Page 1

RELATร“RIO DESTAQUES 2016

Tecnologias para o Agronegรณcio do Futuro!

Pixabay

Pixabay

Pixabay

Pixabay


Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

RELATÓRIO DESTAQUES 2016 Tecnologias para o Agronegócio do Futuro!

Campo Grande, MS 2017


Pixabay


Apresentação Este é o sexto Relatório de Gestão consecutivo elaborado pela Embrapa Gado de Corte (2011 a 2016). Por meio deste, dos outros cinco, e das muitas ações, planos e estratégias conduzidas e em continuidade na Unidade, esperamos deixar um legado de compromisso com a cadeia de valor da pecuária de corte e para a sociedade brasileira. Seja por meio de um modelo de gestão ousado e voltado para resultados e impactos, seja pelas entregas ao longo dos últimos seis anos, pelo crescimento em número de colaboradores (10%) ou em infraestrutura (67%), pelo prestígio e reconhecimento interno da excelência da Unidade, ou pelo reconhecimento dos pares e atores da cadeia da pecuária de corte em relação às nossas contribuições, a conquista mais importante foi a mudança da cultura organizacional para uma visão de entrega de valor e impacto à sociedade, com transparência, cooperação, responsabilidade e excelência. Não vamos ser exaustivos com dados e informações consolidadas. Todos os Relatórios de Gestão são de acesso público (https://issuu.com/ gadodecorte/docs). Da mesma forma, aqui é apresentada a síntese de alguns destaques para o ano de 2016. Ano que vem a Embrapa Gado de Corte completará 40 anos. Como jovem Centro de Pesquisa, passa pelo seu primeiro ciclo de maturidade científica, tecnológica e gerencial. Muito contribuiu e tem contribuído para a agropecuária e para a qualidade de vida da sociedade brasileira. Ao longo desses quase 40 anos da Embrapa Gado de Corte, o Brasil passou de importador de quase todos os principais alimentos

para um dos mais importantes players do agronegócio mundial. Isso se deu graças a muita Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) ancorada pela Embrapa e seus parceiros públicos e privados; além, é claro, da pujança e coragem do produtor brasileiro. No segmento da carne bovina podemos afirmar que fizemos e estamos fazendo nosso papel muito bem. O tripé genética-alimentação-saúde, base da produção sustentável de bovinos nos trópicos, tem muito da contribuição de resultados, tecnologias e impactos aqui gerados, bem como por outras Unidades da Embrapa e Instituições Parceiras. As estimativas de impactos acumulados desses grupos de tecnologias são grandes. No ano 2016, o impacto gerado por uma amostragem de tecnologias da Embrapa Gado de Corte, em indicadores de incrementos de produtividade e redução de custos ao agronegócio brasileiro, foi de R$ 6,1 bilhões. Nossas tecnologias têm alto grau de aplicação pelo setor produtivo. Para o Sistema Integrado de Gestão nas suas três perspectivas (Qualidade, Ambiente, Segurança do Trabalhador), e em todos os macroprocessos da Unidade, resultados relevantes foram alcançados, com impacto direto na garantia da qualidade das ações de pesquisa e desenvolvimento (P&D), nas de transferência de tecnologia e conhecimentos (TT), e na melhoria de muitos processos de suporte. Para a Agenda de Prioridades da Unidade, em 2016, foram planejadas 72 metas de P&D e entregues 81 resultados, o que se traduz no total cumprimento da Agenda de P&D. Nesse componente, o valor médio de referência no ano base 2016 na Embrapa foi de 79,3%. Grande esforço


tem sido concentrado na busca por resultados relevantes, com grande potencial de adesão à cadeia produtiva, aderência aos cinco eixos de impacto do VI Plano Diretor da Embrapa e que, sobretudo, promovam melhorias e impactos à sociedade brasileira. Portanto, não só a programação de P&D, mas os demais macroprocessos produtivos da Unidade focam essa busca evolutiva. Ampliamos em muitos nossas aquisições por meio de sistema de registros de preço, o que confere eficiência, economia e dinamicidade no uso de recursos públicos. Com exceção de apenas uma obra que se encontra sub judice, todas as demais foram concluídas e estão em operação ou entrando progressivamente em operação. Isso nos confere melhores condições de trabalho e capacidade de infraestrutura operacional e técnica de qualidade. Realizamos a 11ª DINAPEC com o apoio de outras Unidades da Embrapa e parceiros. Executamos diversas ações de comunicação com forte presença na mídia científica, tecnológica e social. Continuamos liderando e contribuindo em parceria com uma boa carteira de projetos que culminam com a geração de conhecimentos, tecnologias, produtos, processos e serviços. Na área de negócios e propriedade intelectual foram celebrados mais de 100 contratos diversos entre cooperação técnica para P&D e TT, e de licenciamento para multiplicação e exploração comercial de tecnologias. Além de ativos de inovação que tiveram seus pedidos de registro solicitados, concedidos ou licenciados. Dentre as dez tecnologias destacadas neste relatório, chamo a atenção para quatro tecnologias: duas cultivares

hibridas de Brachiaria ruziziensis e Brachiaria brizantha (BRS Ipyporã) e de Panicum maximum (BRS Quênia). A primeira muito resistente à cigarrinha e a segunda com alta produtividade; ambas fruto da programação de pesquisa e inovação incremental. E duas outras tecnologias fruto da inovação disruptiva que pode mudar o paradigma dos segmentos em que estão inseridas: i) Protocolo Carne Carbono Neutro – trata-se de uma nova abordagem para a produção de carne nos trópicos, agregando valor à carne brasileira por meio de sua certificação quanto à mitigação dos gases de efeito estufa e melhor bem-estar aos animais. A “Carne Carbono Neutro” (CCN) é uma marcaconceito, parametrizável e auditável, que visa atestar a carne bovina produzida em sistemas de integração do tipo silvipastoril (pecuária-floresta) ou agrossilvipastoril (lavoura-pecuáriafloresta), por meio de uso de protocolos específicos que possibilitam o processo de certificação; e ii) Dispositivo para mensuração automatizada de parâmetros fisiológicos bovinos e ambientais (BEP) – trata-se de um dispositivo vestível (equipamento, método e sistema) nãoinvasivo, com fixação externa no animal, para monitoramento simultâneo de sinais fisiológicos do animal e parâmetros climáticos do ambiente, em intervalos de tempo programáveis. Esta é a primeira tecnologia vestível aplicada à agropecuária desenvolvida no Brasil com ampla aplicação na produção de bovinos. A contribuição para a capacitação de técnicos e profissionais em temas importantes para as cadeias de valores da agropecuária é um grande desafio para a Embrapa. Fruto de parceria e cooperação técnica com o Serviço


Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), a partir de 2016 foram oferecidas capacitações por meio de Educação à Distância (EAD) em Sistemas Integrados de Produção LavouraPecuária-Floresta e Bovinocultura de Corte. Para o tema ILPF foram capacitados mais de 7 mil profissionais e para o tema bovinocultura de corte, 4.777 profissionais. Essa ação merece destaque, pois seria quase impossível concentrar esforços isolados em um único ano para promover essa multiplicação de conhecimentos. Para nós é motivo de orgulho chegar a quase 40 anos tendo contribuído de forma decisiva para a evolução da pecuária de corte por meio de soluções e resultados relevantes, e que impactam positivamente a sociedade brasileira e o mundo tropical. O mundo de hoje é complexo, altamente dinâmico e imprevisível. O desafio para a produção de proteínas de origem animal de qualidade, segura e sustentável bate todos os dias à nossa porta. O maior de todos os desafios, o futuro-hoje, é vislumbrarmos os próximos 40 anos. Fechamos um ciclo de muito trabalho e superação de desafios. Tudo feito por pessoas e para pessoas, nosso maior capital. A semente foi bem plantada, e os frutos estão vindo! Obrigado aos nossos talentos e parceiros que fazem da Embrapa Gado de Corte uma excelência em CT&I para pecuária de corte!

Cleber Oliveira Soares Chefe-Geral da Embrapa Gado de Corte


SUMÁRIO 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.

Introdução Gestão Organizacional Pesquisa e Desenvolvimento Transferência de Tecnologia Comunicação Balanço Social Nossos Talentos

7 11 23 34 41 45 47


INTRODUÇÃO

1.

Pixabay


8

INTRODUÇÃO

Histórico O Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Corte (CNPGC) foi criado em 1974 pela deliberação 089/1974, de 23 de outubro. Em 1975, foram transferidos para a Embrapa Gado de Corte 1.620 hectares (conhecida como Fazenda Modelo, localizada a 40 km do centro da cidade de Campo Grande, MS), a equipe e os bens patrimoniais que pertenciam ao Instituto de Pesquisa e Experimentação Agropecuária do Oeste (IPEAO). Além disso, o Exército Brasileiro permutou com o Ministério da Agricultura, à época, uma área de 3.081 hectares (localizada a 15 km do centro da cidade) e, aproximadamente, 6.000 m² de área construída. Nessa época, a Embrapa passou a dispor de 800 reses da raça Nelore e contava com uma equipe de 15 pesquisadores em produção animal. O Centro Nacional, oficialmente, foi inaugurado em 28 de abril de 1977, evento que contou com a participação do presidente General Ernesto Geisel. No mesmo ano, a cidade de Campo Grande tornou-se capital do recém-criado Estado do Mato Grosso do Sul. O objetivo da criação do CNPGC foi elevar a produtividade da bovinocultura de corte brasileira, que além de baixa, não apresentava crescimento e não atendia

aos mercados interno e externo. Para tanto, foi necessário investir em pesquisa e promover o desenvolvimento da produção nacional e, paralelamente a isso, a infraestrutura. O crescimento do Centro foi acentuado pela expansão de ações de pesquisa, seguida pelo incremento, treinamento e amadurecimento de sua equipe técnica. Dessa forma, o resultado do esforço da Embrapa Gado de Corte no fortalecimento da pecuária nacional tornou-se visível, contribuindo para colocar o Brasil entre os maiores produtores e o maior exportador de carne bovina do mundo. A Embrapa Gado de Corte tem papel de instituição âncora para o desenvolvimento do agronegócio e da cadeia produtiva da pecuária de corte. Para alcançar os patamares atuais de importância e impacto da produção de carne bovina no Brasil e sua participação no mundo, o Centro Nacional, nos seus quase 40 anos, tem contribuído de forma decisiva por meio da geração, adaptação e transferência de conhecimento e tecnologias relacionadas a forrageiras tropicais, genética animal, sanidade animal, nutrição animal e outros temas. Hoje, em cada fazenda, em cada bife consumido no Brasil e em parte do mundo tropical e do importador de carne, há um pouco das tecnologias da Embrapa Gado de Corte.

Dalízia Aguiar


INTRODUÇÃO

Missão Viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura, em benefício da sociedade brasileira.

Visão Ser referência mundial na geração e oferta de informações, conhecimentos e tecnologias, contribuindo para a inovação e a sustentabilidade da agricultura e a segurança alimentar.

Valores Os princípios que balizam as práticas e comportamentos da Embrapa e seus integrantes, independentemente do cenário vigente, e que representam as doutrinas essenciais e duradouras da Empresa são: Comprometimento, Cooperação, Equidade, Excelência, Flexibilidade, Responsabilidade socioambiental e Transparência.

Foco de atuação Viabilizar soluções tecnológicas sustentáveis para a cadeia produtiva da pecuária de corte em benefício da sociedade brasileira, sendo referência mundial na geração de conhecimento,

9

tecnologias e inovações aplicados à pecuária de corte tropical nas áreas de: pastagens, sanidade, sistemas de produção, meio ambiente, melhoramento animal, qualidade da carne, pecuária de precisão, gestão, reprodução, nutrição animal, couro, tecnologias de informação e comunicação, e ovinocultura de corte.

Pessoal – 232 empregados, sendo 57 pesquisadores. – 241 bolsistas e estagiários. – 34 terceirizados.

Infraestrutura – Fazenda Sede – Campo Grande/MS - Área: 3.081 ha - Rebanho bovino: 1.709 - Rebanho ovino: 56 - Tropa de equinos: 44 – Fazenda Modelo – Terenos/MS - Área: 1.612 ha - Rebanho bovino: 1.098 - Rebanho ovino: 322 - Tropa de equinos: 54 – Área construída total: 34.817,99 m2

Pixabay


Pixabay


GESTÃO ORGANIZACIONAL

2.

Pixabay


12

GESTÃO ORGANIZACIONAL

Medidas de gestão Sistema Integrado de Gestão da Qualidade A Unidade de Garantia da Qualidade (UGQ) deu continuidade à implantação do Sistema Integrado de Gestão - SIG (Qualidade, Ambiente, Segurança do Trabalhador) em todos os macroprocessos da Unidade. Na perspectiva de Qualidade, resultados relevantes foram alcançados, com impacto direto na garantia da qualidade dos resultados de pesquisa e na melhoria dos processos de suporte, como a implantação de 94 Procedimentos Operacionais Padrão (POPs) para equipamentos e métodos analíticos nos 8 laboratórios escopo, e mais de 50 POPs nos setores administrativos, de transferência de tecnologia, núcleos e comitês. Para a perspectiva de Gestão Ambiental, foram conduzidas ações do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) relacionadas ao gerenciamento de resíduos perigosos químicos e biológicos nos laboratórios, campos experimentais e manejo animal; gerenciamento de resíduos gerais, recicláveis, e da construção civil; e logística reversa de agrotóxicos, óleos e lubrificantes, pilhas e baterias. Na perspectiva de Segurança do Trabalho, foram intensificadas ações de treinamento de empregados e colaboradores em segurança e boas práticas de laboratórios e campos experimentais, além de ações de monitoramento e conscientização sobre o uso de EPIs e EPCs. O SIG é um dos pilares do Modelo Integrado de Gestão da Embrapa Gado de Corte, modelo inovador e dinâmico, com foco em melhoria contínua de processos e na qualidade e excelência para resultados, que dá subsídios para que a instituição possa alcançar a curto, médio e longo prazos, a visão de futuro almejada.

Agenda de prioridades da Unidade As Unidades da Embrapa são avaliadas quanto ao desempenho institucional, tendo como principais componentes de avaliação: i) o índice de cumprimento de metas da agenda de prioridades; ii) produção técnico-científica; iii) relatório de desempenho de gestão baseado no Modelo GESPÚBLICA; e iv) avaliação dos destaques da Unidade (tecnologias, produtos, processos, serviços e correlatos). Para o componente Cumprimento de Metas, em 2016 foram planejadas para a Embrapa Gado de Corte 72 metas de Pesquisa e Desenvolvimento e entregues 81 resultados, o que se traduz no total cumprimento da Agenda de Prioridades referente à Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). Nesse componente o valor médio de referência no ano base 2016 na Embrapa foi de 79,3%. Grande esforço tem sido concentrado na busca por resultados relevantes, com grande potencial de utilização pela cadeia produtiva, aderência aos cinco eixos de impacto do VI Plano Diretor da Embrapa (PDE) e que, sobretudo, promovam melhorias e impactos à sociedade brasileira. Portanto, não só a programação de P&D, mas dos demais macroprocessos produtivos da Unidade focam essa busca evolutiva. Conforme o gráfico a seguir, observa-se que a Embrapa Gado de Corte teve suas metas de 2016 associadas a seis objetivos estratégicos do VI PDE, sendo que o maior número de metas está relacionado ao objetivo de Sistemas de Produção (total de 32). Todos os objetivos tiveram seus resultados alcançados, sendo que em alguns casos, a quantidade realizada foi superior à planejada.


GESTÃO ORGANIZACIONAL

13

Quantidade de soluções tecnológicas planejadas e realizadas em 2016 por objetivos estratégicos do VI PDE. Aproveitamento dos Recursos Naturais Novas Ciências: Biotecnologia, Nanotecnologia e Geotecnologia Segurança Zoofitosanitária das Cadeias Produtivas Sistemas de Produção Inovadores e Sustentáveis Mercados, Política e Desenvolvimento Rural Automação, Agricultura de Precisão e TICs 0

Realizado

Organograma da Embrapa Gado de Corte

10

Planejado

20

30

40


14

GESTÃO ORGANIZACIONAL

Segurança da Informação Em 2016 foi elaborado e implantado o Plano Local de Segurança da Informação, envolvendo diversos setores da Unidade, de forma a internalizar uma nova cultura baseada na Lei de Acesso à Informação (LAI), sendo que 37 controles de segurança foram integralmente ou parcialmente adotados. As metas de segurança da informação são incorporadas à Agenda de Prioridades da Unidade e acompanhadas ao longo do ano. A Embrapa Gado de Corte conta também com a assistência do escritório local da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), que promove capacitações e sensibilizações sobre os controles e práticas a serem adotados.

Tecnologia da Informação O NTI participou ativamente de diversas ações de governança corporativas, por meio de colaboração em decisões estratégicas da Empresa, em atuação junto ao Comitê Gestor de TI da Embrapa (CGTI), ao Grupo Permanente de Sistemas (GPSist), ao GT do Portfólio de TI, ao GT Corporativo de Aplicativos Móveis e ao Comitê Local de Segurança da Informação.

Pixabay

Também participou ativamente da redação do III Plano Diretor de TI (PDTI), compondo o seu grupo de trabalho. Além disso, o núcleo foi responsável pela proposição das novas normas para descarte de equipamentos eletrônicos obsoletos e pilhas. Em relação ao desenvolvimento de software, foram implementados novos requisitos do Sistema de Informação e Gestão da Unidade, denominado Pandora, tal como alterações no Módulo de Garantia da Qualidade, Totens de Presença de Estagiários e Módulo de Estágios, e a disponibilização do novo Módulo de Propriedade Intelectual e da Matriz de Habilitação. O Pandora foi integrado ao barramento de dados corporativo da Embrapa, garantindo atualização imediata por meio de sincronia de dados com a Embrapa Sede. O Laboratory for Precision Livestock, Environment and Software Engineering (PLEASE Lab) atuou como ponto de apoio para os estudantes do Mestrado Profissional em Pecuária de Precisão da FACOM/UFMS, fomentando parcerias entre pesquisadores dessa instituição e da Embrapa. Ao longo do ano também foram finalizados o desenvolvimento dos aplicativos do Coletor Eletrônico de Dados Experimentais da Plataforma SIExp, do


GESTÃO ORGANIZACIONAL

Sumário de Touros Senepol do Programa Geneplus, de Contagem de Movimentos para Controle da Mosca-do-Chifre e de Gestão de Uso da Terra (e-Land). Foram criadas novas políticas de acesso ao código fonte de ativos de TI e foi implantado um novo controlador de versões para gerência de configuração. Foi firmada uma parceria com a Confederação Nacional de Agricultura (CNA) para o desenvolvimento do Sistema de Gestão de Protocolos de Raças, o qual já foi disponibilizado para ser utilizado por pecuaristas de todo o Brasil. A infraestrutura de rede e o parque tecnológico da Unidade passaram por uma grande evolução, tendo sido totalmente migrados para o novo controlador de domínio e diretório de usuários Microsoft ADDS. Com isso a imensa maioria das 413 estações de trabalho do parque tecnológico está agora na mais moderna infraestrutura de gestão. Adicionalmente, foi implantado um sistema de criptografia de dados em todo o parque tecnológico, aprimorando substancialmente a segurança da informação da Unidade.

15

técnicas, missões, treinamentos e recepção de autoridades de governo.

Países representados nas visitas internacionais recebidas na Embrapa Gado de Corte EUA Bolívia Colômbia Nicarágua Paraguai Uruguai

Fonte: Articulação Internacional CNPGC.

Alemanha Dinamarca Escócia Itália Reino Unido Angola Austrália Belize Japão Myanmar Senegal

Viagens ao exterior

Foram atendidos 1.178 chamados ao longo do ano de 2016, sendo estes gerenciados e acompanhados de forma transparente pela Central de TI. Além disso, foram realizadas 323 horas de videoconferências. Também foi implantado o Fone@RNP, um sistema de VoIP que reduz gastos com interurbanos. Uma nova política de backup foi adotada, garantindo maior redundância de dados e, assim, maior segurança. Por fim, a Embrapa Gado de Corte integrou o condomínio da Rede Metropolitana da RNP (Redecomep), o que garantirá manutenções preventivas e corretivas nos serviços de dados (Internet) da Unidade.

Fonte: SGP-CNPGC.

Freepik

Articulação Internacional No ano de 2016 foram recebidos na Embrapa Gado de Corte 134 visitantes, representando 41 instituições de 23 países diferentes. As ações de articulação internacional tiveram como objetivo visitas


16

GESTÃO ORGANIZACIONAL

Instituições participantes das visitas internacionais recebidas na Embrapa Gado de Corte

Gestão de Pessoas Recursos Humanos Em 2016, a Unidade contou com um total de 232 empregados.

Fonte: SGP-CNPGC.

Uma empregada se aposentou e um empregado foi transferido para outra Unidade, somando dois desligamentos no ano. Nesse mesmo período, dois empregados foram agregados ao quadro de pessoal por meio de transferência, ambos da área de transferência de tecnologia. Faixa etária do quadro funcional da Embrapa Gado de Corte 80 70 60 50 40 30 20 10 0

De 20 a 30

De 31 a 40

De 41 a 50

De 51 a 60

De 61 a 70

De 71 a 80

Distribuição do quadro de empregados da Unidade por gênero 27%

73%

Fonte: Articulação Internacional CNPGC. Homens

Mulheres


GESTÃO ORGANIZACIONAL

17

Houve 241 acadêmicos, bolsistas e estagiários na Unidade. Dentre os 96 bolsistas, 13 são do ensino médio, 30 são do nível de graduação, 22 de mestrado e 31 de doutorado. Dos 33 estudantes de pósgraduação sem bolsa, 21 são do nível de mestrado e 12 de doutorado.

Fonte: SGP-CNPGC.

Capacitações e treinamentos Foram investidos R$ 59.623,00 em capacitações e treinamentos totalizando 4.368 horas e a média de 18,6 horas por empregado*. Dos 234 empregados, 163 realizaram pelo menos uma capacitação ou treinamento. Como o planejamento é bianual (2016/ 2017), as temáticas não realizadas estão planejadas para 2017.

Pixabay

*4.368 h / 163 participantes = 26,8h por participante 4.368 h / 234 empregados = 18,6h por empregado


18

GESTÃO ORGANIZACIONAL

Ações de formação .

Fonte: SGP-CNPGC.

Ações sociais voltadas a empregados Foram realizadas 22 ações sociais voltadas ao público interno, sendo divididas em dois tipos: “Bem-estar, saúde e segurança no trabalho”; e “Capacitação profissional, atualização tecnológica e intercâmbio de conhecimentos. Ações de bem-estar, saúde e segurança no trabalho: · Promove gincana e treinamento “Aedes, aqui não!’’; · Promove “Conversa Franca” sobre agrotóxicos com 32 empregados; · Realiza “Conversa Franca” sobre doenças do homem e DST com 10 empregados; · Apresentações culturais são realizadas nas reuniões gerais; · Comemora dia dos Pais e IV Taça Marandu de Futebol de Mesa; · Fornece dicas de saúde; · Quick Massage para promoção; · Programa OdontoSesc; · Comemorações do Dia das Mães; · Inspeção de Segurança, diálogo diário de segurança (DDS) e integração realizados nos Setores e com empregados e colaboradores; · Levantamento e aquisição de Equipamento de Proteção Individual para empregados e colaboradores; · Inspeção e renovação dos extintores de incêndio da Unidade; · Manutenção do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA);

· Treinamento da NR 31 para os empregados; · Projeto Chefia Itinerante junto aos setores, área, núcleos, campo experimental e laboratórios; e · Campanha de combate ao mosquito da dengue. Ações de capacitação profissional, atualização tecnológica e intercâmbio de conhecimentos: · Ações de educação corporativa para empregados; · Ações externas de capacitação de curta duração no exterior para empregados; · Oficina de projetos competitivos de P&D e TT, relatórios e sistemas de gestão (Ideare, SISGP e Integro); · Capacitação em biossegurança de OGM; · 12ª Jornada Científica Embrapa Gado de Corte; e · Capacitações e inspeções em Uso de Animais Experimentais.

Gestão de Recursos Materiais Compras realizadas por modalidade Foram realizados 107 processos de compra com um total aplicado de R$6.556.434,04.

Fonte: SPS-CNPGC.


GESTÃO ORGANIZACIONAL

19

Gestão de Infraestrutura O quadro a seguir mostra as principais obras em andamento no ano de 2016.

Troféu Jornada Científica

Rodrigo Alva


20

GESTÃO ORGANIZACIONAL

A Construção do novo galpão para Almoxarifado é uma demanda da Unidade para melhor guarda e gestão de seus suprimentos.

Elcione Simplício

Prédio Almoxarifado, concluído em fevereiro de 2016.

Elcione Simplício

Edificação: Sala dos Pesquisadores da Área Vegetal, obra sub júdice.

Arquivo Embrapa


Elcione Simplício

Gerecamp, adequação concluída em outubro 2016.

Elcione Simplício

Serviços de recapeamento de asfalto da área operacional, concluído em setembro 2016.

Elcione Simplício

Ampliação do estacionamento do SGI, com implantação de asfalto, concluído em setembro.


22

GESTÃO ORGANIZACIONAL

Gestão orçamentária e financeira Os recursos aplicados na Embrapa Gado de Corte são provenientes de orçamento governamental, de captações de recursos de receita indireta e de doações de bens e materiais. O total de recursos disponíveis foi de R$10.284.754,32, sendo que o orçamento da Unidade foi de R$7.851.562,32, a captação de recursos de receita indireta foi de R$1.969.304,76 e as doações recebidas de R$463.887,24. Fonte: SPS-CNPGC.

Destinação de recursos Os recursos recebidos foram destinados de acordo com a tabela a seguir.


PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

3.

Pixabay


24

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Indicadores técnicos-científicos

Atuação da Unidade

Foram produzidas 187 publicações entre artigos de periódicos de alto impacto a publicações da Série Embrapa, conforme tabela a seguir. Todas as publicações encontram-se disponíveis na Biblioteca da Unidade e na plataforma Ainfo (http:// www.ainfo.cnptia.embrapa.br/).

A programação de P&D e de Transferência de Tecnologia e Conhecimentos da Embrapa Gado de Corte é desenvolvida por meio de projetos em parceria com quase todas as Unidades de Pesquisa da Embrapa, além de Instituições de Ensino e de Ciência e Tecnologia nacionais e internacionais. Em 2016, a Unidade participou em 108 projetos da Embrapa e 38 financiados por outras instituições.

Fonte: NAP-CNPGC.

Fonte: NAP-CNPGC. Fonte: Ainfo-CNPGC.

Destaques de publicação Lançamento do livro “Carrapatos – protocolos e técnicas para estudo” na Dinapec A obra disponibiliza a técnicos, profissionais que atuam em sanidade animal e estudantes o acesso a um conjunto de protocolos importantes para a tomada de decisões sobre estudos relacionados a carrapatos em geral, desde a sua identificação, ecologia, doenças transmitidas e, principalmente, ações de prevenção e controle do carrapato-do-boi. Capa da publicação: Carrapatos – Protocolos e Técnicas para Estudo


PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Novos conhecimentos e tecnologias Abaixo são apresentados e descritos alguns dos novos conhecimentos e tecnologias desenvolvidos pela Embrapa Gado de Corte em parceria com outras Unidades da Embrapa e instituições públicas e privadas no ano de 2016. Sistemas de Produção Pacto Sinal Verde pela Qualidade da Carne Bovina O Pacto Sinal Verde pela Qualidade da Carne Bovina é uma política pública que tem como objetivo atender às novas demandas dos consumidores brasileiros e internacionais, como estratégia para alavancar a produção e a comercialização da carne bovina do Estado do MS, e sua ampliação para outros Estados. Sob a coordenação do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, liderança técnica da Embrapa Gado de Corte, em parceria com a Associação Brasileira da Indústria Exportadora de Carnes (ABIEC), Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), Associação de Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Novilho Precoce, e com o apoio da JBS S/A, o pacto visa uma política pela qualidade da cadeia produtiva da carne bovina. Foram realizadas as caracterizações e o diagnóstico da matériaprima produzida no Estado do MS, com

25

determinação do perfil dos bovinos recebidos pela indústria com análise das características de qualidade das carcaças dos animais abatidos no período estudado. Foram também identificados os pontos críticos e as potencialidades regionais, bem como os eventos sanitários ocorridos no período. A partir dos resultados obtidos estão sendo elaboradas diversas políticas públicas visando potencializar o desempenho, bem como minimizar os gargalos da cadeia da pecuária de corte no estado de Mato Grosso do Sul, a exemplo do Programa de bonificação pela qualidade da carne PROAPE-PRECOCE MS (http:// www.sepaf.ms.gov.br/proape/). Conhecendo os problemas, é possível interferir no desempenho do setor por meio de políticas públicas e soluções tecnológicas. Além disso, existe a previsão de que esses estudos sejam expandidos para outros Estados da Federação, a exemplo de Rondônia, onde já foi realizado um diagnóstico semelhante. A expectativa oriunda desses trabalhos é melhorar a qualidade das carcaças bovinas do Brasil e, como consequência, melhorar a eficiência e lucratividade de todos os agentes envolvidos na cadeia da pecuária de corte. Por fim, pode-se destacar também o fortalecimento das redes de parceria envolvendo as instituições citadas, as quais são fundamentais para o levantamento de demandas tecnológicas que irão subsidiar a Agenda de Prioridades e Programática das Unidades que trabalham com pecuária de corte na Embrapa.

Kadijah Suleiman

BRS Tamani

Rodrigo Alva


26

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Kadijah Suleiman

Protocolo Carne Carbono Neutro Trata-se de uma nova abordagem para a produção de carne nos trópicos, agregando valor à carne brasileira por meio de sua certificação quanto à mitigação dos gases de efeito estufa e melhor bem-estar dos animais. A “Carne Carbono Neutro” (CCN) é uma marca-conceito, parametrizável e auditável, que visa atestar a carne bovina produzida em sistemas de integração do tipo silvipastoril (pecuária-floresta) ou agrossilvipastoril (lavoura-pecuária-floresta), por meio do uso de protocolos específicos que possibilitam o processo de certificação. Seu principal objetivo é garantir que os animais que deram origem ao produto tiveram as emissões de metano entérico compensadas durante o processo de produção, pelo crescimento de árvores no sistema. Além disso, garantir, pela presença de sombra, que os animais estejam em ambiente termicamente confortável, com alto grau de bem-estar, preceitos que fortalecem a marca e que estão intimamente ligados ao marco referencial da ILPF. O lançamento da marca foi um marco importante para a agropecuária brasileira, com repercussão e alcance nas esferas políticas e produtivas nacionais e internacionais. A partir disso, o Estado do Mato Grosso do Sul iniciou o processo para

se tornar o primeiro estado carbono neutro do Brasil e está desenvolvendo políticas públicas para promover a marca CCN em seu território. Seu uso está sendo validado em outros biomas brasileiros, além do Cerrado, visto que já existem tecnologias desenvolvidas e disponíveis para implantação e manejo de ILPF, considerando-se as peculiaridades de cada região. Ressalta-se a estratégica de condução de dez unidades de referência tecnológica (URTs) em diferentes regiões do Brasil, integradas à Rede de Fomento de ILPF, para a divulgação de dados e protocolos regionalizados. Dada a repercussão positiva no setor e a agregação de valor do CCN à pecuária de corte e à carne brasileira, a marca-conceito CCN será um importante facilitador para o programa ABC, contribuindo para aumentar o nível de adoção de sistemas de ILPF no território nacional e a produção de carne ecoeficiente e melhor remunerada. Dois pontos importantes a serem ressaltados: esta tecnologia é inovadora e 100% brasileira, não havendo iniciativas similares no mercado à época de sua proposição. Adicionalmente, o CCN tem sido apresentado como ponto de discussão nas missões e rodadas de negociação do MAPA e do Ministro da Agricultura do Brasil no exterior.


PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Dispositivo vestível de mensuração automatizada de parâmetros fisiológicos bovinos e ambientais – BEP Trata-se de um dispositivo vestível (equipamento, método e sistema) nãoinvasivo, com fixação externa no animal, para monitoramento simultâneo de sinais fisiológicos do animal e parâmetros climáticos do ambiente, em intervalos de tempo programáveis. Esta é a primeira tecnologia vestível aplicada à agropecuária desenvolvida no Brasil. O BEP é composto por elementos de hardware e software, que envolvem circuitos eletrônicos para controle e acionamento de sensores (de oximetria, temperatura cutânea, luminosidade, radiação UV, temperatura e umidade do ambiente). Visa adquirir e determinar variáveis de frequência cardíaca e respiratória, temperatura cutânea, luminosidade, temperatura do ar, umidade relativa, radiação UV do ambiente, entre outras. A aquisição e visualização dos dados são realizadas pelo usuário final, por meio de

27

software instalado em dispositivo móvel (tablet ou smartphone). Esse software, além dessas funções, também é capaz de controlar e programar o funcionamento do equipamento acoplado ao animal. O BEP tem aplicação para determinar parâmetros de comportamento e bem-estar animal, reprodução, sanidade, nutrição, status sanitário do animal ou do rebanho, rastreabilidade e certificação da origem do produto, determinação do conforto/ estresse térmico do animal ou do rebanho em determinado ambiente, dentre outras aplicações. Possui características e funcionalidades singulares, o que permite vislumbrá-lo como produto com tecnologia diferenciada no mercado de gestão de sistemas pecuários, monitoramento e controle do bem-estar animal, e gestão de processo produtivo e desempenho animal individual ou de rebanho. Além disso, a plataforma eletrônica é não-invasiva, de baixo custo e totalmente integrada com tecnologias de comunicação de dados sem fio, o que possibilita a aquisição e acompanhamento em tempo real, de maneira flexível, e de fácil instalação e utilização.

Kadijah Suleiman


28

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Produção Vegetal BRS RB 331 Ipyporã – Cultivar híbrida de Brachiaria Rodrigo Alva

O excelente ganho de peso vivo por animal e por área apresentado pela BRS Ipyporã em ensaios sob pastejo associado ao alto valor nutritivo da forragem disponível faz dessa cultivar uma importante forrageira. A BRS Ipyporã é recomendada para diversificar os sistemas de produção de bovinos de corte, resultando em maior desempenho por animal e, consequentemente, reduzindo a idade de abate. Adicionalmnete, trata-se da cultivar de Brachiaria, disponível no mercado, com maior resistência a cigarrinha (mais importante praga das pastagens tropicais). Como consequência, tem-se carne de melhor qualidade e menor emissão de gases de efeito estufa, isto é, um sistema de produção mais sustentável. Pode ainda ser recomendada para as categorias de exigência nutricional mais elevada, tais como bezerros desmamados, vacas em terço final de gestação e em lactação. A BRS Ipyporã é resultado de um cruzamento entre B. ruziziensis e B. brizantha realizado em 1992, na Embrapa Gado de Corte, e liberado pela Embrapa em 2016 em parceria com a Unipasto, após 13 anos intermitentes de avaliações. É uma planta de porte baixo, prostrada com colmos delgados de bainhas muito pilosas e folhas pilosas em ambas as faces. As espiguetas são uniseriadas e com pouca ou nenhuma pilosidade. A BRS Ipyporã entra no mercado para suprir a demanda por uma cultivar de Brachiaria de boa produtividade e manejo relativamente

fácil, como a cv. Marandu; porém com elevado grau de resistência à cigarrinha da cana do gênero Mahanarva, além de apresentar resistência às cigarrinhas típicas de pastagem dos gêneros Deois e Notozulia, principais insetos-praga de pastagens de braquiária no Brasil. A BRS Ipyporã é semelhante à cv. Marandu quanto ao manejo, formando um relvado mais prostrado e denso, com alta porcentagem de folhas, resultando, portanto, em excelente cobertura do solo e competição com invasoras. A carência de cultivares adaptadas a solos de média fertilidade com bom valor nutritivo e com resistência à cigarrinha Mahanarva faz dessa cultivar uma importante alternativa para diversificar áreas hoje plantadas unicamente com as cvs. Marandu, Xaraés e BRS Piatã. BRS Quênia – cultivar híbrida de Panicum maximum

Rodrigo Alva

A BRS Quênia é uma cultivar híbrida de Panicum maximum desenvolvido pela Embrapa Gado de Corte e parceiros e vem para o mercado para suprir uma demanda por um material mais produtivo e de excelente qualidade, de porte intermediário, com folhas macias e colmos tenros, alto perfilhamento e de fácil manejo. Nos ensaios regionais nos Estados do Acre, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal, a cv. BRS Quênia apresentou bom desempenho agronômico e produtividade, com alta adaptação em todos os locais avaliados. Na avaliação sob pastejo no Acre e no Mato Grosso do Sul, a nova cultivar apresentou maior ganho em peso


Pixabay

individual e por área que as cultivares de P. maximum Tanzânia e Mombaça. Esta cultivar apresenta arquitetura de planta que resulta em altos níveis de ganho de peso por animal e proporciona facilidade de manejo, por manter baixo alongamento dos colmos, característica que a diferencia entre todas as cultivares comerciais de porte médio a alto. O lançamento de novas cultivares de P. maximum resulta em grande impacto devido à extensão em área que a espécie ocupa, em torno de 20 milhões de hectares, favorecendo toda cadeia produtiva, desde os pecuaristas, os produtores de sementes e o mercado da carne. Entre todas as espécies vegetais pesquisadas pela Embrapa, P. maximum é a que contribui com o maior impacto econômico da Empresa. As cultivares Mombaça e Tanzânia, lançadas pela Embrapa Gado de Corte e parceiros na década de 1990, têm sido responsáveis por mais de 30% do impacto econômico, em termos de incremento de produtividade, no balanço social da Embrapa desde 2005 até os dias atuais. Uma vez que a cv. BRS Quênia supera estas duas em termos de desempenho e produtividade animal, espera-se que o impacto desta forrageira seja muito expressivo. A geração de divisas externas com a exportação das sementes a países da América Central e do Sul favorece o mercado de sementes e todos os setores ligados à produção de sementes forrageiras. As cultivares Tanzânia e Mombaça são responsáveis por 16% da exportação de sementes de forrageiras no Brasil, portanto o mercado internacional

para o BRS Quênia é muito promissor e deverá superar as cultivares disponíveis no mercado de forrageiras tropicais.

Produção Animal Programa de modernização da produção de bovinos no Estado de MS (PROAPEPrecoce/MS) A nova política PROAPE-Precoce modernizou a antiga política de incentivo à produção de novilho precoce no Estado do MS e a direcionou para o estímulo da adoção de boas práticas agropecuárias, a adoção de tecnologias de baixo carbono, a gestão sanitária individual, o associativismo e a melhoria na qualidade da carne. Reformulação do programa de incentivo à produção de novilho precoce no Estado do Mato Grosso do Sul, processo no qual a Embrapa contribuiu para a definição de critérios técnicos para classificação de carcaças e estabelecimentos rurais, é a base para o novo programa. O novo programa traz inovações, como, por exemplo, a valorização de propriedades rurais que adotam boas práticas agropecuárias e técnicas de produção de baixa emissão de carbono, tais como ILP (integração lavoura-pecuária) e ILPF (integração lavoura-pecuária-floresta). Além disso, valoriza a gestão sanitária e o associativismo, contribuindo para a evolução da pecuária do Estado, aumento da geração de renda pela produção precoce e maior giro na cadeia produtiva pecuária do MS.


30

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

O PROAPE-Precoce foi formulado com plenos subsídios técnicos da Embrapa Gado de Corte, cuja política foi estabelecida por meio do Decreto 14.526 de 26/07/2016 do Governo do Estado do MS e da Resolução Conjunta SEFAZ/SEPAF Nº 69 DE 30/08/2016. Estratégia de suplementação a pasto para sistemas de produção de novilho precoce

semelhantes e satisfatórios do nascimento ao abate, sendo opções igualmente recomendáveis para a produção de novilhos precoces. Ressalta-se que estas recomendações devem ser adotadas com ciência por parte do produtor do sistema de produção adotado na pesquisa. A adoção destas recomendações pela cadeia produtiva da carne bovina pode representar ganhos em produtividade, eficiência e qualidade do produto, possibilitando maior inserção do Brasil em mercados internacionais mais exigentes, além de aumentar a rentabilidade em todos os elos da cadeia. Aplicativo móvel do Sumário de Touros Senepol

Arquivo

Trata-se de recomendações de estratégias de cruzamentos que podem ser utilizadas por produtores de gado de corte para a produção de novilhos precoces. As estratégias de cruzamentos avaliadas consistiram do acasalamento, via inseminação artificial, de matrizes Nelore, ½ Angus + ½ Nelore e ½ Caracu + ½ Nelore, com touros Caracu, Canchim e Braford, em estação de monta de verão. Todas foram caracterizadas quanto ao desempenho, à eficiência alimentar, à qualidade da carcaça e da carne, permitindo assim a eleição daquelas que geraram os melhores resultados. De forma geral, as progênies dos três diferentes grupos genéticos de matrizes tiveram resultados semelhantes e satisfatórios do nascimento ao abate. Portanto, o uso de qualquer uma das opções pode ser recomendado para a produção de novilhos precoces. Da mesma forma que as matrizes, as progênies das três raças de touros avaliadas apresentaram resultados

Internet

O Sumário de Touros Senepol para smartphone (android) permite a consulta dos resultados de avaliação genética de touros da raça Senepol (DEPs e acurácias). Além dos resultados em si, como forma de complementar a informação, estão disponíveis artigos técnicos, bem como estatísticas sobre o Programa de Melhoramento da raça Senepol, conduzido pelo Programa Geneplus. O acesso rápido e fácil dessas informações ao setor produtivo colabora para a promoção do progresso genético da raça Senepol e consequentemente beneficia a cadeia produtiva da carne bovina brasileira (https://play.google.com/ store/apps/details?id=br.embrapa. geneplus.senepol&hl=pt-BR).


PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Avaliação de métodos para detecção de Escherichia coli e Salmonella em carcaças bovinas Pixabay

Foram avaliadas metodologias de PCR convencional, PCR em tempo real e MALDI-TOF, comparativamente à técnica bioquímica tradicional, para identificação de Escherichia coli e Salmonella em carcaças bovinas. Estas metodologias alternativas permitiram uma economia em tempo de diagnóstico, o qual representa um avanço para a rotina de abatedourosfrigoríficos. As tecnologias testadas e desenvolvidas podem ser usadas em programas sanitários do MAPA, em laboratório referência ou particulares, que prestam serviços aos abatedouros. Desta forma, atende ao conceito de apoio institucional aos programas de defesa sanitária do MAPA.

Cooperações para Pesquisa e Desenvolvimento Foram celebrados 12 contratos de cooperação voltados ao desenvolvimento de novos conhecimentos e tecnologias. Todos os Instrumentos Jurídicos formalizados pela Embrapa podem ter seu extrato encontrado no Diário Oficial da União. Contratos para Pesquisa e Desenvolvimento

Fonte: SPAT-CNPGC.

31


32

PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Eventos técnico-científicos

disponíveis para o melhoramento de culturas agrícolas importantes do Cerrado. O evento aconteceu entre os dias 14 a 16 de junho, na Unidade, e contou com cerca de 100 participantes. Houve um curso "Melhoramento e biotecnologia aplicada ao desenvolvimento de cultivares de forrageiras tropicais”, seguido de palestras com profissionais de universidades e outras instituições. O Workshop foi encerrado com a parte prática do curso, na qual os participantes foram ao campo para conhecer os programas de melhoramento de Brachiaria e Pacinum maximum da Embrapa.

12ª Jornada Científica A Jornada Científica da Embrapa Gado de Corte (JCEGC) é realizada em Campo Grande-MS, desde 2005, e foi criada com o intuito de valorizar o trabalho de estagiários, bolsistas e pós-graduandos da Embrapa Gado de Corte e de outras instituições de ensino. Divididos em categorias – Doutorado/DCR, Mestrado/Apoio Técnico e Iniciação Científica –, os estudantes apresentam as pesquisas da Unidade em suas mais diversas linhas de atuação. Em 12 anos, a JCEGC tornou-se um ambiente aberto e dinâmico, propício para a troca de ideias entre alunos, pesquisadores e demais participantes. Neste ano, 57 resumos foram submetidos e, ao fazer a inscrição, os participantes doaram caixas de leite que somaram mais de 260 litros que foram encaminhados à instituição Rotary Club “Sem Fronteiras” de Campo Grande – MS.

2º Workshop de Melhoramento Vegetal O Workshop foi promovido pela Embrapa e Universidade Federal da Grande Dourados e realizado pela Diretoria da Regional de Mato Grosso do Sul, filiada à Sociedade Brasileira de Melhoramento de Plantas (SBMP), com a finalidade de promover um fórum de discussões sobre os avanços e as estratégias biotecnológicas

Workshop Interno de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta Durante os dias 3 e 4 de novembro, 25 profissionais que trabalham com sistemas integrados de produção discutiram experimentos em andamento desde 2008 de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) e de integração lavoura-pecuária (ILP). Foram apresentados e comentados resultados e experiências vividas com os projetos. A reunião oportunizou aos participantes a discussão de entraves que normalmente ocorrem no decorrer de um experimento e a construção coletiva de soluções.


Pixabay


TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

4.

Pixabay


TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

Formação e capacitação por meio de educação a distância Fruto de parceria e cooperação técnica com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) Administração Central, a partir de 2016 foram oferecidos programas de capacitação por meio de Educação à Distância (EAD) em Sistemas Integrados de Produção Lavoura-Pecuária-Floresta (http://ead.senar.org.br/cursos/ilpf/) e Bovinocultura de Corte (http://ead. senar.org.br/cursos/bovinocultura-decorte/). Para o tema ILPF foram capacitados mais de 7 mil profissionais e para o tema bovinocultura de corte, 4.777 profissionais. Capacitação por meio de EAD em ILPF no ano de 2016 em parceria com o SENAR

Capacitação por meio de EAD em Bovinocultura de Corte no ano de 2016 em parceria com o SENAR

35


36

TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

Rodrigo Alva

XI DINAPEC – Dinâmica Agropecuária A 11ª edição da DINAPEC aconteceu entre os dias 9 e 11 de março e, pela primeira vez, a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (FAMASUL), tradicional parceira da Embrapa, participou como correalizadora. O evento ofereceu 10 roteiros e 15 oficinas tecnológicas para visitação, envolvendo tecnologias nas áreas de sistemas agrícolas integrados, pecuária de corte e leite, ovinocultura, produção de milho, novas cultivares de forrageiras, sanidade animal, melhoramento animal, manejo de pastagens, produção sustentável de leite, gestão rural, entre outros. A feira conta tradicionalmente com a participação de várias unidades da Embrapa e outros parceiros do agronegócio, o que possibilita a apresentação de uma maior diversidade de tecnologias aplicáveis a diversas cadeias produtivas. A Embrapa contou com o auxílio de importantes parceiros para o sucesso do evento, destacando-se: Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), Associação Para o Fomento à

Pesquisa de Melhoramento de Forrageiras (Unipasto), Fundação MS, Programa de Melhoramento Genético (Geneplus), Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Micro Empresa (Sebrae/MS), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS) e Serviço Social do Comércio (Sesc/MS). Durante o evento foram lançados o livro Carrapatos – protocolos e técnicas para estudo e o aplicativo para dispositivos móveis “Sumário de Touros Geneplus/Embrapa – Nelore”. Ainda na ocasião, foi realizada a entrega dos certificados de conclusão de curso (Turma 2015) para os alunos do Núcleo de Transferência de Tecnologia e Capacitação em Pecuária de Corte (Agroescola). Nos três dias do evento foi registrada a presença de cerca de 2.000 pessoas. O público predominante foi de produtores e empresários rurais (de pequenas a grandes propriedades), técnicos, assentados da reforma agrária (do Brasil e de países vizinhos como Bolívia e Paraguai) e estudantes de escolas técnicas rurais e universidades tanto do estado de Mato Grosso do Sul quanto de outras regiões do Brasil.


PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Agroescola O projeto Agroescola tem como objetivo levar o conhecimento e as tecnologias geradas na Embrapa Gado de Corte aos setores de formação, capacitação e qualificação do trabalhador, utilizando as condições de geração e prática tecnológica de pecuária de corte existentes no Centro de Pesquisa. O curso está dividido em cinco módulos, com aulas teóricas e práticas abrangendo as áreas de melhoramento animal, sanidade animal, pastagens, ovinocultura e sistemas integrados de produção. As aulas teóricas e práticas ocorrem em período integral, de segunda a sexta-feira, totalizando uma carga horária de 1.600 horas. O programa possui abrangência Estadual e as bolsas são concedidas pela Fundação de Ciência e Tecnologia do Estado do Mato Grosso do Sul (Fundect). A maioria dos participantes é egressa das 14 escolas técnicas agrícolas ou agropecuárias, localizadas em 12 municípios das diversas regiões do Estado. Em 2016, a equipe de TT visitou cada uma dessas escolas com o objetivo de divulgar a Agroescola e atrair mais alunos para o processo seletivo. Esta iniciativa e o aumento do valor das bolsas para R$ 1.300,00, tornaram o processo de seleção bastante competitivo. Em 2016, o programa Agroescola completou 5 anos de existência, consolidando-se como um programa de especialização de nível médio em bovinocultura de corte. Desde 2012, já formou 51 técnicos especialistas, sendo que outros 12 concluirão o curso no início do próximo ano. A maioria dos alunos coloca-se rapidamente no mercado de trabalho ou seguem para a universidade a fim de melhor se qualificarem na área de ciências agrárias (agronomia, medicina veterinária ou zootecnia). Dinapec 2015

37

Formação de agentes multiplicadores externos de TT No ano de 2016, foram preenchidas 457 vagas em cursos e especializações destinados a agentes multiplicadores de conhecimentos e tecnologias com cargahorária total de 34.116 horas.

Fonte: SPAT-CNPGC.


38

TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

Cooperações em Transferência de Tecnologia Contratos de cooperação técnica, entre outros Foram realizados seis contratos relacionados à transferência de tecnologia e conhecimentos da Embrapa Gado de Corte. O objetivo destes contratos é a transferência de tecnologia e conhecimentos desenvolvidos pela Unidade, por meio de capacitações, eventos (simpósios, congressos e afins) e publicações de livros. Os principais contratos estão elencados a seguir:

Fonte: SPAT-CNPGC.

Pixabay


TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

Licenciamentos

Logomarca BRS Paiaguás

Em 2016 foi aberto o processo de licenciamento de uma cultivar da Unidade, sendo licenciada para três empresas.

Logomarca BRS Zuri

Fonte: SPAT-CNPGC.

BRS Piatã

Propriedade Intelectual Dois ativos de inovação tiveram seu pedido de proteção solicitado ao INPI e dois outros ativos tiveram certificado de proteção definitiva concedido no exterior.

Dalízia Aguiar

39


40

TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA

Licenciamento de Campos de Produção de Sementes de Forrageiras Visando a produção e comercialização de sementes de forrageiras tropicais desenvolvidas pela Embrapa Gado de Corte, no ano de 2016 foram firmados, em parceria com a Embrapa Produtos e Mercado, 99 contratos de Licenciamento para Multiplicação e Exploração Comercial de Sementes:

( 1 ) C o nt rato s co m vigên c ia inicial em 2016 Fonte: SPAT-CNPGC.


COMUNICAÇÃO

5.

Dalízia Aguiar


42

COMUNICAÇÃO

Relacionamento com Cliente O Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) atendeu ao longo de 2016 um total de 364 solicitações de informação sobre as tecnologias, produtos e serviços desenvolvidos pela nossa Unidade. O número de atendimentos por assunto pode ser verificado na tabela a seguir:

Fonte: NCO-CNPGC.


COMUNICAÇÃO

Dalízia Aguiar

Além dos atendimentos pelo SAC, nossa equipe do Núcleo de Comunicação em parceria com a de Transferência de Tecnologia realizou atendimentos presenciais e via telefone.

Imprensa Em 2016, a Embrapa Gado de Corte obteve destaque em vários veículos de comunicação nacionais – impressos, internet, TV, rádio e multimídia. Identificadas, tivemos 972 inserções no total – não contemplados aqui duplicações de matérias que não foram rastreadas (um crescimento de cerca de 39% em relação ao ano anterior).

Destaques Impresso Correio do Estado (Correio Rural) – março Dinapec mostra melhoramento animal e novas tecnologias Jornal Agroin – junho Dia de Campo na Embrapa mostra como produzir carne sustentável nos trópicos Revista Nelore – julho Workshop de melhoramento vegetal pela Embrapa Revista DBO 431 – setembro McDonald´s busca carne verde (citação BPA) Online Página Rural – janeiro MS: na Dinapec, Embrapa destaca desbaste de eucalipto em ILPF

Freepik

Beefpoint – junho Embrapa lança marca conceito para incentivar política de Carbono Neutro

43


44

COMUNICAÇÃO

destaque ainda é para as ações de divulgação da Dinapec, com a inserção de anúncios sobre as temáticas abordadas.

Parceria – Programa Tecnologia e Produção O quadro televisivo Tecnologia e Produção, produzido em parceria com o Sistema Brasileiro do Agronegócio/Canal do Boi desde 2007, já conta com 4.523 inscritos no seu canal, e teve 95 edições em 2016, onde pesquisadores e analistas foram entrevistados sobre diversos temas relacionados com o agronegócio.

Redes Sociais

Bitly Encurtador de links que possibilita controle sobre diversas estatísticas relativas ao clique (total de cliques, local, origem do clique, dentre outros). O serviço começou a ser utilizado a partir de setembro de 2015, por recomendação da equipe de mídias digitais da Secom (Secretaria de Comunicação – Embrapa). Em 2016 o total de cliques foi de 1.840, tendo o Brasil com 1.660 origem dos cliques. Destaque para o link que remete a matéria veiculada no Globo Rural Responde, intitulada ‘‘Por que o bezerro não ganha peso?’’, com 227 cliques.

Facebook As ações realizadas no Facebook terminaram o período analisado com um alcance total de 18.391, um crescimento de 29,7% em relação ao período anterior. O

Twitter Com participação desde setembro de 2010, o Twitter registrou um total de 4.790 tweets, atingindo um total de 10.300 seguidores. O perfil atingiu um total de 4.294 curtidas acumuladas desde o início de suas atividades. Destaque para o “tweet” de agosto de 2016, “Avaliação genética e provas de desempenho de Senepol são temas do melhorista Gilberto Romeiro. #ExpoMS’’

Youtube O Canal Tecnologia e Produção atingiu um total de 4.524 inscritos. No período foram registradas 269.164 visualizações, sendo a duração média de minutos de visualizações de 2 minutos e 34 segundos. Os locais mais acessados foram Brasil (94%), Estados Unidos (1,1%) e Portugal (0,7%). As origens de tráfego foram: vídeos sugeridos (65%), Pesquisa do Youtube (15%) e Externa (9,5%). O destaque foi o vídeo “Preparo do solo | Pastagem”.

FAQ Durante o período analisado, o total de visualizações de páginas foi de 211.280, com um tempo médio na página de 3 minutos e 27 segundos''. Os locais de mais acessos foram, Brasil (93,7%), Portugal (1,65%) e Moçambique (0,82%). O acesso com dispositivos mobile cresceu 10,38% no período, um total de 87,80% de novas sessões de acesso.

Freepik


BALANÇO SOCIAL

6.

Pixabay


46

COMUNICAÇÃO

Balanço Social Contribuições da Embrapa Gado de Corte

Capim-Massai

Rodrigo Alva

Fonte: Balanço Social da Embrapa, 2016.

Ações Sociais voltadas ao público externo As ações sociais voltadas ao público externo da Unidade estão apresentadas abaixo: · Núcleo de transferência de tecnologia e capacitação em pecuária de Corte – Agroescola; · Cursos, dias de campo, visitas, reuniões técnicas, clínicas tecnológicas e palestras; · 11ª Dinapec - Dinâmica Agropecuária Feira de Tecnologias da Embrapa e Parceiros; · Embrapa Gado de Corte recebe 241 estagiários, bolsistas e estudantes de pósgraduação em 2016; · Programa Tecnologia e Produção, parceria Embrapa Gado de Corte e Canal do Boi; · Apresentação de Inovações Tecnológicas da Embrapa Gado de Corte em feiras e exposições agropecuárias; · 12ª Jornada Científica Embrapa Gado de Corte. · Campanha Natal Solidário junto aos Correios.

Capim-Marandu

Arquivo Embrapa

BRS Mombaça

Arquivo Embrapa


NOSSOS TALENTOS

7.

Rodrigo Alva


48

NOSSOS TALENTOS

ADÃO WILLIAN MARQUES DE ARRUDA ADELINO TOMAZ DE OLIVEIRA - ADEMAR PEREIRA SERRA - ADEMILSON DA SILVA OLIVEIRA - ADEMIR HUGO ZIMMER ADRIANA DA SILVA - AGNELSON MARTINS DE SOUZA - ALBERTO MACHIENSE DE ARRUDA ALCIOVANE JOÃO DO SETE - ALESSANDRA CORALLO NICACIO - ALEXANDRA ROCHA DE OLIVEIRA - ALEXANDRE ROMEIRO DE ARAÚJO - ALTAIR CONCEIÇÃO CORRÊA - AMÂNCIO GEOVANE VACCARI - AMÉRICO BATISTA - ANA PAU L A S I V I E I RO L E I T E - A N D E RS O N APARECIDO DA SILVA SANTOS - ANDRE DOMINGHETTI FERREIRA - ANDRÉA ALVES DO EGITO - ANDREA GONDO - ANELISE SULZBACH - ANNA BEATRIZ ROBOTTON FERREIRA - ANTÔNIO CARLOS FÉLIX BARBOSA - ANTÔNIO DO NASCIMENTO FERREIRA ROSA - ANTÔNIO THADEU MEDEIROS DE BARROS ARAMI DA SILVA CHARÃO - ARI DA SILVA CHARÃO - ARMINDO NEIVO KICHEL - BENÍCIO LIMA ARGUELO - BOAVENTURA DE ARRUDA MORAES - BRUNO ANDRADE AZEVEDO CACILDA BORGES DO VALLE - CAMILO CARROMEU - CARLO CÉSAR SIMIOLI GARCIA CARLOS ALBERTO MARTINS DE OLIVEIRA CARLOS ALBERTO SOARES LUBAS - CARLOS EDUARDO BERTOLI - CATARINO DARQUE LOPES - CÉLIO ALZEMAN ROCHA - CELSO DORNELAS FERNANDES - CELSO SOUZA MARTINS - CLÁUDIA MARIA REIS DE LACERDA - CLEBER OLIVEIRA SOARES - CLODOALDO OLIVEIRA DE SOUZA - DAIANI ALVES DE MORAES - DALÍZIA MONTENÁRIO DE AGUIAR - DAVI JOSÉ BUNGENSTAB - DENISE BAPTAGLIN MONTAGNER - DILMA ALMEIDA FIGUEIREDO - DIMAS COUTO NETO DORALÍCIO CORRÊA DA SILVA - ECILA CAROLINA NUNES ZAMPIERI - EDSON ESPÍNDOLA CARDOSO - EDSON VIEIRA DE MORAES - ELCIONE RAMOS SIMPLÍCIO ELIANA CÉZAR SILVEIRA - ELIZABETE AZEVEDO JUSTINO JACOB - ÊNIO NOGUEIRA DANTAS - ERNO SUHRE - EVALDO RODRIGUES DE OLIVEIRA - EVANIR PAVÃO AMARAL -

EZEQUIEL RODRIGUES DO VALLE - FABIANA VILLA ALVES - FABIANE SIQUEIRA - FÁBIO LÚCIO PETRUCCI - FABRÍCIA ZIMERMANN VILELA TORRES - FERNANDO FALEIROS DE OLIVEIRA - FERNANDO PAIM COSTA - FILIPE TOSCANO DE BRITO SIMÕES CORRÊA FLÁBIO RIBEIRO ARAÚJO - FRANCISCO ANTONIO QUETEZ - GELSON LUÍS DIAS FEIJÓ GEZIEL NOGUEIRA DE SOUZA - GILBERTO ROMEIRO DE OLIVEIRA MENEZES - GILSON PICININ DA SILVA - GILSON REZENDE CARAMALAC - GISELE OLIVAS DE CAMPOS LEGUIZAMÓN - GRÁCIA MARIA SOARES ROSINHA - GUILHERME CUNHA MALAFAIA GUSTAVO EUGÊNIO GERHARD BARROCAS HAROLDO PIRES DE QUEIROZ - HÉLIO SOARES DE OLIVEIRA - HENRIQUE SILGUERO HERALDO MIRANDA DA FONSECA - HUGO SOARES CORADO - IONARA SALETE BERTI PEREIRA - ISAURA MEGUMI NAKA - IVAN FARIAS SILVEIRA - JACQUELINE CAVALCANTE BARROS - JANAÍNA PAULA MARQUES TA N U R E - J A Q U E L I N E R O S E M E I R E VERZIGNASSI - JARI FRANCO RIBEIRO - JEAN CARLOS NANTES GAMARRA - JOÃO BATISTA CATTO - JOÃO BATISTA DE SOUZA NETO JOÃO GOMES DA COSTA - JOÃO INFRAN JOÃO MARQUES DE OLIVEIRA - JOAQUIM JOSÉ CASTILHO - JOEL DA SILVA - JOEL FERREIRA DA SILVA - JOELCIO FARINHA ALMEIDA - JOSÉ CARLOS PEIXOTO DE MIRANDA - JOSÉ DE ALMEIDA LOBO - JOSÉ FRANCISCO DOS SANTOS - JOSÉ GOMES DE ALMEIDA - JOSÉ RAUL VALÉRIO - JOSÉ ROBERTO DE SOUZA FREIRE - JOSENEI VALE DOS SANTOS - JOSENILTO CAVALCANTE DE MIRANDA - JOSIAS DE CARVALHO - JOSIMAR L I M A D O N A S C I M E N T O - J O Z I VA L EVANGELISTA DA SILVA - JURANDIR LUIZ SOARES - KADIJAH SULEIMAN JAGHUB KAREM GUIMARÃES XAVIER MEIRELES LAUCIDIO DE ARRUDA DIAS - LAUCIDIO DE ARRUDA MORAES - LEDA MARIA DO CARMO LENITA RAMIRES DOS SANTOS - LEONDRE DE OLIVEIRA SANTOS - LIANA JANK - LIANGE DE


NOSSOS TALENTOS

OLIVEIRA DIEHL - LOURIVAL DE JESUS - LÚCIA FÁTIMA DE ALMEIDA ROSA - LÚCIA GATTO LUCIANO RONDON FERRAZ - LUCIMARA CHIARI - LUIS CARLOS GAUNA GOMES - LUIZ ANTÔNIO DIAS LEAL - LUIZ ANTÔNIO FERNANDES - LUIZ DE JESUS - LUIZ OTÁVIO CAMPOS DA SILVA - MANUEL CLÁUDIO MOTTA MACEDO - MARCELO CASTRO PEREIRA - MARCELO PASCHOAL DE OLIVEIRA MARCELO ZENÓBIO PINTO - MÁRCIO RAMÃO JULIO LOPES - MARCO ANTÔNIO DA SILVA MARCO ANTÔNIO MARQUES - MARCOS AMARAL DE MATOS - MARCOS ANTÔNIO MADUREIRA - MARGARETH VIEIRA BATISTA MARGARIDA MARIA DE FIGUEIREDO PINHEIRO - MARIA GORETTI DOS SANTOS MARIA IZILDINHA RIBEIRO - MARIA SOLANGE MARTINS - MARIANA DE ARAGÃO PEREIRA MARIANE DE MENDONÇA VILELA - MARILENE VEIGA MIRANDA FONSECA - MARLEI DE SOUZA VICENTE - MARLENE DE BARROS COELHO CAVIGLIONI - MARTA PEREIRA DA SILVA - MARY LÚCIA ARGUELO BRAGA MATEUS FIGUEIREDO SANTOS - MAXWELL PARRELA ANDREU - NEWTON VALÉRIO VERBISCK - NÍBIA QUEIROZ DE PAULA ODIVALDO NANTES GOULART - OGUIMAR APARECIDO FLORES DA SILVA - OTÁVIO FERNANDES DA SILVA - PAULA DE ALMEIDA BARBOSA MIRANDA - PAULINO GAUNA GOMES - PAULO CESAR DA LUZ - PAULO HENRIQUE DUARTE CANÇADO - PAULO HENRIQUE NOGUEIRA BISCOLA - PAULO ROBERTO DUARTE PAES - PEDRO PAULO PIRES - QUINTINO IZIDIO DOS SANTOS NETO RAFAEL GERALDO DE OLIVEIRA ALVES RAFAEL LOBO SABER GUIMARAES - RAMÃO BATISTA DA COSTA - RAMÃO JORGE MARIANO - RAMIRO BERNARDO DA SILVA FILHO - RAQUEL BETHANIA REZENDE ABREU RAUL DOMINGUES DE ALMEIDA - RENATA POLLAK BENITES - RENATO ANDREOTTI E SILVA - RENATO HENRIQUE MARÇAL DE OLIVEIRA - RICARDO ALEXANDRE E SILVA CAVALHEIRO - RICARDO LUIZ PETRI - RICARDO

49

SERPA - RINALDO DÁRIO BANDEIRA DUARTE ROBERTO AUGUSTO DE ALMEIDA TORRES JÚNIOR - ROBERTO GIOLO DE ALMEIDA ROBERTO MARÓSTICA - RODINEY DE ARRUDA MAURO - RODRIGO AMORIM BARBOSA - RODRIGO CARVALHO ALVA RODRIGO DA COSTA GOMES - RODRIGO DE OLIVEIRA CINTRA - RODRIGO LUIZ CHAVES DE CAMPOS - ROGÉRIO PACHECO DA SILVA RONALDO LUIZ DA SILVA - RONNEY ROBSON MAMEDE - ROSANA TERESINHA SANTIN DE ALMEIDA - ROSANE DA SILVA - ROSÂNGELA CEZAR FIGUEIRA - ROSÂNGELA MARIA SIMEÃO RESENDE - RUBENS BELUZZO RIBEIRO - RUBENS LUIZ SOARES - SAMUEL BARBOSA DA FONSECA - SANDRA APARECIDA CORREA NUNES - SANDRA HELENA RATIER SANDRO SÍLVIO PINHEIRO - SANZIO CARVALHO LIMA BARRIOS - SATURNINO DE ASSUNÇÃO PINTO - SEBASTIÃO ALMEIDA DA FONSECA - SEBASTIÃO JORGE FRANCO SERGIO RAPOSO DE MEDEIROS - SILVANO CALIXTO - THAÍS BASSO AMARAL - VAGNER APARECIDO DA SILVA MARTINS - VAGNER RAMALHO NUNES - VALDEMIR ANTÔNIO LAURA - VALDIR DANTAS JÚNIOR - VALDIR DE OLIVEIRA ACOSTA - VALÉRIA PACHECO BATISTA EUCLIDES - VALTER ALVES RIBEIRO VANDERLEI SEVERINO DA SILVA - VANESSA FELIPE DE SOUZA - WAGNER DOS SANTOS ZANONI - WILSON WERNER KOLLER ZIVALDO ALVES DE ALMEIDA


Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Presidente Maurício Antônio Lopes Diretores Diretor-Executivo de Pesquisa & Desenvolvimento Laudislau Martin Neto Diretora-Executiva de Administração e Finanças Vania Beatriz Castiglioni Diretor-Executivo de Transferência de Tecnologia Waldyr Stumpf Junior Embrapa Gado de Corte Chefe-Geral Cleber Oliveira Soares Chefe-Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento Lucimara Chiari Chefe-Adjunto de Administração Lúcia Gatto Chefe-Adjunto de Transferência de Tecnologia Rooney Robson Mamede Produção Núcleo de Desenvolvimento Institucional (NDI) Paulo Henrique Nogueira Biscola Nibia Queiroz de Paula Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO) Rodrigo Carvalho Alva Supervisão Editorial Rodrigo Carvalho Alva Projeto Gráfico Luiz Antonio Dias Leal, adapt. de Giselle Aragão Banco de imagens e vetores utilizados Pixabay - www.pixabay.com Freepik - br.freepik.com/ Tiragem 1ª Impressão (2017): 500 exemplares

Textos Antonio do Nascimento Rosa Cacilda Borges do Valle Camilo Carromeu Carlo César Simioli Garcia Cleber Oliveira Soares Dalízia Montenário de Aguiar Davi José Bugenstab Elcione Ramos Simplicio Eliana Cezar Silveira Ezequiel Rodrigues Do Valle Fabiana Villa Alves Fernando Faleiros de Oliveira Filipe Toscano de Brito Simões Correa Flábio Ribeiro Araújo Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Grácia Maria Soares Rosinha Guilherme Cunha Malafaia Janaína Paula Marques Tanure João Gomes da Costa Josenei Vale dos Santos Josimar Lima do Nascimento Kadijah Suleiman Jaghub Liana Jank Lúcia Fátima de Almeida Rosa Lucimara Chiari Luiz Antonio Dias Leal Margarida Maria de Figueiredo Pinheiro Marilene Veiga Miranda Fonseca Mateus Figueiredo Santos Newton Valério Verbisck Nibia Queiroz de Paula Paulo Henrique Nogueira Biscola Ramiro Bernardo da Silva Filho Renata Pollak Benites Renato Andreotti e Silva Roberto Giolo de Almeida Roberto Maróstica Rodrigo Carvalho Alva Rodrigo da Costa Gomes Ronney Robson Mamede Rosane da Silva Sandro Silvio Pinheiro Sanzio Carvalho Lima Barrios Thaís Basso Amaral Valdemir Antonio Laura Websten Cesário da Silva


Pixabay

Pixabay

Pixabay

Pixabay

Relatório Destaques 2016  

Relatório de Atividades da Embrapa Gado de Corte referente ao ano de 2016.

Relatório Destaques 2016  

Relatório de Atividades da Embrapa Gado de Corte referente ao ano de 2016.

Advertisement