Page 1


2

Mulher tem espaço garantido no Espaço da Mulher De uma inquietação, de uma pergunta que fazia Eliane Rodrigues - como levar de maneira mais fácil e acessível a todas as mulheres as informações de que elas precisam para tornar suas vidas melhores? – veio a resposta: através das ondas do rádio! Sim! Afinal, o rádio é o meio de comunicação que abrange todas as classes sociais, sem distinção. E foi a partir dessa inquietação e movida por esse desejo, que a Amunam criou o Espaço da Mulher: para se expressar, discutir suas ideias e opiniões, reclamar, reivindicar, elogiar ou criticar, aplaudir, parabenizar, ouvir e ser ouvida. O que mais dizer, se não parabenizar a Amunam e agradecer a Eliane Rodrigues por seus questionamentos, seus desejos, sua vontade de mulher guerreira. Os parabéns são extensivos a todas as mulheres. E eu só posso me sentir honrado, feliz, realizado em contribuir com essa conquista. Bartolomeu Barata - Assessor Técnico da Rádio Comunitária Alternativa FM

Você precisa e a Amunam apoia No que depender da Amunam, nenhuma mulher do Município de Nazaré da Mata deixa de ter documentos como: Identidade, Carteira de Trabalho, Registro de Nascimento e Casamento. São documentos importantes para qualquer cidadão e cidadã, pois eles provam a existência das pessoas. Por isso, a Amunam é parceira da Secretaria Estadual da Mulher e da Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres de Nazaré da Mata. No último dia 04 de julho abriu as portas da sua sede para a segunda etapa da Campanha Nenhuma Pernambucana sem Documentos.

Ler para saber

As sessões da Câmara Municipal de Nazaré da Mata podem ser acompanhadas ao vivo, pela Rádio Comunitária Alternativa FM 98,5 da Amunam. Esse serviço prestado à população teve início em março de 2014 e significa uma conquista pela qual a Associação batalhava há onze anos: “Desde o ano de 2004 que nós tentávamos fazer essa transmissão, ao vivo. Entendemos o valor, a importância de levar as informações em tempo real, aos nossos(as) ouvintes e internautas. É mais uma ferramenta de transparência, de conhecimento da realidade”, comemorou Eliane Rodrigues. A transmissão ao vivo acontece todas as segundas-feiras, às 16 horas. Ligando o rádio ou o computador, sintonizando na comunicação da Amunam (Rádio e Blog), o/a ouvinte ou internauta ficará sabendo o que está sendo debatido ou votado na Casa Joaquim Nabuco.

Para estimular a leitura, a Amunam estreou, em maio, na Rádio Alternativa FM o programa O Conto que Conto do Conto, apresentado por Gilcélia Barboza. O objetivo do programa é promover e fomentar ações de leitura de livros. Com edições diárias, o programa abrange as temáticas: O Conto que Conto do Conto, Políticas Públicas do Livro, Leituras em Ação, O Palco do Escritor e a Árvore que Dá Livro.

E DI TO RIA L

Ouvintes podem acompanhar sessões da Câmara de Vereadores/as

Eliane Rodrigues Coordenadora Executiva da AMUNAM

O Mulher Cidadã está recheado de boas notícias! 20 anos do Espaço da Mulher, programa de rádio, onde a mulher tem espaço seguro. A Rádio Comunitária Alternativa FM oferece a toda e qualquer mulher, esse espaço! E isto há 20 anos! Mostramos como um curso estimulou as mandiocultoras e, ainda, o jeito Amunam de promover a cultura, não só em Nazaré da Mata, mas em outros municípios pernambucanos, inclusive no Recife. Tem tudo isto e tem muito mais! Boa leitura!


3

Seminário para falar de cultura e de produção cultural Quando se consegue reunir, em um só projeto, política cultural, cultura popular e produção cultural, o resultado tem que ser muito bom! E é! O Seminário Cultura Popular, Produção Cultural e Política Cultural foi realizado pela Amunam, no Engenho Santa Fé (Nazaré da Mata), em maio último, onde foram apresentados resultados de dois projetos culturais da Associação: Ponto de Cultura Engenho dos Maracatus, realizado em parceria com a Fundarpe e o Ministério da Cultura e o Projeto Método Canavial, voltado para as mulheres da Zona da Mata e realizado em parceria com a Secretaria de Política para as Mulheres da Presidência da República.

“O encontro servirá de parâmetro para novos projetos, iniciativas e ações do Movimento Canavial, que desde 2006 reúne artistas, empresas, associações, engenhos e produtores da Zona da Mata Norte de Pernambuco”, explicou o coordenador do seminário e produtor cultural da Amunam, Salatiel Cícero. Para falar sobre Cultura Popular – Realidades e Desafios, o Seminário, mediado por Eliane Rodrigues, contou com a participação do Professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Severino Vicente da Silva e da Yalorixá Mãe Beth de Oxum, do Ponto de Cultura Coco de Umbigada. Para debater sobre o tema

Maracatu e Maracatuzeiros – A produção cultural dos Maracatus, foi tema de uma mesa redonda, coordenada pela produtora cultural e coordenadora da Associação dos Filhos e Amigos de Vicência (AFAV) , Joana D’arc, que contou com a participação do presidente do Maracatu Estrela de Ouro de Aliança, Mestre José Lourenço da Silva e Mestre Luiz Caboclo do Maracatu Leão Misterioso de Nazaré da Mata, Mestre João Paulo. A Política Cultural da Zona da Mata de Pernambuco foi último assunto debatido e contou com a participação do produtor cultural e coordenador da Mostra Canavial de Cinema, Caio Dornelas ; produtor cultural e consultor de Políticas Culturais, Afonso Oliveira, em mesa redonda mediada pelo produtor cultural da Amunam, Salatiel Cícero.


4

Seminário reúne mandiocultoras no auditório da Amunam Um total de 120 mandiocultoras dos municípios de Chã de Alegria, Feira Nova, Glória do Goitá, Lagoa de Itaenga, Pombos e Vitória de Santo Antão participaram, no dia 03 de julho, do Seminário de Encerramento do Curso da Rede de Agentes de Políticas Públicas para Mulheres Rurais da Mandiocultura, do projeto Artesãs Empreendedoras, coordenado pela Secretaria Estadual da Mulher e executado pela Amunam. O evento, realizado no auditório da Amunam, contou com a presença da Secretária Estadual da Mulher, Cristina Buarque que enfatizou: “É muito importante a união entre as mulheres participantes do projeto, para o alcance de novas metas. Elevar a escolaridade das mulheres que trabalham na madiocultura, é um grande desafio para nós. Vamos adiante”. O cur-

so Artesãs Empreendedoras, promoveu a formação sociopolítica e a capacitação em técnicas sustentáveis de manuseio da mandioca, além de informações sobre Gastronomia. Além das mulheres do projeto, participaram do evento a Secretária Cristina Buarque, a Gerente de Articulação e Interiorização, Márcia Aguiar, a Coordenadora Regional da Mata Norte, Otenilda Oliveira, todas representando a Secretaria Estadual da Mulher, representantes da Gerência Regional de Ensino da Mata Norte, Arlete Araújo, da Secretaria Municipal de Educação, Maria da Rocha, do vereador Salustiano Pereira, da Secretária da Ação Social de Lagoa de Itaenga, Nadi Santos e outras lideranças, técnicos, educadoras e recreadoras.

“Sou Líder Comunitária do Assentamento Açude Grande, de Vitória de Santo Antão. Nós mulheres aqui do Assentamento estamos muito felizes por este Projeto ter chegado até nós. A partir de hoje, não somos mais as mesmas. Aqui neste espaço humilde, acontecem nossas reuniões com a Associação dos Agricultores Familiar, aqui discutimos sobre a nossa terra, nossa gente. Declaro, com o coração, como o Projeto Artesãs Empreendedoras nos deixa o desejo de ver a nossa comunidade melhorar. Agora é nos unirmos!” (Edite Severina da Silva)


5 “A cada tema trabalhado, a cada expressão facial e o desejo de expor suas angústias quando eu reflito o quanto foi importante estar com elas. Talvez uma missão que eu tinha a fazer aqui em Chã de Alegria. Aprendi muitas coisas com as mulheres e elas me deram fortaleza e desejo da continuidade”. (Iraneide Ribeiro, Nutricionista)

“Agradeço a Deus por ser raspadeira de mandioca. Ganho meu dinheirinho, mas também sei o quanto fico cansada. Às vezes tenho vontade de gritar: Não quero mais! Daí vem este Projeto que me fez acordar e, ao mesmo tempo, sonhar e saber que hoje posso mudar meu jeito de caminhar. Acredito que se nós ficarmos mais unidas poderemos criar um grupo de produção com comidas de macaxeira, montar uma barraquinha, vender comidas em festa! É assim! (Maria Denise da Silva)

“Senti-me privilegiada por ter feito parte da história de vida dessas mulheres guerreiras, muitas de vida sofrida, mas que encontraram, no curso, um refrigério, um bálsamo. Quando via o sacrifício de algumas, em extremo esforço para estar ali, cansadas, vindas de outras atividades, da raspagem de grande quantidade de macaxeira, eu tinha a certeza que valia a pena exercer meu papel de educadora. Como diz o grande Paulo Freire: “não há saber mais ou saber menos” Há saberes diferentes”. E, de fato, pude vivenciar isto.Aprendi muito.” (Aldjane Alves, Economia Doméstica)

“Nesta comunidade pequena, aprendemos a conviver com todos e a sonhar. Antes, cada uma em sua casa. Mas, a partir do Projeto Artesãs Empreendedoras, poderemos ir mais longe! Queremos nos organizar e formar a Associação das Mulheres de Chã de Aldeia. Quem sabe se juntas não podermos produzir comidas para ganharmos um dinheirinho? De uma coisa tenho certeza: eu e as mulheres aqui deste grupo jamais seremos as mesmas”. (Joana Maria da Silva)


6

Amunam realiza passeio ecológico Respirar ar puro, ter contato com a natureza, conhecer mais sobre a fauna e a flora e participar de atividades de educação ambiental. Foi com esse propósito que as crianças e as adolescentes do Projeto Dando a Volta por Cima e as mulheres do Programa Exercitando a Cidadania da Amunam realizaram uma visita ao Jardim Botânico do Recife, localizado no bairro do Curado – uma unidade de conservação administrada pela Prefeitura do Recife.

Na área estão preservadas biodiversidade da Mata Atlântica. Para mostrar a importância do lugar aos visitantes, são realizadas atividades em educação ambiental, como caminhadas ecológicas, exposição permanente da mata atlântica, exibição de vídeos com temas ambientais e visitas aos viveiros de plantas medicinais e florestais. O Jardim Botânico possui ainda um orquidário para visitação, produção e permuta de orquídeas e um meliponário de abelhas nativas.

Projeto Minha Cultura, Minha Identidade Vista por Outros Olhares Durante três meses, 25 adolescentes e jovens moradores/as de três bairros da periferia da Cidade de Nazaré da Mata estão participando do projeto de ações de educação patrimonial “Minha Cultura, Minha Identidade Vista por Outros Olhares”. Através de oficinas com 72 horas de aulas, os/as inscritos/as no projeto terão aulas duas vezes por semana.” A proposta é estimular a produção e a difusão de

bens culturais, trabalhando com o resgate e a valorização das culturas locais, capacitando os/as participantes através de oficinas teóricas e práticas: iniciação no audiovisual e na discussão de políticas públicas, culturais e sociais”, Salatiel Cícero, coordenador do projeto. As oficinas iniciaram dia 09 de julho, no Auditório da Amunam. As/os educadores/as sociais são pessoas capacitadas

“Foi uma sensação incrível, um lugar lindo onde aprendemos a cuidar da mãe natureza”. (Wanessa Maria, 12 anos) “A visita ao Jardim Botânico foi uma viagem divertida, pois tive uma aproximação com mulheres mais jovens. Além disso, pude entrar em contato com a natureza. Foi encantador!”. (Maria do Carmo, 82 anos) “Fiquei admirada com a beleza das árvores e com a explicação do guia que nos ajudou a ser mais consciente para cuidar do meio ambiente”. (Wiliany Karolayne, 11 anos) “ Incrível foi ver o bicho-preguiça! Quando assisti ao filme, vi o quanto é importante preservar a natureza. É uma sensação maravilhosa entrar no Jardim Botânico. Quero ir mais vezes”. (Marlena Vinssey, 10 Anos)

na área de educação patrimonial e educomunicação e moradores/as dos municípios de Nazaré da Mata e Vicência. Os resultados deste trabalho serão expostos em evento de encerramento contendo exposição fotográfica e mostra de vídeos produzidos por alunos/as participantes, no mês de novembro deste ano.


7

Flores já dão frutos! O Grupo Cultural Feminino Flores do Coco, formado por mulheres assistidas pela Amunam, tem somente um ano de criação, mas já conquistou um espaço no coração das pessoas. Nos festejos de São João, as mulheres do Flores do Coco, literalmente, fizeram a festa! Não só em Nazaré da Mata e em outros municípios da Zona da Mata Norte mas, também, pela primeira vez, na capital pernambucana, a convite da Prefeitura do Recife.

Deram show de animação nos pólos juninos da Praça do Arsenal, no centro do Recife e no Alto do Capitão, no Bairro de Dois Unidos, Zona Norte da cidade, onde levaram as pessoas a dançarem o coco, expressão de dança enraizada na cultura popular nordestina. O Grupo Feminino Flores do Coco é um projeto cultural mantido pela Amunam, onde a cultura popular é aliada no enfrentamento da violência contra a Mu-

lher. “Através desse grupo, as mulheres atendidas pela instituição ocupam ainda mais os espaços culturais e a preservação da memória e da cultura pernambucana. Nossa missão é o enfrentamento da violência contra mulher, o que fazemos, transmitindo uma cultura de paz e cidadania”, enfatizou a comunicadora social e musicista da Amunam, Lucicleide Silva.

Quadrilha da Amunam abrilhanta o São João de Nazaré da Mata Dando a Volta por Cima esquentou a abertura do São João de Nazaré da Mata. A quadrilha junina, grupo, formado há quatro anos, por 16 crianças e adolescentes, tem como objetivo, além da diversão,estimular crianças e adolescentes a valorizarem a tradição cultural dos festejos juninos. “É uma forma de oferecer oportunidade de descontração, socialização e ampliação dos conhecimentos, através da dança cultural, da pesquisa”, comentou Gilcélia Barboza, Educadora Social da Amunam.


8

Unindo saberes Na Amunam, o mês de maio encerrou com uma programação bem especial: a visita das pessoas do “Projeto Encontro na Estrada”, que tem como objetivo incluir pessoas com carências e talentos especiais às diversas formas de convivência em sociedade, desenvolvendo suas habilidades mais íntimas nas artes: plásticas, literárias, fotográficas e cênicas. “Foi um encontro maravilhoso, onde trocamos conhecimentos. Apresentamos nossos projetos, falamos da nossa missão. As mulheres da Amunam apresentaram o

Caboclinho e o Coco-de-roda. Foi lindo!”, disse Mauricélia Lino, Psicopedagoga da Amunam. Os participantes do projeto são exemplos de superação, talento e garra. Habilidades diversas, como: Marcela Sette - autora de seis livros, sendo o último - Sete Contos de Marcela Sette; Caio Rocha - artista plástico e poeta); Nilo Lins - artista plástico); Filipe Suassuna - fotógrafo); Ananda Gomes - assistente de administração; Fernanda Porto - artista plástica; Karina Lisboa - artista plástica; Fernanda

Tiné - assistente de administração; Ítalo Vilarim - assistente de administração; Humberto Suassuna - músico, professor de educação física e dança; Dilson Felipe músico; Hugo Falcão - funcionário público concursado; Bruno Ribeiro - universitário de turismo e escritor do livro: Quer saber? Eu quero contar – aprendizados e lições na Síndrome de Down; Rafaela Cordeiro dançarina do Balé Popular e outros tantos talentos que integram nosso grupo e contribuem ricamente com suas competências e dons ao meio social inseridos.

Informátivo Mulher Cidadã - AMUNAM 2014.3  

Jornal Quadrimestral da Associação das Mulheres de Nazaré da Mata - AMUNAM.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you