boas alças de apoio. O banco do piloto baixinho — distante somente 780 mm do solo — faz o acompanhante se sentir nas alturas e bem desconfortável. Comandos, painel e farol estão acima de qualquer crítica. Tudo é bem prático e funcional. O painel tem ótima visualização e é bem completo nas informações, com atenção especial ao grande conta-giros analógico que começa a faixa vermelha lá longe, nos 12 500 rpm. Esse painel pode informar consumo médio e consumo instantâneo, mas é preciso tirar a mão do guidão e apertar um pequeno botão embaixo do conta-giros para selecionar a informação. Há até shift-light na parte de cima dele para informar que está na hora de trocar de marcha, mas, acredite, as marchas são tão longas e o motor gira tanto que você quase não verá essa luz acender. Só vimos a luz do shift-light acesa quando levamos a MT para o dinamômetro. Com gasolina comum ela marcou 34,1 cv a 11 000 rpm de

1 Recortes e ângulos do design do tanque são radicais 2 O painel é esportivo e completo nas informações 3 O radiador pequeno não atrapalha em nada o visual geral da MT 4 O motor compacto permite que a moto seja curta

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 33


SUPERTESTE Yamaha MT-03

ESTILO Todas as pessoas que a viram pela primeira vez se espantaram ao saber que se trata de uma 300 cm³

potência máxima na roda e 2,4 kgm.f a 10 000 rpm de torque máximo. Comprova, portanto, que, seu bicilíndrico gira alto e que a força só aparece lá em cima. Como dissemos anteriormente, a boa resposta do acelerador só é sentida acima dos 7 000 rpm, ou seja, a MT-03 está mais para viajar e curtir as divertidas estradas cheias de curvas do que enfrentar o trânsito caótico e os milhares de semáforos. Visite uma concessionária Yamaha e informe-se sobre o seguro da MT-03 — algo cada vez mais indispensável em grandes centros, especialmente São Paulo e Rio de Janeiro. Para uma moto 0 km adquirida em uma revenda Yamaha o pacote é bem interessante. A Yamaha está comercializando a MT-03 2018 com três opções de cores: Metal Silver, que é um prata fosco metálico (disponível apenas na versão com ABS), o tradicional Racing Blue, que é a azul

metálico igual ao da moto deste teste (que, infelizmente, só é oferecido para a MT-03 standard) e a cor Midnight Black, preto metálico, que pode ser encontrado nas duas versões. A versão sem ABS deve deixar de ser oferecida nos próximos meses, mas ainda pode ser encontrada por R$ 19 190. Já a equipada com o sistema antiblocante (a que nós recomendamos) vai para a sua garagem por R$ 21 990. Diretamente ela enfrenta Kawasaki Z300 e KTM 390 Duke, todas com arrefecimento a líquido e potências semelhantes, sem falar da BMW G 310R, que tem uma proposta um pouco diferente. Entre essas, o número de concessionárias Yamaha é um diferencial. Indiretamente, sua irmã YS Fazer 250 e a Honda CB Twister 250 podem ser opções mais econômicas se a ideia for utilizar 100% para trabalho diário.

Em 4 palavras CIDADE É leve, com banco baixo e bastante econômica. As suspensões são macias e a posição de pilotagem não cansa. Mas o torque do motor poderia aparecer mais cedo. Ela pede trocas de marcha.

ESTRADA Apesar de pedir altas rotações, depois que nos acostumamos a manter o motor acima dos 7 000 rpm percebemos o quanto ela é eficiente. Curto entreeixos e com guidão alto, ela pede curvas.

GARUPA Como ela não difere da R3, a rabeta e o banco destinado ao acompanhante não sofreu alterações, e é radical demais. As alças de apoio são boas, mas o espaço e a altura deixam a desejar.

EMOÇÃO Se a estrada for travada, daquelas repletas de curvas, a emoção está garantida. A MT-03 tem excelente sistema de freio, ótimas suspensões e eficiente chassi. Sua leveza é impressionante!









m 34 motociclismo

ANUÁRIO 2018


TL[aLSLYJVT

+60:75,<:<4(46;65,5/<43040;,

NOVO TOURANCE NEXT DA METZELER. ESTABELECENDO OS PADRÕES PARA MOTOS MAXITRAIL.

6WUL\X\LKLZHÄH[VKVZVZ[PWVZKLLZ[YHKHLJSPTH ,TX\HSX\LYS\NHYLTX\HSX\LYTVTLU[V


SUPERTESTE Yamaha MT-03 FICHA TĂ&#x2030;CNICA Alternativas O pĂĄreo ĂŠ duro dentro da categoria e com a mesma proposta. Pense nelas...

Percurso do teste Santa BĂĄrbara dâ&#x20AC;&#x2122;Oeste

Campos do JordĂŁo

60

Monteiro Lobato

km/h

80 km/h

50 km/h

LEGENDA

120

Sol

80

km/h

km/h

Encoberto

SĂŁo JosĂŠ dos Campos

Nublado Chuva leve

HONDA CB 500F

80

Chuva intensa

km/h

Direção noturna

Ubatuba

Abastecimento

SĂŁo Paulo

R$ 23 900 Q 50,4 cv Q 178 kg

50 km/h

ConďŹ abilidade mecânica Altamente visada

80 km/h

80 km/h

40 km/h

CubatĂŁo

1 SĂŁo Paulo 2 $VCBUĂ?P 3 6CBUVCB 4 $+PSEĂ?P 5 4+$BNQPT 6 /0EFTTB 7 SĂŁo Paulo

KAWASAKI Z300

t$VCBUĂ?P

t6CBUVCB

t$EP+PSEĂ?P

t4+$BNQPT

t/PWB0EFTTB t4Ă?P1BVMP

tVSCBOP

65 km

235 km

155 km

112 km

150 km

180 km

70 km

"VUPFTUSBEB FEFTDJEB EFTFSSB

&TUSBEBT TJNQMFT  OĂ&#x201C;WFMEPNBS

&TUSBEBT WJDJOBJTF TVCJEBEFTFSSB

&TUSBEBT WJDJOBJT

&TUSBEBT TJNQMFTF BVUPFTUSBEB

"VUPFTUSBEB

$FOUSPF NBSHJOBJT

27,0 km/l

24,0 km/l

22,0 km/l

24,8 km/l

22,8 km/l

26,0 km/l

22,0 km/l

R$ 20 890 Q 39 cvQ 170 kg

Motor Rede limitada

KTM 390 Duke R$ 22 990 Q 43 cv Q 139 kg seco

Estilo Conforto

Um pequeno mĂ­ssil auxiliou nosso fotĂłgrafo: o emocionante Peugeot 208 GT com motor turbo

YAMAHA YS 250 Fazer R$ 14 990 Q 21,3 cv Q 149 kg

Estilo/robustez Conforto m 36 motociclismo

ANUĂ RIO 2018

Equipamentos Uma moto urbana de 300 cm³ não tem necessidade de controle de tração ou mapas diferentes de injeção, no entanto, a MT-03 mostra seu valor no motor bicilíndrico de vibração zero e cerca de 20 cv a mais que o da YS Fazer 250. Ela pode atingir 170 km/h com facilidade e ainda ser econômica, mesmo sem carenagem integral.


Dados de fåbrica Motor bicilíndrico em paralelo, DOHC A líquido 8 Injeção eletrônica 321 cm³ 68 x 44,1 mm 11,2:1 42 cv a 11 000 rpm 3,0 kgf.m a 9 000 rpm

.PUPS "SSFGFDJNFOUP 7Ă&#x2C6;MWVMBT "MJNFOUBĂ&#x17D;Ă?P $JMJOESBEB %JĂ&#x2030;NFUSPYDVSTP 5BYBEFDPNQSFTTĂ?P 1PUĂ?ODJB 5PSRVF TRANSMISSĂ&#x192;O &NCSFBHFN $Ă&#x2030;NCJP 4FDVOEĂ&#x2C6;SJB

Multidisco em óleo Mecânico, 6 velocidades Por corrente

CHASSI 5JQP #BMBOĂ&#x17D;B $Ă&#x2C6;TUFSUSBJM

Diamond de aço Duplo braço de aço 25°/ 95 mm

SUSPENSĂ&#x192;O %JBOUFJSB #BSSBT $VSTP Regulagens 5SBTFJSB $VSTP Regulagens

TelescĂłpica convencional 41 mm 130 mm Sem ajustes Monoamortecedor 95 mm PrĂŠ-carga

FREIOS 'SFJPEJBOUFJSP 1JOĂ&#x17D;B 'SFJPUSBTFJSP 1JOĂ&#x17D;B 1JOĂ&#x17D;B

Disco de 298 mm 2 pistĂľes Disco de 220 mm 1 pistĂŁo

PNEUS E RODAS %JBOUFJSB 5SBTFJSB .PEFMPEFQOFV

110/70 â&#x20AC;&#x201C; 17" x 2,15â&#x20AC;? 140/70 â&#x20AC;&#x201C; 17" x 5,25â&#x20AC;? Metzeler M5 Interact

DADOS VERIFICADOS 1PUĂ?ODJBFTQFDĂ&#x201C;mDB 3FMBĂ&#x17D;Ă?PQFTPQPUĂ?ODJB $POTVNPNĂ?EJP "VUPOPNJBNĂ?EJB

106 cv/l 4,8 kg/cv 22,0 km/l 308 km

Medidas $PNQSJNFOUP -BSHVSB &OUSFFJYPT "MUVSBEPBTTFOUP $BQBDJEBEFEPUBORVF 1FTPDIFJP $BQBDJEBEFEFDBSHB %JTUĂ&#x2030;ODJBNĂ&#x201C;OJNBEPTPMP ÂťMFPEPNPUPS

CORES

2 090 mm 745 mm 1 380 mm 780 mm 14,0 litros 166 kg / 166 kg c ABS nĂŁo informado 160 mm 2,4 l

3FTVMUBEPTPCUJEPTOP EJOBNĂ&#x2122;NFUSPEPDFOUSPUĂ?DOJDP EBSFWJTUB.050$*$-*4.0

Banco de potĂŞncia

Nossa avaliação

kgf.m

cv

MOTOR RENDIMENTO 10%

8,0 7,5 7,0

7FMPDJEBEFNĂ&#x2C6;YJNB "DFMFSBĂ&#x17D;Ă?P 3FUPNBEB MOTOR 15%

&OUSFHBEFQPUĂ?ODJB 3FTQPTUBBPBDFMFSBEPS /Ă&#x201C;WFMEFWJCSBĂ&#x17D;Ă?P "TQFSF[B TRANSMISSĂ&#x192;O 5%

8,0 7,5 8,5 8,5

5BUPFQSFDJTĂ?PEPDĂ&#x2030;NCJP 8,0 3FMBĂ&#x17D;Ă?PEFNBSDIBT 7,0

4 30 25

3

20 2

15

CHASSI COMPORTAMENTO 20%

&TUBCJMJEBEFFNSFUBT &TUBCJMJEBEFFNDVSWBT 1SFDJTĂ?PEBEJSFĂ&#x17D;Ă?P "HJMJEBEF 4VTQFOTĂ&#x153;FTDPNQJMPUP 4VTQFOTĂ&#x153;FTDPNHBSVQB %JTUĂ&#x2030;ODJBMJWSFEPTPMP $PNQPSUBNFOUPGSFOBHFN FREIOS 10%

8,5 8,5 8,5 9,5 9,0 8,5 8,0 9,0 8,5 8,5

1PUĂ?ODJBEPTGSFJPT %PTBHFNEPTGSFJPT

USUĂ RIO 'BDJMJEBEFQBSBNBOPCSBS 1PTJĂ&#x17D;Ă?PEFQJMPUBHFN $POGPSUPEPQJMPUP $POGPSUPEPHBSVQB 4FOTBĂ&#x17D;Ă?PEFRVBMJEBEF 1SB[FSBPQJMPUBS "VUPOPNJB &RVJQBNFOUPT "DBCBNFOUP ECONOMIA 20%

TĂ&#x2030;CNICA

9,0 8,5 8,0 7,0 8,5 8,5 8,5 8,0 8,5 8,5 6,0 8,5

1SFĂ&#x17D;PEFBRVJTJĂ&#x17D;Ă?P (BSBOUJB $POTVNPNĂ?EJP

MĂŠdia ďŹ nal

8,1

Preços e custos R$ 19 990 sem ABS

1BTUJMIBEFGSFJP E

'BSPM 3FUSPWJTPSEJSFJUP 4FUBEJSFJUBEJBOUFJSB .BOFUFEFGSFJP 'JMUSPEFĂ&#x2DC;MFP 'JMUSPEFBS ,JUEFUSBOTNJTTĂ?P

10

34,1 cv a 11 000 rpm 2,40 kgf.m a 10 000 rpm

1

5 0

3

4

5

6

7

8

9

10 11 12 13

0

rpm x 1000

Entre 10 000 e 11 000 rpm estĂĄ o melhor que esse motor pode oferecer. Digno de moto esportiva. Mas ele vai bem a 7 000 rpm.

!

Velocidade por marcha no dinamĂ´metro

USO DIĂ RIO 20%

PREĂ&#x2021;O

35

R$ 186,00 R$ 650,00 R$ 210,00 R$ 65,00 R$ 32,00 R$ 55,00 R$ 158,00 R$ 740,00

PRIMEIRA

62

tkm/h

4&(6/%"

79

5&3$&*3"

106

26"35"

140

26*/5"

171

SEXTA

202

CONCLUSĂ&#x192;O por EDU ZAMPIERI

S

empre achei o visual da MT03 maravilhoso. Quando a testei nas ruas de SĂŁo Paulo, chamou a atenção a agilidade e a maciez das suspensĂľes. Agora, depois de 1 000 km de estrada de todos os tipos, ďŹ quei ainda mais apaixonado por ela. Pelo menos sozinho, ela se mostra extremamente equilibrada e neutra. Frear, entrar em curvas, percorrĂŞ-las inclinado e sair delas ĂŠ como se estivessĂŠmos com uma superesportiva, pois a precisĂŁo e a estabilidade ĂŠ impressionante. Depois que a gente se acostuma a manter as rotaçþes acima dos 7 000 rpm, a diversĂŁo estĂĄ garantida.

QSFĂ&#x17D;PTVHFSJEPTFNGSFUFFTFNTFHVSP

ANUĂ RIO 2018

motociclismoo 37


COMPARATIVO Yamaha MT-07 x Yamaha XJ6N Texto Fotos

Edu Zampieri Gustavo Epifanio

Yamaha MT-07 ABS Custa R$ 32 290 com o sistema antiblocante nos freios. O motor rende 6,9 kg de torque em baixíssimas 6 500 rpm e ela pesa somente 182 kg. A potência máxima é de 74,8 cv.

Dois contra quatro

m 38 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Yamaha XJ6N ABS Custa R$ 34 290. Tem dois cilindros a mais, mas pesa 210 kg e tem somente 6,08 kg de torque máximo atingidos a elevadas 8 500 rpm. A potência máxima é de 77,5 cv

Duas Yamaha. Uma dois cilindros e outra quatro. Qual é a sua? A divertida e leve MT-07 ou a confortável XJ6N? O motor dois cilindros da MT pode surpreender você ANUÁRIO 2018

motociclismoo 39


COMPARATIVO Yamaha MT-07 x Yamaha XJ6N

ESTILOS completamente diferentes, mas com a mesma proposta de utilização e quase pelo mesmo preço. Dois ou quatro cilindros?

Q

MT-07Ł

Completamente digital, traz mais informações, mas o contagiros tem difícil visualização

m 40 motociclismo

ANUÁRIO 2018

ual é melhor? A velha XJ6N ou a nova e formidável MT-07? Por mais que pareça óbvio para os especialistas, a discussão existe. Recentemente em um encontro de motociclistas ouvimos uma turma de amantes de Yamaha XJ6N discutindo com outra turma de amantes de Yamaha MT-07, sobre qual era a melhor moto. Culpa ou mérito da Yamaha? Culpa nenhuma, afinal de contas as duas vendem muito bem. A MT-07 durante todo o ano passado liderou as vendas na categoria naked até 750 cm³. Perdeu a posição de líder somente agora, depois que a Honda abaixou substancialmente o preço da CB 500R. Porém, mesmo a XJ6N, com toda sua idade, continua com números expressivos de vendas, vencendo com folga outras motos equipadas com motor quatro cilindros em linha, como Honda CB 650F e a Kawasaki Z800. Na verdade o preço da XJ6N zero-quilômetro e equipada com ABS não colabora. Quase R$ 34 500 por uma moto que podemos encontrar uma igualzinha, porém usada, por R$ 20 000 é discutível. Mas mesmo assim não deixa de ser atraente frente a concorrência. Preços à parte, nessa turma de “briguentos” dentro da mesma marca, perguntamos quantos já haviam pilotado a MT-07 e a minoria já tinha tido


TÉCNICA Com dois cilindros a menos, a MT-07 é muito mais leve, tem melhor desempenho e consome menos uma leve e curta oportunidade. O principal fator determinante da briga era sempre o desempenho do motor quatro cilindros contra o de dois cilindros. “A minha XJ6 sumiu na frente de uma MT na estrada”, disse um dos integrantes do grupo. Porém, colocando na balança, a MT07 é formidável em quase todos os quesitos. Com 182 kg, prontinha para ser acelerada e quase 7,0 kgf.m de torque máximo a 6 500 rpm, é evidente que ela é muito mais emocionante que uma pesada XJ6N. O tetracilíndrico evidentemente gira em mais altas rotações, com faixa de corte acima dos 11 000 rpm, mas em contrapartida perde muito em arrancadas e retomadas. Na ficha técnica os números de potência se equivalem, são 77,5 cv para a XJ6N contra 74,8 cv da MT-07, mas tudo acontece mais cedo na MT. Bom mesmo e até de maneira surpreendente é sentir a força dos quase 7,0 kgf.m de torque máximo que o pequeno bicilíndrico é capaz de entregar. Tudo ocorre de uma maneira impressionantemente linear e empolgante. Parece muito mais que os 89 cm³ extras em relação ao 600 cm³ da XJ6N. Com seu peso leve e geometria que favorece uma centralização de massas exemplar, vire a mão com vontade, mesmo em segunda marcha, e prepare-se para ver o céu.

XJ6N Ł

Não inventaram nada tão fácil e divertido que um conta-giros analógico. Apesar dos anos, é um painel eficiente

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 41


COMPARATIVO Yamaha MT-07 x Yamaha XJ6N

MT-07Ł Discos de freio leves tipo wave e pinças de quatro pistões na dianteira

XJ6N Ł

Discos de freio de desenho convencional e pinças de dois pistões paralelos DESIGN Nitidamente, a MT-07 é mais magra e ligeiramente mais alta. O garupa se sente mais confortável na XJ6N

m 42 motociclismo

ANUÁRIO 2018

Sim, a MT-07 empina fácil em segunda marcha. Em primeira marcha nem da embreagem ela precisa. Já a velha XJ6N mostra os anos de projeto e, consequentemente, o peso. Equipada com ABS, ela passa dos 210 kg. Porém, há quem goste da posição de pilotagem ligeiramente mais confortável, um pouco mais encaixada, com o banco com mais espuma e bem mais baixo que a linha superior do tanque. Visualmente elas são completamente diferentes e isso pode influenciar os mais puristas, pois a MT-07 é revolucionária até na maneira de distribuir suas linhas. Ela não tem muitas partes pintadas, sua cor principal não é nada mais que a capa do tanque. Ela não tem lateral nem rabeta pintadas. Seu motor fica ainda mais exposto, pois ela não conta com grandes aletas de radiador. É na largura entre as pernas que a MT-07 mais surpreende. Basta reparar no banco. Exa-

tamente na parte frontal, onde ele se une ao tanque, percebemos onde está a grande sacada da Yamaha em construir um bicilíndrico em vez de um tetracilíndrico. Esse motor, além de bem magro e curto embaixo, conta com a tecnologia do virabrequim crossplane e da caixa de ar com indução mais direta. Basta comparar a aceleração das duas ainda paradas, para notar como o giro sobe mais rápido na MT-07. Aliás, MT significa Master of Torque. Na prática, notamos que a XJ6N com seu pneu traseiro touring e de largura mais estreita (160 mm), mais seu peso superior total, mostra-se menos ágil e menos estável que a MT-07, que, por sua vez, vem equipada com pneu traseiro de 180 mm e de caráter mais esportivo. A diferença de peso é refletida também nas frenagens e apesar de a XJ6N ser ótima no quesito, a MT-07 é ainda melhor. O módulo do ABS


MT-07Ł Motor compacto com virabrequim crossplane. Leve sistema de escapamento e balança da suspensão traseira em alumínio

XJ6N Ł

Projeto do motor tem muitos anos. Sistema de escapamento bem mais pesado e balança da suspensão traseira de aço da MT-07 também é de uma nova geração, muito mais leve e de reações mais imediatas. Na cidade a XJ6N é mais lenta nas arrancadas, mas em contrapartida ela pede menos trocas de marchas. A MT tem uma relação de câmbio bem mais curta. Na estrada, depois que engatamos a sexta marcha, a XJ6N roda suave, em menos rotações, mas os engenheiros pensaram nisso para a MT e é nítida como a sexta é bem mais longa que todas as outras marchas anteriores. Outra supremacia da MT está no consumo. Com menos peso também nas partes internas do motor e uma “respiração” melhor, a MT consegue andar junto e gastar menos gasolina. Seja na cidade ou na estrada, a MT-07 é sempre mais econômica. Na cidade faz 22, 23 km/litro e na estrada chega a fazer 27 km/l. Já a XJ6N, mesmo na estrada dificilmente marcará menos que 22 km/litro. Sua média na cidade é de 19 km/l. Será que

a XJ6N não vence em nada? Na velocidade final e com a faixa vermelha do conta-giros começando quase aos 12 000 rpm, ela poderia levar ligeira vantagem frente à MT, que tem limite de corte a 10 000 rpm. Mas mesmo assim, a MT-07 é mais veloz, atingindo exorbitantes 210 km/h. A propósito, esqueça de tentar enxergar os números no conta-giros da MT-07. Com um painel 100% digital e escalas minúsculas, o velho e bom conta-giros analógico da XJ6N vence fácil nesse quesito. A XJ6N não possui indicação de marcha engrenada. Uma curiosidade do cockpit da MT-07 está na posição do miolo de contato localizado na frente do painel, acima do farol. Ao frear, fazer curvas e acelerar com ímpeto nas retomadas, a MT-07 vence fácil pela emoção. Talvez esteja aí o motivo de alguns amarem a XJ6N. Como ela é mais pesada, ela não chacoalha nas retomadas e também não deixa a roda

MT-07 POSITIVO Leveza t Agilidade t Consumo NEGATIVO t Arisca t Preço tAutonomia t

XJ6N POSITIVO Conforto t Conta-giros t Preço NEGATIVO t Peso t Desempenho t Equipamentos t

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 43


COMPARATIVO Yamaha MT-07 x Yamaha XJ6N

MT-07Ł

XJ6N Ł

Repare como o banco da MT-07 é bem largo atrás e bem estreito na frente. O miolo de contato fica em lugar estranho, na frente do painel em cima do farol

O banco tem mais espuma que o da MT-07. O garupa conta com amplas alças de apoio. A chave de contato fica no lugar tradicional, junto a mesa superior

dianteira sair do chão. Essa característica esportiva da MT-07 pode assustar os menos experientes. Muitos chegam a confundir tanta força com instabilidade, quando na verdade é a XJ6N que é mais “molenga” e exige muito mais trabalho para mentermos a trajetória quando realmente desejamos ir muito rápido nas curvas. Estaria a XJ6 com os dias contados? Em alguns mercados da Europa ela já não existe no catálogo da Yamaha e, nos EUA, só há a versão S. Porém, no Brasil a XJ6 consegue manter números expressivos de vendas. Em 2017 foram em-

placadas 829 unidades, mais do que modelos como Honda CB 650F (758 unidades), Triumph Street Triple (333 motos) e até da própria Yamaha MT-09, que fechou 2017 com 404 motos vendidas. No mesmo período foram 1 406 unidades da MT-07. Com certeza a Yamaha Brasil vai fazer de tudo para mantê-la na linha. Ela é uma excelente moto de fato. É confortável, segura, conta com o caráter cativante do motor quatro cilindros em linha e também não tem uma manutenção cara. Todavia, a MT-07 é indiscutivelmente muito mais moto.

Em 4 palavras CIDADE É difícil dizer qual é melhor. Enquanto a XJ6N é baixa e macia, a MT-07 é magra e mais econômica. Talvez para o dia a dia, a MT-07 seja radical para os menos experientes. A XJ6N se mostra mais comportada

m 44 motociclismo

ANUÁRIO 2018

ESTRADA Se tiver milhares de curvas a MT-07 freia melhor, é mais estável e mais divertida nas retomadas. Mas, em velocidade constante na autoestrada, a suavidade do tetracilíndrico domina.

GARUPA Nesse quesito a XJ6N vence. Além de um banco mais amplo e com mais espuma, ela ainda conta com ótimas alças de apoio, que podem servir também para amarrar alguma mochila.

EMOÇÃO Sem sombra de dúvida, com o torque extra em baixos giros e o baixo peso que possui, a MT-07 é pura diversão. Ela pode se comportar em baixa velocidade, mas se você cutucar, segura.


ANĂ LISE TĂ&#x2030;CNICA Dados de fĂĄbrica

Yamaha MT-07

Yamaha XJ6N

Motor bicilíndrico em paralelo 4T líquida 8 Injeção eletrônica 689 cm³ 80 x 68,6 mm 11,5:1 74,8 cv a 9 000 rpm 6,9 kgf.m a 6 500 rpm

Motor tetracilíndrico em linha 4T Líquida 16 Injeção eletrônica 600 cm³ 65,5 x 44,5 mm 12,2:1 77,5 cv a 10 000 rpm 6,08 kgf.m a 8 500 rpm

Multidisco em óleo Mecânico, 6 velocidades Por corrente

Multidisco em óleo Mecânico, 6 velocidades Por corrente

CHASSI Tipo Balança Cåster / trail

Tubular de aço ç ((Diamond)) Duplo braço de alumínio 24,5°/90 mm

Tubular de aço (Diamond) Duplo braço de aço 26°/103 mm

SUSPENSĂ&#x192;O Dianteira Barras Curso Regulagens Traseira Curso Regulagens

TelescĂłpica 41 mm 130 mm NĂŁo possui Monoamortecedor 130 mm PrĂŠ-carga

TelescĂłpica 41 mm 130 mm NĂŁo possui Monoamortecedor 130 mm PrĂŠ-carga

Motor Refrigeração VĂĄlvulas Alimentação Cilindrada Diâmetro x curso Taxa de compressĂŁo PotĂŞncia Torque TRANSMISSĂ&#x192;O Embreagem Câmbio SecundĂĄria

FREIOS Freio dianteiro Pinça Freio traseiro Pinça

2 discos de 282 mm 4 pistĂľes opostos (ABS) 1 disco de 245 mm 1 pistĂŁo (ABS)

2 discos de 298 mm 2 pistĂľes paralelos (ABS) 1 disco de 245 mm 1 pistĂŁo (ABS)

120/70 â&#x20AC;&#x201C; 17" 180/55 â&#x20AC;&#x201C; 17" Bridgestone BT023

120/70 â&#x20AC;&#x201C; 21" 160/60 â&#x20AC;&#x201C; 17" Metzeler Sportec

90,0 , cv/litro 1,3 kg/cv 26,0 , km/l 3,0 litros

105,1 cv/litro 3,15 kg/cv 19,0 km/l 3,4 litros

RODAS E PNEUS Dianteira Traseira Modelo de pneu DADOS VERIFICADOS PotĂŞncia especĂ­ďŹ ca Relação peso/potĂŞncia Consumo (cidade/estrada) Ă&#x201C;leo do motor

Medidas

Yamaha MT-07

2 085 mm 745 mm 1 400 mm 805 mm 14,0 litros 182 kg

Comprimento Largura Entre-eixos "MUEPBTTFOUP $BQBDUBORVF 1FTPDIFJP

Mediçþes

Nossa avaliação

Yamaha XJ6N

Yamaha MT-07

2 120 mm 770 mm 1 440 mm 785 mm 17,3 litros 210 kg

ACELERAĂ&#x2021;Ă&#x192;O LNI LNI 0-400 metros

4s4 8s6 13,0s

4s8 9s0 13,6s

27,0 378

19,5 331

171 184

191 212

CONSUMO MĂŠdio (km/l) Autonomia (km)

8,5 8,5

8,5 8,0

8,5 9,0 8,5 8,5 8,5

7,5 8,0 8,0 8,0 7,5

8,5 7,0 7,0 8,5

8,5 7,5 7,0 8,5

7,5

6,0

CHASSI

USUà RIO Posição do piloto Posição do passageiro Proteção aerodinâmica Acabamento

PREĂ&#x2021;O Avaliação do preço

PESO Seco $IFJP

PotĂŞncia TransmissĂŁo

MĂŠdia ďŹ nal

TĂ&#x2030;CNICA

8,2 7,7

Resultados obtidos no dinamĂ´metro do centro tĂŠcnico da revista MOTOCICLISMO

CV

KGF.M

70

7

60

6

50

5

40

4

30

3

20

2

10

1

0

2

3

4

5

6

7

8

9

10

0 11 RPM X 1000

XJ6N

66,6 cv a 10 000 rpm 5,4 kgf.m a 8 000 rpm

MT-07

63,1 cv a 9 000 rpm 5,5 kgf.m a 7 000 rpm

!

A mais potente não Ê a mais forte e a mais forte não Ê a mais potente. A superioridade de torque em baixas rotalçþes da MT Ê brutal.

Velocidade por marcha (km/h) tWFMPDJEBEFQPSNBSDIBPCUJEBOPEJOBNĂ&#x2122;NFUSP

Yamaha XJ6N PRIMEIRA

SEGUNDA

TERCEIRA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

81

120

172

203

229

252

Yamaha MT-07 PRIMEIRA

SEGUNDA

TERCEIRA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

88

123

164

209

251

287

CONCLUSĂ&#x192;O

XJ6N

MOTOR

Estabilidade Maneabilidade SuspensĂŁo dianteira SuspensĂŁo traseira Freios

Yamaha XJ6N

MT-07

Banco de potĂŞncia

MT-07 ABS 1Âş R$Yamaha 32 290 XJ6N ABS 2Âş R$Yamaha 34 290

N

ĂŁo adianta, os anos de evolução no desenvolvimento fazem toda a diferença nesse comparativo. Sabemos que quatro cilindros sĂŁo quatro cilindros, mas a XJ6N, apesar de ser uma moto eďŹ ciente e a mais barata entre as quatro cilindros do mercado, quando comparada com a MT-07 ela se mostra pesada e ultrapassada. A força, a leveza e a economia da MT-07 estĂŁo muitos passos Ă frente.

ANUĂ RIO 2018

motociclismoo 45


TESTE Yamaha Factor 150 UBS

Texto

Marcelo Barros Fotos

Gustavo Epifanio

MAIS COMPLETA

A Factor 150 é a Yamaha mais vendida no Brasil. Para torná-la mais segura (e atrativa) para novos motociclistas, agora ela apresenta o sistema de freio unificado m 46 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Com este QR Code você pode acessar galeria de fotos deste teste!

A

Yamaha Factor 150 surgiu em outubro de 2015 como uma alternativa mais acessível à requintada Fazer 150. Econômica, tem conjunto acertado, funciona bem no dia a dia e é a Yamaha mais vendida do Brasil. Segundo a Fenabrave, é a única moto da marca que em alguns meses briga entre as dez primeiras no ranking geral. Agora, ela ganhou um reforço importante para conquistar mais motociclistas. O sistema de freio unificado, ou apenas UBS (Unified Brake System). Projetada para uso urbano, tem o útil lampejador do farol no punho direito para uma sinalização mais segura no trânsito — mas falta o cor-

SEGURANÇA O sistema UBS já não é novidade, mas oferece indiscutível ganho de segurança ao motociclista em frenagens emergenciais auxiliando-o a frear certo

ta-corrente. A posição de pilotagem é ergonômica e o assento confortável para piloto e passageiro. O motor de 149,3 cm³ com injeção flex rendeu 10,98 cv de potência no dinamômetro com gasolina e garante acelerações e retomadas dentro da necessidade na cidade. Na estrada, velocidade máxima de 120 km/h a 8 000 rpm. Racional. Toda 150 tem a “obrigação” de ser ágil, mas, graças aos Metzeler ME Street, a Factor tem ainda mais facilidade para inclinar. Para quem fez a lição de casa (leia-se “curso de pilotagem”), ela é garantia de diversão nas curvas pelo caminho e prazer na pilotagem. A suspensão traseira é confortável, mas não é tão eficiente quanto a da rival Honda CG 160. Seu acertado conjunto merece uma calibragem mais alinhada ao “mundo real” que temos nas cidades recheadas de irregularidades em suas vias — infelizmente. Esse é o grande porém dessa moto, mas que muito motociclista nem irá notar se não exigir bastante dos amortecedores traseiros. Sobre o freio UBS, o benefício desse sistema — que já equipa Fazer 150 e Neo 125 — é garantir frenagens mais eficientes e controladas, dando maior segurança ao motociclista em situação emergencial. O preço sugerido da nova Factor 150 UBS é de R$ 8 990 (sem frete). Em comparação à extinta Factor 150 ED sem o sistema, houve um acréscimo de R$ 400 no preço final. Pelo ganho no quesito segurança com a ação unificada dos freios, uma diferença que vale a pena pagar. Quando o motociclista aciona o freio traseiro, ANUÁRIO 2018

motociclismoo 47


TESTE Yamaha Factor 150 UBS

PAINEL Compacto e completão, tem tudo bem vísivel para o motociclista. Destaque para o indicador de marcha e o conta-giros

1

o sistema aciona também o freio dianteiro (cerca de 30% de sua capacidade), garantindo uma frenagem próxima do ideal e reduzindo o espaço necessário para parar a moto em comparação a uma frenagem usando apenas com o freio traseiro, erro que muitos usuários ainda cometem. Durante o teste alternamos as frenagens entre a correta (usando o freio dianteiro e o traseiro juntos) e apenas com o traseiro. A grande diferença com o UBS é que para travar a roda traseira é necessário aplicar muita força no pedal. Na maioria das frenagens, mesmo as mais fortes, o sistema unificado garantiu maior poder de frenagem e estabilidade da moto nessa situação. Em julho de 2016, a Yamaha fez a primeira edição do “Rally da Economia”, quando donos da Factor 150 disputaram qual rodaria a maior distância com um litro de gasolina. O vencedor conseguiu a impressionante marca de 79 km/l! Obviamente, como o desafio focava o consumo, os motociclistas andaram no percurso na

POSITIVO t Agilidade t Custobenefício NEGATIVO t Calibragem da suspensão traseira t Tampa do tanque solta

Ponto de Vista

por GABRIEL BERARDI I Editor Executivo

A Factor 150 segue sendo ágil, econômica e gostosa de pilotar. Básica e com um desempenho limitado, mas com um equilíbrio entre os componentes que deixa o conjunto bem agradável. Vejo a adoção do UBS como um “corretor” para os mais inexperientes, porém particularmente não gosto dos sistemas de freio combinados. Mas se a lei vai exigir...

m 48 motociclismo

ANUÁRIO 2018

2

1 Esse mecanismo abaixo do cilindro mestre é parte do UBS 2 O motor 150 flex é econômico e mostra força suficiente para o uso urbano

menor velocidade possível. Na avaliação, fizemos duas medições de consumo com 100% gasolina. Uma econômica, de olho no indicador ECO do completo painel (que indica pilotagem econômica), sem garupa e sem andar na estrada, a qual rendeu 48 km/l, e outra no limite de velocidade das vias, com garupa, misto de cidade e estrada, perfazendo 34,4 km/l. Na nossa “pior” marca, a autonomia da Factor, com tanque de 16 litros, ficou em 550 km. Daria para ir de São Paulo (SP) até Curitiba (PR) e conhecer os pontos turísticos da bela capital do Paraná sem abastecer! Com etanol, naturalmente um consumo maior, com 31,7 km/l (23% menos rendimento em comparação ao consumo médio com gasolina). Mesmo assim, uma marca que atesta a Factor 150 como uma moto econômica. Dois acessórios que indicamos para a Factor 150 são o cavalete central e o peso do guidão, ambos de série da Fazer 150. A Factor 150 tem duas versões, mas recomendamos a UBS por um motivo simples: o freio a disco com ação unificada. A versão E custa R$ 800 a menos e tem freio a tambor e rodas raiadas. Assim como as Honda, ela tem três anos de garantia. Uma interessante opção para iniciantes ou para quem quer uma moto para rodar muito e gastar pouco.


FICHA TĂ&#x2030;CNICA Dados de fĂĄbrica Motor monocilĂ­ndrico I 4 tempos arrefecido a ar I OHC I 2 vĂĄlvulas injeção eletrĂ´nica ďŹ&#x201A;ex Cilindrada 149 cmÂł Diâmetro x curso do pistĂŁo 57,3 mm x 57,9 mm Taxa de compressĂŁo 9,6:1 PotĂŞncia mĂĄxima 12,4 cv a 7 500 rpm Torque mĂĄximo 1,3 kgf.m a 5 500 rpm TRANSMISSĂ&#x192;O

Embreagem Câmbio Secundåria

Multidisco em óleo Mecânico, 5 velocidades Por corrente

CHASSI

Tipo Balança Cåster / trail

Diamond de aço Duplo braço de aço 26°/117 mm

SUSPENSĂ&#x192;O

Dianteira Barras Curso Regulagens Traseira Curso Regulagens

TelescĂłpica NĂŁo declarado 120 mm NĂŁo possui Duplo amortecedor 111 mm PrĂŠ-carga

FREIOS

Freio dianteiro Pinça Freio traseiro Pinça

Disco de 245 mm 1 pistĂŁo Tambor de 130 mm NĂŁo possui

RODAS E PNEUS

Dianteira Traseira Modelo de pneu

2,75 - 18" 90/90 - 18â&#x20AC;? Metzeler ME Street

DADOS VERIFICADOS

PotĂŞncia especĂ­ďŹ ca Relação peso/potĂŞncia Consumo mĂŠdio com gasolina Consumo mĂŠdio com etanol

74,3 cv/litro 11,47 kg/cv 41,2 km/l 31,7 km/l

MEDIDAS Comprimento t 2 015 mm Largura t 735 mm Entre-eixos t 1 325 mm Capacidade do tanque t 16 litros Peso cheio t 127 kg Capacidade måxima de carga t 169 kg Distância mínima do solo t 175 mm Altura do assento t 785 mm

CORES

RENDIMENTO 10%

11

Velocidade måxima Aceleração Retomada

8,0 8,5 8,5

MOTOR 15%

Entrega de potĂŞncia Resposta ao acelerador NĂ­vel de vibração Aspereza TRANSMISSĂ&#x192;O 5%

8,5 9,0 9,0 8,5

Tato e precisão do câmbio 8,0 Relação de marchas 9,0

CHASSIS Estabilidade em retas Estabilidade em curvas Precisão da direção Agilidade Suspensþes com piloto Suspensþes com garupa Distância livre do solo Comportamento frenagem

9,0 9,0 9,0 9,0 8,0 7,5 9,0 9,0

PotĂŞncia dos freios Dosagem dos freios

8,0 9,0

FREIOS 10%

USUĂ RIO

4

9 8 7

3

GASOLINA

10,98 cv a 7 370 rpm 1,16 kgf.m a 5 560 rpm

6

ETANOL

5

2

11,07 cv a 7 570 rpm 1,16 kgf.m a 5 930 rpm

3 1

2 1 0

3

4

!

5

6

7

8

9

0

RPM X 1000

A diferença entre combustĂ­veis ĂŠ mĂ­nima. Ela responde bem atĂŠ 7 500 rpm, suďŹ ciente para andar bem, mesmo com garupa, no uso urbano.

Velocidade por marcha (km/h)

USO DIĂ RIO 20%

Facilidade para manobrar Posição de pilotagem Conforto do piloto Conforto do garupa Sensação de qualidade Prazer ao pilotar Autonomia Equipamentos Acabamento

9,0 8,5 8,0 7,5 9,0 9,0 10 8,0 8,5

Preço de aquisição Garantia Consumo mÊdio

7,5 10 9,5

ECONOMIA 20%

8,7

Preços e custos PREĂ&#x2021;O (moto testada)

10

4

COMPORTAMENTO 20%

TĂ&#x2030;CNICA

KGF.M

CV

MOTOR

MĂŠdia ďŹ nal

Resultados obtidos no dinamĂ´metro do centro tĂŠcnico da revista MOTOCICLISMO

Banco de potĂŞncia

Nossa avaliação

R$ 8 990

Farol R$ 156,74 Pastilha de freio R$ 25,55 Sapata de freio R$ 23,02 Manete de freio R$ 27,30 Filtro de ar R$ 39,32 Filtro de Ăłleo R$ 9,82 Filtro de combustĂ­vel R$ 27,73 Kit transmissĂŁo R$ 132,88 Retrovisor direito R$ 35,91 Seta direita dianteira R$ 32,04

PRIMEIRA

36

SEGUNDA

58

TERCEIRA

79

QUARTA

101

tWFMPDJEBEFQPSNBSDIBPCUJEBOPEJOBNĂ&#x2122;NFUSP

QUINTA

119

CONCLUSĂ&#x192;O por MARCELO BARROS

A

Factor 150 jĂĄ ĂŠ a Yamaha mais vendida do Brasil. Preço, agilidade, robustez e baixo custo de manutenção sĂŁo caracterĂ­sticas que a credenciaram para isso. Com a melhoria nos freios pelo UBS, aliada ao Ăłtimo pneu, oferece mais segurança e irĂĄ atrair mais motociclistas, seja como primeira moto da vida, seja como opção para o dia a dia, enquanto a moto maior ďŹ ca aguardando o ďŹ m de semana. Com desempenho adequado e melhores freios, ďŹ cou faltando apenas uma melhor calibragem da suspensĂŁo traseira, para absorver mais as irregularidades das ruas brasileiras. Detalhe para pensar, dona Yamaha.

* preço sugerido sem frete e sem seguro

ANUĂ RIO 2018

motociclismoo 49


ADRENALINA Yamaha YZ 450F

m 50 motociclismo

ANUÁRIO 2018


A CROSS CONECTADA A YZ 450F 2018 é a off-road pioneira na utilização de um smartphone para melhorar seu desempenho na pista Texto Fotos

Gabriel Berardi e Rodrigo Castro Luís Duarte

O POWER TUNER Uma ferramenta preciosa em todos os sentidos que permite ao mesmo tempo alterar as respostas da YZ e manter um registro de manutenção

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 51


ADRENALINA Yamaha YZ 450F

MAIS ESTREITO E ERGONÔMICO O tanque de combustível teve sua capacidade reduzida para 6,2 litros

1 2

3

1

A suavidade do motor e a sua resposta controlável são os maiores cartões de visita da YZ 450F 2018 2 Os novos aros DID são 200 gramas mais leves 3 A caixa do filtro de ar e os radiadores também são novos e permitem um melhor encaixe do piloto na YZ

m 52 motociclismo

ANUÁRIO 2018

A

YZ 450F 2018 é a primeira moto de série a utilizar a tecnologia atual de uma forma inteligente, prática e, acima de tudo, útil para quem anda de moto em pistas de motocross. A Yamaha já tinha se tornado a primeira marca a oferecer uma ferramenta para personalizar mapas de injeção e ignição com o seu GYTR Tuner, entretanto, este novo aplicativo Power Tuner é um passo gigante em termos de personalização, compartilhamento de informações e controle do funcionamento de nossa moto. O Power Tuner permite, através de uma ligação Wi-Fi, estabelecer uma conexão através de um aplicativo disponibilizado pela Yamaha que permite, de forma rápida e intuitiva, alterar o comportamento da YZ 450F mediante alterações dos mapas de injeção de combustível e de ignição. Além disso, o programa permite descarregar mapas preestabelecidos pela Yamaha ou por outros usuários desse aplicativo. Outra função é a possibilidade de visualizar em 3D a forma como os mapas alteram a injeção de combustível em relação a abertura do acelerador, rotações do motor e também avanço ou atraso da

ignição. Dessa forma, podemos criar mapas específicos para determinado piloto, tipo de piso ou condições climáticas. E calma que tem mais. O Power Tuner permite, em tempo real e em um raio de aproximadamente 500 metros, acessar as informações do motor em funcionamento (rotação, abertura do acelerador, temperatura do líquido de arrefecimento e do ar, voltagem da bateria, pressão atmosférica etc.) e ainda fazer um registro detalhado das manutenções efetuadas na moto ao longo de sua vida. Entretanto, a YZ 450F 2018 não se destaca apenas pelo Power Tuner. Há muito mais. Estamos falando de uma moto totalmente nova de ponta a ponta. Além da introdução de importantes melhorias e modificações em termos de motor e gestão eletrônica, a YZ 2018 conta com uma ciclística inédita, que começa na quarta versão do chassi de treliça em liga de alumínio e termina na ergonomia repensada de cima a baixo. Comecamos pelo novo motor, que, entre outras coisas, passa a contar com partida elétrica — é a primeira japonesa a oferecer esse equipamento de série —, alimentada por uma bateria de íons de lítio, de alta capacidade e


1,5 kg mais leve que uma equivalente de chumbo. O novo cilindro chega com menor inclinação e um pistão bridge box, as válvulas contam com cruzamento mais agressivo e o corpo de admissão de Mikuni agora foi a 44 mm. O sistema de escape foi todo modificado e agora o silenciador está mais próximo do centro de gravidade. Na ciclística a novidade é o novo quadro que somado às modificações no subchassi e nas fixações do motor melhorou a centralização de massas e proporciona um equilibrio ideal entre as sensações em curva e a rigidez em linha reta. A Yamaha manteve as bengalas AOSS (Air Oil Separate System), mas com novas calibragens. Atrás, o amortecedor KYB também foi revisto, com capacidade para mais 30 ml de óleo. Na pista, o que mais impressiona é a extrema facilidade do novo motor em entregar potência em abundância, mas sem violência. A capacidade de tração aumentou exponencialmente. Em termos de ciclística, estamos diante da mais neutra versão da YZ de motor invertido. As reações são previsíveis mesmo em zonas com o piso muito degradado graças a um equilíbrio perfeito no comportamento das suspensões dianteira e traseira. Uma ciclística impecável e um motor de altíssimo desempenho, mas com respostas previsíveis, ajudam muito na nossa confiança e concentração na pilotagem, permitindo-nos explorar melhor todo o potencial da moto... e ganhar tempo.

PONTOS FORTES O motor é forte, mas muito fácil de dosar. A ergonomia é exemplar, enquanto as suspensões funcionaram com perfeição em todo tipo de terreno

Dados de fábrica Motor monocilíndrico, 4T, arrefecido a líquido DOHC I 4 válvulas I câmbio de 5 velocidades Cilindrada Potência máxima Torque máximo Diâmetro x curso do pistão Taxa de compressão Quadro Cáster Trail Suspensão dianteira

Suspensão traseira

Freio dianteiro POSITIVO Motor t Ergonomia t Suspensões NEGATIVO t Peso elevado quando comparado ao de concorrentes europeias t

Freio traseiro Modelo do pneu Roda dianteira Roda traseira

449 cm³ Não declarada Não declarado 97 mm x 60,8 mm 12,8:1 Berço semiduplo de alumínio 27,33° 119,4 mm Garfo invertido KYB com 310 mm de curso, ajuste em 3 vias Monoamortecedor KYB com curso de 317 mm, ajuste em 3 vias Disco de 270 mm, pinça de 2 pistões Disco de 245 mm, pinça de 1 pistão Dunlop MX3S 80/100 - 21" 110/90 - 19"

MEDIDAS Altura mín. do solo t 335 mm Altura do assento t 965 mm Tanque t 6,2 litros

Largura t 825,5 mm Entre-eixos t 1 485 mm Peso cheio t 112 kg

Preço (em Portugal): 8 995 euros (aprox. R$ 33 750)

Ponto final Demorou algum tempo, mas o conceito “Forward Thinking” atingiu o seu alvo. As melhorias no quadro, na ergonomia e no motor levaram a YZ 450F a um novo patamar no segmento da motocross de 450 cm³. A partida elétrica de série é um equipamento há muito tempo esperado e que só traz vantagens aos pilotos de MX, em que cada segundo é valioso. O “Power Tuner” não é um simples gadget, mas sim um precioso auxiliar que nos permite ajustar o motor da YZ às preferências pessoais em termos de resposta e às mais diversas condições de tração.

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 53


VIPAL Pneus Q Catálogo 2018

VIPAL: A GIGANTE BRASILEIRA QUANDO O ASSUNTO É PNEU A Vipal é uma das maiores empresas do ramo de borrachas do mundo, líder na América Latina e referência global no segmento. Com mais de 3 000 profissionais, estrutura física de 163 mil m² e capacidade instalada superior a 18 mil toneladas/mês, hoje mais de 90 países têm produtos Vipal rodando pelas estradas. Conheça os modelos de pneus de moto da marca:

ST300 Apresenta banda de rodagem projetada para maximizar a área de contato com o piso, conferindo excelente aderência em pista seca e molhada. Apresenta alta durabilidade, principalmente em uso severo dentro da cidade, além de grande resistência a furos e impactos. im

ST400 Linha Premium da Vipal para motos de baixa cilindrada, é a melhor opção para aqueles que não abrem mão da alta performance. O composto de borracha especial, somado ao desenho arrojado da banda, proporciona grande estabilidade em diferentes ângulos de inclinação.

ST600 Novidade da Vipal para motos de baixa cilindrada, a linha Ultra Premium ium é a campeã dentre as opções do mercado no quesito rendimento quilométrico graças à sua banda de rodagem com inédita tecnologia a de profundidade variável. Isso, aliado a um composto especialmente formulado para garantir o máximo de durabilidade, faz desta linha tubeless um novo marco de desempenho em motos de até 160 cm³..

m 54 motociclismo

ANUÁRIO 2018


ST500 Os pneus ST500 são imbatíveis na linha de média cilindrada (250 cm³ – 300 cm³). Sem câmara, aliam alta performance e excelente dirigibilidade. De estrutura reforçada e contando com compostos de alto grau de tecnologia, são amplamente aprovados os pelos pilotos que correm em autódromos e competições, melhor de desempenho. prova de sua alta capacidade d

TTR300 L Linha enduro street da Vipal, conta com desenho projetado para oferecer uma excelente dirigibilidade em qualquer tipo de p terreno com grandes blocos centrais visando maior estabilidade te e distribuição em V para um máximo grip em tração e frenagem. Conta com composto de alta durabilidade que lhe confere grande C performance em asfalto e pisos não pavimentados. p

TTR400 R 4 00 Grande lançamento da Vipal no ano, a linha une desempenho em longos percursos e trechos levemente off-road. Indicado para longas viagens em estradas pavimentadas, é eficiente também em trechos não asfaltados devido a seu desenho de banda de rodagem, que conta com um design moderno. O resultado é uma excelente dirigibilidade em todos os tipos de superfície e condições climáticas. O modelo TR400 têm lançamento previsto para abril de 2018.

CR300 Pneu de alta performance para motocross, foi especialmente projetado para as pistas. Alto poder de tração e autolimpeza são suas características, graças ao desenho da banda de rodagem, que vem com blocos espaçados, assegurando também grande adaptabilidade em curvas. Já o CR400, desenvolvido para utilização em pisos intermediários e duros, especialmente trilhas, possui desenho dos blocos com menor distância entre gomos e amarrações nas laterais que, assim como o outro modelo, oferece máxima durabilidade e resistência.

* conteúdo patrocinado por um anunciante e desenvolvido por uma equipe de especialistas que não fazem parte da redação da MOTOCICLISMO

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 55


GIVI Equipamentos Q Catálogo 2018

GIVI: SEGURANÇA E INOVAÇÃO A SERVIÇO DO MOTOCICLISTA Consolidada como uma marca global sólida e inovadora, a missão da Givi é proporcionar segurança e grande satisfação às pessoas que adotaram o motociclismo como um estilo de vida. Com os mais exigentes certificados de qualidade internacionais e um laboratório de P&D na Itália, a marca está em constante busca de produtos que possam melhorar a motocicleta e o próprio motociclista em termos de segurança e performance. Veja algumas das novidades da marca para 2018.

CAPACETE 50.5 Fabricado em polímero STC, conta com forração antialérgica (removível e lavável), cinta jugular de ajuste micrométrico, viseira externa com 2,2 mm de espessura e tratamento anti-risco, preparação para pinlock (vendido separadamente) e viseira interna com tratamento UV. Está disponível nos tamanhos 56, 58, 60, 61 e 63 e com diversos grafismos. Com peso de apenas 1 490 g, tem preço sugerido de R$ 699,90.

CAPACETE X21 Fabricado em polímero STC, conta com forração antialérgica (removível e lavável), cinta jugular de ajuste micrométrico, trava do encaixe da parte frontal com o casco em aço e trava para não fechamento da parte frontal quando aberta. Viseira externa com 2,2 mm de espessura e tratamento anti-risco, preparação para pinlock e viseira interna com tratamento UV. Com diversos grafismos e cores, está disponível nos tamanhos 56 a 63. O peso é de 1 550 g, e o preço sugerido de venda é de R$ 1 099,90.

BAÚS EM ALUMÍNIO DOLOMITI BLACK Baú traseiro DLM46B - Volume interno de 46 litros. Dimensões, em mm, (W x H x D): 340 x 410 x 460. Dados Gerais: Peso interno máximo permitido: 10 kg (além do peso total do baú). Material: alumínio envernizado preto na base e na tampa. Rebites de aço inoxidável. Tambores de chave com tampa para proteção contra pó. Ganchos para fixar uma rede elástica dentro da tampa. Quatro pontos de ancoragem na tampa para proteger bolsas adicionais usando correias opcionais.

m 56 motociclismo

ANUÁRIO 2018


BOLSA EA105 Para instalação no túnel central de scooter. Com capacidade de 15 litros, possui capa de chuva adicional e entrada especial para transpor cabeamento de recarga de equipamentos eletrônicos. Conta com alça de ombro e cinta adicional para fixação na motocicleta e dois bolsos externos. Fabricado em 600D PU, traz detalhes em poliéster nas laterais e refletivos. Preço sugerido de R$ 220,00.

CAIXA DE FERRAMENTAS S250 Para montagem entre os suportes de baús laterais e a carenagem da moto, tanto do lado esquerdo ou direito. Impermeável, traz separador interno removível, tampa de fechamento utilizavel em ambos os lados (fechadura no parte alta ou na baixa), chave security lock unificada com chave de baús/malas/bolsas Givi dotadas de fechadura security lock (comprando o kit SL105) · tampa anti poeira na fechadura. Preço sugerido: R$ 250,00 (não incluso o kit de fixação).

S410 GIVI TROLLEY Adicione as rodas à seu baú GIVI e transporte-o com o máximo de conforto, facilidade e conveniência! Com um peso de apenas 2,3 kg, o S410 é produzido com corpo de nylon e fibra de vidro de alta qualidade, com um acabamento resistente a arranhões. A alça removível, que suporta o botão de liberação para a extensão, é feita de alumínio e coberta com borracha, garantindo um aperto robusto e confortável. As rodas são montadas em rolamentos de esferas e o design do composto proporciona uma excelente suavidade, mesmo em superfícies irregulares. O preço sugerido é de R$ 799,00.

BOLSA ST605 TANKLOCKED EVO Com 4 litros de capacidade e preço sugerido de R$ 751,00, a bolsa possui capa de chuva adicional e entrada especial para transpor cabeamento de recarga de eletrônicos. Observação: para instalação na motocicleta, se faz necessário a compra do flange de instalação no tanque. Consulte a flange adequada para a sua motocicleta em www. givimoto.com, seção “para a sua motocicleta”.

* conteúdo patrocinado por um anunciante e desenvolvido por uma equipe de especialistas que não fazem parte da redação da MOTOCICLISMO

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 57


CUB Haojue Q Nex 110 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

Honda Q Biz 110i .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS 5BNCPSNN 5BNCPSNN

t.5 Dianteiro 60/100-17 M/C 33L Traseiro 80/100-14 M/C REINF 49L

Honda Q Biz 125i .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

t.5 Dianteiro 60/100-17 M/C 33L Traseiro 80/100-14 M/C REINF 49L

Honda Q Pop 110i .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro t.5 Dianteiro 60/100-17 M/C 33L Traseiro 80/100-14 M/C REINF 49L

m 58 motociclismo

ANUรRIO 2018

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS TBNCPSNN 5BNCPSNN


Shineray Q Cross 50 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

Shineray Q Jet 125 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

Shineray Q Mind 50 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTJOWFSUJEBT .POPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

Shineray Q Phoenix 50 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

ANUรRIO 2018

motociclismoo 59


CUB Traxx Q Moby 50 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBร˜MFPIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS 5BNCPS 5BNCPS

Traxx Q Sky 125 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNยฉ  DWBSQN LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDP 5BNCPS

Traxx Q Sky 50 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDP 5BNCPS

Traxx Q Star 50 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

m 60 motociclismo

ANUรRIO 2018

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN .POPCMPDP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS 5BNCPS 5BNCPS


CITY BMW Q G 310 R .POPDJMĂ&#x201C;OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBMĂ&#x201C;RVJEPIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFĂ&#x17D;Ă?PFMFUSĂ&#x2122;OJDB Cilindrada DNŠ PotĂŞncia mĂĄxima DWBSQN Torque mĂĄximo  LHGNBSQN Quadro 5VCVMBSEFBĂ&#x17D;P SuspensĂŁo dianteira #FOHBMBTJOWFSUJEBT SuspensĂŁo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN t4QPSUFD. Dianteiro 110/70 R17 M/C 54H TL Traseiro 150/60 R17 M/C 66H TL

Dafra Q Apache 200 .POPDJMĂ&#x201C;OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFĂ&#x17D;Ă?PFMFUSĂ&#x2122;OJDB Cilindrada PotĂŞncia mĂĄxima Torque mĂĄximo Quadro SuspensĂŁo dianteira SuspensĂŁo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNŠ  DWBSQN  LHGNBSQN #FSĂ&#x17D;PEVQMPEFBĂ&#x17D;P #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT .POPBNPSUFDFEPS %JTDPNN %JTDPNN

t4QPSU%FNPO Dianteiro 90/90-17â&#x20AC;? Traseiro 130/70-17â&#x20AC;?

Dafra Q Horizon 150 .POPDJMĂ&#x201C;OESJDPIBSSFGFDJNFOUPNJTUP BSFĂ&#x2DC;MFP IWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada DNŠ PotĂŞncia mĂĄxima  DWBSQN Torque mĂĄximo  LHGNBSQN Quadro #FSĂ&#x17D;PTFNJEVQMP SuspensĂŁo dianteira #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT SuspensĂŁo traseira %VQMPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro 5BNCPSNN t$JUZ%FNPO Dianteiro 3.00-18 M/C 47S TL Traseiro 130/90-15 M/C 66S TL (TT)

Haojue Q Chopper Road 150 .POPDJMĂ&#x201C;OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada PotĂŞncia mĂĄxima Torque mĂĄximo Quadro SuspensĂŁo dianteira SuspensĂŁo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNŠ  DWBSQN  LHGNBSQN 5VCVMBSFNBĂ&#x17D;P #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

ANUĂ RIO 2018

motociclismoo 61


CITY Haojue Q DK 150 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN 5VCVMBSFNBรŽP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

Honda Q CB 125R .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBMร“RVJEPIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada DNยฉ Potรชncia mรกxima DWBSQN Torque mรกximo  LHGNBSQN Quadro 5VCVMBSEFBรŽP Suspensรฃo dianteira #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT Suspensรฃo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN

Honda Q CB 250F Twister .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN %JBNPOEEFBรŽP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT .POPBNPSUFDFEPS %JTDPNN %JTDPNN

Honda Q CB 300 R .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBMร“RVJEPIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada DNยฉ Potรชncia mรกxima  DWBSQN Torque mรกximo  LHGNBSQN Quadro 5VCVMBSEFBรŽP Suspensรฃo dianteira #FOHBMBTJOWFSUJEBT Suspensรฃo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN

m 62 motociclismo

ANUรRIO 2018


Honda Q CG 125i Cargo .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN %JBNPOEEFBรŽP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS 5BNCPSNN 5BNCPSNN

Honda Q Honda CG 125i Fan .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN %JBNPOEEFBรŽP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS 5BNCPSNN 5BNCPSNN

Honda Q CG 160 Fan ESDi .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN %JBNPOE #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

t$JUZ%SBHPO Dianteiro 80/100-18 M/C 47P TL Traseiro 90/90-18 M/C REINF 57P TL

Honda Q CG 160 Start .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN %JBNPOEEFBรŽP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS 5BNCPSNN 5BNCPSNN

t$JUZ%SBHPO Dianteiro 80/100-18 M/C 47P TL Traseiro 90/90-18 M/C REINF 57P TL ANUรRIO 2018

motociclismoo 63


CITY Honda Q CG 160 Titan .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN %JBNPOEEFBรŽP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

t$JUZ%SBHPO Dianteiro 80/100-18 M/C 47P TL Traseiro 100/80-18 M/C REINF 59P TL

Kawasaki Q Ninja 300 #JDJMร“OESJDPFNMJOIBIBSSFGFDJNFOUPBMร“RVJEPIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada DNยฉ Potรชncia mรกxima DWBSQN Torque mรกximo  LHGNBSQN Quadro 5VCVMBSEFBรŽP Suspensรฃo dianteira #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT Suspensรฃo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 110/70 R17 M/C TL 54H (RK) Traseiro 140/70 R17 M/C TL 66H (RK)

Kawasaki Q Ninja 400 #JDJMร“OESJDPFNMJOIBIBSSFGFDJNFOUPBMร“RVJEPIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada DNยฉ Potรชncia mรกxima DWBSQN Torque mรกximo  LHGNBSQN Quadro 5VCVMBSEFBรŽP Suspensรฃo dianteira #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT Suspensรฃo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN

Kawasaki Q Z300 #JDJMร“OESJDPFNMJOIBIBSSFGFDJNFOUPBMร“RVJEPIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada DNยฉ Potรชncia mรกxima DWBSQN Torque mรกximo  LHGNBSQN Quadro 5VCVMBSEFBรŽP Suspensรฃo dianteira #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT Suspensรฃo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 110/70 R17 M/C TL 54H (RK) Traseiro 140/70 R17 M/C TL 66H (RK)

m 64 motociclismo

ANUรRIO 2018


KTM Q Duke 200 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBMร“RVJEPIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada  DNยฉ Potรชncia mรกxima  DWBSQN Torque mรกximo  LHGNBSQN Quadro 5SFMJรŽBEFBรŽP Suspensรฃo dianteira #FOHBMBTJOWFSUJEBT Suspensรฃo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 110/70 R17 M/C TL 54H (R) Traseiro 150/60 R17 M/C TL 66H (RD)

KTM Q Duke 390 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBMร“RVJEPIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFรŽรPFMFUSร™OJDB Cilindrada  DNยฉ Potรชncia mรกxima DWBSQN Torque mรกximo  LHGNBSQN Quadro 5SFMJรŽBEFBรŽP Suspensรฃo dianteira #FOHBMBTJOWFSUJEBT Suspensรฃo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 110/70 R17 M/C TL 54H (R) Traseiro 150/60 R17 M/C TL 66H (RD)

Shineray Q Bolt 250 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

 DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN #FSรŽPTJNQMFT #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

Traxx Q TSS 150 .POPDJMร“OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWรˆMWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIDBSCVSBEPS Cilindrada Potรชncia mรกxima Torque mรกximo Quadro Suspensรฃo dianteira Suspensรฃo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNยฉ  DWBSQN  LHGNBSQN 5VCVMBSEFBรŽP #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

ANUรRIO 2018

motociclismoo 65


CITY Traxx Q TSS 250 .POPDJMĂ&#x201C;OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBMĂ&#x201C;RVJEPIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFĂ&#x17D;Ă?PFMFUSĂ&#x2122;OJDB Cilindrada DNŠ PotĂŞncia mĂĄxima 1DWBSQN Torque mĂĄximo  LHGNBSQN Quadro 5VCVMBSEFBĂ&#x17D;P SuspensĂŁo dianteira #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT SuspensĂŁo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro 5BNCPSNN

Yamaha Q Factor 125i .POPDJMĂ&#x201C;OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFĂ&#x17D;Ă?PFMFUSĂ&#x2122;OJDB Cilindrada PotĂŞncia mĂĄxima Torque mĂĄximo Quadro SuspensĂŁo dianteira SuspensĂŁo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNŠ DWBSQN  LHGNBSQN 5VCVMBSEFBĂ&#x17D;P #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

t.&4USFFU Dianteiro 2.75-18 M/C 42P TL Traseiro 90/90-18 M/C REINF 57P TL

Yamaha Q Factor 150 ED .POPDJMĂ&#x201C;OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFĂ&#x17D;Ă?PFMFUSĂ&#x2122;OJDB Cilindrada PotĂŞncia mĂĄxima Torque mĂĄximo Quadro SuspensĂŁo dianteira SuspensĂŁo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNŠ  DWBSQN  LHGNBSQN 5VCVMBSEFBĂ&#x17D;P #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN

t.&4USFFU Dianteiro 2.75-18 M/C 42P TL Traseiro 90/90-18 M/C REINF 57P TL

Yamaha Q Fazer 150 .POPDJMĂ&#x201C;OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFĂ&#x17D;Ă?PFMFUSĂ&#x2122;OJDB Cilindrada PotĂŞncia mĂĄxima Torque mĂĄximo Quadro SuspensĂŁo dianteira SuspensĂŁo traseira Freio dianteiro Freio traseiro t.&4USFFU Dianteiro 2.75-18 M/C 42P TL Traseiro 100/80-18 M/C REINF 59P TL

m 66 motociclismo

ANUĂ RIO 2018

DNŠ  DWBSQN  LHGNBSQN 5VCVMBSEFBĂ&#x17D;P #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT %VQMPBNPSUFDFEPS %JTDPNN 5BNCPSNN


Yamaha Q Fazer 250 .POPDJMĂ&#x201C;OESJDPIBSSFGFDJNFOUPBBSIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFĂ&#x17D;Ă?PFMFUSĂ&#x2122;OJDB Cilindrada PotĂŞncia mĂĄxima Torque mĂĄximo Quadro SuspensĂŁo dianteira SuspensĂŁo traseira Freio dianteiro Freio traseiro

DNŠ  DWBSQN  LHGNBSQN 5VCVMBSEFBĂ&#x17D;P #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT .POPBNPSUFDFEPS %JTDPNN %JTDPNN

t4QPSU%FNPO Dianteiro 100/80-17 M/C TL 52S Traseiro 130/70-17 M/C TL 62S

Yamaha Q MT-03 #JDJMĂ&#x201C;OESJDPFNMJOIBIBSSFGFDJNFOUPBMĂ&#x201C;RVJEPIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFĂ&#x17D;Ă?PFMFUSĂ&#x2122;OJDB Cilindrada DNŠ PotĂŞncia mĂĄxima DWBSQN Torque mĂĄximo  LHGNBSQN Quadro 5VCVMBSEFBĂ&#x17D;P SuspensĂŁo dianteira #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT SuspensĂŁo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN t4QPSUFD.*OUFSBDU Dianteiro 110/70 R17 M/C TL 54H (R) Traseiro 140/70 R17 M/C TL 66H (R)

Yamaha Q YZF-R3 #JDJMĂ&#x201C;OESJDPFNMJOIBIBSSFGFDJNFOUPBMĂ&#x201C;RVJEPIWĂ&#x2C6;MWVMBT NBSDIBT USBOTNDPSSFOUFIJOKFĂ&#x17D;Ă?PFMFUSĂ&#x2122;OJDB Cilindrada DNŠ PotĂŞncia mĂĄxima DWBSQN Torque mĂĄximo  LHGNBSQN Quadro 5VCVMBSEFBĂ&#x17D;P SuspensĂŁo dianteira #FOHBMBTDPOWFODJPOBJT SuspensĂŁo traseira .POPBNPSUFDFEPS Freio dianteiro %JTDPNN Freio traseiro %JTDPNN t4QPSUFD.*OUFSBDU Dianteiro 110/70 R17 M/C TL 54H (R) Traseiro 140/70 R17 M/C TL 66H (R)

ANUĂ RIO 2018

motociclismoo 67


TRAIL BMW Q G 310 GS Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 313 cm³ Potência máxima 34 cv a 9 500 rpm Torque máximo 2,9 kgf.m a 7 500 rpm Quadro Tubular de aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 300 mm Freio traseiro Disco 240 mm t5PVSBODF&91 Dianteiro 110/80-19 M/C 59H TL Traseiro 150/70 R17 M/C 69H TL

Honda Q NXR 160 Bros Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

162,7 cm³ 14,6 cv a 8 500 rpm 1,47 kgf.m a 6 000 rpm Berço semiduplo Bengalas convencionais Monoamortecedor Tambor 130 mm Tambor 110 mm

t.5 Dianteiro 90/90-19 M/C 52P Traseiro 110/90-17 M/C 60P

Honda Q XRE 190 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

184,4 cm³ 16,3 cv a 8 500 rpm 1,65 kgf.m a 6 000 rpm Berço semiduplo Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 240 mm Disco 220 mm

t.5 Dianteiro 90/90-19 M/C 52P Traseiro 110/90-17 M/C 60P

Honda Q XRE 300 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 4 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro t&OEVSP4BIBSB Dianteiro 90/90-21 M/C 54S Traseiro 120/80-18 M/C 62S

m 68 motociclismo

ANUÁRIO 2018

291,6 cm³ 25,4 cv a 7 500 rpm 2,76 kgf.m a 6 000 rpm Berço semiduplo Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 256 mm Disco 220 mm


Kawasaki Versys-X 300 Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 296 cm³ Potência máxima 40 cv a 11 500 rpm Torque máximo 2,6 kgf.m a 10 000 rpm Quadro Backbone em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 290 mm Freio traseiro Disco 220 mm t.5 Dianteiro 100/90-19 M/C 57H TL Traseiro 130/80-17 M/C 65H TL

Kawasaki Q Versys-X 300 TR Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 296 cm³ Potência máxima 40 cv a 11 500 rpm Torque máximo 2,6 kgf.m a 10 000 rpm Quadro Backbone em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 290 mm Freio traseiro Disco 220 mm t.5 Dianteiro 100/90-19 M/C 57H TL Traseiro 130/80-17 M/C 65H TL

Royal Enfield Q Himalayan Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

411 cm³ 24,5 cv a 6 500 rpm 3,26 kgf.m a 4 250 rpm Berço semiduplo Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 300 mm Disco 240 mm

Shineray Q Discover 250 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas 5 marchas, transm. corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

250 cm³ 12 cv a 8 500 rpm 2,03 kgf.m a 7 500 rpm Berço simples Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco 240 mm Tambor 240 mm

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 69


TRAIL Traxx Q Fly 150 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas 5 marchas, transm. corrente I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 12,2 cv a 8 000 rpm 1,17 kgf.m a 6 000 rpm Berço semiduplo Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 240 mm Disco 220 mm

Traxx Q Fly 250 Monocilíndrico I arrefecimento a óleo I 2 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

223 cm³ 16 cv a 7 500 rpm 1,7 kgf.m a 6 000 rpm Berço semiduplo Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco 240 mm Disco 220 mm

Yamaha Q XTZ 150 Crosser S Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

149 cm³ 12,2 cv a 7 500 rpm 1,28 kgf.m a 6 000 rpm Berço semiduplo Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 230 mm Tambor 130 mm

t5PVSBODF Dianteiro 90/90-19 M/C 52P Traseiro 110/90-17 M/C 60P

Yamaha Q XTZ 150 Crosser Z Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro t5PVSBODF Dianteiro 90/90-19 M/C 52P Traseiro 110/90-17 M/C 60P

m 70 motociclismo

ANUÁRIO 2018

149 cm³ 12,2 cv a 7 500 rpm 1,28 kgf.m a 6 000 rpm Berço semiduplo Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 230 mm Tambor 130 mm


Yamaha Q XTZ 250 Lander Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249 cm³ 20,7 cv a 8 000 rpm 2,1 kgf.m a 6 500 rpm Berço semiduplo Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 245 mm Disco 203 mm

t&OEVSP4BIBSB Dianteiro 80/90-21 M/C 48S Traseiro 120/80-18 M/C 62S

Yamaha Q XTZ 250 Ténéré Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

249 cm³ 20,7 cv a 8 000 rpm 2,1 kgf.m a 6 500 rpm Berço semiduplo Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 245 mm Disco 203 mm

t5PVSBODF Dianteiro 80/90-21 M/C 48S Traseiro 120/80-18 M/C 62S

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 71


SCOOTER BMW Q C 400-X Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 4 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 350 cm³ Potência máxima 34 cv a 7 500 rpm Torque máximo 3,56 kgf.m a 6 000 rpm Quadro Tubular de aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo 265 mm Freio traseiro Disco 265 mm t%JBCMP3PTTP4DPPUFS Dianteiro 120/70 R15 M/C 56H TL Traseiro 160/60 R14 M/C 65H TL

Dafra Q Cityclass 200i Monocilíndrico I arrefecimento misto (água e óleo) I 2 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 199,1 cm³ Potência máxima 13,8 cv a 7 500 rpm Torque máximo 1,41 kgf.m a 6 000 rpm Quadro Monobloco Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 240 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP4DPPUFS Dianteiro 100/80-16 M/C 50P TL Traseiro 120/80-16 M/C 60P TL

Dafra Q Citycom 300i Monocilíndrico I arrefecimento líquido I 2 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 278,3 cm³ Potência máxima 27,8 cv a 7 750 rpm Torque máximo 2,8 kgf.m a 6 500 rpm Quadro Monobloco Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 260 mm Freio traseiro Disco 260 mm t'FFMGSFF Dianteiro 110/70-16 M/C 52P TL Traseiro 130/70-16 M/C 61P TL

Dafra Q Fiddle III Monocilíndrico I arrefecimento a óleo I 2 válvulas CVT I carburador Cilindrada 124,6 cm³ Potência máxima 10,3 cv a 8 500 rpm Torque máximo 0,87 kgf.m a 6 500 rpm Quadro Underbone Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 190 mm Freio traseiro Disco 220 mm t&70 Dianteiro 110/70-12 47L TL Traseiro 120/70-12 51L TL

m 72 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Dafra Q Maxsym 400i Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 4 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 399,3 cm³ Potência máxima 33,3 cv a 7 500 rpm Torque máximo 3,2 kgf.m a 5 500 rpm Quadro Underbone Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo 275 mm Freio traseiro Disco 275 mm t%JBCMP4DPPUFS Dianteiro 120/70-15 M/C 56S TL Traseiro 150/70-14 M/C 66S TL

Haojue Q Lindy 125 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas CVT I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

124 cm³ 8,4 cv a 7 000 rpm 0,92 kgf.m a 6 000 rpm Underbone Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 162 mm Tambor 102 mm

Honda Q PCX Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 2 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 149,3 cm³ Potência máxima 13,1 cv a 8 500 rpm Torque máximo 1,36 kgf.m a 5 000 rpm Quadro Monobloco Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 220 mm Freio traseiro Tambor 130 mm t%JBCMP4DPPUFS Dianteiro 100/80-14 M/C 48P TL Traseiro 120/70-14 M/C 61P TL REINF

Honda Q PCX Sport Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 2 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 149,3 cm³ Potência máxima 13,1 cv a 8 500 rpm Torque máximo 1,36 kgf.m a 5 000 rpm Quadro Monobloco Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 220 mm Freio traseiro Tambor 130 mm t%JBCMP4DPPUFS Dianteiro 100/80-14 M/C 48P TL Traseiro 120/70-14 M/C 61P TL REINF ANUÁRIO 2018

motociclismoo 73


SCOOTER Honda Q SH 150i Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 2 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 149,3 cm³ Potência máxima 14,7 cv a 7 750 rpm Torque máximo 1,4 kgf.m a 6 250 rpm Quadro Monobloco Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 240 mm Freio traseiro Disco 240 mm t%JBCMP4DPPUFS Dianteiro 100/80-16 M/C 50P TL Traseiro 120/80-16 M/C 60P TL

Honda Q SH 300i Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 2 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 279,1 cm³ Potência máxima 24,9 cv a 7 500 rpm Torque máximo 2,59 kgf.m a 5 000 rpm Quadro Monobloco Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 256 mm Freio traseiro Disco 240 mm t'FFMGSFF Dianteiro 110/70-16 M/C 52S TL Traseiro 130/70 R16 M/C 61S TL

Honda Q X-ADV Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas (DCT), transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 745 cm³ Potência máxima 54,8 cv a 6 250 rpm Torque máximo 6,93 kgf.m a 4 750 rpm Quadro Diamond Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 296 mm Freio traseiro Disco 240 mm

Kymco Q Agility 200 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

m 74 motociclismo

ANUÁRIO 2018

163 cm³ 11,2 cv a 7 500 rpm 1,1 kgf.m a 5 500 rpm Tubular de aço Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco 260 mm Disco 240 mm


Kymco Q AK 550 Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 550 cm³ Potência máxima 53,4 cv a 7500 rpm Torque máximo 5,66 kgf.m a 5 500 rpm Quadro Monobloco de alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 280 mm Freio traseiro Disco 260 mm

Kymco Q Downtown 300i Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 8 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 298 cm³ Potência máxima 29,7 cv a 8 000 rpm Torque máximo 3,07 kgf.m a 6 250 rpm Quadro Underbone Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 260 mm Freio traseiro Disco 240 mm

Kymco Q People 300i Monocilíndrico I arrefecimento a líquido CVTI injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

298,9 cm³ 28,9 cv a 7 750 rpm 3,07 kgf.m a 6 250 rpm Underbone Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco 260 mm Disco 260 mm

Suzuki Q Burgman 650 Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 638 cm³ Potência máxima 54,3 cv a 7 000 rpm Torque máximo 6,32 kgf.m a 5 000 rpm Quadro Underbone Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco t%JBCMP3PTTP4DPPUFS Dianteiro 120/70 R15 Traseiro 160/60 R14 ANUÁRIO 2018

motociclismoo 75


SCOOTER Suzuki Q Burgman i Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 2 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 124 cm³ Potência máxima 9 cv a 7 500 rpm Torque máximo 0,95 kgf.m a 6 000 rpm Quadro Underbone Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco Freio traseiro Tambor t4- Dianteiro 90/90-10 50J TL Traseiro 100/90-10 56J TL

Vespa Q GTS 300 Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 4 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 278 cm³ Potência máxima 22 cv a 7 500 rpm Torque máximo 2,27 kgf.m a 5 000 rpm Quadro Tubular de aço Suspensão dianteira Braço único Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 220 mm Freio traseiro Disco 220 mm t4- Dianteiro 120/70-12 51P TL Traseiro 120/70-12 51P TL

Vespa Q GTS Super Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 4 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 278 cm³ Potência máxima 22 cv a 7 500 rpm Torque máximo 2,27 kgf.m a 5 000 rpm Quadro Tubular de aço Suspensão dianteira Braço único Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 220 mm Freio traseiro Disco 220 mm

Vespa Q Primavera Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 3 válvulas CVT I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

m 76 motociclismo

ANUÁRIO 2018

125 cm³ 11 cv a 7 000 rpm não informado Tubular de aço Braço único Duplo amortecedor Disco 200 mm Tambor


Vespa Q VXL Classic 150 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 3 válvulas CVT I carburador Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

150 cm³ 11 cv a 7 000 rpm não informado Tubular de aço Braço único Monoamortecedor Disco 200 mm Tambor

Yamaha Q Neo 125 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 2 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

125 cm³ 9,8 cv a 8 000 rpm 0,97 kgf.m a 5 500 rpm Monobloco Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco 200 mm Tambor 130 mm

t'FFMGSFF Dianteiro 80/80-14 M/C REINF TL 43P Traseiro 90/80-14 M/C REINF TL 49P

Yamaha Q NMax Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 4 válvulas CVT I injeção eletrônica Cilindrada 155 cm³ Potência máxima 15,1 cv a 8 000 rpm Torque máximo 1,5 kgf.m a 6 000 rpm Quadro Monobloco Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 230 mm Freio traseiro Disco 230 mm

Yamaha Q TMax Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 4 válvulas CVT I transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 530 cm³ Potência máxima 45,3 cv a 6 750 rpm Torque máximo 5,4 kgf.m a 5 250 rpm Quadro Monobloco de alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 267 mm Freio traseiro Disco 282 mm

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 77


NAKED | CLÁSSICA BMW Q F 800 R Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 798 cm³ Potência máxima 90 cv a 8 000 rpm Torque máximo 8,76 kgf.m a 5 800 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo de 320 mm Freio traseiro Disco de 265 mm t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17

BMW Q S 1000 R Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 999 cm³ Potência máxima 165 cv a 11 000 rpm Torque máximo 11,62 kgf.m a 9 250 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo de 320 mm Freio traseiro Disco de 220 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 190/55 ZR17

Ducati Q Diavel Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. correia dentada I injeção eletrônica Cilindrada 1 198,4 cm³ Potência máxima 155 cv a 9 250 rpm Torque máximo 12,74 kgf.m a 8 000 rpm Quadro Treliça em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo de 320 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP3PTTP**

Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 240/45 ZR17

Ducati Q Monster 1200 Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 198 cm³ Potência máxima 147 cv a 9 250 rpm Torque máximo 12,64 kgf.m a 7 750 rpm Quadro Treliça em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo de 330 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 190/55 ZR17

m 78 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Ducati Q Monster 797 Bicilíndrico em L I arrefecimento a ar I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

803 cm³ 73 cv a 8 250 rpm 6,8 kgf.m a 5 750 rpm Treliça em aço Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco duplo 320 mm Disco 245 mm

t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17

Ducati Q Monster 821 Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 821 cm³ Potência máxima 109 cv a 9 250 rpm Torque máximo 8,76 kgf.m a 7 750 rpm Quadro Treliça em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17

Ducati Q Scrambler 1100 Bicilíndrico em L I arrefecimento misto (ar e óleo) I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 079 cm³ Potência máxima 86 cv a 7 500 rpm Torque máximo 9 kgf.m a 4 750 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 330 mm Freio traseiro Disco 245 mm t.534 Dianteiro 120/70 ZR18 Traseiro 180/55 ZR17

Ducati Q Scrambler Classic Bicilíndrico em L I arrefecimento a ar I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

803 cm³ 73 cv a 8 250 rpm 6,83 kgf.m a 5 750 rpm 5VCVMBSFNBÎP Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco de 330 mm Disco de 245 mm

t.534 Dianteiro 110/80 R18 Traseiro 180/55 R17 ANUÁRIO 2018

motociclismoo 79


NAKED | CLÁSSICA Ducati Q Scrambler Full Throttle Bicilíndrico em L I arrefecimento a ar I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

803 cm³ 73 cv a 8 250 rpm 6,83 kgf.m a 5 750 rpm 5VCVMBSFNBÎP Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco de 330 mm Disco de 245 mm

t.534 Dianteiro 110/80 R18 Traseiro 180/55 R17

Ducati Q Scrambler Icon Bicilíndrico em L I arrefecimento a ar I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

803 cm³ 73 cv a 8 250 rpm 6,83 kgf.m a 5 750 rpm 5VCVMBSFNBÎP Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco 330 mm Disco 245 mm

t.534 Dianteiro 110/80 R18 Traseiro 180/55 R17

Ducati Q Scrambler Urban Enduro Bicilíndrico em L I arrefecimento a ar I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

803 cm³ 73 cv a 8 250 rpm 6,83 kgf.m a 5 750 rpm 5VCVMBSFNBÎP Bengalas invertidas Monoamortecedor Disco 330 mm Disco 245 mm

t.534 Dianteiro 110/80 R18 Traseiro 180/55 R17

Harley-Davidson Q Roadster Bicilíndrico em V I arrefecimento a ar I 4 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 202 cm³ Potência máxima não informada Torque máximo 9,38 kgf.m a 3 500 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco

m 80 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Honda Q CB 1000R Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 998 cm³ Potência máxima 143 cv a 10 500 rpm Torque máximo 10,6 kgf.m a 8 250 rpm Quadro #BDLCPOFEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Duplo disco de 310 mm Freio traseiro Disco de 256 mm

Honda Q CB 500F Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 471 cm³ Potência máxima 50,4 cv a 8 500 rpm Torque máximo 4,55 kgf.m a 7 000 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 320 mm Freio traseiro Disco 240 mm t3PBEUFD;*OUFSBDU

Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 160/60 ZR17 M/C 69W TL

Honda Q CB 650F Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

649 cm³ 88,5 cv a 11 000 rpm 6,22 kgf.m a 8 000 rpm Diamond em aço Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco 320 mm Disco 240 mm

t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17

Husqvarna Q Svartpilen 701 Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 692,7 cm³ Potência máxima 75 cv Torque máximo 7,3 kgf.m Quadro 5VCVMBSEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Duplo disco Freio traseiro Disco

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 81


NAKED | CLÁSSICA Husqvarna Q Vitpilen 401 Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 375 cm³ Potência máxima 43 cv a 9 500 rpm Torque máximo 3,56 kgf.m a 7 250 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 300 mm Freio traseiro Disco 230 mm

Husqvarna Q Vitpilen 701 Monocilíndrico I arrefecimento a líquido I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 693 cm³ Potência máxima 75 cv a 8 500 rpm Torque máximo 9,95 kgf.m a 6 750 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 320 mm Freio traseiro Disco 240 mm

Kawasaki Q Z1000 Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 043 cm³ Potência máxima 142 cv a 10 000 rpm Torque máximo 11,3 kgf.m a 7 300 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 250 mm t%JBCMP3PTTP***

Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W Traseiro 190/50 ZR17 M/C 73W

Kawasaki Q Z650 Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 649 cm³ Potência máxima 68 cv a 8 000 rpm Torque máximo 6,7 kgf.m a 6 500 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP3PTTP**

m 82 motociclismo

ANUÁRIO 2018

Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W Traseiro 160/60 ZR17 M/C 69W


Kawasaki Q Z900 Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 948 cm³ Potência máxima 125 cv a 9 500 rpm Torque máximo 10,1 kgf.m a 7 700 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 250 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W Traseiro 180/55 ZR17 M/C 73W

Kawasaki Q Z900 RS Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 948 cm³ Potência máxima 111 cv a 8 500 rpm Torque máximo 10,04 kgf.m a 6 500 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo de 300 mm Freio traseiro Disco de 250 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W Traseiro 180/55 ZR17 M/C 73W

KTM Q 1290 Super Duke GT Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 301 cm³ Potência máxima 173 cv Torque máximo 14,7 kgf.m Quadro 5VCVMBSEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo de 320 mm Freio traseiro Disco de 240 mm t"OHFM(5 Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 190/55 ZR17

KTM Q 1290 Super Duke R Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 301 cm³ Potência máxima 177 cv Torque máximo 14,3 kgf.m a 7 000 rpm Quadro 5VCVMBSEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo de 320 mm Freio traseiro Disco de 240 mm t.33

Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 190/55 ZR17 ANUÁRIO 2018

motociclismoo 83


NAKED | CLÁSSICA KTM Q 790 Duke Bicilíndrico em linha I 4T I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 799 cm³ Potência máxima 105 cv a 9 000 rpm Torque máximo 8,7 kgf.m a 8 000 rpm Quadro 5VCVMBSEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Dois discos de 300 mm Freio traseiro Disco de 240 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17

Royal Enfield Q Bullet 500 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

499 cm³ 27,2 cv a 5 250 rpm 4,21 kgf.m a 4 000 rpm 5VCVMBSFNBÎP Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco 280 mm 5BNCPSNN

Royal Enfield Q Classic 500 Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

499 cm³ 27,2 cv a 5 250 rpm 4,21 kgf.m a 4 000 rpm 5VCVMBSFNBÎP Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco 280 mm 5BNCPSNN

Royal Enfield Q Continental GT Monocilíndrico I arrefecimento a ar I 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro t4QPSU%FNPO Dianteiro 100/90-18 M/C 56H TL Traseiro 130/70-18 M/C 63H TL

m 84 motociclismo

ANUÁRIO 2018

535 cm³ 29,1 cv a 5 100 rpm 4,21 kgf.m a 4 000 rpm 5VCVMBSFNBÎP Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco 300 mm Disco 240 mm


Royal Enfield Q Continental GT 650 Bicilíndrico em linha I arrefecimento a ar/óleo I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 650 cm³ Potência máxima 47,6 cv a 7 100 rpm Torque máximo 5,3 kgf.m a 4 000 rpm Quadro 5VCVMBSEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco de 320 mm Freio traseiro Disco de 240 mm

Royal Enfield Q Interceptor Bicilíndrico em linha I arrefecimento a ar/óleo I 4 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 650 cm³ Potência máxima 47,6 cv a 7 100 rpm Torque máximo 5,3 kgf.m a 4 000 rpm Quadro 5VCVMBSEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco de 320 mm Freio traseiro Disco de 240 mm

Suzuki Q GSX-S1000 Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 999 cm³ Potência máxima 145 cv a 10 000 rpm Torque máximo 10,8 kgf.m a 9 500 rpm Quadro Dupla viga de alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo de 310 mm Freio traseiro Disco de 220 mm t%JBCMP3PTTP***

Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 190/50 ZR17

Suzuki Q GSX-S750 Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 749 cm³ Potência máxima 114 cv a 10 500 rpm Torque máximo 8,2 kgf.m a 9 000 rpm Quadro Dupla viga de alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco de 240 mm t%JBCMP3PTTP***

Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 190/50 ZR17 ANUÁRIO 2018

motociclismoo 85


NAKED | CLÁSSICA Suzuki Q SV 650A Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

645 cm³ 76 cv a 8 500 rpm 6,5 kgf.m a 8 100 rpm 5VCVMBSFNBÎP Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco duplo de 290 mm Disco de 240 mm

t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 120/60 ZR17 Traseiro 160/60 ZR17

Triumph Q Bonneville T100 Black Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 900 cm³ Potência máxima 55 cv a 5 900 rpm Torque máximo 8,15 kgf.m a 3 230 rpm Quadro 5VCVMBSEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 255 mm t1IBOUPN Dianteiro 100/90-18 4QPSUTDPNQ Traseiro 130/80-17

Triumph Q Bonneville T120 Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 200 cm³ Potência máxima 80 cv a 6 570 rpm Torque máximo 10,7 kgf.m a 3 100 rpm Quadro 5VCVMBSEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 255 mm t1IBOUPN 4QPSUTDPNQ

Dianteiro 100/90-18 M/C 56H TL Traseiro 150/70 R17 M/C 69H TL

Triumph Q Rocket III Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 5 marchas, transm. eixo cardã I injeção eletrônica Cilindrada 2 294 cm³ Potência máxima 148 cv a 5 750 rpm Torque máximo 22,53 kgf.m a 2 750 rpm Quadro Berço duplo em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo de 320 mm Freio traseiro Disco de 316 mm t.& Dianteiro 150/80 R17 M/C 72V TL Traseiro 240/50 R16 M/C 84V TL

m 86 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Triumph Q Speed Triple Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 050 cm³ Potência máxima 140 cv a 9 500 rpm Torque máximo 11,4 kgf.m a 7 850 rpm Quadro 5VCVMBSEFBMVNÓOJP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 255 mm t3BDFUFD *OUFSBDU,

Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 190/55 ZR17 M/C 75W TL

Triumph Q Street Cup Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 900 cm³ Potência máxima 55 cv a 5 900 rpm Torque máximo 8,15 kgf.m a 3 230 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 310 mm Freio traseiro Disco 255 mm t1IBOUPN Dianteiro 100/90-18 4QPSUTDPNQ Traseiro 150/70 R17

Triumph Q Street Scrambler Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 900 cm³ Potência máxima 55 cv a 6 000 rpm Torque máximo 8,15 kgf.m a 3 230 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 310 mm Freio traseiro Disco 255 mm t5PVSBODF

Dianteiro 100/90-19 Traseiro 150/70 R17

Triumph Q Street Triple 765 RS Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 765 cm³ Potência máxima 123 cv a 11 700 rpm Torque máximo 7,85 kgf.m a 10 800 rpm Quadro Dupla viga de alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 220 mm t4VQFSDPSTB41 Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17 ANUÁRIO 2018

motociclismoo 87


NAKED | CLÁSSICA Triumph Q Street Triple 765 S Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 765 cm³ Potência máxima 113 cv a 11 250 rpm Torque máximo 7,44 kgf.m a 9 100 rpm Quadro Dupla viga de alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL 3PTTP$PSTB Traseiro 180/55 ZR17 M/C 73W TL

Triumph Q Street Twin Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 5 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 900 cm³ Potência máxima 55 cv a 5 900 rpm Torque máximo 8,15 kgf.m a 3 230 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco 310 mm Freio traseiro Disco 255 mm t1IBOUPN 4QPSUTDPNQ

Dianteiro 100/90-18 Traseiro 150/70 R17

Triumph Q Thruxton R Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 200 cm³ Potência máxima 97 cv a 6 750 rpm Torque máximo 11,42 kgf.m a 4 950 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL 3PTTP$PSTB Traseiro 160/60 ZR17 M/C 69W TL

Yamaha Q MT-07 Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 689 cm³ Potência máxima 74,8 cv a 9 000 rpm Torque máximo 6,9 kgf.m a 6 500 rpm Quadro Diamond de aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 282 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17

m 88 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Yamaha Q MT-09 Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 847 cm³ Potência máxima 115 cv a 10 000 rpm Torque máximo 8,92 kgf.m a 8 500 rpm Quadro Diamond em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 298 mm Freio traseiro Disco 245 mm t"OHFM(5 Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17

Yamaha Q Niken Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 847 cm³ Potência máxima 115 cv a 10 000 rpm Torque máximo 8,9 kgf.m a 8 500 rpm Quadro Diamond em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 298 mm Freio traseiro Disco 282 mm

Yamaha Q XJ6 N Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 600 cm³ Potência máxima 77,5 cv a 10 000 rpm Torque máximo 6,08 kgf.m a 8 500 rpm Quadro Diamond de aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 298 mm Freio traseiro Disco 245 mm t3PBEUFD;*OUFSBDU Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 160/60 ZR17 M/C 69W TL

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 89


MAXITRAIL | CROSSOVER BMW Q F 700 GS Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 798 cm³ Potência máxima 75 cv a 7 000 rpm Torque máximo 7,85 kgf.m a 5 500 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 265 mm t5PVSBODF/FYU Dianteiro 110/80-19 Traseiro 140/80-17

BMW Q F 750 GS Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 853 cm³ Potência máxima 77 cv a 7 500 rpm Torque máximo 8,5 kgf.m a 6 500 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 265 mm t5PVSBODF/FYU Dianteiro 110/80-19 Traseiro 150/70-17

BMW Q F 800 GS / Adventure Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 798 cm³ Potência máxima 85 cv a 7 500 rpm Torque máximo 8,46 kgf.m a 5 750 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 265 mm t5PVSBODF/FYU Dianteiro 90/90-21 Traseiro 150/70-17

BMW Q F 850 GS Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 853 cm³ Potência máxima 95 cv a 8 250 rpm Torque máximo 9,4 kgf.m a 6 250 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 305 mm Freio traseiro Disco 265 mm t,BSPP Dianteiro 90/90-21 Traseiro 150/70-17

m 90 motociclismo

ANUÁRIO 2018


BMW Q R 1200 GS / Adventure #JDJMÓOESJDPCPYFSI arrefecimento misto (água e ar) I 8 válvulas 6 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 1 170 cm³ Potência máxima 125 cv a 7 750 rpm Torque máximo 12,74 kgf.m a 6 500 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Telelever com amortecimento central Suspensão traseira Monobraço Paralever Freio dianteiro Disco duplo 305 mm Freio traseiro Disco 276 mm t5PVSBODF/FYU Dianteiro 120/70 R19 M/C 60V TL Traseiro 170/60 R17 M/C 72V TL

BMW Q S 1000 XR Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 999 cm³ Potência máxima 165 cv a 11 000 rpm Torque máximo 11,62 kgf.m a 9 250 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 265 mm t"OHFM(5 Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 190/55 ZR17

Ducati Q Hypermotard Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 821 cm³ Potência máxima 110 cv a 9 250 rpm Torque máximo 9,1 kgf.m a 7 750 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17

Ducati Q Hyperstrada Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 821 cm³ Potência máxima 110 cv a 9 250 rpm Torque máximo 9,1 kgf.m a 7 750 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP3PTTP**

Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17 ANUÁRIO 2018

motociclismoo 91


MAXITRAIL | CROSSOVER Ducati Q Multistrada 1200 / S Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 198,4 cm³ Potência máxima 152 cv a 9 500 rpm Torque máximo 13,05 kgf.m a 7 500 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 330 mm Freio traseiro Disco 265 mm t4DPSQJPO5SBJM** Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 190/55 ZR17 M/C 75W TL

Ducati Q Multistrada 1260 Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 262 cm³ Potência máxima 158 cv a 9 500 rpm Torque máximo 13,2 kgf.m a 7 500 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 265 mm t4DPSQJPO5SBJM** Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 190/55 ZR17 M/C 75W TL

Ducati Q Multistrada 950 Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 937 cm³ Potência máxima 113 cv a 9 000 rpm Torque máximo 9,8 kgf.m a 7 750 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 265 mm t4DPSQJPO5SBJM** Dianteiro 120/70 ZR19 M/C 60W TL Traseiro 170/60 ZR17 M/C 72W TL

Ducati Q Multistrada Enduro Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 198,4 cm³ Potência máxima 152 cv a 9 250 rpm Torque máximo 13,05 kgf.m a 7 500 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 265 mm t4DPSQJPO5SBJM** Dianteiro 120/70 ZR19 M/C 60W TL Traseiro 170/60 ZR17 M/C 72W TL

m 92 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Honda Q CB 500X Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 471 cm³ Potência máxima 50,4 cv a 8 500 rpm Torque máximo 4,55 kgf.m a 7 000 rpm Quadro Diamond em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 320 mm Freio traseiro Disco 240 mm t4DPSQJPO5SBJM Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 160/60 ZR17 M/C 69W TL

Honda Q CRF 1000L Africa Twin Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 999,1 cm³ Potência máxima 90,2 cv a 7 500 rpm Torque máximo 9,3 kgf.m a 6 000 rpm Quadro Berço semiduplo em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 310 mm Freio traseiro Disco 256 mm

Honda Q NC 750X Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 745 cm³ Potência máxima 54,5 cv a 6 250 rpm Torque máximo 6,94 kgf.m a 4 750 rpm Quadro Diamond em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 320 mm Freio traseiro Disco 240 mm t4DPSQJPO5SBJM Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 160/60 ZR17 M/C 69W TL

Kawasaki Q Versys 1000 / GT Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 043 cm³ Potência máxima 120 cv a 9 000 rpm Torque máximo 10,4, kgf.m a 7 700 rpm Quadro Dupla viga de alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 250 mm

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 93


MAXITRAIL | CROSSOVER Kawasaki Q Versys 650 / Tourer Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 649 cm³ Potência máxima 69 cv a 8 500 rpm Torque máximo 6,5 kgf.m a 7 000 rpm Quadro Diamond em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 220 mm

KTM Q 1090 Adventure Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 050 cm³ Potência máxima 125 cv a 8 500 rpm Torque máximo 11,1 kgf.m a 6 500 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 267 mm

KTM Q 1290 Super Adventure Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 301 cm³ Potência máxima 160 cv a 8 750 rpm Torque máximo 14,3 kgf.m a 6 700 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 267 mm

Suzuki Q V-Strom 1000 / XT Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 037 cm³ Potência máxima 101 cv a 8 000 rpm Torque máximo 10,5 kgf.m a 4 000 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 260 mm

m 94 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Suzuki Q V-Strom 650 / XT Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 645 cm³ Potência máxima 69 cv a 8 800 rpm Torque máximo 6,12 kgf.m a 6 400 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 260 mm

Triumph Q Tiger 1200 Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 1 215 cm³ Potência máxima 141,4 cv a 9 350 rpm Torque máximo 12,44 kgf.m a 7 600 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 305 mm Freio traseiro Disco 282 mm

Triumph Q Tiger 800 XCx/Xca Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 800 cm³ Potência máxima 95 cv a 9 250 rpm Torque máximo 8,05 kgf.m a 7 850 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 308 mm Freio traseiro Disco 255 mm

Triumph Q Tiger 800 XRx Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 800 cm³ Potência máxima 95 cv a 9 250 rpm Torque máximo 8,05 kgf.m a 7 850 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 308 mm Freio traseiro Disco 255 mm t5PVSBODF/FYU Dianteiro 100/90-19 M/C 57V TL Traseiro 150/70 R17 M/C 69V TL ANUÁRIO 2018

motociclismoo 95


MAXITRAIL | CROSSOVER Triumph Q Tiger Explorer XR/XCa Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 1 215 cm³ Potência máxima 138,6 cv a 9 300 rpm Torque máximo 12,54 kgf.m a 6 200 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 305 mm Freio traseiro Disco 282 mm

Triumph Q Tiger Sport Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 050 cm³ Potência máxima 126,4 cv a 9 475 rpm Torque máximo 10,8 kgf.m a 7 000 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 255 mm t"OHFM45 Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 180/55 ZR17 M/C 73W TL

Yamaha Q XT 1200Z Super Ténéré Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 1 199 cm³ Potência máxima 112 cv a 7 250 rpm Torque máximo 11,9 kgf.m a 6 000 rpm Quadro Backbone em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 282 mm

Yamaha Q MT-09 Tracer Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 12 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 847 cm³ Potência máxima 115 cv a 10 000 rpm Torque máximo 8,92 kgf.m a 8 500 rpm Quadro Diamond em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 298 mm Freio traseiro Disco 245 mm t"OHFM(5

m 96 motociclismo

ANUÁRIO 2018

Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17


ESPORTIVA BMW Q S 1000 RR Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 999 cm³ Potência máxima 199 cv a 13 500 rpm Torque máximo 11,52 kgf.m a 10 500 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP4VQFSDPSTB41 Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 190/55 ZR17

BMW Q HP4 Race Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 999 cm³ Potência máxima 215 cv a 13 900 rpm Torque máximo 12,23 kgf.m a 10 000 rpm Quadro .POPCMPDPFNDBSCPOP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP4VQFSCJLF Dianteiro 120/70 ZR17 4$TMJDL Traseiro 200/60 ZR17

Ducati Q 1299 Panigale Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 285 cm³ Potência máxima 197 cv a 10 500 rpm Torque máximo 13,97 kgf.m a 9 000 rpm Quadro .POPCMPDPEFBMVNÓOJP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 330 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP4VQFSDPSTB41 Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 200/55 ZR17

Ducati Q 959 Panigale Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 955 cm³ Potência máxima 150 cv a 10 500 rpm Torque máximo 13,97 kgf.m a 9 000 rpm Quadro .POPCMPDPEFBMVNÓOJP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP3PTTP$PSTB

Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 180/60 ZR17 M/C 75W TL ANUÁRIO 2018

motociclismoo 97


ESPORTIVA Ducati Q Panigale V4 Tetracilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 103 cm³ Potência máxima 214 cv a 13 000 rpm Torque máximo 12,64 kgf.m a 10 000 rpm Quadro .POPCMPDPFNBMVNÓOJP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 330 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP4VQFSDPSTB41 Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 200/55 ZR17 M/C 78W TL

Ducati Q SuperSport Bicilíndrico em L I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 937 cm³ Potência máxima 113 cv a 9 250 rpm Torque máximo 9,8 kgf.m a 6 500 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 245 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 180/55 ZR17 M/C 73W TL

Honda Q CBR 1000RR / SP Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 999,8 cm³ Potência máxima 191,7 cv a 13 000 rpm Torque máximo 11,82 kgf.m a 11 000 rpm Quadro Diamond em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP4VQFSDPSTB7 Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 190/50 ZR17 M/C 73W TL

Honda Q CBR 500R Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 471 cm³ Potência máxima 50,4 cv a 8 500 rpm Torque máximo 4,55 kgf.m a 7 000 rpm Quadro Diamond em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 320 mm Freio traseiro Disco 240 mm t3PBEUFD;*OUFSBDU Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 160/60 ZR17 M/C 69W TL

m 98 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Honda Q CBR 650F Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 649 cm³ Potência máxima 88,5 cv a 11 000 rpm Torque máximo 6,22 kgf.m a 8 000 rpm Quadro Diamond em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monamortecedor Freio dianteiro Disco 320 mm Freio traseiro Disco 240 mm

Kawasaki Q H2 R Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 998 cm³ Potência máxima 326 cv a 10 000 rpm Torque máximo 15,8 kgf.m a 12 500 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 330 mm Freio traseiro Disco 250 mm

Kawasaki Q Ninja 1000 Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 043 cm³ Potência máxima 142 cv a 10 000 rpm Torque máximo 11,3 kgf.m a 7 300 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 250 mm

Kawasaki Q Ninja 650 Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 649 cm³ Potência máxima 68 cv a 8 000 rpm Torque máximo 6,7 kgf.m a 6 500 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 160/60 ZR17 ANUÁRIO 2018

motociclismoo 99


ESPORTIVA Kawasaki Q Ninja H2 SX Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 998 cm³ Potência máxima 200 cv a 11 000 rpm Torque máximo 13,97 kgf.m a 9 500 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 330 mm Freio traseiro Disco 250 mm

Kawasaki Q ZX-10R / RR Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 998 cm³ Potência máxima 200,1 cv a 13 000 rpm Torque máximo 11,6 kgf.m a 11 500 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 330 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP4VQFSDPSTB7 Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 190/55 ZR17 M/C 75W TL

Kawasaki Q ZX-6R Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 636 cm³ Potência máxima 131 cv a 13 500 rpm Torque máximo 7,23 kgf.m a 11 500 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 220 mm

Suzuki Q GSX-R 1000 Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 999 cm³ Potência máxima 185 cv a 11 500 rpm Torque máximo 11,9 kgf.m a 10 000 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 220 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 190/50 ZR17 M/C 73W TL

m 100 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Suzuki Q GSX-R 750 Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 750 cm³ Potência máxima 150 cv a 13 200 rpm Torque máximo 8,8 kgf.m a 11 200 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 220 mm t"OHFM(5 Dianteiro 120/70 ZR17 Traseiro 180/55 ZR17

Suzuki Q Hayabusa Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 1 340 cm³ Potência máxima 197 cv a 9 500 rpm Torque máximo 15,81 kgf.m a 7 200 rpm Quadro Dupla viga em alumínio Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 310 mm Freio traseiro Disco 260 mm

Yamaha Q XJ6 F Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 600 cm³ Potência máxima 77,5 cv a 10 000 rpm Torque máximo 6,1 kgf.m a 6 100 rpm Quadro Diamond em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 298 mm Freio traseiro Disco 245 mm t3PBEUFD;*OUFSBDU Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 160/60 ZR17 M/C 69W TL

Yamaha Q YZF-R1 Tetracilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 16 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 998 cm³ Potência máxima 200 cv a 13 500 rpm Torque máximo 11,5 kgf.m a 11 500 rpm Quadro .POPCMPDPFNBMVNÓOJP Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 220 mm

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 101


TOURING BMW Q K 1600 B Hexacilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 24 válvulas 6 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 1 649 cm³ Potência máxima 160 cv a 7 750 rpm Torque máximo 17,8 kgf.m a 5 250 rpm Quadro Diamond em alumínio Suspensão dianteira Duolever com amortecedor central Suspensão traseira Monoamortecedor Paralever Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 320 mm t%JBCMP3PTTP*** Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 190/55 ZR17 M/C 75W TL

BMW Q K 1600 GTL Hexacilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 24 válvulas 6 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 1 649 cm³ Potência máxima 160 cv a 7 750 rpm Torque máximo 17,8 kgf.m a 5 250 rpm Quadro Diamond em alumínio Suspensão dianteira Duolever com amortecedor central Suspensão traseira Monoamortecedor Paralever Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 320 mm t3PBEUFD;*OUFSBDU Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 190/55 ZR17 M/C 75W TL

BRP Q Can-Am Spyder F3 / S Tricilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I CVT I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1 330 cm³ 115 cv a 7 250 rpm 13,3 kgf.m a 5 000 rpm 5VCVMBSFNBÎP Duplo A em aço Monoamortecedor Disco duplo 270 mm Disco 270 mm

Harley-Davidson Q CVO Limited Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 923 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 17,23 kgf.m a 3 500 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco

m 102 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Harley-Davidson Q CVO Road Glide Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 923 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 17,23 kgf.m a 3 500 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco

Harley-Davidson Q Heritage Classic Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 14,89 kgf.m a 3 000 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco Freio traseiro Disco

Harley-Davidson Q Road Glide Special Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 15,09 kgf.m a 3 250 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco t.& Marathon Ultra

Dianteiro 130/60 B 19 Traseiro 180/55 B 18

Harley-Davidson Q Road Glide Ultra Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 15,6 kgf.m a 3 250 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco t.& Dianteiro 130/80 B 17 Marathon Ultra Traseiro 180/65 B 16 ANUÁRIO 2018

motociclismoo 103


TOURING Harley-Davidson Q Road King Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 15,09 kgf.m a 3 250 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco

Harley-Davidson Q Road King Special Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 15,09 kgf.m a 3 250 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco t.& Marathon Ultra

Dianteiro 130/60 B 19 Traseiro 180/55 B 18

Harley-Davidson Q Street Glide Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 15,09 kgf.m a 3 250 rpm Quadro 5VCVMBSFNBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco

H-D Q Street Glide Special Bicilíndrico em V I 4T I arrefecimento misto (ar e óleo) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 15,09 kgf.m a 3 250 rpm Quadro 5VCVMBSEFBÎP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco

m 104 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Honda Q GL 1800 Gold Wing )FYBDJMÓOESJDPCPYFSI arrefecimento a líquido I 24 válvulas 6 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 1 832 cm³ Potência máxima 125 cv a 5 500 rpm Torque máximo 17,3 kgf.m a 4 000 rpm Quadro .POPCMPDPFNBMVNÓOJP Suspensão dianteira %VQMPCSBÎPTPCSFQPTUP Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 316 mm

Honda Q GL 1800 Gold Wing Touring )FYBDJMÓOESJDPCPYFSI arrefecimento a líquido I 24 válvulas 6 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 1 832 cm³ Potência máxima 125 cv a 5 500 rpm Torque máximo 17,3 kgf.m a 4 500 rpm Quadro .POPCMPDPFNBMVNÓOJP Suspensão dianteira %VQMPCSBÎPTPCSFQPTUP Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 316 mm

Indian Q Chief Vintage Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e óleo) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 811 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 16,47 kgf.m a 3 000 rpm Quadro .POPCMPDPFNBMVNÓOJP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 300 mm t.&.BSBUIPO Dianteiro 130/90-16 M/C 67H TL WW Ultra WW Traseiro 180/65 B16 M/C 81H REINF TL WW

Indian Q Chieftain / Dark Horse Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e óleo) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 811 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 16,47 kgf.m a 3 000 rpm Quadro .POPCMPDPFNBMVNÓOJP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 300 mm

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 105


TOURING Indian Q Roadmaster Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e óleo) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 811 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 16,47 kgf.m a 3 000 rpm Quadro .POPCMPDPFNBMVNÓOJP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 300 mm t.& Marathon Ultra

Dianteiro 130/90-16 M/C 67H TL Traseiro 180/60 R16 M/C 74H TL

Indian Q Springfield Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e óleo) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 811 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 16,47 kgf.m a 3 000 rpm Quadro .POPCMPDPFNBMVNÓOJP Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 300 mm Freio traseiro Disco 300 mm t.& Marathon Ultra

m 106 motociclismo

ANUÁRIO 2018

Dianteiro 130/90-16 M/C 67H TL Traseiro 180/60 R16 M/C 74H TL


CUSTOM Ducati Q XDiavel / S Bicilíndrico em L I arrefecimento misto (ar e a líquido) I 8 válvulas 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 262 cm³ Potência máxima 152 cv a 9 500 rpm Torque máximo 12,84 kgf.m a 5 000 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo 320 mm Freio traseiro Disco 265 mm t%JBCMP3PTTP** Dianteiro 120/70 ZR17 M/C 58W TL Traseiro 240/45 ZR17 M/C 82W TL

Harley-Davidson Q 1200 Custom Bicilíndrico em V I arrefecimento a ar I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1 202 cm³ Não informada 9,18 kgf.m a 3 750 rpm Tubular em aço Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco Disco

Harley-Davidson Q Breakout Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 868 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 16,11 kgf.m a 3 000 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco Freio traseiro Disco

Harley-Davidson Q Deluxe Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 14,89 kgf.m a 3 000 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco Freio traseiro Disco

m 108 motociclismo

ANUÁRIO 2018


Harley-Davidson Q Fat Bob Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 14,99 kgf.m a 3 500 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco t4VQFS$JUZ t.&

Dianteiro 2.50-17” Traseiro 2.75-17”

Harley-Davidson Q Fat Boy Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 14,89 kgf.m a 3 000 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco t.& Dianteiro 160/60 R18 Marathon Ultra Traseiro 240/40 R18

Harley-Davidson Q Forty-Eight Bicilíndrico em V I arrefecimento a ar I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1 202 cm³ Não informada 9,48 kgf.m a 3 500 rpm Tubular em aço Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco Disco

Harley-Davidson Q Iron 883 Bicilíndrico em V I arrefecimento a ar I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

883 cm³ Não informada 6,93 kgf.m a 3 750 rpm Tubular em aço Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco Disco

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 109


CUSTOM Harley-Davidson Q Slim Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 14,78 kgf.m a 3 000 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco Freio traseiro Disco t.& Dianteiro 130/90 B16 Marathon Ultra Traseiro 150/80 B16

Harley-Davidson Q Street Bob Bicilíndrico em V I arrefecimento misto (ar e líquido) I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada 1 745 cm³ Potência máxima Não informada Torque máximo 14,78 kgf.m a 3 000 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco Freio traseiro Disco

Indian Q Chief Classic Bicilíndrico em V I arrefecimento a ar I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro t.& Marathon Ultra

1 811 cm³ Não informada 16,47 kgf.m a 3 000 rpm Monobloco em alumínio Bengalas convencionais Monoamortecedor Disco duplo 300 mm Disco 300 mm

Dianteiro 130/90-16 M/C 67H TL Traseiro 180/65 B16 M/C 81H REINF TL

Indian Q Scout Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro t/JHIU%SBHPO

m 110 motociclismo

ANUÁRIO 2018

Dianteiro 130/90 B16 M/C 67H TL Traseiro 150/80 B16 M/C 77H REINF TL

1 133 cm³ Não informada 9,96 kgf.m a 6 000 rpm Monobloco em alumínio Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco 298 mm Disco 298 mm


Indian Q Scout Bobber Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 6 marchas, transm. correia I injeção eletrônica Cilindrada Potência máxima Torque máximo Quadro Suspensão dianteira Suspensão traseira Freio dianteiro Freio traseiro

1 133 cm³ Não informada 9,95 kgf.m a 6 000 rpm Monobloco em alumínio Bengalas convencionais Duplo amortecedor Disco 298 mm Disco 298 mm

t.& Dianteiro 130/90-16 Marathon Ultra Traseiro 150/80-16

Kawasaki Q Vulcan 650S Bicilíndrico em linha I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 6 marchas, transm. corrente I injeção eletrônica Cilindrada 649 cm³ Potência máxima 61 cv a 7 500 rpm Torque máximo 0,61 kgf.m a 5 000 rpm Quadro 6,4 kgf.m a 6 600 rpm Suspensão dianteira Bengalas convencionais Suspensão traseira Monoamortecedor Freio dianteiro Disco 300 mm Freio traseiro Disco 250 mm

Suzuki Q M1800R Bicilíndrico em V I arrefecimento a líquido I 8 válvulas 5 marchas, transm. cardã I injeção eletrônica Cilindrada 1 783 cm³ Potência máxima 125 cv a 6 200 rpm Torque máximo 16,31 kgf.m a 3 200 rpm Quadro Tubular em aço Suspensão dianteira Bengalas invertidas Suspensão traseira Duplo amortecedor Freio dianteiro Disco duplo Freio traseiro Disco

ANUÁRIO 2018


MERCADO Ranking

F

O melhor início desde 2014

Primeiros números de 2018 trazem otimismo ao segmento. Emplacamentos cresceram 14% em relação a janeiro/17

LICENCIAMENTOS POR MOTO Pos.

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Modelo

Janeiro/18 Dezembro/17

Acum.

2018

2017

14 872

-0,3

14 833

170 000

9 389

10 164

-7,6

9 389

111 887

Honda Pop 100 / 110i

7 211

7 683

-6,1

7 211

80 602

Honda Biz 125i

6 663

6 957

-4,2

6 663

59 239

Honda CG 150 / 160 Titan

5 227

5 019

4,1

5 227

58 201

Honda Biz 100 / 110i

4 883

4 299

13,6

4 883

50 581

Honda PCX

2 817

2 554

10,3

2 817

28 072

Honda CB 250F Twister

2 668

2 253

18,4

2 668

22 667

Honda CG 125 Fan

2 620

2 401

9,1

2 620

26 759

Honda XRE 300

2 016

2 027

-0,5

2 016

22 798

Yamaha YBR 150 Factor

1 991

1 394

42,8

1 991

23 088

Yamaha Fazer 250

1 885

1 941

-2,9

1 885

10 834

Honda XRE 190

1 101

1 084

1,6

1 101

14 297

Yamaha NMax

1 067

825

29,3

1 067

9 516

Yamaha XTZ 150 Crosser

1 007

1 226

-17,9

1 007

15 649

Yamaha Neo 125

946

855

10,6

946

9 694

Yamaha NMax

928

921

0,8

928

9 263

Yamaha YBR 125 Factor

822

684

20,2

822

10 788

Honda CG Cargo

587

618

-5,0

587

6 729

Yamaha MT-03

506

517

-2,1

506

6 672

Honda NXR 160 Bros

Pos. Modelo

Honda Pop 100 / 110i Honda Biz 125i Honda Biz 100 / 110i Shineray XY 50 Traxx Star 50 Wuyang WY 48Q2 Suzuki GS 120 Bull KRC 50 Dafra Zig 50 Haojue Nex 11o

Pos. Modelo

Honda PCX Yamaha NMax Yamaha Neo 125 Honda SH 150i Haojue Lindy 125 Kymco Downtown 300i Dafra Citycom 300i Honda SH 300i Suzuki Burgman 125i Dafra Cityclass 200i

m 112 motociclismo

ANUÁRIO 2018

PARTICIPAÇÃO DE MERCADO em % Em janeiro a Honda não atingiu 80% do mercado de motos 0 km por muito pouco (faltaram cerca de 70 unidades). A linha 2018 da Harley-Davidson começou com bons números, deixando a marca com 0,53% de market-share. Por outro lado, a Dafra e a Suzuki, que sempre disputaram o top 5, despencaram. 79,91 78,26

Janeiro 2018 Acumulado 2017

13,56 13,54

Honda

Yamaha

CITY

Janeiro/18

2018

7 211 6 663 4 883 729 211 139 79 75 71 55

7 211 6 663 4 883 729 211 139 79 75 71 55

SCOOTER 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

Acum.

14 833

Honda CG 150 / 160 Fan / Start

CUB / CICLOMOTORES 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

Variação %

inalmente o segmento de motocicletas começa um ano com números positivos (e não apenas “projeções” otimistas). Foi o melhor janeiro nos últimos três anos. Em relação ao mesmo mês do ano passado, tanto os emplacamentos (14%) quanto as exportações (42,6%) cresceram. A produção se manteve estável (-0,4%) em relação ao mesmo período de 2017. Nos bastidores, nenhuma marca espera recordes de vendas em 2018, longe disso, mas há um sentimento comum de que este ano pode marcar o fim de uma sequência negativa e o início de uma retomada. por Gabriel Berardi

Pos. Modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

Honda CG 150 / 160 Fan / Start

Honda CG 150 / 160 Titan Honda CB 250F Twister Honda CG 125 Fan Yamaha YBR 150 Factor Yamaha Fazer 250 Yamaha YBR 125 Factor Yamaha Fazer 150 Honda CG Cargo Yamaha MT-03

2018

2 817 1 067 946 450 239 89 67 59 29 19

2 817 1 067 946 450 239 89 67 59 29 19

Pos. Modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

Honda NXR 160 Bros Honda XRE 300 Honda XRE 190 Yamaha XTZ 150 Crosser Yamaha XTZ 250 Ténéré Yamaha XTZ 250 Lander Honda NXR 150 Bros Shineray Explorer 150 Kawasaki Versys-X 300 Honda NXR 125 Bros

0,60 0,28

0,58 0,78

Shineray

Haojue

BMW

4,0

5,0

Outras

MAXITRAIL + 600 CM3 Janeiro/18

2018

14 833 5 227 2 668 2 620 1 991 1 885 928 822 587 506

14 833 5 227 2 668 2 620 1 991 1 885 928 822 587 506

Janeiro/18

2018

9 389 2 016 1 101 1 007 488 374 73 54 48 17

9 389 2 016 1 101 1 007 488 374 73 54 48 17

TRAIL ATÉ 600 CM3 Janeiro/18

1,15 1,72

Pos. Modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6° 7º 8º 9º 10º

BMW R 1200 GS Triumph Tiger 800 BMW F 800 GS Yamaha XT 660R Suzuki V-Strom 650 Honda Africa Twin Triumph Tiger Explorer Suzuki V-Strom 1000 BMW F 700 GS Yamaha Super Ténéré

Janeiro/18

2018

188 145 76 62 48 42 40 20 17 7

188 145 76 62 48 42 40 20 17 7

POLIVALENTES/CROSSOVER Pos. Modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

Honda CB 500X Honda NC 750X Yamaha MT-09 Tracer Kawasaki Versys 650 BMW S 1000 XR Ducati Multistrada 1200 Kawasaki Versys 1000 Triumph Tiger Sport -

Janeiro/18

2018

215 126 22 18 17 13 7 4 -

215 126 22 18 17 13 7 4 -


2018

Dezembro 2017

Fecham. 2017

Honda

61 553

61 501

666 146

Yamaha Shineray Haojue BMW

10 443 885 463 448 410 408 386 301 282 235 154 123 91 75 73 41 40 35 33 77 031

10 525 917 235 647 589 469 359 349 415 246 162 101 107 66 110 37 54 13 41 77 458

115 225 14 676 2 374 6 626 5 294 6 963 4 459 3 919 6 305 5 021 2 893 1 113 593 774 1 184 317 435 337 629 851 211

Pos.

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º

Marca

Harley-Davidson

Suzuki Kawasaki Triumph Dafra Traxx Wuyang Bull Kymco KTM Ducati Royal Enfield Sousa Indian Kasinski TOTAL GERAL

RANKING DAS CIDADES

DESTAQUES EM JANEIRO

Janeiro

O DESTAQUE é a Haojue, que pulou da 11ª posição de dezembro passado (235 unidades) para a quarta em janeiro.

Pos.

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º 21º 22º 23º 24º 25º 26º 27º 28º 29º 30º 31º 32º

Haojue Lindy Foi bem, batendo todos os modelos da Dafra e impulsionando a marca no ranking

Honda CB 250F Twister Entre as city, só ficou atrás da imbatível (e mais barata) CG 160

H-D Street Bob A versão 2018 fez bem ao modelo, que chegou ao top 5 da categoria custom

PARTICIPAÇÃO POR REGIÃO em % 34,35

32,41

12,44

9,65

CO

NE

N

11,14

SE

S

CUSTOM Pos. Modelo

1º 2º 3° 4º 5º 6º 7º 8º 9° 10º

H-D Fat Boy H-D Fat Bob H-D Iron 883 Kawasaki Vulcan 650 S H-D Street Bob H-D Breakout H-D Forty-Eight Indian Scout / Bobber Ducati XDiavel Triumph Bonneville Bobber

Janeiro/18

2018

80 60 32 32 22 20 18 18 13 12

80 60 32 32 22 20 18 18 13 12

1º 2º 3º 4° 5º 6º 7° 8º 9° 10º

H-D Ultra Limited/CVO H-D Road Glide Ultra H-D Road Glide Spec./CVO H-D Heritage Classic H-D Road King Special H-D Street Glide/CVO BMW K 1600 Bagger H-D Road King Classic BMW K 1600 GTL Indian Chieftain

Pos. Modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7° 8º 9° 10°

H-D Sportster Roadster Royal Enfield Classic 500 Triumph Street Twin Triumph Bonneville T120 Ducati Scrambler Triumph Street Scrambler Triumph Street Cup Royal Enfield Bullet 500 Triumph Thruxton R Royal Enfield Continental GT

2018

36 25 20 12 9 8 8 6 5 4

36 25 20 12 9 8 8 6 5 4

Pos. Modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8° 9º 10º

Honda CBR 500R Honda CBR 650F BMW S 1000 RR Kawasaki ZX-10R Suzuki GSX-S1000FA Kawasaki Ninja 650 Ducati 959 Panigale Kawasaki Ninja 1000 Ducati 1299 Panigale Suzuki Hayabusa

Variação %

São Paulo, SP

2 932

3 229

O

Rio de Janeiro, RJ

1 483

1 383

7,2

1 099

762

44,2 -26,3

V Belo Horizonte, MG W Fortaleza, CE

-9,2

990

1 344

O

Brasília, DF

885

812

9,0

V V W V V W W W W V W V W

Belém, PA

798

701

13,8

Curitiba, PR

684

667

2,5

Teresina, PI

678

743

-8,7

João Pessoa, PB

624

595

4,9

São Luís, MA

619

549

12,8

Manaus, AM

609

911

-33,2

Recife, PE

574

634

-9,5

Goiânia, GO

572

585

-2,2

Salvador, BA

563

579

-2,8

Cuiabá, MT

562

505

11,3

Campo Grande, MS

533

512

4,1

Rio Branco, AC

492

328

50,0

Feira de Santana, BA

442

414

6,8

O

Maceió, AL

428

396

8,1

Campinas, SP

372

348

6,9

Natal, RN

341

356

-4,2

Aracaju, SE

329

275

19,6

Ribeirão Preto, SP

319

400

-20,3

Ananindeua, PA

317

222

42,8

Palmas, TO

301

194

55,2

Várzea Grande, MT

298

215

38,6

Porto Velho, RO

295

259

13,9

Guarulhos, SP

280

238

17,6

Marabá, PA

279

314

-11,1

Sorocaba, SP

266

286

-7,0

Porto Alegre, RS

264

311

-15,1

Arapiraca, AL

263

214

22,9

V W V W V V V V V W W W V

NAKED/ROADSTER ATÉ 800 CM3 Janeiro/18

2018

39 35 25 23 16 9 4 4 2 2

39 35 25 23 16 9 4 4 2 2

ESPORTIVA Janeiro/18

Janeiro Dezembro

O

CLÁSSICAS / RETRÔ

TOURING Pos. Modelo

Kawasaki Z900 Começou o ano como a naked de alta cilindrada mais vendida do país

Cidade

FONTE FENABRAVE FEVEREIRO/2018 - FOTOS DIVULGAÇÃO

LICENCIAMENTOS POR MARCA

Pos. Modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º

Honda CB 500F Honda CB 650F Suzuki GSX-S750A Yamaha MT-07 Yamaha XJ6 N Triumph Street Triple Kawasaki Z650 BMW F 800 R Suzuki SV 650A Kawasaki Z800

Janeiro/18

2018

183 126 120 102 54 24 23 9 4 1

183 126 120 102 54 24 23 9 4 1

NAKED/ROADSTER + 800 CM3 Janeiro/18

2018

73 51 43 14 11 10 8 7 5 5

73 51 43 14 11 10 8 7 5 5

Pos. Modelo

1º 2º 3º 4º 5° 6º 7º 8º 9º 10°

Kawasaki Z900 Suzuki GSX-S1000A Yamaha MT-09 BMW S 1000 R Kawasaki Z1000 Triumph Speed Triple Ducati Monster 1200 Ducati Diavel Triumph Rocket III BMW K 1200 R

Janeiro/18

2018

53 40 32 19 17 12 4 3 1 1

53 40 32 19 17 12 4 3 1 1

ANUÁRIO 2018

motociclismoo 113


MERCADO Ranking JANEIRO EM ALGUMAS CAPITAIS E O MERCADO DE USADAS Como sempre, a Honda CG 160 se destaca com ampla margem em todos os mercados. As três capitais da região Sul foram as únicas a colocar modelos de média/alta cilindrada entre as top 10. Em janeiro foram comercializadas 229 016 motos usadas, o que representa uma queda de 13,7% com relação a dezembro de 2017 e alta de 3,2% se comparado às 221 944 unidades de janeiro do ano passado.

SÃO PAULO | SP Pos. Marca / modelo

1º 2º 3º 4º 5° 6º 7° 8º 9°

Honda CG 160 Honda PCX Yamaha NMax Yamaha Fazer 250 Honda NXR 160 Bros Honda SH 150 Honda XRE 300 Honda CB 250F Twister Honda CG 125 Yamaha Neo 125

BELO HORIZONTE | MG Unidad. 574 412 289 138 99 89 87 85 73 73

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8° 9°

Honda CG 160 Honda CG 125 Honda PCX 150 Honda CB 250F Twister Honda NXR 160 Bros Yamaha Fazer 250 Honda Biz 110i / 125i Honda XRE 300 Honda CB 500F / X / R Yamaha NMax

Unidad. 159 77 64 52 47 32 29 24 13 13

NATAL | RN Pos. Marca / modelo

Honda CG 160 Honda CG 125 Honda NXR 160 Bros Honda CB 250F Twister Yamaha XTZ 150 Crosser Yamaha YBR Factor 125 Honda Biz 110i / 125i Honda XRE 300 9° Yamaha Fazer 250 Honda PCX 150

1º 2º 3º 4º 5° 6º 7°

1º Honda CG 160 2º Honda NXR 160 Bros 3º Honda Biz 110i / 125i Honda Pop 110i

95 46 37 17 14 10 10 9 9

95 80 79

1º 2º 3º 4° 5° 6º 7° 8º 9° 10º

Honda CG 160 Honda Biz 110i / 125i Honda CB 250F Twister Honda PCX Honda CG 125 Honda XRE 300 Yamaha Fazer 250 Honda XRE 190 Yamaha NMax Honda NC 750X

Pos. Marca / modelo

1º 2º 3º 4º 6° 7º 8° 9º 10°

Honda CG 160 Honda NXR 160 Bros Honda CG 125 Honda XRE 300 Honda PCX Honda CB 250F Twister Honda Pop 110i Yamaha Fazer 250 Yamaha XTZ 150 Crosser Honda XRE 190

219 66 47 47

Honda XRE 190 7° Honda PCX 8° Honda CG 125 9º Honda XRE 300 Yamaha YBR Factor 150

23 22 19 18 18

Pos. Marca / modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7° 8° 9º 10°

Honda CG 160 Honda Biz 110i / 125i Honda NXR 160 Bros Honda XRE 300 Honda CB 250F Twister Honda CG 125 Honda XRE 190 Yamaha Fazer 250 Yamaha Neo 125 Honda PCX

Pos. Marca / modelo

1º 2º 3º 4º

74 38 35 33 33 21

7º 8º 9° 10º

Honda CG 160 Honda CB 250F Twister Honda PCX Yamaha YBR Factor 125 Honda NXR 160 Bros Yamaha YBR Factor 150 Honda Biz 110i / 125i Yamaha MT-03 Honda CG 125 BMW R 1200 GS

Unidad. 40 26 18 12 12 12 11 10 9 8

SALVADOR | BA Unidad. 23 16 14 13 11 10 9 8 7 6

Pos. Marca / modelo

Honda CG 160 Honda NXR 160 Bros Yamaha XTZ 150 Crosser Honda PCX Honda XRE 300 Yamaha YBR Factor 150 7° Honda CG 125 8º Honda Pop 110i Honda CB 250F Twister 10° Yamaha Fazer 250

1º 2º 3º 4º 5°

Unidad. 112 57 36 35 29 29 27 25 25 24

BELÉM | PA Unidad. 366 216 60 38 38 37 31 24 18 18

CUIABÁ | MT Unidad.

23

ANUÁRIO 2018

Pos. Marca / modelo

15

5° Yamaha Fazer 250

m 114 motociclismo

382

FORTALEZA | CE Unidad.

MANAUS | AM Pos. Marca / modelo

Honda CG 160 Honda XRE 300 Honda PCX Honda NXR 160 Bros Honda CB 250F Twister Yamaha XTZ 250 Lander/Ténéré Yamaha Fazer 250 Honda Biz 110i / 125i Yamaha NMax 10º Yamaha YBR Factor 150

1º 2º 3º 4º 5° 6º 7º 8°

PORTO ALEGRE | RS Unidad.

FLORIANÓPOLIS | SC

CURITIBA | PR Pos. Marca /modelo

Pos. Marca / modelo

Pos. Marca / modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6° 7º 8° 9º 10°

Honda CG 160 Honda NXR 160 Bros Honda Biz 110i / 125i Honda Pop 110i Honda PCX Yamaha Fazer 250 Honda CB 250F Twister Honda XRE 300 Honda XRE 190 Yamaha YBR Factor 150

Unidad. 279 96 94 63 38 33 29 27 20 15

SÃO LUÍS | MA Unidad. 165 160 88 40 14 12 10 8 7 6

Pos. Marca / modelo

1º 2º 3º 4º 5º 6º 7° 8° 9º 10°

Honda CG 160 Honda NXR 160 Bros Honda Biz 110i / 125i Honda XRE 300 Honda CB 250F Twister Honda Pop 110i Honda CG 125 Yamaha XT 660R Honda PCX Yamaha Fazer 250

Unidad. 181 80 65 55 30 27 20 16 14 13


Profile for Motor Midia

Motocatálogo 2018  

New
Advertisement