__MAIN_TEXT__

Page 1

ASSOCIAR +

INFORMAÇÃO JUVENIL

FEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES JUVENIS DO DISTRITO DO PORTO

ENTREVISTA COM

LUÍSA SALGUEIRO PRESIDENTE DA CM MATOSINHOS

TOMADA DE POSSE DOS NOVOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA FAJDP NOVO PLANO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DO PORTO COM O APOIO DE:


ÍNDICE

03 04 06

03

EDITORIAL REPORTAGEM Tomada de Posse

CASA DAS ASSOCIAÇÕES CAPACITA.TE - BOOTCAMP ASSOCI@R

07

MONITOR DE POLÍTICAS AUTÁRQUICAS

08

ENTREVISTA

10 12

ASSOCIAÇÕES JUVENIS DO DISTRITO DO PORTO

13 14

EDITORIAL

Luísa Salgueiro

ARTIGO DE OPINIÃO

Rafael Vaz

ASSUNTOS DE INTERESSE ESPECIAL

Reunião do Ninho em Rede Plano Municipal da Juventude do Porto

FICHA TÉCNICA Coordeenação: Marco Santos Direção de Conteúdos - Marco Santos Colaboradores de Texto - Marco Santos, Gonçalo Alves, Ana Carreira, Léa Oliveira, Rafael Vaz e Cláudia Ferreira. Investigação - Cláudia Ferreira, Léa Oliveira e Ana Carreira Grafismo - Sara Silva Imagem - Sara Silva

REVISTA ASSOCIAR+ POR:

FAJDP

FEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES JUVENIS DO DISTRITO DO PORTO

info@fajdp.pt casadasassociações@fajdp.pt

Marco Santos Presidente da FAJDP Quarentena? A juventude diz presente! O futuro desafia-nos de uma forma extraordinária. As adversidades de curto prazo são ainda incalculáveis e o monstro que nos assombra está longe de dar tréguas definitivas. Viver na incerteza é uma sensação indesejável e que assombra especialmente a classe etária socioeconomicamente menos consolidada – os/ as jovens. Ainda assim, a juventude, enquanto ativo mais promissor da sociedade, disse presente e é fundamental que ninguém se esqueça disso. No entanto, as lembranças da mais recente crise financeira relatam exatamente isso: o desemprego jovem atingiu máximos históricos, a precariedade e a inconsistência laboral dispararam e a emancipação jovem tornou-se mais tardia. Mas mesmo conscientes do cenário futuro estamos a responder de forma exemplar e sem limites. No nosso distrito são várias dezenas de associações a trabalhar diariamente e a assumir a responsabilidade de colaborar com as suas populações nesta fase difícil. A FAJDP foi também pioneira ao lançar a campanha “Quarentena Associativa – O Associativismo Juvenil em movimento” que visa estimular a criação e a partilha das atividades realizadas e a realizar pelas nossas associações, alargando o alcance das mesmas. Todos estamos de parabéns, sem exceções! Mas permitam-me uma palavra especial àqueles que, em pleno momento de confinamento total, saíram de casa e arriscaram a sua vida (e a dos seus!) em prol daqueles que fazem parte de grupos de risco. São a nossa “linha da frente”. Termino, por isso, reiterando que assim que iniciarmos o período de recuperação não podemos deixar ninguém para trás, muito menos aqueles que fizeram esforços adicionais neste duro combate. Sim, não se esqueçam da juventude. Saudações (à distância) juvenis!


04

REPORTAGEM

~~ Tomada de Posse dos novos Órgãos Sociais da FAJDP A FAJDP – Federação das Associações Juvenis do Distrito do Porto iniciou e celebrou um novo ciclo de vida, na sequência da tomada de posse dos Órgãos Sociais para os próximos dois anos, através da realização de um jantar que decorreu no dia 14 de Junho na Fundação AEP, com a presença de 50 convidados. Enquanto instituição representativa das associações juvenis do distrito do Porto, a FAJDP revela, neste novo mandato, o compromisso de continuidade de vários projetos e iniciativas de diversos âmbitos, em prol do associativismo juvenil. E não só! O jantar contou com a presença de vários convidados institucionais, entre eles o Diretor Regional do Norte do IPDJ – Dr. Vítor Dias, o Adjunto da Sra. Vereadora da Juventude da CM Porto – Dr. Diogo Meireles, bem como a Chefe de Divisão da Juventude do município – Dra. Eugénia Magalhães e a vogal da FNAJ – Cátia Fradique. O jantar também contou com a presença dos sócios honorários e de muitos dirigentes associativos.

Momentos antes da tomada de posse dos novos Órgãos Sociais, era notório o sentimento de confraternização e amizade entre os presentes, reconhecendo o trabalho da FAJDP em prol do associativismo e da juventude. Era unânime o reconhecimento da federação enquanto agente de defesa e promoção da participação cívica, das políticas da juventude, do voluntariado, da mobilidade internacional, da educação não formal, e, claro, do movimento associativo juvenil. Findado o período da refeição, iniciou-se o momento da tomada de posse dos novos órgãos sociais. O momento teve início com uma emocionada passagem de pastas entre Júlio Oliveira e Filipe Lima, ex e atual presidente da Assembleia Geral da FAJDP, respetivamente. Filipe Lima tomou posse e expressou as grandes memórias e ensinamentos que levará do movimento associativo, agradecendo a todos/as que o acompanharam nos últimos anos. De seguida deu posse aos restantes elementos dos Órgãos Sociais. Assim, Marco Santos, recém-empossado presidente da direção, começou por enaltecer e homenagear

FOTO


REPORTAGEM

dois grandes dirigentes do distrito. Primeiramente, agradeceu a Júlio Oliveira “pelo espírito empreendedor, disponibilidade e contributo para o engrandecimento do movimento associativo em Portugal” no momento em que este cessou funções na presidência da Assembleia Geral e se despediu dos órgãos sociais da FAJDP. Posteriormente dirigiu-se a Filipe Lima – anterior presidente da FAJDP – pela sua “dedicação, determinação e amor à causa associativa” reforçando que o mesmo é “um verdadeiro exemplo e escola para todos, em especial para mim”, enquanto aproveitou para reiterar que o associativismo é feito de pessoas e para pessoas. Houve também espaço para um agradecimento a todos as filiadas que lhe confiaram a sua eleição, bem como a todos/as os/

05

as colegas dos órgãos sociais por terem aceitado o desafio. No discurso de tomada de posse ficou ainda definido o compromisso desta nova equipa em reforçar e aproximar as ligações com as associações juvenis do distrito, envolvendo todas, sem exceção, nas atividades federativas. Nesse sentido, ficou claro que iniciará no ano de 2020 um Roteiro Associativo pelo distrito, bem como um Roteiro Autárquico com a finalidade de expandir o movimento e criar novas oportunidades para as associações e para a juventude no geral. O novo presidente da Direção referiu ainda que urge a necessidade de equacionar a realização de um grande evento representativo da força do tecido associativo no distrito.

Assembleia Geral

Conselho Fiscal

Presidente - Joaquim Lima - ATSVL Matosinhos

Presidente - Ana Valente - CS C+S Lavra

Vice-Presidente - Luciana Silva - Wish Ferreirinha

Vice-Presidente - Agostinho Barros - UD Estrelas de Rio Mau

Secretária - Vânia Gonçalves - Ass. Kung Fu da Póvoa do Varzim

Secretária - Sandra Vieira - Associação Cura+

Direção Presidente - Marco Santos - Onda Verde Vice-Presidente - Patrícia Santos - Vai Avante Secretária - Mariana Dias - ATSVL Matosinhos Vogal - Rui Mendes - EcoClubes Vogal - Gonçalo Alves - Salta Fronteiras Suplente - Rita Tomaz - Ethos Pathos Logos Suplente - Rita Alves - Roda Viva

Comissão Distrital Direção

Presidente - Lídia Ferreira - Vai Avante Conselheiro - António Moreira - Canoagem Vale do Sousa Conselheiro - Sérgio Ferraz - GD Regufe Conselheiro - Gonçalo Lages - NJAP Conselheiro - Daniel Freitas - Abrigo Seguro

FOTO

Conselheiro - Bernardino Ribeiro - Milénio Jovem Conselheiro - Vanessa Mendes - Salta Fronteiras Conselheiro - Daniel Ferreira - ATSVL Matosinhos Conselheiro - Elisabete Rocha - UD Estrelas de Rio Mau Conselheiro - Carlos Ferreira - GeoClube


06

CASA DAS ASSOCIAÇÕES

BOOTCAMP O projeto Associ@r enquadra-se numa parceria da FAJDP com a Câmara Municipal de Matosinhos, concretamente, com a Divisão da Juventude. Este comtempla um plano local de capacitação, com o intuito de melhorar as aptidões e competências dos jovens e, em particular, dos jovens dirigentes associativos, do município de Matosinhos. O plano compreende duas componentes. A primeira prende-se com oficinas de capacitação, realizadas na Casa da Juventude de Matosinhos, que procuram ir encontro das principais dificuldades sentidas pelos dirigentes associativos. Foram realizadas 10 ações de capacitação, desde 2019, entre as quais se pode destacar a gestão associativa, contabilidade e fiscalidade associativa (com duas edições), fontes de financiamento e gestão de plataformas digitais, que tiveram grande adesão entre as associações daquele município, nomeadamente das associações de solidariedade social, das associações culturais e das associações desportivas. A outra componente preconiza o associativismo como ferramenta de dinamização comunitária, concretizando-se através de sessões nas escolas com o intuito de incentivar a participação cívica e promover o associativismo juvenil. Neste sentido, já foram dinamizadas duas sessões, que procuraram dotar os participantes de ferramentas para a criação de projetos ou mesmo de uma associação juvenil.

Nos passados dias 4 a 6 de outubro de 2019 em Amarante, a FAJDP em parceria com a Câmara Municipal do Porto, através da Divisão Municipal da Juventude, realizou mais um Capacita-te Bootcamp no âmbito do seu plano de capacitação de jovens e dirigentes associativos, cujo objetivo é melhorar as aptidões e competências dos jovens em geral e dos dirigentes associativos em particular, utilizando ferramentas de Educação não formal. Este projeto tem como grupo alvo os dirigentes das associações juvenis, das associações de estudantes do ensino secundário, das associações de estudantes do ensino superior e jovens em geral. Este ano, o Bootcmap teve como objetivos dotar os participantes com as ferramentas essenciais para a criação, gestão e financiamento de uma associação juvenil, potenciar a criação de sinergias e parcerias entre os participantes e as organizações presentes, assim como partilhar experiências e conhecimento entre os dirigentes associativos mais conhecedores e os jovens que estão a iniciar o seu percurso no movimento associativo. Contou com o apoio da Câmara Municipal de Amarante, a Casa da Juventude de Amarante e de algumas organizações e associações locais.


08

ENTREVISTA

Luísa Salgueiro Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos 1- Que balanço faz do seu trabalho? A área da 2- Quais as expetativas que tem para o Pelouro da juventude é uma prioridade deste atual executivo? Juventude? Durante anos integrei o Conselho Consultivo da Juventude e durante outros tantos fui vereadora do Pelouro da Juventude e, nessa condição, sempre procurei juntar em torno deste projeto todos os que manifestam interesse em participar. Sem excluir ninguém. Com a ideia firme de contribuir para um quotidiano melhor utilizando como armas a imaginação e a ousadia, temos vindo a demonstrar, com a nossa ação e perseverança, que somos capazes de olhar para os jovens sem preconceitos ou rótulos, de acordo com as suas necessidades concretas, privilegiando novos eixos de intervenção como a diversidade, descentralização e dinamização. Deste modo, a política municipal assume-se como uma estrutura de chapéu, ou seja, como uma entidade destinada a dinamizar ações e a potenciar aquilo que já existe e a fornecer as melhores condições de atuação possíveis às entidades locais emergentes. Tendemos a considerar que a juventude está desconectada da comunidade, mas não é verdade. As instituições assumem um formalismo e linguagem que não consegue captar os mais jovens, que encontram novas formas de participação e intervenção. As instituições devem adaptar-se para responder de forma eficaz às novas gerações porque somos nós que devemos ir ao seu encontro.

Procedeu-se no ano de 2018 à estruturação de um documento que se considera constituir um importante ponto de partida para a construção do Plano Municipal de Juventude de Matosinhos, onde são identificados os pilares de intervenção, objetivos e ações estratégicas, perspetivando uma estratégia concertada e articulada ao nível das diversas áreas de intervenção municipal, mas também dos agentes locais. Adicionalmente pretendo reforçar o pilar da emancipação juvenil e participação cívica, sobretudo no seio do Conselho Municipal de Juventude. Para além das habituais atividades, tem sido disponibilizada verba para que o Conselho possa propor e realizar iniciativas por si decididas. Julgo que este é um bom mecanismo para promover a consciência cívica e o envolvimento dos jovens nas decisões da comunidade. 3- Quais as oportunidades que a CM Matosinhos tem ao dispor para os seus jovens? Inserido num modelo de intervenção com jovens no espaço urbano, o município de Matosinhos propôsse ao longo dos últimos anos estabelecer como eixo prioritário uma maior proximidade e adequação das suas linhas de atuação e intervenção às reais necessidades e expetativas das camadas mais jovens da população. Dando cumprimento a esta premissa, disponibiliza

“Pela primeira vez Matosinhos estrutura um Plano Municipal de Capacitação Associativa, em domínios tão relevantes como as Fontes de Financiamento, contabilidade e fiscalidade associativa, gestão associativa e desenvolvimento de projetos.”


ENTREVISTA

09

das suas linhas de atuação e intervenção às reais pela realização de dois workshops associativismo: necessidades e expetativas das camadas mais jovens “Ferramenta de Dinamização Comunitária” e oito da população. Dando cumprimento a esta premissa, ações formação, num total de 236 inscritos. Ficou disponibiliza desde 1997 três Casas da Juventude, ainda marcado pelo apoio e consultadoria associativa sediadas nas freguesias de Matosinhos, Santa Cruz do na área jurídica e contabilística e no processo de criação Bispo e S. Mamede de Infesta, que se assumem como de uma associação juvenil. A construção do Plano infraestruturas de suporte ao nível da informação, or- Municipal de Ações de Capacitação Associativa para entação e encaminhamento o ano de 2020 resulta da população juvenil, “A atividade do associativismo juvenil de um diagnóstico educadores e comunidade assume uma grande preponderância de necessidades de envolvente. Apresentamrealizado na promoção dos valores associativos formação se como estruturas de através de um e no exercício de uma cidadania ativa suporte a uma atividade questionário remetido a junto dos jovens.” norteada por seis eixos todo o tecido associativo estratégicos com políticas concelhio. de promoção da igualdade de género, aconselhamento 5- Como carateriza o movimento associativo psicológico, empreendedorismo, emancipação juvenil juvenil em Matosinhos? e participação cívica. O tecido associativo, em especial o tecido associativo 4- A FADJP tem colaborado com a CM Matosinhos jovem, ocupa um lugar fundamental e único na na implementação do primeiro programa de dinâmica da comunidade matosinhense. São oito as capacitação de dirigentes associativos e jovens associações juvenis inscritas no Registo Nacional no concelho. Além disso, estamos a trabalhar na do Associativismo Jovem, seis estruturas de criação de um projeto que dará forma às ideias Juventudes Partidárias, nove associações equiparadas dos jovens para as suas comunidades. Qual a a associações juvenis, três associações de Estudantes importância destas iniciativas? do Ensino Superior, seis associações de Estudantes Pela primeira vez Matosinhos estrutura um Plano do Ensino Secundário e dez as associações de jovens Municipal de Capacitação Associativa, em domínios de caráter informal. Pela sua extrema relevância, é tão relevantes como as Fontes de Financiamento, nosso propósito continuar a apostar no movimento contabilidade e fiscalidade associativa, gestão associativo juvenil concelhio, num esforço associativa e desenvolvimento de projetos. Numa concertado para desconstruir um dos fenómenos sociedade em que as associações se transformam e mais preocupantes da atualidade, o alheamento dos afirmam em cada dia como jovens da participação polos fundamentais da “Pela sua extrema relevância, social e cívica. Importa, dinâmica social, desportiva pois, neste caminho, é nosso propósito continuar a e cultural do nosso concelho, incluir momentos de apostar no movimento associaprestando importantes diálogo que permitam tivo juvenil concelhio.” serviços à comunidade, este não só aprofundar o nosso é um investimento crucial. A conhecimento sobre a atividade do associativismo juvenil assume uma grande realidade associativa concelhia, os seus problemas preponderância na promoção dos valores associativos e desafios, mas também, fomentar a partilha e e no exercício de uma cidadania ativa junto dos interação entre associações, auxiliando não só o jovens, assumindo-se o investimento na capacitação seu desenvolvimento organizacional, mas acima de associativa como ferramenta estratégica para alcançar tudo a partilha de experiências e o estabelecimento instituições mais preparadas para servir a comunidade de sinergias com vista à potenciação das respostas em que se inserem. O ano de 2019 ficou marcado comunitárias.


10

ASSOCIAÇÕES JUVENIS DO DISTRITO DO PORTO

FOCA

YOUTH DREAM

FOCUS ON CRITICAL ACTIONS

FOTO

Com o objetivo em mente de proatividade no panorama ambiental foi criada, por um grupo de jovens, em 2018, a FOCA - Focus On Critical Actions. A associação conta hoje com a mesma vontade de agir e consciencializar a população para com os problemas ambientais, tendo como principais objetivos intervir e contribuir para a sustentabilidade, para a conservação da natureza e para a recuperação e sensibilização ambiental. Através de limpezas de locais contaminados (praias, rios, serras...), palestras de sensibilização, workshops, plantações e muitas outras atividades, a FOCA procura envolver todos e qualquer um na missão de consciencializar as pessoas relativamente aos desafios que a natureza hoje enfrenta e como podemos reverter os efeitos da poluição através de ações de voluntariado. Para realizar todas as nossas atividades, a FOCA conta atualmente com o estabelecimento de diversas parcerias pontuais ou permanentes, como é o caso da FAJDP. Procuramos consciencializar a comunidade englobando todas as faixas etárias, uma vez que trabalhamos junto de escolas, associações e faculdades, entre outros. Produzimos ainda conteúdos digitais de consciencialização.

A YOUTH DREAM é uma associação juvenil fundada em junho de 2019 com o propósito de promover os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS´s). Estes objetivos, adotados pela quase totalidade dos países do mundo, no contexto das Nações Unidas, definem as prioridades e aspirações do Desenvolvimento Sustentável Global para 2030. São ao todo 17 ODS´s, que a YOUTH DREAM procura enaltecer através de iniciativas de divulgação e sensibilização e de ações práticas e concretas para a sociedade civil com o intuito de mitigar muitos dos problemas de cariz social, económico e ambiental com vista a contribuir para a génese de uma sociedade digna, justa, inclusiva e com oportunidades igualitárias. A YOUTH DREAM já concretizou no terreno, o Roteiro dos ODS´s em algumas escolas secundárias, compareceu à Greve Feminista, à Greve Climática Estudantil e à Marcha do Orgulho LGBT, visitou a Associação Novo Futuro na época natalícia, levando presentes sustentáveis para 12 crianças, e já enalteceu o valor dos ODS´s ao participar em iniciativas de instituições nacionais e internacionais onde foram discutidas.


ASSOCIAÇÕES JUVENIS DO DISTRITO DO PORTO

ABRIGO SEGURO ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL

11

SdDUP Sociedade de Debates Universidade do Porto

FOTO

FOTO

A Abrigo Seguro – Associação de Solidariedade Social é uma Associação Juvenil e em simultâneo é IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social), que nasceu da necessidade de trabalhar com jovens em rotura com a Escola, que vivenciassem situações de vulnerabilidade social. A ação da Abrigo Seguro subdivide-se em três eixos centrais: Intervenção Educativa, Intervenção Familiar e Intervenção Comunitária.Temos o projeto instruir a funcionar à 13 anos na nossa sede com uma intervenção de apoio ao estudo e ATL com crianças e jovens. Somos gestores do projecto Municipal Gaia Aprende+ na freguesia de Avintes, fazemos o acolhimento, prolongamento e férias escolares em todas as escolas básicas da freguesia. Fazemos também parte do Programa Escolhas - 7ª Geração, com o projeto Instrução é Inclusão, tendo sido aprovado para ser concretizado em Avintes durante o biénio 2019 – 2020. No início de 2020 iniciamos um novo projecto: Gaia Transformação Educativa, financiado pelo Norte 2020, esta operação visa promover o sucesso educativo, especificamente das crianças/jovens provenientes dos Empreendimentos Urbanísticos Municipais em Avintes e Oliveira do Douro.

A Sociedade de Debates da Universidade do Porto (SdDUP) nasceu em 2010, sendo a primeira implementadora do Debate Competitivo Universitário em Portugal. A SdDUP tem como fim formar cidadãos capazes de avaliar criticamente o status quo num contexto globalizante e complexo. Valorativamente, a SdDUP contribui para a construção de uma Academia mais coesa, dialogante e tolerante nas perspetivas. O nosso foco de ação, alimentado pelos valores acima referidos, é a promoção do debate no modelo British Parliamentary (BP) que nos obriga, apenas com quinze minutos de preparação, a defender perspetivas e modelos sobre os mais variados temas e a explicar porquê que a nossa análise é verdadeira e mais relevante do que a das restantes equipas. Para determinar um vencedor, o painel de adjudicação que avalia o debate, tem de pesar e comparar os contributos de cada equipa. Este jogo estratégico permite não só alargar a nossa cultura geral, como também afinar as competências de análise lógica de discurso e de retórica.


12

OPINIÃO

Associativismo Juvenil em tempo de pandemia Por Rafael Vaz

Presidente da Direção da Federação das Associações Juvenis do Distrito de Aveiro

Em primeiro lugar quero deixar uma palavra de força e esperança a todos os dirigentes associativos e respetivas associações juvenis. Vivemos tempos de incerteza que paralisaram grande parte das atividades das associações juvenis. Sedes encerradas, atividades regulares suspensas ou canceladas, foram algumas das consequências inevitáveis desta Pandemia. O movimento associativo juvenil de base local vive de iniciativas que envolvem as suas comunidades, o contato entre os jovens e a concentração física de um elevado número de pessoas nas suas iniciativas. As associações juvenis são feitas de e para a juventude. O nosso movimento associativo sempre foi conhecido pela sua capacidade de se reinventar, de fazer muito com pouco e, acima de tudo, fazer bem. E por isso, não é com surpresa que assistimos a uma transformação e reinvenção tão positiva e solidária do movimento associativo nesta época tão difícil. As associações juvenis rapidamente reconheceram as principais carências das suas comunidades, articularam-se com as autarquias locais e instituições sociais e entraram em ação. Têm sido muitas as ações das associações no apoio diário às comunidades dos seus territórios. Quer no mundo digital, com diversas aulas à distância ou campanhas de angariação de fundos. Quer no terreno com cedências de equipamentos e materiais à proteção civil ou com apoios às crianças que estão a ter aulas a partir de casa e aos idosos.

Esta é a força do associativismo juvenil. Este vírus não escolheu idade, classe, etnia ou género. O mesmo acontece com o apoio que as associações juvenis estão a dar à comunidade. A maioria das iniciativas criadas pelo movimento em tempo de pandemia são gratuitas e assumidas por jovens voluntários. Esta é uma realidade que não pode ser esquecida e deve ser sempre valorizada. As autarquias locais e o Instituto Português do Desporto e Juventude são, como sempre foram, os grandes parceiros das associações juvenis. E neste momento é necessário que o sejam ainda mais do que foram até aqui. Não nos podemos esquecer que existem associações com sedes próprias, recursos humanos e despesas fixas mensais, que com o cancelamento de grande parte das suas iniciativas não terão o volume de receitas que normalmente teriam. Não nos podemos esquecer também que as associações se estão a substituir ao estado no apoio social que estão a prestar às suas comunidades. E é por isso que, em particular as autarquias locais, sem preconceitos, devem assegurar a sobrevivência financeira das associações juvenis com sede nos seus territórios. Não é uma opção! É um dever, por tudo aquilo que o movimento associativo juvenil de base local transformou e conquistou nos seus municípios e freguesias. Não percam a esperança. Voltaremos ao que éramos melhores e mais capazes.


ASSUNTOS DE INTERESSE

MOBILIDADE NA EUROPA E NO MUNDO

Já conheces o novo projeto internacional do qual a FAJDP é parceira? O Co-Engage é um projeto financiado pelo Erasmus + (KA2) que pretende reunir a experiência, conhecimento e competências de 8 parceiros internacionais através de métodos de co-criação e co-gestão e, deste modo, gerar compromisso e envolvimento dos cidadãos, criando um método inovador e criativo. Através da partilha de boas práticas de diferentes projetos nos diferentes países, procura-se criar um método inovador e um manual que reúna a informação destas boas práticas. Este projeto foi construído tendo por base a convicção de que a aprendizagem e a participação através da co-criação irá contribuir para o empoderamento de tod@s @s cidadad@s.

SAÚDE JUVENIL

O Dia Mundial da Saúde é celebrado anualmente a 7 de abril. A data foi escolhida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 1948, aquando da organização da primeira assembleia da OMS. Este dia é celebrado desde 1950. A iniciativa DIA MUNDIAL DA SAÚDE 2020: Uma Agenda da Juventude para a Saúde na próxima década (2020-30), promovida pelo Conselho Nacional de Saúde, em colaboração com outras entidades, visa promover o envolvimento das crianças e jovens em Portugal nos debates sobre a sua saúde e bemestar físico e mental, no âmbito das comemorações daquela efeméride, em 2020.Podes ver mais informações e como podes participar no site: www.cns.min-saude.pt/

13

EMPREGO E FORMAÇÃO

Sabias que te podes inscrever no Instituto de Emprego e Formação Profissional sem sair de casa e à distância do um click? Através do Portal IEFP ONLINE é possível. Basta acederes ao portal, registares-te e fazer a tua inscrição para emprego e/ ou formação. O tempo de inscrição começa a contar de imediato e o teu atendimento no serviço de emprego para requerer subsídio de desemprego e validar a informação de inscrição é posteriormente agendado, evitando filas de espera. Podes também utilizar o portal para consultar ofertas de emprego e formação e candidatares-te diretamente a elas, agendar atendimento no serviço de emprego, consultar medidas de apoio ao emprego e estágios profissionais e fazer a candidatura a esses programas, obter declarações de inscrição.

ASSOCIATIVISMO JUVENIL

Arrancou, no passado dia 4 de Março em Beja, a Campanha Nacional “Associativismo Juvenil: Escola para a Igualdade” da FNAJ que irá percorrer 30 escolas de todo o país. Esta ação visa promover a participação ativa dos jovens na sociedade no que diz respeito à temática da igualdade e não discriminação, assente no empoderamento, na capacitação e na afirmação da sua cidadania, abordando temas como igualdade de género, de oportunidades, orientação sexual, origem étnica, deficiência, idade, crença ou religião. A iniciativa é financiada pelo POISE – Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, tendo a CIG Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género como organismo intermédio.


14

ESPECIAL

Balanço positivo na reunião do Ninho em Rede No passado dia 19 de outubro de 2019 realizou-se mais uma edição do Ninho em Rede, um evento dedicado à auscultação das associações juvenis incubadas no projeto Casa das Associações com vista à recolha de sugestões de melhoria. Foi ainda feito um balanço geral do projeto e a integração de novos projetos associativos no Ninho das Associações. Pelas 9 horas da manhã chegavam os primeiros dirigentes associativos, acompanhados de uma chuva torrencial. Após alguns minutos iniciais de confraternização, deram-se início aos trabalhos, ao encargo de Benícia Alves – dinamizadora das edições anteriores – que fez a ponte entre os resultado e desafios dos anos anteriores e o ponto de situação atual. Na reunião que decorreu com a presença de cerca de 25 dirigentes associativos, foi unânime a pertinência e a indispensabilidade do projeto Casa das Associações para a existência do trabalho associativo das suas organizações. A gratuidade, o apoio técnico diário e a dinâmica de Open Space do espaço (estimuladora de sinergias associativas) foram particularmente elogi-

adas e mencionadas como “condições únicas na cidade do Porto”. A existência de um centro de recursos audiovisuais foi também destacada pela positiva. A FAJDP proporcionou ainda um momento formativo com o embaixador português do “Handbook on Quality in Learning Mobility&quot” da autoria da Comissão Europeia, que será o guião de avaliação de candidaturas ao projeto Erasmus+. Um incentivo à realização de projetos em contexto europeu. No final da manhã celebramos a entrada de 3 novas associações juvenis no nosso Ninho, contabilizando agora cerca de 18 projetos incubados na Casa das Associações. Foram elas: a FOCA – Focus on Critical Actions, a Youth Dream e a Impact Academy. Posteriormente firmamos também uma parceria estratégica com a ATILGP – Associação de Tradutores e Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa, com vista à dinamização de eventos inclusivos. A sessão terminou com um almoço de networking com os dirigentes associativos.


ESPECIAL

15

PLANO MUNICIPAL DA JUVENTUDE DO PORTO EM MARCHA! A cidade do Porto foi pioneira na criação e na implementação do Plano Municipal de Juventude, em 2009, promovendo assim, de forma inovadora, a valorização dos jovens e das políticas locais de juventude. Neste sentido, no dia 19 de fevereiro, decorreu, na Casa das Associações, a “Entrevista” para o Plano Municipal de Juventude 4.0, promovido pela Divisão Municipal da Juventude, da Câmara Municipal do Porto [CMP]. Este momento teve como principal objetivo auscultar as associações e parceiros das atividades relacionadas com juventude, do concelho do Porto, para cruzar visões sobre políticas locais de juventude e, assim melhorar o plano que será implementado. Participaram na “entrevista” várias associações juvenis incubadas no Ninho das Associações, entre as quais, a Já T’Explico, Impact Academy, Parlamento Europeu dos Jovens, FOCA, Rede Ex-Aequo, MEDESTU, Pint of Science, a Youth Dream e ainda o presidente da FAJDP. O debate foi dinamizado pelo representante da CMP, Flávio Ramos, que apresentou várias questões ao grupo sobre as políticas locais de juventude e sobre o Plano Municipal de Juventude para suscitar a partilha de opiniões e expectativas dos participantes sobre os temas. Ao analisar as ideias partilhadas constatou-se que, de forma geral, os participantes preconizaram que as políticas locais de juventude deveriam ser construídas por jovens e direcionadas para todos os jovens

e incentivar os mesmos como agentes de mudança, apoiando a sua autonomização e empoderamento, assim como, prover as ferramentas e apoios necessários. No que se refere ao Plano Municipal de Juventude, concebem-no como uma espécie de guião ou mesmo uma ferramenta aceite e acessível a todos os jovens, com objetivos concretos e exequíveis, que os direcione, assim como às organizações e associações juvenis. Por outro lado, reforçam que o plano deve ser um compromisso político, com estratégias definidas, acrescentado a necessidade de o mesmo se ir adaptando aos novos desafios enfrentados pelos jovens. Entre várias sugestões, surgiu o apelo à desburocratização dos serviços municipais da juventude, sugerindo uma maior abertura e aproximação para com os jovens e associações juvenis, assim como uma modernização administrativa e melhor capacidade de resposta e comunicação. Apontam a necessidade de o município do Porto estar capacitado de infraestruturas amigas da juventude, assim como apoios financeiros mais acessíveis, que permitam aos jovens e associações juvenis desenvolver as suas atividades. Por fim, destacam que as políticas devem promover a igualdade de oportunidades, a inclusão e a diversidade entre os jovens. Ficou claro que para estes jovens quer as políticas locais de juventude quer o Plano Municipal de Juventude devem ser movidos por jovens, com jovens e para jovens!


Profile for FAJDP

Revista Associar + edição nº 11  

Já está disponível online mais uma edição da tua revista ASSOCIAR +.

Revista Associar + edição nº 11  

Já está disponível online mais uma edição da tua revista ASSOCIAR +.

Profile for fajdp
Advertisement