Page 1

Jaú - Ano 6 | Edição 63 | Dezembro 2015

Distribuição gratuita - Venda proibida

GF

Materiais Para Construção Há 24 anos construindo com você

Lazer Viajar é preciso 2016 Faça dar certo Gente Fina Therezinha M. Ximenez Claro


Portas abertas para as melhores

universidades

Sala de Aula


Fachada externa

Um novo conceito em educação Muito além de preparar o estudante para o vestibular, na ZEC Vestibulares os alunos são formados para enfrentar a nova vida que se abre após esta difícil etapa. Uma nova abordagem aliada a um material didático exclusivo e corpo docente de alto nível são os pilares fundamentais que fazem da ZEC uma referência no ensino pré-vestibular.

Sala de estudos e biblioteca Seja para pesquisar, aprofundar os conhecimentos ou estudar em grupo, os alunos dispõem de uma sala de estudos completa para utilizar no dia a dia, inclusive dispondo de biblioteca diversificada com material para consulta e as principais obras. Além disso, cada estudante possui seu armário exclusivo, onde pode guardar livros, cadernos e outros objetos.

Espaço interno

Sala de Aula Ótimos professores, material didático eficiente e muito conforto, tudo isso aliado à tecnologia, estrutura fundamental para que os alunos explorem todo o seu conhecimento, tenham desempenho máximo nos vestibulares e conquistem suas vagas nas melhores universidades do país.

Comodidade e segurança Estacionamento exclusivo para os alunos e professores, garantindo mais tranquilidade durante a permanência na unidade.

Travessa José Veríssimo, 315-A - Vila Assis - Jaú/SP 14 3418 9171

Sala de estudos / Biblioteca

Estacionamento


4 Revista Energia


Editorial

Dias melhores, pra sempre

Ano 6 – Edição 63 – Jaú, Dezembro de 2015 Tiragem: 10.000 exemplares Revista Energia é uma publicação mensal da Rádio Energia FM Diretora e Jornalista responsável Maria Eugênia Marangoni mariaeugenia@radioenergiafm.com.br MTb. 71286

Estamos nos aproximando do final do ano e um novo ciclo se abre à nossa frente

Diretor artístico: Márcio Rogério rogerio@radioenergiafm.com.br Edição e Revisão de textos: Heloiza Helena C. Zanzotti revisao@revistaenergiafm.com.br

C

omo na música de J Quest, “Vivemos esperando/ Dias melhores/ Dias de paz/ Dias a mais...”

Criação de anúncios: Moinho Propaganda atendimento@moinhopropaganda.com.br

Novas oportunidades, novos caminhos, novas esperanças. Como estamos em constante processo de mudança, o desafio é fazer com que cada dia valha a pena, e seja sempre melhor que

Fotografia: Moinho Propaganda criacao@moinhopropaganda.com.br Diagramação Moinho Propaganda (14) 3416.7290

Social Club social@revistaenergiafm.com.br Colaboraram nesta Edição Flávia Cardoso França Marielle Rosa Colunistas Alexandre Garcia João Baptista Andrade Paulo Sérgio de A. Gonçalves Professor Marins Ricardo Izar Junior Comercial Carlos Alberto de Souza Sérgio Bianchi Silvio Monari Impressão: GrafiLar Distribuição: Pachelli Distribuidora Revista Energia Rua Quintino Bocaiúva, 330 | 2º andar CEP: 17201-470 | Jaú - Fone: (14) 3624-1171 www.energianaweb.com.br Elogios, críticas e sugestões leitor@revistaenergiafm.com.br Quero anunciar comercial@revistaenergiafm.com.br A Revista Energia não tem responsabilidade editorial pelos conceitos emitidos nos artigos assinados, anúncios e informes publicitários.

Foto: Cláudio Bragga

Projeto gráfico: Revista Energia

o anterior.

Nós, da Energia, estamos prontos para fazer de 2016 um ano de grandes conquistas e de muita sintonia positiva com nossos ouvintes, leitores e parceiros. Com uma equipe talentosa, experiente e cheia de energia, trabalhamos movidos pela paixão por aquilo que fazemos, e é por isso que nos mantemos na liderança em nosso segmento. No último dia 22 de novembro comemoramos com você mais um aniversário, os 24 anos da Energia, em uma festa que é sempre o maior evento artístico da região realizado em um único dia. Mais de 8 horas de show ao vivo com artistas consagrados e novas revelações da música. Agradecemos aos profissionais que se apresentaram, aos nossos parceiros e a você, que esteve por lá curtindo a festa e nos prestigiando mais uma vez. Agora, aproveite esta edição da RE que traz muita informação, diversão e conteúdo da melhor qualidade. Conheça nossa Gente Fina, Therezinha Mercês Ximenez Claro, uma pessoa doce e encantadora. Dicas de viagens, orientações para planejar melhor seu novo ano, moda, decoração, saúde, esporte e muitos outros assuntos super interessantes estão aqui, à sua disposição. Desejamos que você tenha um Natal de muita luz, um Ano Novo de grandes realizações e esperamos tê-lo conosco em 2016, para continuarmos construindo essa história de sucesso. Porque há 24 anos somos assim, ligados em você! Boa leitura.

Maria Eugênia


NESTA EDIÇÃO

20 Comportamento 30 Saúde 34 Vestibular 40 Reflexão 42 Lazer 58 Esporte

56 Moda

Sempre Aqui

08 Perfil 10 Radar 12 Pense Nisso 14 Gente Fina 18 Consultoria 19 Vitrine Presentes Gente Fina 24 Capa 36 Conheça Jaú 37 Ambientes sob medida 38 Garota Energia 46 Look de Artista 50 Social Club 56 Moda 63 Legislação 64 Guia da Gula 66 Boa Vida

ÍNDICE

14 Jaú - Ano 6 | Edição 63 | Dezembro 2015

Distribuição gratuita - Venda proibida

Nossa Capa: GF Materiais para Construção Foto: Moinho Propaganda Produção Gráfica: Moinho Propaganda

GF

MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO Há 24 anos construindo com você

LAZER Viajar é preciso 2016 Faça dar certo GENTE FINA Therezinha M. Ximenez Claro


Revista Energia 7


Absolutamente

Supra Texto Marielle Rosa

“Com foco, determinação e fé em Deus tudo é possível, basta ter garra e muita coragem de seguir nesta vida”

J

á dizia Coco Chanel: “Elegância é quando o interior é tão belo quanto o exterior”. E esta é uma das características que nosso Perfil deste mês tem de sobra. Além da beleza, a delicadeza, o carisma, a autoconfiança e a determinação conduziram a jauense Amanda Gomes, 24, em sua trajetória de modelo até aqui. E o caminho pela frente deve ser longo, cheio de boas perspectivas. Sonho de menina A busca pelo sonho de infância começou cedo, aos 12 anos, quando participava de concursos de beleza e procurava por agências que a ajudassem a dar seus primeiros passos no mundo da moda. Sempre com o apoio dos pais, Cláudio Gomez e Maria Neli Portilho Gomes, e do irmão Renan, Amanda conseguiu espaço e experiência para iniciar a carreira de miss aos 18 anos. Foi preciso persistência. Após vários concursos, a modelo tentou o título de Miss Bauru e chegou a participar do Miss Jaú neste ano, mas teve de desistir por motivos pessoais. Para sua surpresa, logo em seguida foi nomeada Miss São Paulo América’s Turismo, no concurso Beleza Fashion. E, aos poucos, segue conquistando reconhecimento e novas oportunidades, como a que acaba de vivenciar: foi eleita Miss Brasil Supranational 2015.

Amanda Gomes 8 Revista Energia

Miss Brasil Supranational O Miss Brasil Supranational existe desde 2009 e o Brasil, que participa do evento internacional desde seu primeiro ano, envia a melhor e a mais preparada miss brasileira para a disputa da coroa e faixa de Miss Supranational que este ano foi realizado em Vársóvia, na Polônia. Mais de oitenta países competem todos os anos pela coroa. Por sua abrangência e excelência em organização, é considerado por especialistas um dos principais concursos de beleza existentes.

Fotos Arquivo pessoal

Perfil


Amanda e familiares

Beleza, simpatia, conhecimento e carisma foram critérios de avaliação da seletiva que contou com mais de 100 candidatas, escolhidas por meio de indicações e internet, entre os meses de março e setembro. Amanda se destacou e correspondeu a todos os requisitos exigidos pela organização. A coroação oficial ocorreu no dia 27 outubro, em São Paulo, com a participação de empresários engajados na franquia do Miss Supranational. Preparação e foco É a primeira vez que uma jauense é escolhida para representar o Brasil neste concurso internacional. Amanda embarcou para a Polônia no dia 15 de novembro. “Ser a Miss Brasil Supranational 2015 foi a realização de um grande sonho. Sempre lutei para chegar até aqui com força, fé em Deus, muita determinação e disciplina. Estou indo para representar meu país, é uma honra para mim”, afirmou antes da viagem. Na fase de preparação a miss se dedicou aos cuidados corporal e facial com empenho, a fim de se apresentar aos jurados do concurso que têm a missão de eleger a mulher mais bela do mundo entre representantes de diversos países. Manter a humildade e a simpatia é parte da personalidade de Amanda, que também trabalha como secretária em imobiliária. Sempre que possível, investe seu tempo no convívio com a

família e adora viajar com o noivo. Neste período fora do país, seu foco é se preparar para representar a beleza brasileira no concurso, mas também aproveita para fazer amizades e conhecer diversas culturas. Pronta para o futuro Seus planos para o futuro estão bem definidos: seguir em frente na carreira de modelo e miss, fazendo o que ama. E seu desejo é deixar o exemplo de que todo sonho é possível realizar, basta acreditar em si mesmo, ter disciplina e persistir. Quando esta edição da RE estiver em suas mãos, o resultado do Miss Supranational etapa internacional já terá saído. Mas seja ele qual for, para nós Amanda já é uma vencedora, e Jaú orgulha-se de ser tão bem representada mundo afora. 

Revista Energia 9


Radar

Por Alexandre Garcia

El Niño: castigo divino? Como se não bastasse o mau tempo econômico, político, moral, ainda estamos sob a inclemência de El Niño, que nunca esteve tão forte em quase 20 anos

M

ais chuvas no Sul, com inundações; mais calor no Sudeste, com falta e excesso de chuvas castigando onde precisa de água e onde água e vento não faltam; mais seca no Nordeste, como se já não bastasse o histórico de desgraças; e mais chuvas e calor no Norte, onde incêndios florestais matam tanta vegetação e animais quanto no cerrado do Centro-Oeste. Um conjunto de tragédias anunciadas. Mas o governo, mais preocupado em agarrar-se ao poder para que milhares não percam a boquinha, está mais preocupado consigo mesmo e os atingidos por El Niño que se lixem. Não que não pudesse adotar medidas preventivas à altura da ameaça. O estado brasileiro dispõe de excelentes instituições de previsão meteorológicas. Mais do que isso, qualquer um pode prever, dando uma olhada nas interpretações do fenômeno resultante do aquecimento anormal das águas do Pacífi-

A agricultura, riqueza que tem sustentado o país em recessão, será afetada pela falta de chuvas

10 Revista Energia

co equatorial. A previsão é de que até dezembro a anomalia se agrave, com a média das águas do oceano, na altura do Equador, chegando a 2,8 graus centígrados acima da normalidade, igualando a marca de 1982. Ou seja, ainda vai piorar. E até que passe, ainda teremos uns seis meses pela frente. A previsão aconselha esperar mais chuvas no sul e menos chuvas no restante do país até junho de 2016. Como todos sabemos, isso é mau sinal. Arrozeiros gaúchos estão perdendo safra por inundação na lavoura irrigada, sempre em baixios. São Paulo está em constante crise de escassez de água para abastecer as cidades. A agricultura, riqueza que tem sustentado o país em recessão, será afetada pela falta de chuvas. Significa menos produção, menos empregos, menos impostos, mais recessão. E o que fez o governo, quando foram oferecidas as previsões desde dezembro do ano passado? Nada. Permaneceu a rotina da Defesa Civil e das visitas esporádicas às áreas atingidas, com oferta de crédito e mobilização improvisada, sempre correndo atrás do prejuízo e nunca prevenindo. Cheias no Itajaí-açu, por exemplo, que chegam a causar milhões de reais de prejuízo ao movimento do porto, seriam controladas se obras tivessem sido feitas. Mas como investir, se os gastos políticos são gigantescos? Se a administração federal é tão destrambelhada? Em país sério, ao chegarem as previsões das consequências da anomalia do El Niño, imediatamente, ainda no ano passado, seria criado um comitê de crise para adotar medidas preventivas no país inteiro, já que nenhuma região está fora das desgraças do tempo. Nada foi feito. A presidente estava ocupada com a reeleição e depois em justificar porque não era nada daquilo que havia afirmado na campanha. El Niño, em espanhol, significa menino Jesus. Parece castigo. Só que nos pune a todos. Enfim, fomos nós que a reelegemos.


Revista Energia 11


nisso

Pense

Por Professor Luiz Marins

LUIZ MARINS Antropólogo e escritor. Tem 26 livros publicados e seus programas de televisão estão entre os líderes de audiência em sua categoria. Veja mais em www.marins.com.br

A pergunta mais importante Será que vale a pena? Será que não vou me arrepender? Aceito ou não aceito? Faço ou não faço? Vou ou não vou? Compro ou não compro? Como decidir?

T

odos nós somos assaltados por dúvidas quando temos que tomar uma decisão importante. Isso ocorre, por exemplo, quando estamos empregados e aparece uma oferta para mudarmos de emprego; quando alguém quer comprar nossa casa ou quando vemos à nossa frente uma oportunidade de negócio. Como decidir? Qual a pergunta mais importante que devemos nos fazer antes de tomar a decisão, para que não corramos o risco de nos arrepender? Essa foi exatamente a pergunta que me fez um repórter. Sempre que tenho que tomar uma decisão importante e que se refira somente a minha pessoa, isto é, que não envolva outras pessoas que devo considerar, faço a mim mesmo a seguinte pergunta: Isto aumentará minha qualidade de vida e me fará mais feliz? Se a resposta for não, imediatamente deixo de considerar a hipótese de fazer. Se for sim, passo a considerá-la, pesando com

mais cuidado os prós e os contras antes de decidir. Ressaltei ao repórter que o importante da pergunta que me faço é que, para considerar a hipótese da decisão, ela deve atender os dois requisitos que me pergunto, e não apenas um ou outro. A decisão deve aumentar minha qualidade de vida e me fazer mais feliz. Isso é importante, pois poderá haver decisões que teoricamente aumentem minha qualidade de vida, mas não me tornem mais feliz ou vice-versa. Decisões impensadas ou mal avaliadas são a maior fonte de arrependimentos, remorsos e culpas. Muitas vezes, pensando em resultados imediatos ou somente nos ganhos materiais, cometemos erros com consequências de longo prazo ou mesmo irreversíveis. Assim, é preciso pensar bem antes de decidir.  Pense nisso. Sucesso!

A decisão deve aumentar minha qualidade de vida e me fazer mais feliz

12 Revista Energia


Revista Energia 13


Gente Fina

14 Revista Energia


Therezinha

M. Ximenez Claro “Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria” Texto Heloiza Helena C Zanzotti

C

om essa citação de Coríntios, que a representa tão bem, apresento nossa Gente Fina dessa edição, Therezinha Mercês Ximenez Claro, 81. Filha de Francisco Ximenez Fernandes e Olívia Claro Ximenez, a mais velha entre quatro irmãos, nada resume melhor sua vida que sempre foi pautada em Deus e no amor ao próximo. Passou toda sua infância em Jaú, onde morava com os pais e irmãos. Desde muito pequena já frequentava a igreja e foi bem cedo para a escola, um externato que havia na cidade. Sua brincadeira preferida já refletia o que seria por toda a vida: Therezinha adorava brincar de escolinha, e sempre assumia o papel de professora. Como iniciou sua vida profissional? Eu me formei professora, fiz Pedagogia e sempre lecionei nas séries iniciais. Quando fui escolher a cadeira para lecionar havia outras opções, mas o Espírito Santo ilumina nossos caminhos e optei por ir para São Paulo. Meu pai me acompanhou, saímos daqui de Jaú, mas sem saber onde eu ia ficar. Levei apenas uma carta de recomendação do nosso querido vigário Padre Serra, e esta carta tenho até hoje. No primeiro colégio onde chegamos a irmã nos recebeu muito bem. Ela deixou a carta em cima da mesa, foi preparar um lanche para nós e o que eu fiz? Peguei a mensagem e guardei, é minha relíquia. Como eu tinha levado essa carta de recomendação, a Madre Superiora saiu comigo e com meu pai para procurar um lugar para eu ficar. Encontramos um pensionato e fui morar ali. Eu morava no Belenzinho e lecionava na Vila Antonieta.

Quando voltou para Jaú? Fiquei em São Paulo durante dois anos e meio, no último período lecionava em uma terceira série e os pais queriam que no ano seguinte eu continuasse com essa turma, mas voltei para Jaú e fui lecionar em uma escola isolada, como eram chamadas as escolas na zona rural. Mais tarde entrei como professora substituta na escola Pádua Sales, saí para dar aulas em outras escolas e retornei ao Pádua como professora efetiva, onde permaneci até me aposentar. Como foi trabalhar com crianças da zona rural? Era uma turma multisseriada: primeira, segunda e terceira séries na mesma sala, mas a gente acabava se adaptando. Sempre fiz tudo o que podia pelas crianças, ali você é tudo para eles. As crianças iam ao ponto me buscar: quando o ônibus chegava já estavam lá me esperando, e quando acabava a aula não iam embora enquanto o ônibus não saísse. Lembro-me que em uma das visitas do inspetor muitos alunos estavam com facão, foices, eles saíam da aula e iam trabalhar na roça depois. Na escola do bairro Palmital, quando ali atuava, consegui diversos exames médicos para os alunos, inclusive de tuberculose. Depois eu levava o médico para examinar essas crianças. Quando parei de lecionar ali, até no rádio foram me agradecer. A religião sempre fez parte de sua vida? Sempre, desde que nasci. Eu me chamo Therezinha Mercês por ter nascido no dia de Nossa Senhora das Mercês, comemorado em 24 de setembro. Comecei a dar aulas de catequese aos 9 anos de idade, fui substituir uma catequista e daí para

Revista Energia 15


frente não parei mais. Mesmo em minhas aulas como professora, em todas as escolas sempre ensinei religião. Fui catequista na Igreja Matriz e por algum tempo no Santo Antônio, me recordo que o Padre Serra levava a gente em um jipe. E ainda tive um programa religioso no rádio, que eu fazia sozinha, onde falava sobre família, religião, comportamento. Gerações passaram por suas mãos na catequese? Sim e é uma alegria muito grande. Quando eu saio na rua muitas pessoas me param para conversar. É muito gratificante. Eu só posso dizer obrigada, Senhor, porque sempre fui muito abençoada. Até hoje homens já formados, pais de família me param na rua, me agradecem. Fico feliz da vida quando alguém chega e diz: “A senhora não é a dona Therezinha? A senhora foi minha professora”. Quando eu lecionava aqui no Pádua Sales, muitas vezes eu tinha até vergonha, as crianças me acompanhavam onde eu fosse, quando terminava a aula eu saía com aquela criançada atrás de mim. Por que nunca se casou? Meu marido é Jesus. É uma coisa que está dentro de mim. Minha vida é para Deus e para o próximo. Quando eu lecionava no Túlio Espíndola de Castro um fato ficou gravado na minha mente. Eles estavam fazendo uma composição sobre minha pessoa e você sabe, criança fala a verdade, criança não mente. Então um aluno escreveu que achava que só era feliz quem era casada, mas que eu não era casada e era feliz. Isso me marcou muito, é um sinal de que alguma coisa boa a gente passou, não é?

“Eu só posso dizer obrigada Senhor, porque sempre fui muito abençoada” Como foi sua aposentadoria? Eu lecionava no Pádua Sales quando saiu minha aposentadoria, isso foi no meio do período letivo, então fui conversar com o diretor porque eu não queria deixar a criançadinha no meio do ano. Pedi permissão para ficar com a turma até o final e ele respondeu: “Mas a senhora não vai ganhar nada”. E eu falei: “Eu não quero ganhar nada, eu quero terminar o ano com as crianças”. Ele permitiu, e a professora que veio me substituir ficava na sala também. Eu quis chegar com eles até o fim, não podia parar no meio do caminho. Depois de aposentada continuei com a catequese e a liturgia. Atuei junto ao grupo de jovens e também como ministra da eucaristia. Por mais de trinta anos tive loja de artigos religiosos, presentes e livraria junto com minha irmã Maria Cecília, a mais nova. A loja chamava-se Franolí (Fran do meu pai Francisco, e Olí da minha mãe Olívia). Foi a primeira loja do segmento em Jaú, mas depois foi ficando difícil para administrar. O que gosta de fazer no dia a dia? Acordo todos os dias de madrugada, por volta das 4h. Eu gosto muito de preparar liturgia. Como sempre gostei de ler, escrever e criar coisas, fui juntando diversos temas e um dia criei um livrinho. Fui mostrar para o Padre e ele aprovou, então, para não precisar ficar fazendo todo mês como fazia antes, começaram a usar este livrinho. Aqui na Matriz eu tenho a novena do Perpétuo Socorro e tudo o que eu posso fazer ainda, eu faço. Não estou direto agora porque operei as duas vistas de catarata e ainda estou me recuperando. 16 Revista Energia

Recebeu muitas homenagens? Muitas. Teve uma que eu não esperava, foi muito emocionante, quando o Padre Celso me presenteou com a imagem de Nossa Senhora do Patrocínio. E também a Noite das Estrelas Jauenses, quando me homenagearam com um troféu. Recebi ainda o Mérito Vocacional da Província Eclesiástica de Campinas, em reconhecimento pelos serviços prestados na vocação e religião. Gostava de atuar junto às crianças e suas famílias? Sempre gostei de trabalhar com a família. Tinha a comunidade das crianças, preparávamos a missa com elas, mas não ficávamos apenas nisso. Fazíamos excursões, passeávamos, fomos ao Play Center, mas sempre a família junto. Os pais eram mais envolvidos com a religiosidade dos filhos. Não sei se é porque sempre procurei trabalhar junto, alunos e família, mas eu sinto isso. Os pais acompanhavam as crianças nas viagens, nas atividades, era uma coisa gostosa. Hoje estão mais afastados, pelo menos é o que percebo. Como acha que está a família hoje? Sinto que está bem difícil. Muitas vezes ouvi colegas dizerem: “Therezinha você aposentou na hora certa, hoje está complicado lecionar”. De uma maneira geral os pais não estão levando tanto seus filhos para a igreja. Chega o final de semana os pais vão para uma chácara, um churrasco, compromissos sociais e esquecem o lado religioso. Acho que também falta diálogo. Hoje cada um pega seu celular e conversam menos. Toda essa tecnologia, que é tão boa, também tira um pouco a convivência familiar. 


Consultoria

Por Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves consultoria@revistaenergiafm.com.br

Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves é administrador, contador, consultor, palestrante e professor universitário com MBA pela FGV – RJ em Gestão Estratégica de Pessoas; presidente  da AESC – Associação dos Escritórios e Profissionais da Contabilidade de Jaú e região - gestão 2004/2005; atualmente  diretor da AESC Jaú; proprietário do DinamCorp Corporação Empresarial e Contábil; proprietário da Prosol Unidade Jaú e consultor e orientador em desenvolvimento de softwares Prosol – São Carlos

A arte do desapego. Vamos praticar? Estudos mostram uma tendência ainda maior das pessoas em acessarem a internet nos próximos anos, a conhecida inclusão social.

B

asta olhar para o lado e assistir os colegas hipnotizados em seus celulares para ter a certeza desta tendência, que vem impactando em mudanças drásticas na forma de comunicação e relacionamentos entre nós humanos, que temos quase um compromisso para responder em tempo real o que talvez, noutras épocas, responderíamos apenas no dia seguinte e olhe lá. Conversando com alguns empresários durante uma convenção, ouvi várias manifestações sobre o mundo corporativo e a dificuldade com a tecnologia dentro do ambiente de trabalho. Um dizia: “Cara, perdi o controle da minha linha de produção, vejo que meus funcionários usam indiscriminadamente seus celulares durante o trabalho e entre si quase não se falam, somente se olham, o pior é nosso gerente, que é o primeiro a usar essa @#$%@#@$ de celular. Já não sei mais o que fazer!”. Outro dizia: “Meus vendedores usam o tempo todo essas tais de redes sociais, facebook, whats app, instagram... E falam que é para contato com os clientes; mas não tenho como controlar isso, acaba atrapalhando os resultados e, inclusive, reduzindo suas comissões, jogando a culpa das quedas nas vendas à crise no Brasil e no mundo. E mais conformado que o outro, disse: “É, mas empregado é empregado e são todos iguais, fazer o que, né?”. Lembrei-me na mesma hora de um personagem, “Seu Saraiva”, interpretado pelo ator Francisco Milani, no Zorra Total, o qual tinha tolerância zero e pensei… “Ah, se fosse o Seu Saraiva”, e acabei rindo com a situação. Mas seria cômico, se não fosse trágico.

18 Revista Energia

A premissa é de que o empregado deve ter consciência de que ganha para trabalhar, e caso não esteja feliz com isso ou não seja reconhecido pela sua competência, peça para retirar -se. Toda organização está sujeita a ter em seu quadro funcional pessoas totalmente comprometidas com o trabalho e outras nem tanto, umas maduras e outras imaturas. Mas trabalho é trabalho, e por isso é importantíssimo preocupar-se com quaisquer tipos de abusos ocorridos, incluindo nestes a tecnologia. O uso de celular faz com que pessoas corram riscos no setor produtivo de uma indústria ou num açougue, dependendo das máquinas e equipamentos utilizados, causando prejuízos a si e a terceiros, incluindo até perdas de vidas, o mesmo ocorrendo na área administrativa ou num escritório de contabilidade, com erros nos preenchimentos de documentos ou tomadas de decisões incorretas, sujeitando a organização a punições com aplicações de multas e indenizações aos que foram vítimas destes incidentes ocasionados por negligência no ambiente de trabalho, responsabilizando o próprio empregador. E cá entre nós, é muito desagradável ser atendido às pressas por uma vendedora que está mais preocupada em responder para sua amiga no zap zap, do que informar ao cliente características ou preços de produtos ou serviços. É uma obrigação da liderança criar regras e fazer com que os colaboradores pratiquem a arte do desapego ao celular. Então, façam com que deixem seus aparelhos em casa ou num local apropriado na empresa, porém, fora do alcance de suas mãos, e com isso mantêm-se a qualidade e a segurança no trabalho. 


Vitrine Presentes Dicas Especiais... O final do ano chegou e junto com ele as festas, férias, aniversários e amigos secretos. Nessas horas bate aquela dúvida: qual presente dar? Se você estiver pensando em algo diferente e que todos vão amar, você vai adorar as dicas que nós, da Z Pijamaria, separamos para você! A nossa primeira vitrine está recheada de presentes para todas as ocasiões, sendo uma ótima oportunidade para renovar os pijamas e meias do guarda-roupas, preparar os biquínis, sungas e toalhas para curtir aquela praia, e tudo isso super acomodado dentro de nossas malas e mochilas. Isso é só um pouquinho do que você encontra aqui, na Z Pijamaria. Venha nos visitar e arrase nos presentes! Na próxima edição você confere muitas novidades para a volta às aulas, aguardem.

Revista Energia 19


Foto Internet

Comportamento

Neste ano,

eu vou...

Objetivos para 2016 podem ser alcançados com equilíbrio, persistência, prazos e pequenas metas Texto Marielle Rosa

D

edicar mais tempo à família, conquistar casa própria, focar nos estudos, perder peso, aprender um novo idioma, parar de fumar, poupar dinheiro, fazer aquela viagem que ainda está no papel. A lista de objetivos que almejamos no início de cada ano vai longe, uma vez que a percepção de um novo ciclo nos inspira a refletir e planejar um ano melhor ou mais produtivo. Mas a verdade é que nem sempre conseguimos colocar todos os planos em prática. Alguns imprevistos podem acontecer no meio do caminho e precisamos ser flexíveis. Contudo, definir metas realizáveis e de forma clara é o segredo para ter 20 Revista Energia

êxito em cada projeto – além de determinação, é claro. Estabelecer pequenas metas durante o ano pode contribuir na realização do objetivo final. Desenvolver práticas corretas também é boa ferramenta, afinal, 40% do nosso dia é feito de hábitos, como aponta pesquisa realizada pela Universidade Duke, nos Estados Unidos. Logo, se criamos o hábito de caminhar diariamente, por exemplo, fica mais fácil alcançar a forma física desejada. Outra dica é escrever o que se espera realizar e fixar essa lista em lugar que visualiza com frequência. Isso ajuda na memorização e na avaliação contínua de cada meta.


sabe como será o dia de amanhã. Mas é preciso disciplina. “Poupar é questão de hábito”, assegura o contador e administrador Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves, da DinamCorp Corporação Empresarial e Contábil. E jamais se deve fazer uma conta sem saber se terá ou não dinheiro para pagá-la, mesmo naquela promoção irresistível. “Saiba o que tem em mãos para gastar e, deste valor, sempre separe 10% no mínimo, para que possa investir. E, se possível, coloque em uma aplicação (poupança, CDB, RDB, etc.)”, aconselha. O controle financeiro pode ser feito numa folha de papel ou planilha, o que facilita a visualização de como o dinheiro é empregado todos os meses. O docente da área de gestão e negócios do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) de Jaú, Rodrigo Batista Daniel, complementa que o recebimento do 13º salário deve ser encarado como oportunidade de desafogar o orçamento deste fim de ano e começar bem 2016. “As dívidas atrasadas ou que tenham maior taxa de juros são as que devem ser quitadas primeiro”, orienta, para evitar o efeito bola de neve. Desafios Manter-se na zona de conforto pode até trazer mais segurança, pois resulta num desempenho constante, porém, limitado. Segundo a psicóloga, pedagoga e hipnoterapeuta Maira Cibele Espricigo, esse modo de vida evita qualquer situação que acrescente dor ou esforço, o que, inevitavelmente, inibe o alcance de alguns projetos. “Em algumas áreas da nossa vida, o sucesso é edificado na capacidade que temos de enfrentar obstáculos e dificuldades”, ressalta. Exemplo disso é a jornalista Ana Luiza Martins, 23, que se prepara para trabalhar nos Estados Unidos em fevereiro. A recém-formada estuda inglês desde criança, fez intercâmbio e já trabalhou nos EUA por um curto período, o que garantiu a experiência necessária para vivenciar este novo projeto. Faltando poucos meses para a viagem, ela se prepara estudando sobre a empresa em que vai trabalhar e acredita que será um tempo enriquecedor, pois terá a chance de conviver com pessoas e culturas diferentes. Ana Luiza admite que não é fácil ficar longe de familiares, amigos e de seu país, mas o esforço vale a pena. “O que eu penso é em toda bagagem, tanto profissional quanto pessoal, que trarei de volta para o Brasil. E quem se propõe a fazer intercâmbio ou realizar qualquer outro projeto que demande planejamento, principalmente financeiro, precisa considerar que o processo não será fácil e que momentos complicados virão, mas o resultado e voltar para casa melhor do que antes é muito motivador”, garante.

Carreira Quem nunca pensou em uma promoção de cargo, aumento salarial ou novas oportunidades no mercado de trabalho? Seja como for, edificar a vida profissional requer dedicação. E para que o sonho não seja frustrado, Gonçalves sugere que o prazo final seja definido (em dia, mês e ano) e lembra que é fundamental entender que meta é algo intransferível, ou seja, ninguém mais pode executá-la por você. Segundo o empresário, quando se trata de mudanças profissionais, há perguntas que precisam de respostas. Deve-se analisar, por exemplo, se existe conhecimento para o que se pretende fazer ou se há necessidade de cursos complementares para conseguir melhores oportunidades. Além disso, pode-se observar se a mudança almejada será positiva em longo prazo e quais motivos levaram a essa meta – se emoção (raiva, empolgação, medo) ou razão (realmente é o que quero).

“Definir metas realizáveis e de forma clara é o segredo para ter êxito em cada projeto” 2016 no azul Viajar nas férias, trocar de carro ou investir no próprio negócio são apenas alguns dos projetos que precisam de planejamento financeiro. Aliás, renda extra é sempre bem-vinda – nunca se

Revista Energia 21


Vida acadêmica Conhecimento nunca é demais. Principalmente para atuar (e se destacar) no mercado de trabalho. Por isso, para ser aprovado naquele vestibular, na pós-graduação, no concurso público ou conseguir bolsa de estudos é preciso manter a concentração e estudar diariamente, mas de forma equilibrada. “Sempre sugiro aos meus alunos que estabeleçam horários durante a semana para estudar e priorizar os pontos de maior dificuldade, principalmente no começo do ano, quando estamos todos mais animados e bem menos cansados. Comparar os resultados em simulados para poder fazer um plano de estudo também é importante”, recomenda Maria Ester Cacchi, que é historiadora, diretora pedagógica e professora na ZEC Vestibulares. Se o estudante faz um pré-vestibular matutino, por exemplo, Maria Ester propõe que revise as matérias à tarde, no mínimo

por mais duas ou três horas. Seguindo um plano de estudos é possível obter bons resultados, sem deixar de lado o convívio com familiares e amigos. Mas vale lembrar que alimentação equilibrada, tempo de sono suficiente e exercícios físicos também são essenciais. “Exagerar nas redes sociais também é ruim para quem está nessa fase”, alerta a coordenadora. Saúde em dia Entre todos os projetos possíveis para o novo ano, provavelmente aqui está o mais importante: investir na saúde. Em meio a tudo que exige tempo, é fundamental separar alguns minutos do dia para cuidar do corpo e da mente, dedicar-se aos exercícios físicos e à leitura, bem como ter boa alimentação. Para o educador físico e fisiologista do exercício Bruno Creste, da Academia Corpo e Ritmo, o importante é evitar o radicalismo, a fim de manter o foco nas estratégias estabelecidas. “Ser radical com a alimentação ou querer virar um superatleta do dia para a noite só irá gerar desconfortos e frustrações. Fatalmente, irá abandonar as atividades em pouco tempo”, diz. “Se você come mais do que gasta, seu organismo tende a armazenar essa energia obtida através da nutrição”, explica Creste. Para evitar esse armazenamento em excesso é preciso movimentar-se por meio de modalidade de exercício que traga bem-estar e saúde. O educador ainda ressalta a necessidade de procurar ajuda profissional, seja nos treinamentos ou na nutrição. Persistência Como tudo na vida, nossos objetivos precisam ser regados de paciência. Eventualmente, o desânimo pode bater à porta, mas não deve ser considerado como prova de incapacidade. Segundo a psicóloga Maira Cibele Espricigo, esses momentos servem para avaliação ou reajuste de rota, a fim de nos conduzir à evolução. “Embora no começo do ano as pessoas se deem uma oportunidade de mudar, de querer realizar algo novo, eu acredito que todos os dias são novas oportunidades”, conclui. 

22 Revista Energia


Revista Energia 23


Capa

Sempre ao seu lado Uma das nossas maiores realizações é a construção da casa própria, um verdadeiro lar, onde nos vemos felizes na companhia de nossa família e dos amigos Texto Heloiza Helena C Zanzotti


Q

uando adquirimos um terreno logo começamos a planejar a construção. Cada cômodo, cada detalhe é imaginado para que nos sintamos o mais confortável possível. Entretanto, construir uma casa atualmente é muito diferente do que era anos atrás. Hoje contamos com novas técnicas, produtos inteligentes, sem falar nos itens de segurança que se tornaram indispensáveis. Mas, se por um lado a tecnologia favorece para que o imóvel fique pronto mais rapidamente e tenha mais qualidade, por outro as lojas de materiais de construção aumentaram significativamente, e na maioria delas somos apenas mais um cliente. Conhecer o cliente Muitos de nossos leitores passaram pela experiência de entrar em um estabelecimento comercial e ser reconhecido, chamado pelo nome. As empresas tinham o cuidado de tratar os clientes de forma personalizada, sabia onde viviam, quem fazia parte da família, que tipo de produtos necessitavam, quais suas preferências, quanto tinham disponíveis para gastar e qual a forma de pagamento mais conveniente, ou seja, ofereciam serviços personalizados e isso era extremamente importante para manter a fidelidade. Com o passar do tempo e crescimento das empresas, esse contato com o cliente foi ficando esquecido, os atendimentos tornaram-se rápidos e impessoais.

Construindo com você Em um momento tão importante como a construção de um imóvel, que muitas vezes é a realização de um projeto de vida, contar com o apoio de profissionais cujo objetivo seja construir relacionamentos de longo prazo com o cliente é fundamental para que sejamos atendidos em todas as nossas necessidades e preferências. Imagine poder contar com a orientação de quem não se preocupa só em vender, mas em saber se o produto vai realmente servir para a finalidade que você deseja. Essas empresas são raras atualmente, mas elas existem. Um bom exemplo é a GF Materiais para Construção, que reflete em seu slogan a proposta da empresa: caminhar lado a lado com o cliente, buscar sua satisfação e construir relacionamentos baseados em transparência e seriedade.

" GF Materiais para Construção Preparada para o futuro " Revista Energia 25


Equipe GF Jaú

Conheça a GF Instalada em Jaú, a GF Materiais para Construção está desde 1991 sob a direção dos amigos Olindo Ushiro, Antonio Aparecido Rossi e Antonio Edenilson Trevisan, que se uniram para construir uma empresa cuja filosofia fosse pautada na ética em relacionamentos com clientes e fornecedores. Assim, a empresa procura a excelência no atendimento, preocupação com a qualidade dos produtos e serviços, além da atualização constante da equipe, sempre com o propósito de atender todas as necessidades de quem está construindo ou reformando. Equipe qualificada Atuar com ética e profissionalismo é um dos pilares da GF. Para isso a empresa conta com uma equipe preparada para orientar e contribuir na solução dos problemas que surgem nas obras em geral. Através de parcerias com o Senac, Sebrae, Fatec e outras instituições que oferecem qualificação profissional, a GF capacita constantemente seus colaboradores, realizando

treinamentos frequentes pela empresa HRS Consultoria Empresarial, que está desenvolvendo o SGI (Sistema de Gestão Integrado) que busca realizar a integração dos processos de qualidade, meio ambiente, segurança, saúde ocupacional e responsabilidade social conforme características, atividades e necessidades de cada organização. Atenção total ao cliente, acompanhando-o em todas as etapas da sua construção, de materiais de base ao acabamento, faz parte da estrutura de logística da GF, principalmente ao proporcionar uma entrega rápida e eficiente em Jaú e toda região, para que uma obra não fique parada à espera de algum produto. Muitas vezes uma pequena reforma pode virar uma grande dor de cabeça, por isso, na hora de escolher a loja de material de construção lembre-se que pequenos detalhes podem fazer a diferença. Em 2011 é inaugurada a filial na cidade de Dois Córregos, com a mesma proposta de servir melhor a população daquela cidade e fortalecendo a marca GF no mercado de regional.

Equipe GF Dois Córregos

26 Revista Energia


Instalação de lajes

TecnoLaje Em 1994 a GF Materiais para Construção ampliou seus serviços através da Tecnolaje, que fabrica lajes e pré-moldados de concreto, tornando mais completa a gama de materiais para construção à disposição de seus clientes. Produtos e serviços diferenciados e personalizados como escadas de concreto de vários tipos e modelos, com profissionais qualificados para a avaliação, sugestão e indicação de soluções que melhor atenda as necessidades de cada obra. Outra opção que a empresa oferece é a calçada de ladrilhos autotravantes, que com beleza e modernidade valoriza a residência e deixa sua fachada renovada. Responsabilidade social e ambiental A GF tem consciência de que a preservação do meio ambiente e a adoção de práticas sustentáveis são fundamentais para proporcionar um mundo mais saudável para se viver. Por isso investe continuamente em ações que beneficiam o meio ambiente e a sociedade em geral. Além disso, procura sempre orientar quem constrói para ações e produtos que gerem benefícios ao meio ambiente como aquecimento solar, materiais sustentáveis e outros artigos que embora gerem algum custo a mais no início, a longo prazo resultam em valiosas economias no dia a dia das pessoas. E por falar em economia, na GF você tem a possibilidade de financiar a sua obra ou reforma de maneira rápida e sem complicação, com diversos planos que certamente caberão no seu bolso. Na área social, a GF realiza a Ação do Bem que beneficia intituições em Jaú e Dois Córregos através da viabilização de projetos de reforma, construção e demais necessidades de cada instituição. Em Jaú, foi benefíciado o Grupo de Escoteiros Ibica-re-ig, e em Dois Córregos o Asilo Tito Paiva.

Fabricação própria

Acabamentos fornecidos pela GF

Obra em andamento com GF

Colaboradores há mais de 20 anos José Gouvêa, Carlos Henrique e Paulo Sérgio

Revista Energia 27


Os melhores produtos A GF sabe que a escolha dos fornecedores é fundamental para que seu cliente tenha produtos de primeira qualidade, assim, representa as melhores marcas do país, os mais avançados produtos e serviços, que geram economia e sustentabilidade. Empresas consagradas como Vent-Lar, Deca, Votoran, Quartzolit, Tigre, Suvinil, Gerdau, Brasilit e tantas outras fazem parte do portfólio de fornecedores da GF Materiais para Construção, pois a empresa sabe que o material certo, de boa qualidade durará por anos, por décadas, e trará muito mais satisfação a quem investe dinheiro na construção ou reforma de um imóvel. GF Loja Jaú

Fazendo a diferença Não é por acaso que a empresa conquista e fideliza cada vez mais clientes. Com a credibilidade e confiança adquiridas ao longo dos anos, a GF concentra sua missão em atender e superar as expectativas de quem entra em sua loja, seja para adquirir algum pequeno item ou todo o material de uma obra. Experimente a sensação de ser tratado de maneira especial e perceba a diferença que faz relacionar-se com uma empresa que considera o cliente o seu maior patrimônio. 

GF Materiais para Construção Jaú: Av. João Franceschi, 2007 Tel: 14 3601 9300

GF Loja Dois Córregos

Dois Córregos: Av. Gofredo Schilini, 146 Tel: 14 3652 9922 contato@gfconstrucao.com.br

Honestidade, responsabilidade e trabalho. Aliás, muito trabalho. Esses foram os três pilares que nortearam as ações do Escritório JC Polônio em 2015, para prestar a você o melhor serviço em organização contábil. Ficamos honrados em fazer parte e acompanhar o dia a dia da sua empresa, contribuindo para o seu crescimento e reconhecimento.

2016

, fortalecer Estamos prontos para, em nossos laços junto aos clientes, parceiros e amigos.

Rua Dona Silvéria, 56 - Centro - Jaú / SP (14) 3602 3535 | www.jcpolonio.com.br contato@jcpolonio.com.br | 28 Revista Energia

escritoriojcpolonio


Saúde

Suscetíveis ao câncer A Síndrome de Li-Fraumeni é rara e requer acompanhamento Texto Marielle Rosa 30 Revista Energia


Foto Internet

Q

uem já lutou contra um câncer ou teve algum caso na família sabe que a descoberta da doença é acompanhada de preocupações. Manter a esperança de que tudo ficará bem torna-se um desafio diário e necessário para seguir em frente. Porém, mais difícil do que enfrentar um tumor maligno é enfrentá-lo por várias vezes, como no caso de alguns pacientes acometidos pela Síndrome de Li-Fraumeni – nome dado em homenagem aos médicos americanos que a reconheceram e descreveram, Frederick Pei Li e Joseph F. Fraumeni Junior. O que é a síndrome A doença hereditária é caracterizada pelo alto risco de desenvolvimento de tumores nas famílias portadoras, principalmente cerebral e suprarrenal, leucemias, câncer de mama e sarcomas. O

problema torna o paciente incapaz de controlar adequadamente o crescimento de suas células, bem como de corrigir seus eventuais erros genéticos, o que aumenta sua propensão a desenvolver diversos tipos de câncer, como explica a oncologista Ana Lúcia Coradazzi. Além disso, o diagnóstico ocorre em idade mais precoce do que o habitual. Na faixa de 30 anos, o risco de esses pacientes desenvolverem tumores é em torno de 50%. Já aos 70 anos, esse risco aumenta para 90%. “No caso do câncer de mama, por exemplo, estima-se que até 90% dessas mulheres terá desenvolvido a doença até os 60 anos de idade, sendo que a grande maioria terá o diagnóstico antes dos 45 anos”, afirma a médica. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 280 casos da Síndrome de Li-Fraumeni foram identificados até 2003. Contudo, enquanto a incidência da síndrome é estimada

Revista Energia 31


Dra Ana Lúcia Coradazzi

em um para cada cinco mil indivíduos no mundo, é registrado um novo caso a cada 330 pessoas nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Isso porque foi detectada mutação genética que ocorre apenas na população brasileira. Herança genética Exemplo de superação constante, a estudante Mayara Luiza Gromboni de Oliveira, 19, foi diagnosticada com linfoma aos 7 anos. Aos 11 anos descobriu outros tumores e foi encaminhada para receber tratamento em São Paulo, onde passou por quimioterapia pela segunda vez. A estudante foi submetida a teste genético que constatou o prognóstico: era portadora da Síndrome de Li-Fraumeni, bem como seu pai, que faleceu por metástase. Seu avô paterno também faleceu por tumor cerebral. Neste caso, há probabilidade de 50% para que os filhos herdem o problema. No entanto, seu único irmão, o jornalista Marcelo Gromboni de Oliveira, 24, não ficou imune, conforme também apontou teste, e desenvolveu glioblastoma aos 19 anos. Infelizmente, os casos na família não param por aí e mais duas pessoas foram diagnosticadas com a doença, mas nunca desenvolveram nenhum tipo de tumor. “O problema é que entre os portadores da síndrome, o risco de desenvolvimento desses tumores é cerca de 100 vezes maior do que na população normal, e não temos como saber quem vai ou não desenvolvê-los”, pondera a oncologista. Um dia de cada vez Mayara já retirou 23 tumores, sendo 16 malignos, e seu caso é objeto de estudo. Porém, garante que apesar das dificuldades, nunca desanimou. “Eu confio que vai dar certo, sei que Deus sabe o que é melhor para a gente e que Ele não dá cruz maior do que a gente pode carregar. Se Ele deu, é porque consigo. Então, independente do que eu tiver que passar, eu vou conseguir, eu tenho fé que vai dar certo. Se você se deixar abater, foge do nosso controle”, acredita. 32 Revista Energia

Seu irmão também encara o problema de forma positiva, o que os ajuda a ter uma vida normal, apesar dos períodos de tratamento. Marcelo defende que sem todo o apoio de familiares e amigos, certamente, seria mais difícil. “Acredito que a forma como eu e minha irmã conduzimos o assunto faz com que eles aceitem e encarem com muita garra”, diz. A mãe e comerciante Selma Regina Gromboni de Oliveira, 51, conta que foram muitos momentos difíceis até aqui, mas a fase desesperadora foi quando Mayara retornava a São Paulo para mais uma cirurgia e, ao mesmo tempo, seu irmão foi diagnosticado com tumor. Selma fica apreensiva a cada novo exame periódico, mas assim como os filhos, continua esperançosa. “Eles vivem a vida de maneira normal, enfrentando as batalhas de cada dia. Jamais perdem a alegria, a coragem, a determinação e a fé de que tudo vai se resolver, de que Deus está sempre no comando e fará sempre o melhor”, fala. Todos Ajudam Para combater os últimos três tumores que desenvolveu no braço, Mayara precisou passar por quimioterapia localizada. Para o procedimento foi necessário medicamento importado da Alemanha, que custa cerca de R$ 20 mil por ampola. A chance de 80% de cura mobilizou amigos da estudante, que desenvolveram na internet a campanha Todos Ajudam, com objetivo de arrecadar o valor por meio de doações. Mayara recebeu ajuda de pessoas de todo o Brasil e de países como Argentina, Austrália, Índia, Irlanda, Israel e Suíça. O valor foi alcançado em apenas oito dias, o que possibilitou o início de

“Independente do que eu tiver que passar, eu vou conseguir, eu tenho fé que vai dar certo. Se você se deixar abater, foge do nosso controle” (Mayara) Mayara Luiza Gromboni de Oliveira


seu tratamento. “Foi muito bom saber que muitas pessoas que não conhecem minha filha se sensibilizaram e ajudaram, não só financeiramente, mas com palavras de carinho e amor. Só tenho a agradecer e pedir que Deus abençoe cada uma dessas pessoas”, conclui Selma, que ficou surpresa com os resultados da campanha.

Mayara Luiza Gromboni de Oliveira e Marcelo Gromboni de Oliveira

Diagnóstico precoce Considerada a seriedade da doença, é de extrema importância que as famílias portadoras da mutação sejam adequadamente orientadas e acompanhadas. O oncologista Carlos Augusto de Mendonça Beato ressalta que pessoas com histórico de câncer na família devem fazer exames precoce e periodicamente, como mamografias e avaliações ginecológicas, na tentativa de detectar os tumores e ter maiores chances de cura. A oncologista Ana Lúcia Coradazzi alerta que vale ficar atento aos critérios para reconhecer o problema: • se tiver diagnóstico de sarcoma em idade muito jovem (antes dos 45 anos); • se tiver parente de primeiro grau com diagnóstico de câncer em idade muito jovem; ou • se tiver parente de primeiro ou segundo grau diagnosticado com qualquer tipo de câncer antes dos 45 anos ou sarcoma em qualquer idade. O diagnóstico é feito por meio de teste genético, que deve ser realizado em serviços que disponham de aconselhamento genético capacitado. 

Revista Energia 33


Vestibular

Paulo Zamboni e Maria Ester Cacchi Sócios Diretores

Chegou a sua

vez

Todos sonham em cursar as melhores universidades, entretanto, para conquistar uma das poucas vagas disponíveis você deverá estar muito bem preparado

vestibular é uma competição acirrada para quem deseja entrar em uma boa instituição de Ensino Superior. Há poucas vagas, muitos estudantes disputando esse espaço e é lógico que nenhum deles quer ficar anos tentando, por isso, as escolhas que você faz agora podem determinar seu sucesso ou fracasso.

Esteja entre os melhores

Você vai ouvir muitas vezes que não importa se a escola é pública ou particular, pois quem faz um curso ser bom é o aluno. Pode ser, mas há muitas vantagens em cursar uma universidade pública, e vale a pena sacrificar-se por elas. Como a concorrência é grande e é preciso estudar muito para estar ali, a primeira vantagem é conviver com colegas que possuem excelente nível de

34 Revista Energia

Maurício Tadeu Leal Professor

Foto Arquivo pessoal

O

Texto Heloiza Helena C Zanzotti


conhecimento, e que vão levar o curso a sério. Além disso, cursar uma universidade estadual ou federal tem peso no currículo e pode abrir muitas portas, pois as empresas conhecem a qualidade de ensino dessas instituições e dão preferência para seus alunos.

ZEC Vestibulares é para você Autoconfiança, motivação e estratégia correta no aprendizado, organização e disciplina. Estes são fatores decisivos para o bom desempenho do vestibulando. Na ZEC Vestibulares você encontrará recursos para desenvolver seu potencial, ampliar sua capacidade dedutiva, interpretar textos de maneira eficiente, além de aprender estratégias para enfrentar testes e provas.

Os melhores professores O corpo docente da ZEC Vestibulares foi escolhido criteriosamente pela capacidade em trabalhar com livros, pela vasta cultura geral e específica e pela disponibilidade em atender o aluno com atenção e cordialidade. Formado pelos melhores e mais gabaritados professores da região, empenha-se em trabalhar de maneira detalhada as matérias e passar todo o conhecimento necessário. Além disso, devido ao número reduzido de alunos, o professor identifica e trabalha as dificuldades de cada um com mais rapidez e eficiência.

“As escolhas que você faz agora podem determinar seu sucesso ou fracasso” Material diferenciado Na ZEC Vestibulares você terá a oportunidade de estudar com um dos melhores materiais didáticos do país. A coleção da Editora Moderna voltada para os vestibulares é cuidadosamente elaborada para que o aluno assimile o conhecimento necessário e desenvolva o senso crítico. É óbvio que nem o sistema apostilado nem o livro didático, isoladamente, determinam se um aluno aprende mais ou menos. Entretanto, a exemplo da maioria dos países com os melhores resultados no ensino, ZEC Vestibulares trabalha com livros didáticos devido ao conteúdo mais aprofundado, mais contextualizado, enquanto o sistema apostilado, em geral, costuma sintetizar mais os assuntos.

Quem ensina, sabe Tanize do Espírito Santo Faulin, responsável pelas aulas de Biologia é formada em Ciências Biológicas Modalidade Médica (Uniararas) com Pós-Doutorado em Ciências pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP e Pós-Doutorado pela Karolinska Institute, KI, Suécia. A especialista ressalta que o livro de biologia explica elementos e dá um suporte que nenhum material didático apostilado poderia apresentar. “As provas da área de biologia mudaram muito em duas décadas. Hoje não basta o aluno decorar, ele precisa entender o conteúdo e o livro didático favorece muito esse processo. É um prazer trabalhar com livro de autoria de dois grandes nomes como são Marthos e Amabis (autores do livro de biologia)”. De acordo com o professor de Geografia Maurício Leal, advogado, licenciado em Geografia e História com mestrado em Geografia, “O livro didático tem um conteúdo menos sintetizado, que permite ao aluno estudar valendo-se de um contexto de informações bem mais amplo. Importante lembrar que o livro didático requer do professor uma atenção maior para planejar aulas, enriquecendo muito todo o processo”.

Quem conhece, aprova Paulo Muloto, aluno ZEC em 2014, não chegou a fazer cursinho, apenas os cursos de Redação, Física, Matemática, História e Geografia. Ainda assim passou na UNICAMP, UNESP e USP, em Engenharia Elétrica e de Computação, área bastante concorrida. “O modo como as matérias são trabalhadas na ZEC Vestibulares me ajudou a encarar o desafio do vestibular. Através das aulas em turmas pequenas, os professores puderam me ajudar nas principais dificuldades, aprofundando bem os conteúdos, sempre através de teoria e exercícios recentes. A equipe ZEC também esteve presente nos momentos mais importantes do meu caminho para a aprovação, fazendo com que eu me sentisse sempre em meio a uma família. Obrigado, família ZEC!” Agora chegou a sua vez de estar entre os melhores, e conquistar seu espaço na universidade que você quiser. Em 2016 a ZEC Vestibulares estará ao seu lado, para que seu sonho seja realizado! 

Alessandra Bonalume Tanize E. S. Faulin Daniel Turini Thais Castro Ramos Professores


Heloiza Helena C. Zanzotti

C

onsiderado Patrimônio Histórico Cultural de Jaú, o Mercado Municipal surgiu de um projeto do vereador Dr Constantino Fraga, após diversas tentativas de se criar um centro de abastecimento que atendesse às necessidades das famílias jauenses. As obras do edifício foram iniciadas no final de 1896, porém, só foi inaugurado oficialmente em 7 de janeiro de 1899, e efetivamente aberto ao público em 1º de fevereiro do mesmo ano. O engenheiro responsável pela planta e construção foi João Salomé Queiroga. Construído em estilo renascentista italiano, o edifício tem a forma de um quadrilátero perfeito, com espaço para circulação na área central. As portas são de ferro e no alto da construção existem quatro estatuetas simetricamente distribuídas, que representam as estações do ano. Agricultores de toda a região vinham comercializar os seus produtos no local, que funcionava como um verdadeiro entreposto onde se vendia de tudo um pouco: hortaliças, carnes, legumes, roupas, calçados, etc. Pouco antes de completar 100 anos, na madrugada de 19 de dezembro de 1990, o Mercado Municipal sofreu um incêndio de grandes proporções, que quase destruiu todo o local. Como o desastre ocorreu no final do ano, para aproveitar as vendas de Natal aqueles que não tiveram seus boxes destruídos foram autorizados a reabrir, enquanto os outros improvisaram barracas. Após o dia 31 de dezembro o local foi fechado e os comerciantes passaram para uma instalação provisória na Rua Saldanha Marinho, em galpão que foi locado pelos mesmos.

36 Revista Energia

Após reforma que durou quatro anos foi reinaugurado no dia 5 de fevereiro de 1994, pelo então prefeito Waldemar Bauab. Os responsáveis pela reconstrução do prédio procuraram manter todas as características arquitetônicas, preservando e garantindo o projeto original. Até o final de 1960 o Mercado Municipal também foi usado como rodoviária. Os veículos entravam pelo portão principal, na esquina das ruas Visconde do Rio Branco e Tenente Lopes, para embarque e desembarque de passageiros de toda a região. Atualmente o Mercado Municipal abriga diversos boxes que comercializam roupas, calçados, acessórios, presentes e também dispõe de uma praça de alimentação. 

Fotos: Internet

Mercado Municipal


Por:

Casaforte Natal 2015 Natal lembra renovação, arrumação, cuidado. Todos queremos deixar a casa maravilhosa para recebermos os amigos e a família nesta data. Então, aproveite as dicas que a designer de interiores Lenita Cestari preparou especialmente para você, leitor da RE. Para encantar os convidados já na porta de entrada, coloque uma guirlanda, que tem o significado de dar boas-vindas, além de representar prosperidade, saúde e abundância. Em sua sala tenha sempre um presépio, a representação do nascimento de Jesus. Podemos montá-lo em uma bandeja com velas, bolas e sinos, e colocá-lo em lugar de destaque, pois é o verdadeiro significado do Natal. A árvore de natal sempre é uma delícia de ser montada com a família e cada um dará o seu toque na decoração. Pode ser com balas, bombons, bolas, galhos ou flores. Faça grandes laços com fitas vermelhas e ela ficará incrível. Espalhe muitas velas pelos ambientes (lavabo, sala de jantar, living). Elas deixam o ambiente acolhedor e charmoso. Vale até as de led; caso não tenha castiçal, coloque-as dentro de taças de vários tamanhos. O resultado é maravilhoso. Encante os convidados oferecendo um mimo para cada um. Você pode arrumá-los numa bandeja, cesta ou sobre cada prato na mesa do jantar. Pode ser um cartão com dizeres incríveis, uma velinha, um enfeite para a árvore, use a imaginação. Prepare sua casa com carinho, mas lembre-se o verdadeiro Natal está dentro de você. Devemos iluminar nossos convidados com nossas atitudes de alegria, carinho, entusiasmo, delicadeza e amor. Estes são os verdadeiros símbolos do Natal de Jesus. Feliz Natal e um 2016 bárbaro. Lenita Cestari e Casaforte Empreendimentos

Crédito: Casa Allegro / Dazze Tapeçaria

Ambientes sob medida


Energia Garota

Gabriela Eufrasio

Por Paula Mesquita

Ficha técnica:

Fotos: Moinho Propaganda Looks: Paula Mesquita Cabelo: Jorgin Cabelo e Estética Local: Arte Café


Tel.: (14) 3626 3850 Rua Campos Salles, 256 - Centro JaĂş/SP Paula Mesquita Modas Revista Energia 39


Reflexão

Natal: um beijo de Deus nos lábios do mundo

Falou Natal pensamos em presente. O título desse meu artigo também foi um presente que eu ganhei de um grande amigo chamado Zé Lima.

P

Texto Luiz Longuini Neto

rofessor, escritor, poeta, Zé Lima mora em Campinas. Atrevo-me a dizer que é um cara sem pecado. Tudo isso para dizer que a originalidade do tema não é minha, é dele, e dou o crédito com alegria. A teologia nos ensina que presente tem um nome sagrado, ou teológico. Isso se chama sacramento. Nossa! Isso é uma coisa pra Igreja! E bem distante do nosso dia a dia. Não é não. Quando você toma um chope, uma cerveja, um bom vinho, ou faz uma refeição com amigos ao redor de uma mesa, isso também é um sacramento. Porque um sacramento está dividido em duas partes. A primeira é aquilo que a gente vê: o vinho no copo. E a segunda é aquela parte que a gente não vê, mas sente, sabe que existe e está lá, representando coisas ou valores como o amor, a amizade, a solidariedade, o afeto, a alegria da companhia, o prazer da bebida e do alimento, o desejo, os olhares trocados, enfim, sacramento é um grande presente. O Natal é então um sacramento (presente) para o nosso mundo. Presente que recebemos do Eterno. Esse presente chega quando nós mais necessitamos. Que bom receber presente quando a gente precisa! O presente maior do Eterno chega quando estamos sem esperança e as lutas da vida nos desanimam a cada dia. Chega quando parece que já não temos forças para resistir. Chega quando estamos com muitas dívidas, pessoas da família enfermas. Olhamos para todos os lados e parece que só existe guerra. As famílias estão se dilacerando. Os nossos líderes políticos que se corrompem cada vez mais. Parece que a felicidade não existe! E quase que detestamos o final do ano! Muitas vezes odiamos a correria às compras, gastar cada vez mais, e o Natal virou uma festa de consumo. Apenas isso. Mas essa não é a realidade do Natal. O beijo que Deus nos dá é um beijo que transforma a nossa vida e faz com que a olhemos com uma visão de espiritualidade, não só o material. O Natal é

40 Revista Energia

ver que o mundo pode ficar de cabeça para baixo. Os valores todos podem ser invertidos. Afinal, o menino que nos guia e que é o Príncipe da Paz nasceu numa cocheira. Rodeado de vacas, bois, cabritos, porcos, cavalos, ovelhas, nasceu no meio do cheiro de bosta de vaca. Essa inversão que o Natal propõe é que precisa ser o guia da nossa vida. A simplicidade do nascimento do Cristo precisa nos levar a um compromisso mais humano com a nossa mãe Terra. Precisa nos levar a amar mais as pessoas e a natureza. O tempo do Advento que nos prepara para o Natal deveria ser vivido em total fraternidade, alegria, comunhão, amor entre as pessoas. O verdadeiro sentido do Natal está na espiritualidade com que ele nos envolve e nos comove. O Natal pode ser uma luz que nos guia e que ilumina os nossos passos a cada dia. Busquemos a luz. Busquemos a paz e o bem. Busquemos as pessoas de bem e que desejam transformar esse mundo em algo melhor. E juntos. Todos juntos vamos ajudar sempre e sempre, cada vez mais aqueles que necessitam de um pouco mais de afeto e carinho. O beijo que Deus dá nos nossos lábios precisa ser compartilhado com todos que estão ao nosso redor. Feliz Natal. Luiz Longuini Neto Teólogo e Filósofo Mestrado em Ciências da Religião na UMESP e Doutorado em Ciências da Religião em Hamburgo, Alemanha e Brasil/ UMESP Autor de dois livros e inúmeros artigos acadêmicos 


Revista Energia 41


Foto: Internet

Lazer

A rica e essencial

experiência de viajar Mais preciso que navegar, viajar é também trocar a roupa da alma e (re) descobrir o mundo

Texto Flávia Cardoso França

42 Revista Energia


S

e somos, de fato, resultado dos livros que lemos, das viagens que fazemos e das pessoas que amamos, conforme o jornalista viajante Airton Ortiz, é melhor começar a planejar o próximo destino. Ainda dá tempo de colocar a leitura em dia e apertar os laços com quem ama, desfrutando de novos cenários, cheiros e sabores. Um ano está acabando e o outro começando. A divisão do tempo em ciclos permite a concepção do sentimento de renovação, de recomeço e do surgimento de novas oportunidades para construir ou reconstruir. Para que a reflexão e a criatividade sejam estimuladas, é necessário um período de ócio e pausa nos hábitos rotineiros. Tendo em vista a chegada do verão e as datas propícias da alta temporada, como o Natal, Réveillon, férias escolares e Carnaval, chegou a hora de pensar na possibilidade de deixar o ninho e atravessar as fronteiras, rumo ao condigno descanso. Não importa se a fadiga é física ou mental; se a companhia é fraterna, passional ou inexistente; ou se o objetivo é a busca da paz interior, necessidade de diversão e lazer, ou interesse ávido por desbravar outros caminhos. Viajar é a melhor opção para recarregar as energias e combater uma série de males à saúde física e mental.

10 dicas para economizar na viagem de férias e lazer:

Planeje a viagem preferencialmente com três ou mais meses de antecedência do embarque; Se a escolha ou a decisão da viagem ficou para última hora, opte por garimpar promoções tipo “saldão de pacotes” ou opções em voos fretados, que costumam oferecer preços atrativos; Se a viagem for para o exterior, fique de olho em promoções de pacotes com câmbio promocional, que oferecem economia ao bolso. O câmbio promocional é aplicado no preço do pacote, ou seja, convertido para reais no ato da compra e parcelado em até 10 pagamentos sem juros; Opte pelo parcelamento do pacote de viagem em até 10x sem juros, preferencialmente no boleto bancário, pois assim o cartão de crédito fica livre para qualquer emergência durante a viagem; Para gastos durante a viagem ao exterior, opte pelo cartão pré-pago ou moeda em espécie para limitar os gastos com antecedência; Encurtar a viagem nem sempre reduz as despesas. Melhor controlar compras; Para baratear a viagem, as operadoras oferecem opções de hospedagem em apartamentos duplos, triplos e, em alguns casos, quádruplos, sendo uma opção mais em conta para acomodar a família; Opte por pacotes que ofereçam passeios inclusos, seguro viagem, assistência de guia e até alguns que incluam meia-pensão ou pensão completa de alimentação, o que evita gastos extras no local; Consulte se a operadora oferece acordos exclusivos com hotéis, que garantem tarifas mais competitivas do mercado; Antecipe a viagem em um dia se houver promoções de pacotes.

Como deixar a crise fora da mala A RE conversou com Natália Toledo, da companhia de viagens CVC em Jaú, sobre como driblar o difícil quadro econômico e aproveitar melhor o merecido período de folga e lazer. “Em razão da alta do dólar e também da instabilidade econômica, percebemos que o consumidor está mais criterioso na escolha dos destinos e que o destino dos sonhos está sendo substituído pelo destino que cabe no bolso. Muitas pessoas pensam que vendemos apenas pacotes de viagem, mas trabalhamos com inúmeras formas de atendimento. O nosso diferencial é poder atender o passageiro da forma que ele quiser, desde um aéreo até a locação de veículos, realização de passeios e agora com uma novidade: a venda de cursos no exterior, com toda a qualidade e confiança que nossa empresa transmite aos seus passageiros”, afirma a agente de viagens. Segundo a agência, que há mais de quarenta anos atua no mercado do Turismo no Brasil, historicamente, o segundo semestre no setor de turismo é marcado pela maior procura dos brasileiros pelos destinos nacionais por uma questão de sazonalidade, não apenas alta do dólar, e os destinos de sol e praia pelo Brasil continuam sendo a preferência nacional. Neste momento, a maior procura é para as viagens rumo ao Nordeste, os Mini Cruzeiros pelo litoral brasileiro, que voltam com força total nesta temporada por serem viagens curtas e mais baratas, e para destinos de praia na região do Caribe (Cancun e Punta Cana), onde quase a totalidade dos resorts operam no sistema All Inclusive, que significa o mesmo que “Pensão Completa”, com alimentação e algumas atividades inclusas no pacote, evitando assim um susto na hora do check-out.

Eu quero uma casa no campo... Desfrutar ao ar puro da vida no interior, nem que seja por alguns dias, pode ser revigorante. Momento mágico, em contato com a natureza, para renovar valores humanos e saborear a simplicidade da vida.


O turismo rural é uma opção bastante considerável quando se trata de tranquilidade e distração. Além de lazer, a hospedagem numa casa no campo pode proporcionar, também, aquisição de cultura sobre a vida agrária e sobre a identidade de um povo, elementos importantes da nossa história. O Estado de São Paulo tem fazendas centenárias em regiões onde ocorreram fatos importantes que marcaram a economia do Brasil. O ciclo do café propiciou o surgimento de construções sofisticadas, com influências da civilização europeia, manifestada em elementos da arquitetura, decoração e hábitos. Casarões da época colonial rejuvenesceram com singela sofisticação, a fim de acomodar os turistas à procura da paz que somente o campo oferece. Uma visita ou estada numa fazenda podem incluir roteiros e serviços que envolvem a colheita de produtos de época, cavalgadas, quitutes da culinária caipira, histórias e causos, cachoeiras e muita ecologia.

Estradas e destinos do Centro Oeste Paulista A Rodovia Washington Luís (SP-310), que liga São Paulo aos municípios do Noroeste do Estado, é ladeada por inúmeras construções rurais da época do cultivo do café, que foi o grande motivo para a ocupação das terras no final do século XIX. Cidades como São Carlos, Descalvado, Dourado, Brotas, São Pedro, Colina, Tabapuã, Itú, Campinas, Limeira, Santa Lúcia e Jaú são alguns destinos com patrimônios campestres que costumam abrigar turistas em busca de conforto com simplicidade. Da culinária ao aconchego de uma rede, do café de bule ao

passeio na mata, da quietude da pescaria ao descanso em meio às relíquias dos antepassados. Trata-se de fazendas, sítios, vales, chácaras e estâncias que se encontram à disposição dos turistas, para que possam vivenciar a natureza em toda a sua plenitude.

Fazenda Mandaguahy Uma boa opção para quem mora em Jaú é a Fazenda Mandaguahy, que pertence à família Almeida Prado. Além da casa-sede, em que sobressai o estilo neoclássico, o visitante é levado a conhecer uma tradicional fazenda cafeeira. Os passeios podem durar algumas horas ou incluir hospedagens nas dependências adaptadas para receber visitantes que poderão desfrutar da gastronomia, incluindo os pratos típicos e as cachaças e licores feitos na fazenda. Além das cavalgadas e caminhadas pelo bosque, com cerca de 30 mil metros quadrados de área preservada, com a presença de nascentes, mata ciliar, pomar e trilhas.

Aproveite o momento Não importa o destino, se o objetivo é viver momentos inesquecíveis ao lado de pessoas especiais, é hora de fazer as malas e aproveitar os dias propícios que se aproximam. Não é preciso procurar por lugares muito distantes, um passeio mais curto para visitar amigos e parentes, também, pode ser uma boa opção. O mais importante é aproveitar o momento sem pensar no retorno para a casa. Certamente, haverá mais disposição, bom humor e energia para enfrentar a realidade do dia a dia. Boa viagem! 


Look de artista

Tel: 14 3622 8364 Av. Frederico Ozanan 770 - JaĂş/SP 46 Revista Energia


Fotos: Douglas Ribeiro Modelo: Aline Piva Beleza: Jorgin Cabelo e EstĂŠtica Style: Vestylle Megastore Colaborador: Felipe Costa (Rachadores-MC) Revista Energia 47


Look de artista

48 Revista Energia


Revista Energia 49


club

Fotos Murilo Bergamo

Social

1

Bar do Português Nos dias mais quentes tomar um chope geladíssimo é a pedida! No Bar do Português, além do melhor chope do Brasil você conta com deliciosas opções de cardápio e petiscos. Atendimento rápido e organizado, decoração tradicional e preços justos. Confira. 1. Fachada 2. Natalia Cestari, Nicole Ometto , Ana Laura Fogo, Dannae

Grigolatto e Jessica Izeppe 3. Natalia Cano, Bruno Pupo, Silvia Gomez , Dulcineia Pereira e

Beatriz Desajacomo 4. Caroline Lopes, Bruna Botura, Naiara Oliveira e Milena Messa 5. Camila Geraldi e Lilian Ribeiro Sobral

2

3

4

50 Revista Energia

5


club

Social

1

15 anos

A debutante Beatriz Costa da Silva recebeu amigos e convidados no dia 20 de junho para comemorar seus 15 anos. A festa dos sonhos aconteceu no Terraço Médiz e os presentes viveram momentos de magia e emoção. Para Beatriz, o dia inesquecível merece estampar as páginas da RE. 1. Felipe Roberto Costa e Silva com Beatriz Costa da Silva 2. Beatriz Costa da Silva 3. Valsa com o padrinho Alessandro Desidério 4. Rafael Da Silva, Francisléia Costa da Silva, Lucas Costa da

Silva, Raul Costa da Silva e Beatriz Costa da Silva 5.Valsa com pai Rafael da Silva

2

3

4 5

Revista Energia 51


club

Social

1

Audiotec O IV Campeonato de Games Audiotec Computadores que aconteceu dia 01 de novembro no General Bar reuniu mais de 300 pessoas, entre competidores e simpatizantes. O diretor José Brancaglion Junior e equipe parabenizam os vencedores. O evento foi o maior sucesso e todos estão aguardando o próximo!

1. Abertura do IV Campeonato de Games Audiotec Computadores por José Brancaglion Junior 2. Finalistas/entrega de premiação da modalidade Mortal Kombat X 3. Finalistas/entrega de premiação da modalidade FIFA 15 4. Equipamentos, estrutura e caracterização do campeonato de alta qualidade 5. José Brancaglion Junior, Natália M. Martinez e André J. Silva

2

3

4

52 Revista Energia

5


club

Social

Jaú Shopping Neste mês de dezembro, o Papai Noel espera por você no Jaú Shopping. Leve a criançada para este encontro mágico e aproveite para conferir a Promoção Natal Premiado Jaú Shopping, com ofertas incríveis. E você ainda pode ganhar um Fiat Palio Fire 0 km. 1. Eduardo Catami da Silva 2. Leonardo Morales Filho 3. Maria Clara Jaqueta Borges

1

2

3

Revista Energia 53


club

Social

Energia 24 anos Domingo, 22 de novembro, foi realizada a Festa de 24 Anos da Rádio Energia na Arena Montana Mix. Sucesso de público, o evento contou com a presença de mais de 20 atrações de renome na música nacional e sertaneja. A Energia agradece a presença de todos que prestigiaram a maior festa do rádio de toda a região.

Apresenta

Patrocínio

Apoio


Apresenta

magnificajau Fones: (14) 3416-9916 / 99776-0630 Alameda Coronel Joaquim de Oliveira Matozinho 26 - JaĂş/SP

Revista Energia 55


Modelos: Carolina Panini e Barbara Capobianco. Acess贸rios atelier: Flavia Britto, Palhas Brasil e Cris Semij贸ias. Local: Armaz茅m S茫o Benedito

56 Revista Energia


Moda Por

Rua Amaral Gurgel, 866 - Centro - Jaú/SP Tel: 3418 3337 / 3418 3336

O

verão promete chegar com tudo. E para curtir a estação e as altas temperaturas, com todo conforto e leveza, nada melhor que investir em saias, vestidos, croppeds e regatões cheios de estilo. A renda será a queridinha do verão 2016, marcando presença em peças inspiradas nos anos 70 e também em peças que inspiram romance. Mas se a sua pegada é mais refinada, elegante com um ar vintage, arrase no estilo ladylike. A palavra de ordem do verão 2016 é ousadia. Ouse na alegria, no prazer, no bom humor e, para combinar com tudo isso, nada melhor que as estampas florais, geométricas e coloridas. Quem também dará as caras nesse verão é a saia mídi. Ainda não é tão popular, entretanto, é a queridinha das fashionistas, já que garante elegância e feminilidade, com um toque retrô. Ela vai bem com croppeds, camisas, blusas de manga 3/4 ou regata. Permita-se! Se a palavra de ordem do verão 2016 é ousadia, abuse do regatão super cavado, acompanhado dos brallets, a dupla perfeita para um visual jovem e descolado. Os acessórios são bem-vindos e em grande quantidade. Não economize! E para ficar ainda mais na tendência good mood, nada como o jeans destroyer finalizando o look. O Espaço Luiza Autran, nesse editorial, buscou um retorno à simplicidade. As festas de final de ano inspiram reencontros, trocas, reconciliação, promessas de um novo ano diferente... (Re)Nascimento! A simplicidade pode estar nas pequenas coisas, basta estarmos atentos para perceber quanta beleza a acompanha. Nada melhor do que passar esses momentos em volta de uma mesa, embaixo de uma jabuticabeira, saboreando uma deliciosa comida feita no fogão à lenha, que perfuma toda a casa, cercada de prosa e boa companhia. Abra seu coração como quem abre seu quintal. Arrume a mesa com todo carinho e beleza para receber as pessoas especiais da sua vida e compartilhar com elas esse momento.  Revista Energia 57


Caçadores de emoções Modalidade esportiva criada nos Estados Unidos e ainda pouco popular no Brasil, o Tiro ao Prato requer muita concentração e garante momentos de puro prazer Texto Heloiza Helena C Zanzotti

58 Revista Energia

Foto: Internet

Esporte


O

esporte começou a ser praticado no final do século 18, quando eram usados pombos como alvos em uma tentativa de diminuir a população destas aves, muito abundante no planeta. As aves eram colocadas embaixo de chapéus ou caixas e eram liberadas para que os caçadores treinassem. Daí surgiu o nome Trapshooting (Trap: armadilha e Shoot: tiro, em inglês). Posteriormente as aves foram substituídas por alvos de argila.

Como funciona Acertar o alvo parece fácil, mas não é. A prática do esporte requer muito treinamento, disciplina e concentração, requisitos essenciais para o tiro esportivo. Trap Americano (ou Tiro ao Prato) é a modalidade de esporte de tiro de espingarda mais popular nos Estados Unidos, com mais de meio milhão de atiradores ativos. Nele, é preciso acertar alvos de argila lançados a partir de uma máquina chamada “Trap”. Há cinco posições dispostas em um arco atrás da casa da armadilha, chamadas Pedana. A pedana é geralmente formada por cinco atiradores. Cada atirador faz cinco tiros em cada uma das cinco posições, movendo para a esquerda ou para a direita, para um total de 25 alvos. Ganha quem acertar mais pratos. Existem algumas variações de modalidades como Fossa Olímpica, Trap Americano, Trap Double, entre outras, mas o Trap Americano é a versão predominante.

Como iniciar no esporte Tudo começa em um clube de tiro onde a pessoa vai conhecer o esporte e fazer o primeiro curso. A maioria dos clubes

possui cursos de nível básico, onde o aluno aprenderá normas de segurança, manuseio de arma e procedimentos de tiro com um instrutor credenciado e dentro da maior segurança possível. Esses clubes também possuem armas e munição disponíveis para o associado utilizar em suas instalações. Ali também são passadas as orientações sobre equipamentos e licença.

Certificado de Registro de Atirador Para adquirir uma arma para a prática do tiro esportivo é necessário possuir Certificado de Registro de Atirador (CR). Este documento é emitido pelo Exército Brasileiro e autoriza atiradores, caçadores ou colecionadores a exercer atividades ligadas ao uso e manuseio de armas e munições. Importante destacar que é necessário que o atirador tenha um cofre ou outro local seguro para guardar sua arma. O CR vale por dois anos, devendo ser renovado 90 dias antes do término da validade.

Antes de comprar a arma O CR não é suficiente para se adquirir uma arma. É preciso solicitar uma Autorização de Compra, e para consegui-la há dois procedimentos obrigatórios: o teste de comprovação de capacidade técnica e o exame de aptidão psicológica para o manuseio de arma de fogo, que são realizados por instrutor e psicólogo credenciados pela Polícia Federal. Se os resultados destes testes forem favoráveis, deve-se juntá-los a outros documentos exigidos e abrir um processo de solicitação de compra, onde já devem constar os dados da empresa que fornecerá a arma. Recebida a autorização já é possível efetivar a compra (a empresa também receberá um documento autorizando a venda).

“O Tiro ao Prato é um esporte emocionante, que todos deveriam experimentar pelo menos uma vez”


Foto: Internet

Para pegar a arma Após efetuar a compra ainda não é possível sair da loja com a arma, apenas com a Nota Fiscal e o número de série. Agora é a hora de solicitar o apostilamento da arma no CR, ou seja, registrar todas as informações da arma em um tipo de apostila vinculada ao CR da pessoa. Feito isso ainda é necessário solicitar a Guia de Tráfego Especial, que é o documento que possi-

bilitará a retirada da arma que ainda está na loja. Vale ressaltar que para adquirir munição também é necessário um processo de autorização de compra, semelhante ao realizado para aquisição da arma.

Liga Nacional A Liga Nacional de Tiro ao Prato começou a ser organizada em Maio de 2011 e um dos principais objetivos é desenvolver novos talentos olímpicos no Tiro ao Prato Brasileiro. A sede da Liga Nacional atualmente localiza-se na cidade de Guarapuava, Paraná, com base estendida em 15 estados brasileiros através de Delegados Estaduais e Locais, nos clubes filiados.

Tal pai, tal filho Daniel Gromboni, 40, empresário, conheceu o Tiro ao Prato após um acidente de moto que sofreu. A convite de um amigo foi conhecer o Clube de Tiro de Barra Bonita. Gostou e começou a praticar. No primeiro ano Daniel já participou de competição e foi campeão na categoria iniciante em 2014. “É um esporte maravilhoso, ambiente muito familiar, as pessoas que você acaba conhecendo são excelentes”, afirma. Víctor Gromboni, 15, filho de Daniel, começou a acompanhar o pai e apaixonou-se pela atividade. “Levei o Víctor várias vezes comigo com o propósito de passarmos mais tempo juntos, ele gostou, corremos atrás do alvará judicial e ele começou a praticar”. Daniel explica que no caso do Víctor, que é menor de idade, é preciso ter autorização judicial e ele só pode atirar com a arma do pai ou da mãe, não podendo adquirir uma. Sobre o esporte ele ressalta: “Como requer muita disciplina e concentração, percebo que a prática 60 Revista Energia


cipei de alguns campeonatos, no clube da Barra fui campeão na categoria iniciante, vice na categoria A e estou entre os cinco para a final da categoria A, que é a mais concorrida”. Gustavo explica que aqui em Jaú até existe um clube aberto no papel, mas não no espaço físico, pois o local escolhido não foi liberado pela questão ambiental. “Temos interesse em concretizar esse clube, pois seria muito importante ter um local para treinarmos, e tiro é treino. Atualmente temos que viajar”, afirma. Sobre o que sente quando está praticando o Trap ele responde: “É uma adrenalina muito grande. Só quem pratica algum esporte para saber mesmo. Segundo o Zé Marquez, amigo coaching e atirador, 70% do tiro é a sua cabeça, a sua concentração. E é bem assim”.

Segurança

me ajudou muito como homem e como empresário, em minhas decisões. Acho que vai ser muito bom para o Víctor, ele vai amadurecer mais rápido, adquirir mais confiança, acredito que será uma pessoa segura”.

Revelação jauense Víctor Gromboni já é um grande campeão. Somente este ano ele conquistou o titulo de Campeão Brasileiro Juvenil de American Trap100 da Liga Nacional de Tiro ao Prato; o campeonato de tiro ao Prato do Clube de Tiro da Barra Bonita na categoria iniciante 2015 e a final do Campeonato Regional CBC Playoff 2015. Ele conta que treina em vários clubes em cidades como Ibitinga, Rio Claro, Barra Bonita, Americana e Araraquara. “Hoje represento o Clube de Tiro da Barra Bonita. O jovem campeão diz que quando atira consegue desligar-se de tudo à sua volta e o foco vai todo para o prato que precisa acertar. Sobre conquistar o campeonato brasileiro ele lembra: “Foi uma sensação inexplicável, não tem como dizer. O que eu senti foi o abraço apertado do meu pai e muita felicidade”. Recentemente Víctor conseguiu o apoio de um patrocinador, a Top Guns Adventure, de Holambra. O jovem faz questão de citar que em sua preparação psicológica o amigo José Antônio Marquez, do Instituto Você de Ribeirão Preto, fez toda a diferença, com orientações fundamentais. “Além da preparação mental, o Zé também é um grande atirador, e suas dicas foram valiosas. Mas a parte mais importante para a conquista do campeonato foram meus pais, que me proporcionaram essa oportunidade e sempre me motivaram”. Para 2016 Víctor já tem muitos planos: “Recebi o convite do Sr. Durval Balen, presidente da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo, para treinar com a equipe olímpica, então no começo de dezembro vou para Belo Horizonte. Meu objetivo é dar o meu melhor nas competições, ter uma boa classificação no ranking para um dia ser um medalhista olímpico”.

Adrenalina e muito treino Gustavo Bassan, optometrista, também faz parte desses apaixonados pelo Trap. Ele conta que sempre gostou de atirar, seu pai teve coleção de armas e por intermédio de amigos conheceu o tiro esportivo. “Comecei a praticar há quase quatro anos. Faço parte do Clube de Tiro da Barra Bonita e também disputo o brasileiro pela Liga Nacional. Atiro na modalidade Trap 100. Já parti-

Quem quiser conhecer um clube de tiro precisa ser convidado por um associado que se encarregará de comunicar à diretoria que vai levar um visitante. Segundo Daniel e Gustavo, nunca houve acidente com arma de fogo nos locais que eles frequentam, pois todas as pessoas que praticam Tiro ao Prato sabem o que estão fazendo. Até mesmo para ser transportada a arma precisa estar desmontada e desmuniciada. Importante salientar que os praticantes não podem portar arma, apenas transportar ao clube ou aos locais onde ocorrem as provas, e sempre com a guia de tráfego. 


62 Revista Energia


Legislação

Combate à Corrupção

Deputado Federal Ricardo Izar

Uma das principais marcas da minha vida política sempre foi a mudança de paradigma dentro da política

Economista, coordenador para o Sudeste da Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor de Energia Elétrica e membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal, Presidente da Frente Parlamentar de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, Membro do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados

Texto Ricardo Izar |Colaboração Luís Filipe Nazar

A

população precisa ver a classe política com outros olhos, só assim vamos atrair gente honesta para essa função nobre e necessária ao convívio em sociedade. A imagem denegrida da classe política foi construída por anos de escândalos e falcatruas, de maneira que a mudança não vai ser feita rapidamente, mas esse processo precisa iniciar-se. Meu pai sempre levantou a bandeira da ética dentro da política e, por princípio e por toda a responsabilidade de carregar o mesmo nome, eu não poderia deixar esse legado de lado. O pleito ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados foi o meu primeiro desafio e posso dizer que foi marcado por debates, ameaças e pressões. Contudo, nada impediu de me eleger Presidente desse órgão colegiado, mesmo enfrentando a bancada governista e até mesmo o meu próprio partido. No biênio 2012/2014 presidi com rigidez e imparcialidade o Conselho de Ética, e juntamente com seus pares julgamos e condenamos a perda de mandato de diversos parlamentares envolvidos em casos de corrupção. Essa foi a marca e o legado que deixei juntamente com o meu pai, que também foi o presidente desse órgão colegiado na época do escândalo do “mensalão”. Ademais, a corrupção na forma ativa e passiva vem gerando prejuízos incomensuráveis ao Erário Público. A crise que estamos passando, além de financeira, é política também. Nosso país parece não funcionar quando os “pichulecos” são estancados pela justiça e polícia federal. Nesse sentido apresentei o Projeto de Lei nº 8075/2014 que tem por objetivo incluir

expressamente a corrupção, na forma ativa e passiva, como um tipo de crime de lesa-pátria. Para que fique claro, em linhas gerais podemos dizer que os crimes de lesa-pátria configuram um tipo penal de gravidade altíssima, em traição à Pátria. É um crime contra o interesse ou patrimônio público, geralmente cometido por ocupantes de cargos públicos ou por pessoas com acesso a eles. Essa é, portanto, uma medida salutar no nosso incansável combate à corrupção. Convido todos os leitores a acompanharem e se envolverem mais na vida política, somente assim talvez um dia as coisas melhorem e esses escândalos, que hoje habitam com frequência os noticiários políticos (ou policiais), passem a ser apenas eventuais casos isolados em nosso país.

A corrupção na forma ativa e passiva vem gerando prejuízos incomensuráveis ao Erário Público

Revista Energia 63


guia da gula

guia gastronômico

sabores para

todos os paladares UPII Batata Belga Chicken Upii: Porção com 28 pedaços do delicioso frango crocante + 1 molho à sua escolha Combo Upii: Cone de Batata Belga + 1 molho à sua escolha + 1 acompanhamento + Parmesão ralado ou bacon ralado. Fish Crisp Upii: Porção de peixe empanado divinamente crocante + 1 molho à sua escolha Opções de molho: Catchup, Maionese, Cheddar, French, Honey Mustard, Barbecue Jaú Shopping - Praça de Alimentação Tel: 14 3622 2676

Estilo Mineiro Há 17 anos oferecendo a melhor comida caseira e mineira, com os mais saborosos pratos quentes e frios. Localizado na área central de Jaú, o Restaurante Estilo Mineiro serve também as opções marmitex, selfservice por quilo e à vontade. Cervejas, refrigerantes e suco natural de laranja também estão à disposição do cliente. O horário de funcionamento é das 11h às 14h30. Rua Edgard Ferraz, 762 - Centro - Jaú Tel: 14 3624 2194 Rua 7 de Setembro, 1090 – Centro – Bariri Tel: 14 3662 0849

64 Revista Energia


guia da gula

guia gastronômico

Choperia

Choperia TraDIÇÃO Quem procura um local para passar horas agradáveis precisa conhecer a Choperia Tradição. Ótimo atendimento, espaço amplo, bebida gelada e um cardápio variado esperam por você. Uma excelente opção é a batata com queijo, e bacon. Famosa em toda a região, a porção atrai clientes que gostam de batata sequinha e muito, mas muito queijo e bacon. Experimente. Rua Guilherme Francisco da Silva, nº 4 Bocaina/SP Tel: 14 3666 2013

Mirante do pouso A melhor comida da região em ambiente agradável e playground para os pequenos monitorado por câmeras. Venha conhecer as delícias do Restaurante Mirante do Pouso. Na foto porção de picanha acompanhada de polenta frita, salada, arroz com bacon e feijão. O restaurante funciona de terça a sábado para almoço e jantar, e aos domingos somente para almoço. Restaurante Mirante do Pouso

Pouso Alegre de Baixo – Jaú – SP Rodovia Jaú/Bariri km 8 Tel: 14 3623 1533

Revista Energia 65


vida

Boa

Por João Baptista Andrade

Comida e Evolução 2, a missão Volto ao tema da coluna anterior por uma questão de espaço. Mas também pode ser que eu ande cada vez mais velho, desmiolado e repetitivo. Vai saber...

A

capacidade de perceber o gosto das coisas é inata, ou seja, nasce conosco. Isso quer dizer que mesmo recém-nascidos são capazes de perceber determinados gostos, pois os mesmos foram geneticamente condicionados. Vou ainda mais longe: os cinco gostos principais ou fundamentais são o resultado do processo evolutivo descrito pelo Darwin. Cabem explicações. Existem cinco sabores ou gostos fundamentais aos quais todos nós somos sensíveis: doce, salgado, azedo, amargo e umami. Cada um deles nos transmite um tipo específico de informação, muito valiosa para nossa saúde e preservação da integridade física. Já as infinitas combinações dos cinco é justamente o que nos permite saborear todas as maravilhas que saem pelas portas da cozinha. O sabor doce nos mostra onde existe energia fácil de assimilar; açúcares são metabolizados muito depressa e, portanto, são particularmente interessantes e importantes na dieta. Pequenas porções permitem elevadas aquisições energéticas, o que sempre é um bom negócio em termos nutritivos. O sabor salgado nos mostra onde obter eletrólitos. Lembrese que nossa musculatura funciona (contrai ou relaxa) mediante trocas iônicas que acontecem contínua e sistematicamente. Já viu na TV pássaros ou macacos comendo barro na beira de um rio? Pois é. Trata-se de uma maneira que os animais usam para obter sal. O sabor azedo, ao contrário dos predecessores aqui citados, mostra um perigo: “essa comida está podre?”. Repare como as pessoas fazem caretas diante de algo realmente azedo. Aliás, esse modelo mental é tão forte que muitas pessoas evitam consumir conservas ácidas como, por exemplo, picles ou chucrute. O sabor amargo serve de aviso, neste caso sobre a possibilidade de ingerir algo venenoso de maneira inadvertida. Os venenos naturais são produzidos por plantas das mais variadas espécies e gêneros. A maioria tem um sabor amargo.

66 Revista Energia

Quando se fala em animais venenosos incorremos em erro. O termo correto é peçonha, pois estamos diante de moléculas proteicas, geralmente com atuação neurotóxica ou hemotóxica (embora existam muitas outras formas de atuação). Por fim, o quinto gosto ou sabor: umami. A palavra é de origem japonesa e eu não me atrevo a traduzi-la por não dominar tal idioma. Segundo diferentes fontes quer dizer “gosto bom” ou algo muito parecido com isso. Na realidade o quinto sabor vem do glutamato (MSG em inglês) que é useiro e vezeiro na indústria alimentícia como um flavorizante (algo que intensifica um determinado sabor). Os nucleotídeos (subproduto da quebra metabólica de proteínas) Inosina, comum em peixes, e Guanosina, comum em cogumelos, são os principais componentes do MSG. O leitor já percebeu a função do umami: mostrar onde existem proteínas! Os cheiros ou aromas, ao contrário dos sabores, são aprendidos. Por mecanismos associativos ou por analogias metafóricas, vamos aprendendo os diferentes aromas ao longo da vida. É por esse motivo que o nosso paladar e preferências mudam ao longo dos anos. Quantos de nós dizíamos não gostar de algo quando crianças e na fase adulta nos flagramos apreciando com deleite o mesmíssimo alimento? Mas o gosto não funciona assim... Só para constar: o leite materno, aquela maravilha nutricional e alimentar que é insubstituível para recém-nascidos, tem umami! Bacon é uma verdadeira bomba de umami. Agora, segundo os jornais e revistas de grande circulação, bacon é tão nocivo quanto o cigarro. Claro que eu fui atrás da informação para checar. O que eu descobri? O cigarro mata um milhão de pessoas/ano enquanto que o consumo excessivo de carnes defumadas e embutidos mata 34 mil pessoas/ano. Faça as suas contas e perceba o delta percentual: bacon mata 96,6% menos que o cigarro. Santa ignorância! Até a próxima.


Revista Energia 67


68 Revista Energia

Revista Energia 63  

A Revista Energia é uma publicação mensal da Rádio Energia FM. Garanta seu exemplar, gratuitamente, nos pontos de retirada: Posto São João e...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you