Page 1

1


2


E finalmente encontramo-nos naquele que seria o Verão mais frio dos últimos 200 anos...NOT! Sim, as coisas aqueceram e de que maneira...o projeto !N está a bombar! A viagem começou com o Nº1, e já muitos perceberam os nossos objetivos e a forma consistente como os temos atingido. Mais uma vez, o número anterior (o Nº3) surpreendeu-nos por duplicar o número de leitores do Nº2 (que já tinha duplicado o numero surpreendente de leitores do Nº1...)...Esta façanha levou-nos ao top internacional da plataforma on linemundial onde a !N assenta – a ISSUU.com, na área de publicação da !N, a saber: Fashion and Art. Vamos trabalhar para nos mantermos consistentemente nesta posição, fazendo aquilo de que gostamos, com quem admiramos e da forma que mais nos diverte! Oh yeah! E por falar em pessoas com obras que admiramos, este número está repleto delas...a saber: Com o Luís Azevedo e o seu magnífico trabalho “A Batalha” ,onde a moda e a fotografia de autor se misturam, interpretando a sua versão da batalha de Aljubarrota, numa abordagem em que o Preto e Branco nos esmaga! Foi com prazer que a !N apoiou como Media Partner a exposição que mostrará esta obra, e que terá inicio no dia 14 Agosto no Mosteiro da Batalha!

Photography : Telmo Pereira Styling : Ana Fontinha Make up & Hairstyle Artist: Cátia Bolota Model: Ailiny Marques ACTING models

Outro dos highlights desta edição tem a ver com a sessão fotográfica que a !N Team foi convidada a realizar (fotografia de Joel Reis) para o filme “Born to Fly” do realizador Alberto Rocco. A estrear brevemente em Lisboa e Porto...Um filme sobre a inspiradora história de vida de João Matias, o homem que por não saber que era impossível foi lá e fez! E especialmente nesta altura de “crises várias” bem precisamos de inspiração para as nossas vidas, em especial para saber que é possível ser feliz e realizar os nossos sonhos mesmo não tendo todos os recursos, se apenas...(vejam o filme e encontrem a vossa resposta). Também poderão encontrar as rubricas habituais da !N sobre arte, fotografia de autor, consultoria de imagem, tendências de moda, exercícios para manter a forma ... Não podemos ainda deixar de referir que começamos a receber muito material (enviado de variadíssimos países) para submissions@INmagazinePT.com, e material com muita qualidade. Para além dos artistas que convidamos diretamente, também publicamos aqueles que consideramos os melhores dentre esses, e muitos outros que por enquanto ainda não foi possível publicar. E é desta amalgama de arte, diversidade e qualidade que é feito o esqueleto da !N. Por isso agradecemos a todosos que connosco têm colaborado, servindo dessa forma para a notoriedade e qualidade mútuas. E lançamos o desafio a todos: Are you...!N? Joel Reis e João Mello

3


Editorial

pg. 3

A Batalha by Luis Azevedo

pg. 8

Portuguese Riviera by Deyvis Malta

pg. 28

712 Ailiny by Telmo Pereira Burlesco by Joel Reis

pg. 36

Paula Sá Com fotografia: Joel Reis

pg. 60

A chest in the attic by Diogo Santos !N Trends by Marina Neto Feel & Dress by Idilza Santos

pg. 48

pg. 62 pg. 72

pg. 76

Fashion, unlikely place pg. 78 by Steven Nyman The railway by Isabel Saldanha

pg. 92

!N Art pg. 104 CRISTINA MARIA FERREIRA by Marcela Sousa Rosa !NAuthor´s photography pg. 110 by Artur Nogueira 4


The other you By Artur Cabral

pg. 118

BORN TO FLY by Joel Reis

pg. 134

CHOICES by Alexandra Marques

pg. 180

Entrevista !N Virgem Suta

pg. 142

NIGHTCLUB by Pedro Simões

pg. 184

BODYSOLUTION pg. 146 Exercicios de GAP by Luis Marques DDIARTE

pg. 150

MSS& MR FACEBOOK pg. 152 by Paulo César Rinat Shingareev

pg. 162

Tiago F. Moura

pg. 170

Personal Hairstylish pg. 178 by Ronny Kasta & Victor Souza

A !N magazine é: Joel Reis | Director Executivo João Mello | Director Criativo Design: João Mello | Art4U

Colaboram com a !N: Tiago Reis | Coordenador Vídeo Marina Neto | Tendências de Moda Marcela Sousa Rosa | Arte Idilza Santos | personal stylist Luís Stoffel | Produtor Alexandra Marques | Escritora, Jornalista Artur Nogueira | Fotografia de autor Pedro Simões | Música e Noite Ana Borges | Revisão/Tradução Ronny Kasta e Victor Souza | Hairstylist Joana Riachos | Repórter Cristina Marques | Jornalista Luis Marques | Personal Treiner Convidados !N : Luis Azevedo Telmo Pereira Deyvis Malta Artur Cabral Diogo Santos Steven Nyman Isabel Saldanha Ddiarte Paulo César Tiago F. Moura Rinat Shingarrev Verónica Mendes Mélita Reis

Disclaimer

Todos os textos, imagens, ilustrações, fotografias, publicidade, marcas e outros elementos do conteúdo do site da !N magazine estão protegidos por lei e devidamente licenciados, sendo expressamente interdita qualquer cópia, reprodução, difusão ou transmissão, utilização, modificação, venda, publicação, distribuição ou qualquer outro uso, total ou parcial, comercial ou não comercial, quaisquer que sejam os meios utilizados, salvo com autorização expressa dos mesmos. Está terminantemente proibida a utilização do seu conteúdo para fins ilegais ou quaisquer outros que possam ser considerados prejudiciais para a imagem que a !N MAGAZINE tem no mercado. A !N MAGAZINE rejeita qualquer responsabilidade pela usurpação e uso indevido dos elementos acima citados. Excetuam-se a esta interdição os usos livres autorizados por lei, nomeadamente o direito de citação, desde que claramente identificada a sua origem. A usurpação, contrafação, aproveitamento do conteúdo usurpado ou contrafeito, a identificação ilegítima e a concorrência desleal são puníveis criminalmente. A !N MAGAZINE reserva-se o direito de proceder judicialmente contra os autores de qualquer cópia, reprodução ou outra utilização não autorizada do (s) seu (s) conteúdo (s) por terceiros.

5


6


7


Luís Azevedo é um Fotógrafo de muitas batalhas mas de uma só guerra, a Fotografia. A Fotografia de moda tem sido o grande esteio onde o Luís se tem confrontado estética e emocionalmente. Aí ele tem um imenso corpo de trabalho que se apresenta como a sua tabela periódica. O Luís foi deixando ao longo dos anos o seu caminho visual pontuado de sinais. Realizando agora uma abordagem ao último trabalho do Luís Azevedo, podemos ver o sublime manejamento desses elementos composicionais da imagem, rigorosa com que o Luís nos presenteia nestas imagens. Tomemos como exemplo a Fotografia em que se

8

vê a mão da modelo a segurar o cabo da espada; o guardamão da espada está colocado na diagonal da esquerda para a direita e de baixo para cima, criando um travão à saída do olhar da imagem pela direita baixa. Depois, em contraste com a aspereza e a rugosidade pressentidas do metal da espada, o Luís coloca a mão da modelo num cinzento tão delicado quanto angelical, e no plano de trás é-nos sugerida antagonicamente a violência do desembainhar da arma e a sensualidade do joelho e da perna da modelo. O preto e branco que o Luís usa neste trabalho é avassalador. Sabemos que o Luís trabalha essencialmente a cor. A escolha do preto e branco

e, sobretudo, do Low Key, dá às imagens uma força e uma profundidade que mais uma vez contrastam com a aparente superficialidade das fotografias. Os tons negros e profundos, qual chiaroscuro renascentista, ganham vida e sentido pelos pequenos laivos de tons cinzentos claros e uns poucos brancos, que reverberam pela totalidade da imagem. Ver por exemplo a imagem em que a modelo veste uma cota metálica e capacete de guerreiro e é fotografada em contre-plongée; só nos é revelada metade da modelo mas a indiciação é total. Depois o Luís cria uma reverberação dinâmica dentro da imagem, entre os reflexos de luz que estão na cota metálica, entre o ombro e o cotovelo,

e os pontos de brilho que formam uma linha nos lábios eximiamente desenhados. Um tom de cinza escuro exibe toda a sua carnalidade. O nosso olhar percorre avidamente sinais entre os reflexos da cota metálica e os lábios, sobe ao olho e desce novamente à cota, como se estivéssemos no mundo de eterno retorno. Finalmente, quero agradecer ao Luís Azevedo pelo convite que me endereçou para ver este seu trabalho e reflectir sobre ele, e pela sua indefectível amizade revelada ao longo destes anos. Agostinho Gonçalves


9


10


11


12


13


14


15


16


17


18


19


20


21


22


23


24


25


26


27


Portuguese

Riviere Photography : Deyvis Malta Styling : Dina Carvalho Assistant: João Almeida , André São Marcos Model: Catarina da Silva ( Elite Lisbon ) Make up Artist: Tânia Pinto Hairstyle Artists: Zé Carlos Making of (vídeo): Vasco Vieira

www.deyvismalta.com

28


29


30


31


32


33


34


35


BY TELMO PEREIRA

712

AILINY Photography : Telmo Pereira Styling : Ana Fontinha Make up & Hairstyle Artist: Cรกtia Bolota Model: Ailiny Marques ACTING models

36


37


38


39


40


41


42


43


44


45


46


47


: Joel Reis PHOTOGRAPHY BY Luis Stoffel FASHION ST YLIST: tion: Art Mello Photo Post Produc élita Reis tant: Tiago Reis / M Photography Assis uza (RDV studio) Hair Stylist: Vitor So nica Mendes Makeup Artist: Veró me: Paula Sá Model @ Agency Na L Eliana Machado@DX nd la a Inês Castelo@Hope tion: Tiago Reis Video & Post Produc or Thanks: Pensão Am ts and Lingerie) Purple Rose (Corse

48


49


50


51


52


53


54


55


56


57


58


59


Paula Sá Paula Sá nasceu a 23/11/79 no Porto. Desde cedo mostrou qualidades inatas como artista. Aos 13 anos participou no concurso “Chuva de Estrelas”, da SIC. Foi a primeira participante e a mais nova do concurso, conquistando o 2º lugar com o tema “What´s Up?,” dos 4Non Blondes. Seguiu se o álbum “Chuva de Estrelas ao Vivo no Coliseu dos Recreios”, assim como uma tournée com os 12 finalistas, entre eles Sara Tavares e Jacinta. Com 14 anos, foi convidada especial no programa “Cabaret”, um programa semanal da RTP, e, em 1996 estreou-se como atriz, numa ópera rock, gravada também para a RTP “Camaleão Virtual Rock”, ambas produções de Filipe La Féria. Em 1998 foi elemento da Orquestra Lisboa Latina, onde gravou o álbum “Alma Latina”, atuando um pouco por todo o país. Em 2000 integrou o quarteto “Xa-

60

nadu”, gravando um álbum, seguido de tournée intensa durante todo o ano. Integrou o elenco residente do programa “Sábado à Noite” (RTP) e partiu para o Algarve, onde fez 3 shows para os Casinos Solverde como cantora solista, escolhida pela produtora Belinda King. Paralelamente, ingressou na Escola Profissional de Teatro de Cascais onde se formou como atriz. Aquando da saída do curso, foi convidada por Carlos Avillez para representar “O Pranto de Maria Parda”, de Gil Vicente no Teatro Experimental de Cascais. Desenvolveu o seu trabalho como atriz, dirigida por encenadores como Castro Guedes, Guillermo Heras e Fernando Gomes em peças de autor como “ A Casa do Lago” de Ernest Thompson, “Piaf” de Pam Gems, “Woyzeck” de Buchner, “Belkiss, Raínha do Sabá” de Eugénio de Castro, “Hansel e Gretel”, dos Grimm,

“Menina do Mar” de Sophia de Mello Breyner, entre outros. O seu trabalho continuou na incursão de várias galas televisivas e eventos privados, assim como musicais, estilo de predileção da artista. Foi ganhando notoriedade com peças como “Piaf” , “A Casa do Lago” e “Fado - História de um Povo”, apresentados nas melhores salas de espetáculo do país. Em paralelo á sua atividade artística, dirigiu cursos como professora de voz e expressão dramática e é autora de vários temas originais, em colaboração com músicos e Djs é uma exímia intérprete dos grandes clássicos de Jazz e nova Soul.


61

Fotografia: Joel Reis


A chest in the attic

“A curiosidade de 7 jovens levou-os ao sótão procurar o desconhecido e entre telas, estatuetas, castiçais e muitos outros objetos, encontrava-se um baú cheio de mistérios e relíquias. As peças de roupa e os acessórios ali guardados foram uma agradável surpresa manifestando o interesse destes jovens em reviverem por momentos as histórias de família.“

Photography: Diogo Santos Make Up: Conceição Sousa Produção/Styling & Hair: Luís Stoffel Models: Nuno Rodrigues - DXL André Miranda - Face Models João Ribeiro - Hopelanda Edgar Marques - DXL Diogo Costa - Hopelanda João Ribeiro - DXL Ricardo Ribeiro - DXL

62


63


64


65


66


67


68


69


70


Luís Stoffel, bailarino de formação, tem vindo a dedicar a sua vida ao mundo das artes e espetáculo. É Aderecista, conhecido como Designer de chapéus, o “ Sr. Milliner “ é reconhecido pela VOGUE por ter uma carreira bastante interessante nesta área. Os seus trabalhos podem ser vistos no Teatro, como por exemplo nos musicais de Filipe La Féria, editoriais de moda de várias revistas e noutras áreas artísticas. Facebook: Fascinators Luís Stoffel www.luistoffel.weebly.com | luisstoffellx@gmail.com 71


Marina Neto

Fashion Designer and Trends Advisor Materiais naturais e artificiais conjugam-se harmoniosamente entre si e com as cores mais apetecíveis da próxima estação, permitindo-nos elaborar looks apropriados à incerteza que o clima nos vai apresentando. Nesta edição da !N Magazine, a !N Trends sugere aos leitores que dediquem maior atenção às características dos tecidos, que tanto se querem de aspeto rústico e tradicional, inspirados na Natureza, como se desejam de aparência plástica e/ou metálica, como expressões da industrializada humanidade. O segredo está em misturar uns com os outros, em peças que se sobrepõem sem complexos e que valorizam os volumes e os detalhes (por exemplo, camadas de folhos e a tridimensionalidade dos pormenores em bordados ou aplicações).

72


73


74


fotografias: Joel Reis

Fashion Designer and Trends Advisor 75


& L E E F ESS DR

Dar cor à rentrée O mundo da moda vive muito em função das estações, e por esta altura, a indústria pensa já na transição e na chegada do Outono. Porém, a realidade que se vive na rua, com o sol a querer perdurar e os dias ainda quentes, transporta-nos para um ambiente de festa, sol e esplanada! Por isso mesmo, antes de se falar na próxima estação, por que não lembrar que o final do Verão está aí e ainda há muito por aproveitar? Com Setembro a chegar, regressa também a vida às cidades, onde a tónica dominante são os finais de tarde na esplanada e as festas da rentrée. Já totalmente recompostos – após umas merecidas férias e uma boa dose de bronze – é altura de regressarmos ao trabalho em grande estilo e com muitos motivos para sorrir e aproveitar a vida. A começar pelas cores: a invasão “arco76

by

s o t n a dI ilza S

-íris” que já vinha marcando presença acentua-se agora, principalmente com as cores cítricas (o amarelo-limão, o laranja e o rosa pink são adoráveis!). Aqui, uma vez que falamos de tecidos lisos, os acessórios funcionam de forma perfeita permitindo combinados muito originais, sobretudo no caso das jóias que, nesta estação, se querem grandes e coloridas. A alternativa a estas cores vivas é igualmente forte: os estampados florais, animais e tropicais são uma tendência dominante. Neste caso, falamos de uma imagem em que as peças por si só já chamam muito a atenção, pelo que para manter a sofisticação há que poupar nos acessórios. Haverá melhor do que um encontro na esplanada ao final da tarde, após um dia de trabalho, para dar azo à nossa imaginação e conjugar peças? Uma nota importante também para os tecidos e para os cortes que ganham vida nas últimas tendências. As transparências – com tecidos leves como o chiffon e cortes alongados – são uma

escolha acertada para estes dias ainda quentes e para ocasiões como um cocktail ao final da tarde. Algo muito importante e que se deve ter em mente nesta altura: como posso brilhar numa festa de rentrée? E neste caso, literalmente brilhar, já que os dourados e os brilhantes são uma das grandes tendências. O preto foi sempre uma cor muito forte para os momentos mais festivos, mas este ano ganhou especial valor. Porém, nada de escolhas básicas! Fará furor se escolher um modelo em preto com um decote generoso ou recortes (de lado ou nas costas, por exemplo). A conjugação preto e branco é também muito recomendada. Mencionadas as cores mais utilizadas, neste capítulo das festas, há ainda algo importante a dizer relativamente aos cortes e modelos. Embora se fale tendencialmente dos vestidos compridos, a verdade é que as saias curtas são a grande tendência deste ano e sobretudo


Fotografia de: Paula Bollinger

nesta estação. Conferem à mulher um ar mais jovial e funcionam bem nesta altura em que estamos mais morenas. Porém, se não se sente confortável com as suas pernas não fique triste! Comprimentos pouco acima do joelho ou até abaixo do mesmo continuam a marcar presença.

milagrosos de uma boa dose de sol, descanso e daquele bronzeado mesmo à medida para estrear aquele vestido maravilhoso que está pendurado no armário ou que vimos na montra da loja! Aproveitem e vivam a rentrée com muita cor e alegria, pois o regresso das férias pode ter um gosto muito especial.

O regresso à rotina não tem de ser chato ou deprimente e o ritual não é só a ida para férias... É, cada vez mais, o regresso. Esta é uma ocasião perfeita para mostrar o glamour pós-Verão. E todos nós conhecemos os poderes

Por Idilza Santos, personal stylist e fundadora da empresa de consultoria de imagem Feel and Dress

Mais informações: http://www.feelanddress.com/ http://feelanddress.blogspot.pt/ https://www.facebook.com/feelandress https://twitter.com/FeelandDress 77


78


79

Vestido com Flores - Top Shop (60 euros) com sapatos Zara (65euros)


80


81

Vestido Ă s riscas - BCBG MAXZARIA (565 euros) com sapatos Zara (65 euros)


82


83

Vestido Ă s riscas - BCBG MAXZARIA (565 euros) com sapatos Zara (65 euros)


84


85

Macacão de Calção - Top Shop (45 euros) com sapatos BCBG MAXZARIA (365 euros)


86

Macacão de Calção - Top Shop (45 euros) com sapatos BCBG MAXZARIA (365 euros)


87

Biquini Branco - By la perla by jean paul gaultier (400 euros)


88

Vestido Dourado - Top Shop (85 euros)


89


90

Vestido Dourado - Top Shop (85 euros)


91


the railway Photographer:Isabel Saldanha www.isabelsaldanha.com Styling/Producer: Thiago Semedo www.facebook.com/ThiagoNunoSemedoFashionStylist MUA: Miriam Barbosa (com produtos Revlon Make up Portugal) Model: Rute Nobre (l´Agence Lisboa)

92


Langerrie Calzedonia,Sapatos HERA

93


94

Langerrie Calzedonia,Sapatos HERA


95


96


Camisola em reda preta traspartente Calzedonia,Cueca tezenis,Sapatos HERA

97


98

Langerri Calzedonia


99


100

Langerri Calzedonia


101

Meias Calzedonia,Calรงoes intimissimi


102

5LOOK:Corpete Calzedonia,Cueca calzedonia sapatos HERA


103


CRISTINAMARIAFERREIRA

ESCULTURAS DO MEU FADO

104


105


by MARCELA SOUSA ROSA

“A imaginação transcende-nos os sentidos, e a arte traz-nos de volta ao ser!” “Foi ao som de uma voz rouca, envolvida pelos acordes da guitarra portuguesa que me senti cativada de uma maneira quase infantil... Sabia que aquele lugar vivia com o fado, mas naquele dia, o som da sua voz deu uma beleza especial às peças de arte expostas no museu.

A MAIOR ROSÁCEA ESCULPIDA EM PEDRA CALCÁRIA NOS ÚLTIMOS 100 ANOS É a convite da Câmara Municipal de Santarém e da instituição Montepio Geral que Cristina Maria , Mestre de Cantaria Artística ,Escultora e Cantora de fado, fica responsável pela execução desta grandiosa obra ROSÁCEA para o Convento de S. Francisco em Santarém, que esteve por concluir desde meados do séc.XX.

106

A Cristina Maria, com a sua alma cantada, embalava os seus filhos de mármore, calcário e basalto... e a plateia, que apaixonadamente navegava no seu canto....”


107


OA G Á M A A E IMPORT

QU

E T S A N R O ÉVOA TE T

N

108

A produção artística de CRISTINA MARIA reflete uma eloquente equivalência de identidades: a criadora de Escultura, Mestre de Cantaria Artística, Cristina Maria Ferreira e a cantora de fado Cristina Maria.

ESCULTURAS DO MEU FADO é, assim, não mais do que uma sincera homenagem. Homenagem ao fado, fonte maior de inspiração, escola de vida, cais de sonhos, matéria que se transforma na sua voz e em suas mãos.

A Arte é vivida duplamente. É nesta comunicação e expressão de ambas que a alma da autora se realiza. Nos palcos a voz emerge sempre na companhia da sua escultura, numa comunhão partilhada de emoções, saberes e desejos.

As suas peças procuram mostrar o que sente CRISTINA MARIA enquanto canta e o que sente a escultora enquanto cria. A expressão ascende da natureza inerte da pedra e convida a ver e ouvir, porque também ela… canta!


CRISTINA MARIA FERREIRA

ES CUL TU RAS DO MEU FA DO

PROJECTOS E ESCULTURAS DE DESTAQUE “Sopro do Vulcão” Tróia – 2010 “Lágrima de Agosto” escultura de Homenagem a Manuel Teixeira Gomes , casa Manuel Teixeira Gomes – Portimão -2010 “Fatum” escultura de homenagem ao fado – Palácio Porto Covo –Lisboa – 2011 Criação, execução e responsável pela obra, Rosácea para o Convento de S. Francisco Santarém. “Voz das Mãos” obra de homenagem ao último dos Mestres Canteiros do Mosteiro da Batalha Alfredo Neto Ribeiro – Batalha 2012 Exposição “Esculturas do meu fado” 2013 – Museu do Fado em conjunto com 4 casas de fado, 15 de Junho a 31 de Julho / Convento de Cristo em Tomar 3 a 31 de Agosto / Casa Museu Guerra Junqueiro 12 de Outubro a 24 de Novembro / Pontedera Itália, 8 de Dezembro a 14 de Janeiro de 2014

109


ARTUR

NOGUEIRA

João Cordovil Cardoso nasceu em Março de 1955, em Lisboa, mas viveu a sua infância e adolescência em Évora onde, desde miúdo, seguiu o seu pai, médico e fotógrafo amador, com quem aprendeu os primeiros rudimentos da fotografia e da revelação. Dessa altura são as primeiras experiências fotográficas, com uma velha máquina de fole, que foram evoluindo e passando por vários formatos até à chegada ao digital, que voltou a dar-lhe a possibilidade de revelar e editar as fotografias em casa. Frequentou, com este objetivo, um curso AMW. A sua preferência vai para o preto e branco onde procura uma visão diferente, resultado dos contrastes fortes e das oposições de luz e sombra. É também a preto e branco que prefere o retrato. O Alentejo, o mar e a paisagem urbana são, a par do retrato, os temas que mais fotografa. As imagens bonitas que vos trazemos, são alguns exemplos de tal.

110


111


112


113


114


115


116


117


118


119


120


121


122


123


124


125


126


127


128


129


130


131


132


133


134


135


136


SINOPSE: 28 de julho 1987 – Hospital D. Estefânia, nasce João. A alegria e emoção que fazem parte destes acontecimentos dá lugar a consternação, preocupação, desespero... O João tem espinha bífida, embora não seja esta a razão do desespero dos jovens pais... ele encontra-se entre a vida e a morte...A Espinha Bífida é uma grave anormalidade congénita do sistema nervoso, desenvolve-se nos dois primeiros meses de gestação e representa um defeito na formação do tubo neural. Os defeitos do tubo neural são uma causa importante de mortalidade infantil. Nos Estados Unidos a incidência é estimada em 1 em cada 1000 recém-nascidos; no entanto ainda não há dados estatísticos sobre a incidência de Espinha Bífida em Portugal.Dias, horas, minutos e segundos de angústia deram lugar a um acontecimento fantástico... o João decide viver. Os pais sabem que não será fácil, sabem que o João será diferente dos outros meninos, sabem mesmo que as coisas mais básicas poderão ser um grande obstáculo para ele. Mas também sabem que o amor incondicional será capaz de o reconfortar em todos os momentos, ou pelo menos...assim o julgavam..BORN TO FLY é um documentário que aborda de forma real e direta os mais íntimos pensamentos de João, sem filtros, sem tabus, com uma realidade que às vezes se tornará aterradora e comovente ao mesmo tempo. O relato de todos os sentimentos antagónicos e o conflito interior de um jovem que vive numa sociedade em que o outro que é “diferente” é grande parte das vezes desvalorizado e posto em causa. João revela-nos de forma comovente que a força interior move montanhas, e a longa batalha que travou para sair da escuridão em direção à luz faz-nos perceber que o que realmente conta não é como começamos, mas sim como terminamos. Acompanhe o dia-a-dia deste rapaz que por saber não era impossível, foi e fez! Sem se deixar aprisionar pelas suas evidentes limitações, mas sim focado nas suas capacidades, licenciou-se em desporto, joga ténis e futebol, é o primeiro modelo cadeirante português, entre muitas outras coisas que terá a oportunidade de descobrir neste emocionante documentário.Com BORN TO FLY irá aprender que o importante não são as vezes que caímos, mas sim as vezes que somos capaz de nos levantar, e que todo o Ser vindo a este mundo tem um propósito, ainda que por vezes seja difícil de o encontrar.Para o João tornou-se evidente que ele não tinha nascido para andar, mas sim para voar! Venham todos voar com João Matias!

137


138


139


140


141


Virgem Suta,

música portuguesa de excelência! 142


Não deve haver por aí outra banda que tenha demorado tanto tempo a gravar um disco como os Virgem Suta, o que faz com que toda a caminhada até à gravação do tão esperado álbum tenha muitos episódios curiosos. Um “gajo do Porto”, que foi estudar para o Alentejo, e que conheceu outro, apaixonou-se pela voz aguda e muito característica desse outro. Nuno Figueiredo e Jorge Benvinda, uma banda pop/rock de Beja. Em poucas palavras, Virgem Suta. Mas há mais! Havia um sonho: ter um álbum produzido pelo Hélder Gonçalves. Até que um dia... Um dia íamos ensaiar, e ninguém aparece. Um não podia, o outro tinha

ido não sei para onde. E eu, nesse dia, trazia um anúncio de um festival de música acústica em Gaia. Disse ao Jorge para gravarmos algo, na altura em mini disk (há quanto tempo isto já foi!). Assim foi! Fizemos na hora, mal tocado, mas acabámos por ir ao festival, passámos uma eliminatória e fomos até à final. Ficamos em segundo lugar! E o júri era o Hélder Gonçalves, e no final ele veio ter connosco para nos dizer que tínhamos sido o projeto de que ele mais tinha gostado. Desde esse dia até o disco sair, passaram-se oito anos. Íamos enviando maquetes, sempre a tentar. Mas o tempo ia passando, e começámos a ver o nosso trabalho com outros olhos, a desvalorizar-nos porque parecia que nunca estava suficientemente bem”.

!N) Pensaram em desistir? VS) Sim! Um dia liguei ao Hélder e disse que não valia mais a pena, continuava a tocar para os amigos, em casa, mas que não queria mais andar nesta situação de “gato e rato”, sem lançar coisa nenhuma. Houve um dia em que lhe liguei e disse-lhe que já chegava de maquetes, e de tentativas infrutíferas. Tínhamos tentado, mas não deu! O Hélder não nos deixou desistir. Quinze dias em pré-produção, mas havia um problema, não tínhamos editora. Fomos gravando, surgiu o primeiro disco, fomos mostrar à Universal, e gostaram. Um sonho tornado realidade, de dois malucos que foram à aventura.

143


!N) Têm, indubitavelmente, um estilo muito próprio e diferenciado dos outros, é uma coisa muito vossa, e que as pessoas aderiram. Se as pessoas não aderissem, vocês continuavam a fazer? VS) Com o primeiro disco, diziam que entrámos no novo panorama da música em língua portuguesa, qual a explicação para o fenómeno. Não havia nada para explicar, nós sempre andamos por cá! Há dois anos atrás, ninguém ligava aos Virgem Suta porque aquilo que fazíamos não interessava. Ninguém ouvia! Era foleiro cantar em português. O “ninguém” incluía o público e até mesmo a indústria. Se deixarem de gostar? Estamos lixados! !N) E os concertos? VS) Essa foi outra questão que tivemos de resolver. Lançámos o disco, mas não tínhamos concertos, e estar a deixar quinze anos de trabalho a morrer na praia não dá, não podia ser! Então houve um dia em que falámos com a banda toda sobre a situ144

ação. Mas os outros músicos tinham outros projetos, e como nós não tínhamos dinheiro para investir, ficámos um bocado ao abandono. Mas começámos a ensaiar, e metemos na cabeça que daí a pouco tempo teríamos de estar a atuar em algum lado. Passado um mês estávamos a tocar, marquei concertos por todo o lado. !N) Sabendo o quão difícil é ser artista em Portugal, como é que se consegue ser artista em Beja? VS) Nós fazemos música de que gostamos. O que nos custou foi chegar lá, porque tanto nos faz fazer em Beja ou noutro sítio qualquer. Já temos a nossa linguagem. Antes era mais difícil, enviávamos maquetes, tentávamos marcar reuniões mas ninguém nos queria ouvir, ninguém queria ouvir. Aí era difícil estar longe dos centros urbanos, mais que não seja pela viagem. Mas agora tens acesso ao mundo, com a Internet, em qualquer lado. Trabalhamos em qualquer sítio!

!N) Deram um concerto na Casa da Música, no Porto, que teve uma grande audiência. Vocês preferem dar concertos com uma grande audiência ou concertos mais pequenos, intimistas, com menos gente? VS) Há um ano atrás, se tivesse que dar um concerto, estava muito nervoso, estava cheio de medo do que ia fazer. Neste momento, gostamos de ter um auditório composto, com muita gente. !N) Têm noção de que a vossa música, e a vossa mensagem incluída nas letras, podem tocar muitas pessoas? VS) Nos concertos, no final, há muitas pessoas que nos vêm dizer que aquela música é a banda sonora de determinado momento das suas vidas. É giro perceber isso, vamos tomando consciência dessa importância. !N) E quando estão a compor as letras, pensam nisso? VS) Não, não, não pensamos em “vou dizer uma coisa muito inteligente” ou “isto vai tocar o coração de muita gente”.


!N) E as vossas letras têm uma ambição de intervenção social? VS) Sim, isso temos. Estão sempre implícitas nas letras. Não fazemos de propósito, mas temos, porque somos pessoas atentas às coisas que nos rodeiam. !N) Quais foram os acontecimentos na vossa carreira que vocês acham os mais marcantes, os mais intensos, mais importantes? VS) Todos eles foram. O Hélder aparecer-nos foi incrível. Foi igualmente incrível no ano passado, no 10 de Junho, o Sérgio Godinho ter-nos convidado para celebrar o dia de Portugal na Praça do Comércio. Sérgio Godinho, um homem que eu adoro, a minha maior referência da música portuguesa, é inesquecível. Tudo o que tínhamos sonhado foi acontecendo! !N) E sonhos para o futuro? VS) O nosso próximo sonho é ir para fora. Temos, claramente, a vontade de ter este duo a funcionar lá fora, e já tivemos imensos convites para atuar lá fora. Temos noção de que vai ser difícil,

e temos também a noção de que poderá nunca correr bem. Mas pela quantidade de pedidos que recebemos, às vezes parece que as únicas pessoas que não acreditam que pode funcionar lá fora somos nós. Temos de experimentar, pode ser que apareça um “Hélder” lá fora...vamos experimentar, afinal, a vida é isso! !N) Os vossos concertos “transpiram energia”. Onde é que vão buscar toda essa energia? VS) Nós somos quase irmãos, até porque manter uma banda nestes parâmetros, durante tanto tempo, não é fácil. Agora vamos tocando em vários sítios, vamos tendo o nosso público, e acabamos por aprender a lidar com o público e a encará-lo. Somos uns cromos! !N) Como é que vocês encaram a arte? VS) Gosto de coisas bonitas, é inspirador. Eu não me considero artista ao ponto de considerar a arte como a minha base de vida. Para mim, tudo pode ser arte. Eu faço do “lixo” a minha parte

de vida, no âmbito da restauração. Gosto de aproveitar peças, fazer restaurações, tudo aquilo a que as pessoas não acham piada. O que as pessoas deitam fora, eu aproveito. Há quem fale da arte e da cultura como algo erudito, muito intelectual. Seja na pintura, na escultura, no teatro, peças novas, tudo o que existe na dinâmica cultural, interessa-me. Interessa-nos!

Esta conversa ocorreu num jantar de músicos e amigos que iriam de seguida participar num espetaculo de solidariedade com a Ass. Portuguesa de Pais e Doentes com Hemoglobinopatias, no Pax Julia, em Beja. Do jantar nasceu a entrevista, e do espetáculo as fotografias.

Texto: Cristina Marques Entrevista e Fotografias: Joel Reis

145


EXERCÍCIOS DE GAP!

GLÚTEOS. ABDOMINAIS. PERNAS. O TREINO É ESPECÍFICO PARA ESTA ZONA E NÃO TEMOS DÚVIDAS DE QUE VOCÊ TAMBÉM QUER DEIXAR “TUDO NO SÍTIO” E MAIS DEFINIDO. ESTE TREINO, PARA ALÉM DE CONCEDER A POSSIBILIDADE DE ELIMINAR ENTRE 350 A 400 CALORIAS NUM TREINO DE 40 MINUTOS, TAMBÉM FAVORECE O DESEMPENHO EM ATIVIDADES COMO, CORRIDA E NATAÇÃO. E VAI FAZÊ-LO BRILHAR DENTRO DAQUELA PEÇA DE ROUPA MAIS JUSTA QUE TANTO ADORA. PRIMEIRA REPETIÇÃO, VAMOS LÁ!

146

FOTOS 1, 1.1 ,1.2 1) Fase Inicial (Aquecimento Ergómetros): Passadeira; Elíptica; Bicicleta – 10 minutos no início do treino,mais 20minutos no final do treino muscular. Nota: Se o objetivo for uma maior perda de MG(massa gorda), aumente o tempo de exercício cardiovascular no final do seu treino. Fase Fundamental (Treino Muscular) Nota: Fazer 4 séries de um minuto em cada exercício. Adequar o peso para atingir o tempo pretendido; não descanse mais de 30 segundos a não ser que não consiga obter a progressão nos exercícios. FOTOS 2,2.1,2.2 2) Exercício composto: Lunges dinâmicos (frente e retaguarda)+ Agachamento

Coloque os pés à largura das ancas (bacia). Um dos pés desloca-se para a frente (passo largo), ficando as pontas dos pés a apontar para a frente e o pé de trás com o calcanhar fora do chão. O joelho da frente ligeiramente fletido. Flita os joelhos até as coxas fazerem um ângulo de 90º com as pernas. Aquando da flexão certifique-se do alinhamento do “tornozelo” com o joelho. Mantenha sempre o peito aberto, as costas direitas, e as orelhas alinhadas com os ombros, mantendo a coluna alinhada e o olhar focado em frente. Execute o movimento à frente e atrás com uma das pernas e antes de executar com a outra, faça um agachamento. Agachamento - De pé, em frente, coloque os pés à largura dos ombros ligeiramente a apontar para fora. Atenção à sua postura, coloque


1

2

3

1.1

2.1

3.1

1.2

2.2

3.2

o peito aberto com os “ombros rodados para trás”, mantendo as omoplatas juntas, alinhando desta forma a sua coluna. Realize o movimento como se fosse sentar-se (numa cadeira imaginária), sem deixar os joelhos avançarem para além da ponta dos pés. Quando os glúteos estiverem quase a tocar no banco, ou tocarem mesmo, faça o movimento contrário até à posição inicial. FOTOS 3,3.1,3.2 3) adutor/abdutor no puxador. Em pé, apoiado sobre um membro inferior, o outro preso no puxador estabilize-se sobre o quadro do aparelho ou qualquer suporte, mantendo as costas retas. Adutor- Fase ascendente, trazer o membro inferior, cruzando pela frente daquele que está servindo de apoio.

Fase descendente, volta à posição inicial sem colocar o pé no chão. Abdutor- Fase ascendente, fazer a abdução da coxa através da elevação para cima e para o lado de uma perna, mantendo a posição neutra da bacia. Fase descendente, volta à posição inicial através da adução da coxa sem colocar o pé no chão. FOTOS 4,4.1 4) Peso Morto no Step Posição Inicial: Pés à largura da bacia e direcionados para a frente, com o peso distribuído por toda a superfície do pé. Coluna neutra(costas direitas, peito elevado, abdominal contraído),braços ao longo e à frente do tronco; cotovelos desbloqueados e palmas da mãos agarrando a barra viradas para as coxas; pulso em posição neutra.

Fase descendente: Fazer uma flexão na coxo femoral, aproximando o tronco das coxas até que as costas fiquem paralelas ao chão mantendo o tronco estável e a barra junto das coxas. Fase ascendente: Voltar à posição inicial trazendo o tronco até à posição vertical através da extensão da coxa FOTOS 5,5.1 5)Subir Step ou box com extensão do Gémeo Coloque os pés à largura das ancas (bacia). O pé da frente em cima do step, ficando o pé de trás apoiado no chão. Fazendo a extensão da perna da frente, o pé de trás eleva-se até ao nível do step e o pé da frente faz flexão plantar(bicos de pés).

147


4

5

6 5.1

4.1

6.6 Contraia sempre o glúteo. Mantenha sempre o peito aberto, as costas direitas, e as orelhas alinhadas com os ombros, mantendo a coluna alinhada e o olhar focado em frente. FOTOS 6, 6.1 6)Ponte de glúteos (Chão, Step ou Banco, Fit Ball;) Deite-se de barriga para cima com a bacia, joelhos e pés alinhados. As omoplatas ficam assentes no chão, a bacia também mas mantendo a curvatura lombar. Flita as pernas ficando com os pés assentes no chão, “tornozelos” na direção dos joelhos. Eleve a sua bacia até esta estar em linha reta com os seus joelhos. Deve manter sempre as orelhas alinhadas com os ombros e o queixo não deve apontar para o céu mas sim, estar a cerca de um punho de distância do peito. A dinâmica do exercício consiste no elevar e baixar da bacia com

148

a contração constante do glúteo. Nota: Caso decida fazer o exercício apoiado somente numa perna, deve ter em consideração que deve manter todo o alinhamento; caso não consiga mantê-lo, faça-o com os dois apoios. FOTOS 7,7.1 7) Exercício composto: Prancha frontal com extensão da perna (Glúteo) Imagine que o seu tronco é uma tábua, desde os ombros aos pés. O abdominal tem de estar contraído – “umbigo para as costas” - e as orelhas alinhadas com os ombros. Deve apoiar-se sobre os antebraços, com os cotovelos debaixo dos ombros ou, sobre as mãos mantendo os braços esticados. Mantenha esta posição e eleve uma das pernas contraindo o glúteo voltando novamente à posição inicial e

assim sucessivamente. Não encurve as suas costas, o movimento das pernas não deve fazê-lo perder o alinhamento inicial. Nota: Faça 30segundos para cada perna. À medida que a resistência aumenta na prancha frontal, aumente também o tempo de cada perna. FOTOS 8,8.1 8) Exercício composto: Prancha lateral com abdução da perna (Abdutor) Deite-se sobre um dos lados do corpo, pernas esticadas e unidas, apoie-se sobre o antebraço alinhando o seu cotovelo com o ombro. O outro braço deve estar esticado na direção do teto. A sua bacia deve estar elevada, deixando apenas a parte lateral do pé bem como a palma da mão e o antebraço, apoiadas no chão. Imagine que está encostado


a uma parede! Mantenha as costas retas e o abdominal contraído, de modo a manter a bacia afastada do chão. O seu olhar deve estar focado em frente. De seguida eleve a perna, que deverá permanecer esticada e alinhada com o tronco. Volte à posição inicial. Repita o movimento! Nota: Não se esqueça de que tem de o realizar sobre os lados direito e esquerdo do corpo. Fase Final (Alongamentos e retorno à calma) Não se esqueça, alongar é fundamental !!! Para perda de peso a ACSM recomenda a realização de 250 a 300 minutos de atividade física a um nível de intensidade moderado por semana. Intensidade moderada - suficiente para causar sudação mas que permita ao individuo manter uma conversa. O American College of Sports Medi-

7

8

7.1

8.1

cine – ACSM, é a maior organização de medicina desportiva e ciência do exercício físico no mundo. bua, desde os ombros até aos joelhos (no caso de estarem apoiados) ou até aos pés (se não existir apoio dos joelhos). O abdominal tem de estar contraído – “umbigo para as costas” e os ombros longe das orelhas. Deve apoiar-se sobre os antebraços, com os cotovelos debaixo dos ombros. Não se esqueça, alongar é fundamental !!! Para perda de peso, a ACSM recomenda a realização de 250 a 300 minutos por semana de actividade física a um nível de intensidade moderado. Intensidade moderada - suficiente para causar sudação mas que permita ao indivíduo manter uma conversa. O American College of Sports Medicine ACSM - é a maior organização

de medicina desportiva e ciência do exercício físico no mundo. A Bodysolution, não acredita no trabalho sem ser em equipa. E é em equipa que nos apoiamos, fortalecemos e caminhamos passo a passo, um passo mais perto da excelência. Assim, não podemos deixar de agradecer à Cristina Marques, que tem vindo a acompanhar a nossa construção textual, e ao Ginásio Fitness Premium Benfica,por nos ter deixado utilizar o seu espaço para realizar a sessão fotográfica. Bem haja!

Prof. Luis Marques COO, Personal trainer e Nutrition adviser da bodysolution Prof Pedro Oliveira Prof. Alexandre Linhas Model : Neuza Reais @ Bodysensation PHOTOGRAPHY BY : Bárbara Santos

Para mais informações e para ter um Treino e um A.alimentar direcionado a sua necessidade consulte um especialista da bodysolution

149


DDiArte Foto: DDiArte Model: Natália Soares Estilista: Mariana Sousa Modelos Masculinos: Zé Diogo e Sidnei Varela Cabelos e Maquilhagem: Ricardo Cecílio do Urban Hair www.olhares.com/ddiarte http://1x.com/artist/63782 http://www.behance.net/ddiarte facebook.com/DDiArte ddiarte@gmail.com

150


www.ddiarte.com 151


152


153


154


155


156


157


158


159


160


161


Rin at

Sh ing are ev A educação para a arte de Rinat Shingareev começou na Rússia, tendo terminado os seus estudos numa escola de artes onde frequentou variados cursos, desde design de interiores até web design. Durante estes anos exibiu inúmeras vezes as suas pinturas em galerias. Mais tarde continuou a sua aprendizagem em Itália, onde terminou com distinção o curso da Academia de Belas Artes. A partir dessa altura continuou a pintar e mostrar as suas obras em exposições coletivas em Itália, na Alemanha e na Áustria. Os seus trabalhos são feitos a óleo sobre tela e têm aparecido em muitas revistas internacionais, tendo inclusivamente sido apontado pela revista “Maxim” italiana como um dos mais talentosos artistas no mundo.

162


163


164


165


166


167


168


169


. f o g a Ti a r u o M nciou-se em 1982.
Lice a o sb Li m e por váNasceu IADE. Passou lo e p al u is V n nvolve em Desig design e dese e d s to n e m do design rios departa s nas áreas to je ro p te n e atualm ração. gráfico e ilust deora observar e ad e u q vo o n o desde enDesde muito o rodeia, vind e u q o o d tu rso muito senhar o e um percu aç tr m u ar iv e detão a cult icas básicas d cn té o d an liz cos digitais. particular uti suportes gráfi a as ad lic ap , senho s mais é um dos seu ra u o M f o ag tiva, Lisboa by Ti stração figura ilu e d s o ct órias e Perrecentes proje aseia em Mem b se e u q , al não re oa. ceções de Lisb e projeto em: st Conheçam e ytiagofix.com/lisboab .w ra u o fm o g http://tia moura

170


LISBOA BY Tiago f. Maoura

171


LISBOA BY Tiago f. Maoura

172


LISBOA BY Tiago f. Maoura

173


LISBOA BY Tiago f. Maoura

174


LISBOA BY Tiago f. Maoura

175


176


177


RONNY KASTA & VICTOR SOUZA personal hairstylists

178


O “Visagismo” é a arte de criar uma imagem pessoal apropriada a cada estilo, de acordo com a personalidade de cada um, baseada no princípio de que o rosto deve expressar quem a pessoa é, com harmonia e estética, além de ressaltar o que a favorece. “ Lembramos que o visagismo é um conceito e não uma técnica.” Ao consultar um visagista, é necessário definir o que você quer expressar através do seu estilo de cabelo, como por exemplo: corte, coloração e até a textura. O profissional é treinado para perceber o seu temperamento, o seu estilo de vida e as exigências do seu trabalho. O objetivo é criar uma imagem que vai além da imagem, lembrando que isso dirá ao mundo quem é você. Portanto, afetará os seus relacionamentos e seu estado emocional. “O visagista precisa de estudar um pouco de psicologia e aprender a classificar os temperamentos”. O Ronny Kasta Victor Souza tem algumas dicas importantes : Linhas verticais transmitem estrutura e horizontais mostram estabilidade;

do para determinados momentos da vida das pessoas. Temos observado varias pessoas que dizem ser visagistas, mas o conceito vai para além de analisar o formato do rosto e definir o melhor corte. Não devemos esquecer que não podemos criar uma imagem que não tenha nada a ver com a sua verdadeira identidade. Tal atitude criaria uma confusão mental. (Uma pessoa introvertida não ficará extrovertida só por adotar um visual moderno e dinâmico, mas podemos ressaltar características dentro da sua personalidade que são mais extrovertidas se assim for o seu desejo. Só teremos êxito se captarmos a personalidade e o estilo de vida de cada indivíduo. Precisamos ter força, conhecimento emocional e moral para remontar um look para uma pessoa, além de perceber se ela está apta a mudar seu estilo; se quer de facto mostrar e ressaltar sua personalidade; se deseja um conjunto visual que cause mais equilíbrio ou somente uma imagem com os padrões estéticos de beleza. Esperamos, através do nosso conhecimento, ter ajudado com algumas dicas para que você esteja sempre muito seguro em relação ao seu visual.

Franjas mostram uma mulher convencional, já cabelos repicados ou desfiados dão a impressão de introversão. Uma mulher extrovertida deve procurar linhas voltadas para fora. As curvas nos cabelos demonstram romantismo e sensualidade. O visagismo moderno visa unir estética com cada personalidade e descobrir se a imagem que estamos a passar para outras pessoas é de fato a imagem que desejamos que as outras pessoas tenham de nós. O Ronny Kasta e o Victor Souza podem dar orientações para um conjunto visual mais expressivo ou delica-

179


Bares diferentes PARKar (Lisboa)

O sétimo piso do estacionamento da Calçada do Combro 58, em Lisboa é agora um bar aberto das 13h às duas da madrugada, com uma vista privilegiada sobre o casario de Santa Catarina, onde se pode assistir a atuações de DJ ou a um filme ao ar livre. Para carnívoros ou vegan há menus a 7.50€ cada e à sobremesa arroz doce ou bolo de chocolate. Porque é muito concorrido de sexta a domingo, e costuma haver fila de espera para estacionar, convém ir cedo. http://www.lisbonlux.com/lisbon-bars/park.html

Duas de Letras (Porto) No Passeio de São Lázaro 48 existe um espaço que é café, bar e galeria: do rés-do-chão decorado com mesas e cadeiras antigas, passando pelo jardim de Inverno à sala polivalente onde decorrem todo o ano exposições, palestras, projeções e workshops. Serve refeições ligeiras e petiscos tradicionais e limonada e groselha a um preço justo. http://locais.porto24.pt/comes-e-bebes/duas-de-letra/

180


Concertos estivais low-cost Em alternativa aos megafestivais de Verão de grandes empresas, em agosto é possível ouvir boa música portuguesa nas festas municipais, à borla ou pagando uma módica quantia. Ficam algumas sugestões: Tó Trips Museu do Chiado (Lisboa) dia 16 às 19h30 Camané Feira de Artesanato (Estoril) dia 16 às 21h30 (entrada 2.50€) Mia Rose Festas do Mar (Cascais) dia 16 às 20h30 Luís Represas Feira de Artesanato (Estoril) dia 17 às 21h 30 (entrada 2.50€)

Resistência Festas do Mar (Cascais) dia 19 às 20h30

Expensive Soul Festas do Mar (Cascais) dia 24 às 20h30

Santos e Pecadores Fatacil (Lagoa) dia 19

Pedro Abrunhosa Alameda 8 (Espinho) dia 24 às 22h

Pedro Abrunhosa Fatacil (Lagoa) dia 20

Xutos e Pontapés Festas do Mar (Cascais) dia 25 às 20h30

João Gil e Amigos Festas do Mar (Cascais) dia 21 às 20h30

Pink Floyd Tribute Show Festas de Corroios (Seixal) dia 26 às 22h

The Black Mamba Festas do Mar (Cascais) dia 22 às 20h30

Xutos e Pontapés Fatacil (Lagoa) dia 27

Tiago Bettencourt Festas do Mar (Cascais) dia 23 às 20h30

The Gift Festas de Corroios (Seixal) dia 29 às 22h

Áurea e Rita Redshoes Fatacil (Lagoa) dia 23

JP Simões Museu do Chiado (Lisboa) dia 30 às 19h30

Xutos e Pontapés Festas de Corroios (Seixal) dia 31 às 22h

Uma marca quase bicentenária No dia 1 de Julho de 1824 D. João VI concedeu, por alvará régio, a abertura da fábrica de porcelana Vista Alegre que, em vias de falência, foi adquirida em 2011 pelo grupo Visabeira. Em Abril deste ano inaugurou o primeiro showroom em Nova Iorque (no 9º andar do n.º 41 da Madison Avenue) e encontra-se já em 45 pontos de venda nos EUA. Uma marca portuguesa de excelência com coleções assinadas por artistas como Eduardo Nery, Portinari ou Christian Lacroix. http://www.vistaalegreatlantis.com/contentVistaAlegreTV.aspx?v=1

(vídeo Guerra e Paz – design by Portinari)

181


Deli narrada por Singh Se em 2015 estiver vivo, o escritor Khushwant Singh fará 100 anos. Nascido numa aldeia no Punjab (hoje Paquistão) este indiano de aculturação inglesa (como Salman Rushdie) frequentou colégios britânicos em Lahore e Cambridge, onde estudou Direito, foi funcionário público em Londres, viveu no Canadá e trabalhou na UNESCO em Paris. Depois, trocou a diplomacia pelo jornalismo radiofónico, editou jornais e revistas. As suas opiniões pró-secularização do Estado e contra todos os extremismos conferiram-lhe o rótulo de autor controverso e respeitado historiador. Em Portugal, a Cavalo de Ferro publicou os romances Comboio para o Paquistão e Deli e o livro de contos Uma Esposa para o Sahib. Como registou José Riço Direitinho, Singh é um delicioso provocador que um dia escreveu numa crónica: “Ainda ninguém inventou um preservativo para a caneta”.

Na minha praia “Nuclear, não!” Apesar da orla costeira entre Óbidos e Peniche ter sido atacada pelos condomínios privados com moradias de luxo cercadas por elevados muros de alvenaria e campos de golfe – que consomem tanta água quanto os eucaliptais que foram substituindo os velhos pinhais de outrora – existe um canto ainda inexpugnável que os “urbanos” não ocuparam. Chama-se Almagreira, é conhecida pelos amantes do surf e foi nela que a Companhia Nacional de Electricidade quis instalar uma central nuclear. Fausto Bordalo Dias imortalizou-a na estrofe da canção Rosalinda: «Em Ferrel lá p’ra Peniche/ Vão fazer uma central/que para alguns é nuclear/ mas para muitos é mortal/.» No dia 15 de Março de 1976, o povo da localidade marchou até ao local onde decorriam os trabalhos preparatórios em protesto na que foi a primeira manifestação pacífica e determinada contra a opção pela energia nuclear em Portugal.

182


Uma exposição A Última Fronteira: Lisboa em tempos de guerra é a exposição patente no Torreão Poente do Terreiro do Paço até 15 de Dezembro, todos os dias das 10h às 20h. Composta por fotografias, documentos, trajes e objetos de decoração, reproduções de cartazes publicitários, mobiliário comercial, doméstico e urbano, maquinaria de comunicação, acessórios e filmes, mostra como a cidade se tornou durante a Segunda Guerra Mundial, um cais de esperança para milhões de pessoas, antes de alcançarem a liberdade.

Noora Noor

a diva do Soul nórdico Nascida em 8 de Julho de 1979, esta cantora somali-norueguesa é já considerada a rainha da Soul escandinava. Artista da Warner Music desde os 15 anos, o álbum de estreia Curious, saiu em 1999. Após All I Am, em 2004, participou ainda como Maria Madalena numa versão musical de Jesus Christ Superstar. O seu CD mais recente Soul Deep é a prova de que nasceu uma estrela no firmamento da Soul feminina.

Um livro de não-ficção histórica: Segredos da Descolonização de Angola

A narrativa histórica Segredos da Descolonização de Angola surgiu da pesquisa para a minha dissertação de doutoramento sobre o que significou a partida de África para os antigos colonos portugueses de Angola e Moçambique. Baseado integralmente em fontes primárias (relatórios de militares, telegramas de diplomatas, entrevistas e declarações dos protagonistas do processo), é um livro que relata os factos registados nos documentos, sem juízos valorativos. Lançado pela Dom Quixote será apresentado a 27 de Junho na FNAC do Porto e a 4 de Julho na livraria Almedina, em Coimbra.

183


184


os sunula para rm fó a oua escobert -se um p D m a c ã li h ip n s mult valor ma ma sets, este os Restau e são um rónica nu n c o , e d a fé s t la a a s C ri e o k fé re o Escrev or todo s emp ard Roc cípio alta de ra muito s- co p ra o prin ções: o H a E a m época . p e p ra o o o te ã u d t rã n n a e t ra z le à V e e e de acrescen crise talv ores, exc de temp namento d à s io o u ra c o d a ra a id t g s . b v á e e m 7 s d num e com com 2 esejava os que de noite Agosto e tu- sári o o que d n d m e e ra e u u s t s o rq o fa rr o tam de ca tenham anhou p porta. milhares mbém g e. Será a v t r a o c lg li e tarde A b d recente ú te. Eso p is a a O o n fi m os m instan har 2 ru u il e A n v e u r r a u q a fe q s s u a m e o a a ri b ip pir tino o proveit convívio, gosto va s desco o im A o x cipal des ri á n ra á a ri m v o p p iv o s s o m tires este ias e ótimo to co r exclu pero que e- são de Agos e das pra rm de se m s s e te a e t it la s e o s o e fe ã p n d n s s a m r Po are na concorre o calor, d r dança tem em , entre p d e s is io u x a a q e d m e a s e d g u to t lo q ru proje mad s djs Sunse rande o e pe dos bon ita das o “Maior s uma g ite gramaçã o o rm e c e ro m a u p t p q s te e e r M s u D o F o lh tes q lasers. uer no l. Tod pela R de clien i- tuga anizado ma qualq (F m lucro. u rg e o e io ” d g to re n o ló número p e ã e ç sto da R m recorda Praia do para o re ar investim s e conheci Se à o a rm il c it fi u fo m s e m 0 n u 3 s ra t há dia preço levou Verão q amoura escante Foz) com rtaz de fr a a c re d e o a Visitei Vil e ir im e t u vida. ra o ó ach, enorm exado a um g sso e ativos pa ro n id o Puro Be g a v In o n ã o ç n c a ebastia e anim nto à incluía S espaço d estrelas ju e 5 u e q d l te iho ns. esma no excelente tto Know O nte na m e m u a t o a it x nal, são erson vis marina, e is tradicio mela And a a n P o m c e r u oto e q a z fa te em res que m Num form estive a la , u p ja e o m s p e u u s q sta Agosto. o Bliss. O . Não sei m rias as fe la e á v e s m a re s P a o à milh estas aranto-v corrência vimentam isita às F r mas g v o l: a lh e e o ív m c it , e u ano rep levou a Alcochete foi inesq te s e m E it e o e n ird a o e h de V io da n onto que a min do Barrete Risk Bar. Dia 17 c ao princíp a o a b t is ia L d e e o saída de Lisboa qu ressar im convite d e g a d re a s e a o r c a a a tu num ntao pulso te para a convosco es aprese ra sentir d a n , p s ra a u g ic e t e D ís d t isa mente. as esta não prec , dizem e u q e v r Alga leno! está em p

185


186


187


188

!N magazine, number 4  

Magazine about fashion, art, travels, beauty & wellness Agosto/Setembro 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you