Issuu on Google+

Gramado - Brasil

EEdição dição EEspecial special FFestival estival ddoo TTurismo urismo - G Gramado ramado - NNovembro ovembro 22012 012 - DDistribuição istribuição G Gratuita ratuita

Adriana Franciosi/Divulgação Setur POA

Belos destinos, novos segmentos,

inovação e acessibilidade Edição Especial Festival do Turismo Novembro 2012

País na rota do Turismo mundial Região da Catedral Metropolitana de Porto Alegre


Editorial

Reportagem Rio (55-21) 3233-6353 Reportagem São Paulo (55-11) 3123-2239/2240 Anderson MaseƩo anderson.mase o@folhadoturismo.com.br Fernanda Luƞi fernanda.lu i@folhadoturismo.com.br Filipe Cerolim filipe.cerolim@folhadoturismo.com.br Lisia Minelli lisia.minelli@folhadoturismo.com.br Pamela Mascarenhas pamela.mascarenhas@folhadoturismo.com.br Rafael Massadar rafael.massadar@folhadoturismo.com.br

Atendimento ao leitor atendimento@folhadoturismo.com.br (55-21) 3233-6353

Departamento Comercial Rio de Janeiro (55-21) 3233-6319 Geraldo Ramos geraldo.ramos@folhadoturismo.com.br Leila Barcellos leila.barcellos@folhadoturismo.com.br Renata Araújo renata.araujo@folhadoturismo.com.br

Brasil mostra a força do seu Turismo Um país que já começou a sediar megaeventos internacionais e que vai receber nos próximos anos alguns dos principais acontecimentos do calendário mundial, como a Jornada Mundial da Juventude, a Copa das Confederações, a Copa do Mundo de Futebol e os Jogos Olímpicos, entre tantos outros, atraiu de vez as atenções do planeta para si. O Brasil, em função também de sua força econômica e pela política internacional, tem conquistado investidores, está ampliando sua infraestrutura e seu receptivo e, por conta disso tudo, têm recebido mais turistas, inclusive que estão gastando mais no país e deixando divisas em diversos setores, não apenas no Turismo. Neste quadro de oportunidades, o Festival do Turismo de Gramado, que chega à sua 24ª edição este ano, consolida-se no cenário de eventos do país como um dos mais importantes do segmento do Turismo. Diversos destinos brasileiros – notadamente a região Sul – e também outros destinos internacionais vêm apresentar suas novidades para o trade e formadores de opinião, com uma previsão de 15 mil visitantes. Inovação, foco nos negócios, acessibilidade e segmentação são alguns dos itens que estão em discussão no Festuris. O Turismo LGBT e o Turismo Rural também estarão em evidência, pois são dois temas muito fortes, especialmente no Sul do país, que muito bem sabe receber os turistas e consegue oferecer produtos atrativos e cativantes. A força do Turismo doméstico brasileiro também se faz presente, com empresas aéreas, operadoras, hotelaria, entre tantos outros nichos de mercado. Todos estão de olho no crescimento deste setor, que este ano deve bater a marca histórica de 84 milhões de desembarques, segundo previsões do Ministério do Turismo. O Turismo na prateleira das empresas e na cesta de consumo das pessoas abre novas possibilidades para a economia do país. O mercado doméstico está aquecido, novas oportunidades estão sendo geradas, e o Festuris é uma fundamental plataforma de encontro entre os diversos players do mercado. Boa feira a todos! E bons negócios também!

Índice

São Paulo (55-11) 3123-2222 Marcos Arruda marcos.arruda@folhadoturismo.com.br Representante Comercial em Brasília CPM Consultoria Planejamento Mídia Ltda. márcio@marke ngcpm.com.br - (55-61) 3034-7448 SHN Quadra 2 - 15º Andar - Salas 1514/1515 Execu ve Office Tower - Brasília/DF - CEP 70702-905 Representante Comercial em Minas Gerais BH Brasil Comunicação Limitada. Weber Oliveira weber.wbo@gmail.com - (55-31) 3371- 0769 (55-31) 8859-1953 / Avenida Silva Lobo, 2019 / Sala 1501 Grajaú - Belo Horizonte /MG - CEP 30460-000 Representante Comercial nos Estados Unidos Brazil Travel Media - Claudio DaSilva www.braziltm.com - claudio@braziltm.com - +1 (954) 647-6464 401 E Las Olas Blvd # 130 - Fort Lauderdale - Florida - 33301 - USA Rio de Janeiro Rua Riachuelo, 114 - Centro - Cep 20.230-014 Telefone e Fax (55-21) 3233-6201 São Paulo Rua Barão de Itape ninga, 151 - Térreo - Centro - CEP 01.042-001 Telefone (55-11) 3123-2222 - Fax (55-11) 3129-9095 Os ar gos e opiniões de terceiros publicados na edição não necessariamente refletem a posição da revista.

Folha do Turismo é uma publicação do

3 Editorial / Expediente / Índice 4 Coletânea dos serviços dos destinos desta edição REGIÃO NORTE 6 Pará 10 Amazonas REGIÃO NORDESTE 13 15 18 22 24

Alagoas Bahia Pernambuco Ceará Maranhão

REGIÃO SUL 36 Santa Catarina 39 Paraná 42 Rio Grande do Sul REGIÃO CENTRO-OESTE 46 Distrito Federal 50 Mato Grosso do Sul ESPORTES / EVENTOS 54 Copa Confederações 56 Copa do Mundo TOUR BRASIL

REGIÃO SUDESTE 26 Rio de Janeiro 29 Minas Gerais 32 Espírito Santo

57 58 60 61 62

Ministério do Turismo Festuris Anseditur / Fornatur Hotelaria Gastronomia

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Presidente Adolfo Mar ns Vice-presidente ExecuƟvo Roy Taylor roytaylor@folhadoturismo.com.br - (55-21) 3233-6319 Diretor de Redação Mario Brizon mario.brizon@folhadoturismo.com.br - (55-21) 3233-6263 Diretora de MarkeƟng Internacional Rosa Masgrau rosamasgrau@folhadoturismo.com.br - (55-21) 3233-6316 Diretora Geral de São Paulo Mari Masgrau mari.masgrau@folhadoturismo.com.br - (55-11) 3123-2247 Diretor de Projetos Especiais Juan Torres juan.torres@folhadoturismo.com.br - (55-11) 3123-2222 Editora-chefe Natália Strucchi natalia.strucchi@folhadoturismo.com.br - (55-21) 3233-6353 Editor SP Luciano Palumbo luciano.palumbo@folhadoturismo.com.br - (55-11) 3123-2240 Chefe de Reportagem Luiz Marcos Fernandes luiz.fernandes@folhadoturismo.com.br - (55-21) 3233-6262 Diretor de Internet Fernando Mar ns Diretora de Planejamento Andréa Mar ns Diretor Jurídico José Manuel Duarte Correia Gerência de Tecnologia GRM Designer Daniel Costa

3


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Serviço dos destinos citados nesta edição

4

REGIÃO NORTE

CEARÁ

AMAZONAS

Secretaria de Turismo do Estado do Ceará (55-85) 3101-4669 / www.setur.ce.gov.br Secretaria de Turismo de Fortaleza (55-85) 3105-1535 / www.fortaleza.ce.gov.br/turismo Prefeitura de Camocim (55-88) 3621-1508 / www.camocim.ce.gov.br Prefeitura de Aracati (55-88) 3446-2419 / www.aracati.ce.gov.br Prefeitura de Jijoca de Jericoacoara (55-88) 3669-1133 / www.jijocadejericoacoara.ce.gov.br

Governo do Estado do Amazonas (55-92) 3236-3290 / www.amazonas.am.gov.br Empresa Estadual de Turismo do Estado do Amazonas (Amazonastur) (55-92) 2123-3818 / www.visitamazonas.com Fundação Municipal de Turismo de Manaus (Manaustur) (55-92) 3215-3474 / www.manaus.am.gov.br Prefeitura de Barcelos (55-97) 3321-1110 Prefeitura de Presidente Figueiredo www.presidentefigueiredo.am.gov.br Prefeitura de Parintins (55-92) 3533-3077 / www.parintins.am.gov.br PARÁ Governo do Estado do Pará (55-91) 3212-0669 / www.pa.gov.br Companhia Paraense de Turismo (Paratur) (55-91) 3110-6330 / www.paratur.pa.gov.br Companhia de Turismo de Belém (Belemtur) (55-91) 3283-4853 / www.belemtur.com.br Prefeitura de Santarém (55-93) 2101-5100 / www.santarem.pa.gov.br REGIÃO NORDESTE ALAGOAS Secretaria de Estado do Turismo de Alagoas (55-82) 3315-5700 / www.turismo.al.gov.br Secretaria Municipal de Promoção do Turismo de Maceió (55-82) 3336-4409/3650 / www.turismo.maceio.al.gov.br Prefeitura de Maragogi (55-82) 3296-1226 / www.prefeiturademaragogi.com Prefeitura de Japaratinga (55-82) 3297-1102 / www.japaratinga.al.gov.br BAHIA Secretaria de Estado de Turismo da Bahia (55-71) 3116-4131 / www.setur.ba.gov.br Empresa de Turismo da Bahia (Bahiatursa) (55-71) 3117-3000 / www.bahiatursa.ba.gov.br Empresa Salvador Turismo (Saltur) (55-71) 3381-8255 / www.saltur.salvador.ba.gov.br Salvador Convention & Visitors Bureau (55-71) 3311-4444 / www.salvadorconvention.com.br Prefeitura de Cairu (Morro de São Paulo) (55-75) 3653-2151 / www.cairu.ba.gov.br Chapada Diamantina www.chapada.org Porto Seguro (Costa do Descobrimento) www.portoseguro.ba.gov.br PERNAMBUCO Secretaria de Estado de Turismo de Pernambuco (55-81) 3182-8300 / www2.setur.pe.gov.br/web/setur Secretaria de Turismo do Recife (55-81) 3232-8409/8105 / www.recife.pe.gov.br/pr/secturismo Secretaria de Turismo de Olinda (55-81) 3493-3770 / www.olinda.pe.gov.br Secretaria de Turismo, Esportes e Cultura de Ipojuca/Porto de Galinhas (55-81) 3551-1147 / www.visiteportodegalinhas.com

MARANHÃO Secretaria de Estado de Turismo do Maranhão (55-98) 3231-0822 / www.turismo.ma.gov.br Secretaria de Turismo de São Luís (55-98) 3212-6215 / www.saoluis.ma.gov.br/setur REGIÃO SUDESTE RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado de Turismo do Rio de Janeiro (55-21) 2333-1061 / www.rio.rj.gov.br/web/setur Companhia de Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Turisrio) (55-21) 2215-0011 / www.turisrio.rj.gov.br Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur) (55-21) 2297-7117 / www.rio.rj.gov.br/web/riotur Secretaria de Turismo de Angra dos Reis (55-24) 3367-7866 / www.turisangra.angra.rj.gov.br/ Secretaria de Turismo de Armação dos Búzios (55-22) 2633-6200 / www.buzios.rj.gov.br/secretarias/turismo.html Prefeitura de Arraial do Cabo (55-22) 2622-1650 / www.arraial.rj.gov.br/prefeitura/ MINAS GERAIS Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (55-31) 3915-9454 / www.turismo.mg.gov.br Belo Horizonte Turismo (Belotur) (55-31) 3277-9777 / www.belotur.com.br Inhotim – Instituto de Arte Contemporânea e Jardim Botânico (55-31) 3571-9700 / www.inhotim.org.br

Secretaria Municipal de Turismo de Campos do Jordão (55-12) 3663-1235/1098 / www.camposdojordao.sp.gov.br Parque Hopi Hari (55-11) 4007-1134 / www.hopihari.com.br REGIÃO SUL SANTA CATARINA Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte de Santa Catarina (55-48) 3212-1900 / www.sol.sc.gov.br Santa Catarina Turismo (Santur) (55-48) 3212-6300 / www.santur.sc.gov.br Secretaria Municipal de Turismo, Cultura e Esporte de Florianópolis (55-48) 3952-7000 / www.pmf.sc.gov.br / twitter.com/scflorianopolis Prefeitura de Jacinto Machado (55-48) 3535 1133 / www.jacintomachado.sc.gov.br Secretaria de Turismo de Balneário Camboriú (55-47) 3367-8122 / www.secturbc.com.br Prefeitura de São Francisco do Sul (55-47) 3444-5257 / www.saofranciscodosul.sc.gov.br PARANÁ Secretaria do Turismo do Paraná (55-41) 3313-3500 / www.pr.gov.br/turismo Instituto Municipal de Turismo - Curitiba Turismo (55-41) 3250-8000 / www.viaje.curitiba.pr.gov.br Prefeitura de Foz do Iguaçu (55-45) 2105-100 / www.pmfi.pr.gov.br Prefeitura de Morretes (55-41) 3462-1024 / www.morretes.pr.gov.br Prefeitura Municipal de Matinhos (55-41) 3971-6000 / www.matinhos.pr.gov.br RIO GRANDE DO SUL Secretaria do Turismo do Rio Grande do Sul (55-51) 3288-5400 / www.turismo.rs.gov.br Secretaria Municipal de Turismo de Porto Alegre (55-51) 3289-6700 / www.portoalegre.travel Prefeitura de Gramado (55-54) 3286-0200 / www.gramado.rs.gov.br Secretaria Municipal de Turismo de Bento Gonçalves 0800-603-6060 / www.turismobento.com.br Prefeitura de Canela (55-54) 3282-2200 / www.canela.rs.gov.br

ESPÍRITO SANTO REGIÃO CENTRO-OESTE Secretaria de Estado de Turismo do Espírito Santo (55-27) 3636-8026 / www.setur.es.gov.br Secretaria Municipal de Turismo de Vitória (55-27) 3382-6000 / www.vitoria.es.gov.br/semtur Secretaria de Turismo de Vila Velha (55-27) 3389-7162 / www.vilavelha.es.gov.br Prefeitura de Marechal Floriano (55-27) 3288-1419 / www.marechalfloriano.es.gov.br Prefeitura de Domingos Martins (55-27) 3268-1344 / www.domingosmartins.es.gov.br SÃO PAULO Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo (55-11) 3709-1654 / www.turismo.sp.gov.br São Paulo Turismo (SPTuris) (55-11) 2226-0400; www.spturis.com Secretaria Municipal de Turismo de Santos (55-13) 3201-8000 / www.turismosantos.com.br

DISTRITO FEDERAL Secretaria de Turismo do Distrito Federal (55-61) 3214-2744/2701/2782/2712 / www.setur.df.gov.br MATO GROSSO DO SUL Secretaria de Turismo do Mato Grosso do Sul (55-67) 3318-5018 / www.seprotur.ms.gov.br Fundação de Turismo do Mato Grosso do Sul (Fundtur) (55-67) 3318-7602 / www.turismo.ms.gov.br Conselho Municipal de Turismo de Bonito (55-67) 3255-2160 / www.bonito-ms.com.br Prefeitura de Aquidauana (55-67) 3240-1400 / www.aquidauana.ms.gov.br Prefeitura de Miranda (55-67) 3242-3051 / www.miranda.ms.gov.br


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

5


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Hely Pamplona

6

Pará Belém, marco da diversidade natural e cultural do Norte Encantos não faltam a Belém, capital do Pará. Seja por suas ruas com mangueiras centenárias, por seus patrimônios históricos ou por seu povo hospitaleiro, Belém é o lugar certo para explorar as multifaces do norte do Brasil. Com 396 anos, a cidade reúne uma profusão de monumentos, lugares e costumes que retratam seu desenvolvimento. É permitido viajar no tempo, especialmente quando se avista o belo conjunto arquitetônico dos séculos 17 e 18, como o Mercado de Ferro, o Mercado da Carne, a Praça do Relógio, a Doca, a Ladeira do Castelo, o Solar da Beira e a Praça do Pescador. Inclua no tour uma visita ao Forte do Presépio. O local rende belas fotografias. Marco da fundação de Belém, ele foi construído em uma península pelos índios tupinambás para proteger a cidade à margem direita da foz do rio Guamá. De lá, siga para o complexo de Santo Alexandre, a Catedral da Sé, a Casa das Onze Janelas, a Igreja de São João, o Museu de Arte Sacra e dois pequenos museus que abrigam peças arqueológicas sobre a origem de Belém. A cidade tem muita história para contar. No Palácio Antônio Lemos, o visitante encontra um variado acervo de artes plásticas. Já no Palacete Pinho, a atração é o seu estilo arquitetônico inovador. Símbolo do ápice econômico do Ciclo da Borracha no final do Século 19, o palacete foi inspirado nos palácios e vilas italianas do Século

16. Seus salões eram muito utilizados para apresentação de orquestras e concertos de artistas nacionais e internacionais ao piano. Suas janelas enormes garantem uma visão privilegiada da cidade. Já no Museu das Gemas estão expostas verdadeiras joias raras, como pedras de ametista

e quartzo rosa com mais de três mil anos. Aproveite e encomende sua joia personalizada. No Theatro da Paz, situado na Praça da República, concertos da Orquestra Sinfônica do Pará, torneios de canto lírico e recitais são realizados com frequência. Já na Basílica de Nazaré, os fiéis de Nossa Senhora de Nazaré podem agradecer pelas graças alcançadas. Programe um tempinho para percorrer o Mercado Ver-o-Peso. O local tem tudo o que se possa imaginar. De peixes com mais de 50 quilos e frutas regionais até remédios para todos os males. Experimente um autêntico açaí na tigela ou o tacacá, uma espécie de sopa. Mas fique atento ao horário. O prato só é vendido a partir das quatro horas da tarde. Belém conta ainda com seis parques ambientais. O maior deles é o Mangal das Garças. Ele ocupa uma área de 42 mil metros quadrados, bem às margens do Guamá, ao redor do centro histórico de Belém. Ali vivem dezenas de pássaros aquáticos, incluindo os guarás. Eles podem ser vistos de longe e dão um colorido à paisagem verde. Durante o passeio, vá até o borboletário. Há dezenas de borboletas voando ou simplesmente descansando em algum tronco de árvore. No local, há uma espécie bem diferente. Suas asas parecem dois olhos gigantes. Para ter uma visão panorâmica do Mangal e da própria cidade, vá até o mirante. Por um elevador, o visitante sobe até seu topo. Outra opção é ir ao Bosque Rodrigues Alves, no centro da cidade. É permitido se aventurar em um passeio de canoa ou percorrer suas trilhas. Trata-se de um pedaço da selva amazônica em meio a área urbana. Se optar pelo Museu Emílio Goeldi, seu caminho será recheado por cutias soltas, preguiças no alto das árvores, peixes ornamentais e pássaros raros como araras azuis.

Mercado Ver-o-peso ao anoitecer. Mangal das Garças visto do alto. Interior da Catedral de Nossa Senhora de Nazaré


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

7


Adriana Vilhena

ARREDORES Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

MARAJÓ Onde o cenário nunca é o mesmo Em um trajeto de quatro horas, o viajante alcança um dos paraísos terra: a ilha de Marajó. Em qualquer época do ano, vale a pena conhecê-la. Sua paisagem nunca é a mesma. Em pleno verão amazônico – entre os meses de junho a novembro - os campos ficam cheios de garças e guarás. Durante o inverno - janeiro a maio - Marajó recebe muita chuva e esses campos viram verdadeiros jardins aquáticos. O ideal é ficar, pelo menos, duas noites na ilha. No centro, vá até Barra Velha para apreciar as áreas de mangue. Seus moradores retiram os caranguejos que vivem em água doce. Outra atração são os furos, canais formados dentro de um manguezal. O mangue do Furo do Miguelão reúne inúmeras espécies de pássaros. De Barra Velha, também é possível curtir as belas praias de Araruna, Garrote e Pesqueiro. Na praia do Pesqueiro, a especialidade é o caranguejo toc-toc. Faça um passeio pelas fazendas de Marajó. Lá são criados os cavalos marajoaras e búfalos. Os mais corajosos podem montar nos lombos desses animais e desbravar Marajó de forma diferente. Não se espante se ficar com algumas dores musculares depois. Para uma experiência mais radical, enfrente as ondas da pororoca – nome dado ao encontro das águas do rio Amazonas com o oceano Atlântico.

8

Adilson Morales

SANTARÉM Encante-se com seus dois rios: Amazonas e Tapajós A região de Tapajós é ideal para os amantes do ecoturismo. A principal cidade é Santarém. É ali que dois grandes rios da região se encontram de

frente causando um efeito visual espetacular. De um lado está o rio Amazonas, um dos maiores rios do mundo com suas águas barrentas e que corta grande parte da floresta. Do outro, o Tapajós, com suas águas azuis em um tom quase esverdeado. Por vários quilômetros, eles correm lado a lado e não se misturam. De Santarém, barcos saem rumo à cachoeira de Aruã. Situada no alto curso do rio Arapiuns, a cachoeira é dividida em duas quedas d´água. Também é possível radicalizar em canoagens pelas corredeiras. Mais próximos da área urbana de Santarém estão os lagos Mapiri e Papucu. São excelentes opções para a pesca de peixes da Amazônia. No local, vivem espécies como o jaraqui, aracu e acaratinga. Saindo da orla, caminhe até a Praça do Mirante, no centro de Santarém. Lá está a antiga Fortaleza do Tapajós, uma construção portuguesa erguida em 1697. Do alto se tem uma vista privilegiada do encontro dos rios.

No auge do verão, o lago se transforma e fica totalmente separado do rio Tapajós por meio de uma imensa barra fluvial. Uma ilha de um quilômetro de extensão é criada. Para chegar até o Lago Verde, é preciso pegar um barco e atravessar o Rio Tapajós. O trajeto dura três horas. Ainda na região, trilhas até o topo da Serra da Piroca, na vila de Alter do Chão, são alternativas de passeios. De lá, o cenário da ilha do Amor e a revoada dos pássaros é deslumbrante. Em Alter do Chão, o turista se sente, praticamente, no paraíso na terra. Durante o dia, uma praia branquinha com águas verde-azuladas. No final da tarde, a atração é pegar uma canoa e encontrar os cardumes de boto cor-de-rosa.

ALTER DO CHÃO Deleite-se em suas praias Seguindo por mais 30 quilômetros de Santarém, na região de Tapajós, vá a Alter do Chão. Em passeios de lanchas, o tour inclui passagem pelo Lago Verde ou dos Muiraquitãs. O lago é cercado por belíssimas praias de areia branca durante o período de estiagem – agosto a setembro.

Búfalos em meio à Ilha de Marajó. Ritual das tribos indígenas do Pará e a beleza da praia de Alter do Chão


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

9


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Amazonas

10

Manaus: símbolo da beleza e do patrimônio amazônico Para conhecer de perto a maior floresta tropical do mundo, Manaus, capital do Amazonas, é o caminho. Pelas águas do rio Amazonas o viajante garante um dos mais belos cenários naturais. O encontro dos rios Solimões e Negro, dois afluentes que formam o rio Amazonas, é um espetáculo à parte. Por seis quilômetros, as águas dos dois rios correm lado a lado sem se misturarem. É o lugar ideal para grandes aventuras e emoções fortes a bordo de botes infláveis. Inúmeras agências de Turismo locais oferecem descidas em corredeiras. Se preferir algo mais tranquilo, alugue um barco e siga pelos arquipélagos. A paisagem é marcada pela exótica fauna, com jacarés, aves e macacos. Na época de maré cheia, a atração é navegar pelas árvores da floresta de igapós. Quando inundado, o lago de Janauacá é ponto para contemplação de bichos-preguiças e botos cor-de-rosa. É muito comum encontrá-los nadando em busca de alimentos. Agora, se a intenção é tocá-los, a opção é reservar um passeio pelo rio Negro com direito a nadar com o boto. A

Teatro Amazonas, ícone de Manaus e o Encontro dos Rios Negro e Solimões

biodiversidade do Amazonas também posiciona a região como um dos destinos mais procurados por observadores de pássaros. Mais de 1.600 espécies de aves vivem no Brasil. Dessas, 750 estão no Amazonas. Os programas de birding watching são a grande pedida. Eles são acompanhados por guias e devem ser feitos em canoas motorizadas por entre lagoas e igapós. A região possui araras, tucanos, papagaios, periquitos, entre outros. Em terra, os atrativos de Manaus são igualmente interessantes. O destino é retrato vivo do Ciclo da Borracha no país. Nesse período, coronéis e grandes fazendeiros exibiam suas fortunas conquistadas com o látex extraído das seringueiras. Mas o grande legado desse momento são as suntuosas construções que ainda perduram. O Teatro Amazonas é o símbolo máximo dessa época e revela o estilo “art noveau”. Hoje é palco de grandes atrações artísticas nacionais e até mesmo internacionais. Por fora, sua fachada neoclássica é pintada de rosa e apresenta uma cúpula feita com 36 mil escamas de cerâmica nas cores da bandeira brasileira. Seu interior é tão

belo quanto imenso. O hall de entrada é em mármore português, a escadaria em mármore italiano e ferro inglês. A sala de espetáculos tem capacidade para 700 pessoas e é totalmente decorada com lustres e máscaras venezianos. Inclua no roteiro uma visita ao Palácio Provincial. Lá, estão a Pinacoteca do Estado e museus que guardam marcas das tradições indígenas do Amazonas. Completam o centro histórico de Manaus, a Igreja de São Sebastião, erguida ao lado do Teatro Amazonas, e a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, a primeira da capital amazonense. Outra maneira de conhecer Manaus é por seu artesanato. Uma grande feira regional é montada no centro da cidade todos os dias e reúne uma infinidade de produtos típicos da Amazônia. São colares, brincos e objetos decorativos feitos com fibras, sementes e argilas. No Mercado Municipal Adolpho Lisboa, é possível encontrar algo bem típico e pronto para experimentar. Não saia de Manaus sem conhecer o folclore do Amazonas. Festas atraem milhares de pessoas todos os anos.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

11


Ribamar - O Caboclo

Paisagem surreal de Anavilhanas e o exuberante Festival de Parintins

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

ARREDORES

12

ANAVILHANAS E BARCELOS Redutos dos ecoturistas Saindo de Manaus e percorrendo 50 quilômetros, o viajante se depara com a Estação de Anavilhanas. O arquipélago reúne 400 ilhotas e praias de areias brancas. Do município de Manacapuru, principal da região, partem diversos roteiros de aventuras em trilhas. Elas podem variar de duas a quatro horas, dependendo da vontade e disposição do turista. Ao longo do caminho, diferentes tipos de árvores surgem. Da madeira do marupá são feitas as bases de inúmeros instrumentos musicais. Já do topo da palmeira de tucumã retira-se o cabaquinho, um fruto rico em vitamina A. Mais do que uma rica fauna – lá estão mais de 500 espécies de peixes, peixes-bois e botos – Anavilhanas oferece verdadeiras iguarias da culinária brasileira. Seus moradores vivem da pesca e do extrativismo da palmeira – rendendo deliciosos palmitos – e da castanha do pará. Não saia sem experimentar o lanche X-Cabaquinho acompanhado com queijo branco. Prove ainda as frutas regionais. Entre as mais apreciadas estão a pitomba, cupuaçu, graviola, taperebá, buriti, açaí e o guaraná. Em Barcelos, a 496 km de Manaus por via fluvial, o tucunaré reina absoluto e é o mais buscado pelos amantes dos peixes. A cidade também é conhecida internacionalmente pelo comércio de peixes ornamentais. PRESIDENTE FIGUEIREDO Cachoeiras e sítios arqueológicos Um pouco mais distante de Manaus, a 107 quilômetros, mas não menos belo, fica Presidente Figueiredo. O lugar é recheado de cachoeiras, cavernas e corredeiras. Para chegar à cidade, a melhor opção é por rodovia. E boa parte dessas cachoeiras são alcançadas apenas por meio de trilhas. Portanto, vá preparado para o exercício e para aventuras. Durante o trajeto, aproveite para ouvir o som dos animais ou até de avistar o espetacular galo da serra, pássaro com plumagem e cortejo colorido. As cachoeiras ajudam a refrescar o calor de 35 graus que se sente no meio da floresta. As mais famosas são as cachoeiras do Santuário, a de Iracema e a de Lajes. Esta última é formada por quatro trombas de água em trilha pelo interior da mata. A cachoeira da Pedra Furada é bastante inusitada. Como seu próprio nome diz, ela possui uma pedra furada pela qual a queda d´ água passa. Vá ainda aos sítios arqueológicos. São diversas grutas e rochas repletas de desenhos rupestres, mostrando que a região há muito tempo já era povoada. As reservas indígenas que permeiam

o local também são prova disso. As cavernas mais visitadas são: Lages, do Lago, das Araras e o Refúgio da Maroaga. Esta última possui mais de 380 metros de galerias. PARINTINS Cultura amazonense ao extremo Famosa mundialmente, Parintins, a 420 quilômetros de Manaus por via fluvial, é palco do grande Festival do Boi Bumbá. De avião, é possível alcançar a cidade em menos de uma hora. A festa atrai milhares de pessoas interessadas em vivenciar as lendas da Amazônia em um grande espetáculo de luz e cor. A disputa entre o Boi Caprichoso, de cor azul, e o Boi

Garantido, de cor vermelha, é acirrada. As duas agremiações desfilam em busca da vitória. A apresentação ocorre no Bumbódromo, um tipo de estádio com o formato de uma cabeça de boi estilizada. Ele recebe até 35 mil espectadores. O festival acontece durante três noites e retrata temas regionais como lendas, rituais indígenas e costumes dos ribeirinhos por meio de alegorias e encenações. A toada é acompanhada o tempo todo por um grupo de mais de 400 ritmistas. Muitas das toadas incluem também sons da floresta e canto de pássaros. O espetáculo dos bumbás mostra a lenda de Pai Francisco e Mãe Catirina, que conseguem, com a ajuda do pajé, fazer renascer o Boi do Patrão.


Alagoas Maceió encanta com mar de águas cristalinas Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

13

Jannyne Barbosa

Assim como grande parte de Alagoas, a capital Maceió tem no Turismo de praia e sol seu principal atrativo. São diversas praias de águas cristalinas, e a cidade conta com pontos turísticos naturais, os principais são as piscinas naturais formadas pelos recifes de corais da Praia de Prajuçara. Uma das opções para chegar até a praia é navegar nas jangadas com velas coloridas. Nas águas mornas, tranquilas e cristalinas, é possível observar várias espécies de peixes

que circulam entre os visitantes. O passeio de barco na Lagoa Mundaú e Manguaba é outro grande atrativo da capital alagoana. No bairro do Pontal da Barra ficam os barcos que saem para passeios na Lagoa Mundaú. O Pontal da Barra é um bairro bucólico que oferece muitos atrativos, ele abriga uma comunidade de pescadores e artesãos. O Mirante São Gonçalo oferece uma visão panorâmica de parte da orla de Maceió, descortinada a partir

da Enseada de Jaraguá. O coqueiro é outro destaque da região por ser expressivo na cultura e na história de Alagoas. O coco contribui com o desenvolvimento econômico da cidade, faz parte da culinária típica, tem representatividade no artesanato e na tradição popular. A orla da cidade está equipada com diversos quiosques. Além do coco, outro destaque da culinária da região é a tapioca, sem falar dos frutos do mar. Maceió também conta com diversos atrativos históricos. No bairro de Jaraguá, que significa “enseada das canoas”, havia um ancoradouro natural, daí a origem do nome. Hoje é tombado pelo Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Alagoas. Ainda no bairro está a Igreja Nossa Senhora Mãe do Povo, primeira igreja erguida em Jaraguá, em 1888. Como não poderia faltar, Maceió tem locais para compras de artesanato, entre eles o Mercado do Artesanato, com mais de 200 lojas que expõem e comercializam os produtos confeccionados em couro, rendas, barro, cerâmica, madeira e outros. O local é considerado uma vitrine da arte popular. Ainda focado em produtos artesanais, o Pontal da Barra tem exposto nas portas das casas o Filé – renda típica de Alagoas. Na praia da Pajuçara, uma feira de artesanato mostra a cultura de um povo que usa a criatividade nos trabalhos.

Maceió é considerada por muitos como uma das mais belas cidades do Nordeste


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Maragogi

14

MARAGOGI Destino de piscinas naturais Segundo maior polo turístico de Alagoas, Maragogi tem em suas piscinas naturais o seu maior atrativo. Cercadas por arrecifes de corais, as praias da região oferecem um mar tranquilo, com águas cristalinas e temperaturas agradáveis durante boa parte do ano. Localizadas a cerca de 6 km da costa, é possível aproveitar a Área de Proteção Ambiental, onde estão os arrecifes de corais. Com a ajuda da maré, o passeio até as piscinas naturais pode ser feito por meio de catamarãs. Outra atividade que pode ser realizada nas piscinas é o mergulho assistido (com ajuda de um profissional com tanque de oxigênio e máscara) – no qual é possível admirar os corais e os peixes que costumam nadar entre os frequentadores.

JAPARATINGA Praias e rica gastronomia Próximo a Maragogi, Japaratinga faz parte da Costa dos Corais de Alagoas. Com uma orla extensa e coberta por praias, a cidade tem praias de águas mansas, cercadas por restaurantes e casas de pescadores. Ainda é possível realizar um passeio feito pela Associação de Bugueiros de Maragogi, que tem um custo médio de R$ 200, com capacidade para quatro pessoas em cada buggy e uma duração média de duas horas. Além de visitar as praias da região, é possível ainda ter uma vista quase que total da cidade do ‘Monte Tambor’, localizado em uma das pousadas da região. Outro atrativo fica por conta da culinária local, baseada nos frutos do mar. Anualmente, acontece no mês de setembro, o Festival da Lagosta, com diversos restaurantes participantes.

ARREDORES PORTO DE PEDRAS Diversão a beira mar/rio Ainda na região da Costa dos Corais, a cidade de Porto de Pedra reserva alguns interessantes atrativos para os viajantes. Nela está a Praia de São Miguel dos Milagres e a Praia de Tatuamunha, com águas cristalinas, onde é possível mergulhar no mar calmo. À beira mar existem diversos bares e restaurantes, com almoço e tira-gostos. Na cidade, destaque para o Rio Maguaba, onde pode-se realizar um passeio de barco. No local também existem restaurantes a margem do rio. Porto de Pedras ainda conta com a Igreja da Matriz, casarões coloniais e a Associação dos Artesãos. O Projeto Peixe-Boi é outro atrativo que os viajantes podem aproveitar para conhecer na cidade.


Governo BA

Farol da Barra e Elevador Lacerda, em Salvador

Descubra os encantos do destino

Bahiatursa

Salvador é conhecida como a Terra da Alegria. Além do Carnaval, famoso pela grandiosidade e seus sete dias de folia, o destino mantém, durante todo o ano, o espírito perfeito para quem quer sair da rotina. Festas, belezas naturais e históricas, além de uma cultura efervescente são os resultados da colcha de retalhos que deu origem à cidade - colonizada especialmente por portugueses e descendentes de escravos. Sendo assim, quem visita a capital baiana pode optar por programas variados: pegar uma praia, fazer um passeio histórico, realizar compras ou curtir bons restaurantes. Na cidade convivem pacificamente o catolicismo e o candomblé, que se apresentam lado a lado nas manifestações religiosas que ocorrem durante todo o ano. A lenda diz que Salvador tem 365 igrejas, ou seja, uma para cada dia. Ao mesmo tempo, abriga alguns dos terreiros de candomblé mais famosos do mundo, como o Gantois. A gastronomia também é influenciada pela

origem africana da cidade e traz à mesa as cores e os cheiros do acarajé, moquecas e ensopados. Os casarões históricos merecem um tempo para observação. O Pelourinho, Patrimônio Histórico da Humanidade reconhecido pelo Unesco, reúne centenas de casas históricas, que inclusive foram repaginadas e passaram a dar um colorido a mais ao cenário. O zumbido no ouvido, do berimbau, anuncia a chegada ao Pelourinho, palco dos Filhos de Gandhy e Olodum. O visual é todo colorido e abriga a Fundação Casa de Jorge Amado, o Museu da Cidade e a Igreja de São Francisco. Por suas ruas de pedra é possível entrar em contato com a história da cidade e do Brasil, que teve a escravidão como um dos pilares do início do seu desenvolvimento. Em cada uma das ruelas do bairro, artistas e populares mostram um pouco da criatividade e talento do povo baiano. A orla traz opções de divertimento, seja em uma barraca na beira da praia, seja nos restaurantes

instalados na Marina da cidade - que proporcionam belos cartões postais. A praia mais famosa é o Porto da Barra, no bairro da Barra, que atrai moradores e turistas em busca de um banho de mar calmo e de água quente. A imagem do Farol da Barra talvez seja, ao lado do Elevador Lacerda, uma das mais conhecidas em Salvador. Responsável pela ligação entre a Cidade Baixa, na Praia Cayru, e a Cidade Alta, na Praia Tomé de Souza, o Elevador Lacerda não se transformou em cartão-postal da cidade à toa: oferece a vista panorâmica da Baía de Todos os Santos com seus 72 metros de altura. Outro ponto muito conhecido da capital baiana é o Mercado Modelo, onde o turista pode comprar souvenires, experimentar a comida típica feita pelas baianas ou explorar os túneis do subsolo que serviram para armazenar vinhos ou para guardar os escravos recém-chegados da África na época do Brasil-Império. O Dique do Tororó, morada de Oxum, orixá da água doce, com visitas regulares dos adeptos do candomblé, também encanta. Tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o lago possui 110 mil metros quadrados de espelho d’água e uma área de 25 mil metros quadrados no entorno. Em 1998 passou por uma grande reurbanização e ganhou equipamentos de lazer e esporte, anfiteatro, restaurantes e 12 esculturas de orixás. Depois de visitar os Palácios Rio Branco e da Aclimação, o Conjunto da Santa Casa de Misericórdia, as Praças da Sé e Castro Alves e suas tantas construções, a parada obrigatória ao turista que visita Salvador é a Igreja Nosso Senhor do Bonfim. A tradicional lavagem da escadaria acontece toda segunda semana de janeiro, mostrando ao mundo a fé na cura de doenças. Não deixe de comprar a famosa fitinha do Bonfim, vendida em diversas cores, cada uma simbolizando um Orixá, além de souvenir, é um amuleto típico. Na tradição popular, a fita é enrolada no pulso e fixada com três nós. A cada nó se faz um pedido, que deve ser mantido em segredo até a fita se romper por desgaste natural.

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Bahia

15


Fotos: Governo BA

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

ARREDORES

16

Chapada da Diamantina, Morro de São Paulo e Trancoso

CHAPADA DA DIAMANTINA Ideal para Ecoturismo A Chapada Diamantina é um dos principais pontos de Turismo ecológico no Brasil. Situa-se no interior da Bahia, a 427km do litoral (Salvador). No Parque Nacional Chapada da Diamantina, que compreende parte dos territórios de Lençóis, Mucugê, Palmeiras, Itaitê e Ibicoara, os passeios não se limitam às trilhas, mas das longas distâncias não há como escapar. Para chegar ao azulado poço Encantado, em Itaité, o visitante enfrenta 145 km de carro em uma estrada esburacada. É preciso chegar cedo para não perder o raio que acentua a coloração da água. A caverna Torrinha é outra atração imperdível. Distante 64 km, é considerada uma das mais completas do Brasil devido à riqueza e diversidade de seus espeleotemas. A 1.120

metros de altitude, o morro do Pai Inácio sintetiza a beleza da região e o que ela representa. A imagem da serra do Sincorá, em especial no pôr-do-sol, é uma das melhores que se pode levar da Chapada Diamantina. MORRO DE SÃO PAULO Um paraíso com praias semi-desertas Entre os destinos mais cobiçados da Costa do Dendê, a cosmopolita Morro de São Paulo fica na Ilha de Tinharé, a 248 quilômetros de Salvador. Para chegar lá é preciso pegar um catamarã ou um avião na capital baiana, ou então ir de carro ou ônibus até Valença e dali seguir em um barco ou uma lancha. Morro de São Paulo reúne algumas das mais belas paisagens da Bahia. Sabe aqueles lugares especiais que um belo dia a gente encontra? Praias semi-desertas, coqueirais à beira-mar, águas cristalinas e areia branquinha. Esta combinação da natureza tornou Morro de São Paulo um dos destinos mais conhecidos e procurados por turistas do mundo todo. Aos que já visitaram e conhecem o lugar, ficou a recordação deste pequeno pedaço do paraíso. COSTA DO DESCOBRIMENTO Guardiã de um tesouro valioso Nossa raiz e cultura com forte influência indígena e a beleza paisagística estão aqui conservados num maravilhoso cofre natural aberto ao mundo, guardando a memória da rica história do Brasil e deixando o visitante bem próximo da paisagem, quase intocada, que encantou os europeus em 1500 e que continua encantando a todos que passam por aqui até hoje. Localizada no sul da Bahia, é composta pelos municípios de Belmonte, Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro e ainda inclui destaques como Arraial d´Ajuda, Trancoso, Caraiva e o Monte Pascoal. Possui 150 km das praias mais bonitas da Bahia com águas calmas e mornas, abençoadas pelo sol e envoltas pela biodiversidade da Mata Atlântica, falésias, piscinas naturais, parques municipais marinhos, parques nacionais e quilômetros de areias desertas, interrompidas somente por alguns dos empreendimentos turísticos mais modernos do país.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

17


Hugo Acioly

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Pernambuco

18

Recife reúne praia, cultura e muitas histórias Escolhida entre as cidades que receberão jogos da Copa das Confederações, em 2013, e da Copa do Mundo Fifa, em 2014, Recife não é só conhecida por ser a capital do frevo. A praia da Boa Viagem reserva aos visitantes momentos de tranquilidade e beleza, ela foi reformada recentemente e agora apresenta novo calçadão e sistema de iluminação. São nove quilômetros de praia, com opção de aproveitar um passeio de catamarã, assim como as piscinas naturais próximas à orla. Os rios Capibaribe e Beberibe são outros atrativos da cidade. A arquitetura de Recife, marcada por avenidas à beira rio e belas pontes, esconde nos prédios históricos do centro - casarões, palácios e praças -, histórias para seus visitantes. O passeio pode ser feito durante o dia ou à noite. Sob a lua, o clima é mais romântico, com todo o conjunto arquitetônico iluminado, o Marco Zero merece atenção. Entre os seus principais atributos estão a efervescência cultural, rica gastronomia e, claro, natureza. O roteiro cultural por Recife também inclui visita à Oficina Francisco Brennand. Lá, estão expostas esculturas inspiradas em figuras mitológicas e literárias. Há ainda pinturas e painéis de azulejos do artista e um jardim todo projetado por Burle Marx, com lagos e fontes. Outra dica é uma visita à Capela Dourada, que conta com teto e paredes repletas de pinturas sacras. O próprio Recife Antigo é um passeio imperdível. A invasão holandesa no século 17 marca as fachadas coloridas dos casarios. Para os que preferirem um contato maior com a natureza, Recife traz como atrativos o Parque Dois Irmãos, as trilhas ecológicas do Jardim Botânico, o parque da Jaqueira e o mais novo deles, o Parque Dona Zilu, que fica em Boa Viagem e foi projetado por Oscar Niemeyer.

Artesanato no Mercado São José e o Parque das Esculturas, no Marco Zero


OLINDA Cidade com história e beleza Localizada a menos de 10 quilômetros da capital do estado, Recife, a cidade de Olinda reserva

aos turistas uma rica história. No Carnaval, suas ladeiras se transformam em um mar de cores durante os quatro dias de folia. Com o título de Patrimônio Mundial da Humanidade, Olinda foi a primeira capital de Pernambuco e é berço da cultura brasileira, com pura beleza e arte nas ruas de seu sítio histórico. Olinda também tem na Caixa D’Água, construída em 1934, localizada no Alto da Sé, um dos principais pontos turísticos da cidade. Em 2011, foi instalado um elevador panorâmico e o local foi transformado num mirante, que permite ao visitante uma vista de 360 graus tanto de Olinda quanto de Recife. A cidade é rodeada por igrejas barrocas repletas de talhas douradas e azulejos portugueses. O Mosteiro de São Bento é um dos pontos turísticos. Ela conta com um quadro de São Sebastião do Século 16, doado pelo Vaticano. FERNANDO DE NORONHA Um paraíso preservado O arquipélago de Fernando de Noronha está localizado a 545 quilômetros da costa pernambucana, e possui um conjunto de 21 ilhas. O destino é Patrimônio Natural da Humanidade, sob controle de organismos ambientais que garantem sua pre-

servação. Suas praias são distribuídas entre “mar de dentro” e “mar de fora”. O primeiro, virado para o Brasil, possui nove praias e três baías, com mar tranquilo e protegido dos ventos. O segundo é o voltado para a África, com duas praias, uma enseada e uma baía, de águas mais agitadas e imensos aquários. As veredas são uma boa forma para conhecer as belezas do destino. As trilhas localizadas dentro da Área de Preservação Ambiental de Fernando de Noronha, diferente das que fazem parte do Parque Nacional Marinho, são de acesso livre. Uma delas é a que leva ao Mirante dos Golfinhos, com 1 km de extensão e passagem g por mata nativa.

ARREDORES

Casario histório na Ladeira da Misericórdia, em Olinda e pôr do sol inigualável de Fernando de Noronha. Logo acima, as piscinas naturais de Porto de Galinhas

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

PORTO DE GALINHAS Repleta de piscinas naturais Conhecida pelas belas praias e dezenas de piscinas naturais, que permitem ao turista aproveitar os banhos num mar tranquilo e de água morna, Porto de Galinhas é mais famosa do que a cidade que a abriga, Ipojuca. Responsável pelo litoral mais extenso de Pernambuco, com 32 km de praias de areia branca e batida, repletas de coqueiros e afastadas do burburinho urbano. Entre as praias próximas a de Porto de Galinhas, está Maracaípe, o paraíso dos surfistas. Com grandes ondas, ela recebe as mais importantes competições do Nordeste e atrai praticantes de esportes como windsurf e parapente. O Manguezal de Maracaípe é o principal habitat de algumas espécies de cavalos marinhos. A trilha Maracaípe/Outeiro, a partir da Praia de Maracaípe, em Mata Atlântica e manguezal (trilha dos escravos), passa pela prainha e pontos históricos, como a antiga casa de farinha.

19


20 Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

21


Ceará

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Fortaleza: praias, cultura e gastronomia Com aproximadamente 25 km de praias urbanas, Fortaleza possui belas praias, com vento suave. A capital cearense é destino certo para quem deseja conhecer uma das mais belas capitais do país, em um cenário impressionante. A Praia do Futuro é a preferida para banhos e mergulhos. Ela se destaca por ter águas mais limpas; os fortes ventos provocam ondas mais altas – indicadas para a prática do surf e windsurf, mas requer atenção redobrada de banhistas, especialmente crianças. Imortalizada no romance de José de Alencar, a história de Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel, é ponto obrigatório para os viajantes que vão a Fortaleza. Ao entardecer, moradores locais e visitantes começam a rumar para Iracema em busca das diversas opções de restaurantes e diversão noturna; as ruas ficam tomadas até o amanhecer.

A cidade reserva outros atrativos além das praias. O Teatro José de Alencar, inaugurado em 1910, no momento em que a capital passava por seu período de urbanização, apresenta uma pauta de atividades diversificada, que inclui além de espetáculos de dramaturgia, atividades sócio-culturais na cidade. Já o Centro Cultural Dragão do Mar, construído pelo governo, se transformou num dos maiores centros de cultura e gastronomia no país. A antiga Ponte dos Ingleses foi reconstruída, ganhou lojas e outros serviços, e se transformou também num dos pontos mais procurados pelos turistas. Um bom local para comer por preços mais populares é a área na entrada da Ponte dos Ingleses; além de restaurantes populares, encontram-se várias barracas vendendo lanche, pizzas e petiscos locais (tapioca, milho cozido,

entre outros). Há também restaurantes mais refinados à beira mar, onde o camarão, lagosta e peixe de vários tipos dominam o cardápio. A Catedral de Fortaleza é outro ponto turístico obrigatório. Com torres de 75 metros de altura, e uma arquitetura predominantemente gótica e romântica, a catedral levou quase 40 anos para ter suas obras concluídas. Sua área de três mil metros quadrados, e torres de 75 metros de altura, garantiram à igreja o título de a segunda maior catedral do Brasil, e a décima do mundo. Já o Farol do Mucuripe é uma construção mais antiga, do ano de 1840. Após ser desativado, tornou-se sede do Museu Jangadeiro, que abriga acervo dos principais momentos que marcaram Fortaleza, com fotos, documentos, ilustrações e também trechos de romances.

22

Beleza no litoral urbano de Fortaleza


ARACATI Reserva bela paisagem em Canoa Quebrada Uma das praias mais famosas do Ceará, Canoa Quebrada faz parte do município de Aracati, sendo um dos principais destinos turísticos do estado. A praia foi descoberta na década de 70 pelos hippies, que abrigava uma simples vila de pescadores. As belezas naturais, a noite agitada e

ARREDORES o clima místico formaram uma combinação que atrai os visitantes. Comum na região, os ventos fortes são ideais para a prática de esporte, no local, existe uma escolinha de kitesurf que oferece aulas para principiantes. Outra alternativa é o passeio de buggy pelas dunas. Em Aracati, a 13 km da praia, os turistas podem conferir um patrimônio arquitetônico tombado, com casas que preservam os azulejos portugueses do Século 18. Outro passeio próximo é a Praia da Lagoa do Mato, santuário natural quase intocado que mantém os costumes da vila dos pescadores. Quixaba e Retirinho são outras praias próximas à Canoa Quebrada que merecem ser visitadas. JERICOACOARA Entre as praias mais bonitas do mundo Já eleita pelo jornal americano The New York Times, como uma das dez praias mais bonitas do planeta, Jericoacoara tem como ícone natural a Pedra Furada. A cidade é conhecida também

Dunas em Jericoacoara

por sua áurea mística. Contudo é na beleza natural que atrai viajantes de todas as partes do mundo. A prática de esportes ao ar livre é um dos destaques. Os amantes do windsurf têm espaço garantido pelo bom vento, onde também se pratica o surf, sandboard, rally e trekking. Na Praia da Taíba, acontece anualmente o Festival de Escargot, ocasião em que todos os restaurantes do local oferecem uma variedade de pratos feitos com este sofisticado ingrediente. Nos fins de semana com lua cheia, a atração fica por conta do Assado de Peixe, feito em forma de churrasco na praia.

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

CAMOCIM Tem nos mangues e dunas móveis seu charme Conhecida antigamente por ser uma cidade portuária, Camocim atualmente participa da economia cearense como um dos principais polos pesqueiros do estado. A cidade está localizada a 379 km de Fortaleza. Uma das belezas da cidade é a preservação arquitetônica de fachadas de antigas construções. Tendo como área de lazer a margem do Rio Coreaú, o turista que vai ao município não pode deixar de apreciar o ambiente de mangue fazendo a travessia de barco para a Ilha do Amor, com a possibilidade de aventuras na outra margem do rio. Na Barra dos Remédios os visitantes conferem uma das mais altas dunas do Ceará. O local é dominado por dunas móveis que modificam o ambiente, proporcionando surpresas a cada reencontro com o lugar. É importante não se esquecer de visitar os Lagos do Boqueirão, da Torta, e Seco. Destaque também para as manifestações folclóricas e o artesanato.

23


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

São Luís: 400 anos de cultura, história, ritmos e sabores

24

Há muito para se fazer em São Luís. E um bom começo pode ser um passeio pelo Centro Histórico, aliás, obrigatório. Entre ruas de pedra, praças, becos e escadarias, há muito para se ver: casarões azulejados, mirantes, portais, sacadas, igrejas, fontes e monumentos. Somando-se os tombamentos federais e estaduais, são cerca de 3.500 edificações dos períodos colonial e imperial, entre sobrados, palácios, igrejas e casas em diferentes estados de conservação. A Rua Portugal, no bairro Praia Grande, antiga zona portuária, costuma ser ponto de partida dos turistas por abrigar edificações que podem ser admiradas de longe e também visitadas por dentro, como a Casa de Nhozinho e o Museu de Artes Visuais. Dobrando a esquina, está o mercado Casa das Tulhas, na Rua da Estrela. Nos arredores do Centro Histórico, o Palácio dos Leões, sede do governo estadual, ajuda a contar a história das disputas europeias pela antiga colônia portuguesa. A fortaleza foi erguida pelos franceses em 1612, e vem daí o nome da cidade então fundada, em reverência ao rei-menino Luís 13. Três anos depois, com a rendição e expulsão dos franceses, o palácio foi ocupado pelos portugueses, que em 1620 fizeram desembarcar em São Luís cerca de 200 casais de açorianos. Para quem não dispensa festa, junho é de longe o mês mais animado na capital do Maranhão. Tempo de quadrilha e Bumba-Meu-Boi, de tambor de crioula e arraial. É quando acontecem os festejos em homenagem a Santo Antônio, São João, São Pedro e São Marçal, e a bela São Luís se torna uma alegria só. Uma das festas mais bonitas é o Bumba-Meu-Boi, sinônimo de festa junina, em junho e julho. Ao longo do ano, comunidades inteiras se envolvem na confecção dos figurinos, adereços, bandeiras, na composição de letras e músicas. Existem grupos de “boi” adultos e também a graciosa versão mirim, em que crianças equilibram almofadas sob as vestes para interpretar a Catirina grávida, aquela que faz o marido matar o boi predileto do patrão para realizar o seu desejo. Em São Luís, a festa do “boi” tem a complexidade dos diversos sotaques, os ritmos de zabumba, matraca ou orquestra, e uma infinidade de cores e brilhos. Museus como Casa do Maranhão, Cafua das Mercês e Centro de Cultura Popular oferecem aos

Maranhão

Casario colonial em duas ruas emblemáticas da capital do Maranhão: a Rua do Giz e a Rua Portugal

visitantes a oportunidade de conhecer melhor a história das festas e rituais. Em junho e julho - alta temporada - dezenas de grupos de “boi” se apresentam no Centro Histórico e nos bairros, circundados por barracas de comidas típicas como tapioca, arroz-de-cuxá, torta de camarão e doce de bacuri. Se o visitante prefere natureza, basta lembrar que está numa ilha, cercada de belas praias. Ponta d’Areia, Calhau, Olho d’Água, e Araçagy são algumas opções. Comer bem é outra ótima pedida no polo

de São Luís, onde se pode experimentar de quase tudo que a exótica gastronomia maranhense oferece, com destaque para o peixe frito com arroz-de-cuxá. Antes do reggae noturno, um lugar convidativo para apreciar o pôr-do-sol é a Praça Gonçalves Dias, também chamada Largo dos Amores. O poeta homenageado nasceu no interior do Maranhão, em Caxias, e morreu no mar. Ele tinha apenas 20 anos quando escreveu os famosos versos da “Canção do Exílio”: “Minha terra tem palmeiras,/ Onde canta o sabiá;/ As aves que aqui gorjeiam,/ Não gorjeiam como lá”. No monumento, Gonçalves Dias está de casaca, sob o sol e sobre uma palmeira, como que pairando acima da cidade. A praça tem vários planos em declive e se debruça para a vista do Rio Anil, rota de pescadores em embarcações a vela. Olhando à direita surge a Baía de São Marcos, de onde partem os passeios para a cidade histórica de Alcântara. E por falar em arredores, vale a pena fazer a viagem na época das lagoas cheias nos Lençóis Maranhenses. Em geral, a temporada de chuvas do primeiro semestre enche as lagoas sobre as dunas de maio a outubro. Se o tempo for curto, agências locais fazem os passeios de bate-e-volta de São Luís para Barreirinhas, principal porta de entrada para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.


BARREIRINHAS Lençóis Maranhenses: beleza surrealista Surrealista, a paisagem dos Lençóis Maranhenses não segue nenhuma lógica. É um “deserto” entrecortado por lagoas de água doce, que secam por alguns meses e ressurgem na estação chuvosa. Nelas, misteriosamente, peixes, crustáceos e tartaruguinhas verdes reaparecem como se nunca tivessem saído dali. Nos Lençóis, a estação chuvosa vai de janeiro a junho. É nesta época que as lagoas renascem, e os rios, mais cheios, voltam a ser navegados com voadeiras (barcos) e a trazer sustento para os moradores da região, que vivem da pesca neste período. Na seca, o número de lagoas diminui e elas ficam menos caudalosas, mas encantam da mesma

forma por sua beleza e pelo contraste de cores que expõem. Aliado a esse encanto, o sol contínuo e a temperatura agradável da água são a combinação perfeita para os banhos. O portão de entrada dos Lençóis é a simpática cidade de Barreirinhas, às margens do Rio Preguiças. ALCÂNTARA Cidade mostra o Maranhão histórico No norte do Brasil, uma pequena cidade une as praias de uma baía do Oceano Atlântico a uma carga histórica sem igual. Alcântara, povoada por índios, controlada por franceses e construída por portugueses, é um destino certo para quem está no Maranhão. A Praça da Matriz fica na parte mais alta da cidade, reservada para os prédios públicos, igrejas e grandes sobrados. É ali que fica a monumental ruína da igreja matriz de São Matias, erguida por volta de 1648. À sua frente, estão o pelourinho e a Casa de Câmara e Cadeia, um dos edifícios mais antigos da cidade e onde hoje funciona a sede da prefeitura. Para um mergulho no passado, o Museu Histórico de Alcântara recria a estrutura das casas no período colonial, com móveis, louças e peças de arte. A fachada ainda é toda decorada com azulejos portugueses. Em 2002, cerca de duas mil peças de mobiliário e louças doadas por D. Pedro II chegaram à cidade para serem expostas.

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

RIO PREGUIÇAS Um pouco da Amazônia no Maranhão O passeio de voadeira pelo Rio Preguiças também é uma ótima pedida, já que ele não custa tão caro e funciona como um dia de descanso, uma vez que o turista não precisa fazer nenhum esforço físico, é só relaxar no barco e aproveitar o passeio. A paisagem é incrível, o rio é muito bonito, com uma mata extensa. O guia vai explicando sobre as espécies de plantas do local e entra em alguns corredores que chamam de igarapés, onde açaís e buritis completam a incrível paisagem. A primeira parada é no Povoado de Vassouras, onde existe uma infraestrutura de alimentação e você se depara com a parte mais legal de todo o passeio: no fundo dos restaurantes, macacos interagem com os turistas e viram a grande atração, além do que, ali se pode caminhar pelos Pequenos Lençóis, uma

miniatura dos Grandes Lençóis. Depois o barco segue para o Povoado de Mandacaru, com uma rápida parada para subir os 160 degraus do Farol Preguiças, o esforço é compensado pela bela paisagem de toda a região. A última parte do passeio é em Caburé com uma longa parada para almoçar e curtir a praia onde também se pode alugar um quadriciclo. Quem quiser pode conversar com o barqueiro e, pagando mais um pouco, ele te leva até a Foz do Preguiças para conhecer o Povoado de Atins.

25


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Fotos: Setur/RJ

Arcos da Lapa, Pão de Açucar e Cristo Redentor, monumentos do Rio de Janeiro

26

Rio de Janeiro Cidade Maravilhosa se destaca no verão brasileiro O Rio de Janeiro é uma cidade mundialmente conhecida por suas belezas naturais. E, ao falarmos de verão, as praias ganham destaque central no cenário: são o principal fator na decisão dos turistas que desejam conhecer o Brasil nesta época. Praias como: Ipanema, Copacabana e Leblon são as mais visitadas pelos turistas. A Praia de Copacabana é uma das mais conhecidas do Rio de Janeiro, mas não somente em função de sua areia clara e fina, e do mar. É o calçadão, cuja imagem já virou até mesmo estampa de roupas de grife, que chama a atenção do turista. Além disso, a orla possui uma boa infraestrutura de quiosques, patrulhamento, serviço de salva-vidas, duchas,

banheiros e ciclovias. Também é nesta praia que são realizados importantes eventos da cidade, como campeonatos de futebol de areia, vôlei de praia, e, principalmente, a festa de Réveillon, realizada nesta praia todos os anos. Assim como a praia de Copacabana se tornou mais famosa por causa de seu calçadão do que pelas suas águas, a história se repete com a praia de Ipanema, conhecida no mundo inteiro por causa da canção escrita por Vinícius de Moares “Garota de Ipanema”, que ganhou vida na voz de Tom Jobim. Além disso, Ipanema é o ponto de encontro dos cariocas e de turistas, que nas areias praticam diversos esportes, como futebol, futevôlei e vôlei. Em suas águas, os mais praticados são skiboard e

surfe. A praia possui 2,6 quilômetros de extensão e tem na praia do Leblon seu complemento. E é exatamente no canal que divide o bairro do Leblon que acontecem diversos shows ao vivo. Como continuação da Praia de Ipanema, a praia do Leblon apresenta características parecidas. Com quiosques, bares, restaurantes e hotéis em sua orla, a praia apresenta ótima infraestrutura. Além de águas azuladas ótimas para a prática do surfe. Outro lugar interessante para visitar é o Mirante do Leblon, de onde é possível ver as Pedras do Arpoador, o Cristo Redentor, e uma linda vista do bairro. A caminhada vale a pena e, no caminho, a dica é parar para tomar uma água de coco deliciosa!


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

27


Lagoa Azul, em Angra dos Reis; Ferradurinha, em Búzios; e Praia do Forno, em Arraial do Cabo

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Prefeitura

28

ARREDORES Prefeitura

ANGRA DOS REIS Um destino repleto de ilhas exuberantes Distante 166 quilômetros da capital carioca, no litoral sul do Rio de Janeiro, Angra dos Reis guarda uma riqueza histórica, com lendas envolvendo piratas, navios fantasmas e naufrágios e muitas, muitas belezas naturais. Oito baías, 365 ilhas e duas mil praias. Que outro lugar reserva tantas opções para o viajante? A combinação do verde da Mata Atlântica com as areias claras, o mar calmo (de grande parte das praias e ilhas) e suas águas esverdeadas fazem de Angra dos Reis um dos destinos mais procurados do litoral do Rio. As águas calmas das praias do continente e ilhas próximas são devido à proteção oferecida pelas ilhas Grande e Gipoia, as maiores de Angra dos Reis. A Ilha Grande, destino que merece alguns dias de sua estadia na região, é um “assunto” à parte. Fica à uma hora e meia de barco do continente e concentra 106 praias (muitas delas semi-selvagens), várias vilas e histórias de piratas. Nela, estão as ruínas do Instituto Penal Cândido Mendes, antigo presídio de presos políticos da época da ditadura. ARRAIAL DO CABO Lugar perfeito para a prática de mergulho Arraial do Cabo está localizado a 180 km da cidade do Rio de Janeiro, em uma região privilegiada pela natureza. Seus 35 km de praias são ótimos para banhos, para a prática de mergulho e esportes náuticos em geral. Seu mar, lajes e ilhas são ótimos para pesca, inclusive

alimentar dos animais microscópicos, que por sua vez, alimentam outros animais maiores.

a submarina, com grande variedade de peixes. Cerca de 60% de sua população vive da pesca. A riqueza da fauna e flora marinhas da região é explicada pelo fenômeno da “Ressurgência”, que consiste no afloramento das águas das correntes frias profundas originárias do Polo Sul, ricas em nutrientes que integram a cadeia Prefeitura

BÚZIOS Cosmopolita de natureza exuberante Destino mais cobiçado da Região dos Lagos, Búzios vai além das belezas naturais, dignas de cartão postal. Incluída no mapa do jet set internacional na década de 60, depois de uma visita da atriz francesa Brigitte Bardot, a antiga vila de pescadores abriga restaurantes e pousadas sofisticadas, boates e bares descolados e um comércio repleto de lojas de grife. Cosmopolita, recebe turistas do mundo todo o ano inteiro - e muitos acabam ficando por lá. O balneário tem cerca de vinte praias, cada uma com estilo próprio. Os adeptos dos esportes náutico, como wind e kitesurf, fazem a festa nas praias Rasa e de Manguinhos por conta dos bons ventos. Búzios é famosa também por sua noite badalada, que começa na Rua das Pedras e se estende até à Orla Bardot, ambas com restaurantes, bares, música e agito para todos os gostos. O movimento, entretanto, não decola antes de 1h da madrugada, especialmente no verão e nos feriados. Aproveite para curtir um jantar a dois no belo Porto da Barra, um complexo gastronômico na praia de Manguinhos.


Celso Santa Rosa

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Minas Gerais Natureza, arquitetura arrojada e boemia em Belo Horizonte Belo Horizonte, uma das maiores metrópoles do Brasil, tem em sua localização, cercada por muitas montanhas, um clima de intenso contato com a natureza. O astral boêmio é também uma das características do lugar, a cidade é conhecida como a “capital nacional do boteco”, uma vez que conta com mais bares per capita do que qualquer outra grande cidade brasileira. Outro atrativo do destino é a arquitetura, com uma série de obras de Oscar Niemeyer. A cidade conta com um dos maiores parques urbanos da América Latina. Trata-se do Parque das Mangabeiras, localizado no pé da Serra do Curral, que conta com 2,8 milhões de metros

quadrados e 21 nascentes do Córrego da Serra. Ele integra a bacia do Rio São Francisco que corta boa parte do país, sendo um dos principais cursos d’água da América do Sul. Outra atração do parque é a fauna, que diverte turistas e moradores. São 28 espécies de mamíferos, 160 de aves, 20 de répteis e 19 de anfíbios. Um passeio pelo lugar é indispensável! Outra dica de passeio ao ar livre é o Parque Ecológico da Pampulha. São 300 mil m² de muito verde, além de um espelho d’água artificial e um museu em homenagem aos 100 anos da imigração japonesa para o Brasil. Não muito longe está um dos maiores tesouros de Belo

Horizonte, conhecido como Conjunto Arquitetônico da Pampulha, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Está ali uma série de edifícios em volta de um lago artificial. O principal destaque é a Igreja São Francisco de Assis, um belíssimo monumento que conta ainda com 14 obras de Cândido Portinari em seu interior. Não pode faltar um passeio pela Praça da Liberdade, que foi construída na época da fundação da cidade e é um dos símbolos de Belo Horizonte. Rodeada por árvores e fontes, ela tem uma paisagem única e está localizada na região da Savassi. E é justamente nesta região que está o ponto com maior vida noturna do destino.

29

Marcelo Rosa

Parque das Mangabeiras e Lago da Pampulha com a Igreja São Francisco de Assis


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Igreja de São Francisco, em Ouro Preto. Arte e natureza no Museu de Inhotim. Esportes em meio à natureza exuberante da Serra do Cipó

30

SERRA DO CIPÓ Perfeita para quem busca ecoturismo A Serra do Cipó está localizada a cerca de 90 quilômetros de Belo Horizonte e tem como principal atrativo o ecoturismo. É formada por rios, cachoeiras e campos, com um relevo acidentado, além de vegetação marcada pela biodiversidade, com campos rupestres, campos de altitude, cerrados e Mata Atlântica. O acesso é fácil, pois a estrada que liga a capital mineira a este paraíso é asfaltada e bem sinalizada. São 34 mil quilômetros quadrados de área de preservação e um dos principais motivos de ser tão procurada pelos turistas é a possibilidade de contato direto com a natureza, com cânions e cavernas arqueológicas com inscrições rupestres. Entre os destaques está a Cachoeira da Farofa,

O paisagismo teve a influência inicial de Burle Marx e em toda a extensão são encontradas espécies vegetais raras. O seu acervo abriga mais de 500 obras, de 100 artistas, de 30 nacionalidades diferentes. Pintura, escultura, desenho, fotografia, vídeo e instalações de renomados artistas brasileiros e internacionais são exibidos em galerias espalhadas pelo Jardim Botânico. A área total do Jardim Botânico Inhotim está distribuída em seus dois principais acervos: Reserva Natural, com 300 hectares de mata nativa conservada, e área de visitação, com 100 hectares de jardins de coleções botânicas e cinco lagos ornamentais que somam 3,5 hectares.

que possui uma queda de 80 metros, sendo 40 metros de queda livre. O poço conta com cerca de 80 m², com pontos que chegam a cinco metros de profundidade. Entre os imperdíveis há ainda o Poço Azul e a Cachoeira da Caverna. Entre os esportes de aventura que podem ser praticados estão caiaque, canoagem, escalada, rapel, tirolesa e outros. INHOTIM Arte e natureza em harmonia Inhotim é um lugar onde a arte convive em relação única com a natureza. Situado em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, o destino ocupa uma área de jardins botânicos com uma extensa coleção de espécies tropicais e um acervo artístico de relevância internacional. Acervo Circuito Serra do Cipó

CIDADES HISTÓRICAS Reunião de acervos artísticos e arquitetônicos A história de Minas Gerais se confunde com os principais momentos do Brasil. A escravidão, o ciclo do ouro e a independência. Além disso, conta com um riquíssimo acervo artístico e arquitetônico que passa pelas suas ruas, casas e igrejas. Boa parte desses atrativos pode ser encontrada nas Cidades Históricas de Minas Gerais. Uma visita às cidades de Congonhas, Diamantina, Mariana, Ouro Preto, Sabará, São João Del Rei e Tiradentes é também uma viagem pela história e pela cultura do país. A mais famosa delas é Ouro Preto, localizada a aproximadamente duas horas da capital mineira, abriga uma universidade federal e conta com muitos estudantes, que dão um astral diferenciado à cidade. Foi lá que aconteceram alguns dos principais movimentos políticos do Brasil, entre eles a Inconfidência Mineira, que tinha como objetivo a independência do país. O destino também é famoso pelo seu Carnaval de rua, que além dos estudantes da cidade, conta com turistas de diversos lugares do Brasil e do mundo.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

31


Espírito Santo Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Belezas naturais e rica cultura de Vitória

Moqueca Capixaba, ícone gastronômico do estado. Vista noturna do Centro de Vitória. Beleza arquitetônica do Palácio Anchieta e lazer em Camburi

32

Uma das cidades do Brasil que mais cresce economicamente e mais investe em melhorias, tanto para o bem-estar da comunidade quanto para melhor receber seus visitantes, é Vitória, capital do Espírito Santo. A cidade é uma ilha (aterrada com areia tirada do mar, ligada ao continente por meio de sete pontes) que se desenvolve de forma sustentável. Falamos aqui da capital com maior renda per capita e o maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Sudeste brasileiro. A riqueza de Vitória vai além da economia local, reflete nas belezas naturais e arquitetônicas, na história, na preservação dos grupos culturais tradicionais, além das ofertas de aventura e lazer.

Quando a cidade foi fundada oficialmente, em 1551, era chamada pelos índios de Ilha do Mel, graças à beleza, ao clima agradável, à baía de águas viscosas e manguezal. A paisagem que encantou os índios hoje agrada os turistas. Suas praias, aliadas ao clima e ao equilíbrio ecológico, são ideais para a prática de esportes náuticos. Elas têm ajudado também a resgatar a tradição de pesca oceânica no local. A infraestrutura capixaba também não deixa a desejar. Além da oferta de hotéis de alto nível e outros equipamentos que tornam a estadia mais confortável, a cidade recentemente se tornou a primeira capital do Brasil a ter 100% do seu esgoto tratado. Foram in-

vestidos R$ 350 bilhões para que isso fosse possível. A arquitetura também surpreende, um passeio pelo centro da cidade revela prédios belíssimos, que, por sua vez, traduzem a preocupação da cidade com a ocupação ordenada e criativa. Já a gastronomia carrega as raízes da comida autenticamente indígena, mesmo com a forte presença de imigrantes italianos na região. As paneleiras de Goiabeiras, por exemplo, reproduzem há 400 anos o modo de fazer panelas de barro, desenvolvido pelos grupos nativos das Américas antes da chegada de europeus e africanos. Essas panelas são ideais para cozinhar o prato típico da região – a moqueca capixaba.


Weverson Rocio

ARREDORES hotéis e restaurantes à beira mar, é um convite para ficar até mais tarde. Já as praias Ponta da Fruta e a Barra do Jucu reúnem a turma do surf. DOMINGOS MARTINS Aventura e contemplação da natureza A região de montanhas do Espírito Santo abriga cidades de riqueza natural e cultural únicas, a 40 minutos de distância da capital Vitória. Lá, o turista pode desfrutar do aconchego das montanhas com direito a pratos típicos, produtos do agroturismo e, para quem gosta de um pouco mais de emoção, praticar esportes de aventura.

MARECHAL FLORIANO Atrações da Cidade das Orquídeas Com a chegada dos imigrantes alemães e italianos ao Espírito Santo, Marechal Floriano foi o primeiro núcleo de colonização capixaba. Hoje, os centros culturais da cidade, as igrejas e os monumentos resgatam a história desse local de ar bucólico. As paisagens naturais também encantam. Há várias espécies de orquídeas em torno de Marechal Floriano. A beleza dessas orquídeas, inclusive, rendeu à cidade, o apelido de Cidade das Orquídeas. Para entender o motivo da fama, a dica é visitar os dois orquidários do município – Nego Plantas e Florabela Orquídeas. Marechal Floriano possui ainda um importante acervo cultural, com museus, monumentos históricos e antigas estações de trem. Outros lugares que merecem visita são a Cachoeira do Bem-te-vi e a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes.

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

VILA VELHA Passeios históricos e praias Vila Velha é o berço da civilização capixaba. A história do Estado do Espírito Santo começou quando, em 1535, a caravela Glória chegou no local. Trata-se da cidade mais antiga e populosa do Espírito Santo, que mistura belezas naturais, patrimônios históricos, expansão econômica e qualidade de vida. A cidade abriga locais únicos como o Museu Homero Massena, o Convento da Penha, a Gruta Frei Pedro, palácios e o antigo bonde que circulava pelo município no século passado, que está exposto na Casa da Memória e aberto à visitação de segunda a sexta. Para quem gosta de agitação, o lugar ideal é a praia da Costa. Seu calçadão, com ciclovia e quiosques,

Pedra Azul, em Domingos Martins

Uma das cidades da região é Domingos Martins. O município ainda mantém fortes traços de seus antepassados, que podem ser observados na gastronomia, no comportamento, no artesanato e na arquitetura. Uma vez em Domingos Martins, além de apreciar as belezas naturais, o visitante pode praticar diferentes tipos de esportes, como trilhas, rapel nas cachoeiras, passear a cavalo por lindas paisagens e se aventurar de rafting pelas corredeiras do Rio Jucu. O Parque Estadual Pedra Azul, reserva natural com várias trilhas, surpreende com a diversidade de sua fauna e flora.

33


34 Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

35


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Ponte Hercílio Luz e a Praia de Lagoinha do Leste, em Florianópolis

Santa Catarina Florianópolis: “Ilha da Magia” possui muitos encantos

36

Fotos: Epa Machado

Capital do Estado de Santa Catarina, Florianópolis – conhecida também como “Ilha da Magia” – é formada por uma grande ilha oceânica e uma pequena península continental, totalizando 436 quilômetros quadrados. A cidade é uma das três capitais insulares do Brasil. A ilha é ligada ao continente pela ponte pênsil Hercílio Luz, inaugurada em 1926, única do gênero no país, que possui 820 metros de comprimento e entre 20 e 40 metros de altura, e é também considerada cartão postal de Florianópolis. Com um clima subtropical úmido e farta distribuição anual de chuvas, o destino vem se firmando cada vez mais como centro de Turismo, graças às praias Jurerê, Canasvieiras, Ingleses, Armação, Lagoinha do Leste e outras tantas. No total, são 42 praias com um intenso movimento turístico durante o verão, principalmente com turistas argentinos, gaúchos e paulistas. Aproximada-

mente 300 mil pessoas moram na ilha e nos bairros do continente. Durante a temporada de verão, esta população ultrapassa um milhão de pessoas, entre moradores e visitantes. Floripa, como é conhecida pelos turistas, é um dos mais importantes destinos turísticos do Brasil e apontada como a capital com melhor qualidade de vida do país, com o segundo maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) entre todas as mais de cinco mil cidades brasileiras. Além disso, Florianópolis conta ainda com a beleza da Lagoa da Conceição, situada a 13 quilômetros de distância do centro. Chamado de “centrinho da Lagoa” o local tem a maior concentração de bares e casas noturnas da ilha. Durante o dia, as águas da Praia da Lagoa são utilizadas para a prática de esportes náuticos e as praias da Joaquina, Mole e Barra da Lagoa ficam bem próximas. Entre os monumentos

históricos da cidade, destacam-se a casa de Vitor Meireles, os fortes e a catedral metropolitana. O Mercado Público, fundado em 1899, é o ponto mais tradicional da cidade e abriga lojas populares, peixarias, bares e restaurantes onde se reúnem artistas, boêmios e intelectuais, num ambiente informal e pitoresco. Florianópolis é uma cidade de contrastes. Sua face urbana, formada pelo centro, pela região continental e pelos balneários turísticos, vive no ritmo do Século 21. Porém, nas comunidades rurais do interior da ilha e nas pacatas povoações de pescadores à beira-mar, o tempo ainda obedece o vaivém das marés, o passar das estações e as mudanças da lua. Esses contrastes fazem com que Florianópolis tenha um estilo de vida próprio. Quem visita a cidade se apaixona e volta. Esse é mais um dos motivos que fazem dessa cidade um dos principais destinos de Turismo do Brasil.

Infraestrutura turística Em Florianópolis há mais de 100 hotéis de categoria superior ou turística. São 16 mil leitos apenas na rede hoteleira. E existem ainda muitas pousadas, algumas de nível internacional. Ao todo, são aproximadamente 500 meios de hospedagem. A infraestrutura de serviços, entretenimento e lazer é completa, com grandes shoppings, danceterias, bares e centenas de restaurantes. A gastronomia local é baseada em frutos do mar, mas existem restaurantes especializados em todo o tipo de culinária.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

37


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Fotos: J. Machado / Pata da Cobra / Norberto Cidade

Cânion do Rio da Pedra, mergulho em Bombinhas e o Centro Histórico de São Francisco do Sul

38

ARREDORES JACINTO MACHADO Aventura nos cânions O extremo Sul de Santa Catarina é uma grande aventura de beleza natural exuberante. Na divisa com o Rio Grande do Sul, estão localizados os cânions dos Aparados da Serra. Os cortes abruptos nas montanhas são ícones do ecoturismo nacional e atraem turistas que buscam adrenalina em meio à natureza. Passeios pelo interior do município por meio de trilhas seculares dos tropeiros reservam surpresas aos seus visitantes. A diversidade geográfica pode ser vista por todo o Caminho dos Cânions. A cidade de Jacinto Machado é a principal porta de entrada ao Cânion Fortaleza, o maior da região e um dos maiores do Brasil, com 7,5 km de extensão e abismos de 1.157 metros. Suas paredes imensas deixam qualquer um se sentindo minúsculo diante de sua imponência. Em meio às trilhas, cachoeiras enfeitam o cenário. Como é o caso da Cascata Anna Schiratta e a Cachoeira dos Piazza.

BALNEÁRIO CAMBORIÚ Sol, praia e biodiversidade catarinense O litoral catarinense é um dos mais bonitos do Brasil. E a Costa Verde e Mar é uma pequena mostra dessa beleza com dezenas de praias com areias brancas e água transparente. Como por exemplo, Balneário Camboriú, cidade moderna e cosmopolita que garante diversão 24 horas para os mais de um milhão de turistas – sendo que pelo menos 100 mil deles são estrangeiros – que visitam o destino durante a alta temporada. A Praia Central, das Laranjeiras, Taquaras são algumas das opções do destino. Já em Bombinhas, a incrível transparência das águas e a biodiversidade marinha atraem os praticantes de mergulho, que encontram costões para snorkeling e operadoras bem equipadas para o mergulho autônomo. Sua orla, formada por belas praias, ainda oferece boas condições para surfe, vela e esqui aquático.

CAMINHO DOS PRÍNCIPES Cultura e tradição europeia Outra opção para quem visita Santa Catarina é conhecer as tradições cultivadas pelos descendentes dos imigrantes europeus em um passeio pelas cidades que compõem o roteiro Caminho dos Príncipes. A região harmoniza progresso econômico com desenvolvimento humano e conservação da natureza e do patrimônio histórico-cultural. As charmosas paisagens rurais encantam os visitantes. São Francisco do Sul é a terceira cidade mais antiga do Brasil. Seu charme se deve ao casario em estilo colonial português que emoldura as estreitas ruelas do centro histórico, tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Em Jaraguá do Sul, anualmente, cerca de 190 mil pessoas visitam a cidade em busca de atividades de lazer, negócios e esportes radicais. Metade do município está em áreas de topografia acidentada, o que favorece a prática de rapel, canyoning, cascading, trekking, escalada, arvorismo e canoagem.


Paraná

Parque Barigui, uma das muitas áreas verdes de Curitiba

Moderna e cosmopolita, a capital do Paraná, Curitiba, é uma metrópole com 1,6 milhão de habitantes. A cidade é uma das que possui melhor qualidade de vida no Brasil, em função de suas extensas áreas verdes e elevada renda per capita. Abriga uma série de museus, teatros e cinemas que tornam sua vida cultural movimentada e cheia de possibilidades. A gastronomia da capital, formada principalmente por pratos criados por descendentes de imigrantes europeus, também atrai o turista. A cultura é um dos pontos de destaque da capital paranaense, são inúmeros lugares que podem ser visitados para entrar em contato com a história local através de obras de arte. Como o Museu Ferroviário, que foi construído em uma antiga estação e conta

a história ferroviária do estado. O Museu Oscar Niemeyer, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, é considerado o maior e mais moderno do Brasil. Um antigo paiol de pólvora construído em 1906 foi reciclado e transformado no Teatro Paiol em 1971, um símbolo da transformação cultural de Curitiba. Sua inauguração teve batismo do poeta Vinícius de Moraes, que compôs uma música especialmente para a ocasião. Curitiba abriga um dos maiores teatros da América Latina, o Guaíra. Já a Ópera de Arame é um espaço que se integra à natureza do local, ao seu lado, a Pedreira Paulo Leminski é o palco dos grandes acontecimentos culturais e artísticos de Curitiba. Mais adiante, está o Farol das Cidades, bibliotecas comunitá-

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Em Curitiba, modernidade e natureza se encontram

rias que têm o objetivo de diversificar o saber. A Praça Tiradentes possui bustos de alguns dos mais importantes personagens na história do país, como Getúlio Vargas, Marechal Floriano Peixoto e Tiradentes, além de abrigar a Catedral Basílica de Nossa Senhora da Luz, considerada o marco zero da capital. A Rua das Flores é a principal de Curitiba, e em 1972 foi transformada no primeiro calçadão do país, tornando-se o eixo comercial da cidade. Mas a mais movimentada e agitada é a Rua 24 horas, que faz jus ao nome e se consolidou como o ponto de encontro que nunca fecha. Curitiba sem dúvida possui inúmeras belezas que podem ser apreciadas pelos turistas, e a Torre Panorâmica, do alto de seus 109,5 metros de altura, permite uma visão de 360 graus da cidade. O Jardim Botânico, por sua vez, foi criado em 1991 com base nos jardins franceses. Com estufas em metal e vidro, museu botânico e mata nativa, é sem dúvida um dos mais belos. O Passeio Público é o primeiro parque público e o primeiro zoológico de Curitiba. O Memorial Polonês traz um pouco da cultura e da tradição europeia para a cidade. No Bosque Alemão destacam-se a trilha de João e Maria, dos contos dos irmãos Grimm, a Casa Encantada, o Oratório Bach e a Torre dos Filósofos. O Parque Barigui é um dos maiores da cidade, e também um dos preferidos para as caminhadas à beira do lago. O Parque Tanguá é uma área de lazer com grandes espaços verdes, ancoradouro, pista de cooper, ciclovia e um túnel aberto na rocha bruta.

39


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Beleza das Cataratas de Foz do Iguaçu. Trilhas no Parque Estadual Rio da Onça e Pico do Marumbi

40

FOZ DO IGUAÇU Entre em contato com a natureza através das Cataratas do Iguaçu Foz do Iguaçu, localizada a 650 km da capital Curitiba, é um dos maiores expoentes do ecoturismo brasileiro. Somente visitando-a para entender o real significado do conceito “estar em contato com a natureza”. Na cidade, está uma das maiores quedas d’água do planeta, as Cataratas do Iguaçu, com incríveis 275 quedas. De todas, a mais espetacular é a Garganta do Diabo, com 150 metros de largura e 80 metros de altura. Ela marca, inclusive, a divisão entre o Brasil e a Argentina. A melhor época para visitar o local é entre os meses de outubro a abril, quando as chuvas são mais constantes e o volume d’água se torna enorme. Nesta época, as temperaturas passam diariamente dos 33º C. Esteja preparado para encarar o sol forte que faz na região. Nas demais épocas o volume diminui e as temperaturas estão mais generosas. MATINHOS Conheça o local onde a restinga se une à Mata Atlântica O Parque Florestal Rio da Onça fica numa região de restinga a 4 km da área urbana de Matinhos, entre os balneários Riviera e Praia Grande. A restinga é uma área de terreno arenoso, próxima ao

mar, com vegetação baixa de influência marinha. A região do parque é mesclada com a Mata Atlântica, o que torna a visita uma experiência única. São 118 hectares cortados por trilhas em que podem ser observadas espécies diferentes da fauna paranaense como quatis, cachorros-do-mato e veados, e também da flora típica da Mata Atlântica. MORRETES Desvende as belezas da, quase extinta, Floresta Atlântica O Parque Pico do Marumbi, localizado no município de Morretes, possui mais de oito mil hectares de proteção ao ecossistema da Floresta Atlântica, além de belezas naturais em estado primitivo. Para chegar à cidade a dica é ir de trem. São 110 km viajando pela maior área preservada de Mata Atlântica do Brasil e por uma ferrovia com 125 anos de história. O Trem da Serra do Mar Paranaense

parte diariamente de Curitiba rumo à cidade de Morretes e aos domingos chega também em Paranaguá. São aproximadamente três horas de viagem. O Pico do Marumbi é reconhecido pela Unesco desde 1999 como parte integrante do Sítio do Patrimônio Mundial da Natureza, que protege ecossistemas da Floresta Atlântica.

ARREDORES


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

41


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Fotos: Alfonso Abraham / Ivo Gonçalves

Rio Grande do Sul

Praça da Matriz e a Usina do Gasômetro, marcas de Porto Alegre

42

Porto Alegre, multicultural por natureza Fundada em 1772 por casais portugueses açorianos, Porto Alegre é uma cidade rara onde os contrastes e as diferenças são acolhidos e sempre bem-vindos. Multicultural por natureza, terra de grandes escritores, intelectuais, artistas e políticos que marcaram a história do Brasil, além de portugueses, ao longo dos séculos acolheu imigrantes de todo mundo, em particular alemães, italianos, espanhóis, africanos, poloneses e libaneses, entre católicos, judeus, protestantes e muçulmanos, numa grande salada cultural. A capital do Estado do Rio Grande do Sul – metrópole brasileira localizada mais ao sul da América Latina – espalha-se à beira do grande Lago Guaíba e sua topografia é marcada pela ondulação de 40 morros. No lago, um emaranhado de ilhas em frente à cidade forma um arquipélago onde um ecossistema ímpar propicia a presença de uma exuberante vida selvagem. Apesar de importante centro econômico e comercial, os habitantes se orgulham de sua qualidade de vida e da relação íntima e respeitosa com a natureza. A cidade se destaca quando o assunto é programação cultural, entre os principais centros para se curtir essa riqueza e diversidade é a Usina do Gasômetro, que conta com cafés, salas de cinema e espaços culturais, onde são apresentadas palestras, peças de teatro e shows, entre outros tantos eventos. Uma dica é aproveitar o pôr-do-sol do terraço da usina, que possui uma das mais belas vistas de Porto Alegre. Outra atração imperdível é o Theatro São Pedro, o mais antigo da cidade e que hoje está completamente restaurado. Com estilo neoclassico, ele foi inaugurado em 1858. Já a Praça Matriz é considerada um dos pontos turísticos mais

importantes do destino. É o centro cívico, administrativo, religioso e cultural do Estado, com destaque para o monumento a Júlio de Castilhos, o Palácio Farroupilha, Palácio Piratini, a Catedral Metropolitana, o Museu Júlio de Castilhos e o Solar dos Câmara. Quem procura um pouco de verde, pode visitar o Parque Farroupilha, um tradicional ponto de encontro da cidade. A Rua da Praia é outro passeio interessante, porque faz parte da história da cidade e também do Brasil. A rua palco para o desfile das tropas gaúchas que participaram das maiores revoluções do país. Hoje abriga desde instalações comerciais até preciosos patrimônios arquitetônicos e culturais como o Centro Cultural Érico Veríssimo, a Praça da Alfândega, o Museu da Comunicação Social Hipólito José da Costa, a Casa de Cultura Mario Quintana, a Igreja das Dores e o Museu da Brigada Militar. Para quem quer fazer um passeio diferente e não perder nenhum atrativo da cidade, a dica é o city tour Linha Turismo, que oferece uma maneira especial de descobrir e conhecer Porto Alegre. A Linha funciona de terça a domingo e oferece dois roteiros, o Centro Histórico que contempla atrativos históricos e culturais, com destaque para Parque da Redenção, Mercado Público e Fundação Iberê Camargo, com possibilidade de embarque e desembarque em cinco pontos durante o trajeto. E o tour Zona Sul, que destaca em um trajeto sem paradas, as paisagens naturais da cidade, sendo os pontos altos a Praia de Ipanema, algumas propriedades dos Caminhos Rurais e o Santuário Nossa Senhora Mãe de Deus, com uma vista de 360° da cidade.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

43


Fabiano Mazzotti / Prefeitura Municipal

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Rita Souza

Parreirais de Bento Gonçalves, Igreja Matriz de Canela e o Natal Luz de Gramado

ARREDORES

44

Cleiton Thiele/Serra Press

GRAMADO Destino dos sonhos dos brasileiros Gramado é um dos destinos mais desejados do Brasil, que encanta com suas ruas floridas, com os detalhes da arquitetura e hospitalidade. O destino é inesquecível por que possui um interior riquíssimo em paisagens ainda inexploradas, compostas por vales, rios e cachoeiras e cada recanto conta um pouco da história de nossa cidade, preservada pelos descendentes

dos colonizadores alemães e italianos. Em qualquer época do ano os turistas encontram atrativos. Mas é no outono que a cidade ganha aconchego, com lareira e vinho. O Natal Luz é outra época muito procurada, a cidade fica toda iluminada e enfeitada com shows de fogos, som e luzes, além dos emocionantes desfiles. Na cidade também acontece o Festival de Gramado - Cinema Brasileiro e Latino, o maior evento cinematográfico do país, que reúne artistas, produtores, diretores e jornalistas numa semana de muito glamour. BENTO GONÇALVES Berço da vinicultura brasileira Bento Gonçalves é o berço da vitivinicultura do Brasil, sendo hoje reconhecido como a Capital

Brasileira da Uva e do Vinho. O roteiro Vale dos Vinhedos é o primeiro e mais importante destino enoturístico do Brasil, que proporciona ao visitante a contemplação da paisagem vitivinícola e visita às suas estruturas. A Maria Fumaça é diversão garantida para todas as idades. Na estação de Bento, os turistas são recepcionados com uma deliciosa degustação de vinho. Ao soar o sino, todos embarcam nesta viagem repleta de alegria e que traduz o jeito de ser dos imigrantes italianos. São 23 quilômetros percorridos, em uma locomotiva do Século 19, por uma agradável paisagem com duração média de duas horas. Para entreter os passageiros, shows folclóricos e atrações típicas italianas e gaúchas. CANELA Natureza e preservação da natureza Canela é outra cidade com muito charme e tradição. Um dos pontos turísticos mais famosos e visitados do Estado do Rio Grande do Sul é a Catedral de Pedra. Conhecida pelo seu estilo gótico, a Igreja Matriz da cidade, está situada bem no centro de Canela, na Praça da Matriz. Já para quem curte natureza, a dica é visitar o Vale da Ferradura, onde a convivência harmônica com a natureza é um espetáculo à parte. No Parque da Ferradura é possível encontrar animais de pequeno e médio portes e uma grande variedade de aves de extrema beleza e raridade. A área do parque faz parte da bacia hidrográfica do Rio Caí. Nesta bacia, existem 11 Unidades de Conservação municipais e/ ou particulares. Duas delas são estaduais: Parque Estadual do Delta do Jacuí e Parque Estadual do Caracol; e uma federal: Floresta Nacional de Canela. O parque ainda é cortado por quatro trilhas, que apresentam características peculiares: Trilha do Rio Caí, Trilha do Pórtico, Trilha das Cutias e Trilha das Pinguelas.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

45


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Congresso Nacional e a Ponte JK, marcos arquitetônicos de Brasília, passagem obrigatória do Turismo Cívico

46

Distrito Federal Conheça Brasília através de diversos roteiros temáticos Brasília conta com diversos roteiros em áreas como o Turismo religioso, jurídico, esporte e lazer, arte e entretenimento, ecológico, cívico e arquitetônico. Confira algumas delas: Rota Traço Monumental - Oportunidade para apreciar a singularidade, a beleza arquitetônica e a concepção do Plano Urbanístico da cidade. Ela ressalta o caráter monumental da Esplanada dos Ministérios e pontua a Catedral, a Praça dos Três Poderes e a Torre de TV. Rota do Cerrado ao Concreto - Remonta à escolha do sítio até os dias de hoje, com todas as etapas da mudança da capital. O objetivo é construir na mente do visitante a epopeia da mudança da capital e a necessidade da preservação da cidade. Alguns dos atrativos são a Casa Velha do Gama, Ermida Dom Bosco, Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal, Memorial JK, Museu do Catetinho, Museu Vivo da Memória Candanga e Vila Planalto. Rota Cruzeiro Plano Piloto - Objetiva a contemplação e o entendimento do que foi proposto na concepção urbanística da cidade. Trata-se de

um passeio focado no traçado urbanístico de Lucio Costa. Os principais atrativos são o Eixo Auxiliar Norte / Residencial Leste e Oeste, Eixo Monumental, Eixo Rodoviário Sul (Eixão), Entrequadras 307/308 Sul, Esplanada dos Ministérios, Parque Dona Sarah Kubitschek, Praça do Cruzeiro, Praça dos Três Poderes / Espaço Lucio Costa, Estação Rodoviária de Brasília, Setor de Diversões Sul, Setor Hoteleiro Norte, Setor Hoteleiro Sul, “Tesourinha”, Torre de Televisão, W3 Sul – Quadra 515. Rota Brasília Quatro Escalas - Possibilita ao turista sentir, viver e experimentar a organização urbana que permeia a cidade. A rota traduz a significação cultural e estética da arquitetura, como elemento transformador da cidade e da sociedade. Atrativos: Superquadra Norte (SQN) 107 / Conjunto São Miguel, Superquadra Sul (SQS) 307/308 – Unidade Vizinhança, Lago Paranoá, Parque Dona Sarah Kubitschek, Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, Esplanada dos Ministérios, Museu Nacional, Praça dos Três Poderes, Estação Rodoviária de Brasília, Conjunto Nacional de Brasília, Com-

plexo Conic, Teatro Nacional Cláudio Santoro. Rota Arquitetura e Artes Integradas - Aborda a linha de criação de Niemeyer, apresentando as obras e técnicas empregadas, assim como as obras de outros ícones da arquitetura moderna como João Filgueiras, Nauro Esteves, Milton Ramos e Alexandre Chan. Alguns dos atrativos: Brasília Palace Hotel, Quartel General do Exército, Memorial JK, Centro Cultural Banco do Brasil, Espaço Oscar Niemeyer, Catedral Militar Rainha da Paz, Conjunto Cultural da República. Rota Brasília entre Palácios e Museus Constituída para pessoas que queiram explorar o acervo artístico dos palácios e museus de Brasília. Atrativos: Centro Cultural Banco do Brasil, Congresso Nacional, Espaço Lúcio Costa, Quartel General do Exército, Memorial JK, Memorial dos Povos Indígenas, Museu Histórico de Brasília, Museu Nacional, Museu do Catetinho, Palácio do Planalto, Palácio Itamaraty, Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, Praça dos Três Poderes, Supremo Tribunal Federal, Templo da Boa Vontade (LBV), Torre de Televisão.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

47


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

48

CHAPADA DOS VEADEIROS Platôs de 1.700 metros de altura proporcionam bela vista Distante 230 km de Brasília, com acesso pela rodovia BR-020, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é destino certo para quem curte a natureza, que possui um cenário verde com 65 mil hectares do cerrado brasileiro e platôs com altura de 600 a 1.700 metros de onde se pode ter vistas panorâmicas de tirar o fôlego. A melhor alternativa de hospedagem na região fica mesmo por conta das pousadas localizadas na Vila de São Jorge, distrito de Alto Paraíso, próximo a entrada do parque. Conta com cerca de 500 habitantes e algumas ONGs, inclusive de guias. Possui infraestrutura como pousadas, campings e restaurantes para receber seus visitantes.

Chapada Imperial mais de 30 quedas d’água

CHAPADA IMPERIAL Quedas d’água e animais silvestres atraem amantes da natureza A Chapada Imperial é uma propriedade particular cortada pela Chapada da Contagem, que dá origem a mais de 30 quedas d’água que, no quesito beleza, não perdem em nada para cachoeiras dos estados vizinhos. O contato direto com a natureza é um dos diferenciais. Uma parceria com o Ibama permite a criação de animais silvestres apreendidos, como araras, tucanos, macacos-prego e pavões que são reintroduzidos na natureza. Alguns deles permanecem no minizoológico da propriedade e encantam os visitantes. A Chapada Imperial é ideal

ARREDORES para a prática de esportes radicais como o rappel, trekking e arvorismo. São inúmeras cachoeiras e trilhas entre a fauna e flora do cerrado nativo. FERCAL Maior complexo de cavernas de Brasília As cavernas e grutas fascinam o homem desde sempre. No Distrito Federal estão à disposição dos visitantes opções entre grutas e abismos. Até hoje, 82 cavernas foram catalogadas em terras brasilienses. A maioria dessas estruturas está localizada no leste e no norte do DF — regiões com predominância de formação rochosa de calcário ou dolomitos. O maior complexo de cavernas está na Fercal. A região, rica em calcário, possui 33 cavidades. Desde 1987, foi adotada como campo-escola por quem se interessa e estuda essas estruturas. No Morro da Pedreira, localizado na divisa com Goiás, está o abismo Fodifica, o maior do Distrito Federal, com 49 metros de profundidade. O local também é conhecido por Morro dos Urubus, por servir de abrigo para muitas dessas aves.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

49


Praça das Araras e a beleza do Ipê Rosa florado em Campo Grande. A Feira Central, ideal para adquirir produtos típicos

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Fotos: Denilson Secreta

50

Mato Grosso do Sul Porta de entrada para as belezas do estado Uma das principais cidades da região do cerrado brasileiro, Campo Grande pode ser considerado um destino moderno e em sintonia com o presente. Cercada de verde, a cidade possui avenidas largas, rede hoteleira variada e boa infraestrutura de comércio e serviços, despontando como uma das principais capitais com melhor qualidade de vida do Brasil. É uma cidade com cultura diversificada, cosmopolita e com grandes atrativos de lazer e entretenimento, o que a faz se destacar principalmente no Turismo de Negócios, de Eventos e Rural. Campo Grande também se caracteriza pela harmoniosa convivência da tradição rural e a modernidade empresarial urbana. Apresenta-se como corredor turístico natural, dada a sua estratégica localização no centro do estado. A cidade é marcada pelas áreas verdes, contando com cinco parques que merecem não só destaque, mas como visitas dos turistas. São eles: Parque Estadual do Prosa; Parque Florestal Antonio de Albuquerque; Parque das Nações

Indígenas; Parque do Sóter Francisco Anselmo Gomes de Barros e Parque dos Poderes. A capital do Mato Grosso do Sul é a única cidade brasileira que possui uma aldeia indígena urbana: são 135 ocas de alvenaria, residência de famílias da nação Terena, que trocaram as reservas pela vida na cidade. Ali, destaque para o Memorial da Cultura Indígena, uma imponente oca com mais de oito metros de altura, coberta com palha de bacuri. A cidade também é a principal porta de entrada para o Pantanal sul-mato-grossense. Da capital sai o Trem do Pantanal. Campo Grande também é ponto de partida para quem planeja realizar o passeio Caminho dos Ipês. Outra característica de Campo Grande é que a cada ano a cidade se mostra preparada para o Turismo de Negócios e Eventos. A capital dispõe de equipamentos de variados tamanhos para atender congressos, reuniões, feiras. Dentre esses, destacam-se o Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, o Centro de Eventos Albano Franco e o Parque de Exposições Laucídio Coelho.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

51


Rico

Cachoeira em Bonito, Tuiuiú, a ave-símbolo do Pantanal, turistas durante uma cavalgada no campo e as águas cristalinas dos rios da região

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Rico

52

ARREDORES

Arquivo Fundação de Turismo

BONITO Não só no nome Bonito é a principal cidade da região sudoeste de Mato Grosso do Sul. Contemplada com inúmeros rios de águas cristalinas, aquários naturais, grutas, lagoas, crateras repletas de vida selvagem, rios piscosos com peixes multicoloridos, história, cultura, gastronomia, dentre outros. A cidade é um dos principais destinos de ecoturismo do Brasil, o município é um paraíso preservado, que soma harmonia e interação com a natureza, com respeito ao meio ambiente. As normas para a prática do Turismo são rígidas. Onde até a pescaria é proibida. Para conhecer de perto os

encantos deste paraíso ecológico é importante saber que a maior parte dos 42 programas e roteiros turísticos oferecidos só pode ser feita mediante agendamentos por meio de agências de viagens que trabalham com o Turismo receptivo. AQUIDAUANA Principal acesso para o Pantanal sul mato grossense Aquidauana fica a a 136 quilômetros de Campo Grande, é a cidade pantaneira mais próxima da capital. O rio que dá nome à cidade oferece aos turistas safáris fotográficos e boas pescarias. Em suas margens, formam-se bonitas praias de

água doce, próprias para a prática de esportes aquáticos. A cidade também possui construções de valores histórico-culturais, como a Casa Primavera, além dos casarios que preservam um conjunto arquitetônico original. Na área do município, encontram-se as ruínas da cidade hispano-americana de Santiago de Xerez, fundada em 1600 por Rui Diaz Guzman e abandonada pela população residente, por volta de 1632. Outras construções históricas são preservadas na cidade, como a Casa Primavera, os casarios que preservam um conjunto arquitetônico original. MIRANDA Cultura e natureza na cidade histórica Junto a outras grandes edificações, a estação ferroviária de Miranda, construída em 1912, é uma das mais antigas do Mato Grosso do Sul. A cidade tornou-se polo turístico graças ao Turismo Histórico - cultural, urbano e rural associado ao Ecoturismo - além da cavalgada e pesca esportiva. Banhado pelos rios Miranda e Aquidauana, o município mantém características marcantes da vegetação da Serra da Bodoquena, em transição para o bioma Pantanal, o que torna a sua biodiversidade viva e esplendorosa. Com a segunda maior população indígena do estado, Miranda recebe grande influência da etnia Terena, que contribui para o enriquecimento cultural e artístico da cidade, através de suas danças, costumes, artesanato e tradições.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

53


ESPORTES Rafael Ribeiro/CBF

©Getty Images

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

©Getty Images

54

Xavi, Neymar e Ballotelli, craques que vão se encontrar para disputar a Copa das Confederações no Brasil

Copa das Confederações: ensaio geral para a Copa do Mundo A Copa do Mundo Fifa 2014 já começou para o Brasil. Os preparativos estão em estágio avançado com os estádios em fase final de construção, além das demais obras que vão facilitar o acesso aos palcos dos jogos e o deslocamento dos turistas nas cidades. O ensaio geral para o grande evento será em 2013, quando ocorre a Copa das Confederações. A competição, que reúne oito seleções entre os dias 15 e 30 de junho, terá jogos em seis das 12 cidades que receberão a Copa do Mundo no ano seguinte. Além do Brasil, país sede da competição, e da Espanha, atual campeã mundial, o torneio contará com representantes de todos os continentes. México, campeão da Concacaf; Uruguai, campeão

da Copa América; Itália, vicecampeã da Eurocopa; Japão, campeão asiático; e Taiti, campeão da Copa Oceania, já garantiram vaga na competição. Resta apenas a definição do representante africano, que sairá apenas no início do próximo ano, com o campeão da Copa Africana de Nações – disputada entre janeiro e fevereiro de 2013, na África do Sul. Craques como Neymar, do Brasil; Iniesta, da Espanha – eleito o melhor jogador da Eurocopa 2012; e o polêmico Mario Balotelli, da Itália, irão desfilar os seus talentos em busca da taça nos gramados brasileiros. Dos países que vão competir, o Brasil é o que mais conquistou títulos, com três, incluindo as duas últimas edições: em 2005, na Alemanha e em 2009, na África do Sul.

Além de desbancar a hegemonia espanhola – atual campeã mundial e europeia – a missão do Brasil na competição é testar a estrutura que está sendo montada para a Copa do Mundo e a sua capacidade de organização para esse grandioso evento. A capital federal, Brasília, será responsável pela abertura, no dia 15 de junho, com a seleção da casa em campo. A grande final será no lendário estádio do Maracanã, na belíssima cidade do Rio de Janeiro. Belo Horizonte, Fortaleza, Recife e Salvador também terão partidas. Brasília terá o jogo de abertura. As demais sedes receberão três jogos cada uma. Na primeira fase o Brasil jogará ainda em Fortaleza e Salvador. Embora não vá sediar nenhuma partida, a cidade de São Paulo – palco da abertura da Copa do Mundo – terá também um papel de destaque nesta Copa das Confederações. O sorteio oficial dos jogos da competição acontece na cidade no dia 1º de dezembro, quando serão definidos os confrontos da primeira fase.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

55


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Copa do Mundo no Brasil: muito além das 12 cidades-sede

56

A bola vai rolar em apenas 12 cidades. Os amantes de futebol do mundo todo voltarão os olhos para o Brasil entre os dias 12 de junho e 13 de julho de 2014, nas cidades escolhidas para que os jogos aconteçam. No entanto, para quem pretende mesmo conhecer os atrativos turísticos do país há um mundo de opções além dos palcos oficiais da Copa do Mundo. No início de 2012 o Ministério do Turismo selecionou nada menos do que 88 produtos em 184 destinos como foco para a promoção do país. São atrativos que ficam distantes até três horas (via terrestre) ou até duas horas (via aérea) das cidades-sede do mundial.

Com isso, o MTur espera incentivar a visitação de mais atrativos no país, distribuindo o fluxo de visitantes por diversos destinos. Segundo estimativas do órgão, serão 7,8 milhões de viagens domésticas durante a competição. São esperados também 600 mil estrangeiros e a estimativa é que pelo menos 25% deste público visite atrativos fora das cidades-sede. Outro atrativo para os turistas que estarão no Brasil durante a Copa do Mundo são as chamadas Fan Fests. São 12 telões instalados em lugares públicos para que as pessoas possam acompanhar os jogos. Foram escolhidos 12

Conheça as cidades-sede e os seus estádios Cidade

Estádio

Número de jogos

São Paulo

Arena Corinthians

6

Rio de Janeiro

Maracanã

7

Minas Gerais

Mineirão

6

Brasília

Estádio Nacional

7

Curitiba

Arena da Baixada

4

Porto Alegre

Beira Rio

5

Cuiabá

Arena Pantanal

4

Manaus

Arena Amazônia

4

Natal

Arena das Dunas

4

Recife

Arena Pernambuco

5

Fortaleza

Castelão

6

Salvador

Fonte Nova

6

pontos turísticos do país para receberem esses eventos: Praça da Estação (Belo Horizonte), Esplanada dos Ministérios (Brasília), Parque de Exposições (Cuiabá), Parque do Barigüi (Curitiba), Praia de Iracema, Aterrão (Fortaleza), Memorial Encontro das Águas (Manaus), Praia do Forte (Natal), Praça Glênio Perez (Porto Alegre), Marco Zero (Recife), Praia de Copacabana (Rio de Janeiro), Jardim de Aláh (Salvador) e o Vale do Anhagabaú (São Paulo).

Investimentos em mão de obra e infraestrutura Além dos investimentos que já estão sendo feitos pelas cidades e pelos estados, o Ministério do Turismo anunciou recentemente um reforço de R$ 110 milhões para obras de infraestrutura nas cidades-sede. Com esta verba serão implantados novos Centros de Atendimento ao Turista, sinalização e obras de acessibilidade. A qualificação da mão de obra para atendimento aos turistas também é uma das prioridades do Ministério. Com o programa Pronatec Copa, o órgão pretende qualificar 40 mil profissionais em 117 municípios. São cursos profissionalizantes e gratuitos, todos voltados para ocupações na área do Turismo. Há ainda capacitação nos idiomas inglês e espanhol, além de libras (Língua Brasileira de Sinais).


Ao completar em setembro último um ano à frente do Ministério do Turismo, Gastão Vieira destaca os avanços e desafios do setor, bem como as ações que estão sendo priorizadas em sua gestão para melhorar a qualidade do Turismo receptivo no país. O ministro reconhece a importância da reativação de programas de incentivo ao Turismo doméstico e garante para 2013 uma nova modelagem do programa Viaja Mais Melhor Idade. “Precisamos fazer com que o brasileiro viaje mais dentro do país. Os brasileiros, depois dos chineses, são os que mais gastam em viagens internacionais. Temos que diminuir custos e aumentar a competitividade, dar ao turista a segurança de um trajeto tranquilo, e o Rio Grande do Sul está assumindo este papel. Gramado é o carro-chefe do Turismo no Estado, todos os olhos estão voltados para esse destino”, admite. Gastão Vieira também confirmou estar empenhado em obter mais recursos para a pasta e negocia com outros setores do Governo o lançamento do PAC do Turismo, um programa de obras estruturantes por meio de investimentos, envolvendo outras pastas do governo. Desafios – O ministro reconhece que o setor enfrenta dois grandes desafios. O primeiro diz respeito à necessidade de aumentar o número de turistas estrangeiros no Brasil. “O outro é fazer com que os brasileiros visitem mais o seu próprio país, viajando cada dia mais”, afirmou. Mesmo assim, revela seu otimismo e lembra que o ministério tem procurado fazer a sua parte. Cita como exemplo as medidas de desoneração fiscal que já começam a ser implementadas na hotelaria. “Creio que assim conseguiremos movimentar a economia, baixar os custos da hospedagem e a qualidade dos serviços”, garante. Programas - Gastão Vieira também destaca entre as ações da sua gestão a implantação do novo Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem (SBClass) bem como o programa de capacitação e qualificação, o Pronatec Copa. Para ele, é perfeitamente viável atingir a meta do Pronatec Copa, que projeta uma oferta de 240 mil vagas em mais de 29 cursos até a Copa do Mundo de 2014. Em sua opinião, o programa será fundamental para receber melhor os turistas durante os megaeventos esportivos. “É um enorme desafio. Nós estamos administrando esse programa

Gastão Vieira

com muito cuidado desde seu início, para que ele realmente venha a atingir suas metas até 2014, o que eu acredito fortemente”, diz Vieira. Turismo Doméstico - Em relação aos programas de fomento ao Turismo doméstico, como o Viaja Mais Melhor Idade, criado para dar condições especiais de viagem aos idosos, o ministro garantiu que o mesmo deve voltar em 2013. “É um programa importante para o Turismo nacional. Ele foi oferecido à sociedade brasileira de forma criativa, provocou enorme sucesso, mas parou por alguns problemas de sintonia entre o hotel, a viagem de avião e o desejo das pessoas. Após um trabalho de reestruturação, vamos retomá-lo”, avisa. Parcerias – O ministro também reconhece a necessidade de uma maior aproximação com os estados. Segundo ele, o Fornatur tem sido o principal interlocutor neste diálogo. “Nós precisamos estabelecer esta interação, pois temos ações específicas que nossos braços não alcançam ou alcançam mal”, explica. Ele ainda afirmou: “Precisamos desta parceria e isto é fundamental para chegarmos onde só as secretarias conhecem bem”. Como exemplo disso, Gastão ressaltou que alguns levantamentos de dados e informações dependem exclusivamente da ajuda dos estados, pois há aspectos que fogem da realidade do MTur. Novos focos - Gastão Vieira admite a importância de se trazer à mesa uma discussão mais aprofundada sobre alguns temas como o da Sustentabilidade e inclusão social. Para ele, na agenda global de sustentabilidade, se pode observar impacto e influência nunca antes registrados pelo setor. “O valor e a relevância da atividade turística hoje, em todas as nações,

são inéditos. Para aumentar a contribuição do Turismo na economia, precisamos apostar nessa indústria limpa e cumprir nossos compromissos ambientais”, defendeu. O ministro lembra que o Brasil está organizado e já promove iniciativas de inteligência sustentável em Turismo. Economia – Levantamento apresentado pelo IBGE revela o índice de 3,7% de participação do Turismo na economia brasileira. A soma das riquezas produzidas pelo setor de Turismo, no ano passado, superou R$ 1,4 bilhão, sob a ótica da oferta. Serviços de alimentação e transporte aéreo estão entre os segmentos de maior peso na soma. O resultado posiciona o Brasil entre as seis maiores economias mundiais. “Os números confirmam o potencial do Turismo de influenciar positivamente os resultados da economia brasileira. As medidas de desoneração que o governo tem adotado para fortalecer o setor, em articulação com a iniciativa privada, terão efeito multiplicador”, prevê.

Números do crescimento >> De acordo com Estudo da Demanda Internacional, a América do Sul (48,4%) e Europa (29,8%) são responsáveis por quase 80% dos visitantes que desembarcaram no Brasil em 2011. A Argentina está no topo dos emissores, com 1,59 milhão de turistas, seguida dos Estados Unidos (594 mil). “Queremos atrair novos mercados como Rússia e China. A inovação na promoção dos destinos e atrativos é fundamental para atingirmos nossos objetivos”, afirma Gastão Vieira. >> Dados do Ministério do Turismo mostram que o número de desembarques em voos nacionais em agosto cresceu 6,96% em relação ao mesmo período do ano passado. Foram 6,8 milhões de desembarques no último mês. A movimentação foi de 7,29 milhões de passageiros nos aeroportos de todo o país. No acumulado de janeiro a agosto, houve aumento de 8,51% na comparação com 2011. A marca foi de 56,7 milhões de desembarques de voos regulares e não regulares no país, contra 52,27 milhões no ano anterior.

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

“Turismo tem que reduzir custos e aumentar competitividade”

57


Festival de Gramado Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

“Nossa marca registrada é inovação e saber manter o foco nos negócios”

58

O Festival do Turismo de Gramado cumpriu ao longo de mais de duas décadas uma trajetória de sucesso, com um crescimento médio anual entre 8% e 12%, e com a expectativa de superar a marca de 15 mil visitantes nesta edição. Segundo Marta Rossi, diretora do Festuris, boa parte do sucesso se deve ao modelo de gestão sempre focado na inovação e nos negócios. “Quando se começou a falar em segmentação e nichos de mercado neste país, lá estávamos nós. Hoje temos aí os resultados, como é o caso dos salões de Acessibilidade e GLS, que permitem ao trade conhecer as novidades desses setores e buscar a excelência no atendimento. Não são apenas espaços de negócios. São causas que o evento assumiu para sensibilizar os empresários sobre a urgência da adaptação para suprir essa demanda”, ressaltou a diretora do Festuris, Marta Rossi. Ela citou como exemplo, a própria hotelaria de Gramado, que após o lançamento do projeto vem adequando seus equipamentos para atender a hóspedes especiais. “Hoje, viajamos o mundo, percorrendo outros eventos e buscando novas ideias e tendências. E, como me disseram recentemente, não realizamos um trabalho ‘raso’, apenas colocando novos salões e propostas na feira. Buscamos aprofundar nossas ações e sensibilizar o mercado”, destacou Eduardo Zorzanello. O foco nos negócios foi outra marca que consagrou o evento, que nesta edição registra um crescimento de 33,49% no espaço ocupado pela área internacional em relação ao ano passado. “Nossa entrada no mercado internacional já está consolidada”, comemorou Marta Rossi. Zorzanello acrescentou ainda que não é apenas a quantidade que está sendo destacada: “São destinos e empresas de qualidade que chegam à feira em 2012. É o caso da Air China, que escolheu o festival para se lançar no mercado de eventos de Turismo no Brasil”. Entre os novos países participantes estão

Marcus Vinícius, Marta Rossi e Eduardo Zorzanello, organizadores do Festuris

Canadá, Jordânia, Chile e Ilhas Seychelles, além de companhias aéreas como a Air China. Já em relação às novidades para esta edição, destaque para o projeto “Talentos do Turismo Rural”, que será apresentado pelo Sebrae, e o programa de capacitação das caravanas internacionais direcionado a megaeventos esportivos, como as Olimpíadas, numa iniciativa da Setur-RS. O Festuris chega a sua 24ª edição consolidado também pela reflexão em torno de temas de relevância para o mercado, como a necessidade de inclusão social. Segundo Marta, a acessibilidade está presente na abertura com o espetáculo do Projeto Cuíca (Cultura, Inclusão, Cidadania e Artes) de Santa Maria. Além disso, haverá toda uma preocupação com a adequação do evento. “Vamos ter corredores mais amplos, rampas de acesso, cadeiras de rodas motorizadas e um elevador de acesso ao piso superior do Serra Park, onde está a sala de imprensa”, explicou Marta. “Não adianta propormos acessibilidade se não pudermos dar o exemplo”, acrescentou ela. O Festival também inovou. Os organizadores

do evento anunciaram a criação de um aplicativo interativo e exclusivo do Festuris e a utilização de QR Code em todos os estandes do evento. O aplicativo disponível para iPhone e iPad terá o mapa interativo da feira e também servirá como uma agenda. Por meio de notificações, que serão destacadas no aplicativo, ele vai avisar minutos antes que determinada ação ocorrerá em alguns minutos no evento, para manter todos atualizados sobre o festival. “Esta ferramenta, que poderá ser adquirida de forma gratuita pelos usuários, oferecerá diversas informações e muita interatividade junto ao evento, fazendo com que o participante tenha a sensação de que carrega a feira em seu bolso”, disse o diretor do Festuris, Marcus Vinícius. A entrega do troféu Amigos do Festival, na solenidade de abertura, representa, na opinião de Marta Rossi, uma maneira de prestar uma singela homenagem a quem tem apoiado o Festival. “Este ano temos alguns nomes como Fernando Lopes, diretor da Flytour-RS, Cleo Ickowicz, diretora do Turismo de Israel, e José Roberto Pereira, ex-diretor internacional da Tam.”

Mudanças para comemorações das “Bodas de Prata” do Festuris Outra novidade confirmada por Marta Rossi diz respeito à edição de 2013 do Festival. “No próximo ano estaremos completando 25 anos e será uma edição especial com uma nova roupagem. Vamos ter um novo modelo do evento e espaços como o do Turismo Saúde ganharão uma nova formatação. Também vamos modificar o modelo do lançamento do Festival, que tem acontecido todos os anos em Porto Alegre”, adiantou ela.

Ao fazer um balanço das principais conquistas do Festival, Marta lembrou que a primeira delas diz respeito ao incentivo que o evento deu no sentido de despertar o Rio Grande do Sul para a atividade turística. “Estávamos meio que adormecidos, longe das decisões, e o evento deu uma revigorada nesta atividade e colocou o nosso estado definitivamente no mapa turístico do país”. Outro avanço apontado por ela foi no sentido de abrir um espaço para a cidade

de Gramado, ajudando a incrementar o a chegada de turistas tanto do doméstico quanto do internacional, por meio da promoção do destino. Marta também lembra que apesar do crescimento do evento, este não perdeu suas características, e soube preservar o foco nos resultados. “E esse tem sido um diferencial em relação a outras feiras, pois aqui você tem efetivamente resultados”, garantiu.


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

59


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Anseditur fecha 2012 com maior reconhecimento no setor

60

A Associação Nacional dos Secretários e Dirigentes Municipais de Turismo das Capitais (Anseditur) vai fechar este ano com a participação em três feiras de Turismo, uma delas o 24º Festival de Turismo de Gramado. O ano de 2012 trouxe diversas conquistas. A entidade recebeu novos associados, entrou para o Conselho Nacional do Turismo, adotou uma nova postura de trabalho, ampliou sua rede de contatos, inaugurou estande na Feira da Associação das Agências de Viagem de Ribeirão Preto (Avirrp), entre outras ações, todas construídas em conjunto com os associados, que renderam um maior reconhecimento à associação junto às instituições do Turismo nacional. De acordo com Ivane Fávero, presidente da Anseditur, com os constantes ajustes e aprimoramentos, a pretensão agora é contribuir com o desenvolvimento do Turismo Sustentável nas capitais e demais destinos indutores e de referência. “Esta é a nossa missão. Com o engajamento e trabalho dos colaboradores e associados, queremos ser o representante oficial desses destinos junto às instâncias federais de fomento ao Turismo, participando ativamente da definição, interlocução e execução de políticas para o setor”, declara. No Festuris – assim como nas demais feiras

Ivane Fávero, presidente da Anseditur

- a entidade distribui o folder promocional, lançado em agosto, e informações dos destinos turísticos que integram a associação. Para Ivane, ações como essa possibilitam uma maior visibilidade da Anseditur e fortalecem seu trabalho. “Vale ressaltar que [a participação em feiras de Turismo] é um momento ideal para aproximar os destinos que, em geral, já participam das feiras, representando o Turismo de seu município, posicionando a Anseditur como a associação representativa dos principais destinos turísticos brasileiros. É também uma oportuni-

dade de encontro para troca de experiências”. Sobre a entrada de novos associados, a entidade tem conversado com o Ministério do Turismo acerca dos critérios de definição dos destinos prioritários para o setor. Ivane ressalta que, além das capitais, é necessário rever a indicação de alguns municípios que, apesar do trabalho realizado, ainda não se configuram como indutores. Por outro lado, destinos que avançaram nos últimos anos podem se tornar membros da Anseditur. Entre os novos associados está Ribeirão Preto (SP), selecionado como destino referência em Turismo de eventos e negócios. “Já adotamos os destinos referência. Assim, temos a meta de ampliarmos o número de associados, mas utilizando critérios técnicos, para que, de fato, a Anseditur seja a representante dos principais destinos turísticos do Brasil”, explica Ivane. Ainda neste ano, a Anseditur vai implantar seu Plano de Marketing e, para o ano que vem, quer reforçar seu posicionamento. “A atenção vai ser na aplicação do Plano Estratégico e no Plano de Marketing. Também atuaremos na transição dos novos governos, o que torna fundamental a contribuição da Anseditur, no sentido de transmitir as informações sobre as políticas nacionais do Turismo e a gestão pública do Turismo”.

Estados do Brasil sofrem com sazonalidade O Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes do Turismo (Fornatur) é o órgão que representa o Turismo dos estados brasileiros. Atualmente, quem comanda a entidade é Domingos Leonelli, secretário de Turismo da Bahia e presidente da Bahiatursa. Em poucos dias, um novo dirigente deve assumir a presidência do Fornatur, numa eleição marcada para o dia 27 de novembro. “Os entraves enfrentados pelos estados são de naturezas diversas. São Paulo é um caso à parte, único destino auto-sustentável do Brasil, sem baixa estação, sustentado basicamente pelo Turismo de negócios e que mantém um esforço para ampliar o Turismo cultural e o Turismo interno. Os outros estados do Brasil sofrem, em grau menor ou maior, da questão da sazonalidade”, analisa. De acordo com ele, esse é o problema mais comum em todos os estados e se apresenta das formas mais variadas. “As soluções são bem diferenciadas, mas a baixa estação é um problema estrutural do Turismo. É a maior dificuldade que os destinos enfrentam. Como manter um equipamento durante baixa estação? Não queremos que nenhum destino brasileiro seja um balneário. Não queremos que nenhum

Domingos Leonelli, presidente do Fornatur

destino do Brasil passe pelo mesmo que Valparaíso (Chile), por exemplo, onde os restaurantes fecham na baixa temporada”, preocupa-se. Para evitar esse tipo de situação extrema, a saída é, na visão de Leonelli, buscar alternativas. “É uma luta incessante contra a baixa estação. Isso se resolve com Turismo de negócios e convenções, eventos promocionais que são feitos na baixa estação e calendarização desses eventos. Por exemplo, na Bahia, calendarizamos

o Stock Car, nos próximos cinco anos, no mês de agosto, as pessoas sabem que teremos esse evento. Isso facilita a venda dos destinos pelos agentes e operadores”, sugere. Durante uma das reuniões do Fornatur, o secretário-executivo do Ministério do Turismo, Valdir Simão, ressaltou a necessidade de maior aproximação com as secretarias de Turismo estaduais. Apesar da sugestão de Simão, Domingos Leonelli crê que a relação entre o MTur e os estados brasileiros está bem melhor, mas ainda há como progredir nessa parceria. “Há, sem dúvida, maior disposição para o diálogo; maior disposição para tornar esse diálogo efetivo, mas ainda há um certo caminho a percorrer entre a efetividade e a boa vontade”, constata. As verbas descentralizadas, por exemplo, ainda não foram repassadas aos estados. “Elas atrasaram muito por conta do MTur. Neste ano, o período eleitoral dificultou ainda mais sua efetivação. A verba é importante principalmente para os pequenos estados, que têm menor capacidade de investimento e que possuem necessidades mais básicas em relação ao Turismo”, adverte o presidente do Fornatur.


Hotelaria

Serviço Site da Rede: www.bourbon.com.br

Fachada do Bourbon Cascavel, buffet do Bourbon Curitiba Express e quarto do Bourbon Curitiba Convention

Bourbon Atibaia Convention & Spa Resort Rodovia Fernão Dias, Km 37,5 - Atibaia – SP Grande São Paulo: (55-11) 4414-4700 Demais localidades: 0800-703-4041 reservas.atibaia@bourbon.com.br

Bourbon Conmebol Assunção Convention Hotel Av Sudamericana com Atilano Caceres, 3104 – Luque – Grande Assunção – Paraguai Tel: 595-21-659-1000 reservas.conmebol@bourbon.com.py Bourbon Curitiba Convention Hotel Rua Cândido Lopes, 102 – Curitiba – Paraná Tel: (55-41) 3221-4600 reservas.curitiba@bourbon.com.br

Original do Paraná, rede Bourbon conquista Brasil e América Latina A hotelaria na Região Sul do país vem crescendo com força e a passos rápidos. Grandes bandeiras internacionais vêm se estabelecendo, outras regionais expandindo e a rentabilidade aumentando significativamente. O Brasil está em quarto lugar na lista de países que mais constroem hotéis em todo o mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia. Na região da América Latina, o país representa mais de 40% do mercado de novos hotéis, com 259 empreendimentos, contra 331 no resto do continente latino. As informações são da Lodging Econometrics. Ligada no empreendedorismo, a Bourbon Hotéis & Resorts apostou no Brasil para alavancar a rede que nasceu no Paraná. Idealizada há 49 anos pelo empresário paranaense Alceu Vezozzo, a rede possui 13 empreendimentos – onze corporativos e dois resorts - nos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro e em Assunção, no Paraguai, onde está localizada sua primeira unidade internacional. Atualmente, possui duas unidades na categoria Resort, cinco na categoria Business, duas na Express, três na Convention e uma na Residence. Com relação a eventos, o Bourbon Atibaia (SP) é o maior espaço de eventos em hotéis do país (11 mil metros quadrados) e em número de apartamentos é o quinto maior hotel do Brasil. Somente na região Sul, a Bourbon detém sete empreendimentos localizados em Curitiba, Cascavel, Londrina, Foz do Iguaçu e Joinville. Entre as categorias, a rede opera com o Bourbon

Dom Ricardo Aeroporto Curitiba Business Hotel; Bourbon Londrina Business Hotel; e Bourbon Joinville Business Hotel, na categoria Business. Como Express, a hoteleira dispõe dos empreendimentos Bourbon Cascavel Express Hotel e Bourbon Batel Express Hotel, ambos no Paraná. Já para convenções o escolhido é o Bourbon Curitiba Convention Hotel. Na categoria resort o Bourbon Cataratas Convention & Spa Resort se destaca ao lado de outros empreendimentos da rede, como o Bourbon Atibaia, o Conmebol, de Assunção, o do Rio de Janeiro e as unidades de São Paulo, no Centro e Ibirapuera. Crescimento e investimentos - A Rede Bourbon fechou 2011 com crescimento de 19% e receita de R$ 235 milhões. A expectativa para 2012 é de incremento de 20%. O Bourbon São Paulo obteve 8,1% de crescimento na taxa de ocupação e de 16,8% na diária média. Já a unidade carioca chegou a 16,13% no crescimento da receita. Na capital paranaense, o Bourbon Batel teve um aumento de receita de 20%, além de um acréscimo na tarifa (RevPAR) que atingiu 18%. O Bourbon Cascavel, por sua vez, chegou a 30% de crescimento na receita bruta. O Bourbon Londrina teve 10% de aumento na diária média. A unidade catarinense da Bourbon, localizado na cidade de Joinville, fechou 2011 com ocupação de 73,1%. A unidade Ibirapuera, em São Paulo, investirá R$ 14 milhões para reformular uma das torres de apartamentos. O faturamento desse hotel em 2011 foi de R$ 50 milhões.

Bourbon Ibirapuera Convention Av Ibirapuera, 2.927 – Moema – São Paulo Grande São Paulo: (55-11) 2161-2200 Reservas: 0800-770-2201 reservas.conv@bourbon.com.br Bourbon Alphaville Business Hotel Av Cauaxi, 223 – Barueri – SP Tel: (55-11) 4197-0123 reservas.alphaville@bourbon.com.br Bourbon Dom Ricardo Business Av. Rocha Pombo, 2.400 – São José do Pinhais – Paraná Tel: (55-41) 3299-2400 reservas.domricardo@bourbon.com.br Bourbon Joinville Business Hotel Rua Visconde de Taunay, 275 – Joinville – Santa Catarina Tel: (55-47) 2105-9000 reservas.joinville@bourbon.com.br Bourbon Londrina Business Hotel Al. Miguel Blasi, 40 – Londrina – Paraná Tel: (55-43) 3315-4000 reservas.londrina@bourbon.com.br Bourbon São Paulo Business Hotel Rua Dr. Vieira de Carvalho, 99 – São Paulo – SP Tel: (55-11) 3337-2000 central.reservas@bourbon.com.br Bourbon Rio de Janeiro Residence Rua Malibú, 1355 – Barra da Tijuca – RJ Acesso pelo Condomínio Mundo Novo na Av. das Américas, 7.899 Tel: (55-21) 3622-4600 reservas.riodejaneiro@bourbon.com.br Bourbon Batel Express Hotel Av Visconde de Guarapuava, 4889 – Curitiba – Paraná Tel: (55-41) 3342-7990 reservas.batel@bourbon.com.br Bourbon Cascavel Express Hotel Rua Paraná, 2.899 – Cascavel – Paraná Tel: (55-45) 3220-4400 reservas.cascavel@bourbon.com.br

Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Bourbon Cataratas Convention & Spa Resort Rodovia das Cataratas, Km 2,5 – Foz do Iguaçu – Paraná Foz do Iguaçu: (55-45) 3521-3900 Demais localidades: 0800-451-010 reservas.cataratas@bourbon.com.br

61


Festival do Turismo - Gramado - Novembro 2012

Gastronomia

62

Fartura e muitos sabores à mesa no tradicional Café Colonial

Café Colonial, sabores de Gramado Entre os atrativos turísticos de Gramado, destaque para a rica gastronomia regional, marcada pela diversidade e sabor. Nesse quesito, uma das tradições preservadas ao longo do tempo pelos primeiros descendentes dos imigrantes alemães e italianos é o Café Colonial, uma verdadeira refeição onde o turista tem oportunidade de saborear doces e salgados, num verdadeiro tour gastronômico. A tradição se mantém até os dias de hoje como atrativo dentro do roteiro turístico. Basta dar uma circulada pela cidade, principalmente ao longo da Avenida das Hortênsias, para se constatar inúmeras casas especializadas em servir o tradicional Café Colonial. São grupos de excursões ou amigos e famílias que buscam refúgio nesses simpáticos estabelecimentos, principalmente nos finais de tarde e durante à noite,

tanto no inverno como no verão. Ali, você paga uma taxa fixa com direito a saborear e repetir os pratos servidos à mesa que mais lhe agradarem, além das bebidas – sucos e vinhos, chás e chocolates - também já incluídos no preço. O empresário Zanis Coelho, por exemplo, durante muitos anos trabalhou no primeiro “café colonial” de Gramado, até fundar seu próprio estabelecimento, o Coelho Café Colonial, localizado às margens da Avenida das Hortênsias, que liga Gramado a Canela. Após a reforma, em 2010, a casa manteve a tradição do bom atendimento recebendo famílias e grupos (tem dois salões para 210 e outro para cem pessoas) e oferecendo serviço de transfer aos clientes hospedados em hotéis da cidade. O cardápio do Coelho Café Colonial inclui 80

variedades entre doces e salgados, dois tipos de vinho (branco seco e tinto suave), suco de uva natural, bebidas quentes como leite, café, chá e chocolate, ou geladas. Os salgados quentes e frios seguem acompanhados por uma variedade de frios, picles, pães e geleias e os tradicionais doces coloniais, como bolos de laranja, chocolate, limão, cerveja, requeijão, cenoura, bolo, rocambole e waffles. Isso tudo servido à mesa. Há ainda um variado buffet com tortas de morango, marta rocha, chocolate, prestígio, floresta negra, aveia, maçã, gelatinas diversas, ambrosia, pudim, quindão, mousse de maracujá, chocolate e outras iguarias. São “de tirar do sério” e certamente a garantia de uns quilinhos a mais, mas também doces lembranças da rica gastronomia de Gramado.

À mesa da casa dos colonos, uma tradição secular Serviço Confira algumas boas opções de cafés coloniais em Gramado Coelho Café Colonial: Av. das Hortênsias, 5433 Tel: (55-54) 3286 2538 / www.cafecoelho.com.br Torre Café Colonial: Av. das Hortênsias, 2174 Tel: (55-54) 3286-1921/ www.torrecafecolonial.com.br Bela Vista Café Colonial: Av. das Hortências, 4665 Tel: (55-54) 3286-1608/ www.belavista.tur.br

Segundo o empresário Zanis Coelho, o Café Colonial teve sua origem na cultura e cozinha dos primeiros imigrantes alemães. As mesas fartas eram apreciadas por viajantes e turistas, que ao chegarem tarde da noite em cidades onde não havia hotéis, ou mesmo restaurantes, eram recepcionados por colonos que ofereciam alojamento e refeições. Essas iguarias já eram tradicionais também nas festas de Kerb, onde após as missas dominicais, os fiéis, acompanhados de uma bandinha, dirigiam-se ao salão paroquial onde tinha início todo o ritual dos Kerbs, e esse costume começou a atrair cada vez mais gente. Da necessidade de atender aos turistas os colonos deram o início ao Café Colonial. Todas essas iguarias traduziam também a fartura à mesa das casas de colonos, que antes de irem cedo para seus afazeres nas pequenas propriedades rurais saboreavam as iguarias. “Como ficavam do alvorecer ao anoitecer envolvidos no trabalho, tinham o costume de tomar o Café do Colono, por nós comercialmente chamado de Café Colonial” explica Zanis Coelho.


Gramado - Brasil

EEdição dição EEspecial special FFestival estival ddoo TTurismo urismo - G Gramado ramado - NNovembro ovembro 22012 012 - DDistribuição istribuição G Gratuita ratuita

Adriana Franciosi/Divulgação Setur POA

Belos destinos, novos segmentos,

inovação e acessibilidade Edição Especial Festival do Turismo Novembro 2012

País na rota do Turismo mundial Região da Catedral Metropolitana de Porto Alegre


Gramado 2012