Page 1

fecomércio informativo belo Horizonte - junho 2012 - edição 376

tiragem

150.000 exemplares comprovada pela Soltz, Mattoso & Mendes Auditores Independentes

www.fecomerciomg.org.br

Publicação mensal do comércio de Bens, serviços e turismo de minas gerais - sistema fecomércio minas, sesc, senac e sindicatos

1 Comércio

2 Mercado

Festa Junina

Exportação

Tradição garante vendas no interior e capital. Página 17

Como negociar com os sul-africanos. Página 23

3 Jurídico Tributos

Receita Estadual perdoa débitos. Página 28

SISTEMA MOSTRA FORTE ATUAÇÃO NO TURISMO Entidades foram destaque no Salão Mineiro do Turismo Priscilla Ázara

O Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac, Sindicatos e o SebraeMG foram destaque durante o 4º Salão Mineiro do Turismo, realizado no Minascentro, em maio. Além de um estande onde foram mostrados os produtos e serviços que as entidades oferecem no segmento, o Sistema promoveu palestras, oficinas e ainda lançou o Guia Turístico e Cultural de Belo Horizonte. O presidente Lázaro Luiz Gonzaga participou da abertura do evento e ressaltou o trabalho feito para o desenvolvimento do turismo. PÁGINA 3 Thaís Oliveira

CRÉDITO FACILITADO PARA EMPRESÁRIOS

SESC Sesc promove cultura e diversão de qualidade para todos

Com isso, 16 sindicatos, além da própria entidade, já estão habilitados a operar o serviço, que traz praticidade e condições especiais de financiamento para os empresários.

SENAC Interiorização avança com inaugurações e revitalizações

PÁGINA 7

Sebastião Jacinto Jr.

Representantes da Fecomércio e dos sindicatos participaram de treinamento sobre as linhas de financiamento para pequenas, médias e microempresas que os correspondentes bancários do BDMG podem oferecer.

SEBRAE BH-Tec coloca Minas no caminho da economia científica


2 • FECOMércio informativo • edição 376

opinião do presidente expediente Presidente Lázaro Luiz Gonzaga Vice-presidentes Emerson Beloti de Souza, Sebastião da Silva Andrade, Amâncio Borges de Medeiros, Osvaldo Fernandes Pereira Júnior, Lúcio Emílio de Faria Júnior, José Maria Facundes, Hercílio Araújo Diniz Filho, Iesser Anis Lauar Secretários Anelton Alves da Cunha, Afonso Mauro Pinho Ribeiro, Bento José Oliveira, Vera Lúcia Freitas Luzia, Idolindo José de Oliveira, Caio Márcio Goulart Tesoureiros Marcelo Carneiro Árabe, Wainer Pastorini Haddad, Maria Luiza Maia Oliveira, José Donaldo Bittencourt Júnior, José Porfiro do Carmo, Alfeu Freitas Abreu Conselho fiscal Carlos Alberto Salvato, Carlos Wagner do Couto, Glenn Andrade Fecomércio Informativo Publicação mensal do Sistema Fecomércio, Sesc, Senac, Sindicatos e do Sebrae-MG Produção – Fecomércio Minas Gerência de Comunicação e Marketing Ana Laura Guimarães Coordenação de Comunicação Márcia Misson Edição: Etiene Egg Produção Editorial: Marketing Fecomércio Minas Projeto Gráfico: Prefácio Comunicação Impressão: Sempre Editora Tiragem: 150.000 exemplares Comprovada por: Soltz, Mattoso & Mendes Auditores Independentes Caderno Sesc: Camila Lôbo – Coordenadora de Comunicação Caderno Senac: Luciana Correa – Assessora de Marketing e Comunicação Caderno Sebrae: Teresa Goulart – Gerente de Comunicação Fecomércio Minas: Rua Curitiba, 561 Centro – Belo Horizonte – CEP: 30 170 – 120 Contato: (31) 3270.3300 Sesc Minas: Rua Tupinambás, 956 Centro – Belo Horizonte – CEP: 30 120 – 070 Senac Minas: Rua Tupinambás, 1086 Centro – Belo Horizonte – CEP: 30 120 – 070 Sebrae Minas: Av. Barão Homem de Melo, 329 Nova Suiça – Belo Horizonte – CEP: 30 431 – 285

O Brasil como o melhor país da atualidade para se investir

(Eike Batista)

Prezadas e prezados empresários, militantes do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Minas Gerais. No último dia 24 de maio, a Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) comemorou o Dia da Indústria, prestando homenagens a vários empresários que se destacaram em seus segmentos industriais. O homenageado especial - o industrial do ano - foi Eike Batista, pelos seus vultosos investimento em Minas Gerais. Mineiro de Governador Valadares, é também o homem mais rico do Brasil, candidato a ser o mais rico do mundo. É enriquecedor conhecer a trajetória de vida do empresário, sua audácia e tino empreendedor, seus profundos conhecimentos práticos sobre oportunidades de negócios no mundo, seu entusiasmo e confiança na economia brasileira presente e futura, quando mostra seus mega investimentos no país, e afirma com sua peculiar autoridade sobre o assunto que o Brasil é o melhor país do mundo para se investir. Outros pontos que atestam a importância do Brasil no cenário mundial com amplas repercussões positivas é a realização da Rio +20, Conferência Mundial da ONU sobre desenvolvimento sustentável e seus vieses ambiental, econômico e social, diante da escassez de determinados elementos indispensáveis como água e outros recursos da natureza, para atender os atuais 7 bilhões de seres humanos, com a estimativa de 9 bilhões para as próximas três décadas e os necessários arranjos, ajustes e surgimento de novas oportunidades empresariais.

ORAÇÃO DA SERENIDADE Deus, conceda-me serenidade para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para reconhecer a diferença entre umas e outras.

Na sequência, teremos a Copa das Confederações para 2013, que serve de preparativo para a Copa do Mundo em 2014, além das Olimpíadas de 2016.Todos estes eventos e suas influências diretas e indiretas testarão às competências empresariais vigentes atualmente e suas necessidades de evolução. Estamos conscientes e empenhados em cumprir bem nossas responsabilidades de fomento e apoio às atividades econômicas e sociais, por meio das entidades que compõe o sistema sindical do setor terciário da economia - Federação, Sesc, Senac, Sindicatos e o Sebrae, que tem sua gestão sob a responsabilidade da Federação do Comércio até 2014. O sistema vem estimulando e dando apoio para que seus colaboradores se dediquem mais aos estudos regulares e também investindo em treinamentos complementares gerais e específicos, para que estejam sempre à altura de proporcionar atendimento de ótima qualidade aos clientes, que são os mantenedores e usuários. Positividade Divina Sempre. Até breve,

Lázaro Luiz Gonzaga

presidente do sistema fecomércio minas, sesc, senac, sindicatos e do sebrae-MG Comunique-se conosco E-mail: presidente@fecomerciomg.org.br Fone: (31) 3270-3308 – Fax: (31) 3201-4961 Rua Curitiba, 561 – 12º andar – Centro Belo Horizonte/MG – CEP: 30170-120

PRECE ÁRABE Meu Deus, não consintas que eu seja um carrasco que degole ovelhas, nem uma ovelha nas mãos de carrascos. Ajuda-me a dizer a verdade na presença dos fortes e me abster de inventar mentiras para ser popular entre os fracos. Se me deres a força, não me tires a compaixão. Não me deixes ser atingido pela embriaguez, quando bem-sucedido, nem pelo desespero, quando derrotado. Meu Deus, faze-me sentir que o perdão é uma manifestação de força, e a vingança, uma prova de fraqueza. E quando me ferir a ingratidão e a incompreensão dos meus semelhantes, cria em minha alma bastante fortitude para desculpar e perdoar. Se eu te esquecer, Senhor, não te esqueças de mim. Autor desconhecido

ERRATA: Diferentemente do que foi publicado na legenda da matéria “38ª Expoaraxá movimenta negócios na região”, veiculada na última edição, Estêvão Xavier é gerente e não diretor do Sesc Araxá.


FEcomércio informativo • Edição 376 • 3

em foco

SISTEMA FECOMÉRCIO se destaca no

salão mineiro de turismo pALESTRAS, oficinas E LANÇAMENTO DO gUIA TURíSTiCO BH FORAM ATRAÇÕES Priscilla Ázara

O estande do Sistema Fecomércio recebeu visitantes ilustres, como o secretário Agostinho Patrus, o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, e a secretária adjunta de Turismo, Silvana Nascimento, na foto com a coordenadora do Departamento de Tuismo, Lorraine Thomaz

priscilla Ázara

Das terras de Minas brotam maravilhosas paisagens, riquezas naturais incomparáveis e sabores surpreendentes. Minas é a terra da receptividade, da simpatia. É a terra do povo, que fica marcada na memória dos visitantes, como diz o hino estadual: “Oh! Minas Gerais, quem te conhece não esquece jamais...” Pensando em valorizar as belezas de Minas, além de fortalecer e qualificar a cadeia produtiva do turismo, surgiu o Salão Mineiro do Turismo. Nos dias 18 e 19 de maio, o Minascentro foi palco da quarta edição do evento estadual mais importante do setor, realizado pelo Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Turismo. O Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac e Sindicatos foi parceiro da iniciativa, trazendo profissionais de grande influência no setor. Entre eles, a presidente da Rede Blue Tree Hotels, Chieko Aoki, falando sobre a excelência na prestação de serviços em turismo; o estilista Ronaldo Fraga, mostrando a relação entre moda, turismo e sustentabilidade; e o diretor geral do Centro Empresarial Gastronômico e Hoteleiro do México, Antonio Montecinos, estabelecendo as tendências e desafios do turismo gastronômico (veja mais na página 16). Integrando a programação do Sistema, o Senac

Minas criou uma grade diversificada para ensinar técnicas culinárias. Foram três oficinas da gastronomia simplificada, aquela que alia o sabor à diversão, e cinco da gastronomia mineira. A servidora pública Letícia Cordeiro, que participou da oficina “Montando uma tábua de frios mineira”, elogiou a iniciativa do Sistema. “Uma simples exposição como esta oficina acrescenta vários conceitos e valores. Supriu minhas expectativas.” O gestor de gastronomia do Senac Minas, Edson Puiati, foi um dos comandantes do debate “Gastronomia mineira, patrimônio do mundo”, que teve como mediador o coordenador de gastronomia e hotelaria do Senac Belo Horizonte, Hans Aichinger. Hegler Guimarães falou sobre “A capacitação da mão de obra no contexto dos grandes eventos internacionais”. Já o Sesc Minas levou a assessora de Turismo da instituição, Danielle Paiva, para explanar sobre o turismo social. Além disso, o estande do Centro de Arte Popular Mineira (Cenarte) expôs peças vindas de várias regiões do Estado, que contemplam desde a rusticidade da madeira à delicadeza do cristal murano, mostrando o que Minas tem de mais precioso e bonito.

Abertura A solenidade de abertura contou com a presença de diversas autoridades. O presidente do Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac, Sindicatos e do Sebrae-MG, Lázaro Luiz Gonzaga, evidenciou que

o Estado vive um momento feliz, com lideranças de boa vontade trabalhando de maneira integrada. “Nossas entidades estão à disposição e trabalham com afinco em prol do desenvolvimento e sucesso do setor”, salienta. O secretário de Estado de Turismo de Minas Gerais, Agostinho Patrus Filho, disse que o evento é uma grande vitrine que busca qualificação para oferecer o melhor ao turista. Já o vice-governador, Alberto Pinto Coelho, acrescentou que o Brasil vive uma década de ouro em termos de oportunidades. A participação do Sistema no 4º Salão Mineiro do Turismo também foi destacada pelo lançamento do Guia Turístico e Cultural de Belo Horizonte, feito em parceria com a Editare Empresa das Artes. O guia é uma nova ferramenta do turismo na capital mineira. O presidente do Sistema entregou exemplares às autoridades presentes ao evento. Em visita ao Salão, o presidente do Conselho de Turismo da CNC e da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação, Alexandre Sampaio, parabenizou o Sistema pela iniciativa. “O que nós temos que fazer é participar deste processo, interagir nas responsabilidades que são inerentes ao Sistema Fecomércio, como a formação profissional, com projetos de atuação conjunta com o Sebrae, visando sempre qualidade de atendimento e oferecendo excelência no produto oferecido, de maneira que Minas ocupe, cada vez mais, papel de importância no turismo nacional.”


4 • FECOMércio informativo • edição 376

representatividade

fecomércio em sintonia com a

inteligência policial Reunião com lideranças visa criar comitês de segurança em áreas comerciais Paolo Xavier

A sensação de insegurança é crescente em toda a po-

de alertar a polícia sobre atitu-

pulação. Para os empresários do comércio de bens, servi-

des suspeitas, se comunican-

ços e turismo de Belo Horizonte, isso não é diferente. De

do diretamente com a PM.

janeiro a maio deste ano, houve um aumento de 8% no

É o que vem fazendo

número de roubos e furtos em estabelecimentos comer-

o Sindicato do Comércio

ciais da cidade. Em 2011, os números foram 40% maiores

Varejista de Automóveis e

em relação a 2010.

Acessórios de Belo Hori-

Para minimizar os impactos desta situação, o Sistema

zonte (Sincopeças BH). O

Fecomércio Minas, Sesc, Senac e Sindicatos tem mantido

presidente Helton Andrade,

parcerias com a Polícia Militar de Minas Gerais para o

que esteve na reunião, dis-

desenvolvimento de várias ações. Uma delas é a criação

ponibilizou para a polícia

de comitês de Policiamento e Vigilância em áreas comer-

dados sobre a localização dos

ciais para que a segurança seja feita em conjunto entre a

representados pelo sindicato.

PMMG e os estabelecimentos comerciais. Para alinhar e

Além disso, o Sincopeças BH

difundir informações sobre esta iniciativa, o comandan-

orienta os empresários sobre

te de Policiamento da Capital, coronel Rogério Andrade,

a relevância do contato direto

convidou a Fecomércio e outras entidades para uma reu-

com a polícia. “Eles (a polí-

nião na sede da CDL/BH no dia 15 de maio.

cia militar) precisam da nossa

Durante a reunião, o comandante apresentou os dados

Coronel Rogério Andrade apresenta estratégias para diminuir roubos em estabelecimentos comerciais

colaboração. A nossa ajuda

dos crimes na capital e as estratégias desenvolvidas para

nos coloca numa posição mais confortável com relação

coibi-los, inclusive com o estabelecimento de Conselhos

à segurança pública”, comenta. Além do Sincopeças BH,

e Comitês Setoriais de Segurança nas áreas comerciais. O

outros sindicatos têm cooperado com a PMMG.

objetivo da PMMG é manter a prevenção policial na parte externa dos estabelecimentos. Os policiais terão apoio

O coronel Rogério Andrade sugeriu também a estraté-

e medidas a serem feitas diariamente, como a retirada pe-

gia de criar um banco de dados entre os próprios empre-

riódica do dinheiro do caixa.

sários. A ideia é difundir entre eles imagens de infratores para que se possa fazer a identificação de suspeitos pelas

Dia da Indústria

O presidente Lázaro Luiz Gonzaga foi representado pelo superintendente da Fecomércio, Nilo Marciano de Oliveira Jr., e pelo gerente do Departamento Jurídico, Paulo Mansur, que ressalta a importância da participação

Banco de Dados

direto dos empresários, com o uso de câmeras, vigilantes

O comandante pediu que os empresários não deixem

ruas antes mesmo de cometerem algum crime.

efetiva dos empresários. “Temos que utilizar essa palavra muita usada aqui: inteligência. Com a criação da rede teremos resultados satisfatórios, com mais sintonia, e a Fecomércio está atenta para o desenvolvimento disso”, reforçou.

Sebastião J. Júnior

homenagem da PMMG

Priscilla Ázara

O presidente Lázaro Luiz Gonzaga, o empresário de Patos de Minas Lizandro Queiroz Bicalho e Eike Batista O Chefe de Estado Maior da PMMG, coronel Divino Pereira Brito, e o superintendente da Fecomércio, Nilo Marciano de Oliveira Jr.

O presidente do Sistema Feco-

maio. No evento, que aconteceu no

mércio Minas, Sesc, Senac, Sin-

Expominas, em Belo Horizonte,

dicatos e do Sebrae-MG, Lázaro

foram entregues o título de Indus-

O Comando de Policiamento da

mento às pessoas e instituições par-

Luiz Gonzaga, participou da so-

trial do Ano para Eike Batista, na-

Capital da Polícia Militar de Minas

ceiras da polícia que contribuíram

lenidade em comemoração ao Dia

tural de Governador Valadares, e a

Gerais comemorou, no dia 29 de

para a execução de projetos, geraram

da Indústria 2012, promovida pela

medalha do Mérito Industrial para

maio, no Sesc Palladium, o seu ani-

o aprimoramento do serviço e mais

Federação das Indústrias de Minas

13 empresários mineiros de várias

versário de 36 anos. A Fecomércio

eficiência aos trabalhos da PM na

Gerais (Fiemg) no último dia 24 de

partes do Estado.

Minas. O prêmio é um reconheci-

capital.


FEcomércio informativo • Edição 376 • 5

O melhor para o seu cliente também é o melhor para você. Seja lojista do Monte Carmo Shopping, de Betim.

Vem aí o Monte Carmo Shopping, um empreendimento que é próximo de tudo o que interessa a você e a seu cliente. s Ótima localização. s Acesso pelas principais vias de Betim. s Alto potencial de consumo. Entre em contato e seja um lojista:

s 226 lojas. s Mais de 40.000 m2 de ABL. s Cinema com 7 salas multiplex. s Estacionamento com 1.883 vagas.

(31) 3215.8079

Realização, Planejamento e Desenvolvimento

Imagens ilustrativas. Informações sujeitas a alterações sem aviso prévio.

Planejamento, Consultoria e Comercialização

Do seu lado, do seu jeito. www.montecarmoshopping.com.br

Planejamento


6 • FECOMércio informativo • edição 376

cr[edito

artigo

Agenda de Minas Olavo Machado

Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Sistema Fiemg)

Uma iniciativa histórica. Assim se pode

ria, metroviária, saúde, segu-

definir o movimento que, neste momento, une

rança, economia do

os diversos segmentos da sociedade mineira

conhecimento

na elaboração da Agenda de Convergência

e na articu-

para o Desenvolvimento de Minas Gerais,

lação

por

documento que explicita a posição do estado

mais inves-

em relação aos programas e projetos estraté-

timentos

gicos para a nossa economia e cuja execução

das estatais no

se condiciona ao apoio

estado, den-

e ação do governo

tro das seguintes linhas

federal.

de atuação: Projetos

De fato, mui-

de Infraestrutura com

tas razões,

recursos do Progra-

pode

ma

por

e

de

Aceleração

do Crescimento – PAC;

deve, sim,

Projetos de Infraestrutura

ser considerada uma iniciativa histórica. Em primeiro

sem recursos do PAC ou OGU

lugar, porque, acima de interesses partidá-

(Orçamento Geral da União)

rios, nossas principais lideranças políticas

que podem ser viabilizados median-

mineiras se uniram para eleger as prioridades

te concessões ou PPPs.

do estado no campo do desenvolvimento sus-

Nestas linhas de ação estão proje-

tentável e estabelecer estratégias de monito-

tos dos quais Minas e os mineiros não abrem

ramento que lhes assegurem objetividade e

mão, como o anel rodoviário e a duplicação

consequência. Vale dizer: que garantam que

cia do Tribunal Regional Federal.

da BR-381, no trecho Belo Horizonte/Go-

A Agenda de Minas tem características

vernador Valadares, que continua matando,

especiais que a diferenciam. Trata-se, em

como mostram as estatísticas mais recentes;

Nesta empreitada, também estão unidas as

primeiro lugar, de um documento elaborado

o Trem Metropolitano (metrô), cujas obras se

entidades representativas dos diversos seto-

de forma absolutamente democrática e parti-

arrastam à míngua de recursos; o Aeroporto

res da economia mineira, reunidas no Fórum

cipativa, cujo único e exclusivo compromis-

Tancredo Neves (Confins), excluído, sem ra-

das Entidades Empresariais de Minas Gerais

so é com a definição de estratégias consen-

zão, do programa de privatização implemen-

– e aqui, destaco a ativa e efetiva participa-

suais capazes de acelerar o desenvolvimento

tado pelo governo federal; e a instalação, em

ção da Fecomércio – Federação do Comércio

econômico e social de Minas Gerais, com

Minas, da Regional do Tribunal Federal de

de Bens, Serviços e Turismo do Estado de

sustentabilidade e alto padrão de qualidade

Recursos.

Minas Gerais. Conosco também estão os rei-

de vida.

os objetivos visados pela sociedade mineira sejam, de fato, alcançados.

O grande mérito da Agenda de Conver-

tores das universidades e centros de conheci-

Nesta missão, chegamos a resultados

gência para o Desenvolvimento de Minas

mento do estado, mobilizados para promover

alentadores, a partir da identificação de pro-

Gerais é reafirmar a união de Minas e dos

a inovação e o desenvolvimento tecnológico

jetos sinérgicos e que, de fato, têm o poder

mineiros na defesa de ações que estimulem

da nossa economia, bem como as entidades

de promover o crescimento econômico com

e apoiem o desenvolvimento do estado. O

representativas de setores ligados ao Judici-

transformação e inclusão social. A Agenda

próximo passo, que vamos concretizar até o

ário, como magistrados e a OAB, que lutam

de Minas inclui projetos de investimento nas

final deste primeiro semestre, é a entrega do

para implantar em nosso estado uma instân-

áreas da infraestrutura rodoviária, ferroviá-

documento à Presidente Dilma Rousseff.


FEcomércio informativo • Edição 376 • 7

Notícias sindicais

Parceria facilita acesso

ao crédito do BDMG

Fecomércio e Sindicatos participam de treinamento para efetivar serviço

As médias, pequenas e microempresas já podem realizar financiamentos bancários por meio da Fecomércio Minas e Sindicatos. Desde a parceria firmada com o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), em março, as entidades se tornaram correspondentes bancários. Para garantir o melhor atendimento aos empresários, foi realizado, nos dias 7 e 8 de maio, na sede do BDMG, o treinamento “Linhas de financiamento para pequenas, médias e microempresas – Correspondente Bancário”. O principal diferencial é que as empresas não precisam ter nenhum tipo de relacionamento direto com o banco para adquirir um financiamento. “Os empresários ganham em praticidade, já que não precisam se deslocar até o BDMG, em Belo Horizonte. Outra vantagem é que as taxas de juros são mais baixas”, afirma o supervisor do setor de Convênios Operacionais da Fecomércio Minas, Wanderson Brandão. Brandão explica que na parceria firmada são três os tipos de linhas de créditos: Geraminas, Giro Fácil e Fixo Fácil. “No Geraminas, por exemplo, a taxa de juros varia entre 0,89% e 0,99% ao mês, depen-

Thais Oliveira

Representantes da Fecomércio e Sindicatos aprenderam sobre as vantagens de escolher o financiamento do BDMG

dendo do prazo, já que o pagamento pode ser parcelado em até 48 meses, com três meses de carência, sendo que o empresário pode financiar de R$ 5 mil a R$ 480 mil” esclarece. Com o treinamento, 16 sindicatos, além da Fecomércio, já estão habilitados a operar como correspondentes bancários BDMG. Na capital, os sindicatos aptos são: Sincofarma, Sincovaga BH, Sincopeças,

Sincateva, Sindimaco, Sindloc MG. No interior são os sindicatos de Araxá, Governador Valadares, Juiz de Fora, Paracatu, Patrocínio, Poços de Caldas, Santos Dumont, Teófilo Otoni, Uberlândia e Varginha. Para saber mais sobre o financiamento do BDMG entre em contato com o setor de Arrecadação e Convênios Operacionais da Fecomércio Minas pelo telefone (31) 3270-3464.

Seminário de Empregabilidade

orienta candidatos em Juiz de Fora No dia 23 de junho, será realizado em Juiz de Fora o “Sempre, Seminário de Empregabilidade”, organizado pelo Ecaderno.com, Sindicomércio-JF e Partner Produções. O evento é destinado aos empresários, público universitário e profissionais que planejam e focam no desenvolvimento de suas carreiras. O seminário acontecerá no Victory Business Hotel, de 8h às 18h, e promete reunir especialistas de renome nacional como Waldez Ludwig (consultor e conferencista em gestão empresarial), Carolina Stilhano (gerente de Comunicação da Catho Online), Érika Salazar (jornalista e apresentadora da TV Integração de Juiz de Fora) e Flávia Carneiro (coach e consultora de carreira). Os temas abordados serão: o cenário atual do mercado de trabalho, com foco local; as tendências comportamentais; o incentivo ao autoconhecimento; e a descoberta de competências e habilidades dos profissionais. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site:

www.ecaderno.com/sempre. Segundo o presidente do Sindicato do Comércio de Juiz de Fora, Emerson Beloti, o momento é importante para esse evento. “A empregabilidade é assunto prioritário para o Sindicomércio. Tanto que o nosso site (www.sindicatodocomercio. org.br) está sendo reformulado para dar ao Sindiempregos (programa de cadastro de currículos de forma gratuita e ofertas de empregos das empresas associadas) um novo formato e um campo de informações mais modernizado. O papel da entidade patronal é fundamental em projetos como este, pois o profissional, possuindo renda por meio da colocação no mercado, reativa o consumo no comércio.” O gerente do Ecaderno.com e também idealiza-

dor do projeto, Diogo Garcia, conta como surgiu a ideia para o evento: “O Sempre nasceu em paralelo à demanda do mercado local. Com a chegada de novas empresas e a abertura de 10 mil ofertas de emprego, vimos que o público do Ecaderno.com estava com necessidade de se preparar e entender esse novo processo de empregabilidade pelo qual passa a cidade. Assim, reunimos os maiores nomes nacionais do setor para o encontro. Acreditamos que, a partir deste conteúdo, o candidato fique mais preparado e com condições de traçar estratégias a fim de se inserir novamente no mercado. A intenção é tirar o trabalhador de uma zona de conforto e mostrar as imensas potencialidades que a cidade oferece neste momento.”


8 • FECOMércio informativo • edição 376

Notícias sindicais

Sistema participa do

28º Encontro Nacional

dos Sindicatos Patronais

Evento debate o futuro do sindicalismo patronal brasileiro Fecomércio

Parte da comitiva de representantes dos Sindicatos e da Fecomércio

A presença de palestrantes de renome nacional, os trabalhos temáticos e as atrações culturais foram o destaque na 28ª edição do Encontro Nacional dos Sindicatos Patronais do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. O evento, que aconteceu entre os dias 16 e 18 de maio, foi realizado no Centro de Convenções de Natal e contou com uma vasta programação. Cerca de 2 mil representantes de sindicatos e federações do comércio de todo o país estiveram no Encontro, cujo tema central foram as reformas constitucionais: “Reformas, o futuro já chegou”. O 28º ENSP foi uma realização do Sindicato do Comércio Varejista e de Serviços do Rio Grande do Norte (Sicomércio). O Sistema Fecomércio Minas se fez presente com uma comitiva composta de diretores, presidentes de sindicatos, dirigentes sindicais e técnicos, que participaram das temáticas propostas. O Sindicato do Comércio de Juiz de Fora e o Sindicato do Comércio do Vale do Aço apresentaram seus produtos e serviços, por meio de palestra, em busca da excelência da representação sindical patronal. O 28º ENSP buscou o compartilhamento de ideias, experiências e discussões sobre temas voltados ao setor. A partir disso, foram convidados nomes de peso no âmbito nacional, como o ex-ministro do Tribunal Superior do Trabalho Vantuil Abdala; o consultor Stephen Kanitz; e os empresários Durval José Dantas (da rede de lojas Maré Mansa) e Jussier Ramalho; além do economista da CNC, Daniel Mansur Lopes, e o gerente de políticas públicas do Sebrae, Bruno Quick. Quem fez a abertura do evento foi o presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Antonio José Domingues de Oliveira Santos, homenageado com o título de cidadão norte-rio-grandense.

Palestras Entre as palestras, merecem destaque: “Reformas, o futuro já chegou”; “Negociação coletiva de trabalho como uma das mais importantes prerrogativas do sindicato”; Estratégias para o fortalecimento dos sindicatos patronais; Reforma tributária com enfoque no Simples nacional; e Reforma previdenciária. O evento contou, ainda, com a realização de trabalhos temáticos, como Autopeças: inspeção veicular; E-commerce e redes sociais: integração com a loja física; Associativismo: centrais de negócios; shopping centers. No último dia, o destaque ficou por conta da palestra do ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho. Ele apresentou um panorama sobre a Previdência Social e destacou que “a Previdência não pode sustentar privilegiados, mas, sim, brasileiros”. Posteriormente, foi feito um resumo de todos os trabalhos apresentados no evento e o melhor trabalho jurídico levou o prêmio Paulo Braga. O advogado Cácito Esteves, da Divisão Jurídica da CNC, foi o vencedor com o trabalho sobre regulamentação do mercado de cartões de crédito. O prêmio Lair Montenegro foi entregue ao superintendente do Sindilojas Porto Alegre, Márcio Allegretti, que apresentou o case Gestão da Contribuição Sindical Patronal, impulsionando a arrecadação para a entidade. “Apesar de ser prevista em lei, muitos lojistas não faziam o recolhimento da Contribuição Sindical, pois não conheciam a atuação do Sindicato e sua importância para o setor”, ressaltou Allegretti. Além das palestras, houve uma feira de produtos e serviços, na qual os visitantes puderam conferir estandes com serviços de automação, artesanato, gestão e softwares.


FEcomércio informativo • Edição 376 • 9

Notícias sindicais

Caravana do Saber

promove capacitação em Montes Claros

O Sindicato dos Contabilistas do Norte de Minas e o Sindicato do Comércio Varejista de Montes Claros (Sindcomércio), em parceria com a Federação dos Contabilistas de Minas Gerais e o Sistema Fecomércio Minas, promoveram, em maio, mais um curso do projeto Caravana do Saber, direcionado para profissionais da área contábil. Desta vez, a temática discutida foi a substituição tributária. O evento ocorreu no auditório da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em Montes Claros, com mais de 100 profissionais. Um deles foi a contadora Sirléia Alves, da cidade de Monte Azul. “O tema da substituição tributária é complexo, por isso contar com a ajuda de um profissional que pode nos dar mais informações é muito importante”, afirma. A substituição tributária pode ser entendida como o regime pelo qual a responsabilidade pelo Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) devido em relação às operações ou prestações de serviços é atribuída a outro contribuinte. Para esclarecer o assunto, o seminário foi ministrado pela consultora tributária e contadora Jaelda dos Santos Andrade. Ela destaca que “consideravelmente, qualquer

Arquivo / Sindcomércio Montes Claros

Fernanda Moreno (FGV), Glenn Andrade (Sindcomércio), Mariah Almeida (Sindcont) e Vanessa Narciso (FGV)

pessoa que está no mercado tem que fazer cursos, especialmente na área contábil, em que há muitos temas. As pessoas querem saber sobre a restituição de ICMS, cálculo da substituição tributária, entre outros assuntos, mas as perguntas são necessárias, pois toda discussão gera conhecimento”, observa. O estudante de Ciências Contábeis Ivan Rocha, da cidade de Brasília de Minas, fez questão de viajar até Montes Claros para participar do se-

minário. “É a área em que eu estudo e vou seguir carreira, por isso é fundamental estar inteirado sobre tudo o que diz respeito”, explica. Para o presidente do Sindcomércio, Glenn Andrade, o projeto Caravana do Saber tem obtido reconhecimento e valorização tanto por parte dos empresários quanto dos contabilistas, pois tem levado cursos e aperfeiçoamento profissional a essas categorias por todas as regiões de Minas Gerais.

CES e SEGS promovem

novos treinamentos As reuniões de trabalho do Centro de Estudos Sindicais (CES) e do Sistema de Excelência em Gestão Sindical (SEGS) aconteceram no Sesc Venda Nova, durante os dias 23 e 24 de maio, respectivamente. No primeiro dia, os representantes dos sindicatos aprenderam um pouco mais sobre direito coletivo e os novos rumos do sindicalismo no Brasil. Além disso, o módulo do CES abordou os tipos de ações de representação na defesa dos interesses e os grandes desafios para os sindicatos. Já o SEGS foi focado em mapeamento de processos em entidades sindicais. As atividades sobre o tema uniram teoria e prática, metodologia pioneira adotada pelo Sistema Fecomércio Minas no desenvolvimento do programa e que tem se tornado referência em outras federações pelo Brasil.

Paolo Xavier

Representantes dos Sindicatos encerram mais uma etapa


10 • FECOMércio informativo • edição 376

A Unimed-BH tem um espaço exclusivo para a sua empresa na Fecomércio-MG.

9ed^[‚We[ifW‚eZWKd_c[Z#8>dW<[YecƒhY_e#C="Yh_WZe[if[Y_Wbc[dj[fWhWWj[dZ[hW ikW[cfh[iW$B|leY…feZ[ieb_Y_jWhW segunda via de boleto"[iYbWh[Y[hZ‘l_ZWi[cW_i0 šEXj[h_d\ehcW‚[iieXh[YeceWZ[h_hWefbWdeZ[iW‘Z[ZWKd_c[Z#8>$ šH[j_hWhi[]kdZWl_WZ[YWhj€eZ[Yb_[dj[$ š?d\ehcWh#i[ieXh[YeX[hjkhWi[Wkjeh_pW‚[i$ šIeb_Y_jWhb_X[hW‚€eZ[WY[iie}|h[W [nYbki_lW[cfh[iWh_Wbdei_j[ZWKd_c[Z#8>$ šF[]WhYŒf_WZ[YedjhWje$ š7jkWb_pWhZWZeiYWZWijhW_i$ IW_XWcW_i0)')(-'#))(.r\[Yec[hY_e6kd_c[ZX^$Yec$Xh

www.unimedbh.com.br


FEcomércio informativo • Edição 376 • 11

notícias sindicais

Conjunto habitacional de BH

ganha novas cores Sindimaco e entidades apoiadoras entregam IAPI revitalizado

Paolo Xavier

Paolo Xavier

“A cor é vida!” A síndica do bloco 3 do Conjunto São Cristóvão (o consagrado IAPI), Beatriz Cerazzo, resume bem a transformação por que passaram os prédios residenciais erguidos nos anos de 1940 na Lagoinha, em Belo Horizonte. Após décadas de sol, chuvas e poluição, que deixaram marcas escuras na fachada, o IAPI renasce com cores vivas de uma nova pintura. A revitalização dos prédios foi concluída no sábado, dia 26 de maio, com uma grande festa. O esforço de vários agentes, em especial do Sindicato do Comércio Varejista de Maquinismos, Ferragens e Tintas e Materiais de Construção de Belo Horizonte (Sindimaco), tornou possível essa ação que valoriza o patrimônio belo-horizontino e traz de volta a autoestima dos 5.400 moradores do conjunto. O presidente do Sindimaco e proprietário da Casa e Tinta, Júlio Gomes Ferreira, foi saudado por moradores e autoridades presentes. “O Sindimaco coordenou a operacionalização do projeto e da obra. Exercemos nosso papel social de resgate do significativo patrimônio. Como sindicato, temos que exercer esse papel”, comentou. “O IAPI está localizado em uma região que vem recebendo muitos investimentos nos últimos anos. Este conjunto não poderia ficar de fora”, declarou o prefeito de BH, Marcio Lacerda. Além da coordenação, o Sindimaco, através da Casa e Tinta, conseguiu o patrocínio da Coral, por meio do renomado projeto “Tudo de cor para você”. Obteve, ainda, o apoio financeiro das empresas MRV Engenharia, Direcional

O diretor do Sesc Minas, Rodrigo Penido, recebe homenagem dos parceiros do projeto ao lado do presidente do Sindimaco e proprietário da Casa e Tinta, Júlio Gomes Ferreira, e do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda

Engenharia, Patrimar Engenharia, PHV Engenharia, EPO Engenharia, Grupo Orguel e Banco BMG.

parceiros da obra. “Essa revitalização é um marco importante para a história de toda a cidade. O IAPI faz parte do patrimônio de Belo Horizonte e o Sesc,

Cores misturadas à musica

compromissado com a cultura, não poderia deixar de participar deste momento”, afirma. Com latas vazias de tinta, o grupo Arautos do Gueto fez uma alegre batucada. O Sesc Minas também levou música para a festa das cores. Após o descerramento da placa comemorativa, foi a vez do grupo Violeiros de Madre de Deus, parte integrante do projeto Causos e Viola, animar a comunidade. Foram alegrias que a síndica Beatriz Cerazzo diz guardar na memória, junto com tantas outras reunidas ao longo de 63 anos de vida no IAPI.

Aos poucos, pessoas apareciam nas janelas, atraídas pela alegria contagiante. Não demorou muito para que a Praça Central fosse tomada pelos moradores e visitantes, comemorando o novo visual do ambiente. As crianças aproveitaram as brincadeiras e oficinas trazidas pelo Sesc Minas com a Rua de Lazer. O diretor da entidade, Rodrigo Penido, representando o presidente do Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac e Sindicatos, Lázaro Luiz Gonzaga, foi um dos homenageados pelos

Sindicato de Poços de Caldas alinha gestão Thais Oliveira

O Sindicato do Comércio de Poços de Caldas (Sindcomércio Poços de Caldas), que possui uma nova diretoria eleita em março, está passando por um processo de alinhamento de gestão. Segundo o presidente Victor Marchesi, o objetivo é criar uma identidade para o sindicato e ampliar os serviços ofertados para seus representados. “Queremos que as pessoas saibam exatamente o papel do Sindcomércio e quais as ações realizadas em prol dos nossos filiados”, destaca. A nova fase do Sindcomércio tem o apoio do Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac e Sindicatos, que vai oferecer serviços como assessoria jurídica, entre outros.

Victor Marchesi, presidente do Sindicato do Comércio de Poços de Caldas, Lázaro Luiz Gonzaga, presidente do Sistema Fecomércio, Albert Cagnani, diretor do Sindicato do Comércio de Poços de Caldas, e Tacianny Machado, da Gerência Sindical da Fecomércio Minas


12 • FECOMércio informativo • edição 376

fecon

Fecon promove palestra sobre as Tecnologias WEB para escritórios Angel Drumond

A Federação dos Contabilistas do Estado de Minas Gerais (Fecon-MG) realizou, na noite de 17 de maio, o Pinga-Fogo – Fórum de Debates. O evento mensal e gratuito tem como objetivo ser um espaço para a apresentação de temas atuais, em que contabilistas, empresários e estudantes podem se encontrar para discutir e sanar dúvidas a fim de enfrentar a complexidade da legislação do país. O tema foi Tecnologias Web para Empresas Contábeis. Com mais de 100 participantes, o assunto foi abordado pelo especialista Elinton Marçal, diretor de Tecnologia e Marketing da SCI Sistemas Contábeis. Grande aliada do dia a dia contábil, a tecnologia se tornou indispensável para o segmento. O motivo é o montante burocrático e a legislação mutante, que exigem dos contadores obrigações humanamente impossíveis. Porém, ao levantar este tema, se fala em muito mais do que sistemas para procedimentos, as tecnologias web trabalham na agilidade de processos. Marçal, ouvindo as necessidades de seus clientes, idealizou métodos de trabalho que só foram

Diretor da Fecon, Orias Batista, fez a abertura do evento

possíveis de realizar graças à web. São tecnologias que já estão no mercado desde 2008 e que tornam as organizações contábeis muito mais econômicas, além de gerar a estas instituições valor agregado. Marçal apresentou as soluções web para cada setor da empresa contábil, como a empresa contábil 24h – SCI Report, departamento de

RH – Practice NET e a integração dos documentos fiscais digitais do cliente com a empresa contábil – Agente SCI e Suprema NET. Entre o público presente, estavam alunos da Faculdade Ibhes (Instituto Belo Horizonte de Ensino Superior) e Facemg (Faculdade de MG), que tiveram grande participação e fizeram vários questionamentos.

CRCMG

SPED Folha de Pagamentos a simplificação se permanecerem todas as demais exigências (SEFIP – GEFIP – GRPS – FGTS – CAGED – DIRF – RAIS) a que já são obrigadas as empresas, sejam micros, pequenas ou grandes? O art. 52 da Lei Complementar nº. 123/06 lista as obrigações trabalhistas a que estão sujeitas as micros. E os Microempreendedores Individuais – MEI que tenham empregados? Foram vítimas de propaganda enganosa? A simplificação implica disponibilizar a todos os agentes as informações, o que evitaria, por exemplo, a “Pesquisa Anual do Comércio – PAC”, do IBGE. O SPED Social exigirá as mesmas informações já fornecidas a outros órgãos? A RFB, com todo seu macroportfólio de conhecimento, não pode simplesmente transferir esse ônus para a responsabilidade de empresas

Eduardo Batista

O Governo anuncia agora o SPED Folha de Pagamentos. No sítio www.receita.fazenda.gov.br, em SPED/Benefícios, consta: “redução de custos com a racionalização e simplificação das obrigações acessórias” e “Uniformização das informações que o contribuinte presta às diversas unidades federadas”. Com certeza, o autor dessas informações está repetindo os erros do mesmo sítio “PIS/PASEP/Coletânea da Legislação”, onde há a seguinte advertência: “A RFB não se responsabiliza por erros e omissões porventura existentes nos textos desta coletânea, os quais não substituem os publicados no DOU”. O montante de tal coletânea é de 1.246 páginas. Como ficarão a redução de custos e

Paulo Cezar Consentino dos Santos Coordenador do Curso de Ciências Contábeis da Faculdade Milton Campos e Presidente da Academia Mineira de Ciências Contábeis

e profissionais da contabilidade. Ou, onde está escrito “Benefícios/Redução de Custos”, leia-se “Estímulo ao Crescimento de Custos”.


FEcomércio informativo • Edição 376 • 13

serviços

Queira mais,

venda mais!

William Caldas conta como vender serviços e produtos de forma exemplar

Wanessa Viegas

Ao contrário do que muitos vendedores pensam, até os mais resistentes clientes, se convidados a experimentar o serviço/produto, ficam mais sensíveis à compra. “No mínimo, vão contar a outros possíveis clientes que testaram seu produto e poderão convencer terceiros a comprar de sua empresa”, é o que garante o especialista em temas como motivação e atendimento ao cliente, William Caldas. O Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac e Sindicatos vende, todos os dias, produtos e serviços. Como ser um vendedor nota 10? O crescimento da empresa só ocorrerá se vier acompanhado do alto desempenho da equipe de vendas. “Os clientes estão mais exigentes, pedem inovação de processos, de produtos e de serviços”, aponta William Caldas. Só obtêm altíssimos resultados aquelas empresas que inovam o tempo inteiro. Portanto, a integração entre os colaboradores é fundamental para as vendas crescerem e o cliente ficar satisfeito. A partir disso, uma das dicas é ter conhecimento e atitude. “Conhecimento sobre o serviço que vende, sobre os hábitos dos clientes e sobre as fases vitais de uma venda.” Além disso, um vendedor deve ter a postura de um profissional ético, de valores e princípios.

Ter paixão e nunca deixar de estudar. “Para vender, sejam produtos ou serviços, é preciso confiar em Deus, no líder da equipe e nunca parar de estudar”, endossa Caldas. Não gostar de atender o público e

não ser automotivado são os principais defeitos que um vendedor jamais pode ter. “Um bom vendedor deve ter a humildade para reconhecer onde precisa evoluir e buscar a evolução como profissional.”

5 Dicas: Atitudes de um vendedor campeão 1. Clima Positivo: líderes e liderados estão no mesmo barco. 2. Os clientes amam pessoas com atitudes vendedoras. 3. Vendedores campeões são importantes para seus clientes. 4. Campeões possuem estratégias. 5. Campeões dão show de atendimento e vendas.

O Programa de Treinamento Continuado para colaboradores do Sistema Fecomércio contou com a palestra “As atitudes do vendedor campeão”, no dia 21/05, no Grande Teatro do Sesc Palladium em Belo Horizonte


14 • FECOMércio informativo • edição 376


FEcomércio informativo • Edição 376 • 15


16 • FECOMércio informativo • edição 376

turismo

Turismo,

moda e gastronomia Como essa junção pode influenciar no desenvolvimento do turismo de Minas Fotos: Priscilla Ázara

A Fecomércio trouxe Ronaldo Fraga, Chieko Aoki e Antonio Montecinos ao 4º Salão Mineiro do Turismo

Priscilla Ázara

O 4º Salão Mineiro do Turismo contou com a participação efetiva do Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac e Sindicatos. A Fecomércio, apoiando as iniciativas de promoção do Estado e a comercialização dos destinos mineiros, trouxe ao evento profissionais de grande influência no setor – Chieko Aoki, Ronaldo Fraga e Antonio Montecinos – para proferir palestras sobre temas de grande relevância. Excelência em serviços O evento começou em grande estilo com a dama da hotelaria brasileira, Chieko Aoki, falando sobre a excelência na prestação de serviços em turismo. A empresária, que alcançou a posição de benchmarking em excelência de serviços, declarou que Minas Gerais tem tudo para ser referência de turismo no país. “Os mineiros carregam na cultura a hospitalidade, gostam de fazer e servir uma boa comida, receber as pessoas em casa. Isso acontece de uma forma perene em Minas.” Para Chieko, todos têm capacidade para o alto padrão de serviços. “Difícil é fazer dentro dos custos, de forma continuada e com personalização.” Ela enfatiza que o desafio é encantar fazendo serviço comum de forma extraordinária, como a Southwest, criando

serviço superior e inovador, como a Starbucks. “A oportunidade de encantar está sempre presente. São detalhes que fazem a diferença.” Onde a moda e o turismo se encontram A moda vem de cidades, da escrita, do tempo. Oferece a possibilidade de transformação do outro. O turismo também vende a história e a memória de um lugar e, assim, se encontra com a moda. Com esta mensagem, o mineiro Ronaldo Fraga, considerado um dos maiores estilistas do país, mostrou a dimensão de onde turismo e moda podem chegar. Em todos os seus desfiles, Ronaldo Fraga estabelece diálogo entre a cultura brasileira e o mundo contemporâneo. Já homenageou Guimarães Rosa e Carlos Drummond de Andrade utilizando uma criatividade incomparável. “O grande desafio da moda e dos bens de consumo é unir crônica e poesia, assim como fez o brilhante Noel Rosa, pioneiro nesta junção”, ressalta. O estilista também disse que aposta no turismo e moda em Minas, enfatizando que é uma questão de aproveitar as oportunidades. Turismo gastronômico do mundo para Minas Turismo e gastronomia caminham juntos na tentativa de encantar os visitantes e conquistá-

los pelo sabor. Para falar das tendências e desafios do turismo gastronômico, a Fecomércio trouxe o diretor geral do Centro Empresarial Gastronômico e Hoteleiro do México, Antonio Montecinos. Para ele, o grande desafio é que, de forma planejada, o turismo gastronômico seja considerado um produto turístico prioritário, tornando-o uma excelente ferramenta para auxiliar o desenvolvimento sustentável regional. “Não há o que se falar em turismo gastronômico sem falar de gastronomia sustentável. O ser humano busca, hoje, uma alimentação saudável e preza pela sustentabilidade.” Montecinos enfatizou a importância de Minas ter a gastronomia como principal atrativo turístico. Disse que o Estado tem muito a oferecer e que precisa de mais incentivos para se tornar mundialmente conhecido. “Seria fantástico criar aqui a Rota da Cachaça, assim como existe a Rota da Tequila no México.” Nos últimos anos, o número de turistas cresceu 40% na região da rota mexicana. “É um grande atrativo para os turistas, uma vez que eles têm a oportunidade de conhecer de perto todo o processo de produção, experimentar e levar os produtos para casa.”


FEcomércio informativo • Edição 376 • 17

ECONOMIA

Festa Junina

Movimenta minas Gerais Tradição alavanca o comércio de bens, serviços e turismo Priscila Abreu

Mês de junho é sinônimo de festa junina, barraquinhas e comidas típicas como paçoca, maçã do amor, pé de moleque, entre outras guloseimas. As festas, originadas da cultura da Igreja Católica Apostólica Romana, são uma das principais comemorações que representam o folclore e cultura e têm forte característica em Minas Gerais. Em Belo Horizonte, a festa mais conhecida é o Arraial de Belô, realizado há 33 anos pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, por meio da Belotur e União Junina Mineira. A festa resgata as tradições culturais, além de oferecer diversão para milhares de pessoas. O evento reúne em média 3 mil integrantes com 60 grupos de quadrilha. Além disso, apresentações musicais e barracas oferecem entretenimento e vendas de guloseimas juninas. Os produtos típicos juninos são bem procurados nos supermercados nessa época. De acordo com o comprador da linha dos Supermercados BH, Frederico Lavorato, “no período de festa junina, entre maio e julho, temos um grande impacto na venda dos produtos típicos Os mais vendidos são amendoim, canjica, canjiquinha, milho de pipoca, doces e cachaças”. Em 2011, os Supermercados BH registraram aumento de 300% na venda média anual do amendoim e 550% na venda da canjica branca. “A canjica é consumida em massa em época de festa junina, por isso mostra um aumento nesta proporção”, relata. Em relação às contratações nessa época do ano, o diretor superintendente da empresa Nonna Eventos e RH, Antonio Claret Nametala, afirma que é um bom período para contratação de temporários. “Entre junho e julho as contratações garantem emprego a 10 mil pessoas em todo o Brasil, que podem trabalhar como promotores de vendas de produtos. Em Minas Gerais podem chegar até 1.500 contratações, o equivalente a 10% da média nacional”, afirma.

Tradição do interior No interior de Minas, as festas mais famosas acontecem em Montes Claros, Governador Valadares e Uberlândia. Em Montes Claros a tradicional Festa Junina de São Pedro reúne aproximadamente 5 mil pessoas que contemplam uma fogueira de sete metros de altura e assistem a diversos shows. Nas barraquinhas a procura é por quentão, vaca atolada, arroz com pequi, feijão tropeiro, entre outros. Com uma festa em homenagem a Santo Antônio, Governador Valadares oferece muitas barraquinhas que se tornam ponto de encontro para conversar e degustar as delícias juninas. Para o presidente do Sindicomércio de Governador Valadares, Hercílio Araújo Diniz Filho, as Barraquinhas de Santo Antônio constituem uma festa religiosa tradicional, que já ganhou força no

calendário de eventos da cidade. “Além de proporcionar um trabalho social louvável, os 13 dias de festa atraem visitantes de Valadares e região, movimentando o comércio de alguns segmentos, como o de supermercados, vestuário e calçados, em função das baixas temperaturas nesta época”, destaca. Em Uberlândia, as festas acontecem nas escolas da rede pública, empresas e no Mercado Municipal. Segundo a diretora do Espaço Cultural do Mercado, Sandra Carolino de Paiva, “há mais de 20 anos recebemos mais de 2 mil pessoas durante dois dias de festa”. No evento, os convidados saboreiam comidas típicas, além de participar das quadrilhas. Outra ação desenvolvida em Uberlândia é a Festa Junina da Ação Moradia. Realizada há 16 anos, a festa recebe anualmente mais de 60 mil pessoas em 10 dias de evento.


18 • FECOMércio informativo • edição 376

ÍNDICES ECONÔMICOS

COMO ATUALIZAR SUA DÍVIDA PELO INPC: abril / 2012 Mês/Ano

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

JANEIRO

1,44657880

1,37707303

1,33939042

1,27372105

1,19619058

1,14892622

1,07915657

1,01730548

FEVEREIRO

1,43838004

1,37185996

1,33285941

1,26499260

1,18858364

1,13890387

1,06910697

1,01214354

MARÇO

1,43207889

1,36871192

1,32728481

1,25894964

1,18491042

1,13098696

1,06336480

1,00821152

ABRIL

1,42170048

1,36502635

1,32147034

1,25256158

1,18254533

1,12301356

1,05639261

1,00640000

MAIO

1,41662851

1,37088893

1,32529267

1,25144144

1,18254533

1,12100679

1,05460958

1,00550000

JUNHO

1,40678104

1,36910909

1,32185584

1,23954184

1,17549238

1,11620710

1,04863237

1,00000000

JULHO

1,40062676

1,36257398

1,31056266

1,22164468

1,16417300

1,11132400

1,04060711

-

AGOSTO

1,40020670

1,36107679

1,30638224

1,21460000

1,16150155

1,11210247

1,04060711

-

SETEMBRO

1,40020670

1,36134906

1,29871979

1,21205469

1,16057309

1,11288148

1,03625484

-

OUTUBRO

1,39810953

1,35917438

1,29548109

1,21023933

1,15871914

1,10690420

1,03161258

-

NOVEMBRO

1,39004726

1,35335496

1,29160627

1,20421824

1,15594487

1,09681352

1,02832195

-

DEZEMBRO

1,38258132

1,34769464

1,28607614

1,19965953

1,15168365

1,08563151

1,02249373

-

Fonte: IBGE - Elaboração: Sistema Fecomércio Minas/Departamento de Economia Como atualizar: 1) Por exemplo, uma dívida de R$ 200,00 foi contratada em Janeiro de 2005. 2) Na tabela o fator de atualização referente a Janeiro/05 é 1,4465788. 3) R$ 200,00 vezes 1,4465788 = R$ 289,32, que é o valor em 01/05/2012.

POUPANÇA / TR / SALÁRIO / SELIC 2012 JUN

JUL

AGO

SET

OUT

NOV

DEZ

JAN

FEV

MAR

ABR

MAI

POUPANÇA (*)

0,6578

0,6120

0,6235

0,7086

0,6008

0,5623

0,5648

0,5942

0,5868

0,5000

0,6073

0,5228

TR

0,1114

0,1229

0,2076

0,1003

0,0620

0,0645

0,0937

0,0864

0,0000

0,1068

0,0227

0,0468

SALÁRIO MÍNIMO (R$)

545,00

545,00

545,00

545,00

545,00

545,00

545,00

622,00

622,00

622,00

622,00

622,00

SELIC (%)

0,9563

0,9679

1,0741

0,9417

0,8820

0,8605

0,9073

0,8910

0,7488

0,8211

0,7119

0,7447

* Primeiro dia do mês. Fonte: Fecomércio Minas | Departamento de Economia

ÍNDICES DE INFLAÇÃO % 2012 ÍNDICES%

2012

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

OUT

NOV

DEZ

JAN

FEV

MAR

ABR

Acumulado 12 meses (1)

IGP-DI (FGV)

0,01

-0,13

-0,05

0,61

0,75

0,40

0,43

-0,16

0,30

0,07

0,56

1,02

3,86

INCC-DI (FGV)

2,94

0,37

0,45

0,13

0,14

0,23

0,72

0,11

0,89

0,30

0,51

0,75

7,77

IGP-M (FGV)

0,43

-0,18

-0,12

0,44

0,65

0,53

0,50

-0,12

0,25

-0,06

0,43

0,85

3,65

INPC (IBGE)

0,57

0,22

0,00

0,42

0,45

0,32

0,57

0,51

0,51

0,39

0,18

0,64

4,88

IPCA (IBGE)

0,47

0,15

0,16

0,37

0,53

0,43

0,52

0,50

0,56

0,45

0,21

0,64

5,10

IPCA-BH (IPEAD)

0,58

-0,03

0,10

0,31

0,33

0,29

0,43

0,59

2,60

-0,08

0,30

0,34

5,90

Fonte: FGV, IBGE, IPEAD Elaboração: Fecomércio Minas | Departamento de Economia (1) Mai/11 – Abr/12

NOTAS empresariais Center Shopping, mall localizado em Uberlândia, pretende construir uma segunda praça de alimentação e uma torre comercial com 26 andares até novembro de 2012. O valor do aporte na praça de alimentação não foi revelado. A nova praça irá gerar cerca de 420 postos de trabalho. A praça já existente será reformada, passando por uma ampla revitalização, com troca de mobiliário, novo projeto paisagístico e tratamento acústico. Para 2013, está previsto um novo hotel, que, junto com estes novos empreendimentos, irão compor o complexo do mall. Lojas Americanas, varejista atuante no segmento de lojas de departamento, destinará R$ 200 milhões na construção de um centro de distribuição (CD) em Uberlândia. O CD, que entrará em operação no segundo semestre de 2012, irá atender, além da própria rede, as demandas de alguns dos principais sites de comércio eletrônico do país – americanas. com, Submarino e Shoptime. Serão gerados 1,5 mil postos de trabalho direto e 800 indiretos. Este será o quarto CD de cada uma das empresas no Brasil. Para 2012, a rede pretende inaugurar mais 17 pontos de vendas no Estado, sendo que três destes serão instalados em Uberlândia. Polishop, varejista de eletroeletrônicos e equipamentos para casa, ginástica e bem-estar, pretende inaugurar três unidades em 2012 e duas em 2013. Já as três lojas instaladas em Belo Horizonte e Contagem serão ampliadas. A empresa não revelou o valor dos investimentos. Em Belo Horizonte, serão ampliadas as lojas do Diamond Mall, Shopping Cidade e Minas Shopping. Em Contagem, o ponto de venda do Itaú Power Shopping passará por obras de expansão. As novas unidades serão abertas no Shopping Estação BH, Boulevard Shopping e em Sete Lagoas. Em 2013, a empresa instalará uma loja no Metropolitan Garden (Betim) e uma loja de rua em Contagem. Atualmente, a Polishop conta com o centro de distribuição em Varginha e gera cerca de 2,5 mil postos de trabalho. Shopping Minascasa, centro de compras especializado em móveis e artigos para o lar, inicia obra de expansão orçada em R$ 2 milhões. O mall vai ganhar uma nova praça de alimentação, de 900 mil m², que terá quatro operações. A nova praça será construída no primeiro piso do Ramada Hotel Minascasa e deve ficar pronta junto com o hotel, no primeiro semestre de 2014. Para que isto aconteça, será necessário um rearranjo da loja Líder Interiores. Tal mudança acontece em 2012 e demandará investimento da ordem de R$ 400 mil.


FEcomércio informativo • Edição 376 • 19

Priscilla Ázara

economia

Pesquisas de mercado:

ferramentas para o empreendedorismo Eduardo Angelo Gonçalves Dias

Supervisor de Pesquisa do Departamento de Economia

As pesquisas, hoje em dia, são indispensáveis para o bom desenvolvimento dos negócios. Sob esta filosofia, o empresariado, a partir destes estudos, procura criar estratégias para maximizar seus investimentos. Estas “radiografias” do mercado são grandes ferramentas para tomadas de decisão e indispensáveis às empresas de modo a conhecer o ambiente de negócios e direcionar os seus serviços e produtos para clientes em potencial. Antes de conhecer o mercado em que pretende atuar, faz-se necessário conhecer sua dinâmica. As pesquisas são instrumentos de compreensão destes mercados potenciais e significam criar e exercer um modelo de entendimento profundo de ligações entre elementos, ou seja, desvendar uma ordem que é invisível ao senso comum. Assim sendo, se bem trabalhados, os números nos mostram não apenas dados frios, e sim fenômenos que ocorrem em uma sociedade. Há cerca de uma década as pesquisas de mercado começaram a ganhar um maior destaque no Brasil, devido às grandes transformações socioeconômicas observadas no país. Coincidentemente ou não, neste período, o que era chamado de “consumidor invisível” passou a ser chamado de “Nova Classe Média”. Esta forte mobilidade social é um dos maiores fenômenos ocorridos no Brasil do ponto de vista econômico, social e político nos últimos tempos. Os estudos de mercado são, antes de tudo, ferramentas importantes para a gestão empresarial e atualmente estão acessíveis a empresas de qualquer porte. Além dos institutos de pesquisa, as entidades representativas de classe

exercem um papel muito importante no desenvolvimento de estudos de mercado. Com eles, o empresário pode obter informações valiosas sobre o mercado em que atua ou pretende atuar, seja de clientes, fornecedores ou de concorrentes, e assim, conseguir um melhor desempenho em seus negócios. Nos últimos anos os estudos de mercado no Brasil ganham espaço e cada vez mais fazem parte do planejamento dos empresários em seus negócios. Esta constatação, aliada ao fato de que as pesquisas de mercado realizadas têm trazido resultados satisfatórios para as empresas, é uma prova de que empresários e população já começam a enxergar com outros olhos as pesquisas. Todavia, no Brasil, a utilização das pesquisas como ferramentas para o processo decisório ainda é incipiente, levando-se em consideração o tamanho do mercado consumidor. Mesmo

com o desenvolvimento de novas metodologias e o maior acesso às pesquisas, há uma ligeira desconfiança em relação aos estudos e pesquisas de opinião e mercado. Esta desconfiança parte do ceticismo das pessoas em relação às pesquisas que atingem cerca de um terço da população, diferentemente do que acontece em outros países, apesar do bom desempenho dos institutos de pesquisa brasileiros em estudos de mercado e opinião e da alta credibilidade que possuem até mesmo no exterior. Nos Estados Unidos, nascedouro desses tipos de estudo, a população é bem mais habituada com pesquisas e reage naturalmente a elas, o que contribui em grande parte para o sucesso das mesmas e o conhecimento do mercado em que as empresas que lá atuam. Na França, com grande tradição em estudos de mercado, sendo inclusive referência no que diz respeito a métodos mais avançados, as pesquisas nos últimos anos têm revelado elementos inovadores para as empresas daquele país. Como sabiamente dizia Sir Arthur Conan Doyle, o autor da série Sherlock Holmes: “Enquanto um homem individualmente é um quebra-cabeça insolúvel, no conjunto ele se torna uma certeza matemática. Você nunca pode prever o que um homem fará, mas você pode dizer com precisão o que em média um número deles fará. Individualmente eles variam, mas em média se mantêm constantes.” Portanto, quanto mais houver um conhecimento do mercado, este aprendizado irá contribuir para uma mudança no comportamento das empresas no sentido de conhecer o consumidor e as suas reais necessidades.


20 • FECOMércio informativo • edição 376

economia

Cartão

Giro Econômico

é líder,

mas cheque avança Pesquisa da Fecomércio Minas constata que uso de cheque pré-datado subiu em relação à sondagem anterior As vendas a prazo se mantêm em alta no co-

cheques pré-datados maior que na pesquisa ante-

mércio varejista de Belo Horizonte. Em maio, os

rior, realizada em abril. As compras feitas a prazo

consumidores utilizaram cartão, cheques e bole-

com essa forma de pagamento ficaram em 21%,

tos em 60% dos casos. O cartão de crédito con-

maior percentual desde abril de 2011. A inadim-

tinua absoluto na hora de ir ao caixa, represen-

plência com cheques sem lastro também subiu,

tando 75% das transações a prazo. O Balanço do

ficando em 3%.

Crédito no Comércio Lojista de Belo Horizonte, realizado pelo Departamento de Economia da Fe-

Cenário

comércio Minas, mostra, também, que o uso de

O coordenador do Departamento de Econo-

cheque pré-datado subiu em relação à pesquisa

mia da Fecomércio Minas, Gabriel de Andrade

anterior (21% ante 19%, maior alta em um ano) e

Ivo, acredita que o movimento de compras man-

a inadimplência com os cheques sem fundos tam-

tém-se aquecido. Mas o consumidor vem agindo

bém teve uma leve alta, de 2% para 3%.

com prudência, exigindo ações atentas por parte

No parcelamento com cartões, os prazos pra-

dos empresários na precificação final e na agrega-

ticados concentram-se entre três e seis parcelas.

ção de valor nos serviços prestados. “Contribuem

Nessa faixa, foram feitas 74,9% das operações.

para estimular as compras a formalização do mer-

Ao se somar as compras pagas com uma a seis

cado de trabalho e as baixas taxas de desemprego,

parcelas, a participação passa para quase 79% do

mas persistem temores em relação ao efeito da

total.

crise do euro na dinâmica da economia interna”,

Nessa sondagem, foi constatado um aceite de

finaliza.

Rendimento médio das mulheres se aproxima dos homens Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010, o rendimento médio real de todos os trabalhos das pessoas ocupadas com rendimento de trabalho foi de R$ 1.345, contra R$ 1.275 em 2000. Enquanto o rendimento médio real de trabalho dos homens passou de R$ 1.450 para R$ 1.510, de 2000 para 2010, o das mulheres foi de R$ 982 para R$ 1.115. Em termos de ganho real, a diferença foi de 5,5% para ambos os sexos, 13,5% para as mulheres e 4,1% para os homens. A mulher passou a ganhar 73,8% do rendimento médio de trabalho do homem. Em 2000, esse percentual era 67,7%. A Região Sul manteve os menores percentuais do rendimento médio de trabalho das mulheres em relação ao dos homens, passando de 63,2% para 69,0%. Na Região Norte, o percentual da mulher passou de 74,6% para 82,3% do recebido pelo homem. Entre os estados, em 2010, o Amapá deteve o maior percentual do rendimento médio de trabalho das mulheres em relação ao dos homens (88,6%) e Santa Catarina ficou com o menor, com as mulheres ganhando 67,4% do rendimento médio de trabalho dos homens.

Aumento da renda proporciona mais acesso a bens Com mais renda, os brasileiros passaram a ter acesso a mais bens. Destaques para computador e a máquina de lavar. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a presença do computador passou de 10,6% (2000) para 38,3% (2010) dos domicílios (ou 21,9 milhões). A internet também avançou. Em 2010, um terço das residências estava conectado. A região Sudeste (48%) é a que possui mais computadores (48%), mais do que o dobro do Nordeste (21,2%). Já a máquina de lavar está em 47,3% dos lares. Na última década, a participação do automóvel passou de 32,7% para 39,5%, graças ao acesso ao crédito. A presença de motocicleta foi de 19,5%. Em muitas regiões, ela é mais comum do que o carro. Caso do Norte, onde 24,1% dos lares têm motocicleta, ante 19,4% deles com automóvel. Mais brasileiros, segundo o Censo, têm acesso a serviços de telefonia. Em 2000, eram 39,7% de domicílios com linha telefônica instalada. Presença que sobe para 87,9% em 2010, quando considerados os lares com algum tipo de telefone (fixo ou celular). Dos 57,3 milhões de domicílios, 54 milhões possuíam água canalizada, mas com disparidades. No Norte, 20% dos domicílios (ou 798 mil) não têm o serviço.


FEcomércio informativo • Edição 376 • 21

Paolo Xavier

micro e pequenas empresas

Quem são as MPes brasileiras? Gabriel de Andrade Ivo

departamento de economia

As Micro e Pequenas Empresas (MPEs) representam 99% das empresas brasileiras. Empregam a maioria das pessoas economicamente ativas do país, mas respondem por apenas 25% do Produto Interno Bruto brasileiro. Essenciais para a economia brasileira, as MPEs têm tido incentivos específicos para facilitar sua sobrevivência, como a Lei Geral para Micro e Pequenas Empresas, que cria facilidades tributárias como o Super Simples. As medidas vão ao encontro da constatação de que boa parte das MPEs “morrem” prematuramente. Há algumas limitações para o reconhecimento como micro ou pequena empresa no Brasil, o que dificulta o acesso a tais benefícios. Atualmente, há pelo menos três definições utilizadas para limitar o que seria uma pequena ou microempresa. A definição mais comum e mais utilizada é a que está na Lei Geral para Micro e Pequenas Empresas. De acordo com a lei, promulgada em dezembro de 2006 e revista em 2011, as microempresas são as que possuem um faturamento de, no máximo, R$ 360 mil por ano. As pequenas devem faturar entre R$ 360.000,01 e R$ 3,6 milhões anualmente para serem enquadradas. Outra metodologia vem do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em que as microempresas são as que empregam até nove pessoas no caso do comércio e serviços, ou até 19, no caso da indústria e da construção civil. As pequenas são definidas como as que possuem de 10 a 49 funcionários, no caso de comércio e serviços, e 20 a 99 funcionários, no caso da indústria e empresas da construção. Já órgãos federais de fomento, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e

Social (BNDES), têm outro critério para a concessão de créditos. Nessa instituição, uma microempresa deve ter receita bruta anual de até R$ 2,4 milhões; as pequenas empresas, superior a R$ 2,4 milhões e inferior a R$ 16 milhões. Os parâmetros do BNDES foram estabelecidos de acordo com critérios do Mercosul. Além da definição legal, é importante levar em consideração o perfil desse micro e pequeno empresário, que é cada vez mais significativos na estrutura capitalista atual. No Brasil, surgem cerca de 460 mil novas empresas por ano, sendo a grande maioria micro e pequenas. Os setores de serviços e comércio são os que possuem a maior concentração deste tipo de empresa. Aproximadamente 81% das MPEs trabalham nesses setores e empregam 68% da força de trabalho.

O desemprego brasileiro, que historicamente gira em torno de 14%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), contribuiu para que muitas pessoas empreendessem. Apesar de o sonho do seu próprio negócio ser um dos discursos mais comuns entre assalariados brasileiros, ser empreendedor é uma atividade que ainda apresenta diversas dificuldades, e uma delas é a alta taxa de mortalidade. Estudos mostram que metade das micro e pequenas empresas fecham as portas com menos de dois anos de existência, e as principais razões seriam a falta de capital de giro, impostos elevados, falta de clientes e concorrência acirrada. As mudanças provocadas pelos avanços tecnológicos e a globalização das atividades socioeconômicas, juntamente com a terceirização, o crescimento do setor de serviços, além do alto índice de desemprego, impulsionaram o surgimento de novos negócios no Brasil. As microempresas e empresas de pequeno porte são as maiores geradoras de emprego e renda e contribuem para o crescimento das regiões menos desenvolvidas. Daí a sua importância para a evolução econômica e social de um país. Foi olhando para esses números e características que o governo federal criou primeiro o Simples e depois o Super Simples, que prevê a unificação e diminuição de impostos. A Lei Geral para Micro e Pequenas Empresas promete desburocratizar parte do processo. Assim, o governo brasileiro começa a mudar alguns itens para facilitar a vida dos empreendedores, seja ajudando na participação de licitações públicas ou ampliando e facilitando o acesso às linhas de crédito.


22 • FECOMércio informativo • edição 376

VOCÊ SABIA ?

notas NOVO REGIME DE ICMS IMPORTAÇÃO ENTRARÁ EM VIGOR EM 2013

Qual o valor máximo para envio de mercadorias ao exterior através de empresas de courier? As empresas de courier (empresas de transporte internacional) podem enviar mercadorias ao exterior, sem cobertura cambial, em quantidade, frequência, natureza ou variedade que não permitam presumir operação com fins comerciais ou industriais, até o limite de US$ 5.000.00. O que pode ser transportado como bagagem? De acordo com o inciso II do art. 2º da IN RFB nº 1.059/2010, serão considerados bagagem os bens novos ou usados que um viajante, em compatibilidade com as circunstâncias de sua viagem, puder destinar para seu uso ou consumo pessoal, bem como para presentear, sempre que, pela quantidade, natureza ou variedade, não permitirem presumir importação ou exportação com fins comerciais ou industriais. Como é realizada uma importação de “mudança definitiva”?

Os residentes no exterior que ingressem no país para nele residir de forma permanente, e os brasileiros que retornem ao país, provenientes do exterior, depois de lá residirem há mais de um ano, poderão ingressar, no território aduaneiro, com isenção de tributos, com móveis e outros bens de uso doméstico e, mediante a prévia comprovação da atividade desenvolvida pelo viajante, com ferramentas, máquinas, aparelhos e instrumentos para seu uso próprio, necessários ao exercício de sua profissão, arte ou ofício, individualmente considerados; a fruição da isenção aplica-se a bens novos ou usados e está sujeita, no caso de residente no exterior que regresse, ao decurso ao prazo de um ano. O que significa exportação ficta? É a operação que consiste em vender ao exterior, contra pagamento em moeda nacional ou estrangeira de livre conversibilidade, produtos nacionais, sem que ocorra sua saída do território brasileiro, nas situações enquadradas no art. 233 do Decreto nº 6.759/09 e na IN SRF nº 369/03.

O governo decidiu que o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), tributo cobrado na circulação de produtos nacionais ou importados dentro do Brasil, terá seu valor unificado em 4%. Por meio da Resolução SF n°. 13/2012, publicada no Diário Oficial da União (DOU) do dia 26/04/12, o ICMS referente à comercialização interestadual de mercadorias e também sobre bens importados terá sua alíquota unificada para 4% em todo o território nacional. A medida, na prática, elimina a chamada “guerra dos portos”, em que alguns estados brasileiros disputam entre si ao conceder subsídios para produtos importados, o que aumenta a movimentação em seus terminais portuários e sua arrecadação local. A nova medida aprovada pelo Senado valerá a partir de 1º janeiro de 2013. Hoje a tributação é baseada em uma alíquota de 18%, sendo 12% para o estado brasileiro onde a mercadoria foi recepcionada e 6% para o estado onde a mesma será comercializada. Atualmente cada estado possui suas políticas subsidiárias e regimes de restituição às empresas que importam. A iniciativa visa, segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, propiciar igualdade nos portos quanto ao recebimento de importações e, ainda, melhor desempenho da produtividade nacional.

CRESCE A PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NAS EXPORTAÇÕES MUNDIAIS De acordo com a Organização Mundial do Comércio (OMC), o Brasil ocupa atualmente a 22ª posição no ranking dos países maiores exportadores, sendo responsável, em 2011, por 1,44% do total exportado por todo o comércio internacional. Vale destacar que esse valor representa um crescimento frente à participação de 1,36% em 2010. Na importação, o Brasil caiu uma posição em 2011, ocupando agora a 21ª, o que representa uma participação de 1,29%. O relatório apresenta ainda algumas informações acerca do comércio mundial, como o crescimento do comércio entre os países, que registrou um crescimento de 5% em 2011. De acordo com a OMC, a tendência é que, em 2012, o crescimento seja menor do que a média apresentada ao longo dos últimos 20 anos; ficando em 3,7% frente aos 5,4% de média.


FEcomércio informativo • Edição 376 • 23

comércio exterior

conhecendo o mundo

com o sistema fecomércio e sebrae:

4ª edição: ÁFRICA DO SUL COMO NEGOCIAR COM OS SUL-AFRICANOS • Brasileiros não necessitam de visto até 90 dias (turismo e/ou negócios); basta apresentar o passaporte com validade de até um mês (da data de retorno ao Brasil), com pelo menos duas páginas em branco e apresentar o CIV (Certificado Internacional da Vacina) contra febre amarela, que deve ser tomada pelo menos 10 dias antes do embarque. • O aperto de mão é a forma de cumprimento comumente aceita para a maioria dos visitantes. • Os horários são determinados e seguidos à risca. • Os sul-africanos prezam pelo respeito aos símbolos pátrios. • Nos negócios, o traje utilizado é o terno e gravata para homens e roupas clássicas para as mulheres, como blazer e saia. • Os executivos costumam ser bastante objetivos nas negociações. Não perderão tempo dando posições parciais de uma proposta, e só responderão a um fax ou telefonema quando realmente tiverem certeza do sim ou do não. • Embora a África do Sul possua 11 idiomas oficiais, o inglês é o mais falado em nível empresarial. Toda a documentação oficial é impressa, atualmente, em inglês e africâner. A maioria das empresas na África do Sul estão aptas a corresponder-se em qualquer das duas línguas. • Táticas agressivas de venda, argumentos emocionais e críticas à concorrência não são bem-vistos. • É comum os sul-africanos buscarem a negociação “ganhar-ganhar”, em que ambas as partes obtêm benefícios e vantagens. CURIOSIDADES • A África do Sul tem três capitais: Pretória – capital administrativa; Cidade do Cabo – capital legislativa; Bloemfontein – capital judiciária.

NOME OFICIAL:

República da África do Sul SUPERFÍCIE:

1.219.090 km² (25º) LOCALIZAÇÃO:

Extremo Sul do continente africano POPULAÇÃO:

50,5 milhões de habitantes (24º) PRESIDENTE:

Jacob Zuma COMÉRCIO INTERNACIONAL COM MINAS GERAIS:

Exportação: (US$ FOB 84,2 milhões) e Importação: (US$ FOB 59,7 milhões) PIB PER CAPITA:

US$ 8.066 (71º) PIB:

US$ 408 bilhões (29º) MAIORES CIDADES:

Johannesburgo (3,9 milhões), Cidade do Cabo (3,5 milhões), Durban (3,4 milhões) e Pretória (2,3 milhões) MOEDA OFICIAL:

Rand (cotação: 1 R$ = 4,09 ZAR) SISTEMA POLÍTICO:

República Parlamentarista IDIOMA OFICIAL:

11 idiomas oficiais, sendo o inglês o mais utilizado para os negócios • O apartheid foi um regime de segregação racial implantado no ano de 1948 e durou até 1994, quando um dos líderes da resistência rebelde, Nelson Mandela, chegou ao posto de presidente do país e deu fim ao regime racial. • Devido à grande importância de Nelson Mandela, as Nações Unidas decretaram o Dia Internacional Nelson Mandela (18 de julho) a fim de reconhecê-lo como líder mundial na resolução de conflitos inter-raciais. • Durante a Copa do Mundo de 2010, a seleção sul-africana de futebol ficou mundialmente conhecida como Bafana Bafana do idioma isiZulu, que em português significa “os rapazes, rapazes”. • A culinária da África do Sul é conhecida por sua rica diversidade e exotismo. É comum encontrar os mais diversos tipos de carne como crocodilo, cabeça de carneiro, búfalo, girafa, entre outros. • Os três esportes mais populares no país são: Futebol, Rúgbi e o Críquete. • O animal símbolo da nação é um Antílope,

conhecido lá como Springbok, que também é o apelido da seleção de Rúgbi do país. • O design central da bandeira em forma de Y pode ser interpretado como a convergência de diversos elementos dentro da sociedade sul-africana para a formação de uma unidade. As cores da bandeira têm cada uma seu significado. O vermelho significa o sangue do povo, o azul representa o céu, as cores preta e branca significam as raças negra e branca, o verde representa as florestas e o amarelo, o ouro. • O maior símbolo do Estado, o National Coat of Arms (Brasão das Armas) significa a união de todas as culturas sob um mesmo sol. • Apesar de o inglês ser o idioma mais utilizado no âmbito dos negócios, apenas 8,2% da população o considera como língua pátria. O isiZulu aparece em primeiro lugar com 23,82%, seguido pelo isiXhosa com 17,64% e Afrikaans com 13,35% da população.


24 • FECOMércio informativo • edição 376

BALANÇA COMERCIAL

DESEMPENHO DO

COMÉRCIO EXTERIOR MINEIRO quanto? EXPORTAÇÕES IMPORTAÇÕES SALDO COMERCIAL CORRENTE DE COMÉRCIO

US$ FOB (BILHÕES)

*PART (%) MG-BR

VAR (%) 2012-2011

10.422 3.770 6.652 14.193

14% 5,3%

- 10,5% 7,2% - 18,2% - 6,4%

9,7%

* Esta coluna indica a participação de Minas Gerais no total nacional. Fonte: Central Exportaminas – MDIC – Elaboração Fecomércio Minas

As exportações mineiras totalizaram, no período de janeiro a abril, o valor de US$ 10,42 bilhões. Registrou-se uma redução de 10,5% em relação ao mesmo período de 2011. Com este resultado a participação mineira sobre o total nacional ficou em 14%. As importações mineiras, entre janeiro e abril de 2012, aumentaram 7,2% em relação ao mesmo período de 2011, alcançando o patamar de US$ 3,77 bilhões. No período em questão, as importações de Minas totalizaram 5,3% do total importado pelo Brasil. O resultado da relação comercial de Minas com o mundo gerou um saldo comercial positivo de US$ 6,65 bilhões no período de janeiro a abril de 2012. Este resultado é superior ao saldo comercial nacional, que foi de US$ 3,32 bilhões. Se comparado com o mesmo período de 2011, o saldo comercial de Minas registrou um decréscimo de 18,2%. A corrente de comércio alcançou o patamar de US$ 14,19 bilhões durante o período analisado, resultando em uma redução de 6,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse valor correspondeu a aproximadamente 10% do total nacional.

quanto? Exportação Mineira - Jan/12 a Abr/12 Valor US$ FOB Bilhão janeiro/12

2.325

fevereiro/12

2.658

março/12

2.818

Abril/12

2.622 Fonte: Central Exportaminas – MDIC – Elaboração Fecomércio Minas

quanto? desempenho das importações Mineiras - Jan/12 a Abr/12 Valor US$ FOB milhão janeiro/12

1.036

fevereiro/12

829

março/12

964

Abril/12

941 Fonte: Central Exportaminas – MDIC – Elaboração Fecomércio Minas


FEcomércio informativo • Edição 376 • 25

jurídico

Unificação de validade de

certidões federais A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público aprovou, no mês de maio, a unificação de validade de certidões federais. Agora, o Certificado de Regularidade Fiscal do FGTS, a Certidão Negativa de Débito (CND), a Certidão Negativa de Inscrição da Dívida Ativa da União e a Certidão Negativa de Débitos de Tributos e Contribuições Federais passam a ter validade unificada de 180 dias a contar da data de sua emissão – nos termos do que propõe o Projeto de Lei 712/11. O substitutivo associa o PL 712/11 ao PL 1.239/11, que estabelecia prazo de validade

de um ano, prorrogável por mais seis meses, para as mesmas certidões – com exceção do Certificado de Regularidade Fiscal do FGTS, não mencionado pelo projeto. Atualmente, esse certificado tem validade de 30 dias, a CND vale 60 dias, a Certidão Negativa de Inscrição da Dívida Ativa da

União já tem validade de 180 dias e a Certidão Negativa de Débitos de Tributos e Contribuições Federais é válida por seis meses. O relator Jutahy Júnior considerou ainda que “não há nada que justifique a multiplicidade de prazos adotados para as diversas certidões”, pois todos os documentos tratados pelo projeto “têm por objetivo comum certificar a regularidade quanto às obrigações fiscais e trabalhistas perante a União”. (Fonte: Agência Câmara de Notícias)

País precisa de

contadores A partir da adequação obrigatória ao novo padrão internacional de contabilidade, as International Financial Reporting Standards (IFRS), em 2009, ocorreu uma grande transformação no mercado de auditoria e consultoria do Brasil. Na mesma época, o Conselho Federal de Contabilidade emitiu diversas resoluções, estabelecendo um novo padrão contábil para as empresas que não estavam enquadradas na Lei 11.638/2007, conhecida como a Nova Lei das S.A., cujo objetivo principal é harmonizar as regras brasileiras com as implementadas no mercado europeu. Com isso, chegou a vez de as pequenas e médias empresas se adaptarem às normas internacionais. A aplicação dos International Financial Reporting Standards elevou os níveis de transparência, pois os balanços tornaram pública a real saúde financeira e patrimonial das empresas, e a conversão das normas internacionais de relatórios financeiros permitiu às companhias pequenas e médias remodelar os negócios com índices reais de desempenho. Além disso, nos últimos anos surgiram novas obrigações com o Fisco, como o Sped Con-

tábil, o Sped Fiscal e a Escrituração Fiscal Digital (EFD) do PIS e da Cofins, que tomam muito tempo dos profissionais ou exigem a contratação de outros especialistas no assunto. As mudanças dos IFRS viraram do avesso a rotina dos contadores brasileiros, uma vez que as regras eram bem diferentes das aplicadas no mercado nacional. As adaptações às normas internacionais foram feitas por meio da Lei nº. 11.638/2007 – que atualizou a Nova Lei das S.A.

– e dizem respeito principalmente às demonstrações contábeis. Para que a contabilidade brasileira pudesse estar de acordo com os IFRS, foram introduzidos também novos conceitos na legislação societária do país. A Lei nº. 11.638/2007 entrou em vigor no primeiro dia de 2008, estendendo as alterações às sociedades de grande porte, ainda que não constituídas sob a forma de sociedades por ações. (Fonte: DCI - SP)


26 • FECOMércio informativo • edição 376

jurídico

OBRIGAÇÕES SOCIAIS E FISCAIS | juL 2012 ÂMBITO FEDERAL

Adiados PIS e Cofins para a indústria A Portaria nº 137, da Receita Federal, publicada no DOU em abril, adiou o vencimento do PIS e da

PIS - DCT

No mês de admissão

Cofins para até o último dia útil da 1ª quinzena do

IR FONTE - Salários, Autônomos, Aluguéis

Até o último dia do 2º decêndio

no mês de março/2012 e até o último dia útil da 1ª

Carnê Leão

Até o último dia útil do mês

PIS/Faturamento

Até o 25º dia do mês

sobre a receita das atividades industriais abaixo re-

COFINS

Até o 25º dia do mês

13.1 – Preparação e fiação de fibras têxteis

FGTS / GEFIP

Até o dia 7 (sete)

INSS - Salário SALÁRIOS

Até o dia 20 (vinte)

CAGED

Até o dia 7 (sete)

IRPJ ESTIMATIVA/trimestral Contribuição Social ESTIMATIVA/trimestral

Até o último dia útil do mês

Simples nacional - recolhimento DCtf - mensal

Até o dia 20 (vinte)

Dacon - Mensal

Até o 5º dia útil do mês

Retenção pis / cofins csll Artigo 30 - lei 10.833/03

Até o último dia útil da quinzena seguinte ao da retenção

sped / pis / cofins

Até o 10º dia útil do mês

IRPF - 4ª Quota

Até o último dia do mês

mês de novembro, para os fatos geradores ocorridos quinzena do mês de dezembro, para os fatos geradores ocorridos no mês de abril de 2012, incidentes lacionadas, em conformidade com o CNAE: 13.2 – Tecelagem, exceto malha 13.3 – Fabricação de tecidos de malha 13.4 – Acabamentos em fios, tecidos e artefatos

Até o 5º dia útil

têxteis 13.5 – Fab. de artefatos têxteis, exceto vestuário 14.1 – Confecção de art. do vestuário e acessórios 14.2 – Fab. de artigos de malharia e tricotagem 15.1 – Curtimento e outras preparações de couro

Até o último dia útil do mês

15.2 – Fabricação de artigos para viagem e artefatos diversos de couro 15.3 – Fabricação de calçados 15.4 – Fabricação de partes para calçados, de

Até o 15º dia útil do mês

DAPI • Comércio varejista, supermerca­dista, lojas de departamentos, demais atacadistas e transportes. • Indústrias e atacadistas de bebidas, comb. e lubrif; cigarros e fumos.

qualquer material 29.4 – Fabricação de peças e acessórios para

ÂMBITO estaduAL Até o dia 09 Até o dia 04

• Demais indústrias

Até o dia 15

• Guia Nac. Informação Apuração ICMS Sub. Trib. - Gia - ST

Até o dia 10

• Demais contribuintes

Ver Calendário Fiscal

• SPED Fiscal

Até o dia 25

Nota: LEMBRAMOS QUE O PRAZO DO SPED FISCAL VENCE IMPRETERIVELMENTE EM 25/07/2012, PARA OS OBRIGADOS ATÉ 2011, E 25/12/2012, PARA OS OBRIGADOS A PARTIR DE 2012.

veículos automotores 31.0 – Fabricação de móveis

Conselho de Consumidores realiza audiência Minas Gerais será o primeiro Estado a realizar uma audiência pública para tratar das questões sobre energia elétrica. Conduzida pelo Conselho de Consumidores da Cemig, acontece em Belo Horizonte no dia 28 de junho. Esta ação faz parte do trabalho dos Conselhos de Consumidores, que, com caráter consultivo, são voltados para a orientação, análise e avaliação das questões ligadas ao fornecimento, tarifas e adequacidades dos serviços prestados ao consumidor final. “A audiência é uma grande oportunidade para os

ÂMBITO municipAL

empresários e cidadãos apontarem dúvidas e fazerem sugestões para o melhor aproveitamento da energia”, ressaltou o presidente do Sindicato do Comércio Va-

ISS Imposto S/ Serviços Belo Horizonte Outros Municípios

Até o dia 05 (cinco) Ver legislação local

rejista de Congonhas, José Geraldo Oliveira Motta,

IPTU Belo Horizonte Outros Municípios

Até o dia 15 (quinze) Ver legislação local

selho de Consumidores da Cemig. Além da Feco-

Taxas Municipais Belo Horizonte Outros Municípios

Fixado pelo município Ver legislação local

DES Declaração Eletrônica de Serviços - Mensal Belo Horizonte

Até o dia 20 (vinte)

que representa a Federação do Comércio no Conmércio, o Conselho é composto por representantes da Fiemg, Fameg, Movimento das Donas de Casa, Frente Mineira de Prefeitos, Procon e Cemig.

As sugestões para a audiência pública devem ser encaminhadas, até o dia 20/06, para o e-mail conselhoconsumidores@cemig.com.br


FEcomércio informativo • Edição 376 • 27

jurídico

Juristas aprovam

responsabilização penal

de empresas Pessoas jurídicas de direito privado ou público, nesse último caso aquelas que intervenham no domínio econômico, devem passar a ser responsabilizadas penalmente pelos atos praticados contra a administração pública, a ordem econômica e financeira e a economia popular, bem como pelas condutas lesivas ao meio ambiente, como já vem acontecendo. A proposta foi aprovada pela Comissão Especial de Juristas designada pela presidência do Senado para elaborar novo Código Penal, em reunião no dia 11 de maio, em meio a controvérsias. A responsabilização poderá ser proposta nos casos

em que as infrações sejam cometidas por decisão do representante legal ou contratual da empresa jurídica, ou ainda de seu órgão colegiado, quando a finalidade é a busca de interesse ou benefício para a entidade. Pelo texto, além de multas, as penalidades poderão variar de simples prestação de serviço comunitário à suspensão temporária das atividades ou mesmo extinção. As empresas podem ainda ser proibidas por até um ano de contratar com o setor público e as instituições financeiras oficiais, com possibilidade de prorrogação desse prazo. Nesse caso, ficariam, por exemplo, impedidas de

participar de licitações e obter empréstimos em bancos oficiais. Outra pena pode ser a determinação da perda de bens e valores. A responsabilização da pessoa jurídica não desobriga a iniciativa de apurar e denunciar as pessoas físicas envolvidas, desde que seja possível identificá-las. (Fonte: Agência Senado)

Adaptação

das limitadas à

Lei nº. 10.406 Muitas discussões doutrinárias e textos publicados por estudiosos do direito em diversas mídias escritas têm como tema principal a necessidade de adaptação das então sociedades por quotas de responsabilidade limitada, atualmente sociedades limitadas, que tenham sido constituídas antes do advento da Lei nº. 10.406, de 2002, o Código Civil, às suas regras e determinações. Não obstante a questão da constitucionalidade ou não do dispositivo do Código Civil que trata do tema, qual seja, o artigo 2.031, há que se ter em mente as consequências dessa não adaptação à prática do dia a dia do direito societário e, mais ainda, para as empresas que eventualmente decidam pela não adaptação. O Código Civil, ao introduzir mudanças importantes na regulamentação a que estão sujeitas as sociedades limitadas – notadamente aquelas relacionadas ao poder dos sócios de exercer o controle sobre as deliberações sociais que, em sua grande maioria, são responsáveis por ditar os

rumos da empresa –, cuidou para que essas empresas fossem obrigadas, por imposição legal, a se adaptar às novas regras trazidas. Tanto assim fez o legislador que essa obrigatoriedade de adaptação às regras da Lei nº. 10.406 está inserida não somente nas disposições do artigo 2.031 do Código Civil, que impôs que as “associações, sociedades e fundações, constituídas na forma das leis anteriores, bem como os empresários”, obrigatoriamente tenham feito essa adaptação até 11 de janeiro de 2007, mas também nas determinações do próprio Departamento Nacional do Registro do Comércio (DNRC). Nesse sentido, o Manual para Registro de Sociedades Limitadas do DNRC não permite, por meio de suas inúmeras disposições, que as sociedades que não estejam adaptadas obtenham registro na Junta Comercial de suas alterações de contrato social. A regra é clara: toda e qual-

quer alteração contratual deverá ser precedida da adaptação da sociedade aos termos do Código Civil vigente desde 2002. Cabe ao empresário decidir se deve adaptar seu contrato social ao Código Civil. Além do inconveniente relativo ao impedimento de registro de atos societários, o que poderá, em certas ocasiões, inviabilizar a realização de parte das atividades sociais, há a questão relativa às consequências decorrentes dessa não adaptação. Parte significativa da doutrina pátria considera que, caso não ocorra dita adaptação, as sociedades passam a ser consideradas em “situação irregular”, o que acarreta a responsabilidade pessoal e ilimitada dos administradores – e, muitas vezes, até dos sócios – em razão de infração ao artigo 2.031 do Código Civil. (Fonte: Valor Econômico)


28 • FECOMércio informativo • edição 376

jurídico

Receita quer melhorar relação com empresas e corta multas A Receita Federal está tentando melhorar sua relação com as empresas. Exemplo disso é que, em maio, o fisco divulgou que as companhias do Lucro Presumido – com faturamento anual de até R$ 48 milhões – que cometeram erros em suas Declarações de Informações EconômicoFiscais (DIPJ), pela primeira vez, serão avisadas dos equívocos, a partir deste mês, antes da notificação oficial. De acordo com a Subsecretaria de Fiscalização da Receita, as empresas que estão em uma espécie de malha fina – como já ocor-

re nas declarações de Imposto de Renda das Pessoas Físicas – poderão pagar uma multa de 20% do imposto devido. Anteriormente, a multa de ofício variava de 75% a 225% do devido ao fisco. Desta forma, a Receita enviou correspondência a 4.248 pessoas jurídicas para que elas retifiquem suas declarações e recolham o imposto devido. Atualmente, há 1,03 milhão de empresas nesse regime de tributação. A expectativa é que todas as empresas do lucro presumido possam fazer a consulta sobre eventuais irregularidades em suas declarações na página do fisco na Internet. Fonte: DCI – SP

Receita Estadual perdoa débitos de ICMS O Decreto n°. 45.947, publicado em 03/04/12, concedeu perdão para os débitos de ICMS inscritos em dívida ativa até 31 de outubro de 2011, cujo valor, em 28/12/2011, seja igual ou inferior a R$ 5.000,00 (cinco mil reais), ajuizada ou não a sua cobrança. Para tanto, o contribuinte deverá desistir de eventuais recursos, ações, exceções ou embargos à execução fiscal, com renúncia ao direito sobre o qual se fundam nos autos judiciais respectivos, renunciar aos honorários e ao ressarcimento de despesas processuais a ele eventualmente devidos

em razão da extinção do crédito. O perdão fiscal previsto aplica-se ao crédito tributário constituído somente de multa isolada, ao saldo remanescente de parcelamento em curso e não autoriza a devolução, a restituição ou a compensação de importâncias já recolhidas, inclusive as custas judiciais e os honorários relativos ao processo judicial. Para a apuração do valor a ser perdoado, será considerado o valor devido a título de ICMS, mais multas e juros, atualizado até 28/12/2011, por Processo Tributário Administrativo – PTA.


SESC

FECOMÉRCIO INFORMATIVO

www.sescmg.com.br PUBLICAÇÃO MENSAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DE MINAS GERAIS - SISTEMA FECOMÉRCIO MINAS, SESC, SENAC E SINDICATOS Juliana Sodré / Sesc Minas

ARTE PARA TODOS Tarcisio de Paula / Sesc Minas

SESC MINAS LEVA CULTURA DE QUALIDADE AOS QUATRO CANTOS DE MINAS PÁGINAS 4 E 5

SESC APOIA CONGRESSO INTERNACIONAL DE MEIO AMBIENTE, ICLEI 2012 PÁGINA - 8

AGÊNCIA SESC SERVIÇOS É INAUGURADA NA CAPITAL MINEIRA PÁGINA - 3

SESC ADOTA ESCOLAS E TRANSFORMA A VIDA DE ESTUDANTES PÁGINA - 7


2 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

ARTIGO Tarcísio de Paula / Sesc Minas

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE CARLOS FREDERICO LOIOLA ASSESSOR DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

Sempre que ouvimos falar sobre meio ambiente nossa imaginação é levada às montanhas, ao mico leão-dourado, às baleias, ao Pantanal, ou seja, geralmente pensamos nas belezas da natureza, na importância da preservação de matas, cachoeiras e das espécies em risco de extinção. Com certeza, isso tudo é muito importante e sempre será uma motivação para que possamos buscar alternativas de conservação e preservação da fauna e da flora, ou seja, dos ecossistemas naturais. Entretanto, recentemente, surgiu um novo paradigma, a Sustentabilidade Ambiental. Mais do que um modismo descabido, pensar na sustentabilidade nos remete ao compromisso pessoal, familiar, comunitário, empresarial, etc. Pensar na sustentabilidade significa mudança de comportamento, mudança de hábitos ou de condutas, pois as rotinas são alteradas. Passamos a pensar nas contribuições pontuais, de cada um, diminuindo seu consumo individual de água, luz, papel e outros. Ao final, o conjunto racionalizado vai consumir menos e economizar mais. As empresas sustentáveis conseguem perceber que além de contribuírem para a preservação e conservação dos recursos naturais, através de programas de gestão ambiental, elas conseguem economizar muito mais, a produção fica mais econômica e muito mais eficaz.

A eficiência energética, por exemplo, significa que, com um programa de gestão energética pode-se aumentar a produção, mas, proporcionalmente, diminuir o custo individual. Isso significa que, por exemplo, com um plano de eficiência energética, uma unidade de atendimento poderá dobrar os atendimentos à comunidade com apenas um aumento de 1/3 no consumo (= 30% de aumento nos custos), e não o dobro do consumo. Pensar e agir em sustentabilidade viabiliza a

preservação e conservação do nosso planeta, pois já somos mais de sete bilhões de pessoas no mundo, já pode nos faltar água potável, alimento, moradia, saúde e educação. As mudanças climáticas já são reais, geradoras de conflitos e problemas na agropecuária, nas estruturas urbanas, no saneamento básico e em outros setores . Ações sustentáveis buscam redirecionar os resíduos sólidos, buscam melhorar o transporte coletivo, buscam o reaproveitamento do papel, do vidro, do alumínio, buscam a compostagem da matéria orgânica, buscam a educação ambiental, principalmente das crianças e adolescentes. Atividades sustentáveis buscam um turismo responsável e que aproveite as belezas naturais, sem alterá-las ou suprimi-las. Atividades sustentáveis buscam melhorias nos ambientes urbanos, com saneamento ambiental, controle de ambientes favoráveis a espécies de plantas e animais prejudiciais. Dia 05 de junho, DIA INTERNACIONAL DO MEIO AMBIENTE, data comemorativa, quando avaliamos as ações promovidas durante o ano e projetamos as próximas ações. Ainda dá tempo de comemorarmos, ainda dá tempo de salvarmos a Terra, não podemos abandonar o navio sem concretizar a SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL, temos compromissos individuais para o bem comum de todos.


FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376 • 3

SERVIÇOS

CENTRAL DE SERVIÇOS É INAUGURADA EM BH PRIMEIRA UNIDADE DE ATENDIMENTO DO SESC MINAS ATENDERÁ COM HORÁRIOS DIFERENCIADOS

NOVIDADES O Sesc Serviços iniciou suas atividades com muitas novidades. A primeira delas é a carteira de associados: aqueles que procuram a agência para se matricular, passam a recebê-la na hora,

Tarcísio de Paula / Sesc Minas

O Sesc Minas inaugurou, em 31 de maio, a nova agência de atendimento da entidade em Belo Horizonte, o Sesc Serviços. Esta é mais uma opção para quem quer adquirir pacotes de viagem, fazer reservas para uma das 13 unidades de hospedagem, fazer a carteira para frequentar atividades das áreas de educação, saúde, cultura, lazer, turismo social e meio ambiente. No local também poderão ser obtidas informações referentes aos mais diversos serviços oferecidos pelo Sesc Minas. “A primeira agência do Sesc Serviços é um passo importante na direção do trabalhador do comércio de bens, serviços, turismo e seus dependentes e faz parte de um planejamento estratégico da entidade para melhorar, cada vez mais, o atendimento aos seus beneficiários”, declarou o diretor do Sesc Minas, Rodrigo Penido Duarte. Com tecnologia de ponta, um ambiente moderno e atendimento de alta qualidade, o Sesc Serviços está localizado no Barro Preto, região Centro-Sul da capital, onde há grande concentração de comércio e circulação de pessoas. O presidente da Associação dos Lojistas do Barro Preto (ASCOBAP), José Paulino Pires, avaliou a presença da agência na região. “Para o Barro Preto e toda a região, a chegada do Sesc é muito importante. É preciso que as empresas reconheçam que o seu bem mais valioso é o trabalhador e esse espaço trará mais oportunidades de lazer e cultura para todos”, disse José Paulino. O vice-presidente da Fecomércio, Lúcio Emílio de Faria, avalia o impacto positivo que o Sesc Serviços trará para a comunidade. “O Sistema Fecomércio trabalha para trazer novidades e melhorias na qualidade de seus serviços a todos os seus públicos. O Sesc caminha para a excelência desse tipo de atendimento, podendo destacar as ações de turismo prestadas. Minas Gerais é um grande estado para se viajar e o Sesc oferece opções de instalações com qualidade, conforto e preço acessível”, destacou o vice-presidente.

O diretor do Sesc Minas, Rodrigo Penido, o vice-presidente da Fecomércio, Lúcio Emílio de Faria, e o vice-diretor da entidade, Luciano Fagundes, na inauguração do Sesc Serviços

com validade em todas as Unidades nacionais do Sesc. Outra novidade são os pacotes aéreos de turismo, com o Programa de Viagens Sesc no Ar. Inicialmente, já estão à venda pacotes para Florianópolis, São Luís do Maranhão e Fortaleza. “A implementação do Sesc no Ar é mais um passo da entidade para valorizar o turismo social. As viagens áreas já eram uma demanda dos nossos públicos e o Sesc a atendeu trazendo diferenciais para o mercado. Além de um atendimento de excelência, o Sesc oferece uma

extensão de serviços que vão além dos convencionais, valorizando a cultura, o local e as ações de sustentabilidade”, explicou o superintendente hospitalidade e turismo do Sesc Minas, Luiz Neves. CONHEÇA O SESC SERVIÇOS A nova central de atendimento do Sesc, o Sesc Serviços, está localizado à rua Rio Grande do Sul, 756, loja 02. O endereço é de fácil acesso e está situado em uma das ruas de maior movimento da região do Barro Preto.

CONHEÇA AS 13 UNIDADES DE HOSPEDAGEM DO SESC MINAS • Ouro Preto – 31 3551-2122

• Almenara –

• Grussaí – 22 2741-3535

33 3721-1047

• Venda Nova – 31 3048-7415

• Januária – 38 3621-1076

• Contagem/Betim – 31 2108-4500

• Paracatu – 38 3672-1545

• Juiz de Fora – 32 3233-1144

• Araxá – 34 3661-3804

• Poços de Caldas – 35 3722-1393

• Bom Despacho – 37 3522-7253

• Montes Claros – 38 3221-1018

• Teófilo Otoni – 33 3522-3585


4 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

CULTURA

É CULTURA! É SESC MIN SESC MINAS INVESTE E DEMOCRATIZA A CULTURA NO ESTADO Erwin Oliveira / Sesc Minas

Cerca de 2 milhões de pessoas já assistiram ao Projeto Minas ao Luar

ALDINE MARA E JULIANA SODRÉ

CAMINHOS DE MINAS Cada vez mais apoiado pelos Sindicatos ligados ao Sistema Fecomércio, o Minas ao Luar tem se apresentado em diversas cidades do interior. A presidente do Sindicato do Comércio de Ituiutaba, Vera Lúcia Freitas Luzia, elogiou o evento. “Possuímos pouca opção de lazer, eventos grandiosos e shows de qualidade como esse. É uma alternativa de qualidade para o público”, disse. Também no dia 5, Teófilo Otoni, no Vale do Jequitinhonha, recebeu, pela sexta vez, o evento. Por lá, o projeto teve apoio do Sindicato do Comércio, representado pelo presidente Synval Nobre Handeri. “Temos o privilégio de trazer um

artista do nível do Waldir Silva para se apresentar aqui. O escolhemos pelo o que ele representa para a música popular brasileira e por tudo aquilo que ele deixa de legado para nossa cidade”, contou. O músico Waldir Silva, que faz parte da história do Minas ao Luar, comemorou a recepção: “para mim é motivo de muita alegria este projeto, principalmente porque não é a primeira vez que me apresento em Teófilo Otoni. Quando chego, me sinto em casa e a melhor forma de retribuir este carinho é oferecendo uma apresentação de qualidade”, destacou. Em 26 de maio, foi a vez de Coronel Fabriciano, no Leste de Minas, e de Congonhas, na região Central, receberem o evento. “A importância de receber o Projeto Minas ao Luar é poder resgatar Dila Puccini

Com um valioso patrimônio cultural, Minas Gerais é sempre fonte de inspiração. Inserido nesse contexto, o Sesc Minas reconhece na cultura uma importante área de atuação. Somente em 2011, a entidade foi responsável por 9,5 milhões de atendimentos na área em todo o estado. “O Sesc Minas tem como princípio valorizar, incentivar e propiciar cultura de qualidade para todos. Estamos ampliando as ações culturais, que já eram muitas, e vamos aumentá-las cada vez mais. Além de diversão e lazer, a cultura leva às pessoas educação e conhecimento”, ressalta Rodrigo Penido Duarte, diretor da entidade. Consagrado pelo público, o Minas ao Luar é uma das atividades que incentivam e difundem as práticas artísticas em todo o estado. Em comemoração à 500ª apresentação, Belo Horizonte receberá uma edição especial, com Demônios da Garoa e Waldir Silva e Conjunto Musical, em 29 de junho, na Pampulha. Com 18 anos de história, o Minas ao Luar já percorreu 186 municípios, totalizando mais de dois milhões de espectadores. Só em maio deste ano, mais de 17 mil pessoas assistiram às apresentações que encantaram oito cidades mineiras: Congonhas (Campo das Vertentes); Coronel Fabriciano (Leste de Minas); Guaxupé (Sul de Minas); Itamarandiba (Vale do Jequitinhonha); Ituiutaba (Pontal do Triângulo); Passos (Sul de Minas); Teófilo Otoni (Vale do Mucuri) e Várzea

da Palma (Norte de Minas).

Paulinho da Viola lotou o Grande Teatro do Sesc Palladium


FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376 • 5

CULTURA

NAS! É PARA TODOS Tarcísio de Paula / Sesc Minas

Primeiro Ato com o espetáculo “Sem Lugar”, no Sesc Palladium

as tradicionais músicas mineiras e valorizar artistas do nosso estado. O Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Minas, tem esse papel social e de levar cultura a toda comunidade”, reconheceu José Maria Facundes, presidente do Sindicato do Comércio do Vale do Aço. O presidente do Sindicato do Comércio de Congonhas, José Geraldo Oliveira Motta, se mostrou satisfeito com a iniciativa e declarou valorizar as mudanças pelas quais o Sistema Fecomércio tem passado. “Está sendo importante a participação dos Sindicatos. Isso é bom para mostrar que estamos juntos em todos os projetos também”, considerou. Quanto ao Mi-

nas ao Luar, ele afirmou: “Congonhas respira cultura e esse projeto é a cara da cidade, finalizou. QUALIDADE CULTURAL Se a atual fase do Minas ao Luar, que a partir deste ano passou a atender duas cidades por semana, já é positiva para a difusão da cultura pelo estado, as ações do Sesc Minas não param por aí. O Sesc Palladium, expoente da cultura na capital, vem recebendo importantes espetáculos nacionais e internacionais, como Cabaret, estrelado por Cláudia Raia; Virsky – Ballet Nacional da Ucrânia; Festival Internacional de

Folclore; Fábio Jr.; Renato Teixeira; Paulinho da Viola; Frejat, entre outros. Todas as Unidades do Sesc Minas estão atentas à cultura. Profissionais especializados coordenam e propõem novos projetos voltados para a renovação e evolução cultural. Um novo produto, com estreia prevista para este mês, é o Choro na Praça e Samba no Pé. Itinerante, será realizado em praças da capital, levando o melhor do samba e do choro. A cultura no Sesc Minas também reconhece talentos. O prêmio Sesc / Sated, uma ação conjunta entre Sesc Minas e o Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado, premia artistas e técnicos do setor.

NOVOS RUMOS Se Minas são muitas, como disse Guimarães Rosa, o Sesc também é. Principalmente em se tratando de cultura. Permeando a arte da dança, é do superintendente de Cultura e Educação, Gustavo Henrique, que parte a novidade: “O Sesc Minas terá, em breve, sua própria Cia de Dança”. Uma novidade e tanto para dançarinos e técnicos do setor. Como explicou a assessora de Cultura e Eventos do Sesc, Maria Elisa Medeiros, a nova Cia de Dança do Sesc será mais uma opção para que o mercado mineiro retenha os profissionais do setor. “Temos excelentes bailarinos, mas muitos vão para o exterior ou para outro estado. Quem segue a formação artística, muitas vezes, aos 18 anos, não tem

para onde ir. A nossa intenção é ampliar este espaço”, afirma. E as novidades não param. Em Uberlândia, a Unidade do Sesc promete uma grande festa para a 10ª edição do Encontro de Violeiros, em 2013. O projeto abre espaço ao sertanejo e à moda de viola. Duplas que estão iniciando a carreira veem o encontro como espaço de projeção, como é o caso dos irmãos José Mauro e Poliana. Eles estiveram, no mês passado, no 9º Encontro de Violeiros e estão juntos há sete anos. “Neste palco já ouvimos nossos ídolos e também tocamos. É o evento mais importante deste estilo na cidade, por isso o aguardamos muito”, conta Poliana.

Outra importante novidade é a formação da Orquestra de Câmara Sesc Minas, um projeto que visa oferecer às crianças e adolescentes de escolas públicas parceiras do Sistema Fecomércio, o amplo aprendizado musical. As aulas serão gratuitas e os alunos terão à sua disposição professores e instrumentos como o violino, a viola, o violoncelo e o contrabaixo. A sala de aula é outro diferencial: o Sesc Laces JK, um patrimônio histórico da capital e berço de grande realizações culturais da entidade.


6 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

SAÚDE

SERVIÇOS DE SAÚDE

DO SESC AJUDAM NA QUALIDADE DE VIDA INVESTIMENTO E AÇÕES PREVENTIVAS GARANTEM O BEM-ESTAR SOCIAL À POPULAÇÃO Dila Puccini / Sesc Minas

BRIZA MARTINS E LEONARDO ABREU

Dila Puccini / Sesc Minas

Saúde tratada com tecnologia de ponta. É assim que o Sesc Minas investe em suas Unidades Volantes e Fixa de Saúde, ampliando e modernizando o atendimento com excelência. Tudo isso para disponibilizar serviços médicos e odontológicos de qualidade aos trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo social de Minas Gerais, além de seus dependentes, bem como a comunidade em geral. Os projetos de saúde do Sesc Minas são pensados para atender à demanda emergente de diferentes regiões do estado. As Ações de Saúde, por exemplo, passam por diversas cidades do estado. Esse projeto itinerante vai às comunidades e proporciona o acesso da população a diversos serviços focados na prevenção primária da saúde. “Orientar as comunidades quanto aos cuidados com a saúde faz parte de uma das diretrizes do Sesc. Por isso, em todos os locais que visitamos, buscamos conscientizar a população”, explica o superintendente de Saúde do Sesc, Rodrigo Maia. O Projeto Ações de Saúde é também uma forma de promover a integração entre a população do interior com o Sesc. Na capital, a promoção da saúde fica à cargo, principalmente, do Centro de Saúde São Francisco, situado na região da Pampulha. A infraestrutura de qualidade do Centro de Saúde garante cuidados especiais para quem precisa de atendimento médico específico; metodologia que o Sesc Minas não abre mão. O Centro de Saúde São Francisco se prepara para receber outras especiali-

A vacinação é uma das ações de saúde promovidas pelo Sesc Minas

dades médicas. Atualmente, tem como uma de suas referências o atendimento ambulatorial pediátrico.

ATENDIMENTOS Na capital, as Unidades de Saúde contam com consultórios odontológicos, equipados e preparados para atender à população, a preços acessíveis. No interior, o programa OdontoSesc atende, gratuitamente, comunidades, na periferia das cidades. Em uma carreta, equipada com quatro consultórios preparados com o que há de mais moderno, o programa realiza atendimento ambulatorial, projetos de promoção de saúde bucal, próteses removíveis, autoexame de câncer bucal e promoção de saúde respiratória infantil, por meio de palestras interativas. Para receber o OdontoSesc, as cidades interessadas devem enviar uma solicitação ao Sesc, por meio dos sindicatos do comércio de bens, serviços e turismo da cidade ou por oficio da Prefeitura Municipal e demais entidades de classe, como Lions Club, Rotary Club, Associações de Classe e Bairros. De acordo com Roberto Araújo, analista de Projetos do Sesc Minas, o retorno recebido é muito positivo. “É uma satisfação imensurável da população

atendida, porque além do tratamento ser totalmente gratuito, é realizado com equipamentos de ponta, materiais de primeira qualidade e profissionais altamente especializados. Isso faz com que a comunidade atendida recupere a sua autoestima e consiga, na maioria das vezes, a inserção ou reinserção no mercado de trabalho”, afirmou. O Sesc Minas ainda realiza várias campanhas na área de saúde por meio de suas Unidades de Medicina Preventiva itinerantes que contemplam vários serviços, como a realização de exames laboratoriais, de mamografia, oftalmologia e ultrassonografia. Além disso, a vacinação e o incentivo à prática de hábitos saudáveis estimulam a cultura da prevenção na população. O Grupo de Gestantes do Centro de Saúde São Francisco é outro bom exemplo dos cuidados que o Sesc tem com a população mineira. Com o objetivo principal de orientar as gestantes sobre os cuidados básicos que se deve ter antes e depois da chegada do bebê, o grupo possibilita a troca de experiências entre elas, o que traz mais segurança e conhecimento, principalmente às mamães de primeira viagem. O serviço é oferecido gratuitamente.

VISITE A UNIDADE FIXA DE SAÚDE DO SESC MINAS Centro de Saúde São Francisco Rua Viana do Castelo, 490 - Bairro São Francisco CEP 31255-160 - BH/MG As Unidades de Saúde possuem infraestrutura completa de atendimento

Telefones: (31) 3279-1498 - (31) 3441-2188


FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376 • 7

SOCIAL

PORQUE ADOTAR FAZ BEM

EM APENAS QUATRO MESES DE ATUAÇÃO, PROJETO EDUCACIONAL DO SESC MINAS ATENDE CERCA DE 48 MIL ESTUDANTES Arquivo Sesc Minas

Para montar e desmontar: no Planetário do Sesc, crianças têm a chance de criar e recriar o Sistema Solar

ALINE TEODORO E TAIANA FARIAS

Educação, cultura, saúde e lazer. Ações nestas áreas são desenvolvidas por todas as Unidades de Serviços do Sesc Minas, na capital e no interior, dentro de escolas públicas das cidades em que atuam. É o Projeto de Adoção de Escolas, que surgiu em fevereiro deste ano e já está transformando a realidade de muitas pessoas. Todas as Unidades do Sesc adotaram entre três e seis escolas públicas que se encaixam no Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG). A iniciativa atende cerca de 48 mil alunos da educação infantil ao ensino médio, em 83 escolas, localizadas em bairros com alto índice de vulnerabilidade social. O objetivo é contribuir para a melhoria dos índices de qualidade dessas escolas, por meio de ações e projetos que complementem o aprendizado dentro da sala de aula. “Um dos pilares do Sesc é a educação. O que fazemos é trabalhar paralelamente ao ensino formal”, explica Érica Freitas, gerente de educação do Sesc Minas. “As ações contemplam não apenas os estudantes, mas os professores e toda a comunidade”, conta a gerente acrescentando que, para os alunos, são desenvolvidas ações de educação ambiental, reeducação alimentar, oficinas de jogos matemáticos, atividades de lazer, entre outras. Para a comunidade, atividades de recreação e lazer, para aproximá-la do ambiente escolar. Já para os professores, são feitas diversas ações, entre elas as do Programa Esperança, desenvolvido para for-

mar tecnicamente os educadores que por meio de ações lúdicas e criativas, podem melhorar a qualidade do ensino.

PARA MULTIPLICAR OS BONS EXEMPLOS Em Governador Valadares, o Projeto de Adoção de Escolas é um diferencial para as escolas em que atua. “Nas instituições, o que o Sesc faz é formar alunos cidadãos, com senso crítico e conscientes de seus papéis de agentes de transformação”, é o que acredita o gerente da Unidade, Nério Jr. “Nestas escolas realizamos atividades voltadas para criatividade, desenvolvimento cognitivo, social e cultural, formação cidadã, percepção e raciocínio lógico. Estas ações auxiliam alunos e professores no desenvolvimento dos conteúdos programáticos”,

completa. O resultado do projeto já vem sendo visto dentro de sala de aula. “Em apenas dois meses de trabalho, percebemos quão importante tem sido a participação do Sesc na melhoria do desempenho escolar dos nossos alunos. Nas aulas de matemática, por exemplo, os professores notaram que, por meio das oficinas de artesanato, os alunos conseguiram melhorar o desempenho das notas de geometria”, afirma Sônia Maria Silva da Costa, diretora da Escola Municipal Adélia Ribas. Ainda segundo ela, que atua na área da educação há 27 anos, o projeto tem um caráter inovador, que desperta nos alunos o interesse em aprender e nos professores o prazer em ensinar. “O Sesc veio transformar nossa escola e trazer vida onde não havia expectativa”, finaliza. O Projeto Adoção de Escolas é mais uma iniciativa do Sesc Minas em parceria com as escolas públicas do estado. A ação propõe a adoção de instituições de ensino por um período de um ano, realizando atividades que envolvem todas as áreas de atuação da entidade.

VOCÊ SABIA? O Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG) começou a vigorar em 2009, como concretização do Decreto nº 6.632/2008 do Governo Federal. A gratuidade é dirigida, prioritariamente, aos comerciários e seus dependentes e a estudantes da rede pública de Educação Básica, todos com renda familiar de até 03 (três) salários mínimos. Arquivo Sesc Minas

O Projeto de Adoção de Escolas também leva a alegria do circo para as crianças


8 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

SUSTENTABILIDADE

SESC MINAS PARTICIPA DO

ICLEI 2012

PELA PRIMEIRA VEZ, CONGRESSO INTERNACIONAL ACONTECE NA AMÉRICA LATINA MEYRE RIBEIRO

Um dos maiores Congressos Mundiais para discussão de questões socioambientais, o International Council for Local Environmental Initiatives, o Iclei 2012, será realizado, de 14 a 17 de junho, em Belo Horizonte. O Grande Teatro do Sesc Palladium receberá a abertura oficial. Mais de mil pessoas de várias nações, entre prefeitos, representantes de governos locais, técnicos e especialistas, são esperadas para participar dos debates e trocas de experiências sobre o desenvolvimento sustentável. O Congresso será realizado pela primeira vez na América Latina. Os participantes do Iclei, que significa Conselho Internacional para Iniciativas Ambientais Locais, em 2012, representarão mais de 440 milhões de pessoas de 70 países. Para a assessora corporativa do Sesc, Érica Rocha, esta experiência cumprirá uma das diretrizes do Sistema Fecomércio, que discorre sobre a internacionalização das entidades. “Virão muitas

pessoas de outros países, haverá um intercâmbio de ideias pautadas em atividades para o meio ambiente e a sustentabilidade. O Sistema, por meio do Sesc, viabilizará ações sustentáveis que envolverão esse público, como a gestão de resíduos sólidos durante o evento. Além, é claro, de oferecer o Sesc Palladium para a abertura; um Centro Cultural bem localizado, que atenderá com excelência e oferecerá acessibilidade, devido à proximidade dos locais em que ocorrerão as convenções”, explica a assessora. O assessor de Meio Ambiente do Sesc, Carlos Loiola, reforça a atuação da entidade no gerenciamento dos resíduos sólidos produzidos durante os quatro dias de Congresso. “O Sesc organizará toda a logística, espalhando pelos

locais em que o evento percorrerá lixeiras identificadas para a separação de papel, recicláveis e não recicláveis. Nossa preocupação é atuar significativamente, dando destinação adequada aos resíduos gerados”, esclarece. Loiola também lembra que uma associação de catadores de recicláveis receberá o material recolhido, quantificando-o e o qualificando, o que implicará geração de renda.

SESC APOIA MAIS DOIS EVENTOS O secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, como representante do Governo de Minas, visitou o estande do Sesc no Sustentar 2012, realizado, em 23 e 24 maio no Minascentro. Magalhães discursou sobre a importância de se promover uma consciência ambiental e adiantou um dos temas debatidos na Conferência das Nações Unidas, de 13 a 22 de junho. “O encontro da Conferência das Nações Unidades [o Rio+20] discutirá novos temas a serem trabalhados, por exemplo, a economia verde, que propõe um desenvolvimento econômico equilibrado, com esforços que respeitem o meio ambiente. O evento deverá também estimular a criação de métricas para promover programas que visem à erradicação da pobreza”, explicou

Tarcísio de Paula / Sesc Minas

o secretário. O Sesc Minas forneceu aos participantes do evento os crachás, feitos em papel semente, montou um estande para receber doação de mantimentos ao Programa Mesa Brasil, disponibilizou o “papa-pilhas”, para descarte de pilhas e baterias e levou uma Rua de Lazer completa ao Parque das O secretário de Estado Adriano Magalhães, junto ao diretor do Sesc, Mangabeiras. No interior Rodrigo Penido; em visita ao estande da instituição no Sustentar 2012 do estado, de 23 a 25 de maio, o Sesc apoiou o IX Congresso Nacional de Meio Ambiente os palestrantes – inclusive para o filósofo de Poços de Caldas, com distribuição de Leonardo Boff – e realizando oficinas soecobolsas, oferecendo hospedagens para bre materiais reaproveitáveis.


SENAC

FECOMÉRCIO INFORMATIVO

www.mg.senac.br PUBLICAÇÃO MENSAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DE MINAS GERAIS - SISTEMA FECOMÉRCIO MINAS, SESC, SENAC E SINDICATOS Studio Bonassa

FOCO NA INTERIORIZAÇÃO SENAC MINAS AMPLIA PRESENÇA NO INTERIOR COM INAUGURAÇÕES E REVITALIZAÇÕES DE UNIDADES

PÁGINA 5

Guilherme Ludwig

JOVENS RECEBEM CAPACITAÇÃO NO PROJETO CHEFS DO AMANHÃ

EX-ALUNOS DA FACULDADE RECONHECIDOS NO MERCADO

PARTICIPAÇÃO ATIVA EM EVENTO DE NEGÓCIOS

PÁGINA 3

PÁGINA 4

PÁGINA 6


2 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

OPINIÃO

Estúdio 53

ULTRAPASSAR FRONTEIRAS WALTER LÚCIO DE SOUZA BASTOS SUPERINTENDENTE DE OPERAÇÕES

Todos os dias nos deparamos com boas notícias a respeito do cenário econômico nacional. A redução do risco-país, o fortalecimento de nossa moeda, a credibilidade que alcançamos no mercado internacional, a elevação do Brasil à condição de sexta maior economia do mundo e, recentemente, a redução da taxa de juros demonstram que, a cada ano, a economia brasileira se solidifica. Em um contexto como esse, é natural que surjam diversas oportunidades de investimentos em setores fundamentais para a manutenção do desenvolvimento social e econômico do país, como é o caso do terciário. E tais investimentos não aparecem somente por questões de oportunidade: são também impulsionados pelo próprio cenário, uma vez que uma economia que cresce é uma economia que gera mais empregos. O Sistema Fecomércio Minas, Sesc, Senac e Sindicatos, portanto, atua como propulsor do desenvolvimento, uma vez que seu principal investimento é feito em pessoas, que, por sua vez, fazem a diferença e estimulam o crescimento econômico. Assim, investir na ampliação da oferta de qualificação profissional se torna algo bastante significativo, já que profissionais bem preparados são trabalhadores que fazem girar a economia. Por isso, um dos nossos pilares institucionais é a interiorização. Assim, estamos fortalecendo as unidades do Senac e ampliando a oferta de

“INVESTIR NA AMPLIAÇÃO DA OFERTA DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL SE TORNA ALGO BASTANTE SIGNIFICATIVO, JÁ QUE PROFISSIONAIS BEM PREPARADOS SÃO TRABALHADORES QUE FAZEM GIRAR A ECONOMIA.” formação profissional para o desenvolvimento e geração de emprego e renda pelo setor terciário em todo o Estado. Estamos investindo no crescimento e na revitalização de diversas unidades, bem como em novos Centros de Formação Profissional, de modo que até o final do ano novas sedes sejam inauguradas no interior e na Grande Belo Horizonte. Nos próximos meses, vários passos serão dados nesse sentido. Após processo de revi-

talização, abriremos para o público em geral um dos importantes espaços pedagógicos do Senac Minas, a Pousada Escola Senac Tiradentes, que também agrega um Restaurante Escola de referência na área, com foco na valorização das culinárias mineira, nacional e internacional. Também passou por reformas a unidade de Patos de Minas, que agora conta com estrutura moderna, acessível e adequada para receber milhares de estudantes. Em Itabira, inauguramos um novo Centro de Formação Profissional, tendo em vista a importância da região e a demanda crescente por trabalhadores qualificados para a atuação no setor terciário. Com isso, o Senac Minas dá passos fundamentais como instituição. Há 66 anos, trabalhamos com foco na preparação de profissionais para um mercado de trabalho que se mostra cada vez mais exigente e competitivo. Ao promover a ampliação da oferta de formação também no interior, além de abrir caminhos para uma mudança de cultura, pela qual se acreditava que o sucesso profissional seria alcançado somente em grandes centros urbanos e capitais, o Senac Minas também contribui para o fortalecimento da economia de outras cidades com grande potencial de crescimento e desenvolvimento. Para a equipe da instituição, é uma honra fazer parte desse trabalho, especialmente quando se voltam os olhos para uma nova era que surgiu e veio para ficar: a das oportunidades.


FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376 • 3

ACONTECE

EM BUSCA DOS

CHEFS DO AMANHÃ Com quatro anos de atividades, o projeto Chefs do Amanhã já se tornou uma realidade em Minas Gerais. A iniciativa, fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Esportes e Juventude (SEEJ), o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), conta agora com o apoio do Senac Minas, por meio do Programa Senac de Gratuidade (PSG). O objetivo é promover a inserção de jovens no mercado de

trabalho, a partir da qualificação. Em 2012, a primeira turma do Chefs do Amanhã teve início em 23 de abril e tem previsão de término para 5 de julho, com 20 alunos. Há outras 40 vagas para novas turmas, a serem realizadas ao longo do ano. As aulas são promovidas na cozinha experimental do Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) e são destinadas a jovens com idades entre 18 e 28 anos, que estejam cursando ou já tenham concluído a educação básica, trabalhadores e desempregados. A captação de participantes é feita pelo CMRR.

AMPLO APRENDIZADO Para Eliene Faustina, que está desempregada, a oportunidade de fazer o curso surgiu em momento muito oportuno. “Eu era vendedora, mas, agora, nem penso em continuar nessa área. A cada dia me surpreendo mais com o curso, é muito mais amplo do que eu imaginava, estou aprendendo muito”, destaca Eliene. Entre os temas trabalhados com os alunos estão a elaboração de pratos básicos, utilizando técnicas específicas de legumeria, açougue e cozinha quente, conceitos e boas

práticas de logística, higiene e manipulação dos alimentos, além de receitas para reaproveitamento de ingredientes, com foco na sustentabilidade. “Os participantes adquirem a formação em auxiliar de cozinha e aqueles que desejarem terão oportunidade de se aperfeiçoar”, explica o coordenador de Hotelaria e Gastronomia do Senac Belo Horizonte, Hans Aichinger. Posteriormente, serão ofertados cursos complementares de pães, roscas e biscoitos; pizzas; preparo de bolos e tortas; entre outros.

PROGRAMA VALORIZA QUALIDADE DE VIDA PARA MELHOR IDADE EM CONTAGEM faculdade”, pontua a auxiliar administrativo do Núcleo de Extensão, Cristina de Souza. A abertura do programa contou com a palestra Envelhecimento saudável, ministrada pela geriatra Alexandra de Araújo Paz, da Rede Assistir – Centro Integrado de Atendimento de Contagem. Houve, ainda, apresentação do grupo teatral do Sesc Laces Contagem. Os idosos presentes também puderam participar das seguintes oficinas: alongamento, confecção de horta suspensa utilizando garrafa pet e sementes, produção de bolsas a partir da reutilização de banners e criação de bijuterias.

Arquivo Senac Minas

Em busca da melhoria da qualidade de vida e da efetivação da cidadania da comunidade de idosos de Contagem, o Núcleo de Extensão da Faculdade Senac Minas, em parceria com o Conselho Municipal do Idoso de Contagem (Comic), lançou o programa GerontoVida. A ação destina-se à valorização da terceira idade e foi apresentada em evento promovido em 16 de maio, na Faculdade. Integrantes dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) de Contagem participam da iniciativa. “Queremos elevar a autoestima e autonomia dessas pessoas, bem como aproximá-las do ambiente da

Participantes confeccionaram bolsas e bijuterias durante o evento

INCLUSÃO DIGITAL EM FOCO O acesso aos meios digitais foi colocado em pauta no seminário Inclusão Digital e Cidadania. O evento, aberto ao público, foi realizado no dia 9 de maio, no auditório da Faculdade Senac Minas, e mobilizou cerca de 64 participantes, entre

empresários, gestores, estudantes e educadores. A discussão abordou diversos temas relacionados à democratização das tecnologias, entre eles a melhoria do cenário social a partir do uso de computadores. De acordo com a coordenadora

do Núcleo de Extensão, Roseane Lisboa, a principal proposta do evento foi aproximar a Faculdade desta temática de grande relevância para a sociedade. Especialistas do ramo da informática e educadores ministraram palestras

diversas. A professora de educação infantil, Arlete de Oliveira, foi uma das participantes. “Acredito que não há idade para promover a democracia nos meios digitais e ela deve ocorrer em todas as áreas da educação”, defende.


4 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

EM FOCO

A FORÇA E O POTENCIAL

DO ENSINO SUPERIOR e capaz de promover transformações no seu contexto social”, destaca o diretor. Com base nas respostas e nos depoimentos dos egressos, foi possível constatar que o ensino superior ofertado pela Faculdade Senac Minas fez diferença na vida profissional dos seus ex-alunos. Exemplo disso é a empresária Vanessa Jardim, diretora da VMI Eventos A ex-aluna Vanessa Jardim com o diretor da Faculdade Senac Minas, Antônio Marcos Souza, e o sócio e marido Eustáquio Jardim e Viagens. No dia 7 de maio, ela foi uma das mineiras de orgulho para a Faculdade ter uma variados gêneros. destaque no XVI Troféu Mulher ex-aluna como Vanessa. Com o Entretanto, a expansão fez Influente. A premiação foi entrepotencial que nós temos, acreVanessa perceber que as habiligue durante a solenidade de comedito que podemos cada vez mais dades e técnicas adquiridas por moração dos 27 anos do jornal formar profissionais de destaque ela ao longo dos anos estavam se MG Turismo, realizada no Hotel como ela”, elogia o diretor. tornando insuficientes para a conMercure BH Lourdes. Vanessa Quando resolveu ingressar dução dos negócios. A partir disso teve sua carreira nos negócios na primeira turma do curso de é que a empresária resolveu invesreconhecida, sucesso que atribui, Administração com Habilitatir em qualificação, retornando em grande parte, ao que aprendeu ção em Administração Hoteleira à sala de aula. “Mesmo fazendo na Faculdade Senac Minas. E, na Faculdade Senac Minas, em parte da primeira turma do curso, durante a premiação, ela teve o 2004, Vanessa Jardim já tinha eu acreditava que era ali que iria aplauso do diretor da instituição, sólida carreira no ramo de evenadquirir uma excelente base acaAntônio Marcos Souza. “É um tos. Tudo começou há 18 anos, dêmica, atribuição que me falquando ela abriu sua primeira tava”, afirma. Segundo Vanessa, empresa de cerimonial, a Silva na Faculdade ela foi “lapidada” e Jardim. Cerca de dois anos depois, aprendeu como ser um profissioo empreendimento tornou-se a nal de ponta. “Minha expectativa VSS Consultoria e Soluções, que em aprender, aliada à qualidade Outros dados mostrados pela pesquisa também foram bastante se expandiu e deu origem à VMI do ensino e ao alto nível dos significativos. Na avaliação do curso, 93% dos egressos consiEventos e Viagens, responsável professores, resultaram em um deraram a graduação boa ou ótima, e 69% foram promovidos por oferecer todos os recursos e aprendizado único, do qual colho em suas funções após a formatura. infraestrutura necessários para a frutos até hoje”, ressalta. realização de eventos dos mais

SUCESSO NO MERCADO

AVALIAÇÃO DOS EX-ALUNOS SOBRE O CURSO REGULAR

NÃO PROMOVIDOS

7% BOM

52%

PERCENTUAL DE PROMOÇÃO APÓS A FORMATURA

ÓTIMO

41%

PROMOVIDOS

31% 69%

Emerson Mordente

Para manter a proximidade entre ex-alunos e a comunidade acadêmica, o Banco de Oportunidades do Senac realizou, no final de 2011, uma pesquisa com alunos da Faculdade Senac Minas que se formaram entre 2007 e 2010. O trabalho foi desenvolvido para avaliar o desempenho da instituição por meio do acompanhamento da vida profissional dos egressos, conhecer o nível de satisfação deles em relação à instituição e se informar sobre a sua situação no mercado de trabalho. De acordo com o diretor da Faculdade Senac Minas, Antônio Marcos Souza, o resultado da ação foi satisfatório para a instituição. A maior parte dos entrevistados conseguiu trabalho na área em menos de um ano após a formatura, somando quase 88%. Além disso, 75,2% declararam que a Faculdade colaborou muito para o seu desenvolvimento profissional e pessoal. “Esse resultado traduz o esforço da gestão institucional, no sentido de se criarem condições efetivas de aprendizagem, numa perspectiva de excelência, para a formação de um cidadão crítico


FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376 • 5

CAPA

INTERIORIZAÇÃO: MAIS

OPORTUNIDADES PARA MINAS GERAIS Shirley Araújo

Studio Bonassa

Em Itabira, o novo prédio tem capacidade para receber 1.350 alunos em três turnos

Espaço pedagógico do Senac Minas em Tiradentes passa a receber visitantes

Um dos pilares de gestão do Senac Minas é a interiorização, que busca ampliar as oportunidades de qualificação no interior de Minas Gerais. Dessa forma, a instituição contribui para a inserção de milhares de pessoas no mercado de trabalho e, consequentemente, para o desenvolvimento socioeconômico do Estado. Foi com essa diretriz que, no dia 16 de maio, o Senac inaugurou suas novas instalações em Itabira. A expansão permitirá à unidade receber até 1.350 alunos em três turnos, quase o dobro da capacidade anterior. “Itabira é um município-polo na região, com um setor terciário dinâmico, e que sempre encontrará no Senac um grande aliado”, afirmou o diretor do Senac Minas, José Carlos

EXPANSÃO Ainda no primeiro semestre, estão previstas outras duas inaugurações: Patos de Minas e Barreiro, em Belo Horizonte. Em Patos, a necessidade de ampliação surgiu com o crescimento da demanda de cidades vizinhas. O diretor escolar Antônio Vasconcelos conta que foram construídas mais seis salas convencionais, sendo uma de estética, um novo laboratório de informática com equipamentos modernos e atualizados, auditório para 60 pessoas e biblioteca. No Barreiro, os diferenciais são localização de fácil acesso, salas maiores, biblioteca, ambientes climatizados e atuação no segmento de Beleza, com o salão-escola. “Dobramos nossa capacidade de

Cirilo da Silva, durante a cerimônia de inauguração. A maior atuação do Senac em Itabira também contribuirá para a inserção da população no mercado de trabalho. “Este novo espaço marca um reposicionamento da unidade, ampliando as possibilidades de cursos ofertados e a abrangência das nossas ações”, explicou o gerente regional Renato Ouverney. De acordo com o diretor escolar Alexandre Siqueira, a unidade possui nove salas convencionais, biblioteca, dois laboratórios de informática, um laboratório de montagem e manutenção de computadores e um de enfermagem. “Os ambientes são climatizados e contam com o padrão de qualidade que caracteriza a atuação do Senac Minas.”

NOVIDADES EM TIRADENTES A partir de junho, também será ampliada a atuação do Senac Minas em Tiradentes. A unidade já existente na cidade histórica foi revitalizada para abertura da Pousada Escola Senac Tiradentes, integrada ao restaurante-escola. A pousada, que era utilizada exclusivamente como espaço pedagógico, passa a receber hóspedes, e o restauranteescola – em funcionamento desde março – expande os horários de atendimento. Alunos e instrutores garantirão a qualidade do serviço. “Os visitantes poderão conhecer o trabalho de capacitação realizado e os estudantes ampliarão o aprendizado prático”, ressalta o gestor de Gastronomia do Senac Minas, chef Edson Puiati.

atendimento e proporcionamos também um ambiente mais confortável para alunos e colaboradores”, destaca o diretor escolar Mário Henrique de Melo. Segundo o coordenador do setor de Engenharia e Arquitetura do Senac Minas, José Roberto Ferreira, além dos investimentos na ampliação dos espaços físicos, em climatização e em equipamentos de ponta, as unidades agora possuem toda a infraestrutura necessária às pessoas com mobilidade reduzida. Isso sem contar a questão da sustentabilidade. “Em Patos de Minas, já temos um reservatório para aproveitamento de água da chuva. O objetivo é implantar ações como essas em todas as unidades”, ressalta.

NOVO CURSO DE HOTELARIA Para o segundo semestre, uma das novidades é o início das atividades da Faculdade de Tecnologia de Barbacena, que ofertará o curso Tecnólogo em Hotelaria. Com duração de dois anos, a formação possibilitará ao aluno exercer o aprendizado prático no Hotel Senac Grogotó, estendendo as possibilidades de atuação nos diversos setores da hotelaria. As aulas serão iniciadas em agosto e há cem vagas semestrais (50 para o turno manhã e 50 para o noturno). As inscrições para o processo seletivo têm início em junho, pelo site www.mg.senac.br/faculdade.


6 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

GIRO

FESTA DO TRABALHADOR EM SETE LAGOAS

tação nutricional, pintura facial para crianças, aferição de pressão arterial e glicemia. Entre outras atividades, o público também pôde conferir apresentações de dança, teatro e de bandas locais, além de se exercitar com as aulas de alongamento e aeróbica. “O evento foi muito bem recebido pela comunidade. Com o sucesso, pretendemos realizá-lo em um espaço maior e atender a até 12 mil pessoas no próximo ano”, antecipa o diretor escolar do Senac Sete Lagoas, Anderson Paulo.

Arquivo Senac Minas

Sete Lagoas recebeu pela primeira vez a Festa do Trabalhador, realizada em 1º de maio. O evento resultou de uma parceria entre Prefeitura de Sete Lagoas/ Secretaria de Cultura e Comunicação Social, Fecomércio Minas, Senac, Sesc, Sindicomércio, Sesi, Sindicato dos Metalúrgicos do município, entre outros apoiadores. Cerca de 3 mil pessoas estiveram presentes à Praça Dom Carmelo Mota. Foram montadas tendas para corte de cabelo, orien-

A tenda para corte de cabelo teve grande procura pelo público

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOS EM PATROCÍNIO

Arquivo Senac Minas

Equipe do Senac Minas no estande da instituição durante o evento

Considerado o maior encontro de negócios entre empresas, instituições e potenciais fornecedores de produtos e serviços de Patrocínio e região, o Mapa da Mina contou, em 2012, com a presença das unidades Senac de Uberlândia, Coromandel e Patos de Minas. Aproximadamente 7 mil pessoas estiveram presentes à terceira edição do evento. Um estande foi montado em parceria com o Sindicato do Comércio Varejista de Patrocínio, no qual o

Senac Minas teve a oportunidade de divulgar cursos. O SenacMóvel de Informática também esteve presente, disponibilizando atividades, e a instituição ainda participou, junto com o Sebrae, das clínicas tecnológicas. Por fim, o gerente regional de operações, Paulo Baratta, ministrou palestra sobre Desafios, frustrações, sucesso: quem pode fazer a diferença?, e a diretora escolar da unidade de Uberlândia, Vanessa Oliveira, falou sobre Escolha profissional: vocação e motivação.

SENAC MINAS LEVA

NOVIDADES À FLIPOÇOS beleza na montagem dos pratos foi ministrada pelo gestor de Gastronomia do Senac Minas, chef Edson Puiati, que também elaborou, no dia 5, uma Paella Mineira, ao ar livre, para aproximadamente cem pessoas. “A ação permitiu o intercâmbio de informações e a orientação técnica e profissional dos presentes”, diz a diretora escolar de Poços de Caldas, Lina Cláudia.

Tatiana Mori

A 7ª Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas (Flipoços), realizada entre 28 de abril e 6 de maio, contou com a participação do Senac Minas. Duas carretas SenacMóvel, de Imagem Pessoal e de Turismo e Hospitalidade, atraíram os visitantes para oficinas de penteados, maquiagem, massagem, técnicas de fotografia e culinária. No dia 4 de maio, a palestra Food design: a

Chef Edson Puiati prepara uma Paella Mineira ao ar livre


FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376 • 7

ENTREVISTA

REFERÊNCIA DE ENSINO EM CONTAGEM E REGIÃO

Estúdio 53

FACULDADE SENAC MINAS OFERECE FORMAÇÃO DE QUALIDADE ALIADA À EDUCAÇÃO COM FOCO NA CIDADANIA

Antônio Marcos Souza, diretor da Faculdade Senac Minas

Com 800 alunos e oito anos de atuação, a Faculdade Senac Minas tem como meta em seu planejamento para 2015 tornar-se um centro universitário e ser referência em escola de gestão em Contagem e região. Nesta edição, você confere a entrevista com o diretor da instituição, Antônio Marcos Souza, sobre o ensino superior no país, como a Faculdade se insere nesse contexto e o que deve ser feito nos próximos três anos para reforçar ainda mais a atuação na região onde está inserida. Como o senhor avalia o atual cenário do ensino superior no país? É um cenário que oferece oportunidades, apesar das ameaças inerentes do ambiente concorrencial. Acredita-se que até 2020 devemos ter uma demanda de 15 milhões de alunos matriculados no ensino superior no Brasil. Atualmente, ainda é baixo o percentual de jovens na educação superior no país: estima-

se que apenas 14% deles, com idades entre 18 e 24 anos, cursem este nível de escolaridade. Outra questão é a dificuldade de acesso ao ensino superior devido a fatores culturais e de financiamento, sobretudo, não obstante a oferta de vagas. Essa é uma constatação que explica o nível de ociosidade na capacidade instalada das instituições de ensino superior no Brasil. Porém, acreditamos que esforços do governo, como o ProUni, o Fies e outras iniciativas, podem reverter esse quadro. Principalmente o Fies, que pode alcançar um patamar de 35% das matrículas. Qual é a importância da Faculdade Senac Minas nesse contexto? A Faculdade conseguiu construir uma trajetória na oferta de ensino superior em seus oito anos de atuação. Temos um planejamento estratégico que projeta para 2015 um conjunto de objetivos apoiados num pilar de estratégias. Uma delas é o Relacionamento; é imprescindível que toda a dinâmica institucional seja balizada por meio dos relacionamentos que a faculdade é capaz de estabelecer com todos os seus públicos. A capacidade de criar e consolidar parcerias interinstitucionais e interface com a sociedade e com o mercado são fatores importantes, uma vez que a instituição possui um papel de relevância na sociedade, tendo em vista que uma das finalidades do processo educacional é a formação para o exercício da cidadania. Outra estratégia é a Tecnologia, aplicada às metodologias de

ensino e processos de gestão, com o intuito de criar processos produtivos de aprendizagem. Outros vetores que irão nos conduzir na efetivação do nosso planejamento até 2015 são Eficiência e Pessoas, no sentido de capacitação e valorização. Com isso, alcançaremos nossos dois alvos estratégicos, que são ser centro universitário e também referência em escola de gestão em Contagem e região. O Senac Minas é uma instituição de referência no que diz respeito à formação profissional. De que maneira a credibilidade alcançada ao longo desses 66 anos também se aplica à Faculdade? Para os nossos alunos, esse reconhecimento é atestado. Trata-se de uma instituição que, ao longo de décadas, vem acompanhando a evolução da educação e do mercado de trabalho no país. Nossa atuação no ensino superior faz parte de um contexto amplo – o Senac Minas trabalha com foco na educação profissional e continuada e, hoje, proporciona todo um itinerário formativo, da capacitação inicial à pósgraduação, em diversas áreas. Quais as principais contribuições que a Faculdade tem trazido para a região metropolitana de Belo Horizonte? A maior contribuição da Faculdade é formar cidadãos em atendimento às demandas de transformação da sociedade, uma sociedade sustentável, ou seja, capaz de promover o desenvolvimento econômi-

co, com justiça social e preservação ambiental. Cerca de 90% dos nossos egressos estão no mercado, e muitos deles são destaque em suas áreas. Qual o perfil dos alunos que a instituição forma? Como o senhor avalia a inserção dos egressos no mercado de trabalho? Cerca de 50% dos nossos alunos têm entre 18 e 35 anos de idade. Destes, 58% são mulheres, e 59%, moradores de Contagem. Em sua maioria, são alunos trabalhadores que vêm de uma formação em escola pública. E mais, a nossa pesquisa de egressos revela aspectos interessantes quanto ao perfil profissional, tais como o índice de empregabilidade, cerca de 90% dos entrevistados estão colocados profissionalmente. Este dado confirma o indicador da pesquisa que realizamos sistematicamente quando os alunos ainda estão cursando o 8º período, cursos bacharéis, e 4º período, curso de tecnologia. E aproximadamente 70% foram promovidos após a titulação com a graduação nos cursos oferecidos pela instituição. Quais os diferenciais do ensino oferecido pela Faculdade Senac Minas? Temos um corpo docente altamente qualificado, composto por mestres e doutores, e uma metodologia que relaciona teoria e prática, numa perspectiva integrada que articula ensino, pesquisa e extensão, ancorando-se no princípio de propiciar ao aluno a oportunidade de aprender a aprender, sempre.

CLIENTE EM DESTAQUE O Senac Minas possui uma metodologia de treinamento prática, positiva e voltada para a realidade de cada órgão. Sua presença na maioria dos municípios mineiros contribui para a interiorização e o desenvolvimento dos servidores do DER/MG. Nossa parceria com o programa Soluções Corporativas promove a capacitação do servidor público e torna o nosso trabalho mais flexível e eficiente no alcance de resultados. Heloísa Pacheco Gerência de Treinamento e Desenvolvimento – Diretoria de Gestão de Pessoas – DER/MG


8 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

APRENDENDO COM O SENAC

DICA DO DESCUBRAMINAS.COM

DOCE MAR DE MINAS Fabiana Coelho

ESTILO DURANTE A GRAVIDEZ

ilustração©estúdio piloto|luiz otávio

Represa de Três Marias atribui beleza ao município e contribui para o seu desenvolvimento

em Andrequicé, distrito de Três Marias. O nome Três Marias, segundo o livro Toponímia de Minas Gerais, de Joaquim Ribeiro Costa, foi dado pelo proprietário de uma antiga fazenda da região, admirador das estrelas da constelação equatorial Orion. Ele nomeou sua fazenda de Três Marias, e também batizou com esse nome suas três filhas. A economia do município gira em torno da pesca, do turismo e da Usina Hidrelétrica de Três Marias, umas das maiores barragens de água do mundo e que fornece energia para 80% da região norte de Minas Gerais.

PROFISSÃO

MODA EM ALTA ilustrador, ou em confecções e indústrias do segmento de vestuário, roupas, calçados e acessórios. Já o Modelista faz a leitura e a interpretação do modelo (desenho/croqui), adequando o molde à ergonomia do corpo e transmitindo conforto e segurança para o cliente. Portanto, é necessário que ele entenda sobre cada tipo de tecido, o seu caimento, comportamento, elasticidade, encolhimento, lavagem, sempre atento às medidas de referência. Os dois cursos têm turmas previstas para o segundo semestre, por meio do Programa Senac de Gratuidade (PSG). Os interessados devem se cadastrar no endereço www.mg.senac.br/programasenacdegratuidade e acompanhar os processos seletivos. enac ivo S

O mercado de moda em Minas Gerais está movimentado, com o aumento do investimento em eventos, como o Minas Trend Preview, em Belo Horizonte, e o FashionMix, em Divinópolis. Aos poucos, as profissões do ramo têm conquistado novos status. O Senac Minas oferece diversos cursos de capacitação na área, entre eles Desenhista de Moda e Modelista. A origem do processo de criação das peças do vestuário é de responsabilidade do Desenhista de Moda. É ele quem faz os croquis e desenhos técnicos dos modelos, utilizando instrumentos, materiais e técnicas específicas. O profissional pode atuar em lojas de tecido, como

Arqu

Uma das principais preocupações das gestantes durante a gravidez é o que vestir. A barriga vai crescendo e, às vezes, elas têm dificuldade em encontrar modelos confortáveis e elegantes ao mesmo tempo. Apesar de ainda restrito, o mercado voltado para as grávidas tem buscado novas tendências. Afinal, elas merecem. Um dos modelos aprovados pelas futuras mamães é a calça jeans com cós em malha, confortável para a barriga. Outras peças curingas são os vestidos, principalmente aqueles justos acima da barriga, chamados de vestidos império, e bem soltos no restante do corpo. As gestantes também podem optar por moldes exclusivos, com tecidos e caimento que se adequam ao formato do corpo e garantem o máximo de conforto. É importante apenas que elas tenham bom senso e escolham modelagens e tecidos que valorizem ainda mais a beleza do corpo em transformação. O segredo é, assim, optar por peças práticas e básicas, confortáveis e bonitas, que possam ser usadas durante toda a gestação. Uma dica para o look não ficar cansativo é abusar de acessórios: colares compridos, pulseiras, brincos ou echarpes coloridas dão toques especiais ao visual.

Não é por acaso que Três Marias, localizada na região central de Minas Gerais, é carinhosamente conhecida por Doce Mar de Minas. Além de tranquila e agradável, a cidade tem uma riqueza natural e única, já que é margeada pelo Rio São Francisco e banhada pelo Rio Três Marias, oferecendo belas praias e ilhas artificiais. A cidade também é privilegiada pelas belezas do cerrado que inspiraram Guimarães Rosa a escrever Grande Sertão: Veredas, sua maior obra. O escritor também criou o personagem Manuelzão, baseado no vaqueiro Manuel, que viveu


SEBRAE

FECOMÉRCIO INFORMATIVO

www.sebraemg.com.br PUBLICAÇÃO MENSAL DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DE MINAS GERAIS - SISTEMA FECOMÉRCIO MINAS, SESC, SENAC E SINDICATOS Sebastião Jacinto Jr.

BH-TEC: MINAS ENTRA NA ECONOMIA CIENTÍFICA Divulgação

O SEBRAE-MG É UM DOS PARCEIROS NA IMPLANTAÇÃO DO PARQUE TECNOLÓGICO DE BELO HORIZONTE PÁGINA 7 CAPITÃO ENÉAS É A PRIMEIRA CIDADE A DETERMINAR MPEs NAS LICITAÇÕES PÚBLICAS

SEBRAE E AMM LEVAM CURSO DE EMPREENDEDORES PARA GESTORES MINEIROS

TIERS 2: FIAT PREMIA FORNECEDORES QUE APLICAM BOAS PRÁTICAS DE PRODUTIVIDADE

PÁGINA 3

PÁGINAS 4 E 5

PÁGINA 6


2 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

PERGUNTE AO ESPECIALISTA

VITRINE,

A ALMA DO NEGÓCIO ANALISTA DESTACA IMPORTÂNCIA DA VITRINE NOS NEGÓCIOS Ronaldo Guimarães

Andreza Capelo Analista do Sebrae-MG

Fecomércio Informativo: Como deve ser a disposição dos produtos numa vitrine, de maneira a atrair o consumidor? Andreza Capelo: A vitrine de uma loja é o primeiro ponto a captar a atenção do consumidor. Mulheres apreciam vitrines imaginando com que outros tipos de peças a loja trabalha, além daquelas. Os homens são ainda mais influenciados pelas vitrines: raramente entram em uma loja que não tenha na vitrine produtos que os atraiam. Quando o cliente não conhece o estabelecimento, o interesse é iniciado pela vitrine. Quando já conhece, a vitrine é um meio para que a loja comunique seus lançamentos, promoções e ações diferenciadas. FI: Como uma loja popular deve fazer sua vitrine? E uma loja de luxo? Andreza: Ambas precisam pensar no consumidor. O consumidor vai às compras buscando solução de problemas, mas também quer uma experiência agradável, que começa no visual da loja. Em uma loja popular, é importante que ao menos uma das peças seja o “hit” do momento.

Os preços precisam estar visíveis, pois são relevantes para que o consumidor entre na loja. Em uma loja de luxo, o cenário é tão importante quanto as peças em si, pois a compra se dará dentro de um contexto de identificação. As pessoas não compram apenas pela necessidade de, por exemplo, se vestir. Compram a sofisticação, a elegância. FI: O que fazer em épocas de promoções? Andreza: Tomar os cuidados com divulgação do preço, apostando no destaque dessa situação especial. O cenário é ainda mais importante. Por exemplo, se a loja pretende mostrar que tem variedade e os preços estão bons, é comum colocar um número maior de peças. Nesse sentido, vale utilizar formas diferenciadas de exposição. Um varal ou arara com várias peças parecidas, em degradê de cores, os manequins bem juntinhos, como

um “pelotão de soldados”, peças dobradas formando uma pirâmide, uma figura ou uma letra. É possível aumentar o número de manequins e criar uma situação, como se estivessem em um happy hour, ou à beira da piscina ou em uma reunião. FI: E a fachada da loja, como deve ser? Andreza: As prefeituras têm regras e leis específicas para a colocação de placas, banners e letreiros. O primeiro passo é verificar junto aos órgãos competentes a legislação a seguir. Em termos de publicidade da marca e da loja, a sinalização é essencial. A fachada pode potencializar ou aniquilar a força da vitrine. Algumas dicas básicas: escolha

bem a informação que fará parte da placa. Geralmente, nome, telefone e site ou e-mail são o suficiente. Pense sua placa como um outdoor. Se houver mais de sete palavras, os motoristas e passageiros dos veículos não conseguem ler. Tudo o que as pessoas precisam lembrar mais tarde é o seu nome. Evite a combinação vermelho e verde. Parte da população tem dificuldade em separar essas cores, vão enxergar borrões. O ideal é contar com um profissional da área que possa otimizar seu investimento, destacando sua loja. Depois de todos esses cuidados, invista no atendimento. É ele que vai encantar o cliente e garantir sua volta.


FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376 • 3

LEI GERAL

CAPITÃO ENÉAS

COMPRA EM CASA E VIRA HISTÓRIA

CIDADE É A PRIMEIRA A DETERMINAR MPEs EM OBRAS PÚBLICAS Divulgação

A cidade de Capitão Enéas, no Norte mineiro, 15 mil habitantes, a 470 quilômetros da capital, é a primeira de Minas a estabelecer, em editais de licitação, a subcontratação de micro e pequenas empresas (MPEs) locais para obras no município. A parcela deve ser de 30% em cada obra. “Este item consta na Lei Geral desde 2006, mas nenhum município o colocara em prática”, diz o analista do Sebrae-MG Felipe Ansaloni. A decisão da Prefeitura partiu de um trabalho desenvolvido com o Sebrae-MG, iniciado em 2007 e fortalecido em 2009, quando da implantação da Lei Geral das Micro e Pequenas empresas no município. Naquele ano, as compras da prefeitura no comércio local saltaram de pouco mais de R$100 mil para R$5 milhões. “A participação do Sebrae neste processo foi fundamental. Sem ele, tudo seria muito difícil”, afirma o prefeito Reinaldo Landulfo Teixeira. Os técnicos do Sebrae desenvolveram cursos na cidade, como o de Compras Governamentais, em que os comerciantes aprenderam o bêá-bá de negociação com o governo. A Prefeitura, então, implantou uma série de medidas para conquistar a confiança geral: reativou a Associação Comercial e Industrial, re-

Capitão Enéas: obras públicas têm que ter MPEs nas licitações

formulou-se administrativamente, concentrou 70% das compras no próprio município, criou a feira livre. Além disso, atraiu duas grandes indústrias – Rima (produtos metálicos) e Marluvas (calçados profissionais) –, que abrigam mais de mil empregos diretos. Nas obras públicas, o calçamento de vias e a construção de 50 casas populares.

Hoje, a pequena Capitão Enéas orgulha-se do seu padrão de vida – 80% das pessoas afirmam que gostam de viver ali e muitos que saíram estão de volta. Em 2008, no programa Fome Zero, foi considerada a melhor merenda escolar de Minas. A receita deste sucesso, segundo o prefeito Teixeira, é simples: “Planejamento, trabalho, determinação e, acima de tudo, vontade política.”

O prefeito Reinaldo Teixeira inscreveu-se em duas categorias – Compras Públicas dos Pequenos Negócios e Lei Geral Municipal –, no Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor/2012. E venceu em ambas. A consagração nacional aconteceu na noite de 15 de maio, em Brasília, no encerramento do Prêmio. Engenheiro Civil e Mecânico, com mestrado em Gestão Ambiental na Espanha, Teixeira, 53 anos, casado, três filhos, está terminando o segundo mandato em Capitão Enéas. Nos seus quase oito anos de governo, estimulou a participação dos fornecedores da terra

nas licitações da Prefeitura, inclusive de autônomos que se formalizaram como Empreendedores Individuais (EIs). “O prêmio mostrou que somos capazes de mudar uma realidade, seja qual for o tamanho do município”, afirma. O Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor objetiva valorizar administradores municipais que implementam ou incluem projetos e ações que beneficiam MPEs nos planos de governo. A iniciativa é apoiada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e Associação Brasileira de Municípios (ABM).

Divulgação

UM PREFEITO DUAS VEZES EMPREENDEDOR

Reinaldo Teixeira ganhou dois prêmios no Prefeito Empreendedor


4 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

CONVÊNIO

GESTÃO PÚBLICA, MPEs NA PAUTA

DAS PREFEITURAS CONVÊNIO SEBRAE-AMM VISA TODOS OS MUNICÍPIOS MINEIROS Divulgação

Autoridades das três esferas de governo prestigiaram o Congresso

O Sebrae-MG e a Associação Mineira de Muni-

O diretor lembrou que, graças ao empenho da

tende inseri-lo na sua Universidade Corporativa”,

cípios (AMM) assinaram convênio para a realização

equipe do Sebrae-MG, cerca de metade daqueles

explica a gerente da Unidade de Políticas Públicas

do programa de Gestão Pública Empreendedora, que

853 municípios mineiros já têm implantada a Lei

do Sebrae-MG, Nair Andrade.

será destinado às 853 cidades de Minas. As assinatu-

Geral da Micro e Pequena Empresa, que desobstrui

Além de prefeitos, vereadores, técnicos e asses-

ras aconteceram em maio, no 29º Congresso Mineiro

a burocracia e favorece o empreendedorismo. E é

sores municipais, o Congresso da AMM destinou-

de Municípios, ocorrido em Belo Horizonte. “Quan-

com vistas neste público que o convênio foi assi-

se aos governos municipal, estadual e federal, em-

do trabalhamos na formação do agente público mu-

nado, com 15 cursos em áreas diversas (sustenta-

presas, entidades públicas e privadas. Em paralelo,

nicipal, estamos cuidando da capacitação das micro e

bilidade, mercado, tributação, desburocratização

foi também desenvolvida a “Feira para o Desen-

pequenas empresas (MPEs), uma vez que colocamos

etc.). “Caberá a nós constituirmos a metodologia do

volvimento dos Municípios”, que reuniu cerca de

estas organizações, que representam 99% do mundo

curso, o que faremos neste ano, em 2013 e 2014,

120 expositores interessados em negócios, como

empresarial, na pauta das prefeituras”, destacou o di-

vamos desenvolvê-lo junto aos gestores dos mu-

a Iveco, Volkswagen, Belotur, IBGE, Diefra, entre

retor superintendente do Sebrae-MG, Afonso Rocha.

nicípios mineiros. Depois, o Sebrae Nacional pre-

outros. Divulgação

Divulgação

Afonso Rocha, do Sebrae: “Micro e pequenas empresas na pauta das prefeituras”

Prefeitos e políticos se encontram no 29o. Congresso Mineiro de Municípios


FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376 • 5

CONVÊNIO

O SEBRAE NO ICLEI 2012 O SEBRAE-MG, UMA DAS INSTITUIÇÕES APOIADORAS DO ICLEI 2012, APRESENTARÁ TRÊS CASES NO FÓRUM LIXO NO CAMPO Em 2010 foi realizado um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos em Meio Rural (Urban Nature), em Araxá, região do Alto Paranaíba. O diagnóstico detectou quatro questões principais, já com as propostas de soluções: descarte inadequado de embalagens de agrotóxicos e a solução - aumento de postos de coleta; lixo agrícola, utilizado como fertilizante; resíduos da atividade pecuária, correta disposição do solo e lixo doméstico, coleta e reciclagem. Hoje, Araxá tem coleta seletiva em 100% da área urbana; existem duas associações e uma cooperativa de catadores, já estruturadas; há o efetivo envolvimento da população e dois parceiros importantes - Prefeitura e Capal (cooperativa de leite e café).

CULTURA EMPREENDEDORA No ano passado, o programa foi desenvolvido em 21 municípios mineiros. A idéia é capacitar docentes e, através deles, alcançar os alunos, propiciando-lhes o contato com o empreendedorismo desde o ensino básico. Participaram cerca de 1.500 professores, membros de equipes pedagógicas e diretores de escolas, em um universo presumível de 10 mil estudantes do ensino fundamental. No total, 67,9% conseguiram aplicar o programa junto aos alunos e 100% afirmaram que o indicariam para outras escolas. COMPRAS GOVERNAMENTAIS Em 2007, apenas 6% das compras junto ao governo era praticado pelas micro e pe-

quenas empresas (MPEs), índice que saltou para 46% já no primeiro semestre de 2011. Cerca de R$ 300 bilhões são gastos anualmente em compras governamentais. Em Minas, o governo estadual comprou, em 2010, R$ 4,6 bilhões, sendo R$ 414 milhões somente das micro e pequenas empresas (MPE). Em 2012 a participação das MPEs deve ser ainda maior, uma vez que todas as licitações de órgãos públicos estaduais de até R$ 80 mil serão exclusivas para os pequenos negócios. Esse tratamento diferenciado é garantido pela Lei Geral da Microempresa, Empresa de Pequeno Porte e Microempreendedor Individual.

SEBRAE E SENAC LANÇAM PÓS-GRADUAÇÃO O Sebrae-MG, em parceria com o Senac Minas, lança o curso de Especialização em Gestão e Consultoria Empresarial para MPEs (micro e pequenas empresas). Com status de pós-graduação, o curso é voltado para contadores e profissionais graduados em áreas como administração, economia e outras, interessados em aprimorar as habilidades consultivas em gestão empresarial. “O Programa disponibiliza conhecimentos e ferramentas capazes de habilitar o profissional a exercer uma atividade diferenciada, voltada para a gestão empresarial”, diz a analista técnica do Sebrae-MG, Andrelina Farati. A pós-graduação abrange disciplinas como: gestão estratégica, cooperação e trabalho em rede, gestão de pessoas, tecnologia e informação, análise de viabilidade econômico-financeira. A atividade terá duração de um ano e três meses e carga horária de 360 horas.

O curso será integrado ao programa Contabilizando o Sucesso, lançado pelo Sebrae-MG há 13 anos. O programa oferece ao contabilista instrumentos para auxiliar os clientes – a maioria micro e pequenas empresas - na melhoria da gestão dos negócios. Maiores informações podem ser obtidas pelo site www.sebraemg.com.br e pelo telefone do Senac, 0800 724 4440. MÉTODO NACIONAL Há nove anos a metodologia do SebraeMG foi nacionalizada e hoje está disponível em todo o país. O Contabilizando o Suces-

so tem duração de 282 horas, realizado em forma presencial pelo Sebrae-MG, e é pré-requisito para a Especialização em Gestão e Consultoria Empresarial para MPEs. O profissional que optar por esta modalidade terá uma carga horária adicional de 78 horas, realizada pelo Senac Minas no modelo de ensino a distância (EAD). O Programa propicia atuação em aspectos como: aperfeiçoamento do modelo de administração; aumento de competitividade; elevação da qualidade de produtos/serviços; geração de novos empregos; desenvolvimento do associativismo; participação em redes diversas; aumento da competitividade e do ciclo de vida empresarial.


6 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

QUALIDADE INDUSTRIAL

PRÊMIO AOS FORNECEDORES

DOS FORNECEDORES OS TIERS 2 PARTICIPAM DE TREINAMENTO E GANHAM RECONHECIMENTO Ronaldo Guimarães

Pessoal da Ciser (de camisas brancas) recebe troféu, já como fornecedor Tier 1

cado consumidor de veículos do mundo (foram vendidas 3,6 milhões de unidades em 2011), mas ainda é o sétimo maior produtor (3,4 milhões de veículos fabricados em 2011). “Está aí uma grande razão para que mais indústrias venham para o Academia Lean, há um mercado enorme a explorar”, concluiu. COMPROMETIDAS COM A QUALIDADE Agraciados com troféus, e agora valorizados como organizações comprometidas com a qualidade em seus processos produtivos, estes são

oito fornecedores dos fornecedores Fiat que concluíram com sucesso a primeira edição do Academia Lean Tiers 2, todos instalados próximo à capital mineira: Almig Prestadora de Serviços (Mateus Leme); Usilider Usinagem (Sete Lagoas); Partner Rubber Indústria e Ferrolene Ind. Com. Metais (Contagem); GB Plast, K-jet e Isoespuma (Belo Horizonte). A oitava empresa – Ciser Nedschroef Fixadores Automotivos, de Sarzedo – subiu de patamar: em fevereiro, tornou-se Tier 1 do Grupo Fiat. Ronaldo Guimarães

Oito fornecedores da segunda linha de produção da Fiat, os Tiers 2, micro e pequenas empresas (MPEs) integrantes do Projeto de Capacitação de Fornecedores do Sebrae-MG, foram reconhecidos como empresas que aplicam as melhores práticas de produtividade e qualidade nos seus processos produtivos. Elas cumpriram com êxito as tarefas do Academia Lean. Academia Lean é um programa de treinamento aplicado pelo Grupo Fiat, desde 2009, aos seus fornecedores da primeira linha, chamados de Tiers 1. Por sugestão do Sebrae-MG, a montadora decidiu, no ano passado, desenvolver um programa também para os fornecedores da segunda linha, os Tiers 2 (fornecedores dos fornecedores). Nesta primeira edição, 11 MPEs se inscreveram e oito delas cumpriram todo o programa. “Os desempenhos foram tão positivos que, pela primeira vez, premiamos as empresas, e já temos agendado o próximo curso”, assinalou a analista da instituição, Denise Fernandes de Andrade Duarte. “O trabalho do Academia Lean é notável. O curso prega a qualidade, que é ferramenta fundamental para nossas atividades. A participação do Sebrae só veio contribuir para nos tornarmos mais competitivos”, destacou o vice-presidente do Grupo Fiat Chrysler América Latina, Valentino Rizzioli. Se a cúpula da montadora aprovou o Academia Lean para os Tiers 2, o Sebrae-MG, como proponente da atividade, mostrou-se satisfeito com os resultados. “Foi realmente uma parceria extremamente positiva, que uniu a expertise do Sebrae com a excelência da Fiat”, concordou o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-MG, Lázaro Luiz Gonzaga. O balanço final desta primeira edição comprova a utilidade do treinamento: no cômputo geral, verificaram-se médias bastante animadoras: 71% de redução nas perdas e ganho de 44% em produtividade. Os dados foram mostrados pelo gerente de Otimização do Valor do Produto e Desenvolvimento dos Fornecedores Fiat Chrysler, José Francisco Maciel Romero, que fez uma explanação acerca da situação atual do mercado automobilístico. O Brasil é o quarto maior mer-

A GB Plast também foi premiada durante o evento


FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376 • 7

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

BELO HORIZONTE GANHA

PARQUE TECNOLÓGICO

BH-TEC

IMPLANTADO AO LADO DA UFMG, BH-TEC É APOIADO PELO SEBRAE-MG Sebastião Jacinto Jr.

vai consumir, nos próximos anos, cerca de R$600 milhões. O parque será implementado em etapas e terá sua estrutura imobiliária financiada, em grande parte, por investidores privados, selecionados por licitações. O Sebrae participa dos estudos para a estruturação do negócio. Na visão do reitor da UFMG, Clélio Campolina Diniz, o Sebrae desempenha, “com muita propriedade, a interface entre o público e o privado”.

Autoridades descerram a placa de inauguração do BH-Tec

Sebastião Jacinto Jr.

O Sebrae-MG é um dos parceiros na implantação do Parque Tecnológico de Belo Horizonte – o BH-Tec –, inaugurado em maio deste ano. Trata-se de um condomínio para abrigar atividades de pesquisa e desenvolvimento destinadas a acelerar a inovação tecnológica nas empresas. “Estamos diante de algo que será decisivo para a nossa história. Minas entra de vez na economia científica”, assinalou o governador do estado, Antonio Anastasia. O BH-Tec foi erguido em terreno anexo ao campus da UFMG, no bairro Engenho Nogueira, região da Pampulha. São 556 mil m2 de área, sendo 185 mil m2 de lotes para construções e

empreendimentos, a chamada Zona de Grandes Equipamentos (ZPE), e os outros 371 mil m2 de preservação ambiental, onde estão incluídas as Áreas de Proteção Permanente (APP) do Córrego do Mergulhão e suas margens. O Parque Tecnológico recebeu investimentos de R$65 milhões e abrigará empresas das áreas de Ciências da Vida (biotecnologia, saúde humana e animal), tecnologia da informação e comunicação, de materiais e processos, ambientais, de entretenimento e cultura e energias alternativas. Ao todo, serão gerados 300 empregos especializados. Para sua completa implantação, o BH-Tec

PARQUES DE TECNOLOGIA PELAS MINAS GERAIS Um parque tecnológico compreende área física delimitada, urbanizada e apta a atender empresas de tecnologia que se estabelecem próximos a universidades ou centros de pesquisa. A ideia é aproveitar a capacidade científica e técnica dos pesquisadores e de seus laboratórios. O grande propósito é aumentar o bemestar da comunidade e promover a cultura da inovação e da competitividade de empresas e instituições. Por isso, os parques tecnológicos são investimentos de longo prazo. Minas Gerais, por sua vocação de estado empreendedor, e pela eficiência de alguns conceituados centros de excelência, vai ganhar, além do BH-Tec e do de Viçosa (na Zona da Mata, inaugurado em 2011), mais quatro parques tecnológicos, nas cidades de Itajubá, Juiz de Fora, Lavras e Uberaba.

EMPRESAS SEDIADAS NO BH-TEC 1. Automação Telecomunicação e Informática Ltda.

2. Curupira S.A. 3. Ecovec Biotecnologia para a Vida. 4. Embraer S.A. 5. Handcrafted Technologies. 6. Instituto para o Desenvolvimento de Empresas de Base Tecnológica Ltda.

7. iVision Sistemas de Imagem e Visão S.A. 8. Laboratório de Desenv. Farmacêutico. BH-Tec, um condomínio para atividades de pesquisa

9. Labtest Diagnósticos S.A. 10. Neocontrol Soluções em Automação Ltda.

11. Omnimed Ltda. 12. Samba Mobile Multimidia S.A. 13. Siteware Soluções S/C Ltda. 14. STA Engenharia Ltda. 15. WayCarbon Soluções Ambientais e

Projetos de Carbono Ltda.

16. Zunnit Tecnologia Ltda.


8 • FECOMÉRCIO INFORMATIVO • EDIÇÃO 376

PONTO DE PARTIDA

FÁBRICA DE PÃO DE QUEIJO Henry Yu

Por ser um produto bastante aceito no mercado brasileiro (há também países que o importam), abrir uma fábrica de pão de queijo é um bom investimento. Contudo, é fundamental investir continuamente em máquinas, equipamentos e processos produtivos cada vez melhores, que visem sempre a qualidade do produto, tão procurada pelos consumidores. É também recomendável que o empreendedor procure ajuda de profissionais que forneçam orientação específica sobre o produto, os processos, as matérias-primas e os equipamentos utilizados na fabricação. CONCORRÊNCIA Há grandes fabricantes no mercado. Para se diferenciar, é preciso apostar na diversificação da produção, no desenvolvimento de produtos com sabores diversos como bacon, camarão, frango, pizza. Pode-se também apostar em sabores com temperos exóticos e embalagens diferenciadas, com design atraente, que valorizem o produto.

midor. O queijo deve ter textura adequada para o ralamento; sem sabor de ranço, mofo ou sabão; ser de boa procedência e estar dentro da data de validade; livre de microorganismos contaminantes; estar sem trincas, perfurações ou sujidades, como mosca, cabelo, etc. Sal – deve ser acrescentado na dose exata, pois ele é determinante no sabor do produto. Lipídeos – são os óleos, banhas, margarinas, gordura vegetal hidrogenada, etc. Em virtude da grande quantidade de lipídeos utilizados na formulação do pão de queijo, é interessante o uso de gorduras com menor teor de colesterol. EQUIPAMENTOS, PRODUTOS E SERVIÇOS É importante escolher os equipamentos que possuírem o melhor custo-benefício, com qualidade desejável e preço acessível:

Amassadeira, balanças, batedeira, dosador, embalagem para congelados, fogões industriais, fornos, peneiras, ralador, sistema de refrigeração. Divulgação

MATÉRIAS-PRIMAS Algumas matérias-primas indispensáveis na fabricação de pão de queijo: Água – importante para hidratação e gelatinização do amido e, por isso, deve ser potável e livre de contaminações. Sua quantidade na mistura depende do tipo de polvilho. Conservantes – estabilizantes químicos que conservam o produto por mais tempo. Leite – precisa ser pasteurizado ou esterilizado. Ovos – devem ser frescos e ter suas cascas higienizadas. O armazenamento deve precisa ser feito em local seco e arejado. Polvilho – para que os pães de queijo sejam de qualidade, visualmente atraentes, saborosos e com boa estabilidade no congelamento, deve ser utilizada fécula com polvilho azedo. Queijo minas curado ou parmesão – é de fundamental importância, pois influencia os aspectos visual e olfativo do produto, bastante observados pelo consu-

Ed.376 - JUN/2012 - Jornal Fecomércio Informativo  

Edição de junho do Jornal Fecomércio Informativo.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you