{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

PRESIDÊNCIA

Confira ações em defesa do produtor rural feitas por Mário Borba

Edição II / Nov 2018

Técnico em agronegócio traz população de volta ao campo Edição II / Jan 2018

Edição II / 2016

Faepa e Certmais oferecem certificação digital para o produtor

CNA Jovem forma novas lideranças para o agro na Paraíba


Expediente Presidente do Conselho Administrativo do Senar-PB Mário Antônio Pereira Borba Vice-presidente da Faepa Vanildo Pereira Conselho Administrativo Rosanne Curi Zaratine – Senar Brasil Raimundo Nonato Siqueira – Classe Produtora Melquíades Pedro de Sousa Neto – Senar-PB Liberalino Ferreira de Lucena – Fetag Conselho Fiscal Samuel Francisco Cordeiro – Senar Brasil Tiburtino Cartaxo de Sá Filho – Classe Produtora Cleide Araújo – Fetag Superintendente Sérgio Ricardo Gouveia Martins Assessoria de Comunicação Social Jocélio de Oliveira (DRT/PB 3015) Marina Cabral (estagiária) Editoria de arte/ Tratamento de imagem/ Capa e Projeto Visual Agência Superliga 66 Comunicação Fale com a redação: www.senarpb.com.br www.faepapb.com.br imprensa@senarpb.com.br 3048-6050 / 6073 Sede Rua Engenheiro Leonardo Arcoverde, 320, Jaguaribe – João Pessoa/PB CEP 58015-660 Impressão Gráfica JB Tiragem 3 mil exemplares

PALAVRA DO PRESIDENTE O que o ‘Agro’ espera do próximo governador? Apesar da continuidade política, o ano 2019 terá início com um novo comando no executivo estadual. Eleito com 1.119.758 de votos, João Azevêdo Lins Filho terá enormes desafios no sentido de oportunizar, ao nosso agronegócio, o protagonismo que lhe cabe na geração de emprego, riquezas e bem-estar social e ambiental, característicos da agricultura moderna. Em relação aos principais produtos agropecuários, a Paraíba é o terceiro maior produtor da região Nordeste, registrando Valor Bruto de Produção de R$ 467.432.767,00 em 2017, estando atrás dos estados de Alagoas e de Pernambuco, no mesmo ano. Diante desse cenário, e como porta-voz da agropecuária paraibana, nós, por meio da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), mobilizamos um grupo com outras doze instituições para elaboração de uma proposta que tem como objetivo dizer: o que o agronegócio do Estado espera do próximo governador. O documento aponta propostas e posições do setor em dez áreas: economia, criminalidade no campo, sustentabilidade, infraestrutura e logística, defesa sanitária, associativismo e cooperativismo, desenvolvimento da produção agropecuária, parques de exposições, educação e assistência técnica e desenvolvimento tecnológico para a região. Entre as proposições, o apontamento de que o setor ainda é invisível no que diz respeito a produção de informação e estatísticas, que contribuam para a tomada de decisão. Passam ainda pelo pedido de redução das alíquotas na aquisição de maquinário e insumos, o que permitiria o aumento da competitividade do estado. E a questão da criminalidade que segue sendo uma pauta que defendemos com rig0r. Esse trabalho se alinha com um esforço nacional, empreendido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil que elaborou o documento “O futuro do agro – 2018-2030”, e que mostra a nossa preocupação e esforço diários para posicionar a agropecuária e Sistema CNA nos mais altos patamares de reconhecimento e de atuação propositiva em defesa dos interesses do setor. Com a nossa recondução à liderança da Faepa e diante da renovação dos quadros políticos estadual e nacional, reafirmamos nossa posição, sempre ao lado do produtor, atento ao que dificulta seu desenvolvimento, ao que impede seu crescimento e lutando para que esses problemas sejam sanados, seja por meio da defesa da classe, ou por meio da capacitação do homem do campo com os cursos do Senar. Aproveiro para desejar boas festas a todos e um ótimo 2019.

/faepasenarpb @faepasenarpb /FaepaSenar

Mário Antônio Pereira Borba

@faepasenarpb

Presidente do Conselho Administrativo do SENAR/PB

Faepa SENAR - PB no Soundcloud.

Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa)

Divulgação CNA

Interaja conosco!


índice

Carta ao leitor “Espalhar cidadania e semear um novo

Jocélio Oliveira

futuro”. Mais do que uma peça de marketing, esse slogan utilizado pelo Senar reflete uma prática que mostramos nesta edição de Canal Rural. Nosso destaque vai para história de Océlio Pontes, técnico em agronegócio formado pela instituição. De empresário na cidade, ele passou a empreendedor no campo. Abandonou a escola de informática e assumiu a criação de Negócio Certo Rural mostrou a importância da gestão da propriedade a mais de 900 alunos

04

FRANGO PARAIBANO ALIMENTA MERCADO ASIÁTICO

aves. Tomou recursos no banco e constrói do zero uma nova casa e os galpões para o manejo dos animais. O novo futuro que ele planta para família é descrito na reportagem da página 7. Guinadas como essa não são incomuns. Por

05

SISTEMA INVESTE NA FORMAÇÃO DE NOVOS LÍDERES

onde o Senar passa, e por meio de cada um dos seus departamentos, novos casos de sucesso surgem. Esta edição mostra um balanço dessas

06

SENAR REALIZA CAMPANHAS DE PREVENÇÃO AO CÂNCER

07

FAMÍLIA DE VOLTA AO CAMPO

08

FEDERAÇÃO E SINDICATOS AMPLIAM SERVIÇOS PRESTADOS AO PRODUTOR

09

CUSTOS FORTALECEM CADEIAS CAPRINAS E OVINA EM NOVA FLORESTA

ações em diversos programas. A

atuação

da

Assistência

Técnica

e

Gerencial mudando a forma como pequenos produtores plantam, criam e administram suas contas. O curso Negócio Certo Rural ajudando no planejamento da produção. Cursos e treinamentos do DEPPS desenvolvendo a cadeia da caprinovinocultura. Um slogan que se materializa na prática. Conhecimento que gera cidadania, que cria oportunidades, mas que exige coragem e

10

SENAR ORIENTA PRODUTORA PARA PERÍODO DE ESTIAGEM

determinação,

características

típicas

de

quem enfrenta a realidade do campo para produzir alimento e que só podem exigir

11

NEGÓCIO CERTO RURAL TERMINA CONVÊNIO COM MAIS DE 700 PRODUTORES ATENDIDOS

apoio e compromisso das instituições como Faepa e Senar. Esta edição de Canal Rural mostra como entregamos capacitação de volta para o

12

FACULDADE CNA ABRE INSCRIÇÕES PARA PRIMEIRO SEMESTRE

13

AÇÕES DA PRESIDÊNCIA

produtor e como defendemos os seus interesses e necessidades. Será esta a posição de sempre do Sistema Faepa Senar. Esperamos poder contar novas histórias assim em 2019. Com esses casos de sucesso,

14

NOSSA GENTE - Sérgio Martins

seguiremos “espalhando cidadania” por meio de reportagens, fotos, vídeos e conteúdos que mostram o que o Senar faz de melhor:

15

AÇÕES DO SENAR PARA 2019

transformar vidas através da educação. Boa leitura!

Jocélio Oliveira Assessor de Comunicação Senar-PB Canal Rural - Edição II/Nov 2018

3


CAMINHOS DO AGRO

Frango paraibano alimenta mercado asiático Divulgação

Meta da Guaraves é exportar 10% da sua produção. No início de 2018 o índice era de 7%

Hong Kong, Japão e China são os principais mercados de produtos como pé e asa de frango, que tem pouco mercado no Brasil.

N

em

os

mais

quilômetros a

cidade

de

que de

16.600 separam

Guarabira,

oferta”, comenta o superintendente

Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio

de

Grande do Norte. E só aqui, conta

externo

da

Guaraves,

Moisés

Carvalho.

com

no agreste paraibano, e o Japão,

A viagem ao Japão dura

gerando riqueza para região e fixando

no

continente

asiático,

144

produtores

integrados,

parecem

entre 70 e 80 dias, enquanto que para

a população do meio rural no campo.

intimidar os planos da Guaraves. Dona

Hong Kong o trajeto médio é de 50

Eles contribuem decisivamente para

da marca de frango “Bom Todo”, a

dias. Estão na mira de uma possível

o número de 80 mil quilos de carne

companhia manda pelo menos 7% do

expansão África do Sul e Emirados

produzidos por dia, com o abate de

seu volume mensal de produção para

Árabes, por exemplo. Mas o foco ainda

100 mil aves.

Ásia. Esse trabalho teve início no ano

é mercado asiático.

de 2016 e desde então vem mantendo

produtos são enviados pelo porto de

produção têm destino certo, como

crescimento.

Atualmente, os

Além disso, os restos da

Suape (PE), que, segundo Moisés,

explica o supervisor de manutenção,

Além do mercado japonês, China e

oferece mais linhas de embarque, seja

Antônio Vieira. “Toda víscera não

Hong Kong também recebem os pés

pelo continente africano ou América

comestível, assim como penas e

de frango (tipo A e B) e o meio da

do Sul. Mas são aproximadamente 215

partes do frango que são removidas

asa com ponta, três principais cortes

km até o município de Cabo de Santo

no processo, são processadas e viram

exportados para região. O cenário

Agostinho, onde fica Suape, o que

farinha ou ração em nossa outra

futuro é promissor e a empresa já

representa mais do que o dobro da

unidade que produz alimento para

trabalha para expandir essa oferta. A

distância até o porto de Cabedelo, que

peixes e camarão”, explicou.

intenção é abastecer essa população

não suporta os tipos de embarcações

também com o meio da asa sem

que fazem ligação com os principais

após todo o processo de produção,

ponta, além da coxa e sobrecoxa

parceiros comerciais da Guaraves.

a

desossada, incluindo ainda outras especificidades do mercado japonês. “Nosso

controle

água

Ainda

segundo

utilizada

Mas o impacto do bom trabalho

tratamento

da Guaraves não se dá apenas pela

novamente,

que

Vieira,

passa a

mas

por

torna para

um

potável

reuso

na

fitossanitário

relevância comercial para o Estado,

irrigação, numa prática sustentável.

é referência internacional e esse

já que é uma das 48 empresas

mercado já paga mais por causa da

que

de

grupo ainda têm propriedades rurais,

nossa qualidade. Apesar do custo

produto na Paraíba. Suas ações de

completando a Guaraves Agronegócio

logístico inviabilizar a exportação

sustentabilidade e social também se

com o Bom Todo, além da Aquavita

de alguns itens, nosso frigorífico é

destacam.

(ração para camarão e peixes) e a

habilitado para atender mais de 80 países e queremos ampliar a nossa 4

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

exportam

O

grupo

algum

tipo

emprega

cerca

de 2.200 pessoas nos estados da

É que os empresários do

empresa Equivita, que atua com cavalos e vaquejada.


AÇÕES DO SENAR

Sistema investe na formação de novos líderes Curso capacita profissionais para o planejamento, gestão e controle de propriedades

C

para

“Queremos ajudar a construir um

“Ao participar do programa vi como

nas

país melhor por meio do agro. Por

a área agrícola tem potencial. O CNA

questões do agronegócio no

isso, colocamos o Senar e a Federação

Jovem me despertou um interesse em

Estado e no país. É com esse objetivo

da Paraíba à disposição para esses

promover e aumentar o trabalho na

que o Sistema CNA desenvolveu o

jovens. Estamos aqui tratando de

minha propriedade, com a fruticultura,

programa “CNA Jovem”. Na Paraíba,

futuro e colocando os desafios que

e

dezesseis jovens foram classificados

precisam ser enfrentados”, defendeu

produtores vizinhos”, afirmou.

para

Sérgio.

apacitar atuar

novos

líderes

decisivamente

participar

dos

encontros

da

Os

etapa estadual e três deles devem

também

quero

influenciar

os

Apesar das etapas classificatórias, jovens

foram

escolhidos

o coordenador estadual do programa,

disputar ainda uma fase nacional que

entre 60 que se inscreveram para

Gabriel

acontecerá em 2019.

participar de uma etapa à distância,

compromisso é com a formação de

explica

que

o

realização

de

pessoas e que a liderança pode ser

conceito

de

exercida

Ao longo da formação, os participantes

que

consistia

são estimulados a pensar em desafios

um

curso

que o setor agropecuário enfrenta e

“Liderança empreendedora”. Entre

“Esse

trabalhar em soluções que possam

os

uma

ser

diversificada e vai de áreas agrárias

desenvolvimento de liderança, para

até jornalismo e administração, por

que os participantes atuem na sua

exemplo.

região,

e

aplicadas liderança.

como

foco

com Essas os

seu

empenho

questões

âmbitos

têm

político,

sindical, educacional, institucional e empresarial.

na

Petelinkar,

sobre

classificados,

Fabiana

Danato

o a

formação

é

uma

é

das

participantes. Engenheira ambiental,

em

diversos

trabalho

não

competição,

trabalho

ambientes.

se

mas

e

trata sim

de um

propriedade”,

explicou o coordenador que também é egresso do programa. Ao

ingressar,

os

participantes

Para o superintendente do Senar

ela também é produtora rural na

Paraíba, Sérgio Martins, o Brasil de

região do litoral sul paraibano e atua

passam a integrar a Rede CNA Jovem,

hoje enfrenta uma escassez de líderes

na área de recursos hídricos para

que já conta com os egressos da

representativos, não só no que diz

projetos na agricultura. Para ela,

primeira edição, e através da qual são

respeito ao agronegócio, mas como

desde os primeiros momentos o curso

desenvolvidas

em todos os setores e acredita que

já proporciona uma mudança de

nacionais e internacionais, e diversas

esse curso é uma contribuição do

visão em relação às potencialidades

oportunidades de crescimento pessoal

Sistema para sanar essa questão.

do agro.

e profissional.

missões

João Paulo Pereira

campanhas,

Durante as etapas, os participantes amadurecem o propósito de liderar por meio de dinâmicas e palestras.

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

5


SAÚDE NO CAMPO

Senar realiza campanhas de prevenção ao câncer Saúde do Homem e da Mulher Rural acontecem de agosto a novembro Fotos: Jocélio Oliveira

A

sabedoria popular, comum ao homem do campo, já ensina que “prevenir é melhor do que

remediar”. E talvez seja realmente essa a grande filosofia por trás dos Programas Especiais de Saúde do Homem e da Mulher que o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural da Paraíba oferece no estado. Com eles, o Senar pretende contribuir para o bemestar da população rural, que em alguns casos não tem acesso e em outros, não se dispõe a buscar a prevenção. O Programa Saúde da Mulher Rural 2018 já ofereceu exames às mulheres da zona rural dos municípios de São José dos Cordeiros, São José do Sabugi e Gurinhém. Ao todo, foram atendidas 286 mulheres com

O programa atende a homens e mulheres com exames, palestras sobre cuidado e prevenção

exames citológicos, palestras sobre

aos cânceres e serviços de estética.

cuidado e prevenção aos cânceres de mama e de colo do útero. A meta é

O câncer do colo de útero e de mama

atender mais 150 mulheres em Pilar.

ainda geram alto índice de mortalidade,

em

mesmo

de

Brasileira de Urologia (SBU) e as

cura, caso o tratamento seja feito

Secretarias Municipais de Saúde.

A pedagoga do Departamento de Educação

Profissional

e

Promoção

com

a

possibilidade

Saúde

do

Homem

parceria

com

é

promovido

a

Sociedade

Cortez,

precocemente. Ações como essa fazem

O homem que participa dos

quer

parte da missão do Senar ao promover

eventos do SENAR recebe um cartão

chamar atenção para o cuidado das

atividades sociais, contribuindo para o

de acompanhamento dos exames,

mulheres

diante

desenvolvimento e avanços no campo.

que

de uma rotina muito atarefada no

Além das ações de orientação, o

urologista após o exame físico. Caso

trabalho com agricultura e também

Programa Saúde da Mulher Rural

o médico perceba alguma alteração,

dos cuidados com a família e a casa.

também oferece serviços na área

encaminha o paciente para o serviço

“A intenção desta nossa atividade

estética, como corte de cabelo e

público de saúde para iniciar o

é alertar para possibilidade de cura

atendimento

A

tratamento. Nos demais casos, a

e importância da prevenção. Por isso

intenção é cuidar da mulher em

secretaria de saúde do município fica

ações como esta são importantes, já

sua

proporcionando

responsável por procurar o paciente

que oferecemos a possibilidade de um

também um dia de lazer e bem-estar.

e dar retorno sobre os exames.

atendimento com um profissional, um

As ações voltadas para o combate de

A recomendação médica é que os

momento para explicações e sanar

câncer de próstata serão realizadas em

exames preventivos sejam feitos

dúvidas. A orientação e a educação

Pilar e Gurinhém, atendendo a homens

anualmente a partir dos 50 anos e,

podem levar a uma melhor qualidade

com exames gerais e de PSA (Antígeno

para homens com histórico familiar,

de vida”, esclareceu.

Prostático Específico). O Programa

a partir dos 45 anos.

Social

do

destacou

6

Senar, que

o

consigo

Kézia programa mesmas,

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

com

integralidade,

manicure.

é

preenchido

pelo

médico


CAPA

Foto: Jocélio Oliveira

Família de volta ao campo Êxodo urbano: Océlio tinha escola de informática e prestava serviço com manutenção de computadores

O

célio

Pontes

(35)

sabia

empreender.

Tinha

escola

de

econômica do meio rural. “A

iniciativa

de

empreendedorismo

trazer

para

o

o

meio

informática na cidade,

rural representa uma tendência que

prestava

de

nosso curso técnico quer mostrar: as

manutenção para prefeituras. Mas

pessoas podem criar suas próprias

seu coração não estava ali. Ele queria

oportunidades. Com essa experiência,

viver no campo e da atividade rural.

Océlio inspirou outros alunos, que

Essa era a sua origem, já que durante

seguiram o exemplo do plano de

anos trabalhou com o pai no roçado

negócio

da família, quando jovem. Só que ele

semelhantes, só que na avicultura de

não enxergava oportunidades.

corte”, afirma Poliana.

serviços

Mas esse cenário mudou. Océlio hoje

é

Técnico

em

Agronegócio

e

desenvolveram

projetos

Durante o curso técnico, além dos conteúdos teóricos, os alunos

formado pelo Senar, no polo Alagoa

também

Grande. “O curso técnico abriu minha

práticas, com visitas a propriedades,

participam

visão sobre o setor rural”, afirma.

empresas, associações e cooperativas

Com apoio da família, buscou recursos

do setor. Segundo Océlio, essa foi

e adquiriu uma área de 2 hectares no

outra

mesmo município. O projeto é investir

desenvolvimento do seu projeto de

em avicultura caipira.

mercado.

experiência

que

de

aulas

ajudou

no

“No meu projeto de negócio quero

“Minha esposa sempre me dizia:

ter 1.200 aves de postura e outras

guarde as anotações, porque se a gente

1.200 aves de corte, saindo 400 aves

não fizer igual, a gente faz parecido

por mês para o corte”, explica Océlio.

no nosso sítio”. E a parceria da

A meta é construir 6 galpões para

família foi além do apoio e incentivo.

400 animais cada, tudo calculado, já

Edilene fez o curso Negócio Certo

que ele já chegou criar 100 galinhas e

Rural do Senar, junto com o marido,

produzir 12 caixas ovos, mas não pode

e elaboraram planos de negócio que se

expandir o negócio por falta de espaço

complementam.

para mais animais. Além disso, há

Outro

parceiro do

foi

seu

o

tutor

trabalho

e

previsão de criar suínos, cabras e do

orientador

plantio de roça, que inicialmente será

conclusão,

para consumo da família.

Consciente do potencial do aluno,

Rafanele

de

Trajano.

Para a coordenadora regional da

ele avalia que Océlio construiu bases

Rede e-Tec Brasil na Paraíba, Poliana

sólidas para expandir seu negócio.

Queiroz, o caso de Océlio representa o

“Ele

que ela chama de “êxodo urbano”, ou

e negativos e isso é muito bom num

seja, um movimento de migração da

projeto, porque às vezes as coisas não

população das cidades para o campo.

dão certo e você já está preparado.

Mas um processo que só acontece por

Hoje ele já tem demanda maior que

causa da qualificação das pessoas,

produção e por isso acho que negócio

que passam a enxergar a viabilidade

vai crescer”, resumiu.

desenhou

cenários:

positivos

Depois de curso técnico do Senar, Océlio Pontes decide investir na avicultura caipira para postura e corte.

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

7


SINDICATO FORTE

Federação e sindicatos ampliam serviços prestados ao produtor Serviços facilitam a vida do produtor rural e desburocratizam sistemas tradicionais

P

ara

buscar

melhores

formas

de atender ao produtor rural, a Federação da Agricultura e

Pecuária da Paraíba e seus sindicatos agora

contam

com

novos

para o produtor rural. parceria a

com

emissão

a

do

serviços

A Faepa, em

Certmais,

realiza

certificado

digital.

Enquanto que alguns Sindicatos Rurais já se tornaram agências credenciadas do

INSS,

emissão

realizando do

DAP,

serviços por

de

exemplo.

No caso da certificação digital (CD), ela é emitida pela Certmais. O documento nada mais é que a personificação do cidadão na internet, ela garante validade jurídica às ações realizadas com o seu uso. Ele exerce a função de uma assinatura

A certificação digital garante validade jurídica para ações realizadas sem a necessidade da presença física.

geradores de demanda pela certificação.

presencial, uma identidade virtual que possibilita a identificação segura e

Emissão de DAP

Os interessados devem procurar a Faepa/SENAR-PB

Os sindicatos dos produtores

inegável de seu responsável na internet.

e apresentar CPF, RG ou CNH e um

rurais agora emitem a Declaração

É

possível

realizar

procedimentos

sede

do

Sistema

comprovante de residência, emitido há

de

virtualmente sem a necessidade da

no máximo 3 meses, no caso da emissão

A

Aptidão

ao

presença física na sede de órgãos

para pessoa física.

específicos de produtores ligados

declaração

Pronaf atende

(DAP). a

tipos

governamentais e de empresas ou até

Esses mesmos documentos serão

imprimir documentos. É uma forma

necessários para a pessoa jurídica,

de

além do documento de constituição

diferenciadas como o PNAE e PAA.

da

Para saber mais, contate o sindicato

de

desburocratizar

as

transações

facilitando a vida de seu usuário.

empresa,

eventuais

alterações

“A certificação digital é necessária

contratuais, documentos de eleição

para aplicações no comércio eletrônico,

da diretoria vigente e o cartão do

assinatura

de

CNPJ

operações

bancárias

contratos

digitais,

virtuais

e

impresso

um

dia

antes

da

validação presencial.

iniciativas de governo eletrônico. Um

A Faepa oferece descontos especiais

contador, por exemplo, faz transações

para os produtores, instrutores do

virtuais que demandam identificação

Sistema e pessoas ligadas ao setor

clara da pessoa que a está realizando”,

agropecuário. Mas qualquer pessoa

explica Gustavo Nóbrega, coordenador

interessada

de arrecadação do Senar. O governo

pode

e

aquisição do certificado.

8

órgãos

públicos

são

os

grandes

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

no

procurar

documento a

federação

à agricultura familiar, com linhas crédito

do

Governo

Federal

rural mais próximo.

Produtor e instrutores do Senar têm descontos especiais ao adquirir a certificação pela Faepa

digital para Continua >


CASO DE SUCESSO Parceria com INSS Os Sindicatos dos Produtores Rurais de Alagoa Nova, Esperança

Cursos fortalecem cadeias caprina e ovina em Nova Floresta

Alagoa Grande, Guarabira e Sapé agora são agências credenciadas do INSS. A capacitação faz parte de um acordo de cooperação técnica para que eles atuem em parceria com o Instituto. O

objetivo

desburocratizar

da o

ação

é

atendimento

para que o processo documental encaminhado diretamente para a regional do instituto. Os sindicatos de Campina Grande, São Mamede e Itabaiana estão em fase de análise para se tornarem agências. “Esse é mais um serviço prestado pelo

sindicato

gratuitamente.

Produtores rurais fizeram capacitações voltadas para caprinovinocultura e veem o trabalho prosperar.

ensilagem,

que quer trabalhar com iorgute e bebida

melhorias

fenação e produção de produtos de leite

láctea e outro lugar onde podemos colocar

para produtores que moram longe

de cabra resultaram na melhoria na

nosso produto é a Conab”, explica Josélio.

Além de agilizar o acesso ao serviço,

proporciona

ou em municípios sem agência do

Os

treinamentos

de

qualidade do leite e do rebanho de Nova

A capacitação em inseminação artificial

Floresta, no Seridó paraibano. Hoje, o

foi outra ação do Senar que também

explica o presidente do Sindicato

munícipio conta com boa genética de

fortaleceu o rebanho dos produtores locais.

de Esperança, Carlos Patrício.

caprinos e ovinos graças às ações do

INSS, por exemplo, diminuindo a

necessidade

de

deslocação”,

Senar.

Comitês de bacias hidrográficas

Josélio Rufino é um dos 80 produtores beneficiados pelos treinamentos. Para

O presidente do Sindicato dos

ele, as capacitações foram um ponto

Itabaiana,

de partida. “Queremos agora sair da

Dema Azevedo, foi eleito presidente

porteira para fora com esses produtos

do Comitê de Bacias do Rio Paraíba. O

que estamos fazendo. Acredito que nós

Produtores

Rurais

de

mandato dele irá até 2022 e engloba as cidades que o rio trespassa, de Monteiro à Santa Rita. “Para mim, é uma honra servir ao Comitê e quero fazê-lo da melhor maneira possível. Depois desses sete anos de seca, os produtores têm uma carência enorme de água e as águas que chegam agora do São Francisco

seremos vistos com outros olhos daqui para frente porque a gente aprendeu a agregar valor ao nosso produto”, comenta. Ele e outros produtores da região decidiram comprar uma queijeira para vender derivados do leite produzidos no

João Paulo Rufino participa de competições de cabra leiteira por todo o Nordeste e atribui ao treinamento o aperfeiçoamento de seus animais. “Apesar da falta de água, tive um bom rendimento no ano passado e espero melhorar ainda mais ano que vem graças ao melhoramento genético que venho fazendo. Já produzo mais de 180 litros de leite e pretendo alcançar a média dos 350 L por dia”, conta João Paulo. De acordo com o Censo Agropecuário 2017, a Paraíba é o maior produtor de leite de cabra do Brasil. São 5,627 milhões de litros de leite produzidos por ano e 4,059

milhões

foram

comercializados.

“O Seridó é propício para a atuação da

precisarão ser bem administradas.

município nos supermercados do Estado.

Pretendo planejar e executar planos

A produção ainda é artesanal e feita por

que se adequem a nossa realidade”,

êxito de treinamentos na região e queremos

encomenda, pois ainda não possuem um

estimular mais a cultura local”, afirma

selo de aprovação industrial. Contudo,

o chefe do Departamento de Educação

as ofertas de negócios já estão surgindo.

Profissional e Promoção Social do Senar,

“Temos uma proposta de cooperativa

Carlos Alberto Patrício.

explica Dema. Outros sindicatos também integram os comitês referentes a outras bacias do Estado.

caprinovinocultura.

Nós

percebemos

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

o

9


EM CAMPO

Senar orienta produtora para período de estiagem Foto: Jocélio Oliveira

Patrícia Alves aprendeu a lidar com a escassez de água por meio da ATeG/Procase.

Patrícia recebe mensalmente a visita do técnico de campo Tarcísio para acompanhar como anda os resultados da sua produção.

C

onviver

com

a

planejamento

e

acontecendo

Juazeirinho, A

no

produtora

está

sendo

seca

requer

isso

está

agora

Agreste

em

Paraibano.

rural

Patrícia

instruída

pelo

Alves Senar-

PB, em parceria com o Projeto de Desenvolvimento

Sustentável

do

Cariri, Seridó e Curimataú (Procase), no seu plantio de horticultura. O intuito da ação é fazer com que ela continue

de irrigação que está utilizando. Isso

Unidas

influencia na parte da gestão da água,

municípios do semiárido paraibano,

para sobreviver melhor aos períodos de

e

estiagem”, explica Tarcísio.

familiar

que

ter água o ano o inteiro, porque nós ganhamos dinheiro quando o preço da hortaliça está alto e os outros estão

para

o

e fortalecendo ações de prevenção e

desenvolvidas

assessores

técnicos

do

pelos SENAR/

Procase. O controle de custos e lucros e a parte socioambiental são fatores

mitigação da desertificação.

Novos convênios Além do Procase, o Departamento

imprescindíveis no projeto. A produtora consegue escoar sua de

Alimentação

Escolar

(PNAE)

e

vizinhos.

tem

agricultura

atividades

açude seca, não temos como continuar horta

a

contribuir

reduzindo os níveis de pobreza rural

feiras agroecológicas nos municípios

Uma

e

A gestão do uso de água e controle

Nesse momento, temos água, mas se o trabalhando.

fortalecer

56

de produtividade são algumas das

produção para o Programa Nacional

“Nossa maior dificuldade é a seca.

visa

beneficiando

desenvolvimento rural sustentável,

produzindo durante o próximo período de estiagem.

(ONU),

Patrícia faz parte de uma das 452 famílias

atendidas.

O

trabalho

é

desenvolvido em comunidades de 23

de Assistência Técnica e Gerencial do Senar segue com outros três grupos de ATeG: as culturas de abacaxi, leite e camarão, além de ser o primeiro Senar do país a trabalhar com este último. Os serão

serviços expandidos

bovinocultura

de

de

assistência

também corte,

para cana-

associações no médio Sertão e Seridó

de-açúcar, banana, coco, caprino

do Estado. O Procase iniciou em agosto

e

do ano passado e deve se prolongar

de 2017 com validade de um ano, sendo

bovinocultura de leite para nove

até agosto de 2019. Ela está sendo

renovado por mais um. Ele ainda

turmas.

orientada

conta com 15 técnicos de campo, uma

A atuação do departamento está

Tarcísio Freitas. Sua produção constitui

consultora, uma supervisora e duas

dividida entre programas de apoio

beterraba, coentro, alface, cebolinha,

assistentes sociais.

produzindo pouco”, conta Patrícia. O atendimento começou em outubro

pelo

assessor

técnico

pimentão e ela possui três barragens para concentrar água. “Nessa parte de diagnóstico da propriedade, ela precisa saber o quanto de água gasta por dia e qual a forma 10

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

O Procase é fruto da parceria entre o Governo do Estado da Paraíba e o Fundo Internacional

de

Desenvolvimento

Agrícola (FIDA), organismo das Nações

ovino,

com

ampliação

da

como o Procase, Fundece (Banco do Nordeste) e SEBRAE e recursos internos.

Além

da

assistência

técnica mensal, o Dater também lida com a prática da extensão rural. extensão rural.


GESTÃO RURAL

Negócio Certo Rural termina convênio com mais de 850 produtores atendidos Cerca de 40 cidades da Paraíba foram atendidas com o curso.

R

evitalizar propriedades rurais,

atendimento são feitos os diagnósticos

têm no máximo 30 alunos, sendo

descobrir novas oportunidades

da

dois produtores por propriedade.

de

negócios

e

permitir

propriedade,

a

identificação

e

ao

descrição do negócio, a verificação da

“Atendemos o mesmo número de

produtor maior organização de seus

viabilidade econômica, a organização e

turmas dos convênios anteriores

resultados são as premissas do Negócio

administração e o relacionamento dele

com

Certo Rural, programa voltado para

com o mercado.

disponível ser menor. Nossa maior

pequenos produtores rurais e suas

Para

Messias

Vasconcelos,

o

agravante

do

tempo

o

conquista foi atender cidades que

famílias. Ao longo do convênio 2018,

gerenciamento

é

não tinham contato com o curso

deve ir até 850 produtores rurais e a

fundamental para o bom funcionamento

em anos anteriores”, avalia o chefe

perspectiva é que outras 230 pessoas

de uma propriedade. Quando participou

do Departamento de Assistência

participem do curso.

do curso, seu intuito era melhorar a

Técnica

produtividade na pecuária de leite da

Petelinkar.

Até o final do ano, serão 38 cidades na Paraíba que receberão o curso

dos

gastos

“O curral é o meu escritório e a vaca

Olivedos, Fagundes, Duas Estradas,

é a minha ferramenta. Quando a gente

Mari, Belém, Serra da Raiz e João

bota no papel, a gente já vê alguma coisa

Pessoa ainda receberão o projeto. O

e isso é muito bom. A produção média é

grande diferencial deste ano foi a

de 10 litros de leite dia, por cada animal,

comprovação rural necessária para

mas minha meta é alcançar 17 litros por

ingressar no curso.

dia. Hoje sei que só vou conseguir fazer

Araújo

produz

frutas

e

fabrica polpas na região de São José

Gerencial,

Gabriel

propriedade em Olivedos.

do NCR. Sobrado, Itatuba, Soledade,

Iranildo

e

isso se reduzir os gastos com produção de alimento”, comenta Messias.

de Sabugi com seus pais. Ele vende

Os exemplos utilizados em sala são

parte da produção para a prefeitura

voltados para o campo. Dessa forma, o

da cidade, restaurantes, lanchonetes

curso mostra ao aluno que ele tem as

e municípios vizinhos. Ele tem uma

ferramentas e conhecimento necessário

visão mais próxima da realidade da sua

para crescer no agronegócio. As turmas

produção depois do curso. “Eu

não

sabia

fazer

as

contas

direitinho e achava que ganhava mais do que realmente era. Agora melhorou porque tenho essa visão dos custos, incluo a minha diária e a dos meus pais no trabalho, por exemplo. Hoje eu faço um planejamento melhor. Nosso lucro com a polpa é de 30 a 35% do faturado. O meu objetivo é de me manter no campo”, conta. O NCR é gratuito e atende produtores e filhos de agricultores e familiares acima de 16 anos. Em uma sala de

Iranildo (esq.) e Messias (acima) são produtores que tiveram melhorias na gestão de seus negócios após participarem do curso.

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

11


FORMAÇÃO SUPERIOR

Faculdade CNA abre inscrições para primeiro semestre Crédito: Divulgação.

São cinco cursos voltados para o agronegócio

Os cinco cursos são de “ensino a distância” e o aluno vai ao polo (em João Pessoa ou Campina Grande) duas vezes por semestre para realizar provas.

J

á estão abertas as inscrições para

mais confiante para começar meu

a Faculdade CNA. O prazo vai

negócio”, afirma João.

CNA oferece é o ensino totalmente a

até o próximo dia 1º de março.

O curso de Gestão no Agronegócio

As vagas são para os cursos de

tem duração mínima de três anos,

Gestão

mas pode ser feito em até seis.

em

Agronegócio,

Ambiental,

Gestão

de

Humanos,

Processos

Gestão

Recursos Gerenciais

O

profissional

oportunidades

formado na

Uma das vantagens que a Faculdade

buscará

tecnologia

de

distância. Com o intuito de melhorar a vida do homem do campo, as aulas não atrapalham períodos de colheita ou trabalhos formais. O aluno vai ao polo de ensino duas vezes por

e Logística. Os cinco cursos serão

produção

ministrados na modalidade “ensino

que

a distância” e a Paraíba possui dois

produtividade

polos presenciais, em João Pessoa e

qualidade,

projetará

Os demais cursos da faculdade têm

Campina Grande.

receitas e despesas, administrará

duração de dois anos, podendo ser

finanças e identificará projetos de

feitos em até quatro. Os interessados

A faculdade CNA é a primeira instituição

de

ensino

voltada

e

produtos

permitam

o ou

bem

inovadores

aumento melhoria

como

da

semestre apenas para prestar os

na

exames qualificantes.

investimentos.

exclusivamente para o agronegócio e

O aluno Ricardo Lisboa acredita

tem por objetivo preparar o homem

que o curso o auxilia a iniciar novos

do campo para as tecnologias que o

projetos em sua vida profissional.

futuro traz.

Egresso

João Bezerra ingressou na primeira turma

do

a

ele

exportar

(Enem) ou por meio de análise documental, para aqueles que já têm diploma de ensino superior.

Agronegócio. Para ele, o curso é

usado os conhecimentos adquiridos

uma oportunidade para quem quer

na faculdade. “O curso ajudou muito

o

começar a investir na área que mais

a iniciar o projeto a partir do estudo

toda sua experiência para formar

cresce no Brasil.

de custos operacionais, aceitação,

agora

e

eu

sempre

é

gostei

Gestão

começar

técnico,

Exame Nacional do Ensino Médio

produtos do agro e para isso, tem

família

de

curso

vestibular, utilizando a nota do

no

“Minha

curso

pretende

do

têm a opção de ingressar pelo

do do

interior

valor agregado”, conta.

campo.

O público-alvo do curso de Gestão

Recentemente, comecei a pensar em

é formado por alunos vinculados

ter uma propriedade e para que esse

à

sonho se concretizasse precisaria

cadeias produtivas do agronegócio,

buscar

produção

agropecuária

e

às

“O sistema conhece e entende homem

do

profissionais

superior, trazer

setor

trazendo de

nível

a

gerir

habilitados

propriedades e

campo,

e

empresas

transformação

agropecuário”,

rurais para

o

explica

a

técnico

sobretudo, no interior do país e

coordenadora da Faculdade CNA no

para começar. Dentro do curso,

interessados em atuar na gestão de

Estado, Poliana Queiroz. Para saber

vejo a essência do agro e me sinto

empreendimentos agroindustriais.

mais, acesse: faculdadecna.com.br .

12

o

conhecimento

Canal Rural - Edição II/Nov 2018


AÇÕES DA PRESIDÊNCIA

Mário Borba é reeleito para Faepa

O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Mário Borba, foi empossado para mais um mandato à frente da instituição. A solenidade foi em João Pessoa (PB). Também tomaram posse os membros da Diretoria e do Conselho Fiscal para o período 2018/2021. No discurso, Borba afirmou que a recondução ao cargo aumenta ainda mais a responsabilidade frente à defesa dos interesses dos produtores rurais. Destacou ainda que, apesar das dificuldades, o agronegócio é um setor que continua a crescer no estado e país. “Seguir o caminho com a Federação significa representar e defender os produtores com toda coragem. Nosso propósito é ser ainda mais eficiente. Temos que usar tecnologia e pesquisa para continuarmos a crescer na produção no campo”, afirmou. O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, é quem foi o responsável por empossar os diretores. Ele salientou a liderança de Mário Borba entre os agropecuaristas do estado e sua importância para o fortalecimento e representatividade do sistema sindical.

Borba coordena Paraíba Agronegócios

O

presidente da Federação de Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Mário Borba, foi empossado para mais um mandato à frente da instituição. A solenidade foi em João Pessoa (PB). Também tomaram posse os membros da Diretoria e do Conselho Fiscal para o período 2018/2021. No discurso, Borba afirmou que a recondução ao cargo aumenta ainda mais a responsabilidade frente à defesa dos interesses dos produtores rurais. Destacou ainda que, apesar das dificuldades, o agronegócio é um setor que continua a crescer no estado e país.

“Seguir o caminho com a Federação significa representar e defender os produtores com toda coragem. Nosso propósito é ser ainda mais eficiente. Temos que usar tecnologia e pesquisa para continuarmos a crescer na produção no campo”, afirmou. O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, é quem foi o responsável por empossar os diretores. Ele salientou a liderança de Mário Borba entre os agropecuaristas do estado e sua importância para o fortalecimento e representatividade do sistema sindical.

Presidente critica política de frete mínimo O presidente do Sistema Faepa Senar, Mário Borba, criticou a Lei 13.703/18, que estabelece o tabelamento dos preços mínimos do frete para o transporte rodoviário de cargas, durante reunião da Comissão Nacional de Logística e Infraestrutura da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília.

Para o presidente, a política fere a livre concorrência do mercado. “Nós defendemos a inconstitucionalidade da lei, uma vez que proíbe a definição de preços mediante negociação entre os produtores e as empresas agropecuárias e os transportadores de cargas”, disse Borba, que também é o presidente da Comissão e diretor-secretário da CNA.

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

13


NOSSA GENTE

QUALIDADE E DEDICAÇÃO NO SERVIÇO À SOCIEDADE

O

ano de 2018 foi repleto de

internos com independência para

Familiar e do Desenvolvimento do

desafios

mitigar

Semiárido e o Fundo Internacional

na

execução

do

os

riscos,

implantamos

sistemas gerenciais e operacionais

de

um calendário com vários feriados

com

os

FIDA. Uma excelente oportunidade

prolongados

que

de

processos

na

para apresentar a nossa Assistência

impactaram

na

mobilização

dos

otimização do tempo para evitar o

Técnica e Gerencial (ATeG) dentro

produtores e trabalhadores rurais.

retrabalho e aumentar a segurança

do programa, com valorização no

das informações.

social, na preservação ambiental e

planejamento, pois tivemos certa

forma

Mas com perseverança e dedicação de

toda

executar

equipe,

conseguimos

nosso

planejamento

o

o

objetivo

de

internos

Destacamos

melhorar com

ainda

foco

as

ações

socioambientais, com treinamentos

entregando à sociedade, um serviço

e

palestras

profissionalizante

proteção

sobre

preservação

e

Desenvolvimento

Agrícola

-

adoção de tecnologia para produzir mais e com qualidade. Todos

esses

exemplos

foram

Iniciativa

evidenciados nesta nossa publicação

pessoas

que culminou com a distribuição

e sinalizam a disposição que temos

capacitadas diretamente, com ações

gratuita de cerca de 800 mudas de

para atuar também em 2019. Na

de

Rural,

espécies da nossa flora, por meio

página ao lado destacamos nossas

Promoção Social, Educação Formal e

do programa PROCAMPOS. Ele visa

metas e reafirmamos o compromisso

Assistência Técnica, executamos mais

a

de oferecer educação de qualidade à

de 44 mil horas/aula de capacitação,

e o papel fundamental dos nossos

atendendo a todas as regiões da

produtores

Paraíba. Nossa abrangência atingiu

produção

as

ambiental

Foram

mais

de

Formação

de 7

qualidade. mil

Profissional

principais

cadeias

bovinocultura,

produtivas:

caprinovinocultura,

ambiental.

conscientização

da

rurais com

importância

em a

preservação

para

alcançar

a

sustentabilidade.

avicultura, apicultura, fruticultura,

As parcerias com outras entidades

carcinicultura, horticultura, além do

foram de fundamental importância

setor sucroenergético, que concentra

para a expansão do atendimento do

o maior número de empregados no

SENAR, parceiros como os sindicatos

Estado. Trabalhamos ainda com a

rurais, Sebrae, Sescoop, Mapa, CNA/

mecanização

Senar, Secretaria de Agricultura e

agrícola,

irrigação

e

Desenvolvimento

saúde e segurança no campo. A marca SENAR esteve presente

da

Agropecuária

e da Pesca (SEDAP), que juntos

em 30 grandes eventos agropecuários

representam

no Estado, com destaque para a

orçamento. Como

Exposição de João Pessoa – Paraíba

30%

do

exemplo,

nosso

conveniamos

Agronegócio 2018, que contou com

como o Sebrae/PB a execução do

a

80

programa nacional “Negócio Certo

mil pessoas. Nessa edição, foram

Rural (NCR)”, e com isso capacitamos

ofertadas várias oficinas, palestras e

aproximadamente

cursos gratuitos, por meio dos quais

rurais na gestão de suas propriedades.

mostramos

Citamos ainda, o Procase, Programa

visita

de

aproximadamente

inovação

e

tecnologia

para toda a sociedade paraibana. Na

área

administrativa

850

produtores

de

Desenvolvimento

Sustentável

do

Cariri,

Curimataú,

Seridó

e

melhoramos o ambiente corporativo,

atendemos 452 famílias em parceria

criamos a coordenadoria de controles

com

14

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

população do meio rural.

conciliar

a

Secretaria

de

Agricultura

SÉRGIO MARTINS SUPERINTENDENTE DO SENAR PARAÍBA A superintendência é o órgão executivo

da

administração

do

Senar para atender as diretrizes estabelecidas

pelo

Conselho

Administrativo referente ao Plano Anual de Trabalho. Assim, responsável por administrar e ordenar a execução orçamentária e das atividades técnicas e administrativas da instituição.


AÇÕES DO SENAR PARA 2019 ASSISTÊNCIA TÉCNICA E GERENCIAL Cadeias produtivas atendidas

Horas técnicas:

757

29.584h

Produtores atendidos

01. Bovinocultura de leite

07. Cana de açúcar

02.

08. Carcinicultura

Bovinocultura de corte

03. Fruticultura

09. Caprinocultura de leite

04. Caprinocultura de leite

10. Apicultura

05. Ovinocultura de corte

11. Outras cadeias

06. Avicultura alternativa

EDUCAÇÃO FORMAL

12 Turmas do Curso Técnico em Agronegócio Carga horária:

04

04

04

Alagoa Grande

Campina Grande

João Pessoa

3.690h

360 Alunos

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E PROMOÇÃO SOCIAL

PROFISSIONAL

78 turmas

Carga Horária

1430

7.336h

Alunos

SOCIAL

40 turmas

Carga Horária

823

808h

Alunos

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

15


GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA 100% ON-LINE

ATÉ INS 01/03 I CR 2019 ÇÕES

VESTIBULAR 2019

FACULDADE CNA O CAMPO É SEU FUTURO A CNA É SUA FACULDADE

Inscrição Gratuita

Vestibular Agendado

TECNOLOGIA EM GESTÃO DO AGRONEGÓCIO 3 anos

100% On-line

TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 2 anos

100% On-line

TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL 2 anos

100% On-line

TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA 2 anos

100% On-line

TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS 2 anos

100% On-line

AGENDE SUA PROVA: www.faculdadecna.com.br Ou procure: Polo de João Pessoa Tel.: (83) 3048 6050 e-mail: polo.joaopessoa@faculdadecna.edu.br

16

Polo de Campina Grande Tel.: (83) 3321-6414 e-mail: polo.campinagrande@faculdadecna.edu.br

Canal Rural - Edição II/Nov 2018

AGENDE SUA PROVA: www.faculdadecna.com.br

R. Eng. Leonardo Arcoverde, 320 - Jaguaribe, João Pessoa - PB / CEP: 58015-660

R. Eng. Leonardo Arcoverde,

R. Tavares 91 - Centro Campina Grande PB / CEP: 58400-150 320 Cavalcante, - Jaguaribe, João-Pessoa - PB -CEP: 58015-660

Profile for Imprensa Senar Paraíba

Canal Rural – Ed. 2/2018  

Revista do Sistema Faepa/SENAR PB.

Canal Rural – Ed. 2/2018  

Revista do Sistema Faepa/SENAR PB.

Advertisement