MERCADO DE BELEZA DURANTE A PANDEMIA_RELATORIO

Page 1

BELEZA DURANTE A PANDEMIA

MERCADO DE

Apresentação por: Eduarda Friedrich, Larisse Alves, Tamires Fetter, Victoria Bossle e Vitória Petry.


TEMA: Mercado de beleza: Como o consumidor se adaptou durante a pandemia e o que muda a partir da experiência digital pós-pandemia.

02


JUSTIFICATIVA: Visto que a forma de consumo se fortaleceu pelo digital durante a pandemia da Covid-19, este estudo busca compreender como o consumidor do mercado de beleza se adaptou durante este período. E também, investigar junto a consumidores se este padrão de comportamento continuará crescendo ou a preferência voltará a ser por lojas físicas.

03


OBJETIVO GERAL: Investigar o modo de consumo durante e pós-pandemia no setor de beleza.

04


CARACTERIZAÇÃO Caracterizar o consumidor da faixa etária 16-30, dos gêneros feminino e masculino e seus hábitos de consumo;

IDENTIFICAÇÃO Identificar qual foi a frequência de consumo em cuidados de beleza durante a pandemia;

INVESTIGAÇÃO Investigar qual foi o principal estímulo de compra e quais marcas viraram referência durante a pandemia;

OBJETIVOS ESPECÍFICOS: COMPREENDER Entender a percepção dos consumidores sobre a comunicação das empresas nas redes sociais;

VERIFICAR Identificar mudanças no hábito de compra do público-alvo;

DESCRIÇÃO Descrever o futuro deste mercado diante do ponto de vista obtido pelo público-alvo.

05


FLUXO DE TRABALHO:

DESK RESEARCH

PESQUISA QUALITATIVA

PESQUISA QUANTITATIVA

ANÁLISE DOS DADOS

Pesquisa de dados secundários referente ao setor de beleza

Grupo Focal com 6 mulheres + 8 entrevistas em profundidade entre homens e mulheres.

Questionário online e coleta de 250 respostas, com 204 sendo válidas.

Relatório de pesquisa e apresentação dos dados.

Período de coleta: De 24/08 a 11/09/2020

Período de coleta: De 28/09 a 15/10/2020

Período de coleta: De 30/10 a 15/11/2020

Período de coleta: De 16/11 a 27/11/2020

06


SÍNTESE METODOLÓGICA: PESQUISA QUALITATIVA Método usado: Grupo Focal

Segmento

16-20 anos

21-24 anos

ESTUDANTE

1

4

EMPREGADO

-

1

TOTAIS POR ÁREA

1

5

Área de atuação MULHERES

Participantes:

TOTAL GERAL

Thaísa, 24 anos, estudante. Alessandra, 23 anos, empregada. Rafalla, 20 anos, estudante. Natielle, 21 anos, estudante. Thiane, 21 anos, estudante. Taís, 23 anos, estudante.

6

07


SÍNTESE METODOLÓGICA: PESQUISA QUALITATIVA Método usado: Entrevista em profundidade

Segmento

16-20 anos

21-24 anos

ESTUDANTE

2

2

EMPREGADO

-

-

TOTAIS POR ÁREA

2

2

HOMEM

Área de atuação

TOTAL GERAL

Participantes:

Thiago, 20 anos, estudante. Pedro, 23 anos, estudante. Guilherme, 20 anos, estudante. Matheus,21anos, estudante.

4

08


SÍNTESE METODOLÓGICA: PESQUISA QUALITATIVA Método usado: Entrevista em profundidade Segmento Área de atuação

EXPERTS

INFLUENCIADORES

1

-

PSICÓLOGO

1

-

SUPERVISORA

1

-

MAQUIAGEM

-

2

LIFESTYLE

-

1

3

3

EMPRESÁRIA

TOTAIS POR ÁREA TOTAL GERAL

Participantes:

Susana Gib, Psicóloga e Professora. Sonia Sbruzzi, empresária e dona de salão. Cinara Bavaresco, supervisora de vendas. Rafaella Barcelos, Influenciadora digital no ramo de maquiagem. Lana Alves, Influenciadora digital no ramo de lifestyle. Larissa Costa, Influenciadora digital no ramo de maquiagem.

6

09


SÍNTESE METODOLÓGICA: PESQUISA QUANTITATIVA Método usado: Questionário Online

REGIÃO

POPULAÇÃO ABSOLUTA

RESPONDENTES NA AMOSTRA Mulheres

Homens

PORTO ALEGRE

1.488.252

114

35

REGIÃO METROPOLITANA

1.019.370

42

13

TOTAL GERAL

2.507.622

204

10


DESK

RESEARCH: 11


Mercado de beleza e cuidados pessoais Valores de vendas do varejo ao consumidor final 2018.

U$$ 62 bilhões Segundo o provedor de pesquisa de mercado Euromonitor International, o Brasil é o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo.

U$$ 89,5 bilhões

U$$ U$$ 37,5 bilhões 30 bilhões

BRASIL JAPÂO CHINA

EUA

FONTE: Euromonitor Internacional

FONTE: Forbes. 4 de Julho de 2020. Disponivél em: <https://forbes.com.br/negocios/2020/07/brasil-e-o-quarto-maior-mercado-de-beleza-e-cuidados-pessoais-do-mundo/>

12


50

Mercado de fragrâncias

Valores de vendas do varejo ao consumidor final 2018.

U$$ 8,3 bilhões U$$ 6,8 bilhões

bilhões

Na categoria de fragrâncias, os brasileiros estão em segundo lugar, atrás apenas dos americanos.

FORAM MOVIMENTADOS PELO MERCADO DE FRAGRÂNCIA NO MUNDO

EUA

BRASIL

FONTE: Euromonitor Internacional

FONTE: Forbes. 4 de Julho de 2020. Disponivél em: <https://forbes.com.br/negocios/2020/07/brasil-e-o-quarto-maior-mercado-de-beleza-e-cuidados-pessoais-do-mundo/>

13


VAMOS FALAR SOBRE E-COMMERCE:

O Brasil é o país com maior destaque no continente: representa mais de 40% do mercado de ecommerce na América Latina, segundo a Euromonitor FONTE: Sebrae. Disponivél em: <https://m.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/CADERNO%20DE%20TENDENCIAS %202019-2020%20Sebrae%20Abihpec%20vs%20final.pdf>

14


Segundo a Technavio, o social commerce (ou compras a partir de redes sociais) deve aumentar cerca de 34% até 2021. A agência Accenture prevê que esse canal deve ser um dos mais importantes para a Geração Z fazer suas compras. Em seu estudo, 69% dos entrevistados dessa geração disseram que gostariam de comprar diretamente por meio das mídias sociais e 44% usam redes como Facebook, Instagram e Twitter para encontrar informações sobre produtos.

FONTE: Sebrae. Disponivél em: <https://m.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/CADERNO%20DE%20TENDENCIAS%202019-2020%20Sebrae%20Abihpec%20vs%20final.pdf>

15


PRINCIPAIS TENDÊNCIAS POR VIR: Euromonitor International prevê três principais tendências globais norteando o mercado de beleza e cuidados pessoais: Engajamento digital, Posicionamentos éticos e Atributos orgânicos e naturais..

Engajamento digital No campo da digitalização, multinacionais investem na presença em redes sociais e também em inteligência artificial, realidade virtual e apps de beleza, usados por 39% dos consumidores globais em 2019.

FONTE: Forbes. 4 de Julho de 2020. Disponivél em: <https://forbes.com.br/negocios/2020/07/brasil-e-o-quarto-maior-mercado-de-beleza-e-cuidados-pessoais-do-mundo/>

16


"

Já com os micro-influencers, o que vem acontecendo é justamente isto: 82% dos consumidores entrevistados para o estudo relataram que eram altamente suscetíveis a seguir uma recomendação feita por um microinfluenciador.

FONTE: Forbes. 4 de Julho de 2020. Disponivél em: <https://forbes.com.br/negocios/2020/07/brasil-e-o-quarto-maior-mercado-de-beleza-e-cuidados-pessoais-do-mundo/>

17


18

O QUE MUDOU COM A PANDEMIA?

Como consequência da situação que se estabeleceu pela pandemia, o consumo digital cresceu 73% no mês de março, conforme dados da Cashback World. Segundo uma pesquisa desenvolvida pela Veja, os consumidores relatam que o “novo normal” será visitar menos lojas físicas, gastar menos com produtos não essenciais e encomendar mais itens pelas lojas online.


Impacto nas vendas com o fechamento das lojas

50%

A pandemia alavancou as vendas on-line, que cresceram 300%. Os cuidados pessoais não mudam muito com a crise. As pessoas controlam os gastos mas não deixam de se cuidar. O maior impacto foi o fechamento das lojas físicas. Por mais que se recorra aos meios digitais, isso não supre o todo. O virtual não entrega a mesma experiência. Foi uma queda expressiva – que chegou a 50%.

19


O setor registrou alta de até 138% na comparação com abril de 2019. Isto é, a busca por vaidade e autocuidado não foi deixada de lado apesar dos desafios, oferecendo uma nova demanda para o setor entregar.

"

20


A ADAPTAÇÃO DAS EMPRESAS:

Empresas como a MAC, marca conceituada em maquiagem, se adaptaram criando aplicativos de realidade aumentada para fisgar a atenção das suas consumidoras. MAC aposta na ferramenta Virtual Try On.

21


DE QUEM ESTAMOS FALANDO? GERAÇÃO Z A Geração Z não diferencia a vida online da off-line, trabalha com o conceito de all-line e quer tudo para agora. É crítica, dinâmica, exigente, sabe o que quer, é autodidata, não gosta das hierarquias e muda de opinião toda hora.

22


23

O QUE REALMENTE

ACONTECEU COM O CONSUMO DE BELEZA: Com base nos resultados da nossa pesquisa qualitativa:


GRUPO FOCAL

COMPRAR ONLINE FOI NOVIDADE?

"Eu não comprava assim, parece que agora é algo que precisa pra preencher a gente, sabe? Isso não fazia antes porque era mais ocupada."

Thaísa, 24 anos.

A maioria das entrevistadas falam que comprar online, da forma com que estão fazendo nesse momento de pandemia, foi sim uma novidade. Tendo em vista que antes a compra online era bem mais controlada ou até mesmo nula.

24


GRUPO FOCAL E EP

AUTOCUIDADO: GASTO OU INVESTIMENTO "Estou fazendo um curso de autoconhecimento, e estou investindo em mim em todos os sentidos, inclusive em estética."

"Pra mim o autocuidado é um investimento, quando queremos algo que vai nos valorizar, sempre vamos estar investindo e não gastando."

"Eu não acredito que seja um gasto pq interfere diretamente na autoestima. Investir na tua auto estima nunca é um gasto porque é pra tua saúde.

Thaísa, 24 anos.

Rafaella, 20 anos.

Thiago Justo, 20 anos.

Foi unânime a resposta de que autocuidado é um investimento e não apenas um gasto.

25


GRUPO FOCAL E EP

"Agora tenho mais tempo então me dedico mais a isso, algo que na rotina do dia a dia eu deixava passar."

Alessandra, 23 anos. "Diminuiu pois sempre fui um consumidor físico e, com a questão da pandemia e as lojas fechadas, não consegui me adaptar ao consumo digital e acabei diminuindo o consumo.

Pedro Branchi, 23 anos

CONSUMO COM BELEZA: AUMENTOU OU DIMINUIU? O consumo em meio a pandemia foi dividido em duas categorias, as dos consumidores que investiram através do meio digital e os que acabaram não consumindo por não se adaptar ao novo meio, como mostra nas respostas dos dois respondentes.

26


GRUPO FOCAL

O QUE SENTE AO CONSUMIR ESSES PRODUTOS? "É uma satisfação, principalmente quando avisam que chegou e eu vou lá abrir."

Thiane, 21 anos.

"Eu me sinto muito bem, quando eu compro algo que eu quero, uso e vejo que é bom."

Alessandra, 23 anos.

Todas as entrevistadas expressaram um sentimento de satisfação com o fato de receber o produto de beleza comprado e depois com o momento de utilizá-lo.

27


GRUPO FOCAL

EXPERIÊNCIA: DIGITAL X FÍSICA

"Na loja física tu consegue experimentar, sentir o produto. As vezes tu compra online achando que tem uma textura X e vem uma Y."

A experiência em loja física não consegue ser substituída pela compra online, de acordo com as entrevistadas. Apesar da maioria ter se adaptado a forma de compra digital, elas continuam tendo grande preferência por comprar cosméticos

Alessandra, 23 anos.

presencialmente.

28


GRUPO FOCAL

ANÁLISE: MARCAS NO INSTAGRAM Quando mostrado feeds do Instagram de diversas marcas, as observações mais levantadas foram em relação a importância de se ter um feed harmônico, e principalmente a diversidade, tanto em tons de pele e diferentes tipos de modelos, como diversidade de produtos sendo mostrados.

"O feed é a vitrine, algo mais chamativo e organizado chama a atenção."

Thiane, 21 anos.

29


"Eu acho que o mundo da beleza tinha que se adaptar mais ao meio online, acho que esse setor é muito dependente do presencial. [...] eu vejo muito o mercado feminino se expandido, se inovando, até por ter mais consumidores. Mas eu vejo que o masculino tá muito pra trás, falta inovar e se adaptar melhor."

Thiago Justo, 20 anos

"Acho que é o prazer de comprar e levar na hora e saber que acertamos, pois já tive experiência de base pela internet e ainda não acertei."

Natielle, 21 anos.

GRUPO FOCAL E EP

MUDANÇAS NO HÁBITO DE COMPRA Para o futuro, elas esperam que as marcas se adaptem melhor ao mundo digital e que de alguma forma não se perca a experiência de compra, principalmente com a possibilidade de teste antes.

30


EP INFLUENCIADOR

MUDANÇAS NO HÁBITO DE COMPRA Vantagens nas compras online e offline foram apresentadas pelas entrevistadas, mas com uma maior preferencia pelas compras offline, onde o experimentar e o imediatismo são os prós.

"Pra mim, particularmente, amo comprar online quando se fala em produto de beleza porque a praticidade é muito maior. Tu pede no conforto do lar e recebe em casa, até antes da pandemia eu já não tinha o hábito de ir a lojas, então com a pandemia apenas continuei a comprar online."

Larissa Costa, 21 anos.

31


EP INFLUENCIADOR

O MERCADO DE BELEZA NO NOVO NORMAL

"Acho que vai totalmente diferente em relação a higienização, porque as pessoas não vão se sentir mais à vontade de testar um produto já testado. Vai ser um costume de não tocar algo que já foi usado. Então acho que isso vai mudar muito."

As entrevistadas concordaram que o “Novo Normal” na beleza trará novidades ligadas as compras oline .

Rafaella, 20 anos.

32


OLHAR DE UMA

ESPECIALISTA

SOBRE O CONSUMO:

33


EP PSICÓLOGO

COMO O AUTOCUIDADO AGIU PARA AS PESSOAS NA PANDEMIA:

"Em geral acho que os cuidados foram maiores, não só com a saúde e com as questões vinculadas com a própria pandemia, mas acho que outros cuidado com as pessoas próximas e consigo mesmo(...) foram percebidas essa relação de está todos mais atentos, uns aos outro de alguma maneira."

Para a psicóloga, a pandemia serviu para olhar e cuidar não só de si, mas dos outros também.

Susana Gib, Psicóloga.

34


EP PSICÓLOGO

O QUE VAI ALÉM DA ESTÉTICA

Para a entrevistada, beleza é investimento, pois está ligado não somente a estética, mas sim a saúde.

"Eu vejo beleza como investimento porque tem uma relação muito voltada a saúde também, não é só o estético, é a questão de estar saudável."

Susana Gib, Psicóloga.

35


EP PSICÓLOGO

O CRESCIMENTO DO MERCADO:

"Eu vejo que o motivo de comprar produtos de beleza tem muito a ver com autoestima, com motivação de ficar bem, adaptável no sentido amplo não só na estética como falei antes. Tem a ver com a busca por uma vida mais saudável e prolongada."

Para ela, o principal motivo é o cuidado consigo mesmo, que atinge todas as gerações

Susana Gib, Psicóloga.

36


EP PSICÓLOGO

O COMPORTAMENTO DOS JOVENS EM RELAÇÃO A BELEZA "Os jovens têm comprado mais cedo justamente por essa consciência, as pessoas valorizarem esse belo, mas também o belo voltado ao estar bem, bem consigo próprio e adequado ao contexto que as informações trazem, os jovens são mais voltados a si individualmente, não que sejam egoísta, porém mais individuais."

Para ela, a juventude tem o lazer e o prazer voltado a obrigação e ao trabalho, uma série de coisas voltadas de uma forma mais rápida do que as gerações anteriores.

Susana Gib, Psicóloga.

37


38

EP PSICÓLOGO

O NOVO HÁBITO DE CONSUMO PERMANECE

Ela acredita que o hábito de compra por meios digitais aumentará ainda mais após a Pandemia.

"A Pandemia veio para fortalecer o digital, e a compra por esse meio. É claro que as pessoas ainda sentem falta de olhar o produto, tocar, comparar. Mas a tendência é que as pessoas comprem cada vez mais em suas casas"

Susana Gib, Psicóloga.


UM OLHAR MAIS

PROFISSIONAL

SOBRE O CONSUMO:

39


EP PROFISSIONAIS

A EMPRESA E A SUA ADAPTAÇÃO O mercado com a pandemia e a crise teve que se reinventar tanto nos preços, quanto na forma de ser lembrado pelo público, como por exemplo as promoções e a melhor visibilidade nas redes sociais, com esse auxílio os lojistas afirmam não terem sentido um impacto tão negativo.

40

“Temos produtos na loja, como shampoos, cremes, que conseguimos vender online durante a pandemia. Com o retorno, percebemos que as pessoas estão demorando a voltar, pelo medo.”

Sonia Sbruzzi, empresária.

“Não tivemos impacto nas vendas, pelo contrário, vendemos até mais que no ano passado. Sentimos somente na questão de revendedoras em cidades menores, em que muitas pessoas perderam o emprego e deixaram de consumir.” Cinara Bavaresco, supervisora.


EP PROFISSIONAIS

FERRAMENTA DE VENDAS: “Houve realmente um aumento muito grande pelo digital, por isso, oferecemos nossa revista online para o revendedor, onde ele repassa e pode ser visualizada pelo computador ou pelo celular. "

Cinara Bavaresco, supervisora.

“Durante a pandemia nossas vendas foram quase 100% online, trouxe bastante retorno. Os clientes se mantiveram fiéis, e acredito que isso tenha nos ajudado.

Sonia Sbruzzi, empresária.

Os relatos nos mostram que sim, a gestão de marca no meio digital, além de fazer com que a mesma continuasse sólida e presente neste período, fez com que os lucros não diminuíssem contando com o auxílio das compras onlines e tele entregas.

41


EP PROFISSIONAIS

“Acredito que as vendas online irão permanecer e aumentar, já estamos nos organizando com um catálogo virtual para atender melhor a demanda”.

Sonia Sbruzzi, empresária.

NOVOS HÁBITOS DE CONSUMO: Os lojistas estão otimistas com a nova maneira de consumo, pois contam com a facilidade e a nova

“Tem pessoas que gostam de ir na loja, pegar na mão, provar e etc, e são pessoas que dificilmente irão mudar. Mas também temos o público jovem que está mais relacionado com as vendas online e não tem a necessidade de ir até a loja.

Cinara Bavaresco, supervisora.

geração que está sempre conectada, acreditam que a forma de consumo online cada vez mais irá se expandir, com o avanço da tecnologia e os novos hábitos de prevenção.

42


RELATÓRIO

QUANTITATIVO 43


PROCEDIMENTO UTILIZADO: Questionário Online

PERÍODO DE COLETA: De 30/10 a 15/11/2020

AMOSTRA: 250 respondentes do sexo feminino e masculino, entre 16 a 30 anos, residentes de Porto Alegre ou Região Metropolitana, sendo 204 respostas válidas, em que 100% são consumidores de produtos estéticos.

44


COM QUEM ESTAMOS

FALANDO 45


46

PESQUISA QUANTI

COM QUEM ESTAMOS FALANDO IDADE: Tivemos uma coleta de 204 respondentes entre 16 a 30 anos de idade, e os jovens de 19 a 24 anos representam mais de 68% da amostra.

Resposta única I 204 respondentes


47

PESQUISA QUANTI

COM QUEM ESTAMOS FALANDO LOCAL:

A maioria dos respondentes reside na cidade de Porto Alegre, enquanto 27% moram na região metropolitana.

Resposta única I 204 respondentes


48

PESQUISA QUANTI

COM QUEM ESTAMOS FALANDO SEXO:

Entre os respondentes, a maioria é do sexo feminino, com uma parcela de 23% masculina.

Resposta única I 204 respondentes


49

PESQUISA QUANTI

COM QUEM ESTAMOS FALANDO GRAU DE INSTRUÇÃO:

A maioria dos respondentes estão cursando ensino superior, enquanto 21% já está graduado e/ou cursando pós-graduação.

Resposta única I 204 respondentes


50

PESQUISA QUANTI

COM QUEM ESTAMOS FALANDO ATIVIDADE ATUAL:

Como atividade atual, a maioria dos respondentes trabalha e estuda, com 50% das respostas.

Resposta única I 204 respondentes


51

PESQUISA QUANTI

COM QUEM ESTAMOS FALANDO RENDA: Quando falamos em renda, os respondentes mostraram que a maioria ganha de R$600,00 a R$2.000,00 mensais, o que faz sentido, já que em sua maioria, trabalham e estudam, não conseguindo ter uma alta carga horária de trabalho.

Resposta única I 204 respondentes


52

O CONSUMO

DE BELEZA


53

PESQUISA QUANTI

O CONSUMO DE BELEZA AUTOCUIDADO: INVESTIMENTO X GASTO Como citado anteriormente também, aqui para a grande maioria dos respondentes, o autocuidado é visto como um investimento. Isso é reflexo da parcela mais jovem da sociedade, que vem mudando a visão de cuidados com a beleza como algo "fútil", e sim notando como forma de cuidar de si.

Resposta única I 204 respondentes


54

PESQUISA QUANTI

O CONSUMO DE BELEZA PERIODICIDADE PRÉ E DURANTE A PANDEMIA : ANTES DA PANDEMIA

DURANTE A PANDEMIA

Antes da pandemia, 47% dos respondentes compravam mensalmente produtos de beleza, e esse número caiu para 35% durante a pandemia. Já as compras menos de uma vez por mês, aumentaram de 38% para 54%. Resposta única I 204 respondentes


55

PESQUISA QUANTI

O CONSUMO DE BELEZA PERIODICIDADE ANTES X ATUAL:

Resposta única I 204 respondentes


56

PESQUISA QUANTI

PERIODICIDADE ANTES X ATUAL:

Ao cruzarmos a periodicidade de compra, pode-se perceber que as pessoas que estão comprando menos de 1 vez ao mês representam 80% de quem já consumia neste ritmo. E seguindo a periodicidade de compra, as pessoas que se mantiveram no mesmo ritmo de compra respresenta 50% ou menos em cada quadrante. Ou seja, a tendência é que as pessoas diminuíram o seu ritmo de compra.


57

PESQUISA QUANTI

O CONSUMO DE BELEZA INVESTIMENTO EM PRODUTOS ESTÉTICOS DURANTE A PANDEMIA ANTES DA PANDEMIA

DURANTE A PANDEMIA

Para 55% dos respondentes, a verba usada para a compra de produtos estéticos variava entre R$ 51,00 a R$1 50,00. Durante a pandemia não houve grandes mudanças, já que 85% das pessoas permaneceram com gastos de R$ 50,00 a R$ 150,00.


58

PESQUISA QUANTI

GASTOS ANTES X AGORA


59

PESQUISA QUANTI

O CONSUMO DE BELEZA GASTOS ANTES X AGORA 72% da amostra que já investia até R$50 mensais em produtos estéticos, segue investindo esse valor. Entre as pessoas que estão investindo até R$150, temos 18% dos respondentes que antes da pandemia gastavam até R$50 e passaram a consumir até R$150. No restante, temos um aumento considerável de pessoas que estão investindo mais em produtos de beleza durante a pandemia. Pode-se perceber principalmente pelo aumento de 66% das pessoas que gastavam até R$300 e hoje estão gastando mais de R$301.


60

O CONSUMO DE BELEZA FREQUÊNCIA DE COMPRA X VALORES GASTOS

PESQUISA QUANTI


61

PESQUISA QUANTI

FREQUÊNCIA DE COMPRA X VALORES GASTOS As pessoas que hoje gastam semanalmente em produtos de beleza são as que mais investem, sendo acima de R$151,00 e chegando a uma porcentagem de 65%. Em contrapartida, as pessoas que gastam quinzenalmente, mensalmente ou menos de uma vez por mês, são as que estão gastando até R$150,00 com produtos de beleza. Contudo, os últimos resultados apresentam que as pessoas que estão gastando menos com produtos de beleza também estão comprando com um maior intervalo de tempo.


62

EXPERIÊNCIA

DE COMPRA


63

EXPERIÊNCIA DE COMPRA

PESQUISA QUANTI

EXPERIÊNCIA MEIO DIGITAL X PRESENCIAL ANTES DA PANDEMIA

DURANTE A PANDEMIA

Em relação ao modo de compra antes e durante a pandemia, a forma somente digital teve um aumento de quase 15%. No mais, temos aumento também em todas as modalidades que envolvem a compra pelo digital. Ou seja, as pessoas se adaptaram ao modelo de compra online, e algumas deixaram o formato presencial e mantiveram somente digital.

Resposta única I 204 respondentes


64

PESQUISA QUANTI

EXPERIÊNCIA DE COMPRA AQUISIÇÃO DIGITAL X INTERFERÊNCIA DE COMPRA

Resposta única I 204 respondentes


65

EXPERIÊNCIA DE COMPRA

PESQUISA QUANTI

O RECEIO QUANTO ÀS COMPRAS ONLINE

Para quase 50%, existe pouco receio quanto às compras feitas online, sendo 30% considerável. Ou seja, não é o medo que os impede de comprar online, e sim a falta de experiência proporcionada nesse meio de compra. Resposta única I 204 respondentes


66

EXPERIÊNCIA DE COMPRA

PESQUISA QUANTI

REPRESENTANTES DE VENDA X ISOLAMENTO

A maior parte dos respondentes, com 72% das respostas, não se sentiriam confortáveis em receber uma representante de beleza na sua casa durante a pandemia. Mostrando que, apesar de sentirem a necessidade de uma experiência, receber uma representante não seria a solução.

Resposta única I 204 respondentes


67

EXPERIÊNCIA DE COMPRA

PESQUISA QUANTI

EXPERIMENTAÇÃO DE PRODUTOS EM CASA

Em contrapartida quanto a receber uma representante, os respondentes aprovariam, com 88% das respostas, receber produtos estéticos para testarem em casa. Deixando claro que, essa seria uma possível solução para o problema de falta de experiência na compra digital de produtos estéticos.

Resposta única I 204 respondentes


EXPERIÊNCIA DE COMPRA

PESQUISA QUANTI

PRODUTOS MAIS CONSUMIDOS

Quando falamos em produtos, vemos que o mais consumido pelos respondentes, com 70%, é o Shampoo e em seguida, com 57%, os produtos de cuidados faciais. Ou seja, produtos de higiene se destacam no ranking.

68

Resposta múltipla I 204 respondentes


69

PANDEMIA

E VAIDADE


70

PANDEMIA E VAIDADE O IMPACTO DA PANDEMIA NA VAIDADE

Para a maior parte dos respondentes o nível de impacto da pandemia na vaidade foi 4, sendo 1 para nenhum impacto e 5 impacto total. Portanto, esse é um alto indício de que a preocupação com os cuidados pessoais aumentou.

PESQUISA QUANTI


71

PANDEMIA E VAIDADE

PESQUISA QUANTI

O IMPACTO DO CUIDADO NA AUTOESTIMA

Para mais da metade dos respondentes, o nível de impacto dos cuidados com a beleza é o máximo, ou seja 5. Sendo, novamente, 1 para nenhum impacto e 5 total impacto. Trazendo mais um indício de que o investimento com os produtos estéticos está relacionado a autoestima.

Resposta única I 204 respondentes


72

PANDEMIA E VAIDADE

PESQUISA QUANTI

MOTIVOS PARA O AUTOCUIDADO

Diferente do que citado na etapa qualitativa, aqui é possível perceber a confirmação de que o principal motivo para os cuidados com a beleza é estética, além de saúde mental, fator cada vez mais debatido e evidenciado pela faixaetária dos respondentes.

Resposta múltipla I 204 respondentes


73

O CONSUMO

DAS MARCAS


74

PESQUISA QUANTI

O CONSUMO DAS MARCAS PREFERÊNCIA POR MARCAS

A maior parte dos respondentes diz ter preferência por marcas específicas. Resposta única I 204 respondentes


75

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

MARCAS CONSUMIDAS ANTES DA PANDEMIA Para quem respondeu que há uma preferência por alguma marca específica, foi questionado quais eram as mais consumidas antes do início da pandemia, entre elas a mais usada foi O Boticário, com 49% das respostas, seguida da MAC com 42%. É importante considerar que O Boticário é uma marca unissex e MAC predominantemente feminina, e a pesquisa é composta por mais mulheres do que homens. Resposta múltipla I 128 respondentes


76

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

MARCAS CONSUMIDAS ANTES DA PANDEMIA PARA AMBOS OS SEXOS Quando falamos em marcas utilizadas antes da pandemia, conseguimos observar as mais citadas pelos homens e mulheres. Pode-se perceber duas marcas em comum: O Boticário, com 53% da preferência pelas mulheres e 31% pelos homens. E Natura com 45% e 15% respectivamente.

Resposta múltipla I 128 respondentes


77

PESQUISA QUANTI

MARCAS CONSUMIDAS ANTES DA PANDEMIA PARA AMBOS OS SEXOS

É possível analisar uma preferência por marcas mais caras, como Calvin Klein e MAC que estão no topo, o que pode justificar as compras terem aumentado o valor médio.


78

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

INFORMAÇÕES SOBRE AUTOCUIDADO

A maioria dos respondentes, ou seja 73%, busca por informações sobre autocuidado.

Resposta única I 204 respondentes


79

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

MEIOS DE INFORMAÇÕES

Para os 73%, que buscam informação, o principal meio, de forma disparada, com a qual realizam essas buscas, são as redes sociais, com 91%, seguido do Youtube, com 64%, o que pode estar atrelado com a ascensão das influenciadoras de beleza nas plataformas.

Resposta múltipla I 149 respondentes


80

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

PRINCIPAL MEIO

Perante todos os meios utilizados para busca de informação, foi questionado qual o principal. Cerca de 51% respondeu Redes sociais, seguido de 15% de Busca no Google.

Resposta única I 149 respondentes


81

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

PRINCIPAL MEIO X IDADE

Ao comparar os principais meios de informação com a idade dos respondentes, vemos que para todos as redes sociais é a melhor ferramenta para ficar atualizado. O único público que utiliza blogs como meio de busca, é a faixa etária de 16 a 18 anos, mostrando que essa é uma tendência bem mais voltada para os adolescentes. Resposta única I 149 respondentes


82

PESQUISA QUANTI

O CONSUMO DAS MARCAS ACOMPANHAMENTO DE MARCAS NAS REDES SOCIAIS

Entre os respondentes que não escolheram as redes sociais como principal meio de busca por informação de autocuidado, 58% afirmou que acompanha alguma marca de beleza nas redes. Desse total, apenas 4% representam o sexo masculino.

Resposta única I 73 respondentes


83

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

QUAIS SÃO AS MARCAS:

Para quem respondeu redes sociais como principal meio e/ou disse que acompanha alguma marca nelas, foram questionadas quais. Pode-se perceber que na liderança encontra-se Boca Rosa Beauty e Bruna Tavares, ambas marcas de influenciadoras digitais, o que corrobora pela ascensão do Youtube e Redes Sociais como busca por informações de beleza.

Resposta única I 118 respondentes


84

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

ACOMPANHAMENTO ANTES DA PANDEMIA:

A maioria dos respondentes já acompanhavam essas marcas antes do início da pandemia, deixando claro que essa ascensão não é de agora.

Resposta única I 118 respondentes


85

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

MARCAS E SEU ENGAJAMENTO:

Das 23% das pessoas que não acompanhavam essas marcas antes do início da pandemia, 41% apontou como principal motivo para começar a seguir as marcas a curiosidade, seguido de: para aprender mais sobre beleza, com 37% das respostas. As respostas mostram que foi despertado um interesse pelo segmento, podendo novamente estar relacionado a ascensão das influenciadoras.

Resposta multipla I 27 respondentes


86

O CONSUMO DAS MARCAS

PESQUISA QUANTI

PANDEMIA E AS MARCAS:

É possível notar a importância da forma como as marcas se comportam, ao ver que, em uma escala em que 1 representa nada importante e 5 totalmente importante, 61% dos respondentes colocaram o nível máximo de importância para a preocupação que as marcas devem mostrar com o momento de pandemia e pós-pandemia.

Resposta única I 204 respondentes


87

O FUTURO

DA BELEZA


88

O FUTURO DA BELEZA

PESQUISA QUANTI

PÓS-PANDEMIA E OS CUIDADOS COM A BELEZA:

A maior parte dos respondentes pretende manter os mesmos cuidados e gastos que possuíam antes da pandemia. Entrando em coerência com o que eles já têm feito até então.

Resposta única I 204 respondentes


89

O FUTURO DA BELEZA

PESQUISA QUANTI

HÁBITOS PÓS-PANDEMIA X IDADE:

Ao comparar os hábitos de beleza com a idade dos respondentes, podemos ver que as respostas são parelhas para todas as faixas etárias, sendo que o público mais jovem, de 16 a 18 anos, é o que se mostra mais inclinado a manter os mesmos hábitos e o menos disposto a deixar hábitos de lado e gastar menos.

Resposta única I 204 respondentes


90

O FUTURO DA BELEZA

PESQUISA QUANTI

COMPRAS NO FUTURO: Para 37% dos respondentes, as compras no futuro serão feitas tanto presencialmente, quanto digitalmente, sendo que a segunda opção mais escolhida foi que as compras ocorrerão mais digitalmente do que presencialmente. O que mostra uma mudança de pensamento, tendo em vista que a maior parte realizava compras de produtos estéticos apenas presencialmente. Resposta única I 204 respondentes


91

O FUTURO DA BELEZA

PESQUISA QUANTI

COMPRAS NO FUTURO X IDADE: Ao comparar o modo de compra do futuro com a idade dos respondentes, podemos perceber uma divergência. Para os jovens de 16 a 18 anos será mais digitalmente do que presencialmente com 52% das respostas. Em contrapartida, para o público de 28 a 30 anos, está parelho entre manter mais digital ou mais presencial.

Resposta única I 204 respondentes


92

O FUTURO DA BELEZA

PESQUISA QUANTI

COMPRAS NO FUTURO X SEXO: Ao cruzar os dados de modo de compras no futuro com o sexo dos respondentes, vemos que o público feminino está mais inclinado a comprar tanto digitalmente, quanto presencialmente, enquanto é maior o percentual do público masculino por compras só digitalmente comparado ao feminino. O que pode ser justificado pelos itens adquiridos pelas mulheres necessitarem mais de uma experiência presencial do que os adquiridos por homens.

Resposta única I 204 respondentes


93

O FUTURO DA BELEZA

PESQUISA QUANTI

MUDANÇAS PARA O FUTURO DA BELEZA: A maioria dos respondentes espera do setor de beleza para o futuro, mais consciência com os impactos ambientais dos produtos. O que mostra uma tendência importante, que vêm crescendo entre os principais valores dos jovens. Em seguida vemos que de forma quase empatada, ficaram três alternativas, uma delas refere-se a experiência digital para enriquecer a compra online, o que comprova a necessidade de poder realizar compra de produtos estéticos de forma online, porém sem perder a experiência de consumo. As outras duas alternativas dizem respeito à posicionamento de marca, e mostram novamente a importância das marcas de beleza se mostrarem atentas a problemas sociais, assim como questões de diversidade.

Resposta única I 204 respondentes


94

CONSIDERAÇÕES

FINAIS


95

O CONSUMO FOI ABALADO?

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Apesar da crise financeira que já dura alguns anos no Brasil, os resultados obtidos durante todo o projeto comprovam que o consumo no mercado de beleza entre os jovens, não foi abalado pela pandemia. Em todas as etapas de pesquisa os participantes do estudo consideram , em sua maioria, produtos estéticos como um investimento, além do que a frequência de compra relatada foi igual para alguns e superior para outros, ainda assim a média da verba não variou e periodicidade de compra continua moderada entre mensalmente e menos de um mês.


96

OS JOVENS E EXPERIÊNCIA DE COMPRA

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Mesmo sendo em sua maioria nativos digitais, os jovens ainda não estão inclinados à compras online, afirmam que essa ainda não entrega a mesma experiência das lojas físicas, provar, sentir e experimentar o produto está entre os fatores que os fazem ter preferência pelo formato presencial. No entanto, nota-se que a pandemia serviu com um período de adaptação para o modelo de compra online, muitos tiveram as suas primeiras experiências nesse período e a expectativa é que prevaleça no novo normal, com melhorias que proporcionem mais experiência.


97

O QUE MUDA?

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Para os jovens os cuidados com beleza vai além de um mero capricho, as questões estéticas, de saúde mental e autocuidado sobressaem. No período da pandemia, por uma questão de economia de tempo os participantes do estudo afirmam que os cuidados pessoais aumentaram e para grande parte continuará o mesmo no novo normal. Além disso, a pandemia trouxe um reposicionamento para o setor, se antes alguns hábitos eram comuns, agora terão que ser repensados de acordo com as novas regras de saúde e higienização.


O QUE SE ESPERA DAS MARCAS

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Os jovens afirmam que se importam com o posicionamento de uma marca, e para eles é essencial demonstrar preocupação e empatia com um momento tão delicado como a pandemia. As redes sociais é uma das ferramentas mais importantes para essa conexão direta com a marca, por isso que a maioria opta por buscar informações nela. Entre as marcas que cresceram nesse período, destacaram-se as de influenciadores digitais, isso devido à ascensão das mesmas. Já as marcas que continuam consolidadas no mercado estão se adaptando cada vez mais aos meios digitais.

98


E O FUTURO DA BELEZA?

CONSIDERAÇÕES FINAIS

No mundo pós-pandemia espera-se que as marcas estejam mais preocupadas com questões ambientais e sociais. Além de que, a expectativa é que a experiência digital com compra online se fortaleça cada vez mais, fazendo com que a prática de comprar digitalmente seja maior que presencialmente.

99


100

IMPLICAÇÕES

MERCADOLÓGICAS


IMPLICAÇÕES MERCADOLÓGICAS

MERCADO NACIONAL

101

O Brasil é o quarto maior mercado de beleza do mundo e as marcas nacionais vem se destacando pela sua qualidade e versatilidade. Contudo, as marcas internacionais ainda são vistas como melhores e mais consumidas. É importante que as empresas nacionais busquem se fortalecer dentro do mercado brasileiro trazendo seus diferenciais, pois mesmo com o alto valor de produtos internacionais, o consumidor não deixa de consumir.


IMPLICAÇÕES MERCADOLÓGICAS

MERCADO MASCULINO

102

Marcas voltadas para o consumo masculino podem se destacar se utilizarem melhor as mídias sociais para se comunicarem com este público, já que observou-se que o mercado masculino de beleza ainda é fraco.


IMPLICAÇÕES MERCADOLÓGICAS

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

103

As marcas também devem apostar na tecnologia ligada ao mercado de beleza, buscando se desenvolver para conseguir fortalecer ainda mais as compras pelo digital. Como exemplo, o uso da realidade virtual e inteligência artificial logo devem estar presentes nesse segmento.


IMPLICAÇÕES MERCADOLÓGICAS

COMUNICAÇÃO

104

A geração Z, conhecida como a geração crítica, dinâmica e que muda de opinião toda hora, também se caracteriza pela sua exigência. Por isso, estão sempre buscando conhecer mais sobre as marcas e produtos que estão consumindo. As empresas que souberem se comunicar com transparência, sustentabilidade e diversidade cultural tendem a se destacar entre os jovens.


105

APÊNDICE


ROTEIRO QUALI https://docs.google.com/

QUESTIONÁRIO QUANTI https://docs.google.com/forms/

106


OBRIGADA! Apresentação por: Eduarda Friedrich, Larisse Alves, Tamires Fetter, Victoria Bossle e Vitória Petry.


Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.