Prevenção Quaternária: proposições para a educação e a prática interprofissional na Atenção Primária

Page 1


Carine Vendruscolo, Charles Dalcane Tesser e Edlamar Kátia Adamy - Organizadores

4

Prevenção Quaternária: proposições para a educação e prática interprofissional na Atenção Primária à Saúde

Carine Vendruscolo Charles Dalcanale Tesser Edlamar Kátia Adamy (Organizadores)

Porto Alegre – RS 1ª Edição / 2021


2 Os autores e a editora se empenharam para dar aos devidos créditos e citar adequadamente a todos os detentores de direitos autorais de qualquer material utilizado nesta obra, dispondo-se a possíveis acertos posteriores, caso, involuntária e inadvertidamente, a identificação de algum deles tenha sido omitida. Todas as fotos que ilustram o livro foram autorizadas para publicação e uso científico pelos pacientes e/ou familiares na forma de consentimento livre e informado, seguindo as normas preconizadas pela resolução 466/2012, do Conselho Nacional de Saúde.

Diagramação: Formato Artes Gráficas Capa: Formato Artes Gráficas Imagem de capa: AdobeStock_22369447 Revisão de Português: Ana Cecília de Mascarenhas 1ª Edição – 2021

Carine Vendruscolo, Charles Dalcane Tesser e Edlamar Kátia Adamy - Organizadores

Todos os direitos reservados para

É proibida a duplicação deste volume, no todo ou em parte, em quaisquer formas ou por quaisquer meios (mecânico, eletrônico, fotocópia, gravação, distribuição pela internet e outros), sem permissão, por escrito da Moriá Editora Ltda. Contato: moriaeditora@gmail.com www.moriaeditora.com.br 55 51 986043597 DADOS INTERNACIONAIS PARA CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO (CIP) P944 Prevenção quaternária: proposições para a educação e prática interprofissional na Atenção Primária à Saúde / organizadores: Carine Vendruscolo, Charles Dalcanale Tesser, Edlamar Kátia Adamy. - Porto Alegre: Moriá, 2021. xix, 275 p.: il. Inclui bibliografia ISBN: 978-65-86659-08-5 1. Atenção primária à saúde. 2. Prevenção quaternária. 3. Promoção da saúde. I. Vendruscolo, Carine. II. Tesser, Charles Dalcanale. III. Adamy, Edlamar Kátia. NLM W84.6 CATALOGAÇÃO NA FONTE: RUBENS DA COSTA SILVA FILHO CRB10/1761


5

Organizadores Carine Vendruscolo

Charles Dalcanale Tesser

Médico. Pós-doutor pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Portugal. Doutor em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Docente do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva e do departamento de Saúde Pública da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). E-mail: charles.tesser@ufsc.br

Edlamar Katia Adamy

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC). Representante de Santa Catarina na Rede Iberoamericana de Investigación en Educación en Enfermería (RIIEE) Brasil. Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária à Saúde (MPEAPS). Membro do Laboratório de Inovação e Tecnologias para a Gestão e Educação Permanente em Saúde (LABIGEPS/UDESC) e do Grupo de Pesquisa Enfermagem, cuidado humano e processo saúde-adoecimento (UDESC). E-mail: edlamar.adamy@udesc.br

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Enfermeira. Pós Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutora em Enfermagem. Mestre em Saúde Pública. Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Vice coordenadora do Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária a Saúde (MPEAPS/UDESC). Líder do Laboratório de Inovação e Tecnologias para a Gestão e Educação Permanente em Saúde (LABIGEPS/UDESC) e membro do Grupo de Estudos sobre Saúde e Trabalho (GESTRA/UDESC) E-mail: carine.vendruscolo@udesc.br


VI 6

Colaboradores Aida Maris Peres

Enfermeira. Pós-doutora pela Universidad de Alicante, Espanha. Doutora em Enfermagem pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Administração (UFSC). Docente do Departamento de Enfermagem e do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná. Líder do Grupo de Pesquisa em Políticas, Gestão e Práticas em Saúde (GPPGPS). E-mail: aidamaris.peres@gmail.com

Aline Lemes de Souza

Carine Vendruscolo, Charles Dalcane Tesser e Edlamar Kátia Adamy - Organizadores

Enfermeira. Coordenadora da Atenção Básica no município de Sul Brasil/SC. Estudante do Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária a Saúde (MPEAPS) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). E-mail: alinedbeth@hotmail.com

Ana Cristina Acorsi

Farmacêutica. Mestre em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais. Docente da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). E-mail: aetges@unochapeco.edu.br

Ana Cecília de Mascarenhas

Estudante do curso de Letras Português e Inglês da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). E-mail: nikamascarenhas99@gmail.com

Andrea Noeremberg Guimarães

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Membro dos Grupos de Pesquisa Enfermagem: Cuidado Humano e Processo Saúdeadoecimento (UDESC) e Laboratório de Inovação e Tecnologias para a Gestão e Educação Permanente em Saúde (LABIGEPS/UDESC). E-mail: andrea.guimaraes@udesc.br

Ana Cristina Costa Lima

Psicóloga. Doutora em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente aposentada. Pesquisadora voluntária do Núcleo de Estudos em Sociologia, Filosofia e História das Ciências da Saúde (Nesfhis/UFSC). Psicóloga clínica em atividade. E-mail: lima.anac@gmail.com


VII 7

Ana Paula Rodrigues dos Santos Bessa

Enfermeira. Mestre em Enfermagem pela Univeridade Federal do Paraná (UFPR). Docente adjunta da Faculdade Paranaense (FAPAR). Membro do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC/UFPR). E-mail: ana25rodrigues@gmail.com

Carine Vendruscolo

Catherine Cristina Bortoli

Acadêmica do curso de Psicologia da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). E-mail: catherine@unochapeco.edu.br

Charles Dalcanale Tesser

Médico. Pós-doutor pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Portugal. Doutor em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Docente do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva e do departamento de Saúde Pública da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). E-mail: charles.tesser@ufsc.br

Clarissa Bohrer da Silva

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Membro do Laboratório de Inovação e Tecnologias para a Gestão e Educação Permanente em Saúde (LABIGEPS/UDESC) e do Grupo de Estudos sobre Saúde e Trabalho (GESTRA/UDESC). E-mail: clarissa.bohrer@udesc.br

Cristina dos Santos Padilha

Psicóloga. Mestre em Saúde Coletiva. Especialista em Terapia de Casal e Família. Atua na Prefeitura Municipal de Chapecó. E-mail: padilha.psico@gmail.com

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Enfermeira. Pós Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Doutora em Enfermagem. Mestre em Saúde Pública. Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Vice coordenadora do Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária a Saúde (MPEAPS/ UDESC). Líder do Laboratório de Inovação e Tecnologias para a Gestão e Educação Permanente em Saúde (LABIGEPS/UDESC) e membro do Grupo de Estudos sobre Saúde e Trabalho (GESTRA/UDESC) E-mail: carine.vendruscolo@udesc.br


VIII 8

Daiana Kloh Khalaf

Enfermeira. Mestre e Doutora em Enfermagem pelo Programa de PósGraduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Membro do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC/UFPR). E-mail: daianakloh@ufpr.br

Daiane Kutszepa Brambilla

Enfermeira. Mestre em Ciências da Saúde. Membro da Estratégia de Saúde da Família no município de Tigrinhos/SC. E-mail: daianekutszepa@gmail.com

Carine Vendruscolo, Charles Dalcane Tesser e Edlamar Kátia Adamy - Organizadores

Daniela Savi Geremia

Enfermeira. Doutora em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS/UERJ). Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Docente Adjunta do curso de Enfermagem da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS/Campus de Chapecó/SC). Líder do Grupo de Pesquisas Políticas Públicas e Gestão em Saúde (PPGS/UFFS). E-mail: daniela.geremia@uffs.edu.br

Deisi Cristine Forlin Benedet

Enfermeira. Doutoranda em Enfermagem do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (PPGENF/UFPR). Mestre em Ciências pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EEUSP). Membro do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Cuidado Humano e Enfermagem (NEPECHE). E-mail: deisiforlin@ufpr.br

Denise Antunes de Azambuja Zocche

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre em Educação (UFRGS). Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Coordenadora do Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária a Saúde (MPEAPS). E-mail: denise.zocche@udesc.br

Denise Elvira Pires de Pires

Enfermeira. Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Docente titular do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente do Programa de Pós-graduação em Enfermagem da UFSC e membro do PRAXIS: Laboratório de Pesquisa sobre Trabalho, Ética, Saúde e Enfermagem. Pesquisadora CNPq 1B. Email: piresdp@yahoo.com


IX 9

Edlamar Katia Adamy

Elizangela Felipi

Psicóloga. Especialista em Psicoterapia de Orientação Psicanalítica. Docente da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). E-mail: efelipi@unochapeco.edu.br

Fabíola Stolf Brzozowski

Farmacêutica. Doutora em Saúde Coletiva. Pós-Doutoranda do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Membro do Núcleo de Estudos em Sociologia, Filosofia e História das Ciências da Saúde (NESFHIS). E-mail: fabiola.stolf@gmail.com

Felippe Allan Baldissera

Acadêmico do curso de Farmácia da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). E-mail: baldisseralipe@unochapeco.edu.br

Fernanda Fabiana Ledra

Psicóloga. Mestre em Gestão do Trabalho e Educação na Saúde pela ENSP/ FIOCRUZ. Docente colaboradora no Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária à Saúde (MPEAPS) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). E-mail: fernanda.ledra@gmail.com

Fernanda Karla Metelski

Enfermeira. Doutoranda em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó).

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC). Representante de Santa Catarina na Rede Iberoamericana de Investigación en Educación en Enfermería (RIIEE) Brasil. Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária à Saúde (MPEAPS). Membro do Laboratório de Inovação e Tecnologias para a Gestão e Educação Permanente em Saúde (LABIGEPS/ UDESC) e do Grupo de Pesquisa Enfermagem, cuidado humano e processo saúde-adoecimento (UDESC). E-mail: edlamar.adamy@udesc.br


10 X Docente Assistente do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Membro do Laboratório de Inovação e Tecnologias para a Gestão e Educação Permanente em Saúde (LABIGEPS/ UDESC), do Grupo de Estudos sobre Saúde e Trabalho (GESTRA/UDESC) e do Laboratório de Pesquisas, Tecnologia e Inovação em Políticas e Gestão do Cuidado e da Educação em Enfermagem e Saúde (GEPADES/UFSC). E-mail: fernanda.metelski@udesc.br

Fernanda Moura D´Almeida Miranda

Carine Vendruscolo, Charles Dalcane Tesser e Edlamar Kátia Adamy - Organizadores

Enfermeira. Mestre e Doutora em Enfermagem pelo Programa de PósGraduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Estágio de Doutoramento na Clinica de Lavoro de Milão-Itália. Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da UFPR. Membro do Grupo Multidisciplinar de Saúde do Adulto (GEMSA/UFPR). Sócio fundadora da Associação Brasileira da Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (ABRASTT). E-mail: fernandamiranda@ufpr.br

Graciela Soares Fonseca

Cirurgiã-dentista. Mestre e Doutora em Ciências Odontológicas, com área de concentração em Odontologia Social pela Universidade de São Paulo (FOUSP). Pós-doutoranda em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP). Docente Adjunta do curso de Medicina e da Especialização em Saúde Coletiva da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). Membro dos Grupos de Pesquisa Saúde Bucal Coletiva (FOUSP), Geografia e Saúde (UFFS) e Educação Popular e Formação em Saúde e Enfermagem (UFFS). E-mail: graciela.fonseca@uffs.edu.br

Gilberto Tadeu Reis da Silva

Enfermeiro. Pós-doutor em Ensino em Ciências da Saúde pelo Centro de Desenvolvimento do Ensino Superior em Saúde (CEDESS) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Doutor em Ciências pela Escola Paulista de Enfermagem da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Mestre em Fundamentos de Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP). DocenteTitular-Livre na Universidade Federal Da Bahia (UFBA). Docente Permanente do Programa de Pós-graduação em Enfermagem e Saúde da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Pesquisador no Grupo de Estudos e Pesquisa em Administração dos Serviços de Enfermagem (GEPASE). Bolsista de Produtividade em Pesquisa CNPq - 2. DocenteVisitante no Exterior - Bolsa CNPq (2019-2020). E-mail: gilberto.tadeu@ufba.br


XI 11

Gímerson Erick Ferreira

Enfermeiro e Administrador. Mestre e Doutor em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente Adjunto na Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso (FAEnUFMT). Docente nos Programas de Pós-graduação em Ciências Aplicadas a Atenção Hospitalar, do Hospital Universitário Júlio Müller (HUJMUFMT), e em Enfermagem, da FAEn-UFMT. Líder do grupo de pesquisa Gestão, Educação e Formação em Saúde em Enfermagem (GEFOR). E-mail: gimersonerick.ufmt@gmail.com

Jéssyca Slompo Freitas

Juliana Andréa Duarte Araújo

Enfermeira. Coordenadora de Atenção Básica no município de Xanxerê/SC. Estudante do Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária a Saúde (MPEAPS) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Membro do Grupo de Estudos sobre Saúde e Trabalho (GESTRA/UDESC) e do Laboratório de Inovação e Tecnologias para a Gestão e Educação Permanente em Saúde (LABIGEPS/UDESC). E-mail: ju_duartte@hotmail.com

Karina Schopf

Enfermeira. Coordenadora de equipe de Saúde da Família no município de Paraíso/SC. Estudante do Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária a Saúde (MPEAPS) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Membro do Laboratório de Inovação e Tecnologias para a Gestão e Educação Permanente em Saúde (LABIGEPS/UDESC). E-mail: karinaschopf70@gmail.com

Karla Crozeta Figueiredo

Enfermeira. Mestre e Doutora em Enfermagem pelo Programa de Pósgraduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da UFPR. Docente dos Programas de Pós-graduação em Enfermagem - Acadêmico e Profissional. Vice-líder do Grupo de Pesquisa em Políticas, Gestão e Práticas em Saúde (GPPGPS/UFPR). E-mail: karlacrozeta@ufpr.br

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Enfermeira. Doutoranda e Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Membro do Grupo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC/UFPR). E-mail: jessyca_sfreitas@hotmail.com


XII 12

Kátia Jamile da Silva

Enfermeira. Pós graduanda em Gestão Estratégica de Organizações de Saúde. Membro do Grupo de Estudo sobre Saúde e Trabalho (GESTRA/ UDESC). Participante do Programa de Mobilidade na Universidade do Minho, Braga, Portugal. E-mail: katiajamiledasilva@gmail.com

Halana Faria de Aguiar Andrezzo

Médica. Ginecologista e Obstetra residência Maternidade Carmela Dutra (SC). Mestre em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP). Atua no Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde (São Paulo e Florianópolis). Comunicadora em Saúde das mulheres. E-mail: halanaf@hotmail.com

Carine Vendruscolo, Charles Dalcane Tesser e Edlamar Kátia Adamy - Organizadores

Laura Christina Macedo

Enfermeira. Doutora em Ciências pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EEUSP). Mestre em Enfermagem de Saúde Pública pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP). Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Paraná. Membro do Grupo de Estudos Família, Saúde e Desenvolvimento (GEFASED/UFPR). E-mail: laurachristina@ufpr.br

Letícia de Lima Trindade

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), no Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária a Saúde (MPEAPS) e do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). Líder do Grupo de Pesquisa sobre Saúde e Trabalho (GESTRA/UDESC). E-mail: leticia.trindade@udesc.br

Luan Carlos Vincenzi Zamignan

Acadêmico do curso de Farmácia da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). E-mail: luanzamignan@unochapeco.edu.br

Márcia Luíza Pit Dal Magro

Psicóloga. Doutora em Psicologia. Docente dos Programas de PósGraduação em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó). E-mail: mapit@unochapeco.edu.br


XIII 13

Margarete Maria de Lima

Enfermeira obstetra. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente do Departamento de Enfermagem da UFSC. Vice-líder do Laboratório Interprofissional de Pesquisa e Inovação Tecnológica em Saúde Obstétrica e Neonatal (LAIPISON/UFSC). E-mail: margaretelima2@gmail.com

Maria Elisabeth Kleba

Maria Marta Nolasco Chaves

Enfermeira. Doutora em Ciências (USP). Docente Sênior do Programa de PósGraduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (PPGENFUFPR). Mestre em Enfermagem (UFSC). Líder do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Paraná (NESC-UFPR). E-mail: mnolascochaves@gmail.com

Marilene Loewen Wall

Enfermeira obstetra. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente do Departamento de Enfermagem e dos Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Mestrado Profissional em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (PPGENF/UFPR). Vice-líder do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Cuidado Humano e Enfermagem (NEPECHE). E-mail: wall@ufpr.br

Marineli Joaquim Meier

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Tecnologia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Docente Associada IV do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Vice-coordenadora do Grupo Tecnologia e Inovação em Saúde (TIS/UFPR). E-mail: mmarineli@ufpr.br

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Enfermeira. Doutora em Filosofia pela Universidade de Bremen (UniBremen/Alemanha). Atua como consultora e educadora nas áreas de gestão de políticas públicas e participação social e de educação permanente em saúde. Membro do Grupo Interinstitucional Sementes para a Pesquisa Colaborativa Baseada na Comunidade (CBPR), da Rede de Pesquisa-Ação Participativa do Brasil (Rede PAP Brasil) e da International Collaboration on Participative Health Research (ICPHR). E-mail: lkleba@unochapeco.edu.br


14 XIV

Marluci Andrade Conceição Stipp

Enfermeira. Pós-doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente Titular do Departamento de Metodologia da Enfermagem da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Docente permanente do Programa de Pós-graduação da Escola de Enfermagem Anna Nery da UFRJ. Membro associado do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida e do European Association of Preventive Cardiology. Lider do Grupo de Pesquisa Enfermagem Cardiovascular: aspectos gerenciais e de educação em saúde (UFRJ). E-mail: marlustipp@gmail.com

Otília Cristina Coelho Rodrigues

Carine Vendruscolo, Charles Dalcane Tesser e Edlamar Kátia Adamy - Organizadores

Enfermeira. Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Enfermeira na Secretaria de Estado da Saúde, atuando na Gerência Regional de Saúde de Chapecó como Coordenadora Regional da Atenção Básica. E-mail: otiliacristina.rodrigues@gmail.com

Rafaela Gessner Lourenço

Enfermeira. Doutora em Ciências pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP). Docente adjunta da área de Saúde Coletiva do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Membro do Grupo de Estudos em Saúde Coletiva (NESC/UFPR). E-mail: rafaelagessner@ufpr.br

Robson Clementino Batista Junior

Médico. Especialista em Atenção Básica pelo Sistema Universidade Aberta do SUS (UNA SUS). E-mail: robson.medic@hotmail.com

Samantha Reikdal Oliniski

Enfermeira. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Paraná. (UFPR). Mestre em Enfermagem. Coordenadora do curso de graduação em Enfermagem da UniFacear. Docente substituta do Departamento de Enfermagem da UFPR. Membro do Grupo Tecnologia e Inovação em Saúde (TIS). E-mail: saoliniski@gmail.com

Susane Karine Kerckoff Machado

Estudante do Curso de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Membro do Grupo de Pesquisa Enfermagem, cuidado humano e processo saúde-adoecimento (UDESC). E-mail: susanekerckoff@gmail.com


XV 15

Tatiane Herreira Trigueiro

Enfermeira obstetra. Doutora em Ciências da Saúde pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EEUSP). Mestre em Enfermagem. Docente Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Membro do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Cuidado Humano de Enfermagem (NEPECHE). E-mail: tatiherreira@ufpr.br

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde


17

Sumário PREFÁCIO……………………………….……………………………………………………………..……………….21 APRESENTAÇÃO…….……….………………………………………………………………………….26 CAPÍTULO 1 A PREVENÇÃO QUATERNÁRIA E A INTERPROFISSIONALIDADE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE……………………………………………………………………………………………………………….…31

CAPÍTULO 2 PREVENÇÃO QUATERNÁRIA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: UMA REVISÃO DA LITERATURA………………………………….……………………..…45 Karina Schopf, Carine Vendruscolo, Charles Dalcanale Tesser, Denise Antunes de Azambuja Zocche, Aline Lemes de Souza

CAPÍTULO 3 PREVENÇÃO QUATERNÁRIA E PROMOÇÃO DA SAÚDE: RELAÇÕES E CONVERGÊNCIAS…………………..………………………………….……67 Charles Dalcanale Tesser, Carine Vendruscolo

CAPÍTULO 4 PREVENÇÃO QUATERNÁRIA NA ATENÇÃO OBSTÉTRICA…………………………………………………………………...………85 Deisi Cristine Forlin Benedet, Denise Antunes de Azambuja Zocche, Margarete Maria de Lima, Halana Farias, Marilene Loewen Wall, Tatiane Herreira Trigueiro

CAPÍTULO 5 PREVENÇÃO QUATERNÁRIA: POSSIBILIDADES A PARTIR DA EDUCAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE………………………………………………………….……….105 Edlamar Kátia Adamy, Carine Vendruscolo, Daiana Kloh Khalaf, Gilberto Tadeu Reis da Silva, Juliana Andréia Duarte Araújo, Ana Cecília de Mascarenhas, Susane Karine Kerckoff Machado

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Carine Vendruscolo, Charles Dalcanale Tesser, Denise Elvira Pires de Pires, Aida Maris Peres, Graciela Soares Fonseca, Marluci Andrade Conceição Stipp


XVIII 18

CAPÍTULO 6 AÇÕES DO NÚCLEO AMPLIADO DE SAÚDE DA FAMÍLIA E ATENÇÃO BÁSICA: INTERFACES COM A PREVENÇÃO QUATERNÁRIA………………………………….….……………………..121 Fernanda Karla Metelski, Carine Vendruscolo, Daniela Savi Geremia, Kátia Jamile da Silva

CAPÍTULO 7 PREVENÇÃO QUATERNÁRIA E SAÚDE DO ADOLESCENTE…………………………………………….……………….…….139 Rafaela Gessner Lourenço, Jéssyca Slompo Freitas, Ana Paula Rodrigues dos Santos Bessa, Maria Marta Nolasco Chaves

Carine Vendruscolo, Charles Dalcane Tesser e Edlamar Kátia Adamy - Organizadores

CAPÍTULO 8 PREVENÇÃO QUATERNÁRIA E BIOÉTICA: REFLEXÕES INICIAIS PARA A EDUCAÇÃO INTERPROFISSIONAL E A PRÁTICA COLABORATIVA…………………………………………………….…..……155 Karla Crozeta Figueiredo, Daiana Kloh Khalaf, Samantha Reikdal Oliniski, Marineli Joaquim Meier

CAPÍTULO 9 REFLEXÕES SOBRE MEDICALIZAÇÃO NO CONTEXTO ESCOLAR: CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DOS PROFISSIONAIS ATUANTES NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA………………………………………………...………169 Daiane Kutszepa Brambilla, Maria Elisabeth Kleba, Márcia Luíza Pit Dal Magro, Letícia de Lima Trindade, Ana Cristina Costa de Lima, Fabíola Stolf Brzozowski

CAPÍTULO 10 PREVENÇÃO QUATERNÁRIA E A GESTÃO DA CLÍNICA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE…………………………….189 Clarissa Bohrer da Silva, Fernanda Karla Metelski, Fernanda Fabiana Ledra, Gímerson Erick Ferreira, Letícia de Lima Trindade, Otília Cristina Coelho Rodrigues

CAPÍTULO 11 EFEITOS TERAPÊUTICOS DO GRUPO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO NA SAÚDE MENTAL DE USUÁRIOS DA ATENÇÃO BÁSICA …………………………………..…….……205 Catherine Cristina Bortoli, Márcia Luíza Pit Dal Magro, Elizangela Felipi, Cristina dos Santos Padilha, Ana Cristina Acorsi, Felippe Allan Baldissera, Luan Carlos Vincenzi Zamignan


XIX 19

CAPÍTULO 12 USO DE PSICOTRÓPICOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: REFLEXÕES NECESSÁRIAS A PARTIR DA PREVENÇÃO QUATERNÁRIA…………………..….…………….221 Daiana Kloh Khalaff, Robson Clementino Batista Junior, Laura Christina Macedo, Andrea Noeremberg Guimarães, Samantha Reikdal Olinski, Fernanda Moura D´Almeida Miranda

Charles Dalcanale Tesser

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

CAPÍTULO 13 PREVENÇÃO QUATERNÁRIA E PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES: UMA APROXIMAÇÃO……………………………………………………………………………….233


31

Capítulo 1 A prevenção quaternária e a interprofissionalidade na atenção primária à saúde Carine Vendruscolo, Charles Dalcanale Tesser, Denise Elvira Pires de Pires,

Introdução Este capítulo objetiva refletir sobre os desafios da Prevenção Quaternária (P4), especialmente no contexto da Estratégia Saúde da Família (ESF) no Brasil, e suas interrelações com a Educação Interprofissional em Saúde (EIP). Discutem-se os conceitos de Educação Interprofissional e Prevenção Quaternária, assim como as possibilidades dos profissionais das equipes da ESF atuarem de maneira colaborativa no âmbito da Atenção Primária à Saúde (APS) – Atenção Básica no Brasil – com o objetivo de produzir saúde, focando em possibilidades e limites do exercício da P4. A problematização sobre a necessidade de investimento na relação profissional-profissional e nas trocas de conhecimento com vistas ao entendimento da complexidade do processo saúde-doença, assim como nas relações profissional-usuário, são incorporadas neste capítulo antes da apresentação do conceito de P4 por considerar-se que a interprofissionalidade é conduta indissociável para a aplicabilidade e expansão do conceito da P4 no cenário da APS. Destaca-se a importância da experiência profissional no uso de evidências atualizadas (sobretudo na identificação e evitação, quando possível, de situações que gerem maiores riscos de danos iatrogênicos e medicalização desnecessária) e na contextualização dos cuidados na cultura de um conjunto de indivíduos, visando a incorporação da P4 à formação e às práticas dos profissionais que atuam nos serviços de APS, principalmente na ESF.

Interprofissionalidade: aspectos de um modelo que reverbera no Brasil

A Organização Panamericana de Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) vêm propondo aos formuladores de políticas o

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Aida Maris Peres, Graciela Soares Fonseca, Marluci Andrade Conceição Stipp


67

Capítulo 3 Prevenção quaternária e promoção da saúde: relações e convergências3

Charles Dalcanale Tesser, Carine Vendruscolo

O objetivo deste capítulo é discutir algumas relações da Prevenção Quaternária (P4) com a Promoção da Saúde (PS). Nossa tese é que a P4 tem relações de convergência com a PS, tanto em dimensão individual como coletiva e societal, embora indiretas. Todavia, essas relações nem sempre são facilmente visíveis e compreendidas, motivo pelo qual se justifica a presente discussão. As relações entre P4 e PS ocorrem por, pelo menos, duas vias. Uma é a relação, quase direta, de ambas com o processo de medicalização social. A outra via é a sua relação indireta, por meio de convergências pragmáticas e operacionais entre os conceitos de prevenção redutiva1 (envolvendo geralmente prevenção primária) e a PS, por um lado; e, por outro lado, a relação também de convergência da prevenção redutiva com a P4.1 Por ambas as vias, a P4 converge com a PS. Embora uma e outra tenham maior desenvolvimento e, talvez, potências distintas em relação às dimensões individual e coletiva do cuidado clínico-sanitário, ambas têm amplo escopo e são – ou podem e devem ser – praticadas e desenvolvidas, tanto para pessoas e famílias quanto para populações e sociedades. Daí a importância de problematizar tais conceitos no âmbito da atenção primária à saúde (APS). A P4 nasce no ambiente do cuidado clínico da APS, em que as dimensões individual e comunitária do cuidado clínico têm proeminência no cuidado aos adoecidos, na prevenção e na promoção da saúde às pessoas, famílias e comunidades. Em que pese a P4 poder e dever ser desenvolvida em dimensão maior e mais ampla, envolvendo a gestão de serviços e, mesmo, de sistemas de saúde (ou sistemas de cuidado profissional à saúde), é inegável Uma versão sintetizada deste capítulo foi publicada na Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/2515 3

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Introdução


139

Capítulo 7 Prevenção quaternária e saúde do adolescente

Rafaela Gessner Lourenço, Jéssyca Slompo Freitas, Ana Paula Rodrigues dos Santos Bessa, Maria Marta Nolasco Chaves

A adolescência desponta como etapa de vida, geracional e social, que permite a produção e reprodução de modos de vida, a erupção de mudanças comportamentais e de inovação cultural em uma sociedade. Como fenômeno social, se estabelece em contextos históricos, políticos, econômicos e sociais, que, muitas vezes, por estarem organizados em uma realidade dinâmica, que esvazia a subjetividade dos indivíduos em nome da produção focada em lucros, acaba por refrear os movimentos potencializadores para a vida nesta fase.1 Compreender a adolescência como histórica e socialmente determinada é reconhecer que essa geração sofre, direta e demasiadamente, os efeitos deletérios de políticas sociais escassas e de medidas de austeridade econômica, que extinguem ou diminuem os recursos que seriam direcionados à redução das desigualdades sociais. São decisões políticas que determinam processos estruturais, que, em si, têm iniquidades e injustiças sociais, as quais reduzem, consideravelmente, as possibilidades e perspectivas desta geração na sociedade e, consequentemente, implicam em piora nas condições de vida, saúde e de vida na fase adulta.2 Nesse sentindo, é necessário ter esses pressupostos em mente, ao se discutir a Prevenção Quaternária (P4) voltada à população adolescente, pois, se de um lado entende-se que ações ancoradas no conceito de P4 passam pela discussão em prol da minimização de ações geradoras de iatrogenia, como o excesso de rastreamento de doenças, de solicitação de exames complementares e de medicalização de fatores de risco; de outro tem-se a necessidade de fomentar tal discussão no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), sobretudo na Atenção Primária à Saúde (APS), devido à incipiência do desenvolvimento da temática da P4 nesse cenário.3

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Introdução


205

Capítulo 11 Efeitos terapêuticos do grupo de desenvolvimento humano na saúde mental de usuários da atenção básica*

Catherine Cristina Bortoli, Márcia Luíza Pit Dal Magro, Elizangela Felipi,

Cristina dos Santos Padilha, Ana Cristina Acorsi, Felippe Allan

Introdução A Atenção Básica (AB) brasileira, é reconhecida como centro de comunicação da Rede de Atenção à Saúde (RAS) e principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), o que se deve ao seu alto grau de descentralização e capilaridade, que possibilitam a ela a proximidade com o usuário.1 Por estar inserida no território em que as pessoas vivem e trabalham, a Atenção Básica tem “(...) recurso estratégico para o enfrentamento de importantes problemas de saúde pública, como os agravos vinculados ao uso abusivo de álcool, drogas e diversas outras formas de sofrimento psíquico”.2:33 No campo da saúde mental o modelo assistencial proposto pela Atenção Básica se aproxima das propostas da Reforma Psiquiátrica, que se contrapõem ao modelo biomédico em que a assistência está centrada nos sinais e sintomas e na classificação dos quadros nosográficos. O modelo então proposto pela AB visa “falar de saúde, de projetos terapêuticos, de cidadania, de reabilitação e reinserção social e, sobretudo, de projetos de vida”.3:300 A facilidade de acesso aos serviços oferecidos pela AB, sem a devida reorientação do modelo assistencial, pode ocasionar efeitos negativos no campo da saúde mental como a ampliação da psiquiatrização do sofrimento psíquico e da medicamentalização. Nesta, o uso de medicamentos aparece como principal ou única oferta terapêutica dos serviços de saúde.4 A “tradição medicamentalizante” ressoa no campo da saúde mental, revelando a medicação psicotrópica como a principal intervenção terapêutica na atualidade. Nesse contexto, as promessas medicamentosas mostram-

Prevenção Quatenária: proposições para a educação e prática interprofissional na atenção primária à saúde

Baldissera, Luan Carlos Vincenzi Zamignan