Page 1

fecomércio

www.fecomerciomg.org.br

informativo

belo Horizonte - julho/agosto 2013 - edição 386

Tiragem: 150.000 exemplares Comprovada pela Soltz, Mattoso & Mendes Auditores Independentes Publicação bimestral do comércio de Bens, serviços e turismo de minas gerais - sistema fecomércio mG, sesc, senac e sindicatos

1 comércio Dia dos Pais Atendimento de qualidade é prioridade para alavancar boas vendas Página 13

2 mercado

3 Jurídico

Comércio eletrônico

Atestado falso Empresários devem ficar atentos à autenticidade dos atestados médicos Página 19

No Brasil, vendas pela internet devem chegar a R$ 28 bilhões em 2013 Página 15

Sebrae Minas

Entidades empresariais se unem pelo desenvolvimento de Minas Gerais

Representantes das entidades na reunião em Brasília para acompanhar o processo licitatório da BR-381

Desenvolver Minas Gerais, movimentar a economia e promover o crescimento empresarial. Esses são alguns dos objetivos da Agenda Minas, movimento liderado por entidades suprapartidárias com objetivo de criar mecanismos para acelerar projetos prioritários ao desenvolvimento do Estado, como a duplicação da BR-381. A Agenda Minas é formada por 11 entidades (Fecomércio MG, Fiemg, Ciemg, Faemg, FCDL-MG, CDL-MG, ACMinas, Federaminas, Fetcemg, Ocemg e Sebrae), que se uniram para chamar a atenção do governo para a importância da concretização de projetos que estão “no papel”.

Página 3

SISTEMA Na 22ª Expocachaça, Sistema Fecomércio MG recebe prEmiação

modo como ele se comporta na capital mineira. O resultado mostrou que BH está preparada para receber turistas que procuram por lazer, uma vez que vem ganhando na oferta de atrativos de entretenimento. Página 11

Divulgação

Pesquisa realizada pelo Sistema Fecomércio MG, em parceria com a Belotur, em junho, evidencia pontos positivos da cidade de Belo Horizonte: turismo, força comercial e gastronomia. A pesquisa traçou um panorama de avaliação do turista em relação ao

Fecomércio MG

Pesquisa de Satisfação do Turista mostra a força de BH

FECOMÉRCIO Empresas terão até 2014 para discriminar impostos nas notas fiscais

SENAC Instituição lança portal especial com cursos para educação a distância


2 • FECOMércio informativo • edição 386

opinião do presidente expediente Presidente Lázaro Luiz Gonzaga Vice-presidentes Emerson Beloti de Souza, Sebastião da Silva Andrade, Amâncio Borges de Medeiros, Osvaldo Fernandes Pereira Júnior, Lúcio Emílio de Faria Júnior, José Maria Facundes, Hercílio Araújo Diniz Filho, Iesser Anis Lauar Secretários Afonso Mauro Pinho Ribeiro, Bento José Oliveira, Vera Lúcia Freitas Luzia, Osvaldo Ramiro Gomes, Caio Márcio Goulart, Marcus do Nascimento Cury Tesoureiros Marcelo Carneiro Árabe, Wainer Pastorini Haddad, Maria Luiza Maia Oliveira, José Donaldo Bittencourt Júnior, José Porfiro do Carmo, Alfeu Freitas Abreu Conselho Fiscal Carlos Alberto Salvato, Carlos Wagner do Couto, Glenn Andrade Fecomércio Informativo Publicação bimestral do Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac, Sindicatos e do Sebrae Minas Contato: (31) 3270-3349 e jornais@fecomerciomg.org.br Produção – Fecomércio MG Ana Luísa Marçal – Coordenadora de Comunicação Edição: Ana Luísa Marçal, Priscilla Ázara, Wanessa Viegas Produção Editorial: Marketing Fecomércio MG Projeto Gráfico: Prefácio Comunicação Impressão: Sempre Editora Tiragem: 150.000 exemplares Comprovada por: Soltz, Mattoso & Mendes Auditores Independentes Caderno Sesc: Robínson Costa do Nascimento – Assessor de Marketing e Comunicação Camila Lôbo – Coordenadora de Comunicação Caderno Senac: Luciana Correa – Assessora de Marketing e Comunicação Márcia Misson – Coordenadora de Comunicação Caderno Sebrae: Teresa Goulart – Gerente de Comunicação Fecomércio MG: Rua Curitiba, 561, Centro, Belo Horizonte, CEP: 30 170 – 120 Sesc Minas: Rua Tupinambás, 956, Centro, Belo Horizonte, CEP: 30 120 – 070 Senac Minas: Rua Tupinambás, 1086, Centro, Belo Horizonte, CEP: 30 120 – 070 Sebrae Minas: Av. Barão Homem de Melo, 329, Nova Suíça, Belo Horizonte, CEP: 30 431 – 285

Agora, não somente as instituições clamam por reformas Prezadas e prezados empresários representados pelo Sistema Sindical do Comércio de Bens, Serviços e Turismo: As recentes manifestações sociais, que clamam por reformas há tanto tempo esperadas, demonstram o esgotamento da tolerância com aqueles a quem foram delegados poderes para executá-las. As reivindicações refletem a esperança de atenuação dos sacrifícios de todos, que, na luta pela sobrevivência, produzem e consomem bens e serviços, movimentando a economia. Há tempos, as entidades de classe anseiam por mudanças e atenção especial a vários pontos coincidentes com as reivindicações populares e, por isso, apoia os movimentos legítimos e ordeiros. As principais entidades das classes produtoras (Fecomércio MG, Fiemg, Ciemg, Faemg, FCDL-MG, CDL-MG, ACMinas, Federaminas, Fetcemg, Ocemg e Sebrae) reivindicam, em um movimento suprapartidário, cinco grandes linhas de atuação em 16 projetos, que, a nosso ver, ficaram esquecidos pelo Governo Federal em relação a Minas Gerais. São eles: Linha de atuação 1 | Projetos de investimento • Projeto 1: Investimentos da Petrobras. Linha de atuação 2 | Projetos de infraestrutura: Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) • Projeto 2: Duplicação da BR-381. • Projeto 3: Duplicação da BR-262. • Projeto 4: Construção do rodoanel metropolitano. • Projeto 5: Trem metropolitano. • Projeto 6: Outras demandas de obras de infraestrutura rodoviária prioritárias. Linha de atuação 3 | Projetos de infraestrutura: Parceria Público-Privada (PPP) • Projeto 7: Adequação da BR-262. • Projeto 8: Duplicação da BR-116. • Projeto 9: Aeroporto Internacional Tancredo Neves (AITN). Linha de atuação 4 | Projetos de Educação, Saúde, Economia do Conhecimento, Defesa Social e Cultura

Ser empresário do comércio de bens, serviços e turismo é ter a capacidade de enxergar sempre além e criar soluções com habilidade e criatividade. 16 de julho • Dia do Comerciante

• Projeto 10: Recursos para o Sistema de Educação. • Projeto 11: Recursos para o Sistema de Saúde. • Projeto 12: Economia do Conhecimento. • Projeto 13: Recursos para o Sistema de Defesa Social. • Projeto 14: Minas para sempre – patrimônio histórico e cultural de Minas Gerais. Linha de atuação 5 | Outras prioridades específicas • Projeto 15: Tribunal Regional Federal em Minas Gerais. • Projeto 16: Investimentos prioritários para prevenção e recuperação dos efeitos das chuvas recentes e intervenções estruturais de saneamento em Minas Gerais. Reformas estruturais, como política, tributária, redução da burocracia, que encarece e emperra a produção, aliadas a investimentos estruturais e na base social, como saúde e educação, são fundamentais para o desenvolvimento socioeconômico de Minas Gerais e do Brasil. As entidades que compõem o esforço pela educação, empreendedorismo, integração e elevação social estarão sempre trabalhando pela criação de um ambiente mais simplificado, justo e seguro para que as empresas e os trabalhadores possam cumprir, com dignidade, seus papéis na construção do Brasil que merecemos. Positividade Divina Sempre. Até breve...

Lázaro Luiz Gonzaga

presidente do sistema fecomércio mG, sesc, senac, sindicatos e do sebrae Minas Comunique-se conosco E-mail: presidente@fecomerciomg.org.br Telefone: (31) 3270-3308 – Fax: (31) 3201-4961 Rua Curitiba, 561, 12º andar, Centro Belo Horizonte, MG – CEP: 30170-120


FEcomércio informativo • Edição 386 • 3

Especial

Agenda Minas busca

investimentos para o Estado Sebrae Minas

Sistema Fecomércio MG abraçou a causa e faz parte do comitê gestor Paolo Xavier Está claro que para Minas Gerais se desenvolver econômica e socialmente é necessário criar o ambiente que facilite isso. Em outras palavras, são indispensáveis meios modernos de escoamento de produção, formação de profissionais qualificados, recursos para possibilitar pesquisas, linhas de crédito, entre outras medidas. As necessidades são latentes, mas o sentimento é que os recursos liberados pela União não vêm na velocidade e quantidade suficientes. Por isso, 11 entidades (Fecomércio MG, Fiemg, Ciemg, Faemg, FCDL-MG, CDL-MG, ACMinas, Federaminas, Fetcemg, Ocemg e Sebrae) se uniram para chamar a atenção do Governo Federal para o tema e criaram a Agenda Minas. Com esse movimento, as entidades buscam celeridade em projetos como a duplicação da BR-381, que se arrasta por anos. Reuniões periódicas são realizadas entre os representantes. Membro do comitê gestor da Agenda Minas, o economista da Fecomércio MG Gabriel de Andrade Ivo disse que o Sistema abraçou todo o escopo da campanha. “Estamos aproveitando a exper-

Reunião dos representantes das entidades que fazem parte da Agenda Minas

tise de técnicos do Senac e do Sebrae Minas, nossos parceiros, para formatar projetos na área de educação e Economia do Conhecimento e colocá-los como proposta”, explica. O presidente do Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac, Sindicatos e do Sebrae Minas, Lázaro Luiz Gonzaga, resume as expectativas da entidade com a Agenda Minas. “A conquista de obras e investimentos desse porte cria um círculo virtuoso e impacta diretamente no comércio de bens, serviços e turismo. Por isso, estamos engajados com a Agenda Minas desde o início com o intuito de fortalecer nossos representados”, completa. A previsão é que o plano de ação do movimento e os projetos sejam finalizados pelas entidades em julho.

Depois, serão feitas as articulações com os poderes Legislativo e Executivo para que essas propostas ganhem os canteiros de obras, salas de aulas, laboratórios, entre outros espaços. O Comitê Gestor da Agenda Minas (CGAM) discute e estuda todos os assuntos da agenda e conta com os 11 representantes das entidades com o objetivo de debater os projetos, como: duplicação da BR-381; construção do Rodoanel Metropolitano; adequação do Anel Rodoviário de Belo Horizonte; recursos para o Sistema de Educação; Economia do Conhecimento; recursos para o Sistema de Defesa Social; Tribunal Regional Federal de Minas Gerais; Marco Regulatório da Mineração.

Wanessa Viegas Orientar os sindicatos na construção de plano de negócios foi a principal meta dos dois encontros do Sistema de Excelência em Gestão Sindical (Segs), que ocorreram nos dias 25 de abril e 24 de maio, no Sesc Contagem/Betim. Assuntos como diagnóstico, estratégias para implementação de produtos e serviços, análise do mercado, plano de comunicação e gerenciamento da qualidade foram discutidos entre os sindicatos e o assessor de projetos externos da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Miguel Nicoletti, com o auxílio das áreas Comunicação, Comercial e Marketing da Fecomércio MG. O objetivo do treinamento foi auxiliar e trazer benefícios para as entidades sindicais e para as empresas do comércio de bens, serviços e turismo. Em 2012, os sindicatos focaram o aprimoramento dos processos. Neste ano, a ideia foi fazê-los colocar em

prática o aprendizado do ano anterior e direcioná-los a uma visão autossustentável, de maneira que pudessem ter maior representatividade. Nos encontros, os representantes dos sindicatos tiveram atividades práticas, mediadas por Miguel Nicoletti. “Ao final de nossos trabalhos, vocês terão um plano de negócios muito bem estruturado e estarão preparados para apresentá-lo”, incentivou. Os participantes se reuniram em grupos e elencaram alguns produtos e serviços possíveis, analisaram seus potenciais e ameaças por meio de ferramentas específicas para diagnóstico, análise de mercado e posicionamento do produto. Tiveram, também, a oportunidade de trocar ideias, experiências e realidades com representantes de diferentes regiões do Estado. Nicoletti mencionou a importância de os sindicatos criarem um plano de negócios, cujo intuito seria montar um relato do negócio para analisar sua viabilidade ou não,

Wanessa Viegas

Segs 2013 evidencia estratégias que trazem benefícios para os sindicatos

Miguel Nicoletti ressalta a importância da elaboração de plano de negócios

possibilitando a tomada de decisão. “O plano de negócios é um instrumento de análise que busca informações do empreendedor, do produto, do mercado, do concorrente e fornecedores”, disse. Depoimentos dos participantes: “Essa etapa do Segs é de extrema valia para os sindicatos participantes. Ao focarmos o tema ‘produtos e serviços’, conseguimos colocar em prática a maior necessidade sindical, po-

dendo, assim, vislumbrar o caminho da autossuficiência.” Thiago Árabe, gerente executivo do Sindicato do Comércio Varejista de Uberaba “Os sindicatos têm o desafio de se manterem, e a melhor forma para buscar receita é oferecendo algo aos representados. O sindicato acredita muito nisso, portanto, vamos aprimorar o que temos e buscar coisas novas.” Ricássia Perdigão, executiva do Sindicato do Comércio do Vale do Aço.


4 • FECOMércio informativo • edição 386

Sistema

Sistema Fecomércio MG recebe Prêmio de Estúdio 53

Excelência da Cachaça Alexandre Farid O Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos foi agraciado com o prêmio “Excelência da Cachaça”, entregue no dia 7 de junho, no Expominas, durante a 22ª Expocachaça. Segundo o diretor de Marketing do evento, José Lúcio Mendes, o prêmio simboliza o reconhecimento dos produtores e comercializadores da cachaça à contribuição do Sistema para o setor, com ações como a capacitação de profissionais. “As oficinas oferecidas na carreta-escola do Senac contribuíram para elevar o conceito da cachaça ao ensinar receitas de alto nível preparadas com a bebida”, pontuou. Para o diretor regional do Senac, Luciano de Assis Fagundes, que representou o presidente do Sistema Fecomércio MG, Lázaro Luiz Gonzaga, na entrega da premiação, a cachaça vem se tornando produto de alcance mundial. “Precisamos qualificar os trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo para melhor atender aos consumidores desse tipo de bebida”, observou.

A cachaça na cozinha O Senac levou a unidade SenacMóvel de Turismo e Hospitalidade para dentro da Expocachaça. Durante todo o evento, o espaço ofereceu oficinas gratuitas para o público, que aprendeu a preparar pratos doces e salgados, além de coquetéis, usando como ingredientes a cachaça e a cerveja. A artesã Márcia Panzera participou da oficina “Cozinhando com Cerveja”, uma das mais concor-

ridas da programação. Para ela, cozinheira de fim de semana, a atividade serviu para ampliar seus conceitos sobre o tema. “Aprendi que podemos usar ingredientes simples de forma sofisticada”, exemplificou. Outra ação do Sistema no evento foi a presença de consultores da Fecomércio MG, Sesc e Senac para mostrar ao público os produtos oferecidos pela entidade e instituições.

Estúdio 53

O diretor regional do Senac, Luciano Fagundes, recebeu o prêmio entregue pelo diretor da Brasil Bier, Luiz Vicente

Oficina no SenacMóvel de Turismo e Hospitalidade

Mineiros que praticam a solidariedade Paolo Xavier O Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos foi parceiro do Prêmio Bom Exemplo 2013, um reconhecimento a iniciativas e pessoas que, direta ou indiretamente, contribuem para a construção de uma sociedade mais solidária e cidadã. O presidente do Sistema Fecomércio MG, Lázaro Luiz Gonzaga, entregou prêmio e prestou homenagem na solenidade promovida no dia 14 de maio, na sede da TV Globo Minas, em Belo Horizonte. Um dos destaques da solenidade foi o anúncio do ganhador na categoria cidadania. Entre cinco finalistas, o eleito pelo voto popular foi José Pio de Resende, morador do bairro Riacho das Pedras, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Aos 87 anos, ele recolhe donativos em pada-

rias, açougues e vizinhança, sempre com a ajuda de uma das filhas. Tudo é doado aos mais necessitados. Um dos jurados do Prêmio Bom Exemplo, o presidente do Sistema Fecomércio MG, Lázaro Luiz Gonzaga, entregou o prêmio da categoria Ciência para a presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi. A entidade foi agraciada pela prestação de serviço, assistência médica, ensino, pesquisa, desenvolvimento tecnológico e outras atividades que garantem à população a oferta de sangue e hemoderivados. “Com esse reconhecimento, nos sentimos estimulados a fazer mais pela sociedade, com a qualidade e o compromisso que sempre marcaram a instituição”, afirmou. O Prêmio Bom Exemplo chegou à quarta edição e é realizado pela TV Globo Minas, jornal O Tempo, Fiemg e Fundação Dom Cabral.

Paolo Xavier

Sistema apoiou a quarta edição do Prêmio Bom Exemplo, realizado pela Rede Globo

Presidente do Sistema Fecomércio MG, Lázaro Luiz Gonzaga, entrega o Prêmio Bom Exemplo, categoria Ciência, para a presidente da Fundação Hemominas, Júnia Cioffi


FEcomércio informativo • Edição 386 • 5

Entrevista

O legado de sucesso da Loja Elétrica Há mais de 65 anos no mercado, a empresa expandiu e conquistou espaço em Minas Gerais Ronaldo Guimarães

Wagner Mattos Diretor Administrativo Financeiro da Loja Elétrica

Priscilla Ázara Andrea Avelar Em 1947, dois sócios iniciaram uma caminhada de sucesso. João de Mattos e Simplício montaram um armazém no centro de uma Belo Horizonte que começava a ter um fornecimento de energia elétrica mais eficiente. Com o mercado propício, um pequeno espaço do armazém foi dedicado a lâmpadas, extensões, tomadas e apagadores. Em menos de dez anos, os materiais elétricos tomaram conta do negócio e, assim, surgiu um dos maiores empreendimentos comerciais da capital mineira: a Loja Elétrica. Atendendo desde simples instalações residenciais até projetos mais complexos, como os de indústrias e redes de média tensão, a Loja Elétrica possui, hoje, 11 filiais em Minas Gerais, empregando mais de mil trabalhadores e contando com cerca de 100 mil clientes no país. Atualmente, a empresa é administrada por três famílias (o terceiro sócio é Joversino de Pádua). Wagner Mattos cresceu na empresa, desempenhou funções como balconista, almoxarife e motorista. Com a formação em Ciências Contábeis e Administração, ele deu sequência ao trabalho do pai. Aos 61 anos, o diretor Administrativo Financei-

ro faz parte da segunda geração de sócios da Loja Elétrica. Empreendedor, Mattos conta ao Fecomércio Informativo sua trajetória à frente da empresa. Fecomércio Informativo: Como se deu o crescimento da Loja Elétrica? Wagner Mattos: A empresa nasceu pequena, e o Sebrae foi importantíssimo para o seu crescimento. Participamos de algumas missões do Sebrae, cursos e palestras. No final da década de 1960, a empresa tinha menos de 30 colaboradores. Naquela época, buscamos uma consultoria que nos desse suporte de como estruturar a empresa, focando a criação de uma gestão. E isso foi fundamental, porque poucos anos depois a empresa teve base para ser multiplicada. FI: Você diria que está estruturado na busca de conhecimento para gestão do negócio? WM: Sim, acho que o mais importante, além da busca constante em estar bem estruturado, foi direcionar o foco exclusivamente para material elétrico. Com o tempo, os produtos elétricos e eletrônicos tiveram uma expansão muito forte. Hoje, a Loja Elétrica possui várias plataformas de atendimento às necessidades de materiais elétricos. Nós temos as lojas de varejo, além de um departamento de iluminação. E temos, também, uma área específica de material elétrico industrial. FI: Você se considera um especialista em negócios ou em alguma área? WM: Sempre me dediquei à área tributária e, desde cedo, procurei aplicar os conhecimentos adquiridos. Nesse aspecto, acho que tenho um pensamento bem diferente de muitos empresários. Eu sempre imaginei um país melhor para mim e para os meus filhos e, para isso, nós temos que fazer a nossa parte para poder reivindicar. Sou um arrebanhador da legalidade e do correto pagamento de tributos, encaro isso como um exemplo de cidadania. Se você quer um país melhor, você precisa ser ético e justo.

FI: No seu ponto de vista, quais são os maiores erros de quem está começando um negócio? WM: Pela minha experiência, o primeiro erro que não deve ser cometido é ir atrás de algum negócio por modismo. Segundo, não ter um conhecimento razoável ou importante para começar aquele empreendimento. E, terceiro, começar um negócio dependendo economicamente dele. Não se pode pensar que o negócio trará retorno financeiro rapidamente e, muito menos, depender desse retorno. FI: E quais seriam as dicas de como agir para quem está nessa situação? WM: Para começar um negócio hoje, a primeira coisa que a pessoa deve ter em mente é que precisa estar preparada para pagar todos os tributos e contribuições que as leis brasileiras exigem. O outro ponto é estar disposto a trabalhar muito, porque, na minha trajetória, eu aprendi como é que se ganha dinheiro, mas não aprendi como é que se ganha dinheiro fácil.

“Sou um arrebanhador da legalidade e do correto pagamento de tributos, encaro isso como um exemplo de cidadania. Se você quer um país melhor, você precisa ser ético e justo.”


6 • FECOMércio informativo • edição 386


FEcomércio informativo • Edição 386 • 7

Sindicatos

Encontro levará Bons negócios aos empresários de sete lagoas Paolo Xavier O dia 31 de agosto será a data para a troca de experiências, novos processos condizentes com o atual mercado e alcance da excelência nos negócios. O Sindicato do Comércio de Sete Lagoas (Sindcomércio), o Sistema Fecomércio MG e o Sebrae promoverão o 14º Encontro Empresarial de Sete Lagoas. O encontro terá mesa-redonda com o tema Empreendedorismo, com mediação do consultor organizacional Cristiano Lopes, que tem no currículo mais de 900 palestras realizadas. Angela

Hirata, administradora responsável pela transformação da marca Havaianas em grife internacional, falará sobre empreendedorismo e cases de sucesso. Daniel Godri Jr. levará sua experiência como especialista em atendimento ao cliente e sobre excelência em serviços de uma das maiores referências mundiais sobre o assunto: a Disney. William Caldas falará sobre as competências das empresas no século 21, apresentando o olhar especialista de quem atuou em diversos segmentos e é considerado um dos melhores palestrantes motivacionais do país.

14º Encontro Empresarial de Sete Lagoas Data: 31 de agosto Local: Splendore Eventos (rua Professor Abeylard, 4.190, Bairro JK, Sete Lagoas) Inscrições e informações no Sindcomércio Sete Lagoas: na rua Senhor dos Passos, 278, 2° andar, salas 201 e 202, Centro. Telefones: (31) 3774-4186 e 8611-0427.

Teófilo Otoni recebe a Exponor 2013 PRISCILLA ÁZARA

Estabilidade no emprego para gestantes durante aviso prévio Foi promulgada, no dia 16 de maio, a Lei nº 12.812, a qual determina que, a partir de agora, a estabilidade no emprego vale também para trabalhadoras que confirmarem gravidez enquanto estiverem cumprindo aviso prévio, seja ele trabalhado ou indenizado. “Art. 391-A. A confirmação do estado de gravidez advindo no curso do contrato de trabalho, ainda que durante o prazo do aviso prévio trabalhado ou indenizado, garante à empregada gestante a estabilidade provisória prevista na alínea “b” do inciso II do art. 10 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.”

Shutterstock

O comércio de Teófilo Otoni vive uma fase promissora de diversificação, crescimento e expansão territorial. Seguindo essa tendência, o Sindicato do Comércio e a Associação Comercial e Empresarial da cidade lançam, entre os dias 21 e 24 de agosto, a Mostra Empresarial do Nordeste Mineiro (Exponor), com o objetivo de reunir a indústria e o comércio de bens e serviços, varejista e atacadista, além de representantes de grandes marcas e fornecedores de diversos segmentos. A última edição da feira foi realizada em 2006 e destacou-se como o principal evento empresarial da região, figurando entre os mais importantes de todo o Estado. A Exponor 2013 será realizada no Centro de Convenções Expominas de Teófilo Otoni e contará com 176 estandes em mais de 10 mil metros quadrados. A expectativa é de receber 30 mil visitantes. Informações pelo site: www.exponormg.com.br.


8 • FECOMércio informativo • edição 386

Geral

Presépio Natural Mãos de Deus é atração turística de Grão Mogol Situada no Norte de Minas, a cidade de Grão Mogol, conhecida pelo garimpo de diamantes na segunda metade do século XVIII, agora é destino do turismo religioso, cultural e ecológico. Um dos atrativos do município é o Presépio Natural Mãos de Deus. O projeto a céu aberto foi idealizado e viabilizado pelo empresário Lúcio Bemquerer, cuja trajetória profissional inclui atividades como consultoria especializada em Estudos de Viabilidade Econômica. É, também, membro dos conselhos da Petrobras, do Sebrae e da Associação Comercial de Minas (ACMinas), tendo exercido também a presidência dessa última instituição. Após a aposentadoria, Bemquerer continuou com o espírito empreendedor e aproveitou toda a experiência para investir em sua terra natal. Retornou à cidade após vinte anos e, em oito meses, o presépio estava pronto, montado com quinze personagens bíblicos, esculturas esculpidas em pedra-sabão ou moldadas em cimento pelos artistas mineiros Édson Novaes e Antônio da Silva Reis. Construído em um

Marina Froes

Lívia Carvalho

O presépio a céu aberto já recebeu mais de 30 mil visitantes desde a inauguração em 2011

Visitação: todos os dias, das 8h às 22h. Entrada: R$ 2,00. Local: rua Hilário Marinho, 160, Centro, Grão Mogol, MG, Brasil. Telefone: (38) 3238-1316 Mais informações: www.presepiomaosdedeus.com.br e presepio@ maosdedeus.com.br.

braço da Cordilheira do Espinhaço, o presépio é um amontoado rochoso em harmonioso desalinho. Uma oportunidade para contemplar a natureza com bela vista para a Serra de Grão Mogol, com pedras e vegetação rasteira típicas do cerrado.

Sindicatos mineiros recebem treinamentos para produção de sites Paolo Xavier

Sindicomércio-JF lança selo comemorativo

Equipes da CNC e Comunicação da Fecomércio MG auxiliaram os representantes de sindicatos na produção dos sites

Com a implantação da rede de websites que integra a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Fecomércio MG e sindicatos, é importante que os colaboradores dessas entidades estejam preparados para utilizar as ferramentas. Profissionalizar. Esse foi o objetivo do treinamento realizado pela CNC, em parceria com a Fecomércio MG, de 17 a 19 de abril, em Belo Horizonte. Representantes de 10 sindicatos mineiros participaram de sorteio que garantiu as vagas no treinamento.

Nos dois primeiros dias, a jornalista da CNC Luciana de Melo Neto apresentou pesquisas recentes sobre uso da internet no Brasil e ensinou a utilizar o website dos sindicatos. Os participantes puderam, inclusive, inserir dados reais: estatuto, estrutura, história, serviços e outros. A expectativa é que essas 20 horas tenham despertado os participantes para a importância da comunicação profissional na busca de resultados para os públicos-alvo dos sindicatos: os empresários do comércio de bens e serviços em Minas Gerais.

Como parte integrante das comemorações de seus 60 anos, o Sindicomércio-JF lança, em parceria com os Correios, um selo personalizado alusivo à data a ser utilizado em todas as correspondências emitidas pelo sindicato. O produto é composto por um selo base com valor vinculado à tarifa postal e uma vinheta destinada à impressão de uma foto ou imagem. No caso do Sindicomércio, o selo retrata as montanhas e a bandeira de Minas Gerais, ladeadas pela logomarca especialmente criada em homenagem aos 60 anos do Sindicomércio-JF. O selo não será vendido nos Correios, sendo utilizado somente pelo Sindicato.


FEcomércio informativo • Edição 386 • 9

CRCMG

Ângelo Paulino

Impacto do ICMS de 4% nas operações interestaduais

Antônio Baião de Amorim Conselheiro do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais

A guerra dos portos consiste na concessão de incentivos fiscais para as empresas se estabelecerem nos estados onde possuem portos, pois o ICMS da importação é devido no estado em que o estabelecimento está instalado. Assim, a arrecadação aumenta sem produção no estado, apenas via importações, e esse quadro desestimula a produção nacional e inibe a criação de empregos. A norma que definiu a alíquota de 4% para os produtos importados nas operações interestaduais é de abril de 2012 (Resolução Senado Federal 13/2012) e estabeleceu vigência da alíquota a partir de 1º de janeiro de 2013.

A alíquota de 4% do ICMS nas operações interestaduais visa à proteção do mercado interno e, assim, torna desinteressante ao comprador a aquisição de mercadorias importadas. Ou seja, a alíquota vale apenas nos casos das mercadorias que, após sua importação, passam por algum processo de industrialização ou transformação e continuam com conteúdo de importação superior a 40%. Para isso, foi criada a Certificação de Conteúdo de Importação (CCI), e para esta informação foi criada a Ficha de Conteúdo de Importação – FCI, na nota fiscal eletrônica, que teve sua obrigatoriedade prorrogada para 01/05/2013, por ato do CONFAZ. Tais documentos criados (CCI e FCI) atestam o conteúdo de importação que define se a tributação será normal ou reduzida para 4%. Para definir o conteúdo de importação do produto e, assim, estabelecer a tributação em 4%, é preciso fazer um cálculo da seguinte forma: dividir o valor que serviu de base de cálculo para o ICMS devido quando da importação dos insumos pelo valor da venda pelo importador. Se o valor encontrado for maior que 40%, será aplicável, então, a alíquota de 4%. Se ficar inferior a 40%, a transação terá alíquota interestadual normal, geralmente 12% ou 7%, dependendo da região para onde será enviada a mercadoria. Esse tratamento tributário, mais oneroso ao adquirente, não é aplicado em produtos importados sem similar fabricado no Brasil e na importação de gás natural. Inicialmente, com vistas a acobertar adequadamente o transporte e orientar o adquirente, é preciso constar em “dados adicionais” da nota fis-

cal eletrônica informações como o valor da parcela importada, o número da FCI, o conteúdo de importação e, também, o valor da importação. A tabela de CST (Código de Situação Tributária) está adaptada a essa nova exigência tributária.

“A norma que estabeleceu a alíquota de 4% para os produtos importados nas operações interestaduais é de abril de 2012 (Resolução Senado Federal 13/2012) e estabeleceu vigência da alíquota a partir de 1º de janeiro de 2013” fecon/mg

Os profissionais do setor contábil estavam ameaçados de perder seus empregos, e os empresários da contabilidade de terem de fechar seus estabelecimentos se o Projeto de Lei do Senado – PLS nº. 289/2008 não fosse retirado de pauta. Entretanto, a Fecon/MG e as demais federações de contabilistas estavam atentas, zelando pelo crescimento e fortalecimento da classe contábil. O Projeto de Lei nº. 289/2008, de autoria do senador Paulo Paim (PT/ RS), visava à extinção da contabilidade para as empresas do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuintes das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional). Por solicitação da Fecon/MG, em conjunto com as demais federações de con-

tabilistas do país e a Confederação Nacional dos Profissionais Liberais (CNPL), o projeto de lei foi retirado de pauta. O PLS alterava o parágrafo 2º do artigo 1.179 do Código Civil, dispensando o empresário das empresas optantes pelo Simples Nacional da obrigação de seguir um sistema de contabilidade, de levantar anualmente o balanço patrimonial e o de resultado econômico. Seria grande o impacto desse projeto se fosse convertido em lei. Muitos seriam os fechamentos dos escritórios contábeis, uma vez que, hoje, 90% das empresas estão nesse regime de tributação, assim como os seus clientes. Com isso, o número de desempregados na área contábil seria incalculável.

Fecon/MG

Projeto de Lei nº. 289/2008 foi retirado de pauta

A Fecon/MG, com as demais federações de contabilistas do país e a Confederação Nacional dos Profissionais Liberais (CNPL), conseguiu retirar o projeto da pauta

Defender a classe contábil, por meio do sindicalismo moderno, proativo e democrático, é a luta da Fecon/MG. Participe e defenda

essa bandeira, filie-se ao Sindicato dos Contabilistas de sua região e ajude a fortalecer e valorizar a profissão.


10 • FECOMércio informativo • edição 386

QUEM PERTENCE À FECOMÉRCIO MG TEM VANTAGENS EXCLUSIVAS PARA CONTRATAR OS PLANOS DA UNIMED-BH.

A Unimed-BH oferece condições especiais para representados da FECOMÉRCIO MG aderirem aos planos Unipart Flex e Unimax, regulamentados pela Lei 9.656/98.

Informações (31) 3270-3464 ou comercial@fecomerciomg.org.br

CONFIRA OS PRINCIPAIS BENEFÍCIOS:

• Cobertura ambulatorial, hospitalar e obstétrica, conforme o rol da ANS. • Acomodação em enfermaria ou apartamento. • Abrangência estadual. • Atendimento nacional em casos de urgência e emergência. • Acesso à Rede Própria e à Rede Ampla da Unimed-BH, com mais de 5.000 médicos cooperados, e a maior e melhor rede credenciada.


FEcomércio informativo • Edição 386 • 11

Turismo

A capital dos negócios abre as portas para o turismo de lazer Pesquisa com visitantes mostra uma Belo Horizonte turística, com força comercial e gastronômica PRISCILLA ÁZARA Belo Horizonte é capital do turismo de negócios e, também, está preparada para receber os visitantes que procuram por lazer. A Pesquisa de Satisfação do Turista, realizada pela Belotur em parceria com o Sistema Fecomércio MG e divulgada dia 11 de junho, mostra a força da cidade para o turismo. Dos 845 entrevistados, 32,4% afirmaram frequentar a cidade por negócios ou trabalho, seguidos pelos 21,9% que visitaram amigos e parentes e 20,3% para lazer ou descanso. Durante a média de seis dias de permanência na cidade, o setor mais procurado foi o de gastronomia (83,2%). O vestuário ocupa o segundo lugar (22,5%), seguido pelos calçados e acessórios (16,8%), artesanato (16,8%) e saúde e beleza (13,6%). A média diária de gastos de cada turista foi de R$ 238,39. De acordo com o presidente da Belotur, Mauro Werkema, a

pesquisa traçou um panorama de avaliação do turista em relação ao modo como ele se comporta na capital. “A pesquisa evidencia a vocação de Belo Horizonte para o turismo de negócios, tendo em vista que a capital concentra suas atividades econômicas no setor terciário. E ainda reforça que Belo Horizonte vem ganhando na oferta de atrativos de lazer e entretenimento, consolidando-se cada vez mais como destino para o turismo de lazer.” Os atrativos culturais e naturais são os preferidos dos turistas que visitam Belo Horizonte, somando 49,3% das respostas. Na avaliação dos serviços turísticos, a gastronomia se destacou como o item mais bem conceituado na capital. Os bares e restaurantes também tiveram avaliação positiva na qualidade do atendimento, assim como o comércio. Em contrapartida, o que mais desagradou os visitantes foi o trânsito complicado (28,7%), oriundo, especialmente,

SETORES MAIS PROCURADOS Alimentação 83,2% Vestuário e Roupas 22,5% Calçados e Acessórios 16,8% Artesanato 16,8% Saúde e Beleza (produtos e serviços) 13,6% Elaboração: Sistema Fecomércio MG | Belotur

das diversas obras de infraestrutura na cidade. De modo geral, para 60,4% dos entrevistados, a viagem atendeu plenamente as expectativas e para 13,8% elas foram superadas. Segundo a analista de Turismo da Fecomércio MG Mariana Lima, a pesquisa fortalece o que o Sistema vem trabalhando: “não apenas os bares, restaurantes, agências de viagens e ho-

teleiros são impactados com o turismo na capital, esses setores são a ponta de uma cadeia muito maior. Para que Belo Horizonte apresente um serviço de qualidade, todos os envolvidos na cadeia produtiva precisam se enxergar como parte e trabalhar para que esse visitante seja bem recebido”. Para ela, os resultados confirmam a importância do turismo para o comércio.

Goal Belo! Ocorreu entre os dias 23 e 26 de junho, durante a Copa das Confederações, o lançamento do Projeto Goal Belo!, realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte e parceiros, que tem o objetivo de divulgar internacionalmente a cidade de Belo Horizonte e atrair investimentos para o município, por meio da promoção de negócios entre empresas nacionais e internacionais.

No dia 31 de maio o Sesc teve uma comemoração dupla. Nessa data, as atividades do Sesc no Ar e da agência Sesc Serviços completaram um ano de funcionamento. Desde o ano passado, o Sesc inseriu pacotes de excursões aéreas em sua programação, somando 12 viagens e voos exclusivos. Ao todo, 430 passageiros já embarcaram pelo Sesc no Ar. Além disso, foi apresentada ao público sua primeira unidade de atendimento com horário diferenciado: a agência Sesc Serviços, instalada no Barro Preto, região com grande concentração de empresas do comércio de bens, serviços e turismo.

Como resultado imediato das ações está a assinatura de um acordo entre a EuraTechnologies, parque tecnológico da região de Lille, na França, e a Fumsoft, grupo que trabalha com criação, capacitação, qualificação e fomento de empreendedores e organizações produtoras de software de Minas Gerais. O Sistema Fecomércio MG apoia o projeto, que está fortalecendo a cadeia produtiva do turismo do Estado.

Tarcisio de Paula

Há mais de dois séculos, uma moradora se tornou mito e personagem em Araxá, a 367 km da capital. Ana Jacinta de São José, a Dona Beja, tem trechos de sua vida materializados no museu que leva seu nome. Instalado em um casarão adquirido e doado à comunidade por Assis Chateaubriand, em 1965, o Museu Histórico Dona Beja possui um acervo de 300 peças, entre mobiliário, imagens sacras e telas de artistas brasileiros e araxaenses. Embora a moradora tenha sido a motivação para sua criação, o museu abriga, sobretudo, objetos e documentos relativos à história e às tradições da cidade. Por esse motivo, é reduto da cultura local, equipado com salas para exposições, uma loja com artesanato e uma cafeteria com quitandas da gastronomia araxaense.

Maria Lúcia Dornas

Sesc no Ar e Sesc Museu Histórico serviços comemoram Dona Beja é reduto da cultura araxaense 1 ano de atividades


12 • FECOMércio informativo • edição 386

Sistema Fecomércio MG Completo, para você e sua empresa Para ter acesso a tudo isso, é muito fácil, basta estar em dia com as contribuições. Assessoria em Comércio Exterior

Assessoria Econômica e Pesquisa A assessoria econômica disponibiliza variadas pesquisas e fornece diversos relatórios, boletins e estudos sobre a conjuntura econômica municipal, estadual e nacional, que subsidiam o empresário para a melhor gestão de seus negócios.

A Fecomércio MG atua na inteligência comercial realizando prospecção de mercados em âmbito internacional, emissão de Certificado de Origem e Aladi, declaração de Livre Venda e anuência em documentos internacionais. Consultoria especializada nos procedimentos administrativos e aduaneiros, classificação NCM/NALADI das mercadorias e consultas relativas à tributação e legislação. O apoio que você precisa para importar ou exportar!

Qualificação Profissional Atualização e qualificação do empresariado e de seus colaboradores por meio de cursos, inclusive in company, debates, palestras, workshops, seminários e encontros promovidos pelo Sistema Fecomércio MG ou por meio de parcerias.

Assessoria Jurídica e Sindical A Fecomércio MG orienta as empresas representadas e zela pela legitimidade da representação patronal das categorias econômicas do comércio de bens, serviços e turismo, por meio do enquadramento sindical.

Locação de Espaços A Fecomércio MG possui amplos espaços para realização de eventos dos mais diversos segmentos e portes, como treinamentos, reuniões, palestras e seminários.

BDMG A Fecomércio MG é correspondente bancário e está autorizada a receber e encaminhar propostas de crédito de micro, pequenas ou médias empresas que precisam se reestruturar para atender melhor seus clientes e aumentar sua participação no mercado.

Certificado Digital A Fecomércio MG, em parceria com a AC Certisign, se credenciou como Autoridade de Registro (AR) e oferece a empresários e público em geral a validação presencial na AR ou em domicílio, o que garante o acesso a todos os benefícios dessa nova tecnologia. Pessoas físicas e jurídicas que validarem o Certificado Digital na entidade já sairão com o mesmo emitido e pronto para ser utilizado. Os representados em dia têm desconto garantido!

Proteção ao Crédito Consulta a cheques e informações cadastrais de pessoas físicas e jurídicas em todo o Brasil por meio da Boa Vista Serviços S/A e pelo Serasa, oferecendo mais segurança nas transações comerciais.

Planos de Saúde Unimed A Fecomércio MG, em parceria com a Unimed, oferece os planos Unimax, Unifácil ou Unipart a preços especiais e benefícios diferenciados. Qualicorp A Qualicorp é a maior administradora de benefícios do Brasil. Em parceria com a Fecomércio MG, oferece os planos da Bradesco Saúde, Golden Cross e SulAmérica Seguro Saúde.

Entre em contato com a gente: (31) 3270 3464 comercial@fecomerciomg.org.br | www.fecomerciomg.org.br


FEcomércio informativo • Edição 386 • 13

Economia

Bom atendimento,

boas vendas Excelência do atendimento é a palavra-chave para garantir boas vendas no Dia dos Pais

“Olá! Como vai? Posso ajudar?” O atendimento é a primeira impressão do consumidor e o diferencial da empresa. Pode trazer clientes ou fazer com que eles nunca mais voltem ao estabelecimento. Pode ser a chave para o sucesso ou o fim do faturamento. Precisa ser eficiente, funcional e individualizado para atender às necessidades de cada cliente, fazendo com que ele se sinta especial e, consequentemente, retorne e divulgue a loja. Para a próxima data comemorativa, o Dia dos Pais, em 11 de agosto neste ano, a ideia para vender mais e melhor é focar a excelência do atendimento. Para o coordenador das lojas Uatt? de Belo Horizonte, Manoel Reis, o bom atendimento vai além de vender um produto ou serviço de qualidade. “Treinamos o funcionário, explicamos como deve ser o comportamento, vestuário, maquiagem e todas as técnicas de venda”, conta. Segundo Reis, a sensação da compra é mais importante que o uso do produto. “Nossa memória refaz momentos de acordo com os sentimentos que tivemos na hora da compra. O consumidor se lembrará de como foi atendido e não do produto em si”, destaca o profissional. Para as lojas Uatt?, o foco não é vender produtos, mas distribuir felicidade, emoções, sorrisos e surpresas para fazer o presenteado muito mais feliz. “Nossa proposta é dar ao cliente a ‘cereja do bolo’”, brinca. Economia O economista responsável pela área de Estudos Econômicos da Fecomércio MG, Gabriel de Andrade Ivo, menciona a situação econômica deste ano, que está favorável às compras. “Agosto é o mês para os filhos prestarem suas homenagens aos pais, ou seja, mais uma oportunidade para o comércio de bens, serviços e turismo. Cabe ao empresário estimular as vendas investindo na diversificação do mix de produtos, promoções, vitrine elaborada e bom atendimento por meio da capacitação da equipe de trabalho”, relata.

Shutterstock

Wanessa Viegas

Bom atendimento é diferencial para vender mais para o Dia dos Pais

Capacitação no comércio Para o empresário que deseja treinar sua equipe a fim de obter melhor técnica de vendas e bom atendimento, o Senac oferece o curso “Técnicas de vendas”, de 22 de julho a 9 de agosto. O objetivo é desenvolver habilidades específicas para a execução das diversas atividades inerentes à venda de produtos e serviços. O curso abordará as competências necessárias ao vendedor, a preparação para o mercado de trabalho, além de várias técnicas para vender mais e melhor.

Curso: Técnicas de vendas Data: 22/07 a 09/08 Horário: das 19h às 22h Local: Senac (avenida Afonso Pena, 271, Centro, Belo Horizonte) Investimento: R$ 400 Informações: 0800 724 4440 ou www.mg.senac.br.

Dicas para vender mais no Dia dos Pais • Faça um bom atendimento. • Monte uma vitrine temática e atrativa. • Ofereça brindes. Um brinde alegra, promove e facilita a venda. • Mantenha os vendedores motivados. Surpreenda sua equipe com incentivos extras.

• Diversifique seu mix de produtos. • A propaganda continua sendo a “alma” do negócio. Faça campanhas. • Ofereça presentes personalizados. • Dê descontos. • Seja bem-humorado e criativo.


14 • FECOMércio informativo • edição 386

ÍNDICES ECONÔMICOS Notas Empresariais CENTER MINAS: a primeira fase das obras está sendo concluída na avenida Cristiano Machado, no bairro União, Região Nordeste de Belo Horizonte. A obra inclui um galpão de 15 mil metros quadrados que abriga a Leroy Merlin. O investimento foi no valor de R$ 200 milhões, com recursos de um grupo investidor e da própria empresa. SUPERMERCADO BAHAMAS: pretende investir R$ 57 milhões em lojas e centro de distribuição, com inauguração prevista ainda para 2013. Para este ano, espera-se aumento de 26% no faturamento em relação a 2012, que deve ficar próximo de R$ 1,5 bilhão. A rede tem sede em Juiz de Fora e possui 28 lojas, sendo 26 de varejo e duas de “atacarejo”. SHOPPING CONTAGEM: empreendimento em construção na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Cerca de duas mil pessoas trabalham na estrutura, que abrigará 230 lojas satélites, seis âncoras, quatro megalojas, sete salas de cinema, espaço para games e boliches, praça de alimentação com mais de 20 operações e 2,5 mil vagas de estacionamento. A inauguração está prevista para novembro.

KAPEH: a fabricante de produtos de beleza à base de café, com sede em Três Pontas, Região Sul de Minas Gerais, lança uma rede de franquias. A primeira foi inaugurada em dezembro do ano passado em Pouso Alegre. Até o fim de 2013, serão abertas mais três, em municípios que ficam até 400 km de Três Pontas. A expectativa é que as franquias garantam crescimento de 20% do faturamento em 2013.

COMO ATUALIZAR SUA DÍVIDA PELO INPC: JULHO/2013 Mês/Ano

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

JANEIRO

1,48503011

1,44439334

1,37357574

1,28996719

1,23899750

1,16375818

1,09705821

1,03303304

FEVEREIRO

1,47940836

1,43735032

1,36416302

1,28176390

1,22818943

1,15292073

1,09149160

1,02361578

MARÇO

1,47601353

1,43133870

1,35764632

1,27780272

1,21965187

1,14672840

1,08725132

1,01832051

ABRIL

1,47203902

1,42506840

1,35075745

1,27525221

1,21105339

1,13920961

1,08529778

1,01224703

MAIO

1,47027469

1,42137283

1,34216758

1,26827669

1,20227677

1,13106594

1,07839605

1,00630980

JUNHO

1,46836582

1,41768684

1,32940529

1,26071241

1,19712911

1,12465540

1,07249731

1,00280000

JULHO

1,46939439

1,41330559

1,31741680

1,25543957

1,19844741

1,12218659

1,06971605

1,00000000

AGOSTO

1,46777984

1,40879744

1,30981984

1,25255868

1,19928691

1,12218659

1,06513597

-

SETEMBRO

1,46807345

1,40053429

1,30707498

1,25155744

1,20012699

1,11749312

1,06036433

-

OUTUBRO

1,46572829

1,39704169

1,30511731

1,24955814

1,19368112

1,11248693

1,05372585

-

NOVEMBRO

1,45945264

1,39286310

1,29862419

1,24656638

1,18279936

1,10893833

1,04629714

-

DEZEMBRO

1,45334857

1,38689943

1,29370810

1,24197109

1,17074073

1,10265320

1,04067749

-

Fonte: IBGE – Elaboração: Sistema Fecomércio MG | Estudos Econômicos Como atualizar: 1) Por exemplo: uma dívida de R$ 200,00 foi contratada em janeiro de 2006. 2) Na tabela, o fator de atualização referente a janeiro de 2006 é 1,48503011. 3) R$ 200,00 vezes 1,48503011 = R$ 297,00 que é o valor em 01/07/2013.

POUPANÇA | TR | SALÁRIO | SELIC 2012

2013

INDICADORES AGO

SET

OUT

NOV

DEZ

JAN

FEV

MAR

ABR

MAI

JUN

POUPANÇA*

0,4973

0,4675

0,4273

0,4273

0,4134

0,4134

0,4134

0,4134

0,4134

0,4134

0,4273

TR

0,0123

0,0000

0,0000

0,0000

0,0000

0,0000

0,0000

0,0000

0,0000

0,0000

0,0000

SALÁRIO MÍNIMO (R$)

622,00

622,00

622,00

622,00

622,00

678,00

678,00

678,00

678,00

678,00

678,00

SELIC (%)

0,6918

0,5390

0,6113

0,5488

0,5502

0,6014

0,4928

0,5494

0,6136

0,5985

0,1812

* Nova Poupança (MP 567/2012) Elaboração: Sistema Fecomércio MG | Estudos Econômicos

ÍNDICES DE PREÇO % 2012

2013 Acumulado 12 meses

ÍNDICES% JUN

JUL

AGO

SET

OUT

NOV

DEZ

JAN

FEV

MAR

ABR

MAI

IGP-DI (FGV)

0,69

1,52

1,29

0,88

-0,31

0,25

0,66

0,31

0,20

0,31

-0,06

0,32

6,20

INCC-DI (FGV)

0,73

0,67

0,26

0,22

0,21

0,33

0,16

0,65

0,60

0,50

0,74

2,25

7,56

IGP-M (FGV)

0,66

1,34

1,43

0,97

0,02

-0,03

0,68

0,34

0,29

0,21

0,15

0,00

6,22

INPC (IBGE)

0,26

0,43

0,45

0,63

0,71

0,54

0,74

0,92

0,52

0,60

0,59

0,35

6,95

IPCA (IBGE)

0,08

0,43

0,41

0,57

0,59

0,60

0,79

0,86

0,60

0,47

0,55

0,37

6,50

IPCA (IPEAD)

0,11

0,17

0,01

0,32

0,59

0,43

0,50

2,38

-0,20

0,50

0,49

0,29

5,71

Fonte: FGV, IBGE, IPEAD Elaboração: Sistema Fecomércio MG | Estudos Econômicos


FEcomércio informativo • Edição 386 • 15

Economia

Wanessa Viegas

Comércio eletrônico:

realidade que muitos ignoram Gabriel de Andrade Ivo Economista da Fecomércio MG As vendas no comércio eletrônico devem atingir R$ 28 bilhões no Brasil, em 2013. Além disso, o segmento pode superar 50 milhões de consumidores, segundo projeções da e-bit, empresa especializada no assunto virtual. Com a retomada do crescimento econômico, a tendência é que o ano apresente resultado melhor do que 2012, também associado à aceleração das vendas de dispositivos móveis, como tablets e smartphones. As transações feitas por meio dos dispositivos móveis representaram 2,5% de todas as compras on-line no país. Em 2011, esse número era de apenas 0,1%. O crescimento acontece pelo aumento de aplicativos para comparação de preços e pelas compras diretamente dos dispositivos. O Brasil fechou 2012 com 86 milhões de acessos à banda larga, aumento de 45% em relação ao ano anterior. A previsão para 2013 atinge crescimento de 25% sobre os R$ 22,5 bilhões faturados em 2012, excluindo serviços e ofertas em sites de compras coletivas. O varejo virtual ainda não alcança 5% do volume de transações, mas está em expansão e é uma realidade. Com a Copa das Confederações e a Copa do Mundo, a tendência de principal produto a ser adquirido é a TV Tela Plana. Números da e-bit sinalizam os segmentos mais expressivos em volume de negócios no e-commerce: eletrodomésticos (15%), produtos de informática (12%), eletrônicos (8%), cosméticos e perfumaria (7%) e vestuário (7%). O desempenho de produtos ligados à beleza e aos cuidados pessoais mostra a presença das mulheres nas compras pela internet.

“O Brasil fechou 2012 com 86 milhões de acessos à banda larga, aumento de 45% em relação ao ano anterior.” O índice de satisfação do consumidor foi de 86,1% em 2012, segundo pesquisa da e-bit, considerado alto quando comparado ao padrão dos EUA, que é de 85%. O tíquete médio foi de R$ 338 no primeiro semestre e de R$ 346 no segundo semestre. O aumento aconteceu, principalmente, pelas compras de fim de ano. Esse cenário em crescimento traz oportunidades, sobretudo aos empreendedores que se voltam para mercados específicos. O investimento em logística e atendimento passa a ser fundamental para atrair os consumidores com perfil diferenciado e moderno. Cabe ressaltar que não é apenas um momento para gigantes varejistas, mas, também, para as micro, pequenas e médias empresas. A estratégia não pode ser vista apenas como custo, entretanto como um investimento que trará êxito a longo prazo. Não é mais uma dúvida, mas uma certeza da necessidade de adequação, para aumentar a competitividade e a possibilidade de minimizar a concorrência.

Giro Econômico Vendas de tablets crescem no país As vendas de desktops, notebooks e tablets chegaram a 4,7 milhões de unidades no primeiro trimestre de 2013, crescimento de 12% sobre o mesmo período de 2012, segundo a consultoria IDC e a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). O aumento é reflexo, principalmente, das vendas de tablets, sendo que, entre janeiro e março, foi comercializado 1,3 milhão de unidades, 164% a mais em relação ao mesmo período de 2012. Já as vendas de desktops caíram 11,7% no período (para 1,5 milhão de unidades no primeiro trimestre), enquanto as de notebooks recuaram 5% (para 1,9 milhão). Os tablets representam 27,6% da venda de produtos de informática. Os notebooks ainda respondem pela maior fatia do mercado (39,5%).

Fonte: e-bit 2012 * Previsão Elaboração: Sistema Fecomércio MG | Estudos Econômicos

Fonte: e-bit 2012 * Previsão Elaboração: Sistema Fecomércio MG | Estudos Econômicos

Taxa de desocupação fica estável em maio A taxa de desocupação em maio foi de 5,8%, mantendo estabilidade em relação a abril, no agregado das principais regiões metropolitanas, segundo o IBGE. Em maio de 2012, a taxa também foi de 5,8%. O rendimento médio real habitual dos ocupados (R$ 1.863,60) ficou estável frente a abril, mas foi superior (1,4%) a maio de 2012. A Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) apresentou alta na taxa de desocupação, passando de 4,2% em abril para 4,3% em maio. Em relação ao mês de maio do ano passado, a desocupação caiu 0,8 ponto percentual. O rendimento médio habitual dos ocupados na RMBH (R$ 1.846,70) cresceu 0,7% em relação a abril, e 1,0% na comparação com maio de 2012.


16 • FECOMércio informativo • edição 386

FIQUE POR DENTRO

VOCÊ SABIA ?

Diplomata Brasileiro no comando da OMC O diplomata brasileiro Roberto Azevedo foi eleito o novo diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC). Em setembro de 2013, Azevedo tomará posse do cargo, segundo informações do Ministério das Relações Exteriores (MRE). Acredita-se que Azevedo terá uma das mais difíceis missões frente ao órgão internacional, que é reduzir o protecionismo mundial dos países-membros no intuito de impulsionar a liberalização do comércio mundial. Outra tarefa importante será concluir a Rodada de Doha, que tem por objetivo reduzir o protecionismo comercial e as barreiras alfandegárias, bem como resolver questões referentes às patentes comerciais de produtos de saúde, tecnologia, entre outros.

çará em Minas Gerais o Sistema COD CNC BRASIL/MG, com a presença de exportadores mineiros. No primeiro dia do encontro foi realizado treinamento sobre certificação de origem das mercadorias brasileiras ministrado pelo analista de Comércio Exterior da Fecomércio MG, André Notini.

Fecomércio MG participa de evento na CNC

brasileiros O Senado Brasileiro aprovou a Medida Provisória dos Portos, a MP 595/2012. Ao contrário das sessões que vararam madrugadas na Câmara dos Deputados com muitas discussões, os senadores confirmaram, sem alterações, o texto que veio da outra Casa Legislativa. A proposta agora segue para ser sancionada pela presidente Dilma Rousseff. A MP 595/2012 prevê, como solução para modernizar o sistema portuário brasileiro, abrir a possibilidade de maior participação do setor privado nos investimentos, como também permitir que portos privados possam operar para terceiros. Foram rejeitadas todas as sugestões de mudanças na matéria, que abre o setor portuário e cria competição entre portos públicos e privados.

sobre Certificado de Origem Digital A Fecomércio MG participou, nos dias 16 e 17 de maio, do encontro realizado na sede da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), no Rio de Janeiro. O encontro reuniu membros da área de Comércio Exterior das Federações dos estados brasileiros, quando foi apresentado o Sistema de Certificado de Origem Digital – COD CNC BRASIL. O novo sistema beneficiará os exportadores mineiros que emitem certificados de origem na Fecomércio MG, com maior confiabilidade das informações, agilidade na emissão do documento, redução de custos, entre outras vantagens para os exportadores. No segundo semestre de 2013, a entidade lan-

A Certificação de Origem é um dos serviços que a Fecomércio MG presta aos exportadores e ao empresariado mineiro há mais de 40 anos, sendo a terceira maior emissora entre os estados do Brasil e a segunda entre as federações. A entidade é habilitada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), para emitir esse documento. Aprovada a Medida Provisória sobre portos

Que as exportações e importações para a Argentina podem ser pagas em reais? Sim. Essas operações estão amparadas pelo Sistema de Pagamentos em Moeda Local (SML), que consiste em convênio bilateral firmado entre os Bancos Centrais do Brasil e da Argentina com o objetivo de liquidação das operações comerciais entre os dois países, em suas respectivas moedas (Real ou Peso).

Como se caracteriza a exportação de serviços? Segundo a legislação brasileira, a exportação de serviços se caracteriza quando o serviço é prestado por empresa brasileira a não residente, o qual tenha efetiva destinação e efeito no exterior, ou seja, o serviço prestado deve produzir o resultado no exterior, fora, portanto, do território brasileiro.

Que as amostras são isentas de tributos na operação de importação? A legislação aduaneira brasileira prevê que amostras sem valor comercial são isentas do imposto de importação (I.I.) e dos demais tributos incidentes na operação de

CertOrigem Certificado de Origem Digital • • • • • •

Emissão de Certificados de forma rápida e segura Modelos de Certificados da Aladi e Comum Declaração de Processo Produtivo Relatório de Consolidação Geração de Certificados em PDF Integração de Sistemas

importação. Contudo, são consideradas sem valor comercial as amostras representadas por quantidade, fragmentos ou partes de qualquer mercadoria, estritamente necessárias para o conhecimento de sua natureza, espécie e qualidade.


FEcomércio informativo • Edição 386 • 17

Priscilla Ázara

Comércio Exterior

Alerta: sinal vermelho na balança comercial brasileira André Notini Analista de Comércio Exterior da Fecomércio MG

Com a expectativa de que estamos perdendo competitividade internacional, o Brasil terá que se esforçar muito para vencer o clima de estagnação do comércio mundial que reina nos dias de hoje e, principalmente, as adversidades ainda presentes nessa ressaca de crise que o comércio mundial atravessa. O persistente desestímulo decorrente da desvalorização do dólar em face do real a que estamos assistindo desde 2006, somado à contração da demanda mundial, sobretudo entre as nações mais desenvolvidas, está incentivando o crescimento das importações brasileiras. Esse cenário é o oposto do que vem ocorrendo com as exportações; e a sua manutenção possivelmente resultará, na melhor hipótese, em superávits menores na balança comercial, o que já vem ocorrendo desde a eclosão da crise financeira de 2008. O resultado da balança comercial brasileira, no acumulado de janeiro a maio de 2013, registrou déficit comercial de US$ 5,392 bilhões, queda de 186% em relação ao mesmo período

“Analisando o período dos últimos cinco anos (2008 a 2012), o crescimento das exportações brasileiras foi de 22,5%, enquanto as importações apontaram aumento de 29%.”

de 2012. A causa desse saldo comercial negativo é ocasionada principalmente pela queda das exportações brasileiras, que apresentaram no período de janeiro a maio redução de 4,7%. No sentido inverso, as importações cresceram 7,7%. Já não é de hoje que o Brasil vem apresentando retração no crescimento das suas vendas internacionais, enquanto as importações têm registrado incremento acima das exportações. Analisando o período dos últimos cinco anos (2008 a 2012), o crescimento das exportações brasileiras foi de 22,5%, enquanto as importações apontaram aumento de 29%, demonstrando o crescimento acentuado das importações no país. A pergunta é: por que esse fenômeno está ocorrendo no Brasil? O que podemos dizer sobre esse fenômeno brasileiro é que vários fatores externos e internos contribuem para o cenário. Analisando o ambiente interno do comércio exterior brasileiro, podemos citar vários fatores que contribuem para a redução das exportações, como a estrutura logística interna, que, além de precária e ineficiente, onera os preços das mercadorias brasileiras; a alta carga tributária, a qual, em sua maioria, compõe até mais da metade do valor da mercadoria; as

altas taxas logísticas; as políticas públicas de incentivo ao comércio exterior, que, em certos casos, são ineficientes ou privilegiam somente empresas de grande porte; a falta de crédito, ou melhor, o “crédito ruim”, pois, além de difícil acesso, as garantias solicitadas inviabilizam sua utilização e, geralmente, não atendem aos perfis de empresas de pequeno porte. É fato que as empresas brasileiras possuem potencial e capacidade exportadora, contudo, não basta somente ter produtos e serviços competitivos, é preciso também um ambiente de comércio exterior favorável. É importante entender que importações podem trazer benefícios, pois auxiliam no combate à inflação, obrigam os produtores nacionais a melhorar a qualidade de seus produtos para concorrer com os estrangeiros e, nos casos de importação de novas tecnologias, como máquinas e equipamentos, impactam na qualidade e no custo de produção, aumentando a competitividade do produto nacional. O comércio exterior favorável se baseia em exportações com maior valor agregado, em maior volume que as importações, tornando a balança comercial brasileira saudável e o crescimento brasileiro sustentável.


18 • FECOMércio informativo • edição 386

jurídico

OBRIGAÇÕES SOCIAIS E FISCAIS | julho 2013

OBRIGAÇÕES SOCIAIS E FISCAIS | agosto 2013

ÂMBITO FEDERAL

ÂMBITO FEDERAL

PIS – DCT

No mês de admissão

PIS – DCT

No mês de admissão

IOF

Até o dia 03 de junho

IOF

Até o dia 03 de junho

DACON – MENSAL

Até o 5° dia útil do mês

DACON – MENSAL

Até o 5° dia útil do mês

SALÁRIOS

Até o 5° dia útil

SALÁRIOS

Até o 5° dia útil

FGTS / GEFIP

Até o dia 7 (sete)

FGTS / GEFIP

Até o dia 7 (sete)

CAGED

Até o dia 7 (sete)

CAGED

Até o dia 7 (sete)

SPED / CONTRIBUIÇÕES

Até o 10° dia útil do mês

SPED / CONTRIBUIÇÕES

Até o 10° dia útil do mês

Até o 15° dia útil do mês

DCTF – MENSAL

Até o 15° dia útil do mês

RETENÇÃO PIS / COFINS CSLL ARTIGO 30 – LEI 10.833/03

Até o último dia útil da quinzena seguinte ao da retenção

RETENÇÃO PIS / COFINS CSLL ARTIGO 30 – LEI 10.833/03

Até o último dia útil da quinzena seguinte ao da retenção

IR FONTE – SALÁRIOS, AUTÔNOMOS, ALUGUÉIS

Até o último dia do 2º decêndio

IR FONTE – SALÁRIOS, AUTÔNOMOS, ALUGUÉIS

Até o último dia do 2º decêndio

Até o dia 20 (vinte)

INSS – SALÁRIO

Até o dia 20 (vinte)

Até o dia 20 (vinte)

SIMPLES NACIONAL – Recolhimento

Até o dia 20 (vinte)

COFINS

Até o 25° dia do mês

COFINS

Até o 25° dia do mês

DCTF – MENSAL

INSS – SALÁRIO SIMPLES NACIONAL – Recolhimento

PIS / FATURAMENTO

Até o 25° dia do mês

PIS / FATURAMENTO

Até o 25° dia do mês

CARNÊ LEÃO

Até o último dia útil do mês

CARNÊ LEÃO

Até o último dia útil do mês

IRPJ ESTIMATIVA / TRIMESTRAL

Até o último dia útil do mês

IRPJ ESTIMATIVA / TRIMESTRAL

Até o último dia útil do mês

Até o último dia útil do mês

CONTRIBUIÇÃO SOCIAL ESTIMATIVA / TRIMESTRAL

Até o último dia útil do mês

IMPOSTO DE RENDA – Pessoa física 4ªquota / 2013

Até o último dia útil do mês

IMPOSTO DE RENDA – Pessoa física 5ªquota / 2013

Até o último dia útil do mês

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL

No vencimento da guia

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL

No vencimento da guia

CONTRIBUIÇÃO SOCIAL ESTIMATIVA / TRIMESTRAL

ÂMBITO estaduAL

ÂMBITO estaduAL DAPI DAPI

Indústrias e atacadista de bebidas,

Indústrias e atacadista de bebidas, comb. e lubrif, cigarros e fumos

Até o dia 04

Até o dia 04

comb. e lubrif, cigarros e fumos

Até o dia 09

lojas de departamentos, demais atacadistas e transportes

Comércio Varejista, supermercadista,

Comércio Varejista, supermercadista, lojas de departamentos, demais atacadistas e transportes

Até o dia 09

Guia Nac. Informação Apuração ICMS Sub. Trib. – Gia – ST

Até o dia 10

Demais indústrias

Até o dia 15

Até o dia 15

SPED Fiscal

Até o dia 25

SPED Fiscal

Até o dia 25

Demais contribuições

Ver Calendário Fiscal

Demais contribuições

Ver Calendário Fiscal

Guia Nac. Informação Apuração ICMS Sub. Trib. – Gia – ST

Até o dia 10

Demais indústrias

ÂMBITO municipAL

ÂMBITO municipAL ISS

Imposto S/ Serviços Belo Horizonte Outros Municípios

Até o dia 05 (cinco) Ver legislação local

IPTU

Belo Horizonte Outros Municípios

Até o dia 15 (quinze) Ver legislação local

Belo Horizonte Outros Municípios

Taxas Municipais

Des

Imposto S/ Serviços ISS

IPTU

Até o dia 05 (cinco) Ver legislação local

Belo Horizonte

Até o dia 15 (quinze)

Outros Municípios

Ver legislação local

Taxas Municipais Declaração Eletrônica de Serviços – Mensal Belo Horizonte

Declaração Eletrônica Até o dia 20 (vinte)

Des

de Serviços – Mensal

Até o dia 20 (vinte)

Belo Horizonte Taxas Municipais Belo Horizonte Outros Municípios

Fixado pelo município Ver legislação local

Taxas Municipais Belo Horizonte Outros Municípios

Fixado pelo município Ver legislação local

Justiça do Trabalho reconhece FECOMÉRCIO MG como representante de empresa Holding Recente decisão da 5ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT/MG), processo nº 00119-2013-105-03-00-9 RO, declarou que o SESCON/MG não representa empresa com atividade de participação societária, pois no registro desse sindicato perante o Ministé-

rio do Trabalho e Emprego não consta a representatividade das empresas holdings. Na decisão, a Justiça do Trabalho reconheceu a FECOMÉRCIO MG como legítima credora da contribuição sindical devida por empresa com atividade de participação societária

(holding), e declarou que a atividade de participação no capital de outras empresas diverge das atividades de assessoramento, perícias, informações, pesquisas e serviços contábeis. Ainda de acordo com a decisão, como não existe um sindicato específico representante de empresas

holdings, a contribuição sindical devida deve ser creditada para a FECOMÉRCIO MG. DACON – competências de outubro/2012 a fevereiro/2013 – apresentação até o 5º dia útil de maio/2013 – Instrução Normativa RFB 1331 – DOU de 04/02/2013.


FEcomércio informativo • Edição 386 • 19

Wanessa Viegas

Jurídico

Atestado médico falso: aspectos legais e implicações no contrato de trabalho do empregado Poliana Oliveira Fonseca CONSULTORA JURÍDICA da Fecomércio MG O Decreto nº. 27.048/49, que regulamenta a Lei nº. 605/49, determina que a doença alegada pelo empregado deverá ser comprovada mediante atestado emitido por médico da empresa, por médico da instituição de previdência a que esteja filiado, por médico do Serviço Social do Comércio, por médico de repartição federal, estadual ou municipal, incumbido de assunto de higiene ou saúde, por médico do sindicato a que pertença o empregado ou, ainda, na ausência desses, por médico designado pelo próprio empregado. Uma vez recebido o atestado médico pela empresa e havendo suspeita acerca da veracidade das informações consignadas nesse documento, caberá ao empregador adotar algumas medidas. Em primeiro lugar, é de suma relevância destacar que a empresa deve zelar pelo sigilo das apurações do evento supostamente ocorrido, ou seja, jamais pode ser dada publicidade ao evento, se esse ainda não tiver sido efetivamente comprovado. Dessa forma, ainda que existam fortes indícios, se não houver prova concreta do ocorrido, a empresa deve manter em sigilo os procedimentos ligados à apuração do evento. Portanto, se há suspeita de que o atestado esteja com irregularidades, a primeira medida a ser adotada é buscar meios de obter as informações verídicas, seja por meio de ligação ou envio de ofício à clínica, hospital ou médico que emitiu o atestado, valendo-se dos dados lançados no documento entregue. Caso seja constatada divergência das informações prestadas no atestado, o ocorrido deverá ser explicado à clínica, hospital ou médico e solicitado o envio de uma declaração com as in-

“(...) a dispensa por justa causa é um importante instrumento na tentativa de coibir essa prática de apresentação de atestado médico falso às empresas”. formações corretas. Tal declaração deve ser bem específica e clara quanto ao apontamento de irregularidade no atestado médico emitido. Uma vez enviado o documento solicitado, a empresa possui o documento hábil e idôneo, capaz de comprovar a quebra da relação de confiança que deve existir entre empregado e empregador. Nessas circunstâncias, caberá à empresa ouvir o empregado, assegurando-lhe defesa, e, caso

nenhum fato modificativo seja trazido, deverá notificá-lo acerca do ocorrido e, tendo interesse, poderá dispensá-lo por justa causa. A dispensa por justa causa poderá ser aplicada de plano, a teor do que preceitua o artigo 482 da CLT, em virtude da gravidade da conduta praticada pelo empregado, desprovida de qualquer boa-fé, geradora do rompimento da confiança do empregador, imprescindível para a continuidade da relação de emprego. A empresa deve atentar para o fato de não promover a divulgação negativa do nome do empregado no ambiente de trabalho e para a questão da singularidade da punição, ou seja, deve ser aplicada apenas uma penalidade em virtude do fato ocorrido, optando o empregador pela advertência, suspensão ou dispensa por justa causa. A aplicação da penalidade deve ser imediata, logo após a finalização da apuração dos fatos e produção das provas necessárias capazes de sustentar a conduta ilícita praticada pelo empregado, sob pena de configurar o perdão tácito ou implícito pela empresa. Acreditamos que, agindo conforme as orientações acima prestadas, com toda cautela exigida pela situação, a dispensa por justa causa é importante instrumento na tentativa de coibir essa prática de apresentação de atestado médico falso às empresas. Sabemos que a rescisão do contrato de trabalho por justa causa tem grande repercussão na vida profissional, além de considerável reflexo na vida econômica do empregado, mas tal medida mostra-se, em alguns casos, necessária e eficaz diante da reprovável conduta praticada.


20 • FECOMércio informativo • edição 386

jurídico

Adiado o prazo para fiscalização da lei do

imposto na nota fiscal Empresas terão mais um ano para se adequar

Lei 12.741, de 10 de dezembro de 2012. Uma matéria que nasceu para dar mais transparência ao consumidor com a discriminação do valor pago em impostos na nota fiscal. Para os empresários do comércio de bens, serviços e turismo, essa legislação, que entrou em vigor seis meses após a publicação, trouxe muitas dúvidas sobre como calcular os tributos e apresentá-los na nota fiscal. Até o dia 10 de junho deste ano, somente algumas grandes redes varejistas haviam colocado a lei em prática. Diante desse cenário, o prazo para adaptação foi prorrogado por um ano. Mas é melhor se informar e fazer a lei ser cumprida bem antes disso. A lei, que passou a vigorar no dia 10 de junho, exige que as empresas demonstrem em cada nota ou cupom fiscal emitido o valor aproximado dos seguintes tributos: ICMS, ISS, IPI, IOF, PIS/PASEP, Cofins e Cide. A lei permite, ainda, que esses dados sejam disponibilizados em painéis nos estabelecimentos ou na internet. Os seis meses entre a publicação e a entrada em vigor não foram suficientes, assim, o prazo para a fiscalização e aplicações de sanções foi prorrogado para mais 12 meses, de acordo com a Medida Provisória nº. 620, de 12 de junho de 2013. Portanto, a lei está valendo, mas as empresas que não cumprirem as determinações ainda não serão punidas.

Shutterstock

Paolo Xavier

O consultor jurídico Marcelo Morais informa que a Fecomércio MG está acompanhando os desdobramentos da legislação, junto ao Governo Federal, quanto à regulamentação da legislação. O consultor explica que a fiscalização ficará sob a responsabilidade do Procon, conforme orientações do Código de Defesa do Consumidor. Há diversas punições possíveis, incluindo multas.

Para o diretor comercial da Avanço Informática, Gustavo Fleubert, o problema maior é o tamanho do mercado. “Conseguimos desenvolver a atualização, mas era inviável atender todo o mercado em 20 dias”, relata ao lembrar o prazo anterior. Agora, a empresa terá mais tempo para atender o mercado, mas Fleubert reforça a necessidade de não deixar para a última hora tanto para ele quanto para os seus clientes.


sesc

FEcomércio informativo

www.sescmg.com.br

Dila Puccini/Sesc Minas

Publicação do comércio de Bens, serviços e turismo de minas gerais – sistema fecomércio mG, sesc, senac e sindicatos

está chegando a hora Bailarinos na expectativa para a estreia da Sesc CIA. de dança Página 3 mesa brasil chega a Montes Claros

Carro de boi é celebrado no interior

Medsesc promove saúde no triângulo

pÁGINA 4

pÁGINA 3

pÁGINA 2

MINAS GERAIS


2 • FEcomércio INFORMATIVO • edição 386

artigo

Dila Puccini/Sesc Minas

Os benefícios do turismo Rodrigo Penido Duarte Diretor Regional do Sesc O Brasil, no próximo ano, certamente será o roteiro internacional mais visitado do mundo. Atributos para isso não faltam: o futebol, as belezas naturais do país, o rico patrimônio histórico, a diversidade cultural, a hospitalidade, os valores, a culinária, a tradição e os costumes de nossa gente são diferenciais que atraem divisas. O governo federal estima que 600 mil turistas devam desembarcar no Brasil em 2014. E não é só; segundo informações do Ministério do Turismo, caminhamos para estar entre os três maiores destinos econômicos até 2022. Em 2012 superamos a França, o México, a Itália e a Espanha em quantidade de turistas estrangeiros recebidos. Entre os benefícios da atividade turística, destacamos a geração de emprego, o fomento da economia local, que, necessariamente, deve ser casado com iniciativas sustentáveis.

Nesse contexto, o Sistema Fecomércio MG, por meio de seus braços sociocultural e educativo, tem trabalhado para propiciar condições para receber bem o turista. O Sesc, por exemplo, planeja e desenvolve ações culturais e educativas nos espaços públicos da cidade, entre elas: o Minas ao Luar, o Causos e Violas das Gerais, o Sesc Chorinho e Samba na Praça, e o planejamento de uma programação especial no Sesc Palladium durante a Copa. Uma das vocações do Sesc é a educação. Nessa esteira, iniciamos um processo de sensibilização da comunidade estudantil das escolas públicas adotadas pelo Sesc. O objetivo é difundir o conhecimento cultural das nações que disputarão a Copa, incentivar boas práticas de gentileza, cordialidade e de meio ambiente. O Sesc funciona como agente cultural. É promotor da educação em muitas frentes e ações

que permitem o crescimento pessoal e intelectual nos mais variados cantos das Gerais – ações que beneficiam diretamente os trabalhadores, além de fomentar os setores produtivos do comércio de bens, serviços e turismo.

giro

Lançamento Sonora Brasil

MedSesc

Henrique Pereira

em Ituiutaba – mais de 300 Consultas Charles Galantini

Apresentação do grupo Alabê Ôni (RS) na noite de lançamento do Sonora Brasil

Ana Paula Rachid

Florianópolis, em Santa Catarina, recebeu, em 29 de maio, o lançamento da 16ª edição do circuito Sonora Brasil – Formação de Ouvintes Musicais. Realizado pelo Departamento Nacional do Sesc, esse é o

maior projeto de circulação musical do país. Os temas do biênio 2013/2014 são Tambores e Batuques e Edino Krieger e as Bienais de Música Contemporânea. A abertura contou com apresentações de dois dos oito grupos que fazem parte da programação: o Alabê Ôni (RS) e o Octeto do Polyphonia Khoros (SC), além da presença do homenageado desta edição, Edino Krieger.

O Sesc investe nos serviços de saúde, inclusive ocular. Prova disso é o MedSesc Oftalmologia, que, em junho, esteve em Ituiutaba, no Triângulo Mineiro. No município, foram realizadas mais de 300 consultas gratuitas e completas para a identificação de várias doenças oculares, como o glaucoma e a catarata, e também sistêmicas, como diabetes e hipertensão arterial. A parceria entre o Sindicomércio local, a prefeitura e o Senac atendeu moradores de diversas cidades da região. Nas consultas, previamente agendadas, quase 500 exames foram realizados. Os pacientes também tiveram a pressão arterial aferida e a glicemia capilar dosada por profissionais do Senac.


FEcomércio INFORMATIVO • edição 386 • 3

dança

Os primeiros

aplausos

Sesc Cia. de Dança estreia no Grande Teatro do Sesc Palladium nos dias 22 e 23 de agosto

“Eu me senti lisonjeado em participar do nascimento de uma companhia de dança tão promissora como a do Sesc”, comenta Henrique Rodovalho, coreógrafo responsável pela criação da dança contemporânea que integra o repertório de estreia da Sesc Cia. de Dança. O evento está marcado para 22 e 23 de agosto, no Grande Teatro do Sesc Palladium. A apresentação contará também com a suíte do La Bayadere, um balé clássico, com coreografia de Marius Petipa, cuja primeira encenação foi em São Petersburgo, na Rússia, em 1877. As apresentações de balé da estreia serão o resultado do trabalho desenvolvido pela Sesc Cia. de Dança, que opta por uma linha que transita pelos estilos clássico, neoclássico e contemporâneo. “O repertório foi escolhido com o intuito de mostrar ao público, desde o

início, a versatilidade do grupo”, afirma a assessora técnica da Diretoria Regional responsável pela Sesc Cia. de Dança, Maria Elisa Medeiros. “Para tal, optou-se, para a primeira apresentação oficial, por um balé clássico tradicional e uma coreografia contemporânea criada especialmente para a companhia”, completa a assessora. Criada em novembro de 2012, a companhia atua com um repertório coreográfico amplo e abrangente, indo do balé clássico tradicional à dança contemporânea, ampliando cada vez mais as tendências. Em março deste ano, realizou sua terceira audição e, atualmente, conta com 20 bailarinos em sua formação. Em junho, o grupo participou da ópera Fedra e Hipólito, de Christopher Park, encenada no Grande Teatro do Palácio das Artes. O grupo promete ainda ultrapassar as fronteiras da capital mineira, com turnês pelo Estado e por todo o Brasil.

Dila Puccini/Sesc Minas

Ana Paula Rachid

Sesc Cia. de Dança: participação na ópera Fedra e Hipólito e estreia prevista para agosto

Memória viva Carro de boi resiste à tecnologia e é celebrado no interior do estado Mirian Rakel

Leonardo Abreu Lá vem ele pela estrada de terra batida. Aproxima-se de maneira cadenciada, produzindo um som rangente e lamentoso. Artesanal, é fruto de uma engenharia rústica, porém eficiente ao seu propósito. O progresso brasileiro já foi transportado sobre suas rodas, mas atualmente já não é tão utilizado. As máquinas o foram substituindo gradualmente. Ele é o carro de boi, veículo de tração animal trazido pelos portugueses para ajudar no transporte mais pesado dos engenhos de açúcar, na época do Brasil Colônia. Sua história passa por Minas Gerais, onde foi de extrema importância no contexto econômico e social. O carro de boi segue cultuado no interior de Minas

Lendário, o carro de boi ainda conta com grande número de adeptos pelo interior do Estado. Prova disso são as diversas festas organizadas para celebrar sua importância. Em julho, na região do Alto Paranaíba, acontece o 4º Encontro de Carros de Boi de Coromandel e Região. Um dos idealizadores do evento é o Sr. José Maria da Cruz, com 74 anos de idade e uma vida dedicada ao veículo. Ele confessa que ainda se emociona a cada carreata realizada. “É uma emoção muito grande! O carro de boi é fundamental para a nossa história. Nada mais justo que mantermos viva essa memória e resgatarmos sua importância para as novas e futuras gerações”, conclui.


4 • FEcomércio INFORMATIVO • edição 386

ACONTECE

130 toneladas é a meta Livro de Graça do Mesa Brasil em na Praça Montes Claros Marcelo Torres

Sóstenes Reis

Dila Puccini/Sesc Minas

O Sesc apresenta, em 22 de setembro, os vencedores do concurso Livro de Graça na Praça, em evento na Praça da Liberdade. Na ocasião, também serão distribuídos, gratuitamente, 23 mil livros, de 25 autores, além de três mil cordéis do poeta cearense Geraldo Amâncio. A ação teve como objetivos incentivar a produção literária mineira e promover a aproximação do público leitor com os escritores.

Diretor regional do Sesc em Minas Gerais, Rodrigo Penido, discursa na inauguração do Programa Mesa Brasil em Montes Claros

Charles Galantini

Até o fim de 2013, a nova unidade do Mesa Brasil Sesc Minas Gerais, inaugurada recentemente em Montes Claros, Norte de Minas, pretende arrecadar 130 toneladas de alimentos, que serão doadas às 42 instituições cadastradas e beneficiarão mais de quatro mil pessoas. Municípios da região, como Capitão Enéas, Francisco Sá, Juramento, Glaucilândia, Bocaiuva, Claro dos Poções, São João da Lagoa, Coração de Jesus, Mirabela e Patis, também serão beneficiados.

Em 2012, o Livro de Graça na Praça teve grande adesão do público

Sesc Materna atende

cultura popular

Gestantes privadas de liberdade

Folclore: maior manifestação da cultura popular

Grávidas do CRGPL recebem orientações sobre período gestacional

Tarcísio de Paula/Sesc Minas

Fotolia

Dia dedicado à

Josilene Silva

No dia 22 de agosto comemora-se o Dia Mundial do Folclore, data instituída com o objetivo de preservar a cultura popular. Entre várias definições, representa o conjunto das criações culturais de um povo baseadas nas suas tradições expressas individual ou coletivamente. O Sesc em Minas realiza vários projetos na área da Cultura Popular, por exemplo, diretrizes das Festas Populares, Carnaval, Festa Junina, Minas ao Luar, Causos e Violas das Gerais, além do Sesc Cenarte – Centro de Arte Popular Mineira e muito mais.

Charles Galantini

O Sesc Materna promoveu troca de experiências com as futuras mães do Centro de Referência à Gestante Privada de Liberdade (CRGPL), em Vespasiano, Região Metropolitana de Belo Horizonte. As atividades, comandadas pelos profissionais do Sesc Santa Quitéria, ocorrem até julho. As inscrições estão abertas para as demais unidades do Sesc. Para mais informações acesse www.sescmg.com.br.


senac

fecomércio informativo

www.mg.senac.br

Estúdio 53

P ublicaç ã o do comércio de Bens , serviços e turismo de minas gerais – sistema fecomércio mG , sesc , senac e sin dicatos

Senac lança Portal Nacional de Educação a Distância Mais agilidade para realizar cursos a distância Página 3 Senac no ALTO DO PARANAÍBA: Milhares de visitantes no Mapa da Mina

Oficinas no 17º Encontro Regional de Bares e Restaurantes da Abrasel

Público da Unilar prestigia Cozinha Show do Senac

pÁGINA 2

pÁGINA 4

pÁGINA 4


2 • FEcomércio INFORMATIVO • edição 386

artigo

Estúdio 53

Confiantes rumo à Copa de 2014 luciano fagundes diretor regional DO senac

“Vagas de trabalho surgiram, e os estabelecimentos comerciais puderam Comprovar que formamos um time de campeões com padrão de excelência.”

A bola já está rolando. Depois de termos nos planejado para receber a Copa das Confederações da FIFA 2013, ela finalmente chegou. Em junho, sediamos esse grande evento internacional, e o Senac, integrante do Sistema Fecomércio MG, colheu os primeiros frutos das ações realizadas com a população mineira. Nosso foco principal foi a qualificação de mão de obra para receber bem os turistas, e o objetivo foi alcançado. Vagas de trabalho surgiram, e os estabelecimentos comerciais puderam comprovar que formamos um time de campeões com o padrão de excelência desejado. No período que antecedeu a Copa das Confederações da FIFA 2013, somente o setor de bares, lanchonetes, restaurantes e cafés abriu três mil vagas em Belo Horizonte. Até a Copa do Mundo da FIFA 2014, a previsão é de criação de mais de 700 mil empregos no país, em

setores de infraestrutura, no turismo e em serviços como saúde e hotelaria. Com esse aquecimento, quem investiu na própria qualificação está tendo retorno imediato. Como exemplo, citamos uma turma de garçons no Senac BH, na qual 80% dos alunos conseguiram emprego ainda durante o curso. Para quem não pode arcar com o investimento, o Senac também atua na qualificação técnica gratuita pelo Pronatec Copa. Nesse programa do Governo Federal, nossa previsão é capacitar 3.785 pessoas em vários municípios mineiros. O nosso compromisso é este: reescrever histórias e transformar a nossa sociedade, gerando oportunidades de emprego e renda à população e ao setor do comércio de bens, serviços e turismo. É com muito orgulho que colhemos os primeiros resultados e seguimos confiantes rumo à Copa de 2014.

Giro

Sistema Fecomércio mg no Mapa da Mina 2013 Considerado um dos maiores eventos de negócios e empreendedorismo das regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, o Mapa da Mina, realizado no mês de junho, em Patrocínio, teve a presença

do Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos. Além do estande “Soluções Corporativas”, desenvolvido pelo Senac, foram oferecidas palestras, procedimentos gratuitos de saúde na carreta-escola

SenacMóvel e ações de cidadania com mostras de projetos e serviços à população pelo programa Jovem Aprendiz. Houve participação de, aproximadamente, oito mil visitantes.

Estúdio 53

Gastronomia e música na Serra do Cipó

Participantes do curso aprendem técnicas de culinária

O Sistema Fecomércio MG, por meio do Senac e do Sesc, esteve presente, em junho, em dois eventos realizados em Santana do Riacho, na Serrá do Cipó. O SenacMóvel de Gastronomia e Hospitalidade foi uma das atrações do Cipó Classic Festival, com cursos gratuitos para gerar renda à comunidade: Primeiros Passos na Culinária, Culinária Típica Mineira, Bombons e Trufas e Preparo de Massas.

Ainda no evento, foram oferecidas oficinas variadas de gastronomia aos sábados. O Sesc realizou uma edição do Minas ao Luar, na noite de sábado, dia 22, com o grupo Canta Brasil Seresta Show. O Senac também marca presença no Festival Outono na Serra, entre 22 de junho e 14 de julho, levando o talento de seus chefs aos jantares temáticos oferecidos pelos restaurantes participantes do evento.


FEcomércio INFORMATIVO • edição 386 • 3

capa

Senac lança Rede de Educação a Distância Novo portal reúne cursos on-line de unidades de todo o país

COM O SENAC EAD, VOCÊ PODE ESCOLHER SUA SALA DE AULA www.ead.senac.br

Cursos Livres • Cursos Técnicos • Graduação • Pós-Graduação • Extensão Universitária

Estudar em casa, com flexibilidade de dias e horários e a mesma qualidade de ensino do curso presencial. As vantagens, que já eram oferecidas pelos cursos a distância do Senac, foram ampliadas no site da Rede Nacional de Educação a Distância, o Portal Senac EAD (www.ead. senac.br). Lançado em abril deste ano, o portal oferece cursos do Senac em unidades espalhadas por todo o Brasil. O objetivo é levar conhecimento e oportunidades de capacitação a um número maior de pessoas.

“O maior investimento do setor privado brasileiro hoje é na área de educação a distância.”

O novo portal atende ao crescimento do mercado de ensino on-line. O coordenador da Educação a Distância do Senac em Minas, Dilermando Ubiraci, explica que o maior investimento do setor privado brasileiro hoje é na área de educação a distância. “Mais de 30% de alunos matriculados em cursos superiores são na modalidade EAD. Hoje, há um milhão de estudantes, e a expectativa é atingir o dobro até 2015. Entre os cursos de capacitação, atualmente há mais estudantes no ensino a distância do que na modalidade presencial”, diz. O Senac tem acompanhado essa tendência com o aumento crescente do portfólio de cursos. “Em 2014, passaremos a ofertar cursos de tecnólogos, e novos cursos de graduação tecnológica estão previstos”, ressalta. O Senac EAD abrange cursos: livres, incluindo os de formação inicial, aperfeiçoamento ou atualização; técnicos; de graduação; de pós-graduação e de extensão. Por terem menor duração, os cursos livres, de formação inicial e de capacitação, são realizados

exclusivamente a distância. Já os técnicos de graduação e pós-graduação possuem atividades presenciais promovidas nos polos de apoio credenciados em todo Brasil. Atualmente, há oito polos e, no ato da matrícula, o aluno escolhe o que for mais próximo de sua residência.

Diploma idêntico: presencial ou a distância Não há diferença entre diplomas de cursos a distância e presenciais. Outro aspecto atrativo é que a modalidade a distância é mais econômica por não necessitar de despesas extras com deslocamento e alimentação. As aulas são ministradas em um ambiente virtual de aprendizagem e de fácil navegação. Além disso, a superintendente educacional do Senac em Minas, Francine Reis, destaca que as funcionalidades do portal permitem usufruir de um mix de serviços, desde a realização de inscrições à solicitação de histórico e consulta de frequência.

Cliente em Destaque “A parceria com o Senac foi iniciada em 2012 com o objetivo de levar uma sala de aula completa e estruturada aos postos de combustível dos revendedores ALE, oferecendo capacitação aos funcionários. Por meio do desenvolvimento de um conteúdo programático exclusivo, o Senac compreendeu as expectativas e necessidades da ALE e seus revendedores, que atendem às especificidades do segmento e necessidades da revenda. Ao todo, foram capacitados 360 profissionais em 20 treinamentos realizados. Pretendemos continuar a parceria para disseminar o conhecimento em toda rede de postos ALE espalhados por todo o Brasil.” Mariana Weffort Bertini – Gerente de Educação Corporativa e Qualidade – AleSat Combustíveis S.A.


4 • FEcomércio INFORMATIVO • edição 386

Em Foco

Faculdade Senac abre inscrições para pós-graduação na capital e interior A Faculdade Senac, por meio do Núcleo de Pós-Graduação, está com inscrições abertas para cursos programados para o segundo semestre de 2013. Em Belo Horizonte, são oferecidos 11 cursos de pós-graduação em cinco áreas: educação, gestão, hospitalidade, informática e meio ambiente. Em sua maioria, os cursos terão início no mês de setembro. Entre os cursos mais procurados, destacam-se Gestão Empresarial e Gestão Estratégica de Pessoas. A coordenadora do Núcleo de Pós-Graduação do Senac em Minas, Maria Isabel França, acredita que esses são cursos considerados âncora. Segundo ela, Gestão Em-

presarial desperta interesse pelas necessidades competitivas do mercado. Já a habilidade em lidar com equipes, necessária direta ou indiretamente aos profissionais, é o que motiva a busca por Gestão Estratégica de Pessoas. As inscrições para os cursos de pós-graduação devem ser realizadas pessoalmente no Núcleo de Pós-Graduação (rua Guajajaras, 40), sempre de segunda a sexta, das 8h30 às 21h30. No interior, os interessados devem se inscrever nas unidades Senac. Informações sobre todos os cursos de especialização oferecidos podem ser conferidas pelo site www.mg.senac.br/faculdade ou pelo telefone 0800 724 4440.

Acontece

Estúdio 53

sistema fecomércio MG leva atrações ao 17º Encontro da Abrasel

Oficina de reaproveitamento de alimentos ministrada pelo instrutor Izaías Sobrinho

Roteiros gastronômicos, atendimento aos turistas em eventos esportivos e reaproveitamento de alimentos foram alguns dos temas abordados nas palestras e oficinas promovidas pelo Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos durante o 17º Encontro Regional de Bares e Restaurantes da Abrasel. O evento, realizado nos dias 5 e 6 de junho, no Centro de Convenções do Hotel Mercure, em Belo Horizonte, foi uma promoção da Associação Brasileira de

Bares e Restaurantes (Abrasel). No estande institucional, o público pôde conhecer os produtos oferecidos pelas entidades que compõem o Sistema. O Sesc ofereceu uma apresentação especial do projeto Sesc Chorinho e Samba na Praça. O grupo Toca de Tatu apresentou uma versão bem original do Hino Nacional em ritmo de choro e fez uma apresentação especial de clássicos da música brasileira para os convidados.

Estúdio 53

Senac e gastronomia na Unilar

Formada pelo Senac, Camila Aganett ensina técnicas de gastronomia

O público que visitou a Feira Nacional de Decoração, Móveis e Equipamentos do Lar (Unilar), entre 25 e 30 de junho, no Minascentro, não apenas conferiu as novas tendências em móveis, decorações e design. A gastronomia também foi uma atração do evento, por meio da Cozinha Show montada pelo Senac para oferecer oficinas

de Decoração de Canapés, Trufas, Esculturas em Frutas e Legumes e Cupcakes. As aulas foram ministradas por instrutores da instituição. A feira foi ainda uma oportunidade para o público conhecer os serviços oferecidos pelo Sistema Fecomércio MG, Sesc, Senac e Sindicatos, no estande da entidade.


sebrae

FEcomércio informativo

www.sebraemg.com.br

Ronaldo Guimarães

Publicação do comércio de Bens, serviços e turismo de minas gerais – sistema fecomércio mG, sesc, senac e sindicatos

Stefan Salej, o criador volta à criatura

Ex-líder empresarial vem a BH para matar saudades da Escola Técnica do Sebrae Minas, que criou há quase 20 anos

Arquivo

Página 3

O artesanato mineiro em exposição na ONU, nos EUA

MPEs também devem investir em Planos de Cargos e Salários (PCS)

PÁGINA 4

PÁGINA 2


2 • FEcomércio INFORMATIVo • Edição 386

artigo

Anderson Machado

Plano de Cargos e Salários nas MPEs Márcio Lopes Consultor da Regional Sul do Sebrae Minas

Banco de imagens: Shutterstock

O Plano de Cargos e Salários (PCS) é um dos principais instrumentos de gestão, que garante o equilíbrio interno (relação entre cargos e salários) e externo (realidade de mercado), com o objetivo de estabelecer políticas e critérios claros de remuneração essenciais à captação e retenção de talentos, delineamento de carreira, gestão de custos, desenvolvimento de pessoal e melhoria do clima organizacional. Um PCS celebra a igualdade interna, na qual não vale a lei do achômetro, do amigo ou do quem indica. É o conceito de justiça no peso relativo dos cargos, ou seja, quanto mais importante for, mais vale. Além de pagar muito para um cargo e oferecer remuneração incapaz de atrair os melhores talentos, empresas que não dispõem de um PCS convivem diariamente com a dificuldade de explicar internamente porque fulano ganha mais do que sicrano, ainda mais na ausência de um método comprobatório. Tratam os salários no caso a caso, sem critérios seguros e uma base clara de valores, o que, certamente, resultará em funcionários insatisfeitos, líderes inseguros na gestão salarial e colaboradores saindo para ganhar mais. O PCS inicia-se com a estruturação e descrição dos cargos. Depois é realizada a pesquisa salarial e, com base nos seus resultados, é elaborada uma matriz salarial. O mais importante no processo é a comunicação estabelecida entre a empresa e seus colaboradores, para não criar expectativas fantasiosas sobre os motivos para a elaboração do PCS. Mesmo com um bom processo de comunicação, é muito comum que as pessoas gerem a expectativa de ganhar aumento salarial, ou acharem que serão demitidas com a implantação do Plano. Ao analisarmos um PCS podemos concluir que esse processo é uma ferramenta

para empresas com muitos funcionários, não para pequenas e médias. Grande engano! Por menor que seja o negócio, é importante que os colaboradores saibam que estão sendo remunerados de maneira justa e coerente. Desmistifiquemos que um Plano é para as grandes organizações. O grande problema é justamente o crescimento sem plano algum; depois o conserto fica caro. Por isso, todas as instituições devem ter um PCS, que pode ser muito simples, contendo uma estrutura de cargos, salários e regras da sua funcionalidade. Portanto, que tal começar a estudar a implantação ou o aprimoramento do PCS em sua organização? Não falamos de aumento de salário, mas de definir e organizar oficialmente quais os cargos necessários, que requisitos precisam ter as pessoas que vão ocupá-los, quais funções deverão desempenhar e quanto a empresa deve pagar por isso.

“Um PCS celebra a igualdade interna, na qual não vale a lei do achômetro, do amigo ou do quem indica. É o conceito de justiça no peso relativo dos cargos, ou seja, quanto mais importante for, mais vale.”


FEcomércio INFORMATIVO • edição 386 • 3

ENTREVISTA

Stefan Salej, um lutador Ronaldo Guimarães

William Monteiro

Stefan Bogdan Salej, judeu nascido na Eslovênia em 1943, veio para o Brasil fugindo do nazismo. Aqui, foi atendente de lanchonete, vendedor e representante comercial, antes de se tornar um empresário vitorioso. Foi presidente do Sebrae Minas (1991-1994) – onde criou a Escola Técnica de Formação Gerencial (ETFG), unidade referência para o país –, e da Fiemg (1995-2001). Nos dias 8 e 9 de maio, Salej esteve na ETFG, em Belo Horizonte, para encontros com alunos, professores e funcionários. O criador veio rever a criatura. Na ocasião, concedeu esta entrevista ao Fecomércio Informativo. Fecomércio Informativo: Como se deu sua vinda para o Brasil e como foi sua trajetória profissional? Stefan Salej: Vim com minha mãe e minha irmã Ana, em junho de 1960. Meu pai já estava por aqui desde 1951. Viemos para BH. Trabalhei na cantina da Mannesmann, fui vendedor e representante comercial. Mais tarde, junto com Mauro Lobo (posteriormente deputado e secretário de Estado) e Egon Hirsch, eletrotécnico, fundei a Tecnowatt. Com Mauro Lobo e Tarcísio Botinha fundei também a Selpe – Seleção de Pessoal. As duas empresas estão no mercado até hoje. Não tenho mais participação acionária em ambas. Depois de mais de 40 anos de indústria, acompanhei minha esposa diplomata brasileira pela Europa e lá lecionei sobre empreendedorismo em cursos de pós-graduação. Tornei-me embaixador da Eslovênia para a América Latina e Caribe. Após a nomeação dela como embaixadora do Brasil em Ljubljana

Stefan Bogdan Salej, o criador...

(capital da Eslovênia), assumi o cargo de diretor-geral de um centro fundado pelas Nações Unidas de apoio a empresas públicas. Terminada a missão dela na Eslovênia, nos mudamos para a Cidade do Cabo (África do Sul), onde ela chefia o Consulado Geral, e eu leciono e escrevo para jornais. FI: O senhor criou a Escola Técnica de Formação Profissional (ETFG), do Sebrae, em 1994, unidade de ensino inédita no Brasil. Que parâmetros usou e o que o motivou a implantá-la? SS: Eu tive ajudas inestimáveis, como do Walfrido Mares Guia (vice-governador de Minas na época), por exemplo. Sentíamos que, se não educássemos os profissionais para as empresas médias e pequenas, elas não sobreviveriam. E acertamos ao adotar um método austríaco como

modelo. Tal sistema de educação não só aumentou a vida útil das empresas, como auxiliou nos seus processos de sucessão e ampliou a competitividade. Minas foi pioneira. FI: Hoje, a ETFG reúne centenas de alunos e, além da escola pioneira em BH, tem unidades descentralizadas em outras cidades. Como avalia sucesso tão grande? SS: Com alegria, por ver que Minas lidera esse processo, que os formandos são felizes e bem-sucedidos. E de imensa tristeza por constatar que o sistema ainda não atingiu o Brasil como um todo.

Leia a entrevista na íntegra na Agência Sebrae de Notícias (www.sebraemg.com.br) Arquivo

... Escola Técnica de Formação Gerencial do Sebrae Minas, a criatura


4 • FEcomércio INFORMATIVo • Edição 386

ARTESANATO

Artesanato mineiro para todo o mundo ver Arquivo

Exposição da mulher artesã brasileira, na ONU, em Nova Iorque

Vale do Jequitinhonha, beleza exposta nos EUA

Artesãs do Vale do Jequitinhonha e Noroeste de Minas, capacitadas pelo Sebrae Minas, estão entre as 15 selecionadas para participar da Exposição Mulher Artesã Brasileira, que será realizada na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), Nova Iorque (EUA), no próximo mês de setembro. Entre os 12 estados participantes, Minas Gerais será o único com três artesãs selecionadas, o que mostra a diversidade e a importância

do artesanato mineiro. A seleção das artesãs foi realizada em março. As mineiras que irão participar da exposição são: Maria José Gomes da Silva (da cidade de Minas Novas), com as bonecas de cerâmica; Juracy Borges da Silva (Diamantina), que produz peças decorativas com flores de sempre-viva; e Gercina Maria de Oliveira (Arinos), com a tecelagem. As artesãs também participarão de documentário e livro sobre o artesanato brasileiro.

NESTE ANO, Minas Gerais, O esTaDO DO CaFÉ, VAI RECEBER O MUnDO DO CaFÉ.

A Exposição Mulher Artesã Brasileira é promovida pelo Programa do Artesanato Brasileiro, pelo Sebrae e pela Associação Brasileira de Exportação de Artesanato (Abexa). A ação tem o objetivo de divulgar a cultura e a economia brasileira por meio de artesãs que alcançaram na produção artesanal, não somente uma forma de subsistência, mas, também, uma motivação constante de transformação da realidade social.

De 9 a 13 de setembro Expominas - Belo Horizonte Minas Gerais Em setembro, Minas Gerais, o maior estado produtor de café do Brasil, promoverá a Semana Internacional do Café. O evento irá sediar a reunião de 50 anos da Organização Internacional do Café (OIC), com a participação de mais de 70 países, e a 8ª edição do Espaço Café Brasil, a maior feira do setor na América Latina. Faça como toda a cadeia produtiva do café e marque já a sua presença.

Semana Internacional do

www.semanainternacionaldocafe.com.br

Realização: Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais

Ministério da Agricultura, Pecuária Ministério da Ministério da edas Abastecimento Ministério Agricultura, Pecuária Agricultura, Pecuária Relações Exteriores e Abastecimentoe Abastecimento

Comercial: www.espacocafebrasil.com.br + 55 11 3586-2233

Ed.386 - JUL/2013 - Jornal Fecomércio Informativo  

Jornal Fecomércio Informativo

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you