Page 1

25 anos do Senar Paraíba 200 mil pessoas foram atendidas ao longo da trajetória da instituição

ATeG

Produtores formam cooperativa e já vendem abacaxi para outros estados

Educação formal

Paraíba ganha 170 novos técnicos em agronegócio para atuar no meio rural REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

| 1


Expediente

Presidente do Conselho Administrativo do Senar Paraíba Mário Borba Vice-presidente da Faepa Vanildo Pereira Conselho Administrativo Rosanne Curi Zaratine Senar Brasil Raimundo Nonato Siqueira Classe Produtora Melquíades Pedro de Sousa Neto Senar-PB Liberalino Ferreira de Lucena Fetag Conselho Fiscal Samuel Francisco Cordeiro Senar Brasil Tiburtino Cartaxo de Sá Filho Classe Produtora Cleide Araújo - Fetag Superintendente Sérgio Ricardo Gouveia Martins Assessoria de Comunicação Social Jocélio de Oliveira (DRT/PB 3015) Débora Borges (estagiária) Editoria de Arte / Tratamento de imagem / Capa e Projeto editorial Débora Borges Fale com a redação: www.senarpb.com.br www.faepapb.com.br imprensa@senarpb.com.br 3048-6050 / 6073 Sede Rua Engenheiro Leonardo Arcoverde, 320, Jaguaribe João Pessoa - PB CEP 58015-660 Impressão Gráfica JB Tiragem 3 mil exemplares Interaja conosco! /faepasenarpb @faepasenarpb /FaepaSenar @faepasenarpb Faepa SENAR - PB no Soundcloud

PALAVRA DO PRESIDENTE

Sistema Faepa Senar à serviço do produtor Considero o Sistema CNA-Faepa-Senar-Sindicatos Rurais como a principal instituição defensora da agropecuária e do produtor rural brasileiro. É uma bandeira que defendo em todos os cantos do país. “O que seria do produtor se não fosse a CNA”. Essa afirmação não é em vão e trago fortes números para evidenciar isto. Em Brasília, a CNA monitora mais de 2.600 matérias que tramitam no Congresso Nacional e que podem atingir o agricultor e o criador de qualquer parte do país. Também estamos presentes em 213 grupos oficiais, câmara setoriais, comissões, nos mais diversos Ministérios, como os da Agricultura, do Meio Ambiente e do Trabalho. Isto é representação transformada em conquistas e resultados. Mas não se trata aqui só de letra fria. Além de defender, o Sistema é o primeiro a dar a mão, no sentido de auxiliar o produtor nas suas necessidades, seja com serviços, seja com capacitação. Na Paraíba, por exemplo, quem buscar a Faepa pode encontrar atendimentos como: a orientação sobre contrato de trabalho, aposentadoria rural e segurado especial; emissão de certificação digital; apoio na declaração do Imposto Territorial Rural e emissão do Certificado de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR), ou ainda para regularização de propriedade rural junto à Receita Federal e ao Incra. Para garantir essa oferta, o Sistema, na Paraíba, conta com um departamento sindical que está atendo às necessidades do produtor e conectado com as inovações implantadas nacionalmente. Foi assim que nasceu o Bem+Agro, um programa de benefícios para o produtor que se relaciona com o Sistema. Esse relacionamento é o que me move a lutar por bandeiras importantes e em relação às quais alcançamos vitórias recentes. Como exemplo: • A ampliação da oferta gratuita de Assistência Técnica e Gerencial ao produtor rural, por meio do Senar, nas cadeias da caprinocultura, fruticultura, ovinocultura, avicultura, bovinocultura, cana-de-açúcar, carcinicultura e apicultura; • Ampliação da área com direito a dispensa de licenciamento ambiental de 5 para 100 hectares junto ao Conselho de Proteção Ambiental (Copam) em atividades de agricultura; • Implantação, junto com o Senar, de 2 polos da Faculdade CNA, na Paraíba, sendo um em João Pessoa e outro em Campina Grande; Nós queremos fazer muito mais pelo agropecuarista paraibano e contamos com a sua presença no Sindicato de Produtores Rurais e também na Federação da Agricultura e Pecuária e no Senar para dizer das suas necessidades.

MÁRIO ANTÔNIO PEREIRA BORBA Presidente do Conselho Administrativo do Senar-PB Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa)


4

ÍNDICE

Entrevista: Superintendente do Senar Sérgio Martins

6

Mobilizadores reunidos discutem 2020

5

Ações da Presidência em 2019

7

Produtores atendidos pela ATeG formam cooperativa de produção de abacaxi

10

Retrospectiva Senar 2019

12

Programas de saúde do Senar atendem 615 pessoas no estado

14

Ações do Senar para 2020

8

Senar 25 anos: Egressa do curso técnico monta restaurante rural

11

Sistema CNA retribui a confiança do produtor

13

Senar certifica 170 novos Técnicos em Agronegócio

CARTA AO LEITOR À equipe da Faepa e do Senar, o nosso presidente Mário Borba costuma dizer das oportunidades que o agro tem para o Nordeste. É comum que use a frase “Tudo está para acontecer na nossa região”. A defesa vem com um estímulo ao trabalho, ao que respondemos com o cumprimento da nossa missão: capacitar a população rural. É o acesso ao conhecimento que permite a transformação no campo, necessária para dar conta dessas oportunidades. Esta ‘Canal Rural’ mostra como a mudança já tem acontecido em várias regiões por onde o Senar passou. A reportagem de capa destaca o retorno ao campo de Ednalva do Nascimento. Técnica em Agronegócio, formada por nossa instituição, ela usou os conhecimentos adquiridos no curso para montar um restaurante rural em Alagoa Grande (foto ao lado). Mesmo curso que certificou 170 técnicos este ano. Nas próximas páginas, o leitor também vai conhecer algumas experiências bem-sucedidas da nossa Assistência Técnica e Gerencial. O modelo deverá se expandir ainda mais em 2020, por meio de parcerias (um dos temas da entrevista com o superintendete do Senar nesta edição). Certeza de novos casos de sucesso! Como esta edição de Canal Rural chega no fim de 2019, é hora de fazer uma visita aos principais acontecimentos do ano, para não perder de vista que a competência necessária para atender “tudo que está para acontecer” se constrói com o tempo.

Jocélio de Oliveira

Assessor de Comunicação Senar-PB


ENTREVISTA

Novas parcerias ampliarão ação do Senar em 2020

O

Senar Paraíba deve ampliar sua referência como instituição responsável pela capacitação do produtor rural em 2020, e teremos um grande desafio em atender 5 mil pessoas. Parte desse crescimento só será possível por causa do trabalho realizado com parceiros. Nesse cenário estão instituições como O Senar Nacional, a Anater, o Ministério da Agricultura e o Banco do Nordeste que investirão recursos na ampliação da oferta de serviço de assistência técnica e gerencial ao produtor. Nesta entrevista, o superintendente do Senar, Sérgio Martins, reflete sobre este e outros aspectos da atuação da instituição no Estado. De que maneira o desenvolvimento regional é contemplado nas ações do Senar? Um dos parceiros do Senar é o Banco do Nordeste no Programa de Desenvolvimento Territorial Rural - PRODETER. Tem o objetivo de estimular o desenvolvimento regional. Nesse sentido, estamos oferecendo assistência técnica nas cadeias produtivas do coco e da bovinocultura de leite, para aproximadamente 300 produtores rurais. Que terão acesso as linhas de crédito, sendo de grande importância no fomento da produção alinhado a gestão da propriedade. Como a oferta de crédito rural acaba sendo um benefício dessa estratégia. O produtor está preparado? Entendemos que o crédito rural tem que chegar com a visão de empreendedorismo. O pequeno, médio e grande produtor tem que entender como utilizar esse crédito da forma correta. E nós que somos uma instituição de educação do campo temos esse compromisso com ele, de levar não só a capacitação, a formação técnica, mas também oferecer uma assistência técnica e gerencial de qualidade, para que ele entenda que a sua propriedade é uma empresa e deve ser gerida para dar lucro. E para ser empresa tem que ter recurso. Tem que ter crédito. Agora, tem que ser bem administrado. Investir bem significa se modernizar, buscar a tecnologia? Como costuma dizer o nosso presidente, Mário Borba, o produtor rural não pode produzir como nossos avós fizeram. Nós temos que produzir numa era digital, onde toda a informação é necessária. Temos que ter informa-

4 |

REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

ção para garantir a produtividade: tanto sobre os resultados do campo, quanto sobre o que o mercado pede. Isso ajuda o agropecuarista a não depender das compras públicas, devendo buscar o mercado privado e agregar valor. Como o Senar tem se preparado para atuar nesse novo cenário? Finalizamos o nosso Planejamento Estratégico e Participativo, para os próximos 5 anos (2019/2024), e identificamos as nossas forças e desafios, priorizamos linhas de ação e elaboramos mecanismos para aumentar a nossa capacidade de atuação. Qual é o papel do Senar diante das parcerias e desafios? Nós somos responsáveis por levar a educação e capacitação para as pessoas do campo. Temos mostrado ao produtor rural que, com dedicação, uma assistência técnica eficiente, um produtor rural comprometido nas anotações técnicas, é possível crescer na atividade. Essa é a questão da gestão da propriedade, que temos trabalhado muito forte. Significa calcular custos, fazer contas, para que o produtor não fique achando que está obtendo lucro, sem ter resultado na sua propriedade. Isso levará ao engano, ao desânimo, e consequentemente ao abandono do campo, isso é o que queremos evitar. Diante dessas reflexões, qual é o sentimento para 2020? Podemos afirmar que o nosso sistema atenderá todas as regiões do Estado, com técnicos de campo qualificados, presentes nas propriedades, fazendo todo o trabalho de orientação e capacitação dos empreendedores rurais. Mas é preciso que o produtor tenha compromisso. Só ficarão os produtores com foco na tecnologia e na gestão. Porque esse trabalho é maior do que da porteira para dentro. Ele capacita às pessoas que precisam produzir bem, com eficiência e qualidade, para que a sociedade possa usufruir dos produtos do campo e reconheçam que a atividade do produtor rural é essencial na vida de qualquer pessoa.


AÇÕES DA PRESIDÊNCIA

Mário Borba se reúne com Presidente da República O presidente do Sistema Faepa Senar, Mário Borba, participou em abril um jantar oferecido a 37 embaixadores de países islâmicos e ao presidente da República, Jair Bolsonaro. O evento aconteceu na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília. O encontro serviu para reforçar a importância de fortalecer as relações comerciais para o agro brasileiro e mostrar a necessidade de o Brasil estar cada vez mais inserido no mercado

Borba mantém reuniões com presidente da Câmara O presidente Mário Borba participou de dois encontros com o deputado federal Rodrigo Maia, presidente da Câmara Federal. O primeiro deles (fofo) aconteceu na residência oficial do parlamentar, em março, e teve como objetivo discutir políticas públicas e uma agenda legislativa para o agro. O segundo evento foi no mês de setembro, na sede da CNA, quando a confederação reuniu a Frente Parlamentar da Agropecuária.

Presidente tem agenda intensa com o legislativo Na interlocução com representantes do legislativo, Mário Borba também se reuniu com senadores da república. Num dos encontros, em março, foi discutida a construção de uma agenda legislativa para o agro no Congresso Nacional. O Sistema CNA defendeu o fortalecimento da classe média rural no país e a definição de políticas públicas para os pequenos produtores. REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

| 5


EM CAMPO

Mobilizadores reunidos discutem 2020 O

s mobilizadores do Senar se reuniram em João Pessoa no fim do mês de novembro para discutir o planejamento das ações 2020. O destaque foi para a ampliação das ações de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), modelo de extensão rural desenvolvido pelo Senar para atendimento gratuito dos produtores rurais paraibanos. Além das turmas realizadas com recursos próprios do Senar, outros atendimentos serão realizados por meio de programas, parcerias e convênios com o governo federal e o Banco do Nordeste, ampliando o alcance da instituição e beneficiando o produtor. “Estão surgindo muitas oportunidades para o agronegócio por causa do protagonismo da CNA e do Senar nacional. Teremos a possibilidade de atender o produtor com vários projetos de assistência técnica. Está chegando a vez do Nordeste, a vez do semiárido e nós temos que estar prontos”, defendeu o presidente do Senar, Mário Borba. O Senar irá trabalhar com cadeias produtivas variadas. Por meio do programa de desenvolvimento territorial (Prodeter/BNB) serão atendidos produtores de coco e bovino de leite no Cariri e Alto Sertão. Já no Próspera Semiárido, iniciativa do Senar Nacional com

6 |

REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, serão atendidos criadores de caprinos, ovinos, bovinos de corte e leite, além de outras atividades agrícolas e pecuárias desenvolvidas em todo semiárido paraibano. Durante o encontro de planejamento, os mobilizadores reconheceram a importância desse trabalho e debateram ainda como a adoção de novas tecnologias pode ser implementada no cotidiano das propriedades a partir da assistência técnica. “A ATeG faz a gente se sentir numa base mais constante para o produtor, isso fortalece a relação com todo o Sistema e principalmente com o Senar”, refletiu Alberto Athayde, mobilizador e presidente do Sindicato Rural de Alagoa Nova. Diferencial A metodologia se destaca por agregar a orientação sobre gestão e administração da propriedade às orientações técnicas de manejo e produção. Um técnico de campo atende até 30 produtores e faz uma visita mensal à fazenda. O ciclo de atendimento passa por cinco fases: 1) diagnóstico produtivo individualizado; 2) planejamento estratégico; 3) adequação tecnológica; 4) capacitação profissional complementar e 5) avaliação sistemática de resultados.


CASOS DE SUCESSO

Agricultores atendidos pela ATeG formam cooperativa de produção de abacaxi D

epois de passarem pelo programa de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Senar Paraíba, um grupo de aproximadamente trinta produtores do município de Itapororoca, no Vale do Mamanguape, decidiram criar a Cooperativa dos Produtores de Abacaxi de Itapororoca, Copadi. A iniciativa tem dado tão certo, que o grupo já conseguiu vender cinco carregamentos de 14 toneladas do fruto para um cliente em Fortaleza, no Ceará. Trata-se de uma outra cooperativa, que beneficia o fruto. Até agora, as encomendas estão sendo enviadas quinzenalmente, mas a meta para 2020 é que os carregamentos sejam diários. Para isso, os produtores planejam fazer rodadas de negócios para abrir mercado no ano que vem. “No primeiro semestre de 2020 nós vamos a São Paulo, para fazer contato com centrais de abastecimentos e outros possíveis clientes”, revelou seu Francisco, produtor que cultiva no Sítio Cipoal, de 2 hectares, em Itapororoca. Mas para chegar nesse nível, os produtores passaram por um longo processo de capacitação do Senar. Diminuíram os custos, melhoraram a produção e a produtividade, como foi o caso de Diassis, que tem 4 hectares arrendados na

propriedade Santa Lúcia, em Araçagi, município vizinho.“Antes do Senar chegar, o meu custo médio era de R$ 1,30 por fruto, sendo que eu vendia a R$ 1. Só percebi isso com a assistência técnica. Agora, consegui reduzir o custo para R$ 0,80 e melhorar o preço para até R$ 1,60, de acordo com a época do mercado”, explicou. Além das orientações técnicas, Diassis e os outros produtores passaram a vender o abacaxi no peso e por causa do volume de vendas também conseguiram eliminar o atravessador no processo de comercialização. “Quando eu cheguei, eles vendiam o fruto pela classificação, se de 1ª, 2ª, 3ª ou 4ª. Isso tem a ver com o peso do produto, o de primeira é aquele superior a 1,2kg. Só que muitas vezes o produtor era prejudicado, já que o comprador classificava uma quantidade produtos abai-

xo, para pagar menos”, explicou Gilson Filho, o técnico de Campo do Senar que atendeu o grupo. Produção de doces Nem só de produzir abacaxi vive a Copadi. Vinte mulheres, a maioria parentes dos produtores, também integram a cooperativa. Elas fizeram um curso do Senar e produzem oito tipos de doces ou geleias com o abacaxi chamado de “quartinha”. Segundo o técnico Gilson Filho, embora tenha a mesma qualidade e valor nutricional, esse abacaxi tem menor valor de mercado, porque pesa menos de 500g. Elas compram o fruto aos produtores e beneficiam. O custo estimado por pote de doce está em R$ 2,40, enquanto que o preço de venda pode chegar a R$ 6. A meta é que o trabalho gere uma renda de um salário mínimo para cada uma das mulheres envolvidas na fabricação.

REVISTA REVISTACANAL CANALRURAL RURAL- -Edição Edição01/2019 01/2019

| 7


SENAR 25 ANOS

25 anos

fazendo educação no campo

8 |

REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

E

ra sexta-feira, 11 de outubro. Ednalva Rita do Nascimento fechava um ciclo na sua formação profissional. Ela e mais 103 colegas recebiam a certificação de Técnicos em Agronegócio formados pelo Senar. A solenidade teria sido apenas uma praxe, se para Nalva, como é conhecida, o curso não tivesse representado a concretização do sonho de voltar para casa. “Eu já tinha outra formação como técnico agropecuária, mas foi o curso de agronegócio que me mostrou que eu podia empreender e também trazer riqueza para a minha comunidade. Eu digo em qualquer lugar que o Senar transformou a minha vida. O momento que estou vivendo hoje é extremamente gratificante. Estou fazendo o que gosto e no local onde nasci”, afirmou Ednalva. Nalva se referente ao trabalho que ela desenvolve no Restaurante Rural Rita de Chicó, uma referência aos pais dela. A empresa foi criada em parceria com o marido em Caiana dos Crioulos, uma comunidade Quilombola, no município de Alagoa Grande, no Brejo paraibano. O restaurante funciona aos sábados e domingos. Durante a semana só com a marcação de visitas para estudantes ou outros grupos. Mesmo assim, já atrai centenas de clientes por mês ao negócio que empre-


“ O Senar transformou a minha vida”

ga moradores da localidade no atendimento e também através da produção, já que grande parte do que é comercializado é produzido também em Caiana. Assim como Nalva, outras 200 mil paraibanos mostrar dizer que tem o Senar como parte do seu currículo de formação profissional, ou dizer que já foram atendidos e beneficiados por suas ações. Esse é o resultado de 25 anos de atuação que o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural da Paraíba completou em 2019. Um crescimento destacado pelo presidente do Conselho Administrativo do Senar, Mário Borba. Foi sob sua gestão que vários desses programas foram implantados. Ele destaca que a ampliação esses serviços acompanha o próprio desenvolvimento da agropecuária, cada vez mais tecnificada e tecnológica, exigindo profissionais com mais competências. “O nosso Senar começou pequeno, com poucos funcionários e desenvolvendo apenas formação profissional rural e promoção social. Hoje já temos trinta colaboradores, que atuam na assistência técnica, educação formal e também com dois polos da Faculdade CNA. Isso é um esforço que não pode parar, porque a agropecuária está se desenvolvendo e

o futuro será no Nordeste”, resumiu Mário Borba. Ao longo do ano de 2020, o trabalho da instituição deverá alcançar aproximadamente 5 mil pessoas. Fora os atendimento e orientações a produtores e trabalhadores rurais quando participam de eventos rurais que contam com a presença do Senar. Serão 30 ações em 2020. A atuação da instituição se divide entre as ações de formação profissional rural, as atividades de promoção social, aprendizagem rural, assistência técnica e gerencial, além da educação formal, com o curso técnico em agronegócio e a faculdade CNA. Conta ainda com programas sociais, como o Natal do Agrinho, a realização de dias de campo para o compartilhamento de conhecimento e boas práticas agrícolas e pecuárias com produtores. “A nossa grande missão é capacitar as pessoas do campo e temos investido cada vez mais qualidade nisso. Estamos consolidando um trabalho de assistência técnica e gerencial, no Estado, que garante ao produtor um técnico que faz visitas mensais de acompanhamento. Já percebemos o enorme impacto que isso gera na propriedade, com mudanças para melhor”, comentou o superintendente do Senar, Sérgio Martins. REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

| 9


RETROSPECTIVA

Ministra da Agricultura visita a Paraíba A Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, visitou a Paraíba no mês de fevereiro, para conhecer a produção agropecuária do litoral e do semiárido. A passagem pelo Estado foi acompanhada pelo presidente da Faepa e do Senar, Mário Borba. “Pela primeira vez, um ministro da Agricultura visita o semiárido, onde estão 90% das propriedades rurais paraibanas”, afirmou Borba.

Ação de Mário Borba é reconhecida O ano de 2019 rendeu reconhecimento à liderança de no agro paraibano. Em maio, a iniciativa foi da exposição de animais de Campina Grande. Na capital, homenagem em dobro. A pista de julgamento de caprinos e ovinos ganhou o nome de Mário Antônio Pereira Borba (foto) e os organizadores do Leilão Pompeu Borba também ofereceram troféu ao presidente, na Paraíba Agronegócios.

Paraíba se destaca em etapa nacional do CNA Jovem Os representantes da Paraíba, na edição 2019 do CNA Jovem, tiveram destaque. A etapa nacional contou com a participação de 61 jovens líderes de todo o Brasil. Jocélio de Oliveira ficou entre os seis finalistas, Tatiana Pontes se tornou a líder responsável pelo grupo em que trabalhou no evento e Juliana Alves destacou o crescimento pessoal e profissional.

Senar Paraíba é destaque em mídia nacional O trabalho desenvolvido pela ATeG do Senar foi parar na tela do Jornal Nacional. A reportagem foi publicada em junho e mostrou o atendimento na região do Cariri paraibano, com criação de caprinos e ovinos. A ATeG Fruticultura, em Mamanguape, e Carcinicultura, em Itabaiana, além dos resultados do ‘Técnico em Agronegócio’, em Alagoa Grande foram divulgados pela Band.

10 |

REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019


SINDICATO FORTE

PARCEIROS NO ESTADO

Descontos de até 35% nos cursos

Senar, Faepa e CNA retribuem a confiança do produtor

O

Sistema Faepa Senar Paraíba existe para capacitar e defender o produtor rural e sua família. A base da sua sustentação está na relação de confiança que mantém com a população do campo. Os bons laços construídos até aqui são a razão pela qual o Sistema CNA lançou o Bem+Agro, com adesão imediata do Estado. O Bem+Agro é um programa de benefícios e recompensas em que o produtor rural pode acumular agros – moedas virtuais – e trocar por descontos em produtos, cursos e serviços especializados, entre outras ofertas nas empresas e instituições parceiras nacionais e locais. Confira ao lado quais são as parcerias já em funcionamento na Paraíba. Um dos benefícios que o programa oferece é a possibilidade de acesso à Assistência Técnica e Gerencial do Senar, a ATeG. O cadastro no programa pode ser feito por meio do site www.bemmaisagro.com.br e também por meio do aplicativo disponível para as plataformas Android e iOS. Ao fazer o seu cadastrado, além de fortalecer o setor agropecuário, você recebe agros de volta, são 20 mil a cada contribuição. Outras formas de acumular agros são: interagir nas redes sociais da CNA, participar de eventos rurais cadastrados na plataforma, concluir cursos do Senar ou mesmo ler os conteúdos disponibilizados no site. Com foco constante em melhorar a forma como o produtor se relaciona com o Sistema, a partir de 2020 o Sistema CNA já deve começar o ano ofertando um cartão para operacionalizar o acesso às ofertas. Entre as empresas conveniadas estão: Laboratórios Sabin, Carrefour, Netshoes, Latam Airlines, Horus Aeronaves, Asus, Avon, Electrolux, Hoteis.com, Timberland, Petz, Phillips, Spray Plan, L’Occitane, Sephora, Movida, Wiz Corporate e E-lens.

Descontos de até 20% em material de limpeza e descartáveis

Descontos de até 15% na compra de produtos e serviços no segmento de freios, suspensão, lubrificantes e acessórios para veículos

Cooperativa Agropecuária de Campina Grande

Desconto de 5% será exclusivamente para compra de milho em grão, milho moído, farelo de milho, farelo de trigo, torta de algodão e soja

Baixe o aplicativo!

REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

| 11


AÇÕES DO SENAR - SAÚDE RURAL

Programas de saúde do Senar atendem 615 pessoas na Paraíba O

s programas de Saúde do Homem e Saúde da Mulher Rural levaram educação e atendimentos médicos a 615 produtores e moradores da zona rural de sete municípios paraibanos. Em todos os casos foi possível fazer testes rápidos para doenças sexualmente transmissíveis, receber tratamentos estéticos e participar de palestras de orientação sobre câncer de mama, próstata e colo do útero. A assessora técnica do Senar Brasil, Leilane Oliveira, acompanhou algumas das ações realizadas e destacou o papel educativo da instituição e a importância das parcerias com prefeituras e demais instituições municipais. “O nosso foco do é educativo. O Senar está para conscientizar e educar. Enquanto a gente tem uma informação e ela fica só na cabeça, não tem aprendizado. É importante colocar toda orientação em prática. Nesse sentido, as prefeituras têm um papel essencial, já que a gente não faz nada sozinho, por meio delas a contribuímos para diminuir o problema do acesso a saúde”, refletiu.

12 |

A equipe do Senar passou por São Domingos do Cariri e Cabaceiras com eventos de Saúde do Homem, por Camalaú, Serra Grande, Aguiar e Olho D’Água, no Saúde da Mulher Rural e São José dos Cordeiros recebeu os dois projetos. A agricultora Ana Lúcia de Assis Lopes, de 35 anos, mora na zona rural de Aguiar, no Vale do Piancó, sertão paraibano e foi uma das beneficiadas pelo programa. Aos 29, num autoexame, ela identificou alguns nódulos na mama esquerda e procurou atendimento médico. Na época, o apoio do marido e do filho de apenas 3 anos foi essencial para superação do preconceito e das 16 sessões de quimioterapia e 25 de radioterapia. “Tem muita gente que diz que não vai ao médico porque quem procura, acha. Mas quem acha também cura. Por isso acho importante falar sobre a doença e participar dessas palestras assim. Tem mulheres que ficam escondendo a doença, mas eu acho que falar alivia a dor e atrai apoio”, refletiu Ana Lúcia.

REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

Pesquisa de Saúde do ICNA Ainda no primeiro semestre, o Instituto CNA realizou. na Paraíba, a “Pesquisa Senar de Saúde Rural”. O estudo teve como objetivo suprir uma deficiência de informações sobre a saúde das pessoas do agro e foi realizado em outros estados do país. Ele servirá para melhorar as ações do Senar e também para subsidiar políticas públicas. Inovações para 2020 Para dar ainda mais qualidade ao trabalho desenvolvido pelo Senar, a instituição recebeu um micro-ônibus, que será equipado e adaptado para realização dos programas de Saúde da Mulher Rural e do Homem. A doação do veículo foi resultado de uma parceria entre o Senar Paraíba e o Senar Brasil. “Nós temos avançado muito em várias ações para aumentar a competitividade do produtor. Mas também entendemos que é essencial que ele e sua família tenham qualidade de vida e saúde. Por isso nosso investimento no programa”, refletiu o presidente do Conselho Administrativo do Senar, Mário Borba.


EDUCAÇÃO FORMAL

Senar certifica 170 novos Técnicos em Agronegócio O Senar Paraíba certificou 170 novos Técnicos em Agronegócio em 2019. Os profissionais integraram as turmas 2016.2, 2017.1 e 2017.2 dos três polos de apoio presencial do curso, que funcionam nas cidades de João Pessoa, Campina Grande e Alagoa Grande. A solenidade de entrega dos certificados contou com a participação do presidente do Sistema Faepa Senar-PB, Mário Borba, do diretor-geral do Senar Nacional, Daniel Carrara, do superintendente do Senar-PB, Sérgio Martins, e dos vice-presidentes do Sistema, Vanildo Pereira e João de Deus Rodrigues. “O principal desafio para o futuro da agropecuária brasileira é alimentar mais da metade da população mundial até 2050. Isso vai exigir mais emprego de tecnologia e aumento de produtividade. A chave para esse desafio estará no assessoramento técnico a ser realizado por vocês, que precisará ser mais dinâmico e eficiente”, afirmou o presidente Mário Borba. Uma das concluintes foi Karollyne Amorim, do polo de João Pessoa. Desde a conclusão do curso ela também tem utilizado os conhecimentos no emprego, num projeto do governo estadual de apoio a agricultores. “Eu trabalho com projetos produtivos e redução de

vulnerabilidade para o meio rural, então sempre estou associando os conhecimentos do curso à minha profissão. Essa formação só acrescentou, como no meu trabalho de conclusão de curso, que tratou sobre a importância de controle financeiro para pequenos produtores”, relatou. O compromisso dos formandos com o produtor rural foi o principal ponto do discurso do diretor-geral do Senar Nacional. Daniel Carrara também falou sobre os desafios de capacitar o agricultor e o pecuarista para o emprego de tecnologia e foco na gestão. “Uma pesquisa que realizamos constatou que a tecnologia é um fator determinante na produtividade, desde que aliada à gestão. Como realizar essa capacitação para o produtor num cenário de analfabetismo? Foi nesse contexto que surgiu o curso Técnico e a Paraíba participou do início de formatação de curso. O resultado está aqui neste auditório e é uma felicidade ver isto”, resumiu. Segundo o superintendente do Senar-PB, Sérgio Martins, defendeu que os profissionais precisam buscar atualização constante e colocou a instituição à disposição dos profissionais. “Saibam que o Senar sempre estará de portas abertas para quando quiserem voltar para aperfeiçoar os conhecimentos”, defendeu. REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

| 13


AÇÕES DO SENAR

PARA 2020

Assistência Técnica e Gerencial

2.301

Cadeias produtivas atendidas

Produtores beneficiados

01. Bovinocultura de leite 02. Fruticultura 03. Bovinocultura de corte 04. Caprinocultura de leite 05. Ovinocultura de corte 06. Cana-de-açúcar 07. Apicultura

106.848 Horas técnicas

Educação Formal

08. Carcinicultura 09. Olericultura 10. Ovinocaprinocultura 11. Suinocultura 12. Avicultura 13. Avicultura alternativa 14. Agroindústria

245

9 turmas do Curso Técnico em Agronegócio

Alunos

1 em João Pessoa 4 em Alagoa Grande 4 em Campina Grande

4.965h Carga horária

Educação Profissional e Promoção Social Profissional

Social

14 |

REVISTA CANAL RURAL - Edição 01/2019

75

1.537

Turmas

Alunos

19

408

Turmas

Alunos

7.568h Carga horária

296h Carga horária


  

   

 

         

(83) 3048-6050


NO BRASIL,

O AGRONEGÓCIO

1 3

É RESPONSÁVEL POR

* Com exceção das avaliações/provas, que deverão ser realizadas presencialmente no Polo ao qual aluno está vinculado (2x por semestre).

EM CADA

EMPREGOS

PROCESSO SELETIVO: INSCRIÇÕES ABERTAS!

FAÇA UM DOS NOSSOS 4 CURSOS E COMECE UMA CARREIRA NO SETOR QUE MAIS CRESCE NO PAÍS

100% ÂNCIA T S I D A E* N I L N O

GESTÃO DO AGRONEGÓCIO � PROCESSOS GERENCIAIS GESTÃO AMBIENTAL � GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS SAIBA MAIS:

faculdadecna.com.br (61) 99845-7261 | (83) 3048-6050

Profile for Imprensa Senar Paraíba

Canal Rural - Edição #1 2019  

Edição de 2019 da revista do Sistema Faepa/SENAR PB.

Canal Rural - Edição #1 2019  

Edição de 2019 da revista do Sistema Faepa/SENAR PB.

Advertisement