Page 1

Distribuição gratuita - Venda proibida

Jaú - Ano 5 | Edição 52 | Mensal - Dezembro 2014

HVA

Mais que completo!

perfil Dani Pessôa Festas Ceia Saudável Gente Fina Edson Tomazelli


2 Revista Energia


Revista Energia 3


4 Revista Energia


Editorial

Tempo de acreditar

Ano 5 – Edição 52 – Jaú, Dezembro de 2014 Tiragem: 10.000 exemplares Revista Energia é uma publicação mensal da Rádio Energia FM Diretora e Jornalista responsável Maria Eugênia Marangoni mariaeugenia@radioenergiafm.com.br MTb. 71286 Diretor artístico: Márcio Rogério rogerio@radioenergiafm.com.br

“Tudo o que a mente humana pode conceber, ela pode conquistar”

Repórteres Heloiza Helena C. Zanzotti heloiza@radioenergiafm.com.br Marcelo Mendonça marcelo@radioenergiafm.com.br Tamara Urias tamara@revistaenergiafm.com.br

(Napoleon Hill)

Revisão de textos: Heloiza Helena C. Zanzotti revisao@revistaenergiafm.com.br

E

ncerramos mais um ano em que energia foi a palavra chave. Ela esteve presente em nosso dia a dia, em cada novo projeto que idealizamos e colocamos em prática.

Criação de anúncios: Well Bueno arte@revistaenergiafm.com.br Fotografia: Douglas Ribeiro foto@revistaenergiafm.com.br

Projeto gráfico: Revista Energia Social Club social@revistaenergiafm.com.br Colaboraram nesta Edição Camila Perobelli Colunistas Alexandre Garcia Antonio Paulo G. Trementocio Brenda Ruffo Carlos Alexandre Trementose Giovanni Trementose João Baptista Andrade Paulo Sérgio de A. Gonçalves Professor Marins Comercial Carlos Alberto de Souza Joice Lopez Moraes Sérgio Bianchi Silvio Monari Impressão: Gráfica São Francisco Distribuição: Pachelli Distribuidora Revista Energia Rua Quintino Bocaiúva, 330 | 2º andar CEP: 17201-470 | Jaú - Fone: (14) 3624-1171 www.energianaweb.com.br Elogios, críticas e sugestões leitor@revistaenergiafm.com.br Quero anunciar comercial@revistaenergiafm.com.br

Foto: Cláudio Bragga

Diagramação Junior Borba (14) 99749.6430

A Energia FM realizou eventos, promoções e festas que movimentaram nossa cidade e deixaram um gostinho de quero mais. Com a Revista Energia tivemos a satisfação de produzir doze edições de muita informação, além de nossos cadernos especiais Casa e Construção e Motor Energia. E vem muito mais por aí. Porque acreditamos que sempre é possível fazer melhor, transformar a realidade, conquistar novos espaços. Olhamos para o futuro com esperança e certos de que temos uma equipe comprometida com nossos ideais. Nesta última edição de 2014 trouxemos ideias para você preparar ceias super saudáveis, sem perder o charme e o encanto. Em tempos de preocupação com a segurança mostramos que através do Krav Magá, defesa pessoal é uma atividade que pode ser praticada por qualquer pessoa, sem limite de idade. Nosso Gente Fina traz Edson Tomazelli vencendo desafios no voluntariado, e no Perfil você conhece um pouco mais da arte e projetos de Dani Pessôa. A matéria de capa fala de animais, amor e cuidado, mostrando o que há de melhor para a saúde do seu pet. E em tempos de falta de água veja como anda a navegação no sistema Tietê-Paraná, importante fator para a economia de nossa região. Mas, antes que você comece a navegar por esta edição, a equipe Energia quer desejar aos leitores, amigos e parceiros um Feliz Natal e grandes conquistas em 2015. Boa leitura!

A Revista Energia não tem responsabilidade editorial pelos conceitos emitidos nos artigos assinados, anúncios e informes publicitários.

Maria Eugênia


NESTA EDIÇÃO

22 Transformação Animal 24 Defesa Pessoal 42 Saúde 54 Moda 56 Água 70 Festas 76 Empresarial

28 Garota Energia

SEMPRE AQUI

ÍNDICE

08 Perfil 10 Jurídico 12 Radar 14 Pense Nisso 16 Consultoria 18 Gente Fina 28 Garota Energia 30 Capa 36 Quem Fez Jahu 45 Look de Artista 50 Varal 60 Social Club 68 Vinhos 74 Boa Vida 75 Guia da Gula 78 Trabalho e Previdência

Nossa capa: Dr. Giovani Fernando Araujo e o Rotweiller Yan Foto: Douglas Ribeiro Produção Gráfica: Junior Borba

45

Look de Artista

Distribuição gratuita - Venda proibida

Jaú - Ano 5 | Edição 52 | Mensal - Dezembro 2014

HVA

Mais que completo!

PERFIL Dani Pessôa FESTAS Ceia Saudável GENTE FINA Edson Tomazelli


Revista Energia 7


Fotos: Arquivo Pessoal

Perfil

8 Revista Energia


Luz, câmera...

Dani Pessôa está completando dez anos de carreira dedicados à arte. Aos 28 anos ela vem atuando em diversos quadros nos programas Domingo Legal, Ratinho e em TVs fechadas da capital Texto Marcelo Mendonça

F

ormada em Artes Cênicas e Jornalismo na Universidade do Sagrado Coração (USC) de Bauru, com ênfase em Expressão Corporal e extensão em Dança, Dani nunca se acomodou na busca por uma carreira no meio artístico. A chance nos palcos veio bem cedo, aos três anos de idade no Teatro Elza Munerato, onde ensaiou os primeiros atos. Na época, mesmo criança já sabia que ali seria seu lugar. Aos 10 anos apaixonou-se pela dança, estudou ballet clássico, jazz, dança do ventre e hoje, quando consegue tempo, ministra workshops ensinando os estilos que mais gosta.

Despontando Dani chegou à nossa redação pontualmente. Estava em uma de suas raras semanas de folga, visitando a cidade que ela faz questão de dizer a todo o momento que é sua primeira casa. Morando em São Paulo há quatro anos, a ida para a capital aconteceu através do próprio material enviado às agências que selecionam atores. Em 2011 o primeiro grande trabalho foi na novela “Amor e Revolução”, no SBT, como elenco de apoio, depois foram surgindo outros convites para externas em programas da emissora como no Ratinho e no Domingo Legal. Ela ainda participou da novela Carrossel e recentemente gravou sua mais nova personagem no remake “Chiquititas”, onde viverá a enfermeira Manuela Pereira, sendo que a novela permanece no ar até o próximo mês de abril. “Cada personagem é um aprendizado”, conta Dani. “Às vezes estudamos o texto e na hora da gravação a direção aposta no improviso, mas é natural quando se trabalha em equipe, um soma ao outro e no final o resultado é sempre ótimo”

Cotidiano Como os trabalhos na TV são por contrato, Dani fica sabendo em cima da hora onde e o que vai fazer. “O telefone pode tocar agora e me designarem para alguma externa ou gravação de estúdio ou dança, é tudo muito rápido”. Paralelo aos trabalhos na

TV, os musicais infantis na capital têm feito bastante sucesso e tomado muito tempo da atriz. “Através de produtoras de Musical Show, trabalho com eventos adaptados à linguagem teatral, toda caracterizada em diversas personagens como Elsa Frozen, a rainha da Neve; Branca de Neve; Ariel, do filme A Pequena Sereia. São musicais cantados ou dublados, depende das ações que a empresa direciona ao trabalho, é muito lindo e gostoso de fazer”, conta. A agenda da semana é dividida entre as gravações no SBT, espetáculos infantis, workshops e estudos. “Quando estou em casa procuro sempre estar lendo um bom livro, me considero uma rata de biblioteca, e sou muito caseira”.

Em frente Totalmente focada no trabalho, o projeto para 2015 é tornar-se apresentadora. “A vivência na TV me motivou a sonhar com essa possibilidade, estou me dedicando a isso, fazendo contatos com amigos e pessoas que possam ser parceiras. Quero muito ter um programa meu, voltado para arte e cultura, algo parecido com o que já faço no meu portal Show &Art”. Filha de uma professora de Português e de um carteiro, ela sempre contou com o incentivo da mãe e torcida da família. Dani passou pela Energia FM anos atrás, realizando o workshop “A importância do corpo para a voz”. “Esse projeto foi uma pesquisa de campo na graduação de Artes Cênicas. Este trabalho hoje tem dois focos: o artístico, que conta com meu potencial como atriz, coreógrafa e diretora artística, produzindo o artista no palco; e o corporativo, para profissionais cujo foco é ausência de palco, pelo backstage, ou empresas fazendo uso do corpo que fala, se expressa, e da voz, aos atuantes como radialistas, secretárias, professores e outros profissionais”.  Conheça mais sobre a atriz em seu Portal: www.showeart.com.br Revista Energia 9


Jurídico

Por Carlos Alexandre Trementose juridico@revistaenergiafm.com.br

A Síndrome de Burnout ou do esgotamento profissional e sua relação com o trabalho

S

egundo estudiosos médicos, o termo “Burnout” refere-se àquilo que deixou de funcionar por absoluta falta de energia (Benevides-Pereira, 2002), significando aquele que chegou ao seu limite, ou seja, trata-se de uma resposta prolongada a estressores emocionais e interpessoais crônicos no trabalho, caracterizada por três elementos centrais, quais sejam: exaustão emocional (sentimentos de desgaste emocional e esvaziamento afetivo); despersonalização (reação negativa, insensibilidade ou afastamento excessivo do público que deveria receber os serviços ou cuidados do paciente) e diminuição do envolvimento pessoal no trabalho (sentimento de diminuição de competência e de sucesso no trabalho, desmotivação) (Maslach & Leiter, 1999). Em síntese, a Síndrome de Burnout ou a síndrome do esgotamento profissional é um distúrbio psíquico que tem como principal característica o estado de tensão emocional e estresse crônico provocado por condições de trabalho físico, emocional e psicologicamente desgastante (doença laboral), e se manifesta especialmente em pessoas cuja profissão exige envolvimento interpessoal direto e intenso. O sintoma reflete em atitudes negativas como ausências no trabalho, agressividade, isolamento, mudanças bruscas de humor, irritabilidade, dificuldade de concentração, lapsos de memória, ansiedade, depressão, pessimismo e baixa autoestima. Os fatos narrados acima, evidentemente fogem à normalidade

10 Revista Energia

de um ambiente de trabalho sadio e, por conseguinte, os trabalhadores tornam-se vulneráveis a malefícios como a aludida síndrome que, sem sombra de dúvidas, estão aliados à falta de tratamento adequado proporcionado pelos responsáveis (empregador) que jamais admitem a existência da doença no empregado. Tal fato, para ser comprovado, deve ser declarado por médicos capacitados, atestando a doença e emitindo relatório/laudo condizente. O tratamento inclui terapia e medicamentos como antidepressivos, fazendo-se necessária uma mudança no estilo de vida. Atividade física regular e exercícios de relaxamento devem entrar para a rotina, pois ajudam a controlar os sintomas. É importante que o médico observe se é o ambiente profissional a causa do estresse ou se são as atitudes da própria pessoa que geram a crise. A qualidade de vida é uma das armas para prevenir a Síndrome de Burnout e isso inclui cuidar da saúde, dormir e alimentar-se bem, praticar exercícios e manter uma vida social bem ativa. Portanto, caro leitor, observe seu ambiente de trabalho e suas condições de saúde, pois tal síndrome não tem diagnóstico simples e fácil, necessitando de profissionais especializados para esclarecerem sobremaneira os sintomas e não deixarem quaisquer dúvidas acerca do padecimento do empregado. Desejo a todos um bem-aventurado Natal e um Ano Novo repleto de energia, saúde e prosperidade. Boas vibrações. 


Radar

Por Alexandre Garcia

O amanhã que teremos Nossa cultura tem permitido que enganemos a nós mesmos

A

Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional aprovou, com votos dos governistas, uma mudança nas metas fiscais para que o desequilíbrio fiscal das contas públicas não venha prejudicar os números do país e afetar nossa credibilidade no exterior. Imagine um doente com 41 graus de febre. A pretexto de tirar-lhe a febre, muda-se a gra-

Com Educação, poderíamos superar essa cultura atrasada

duação do termômetro, subindo a régua até que 37º alcance 41º. Pronto. Está resolvido. O doente morre da infecção - mas sem febre. O problema é que a realidade, os fatos, sempre são mais fortes. Somos incapazes de responder com a verdade se alguém nos pergunta “tudo bem?”, embora vá tudo mal. No caso das contas públicas, em vez de enfrentar o desequilíbrio com corte de gastos correntes, o governo altera a meta de superávit fiscal. E continua tudo igual. Esse tipo de fuga nos deixa sempre no mesmo lugar, enquanto o mundo vai mudando. Daqui a pouco até o Paraguai nos ultrapassa, pois não teve preconceito em fazer acordo comercial com os Estados Unidos. Logo poderemos ter uma Singapura na vizinhança.  E quem dera que ficássemos no mesmo lugar. Pois estamos afundando. Segurança, saúde, educação vão despencando porque vamos deixando. Com Educação, poderíamos superar essa cultura atrasada. Poderíamos ganhar conhecimento para discernir, julgar e agir como cidadãos ativos. Mas, ao contrário, muitos jovens estão recebendo em escolas uma ideologia retrógrada, atrasada, que nunca deu certo no mundo, de socialismo marxista, em que os heróis são ditadores como Stálin, Mao, Fidel e Chavez. Ou produtos do marketing, como o assassino Guevara.  Que futuro nos espera? Um futuro em que chegaremos como habitantes passivos de um país sem rumo? Coisas de América Latina? Nem tanto. A Costa Rica, o Chile, o Uruguai e agora o Peru e a Colômbia são exemplos de que na região se pode conquistar vida melhor.  Os políticos tentam enganar os que nunca foram para o exterior, de que o mundo é assim, para que não saibam o quanto vivem mal. Nos empurram futebol e carnaval para que não reajamos à corrupção e aos péssimos serviços públicos. Mas o futuro chega inexoravelmente. Estamos preparando que tipo de amanhã? 


Berçário Educação Infantil Ensino Fundamental 1e2

Venha para o

Exupéry Aproxime o mundo da teoria ao mundo da prática

Corpo Docente Qualificado . Coordenação atuante . Portal COC Educação Amplas salas de aula climatizadas . Biblioteca . Ginásio Poliesportivo coberto Auditório . Quadra de Esportes . Laboratório de Informática . Agenda on-line Área de convivência . Judô e Futsal . Eventos Culturais e Recreativos Playground I e II . Salas multimídia e Projeção 3D . Laboratório de Ciências Monitoramento por câmeras . Studio de Dança Exupéry (prédio anexo)

s ícula r t a M s

ta Aber

Período

Integral

Almoço . Descanso Hora da Tarefa . Arte Esportes . Jogos Educativos

.: Lanche da man hã :. .: Almoço :. .: Lanche da tard e :. .: Jantar (opcional) :.

Equipe e Estrutura privilegiando o aprendizado!

Informática . Música . Lazer Rua Gaudêncio Guacelli, 50, Jaú-SP |

Fone: 3621-2994

Revista Energia 13


nisso

Pense

Por Professor Luiz Marins

LUIZ MARINS Antropólogo e escritor. Tem 26 livros publicados e seus programas de televisão estão entre os líderes de audiência em sua categoria. Veja mais em www.marins.com.br

Mestres em enganar no trabalho Todos nós conhecemos pessoas assim, que se utilizam de inúmeros truques

A

revista THE ECONOMIST, a mais importante revista de economia e negócios do mundo (inglesa), publicada desde 1843, em sua edição de 25 de outubro de 2014, traz um interessante artigo sobre a arte de enganar no trabalho, com o irônico título “Um Guia para Enganar (no trabalho): como prosperar no trabalho com o mínimo de esforço.” No artigo a revista descreve desde o antigo artifício de deixar o paletó no encosto da cadeira para que o chefe pense que o funcionário já chegou ou ainda não saiu, até truques mais modernos como ficar com olhar sério e fixo no computador fingindo estar vendo algo importante referente ao trabalho e, na verdade, estar no Facebook papeando com amigos ou marcando uma festa. Todos nós conhecemos esses mestres em enganar no trabalho. Muitos deles fazem questão de dizer que são os primeiros a chegar e os últimos a sair. Mostram-se preocupados com tudo o que acontece. Fazem-se de ocupados o tempo todo e

fazem aquilo que os ingleses chamam de “teatro do entusiasmo”. São os primeiros a aplaudir novas ideias e projetos, mas na hora de fazer estão sempre ocupados, marcam viagens e acompanham tudo, mas sempre longe da execução de fato. E no final de tudo, aparecem para receber os elogios e até mesmo, espertamente, elogiar os colegas que fizeram acontecer. A revista mostra que esse problema é maior em grandes empresas. Quanto maior a empresa, mais fácil é enganar, diz a THE ECONOMIST, sem falar no serviço público, sem dúvida o local mais propício para os mestres na enganação em qualquer lugar do mundo, afirma. A maneira mais eficaz de pegar essas pessoas enganadoras é estar presente no local de trabalho, acompanhar de perto o que fazem, enfim, participar ativamente da execução e não ficar fechado em gabinetes, como faz a maioria dos gestores. Pense nisso. Sucesso! 

Quanto maior a empresa, mais fácil é enganar, isso sem falar no serviço público 14 Revista Energia


Consultoria

Por Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves consultoria@revistaenergiafm.com.br

Não puxe pelas mãos, faça-os caminhar Em algumas empresas percebemos nitidamente que muitas pessoas ainda aguardam o chefe ou o superior decidirem, para que possam partir para o próximo passo

É

até irônico o cliente perguntar para um atendente sobre um determinado produto e o mesmo sair em busca do chefe, com cara de “nossa ferrou!”. Então, dirige-se até ele e tira a dúvida retornando ao cliente para solucionar o que havia ficado pendente; imediatamente recebe outra pergunta sobre o mesmo item e “vixe, essa está difícil”, lá vai novamente em busca das cartas e dos universitários. Neste exemplo exposto, é claro que o cliente já não tem mais aquela disposição inicial em comprar ali, tendo em vista que já analisou até a roupa, os cabelos, os sapatos, o jeito e o desconhecimento total do atendente. Então a venda já foi para o espaço, a empresa já perdeu não apenas essa, mas uma sequência de vendas que seriam feitas no futuro para este cliente que, com certeza, comentará com outros para que não comprem ou solicitem serviços da sua empresa pois o atendimento é ruim, todos ficam perdidos e é um verdadeiro desgaste em vão. Consegue perceber como é desagradável estar na condição tanto do cliente, quanto do vendedor que não possui informações necessárias para o produto em questão? Imagine como se sente este vendedor (caso esteja comprometido com o seu negócio), que depende de informações do chefe para que possa vender com qualidade. Isso ocorre diariamente em todo lugar e, é claro, você já deve ter sido flagrado nesta situação da qual saiu com vontade de atracar-se com aquele que julgou ser incompetente e que estava lhe atendendo. Mas este é um erro do vendedor ou do gestor?

16 Revista Energia

Depende, mas quando a gestão assume que o erro é dela, fica tudo mais fácil. Não adianta cobrar os empregados por maus resultados se não há investimento em treinamentos ou não há boa comunicação dentro da organização. Lembre-se, incentivar a equipe a aprofundar-se em conhecimento sobre os produtos que vende e os serviços que presta é uma obrigação da gestão, nada justifica você dizer que não há tempo, que tudo está muito corrido, que os dias estão voando, que precisaria de um dia com mais de 24 horas para colocar tudo em prática, isso tudo é balela. “Só se torna grande aquele que investe nos seus, senão, fadado ao fracasso estará”. Mas, depois que o caminho foi aprendido pelos empregados, ou seja, quando existe o hábito do treinamento e das orientações cabíveis, e estes ganham determinados poderes para decidirem sobre os produtos e serviços, não podem ficar esperando que sejam puxados pelas mãos, devem caminhar por si só e, com todo direito, seus gestores poderão cobrar-lhes os resultados. Agora, se o colaborador não adquire os conhecimentos porque não quer voar, neste caso ninguém é obrigado a engolir ninguém, que seja bem-vindo como cliente, mas não como funcionário da sua empresa. Que tal enviá-lo de presente ao seu concorrente?  Paulo Sérgio de Almeida Gonçalves é administrador, contador, consultor, palestrante e professor universitário com MBA pela FGV – RJ em Gestão Estratégica de Pessoas; presidente  da AESC – Associação dos Escritórios e Profissionais da Contabilidade de Jaú e região - gestão 2004/2005; atualmente  diretor da AESC Jaú; proprietário do DinamCorp Corporação Empresarial e Contábil; proprietário da Prosol Unidade Jaú e consultor e orientador em desenvolvimento de softwares Prosol – São Carlos


Revista Energia 17


Gente Fina

Edson Tomazelli

“Eu só atingi o ponto alto da carreira porque não me acomodei, as oportunidades surgiram, eu arriscava e ia. Eu tinha entusiasmo e não medo”

Texto Tamara Urias Fotos Douglas Ribeiro

C

hegamos a dezembro, mês de festa e de fechamento do ano. Chegou a hora de fazer um balanço do que se foi, mas também uma lista de planos e objetivos. O nosso Gente Fina desta edição é o advogado Edson Tomazelli, 62. Natural de Oswaldo Cruz, SP, foi bancário por 29 anos no antigo Banespa. Durante esses anos passou por diversas cidades até chegar a Jaú em 1998, quando foi convidado a assumir a gerência geral da agência na cidade. Em 2000 aposentou-se e começou a advogar. Casado com Maria Valéria, seus olhos brilham ao falar da mesma, e salienta que só chegou 18 Revista Energia

onde está devido ao apoio da esposa e faz questão de mostrar isso às filhas. Com grande facilidade em se comunicar, ele participa como orientador e professor no Centro Espírita Verdade e Luz de Jaú, do qual destaca a diversidade do público. “Adoro esta miscelânea de cultura, temos pessoas de 15 a 60 anos, de médicos a donas de casa. Eu me realizo com este trabalho”. Por catorze anos fez parte da diretoria da Associação das Senhoras Cristãs Nosso Lar como presidente, vice-presidente ou tesoureiro. Em outubro deste ano um novo grupo de amigos assumiu a diretoria da entidade. “Estávamos exaustos e isso estava


Revista Energia 19


gerando desgaste não só em nós, mas para a instituição. Renovar sempre é bom”. Para ele o feito foi construir, através de doações, o prédio onde hoje funciona a instituição. “Conseguimos agregar a sociedade jauense e fazer aquela obra, isso acho que foi um feito sensacional. Não posso deixar de mencionar a intença participação do senhor Pedro Bianco”. Algo que Tomazelli não abre mão é de sonhar e viajar em companhia da esposa. Diante de suas histórias e do seu tom de voz, o entusiasmo é latente e me faz recordar um texto que li há algum tempo sobre a palavra. Vinda do grego e formada pela junção de en, Theos e asm onde Theos é Deus, en é um prefixo que significa dentro e asm designa em ação. Portanto, literalmente, entusiasmo significa Deus dentro de nós em ação. Assim, o significado para «entusiasmo» seria a exaltação ou arrebatamento extraordinário daqueles que estavam sob a inspiração divina. Portanto, desejo a você meu amigo leitor, que se inspire na história deste Gente Fina e que em 2015 você tenha coragem para sair da zona de conforto, mas conserve sempre o entusiasmo e o brilho nos olhos em tudo o que fizer.

Como foi a sua infância? Venho de uma família muito humilde. Naquela época era comum terminar o primário e ir cuidar da roça. Dei sequência aos estudos por obra e graça da minha mãe, que exigiu do meu pai. Ele comprou uma bicicleta que foi o meu meio de transporte 20 Revista Energia

para chegar ao colégio. Acordava cedo, pedalava onze quilômetros, ia à escola, almoçava e ajudava na lavoura.

Como iniciou a carreira no Banco? Em 1970 nos mudamos para a cidade, e foi aí que consegui o meu primeiro emprego no banco. Eu tinha vontade cursar engenharia civil, mas imagina, na época o curso era integral, eu precisava trabalhar e meu pai não tinha condições de bancar a faculdade. Como o banco pagava os estudos, decidi fazer Direito. Formei em 1976 e como já era banespiano, decidi seguir carreira no banco por diversas razões, dente elas, a estabilidade financeira. Todo concurso interno e oportunidade que surgia eu prestava e fui crescendo na empresa. Muitas vezes tive que pegar o mapa para descobrir onde ficava a cidade para a qual eu havia sido transferido. A cada um ano e meio nos mudávamos e acredito que passei por umas 15 cidades. Por que voltar a advogar? Quando eu me aposentei, pensei: e agora? Com 48 anos, o que vou fazer? Se ficar em casa terei uma depressão profunda. Diante disso comecei a pensar em hipóteses, dentre elas, montar um negócio. Até que um dia, enquanto lia o jornal, vi uma matéria dizendo que estavam abertas as inscrições para o concurso da OAB. Fiz a inscrição e por mais que estivesse atualizado enquanto estava no banco, investi firme nos estu-


dos. Acordava às 6h da manhã, saia para pedalar e quando retornava ia estudar. Passei na primeira fase e para a segunda fase decidi ir para Marília fazer um curso de uma semana. Passei, e com a carteira na mão me perguntei: e agora? Falei para mim mesmo: vou abrir uma portinha e advogar. Graças a Deus deu certo. De início estava sozinho, posteriormente montamos sociedade.

Após este período você começou a valorizar mais a vida? Muito mais! Mudei a forma de enxergar a vida. Hoje sou mais tranquilo, paciente e tolero mais as coisas. Na verdade, comecei a ver o mundo de outra forma. Lógico que ninguém quer sofrer, mas o sofrimento traz boas ações como mais alegria de viver, valorização do corpo, da alimentação, enfim, da vida.

Como foi fazer parte da diretoria do Nosso Lar? Foram catorze anos de muitas dificuldades, pois é uma entidade complexa de alto grau. Mas nós superamos e conseguimos deixar a instituição saudável, não temos problemas financeiros de curto prazo. Graças a Deus funcionou muito bem neste período. Sinto um orgulho muito grande em ter trabalhado lá e de vê-la florescer. As pessoas perguntam se saí do Nosso Lar e eu respondo que não, só não sou mais diretor. Ele está no meu coração.

As pessoas têm buscado mais a espiritualidade? Mudado conceitos? Sim. Dá para perceber uma grande transformação na humanidade. Tive uma infância e juventude totalmente diferente do que é hoje, atualmente as pessoas vivem ansiosas, principalmente os jovens. Eles têm muitos recursos à disposição, mas para isso há um custo e eles vivem angustiados para conseguir bons empregos e bancar esses custos. Não é fácil porque esta situação aumentou a participação das pessoas no mercado e houve um achatamento salarial. Então, hoje vemos pessoas irritadas e com o grau de tolerância muito próximo do zero. Um exemplo disso é no trânsito. Por outro lado, também vemos que as pessoas não se satisfazem mais com aquela religião tradicional. O mundo evoluiu, tudo evoluiu, não dá mais para ser como há 20, 30, 50 anos.

Por que uma entidade complexa de alto grau? Hoje o local tem 33 crianças, mas já tivemos 45, com idade variando de 2 a 18 anos. Ali se cuida de crianças que passaram por abandono da família e pelas mais diversas violências, então elas chegam carentes, depauperadas e muitas vezes com a saúde detonada. A partir do momento em que entram no abrigo, são de responsabilidade do Lar, o diretor torna-se tutor destas crianças. E inicia-se um trabalho de recuperação que abrange escola, cuidados médicos, odontológico e psicológico, além de assistência social e alimentação. O local é como uma casa de família, funciona 24 horas e por isso tem 40 funcionários que se dividem em turnos de 6 horas. Você teve um grave problema de saúde? O médico disse que bati na trave umas três vezes, e falou para não esperar a quarta, porque a bola entra (diverte-se). Desde os 26 anos tenho uma artrose no quadril e aos 53 anos tive muita dor em função do desgaste, então fui fazer uma cirurgia. Coloquei prótese e não deu certo, houve rejeição e passei por um aperto muito grande. Tive que tomar antibiótico durante 60 dias e estes eram caros, mas graças a Deus consegui através do SUS. Alguns anos mais tarde a Dra Brígida, infectologista, me orientou a ir para São Paulo, pois dizia que eu estava com uma infecção no osso. E o médico de lá aceitou fazer a cirurgia, só que entre as exigências estava a de me operar no Sírio Libanês ou no Hospital Oswaldo Cruz. Sorte que meu plano de saúde cobria a cirurgia que fiz no Sírio, em 20 de novembro de 2006. Tive complicações, infecção e precisei ficar lá por sessenta dias tomando antibiótico via cateter. Em fevereiro de 2007 tive alta e hoje faço academia, caminhada, ando normalmente, mas tenho duas próteses enormes no quadril. Quando chego aos aeroportos ou portas de banco, sempre sou barrado. Além disso, há dois anos fiz uma cirurgia no intestino. Foram 32 pontos, emagreci 15 quilos, graças a Deus estou vivo, mas sofri bastante.

Pode explicar? Hoje as pessoas querem algo que traga conforto espiritual. O espiritismo aplicado, como o que Kardec codificou, vem trazer uma libertação muito grande para as pessoas, ou seja, ele mostra que você é livre e responsável pelos seus atos. Ele também diz que temos que exercitar o dom e os elementos inteligentes que Deus deu para fazer o melhor para si e para a humanidade. Você se melhorando, você melhora o vizinho e a sociedade. Algo que não fez, mas pretende fazer? Escrever um livro. Ainda estou pensando sobre o quê escrever, mas como sou uma pessoa muito voltada às origens, tenho saudade daquela época, talvez escreva sobre isso. Nunca teve medo de arriscar? Não. É fundamental ter coragem. Os desafios se apresentam para você encarar. Vejo isso na minha carreira de bancário. Eu só atingi o ponto alto da carreira porque não me acomodei, as oportunidades surgiram, eu arriscava e ia. Eu tinha entusiasmo e não medo, e isso fez toda a diferença. Hoje tenho clientes em diversas regiões pelas quais passei, além de ter adquirido costumes e amizades. 

O que pensa sobre o sofrimento? Entendo como uma consequência de uma situação para se valorizar a vida. Se entendermos desta forma tudo bem, o problema é quando não se aceita e ainda acha que é injustiça. Passar por apertos faz parte do processo vida. Revista Energia 21


Transformação

Foto: Douglas Ribeiro

Animal

Depois

Antes

22 Revista Energia

F

undamental para a saúde dos animais de estimação, o banho é um cuidado que visa não só à higiene, mas também previne doenças que poderiam prejudicar o animalzinho e a família com a qual ele convive. Por isso, levar seu pet em um bom profissional é importante, pois ele saberá utilizar os produtos corretos, os acessórios mais eficientes e ainda cuidará de detalhes como limpeza dos ouvidos, corte de unha e secagem do pelo. Felipe e Gabrielle Nunes são os donos da Mel, a Lhasa Apso de 7 anos que passou por uma transformação fantástica. Ela chegou ao Beto Banho e Tosa com o pelo bastante embaraçado e amarelado. Com o maior carinho, a Viviani Nalio fez o banho com higienização cuidadosa nas partes genitais, utilizando os produtos adequados. Depois foi a vez da limpeza nos ouvidos e corte das unhas. Após a hidratação, os pelos foram delicadamente desembaraçados e foi feita a secagem e escovação. Prontinha, a Mel ganhou o lacinho alusivo ao Natal e ficou assim, como você pode conferir nas fotos: branquinha, linda e muito feliz!


Defesa pessoal

Pedro Luiz Palácio em uma demonstração

Prontos para o combate Cada vez mais disseminado no Brasil, o Krav Magá ensina movimentos curtos e rápidos que visam a atingir pontos sensíveis do corpo Texto Tamara Urias Fotos Douglas Ribeiro 24 Revista Energia


N

ascido em meados dos anos 40 pelas mãos de Imi Lichtenfeld, o Krav Magá visa a impedir que o ataque atinja o alvo e ao mesmo tempo simplifica e aumenta a força dos movimentos do contra-ataque. No Brasil, a técnica israelense de origem militar chegou em 1990, através do mestre Kobi. Emerson Januzzi, 40, é especialista em segurança empresarial, patrimonial e pessoal (Israel), formado também em anti-terrorismo e contra inteligência (Israel); Investigação de Cena de Crime CSI (Police Miami Dade - USA); Operações Policiais Especiais (SWAT - USA e GSG-9 Alemanha), além de professor de Artes Marciais. Faixa Preta de Hapkido 1 DAN (primeiro grau), professor de KAPAP nível A, faixa marrom de Krav Magá e faixa marrom de Jiu Jitsu. Para ele o Krav Magá permite a qualquer um exercer o direito à vida. Ele descreve como a única luta reconhecida mundialmente como arte de defesa pessoal e não marcial. “Não há regras ou competições, pois sua técnica visa à legítima defesa em situações de perigo”, afirma. Movimentos e prática Segundo Emerson, os movimentos são desenvolvidos através da motricidade natural do corpo, em uma rápida resposta diante de uma situação de perigo ou de surpresa. Os movimentos são curtos, rápidos, objetivos e acessíveis a qualquer pessoa. “Divido em duas partes sendo que na primeira, que vai da faixa branca à faixa azul, se aprendem técnicas de defesa pessoal; e na segunda, da faixa azul à faixa preta, se adquirem técnicas de combate corpo-a-corpo, de combate militar e exercícios mais complexos”, explica. A técnica, que chegou a Jaú há dois anos, atrai um público diversificado. “Não há limite de idade para praticá-lo. Temos alunos de 4 anos, que aprendem a introdução das Artes Marciais, até alunos de 64 anos. Acreditamos que o limite é imposto pela pessoa”. Por tratar-se de autodefesa, onde os alunos são preparados para se proteger da violência urbana, independe do seu preparo físico ou limitações. “Todos podem praticá-lo, inclusive pessoas com limitações”. O aluno é treinado para evitar o combate, e Janucci salienta que as técnicas aplicadas são de segurança pessoal, porém, se for eminente o confronto, a pessoa irá se defender rapidamente e buscará sair o mais rápido do problema. “Não brigamos, nós nos defendemos”. Ana Clara

Os benefícios para o corpo são preparo físico, flexibilidade, reação e explosão muscular, agilidade, autocontrole e autoconfiança. “Nosso ambiente de treinamento é muito bom, todos interagem e vivemos em harmonia, por isso costumamos dizer que fazemos parte da família Krav Magá”, finaliza. Em família A busca por um complemento da arte marcial que já praticava há certo tempo levou o empresário Pedro Luiz Palácio, 59, ao Krav Magá, que até então ele conhecia apenas através de vídeos e pela literatura. Certo dia teve a oportunidade de conhecer o professor Emerson Januzzi, participar da aula e gostou. “Decidi então que este seria o complemento ideal para o Caratê, pois buscava aperfeiçoar a técnica de defesa pessoal. E desde 2012 me dedico à prática”. Dentre os benefícios Palacio destaca o auxílio no condicionamento físico e mental, disciplina, respeito, companheirismo, além da própria defesa pessoal. “O Krav Magá é o mais completo sistema de defesa, usado inclusive pelo IDF Israel Defense Force, Shaback (Forças de Segurança Interna) e Mossad (Forças de Segurança Externa de Israel, país do qual se origina)”. Três vezes por semana ele pratica a modalidade junto com a filha Marília. Durante a entrevista, ele garante que ao lado do professor Emerson Januzzi e da professora Sávia Banhara, o grupo tornou-se uma verdadeira família, um cuida do outro, pais e filhos treinam juntos, assim como casais de namorados, marido e mulher, num ambiente saudável, agradável e prazeroso. Disciplina e concentração Por influência do pai e a importância de se adquirir uma técnica de defesa diante do panorama que se apresenta cada vez mais violento, Ana Clara Ferin Rodrigues, 11, tornou-se praticante do Krav Magá. “Meu pai é praticante e meu principal incentivador”. Há um ano ela treina a modalidade e salienta que seu objetivo é se graduar na arte. “Ela me ajuda na disciplina e concentração, também me traz calma e respostas diante de dificuldades do dia a dia, sem contar nos benefícios gerados na parte física”. Três vezes por semana Ana pratica a modalidade e convida crianças, jovens e adultos a conhecerem a atividade, que atua tanto no físico quanto no mental, sem contar na parte da defesa pessoal, que nos dias de hoje é extremamente importante. 

Emerson e Sávia

Revista Energia 25


26 Revista Energia


Revista Energia 27


Energia Garota

Especial

Garota Energia na Edição 33, em maio de 2013

Luana M. Calciolari

Por Paula Mesquita

Tel.: (14) 3626 3850 Rua Campos Salles, 256 - Centro Jaú/SP Paula Mesquita Modas


Marina Oliveira

Garota Energia na Edição 24, em agosto de 2012

Ficha técnica:

Fotos e Produção: Douglas Ribeiro Looks e Acessórios: Paula Mesquita Beleza: Sim Beauty Salon Fone: 3416 7110 Locação: Hotel Vila Real

Que tal ter um dia de beleza, fazer um ensaio fotografico e ainda estampar as páginas da Revsita como Garota Enegia? Traga uma foto sua na sede da Energia, Rua Quintino Bocaiúva, 330 - 2º Andar e preencha o formulário de inscrição. Ai, é só torcer! Revista Energia 29


Capa

Dr Adélio G. Amaral Júnior 30 Revista Energia


Quem ama

cuida

Comprovado: animais de estimação, mais que fontes de amor e carinho, trazem inúmeros benefícios à saúde

Texto Heloiza Helena C Zanzotti Fotos Douglas Ribeiro


Equipe HVA

E

studos realizados nos Estados Unidos e Austrália concluíram que o convívio com animais ajuda a controlar o estresse e reduzir problemas como depressão, ansiedade e solidão. Além disso, as pesquisas confirmaram que pessoas que possuem um animal de estimação vão a consultas médicas com menor frequência e utilizam medicamentos em quantidade bem inferior às que não possuem pets. Bom para todos Animais aceitam incondicionalmente as limitações de um idoso e proporcionam o contato social que eles precisam nessa fase da vida. Para aqueles que sofrem de artrite, afagar seus animais com frequência mantém as mãos flexíveis, ajuda a relaxar e os bichinhos vão adorar! Crianças com diagnóstico de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) também são muito beneficiadas: um animal dócil e controlado vai acalmá-la em diversas situações. Não é segredo para ninguém: animais proporcionam grande significado à vida dos pacientes com câncer durante seus momentos mais difíceis. Muitos casos de depressão já foram curados com a simples presença de um amigo pet e o vínculo que foi construído entre ambos. Animais de estimação ajudam a reduzir a pressão e estudos científicos demonstram que a sobrevida de pessoas que sofreram infarto é maior quando convivem com seus bichos. Esse relacionamento também ajuda a diminuir a frequência cardíaca e a ansiedade, principais fatores de risco no derrame. 32 Revista Energia

Responsabilidade e saúde Com tantos benefícios advindos dessa relação com os animais, nada mais justo que retribuir cuidando desses amigos da melhor forma possível: com amor, boa alimentação, ambiente adequado para cada espécie e, fundamental, mantendo-os saudáveis. Visitas regulares ao veterinário são extremamente importantes para a saúde e bem-estar dos pets e podem prevenir muitas doenças. O ideal é escolher um profissional de confiança que vai estabelecer um vínculo com seu animal de estimação, conhecê-lo bem e manter um prontuário com todos os atendimentos realizados. HVA – Hospital Veterinário Araújo Quando o assunto é a saúde de nossa família, sempre procuramos as melhores clínicas e os profissionais mais experientes. Com nossos amigos pets não é diferente. Desse modo, vale a pena conhecer o que há de mais inovador na medicina veterinária em Jaú. O HVA dispõe de uma equipe multidisciplinar altamente capacitada a oferecer o melhor tratamento em todas as áreas, com uma estrutura completa e tudo em um só lugar, sem a necessidade de deslocar-se. Inaugurado em 5 de agosto de 2006, sempre buscando a excelência em tratamento veterinário, o HVA tem serviço de emergência e cuidados intensivos eficientes, 24 horas por dia. Estrutura Unidades de terapia intensiva, salas cirúrgicas, centro de diagnósticos, laboratórios clínicos e de imagem, raios x e alas


Especialidades HVA  Oncologia  Cardiologia  Ortopedia  Patologia  Traumatologia  Odontologia  Animais silvestres  Radiografia  Ultrassonografia  Oftalmologia  Nefrologia  Infectologia  Neurologia  Endocrinologia  Dermatologia  Acupuntura  Homeopatia  Medicina oriental  Intensivismo

Dr Leonardo G. de Oliveira

de internação proporcionam atendimento completo, seja qual for a necessidade de seu melhor amigo. No HVA você encontra sempre o melhor atendimento em clínica geral, cirurgia, internação, além de serviços diferenciados como acupuntura, oftalmologia, cardiologia, oncologia, clínica de animais silvestres e exóticos, medicina oriental e muitas outras especialidades. Equipamentos de última geração auxiliam em todo processo de diagnóstico, tratamento e recuperação dos seus pacientes, garantindo um atendimento humanizado e proporcionando maior conforto, comodidade e segurança. Por esse motivo, o HVA atualmente é reconhecido em nossa região e a nível nacional como hospital veterinário de referência, recebendo estudantes de todo o Brasil para aprimoramento e formação técnica, ajudando a capacitar as futuras gerações de médicos veterinários.

A equipe Sob a direção do Dr Giovani Fernando Araújo, especialista em oncologia, o HVA conta com uma equipe de dez médicos veterinários altamente qualificados, trazendo o que há de mais moderno e inovador na área. Dra Kalinca Gromboni: cardiologia veterinária com formação em radiologia, ecocardiografia, eletrocardiograma, oftalmologia, nefrologia, pneumologia. Dr Adélio G. Amaral Júnior: especialista em oftalmologia veterinária e formação em ortopedia, cirurgia geral, traumatologia, cirurgia plástica. Dr Leonardo G. de Oliveira: especialista em animais silvestres e oncologia, com formação em clínica geral e medicina de emergência. Dr Thiago de Oliveira Zamprogna: mestre em infectologia e


doenças parasitárias, especialista em acupuntura e fitoterapia; clínico geral com formação em medicina felina e nefrologia. Dra Vanessa Vieira de Freitas: especialista em neurologia, anestesista, cirurgia, ultrassonografia. Dra Fernanda T. Gambarini Fini: especialista em ultrassonografia e responsável pelo setor de diagnóstico por imagem. Dra Juliana Cristianini Reginato: especialista em fisioterapia e responsável pela reabilitação pós operatório e de doenças degenerativas. Laboratório clínico No laboratório clínico atuam médicos veterinários especializados e treinados em coleta e obtenção de amostras, além de assessoria e suporte na interpretação de resultados dos diversos tipos de exames e possíveis condutas terapêuticas. Dra Renata Formaggio Prezotto: especialista em patologia clínica e citopatologia; Dr Rafael Corradi Castilho: especialista em patologia clínica e microbiologia e Dra Laís de Campos, especialista em patologia clínica. Pet Shop e Banho e Tosa Banho e tosa são ferramentas importantes para evitar problemas de saúde nos animais e em seus donos. Pulgas, carrapatos e diversas doenças de pelos e pele podem ser facilmente evitados para que o dono não precise gastar muito mais tendo que tratá-las. No HVA há uma completa seção de artigos para pets como boutique, perfumaria, rações e serviços de banho e tosa incluindo tosas específicas, hidratação e ofurô.

Dra Fernanda T. Gambarini Fini Dra Vanessa Vieira de Freitas

Dra Kalinca Gromboni

Transvet e Hotel No HVA seu animalzinho dispõe do Transvet para transportá-lo em veículo climatizado e com total segurança para consultas ou banho e tosa. E caso necessite ausentar-se e não tenha quem cuide do seu pet, você também pode contar com o serviço de hospedagem em ambiente higienizado, adequado às suas necessidades e com todo o carinho e atenção que só uma equipe qualificada pode oferecer. Dicas HVA Embora a maioria das pessoas fique encantada diante de um filhote, ter um animal de estimação em casa não é tão fácil. É preciso muita responsabilidade, tempo e dedicação. Lembre-se que filhotes crescem, comem mais e dão trabalho. Só tenha um bichinho se você realmente puder cuidar e gastar tempo e dinheiro com ele. Se for assim, aproveite esta relação de amor e companheirismo com a certeza de que um animal bem cuidado traz alegria e bons fluidos para qualquer ambiente. 

Dr Thiago de Oliveira Zamprogna

Dr Rafael Corradi Castilho, Dra Renata Formaggio Prezotto e Dra Laís de Campos Dra Juliana Cristianini Reginato

34 Revista Energia


QuemfezJahu

Texto Heloiza Helena C. Zanzotti

Urias Ferreira N

ascido em Jaú em 12 de novembro de 1887, Urias Ferreira era filho de Antônio Joaquim Ferreira e Maria Luiza Pereira. Desde muito pequeno já auxiliava o pai na oficina de ferreiro que este possuía. Em seu tempo livre Urias estudava, atividade pela qual era apaixonado, assim como pela música, gosto que herdou do pai. Autodidata, tinha sede de conhecimento e exerceu também as atividades de tipógrafo, gráfico e livreiro. Estudou música em Campinas e tornou-se excelente flautista, o que o levou a fazer parte da orquestra do maestro Heitor Azzi, em Jaú. Urias Ferreira ministrou aulas em diversas escolas rurais, sendo reconhecido como um dos maiores educadores que o município já teve. Na cidade de Pederneiras Urias fundou o Jornal do Comércio e na mesma cidade, em 1922, casou-se com Sabina Precizo Cantarini, professora, mais conhecida como Dona Neném, com quem teve treze filhos. Devido

a questões políticas, tempos depois acabou fechando o jornal. De volta a Jaú foi nomeado para assumir uma escola rural no bairro Pouso Alegre de Cima, para onde mudou-se com a esposa. Segundo publicação do jornal “Comércio do Jahu”, Urias Ferreira e Dona Neném enfrentaram grandes dificuldades com relação ao ensino na zona rural, pois lidaram com a falta de transportes, estradas precárias e condições sanitárias inadequadas, além de doenças como a malária e o tracoma. Chegou a montar em sua casa uma pequena farmácia homeopática e trabalhou ativamente com o Instituto Butantã, para onde enviava cobras capturadas na região e de quem recebia soro antiofídico. Passou por escolas na Barra Mansa, Coqueirinhos e Barra da Estrela. Foram cerca de 20 anos transmitindo conhecimento aos colonos e suas famílias. Teve um trabalho de sua autoria publicado, Os Salteadores, com fatos acontecidos em Jaú e região. Em 1940 Urias retorna à zona urbana e é designado para o Grupo Escolar Pádua Salles, onde leciona por dez anos. Faleceu em 24 de outubro de 1973, aos 87 anos, e está enterrado no cemitério municipal local. Em sua homenagem a Escola Agrícola de Jaú foi nomeada Escola Técnica Professor Urias Ferreira.


Revista Energia 37


Transformando sonhos e objetivos em realidade

Informe Publicitário

Contato: (14) 99865.1301 www.luizgustavocoach.com.br

Coaching é a mola propulsora para quem deseja alcançar seus objetivos, transformando a vida daqueles que anseiam por mudanças e não conseguem efetuá-las

Texto Gustavo Scatambulo - Coaching Fotos Douglas Ribeiro

A

atividade é recente no Brasil, porém, vem se consolidando a cada dia. O Personal Coach é o profissional que ajuda indivíduos e empresas a estabelecerem objetivos reais e as tarefas necessárias para alcançá-los, identificando seus valores, crenças e potencializando ao máximo as mudanças imprescindíveis para que seja alcançada a meta estabelecida. Durante muito tempo associado aos esportes, pois a tradução da palavra Coach significa “técnico”, hoje o Personal Coach transita em áreas como executiva, gerencial, colaborativa, estudantil, artística, etc. Dessa forma, o processo de coaching leva o indivíduo ao aprendizado e à ação. No coaching não existe fracasso, tudo que o cliente faz é considerado. É importante que haja sinceridade e consciência, e que ele saiba que seu comprometimento e responsabilidade

38 Revista Energia

são fundamentais para seu sucesso. Ao Coach cabe a responsabilidade de acompanhar o cliente e ajudá-lo a estabelecer metas, valores, crenças e tarefas. O Coach estabelece uma relação de confiança com seu cliente e o processo flui naturalmente. O grande diferencial da atividade de coaching é que ele é voltado ao presente e futuro; o passado é deixado para trás. O Coaching é a mola propulsora para qualquer pessoa que queira atingir seus objetivos. Na verdade, o coaching veio para alavancar a vida daqueles que anseiam por mudanças e não conseguem efetuá-las de forma prática. O trabalho de coaching é realizado em sessões que variam conforme a necessidade do cliente e é um processo dinâmico, pois o Coach acompanha o cliente pelo período que o mesmo achar necessário. As sessões podem ser semanais ou mensais.


Rafael Arcanjo e Luiz Gustavo Scatambulo

O Coaching e seus benefícios: Para as pessoas:  Adquirir confiança, vencer bloqueios, potencializar mudanças  Flexibilidade e maior qualidade de vida;  Tornar-se mais produtivo e criativo;  Clarear seus objetivos e trabalhar na direção dos mesmos;  Identificar seus valores e crenças;  Elaborar planos de ação e melhorar seus relacionamentos. Para as empresas:  Manter os funcionários essenciais e evitar custo de retreinamentos;  Melhorar a motivação, o comprometimento e o trabalho da equipe;  Melhorar a produtividade do pessoal. Quebra do recorde mundial “Projeto Arcanjo” é case de sucesso Luiz Gustavo Scatambulo, Coach Esportivo, desenvolveu o projeto “Arcanjo” com seu cliente Rafael Arcanjo, quando o ultramaratonista o procurou com o objetivo de quebrar o recorde mundial de corridas em esteiras. Foi realizado todo o processo de coaching com o atleta, com datas mensuráveis e objetivos concretos. Assim, o evento da quebra do recorde será realizado no mês de dezembro no Jaú Shopping, onde o atleta ficará dentro de uma estrutura de vidro durante sete dias e percorrerá a distância de 838 km. Será um feito extraordinário, pois ele irá correr uma média de 15 horas por dia, com intervalo de 5 horas para dormir e o restante para trabalho de fisioterapia e necessidades fisiológicas. O evento contará com a cobertura da imprensa local e nacional. “É importante ressaltar que esse evento é a materialização do objetivo sonhado um dia pelo atleta, sendo essa a finalidade do processo de coaching: levar pessoas a vivenciar e atingir seus sonhos e objetivos de forma que eles se realizem”, explica Gustavo Scatambulo. “Nosso único adversário somos nós mesmos”, afirma o coaching que também utiliza técnicas de PNL (programação neolinguística) e ressalta a extrema importância de um preparo psicológico, fundamental num projeto de alto rendimento, onde o atleta irá quebrar seus limites físicos e psicológicos. O Projeto Arcanjo é uma superação. O atleta foi em busca do trabalho de coaching direcionando seu potencial ao máximo para atingir seu objetivo, buscando a excelência humana.

Revista Energia 39


o Descubra prazer de ma saborear u ial c e p s e ja e cerv de cervejas s lo tu r贸 0 0 1 e d is Ma alidades n io c a n 5 1 e d is a M ua escolha s ra a p s ja e rv e C e d Mais de 50 estilos Aqui voc锚 encontra

(14) 3416.9151 Jahu Shopping - Piso Superior emporiocervisia

emporio_cervisia

www.emporiocervisia.com.br

40 Revista Energia


oja L a d o T em

*

3noxcartão

ros sem ju

ais m s e t n e s e os pr cê o v s i a i c e esp i! u q a a r t n o enc

* Valor mínimo da parcela R$ 50,00 - Forma de pagamento válida somente para dezembro de 2014.

Revista Energia 41


Foto: Internet

Saúde

Um olhar para os seus pés Cuidar dos pés vai muito além de higienizar e fazer as unhas corretamente Texto Heloiza Helena C Zanzotti

V

erão chegando e os cuidados com o corpo redobram. Academia, dietas, vale qualquer sacrifício para ficar em forma. Mas, e os nossos pés? Fundamentais quando o assunto é equilíbrio e sustentação do corpo, na maioria das vezes só nos lembramos deles quando doem. Entretanto, prestar atenção à saúde e à estética dos pés é essencial. 42 Revista Energia

Bonitos e saudáveis Eles nos levam para cima e para baixo, suportam o peso do nosso corpo, auxiliam na postura, equilíbrio, impulsão e absorção de impactos. Além disso, estudos da reflexologia revelam o importante papel que eles exercem dentro do sistema nervoso: cada um dos nervos dos pés está conectado a alguma outra parte correspondente do corpo. Desse modo pés bem cuidados,


além de bonitos, garantem mais saúde ao organismo. E com a chegada do verão esse cuidado deve ser ainda maior, pois os pés ficam mais expostos e tendem a ficar mais ressecados, já que usamos calçados abertos na maior parte do tempo. Prevenção, diabetes e doenças vasculares O ideal seria visitarmos um podólogo periodicamente, mesmo que não tenhamos nenhuma lesão nos pés. Com conhecimento e experiência em anatomia, patologias e fisiologia das extremidades dos membros inferiores, o Podólogo é especialista nas questões de prevenção e tratamento de problemas nos pés. Na verdade, a prevenção evitaria muitos problemas, dos mais comuns aos mais graves. A RE conversou com Cristiane Marcelino Hernandes, 39, podóloga especialista em pé diabético e doença vascular periférica, as duas maiores causas de amputação nesses membros. Cristiane explica que nesses casos é necessário trabalhar com uma equipe multidisciplinar envolvendo médicos e enfermeiros, entretanto, confirma que o trabalho de prevenção evita a amputação e até mesmo a cegueira. Pés de risco Cristiane acaba de voltar da Jornada Internacional de Podologia que aconteceu em Lima, Peru, onde foi palestrante convidada, representando nossa cidade no importante evento. Ela conta que o tema de sua palestra foi exatamente sobre a prevenção em pés de risco e alerta: “Todo diabético deveria ir ao podólogo para aprender a higienizar seus pés, exatamente para evitar que ele se transforme em um pé de risco, sujeito à amputação”. Ela atua na área há 14 anos e afirma: “Nunca perdi um pé para a amputação, mas é claro que depende também da disciplina por parte do paciente. O trabalho de limpeza e curativo de qualquer parte necrosada é minucioso e o uso de aparelhos que ativam a circulação faz toda a diferença”.

Foto: Douglas Ribeiro

Alliviun A especialista alerta também para cuidados que todos nós devemos observar rotineiramente como a escolha de bons profissionais, pois problemas simples como unhas encravadas ou o uso indevido de ácido em olho de peixe podem evoluir para casos mais sérios. Até mesmo a inocente lixa tem que ser usada com critério, pois quanto mais se lixa, mais engrossa o pé. Evite também o uso de calçados apertados ou desconfortáveis, que podem causar deformações como calosidades na planta dos pés e em cima dos dedos. Em sua clínica, a Alliviun Clínica Podológica, Cristiane realiza tratamentos especializados em unha encravada, calos e calosidades, olho de peixe, restauração de unhas, fissuras, pés diabéticos, órteses corretivas, entre outros. Técnicas avançadas como ozonioterapia, laser e led de baixa potência são utilizadas dentro do mais alto padrão de qualidade. Lembre-se: nossos pés merecem cuidados básicos, que fazem toda a diferença! 

Cristiane Marcelino Hernandez e Débora Campos

Revista Energia 43


44 Revista Energia


Look de artista

Revista Energia 45


Look de artista

Fotografia Douglas Ribeiro Modelos Angelo Pretti e Marina Martini Beleza Sim Beauty Salon Style Vestylle Megastore Locação Scooters Steakhouse & Bar 46 Revista Energia


Revista Energia 47


Look de artista

48 Revista Energia


Revista Energia 49


Varal

Fotos Douglas Ribeiro

Tom da Pele

Rua Conde do Pinhal, 243 Fone: (14) 3622.4238

Nicolly Boutique

Rua General Galvão, 71 Sala 02 Fone: (14) 3416.8104 50 Revista Energia

Sonia Calçados Av Netinho Prado, 306 Fone: (14) 3416.1116

Geniou’s Joalheria Rua Amaral Gurgel, 321 Fone: (14) 3625.4253


Dona Onรงa

Av Dr Quinzinho, 110 Galeria Studio de Danรงa Exupery Fone: (14) 3032.8779

Magda Modas

Av. Zezinho Magalhรฃes, 1083 Fone: (14) 3622.2669

Revista Energia 51


Informe Publicitário

M M ESTRUTURAS METÁLICAS

A MPM Estruturas Metálicas deseja a todos um Natal de muita luz e que em 2015 a felicidade se multiplique na realizações de grandes sonhos

A empresa se consolida no mercado jauense devido à transparência, qualidade e pontualidade Texto Heloiza Helena C Zanzotti

A

MPM Estruturas Metálicas cresceu. Passou de um espaço de 300 m² para uma área duas vezes maior, dobrou sua capacidade de produção e o quadro de funcionários. Investiu em novos equipamentos e maquinários, em qualificação profissional e o resultado não poderia ser outro: 100% de satisfação em seus serviços e a conquista de clientes que fazem questão de qualidade. Grandes obras Utilizando sempre as melhores técnicas de engenharia e oferecendo a solução mais adequada para cada obra, a MPM viabiliza técnica e economicamente os projetos e executa todas as etapas da obra, do início até a montagem final. Assim, foi a empresa escolhida por clientes como a Rede Graal, Imobiliária Campos Prado, Cia da Construção de Bauru, e entre as mais de 40 obras executadas nos últimos meses está A UPA de Jaú, em parceria com a HE Engenharia.

Sustentabilidade A MPM também está na preferência daqueles que se preocupam com o meio ambiente. Trabalhando com soluções inteligentes e inovadoras, as coberturas ecologicamente corretas em residências têm substituído a madeira com grandes vantagens, gerando mais economia e sustentabilidade. Além disso, poupam material, tempo e mão de obra. Com visão empreendedora e foco na qualidade e segurança, a MPM continuará investindo na satisfação do cliente, para que suas necessidades e expectativas sejam atendidas da melhor forma possível.

Visite a MPM Estruturas Metálicas, faça um orçamento e tenha a melhor solução para sua obra!


Equipe MPM

Infraestrutura

Infraestrutura Residências

UPA

Unidade de Pronto Atendimento

Vicente Biasi Bauru/SP

Cia da Construção Bauru/SP

Revista Energia 53


Moda

Por Paula Mesquita

54 Revista Energia


Ficha técnica:

Modelo: Graziela Zanelli Fotos e Produção: Douglas Ribeiro Looks e Acessórios: Paula Mesquita Locação: Hotel Vila Real

Revista Energia 55


Navegar

Foto: Internet

Água

é preciso

Dono do maior potencial hídrico do planeta, o Brasil corre o risco de chegar a 2015 com graves problemas no abastecimento de água em grande parte dos seus municípios

Texto Heloiza Helena C Zanzotti 56 Revista Energia


A

previsão está no Atlas Brasil – Abastecimento Urbano de Água, da Agência Nacional de Águas (ANA). Mesmo se chover mais do que qualquer previsão meteorológica e mesmo que a população reduza drasticamente o consumo, a recuperação dos mananciais pode levar anos. Além disso, em muitas hidrovias nacionais a navegação está paralisada, comprometendo o transporte de cargas.

No Brasil e no mundo A ONU (Organização das Nações Unidas) estima que atualmente um bilhão de pessoas no mundo já não tenha água potável, e até 2025 dois terços da população mundial enfrentarão dificuldades com a falta de água. E essa realidade não está tão distante assim de nós, brasileiros. Por aqui, 17,3% da população não recebe água por meio de rede de abastecimento, e a partir de 2025 aproximadamente um terço dos brasileiros enfrentará a falta do líquido. Em Jaú O estudo do Atlas Brasil, coordenado pela Agência Nacional de Águas (ANA), realizou um amplo trabalho de diagnóstico e planejamento nas áreas de recursos hídricos e saneamento no Brasil. Foram avaliados todos os mananciais e sistemas de produção de água, e indicadas as principais obras e ações de gestão para o atendimento das demandas até 2025. Segundo este estudo, a situação do nosso município (até 2015) em abastecimento e mananciais é satisfatória, sem a necessidade de grandes investimentos imediatos. O sistema Tietê-Paraná Se a falta da água nas torneiras é um problema sério, não menos importante é a utilização das hidrovias como meio de transporte, gerando inúmeros benefícios como menor consumo de combustível, menos emissão de poluentes, redução do tráfego nas estradas (e consequente redução no número de acidentes) e menor custo de infraestrutura. Tudo isso sem falar no grande potencial turístico da hidrovia. A Eclusa de Barra Bonita, a primeira a ser explorada turisticamente no Estado de São Paulo, é a atração mais procurada por turistas de todo o Brasil em nossa região. Exercendo importante papel econômico, empresas oferecem passeios diversos para fazer a eclusagem, e também alugam seus barcos para eventos particulares. Administrado pelo Departamento Hidroviário (DH) da Secretaria dos Transportes do Estado de São Paulo; e pela Administração da Hidrovia do Paraná (AHRANA) vinculada ao Ministério dos Transportes, o sistema hidroviário Tietê-Paraná possui 2,4 mil km de vias navegáveis e liga cinco dos maiores estados produtores de soja do país. Em 2013 foram transportados pela hidrovia 6,28 milhões de toneladas, segundo a Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários).

Foto: Douglas Ribeiro

O futuro da navegação Para Antônio Badih Chehin, superintendente da AHRANA, a atual crise hídrica deve-se à falta de chuvas, mas também ao desrespeito à Lei nº 9.433 que gesta sobre o uso múltiplo das águas. “Apesar de toda esta crise hídrica não há falta de energia elétrica, mas há falta de água, peixe morrendo, paralisação da navegação. Tem sido dada prioridade somente à geração de energia elétrica”, explica. Entretanto, para ele a crise hídrica é passageira: “Tudo vai voltar ao normal e se não investirmos nos rios não vamos torná-los mais nave-

Antônio Badih Chehin, superintendente da AHRANA, falou sobre os investimentos no sistema Tietê-Paraná na XIII Semana de Tecnologia Naval realizada pela Fatec Jahu Revista Energia 57


Foto: Internet

Lição de casa A verdade é que, até bem pouco tempo, a crise da água parecia estar passando longe do Brasil. Entretanto, a questão agora adquire contornos preocupantes. Problemas como a má distribuição, a má gestão e a falta de investimento adequado estão no centro das atenções. A água vai voltar para as torneiras com as chuvas, com medidas tomadas pelos governos e com atitudes mais conscientes da população. E em relação aos nossos rios vale observar a experiência mundial: o custo do transporte por hidrovias é mais barato e ambientalmente mais correto, e os países que investem no transporte hidroviário são os mais desenvolvidos do mundo. Vamos aprender a lição. 

58 Revista Energia

O sistema Tietê-Paraná, também conhecido como a Hidrovia do Mercosul, integra Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia, com enorme importância para o transporte internacional de mercadorias XIII Semana de Tecnologia Naval - Fatec Jahu

Foto: Douglas Ribeiro

gáveis. Com investimento alargam-se e aprofundam-se os canais, entre outras melhorias, e haverá sempre navegação. Pode diminuir, transportar menos do que se poderia, mas não impedir da forma como está hoje”. Em palestra proferida na XIII Semana de Tecnologia Naval realizada pela Fatec Jahu, Antônio Badih Chehin falou sobre os investimentos no sistema Tietê-Paraná: “Foram estudados mais de 6 mil quilômetros de rios e serão aplicados pelo governo cerca de mais de 15 bilhões de reais em obras de infraestrutura como eclusas, derrocamento, dragagem de aprofundamento, sinalização, balizamento, alargamento de vãos, proteção de pilares, enfim, desde eliminação de gargalos que limitam a navegação até novas obras. Além destes, a iniciativa privada também vai investir outros 15 bilhões em equipamentos, embarcações, ferrovias, portos terminais, plataformas logísticas. Enfim, eu vejo com grande esperança e otimismo que teremos uma navegação plena em todo o sistema nacional, principalmente no Tietê-Paraná”.


Revista Energia 59


club

Fotos: Douglas Ribeiro

Social

Mágica e Papai Noel

1

Para comemorar os 13 anos do Jaú Shopping, o mágico jauense Felipe Barbieri apresentou-se na noite do dia 21 de novembro na praça de alimentação. O público presente interagiu, fazendo do momento uma grande festa. E na noite do dia 24 de novembro, foi a chegada do Papai Noel que fez a alegria de crianças e adultos. Longe do tradicional, o bom velhinho surpreendeu os presentes ao descer de tirolesa. Um belíssimo show pirotécnico tornou o momento ainda mais especial. O Papai Noel espera você no Jaú Shopping diariamente, a partir das 20h. 2

1. Felipe Barbieri 2. Miguel Henrique C. Artur Camargo 3. Livia Hawashi Pereira 4. Davi Rodrigues A. Aguirre 5. Yasmin Domingos 6. Francisco Paterno Martins da Costa

60 Revista Energia

3

4

5

6


Sonia Calçados

Fotos: Arquivo Pessoal

1

No dia 1° de novembro o grupo Sonia Calçados presenteou Jaú com instalações totalmente remodeladas e ampliadas para melhor atender os clientes de Jaú e região. Um animado coquetel, repleto de gente bonita marcou a reinauguração. A empresa trabalha com calçados diferenciados das marcas mais conceituadas atende os públicos feminino, masculino e infantil. Beleza, bom atendimento e qualidade fazem o local ser a melhor opção no segmento. Sonia Carinhato Zanuto, Selma Arietti e Ana Raquel

Adriana Martins e Claudia Andriotti

Rose Gimenez Lanza e Raquel Moretto

Naide Maria da Silva, Ana Raquel Moretto, Rose Gimenez Lanza, Sonia Carinhato Zanuto, Luciana Bernini, Geise Gomes

Ana Raquel, Raphaela Barbieri , Adriana Martins

Jamile Gabarrão e Raquel Moretto

Revista Energia 61


Fotos: Douglas Ribeiro

club

Social

1

2

3

Intymydade Moda Íntima Um delicioso coquetel marcou a reinauguração da loja Intymydade Moda Íntima, no dia 11 de novembro. Totalmente remodelada, com um espaço mais arrojado, moderno e confortável, clientes e amigos puderam provar deliciosos petiscos e apreciar o lançamento de coleções com peças exclusivas que mostram a sensualidade e a doçura da mulher brasileira. Quer surpreender? Vá até a Intymydade e encontre atendimento de qualidade e as melhores marcas do mercado.

4

62 Revista Energia

5


6

8

7

9

10

1. Carlos Rubbo e Gracir Rubbo 2. Vera Lotto Galvanini, Gracir Rubbo, Marilda Rossetto Migliorini e Jaci Toffano 3. Gracir Rubbo e Silvana Palacio 4. Gracir Rubbo e Zilda Berdu 5. Maria Elizabete Milano, Gracir Rubbo e Gilson Henrique da Silva 6. Carlos Rubbo, Jarilaine Fernandes, Gracir Rubbo, Ana Ribeiro e Joseane Alves 7. Gracir Rubbo e Darci Franceschi 8. Cleide Bauab, Marilda Capinzaik e Gracir Rubbo 9. Interior da loja 10. Fachada

Revista Energia 63


club

Fotos: Arquivo Pessoal

Social

Saint Exupéry

1

O Colégio Saint Exupéry incorpora mais uma novidade no cuidado e atenção aos alunos de berçário e educação infantil. Em parceria com o fisioterapeuta Dr. José Bento Jr., oferece um Programa de Estimulação Global do Desenvolvimento Infantil. Aliado à psicóloga Nicole Donato, o trabalho visa à identificação de problemas no desenvolvimento e principalmente a estimulação precoce (motora, afetiva e social). 1. Estimulação do equilibrio, controle visuo-espacial 2. simulação para controle de tronco equilibrio, estabilização plantar 3. Estimulção da eslasticidade, equilibrio e controle do corpo 4. Aplicaçãao do protocolo para estimulação afetivo-social e organização

perceptual 5. Estimulação de força, cordenação motora, orientação espacial

2

3

4

64 Revista Energia

5

1


Fotos: Arquivo Pessoal

Workshop

As proprietárias do Jorgin Cabelo e Estética estiveram no dia 27 de outubro na cidade de Catanduva para ministrar workshop de visagismo. As especialistas apresentaram tendências de corte e penteados com o tema clássico. Diversos exemplos foram citados sobre como adequar as tendências da moda ao formato do rosto. As visagistas Flavia e Francine aceitaram o convite do Senac com o intuito de propagar o visagismo como uma ferramenta para o profissional da beleza. O workshop contou com a presença da diretora da instituição Célia Santos, da técnica de desenvolvimento profissional responsável pela área de beleza, Samira Anselmo, e de mais de 200 profissionais cabelereiros de Catanduva e cidades adjacentes.

Francine durante a apresentação

As visagistas rodeadas por Samira Anselmo - técnica de desenvolvimento profissional responsável pela área de beleza do Senac e por Célia Santos - diretora do Senac de Catanduva A visagista Flavia durante o workshop no Senac em Catanduva

Revista Energia 65


club

Fotos: Arquivo Pessoal

Social

1

Santa Rita Móveis Mais uma vez a Santa Rita Móveis inova e traz para Dois Córregos e região a nova tendência no mercado de design de interiores, criando um novo departamento, a SR DESIGN. Com o objetivo de trabalhar a linha de planejados e modulados, a SR DESIGN transforma os ambientes de acordo com a necessidade de cada cliente, levando conforto, comodidade e utilizando o máximo de espaço disponível. A marca Santa Rita Móveis tem mais de 50 anos de tradição e conta com uma equipe especializada e treinada para transformar seu sonho em realidade. Além disso, você poderá visualizar seu projeto todo em 3D, tendo a real dimensão de como ficará o ambiente modificado. Além dos planejados, oferece também um novo conceito em decoração, tudo para deixar sua casa como você sempre sonhou.

2

1. Cidair, Marina, Tomás, Tatiana, Cidinha, Tiago, Luciana, as crianças Lucas, Carolina e Théo 2. Equipe Santa Rita móveis brindando o novo espaço SR Design 3. Familia Garbelini, prefeito Chico Teles e familia, vice-prefeito Leandro Mangili e familia, Leonardo Daniel e Antonio Gabriel 4. Antonio Gabriel e Leonardo Daniel 5. Equipe Santa Rita Móveis

3

5

66 Revista Energia

4


Fotos: Arquivo Pessoal

Congresso \O Dr Renato de Carvalho Costa, Oftalmologista e Cirurgião Plástico Ocular com especialização no The Wills Eye Hospital, Philadelphia, USA, esteve em novembro no Rio de Janeiro, onde aconteceu o Congresso De Cirurgia Plástica Estética das Pálpebras no Hotel Rio Othon Palace. O evento contou com a presença de participantes ilustres do Brasil e do exterior, como o Prof. Dr Ivo Pitanguy.

Fotos: Douglas Ribeiro

Homenagem Em solenidade realizada pela Câmara Municipal de Jaú no dia 28 de novembro, Alaélia de Lurdes Castro Bassan recebeu o título de cidadã jauense. Viúva de Francisco Bassan e mãe de Gustavo, Francine e Alexandre, Alaélia é proprietária das Óticas Precisão, que teve a primeira loja inaugurada em 1985. Hoje são duas lojas no centro da cidade e uma no Jaú Shopping. A RE parabeniza a empresária e parceira.

Fotos: Arquivo Pessoal

Lançamento A Yamaha Evandro Motos recebeu amigos, convidados e amantes de moto para o lançamento da MT-09. Com um delicioso café da manhã servido no sábado, 22 de novembro, todos puderam conhecer a novidade mais ousada da marca japonesa. Com design diferenciado, a MT-09 já caiu no gosto de quem entende de moto. Conheça e surpreenda-se!

Revista Energia 67


Vinhos Por Brenda Ruffo

Harmonização para ceia de natal Para cada sabor encontrado na ceia de Natal, um tipo de vinho é recomendado para realçar o prazer da degustação em família

A

diversidade de pratos colocados à mesa na ceia de Natal pode gerar confusão na hora de escolher o melhor vinho para acompanhar doces e salgados. Harmonizar a bebida que confere charme à ocasião, num primeiro momento pode até parecer uma tarefa complexa, porém, com atenção aos rótulos e ao cardápio é possível acertar na comemoração entre familiares. Saber o que será preparado para a ceia é o primeiro passo para a escolha do vinho certo. No entanto, se isso ainda não está fechado, vale apostar nos espumantes, verdadeiros coringas para acompanhar e aumentar a sensação de prazer de uma boa comida. Apesar de dezembro ser um mês de intenso calor, os espumantes não devem ser servidos extremamente gelados; prefira sempre deixá-los no máximo a 20 graus, do contrário o álcool pode sobressair e alterar o sabor, deixando a degustação menos agradável. Deixá-los em balde de gelo por 30 a 40 minutos antes da refeição é o suficiente para servir na temperatura certa. Aprenda agora a combinar vinhos com os principais pratos natalinos.

Saber o que será preparado para a ceia é o primeiro passo para a escolha do vinho certo Aves Peru é um prato que não pode faltar em nenhuma ceia de Natal e apesar de ser uma ave, costuma ter um sabor mais suave do que frangos e patos, por isso pede uma harmonização diferente. Quando acompanhado de molhos agridoces, como o clássico molho de laranja, o peru pede vinhos médios, não tão

68 Revista Energia

encorpados, como os Gewurztraminer, ou no caso dos brancos um Sauvignon Blanc, mais encorpado e adocicado. Por causa do molho, que tende a ser cítrico, é importante que o rótulo faça esse contraponto. De sabor semelhante ao peru, o chester também pode ser harmonizado aos brancos encorpados e amadeirados, assim como aos espumantes Brut. Outras opções são os vinhos Rosé, preferencialmente portugueses ou espanhóis que, no quesito densidade, ficam entre os brancos e os tintos. 

Peixes Salgado por natureza e acompanhado de condimentos como cebolas, pimentão e azeitonas, o bacalhau pede um vinho tinto jovem. Por isso, os indicados são os tintos verdes ou vinhos do Porto Ruby. Bebidas da casta Riesling também apresentam um bom comportamento quando combinadas com o peixe.

Suínos Os assados com carne suína, principalmente o tender e o pernil, pedem tipos de vinhos diferentes. No primeiro caso, o assado costuma ser acompanhado de especiarias como molhos agridoces ou frutas em caldas, o que costuma ser decisivo na escolha do vinho de acompanhamento. Para harmonizar com o prato, um vinho Riesling é uma boa pedida. Já com o pernil assado, por tratar-se de um alimento bastante gorduroso, um Chardonnay amadeirado ou um tinto Chianti serão muito bem-vindos à mesa.

Sobremesas As sobremesas pedem sabores suaves, com acidez equivalente ao dos doces servidos. Diversos rótulos de vinho do Porto como o LBV e o Ruby, além dos Late Harvest e espumantes acompanham bem sobremesas de todos os tipos. 


Revista Energia 69


Imagem: Internet

Festas

70 Revista Energia


Equilíbrio na

ceia

A busca por uma vida mais saudável tem modificado os hábitos dos brasileiros, dentre eles a alimentação. E por que não inserí-la nas festividades de final de ano?

Texto Tamara Urias

A

s festas de final de ano apontam e se tornam uma tentação para o exagerar. Nesta época, o objetivo é impressionar não só pela apresentação, mas pelo sabor. Neste período também não é difícil adquirir uns quilos extras, ter um mal-estar em função da alimentação desregrada ou de alimentos desaconselháveis para o nosso clima. Mas como preparar uma ceia de Natal e Ano Novo linda e saborosa, sem se preocupar em contar as calorias ou recusar sobremesas? Pensando nisso, a Revista Energia convidou a nutricionista Danielle Fernando Pressutto, 28, para indicar substituições de alimentos e deixar a ceia mais saudável. Algumas atitudes são muito bem-vindas, já que poupam o organismo de desgastes e evitam o ganho de quilos extras. Que tal aproveitar as dicas e não deixar o peso da culpa surgir?

De acordo com a especialista, o ideal é que as pessoas façam um lanchinho em casa antes de sair para as festas, o que ajudará a controlar a impulsividade durante a ceia, já que normalmente as opções de alimentos são tentadoras. E complementa que os alimentos ricos em fibras como frutas, verduras e legumes são as melhores opções, já que conferem maior saciedade e auxiliam na diminuição da absorção de açúcares e gorduras. “Pode-se ingerir uma laranja com bagaço, dois pêssegos, um tomate, uma salada ou até duas torradinhas com queijo branco”, diz. Para melhorar a qualidade nutricional e diminuir o valor calórico, a sugestão da nutricionista é introduzir como aperitivo diferentes alimentos como queijo branco, que pode ser temperado com azeite e orégano; damasco; castanha de caju; cenoura; maçã; uva; peito de peru ou patê de ricota com torradinha integral. “Pode parecer estranho, Revista Energia 71


Foto: Douglas Ribeiro

Eliana Aparecida Fichio

Foto: Douglas Ribeiro

mas esses alimentos ficam muito bons quando combinados, além de serem muito mais saudáveis do que os embutidos, que são ricos em gorduras”. O arroz branco deve ser substituído pelo integral, rico em fibras, vitaminas e minerais. Durante sua preparação podem ser adicionados alguns legumes como cenoura, tomate e brócolis; e oleaginosas como castanha do Pará ou de caju, amêndoas e nozes. “Elas são fonte de gorduras poli-insaturadas que auxiliam na diminuição do colesterol ruim LDL e aumento do colesterol bom HDL; vitamina E, que possui ação antioxidante e zinco e selênio, que auxiliam no controle da ansiedade”, afirma. Como prato principal, a sugestão de Danielle é servir uma carne magra assada, cozida ou grelhada. Dentre as opções está o lombo recheado assado, a bacalhoada cozida com legumes e o salmão grelhado. “O salmão é fonte de proteína de alto valor biológico e ômega 3, que auxilia na redução dos níveis do colesterol ruim (LDL) e triglicérides, e aumento do colesterol bom (HDL) prevenindo, assim, problemas cardiovasculares”. A lentilha não pode ficar fora do cardápio em função da tradição e por ser excelente fonte de fibras solúveis e insolúveis, aminoácidos, vitaminas e minerais. “Ela auxilia no controle da glicemia e colesterol, além de conferir saciedade e diminuir a ansiedade”, ressalta. Ao escolher os molhos, deixe de lado a maionese convencional e o creme de leite, opte por produtos à base de soja e molhos feitos com iogurte desnatado. Abusar das ervas e temperos naturais é permitido. Na farofa, substitua o bacon por vegetais e oleaginosas tais como nozes, macadâmia, avelã, amêndoa, pistache ou castanha do Pará. Em relação às bebidas, o suco natural é sempre a melhor op-

Maria Luiza Grizzo Cucato

ção em relação ao refrigerante. O suco de uva integral contém o resveratrol, substância altamente antioxidante que reduz riscos de problemas cardiovasculares e retarda o envelhecimento precoce das células. O vinho tinto contém a mesma substância, por isso é a melhor dar preferência para ele na hora do brinde. Mas, lembre-se, a bebida alcoólica pode ser ingerida, mas com moderação. As frutas são uma ótima opção para a sobremesa e devem estar presentes o tempo todo na mesa. “Ela pode ser consumida sozinha ou em preparações como uma salada de frutas com iogurte, mousse de maracujá ou um merengue de frutas vermelhas”. Se a noite estiver quente, que tal servir picolé de frutas para os convidados? Além de ser saboroso, ele contem poucas calorias e é muito refrescante. Foco na reeducação A estudante Maria Luiza Grizzo Cucato, 20, há quase dois anos entrou em um programa de reeducação alimentar e conseguiu eliminar 26 quilos. Para conseguir o feito a jovem precisou retirar do cardápio vários alimentos, além de fazer inúmeras substituições. Os doces são consumidos, mas em quantidade menor e somente nos finais de semana. “Eliminei o refrigerante, fritura e comecei a substituir alimentos ‘normais’ pelos integrais. Também faço diariamente atividade física. O resultado gerou bem-estar”. Maria Luiza conta que no ano passo fizeram uma ceia normal, mas perceberam que diante da fartura de pratos e calorias o exagero aconteceu, por isso decidiram que neste ano farão algumas substituições de alimentos nos pratos tradicionais. “Já nos programamos para fazer algo mais light”. Quando questionada se os convidados estranharão, ela diz que provavelmente sim, mas que no outro dia não vão reclamar do mal-estar em função dos pratos pesados da época. Não às tentações De bem com a vida e o corpo, a empresária Eliana Aparecida Fichio, 34, segue à risca hábitos saudáveis que vão desde ativida-

72 Revista Energia


Foto: Douglas Ribeiro

Danielle Fernando Pressutto

No pós-festa lembre-se de tomar bastante água, mas se abusou, a dica da nutricionista é o suco detox.

Imagem: Internet

des físicas a alimentação. Este ano não será a primeira vez que ela segue uma alimentação mais leve no período de festas. No ano passado, mesmo estando na praia, ela não abriu mão da dieta e continuou a consumir frango grelhado e legumes. “Este ano, como estou em ritmo de competições de fisiculturismo, tenho que manter o foco e por isso vou optar por peixe, salada de folhas verdes e legumes”. Quanto ao doce, ela conta que para enganar o paladar vai consumir alguns produtos sem açúcar. E complementa que muitos podem achar estranho o fato de sempre levar a sua marmita, mas ela aprendeu a não se importar. “Para manter o ritmo da dieta balanceada é preciso fazer isso, senão corro o risco de cair nas tentações”, diverte-se. 

Ingredientes: 1 folha de couve, 6 folhinhas de hortelã, 1 copo de 200 ml de água de coco ou 1 fatia de melão ou 1 fatia de abacaxi ou 1 maçã ou lima da pérsia Bata todos os ingredientes no liquidificador. De preferência não coe e nem adoce. Este suco auxilia na eliminação de toxinas, é diurético e possui ação antioxidante. Revista Energia 73


vida

Boa

Por João Baptista Andrade

Comida e Nutricionismo Todo “ismo” descreve uma ideologia, uma maneira de ser, agir ou pensar

O

nutricionismo cuida de saber e analisar aquilo que comemos em termos de seus valores percentuais de carboidratos, gorduras, proteínas (fibras ou antioxidantes) e por aí afora. Aliás, são os seguidores do nutricionismo que vivem buscando fórmulas ideais para manter o corpo humano em perfeita forma e funcionamento. É uma espécie de tentativa de “aperfeiçoar” os alimentos. Especialmente os alimentos industrializados. O distinto leitor já reparou nos rótulos dos alimentos ultimamente? Pois é. Logo mais vai precisar ser Ph.D. para compreender toda aquela imensidão de informações contidas numa lata de ervilhas. Imagine, então, o que precisa ser escrito acerca de uma torta congelada (ugh!) de ervilhas? Ando meio enfarado com tanta celeuma e discussão estéril. Por que diabos o leite em pó seria melhor que o leite materno ou vacum? Abro exceção para os casos de doenças vinculadas à ingestão de derivados lácteos. Mas leia, por favor, leia os rótulos. Eu quase me descobri um infanticida involuntário quando percebi a heresia que cometi com os meus filhos. Publicamente, peço desculpas a ambos. Foram criados com leite de verdade. Gordo. Natural. Daquele tipo de leite que estraga se ficar exposto ao tempo e ao calor. Hoje em dia, esse meu comportamento deve ser crime passível de severa punição pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. Ainda bem que os meus filhotes já são adultos... Você acha que aquele povo bem velhinho que vive lá em Monte Alto, não a parte mais jovem da população, mas os avoengos que continuam saudáveis apesar de velhos, leem os rótulos? Está certo que em determinados casos a questão é mais de natureza oftalmológica do que preocupação com a saúde propriamente dita. Mas mesmo comendo manteiga ao invés de margarina (duplo ugh!), estão todos firmes, fortes e sacudidos. Nutricionismo é moda. Na Primeira Guerra Mundial, meros cem anos atrás, não existia sequer o conceito de vitaminas; as pessoas morriam de escorbuto. Só que a Humanidade come o que encontra pela frente desde sempre. Dá o que pensar, não dá? Quer mais exemplos? A indústria norte-americana de ali74 Revista Energia

mentos gastou em 2010 (não tenho dados mais recentes, mas aceito contribuições) a bagatela de 32 bilhões de dólares para fabricar e vender as gororobas que inundam as prateleiras dos supermercados. Cada uma delas cuidadosamente formulada por equipes de profissionais adeptos ao nutricionismo. Tudo com baixo teor disso ou aquilo; quem sabe, isento de qualquer coisa que tenha caído em desgraça: de azeite de oliva sem filtrar até as papinhas de arroz... E o país tem sérios problemas de obesidade. Na França as pessoas comem e bebem tudo o que os seguidores do nutricionismo abominam: creme, gordura animal, açúcar e assim por diante. Agora, basta uma caminhada por Paris para perceber que praticamente inexistem franceses obesos. Se você viu algum, devia ser um turista. Provavelmente americano. Ainda mais, o índice de doenças cardiovasculares é maior nos EUA do que na França.

Deus é o maior nutricionista que eu conheço. Deixou tudo pronto para que a espécie sobrevivesse e se multiplicasse Comida é a alquimia moderna. A mistura de sabores, texturas e aromas nos permite viajar nos sentidos e, ao mesmo tempo (pasmem!), nos mantêm vivos e saudáveis. Deus é o maior nutricionista que eu conheço. Deixou tudo pronto para que a espécie sobrevivesse e se multiplicasse, como era a Sua vontade inicial. A invenção da geladeira, dos conservantes químicos, aditivos e corantes deve ser coisa do diabo. Caso eu sobreviva aos excessos e comilanças de final de ano, volto ao tema em janeiro.  Até a próxima.


guia da gula

guia gastronômico

Foto Arquivo Pessoal

sabores para todos os paladares

Café e Salgadaria Trigo de Ouro

Foto Douglas Ribeiro

Foto Douglas Ribeiro

Reconhecida pelo ótimo atendimento, ambiente agradável e produtos de qualidade, o Café e Salgadaria Trigo de Ouro está localizado no centro de Jaú. O local oferece deliciosos bolos e tortas inteiras ou em pedaços, dos mais variados sabores. Lanches na chapa, salgados assados, pão de queijo e sucos naturais, de polpa e detox, são ótimas opções para o lanche da tarde. O Café e Salgadaria Trigo de Ouro aceita encomendas para míni salgados e é uma ótima opção para festas ou reuniões com as amigas. Para esta edição apresentamos o delicioso hamburguinho e a sensação do momento, o suco detox. O horário de atendimento é da 8h às 18h30 durante a semana, e das 8h às 17h, aos sábados. Rua: Edgard Ferraz, 305 - Centro - Jaú - SP (14) 3416-9110

Sabor Express Rotisserie e Confeitaria Com qualidade inigualável, agilidade, produtos diferenciados e bom atendimento, o Sabor Express – Rotisserie e Confeitaria oferece uma gama de doces, salgados, bolos decorados, marmitas, prato feito, frango assado todos os domingos e buffet completo para casamentos, aniversários e confraternizações. Para esta edição a Sabor Express apresenta uma novidade: pão caseiro. Que tal incrementar seu café da manhã ou lanche da tarde? Corra e pegue o seu! O local fica aberto de segunda a sexta até 18h, sábados e domingos até 15h. Av. Arnaldo Bussato, 142 - Cila Bauab - Jaú Disk (14) 3032 5957

Salgadaria Sonia Localizada próximo ao terminal urbano, a Salgadaria Sonia conta com uma grande variedade de salgados. O diferencial são as coxinhas que agradam os paladares mais refinados. Venha conhecer os salgados fritos e assados que o local oferece. E saborear as deliciosas coxinhas de mandioca com carne seca, bacalhau com batata, entre outras novidades. Rua Saldanha Marinho, 669 (14) 3626-3435

Revista Energia 75


Empresarial

Por Antônio Paulo Grassi Trementocio empresarial@revistaenergiafm.com.br

A injustiça social com o empresário continua

I

O tema já foi apresentado na RE, mas devido à repercussão, ousamos tratar do mesmo novamente

nicialmente transmito minha satisfação em voltar a escrever para esta Revista e agradecer a todos que contribuíram para essa realidade. Volto noticiando a parceria de nossa empresa com dois parceiros competentes e de renome em nossa região, que tanto enriquecem o trabalho realizado junto às empresas: Gustavo Schiavon Consultoria Empresarial e Maltez Contabilidade, às quais desde já agradeço a presente iniciativa. A maioria das empresas, desde janeiro deste ano, vem experimentando uma recessão agressiva, com a redução brusca de seus faturamentos e, mais do que isso, vendo o endividamento já existente aumentar e outros se aproximarem. Endividamento, em sua maioria, representado pelos bancos e pelo fisco de toda natureza. Infelizmente nossos governantes estão inertes, não apresentando qualquer solução para a melhora desse quadro. Pelo contrário, vemos a política financeira nacional caminhar contrariamente aos interesses do empresário. Um dos exemplos mais recentes é o plano de parcelamento para débitos fiscais, que exige valores representativos de entrada para adesão, situação impraticável. O governo, em suas políticas sociais, esquece o empresário, que é a fonte geradora de renda em nosso país, aquele que mantém o emprego, os salários e a arrecadação fiscal. Que suporta uma carga violenta de tributos, que sustenta a governabilidade do país. Mesmo diante da realidade financeira pela qual passa o empresário, nada tem feito o governo para amenizar a situação daqueles que pagam altas taxas de juros para os bancos, que são os que mais se beneficiam com essa realidade. Pergunto a você, empresário, qual o auxilio ou subsídio que

76 Revista Energia

sua empresa e família têm recebido do governo neste momento de crise poucas vezes vista no país, onde a cada dia são fechadas dezenas de portas de empresas? Qual o auxílio ou subsídio que você, sua empresa e família têm recebido quando suportam a inadimplência dos clientes, ou quando suportam a queda do faturamento, ou quando têm que encerrar suas atividades perdendo tudo para os bancos, inclusive sua autoestima? Existe algum seguro desemprego ou alguma bolsa escola para você e sua família? Deveria o governo criar uma política social voltada às empresas e empresários, que em verdade são as maiores vítimas dos problemas sociais e políticos. Política essa que viabilizasse salvá-las, para que pudessem retomar às suas atividades habituais e voltar a gerar rendas, fazendo o país crescer. Lembre-se que é você, empresário, que paga a elevada carga tributária do país, que enriquece os bancos através das altas taxas de juros, enfim, você sustenta esse país nos seus acertos e equívocos. Infelizmente, o que continuamos vendo é a grande injustiça social para com o empresário, e que não será tão logo corrigida, devendo cada um de vocês buscar dentro da legalidade, da honra e da ética, meios para que essa injustiça social seja minimizada e falaremos sobre isso nas próximas edições. Aproveito para deixar as felicitações a você, leitor, desejando que no ano que se aproxima Deus dê a cada um sabedoria e mansidão para suportar momentos de crise, e muita criatividade para encontrar alternativas para passar por esse momento, lembrando que não podemos deixar de remar em nenhum instante. Um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de paz e prosperidade. 


Revista Energia 77


Trabalho e 1 Previdência Por Giovanni Trementose

empresarial@revistaenergiafm.com.br

Banco de horas Somente é possível a implantação do sistema de “banco de horas” para compensação de jornada de trabalho se houver previsão em Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho

B

anco de horas é um sistema de flexibilização da jornada de trabalho diária dos empregados que possibilita a posterior compensação das horas trabalhadas, sejam a mais ou a menos. A implantação desse sistema de compensação exige autorização por Convenção ou Acordo Coletivo, firmado entre empresas e sindicatos, viabilizando à empresa adequar a jornada de trabalho dos empregados às suas necessidades de produção. O banco de horas abrange todos os trabalhadores, independentemente da modalidade de contratação, seja por prazo determinado ou indeterminado, podendo ser utilizado, por exemplo, nos momentos de pouca atividade da empresa para reduzir a jornada normal dos empregados durante um período, sem redução do salário, permanecendo um crédito de horas para utilização quando a produção crescer ou a atividade acelerar. Num outro momento em que a atividade da empresa aumenta e, consequentemente, aumenta-se a jornada de trabalho, as horas extras não serão remuneradas, sendo concedidas como compensação folgas correspondentes em dias alternativos, ou

78 Revista Energia

sendo reduzida a jornada de trabalho até o término das horas excedentes. A compensação das horas extras deverá ser feita durante a vigência do contrato. Caso o trabalhador seja demitido, com ou sem justa causa, sem que tenha havido a compensação das horas extras trabalhadas, o empregado tem direito ao recebimento destas horas com o acréscimo previsto na Convenção ou Acordo coletivo, que não poderá ser inferior a 50 % da hora normal. Aproveito o ensejo para agradecer aos leitores da RE que mantiveram contato durante todo o ano para tirar dúvidas e apresentar elogios, desejando-lhes um Natal carregado de bênçãos e um Ano Novo repleto de prosperidade e realizações! 

A compensação das horas extras deverá ser feita durante a vigência do contrato


B

Revista Energia 79


80 Revista Energia

Revista Energia 52  

A Revista Energia é uma publicação mensal da Rádio Energia FM. Garanta seu exemplar, gratuitamente, nos pontos de retirada: Posto São João e...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you