Page 1

JORNAL

PACITOS Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de F erreira

ESCOLA BÁSICA DE PAÇOS DE FERREIRA 2ª Edição - Páscoa 201 8

Dia dos afetos Clubes e atividades

Pág. 1 4/1 7 -Pilhão vai à escola -Um dia com números e história -Semana das Línguas -Internet Segura -Visitas de estudo

Orçamento Participativo

Biblioteca

Pág. 24/27 -Celebração do dia dos Reis -Visionamento de filme -Workshop de Informática -Conversa com a autora e professora Manuela Bentes -Artes de representação...

Desporto Escolar Pág. 1 8/21 -Basquetebol 3X3 -Modalidade Boccia -Corta Mato -Golfe na escola

Assembleia Municipal

Entrevistas Pág. 22/23 Profissões do passado Pág. 23

Escola Básica nº1 P. Ferreira

Escola Básica nº2 P. Ferreira

Escola Básica de Ferreira

Escola Básica de Meixomil

Escola Básica de Penamaior


Os Pacitos - Páscoa 201 8

2

pode deixar de ser enaltecida. Não podemos esquecer o excelente projeto no âmbito das Ciências Sociais “Rota do Românico”, que tem uma particularidade agregadora: desenvolve-se em ciclos contínuos de anos letivos, por um lado; envolve todos os ciclos de ensino do AVEPF, por outro. Uma outra referência importante é o trabalho desenvolvido pelos Serviços de Psicologia e Orientação. Encontramos aqui um ponto de articulação com as atividades internas e externas dos departamentos com excelentes sinergias ao nível da integração e orientação dos alunos. É por aqui que vamos: pelo desenvolvimento de novos projectos, pelo apoio aos seus dinamizadores, procurando cada vez mais envolver a comunidade. É o caso presente da construção do projeto educativo do Agrupamento para o período de 2018-2021. Com ele aprofundaremos a participação nos processos internos associados à tomada de decisão!

EDITORIAL

C

Adérito Ferreira Diretor do Ag. de Escolas de Paços de Ferreira

onstruindo o sucesso pedagógico…

Os primeiros meses de 2018 ficam associados à construção da nossa identidade comunitária. Lançámos os alicerces do novo projeto educativo cuja matriz deve permanecer no período de

2018 a 2021. Este documento referencial tinha uma missão muito clara e áreas prioritárias de intervenção que dominaram as nossas preocupações nos últimos anos. Destaco naturalmente o grande sucesso alcançado ao nível dos resultados escolares. O AVEPF é o nº 1 do Concelho de Paços de Ferreira nas provas de avaliação externa. Alcançar esta fasquia é um motivo de grande satisfação e ponto de passagem para novos sucessos! Mas o sucesso mede-se também em várias outras dimensões construtoras de uma cidadania ativa e responsável. Trata-se de operacionalizar um plano de actividades ambicioso e inovador sedimentado em mecanismos avaliativos que permitem uma melhoria contínua. São disso exemplo os projetos inscritos no Plano Anual de Atividades como a semana da leitura ou a semana da saúde. Outros revelam novas dinâmicas que envolvem os nossos professores e alunos: a participação premiada em diferentes modalidades desportivas não

E assim continuaremos a agir! O Diretor, Adérito Luís Vieira Ferreira

Orçamento Participativo 201 7/1 8

D

F- Bancos debaixo dos cobertos; e GNovo material para Educação Física e cidirem como devem ser investidas ve- Atividades Desportivas. rbas, no caso 500€, dos orçamentos No dia 15 de março, decorreu a públicos. votação que elegeu a proposta D- AquAssim, concorreram sete propo- ecimento dos Balneários. Francisca Pontes stas: A- Rádio escolar; B- Mesa de Mariana Fernandes Matraquilhos; C- Melhorar o campo de José Miguel jogos; D- Aquecimento dos balneários; Maria Brito E- Quadros brancos em todas as salas; 8ºB

Jornal "Os Pacitos"

Coordenadora:

Disciplinas Responsáveis:

Manuela Fernandes

Portugês e Ed. Visual.

Arranjo gráfico:

Colaboradores:

Jorge Pinto

Professores, alunos, Pais e

Redação:

Encarregados de Educação.

Nelza Santos,

Impressão:

Manuela Fernandes.

Reprografia

urante o mês de março, decorreu na nossa escola a organização do orçamento participativo com a participação ativa dos alunos do 3º ciclo. O orçamento participativo é um mecanismo de democracia participativa, que dá aos cidadãos o poder de dePropriedade:

Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira Escola Básica de Paços de Ferreira

Diretor: Adérito Ferreira

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

NO DIA DE REIS, NÃO FALTOU O BOLO REIS

O ambiente festivo, daqueles que viajaram pelo deserto, seguindo a estrela cadente, com seus presentes tão valiosos não estava completo… Faltava o tão lendário Bolo-rei, que tinha definido qual seria o primeiro a “dar” a sua oferenda ao Deus menino. Assim sendo, de postura importante e de coroas na cabeça, o

O DIA DO PAI foi colorido e docinho S

N

o dia 19 de março a EB2 de Paços de Ferreira, ”abriu” as portas, mais uma vez, aos Papás. Foram entrando, uns de forma tímida, outros de forma brincalhona, outros de forma reservada em cada sala. Cada um ao seu jeito… O G3 esperava ansiosamente…e assim aconteceu! Tivemos os meninos todos representados, com a ausência dos pais, vieram os padrinhos, madrinhas, mães… A alegria, a boa disposição, o sorriso rasgado em cada um dos rostos das minhas crianças foi

B

O CARNAVAL…

rincar ao Carnaval, ”jogar” confettis e fitas faz a alegria dos mais pequenos. O dia em que cada um irá vestir a personagem de quem mais gosta, aproxima-se e com ele o baile, o desfile, a brincadeira em grupo. Mas, como preparar a chegada do mesmo? Na EB 2 de Paços de Ferreira, a

grupo - G2 colocou a mão na massa… Para quê? Ser Rei Pasteleiro, foi o papel que cada um interiorizou. Dessa forma, a farinha, a água e o sal se misturaram e as frutas cristalizadas e frutos secos surgiram e pequenas bolas e minhocas moldadas em plasticina de diferentes

3

Educação Pré­Escolar

No Jardim-de-infância, brincamos às profissõesS

Sonhar, imaginar, dramatizar, “vestir” o papel da personagem daquilo que se deseja ser, quando for grande acontece no espaço sala. Mas, que melhor exemplo se pode ter se cada pai ou mãe nos contasse como é ser cores. Porque não brincar aos “GRANDE” ter um trabalho, uma pasteleiros?!Não sendo comestíveis profissão. fizeram as delícias de quem os fazia e via. Querem encomendas?! Lúcia Sousa G2

uma constante, ao longo do dia. Não faltou a fotografia (tendo como base uma moldura realizada para o efeito) de PAI-FILHO, a carimbagem das mãos de cada um num painel branco e, por fim, a fatia deliciosa de Pão de ló, (que nos foi gentilmente oferecida pela Associação de Pais). Ouviram a canção, entoada pelos seus educandos e receberam em mãos a prenda realizada com tanto carinho por cada um deles. Uma tela, onde cada um desenhou, contornou e coloriu o PAI e um postal onde o desenho a par do recorte e picotagem esteve igualmente presente. Um dia diferente, recheado de carinho, gargalhadas e surpresas para PAIS e FILHOS (as). Para o Ano há mais… e que não falte nenhum como este Ano.

Convidei, propus aos meus encarregados de educação que se deslocassem à sala e nos falassem da sua experiência com os seus educandos. E assim aconteceu… Tive a florista, o dentista, a engenheira de higiene e trabalho, a professora, a maquiadora profissional, a farmacêutica. Cada um recorreu a objetos, vocabulário, instrumentos que as identificavam para que cada criança pudesse gravar na sua memória o que cada profissão implica e exige. Experiências destas irão repetirse…pois tudo o que é prático e vivido jamais será esquecido.

Denise Semblano -G3

Lúcia Sousa G2

educador a Lúcia resolveu antecipálo da melhor forma… Transfor mou-se em palhaço “Luciette” e com a companhia do seu grupo, presenteounos, de forma alegre e inesperada a

todos, com uma canção divertida e ritmada. “Um por todos, e todos por um” é o que demostra a postura do G2 com os restantes grupos. Partilhar, brincar e divertir… Desta forma, todas as crianças tomaram consciência que o dia tão desejado estava a chegar e que os adultos-educadores também podem brincar, porque é …CARNAVAL Educadora Denise

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

4

Educação Pré­Escolar­Continuação

S

OMOS CIENTISTASS

Para quê as atividades de ciências no jardim-de-infância? São várias as razões que justificam a importância das ciências no pré-escolar: entre elas, satisfazer a curiosidade das crianças, fomentar a admiração, e entusiasmo, despertar o interesse pela ciência e pela atividade dos cientistas; contribuir para a construção de uma imagem positiva sobre a mesma;

Cantar as Janeiras?!S

A

tradição, ainda continua? Sim. Mais uma vez, a EB nº2 de Paços de Ferreira quis marcar a diferença, não deixando a tradição cair por terra - O cantar dos Reis ou as Janeiras teve lugar no dia 15 de janeiro. De coroas bem coloridas e vozes bem afinadas, as três canções ecoaram, de forma alegre, no pavilhão para os convidados presentes - elementos da

Os Maiores vieram visitar os mais pequenos da EB2 de Paços de FerreiraS

N

o dia 5 de março, a Escola Vértice esteve na nossa escola e apresentou- nos um teatro, denominado “Sorriso da Rita”. Eram grandes – diziam eles! São

Adivinhas

1-Uma casa com doze meninas. Cada uma com quatro quartos, todas elas usam meias, nenhuma rompe sapatos. O que é? 2-Não é duro, Não é mole; não se apalpa, não se come. Adivinhe…

desenvolver capacidades de pensamento (criativo, crítico, metacognitivo,… Foi com base, nestas razões que me propus convidar os pais /encarregados de educação a dinamizarem atividades nesta área. O entusiasmo dos filhos sobrepunha-se aos dos pais, que se sentiam “empurrados” a pesquisar, a procurar formas de “brincarem” com a ciência no jardim de Infância, com material de fácil acesso a cada um e de

conhecimento de todos. E assim aconteceu…num clima de relação aberta, pais, educadora e assistente operacional se construiu um espaço de confiança e de ação educativa participada. Tivemos os momentos de: flutua ou não flutua? o vulcão, a explosão das cores, o pote da calma. Experimentem!

Direção do Agrupamento, da Câmara Municipal, da Junta de Freguesia e da Associação de Pais. O empenho da Coordenação deste estabelecimento, na decoração do espaço, na organização do evento e nas oferendas elaboradas para os presentes demonstrou o profissionalismo, a dedicação à escola, que lhe é característica. A colaboração existente, também, entre docentes, não docentes e AEC’s permitiu assim que esta atividade

decorresse da forma planeada, idealizada e fosse igualmente do agrado dos presentes. É bom promover, sensibilizar os mais pequenos para estas tradições, que caracterizam bem a nossa cultura e a forma de estar do povo português. Continuemos com as JANEIRAS…

meninos grandes que ensinam coisas importantes… E assim foi…Os alunos “grandes” a frequentar a referida escola, promoveram uma sensibilização à escovagem de forma animada, colorida e divertida. Os diálogos, a música, as canções, o cenário, os adereços presentes ao longo desta apresentação, cativaram o público mais novo. Forma lúdica e diferente de incutir hábitos,

interiorizar rotinas. Bem-haja, estes momentos que nos são proporcionados, pois são sempre uma mais-valia para todos nós. O nosso obrigado à escola Vértice por ”pensar em nós” os mais pequenos.

3-Tem barbas e não tem queixo, Este bicho montanhês; Tem dentes mas não tem boca, Tem cabeça e não tem pés. Sabe o que é? 4-Qual é a coisa, qual é ela, que é vermelha, avermelhada, que caminha bem no mato mas não caminha na estrada? O que é? 5-Como se chama o homem

Denise (G3)

G3-Pré-Escolar Denise Semblano

Denise EB 2 de Paços de Ferreira

que ao recuar faz luar? 6-Dez e dez não são vinte, com mais cinquenta faz onze. O que será? 7-Casinha amarela, quase vermelha, não tem porta nem telha. O que é?

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

Atividades na Escola Básica nº1

E

, como o vento (ou será Como o Pensamento?) mais um período se foi!

1 º Ciclo

borear do pensar, do planear, do projetar, e, finalmente, do fazer! E fizeram-se muitas coisas! Tantas, que se corre o risco de se nomear só algumas… Começaria pelos ensaios e o Cantar das Janeiras. No dia seis de janeiro recebemos uma turma do 2º ciclo mais algumas das suas professoras, que nos trouxeram o seu “Cantar os Reis”. Foi com muita atenção e alegria que os recebemos e ouvimos! Já mais no final desse mês, que prazer receber os nossos chefes e representantes autárquicos…que satisfação partilhar momentos com os utentes velhinhos da Misericórdia e seus cuidadores depois de um longo afinar de instrumentos dos nossos parceiros tocadores…Estes fizeram com que as vozes das nossas crianças ainda soassem melhor!

Será de mim ou é verdade que o tempo passa a correr? Tão depressa que nem o sentimos! E mal acabamos de viver uma festa, uma comemoração, logo outra, que nos parecia longínqua, se apresenta! E logo chegou o CARNAVAL A idade traz-nos destas sensações com as máscaras e o desfileK mas a verdade é que as solicitações são foi uma alegria pegada, uma tantas que se perde a parte melhor: o saalerta para as A NATUREZA em poesia Todos, proteger

A

braça a NATUREZA num abraço bem fundo

Orgulha-te de a proteger! Amigos, temos de ser Ficaremos juntos até ao fim do mundo. Belas planícies e montanhas

5

Dando a vida se preciso for Um mundo verde, queremos ter! A erva verde… Pássaros a chilrear Que NATUREZA linda! Só me apetece cantar.

diversão saída do coração! Momentos mais ternurentos, a lembrar, a AMIZADE que entre todos devemos cultivar! Para isso lembrar, pintamos lenços à moda dos namorados de Viana do Castelo. E que lindos ficaram! Mas não se pode parar e toca a preparar a SEMANA da LEITURA. Com tarefas apetecíveis, livros à mistura, com leituras coletivas, tudo fizemos para realçar a importância da Biblioteca

e o que ela nos pode proporcionar. Vem aí o DIA dos PAIS e a Manhã Desportiva… eu sei que esta será mais uma etapa que irá reforçar a comunidade educativa à volta da sua escola, agora, finalmente, muito bem identificada! Coordenadora da EBnº1 Emília Pereira

Andorinhas a voar As flores a florir, A brisa tão fresca Tudo isto me faz sorrir! A natureza, tu estragas Se fazes poluição Pensa bem antes de agir Mostra que tens coração.

Alunos do 4ºA EBnº1 de P. F.

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


6

Os Pacitos - Páscoa 201 8

1 º Ciclo

A importância da higiene oral Seguidamente, ensinou

N

o dia 29 de janeiro de 2018 (segunda-feira), a enfermeira Carla, do Centro de saúde de Paços de Ferreira, veio dar uma palestra de higiene e saúde oral à Escola Básica

nos a observar a quantidade de açúcar nos rótulos dos nossos lanches e explicou–nos o que não devemos comer. A senhora enfermeira relembrou–nos como se lava corretamente os dentes, usando primeiramente o fio dentário e para terminar uma correta escovagem o bochecho com o elixir. Para concluir esta sessão (in)formativa, relembramos o interesse de trazer para a escola lanches saudáveis e a importância de ingerir alimentos com menos açúcar. Afonso Nora, nº1

de Penamaior; começando por nos dar uma folha para preencher com os nossos dados, onde depois individualmente éramos questionados acerca do que tínhamos comido ao pequeno-almoço e ainda avaliava o estado da nossa dentição, para ver se não tínhamos cáries.

Gabriel Pinheiro, nº7 Inês Malheiro, nº9 João Leão, nº12 Miguel Martins, nº18 4ºA Escola Básica de Penamaior

“Workshop” Que confusão de R’s

N

o dia 6 de fevereiro, logo pela manhã, tivemos a honra de receber, na Escola Básica de Penamaior, a visita do Doutor Joaquim Costa, responsável pela “Rota do Românico”, destinado aos alunos do 4º ano do Agrupamento de Escolas de Paços de Ferreira. Veio nos falar das características da arquitetura da arte Romana e da Românica e das principais diferenças entre elas. Colocando questões sobre essas temáticas e explicando que, dos cinquenta e oito monumentos da Rota do Românico, no concelho de Paços de Ferreira, apenas encontramos um: -o mosteiro de São Pedro de Ferreira. Falamos também da Citânia de Sanfins, porque era uma antiga civilização do tempo dos romanos. Para encerrar a primeira parte

deste projeto, o Doutor Joaquim ofereceu a todos os alunos ligados a esta atividade do Plano Anual um mapa da Rota do Românico e também entregou à turma um livro do mesmo tema. Este foi o ponto de partida para a parte prática deste projeto. Carla Leão, nº3; Gonçalo Martins, nº8 e Mariana Carvalho, nº16 - 4ºA Escola Básica de Penamaior

O cântico das Janeiras

N

o dia 26 de janeiro (sextafeira), vieram os idosos do Centro Paroquial de Penamaior à nossa escola, desejar as boas festas, entoando uns versos para os alunos da Escola Básica de Penamaior. Mais tarde, fizemos, no pavilhão, o ensaio geral para o «Espetáculo das Janeiras/Sopa de Pedra». À noite, fomos à nossa sala prepararmo nos para o festival. Vestimos as capas pretas, com fitas prateadas e colocamos as coroas de «eva» brilhante e ficamos estrondosos!!! No concerto, todas as turmas cantaram as músicas que tinham preparado; iniciando se com o pré escolar, logo de seguida, atuaram as turmas dos primeiros e segundos anos, depois seguiram se os terceiros e quartos anos com as últimas turmas e entre essas interpretações atuou o «Sarrabisco» com as suas bailarinas. Posteriormente, fomos para a nossa cantina saborear o delicioso manjar, que nos tinham preparado, acompanhado de uma magnífica «Sopa de Pedra».

Diogo Seabra, nº5 Duarte Carneiro, nº6 Gonçalo Martins, nº8 Inês Malheiro, nº9 Mateus Matos, nº17 Rodrigo Brochado, nº19 4ºA Escola Básica de Penamaior

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

7

1 º Ciclo

Assembleia dos Pequenos Deputados

J

á lá vai o dia 3 de fevereiro de 2018, quando eu e os meus colegas do 4º ano da Escola Básica de Penamaior fomos em representação da nossa escola participar na Assembleia dos Pequenos Deputados, a convite da Câmara Municipal de Paços de Ferreira.

Nesse dia, encontrei–me com os meus colegas e com a minha professora, logo pela manhã no hall de entrada e fomos bem recebidos pelos elementos da organização, que nos acompanharam até ao salão nobre da Câmara e, de seguida, deu se início aos trabalhos da

um desfile de Carnaval, por algumas ruas da freguesia de Penamaior, porque o tempo estava a ameaçar chuva. Quando chegamos à nossa escola, tivemos um lanche, que foi oferecido pela Associação de Pais-rufadinhas e sumos de manga… De seguida, fomos para o pavilhão, que estava decorado a rigor com cores alegres e festivas, onde nos divertimos bastante, a dançar, a brincar e a pular. Antes do encerramento da festa, o dia nove de fevereiro, a Escola Básica de Penamaior fomos à sala buscar as nossas coisas: teve a iniciativa de organizar casacos e acessórios dos disfarces

Carnaval na Escola

N P

Semana da Leitura na Escola Básica de Ferreira

ara comemorar a Semana da Leitura, a nossa professora feznos uma surpresa maravilhosa. Convidou para vir à nossa sala de aula a tia de uma das nossas colegas, a professora Rita Castro. Ficámos muito espantados e felizes quando ela nos bateu à porta da sala, entrou e nós sem sabermos o que iria acontecer. Após as apresentações, a

CLARA descobre a NATUREZA

E

ra uma vez uma menina chamada Clara. Ela vivia numa cidade grande, cheia de edifícios e com poucos jardins. Por isso, Clara não sabia bem como era a Natureza. Um dia, os seus pais levaram-na a conhecer um bosque cheio de árvores muito altas e frondosas, onde existiam ninhos de passarinhos a chilrear. Clara ficou encantada com aquelas

professora Rita mostrou-nos um livro, a história do Coelhinho Branco, que nos ia ler. Ficamos mesmo muito animados, principalmente, porque a professor Rita nos leu a história através do nosso quadro interativo, assim as imagens árvores gigantes e ao chegar a casa teve uma ideia genial: - Já sei! Vou plantar uma árvore em frente ao meu prédio! Depois de tentar muito, Clara conseguiu convencer os pais a falarem com os vizinhos e, todos juntos, aceitaram plantar uma árvore na rua, em frente ao seu prédio. Os moradores dos outros prédios da rua da Clara gostaram da ideia e também plantaram árvores, árvores de folhas variadas.

sessão; começando com as questões colocadas pelas escolas dos Agrupamentos do concelho, seguindo se por ordem alfabética; chegando a vez da nossa escola, que colocou uma pergunta relacionada com o tema: Educação para a Cidadania, especificamente, a temática da Escola, Família e Comunidade. A meio da sessão, fez-se um «coffee-break» para um pequeno lanche, gentilmente, oferecido pela organização. Depois, recomeçaram os trabalhos, com as respostas do Dr. Paulo Sérgio às questões colocadas. A pergunta em destaque foi a dos «Embaixadores do parque urbano». Como encerramento desta manhã inesquecível, todos tiraram uma foto de grupo e foi assim a ida à Assembleia dos Pequenos Deputados. Luís Leão, nº15 e Duarte Carneiro, nº6 - 4ºA Escola Básica de Penamaior

carnavalescos, que não levamos para o pavilhão por questões de segurança. Aguardamos, enquanto não chegavam os nossos pais/familiares, ou os autocarros, ou transportes dos centros de estudo para irmos embora. Foi uma manhã muito divertida!!!

Afonso Nora, nº1 João Coelho, nº11 Lara Martins, nº13 Luís Torres, nº14 Simão Leal, nº20 4ºA Escola Básica de Penamaior

estavam muito maiores e com cores lindíssimas. Foi muito divertido, pois a professora Rita, com a sua voz, imitava a fala de todos os animais que apareciam no livro. Rimo-nos muito, ao longo desta leitura. Quando a professora terminou até lhe batemos palmas. Gostámos imenso deste momento que a nossa professora nos proporcionou. Escola Básica de Ferreira Turma do 1º A

1 º Ciclo - Escrita Criativa

Assim, com a ajuda de todos, a cidade de Clara ganhou uma nova vida e uma nova cor. Ela ficou muito feliz! Sempre que olhava para as árvores da sua rua, sorria e dizia: - A minha rua é a mais bonita da cidade por causa das árvores e da ajuda de todos! E à ideia vinha-lhe esta frase: “A NATUREZA é muito importante, por isso devemos estimá-la muito bem!” Laura Jorge Meireles Silva Alves 3ºA EB nº1 de Paços de Ferreira

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


8

Os Pacitos - Páscoa 201 8

2º CEB - Escrita criativa

N

localizado mesmo debaixo da sua cela. as aulas de apoio, recorremos ao jogo de cartas Arca Então, decidiu escavar o dos Contos para escrevermos um texto bem original. chão daquele local o mais que Estas foram as cartas que me saíram e, a partir daí, pôde, durante cerca de um mês. foi só usar a imaginação! Espero que gostem! Finalmente, conseguiu encontrar uma arca com o tão Personagem humana: um gigante desejado tesouro: um par de Personagem animal: um touro óculos. Este objeto tinha o poder Espaço: um palácio de transformar quem os pusesse Objeto mágico: óculos em gigantes poderosos. Caracterização: maravilhado Sem perder tempo, o touro colocou-os e ficou Ações: aprisionar maravilhado quando se apercebeu da sua transformação. Palavra-chave: tesouro Desta forma, conseguiu destruir aquele palácio infernal e libertar todos os animais que ali se encontravam. Era uma vez um reino, que era governado por um rei Sendo assim, foi feita justiça e os animais viveram muito cruel para com os animais. No seu palácio, aprisionava felizes para sempre. todos os animais que capturava. Ora, certo dia, um touro, que já estava preso há quatro Luana Ferreira, n.º 19, 6.º E anos, lembrou-se que a sua mãe lhe falara sobre um tesouro que lhe iria dar poderes especiais. Esse tesouro estava

A Arca dos Contos

A minha mãe e os Livros Dia doze de outubro é o dia da leitura e encontrei a minha mãe a ler um livro. Sentei-me ao lado dela e perguntei-lhe: O que estás a ler? Mãe: Estou a ler um livro sobre a educação dos filhos. E estás a gostar do livro? Mãe: Sim, é muito interessante porque ajuda-me a educar-te para que tu sejas feliz. Qual é o livro da tua vida? Mãe: O livro da minha vida é “A arte de educar filhos”. Gostas de ler? Mãe: Sim, gosto muito de ler porque aprendo, entretenho-me e cultivo os meus conhecimentos. Com que idade é que começaste a ler livros? Mãe: Comecei a ler aos dez anos pelo Natal quando alguém me ofereceu o livro “A Gatinha de Natal”, e desde essa data já li muitos livros. É muito importante ter hábitos de leitura, pois faz nos sentir melhor. Mãe, obrigada por dispensares estes minutos durante a leitura do teu livro, adeus até já.

...

E ainda a amizade Ter um amigo é vida! Ter com quem partilhar ideias e brincar… Quem não tiver um amigo, Não consegue sonhar.

Um bom amigo é aquele que nos dá alegria e uma boa companhia. Martim, Tiago e Francisco

A amizade é o ingrediente mais importante na receita da vida. Leonor Barbosa e Leonor Veiga

Uma amizade perdida é como uma faca espetada na barriga. Ana Mota e Inês

Afeto não demonstrado, é afeto desperdiçado. Leonor Morais

A amizade não se compra Numa feira ou num feirão É semente que nasce Dentro do nosso coração. Adriana

A amizade não tem preço Mas tem muito valor Ter amigos para abraçar Ter carinho e amor. Francisca e Martina

5ºG

Mafalda Torres 5ºD Nº 14 Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


9

Os Pacitos - Páscoa 201 8

E

Max e eu

Escrita criativa - 2º CEB

flutuar. A sua coleira era azul como o céu. Era também inteligente, divertido e inconfundível. Era o meu Max. Quando lá cheguei, ele havia desaparecido. Foi o dia mais triste da minha vida! Nós éramos os melhores amigos. Eu espalhei cartazes por toda a parte e nas primeiras semanas, nada. Nadinha, zero, ninguém! Passado um mês, finalmente, alguém telefonou. Tinham encontrado o Max em Sobrosa. Eles vinham cá ter.

Eu, naquele momento, nem sabia bem ao certo se queria chorar se queria rir.

imenso, apesar de gostar. Talvez por um pouco de falta de á uma grande preocupação por tempo. Como te sentes parte dos pais e dos quando lês um livro? professores com a leitura e a Temos de saber escrita, pois ajudam-nos no nosso percurso escolar. Afinal, qual será o escolher um livro de livro que mais marcou a minha mãe? acordo com o que Decidi fazer-lhe algumas perguntas para gostamos para o conseguir ler até ao fim descobrir. com interesse. Assim, Porque achas importante ler? Nenhuma atividade nos expõe depois de o ler, sintotanto a maior e mais diversificada me melhor, mais pacífica e leve, mais quantidade de palavras. É a leitura que um livro lido, mais uma viagem pela nos enriquece o vocabulário, assim imaginação. Qual o género de livros que mais como é o melhor caminho para adquirir gostas de ler? conhecimento e nos ajudar a Romance e também livros de fundamentar as nossas opiniões. Para ti, por exemplo, a leitura é muito horror. Qual foi o livro da tua vida? importante na escola. O livro que mais me marcou foi "A Gostas de ler? Sim, por acaso, gosto imenso de menina dos ossos de cristal", um livro recente, mas muito emocionante. Cada ler. vez que começava a ler, despertava Com que frequência lês? Não sou daquelas pessoas que lê sempre mais interesse, saber mais sobre

o que iria acontecer. Sem dúvida uma história emocionante e arrepiante.

ra uma bela tarde de inverno, eu estava pronta para ir alimentar o meu cão, o Max. Ele era um pastor alemão. Tinha um focinho preto, mais preto do que o próprio preto. E o resto do seu corpo era tão castanho quanto o tronco de uma árvore. Tinha umas orelhas em formato de pétala e umas patas branquinhas, mas tão branquinhas que na neve ele parecia

EntrevistaS a minha mãe e a leitura

H

Poema “Gramática” Poesia à Solta

H

Que para indicar o número ou a

oje vou falar da aula de português,

Joana Silva 5ºD

Qual era o tema?

Este livro relata a história de Inês, uma menina que tem uma doença rara, Osteogénese Imperfeita, mais conhecida como a doença dos ossos de vidros. Aos seus 14 anos, o seu corpo já tinha sofrido mais de cem fraturas, ou seja, era uma menina muito especial. Por fim, a vida desta "Menina" transforma-se no triunfo da mulher que contra todas as expetativas, consegue vencer e hoje é licenciada e atingiu muitos dos seus objetivos. Obrigado por me ajudares nesta entrevista mãe!

Miguel Martins, 5ºD, Nº17

Dei as funções sintáticas, as proposições e os verbos Um deles foi o estudar, Tive que colocar em prática Para poder trabalhar !

Que rica aula didática Fiquei eu como uma estátua Ao saber que íamos falar de gramática. Que coisa mais linda de se aprender! Logo quis entender. Em primeiro lugar, vem os quantificadores numerais Organizados em multiplicativos, fracionários e numerais,

Quando aqui chegaram, eu abracei o meu cão como nunca tinha abraçado antes. Era como se se acendesse uma luz dentro de mim. Era como se ouvisse o mundo a cantar para mim.

Estudei os advérbios, os adjetivos e os determinantes Que lindos ficam nas frases estas palavras elegantes. Com a pontuação Melhorei esta redação! quantidade de pessoas são essenciais.

Rute 6º c

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


10

Os Pacitos - Páscoa 201 8

2º CEB - Escrita criativa

Parece que vejo uma tela A Natureza tem imensas cores Seja nas árvores ou nas flores A Natureza é harmonia Dá-nos paz e alegria Temos que a preservar Se dela queremos desfrutar

Língua Portuguesa A gramática é divertida, Ensina-nos a escrever Poemas e composições Que alguém há-de ler.

Natureza II A Natureza é o bem mais belo Que a Humanidade tem Conservar é importante Para a Terra se manter bem

No dicionário Vamos pesquisar Palavras desconhecidas Para o nosso vocabulário aumentar E ficarmos surpreendidas.

Esta devemos preservar Por isso, é urgente A poluição a todo o custo Evitar

Os livros Fazem-nos crescer Ao ler contos e lendas Que na nossa memória vão permanecer.

O progresso é importante, mas também destruidor Ajuda-nos a progredir Mas se não tivermos cuidado Tudo iremos destruir

Os verbos representam ações Os nomes identificam Objetos e seres Que os adjetivos qualificam.

Na Natureza tudo devemos cuidar Pois a água está a acabar As florestas destruídas Temos todos que ajudar Natureza III A Natureza É constituída Pela beleza e leveza Dos pássaros a voar

Trabalho realizado por: Maria Campos, nº 12; Sara Nunes, nº21; Vitória Duarte,nº23, 6ºC.

Logo pela manhã Quando acordas E comes a tua maçã Fora de horas Nem tens tempo De ver o vento E de estar atento Ao encanto da Natureza Na florestação Predomina a canção Dos pássaros De cada estação.

O desafio foi lançado nas aulas de Português: a partir do tema “A Natureza”, escrever um texto poético, fazendo uso da nossa criatividade e imaginação! Eis o resultado apresentado pelos alunos do 6.º D!

Natureza I Na natureza há magia Tanto de noite como de dia Assim que ouço os passarinhos chilrear Sei que é hora de me levantar Ao abrir a minha janela Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

Semana da Leitura

“Poesia à Solta” Na aula de Português…

O trabalho começa ao romper do dia. Mas eu começo um pouco antes… Cada um sabe que está sozinho E que tem sono – perdido no seu próprio sonho, Cada um sabe, no entanto, que com o dia abrirá os olhos. Quando a manhã chega, encontra-nos estupefactos A fixar o trabalho que agora começa. Na aula de Português, Já não estamos sozinhos e ninguém mais tem sono E pensamos com calma os pensamentos do dia Até que o sorriso vem. Com o regresso do Sol, Estamos todos convencidos, Mas, às vezes, um pensamento Menos claro – um esgar – surpreendenos, inesperadamente, E voltamos a olhar para tudo como antes do amanhecer.

Um aluno, outro aluno está sempre calado São bem comportados Não, não se trata de tropa, mas Sim de evitar um professor chateado! Um professor contente É uma mais valia, Pois aprender torna-se mais fácil E é uma maior alegria! Assim é na aula de Português… Maria Rita – 6º J

Poesia à Solta

Leitura do poema à Autora Manuela Bentes

Q

Diabo: Daqui não sais, onzeneiro. Maior pecador que tu Só se for o sapateiro.

Até se desentenderem E perderem a sintonia! Tentavam formar palavras Mas não conseguiam Precisavam uns dos outros Mas não se entendiam. Dois, três, talvez seis dias passaram… Era uma desgraça, o caos instalado! Livros, cadernos com palavras sem sentido Palavras tão más que suavam mal ao ouvido. A falta da leitura começou a assustar Era a preguiça das pessoas que tudo estava a causar. Os poetas zangados tentaram o assunto resolver Mas não dava em nada, não sabiam o que fazer. Um mês passou e já ninguém livros lia. Já era hora de pôr as palavras em dia! Consoantes e Vogais juntaram-se de novo Para salvar a Língua Portuguesa e a cultura do povo.

Maria João Morte – 6º J

Parvo: Anjo, o que se passa aqui? Já não estou a entender nada. Se for algo contra mim, Vais levar uma palmada.

Cavaleiros têm de retornar.

Anjo: Tem calma Joane, Que isto vai-se resolver. Vamos ouvir o Diabo O que ele tem para dizer.

Diabo: O inferno é divertido Não têm de temer Lá não correrão perigo Nem terão nada a perder.

Diabo: Esta confusão vamos acabar Não tenho tempo a perder Uma solução temos de encontrar Para o nosso caminho percorrer.

uem conta um conto …acrescenta um ponto!

Escrita criativa - 2º CEB

Consoantes e Vogais, Viviam em harmonia

3º CEB

“Auto da Barca do Inferno” de Gil Vicente

11

Anjo: Que solução tens em mente Para o destino desta gente? Como é que vamos as pessoas mudar Se já começamos a navegar? Frade: Governantes de reinos tão grandiosos, Algum poder têm de ter. Poderes milagrosos Ou maldades para vender? Diabo: Anjo, aproxima a tua barca, Para a troca realizar. Enforcado e judeu têm de sair

Cavaleiros: Se morremos por Jesus Cristo Não devíamos ir para o inferno.

Anjo: Assim tão rápido conseguimos Levar as coisas ao seu lugar Com ordem e harmonia prosseguimos Até chegar ao nosso lar. E assim os cavaleiros desiludidos e os restantes passageiros prosseguiram em direção ao inferno enquanto o parvo, o enforcado e o judeu, eufóricos, prosseguiram em direção ao paraíso. Ana Sofia 9ºA

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

12

3º CEB Escrita criativa

A

Colheita do Centeio

colheita do centeio é uma atividade sazonal que ocorre no mês de Junho. Esta é uma atividade que requer mão de obra humana porque a colheita do centeio é feita manualmente. Por norma, são pessoas que trabalham na agricultura, que se ajudam uns aos outros e não recebem salário por esse trabalho. Para a prática desta atividade, os agricultores devem ter cuidado na forma como se vestem. Antigamente, as

senhoras usavam saia comprida, blusa de manga comprida, chapéu de palha e um lenço na cabeça. Os senhores usavam calças, camisa de manga comprida e chapéu de palha, tudo isto, para se protegerem do calor, dos mosquitos e para não se picarem com o centeio. A colheita do centeio era feita do seguinte modo: os trabalhadores utilizavam uma foice e cortavam o centeio e faziam molhes que depois eram transportados para as eiras em carros de bois. Estes, depois de estarem na eira, eram sujeitos a uma máquina debulhadora para retirar o centeio. Quando debulhado, o centeio era utilizado para o fabrico do pão. Podia ser usado com milho para fazer o pão de mistura, ou só centeio. As palhas eram aproveitadas para se encher os colchões e os travesseiros que se utilizavam nas camas para

dormir. Também servia para usar na matança do porco, para queimar o pelinho dele. No dia das colheitas, eram oferecidas as merendas pelo agricultor que dava o trabalho em troca da mão de obra. Essas eram transportadas em cestos de vime e cobertas com toalhas de linho branco e bordadas. Depois, na hora da refeição, procuravam um sítio, geralmente à sombra, e com ervas para colocar a toalha. As merendas eram compostas por broa, azeitonas, presunto, salpicão, pataniscas de bacalhau e bacalhau frito. Para beber, tinham vinho e água. No final do trabalho, faziam uma festa, cantavam e dançavam. 16/03/2018 Ana Luísa Lemos da Silva Brito _ 7ºA

Entrevista sobre os carteiros

U

ma profissão que se está a perder aos poucos é, sem dúvida, a entrega de correspondências pessoalmente, ou seja, os carteiros que iam de porta em porta, diariamente a casa das pessoas entregar cartas e encomendas. Entrevistei o meu avô para me ajudar a falar do assunto: Qual é, na tua opinião, a principal diferença entre os carteios atuais e os de antigamente? A principal diferença é que os de antigamente entregavam a correspondência em mão às pessoas, e só isso já criava uma certa afinidade e proximidade entre carteiro e o destinatário da correspondência; já hoje em dia a entrega de cartas e encomendas é muito impessoal. Contudo, hoje em dia ainda existe a entrega pessoal desses documentos em mão, na caixa de correio... Não é em mão, metem as correspondências na caixa de correio. Mas antigamente também era assim!

Não, na altura não havia caixas de correio. Os carteiros tinham uma espécie de corneta que tocavam e as pessoas, ao ouvir o som, associavam ao carteiro e vinham buscar as suas correspondências. Se, eventualmente, a pessoa não estivesse em casa, o carteiro guardava a correspondência e no dia seguinte voltava a passar por lá e a tocar a corneta até ficar entregue o documento ao destinatário. Uma situação que justifique o facto dos carteiros antigos serem de confiança extrema. Para teres noção, as pessoas faziam de tal modo confiança no “antigo” carteiro que inclusive aquelas que eram analfabetas, e havia muitas naquela altura, pediam ao próprio carteiro para ler a carta. Era de uma confiança extrema porque podia existir dados pessoais e informações mais confidenciais nas cartas, mas mesmo assim as pessoas confiavam no carteiro. É uma profissão que quase já não existe, ou pelo menos, da forma que era dantes. Porquê? Como muitas outras. Nas profissões de maior proximidade com as pessoas, cada vez mais, o lucro sobrepõem-se aos valores. Qual é a influência da tecnologia nesta atividade? É positiva ou negativa? Porquê? Ora bem, pode ser positiva pelo facto, de hoje, cada vez mais a correspondência interpessoal ser mais rápida e eficaz.

Contudo pode ser encarada como negativa, porque é impessoal. Muitas das pessoas que se correspondem diariamente, nunca estiveram pessoalmente com as outras. Em que ano, mais ou menos, esta profissão acabou? Depois do 25 de abril, durou bastantes anos ainda. Depois, os CTT passaram uma revolução de tal ordem, que passou a ser uma empresa financeira mais do que propriamente uma empresa distribuidora de correspondência. Última pergunta, qual a medida a tomar para que esta profissão volte a ser o que era dantes? Não há possibilidade de isso acontecer porque as mentalidades mudaram. A vida evoluiu, a sociedade evoluiu em determinados aspetos, regrediu noutros aspetos, por exemplo, nos contactos pessoais a sociedade regrediu o que torna um pouco impossível esta profissão voltar a ser o que era.

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

13

trabalhava na fábrica mas durante o seu Escrita criativa 3º CEB fim-de-semana ocupava o seu tempo a voltou para Portugal e refez o resto da ser o barbeiro. Como sabemos, o nosso sua vida. Ele gostou imenso de todas as meu bisavô foi barbeiro aos já esteve muito mal a nível sua aventuras, foi um grande homem, seus 25 anos, ele cortava barbas país e por esse motivo o meu lutou até onde pôde, mas não desistiu! e cabelos. Ele gostava muito do financeiro bisavô mudou-se para a França para E a melhor profissão para ele foi seu trabalho mas não rendia o juntar dinheiro e acabar a sua casa em ter sido pai! necessário, por esse motivo decidiu ir Portugal. para uma fábrica, sendo a profissão de Enquanto esteve na França, Mariana Gomes Teixeira nº 22, 7B marceneiro. trabalhou como “trolha” até à sua Durante a semana o meu bisavô reforma. Quando chegou a essa altura

O meu bisavô, um grande homem

O

Prof issões do passado entretenimento, empregava também muitas pessoas; uma dessas funções era arrumar novamente os pinos na formação inicial para o próximo jogador. • Acendedor de postes: Quando a eletricidade ainda não existia, as ruas iluminavamse com lampiões. E havia um (Ana) profissional que os acendia todos os - Bom dia! As profissões de hoje e dias ao anoitecer e também os apagava as do passado são um pouco diferentes. Algumas profissões do passado, por exemplo, até já não existem no presente, tais como: • Despertador humano: existia um profissional responsável por acordar as pessoas para que estas comparecessem aos seus empregos a ao amanhecer. horas. • Leitor: este profissional era contratado pelos funcionários das empresas para que os informasse acerca • notícias, ou até para ler partes de Leiteiro: Em das de modo a aliviarem o stress. O algumas cidades, livros leitor lia em voz alta num local as pessoas posicionado acima dos funcionários deixavam garrafinhas vazias à porta de casa e o leiteiro enchia-as com leite fresco todas as manhãs. • Arrumadores de pinos de bowling: O bowling foi popularizado na Europa e nos Estados Unidos na metade do século XIX e, este além de ser uma excelente forma de

(João) - Hoje estou aqui para entrevistar a Ana, que nos vai falar sobre as profissões que existiam no passado. Bom dia Ana! Por favor, diga-nos algumas profissões que existiam no passado mas que já não existem. Fale-nos um pouco sobre elas também.

para que todos o escutassem. • Pianista de cinema: na década de 1920, quando o cinema se popularizou, existiam pianistas de cinema que faziam a trilha sonora dos

filmes. • Cortadores de gelo: Antes da invenção dos frigoríficos e dos refrigeradores (em 1854) era difícil armazenar os alimentos. Logo, existiam homens que ficavam nos lagos congelados e eram responsáveis por cortar e transportar os blocos de gelo. A profissão era restrita a países em que a água congelava naturalmente. A profissão era muito lucrativa porém, muito perigosa. Estas são as principais de que me recordo, de momento… (João) - Muito obrigado pela sua resposta Ana! É importante que estas profissões, quase já esquecidas pela maioria das pessoas, voltem a ser relembradas. O valor que estas tinham para a população na altura era indispensável e nunca é demais relembrá-las. Obrigado pelo seu contributo! Um resto de bom dia. (Ana)

- De nada. Um resto de bom dia também para si! João Silva, 7ºA, nº 15

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


14

Os Pacitos - Páscoa 201 8

Clubes e atividades

O

“Pilhão vai à escola”

s alunos do Clube do Ambiente estão a distribuir dos "Pilhões" pelas escolas do agrupamento,

Dia dos Afetos

N

o passado dia quinze de fevereiro, assinalou-se o “Dia dos afetos” com grande animação

por toda a escola básica de Paços de Ferreira. Assim, a sala do aluno foi decorada com “lenços dos namorados” com frases/mensagens alusiva à amizade e afetos, tendo como inspiração os no âmbito das atividades deste clube. O objetivo principal desta campanha é sensibilizar toda a comunidade educativa para a necessidade de recolher seletivamente as pilhas e baterias portáteis usadas, no entanto, o agrupamento está inscrito na campanha "Pilhão vai à escola" da Ecopilhas o que associado à questão ambiental, possibilita a obtenção de prémios para o agrupamento, em função do nº de pilhões cheios e recolhidos pela ecopilhas.

Um dia com números e históriaS

N

os dias 21, 22 e 23 de novembro, realizou-se a segunda fase dos Workshops “NUMEROS E FORMAS COM HISTÓRIA”, na Biblioteca da nossa escola, destinada desta vez aos alunos das turmas do 6ºE, 6ºG, 6ºH, 6ºI, 6ºI e 6ºK. Na primeira fase, esta atividade foi dinamizada pela professora biblio-

lenços dos namorados típicos do Minho, simbolizando a amizade e união de toda a comunidade educativa. Esta atividade foi realizada em EC com a colaboração de professores de outras disciplinas. Nesse dia, foram distribuídas pipocas pela Associação de Pais e Encarregados de Educação por todas as turmas e a estreia de dois filmes realizados pelo clube de cinema da escola: “A amizade na escola” e “Violência no namoro”.

desenvolvimento e consolidação das aprendizagens. Esta atividade envolveu os docentes que lecionam o 6º ano e respetivas turmas. Gostaríamos de salientar a excelente qualidade dos trabalhos steve patente na sala de estudo e o envolvimento da da nossa escola, entre os dias 19 apresentados comunidade educativa. A exposição foi e 23 de fevereiro, uma exposição visitada por alunos, professores e alguns de trabalhos elaborados pelos alunos e Encarregados de Educação. subordinada ao tema “Portugal na 2ª a todos os alunos do 6º metade do séc. XIX: A modernização e ano Parabéns que participaram, com muito transformação do reino”. empenho, nesta atividade! Esta exposição foi promovida e organizada pelo grupo disciplinar de História e Geografia de Portugal, com o O Grupo Disciplinar de objetivo de motivar os alunos para a História e Geografia de Portugal disciplina, bem como estratégia para o

Exposição “Portugal na 2ª metade do séc. XIX: A modernização e transformação do reino”.

E

tecária em articulação com a coordenadora do projeto “O Românico”. Os alunos acompanhados pelos respetivos professores de Matemática tiveram a oportunidade de jogar um dos jogos pedagógicos da Rota do Românico “O Tangram”. É um jogo muito antigo, de origem chinesa, constituído por sete peças. Com elas, os alunos puderam construir figuras com formas geométricas muito variadas e perceber que todas essas formas têm em comum a mesma área. Este quebra-cabeças ajuda-os a compreender as formas

geométricas. A ligação entre a arte românica e a matemática é aqui evidente. O jogo suscitou grande interesse por parte das turmas envolvidas uma vez que, de uma forma motivadora e articulada, trabalharam aprendizagens da disciplina de História e Geografia de Portugal e da disciplina de Matemática. A Coordenadora do Projeto “O Românico” Teresa Moreira

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

Clubes e atividades

Clube de Francês

O

s alunos do Clube de Francês participaram, durante este segundo período, em diversas atividades, tais como, La Fête de l'Épiphanie; La Chandeleur e La Saint Valentin. Foram realizadas degustações de La Galette des Rois e de crepes, confecionados pelas professoras do Clube. Desta forma, os alunos puderam contactar de forma concreta e real com aspetos culturais e gastronómicos da França. Para a celebração da Saint Valentin, os alunos

realizaram atividades lúdicas (sopas de letras; jogos de labirintos; jogos das diferenças, etc.) e as alunas do 7ºC elaboraram ainda postais, com versos em francês, que posteriormente trocaram entre si. Os alunos do 8ºA aliaram-se às atividades da Biblioteca

O

Clube de Inglês

Clube de Inglês continua a trazer muita diversão a todos que o frequentam. Lembram-se daqueles bingos que tanto interesse vos suscitou no Dia da Língua Inglesa, inserido na Semana das Línguas, que decorreu na sala de Estudo e na Biblioteca? Pois bem, aquilo foi só uma pequena amostra do que podem dominós e jogos temáticos diversos encontrar no Clube de Inglês… Bingos, fazem parte do nosso quotidiano! E nem

15

Escolar, nas quais participaram de forma efusiva. Realizaram pequenos cartões de S. Valentim com mensagens em francês que entregaram, depois, aos colegas do 3º ciclo que quiseram participar. Finalmente, distribuíram-nos aos respetivos destinatários, passando nas diferentes turmas. As atividades foram vividas por todos os intervenientes, num clima de partilha e de deliciosa descoberta. As dinamizadoras do Clube de Francês Carina Castro e Cristina Almeida

uma palavra se escreve aqui…, mas muito se aprende todas as semanas com muita diversão pelo meio. Os vossos colegas que o digam. As suas notas não param de subir, assim como o seu interesse pela língua de sua majestade. Do you speak English? Come, have fun and learn a lot!!! O Clube de Inglês

Semana das Línguas

N

a terceira semana de janeiro, o nosso Agrupamento viveu com grande interesse e entusiasmo mais uma atividade do Departamento de Línguas, intitulada Semana das Línguas. Repartida por três dias, a atividade iniciou-se com o dia da Língua Portuguesa, na segunda-feira, dia 15, sendo seguido pelo dia da Língua Francesa, na quarta-feira, dia 17, e terminando, no dia 19, sexta-feira, com o dia da Língua Inglesa, tendo tido lugar na sala de estudo e no espaço da Biblioteca da nossa escola. Em articulação com a Biblioteca Escolar/Centro de Recursos e com a Equipa do AVEPF ligada ao Plano Tecnológico, os alunos dos 2º e 3º ciclos tiveram oportunidade de, em conjunto, no âmbito das disciplinas de Português, Francês e Inglês, ver exposto

o resultado de todo o trabalho desenvolvido durante as atividades de sala de aula, nos clubes de línguas e em trabalho autónomo. Para além disso, tiveram também acesso a outras ofertas didáticas, nomeadamente, jogos educativos/interativos, visualização de pequenos filmes relacionados com diferentes aspetos ligados às diferentes culturas, fruindo simultaneamente de excertos musicais selecionados pelos docentes. Estes dias acabaram por ser oportunidades diferentes das normalmente proporcionadas aos alunos para proceder à divulgação das línguas e culturas de aprendizagem escolar, permitindo uma interação criativa e simultaneamente lúdica dos alunos com

os conteúdos curriculares, percecionar o elevado nível de qualidade dos trabalhos apresentados e constatar o empenho e envolvimento dos discentes em todo o processo. Agradecendo, desde já, a todos quantos tornaram possível esta Semana das Línguas, a equipa responsável quer salientar que esta foi também uma oportunidade para desenvolver entre todos o espírito de entreajuda e colaboração indispensáveis para o sucesso da iniciativa. Simultaneamente, contribuiu também para que os alunos, destinatários principais desta atividade, a pudessem ter considerado muito importante quer a nível da contribuição para a sua aprendizagem, quer para o despertar da sua curiosidade e interesse. Os subcoordenadores dos Grupos Disciplinares do Departamento de Línguas

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


16

Os Pacitos - Páscoa 201 8

Clubes e atividades

Palestra “Saúde Oral”

N

o dia 25 de janeiro, na aula de Educação para a Cidadania, a turma do 6ºC teve a visita da Enfermeira Carla Freitas que, um mês depois do Natal, época de muitos doces, nos deu uma palestra cujo tema foi a Saúde Oral. Nessa palestra, estivemos a aprender como devemos fazer a nossa higiene dentária: passar o fio dentário, lavar os dentes após cada uma das principais refeições; evitar alimentos ricos em gorduras e açúcares (alimentos

cariogénicos) e ingerir alimentos ricos em vitaminas e sais minerais (alimentos cariostáticos). A lavagem dos dentes deve ser feita, inicialmente, nos dentes do maxilar superior e posteriormente, nos do maxilar inferior. Cada dente deve ser lavado várias vezes em cada superfície, com movimentos circulares. Todas estas ações foram demonstradas numa boca peça, que juntou 9os anos de mais escolas, foi completar o estudo da obra dada nas aulas de português, de uma maneira que os cativou e fez com que adquirissem todos os conhecimentos necessários acerca da obra e com que se divertissem. De tarde, os alunos visitaram o Museu Pio XII, também em Braga. O museu foi fundado em 1957 pelo Cónego Luciano Afonso dos Santos, que durante vários anos se dedicou a escavações, acabando por recolher material arqueológico, que agora se encontra exposto no museu. Para além da parte da Arqueologia e da Arte Sacra (exposição principal do museu), os alunos visitaram também a Galeria Henrique Medina, onde se encontram expostos os trabalhos deste famoso retratista, e a Torre Medieval, construída em 1372 e que pertencia à

articulada que a enfermeira apresentou. Aprendemos bastante sobre a nossa saúde oral e passámos 50 minutos divertidos e muito proveitosos! Obrigado, Enfermeira Carla Freitas! Natacha Antunes, Sara Nunes, Cristiano Borges e Leonor Fernandes - turma do 6ºC.

Visita de Estudo do 9ºAno

A

lunos do 9ºano visitaram, no passado dia 28 de fevereiro, o Teatro Circo, em Braga, onde assistiram à peça de teatro “Auto da Barca do Inferno”, e o Museu Pio XII, também em Braga. De manhã, assistiram a uma encenação de Rui Madeira da peça de teatro de Gil Vicente, o “O Auto da Barca do Inferno”. O objetivo desta

cintura medieval da cidade. Esta Torre, graças aos seus 40 metros de altura, dános uma vista panorâmica sobre a cidade, cuja história é contada ao longo dos seus cinco pisos. No fim da visita ao museu, fizeram um questionário sobre o que tinham visto e ouvido, fazendo com que completassem também o estudo das obras de Henrique Medina dado nas aulas de Educação Visual. Carina Coelho Nº5 9ºE Luís Silva Nº12 9ºE Mariana Sousa Neto nº13 9ºE

de imprensa. Após esta Visita de estudo do 8º Ano conferências visita, o almoço

N

a última semana de aulas do segundo período, no dia 21 de março, os alunos do 8ºano deslocaram-se ao Porto para fazer uma visita de estudo à casa da música e ao Parque Biológico de Gaia. A visita à Casa da Música ocorreu por volta das 9.50 horas. Lá. Os alunos conheceram as salas de espetáculo, a principal e as outras salas mais pequenas que podiam ser usadas para múltiplas funções, entre as quais workshops para crianças, concertos e

decorreu no shopping da cidade do Porto. De tarde, a visita continuou agora no Parque Biológico de Gaia. Ali, os alunos puderam observar várias espécies de animais e plantas. Os alunos gostaram desta visita, sobretudo do Parque Biológico, pois puderam disfrutar da natureza e de um passeio ao ar livre.

Rui Cheixo; Bruno Fangueiro; Gabriela Barros; Inês Pacheco 8ºB

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

Semana da Saúde

De 19 a 23 de março, decorreu a Semana da Saúde, uma iniciativa no âmbito do Projeto de Educação e Promoção da Saúde do agrupamento. O dia 19 de março foi reservado para a realização de diversos rastreios, nomeadamente da glicemia, colesterol, IMC, visuais, orais, auditivos, insuficiência respiratória e aconselhamento nutricional. Nos restantes dias, foram dinamizadas várias atividades (palestras, debates e teatro) subordinadas a diferentes temáticas. As turmas de 5º e 6º anos participaram em palestras sobre a valorização da escola e sobre a gestão da ansiedade. Os alunos do 7º, 8º e 9º anos

R

participaram em várias acções sobre bullying, violência no namoro, comportamentos aditivos, sensibilizações sobre o cancro e, em exclusivo para os alunos do 9º ano, uma ação que visava auxiliar os alunos a definir o seu futuro profissional. A semana culminou com a atividade «Carros sem Fumo» dirigida à comunidade escolar do AVEPF e dinamizada pela Liga Portuguesa Contra o Cancro. Importa salientar que só foi possível realizar estas atividades devido à colaboração dos nossos parceiros: Câmara de Paços de Ferreira, Bombeiros Voluntários de Paços de Ferreira, Cen-

ealizou-se, mais uma vez, o Concurso da Internet Segura, este ano com o tema “Cria, conectate e compartilha o respeito: uma internet melhor começa contigo.”. Este concurso rreram igualmente, palestras para alunos está incluído na Atividade da Semana do 5º ano e Workshops para professores. da Internet Segura, durante a qual decoAo contrário dos anos anteriores, este ano o número de trabalhos foi mais reduzido, mas mesmo assim, tivemos participações dos 1º, 2º e 3º Ciclos. Os trabalhos foram avaliados por um Jurí composto por professores de expressões e os vencedores são os seguintes:1ºCEB – turma do 1ºA da

17

Clubes e atividades

tro de Saúde, Escola Segura – GNR, Farmácia Moderna, Centro de Ótica Boa Imagem, Clínica Médico Dentária Dr. Pedro Pedrosa e Liga Portuguesa contra o Cancro. Assim, agradecemos a todos a sua colaboração. Graças a eles e à participação dos nossos alunos, a Semana da Saúde foi um sucesso.

Escola Básica de Ferreira; 2º CEB – Joana Abreu e Lara Viana, da turma 6J; 3º CEB – Rodrigo Gonçalves, da turma 7A. Brevemente, serão contactados para receberem os prémios pelos seus trabalhos. Todos os restantes receberão diplomas de participação. Obrigado a todos e, até para o ano.

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


18

Os Pacitos - Páscoa 201 8

Desporto Escolar

O

Grupo-equipa de Orientação

Grupo/Equipa de Orientação já vai numa fase bem avançada no Campeonato regional Norte de Desporto Escolar. Realizou provas nos dias 6 de janeiro em Cabroelo, Penafiel; 20 de fevereiro em Joane e, 23 de março novamente em Cabrelolo. Este núcleo tem tido uma média de 32 participantes em cada prova, com todos os orientistas, de uma forma geral, a finalizar os seus percursos com sucesso. A destacar os resultados alcançados pelo orientista Rúben Torres, do 9ºE, que se encontra em primeiro lugar no seu escalão e género num total de 93

percorre. atletas. O que é a Orientação? A bússola é o único instrumento de É também denominado o “Desporto da floresta”, apesar de também ser praticada em zonas urbanas. Consiste em encontrar e seguir o melhor itinerário, através de terreno desconhecido, numa luta constante contra o tempo, utilizando um mapa específico e uma bússola. A escolha do itinerário entre os pontos de controlo é uma opção do próprio praticante! Cada ponto é uma meta e, simultaneamente, a partida para um novo desafio. Cruzando Orientação que é permitido utilizar prados, ribeiros e florestas, o praticante pelos praticantes em competição. sente-se parte integrante do espaço que

Mega Sprinter fase Interturmas

N

o dia 9 de fevereiro realizou-se, na nossa Escola, a fase Interturmas do Mega Sprinter, atividade que consta do Plano Anual de Atividades do nosso Agrupamento, organizada e dinamizada pelo Grupo

N

o dia 23 e 24 de março realizou-se no estádio universitário em Lisboa a fase nacional do Mega Sprinter, onde participaram os alunos, Francisco Costa no salto em comprimento, 4 lugar com 4.01 metros e o Gonçalo Andrade na prova dos 40 metros. Parabéns aos nossos alunos que integraram a delação das escolas do Tâmega.

Disciplinar de Educação Física. A atividade pertence à modalidade do Atletismo e conta com quatro provas: o mega km, o lançamento do peso, o salto em comprimento e a velocidade. Daqui são apuradas as melhores marcas para participarem no Campeonato Regional na tentativa de conseguirmos apuramento para o Campeonato Nacional. A atividade decorreu no Turno da manhã e com um início um pouco atribulado. O dia amanheceu chuvoso e

com o piso húmido colocaram-se questões de segurança, iniciamos com a montagem das estações no interior do pavilhão mas os constrangimentos eram tantos que os docentes de Educação Física analisaram o windguru e face às previsões meteorológicas mais favoráveis, no decorrer da manhã, decidiram alterar a ordem das provas para que estas pudessem decorrer na pista de atletismo, no campo exterior. O S. Pedro ajudou e tudo correu bem e com segurança. Os alunos do 9ºE que estiveram a dar apoio à organização desta competição desportiva revelaram-se muito responsáveis e empenhados tendo dado um grande contributo para o sucesso desta atividade. No final de cada competição realizou-se a Cerimónia Protocolar com

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

19

Desporto Escolar

Torneio de Futsal

N

o passado dia 23 de março realizou-se, na nossa Escola, o Torneio de Futsal para o terceiro ciclo, atividade do Plano Anual de Atividades do nosso Agrupamento, organizado e dinamizado pelo Grupo Disciplinar de Educação Física. No turno da manhã estiveram em competição as equipas femininas e no turno da tarde as equipas masculinas. Os Torneios femininos e masculinos de 7º e 8º anos decorreram no sistema de “todos contra todos” e o Torneio masculino de 9º ano no sistema de “grupos”. O dia apresentou-se chuvoso o que condicionou a planificação da atividade e levou a que os Torneios se desenrolassem dentro do pavilhão nos dois campos interiores de dimensões reduzidas. As equipas estavam prontas à hora definida e os restantes alunos das Contiunação da pág.18

atribuição de medalhas aos 3 primeiros classificados de cada prova. O Grupo de Educação Física agradece: a colaboração e apoio prestado pela Direção, aos professores que vieram assistir à prova, aos alunos que prestaram apoio à organização e aos assistentes operacionais, para o sucesso das atividades é necessário o empenho e colaboração de todos. Grupo Disciplinar de Educação Física

turmas vieram assistir aos Torneios formando animadas claques. Foi crucial para o sucesso desta atividade o empenho e responsabilidade manifestados pelos alunos do CEF que estavam a dar apoio à organização desta competição desportiva, assim como dos alunos Diogo Durães e Luís Silva que estiveram connosco a arbitrar jogos no turno da manhã. Deve salientar-se também o fair play revelado pela maior parte dos alunos participantes no Torneio pois as atividades desportivas coletivas servem não só para promover divertimento/entretenimento e demonstrar skills assimilados mas também para todos aprenderem e desenvolverem competências sociais. Aos alunos que ainda não perceberam/compreenderam a importância do fair play no desporto e em sociedade resta-nos pedir-lhes que reflitam sobre as suas atitudes e que avaliem o que pretendem para o seu futuro e relacionamento interpessoal.

No final de cada turno realizou-se a Cerimónia Protocolar com entrega de medalhas aos três primeiros classificados de cada ano/sexo. Ascenderam ao mais alto lugar do pódio as equipas do 7ºD, 8ºB, 9ºE (feminino) e 7ºE, 8ºA, 9ºF (masculino); em segundo lugar ficaram as equipas dos 7ºB, 8ºE, 9ºC (feminino) e 7ºC, 8ºC, CEF (masculino); por fim classificaram-se em terceiro lugar as equipas dos 7ºE, 8ºC, 9ºD (feminino) e 7ºD, 8ºE, 9ºD (masculino). O Grupo de Educação Física agradece: a colaboração e apoio prestado pela Direção, ao Professor António Pedro Pereira, aos alunos que prestaram apoio à organização e arbitragem e aos assistentes operacionais, para o sucesso das atividades é necessário o empenho e colaboração de todos. Grupo Disciplinar de Educação Física

GOLFE NA ESCOLA

O

Clube do Desporto Escolar da Escola Básica de Paços de Ferreira conta com um Grupo Equipa de Golfe, que iniciou a sua atividade em 2014 com alunos que nunca tinham praticado a modalidade mas presentemente conta com participações nos diferentes níveis (I, II e III) que caraterizam a modalidade no Desporto

Escolar, sendo o nível I o mais básico e o nível

III o mais avançado. Nos dois primeiros níveis os alunos realizam competições adaptadas e com um coeficiente de dificuldade controlado enquanto que no nível III os atletas fizeram competições de Golfe Regular. Nesta época desportiva os alunos da modalidade já participaram em duas competições que decorreram no Campo de Golfe do Aqueduto em Paredes e alcançaram classificações muito boas. O próximo encontro decorrerá já no próximo dia 16 de abril no campo de Golfe Vidago Palace, seguindo-se a última competição que se realizará no campo de Golfe de Amarante no mês de maio. Os treinos do Golfe têm decorrido no espaço escolar mas sempre que o

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


20

Os Pacitos - Páscoa 201 8

Desporto Escolar

Contiunação da pág. anterior

cação dos alunos inscritos nesta modalidade pelo apoio dado aos discentes, ao Presidente do Campo de Golfe do Aqueduto pela cedência das instalações, à Federação Portuguesa de Golfe e á Direção da Escola pelo apoio prestado para desenvolvermos esta modalidade.

Grupo Equipa de Golfe sente necessidade de mais tempo e permissão para utilizar as instalações do Campo de Golfe do Aqueduto em Paredes para treinar. Neste momento temos vários alunos com bases para poderem evoluir na mo- cançarem excelentes resultados dalidade, e com um trabalho assíduo e desportivos. A professora da modalidaperseverante com capacidade para al- de agradece aos Encarregados de Edu-

Mega Sprinter Fase CLDE - Complexo Desportivo de Lousada – 1 de março

O

s nossos alunos foram uns verdadeiros HEROIS, enfrentando condições climatéricas adversas, chuva, frio e vento, foram os seus principais adversários. Demonstraram sempre um espírito competitivo incrível, dando sempre o seu melhor. O Desporto Escolar do A.V.E. De Paços de Ferreira orgulha-se destes ATLETAS. Lugares de pódio

1000 METROS: Dinis Gomes, Infantil A, 2º lugar. SALTO EM COMPRIMENTO: Matilde Leal, infantil A, 3º lugar; Francisco Costa, infantil A, 1º lugar; Lavínia Cardoso, iniciado, 3º lugar. VELOCIDADE ADAPTADO: Ariana Barbosa, Bruna Silva, Simão Rocha, e Márcio, conseguiram todos lugares de pódio

BASQUETEBOL 3x3 - Fase CLDE.- 21 DE fevereiro

A professora de Golfe: Glória Baptista

que demonstraram durante a realização dos seus jogos. As equipas de Infantis A masculinos e Infantis B femininos foram os vencedores nos seus escalões, com apuramento para a Fase inter CLDE. PARABÉNS a todas as equipas que representaram o nosso agrupamento

Corta Mato Fase CLDE Tâmega - Pista da Costilha, Lousada

M

ais uma vez a nossa escola participou com as suas equipas, desde os escalões Infantis A a Juvenis, neste torneio, onde marcaram presença mais de 90 equipas distribuídas por 14 escolas da Coordenação Local de Desporto Escolar do Tâmega. As equipas que representaram a Escola Básica de Paços de Ferreira foapuradas através do torneio realizaVELOCIDADE 40 mts: Gonçalo ram a nível interno, no dia 15 de dezemAndrade, Infantil A, 1º lugar; Beatriz do bro de 2017. A prestação de todos os Martins e Fábio Leal, iniciados, 3º lu- alunos foi muito boa, pelo comportagar. mento de fair-play e ética desportiva

N

o dia 22 de janeiro, realizou-se na Pista da Costilha, o CortaMato, fase Tâmega do Desporto escolar. Da Prova realizada na Escola Básica de Paços de Ferreira, no dia 3 de novembro, foram apurados os seis primeiros classificados em cada escalão e género para representar o nosso Agrupamento em Lousada. Pelas classificações obtidas, a nossa comitiva teve um desempenho excelente, levando, com

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

21

Desporto Escolar lugares de pódio com um terceiro e segundo lugar, respetivamente. A nível individual, Francisco Costa alcançou o segundo lugar nos infantis A. Na Prova adaptado B, Bruna Silva e Ariana Barbosa posicionaram-se em terceiro e quarto lugar. enorme mérito, o nome da nossa escola ao pódio por várias vezes.

Parabéns a todos os nosparticipantes pelo seu As equipas de Infantis A masculi- sos enorme empenho. na e Infantis B feminina conquistaram

C lu b e D e s p o rto Escolar M o da l i da d e B O C C I A

VISITA DE ESTUDO DO 6º ANO

N

o dia 23 de abril, os nossos alunos do 6ºano deslocaram-se ao Porto para visitar a Casa da Música e Serralves, no âmbito das disciplinas de Educação Visual e Tecnológica e Música.

De manhã, assistiram a um ensaio

D

urante o segundo período deste ano letivo, 2017/218, decorreram os seguintes encontros, da modalidade de BOCCIA Data dos encontros Escola dinamizadora Local da realização do encontro Escolas envolvidas

07 de fevereiro, 2018 E.B. 2,3 de Paços de ferreira E.B. 2,3 de Paços de ferreira E.B. 2,3 de Paços de ferreira Escola Secundária de Paços de Ferreira Escola Secundária de Freamunde 20 de fevereiro, 2018 Escola Secundária de Freamunde Escola Secundária de Freamunde

08 de março de, 2018 Escola Secundária de Paços de Ferreira Pavilhão Municipal de Paços de Ferreira, nº 2 - Modelos Obtivemos, os seguintes resultados: em equipas Os encontros decorreram dentro do esperado com espírito desportivo /fair da orquestra da Casa da Música. De tarde, foram a Serralves, onde visitaram os jardins e viram duas exposições: a de “Álvaro Lapa: No Tempo Todo”, que é a mais abrangente obra deste artista alguma vez realizada e a de Mariza Merz que apresenta a reutilização de materiais e a renda de cobre.

Desporto Escolar 3º Período

play. Foram, também, momentos de reencontros e de convívio com, alguns, colegas desta escola e de equipa, agora -6 de junho Dia do Desporto a frequentarem escolas/equipas dife-Golfe rentes. -Orientação -Bóccia -Desporto adaptado

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


22

A

Os Pacitos - Páscoa 201 8

2. C.J. Estando prestes a concluir o ensino básico, na tua opinião, para que serve a escola? Beatriz Vilaverde: Na minha opinião, a escola serviu para despertar interesses para o futuro. Conforme fui aprendendo, fui mudando as minhas ideias para o futuro até finalmente ter a certeza do que gostaria de fazer. Além disso, a escola também ajudou a fazer amizades que, com certeza, melhoraram a experiência de aprender. Vasco: Na minha opinião, a escola não é só um lugar onde aprendemos muitas coisas novas, mas sim um lugar de amizade e amor. Através da escola, todos os dias posso estar com os meus amigos, divertir-me e conviver. Além disso, a escola proporciona-nos um futuro melhor, com a escola, um dia mais tarde, podemos vir a tirar um curso e ser grandes homens e mulheres.

Entrevistas

equipa do jornal, desta vez, resolveu fazer entrevistas a alunos do 9ºano, que estão prestes a terminar o 3º ciclo para ficarmos a saber um pouco mais sobre os nossos alunos: a forma como viveram o seu percurso escolar desde o 5º ano e as suas expetativas para o futuro. 1.Clube do Jornal: De uma forma sucinta, faz, por favor, uma apresentação de ti próprio. Beatriz Vilaverde (9ºA): O meu nome é Beatriz Vilaverde. Tenho 15 anos e ando na escola básica de Paços de Ferreira desde o 5° ano. Nunca reprovei. As minhas atividades preferidas são ler, escrever e desenhar.

Mariana: Na minha opinião, a escola tem várias funções, sendo as principais educar-nos em relação a diversos assuntos e preparar-nos para a sociedade. É um local onde podemos adquirir conhecimentos e desenvolver competências que nos serão úteis no futuro. João Pinto: Na minha opinião, a escola serve para nos preparar para a vida adulta e para nos dar as bases que necessitamos para seguir os nossos sonhos.

Vasco (9ºA): Resumidamente eu sou um rapaz divertido, que gosta de ajudar e de apoiar sempre os outros quando estão mal. Faço rir toda a gente mesmo quem está triste. Nos meus tempos livres adoro ir com o meu vizinho andar de bicicleta, jogar à bola e passear a minha cadela. Não sou muito fã de ficar em casa a jogar computador, mas, de vez em quando, também gosto de jogar um bocado. Mariana (9ºE): Chamo-me Mariana, tenho 14 anos e sou 3.C.J.: Como avalias o teu subdelegada da turma 9ºE. percurso escolar nesta escola? A tua João Pinto (9ºF): Chamo-me João opinião sobre esta escola foi mudando Pinto, tenho 15 anos, frequento o 9ºano ao longo do teu percurso escolar? e vivo em Frazão, Paços de Ferreira.

Beatriz Vilaverde: O meu percurso escolar foi relativamente bom. Mesmo que as minhas notas não sejam excelentes a culpa não é definitivamente dos meus professores. Além de alguns problemas que enfrentei ao longo dos últimos meses em casa, a escola sempre serviu como um ponto de ajuda graças a funcionários, professores e à psicóloga. No início do meu 5° ano, eu sentia-me muito pequena na nova escola, mas, ao longo do tempo, habituei-me e esta acabou por se tornar na minha segunda casa. Vasco: Desde o quinto ano que ando nesta escola e sempre gostei muito, acordo sempre com vontade de aprender coisas novas e estar com os meus amigos. No quinto ano, pensava que tudo na escola era um mar de rosas, mas, com o passar dos anos fui-me apercebendo que nem tudo era assim tão bom. Se queremos ter sucesso temos que nos aplicar muito, pois a persistência e a dedicação, o trabalho e o esforço são as coisas que te vão levar ao topo. Mariana: Em geral, acho que foi uma experiência positiva. Sempre gostei desta escola e dos professores. João Pinto: O meu percurso escolar nesta escola foi muito bom, nunca tive problemas com ninguém e sempre gostei de vir. A minha opinião nunca mudou, sempre achei que era uma ótima escola. 4.C.J.: O que está bem e o que está mal na nossa escola? E como poderias mudá-la? Beatriz Vilaverde: A escola tem boas condições de ensino, as pessoas que trabalham nela também são boas e responsáveis. Claro que, ao longo do tempo, alguns problemas como portas quebradas nas casas de banho foram uma situação desconfortável, mas nada de muito grave. Ao todo, a escola é boa e não imagino uma maneira de a melhorar. Vasco: Não tenho muito a dizer sobre a nossa escola, para mim, ela está perfeita como está, tirando algumas reparações que se podia fazer ao nível das salas e blocos, está ótima. Mariana: Não tenho nenhumas queixas de que me lembre. Mas acho que se quisesse mudar alguma coisa, pediria ao delegado da minha turma que

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

23

falasse sobre esse assunto na assembleia gosto de aprender. Penso que Entrevistas de delegados. sim, é um caminho para o meu dia conseguir desenvolver muito mais futuro. Algo necessário para obter o que as minhas capacidades de desenho e de tanto quero realizar um dia. escrita e talvez fazer uma banda Vasco: Como já disse, nunca vi a desenhada, ou então um livro com escola como uma coisa obrigatória e algumas ilustrações. Ou até mesmo muito má. Sempre acordei com vontade fazer um desenho animado. Isso seria de aprender e ver os meus amigos pois incrível. sei que através da escola consigo obter Vasco: As minhas expectativas um futuro melhor e, é esse o meu para o futuro ao nível da escola são, objetivo. concluir o 12º ano e depois ingressar Mariana: Acho que não num curso superior de que goste, como deveríamos ver a escola apenas como engenharia ou medicina. A área que uma obrigação, pois para além de ainda penso escolher no final do 9º ano é fazer com que quem não gosta da escola Ciências. goste ainda menos, é através dela que Mariana: Espero vir a ingressar no nos preparamos para o futuro, e o nosso ensino superior num curso de que desempenho escolar pode pôr em risco realmente goste e ter uma carreira de o nosso sucesso. sucesso. Ainda não sei qual curso, mas João Pinto: Vejo a escola como um pretendo seguir Ciências e Tecnologias caminho para a obtenção de um futuro no ensino secundário, portanto João Pinto: Não encontro nenhum melhor, pois, como tinha dito provavelmente será algo relacionado a defeito significativo na nossa escola anteriormente, sem a escola, não isso. Mas eu gosto de um pouco de neste momento. Acho que o facto de se tínhamos muitos dos conhecimentos tudo, o que torna a minha decisão ainda realizarem muitas atividades diferentes necessários para alcançar os nossos mais difícil. durante o ano letivo é um ponto muito objetivos na vida. João Pinto: No futuro, espero positivo. conseguir ganhar a vida a fazer o que 6.C.J.: Quais as tuas gosto, embora ainda não saiba bem o 5. C.J.: Vês a escola como uma expectativas para o futuro? Pensas quê. Quanto aos estudos, pretendo obrigação que é necessário seguir ou continuar os estudos? Apenas concluir o 12º ano, mas depois disso como um caminho para a obtenção de concluir a escolaridade obrigatória, ainda não tenho a certeza se vou entrar um futuro melhor? concluir o 12º ano ou ingressar no no ensino superior. Se decidir não entrar ensino superior? na universidade logo que acabe o 12º Beatriz Vilaverde: Para ser sincera, ano, gostaria de entrar um dia mais poucos alunos realmente gostam de ir à Beatriz Vilaverde: As minhas tarde na minha vida. Depende do que o escola. No meu caso, é um pouco expectativas para o futuro são entrar futuro me traga. diferente, eu não gosto de ter de acordar num curso de artes e seguir para a cedo, nem de trabalhos de casa, mas eu universidade. O meu grande sonho é um

“Sessão na Assembleia Municipal”

N

o dia 21 de fevereiro, decorreu na Câmara Municipal de Paços de Ferreira uma sessão de Assembleia Municipal para debater o tema “Igualdade de Género” para eleger três medidas para contribuir para o tema proposto. A participação da nossa escola nesta assembleia foi muito vantajosa, pois podemos sentir-nos uns “verdadeiros deputados”, principalmente, pela adrenalina de falarmos em frente àquele público. No final, foram eleitas as três me- iniciativa que, no meu entender, deveria O tema proposto foi a “Igualdade de Género”. Cada escola apresentou e lhores medidas, duas das quais de- repetir-se mais vezes. fendidas pela nossa escola. Vasco Moura nº19 9ºA digladiou-se pelas medidas propostas. Em suma, acho que foi uma boa Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


24

Os Pacitos - Páscoa 201 8

Biblioteca Celebração do Dia de Reis

pela diretora de turma, Manuela Almeida, pela professora de EDM, Carla Rocha e pelas professoras bibliotecárias Nelza Santos e Manuela Fertividade dinamizada na Escola reira, presentearam os colegas mais Básica Nº1 de Paços de Ferre- novos com canções alusivas ao Dia de ira Reis. No dia 5 de janeiro, festejámos o Os alunos da Escola Básica Nº1 Dia de Reis, na Escola Básica nº1. retribuíram a gentileza com a apreOs alunos do 6º A, acompanhados

A N

sentação de um cântico de Natal e deliciaram o público presente. No final todos os alunos receberam um “miminho doce” oferecido pela coordenadora de estabelecimento, Emília Pereira. A equipa da Biblioteca agradece a professores e alunos a participação e envolvimento nesta atividade.

Pa(ss)ços de leitura

o dia 7 de março e no âmbito da Semana da Leitura, as Bibliotecas do Concelho de Paços de Ferreira, realizaram numa iniciativa inédita e simbólica. Todas as escolas do agrupamento pararam as aulas durante cinco minutos, entre as 10h e as 10h35, e convidaram docentes, discentes e assistentes operacionais a ler uma parte de um livro.

Visionamento do filme: School of Rock

(Prémio do concurso das portas e PNC)

A A

Biblioteca Escolar dinamizou no primeiro período um concurso de decoração de

Decoração “Dia de S. Valentim”

portas subordinado ao tema “Natal”. A equipa da Biblioteca contou com a colaboração dos diretores de turma. As turmas participantes, 6º F, G, I, J e o 7º A, foram premiados com uma sessão de cinema com pipocas, nos dias 11 e 12 de janeiro. O filme apresentado “School of Rock”integrar o Plano

equipa da Biblioteca Escolar na semana de 5 a 9 de fevereiro, decorou o espaço inte- em epígrafe. rior e exterior da Biblioteca da escola A coordenadora da BE agradece à sede com motivos alusivos à temática equipa e assistentes operacionais da bi-

Nacional de Cinema. Contamos, ainda, com a colaboração da Associação de Pais na oferta do “docinho crocante”. Foi um interessante momento de entretenimento e o feedback dos alunos foi muito positivo, motivo de satisfação para esta equipa. blioteca todo o empenho, disponibilidade, dedicação e na decoração deste espaço, tornando-o mais apelativo e acolhedor.

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

Conversa com a autora professora Manuela Bentes

N

o dia 9 de março, a equipa da Biblioteca Escolar dinamizou, um encontro com a autora/ professora Manuela Bentes.

25

Biblioteca

Num primeiro momento, a convidada refletiu sobre a importância da leitura na construção dos saberes. Ao longo da sessão foi criando interação com o público presente e paralelamente foi lendo excertos da sua obra, transportando os alunos para o mundo da fantasia, do sonho, de imaginação… A autora promoveu um diálogo

N

“Cultura Popular”

o âmbito da comemoração da Semana da Leitura, de 5 a 9 de março, as professoras bibliotecárias dinamizaram, para os alunos do agrupamento, uma atividade intitulada: “Cultura Popular”. Os alunos foram divididos em equipas, foi-lhes distribuído cartas com imagens referentes a provérbios. Posteriormente deveriam

aberto, possibilitando aos alunos resposta às suas questões no que concerne aos seus hábitos de leitura em família e/ou escola, biblioteca. Mais referiu que “Um bom leitor desenvolverá obrigatoriamente as competências de escrita e o gosto pela mesma”. Esta intervenção, foi deveras oportuna, sendo que um dos objetivos da Biblioteca/Escola é motivar, incentivar, fomentar, desde tenra idade, leitores curiosos, assíduos e que divulguem este interesse pelos pares. A equipa agradece a colaboração de toda a comunidade e congratula-se com a presença de uma autora local. descobrir o provérbio correspondente à respetiva imagem. Todos os alunos participaram com entusiasmo e alegria referindo que recordaram a cultura dos seus antepassados e aprenderam a descodificar/interpretar a mensagem inerente a cada provérbio. Um bem-haja a todos aqueles que se empenharam, colaboraram e participaram nesta atividade.

abordados os principais pontos a ter em conta na altura de apresentação do mesmo. O suporte utilizado, postura, colocação de voz e linguagem utilizada, constituem ingredientes essenciais para que a comunicação se estabeleça. O feedback dado pelos alunos e pelos professores foi bastante positivo.

Workshop de informática

ano, participaram no workshop do programa PowerPoint. Aprenderam as Biblioteca: Lugar de Aprendizagem principais regras e passos para s meses de janeiro e fevereiro construírem, em suporte digital, os seus foram bastante movimentados trabalhos para apresentarem em na nossa Biblioteca Escolar. contexto da sala de aula. Para além das atividades habituais, Não só é importante o suporte da foram dinamizadas vários workshops apresentação, mas também a forma para ajudar os nossos alunos a se apresenta. Paralelamente, as elaborarem/realizaram os seus trabalhos como turmas de 7º e 8º ano foram convidadas escolares com mais sucesso. a participar num workshop sobre Dando seguimento às atividades “Como apresentar oralmente um iniciadas no 1º período, as turmas do 5º trabalho”. Nesta atividade, foram

O

Soluções da página 4 1 : relógio 2 : vento 3: alho 4: fogo 5: Raúl 6: minutos 7: laranja

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


26

Os Pacitos - Páscoa 201 8

Biblioteca Workshop: Marcadores de livro fantásticos

N

o passado dia de 16 de março, os alunos do 5ºB tiveram oportunidade de participar num workshop: ”Construção de marcadores de livros”, na biblioteca escola. Esta atividade surge na sequência de um trabalho efetivo de motivação Recorrendo à técnica do Origami, para a leitura, em parceria com a foram construídos e decorados, professora de português e a Drª Diana marcadores de livros, usando diversos Silva. materiais. A atividade serviu para

Mensagens de Amor e

Visionamento do Filme “ Marley e Eu”

N

o âmbito da Semana da Leitura e dando cumprimento às diretrizes do Plano Nacional de Cinema, a BE promoveu a visualização do filme: “Marley e Eu” dirigido por David Frankel, baseado no livro com o mesmo nome e da autoria de John

A

amizade

Biblioteca Escolar apelou à participação de toda a comunidade na elaboração de mensagens de amor e amizade subordinado ao tema “Lenços dos namorados”. As pétalas com as mensagens serviram para decorar o placard, dando forma e cor ao espaço. Os alunos tiveram a possibilidade de colocar mensagens, noutras línguas, numa caixa realizada para o efeito. No final da atividade, foram distribuídos os trabalhos e as cartas. Houve uma grande adesão por parte de todos e a equipa agradece a motivação demonstrada por todos os intervenientes.

Grogan. A escolha deste filme tem como base a grande procura e respetiva requisição do livro. A temática abordada é do agrado do público/leitor e houve um grande entusiasmo e recetividade aquando da sua divulgação. No final houve uma breve intervenção/reflexão da coordenadora da BE no sentido de sensibilizar todos os presentes para a importância dos animais na nossa vida, os cuidados a ter e a responsabilidade de cada um na criação de um ambiente favorável de acordo com as suas necessidades. É sempre do agrado do aluno, atividades de entretenimento.

incentivar a leitura e a conservação dos livros, enquanto instrumento de aprendizagem e de imaginação. Os alunos estiveram bastante entusiasmados durante a atividade e os trabalhos foram o produto final da sua imaginação. A temática sugerida teve como base animais e fábulas suas conhecidas. No final, os alunos agradeceram o empenho e a dedicação da formadora nesta actividade. Os marcadores servirão para marcação das suas leituras.

Artes de representação dramática: Teatro de sombras e Kamishibai

N

o dia 8 de março, a biblioteca escolar recebeu as turmas do 6.º F e 6.º D para assistirem à representação das peças “Ulisses” e “Pedro Alecrim”. Esta dramatização foi da responsabilidade de alguns alunos do 6.ºE, que utilizando técnicas distintas deliciaram todos os presentes. Todo o material necessário e encenação foi da respnsabilidade destes alunos. De salientar a motivação e o envolvimento da docente de português, Laura Silva,

na consecução desta atividade. A coordenadora da BE lançou o desafio às turmas convidadas, de apresentarem outras obras, utilizando novas técnicas de representação como forma de presentearem a turma dinamizadora. Os intervenientes manifestaram o seu agrado e deixaram no ar a promessa de regressarem com uma surpresa.

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Os Pacitos - Páscoa 201 8

Biblioteca

Storytelling – James and the Giant Peach

N

o dia 21 de março, a escola Básica de Paços de Ferreira viveu com grande interesse e entusiasmo mais uma atividade do grupo disciplinar de Inglês do 2.º CEB, tendo tido lugar no Centro de Recursos da Biblioteca da nossa escola. Em articulação com a Biblioteca Escolar/Centro de Recursos algumas turmas do 5.º ano tiveram oportunidade de assistir a uma sessão de Storytelling (Contar uma história) sobre o livro James and the Giant Peach, (parte integrante do manual do 5.ºano) levada a cabo pelo formador e revisor linguístico, Dave Tucker. Assistiu-se a um momento de pura arte de contar histórias, em que através de uma abordagem multissensorial se foi

estimulando a aprendizagem, a concentração e a criatividade dos nossos alunos. E, como dizia uma das personagens do livro - If you listen carefully, fantastic things will happen (Se ouvires com atenção, coisas fantásticas acontecerão). De facto, a fantasia aconteceu! Os nossos alunos foram, por momentos, personagens da história e o entusiasmo e a alegria irradiaram a sala.

Como ajudar a criança com DAE em casa e na escola:

Nestes momentos, são várias as estratégias que podem ser utilizadas com as crianças: •Utilize palavras simples e concretas, demonstrando o que pretende. Transmita uma instrução de cada vez e dê reforço positivo sempre que complete a tarefa com sucesso; •Previsibilidade, consistência e rotinas fornecem um maior sentimento de segurança; •Ensine a estudar; •Estabeleça diariamente um horário de estudo e mesmo que não tenha trabalhos de casa, terá de usar esse período para trabalhar algo relacionado com as aprendizagens;

Reserve todos os dias um período de tempo inteiramente dedicado aos filhos, e ao revelar disponibilidade para os ouvir, podem estar a contribuir decisivamente para o seu desenvolvimento.

•O local de trabalho deve ser confortável, adequado e livre de distrações;

Características de génio

A

palavra dislexia está associada às dificuldades específicas de aprendizagem e, se para muitos constitui apenas um problema, nós (equipa do Projecto Promoção para o Sucesso) preferimos considerá-la uma característica de génio. Se é verdade que um aluno com estas características muitas vezes não atinge o nível de sucesso escolar pretendido, também é verdade que com determinação e alguma ajuda consegue progressos extraordinários e, muitas vezes, um futuro notório como aconteceu com figuras destacadas nas várias áreas. Quanto mais cedo for diagnosticada melhor é, quando um aluno percebe as suas lacunas e se compromete em ultrapassá-las, os pais respeitam e apoiam o trabalho

27

desenvolvido e os professores estão ainda mais atentos, estão reunidas as condições para uma evolução positiva. Acreditamos que o trabalho que efetuamos com os nossos alunos do 5º ao 9º ano faz a diferença, na medida em que não nos limitamos a trabalhar para superar as dificuldades, apostamos nas características de génio que cada um tem e na capacidade de aprender a ser melhor. A equipa do PPS

•Em vez de fazer as coisas para a criança, trabalhe com a criança. Peçalhe que indique quando não precisa mais da sua ajuda;

Escola Básica de Paços de Ferreira ­ Agrupamento Vertical de Escolas de Paços de Ferreira


Características de génio

• Elabore um “estojo de T.P.C.“ que inclua lápis, esferográficas, cola, fita-cola, borrachas, dicionário, tesoura, etc. isto é, todos os materiais que a criança necessite; • Lembre-se que os trabalhos para casa da criança são da responsabilidade da própria; •Incentive a criança a aderir a uma modalidade desportiva ou recreativa, contribuindo significativamente para a sua autoestima; • Mantenha expectativas positivas; • Paciência e perseverança; • Dê apoio e seja compreensivo; • Leia histórias que a criança goste ou cujos temas sabe serem do seu agrado e explicar o sentido de palavras novas, discutindo o sentido geral do texto; • Incentive a criança a ler em voz alta uma página de um livro a gosto e recontar; • Comece com pequenas sessões de leitura aumentando gradualmente o tempo destas; • Não corrija sistematicamente os erros de leitura, se estes não alterarem o sentido do texto; • Faça jogos auditivos e rítmicos. O que é DAE? É uma perturbação num ou mais dos processos psicológicos básicos

envolvidos na compreensão ou utilização da linguagem falada ou escrita, que pode manifestar-se por uma aptidão imperfeita de escutar, pensar, ler, escrever, soletrar, ou fazer cálculos matemáticos. O termo inclui condições como problemas perceptivos, lesão cerebral, disfunção cerebral mínima, dislexia e afasia de desenvolvimento. O termo não engloba as crianças que têm problemas de aprendizagem resultantes principalmente de deficiências visuais, auditivas ou motoras, de deficiência mental, de perturbação emocional ou de desvantagens ambientais, culturais ou económicas”. (Federal Register 1977, p. 65083, citado por Correia, 1991). Tipificação: - Dislexia “É uma dificuldade específica e durável da aprendizagem da leitura e da escrita, em que não houve a aquisição do seu automatismo, e experimentada por crianças normalmente inteligentes, normalmente escolarizadas e sem perturbações sensoriais” (Debrey-Ritzen e Melekian). - Discalculia “É uma desordem neurológica que está associada a dificuldades na

simbolização dos números e na capacidade aritmética, interferindo significativamente nas aprendizagens académicas assim como nas actividades da vida que requeiram o uso do cálculo matemático”. (Serra, Nunes & Santos, 2005) - Disortografia “É uma perturbação específica da escrita que se manifesta pela dificuldade para transmitir o código linguístico falado ou escrito através dos grafemas, respeitando a associação correta entre os fonemas e os grafemas (ortografia), assim como em organizar e expressar os seus pensamentos na transposição para a escrita e no cumprimento das regras ortográficas.” - Disgrafia “É uma perturbação do tipo funcional que implica anomalias do grafismo, normalmente ligada a problemas percetivo-motores. Esta perturbação afeta a qualidade da escrita da criança/jovem.” (Serra, Nunes & Santos, 2005) José Carlos Hugo Dias 6ºB Leandro Moreira

Jornal "Os Pacitos "  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Paços de Ferreira

Jornal "Os Pacitos "  

Jornal do Agrupamento de Escolas de Paços de Ferreira

Advertisement