Page 1

Jaú - Ano 9 | Edição 78 | Junho 2018 Distribuição gratuita | Venda proibida

Panfletos&Cia

Distribuindo resultados

CADERNO FESTAS Os melhores do segmento GENTE FINA Lourival Lima dos Santos FUTEBOL Jaú na Copa da Rússia


Editorial

Muitas novidades esperam por você

Ano 9 – Edição 78 – Jaú, Junho de 2018 Tiragem: 10.000 exemplares Revista Energia é uma publicação da Rádio Energia FM Diretora e Jornalista responsável Maria Eugênia Marangoni mariaeugenia@radioenergiafm.com.br MTb. 71286

A decisão de fazer um Caderno Especial Festas nesta edição da Revista Energia não poderia ter sido mais certeira

Diretor artístico: Márcio Rogério rogerio@radioenergiafm.com.br Edição e Revisão de textos: Heloiza Helena C. Zanzotti revisao@revistaenergiafm.com.br Criação de anúncios: Moinho Propaganda atendimento@moinhopropaganda.com.br

Diagramação Moinho Propaganda (14) 3416 7290 Projeto gráfico: Revista Energia Social Club social@revistaenergiafm.com.br Colaboraram nesta Edição Bárbara Milani Celina Celulare Seide Marangoni Tatiane Dias Colunistas Alexandre Garcia Bruna Pultrini Aquilante Evelin Sanches João Baptista Andrade Nadia Gimenez Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves Professor Marins Rachel Soares de Brito Rayssa Verzenhassi Ricardo Yamaguti Lima Ricardo Izar Comercial Anna Paula Rossi Milene Perez Sérgio Bianchi Silvio Monari Impressão: Grafilar (14) 3812-5700 Distribuição: Panfletos&Cia (14) 3621 1634 Revista Energia Rua Quintino Bocaiúva, 330 | 2º andar CEP: 17201-470 | Jaú - Fone: (14) 3624 1171 www.energianaweb.com.br Elogios, críticas e sugestões leitor@revistaenergiafm.com.br Quero anunciar comercial@revistaenergiafm.com.br A Revista Energia não tem responsabilidade editorial pelos conceitos emitidos nos artigos assinados, anúncios e informes publicitários.

Foto: Cláudio Bragga

Fotografia: Moinho Propaganda

P

udemos testemunhar os cases de sucesso da nossa cidade e região neste segmento, conhecer tanta inovação e tecnologia de cada um dos nossos parceiros, saber tudo que está em alta no mundo dos casamentos e agregar mais do melhor no EQM 2018, que acontecerá em dezembro. Foram semanas intensas de trabalho, mas com um resultado incrível que você vai conferir já já. Aniversário, bodas, evento corporativo, casamento, show, seja qual for o seu evento, ele começa com um sonho que se concretiza através das páginas do Caderno Festas da RE. Ainda nesta edição você vai conhecer a ONG Amor Exigente, um movimento que ajuda as pessoas na reorganização familiar, fazendo com que elas percebam a necessidade de mudar o rumo de suas vidas a partir de si mesmas, proporcionando equilíbrio e qualidade de vida! Em tempos de “ter” e “parecer”, elas se dedicam a empoderar o “ser” das pessoas que mais precisam. Histórias de emocionar, mudanças de vida, reconstrução de famílias, solidariedade e a gratidão das pessoas que frequentam as reuniões do Amor Exigente é o que motiva suas idealizadoras e voluntárias! Histórias de luta e superação estão presentes em uma editoria emocionante, sobre garotas que usam o YouTube e as redes sociais para encorajar pessoas do mundo inteiro, compartilhando sua rotina e enfrentamento após o diagnóstico de câncer. No país dos extremos, em meio a uma das maiores crises de abastecimento e segurança, brasileiros, sem muito entusiasmo, se preparam para um dos maiores eventos esportivos do mundo, a Copa. O verde e o amarelo que hoje colorem manifestações de indignação, em breve irão colorir uma grande disputa, mas nesta, todos os brasileiros estarão do mesmo lado. Vivenciando de longe esse clima do Brasil, trouxemos os sentimentos e expectativas de jauenses que moram fora do Brasil e estarão na Rússia para ver de perto a nossa seleção entrar em campo. Neste mês, também convido você a conhecer a história da empresa Panfletos&Cia, que estampa nossa capa. Uma empresa dedicada a oferecer soluções inteligentes e eficazes na distribuição de panfletos, jornais, revistas, malas diretas ou qualquer tipo de folhetos e impressos. A Panfletos&Cia não se preocupa apenas em distribuir materiais, mas em ajudar seus clientes a achar seu público-alvo, definindo os melhores pontos de distribuição e estratégia de abordagem. Bom, chega de conversa, bora devorar a RE que está sensacional! Uma ótima leitura a todos!

Maria Eugênia


Revista Energia 5


NESTA EDIÇÃO 08 Perfil 12 Radar

16 Gente Fina

14 Pense Nisso 16 Gente Fina 21 Saúde e Bem-Estar 22 Sociedade 28 Capa 33 Bairros de Jaú 35 Consultoria 37 Depilação a Laser 41 Viagem e Turismo 42 Vida Saudável 44 Look de Artista 49 Vida Profissional 51 Caderno Festas

51 Caderno Festas

104 Comportamento 108 Adote um Pet 110 Social Club 116 Social Botudog 119 Medicina 120 Água na Boca 121 Boa Vida

Nossa Capa: Panfletos&Cia Jaú - Ano 9 | Edição 78 | Junho 2018 Distribuição gratuita | Venda proibida

122 Varal 123 Vitrine Presentes 124 Futebol 128 Energia Solar

44

129 Mundo dos Cães e Gatos 130 Legislação

Look de Artista

133 Modernize

Panfletos&Cia Distribuindo resultados

CADERNO FESTAS Os melhores do segmento GENTE FINA Lourival Lima dos Santos FUTEBOL Jaú na Copa da Rússia


Perfil

Novos horizontes... Novos para Nós “É lá, no fundo do poço, que a gente aprende a reconstruir a vida usando somente o necessário” Texto Heloiza Helena C Zanzotti Foto:Arquivo pessoal

L

i a frase acima em uma entrevista de Renan Quevedo para o site projetodraft.com, em 5 de janeiro de 2018, e não pude pensar em nada melhor para resumir este perfil. Publicitário formado pela Escola de Propaganda e Marketing de São Paulo (ESPM), e atualmente pesquisador de arte popular brasileira, o jauense Renan Quevedo, 27, apesar de tão novo, já tem muita história para contar. Filho de Luiz e Lene Quevedo, estudou no Colégio da Fundação Educacional Dr Raul Bauab. “A aula que mais aguardava era a de artes, embora não seja valorizada pelo sistema educacional brasileiro de uma forma geral”. Aos 16 anos, Renan foi morar nos Estados Unidos. “Queria muito fazer intercâmbio. Essa possibilidade de encontrar diferentes culturas sempre me instigou e acredito que tenha influenciado minha vida hoje em dia”. OUTROS RUMOS Terminado o intercâmbio o pesquisador voltou a Jaú onde ficou por ano, e posteriormente foi para São Paulo cursar Publicidade e Propaganda. “Trabalhei alguns anos como diretor de arte em uma grande agência de propaganda em São Paulo. Atendia clientes com forte atuação no mercado, em diversos segmentos, produzindo campanhas publicitárias”. Tudo parecia caminhar bem, mas faltava algo na vida do publicitário. “Em determinado momento percebi que meus esforços se 8 Revista Energia

direcionavam muito mais para a pesquisa da arte popular do que para a publicidade. Entendi que isso significava muito no meu dia a dia e, aos poucos, fui formatando o Novos Para Nós”. Renan se recorda de uma noite em que, minutos antes de pegar no sono, o projeto apareceu na sua cabeça. “Despertei, peguei um papel e caneta para anotar. No mesmo momento, muitas dúvidas e perguntas surgiram. A solução foi fácil: amanhã penso nisso. E cá estou, seis meses depois de ter iniciado o projeto, tendo já visitado 16 estados e o Distrito Federal. Foram mais de 27.183 km rodados e cerca de 300 histórias de brasileiros narradas”. O PROJETO NOVOS PARA NÓS Apaixonado pela Arte Popular Brasileira, Renan pensava em quantos artistas estão espalhados pelo Brasil sem serem conhecidos. O projeto, segundo ele, tem o intuito de encontrar e catalogar novos nomes da cultura popular e dar visibilidade a eles. Mostrar quem são, onde moram, o que fazem e, quem sabe, promover documentários, exposições e outras atividades que provoquem mudanças positivas na vida desses artistas que têm suas histórias contadas através dessa iniciativa. O projeto não possui fins lucrativos e é acompanhado por seguidores do Brasil, EUA, Portugal, Reino Unido, Itália, Alemanha, Canadá, Argentina, Espanha, França, Austrália, Irlanda, Índia, Israel, China, Hungria, Holanda, Bélgica, Paraguai e Suíça.


PÉ NA ESTRADA O primeiro grande contato do publicitário com a arte popular foi em uma exposição sobre o tema em São Paulo, e ele conta que o clique aconteceu instantaneamente. “Saí de lá com muitos questionamentos e comecei a pesquisar nos livros e na internet. Quase dois anos depois, senti que estava pronto para fazer a primeira visita a campo e escolhi o Vale do Jequitinhonha, no norte de Minas Gerais”. Renan dirigiu, em um único final de semana, 14 horas para ir e outras 14 para voltar, percorrendo um total de 2.300 km. “Fiquei, no máximo, 2 horas por lá, porque precisava voltar a tempo de trabalhar na segunda-feira. Depois disso, não parei mais. Nos anos seguintes tentei fazer pelo menos uma viagem a campo por mês, para visitar um artista popular brasileiro”. O NOME DO PROJETO Toda vez que o pesquisador voltava das viagens a campo, percebia a curiosidade dos amigos em conhecer mais sobre a vida dessas pessoas talentosas, espalhadas por todos os cantos do Brasil. Ele explica que “Novos” refere-se a esses artistas, grande parte deles totalmente desconhecida “por nós”. O nome, portanto, soa como um convite para descobrirmos esse braço na nossa cultura. DESAFIOS Antes de iniciar o projeto, Renan precisou resolver diversas questões para que a iniciativa fosse viável. “Deparei-me com diversos gastos que precisava riscar da lista para que o Novos para Nós acontecesse, e um deles foi o aluguel do apartamento em São Paulo. Então, uma amiga me chamou para ir morar com ela e aceitei na mesma hora”. A ideia inicial era passar três meses viajando de carro pelo Brasil, com os recursos que tinha guardado, mas os seguidores do Novos para Nós começaram a se interessar pelas postagens e sugeriram que ele desse início a uma campanha de financiamento coletivo, pois também queriam contribuir. “Acatei e coloquei no ar uma meta que foi superada, me permitindo esticar em mais três meses. Hoje estou no sexto mês do projeto”.

Revista Energia 9


LOUCURA OU CORAGEM O jovem faz questão de mencionar seus melhores amigos, que deram total apoio e coragem para largar tudo, entrar no carro e seguir seus sonhos. Além da família, claro. “Quando contei meus planos, todos me olharam com cara de louco. O questionamento era unânime: como assim, você vai largar esse emprego para fazer isso? Com o passar do tempo, eles viram que meus intuitos eram fortes e existiam de verdade, e hoje em dia não há uma história que eles não celebrem por ouvir!”. Isso mesmo, querido leitor. Renan largou um bom emprego, casa, tudo para seguir atrás daquilo que acreditava. UMA CRIANÇA E UMA HISTÓRIA Certamente, foram muitas histórias marcantes ao longo da jornada. “Uma especial é o caso de uma criança que encontrei no norte de Minas Gerais, quase divisa com a Bahia. Após horas nas estradas de terra que levam a lugares nunca sinalizados e sempre inesperados, avistei de longe uma casa isolada em meio às montanhas e galhos secos. No céu, nenhuma nuvem manchava o azul. O sol ardia, as telhas torravam. Crianças corriam do lado de fora dando força à poeira que insistia em subir. Contei umas dez. De cara, entendi que ali morava uma família insistente – afinal de contas, é o único jeito de sobreviver naquelas condições. Uma das crianças estava sozinha, isolada das demais, encostada no batente da porta, olhando para o horizonte. Eu me aproximei e perguntei seu nome. ‘Não tenho, não’. A idade? ‘Não tenho, não’. Encontrar essas crianças não é novidade, o que nunca acontece é repararmos nelas”. ROTINA DURA E PERSPECTIVAS Renan diz que algumas pessoas podem pensar que ele está passeando. “Realmente estou viajando, me deslocando de um lugar para outro todos os dias. Mas não é um passeio. Esse é um processo muito cansativo da pesquisa. Em alguns dias dirijo doze, treze horas, fora o exercício diário de pesquisar, entrevistar, registrar, escrever, editar, encontrar onde dormir, onde comer, decidir aonde ir e aonde não ir”. Questionado sobre onde pretende chegar, ele responde: “Honestamente, a lugar nenhum. Sinto que sou apenas uma espécie de ponte entre as pessoas retratadas e quem tem interesse em conhecê-las. Quero mesmo é que esses artistas e suas artes sejam reconhecidos como tal. É necessário voltamos o olhar à nossa cultura, às raízes do povo e estabelecer um diálogo construtivo baseado na valorização”. O pesquisador afirma que adoraria ver nossos artistas populares trilhando bons caminhos, com o sucesso que merecem, pois são pessoas persistentes, que dia após dia tentam sobreviver em meio a tantas dificuldades que lhes são impostas. “Tenho certeza que um dia olharemos muito mais para dentro do nosso país do que para fora”. O ARTISTA POPULAR Antes de encerrar a entrevista, Renan Quevedo quer deixar sua impressão sobre esses talentos que encontra. “São pessoas que desenvolveram uma técnica e uma linguagem própria para compor e permear suas obras. O mais interessante é que eles aprenderam sozinhos a fazer o que fazem, sem nunca terem frequentado uma escola ou academia de artes. Na maioria das vezes, estão inseridos nas periferias das grandes cidades ou no interior do Brasil, em locais de difícil acesso. Suas artes carregam a identidade do povo e são influenciadas pelo local de origem, folclore, religião, etc., sendo ousada, irreverente, original, rústica, colorida, lúdica, entre tantas outros adjetivos”. Nas redes sociais o Novos para Nós faz sucesso. Os registros de Renan contam a história de vida desses artistas e você pode conhecer um pouco mais da experiência do jauense. Quer saber mais sobre o projeto? Tem algum lugar interessante para indicar? E mail: renanquevedo14@gmail.com novosparanos.com.br Instagram: novosparanos Facebook: novosparanos 10 Revista Energia


S MOMENTO ÍVEIS INESQUEC

SABOR DE INFÂNCIA

FELICIDADE EM CADA PORÇÃO

ALEGRIA

DEVOÇÃO MOMENTOS FELIZES

a MAIOR FESTA DE SANTO ANTÔNIO DA REGIÃO! PROGRAMAÇÃO RELIGIOSA

TREZENA - 31 de maio a 12 de junho Missas com bênçãos especiais todos os dias

Seg à Sex 19h30 | Sáb 18h | Dom 10h e 17h DIA DO PADROEIRO - 13 de junho

6h - Missa com bênção do bolo e pães 9h, 12h, 15h - Missa com os enfermos e bênçãos 19h - Procissão e Missa Solene

PROGRAMAÇÃO FESTIVA

Grande quermesse com comidas típicas, muitas atrações e show de prêmios.

01/06 - Banda Dr. Antônio 12/06 - Noite do Flash Back 02/06 - Fernando Nahh e Banda Especial Dia dos Namorados 03/06 - Banda Old Dog 13/06 - Grupo Samba ou Travessura 08/06 - Banda Matahare 09/06 - Banda Black Jack 10/06 - Grupo Barulhinho Bom

15/06 - Dupla Estevam & Ricardo 16/06 - Banda Forró Ajeitado 17/06 - Grupo Chovendo na Roseira

Toda a renda será revertida para a construção da nova Matriz da Paróquia Santo Antônio. COLABORE COM ESTA OBRA!

Realização e Informações

Rua Gomes Botão, 441 - Jaú/SP Fone: 14 4103.5000 ou 4103.6000

fb/santoantoniojau

Revista Energia 11


Radar Por Alexandre Garcia

ALEXANDRE GARCIA Jornalista, apresentador, comentarista de telejornais, colunista político e conferencista brasileiro. Atuou no Jornal do Brasil, no Fantástico e na extinta TV Manchete. Atualmente é comentarista político na Rede Globo de Televisão.

Justiça e eleições Por mais problemas que tenha a Justiça no Brasil, é ela que está fazendo o contraponto para a nossa profunda crise moral

S

im, o leitor pode alegar que a Justiça também está eivada de corruptos, juízes que vendem sentenças, que se deixam subornar. A então corregedora Eliana Calmon nunca escondeu isso. Mas é a Justiça que está golpeando a corrupção institucionalizada. Por Justiça, entenda-se a polícia judiciária, que é a Polícia Federal e a Polícia Civil, os ministérios públicos dos estados e o federal, assim como juízes de todas as instâncias. Há algumas semanas o Supremo, enfim, julgou o primeiro caso da Lava-Jato, condenando o deputado Nelson Meurer. Condenou de novo Paulo Maluf e, em Minas, botou na cadeia o ex-governador tucano Eduardo Azeredo. Está na prisão o ex-presidente da República Lula da Silva; o ex-governador do Rio; já se investigam senadores do MDB com contas na Suíça e nas Bahamas. Com isso, cai por terra o argumento da perseguição ao PT, cujos ex-tesoureiros estão todos condenados e cuja presidente deve ser a próxima a ser julgada no Supremo. Cai por terra porque as investigações já tiraram de qualquer páreo e até da presidência do PSDB o tucano Aécio Neves, e a justiça pôs na cadeia o ex-governador tucano de Minas, assim como já acumula quatro denúncias o atual governador, o petista Fernando Pimentel. A preferência dos agentes da Justiça, como se vê, não é por partido político, mas pela lei, que pune corruptos. Imaginem as consequências para o país se não tivesse havido o Mensalão e a Lava-jato. A maior empresa do país, a Petrobrás, privatizada por partidos políticos, o PT, o MDB, o PP e outros, estava às portas da falência. O preço do combustível era usado como campanha eleitoral, arcando a empresa, que é do povo, com prejuízos por manter preço artificial dos combustíveis. Quase quebrou.

12 Revista Energia

Hoje, estamos todos pagando o preço da corrupção e do uso político da Petrobras no preço dos combustíveis, já que a empresa não tem condições de fazer caridade. Precisa cobrar o preço real. E é bom que se diga que, mesmo com o caos criado pelo movimento dos caminhoneiros, o governo manteve a autonomia saneadora da atual diretoria da empresa, sem interferir na administração de preços. O governo, sim, teve que ceder, retirando impostos sobre os combustíveis. Em outros tempos, em ano eleitoral, o populismo é que ditaria a tabela de preços. Eu lembrei do ano eleitoral e o que se nota é a dificuldade do eleitor em se identificar com os políticos tradicionais. Identifica-se mais com o juiz Sérgio Moro, símbolo da luta contra a corrupção, e com a Cabo PM Kátia Sastre, símbolo da luta contra o crime comum que nos tolhe a liberdade. Mas os dois não são candidatos. O presidente Temer desistiu da reeleição e lançou seu ex-ministro da Fazenda como candidato, com a intenção de representar o centro. Henrique Meirelles tem um currículo exemplar, mas é pouco conhecido fora de Goiás e do mercado, e não é populista. É a terceira vez apenas que o maior partido, o MDB, tem candidato à presidência da República. Os outros dois não foram felizes: o Doutor Ulysses perdeu para o General Geisel em 1974, e Quércia perdeu para Fernando Henrique em 1994.

“Hoje, estamos todos pagando o preço da corrupção e do uso político da Petrobras no preço dos combustíveis”


Revista Energia 13


nisso

Pense

LUIZ MARINS Antropólogo e escritor. Tem 26 livros publicados e seus programas de televisão estão entre os líderes de audiência em sua categoria. Veja mais em www.marins.com.br

Por Professor Luiz Marins

O mundo está melhor ou pior? Acabo de ler um livro muito interessante, publicado agora em 2018, de autoria de Steven Pinker, psicólogo canadense,

O

atualmente professor da Universidade de Harvard

título é Enlightenment Now: The Case for Reason, Science, Humanism and Progress, editora Viking, 576 páginas (ainda não traduzido para a língua portuguesa até esta data) e que numa tradução livre pode ser Iluminismo Agora: o tempo da razão, da ciência, do humanismo e do progresso. Bill Gates (Microsoft) disse ser esse “o meu livro favorito de todos os tempos” e o livro vem recebendo críticas positivas das maiores revistas e jornais do mundo inteiro. Em síntese, o que o Prof. Pinker afirma é que os pessimistas estão redondamente errados e o que o mundo está cada dia melhor e não pior. Para provar sua tese, ele utiliza uma enorme quantidade de dados sobre saúde, sustentabilidade, riqueza, desigualdade, meio ambiente, paz, segurança, terrorismo, democracia, direitos humanos, conhecimento, qualidade de vida, felicidade, etc. (cada um desses temas são capítulos do livro), e em todos os campos ele demonstra com números, dados e fontes confiáveis que o mundo hoje é muitas vezes melhor, em todos esses setores, do que há anos. “Qualquer pessoa que leia um jornal hoje chegará à conclusão de que vivemos num mundo cheio de horrores. A Síria ainda está em guerra. Mais um lunático teve um acesso de fúria em uma escola americana matando crianças. O tom do debate político nunca foi tão grosseiro e venenoso quanto hoje”. Porém, diz ele, se usarmos a razão e não a emoção, veremos que o número de pessoas em extrema pobreza no mundo diminui 137.000 por dia; que a distribuição da riqueza é a mais uniforme dos últimos 200 anos e o mundo se tornou 100 vezes mais rico; que o número de pessoas mortas em guerra hoje é menos de 1/4 do que na década de 1980; que durante o século XX os americanos se tornaram 96% menos propensos a morrer de acidente automobilístico, 92% menos propensos a morrer num incêndio e têm 95% menos chance de morrer num acidente de trabalho. 14 Revista Energia

Em todo o mundo, aponta ele, o índice de QI (quociente de inteligência) aumentou 30 pontos em 100 anos, o que significa que a média de hoje é melhor que 98% das pessoas há um século, isso devido à melhor nutrição e estimulação. Há dois séculos, apenas 1% das pessoas viviam em democracias, e até mesmo às mulheres e homens da classe trabalhadora era negado o direito de votar. Agora, dois terços das pessoas vivem em democracias e até estados autoritários como a China são mais livres do que eram no passado. As cidades do mundo, prova ele, eram muito mais violentas do que hoje. O que temos é uma enxurrada de informação a cada minuto mostrando o que antes não se conhecia. Em seu capítulo chamado Progressofobia, ele afirma que intelectuais que se dizem “progressistas”, na verdade odeiam o progresso. Jornalistas classificam de “ingênuo”, “Alice no País das Maravilhas”, “Poliana” e outros termos mais agressivos qualquer pessoa que ouse mostrar dados racionais provando que o mundo não está desmoronando como eles querem, e que salvo uma tempestade catastrófica de asteroides ou uma guerra nuclear, é provável que o mundo continue a melhorar. Vale ler. O mundo e o ser humano são melhores hoje. Acredite! Pense nisso. Sucesso! 


Revista Energia 15


Gente Fina

Lourival Lima dos Santos, o Carioca “Pouca coisa é necessária para transformar inteiramente uma vida: amor no coração e sorriso nos lábios” (Martin Luther King)

Texto Heloiza Helena C Zanzotti

16 Revista Energia


Revista Energia 17


E

ste Gente Fina aconteceu após uma postagem ser compartilhada muitas vezes no facebook. As homenagens ali descritas chamaram minha atenção e fiquei curiosa para conhecer o personagem protagonista de todos aqueles agradecimentos e elogios. Só eu, não. Toda a equipe. Compartilho aqui com você, leitor, um pouco da história de vida de alguém que gosta de espalhar alegria e otimismo.

Você nasceu na Bahia? Sim, em Nilo Peçanha, mas não conheci a terra onde nasci, porque quando me dei por gente estava em Brasília, na época da sua construção. Ajudava meu pai vendendo cocada, mexerica, amendoim torrado e pasteis nas obras da construção de Brasília. Mau pai trabalhava na prefeitura, mas acidentou-se e sustentei a casa por um bom tempo vendendo cocada. Tinha 12 anos e mais oito irmãos, mas em Brasília estavam só os menores, os mais velhos foram para São Paulo. Cheguei a vender 200 cocadas por dia. Ganhava o equivalente a três mil reais por mês e aquele dinheiro era todo para ajudar em casa, porque meu pai, acidentado, ganhava pouquinho como carpinteiro de obra. Foi jogador de futebol? Joguei em todos os times de Brasília, depois fui para o Rio de Janeiro, aos 16 anos. O Rio, na época, não era perigoso como é hoje. Fui com um amigo, mais para conhecer, mas como eu era bom de bola, segundo diziam, fui chamado para jogar em times como São Cristóvão, Olaria, e foi através do futebol, quando fui jogar no time da Cia Telefônica, que consegui um emprego e me tornei técnico em rede telefônica. Não dava para viver de futebol, a não ser que jogasse em grandes times. Eu tinha um contrato de gaveta, ganhava só uma ajuda de custo, então, tinha que trabalhar. Fui para a Telerj, no Rio, e meu futebol cresceu mais. Depois voltei a Brasília, joguei até na seleção da cidade. Mas vieram algumas contusões e tive que optar pela profissão na telefônica, onde alcancei vários cargos. Fui encarregado, supervisor e me aposentei nessa profissão.

18 Revista Energia

Em Brasília, chegou a trabalhar no Palácio do Planalto? Consegui concluir o segundo grau, o que me deu certa bagagem, pois na época eram poucos que concluíam o segundo grau. Eu me entreguei de corpo e alma, apendi muito de telefonia fixa. Trabalhei dentro do Palácio do Planalto, dando manutenção na telefonia. Também trabalhei no Palácio da Alvorada e Itamaraty. Conheci quatro presidentes da ditadura. Costa e Silva, Médici, Geisel, Figueiredo. Um dia o Médici estava fazendo um churrasco e caiu um temporal, teve uma descarga elétrica e a Granja ficou sem comunicação. Fomos lá para resolver e quando estava terminando o serviço, alguém se aproximou e levei um susto, era o Presidente. Ele pegou na minha mão e disse: “Depois falam que é difícil governar o Brasil, difícil é entender essa fiozarada que você está mexendo aí”. Conte a história do uísque... Mais tarde ele falou aos seus assessores que íamos almoçar lá e perguntou se tomávamos um aperitivo. Eu era mais atirado e aceitei. Quando fomos para o refeitório chegou o Major com um litro de Cavalo Branco, eu só tinha visto aquilo nas novelas. Perto dos aperitivos que a gente estava acostumado a tomar, era um suco. Coloquei uma dose para cada um, almoçamos e eu levei este litro de uísque para casa. Ficou uns dez anos comigo. Como conheceu sua esposa? Estava no Rio, já tinha parado de jogar futebol profissional, estava só na telefonia. As companhias eram conveniadas umas às outras e a Telerj estava tocando uma obra em Mogi Mirim. Eu estava separado do primeiro casamento. Tinha um funcionário nosso que era encarregado geral em uma obra em Mogi Mirim. Em 1979, uma sexta feira de carnaval, ele faleceu em um acidente de carro. Na segunda-feira recebi um telefonema me chamando para assumir a obra lá. Eu não queria ir, mas eles confiavam muito em mim e aceitei. Tive que entregar o apartamento onde morava, vendi os móveis e fui para Mogi Mirim. Não conhecia nada, nem a cidade eu sabia onde era. Peguei um táxi na rodoviária e fui me apresentar no Hotel Primavera, onde estava alojado o pessoal do Rio. Quando cheguei ao hotel


vi uma menina pequena entrando com um pirex de morango com creme de leite. Era filha da dona do Hotel e enquanto a mãe não vinha, ela me ofereceu o morango e aceitei. Eu nunca tinha comido morango com creme de leite na vida. Começamos a conversar e depois a namorar. Eu com 28, ela com 15. A Cecília é minha mulher há quase 40 anos. Temos três filhos, sete netos e fiquei sabendo que vamos ser bisavós. Como veio parar em Jaú? Terminei a obra em Mogi Mirim e fui para São Paulo, trabalhar na Telesp. Ficamos 21 anos em São Paulo. Nesse tempo a mãe da Cecília se divorciou e casou-se novamente com um rapaz de Jaú. Então, todo final de ano vínhamos passar Natal ou Ano Novo aqui, de acordo com minha escala de serviço. Meus filhos foram ficando adolescentes e um dia conversando com minha sogra falei que São Paulo estava ficando perigoso. Ela sugeriu que eu pedisse transferência para cá e eu pedi, até que um dia me atenderam. Os últimos dez anos na telefonia foram aqui. Viemos em 2000. Todos os filhos moram aqui em Jaú. Como se tornou frentista? Quando me aposentei, pensei: e agora, acabou a vida? Viajei o Brasil inteiro trabalhando na telefonia, levantava às 4h da manhã e não tinha hora para chegar. Eu amava o que fazia, por isso era bom profissional. Um dia minha esposa deu a ideia de entregarmos uns currículos pela cidade. Preparei alguns e saí entregando. Foram 35 currículos em uma semana e sobrou o último, que eu falei que ia entregar no posto de gasolina. Isso foi numa quinta-feira e na sexta minha filha me disse que estavam me chamando lá no posto. Eu tinha colocado o celular dela no currículo. Como era o posto onde os carros da telefônica eram lavados, eu conhecia a Ângela, gerente. Ela me ofereceu o emprego a aceitei. Para começar no outro dia. Os colegas se assustaram com a maneira como atendia? Quando comecei, a gerente pediu para me explicarem o funcionamento das bombas. Logo no primeiro dia chegou uma senhora numa Captiva, me perguntaram se eu queria atender e eu fui. Cheguei ao lado da motorista e disse: bom dia querida! Ela respondeu bom dia e perguntei no que poderia ser útil. Ela queria completar o tanque e quando fui até a bomba um dos rapazes me falou: “Você é louco? Chamou a senhora de querida”. Confirmei e ele espalhou para todo mundo que eu estava chamando os clientes de queridos. E pegou. Até hoje é isso. Os clientes já chegam no posto me chamando de querido. E é verdade que trabalha correndo? Eu via os rapazes atenderem os clientes, eles iam devagar. E eu comecei a atender e a correr. Cliente chegava e eu já ia correndo e os companheiros diziam que eu era maluco. Mas o Carioca que corre pegou. Acontece que quando eu parei de jogar futebol, o médico falou que para eu ter saúde era bom correr. Enquanto não estava trabalhando eu corria de manhã e à tarde, e quando comecei a trabalhar, parei de correr na rua e fui correr no posto. E agora tem gente até me imitando. Seus colegas não ficaram com ciúmes? Eles gostam de mim, me respeitam, até pela experiência de vida. Alguns trazem problemas, me pedem opinião. A própria gerente, às vezes, me pede alguma opinião. Teve um dia que ela queria demitir um funcionário porque pairou uma dúvida sobre ele e ela me chamou para perguntar se era mentira ou verdade. E eu disse que não tinha nem cabimento. Ela acreditou em mim e não mandou o funcionário embora. Ficou conhecido pelo atendimento diferenciado? É exatamente porque, sem querer menosprezar ninguém, a maioria é seca ao perguntar: “é gasolina ou álcool?” Eu já chego correndo e digo: bom dia querido, tudo bem? Como vai a senhora ou o senhor? Como foi o fim de semana? Faço questão de dar a mão para cumprimentar. Depois eu falo: muito obrigado, que Deus abençoe, tenha um bom dia! Seja sempre bem-vindo. Foi um prazer tê-los aqui conosco. Essa é a minha maneira de atender. Tem vezes que eu fico até meio constrangido quando alguém pede para ser atendido por mim.

Como aconteceu a postagem no facebook? Aquela senhora que fez a postagem, quando eu cheguei para atender, ela disse: “rezei para você me atender”. E pediu para tirar uma foto minha. Abasteci o carro dela, fui pegar o troco e quando voltei ela contou que tinha postado no facebook. Falou que eu era merecedor, que era muito bom ser atendido por mim. Eu nem li na hora, mas agradeci e falei que ia servir de incentivo para eu ser cada vez melhor. Na hora do almoço contei para minha mulher e foi aí que vimos. Na semana passada chegou um carro, o rapaz foi atender e a pessoa queria que eu atendesse. Fiquei meio sem graça, mas fui lá, tinha uma senhora e duas crianças no carro, e as crianças queriam tirar uma foto comigo. O pessoal brinca, diz que agora fiquei famoso. Esta semana aconteceu a mesma coisa. Tem planos para o futuro? Mário Sérgio Cortella escreveu algo que não sai do meu cérebro: “A grande derrota de um homem não é quando ele morre, mas quando morre dentro dele a capacidade de sonhar”. Eu continuo sonhando, mas o sonho maior é ver meus filhos e netos todos amparados. E tem uma coisa que até esqueci de falar. Fui convidado para ser candidato por dois partidos políticos e estou até pensando... Tem algum hobby? O posto é minha academia. Também curto muito televisão, esportes em geral e gosto do Discovery. Adoro animais, tenho dois cachorros e eu e minha mulher conversamos com eles o tempo todo. Gostaria de deixar uma mensagem final? Gostaria de dizer para os jovens que a droga é um caixão que cada um está adquirindo. Eu vivi no Rio, subi todos os morros, participava de festas, muita droga ao meu lado e eu nunca quis nada. Meu pai sempre pediu para que eu nunca o decepcionasse, então, quando olhava para a droga vinha a figura do meu pai. Gostaria de dizer que a gente pode ser feliz sem a droga. 

Revista Energia 19


20 Revista Energia


Saúde e bem-estar Por Nadia Gimenez Esteticista / Terapeuta Capilar / Depiladora

Estética íntima Em primeiro lugar, não há genitália perfeita, ok? Cada mulher tem suas características particulares

É

bom ressaltar esse fato para que ninguém invente defeitos onde não tem. Mas, atualmente, a região genital vem ganhando cada dia mais destaque na área da estética, a chamada Estética Íntima. Muitas mulheres reclamam do escurecimento da virilha, lábios e região perianal. Cientificamente, é chamado de hipercromia, que pode ser causado por envelhecimento natural, gravidez, infecções e até uso de roupas muito apertadas. Outra queixa comum é o envelhecimento íntimo que, com o tempo, a genitália perde volume e ganha flacidez na área externa (os grandes e pequenos lábios). Quando resgatam estes parâmetros estéticos e funcionais, as mulheres readquirem a autoestima, a segurança sexual e seu poder de sedução. Portanto, a busca pelo prazer e pela qualidade de vida tem feito as mulheres procurarem soluções práticas e eficientes sem sofrimento, uma vez que a estética íntima dá um gás na relação e proporciona felicidade a todas elas. A procura por esse tipo de tratamento é mais comum em mulheres a partir dos 30 anos, mas não é difícil ouvir relatos de mulheres de todas as idades que buscam o procedimento como incremento para a autoestima. Geralmente, são mulheres que já fazem algum tratamento estético no rosto e corpo, e buscam essa uniformização pelo simples fato de se perceberem mais bonitas. O tratamento visa melhorar a aparência desta região, trabalhando a fla-

cidez tissular nos grandes lábios, redução de gordura localizada (região do “Monte de Vênus” – supra púbica), clareamento de virilha e região perianal e rejuvenescimento. Alguns fatores fisiológicos e/ou genéticos associados a fatores comportamentais como tabagismo, alcoolismo, obesidade, roupas muito justas que causam muito atrito e a depilação com cera podem alterar a estética desta região. O tratamento conta com sessões semanais ou quinzenais, e é composto de exercícios localizados, aparelhos como radiofrequência, cavitação e luz pulsada, em conjunto com o uso de cosméticos em cabine e home care. Uma avaliação proporciona um direcionamento do profissional para definir qual procedimento seguir, entretanto, um dos procedimentos mais procurados é a radiofrequência, uma solução para o rejuvenescimento que funciona através do calor, que promove modificações na estrutura celular. A radiofrequência estira as células e estimula a produção de colágeno local, o que permite uma pele mais firme e túrgida, com uma aparência mais rejuvenescida dos lábios vaginais. Mas dependendo do que a cliente se queixa, o mais indicado é procurar um médico cirurgião plástico, pois existem tratamentos que não irão substituir a cirurgia. Não existe formato perfeito e promessas milagrosas, os tratamentos são para melhorar a autoestima feminina, mas o mais importante é a paciente estar bem consigo mesma e respeitar o limite do bom senso sem exageros.

Revista Energia 21


Imagem: Internet

Sociedade

Trabalho voluntário,

exercício de humanização “O teu amor sem exigência, me humilha. A tua exigência sem amor, me revolta. O teu Amor Exigente, me engrandece” Texto Celina Celulare Fotos Arquivo pessoal

22 Revista Energia


D

esde que o mundo é mundo o homem tem buscado um caminho que o leve a uma vida com qualidade. Muitos têm sido propostos, mas o caminho que acreditamos é aquele em que buscamos o autoconhecimento e a prática do voluntariado. Acreditamos que não vamos encontrar o que procuramos com facilidade, porque a vida é repleta de ilusão. O que buscamos tem que começar pelo conhecimento de nós mesmos. Do que existe dentro de nós. Conhecermos nossas virtudes, defeitos, habilidades, potencialidades. Aceitarmos nossas limitações. Refletimos sobre nossas potencialidades. A prática do voluntariado não é recente. A ONU, em 1999, propôs um Pacto Global no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, para incentivar a ação de pessoas e empresas em várias áreas de responsabilidade social. É aí que entra o Programa “Amor Exigente”, onde é possível vivenciar esses conteúdos internos. Encontramos no trabalho voluntário do Programa “Amor Exigente” este caminho. O trabalho voluntário é um exercício de humanização. Citando Clarice Lispector: “Um amigo me chamou para cuidar da dor dele; guardei a minha no bolso. E fui”. AMOR EXIGENTE O Amor Exigente é uma organização não governamental internacional, sem fins lucrativos, mantida por voluntários. Fundado nos Estados Unidos, o Amor Exigente começou aqui no Brasil por iniciativa do Padre Haroldo Joseph Rahm, jesuíta texano naturalizado brasileiro, que já realizava um trabalho de tratamento e recuperação para dependentes químicos. Com o crescimento desses grupos nas mais diversas localidades, e devido ao alto nível de credibilidade do Programa, em 1984 foi instituída a FEBRAE - Federação Brasileira de Amor Exigente, visando à maior eficiência e melhores resultados. Em 2009, com a criação do Novo Estatuto, o nome da federação mudou para FEAE – Federação de Amor Exigente, com sede em Campinas, SP. ATUAÇÃO O “Amor Exigente” (AE) atua como apoio e orientação aos familiares de dependentes químicos e às pessoas com comportamentos inadequados. Através de um eficiente programa de auto e mútua ajuda, desenvolve preceitos para a reorganização familiar, sensibilizando as pessoas e levando-as perceber a necessidade de mudar o rumo de suas vidas a partir de si mesmas. Isso proporciona equilíbrio e melhor qualidade de vida. Como diz o nosso lema: cada vez melhor! O AMOR EXIGENTE EM JAÚ O grupo “Amor Exigente Jaú” iniciou suas atividades no dia 27 de fevereiro de 2018, e reúne-se todas as terças-feiras das 20h15 às 22h, na Rua Prudente de Morais, 569, Vila Nova, onde acolhemos a sociedade jauense e da região. Conhecemos o programa através do grupo de apoio de Araraquara (AMEARA), que vem nos capacitando desde setembro do ano passado. Através dessa capacitação, obtivemos a autorização da FEAE (Federação do Amor Exigente) e sob a supervisão da Coordenadora Regional Maria Lucia Oliveira Gil, de Araraquara, iniciamos o trabalho em Jaú. O “Amor Exigente Jaú” tem como objetivo a prevenção, e nada mais é do que um programa de proteção social, que apoia e orienta as mudanças comportamentais na família e na sociedade visando ao bem comum.

COMO FUNCIONA Em nossa cidade, o “Amor Exigente” é um grupo de apoio que tem a intenção de promover a qualidade de vida através de 12 Princípios Básicos, 12 Princípios Éticos, Espiritualidade Pluralista e Responsabilidade Social, o que nos assegura que a eficiência e a beleza do programa ganha significado diante de como trabalhamos esses Princípios. São valores universais, imutáveis, e quando compreendidos e vivenciados, torna-se fácil nos respeitarmos, respeitarmos o outro e conseguirmos a harmonia tão desejada. Nos encontros semanais refletimos sobre mudanças de comportamentos, autoestima, respeito, disciplina, limites e outros valores. Estimulados, todos se sentem motivados a transmitir aos seus familiares e comunidade outro olhar sobre as dificuldades. Nos nós tornamos agentes de prevenção, acreditando que “Sozinhos estamos perdidos; em comunidade encontramos nossa força”. Acreditamos que o trabalho voluntário é o caminho para atingirmos o equilíbrio emocional, é um dar e receber. COMO CONHECI O AMOR-EXIGENTE Meu primeiro contato com o nome Amor Exigente foi em uma conversa com um psiquiatra amigo, que falou muito bem sobre o programa e lamentou o fato de não termos em Jaú um grupo de auto e mútua ajuda para qualidade de vida (prevenção de problemas de comportamentos inadequados). Fiquei curiosa na época, mas o tempo passou e acabei esquecendo esse assunto. Anos depois, em Araraquara, alguns amigos comentaram a existência de um forte grupo de promoção à qualidade de vida naquela cidade, e soube que se tratava do Amor Exigente. Voltou em mim a vontade de conhecer o trabalho que tinha ficado adormecido com o passar dos anos. Fui até a sede do grupo para conhecer e convidei o pessoal para ministrar uma palestra em Jaú. Em setembro de 2017, voluntários do Amor Exigente Araraquara (AMEARA) vieram trazer o primeiro contato para a sensibilização de todos os segmentos da sociedade. OS PRIMEIROS PASSOS “Para iniciarmos o trabalho em Jaú, que tem como um dos princípios a Espiritualidade Pluralista, ou seja, não pertence a uma religião específica, mas sim a um Poder Superior que cada pessoa concebe, entramos em contato com o Padre Armando, que nos acolheu e nos cedeu uma sala sem qualquer vínculo com a Igreja”, conta Regina Grizzo Bortolucci, coordenadora do AE-Jaú. “Essa experiência está sendo maravilhosa ao vivenciarmos a terapêutica de um grupo onde o sigilo nos protege, a partilha nos for-


talece ao admitirmos nossa fragilidade, dores, dúvidas quanto a determinados comportamentos, pois podemos admitir que nada muda se eu não mudar. Construímos novos caminhos, grandes mudanças por termos consciência que somos humanos, limitados e falhos, mas também regidos por um amor que exige de nós perdão, verdade e a possibilidade de uma nova vida, escrita a cada novo dia, pois hoje é o primeiro dia da minha nova vida”, afirma a coordenadora. POR QUE AMOR EXIGENTE? O programa foi criado nos EUA (Hard Love) por um casal de psicólogos que enfrentou problemas com suas filhas ao constatar que existem demandas a serem atendidas que, muitas vezes, não são percebidas no trâmite das tarefas cotidianas. O nome Amor Exigente, assim chamado no Brasil, reivindica uma tomada de consciência e um salto de qualidade em meio à crise de valores presente nas dinâmicas familiares e na sociedade em geral. A proposta do programa traz uma sequência criteriosa de princípios que perpassa os pontos cegos embutidos na sociedade moderna, dando a possibilidade de despertar em cada um que participa a percepção do que realmente importa para a que a vida valha a pena ser vivida. O AMOR, POR SI SÓ, NÃO BASTA O amor fora de ordem desencaminha. Em excesso ou na falta, adoece. O amor, como teoria apenas, também não basta, precisa ser vivido. A convivência requer referências saudáveis para a troca e o equilíbrio das relações humanas. Assim, os temas do programa são trabalhados com enfoques diferentes a cada semana, tendo como ponto de referência a mudança a partir de si mesmo. PRINCÍPIOS E A ESPIRITUALIDADE PLURALISTA Por meio da proposta do Amor Exigente e a reflexão sobre os temas contemporâneos, o programa apresenta recursos teóricos e ações práticas voltadas à construção de metas e objetivos a serem alcançados passo a passo. “O mundo se move quando eu me movo”. A Espiritualidade Pluralista significa estar aberto a receber todas as pessoas, independente de sua concepção religiosa, e assim a espiritualidade abrange a todos indistintamente. A QUEM É ENDEREÇADO O AMOR EXIGENTE? A todas as pessoas em busca de prevenção e qualidade de vida, visto que o cenário familiar, social e cultural tem sido atingido pela inversão de valores, e transformações de grande amplitude têm aumentado a complexidade das relações humanas. O programa oferece uma proposta para os que vivem comportamentos inadequados,

24 Revista Energia

relacionamentos destrutivos, relações abusivas, entre tantas dimensões de desconforto que afligem a natureza humana. COMO ME IDENTIFIQUEI COM O AMOR EXIGENTE Cléo Bredariol Gonçalves, voluntária do AE-Jaú, ouviu falar do Amor Exigente há bastante tempo. “Descobri que sua proposta é de real alcance por meio de estudiosos e filósofos que encontraram no programa uma contribuição ímpar como voluntário. Encontrei neles uma força em movimento a serviço da humanidade e senti essa inspirada necessidade de colocar-me diante dessa missão”. Missão de vida que vem se desenhando a cada encontro, possibilitando levar às pessoas referenciais saudáveis de modo gratuito, sigiloso, resgatando valores essenciais à dignidade humana. “Vejo que é possível como voluntária do Amor Exigente disponibilizar recursos eficazes à qualidade de vida a toda e qualquer pessoa como um direito, e não como um privilégio das minorias”, explica. O grupo Amor Exigente Jaú também disponibiliza treinamento de agentes multiplicadores viabilizando a formação de novos voluntários para o grupo de prevenção e qualidade de vida. Novas frentes de trabalho, como o Amor Exigentinho para crianças, entre outros, poderão vir com treinamento e capacitação de novos voluntários. O QUE O AMOR EXIGENTE TEM ENSINADO O Amor sem compromisso com o respeito, a verdade, a ética, a educação, um amor sem essas decisões, sem essas ações diárias em nossa vida não sustenta, na verdade se descaracteriza, deixando de ser Amor para se tornar um sentimento possessivo, doentio e que pode prejudicar o próximo e a si mesmo. QUAL O GRANDE DESAFIO DO AMOR EXIGENTE? É ter consciência de que a mudança tem que começar em nós. De que devemos parar de culpar os outros pelas nossas dificuldades. É ter a consciência de que amar é um grande desafio. No Amor Exigente aprendemos que amar é ajudar o outro a ser uma pessoa certa para si e para o mundo. Este é o princípio básico. Quando adquirimos essa consciência estamos prontos para definir limites para nós mesmos e para os demais que estão no nosso convívio. Vivendo um dia de cada vez. QUER FAZER PARTE? O grupo Amor Exigente em Jaú tem se fortalecido a cada reunião e todos estão convidados a conhecer através do Programa Vida Melhor, na Rede Vida, todas as segundas-feiras às 12h30; no site www.amorexigente.org.br e também nas reuniões semanais, todas as terças-feiras. 


Revista Energia 25


26 Revista Energia


Revista Energia 27


Capa

28 Revista Energia


Distribuição eficaz gera bons resultados Com boa qualidade, abordagem correta e planejamento na distribuição é possível atingir um bom retorno com impressos promocionais Texto Heloiza Helena C Zanzotti


Q

uem nunca recebeu panfletos na rua ou se deparou com algum deixado no limpador de para-brisa ou maçaneta do carro? Considerada uma alternativa acessível de marketing, a distribuição desses folhetos ainda é bastante utilizada por grandes empresas. Mas, será que vale a pena fazer anúncios e distribuir panfletos? Na verdade, qualquer ação que lembre o cliente da sua existência é importante, e embora o marketing digital esteja aí, anúncios tradicionais e panfletos ainda ajudam bastante na hora de colocar o fornecedor em contato com um possível comprador. DO JEITO CERTO Se o papel do marketing é promover marcas, produtos e serviços, é lógico que isso deve ser feito utilizando-se as mídias e canais mais adequados para cada caso, e em se tratando de materiais impressos, quando elaborados corretamente podem ajudar a aumentar as vendas e trazer clientes para a sua empresa. Estudos realizados na Stanford Graduate School of Business, escola de negócios na Califórnia, EUA, este meio de publicidade é efetivo e não é por acaso que grandes armazéns e supermercados norte-americanos investem milhões de dólares anuais em campanhas publicitárias baseadas na distribuição de panfletos, que são muito mais baratos que publicidade em outdoors ou comerciais na TV. Entretanto, precisam ter a mensagem certa, o tipo certo de papel e um bom planejamento na distribuição.

30 Revista Energia

PANFLETOS&CIA Em praticamente tudo o que vamos fazer, o planejamento evita muitos problemas no futuro e no caso de entrega de panfletos há todo um processo a seguir como mapeamento de rotas, entre outros. Por isso, contar com a ajuda de profissionais para a distribuição de seu folder, panfleto ou folheto é fundamental. Para quem precisa de uma distribuição personalizada e dinâmica, direcionada a um púbico específico, A Panfletos&Cia oferece serviço especializado na distribuição profissional de panfletos em diversas modalidades, com soluções de acordo com a necessidade de cada cliente, além de uma elaboração estratégica, fundamental para uma ação publicitária eficaz. DO SEMÁFORO AO PRIMEIRO VEÍCULO Em meados do ano de 2000, os irmãos Daniel Paiva, então com 15 anos, e Gabriel Paiva, 13, já empreendedores mirins, trabalhavam por conta própria na entrega de panfletos em semáforos ou de porta a porta, como lembra o irmão mais velho, Daniel: “Pegávamos o ônibus circular para ir até o bairro onde íamos fazer a distribuição, com mochila nas costas e o material dentro”. Na época, os irmãos tão jovens já se destacavam pelo trabalho sério e responsabilidade, o que fez com que novos clientes buscassem seus serviços. Em pouco tempo o trabalho era diário e o volume de clientes cresceu. Como eram menores de idade, contavam com a ajuda da mãe, Alice Luiz, que era dona de casa. Gabriel Paiva recorda: “Tínhamos que pedir para a nossa mãe chamar um moto táxi para levar mais panfletos até


o local aonde estávamos”. Com muito trabalho e esforço dos irmãos e de sua mãe, a empresa foi aberta e formalizada, foram providenciados uniformes, cartões de visita e assim nascia a Panfletos&Cia. “No início não foi fácil, não tínhamos carro para locomoção, mas um ano depois conseguimos conquistar nosso primeiro carro, uma Variant, e assim conquistamos mais clientes e a Panfletos&Cia tomava forma”, conta Alice. CRESCIMENTO E PROFISSIONALISMO Daí em diante a empresa cresceu - e os meninos também. Em 2005, já maiores de idade, realizaram uma pesquisa na cidade de Araraquara e como resultado surgiu a primeira filial da Panfletos&Cia, sempre buscando a especialização e valorização da equipe, além de conquistarem novos clientes. Em 2010, passou a fazer parte da Panfletos&Cia de Jaú a filha caçula de Alice Luiz, Jessica Paiva, já com 20 anos, que assumiu o financeiro da empresa. Em 2016 a nova conquista foi a aquisição do prédio próprio, para o manuseio de material recebido das gráficas e empresas, além do armazenamento da frota de veículos da empresa. Atualmente, a Panfletos&Cia tem Alice Luiz como diretora logística e Jessica Paiva na gerência financeira, e é a única empresa especializada que atende a todos os requisitos necessários neste segmento, com todos os seus funcionários registrados e uniformizados, garantindo que o material do cliente chegue ao público alvo de forma segura e eficaz. ESCOLHA BEM ANTES DE CONTRATAR Hoje em dia, o distribuidor de panfletos não é mais um “bico”, é uma profissão. Quando um cliente confia seus panfletos/tabloides à Panfletos&Cia, pode estar ciente de que sua empresa chegará até o seu público alvo de forma direta. “Nós carregamos literalmente o nome dos nossos clientes, então, temos obrigação de ter distribuidores devidamente uniformizados e registrados, para que não traga problemas futuros. Eles também são acompanhados por coordenadores que os levam até o local da distribuição, sempre abastecendo com água e disponibilizando protetor solar. Fornecemos relatórios e fotos, e somos a única empresa do ramo a possuir infraestrutura adequada, trazendo a tranquilidade para os clientes que terão suas marcas fortificadas, e seus serviços e produtos expostos de forma rápida e segura”, explica a gerente Jessica. Faça como as empresas mais tradicionais de Jaú: utilize os serviços da Panfletos&Cia e obtenha os melhores resultados!

“Para nós, é uma grande satisfação manter uma parceria com a Panfletos e Cia, desde a sua criação. A empresa possui profissionais extremamente comprometidos com os resultados esperados por nós, e fazem com que nossas ofertas cheguem semanalmente a milhares de lares, para que nossos clientes possam conhecer e aproveitar as ofertas que preparamos com muita dedicação”. (Rafael Gonçalves - Diretor Comercial dos Supermercados Jaú Serve)

Revista Energia 31


Com a parceria de uma empresa como a Panfletos&Cia, certamente seus panfletos irão longe, e o nome de sua empresa alcançará milhares de pessoas. Panfletos&Cia atende pequenas, médias e grandes empresas com comprometimento, seriedade e agilidade. • Planejamento Estratégico • Acompanhamento Constante • Relatórios com locais de entrega

Faça já o seu orçamento sem compromisso (14) 3621-1634 / 99161-6839 www.panfletosecia.com - Facebook: jau.panfletosecia

32 Revista Energia


Texto Heloiza Helena C Zanzotti

C

om localização privilegiada, a maioria dos moradores deste bairro adora o lugar e nem pensa em sair dali. O local também é conhecido como BNH, por ter sido construído pelo Banco Nacional da Habitação, empresa pública voltada ao financiamento e produção de empreendimentos imobiliários, nos mesmos moldes do que faz atualmente a Caixa Econômica Federal. A RE conversou com Norimar Cestari, 74, casada com José Xisto, também com 74 anos, e que moram no bairro há 43 anos. Segundo ela, quando se mudaram para a Chácara Bela Vista, ali era o final da cidade. O bairro já era servido por água e energia elétrica, mas não havia asfalto, nem supermercado, nem ônibus circular. “A ônibus que chegava mais perto parava ali na Fundação, então tínhamos que andar bastante”, conta Norimar. Em 1973, o então prefeito Waldemar Bauab contratou empréstimo para execução dos serviços de guias, sarjetas e pavimentação asfáltica no bairro. Para ela, agora está uma maravilha, e embora conte com cinco restaurantes, é bastante tranquilo. “A maioria dos moradores é da nossa época. Todas as tardes ainda nos sentamos nas calçadas para bater papo, é mui-

to gostoso. E hoje tem tudo: farmácia, posto de combustível, mercado”. Sobre as casas construídas pelo BNH, ela diz que são muito boas. “Não tem uma rachadura, nenhum taco solto, todas são com laje. Nunca tivemos problemas com a estrutura do imóvel”, afirma.

Revista Energia 33


34 Revista Energia


Consultoria Por Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves

consultoria@revistaenergiafm.com.br

Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves é administrador, contador, consultor, palestrante e professor universitário com MBA pela FGV – RJ em Gestão Estratégica de Pessoas; presidente  da AESC – Associação dos Escritórios e Profissionais da Contabilidade de Jaú e região - gestão 2004/2005; atualmente  diretor da AESC Jaú; proprietário do DinamCorp Corporação Empresarial e Contábil; proprietário da Prosol Unidade Jaú e consultor e orientador em desenvolvimento de softwares Prosol – São Carlos

Aceita que dói menos

A

De repente vem aquele chato do gestor de novo… e fala assim aos colaboradores:

nda, anda, temos que produzir, corre, corre, precisamos vender mais, as coisas estão complicadas para a empresa, a crise está acabando com nosso negócio, os clientes estão reclamando da qualidade, cada vez menos pessoas comprando nossos produtos e serviços, os concorrentes estão na nossa cola, nem sei se este mês teremos dinheiro para pagar vocês!” E comenta com os colegas no clube: “Meus empregados… Ah, meus empregados são um problema, onde já se viu ganhar para não fazer nada, o dia inteiro enfiados no celular, atendem mal nossos clientes, são incompetentes, não gostam do que fazem e fazem com tanta má vontade!” E o outro complementa: “Ah, eu já não tenho paciência não, faço eu mesmo, esses empregados de hoje não são como antigamente, são folgados, são todos iguais, só mudam o endereço”, e assim vai blá, blá, blá... copos de cervejas e tempo afora… Geralmente, estes gestores reclamam o tempo todo e de tudo, pois cometem erros sequenciais, um atrás do outro, não disciplinam a própria empresa, não sabem educar seus filhos (os colaboradores), muitas vezes discutem com a própria esposa na frente de qualquer um, atendem mal os clientes, não ouvem e não aceitam opiniões contrárias às suas, se acham acima de tudo e de todos e assumem na cara dura que o mundo está errado. Durante a consultoria, muitas vezes percebemos que tudo começou errado, ele (o gestor) em momento algum procurou atualizar seus conhecimentos com cursos ou palestras, pois achava perda de tempo, justificando que tempo é dinheiro e que é mais importante estar ali na empresa do que estar fora dela (mal sabe que seria comemorada pelos empregados sua ausência… Ops, deu ruim).

Não possuem sequer uma planilhazinha de custos feita em papel de pão, jamais pararam para isso, vai tudo no automático, dizendo: “Pego o preço da concorrência e faço mais ou menos igual, pois não adianta fazer diferente senão o cliente não compra, e se ele não compra a gente quebra”. Lembre-se: A concorrência pode administrar da mesma forma e muitas vezes até pior e não serve como referência. Já vi gente fazendo preço de venda assim, ao comprar mercadoria por R$ 10,00 e dizer: “Vamos vender essa por R$ 12,00, essa vai ser 13,00 e essa R$ 12,50”. Já presenciei indústrias calculando seu preço de venda dessa forma: matéria prima multiplicado por dois. Putz, sem noção. A empresa veio ao mundo para gerar lucros e são estes lucros que irão desenvolver o negócio, que serão investidos em suas instalações e ferramentas, em cursos de aperfeiçoamento, em melhores contratações, na segurança do trabalho, melhores salários e condições para os colaboradores, numa fachada mais bonita e atraente para a organização, etc. Todos que fazem parte do negócio precisam estar sintonizados, para isso existem reuniões e estas precisam ser motivadas, não um ambiente de reclamações. Lembre-se: é necessário desenvolver as pessoas, contratar profissionais com o perfil do cargo que irá exercer e isso é muito importante para dar certo. Ninguém faz uma ótima salada de frutas com maçãs estragadas. O próprio gestor precisa ter consciência que tudo começa por ele, que precisa aprender a administrar e respeitar as pessoas, saber contratar, criar um ambiente amigável e sadio, tomar decisões certas e deixar de reclamar; parar para refletir se de fato ele não é o maior problema da empresa e aceitar isso. Esses são alguns passos para o sucesso. Então, aceita que dói menos. 

Revista Energia 35


36 Revista Energia


Depilação a Laser Por Dra. Rayssa Verzenhassi Fisioterapeuta

Inverno também é uma ótima época para fazer depilação a laser A fisioterapeuta Rayssa Verzenhassi, da Espaçolaser de Jaú, fala sobre o aumento da procura por depilação a laser no inverno e os benefícios do laser em relação aos outros métodos

A

depilação a laser é cada vez mais procurada por ser uma forma definitiva de se livrar dos pelos. Quem não sonha com uma pele lisinha, livre para usar roupas leves, mais curtas ou cavadas a qualquer momento? Para acabar definitivamente com os pelos de forma eficaz e sem os indesejados fios encravados, . a melhor solução é a depilação a laser. E o inverno também é uma ótima época para iniciar o tratamento. “Diferente dos métodos mais comuns, cera e lâmina, a depilação a laser destrói o folículo piloso, fazendo com que o pelo pare de nascer. Os fios vão desaparecendo a cada sessão. A satisfação é garantida, o cliente não terá mais que se preocupar com pelos na hora de escolher a roupa”, explica a fisioterapeuta. A depilação a laser é um método seguro, mas deve ser realizada em clínicas reconhecidas, com profissionais capacitados e equipamentos com tecnologia de ponta, que garantem bem-estar e conforto aos clientes. “Utilizamos o laser Alexandrite, um equipamento tecnologicamente avançado, dotado de um sistema especial de resfriamento por gás criogênio, que torna a depilação mais eficiente e confortável. Milésimos de segundos antes do disparo do laser, ocorre um resfriamento da pele pelo gás criogênio. Em seguida, um raio de luz concentrada é atraído pelo pigmento de cor contido nos pelos, atingindo somente o pelo”, destaca Rayssa. Segundo ela, o inverno também é uma ótima época para iniciar a depilação a laser e preparar o corpo para o verão, onde naturalmente usamos mais biquínis e roupas leves. “É preciso evitar a exposição ao sol trinta dias antes e sete dias após a sessão, e manter a pele bem hidratada, principalmente no inverno. Nas mulheres, o procedimento é mais realizado na virilha, axilas, pernas e rosto. “Já na primeira sessão é possível começar a ver os resultados”, afirma a profissional.

Homens também podem O método definitivo de depilação também tem conquistado os homens, que buscam geralmente a remoção definitiva dos pelos das costas, do peito e da barba. “Na Espaçolaser, cerca de 25% de todos os procedimentos realizados é feito por eles. Chega a ser surpreendente o número de homens que procuram a clínica”, conclui. 

Horário de Funcionamento: Segunda a sábado das 10h às 22h. Domingos e feriados das 13h às 19h. Telefones: (14) 2104-2369 / (14) 3416-2357 Endereço: Av. Quinzinho, 511, Chácara Peccioli, Jaú, SP Revista Energia 37


38 Revista Energia


Revista Energia 39


A GENTE CHAMA DE BARRACÃO MAIS. MAS VOCÊ PODE CHAMAR DE MEU SUPERMERCADO.

Aqui no Barracão Mais, a gente sabe, você se sente em casa. Afinal, aqui você conhece a origem e a qualidade das carnes, sabe que as frutas e verduras estão sempre fresquinhas, conhece pelo nome o pessoal da padaria e as meninas dos caixas. É aqui que você encontra os menores preços, os melhores produtos e é recebido com um cafezinho delicioso, todos os dias. Um supermercado assim, do jeito que você realmente gosta, é para chamar de seu.

Rua Dante Lazzari, 295, Jardim Nova Jaú Jaú/ SP | Tel: 14 3626-2155 40 Revista Energia

barracaomais.com.br r

/barracaomaiss


Revista Energia 41


Por Evelin Sanches Mestrado em Administração Pública e Governo MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Obesidade na adolescência A obesidade não é apenas um problema estético. O excesso de peso pode provocar o surgimento de vários problemas de saúde

A

alimentação na adolescência é tão importante quando na primeira infância, pois é um período de intensas transformações biológicas que necessitam de uma alimentação saudável para suprir essa fase, além de servir também como um meio de criar e manter bons hábitos para a vida adulta. Atualmente sabe-se que a obesidade na adolescência é considerada um problema de saúde pública com caráter epidemiológico em âmbito universal. A proximidade entre o sedentarismo e a tecnologia se faz presente na vida dos jovens. Os adolescentes passam horas navegando no celular deixando de praticar atividade física e consequentemente acabam tendo uma forma sedentária de entretenimento, os videogames e filmes. Vale ressaltar que a família é um meio importante para auxiliar esse jovem que sofre influências pela mídia, ambiente social, classe econômica, dentre tantos outros fatores que expõem esse adolescente à vulnerabilidade não somente da obesidade, mas de todas as comorbidades relacionadas como diabetes, hipertensão, dislipidemias, sedentarismo e até mesmo o câncer. Algumas dicas recomendadas podem ajudar na busca por uma vida sempre saudável: Seguir uma alimentação balanceada, rica em frutas, legumes e verduras. Respeitar os horários das refeições e não beliscar guloseimas entre um intervalo e outro. Evitar alimentos gordurosos, como doces, frituras e refrigerantes Praticar atividades físicas com orientação de um profissional. Beber pelo menos 2 litros de água por dia, para manter o corpo sempre hidratado. 42 Revista Energia

Treinos todos os dias às 6h e às 17h30. Faça uma aula teste e mude sua vida em 360• Contato: (14) 9 9647 7971 Prof. Guilherme // Dra Carol: (14) 9 9768 1759 // Dra Mayara Carinhato (14) 9 9749 0132

Breve, em Jaú


Look de artista

Fotos: Jenifer Cerdas Modelo: Carolina Ximenez Nadaleto Looks: Vestylle Megastore Produção: Jorgin Cabelo e Estética Local: Espaço Vila Viva - Jaú/SP 44 Revista Energia


Tel: 14 3622 8364 Av. Frederico Ozanan 770 - JaĂş/SP

Revista Energia 45


46 Revista Energia


Revista Energia 47


48 Revista Energia


Vida Profissional Por Rachel Soares de Brito Gestora da Escola Profissionalizante CEBRAC Jaú

Foco, a chave para o sucesso Você está prestando atenção? Ou já se distraiu checando seus e-mails, mensagens, Facebook ou qualquer outra rede social?

V

ocê já percebeu quantas coisas existem para desviar sua atenção das coisas importantes? Precisamos manter o foco em nossos objetivos para alcançarmos o sucesso. Se você leu esse texto até aqui e não olhou para o Whatsapp, meus parabéns! Quando lemos um texto, normalmente ficamos 40% do tempo distraídos. Mas, quais são os benefícios de ficar focado por um longo período? Uma palavra: sucesso. Manter o foco é uma questão de treino: se o exercitarmos, ele se desenvolve e se fortalece. Em uma era de distrações intermináveis precisamos aprender a aprimorar nosso foco se quisermos prosperar no mundo complexo em que vivemos. Aqueles que alcançam rendimento máximo, seja nos estudos, nos negócios, nos esportes ou nas artes, são precisamente os que prestam atenção no que é mais importante para o seu desenvolvimento, para seu desempenho. Foco é uma ferramenta essencial. É o que diferencia um especialista de um amador, um profissional de sucesso de um funcionário mediano. O foco é uma forma de descrever para onde está direcionada nossa atenção e o segredo é justamente esse: reconhecer o momento e direcionar a atenção para o local apropriado.

Uma das melhores ferramentas para treinar manter nosso foco é a respiração e a meditação. Assim como você vai para a academia e faz repetições para aumentar o tamanho e a resistência dos seus músculos, a atenção e a capacidade de focar também devem ser exercitadas da mesma forma. Tente fazer esse exercício: feche os olhos e preste atenção na sua respiração. Foque em cada movimento inspirando e expirando o ar de seus pulmões. Depois de alguns momentos você perceberá que sua mente está querendo desviar o foco – essa é a hora de trazê-lo de volta. O exercício é esse: perder o foco e trazê-lo de volta. Esse é apenas um exemplo de como podemos exercitar nosso foco. Exercite seu foco, entenda que em alguns momentos terá que aprender a dizer “não” para as distrações, assim você terá mais energia para gastar no que é realmente importante que é sua criatividade e execução de seus projetos. 

“Foco é o que diferencia um especialista de um amador, um profissional de sucesso de um funcionário mediano”

Revista Energia 49


50 Revista Energia


Caderno Especial Festas - Edição 78 Foto de capa: Rafael Bigarelli

K eventos Faz valer a pena

e vai rolar a festa...


52 Revista Energia


Revista Energia 53


54 Revista Energia


Revista Energia 55


56 Revista Energia


Revista Energia 57


58 Revista Energia


Revista Energia 59


Noiva

O vestido perfeito Quase toda mulher sonha com o dia em que irá se casar com o amor da sua vida. E quando esse momento chega, a escolha do vestido de noiva está no topo da lista daquilo que é essencial

Texto Bárbara Milani Imagens: Internet

60 Revista Energia


Revista Energia 61


A

lém das tendências no mundo da moda, algumas mulheres optam por vestidos que combinem com o horário da cerimônia e há aquelas mais tradicionais, que muitas vezes preferem usar o modelo de quando suas mães se casaram.

TENDÊNCIAS E TRADIÇÃO As tendências para os vestidos de noiva baseiam-se frequentemente em detalhes que os estilistas estão produzindo no momento. Para este ano, os vestidos de casamento tendem mais à simplicidade, suavidade, com transparências e mangas leves de renda. Alguns modelos são feitos especialmente para cada período do dia e mesmo com inúmeros lançamentos a cada estação, o modelo princesa é um clássico que nunca sai de moda. A coordenadora de moda Erica Javaroni, 45, que atua na área há 30 anos, explica que não há uma regra na escolha dos vestidos e aconselha: “Não diria ser uma tradição, mas já faz parte do dress code (código de vestir) da nossa cultura. Assim como a noiva usa o branco, as convidadas devem evitar essa cor e outras cores muito claras como o pérola, para distanciar do vestido da noiva. Não é uma regra, mas é aconselhável”. PARA CADA PERÍODO Os casamentos realizados pela manhã estão se tornando cada vez mais comuns para que o casal e os convidados aproveitem aquilo que o casamento diurno proporciona: cenário ao ar livre, todo o dia de festa, fotos incríveis cheias de luz. Os casamentos diurnos tendem a uma temperatura mais quente, dependendo da época em que se celebra a união do casal. Nesse caso, tecidos simples e leves favorecem a noiva e a deixam mais confortável. “Normalmente são vestidos mídi ou curtos, em cores e tecidos leves, sem muito brilho ou bordados, mas faz-se muito uso de rendas e pérolas. Pode ser longo, mas normalmente elas optam mais pelo mídi”, explica a coordenadora de moda. No horário do almoço e início da tarde, de acordo com Erica, os vestidos que melhor se encaixam são como os modelos usados no período da manhã. “Caso o casamento seja no finalzinho da tarde, cabe um longuete com pouco bordado e brilho”, afirma. Já para os casamentos tradicionais, celebrados no período noturno, a especialista indica os longos e modelos variados com fendas, brilhos e rendas. O MODELO IDEAL Muitas noivas ficam bastante ansiosas e indecisas ao escolher o modelo ideal de vestido para o seu casamento. Segundo especialistas, o vestido perfeito é o que vai casar o estilo da noiva com o horário, local e festa, além do corpo e biótipo da noiva. De acordo com a Revista iCasei, algumas dicas podem ajudar as noivas na hora de escolher o modelo perfeito do vestido:

62 Revista Energia

Shape A (evasê): ideal para mulheres que possuem quadril largo e querem marcar a cintura; Semi sereia: ideal para mulheres que querem e podem destacar a região do quadril; Sereia: ideal para o biótipo “toda boa”; Modelo princesa: combina com todos os biótipos; Vestido sem estrutura pode ser um problema para quem quer modelar o corpo; Vestido transparente pode ser ousado demais para uma cerimônia formal; Sem o embutimento que “encolhe” a cauda para a festa, o vestido fica super desconfortável; Se optar por ter saia removível, tenha certeza que a saia de baixo está à altura da festa, seja ela curta ou longa. COMPRAR OU ALUGAR? Esta é a grande dúvida, não é mesmo? Para cada opção existem vantagens e desvantagens. O principal é saber o que é melhor no caso de cada noiva, pesar as prioridades e partir para a escolha! A noiva poderá escolher entre os modelos prontos ou pedir para que seja feito sob medida, do jeito que sempre sonhou. Algumas lojas oferecem a opção do primeiro aluguel, confeccionando um vestido novo, feito exclusivamente para ela. O primeiro aluguel não é tão barato quanto o aluguel simples de um vestido já existente, mas é mais barato do que fazer um vestido sob encomenda, pois o vestido será devolvido e outras noivas poderão ter o seu dia especial com aquele modelo. Com modelos para todos os estilos e gostos, a maioria dos vestidos disponíveis para locação vem de coleções lançadas no ano anterior pelas principais empresas do segmento. Além disso, noivas encontram trajes de outras mulheres que decidiram vender o vestido para recuperar o investimento. Prefere mandar fazer? Caso você esteja considerando essa opção, saiba que escolher o modelo do vestido será muito mais fácil. Buscando inspirações, basta achar quem o faça. A grande vantagem de fazer um vestido sob medida é que ele terá melhor caimento e seguirá as curvas do corpo da noiva. Caso não encontre uma costureira especializada, a noiva pode comprar pronto o vestido. Bateu o olho e se apaixonou? Não precisa ter medo do resultado final, pois com certeza ele já é o seu vestido ideal. E O MAIS PROCURADO? A coordenadora Erica acredita que não há um vestido eleito como o mais procurado. “Existem muitas variáveis na hora da escolha como tipo físico, sonho, gosto pessoal, local, horário, condições financeiras. Eu observo que os modelos mais tradicionais ainda ocupam o primeiro lugar na preferência das noivas: rendas, transparências, acinturados, bordados e saias amplas são modelos que sempre estarão em alta”.


em relação ao quadril; mais baixas ou mais altas; com cintura fina ou não. Confira as dicas: Para as noivas plus size baixinhas, os vestidos em linha reta alongam a silhueta e os justos não criam volumes a mais. As noivas plus size com quadril largo devem evitar vestidos em corte sereia e dar preferência aos vestidos que alongam o corpo, assim como os de linha reta. Já as noivas plus size com seios grandes devem evitar decotes profundos e vestidos “tomara que caia”. É preciso dar preferência aos decotes em “V” ou em formato canoa.

MODELOS PLUS SIZE Há algum tempo, encontrar modelos de vestidos plus size era bem difícil, a maioria das lojas não trabalhava com essa modelagem fazendo com que as noivas buscassem costureiras para desenhar e confeccionar um modelo com as suas medidas. A vontade de estar linda no dia do casamento é o desejo de todas as noivas, entretanto, para cada tipo de corpo há um modelo que se encaixa melhor e isso não é diferente com as mulheres mais cheinhas. A principal dica é sempre escolher o vestido baseado no seu estilo e gosto pessoal, mas é importante que noivas plus size sigam alguns conselhos como evitar vestidos com saias muito aderentes ao corpo ou muito amplas e armadas. Tecidos brilhantes, recortes horizontais e babados também devem ser deixados de lado. A escolha da manga do vestido é outro item importante quando a noiva é plus size e quer esconder braços gordinhos. De preferência, vestidos com mangas médias ou longas em renda fina ajudam a esconder detalhes indesejáveis. Outra dica é a escolha de vestidos com corselet, que definem a cintura e são ajustados ao corpo, alongando a silhueta. É interessante usar uma faixa na cintura para afinar e definir essa região. O PLUS SIZE IDEAL As cores claras são conhecidas por salientar aspectos do corpo de quem as usa. Cores claras “engordam”, mas o branco foge dessa regra pois tem tudo a ver com a noiva. Os melhores tecidos são os de aparência opaca como o tafetá e rendas finas; tecidos como organza e crepe também são bastante utilizados. Noivas plus size devem atentar-se ao seu tipo de corpo. Há mulheres com quadris mais largos ou com o busto grande

E OS CONVIDADOS? Aos noivos cabe a difícil missão de fazer a lista de convidados e distribuir os convites. E é lógico que estes são escolhidos a dedo. Convidados fazem parte de todas as festas, mas em um casamento sempre existe aquela pessoa que quer se aparecer mais que a noiva, não é mesmo? Por isso, vão aqui dicas de dress code (código de vestir) para os convidados. De acordo com o protocolo, as damas de honra devem vestir roupinhas de acordo com o vestido da noiva. Um casamento realizado no período diurno costuma ser intimista e pede roupas menos chamativas. Vestidos curtos (sem exagero) e saias com blusas elegantes são as que mais combinam. À tarde, vestidos curtos mais sofisticados, longuetes ou longos simples, sem exageros nos detalhes, são os mais propícios para o horário. E à noite? Bem, aí os convidados podem se jogar na produção. Os vestidos podem ser curtos e sofisticados, com bordados e pedrarias, longuetes ou longos. Pode-se abusar dos decotes e das bijuterias mais vistosas, sempre partindo da premissa de que os convidados não devem chamar mais atenção que a própria noiva. E atenção: evite o preto, já que muitas noivas não gostam dessa cor no casamento. Erica explica que a escolha do traje também deve levar em conta o local do evento. “Se for em um salão ou em uma fazenda, a escolha deve levar esta informação em consideração. Observar se há no convite o dress code apropriado ou se é livre. Se houver o dress code, a norma de etiqueta é segui-lo”. 


64 Revista Energia


Revista Energia 65


66 Revista Energia


Revista Energia 67


Capa Festa

Para ser inesquecível Festas de 15 anos, formaturas, casamentos, aniversários... Quem é que não sonha com um grande evento que fique marcado na memória e nos registros? Texto Heloiza Helena C Zanzotti Fotos: Arquivo pessoal

68 Revista Energia


E

ste é um dos segmentos que não para de crescer no país. Ninguém quer deixar de comemorar os acontecimentos especiais de sua vida e compartilhá-los com a família e amigos. Não é à toa que o brasileiro é conhecido no mundo todo por sua alegria e por adorar festas. No entanto, a organização de um evento possui inúmeros detalhes como iluminação, som, climatização, segurança, entre outros, e as empresas prestadoras de serviços estão cada vez mais atentas às necessidades dos clientes, às novas tendências e em busca de produtos diferenciados. E não dá mais para mais ser amador nesse mercado.

SONHO DE CRIANÇA Kauan Guilherme Superte, 27, sempre teve paixão pela área em que atua hoje. Quando criança, latas de tinta viravam refletores e outros objetos criavam vida em suas mãos. Incentivado pelos pais, Jonas e Val, o jovem teve todo o apoio e suporte necessário para desenvolver sua criatividade e seguir em busca da realização pessoal. Aos 15 anos já tocava violão e guitarra com os primos e também nesta época fez dois cursos de eletroeletrônica no Senai, o que rendeu ao jovem uma premiação em feira no Anhembi, SP, ao inventar uma janela inteligente, com sensores, que se fechava com a chuva. Era apenas o começo. Algum tempo depois Kauan comprou alguns equipamentos de iluminação e começou a alugá-los. NASCE A K EVENTOS Em 2009, com 6 refletores e 1 projetor, o jovem empreendedor criou sua empresa, a K Eventos, que funcionava em sua casa. A partir daí cada centavo foi reinvestido no negócio. “Eu abria mão de comprar coisas pessoais para investir na empresa”, conta Kauan. Com muito trabalho e principalmente muita criatividade as coisas foram acontecendo e veio então a mudança do escritório e a aquisição de um caminhão. Atualmente a empresa funciona em uma nova e elegante sede, oferecendo todo o conforto e atendimento diferenciado que o cliente merece. DEDICAÇÃO TOTAL “Além do trabalho, é um hobby”. Assim Kauan define o que faz. E a paixão é tanta que ele troca muitas noites de sono para criar, colocar em prática suas ideias e fabricar seus equipamentos, que são o diferencial da empresa. A maioria do que

Revista Energia 69


a K Eventos oferece não está disponível no mercado, o cliente só encontra ali mesmo. Tanta dedicação aliada a uma equipe comprometida permitiu que a K Eventos se tornasse referência no setor, inspirasse outros profissionais e empresas de outras regiões do país, que acabam vindo conhecer e aprender com o jovem. Fazem parte da equipe a secretária Fran Lopes, os técnicos Alex e André, os DJs Pasteur e Lory, além de alguns colaboradores freelancers. “Esta equipe é meu braço direito. Eles também criam, fabricam, sem eles não faria nada”, afirma Kauan. PARA QUALQUER TIPO DE EVENTO Realizar sonhos e transformar um dia especial para a pessoa em um momento único e inesquecível é o que significa o slogan “Faz valer a pena”. Para o empreendedor, ouvir que tudo valeu a pena ao final de cada evento é o que motiva a fazer cada vez melhor, a criar novos itens, a inovar sempre. Os cenários desenvolvidos pela K Eventos são personalizados, únicos, e atendem as festas mais luxuosas trazendo requinte e sofisticação. De acordo com a história e estilo de cada cliente é criado um ambiente especial com peças diferenciadas, elementos de cenografia e efeitos especiais. DE BALADA A CASAMENTO DE PRINCESA Surpreender, esta é a palavra que define a K Eventos. São vários planos para atender as expectativas de cada cliente, da montagem à produção e locação de equipamentos de som, imagem e efeitos especiais, realizando aniversários, casamentos, shows, eventos de dança, desfiles de moda, inaugurações e palestras, agregando profissionalismo e garantindo o sucesso e a satisfação ao final de cada evento. VEM COISA NOVA POR AÍ Durante a semana a equipe da K Eventos trabalha duro para criar novos itens e para este ano cerca de dez lançamentos estão em fabricação, alguns já funcionando como elevador cênico, pista de dança de luxo e vídeo mapping, e outros guardados a sete chaves. Kauan faz questão de ressaltar que participa de todas as etapas do processo de criação e atendimento, solucionando todos os problemas que surgirem para que cada cliente tenha seu momento eternizado, impecável em todos os detalhes. K EVENTOS Sua festa merece este grande diferencial! Iluminação decorativa, som, DJs, efeitos especiais, pistas de led, estruturas de pista de dança, vídeo mapping, cenários, elevador cênico, lustres. 

Av. Dudu Ferraz, 278 Jaú/SP Tel: (14) 9 9756 1119 9 8819 1119 contato@eventosk.com.br

70 Revista Energia


Revista Energia 71


72 Revista Energia


Revista Energia 73


74 Revista Energia


Revista Energia 75


76 Revista Energia


Revista Energia 77


Organização

Por onde começar? Quando decidimos fazer uma festa, seja infantil,15 anos, casamento ou outro tipo de evento, muitas dúvidas surgem e a principal delas é: por onde eu começo?

Imagem: internet

Texto Bárbara Milani

78 Revista Energia


A

realização de uma festa envolve tantos detalhes

quecível e o nosso trabalho é fazer com que este momento seja

que apenas uma pessoa organizando se torna

realmente único”. De acordo com as sócias, a importância de

inviável. A ajuda de um profissional é de extrema

uma boa assessoria baseia-se na responsabilidade da organi-

importância para orientar na escolha de cores,

zação e planejamento da festa. “Ao contratar uma assessora,

temas, decoração e fornecedores. Por menor

o cliente deixa de se preocupar com cronogramas, protocolos,

que seja o

com a montagem do evento e aproveita ao máximo cada mo-

seu evento, imprevistos podem

comprometer a beleza da festa.

mento da festa”.

VANTAGENS DA ASSESSORIA

EM TODAS AS ETAPAS

Grandes eventos demandam um ótimo planejamento e a

A assessoria planeja e organiza o evento desde o início, tra-

ajuda de uma boa empresa que preste assessoria é fundamen-

zendo orçamentos e acompanhando os clientes em todas as

tal para que a festa ande exatamente dentro do cronograma

reuniões com fornecedores, assinatura de contratos e organi-

previsto. Além disso, é necessário pensar em todos os servi-

zação. “Posteriormente, acompanhamos todo o cronograma e

ços e profissionais que serão contratados para a realização do

a montagem do evento, recepção de convidados e protocolos

evento.

que cada tipo de festa exige. A assessoria também trabalha no

Se uma assessoria pode a princípio parecer um gasto a mais, na verdade ela garante a qualidade do evento, além de

dia do evento, ajudando a coordenar todos os fornecedores de forma mais pontual”, explicam as cerimonialistas.

fazer com que você poupe tempo e dinheiro. Isso mesmo! Uma

Assim como em outras etapas que veremos a seguir, é de

ajuda especializada pode significar uma boa economia, pois

extrema importância que os eventos sejam pensados com an-

estas empresas trabalham diariamente com a produção de

tecedência. Em alguns casos, pela falta de uma assessoria, os

eventos e com os mais diversos fornecedores. Isso é vantajoso

donos da festa acabam sofrendo alguma decepção no meio

porque muitas vezes estas parcerias garantem descontos que

do processo. Segundo as sócias da Suprema Assessoria, já

você não conseguiria se estivesse organizando tudo por conta

houve casos em que elas precisaram socorrer clientes no meio

própria.

do processo. “Sempre procuramos tranquilizar, saber o que já

Nesse aspecto, otimizando o tempo do cliente e os gastos

fecharam, analisar os contratos, ver o que ainda precisa ser fei-

com o evento, as assessoras e cerimonialistas Jaqueline Lima

to e orientá-los da melhor maneira possível. É importante que a

e Bruna Chacon, da Suprema Assessoria, explicam: “São mui-

festa aconteça da forma que sempre sonharam, sem que haja

tos os detalhes envolvidos para que uma festa se torne ines-

transtornos”. Revista Energia 79


O PAPEL DO CERIMONIALISTA

Muita gente confunde o trabalho de assessoria e o de cerimonialista. Enquanto a assessoria se encarrega de toda a

Imprevistos podem acontecer, como aquele convidado que apareceu sem confirmar presença, mas o cerimonialista já tem experiência para lidar com essas situações.

organização do evento, o foco principal do cerimonialista é o andamento da festa. Estar no local do evento antes da chega-

O LOCAL DA FESTA

da dos fornecedores, verificar a montagem de cada detalhe,

Após a contratação de uma empresa de assessoria, alguns

supervisionar as atividades do buffet, bar de drinks, reposição

pontos precisam ser definidos e o primeiro deles é o local do

da mesa de frios, mesa de café, garçons e outros serviços. Nos

evento que, na maioria das vezes, acaba sendo o tradicional

casamentos, este profissional também deve acompanhar tudo,

salão de festas. Este precisa ser pensado com antecedência,

do buquê às alianças, entrada de padrinhos, convidados e principalmente da noiva. Ao final da festa, cuidam da entrega das lembrancinhas e fazem a contagem das bebidas.

pois vai depender da disponibilidade da agenda e de outros fatores como buffet e decoração. Depois da escolha do salão, é necessário pensar em uma decoração que combine com o gosto do cliente. UM TOQUE ESPECIAL

Atualmente, a iluminação cênica nos eventos ganhou um espaço todo especial, assim como a música e todos os itens que já citamos. Não importa se a festa vai ser simples ou superluxuosa, uma boa iluminação sempre causa impacto nos convidados. O empresário Kauan Guilherme Superte, 27, proprietário da K Eventos, explica que é importante surpreender o cliente. “Sempre com criações e montagens inesperadas, nós surpreendemos nossos clientes no dia da festa. Mesmo se o cliente contratou um pacote menor, sempre que possível deixamos a festa ainda mais incrível e de um jeito que eles não esperavam”. Atualmente, a tecnologia no campo da iluminação vem ga-

“Uma ajuda especializada pode fazer com que você poupe tempo e dinheiro” 80 Revista Energia


nhando força. A luz de LED facilita a instalação e operação, além de enfeitar o ambiente com muito estilo e vibrações diferentes. Para que tudo saía como planejado, entretanto, é necessário um suporte. “Primeiro ouvimos e sentimos qual é a pegada da festa que os clientes desejam como baladas, temáticos, clássicos ou mais discretos. Em cima dessas informações, a K Eventos apresenta ideias e fabrica itens inéditos”, explica Kauan. REGISTRE CADA MOMENTO

Com a popularização e alta tecnologia dos celulares, todas as pessoas se consideram fotógrafos e como consequência assumem papéis para os quais muitas vezes não estão preparados. Mesmo com a boa qualidade das imagens obtidas por estes aparelhos, não é apenas isso que deve ser levado em conta. O conhecimento técnico e artístico de um bom fotógrafo não pode ser substituído pelo melhor dos smartphones. Há 25 anos atuando com fotografia, Rosa Maria Feitosa Fabre, 43, sabe exatamente como é importante registrar cada detalhe do momento mais feliz de cada cliente. “A contratação antecipada é muito importante e acaba criando uma relação de parceria e amizade entre o profissional e seu cliente. Isso flui muito em relação à fotografia e também ajuda a não falhar nos pequenos detalhes”, comenta Rosa. Mas, é claro, sempre tem aquela pessoa esquecida, não é mesmo? Que procura os profissionais na última hora e quer que as fotos sejam tiradas “para ontem”, como diz a frase popular. “Isso já aconteceu inúmeras vezes comigo. Por isso sempre deixo equipamentos prontos para atender novos clientes que vão surgindo”. Há quem planeje toda uma festa impecável e não se importe com o fotógrafo que vai registrar o momento preparado com tanto carinho. Confira porque este profissional é tão im-

HORA DE VIAJAR

portante!

Você contratou bons profissionais e sua festa foi um suces-

Quando você fica responsável pelas fotos, muitas vezes se

so. Que tal escolher um destino bacana e fazer uma viagem?

esquece de registrar vários momentos importantes. Além dis-

Se o evento foi um casamento, é hora da lua de mel. De acordo

so, você já tem muitas outras coisas para fazer durante a festa;

com Natalia Santa Olalia de Toledo Alonso, 28, gerente da CVC,

Se o dono da festa é o responsável por tirar as fotos, ele

a escolha da viagem de lua de mel é um dos estágios mais gos-

raramente irá aparecer em alguma; Somente um profissional entende de técnicas, luzes, enquadramento e outros aspectos importantes para garantir boas fotos; Os registros ficam mais bonitos, pois serão feitos com equipamentos de ótima qualidade; Todos os momentos da sua festa serão registrados com precisão. O profissional ficará de olho em cada detalhe; O fotógrafo, devido à sua experiência, tem ideias criativas que deixam os cliques mais divertidos, emocionantes e diferentes.

tosos do planejamento de um casamento. “Muitos casais chegam à agência sem um destino definido e costumamos perguntar: qual é o lugar que sempre sonharam conhecer? A partir daí vamos moldando o sonho de cada casal à necessidade deles”. Com um diferencial em organizar a viagem do jeito do cliente, com mais ou menos dias, com passeios ou apenas hospedagem, há destinos que são mais procurados. “Atualmente é para o Caribe: Cancun e Punta Cana são os preferidos. Os resorts nacionais também são muito procurados, além de lugares apaixonantes da Europa como Paris e Itália”, explica a gerente. 

Revista Energia 81


82 Revista Energia


Revista Energia 83


84 Revista Energia


Revista Energia 85


86 Revista Energia


Revista Energia 87


88 Revista Energia


Revista Energia 89


Decoração sob medida para você! Decoração sob medida para você!

90 Revista Energia


Revista Energia 91


Curiosidades

Casamento,

realeza e muitas histórias O casamento é uma das tradições humanas mais antigas e foi mudando ao longo do tempo. Cada religião possui um ritual e os costumes do casamento variam de uma cultura para outra Texto Heloiza Helena C Zanzotti Imagens: Internet 92 Revista Energia


N

o último dia 19 de maio, o tema casamento esteve na pauta dos principais meios de comunicação de todo o mundo. Pouco menos de seis meses após anunciarem o noivado, o príncipe Harry e a atriz Meghan Markle subiram ao altar na capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, Inglaterra. Embora a forma de festejar o casamento tenha mudado ao longo dos anos, muitas tradições cercam os casamentos da família real britânica, e muitas curiosidades também. UMA RAINHA OUSADA A Rainha Vitória foi a responsável por lançar a moda do vestido de noiva branco. Na época, a cor mais usada pelas mulheres era o vermelho, que simbolizava “sangue novo” para a continuação da família. Mais que lançar a moda do branco para as noivas, Vitória ousou ao pedir em casamento seu primo Albert, por quem era apaixonada. Ele aceitou, e coube à rainha o reconhecimento por trazer para a época o amor como sentimento básico para unir um homem e uma mulher. Ela também foi a responsável por acrescentar o véu ao traje nupcial, o que era proibido para uma rainha, pois para marcar sua identidade a soberana jamais se cobria em público. FLOR DE LARANJEIRA Quando se casou com Albert, em 1840, ao invés da coroa Vitória usou uma tiara feita de flores de laranjeira, e foi imitada muitas vezes desde então. Elizabeth usou uma tiara parecida no seu casamento com George VI e Elizabeth II também aderiu à moda, ao usar estas flores para decorar o seu vestido de casamento quando se casou com Philip, em 1947.

ALIANÇAS REAIS

Segundo publicação do jornal O Estado de São Paulo, em 11 de maio último, as alianças que foram trocadas nas cerimônias de casamento de Elizabeth, esposa do rei George VI; da rainha Elizabeth II; da princesa Margaret; da princesa Anne e da princesa Diana vieram de uma pepita de ouro retirada de uma gruta no País de Gales. Conta-se que resta somente um grama desta pepita, que atualmente está guardada na tesouraria da família real. Em 1981, a Royal British Legion presenteou a Rainha com uma peça de ouro galês de 36 gramas e 21 quilates, que serve de base para as alianças dos casamentos reais.

Revista Energia 93


usando o braço direito para o combate. Como surgiu o beijo ao final da cerimônia? Este costume vem da Roma Antiga, e passou a ser usado porque essa era uma forma de selar os contratos na época. O noivo não pode ver a noiva vestida para a cerimônia antes do casamento? Não se sabe ao certo como isso começou, mas em alguns países árabes o casamento ainda é celebrado entre o noivo e o pai da noiva (que fica aguardando em outra sala). Somente depois da cerimônia entre eles é que a noiva se encontra com o futuro marido. Lua de mel não tinha nada a ver com viagem. Antigamente, o povo germânico tinha o hábito de se casar na lua nova, e os noivos bebiam uma mistura de água com mel para trazer sorte ao casal. Já os judeus preferem a Lua Crescente, que acreditam ser prenúncio de felicidade.

BUQUÊS Há muitas versões para este item, mas a maioria aponta que teria surgido na Grécia e era confeccionado com uma mistura de alho, ervas e grãos. O alho afastaria os maus espíritos, e as ervas e grãos garantiriam uma vida farta. Na antiga Polônia, era comum colocar açúcar no buquê da noiva, para que seu temperamento se mantivesse doce! Na família real britânica, desde o século 19 tornou-se tradição carregar um buquê de murtas, planta que representa o amor, a fertilidade e a inocência. A tradição começou com a filha mais velha da rainha Vitória. Elizabeth II e Kate Middleton também usaram um buquê de murtas em seus casamentos. Algumas noivas, atualmente, fazem dois buquês: o primeiro, abençoado pelo padre, é para ser guardado. O segundo é o que será jogado às mulheres solteiras. Aquela que conseguir pegá-lo, será a próxima a se casar. E AS FOTOS? Edward VII e Alexandra da Dinamarca foram o primeiro casal real a ser fotografado em seu casamento, em 1863. Como é tradição entre os ingleses, as fotos estamparam cartões postais, uma maneira de compartilhar as imagens dos casamentos reais com a população. Essa prática continua até hoje. No caso de Harry e Meghan, o serviço de Correios do Reino Unido lançou uma série de selos do casamento que começaram a ser vendidos no dia da cerimônia e tiveram, é claro, o aval da rainha Elizabeth II. VOCÊ SABIA? Saindo um pouco do mundo mágico da realeza britânica, o casamento envolve muitas lendas, tradições e curiosidades. Vamos conferir algumas? Por que a noiva fica do lado esquerdo do noivo? Esta tradição vem da Idade Média: se algum homem tentasse roubar a noiva, o que não era incomum, este a defenderia com a espada 94 Revista Energia

O CASAMENTO EM ALGUNS PAÍSES Itália: para os italianos, casamento em dia de chuva é um sinal de sorte e felicidade. Alemanha: para trazer sorte, antes do casamento os familiares jogam louças ao chão, na frente dos noivos. Vale quebrar tudo, menos espelho! Índia: noivos e convidados usam roupas com muito brilho e glamour. As noivas costumam usar vermelho e dourado, pois a cor branca é usada pela mulher que se torna viúva. Portugal: ao invés cortar a gravata, a noiva passa o sapato do pé direito aos convidados para arrecadar dinheiro. China: tradicionalmente, ao invés de presentes, os convidados devem dar dinheiro vivo aos noivos. Suécia: neste país a noiva ganha de sua mãe uma moeda de ouro e do seu pai uma moeda de prata. Ambas são colocadas dentro do sapato do pé direito para atrair prosperidade. Equador: o vestido da noiva não pode ser finalizado antes do grande dia. Pode ser um pequeno detalhe, um arremate final, mas para dar sorte, todas seguem essa tradição. Iraque: essas noivas quebram recordes pelo número de vezes que trocam de vestido. Durante a celebração, são 7 trajes com cores diferentes do arco-íris. O vermelho simboliza o amor e o romance. 


Revista Energia 95


96 Revista Energia


Revista Energia 97


Documentos

98 Revista Energia


Preparando a papelada... O casamento é um dos momentos mais esperados na vida de um casal e quando os noivos resolvem dar esse passo a primeira providência após decidir a data é procurar o cartório de registro civil Texto Heloiza Helena C Zanzotti

A

lguns documentos precisam ser pedidos com certa antecedência, pois podem demorar para serem liberados pelo cartório, especialmente quando um dos dois não mora na cidade onde foi registrado. Pensando nisso, a RE traz para você algumas informações sobre o procedimento e os documentos necessários para dar entrada no processo de habilitação do casamento no cartório de registro civil. Após decidirem quando desejam se casar e verificarem se a data também está disponível na instituição que realizará a cerimônia religiosa, é preciso procurar o Cartório de Registro Civil mais próximo de sua residência (no máximo três meses de antecedência e no mínimo trinta dias). PARA NOIVOS BRASILEIROS, SOLTEIROS, COM MAIS DE 18 ANOS É NECESSÁRIO: Certidão de nascimento atualizada (segunda via da certidão); Carteira de identidade (RG); Duas testemunhas maiores de 18 anos, que conheçam os noivos e estejam dispostos a atestar que não há impedimentos ao casamento; Comprovante de residência. Além destes, há outros documentos que serão solicitados em alguns casos especiais.

PARA OS DIVORCIADOS Certidão de casamento atualizada, com averbação do divórcio; Prova da partilha de bens (se esta não tiver sido realizada, poderá haver o casamento, mas apenas no regime de separação universal de bens). PARA OS VIÚVOS Certidão de casamento atualizada com averbação do óbito ou certidão de casamento mais a certidão de óbito do ex-cônjuge; Caso o noivo(a) tenha filhos do casamento anterior, deverá apresentar prova da prévia partilha de bens. (se ainda não tiver sido realizada, poderá haver o casamento, mas apenas no regime de separação universal de bens). PARA ESTRANGEIROS SOLTEIROS Registro Nacional de Estrangeiro (RNE) ou passaporte; Certidão de nascimento*; Declaração de estado civil (atestado Consular). PARA ESTRANGEIROS DIVORCIADOS Registro Nacional de Estrangeiro (RNE) ou passaporte; Certidão de casamento com averbação do divórcio*; Prova da partilha de bens*. (Se não tiver sido realizada, poderá haver o casamento, mas apenas no regime de separação universal de bens).

PARA ESTRANGEIROS VIÚVOS Registro Nacional de Estrangeiro (RNE) ou passaporte; Certidão de casamento com anotação do óbito do cônjuge ou certidão de óbito*; Caso o noivo(a) tenha filhos do casamento anterior, deverá apresentar prova da prévia partilha de bens*. (Se ainda não tiver sido realizada, poderá haver o casamento, mas apenas no regime de separação universal de bens). ( * ) Estes documentos devem ser traduzidos e registrados por Oficial de Registro de Títulos e Documentos; MENORES DE 18 ANOS Os menores de 18 anos e maiores que 16 apenas poderão se casar mediante o consentimento do pai e da mãe, que devem ir até o Cartório para assinar o Termo de Consentimento. Caso os pais sejam falecidos, é preciso levar a certidão de óbito. Se os pais morarem em outra cidade, devem ir ao Cartório de Registro Civil mais próximo para assinar o Termo de Consentimento, e em seguida enviá-lo aos noivos. Se um dos pais estiver desaparecido, os noivos devem levar ao cartório duas testemunhas maiores de 18 anos que atestem o desaparecimento. Menores de 16 anos Podem se se casar apenas com autorização judicial. (Fonte: Cartório 24 Horas) DOCUMENTOS PARA CERIMÔNIA RELIGIOSA NA IGREJA CATÓLICA Para quem não abre mão de entrar de véu e grinalda na igreja, é importante saber que existem requisitos para o casamento religioso. Cada igreja pode adotar procedimentos próprios, mas, no geral, estes são os documentos pedidos: Cópias autenticadas do RG e CPF do casal; Cópia da Cédula de Identidade (RG) dos padrinhos; Certidão de batismo dos noivos, que deve ser procurada com antecedência, pois pode demorar meses para ser encontrada caso você case em estado diferente do qual foi batizado; Cópia de comprovante de residência; Certificado do curso de noivos Certidão de óbito do cônjuge, caso um dos noivos seja viúvo; Protocolo do processo civil emitido pelo cartório; Ficha de duas testemunhas, que não pode ser pai, mãe nem menores de 18 anos. A ficha deve conter os seguintes dados: nome, profissão, idade, RG, estado civil, nacionalidade e endereço completo das testemunhas. Taxa da igreja. Importante: Antes de qualquer providência consulte a igreja de sua comunidade. Agora que você já sabe os procedimentos necessários, é só preparar tudo com antecedência e começar a pensar na festa! 

Revista Energia 99


100 Revista 100Energia Revista Energia


Revista Energia 101 Revista Energia 101


102 Revista 102Energia Revista Energia


Revista Energia 103


Imagem: internet

Comportamento

Luz, câmera, história de vida Você sabe quem são as meninas super poderosas do YouTube? Vamos conhecer um pouco da história de Lorena Reginato Defende, Leticia dos Santos Almeida e Nara Almeida

Texto Tatiane Dias 104 Revista Energia


O

lá leitores da Revista Energia. Nesta edição, vamos conhecer um pouco da história dessas meninas super poderosas. Isso mesmo! Três guerreiras que usam o YouTube e as redes sociais para encorajar pessoas do mundo inteiro, e compartilham suas histórias de luta e superação para

mostrar a todos que é possível ser feliz de qualquer forma. Quem nunca passou por um problema e se perguntou: Por que

comigo? Ou, talvez, vivendo uma fase difícil, que muitas vezes nem é tão difícil assim; achar que tudo parece um bicho de sete cabeças que parece não ter solução? Pois é, meu amigo, sabe aquele ditado que as pequenas coisas são as mais importantes? Percebi isso no processo de produção dessa matéria. Hoje, após esse texto, posso dizer que sou uma nova pessoa, um ser humano mais completo e muito mais feliz. A CAREQUINHA (OU EX-CAREQUINHA) QUE CONQUISTOU O BRASIL

Quem não conhece o canal Careca TV? O canal da doce Lore-

SUCESSO METEÓRICO DO CARECA TV Lorena conta que o sucesso de seu canal foi uma grande surpresa; na escola os amigos monitoravam o crescimento meteórico do Careca TV. Ela afirma que até hoje não tem uma exata noção de seu público. “Eu sei que é bastante gente, converso com o pessoal quando faço Live e os internautas de Portugal comentam, mas eu não tenho noção do tanto de pessoas. Um milhão é muita gente”. A jovem youtuber relembra um momento um pouco triste, quando ficou sabendo que o seu canal foi rackeado, “Eu estava em Ribeirão, no hospital, e chorei o dia inteiro. Então pensei: não vou me deixar abalar. Eu faço outro e vai ser bem melhor que o primeiro”. Ela recebeu ajuda de muitos youtubers que mandavam mensagens de incentivo para que ela não desistisse e seguisse com o seu sonho. Lorena explica que toma cuidado com os conteúdos que posta na plataforma: “Sinto que não posso fazer bobeira e alguém pode ser que nem eu. Tento passar alguma coisa boa, qualquer coisa que a pessoa vê que estou fazendo e dá uma risada, eu já fico feliz”. Ela relata que ser inspiração para alguém é algo que lhe dá felicidade. “Você é uma pessoa que ninguém conhece e do nada vira exemplo para alguém, isso é bem estranho, mas é legal”. A jovem conta que quando o cabelo começou a crescer, diferente do que muitos pensavam, ela não teve medo de não ser mais aceita por não ser mais careca, característica que deu o nome ao seu canal. “Eu fiquei feliz, me sentia meio incomodada quando ia a alguns lugares e as crianças e adultos olhavam por baixo da touca que eu estava; ou olhavam feio porque eu sou cadeirante e não tinha cabelo. Isso me deixava triste. Agora eu gosto muito de lavar o cabelo”. A garota pretende continuar fazendo vídeos e diz que vai trabalhar para que o canal cresça cada vez mais, além de focar na sua recuperação.

“Você é uma pessoa que ninguém conhece e do nada você vira exemplo para alguém, isso é bem estranho, mas é legal” (Lorena)

na, que emocionou uma nação relatando em vídeos suas rotinas e seus sonhos? Essa garota batalhadora não se tornou um fenômeno à toa. Além de inteligente e carismática, Lorena Reginato Defende, 14, mostrou que tem talento de sobra. A dona do Careca TV conta que sempre quis ser youtuber. Antes de ficar doente, a jovem já tinha um canal e gravava vídeos sobre skate. Ela conta que a plataforma de vídeos é uma forma de distração, pois quando está gravando esquece os problemas. Lorena era uma criança normal. Ia para a escola, para a casa dos amigos, passeava no clube e, como ela mesma diz, não parava quieta. Em uma viagem para a praia, a menina percebeu que quando fechava os olhos tinha uma visão duplicada. O seu avô, que é neuroclínico, alertou sobre a possibilidade de a garota ter Diplopia, um desvio assimétrico de movimentos oculares resultante da paralisia ou lesão dos nervos oculomotor, troclear e abducente, que causa a visão dupla. De volta a Jaú ela fez uma ressonância, momento em que descobriu que tinha câncer. Ela relata que logo já se internou e em seguida fez a cirurgia.

Revista Energia 105


“Quando me passaram a confirmação meu mundo desabou, parecia ser o fim” (Letícia)

MODA, BELEZA, ASSUNTOS FEMININOS E CÂNCER Leticia dos Santos Almeida, 19, é a dona do Canal da Le. Além de conteúdos do universo feminino, algo típico de garotas de sua idade, Le divide sua rotina de tratamento e cuidados contra o câncer. Ela conta que sentia muita dor na perna e a cada mês a dor ia aumentando. A jovem percebeu que um caroço estava crescendo em sua bacia, local onde está o câncer. Em uma ressonância, o diagnóstico foi um possível tumor, então ela foi encaminhada para biópsia que confirmou um tumor no músculo da bacia. “Quando me passaram a confirmação meu mundo desabou, parecia ser o fim. Fui encaminhada para o hospital onde faço tratamento, que é um hospital voltado para crianças, pois na época da descoberta eu tinha 16 anos. Então, neste hospital, vendo tantas crianças doentes e mesmo assim alegres e brincalhonas, encontrei forças para enfrentar a doença”, conta a youtuber. UMA NOVA ROTINA A jovem foi contagiada pela alegria das crianças que se tratavam no mesmo hospital e foi aí que veio a ideia de criar um canal no YouTube. A intenção, desde o início, foi ajudar as pessoas que não tinham contato com a doença. Ela queria mostrar o problema com outros olhos, de um ângulo diferenciado. A garota sempre quis que a repercussão do seu conteúdo fosse bem ampla e compreensível para que todos pudessem entender o câncer. A youtuber ressalta que sempre toma muito cuidado com o tipo de conteúdo postado em seu canal. “Gosto de passar felicidade acima de tudo, e mostrar que nada nessa vida é em vão. Tudo depende exclusivamente de Deus e de nossa força”. Ela também explica que teve que se adaptar à sua nova situação e rotina. “Além de exercícios físicos e uma boa alimentação, é necessário cuidar da mente, Mudanças são necessárias e nossa mente é que controla tudo”.

106 Revista Energia

DE INFLUENCIADORA DIGITAL A INFLUENCIADORA DE VIDA A influenciadora digital de 24 anos, Nara Almeida, teve sua vida virada de cabeça para baixo ao descobrir um câncer de estômago. Ela era sucesso no Instagram, após começar a vender roupas em sua rede social e tornar-se sua própria modelo. O sucesso foi tanto que Nara começou a dar dicas de moda e beleza no seu perfil, e tonou-se sucesso na rede social, onde acumulou 3,8 milhões de seguidores. Em agosto de 2017, Nara decidiu tornar público o drama que estava vivendo, pois era vítima de um tumor raríssimo em mulheres com menos de 25 anos. A modelo de sucesso viu sua imagem viralizar devido à doença que a estava maltratando, e não deixou de compartilhar os seus momentos com os fiéis seguidores do Instagram. Ao invés de se vitimizar, essa guerreira decidiu levar a vida normalmente até onde pudesse, e mostrar para as pessoas que a doença não a pararia. Decidiu então criar o Diário da Nara, um canal no Youtube para reproduzir um pouco da sua rotina que ela já mostrava no Instagram. CORPO DE MODELO Nara começou a postar fotos com a sonda que precisava usar para se alimentar e de seu corpo que também estava mudado. A blogueira havia perdido muito peso e era gritante a diferença que resultava em seu físico. O que impressionou Nara não foram as mensagens de apoio, mas os milhares de pedidos para que ela passasse a receita da dieta milagrosa que fazia para conseguir o corpo magro perfeito. Mas o corpo perfeito da jovem era resultado de um câncer. A história de Nara gerou uma grande comoção em todos. Ela mostrava todo o seu dia a dia, inclusive as dificuldades financeiras que passava por ter que bancar um tratamento caríssimo, que poderia salvar a sua vida.


os únicos que passamos por certo problema. Sobre o crescimento de canais que retratam a vida de pessoas com câncer, a psicóloga acredita que algumas se sentem encorajadas ao perceberem a boa aceitação pelo público, e acabam criando coragem para compartilhar a sua rotina e mostrar as dificuldades do dia a dia. Ela também lembra que quando percebemos que alguém que passava pelo mesmo problema conseguiu se recuperar e dar a volta por cima, acabamos encorajados e com um sentimento de esperança. A psicóloga acredita que esse seja um dos motivos para que os canais das nossas meninas super poderosas façam tanto sucesso. REPRESENTAÇÃO NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

O jornalista e professor Paulo Soares, 33, explica que o YouTube é uma ferramenta que democratiza a informação. “Nós tínhamos há alguns anos conglomerados de comunicação. O YouTube vem como grande ferramenta na democratização do audiovisual, dando possibilidade para que pessoas comuns possam compartilhar algum tipo de conteúdo, podendo ser uma experiência de AJUDA DE GENTE FAMOSA

vida”.

Celebridades começaram a tomar conhecimento do que a jo-

Paulo diz que o relato das pessoas traz muitas verdades, o que

vem estava enfrentando e, além de apoio emocional, muitos aju-

elas vivem em suas rotinas e que grande parte da população se

daram financeiramente. O jogador Alexandre Pato comprometeu-se

sente representada nessas histórias. E quem não gosta de expe-

a custear seis meses de Imunoterapia, tratamento que estimula o

rimentar o sentimento de vitória e superação? “Não necessaria-

sistema imunológico através do uso de substâncias modificadoras

mente as pessoas que vão assistir a esses vídeos travem uma luta

da resposta biológica. Cada dose do medicamento custava R$ 18

contra o câncer, mas qual ser humano não tem dramas pessoais?

mil e deveria ser tomada a cada 21 dias. Nara festejou a ajuda do

Que ser humano não passa por obstáculos e dificuldades?”

jogador e viu uma possibilidade de se curar do câncer. Em nenhum

Como conselho, o jornalista alerta que é necessário ter muito

momento deixou de ter esperança. No decorrer da produção desta

cuidado, primeiro porque você se torna um formador de opinião,

matéria, uma notícia triste: Nara deixou esse mundo no dia 21 de

podendo influenciar a vida de milhares de pessoas ao redor do

maio, após ficar três meses internada em uma UTI. Em seu último

mundo, então, é necessário muita responsabilidade para exercer

post no Instagram, ela escreveu: “Que nenhum medo seja maior

a tarefa e não levar a coisa na brincadeira.

que minha na fé na vida e em Deus”. A influenciadora de vidas deixou um legado: sempre acreditar que tudo vai ficar bem.

“Que nenhum medo seja maior que minha na fé na vida e em Deus” (Nara)

Outro ponto importante é saber dosar até que ponto a vida do youtuber deve ser exposta. Saber identificar o que de sua vida vai ser interessante compartilhar, se a informação compartilhada vai despertar interesse, vai ajudar a transformar a vida de outras pessoas. Se a resposta for sim, ela merece ser compartilhada. Caso contrário, se for algo somente para exposição gratuita, deve-se pensar melhor se vale a pena o compartilhamento.

MEDO DE SE SENTIR SOZINHO

A psicóloga Ana Paula Gasparoto Paleari, 35, explica que

LIÇÕES QUE FICAM

quando as pessoas falam no YouTube sobre um assunto tão

Essas meninas que são exemplos de superação e felicidade

íntimo e ao mesmo tempo com apelo emocional, acaba atin-

levam ou levaram para as pessoas um sentimento bom e o mais

gindo as pessoas, pois o tema sensibiliza quem está do outro

importante, acreditar em si e nunca deixar de fazer o que lhes faz

lado. “Nenhum de nós, seres humanos considerados normais,

bem. Dar valor às pequenas coisas é muito difícil às vezes, mas

gostaríamos que outra pessoa sofresse esse tipo de doença, ou

são essas coisas que parecem tão comuns que fazem a diferença

qualquer outro processo que cause sofrimento. Acabamos nos

em nossa vida.

sensibilizando com a dor do outro”.

Acreditar e prosseguir são lições que aprendi ao produzir este

Ana Paula afirma que o ser humano tem uma grande neces-

texto. Não importa o problema que temos, ao invés de usarmos

sidade de se identificar com outras pessoas em um momento de

nossas energias para torná-lo maior, por que não usarmos essa

sofrimento, e que acaba sendo um conforto saber que não somos

mesma força para buscar a solução?  Revista Energia 107


108 Revista Energia


Revista Energia 109


Caiçara Clube de Jaú O mês de março marcou mais um aniversário do Caiçara Clube, que comemorou 57 anos de muito lazer, esporte, cultura e saúde. O Baile de Aniversário aconteceu no dia 24 de março, no Salão Social, e teve animação da Revolution Band Show, com decoração e gastronomia de Buffet Caetano. Mais uma festa incrível, que ficará na memória dos associados!

O presidente do clube, Maurício Tamura Aranha, junto aos diretores e conselheiros, agradece a presença de todos! 110 Revista Energia

Foto: Arquivo pessoal

club

Social


club

Fotos: Studio F Fotografia

Social

Jessica e Fernando O Espaço D'Vinni, em Araraquara, foi o cenário escolhido para receber amigos, familiares e convidados que testemunharam a união de Jessica e Fernando no dia 24 de março. Da decoração ao buffet, tudo estava perfeito e surpreendeu a todos. Um dia repleto de emoções e felicidade para marcar este momento único na vida do casal.

Revista Energia 111


club

Social

1

Mirante do Pouso Todos os dias você tem um bom motivo para saborear a melhor comida caseira de Jaú e região. No Restaurante Mirante do Pouso, cada refeição se transforma em grandes momentos. Aproveite, reúna os amigos ou a família e confira!

2

1 - Renata Teixeira, Marcos Galvanini, Eduardo Ferruci, Michelle Ferruci e Geraldo Cassiola 2 - Suzana, Osvaldo e Jessica Tosato 3 - Wilson Mano e Paulo Maldonado 4 - Molina Brocco e Emerson Escano 5 - Ricardo, Neto, Ana Carla, Teresinha, Davi, Laura e Milena 6 - Evani, Eldes, Elaine, Daniel, Eldes Junior e Rafael 7 - Luiz Jarbas, Fernanda Monari e Isabela Monari

3

8 - Tiago Marcheto e Juliane Rocha

4

5

6

7 8

112 Revista Energia


Najla e Flávio Em uma linda cerimônia que emocionou a todos, realizada na Igreja Santo Antônio no dia 22 de abril último, Najla e Flávio receberam as bênçãos que selaram o amor do casal. Após a cerimônia religiosa, os noivos recepcionaram os convidados na ZOE Festas & Eventos, onde compartilharam momentos inesquecíveis. Destaque para a decoração, buffet, som e assessoria da Simone Domingues, que fizeram com que a festa fosse impecável! As fotos ficaram por conta do Guilherme Santos.

Fotos: Guilherme Santos

club

Social


club

Social

Ecovita Construtora O lançamento do Residencial Altos da Cidade marcou a chegada da Ecovita Construtora em Jaú. O empreendimento é formado por 3 residenciais em condomínio fechado que oferecerão aos jauenses mais qualidade de vida, com a excelência em construção da Ecovita. No evento estiveram presentes os diretores da empresa, Elaine Simões e Olair Ribeiros; os supervisores regionais, Lia Tozzi e João Luiz Anelli; representantes da Prefeitura, da Caixa Econômica Federal – grande parceira Ecovita em todos os empreendimentos; do correspondente bancário Rigocred, através do senhor Rubens Rigonatti e dos proprietários da área onde será construído o condomínio. Saiba mais em: www.ecovitaconstrutora.com.br

114 Revista Energia


club

Social

1

Jaú Shopping As atrações do Jaú Shopping fazem a alegria da garotada! Em abril, os Unicórnios encantaram os pequenos em apresentação gratuita na praça de eventos. Além do sucesso da Piscina de Bolinha, Pista de Patinação no Gelo! No Jaú Shopping é assim: há sempre uma boa surpresa esperando por você!

2 1 - Pista de Patinação 2 - Lincon, Leandro, Pedro, Roni e Luís 3 - Julia Baristela Guimarães e Jessica Fernanda Baristela 4 - Ana Lívia Rodrigues da Silva 5 - Nina e Henrique Porto Amalfi 6 - Guilherme de Almeida Ferruci e Rafael Grizzo 7 - Piscina Gigante de Bolinhas

3

4

5

6 7

Revista Energia 115


Social Pet

por

Há 27 anos no mercado, a Botudog já faz o maior sucesso em Jaú, onde inaugurou suas instalações há 2 meses. Especialista em nutrição de cães e gatos, a empresa oferece atendimento personalizado, com uma equipe qualificada para atender seus clientes com a melhor orientação, além de preços competitivos, qualidade e variedade. A Botudog trouxe para Jaú e região tudo o que há de melhor para seu cão e gato. Curta a página no Facebook e fique por dentro de promoções, eventos e sorteios.

Murilo, Gabriela e Jorge

Erica e Yuri

Paulo,Flaviana, Cléo e Dengo

116 Revista Energia

Ana Clara Abreu

Cacau

Íris e Cindy

Nina

Katisuke e Mily

Skin


Revista Energia 117


Medicina

Por Dra Bruna Pultrini Aquilante Pediatra, Alergista e Imunologista, formada pela Universidade de São Paulo (FMUSP) Título de Especialista em Pediatria pela SBP Título de Especialista em Alergia e Imunologia pela ASBAI

Meu bebê já pode sair de casa?

É

Lugares fechados e com muitas pessoas podem ser prejudiciais aos pequenos

comum que famílias com bebês pequenos se questionem sobre o melhor momento para retomar a participação em festinhas, passeios com os amigos e viagens. Todos entendem que os primeiros dias do recém-nascido devem ser poupados, já que é uma fase de cuidados especiais, de atenção exclusiva dos pais e de treinamento para perceber as necessidades dos pequenos. Mas após a primeira consulta com o pediatra, em que o ganho de peso e a amamentação estão adequados, muitos pais já começam a fazer planos. O que nem todos sabem é que, mesmo tendo um bebê saudável, ele pode não estar tão bem preparado para um evento fora de casa nos primeiros meses de vida. Os fatores considerados nesta decisão envolvem o tipo de passeio em família e a fragilidade dos bebês contra infecções, ainda sem proteção das vacinas. Todos os bebês nascem com a imunidade incompleta, que amadurece ao longo do tempo e só é bem formada ao redor dos 4 anos de idade. Enquanto isso, a proteção é adquirida através da passagem dos anticorpos da mãe pelo aleitamento materno, e as vacinas iniciais vão fortalecendo o sistema imunológico contra os principais micro-organismos do ambiente. Mas isso não garante imunidade suficiente para os primeiros contatos fora de casa. Além disso, as infecções que preocupam nesta idade são contraídas, na maioria das vezes, pelo contato de mãos contaminadas ou pela respiração aproximada de pessoas doentes. Por isso, locais muito fechados, sem ventilação adequada e com aglomerado de pessoas são prejudiciais, especialmente nesta época do ano, em que circulam muitos vírus respiratórios. A exposição às crianças que frequentam escolinha, que habitual-

mente carregam mais vírus e bactérias, também aumenta o risco de transmissão de doenças se comparado ao convívio restrito do bebê com adultos. Oferecer diferentes atividades ao bebê é importante para estimular seu desenvolvimento e quebrar as rotinas, mas a recomendação aos pais é de permanecer em casa, se possível, até o final do segundo mês de vida, quando já foram feitas as primeiras vacinas. Antes disso, o bebê deve se expor apenas para consultas médicas, vacinação e realização de exames. Algumas condições como prematuridade ou bebês com doença prévia podem necessitar de um tempo maior em casa. Se houver algum evento especial fora da cidade, é importante comunicar o pediatra e pedir as orientações direcionadas. Para as primeiras e tão esperadas saídas, seguem algumas dicas: - Atente-se ao clima porque nos primeiros meses o bebê ainda pode ter dificuldade em regular a temperatura do corpo. Tanto o calor quanto o frio exigem cuidados, mas sem exageros. Dê preferência para ambientes ao ar livre, sem exposição excessiva ao sol. - Esteja com a bolsa do bebê completa para trocas de roupa, além de água para os maiores de 6 meses. - Leve um frasco de álcool em gel para mãos. Pode ser útil se o bebê encostar em objetos de uso comunitário ou tiver contato com outras pessoas, ou mesmo para uso dos pais antes de mexer com o bebê. Para evitar preocupações desnecessárias, programe um passeio seguro em um evento adequado quando seu bebê estiver mais preparado para enfrentar as possíveis infecções do ambiente. 

Revista Energia 119


120 Revista Energia


vida

Boa

Por João Baptista Andrade Diretor da Mentor Marketing e AMA Brasil

Comida de festa Já parou para pensar no significado de uma festa?

P

or que parar tudo num determinado dia e numa determinada hora, juntamente com diversos outros convidados, para celebrar algo? Mais ainda, por que sempre tem comida envolvida na ocasião? Pois é. A editora (sempre ela!) mandou-me um e-mail dizendo que a próxima edição da RE vai falar sobre festas, então... Num rápido passeio acompanhado pelo atual oráculo dos deuses (Google) o caro leitor ou leitora vai encontrar coisas bem interessantes sobre as festas: a origem das festas de 15 anos para as meninas (Maias e Astecas), que é simplesmente horrível; os aniversários na Alemanha da Idade Média, e por aí afora. Aliás, a etimologia da palavra aniversário é latina; união de “annus” (ano) com “vertere” (voltar); algo como “aquilo que volta todos os anos”. Bacana, não é? Acho que foi o Jung, ou então a minha terapeuta (obviamente Junguiana) que costumava dizer que celebrar é uma forma de tornar eterno um acontecimento. Seu nascimento, por exemplo. Como se a cada ciclo a coisa toda se repetisse. Mas por que a comida de festa tem que ser diferente do cotidiano? Essa é fácil: todos nós queremos algo especial num dia especial. As festas típicas (regionais, nacionais, religiosas, etc.) frequentemente possuem cardápios bem característicos, como o peru do Natal, por exemplo. Por que peru? Sei lá. Pessoalmente considero a ave insossa, sem graça, e com receitas muito pouco criativas.... Mas na casa dos meus avós em Monte Alto sempre tinha o tal do peru de Natal. Sempre assado, sempre com frutas em calda ou fios de ovos, sempre com farofa, sempre com arroz e uvas passas ou sultanas. Sempre a mesma coisa. Num Natal desses quaisquer de infância (Natal não faz sen-

tido para pessoas adultas; tirando os aspectos religiosos, para quem é católico como eu é uma festa de crianças), eu pedi para a minha avó materna, Dona Armanda (que morava num sítio na periferia de São Paulo), fazer algo diferente. Algo mais crocante que peru, algo mais apetitoso que peru; algo mais condizente para ser comido meio frio. Para a minha surpresa e, porque não dizer, deleite, ela fez frango a passarinho. É isso mesmo que você leu. Aquele franguinho de avó, no maior capricho, marinado em vinha d’alhos e frito com cuidado. Mas não foi um único animal. Foram vários. Aquela travessa cheia de pequenos pedaços dourados, servida com arroz branco com salsinha picada. Ponto final. Desnecessário explicar que eu comi feito um leitão com fome, usando apenas as mãos (exatamente como fazia o meu avô materno) e lambendo os dedos e os beiços. Virou tradição na família. Dona Armanda faleceu quando eu era jovem, talvez por volta dos meus dezoito anos. Portanto, faz mais de quarenta anos que eu não degusto aquele singelo franguinho.... Às vezes ela fritava umas rodelas de cebola na gordura onde havia sido frito o frango, que depois eram espalhadas por sobre toda a travessa. Simples e bom. E tinha também aquela coisa de ir juntando ossos no prato. Quanto mais se comia, maior a pilha, o que em si já era uma outra brincadeira muito nossa, mas que não deve fazer sentido para mais ninguém. Claro que eu falo aqui de uma lembrança afetiva muito particular e específica. Porém, acredito que cada um de nós consegue, sem maiores esforços, recordar-se de um prato festivo qualquer que nos alegrou (ou ainda alegra) a alma. Eu vou de franguinho da vovó. Festa garantida.  Até a próxima.

Revista Energia 121


122 Revista Energia


Revista Energia 123


Futebol

Rumo à Rússia Acompanhar uma Copa do Mundo é algo para se lembrar para o resto da vida. E quando o evento acontece em um país como a Rússia, pode ser uma aventura inigualável Texto Heloiza Helena C Zanzotti Colaboração: Seide Marangoni


Imagem: internet Revista Energia 125


A

Copa do Mundo FIFA 2018 será a vigésima primeira edição do torneio internacional de futebol masculino. Organizado pela Federação Internacional de Futebol (FIFA), ocorrerá na Rússia, anfitriã da competição pela primeira vez. O país-sede deste ano nunca ganhou a competição. De 1930 a 2014, a Fifa já organizou vinte mundiais. O campeonato esse ano será disputado entre 14 de junho e 15 de julho. Com onze cidades-sede, esta será a primeira edição realizada no Leste Europeu e a décima primeira na Europa. Trinta e duas seleções participarão do mundial, e a Rússia não precisou disputar eliminatórias por ser a anfitriã. O primeiro jogo será no dia 14 de junho, com a partida entre Rússia e Arábia Saudita. O Brasil estreará somente no domingo, 17 de junho, contra a equipe da Suíça. A Seleção brasileira está no Grupo E, junto com Costa Rica, Sérvia e Suíça. POR QUE A RÚSSIA? A escolha da Rússia pela Fifa deve-se ao crescente interesse da população russa no futebol, inclusive com investimentos financeiros; pela importância da Primeira Liga Russa e a migração de jogadores estrangeiros para o país, além da ascensão econômica da Rússia após a dissolução da União Soviética em 1991. Essa escolha foi bastante questionada devido ao racismo no futebol russo e também à discriminação contra pessoas LGBT na sociedade russa em geral, além do envolvimento russo na Guerra Civil no Leste da Ucrânia. No entanto, o então presidente da FIFA, Sepp Blatter, lembrou que a Rússia foi votada para receber o Mundial. IMPACTO NA ECONOMIA BRASILEIRA Segundo publicação da Gazeta Esportiva no último dia 04 de abril, como acontece em todas as copas, a economia no Brasil também será impactada positivamente com o evento. Avaliação divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que na produção dos Bens de Consumo Duráveis, a linha chamada “marrom”, que inclui televisores, aparelhos de som e similares, teve um aumento de 41,1% em relação ao ano anterior, o que já era esperado uma vez que, tradicionalmente, as vendas de TVs são expressivas nos três meses anteriores à Copa do Mundo. Aliás, os televisores devem ser grandes estrelas, com jogos transmitidos em 4k (ou Ultra HD), com uma definição de imagem quatro vezes maior que o Full HD. CONFIANÇA DOS TORCEDORES Não foi fácil esquecer o 7 a 1 de 2014, mas com a aproximação da Copa na Rússia, aquele jogo já ficou no passado. Prova disso é que diversas pesquisas realizadas por sites especializados em esporte apontam que cerca de 80% dos entrevistados estão otimistas com o desempenho da seleção brasileira. E quase 60% dos torcedores acreditam que o hexa vem. Para a grande maioria dos brasileiros, o técnico Tite é o principal responsável pela ascensão da equipe.

“Hoje minha confiança na atual seleção e seu técnico estão consideravelmente maiores do que na última copa” (Seide Marangoni) 126 Revista Energia

ÁRBITRO DE VÍDEO A Fifa confirmou o uso da tecnologia do árbitro de vídeo (VAR, na sigla em inglês) na Copa do Mundo da Rússia. O VAR será usado em lances de gol (se houver irregularidades como impedimento ou dúvida se a bola ultrapassou a linha), em pênaltis (marcar ou anular em lance duvidoso), cartões vermelhos (possíveis agressões fora do lance ou em caso de dúvida do árbitro) e na identificação de jogadores em caso de confusão. Serão quatro árbitros assistindo ao jogo em uma sala com diversos monitores. Ao detectar um erro claro, eles avisam o árbitro em campo. O uso da tecnologia certamente tornará o jogo mais justo. APPS PARA SMARTPHONE Também será possível acompanhar resultados dos jogos, estatísticas e detalhes em apps para celular. Tem o Copa do Mundo 2018 Rússia para Android e o Copa do Mundo Rússia 2018 para iOS, com gráficos elaborados. E aplicativos com simulador de resultados onde você pode inserir seus palpites jogo a jogo. O aplicativo monta as classificações a partir de suas escolhas e você pode trocar sempre que quiser. JAÚ NA COPA DA RÚSSIA A Copa do Mundo, evento que acontece a cada quatro anos, motiva e une brasileiros desde 1930. E nós jauenses, estaremos muito bem representados naquele país. Seide Marangoni, 29, pasicóloga, e o marido, Caio Alves Toledo Bergamin, 28, produtor de videogames, já garantiram seus ingressos e contam sua experiência para os leitores da RE. PENSAMENTO POSITIVO “Hoje posso dizer que minha confiança na atual seleção e seu técnico estão consideravelmente maiores do que na última copa. Foi extremamente doloroso ver a derrota para a Alemanha em 2014. Hoje acredito que este sentimento vem sendo substituído por esperança e otimismo”, conta Seide. Ela diz que acompanha os jogos atuais, os jogadores da seleção atuando nos times onde estão inseridos e confia que o desempenho da equipe e o favoritismo do público que se assemelha ao da copa de 2002, quando Brasil foi penta, irá surpreender positivamente.


PRESENÇA GARANTIDA Seide e Caio estarão presentes no jogo entre Brasil e Costa Rica. “Minha expectativa em relação a essa experiência é enorme e ter a oportunidade de ver nossos craques em campo certamente será uma sensação incomparável”. O casal mora atualmente em Dublin, Irlanda, e embarcará para a Rússia no dia 15 de junho. “Será um longo trajeto. Nosso voo fará uma escala de 10 horas em Amsterdam, na Holanda, e em seguida seguiremos ansiosos para conhecer o país com maior área do planeta. Uma coisa é certa, a Rússia é longe pra caramba, e esperamos ver o Brasil ser campeão”. Seide também lembra que aproveitarão estes momentos em temperaturas agradáveis, em torno de 23°, o que também poderá favorecer nossos jogadores, acostumados a um clima tropical.

AOS BRASILEIROS... “A copa de mundo é tempo de alegria onde todos brasileiros se unem independente de time, raça, cor, sexualidade; torcem juntos e comemoram juntos cada gol. Aguardo ansiosamente por este período e espero sinceramente que a população brasileira se sinta motivada e esperançosa para um recomeço inspirado no esporte que tem por base a perseverança e a determinação, e que isso seja transferido para a nova história de uma nação”, finaliza Seide. 

Imagem: internet

ADQUIRINDO OS INGRESSOS Esta experiência terá um gosto ainda mais especial para o casal uma vez que, segundo Seide, conseguir os ingressos não foi tarefa fácil. “Esta é a segunda vez que tentamos comparecer ao evento. Na copa de 2014, enquanto ainda morávamos no Brasil, não tivemos sucesso em obter os ingressos. Os processos para conseguirmos nossos ingressos agora foram parecidos com os do Brasil: primeiramente nos cadastramos para os sorteios dos jogos da primeira fase e escolhemos qual categoria gostaríamos de concorrer. As tentativas foram para os jogos da Alemanha x México e Brasil x Costa Rica. Em seguida, cadastramos o cartão de crédito e uma vez que você é sorteado, o dinheiro é debitado da sua conta. Alguns meses depois, finalmente tivemos a resposta que havíamos sido sorteados para ir ao jogo do Brasil contra a Costa Rica, pelo qual pagamos um valor um pouco mais alto para aumentar as chances de sermos contemplados”.

APROVEITANDO PARA CONHECER O PAÍS Seide e Caio pretendem aproveitar quatro dias em Moscou e a seguir vão para São Petersburgo, a segunda maior cidade da Rússia, onde ficarão mais quatro dias. Seide disse que uma informação interessante é que a FIFA está disponibilizando transporte de trem entre as cidades que estão sediando os jogos, e também dentro das cidades, para facilitar o trânsito dos torcedores. “Nós resolvemos optar por pagar as passagens para transitar de trem bala entre as cidades, a fim também de ganhar tempo para turistar. Na minha opinião, Moscou é um destino imperdível e fizemos questão de incluir no trajeto esta cidade que é um importante centro político, econômico, cultural, científico, religioso, financeiro e educacional do país e de todo continente”. A psicóloga afirma que suas expectativas também são grandes para São Petersburgo, com seus majestosos conjuntos arquitetônicos, palácios magníficos, parques esplêndidos e museus. “Acredito que estas duas cidades nos darão a possibilidade de vivenciar de perto a cultura russa e nos surpreender com suas diversidades”.

Revista Energia 127


Energia Solar Por Ricardo Yamaguti Lima Proprietário da LB Sol Energia Solar

Aumentos na tarifa de energia elétrica? Esqueça! Investir em energia solar é tendência mundial e índices recentes apontam que está cada vez mais vantajoso para quem deseja economizar e até lucrar com este sistema de energia limpa

O

s sistemas fotovoltaicos utilizam a luz do sol, fonte de energia gratuita e inesgotável, principalmente em nosso país, que tem clima tropical e altos índices de insolação. Com as tarifas de energia elétrica cada vez mais elevadas, essas contas têm um peso grande nos orçamentos das famílias, comprometendo muitas vezes a aquisição de outros itens básicos e importantes. E levando-se em conta ainda a crise hídrica, que vem impactando negativamente no fornecimento de energia hidrelétrica no país, a energia solar tem ganhado espaço entre os consumidores que analisam a relação custo-benefício, e que também se conscientizam de que os futuros aumentos na tarifa são certos, mas não impactarão o seu bolso. Em 2016 o site Bloomberg noticiou que a energia solar já estava sendo vista como a fonte mais barata de energia disponível. E de lá para cá, imagine o quanto subiram as tarifas e como estes sistemas solares se popularizaram, reduzindo os custos. Segundo publicação da Revista Exame em 15 de março de 2018, “desde 2012 o reajuste médio do preço da energia no país foi de 44%, acima da inflação registrada no período. Enquanto isso, o avanço da tecnologia de produção dos equipamentos de energia solar fotovoltaica fez o preço cair 80% na última década em todo o mundo, e tornou a conta ainda mais vantajosa”. A grande preocupação das pessoas ainda é com o investimento inicial, mas vale ressaltar que aqueles que optaram pela energia solar fotovoltaica se surpreenderam com o retorno rápido: em torno de cinco

128 Revista Energia

anos o valor gasto com aquisição e instalação estava pago, gerando então uma economia que pode se estender por até trinta anos. E para quem não tem esse capital necessário, muitas instituições financeiras já oferecem linhas de crédito especiais para esta finalidade, e em muitos casos o valor das parcelas pode ser aquele que você vai economizar gerando sua própria energia. Importante lembrar que é um investimento de baixo risco, não gera impactos sobre o meio ambiente e pode ser instalado em qualquer tipo de imóvel, seja residencial, comercial ou industrial. É um sistema de instalação simples e rápida, manutenção barata, mas requer uma empresa bastante especializada, que trabalhe com equipamentos de qualidade, o que certamente vai garantir a durabilidade e o perfeito funcionamento do sistema instalado. Empresas que cobram valores muito abaixo do mercado também oferecem equipamentos e sistemas de baixa qualidade, podendo resultar em dor de cabeça para o cliente. Quer saber mais? Consulte a LBSol Energia Solar. Mais que oferecer equipamentos de ponta, a empresa conta com profissionais experientes e capacitados a orientar e instalar a melhor solução para cada cliente. 

“Segundo especialistas do setor, esta é a energia que, junto com a eólica e outras energias limpas, vai dominar o século XXI”


Legislação

Ações pelos portadores de doenças degenerativas DEPUTADO FEDERAL RICARDO IZAR

Texto Ricardo Izar |Colaboração Frank Alarcon Descobrir-se portador de uma enfermidade, seja ela crônica ou aguda, congênita ou adquirida, potente ou suave, é sempre um desgastante momento de alteração de nossas percepções sobre o mundo, o passado, o presente e o futuro

N

Economista, coordenador para o Sudeste da Frente Parlamentar em Defesa do Consumidor de Energia Elétrica e membro da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal, Presidente da Frente Parlamentar de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, Membro do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados

ossas respostas emotivas a essas condições

ou extremidades do corpo - principalmente os pés), assim como

tornam-se mais intensas na medida em que

alteração dos movimentos de marcha e dificuldade de locomoção.

somos confrontados com diagnósticos de do-

Os sintomas decorrentes da doença de Parkinson variam de

enças que, diante do atual conhecimento cien-

paciente para paciente, compondo assim uma expressiva lista de

tífico, ainda não possuem uma cura definitiva

sintomas razoavelmente diferentes. Os Parkinsonianos, uma vez

ou uma terapêutica de grande performance.

diagnosticados como tal, passam inevitavelmente a enfrentar um

Considerado o variado espectro de enfermidades que se enqua-

difícil desafio diário de readequação de seu estado físico às suas

dram nesse universo, as doenças neurológicas degenerativas são

atividades cotidianas, como também um processo de enfrenta-

um caso de extrema relevância para o indivíduo e para a sociedade

mento emocional de aceitação, adaptação e compreensão, tanto

como um todo.

pessoal como secundário, isto é, envolvendo os membros da famí-

Dentre todas as disfunções neurodegenerativas conhecidas

lia e amigos que dividirão essa realidade com o paciente.

hoje no mundo (que infelizmente não são poucas), a doença de

Ciente da complexidade existente no tratamento dessa enfermi-

Parkinson ocupa o segundo lugar em frequência de diagnóstico.

dade, somada à necessidade de conscientização sobre essa con-

Caracteriza-se o Parkinson por ser uma enfermidade de natureza

dição e o desenvolvimento de tecnologias aplicadas ao cuidado

crônica, lenta e progressiva, sem causa ainda totalmente conhe-

das pessoas com Parkinson, articulei na Câmara dos Deputados,

cida. Sabe-se hoje que está relacionada à morte ou senescência

em abril de 2018, a criação da Frente Parlamentar das Pessoas

de neurônios produtores do neurotransmissor dopamina, localiza-

com Parkinson, instrumento através do qual discutiremos e apre-

dos em uma pequena região do cérebro classificada como “subs-

sentaremos propostas de melhorias do nosso sistema legislativo

tância negra”. A degeneração dessas células – e a consequente

voltado aos parkinsonianos brasileiros. Como exemplo, elaboro

piora na transmissão do impulso nervoso pelo corpo - resulta no

neste momento um Projeto de Lei - já em sua fase de redação

comprometimento dos movimentos de mãos, braços, pernas e o

final - que busca modificar o artigo 60 do Plano de Benefícios da

subsequente surgimento de tremores nestes. Além disso, resulta

Previdência Social.

em rigidez dos membros envolvidos, alta incidência de distonia

Através dessa mudança será possível dispensar as pessoas

(contrações que afetam de modo regular um ou vários músculos

portadoras de Parkinson de submeter-se à avaliação pericial pe-

130 Revista Energia


riódica exigida para a manutenção do pagamento de seu auxílio-

do medicamento Levodopa pelo Programa “Farmácia Popular” a

-doença. A razão dessa proposta é simples: a doença de Parkinson

pacientes com idade superior a 51 anos. Como esta enfermidade

caracteriza-se (ainda) por ser uma doença degenerativa, causado-

não está restrita à idade avançada, e o Levodopa é fundamental no

ra de sequelas diversas de caráter progressivo. Exigir que pacien-

tratamento desta doença, após nossa reunião e deliberação técni-

tes em estágio avançado da enfermidade sejam submetidos perio-

ca consegui autorização do Ministro da Saúde para que todos os

dicamente a deslocamentos físicos e a uma desgastante exposi-

Parkinsonianos a partir dos 21 anos possam ter acesso a este me-

ção pública mostra-se algo totalmente desnecessário e agressivo.

dicamento pelo programa de compra a baixo custo. Ampliamos,

Em movimento simultâneo, tramita na Câmara dos Deputados

assim, a todas as pessoas com Parkinson o acesso a este impres-

projeto de lei de minha autoria (PL 8046/2017) que busca alterar

cindível fármaco terapêutico a preço popular.

diversas leis que dispõem sobre o acesso a benefícios por parte

A Política, enquanto instrumento de mudança e melhoria do coletivo

trabalhadores acometidos por doença crônica degenerativa. Essas

e bem-estar social, é uma importante motivação na vida do agente pú-

alterações buscam permitir aos pacientes vivenciando essas con-

blico investido de mandato popular. Não bastasse ser um dever ajudar

dições, isenção tributária do IPI para a aquisição de automóveis,

o próximo em estado de clara vulnerabilidade, ver-se como um agente

a isenção do imposto de renda sobre seus proventos de aposen-

de reforma do mundo à sua volta proporciona imensa alegria. Ajudar o

tadoria, o acesso do passe livre no sistema de transporte coletivo

próximo é um privilégio capaz de humanizar toda e qualquer pessoa. A

interestadual, a movimentação de conta vinculada ao FGTS, entre

bondade deve ser expandida a tudo e a todos, independentemente da

outros benefícios.

idade, gênero, status socioeconômico, credo ou espécie do beneficia-

Ainda relacionado à doença de Parkinson, organizei no início de maio de 2018, junto aos meus amigos do Projeto “Vibrar com Parkinson” (http://vibrarcomparkinson.com.br/), uma audiência com o Ministro da Saúde, Sr. Gilberto Magalhães Occhi, e o Diretor de Assistência Farmacêutica, Sr. Renato Teixeira Lima, para tratar da derrubada da Norma 38SM. Esta diretriz restringia a compra

do. A vida ensina que fazer o bem faz muito bem. 

“Ajudar o próximo é um privilégio capaz de humanizar toda e qualquer pessoa”

Revista Energia 131


Revista Energia 133


134 Revista Energia


Revista Energia 135


136 Revista Energia


REVISTA ENERGIA - CADERNO FESTAS - EDIÇÃO 78 - JUNHO/2018

Revista Energia 78  

Garanta seu exemplar, gratuitamente, nos pontos de retirada: Posto São João e na sede da Rádio Energia, rua Quintino Bocaiuva, 330, 2º Andar...

Revista Energia 78  

Garanta seu exemplar, gratuitamente, nos pontos de retirada: Posto São João e na sede da Rádio Energia, rua Quintino Bocaiuva, 330, 2º Andar...

Advertisement