Issuu on Google+

Indicador do bem-estar animal Enfeitiรงados no Bosque Encantado Nascimentos + 1 Orangotango + 1 Okapi + 10 Tartarugas-de-pescoรงo-comprido-de-roti


{ 3.

} editorial

Em prol da biodiversidade

4.

NascimeNtos

+ 1 Orangotango + 1 Okapi + 10 Tartarugas-de-pescoço - comprido-de-roti

7.

Fora de Portas

Jardim Zoológico coordena Studbook Internacional Gorila enviado para Belfast já tem descendente

12.

Bastidores

Indicador do bem-estar animal

16.

eNtrevista

Tânia Ribas de Oliveira

18.

radiograFia

Enfeitiçados no Bosque Encantado

22.

curtas

JZ tem novo site Campanha publicitária difundida em diversos meios Bilhetes à distância de um clique

24.

iN&out

Os eventos dentro e fora do Zoo

25.

testemuNho

Banif

26.

PassatemPos

Sopa de Letras, Cruzadex, Palavras Cruzadas Ficha técnica Coordenação Serviço de Marketing Colaboradores Sofia Filipe design Serviço de Marketing CaPa Manuel dos Santos Tiragem 2.500 exemplares Toda a edição foi feita ao abrigo do novo acordo ortográfico, com a exceção do Editorial.

Leão-de-angola


Jardim Zoológico

editorial

Em prol da biodiversidade Estamos quase a iniciar um novo ano seguros de termos cumprido um dos mais importantes objectivos dos jardins zoológicos, que há muito deixaram de ser uma simples mostra de animais selvagens. A luta contra a extinção de espécies, fomentando a conservação da biodiversidade, é contínua e imparável, caso contrário, não teríamos honrado este compromisso. Todos os anos recebemos centenas de milhares de visitantes – famílias, turistas, escolas, empresas – a quem transmitimos a mensagem da conservação da Natureza e alertamos para o desaparecimento definitivo de algumas espécies, não raras vezes provocado pela acção do próprio Homem. Sensibilizamos, por isso, para diversos factores, como a importância dos pequenos gestos de cada um no todo. A próxima campanha da Associação Europeia de Zoos e Aquários – Pole to Pole – sensibiliza para o efeito do consumo de energia no degelo, colocando em perigo espécies polares como o Urso-polar e o Pinguim-rei. Além deste tipo de iniciativas, não podemos esquecer os diversos programas de conservação a decorrer em todo o mundo, que também contam com o envolvimento do Jardim Zoológico. Temos acompanhado o trabalho desenvolvido com o casal de Leopardos-da-pérsia, Zadig e Andrea, enviado para o Centro de Reprodução e Reintrodução do Parque Nacional de Sochi e que já procriou, sendo a primeira vez em 50 anos que nasceram crias desta espécie na Rússia. O reconhecimento do nosso papel no Programa Europeu de Reprodução do Leopardo-da-pérsia conduziu-nos a uma nova responsabilidade – somos agora responsáveis pela coordenação do Studbook Internacional (ISB). Na verdade, os nascimentos são sempre gratificantes e representam o sucesso dos programas de conservação e preservação das espécies. Temos excelentes exemplos de nascimentos no Jardim Zoológico, nos últimos meses, como as Tartarugas-de-pescoço-comprido-de-roti, o Okapi e o Orangotangode-sumatra. Houve, no entanto, um nascimento no Zoo de Belfast, cuja notícia foi recebida com muita alegria em Lisboa, não tivesse o gorila macho sido enviado do Jardim Zoológico com essa finalidade. Temos o privilégio de receber com agrado estas e muitas outras novidades, devido ao esforço feito em prol da biodiversidade. Este esforço também inclui as condições que são dadas aos animais, quer com o melhoramento das instalações, quer com os cuidados diários. A pesagem dos animais, explicada nesta edição, serve para exemplificar, uma vez que funciona como o indicador do bem-estar, por excelência. No próximo ano, vamos completar 130 anos com a certeza e orgulho de cumprirmos uma missão nobre, com o contributo de todos: funcionários, visitantes, voluntários, parceiros e amigos. A todos um Muito obrigado! Bem haja! Francisco Naharro Pires Presidente

{3}


{4}

Jardim Zoológico

NascimeNtos

sairc

a

15 de março, a Janina e o Ziki foram presenteados com o nascimento de uma cria, aumentando para quatro os membros desta família de Orangotangos-de-sumatra. Para além da Harta, o casal tem agora uma cria cujo sexo ainda é desconhecido. Nasceu com 1,5 quilos, o seu desenvolvimento tem decorrido dentro da normalidade e vai alimentar-se de leite materno até aos 3 anos de idade, sendo

NascidO em: 15 de março 2013 PesO: 1,5 kg FilhO de: Janina e Ziki

1 Orangotango -de-sumatra notória a forte relação com a mãe. Trata-se de um nascimento que vem reforçar o empenho e compromisso do JZ na conservação e preservação das espécies ameaçadas. De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza, os Orangotangosde-sumatra estão criticamente em perigo, sobretudo devido à desflorestação para a produção de óleo de palma. Estes animais são muito ágeis a saltar de árvore em árvore, graças aos braços longos e fortes. A pele, comprida e avermelhada, cobre todo o corpo, exceto a face, a palma das mãos e a sola dos pés. As fêmeas pesam entre 30 kg a 60 kg e os machos podem chegar aos 90 kg.

Leibniz

As bolachas do Zoo A marca apadrinha a cria de Orangotango-de-sumatra. Através de um passatempo a decorrer nos hipermercados e supermercados, vai incentivar os consumidores a escolherem o seu nome.

Mais informações em www.touch.pt


Jardim Zoológico

NascimeNtos

1 Okapi

E

m maio último, nasceu mais um Okapi macho no Jardim Zoológico. É a segunda cria de Faraa e Jamar, teve a vantagem de nascer na época quente do ano e usufruiu da experiência adquirida com a outra cria. Além disso, foi instalado um sistema de vídeo vigilância, para acompanhamento intensivo do pequeno Okapi ainda sem nome. Mãe e cria têm uma ligação muito forte, comunicando entre si através de vocalizações semelhantes a balidos e infrassons. Deverá alimentar-se de leite materno até aos 9 meses. A cria de Okapi ainda chegou a conhecer o seu irmão Azizi, nascido em 2010 no Jardim Zoológico e enviado recentemente para o

Jardim Zoológico Doué La Fontaine, em França, no âmbito do Programa Europeu de Reprodução do Okapi (EEP). Também conhecida como Girafa da Floresta, é uma espécie originária das florestas equatoriais do Nordeste e Centro-Leste da República Democrática do Congo, caracterizada pelas orelhas grandes e eretas, a língua comprida (35 cm), preênsil e saliências córneas cobertas por pele. Os okapis são herbívoros e estão ameaçados pela caça desportiva e pela perda de habitat. Para além de participar no Programa Europeu de Reprodução do Okapi (EEP), o JZ apoia financeiramente o projeto de conservação in situ (no habitat natural), na República Democrática do Congo.

infelizmente, no verão de 2012, a reserva epulu foi alvo de um ataque, em que todos os okapis foram dizimados, alguns colaboradores assassinados e as instalações destruídas.

NascidO em: Maio de 2013 PesO: 25 kg FilhO de: Faraa e Jamar

{5}


{6}

Jardim Zoológico

NascimeNtos

crias

10 Tartarugas-de-pescoço -comprido-de-roti

o

s 10 novos habitantes da maternidade do Reptilário destacam-se pelo olhar atento e pela cabeça estreita, mas também pelo comprimento do pescoço, por ser mais longo do que o habitual nas tartarugas da família Chelidae. As crias de Tartaruga-de-pescoçocomprido-de-roti nasceram no passado mês de outubro com cerca de 3 gramas e 2,5 cm de comprimento da carapaça. Esta é oval e de tonalidade cinzentaacastanhada, nos adultos pode atingir os 20 cm de comprimento, sendo que nas fêmeas costuma ser maior. Alimentam-se de peixes, girinos, insetos e outros pequenos invertebrados.

No habitat natural, a época de acasalamento decorre entre fevereiro e setembro, a postura é de 3-10 ovos e o período de incubação de 85-114 dias (temperatura ambiente: 28-31ºC), mas no Jardim Zoológico durou 135 dias. O nascimento destas crias representa uma grande vitória, por ser uma espécie criticamente em perigo, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza. Nos anos 90 foi desenvolvido um plano para evitar a extinção e prevê-se a reintrodução dos animais nascidos em zoológicos europeus e norteamericanos, quando estiverem reunidas as condições na ilha de

Roti, na Indonésia. Em 2008, as instituições que integram este projeto de reprodução acolhiam pouco mais de 150 animais. Em 2013, a população aumentou para perto de 200.

Nascidas em: Outubro 2013 PesO:

3g

cOmPrimeNtO:

2,5 cm


Jardim Zoológico

Fora de Portas

Jardim Zoológico coordena Studbook Internacional Nasceram dois Leopardos-da-pérsia do casal que no ano passado partiu de Lisboa para efeitos de reprodução na Rússia. O sucesso do programa motivou o convite endereçado ao JZ para coordenar o Studbook Internacional (ISB). Um desafio aceite e no qual são depositadas fortes expetativas.

o

casal de leopardos-dapérsia, Zadig e Andrea, enviado pelo Jardim Zoológico para o Centro de Reprodução e Reintrodução do Parque Nacional de Sochi foi o primeiro casal do grupo integrado no projeto a reproduzir com sucesso. Foi a primeira vez, em 50 anos, que nasceram crias desta espécie na Rússia, país onde está extinta em estado selvagem. As duas crias – um macho e uma fêmea – nasceram no dia 12 de julho de 2013, com cerca de 15 cm e entre 500 a 700 gramas e já foram vacinadas. “Não vão ter nenhum contacto com humanos, sendo acompanhadas através de um sistema de vídeo vigilância. Em breve vão ser transferidas com a mãe para uma zona de um hectare, de forma a desenvolverem o instinto de caça com presas vivas, que serão libertadas a horas diferentes e sempre de locais distintos”, refere José Dias Ferreira, curador de mamíferos do Jardim Zoológico. “Mais tarde, vão

ser transferidos para a Reserva Natural do Cáucaso, onde serão acompanhados à distância, através de radiotelemetria ou GPS”, acrescenta o curador, sublinhando que o objetivo será desenvolver uma nova população nas montanhas do Cáucaso. Os nascimentos ocorreram no âmbito do Programa de Reintrodução do Leopardo-dapérsia, criado pelo Ministério dos Recursos Naturais e Ambiente da Federação Russa, em parceria com o Parque Nacional de Sochi, a Reserva Natural do Cáucaso, o Instituto de Ecologia e Evolução A.N- Sevestov, o Jardim Zoológico de Lisboa, a EAZA, a WWF e o Zoo de Moscovo. O JZ foi selecionado para colaborar neste programa, por apresentar a melhor taxa de reprodução na Europa. Nesta sequência, foi convidado a dar formação em maneio de leopardos no Centro de Reprodução de Sochi, com resultados positivos, pois outro casal já reproduziu com sucesso.

{7}


{8}

Jardim Zoológico

Fora de Portas

FilhaS de: Zadig e Andrea 2 criaS NaScidaS em:

12 de julho 2013 PeSo: 500/700 g comPrimeNto:

15 cm

Foi a primeira vez, em 50 anos, que nasceram crias de Leopardos-dapérsia na Rússia, país onde estão extintos em estado selvagem.

Jardim Zoológico vai coordenar Studbook Internacional O reconhecimento do papel do JZ no Programa Europeu de Reprodução desta espécie conduziu a uma nova responsabilidade. Segundo revelou José Dias Ferreira, o JZ foi convidado para coordenar o Studbook Internacional (ISB), o que significa que vai coordenar todas as transferências de Leopardos-dapérsia entre jardins zoológicos, a nível mundial. Para o curador, agora responsável pela coordenação do ISB, é um enorme prestígio para o JZ ter sido selecionado entre tantos outros zoos. “Representa um reconhecimento internacional muito relevante, até porque não se atribui um programa desta dimensão a qualquer instituição”, sustenta José Dias Ferreira. “Já começámos a analisar a população, para avançarmos com as recomendações de transferências de Leopardosda-pérsia entre zoos. Existe um casal de irmãos no JZ, em breve um deles deverá ser transferido para outra instituição”, adianta o curador, que deposita fortes expetativas neste projeto. Curiosamente, o leopardo é o símbolo oficial dos Jogos Olímpicos de Inverno, que vão decorrer em Sochi, em 2014. A espécie encontra-se criticamente em perigo segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, sendo as principais ameaças a redução do habitat natural, a caça para o comércio ilegal da pele e dos ossos e a perseguição direta, por ser considerado um predador do gado doméstico e uma ameaça às povoações.


Jardim Zoológico

Fora de Portas

{9}

www.zoo.pt

VALE 15 % NUMA D AS LOJA S DO ZO O Recorte o Cupão da página e aprese 25 nte na lo ja.

Ninguém resiste a um presente do Zoo. Ofereça presentes de Natal do Jardim Zoológico, a vida selvagem agradece.

Encontre-nos na zona de acesso livre do Jardim Zoológico.


{10} Fora de Portas Jardim Zoológico

Gorila enviado para Belfast já tem descendente

g

A notícia do nascimento de um gorila macho em Belfast foi recebida com muita alegria em Lisboa. Não é de admirar, afinal, o progenitor Gugas, habitou no JZ.

ugas, o gorila que foi enviado do Jardim Zoológico para o Zoo de Belfast já foi pai, causando uma onda de alegria nos dois zoos. Baako, que significa “primeiro filho a nascer”, foi o nome escolhido para este macho que nasceu a 3 de agosto. Kwanza, oriunda de França, tem revelado ser uma excelente mãe e o desenvolvimento da cria de gorila não poderia estar a correr melhor, sendo que a força e a coordenação estão a progredir normalmente com o crescimento. No zoo irlandês a notícia da gravidez de Kwanza foi recebida com muito entusiasmo e alegria. Julie Mansell é curadora do Zoo de Belfast e referiu à imprensa local estar encantada com este nascimento, sobretudo quando alguns testes tinham revelado – erradamente – que Gugas provavelmente seria infértil. O responsável pelo Zoo de Belfast, Mark Challis, tem esperança que este seja o primeiro de muitos nascimentos e sublinhou a sua importância, devido à redução das populações de gorilas

em mais de 50 por cento, nas últimas décadas, derivada da caça ou da destruição do habitat natural.

Percurso do Gugas Decorria o ano de 1996 quando o Gugas foi oferecido ao Jardim Zoológico de Lisboa por um circo. Tinha cerca de um ano e apresentava fracas condições físicas e nutricionais. Foi, por isso, necessária a intervenção da equipa de tratadores e veterinários, para que pudesse ser introduzido num grupo de gorilas. Quando recuperou, foi transferido para o Zoo de Stuttgart, na Alemanha, onde uma equipa especializada em grandes primatas deu continuidade ao trabalho iniciado em Lisboa. Como é uma espécie criticamente em perigo, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, foi enviado para Belfast, para promover a natalidade da espécie. Os gorilas são herbívoros e vivem em grupos formados por um macho


Jardim Zoológico

Fora de Portas

{11}

NOme: Baako FilhO de: Kwanza (FR) e Gugas (PT) NascidO em: 3 de agosto 2013 sexO: Masculino

dominante, várias fêmeas e crias. Os machos realizam exibições intimidatórias, batendo com as mãos contra o peito, enquanto correm de forma bípede, porém são animais calmos que só reagem se forem confrontados. No Jardim Zoológico vive uma família de gorilas formada por quatro indivíduos. Nasibu é o macho dominante.

A cria de gorila é amamentada durante um período de 2 a 4 anos.

Sabia que sou capaz de usar folhas como se fossem chapéus de chuva?

INSCRIÇÕES

Férias de Natal, no Jardim Zoológico! De 16 de dezembro a 3 de janeiro. Atelier de férias › Dos 3 aos 5 anos. ATL do ZOO › Dos 6 aos 16 anos.

T. 217 232 960 . F. 217 232 961 . E-mail: pedagogico@zoo.pt . WWW.ZOO.PT

O Jardim Zoológico é titular do nº 68/2011/DRLVT , emitido pelo IPJ, que o licencia para o exercício de atividade de organização de campos de férias, nos termos do decreto-lei nº 304-2003.


{12} Bastidores

Jardim Zoológico

Tratadores recebem formação sobre a pesagem de koalas.

Indicador do bem-estar animal Verificar se a alimentação é adequada, prevenir o aparecimento de doenças como a obesidade ou determinar a dosagem de um medicamento. Eis três dos objetivos da pesagem dos habitantes do Jardim Zoológico.


Jardim Zoológico

Bastidores

tomar medicação, a dose do medicamento tem de ser adaptada e adequada ao peso do animal. O mesmo acontece com as desparasitações, em que a diferença de peso é significativa na dosagem do desparasitante”. O registo sistemático do peso permite, ainda, obter um histórico de cada animal, sendo útil para antecipar a sua resposta perante novos eventos ou quando acontece uma transferência para outra instituição. Atualmente o arquivo das pesagens é feito em bases de dados, que são partilhadas por toda a comunidade zoológica.

A pesagem é possível devido a um treino

Os koalas são pesados de dois em dois dias.

S

e através do controlo de peso se verificar uma grande oscilação de valores, comparativamente a outros indivíduos da mesma espécie, significa que algo de errado se passa, sendo o passo seguinte averiguar a causa de tal perda ou aumento de peso. “A pesagem serve para o nosso Serviço de Nutrição avaliar se a alimentação é equilibrada, variada e a mais adequada ou se a dosagem das refeições está correta”, refere José Dias Ferreira, curador de mamíferos. Mas, o acompanhamento da condição física de cada animal também pode ser feito numa lógica de medicina preventiva. “A pesagem regular permite seguir o crescimento nos juvenis e salvaguardar episódios de obesidade em animais mais velhos”, exemplifica a bióloga marinha Sónia Matias. A pesagem é igualmente importante ao nível veterinário. Segundo Telma Araújo, curadora de répteis e aves, “se os animais tiverem de

Cada vez mais os técnicos pretendem ter acesso a um maior número de informações sobre os animais e, através da pesagem, é possível ir controlando o estado de saúde dos animais, inclusive das crias em gestação. José Dias Ferreira dá como exemplo o acompanhamento do desenvolvimento da cria de Okapi quando ainda estava em gestação. “O tratador registava a pesagem da fêmea todos os dias, o que permitia controlar o desenvolvimento da cria”, diz o curador zoológico. A pesagem era feita numa balança, com capacidade até 500 kg, colocada estrategicamente na instalação. Consiste num corredor de maneio, em que a determinada altura a Faraa recebia reforço positivo, de forma a ficar parada. “A Faraa sabia que ao parar nessa zona recebia folhagens ou outros alimentos do seu agrado. Enquanto o tratador dava este reforço positivo, olhava para o mostrador e anotava o valor do peso”, indica José Dias Ferreira, explicando tratar-se de um treino. “Os treinos realizados na área zoológica funcionam como rotina e têm como objetivo aceder ao animal facilmente sem lhe causar stress.” Os koalas, por exemplo, são pesados de dois em dois dias, sem que seja necessário um treino, porque são levados ao colo. A pesagem destes animais é feita numa balança normal anexada a um tronco em forma de V, onde os koalas são colocados durante alguns segundos. “O mais importante é que o animal se sinta confortável com o procedimento”, frisa o curador dos mamíferos.

{13}


{14} Bastidores

Jardim Zoológico

Os répteis são pesados quando são capturados A pesagem da maioria das espécies de répteis tem a particularidade de ser realizada apenas quando os animais são capturados, portanto não obedece a nenhuma rotina. “Se o animal não tem sinais de estar com problemas e se o processo de captura vai provocar stress, sobretudo por não ser voluntário, não vale a pena pesar com a mesma regularidade com que são pesados alguns mamíferos, a não ser que haja suspeita de alguma anomalia”, comenta Telma Araújo, curadora de répteis e aves. “Pesamos quando o Serviço de Nutrição necessita da informação, para verificar se a quantidade de comida é adequada à fase de vida do animal. Mas também nas situações em que se verifica que o animal aumentou ou diminuiu de peso, pois pode ser um indicador de um problema de saúde ou de competição entre pares para chegarem à comida”, acrescenta a curadora. Todavia, o mesmo não acontece com as crias, cuja pesagem é feita com frequência com o objetivo de acompanhar o crescimento e verificar se decorre dentro dos parâmetros normais. Este processo está a ser feito com as Tartarugas-de-pescoço-comprido-de-roti, que nasceram em outubro último, incluindo a medição da carapaça. “Realizamos a medição e a pesagem semanalmente, para não perturbar os animais. Tentamos elaborar esquemas de evolução do crescimento, para comparar com dados de outras instituições e para partilhar com a comunidade zoológica, até porque requer cuidados especiais por ser uma espécie criticamente em perigo segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza”, explica Telma Araújo. Há uma questão fundamental a ter em conta na pesagem de répteis e anfíbios que é a adaptação dos instrumentos e o grau de sensibilidade aos animais. Por exemplo, a pesagem das iguanas maiores ou dos animais muito compridos requer uma balança maior, porque é extremamente complicado mantê-las quietas por muito pouco tempo que seja. As cobras são pesadas dentro de um saco e, como ficam em stress, é necessário deixar que acalmem

Leopardo-da-pérsia, anestesia e pesagem para procedimento veterinário.

antes de fazer a pesagem. Também é complicado evitar que uma rã salte, pelo que é pesada dentro de uma caixa específica, sendo o peso desta subtraído ao peso total. No caso dos animais mais pequenos, a balança tem de ter sensibilidade ao grama.

A pesagem das aves requer calma e paciência As cobras e os lagartos que participam na Apresentação de Répteis são todavia sujeitos a pesagem regular e o mesmo acontece com os animais da Apresentação de Aves em Voo Livre. Clara Ferreira e Hugo Condez são os treinadores responsáveis por esta apresentação que decorre no Bosque Encantado e sustentam que não basta dar-lhes comida. Há uma série de cuidados a ter, nos quais se inclui o controlo do peso.


Jardim Zoológico

Bastidores

Através de treino, os golfinhos aprendem a participar voluntariamente na rotina de controlo médico.

“Tem o seu tempo, por isso requer muita calma e paciência”, afirma Hugo Condez, referindo-se à pesagem que é realizada todos os dias, mediante um treino. “Os animais têm de ter confiança e, acima de tudo, devem sentir-se confortáveis. No início até podem estranhar, mas com o treino habituam-se, sendo o reforço positivo muito importante”, completa o treinador das aves. O equipamento utilizado difere consoante as espécies. Os abutres e os pelicanos, por exemplo, são pesados em balanças de chão. “Temos de ter sempre em conta a época do ano. Com o calor as aves comem menos e, além disso, necessitam de menos gordura na alimentação. Outro aspeto a considerar é o estado das penas”, refere Clara Ferreira, frisando que o principal objetivo da pesagem é o bem-estar destes animais. Por este motivo, os treinadores das aves têm os dados que recolhem todos os dias organizados em tabelas, o que lhes permite comparar a evolução ao nível do peso do mesmo animal e com outros da mesma espécie.

As espécies marinhas são pesadas mediante um treino As espécies marinhas são muito suscetíveis às variações da temperatura da água e utilizam o aumento da camada de gordura, a que corresponde um incremento de peso, para fazer face às temperaturas frias garantindo uma temperatura interna constante. “O controlo do peso permite monitorizar se o animal assegura a capacidade de resposta a este e a outros desafios ambientais”, assegura Sónia Matias, bióloga marinha.

Cada um destes animais tem um plano de treino individual, para voluntariamente participar numa rotina de controlos médicos, sendo a pesagem um desses comportamentos. Na prática, o treinador dá um sinal para o animal deslocar-se até à balança e permanecer calmo até indicar que esteve bem e que poderá sair dali. Trata-se de um procedimento que requer continuidade e muita cumplicidade entre o treinador e o animal. Para o efeito, é usada uma balança digital resistente à corrosão da água salgada e ao transporte diário. O equipamento deve ter capacidade para pesar animais de grande porte. Isto porque, em média, um golfinho pode pesar 300 kg e os leões-marinhos Os Okapis são pesados diariamente, sendo atraídos até à balança com folhagens.

até 200 kg, no caso dos machos e nas fêmeas até 80 kg. A pesagem é uma ferramenta útil, no entanto, Sónia Matias refere a existência de “outros métodos que permitem avaliar a condição física dos animais, nomeadamente a observação de alguns aspetos anatómicos, específicos da espécie. Esta observação requer olhos treinados e o conhecimento aprofundado do animal, para garantir resultados similares ao registo sistemático da pesagem”.

{15}


Tânia Ribas de Oliveira (o Jardim Zoológico) é o espaço mais pedagógico e mágico da cidade.


Foram várias as ocasiões em que visitou o Jardim Zoológico na infância, por isso diz não se recordar em concreto da primeira visita. Tânia Ribas de Oliveira espera muito em breve dar a conhecer o Jardim Zoológico ao seu filho Tomás, cujo primeiro aniversário acontece em dezembro. Fez a apresentação do seu livro no Jardim Zoológico. Como caracteriza esta experiência? Lancei o meu primeiro livro infantil no Zoo de Lisboa porque acho que é o espaço mais pedagógico e mágico da cidade, não só para as crianças como também para os adultos. Correu lindamente, fui muito bem recebida por toda a equipa! Mas, com certeza, não foi a primeira vez que veio ao JZ. Lembra-se da primeira visita? Não me lembro da minha primeira visita ao Zoo porque tive a sorte de o visitar várias vezes durante a minha infância! Consegue detetar diferenças com o estado atual? Não tem qualquer comparação o Zoo de antigamente com o de agora! Era um espaço a precisar de obras e os animais estavam dentro de jaulas. Não havia teleférico nem golfinhos.

Uma das missões do Jardim Zoológico é a conservação das espécies. Qual a sua opinião sobre este assunto? O Zoo tem a nobre missão da conservação das espécies. Se não fosse o Jardim Zoológico, muitas delas teriam muito mais dificuldade de reprodução e isso é de um valor incalculável! Já visitou o JZ com o seu filho? Ainda não visitei o Zoo com o Tomás, mas não faltará muito tempo! Qual o seu animal preferido? Quando era pequenina adorava o elefante, a girafa e o leão. A minha predileção mantém-se! Em que projetos está agora envolvida? Atualmente, estou a apresentar a Praça da Alegria, na RTP.

Está a fazer o que sempre quis ser quando era criança, ou sonhava com outra profissão? Faço exatamente aquilo com que sempre sonhei!


{18} radiograFia Jardim Zoológico

Enfeitiçados no Bosque Encantado

Não se vê ninguém, o silêncio é quase total, cinzento como o dia. Mas o espaço demonstra já sinais de atividade, a comida fresca já foi deixada à porta. A equipa começa a aparecer, nem precisam falar, cada um sabe bem o que tem a fazer. O dia começa com o despertar gradual de todos os animais, é assim todos os dias nos bastidores do Bosque Encantado. Texto de Vera Novais


Jardim Zoológico

radiograFia

a

s aves de rapina, cada uma na sua divisão individual, vêem gradualmente a janela ser aberta, e as luzes de aquecimento serem desligadas. Embora sejam animais resistentes a condições atmosféricas adversas, têm de se habituar à temperatura ambiente antes de serem colocados no exterior. Nos dias frios, os psitaciformes (grupo das araras, papagaios e afins) e os restantes companheiros de dormitório não vêm para o exterior enquanto as temperaturas não se mostrarem mais amenas. Todas elas são aves tropicais e sensíveis a condições atmosféricas desfavoráveis. Também os répteis requerem uma visita para controlar a temperatura e ligar as luzes brancas. Como estes animais não vêm para o exterior com temperaturas inferiores a 20ºC é preciso reproduzir o fotoperíodo (duração do período de luz de um dia) artificialmente. Alguns sons começam a fazer-se ouvir, aqui e ali, o Caracará ou a Águia-das-estepes, mas é na sala dos psitaciformes que o som se torna ensurdecedor, tão vivo quanto as cores dos animais que os emitem. Enquanto uns tratadores calçam a luva de pele de falcoeiro para trazer as aves de rapina para o exterior, outros pegam nas araras, papagaios, Catatua-de-bico-comprido, Tucano-de-peito-branco e Coruja-do-mato-tropical. Todos com o mesmo objetivo, pesar cada uma das aves, numa rotina metódica e diária que permitirá determinar que quantidade de alimento será atribuída a cada animal.

completou os setenta anos, ou Manuel Sapage, que já é voluntário há cerca de oito anos. Na cozinha, o cheiro da carne e do peixe misturam-se com o som suave do rádio, preparam-se as porções de carne, peixe, fruta, legumes, sementes e ração, consoante o peso que se pretenda para cada indivíduo,

O fim do show das aves

uma quantidade ideal para que o animal fique bem alimentado, mas possa voar ou caminhar sem esforço, e que lhe permita manter-se quente agora que as temperaturas estão mais baixas. São os almoços, os jantares, as recompensas, as “guloseimas” para as aves, mamíferos e répteis, que vivem neste espaço e que encantam os visitantes nas suas aparições ao público. Enquanto preparam as refeições, os tratadores confessam o quanto gostam deste trabalho. “Tive a possibilidade de escolher, escolhi esta área, e não me arrependo nada”, revela Lino Rodrigues. Para Diogo Guerreiro, “surgiu a

A ideia do Bosque Encantado no Jardim Zoológico nasceu da necessidade de acabar com um show em que as araras andavam de bicicleta ou davam cambalhotas, e mudar para uma apresentação em que os animais têm comportamentos mais naturais. “Hoje em dia é uma apresentação equilibradíssima e que faz o seu importante papel lúdico, educativo e ecológico”, refere Arlete Sorgob, diretora do Centro de Vida Marinha do Jardim Zoológico. A equipa de tratadores é constituída por seis elementos fixos e alguns voluntários, dos quais se destacam Dinis Sousa, um voluntário que já

Diogo guerreiro com Arara-vermelha.

{19}


{20} radiograFia Jardim Zoológico

O Tatu-peludo do Bosque Encantado

Rita Marques com o Tucano-de-peito-branco.

oportunidade de vir para aqui e não podia recusar”. Rita Marques mostra o quanto gosta do trabalho que faz. Hoje é dia de salada “condimentada” com cálcio para a Tartaruga-leopardo-africana e para a Iguana-verde. Para o Dragão-barbudo e para o Sapo-comum, grilos vivos para estimular comportamentos naturais. As rapinas têm direito a pombos e codornizes com penas para poderem formar o bolo de regurgitação e limpar o papo. Sem nunca esquecer os requisitos especiais de alguns animais: os lórios, que precisam de papa que compense a falta de néctar na dieta; ou o Tucano-de-

peito-branco que não pode comer fruta com casca; e ainda o Tatu-peludo e o Nandu que ingerem grandes quantidades de comida. A preparação das refeições leva uma boa parte da manhã, enquanto também se limpam todas as instalações dos animais. Clara Ferreira, já trabalhava no Jardim Zoológico há doze anos quando foi convidada para ser responsável pela equipa e criar uma apresentação dinâmica e mais atrativa para o público. Já lá vão dez anos e “cada vez gosto mais”, diz. “Passo aqui mais tempo do que com o meu filho em casa.” Os seus olhos brilham sempre que fala dos “seus bebés” e a paixão que nutre pelo seu trabalho, para além de evidente, é contagiante. Tudo decorre tranquilamente, mas quando se aproxima a hora da primeira apresentação do dia a azáfama é notória. Os tratadores trocam de roupa, estabelece-se a ordem de entrada de cada um dos intervenientes, preparam-se os animais para a apresentação, liga-se o som, e assim que começa a música os visitantes fixam-se nos seus lugares. A mensagem educativa e de conservação é levada pela voz dos tratadores, e enfatizada pelos comportamentos dos animais, o voo, a busca de alimento, a fuga, as vocalizações. Para muitas pessoas é a primeira vez que vêem uma Águia-do-chile em voo rasante ou uma Coruja-da-neves num voo silencioso, um Nandu em corrida veloz ou um Grifo a passo desajeitado, um casal de araras em voo majestoso, um Pecari-de-colar assustadiço ou um Tatu-peludo comilão.

Hugo Condez apresenta a Catatua-sanguínea.

A Coruja-do-mato-tropical nascida no JZ.


Jardim Zoológico

radiograFia

Que animal nasceria daqueles ovos? Cada animal tem a sua história. Os tratadores contam como acolheram dois Gorazes (Garçasnocturnas), filhos de animais selvagens, depois de caírem do ninho, ou o Nandu depois de ser rejeitado pela progenitora. Também a Pecari-de-colar, rejeitada pela mãe, dormiu muitas vezes acompanhada por esta nova família. Os tratadores alertam para o tráfico

o Zoo para cuidar deles. O Marabu, tão querido por todos os tratadores, estava débil e solitário, mas a companhia, os cuidados personalizados e o estímulo dos seus comportamentos naturais deram-lhe uma “nova vida”. Já tem cerca de 25 anos, mas conseguiu completar o treino em apenas um mês, referem os tratadores. O dia continua agitado, com muito trabalho e mais uma apresentação. A equipa mostrase bastante unida, tão funcional como as engrenagens de um relógio.

Clara apresenta a Águia-azul-do-Chile.

ilegal de espécies. Quando o Tucano-de-peitobranco e a Coruja-do-mato-tropical chegaram ao Jardim Zoológico eram ainda ovos e ninguém sabia que animal dali nasceria. Os ovos tinham sido apreendidos e encontraram como melhor destino as mãos dos técnicos do Zoo que, mesmo desconhecendo a sua origem ou as espécies que deles poderiam nascer, dedicaram-lhes o seu melhor esforço. Tantas memórias e histórias têm os tratadores para contar. O Búteo-de-harris, o Dragãobarbudo e a Iguana-verde eram propriedade de particulares que deixaram de ter condições para os manter e conseguiram chegar a acordo com

Hugo Condez, o treinador mais antigo da equipa, entrou no Jardim Zoológico como voluntário no ano 2000, tinha ainda catorze anos, e assim se manteve durante alguns anos. Apesar disso era um membro ativo, com muita vontade de alterar o tipo de exibição existente, queria evoluir e não deixar a apresentação morrer, refere. Assume orgulhosamente: “A nossa função é educar as pessoas”, e confessa que fica muito contente quando consegue levar os visitantes a esquecer a arara na trotineta e a gostar mais da apresentação do Bosque Encantado. “O mais gratificante é ver o produto final.”

{21}


{22} curtas

Jardim Zoológico

Jardim Zoológico com novo site O site do Jardim Zoológico foi modernizado, no âmbito das comemorações do 129º aniversário. Desenvolvido pela Lisbon Project, oferece informações sobre a instituição e as respetivas atividades de uma forma mais intuitiva e interativa. Apresenta também passatempos e diversas curiosidades sobre os seus habitantes. Ao aceder a www.zoo.pt, o utilizador encontra as diferentes áreas - Visita; Animais; Educação; O Zoo; Conservação; Atividades; Empresas;

Turismo -, que agregam todas as informações e novidades do JZ. Ao selecionar “Visita”, poderá saber os preços dos bilhetes, o horário de funcionamento e as horas em que decorrem as diversas apresentações. São também indicados os eventos que terão lugar neste espaço, entre outras informações úteis. Em “Animais”, é possível aceder a todas as espécies de mamíferos, aves, répteis, anfíbios e artrópodes que habitam no Jardim Zoológico. Na área “Educação”, o cibernauta tem acesso ao trabalho desenvolvido pelo Centro Pedagógico. Já as informações sobre os programas de conservação, o enriquecimento ambiental ou a reintrodução de espécies no habitat natural estão alojadas em “Conservação”, e em “Atividades” é possível ter

Esperamos por si na Área de Acesso Livre do Jardim Zoológico Aberto todos os dias 10:00 › 18:00 10:00 › 21:00

conhecimento de várias iniciativas como as festas de aniversário. Existem ações específicas para as empresas que podem ser conhecidas na secção “Empresas” e em “Turismo” é dada a conhecer a oferta turística do JZ, bem como as parcerias com hotéis. Esta nova versão do site é compatível com os vários browsers (Explorer, Chrome, Firefox, Safari, entre outros) e com os suportes mobile. É, agora, fácil, a partir de qualquer local, aceder à morada virtual do Jardim Zoológico, programar uma visita ou saber as últimas novidades.

Já abriu !


Jardim Zoológico

curtas

Campanha publicitária difundida em diversos meios “Traga as suas pequenas feras para conhecer as nossas” é o tema da campanha publicitária do Jardim Zoológico, que durante os meses de junho e julho foi difundida em diversos meios, tais como televisão (canal Panda, Panda Biggs, Fox e Hollywood), imprensa, online, mupis, autocarros e comboios. Faz um especial apelo à diversão e à aprendizagem num espaço único para toda a família. A mensagem

incentiva os pais a levarem os seus filhos ao JZ, para que não se transformem em “feras” se ficarem em casa todo o dia. Um chimpanzé, um tigre e um urso foram as espécies escolhidas para dar vida ao conceito desta campanha de publicidade, que já tinha sido realizada em 2012. Também no Aeroporto de Lisboa, girafas, zebras, urso, entre outros animais, deram, durante três meses,

as boas-vindas aos passageiros que chegaram à cidade. A campanha pôde ser vista em julho, agosto e setembro e foi implementada pela JCDecaux Innovate. Os animais ganharam vida com um elefante em volumétrico e outros animais em avançado no painel de 12 x 3 metros, no exterior das chegadas. A campanha foi reforçada noutras posições JCDecaux Airport no interior do Aeroporto de Lisboa.

Bilhetes à distância de um clique

Agora já é possível comprar bilhetes de entrada para o Zoo através da plataforma BilheteiraOnline. Para efetuar a compra, basta aceder ao site www.zoo.pt e selecionar “Comprar bilhete”. A plataforma tem disponíveis bilhetes para adulto, criança e

sénior. Têm a validade de 60 dias após a data da compra, porém não contemplam os descontos praticados na bilheteira local. Também é possível aceder a este sistema de gestão de bilheteiras através do site do JZ, na secção “Comprar Bilhete”.

{23}


in&out Veja o que se passou dentro e fora do Jardim Zool贸gico nos 煤ltimos meses.

Dia do Animal

Dia do Ambiente

Barrigas de Amor

Festival Panda


Jardim Zoológico

testemuNho

Banif partilha desde 2011, a sua “Força de Acreditar” com uma das espécies mais ameaçadas do mundo, o Rinoceronte-branco Consciente de que deve compatibilizar o desenvolvimento económico e financeiro com ações que permitam a salvaguarda dos recursos naturais do nosso planeta, o Banco reforçou, através da renovação do seu patrocínio às instalações do Rinocerontebranco do Jardim Zoológico de

Vale 15% numa das lojas do Zoo Válido até 31.03.2014 Não acumulável com outras promoções.

Vale €5

na compra de um Kit apadrinhamento Válido até 31.03.2014 Não acumulável com outras promoções.

Vale 10% no programa sábados selvagens Válido até 31.03.2014 Não acumulável com outras promoções.

Lisboa, o seu compromisso com a preservação da biodiversidade. Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, 3 das 5 espécies de rinoceronte encontramse criticamente em perigo, sendo fundamental alertar o público para garantir a preservação da espécie.” Banif

{25}


{26} PassatemPos Jardim Zoológico

Cruzadex

Sopa de Letras

Festas de Aniversário no Zoo

Educação Por Paulo Freixinho

Por Paulo Freixinho

Tendo como ajuda as letras já colocadas, preenche a grelha com os nomes dos mamíferos da lista: 3 Letras › DIA 4 Letras › ANOS, PAIS, URSO 5 Letras › FESTA 6 Letras › EVENTO, GIRAFA, LANCHE 7 Letras › ANIMAIS, CANGURU, HORÁRIO, PINGUIM 8 Letras › ANIMAÇÃO, DIVERSÃO, MARCAÇÃO, PRESENTE 9 Letras › PROGRAMAS 10 Letras › DESCOBERTA 11 Letras › ANIVERSÁRIO 12 Letras › INESQUECÍVEL

sOlUÇÕes crUZadex hOriZONtais: Aniversário. Pinguim. Dia. Inesquecível. Evento. Marcação. Horário. Girafa. Programas. Urso. Descoberta.Verticais: Animação. Animais. Canguru. Diversão. Pais. Presente. Lanche. Anos. Festa.

sOlUÇÕes sOPa de letras hOriZONtais: Estudantes, Valores, Missão, Comportamentos, Escolas. Verticais: Biodiversidade, Concurso, Atitudes, Professores, Programa, Conservação, Ambiental.

Procura na sopa de letras as 12 palavras da lista. Não há palavras na diagonal: AMBIENTAL, ATITUDES, BIODIVERSIDADE, COMPORTAMENTOS, CONCURSO, CONSERVAÇÃO, ESCOLAS, ESTUDANTES, MISSÃO, PROFESSORES, PROGRAMA, VALORES.

Palavras Cruzadas

Animais Por Paulo Freixinho

Verticais: 2 › Permite verificar se a alimentação é adequada, prevenir o aparecimento de doenças como a obesidade ou determinar a dosagem de um medicamento. 3 › Bosque (...), é a Apresentação de Aves em Voo Livre do Jardim Zoológico. 4 › Uma das espécies que habitam o Templo dos Primatas. 5 › Classe constituída por cerca de 9000 espécies, número que só é ultrapassado entre os vertebrados pela classe dos peixes. 6 › É uma espécie bastante territorial e solitária, a sua pelagem é longa e amarelada com rosetas negras que, ao contrário do jaguar, não têm pintas negras no centro; tem o corpo esguio mas musculado. 7 › O parentesco deste animal com a girafa é confirmado pelas orelhas grandes e eretas, a língua comprida e preênsil e as saliências córneas cobertas por pele.

sOlUÇÕes PalaVras crUZadas hOriZONtais: 1 › Apadrinhamento. 5 › Animal. 8 › Pet. 9 › Studbook. 10 › Pedagógico. 11 › Orangotango. Verticais: 2 › Pesagem. 3 › Encantado. 4 › Gorila. 5 › Aves. 6 › Leopardo. 7 › Okapi.

hOriZONtais: 1 › É umas das formas originais de investir no Jardim Zoológico. 5 › Dia Mundial do (...), o Jardim Zoológico de Lisboa preparou várias atividades, fazendo desta data um dia especial para quem gosta de animais. 8 › (...) Hotel, hotel para animais de companhia: cães, gatos, roedores, répteis, aves e outros pequenos animais; com amplos alojamentos onde pode deixar o seu animal quando for de férias. 9 › É um livro de registo de dados referente a uma determinada espécie, ou seja, um documento semelhante a um livro genealógico em que se registam óbitos, nascimentos, filiação, e transferências de todos os parques zoológicos que mantêm a espécie em questão. 10 › Centro (...), desenvolve programas educativos gratuitos para as escolas que o visitam desde 1996, desde a Educação Pré Escolar ao Ensino Básico e Secundário. 11 › Uma das espécies que habitam o Templo dos Primatas.


Jardim Zoológico

Vamos crescer juntos e ao mesmo tempo apoiar o projeto mundial de conservação!

{27}

Queres ser meu padrinho? Vou ficar nas nuvens!

www.zoo.pt

apadrinhar@zoo.pt


O Jardim Zoológico agradece a todas empresas e instituições que o apoiam. Novos Parceiros

100 c - 79m 9k

100m - 81y 4k

Padrinhos


Revista do Jardim Zoológico | Dezembro 2013