__MAIN_TEXT__

Page 1

ESPAÇO DO PROFESSOR

CHARGE, CARTUM E CARICATURA

LÍNGUA PORTUGUESA | 

HISTÓRIA | 

ARTES VISUAIS


guia de Ă­cones observar, ver (imagens)

analisar, questionar, elaborar hipĂłteses, comentar (questionando)

recuperar, retomar, relembrar

registrar, criar, destacar, grifar, completar

apresentar, relatar, compartilhar em voz alta discutir, conversar dica


título

Charge, Cartum e Caricatura apresentação Os alunos conhecerão cartunistas e chargistas, a forma como representam o tempo histórico e o espaço do cotidiano em suas ilustrações além de utilizá-las como um instrumento para crítica política e social.

objetivos ••Diferenciar a charge, o cartum e a caricatura; ••Reconhecer, compreender e interpretar a crítica por meio do humor e da ironia na linguagem não verbal;

••Ler crônicas e artigos de opinião que venham ilustrados; ••Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas ­manifestações específicas.

áreas do conhecimento Língua portuguesa, história e artes visuais.

duração De 7 a 8 aulas.

segmento Ensino Fundamental II, Ensino Médio e EJA.

recursos necessários ••Jornais; ••Computador com acesso à internet; ••Caderno de desenho; ••Lápis preto para desenho e borracha; ••Lápis de cor e/ou giz colorido.


desenvolvimento 1º MOMENTO

Estrutura do jornal A fim de preparar a turma para a atividade, leve para a sala de aula diferentes jornais. Deixe os alunos manuseá-los, atentos para a estrutura e apresentação das notícias. Pontue que o jornal é um bem de consumo e que, por isso, uma mesma foto pode aparecer em diferentes agências e com interpretações diversas. O assunto escolhido para a apreciação dos alunos será sobre os cartuns, as charges e as caricaturas que, na maioria das vezes, estão presentes na coluna de opinião ou acompanham crônicas.

2º MOMENTO

Conceito e diferenciação Apresente os conceitos de charge, cartum e caricatura, já que, por serem palavras usadas como sinônimos, podem ser confundidas. Comece perguntando o que os alunos entendem destes 3 termos e proponha que eles conceituem cada um deles com base em conhecimentos prévios. Nesse momento, eles poderão buscar exemplos em jornais. A seguir, apresente as definições extraídas do Dicionário Houaiss:

charge: s.f. desenho humorístico, com ou sem legenda ou balão, geralmente veiculado pela imprensa e tendo por tema algum acontecimento atual, que comporta crítica e focaliza, por meio de caricatura, uma ou mais personagens envolvidas.

6

ESPAÇO DO PROFESSOR

Antônio Houaiss e Mauro de Salles Villar In: Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 693.


Henfil Presidente João Figueiredo s.d. Legenda da ilustração: Por que não vêm apertar a minha mão em conciliação?

Esta charge foi criada durante a ditadura militar. O general João Figueiredo, último presidente desse período, iniciou a abertura política, porém, a censura continuava vigente. É importante conhecer o momento histórico em que uma charge ou caricatura são feitas para que possamos compreendê-las.

Antônio Houaiss e Mauro de Salles Villar In: Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 638.

cartum: s.m. (1964) 1 m. com desenho humorístico ou caricatural, espécie de anedota gráfica que satiriza comportamentos humanos, geralmente destinada à publicação jornalística.

CHARGE, CARTUM E CARICATURA

7


Glauco Extra! Extra! Mais Liberdade de Imprensa!, c. 1977.

caricatura: s.f. (1836 cf. SC) desenho de pessoa ou de fato que, pelas deformações obtidas por um traço cheio de exageros, se apresenta como forma de expressão grotesca ou jocosa.

Antônio Houaiss e Mauro de Salles Villar. In: Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 626.

Henfil Brejnev e Kissinger, s.d. Legenda da ilustração: Leonid Brejnev, líder da União Soviética, e Henry Kissinger, secretário de Estado dos Estados Unidos da América.

8

ESPAÇO DO PROFESSOR


É importante o professor ter nomes de ilustradores e exemplos de cartuns, charges e caricaturas para agregar valor ao conhecimento teórico. Discuta com os alunos o quanto o humor e a crítica das ilustrações apresentadas ligam-se a um contexto social, econômico e cultural. Sugerimos os seguintes nomes a pesquisar na Enciclopédia Itaú Cultural: Ziraldo, Glauco, Henfil, Angeli e Millôr Fernandes. Este último, selecionado por ser escritor, poeta, dramaturgo, tradutor, e também chargista, caricaturista e ilustrador, influenciando muitos ilustradores contemporâneos. Se preferir, converse com os alunos sobre alguns dos nomes apresentados, discutindo a produção dos artistas e o momento histórico em que atuaram.

3º MOMENTO

Atividade de identificação Peça que os alunos formem duplas e, com diferentes jornais em aula, realizem as seguintes atividades:

••Identificar uma charge, cartum ou caricatura e recortá-lo; ••Reconhecer se a imagem recortada ilustra uma crônica ou um artigo e recortar o texto a que ela faz referência.

Numa folha do caderno de desenho, os alunos devem:

••Colar a ilustração recortada com as devidas referências – nome do jornal, cidade, data em que foi publicada, nome do caderno e número da página;

••Ler o texto a que a ilustração se refere e identificar o fato que a justifica; ••Elaborar uma legenda.

CHARGE, CARTUM E CARICATURA

9


4º MOMENTO

Criação e ilustração Peça que os alunos desenvolvam ilustrações com base nos conceitos de charge, cartum e caricatura. Eles podem escolher temas e trabalhar criticamente sobre eles. A ideia é fazer com que os alunos evoluam na organização do texto não verbal, levando em conta o traço, as cores e a finalidade da ilustração. Precisam escolher um fato relevante que mereça ser destacado para o público a que ela se destina. A ilustração deve ter um viés de humor e será apreciada e comentada pelo professor. Para o registro da atividade, o trabalho pode ser colado no caderno.

5º MOMENTO

Confraternização Os alunos devem ser motivados a apresentar seus textos e suas ilustrações. É importante que haja um momento para a apreciação dos cadernos de desenho. Os alunos podem explicar o que os motivou a criar as imagens e comentar, por exemplo, sobre as dificuldades encontradas no processo. Nesse momento, é possível discutir com os alunos as escolhas feitas nas imagens criadas: elas representam o momento atual? É possível identificar o contexto histórico trabalhado em cada uma delas? Retome o debate com as primeiras ilustrações apresentadas e questione se, no futuro, os trabalhos dos alunos seriam facilmente identificados sem o vínculo com o momento de produção.

10

ESPAÇO DO PROFESSOR


reflexão final

A

valie com os alunos qual a percepção deles sobre o conteúdo aprendido. Verifique se compreenderam que a ilustração pode ser uma ferramenta de crítica e transmissão de informações, associada a um recorte histórico, social e cultural. Os estudantes também devem avaliar o quanto avançaram na proposta, e o professor deve apresentar o seu parecer a respeito de cada grupo/aluno.

sugestões complementares

A

obra O Imaginário Cotidiano, de Moacyr Scliar, tem textos ficcionais baseados em notícias do jornal Folha de S.Paulo, publicados desde 1993. Ela pode ser uma leitura útil para essa atividade.

CHARGE, CARTUM E CARICATURA

11


referências ANGELI. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org. br/pessoa6199/angeli>. Acesso em: 20 de fev. 2018. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7 GLAUCO. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org. br/pessoa7615/glauco>. Acesso em: fev. 2018. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7. GLAUCO. Extra! Extra! Mais liberdadde de imprensa!, c. 1977. In: PIRACICABA: 30 anos de humor. Apresentação Hubert Alquéres, José Machado, Heitor Gaudenci Júnior; texto Paulo Caruso, João Maffeis Netto. Imprensa Oficial do Estado de São Paulo : Instituto do Memorial de Artes Gráficas do Brasil, 2004. p. 63. HENFIL. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org. br/pessoa5430/henfil>. Acesso em: fev. 2018. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7. HENFIL do Brasil. Apresentação Luiz Inácio Lula da Silva; curadoria Paulo Sérgio Duarte; projeto gráfico Mariana dourado, Glaucio Campelo; curadoria Júlia Peregrino; texto Paulo Sérgio Duarte, Jaguar, Ziraldo, Cássio Loredano. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 2005. 104 P., il. p&b. HENFIL. Brejnev e Kissinger, s.d. Legenda da ilustração: Leonid Brejnav, líder da União Soviética, e Henry Kissinger, secretário de Estado dos Estados Unidos da América In: PIRACICABA: 30 Anos de Humor. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Instituto do Memorial de Artes Gráficas do Brasil, 2004. HENFIL. Presidente João Figueiredo, s.d. Reprodução fotográfica de autoria desconhecida. Legenda da ilustração: Por que não vêm apertar a minha mão em conciliação? In: HENFIL do Brasil. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 2005. HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

12

ESPAÇO DO PROFESSOR


LAGO, Pedro Corrêa do. Caricaturistas brasileiros: 1836-1999. Prefácio Zuenir Ventura; apresentação Aloysio de Andrade Faria. Rio de Janeiro: Sextante Artes, 1999. MILLÔR Fernandes. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa3110/millor-fernandes>. Acesso em: fev. 2018. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7. MOYA, Álvaro de; CIRNE, Moacy (Orgs.). Literatura em quadrinhos no Brasil: acervo da Biblioteca Nacional. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002. PIRACICABA: 30 anos de humor. Apresentação Hubert Alquéres, José Machado, Heitor Gaudenci Júnior; texto Paulo Caruso, João Maffeis Netto. Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Instituto do Memorial de Artes Gráficas do Brasil, 2004. RAMOS, Paulo. A leitura dos quadrinhos. São Paulo: Contexto, 2009. SCLIAR, Moacyr. O Imaginário cotidiano. São Paulo: Global, 2002. ZIRALDO. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org. br/pessoa1613/ziraldo>. Acesso em: fev. 2018. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7.

CHARGE, CARTUM E CARICATURA

13


núcleo enciclopédia Gerência Tânia Rodrigues Coordenação Glaucy Tudda Equipe Camila Nader Elaine Lino Lucas Rosalin (estagiário)

núcleo comunicação Gerência Ana de Fátima Souza Coordenação Carlos Costa Direção de Arte Arthur Costa Luciana Orvat (terceirizada) Projeto Gráfico Serifaria Produção Editorial Victória Pimentel

Profile for Itaú Cultural

Charge, Cartum e Caricatura  

Através de verbetes da Enciclopédia Itaú Cultural, os alunos conhecerão cartunistas e chargistas, a forma como representam o tempo histórico...

Charge, Cartum e Caricatura  

Através de verbetes da Enciclopédia Itaú Cultural, os alunos conhecerão cartunistas e chargistas, a forma como representam o tempo histórico...