Issuu on Google+

Ano I Edição: No 2

E-mail: sbcondominios@hotmail.com RuaValença do Minho, 413 - Jardim Ipanema São Paulo - SP - CEP 03583-040 - Tel: (11) 3445-2999

Outubro/2012 Diretor: Rosenberg de Andrade DISTRIBUIÇÃO GRATUÍTA

Como evitar o sequestro-relâmpago

Nos grandes centros urbanos, o sequestro-relâmpago tem sido a modalidade que mais tem assustado o cidadão atualmente. Nela, os marginais dominam o condutor do veículo com o intuito de re-

tirar da vítima os cartões de crédito e bancários e assim realizar uma série de saques em caixas eletrônicos ou mesmo fazer compras. Mas para que a operação seja bem-sucedida, em geral, a vítima perma-

nece em poder dos marginais durante horas. O pior dessa trágica situação é a vitima ter que, muitas vezes, sofrer ameaças, pressão e violência por parte dos marginais. Uma forma de evitar essa terrível

experiência e conhecer quais são os lugares mais propícios para esse tipo de ação: As ruas de trânsito rápido com pouco movimento e circulação de pessoas, as chamadas vias periféricas, em geral, situadas na periferia e também às vias rurais, aquelas mais afastadas e que não dispoem de telefone público e também, onde muitas vezes o telefone celular não funciona. A chegada e a saída da residência é outro ponto escolhido pelo marginal para pegar as vítimas, principalmente, se o local for pouco movimentado e mal iluminado; Outro atrativo são os semáforos. Nesse caso os veículos visados são os da primeira fila, porque estão livres de qualquer obstáculo que possa dificultar a fuga do bandido;

Alças de acesso, rotatórias, lombadas e depressões; em tais obras da engenharia de tráfego, onde há necessidade de reduzir a velocidade ou até mesmo de parar o veículo, são propícios a uma ação rápida do marginal. Estacionamento de Shopping Center também é um local escolhido. Nesses casos, a vítima é observada no interior do recinto realizando compras e exibindo, necessariamente, cédulas, talonários de cheque ou cartões de crédito. A vítima é seguida à distância da(s) loja(s) até o ponto em que deixou seu veículo no estacionamento, quando é então abordada. Fonte: Mário Amarante, diretor de operações da Embrase – empresa especializada em segurança patrimonial.


Pág. 2

Outubro/2012

A escala de preço dos imóveis irá continuar?

Recentemente muito se tem discutido se é hora de vender ou comprar imóveis. O momento é bom para realizar o lucro? Os preços vão continuar subindo? Vão cair? Como o mercado imobiliário irá se comportar? Nos últimos quatro anos em São Paulo e no Rio de Janeiro, os preços dos imóveis residenciais aumentaram 140% - dados da Capital Economics. Em 2009, a alta no valor das casas e apartamentos no país foi de 22%, a terceira maior do mundo e, em 2010, a valorização chegou a 25%. O Brasil ficou com o primeiro lugar no ranking das maiores altas, o que tornou o mercado imobiliário brasileiro o mais caro da América Latina. Em 2012, encerrou o ano com a segunda maior valorização de imóveis no mundo, um aumento real de 19,79% nos preços e ficou atrás apenas da Índia no ranking da

variação dos preços realizado pelo site Global Property Guide, que auxilia investidores na busca de imóveis ao redor do mundo. Mas afinal, os preços chegaram ao topo, ou, ainda, há espaço para valorização? Ou a tendência agora é que os preços se acomodem – ou até caiam? A combinação de fatores como anos de estabilidade econômica, renda em ascensão, inflação sob controle, queda histórica na taxa de desemprego média, baixa das taxas de juros que facilitam o acesso ao crédito, aumentaram a demanda por imóveis e consequentemente forçaram o aumento do valor dos mesmos. Além da lei da procura e da oferta, outro ponto que impulsionou a alta foram os custos de construção que sofreram enorme pressão, com a escassez de mão de obra qualificada e perda

de produtividade das construtoras, fora as próprias altas nos preços dos terrenos. Devemos lembrar que o mercado imobiliário é um mercado “descon-

trolado” quanto maior a oferta quer seja por terreno, material de construção ou mão de obra o preço sobe, não existe “órgãos reguladores” capazes de coibir os abusos. Outro ponto interessante a se destacar é que o aumento no preço dos imóveis no Brasil foi uma atualização dos preços em relação ao mercado internacional. Em um estudo recente a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, órgão ligado à Universidade de São Paulo, constatou-se que o mercado imobiliário começa a perder fôlego. A desaceleração fica evidente em seis das principais capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza. Percebe-se hoje que o consumidor tem analisado melhor antes de comprar. Lançamentos que antes eram vendidos em um final de semana hoje levam em medias 60 dias. Outro aspecto importante é que apesar da ascensão da renda ela não acompanhou nem de longe

o aumento do preço dos imóveis. Apesar de faltarem dados e pesquisas nesse sentido, em algumas regiões do País o preço de um imóvel custa o equivalente a 10 vezes a renda per capita da população. Mas qual é a realidade atual do mercado imobiliário? A de um país que é o segundo mais valorizado do mundo ou de mercado que começa a desaquecer? Infelizmente não há uma resposta simplista para essa pergunta. O que verificamos em curto prazo é um ajuste do mercado, demanda moderada, as construtoras lançando menos e entregando mais pontualmente e, consequentemente a estagnação e queda dos preços. Não há de se ter um quebra dos preços dos imóveis, visto que não houve especulação para tal. Vamos ter um mercado mais equilibrado. Em longo prazo com a queda da taxa de juros e previsão de que o crédito imobiliário chegue a representar 14% do PIB, teremos novas altas nos preços dos imóveis.

Expediente:

Veículo de comunicação do Grupo SB Clean Serviços Terceirizados Ltda.

Editor: Alexandre Bueno Diretor Comercial: Rosenberg de Andrade Diagramação e Designer: Lucia Borges Bueno Este Jornal não se responsabiliza por matérias assinadas ou por publicidade paga. Rua Valença do Minho, 413 Jardim Ipanema - São Paulo CEP 03583-040 Tel: (11) 3445-2999 sbcondominios@hotmail.com Impressão:


Outubro/2012

Pág. 3

Por Eurico M. Cardoso

Elevadores, a segurança vai além das manutenções

Ser síndico não é uma tarefa fácil, principalmente quando é necessário tratar de assuntos técnicos, o que na grande maioria das vezes está muito “distante” do conhecimento administrativos de muitos síndicos. Os síndicos estão acostumados com a rotina das manutenções, e, os elevadores acabam sendo tratados da mesma forma. Todavia, lembramos que os elevadores transportam por várias horas ininterruptas os moradores do seu condomínio, e, inclusive a sua

própria família. Sob o aspecto de segurança podemos dizer que atualmente as tecnologias usadas tornam os elevadores um meio de transporte seguro, mas, como o desgaste é muito grande não podemos correr riscos. Portanto seguem algumas dicas: • Não contrate a empresa que vai fazer as manutenções pelo custo; • Faça uma pesquisa e tente levar em conta se a empresa que vai prestar o serviço de manutenção está preparada para realizar a modernização técnica, pois, caso seja necessário você não precisará trocar de empresa; • Procure conversar com outros síndicos sobre a empresa que pretende contratar; • Contrate empresas cadastradas no SECIESP (Sin-

dicado das Empresas de Elevadores de São Paulo); • Solicite que a empresa que presta serviços para o seu condomínio emite a RIA (Relatório de Inspeção Anual) Além de todos estes cuidados sugerimos a contratação de um consultor especializado (engenheiro especializado em elevadores) para fazer laudo técnico do elevador e assim você poderá exigir que a empresa de manutenção cumpra alguns requisitos preestabelecidos. Com trata-se de uma contratação periódica o custo é baixo e o Síndico terá todo o apoio para as suas decisões. Existem consultores cadastrados no site do SECIESP: http://www.seciesp.com.br

Fonte: Eurico M. Cardoso - www.facilitus.net.br


Pág. 4

Outubro/2012

HORÓSCOPO Aries (De 21/3 a 20/4)

Libra (De 23/9 a 22/10)

Touro (de 21/4 a 20/5)

Escorpião (De 23/10 a 21/11)

Seus negócios começam a andar com maior rapidez e ritmo. Um acordo que vem sendo discutido há algum tempo pode, enfim, ser firmado nas próximas semanas.

Seus relacionamentos são movimentados. Uma pessoa mais séria e/ou mais velha pode se aproximar de você com boas intenções. Um namoro pode começar nas próximas semanas.

Suas finanças são ainda mais mobilizadas. Uma notícia sobre ganhos e estruturação de sua vida material pode chegar a qualquer momento. Fase de criação de bases e estruturas.

Uma nova fase, mais exigente e de maior responsabilidade, chegou. É hora de olhar com mais seriedade para a sua vida, arregaçar as mangas e começar a caminhar.

Gêmeos (De 21/5 a 20/6)

Sagitário (22/11 a 21/12)

Câncer (De 21/6 a 21/7)

CapricÓrnio(22/12a21/1)

Leão (De 22/7 a 22/8)

AquÁrio (21/1 a 19/2)

Virgem (De 23/8 a 22/9)

Peixes (20/2 a 20/3)

Seu trabalho ganha maiores exigências. Este é um importante momento para você cuidar melhor de sua saúde. Um novo projeto de muita responsabilidade pode dar certo.

Seu coração pode ficar mais sério. Um romance que começou há algumas semanas pode mostrar claramente a possibilidade de se firmar. Momento de maior racionalidade.

Questões domésticas podem ganhar maior importância. É possível que você comece a planejar uma mudança de casa, cidade ou mesmo de país. Um de seus pais pode precisar mais de você nesta fase. Você consegue entender que algumas amizades devem ser deletadas, enquanto outras devem ser melhor alimentadas. O momento é de introspecção e pensamento reflexivo.

Condomínios de SP vão economizar R$ 8,6 mil, em média, com redução da energia elétrica em 2013 Diminuição de 16% nas tarifas irá representar 2% a menos no orçamento de cada prédio, mas não necessariamente haverá redução do valor da cota paga pelos moradores

Sua energia vital pode ficar mais fraca. Cuide muito bem de sua saúde e não permita que pensamentos negativos tomem conta de você. Coloque sua disposição em novos projetos de trabalho.

Seus projetos de médio e longo prazo podem ganhar um ritmo mais acelerado, especialmente os que envolvem trabalhos em equipe com grandes empresas.

Uma nova fase profissional passa a ser desenhada. É hora de parar para refletir sobre onde você quer chegar e de que maneira vai caminhar na direção de suas metas.

Seus projetos de vida são reavaliados. É hora de rever metas e caminhos que foram definidos há anos. Planos de viagens e estudos se tornam mais sérios.

Os condomínios da cidade de São Paulo cadastrados na Eletropaulo como residenciais deverão economizar R$ 8,6 mil por ano, em média, cada um, nas despesas com energia elétrica a partir de 2013, com a redução das tarifas anunciadas pelo governo federal no início deste mês. O cálculo é da Lello, administradora de condomínios, feita com base na arrecadação dos chamados condomínios clássicos de médio padrão, com 60 apartamentos, quatro unidades por andar e dois elevadores. Nesses prédios o valor das despesas mensais é de R$ 36 mil, 12% dos quais com o pagamento de energia elé-

trica para o funcionamento de elevadores, bombeamento de água e iluminação das áreas comuns. O impacto da redução de 16,2% nas tarifas a partir de 2013 será em torno de 2% nos custos dos condomínios com energia elétrica, proporcionalmente ao que este item representa nas despesas totais dos prédios. A economia gerada com a redução nas tarifas não significará, necessariamente, redução na cota de condomínio paga mensalmente pelos moradores. Isso porque outros itens pesam nas despesas, e fatores como dissídio dos funcionários, variação dos contratos de

manutenção e conservação de equipamentos e eventuais reajustes de água, por exemplo, podem impactar no condomínio. “Além disso os condomínios podem, por exemplo, aprovar em assembleia o direcionamento dos recursos da economia gerada com a redução nas tarifas de energia em outras despesas como, por exemplo, a contratação de mais um funcionário para reforçar a segurança do prédio ou mesmo a realização de reparos na estrutura do condomínio não previstos no orçamento”, diz Márcia Romão, gerente de Relacionamento com o Cliente da Lello.


Outubro/2012

Pág. 5

Por Renata Moreira

Antes de fazer valer o seu voto, a sua escolha nas urnas: você sabe o que faz o prefeito? O momento de decidir quem será o novo prefeito e vice-prefeito de São Paulo está cada vez mais próximo. Neste mês de outubro os cidadãos brasileiros escolhem quem serão os próximos vereadores, prefeitos e vice-prefeitos dos 5.565 municípios do país. Muitas propostas estão sendo apresentadas pelos doze candidatos de São Paulo para assumir a administração da capital, mas antes de votar: você sabe qual a real função dos prefeitos? Será que durante o horário político eleitoral os candidatos prometem coisas que podem de fato cumprir? Com o propósito de refletirmos sobre essas questões discutimos aqui um pouco sobre o papel do prefeito e do vice-prefeito, após já termos feito isso com os deveres do vereador na última edição do jornal. Ao partir de uma definição básica, pode-se afirmar que o prefeito é o chefe do Poder Executivo no âmbito das cidades, que conta com o apoio do vice-prefeito e dos secretários municipais para a administração. Cabe ao prefeito decidir em quais setores – como educação, saúde, infraestrutura – será destinado o dinheiro (ou verba) que o município recebe a partir dos impostos pagos pelos cidadãos. Ao contrário do que pensam alguns cidadãos, o prefeito não pode fazer o que quer e bem entende. O papel do prefeito é estabelecido pela Lei Orgânica do Município, que de-

fine suas funções. Dentre algumas das competências, o prefeito representa o município; apresenta projetos de lei à Câmara de vereadores; aprova, providencia o cumprimento e torna públicas as leis; determina a desapropriação e intervenção em empresas concessionárias de serviço público; fixa tarifas dos serviços públicos de competência da administração da cidade como, por exemplo, as tarifas de ônibus; dirige, inspeciona e fiscaliza serviços de obras municipais; e pode vetar projetos de lei aprovados pela Câmara. O prefeito tem a obrigação, ainda, de todo ano prestar contas referentes aos gastos de seu governo, apresentando relatório das atividades à Câmara; enviar o projeto de lei com previsões do orçamento do ano seguinte (com o planejamento do que será gasto) ao Legislativo anualmente; e para ausentar-se do Município por tempo superior a 30 dias, deve solicitar a licença à Câmara. Por sua vez, o vice-prefeito, a princípio, é apenas um substituto. Entretanto, também pode assumir outras atribuições repassadas pelo prefeito, como ser responsável por uma secretaria ou atuar como articulador político. O vice-prefeito pode substituir o prefeito temporariamente – em caso de doença ou viagem, por exemplo – ou de forma definitiva, se houver morte, renúncia ou perda de mandato do executivo muni-

cipal. Quanto à questão da segurança (ou insegurança) da cidade, contudo, a prefeitura tem pouco poder de atuação. Isso porque ela é responsável pela guarda municipal. Quem administra a segurança pública, incluindo as polícias civil e militar, é o governo do estado. Cabe sim à prefeitura investir em ações de prevenção, como oferecer escolas melhor estruturadas – de preferência em horário integral – para evitar que crianças e jovens fiquem muito tempo nas ruas, expostos à persuasão do tráfico, por exemplo. Vale lembrar que em São Paulo as linhas de trem e metrô também são responsabilidade do governo estadual. Com isso se algum candidato à prefeitura anda prometendo melhorar esse sistema por ações próprias, cuidado! Pois ele demonstra que não conhece o papel de prefeito. Conhecer melhor as funções dos prefeitos pode te ajudar a escolher as melhores propostas para a cidade. Nunca vote em um candidato por simpatia. Procure conhecer o histórico e as propostas dele. Assim, você estará exercendo, de verdade, seu papel cidadão, com maiores chances de ajudar a escolher um prefeito que faça de São Paulo uma cidade melhor para todos nós vivermos.

Renata Moreira, jornalista e mestre em Comunicação e Culturas Contemporâneas na linha de Comunicação e Política pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). Críticas e sugestões: moreira.renatas@gmail.com


Pág. 6

Outubro/2012

Condomínios devem organizar e treinar equipes de trabalho Prédios devem seguir legislação trabalhista no caso de funcionários próprios e adotar estratégia diferenciada se profissionais forem terceirizados, orienta a Lello Cada condomínio residencial da cidade de São Paulo possui, em média, sete funcionários. A informação é da Lello, empresa líder em administração condominial no Estado, que alerta: os síndicos devem organizar e treinar a equipe de trabalho, além de atentar para medidas diferenciadas se os profissionais do prédio forem terceirzados. Assim como ocorre em qualquer empresa, os funcionários de condomínios são regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e, por isso, o síndico deve estar atento a todas as obrigações previstas em lei, como, por exemplo, registros, férias, recolhimento do INSS e do Fundo de Garantia e pagamento do décimo-terceiro salário, entre outras. O síndico deve, a partir dos cargos e funções defi-

nidos, fazer um descritivo das tarefas, que contemple um plano de trabalho, treinamentos e avaliações de desempenho. “É importante, ainda, definir um plano de carreira dos funcionários, para que

todos tenham expectativas de progredir na ‘empresa’, no caso, o condomínio”, diz José Maria Bamonde, gerente de Relações Humanas da Lello Condomínios. Além de organizar as ativi-

dades, diz Bamonde, o síndico deve conversar com cada funcionário próprio para orientações e promover reuniões mensais com os profissionais de cada setor, visando corrigir problemas e acertar novos procedimentos de trabalho. É importante, ainda, solicitar do zelador ou gerente predial um feedback em relação à equipe de trabalho. O gerente da Lello orienta, ainda, que o síndico promova a cada seis meses uma pesquisa com os moradores para avaliar o desempenho dos funcionários em cada área, além de promover cursos periódicos, de capacitação e motivação, para os profissionais. No caso de funcionários terceirizados, o síndico deverá expressar, no contrato com a empresa fornecedora dos serviços, como será feita a avaliação do serviço e com qual frequência, estabelecendo, por exemplo, descontos

no pagamento caso o nível de satisfação dos moradores seja inferior a 90% de ótimo ou bom em relação à execução do trabalho. O gerente da Lello alerta, ainda, sobre a complexidade e as diferenças na orientação e organização de equipes de condomínios clássicos e dos empreendimentos maiores, com superestruturas que envolvem manobristas, auxiliares de manutenção, assistentes administrativos, gerentes prediais e segurança externa. “É fundamental que o síndico conte com a orientação de empresa especializada em administração para organizar as equipes de funcionários. Cuidar da folha de pagamento de um condomínio é exatamente igual a cuidar da folha de pagamento de uma empresa: especialização e profissionalismo são fundamentais.”, conclui Bamonde.


Outubro/2012

PALAVRAS CRUZADAS

Pág. 7

Procon-SP orienta sobre encerramento de conta corrente Uma conta corrente aberta e sem movimentação pode gerar transtornos ao cidadão. Para evitar possíveis aborrecimentos, a Fundação Procon-SP orienta sobre fechamento de conta corrente, lembrando que a qualquer momento o consumidor pode solicitar o encerramento. Veja as dicas: - Formalize o pedido por escrito, através de formulário fornecido pelo banco ou de redação própria, lembrando sempre de datar e assinar o documento - Providencie a assinatura de todos os titulares ou representantes legais no pedido, caso a conta seja conjunta - Devolva todas as folhas de cheques e cartões ao banco. Registre no pedido de encerramento tudo que estiver sendo devolvido - Verifique se todos os débitos autorizados e cheques emitidos já foram lançados

na conta - Cancele as autorizações para futuros débitos automáticos - Mantenha saldo suficiente para pagamento de compromissos assumidos

anteriormente. Para encerrar a conta é necessário quitar todos os débitos com o banco - Entregue o pedido de encerramento em qualquer agência, e guarde o protocolo de recebimento do pedido.

FALLS / CETIM / ACABRAMAR


Pág. 8

Outubro/2012

Trabalhador terá que fazer curso para receber o Seguro-Desemprego

Desde o último mês de julho, todos os postos autorizados para habilitação do Seguro-Desemprego, incluindo o Centro de Apoio ao Trabalho (CAT), da Prefeitura de São Paulo, sofreram mudanças nos critérios de liberação do pagamento das parcelas do benefício. A alteração possibilita a participação dos desempregados em cursos profissionalizantes gratuitos em suas áreas de atuação. A novidade abrange os segurados, independente do nível de escolaridade, que já tiverem solicitado o seguro mais de duas vezes nos últimos 10 anos. A recusa em matricular-se em um dos cursos disponibilizados condizentes com a qualificação profissional do segurado ou sua desistência no decorrer das aulas acarretará na suspensão do beneficio. A modificação faz parte do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Ministério do Trabalho e Emprego. Não havendo uma oportunidade de trabalho compatível com o perfil do beneficiário, os cursos serão disponibilizados no ato de requerimento do Seguro- Desemprego. Caso o se-

moda, Desenhista de produtos gráficos web, Desenhista mecânico, Eletricista de automóveis, Eletricista industrial, Encanador, Estofador de móveis, Fresador mecânico, Inglês básico, Instalador e reparador de redes de computadores, Jardineiro, libras (língua brasileira de sinais) básico, Lubrificador industrial, Manicure e pedicure, Maquiador, Mecânico de suspensão de freios, Mecânico de máquinas de costura, Modelista Monitor de recreação, Montagem e manutenção de computadores, Operador de computador, Operador de A partir de agora, os trabalhadores que tenham solicitado o Seguro-Desemprego mais de duas vezes nos últimos 10 anos deverão realizar cursos profissionalizantes em sua área de atuação. editoração eletrônica, Operador de máquinas de usinagurado aceite, poderá efetuar das possuem carga horária de ções hidráulicas, Auxiliar de gem com comando numéria pré-matrícula na unidade do 160h, sendo quatro horas diá- operações em logística, Au- co, Operador de sistema de CAT, preenchendo o formulá- rias, em horário comercial, de xiliar de pessoal, Auxiliar de climatização, Operador de rio com o “Termo de Aceite”. segunda a sexta-feira. recursos humanos, Auxiliar supermercado, Operador de Os cursos profissionalide serviços em comércio ex- torno de comando numérico, Opções de cursos zantes serão ministrados graterior, Auxiliar de transporte Operador industrial, Padeituitamente por intermédio da de mercadorias, Auxiliar em ro e confeiteiro, Pedreiro de Rede Federal de Educação Agente de inspeção, Ajus- web, Carpinteiro de telhados, alvenaria estrutural, Pintor Profissionalizante, Científica tador mecânico, Almoxarife, Confeccionador de artefatos de obras, Programador web, e Tecnológica, por escolas Aplicador de revestimento de couro, Confeccionador de Promotor de vendas, Recepestaduais e também no Senai, cerâmico, Assistente de pro- bolsas em tecido, Cortador de cionista, Serígrafo, SerralheiSenac e Sesi. Os participantes dução, Assistente de proje- calçados, Costureiro indus- ro de alumínio, Soldador no recebem auxílio alimentação, to visual gráfico, Auxiliar trial do vestuário, Costureiro, processo mig/mag, Torneiro transporte e material didáti- administrativo, Auxiliar de Cuidador de idoso, Desenhis- mecânico, Vendedor, Vitrinisco. As capacitações ofereci- crédito, Auxiliar de instala- ta de calçados, Desenhista de ta e Zelador.


SB Condomínios