Page 1


2

Mulheres, Jovens, Adolescentes e Crianças atendidas em 2015 Nós que fazemos a Amunam valorizamos a aprendizagem e sabemos que o mercado exige, cada vez, o conhecimento. Por isso, investimos na realização de cursos, promovendo a formação sociopolítica e empreendedora das mulheres assistidas pela Associação. No ano de 2015, a Amunam atendeu mais de mil mulheres e homens; realizou oficinas temáticas e cursos profissionalizantes nos projetos:

A Arte do Maracatu Coração Feminino, Uma História Dentro da Outra Mulheres do Maracatu Rural - Vencendo Paradigmas e Fortalecendo as Raízes da Cultura Popular, Chapéu de Palha Mulher, além dos cursos de Bonecas em emborrachado, Corte e Costura e Mini Estandartes de Maracatu. Acompanhe, no Quadro abaixo, os números de 2015:

Crianças, filhas/os das trabalhadoras rurais do chapéu de palha: 110 Crianças e Adolescentes - Projeto Dando a Volta: 60 Jovens e Adultos - Curso de Informática Básica e Avançado: 70 Mulheres - Chapéu de Palha: Formação sociopolítica e empreendedora: 275 Mulheres - Palestras nas Comunidades rurais e urbanas: 378 Mulheres - Cursos profissionalizantes na Amunam: 110 Mulheres e Homens - Telinha nas Comunidades: 235 Mulheres e Homens - Momento Beleza na Comunidade: 98

É graça divina chegar ao final do ano, contando tantas histórias de superação, de enfrentamentos e de vitórias. No ano de 2015 enfrentamos dificuldades! Como tantas organizações sociais deste País. Mas vencemos e estamos vencendo. Estamos, assim podemos dizer, cientes de que o ano que se aproxima trará desafios, não menores dos que já enfrentamos. Mas temos certeza: juntas e juntos superaremos todos eles!

E DI TO RIA L

Ao escrever o que escrevemos, não o fazemos para colocar “mel” na rotina. Mas escrevemos porque, os que nos acompanham, bem sabem que toda a nossa história foi

Eliane Rodrigues

Um 2016 de superações, renovação de conquistas e de união! Que nunca nos falte

Coordenadora Executiva da AMUNAM

e é escrita em meio a muitas lutas! Assim, agradecemos a todos e todas que assumiram conosco o compromisso de ser Amunam! E, desde agora, o convite: continuem conosco! De forma direta e indireta. Participando ou apoiando as ações dessa organização que nasceu da consciente missão que temos, cada uma de nós, de semearmos nas mentes e nos corações, o desejo de um mundo melhor, onde a mulher seja vista, percebida, entendida e aceita com todo o seu potencial humano. a coragem, que nos impulsiona a ir em frente! Que nunca nos falte a fé, alimento para as nossas decisões!


3

Comunidades rurais e urbanas de Nazaré da Mata recebem orientações sobre políticas públicas, através da Amunam Homens e mulheres de dez comunidades, sendo 03 da Zona Rural de Nazaré da Mata (Limeirinha, Babilônia e Engenho Lagoa do Ramo de Cima ) e 07 da Zona Urbana (Eugênio Bandeira, 11 de Julho, Centro, 5 Corações, Tamataúpe, Alto da Boa Vista e Madalena) participam de encontros para aprender, debater, comentar e o melhor: pôr em prática assuntos apresentados pela Amunam, não só aqueles relacionados ao papel da mulher (acolhimento, violência, Lei Maria da Penha, a mulher e o espaço de poder, saúde e outras questões de gênero), mas também sobre o Mapa Social das Comunidades, a sociedade e a sua organização e empreendedorismo.

“É importante levarmos essas temáticas de políticas públicas às comunidades, oportunizando que homens e mulheres compreendam e reflitam como exercitar a cidadania, e que se empoderem para exercer seus direitos e deveres, possibilitando e contribuindo no processo de mudanças e conquistas”, declarou Eliane Rodrigues. O conhecimento é sempre motivador e chega, inclusive a mexer com a auto estima das pessoas, como declara a dona de casa Marcela Maria, 47, que mora na comunidade de Limeirinha: ”gostei muito desses encontros, aprendi assuntos importante, saber e conhecer

Quando o assunto vira livro e quando o livro é o assunto Temáticas como Cidadania, Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA); Educação Sexual; Meio Ambiente; Artesanato com material reciclável; Danças Culturais; além de karatê, audiovisual, informática e oficinas de leitura foram, durante o ano, vivenciadas por crianças e adolescentes do Projeto Dando a Volta por Cima, desenvolvido pela Amunam, visando a prevenção e o enfrentamento da violência doméstica e sexual. Essas crianças e adolescentes - na faixa-etária de 08 a 17 anos de vida - vivem em situação de vulnerabilidade socioeconômica no município de Nazaré da Mata e encontram, no Projeto Dando a Volta por Cima, um suporte para enfrentar as adversidades da vida. E não é que o aprendizado virou livretos? As rodas de diálogos estimularam as leituras, que acendeu um sinalzinho verde à criação

literária e eis que o(a)s participantes do projeto soltaram a imaginação e escreveram, sobre cultura, drogas, racismo, violência contra a mulher e meio ambiente. E, claro, não deixaram também de escrever sobre a Amunam! Foi uma forma bem interessante de mostrarem que estão dando a volta por cima e, do alto

meus direitos e deveres assuntos que me fez refletir como educar sem violência, principalmente violência contra mulher e lei Maria da Penha. hoje me sinto mais importante”. Quanto a temática é saúde, muitas das mulheres que participam do encontro passam a ter outra percepção sobre o corpo e os cuidados com o mesmo. “No meu entendimento, a saúde era outra coisa. Eu só procurava um médico quando realmente precisava. Prevenção não existia, para mim. E foi através dessas informações que despertei para me cuidar melhor”, declara a dona de casa, Maria de Lourdes de Lima, 49, moradora da comunidade Alto da Boa Vista. dos seus sonhos, construindo uma realidade diferente. Como nos conta Josemir Henrique, 16: “Eu venho desenvolvendo bastante meu potencial, com essas oficinas temáticas, principalmente na parte da cultura. São nessas oficinas que desenvolvo minhas loas voltadas para cultura e para a mulher. Aprendi a origem do Maracatu. E, hoje, sou outro! Estou fazendo parte da Ciranda Pequenos Guerreiros. E é assim que me sinto: um guerreiro! Sinto uma emoção imensa em fazer parte desse grupo! Estou crescendo para o futuro!”


4

Responsabilidade com o Meio Ambiente O projeto Dando a Volta por Cima mostra também a sua responsabilidade na destinação do lixo eletrônico: computadores obsoletos e queimados não são jogados no lixo, condenados a contaminar o meio ambiente – eles são transformados em cestos para depósito de lixo. Recebem as cores da reciclagem e, além de deixar o ambiente mais alegre, são prova de que a Amunam leva a sério o dizer: “na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma” “Nós trabalhamos com e para a transformação de pessoas. Então, a transformação desses equipamentos, tem tudo a ver com nossa proposta de transformar. A realidade se transforma, a partir de gestos nossos. De atitudes sérias. E pode ser ações como essas, inclusive. É lição para todos nós”, argumenta o instrutor de Informática, Glemerson Paiva. Por falar em lição, o dever de casa foi bem feito pelas crianças e adolescentes do Projeto. Como prova Danielle Marques, 12,: “Achei muito importante o que aprendi na oficina de informática sobre os lixos eletrônicos. Eles prejudicam o meio ambiente e, por isso, não devem ser jogados fora, juntos com os outros resíduos. Esse lixo pode ser transformado em artes e também ser uma renda para ajudar a família”. Lição que também foi bem

apreendida por Gabriel Pierre, 12, “Uma boa ideia é o reaproveitamento do material como teclado, mouse e placas, em reciclagem e criações de objetos. Isso, podemos fazer”. Podemos, sim, Gabriel. E devemos! O Planeta e todos os povos que nele habitam agradecem. E o que mais dizer do projeto que dá essa volta na mente e no coração dessas crianças, desses adolescentes e dos quem conhece o Dando a Volta por Cima? Deixemos que a coordenadora do projeto, Marliete José, ela mesma avalie o que foi o ano de 2015: “foi um ano de muito envolvimento de todas/os participantes do projeto. Tivemos a inclusão dos meninos nas oficinas, que

Emoção e aprendizado no projeto Telinha na Comunidade Um momento onde os olhos se prenderam à tela e a emoção ficou estampada no rosto. Foi assim para os participantes do Programa de Assistência ao Idoso (PAI), que participaram da ação do projeto Telinha na Comunidade, realizado pela Amunam. Dessa vez, a exibição foi o filme O Farol, que enfoca a relação entre um pai e um filho. Sem tirar os olhos da telinha, dona Maria José, 66, ficou emocionada com o que viu e ouviu dos personagens: “Ave Maria! Uma história muito bonita. É muito triste a vida solitária. Viver sozinho não é bom para ninguém. Quando a noite chega, a solidão aumenta”, comentou, referindo-se à importância que é para os pais terem os filhos dedicados, quando chega a velhice. O projeto é realizado nos bairros de Nazaré da Mata: “são sempre vídeos educativos que trazem uma mensagem de reflexão. Foi uma forma que encontramos de levar alegria e, ao mesmo tempo, promover o conhecimento, para as pessoas. Muitas dessas pessoas já comentaram o quanto esse projeto está lhes fazendo bem”, comentou Eliane Rodrigues.

veio a enriquecer os ideais da Amunam, na luta pelo trabalho de gênero. Seja na dança cultural, nas atividades esportivas, nas leituras, ou nas produções de texto, verificamos o entusiasmo das meninas e do meninos do projeto. E como grande resultado do nosso trabalho na valorização da cultura popular, surge a Ciranda Pequenos Guerreiros - mais um trabalho da instituição no enfrentamento da violência contra a mulher, e na luta contra o preconceito”. É isso! É a Amunam dando voltas e voltas ao redor de sonhos e de ideias. É a Amunam no seu Dando a Volta por Cima, que aponta para cima e... para o alto! Que venha 2016, para darmos novas voltas!


5

Em 2016, a Amunam chegará às telas de cinema O ano de 2016 já promete boas novidades para a Amunam: o Maracatu Coração Nazareno, no dia 08 de dezembro, participou de gravações para o curta-metragem baseado na ficção Leão Cromado, de iniciativa do projeto Favela News, da Cidade de Santa Catarina - Florianópolis. No filme, o Coração Nazareno mostra como as mulheres e a força da cultura popular pode transformar a realidade local. A estreia está programada para maio de 2016. Mais uma conquista de espaço, mais uma forma de mostrar e valorizar o trabalho desenvolvido por essa Associação.

Mestra Gil, do Maracatu Coração Nazareno, recebe homenagem no Recife Dia 03 de Dezembro, a Mestra Gil, do Coração Nazareno, Maracatu da Amunam, foi homenageada no Seminário Gênero e Patrimônio Cultural, promovido pela Secretaria Estadual da Mulher, que discutiu a influência da mulher na cultura pernambucana. A mesa de homenagem no Seminário de Gênero e Patrimônio Cultural, trouxe pela primeira vez, à Caixa Cultural do Recife, o debate com recorte de gênero e patrimônio cultural. Nessa ocasião, a riqueza da cultura local dentro do universo da mulher pernambucana pode ser vista através de lideranças nos segmentos da música, artesanato, circo, teatro e cultura popular. Dentre as homenageadas estão mulheres que representam os desafios do protagonismo da mulher na salvaguardado patrimônio cultural, como a Mestra Gil do Maracatu de Baque Solto Coração Nazareno/Nazaré da Mata; Mestra Joana Cavalcante do Maracatu Nação Encanto do Pina/Recife e Nice Teles, do Cavalo Marinho Estrela Brilhante/ Condado.

“Receber esta homenagem hoje, representa aqui, a força da mulher nazarena, que luta por uma transformação e igualdade de gênero em nossa socie-

dade, quebrando aos poucos, a cultural machista e patriarcal ainda impregnada no mundo cultural”, emocionada, ressalta a Mestra Gil.


6 Ana Cláudia! Essa história queremos contar para você! No dia 13 de novembro, o estúdio da Alternativa FM contou com a grata presença de Ana Cláudia da Silva, a atleta paralímpica nazarena, que foi entrevistada por Eliane Rodrigues, no Programa Espaço da Mulher. Foi um bate-papo emocionante, envolvente, estimulante e nós, que fazemos o jornal Mulher Cidadã, resolvemos presentear o(a)s nosso(a) s leitores, contando-lhes a história dessa jovem vencedora! Vamos à história! Ela tinha tudo para reclamar e estacionar a vida: natural de Nazaré da Mata, Zona da Mata Norte de Pernambuco, quando nasceu, a crise financeira pesava no orçamento familiar. O pai, José Eduardo da Silva, estava desempregado e era da mãe, Maria da Conceição Morais Martins, empregada doméstica, a única fonte de renda da família. O que não estava bom piorou quando, aos seis anos de vida, em decorrência de uma queda, Ana Cláudia passou a ter comprometida parte da flexibilidade do fêmur da perna direita. Mas, a lesão que limitou os seus movimentos também lhe trouxe um dese-

jo imenso de superação. Aos 12 anos de idade, a nazarena começou a praticar futebol, vôlei – era tudo diversão. Da diversão à profissionalização foi muito esforço e dedicação. Quando resolveu abraçar a carreira de atleta, precisava tomar uma decisão: abandonar o cargo efetivo na agência dos Correios de Buenos Aires. E assim fez! Os treinamentos foram intensificados com o apoio do Núcleo de Educação Física e Desportos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O fato é que Ana Cláudia tornou-se uma referência no atletismo paralímpico brasileiro. De conquista em conquista, vem escrevendo a sua história. Aos 27 anos de idade, quebrou o recorde Panamericano em salto a distância, conquis-

Nazaré da Mata agora conta com Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência Dia 20 de novembro, o município de Nazaré da Mata deu mais um passo em favor da defesa à qualidade de vida da mulher, com a inauguração do Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, Eliane Brito de Barros, em parceria firmada entre o governo estadual, através da Secretaria Estadual da Mulher e a Prefeitura Municipal, através da Coordenadoria Municipal de Políticas para as Mulheres, e com o apoio da Amunam. “O Centro de Referência é uma conquista das mulheres! Nós só temos a agradecer por podermos contar, a partir de agora, com um espaço diferenciado para o atendimento à mulher”, comemora Coordenadora Municipal de Políticas para as Mulheres, Gilcélia Barboza. No local, serão disponibilizados serviços voltados ao atendimento psicológico, social e jurídico para mulheres em situação de violência. O local recebeu o nome de uma mulher nazarena - Eliane Brito de Barros – que foi auxiliar administrativo na Escola Maciel Monteiro e que, no ano de 1988, aos 26 anos de vida, foi assassinada pelo ex-noivo, inconformado com o fim do relacionamento. O Centro de Referência da Mulher Eliane Brito de Barros fica localizado na Rua Dom Carlos Coelho, nº39, no centro da cidade, próximo ao antigo prédio da UPE.

tando uma medalha de ouro e outra na modalidade de 100 metros rasos. Os bons resultados conquistados em 2015, no mundial em Doha, no Qatar, fez com que a esportista entrasse para lista de referência em competições paralímpicas, como representante do Estado de Pernambuco, sendo selecionada pela comissão da seleção brasileira, para disputar as Olimpíadas, no Rio de Janeiro em 2016. Esta é a história de Lalá. E outras histórias de muitas “Lalás”, que também se chamam Josefa, Maria, Ana e tantos outros nomes, nós, que fazemos a Amunam, temos a gratidão de conhecer e divulgar! São de histórias de mulheres que marcam a vida com a marca da superação!


7 Nazaré da Mata realiza de mãos dadas os 16 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra a Mulher A Campanha 16 dias de Ativismo – pelo fim da violência contra as mulheres contou com total adesão da Amunam. A campanha é uma mobilização anual, praticada simultaneamente por diversos atores da sociedade civil e poder público engajados nesse enfrentamento. Além da Amunam, participaram da Ação, a Coordenadoria da Mulher, Centro de Referência de Atendimento da Mulher - Eliane Brito de Barros, Secretaria Muni-

cipal de Educação, Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social, GRE Mata Norte e a Secretaria Estadual da Mulher. A programação da Campanha foi realizada de forma intersetorial. “Tivemos a participação de muitas mulheres e uma programação muito rica. Foram realizados atendimentos jurídicos às mulheres; Oficina com o tema As relações de Gênero na Sociedade Atual; Palestras sobre Sexualidade x Juventude e

Coco pra se dançar! O mês de novembro encerrou com festa! Uma homenagem pelos 11 anos do Coco Canavial, do mestre Valmir do Coco, reuniu, dia 31 de novembro, em Nazaré da Mata, grupos de cultura popular de raiz, deste município e região. A Ciranda Pequenos Guerreiros e Flores do Coco; grupos formados por integrantes da Associação das Mulheres de Nazaré da Mata (Amunam), abrilhantaram o momento e deram um toque a mais no brilho da festa com os versos poéticos da Ciranda e do Coco. No repertório do Grupo Cultural Flores do Coco, o ritmo envolvente do coco de roda, com a interação das dançarinas, levantaram aplausos. “Foi um momento muito especial fazer parte desta festa da Cultura Popular, com o objetivo de parabenizar o amigo Walmir do Coco”. Sônia Santana, 33, vocalista do Flores do Coco.

sobre o exame de próstata nas unidades de saúde do município, além de Panfletagem na feira livre”, explicou Gilcélia Barboza, Coordenadora Municipal da Mulher. A culminância das ações da Campanha foi o Festival de Teatro com o tema: Nem Tudo que parece é! Norteando a Violência Doméstica. “As apresentações teatrais sobre violência doméstica, produzida pelos alunos e alunas da rede pública de ensino, foram muito aplaudidas pelos presentes e nos trouxeram reflexões para a vida e para contribuirmos de mãos dadas na luta pela minimização da violência contra as mulheres, em nosso município, emocionada explicou Célia Lino, Psicopedagoga da Amunam.

Amunam também promove a beleza! Cuidar da saúde, do corpo e trabalhar a beleza no nosso corpo, também é valorizar a vida! Pensando assim, a Amunam promoveu, em parceria com as alunas do curso de cabeleireiro da Professora Neinha Cabeleireira; Luzitânia Fortunato, Cabeleireira e Marcelo Cardoso, a ação Beleza na Comumidade: um mimo que elevou a auto estima dos moradores em situação de vulnerabilidade social, do bairro 11 de Julho, onde aconteceu a ação; atendendo crianças, adolescentes, adultos e a terceira idade. “A iniciativa tanto foi bom para nós, que pudemos exercitar a prática, com nossas alunas, como para as pessoas que vieram usufruir do que ofertamos. Ficamos muito felizes em participar dessa ação da Amunam. Feliz parceria”, comentou a professora Neinha Cabeleireira. Não menos felizes ficaram as pessoas que puderam receber novo corte nos cabelos e procedimentos como escova e relaxamento.


8

Jornal Amunam 32  

Jornal Informativo Institucional: Mulher Cidadã. #Amunam #MulherCidadã #InformativoInstitucional

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you